Divulgação de Resultados do 2T10 e 1S10

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Divulgação de Resultados do 2T10 e 1S10"

Transcrição

1 Divulgação de Resultados do 2T10 e 1S10 As informações financeiras preliminares são apresentadas em milhões de Reais, exceto onde indicado o contrário, e têm como base as demonstrações financeiras preparadas em USGAAP, apresentando reconciliação para os números preparados de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, sem ainda considerar os efeitos dos novos CPCs. Destaques R$ milhões Receita líquida Divisão de Aluguel de Carros 140,8 36,1% 191,6 R$ milhões Receita líquida Divisão de Aluguel de Frotas 76,2 16,9% 89,1 2T09 2T10 2T09 2T10 Carros vendidos para renovação da frota Receita líquida consolidada quantidade ,7% R$ milhões 416,5 38,2% 575,6 2T09 2T10 2T09 2T10 EBITDA consolidado Lucro líquido consolidado R$ milhões 109,1 37,9% 150,5 R$ milhões 27,1 112,2% 57,5 2T09 2T10 2T09 2T10 1/22

2 1 Divisão de aluguel de carros Receita líquida (R$ milhões) 271,3 CAGR: 29,2% 357,2 442,7 585,7 3,8% 607,8 291,9 27,7% 372,9 36,1% 140,8 191, S09 1S10 2T09 2T10 # diárias (mil) CAGR: 32,5% ,5% ,4% ,7% S09 1S10 2T09 2T10 Com o aquecimento da economia, a Divisão de Aluguel de Carros voltou a apresentar elevadas taxas de crescimento, semelhantes às do período précrise. No 2T10, a receita líquida desta divisão cresceu 36,1% se comparada ao mesmo período do ano anterior, em razão do aumento de 31,7% no número de diárias e de 3,3% na tarifa média. No 1S10, a receita líquida cresceu 27,7%, com o aumento de 26,4% no número de diárias e de 1,0% na tarifa média. O aumento na tarifa média decorreu do maior crescimento no número de diárias em segmentos que possuem tarifas mais elevadas. 2/22

3 2 Divisão de aluguel de frotas Receita líquida (R$ milhões) 149,2 CAGR: 22,9% 190,2 228,2 276,9 13,2% 313,4 152,1 14,1% 173,5 16,9% 76,2 89, S09 1S10 2T09 2T10 # diárias (mil) CAGR: 24,3% ,3% ,3% ,6% S09 1S10 2T09 2T10 A receita líquida da Divisão de Aluguel de Frotas cresceu 16,9% no 2T10 comparada ao mesmo período do ano anterior, em razão dos aumentos de 12,6% no número de diárias e 4,1% da tarifa média de aluguel. No 1S10, a receita líquida da Divisão de Aluguel de Frotas cresceu 14,1% com relação ao mesmo período do ano anterior, em razão do crescimento de 9,3% no volume de negócios e 4,6% na tarifa média. 3/22

4 3 Frota Investimento líquido Aumento da frota (quantidade) (9.774) (2.333) S09 1S10 2T09 2T10 Comprados Vendidos Investimento líquido (R$ milhões) 241,8 690,0 448,2 930,3 340,0 590,3 207, ,9 853,2 352,1 279, , ,2 983,2 924,5 (260,8) 152,3 413,1 672,6 85,7 586,9 (60,2) 136,1 196,3 360,9 69,4 291, S09 1S10 2T09 2T10 Compras (inclui acessórios) Receita de venda No 1S10, foram vendidos carros, dos quais da Divisão de Aluguel de Carros e a idade média da frota desta divisão retornou aos patamares précrise. O preço médio dos carros comprados na Divisão de Aluguel de Carros subiu neste trimestre em função do mix de compras. Para aproveitar a redução do IPI que ainda prevalecia para veículos utilitários, a Companhia antecipou no 2T10 a compra destes modelos de maior valor, impactando o preço médio neste trimestre. A previsão era de que este incentivo, concedido às montadoras, só iria vigorar até junho de Entretanto, o incentivo fiscal foi prorrogado até 31 de dezembro de /22

5 9 0,0 % 8 0,0 % 7 0,0 % 6 0,0 % 5 0,0 % 4 0,0 % 3 0,0 % 2 0,0 % 1 0,0 % 0,0 % 3.1 Frota Frota de final de período Frota final de período (quantidade) CAGR: 20,3% 12,4% ,1% S09 1S10 Aluguel de carros Aluguel de frotas A frota de final de período no 1S10 alcançou carros, com um aumento de carros em relação ao 1S09. Este aumento foi para atender o crescimento da frota alugada tanto do aluguel de carros quanto do aluguel de frotas. A idade média da frota da Divisão de Aluguel de Carros no 2T10 foi de 6,6 meses. A volta da idade média da frota aos patamares précrise poderá contribuir para a redução dos gastos com manutenção. Aluguel de carros Taxa de utilização x compras 68,6% 76,2% 67,6% 64,5% 16,1 15,3 66,2% 69,9% 9,7 8,8 0,0 2,4 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 Taxa de utilização nº de carros comprados (mil) A taxa de utilização da Divisão de Aluguel de Carros melhorou devido ao fim das antecipações de grandes volumes de compra de carros realizadas para aproveitar o benefício fiscal da redução do IPI, concedido às montadoras para todos os veículos. 5/22

6 4 Receita líquida consolidada Receita líquida (R$ milhões) 876,9 448,2 CAGR: 28,4% 1.531, ,4 853,2 590, , ,3 983,2 924,5 428,7 555,1 678,5 872,5 931,8 32,1% 1.139,4 862,7 586,9 413,1 449,6 552,5 416,5 38,2% 196,3 291,5 220,2 284, S09 1S10 2T09 2T10 575,6 Aluguéis Seminovos Frota média alugada (quantidade) CAGR: 28,5% 5,5% 18,6% 23,0% S09 1S10 2T09 2T10 Aluguel de carros Aluguel de frotas A receita líquida consolidada cresceu 38,2% no 2T10 em relação ao mesmo período do ano anterior, em razão do crescimento de 23,0% na frota média alugada, do aumento da tarifa médias das divisões de aluguel de carros e de frotas, bem como do aumento de 46,7% na quantidade de carros vendidos para a renovação da frota. 6/22

7 5 EBITDA consolidado EBITDA consolidado (R$ milhões) 277,9 CAGR: 22,0% 311,3 403,5 6,8% CAGR: 26,4% 504,1 469,7 224,5 25,9% 282,6 109,1 37,9% 150, S09 1S10 2T09 2T10 Margem de EBITDA: Divisões S09 1S10 2T09 2T10 Aluguel de carros 45,3% 42,0% 44,5% 44,3% 40,3% 39,4% 42,6% 37,9% 44,5% Aluguel de frotas 62,3% 69,1% 68,7% 67,0% 66,5% 67,1% 64,1% 68,8% 63,7% Aluguel Consolidado 51,0% 51,2% 52,6% 51,5% 49,3% 48,9% 49,5% 48,8% 50,7% Seminovos 13,2% 4,6% 5,4% 5,5% 1,1% 1,1% 1,6% 0,8% 2,2% No 2T10, o crescimento do EBITDA consolidado de 37,9% foi maior que o aumento de 29,0% nas receitas de aluguéis em função da melhora das margens de EBITDA da divisão de Aluguel de Carros e dos Seminovos. A margem de EBITDA da Divisão de Aluguel de Carros cresceu principalmente em função do aumento da tarifa média. A margem de EBITDA da Divisão de Aluguel de Frotas caiu de 66,5% no ano de 2009 para 63,7% no 2T10, devido ao aumento dos custos com manutenção neste trimestre. Os novos contratos de aluguel de frotas estão sendo alongados, negociados com períodos de 24 a 48 meses. Por serem carros de maior depreciação, o alongamento do prazo dos contratos dilui a cota mensal de depreciação. Apesar da queda na margem de EBITDA, o lucro líquido melhorou em decorrência da depreciação média por carro/ano, que caiu 20,5% no 1S10 em relação a A margem de lucro líquido da Divisão de Aluguel de Frotas passou de 7,7% no ano de 2009 para 10,8% no 1S10. O Seminovos apresentou margem de EBITDA de 2,2% no 2T10. 7/22

8 6 Depreciação Depreciação média por carro (R$) aluguel de carros 2.546, ,0 43,8% 492,3 939,1 332, , S10 Depreciação média por carro (R$) aluguel de frotas 2.981, , , , ,7 20,5% 3.475, S10 A depreciação média por carro no 1S10 apresentou queda significativa em comparação à média do ano de A renovação da frota a partir do 2S09 reduziu a idade média da frota da Divisão de Aluguel de Carros, contribuindo para a redução da depreciação média por carro desta divisão. Na Divisão de Aluguel de Frotas a depreciação média por carro no ano caiu em decorrência do alongamento dos contratos, diluindo a depreciação do carro por um período maior, conforme citado anteriormente no item 5. Fonte: Anfavea e Fenabrave 8/22

9 7 Lucro líquido consolidado Lucro líquido consolidado (R$ milhões) 106,5 138,2 190,2 127,4 116,3 57,3 85,3% 106,2 33,0% 27,1 112,2% 57, S09 1S10 2T09 2T10 Reconciliação EBITDA x lucro líquido Var. R$ 1S09 1S10 Var. R$ 2T09 2T10 Var. R$ EBITDA de aluguel de carros e frotas 449,6 459,1 9,5 219,8 273,3 53,5 107,5 144,0 36,5 EBITDA de seminovos 54,5 10,6 (43,9) 4,7 9,3 4,6 1,6 6,5 4,9 EBITDA Consolidado 504,1 469,7 (34,4) 224,5 282,6 58,1 109,1 150,5 41,4 Depreciação de carros (178,5) (172,3) 6,2 (70,0) (66,5) 3,5 (40,1) (35,8) 4,3 Depreciação de outros imobilizados (18,3) (21,0) (2,7) (10,7) (10,2) 0,5 (5,4) (5,1) 0,3 Despesas financeiras, líquidas (133,3) (112,9) 20,4 (65,5) (57,4) 8,1 (26,8) (29,2) (2,4) Imposto de renda e contribuição social (46,6) (47,2) (0,6) (21,0) (42,3) (21,3) (9,7) (22,9) (13,2) Lucro líquido do período 127,4 116,3 (11,1) 57,3 106,2 48,9 27,1 57,5 30,4 O aumento de R$30,4 milhões no lucro líquido (112,2%) do 2T10 em relação ao 2T09 decorreu principalmente do aumento de R$41,4 milhões do EBITDA, parcialmente compensado pelo aumento do imposto de renda e contribuição social. A depreciação da frota caiu R$3,5 milhões neste semestre, apesar do aumento de 24,0% na frota média operacional, em função da retomada eficiente da renovação da frota na Divisão de Aluguel de Carros e do alongamento do prazo dos contratos da Divisão de Aluguel de Frotas. 9/22

10 8 Fluxo de caixa e endividamento FCL antes do crescimento (R$ milhões) 58,2 118,2 250,7 205,7 295,4 127, S10 Fluxo de Caixa Livre R$ milhões S10 EBITDA 277,9 311,3 403,5 504,1 469,7 282,6 Receita na venda de carros (448,2) (590,3) (853,2) (983,2) (924,5) (586,9) Custo dos carros vendidos 361,2 530,4 760,0 874,5 855,1 539,6 EBITDA sem receita e custo dos carros vendidos 190,9 251,4 310,3 395,4 400,3 235,3 () Imposto de Renda e Contribuição Social corrente (32,7) (42,7) (63,4) (52,8) (49,0) (31,0) Variação do capital de giro (24,2) (4,8) 13,3 (44,8) (11,5) (12,8) Caixa gerado antes do capex 134,0 203,9 260,2 297,8 339,8 191,5 Receita na venda de carros 448,2 590,3 853,2 983,2 924,5 586,9 Capex de carros para renovação (496,0) (643,3) (839,0) (1.035,4) (963,1) (637,7) Variação na conta de fornecedores de carros (capex) 15,2 Capex líquido para renovação (47,8) (53,0) 14,2 (52,2) (23,4) (50,8) Capex outros imobilizados (28,0) (32,7) (23,7) (39,9) (21,0) (12,8) Fluxo de caixa livre antes do crescimento 58,2 118,2 250,7 205,7 295,4 127,9 Capex de carros para crescimento (194,0) (287,0) (221,9) (299,9) (241,1) (34,9) Variação na conta de fornecedores de carros (capex) (25,5) 222,0 (51,0) (188,9) 241,1 (8,3) Fluxo de Caixa Livre (161,3) 53,2 (22,2) (283,1) 295,4 84,7 Reconciliação da dívida líquida (R$ milhões) Fluxo de caixa livre 84,7 Dívida líquida 31/12/ ,6 Dívida líquida 30/06/ ,6 (15,0) Juros sobre capital próprio e dividendos (65,7) Juros e outros A geração de caixa foi suficiente para suportar o forte crescimento no 1S10 e manter a dívida líquida no mesmo patamar de 31/12/ /22

11 9 Dívida principal Perfil da dívida (principal) em 30/06/10 0,4 0,9 249,0 268,6 284,8 238,0 264,0 122, ,5 Caixa No 2T10, a Companhia captou R$590,0 milhões com prazos finais de 6 e 7 anos. Estes recursos foram utilizados para a liquidação antecipada das dívidas de 2010 e 2011, melhorando significativamente o perfil de endividamento e mantendo caixa para investir no crescimento da frota. Dívida bruta principal Custo Médio Efetivo Total Capital de Giro 111,1% a 115,0% do CDI e CDI + 1,50%aa 58,0 78,0 55,0 75,0 190,0 456,0 Debêntures 2ª Emissão CDI + 0,59%aa 66,6 66,6 66,8 200,0 Debêntures 4ª Emissão 114,2% do CDI 24,0 24,0 63,0 63,0 74,0 122,0 370,0 Debêntures 1ª Emissão:Total Fleet CDI + 2,02%aa 100,0 100,0 100,0 100,0 400,0 BNDES TJLP + 3,80%aa 0,4 0,9 0,4 1,7 Total da Dívida Bruta principal 0,4 0,9 249,0 268,6 284,8 238,0 264,0 122, ,7 Disponibilidades (396,5) (396,5) Total da Dívida Líquida principal (396,1) 0,9 249,0 268,6 284,8 238,0 264,0 122, ,2 9.1 Ratios de endividamento Dívida líquida x Valor da frota 900,2 535,8 440, ,7 765, , , , , , , , S10 Dívida líquida Valor da frota SALDOS EM FINAL DE PERÍODO S10 Dívida líquida / Valor da frota (USGAAP) 60% 36% 51% 72% 57% 55% Dívida líquida / EBITDA (USGAAP)* 1,9x 1,4x 1,9x 2,5x 2,3x 1,9x Dívida líquida / EBITDA (BRGAAP)* 1,5x 1,0x 1,3x 1,8x 1,7x 1,3x Dívida líquida / Patrimônio líquido (USGAAP) 1,4x 0,7x 1,3x 2,0x 1,5x 1,3x (*) anualizado 11/22

12 10 Dividendos e JCP 10.1 Dividendos 2009 Em Assembleia Geral Ordinária realizada no dia 29 de abril de 2010, foi aprovada a proposta de destinação de R$6,1 milhões, equivalentes a R$0, por ação, ao pagamento de dividendos aos acionistas de forma a completar o dividendo obrigatório de 25% sobre o lucro apurado em USGAAP referente a O pagamento ocorreu no dia 25 de junho de 2010, tendo como acionistas credenciados para o recebimento do pagamento aqueles constantes da posição acionária da Companhia em 30 de abril de Antecipação de dividendos 2010 O Conselho de Administração, reunido em 25 de março de 2010, autorizou ad referendum da Assembleia dos Acionistas, o crédito e pagamento, aos acionistas, do valor de R$8,9 milhões, equivalentes a R$0, por ação, a título de juros sobre o capital próprio, que será descontado do dividendo mínimo obrigatório do exercício de O pagamento ocorreu em 21 de maio de 2010, tendo como acionistas credenciados para o recebimento do pagamento aqueles constantes da posição acionária da Companhia em 31 de março de Em 24 de junho de 2010, o Conselho de Administração deliberou autorizar o crédito e pagamento aos acionistas do valor de R$9,6 milhões, equivalentes a R$0, por ação, a título de juros sobre o capital próprio, que será descontado do dividendo mínimo obrigatório do exercício de O pagamento ocorrerá no dia 20 de agosto de 2010 com base na posição acionária da Companhia em 30 de junho de Resultado por divisão As informações financeiras preliminares são apresentadas em milhões de Reais, exceto onde indicado o contrário e têm como base as demonstrações financeiras preparadas em USGAAP, reclassificadas e/ou agrupadas de acordo com critérios internos definidos pela Administração. A segregação das despesas e custos entre as divisões de negócios foi feita com base em critérios internos de rateio, os quais a Administração entende melhor refletirem cada divisão de negócio. Demonstramos abaixo as seguintes tabelas: Tabela 1 Resultado da Divisão de Aluguel de Carros Tabela 2 Resultado da Divisão de Aluguel de Frotas Tabela 3 Resultado da Divisão de Franchising Tabela 4 Resultado consolidado analítico Tabela 5 Dados operacionais 12/22

13 11.1 Tabela 1 Divisão de Aluguel de Carros R$ milhões RESULTADO DO ALUGUEL DE CARROS Var. 1S09 1S10 Var. 2T09 2T10 Var. Receita líquida de aluguel 271,3 357,2 442,7 585,7 607,8 3,8% 291,9 372,9 27,7% 140,8 191,6 36,1% Custos do aluguel (95,1) (140,7) (168,8) (231,3) (258,0) 11,5% (125,7) (152,0) 20,9% (61,8) (73,0) 18,1% Impostos sobre vendas (12,7) (11,1) (14,7) (20,5) (22,6) 10,2% (11,7) (15,0) 28,2% (5,7) (8,0) 40,4% Lucro bruto 163,5 205,4 259,2 333,9 327,2 2,0% 154,5 205,9 33,3% 73,3 110,6 50,9% Despesas operacionais (SG&A) (40,7) (55,2) (62,4) (74,6) (82,0) 9,9% (39,5) (47,1) 19,2% (20,0) (25,3) 26,5% Depreciação de outros imobilizados (5,0) (8,2) (12,0) (14,4) (15,9) 10,4% (8,1) (7,4) 8,6% (4,1) (3,6) 12,2% Lucro operacional antes dos efeitos financeiros 117,8 142,0 184,8 244,9 229,3 6,4% 106,9 151,4 41,6% 49,2 81,7 66,1% Despesas financeiras líquidas (3,6) (2,0) (2,6) (0,2) (0,4) 100,0% (0,2) (0,2) 0,0% (0,1) (0,1) 0,0% Imposto de renda (34,6) (35,8) (55,3) (70,2) (63,7) 9,3% (31,2) (43,7) 40,1% (15,3) (23,6) 54,2% Lucro líquido do período 79,6 104,2 126,9 174,5 165,2 5,3% 75,5 107,5 42,4% 33,8 58,0 71,6% Margem líquida 29,3% 29,2% 28,7% 29,8% 27,2% 2,6p.p. 25,9% 28,8% 2,9p.p. 24,0% 30,3% 6,3p.p. EBITDA 122,8 150,2 196,8 259,3 245,2 5,4% 115,0 158,8 38,1% 53,3 85,3 60,0% Margem EBITDA 45,3% 42,0% 44,5% 44,3% 40,3% 4,0p.p. 39,4% 42,6% 3,2p.p. 37,9% 44,5% 6,6p.p. RESULTADO DE SEMINOVOS Var. 1S09 1S10 Var. 2T09 2T10 Var. Receita líquida de vendas de carros usados 369,9 454,9 687,0 757,6 649,5 14,3% 282,5 480,7 70,2% 131,9 248,3 88,2% Custo depreciado dos carros vendidos (288,7) (400,3) (599,0) (654,9) (583,1) 11,0% (252,4) (433,9) 71,9% (117,3) (220,5) 88,0% Impostos sobre vendas (1,5) (1,3) (2,3) (2,0) (1,6) 20,0% (0,6) (1,4) 133,3% (0,3) (0,7) 133,3% Lucro bruto 79,7 53,3 85,7 100,7 64,8 35,7% 29,5 45,4 53,9% 14,3 27,1 89,5% Despesas operacionais (SG&A) (28,1) (32,5) (44,4) (51,6) (53,8) 4,3% (24,0) (38,2) 59,2% (12,0) (21,2) 76,7% Depreciação de veículos (7,9) (18,4) (7,5) (81,9) (83,2) 1,6% (32,1) (28,8) 10,3% (17,8) (15,6) 12,4% Depreciação de outros imobilizados (1,0) (0,9) (1,4) (2,9) (4,2) 44,8% (2,2) (2,5) 13,6% (1,1) (1,3) 18,2% Lucro operacional antes dos efeitos financeiros 42,7 1,5 32,4 (35,7) (76,4) 114,0% (28,8) (24,1) 16,3% (16,6) (11,0) 33,7% Despesas financeiras líquidas (47,3) (40,0) (44,1) (76,9) (58,3) 24,2% (35,9) (24,7) 31,2% (14,6) (13,1) 10,3% Imposto de renda 2,3 8,9 4,4 34,3 36,7 7,0% 20,5 14,2 30,7% 11,2 7,0 37,5% Lucro/(prejuízo) líquido do período (2,3) (29,6) (7,3) (78,3) (98,0) 25,2% (44,2) (34,6) 21,7% (20,0) (17,1) 14,5% Margem líquida 0,6% 6,5% 1,1% 10,3% 15,1% 4,8p.p. 15,6% 7,2% 8,4p.p. 15,2% 6,9% 8,3p.p. EBITDA 51,6 20,8 41,3 49,1 11,0 77,6% 5,5 7,2 30,9% 2,3 5,9 156,5% Margem EBITDA 13,9% 4,6% 6,0% 6,5% 1,7% 4,8p.p. 1,9% 1,5% 0,4p.p. 1,7% 2,4% 0,7p.p. TOTAL DO ALUGUEL DE CARROS Var. 1S09 1S10 Var. 2T09 2T10 Var. Receita líquida de aluguel 271,3 357,2 442,7 585,7 607,8 3,8% 291,9 372,9 27,7% 140,8 191,6 36,1% Receita líquida de venda de carros usados 369,9 454,9 687,0 757,6 649,5 14,3% 282,5 480,7 70,2% 131,9 248,3 88,2% Receita líquida total 641,2 812, , , ,3 6,4% 574,4 853,6 48,6% 272,7 439,9 61,3% Custos diretos Aluguel de carros (95,1) (140,7) (168,8) (231,3) (258,0) 11,5% (125,7) (152,0) 20,9% (61,8) (73,0) 18,1% Venda de carros (288,7) (400,3) (599,0) (654,9) (583,1) 11,0% (252,4) (433,9) 71,9% (117,3) (220,5) 88,0% Impostos sobre vendas Aluguel de carros (12,7) (11,1) (14,7) (20,5) (22,6) 10,2% (11,7) (15,0) 28,2% (5,7) (8,0) 40,4% Venda de carros (1,5) (1,3) (2,3) (2,0) (1,6) 20,0% (0,6) (1,4) 133,3% (0,3) (0,7) 133,3% Lucro bruto 243,2 258,7 344,9 434,6 392,0 9,8% 184,0 251,3 36,6% 87,6 137,7 57,2% Despesas operacionais (SG&A) Aluguel de carros (40,7) (55,2) (62,4) (74,6) (82,0) 9,9% (39,5) (47,1) 19,2% (20,0) (25,3) 26,5% Venda de carros (28,1) (32,5) (44,4) (51,6) (53,8) 4,3% (24,0) (38,2) 59,2% (12,0) (21,2) 76,7% Depreciação de veículos (7,9) (18,4) (7,5) (81,9) (83,2) 1,6% (32,1) (28,8) 10,3% (17,8) (15,6) 12,4% Depreciação de outros imobilizados Aluguel de carros (5,0) (8,2) (12,0) (14,4) (15,9) 10,4% (8,1) (7,4) 8,6% (4,1) (3,6) 12,2% Venda de carros (1,0) (0,9) (1,4) (2,9) (4,2) 44,8% (2,2) (2,5) 13,6% (1,1) (1,3) 18,2% Lucro operacional antes dos efeitos financeiros 160,5 143,5 217,2 209,2 152,9 26,9% 78,1 127,3 63,0% 32,6 70,7 116,9% Despesas financeiras líquidas Aluguel de carros (3,6) (2,0) (2,6) (0,2) (0,4) 100,0% (0,2) (0,2) 0,0% (0,1) (0,1) 0,0% Venda de carros (47,3) (40,0) (44,1) (76,9) (58,3) 24,2% (35,9) (24,7) 31,2% (14,6) (13,1) 10,3% Imposto de renda (32,3) (26,9) (50,9) (35,9) (27,0) 24,8% (10,7) (29,5) 175,7% (4,1) (16,6) 304,9% Lucro líquido do período 77,3 74,6 119,6 96,2 67,2 30,1% 31,3 72,9 132,9% 13,8 40,9 196,4% Margem de lucro 12,1% 9,2% 10,6% 7,2% 5,3% 1,9p.p. 5,4% 8,5% 3,1p.p. 5,1% 9,3% 4,2p.p. EBITDA 174,4 171,0 238,1 308,4 256,2 16,9% 120,5 166,0 37,8% 55,6 91,2 64,0% Margem de EBITDA s/ receita de aluguel 27,2% 21,1% 21,1% 23,0% 20,4% 2,6p.p. 21,0% 19,4% 1,6p.p. 20,4% 20,7% 0,3p.p. DADOS OPERACIONAIS Var. 1S09 1S10 Var. 2T09 2T10 Var. Frota média operacional ,4% ,4% ,3% Frota média alugada ,7% ,0% ,4% Média da idade média da frota (em meses) 6,1 7,7 6,4 6,3 9,5 50,8% 10,5 6,7 36,2% 11,6 6,6 43,1% Frota no final do período ,5% ,0% ,0% Número de diárias ,5% ,4% ,7% Diária média por carro (R$) 79,52 76,52 76,42 73,77 75,39 2,2% 76,00 76,78 1,0% 74,52 76,98 3,3% Depreciação média anualizada por carro (R$) 492,3 939,1 332, , ,0 1,2% 2.169, ,5 33,2% 2.599, ,5 39,2% Taxa de utilização 58,8% 65,5% 70,7% 67,9% 68,8% 0,9p.p. 72,1% 68,1% 4,0p.p. 76,2% 69,9% 6,3p.p. Número de carros comprados ,6% ,7% ,0% Número de carros vendidos ,4% ,6% ,3% Idade média dos carros vendidos (em meses) 11,0 14,7 12,2 12,3 16,6 35,0% 16,0 16,9 5,6% 16,7 15,3 8,4% Frota média total ,8% ,1% ,7% Valor médio da frota total R$/milhões 440,3 582,2 718, ,0 982,5 5,5% 870, ,3 40,1% 801, ,7 54,6% Valor médio por carro no período R$/mil 22,0 25,3 26,0 24,7 26,1 5,7% 26,4 26,5 0,4% 26,1 26,6 1,9% 13/22

14 11.2 Tabela 2 Divisão de Aluguel de Frotas R$ milhões RESULTADO DO ALUGUEL DE FROTA Var. 1S09 1S10 Var. 2T09 2T10 Var. Receita líquida de aluguel 149,2 190,2 228,2 276,9 313,4 13,2% 152,1 173,5 14,1% 76,2 89,1 16,9% Custos do aluguel (35,4) (40,7) (51,6) (66,5) (77,3) 16,2% (37,3) (46,5) 24,7% (17,2) (24,0) 39,5% Impostos sobre vendas (7,2) (6,2) (8,4) (8,5) (10,2) 20,0% (4,9) (6,2) 26,5% (2,6) (3,2) 23,1% Lucro bruto 106,6 143,3 168,2 201,9 225,9 11,9% 109,9 120,8 9,9% 56,4 61,9 9,8% Despesas operacionais (SG&A) (13,6) (11,9) (11,4) (16,5) (17,5) 6,1% (7,9) (9,5) 20,3% (4,0) (5,1) 27,5% Depreciação de outros imobilizados (0,4) (0,6) (0,7) (0,7) (0,6) 14,3% (0,3) (0,3) 0,0% (0,2) (0,2) 0,0% Lucro operacional antes dos efeitos financeiros 92,6 130,8 156,1 184,7 207,8 12,5% 101,7 111,0 9,1% 52,2 56,6 8,4% Despesas financeiras líquidas (0,6) (0,9) (0,9) (0,1) (0,1) (0,1) 0,0% (0,1) (0,1) 0,0% Imposto de renda (29,2) (34,5) (47,1) (53,3) (56,5) 6,0% (30,0) (32,0) 6,7% (16,5) (16,6) 0,6% Lucro líquido do período 62,8 95,4 108,1 131,4 151,2 15,1% 71,6 78,9 10,2% 35,6 39,9 12,1% Margem líquida 42,1% 50,2% 47,4% 47,5% 48,2% 0,7p.p. 47,1% 45,5% 1,6p.p. 46,7% 44,8% 1,9p.p. EBITDA 93,0 131,4 156,8 185,4 208,4 12,4% 102,0 111,3 9,1% 52,4 56,8 8,4% Margem EBITDA 62,3% 69,1% 68,7% 67,0% 66,5% 0,5p.p. 67,1% 64,1% 3,0p.p. 68,8% 63,7% 5,1p.p. RESULTADO DE SEMINOVOS Var. 1S09 1S10 Var. 2T09 2T10 Var. Receita líquida de vendas de carros usados 78,3 135,4 166,2 225,6 275,0 21,9% 130,6 106,2 18,7% 64,4 43,2 32,9% Custo depreciado dos carros vendidos (65,8) (120,3) (152,1) (207,3) (254,2) 22,6% (121,3) (95,8) 21,0% (60,0) (38,6) 35,7% Impostos sobre vendas (0,2) (0,2) (0,4) (0,4) (0,5) 25,0% (0,2) (0,2) 0,0% (0,1) (0,2) 100,0% Lucro bruto 12,3 14,9 13,7 17,9 20,3 13,4% 9,1 10,2 12,1% 4,3 4,4 2,3% Despesas operacionais (SG&A) (4,8) (8,8) (8,6) (12,5) (20,7) 65,6% (9,9) (8,1) 18,2% (5,0) (3,8) 24,0% Depreciação de veículos (28,6) (28,8) (35,6) (96,6) (89,1) 7,8% (37,9) (37,7) 0,5% (22,3) (20,2) 9,4% Depreciação de outros imobilizados (0,1) Lucro operacional antes dos efeitos financeiros (21,1) (22,7) (30,5) (91,2) (89,6) 1,8% (38,7) (35,6) 8,0% (23,0) (19,6) 14,8% Despesas financeiras líquidas (32,9) (22,3) (26,9) (56,6) (54,3) 4,1% (29,4) (32,6) 10,9% (12,0) (16,1) 34,2% Imposto de renda 18,3 11,3 17,3 43,3 37,8 12,7% 20,2 19,6 3,0% 11,2 10,4 7,1% Lucro/(prejuízo) líquido do período (35,7) (33,7) (40,1) (104,5) (106,1) 1,5% (47,9) (48,6) 1,5% (23,8) (25,3) 6,3% Margem líquida 45,6% 24,9% 24,1% 46,3% 38,6% 7,7p.p. 36,7% 45,8% 9,1p.p. 37,0% 58,6% 21,6p.p. EBITDA 7,5 6,1 5,1 5,4 (0,4) 107,4% (0,8) 2,1 362,5% (0,7) 0,6 185,7% Margem EBITDA 9,6% 4,5% 3,1% 2,4% 0,1% 2,5p.p. 0,6% 2,0% 2,6p.p. 1,1% 1,4% 2,5p.p. TOTAL DO ALUGUEL DE FROTA Var. 1S09 1S10 Var. 2T09 2T10 Var. Receita líquida de aluguel 149,2 190,2 228,2 276,9 313,4 13,2% 152,1 173,5 14,1% 76,2 89,1 16,9% Receita líquida de venda de carros usados 78,3 135,4 166,2 225,6 275,0 21,9% 130,6 106,2 18,7% 64,4 43,2 32,9% Receita líquida total 227,5 325,6 394,4 502,5 588,4 17,1% 282,7 279,7 1,1% 140,6 132,3 5,9% Custos diretos Aluguel de carros (35,4) (40,7) (51,6) (66,5) (77,3) 16,2% (37,3) (46,5) 24,7% (17,2) (24,0) 39,5% Venda de carros (65,8) (120,3) (152,1) (207,3) (254,2) 22,6% (121,3) (95,8) 21,0% (60,0) (38,6) 35,7% Impostos sobre vendas Aluguel de carros (7,2) (6,2) (8,4) (8,5) (10,2) 20,0% (4,9) (6,2) 26,5% (2,6) (3,2) 23,1% Venda de carros (0,2) (0,2) (0,4) (0,4) (0,5) 25,0% (0,2) (0,2) 0,0% (0,1) (0,2) 100,0% Lucro bruto 118,9 158,2 181,9 219,8 246,2 12,0% 119,0 131,0 10,1% 60,7 66,3 9,2% Despesas operacionais (SG&A) Aluguel de carros (13,6) (11,9) (11,4) (16,5) (17,5) 6,1% (7,9) (9,5) 20,3% (4,0) (5,1) 27,5% Venda de carros (4,8) (8,8) (8,6) (12,5) (20,7) 65,6% (9,9) (8,1) 18,2% (5,0) (3,8) 24,0% Depreciação de veículos (28,6) (28,8) (35,6) (96,6) (89,1) 7,8% (37,9) (37,7) 0,5% (22,3) (20,2) 9,4% Depreciação de outros imobilizados Aluguel de carros (0,4) (0,6) (0,7) (0,7) (0,6) 14,3% (0,3) (0,3) 0,0% (0,2) (0,2) 0,0% Venda de carros (0,1) Lucro operacional antes dos efeitos financeiros 71,5 108,1 125,6 93,5 118,2 26,4% 63,0 75,4 19,7% 29,2 37,0 26,7% Despesas financeiras líquidas Aluguel de carros (0,6) (0,9) (0,9) (0,1) (0,1) (0,1) 0,0% (0,1) (0,1) 0,0% Venda de carros (32,9) (22,3) (26,9) (56,6) (54,3) 4,1% (29,4) (32,6) 10,9% (12,0) (16,1) 34,2% Imposto de renda (10,9) (23,2) (29,8) (10,0) (18,7) 87,0% (9,8) (12,4) 26,5% (5,3) (6,2) 17,0% Lucro líquido do período 27,1 61,7 68,0 26,9 45,1 67,7% 23,7 30,3 27,8% 11,8 14,6 23,7% Margem líquida 11,9% 18,9% 17,2% 5,4% 7,7% 2,3p.p. 8,4% 10,8% 2,4p.p. 8,4% 11,0% 2,6p.p. EBITDA 100,5 137,5 161,9 190,8 208,0 9,0% 101,2 113,4 12,1% 51,7 57,4 11,0% Margem de EBITDA 44,2% 42,2% 41,0% 38,0% 35,4% 2,6p.p. 35,8% 40,5% 4,7p.p. 36,8% 43,4% 6,6p.p. DADOS OPERACIONAIS Var. 1S09 1S10 Var. 2T09 2T10 Var. Frota média operacional ,2% ,5% ,7% Frota média alugada ,3% ,3% ,6% Média da idade média da frota (em meses) 13,6 14,3 13,9 12,8 14,5 13,3% 14,2 15,9 12,0% 14,7 16,2 10,2% Frota no final do período Aluguel de Frotas ,7% ,8% ,8% Gerenciamento de Frotas ,3% ,6% ,6% Número de diárias ,3% ,3% ,6% Diária média por carro (R$) 44,28 45,17 44,12 42,76 43,84 2,5% 43,26 45,24 4,6% 44,26 46,08 4,1% Depreciação média anualizada por carro (R$) 2.981, , , , ,7 14,0% 3.794, ,8 8,4% 4.557, ,9 19,0% Taxa de utilização 96,9% 96,5% 96,1% 94,0% 96,8% 2,8p.p. 97,1% 97,9% 0,8p.p. 97,3% 98,1% 0,8p.p. Número de carros comprados ,6% ,6% ,5% Número de carros vendidos ,9% ,7% ,5% Idade média dos carros vendidos (em meses) 27,7 24,5 24,3 25,8 25,4 1,6% 27,0 26,2 3,0% 26,9 27,6 2,6% Frota média total ,9% ,6% ,0% Valor médio da frota total R$/milhões 267,9 371,6 494,2 664,6 648,2 2,5% 651,1 651,0 0,0% 636,8 657,7 3,3% Valor médio por carro no período R$/mil 26,2 28,6 31,0 31,9 29,3 8,2% 30,0 28,7 4,3% 29,8 28,7 3,7% 14/22

15 11.3 Tabela 3 Franchising R$ milhões RESULTADO DO FRANCHISING Var. 1S09 1S10 Var. 2T09 2T10 Var. Receita líquida 8,2 7,7 7,6 9,9 10,6 7,1% 5,6 6,1 8,9% 3,2 3,4 6,3% Custos (4,2) (4,1) (3,1) (4,2) (4,6) 9,5% (2,5) (2,3) 8,0% (1,2) (1,3) 8,3% Impostos sobre vendas (0,4) (0,4) (0,4) (0,6) (0,5) 16,7% (0,2) (0,5) 150,0% (0,1) (0,1) Lucro bruto 3,6 3,2 4,1 5,1 5,5 7,8% 2,9 3,3 13,8% 1,9 2,0 5,3% Despesas operacionais (SG&A) (0,3) (0,2) (0,4) (0,1) (0,1) (0,1) (0,1) Depreciação de outros imobilizados (0,1) (0,1) (0,3) (0,3) (0,2) 33,3% (0,1) 100,0% Lucro operacional antes dos efeitos financeiros 3,2 2,9 3,4 4,8 5,3 10,4% 2,7 3,2 18,5% 1,8 1,9 5,6% Despesas financeiras líquidas (0,1) 0,1 0,4 0,2 50,0% 0,1 0,2 100,0% 0,2 Imposto de renda (0,8) (0,7) (0,7) (0,7) (1,5) 114,3% (0,5) (0,4) 20,0% (0,3) (0,1) 66,7% Participação minoritária (0,3) (0,2) (0,2) (0,2) 100,0% Lucro líquido do período 2,1 1,9 2,6 4,3 4,0 7,0% 2,3 3,0 30,4% 1,5 2,0 33,3% Margem líquida 25,6% 24,7% 34,2% 43,4% 37,7% 5,7p.p. 41,1% 49,2% 8,1p.p. 46,9% 58,8% 11,9p.p EBITDA 3,0 2,8 3,5 4,9 5,5 12,2% 2,8 3,2 14,3% 1,8 1,9 5,6% Margem EBITDA 36,6% 36,4% 46,1% 49,5% 51,9% 2,4p.p. 50,0% 52,5% 2,5p.p. 56,3% 55,9% 0,4p.p Tabela 4 Consolidado R$ milhões RESULTADO CONSOLIDADO Var. 1S09 1S10 Var. 2T09 2T10 Var. Receita líquida: Aluguel de carros 271,3 357,2 442,7 585,7 607,8 3,8% 291,9 372,9 27,7% 140,8 191,6 36,1% Franchising 8,2 7,7 7,6 9,9 10,6 7,1% 5,6 6,1 8,9% 3,2 3,4 6,3% Total aluguel de carros e Franchising 279,5 364,9 450,3 595,6 618,4 3,8% 297,5 379,0 27,4% 144,0 195,0 35,4% Aluguel de frota 149,2 190,2 228,2 276,9 313,4 13,2% 152,1 173,5 14,1% 76,2 89,1 16,9% Total aluguéis e Franchising 428,7 555,1 678,5 872,5 931,8 6,8% 449,6 552,5 22,9% 220,2 284,1 29,0% Venda de carros aluguel de carros 369,9 454,9 687,0 757,6 649,5 14,3% 282,5 480,7 70,2% 131,9 248,3 88,2% Venda de carros aluguel de frota 78,3 135,4 166,2 225,6 275,0 21,9% 130,6 106,2 18,7% 64,4 43,2 32,9% Total venda de carros 448,2 590,3 853,2 983,2 924,5 6,0% 413,1 586,9 42,1% 196,3 291,5 48,5% Total receita líquida 876, , , , ,3 0,0% 862, ,4 32,1% 416,5 575,6 38,2% Custos diretos e despesas Aluguel de carros (95,1) (140,7) (168,8) (231,3) (258,0) 11,5% (125,7) (152,0) 20,9% (61,8) (73,0) 18,1% Franchising (4,2) (4,1) (3,1) (4,2) (4,6) 9,5% (2,5) (2,3) 8,0% (1,2) (1,3) 8,3% Total aluguel de carros e Franchising (99,3) (144,8) (171,9) (235,5) (262,6) 11,5% (128,2) (154,3) 20,4% (63,0) (74,3) 17,9% Aluguel de frota (35,4) (40,7) (51,6) (66,5) (77,3) 16,2% (37,3) (46,5) 24,7% (17,2) (24,0) 39,5% Total aluguéis e Franchising (134,7) (185,5) (223,5) (302,0) (339,9) 12,5% (165,5) (200,8) 21,3% (80,2) (98,3) 22,6% Venda de carros aluguel de carros (288,7) (400,3) (599,0) (654,9) (583,1) 11,0% (252,4) (433,9) 71,9% (117,3) (220,5) 88,0% Venda de carros aluguel de frotas (65,8) (120,3) (152,1) (207,3) (254,2) 22,6% (121,3) (95,8) 21,0% (60,0) (38,6) 35,7% Total venda de carros (354,5) (520,6) (751,1) (862,2) (837,3) 2,9% (373,7) (529,7) 41,7% (177,3) (259,1) 46,1% Impostos sobre vendas (22,0) (19,2) (26,2) (32,0) (35,4) 10,6% (17,6) (23,3) 32,4% (8,8) (12,2) 38,6% Total custos (511,2) (725,3) (1.000,8) (1.196,2) (1.212,6) 1,4% (556,8) (753,8) 35,4% (266,3) (369,6) 38,8% Lucro bruto 365,7 420,1 530,9 659,5 643,7 2,4% 305,9 385,6 26,1% 150,2 206,0 37,2% Despesas operacionais: Com publicidade e vendas: Aluguel de carros (31,6) (37,5) (44,6) (51,4) (50,7) 1,4% (24,9) (28,9) 16,1% (13,1) (15,3) 16,8% Franchising (0,1) (0,3) (0,1) (0,1) 0,0% (0,1) (0,1) 0,0% Total aluguel de carros e Franchising (31,6) (37,6) (44,9) (51,4) (50,7) 1,4% (25,0) (29,0) 16,0% (13,2) (15,4) 16,7% Aluguel de frota (5,0) (5,3) (6,2) (7,9) (8,5) 7,6% (3,6) (4,9) 36,1% (1,9) (2,5) 31,6% Venda de carros (30,0) (37,9) (50,6) (60,7) (69,2) 14,0% (31,4) (42,9) 36,6% (15,7) (23,2) 47,8% Total publicidade e vendas (66,6) (80,8) (101,7) (120,0) (128,4) 7,0% (60,0) (76,8) 28,0% (30,8) (41,1) 33,4% Gerais e administrativas (23,4) (24,9) (24,1) (34,2) (39,3) 14,9% (18,9) (23,6) 24,9% (9,5) (12,8) 34,7% Outras 2,5 (2,9) (1,4) (1,0) (6,3) 530,0% (2,5) (2,6) 4,0% (0,8) (1,6) 100,0% Total despesas operacionais (87,5) (108,6) (127,2) (155,2) (174,0) 12,1% (81,4) (103,0) 26,5% (41,1) (55,5) 35,0% Despesas com Depreciação: Depreciação de veículos: Aluguel de carros (7,9) (18,4) (7,5) (81,9) (83,2) 1,6% (32,1) (28,8) 10,3% (17,8) (15,6) 12,4% Aluguel de frota (28,6) (28,8) (35,6) (96,6) (89,1) 7,8% (37,9) (37,7) 0,5% (22,3) (20,2) 9,4% Total despesas com depreciação de veículos (36,5) (47,2) (43,1) (178,5) (172,3) 3,5% (70,0) (66,5) 5,0% (40,1) (35,8) 10,7% Depreciação e amortização de não veículos (6,5) (9,8) (14,4) (18,3) (21,0) 14,8% (10,7) (10,2) 4,7% (5,4) (5,1) 5,6% Total despesas de depreciação e amortização (43,0) (57,0) (57,5) (196,8) (193,3) 1,8% (80,7) (76,7) 5,0% (45,5) (40,9) 10,1% Lucro operacional antes dos efeitos financeiros 235,2 254,5 346,2 307,5 276,4 10,1% 143,8 205,9 43,2% 63,6 109,6 72,3% Efeitos financeiros: Despesas (133,5) (88,0) (99,8) (161,9) (144,0) 11,1% (78,3) (75,8) 3,2% (34,7) (39,2) 13,0% Receitas 62,3 22,7 25,4 28,6 31,1 8,7% 12,8 18,4 43,8% 7,9 10,0 26,6% Variações monetárias e cambiais ativas e passiv (11,0) Ganho (perda) com derivativos (2,2) Receitas (despesas) financeiras líquidas (84,4) (65,3) (74,4) (133,3) (112,9) 15,3% (65,5) (57,4) 12,4% (26,8) (29,2) 9,0% Lucro antes do imposto de renda e da contribui 150,8 189,2 271,8 174,2 163,5 6,1% 78,3 148,5 89,7% 36,8 80,4 118,5% Imposto de renda e contribuição social (44,0) (50,8) (81,4) (46,6) (47,2) 1,3% (21,0) (42,3) 101,4% (9,7) (22,9) 136,1% Participação minoritária (0,3) (0,2) (0,2) (0,2) 100,0% Lucro líquido do período 106,5 138,2 190,2 127,4 116,3 8,7% 57,3 106,2 85,3% 27,1 57,5 112,2% EBITDA 277,9 311,3 403,5 504,1 469,7 6,8% 224,5 282,6 25,9% 109,1 150,5 37,9% Margem de EBITDA 31,7% 27,2% 26,3% 27,2% 25,3% 1,9p.p. 26,0% 24,8% 1,2p.p. 26,2% 26,1% 0,1p.p. EBITDA de Aluguéis e Franchising 218,8 284,4 357,1 449,6 459,1 2,1% 219,8 273,3 24,3% 107,5 144,0 34,0% Margem de EBITDA 51,0% 51,2% 52,6% 51,5% 49,3% 2,2p.p. 48,9% 49,5% 0,6p.p. 48,8% 50,7% 1,9p.p. EBITDA de seminovos 59,1 26,9 46,4 54,5 10,6 80,6% 4,7 9,3 97,9% 1,6 6,5 306,3% Margem de EBITDA 13,2% 4,6% 5,4% 5,5% 1,1% 4,4p.p. 1,1% 1,6% 0,5p.p. 0,8% 2,2% 1,4p.p. 15/22

16 11.5 Tabela 5 Dados operacionais Var. 1S09 1S10 Var. 2T09 2T10 Var. DADOS OPERACIONAIS: Frota operacional média: Aluguel de carros ,4% ,4% ,3% Aluguel de frotas ,2% ,5% ,7% Total ,9% ,0% ,7% Frota média alugada: Aluguel de carros ,7% ,0% ,4% Aluguel de frotas ,3% ,3% ,6% Total ,5% ,6% ,0% Média da idade média da frota operacional (meses) Aluguel de carros 6,1 7,7 6,4 6,3 9,5 50,8% 10,5 6,7 36,2% 11,6 6,6 43,1% Aluguel de frotas 13,6 14,3 13,9 12,8 14,5 13,3% 14,2 15,9 12,0% 14,7 16,2 10,2% Idade média da frota total operacional (meses) 8,7 10,2 9,3 8,7 11,4 31,0% 12,0 9,9 17,5% 12,9 10,0 22,5% Frota no final do período: Aluguel de carros ,5% ,0% ,0% Aluguel de frotas ,7% ,8% ,8% Total ,4% ,1% ,1% Frota gerenciada no final do período Aluguel de Frotas ,3% ,6% ,6% Investimento em Frota (R$ mil) (exclui acessorios) Aluguel de carros , , , , ,8 4,1% , ,0 783,3% , ,0 361,7% Aluguel de frotas , , , , ,7 35,8% , ,0 65,2% , ,0 14,5% Total , , , , ,5 9,5% , ,0 345,0% , ,0 164,1% Número de diárias: Aluguel de carros Total ,7% ,9% ,4% Diárias referente sublocação para Aluguel de Frotas (20.380) (19.368) (24.171) (34.719) (44.272) 27,5% (21.475) (46.643) 117,2% (11.539) (29.125) 152,4% Aluguel de carros líquido ,5% ,4% ,7% Aluguel de frotas ,3% ,3% ,6% Total ,5% ,3% ,6% Depreciação média anualizada por carro (R$) Aluguel de carros 492,3 939,1 332, , ,0 1,2% 2.169, ,5 33,2% 2.599, ,5 39,2% Aluguel de frotas 2.981, , , , ,7 14,0% 3.794, ,8 8,4% 4.557, ,9 19,0% Total 1.426, , , , ,3 6,2% 2.824, ,0 23,4% 3.414, ,8 31,7% Receita média anual por carro alugado (R$ mil) Aluguel de carros 17,0 18,2 19,6 18,2 18,8 3,3% 19,9 18,7 6,0% 20,6 19,4 5,8% Aluguel de frotas 15,4 15,7 15,3 14,5 15,3 5,5% 15,1 15,9 5,3% 15,5 16,3 5,2% Diária média (R$) Aluguel de carros (deduzido da sublocação para o aluguel de frotas) 79,52 76,52 76,42 73,77 75,39 2,2% 76,00 76,78 1,0% 74,52 76,98 3,3% Aluguel de frotas 44,28 45,17 44,12 42,76 43,84 2,5% 43,26 45,24 4,6% 44,26 46,08 4,1% Percentual de Utilização: Aluguel de carros 58,8% 65,5% 70,7% 67,9% 68,8% 0,9p.p. 72,1% 68,1% 4,0p.p. 76,2% 69,9% 6,3p.p. Aluguel de frotas 96,9% 96,5% 96,1% 94,0% 96,8% 2,8p.p. 97,1% 97,9% 0,8p.p. 97,3% 98,1% 0,8p.p. Número de carros comprados consolidado ,4% ,7% ,9% Preço médio dos carros comprados (R$ mil) consolidado 26,08 27,62 27,55 29,64 27,47 7,3% 28,00 29,13 4,0% 27,24 31,43 15,4% Número de carros vendidos consolidado ,7% ,2% ,7% Preço médio dos carros vendidos (R$ mil) (*) consolidado 22,13 23,69 26,59 26,81 24,62 8,2% 25,10 25,00 0,4% 24,64 24,97 1,3% (*) Foram recalculados desde 2005 para incluir receitas adicionais, líquidos do SG&A de venda dos carros desativados 16/22

17 12 Demonstrações financeiras consolidadas USGAAP R$/milhões ATIVO T10 2T10 Disponibilidades 37,2 121,7 459,6 250,8 396,5 Aplicações em títulos e valores mobiliários 152,3 8,2 Contas a receber 144,2 169,9 212,1 226,1 245,2 Veículos operacionais,líquidos 1.492, , , , ,8 Depósitos judiciais 25,6 25,0 26,5 28,5 28,8 Imposto de renda e contribuição social diferidos 12,1 26,1 18,9 18,1 15,0 Outros ativos 7,5 10,5 26,7 56,9 58,6 Imobilizado 69,5 85,8 85,5 88,0 88,7 Intangível e ágio 12,7 18,0 18,2 17,8 17,6 Total do Ativo 1.954, , , , ,2 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO T10 2T10 Empréstimos, financiamentos e debêntures 954, , , , ,1 Fornecedores 212,8 23,6 292,5 287,4 298,0 Salários e encargos 20,5 24,3 30,1 41,8 38,0 Receita a realizar 12,9 11,4 9,8 9,4 9,0 Provisão para contingências 41,4 38,3 44,8 48,4 48,6 Imposto de renda e contribuição social diferidos 54,6 62,8 57,4 60,4 64,8 Outros passivos 46,1 32,9 56,2 66,6 74,7 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital social 346,9 303,3 403,3 403,3 403,3 Capital adicional 10,9 12,4 13,2 14,1 15,9 Lucros acumulados 253,3 324,4 309,8 349,6 390,8 Total do patrimônio líquido 611,1 640,1 726,3 767,0 810,0 Total do passivo e do patrimônio líquido 1.954, , , , ,2 RESULTADO CONSOLIDADO S09 1S10 RECEITA LÍQUIDA: Aluguel 670,9 862,6 921,2 444,0 546,4 Franquia 7,6 9,9 10,6 5,6 6,1 Venda de veículos usados 853,2 983,2 924,5 413,1 586,9 Receita líquida total 1.531, , ,3 862, ,4 CUSTOS E DESPESAS: Custo direto (974,6) (1.164,2) (1.177,2) (539,2) (730,5) Impostos sobre receitas de aluguel, franquias e outras (26,2) (32,0) (35,4) (17,6) (23,3) Despesas de vendas, administrativas, gerais e outras (127,2) (155,2) (174,0) (81,4) (103,0) Depreciação de veículos (43,1) (178,5) (172,3) (70,0) (66,5) Outras depreciações e amortizações (14,4) (18,3) (21,0) (10,7) (10,2) Total de custos e despesas operacionais (1.185,5) (1.548,2) (1.579,9) (718,9) (933,5) Lucro operacional 346,2 307,5 276,4 143,8 205,9 RECEITAS (DESPESAS) FINANCEIRAS, LÍQUIDAS (74,4) (133,3) (112,9) (65,5) (57,4) Lucro antes dos impostos e da participação minoritária 271,8 174,2 163,5 78,3 148,5 IMPOSTOS DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL Corrente (63,4) (52,8) (49,0) (26,9) (31,0) Diferido (18,0) 6,2 1,8 5,9 (11,3) (81,4) (46,6) (47,2) (21,0) (42,3) Lucro antes da participação minoritária 190,4 127,6 116,3 57,3 106,2 PARTICIPAÇÃO MINORITÁRIA (0,2) (0,2) Lucro líquido 190,2 127,4 116,3 57,3 106,2 17/22

18 13 Demonstrações financeiras consolidadas BRGAAP R$/milhões ATIVO T10 2T10 ATIVO CIRCULANTE: Disponibilidades e aplicações financeiras 37,2 121,7 459,6 250,8 396,5 Aplicações em títulos e valores mobiliários 152,3 8,2 Contas a receber 144,2 169,9 212,1 226,1 245,2 Impostos a recuperar 6,3 6,7 12,2 8,8 8,7 Imposto de renda e contribuição social diferidos 1,8 16,7 11,3 9,4 6,3 Outros ativos 1,3 3,6 14,0 47,6 49,3 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 343,1 326,8 709,2 542,7 706,0 ATIVO NÃO CIRCULANTE Realizável a longo prazo: Depósitos judiciais 10,0 9,3 8,9 9,0 9,1 Imposto de renda e contribuição social diferidos 10,0 9,4 7,6 8,7 8,7 Imobilizado 1.406, , , , ,1 Intangível 7,5 11,4 11,7 11,1 11,0 TOTAL DO ATIVO NÃO CIRCULANTE 1.434, , , , ,9 TOTAL DO ATIVO 1.777, , , , ,9 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO T10 2T10 PASSIVO CIRCULANTE: Empréstimos, financiamentos e debêntures 403,4 251,1 446,6 213,0 28,1 Fornecedores 212,8 23,6 292,5 287,4 298,0 Salários e encargos 20,5 24,3 30,1 41,8 38,0 Imposto de renda e contribuição social a pagar 16,0 13,9 11,5 15,8 15,3 Dividendos e juros sobre o capital próprio a pagar 31,2 13,1 6,1 13,7 8,2 Outros passivos 16,8 19,3 40,5 39,3 47,6 TOTAL DO PASSIVO CIRCULANTE 700,7 345,3 827,3 611,0 435,2 PASSIVO NÃO CIRCULANTE: Exigível a longo prazo: Empréstimos, financiamentos e debêntures 551, , , , ,0 Provisão para contingências 25,8 22,5 27,3 29,0 29,0 Outros 19,5 16,7 13,9 13,3 12,6 TOTAL DO PASSIVO NÃO CIRCULANTE 596, , , , ,6 PATRIMÔNIO LÍQUIDO: Capital social 199,6 300,0 400,0 400,0 400,0 Reservas de capital 149,0 5,9 6,4 7,0 8,5 Reserva de lucros 132,7 231,3 202,3 236,6 275,6 Prejuízo acumulado (Efeitos da adoção inicial da Lei /07) (1,2) 480,1 537,2 608,7 643,6 684,1 TOTAL DO PASSIVO E DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 1.777, , , , ,9 18/22

19 14 Demonstração financeiras consolidadas reconciliações BRGAAP X USGAAP R$/milhões 2º TRIMESTRE 2010 Em milhões Demonstração Ajustes Demonstração Reclassificações USGAAP Societária Ajustada Receita Bruta de Aluguel e vendas 577,9 577,9 577,9 Deduções da receita bruta (14,5) (14,5) 12,2 <(a) (2,3) Receita líquida 563,4 563,4 12,2 575,6 Impostos incidentes sobre vendas (12,2) <(a) (12,2) Custos dos aluguéis e das vendas (408,3) 13,1 <(b) (395,2) (3,1) <(d) (398,3) Resultado bruto 155,1 13,1 168,2 (3,1) 165,1 Despesas / Receitas Operacionais: Vendas (43,4) (43,4) 2,3 <(d) (41,1) Gerais, Administrativas e Outras (15,2) (15,2) 0,8 <(d) (14,4) Financeiras líquidas (29,2) (29,2) (29,2) Resultado antes da tributação 67,3 13,1 80,4 80,4 Imposto de renda e contribuição social corrente (15,4) (15,4) (15,4) Imposto de renda e contribuição social diferido (3,1) (4,4) <(c) (7,5) (7,5) Lucro líquido do período 48,8 8,7 57,5 57,5 2º TRIMESTRE DE 2009 Demonstração Ajustes Demonstração Reclassificações Demonstração Em milhões Societária Ajustada USGAAP Receita Bruta de Aluguel e vendas 417,6 417,6 417,6 Deduções da receita bruta (9,9) (9,9) 8,8 <(a) (1,1) Receita líquida 407,7 407,7 8,8 416,5 Impostos incidentes sobre vendas (8,8) <(a) (8,8) Custos dos aluguéis e das vendas (305,5) 3,5 <(b) (302,0) (1,0) <(d) (303,0) Resultado bruto 102,2 3,5 105,7 (1,0) 104,7 Despesas / Receitas Operacionais: Vendas (31,3) (31,3) 0,5 <(d) (30,8) Gerais, Administrativas e Outras (10,8) (10,8) 0,5 <(d) (10,3) Financeiras líquidas (26,8) (26,8) (26,8) Resultado antes da tributação 33,3 3,5 36,8 36,8 Imposto de renda e contribuição social corrente (10,2) (10,2) (10,2) Imposto de renda e contribuição social diferido 1,7 (1,2) <(c) 0,5 0,5 Lucro líquido do período 24,8 2,3 27,1 27,1 (a) Referese a reclassificação dos impostos incidentes sobre vendas para linha própria (b) Ajuste da depreciação e custo dos carros baixados referente a diferença de prática (c) Ajuste do IR/CS sobre diferenças de prática (d) Reclassificações entre custos e despesas Conciliação EBITDA USGAAP x BRGAAP 30/6/ /12/2009 EBITDA USGAAP 282,6 469,7 Ajuste de custo de veículos vendidos 120,7 176,3 Ajuste de custo de veículos roubados e sinistrados 0,4 1,5 EBITDA BRGAAP 403,7 647,5 Conciliação do Patrimônio Líquido 30/6/ /12/2009 Patrimônio líquido em USGAAP 810,0 726,3 Ajuste de depreciação e custo de veículos (183,4) (162,0) Imposto de Renda e contribuição social 64,8 57,4 Reversão de dividendos propostos (6,1) Outros (7,3) (6,9) Patrimônio líquido societário 684,1 608,7 19/22

20 1º SEMESTRE 2010 Em milhões Demonstração Ajustes Demonstração Reclassificações USGAAP Societária Ajustada Receita Bruta de Aluguel e vendas 1.143, , ,5 Deduções da receita bruta (27,4) (27,4) 23,3 <(a) (4,1) Receita líquida 1.116, ,1 23, ,4 Impostos incidentes sobre vendas (23,3) <(a) (23,3) Custos dos aluguéis e das vendas (826,4) 21,8 <(b) (804,6) (2,6) <(d) (807,2) Resultado bruto 289,7 21,8 311,5 (2,6) 308,9 Despesas / Receitas Operacionais: Vendas (78,6) (78,6) 1,8 <(d) (76,8) Gerais, Administrativas e Outras (27,0) (27,0) 0,8 <(d) (26,2) Financeiras líquidas (57,4) (57,4) (57,4) Resultado antes da tributação 126,7 21,8 148,5 (0,0) 148,5 Imposto de renda e contribuição social corrente (31,0) (31,0) (31,0) Imposto de renda e contribuição social diferido (3,9) (7,4) <(c) (11,3) (11,3) Lucro líquido do período 91,8 14,4 106,2 106,2 1º SEMESTRE DE 2009 Demonstração Ajustes Demonstração Reclassificações Demonstração Em milhões Societária Ajustada USGAAP Receita Bruta de Aluguel e vendas 864,9 864,9 864,9 Deduções da receita bruta (19,8) (19,8) 17,6 <(a) (2,2) Receita líquida 845,1 845,1 17,6 862,7 Impostos incidentes sobre vendas (17,6) <(a) (17,6) Custos dos aluguéis e das vendas (637,4) 19,7 <(b) (617,7) (2,2) <(d) (619,9) Resultado bruto 207,7 19,7 227,4 (2,2) 225,2 Despesas / Receitas Operacionais: Vendas (61,2) (61,2) 1,2 <(d) (60,0) Gerais, Administrativas e Outras (22,4) (22,4) 1,0 <(d) (21,4) Financeiras líquidas (65,5) (65,5) (65,5) Resultado antes da tributação 58,6 19,7 78,3 78,3 Imposto de renda e contribuição social corrente (26,9) (26,9) (26,9) Imposto de renda e contribuição social diferido 12,9 (7,0) <(c) 5,9 5,9 Lucro líquido do período 44,6 12,7 57,3 57,3 (a) Referese a reclassificação dos impostos incidentes sobre vendas para linha própria (b) Ajuste da depreciação e custo dos carros baixados referente a diferença de prática (c) Ajuste do IR/CS sobre diferenças de prática (d) Reclassificações entre custos e despesas 20/22

21 15 Demonstração de fluxo de caixa USGAAP R$/milhões FLUXO DE CAIXA CONSOLIDADO S09 1S10 FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro líquido 190,2 127,4 116,3 57,3 106,2 Ajustes para conciliar o lucro líquido ao caixa gerado pelas (aplicado nas) atividades operacionais: Depreciações e amortizações 57,5 196,8 193,3 80,7 76,7 Custo depreciado dos veículos baixados 772,6 897,1 876,7 397,3 550,1 Impostos diferidos 18,0 (6,2) (1,8) (6,2) 11,3 Provisão para créditos de liquidação duvidosa 0,1 0,9 2,6 0,7 0,5 Provisão para contingências (6,0) (2,3) 5,1 3,4 1,9 Remuneração baseada em ações 0,7 1,5 0,8 0,9 2,1 Outros 0,3 0,1 (0,3) (Aumento) redução dos ativos operacionais: Contas a receber (9,5) (26,6) (44,9) (15,0) (33,6) Veículos operacionais Aquisições (1.111,9) (1.524,2) (947,9) (53,9) (680,9) Depósitos judiciais (1,9) 0,6 (3,2) (0,4) (2,3) Impostos a recuperar 1,0 (4,9) (4,9) (4,0) (1,0) Juros sobre aplicação em títulos e valores mobiliários (15,7) (5,9) Outros (1,4) (7,2) (10,8) (9,3) (33,3) Aumento (redução) dos passivos operacionais: Fornecedores (0,3) (0,3) 12,5 (0,2) 13,8 Salários e encargos (1,9) 3,8 5,8 3,9 7,9 Imposto de renda e contribuição social 16,1 (10,5) 16,2 14,5 8,2 Juros sobre empréstimos, debêntures e demais passivos 19,3 5,5 51,0 27,8 (30,0) Receitas a realizar 0,9 (2,7) (2,7) (1,2) (1,2) Prêmio de seguro a repassar 21,7 8,7 Outros (0,4) 0,4 2,0 (4,6) (3,2) Caixa líquido gerado pelas (aplicado nas) atividades operacionais (72,3) (356,7) 287,5 491,7 1,9 FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS: Aplicações em títulos e valores mobiliários: Captações (46,4) (47,6) Resgates 41,8 197,6 8,3 8,2 Adições ao imobilizado, líquidas (23,7) (35,0) (18,3) (4,4) (12,1) Outros (0,9) (4,9) (2,7) (0,4) (0,7) Caixa líquido gerado pelas (aplicado nas) atividades de investimentos (29,2) 110,1 (12,7) 3,4 (12,8) FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS: Empréstimos e financiamentos: Captações 1.366, ,1 451,7 221,9 Amortizações (1.232,8) (1.562,4) (321,3) (203,9) (406,9) Debêntures Captações 200,0 300,0 400,0 370,0 Amortizações (427,8) (222,2) Transações com partes relacionadas: Ações em tesouraria (43,6) Dividendos (196,6) (24,7) (5,6) (5,6) (6,1) Juros sobre o capital próprio (28,5) (30,3) (33,9) (16,8) (8,9) Caixa líquido gerado (aplicado nas) pelas atividades de financiamentos 108,6 331,1 63,1 (226,3) (52,2) FLUXO DE CAIXA GERADO (APLICADO) NO EXERCÍCIO/PERÍODO 7,1 84,5 337,9 268,8 (63,1) DISPONIBILIDADES NO INÍCIO DO EXERCÍCIO/PERÍODO 30,1 37,2 121,7 121,7 459,6 DISPONIBILIDADES NO FINAL DO EXERCÍCIO/PERÍODO 37,2 121,7 459,6 390,5 396,5 AUMENTO (REDUÇÃO) DAS DISPONIBILIDADES 7,1 84,5 337,9 268,8 (63,1) Divulgação suplementar às informações do fluxo de caixa: Caixa pago durante o exercício para: Juros 68,9 106,4 85,7 65,3 104,1 Imposto de renda e contribuição social 47,1 60,9 31,8 12,4 22,7 Demonstração do caixa pago pela aquisição de carros Aquisições de carros no exercício/período renovação (839,0) (1.035,4) (963,1) (152,3) (637,7) Aquisições de carros no exercício/período crescimento (221,9) (299,9) (241,1) (34,9) Fornecedores montadoras de carros: Saldo no final do exercício/período 193,9 5,0 261,3 103,4 253,0 Saldo no início do exercício/período (244,9) (193,9) (5,0) (5,0) (261,3) Caixa pago pela aquisição de carros (1.111,9) (1.524,2) (947,9) (53,9) (680,9) 21/22

2T17. Divulgação de Rsultados 2T17 e 1S17. carros

2T17. Divulgação de Rsultados 2T17 e 1S17. carros 2T17 Divulgação de Rsultados 2T17 e 1S17 carros Divulgação de Resultados 2T17 e 1S17 Frota em 30/06/2017: 151.750 carros Destaques Operacionais Diárias - Aluguel de Carros (mil) Destaques Financeiros Receita

Leia mais

Divulgação de Resultados 4T14 e 2014

Divulgação de Resultados 4T14 e 2014 Divulgação de Resultados 4T14 e 2014 As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário e, a partir de 2011, têm como base os números preliminares preparados

Leia mais

Divulgação de Resultados do 3T13 e 9M13

Divulgação de Resultados do 3T13 e 9M13 R$ milhões R$ milhões R$ milhões R$ milhões Divulgação de Resultados do 3T13 e 9M13 As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário e, a partir de 2011,

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T16 e 9M16

Divulgação de Resultados 3T16 e 9M16 Divulgação de Resultados 3T16 e 9M16 Destaques 3T16 Receita líquida - Aluguel de Carros (R$ milhões) Receita líquida - Gestão de Frotas (R$ milhões) 317,1 362,5 154,1 163,5 3T15 3T16 3T15 3T16 Evolução

Leia mais

Divulgação de Resultados 4T16 e 2016

Divulgação de Resultados 4T16 e 2016 Divulgação de Resultados 4T16 e 2016 Destaques 4T16 e 2016 Diárias - Aluguel de Carros (mil) Receita líquida (R$ milhões) 5.266 4.846 4.242 4.308 3.812 3.780 3.871 4.111 2015 2016 2015 2016 2015 2016 2015

Leia mais

Divulgação de Resultados 1S14 e 2T14

Divulgação de Resultados 1S14 e 2T14 R$ milhões R$ milhões Divulgação de Resultados 1S14 e 2T14 As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário e, a partir de 2011, têm como base os números

Leia mais

Informações Trimestrais 31/03/2016. Localiza Rent a Car S.A. CNPJ/MF: /

Informações Trimestrais 31/03/2016. Localiza Rent a Car S.A. CNPJ/MF: / Informações Trimestrais 31/03/2016 Localiza Rent a Car S.A. CNPJ/MF: 16.670.085/0001 55 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo

Leia mais

Divulgação de Resultados do 1T13

Divulgação de Resultados do 1T13 R$ milhões R$ milhões R$ milhões Divulgação de Resultados do 1T13 As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário e, a partir de 2011, têm como base

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 6) 25.888 67.330 Fornecedores 4.797 8.340 Aplicações financeiras 3.341

Leia mais

Balanço patrimonial em 31 de dezembro Em milhares de reais

Balanço patrimonial em 31 de dezembro Em milhares de reais Balanço patrimonial em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo 2016 2015 Passivo e patrimônio líquido 2016 2015 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 6) 25.431 27.730 Fornecedores

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ LOJAS AMERICANAS SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ LOJAS AMERICANAS SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2 Índice DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 1 Balanço Patrimonial Passivo 2 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração do Fluxo de Caixa 7 Demonstração das Mutações

Leia mais

Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T09 e 1S09 (R$ milhões - USGAAP)

Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T09 e 1S09 (R$ milhões - USGAAP) Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T09 e 1S09 (R$ milhões - USGAAP) Julho, 2009 1 Divisão de aluguel de carros Receita líquida (R$ milhões) 197,1 271,3 CAGR: 31,3% 357,2 442,7 585,7 278,6 4,8% 291,9

Leia mais

Divulgação de Resultados 4T15 e 2015

Divulgação de Resultados 4T15 e 2015 Divulgação de Resultados 4T15 e 2015 2015 foi mais um ano muito negativo para o Brasil: a profunda deterioração do ambiente macroeconômico no país causou uma acentuada queda de confiança nos consumidores

Leia mais

Gas Brasiliano Distribuidora S.A.

Gas Brasiliano Distribuidora S.A. Balanço patrimonial em 31 de março (não auditado) Ativo 2016 2015 Passivo e patrimônio líquido 2016 2015 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 78.050 132.536 Fornecedores 23.096 19.064 Contas

Leia mais

A Taxa de Ocupação dos veículos no segmento de Aluguel de Carros RAC (excluindo Franquias) foi de 77,4% no 1T14, 6,9p.p. acima da realizada no 1T13.

A Taxa de Ocupação dos veículos no segmento de Aluguel de Carros RAC (excluindo Franquias) foi de 77,4% no 1T14, 6,9p.p. acima da realizada no 1T13. São Paulo, 02 de Maio de 2014 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2014 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

Gas Brasiliano Distribuidora S.A.

Gas Brasiliano Distribuidora S.A. Balanço patrimonial em 31 de março (não auditado) Ativo 2017 2016 Passivo e patrimônio líquido 2017 2016 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 50.383 78.050 Fornecedores 22.725 23.096 Contas

Leia mais

Localiza Rent a Car S.A.

Localiza Rent a Car S.A. Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T15 e 1S15 R$ milhões 24 de julho de 2015 Divisão de Aluguel de Carros Receita líquida (R$ milhões) 802,2 980,7 1.093,7 1.163,5 1.284,4 628,1 606,4 316,7 296,4 2010

Leia mais

Resultados 2T16. R$ milhões. 22 de julho de 2016

Resultados 2T16. R$ milhões. 22 de julho de 2016 Resultados 2T16 R$ milhões 22 de julho de 2016 Destaques Receita líquida - Aluguel de Carros (R$ milhões) Receita líquida - Gestão de Frotas (R$ milhões) 296,4 327,8 149,9 159,5 2T15 2T16 2T15 2T16 Evolução

Leia mais

Movida - Divulgação de Resultados do 4T16 e 2016

Movida - Divulgação de Resultados do 4T16 e 2016 Índice Movida - Divulgação de Resultados do 4T16 e 2016 1. Aluguel de Carros (RAC) 2. Gestão e Terceirização de Frotas (GTF) 3. Seminovos 4. Resultado Financeiro 5. Lucro Líquido 6. Investimento Líquido

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ FRAS-LE SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ FRAS-LE SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2 Índice DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 1 Balanço Patrimonial Passivo 2 Demonstração do Resultado 3 Demonstração do Resultado Abrangente 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

EARNINGS RELEASE 3T17

EARNINGS RELEASE 3T17 Recuperação do Lucro Líquido e margem EBITDA crescendo em torno de 10 p.p.. São Paulo, 31 de Outubro de 2017 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa brasileira consolidadora e operadora

Leia mais

Apresentação de Resultados. 3T17 e 9M17

Apresentação de Resultados. 3T17 e 9M17 Apresentação de Resultados 3T17 e 9M17 Destaques Financeiros 3T17 e 9M17 Receita Líquida Consolidada (R$ MM) 28,1% 1.186,7 926,4 24,3% 334,5 415,9 EBITDA Consolidado¹ (R$ MM) 5,9% 4,0% (1,7)% 278,9 290,0

Leia mais

RESULTADOS 4T08 4T09 / Março de

RESULTADOS 4T08 4T09 / Março de RESULTADOS 4T08 4T09 / 2008 2009 Março de 2010 1 4T08 AGENDA / 2008 1. Destaques 2. Desempenho da Industria 3. Desempenho Operacional e Financeiro 4. Informações Adicionais 2 4T08 AGENDA / 2008 1. Destaques

Leia mais

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Elekeiroz S.. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Balanço patrimonial tivo Circulante Nota 31 de dezembro de 2013 31 de

Leia mais

2T15. Comentários de Desempenho. DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS 2T15 e 1S15

2T15. Comentários de Desempenho. DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS 2T15 e 1S15 São Paulo, 03 de Agosto de 2015 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do segundo trimestre de 2015 (2T15) e do primeiro semestre de 2015 (1S15). As informações financeiras

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

2

2 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 Controladora Consolidado ATIVO Jun 2009 Set 2009 Jun 2009 Set 2009 Circulante Disponibilidades 23,0 37,4 56,1 92,1 Contas a receber de clientes 62,8 72,8 114,2 125,9 Estoques

Leia mais

Iochpe-Maxion S.A. e Controladas

Iochpe-Maxion S.A. e Controladas Iochpe-Maxion S.A. e Controladas Informações Contábeis Intermediárias Individuais e Consolidadas Referentes aos Períodos de Três e Nove Meses Findos em 30 de Setembro de 2017 e Relatório sobre a Revisão

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ CPFL GERAÇÃO DE ENERGIA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ CPFL GERAÇÃO DE ENERGIA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

SOMOS Educação DR 2T17

SOMOS Educação DR 2T17 SOMOS Educação DR 2T17 São Paulo, 14 de agosto de 2017 A SOMOS Educação S.A. (BM&FBOVESPA: SEDU3) divulga seus resultados do 2º trimestre de 2017 ( 2T17 ) e do primeiro semestre de 2017 ( 1S17 ). Os comentários

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2013 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2013 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2013 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 314 Fornecedores 36.047 Aplicações Financeiras 2.323 Provisão Férias

Leia mais

Iochpe-Maxion S.A. e Controladas

Iochpe-Maxion S.A. e Controladas Iochpe-Maxion S.A. e Controladas Informações Contábeis Intermediárias Individuais e Consolidadas Referentes aos Períodos de Três e Nove Meses Findos em 30 de Setembro de 2016 e Relatório sobre a Revisão

Leia mais

O EBIT acumulado de 2015 atingiu R$175,4 MM, ou seja, 10,4% superior a 2014, que ficou em R$158,9 MM.

O EBIT acumulado de 2015 atingiu R$175,4 MM, ou seja, 10,4% superior a 2014, que ficou em R$158,9 MM. São Paulo, 20 de Abril de 2016 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do quarto trimestre de 2015 (4T15) e para o exercício de 2015. As informações financeiras são apresentadas

Leia mais

O EBIT em 2016 atingiu R$217,2 MM, 23,8% superior ao de 2015, que foi de R$175,4 MM. O EBIT no 4T16 cresceu 28,6%, atingindo o valor de R$60,3 MM.

O EBIT em 2016 atingiu R$217,2 MM, 23,8% superior ao de 2015, que foi de R$175,4 MM. O EBIT no 4T16 cresceu 28,6%, atingindo o valor de R$60,3 MM. São Paulo, 14 de março de 2017 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do quarto trimestre de 2016 (4T16) e para o exercício de 2016. As informações financeiras são apresentadas

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2014 e 2013 Ativo Nota 2014 2013 Passivo Nota 2014 2013 (Ajustado) (Ajustado) Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 5 48.650 835 Fornecedores 10

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1 Índice DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 1 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 8 Demonstração do Fluxo de Caixa 9 Demonstração das Mutações

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T de Maio de 2017

Teleconferência de Resultados 1T de Maio de 2017 Teleconferência de Resultados 1T17 04 de Maio de 2017 Agenda Destaques do Trimestre Cenário Setorial Resultados Operacionais Resultados Financeiros Perguntas e Respostas 2 Agenda Destaques do Trimestre

Leia mais

No segundo trimestre de 2015, ocorreu a transferência do controle societário da DEB Pequenas Centrais Hidrelétricas Ltda para a Companhia.

No segundo trimestre de 2015, ocorreu a transferência do controle societário da DEB Pequenas Centrais Hidrelétricas Ltda para a Companhia. COMENTÁRIO DO DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO PERÍODOS DE 1º DE ABRIL A 30 DE JUNHO DE 2015 E 2014 (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) No segundo trimestre de 2015, ocorreu a

Leia mais

Lucro líquido atinge R$ 12,4 milhões no 1T17, crescimento de 126,1% na comparação com 1T16, representando um ROE de 16,5% em termos anualizados.

Lucro líquido atinge R$ 12,4 milhões no 1T17, crescimento de 126,1% na comparação com 1T16, representando um ROE de 16,5% em termos anualizados. 5 Resultados Lucro líquido atinge R$ 12,4 milhões no, crescimento de 126,1% na comparação com 1T16, representando um ROE de 16,5% em termos anualizados. Destaques financeiros e operacionais No ano a receita

Leia mais

A Receita Líquida Consolidada da Companhia apresentou um aumento de 4,8% no 1S16, passando de R$564,9MM no 1S15 para R$591,9 MM no 1S16.

A Receita Líquida Consolidada da Companhia apresentou um aumento de 4,8% no 1S16, passando de R$564,9MM no 1S15 para R$591,9 MM no 1S16. São Paulo, 09 de Agosto de 2016 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do segundo trimestre de 2016 (2T16) e do primeiro semestre de 2016 (1S16). As informações financeiras

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

SOMOS Educação ER 1T17

SOMOS Educação ER 1T17 SOMOS Educação ER 1T17 1 São Paulo, 15 de maio de 2017 A SOMOS Educação S.A. (BM&FBOVESPA: SEDU3) divulga seus resultados do 1º trimestre de 2017 ( 1T17 ). Os comentários aqui incluídos referem-se aos

Leia mais

1 Perfil do negócio e destaques econômico-financeiros

1 Perfil do negócio e destaques econômico-financeiros Energisa Nova Friburgo Resultados do 1º trimestre de 2014 Nova Friburgo, 15 de maio de 2014 A Administração da Energisa Nova Friburgo Distribuidora de Energia S/A ( Companhia ) apresenta os resultados

Leia mais

A Receita Líquida do segmento de Terceirização de Frotas (TF) do 4T11 foi 15,2% superior à Receita Líquida do 4T10, atingindo R$53,7 MM.

A Receita Líquida do segmento de Terceirização de Frotas (TF) do 4T11 foi 15,2% superior à Receita Líquida do 4T10, atingindo R$53,7 MM. São Paulo, 14 de março de 2012 - A Unidas S.A. anuncia os seus resultados do quarto trimestre (4T11) e do ano de 2011. As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ SARAIVA SA LIVREIROS EDITORES Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ SARAIVA SA LIVREIROS EDITORES Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

LIGHT ENERGIA S.A. 3º TRIMESTRE DE 2016

LIGHT ENERGIA S.A. 3º TRIMESTRE DE 2016 Rio de Janeiro, 10 de novembro de 2016. LIGHT ENERGIA S.A. 3º TRIMESTRE DE 2016 1. Desempenho Operacional 1.1 Venda de Energia No terceiro trimestre de 2016, o volume de energia vendida cresceu 9,9%, concentrada

Leia mais

A Receita Líquida Consolidada da Companhia apresentou um aumento de 24,5% no 1T17, passando de R$296,9 MM no 1T16 para R$369,5 MM no 1T17.

A Receita Líquida Consolidada da Companhia apresentou um aumento de 24,5% no 1T17, passando de R$296,9 MM no 1T16 para R$369,5 MM no 1T17. São Paulo, 08 de maio de 2017 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2017 (1T17). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 46 Fornecedores 41.785 Aplicações Financeiras 5.541 Provisão

Leia mais

EARNINGS RELEASE. 3T12 e 9M12

EARNINGS RELEASE. 3T12 e 9M12 EARNINGS RELEASE 3T12 e 9M12 São Paulo, 01 de abril de 2013 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ BOMBRIL SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ BOMBRIL SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/26 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

A Companhia. Destaques. da Controladora. do Consolidado RESULTADOS DO 4T14 1/9. Fundada em 1950, a Companhia Grazziotin teve seu capital aberto

A Companhia. Destaques. da Controladora. do Consolidado RESULTADOS DO 4T14 1/9. Fundada em 1950, a Companhia Grazziotin teve seu capital aberto A Companhia Passo Fundo, 05 de março de 2014 Fundada em 1950, a Companhia Grazziotin teve seu capital aberto Dados em 31/12/2014 em 1979. Desde 1950 Grazziotin PN (CGRA4) R$ 17,28 Sua sede fica em Passo

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ UNIPAR - UNIÃO DE INDS. PETROQUÍMICAS SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ UNIPAR - UNIÃO DE INDS. PETROQUÍMICAS SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/28 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 ATIVO Explicativa n o 31/12/2011 31/12/2010 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO Explicativa n o 31/12/2011 31/12/2010 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ GUARARAPES CONFECÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ GUARARAPES CONFECÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2009 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2009 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2009 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Bancos 207 Fornecedores 34.860 Aplicações Financeiras 4.887 Provisão Férias e Encargos

Leia mais

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) 4T04 3T05 4T05

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) 4T04 3T05 4T05 Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 09 de fevereiro de 2006. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) (NYSE:EMT; BOVESPA: EBTP4, EBTP3) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 ATIVO NE 31/12/2013 31/12/2012 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO NE 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades 4 85.142.911 86.881.544

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ EMBRAER S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ EMBRAER S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 11.859 Fornecedores 40.112 Contas a Receber 77.159

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ EMBRAER S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ EMBRAER S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Resultados 4T16 e de fevereiro de 2017

Resultados 4T16 e de fevereiro de 2017 Resultados 4T16 e 2016 06 de fevereiro de 2017 Mensagem do Presidente highlights Disciplina financeira e balanço forte Caixa e perfil da dívida para enfrentar cenário adverso Elevados ratings de crédito

Leia mais

1º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. Ganhos consistentes de market share e melhora na tendência de vendas

1º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. Ganhos consistentes de market share e melhora na tendência de vendas \ Ganhos consistentes de market share e melhora na tendência de vendas A receita líquida totalizou R$4,7 bilhões no 1T16, com melhora sequencial nas vendas mesmas lojas durante o trimestre e ganho de market

Leia mais

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2016 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 7.061 Fornecedores 33.947 Contas a Receber 41.832

Leia mais

OI S.A. (ATUAL DENOMINAÇÃO DE BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures

OI S.A. (ATUAL DENOMINAÇÃO DE BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures OI S.A. (ATUAL DENOMINAÇÃO DE BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2014 Oi S.A. (atual denominação de BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ DROGASIL SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ DROGASIL SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/27 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Informações Trimestrais Unidas S.A. e Empresas Controladas

Informações Trimestrais Unidas S.A. e Empresas Controladas Informações Trimestrais Unidas S.A. e Empresas Controladas 31 de março de 2015 e 2014 Unidas S.A. e Empresas Controladas Informações Trimestrais 31 de março de 2015 e 2014 Índice Comentário de desempenho

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2017 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2017 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2017 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 23.605 Fornecedores 29.103 Contas a Receber 7.623 Provisão Férias

Leia mais

Resume-se a seguir o desempenho econômico-financeiro da Companhia no primeiro semestre: Descrição 6M14 6M13 Variação %

Resume-se a seguir o desempenho econômico-financeiro da Companhia no primeiro semestre: Descrição 6M14 6M13 Variação % Energisa Nova Friburgo Resultados do 1º semestre de 2014 Nova Friburgo, 14 de agosto de 2014 A Administração da Energisa Nova Friburgo Distribuidora de Energia S/A ( Companhia ) apresenta os resultados

Leia mais

A Receita Líquida de Locação nos 9M17 apresentou um crescimento de 9,7%, atingindo o valor de R$548,2 MM.

A Receita Líquida de Locação nos 9M17 apresentou um crescimento de 9,7%, atingindo o valor de R$548,2 MM. São Paulo, 07 de novembro de 2017 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do terceiro trimestre e dos primeiros nove meses de 2017 (3T17 e 9M17). As informações financeiras são

Leia mais

2º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS

2º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS fg 2º TRIMESTRE DE 2016 Retomada do crescimento de vendas totais e mesmas lojas, aliada a ganho consistente de market share no mercado total a. A receita líquida totalizou R$4,3 bilhões no 2T16, com retomada

Leia mais

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JANEIRO DE 2016 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 2.956 Fornecedores 38.696 Contas a Receber 53.851

Leia mais

Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006

Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006 Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006 São Paulo, 03 de agosto de 2006. Confab Industrial S.A. (BOVESPA:CNFB4), uma empresa Tenaris, anunciou hoje os resultados correspondentes aos

Leia mais

nte RECEITA BRUTA CRESCE 27,3%, EBITDA AJUSTADO AUMENTA 25,2%, COM MARGEM DE 72,5%, E LUCRO BRUTO CRESCE 30,8% NO 3T09

nte RECEITA BRUTA CRESCE 27,3%, EBITDA AJUSTADO AUMENTA 25,2%, COM MARGEM DE 72,5%, E LUCRO BRUTO CRESCE 30,8% NO 3T09 nte São Paulo, 13 de novembro de 2009 A General Shopping Brasil S/A [BM&FBovespa: GSHP3], empresa com expressiva participação no mercado de shopping centers do Brasil, anuncia hoje seus resultados do terceiro

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures

LOJAS RENNER S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures LOJAS RENNER S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2014 Lojas Renner S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício

Leia mais

Informações Consolidadas

Informações Consolidadas METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas Desempenho da Gerdau no 2 o trimestre As Demonstrações Financeiras Consolidadas da Metalúrgica Gerdau S.A. são apresentadas em conformidade com as normas

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ ODONTOPREV S.A / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ ODONTOPREV S.A / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/27 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

4. INFORMAÇÕES RELATIVAS À EMISSORA Informações Financeiras Selecionadas da Companhia Análise e Discussão da Administração sobre Demonstrações

4. INFORMAÇÕES RELATIVAS À EMISSORA Informações Financeiras Selecionadas da Companhia Análise e Discussão da Administração sobre Demonstrações 4. INFORMAÇÕES RELATIVAS À EMISSORA Informações Financeiras Selecionadas da Companhia Análise e Discussão da Administração sobre Demonstrações Financeiras e Resultados Operacionais da Emissora Eventos

Leia mais

Tegma Gestão Logística SA Divulgação de resultados Primeiro trimestre de 2017

Tegma Gestão Logística SA Divulgação de resultados Primeiro trimestre de 2017 Tegma Gestão Logística SA Divulgação de resultados Primeiro trimestre de 217 São Bernardo do Campo, 1 de maio de 217 Destaques A Tegma transportou 164 mil veículos no 1T17, um crescimento de 21% vs o 1T16

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BANCO BRADESCO S.A. Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BANCO BRADESCO S.A. Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2016 - BANCO BRADESCO S.A. Versão : 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ PROFARMA DISTRIB. PRODUTOS FARMACEUTICOS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ PROFARMA DISTRIB. PRODUTOS FARMACEUTICOS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ EMBRAER EMPR BRAS. DE AERONAUTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ EMBRAER EMPR BRAS. DE AERONAUTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Divulgação de resultados 2T13

Divulgação de resultados 2T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de agosto de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ ALUPAR INVESTIMENTO S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ ALUPAR INVESTIMENTO S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE

1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE 1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). C I A. E X E M P L O BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE Caixa 2.500 18.400 15.900 Clientes 15.600 13.400

Leia mais

Lucro líquido atinge R$ 8,0 milhões no 3T16, crescimento de 84,0% frente ao 3T15.

Lucro líquido atinge R$ 8,0 milhões no 3T16, crescimento de 84,0% frente ao 3T15. Resultados 3T16 e 9M16 Lucro líquido atinge R$ 8,0 milhões no 3T16, crescimento de 84,0% frente ao 3T15. Belo Horizonte, 26 de outubro de 2016 - A Companhia de Locação das Américas (Locamerica) (BM&FBOVESPA:

Leia mais

ATIVO

ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL DOS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO CONTROLADORA CONSOLIDADO ATIVO CIRCULANTE Numerário disponível 5.803 1.361 17.311 8.292 Aplicações no mercado aberto 1.216.028 665.948 1.216.530

Leia mais

SBC Valorização de Resíduos S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e de 2013

SBC Valorização de Resíduos S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e de 2013 SBC Valorização de Resíduos S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 Notas explicativas às demonstrações financeiras (Valores expressos em milhares de Reais) 1 Contexto operacional A SBC Valorização de Resíduos

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Divulgação de Resultado 1T15

Divulgação de Resultado 1T15 Divulgação de Resultado 1T15 1 Dados de mercado em 07/05/2015 Cotação: R$2,35 Valor de Mercado: R$155.302.955,40 T e l e c o n f e r ê n c i a 1T15 Teleconferência em português 08 de maio de 2015 Sexta-feira,

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004 Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004 Publicação, 26 de julho de 2004 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Charles E. Allen TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A., SP, Brasil.

Leia mais

METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas. Informações Consolidadas

METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas. Informações Consolidadas METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas Desempenho da Metalúrgica Gerdau no 2 o trimestre As Demonstrações Financeiras Consolidadas da Metalúrgica Gerdau S.A. são apresentadas em conformidade com

Leia mais