Rui Moreira SEM MEDO DO FUTURO. Caminhos e desafios à moda do Porto

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rui Moreira SEM MEDO DO FUTURO. Caminhos e desafios à moda do Porto"

Transcrição

1

2

3 SEM MEDO DO FUTURO

4

5 Rui Moreira SEM MEDO DO FUTURO Caminhos e desafios à moda do Porto

6 Reservados todos os direitos de acordo com a legislação em vigor. Reprodução proibida por todos e quaisquer meios. Por vontade expressa do autor, a presente edição não segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. 2017, Rui Moreira Direitos para esta edição: Clube do Autor, S. A. Avenida António Augusto de Aguiar, º Lisboa, Portugal Tel / Fax: Título: Sem medo do futuro Autor: Rui Moreira Revisão: Silvina de Sousa Paginação: Gráfica 99 em caracteres Palatino Impressão e acabamento: Multitipo Artes Gráficas, Lda. (Portugal) ISBN: Depósito legal: /17 1.ª edição: Setembro, 2017

7 Paulo

8

9 Boa parte dos nossos mal-estares e da nossa pouca racionalidade colectiva provém de que as sociedades democráticas não mantêm boas relações com o futuro. Daniel Innerarity

10

11 ÍNDICE Introdução O futuro e os seus inimigos I POLÍTICA À MODA DO PORTO 1. Coesão social Desenvolvimento económico Turismo e cultura Mobilidade e ambiente Balanço II CONTRA A MACROCEFALIA 1. Poder central versus poder local Descentralização de competências III AS GRANDES QUESTÕES DA NOSSA SOCIEDADE 1. Demografia e ordenamento do território Transparência económica Educação Segurança O papel dos meios de comunicação social Por uma nova Europa Epílogo Honra em sermos portugueses

12

13 INTRODUÇÃO O futuro e os seus inimigos Nos últimos quatro anos, o Porto sofreu uma enorme transformação. Bastará recordar que, por esta altura e em véspera de eleições, era a questão da reabilitação que dominava os debates e inspirava os programas das forças políticas em confronto. A queixa era, então, que a cidade estava em ruína, provocada por anos de debandada da população do centro para a periferia. Que não havia incentivos. Que não havia investimento. Que era preciso criar políticas de atracção sobre a cidade. Defendi, então, a necessidade de garantir as boas contas, contrariando as propostas que defendiam um gigantesco investimento público na reabilitação, suportadas, é verdade, na expectativa, mais tarde gorada, de que o Portugal 2020 iria gerar recursos para essa finalidade. Certo é que sem esse gigantesco investimento público a reabilitação acelerou, de tal forma que deixou de ser a principal preocupação dos portuenses. E isso sucedeu porque o mercado se encarregou de resolver esse problema. Mas esse sucesso, que se deve em grande parte ao crescimento exponencial do turismo, criou externalidades que justificaram e justificarão novas políticas públicas. Porque o aumento da procura gerou um inevitável aumento de preços e também porque o crescimento da actividade económica causou um inevitável e grande impacto nas infraestruturas. 13

14 RUI MOREIRA O sucesso, e o Porto teve um assinalável sucesso nestes anos, desnudou problemas que já existiam, ainda que por causas diferentes. Nomeadamente a gentrificação, que se iniciara com o êxodo das populações do centro para a periferia e que o turismo e os seus influxos tornaram mais evidente. E é preciso recordar, porque a memória é muitas vezes curta, que o Porto perdeu, em quatro décadas, quase um terço da sua população. Não devido ao turismo, não devido ao sucesso, mas precisamente por ausência de economia, de segurança, de interesse. Por ausência de sucesso, portanto. Este desequilíbrio, comum a muitas cidades em ciclos idênticos, precisa de ser gerido, para ser partilhado, para que não se acentuem as desigualdades, para que nenhum cidadão se sinta preterido ou excluído. A gestão do sucesso exige escolhas, e não pode ser feita apenas à custa de investimento público, que pode afectar a sustentabilidade do município e depois penalizar os cidadãos mais carenciados. Tal como sucedeu com a reabilitação, é fundamental definir políticas que compensem as falhas de mercado sem o desvalorizar ou o tentar substituir. Por isso, a par da cultura, que é a pedra basilar da política da cidade do Porto, da coesão social e da economia, é indispensável apostar na sustentabilidade. Um conceito que não se esgota no meio ambiente, e que exige políticas económicas e sociais que garantam que o Porto permanece confortável, interessante e seguro para todos e que é capaz de fixar e atrair habitantes. Isso só é possível, ainda assim, se os portuenses não tiverem receio do futuro. Se não temerem a mudança e forem capazes de a olhar como uma oportunidade e um desafio que têm sabido protagonizar, que terá novas exigências, que imporá escolhas difíceis, mas que vale a pena. Para que os portuenses, que hoje têm orgulho na sua cidade, não voltem um dia a ter saudades do futuro, de um futuro que está nas suas mãos. 14

15 POLÍTICA À MODA DO PORTO I. POLÍTICA À MODA DO PORTO 15

16 RUI MOREIRA 16

17 1. COESÃO SOCIAL O MEU PARTIDO É O PORTO Ainda há quem não compreenda o que eu prometi então e em que votaram os portuenses. Disse, nesse dia, que o meu partido é o Porto. E, uma vez conquistada a presidência da câmara, demonstrei que assim seria. Mostro que assim é. Mostro que neste nosso movimento cabem todos, da direita à esquerda, independentemente dos seus vínculos partidários ou convicções. Desde que venham pelo Porto. A bem do Porto. O nosso movimento nunca se colocou na lógica populista antipartidária. Sempre o disse, e repito, que este é um projecto da cidade, um projecto da cidadania em que todos têm lugar. Foi por isso que então, há três anos, agradeci o apoio do CDS, que me deixou satisfeito. Na certeza de que uma recandidatura do nosso movimento implica o cumprimento escrupuloso do nosso programa, com a exigência crítica que implica que escolhamos os melhores para fazerem parte das nossas listas. Foi isso que fizemos então, e que voltaremos a fazer. Com a convicção firme de que o voto dos portuenses não é pertença de ninguém. Com a certeza de que fizemos o possível para cumprir o que de nós era esperado. Com a esperança de passar no exigente exame que qualquer recandidatura sempre implica. Com a confiança de conhecermos melhor a cidade e a capacidade dos seus protagonistas. Com a preocupação de não permitir que o nosso projecto seja abastardado. Com uma única obsessão: a de cumprir um programa assente na cultura, 17

18 RUI MOREIRA na coesão social e na economia, por muito que isso incomode os saudosistas. Introduzindo um quarto pilar, o da sustentabilidade. Sem medo de falar da felicidade, que decorre de fazermos do Porto uma cidade mais confortável e interessante. O Porto é o nosso partido. Disto não sairei. E neste nosso partido cabe todo o Porto, cabe o Porto todo. Não fomos raptados por ninguém, ao contrário dos piores augúrios e das tentativas de leituras enviesadas; não nos transformámos num partido; não caímos na tentação de olhar para prados distantes. Assim continuaremos a ser. De braços abertos a quem nos queira apoiar, a quem queira participar neste projecto. Ou seja e bem à moda do Porto, livres, independentes, inclusivos. Tudo o resto é folclore político sem muito interesse. 18

19 O DESERTO FLORESCEU Quando, no início do século, fui eleito para presidir à Associação Comercial do Porto, passei a frequentar diariamente o centro histórico. Nessa altura, pese embora a sua classificação patrimonial, o centro estava arruinado e vazio. O comércio tradicional fechara as suas portas, o fim do Anikibobó levara a noite para a zona industrial, os poucos turistas chegavam apressados de Pullman para visitar o barroco da Igreja de São Francisco. Não ficavam. Os poucos moradores que tinham resistido ao êxodo, que atirou a sua maioria para bairros sociais em zonas menos centrais ou para o mercado imobiliário de concelhos vizinhos, eram os mais fracos, acamados ou presos pela baixa renda que lhes cobravam na Baixa por casas sem condições e a ameaçar ruína, fruto da ausência de mercado e do congelamento das rendas. Hoje, o panorama mudou. Muito mais depressa do que se admitia. A mudança teve causas e rostos. O deserto floresceu, sim. E é preciso dizer «ainda bem!» antes de dizer que agora o problema é outro. Fala -se, com razão, mas truncando a relação de causa e efeito, no risco de gentrificação. Ou seja, do risco associado ao sucesso que transformou o centro deserto num lugar de eleição, o que se repercute no mercado, como não podia deixar de ser com as rendas liberalizadas de hoje e transacções que não estão à medida de muitos portuenses. E estes, é claro, querem partilhar o melhor que a cidade 19

20 RUI MOREIRA renascida lhes oferece. É diante desta mudança que devemos agir. Sem diabolizar o que é novo, sem anacronismos, sem complexos, a cidade tem os recursos para manter o seu carácter. Como escreveu Agustina, «a cidade tem toda ela uma forma, uma alma de muralha Apesar dos seus intrincados mundos de classes». E, por esses mundos intrincados, é preciso garantir o interclassismo do centro histórico, corrigindo as falhas de mercado, garantindo que há casas para os portuenses, mais velhos e mais novos, mais pobres ou remediados. E para isso, acredito, precisamos dos recursos da taxa turística. Mas precisamos, também, de olhar o futuro de frente, sem saudosismos. Sobretudo, sem saudosismos em relação a uma realidade que sempre, todos, criticámos e lamentámos. 20

Helena Sacadura Cabral CONVERSAS COM MARIA

Helena Sacadura Cabral CONVERSAS COM MARIA CONVERSAS COM MARIA outras obras da autora: Um Certo Sorriso Seis Histórias de Amor (co-autora) A Minha Cozinha Dieta (à minha maneira) Agenda de Sabores O Tempo e os Afectos Querida Menopausa (cartas

Leia mais

Por vontade expressa da autora, a presente edição não segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

Por vontade expressa da autora, a presente edição não segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa Por vontade expressa da autora, a presente edição não segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa info@marcador.pt www.marcador.pt facebook.com/marcadoreditora 2016 Direitos reservados

Leia mais

Mensagem da Direcção da A25A por ocasião das comemorações do 37.º aniversário do 25 de Abril

Mensagem da Direcção da A25A por ocasião das comemorações do 37.º aniversário do 25 de Abril Mensagem da Direcção da A25A por ocasião das comemorações do 37.º aniversário do 25 de Abril Foi há 37 anos. A ditadura foi lançada borda fora, a liberdade despontou e a democracia iniciou-se. A guerra

Leia mais

Escutar a cidade: dos pecados urbanos à energia bip-zip

Escutar a cidade: dos pecados urbanos à energia bip-zip Escutar a cidade: dos pecados urbanos à energia bip-zip Helena Roseta Fórum Lisboa, 14.5.2015 Há 41 anos, Portugal viveu a alegria do 25 de Abril, que nos devolveu a esperança e a liberdade. Viveu-se nessa

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA 15 de Outubro de 2009 Sr. as e Srs. Deputados: Como Presidente eleito da Assembleia da República,

Leia mais

Cidadania para a Saúde

Cidadania para a Saúde Ricardo Baptista Leite Carla de Sousa Pontes José Francisco Pavão Cidadania para a Saúde O Papel do Cidadão na Promoção da Saúde Publicação conjunta Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NA MARGEM SUL

QUALIDADE DE VIDA NA MARGEM SUL QUALIDADE DE VIDA NA MARGEM SUL Há quem afirme que nos últimos 40 anos não houve visão de conjunto para o desenvolvimento da Margem Sul. Sobre esta falsa questão, entendo que é necessário dizer o seguinte:

Leia mais

ÓRGÃOS DE PODER NOÇÕES, COMPETÊNCIAS E FUNCIONAMENTO

ÓRGÃOS DE PODER NOÇÕES, COMPETÊNCIAS E FUNCIONAMENTO ÓRGÃOS DE PODER NOÇÕES, COMPETÊNCIAS E FUNCIONAMENTO ÓRGÃOS DE SOBERANIA É através dos órgãos de soberania que se exerce o Poder. Presidente da República > Representa a República Portuguesa e garante o

Leia mais

5ª Edição da Conferência económica franco-portuguesa Marca Portugal - O contributo das empresas francesas

5ª Edição da Conferência económica franco-portuguesa Marca Portugal - O contributo das empresas francesas 5ª Edição da Conferência económica franco-portuguesa Marca Portugal - O contributo das empresas francesas Dr. Paulo Macedo 7 de Março 2017 1 Quero saudar o Senhor Ministro da Economia de Portugal, Manuel

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei n.º 953/XII/4.ª

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei n.º 953/XII/4.ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Lei n.º 953/XII/4.ª Criação da Freguesia de Ponte de Sor, no Concelho de Ponte de Sor, Distrito de Portalegre I Nota Introdutória A Lei n.º 11-A/2013

Leia mais

Reconhecendo a consolidação da Região Metropolitana de Fortaleza como um espaço integrado;

Reconhecendo a consolidação da Região Metropolitana de Fortaleza como um espaço integrado; CARTA VERDE DE FORTALEZA A vida de uma cidade, antes de tudo, é consolidada pela prática da política no seu seio. A política é a grande protagonista do desenvolvimento e é concretizada através dos políticos.

Leia mais

Definição de Unidades de Intervenção no Morro da Sé Para o Morro da Sé, que é delimitado pela Rua do Corpo

Definição de Unidades de Intervenção no Morro da Sé Para o Morro da Sé, que é delimitado pela Rua do Corpo Definição de Unidades de Intervenção no Morro da Sé.------ - 1 - Para o Morro da Sé, que é delimitado pela Rua do Corpo da Guarda, Rua de São Sebastião, Calçada de Vandoma, Avenida Vímara Peres, Escada

Leia mais

Parte I - Orçamento Participativo - visão panorâmica da realidade actual Giovanni Allegretti e Neiara de Morais Centro de Estudos Sociais (CES),

Parte I - Orçamento Participativo - visão panorâmica da realidade actual Giovanni Allegretti e Neiara de Morais Centro de Estudos Sociais (CES), Parte I - Orçamento Participativo - visão panorâmica da realidade actual Giovanni Allegretti e Neiara de Morais Centro de Estudos Sociais (CES), Universidade de Coimbra Em qual panorama nos colocamos?

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEPÇÃO Planificação anual de Informação Turística e Marketing 12ºano

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEPÇÃO Planificação anual de Informação Turística e Marketing 12ºano Planificação anual de Informação Turística e Marketing 12ºano Turmas N Professora: Sónia Vieira 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina Componente da formação Técnica; Organização semanal de 6 tempos

Leia mais

A presente edição segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

A presente edição segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa A presente edição segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa info@marcador.pt www.marcador.pt facebook.com/marcadoreditora Copyright 2009 by Kein & Aber AG Zurich Berlin. Todos os direitos

Leia mais

NOVOS HÁBITOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO MINISTÉRIO DO AMBIENTE

NOVOS HÁBITOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO MINISTÉRIO DO AMBIENTE NOVOS HÁBITOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO MINISTÉRIO DO AMBIENTE Luanda 3 de Fevereiro de 2014 2 Novos Hábitos Sustentáveis Quem deve PARTICIPAR? Adquirir Competências. Partilhar Experiências. Decisores, Directores

Leia mais

Lisboa. Luís Paisana Associação de Moradores do Bairro Alto

Lisboa. Luís Paisana Associação de Moradores do Bairro Alto Lisboa Luís Paisana Associação de Moradores do Bairro Alto O Turismo e a diversão nocturna são fatores importantes para a A estratégia do Governo de Portugal e da Câmara Municipal de Lisboa apostam na

Leia mais

OS PARTIDOS POLÍTICOS NA CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA

OS PARTIDOS POLÍTICOS NA CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA RESUMO Este texto expõe a relevância dos partidos políticos no contexto constitucional português. Para este efeito, analisam-se as linhas que institucionalizam as organizações político-partidárias; os

Leia mais

Intervenção III Fórum Abrigo

Intervenção III Fórum Abrigo Intervenção III Fórum Abrigo Este Fórum Social da Associação Abrigo convida-nos a dissertar sobre o papel da sociedade civil no mundo actual. O tema parece-me aliciante, importante e decisivo numa sociedade

Leia mais

FICHA TÉCNICA. facebook.com/manuscritoeditora

FICHA TÉCNICA.  facebook.com/manuscritoeditora FICHA TÉCNICA www.manuscrito.pt facebook.com/manuscritoeditora 2016 Direitos reservados para Letras & Diálogos, uma empresa Editorial Presença, Estrada das Palmeiras, 59 Queluz de Baixo 2730-132 Barcarena

Leia mais

Caro Paulo Lopes Lourenço, Consul Geral de Portugal em São Paulo. Estimado Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto

Caro Paulo Lopes Lourenço, Consul Geral de Portugal em São Paulo. Estimado Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto Caro Paulo Lopes Lourenço, Consul Geral de Portugal em São Paulo Estimado Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto Caros empresários e empreendedores aqui presentes, Minhas senhoras e meus

Leia mais

REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM PÓVOA DE VARZIM

REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM PÓVOA DE VARZIM REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM PÓVOA DE VARZIM PREÂMBULO O afastamento dos cidadãos, em particular dos mais jovens, da participação ativa na vida dos órgãos da democracia local e nos respetivos

Leia mais

Desenvolvimento Turístico e Ordenamento Problemas, Desafios, Soluções PORTO CRESCER COM CARÁCTER

Desenvolvimento Turístico e Ordenamento Problemas, Desafios, Soluções PORTO CRESCER COM CARÁCTER Desenvolvimento Turístico e Ordenamento Problemas, Desafios, Soluções PORTO CRESCER COM CARÁCTER ÍNDICE Porto Vocações Enquadramento Turismo Turismo do Porto Oportunidades Evolução Riscos Desafios Caso

Leia mais

Cidades Sustentáveis e Competitivas

Cidades Sustentáveis e Competitivas Cidades Sustentáveis e Competitivas Melhorar as Cidades para serem mais Competitivas A dimensão cultural na sustentabilidade das Cidades Cristina de Azevedo 29 de Outubro de 2010 1. A importância das cidades

Leia mais

Declaração de Bratislava

Declaração de Bratislava Bratislava, 16 de setembro de 2016 Declaração de Bratislava Reunimo-nos hoje em Bratislava num momento crítico para o nosso projeto europeu. A Cimeira de Bratislava de 27 Estados-Membros foi dedicada a

Leia mais

11/02/2016 Paço tenta ir a mercado de capitais

11/02/2016 Paço tenta ir a mercado de capitais Giro 11/02/2016 06:00 Caio Henrique Salgado Paço tenta ir a mercado de capitais pela terceira vez para fazer caixa A Secretaria Municipal de Finanças (Sefin) decidiu tentar pela terceira vez consecutiva

Leia mais

CLC-7 CULTURA, LÍNGUA E COMUNICAÇÃO O TEMPO

CLC-7 CULTURA, LÍNGUA E COMUNICAÇÃO O TEMPO CLC-7 CULTURA, LÍNGUA E COMUNICAÇÃO O TEMPO FORMADORA: Maria João FORMANDA: Maria Antónia Folgado 1. a) FONTE 1- Mariza Para Mariza andamos sempre com pressa, sem tempo para nada, as situações acontecem

Leia mais

Eduardo Ferro Rodrigues Presidente da Assembleia da República SUMÁRIO. Nota introdutória do Presidente da Assembleia da República;

Eduardo Ferro Rodrigues Presidente da Assembleia da República SUMÁRIO. Nota introdutória do Presidente da Assembleia da República; SUMÁRIO Nota introdutória do Presidente da Assembleia da República; Texto do Presidente da Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação; Texto do Presidente

Leia mais

MOÇÃO SECTORIAL DISTRITO DE SANTARÉM

MOÇÃO SECTORIAL DISTRITO DE SANTARÉM MOÇÃO SECTORIAL DISTRITO DE SANTARÉM I UM CDS MAIS PERTO DOS MILITANTES E DAS ESTRUTURAS II CONSIDERAÇÕES SOBRE O PARTIDO I - UM CDS MAIS PERTO DOS MILITANTES E DAS ESTRUTURAS 1 Comunicação interna - Concertação

Leia mais

4º CONGRESSO NACIONAL DOS ECONOMISTAS Lisboa, 19, 20 e 21 de Outubro de 2011

4º CONGRESSO NACIONAL DOS ECONOMISTAS Lisboa, 19, 20 e 21 de Outubro de 2011 4º CONGRESSO NACIONAL DOS ECONOMISTAS Lisboa, 19, 20 e 21 de Outubro de 2011 Apresentação ao painel sobre Coesão Social, Liderança e Empreendedorismo. Qualificações Capital Social, desenvolvimento económico

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei n.º 917/XII/4.ª

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei n.º 917/XII/4.ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Lei n.º 917/XII/4.ª Criação da Freguesia de Almargem do Bispo, no Concelho de Sintra, Distrito de Lisboa Na sequência da imposição, por parte deste

Leia mais

ESTATUTO DO DIREITO DE OPOSIÇÃO

ESTATUTO DO DIREITO DE OPOSIÇÃO ESTATUTO DO DIREITO DE OPOSIÇÃO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO RELATIVO AO ANO DE 2010 O Estatuto do Direito de Oposição, aprovado pela Lei n.º 24/98 de 26 de Maio, assegura às minorias o direito de constituir

Leia mais

Entrevista com Logicomer. Luís Sousa. Director Geral. Com quality media press para Expresso & El Economista

Entrevista com Logicomer. Luís Sousa. Director Geral. Com quality media press para Expresso & El Economista Entrevista com Logicomer Luís Sousa Director Geral Com quality media press para Expresso & El Economista Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As respostas que aqui figuram em linguagem

Leia mais

importância da REABILITAÇÃO URBANA

importância da REABILITAÇÃO URBANA importância da REABILITAÇÃO URBANA na construção de cidades inteligentes WORKSHOP SMARTCITIES PORTUGAL 2014 roadshow Aveiro 20 de Maio de 2014 1 2 3 REABILITAÇÃO URBANA uma estratégia de desenvolvimento

Leia mais

Roadshow Rede de Câmaras de Comércio Portuguesas no Estrangeiro Porto, 21 de novembro de 2016

Roadshow Rede de Câmaras de Comércio Portuguesas no Estrangeiro Porto, 21 de novembro de 2016 Roadshow Rede de Câmaras de Comércio Portuguesas no Estrangeiro Porto, 21 de novembro de 2016 1. QUEM É A CCILL? 2. PORQUÊ O LUXEMBURGO? 3. QUAIS OS SETORES COM MAIOR POTENCIAL 4. COMO ABORDAR O MERCADO

Leia mais

MUNICÍPIO DE OURIQUE. Intervenção de Marcelo Guerreiro por ocasião da Tomada de Posse

MUNICÍPIO DE OURIQUE. Intervenção de Marcelo Guerreiro por ocasião da Tomada de Posse MUNICÍPIO DE OURIQUE Intervenção de Marcelo Guerreiro por ocasião da Tomada de Posse Senhor Presidente da Assembleia Municipal, Pedro do Carmo, Senhoras e Senhores Eleitos Municipais, Senhores Eleitos

Leia mais

Declaração Política. (A nova situação política nacional)

Declaração Política. (A nova situação política nacional) Declaração Política (A nova situação política nacional) Senhor Presidente Srs. Deputados Srs. Presidente e Membros do Governo A declaração política que vou proferir destina-se a analisar a nova situação

Leia mais

UM GOVERNO SEM REI NEM ROQUE. É extraordinário como o actual Governo se mantém - contra a vontade da esmagadora maioria dos portugueses - com

UM GOVERNO SEM REI NEM ROQUE. É extraordinário como o actual Governo se mantém - contra a vontade da esmagadora maioria dos portugueses - com UM GOVERNO SEM REI NEM ROQUE É extraordinário como o actual Governo se mantém - contra a vontade da esmagadora maioria dos portugueses - com mentiras sucessivas e sem ter qualquer visão para o futuro,

Leia mais

Lionídio Gustavo de Ceita Presidente do Conselho de Administração

Lionídio Gustavo de Ceita Presidente do Conselho de Administração Lionídio Gustavo de Ceita Presidente do Conselho de Administração Uma referência estratégica no panorama empresarial O MESMO RELATÓRIO ASSINALA AS ELEVADAS POTENCIALIDADES DO PAÍS, SALIENTANDO OS SEGUINTES

Leia mais

Luís Amaral Universidade do Minho

Luís Amaral Universidade do Minho Conferência Crise, Sociedade da Informação e Poder Local 30 de Outubro de 2009 Auditório da Fundação Portuguesa das Comunicações Luís Amaral Universidade do Minho Patrocínio: Patrocinadores Globais Crise,

Leia mais

Dr.ª ANA SARA CAVALHEIRO ALVES de BRITO

Dr.ª ANA SARA CAVALHEIRO ALVES de BRITO Dr.ª ANA SARA CAVALHEIRO ALVES de BRITO Bom dia a todos. Muito obrigado pela vossa presença, em nome do Forum Abel Varzim. Realizamos hoje um Colóquio cujo tema é «A Saúde Como Factor de Desenvolvimento

Leia mais

FORMAÇÃO PROFISSIONAL

FORMAÇÃO PROFISSIONAL FORMAÇÃO PROFISSIONAL Práticas organizacionais, políticas públicas e estratégias de ação JOAQUIM FIALHO CARLOS ALBERTO DA SILVA JOSÉ SARAGOÇA (coordenadores) EDIÇÕES SÍLABO É expressamente proibido reproduzir,

Leia mais

AMA JR. A Assembleia Municipal da Amadora explicada às crianças

AMA JR. A Assembleia Municipal da Amadora explicada às crianças AMA JR A Assembleia Municipal da Amadora explicada às crianças A nossa mascote e Olá! Eu sou o AMA Júnior, a mascote da Assembleia Municipal da Amadora. E estes são os meus amigos que vais conhecer...

Leia mais

Discurso do Senhor Presidente da Câmara Municipal do Porto Dr. Rui Moreira. Apresentação do projeto Mercado do Bolhão

Discurso do Senhor Presidente da Câmara Municipal do Porto Dr. Rui Moreira. Apresentação do projeto Mercado do Bolhão Discurso do Senhor Presidente da Câmara Municipal do Porto Dr. Rui Moreira Apresentação do projeto Mercado do Bolhão 22 Abril 2015 11:00 Mercado do Bolhão [PT] 1 O Porto espera, pelo menos há trinta anos,

Leia mais

Programa BIP/ZIP parcerias locais- A energia dos bairros em tempo de crise

Programa BIP/ZIP parcerias locais- A energia dos bairros em tempo de crise Programa BIP/ZIP parcerias locais- A energia dos bairros em tempo de crise Cidadania para a sustentabilidade OIDP Helena Roseta Vereadora da Habitação, CML Cascais, 3.7.2013 O conceito BIP-ZIP Lisboa é

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS SOCIAIS

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS SOCIAIS COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS SOCIAIS RELATÓRIO E PARECER AO PROJECTO DE DECRETO-LEI QUE REGULAMENTA OS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO E APROVA O PROCESSO DE ELABORAÇÃO DA CARTA EDUCATIVA, TRANSFERINDO

Leia mais

Por vontade expressa do autor, a presente edição não segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

Por vontade expressa do autor, a presente edição não segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa Por vontade expressa do autor, a presente edição não segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa info@marcador.pt www.marcador.pt facebook.com/marcadoreditora 2016 Direitos da edição

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2014

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2014 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2014 Actividades em 2014 Organização da apresentação: 1.Tertúlias 2.Grupos de trabalho 3.Organizou; Preparou; Foi convidada; Apoiou Tertúlias 8 de Fevereiro MIRA Forum - «Espaços

Leia mais

FEIRA DO MAR USADO REGULAMENTO

FEIRA DO MAR USADO REGULAMENTO FEIRA DO MAR USADO REGULAMENTO NOTA JUSTIFICATIVA O presente regulamento tem como objetivo principal estabelecer a estrutura e organização de um evento denominado FEIRA DO MAR USADO» com periodicidade

Leia mais

PROMOÇÃO NOVOS RUMOS

PROMOÇÃO NOVOS RUMOS PROMOÇÃO NOVOS RUMOS ERA UMA VEZ TUDO COMEÇOU DE FORMA INÉDITA por um debate lançado pelo SET sobre o futuro modelo de Promoção Turística RESPOSTA TAMBÉM INÉDITA CTP e associadas AHP, APAVT, AHRESP, APHORT,

Leia mais

Tema da semana. Pedro Passos Coelho vence Eleições Legislativas. Vitória laranja e o fim de um ciclo rosa marcam noite eleitoral

Tema da semana. Pedro Passos Coelho vence Eleições Legislativas. Vitória laranja e o fim de um ciclo rosa marcam noite eleitoral Universidade do Algarve Curso Ciências da Comunicação Projeto Multimédia 2ºano 2ºsemestre Ano Letivo 2010-2011 Tema da semana Pedro Passos Coelho vence Eleições Legislativas Vitória laranja e o fim de

Leia mais

Anexo Único. Estrutura e modelo de funcionamento de Co- Governação para os Gabinetes de Apoio aos Bairros de Intervenção Prioritária

Anexo Único. Estrutura e modelo de funcionamento de Co- Governação para os Gabinetes de Apoio aos Bairros de Intervenção Prioritária Anexo Único Estrutura e modelo de funcionamento de Co- Governação para os Gabinetes de Apoio aos Bairros de Intervenção Prioritária Artigo 1º - Definição Um GABIP é uma estrutura de iniciativa municipal,

Leia mais

Presidente da Câmara Municipal. Discurso 25 de Abril António Manuel Bota

Presidente da Câmara Municipal. Discurso 25 de Abril António Manuel Bota Presidente da Câmara Municipal Discurso 25 de Abril 2015 António Manuel Bota Muito bom dia a todos! Sr. Presidente da Assembleia Municipal, Mesa da Assembleia, Senhores Secretários da Assembleia Municipal,

Leia mais

Politica Ambiental e os municípios da Costa Rica. Erika Linares Orozco Presidenta Executiva

Politica Ambiental e os municípios da Costa Rica. Erika Linares Orozco Presidenta Executiva Politica Ambiental e os municípios da Costa Rica Erika Linares Orozco Presidenta Executiva Costa Rica A Costa Rica é um país da América Central. Sua capital e centro econômico e político de San Jose. A

Leia mais

estgf escola superior de tecnologia e gestão de Felgueiras REGULAMENTO DO USO DOS RECURSOS INFORMÁTICOS DA ESTGF

estgf escola superior de tecnologia e gestão de Felgueiras REGULAMENTO DO USO DOS RECURSOS INFORMÁTICOS DA ESTGF estgf escola superior de tecnologia e gestão de Felgueiras REGULAMENTO DO USO DOS RECURSOS INFORMÁTICOS DA ESTGF estgf escola superior de tecnologia e gestão de Felgueiras ARTIGO 1º (DEFINIÇÕES) Para efeitos

Leia mais

Educação e Cidadania para Vencer os Desafios Globais

Educação e Cidadania para Vencer os Desafios Globais Conferência Fulbrigth Educação e Cidadania para Vencer os Desafios Globais Lisboa, 21 de Outubro Políticas de educação para vencer os desafios mundiais Maria de Lurdes Rodrigues Quero, em primeiro lugar,

Leia mais

Missão, Visão, Valores e Objetivos Estratégicos NOTA INTRODUTÓRIA

Missão, Visão, Valores e Objetivos Estratégicos NOTA INTRODUTÓRIA NOTA INTRODUTÓRIA A definição da Missão, da Visão, dos Valores e dos Objetivos Estratégicos da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, tem como escopo estabelecer a direção estratégica que o Município deverá

Leia mais

REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO MUNICIPAL. Regulamento n.º 01/2014. Aprovado em Reunião de Câmara a 13/02/2014

REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO MUNICIPAL. Regulamento n.º 01/2014. Aprovado em Reunião de Câmara a 13/02/2014 REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO MUNICIPAL Regulamento n.º 01/2014 Aprovado em Reunião de Câmara a 13/02/2014 Aprovado em Assembleia Municipal a 14/03/2014 ENQUADRAMENTO E JUSTIFICAÇÃO O Orçamento

Leia mais

Código de Conduta Ética Profissional

Código de Conduta Ética Profissional Código de Conduta Ética Profissional 1. CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DA BRASIL BROKERS A Brasil Brokers é uma empresa de intermediação e consultoria imobiliária que atua em todo território nacional e para nos

Leia mais

PAREDE PROGRAMA ELEITORAL E CANDIDATOS TRABALHO, HONESTIDADE E COMPETÊNCIA. Pedro Lopes Mendonça Candidato a Presidente da Câmara Municipal de Cascais

PAREDE PROGRAMA ELEITORAL E CANDIDATOS TRABALHO, HONESTIDADE E COMPETÊNCIA. Pedro Lopes Mendonça Candidato a Presidente da Câmara Municipal de Cascais PROGRAMA ELEITORAL E CANDIDATOS PAREDE TRABALHO, HONESTIDADE E COMPETÊNCIA Pedro Lopes Mendonça Candidato a Presidente da Câmara Municipal de Cascais Filipe Ferreira Candidato a Presidente da Junta de

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO GRAU DE OBSERVÂNCIA DO ESTATUTO DO DIREITO DE OPOSIÇÃO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO GRAU DE OBSERVÂNCIA DO ESTATUTO DO DIREITO DE OPOSIÇÃO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO GRAU DE OBSERVÂNCIA DO ESTATUTO DO DIREITO DE OPOSIÇÃO Relatório Mandato 2009-2013 1 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO GRAU DE OBSERVÂNCIA DO ESTATUTO DO DIREITO DE OPOSIÇÃO Janeiro de

Leia mais

ÍNDICE INTRODUÇÃO A economia do mundo antes do crescimento económico moderno O crescimento económico moderno: uma visão geral...

ÍNDICE INTRODUÇÃO A economia do mundo antes do crescimento económico moderno O crescimento económico moderno: uma visão geral... FICHA TÉCNICA Título: História Económica e Empresarial Autores: Ana Bela Nunes e Nuno Valério Copyright by Ana Bela Nunes e Nuno Valério e Editorial Presença, Lisboa, 2015 Imagem da capa: Shutterstock

Leia mais

Desafios da Reabilitação Urbana Sustentável: o caso do Centro Histórico do Porto. Álvaro Santos Presidente Executivo do Conselho de Administração

Desafios da Reabilitação Urbana Sustentável: o caso do Centro Histórico do Porto. Álvaro Santos Presidente Executivo do Conselho de Administração Desafios da Reabilitação Urbana Sustentável: o caso do Centro Histórico do Porto Álvaro Santos Presidente Executivo do Conselho de Administração Funchal, 22 de maio de 2015 Cidade do Porto, Diagnóstico

Leia mais

Miguel Relvas. Ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares

Miguel Relvas. Ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares Miguel Relvas Ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares Lisboa, 4 de Abril de 2013 1 Senhoras e Senhores Jornalistas Solicitei a vossa presença aqui para vos informar - e através de vós os portugueses

Leia mais

ALMANCIL E AS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO

ALMANCIL E AS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO ALMANCIL E AS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO Um estudo sobre o passado, o presente e o futuro de Almancil, sob o ponto de vista dos residentes Coordenação: Fernando Cardoso de Sousa Janeiro de 2007 ALMANCIL

Leia mais

Projecto de Lei n.º /X

Projecto de Lei n.º /X Grupo Parlamentar Projecto de Lei n.º /X DEFINE A CATIVAÇÃO PÚBLICA DAS MAIS-VALIAS URBANISTICAS COMO MEDIDA PREVENTIVA DE COMBATE AO ABUSO DE PODER E À CORRUPÇÃO Exposição de motivos O presente projecto

Leia mais

Código de Ética Empresarial da Metro do Porto

Código de Ética Empresarial da Metro do Porto Código de Ética Empresarial da Metro do Porto MP-848057/09 V1.0 Índice A. A EMPRESA Enquadramento Missão Visão Valores B. CÓDIGO Âmbito de Aplicação Acompanhamento C. PRINCÍPIOS ORIENTADORES DO RELACIONAMENTO

Leia mais

Fórum da Arrábida Repensar o futuro da Sociedade da Informação 11ª edição. Uma Agenda para o Crescimento e a Coesão Social

Fórum da Arrábida Repensar o futuro da Sociedade da Informação 11ª edição. Uma Agenda para o Crescimento e a Coesão Social Fórum da Arrábida Repensar o futuro da Sociedade da Informação 11ª edição Uma Agenda para o Crescimento e a Coesão Social Convento da Arrábida, 12 e 13 de Outubro de 2012 O Fórum da Arrábida tem o patrocínio

Leia mais

Inauguração das instalações cedidas ao Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental

Inauguração das instalações cedidas ao Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental INTERVENÇÃO DO SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS Dr. Isaltino Afonso Morais Inauguração das instalações cedidas ao Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar de Lisboa

Leia mais

REUNIÃO DO CONSELHO DE FUNDADORES 11/07/11

REUNIÃO DO CONSELHO DE FUNDADORES 11/07/11 REUNIÃO DO CONSELHO DE FUNDADORES 11/07/11 CONSELHO DE FUNDADORES COMPOSIÇÃO Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE) Município de Cascais Município de Almada Município de Mafra Município

Leia mais

Normas de Participação do Orçamento Participativo

Normas de Participação do Orçamento Participativo Normas de Participação do Orçamento Participativo 1. O presente documento enuncia as Normas de Participação do Orçamento Participativo de Vagos para 2016-2017 e anos subsequentes, a seguir designado por

Leia mais

SONDAGEM PRÉ ELEITORAL PORTO 2017 JN

SONDAGEM PRÉ ELEITORAL PORTO 2017 JN SONDAGEM PRÉ ELEITORAL PORTO 2017 JN Resultados sob embargo até divulgação pelo JN no dia 22 de setembro 1. Ficha técnica Esta sondagem foi realizada pelo CESOP Universidade Católica Portuguesa para o

Leia mais

ASSEMBLEIA MUNICIPAL 29 FEVEREIRO 2016 COMUNICAÇÃO ESCRITA DO SENHOR PRESIDENTE DE CÂMARA

ASSEMBLEIA MUNICIPAL 29 FEVEREIRO 2016 COMUNICAÇÃO ESCRITA DO SENHOR PRESIDENTE DE CÂMARA COMUNICAÇÃO ESCRITA DO SENHOR PRESIDENTE DE CÂMARA Ourém, 24 de Fevereiro de 2016 Exma. Sra. Presidente da Assembleia Municipal, Exmo(a)s. Sr(a)s. Secretários Exmo(a)s. Sr(a)s. Deputados Municipais Exmos

Leia mais

À procura da convergência entre todas as esquerdas 09-Jan-2009

À procura da convergência entre todas as esquerdas 09-Jan-2009 À procura da convergência entre todas as esquerdas 09-Jan-2009 Entrevista a Serafim Duarte, no Diário As Beiras de 9 de Janeiro O Bloco de Esquerda distingue-se dos restantes partidos, entre outras coisas,

Leia mais

Voto Electrónico sinónimo de cidadania participada

Voto Electrónico sinónimo de cidadania participada Universidade do Minho Licenciatura em Direito Informática Jurídica Voto Electrónico sinónimo de cidadania participada Docente: José Manuel E. Valença Discente: Eunice Maria Leite Coelho, n.º 24262 1 Voto

Leia mais

Legislação em Informatica. Fontes do direito Aula 02 Prof. Gleison Batista de Sousa

Legislação em Informatica. Fontes do direito Aula 02 Prof. Gleison Batista de Sousa Legislação em Informatica Fontes do direito Aula 02 Prof. Gleison Batista de Sousa Objetivos de aprendizagem Ao Final desta unidade você terá subsídios para: Entender a origem da legislação brasileira

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE REGULADORES DE ENERGIA DOS PAÍSES DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS. Artigo 1.

ASSOCIAÇÃO DE REGULADORES DE ENERGIA DOS PAÍSES DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS. Artigo 1. ASSOCIAÇÃO DE REGULADORES DE ENERGIA DOS PAÍSES DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Artigo 1.º (Denominação e natureza jurídica) A Associação de Reguladores de Energia

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DO CENTRO HISTÓRICO DO PORTO PATRIMÓNIO MUNDIAL RUI LOZA IHRU E PORTO VIVO,SRU GESTÃO URBANA DE UMA CIDADE PATRIMÓNIO MUNDIAL

PLANO DE GESTÃO DO CENTRO HISTÓRICO DO PORTO PATRIMÓNIO MUNDIAL RUI LOZA IHRU E PORTO VIVO,SRU GESTÃO URBANA DE UMA CIDADE PATRIMÓNIO MUNDIAL DO CENTRO HISTÓRICO DO PORTO PATRIMÓNIO MUNDIAL RUI LOZA IHRU E PORTO VIVO,SRU PORTO VIVO, SRU SEMINÁRIO ALFÂNDEGA DO PORTO 4 E 5 DE DEZEMBRO DE 2009 CENTRO HISTÓRICO DO PORTO PORTO ESPAÇO HUMANO DE EXCELÊNCIA

Leia mais

A lei estabelece que estes devem satisfazer os fins a que se destinam a produzir os efeitos que se lhes atribuem. Essa qualidade deve ficar

A lei estabelece que estes devem satisfazer os fins a que se destinam a produzir os efeitos que se lhes atribuem. Essa qualidade deve ficar A lei estabelece que estes devem satisfazer os fins a que se destinam a produzir os efeitos que se lhes atribuem. Essa qualidade deve ficar assegurada durante algum tempo após a sua compra. Ex: Se comprar

Leia mais

TERRITÓRIO, ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E REABILITAÇÃO URBANA Rui Loza, Arq.

TERRITÓRIO, ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E REABILITAÇÃO URBANA Rui Loza, Arq. Rui Loza, Arq. NAS ÚLTIMAS DÉCDAS ABANDONAMOS OS CASCOS HISTÓRICOS DAS CIDADES E CRIAMOS EXTENSAS URBANIZAÇÕES EM PRIFERIAS URBANAS E EM ÁREAS RURAIS TERRITÓRIO, ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CRIAMOS URBANIZAÇÕES

Leia mais

FICHA TÉCNICA. facebook.com/manuscritoeditora

FICHA TÉCNICA. facebook.com/manuscritoeditora FICHA TÉCNICA facebook.com/manuscritoeditora 2017 Direitos reservados para Letras & Diálogos Uma empresa Editorial Presença Estrada das Palmeiras, 59 Queluz de Baixo 2730 132 Barcarena Título original:

Leia mais

Fórum Ibérico sobre a Etnia Cigana

Fórum Ibérico sobre a Etnia Cigana Fórum Ibérico sobre a Etnia Cigana Sessão de Abertura: 8 de Abril, 10h00, Audº 3 Sua Excelência Reverendissima, D. António Vitalino Dantas Bispo de Beja e Presidente da Comissão Episcopal da Mobilidade

Leia mais

Senhor Presidente da Assembleia Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente e Senhores Membros do Governo

Senhor Presidente da Assembleia Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente e Senhores Membros do Governo Intervenção do Senhor Deputado António Maria Gonçalves aquando a discussão do Plano e Orçamento Senhor Presidente da Assembleia Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente e Senhores Membros do Governo

Leia mais

FAVELA COMO OPORTUNIDADE:

FAVELA COMO OPORTUNIDADE: FAVELA COMO OPORTUNIDADE: Plano de Desenvolvimento de Favelas para sua Inclusão Social e Econômica Cantagalo, Pavão-Pavãozinho, Rocinha, Borel, Complexo de Manguinhos, Complexo do Jacarezinho e Complexo

Leia mais

Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra

Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra WORKSHOP Combustíveis e veículos alternativos Práticas correntes e futuras linhas de orientação política para o transporte de passageiros (Projecto Alter-Motive) Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra

Leia mais

O Paradigma da Habitação Social

O Paradigma da Habitação Social O Paradigma da Habitação Social A HABISOLVIS E.M., criada em 2004 tem como objecto social principal: A gestão social, patrimonial e financeira da habitação social património do município de Viseu; A gestão

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org 12/11/2005 O Forum Social Mundial Policentrico de 2006: o que está em jogo, os desafios Chico Whitaker

Leia mais

PROJETO DE LEI DE INICIATIVA POPULAR

PROJETO DE LEI DE INICIATIVA POPULAR PROJETO DE LEI DE INICIATIVA POPULAR O bem estar de uma cidade, não depende exclusivamente de seus governantes. Cabe a todos os habitantes, sem distinção de classe o dever sagrado de defendê-lo, contornando

Leia mais

Mensagem. Manuel da Luz

Mensagem. Manuel da Luz 2 Mensagem A aposta está ganha! Portimão é hoje o grande destino turístico que sempre mereceu ser e abre os seus braços, acolhendo, de forma calorosa e profissional, os muitos milhares de visitantes nacionais

Leia mais

Sessão pública de apresentação /////////////////////////////////////////////////

Sessão pública de apresentação ///////////////////////////////////////////////// Sessão pública de apresentação ///////////////////////////////////////////////// carta de princípios A Câmara Municipal de Torres Novas reconhece que os orçamentos participativos são um símbolo da importância

Leia mais

Basta! Agualva e Mira Sintra NÃO PODEM MAIS!

Basta! Agualva e Mira Sintra NÃO PODEM MAIS! CANDIDATURA DO BE À UNIÃO DAS FREGUESIAS DA AGUALVA E MIRA-SINTRE, NAS AUTÁRQUICAS DE 2013 MANIFESTO ELEITORAL Caro(a) Eleitor(a): Candidato-me pelo Bloco de Esquerda, a esta nova freguesia resultante

Leia mais

16ª Conferência Internacional do SIL. Imobiliário, Investimento e Reabilitação Urbana

16ª Conferência Internacional do SIL. Imobiliário, Investimento e Reabilitação Urbana 16ª Conferência Internacional do SIL Imobiliário, Investimento e Reabilitação Urbana 9 Outubro 2013 O QUE HÁ DE NOVO Alteração do RJRU da Lei das Rendas Publicação do PDM Agravamento / escassez do crédito

Leia mais

Desafios profissionais: Os profissionais e o SNC. Lúcia Lima Rodrigues

Desafios profissionais: Os profissionais e o SNC. Lúcia Lima Rodrigues Desafios profissionais: Os profissionais e o SNC Lúcia Lima Rodrigues Introdução Breve caracterização do sistema contabilístico português: o SNC Os profissionais e o SNC Desafios/Oportunidades da adopção

Leia mais

Senhora Presidente da Assembleia da República. Senhor Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas. Senhor Ministro dos Assuntos Parlamentares

Senhora Presidente da Assembleia da República. Senhor Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas. Senhor Ministro dos Assuntos Parlamentares Senhora Presidente da Assembleia da República Senhor Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas Senhor Ministro dos Assuntos Parlamentares Senhores Vice-Presidentes da Assembleia da República e Senhores

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei n.º 944/XII/4.ª

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei n.º 944/XII/4.ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Lei n.º 944/XII/4.ª Criação da Freguesia de Alto do Seixalinho, no Concelho do Barreiro, Distrito de Setúbal I Nota Introdutória O Alto do Seixalinho,

Leia mais

SOUSA GALITO, Maria (2009). Entrevista ao Dr. Francisco Mantero. CI-CPRI, E T-CPLP, º1, pp. 1-5.

SOUSA GALITO, Maria (2009). Entrevista ao Dr. Francisco Mantero. CI-CPRI, E T-CPLP, º1, pp. 1-5. SOUSA GALITO, Maria (2009). Entrevista ao Dr. Francisco Mantero. CI-CPRI, E T-CPLP, º1, pp. 1-5. E T-CPLP: Entrevistas sobre a CPLP CI-CPRI Entrevista ao Dr. Francisco Mantero Secretário-geral do Conselho

Leia mais

Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana. 3ª Reunião do GAL

Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana. 3ª Reunião do GAL Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana 3ª Reunião do GAL Alcabideche, DNA Cascais 07 de julho de 2015 ORDEM DE TRABALHOS Ponto de situação sobre

Leia mais

Ana Rocha. Lycos despertar para o desenvolvimento OUTRAS OPÇÕES NA PROCURA DE EMPREGO

Ana Rocha. Lycos despertar para o desenvolvimento OUTRAS OPÇÕES NA PROCURA DE EMPREGO Ana Rocha Lycos despertar para o desenvolvimento OUTRAS OPÇÕES NA PROCURA DE EMPREGO Ana Rocha - 14 de Maio de 2012 Para além da pesquisa de emprego tradicional Quanto mais alternativas tiver em consideração

Leia mais

SEMINÁRIO QUE FUTURO PARA O TERRITÓRIO EDUCATIVO

SEMINÁRIO QUE FUTURO PARA O TERRITÓRIO EDUCATIVO SEMINÁRIO QUE FUTURO PARA O TERRITÓRIO EDUCATIVO DO CONCELHO DE ALMADA Almada, 9 de novembro de 2013 Conclusões SEMINÁRIO QUE FUTURO PARA O TERRITÓRIO EDUCATIVO DO CONCELHO DE ALMADA? AUDITÓRIO DA ES RUY

Leia mais

ROMA ANTIGA. Colóquio Populismo e as suas Expressões NEPUL 23/24 Maio 2017

ROMA ANTIGA. Colóquio Populismo e as suas Expressões NEPUL 23/24 Maio 2017 Colóquio Populismo e as suas Expressões NEPUL 23/24 Maio 2017 ROMA ANTIGA Maria SOUSA GALITO Investigadora do Centro de História Faculdade de Letras Universidade de Lisboa 23/05/2017, 16h45 Discurso de

Leia mais