Reforma do Estado: Introdução, comparação e limites

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Reforma do Estado: Introdução, comparação e limites"

Transcrição

1 Reforma do Estado: Introdução, comparação e limites Neves, Gleisi Heisler. Reflexões sobre a proposta de reforma do Estado brasileiro / Gleisi Heisler. Brasília: ENAP, COSTA, L. Contribuição a um projeto de reforma democrática do Estado. RAP 44(2):239-70, Mar./aBr MATIAS-PEREIRA, José. Administração pública comparada: uma avaliação das reformas administrativas do Brasil, EUA e União Européia. RAP, 42( 1) : 61-82, JAN./FEV PINHO, J. A. G. de. Reforma do Aparelho do Estado: Limites do Gerencialismo frente ao Patrimonialismo. Organizações & Sociedade. Vol. 5. N

2 Introdução Que tipo de Estado se deseja construir? Como deverá se relacionar com a sociedade e o mercado? Quais serão sua missão, objetivos, papel, formas e meios de intervenção e funções? Que características organizacionais e gerenciais necessitará adquirir para lograr êxito?

3 Introdução Há algumas décadas, estudiosos de administração têm-se dedicado a analisar as razões do malogro da maior parte das reformas administrativas já realizadas, chegando à conclusão que estão geralmente associadas às inadequações do paradigma que as instrui e das estratégias utilizadas para seu desenho e implantação

4 Introdução Analisando nossas experiências de reforma administrativa, Nascimento concluiu que elas se apoiavam em uma concepção mecanicista da administração, estando impregnadas não só pela crença de que o êxito dependia apenas de uma aplicação correta de princípios e tecnologias cientificamente embasados, como pela desconsideração das relações existentes entre organizações e burocracia públicas com o seu entorno.

5 Essa concepção explica por que essas reformas supervalorizaram a eficiência e se apoiaram em pré-requisitos inexistentes na realidade brasileira. Quais seriam os caminhos para reformas?

6 Orientação para atividades fim Problem-Oriented Preocupação com a internalização de valores, atitudes e hábitos que assegurem a continuidade do processo Sua abordagem como mudança social, incorporando a concepção da organização como um sistema aberto

7 se substituam as reformas globais e imediatistas, por outras com orientação seletiva e estratégica, já que qualquer tentativa de alterar todo o conjunto do aparelho de Estado, de uma só vez, seria inviável se supere a falsa separação entre política e administração, a percepção mecanicista desta última e o mito da neutralidade da burocracia, reconhecendo-se que nela estão presentes interesses e lutas políticas.

8 Reforma Brasileira anos 90 A última grande reforma ocorre em 1995 com EC 173 (reforma do Estado) Amparado pela popularidade e legitimidade adquiridas nas urnas, o novo Presidente inicia o seu governo organizando uma ampla reforma nas políticas e nos aparelhos do Estado pretendendo reduzir o custo Brasil, solucionar a crise da economia brasileira e garantir as condições de inserção do país na economia globalizada (SILVA, 2003)

9 Reforma Brasileira A reforma do Estado brasileiro nos anos 90 tem como marco institucional a criação do Ministério da Administração e Reforma do Estado e a elaboração do Plano Diretor da Reforma do Aparelho de Estado

10 PDRAE 6.1 Objetivos Globais: Aumentar a governança do Estado, ou seja, sua capacidade administrativa de governar com efetividade e eficiência, voltando a ação dos serviços do Estado para o atendimento dos cidadãos; Limitar a ação do Estado àquelas funções que lhe são próprias, reservando, em princípio, os serviços não-exclusivos para a propriedade pública não-estatal, e a produção de bens e serviços para o mercado para a iniciativa privada; Transferir da União para os estados e municípios as ações de caráter local: só em casos de emergência cabe a ação direta da União; Transferir parcialmente da União para os estados as ações de caráter regional, de forma a permitir uma maior parceria entre os estados e a União.

11 PDRAE 6.2 Objetivos para o Núcleo Estratégico: Aumentar a efetividade do núcleo estratégico, de forma que os objetivos democraticamente acordados sejam adequada e efetivamente alcançados; Para isso, modernizar a administração burocrática, que no núcleo estratégico ainda se justifica pela sua segurança e efetividade, através de uma política de profissionalização do serviço público, ou seja, de uma política de carreiras, de concursos públicos anuais, de programas de educação continuada permanentes, de uma efetiva administração salarial, ao mesmo tempo que se introduz no sistema burocrático uma cultura gerencial baseada na avaliação do desempenho; Dotar o núcleo estratégico de capacidade gerencial para definir e supervisionar os contratos de gestão com as agências autônomas, responsáveis pelas atividades exclusivas de Estado, e com as organizações sociais, responsáveis pelos serviços não-exclusivos do Estado realizados em parceria com a sociedade.

12 PDRAE 6.3 Objetivos para as Atividades Exclusivas: Transformar as autarquias e fundações que possuem poder de Estado em agências autônomas, administradas segundo um contrato de gestão; o dirigente escolhido pelo Ministro segundo critérios rigorosamente profissionais, mas não necessariamente de dentro do Estado, terá ampla liberdade para administrar os recursos humanos, materiais e financeiros colocados à sua disposição, desde que atinja os objetivos qualitativos e quantitativos (indicadores de desempenho) previamente acordados; Para isso, substituir a administração pública burocrática, rígida, voltada para o controle a priori dos processos, pela administração pública gerencial, baseada no controle a posteriori dos resultados e na competição administrada; Fortalecer práticas de adoção de mecanismos que privilegiem a participação popular tanto na formulação quanto na avaliação de políticas públicas, viabilizando o controle social das mesmas.

13 PDRAE 6.4 Objetivos para os Serviços Não-Exclusivos: Transferir para o setor público não-estatal esses serviços, através de um programa de "publicização", transformando as atuais fundações públicas em organizações sociais, ou seja, em entidades de direito privado, sem fins lucrativos, que tenham autorização específica do Poder Legislativo para celebrar contrato de gestão com o Poder Executivo e assim ter direito a dotação orçamentária; Lograr, assim, uma maior autonomia e uma conseqüente maior responsabilidade para os dirigentes desses serviços; Lograr adicionalmente um controle social direto desses serviços por parte da sociedade através dos seus conselhos de administração. Mais amplamente, fortalecer práticas de adoção de mecanismos que privilegiem a participação da sociedade tanto na formulação quanto na avaliação do desempenho da organização social, viabilizando o controle social; Lograr, finalmente, uma maior parceria entre o Estado, que continuará a financiar a instituição, a própria organização social, e a sociedade a que serve e que deverá também participar minoritariamente de seu financiamento via compra de serviços e doações; Aumentar, assim, a eficiência e a qualidade dos serviços, atendendo melhor o cidadão-cliente a um custo menor.

14 PDRAE 6.5 Objetivos para a Produção para o Mercado: Dar continuidade ao processo de privatização através do Conselho de Desestatização; Reorganizar e fortalecer os órgãos de regulação dos monopólios naturais que forem privatizados; Implantar contratos de gestão nas empresas que não puderem ser privatizadas.

15

16

17 Público Não-Estatal O setor produtivo público não-estatal é também conhecido por terceiro setor, setor não-governamental, ou setor sem fins lucrativos. Por outro lado, o espaço público não-estatal é também o espaço da democracia participativa ou direta, ou seja, é relativo à participação cidadã nos assuntos públicos. Neste trabalho se utilizará a expressão público não-estatal que define com maior precisão do que se trata: são organizações ou formas de controle públicas porque estão voltadas ao interesse geral; são não estatais porque não fazem parte do aparato do Estado, seja porque não utilizam servidores públicos ou porque não coincidem com os agentes políticos tradicionais. A expressão terceiro setor pode considerar-se também adequada na medida em que sugere uma terceira forma de propriedade entre a privada e a estatal, mas se limita ao não-estatal enquanto produção, não incluindo o não-estatal enquanto controle. A expressão não-governamental é um anglicismo, que reflete uma confusão entre Estado e governo; finalmente, a expressão sem fins lucrativos carece de limites porque as organizações corporativas também não tem fins lucrativos, sem que por isso sejam necessariamente públicas. O que é estatal é, em principio, público. O que é público pode não ser estatal, se não faz parte do aparato do Estado (Luiz Carlos Bresser-Pereira e Nuria Cunill Grau, 1999)

18 Adm. Direta e Indireta É chamado de Administração Direta o núcleo de cada Administração Pública (federal, estadual, distrital ou municipal), que corresponde à própria pessoa jurídica política (União, Estado, Distrito Federal, Municípios) e seus órgãos despersonalizados. Já Administração Indireta é o conjunto de entidades personalizadas, vinculadas normalmente a um órgão da Administração Direta (Ministério ou Secretaria), previstas no art. 4, II, do Decreto-lei nº 200, de 25 de fevereiro de 1967: autarquias (orçamento próprio, gestão descentralizada, ex. SAAE) fundações públicas (entidade dotada de personalidade jurídica de direito público, sem fins lucrativos, ex. FBG) empresas públicas (entidade dotada de personalidade jurídica de direito privado, com patrimônio próprio e capital exclusivo da União, ex.: CEF, ECT) sociedades de economia mista (há colaboração entre o Estado e particulares, ambos reunindo recursos para a realização de uma finalidade, sempre de objetivo econômico, func, regidos pela CLT, ex.: BB, Petrobrás.)

Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado

Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado Professor Luiz Antonio de Carvalho Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado - 1995 lac.consultoria@gmail.com Objetivos da Reforma a curto prazo, facilitar o ajuste fiscal, particularmente nos Estados

Leia mais

TESTE DE FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

TESTE DE FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA TESTE DE FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1. Em relação ao modelo burocrático de administração pública no Brasil, é incorreto afirmar: A) a administração pública burocrática foi adotada para substituir

Leia mais

Administração. Reformas A nova gestão. Prof.ª Paula Freire

Administração. Reformas A nova gestão. Prof.ª Paula Freire Administração 04 Reformas A nova gestão Prof.ª Paula Freire E-mail: paulafreire11@yahoo.com.br Gerencialismo O gerencialismo passou por 3 etapas: Gerencialismo puro Consumerismo Orientação para o serviço

Leia mais

MODELOS DE ESTADO, MODELOS DE ADMINISTRAÇÃO E REFORMA DA GESTÃO PÚBLICA NO BRASIL

MODELOS DE ESTADO, MODELOS DE ADMINISTRAÇÃO E REFORMA DA GESTÃO PÚBLICA NO BRASIL MODELOS DE ESTADO, MODELOS DE ADMINISTRAÇÃO E REFORMA DA GESTÃO PÚBLICA NO BRASIL ESTÁCIO-CERS PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO ADMINISTRATIVO Prof. Jorge Munhós jorgemunhos@yahoo.com Facebook: jorgemunhos LIVROS

Leia mais

2ª Feira da Carreira Pública São Paulo

2ª Feira da Carreira Pública São Paulo 2ª Feira da Carreira Pública São Paulo A EVOLUÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO E AS OPORTUNIDADES DE CARREIRA NO SETOR PÚBLICO PROF. SERGIO JUND MESTRE EM ADM. PÚBLICA FGV/ EBAPE IESAP 2011 Prof. Sergio Jund 1 Doutrinas

Leia mais

Gestão Pública Convergência Gestão Pública e Privada

Gestão Pública Convergência Gestão Pública e Privada Convergência Gestão Pública e Privada -Globalização -Inovações Tecnológicas -Democracia -Cenário que culminou em uma tomada de decisão crucial Convergência Gestão Pública e Privada -Adaptação a Padronização

Leia mais

Outline da carta de Madri de 1998

Outline da carta de Madri de 1998 CLAD - Conselho Latino-Americano de Administração para o Desenvolvimento Outline da carta de Madri de 1998 Este outline foi preparado por Luiz Carlos Bresser- Pereira em 23.2.98 para servir de base para

Leia mais

Inovação em Serviços Públicos

Inovação em Serviços Públicos Inovação em Serviços Públicos Introdução às Mudanças do Estado Mudanças recentes nas Organizações Anos 70/80 1. Fatores que exigem mudanças nas organizações Internacionalização da economia (concorrência

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

Administração pública em perspectiva: inovações e resquícios institucionais. Alketa Peci EBAPE/FGV

Administração pública em perspectiva: inovações e resquícios institucionais. Alketa Peci EBAPE/FGV Administração pública em perspectiva: inovações e resquícios institucionais Alketa Peci EBAPE/FGV alketa.peci@fgv.br INDICE Burocracia/Mercado/Rede como modelos ideais Administração Pública As fontes de

Leia mais

Inovação substantiva na Administração Pública

Inovação substantiva na Administração Pública Inovação substantiva na Administração Pública XI Encontro Nacional de Escolas de Governo 10 e 11 de dezembro de 2015 Rosana Aparecida Martinez Kanufre Superintendência Instituto Municipal de Administração

Leia mais

As diferentes modalidades de gestão no SUS

As diferentes modalidades de gestão no SUS XXVII CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO As diferentes modalidades de gestão no SUS Lenir Santos Março 2013 LENIR SANTOS março de 13 1 FORMAS DE GESTÃO DO SUS ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Evolução do Estado Brasileiro

Evolução do Estado Brasileiro Evolução do Estado Brasileiro Século XX - continuada tentativa de modernização das estruturas e processos do aparelho de Estado. Mudanças pontuais X sistêmicas Resposta (tardia) às transformações mundiais.

Leia mais

MODALIDADES DE GESTÃO NO SUS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Carlos Neder EM DEFESA DO SUS SAÚDE PÚBLICA DE QUALIDADE CAMPANHA DA FRATERNIDADE 15/02/12

MODALIDADES DE GESTÃO NO SUS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Carlos Neder EM DEFESA DO SUS SAÚDE PÚBLICA DE QUALIDADE CAMPANHA DA FRATERNIDADE 15/02/12 MODALIDADES DE GESTÃO NO SUS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Carlos Neder EM DEFESA DO SUS SAÚDE PÚBLICA DE QUALIDADE CAMPANHA DA FRATERNIDADE 15/02/12 Carlos Neder ALTERNATIVAS DE MODELO DE GESTÃO I SUS: SETORES

Leia mais

2.7. Resumo Elementos do Estado: povo, território e governo soberano.

2.7. Resumo Elementos do Estado: povo, território e governo soberano. 63 QUESTÃO COMENTADA AFRF 2003 Esaf Não há previsão legal para a celebração de contrato de gestão entre a pessoa jurídica de direito público política e a seguinte espécie: a) órgão público; b) organização

Leia mais

Administração Pública. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior

Administração Pública. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior Administração Pública Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1 O Estado É uma comunidade de homens fixada sobre um território com poder de mando, ação e coerção (ato de pressionar, induzir) constituída

Leia mais

GESTÃO PÚBLICA Professor Daniel Cabaleiro Saldanha, M. Sc.

GESTÃO PÚBLICA Professor Daniel Cabaleiro Saldanha, M. Sc. cabaleiro.dcs@gmail.com GESTÃO PÚBLICA Professor Daniel Cabaleiro Saldanha, M. Sc. Plano de Curso ( 8h/aula) Conceitos Preliminares Evolução da Administração Pública Administração Patrimonialista Administração

Leia mais

Evolução do Estado Brasileiro

Evolução do Estado Brasileiro Evolução do Estado Brasileiro Século XX - continuada tentativa de modernização das estruturas e processos do aparelho de Estado. Mudanças pontuais X sistêmicas Resposta (tardia) às transformações mundiais.

Leia mais

Funções da Administração

Funções da Administração Professor Bruno Eduardo www.brunoeduardo.com professor@brunoeduardo.com www.facebook.com/professorbrunoeduardo Conteúdo: Planejamento Estratégico. Processo Administrativo Planejamento; Organização; Direção;

Leia mais

Desenvolvimento gerencial na administração pública do estado de São Paulo

Desenvolvimento gerencial na administração pública do estado de São Paulo Desenvolvimento gerencial na administração pública do estado de São Paulo Mauro Maia Laruccia* OLIVEIRA, Laís Macedo de; GALVÃO, Maria Cristina Costa Pinto (Orgs.). Desenvolvimento gerencial na administração

Leia mais

1 Modelos teóricos de Administração Pública

1 Modelos teóricos de Administração Pública 1 Modelos teóricos de Administração Pública Patrimonialista: res publica não é diferenciada da res principis; o aparelho do Estado funciona como uma extensão do poder do soberano; os cargos são considerados

Leia mais

Capítulo 1 Organização e o Processo Organizacional...1

Capítulo 1 Organização e o Processo Organizacional...1 Sumário Capítulo 1 Organização e o Processo Organizacional...1 1. O Conceito de Organização...1 2. O Conceito de Processo...2 3. O Conceito de Administração...3 4. O Processo Organizacional...3 4.1. Conceito

Leia mais

ORGANIZAÇÕES SOCIAIS

ORGANIZAÇÕES SOCIAIS 2008 UNESP Faculdade de Ciências e Letras Campus de Araraquara Curso de Pós-Graduação GOVERNAÇA PÚBLICA E NOVOS ARRANJOS DE GESTÃO ORGANIZAÇÕES SOCIAIS Profº. José Luis Bizelli Clayde do Carmo Silva de

Leia mais

Organização da Administração Pública

Organização da Administração Pública Direito Administrativo Organização da Administração Pública Estado - Povo; - Território; - Governo soberano. Organização do Estado - Federação: União Estados Distrito Federal Municípios Governo e Administração

Leia mais

Sumário. Apresentação, xiii Estrutura do livro, xv

Sumário. Apresentação, xiii Estrutura do livro, xv Sumário Apresentação, xiii Estrutura do livro, xv Introdução, 1 Debate sobre governo e Administração Pública, 1 Gestão pública no Brasil, 3 Reforma e modernização do Estado, 4 Papel do Estado no mundo

Leia mais

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Gerais, Processo Administrativo e Características das Organizações Modernas... 1

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Gerais, Processo Administrativo e Características das Organizações Modernas... 1 Capítulo 1 Conceitos Gerais, Processo Administrativo e Características das Organizações Modernas... 1 1.1. Conceitos gerais... 1 1.2. Processo Administrativo... 6 1.3 Características das Organizações Formais

Leia mais

Formatos institucionais das agências Agencificação no mundo e no Brasil

Formatos institucionais das agências Agencificação no mundo e no Brasil Formatos institucionais das agências Agencificação no mundo e no Brasil Prof. Marcos Vinicius Pó marcos.po@ufabc.edu.br Regulação e Agências Reguladoras no Contexto Brasileiro MODELO DE AGÊNCIAS REGULADORAS

Leia mais

Administração Publica Burocrática

Administração Publica Burocrática Administração Publica Burocrática Modelo inspirado por Max Weber. Modelo mais racional cuja concentração das decisões não podia depender do arbítrio de um só individuo. Conceito Burocracia é administração

Leia mais

Parte I Compreensão dos Fundamentos da Ciência Política, Estado, Governo e Administração Pública, 9

Parte I Compreensão dos Fundamentos da Ciência Política, Estado, Governo e Administração Pública, 9 Sumário Apresentação, xiii Estrutura do livro, xv Introdução, 1 Debate sobre Governo e Administração Pública, 1 Gestão Pública no Brasil, 3 Reforma e Modernização do Estado, 4 Papel do Estado no Mundo

Leia mais

Administração Geral e Pública

Administração Geral e Pública Formas de Administração Pública Patrimonialista; Burocrática; Gerencial; e Paradigma Pós-burocrático. Patrimonialista: o Estado funciona como uma extensão do poder soberano e os servidores possuem estado

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR CIÊNCIA E TECNOLOGIA PÚBLICAS: CAMINHO PARA UMA SOCIEDADE IGUALITÁRIA 1. O Tema do Seminário: Religa a C&T aos seus condicionantes sociais Pressupõe que C&T deve ser colocada a serviço das amplas maiorias

Leia mais

TERCEIRO SETOR E AS PARCERIAS COM A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

TERCEIRO SETOR E AS PARCERIAS COM A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA A 3ª edição, além de atualizada, trata da nova Lei das Organizações da Sociedade Civil OSC, a Lei 13.019/2014; assim como comenta a Decisão do STF na ADIn 1.923, sobre a Lei das Organizações Sociais (Lei

Leia mais

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. D 3.1 Debate Contemporâneo da Gestão Pública (16h)

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. D 3.1 Debate Contemporâneo da Gestão Pública (16h) EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA D 3.1 Debate Contemporâneo da Gestão Pública (16h) Professor : Fernando Luiz Abrucio Aula 1 03, 04 e 06 de outubro de 2011 AS BASES DA BUROCRACIA PÚBLICA CONTEMPORÂNEA 1) Origens:

Leia mais

Acórdão: 2.127/2017-Plenário Relator: Ministro-Substituto Marcos Bemquerer

Acórdão: 2.127/2017-Plenário Relator: Ministro-Substituto Marcos Bemquerer Acórdão: 2.127/2017-Plenário Relator: Ministro-Substituto Marcos Bemquerer 1. POR QUE FAZER? CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 70 e 71 Cabe ao Tribunal de Contas da União (TCU) a fiscalização contábil, financeira,

Leia mais

27/07/2016. Noções de Administração Pública. Noções de Administração Pública. Direta. Administração Federal. Indireta. Noções de Administração Pública

27/07/2016. Noções de Administração Pública. Noções de Administração Pública. Direta. Administração Federal. Indireta. Noções de Administração Pública É a atividade desenvolvida pelo Estado, obedecendo aos princípios da administração pública, destinada a atender as necessidades da sociedade. Administração Federal Direta Indireta Administração Pública

Leia mais

1ª) A lei de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a):

1ª) A lei de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a): 1ª) A lei 12.550 de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a): A) Poder Legislativo. B) Poder Executivo C) Poder Judiciário D)

Leia mais

SUMÁRIO. Língua Portuguesa

SUMÁRIO. Língua Portuguesa Língua Portuguesa Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados... 3 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais... 6 Domínio da ortografia oficial... 21 Domínio dos mecanismos de coesão textual.

Leia mais

ORDEM DO DIA: Eleição de membro efetivo do Conselho de Administração, por indicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

ORDEM DO DIA: Eleição de membro efetivo do Conselho de Administração, por indicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO AGE Em, 06 de agosto de 2015. ORDEM DO DIA: Eleição de membro efetivo do Conselho de Administração, por indicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. - INFORMAÇÕES

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO:

DIREITO ADMINISTRATIVO: DIREITO ADMINISTRATIVO: É o conjunto de normas que regulam a atividade da Administração Pública na sua tarefa de assumir os serviços necessários à promoção do bem comum. Finalidade do Direito Administrativo

Leia mais

Valéria Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Valéria Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Reforma do Estado Principais Aspectos Valéria Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ideal de Estado que orienta as políticas de gestão do Governo

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ANATEL 2012

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ANATEL 2012 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ANATEL 2012 01. O modelo de excelência da gestão é um excelente mecanismo de auxílio ao controle da qualidade da gestão na instituição, visto que seu ponto focal são os resultados

Leia mais

Novo Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação EC Nº 85/15 e LEI Nº /16

Novo Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação EC Nº 85/15 e LEI Nº /16 XI FORTEC Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia Novo Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação EC Nº 85/15 e LEI Nº 13.243/16 Fortaleza/CE, 18 de maio de 2017 Leopoldo

Leia mais

DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012

DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012 DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012 Cria a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo - Funpresp-Exe, dispõe sobre sua vinculação no âmbito do Poder Executivo

Leia mais

Organização Administrativa Direito Administrativo

Organização Administrativa Direito Administrativo RESUMO Organização Administrativa Direito Administrativo 1 Índice Organização Administrativa... 3 Fundamento... 3 Legislação... 3 Administração Pública... 3 Órgãos Públicos... 3 Concentração e Desconcentração...

Leia mais

II Encontro Paulista de Escolas de Governos Municipais. Palestra. Gestão Pública Contemporânea e o caso Brasileiro. Prof. Dr. Fernando S.

II Encontro Paulista de Escolas de Governos Municipais. Palestra. Gestão Pública Contemporânea e o caso Brasileiro. Prof. Dr. Fernando S. II Encontro Paulista de Escolas de Governos Municipais Palestra Gestão Pública Contemporânea e o caso Brasileiro Prof. Dr. Fernando S. COELHO Jundiaí, 27 de novembro de 2014 1 O que abordarei nesta exposição?

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO ESTADO E SERVIÇOS PÚBLICOS. Palavras-chave: Organização do Estado. Serviços públicos. Privatização.

ORGANIZAÇÃO DO ESTADO E SERVIÇOS PÚBLICOS. Palavras-chave: Organização do Estado. Serviços públicos. Privatização. 1 ORGANIZAÇÃO DO ESTADO E SERVIÇOS PÚBLICOS DOMITILA DUARTE ALVES 1 RESUMO O objetivo do presente trabalho é discorrer acerca dos serviços públicos, em uma visão histórica do tema, do crescimento do Estado

Leia mais

Direito Administrativo. Estado, Governo e Adm. Pública

Direito Administrativo. Estado, Governo e Adm. Pública Direito Administrativo AULA 01 Estado, Governo e Adm. Pública Conceitos Estado É uma estrutura política e organizacional que se sobrepõe à sociedade, ao mesmo tempo que dela faz parte. Governo - É o conjunto

Leia mais

Direito Administrativo I: Ponto 4: Organização Administrativa

Direito Administrativo I: Ponto 4: Organização Administrativa Direito Administrativo I: Ponto 4: Organização Administrativa PROF. DR. GUSTAVO JUSTINO DE OLIVEIRA Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) São Paulo (SP), abril de 2017. Sumário de aula

Leia mais

Contratualização de Resultados

Contratualização de Resultados Contratualização de Resultados Gestão por Resultados A administração gerencial é caracterizada por: Confiança (limitada...) Controle de resultados (a posteriori...) Ou seja: Por um lado, confere-se autonomia

Leia mais

ESTUDA A ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ESTUDA A ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTUDA A ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA UNIÃO ADMINISTRAÇÃO DIRETA ( Centralizada ou Central ) SÃO PESSOAS JURÍDICAS ESTADOS DF MUNICÍPIOS SÃO ENTES FEDERATIVOS PREVISTOS NA CF/88 SÃO REGIDOS PREDOMINANTEMENTE

Leia mais

Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas

Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas O Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas tem caráter multidisciplinar, integrando em suas disciplinas diversos

Leia mais

Mérito x influência no funcionalismo público brasileiro

Mérito x influência no funcionalismo público brasileiro Mérito x influência no funcionalismo público brasileiro Regina Couto e Yuri Lopes Programa de Educação Tutorial Departamento de Economia Universidade de Brasília 07 de dezembro de 2012 1 Introdução Justificativa

Leia mais

Rodrigo Rennó Administração Geral e Pública

Rodrigo Rennó Administração Geral e Pública Rodrigo Rennó Administração Geral e Pública Administração Gerencial. Durante as décadas de 70 e 80 do século passado os governos passaram por momentos difíceis, com uma economia em recessão, choques externos

Leia mais

Bloco de Investimento na Rede de Serviços Públicos de Saúde;

Bloco de Investimento na Rede de Serviços Públicos de Saúde; Nota Técnica CONASEMS Assunto: Novas regras sobre o financiamento e a transferência dos recursos federais para as ações e os serviços públicos de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) No dia 28 de dezembro

Leia mais

Federação desigual. Assimetrias regionais. Região PIB População Território Região Sudeste 55,41% 42% 10,60% Região Norte 5,40% 8% 45,20%

Federação desigual. Assimetrias regionais. Região PIB População Território Região Sudeste 55,41% 42% 10,60% Região Norte 5,40% 8% 45,20% Federação desigual Assimetrias regionais Região PIB População Território Região Sudeste 55,41% 42% 10,60% Região Norte 5,40% 8% 45,20% Região Centro-oeste 9,57% 7% 18,90% Região Nordeste 13,40% 28% 18,20%

Leia mais

Administração. (parte 2)

Administração. (parte 2) Administração Pública Administração Pública (parte 2) Max Weber (1964 1920) Inventou os conceitos de: Estado Poder Dominação Legitimidade Patrimonialismo Burocracia Weber: três formas de dominação legítima

Leia mais

EDITAL ATA - MF ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA BRASILEIRA.

EDITAL ATA - MF ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA BRASILEIRA. EDITAL ATA - MF ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA BRASILEIRA. 1. Conceito de AP. 2. Princípios da AP. 3. Hierarquia. Poder Hierárquico e suas Manifestações. 4. Poderes do Estado. 5. Formação e Organização da AP Brasileira.

Leia mais

Capacidade estatal, concursos e carreiras burocráticas

Capacidade estatal, concursos e carreiras burocráticas Capacidade estatal, concursos e carreiras burocráticas Sérgio Praça burocraufabc.wordpress.com (sergiopraca0@gmail.com) Temas da aula 1) Delegação políticos burocratas 2) Componentes da capacidade estatal

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO. Organização da Administração Pública. Prof.ª Tatiana Marcello

DIREITO ADMINISTRATIVO. Organização da Administração Pública. Prof.ª Tatiana Marcello DIREITO ADMINISTRATIVO Organização da Administração Pública Prof.ª Tatiana Marcello EDITAL DIREITO ADMINISTRATIVO Organização administrativa. Administração direta e indireta, centralizada e descentralizada.

Leia mais

A Reforma de Bresser: mérito, flexibilidade e responsabilização

A Reforma de Bresser: mérito, flexibilidade e responsabilização AULA 06 A Reforma de Bresser: mérito, flexibilidade e responsabilização A crise do Estado Brasileiro Na visão de Bresser Pereira, o mundo assiste a um debate acalorado sobre o papel que o Estado deve desempenhar

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Autarquias Professor Cristiano de Souza www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Administrativo ADMINISTRAÇÃO INDIRETA Já estudamos que a Descentralização Administrativa ocorre quando

Leia mais

Auditor Fiscal Material Complementar Aula Extra 1 Administração Pública Prof. Cássio Albernaz

Auditor Fiscal Material Complementar Aula Extra 1 Administração Pública Prof. Cássio Albernaz Auditor Fiscal Material Complementar Aula Extra 1 Administração Pública Prof. Cássio Albernaz Administração Pública Professor Cássio Albernaz www.acasadoconcurseiro.com.br Administração Pública A Reforma

Leia mais

Remuneração e Recompensa

Remuneração e Recompensa Remuneração e Recompensa Disciplina: Gestão por Competências Prof. Joel Dutra Alunas: Cristina Leme Elizângela de Jesus Oliveira Fernanda Ferrari Agenda Contexto / Conceitos Apresentação Empresa Objeto

Leia mais

O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar

O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar Nilton Santos, 17 de agosto de 2017 1 O Regime de Previdência Complementar - RPC 2 Sistema de previdência Regime Geral Regimes Próprios Previdência

Leia mais

Gestão de Pessoas: Fases Evolutivas

Gestão de Pessoas: Fases Evolutivas Gestão de Pessoas: Fases Evolutivas Transição: de Operacional para Estratégico Fischer (2002) 4 fases correntes teóricas: Departamento pessoal até 20s controle, eficiência, taylorismo, fordismo; Gestão

Leia mais

RELATORIO DE ATIVIDADE 2016

RELATORIO DE ATIVIDADE 2016 RELATORIO DE ATIVIDADE 2016 OBJETIVOS E METAS 2016 O QUE FOI CONQUISTADO? 1. Implantar o Núcleo de Assistência Social operando projetos próprios e cooperando em projetos de terceiros, que atendam às demandas

Leia mais

As Agências Reguladoras: seu papel entre o cliente e o prestador dos serviços

As Agências Reguladoras: seu papel entre o cliente e o prestador dos serviços As Agências Reguladoras: seu papel entre o cliente e o prestador dos serviços Mario Augusto Parente Monteiro Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará - ARCE Natal, 20 DE MAIO

Leia mais

Plano de Atuação Defensoria Pública de MS Mato Grosso do Sul

Plano de Atuação Defensoria Pública de MS Mato Grosso do Sul Plano de Atuação Defensoria Pública de MS 2017-2019 Mato Grosso do Sul Estrutura Organizacional Órgãos da Administração Superior Órgãos de Atuação Órgão de Execução: os Defensores Públicos do Estado Órgãos

Leia mais

Pessoas Jurídicas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Pessoas Jurídicas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Pessoas Jurídicas Pessoas Jurídicas Pessoas jurídicas são entidades criadas para a realização de um fim e reconhecidas pela ordem jurídica como sujeitos de direitos e deveres. Pessoas Jurídicas Características:

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GERENCIAL: SERVIÇO AO CIDADÃO

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GERENCIAL: SERVIÇO AO CIDADÃO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GERENCIAL: SERVIÇO AO CIDADÃO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GERENCIAL: SERVIÇO AO CIDADÃO 2 Por: Regina Celia do Amaral Nascimento Rio de Janeiro 2010 AGRADECIMENTOS 3 Especial agradecimento

Leia mais

Lei No de 2011 Criação da EBSERH.

Lei No de 2011 Criação da EBSERH. PROF. ÉRICO VALVERDE Lei No. 12.550 de 2011 Criação da EBSERH. EBSERH Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, Hospitais Universitários Federais HUF s, Criada pelo Governo Federal, Vinculado ao Ministério

Leia mais

História da Administração Pública

História da Administração Pública História da Administração Pública Luis XIV: "L'État c'est moi (o Estado sou eu) Características do Patrimonialismo Patrimonialismo: Sentido weberiano: modo de dominação onde o governante é proprietário

Leia mais

LEI Nº /2013 CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL

LEI Nº /2013 CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL LEI Nº. 1.282/2013 Ementa: Institui o Plano Plurianual do Município de Ouricuri para o período de 2014 a 2017. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE OURICURI/PE, no uso de suas atribuições legais, faz saber que A

Leia mais

SEMINÁRIO SOBRE AS MODALIDADES DE GESTÃO NO SUS GESTÃO E LEGISLAÇÃO II ENANESP 07/06/16. Carlos Neder

SEMINÁRIO SOBRE AS MODALIDADES DE GESTÃO NO SUS GESTÃO E LEGISLAÇÃO II ENANESP 07/06/16. Carlos Neder SEMINÁRIO SOBRE AS MODALIDADES DE GESTÃO NO SUS II ENANESP GESTÃO E LEGISLAÇÃO 07/06/16 Carlos Neder I SUS enquanto política de Estado - Reforma do Estado e relação público privado - Estudos do Ministério

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO ESTRUTURA ADMINISTRATIVA O estudo da Administração Pública em geral, compreendendo a sua estrutura e as suas atividades, devem partir do conceito de ESTADO, sobre o qual repousa

Leia mais

módulo 3 Organização do Estado brasileiro

módulo 3 Organização do Estado brasileiro módulo 3 Organização do Estado brasileiro unidade 1 introdução aos princípios constitucionais fundamentais princípios constitucionais fundamentais Carl Schmitt decisões políticas do Estado normas fundadoras

Leia mais

GESPÚBLICA - FMVZ/USP

GESPÚBLICA - FMVZ/USP Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia GESPÚBLICA - FMVZ/USP Desburocratização & Excelência 2008 O que é GESPÚBLICA? É o programa do Ministério do Planejamento, Orçamento

Leia mais

O desenvolvimento do Planejamento Estratégico está dividido em 5 fases principais até a sua conclusão: Figura 1 - Fases do Planejamento Estratégico

O desenvolvimento do Planejamento Estratégico está dividido em 5 fases principais até a sua conclusão: Figura 1 - Fases do Planejamento Estratégico O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A Assessoria de Planejamento (ASPLAN) está se dedicando à elaboração do Planejamento Estratégico da SEDESE. Este projeto surge como uma demanda do Secretário André Quintão para

Leia mais

ATA - Exercício Direito Administrativo Exercício Giuliano Menezes Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

ATA - Exercício Direito Administrativo Exercício Giuliano Menezes Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercício Direito Administrativo Exercício Giuliano Menezes 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercícios Giuliano Menezes 01)Marque V ou F: a) O

Leia mais

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID Programa 1448 Qualidade na Escola Ações Orçamentárias Número de Ações 16 0E530000 Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola Veículo adquirido Unidade de Medida: unidade UO:

Leia mais

1º ENCONTRO INTERMUNICIPAL DE ESCOLAS DE GOVERNO SOROCABA 2014

1º ENCONTRO INTERMUNICIPAL DE ESCOLAS DE GOVERNO SOROCABA 2014 1º ENCONTRO INTERMUNICIPAL DE ESCOLAS DE GOVERNO SOROCABA 2014 PESQUISA CEPAM Prefeitos Eleitos 2013-2016 Instrumento: questionário Municípios: 57% (368) Objetivo: Retratar a gestão municipal do Estado

Leia mais

MARATONA INSS 2016 SIMULADO. Prof. Ivan Lucas

MARATONA INSS 2016 SIMULADO. Prof. Ivan Lucas MARATONA INSS 2016 SIMULADO Prof. Ivan Lucas OPORTUNIDADE! 20% de desconto nos cursos online do INSS com o cupom PROJETOINSS20. Apenas até às 23h59 de segunda-feira (25). Acesse: https://www.grancursosonline.com.br/concurso/ins

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA

GOVERNANÇA CORPORATIVA GOVERNANÇA CORPORATIVA AULA 2 Prof. Wellington www.maestrocarreira.com.br A Sociedade Anônima regida pela Lei 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das SA) possui o capital dividido em partes iguais chamadas

Leia mais

ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE, CONTRATOS DE GESTÃO E ACCOUNTABILITY: O CASO DO MUNICÍPIO E DO ESTADO DE SÃO PAULO

ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE, CONTRATOS DE GESTÃO E ACCOUNTABILITY: O CASO DO MUNICÍPIO E DO ESTADO DE SÃO PAULO FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO JULIANA GAZZOTTI SCHNEIDER ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE, CONTRATOS DE GESTÃO E ACCOUNTABILITY: O CASO DO MUNICÍPIO E DO ESTADO

Leia mais

CAPITAL SOCIAL NAS BASES DA GOVERNANÇA E DA GOVERNABILIDADE. Raphael Matos Sobrinho Claudio Ribeiro Celino Élvia Fadul

CAPITAL SOCIAL NAS BASES DA GOVERNANÇA E DA GOVERNABILIDADE. Raphael Matos Sobrinho Claudio Ribeiro Celino Élvia Fadul CAPITAL SOCIAL NAS BASES DA GOVERNANÇA E DA GOVERNABILIDADE Raphael Matos Sobrinho Claudio Ribeiro Celino Élvia Fadul RESUMO Este ensaio teórico tem como objetivo apresentar a influência do conceito de

Leia mais

O princípio da eficiência e o setor público não-estatal Laura Taddei Alves Pereira Pinto Berquó *

O princípio da eficiência e o setor público não-estatal Laura Taddei Alves Pereira Pinto Berquó * 140 O princípio da eficiência e o setor público não-estatal Laura Taddei Alves Pereira Pinto Berquó * RESUMO. No atual processo de Reforma do Estado, caracterizado pela implantação do modelo gerencial

Leia mais

Conceito de Orçamento TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS GESTÃO MUNICIPAL I 13/05/09 ORÇAMENTO PARTICIPATIVO CASO PRÁTICO O QUE É ORÇAMENTO?

Conceito de Orçamento TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS GESTÃO MUNICIPAL I 13/05/09 ORÇAMENTO PARTICIPATIVO CASO PRÁTICO O QUE É ORÇAMENTO? TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS GESTÃO MUNICIPAL I 13/05/09 ORÇAMENTO PARTICIPATIVO CASO PRÁTICO Prof. Marcus Vinícius Veras Machado O QUE É ORÇAMENTO? Orçamento Pessoal Orçamento empresarial (Mão-de-Obra,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 5 09/02/2009 07:57 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.825, DE 29 DE JUNHO DE 2006. Estabelece as diretrizes para elaboração do Plano de Desenvolvimento

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE SELEÇÃO DE GESTORES PÚBLICOS A Experiência do Brasil

ESTRATÉGIAS DE SELEÇÃO DE GESTORES PÚBLICOS A Experiência do Brasil ESTRATÉGIAS DE SELEÇÃO DE GESTORES PÚBLICOS A Experiência do Brasil CIDESP I Congresso Internacional de Desempenho do Setor Público Florianópolis, 04 de Setembro de 2017 Sociedade e Estado no Brasil CLIENTELISMO

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GERENCIAL

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GERENCIAL ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GERENCIAL MATOS, Jatene da Costa¹ NOLASCO, Loreci Gottschalk 2 SILVA, Débora dos Santos 3 1 Advogado. Bacharel em Direito pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Unidade

Leia mais

A P R E S E N T A Ç Ã O MARÇO 09

A P R E S E N T A Ç Ã O MARÇO 09 A P R E S E N T A Ç Ã O MARÇO 09 Sumário : 1 Entidade Reguladora do Sector Eléctrico em Angola 2 Missão do IRSE 3 Reflexos da Entidade Reguladora no Sector 4 Desafios do Regulador 5 Indicadores 6 Legislação

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.825, DE 29 DE JUNHO DE 2006. Estabelece as diretrizes para elaboração do Plano de Desenvolvimento dos Integrantes do Plano

Leia mais

GESTÃO PÚBLICA CONTEMPORÂNEA

GESTÃO PÚBLICA CONTEMPORÂNEA 1 GESTÃO PÚBLICA CONTEMPORÂNEA Fonte: Revista Veja, Ed. 1976 ano 39 nº 39, 4 de outubro de 2006 2 Relação conflituosa entre o Estado e o Cidadão Debate sobre o Papel do Estado Revolução Industrial / Crise

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE TÉCNICO DA RECEITA FEDERAL Direito Administrativo

RESOLUÇÃO DA PROVA DE TÉCNICO DA RECEITA FEDERAL Direito Administrativo RESOLUÇÃO DA PROVA DE TÉCNICO DA RECEITA FEDERAL - 2005 Henrique Cantarino www.editoraferreira.com.br Direito Administrativo Caros amigos, voltamos com a correção das questões da prova de Técnico da Receita

Leia mais

22/11/ ( CESPE - PC-GO - Agente de Polícia) A administração direta da União inclui

22/11/ ( CESPE - PC-GO - Agente de Polícia) A administração direta da União inclui 1. (2016 - CESPE - PC-GO - Agente de Polícia) A administração direta da União inclui a) a Casa Civil. b) o Departamento Nacional deinfraestrutura detransportes (DNIT). c) as agências executivas. d) o Instituto

Leia mais

Nova Lei dos Acordos de Parceria

Nova Lei dos Acordos de Parceria Nova Lei dos Acordos de Parceria Lei nº 13.019/2014 OAB-SP 21 de outubro de 2014 Contexto Histórico Plano Diretor de Reforma do Estado anos 90 Min. Bresser Pereira Gestão direta, pela sociedade, de serviços

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL UFV/PPO/DAD 1

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL UFV/PPO/DAD 1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL UFV/PPO/DAD 1 - Pode dizer-me que caminho devo tomar? - Isto depende do lugar para onde você quer ir. (Respondeu com muito propósito o gato) - Não tenho destino certo.

Leia mais

QUESTÕES TRF 5ª REGIAO CESPE

QUESTÕES TRF 5ª REGIAO CESPE QUESTÕES TRF 5ª REGIAO CESPE - 2011 1 - ( CESPE - 2011 - TRF - 5ª REGIÃO - Juiz) Entre os setores do Estado, destaca-se o denominado terceiro setor conceito surgido com a reforma do Estado brasileiro,

Leia mais

AGENDA OBJETIVO. Apresentam: Instituições Signatárias:

AGENDA OBJETIVO. Apresentam: Instituições Signatárias: Instituições Signatárias: Apresentam: AGENDA OBJETIVO A Agenda é uma carta de princípios e propostas centro liberais para transformar o Brasil numa sociedade Justa, Íntegra, Sustentável e Democrática.

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 520, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010.

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 520, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010. MEDIDA PROVISÓRIA Nº 520, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010. Autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares S.A. - EBSERH e dá outras providências.

Leia mais