Nota de Crédito PJ-PF

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nota de Crédito PJ-PF"

Transcrição

1 Nota de Crédito PJ-PF Maio 2015 Fonte: BACEN Base: Março de 2015

2 Sumário Executivo A Nota de Crédito com dados das operações relativas ao mês de março apresenta maior abertura das operações, tanto para PJ como para PF. A expectativa da Assessoria Econômica da ABBC é que o crédito total do SFN feche o ano com crescimento de 10,6%, ou que haja estabilidade da dinâmica atual. Considerando o ciclo de aperto monetário, as medidas de natureza fiscal e as dificuldades em se recuperar a confiança das famílias e empresários, trata-se de um panorama fundamentalmente otimista. A carteira de crédito PJ apresentou crescimento de 10,0% e a expectativa é que cresça 9,0% em A principal modalidade de crédito com RL o capital de giro apresentou diminuição na carteira em relação ao mês passado, com queda de 1,0% na margem e com R$ 386 bilhões de saldo. A inadimplência desta carteira apresentou aumento de 0,2 p.p. em relação ao mês anterior, fechando março em 4,1%. Já a carteira de crédito PF apresentou desaceleração em relação ao mês anterior, com crescimento de 12,6%. A projeção é que a mesma cresça 12,5% em As operações com RL continuaram desacelerando em março. Considerando as principais modalidades do segmento, o cartão de crédito foi a que apresentou maior diminuição em relação a fevereiro, 1,1 p.p., ficando com 9,9% em março. A aquisição de veículos acumula queda de 5,4%. Finalmente, as operações com crédito consignado que representam 71,5% do total de crédito pessoal mantiveram-se estáveis, permanecendo nos mesmos 12,8% observados em fevereiro.

3 .. Índice Crédito Ligeira recuperação no crédito empresarial? Nota PJ: Queda nas concessões acumuladas Alta na taxa média de juros para RL Menor prazo nas concessões Redução na margem do spread bruto Sinais de aumento na inadimplência Principais linhas BNDES - Alerta com atrasos Crédito Rural - Diminuição da carteira Capital de Giro - Saldo em queda ACC - Queda do saldo em dólares Nota PF: Ligeira retomada nas concessões Juros médios continuam em ascensão Prazos estáveis para RL Queda no spread bruto Convergência dos atrasos e estabilização da inadimplência Principais Linhas Consignado - Queda nas concessões Veículos - Estabilidade na inadimplência Cartão de crédito - Aumento nas concessões Cheque Especial - Queda na inadimplência Crédito Imobiliário - Continuidade da desaceleração Endividamento com alta na margem Dados de Crédito PJ Dados de Crédito PF... 25

4 Crédito - Ligeira recuperação no crédito empresarial Crescimento do Crédito PJ 27% Crescimento do Crédito PF 37% 23% 19% 15% 11% 7% 3% 15,0% 10,0% 5,1% 23% 16% 9% 2% 23,0% 12,6% 5,2% Total RD RL Total RD RL Em março, a carteira de crédito total do SFN apresentou resultados melhores do que no mês anterior, com crescimento de 11,2%, e alcançou R$ 3,1 trilhões, representando 54,9% do PIB. A carteira para pessoas jurídicas (PJ) fechou o mês com R$ 1,6 trilhões (53,0% da carteira total) e para pessoas físicas (PF) com R$ 1,4 trilhões (47,0% da carteira total). Com esses resultados, a Assessoria Econômica da ABBC mantém a expectativa crescimento de 10,6% para a carteira de crédito em Favorecida pela depreciação cambial, a carteira de crédito PJ cresceu 10,0%, ante 9,4% em fevereiro, apontando ligeira recuperação. Na abertura da carteira, os recursos livres (RL) apresentaram aceleração de 0,3 p.p. ante o mês anterior, com crescimento de 5,1%. Já os recursos direcionados (RD) apresentaram maior ritmo de expansão, fechando março em 15,0% ante 14,2% em fevereiro. Por outro lado, a carteira de crédito PF apresentou reduziu levemente o crescimento em relação ao mês anterior, fechando em 12,6% contra 12,7%. Esse comportamento se deu por conta da desaceleração da carteira de RD com arrefecimento de 0,4 p.p. em relação a fevereiro, fechando março em 23,0%, uma vez que os RL se mantiveram com crescimento estabilizado em 5,2%. Nota de Crédito Página 01

5 jan/14 fev/14 abr/14 ago/14 out/14 abr/14 ago/14 out/14 jan/15 fev/15 PJ - Concessões por dia útil R$ Bilhões 9,0 PJ - Concessões R$ Bilhões 200 8,0 7, , , Concessões Totais Média dos últimos 12 meses PJ - Concessões acumuladas em 12 meses PJ - Queda nas concessões acumuladas 50% 40% As concessões totais para PJ por dia útil apresentaram recuperação sazonal em relação ao mês anterior. Porém, o volume mostra-se abaixo do verificado no mesmo período do ano passado, fechando em R$ 7,2 bilhões. 20% 10% 0% -10% -2,2% -9,2% Após dois meses abaixo, o saldo das concessões totais fechou acima da média dos últimos 12 meses R$ 158 bilhões contra R$ 148 bilhões. A variação das concessões acumuladas em 12 meses continuam em campo negativo. As concessões em RD apresentaram aumento no ritmo de queda, saindo de -7,2% para - 9,2% em março. Já as com RL apresentaram ligeira melhora de -2,4% em fevereiro para - 2,2% em março. Com isso as concessões acumuladas em 12 meses totais fecharam o mês com variação anual de -3,4%. RL RD Nota de Crédito Página 02

6 PJ - Alta na taxa média de juros para RL A taxa média de juros para PJ se manteve em 18,1%, mesmo patamar do mês passado. Assim, continua com o maior valor desde março de 2012 e 1,6 p.p. acima do fechamento de A taxa média de juros das operações com RD apresentou queda de 0,3 p.p. em relação a fevereiro, fechando em 8,4%. Ainda assim, 0,8 p.p. acima do fechamento do ano anterior. PJ - Taxa de Juros 25% 20% 15% 26,5% 18,1% Com aumento de 0,4 p.p. na margem e 2,3 p.p. acima de dezembro de 2014, a taxa média de juros para RL fechou março em 26,5%. A elevação é consistente com a tendência de alta verificada desde meados do ano passado. 10% 5% 8,4% Taxa de Juros RD RL PJ - Menor prazo nas concessões PJ - Prazo médio (meses) Pelo terceiro mês seguido, o prazo da carteira de crédito PJ permaneceu estável, fechando março em 36 meses. O prazo para as operações com RL se manteve em 17 meses, mesmo patamar desde dezembro passado. E o prazo para as operações com RD se manteve em 53 meses, mesmo patamar do mês anterior. Já o prazo para as concessões voltou a apresentar contração, com queda de três meses na margem, fechando março em 60 meses, em linha com o cenário de maior cautela por parte dos bancos nas concessões de novas dívidas. Na abertura, o prazo para as concessões em RL apresentou alta de cinco meses na margem, totalizando 29 meses em março. E o prazo para as concessões em RD teve expressiva queda de dez meses na margem, fechando o mês em 86 meses Concessões Carteira Nota de Crédito Página 03

7 PJ - Taxa de Captação PJ - Spread 14% 16% 12% 10% 8% 6% 4% 2% 12,4% 9,1% 5,3% 14% 12% 10% 8% 6% 4% 2% 14,1% 9,0% 3,1% Total RL RD Total RL RD PJ - Taxa de Aplicação 26% 21% 16% 11% 6% 26,5% 18,1% 8,4% PJ - Redução na margem do spread bruto A taxa média de captação para a carteira PJ continua com trajetória ascendente, iniciada ainda em junho do ano passado, fechando o mês em 9,1%.. Esse movimento reflete os impactos do aperto monetário. A taxa média de captação para RL apresentou alta de 0,3 p.p. na margem, totalizando 12,4% e para RD alta de 0,1 p.p. na margem, fechando 5,3% em março. A taxa média de aplicação se manteve em 18,1%, mesmo patamar do mês anterior mas ainda o maior desde março de A taxa média de aplicação para RL apresentou alta de 0,4 p.p. na margem, fechando em 26,5%. Para RD houve queda de 0,3 p.p. na margem, 8,4% no mês. Total RL RD Com esse movimento de alta maior nos custos da captação, o spread bruto apresentou queda na margem de 0,2 p.p. fechando o mês em 9,0%. Ainda assim, 1,0 p.p. acima do fechamento de Nota de Crédito Página 04

8 PJ - Atrasos PJ - Inadimplência MM6M 3,0% 2,5% 2,8% 4,0% 3,0% 3,6% 2,0% 1,5% 1,9% 2,0% 2,1% 1,0% 1,1% 1,0% 0,6% 0,5% 0,0% Total RL RD Total RL RD PJ - Sinais de aumento na inadimplência Os atrasos da carteira PJ apresentaram alta de 0,5 p.p. na margem, totalizando 2,5%, maior nível desde o início da série em março de Na série suavizada pela média móvel de seis meses, os atrasos totais fecharam em 1,9%, mantendo a trajetória de alta. Esse movimento deve-se praticamente aos atrasos das operações com RD que apresentaram o maior nível desde o início da série, com 1,1% em março, sendo o principal vilão os atrasos da carteira BNDES, que na série original saíram de 0,6% em fevereiro para 2,0% em março. Já os atrasos para RL ficaram em 2,8%, alta de 0,1 p.p. na margem. A inadimplência começa a mostrar sinais de pressão, com aumento na margem de 0,1 p.p. e fechando o mês em 2,1%. Tanto os RL como os RD apresentaram a mesma alta de 0,1 p.p. na margem, totalizando 3,6% e 0,6%, respectivamente. Nota de Crédito Página 05

9 PJ - Principais linhas Recursos Direcionados Recursos Livres 60% 80% 50% 40% 20% 10% 0% -10% 19,9% 16,3% -2,7% 60% 40% 20% 0% -20% 22,0% 17,2% 1,6% BNDES Crédito rural Financiamento Imobiliário Capital de giro ACC Financiamento exportações A carteira de crédito com RD apresentou crescimento de 15,0%, com o mês de março totalizando R$ 829 bilhões. Dentre suas principais modalidades, o crédito BNDES que representa 73,8% desta carteira aumentou o ritmo de expansão para 16,3% ante 15,3% no mesmo período de Dessa forma, aumentou a participação na carteira PJ pelo quarto mês consecutivo. A magnitude da variação é influenciada pelo comportamento da taxa de câmbio. Já o financiamento imobiliário com 8,1% da carteira apresentou diminuição do ritmo de crescimento para 19,9% e o crédito rural manteve a trajetória cadente, com variação de -2,7% em doze meses. Com alta de 0,3 p.p. em relação ao mês anterior, a carteira de crédito com RL fechou com alta anual de 5,1%, totalizando R$ 791 bilhões. O crédito para capital de giro que representa 48,8% da carteira apresentou alta de 1,6% em março. O crédito em ACC 7,0% da carteira e referenciado em dólar continua em patamar elevado, embora abaixo do verificado no mês anterior, com variação anual de 22,0%. Já o financiamento à exportação com 7,7% do total RL houve crescimento de 17,2% ante 15,6% no mês anterior. Nota de Crédito Página 06

10 BNDES - Crescimento em 12 meses Atrasos 35% 25% 15% 28,3% 17,4% 3,0% 2,5% 2,0% 2,0% 5% -5% 1,5% 1,0% 1,3% 1,2% -15% -15,2% 0,5% -25% 0,0% Capital de giro Financ. Investimento Financ. Agroindustrial Capital de giro Financ. Investimento Financ. Agroindustrial Taxa de Juros 14,5% 13,0% 11,5% 10,0% 8,5% 7,0% 5,5% 4,0% 9,0% 8,1% 6,3% BNDES - Alerta com atrasos Em março, a carteira de crédito BNDES manteve a trajetória de expansão iniciada há dois meses, fechando março com alta de 16,3% e crescimento de 2,2% na margem. O crédito ao financiamento (FI) 95,0% da carteira apresentou aumento de 1,7 p.p. em relação a fevereiro com alta de 17,4%, as demais linhas, embora com menor representatividade, apresentaram variações de -15,2% para capital de giro e 28,3% para financiamento agrícola. As taxas média de juros na modalidade diminuíram graças ao financiamento ao investimento com queda de 0,5 p.p. no mês, fechando em 8,1%, o capital de giro apresentou alta de 0,9 p.p. totalizando 9,0% e o financiamento agrícola fechou em 6,3% no mês de março. Capital de giro Financ. Investimento Financ. Agroindustrial A inadimplência da carteira BNDES se manteve estável em 0,5%, destaque para FI com alta na margem de 0,1p.p.. Os atrasos de 15 a 90 dias apresentaram expressiva alta de 1,4 p.p. fechando o mês em 2,0%, ligando o sinal de alerta na modalidade. Nota de Crédito Página 07

11 jan/14 fev/14 abr/14 ago/14 out/14 Crédito Rural - Concessões por dia útil Inadimplência R$ Milhões ,2% 1,0% 0,8% 0,6% 0,4% 0,2% 0,0% 0,7% Taxa de Juros Crédito Rural - Diminuição da carteira 15% 12% 9% 6% 3% 7,9% A carteira de crédito rural manteve trajetória de desaceleração entrando pela primeira vez em campo negativo em 2,7% ante crescimento de 43,4% em março passado. Esse movimento é perceptível na série de concessões por dia útil que mostra comportamento abaixo do verificado nos mesmos períodos do ano anterior: R$ 224 milhões contra R$ 233 milhões em março de A taxa de juros média para crédito rural teve queda na margem de 0,5 p.p. fechando o mês em 7,9% e mostrando baixa volatilidade durante toda a série. 0% Após seguidas altas no segundo semestre do ano passado, a inadimplência da carteira de crédito rural apresentou estabilidade em 0,7% pelo terceiro mês seguido. O atraso apresentou alta de 0,1 p.p. na margem, fechando em 0,3%. Vale destacar que essa modalidade historicamente apresenta índices de atrasos mais baixos que outras modalidades de crédito com RD. Nota de Crédito Página 08

12 mai/12 jul/12 nov/12 jan/13 mai/13 jul/13 nov/13 jan/14 jan/15 Capital de Giro - Crescimento em 12 meses Inadimplência 58% 48% 38% 28% 18% 8% -2% -12% -22% 3,6% 1,9% -8,5% 8,0% 7,0% 6,0% 5,0% 4,0% 3,0% 2,0% 1,0% 0,0% 6,6% 4,0% 3,3% Prazo menor 365 dias Prazo maior 365 dias Teto rotativo Prazo menor 365 dias Prazo maior 365 dias Teto rotativo Capital de Giro - Saldo em queda A principal modalidade de crédito com RL o capital de giro apresentou diminuição na carteira em relação ao mês passado, com queda de 1,0% na margem e com R$ 386 bilhões de saldo. O prazo maior de 365 dias que representa 77,1% da carteira apresentou alta de 3,6% em doze meses. Porém, vem perdendo fôlego desde novembro do ano passado quando estava em 7,2%. A inadimplência da carteira apresentou aumento de 0,2 p.p. em relação ao mês anterior, fechando março em 4,1%, enquanto o teto rotativo se manteve em 6,6%. O prazo maior de 365 dias terminou o mês em 4,0% ante 3,8% e o prazo menor de 365 dias com 3,3% contra 2,5% em fevereiro. Taxa de Juros 40% 35% 25% 20% 15% 10% 36,2% 22,6% 21,9% A taxa média de juros para capital de giro teve alta em relação ao mês de fevereiro, de 23,4% contra 23,2%, sendo 1,7 p.p. maior que a taxa média de fechamento do ano anterior. A maior alta na modalidade ficou por conta do teto rotativo, com acréscimo de 0,3 p.p. na margem totalizando 36,2%. Prazo menor 365 dias Prazo maior 365 dias Teto rotativo Nota de Crédito Página 09

13 abr/14 ago/14 out/14 jan/15 fev/15 ACC - Operações contratadas US$ Bilhões Saldo Volume em reais dividido pelo dólar comercial venda - fim de período US$ Bilhões 4,5 4,0 3,5 3,0 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 0,0 2, ,3 Taxa de Juros ACC 4,5 4,0 3,5 3,0 2,5 2,0 1,5 2,8 ACC - Queda do saldo em dólares Com o volume de US$ 2,5 bilhões, as operações contratadas em março apresentaram alta de 16,9% na margem e de 17,4% em doze meses. Contudo, o saldo das operações de crédito ACC em dólar voltou a apresentar queda pelo segundo mês consecutivo, com variação de -13,9% e de -10,3% na margem, fechando em R$ 17,3 bilhões. A taxa de juros média na modalidade ficou em 2,8%, mesmo patamar do mês anterior e de março Vale destacar a alta de 0,1 p.p. na margem da inadimplência, fechando o mês em 1,2% da carteira e atrasos com queda de 0,5 p.p. no mês, encerrando em 0,6%. Nota de Crédito Página 10

14 mai/13 jul/13 nov/13 jan/14 jan/15 jan/14 fev/14 abr/14 ago/14 out/14 abr/14 ago/14 out/14 jan/15 fev/15 PF - Concessões por dia útil PF - Concessões R$ Bilhões R$ Bilhões 8,5 8, , , , , Concessões Totais Média dos últimos 12 meses Concessões acumuladas em 12 meses 50% 40% PF - Ligeira retomada nas concessões Desde janeiro verifica-se que as concessões por dia útil têm se mantido em um patamar superior aos períodos equivalentes em 2014, embora seja a menor diferença dos três meses. O volume total de concessões em março para a carteira PF foi de R$ 182 bilhões, o que representa R$ 14 bilhões acima da média dos últimos 12 meses e também um aumento de R$ 29 bilhões em relação a fevereiro. 20% 10% 0% 14,8% 8,9% Após um período de queda, a variação das concessões acumuladas em 12 meses apresentou leve recuperação no ritmo de crescimento. As concessões acumuladas em 12 meses para RD, voltaram a aumentar o ritmo de expansão, saindo de 11,7% em fevereiro para 14,8% em março, uma variação de 3,1p.p.. A retomada foi mais sutil nos RL, que fecharam o mês com 8,9%, com um crescimento de 0,4p.p. ante os 8,5% verificados em fevereiro. Dessa forma, as concessões acumuladas em 12 meses fecharam com crescimento em 12 meses de 9,6% em março. RL RD Nota de Crédito Página 11

15 PF - Juros médios continuam em ascensão A taxa média de juros para PF ficou em 33,2% em março contra 32,8% de fevereiro, um aumento de 0,4 p.p. que confirma a tendência que vem sendo observada desde de dezembro de As operações com RD foram as principais responsáveis pelo aumento na margem, fechando março com 8,5%, com alta de 0,9 p.p.. Já as operações com RL tiveram leve variação em março, saindo de 54,3% para 54,4%. O movimento de aumento na taxa média de juros reforça, novamente, que o mercado ainda encontra-se instável frente ao cenário econômico atual. PF - Taxa de Juros 55% 45% 35% 25% 54,4% 33,2% 15% 5% 8,5% Taxas de Juros RD RL PF - Prazos estáveis para RL O prazo médio da carteira a vencer de crédito PF manteve a média de 59 meses desde fevereiro. Também observa-se essa mesma estabilidade para as operações com RL, que mantiveram mais uma vez o prazo em 19 meses constante observada desde outubro de Já a carteira dos RD teve novamente ligeira alta, passando de 98 meses em fevereiro para 99 em março. Por sua vez, o prazo médio das concessões na carteira PF apresentou alta de um mês na margem, totalizando 161 meses em março. Nesse quesito, o prazo das operações com RL ficou novamente em 51 meses, mesmo valor apresentado desde janeiro. Finalmente, o prazo para RD passou de 261 para 263 meses, mantendo certa estabilidade. PF - Prazo médio (meses) Concessões Carteira Nota de Crédito Página 12

16 jan/13 mai/13 jul/13 nov/13 jan/14 jan/15 jan/13 mai/13 jul/13 nov/13 jan/14 jan/15 PF - Taxa de Captação PF - Spread 10,0% 9,5% 9,0% 8,5% 8,0% 9,8% 24% 23% 22% 21% 23,4% 7,5% 7,0% 6,5% 6,0% 20% 19% 18% PF - Taxa de aplicação 35% 33% 31% 29% 27% 25% 33,2% PF - Queda no spread bruto Tanto a taxa de captação quanto a taxa de aplicação apresentaram aumento. A taxa de captação para a PF fechou março com 9,8%, um aumento de 0,6 p.p em relação a fevereiro (9,2%), enquanto a taxa de aplicação ficou em 33,2% contra 32,8% do mês anterior, variação de 0,4 p.p., refletindo o aperto monetário do Banco Central. Como ambas as taxas apresentaram aumento, sendo que a variação de captação foi superior à de aplicação, o resultado observado foi que o spread para PF teve ligeira redução de 0,2 p.p. em relação a fevereiro, passando de 23,6% para 23,4% em março. 23% Nota de Crédito Página 13

17 PF - Atrasos PF - Inadimplência MM6M 8% 9% 7% 7% 6% 5% 4% 5,2% 5% 3% 1% 5,2% 3,7% 1,8% Total RL RD Total RL RD PF - Convergência dos atrasos e estabilização da inadimplência Desde o início do ano, a média móvel de seis meses dos atrasos para PF para RL e RD tem convergido para valor próximo de 5,2%. A dos atrasos PF teve um ligeiro aumento em relação à verificada em fevereiro, fechando março com 5,2% contra os 5,1% de fevereiro. Esta variação ainda não confirma a tendência de aumento, embora o comportamento dos atrasos mereça ser monitorado. Já a inadimplência no crédito PF continua apresentando tendência de estabilidade. Em março, a taxa de inadimplência no crédito PF ficou em 3,7%. Nos empréstimos com RL houve queda de 0,1 p.p. em relação ao mês anterior, ficando em 5,2%. Para os empréstimos com RD também foi observada ligeira queda de 0,1 p.p. na margem, alcançando 1,8%. A tendência de aumento da taxa de desemprego, segundo a pesquisa mensal de emprego do IBGE que fechou março em 6,2% e de diminuição da renda real, com queda de 2,8% em março de e 3,0% em 12 meses, pode ter impacto na evolução futura da série. Nota de Crédito Página 14

18 PF - Principais linhas Recursos Direcionados 55% 45% 35% Recursos Livres 50% 40% 25% 15% 5% 26,5% 18,9% 14,6% 20% 10% 0% -10% 12,8% 9,9% -5,4% Financiamento imobiliário Crédito rural BNDES Cartão de crédito Crédito Consignado Aquisição de Veículos As principais operações para PF com RD continuaram apresentando desaceleração em termos anualizados. O financiamento imobiliário continua sendo a modalidade com maior crescimento, porém com queda de 0,2 p.p. em relação ao mês anterior, ficando em março com 26,5% de crescimento anualizado. Também observa-se redução de 1,5 p.p. para o crédito rural, que em março apresentou crescimento em doze meses de 18,9%, frente aos 20,4% verificados anteriormente. Finalmente, o BNDES foi a única modalidade de RD que apresentou aceleração no ritmo do crescimento, fechando março com 0,5 p.p. a mais do que em fevereiro, 14,6% contra 14,1%. As operações com RL também continuaram desacelerando em março. Considerando as principais modalidades do segmento, o cartão de crédito foi a que apresentou maior diminuição em relação a fevereiro, 1,1 p.p., ficando com 9,9% em março. O mesmo aconteceu para aquisição de veículos, que acumula queda de 5,4%, uma variação negativa de 0,2 p.p., atingindo o menor patamar histórico. Finalmente, as operações com crédito consignado que representam 71,5% do total de crédito pessoal mantiveram-se estáveis, permanecendo nos mesmos 12,8% observados em fevereiro. Nota de Crédito Página 15

19 jan/14 fev/14 abr/14 ago/14 out/14 jan/11 mai/11 jul/11 nov/11 jan/12 mai/12 jul/12 nov/12 jan/13 mai/13 jul/13 nov/13 jan/14 Crédito Consignado - Crescimento em 12 meses 40% 35% 40% 35% 25% 20% 25% 15% 20% 10% 15% 5% 10% 5% 16,3% 12,0% 5,8% Inadimplência 6% 5% 4% 3% 2% 1% 5,4% 2,2% 1,8% Beneficiários do INSS INSS Trabalhadores Setor Privado setor privado Servidor Servidores Público públicos INSS Setor Privado Servidor Público Concessão por dia útil R$ Milhões Consignado - Queda nas concessões No mês de março, o crescimento anualizado do saldo da carteira de crédito consignado das operações do setor privado 7,5% da carteira atingiu o menor patamar histórico, de 5,8%. Para o setor público maior fatia do consignado com 61,2% da carteira o valor também apresentou redução no ritmo de expansão, saindo de 12,5% para 12,0% em março. A única modalidade que apresentou maior crescimento foi o consignado INSS que representa 31,3% do total consignado aumentando 1,2 p.p. e terminando o mês com 16,3% Na avaliação das concessões por dia útil verifica-se que as mesmas são inferiores às verificadas no primeiro trimestre de Em março, as concessões por dia útil mantiveram-se em um nível abaixo do apresentado no mesmo mês do ano anterior (R$ 582 milhões em março de 2015 contra R$ 644 milhões em 2014). A taxa de inadimplência de INSS e servidores púbicos permaneceu em março em patamares relativamente estáveis, fechando o mês com 1,8% e 2,2%, respectivamente. Já o crédito consignado para o setor privado, que havia tido uma brusca variação em fevereiro, atingindo 5,6%, teve redução de 0,2 p.p. no mês e finalizou março com 5,4%. Nota de Crédito Página 16

20 Aquisição de Veículos - Crescimento em 12 meses 50% 40% 20% 10% Taxa de juros 28% 26% 24% 22% 20% 24,7% 0% -10% -5,4% 18% Veículos - Estabilidade na inadimplência A variação do saldo da carteira de crédito para aquisição de veículos (excluídas as operações de leasing) continua em trajetória descendente, fechando março com queda de 5,4%, 0,2 p.p. a menos do que o verificado em fevereiro. Dado o cenário complicado para a indústria automotiva, pode-se afirmar que essa modalidade de financiamento continuará perdendo participação no total dos empréstimos da carteira PF. A taxa de juros desta modalidade permanece em patamar alto, apresentando em março o valor de 24,7%, um leve decréscimo de 0,1 p.p. em relação ao mês anterior. A inadimplência, por sua vez, permanece estável e repete, pelo terceiro mês consecutivo, o valor de 3,9%. Inadimplência 8% 7% 6% 5% 4% 3% 3,9% Nota de Crédito Página 17

21 jan/14 fev/14 abr/14 ago/14 out/14 jan/11 mai/11 jul/11 nov/11 jan/12 mai/12 jul/12 nov/12 jan/13 mai/13 jul/13 nov/13 jan/14 Cartão de Crédito - Crescimento em 12 meses 40% 35% 35% 25% 25% 20% 20% 15% 15% 10% 10% 5% 0% 5% -5% 10,1% 9,1% Inadimplência 10% 9% 8% 7% 6% 5% 6,7% Rotativo Parcelado À vista Beneficiários do INSS Trabalhadores setor privado Servidores públicos Concessão por dia útil R$ Bilhões 5,0 4,8 4,5 4,3 4,0 3,8 3,5 3,3 3, Cartão de crédito - Aumento nas concessões Para o mês de março, o ritmo de crescimento em todas modalidades com cartão de crédito apresentou leve queda em relação ao mês anterior. O crédito à vista com 72,5% do total de cartão de crédito teve queda de 0,7 p.p., passando de 10,8% para 10,1%. O crédito parcelado que representa 7,9% da carteira saiu de 8,8% para 9,1%, alta de 0,3 p.p. no mês. Finalmente, o crédito rotativo com 19,6% da carteira foi o que apresentou maior queda depois de ter alta de 12,9% em fevereiro, fechando março com 9,6% e caindo 3,3 p.p.. Apesar disso, as concessões por dia útil mantêm-se ainda em nível superior ao mesmo período do ano passado, porém com menor diferença entre as apurações R$ 4,3 bilhões em março de 2015 contra R$ 4,2 bilhões em março de Também observase que a inadimplência, que havia apresentado alta em fevereiro e fechado em 7,0%, teve queda de 0,3 p.p. em março, ficando em 6,7%. Na abertura do índice, a inadimplência para o crédito parcelado ficou em 0,4% e para o rotativo fechou em 34,1% em março. Nota de Crédito Página 18

22 jan/14 fev/14 abr/14 ago/14 out/14 Cheque Especial - Crescimento em 12 meses Concessão por dia útil R$ Bilhões 35% 25% 20% 15% 10% 5% 0% -5% 2,9% 1,6 1,5 1,4 1,3 1,2 1, Cheque Especial - Queda na inadimplência O saldo da carteira de cheque especial voltou a apresentar queda, após leve alta na margem verificada em fevereiro. O mês de março fechou com crescimento anual de 2,9%, uma queda de 3,5 p.p. em relação ao mês anterior. A série vem apresentando redução no ritmo de crescimento desde meados de 2014 e o valor apresentado em março é o mais baixo desde então. As concessões por dia útil, que vinham superando as verificadas em 2014, apresentaram em março um valor ligeiramente inferior ao observado no mesmo período do ano passado. Por sua vez, a inadimplência na carteira continua apresentando queda, com variação de 0,8 p.p. em relação ao mês anterior, totalizando 12,8% em março. Ainda assim, este nível ainda é 1,0 p.p. acima do mesmo período em Inadimplência 16% 15% 14% 13% 12% 11% 10% 12,8% Nota de Crédito Página 19

23 jan/14 fev/14 abr/14 ago/14 out/14 jan/11 mai/11 jul/11 nov/11 jan/12 mai/12 jul/12 nov/12 jan/13 mai/13 jul/13 nov/13 jan/14 Crédito Imobiliário - Crescimento em 12 meses meses 40% 35% 50% 45% 25% 40% 20% 35% 15% 10% 5% 25% 20% 26,5% Concessão por dia útil R$ Milhões Beneficiários do INSS Trabalhadores setor privado Servidores públicos Financiamento imobiliário Taxa média de juros 12% 11% 10% 9% 9,5% Crédito Imobiliário - Continuidade da desaceleração A carteira de crédito imobiliário continua em trajetória de arrefecimento da expansão, fechando março com crescimento anual de 26,5%, uma queda de 0,2 p.p. em relação ao mês anterior, representando 8,1% do PIB. Já as concessões por dia útil continuam mostrando-se em 2015 bem acima das observadas no mesmo período de 2014, com um valor de R$ 736 milhões. 8% 7% A taxa média de juros na modalidade voltou novamente a crescer após apresentar baixa no mês anterior. Ante ao menor patamar obtido desde setembro de 2013, 8,4% em fevereiro, a taxa média de juros fechou o mês de março com 9,5%, um aumento de 1,1 p.p. Nota de Crédito Página 20

24 mai/11 ago/11 nov/11 fev/12 mai/12 ago/12 nov/12 fev/13 mai/13 ago/13 nov/13 fev/14 ago/14 fev/15 mai/11 ago/11 nov/11 fev/12 mai/12 ago/12 nov/12 fev/13 mai/13 ago/13 nov/13 fev/14 ago/14 fev/15 mai/11 ago/11 nov/11 fev/12 mai/12 ago/12 nov/12 fev/13 mai/13 ago/13 nov/13 fev/14 ago/14 fev/15 Endividamento das Famílias Comprometimento da Renda das Famílias 47% 46% 45% 44% 43% 42% 41% 46,5% 24% 23% 22% 21% 20% 19% 22,0% 19,7% 40% Com o SFN em relação à renda acumulada dos últimos 12 meses Com o serviço da dívida com o SFN Com o serviço da dívida com o SFN exceto crédito habitacional Endividamento sem Crédito Habitacional 32% 31% 29% 28% 28,1% 27% 26% Com o SFN em relação à renda acumulada dos últimos 12 meses Endividamento com alta na margem Em fevereiro, o endividamento das famílias teve nova alta de 0,1 p.p. frente ao mês de janeiro, totalizando 46,5%. Desconsiderando-se as dívidas com o crédito habitacional, o endividamento cai para 28,1%, com ligeiro aumento na margem de 0,1 p.p. em relação a janeiro de Este valor indica estabilidade próxima ao menor patamar já verificado para a série desse tipo de endividamento. A série de comprometimento da renda teve alta de 0,1 p.p. em relação a janeiro, totalizando 22,0% no mês. Já a série que exclui o crédito habitacional acompanhou a alta das outras séries, ficando em 19,7% em fevereiro. O aumento dos juros praticados somados à diminuição real da renda pressiona ainda mais os índices de endividamento e comprometimento da renda. Nota de Crédito Página 21

25 Dados de Crédito PJ - Março de 2015 Variações (%) Carteira de Crédito (R$ bi) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total ,3% 14,3% 1,2% 1,4% 11,2% Total PJ ,5% 13,2% 1,6% 1,0% 10,0% Recursos Livres 791,8 3,8% 8,0% 1,3% -0,2% 5,1% Capital de giro 386,0 1,9% 5,9% -1,0% -1,6% 1,6% Conta garantida 45,5 3,4% -0,2% 0,7% 0,0% -1,3% Aquisição de bens 26,8-2,5% -0,5% -1,9% -4,9% -5,0% ACC 55,4 23,7% -7,5% 0,0% 5,4% 22,0% Financiamento Exportações 61,2 14,2% 36,5% 2,8% 6,4% 17,2% Recursos Direcionados 829,7 15,7% 19,5% 1,8% 2,2% 15,0% Crédito Rural 71,3 6,7% 38,5% -1,0% -4,0% -2,7% Financiamento Imobiliário 67,6 23,1% 25,2% 0,4% 2,1% 19,9% BNDES 612,5 15,7% 15,2% 2,2% 2,9% 16,3% ¹Valores nos finais de período. Concessão de Crédito por dia útil (R$ bi) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total 15,47-1,6% 7,5% 2,2% -7,7% -3,8% Total PJ 7,19-8,0% 2,9% 8,9% -11,9% -10,7% Recursos Livres 6,13-6,1% 4,9% 6,8% -6,6% -8,7% Capital de giro 1,15-8,3% -16,9% 21,6% -18,7% 6,4% Conta garantida 1,04-1,8% -1,4% -4,2% -4,3% -8,0% Aquisição de bens 0,06-6,9% 3,6% 12,3% -29,3% -27,0% ACC 0,37 13,2% 19,3% 6,2% -2,9% -12,8% Financiamento Exportações 0,13-8,2% 139,8% 43,5% -14,7% -11,7% Recursos Direcionados 1,06-15,0% -3,7% 23,3% -33,7% -20,7% Crédito Rural 0,22-43,3% 94,9% 32,8% -5,4% -3,7% Financiamento Imobiliário 0,19 47,8% 2,0% -13,9% 1,9% -17,3% BNDES 0,55-9,6% -21,5% 34,1% -46,8% -27,2% ¹Valores nos finais de período. Nota de Crédito Página 22

26 Dados de Crédito PJ - Março de 2015 Variações (meses) Prazo da Carteira (meses) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total 46,4 45,2 41,3 0,4 1,2 4,1 Total PJ 36,3 35,3 33,2 0,3 1,0-2,2 Recursos Livres 17,2 16,5 16,3 0,3 0,6 1,0 Capital de giro 16,8 16,8 17,7 0,3 0,0-0,3 Conta garantida 0,9 0,9 0,9 0,1 0,0 0,0 Aquisição de bens 13,8 13,9 14,9 0,5 0,0-0,7 ACC 4,3 4,5 4,6-0,2-0,2-0,4 Financiamento Exportações 25,2 26,2 31,3-0,2-1,0-4,2 Recursos Direcionados 53,0 52,2 50,3 0,3 0,8 1,6 Crédito Rural 25,6 24,5 26,2 0,9 1,1 0,2 Financiamento Imobiliário 29,5 29,3 30,3 0,0 0,2 0,1 BNDES 57,8 57,2 54,5 0,1 0,7 1,6 Prazo das Concessões (meses) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total 104,7 107,0 99,4-1,1-2,3-0,9 Total PJ 60,0 67,1 73,1-3,0-7,1-20,2 Recursos Livres 29,1 29,4 30,9 5,3-0,3-2,6 Capital de giro 34,7 34,8 33,9 3,9-0,1 4,0 Conta garantida 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Aquisição de bens 33,9 28,8 29,7 0,8 5,1 3,5 ACC 6,0 6,7 6,6-0,5-0,7-0,8 Financiamento Exportações 17,2 19,5 27,1 1,4-2,3-5,1 Recursos Direcionados 85,8 99,6 115,1-10,2-13,8-40,7 Crédito Rural 31,1 22,8 17,5 18,6 8,3 14,5 Financiamento Imobiliário 34,0 39,2 45,8-0,5-5,2-59,3 BNDES 96,9 114,7 128,6-15,3-17,8-40,2 ¹Valores nos finais de período. Nota de Crédito Página 23

27 Dados de Crédito PJ - Março de 2015 Variações (p.p.) Taxas de juros (% ) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total 25,8% 23,7% 22,4% 0,2 2,1 1,7 Total PJ 18,1% 16,5% 15,7% 0,0 1,6 1,5 Recursos Livres 26,5% 24,2% 22,2% 0,4 2,3 2,5 Capital de giro 23,4% 21,7% 19,9% 0,2 1,7 1,6 Conta garantida 46,4% 41,1% 37,6% 3,0 5,3 7,2 Aquisição de bens 20,7% 19,1% 17,9% 0,0 1,5 2,0 ACC 2,8% 2,7% 2,9% 0,0 0,1 0,0 Financiamento Exportações 15,6% 14,4% 13,8% 1,2 1,2 1,7 Recursos Direcionados 8,4% 7,6% 7,3% -0,3 0,8 0,8 Crédito Rural 7,9% 7,7% 7,2% -0,5 0,2 0,6 Financiamento Imobiliário 11,2% 10,7% 10,8% 1,0 0,5 0,4 BNDES 8,1% 7,2% 7,0% -0,5 0,9 0,8 Inadimplência (% da carteira) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total 2,8% 2,7% 2,8% 0,0 0,1-0,1 Total PJ 2,1% 1,9% 1,8% 0,1 0,2 0,2 Recursos Livres 3,6% 3,4% 3,1% 0,1 0,2 0,4 Capital de giro 4,1% 3,9% 3,6% 0,2 0,2 0,4 Conta garantida 2,0% 1,8% 1,8% -0,1 0,2 0,3 Aquisição de bens 3,8% 3,5% 3,7% 0,1 0,3 0,1 ACC 1,2% 1,0% 0,8% 0,1 0,2 0,4 Financiamento Exportações 0,8% 0,4% 0,1% 0,2 0,4 0,6 Recursos Direcionados 0,6% 0,5% 0,4% 0,1 0,1 0,1 Crédito Rural 0,7% 0,6% 0,5% 0,0 0,1 0,2 Financiamento Imobiliário 0,5% 0,5% 0,3% -0,1 0,0 0,1 BNDES 0,5% 0,4% 0,4% 0,0 0,1 0,1 ¹Valores nos finais de período. Nota de Crédito Página 24

28 Dados de Crédito PF - Março de 2015 Variações (%) Carteira de Crédito (R$ bi) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total ,3% 14,3% 1,2% 1,4% 11,2% Total PF ,3% 15,6% 0,8% 1,9% 12,6% Recursos Livres 786,6 5,5% 7,2% 0,4% 0,4% 5,2% Cheque Especial 27,2 5,0% 7,7% 1,7% 11,1% 2,9% Consignado 259,0 13,7% 17,5% 0,9% 2,7% 12,8% Veículos 179,6-4,5% -0,2% -1,2% -2,5% -5,4% Cartão de Crédito 155,7 11,2% 14,2% 0,4% -3,2% 9,9% Recursos Direcionados 652,0 25,0% 30,7% 1,3% 3,7% 23,0% Crédito Rural 147,1 22,2% 26,1% 0,6% 1,1% 18,9% Financiamento Imobiliário 452,1 28,0% 32,1% 1,6% 4,7% 26,5% ¹Valores nos finais de período. Concessão de Crédito por dia útil (R$ bi) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total 15,47-1,6% 7,5% 2,2% -7,7% -3,8% Total PF 8,28 5,3% 13,0% -3,0% -3,7% 3,2% Recursos Livres 7,29 4,3% 12,5% -3,8% -1,3% 1,0% Cheque Especial 1,46-0,1% 7,0% -5,4% 9,4% -1,0% Consignado 0,58 6,5% 21,0% -7,7% 5,8% -9,7% Veículos 0,33 2,1% 7,2% 0,5% -27,7% -5,0% Cartão de Crédito 4,36 6,3% 14,6% -5,4% -4,1% 3,3% Recursos Direcionados 0,99 12,0% 16,8% 3,6% -18,1% 23,3% Crédito Rural 0,17 1,6% 4,1% 5,5% -53,9% -27,3% Financiamento Imobiliário 0,74 32,0% 15,4% 5,1% 4,4% 52,1% ¹Valores nos finais de período. Nota de Crédito Página 25

29 Dados de Crédito PF - Março de 2015 Variações (meses) Prazo da Carteira (meses) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total 46,4 45,2 41,3 0,4 1,2 4,1 Total PF 59,3 58,1 52,2 0,6 1,2 6,3 Recursos Livres 18,8 18,9 18,4 0,2-0,1 0,6 Cheque Especial 0,8 0,8 0,8 0,1 0,1 0,0 Consignado 25,1 24,9 23,7 0,3 0,3 1,4 Veículos 15,0 15,3 16,0 0,1 0,1-0,7 Cartão de Crédito 0,8 2,3 2,5 0,2 0,2-0,1 Recursos Direcionados 98,7 96,8 92,1 0,6 1,9 5,8 Crédito Rural 28,2 28,8 28,3-0,3-0,6 0,1 Financiamento Imobiliário 126,4 124,9 120,3 0,5 1,5 5,3 Prazo das Concessões (meses) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total 104,7 107,0 99,4-1,1-2,3-0,9 Total PF 161,0 157,8 133,2 1,5 3,2 23,7 Recursos Livres 51,3 52,2 48,0 0,0-0,9 3,9 Cheque Especial 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Consignado 69,1 70,2 62,4-0,2-1,1 6,7 Veículos 41,4 41,9 42,0-0,4-0,5-0,1 Cartão de Crédito 8,7 8,7 8,3-0,1 0,0 0,2 Recursos Direcionados 262,5 258,4 231,2 1,2 4,1 26,1 Crédito Rural 38,0 40,9 41,5-3,9-2,9-0,9 Financiamento Imobiliário 347,1 344,1 309,1 3,1 3,0 31,0 ¹Valores nos finais de período. Nota de Crédito Página 26

30 Dados de Crédito PF - Março de 2015 Variações (p.p.) Taxas de juros (% ) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total 25,8% 23,7% 22,4% 0,2 2,1 1,7 Total PF 33,2% 30,7% 29,1% 0,4 2,5 1,8 Recursos Livres 54,4% 49,6% 44,0% 0,1 4,8 6,1 Cheque Especial 220,4% 201,0% 148,1% 6,2 19,4 61,0 Consignado 26,8% 25,9% 24,4% 0,0 0,9 1,5 Veículos 24,7% 22,3% 21,3% -0,1 2,4 1,2 Cartão de Crédito 79,1% 68,4% 64,8% 0,5 10,7 7,0 Recursos Direcionados 8,5% 7,9% 7,6% 0,9 0,6 0,2 Crédito Rural 5,5% 5,5% 4,9% 0,1 0,0 0,6 Financiamento Imobiliário 9,5% 8,9% 8,7% 1,1 0,6-0,2 Inadimplência (% da carteira) 2014¹ 2013¹ mês trimestre 12 meses¹ Total 2,8% 2,7% 2,8% 0,0 0,1-0,1 Total PF 3,7% 3,7% 4,1% -0,1 0,0-0,3 Recursos Livres 5,2% 5,3% 5,7% -0,1-0,1-0,4 Cheque Especial 12,8% 13,8% 13,5% -0,8-1,0 1,0 Consignado 2,3% 2,4% 2,6% -0,1-0,1-0,3 Veículos 3,9% 3,9% 5,2% 0,0 0,0-1,1 Cartão de Crédito 6,7% 6,6% 6,4% -0,3 0,1 0,4 Recursos Direcionados 1,8% 1,6% 1,6% -0,1 0,2-0,1 Crédito Rural 1,5% 1,3% 1,1% 0,0 0,2-0,1 Financiamento Imobiliário 1,9% 1,7% 1,7% -0,1 0,2 0,1 ¹Valores nos finais de período. Nota de Crédito Página 27

31 Assessoria Econômica Av. Paulista, 949 6º andar Bela Vista CEP: São Paulo SP Telefone: (5511) Fax: (5511)

Nota de Crédito PJ-PF. Março 2016 Fonte: BACEN Base: Janeiro de 2016

Nota de Crédito PJ-PF. Março 2016 Fonte: BACEN Base: Janeiro de 2016 Nota de Crédito PJ-PF Março 2016 Fonte: BACEN Base: Janeiro de 2016 Sumário Executivo Com base nos dados disponibilizados pelo Banco Central acerca das operações do sistema financeiro nacional (SFN) e

Leia mais

Nota de Crédito PJ-PF. Abril 2016 Fonte: BACEN Base: Fevereiro de 2016

Nota de Crédito PJ-PF. Abril 2016 Fonte: BACEN Base: Fevereiro de 2016 Nota de Crédito PJ-PF Abril 2016 Fonte: BACEN Base: Fevereiro de 2016 Sumário Executivo A equipe da Assessoria Econômica da ABBC prepara este relatório com base nas informações divulgadas pelo Banco Central

Leia mais

Nota de Crédito PJ-PF

Nota de Crédito PJ-PF Nota de Crédito PJ-PF Abril 2015 Fonte: BACEN Base: Fevereiro de 2015 Sumário Executivo A nota de crédito com dados das operações de crédito relativos ao mês de fevereiro apresenta maior abertura, tanto

Leia mais

Nota de Crédito PF. Fevereiro Fonte: BACEN Base: Dezembro de 2014

Nota de Crédito PF. Fevereiro Fonte: BACEN Base: Dezembro de 2014 Nota de Crédito PF Fevereiro 2015 Fonte: BACEN Base: Dezembro de 2014 Incertezas para renda e inadimplência Em 2014, o aumento próximo de 2,7% da renda real e a redução do desemprego em dezembro para 4,8%,

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Março Fonte: BACEN Base: Janeiro de 2015

Nota de Crédito PJ. Março Fonte: BACEN Base: Janeiro de 2015 Nota de Crédito PJ Março 2015 Fonte: BACEN Base: Janeiro de 2015 Recursos livres: recuperação? O Banco Central apresentou uma revisão metodológica que teve efeito nos dados de suas séries temporais. Entre

Leia mais

Banco Central reduz projeção de crescimento para 2015

Banco Central reduz projeção de crescimento para 2015 fev/11 mai/11 ago/11 nov/11 fev/11 mai/11 ago/11 nov/11 Banco Central reduz projeção de crescimento para 2015 Em maio, com total de R$ 3,1 trilhões, a carteira de crédito do SFN apresentou crescimento

Leia mais

a.a. 30% 25% 20% 15% 4,9% mar/11

a.a. 30% 25% 20% 15% 4,9% mar/11 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 Evolução em linha com as percepções das instituições financeiras Em setembro, a carteira

Leia mais

Apreciação cambial impacta saldo e concessões frustram

Apreciação cambial impacta saldo e concessões frustram Apreciação cambial impacta saldo e concessões frustram Com queda de 0,7% no mês, o total das operações de crédito do SFN encerrou março em R$ 3,2 trilhões, o que representa 53,1% do PIB. Com isso a carteira

Leia mais

a.a. 30% 20% 14,7% 9,6% 5,2% fev/11 ago/15 fev/11 ago/15 mai/15

a.a. 30% 20% 14,7% 9,6% 5,2% fev/11 ago/15 fev/11 ago/15 mai/15 fev/11 fev/11 Perda de dinamismo, juros em elevação e inadimplência confortável Em agosto, o crédito do SFN correspondeu a 54,6% do PIB. O crescimento anual das operações foi de 9,6%, o que significou

Leia mais

Nota de Crédito PF. Dezembro Fonte: BACEN Base: Outubro de 2014

Nota de Crédito PF. Dezembro Fonte: BACEN Base: Outubro de 2014 Nota de Crédito PF Dezembro 2014 Fonte: BACEN Base: Outubro de 2014 ago/11 fev/12 ago/12 jan/11 jan/11 Desaceleração e comprometimento de renda Os efeitos da elevação da taxa de juros e as incertezas quanto

Leia mais

Nota de Crédito PJ-PF

Nota de Crédito PJ-PF Nota de Crédito PJ-PF Outubro 2015 Fonte: BACEN Base: Agosto de 2015 Sumário Executivo Com base nos dados fornecidos pelo Banco Central, este relatório preparado pela Assessoria Econômica da ABBC apresenta

Leia mais

a.a. 30% 20% 15,3% 10% 9,9% 5,2% abr/11 abr/15 jul/15 jan/15

a.a. 30% 20% 15,3% 10% 9,9% 5,2% abr/11 abr/15 jul/15 jan/15 Juros mais elevados e maior inadimplência Em julho, a carteira do sistema financeiro nacional fechou com saldo de R$ 3,1 trilhões, alta de 0,3% na margem e 9,9% em 12 meses o que representa 54,5% do PIB.

Leia mais

Selic e Cartão Rotativo reduzem taxa de juros

Selic e Cartão Rotativo reduzem taxa de juros Selic e Cartão Rotativo reduzem taxa de juros Em abril, o saldo das operações do mercado de crédito voltou a mostrar retração na comparação mensal (0,2%). Entretanto, em termos anuais, novamente desacelerou-se

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Novembro Fonte: BACEN. Base: Setembro/2014

Nota de Crédito PJ. Novembro Fonte: BACEN. Base: Setembro/2014 Nota de Crédito PJ Novembro 2014 Fonte: BACEN Base: Setembro/2014 jul/11 nov/11 jan/12 jan/11 mar/11 mai/11 jul/11 nov/11 jan/12 Carteira de Crédito PJ mantém tendência de desaceleração... Carteira de

Leia mais

a.a. 14% -6% a.a. Pessoa Jurídica Pessoa Física Total 12% 5,5% -0,9% -4% -8% -8,5% -14% abr/15 abr/16 abr/17 abr/18 abr/19 -12%

a.a. 14% -6% a.a. Pessoa Jurídica Pessoa Física Total 12% 5,5% -0,9% -4% -8% -8,5% -14% abr/15 abr/16 abr/17 abr/18 abr/19 -12% Crédito ampliado setor não financeiro Evolução por tipo de instituição 1 Públicas Privadas nacionais e estrangeiras 12,9% 5, -1,1% Recursos Direcionados -6% Recursos Livres 16% 12% 8% 13,2% 11,3% 9, 6%

Leia mais

Nota de Crédito. Setembro 2016 Fonte: BACEN Base: Julho de 2016

Nota de Crédito. Setembro 2016 Fonte: BACEN Base: Julho de 2016 Nota de Crédito Setembro 2016 Fonte: BACEN Base: Julho de 2016 Sumário Executivo Índices de confiança menos desfavoráveis para o empresariado e para as famílias ainda não são refletidos na atividade real

Leia mais

a.a. 18% 15% 5,0% 12% 9% 6% 3% Pessoa Jurídica Pessoa Física Total 16% 5,3% -1,0% -4% -8,3% -8%

a.a. 18% 15% 5,0% 12% 9% 6% 3% Pessoa Jurídica Pessoa Física Total 16% 5,3% -1,0% -4% -8,3% -8% Estoque de crédito SFN 11, 52, 53,3% 6,1% 48,8% -3,8% Recursos Direcionados 3-0,1% 46,8% 46,8% Crédito/PIB Variação do Crédito em 12 meses 5, - 5,3% -1, -8,3% Evolução por tipo de instituição 18% Públicas

Leia mais

Maior desaceleração e alerta para inadimplência

Maior desaceleração e alerta para inadimplência jan/11 jul/11 jan/11 jul/11 Maior desaceleração e alerta para inadimplência O crescimento do crédito total do SFN em 12 meses desacelerou 0,7 p.p. em abril, fechando em 10,, totalizando R$ 3,1 trilhões,

Leia mais

a.a. 19% 14% Crédito/PIB -1% a.a. 12% Pessoa Jurídica Pessoa Física Total 5,3% -1,8% -4% -9,6% -8%

a.a. 19% 14% Crédito/PIB -1% a.a. 12% Pessoa Jurídica Pessoa Física Total 5,3% -1,8% -4% -9,6% -8% Estoque de crédito SFN Evolução por tipo de instituição 11,7% 51,4% 7,4% 53,1% Variação do Crédito em 12 meses 3,6% -2, -1,2% Crédito/PIB 50, 46,9% 46,8% 19% 14% 9% 4% -1% Públicas Privadas 11,7% -1,6%

Leia mais

a.a. 24% 14% a.a. 12% 5,7% -0,6% -4% -7,7% -12%

a.a. 24% 14% a.a. 12% 5,7% -0,6% -4% -7,7% -12% Estoque de crédito SFN Evolução por tipo de instituição 11,3% 6,7% Variação do Crédito em 12 meses 5,5% -3,5% -0,5% 24% 14% Públicas Privadas 12,4% 53,7% 52,2% 49,6% Recursos Direcionados Crédito/PIB 47,2%

Leia mais

Melhor desempenho da carteira PJ e queda da inadimplência

Melhor desempenho da carteira PJ e queda da inadimplência Carteira - Crédito no SFN Melhor desempenho da carteira PJ e queda da inadimplência Em junho, o total das operações de crédito apontou uma melhora na margem, registrando um acréscimo de 0,4%. Com isto,

Leia mais

Juros ainda não refletem a queda da Selic

Juros ainda não refletem a queda da Selic Juros ainda não refletem a queda da Selic Carteira de Crédito no SFN Em março, o volume de crédito total do SFN cresceu 0,2% em relação ao mês anterior e registrou um ritmo de redução de 2,7%, com queda

Leia mais

Spread: riscos prevalecem à queda na Selic

Spread: riscos prevalecem à queda na Selic Spread: riscos prevalecem à queda na Selic Carteira de Crédito no SFN Apesar de uma leve perda de intensidade, o estoque de crédito permaneceu em retração no mês de fevereiro. Os número apontam quedas

Leia mais

a.a. 19% 3,4% 14% -1% 4,3% -2,2% -9,0% -8% -20% ago/14 ago/15 ago/16 ago/17 ago/18

a.a. 19% 3,4% 14% -1% 4,3% -2,2% -9,0% -8% -20% ago/14 ago/15 ago/16 ago/17 ago/18 54, 53, 52, 51, 50, 49, 48, 47, 46, 45, 44, 43, Estoque de Crédito SFN Evolução por tipo de instituição 16,1% 10,9% 9,7% Variação do Crédito em 12 meses -0,6% 3,4% -2, 19% 14% 9% Públicas Privadas 10,2%

Leia mais

Retomada nas concessões para pessoas físicas?

Retomada nas concessões para pessoas físicas? Retomada nas concessões para pessoas físicas? O mercado de crédito continua a mostrar o processo de desalavancagem das famílias e empresas em um ambiente de recessão econômica. Em doze meses, a variação

Leia mais

Elevação na taxa de juros média

Elevação na taxa de juros média Elevação na taxa de juros média Carteira de Crédito no SFN Apesar da projeção de um crescimento nominal de 2,0% em 2017 pelo Banco Central, o ritmo de queda do estoque de crédito intensificou-se em janeiro.

Leia mais

a.a. 15,0% 20% 15% 10,0% 10% 5,0% 1,3% 0,0% -5% -10% -5,0% a.a. Pessoa Física 9% 7% Pessoa Jurídica 3% 1% -1% -3% 4,6% -5% -3,5% -7% -9% -11,7%

a.a. 15,0% 20% 15% 10,0% 10% 5,0% 1,3% 0,0% -5% -10% -5,0% a.a. Pessoa Física 9% 7% Pessoa Jurídica 3% 1% -1% -3% 4,6% -5% -3,5% -7% -9% -11,7% 53, 52, 51, 50, 49, 48, 47, 46, 45, 44, 43, 15, 10, 5, 0, -5, Estoque de Crédito SFN 12, Crédito/PIB Variação do crédito em 12 meses 10,2% 52, 51,8% 50,4% 2,1% Recursos Direcionados 47,9% 46,6% -2,6% 1,3%

Leia mais

Nota de Crédito PF. Outubro Fonte: BACEN

Nota de Crédito PF. Outubro Fonte: BACEN Nota de Crédito PF Outubro 2014 Fonte: BACEN fev/11 fev/11 Recursos livres mostram desaceleração para : é necessário aguardar os efeitos das medidas... Carteira de Crédito PF Como reflexo do cenário macroeconômico,

Leia mais

Recursos Livres (R$ bilhões) Recursos Direcionados (R$ bilhões) Crescimento do Total (% em 12 meses)

Recursos Livres (R$ bilhões) Recursos Direcionados (R$ bilhões) Crescimento do Total (% em 12 meses) Desaceleração e inadimplência em baixa A última nota técnica, contemplando os números relativos a dezembro, continua indicando a desaceleração do crescimento do saldo das operações de crédito (14,6% ante

Leia mais

Aceleração relativizada

Aceleração relativizada jan/11 jan/11 Aceleração relativizada Em outubro, o crescimento do saldo do crédito total mostrou recuperação pela segunda vez consecutiva, avançando para 12,2% em 12 meses ante 11,7% em setembro. O movimento

Leia mais

a.a. 19% 3,9% 14% -1% a.a. 12% Pessoa Física Total -2,0% -4% -9,2% -8%

a.a. 19% 3,9% 14% -1% a.a. 12% Pessoa Física Total -2,0% -4% -9,2% -8% Estoque de Crédito SFN Evolução por tipo de instituição 15,7% 11,5% 9,2% Variação do Crédito em 12 meses 3,9% 19% Públicas Privadas 14% -1,7% -1,9% Crédito/PIB 50, 51, 53,2% 50,3% 47, 46,6% 9% 4% 10,8%

Leia mais

a.a. Pessoa Física Pessoa Jurídica 18% 13% 8% 3% 10% -2% -5% -10% -15% a.a. 10% 5,3% -5% -3,3% -10%

a.a. Pessoa Física Pessoa Jurídica 18% 13% 8% 3% 10% -2% -5% -10% -15% a.a. 10% 5,3% -5% -3,3% -10% 55, 53, 51, 49, 47, 45, Informativo Assessoria Econômica Estoque de Crédito SFN Crédito/PIB 13,4% Variação do crédito em 12 meses 11,2% 3,2% 0,1% 52,4% 52,4% 50,3% -2,6% 48, 46,6% Recursos Direcionados

Leia mais

a.a. Pessoa Física Pessoa Jurídica 20% 15% 10% 5% 0% 15,0% 10,0% 5,0% -5% 0,0% a.a. 10% 5,4% -5% -3,1% -10% -11,3%

a.a. Pessoa Física Pessoa Jurídica 20% 15% 10% 5% 0% 15,0% 10,0% 5,0% -5% 0,0% a.a. 10% 5,4% -5% -3,1% -10% -11,3% 60, 50, 40, 30, 20, 10, 0, 15, 10, 5, 0, -5, Estoque de Crédito SFN Evolução por tipo de tomador 14,4% 11, Crédito/PIB Variação do crédito em 12 meses 5,2% 50,2% 52,1% 52,8% 48,6% 46,4% -0,3% -3, Recursos

Leia mais

Recursos Livres (R$ bilhões) Recursos Direcionados (R$ bilhões) Var.% 12 meses (Total)

Recursos Livres (R$ bilhões) Recursos Direcionados (R$ bilhões) Var.% 12 meses (Total) A carteira total de crédito do sistema financeiro nacional registrou R$ 2,6 trilhões em setembro, após o avanço de 0,8% na comparação com o mês anterior. Contabilizada a variação mensal, o montante passou

Leia mais

Carteira do SFN recua 3,5% em 2016

Carteira do SFN recua 3,5% em 2016 Carteira do SFN recua 3,5% em 2016 Carteira de Crédito no SFN Em 2016, o mercado de crédito fechou com retração de 3,5%. Esta performance frustrante reflete o processo de desalavancagem das famílias e

Leia mais

Nota de Crédito. Junho 2017 Fonte: BACEN Base: Abril de 2017

Nota de Crédito. Junho 2017 Fonte: BACEN Base: Abril de 2017 Nota de Junho 2017 Fonte: BACEN Base: Abril de 2017 Sumário Executivo Em abril, houve deterioração nos indicadores de Confiança do Consumidor (FGV) e de Demanda do Consumidor e das Empresas por (Serasa

Leia mais

Nota de Crédito. Setembro Fonte: BACEN - 26/10/2012

Nota de Crédito. Setembro Fonte: BACEN - 26/10/2012 Nota de Crédito Setembro 2012 Fonte: BACEN - 26/10/2012 A carteira de crédito totalizou R$ 2,24 trilhões, equivalendo a 51,5% do PIB. O volume de crédito no sistema financeiro nacional totalizou R$ 2,24

Leia mais

Crédito Total no SFN (% PIB)

Crédito Total no SFN (% PIB) Crédito Total no SFN (% PIB) 45,0 44,9 O estoque de crédito no sistema financeiro nacional expandiu 0,8% na comparação com o mês anterior, acelerando a alta para 16,8% no horizonte de 12 meses, totalizando

Leia mais

a.a. 25% 20% 15,0% 15% 10,0% 10% 5,0% 0,0% -5,0% *Estrangeiras+Nacionais

a.a. 25% 20% 15,0% 15% 10,0% 10% 5,0% 0,0% -5,0% *Estrangeiras+Nacionais Recuperação avança Dados de janeiro exibiram retração anual do saldo total de crédito de 0,3%. Por causa da gradual melhora do ambiente econômico e da baixa base de comparação o menor montante desde abr/15

Leia mais

Nota de Crédito. Abril 2017 Fonte: BACEN Base: Fevereiro de 2017

Nota de Crédito. Abril 2017 Fonte: BACEN Base: Fevereiro de 2017 Nota de Abril 2017 Fonte: BACEN Base: Fevereiro de 2017 Sumário Executivo Ainda que se tenha observado uma relativa reação do varejo em fevereiro, o mercado de crédito não emite sinais positivos. A fragilidade

Leia mais

Nota de Crédito. Fevereiro 2018 Fonte: BACEN Base: Dezembro de 2017

Nota de Crédito. Fevereiro 2018 Fonte: BACEN Base: Dezembro de 2017 Nota de Crédito Fevereiro 2018 Fonte: BACEN Base: Dezembro de 2017 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 dez/15 mar/16 jun/16 set/16 dez/16 mar/17 jun/17 set/17 dez/17 dez/13 abr/14 ago/14

Leia mais

Nota de Crédito. Setembro 2017 Fonte: BACEN Base: Julho de 2017

Nota de Crédito. Setembro 2017 Fonte: BACEN Base: Julho de 2017 Nota de Setembro 2017 Fonte: BACEN Base: Julho de 2017 jul/16 ago/16 set/16 out/16 nov/16 dez/16 jan/17 fev/17 mar/17 abr/17 mai/17 jun/17 jul/17 Panorama Geral: Atividade Econômica e mercado de trabalho

Leia mais

Nota de Crédito. Julho Fonte: BACEN - 30/08/2012

Nota de Crédito. Julho Fonte: BACEN - 30/08/2012 Nota de Crédito Julho 2012 Fonte: BACEN - 30/08/2012 A carteira de crédito totalizou R$ 2,18 trilhões em julho, equivalendo a 50,7% do PIB. A carteira de crédito aumentou 0,7% em julho, encerrando na casa

Leia mais

Nota de Crédito. Novembro 2017 Fonte: BACEN Base: Setembro de 2017

Nota de Crédito. Novembro 2017 Fonte: BACEN Base: Setembro de 2017 Nota de Novembro 2017 Fonte: BACEN Base: Setembro de 2017 Panorama Geral: Atividade econômica e mercado de trabalho Desocupação Trimestre móvel 14% 12% 8% Fonte: IBGE 12,4% Rendimento médio real Em R$

Leia mais

Nota de Crédito Março 2017 Fonte: BACEN Base: Janeiro de 2017

Nota de Crédito Março 2017 Fonte: BACEN Base: Janeiro de 2017 Nota de Crédito Março 2017 Fonte: BACEN Base: Janeiro de 2017 Sumário Executivo A desalavancagem das famílias e das empresas persiste em razão das condições adversas do cenário econômico brasileiro. O

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN AGOSTO / 2009

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN AGOSTO / 2009 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN AGOSTO / 2009 Fonte: Bacen 29/09/2009 DESTAQUES DE AGOSTO/ 2009 A carteira de crédito em Agosto, apresentou crescimento de 1,5% ante Julho, totalizando R$ 1,326 trilhões. No

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN JULHO/ 2009

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN JULHO/ 2009 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN JULHO/ 2009 Fonte: Bacen 26/08/2009 DESTAQUES DE JULHO/ 2009 O total de operações de crédito no sistema financeiro nacional totalizou R$ 1,3 trilhões, representando um aumento

Leia mais

Nota para Imprensa do Banco Central Setembro/08. Everton P.S. Gonçalves 22/10/08

Nota para Imprensa do Banco Central Setembro/08. Everton P.S. Gonçalves 22/10/08 Nota para Imprensa do Banco Central Setembro/08 Everton P.S. Gonçalves 22/10/08 Sumário 1. Crédito Total 2. Recursos Livres 3. Recursos Direcionados 4. Referencial p/taxa de Juros - Pessoa Física 5. Crédito

Leia mais

Nota de Crédito. Março Fonte: BACEN - 25/04/2012

Nota de Crédito. Março Fonte: BACEN - 25/04/2012 Nota de Crédito Março 2012 Fonte: BACEN - 25/04/2012 A carteira de crédito no sistema financeiro nacional equivaleu a 49,3% do PIB em março de 2012. A carteira total de crédito no sistema financeiro nacional

Leia mais

No paralelo com fevereiro de 2010, os fluxos através do cdc veículos (R$ 417 milhões/dia) e do crédito pessoal (incluso o consignado) (R$ 705

No paralelo com fevereiro de 2010, os fluxos através do cdc veículos (R$ 417 milhões/dia) e do crédito pessoal (incluso o consignado) (R$ 705 O volume total de crédito no sistema financeiro nacional avançou 1,3% na comparação mensal totalizando R$ 1,74 trilhão em fevereiro, ou 46,5% do PIB. No paralelo com o mesmo mês de 2010, esse estoque representou

Leia mais

Ambos os segmentos apresentaram aceleração nas taxas de 12 meses (Mar./11 PF: 12,1% e PJ: 12,6%).

Ambos os segmentos apresentaram aceleração nas taxas de 12 meses (Mar./11 PF: 12,1% e PJ: 12,6%). A carteira total de crédito no sistema financeiro nacional avançou em abril 1,3%, encerrando em mais de R$ 1,776 trilhão, o que correspondeu a uma alta de 21% no paralelo com igual mês do ano anterior.

Leia mais

Os recursos livres totalizaram R$ 953,1 bilhões em Dezembro, terminando o ano com uma alta de 9,4% ante 2008.

Os recursos livres totalizaram R$ 953,1 bilhões em Dezembro, terminando o ano com uma alta de 9,4% ante 2008. O volume de crédito no sistema financeiro nacional fechou o ano em R$ 1,41 trilhão, representando 45% PIB. Esse resultado correspondeu a mais uma alta, agora de 1,6%, ante o mês anterior levando a um crescimento

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO fev/16 abr/16 Expectativas Juros reais em queda Na semana, observou-se a redução do sentimento de aversão ao risco, apesar das dúvidas quanto aos desdobramentos da política monetária nos EUA e na União

Leia mais

Política Monetária CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA. Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados!

Política Monetária CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA. Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados! Política Monetária 2 CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados! Trajetória crescente do endividamento familiar com o sistema financeiro O aumento do volume

Leia mais

A carteira de crédito no SFN (sistema financeiro nacional) totalizou pouco mais de R$ 2 trilhões em janeiro, equivalendo a 48,8% do PIB. Mesmo com o r

A carteira de crédito no SFN (sistema financeiro nacional) totalizou pouco mais de R$ 2 trilhões em janeiro, equivalendo a 48,8% do PIB. Mesmo com o r A carteira de crédito no SFN (sistema financeiro nacional) totalizou pouco mais de R$ 2 trilhões em janeiro, equivalendo a 48,8% do PIB. Mesmo com o recuo de -0,2% registrado no mês, o volume continuou

Leia mais

Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 2º trimestre de 2013

Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 2º trimestre de 2013 Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 2º trimestre de 13 Elaboração: Vice-Presidência de Finanças VIFIN Diretoria Executiva de Finanças e Mercado de Capitais - DEFIN 1 mai/8 ago/8 nov/8 fev/9 mai/9

Leia mais

NOTA DE CRÉDITO DE OUTUBRO

NOTA DE CRÉDITO DE OUTUBRO 1 NOTA DE CRÉDITO DE OUTUBRO ESTOQUE vs. CONCESSÃO (média diária, dessazonalizado) Estoque (em R$ milhões) Estoque (em R$ bilhões) Variação no mês dessaz (%) YDT (%) Var. três meses anualizado dessaz.

Leia mais

Concessões de Crédito - Recursos Livres Variação acumulada em 12 meses. fev/15. nov/14. mai/14. mai/15. ago/14 TOTAL PF PJ

Concessões de Crédito - Recursos Livres Variação acumulada em 12 meses. fev/15. nov/14. mai/14. mai/15. ago/14 TOTAL PF PJ ASSESSORIA ECONÔMICA Dados divulgados entre os dias 24 de julho e 28 de julho Crédito O estoque total de crédito do sistema financeiro nacional (incluindo recursos livres e direcionados) registrou variação

Leia mais

(série iniciada em 2000)*

(série iniciada em 2000)* A carteira total de crédito no sistema financeiro nacional (SFN), avançou 0,4% em fevereiro ultrapassando os R$ 2,03 trilhões e equivalendo a 48,8% do PIB. No paralelo com igual mês de 2011, a taxa de

Leia mais

Junho 2011 PANORAMA DO CRÉDITO. Crédito ao Consumidor Junho Cezar Yoo Dellagatti

Junho 2011 PANORAMA DO CRÉDITO. Crédito ao Consumidor Junho Cezar Yoo Dellagatti Junho 2011 PANORAMA DO CRÉDITO Crédito ao Consumidor Junho 2011 Cezar Yoo Dellagatti ÍNDICE SUMÁRIO 03 CRÉDITO AO CONSUMIDOR 11 CRÉDITO REF TAXA DE JUROS 14 SALDO 15 CONCESSÕES 25 JUROS 35 SPREAD 42 INADIMPLÊNCIA

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN MAIO/ 2009

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN MAIO/ 2009 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN MAIO/ 2009 Fonte: Bacen 25/06/2009 DESTAQUES DE MAIO/ 2009 O volume de crédito no sistema financeiro nacional, totalizou em Maio, R$ 1,259 trilhão, equivalendo a um aumento

Leia mais

Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 1º trimestre de 2013

Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 1º trimestre de 2013 Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 1º trimestre de 2013 Elaboração: Vice-Presidência de Finanças VIFIN Diretoria Executiva de Finanças e Mercado de Capitais - DEFIN SN de Planejamento Financeiro

Leia mais

Agosto 2011 PANORAMA DO CRÉDITO. Crédito ao Consumidor Agosto Cezar Yoo Dellagatti

Agosto 2011 PANORAMA DO CRÉDITO. Crédito ao Consumidor Agosto Cezar Yoo Dellagatti Agosto 2011 PANORAMA DO CRÉDITO Crédito ao Consumidor Agosto 2011 Cezar Yoo Dellagatti ÍNDICE SUMÁRIO 03 CRÉDITO AO CONSUMIDOR 11 CRÉDITO REF TAXA DE JUROS 14 SALDO 15 CONCESSÕES 25 JUROS 35 SPREAD 42

Leia mais

Operações de Crédito do SFN

Operações de Crédito do SFN BC: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) caem 0,2% em mai/17 e 2,6% em 12 meses. A retomada ainda não veio. O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO jan-16 fev-16 mar-16 abr-16 mai-16 jun-16 jul-16 ago-16 set-16 out-16 nov-16 dez-16 jan-17 Copom surpreende com 0,75 p.p. Expectativas O Comitê de Política Monetária surpreendeu o mercado ao acelerar o

Leia mais

NOTA DE CRÉDITO DE MARÇO

NOTA DE CRÉDITO DE MARÇO NOTA DE CRÉDITO DE MARÇO ANÁLISE DO ESTOQUE TOTAL DE CRÉDITO VS. CONCESSÃO (dados dessazonalizados) Estoque (em R$ milhões) Estoque (em R$ bilhões) Variação no mês dessaz (%) YDT (%) Var. três meses anualizado

Leia mais

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO Realizada entre os dias 28 de janeiro e 02 de fevereiro de 2016 Analistas consultados: 25 PROJEÇÕES E EXPECTATIVAS DE MERCADO FEBRABAN

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO fev/16 abr/16 mai/16 jun/16 Espaço para flexibilização monetária Com uma variação de 0,38% a menor para janeiro desde 1994 o IPCA acumulou uma alta de 5,4% em 12 meses, contra 6,3% no fechamento de 2016.

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO dez/17 Sinal positivo da alta dos investimentos Em linha com o aumento dos prêmios de risco pelas incertezas quanto aos rumos da reforma da previdência, o spread entre as taxas de juros de um e três anos

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 27 de junho de 2018

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 27 de junho de 2018 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 27 de junho de 2018 (dados maio de 2018) A SPE não é a fonte primária das informações disponibilizadas nesta apresentação. A SPE apenas consolida e organiza as informações

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Risco dos emergentes é impactado pelo mercado de trabalho dos EUA Dados do mercado de trabalho indicando um ganho salarial mais intenso e a criação de um número maior de vagas do que o esperado, em um

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Final da flexibilização monetária Apesar das preocupações com a recente apreciação do dólar em relação ao real, as frustações com o dinamismo da atividade econômica, as surpresas positivas nos indicadores

Leia mais

Indústria e Investimentos recuam no 2º trimestre e Economia Brasileira mantém ritmo lento de crescimento

Indústria e Investimentos recuam no 2º trimestre e Economia Brasileira mantém ritmo lento de crescimento Indústria e Investimentos recuam no 2º trimestre e Economia Brasileira mantém ritmo lento de crescimento Os dados das Contas Nacionais Trimestrais do IBGE mostram que economia brasileira cresceu 0,2% no

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Aguardando as condições A semana foi marcada pelas apostas acerca da queda da taxa Selic. Após a decisão de manutenção da meta em 14,25% a.a, houve a interpretação de que são boas as possibilidades de

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

O crédito habitacional e os repasses do

O crédito habitacional e os repasses do O estoque de crédito no sistema financeiro nacional totalizou R$ 1,7 trilhão em janeiro de 2011 equivalendo a 46,5% do PIB. O volume expandiu 0,5% na comparação com o mês anterior superando em 20,3% aquele

Leia mais

Massa Salarial Real Média móvel trimestral (R$ milhões) jul/14. jul/15. jan/15. set/15. jan/16. set/14. nov/14. nov/15. mai/15. mar/15.

Massa Salarial Real Média móvel trimestral (R$ milhões) jul/14. jul/15. jan/15. set/15. jan/16. set/14. nov/14. nov/15. mai/15. mar/15. ASSESSORIA ECONÔMICA Dados divulgados entre os dias 28 de janeiro e 01 de fevereiro Mercado de Trabalho (PNAD Contínua Mensal) 210.000 Massa Salarial Real Média móvel trimestral (R$ milhões) 205.000 204.592

Leia mais

NOTA DE CRÉDITO DE SETEMBRO

NOTA DE CRÉDITO DE SETEMBRO 1 NOTA DE CRÉDITO DE SETEMBRO TABELA RESUMO ANÁLISE DO ESTOQUE TOTAL DO CRÉDITO vs. CONCESSÃO (MÉDIA DIÁRIA DESSAZ) Estoque (em R$ milhões) Estoque (em R$ bilhões) Variação no mês dessaz (%) YDT (%) Var.

Leia mais

CRÉDITO INDUSTRIAL, TAXA DE JUROS E SPREAD BANCÁRIO O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2002

CRÉDITO INDUSTRIAL, TAXA DE JUROS E SPREAD BANCÁRIO O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2002 CRÉDITO INDUSTRIAL, TAXA DE JUROS E SPREAD BANCÁRIO O PRIMEIRO SEMESTRE DE 22 Os últimos dados sobre a evolução do crédito no Brasil mostram que o crédito no país continua caro, escasso e de prazo reduzido.

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN JANEIRO / 2009

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN JANEIRO / 2009 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN JANEIRO / 2009 Fonte: Bacen 26/02/2009 DESTAQUES DE JANEIRO / 2009 O estoque total de crédito contratado, no sistema financeiro nacional, iniciou o ano praticamente estável,

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Baixa oscilação dos juros Durante a semana, a taxa de juros do swap DI prefixado de 3 dias teve uma leve queda, fechando em 10,87% a.a.. A estrutura a termo da taxa de juros não apresentou grandes alterações.

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Mercado de trabalho decepciona A última semana de 2017 foi caraterizada pela baixa movimentação nos mercados e pela diminuição da aversão ao risco no exterior. O CDS da economia brasileira com vencimento

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO dez-15 fev-16 abr-16 jun-16 ago-16 out-16 dez-16 Intensificação da queda da Selic Apesar da divulgação do IPCA de novembro abaixo do esperado, a Ata do Copom foi o fator preponderante para as apostas na

Leia mais

ECONOMIA 25 de junho de 2015 Relatório de Crédito (dados de maio)

ECONOMIA 25 de junho de 2015 Relatório de Crédito (dados de maio) 11 12 13 14 15 16 jan/02 ago/02 mar/03 out/03 mai/04 dez/04 jul/05 fev/06 set/06 abr/07 nov/07 jun/08 jan/09 ago/09 mar/ out/ mai/11 dez/11 jul/12 fev/13 set/13 abr/14 nov/14 ECONOMIA 25 de junho de 15

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO 2017:

CENÁRIO ECONÔMICO 2017: CENÁRIO ECONÔMICO 2017: Lenta recuperação após um longo período de recessão Dezembro 2016 AVALIAÇÃO CORRENTE DA ATIVIDADE ECONÔMICA A RECUPERAÇÃO DA CONFIANÇA DO EMPRESARIADO E DO CONSUMIDOR MOSTRAM ACOMODAÇÃO

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Real em recuperação Expectativas. O real manteve sua trajetória de recuperação frente ao dólar, com a moeda norte-americana fechando a semana com uma depreciação de 1,56%, cotada a R$ 3,78. O desempenho

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Liquidez internacional e prêmios de risco A semana encerrada em 05 de agosto continuou a mostrar os reflexos do elevado grau de liquidez no mercado financeiro internacional com efeitos nos mercados de

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Melhor percepção de risco no exterior A divulgação da ata da última reunião do Fed manteve a aversão ao risco no exterior, o que favoreceu os ativos de economias emergentes, num ambiente em que se espera

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Real perde para seus pares Expectativas No aguardo do encaminhamento da PEC da Previdência na CCJ, o dólar encerrou a semana cotado a R$ 3,93, com o real se depreciando em 1,17%. Isso significou um pior

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Atividade econômica surpreende em fevereiro Apesar da semana mais curta, houve a divulgação de dados positivos para atividade econômica. Adicionalmente, na quarta-feira, o Comitê de Política Monetária

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Manutenção do ritmo de queda da Selic A divulgação dos dados de inflação e varejo dos EUA mais fracos que os esperados levaram à queda da moeda norte-americana (-3,1%), com o mercado precificando uma desaceleração

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Mantidos os roteiros Seguindo o roteiro, o Copom manteve a taxa básica de juros inalterada em 6,5% a.a., em linha com as expectativas do mercado. Da mesma forma, o Federal Reserve manteve a taxa básica

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Novo equilíbrio? Expectativas Constatou-se na semana uma relativa dissipação da volatilidade originada pelos desdobramentos da eleição presidencial norte-americana. Apesar do nível mais elevado da rentabilidade

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN BC: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) caem 0,4% em julho de 2016, acumulando leve alta de 0,2% em 12 meses O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados

Leia mais

Pesquisa de indicadores das condições de crédito. Banco Central do Brasil Boletim Regional Agosto de 2012

Pesquisa de indicadores das condições de crédito. Banco Central do Brasil Boletim Regional Agosto de 2012 Pesquisa de indicadores das condições de crédito Banco Central do Brasil Boletim Regional Agosto de 212 Indicadores de condições de crédito Objetivo: Verificar o sentimento dos últimos meses sobre o mercado

Leia mais

Pesquisa Trimestral de Condições de Crédito. Banco Central do Brasil Junho de 2017

Pesquisa Trimestral de Condições de Crédito. Banco Central do Brasil Junho de 2017 Pesquisa Trimestral de Condições de Crédito Banco Central do Brasil Junho de 217 Indicadores de Condições de Crédito Objetivos: Verificar o sentimento recente sobre o mercado de crédito e identificar tendências

Leia mais

Fotografia dos Bancos Médios e Pequenos. IF Data, Junho de 2015 Banco Central do Brasil

Fotografia dos Bancos Médios e Pequenos. IF Data, Junho de 2015 Banco Central do Brasil Fotografia dos Bancos Médios e Pequenos IF Data, Junho de 2015 Banco Central do Brasil Conteúdo Sumário Executivo Organização do SFN Sistema bancário Bancos médios e pequenos Números consolidados Perfil

Leia mais

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO Realizada entre os dias 14 e 20 de setembro de 2016 Instituições respondentes: 22 DESTAQUES DESTA EDIÇÃO Principais alterações nas

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN BC: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) caem 0,5% em junho de 2016, acumulando leve alta de 1,0% em 12 meses O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados

Leia mais