AVALIAÇÃO DE TESTES DE VIGOR PARA SEMENTES DE AVEIA-BRANCA (Avena sativa L.) 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DE TESTES DE VIGOR PARA SEMENTES DE AVEIA-BRANCA (Avena sativa L.) 1"

Transcrição

1 TESTE DE VIGOR PARA SEMENTES DE AVEIA-BRANCA 163 AVALIAÇÃO DE TESTES DE VIGOR PARA SEMENTES DE AVEIA-BRANCA (Avena sativa L.) 1 AURÉLIO VINICIUS BORSATO 2, ALBERTO SÉRGIO DO REGO BARROS 3, DIRK CLAUDIO AHRENS 4 E MARIA CRISTINA LEME DE LIMA DIAS 5 RESUMO - Este trabalho objetivou avaliar os testes de vigor (envelhecimento acelerado e de comprimento das plântulas) para determinar a qualidade fisiológica de sementes de aveia-branca, cultivar UFRGS 14, das safras de 1996, 1997 e Os testes de germinação, comprimento das plântulas e envelhecimento acelerado foram realizados no Laboratório de Análise de Sementes do Instituto Agronômico do Paraná - IAPAR, em Londrina-PR. A avaliação da emergência em campo foi realizada na Estação Experimental do IAPAR, em Ponta Grossa-PR. Todas as avaliações foram realizadas em dezembro de 1998 e março de O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, com quatro repetições e as médias comparadas pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade. Concluiu-se que o teste de envelhecimento acelerado é o mais eficiente para detectar diferenças de qualidade, expondo-se as sementes à temperatura de 42 o C por 48 horas. Termos para indexação: Avena sativa L., comprimento das plântulas, emergência em campo, envelhecimento acelerado, vigor. VIGOR TESTS EVALUATION FOR WHITE-OAT (Avena sativa L.) SEEDS ABSTRACT - This work aimed to evaluate the vigor (accelerated aging and the seedling length tests) to determine the physiological quality of oat seeds, cultivar UFRGS 14, from the 1996, 1997 and 1998 crops. The germination, seedling length and accelerated aging tests were conducted at the Seed Analysis Laboratory of the Agronomic Institute of Paraná IAPAR, in Londrina-PR. The evaluation of emergence in the field was performed at the Experiment Station of IAPAR, in Ponta Grossa-PR. All the evaluations were carried out in December 1998 and March The experimental design employed was the complete randomized, with four replications, and the means were compared through the Tukey test at the 0.05 significance level. It was concluded that the accelerated aging test is the most effective to detect differences in quality, the seeds being exposed to the temperature of 42 o C for 48 hours. Index terms: Avena sativa L., seedling length, emergence in the field, accelerated aging, vigor. INTRODUÇÃO A aveia-branca (Avena sativa L.) é uma das espécies mais antigas cultivadas pelo homem no uso de seus grãos para alimentação humana e animal, pois apresenta um balanceamento de aminoácidos, vitaminas, minerais e carboidratos de alta qualidade. Embora o Brasil não seja conhecido mundialmente como produtor de aveia, é um dos países que ultimamente apresenta expansão considerável de área plantada com esta cultura. Apenas no Paraná, o maior produtor na safra de 1997, foram semeados hectares com aveia-branca, totalizando toneladas produzidas (Zampieri, 1998). Atualmente, tem-se boas perspectivas para o mercado de aveia, onde os 1 Aceito para publicação em Formando do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG); bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do CNPq; , Ponta Grossa-PR; ou 3 Eng o Agr o, MSc, Pesquisador da Área Técnica de Propagação Vegetal do IAPAR; Cx. Postal 481; , Londrina-PR; 4 Eng o Agr o, MSc, Pesquisador da Área Técnica de Propagação Vegetal do IAPAR; Cx. Postal 129; , Ponta Grossa-PR; 5 Eng a Agr a, Pesquisadora da Área Técnica de Propagação Vegetal do IAPAR; Londrina-PR;

2 164 A.V. BORSATO et al. preços de venda têm se tornado atrativos devido aos aumentos na demanda desta matéria prima para a elaboração de produtos mais saudáveis à dieta humana. Também, gradativamente vem ocupando espaço como pasto de inverno, feno e ensilado (Mundstock, 1983 e Comissão Sul-Brasileira de Pesquisa de Aveia, 1995), como adubo verde (Calegari et al., 1996) e como cobertura morta no plantio direto (Almeida, 1998), além de sua palhada exercer efeito alelopático sobre a geminação de sementes de capim-marmelada (Skóra-Neto, 1993 e Skóra-Neto & Müller, 1993). O sucesso da agricultura de um país têm sido dependente da disponibilidade e utilização de sementes e mudas de boa qualidade. No entanto, para a cultura da aveia, observase uma escassa literatura referente ao controle de qualidade no processo de produção de sementes, acarretando falta de subsídios para um adequado manejo dos lotes de sementes. Normalmente, os testes de germinação não têm sido suficientes para a identificação precisa de lotes de diferentes níveis de qualidade (Marcos-Filho et al., 1987). O desenvolvimento de testes para a avaliação do vigor em sementes, bem como a padronização destes, são essenciais para a constituição de um eficiente controle de qualidade. Assim, no controle de qualidade pós-colheita, principalmente em análise de sementes, parte das atuais pesquisas estão direcionadas para a obtenção e/ou aprimoramento de testes de vigor, que sejam padronizáveis, de baixo custo, de fácil utilização, bem como para o estudo e desenvolvimento de testes rápidos, além de metodologias adequadas para a avaliação da qualidade de sementes de espécies de emergente interesse econômico como a aveia. A reprodutibilidade, a interpretação e a correlação com a emergência em campo, a rapidez, a objetividade e simplicidade e a viabilidade econômica, são características essenciais dos testes de vigor (AOSA, 1983). Neste sentido, Vieira & Carvalho (1994) consideram que testes como envelhecimento acelerado, frio e condutividade elétrica apresentam alto grau de padronização e reprodutibilidade, tanto em termos de metodologias como de interpretação dos resultados, justificando sua utilização no controle de qualidade de sementes. Especificamente para a aveia, poucos autores citam o uso de testes de vigor. Nakagawa et al. (1994) e Nakagawa et al. (1995), trabalhando com aveia-preta (Avena strigosa Schreb.), usaram como teste de vigor a primeira contagem do teste de germinação, a emergência em campo e o envelhecimento acelerado pelo método do gerbox, utilizando 42ºC por 48 horas. Ainda, Paterniani et al. (1995) utilizaram condições semelhantes de temperatura e período de exposição, quando avaliaram o vigor de sementes de aveia-preta e aveiaamarela (Avena byzantina K.Koch) pelo teste de envelhecimento acelerado em gerbox. Para sementes de trigo a AOSA (1983) sugere o teste de envelhecimento acelerado utilizando temperatura de 45ºC por 48 horas. Como outra alternativa, Johnston et al. (1994) empregaram o teste de frio para diferentes Geraniaceas e Poaceas, dentre as últimas, Avena barbata Pott exlink, porém não obtendo resultados satisfatórios. Buscando melhor avaliação da qualidade fisiológica de sementes de aveia, Bevilaqua & Pierobom (1995) utilizaram como testes de vigor a emergência em campo, índice de velocidade de emergência, primeira contagem do teste de germinação, peso da matéria seca da parte aérea e altura das plântulas, porém os resultados mostraram-se divergentes. Entre os testes de vigor mais utilizados, o de comprimento das plântulas parte do princípio que sementes vigorosas originam plântulas com maior taxa de crescimento; já o teste de envelhecimento acelerado tem como fundamento que a aceleração da deterioração está relacionada às condições ambientais adversas como alta umidade e temperatura, permitindo que sementes de alto vigor mantenham a qualidade em níveis satisfatórios (Dias & Barros, 1995). Portanto, são testes de vigor com princípios diferentes, pois o primeiro baseia-se no desenvolvimento das plântulas, e o segundo é classificado como teste de estresse, mas, ambos têm a vantagem de apresentarem maior possibilidade de padronização, razão pela qual são recomendados pelas entidades ISTA e AOSA (Vieira & Carvalho, 1994). Tendo em vista que um dos objetivos dos testes de vigor é o de associar seus resultados com o potencial das emergência das plântulas no campo, em condições mais amplas possíveis, nos estudos de testes de vigor ou nos trabalhos de avaliação de qualidade das sementes, é interessante a utilização deste como referencial. O teste de porcentagem de emergência em campo está entre os mais empregados para este fim (Vieira & Carvalho, 1994). Dessa forma, o presente trabalho foi desenvolvido com o intuito de avaliar o vigor, pelos testes de envelhecimento acelerado e de comprimento das plântulas, para determinar a qualidade fisiológica de sementes de aveia-branca. MATERIAL E MÉTODOS Este trabalho foi realizado no Laboratório de Análise de Sementes do Instituto Agronômico do Paraná - IAPAR, em Londrina-PR, utilizando-se três lotes de sementes de aveiabranca (Avena sativa L.) da cultivar UFRGS 14, das safras 1996, 1997 e 1998, com diferentes níveis de qualidade. As

3 TESTE DE VIGOR PARA SEMENTES DE AVEIA-BRANCA 165 sementes foram acondicionadas em sacos de papel multifolhado, armazenadas em condições ambientais, que não foram resgistradas, para análise da qualidade fisiológica e avaliadas em duas épocas. Para os três lotes, a qualidade fisiológica foi avaliada em dezembro de 1998 (primeira época) e em março de 1999 (segunda época), através das seguintes determinações: teste de germinação - conduzido em rolo de papel toalha, umedecido com 2,5 vezes o seu peso seco com água destilada, na temperatura de 20 o C, com quatro subamostras de 50 sementes, as contagens foram no 7 o e 10 o dia após a semeadura, seguindose as demais recomendações contidas nas Regras para Análises de Sementes - RAS (Brasil, 1992); emergência em campo - realizada na Estação Experimental do IAPAR, em Ponta Grossa-PR, com quatro repetições de 100 sementes por lote, distribuídas em linhas de quatro metros de comprimento, com três centímetros de profundidade e distância entre sulcos de 20cm. As contagens foram efetuadas diariamente, até a emergência total, determinando-se a percentagem de emergência das plântulas. Optou-se por realizar esta avaliação somente na segunda época, em função das condições climáticas serem mais propícias para a emergência em campo das plântulas de aveia; comprimento das plântulas - conforme metodologia citada por Dias & Barros (1995), utilizaram-se quatro repetições de 15 sementes semeadas sobre uma linha traçada no terço superior de folha de papel toalha, direcionando-se a radícula para baixo. Os rolos foram colocados em sacos plásticos vedados e, levados ao germinador regulado a 20 o C. Após cinco dias no germinador, determinou-se o comprimento médio das plântulas pela média aritmética das repetições; envelhecimento acelerado - utilizou-se o método do gerbox em câmara (Elliot, 1991), foram colocadas 240 sementes e 40ml de água por gerbox e, posteriormente, levados à câmara de envelhecimento regulada para 42 o C, onde permaneceram por diferentes períodos de exposição: 48, 60, 72 e 84 horas. A seguir, as sementes foram submetidas ao teste de germinação, conforme Brasil (1992) e as 40 sementes restantes foram utilizadas para determinar o teor de água, pelo método da estufa a 105±3 o C, de acordo com as RAS (Brasil, 1992). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições. Os resultados foram avaliados por comparação de RESULTADOS E DISCUSSÃO Na Tabela 1, observa-se que na avaliação realizada em dezembro/98 (E1), a germinação do lote I foi inferior aos demais lotes, cujas médias não diferiram significativamente entre si. Porém, para as avaliações feitas no mês de março/99 (E2), foram observadas diferenças significativas entre os três lotes, evidenciando a separação esperada dos três níveis de qualidade. Comparando-se as duas épocas, observou-se uma redução significativa da porcentagem de germinação para os lotes I e II. Com relação à emergência em campo (Tabela 2), observou-se que o maior valor foi do lote III, de melhor qualidade, enquanto, os lotes I e II não diferiram estatisticamente entre si. Na Tabela 3 estão os dados obtidos no teste de comprimento das plântulas. Na primeira época, o maior valor per- TABELA 1. Valores médios de germinação (%) de sementes de aveiabranca, cultivar UFRGS 14, de diferentes lotes e épocas de avaliação. Londrina, médias pelo Teste de Tukey, a 5% de probabilidade. Os dados foram transformados em arc sen x/100 (exceto para comprimento das plântulas), porém apresentados na forma original. Germinação (%) E1 E2 Médias I 73,00 Ba 63,25 Cb 68,12 B II 87,00Aa 75,00 Bb 81,00A III 82,75Aa 82,50Aa 82,62A Médias 80,91a 73,58b CV(%) = 5,11 Médias seguidas pela mesma letra, minúscula nas linhas e maiúscula nas colunas, não diferem pelo Teste de Tukey, a 5%. E1-1ª época de avaliação - dez. 1998; E2-2ª época - mar TABELA 2. Valores médios de emergência em campo (%) de lotes de sementes de aveia-branca, cultivar UFRGS 14, no final do período de armazenamento. Ponta Grossa, Emergência I 45B II 57B III 83A Média 63 CV(%) = 16,57 Médias seguidas pela mesma letra, maiúscula na coluna, não diferem pelo Teste de Tukey, a 5%.

4 166 A.V. BORSATO et al. TABELA 3. Valores médios de comprimento das plântulas (cm) de sementes de aveia-branca, cultivar UFRGS 14, de diferentes lotes e épocas de avaliação. Londrina, Germinação (%) E1 E2 tenceu ao lote II, que diferiu estatisticamente dos lotes I e III que, por sua vez, apresentaram resultados semelhantes. Por outro lado, na segunda época, os três lotes diferiram entre si, permanecendo o lote II como o de melhor qualidade. Para ambas as épocas de avaliação observou-se que a maior média de comprimento das plântulas foi a das sementes pertencentes ao lote II, considerado de qualidade média. Observou-se que os valores obtidos para os três lotes na segunda época foram significativamente maiores aos da primeira avaliação. Os resultados do teste de envelhecimento acelerado utilizando-se a temperatura de 42 o C, por diferentes períodos de exposição, estão na Tabela 4. Para o período de 48 horas, foram observadas diferenças significativas entre os três lotes, em ambas as épocas, onde o maior valor foi do lote III, seguido pelo lote II e lote I. Por outro lado, não foram verificadas diferenças significativas entre as duas épocas de avaliação. Para os períodos de exposição de 60 e 72 horas, os resultados mostraram-se semelhantes. Na primeira época os lotes I e II foram estatisticamente iguais, os quais foram inferiores ao lote III. Na segunda época, os três lotes diferiram entre si. Observou-se também, que os valores obtidos para os três lotes na segunda época, foram inferiores aos da primeira época. No período de 84 horas, constatou-se mais uma vez que o lote III foi superior aos demais. A separação dos três lotes foi possível somente na segunda época, onde o lote III foi superior ao lote II e este foi superior ao lote I. Ao comparar as duas épocas, observou-se que os valores obtidos para os lotes I e II foram estatisticamente iguais, porém o valor obtido para o lote III na segunda avaliação, foi inferior ao da primeira avaliação. Médias I 9,73 Bb 11,64 Ca 10,68 C II 12,87Ab 16,79Aa 14,83A III 9,69 Bb 14,21 Ba 11,95 B Médias 10,76b 14,21a CV(%) = 6,81 Médias seguidas pela mesma letra, minúscula nas linhas e maiúscula nas colunas, não diferem pelo Teste de Tukey, a 5%. E1-1ª época de avaliação - dez. 1998; E2-2ª época - mar Os resultados comprovam a pouca sensibilidade do teste de germinação para a identificação precisa de diferentes níveis de qualidade de lotes de sementes de aveia-branca. Entre os testes utilizados, o envelhecimento acelerado mostrou-se mais eficaz na identificação de diferentes níveis de qualidade em lotes de sementes de aveia-branca, cultivar UFRGS 14, principalmente utilizando-se o menor período (48h) de exposição das sementes ao estresse, sendo possível estabelecer uma seqüência classificatória dos três níveis de qualidade, nas duas épocas. Este período de exposição ratifica as observações de alguns autores, como Nakagawa et al. (1994), Nakagawa et al. (1995) e Paterniani et al. (1995) para avaliação do vigor em sementes de aveia. Com maiores tempos (60, 72 e 84h), os valores numéricos foram mais baixos, mas a diferenciação de qualidade entre os lotes foi observada somente na segunda época. Verificou-se também um aumento nos valores do coeficiente de variação em relação ao tratamento de 48 horas. A eficiência constatada neste trabalho, juntamente com o alto grau de padronização e de reprodutibilidade, comprovados por Vieira & Carvalho (1994), são subsídios gerados que podem servir como estímulo para a utilização do teste de envelhecimento acelerado como um teste rápido de vigor em sementes de aveia. Dessa forma, ao associar os testes de germinação e de envelhecimento acelerado, tornar-se possível gerar informações essenciais para a identificação precisa de lotes de sementes, de diferentes níveis de qualidade, facilitando sua adequada manipulação. No teste de emergência em campo, realizado neste trabalho como referencial, ficou evidente a separação do lote III, como de qualidade superior, enquanto que os demais lotes apresentaram-se estatisticamente iguais. Numericamente, observou-se também que o lote I não atingiu 50% de emergência. Neste sentido, em particular para o teste de envelhecimento acelerado com 42 o C por 48 horas, foi possível associar seus resultados aos do teste de emergência em campo, somente em termos numéricos. Com relação ao teste de comprimento das plântulas, pela diversidade dos resultados, não foi eficiente na separação dos três níveis de qualidade. Somente na segunda avaliação foram obtidas diferenças significativas entre os três lotes, porém de uma forma não esperada. Devido à diversidade dos

5 TESTE DE VIGOR PARA SEMENTES DE AVEIA-BRANCA 167 TABELA 4. Valores médios de germinação (%) de sementes de aveia-branca, cultivar UFRGS 14, de diferentes lotes e épocas de avaliação, submetidas ao teste de envelhecimento acelerado à 42 o C nos períodos de exposição de 48, 60, 72 e 84 horas. Londrina, Períodos de exposição (horas) Germinação (%) E1 E2 Médias I 38,75 Ca 38,00 Ca 38,37 C II 56,25 Ba 56,00 Ba 56,12 B 48 III 68,00Aa 64,00Aa 66,00A Médias 54,33a 52,66a CV(%) = 7,61 I 49,25 Ba 18,50 Cb 33,87 C II 52,75 Ba 33,00 Bb 42,87 B 60 III 65,25Aa 56,25Ab 60,75A Médias 55,75a 35,91b CV(%) = 12,58 I 34,25 Ba 10,25 Cb 22,25 C II 38,00 Ba 22,50 Bb 30,25 B 72 III 63,50Aa 52,75Ab 58,12A Médias 45,25a 28,50b CV(%) = 13,56 I 19,25 Ba 15,50 Ca 17,37 C C II 21,50 Ba 23,00 Ba 22,25 B B 84 III 65,50Aa 57,75Ab 61,25 AA Médias 35,41a 32,08b CV(%) = 10,27 Médias seguidas pela mesma letra, minúscula nas linhas e maiúscula nas colunas, não diferem pelo Teste de Tukey, a 5%. E1-1ª época de avaliação - dez. 1998; E2-2ª época - mar resultados, não foi possível associar seus resultados com as informações obtidas com os demais testes. Diante do exposto, torna-se evidente a importância deste trabalho para o controle de qualidade interno realizado pelos produtores de sementes de aveia-branca, pois as informações essenciais para o adequado gerenciamento dos lotes de sementes podem ser obtidas mais rapidamente de forma precisa utilizando, além do teste de germinação, testes rápidos de vigor como o de envelhecimento acelerado com um menor tempo de execução. CONCLUSÕES O teste de envelhecimento acelerado é o mais eficiente para detectar diferenças de qualidade, expondo-se as sementes de aveia-branca à temperatura de 42 o C por 48 horas. REFERÊNCIAS ALMEIDA, J.L. Produção e utilização recente da aveia no Brasil. In: REUNIÃO DA COMISSÃO BRASILEIRA DE AVEIA, 18, Londrina, 14/16 abr Palestras. Londrina: IAPAR, p AOSA - ASSOCIATION OF OFFICIAL SEED ANALYSTS. Seed vigor testing handbook. In: Handbook on seed testing. East Lansing, p. (Contribution, 32). BEVILAQUA, G.A.P. & PIEROBOM, C.R. Qualidade sanitária e fisiológica de sementes de aveia-preta (Avena strigosa Schreb.) na zona sul do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.17, n.1, p.19-22, BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Regras para análises de sementes. Brasília: SNAD/DNDV/CLAV, p. CALEGARI, A.; ASSMANN, A.L. & SANGUININI, J.N. Influência do sistema de cultivo e da adubação verde de inverno na agregação do solo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE

6 168 A.V. BORSATO et al. PLANTIO DIRETO PARA UMA AGRICULTURA SUSTEN- TÁVEL, 1, Ponta Grossa, 18/22 mar Anais. Londrina: IAPAR, p COMISSÃO SUL-BRASILEIRA DE PESQUISA DE AVEIA. Recomendações tecnológicas para o cultivo da aveia. Passo Fundo: UPF, p. DIAS, M.C.L.L. & BARROS, A.S.R. Avaliação da qualidade de sementes de milho. Londrina: IAPAR, p. (Circular, 88). ELLIOT, B. Construção do recipiente das sementes para uso do teste de envelhecimento precoce. Informativo ABRATES, Londrina, v.1, n.2, p.51-53, JOHNSTON, M.; FERNÁNDEZ, G. & OLIVES, A. Capacitad germinativa em especies de la pradera anual mediterránea. II. Efecto del año de produccioón de semillas. Phyton, Vicente Lópes, v.55, n.1, p.59-69, MARCOS-FILHO, J.; CÍCERO, S.M. & SILVA, W.R. Avaliação da qualidade das sementes. Piracicaba: FEALQ, p. MUNDSTOCK, C.M. Cultivo dos cereais de estação fria: trigo, cevada, aveia, centeio, alpiste, triticale. Porto Alegre: NBS, p. NAKAGAWA, J.; CAVARIANI, C. & MACHADO, J.R. Maturação de sementes de aveia-preta (Avena strigosa Schreb.). I. Maturidade do campo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.29, n.2, p , NAKAGAWA, J.; CAVARIANI, C. & MACHADO, J.R. Efeitos da dose e da época de aplicação de N na produção e qualidade de sementes de aveia preta. Científica, São Paulo, v.23, n.1, p.31-43, PATERNIANI, R.S.; REIS, R.A.; VIEIRA, R.D.; RODRIGUES, L.R.A. & COAN, O. Avaliação de genótipos de aveia quanto à produção e qualidade fisiológica de sementes. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.17, n.1, p.36-41, SKÓRA-NETO, F. Coberturas vegetais em diferentes sistemas de preparo do solo no controle de plantas daninhas. In: ENCONTRO LATINO AMERICANO SOBRE PLANTIO DIRETO NA PEQUENA PROPRIEDADE, 1, Ponta Grossa, 22/26 nov Anais. Londrina: IAPAR, p SKÓRA-NETO, F. & MÜLLER, J.M. Efeitos alelopáticos de extratos aquosos de canola, aveia e azevém sobre espécies cultivadas e silvestres. In: ENCONTRO LATINO AMERICANO SOBRE PLANTIO DIRETO NA PEQUENA PROPRIEDADE, 1, Ponta Grossa, 22/26 nov Anais. Londrina: IAPAR, p VIEIRA, R.D. & CARVALHO, N.M. Testes de vigor em sementes. Jaboticabal: FUNED, p. ZAMPIERI, D. Importância econômica da aveia no Paraná. In: REUNIÃO DA COMISSÃO BRASILEIRA DE AVEIA, 18, Londrina, 14/16 abr Palestras. Londrina: IAPAR, p.16.!"!"!

TESTES DE VIGOR NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE TOMATE 1

TESTES DE VIGOR NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE TOMATE 1 VIGOR PARA SEMENTES DE TOMATE 23 TESTES DE VIGOR NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE TOMATE 1 ANGELICA BROD RODO 2, MARIA ÂNGELA ANDRÉ TILLMANN 3 e FRANCISCO AMARAL VILLELA 3 RESUMO- Sementes

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 6 a 0 de Agosto de 0 Qualidade de Sementes Híbridas de Milho Processadas em Separador por Cor Cibele Aparecida Teixeira da Silva, João Almir

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO HÍBRIDO COMERCIAL E DE PROGRAMA TROCA-TROCA

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO HÍBRIDO COMERCIAL E DE PROGRAMA TROCA-TROCA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO HÍBRIDO COMERCIAL E DE PROGRAMA TROCA-TROCA Mateus Tonini Eitelwein 1, Stela Maris Kulczynski 2, Antônio Luis Santi 2, Maurício Roberto Cherubin

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Influência de Temperaturas de Secagem no Vigor de Sementes de Milho Geneticamente Modificadas Patrícia Marluci da

Leia mais

EFEITO DO ESTRESSE HÍDRICO E DA PROFUNDIDADE DE SEMEADURA NA EMERGÊNCIA DE BRACHIARIA BRIZANTHA CV. MG-5

EFEITO DO ESTRESSE HÍDRICO E DA PROFUNDIDADE DE SEMEADURA NA EMERGÊNCIA DE BRACHIARIA BRIZANTHA CV. MG-5 REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN 1677-0293 PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 5 JUNHO DE 2004 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

A1-206 Avaliação da qualidade fisiológica de sementes de milho variedade (Zea mays) armazenadas em garrafas PET.

A1-206 Avaliação da qualidade fisiológica de sementes de milho variedade (Zea mays) armazenadas em garrafas PET. A1-206 Avaliação da qualidade fisiológica de sementes de milho variedade (Zea mays) armazenadas em garrafas PET. Previero, Conceição Aparecida, CEULP/ULBRA, conceicaopreviero@gmail.com, Moraes, Eriel Dantas

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO

PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO Valdecir Batista Alves (1), Gessí Ceccon (2), Júlio Cesar Salton (3), Antonio Luiz Neto Neto (4), Leonardo

Leia mais

EFEITO DE DIFRENTES PERÍODOS E USO DE SOLUÇÃO SALINA NO ENVELHECIMENTO ACELERADO EM SEMENTES DE SALSA

EFEITO DE DIFRENTES PERÍODOS E USO DE SOLUÇÃO SALINA NO ENVELHECIMENTO ACELERADO EM SEMENTES DE SALSA EFEITO DE DIFRENTES PERÍODOS E USO DE SOLUÇÃO SALINA NO ENVELHECIMENTO ACELERADO EM SEMENTES DE SALSA CONCEIÇÃO, Gerusa Massuquini 2 ; ROETHIG, Elisa²; ; ESPINDOLA, Maria Carolina Grigoletto 2 ; BARBIERI,

Leia mais

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA Valter de Oliveira Neves Júnior 1 ; Zélio de Lima Vieira 1 ; Tiago Trevizam de Freitas 1 ; Edgar Rodrigues Marques 1 ; Paulo César

Leia mais

EFEITO DO ÁCIDO GIBERÉLICO NO TRATAMENTO DE SEMENTES DE ARROZ SUBMETIDO A ESTRESSE POR BAIXA TEMPERATURA

EFEITO DO ÁCIDO GIBERÉLICO NO TRATAMENTO DE SEMENTES DE ARROZ SUBMETIDO A ESTRESSE POR BAIXA TEMPERATURA EFEITO DO ÁCIDO GIBERÉLICO NO TRATAMENTO DE SEMENTES DE ARROZ SUBMETIDO A ESTRESSE POR BAIXA TEMPERATURA Daniele Brandstetter Rodrigues 1 ; Thaís D Avila Rosa 2 ; Diogo Balbé Helgueira 2, Jonas Gularte

Leia mais

Efeito da colhedora, velocidade e ponto de coleta na qualidade física de sementes de milho

Efeito da colhedora, velocidade e ponto de coleta na qualidade física de sementes de milho Efeito da colhedora, velocidade e ponto de coleta na qualidade física de sementes de milho 1 Delineide Pereira Gomes, 2 Érika S. M. Koshikumo, 3 Leandra Matos Barrozo, 4 Breno Marques S. e Silva e 5 Rouverson

Leia mais

Eficiência do tratamento sementes com produtos alternativos no controle do gorgulho do milho

Eficiência do tratamento sementes com produtos alternativos no controle do gorgulho do milho Eficiência do tratamento sementes com produtos alternativos no controle do gorgulho do milho Efficiency of seed treatment with alternative control of the corn weevil AHRENS, Dirk Claudio 1 ; SILVA, Danilo

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO- CRIOULO SOB ESTRESSE CAUSADO POR BAIXO NÍVEL DE NITROGÊNIO

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO- CRIOULO SOB ESTRESSE CAUSADO POR BAIXO NÍVEL DE NITROGÊNIO AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO- CRIOULO SOB RESUMO Tânia Cristina de Oliveira Gondim 1 Valterley Soares Rocha 1 Manoel Mota dos Santos 1 Glauco Vieira Miranda 1 Este trabalho teve

Leia mais

TRATAMENTO DE SEMENTES DE COENTRO CONTAMINADAS POR DIFERENTES NÍVEIS DE Alternaria radicina 1

TRATAMENTO DE SEMENTES DE COENTRO CONTAMINADAS POR DIFERENTES NÍVEIS DE Alternaria radicina 1 TRATAMENTO DE SEMENTES DE COENTRO CONTAMINADAS POR DIFERENTES NÍVEIS DE Alternaria radicina 1 PEDROSO, Daniele 2 ; MUNIZ, Marlove 2 ; TUNES, Lilian 2 ; MULLER, Juceli 2 ; JUNGES Emanuele 2 ; SANTOS, Ricardo

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE UMA SEMEADORA-ADUBADORA DE PLANTIO DIRETO NA CULTURA DA SOJA

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE UMA SEMEADORA-ADUBADORA DE PLANTIO DIRETO NA CULTURA DA SOJA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE UMA SEMEADORA-ADUBADORA DE PLANTIO DIRETO NA CULTURA DA SOJA Jorge Ricardo Moura 3 ; Elton Fialho dos Reis 1,4 ; João Paulo Arantes Rodrigues da Cunha 2,4 ; 1 Pesquisador Orientador

Leia mais

Metodologia alternativa do teste de envelhecimento acelerado para sementes de cenoura

Metodologia alternativa do teste de envelhecimento acelerado para sementes de cenoura Metodologia alternativa do teste de envelhecimento acelerado para sementes de cenoura Angelica Brod Rodo 1,3 *; Maristela Panobianco 1,4 ; Júlio Marcos Filho 2,4 1 Pós-Graduando do Depto. de Produção Vegetal

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE CAFÉ ROBUSTA (Coffea canephora) CULTIVAR APOATÃ IAC 2258 EM FUNÇÃO DO GRAU DE UMIDADE E DO AMBIENTE

CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE CAFÉ ROBUSTA (Coffea canephora) CULTIVAR APOATÃ IAC 2258 EM FUNÇÃO DO GRAU DE UMIDADE E DO AMBIENTE CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE CAFÉ ROBUSTA (Coffea canephora) CULTIVAR APOATÃ IAC 2258 EM FUNÇÃO DO GRAU DE UMIDADE E DO AMBIENTE R. M. Torres Faculdade de Agronomia e Engenharia Floresta - FAEF A. C. S.

Leia mais

Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão

Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão The Efficiency of Diatomaceous Earth in Control of Bean Weevil Acanthoscelides

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 2139

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 2139 Página 2139 QUIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA (Ricinus communis L.) ARMAZENADAS 1 Givanildo Zildo da Silva¹; Joel Martins Braga Júnior¹; Riselane de Alcântara Bruno¹; Cibele dos Santos Ferrari¹;

Leia mais

NOTA CIENTÍFICA DESEMPENHO DE CULTIVARES DE SOJA EM FUNÇÃO DO TAMANHO DAS SEMENTES 1

NOTA CIENTÍFICA DESEMPENHO DE CULTIVARES DE SOJA EM FUNÇÃO DO TAMANHO DAS SEMENTES 1 288 NOTA CIENTÍFICA DESEMPENHO DE CULTIVARES DE SOJA EM FUNÇÃO DO TAMANHO DAS SEMENTES 1 VITOR ARLINDO CAMOZZATO 2, SILMAR TEICHERT PESKE 3, JEAN CARLO POSSENTI 4, ANGÉLICA SIGNOR MENDES 5 Resumo - A cultura

Leia mais

Cultivando o Saber 85. Qualidade fisiológica de lotes de sementes de feijão em função do armazenamento

Cultivando o Saber 85. Qualidade fisiológica de lotes de sementes de feijão em função do armazenamento Cultivando o Saber 85 Qualidade fisiológica de lotes de sementes de feijão em função do armazenamento Flávia Danieli Rech Cassol 1, Andrea Maria Teixeira Fortes 1, Joseli Viviane Ditzel Nunes 1, Marilei

Leia mais

Dormência em sementes de pata-de-vaca (Bauhinia angulata vell).

Dormência em sementes de pata-de-vaca (Bauhinia angulata vell). Dormência em sementes de pata-de-vaca (Bauhinia angulata vell). Oscar José Smiderle 1 ; Moises Mourão Jr 1 ; Francisco Joaci de Freitas Luz 1. 1 Pesquisador Embrapa Roraima CP 133 CEP 691-97 Boa Vista

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 ANÁLISE DE IMAGENS RADIOGRÁFICAS NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SEMENTES DE GIRASSOL RENATA PEREIRA LUZ 1, BRUNO OLIVEIRA CARVALHO 2, MARIA LAENE MOREIRA DE CARVALHO 3, VALQUÍRIA DE FÁTIMA FERREIRA 4, CLÁUDIO

Leia mais

CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E

CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E RESPOSTA DE MILHO SAFRINHA CONSORCIADO COM Brachiaria ruziziensis À CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E 2012) Carlos Hissao Kurihara, Bruno Patrício Tsujigushi (2), João Vitor de Souza

Leia mais

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES DE TOMATE PELO TESTE DE ESTRESSE HÍDRICO 1

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES DE TOMATE PELO TESTE DE ESTRESSE HÍDRICO 1 AVALIAÇÃO DO POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES DE TOMATE PELO TESTE DE ESTRESSE HÍDRICO SALVADOR BARROS TORRES 2 RESUMO - Com o objetivo de estudar a eficiência do teste de estresse hídrico na avaliação

Leia mais

Tratamento Térmico na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Lolium multiflorum Lam.

Tratamento Térmico na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Lolium multiflorum Lam. Tratamento Térmico na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Lolium multiflorum Lam. Heat Treatment on the Physiological and Sanitary Quality of Lolium multiflorum Lam. Seeds GIRARDI, Leonita

Leia mais

INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO

INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO AMARAL, Kevin Bossoni do 1 ; CAMPOS, Ben-Hur Costa de 2 ; BIANCHI, Mario Antonio 3 Palavras-Chave:

Leia mais

TESTE DE CONDUTIVIDADE ELÉTRICA EM FUNÇÃO DO PERÍODO E DA TEMPERATURA DE EMBEBIÇÃO PARA SEMENTES DE MILHETO 1

TESTE DE CONDUTIVIDADE ELÉTRICA EM FUNÇÃO DO PERÍODO E DA TEMPERATURA DE EMBEBIÇÃO PARA SEMENTES DE MILHETO 1 82 C.M. GASPAR & J. NAKAGAWA TESTE DE CONDUTIVIDADE ELÉTRICA EM FUNÇÃO DO PERÍODO E DA TEMPERATURA DE EMBEBIÇÃO PARA SEMENTES DE MILHETO 1 CAROLINA MARIA GASPAR 2, JOÃO NAKAGAWA 3 RESUMO - O presente trabalho

Leia mais

ACLIMATIZAÇÃO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO SOB MALHAS DE SOMBREAMENTO COLORIDAS

ACLIMATIZAÇÃO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO SOB MALHAS DE SOMBREAMENTO COLORIDAS ACLIMATIZAÇÃO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO SOB MALHAS DE SOMBREAMENTO COLORIDAS RAFAEL SOUZA MELO 1 ; JEFFERSON BITTENCOURT VENÂNCIO 2 ; WELLINGTON FARIAS ARAÚJO 3 ; EDVAN ALVES CHAGAS 4 ; NILMA BRITO

Leia mais

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA RELATÓRIO FINAL AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA Empresa solicitante: FOLLY FERTIL Técnicos responsáveis: Fabio Kempim Pittelkow¹ Rodrigo

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PROGÊNIES DE MILHO NA PRESENÇA E AUSÊNCIA DE ADUBO

AVALIAÇÃO DE PROGÊNIES DE MILHO NA PRESENÇA E AUSÊNCIA DE ADUBO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN 1677-0293 PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 5 JUNHO DE 2004 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA

COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA Marco Antônio Ferreira Varanda 1 ; Aurélio Vaz de Melo 2 ; Rubens Ribeiro da Silva³ 1 Aluno do Curso de Agronomia; Campus

Leia mais

EFEITO DO ENVELHECIMENTO MAIA, A. ACELERADO R. et al. NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE TRIGO 1

EFEITO DO ENVELHECIMENTO MAIA, A. ACELERADO R. et al. NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE TRIGO 1 678 EFEITO DO ENVELHECIMENTO MAIA, A. ACELERADO R. et al. NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE TRIGO 1 Effect of the accelerated aging in the evaluation of the physiological quality in

Leia mais

EFEITO DO ARMAZENAMENTO NA SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE FORRAGEIRAS

EFEITO DO ARMAZENAMENTO NA SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE FORRAGEIRAS 50 EFEITO DO ARMAZENAMENTO NA SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE FORRAGEIRAS ¹Maycon Amim Vieira, ²Neimar Rotta Nagano, ¹Fernando Donha Bianchi, ¹Ronis Pereira da Silva ¹ Discente em Agronomia da Universidade

Leia mais

FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO

FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO Henrique Pereira dos Santos 1, Renato Serena Fontaneli 1, Anderson Santi 1, Ana Maria Vargas 2 e Amauri Colet Verdi 2 1 Pesquisador,

Leia mais

INFLUÊNCIA DA INFLORESCÊNCIA NO VIGOR DE SEMENTES DE MAMONA CV BRS- NORDESTINA 1

INFLUÊNCIA DA INFLORESCÊNCIA NO VIGOR DE SEMENTES DE MAMONA CV BRS- NORDESTINA 1 Página 2114 INFLUÊNCIA DA INFLORESCÊNCIA NO VIGOR DE SEMENTES DE MAMONA CV BRS- NORDESTINA 1 Karialane da Silva Berlamino 1 ; Riselane de Lucena Alcântara Bruno 1 ; Joel Martins Braga Júnior 1 ; Tarcísio

Leia mais

Testes de vigor para sementes de arroz e sua relação com o comportamento de hidratação de sementes e a emergência de plântulas

Testes de vigor para sementes de arroz e sua relação com o comportamento de hidratação de sementes e a emergência de plântulas Testes de vigor para sementes de arroz e sua relação com o comportamento de hidratação de sementes e a emergência de plântulas Vigor tests to evaluate rice seeds behavior during hydration and germinative

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Desempenho Agronômico de Híbridos de Sorgo Biomassa Gutemberg de Aquiles Pereira 1, Rafael A. da C. Parrella 2, Nádia

Leia mais

DESEMPENHO DE MUDAS CHRYSOPOGON ZIZANIOIDES (VETIVER) EM SUBSTRATO DE ESTÉRIL E DE REJEITO DA MINERAÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO

DESEMPENHO DE MUDAS CHRYSOPOGON ZIZANIOIDES (VETIVER) EM SUBSTRATO DE ESTÉRIL E DE REJEITO DA MINERAÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 DESEMPENHO DE MUDAS CHRYSOPOGON ZIZANIOIDES (VETIVER) EM SUBSTRATO DE ESTÉRIL E DE REJEITO DA MINERAÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO Igor Fernandes de Abreu (*), Giovane César

Leia mais

Palavras-Chave: Adubação nitrogenada, massa fresca, área foliar. Nitrogen in Cotton

Palavras-Chave: Adubação nitrogenada, massa fresca, área foliar. Nitrogen in Cotton 64 Nitrogênio na cultura do Algodão Helton Aparecido Rosa 1, Reginaldo Ferreira Santos 1, Maycon Daniel Vieira 1, Onóbio Vicente Werner 1, Josefa Moreno Delai 1, Marines Rute de Oliveira 1 1 Universidade

Leia mais

COMPARAÇÃO DE DIFERENTES FONTES DE CÁLCIO EM SOJA

COMPARAÇÃO DE DIFERENTES FONTES DE CÁLCIO EM SOJA COMPARAÇÃO DE DIFERENTES FONTES DE CÁLCIO EM SOJA 1 INSTITUIÇÃO REALIZADORA SEEDS Serviço Especial em Diagnose de Sementes Ltda CNPJ 91.356.055/0001-94 Endereço: Rua João de Césaro, 255 - Sala 06 - Bairro

Leia mais

DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA

DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA Por: Julio Franchini Área: Manejo do Solo Julio Franchini possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual

Leia mais

EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO. PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max)

EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO. PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) Autor(es): Apresentador: Rodrigo Ciotti Orientador: Revisor 1: Revisor 2: Instituição: MOTTA, Marcelo;

Leia mais

098-Efeito alelopático de plantas de cobertura na germinação de sementes de alface

098-Efeito alelopático de plantas de cobertura na germinação de sementes de alface 098-Efeito alelopático de plantas de cobertura na germinação de sementes de alface Allelopathic effect of cover crops on the germination of seeds of lettuce MEINERZ, Cristiane Cláudia. UNIOESTE, crismeinerz@hotmail.com;

Leia mais

Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo

Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo Gerson Sander 1, Antonio Carlos Torres da Costa 2, Jose Barbosa Junior Duarte 3 1 Eng. Agrôn., Mestrando

Leia mais

Propagação de Acessos de Bacurizeiro (Platonia Insignis Mart.) Através da Raiz Primária de Sementes em Início de Germinação.

Propagação de Acessos de Bacurizeiro (Platonia Insignis Mart.) Através da Raiz Primária de Sementes em Início de Germinação. Propagação de Acessos de Bacurizeiro (Platonia Insignis Mart.) Através da Raiz Primária de Sementes em Início de Germinação José Edmar Urano de Carvalho1, Carlos Hans Müller 1, Walnice Maria Oliveira do

Leia mais

VERIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DO SIMULADOR ESTOCÁSTICO DE DADOS DIÁRIOS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA - SIMPREC

VERIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DO SIMULADOR ESTOCÁSTICO DE DADOS DIÁRIOS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA - SIMPREC VERIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DO SIMULADOR ESTOCÁSTICO DE DADOS DIÁRIOS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA - SIMPREC Autores Monica Carvalho E-mail: meinfo@ig.com.br Jorim Sousa das Virgens Filho E-mail: sousalima@almix.com.br

Leia mais

Efeito da Densidade de Sementes na Germinação da Couve-da-Malásia.

Efeito da Densidade de Sementes na Germinação da Couve-da-Malásia. Efeito da Densidade de Sementes na Germinação da Couve-da-Malásia. Marli A. Ranal 2 ; Silése T M Rosa Guimarães 1 ; Pedro Carlos Pereira 1 ; Marcio Hedilberto Cunha Borges 1 1 Agrônomo (a), mestrando em

Leia mais

Armazenamento de sementes de milho híbrido tratadas com tiametoxam 1

Armazenamento de sementes de milho híbrido tratadas com tiametoxam 1 60 Armazenamento de sementes de milho híbrido tratadas com tiametoxam Karla Crystina Rosa 2, Géri Eduardo Meneghello 3 *, Eliana da Silva Queiroz 4, Francisco Amaral Villela 5 RESUMO - O presente trabalho

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE E EFICÁCIA DE PULVERIZAÇÃO

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE E EFICÁCIA DE PULVERIZAÇÃO AVALIAÇÃO DA QUALIDADE E EFICÁCIA DE PULVERIZAÇÃO DE UM HERBICIDA SISTÊMICO COM USO DE SOFTWARE PARA ANÁLISE DE CARTÕES HIDROSSENSÍVEIS Luiz Cláudio Garcia Email: lgarcia@uepg.br Vínculo: Acadêmico de

Leia mais

Scientia Agraria ISSN: 1519-1125 sciagr@ufpr.br Universidade Federal do Paraná Brasil

Scientia Agraria ISSN: 1519-1125 sciagr@ufpr.br Universidade Federal do Paraná Brasil Scientia Agraria ISSN: 1519-1125 sciagr@ufpr.br Universidade Federal do Paraná Brasil ALVES, Antonio Carlos; Shong LIN, Hiow TIPO DE EMBALAGEM, UMIDADE INICIAL E PERÍODO DE ARMAZENAMENTO EM SEMENTES DE

Leia mais

Circular. Técnica COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE AVEIA BRANCA E AVEIA PRETA EM ARAXÁ, MG.

Circular. Técnica COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE AVEIA BRANCA E AVEIA PRETA EM ARAXÁ, MG. 12 Circular Técnica Arejacy Antônio Sobral Silva 1 Paulo de Tarso Veloso Menezes Brando 2 Nayara Aparecida da Silva 2 Emanuely Torres Melo 2 1 Professor do Uniaraxá arejacysilva@uniaraxa.edu.br 2 Graduando

Leia mais

SECAGEM ESTACIONÁRIA DE SEMENTES DE SOJA COM AR DESUMIDIFICADO POR RESFRIAMENTO 1

SECAGEM ESTACIONÁRIA DE SEMENTES DE SOJA COM AR DESUMIDIFICADO POR RESFRIAMENTO 1 454 SECAGEM ESTACIONÁRIA DE SEMENTES DE SOJA COM AR DESUMIDIFICADO POR RESFRIAMENTO 1 Suemar Alexandre Gonçalves Avelar 2 ; Alexandre Moscarelli Levien 2 ; Silmar Teichert Peske 3 ; Francisco Amaral Villela

Leia mais

Avaliação da germinação de sementes de fragmentos florestais receptadas em redes visando recomposição da flora local

Avaliação da germinação de sementes de fragmentos florestais receptadas em redes visando recomposição da flora local Avaliação da germinação de sementes de fragmentos florestais receptadas em redes visando recomposição da flora local Juliana Leite Ribeiro 1, Sâmmara Emiliana Fonseca Carvalho 2, Marielle Aparecida de

Leia mais

PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS

PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS Lutécia Beatriz Canalli Eng. Agr., MSc Solos, Dra em Agronomia - Produção Vegetal Sistemas de produção sustentáveis

Leia mais

CRESCIMENTO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO ACLIMATIZADO EM DIFERENTES SUBSTRATOS

CRESCIMENTO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO ACLIMATIZADO EM DIFERENTES SUBSTRATOS CRESCIMENTO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO ACLIMATIZADO EM DIFERENTES SUBSTRATOS JEFFERSON BITTENCOURT VENÂNCIO 1 ; WELLINGTON FARIAS ARAÚJO 2 ; EDVAN ALVES CHAGAS 3, JOÃO LUIZ LOPES MONTEIRO NETO 4, PATRICIA

Leia mais

DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1

DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1 DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1 Sérgio Delmar dos Anjos e Silva 1, Rogério Ferreira Aires 2, João Guilherme Casagrande Junior 3, Claudia Fernanda Lemons e Silva 4 1 Embrapa

Leia mais

CONTROLE DE Sitophilus oryzae EM ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE CENTEIO COM SUBPRODUTOS DO PROCESSAMENTO DO XISTO, NO PARANÁ, BRASIL.

CONTROLE DE Sitophilus oryzae EM ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE CENTEIO COM SUBPRODUTOS DO PROCESSAMENTO DO XISTO, NO PARANÁ, BRASIL. CONTROLE DE Sitophilus oryzae EM ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE CENTEIO COM SUBPRODUTOS DO PROCESSAMENTO DO XISTO, NO PARANÁ, BRASIL. PAIXÃO, M.F. Instituto Agronômico do Paraná - IAPAR, mferpaixao@hotmail.com;

Leia mais

RESUMO INTRODUÇÃO. 1 Graduando do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG. 2 Professor orientador, UnU- Ipameri - UEG

RESUMO INTRODUÇÃO. 1 Graduando do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG. 2 Professor orientador, UnU- Ipameri - UEG DENSIDADE DE SEMEADURA DE FEIJÃO-DE-PORCO Canavalia ensiformis. Mário Guilherme de Biagi Cava 1 ; Bruce James Santos 1 ; Vinícius André Pereira 1 ; Paulo César Timossi 2 1 Graduando do Curso de Agronomia,

Leia mais

Germinação e viabilidade de sementes de pupunha em diferentes ambientes e tipos de embalagens

Germinação e viabilidade de sementes de pupunha em diferentes ambientes e tipos de embalagens Germinação e viabilidade de sementes de pupunha em diferentes ambientes e tipos de embalagens Maria das Graças Conceição Parada Costa Silva 1, José Roberto Vieira da Melo 2 1 Engª Agrônoma, MSc, Centro

Leia mais

Avaliação do desempenho de substratos para produção de mudas de alface em agricultura orgânica.

Avaliação do desempenho de substratos para produção de mudas de alface em agricultura orgânica. BRITO, T.D.; RODRIGUES, C.D.S.; MACHADO, C.A. Avaliação do desempenho de substratos para produção de mudas de alface em agricultura orgânica. Horticultura Brasileira, v. 20, n.2, julho, 2002. Suplemento

Leia mais

COMPORTAMENTO GERMINATIVO DE DIFERENTES CULTIVARES DE GIRASSOL SUBMETIDAS NO REGIME DE SEQUEIRO

COMPORTAMENTO GERMINATIVO DE DIFERENTES CULTIVARES DE GIRASSOL SUBMETIDAS NO REGIME DE SEQUEIRO COMPORTAMENTO GERMINATIVO DE DIFERENTES CULTIVARES DE GIRASSOL SUBMETIDAS NO REGIME DE SEQUEIRO Autor 1 Renata Fernandes de Matos Autor 2 Edilza Maria Felipe Vásquez Autor 3 Leonardo Lenin Marquez de Brito

Leia mais

Aproveitamento dos grãos da vagem verde de soja

Aproveitamento dos grãos da vagem verde de soja Aproveitamento dos grãos da vagem verde de soja 53 Marcos César Colacino 1 ; Carolina Maria Gaspar de Oliveira 2 RESUMO A antecipação da colheita da soja resulta em uma grande quantidade de vagens verdes

Leia mais

Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP.

Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP. Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP. Roberto Andreani Junior 1 Pedro Galbiati Neto 1 UNICASTELO-Faculdade de Ciências

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Germinação e Vigor de Sementes de Sorgo Forrageiro Submetidas a Estresse Salino Rosane Borges Mendes 1, Juliana Leite

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 455

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 455 Página 455 AVALIAÇÃO DA FITOMASSA SECA DA MAMONEIRA BRS 149 NORDESTINA SOB FERTILIZAÇÃO MINERAL Lúcia Helena Garófalo Chaves 1 ; Evandro Franklin de Mesquita 2,3 ; Hugo Orlando Carvallo Guerra 1 ; Diva

Leia mais

Uso de húmus sólido e diferentes concentrações de húmus líquido em características agronômicas da alface

Uso de húmus sólido e diferentes concentrações de húmus líquido em características agronômicas da alface Uso de húmus sólido e diferentes concentrações de húmus líquido em características agronômicas da alface Everto Geraldo de MORAIS 1 ; Chrystiano Pinto de RESENDE 2 ; Marco Antônio Pereira RESUMO LOPES

Leia mais

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO GIRASSOL (Helianthus annuus L.)

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO GIRASSOL (Helianthus annuus L.) Iniciação Científi ca CESUMAR Jan./Jun. 2009, v. 11, n. 1, p. 23-27 INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO GIRASSOL (Helianthus annuus L.) Gessé Almeida Santos* Patricia da Costa

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DA ADUBAÇÃO DE COBERTURA PELOS MÉTODOS SUPERFICIAL E COVETA LATERAL EM UM PLANTIO DE Eucalyptus urograndis - GARÇA, SP

ANÁLISE COMPARATIVA DA ADUBAÇÃO DE COBERTURA PELOS MÉTODOS SUPERFICIAL E COVETA LATERAL EM UM PLANTIO DE Eucalyptus urograndis - GARÇA, SP ANÁLISE COMPARATIVA DA ADUBAÇÃO DE COBERTURA PELOS MÉTODOS SUPERFICIAL E COVETA LATERAL EM UM PLANTIO DE Eucalyptus urograndis - GARÇA, SP FERREIRA, Renato de Araújo renato_a_f@hotmail.com GIACOMETTI,

Leia mais

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas Considerações Finais Todos os tratamentos testados apresentaram teores foliares de N inferiores ao recomendado para a cultura da soja. As aplicações isoladas de BIOMOL (0,3 L/ha), KALIBRE (1,5 L/ha) e

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII REQUISITOS MÍNIMOS PARA DETERMINAÇÃO DO VALOR DE CULTIVO

Leia mais

POPULAçÃO DE PLANTAS DE SOJA NO SISTEMA DE SEMEADURA DIRETA PARA O CENTRO-SUL DO ESTADO DO PARANÁ

POPULAçÃO DE PLANTAS DE SOJA NO SISTEMA DE SEMEADURA DIRETA PARA O CENTRO-SUL DO ESTADO DO PARANÁ /,-----------. (c;) EM.PRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECuARIA EMBRAPA ~ Vinculada ao M'nisté,io da Ag,iculMa ~., CENTRO NACIONAL DE PESQUISA DE SOJA - CNPSo Rodovia Carlos João Slrass (Londrina/Warta)

Leia mais

SECAGEM INTERMITENTE DE SEMENTES DE AVEIA-BRANCA (Avena sativa L.) EMPREGANDO ALTAS TEMPERATURAS INICIAIS 1

SECAGEM INTERMITENTE DE SEMENTES DE AVEIA-BRANCA (Avena sativa L.) EMPREGANDO ALTAS TEMPERATURAS INICIAIS 1 SECAGEM INTERMITENTE DE SEMENTES DE AVEIA-BRANCA COM ALTAS TEMPERATURAS INICIAIS 45 SECAGEM INTERMITENTE DE SEMENTES DE AVEIA-BRANCA (Avena sativa L.) EMPREGANDO ALTAS TEMPERATURAS INICIAIS 1 DIRK CLAUDIO

Leia mais

CRESCIMENTO DO RABANETE EM TÚNEIS BAIXOS COBERTOS COM PLÁSTICO PERFURADO EM DIFERENTES NÍVEIS DE PERFURAÇÃO

CRESCIMENTO DO RABANETE EM TÚNEIS BAIXOS COBERTOS COM PLÁSTICO PERFURADO EM DIFERENTES NÍVEIS DE PERFURAÇÃO CRESCIMENTO DO RABANETE EM TÚNEIS BAIXOS COBERTOS COM PLÁSTICO PERFURADO EM DIFERENTES NÍVEIS DE PERFURAÇÃO EDILAINE REGINA PEREIRA 1 SONIA MARIA STEPHANO PIEDADE 2 RESUMO O presente trabalho teve como

Leia mais

MÉTODOS DE SUPERAR A DORMÊNCIA DE SEMENTES DE BRACATINGA PARA PLANTIO COM MÁQUINA RESUMO

MÉTODOS DE SUPERAR A DORMÊNCIA DE SEMENTES DE BRACATINGA PARA PLANTIO COM MÁQUINA RESUMO MÉTODOS DE SUPERAR A DORMÊNCIA DE SEMENTES DE BRACATINGA PARA PLANTIO COM MÁQUINA Ayrton Zanon * RESUMO Dentre os métodos pré-germinativos já determinados para superar a dormência de sementes de bracatinga

Leia mais

Propriedades físico-hidricas de um Argissolo sob cultivo de culturas bioenergéticas com e sem adubação nitrogenada

Propriedades físico-hidricas de um Argissolo sob cultivo de culturas bioenergéticas com e sem adubação nitrogenada Propriedades físico-hidricas de um Argissolo sob cultivo de culturas bioenergéticas com e sem adubação nitrogenada Oliveira, A. E. 1 ; Fontanela, E.; Reichert, J. M.; Reinert, D. J.; Pereira, T. I. 1 Universidade

Leia mais

Influência da profundidade e da posição de semeadura na emergência e desenvolvimento de plântulas de moringa.

Influência da profundidade e da posição de semeadura na emergência e desenvolvimento de plântulas de moringa. Influência da profundidade e da posição de semeadura na emergência e desenvolvimento de plântulas de moringa. Adalberto Hipólito de Sousa¹; Victor Hugo de Carvalho Mendes¹; Daniel Medeiros da Costa¹; Aurélio

Leia mais

CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1

CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1 RESTRIÇÃO HÍDRICA EM GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA 77 CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1 JOSÉ DA CRUZ MACHADO 2 ; JOÃO ALMIR DE OLIVEIRA 3

Leia mais

Qualidade fisiológica de sementes de Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae Caesalpinioideae) envelhecidas artificialmente 1

Qualidade fisiológica de sementes de Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae Caesalpinioideae) envelhecidas artificialmente 1 Qualidade fisiológica de sementes de Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae Caesalpinioideae) envelhecidas artificialmente 1 Physiological seed quality of Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae Caesalpinioideae)

Leia mais

VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica

VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica Casca de café carbonizada para produção de mudas de alface Jakeline Aparecida Greiver Ribeiro Ferreira (1), Fábio Pereira

Leia mais

DESENVOLVIMENTO INICIAL DE PLÂNTULAS DE Jatropha curcas L. PROVENIENTES DE SEMENTES SUBMETIDAS A DIFERENTES AMBIENTES E TEMPO DE ARMAZENAMENTO

DESENVOLVIMENTO INICIAL DE PLÂNTULAS DE Jatropha curcas L. PROVENIENTES DE SEMENTES SUBMETIDAS A DIFERENTES AMBIENTES E TEMPO DE ARMAZENAMENTO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE PLÂNTULAS DE Jatropha curcas L. PROVENIENTES DE SEMENTES SUBMETIDAS A DIFERENTES AMBIENTES E TEMPO DE ARMAZENAMENTO Jailson Vieira Aguilar (1), Renata Capistrano Moreira Furlani

Leia mais

Desempenho de cultivares e populações de cenoura em cultivo orgânico no Distrito Federal.

Desempenho de cultivares e populações de cenoura em cultivo orgânico no Distrito Federal. Desempenho de cultivares e populações de cenoura em cultivo orgânico no Distrito Federal. Flávia M. V. Teixeira Clemente, Francisco V. Resende, Jairo V. Vieira Embrapa Hortaliças, C. Postal 218, 70.359-970,

Leia mais

TRATAMENTO DE SEMENTES DE GIRASSOL COM ÁCIDO SALICÍLICO

TRATAMENTO DE SEMENTES DE GIRASSOL COM ÁCIDO SALICÍLICO TRATAMENTO DE SEMENTES DE GIRASSOL COM ÁCIDO SALICÍLICO André Pich Brunes 1 ; Letícia Winke Dias 2 ; Igor Dias Leitzke 3 ; Anderson Severo da Silva 3 ; Vanessa Nogueira Soares 4 1 Engenheiro agrônomo Doutorando

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Oriental Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Oriental Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Oriental Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Embrapa Amazônia Oriental Belém, PA 2015 DINÂMICA DE SISTEMAS DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA

Leia mais

EFEITO DA IDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA NOS RESULTADOS DO TESTE DE ENVELHECIMENTO ACELERADO.

EFEITO DA IDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA NOS RESULTADOS DO TESTE DE ENVELHECIMENTO ACELERADO. EFEITO DA IDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA NOS RESULTADOS DO TESTE DE ENVELHECIMENTO ACELERADO. EFFECTS OF THE FISIOLOGIC AGE OF SOYBEAN SEEDS IN THE RESULTS OF THE TEST OF ACCELERATED AGING. Maria

Leia mais

Temperatura na emergência de quatro variedades de mamoeiro

Temperatura na emergência de quatro variedades de mamoeiro Comunicata Scientiae 4(4): 401-406, 2013 Nota Científica e-issn: 2177-5133 www.ufpi.br/comunicata Temperatura na emergência de quatro variedades de mamoeiro Renata Aparecida de Andrade*, Samir Paulo Jasper

Leia mais

PRODUÇÃO DO ALGODÃO COLORIDO EM FUNÇÃO DA APLICAÇÃO FOLIAR DE N E B

PRODUÇÃO DO ALGODÃO COLORIDO EM FUNÇÃO DA APLICAÇÃO FOLIAR DE N E B Página 770 PRODUÇÃO DO ALGODÃO COLORIDO EM FUNÇÃO DA APLICAÇÃO FOLIAR DE N E B Tancredo Augusto Feitosa de Souza 1 ; Roberto Wagner Cavalcanti Raposo 2 ; Aylson Jackson de Araújo Dantas 2 ; Carolline Vargas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO

DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO Cícero José da Silva¹; Benjamim de Melo²; César Antônio da Silva³; Carlos Eduardo Mesquita Pode 4 ;

Leia mais

TESTES DE VIGOR EM SEMENTES DE MILHO

TESTES DE VIGOR EM SEMENTES DE MILHO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS CÂMPUS DE JABOTICABAL TESTES DE VIGOR EM SEMENTES DE MILHO Willyder Leandro Rocha Peres Engenheiro Agrônomo JABOTICABAL SÃO

Leia mais

Apresentado no XVI Congresso Brasileiro de Agrometeorologia 22 a 25 de setembro de 2009 Belo Horizonte - MG

Apresentado no XVI Congresso Brasileiro de Agrometeorologia 22 a 25 de setembro de 2009 Belo Horizonte - MG EFEITO DAS PLANTAS DE COBERTURA CONSORCIADAS COM A CULTURA DO MILHO, SEMEADAS NA LINHA SOBRE A OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS 1 1 Projeto financiado pelo MP6 da EMBRAPA Artur Gustavo Müller 2, Fernando

Leia mais

Doses de adubo para produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum)

Doses de adubo para produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum) Doses de adubo para produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum) Dinael Henrique Rocha 1 ; Vinicius Samuel Martins 1 ; Rafael Antônio Cavalcante Carvalho 1 ; Jakeline Aparecida Greiver Ribeiro Ferreira

Leia mais

PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO EM DIFERENTES SUBSTRATOS À BASE DE MATERIAIS REGIONAIS SOB ADUBAÇÃO FOLIAR 1 INTRODUÇÃO

PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO EM DIFERENTES SUBSTRATOS À BASE DE MATERIAIS REGIONAIS SOB ADUBAÇÃO FOLIAR 1 INTRODUÇÃO PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO EM DIFERENTES SUBSTRATOS À BASE DE MATERIAIS REGIONAIS SOB ADUBAÇÃO FOLIAR 1 Leonardo Pereira da Silva Brito 2, Ítalo Herbert Lucena Cavalcante 2, Márkilla Zunete Beckmann-Cavalcante

Leia mais

Efeitos da Aeração Resfriada na Qualidade Fisiológica de Sementes de Soja (Glycine max (L.) Merrill)

Efeitos da Aeração Resfriada na Qualidade Fisiológica de Sementes de Soja (Glycine max (L.) Merrill) Efeitos da Aeração Resfriada na Qualidade Fisiológica de Sementes de Soja (Glycine max (L.) Merrill) 84 Zirvaldo Zenid Virgolino, Osvaldo Resende 1, Douglas Nascimento Gonçalves 1, Kaique Alves Ferreira

Leia mais

Influência Do Envelhecimento Acelerado Na Germinação E Vigor De Sementes De Ipê-Roxo Tabebuia impetiginosa (Mart. Ex DC) Standl.

Influência Do Envelhecimento Acelerado Na Germinação E Vigor De Sementes De Ipê-Roxo Tabebuia impetiginosa (Mart. Ex DC) Standl. Anais do VIII Seminário de Iniciação Científica e V Jornada de Pesquisa e Pós-Graduação UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS 10 a 12 de novembro de 2010 Influência Do Envelhecimento Acelerado Na Germinação E

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA DA ABSORÇÃO DE ÁGUA EM SEMENTES DE FEIJÃO DURANTE O PROCESSAMENTO DE ENLATADOS.

MODELAGEM MATEMÁTICA DA ABSORÇÃO DE ÁGUA EM SEMENTES DE FEIJÃO DURANTE O PROCESSAMENTO DE ENLATADOS. MODELAGEM MATEMÁTICA DA ABSORÇÃO DE ÁGUA EM SEMENTES DE FEIJÃO DURANTE O PROCESSAMENTO DE ENLATADOS. Lorena Brito Miranda 1 ; Glêndara Aparecida de Souza Martins 2 ; Warley Gramacho da Silva 3 1 Aluno

Leia mais

10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA

10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA 10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA CONVENCIONAL (SOJA LIVRE) EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo deste experimento foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja convencionais (Soja Livre) em

Leia mais

EFEITOS DO ENVELHECIMENTO PRECOCE NO VIGOR DE SEMENTES DE Chorisia speciosa St. Hil. BOMBACACEAE 1

EFEITOS DO ENVELHECIMENTO PRECOCE NO VIGOR DE SEMENTES DE Chorisia speciosa St. Hil. BOMBACACEAE 1 345 EFEITOS DO ENVELHECIMENTO PRECOCE NO VIGOR DE SEMENTES DE Chorisia speciosa St. Hil. BOMBACACEAE 1 Silmara Cristina Fanti 2 e Sonia Cristina Juliano Gualtieri de Andrade Perez 3 RESUMO O objetivo deste

Leia mais

PARÂMETROS DIRETO CONVENCIONAL DIRETO CONVENCIONAL. Ep 6 Ep 7 Ep 8 Ep 6 Ep 7 Ep 8 Ep6 Ep7 Ep8 Ep6 Ep7 Ep8

PARÂMETROS DIRETO CONVENCIONAL DIRETO CONVENCIONAL. Ep 6 Ep 7 Ep 8 Ep 6 Ep 7 Ep 8 Ep6 Ep7 Ep8 Ep6 Ep7 Ep8 EFEITO DO PISOTEIO ANIMAL, NO TERCEIRO ANO CONSECUTIVO, SOBRE ALGUMAS PROPRIEDADES FÍSICAS DO SOLO E PRODUTIVIDADE DO MILHO EM SOLO SOB PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL. Carlos Alberto Scapini, Madalena Boeni,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES DE SORGO PELO TESTE DE ENVELHECIMENTO ACELERADO 1

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES DE SORGO PELO TESTE DE ENVELHECIMENTO ACELERADO 1 226 D.M. MIRANDA et al. AVALIAÇÃO DO POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES DE SORGO PELO TESTE DE ENVELHECIMENTO ACELERADO 1 DENISE MESA DE MIRANDA 2, ANA DIONISIA DA LUZ COELHO NOVEMBRE 3 E HELENA MARIA CARMIGNANI

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI UFVJM ARIADNE SANTOS OLIVEIRA

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI UFVJM ARIADNE SANTOS OLIVEIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI UFVJM ARIADNE SANTOS OLIVEIRA ADEQUAÇÕES METODOLÓGICAS PARA OS TESTES DE VIGOR EM SEMENTES DE Brachiaria brizantha DIAMANTINA - MG 2013 ARIADNE

Leia mais