Quem quer ser professor no Brasil? Os professores estão preparados para a sala de aula?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Quem quer ser professor no Brasil? Os professores estão preparados para a sala de aula?"

Transcrição

1 Quem quer ser professor no Brasil? Os professores estão preparados para a sala de aula? Paula Louzano, Coordenadora Gabriela Moriconi Romualdo Portela Valéria Rocha

2 How the world s best performing systems come out on top McKinsey & Company Quatro lições importantes desse estudo: A qualidade do professor é fundamental para a qualidade de um sistema educacional A única forma de melhorar o desempenho dos alunos é melhorar os métodos de ensinoaprendizagem; Os sistemas educacionais bem sucedidos criam condições de aprendizagem para TODOS os alunos; e Sistemas bem sucedidos recrutam e treinam bons diretores.

3 How the world s best performing systems come out on top McKinsey & Company Qualidade do professor é o fator mais importante para melhorar o desempenho dos alunos Seleção dos melhores alunos para a carreira do magistério Formação de professor é árdua ( carreira difícil ). O salário inicial é bom. A profissão de professor tem prestígio (status)

4 Roteiro da Apresentação Atraindo e selecionando professores no Brasil Quem são os professores brasileiros? Quem é atraído para a profissão? Como os professores são selecionados? Qual a atratividade da carreira de professor? Formação inicial de professores Quem forma os professores brasileiros? Qual a qualidade dos programas de formação inicial?

5 Professores Brasileiros Número de professores de 1º Ciclo de EF por ano Source: Censo Escolar/INEP, 1991 a 2006.

6 Professores Brasileiros Distribuição de professores de 1º Ciclo de EF por nível educacional Fonte: Censo Escolar/INEP, 1991 a 2006.

7 Professores Brasileiros Apesar da melhora no nível educacional dos professores, o desempenho acadêmico dos alunos não melhorou. Se a qualidade do professor guarda relação com o desempenho acadêmico dos alunos, é importante entender como o Brasil atrai, seleciona, e forma seus professores.

8 1.2. Quem é atraído para a profissão de magistério?

9 Quem quer ser professor no Brasil? Características dos estudantes de pedagogia e engenharia ENADE 2005 Engineering Education (Pedagogia) Where did you attend high school? Public school 45% 80% Private school 55% 20% Source: ENADE, 2005.

10 Quem quer ser professor no Brasil? Características dos estudantes de pedagogia e engenharia ENADE 2005 Engineering Education (Pedagogia) Mother s Education 4th grade or less 19% 50% 5th to 8th grade 16% 19% High School 35% 22% College 30% 9% Source: ENADE, 2005.

11 Quem quer ser professor no Brasil? Características dos estudantes de pedagogia e engenharia ENADE 2005 Engineering Education (Pedagogia) Family Income Less than 3 SM* 12% 48,5% 3 to 10 SM 56% 45% 11 to 20 SM 21% 5% More than 21 SM 11% 1,5% * SM = Salário Mínimo (Minimum Wage). In 2005, 1 SM = R$ 300,00 = US$ 123,00. Source: ENADE, 2005.

12 Quem quer ser professor no Brasil? Características dos estudantes de pedagogia e engenharia ENADE 2005 Engineering Education (Pedagogia) Student s work status Doesn t work 47% 27% Work but doesn t provide any money to his/her family Work and provide some or all the money in his/her family 33% 36% 20% 37% Source: ENADE, 2005.

13 Quem quer ser professor no Brasil? Distribuição das ecolhas de carreiras no ENEM % 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 36% 32% 31% 20% 23% 28% 28% 33% 37% 16% 11% 5% Lower 20% All Top 20% Biology and Health Related Fields Engineering and Computer Science Humanities Elementary and Middle School Teachers Source: ENEM/INEP, 2005.

14 Quem quer ser professor no Brasil? Em 2005, somente 11% dos alunos interessados em seguir a carreira do magistério estavam entre os melhores da coorte (20% melhores); e 30% dos alunos interessados em seguir a carreira do magistério estavam entre os piores da coorte (20% piores)

15 1.2. Como os professores são selecionados?

16 Seleção de Professores no Brasil Seleção para ser professor acontece depois dos programas de formação Baseada no resultado do concurso e análise de credenciais (experiencia e treinamento); Sem entrevistas ou provas práticas; Em teoria há um periodo probatório, mas este é ineficiente; Sistema decentralizado (estadual ou municipal) tem autonomia para selecionar e contratar seus professores.

17 Seleção de Professores nos Países de Alta Performance Seleção para ser professor acontece antes dos programas de formação Vagas nos programas de formação são limitadas; Forte enfâse em: Desempenho acadêmico dos candidatos (prova); Capacidade comunicacional e motivação para a carreira do magistério (entrevista); Habilidade para ensinar (trabalho em grupo e seguimento inicial do processo de formação).

18 A carreira de magistério é atrativa?

19 O que se pode fazer para que a carreira seja mais atraente? Apesar de não haver estudos sobre a atratividade no Brasil, sabemos que: Há estabilidade no trabalho, aposentadoria e férias mais longas para aqueles que se tornam efetivos; Baixo status e reconhecimento da profissão, em especial entre aqueles com nível educacional mais alto. Professores reclamam sobre a falta de oportunidades para tomar decisões que os afetam; Percepção social de que as condições de trabalho são ruins; Salários baixos com relação a outras profissões a maioria dos estudos são nessa área.

20 Diferenciais salariais em 1995 e 2006 Diferenças salariais entre professores da rede pública e outros setores, controlando por características pessoais e de produtividade Year Other Occupations in the Private Sector Other Occupations in the Public Sector Source: PNAD/IBGE, 1995 and Note: data provided by Moriconi (2008). Teachers in the Private Sector Higher Education % -60.4% -30.1% % -43.3% -4.7% Secondary Education % -20.1% -12.0% % 7.6% 19.9%

21 Diferenciais Salariais por Gênero Porcentagem de Mulheres em cada Categoria Ocupacional Teachers in the Public Sector Other Occupations in the Private Sector Other Occupations in the Public Sector Teachers in the Private Sector 86% 45% 50% 86% Source: PNAD/IBGE, Level of Education Diferenciais Salariais por Gênero em 2006 Gender Other Occupations in the Private Sector Other Occupations in the Public Sector Source: PNAD/IBGE, Note: data provided by Moriconi (2008). Teachers in the Private Sector Higher Female -6.6% -38.6% -1.9% Education Male -25.1% -49.5% -15.5% Secondary Female 38.3% 17.3% 23.8% Education Male 34.0% 14.9% -14.4%

22 A carreira de professor é atrativa? A atratividade do salário do professor do setor público melhorou nos últimos 10 anos, principalmente se comparado a outras carreiras do setor privado. Mas aqueles que queremos atrair com altos níveis educacionais ainda conseguem melhores salários em outras áreas do setores público e privado. Mesmo com a diminuição da diferença de salários de professores e outras ocupações no setor privado, isso é suficiente para atrair os melhores?

23 2. Formação de professores para as escolas brasileiras

24 2.1. Quem forma os professores do ensino fundamental no Brasil?

25 Programas de Formação de Professores Tipos de Programas Número de Cursos Pedagogia % Normal Superior % Licenciaturas % Total (Formação de Professores) % Total (Educação Superior) Source: INEP/Censo do Ensino Superior, 2006.

26 Matrícula em programas de formação de professores em 2006 Tipos de Programas Presencial Distância Total Público Privado Total Pedagogia % 62% 12% Normal Superior % 72% 95% Licenciaturas % 55% 8% Formação de Professores % 59% 17% Total (Cursos Superiores) % 74% 4%

27 Evolução dos Programas de Formação 2001 a 2006

28 Evolução nas Matrículas a 2006

29 Currículo de Pedagogia Horas de treinamento variam entre 2.800/3.600 (3 ou 4 anos) Cursos: foco nas teorias relacionadas a práticas de ensino, planejamento e avaliação educacional, políticas públicas em educação (2.500/3.000 horas) Estágio: Observações em sala de aula e participação no planejamento e avaliação de atividades educacionais (300/600 horas). Pesquisa (iniciação científica e extensão) orientada pelos professores de Escolas de Educação (voluntária)

30 Formação Inicial de Professores no Brasil Baixa qualidade da educação brasileira estaria relacionada com a formação de professores (falta formação no nível superior); Pesquisa mostra baixa ou nenhuma relação entre nível de formação de professores e desempenho dos alunos; Uma explicação possível seria a baixa qualidade dos cursos de formação de professores.

31 2.2. Qual a qualidade das Escolas de Pedagogia no Brasil?

32 Medidas de Qualidade das Instituições de Ensino Superior Desde 1996 o Brasil possui um sistema de avaliação das instituições de ensino superior. Em 2004, SINAES estabeleceu um processo de avaliação que inclui: 1. Auto-avaliação 2. Avaliação externa 3. Prova das alunos (ENADE) IDD Conceito e Enade Conceito foram desenvolvidos para medir qualidade das instituições

33 Qualidade dos Programas de Pedagogia (2005) IDD Conceito para Programas de Pedagogia (n=599) IDD Conceito Number of Programs % Total

34 Pesquisa sobre Formação Inicial de Professores em Pedagogia Analisamos as notas do ENADE de 20,480 graduados do curso de pedagogia em 532 instituições de 27 estados brasileiros. Chegamos aos seguintes resultados...

35 Quais as características do aluno que influenciam a nota do ENADE? Gênero, raça, e renda afetam negativamente a nota no ENADE; Experiência prévia como professor afeta positivamente a nota no ENADE

36 Quais as características da instituição que afetam a nota do ENADE? Nível de recursos disponíveis afeta positivamente a nota no ENADE... Contudo, currículo não apresentou nenhum impacto significativo. Precisamos de uma medida melhor! Instituições públicas são melhores que as privadas... Mas, entre aqueles com experiência (72% dos graduados), não há diferença entre as instituições públicas e privadas.

37 Nota ENADE para graduados de Pedagogia com e sem experiêcia prévia de instituições públicas e privadas

38 Resultados Preliminares Em geral, os programas de treinamento de professores precisam melhorar. Instituições públicas têm mais dificuldades com indivíduos que possuem experiência como professor Nossa hipótese é que isso aconteça por causa da diferença entre currículos das instituições públicas e privadas. No geral, instituições públicas têm uma abordagem mais teórica enquanto as instituições particulares têm uma abordagem mais prática.

39 Conclusões Gerais O Brasil não está atraindo os indivíduos mais capazes para a carreira do magistério A carreira de professor é menos atrativa que outras carreiras Status da profissão é baixo Precisamos: Elaborar um sistema de incentivos para atrair melhores candidatos O primeiro passo é identificar os fatores principais que atraem pessoas para a carreira de professor

40 Conclusões Gerais cont. PRECISAMOS: Entender melhor o currículo das instituições que formam professores no Brasil. Aproveitar o grande número de professores existentes no mercado e criar formas de selecioner os melhores, como por exemplo, certificação.

41 OBRIGADA!

42 Who are the teachers in Brazil? Distribution of primary school teachers by level of education and region Brazil North Northeast Mid-West Southeast South Source: Censo Escolar/INEP, 1999 a Less tha High School High School Higher Education % 64% 20% % 41% 58% % 64% 3% % 63% 35% % 65% 8% % 63% 35% % 62% 26% % 25% 74% % 66% 31% % 26% 74% % 62% 32% % 28% 72%

43 Teacher Selection in High Performing Systems Most top performing systems selects people before they start their teacher training and. limits places in the teacher training programs; place a strong emphasis on: the academic achievement of the candidates (assessment tests); their communication skills and their motivation to be teachers (interviews); suitability for teaching (group work or monitoring of initial teacher training).

44 Making teaching career attractive Characteristics of the profession: Social work serving the comunity and helping people; Possibility to work part time; More vacation time than other professions; Low unemployment rate. Characteristics that may be changed by public policies: Salary differentials (considering alternative opportunities); Pensions and benefits; Job stability; Recognition and status; Professional and personal growth; Participation in decision making that will affect their work in the classroom; Adequate infrastructure and teaching materials. Sources: World Bank (2005), OECD (2005), Zarkin (1985), Liang (1999), Barros et al (2001), Pessôa et al (2007).

45 Evaluating the attractiveness of public school teachers salaries In Brazil, Pessôa et al (2007) compared public and private teacher salaries in order to look for relationship with students achievement; In order to evaluate attractiveness, international literature suggests comparing salary for all alternative occupations in relation to public teaching; In Brazil, Moriconi (2008) compared public teachers (4.4% of workers) to the following occupation groups: Other occupations on private sector (75%); Other occupations on public sector (20%); Private teachers (1.1%).

46 Some differences in subnational context Mean Wages in 2006 (40h/week) Teachers in the Public Sector Other Occupations in the Private Sector Other Occupations in the Public Sector Teachers in the Private Sector Distrito Federal São Paulo Pernambuco Wage gaps between public teachers and other occupations in 2006 Other Occupations in the Private Sector Other Occupations in the Public Sector Teachers in the Private Sector Distrito Federal -8.2% -50.8% 33.4% São Paulo -11.2% -22.6% 0.0% Pernambuco -26.1% -51.4% 21.1% Source: PNAD/IBGE, Note: data provided by Moriconi (2008).

47 Change in number of teacher training programs 2001 a 2006

48 Change in number of students enrolled in teacher training programs 2001 a 2006

49 Teacher Training Curriculum In 1996, the new education law (LDB) established that by 2007 all basic education teachers should be trained at higher education institutions; Discussion about how to reorganize teacher training started in 1997, however only in 2005 a new national normative was established; According to the 2005 normative, the goal of teacher training (Pedagogia) is to prepare teachers for (a) early childhood education, and (b) primary education.

50 Reserach on Initial Teacher Training in Brazil There is an assumption in Brazil that lack of quality in teaching relates to lack of higher education training; Research shows little or no effect of higher education teacher training on students achievement; One possible explanation is that teacher training lacks quality.

51 Student Characteristics(ENADE 2006) Pedagogia Graduates (n=20,480) Student Characteristics Average ENADE score 49 Female 92% Average age 32 Mixed Race or Black 36% Monthly Family Income less than 3 minimum wages 37% 3 to 10 minimum wages 53% 11 to 0 minimum wages 7% more than 20 minimum wages 3% Previous teaching experience 72%

52 Institutional Characteristics(ENADE 2006) Pedagogia Institutions (n=532) percentage mean score Public 14% 50 Private 86% 48 Region CO 12% 45 NO 5% 46 NE 12% 47 SE 54% 50 SU 17% 50

53 Does school location matter? Average ENADE score by state after controling for student and school characteristics (N=20, 480, n=532) SP 47,30 PR 45,41 SC 44,21 RO 43,59 DF 42,99 SE 42,58 AM 42,56 GO 42,38 PI 42,38 PE 41,80 MT 41,09 CE 39,35 AC 34,65 Average Enade scores of remaining states (RR, PA, AP, TO, MS, MA, RN, PB, AL, BA, MG, ES, RJ, RS) were not statistically different from SP.

54 Quality of Pedagogia Programs (2005) Enade Conceito for Pedagogia Programs (n=646) Conceito Enade Total Number of Programs % % % % % %

55 Which school characteristics influence ENADE scores? The state where the school is located seems to matter; On average, students enrolled in institutions located in the following states PR, SC, RO, DF, SE, AM, GO, PI, PE, MT, CE, AC score lower than students enrolled in São Paulo (SP) all else constant.

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

MEC. Censo da Educação Superior 2014

MEC. Censo da Educação Superior 2014 MEC Censo da Educação Superior 2014 BRASÍLIA DF 04 DE DEZEMBRO DE 2015 Tabela Resumo Estatísticas Gerais da Educação Superior Brasil 2014 Categoria Administrativa Estatísticas Básicas Total Geral Pública

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire Volunteer Profile Questionnaire 1 Índice 1 VOLUNTEER PROFILE QUESTIONNAIRE... 1.1 Country... 1. AGE... 1. GENDER... 1..1 GENDER vs... 1. Qualification... 1..1 QUALIFICATION GREECE VS PORTUGAL... 1. Are

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007.

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. VA PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO DE 4/10/2007, SEÇÃO 3, PÁG.. EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. Divulgar a distribuição de vagas do Concurso Público para provimento de cargos e formação

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Proposta de Pesquisa. Distance Learning In Brazil: an Overview

Proposta de Pesquisa. Distance Learning In Brazil: an Overview Distance Learning In Brazil: an Overview 1 Brazil Divided into: 5 regions (North, Northeast, Center-West, Southwest e South); 27 States and 5.568 municipalities; Surface: 8.511.925 KM 2 (47% of South America);

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

Acesso e permanência no Ensino Superior. Mozart Neves Ramos mozart@ias.org.br

Acesso e permanência no Ensino Superior. Mozart Neves Ramos mozart@ias.org.br Acesso e permanência no Ensino Superior Mozart Neves Ramos mozart@ias.org.br 1. Cenário atual e futuro 2. O que pode (e deve) mudar com o Enem 2.1. Ensino Médio e o Ciclo Básico das IES 2.2. SISU x Aumento

Leia mais

Relatório de Curso ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES JORNALISMO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA FLORIANÓPOLIS

Relatório de Curso ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES JORNALISMO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA FLORIANÓPOLIS Relatório de Curso ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES JORNALISMO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA FLORIANÓPOLIS Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais G O V E

Leia mais

Política Nacional de Educação Infantil

Política Nacional de Educação Infantil Política Nacional de Educação Infantil (arquivo da Creche Carochinha) Junho/2012 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil é dever do Estado e direito de todos, sem

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos. Érica Amorim Simon Schwartzman IETS

Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos. Érica Amorim Simon Schwartzman IETS Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos Érica Amorim Simon Schwartzman IETS Os principais modelos Modelo europeu tradicional: diferenciação no secundário entre vertentes acadêmicas e técnico-profissionais

Leia mais

Quantidade de pedidos registrados por mês

Quantidade de pedidos registrados por mês Relatório de Pedidos de Acesso à Informação e Solicitantes (*) Informações adicionais para o correto entendimento do relatório podem ser encontradas na última seção. Órgão(s) de referência: MinC - Ministério

Leia mais

Objetivos. 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010. 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003

Objetivos. 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010. 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003 Objetivos 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003 3. Avaliar o impacto do Programa Brasil Sorridente 4. Planejar

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA O movimento Constitucional; O processo de discussão que antecedeu a LDB nº9394/96; A concepção de Educação Básica e a universalização do

Leia mais

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Rio de Janeiro, em 06 de outubro

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013 Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Cartão de Confirmação de Inscrição Entregues: 99,98% UF Participantes Entregues AC 58.364 100,00% AL 122.356 99,00%

Leia mais

Perfil dos Gastos Educacionais e o Custo Aluno-Qualidade Inicial (CAQi) Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Perfil dos Gastos Educacionais e o Custo Aluno-Qualidade Inicial (CAQi) Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação. Perfil dos Gastos Educacionais e o Custo Aluno-Qualidade Inicial (CAQi) Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação. Missão do CAQi: Definir o padrão mínimo de qualidade,

Leia mais

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO COM BASE NA LEI Nº 11738 DO PISO NACIONAL NA SUA FORMA ORIGINAL

Leia mais

ESTATISTICA SOBRE O NÚMEROS DE BOLSAS OU FINANCIAMENTOS NA FACULDADE RESUMO ABSTRACT

ESTATISTICA SOBRE O NÚMEROS DE BOLSAS OU FINANCIAMENTOS NA FACULDADE RESUMO ABSTRACT ESTATISTICA SOBRE O NÚMEROS DE BOLSAS OU FINANCIAMENTOS NA FACULDADE RAMOS, Alaína dos S. 1 SANTOS, Jéssica 2 PETITTO, Sonia 3 PERRI, Ricardo Alves 4 RESUMO Sabe-se que, hoje em dia, existe um grande aumento

Leia mais

Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012

Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012 Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012 O estudo foi realizado no mês de novembro de 2012, e contou com a participação de 224 empresas de diferentes portes e segmentos de negócio. Podemos

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA HANSENÍASE NO BRASIL 2003

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA HANSENÍASE NO BRASIL 2003 1 MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Área Técnica de Dermatologia Sanitária SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA HANSENÍASE NO BRASIL 2003 2 TAXAS DE DETECÇÃO 2001 FONTE: OMS Situação atual da

Leia mais

ANALISANDO OS PRÓS E CONTRAS DO EXAME DE SUFICIÊNCIA PARA JOVENS CONTADORES

ANALISANDO OS PRÓS E CONTRAS DO EXAME DE SUFICIÊNCIA PARA JOVENS CONTADORES ANALISANDO OS PRÓS E CONTRAS DO EXAME DE SUFICIÊNCIA PARA JOVENS CONTADORES Paola Guariso Crepaldi¹, Renato Nogueira Perez Avila² Ernando Amorim Souza³, RESUMO O objetivo deste artigo esta vinculado exame

Leia mais

profissional: desafios e integração

profissional: desafios e integração O papel das IES na formação profissional: desafios e integração da equipe de saúde Clarice A. Ferraz Coordenadora d Geral das Ações Técnicas em Educação na Saúde e Formação de Profissionais de Nível Médio

Leia mais

Censo Nacional das Bibliotecas Públicas P

Censo Nacional das Bibliotecas Públicas P Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional Diretoria de Livro, Leitura e Literatura Fundação Biblioteca Nacional Sistema Nacional de Bibliotecas PúblicasP Censo Nacional das Bibliotecas

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação no Brasil Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação Infantil Taxas de atendimento Creches 36,3 23,6 9,4 12,2 Brasil Carinhoso: 2,8 milhões de

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013.

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME MINAS GERAIS Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ALINHAMENTO DOS PLANOS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO AO PNE SECRETARIA DE ARTICULAÇÃO

Leia mais

RAIO X DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DO ENEM

RAIO X DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DO ENEM RAIO X DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DO ENEM CARMO, Erinaldo Ferreira 1 - UFPE OLIVEIRA, Érica Patrícia Barbosa de 2 - UFPE XIMENES, Lavinia de Melo e Silva 3 - UFPE SILVA, Fernanda Maria da 4 - UFPE BRANDÃO,

Leia mais

Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação Universidade Aberta do Brasil

Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação Universidade Aberta do Brasil Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação Universidade Aberta do Brasil Jean Marc G. Mutzig Coordenador Geral CGIE/DED/CAPES Fortaleza/CE, 03/06/203 A l impossible je suis tenu Orphée - Jean Cocteau,

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL (arquivo da Creche Carochinha) Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil é dever do Estado e direito de todos, sem qualquer

Leia mais

CENÁRIO DA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM

CENÁRIO DA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM CENÁRIO DA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM Nível Superior Profª Drª Márcia Barbieri Docente Depto Enfermagem/UNIFESP Membro da Comissão Assessora de Avaliação da área de Enfermagem INEP/MEC Quem

Leia mais

Gestão da Qualidade da Banda Larga

Gestão da Qualidade da Banda Larga Gestão da Qualidade da Banda Larga Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17 de maio de 2013 METODOLOGIA DE MEDIÇÃO INDICADORES DE BANDA LARGA FIXA Avaliações realizadas através de medidores instalados

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em 1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em discussão na Câmara dos Deputados (PL 8.035/2010). Até o

Leia mais

CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA O HPV - 2016

CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA O HPV - 2016 CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA O HPV - 2016 Sobre o HPV Vírus muito disseminado, transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas Mais de 200 tipos de HPV sendo 13 oncogênicos Os HPV tipos

Leia mais

POLOS EAD ESTÁCIO 11º Seminário Nacional ABED

POLOS EAD ESTÁCIO 11º Seminário Nacional ABED POLOS EAD ESTÁCIO 11º Seminário Nacional ABED Rio de Janeiro, 10 de junho de 2015 MODELO DE PARCERIA: POLO TERCEIRO EAD Contribuições de cada uma das partes para a Parceria Estácio Parceiro Disponibilizar

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Analista de Correios / Administrador AC / Rio Branco 123 1 123,00 Analista de Correios / Técnico em Comunicação Social Atuação: Jornalismo AC / Rio Branco 27 1 27,00 Médico do Trabalho Formação: Medicina

Leia mais

4.7. Freqüência ao Dentista

4.7. Freqüência ao Dentista 202 Estudo Epidemiológico de Saúde Bucal em Trabalhadores da Indústria. Brasil, 2002-2003 Epidemiologic Study of Oral Health in Industry Workers. Brazil, 2002-2003 Estudio Epidemiológico de Salud Bucal

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Brasília DF 2009 SUMÁRIO LISTA DE TABELAS... 3 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Diagnóstico da realidade médica no país

Diagnóstico da realidade médica no país Diagnóstico da realidade médica no país Médicos por mil habitantes Peru 0,9 Chile 1,0 Paraguai 1,1* Bolívia 1,2* Colômbia 1,4* Equador 1,7 Brasil 1,8 Venezuela 1,9* México 2,0 Canadá 2,0 Estados Unidos

Leia mais

Ações e Experiências de Operadoras na Gestão de suas Redes Assistenciais. Flávio Bitter

Ações e Experiências de Operadoras na Gestão de suas Redes Assistenciais. Flávio Bitter Ações e Experiências de Operadoras na Gestão de suas Redes Assistenciais Flávio Bitter outubro 2015 Destaques Presença Nacional Beneficiários (Mil) Operadora líder no mercado brasileiro de Saúde suplementar,

Leia mais

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília Apresentação do IDConselho Municipal Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília 5.366 Conselhos Municipais que preencheram o Censo SUAS 2014 Dinâmica de

Leia mais

Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA.

Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA. Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA Brasília 2005 O Licenciamento Ambiental nasceu de uma exigência social, fruto de uma

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS BRASÍLIA, Julho de 2014 1 Proteção Social entre os Idosos (pessoas com 60 anos ou mais de idade) - Brasil 2 Cobertura Social entre os

Leia mais

Educação baseada em evidências

Educação baseada em evidências Educação baseada em evidências Textos para discussão Resultados do ENEM 2013 Texto 2015-01 Abril 2015 APRESENTAÇÃO Textos para discussão do apresentam dados, análise e evidências para informar o público

Leia mais

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Objetivo e principais componentes Objetivo O PNAIC é um programa integrado cujo objetivo é a alfabetização em Língua Portuguesa e Matemática, até o

Leia mais

O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social

O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social Naércio Aquino Menezes Filho Instituto Futuro Brasil, Ibmec São Paulo e USP 1ª Jornada da Educação - TCE - 04/12/2008 Roteiro 1) Introdução O papel

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

Plano Nacional de Educação

Plano Nacional de Educação Plano Nacional de Educação Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Brasília, 29 de novembro de 2012 Educação Infantil Meta 1 PNE: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para

Leia mais

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO UF / Ação de Governo Valor a ser Fiscalizado AC R$ 99.891.435,79 Apoio à Alimentação Escolar na Educação Básica (PNAE) R$

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007 Brasília DF 2009 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO.... 3 PROCESSO DE COLETA

Leia mais

SiSUTEC. 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

SiSUTEC. 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica SiSUTEC 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Brasília, julho de 2014 Pronatec Mais de 7,59 milhões de matrículas realizadas até julho de 2014: 2,16

Leia mais

42ª Reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. Pacto pela Educação. Henrique Paim Secretário Executivo Ministério da Educação

42ª Reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. Pacto pela Educação. Henrique Paim Secretário Executivo Ministério da Educação 42ª Reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Pacto pela Educação Henrique Paim Secretário Executivo Ministério da Educação Introdução Dívida Educacional Forte crescimento populacional

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL Andréa Zaitune Curi Tendências Consultoria Naercio Aquino Menezes Filho IBMEC-SP, USP, IFB e Fundação Itaú Social Introdução Processo de educação

Leia mais

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Seminário de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos Mesa Redonda I Exposição humana a agrotóxicos: ações em desenvolvimento Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Coordenação

Leia mais

FICHA DE CADASTRO PARA ADOÇÃO 1º PRETENDENTE (É obrigatório o preenchimento de todos os campos) Nome Completo

FICHA DE CADASTRO PARA ADOÇÃO 1º PRETENDENTE (É obrigatório o preenchimento de todos os campos) Nome Completo FICHA DE CADASTRO PARA ADOÇÃO 1º PRETENDENTE (É obrigatório o preenchimento de todos os campos) Nome Completo CPF Sexo ( )Masculino ( )Feminino Estado Civil ( )Solteiro(a) ( )Casado(a) ( )Viúvo(a) ( )Divorciado(a)

Leia mais

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP. Ministério da Educação MEC

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP. Ministério da Educação MEC 01) Qual o seu estado civil? A) Solteiro(a). B) Casado(a). C) Separado(a)/desquitado(a)/divorciado(a). D) Viúvo(a). E) Outro. 02) Como você se considera? A) Branco(a). B) Negro(a). C) Pardo(a)/mulato(a).

Leia mais

Tratamento de resíduos. Estimativas Emissões GEE 1970-2013

Tratamento de resíduos. Estimativas Emissões GEE 1970-2013 Tratamento de resíduos Estimativas Emissões GEE 1970-2013 Resíduos Estimativas Emissões GEE 1970-2013 Equipe Técnica - Igor Reis de Albuquerque - Andrea Manetti Entidades e Pessoas que Colaboraram - ICLEI

Leia mais

Base Populacional do Território

Base Populacional do Território ORGÃO GESTOR - Sistema de Educação Ambiental Pesquisas Projetos EA Órgão Gestor / Comitê Assessor CIEAs / Redes de EA Fomento a projetos SIBEA PNE Coletivos Educadores Com-vida Comunicação CNIJMA Coletivos

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL BRASILEIRA DE RESÍDUOS SÓLIDOS: O QUE MUDOU NOS ESTADOS BRASILEIROS?

POLÍTICA NACIONAL BRASILEIRA DE RESÍDUOS SÓLIDOS: O QUE MUDOU NOS ESTADOS BRASILEIROS? POLÍTICA NACIONAL BRASILEIRA DE RESÍDUOS SÓLIDOS: O QUE MUDOU NOS ESTADOS BRASILEIROS? Fabiana Alves Fiore (1) Emília Wanda Rutkowisk (2) RESUMO A Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS trouxe para

Leia mais

Realizar o projeto de vida do jovem trabalhador, promovendo crescimento e ascensão profissional, por meio da educação de qualidade

Realizar o projeto de vida do jovem trabalhador, promovendo crescimento e ascensão profissional, por meio da educação de qualidade Apimec 2013 Agenda Abertura - Roberto Valério Qualidade e Inovação - Prof. Ana Maria Sousa e Leonardo Costa Marketing e Relacionamento - Patrícia Abreu e Rodrigo Cavalcanti Centro de Inteligência e Serviços

Leia mais

Estatísticas da Educação / Education Statistics

Estatísticas da Educação / Education Statistics 1 Direcção de Planificação e Cooperação Ministério da Educação e Cultura Directorate of Planning and Cooperation Ministry of Education and Culture Estatísticas da Educação / Education Statistics Tabela

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Partindo da figura da engrenagem, presente na logo atual do CFC, o novo logo desenvolvido mantém uma relação com o passado da instituição, porém com um olhar no presente e no futuro, na evolução e ascensão

Leia mais

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS APRESENTAÇÃO POPULAÇÃO CARCERÁRIA BRASILEIRA O objetivo deste trabalho, elaborado pela Comissão de Monitoramento e Avaliação do DEPEN, é realizar um levantamento, de forma sucinta, sobre o quadro evolutivo

Leia mais

Brasil Economia e Educação. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação

Brasil Economia e Educação. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Brasil Economia e Educação Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Gini e PIB Per Capita 380 Gini e Pib Per Capita (1960 - base =100) 120 PIB Per Capita 330 280 230 180 1995 111,42 108,07 1992

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diretoria Políticas de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos maio 2015 PANORAMA DA EDUCAÇÃO DE JOVENS

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento C o m p an h i a N ac io n a l d e Abastecimento D i r e t o r i a d e Opercações e A b a stecimento S u p erintedência de O p erações Comerciais G e r ên c i a d e Formação e Controle de Estoques P o

Leia mais

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência)

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE

FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE Santa Catarina - 20 de Novembro de 2010 IMPORTÂNCIA DA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS As MPEs correspondem à 98,81%* (CNE/IBGE 2009) das empresas

Leia mais

textos para discussão

textos para discussão Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa textos para discussão 1/ O impacto da Lei de Cotas nos estados: um estudo preliminar Flávio Carvalhaes IESP-UERJ João Feres Júnior IESP-UERJ Verônica

Leia mais

Observações: enviar documentos scaneados todos em PDF em pasta compactada formato zip.

Observações: enviar documentos scaneados todos em PDF em pasta compactada formato zip. EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA AUXÍLIO FINANCEIRO DO PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DO SUS (PROADI-SUS) PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU EM CAPTAÇÃO, DOAÇÃO E TRANSPLANTES DE

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (setembro/13) outubro de 2013 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

Projeto Amazona: Desfechos Clínicos de Pacientes Públicos e Privados

Projeto Amazona: Desfechos Clínicos de Pacientes Públicos e Privados Projeto Amazona: Desfechos Clínicos de Pacientes Públicos e Privados Pedro E. R. Liedke Grupo Brasileiro de Estudos do Câncer de Mama; Serviço de Oncologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre; Instituto

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular

A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular Direitos e Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Currículo Como experiências escolares

Leia mais

Conjunto de Realização Busca de Oportunidades e Iniciativa Exigência de Qualidade e Eficiência Correr Riscos Calculados Persistência Comprometimento

Conjunto de Realização Busca de Oportunidades e Iniciativa Exigência de Qualidade e Eficiência Correr Riscos Calculados Persistência Comprometimento O que é? Seminário de 80 horas em sala, aplicado num período de 9 dias, em regime de imersão; Metodologia trabalha, através de vivências, 10 Características do Comportamento Empreendedor (CCEs), que compreendem

Leia mais

Infraestrutura, Gestão Escolar e Desempenho em Leitura e Matemática: um estudo a partir do Projeto Geres

Infraestrutura, Gestão Escolar e Desempenho em Leitura e Matemática: um estudo a partir do Projeto Geres Naira da Costa Muylaert Lima Infraestrutura, Gestão Escolar e Desempenho em Leitura e Matemática: um estudo a partir do Projeto Geres Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE Porto Alegre, 01 de julho de 2011 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL LDB Nº 9394/96 É uma modalidade de ensino integrada às diferentes formas de educação,

Leia mais

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág.

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág. RELATÓRIO SIOR 2012 ÍNDICE NOTÍCIAS 2011/2012 ANÁLISE DAS DEMANDAS GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO TEMPO DE ATENDIMENTO DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES MAPA DAS PRINCIPAIS DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES

Leia mais

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação. São Bernardo do Campo, 15 de maio de 2012

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação. São Bernardo do Campo, 15 de maio de 2012 Educação no Brasil Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação São Bernardo do Campo, 15 de maio de 2012 0 4 8 12 16 20 24 28 32 36 40 44 48 52 56 60 64 68 Educação Infantil Taxas de atendimento

Leia mais

O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê?

O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê? O profissional mais estratégico que a empresa precisa ter: O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê? Diagnostica. Avalia. Cria. Planeja. Resolve. O Economista é um profissional imprescindível

Leia mais

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Agricultura Familiar no Mundo São 500 milhões de estabelecimentos da agricultura familiar

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA Programa Nacional de Capacitação e Qualificação ABLA Convênio nº 635/2007. Objeto: Aumentar a qualidade na prestação de serviços e competitividade dos

Leia mais

Education Educação. Bem-Estar. Famílias e. Bem-Estar Families and Well Being. Last Update Última Actualização: 30/06/2014

Education Educação. Bem-Estar. Famílias e. Bem-Estar Families and Well Being. Last Update Última Actualização: 30/06/2014 dossiers Families and Well Being Education Educação Last Update Última Actualização: 30/06/2014 Prepared by PE Probe Preparado por PE Probe Copyright 2014 Portugal Economy Probe PE Probe All rights reserved

Leia mais

ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil

ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil Wadson Ribeiro Secretário Nacional de Esporte Educacional Ministério do Esporte A DÉCADA DO ESPORTE BRASILEIRO Criação do Ministério

Leia mais

HIV/AIDS no Norte e Nordeste

HIV/AIDS no Norte e Nordeste HIV/AIDS no Norte e Nordeste Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde www.aids.gov.br 04 de dezembro de 2014 Foco em populações chave 12% 10% 10,5%

Leia mais

Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação

Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação Ciclo de formação em monitoramento e avaliação: a experiência do MDS na formação de agentes públicos estaduais e municipais. Autores: Patricia Vilas Boas Marcilio

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3o Bimestre 5o ano Geografia Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia os dados e o gráfico do censo do

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DO PROBLEM BASED LEARNING (PBL) NA FORMAÇÃO DO ALUNO NO ENSINO SUPERIOR

CONTRIBUIÇÃO DO PROBLEM BASED LEARNING (PBL) NA FORMAÇÃO DO ALUNO NO ENSINO SUPERIOR CONTRIBUIÇÃO DO PROBLEM BASED LEARNING (PBL) NA FORMAÇÃO DO ALUNO NO ENSINO SUPERIOR Jose Lucas dos Santos Oliveira Universidade Federal de Campina Grade UFCG - Patos, Paraíba. e-mail: lucasoliveira.ufcg@gmail.com

Leia mais