PIB: revisão de cenário

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PIB: revisão de cenário"

Transcrição

1 PIB: revisão de cenário 24/11/2017 Divulgados todos os dados do 3T17, atualizamos os pressupostos do nosso modelo semiestrutural de médio porte - nome emproado para dizer que, diferente de modelos de curto prazo que tomam certas variáveis como dadas (exógenas), usamos um sistema de equações que interagem e são consistentes entre si 1 - para discutir o PIB resultante. De modo geral, as estimativas foram reavaliadas positivamente até Antes de expor os resultados, apresentamos alguns exercícios para o curto prazo. O bom momentum dos indicadores mensais de atividade sustenta as visões mais otimistas para o ritmo da recuperação doméstica, em linha com o que afirmamos em relatório anterior 2. A mediana das estimativas de mercado migrou para pouco menos 1, este ano e a dispersão das projeções para 2018 (medida aqui em desvio-padrão) se estabilizou em 0, pontos percentuais, em torno de uma mediana em 2,5%. PIB - mediana das projeções (%) PIB - desvio-padrão das projeções (p.p.) jan-17 abr-17 jul-17 out jan-17 abr-17 jul-17 out (2º eixo) % Fonte: Boletim Focus; elaboração: PINE Macro & Commodities Research Considerando os diferentes dados mensais de atividade que acompanhamos, os sinais mais fracos observados no início de julho foram revertidos pelos indicadores de agosto e posterior aceleração em setembro. Os nossos modelos de indicadores antecedentes já sugerem um crescimento anual ao redor de 3,5%. Como vemos abaixo, o indicador tem superestimado o PIB do IBGE na recuperação atual, ainda que a tendência seja respeitada. Já a estimativa via IBC-Br do banco central (feitos alguns ajustes para melhorar o fit) indica expansão anual de 1,8% no 3T17. 1T07 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 1T13 1T14 1T15 1T1 1T17 PIB Modelo antecedentes T04 1T05 1T0 1T07 1T08 PIB 1T09 1T10 1T11 1T12 1T13 1T14 1T15 IBC-Br ajustado 1T1 1T17 8% % 4% 2% -2% -4% -% 1 Por exemplo, o PIB hoje depende dos juros passados, que por sua vez depende da inflação anterior que, da mesma forma, é resposta do PIB antecedente e assim por diante. 2

2 Oficialmente, nós esperamos crescimento de 1,3% no 3T17 em comparação com o mesmo período de 201, consistente com expansão de 0,2% versus o trimestre imediatamente anterior e sem os efeitos sazonais. De qualquer forma, os exercícios acima deixam claro o viés positivo para o número. A maior contribuição virá do consumo das famílias (1,8% ) na esteira da aceleração da massa salarial e do acúmulo de cortes de juros que se transmite nos juros do crédito da pessoa física. Igualmente, vale destacar o bom comportamento da demanda externa (exportações = 10,8% e importação = 3,5%) e a redução da contribuição negativa da formação bruta de capital fixo (-0,% ), que deve ficar muito próxima de zero depois de cair,5% no 2T Exportações PIB Funcex Constr. Civil Máquinas Equip. FBCF -4 Fontes: Funcex e IPEA; elaboração: PINE Macro & Commodities Research Discutido o curto prazo, a ideia é apontar o crescimento dos próximos anos a partir dos nossos pressupostos para variáveis de estado, quais sejam, câmbio e juros domésticos, medidas de inflação, risco país e de crescimento da atividade mundial. Essas variáveis entram em um sistema dinâmico como explicativas de outras variáveis relevantes para cada componente do PIB pelo lado da demanda. Vale esclarecer que os gastos do governo são definidos de forma ad hoc. Juros reais pouco abaixo de 3, em 2018, 4,5% em 2019 e perpetuado em 4% Câmbio real estável em 2018, valorização de 15% em 2019 e posterior estabilidade Inflação em 4% em 2018 e consistente com a meta do BC a partir de então Alta de 3% da produção industrial mundial em 2017, perpetuado em 2% % 1T11 1T12 1T13 1T14 1T15 1T1 1T17 1T18 1T19 Modelo PIB + / - s.e Fonte: IBGE; elaboração: PINE Macro & Commodities Research A linha vermelha trás as projeções do modelo para as taxas de crescimento anuais (trimestre contra o mesmo trimestre do ano anterior), as linhas tracejadas trazem o intervalo de um erro padrão, enquanto o crescimento observado do PIB real está na linha laranja. As estimativas sugerem crescimento de 0,8% em 2017, 2,5% em 2018 e 3,5% em 2019 (média

3 do ano contra a média do ano anterior). Na ponta (4T/4T anterior), atingiríamos 1,% este ano, 3, no 4T18 e 3,3% no último trimestre de A principal contribuição ainda viria do consumo das famílias, mas a recuperação dos investimentos salta aos olhos ao atingir 3,2% no acumulado de 2018 e 5,% no ano seguinte, taxas consistentes com expansões de mais de 9% nos últimos trimestres na comparação interanual. Uma pergunta recorrente quando se discute a retomada dos investimentos é de onde viria a sua necessidade se as empresas, por exemplo, experimentam uma grande ociosidade da sua capacidade instalada. Sobre esse ponto é importante perceber que os investimentos brutos têm caído desde 2014 e não cobrem a depreciação desde então 3. Sendo assim, faz sentido a expansão de máquinas observada no segundo gráfico da página anterior: a retomada começa a demandar renovação de capital antigo mesmo com toda a capacidade inativa. Em suma, os números conversam com a nossa visão cautelosamente otimista, consistente com uma recuperação gradual, mas duradoura da atividade doméstica. De modo simplificado, a saída da recessão e a recuperação PIB passaram primeiramente por um estágio de redução das incertezas evidenciadas pela descompressão do risco país, da inflação esperada e do prêmio de risco embutido na curva de juros a partir do 1S1 ganhou força com a possibilidade de reutilização de política anticíclica por parte do banco central, fato que, agora, guardadas as defasagens típicas entre o corte de juros e a resposta dos dados, começa a surtir efeito. Os passos seguintes são ocupar o excesso de capacidade instalada (que no caso do hiato do produto não deverá ser totalmente concluída antes da virada de 2019/2020) e, se mais uma vez formos capazes de aprender com o passado, quem sabe acelerar as reformas capazes de elevar o potencial de crescimento, temas para relatórios futuros. Sendo assim, fica claro que as eleições são o maior risco para a sustentação desse processo, ainda incipiente e tênue. 3 Juros médio (% a.a.) % % % Crédito PJ (recursos livres) Selic (dir.) Massa de renda real Fontes: BCB e IBGE; elaboração: PINE Macro & Commodities Research Marco Caruso Economista 3 Gráficos 1 a 3 em: ciosa_atual_projecao_para_produto_potencial_2017_2018.pdf

4 Disclaimers Informações relevantes 1. Estes comentários e recomendações foram elaborados pelo Banco Pine S.A. ( Banco Pine ) Estes comentários e recomendações possuem caráter informativo, têm como único propósito fornecer informações e não constituem, nem devem ser interpretados como oferta ou solicitação de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro ou de participação em qualquer estratégia de negócios específica, qualquer que seja a jurisdição. As informações contidas nestes comentários e recomendações são consideradas confiáveis na data da divulgação destes comentários e recomendações e foram obtidas a partir de qualquer das seguintes fontes: (i) fontes indicadas ao lado da informação; (ii) preço de cotação no principal mercado regulado do valor mobiliário em questão; (iii) fontes públicas confiáveis; (iv) base de dados do Banco Pine. O Banco Pine não declara ou garante, de forma expressa ou implícita, a integridade, confiabilidade ou exatidão de tais informações. Estes comentários e recomendações não são declarações completas ou resumos dos valores mobiliários, mercados ou desenvolvimentos aqui abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas nestes comentários e recomendações refletem o atual julgamento do analista de investimento responsável pelo conteúdo destes comentários e recomendações na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. Da mesma forma, as cotações e disponibilidades dos instrumentos financeiros são meramente indicativas e sujeitas a alterações sem aviso prévio. O Banco Pine não está obrigado a atualizar, modificar ou corrigir estes comentários e recomendações, nem informar o leitor sobre tais alterações. 2. Os analistas de investimento responsáveis pela elaboração destes comentários e recomendações certificam que as opiniões expressas nestes comentários e recomendações refletem de forma precisa e exclusiva suas visões e opiniões pessoais a respeito de toda e qualquer empresa analisada ou seus valores mobiliários e foram produzidas de forma independente e autônoma. Uma vez que as opiniões pessoais dos analistas de investimento podem ser divergentes entre si, o Banco Pine pode ter publicado ou vir a publicar outros comentários e recomendações que não apresentem uniformidade e/ou apresentem diferentes conclusões em relação às informações fornecidas nestes comentários e recomendações. Os analistas de investimento declaram que não mantêm qualquer vínculo com qualquer indivíduo que mantenha relações comerciais de qualquer natureza com as empresas analisadas nestes comentários e recomendações e que não recebe qualquer remuneração por serviços prestados, nem mantêm relações comerciais com empresas ou pessoa natural ou jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que represente os interesses das empresas analisadas nestes comentários e recomendações. O analista de investimento, seu cônjuge ou companheiro não detém, direta ou indiretamente, posições em valores mobiliários emitidos pelas empresas analisadas nestes comentários e recomendações em sua carteira de investimentos pessoal, não têm interesse financeiro e não estão pessoalmente envolvidos na aquisição, alienação ou intermediação de tais valores no mercado. O analista de investimento, seu cônjuge ou companheiro não atua como administrador, diretor ou membro do conselho consultivo das empresas analisadas nestes comentários e recomendações. 3. A remuneração do analista de investimento é determinada pelos diretores do Banco Pine. Como todos os funcionários do Banco Pine e suas empresas afiliadas, a remuneração dos analistas de investimento é influenciada pelo resultado geral desta(s) companhia(s). Sendo assim, a remuneração do analista de investimento pode ser considerada indiretamente relacionada a estes comentários e recomendações, entretanto o analista de investimento responsável pelo conteúdo destes comentários e recomendações garante que nenhuma parcela de sua remuneração esteve, está ou estará, direta ou indiretamente, relacionada a quaisquer recomendações ou opiniões específicas contidas nestes comentários e recomendações ou ligada a precificação de quaisquer dos valores mobiliários discutidos nestes comentários e recomendações. 4. O Banco Pine, suas controladas, seus controladores ou sociedades sob controle comum podem possuir participação acionária, direta ou indireta, igual ou superior a 5% (cinco por cento) do capital social das empresas analisadas nestes comentários e recomendações, e podem estar envolvidas na aquisição, alienação ou intermediação de tais valores no mercado. O Banco Pine, suas controladas, seus controladores ou sociedades sob controle comum declaram que recebem, ou pretendem receber,remuneração por serviços prestados para as empresas analisadas nestes comentários e recomendações ou para pessoas a ela ligadas.

5 5. Os instrumentos financeiros discutidos nestes comentários e recomendações podem não ser adequados para todos os investidores. Estes comentários e recomendações não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento baseada nas informações contidas nestes comentários e recomendações. Caso um instrumento financeiro seja expresso em uma moeda que não a do investidor, uma alteração nas taxas de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade do instrumento financeiro e o leitor destes comentários e recomendações assume quaisquer riscos de câmbio. A rentabilidade de instrumentos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode, direta ou indiretamente, aumentar ou diminuir. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros, e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita nestes comentários e recomendações em relação a desempenhos futuros. O Grupo Pine se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização destes comentários e recomendações ou de seu conteúdo.. Estes comentários e recomendações não podem ser reproduzidos ou redistribuídos para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento por escrito do Banco Pine. Informações adicionais sobre os instrumentos financeiros discutidos nestes comentários e recomendações estão disponíveis sob consulta. Certificação de analistas Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório de análise são certificados de acordo com a regulamentação brasileira.

Soja: Tudo é relativo! 24 de outubro de 2017

Soja: Tudo é relativo! 24 de outubro de 2017 Soja: Tudo é relativo! 24 de outubro de 2017 O atraso no plantio da soja que preocupa o mercado é baseado principalmente no problema localizado no Mato Grosso. Entre as regiões produtoras, o estado é o

Leia mais

Soja: muito grão e pouco óleo 22 de novembro de 2016

Soja: muito grão e pouco óleo 22 de novembro de 2016 Soja: muito grão e pouco óleo 22 de novembro de 2016 Nos últimos dias, apareceram notícias sobre a volta de algumas unidades esmagadoras às atividades. Há alguns meses, muitas unidades encerraram suas

Leia mais

Grãos: tic-tac, tic-tac 26 de julho de 2017

Grãos: tic-tac, tic-tac 26 de julho de 2017 Grãos: tic-tac, tic-tac 26 de julho de 2017 Chegamos ao final de julho e o mercado continua com os olhos no clima americano. Esse continua pouco construtivo para as lavouras americanas de verão, sendo

Leia mais

Açúcar: Índia na berlinda 03 de março de 2017

Açúcar: Índia na berlinda 03 de março de 2017 Açúcar: Índia na berlinda 03 de março de 2017 Os problemas que as usinas indianas estão apresentando não é novidade no mercado, já se vão alguns meses que a quebra de safra é conhecida. Porém, a cada rodada

Leia mais

Grãos: Balde de água fria 11 de agosto de 2017

Grãos: Balde de água fria 11 de agosto de 2017 Grãos: Balde de água fria 11 de agosto de 2017 A divulgação do relatório de produção pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) de agosto surpreendeu o mercado e motivou uma forte queda nos preços

Leia mais

Açúcar: Próxima safra de C-S Brasil em 2017/18 1º de novembro de 2016

Açúcar: Próxima safra de C-S Brasil em 2017/18 1º de novembro de 2016 Açúcar: Próxima safra de C-S Brasil em 2017/18 1º de novembro de 2016 Estamos nos encaminhando para reta final da safra brasileira e, assim, ajustamos nossas projeções da safra atual e começamos a estimar

Leia mais

Grãos: O jogo do clima 07 de junho de 2017

Grãos: O jogo do clima 07 de junho de 2017 Grãos: O jogo do clima 07 de junho de 2017 Com o clima adverso nos EUA, o mercado já começa a se preocupar com as condições das safras de grãos, em especial do milho. Como podemos ver no gráfico abaixo,

Leia mais

Açúcar/Etanol: Impostos para que te quero! 25 de julho de 2017

Açúcar/Etanol: Impostos para que te quero! 25 de julho de 2017 Açúcar/Etanol: Impostos para que te quero! 25 de julho de 2017 Na semana passada, o governo federal elevou a cobrança do PIS/Pasep e Cofins sobre os combustíveis no Brasil. A elevação atingiu todos os

Leia mais

Soja: Abaixo dos de abril de 2016

Soja: Abaixo dos de abril de 2016 Soja: Abaixo dos 6 de il de 16 Encontramos-nos na parte final da colheita da soja no Brasil e o desenrolar da safra faz com que grande parte das dúvidas fosse esclarecida, passadas as surpresas positivas

Leia mais

Grãos: Produção final 09 de janeiro de 2017

Grãos: Produção final 09 de janeiro de 2017 Grãos: Produção final 09 de janeiro de 2017 Com a virada do ano, chegamos a um ponto importante, pois serão divulgados os números finais da produção americana. Como normalmente acontece, o relatório de

Leia mais

Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (1ª quinzena de agosto) 17 de agosto de 2017

Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (1ª quinzena de agosto) 17 de agosto de 2017 Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (1ª quinzena de agosto) 17 de agosto de 2017 Produtividade agrícola da safra brasileira A discussão sobre a produtividade agrícola no C-S do Brasil está animando novamente.

Leia mais

Algodão: temporada de furacões e de volatilidade 06 de setembro de 2017

Algodão: temporada de furacões e de volatilidade 06 de setembro de 2017 Algodão: temporada de furacões e de volatilidade 06 de setembro de 2017 Depois das graves consequências do Furacão Harvey no Texas/EUA, agora o todo o mercado está com os holofotes voltados para a temporada

Leia mais

Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (2ª quinzena de junho) 04 de julho de 2017

Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (2ª quinzena de junho) 04 de julho de 2017 Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (2ª quinzena de junho) 04 de julho de 2017 O mercado de açúcar passou por um ponto importante na última semana, o vencimento da tela de julho. A volumosa entrega de

Leia mais

Grãos: Olha moço, é sojão! 09 de janeiro de 2017

Grãos: Olha moço, é sojão! 09 de janeiro de 2017 Grãos: Olha moço, é sojão! 9 de janeiro de 17 O mercado brasileiro vive um momento de euforia com as perspectivas da safra de soja. As revisões da estimativa de produção de soja são noticias na mídia quase

Leia mais

Calendário Econômico Pine: O preço do conforto 20 de julho de 2015

Calendário Econômico Pine: O preço do conforto 20 de julho de 2015 Calendário Econômico Pine: O preço do conforto 20 de julho de 2015 COMENTÁRIO SEMANAL Os destaques da semana estão concentrados na agenda de atividade e inflação no Brasil, a despeito do inquietante cenário

Leia mais

Açúcar: nova regra de preços da gasolina 16 de setembro de 2016

Açúcar: nova regra de preços da gasolina 16 de setembro de 2016 Açúcar: nova regra de preços da gasolina 16 de setembro de 2016 Nas últimas semanas foram divulgadas duas variações nos preços dos combustíveis fósseis no Brasil (dia 14/out e 8/nov), além de afirmar uma

Leia mais

Geadas: risco disseminado 09 de junho de 2016

Geadas: risco disseminado 09 de junho de 2016 Geadas: risco disseminado 09 de junho de 2016 As previsões de geadas no Brasil estão cada vez mais presentes nos noticiários, pois elas estão cada vez mais fortes e com uma área em risco maior. No começo

Leia mais

Açúcar/etanol: Revisão da safra brasileira 2016/17 30 de agosto de 2016

Açúcar/etanol: Revisão da safra brasileira 2016/17 30 de agosto de 2016 Açúcar/etanol: Revisão da safra brasileira 2016/17 30 de agosto de 2016 Com o desenvolvimento da safra no C-S do Brasil observamos que algumas das nossas premissas para a safra não se concretizaram e,

Leia mais

Não Ec onomic amente Ativa (PNEA)

Não Ec onomic amente Ativa (PNEA) Desalento 24/01/2017 O desemprego deve seguir piorando ao longo de 2017. A depender das nossas estimativas e suposições para os seus condicionantes, o recuo na taxa de desocupação (como percentual da força

Leia mais

Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (2ª quinzena de agosto) 05 de setembro de 2017

Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (2ª quinzena de agosto) 05 de setembro de 2017 Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (2ª quinzena de agosto) 05 de setembro de 2017 Desejado das nações: Imposto de importação O imposto de importação finalmente apareceu, após essa discussão esquentar

Leia mais

Café: riscos mitigados 11 de maio de 2017

Café: riscos mitigados 11 de maio de 2017 Café: riscos mitigados 11 de maio de 217 No último mês, o preço do café acentuou o movimento de queda que já vinha ocorrendo desde o final de 216. Se olharmos o balanço de oferta e demanda, estamos entrando

Leia mais

Grãos: Agosto com problemas 08 de setembro de 2016

Grãos: Agosto com problemas 08 de setembro de 2016 Grãos: Agosto com problemas 08 de setembro de 2016 Com o fim de agosto mais uma parte do desenvolvimento das safras se desenrolou com algumas peculiaridades. De maneira geral, o clima nos EUA foi favorável

Leia mais

Avaliação quinzenal da Safra 2017/18(1ª quinzena de setembro) 19 de setembro de 2017

Avaliação quinzenal da Safra 2017/18(1ª quinzena de setembro) 19 de setembro de 2017 Avaliação quinzenal da Safra 2017/18(1ª quinzena de setembro) 19 de setembro de 2017 Paquistão O governo do Paquistão liberou as usinas locais para exportar 500 mil ton. Essa liberação foi requisitada

Leia mais

Soja: Plantio acelerado no Paraná 19 de outubro de 2016

Soja: Plantio acelerado no Paraná 19 de outubro de 2016 Soja: Plantio acelerado no Paraná 19 de outubro de 2016 O plantio da soja já completou um mês do seu início nos dois principais produtores de soja do Brasil, com o fim do vazio sanitário no dia 15/set.

Leia mais

Grãos: Setembro de confirmações 06 de outubro de 2016

Grãos: Setembro de confirmações 06 de outubro de 2016 Grãos: Setembro de confirmações 06 de outubro de 2016 O mês de setembro trouxe poucas mudanças e com isso trouxe mais certezas sobre a safra americana de grãos. Outro fator importante é que com o desenvolvimento

Leia mais

Grãos: tudo ou nada 06 de julho de 2017

Grãos: tudo ou nada 06 de julho de 2017 Grãos: tudo ou nada 06 de julho de 2017 Entramos no mês que pode ser considerado o mais importante para o mercado de grãos no ano. Pois, julho é a época na qual ocorre a floração do milho e o clima durante

Leia mais

Grãos: Outubro de colheita 03 de novembro de 2016

Grãos: Outubro de colheita 03 de novembro de 2016 Grãos: Outubro de colheita 03 de novembro de 2016 Com o final de outubro, praticamente acabam os riscos que haviam para a safra americana, grande parte da colheita já está feita. Ainda ocorrerá colheita

Leia mais

Grãos: CORNucópia 05 de junho de 2017

Grãos: CORNucópia 05 de junho de 2017 Grãos: CORNucópia 5 de junho de 217 Com o encerramento de maio muitas dúvidas se esclareceram sobre a produção de milho safrinha. As chuvas foram suficientes até agora, o que garante a produtividade de

Leia mais

Açúcar/Etanol: Cross hedge

Açúcar/Etanol: Cross hedge Açúcar/Etanol: Cross hedge 19 de outubro de 2017 Uma reclamação recorrente do mercado sucro-energético brasileiro é o problema da falta de previsibilidade do mercado de combustíveis. Em 2018, parte dessas

Leia mais

Grãos: clima e meteorologia 07 de abril de 2017

Grãos: clima e meteorologia 07 de abril de 2017 Grãos: clima e meteorologia 07 de abril de 2017 Com o início do plantio de grãos nos EUA, o clima na América do Norte volta a ser o ponto focal do mercado. Nesse sentido, os relatórios de curto prazo (até

Leia mais

Grãos: no creo en El Niño pero de março de 2017

Grãos: no creo en El Niño pero de março de 2017 Grãos: no creo en El Niño pero... 10 de março de 2017 Novamente os cientistas estão apontando para a ocorrência do efeito meteorológico do El Niño. A variação (ou anomalia) da temperatura das águas tropicais

Leia mais

SPREAD EM VISTA AGOSTO / OUTUBRO (Q/U) FUNDAMENTOS MENU DE COMMODITIES BOI GORDO 100,00 95,00 90,00 85,00 80,00 75,00

SPREAD EM VISTA AGOSTO / OUTUBRO (Q/U) FUNDAMENTOS MENU DE COMMODITIES BOI GORDO 100,00 95,00 90,00 85,00 80,00 75,00 MENU DE COMMODITIES BOI GORDO MÉDIAS MÓVEIS ANÁLISE GRÁFICA MÉDIAS 19 RECORRENTE E 70 SIMPLES TEMPO 60 MINUTOS TEMPO 60 MINUTOS SUPORTE 1 R$ 80,50 SITUAÇÃO VENDA SUPORTE 2 R$ 80,30 ENTRADA R$ 82,20 18/8/2009

Leia mais

Calendário Econômico Pine: Tão longe, tão perto 22 de junho de 2015

Calendário Econômico Pine: Tão longe, tão perto 22 de junho de 2015 Calendário Econômico Pine: Tão longe, tão perto 22 de junho de 2015 A semana tem como destaque a aguardada divulgação do Relatório de Inflação do Banco Central (BC) referente ao 2T15. A principal tarefa

Leia mais

Milho: TsuMAZE 21 de setembro de 2017

Milho: TsuMAZE 21 de setembro de 2017 Milho: TsuMAZE 21 de setembro de 2017 O título deste relatório é uma aglutinação das palavras Tsunami e maze (milho em inglês), pois acreditamos que o mercado brasileiro de milho terá uma enorme oferta

Leia mais

Relatório de Recomendações de Investimentos

Relatório de Recomendações de Investimentos Relatório de Recomendações de Investimentos Este relatório foi elaborado de acordo com as especificações da Synoro investimentos e destinado apenas para os clientes e funcionários da mesma. 24/07/2017

Leia mais

Resumo do dia 29 de outubro de 2009

Resumo do dia 29 de outubro de 2009 Resumo do dia 29 de outubro de 2009 Se os dois últimos dias foram de pessimismo, hoje foi diferente. Os investidores mostraram apetite ao risco, impulsionando altas valorizações na Bovespa. A principal

Leia mais

Relatório de Recomendações de Investimentos

Relatório de Recomendações de Investimentos Relatório de Recomendações de Investimentos Este relatório foi elaborado de acordo com as especificações da Synoro investimentos e destinado apenas para os clientes e funcionários da mesma. 09/08/2017

Leia mais

Principais destaques

Principais destaques BBDC4 ITUB4 ABEV3 BRFS3 SUZB5 RAPT4 VALE5 UGPA3 CIEL3 LAME4 RENT3 HGTX3 ODPV3 CESP6 BRFS3 CTIP3 30 de Outubro de 2015 30 de Outubro de 2015 vale Principais destaques Research 1 2 3 4 5 6 7 1 2 3 4 5 6

Leia mais

Logística: quem segura o rojão 20 de janeiro de 2017

Logística: quem segura o rojão 20 de janeiro de 2017 Logística: quem segura o rojão 20 de janeiro de 2017 Com o cenário das supersafras cada vez mais consolidado no Brasil, com os possíveis recordes de produção de soja e milho, retornamos nossa atenção para

Leia mais

Abril. Stock Guide CONTEÚDO. 02 Neutras / Não Atrativas 03 Análise de empresas. Atrativas

Abril. Stock Guide CONTEÚDO. 02 Neutras / Não Atrativas 03 Análise de empresas. Atrativas Stock Guide 04 de abril de 2017 Abril CONTEÚDO Guia técnico do mercado brasileiro voltado para investidores de longo prazo. 01 s 02 Neutras / Não s 03 Análise de empresas Analista responsável Victor Benndorf

Leia mais

Soja: comercialização no atoleiro 02 de maio de 2017

Soja: comercialização no atoleiro 02 de maio de 2017 Soja: comercialização no atoleiro 02 de maio de 2017 A safra brasileira de soja termina mais uma etapa com a colheita virtualmente completa. Um dos fatos que mais chama a atenção do mercado é a baixa comercialização

Leia mais

Açúcar: novas pedras no caminho 22 de fevereiro de 2017

Açúcar: novas pedras no caminho 22 de fevereiro de 2017 Açúcar: novas pedras no caminho 22 de fevereiro de 2017 Estamos novamente na iminência da safra no C-S do Brasil, sendo até algumas usinas já começaram a rodar suas unidades indústrias. Dessa forma já

Leia mais

Milho: E agora já eram as condições ideais 17 de março de 2017

Milho: E agora já eram as condições ideais 17 de março de 2017 Milho: E agora já eram as condições ideais 17 de março de 17 Nesse momento de euforia com as safras de verão no Brasil (sendo que as produtividades deverão ultrapassar recordes e as estimativas de produção

Leia mais

Grãos: clima às avessas 23 de dezembro de 2015

Grãos: clima às avessas 23 de dezembro de 2015 Grãos: clima às avessas 23 de dezembro de 2015 O período do plantio de soja no Brasil está praticamente finalizado, após vários problemas e particularidades que fizeram da safra 2015/16 singular. A mais

Leia mais

Açúcar/Etanol: Integração de mercados 09 de agosto de 2017

Açúcar/Etanol: Integração de mercados 09 de agosto de 2017 Açúcar/Etanol: Integração de mercados 9 de agosto de 217 Na última década muito se falou sobre o aumento da correlação entre as commodities. Vários estudos mostraram que a partir da segunda metade da década

Leia mais

Ajuste Diário Boi Gordo. 1 x R$ 150,00 x 330 = R$ ,00 1 x R$ 152,00 x 330 = R$ ,00. Ajuste Diário Milho. Dia 1-09:00 Dia 1-15:30

Ajuste Diário Boi Gordo. 1 x R$ 150,00 x 330 = R$ ,00 1 x R$ 152,00 x 330 = R$ ,00. Ajuste Diário Milho. Dia 1-09:00 Dia 1-15:30 XP - Análise Cálculo de Diário BM&F Diário Boi Gordo Dia 1-09:00 Dia 1-16:00 1 x R$ 150,00 x 330 = R$ 49.500,00 1 x R$ 152,00 x 330 = R$ 50.160,00 R$ 152,00 - R$150,00 = R$ 2,00 diário R$ 2,00 x 330 =

Leia mais

Calendário Econômico Pine: O ano do ajuste e um fio de esperança 25 de maio de 2015

Calendário Econômico Pine: O ano do ajuste e um fio de esperança 25 de maio de 2015 Calendário Econômico Pine: O ano do ajuste e um fio de esperança 25 de maio de 2015 COMENTÁRIO SEMANAL Os destaques da semana situam-se tanto no Brasil quanto nos EUA e referem-se ao crescimento real do

Leia mais

Milho: Falta um, e agora!? 18 de agosto de 2017

Milho: Falta um, e agora!? 18 de agosto de 2017 Milho: Falta um, e agora!? 18 de agosto de 2017 Ontem (17/ago), a Conab fez mais uma operação bem sucedida de subvenção, os leilões do prêmio equalizador pago ao produtor (Pepro) e do prêmio escoamento

Leia mais

COMENTÁRIO: negociou próximo ao suporte em 19,95 fechando no suporte em 20,20. OPERAÇÃO ENTRADA DIA 06/07, MÉDIAS NA COMPRA E PRÓXIMAS.

COMENTÁRIO: negociou próximo ao suporte em 19,95 fechando no suporte em 20,20. OPERAÇÃO ENTRADA DIA 06/07, MÉDIAS NA COMPRA E PRÓXIMAS. MENU DE COMMODITIES SOJA MAIO (SOJK10) SOJA MAIO (SOJK10) MÉDIAS MÓVEIS Médias no Profitchart utilizando o after market. ANÁLISE GRÁFICA Tempo 60 minutos MÉDIAS 12 SIMPLES E 23 SIMPLES TEMPO 60 MINUTOS

Leia mais

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013 Crescimento e juros Roberto Padovani Março 2013 jan-91 dez-91 nov-92 out-93 set-94 ago-95 jul-96 jun-97 mai-98 abr-99 mar-00 fev-01 jan-02 dez-02 nov-03 out-04 set-05 ago-06 jul-07 jun-08 mai-09 abr-10

Leia mais

Açúcar/Etanol: Revisão da safra 2017/18 30 de agosto de 2017

Açúcar/Etanol: Revisão da safra 2017/18 30 de agosto de 2017 Açúcar/Etanol: Revisão da safra 2017/18 30 de agosto de 2017 Conforme chegamos à segunda metade da colheita da cana-de-açúcar no Centro-Sul do Brasil, atualizamos nossa projeção de safra. Sendo que alguns

Leia mais

Crise de confiança. Roberto Padovani Setembro 2013

Crise de confiança. Roberto Padovani Setembro 2013 Crise de confiança Roberto Padovani Setembro 2013 jan/92 nov/92 set/93 jul/94 mai/95 mar/96 jan/97 nov/97 set/98 jul/99 mai/00 mar/01 jan/02 nov/02 set/03 jul/04 mai/05 mar/06 jan/07 nov/07 set/08 jul/09

Leia mais

Raia Drogasil Teleconferência de resultados

Raia Drogasil Teleconferência de resultados Destaques Participação de mercado crescendo significativamente na região Nordeste (2,3% no 3T15 contra 4,7% no 3T16); Ganho de margem bruta proveniente da existência de estoque comprado antes dos aumentos

Leia mais

Perspectivas para a Inflação

Perspectivas para a Inflação Perspectivas para a Inflação Carlos Hamilton Araújo Junho de 2013 Índice I. Introdução II. Ambiente Internacional III. Condições Financeiras IV. Atividade V. Evolução da Inflação VI. Boxes 2 I. Introdução

Leia mais

Calendário Econômico Pine: Salada grega 29 de junho de 2015

Calendário Econômico Pine: Salada grega 29 de junho de 2015 Calendário Econômico Pine: Salada grega 29 de junho de 2015 COMENTÁRIO SEMANAL Os eventos externos dominam a agenda da semana. Em primeiro lugar, na quinta-feira, nos EUA, serão divulgados os dados do

Leia mais

Portugal: o PIB do 3T surpreende em alta e acelera para 0,8% t/t

Portugal: o PIB do 3T surpreende em alta e acelera para 0,8% t/t dezembro 6 ANÁLISE ECONÓMICA Portugal: o PIB do 3T surpreende em alta e acelera para,8% t/t Myriam Montañez O crescimento da economia portuguesa durante o 3T de 6 alcançou os,8% t/t, um nível consideravelmente

Leia mais

Riscos Crescentes. Roberto Padovani Junho 2017

Riscos Crescentes. Roberto Padovani Junho 2017 Riscos Crescentes Roberto Padovani Junho 2017 Política volta a ser crítica 1. Política duração da crise - voltou a ser variável de controle; 2. Há impasse político: Economia ajuda manter governabilidade

Leia mais

PLATAFORMA XP PARA RPPS

PLATAFORMA XP PARA RPPS PLATAFORMA XP PARA RPPS POSICIONAMENTO ESTRATÉGICO 2 Com mais de 15 anos de história, a XP é um dos maiores grupos financeiros independentes do Brasil, presente nos principais centros financeiros da América

Leia mais

Carteira Gráfica Semanal

Carteira Gráfica Semanal Recomendações gráficas para a semana de 13/11/2017: Carteira Gráfica Semanal - Compra Ativo Preço de entrada Alvo Stop (R$) (R$) (R$) Peso Retorno Risco MAGG3 46,21 51,00 44,24 20% 10,37% 4,26% SAPR4 11,07

Leia mais

Iochpe-Maxion Relatório de Atualização

Iochpe-Maxion Relatório de Atualização jan-16 mar-16 mai-16 jul-16 set-16 nov-16 Iochpe-Maxion Recomendação Neutro MYPK3 Preço em 04/01/17 (R$) 12,59 Ações (MM) 95 Valor Mercado (R$ MM) 1.187 Mín. 52 semanas (R$) 8,34 Máx. 52 semanas (R$) 20,31

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN BC: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) registra alta de 0,3% em novembro e retração de 2,3% em 12 meses O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados

Leia mais

Nova queda do PIB não surpreende mercado

Nova queda do PIB não surpreende mercado Nova queda do PIB não surpreende mercado Os dados do Produto Interno Bruto (PIB) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE) nesta primeira semana de março mostram a tendência

Leia mais

RENDA FIXA TESOURO DIRETO

RENDA FIXA TESOURO DIRETO DESTAQUES DO RELATÓRIO Carteira Recomendada Nossa Carteira Recomendada do Tesouro Direto para os próximos 30 dias continua considerando principalmente o desafio fiscal nos próximos anos como principal

Leia mais

Açúcar/etanol: safra 2016/17 08 de janeiro de 2016

Açúcar/etanol: safra 2016/17 08 de janeiro de 2016 Açúcar/etanol: safra 2016/17 08 de janeiro de 2016 Como sempre acontece ao se aproximar do final de um ano, começamos a identificar possíveis as tendências para o próximo, com todas as dificuldades usuais

Leia mais

Superintendência de Planejamento, Orçamento e Custos

Superintendência de Planejamento, Orçamento e Custos Superintendência de Planejamento, Orçamento e Custos Atividade Econômica PIB - Crescimento anual (%) 4, 4,1 4,5 3,2 3,1 3,5 2,1 1,7 2, 4,8 3,6 2, 2 211 212 213 214 215 216 217* 218* * Projeções do FMI

Leia mais

Bradesco. Bradesco: Resultado ajustado do 3T17 acima do esperado. Análise de Investimentos Relatório de Análise

Bradesco. Bradesco: Resultado ajustado do 3T17 acima do esperado. Análise de Investimentos Relatório de Análise : Resultado ajustado do 3T17 acima do esperado O Banco registrou no 3T17 um lucro líquido ajustado de eventos extraordinários (amortização de ágio, PDVE e outros) de R$ 4,81 bilhões (ROAE de 18,1%) com

Leia mais

Operações de Crédito do SFN

Operações de Crédito do SFN BC: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) caem 0,2% em mai/17 e 2,6% em 12 meses. A retomada ainda não veio. O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados

Leia mais

Springs Global Relatório de Atualização

Springs Global Relatório de Atualização Teleconferência do resultado do 2T17 Receita no atacado da América do Sul foi impulsionada, principalmente, pelo maior volume de vendas de produtos intermediários no período, dado que o momento financeiro

Leia mais

PIB trimestral tem crescimento em relação ao mesmo período do ano anterior após 3 anos

PIB trimestral tem crescimento em relação ao mesmo período do ano anterior após 3 anos PIB trimestral tem crescimento em relação ao mesmo período do ano anterior após 3 anos No 2º tri./2017, o PIB brasileiro a preços de mercado apresentou crescimento de 0,23% quando comparado ao 2º tri./2016,

Leia mais

REUNIÃO MATINAL 22 de outubro de 2015

REUNIÃO MATINAL 22 de outubro de 2015 REUNIÃO MATINAL 22 de outubro de 2015 Reunião Matinal Índices Mundiais Bullets: Índices Internacionais Último Dia Mês Ano CHINA 3.368,74 1,45% 10,35% 4,14% HONG KONG 22.845,37-0,63% 9,59% -3,22% JAPÃO

Leia mais

ATIVIDADE ECONÔMICA. Junho de 2009

ATIVIDADE ECONÔMICA. Junho de 2009 Principais pontos Relatório de Inflação Banco Central ATIVIDADE ECONÔMICA As medidas anticíclicas vêm se traduzindo em melhoras recentes. A economia brasileira apresenta sinais de gradual recuperação.

Leia mais

31 de outubro de OdontoPrev Bom resultado no 3T13, em linha com as expectativas

31 de outubro de OdontoPrev Bom resultado no 3T13, em linha com as expectativas Bom resultado no 3T13, em linha com as expectativas Após a divulgação dos resultados do 3T13 e da teleconferência realizada pela, iniciamos nosso preço justo de R$ 11,00 por ação ODPV3, com base em modelos

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Dezembro de 2012 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) iniciou suas atividades no mês de novembro

Leia mais

O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008

O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008 NIVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008 Guilherme R. S. Souza e Silva * RESUMO - O presente artigo tem o objetivo de apresentar

Leia mais

Brasil - PIB Trimestral 2010.IV 2010.II 2011.II 2010.III 2011.I

Brasil - PIB Trimestral 2010.IV 2010.II 2011.II 2010.III 2011.I 2009.II 2009.III 2009.IV 2010.I 2010.II 2010.III 2010.IV 2011.I 2011.II 2011.III 2011.IV 2012.I 2012.II 2012.III 2012.IV 2013.I PIB 1º trimestre de 2013 29/05/13 O produto interno bruto (PIB) do 1º trimestre

Leia mais

17/11/2016. Metodologia:

17/11/2016. Metodologia: O TRADEBOOK apresenta neste relatório as análises gráficas dos principais ativos do IBX-100, do índice, dólar e juros futuros da BMF e ainda a análise do mercado dos EUA, Dólar comercial e Euro/Dólar.

Leia mais

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%)

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%) Carteira: CARTEIRA MODELO - MODERADA Patrimônio: R$300.000,00 Índice de comparação: Extrato Carteira CDI Data Início: 31/10/2013 (melhor data) Data Referência: 11/11/2016 SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR

Leia mais

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Janeiro. Carteira Sugerida de Dezembro

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Janeiro. Carteira Sugerida de Dezembro A carteira direcional recomendada pela equipe de analistas da Socopa Corretora é mensalmente avaliada buscando relacionar as cinco melhores opções de investimento para o mês subseqüente dentro dos ativos

Leia mais

Kinea Renda Imobiliária FII Relatório de Gestão Julho de 2011

Kinea Renda Imobiliária FII Relatório de Gestão Julho de 2011 Kinea Renda Imobiliária FII Relatório de Gestão Julho de 2011 Palavra do Gestor Prezado investidor, No mês de junho, não houve alteração na carteira de imóveis do Kinea Renda Imobiliária Fundo de Investimento

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T de Novembro de 2016 Relações com Investidores

Teleconferência de Resultados 3T de Novembro de 2016 Relações com Investidores Teleconferência de Resultados 11 de Novembro de 2016 Relações com Investidores 1 Disclaimer Este material constitui uma apresentação de informações gerais sobre a Marfrig Global Foods S.A. e suas controladas

Leia mais

15/12/2016. Metodologia:

15/12/2016. Metodologia: O TRADEBOOK apresenta neste relatório as análises gráficas dos principais ativos do IBX-100, do índice, dólar e juros futuros da BMF e ainda a análise do mercado dos EUA, Dólar comercial e Euro/Dólar.

Leia mais

Panorama Econômico 2017 Relatório de Atualização

Panorama Econômico 2017 Relatório de Atualização Economia em 2017 EUA Durante o ano de 2016, observou-se uma continuação da gradual recuperação da economia americana e do seu mercado de trabalho, apesar da piora das perspectivas do cenário global. Crescimento

Leia mais

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%)

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%) Carteira: CARTEIRA MODELO - AGRESSIVA Patrimônio: R$300.000,00 Índice de comparação: Extrato Carteira CDI Data Início: 30/08/2013 (melhor data) Data Referência: 28/09/2016 SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR

Leia mais

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%)

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%) Carteira: CARTEIRA MODELO - CONSERVADORA Patrimônio: R$300.000,00 Índice de comparação: Extrato Carteira CDI Data Início: 30/08/2013 (melhor data) Data Referência: 29/09/2016 SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA. O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2006

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA. O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2006 NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2006 Lucas Lautert Dezordi * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Introdução Esta seção do

Leia mais

Taxa de Juros no Período (SELIC)

Taxa de Juros no Período (SELIC) Os títulos públicos federais são emitidos pelo Tesouro Nacional e compõem a dívida pública interna. Servem como instrumento de captação de recursos para que o governo execute suas atividades. Todos os

Leia mais

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Dezembro. Carteira Sugerida de Novembro

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Dezembro. Carteira Sugerida de Novembro A carteira direcional recomendada pela equipe de analistas da Socopa Corretora é mensalmente avaliada buscando relacionar as cinco melhores opções de investimento para o mês subseqüente dentro dos ativos

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T de março de 2014

Apresentação de Resultados 4T de março de 2014 Apresentação de Resultados 4T13 27 de março de 2014 Disclaimer O material divulgado pela Companhia reflete as expectativas dos administradores e poderá conter estimativas sobre eventos futuros. Quaisquer

Leia mais

Siderurgia. Siderurgia: Primeiros sinais de recuperação. Análise de Investimentos Relatório de Setorial. Produção Brasileira de Aço

Siderurgia. Siderurgia: Primeiros sinais de recuperação. Análise de Investimentos Relatório de Setorial. Produção Brasileira de Aço : Primeiros sinais de recuperação Após uma crise prolongada, já se pode ver pequenos sinais de recuperação na siderurgia. No Brasil, a produção de julho/2016 foi a maior dos dez últimos meses. As vendas

Leia mais

Cenário Macro Semanal

Cenário Macro Semanal Federal Reserve sinaliza porta de saída para o atual afrouxamento quantitativo Como já era esperada, a decisão do FOMC (o comitê de política monetária do Federal Reserve) ao término de sua reunião foi

Leia mais

Carta Mensal Fevereiro 2017

Carta Mensal Fevereiro 2017 Carta Mensal Fevereiro 2017 Estratégia Macro Os fundos dentro da estratégia macro da Mauá Capital tiveram um mês de fevereiro bastante positivo, principalmente nas seguintes estratégias: Juros-Brasil Play

Leia mais

Cenário Macro Semanal

Cenário Macro Semanal Resultado positivo do IBC-Br em outubro possivelmente elevará as expectativas de crescimento para o ano O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), o qual representa uma proxy mensal do

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Junho de Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda fixa

Leia mais

RENDA FIXA TESOURO DIRETO

RENDA FIXA TESOURO DIRETO DESTAQUES DO RELATÓRIO Carteira Recomendada Nossa Carteira Recomendada do Tesouro Direto para os próximos 30 dias continua considerando principalmente o desafio fiscal (reforma da previdência no curto

Leia mais

RIO DE JANEIRO - CENTRO

RIO DE JANEIRO - CENTRO MACRO EUA: Nonfarm Payrolls Jan 11h30 180k 156k Taxa de Desemprego Jan 11h30 4,7% 4,7% ISM de Serviços Jan 13h00 57,0 57,2 Pedido às Fábricas Dez 13h00 0,5% -2,4% Pedidos de Bens Duráveis Dez 13h00 --

Leia mais

21/1/2014. Analista responsável: Fábio Gonçalves, CNPI-P RES RES IBOV SUP SUP

21/1/2014. Analista responsável: Fábio Gonçalves, CNPI-P RES RES IBOV SUP SUP Analista responsável: Fábio Gonçalves, CNPI-P RES2 50.054 RES1 49.189 IBOV 48.708 SUP1 47.498 SUP2 46.093 Os gráficos sinalizam mais desvalorização pela frente. A tendência tanto de curto quanto de longo

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO 2017:

CENÁRIO ECONÔMICO 2017: CENÁRIO ECONÔMICO 2017: Lenta recuperação após um longo período de recessão Dezembro 2016 AVALIAÇÃO CORRENTE DA ATIVIDADE ECONÔMICA A RECUPERAÇÃO DA CONFIANÇA DO EMPRESARIADO E DO CONSUMIDOR MOSTRAM ACOMODAÇÃO

Leia mais

Real Estate Watch. Cenário. Crédito imobiliário segue em condições desfavoráveis. Outubro 2016

Real Estate Watch. Cenário. Crédito imobiliário segue em condições desfavoráveis. Outubro 2016 Real Estate Watch Outubro 2016 Cenário Crédito imobiliário segue em desfavoráveis Tempo de leitura: 3 minutos Cenário e gráficos P.1 e 2 Economia Espacial P.3 Tabela de Indicadores P.4 Dois eventos são

Leia mais

Açúcar: muita fumaça e pouco fundamento 28 de março de 2017

Açúcar: muita fumaça e pouco fundamento 28 de março de 2017 Açúcar: muita fumaça e pouco fundamento 28 de março de 217 Os preços do mercado de açúcar sofreram fortes quedas nas últimas semanas e, por isso fizemos um relatório passando pelos principais tópicos que

Leia mais

Proteína animal: uma bola de neve 24 de março de 2017

Proteína animal: uma bola de neve 24 de março de 2017 Proteína animal: uma bola de neve 24 de março de 2017 A crise na indústria de proteína animal já chega ao final da sua primeira semana, desde que foi divulgada a operação Carne Fraca da Polícia Federal.

Leia mais