AGRICULTURA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGRICULTURA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos"

Transcrição

1 AGRICULTURA Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

2 DESEMPENHO DA AGRICULTURA o o Algodão Embora não tenha alcançado recorde, as 3 últimas safras globais seguiram em recuperação e os estoques continuam em níveis elevados. A safra 2017/18 será maior, mas com melhor ajuste de estoques já que o consumo segue em expansão, o que contribuiu para leve melhora recente dos preços. Nos EUA a safra está em desenvolvimento e estimada com crescimento. Com elevados estoques globais, as cotações internacionais devem seguir em baixos patamares, mas a ampliação do consumo global limitará quedas relevantes. Com o desincentivo dos baixos preços internacionais, a área plantada no Brasil recuou nos últimos 3 anos e consequentemente a produção também. Na atual safra 2017/18 (em período de plantio) a área será maior e a produção também. Com isso, as cotações domésticas devem permanecer nos patamares atuais, sem tendência de alta. Milho Após 3 anos consecutivos de recordes, a safra 2017/18 que está em fase de desenvolvimento nos EUA deverá ser menor, refletindo o recuo de área plantada, em favor da soja e da menor produtividade esperada para a cultura. Com isso os estoques globais são mais baixos, mas ainda permanecem em níveis confortáveis. Refletindo os elevados estoques globais, as cotações internacionais devem seguir em baixos patamares, mas a ampliação do consumo global limitará quedas adicionais. No Brasil a 1ª safra de milho da temporada 2017/18 está sendo plantada e as estimativas apontam para recuo de área e de produção, cedendo espaço para a soja. Para 2ª safra que começará a ser plantada em março, as estimativas preliminares ainda são de estabilidade. Com os elevados volumes produzidos nas safras passadas, os estoques permanecerão elevados, e com isso as cotações domésticas não deverão apresentar altas relevantes.

3 DESEMPENHO DA AGRICULTURA o o Soja Pelo 4º ano consecutivo os três maiores exportadores, EUA, Argentina e Brasil estão registrando safras recordes, mantendo os estoques globais em níveis elevados. Nos EUA a safra 2017/18 está em desenvolvimento e começará a ser colhida a partir de outubro, devendo alcançar recorde. Refletindo os estoques globais em níveis confortáveis, as cotações internacionais devem seguir em baixos patamares, sem tendência de alta. Por outro lado, o consumo global continua crescente, limitando quedas mais acentuadas de preços. No Brasil a safra 2017/18 (em período de plantio) está estimada com ampliação de área, porém com recuo de produção, como resultado da menor produtividade esperada. Assim, os preços poderão registrar tendência de alta. Trigo Com estoques globais em níveis bastante elevados, os preços internacionais vem registrando baixos patamares nos últimos meses, o que desestimulou o plantio. Assim, a produção global deverá ser menor o que está contribuindo para melhora moderada dos preços internacionais. Os elevados estoques de passagem limitarão a alta. No Brasil a safra 2017/18 que será colhida a partir de setembro deverá ser menor, refletindo o recuo da área plantada e da produtividade. Os preços domésticos registraram recuo desde meados de 2016, refletindo a safra passada que foi recorde, mas tendem a registrar tendência de alta refletindo o recuo da atual safra.

4 DESEMPENHO DA AGRICULTURA o o Café Safra 2017/18 no Brasil é de baixa bienalidade para o café arábica registrando recuo ante a safra passada. Por outro lado a safra do café robusta será maior que a do ano passado que sofreu com estiagem. Apesar da melhora, a safra do robusta ainda permanece abaixo do seu potencial, registrado antes da quebra que a cultura registrou nos dois últimos anos. Para os próximos meses, as cotações internacionais deverão registrar elevações moderadas, refletindo o melhor ajuste entre oferta e demanda globais, com recuo dos estoques e a safra brasileira de baixa bienalidade. Os preços domésticos continuarão em elevação, em resposta à menor safra brasileira. Açúcar e Etanol As cotações internacionais do açúcar vem registrando recuo desde o início do ano, refletindo notícias sobre maior superávit global de produção. Porém as estimativas para o volume do superávit são muito díspares. A melhora da oferta deverá continuar limitando a melhora dos preços internacionais nos próximos meses. Os preços do etanol podem registrar alta, refletindo o recuo de produção, que será mais voltado para o açúcar. Mas a alta será limitada pelos baixos preços do petróleo, e consequentemente da gasolina, e pelo volume de importações de etanol.

5 PIB AGROPECUÁRIO Variação anual, % ,0% 12,0% 10,0% 8,4% 5,0% 2,0% 1,1% 4,6% 3,2% 5,8% 6,7% 5,6% 2,8% 3,6% 4,0% 0,0% -5,0% -3,7% -3,1% -10,0% -6,6% Fonte: IBGE, Bradesco 5

6 Grãos Renda agrícola

7 RENDA AGRÍCOLA E PRODUÇÃO DE GRÃOS / / / / / / / / / / / / / / / / /18* EM MIL TONELADAS Renda Produção EM R$ MILHÕES Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

8 RENDA AGRÍCOLA Arroz, feijão, milho, trigo e soja R$ milhões / / / / / / / / / / / / / / / / /18* Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

9 RENDA AGRÍCOLA Variação em R$ milhões 2002/ / / / / / / / / / / / / / / /18* Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

10 RENDA AGRÍCOLA Variação % 2002/ / / / / / / / / / / / / / / /18* 60% 50% 40% 30% 51,7% 32,2% 35,6% 42,5% 20% 10% 00% 5,8% 6,3% 10,7% 6,6% 7,5% 13,4% 14,3% 2,4% -10% -4,2% -4,2% -20% -14,4% -30% -24,7% Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

11 RENDA AGRÍCOLA Variação % real descontado IPCA * 2018* 40,00% 30,00% 20,00% 29,1% 27,8% 29,7% 36,0% 10,00% 0,00% -10,00% -20,00% -9,9% -18,7% 0,4% 4,9% 0,7% 1,0% 2,7% 8,0% -0,6% -8,1% -30,00% Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

12 RENDA AGRÍCOLA Variação % por região FONTE: CONAB ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: VARIAÇÃO BRADESCO DA RENDA AGRÍCOLA DE GRÃOS POR REGIÃO SAFRA 2013/14 NORDESTE 0,8% NORTE -0,7% CENTRO-OESTE -2,4% SUDESTE -3,2% BRASIL -4,2% SUL -8,7% -15,0% -13,0% -11,0% -9,0% -7,0% -5,0% -3,0% -1,0% 1,0% 3,0% Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

13 RENDA AGRÍCOLA Variação em R$ milhões por região Em R$ milhões FONTE: CONAB ELABORAÇÃO VARIAÇÃO E PROJEÇÃO: DA RENDA BRADESCO AGRÍCOLA DE GRÃOS POR REGIÃO SAFRA 2015/2016 NORDESTE 156 NORTE -54 SUDESTE -492 CENTRO-OESTE SUL BRASIL Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

14 RENDA AGRÍCOLA Variação em R$ milhões por região NORTE NORDESTE SUDESTE SUL CENTRO-OESTE / / / /18* Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

15 RENDA AGRÍCOLA Região Norte em R$ milhões 2001/ / / / / / / / / / / / / / / / /18* Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

16 RENDA AGRÍCOLA Região Nordeste em R$ milhões 2001/ / / / / / / / / / / / / / / / /18* Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

17 RENDA AGRÍCOLA Região Centro-Oeste em R$ milhões / / / / / / / / / / / / / / / / /18* Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

18 RENDA AGRÍCOLA Região Sudeste em R$ milhões 2001/ / / / / / / / / / / / / / / / /18* Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

19 RENDA AGRÍCOLA Região Sul em R$ milhões / / / / / / / / / / / / / / / / /18* Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

20 Grãos Renda agrícola por cultura

21 RENDA AGRÍCOLA Variação % por produto VARIAÇÃO DA RENDA AGRÍCOLA DE GRÃOS POR PRODUTOS SAFRA 2013/2014 ALGODÃO EM CAROÇO 9,8% FEIJÃO -2,2% TOTAL GRÃOS -4,2% ARROZ -4,2% MILHO -4,9% SOJA -6,1% TRIGO -27,7% -35,0% -30,0% -25,0% -20,0% -15,0% -10,0% -5,0% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

22 RENDA AGRÍCOLA Variação em R$ milhões por produto EM R$ MILHÕES VARIAÇÃO DA RENDA AGRÍCOLA DE GRÃOS POR PRODUTOS SAFRA 2015/2016 ALGODÃO EM CAROÇO FEIJÃO -156 ARROZ -442 TRIGO MILHO SOJA TOTAL GRÃOS Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

23 RENDA AGRÍCOLA Arroz em R$ milhões / / / / / / / / / / / / / / / / / Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

24 RENDA AGRÍCOLA Algodão em R$ milhões / / / / / / / / / / / / / / / / /18 EM R$ MILHÕES Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

25 RENDA AGRÍCOLA Feijão em R$ milhões / / / / / / / / / / / / / / / / / Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

26 RENDA AGRÍCOLA Milho em R$ milhões / / / / / / / / / / / / / / / / / Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

27 RENDA AGRÍCOLA Soja em R$ milhões / / / / / / / / / / / / / / / / / Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

28 RENDA AGRÍCOLA Trigo em R$ milhões 2001/ / / / / / / / / / / / / / / / / Fonte: CONAB, DERAL, Bradesco

29 Área plantada com grãos

30 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* ÁREA PLANTADA COM GRÃOS Mil hectares em mil hectares Fonte: CONAB, Bradesco

31 ÁREA PLANTADA COM GRÃOS Variação % 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* 10% 08% 06% 04% 02% 00% -02% -04% -06% -1,1% -4,3% 5,4% 2,5% 0,1% 6,3% 9,3% 7,9% 3,5% -2,4% -3,5% 2,6% 0,6% -0,5% 5,2% 2,0% 6,5% 5,3% 1,5% 0,7% 4,4% 0,8% Fonte: CONAB, Bradesco

32 ÁREA PLANTADA COM GRÃOS Variação % por região Fonte: Conab Elaboração: Bradesco VAR. % DA ÁREA DE GRÃOS SAFRA 2017/2018 MAPITOBA Norte 2,2% 2,4% Nordeste 2,0% C-Oeste 1,1% Brasil 0,8% Sul 0,1% Sudeste -0,2% -0,5% 0,0% 0,5% 1,0% 1,5% 2,0% 2,5% 3,0% Fonte: CONAB, Bradesco

33 Fonte e projeção: ÁREA PLANTADA COM GRÃOS Variação % por produto Variação de área plantada por cultura safra 2015/16 Algodão 10,5% Soja 2,7% Grãos 0,8% Arroz Feijão -0,5% -0,5% Milho -2,5% Trigo -9,5% -12% -10% -8% -6% -4% -2% 0% 2% 4% 6% 8% 10% 12% Fonte: CONAB, Bradesco

34 ÁREA PLANTADA COM GRÃOS Variação em mil hectares por produto Fonte: Conab Variação de área plantada por cultura safra 17/18 Soja 928 Grãos 516 Algodão 98 Arroz -10 Feijão -14 Trigo -190 Milho Fonte: CONAB, Bradesco

35 ÁREA PLANTADA Milho - variação % Fonte: Conab Elaboração: Variação de área plantada por cultura safra 17/18 2ª safra 0,0% Milho total -2,5% 1ª safra -8,1% -9,0% -8,0% -7,0% -6,0% -5,0% -4,0% -3,0% -2,0% -1,0% 0,0% Fonte: CONAB, Bradesco

36 ÁREA PLANTADA Soja e milho variação % Soja Milho 1ª safra Milho 2ª safra /91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* Fonte: CONAB, Bradesco

37 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* ÁREA PLANTADA Arroz, feijão, trigo e algodão em mil hectares Área plantada com milho e soja em mil hectares Fonte: Conab Elaboração: Bradesco Arroz Feijão Trigo Algodão Fonte: CONAB, Bradesco

38 VENDAS INTERNAS DE FERTILIZANTES (mil toneladas) Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Fonte: ANDA, Bradesco

39 VENDAS INTERNAS DE FERTILIZANTES média 12 meses (acumulado de 12 meses, mil toneladas) mar/04 set/05 mar/07 set/08 mar/10 set/11 mar/13 set/14 mar/16 set/17 Fonte: ANDA, Bradesco

40 VENDAS INTERNAS DE FERTILIZANTES (variação % do acumulado em 12 meses) média 12 meses 40,0% 30,0% 20,0% 28,1% 10,0% 0,0% -10,0% 4,6% 4,0% -6,1% 6,2% -20,0% -30,0% -28,9% -40,0% mai/04 set/05 jan/07 mai/08 set/09 jan/11 mai/12 set/13 jan/15 mai/16 set/17 Fonte: ANDA, Bradesco

41 Produção de grãos

42 /91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* Fonte: CONAB, Bradesco PRODUÇÃO DE GRÃOS Mil toneladas

43 PRODUÇÃO DE GRÃOS Variação % 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* 30% 25% 20,8% 20% 27,3% 27,8% 15% 13,5% 10% 6,6% 7,7% 7,6%7,5% 9,4% 10,4% 9,1% 7,3% 5% 0% 0,7% 2,1% 2,6% -5% -10% -15% -2,4% -3,5% -3,3% -4,4% -6,2% -10,2% -5,2% Fonte: CONAB, Bradesco * Projeção

44 PRODUÇÃO DE GRÃOS Mil toneladas Grãos 2014/ / / /18* Var. % Arroz ,2% Feijão ,2% Milho ,0% 1ª safra ,5% 2ª safra ,3% Soja ,1% Trigo ,0% Algodão ,8% Total ,2% Fonte: CONAB, Bradesco

45 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO DE SOJA em mil toneladas Mil toneladas Produção Nacional de Soja Fonte e Projeção: CONAB Elaboração: Bradesco Fonte: CONAB, Bradesco

46 PRODUÇÃO DE MILHO Mil toneladas em mil toneladas / / / / / / / / / /00 Fonte e Projeção: Conab Produção Nacional de Milho / / / / / / / / / / / / / / / / / /18* Fonte: CONAB, Bradesco

47 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO DE TRIGO Produção Nacional de Trigo Mil toneladas Fonte: CONAB, Bradesco

48 Produção Nacional de Algodão em Pluma PRODUÇÃO DE ALGODÃO EM PLUMA Mil toneladas / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /18* Fonte: CONAB, Bradesco

49 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO DE ARROZ Mil toneladas Produção Nacional de Arroz Fonte: CONAB, Bradesco

50 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO DE FEIJÃO Produção de Feijão - 1ª, 2ª e 3ª safras Mil toneladas Fonte: CONAB, Bradesco

51 PRODUÇÃO DE GRÃOS Fonte: Conab Elaboração: Bradesco Variação % por produto VAR. % DA PRODUÇAO DE GRÃOS SAFRA 2017/2018 Algodão 9,8% Feijão Arroz Milho Grãos Soja -2,2% -4,2% -5,0% -5,2% -6,1% Trigo -27,4% -35% -28% -21% -14% -7% 0% 7% 14% Fonte: CONAB, Bradesco

52 PRODUÇÃO DE GRÃOS Variação % por região Fonte: Conab Elaboração: Bradesco VAR. % DA PRODUÇAO DE GRÃOS SAFRA 2013/2014 Norte -0,5% C-Oeste -3,5% Sudeste -4,2% Brasil -5,2% Nordeste -5,5% Sul -7,9% -9,0% -8,0% -7,0% -6,0% -5,0% -4,0% -3,0% -2,0% -1,0% 0,0% Fonte: CONAB, Bradesco

53 PRODUÇÃO DE GRÃOS Fonte: Conab Elaboração: Bradesco Variação em mil toneladas por região VAR. % DA PRODUÇAO DE GRÃOS SAFRA 2017/2018 Norte -45 Sudeste -964 ordeste -991 C-Oeste Sul Brasil Fonte: CONAB, Bradesco

54 PRODUÇÃO DE GRÃOS Variação em mil toneladas por produto Fonte: Conab Elaboração: Bradesco VAR. DA PRODUÇAO DE GRÃOS SAFRA 2013/2014 Algodão 376 Feijão -75 Arroz -523 Trigo Milho Soja Grãos Fonte: CONAB, Bradesco

55 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO DE GRÃOS Soja e milho em mil toneladas Produção de milho e soja em mil toneladas Fonte: Conab Elaboração: Bradesco SOJA MILHO 1ª SAFRA MILHO 2ª SAFRA Fonte: CONAB, Bradesco

56 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO DE GRÃOS Arroz, feijão, trigo e algodão - variação em mil toneladas Produção de milho e soja em mil toneladas Fonte: Conab Elaboração: Bradesco ARROZ FEIJÃO TRIGO ALGODÃO Fonte: CONAB, Bradesco

57 PRODUÇÃO DE GRÃOS Variação em mil toneladas por produto Evolução da Produção Agrícola por região -Fonte: Conab Elaboração: Bradesco /15 15/16 16/17 17/18* Soja Milho Arroz Trigo Feijão Algodão Fonte: CONAB, Bradesco

58 PRODUÇÃO DE MILHO Variação % Fonte: Conab Elaboração: Bradesco VAR. % DA PRODUÇAO DE GRÃOS SAFRA 2013/2014 2ª safra -0,3% milho - total -5,0% 1ª safra -15,5% -18,0% -16,0% -14,0% -12,0% -10,0% -8,0% -6,0% -4,0% -2,0% 0,0% Fonte: CONAB, Bradesco

59 PRODUÇÃO DE MILHO Variação em mil toneladas Fonte: Conab Elaboração: Bradesco VAR. % DA PRODUÇAO DE MILHO SAFRA 2013/2014 2ª safra ª safra milho - total Fonte: CONAB, Bradesco

60 PRODUÇÃO DE FEIJÃO Variação % Fonte: Conab Elaboração: Bradesco VAR. % DA PRODUÇAO DE GRÃOS SAFRA 2013/2014 Feijão 2ª safra 4,9% Feijão Total -2,2% Feijão 3ª safra -3,0% Feijão 1ª safra -7,9% -10,0% -8,0% -6,0% -4,0% -2,0% 0,0% 2,0% 4,0% 6,0% Fonte: CONAB, Bradesco

61 1990/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /18 PRODUÇÃO DE GRÃOS Em mil toneladas Safra de grãos por região em mil toneladas /fonte: Conab elaboração Bradesco Norte Nordeste Centro-Oeste Sul Sudeste , , , , ,5 Fonte: CONAB, Bradesco

62 1990/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /18 PRODUÇÃO DE GRÃOS MaPiToBa - em mil toneladas Safra de grãos por região em mil toneladas /fonte: Conab elaboração Bradesco Sul , Fonte: CONAB, Bradesco

63 PRODUÇÃO DE GRÃOS Região Norte em mil toneladas / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Fonte: CONAB, Bradesco

64 PRODUÇÃO DE GRÃOS Região Nordeste em mil toneladas / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Fonte: CONAB, Bradesco

65 PRODUÇÃO DE GRÃOS Região Centro-Oeste em mil toneladas / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Fonte: CONAB, Bradesco

66 PRODUÇÃO DE GRÃOS Região Sudeste em mil toneladas / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Fonte: CONAB, Bradesco

67 PRODUÇÃO DE GRÃOS Região Sul em mil toneladas / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Fonte: CONAB, Bradesco

68 PRODUÇÃO DE GRÃOS Em mil toneladas por região Norte Nordeste Sudeste Sul C-Oeste / / / /18* Fonte: CONAB, Bradesco

69 Produtividade de grãos

70 PRODUTIVIDADE DE GRÃOS Em kg por hectare / / / / / / / / / / / / /03 03/ / / / / / / / / / / / / / /18* Fonte: CONAB, Bradesco * Projeção

71 PRODUTIVIDADE DE GRÃOS Variação % 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* 25% 20% 15% 10% 05% 00% -05% -10% -15% 7,8% 2,0%2,1% -1,8% 20,7% -9,2% 16,5% -7,6% -10,4% 10,3% 11,4% 6,6% -6,8% 11,1% 3,7% 0,1% 7,8% -3,7% 5,7% -10,8% 22,6% -6,1% Fonte: CONAB, Bradesco * Projeção

72 PRODUTIVIDADE DE GRÃOS Em kg por hectare por produto Produção de milho e soja em mil toneladas Fonte: Conab Elaboração: Bradesco SOJA MILHO ARROZ TRIGO FEIJÃO ALGODÃO EM CAROÇO /91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* Fonte: CONAB, Bradesco * Projeção

73 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUTIVIDADE DE MILHO Em kg por hectare Produção de milho e soja em mil toneladas Fonte: Conab Elaboração: Bradesco ª safra milho 2ª safra milho Fonte: CONAB, Bradesco * Projeção

74 PRODUTIVIDADE DE GRÃOS Variação % por região Variação da Produtividade por região - Safra 2013/14 Fonte: Conab Elaboração: Bradesco Norte -2,6% Sudeste -4,0% entro-oeste -4,6% Brasil -6,0% Nordeste -7,3% Sul -8,0% -9,0% -8,0% -7,0% -6,0% -5,0% -4,0% -3,0% -2,0% -1,0% 0,0% Fonte: CONAB, Bradesco * Projeção

75 PRODUTIVIDADE DE GRÃOS Variação % por produto ALGODÃO EM CAROÇO -0,6% FEIJÃO -1,7% MILHO -2,5% ARROZ -3,8% GRÃOS -6,0% SOJA -8,6% TRIGO -19,8% -25,0% -20,0% -15,0% -10,0% -5,0% 0,0% Fonte: CONAB, Bradesco * Projeção

76 em kg por ha PRODUTIVIDADE DE GRÃOS Em kg por hectare Fonte e projeção: Conab Elaboração: Bradesco EVOLUÇÃO DA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS EM KG POR HA ,9% a.a ,0% a.a ,6% a.a ,9% a.a Fonte: CONAB, Bradesco * Projeção

77 Estoques domésticos

78 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* ESTOQUE CONSUMO DOMÉSTICO E PREÇOS PAGOS AO PRODUTOR Praça São Paulo, em R$ por 50kg Elaboração e Projeção de Preços: Bradesco Fonte e Projeção: Conab Relação Estoque Consumo Nacional de Milho S$ / WCT 47,0% 42,0% 37,0% 32,0% 27,0% 22,0% 17,0% 12,0% 7,0% 2,0% -3,0% 18,5% 13,3% 13,1% 10,4% 7,40 3,3% 8,70 Relação estoque consumo Preço de milho 33,73 34,0% 22,9% 23,5222,7% 20,4% 18,7% 17,4% 21,93 15,7% 11,9% 13,1% 12,7% 8,0% 8,9% 7,1%5,9% 7,7% 42,4% 36,5 31,5 26,5 22,36 21,5 16,5 11,5 6,5 Fonte: CONAB e IEA, Bradesco

79 ESTOQUE DE MILHO Mil toneladas / / / / / /03 03/ / / / / / / / / / / / / / /18* 7S$ / WCT Fonte: CONAB e IEA, Bradesco

80 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* ESTOQUE CONSUMO DOMÉSTICO E PREÇOS PAGOS AO PRODUTOR Praça São Paulo, em R$ por 50kg Elaboração e Projeção de Preços: Bradesco Fonte e Projeção: Conab Relação Estoque Consumo Nacional de Milho S$ / WCT 16,0% 14,0% 12,0% 10,0% 8,0% 6,0% 4,0% 2,0% 0,0% 9,9% 10,5% 8,9% 13,08 5,1% 4,1% 15,1% 14,5% 8,5% 8,1% 38,42 11,0% 25,31 13,1% 2,1% Relação estoque consumo 6,9% 7,2% 3,9% 3,4% 1,2% 1,9% 2,2% Preço de soja 76,5 69,59 66,5 61,76 60,55 56,5 7,6% 0,7% 46,5 36,5 26,5 16,5 6,5 Fonte: CONAB e IEA, Bradesco

81 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* ESTOQUE DE SOJA Mil toneladas 7S$ / WCT Fonte: CONAB e IEA, Bradesco

82 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* ESTOQUE CONSUMO DOMÉSTICO E PREÇOS PAGOS AO PRODUTOR Praça São Paulo, em R$ por 50kg Elaboração e Projeção de Preços: Bradesco Fonte e Projeção: Conab Relação Estoque Consumo Nacional de Soja S$ / WCT 5,0% Relação estoque consumo Preço de feijão 306,5 0,0% 19,1% 252,06 256,5 5,0% 0,0% 5,0% 3,9% 4,5% 8,4% 3,1%2,9% 7,7% 6,4% 4,7% 5,0% 2,9% 2,3% 10,6% 9,1% 206,5 156,5 10,7% 128,55 9,1% 8,1% 5,9% 6,6%7,9% 106,5 3,9% 56,5 0,0% 6,5 Fonte: CONAB e IEA, Bradesco

83 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* ESTOQUE DE FEIJÃO Mil toneladas 7S$ / WCT Fonte: CONAB e IEA, Bradesco

84 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* ESTOQUE CONSUMO DOMÉSTICO E PREÇOS PAGOS AO PRODUTOR Praça São Paulo, em R$ por 50kg 30,0% 25,0% 20,0% 15,0% Elaboração e Projeção de Preços: Bradesco Fonte e Projeção: Conab Relação Estoque Consumo Nacional de Soja ,0% 17,93 5,0% 2,4% 0,0% 12,6% 21,9% 17,7% 13,1% 11,6% 21,6% 27,4% 23,5% 18,0% Relação estoque consumo 20,9% 21,0% 18,2% 8,6% 7,3% 8,4% 45,91 3,8% 7S$ / WCT Preço de arroz 12,7% 10,5% 51,5 46,5 43,08 41,5 36,5 31,5 26,5 21,5 16,5 11,5 6,5 Fonte: CONAB e IEA, Bradesco

85 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* ESTOQUE DE ARROZ Mil toneladas 7S$ / WCT Fonte: CONAB e IEA, Bradesco

86 Exportações e importações de grãos

87 EXPORTAÇÕES DE SOJA Mil toneladas / / / / / / / / / / / / /13 13/ / / / /18* Fonte: CONAB, Bradesco

88 EXPORTAÇÕES DE MILHO Mil toneladas / / / / / / / / / / / / /13 13/ / / / /18* Fonte: CONAB, Bradesco

89 EXPORTAÇÕES DE ALGODÃO Mil toneladas 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* Fonte: CONAB, Bradesco

90 IMPORTAÇÕES DE TRIGO Mil toneladas 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* Fonte: CONAB, Bradesco

91 Mercado internacional

92 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* 44,7% 44,1% 39,4% 52,2% 56,8% 49,5% 42,8% 51,7% 50,9% 51,0% 56,4% 70,6% 85,6% 78,9% 78,3% 87,0% 94,4% 100,2% RELAÇÃO ESTOQUE CONSUMO MUNDIAL DE ALGODÃO US$ c / libra peso US$ cents por libra peso Fonte e Projeção: USDA Relação Estoque Consumo Mundial de Elaboração Algodão e 1990 Projeção de Preços: Bradesco 105,0% 95,0% Relação estoque consumo Preços internacionais 137,69 150,0 130,0 85,0% 110,0 75,0% 65,0% 55,0% 90,0 70,82 70,0 45,0% 42,95 35,0% 25,0% 50,33 50,0 30,0 15,0% 10,0 Fonte: USDA e NYBOT, Bradesco

93 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* 19,7% 18,2% 18,4% 17,8% 18,7% 21,0% 21,7% 22,6% 25,4% 23,4% 24,6% 24,1% 24,3% 24,8% 28,7% 29,5% 32,5% 37,3% ESTOQUE CONSUMO MUNDIAL DE ARROZ Elaboração e Projeção de Preços: Bradesco Fonte e Projeção: USDA Relação Estoque Consumo Mundial de Arroz US$ / WCT Em US$ por CWT 45% Estoque/Consumo Preços internacionais 22,0 40% 35% 17,57 17,0 30% 25% 10,36 12,69 12,0 20% 7,0 15% 4,98 10% 2,0 Fonte: USDA e CBOT, Bradesco

94 RELAÇÃO ESTOQUE CONSUMO MUNDIAL DE MILHO 28,7% 00/01 01/02 24,3% 20,2% 02/03 16,2% 03/04 19,2% 04/05 17,8% 05/06 14,9% 06/07 16,8% 07/08 18,8% 08/09 17,1% 09/10 14,3% 10/11 14,7% 11/12 15,2% 12/13 18,4% 13/14 21,7% 14/15 21,7% 15/16 21,4% 16/17 18,9% 17/18* US$ c / Relação Estoque Consumo Mundial de Milho Fonte 2008 e Projeção: US$ c / bushel USDA Elaboração e Projeção de Preços: Bradesco 30,0% 28,0% 26,0% Relação estoque consumo 694,0 Preços internacionais 750,0 650,0 24,0% 22,0% 526,2 550,0 20,0% 450,0 18,0% 16,0% 384,1 350,0 14,0% 12,0% 208,7 10,0% 250,0 150,0 Fonte: USDA e CBOT, Bradesco

95 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO DE MILHO EUA (milhões de toneladas) Fonte: USDA, Bradesco

96 96/97 PRODUÇÃO DE MILHO ARGENTINA (milhões de toneladas) 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* Fonte: USDA, Bradesco

97 RELAÇÃO ESTOQUE CONSUMO MUNDIAL DE SOJA 19,5% 00/01 19,2% 01/02 22,3% 02/03 20,0% 03/04 23,2% 04/05 24,4% 05/06 27,9% 06/07 23,1% 07/08 19,2% 08/09 25,4% 09/10 27,9% 10/11 20,5% 11/12 21,0% 12/13 22,3% 13/14 25,6% 14/15 24,7% 15/16 28,7% 16/17 27,9% 17/18* Elaboração e Projeção de Preços: Bradesco Fonte e Projeção: USDA Relação Estoque Consumo Mundial de Soja US$ c / bushel US$ c / bushel 30,0% 28,0% 26,0% 24,0% 22,0% Estoque/Consumo Preço 1.234, , ,0% 18,0% 16,0% 753, , ,0% 12,0% 459,29 10,0% Fonte: USDA e CBOT, Bradesco

98 PRODUÇÃO DE SOJA EM GRÃO - EUA (milhões de toneladas) 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* 120,0 116,9 120,6 106,9 80,0 64,8 74,6 72,2 75,1 78,7 75,0 66,8 83,4 87,0 72,9 80,8 91,5 84,3 82,8 91,4 40,0 Fonte: USDA, Bradesco

99 PRODUÇÃO DE SOJA EM GRÃO ARGENTINA (milhões de toneladas) 96/97 11,2 97/98 19,5 98/99 99/00 21,2 00/01 26,9 01/02 30,0 02/03 35,5 03/04 33,0 04/05 05/06 40,5 06/07 48,8 07/08 46,2 08/09 32,0 09/10 54,5 10/11 49,0 11/12 40,1 12/13 49,3 13/14 53,4 14/15 61,4 15/16 16/17 57,8 17/18* 57,0 70,00 60,00 50,00 40,00 30,00 20,00 10,00 0,00 Fonte: USDA, Bradesco

100 CONSUMO DE SOJA EM GRÃO CHINA (milhões de toneladas) 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* 120,0 100,0 87,2 109,6 102,0 80,0 65,9 76,2 60,0 40,0 20,0 15,3 19,9 26,7 35,3 40,2 46,1 51,4 0,0 Fonte: USDA, Bradesco

101 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* 22,4% 20,8% 19,6% 24,7% 23,7% 27,6% 26,0% 25,8% 31,3% 30,6% 30,4% 28,2% 31,1% 35,2% 34,4% 34,0% 34,7% 36,3% Relação Estoque Consumo Mundial de Trigo US$ c / Elaboração RELAÇÃO e Projeção ESTOQUE de Preços: CONSUMO Bradesco MUNDIAL DE TRIGO Fonte e Projeção: USDA US$ c / bushel Estoque/Consumo Preço 38,0% 797, ,0% ,0% ,0% 18,0% 272,0 13,0% , Fonte: USDA e CBOT, Bradesco

102 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO MUNDIAL X CONSUMO MUNDIAL DE AÇÚCAR Mil ton Produção mundial x consumo mundial de açúcar Fonte e (*) Projeção: USDA Elaboração: Bradesco Produção Consumo Mundial Fonte: USDA, Bradesco

103 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* EXCEDENTE DE PRODUÇÃO SOBRE O CONSUMO MUNDIAL E RELAÇÃO ESTOQUE CONSUMO DE AÇÚCAR, Mil ton Excedente de produção sobre o consumo mundial e relação estoque consumo de açúcar EM MIL TONELADAS FONTE: USDA ELABORAÇÃO: BRADESCO excedente de produção sobre o consumo Relação Estoque Consumo % 31,0% ,0% % 23,0% 22% % 19,0% ,0% Fonte: USDA, Bradesco

104 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* 20,2% 19,2% 18,2% 21,7% 20,8% 19,9% 19,0% 22,3% 22,4% 21,7% 22,0% 24,9% 23,8% 22,6% 22,3% 23,9% 26,3% 28,3% 27,2% 26,2% 25,7% 27,5% 29,8% 29,1% 28,1% 27,1% 25,9% 29,1% RELAÇÃO ESTOQUE - CONSUMO MUNDIAL DE AÇÚCAR Relação estoque consumo mundial de açúcar US$ c / libra peso Projeção de estoque e consumo: USDA FONTE: USDA e NYBOT ELABORAÇÃO: BRADESCO US$ c / libra peso Relação Estoque Consumo Preços Internacionais 31,0% 29,0% 27,0% 25,0% 22,36 27,14 30,0 25,0 20,0 23,0% 15,0 21,0% 19,0% 17,0% 6,16 9,91 10,0 5,0 15,0% 0,0 Fontes: USDA e NYBOT, Bradesco

105 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17* PRODUÇÃO E CONSUMO MUNDIAL DE CAFÉ Milhões de sacas de 60 kg * Projeção Produção Mundial Consumo Mundial Fonte: USDA, Bradesco

106 CONSUMO, PRODUÇÃO E RELAÇÃO ESTOQUE FINAL CONSUMO MUNDIAL DE CAFÉ % Consumo Produção Estoque / Consumo 45% % % 25% /03 04/05 06/07 08/09 10/11 12/13 14/15 16/17* 15% Fonte: USDA, Bradesco

107 CAFÉ ARÁBICA E ROBUSTA (USDA) (produção mundial, mil sacas de 60kg) Arábica Robusta /90 92/93 95/96 98/99 01/02 04/05 07/08 10/11 13/14 16/17* Fonte: USDA, Bradesco

108 PRINCIPAIS PAÍSES PRODUTORES (mil sacas de café de 60) Safra Safra Safra Safra Safra Safra Safra Safra País Colheita 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17* Produção Brasil Maio Exportação Produção Vietnã Outubro Exportação Produção Colômbia Outubro Exportação Produção Mundial Exportação Mundial Fonte: USDA, Bradesco

109 CONSUMO MUNDIAL DE CAFÉ (mil sacas de 60 kg) 2011/ / / / / /17* Crescimento Part. % Crescimento médio anual safra atual 1. Países Produtores ,6% 29,5% 0,2% Brasil ,8% 13,6% 0,1% Indonésia ,9% 2,1% 13,1% Vietnã ,7% 1,9% 10,3% Colômbia ,1% 1,0% 3,5% Índia ,6% 0,9% 3,7% Outros produtores ,0% 10,0% -4,1% 2. Países Importadores ,6% 70,5% 1,5% 2.1 Países Importadores Desenvolvidos ,2% 55,4% 1,7% União Europeia ,0% 29,1% 1,9% EUA ,1% 16,7% 1,5% Japão ,4% 5,5% 0,5% Canadá ,7% 2,9% 4,8% Austrália ,7% 1,2% -0,6% 2.2 Países Importadores Emergentes ,4% 15,1% 0,9% Rússia ,6% 2,9% -1,7% Ucrânia ,5% 0,5% -5,7% China ,6% 2,0% 5,3% Outros ,4% 9,7% 1,2% 3. Mundial ,1% 100,0% 1,2% Fonte: USDA, Bradesco

110 2005/ / / / / / / / / / / /17* CONSUMO MUNDIAL DE CAFÉ (participação % dos grupos de países) 70,0% 62,6% 60,0% 50,0% 58,8% Produtores Importadores Desenvolvidos 56,8% 55,4% 40,0% Importadores Emergentes 30,0% 24,5% 20,0% 26,9% 28,4% 29,5% 13,0% 10,0% 14,3% 14,8% 15,1% Fonte: USDA, Bradesco

111 CONSUMO DE CAFÉ (consumo médio anual ) Produtores 3,6% Part. 30% Importadores Emergentes 3,4% Part. 15% Mundial 2,1% Importadores Desenvolvidos 1,2% Part. 55% 0,3% 0,8% 1,3% 1,8% 2,3% 2,8% 3,3% 3,8% 4,3% Fonte: USDA, Bradesco

112 Preços agrícolas

113 PREÇOS INTERNACIONAIS DO ALGODÃO Em US$ cents por libra peso Bolsa de N York, preço ALGODÃO futuro,1 - BOLSA vencto, DE N YORK -US$ NYBOT cents por libra peso última cotação fev/08 PREÇO FUTURO 1º VENCTO Fonte: Bloomberg 255,0 205,0 201,2 155,0 105,0 55,0 69,2 72,5 87,9 61,7 79,2 67,9 5, Fonte: BLOOMBERG, Bradesco

114 Em US$ / cwt PREÇOS INTERNACIONAIS DE ARROZ Bolsa de Chicago, CBOT preço futuro 1º vencto, US$ por CWT Arroz - Bolsa de Chicago - CBOT Preço futuro 1 vencimento Fonte: Bloomberg 25,0 22,0 20,0 15,0 10,0 10,5 15,1 10,9 17,2 9,5 9,4 11,9 11,5 5,0 0, (**) cada CWT ou hundredwight equivale a 100 pounds, ou 45,36 kg. Fonte: BLOOMBERG, Bradesco

115 PREÇOS INTERNACIONAIS DE MILHO Bolsa de Chicago, preço futuro 1º vencto, em US$ por Bushel Em US$ cents por bushel ,5 Milho - Bolsa de Chicago - CBOT Preço futuro 1º vencimento 803,5 Fonte: Bloomberg ,4 360,3 401, Fonte: BLOOMBERG, Bradesco

116 PREÇOS INTERNACIONAIS DE SOJA Bolsa de Chicago CBTO, preço futuro 1 vencto, US$ cents por Bushel Fonte: Bloomberg em US$ cents por PREÇOS bushel INTERNACIONAIS DE SOJA - BOLSA DE CHICAGO - CBOT PREÇO FUTURO 1º VENCTO Projeção de preço: média dos preços futuros em US$ cents por bushel 1.800, , , , , , ,0 800,0 908, ,2 964, , , ,5 600,0 400,0 542, Fonte: BLOOMBERG, Bradesco

117 PREÇOS INTERNACIONAIS DE TRIGO Bolsa de chicago (CBTO), preço futuro, 1º vencto, em US$cents por Bushel Em US$ cents por Fonte: Bloomberg Elaboração e Projeção: Bradesco TRIGO - BOLSA DE CHICAGO - CBOT PREÇO FUTURO 1º VENCTO , ,3 682, ,4 443,0 518, Fonte: BLOOMBERG, Bradesco

118 PREÇOS INTERNACIONAIS DE AÇÚCAR NYBOT preço futuro 1º vencto US$ cents/libra peso Em US$ cents por libra peso Preços internacionais de açúcar NYBOT Preço futuro 1º Vencto Fonte: Bloomberg Elaboração: Bradesco 33,0 32,1 27,0 22,9 21,0 17,9 21,9 15,0 14,6 15,4 15,5 9,0 8,9 10,7 3, Fonte: BLOOMBERG, Bradesco

119 CAFÉ ARÁBICA PREÇO FUTURO Bolsa de N York (NYBOT), 1º vencto, US$ cents por libra peso Projeção de preço: média dos preços futuros Café em grão - Bolsa de Nova York - NYBOT Em US$ cents por libra peso Fonte: Bloomberg 325,0 275,0 272,1 225,0 175,0 152,0 160,5 125,0 75,0 108,7 118,1 124,2 134,5 25, Fonte: BLOOMBERG, Bradesco

120 PREÇOS INTERNOS AO PRODUTOR DE ALGODÃO Praça SP R$/SC 15kg ALGODÃO PREÇO AO PRODUTOR - PRAÇA SP Fonte: Cepea Esalq 145,0 125,0 130,4 105,0 85,0 65,0 45,0 25,0 74,5 45,3 54,4 37, ,0 Fonte: CEPEA ESALQ, Bradesco

121 PREÇOS INTERNOS AO PRODUTOR DE ARROZ em R$ por saca de 60 kg Praça São Paulo, em R$ por 50kg Arroz - Preço ao produtor - Praça RS Fonte: CEPEA 50,0 50,5 40,0 38,3 37,4 30,0 30,4 34,7 20,0 16,7 19,3 10, Fonte: CEPEA, Bradesco

122 PREÇOS INTERNOS AO PRODUTOR DE FEIJÃO Praça Paraná, R$ por 60 kg em R$ por saca de 60 kg FEIJÃO PREÇO AO PRODUTOR - PRAÇA SP Fonte: IEA SP , Fonte e Projeção: DERAL, Bradesco

123 PREÇOS INTERNOS AO PRODUTOR DE MILHO Praça Paraná, R$ por 60 kg Em R$ por saca de 60 kg Preço pago ao produtor de milho - Paraná Fonte: Deral Elaboração e Projeção: Bradesco Fonte: DERAL, Bradesco

124 PREÇOS INTERNOS AO PRODUTOR DE SOJA Praça Paraná, R$ por SC 60 kg em R$ por saca de 60 kg SOJA EM GRÃO PREÇO AO PRODUTOR - PRAÇA PR Fonte: Deral PR Fonte: DERAL, Bradesco

125 PREÇOS INTERNOS AO PRODUTOR DE TRIGO Praça Paraná, R$ por 60 kg Em R$ por saca de 60 kg TRIGO - PREÇO AO PRODUTOR - PRAÇA PR Fonte: Deral PR Fonte: DERAL, Bradesco

126 PREÇOS INTERNOS DO AÇÚCAR CRISTAL R$/sc 50 kg praça SP Em R$ por saca 50 kg PREÇOS INTERNOS DO AÇÚCAR CRISTAL - PRAÇA SP Fonte: Cepea Esalq Elaboração: Bradesco Fonte: Cepea Esalq, Bradesco

127 PREÇOS INTERNOS DO ÁLCOOL ANIDRO Preço na usina - praça SP - R$/litro em R$ por litro ÁLCOOL ANIDRO Fonte: Cepea Esalq PRAÇA SP ÁLCOOL ANIDRO misturado à gasolina na proporção de 20% a 27%. Tem 99,5% de álcool Fonte: Cepea Esalq, Bradesco

128 PREÇOS INTERNOS DO ÁLCOOL HIDRATADO Preço na usina - praça SP - R$/litro em R$ por litro PREÇOS INTERNOS DO ÁLCOOL HIDRATADO (PREÇO Fonte: NA USINA) Cepea Esalq - PRAÇA SP ÁLCOOL 2003 HIDRATADO usado como combustível nos veículos. Tem 95% de álcool Fonte: Cepea Esalq, Bradesco

129 PREÇO AO PRUDUTOR - CAFÉ ARÁBICA CEPEA ESALQ, Praça SP, R$ por saca de 60 kg Em R$ por saca 60 kg Café Arábica - Preço ao Produtor - Praça São Paulo 2000 Fonte: Cepea Esalq Fonte: Cepea Esalq, Bradesco

130 Sucroalcooleiro

131 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* ÁREA PLANTADA COM CANA-DE-AÇÚCAR NO BRASIL Mil ha Fonte e projeção: Conab Elaboração: Bradesco Área Plantada com Cana-de-Açúcar mil ha Fonte: CONAB, Bradesco

132 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO NACIONAL DE CANA-DE-AÇÚCAR Mil ton Fonte e projeção : Conab Elaboração. Bradesco Produção Nacional de Cana-de-Açúcar mil toneladas Fonte: CONAB, Bradesco

133 em m il t 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUTIVIDADE DA CANA-DE-AÇÚCAR kg por hectare Produtividade da Cana-de-Açúcar Fonte e projeção: Conab Elaboração: ,8 65,0 63,6 61,7 59,0 60,7 58,0 67,8 77,0 79,081,081,6 77,4 73,973,9 69,4 67,1 74,8 70,5 76,9 72,6 73, ,9 52,0 50,3 47,8 45 Fonte: CONAB, Bradesco

134 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO NACIONAL DE AÇÚCAR Mil ton mil toneladas Produção Nacional de Açúcar Fonte: Conab Fonte: CONAB, Bradesco

135 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO NACIONAL DE ETANOL milhões de litros Produção Nacional de Álcool Fonte: Conab Fonte: CONAB, Bradesco

136 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO NACIONAL DE AÇÚCAR E DE ETANOL Produção nacional de açúcar e de etanol Açúcar em mil Fonte e (*) Projeção: Conab Elaboração: Bradesco Açúcar em mil ton - etanol em milhões de litros toneladas Etanol em mil litros AÇÚCAR ÁLCOOL Fonte: CONAB, Bradesco

137 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* ETANOL ANIDRO E HIDRATADO Produção nacional em milhões de litros Produção nacional de etanol anidro e hidratado 1995 em 2012 mil litros Fonte e (*) Projeção: Conab Elaboração: Bradesco ÁLCOOL ANIDRO - misturado à gasolina ÁLCOOL HIDRATADO - usado nos veículos flex fuel Fonte: CONAB, Bradesco

138 Café

139 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* mil ha ÁREA PLANTADA Mil hectares Área Plantada Fonte: CONAB, Bradesco (*) Projeção

140 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* 7,4 7,8 11,2 11,8 14,5 12,9 13,1 15,7 14,9 19,3 17,7 16,6 21,0 19,8 18,9 21,2 21,1 23,2 24,8 24,4 23,3 22,5 24,0 26,3 PRODUTIVIDADE DA LAVOURA DE CAFÉ Em sacas por hectare Em sacas por ha Produtividade da Lavoura de Café Verde 30,0 24,0 18,0 12,0 6,0 0,0 Fonte: CONAB, Bradesco

141 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 17/18* PRODUÇÃO NACIONAL DE CAFÉ Em mil sacas de 60 kg mil sacas de 60 kg Produção Nacional de Café Fonte 2012e projeção (*): Conab Elaboração: Bradesco Safra 17/18 Mil sacas 60 kg Var. % 1º Levantamento Jan/ º Levantamento Mai/ ,04% 3º Levantamento Set/ ,7% 4º Levantamento Dez/ Fonte: CONAB, Bradesco

142 PRODUÇÃO NACIONAL DE CAFÉ ARÁBICA E ROBUSTA 2002/ / / / / / / / / / / / / / / /18* Café Robusta ou Conilon Fonte: CONAB, Bradesco

143 Perfil Setorial

144 PERFIL SETORIAL AGRONEGÓCIO O agronegócio brasileiro tem participação relevante no mercado internacional. Brasil é considerado o único país com condições de ampliar área de forma relevante. Brasil tem a agricultura mais diversificada do globo, tem safra o ano inteiro e conta com clima favorável e terra fértil. O agronegócio tem relevante participação nas exportações brasileiras, responde por 1/3 da pauta exportadora do País. A soja é o carro chefe dos embarques. A agricultura e a pecuária têm participação de 5,2% no PIB do País, segundo o IBGE. Todas as regiões do país têm atividade voltada ao agronegócio.

145 PARTICIPAÇÃO NO PIB 2016 Outros Serviços 38,0% Administração, saúde e educação públicas 17,4% Comércio 12,8% Produção e Distribuição de Eletricidade, gás e água 2,7% Extrativa Mineral Transportes, 2,0% armazenagem e correio 4,49% Indústria de Transformação 11,8% Agropecuária Total 5,00% Construção Civil 5,91% Fonte: IBGE, Bradesco

146 Sazonalidade

147 SAZONALIDADE DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA NACIONAL bienalidade Produto Safra Plantio Colheita Algodão Verão Outubro Março Arroz Verão Outubro Março Feijão Verão Outubro Março Milho 1ª Safra Verão Outubro Março Soja Verão Outubro Março Trigo Inverno Março Agosto Milho 2ª Safra Inverno Março Agosto Café Permanente Maio Suco de Laranja Permanente Maio Cana de açúcar Permanente Maio ELABORAÇÃO: BRADESCO

148 SAZONALIDADE DAS ENTREGAS DE FERTILIZANTES E DA RENDA AGRÍCOLA 15,0% Vendas de Fertilizantes renda agrícola 30,0% 13,0% 25,6% 25,0% 11,0% 20,0% 9,0% 15,0% 7,0% 10,0% 5,0% 4,9% 6,3% 5,0% 3,0% Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez 0,6% 0,0% Fonte: ANDA, Conab, Bradesco

149 Custos de Produção

150 CUSTOS DE PRODUÇÃO o Fertilizantes o Defensivos Agrícolas o Mão-de-Obra o Sementes o Diesel

151 Ranking

152 TRADE INTERNACIONAL o o o GRÃOS o PRODUÇÃO É DISPERSA o EXPORTADORES: AMÉRICAS, RÚSSIA o IMPORTADORES: ÁSIA, ÁFRICA E ORIENTE MÉDIO CAFÉ o PRODUÇÃO E EXPORTAÇÃO NOS PAÍSES TROPICAIS o IMPORTADORES: PAÍSES FRIOS E DESENVOLVIDOS AÇÚCAR o PRODUÇÃO E EXPORTAÇÃO NOS PAÍSES TROPICAIS o IMPORTADORES: PAÍSES EMERGENTES (ÁSIA, ÁFRICA, ORIENTE MÉDIO E RÚSSIA)

153 RANKING MUNDIAL DE GRÃOS Produção Exportação Consumo Importação Soja Milho Trigo Algodão Arroz Soja Milho Trigo Algodão Arroz Soja Milho Trigo Algodão Arroz Soja Milho Trigo Algodão Arroz Brasil 31% 9% 6% 42% 22% 9% 13% 6% 3% 2% 4% EUA 34% 35% 7% 17% 39% 31% 15% 37% 8% 16% 30% 4% 3% 2% China 4% 21% 18% 21% 30% 31% 22% 16% 32% 30% 63% 2% 2% 13% 12% Argentina 17% 4% 2% 6% 19% UE 6% 20% 1% 15% 5% 7% 17% 10% 9% 3% 5% Canadá 1% 4% 3% 12% 1% Paraguai 3% 4% 2% Índia 3% 2% 13% 25% 22% 0% 0% 12% 24% 3% 2% 14% 21% 20% México 2% 4% 3% 11% 3% Rússia 1% 9% 3% 16% 5% Ucrânia 3% 3% 13% 8% Japão 1% 2% 2% 10% 3% Irã 2% 5% 1% 3% Bangladesh 7% 6% 7% 3% 19% Paquistão 4% 8% 10% 9% 7% Fonte: USDA, Bradesco

154 PARTICIPAÇÃO DO BRASIL NO RANKING MUNDIAL DO AGRONEGÓCIO Produto Ranking Produção Participação mundial (%) Trigo ELABORAÇÃO: BRADESCO 9º 1% Ranking Exportação Participação mundial (%) Café 1º 33% 1º 27% Açúcar 1º 21% 1º 43% Carne Avícola 2º 15% 1º 38% Carne Bovina 2º 16% 1º 20% Fumo 2º 13% 1º 27% Suco de Laranja 1º 61% 1º 75% Soja 2º 31% 1º 44% Milho 3º 4% 2º 18% Algodão 5º 6º 3º 12% Carne Suína 4º 3% 4º 9% Celulose 4º 9% Leite em Pó 6º 7% 10º Álcool 2º 28% Arroz 8º 2% Fonte: USDA, Bradesco

155 PRODUÇÃO DE CAFÉ Ranking mundial, safra 2015/16 Guatemala 2,2% Outros 12,8% México 2,3% Uganda 2,5% Brasil 32,9% Honduras 3,9% Vietnã 19,5% Fonte: USDA, Bradesco

156 EXPORTAÇÃO DE CAFÉ Ranking mundial safra 2015/16 México; 2,0% Peru; 2,2% Guatemala; 2,4% Outros 17,5% Brasil 26,6% Uganda; 2,8% Colômbia 9,8% Vietña 23,0% Fonte: USDA, Bradesco

157 CONSUMO DE CAFÉ Ranking mundial safra 2015/16 Outros 23,2% União Europeia 29,6% Vietnã 1,8% Etiópia 2,0% Indonésia 2,1% Rússia 2,7% Canadá 3,2% Japão 5,5% Brasil 13,7% EUA 16,2% Fonte: USDA, Bradesco

158 IMPORTAÇÃO DE CAFÉ Ranking mundial - safra 2015/16 Outros 22,5% União Europeia 38,8% Rússia 3,5% Filipinas 3,5% Canadá 4,1% Japão 6,8% EUA 20,9% Fonte: USDA, Bradesco

159 PRODUÇÃO DE AÇÚCAR Ranking mundial safra 2015/16 África do Sul 1,0% Indonésia 1,3% Guatemala 1,7% Rússia 2,7% Austrália 2,9% Paquistão 3,2% México 3,7% EUA 4,6% Outros 20,1% China 6,1% Brasil 20,3% Índia 16,6% UE 9,4% Tailândia 6,3% Fonte: USDA, Bradesco

160 CONSUMO DE AÇÚCAR Ranking mundial safra 2015/16 Outros 36,6% Índia 16,2% UE 10,9% Tailândia; 1,5% México; 2,7% Paquistão 2,8% EUA 6,2% Brasil 6,5% China 10,1% Indonésia 3,2% Rússia; 3,4% Fonte: USDA, Bradesco

161 EXPORTAÇÃO DE AÇÚCAR Ranking mundial safra 2015/16 África do Sul 1,3% Cuba 1,6% México 2,6% UE 2,7% Guatemala 4,3% Índia 4,6% Austrália 6,7% Outros 16,7% Tailândia 16,1% Brasil 43,4% Fonte: USDA, Bradesco

162 IMPORTAÇÃO DE AÇÚCAR Ranking mundial safra 2015/16 China 10,5% Indonésia 6,1% Outros 57,4% EUA 5,9% UE 5,4% Emirados Árabes 4,8% Rússia 2,2% Malásia 4,0% Coréia do Sul 3,6% Fonte: USDA, Bradesco

163 Regionalização

164 PRODUÇÃO DE GRÃOS Por região, safra 2015/16 Fonte: Conab Elaboração:Participação Percentual na produção nacional de grãos Safra 2011/12 Nordeste 5,3% Norte 3,7% Sudeste 10,4% Centro-Oeste 40,3% Sul 40,3% Fonte: CONAB, Bradesco

165 PRODUÇÃO DE GRÃOS Por estado, safra 2015/16 Fonte: Conab Elaboração: Bradesco VAR. % DA ÁREA DE GRÃOS SAFRA 2012/2013 MT PR RS GO MS MG SP SC BA TO MA PA RO PI DF CE SE RR AC PE 4,06% 3,35% 2,84% 1,57% 1,33% 1,15% 0,85% 0,79% 0,29% 0,12% 0,10% 0,08% 0,06% 0,04% 7,38% 6,33% 9,40% 19,21% 17,70% 23,27% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% Fonte: CONAB, Bradesco

166 PRODUÇÃO DE ARROZ Por estado, safra 2015/16 Part. % Arroz produção RS SC TO MT MA PA RO PR GO MS RR PI SP SE AL MG 9,9% 5,8% 4,1% 2,5% 1,7% 1,4% 1,1% 1,0% 0,6% 0,6% 0,6% 0,4% 0,3% 0,2% 0,1% 69,4% 0,0% 9,0% 18,0% 27,0% 36,0% 45,0% 54,0% 63,0% 72,0% Fonte: CONAB, Bradesco

167 PRODUÇÃO DE FEIJÃO Por estado, safra 2015/16 Part. % Feijão produção MG PR GO MT BA SP RS SC CE MA PE TO PA DF PI MS RO PB AL RN SE ES AM AC RR RJ 2,3% 1,7% 1,6% 1,2% 1,0% 0,9% 1,0% 0,6% 0,7% 0,3% 0,5% 0,4% 0,1% 0,3% 0,2% 0,2% 0,1% 0,1% 5,5% 4,9% 7,1% 4,7% 9,3% 11,3% 20,7% 23,4% 0,0% 6,0% 12,0% 18,0% 24,0% 30,0% Fonte: CONAB, Bradesco

168 PRODUÇÃO DE MILHO 1ª E 2ª SAFRAS Por estado, safra 2015/16 Part. % Milho produção MT PR GO MS MG RS SP SC BA MA PI RO PA TO SE DF CE AC PE PB 2,2% 1,3% 1,1% 1,0% 1,0% 0,8% 0,2% 0,4% 0,2% 0,1% 0,0% 0,0% 4,1% 5,8% 9,7% 9,4% 8,9% 8,9% 23,0% 21,8% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% Fonte: CONAB, Bradesco

169 PRODUÇÃO DE MILHO 1ª SAFRA Por estado, safra 2015/16 RS MG PR SC SP GO BA MA PI PA TO MT DF CE MS RO AC ES PE PB RR AM RN 2,8% 2,7% 2,2% 1,0% 0,8% 0,7% 0,6% 0,6% 0,4% 0,4% 0,2% 0,1% 0,1% 0,0% 0,1% 0,0% 4,8% 7,5% 10,5% 9,2% 12,8% 19,8% 22,9% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% Fonte: CONAB, Bradesco

170 Participação por UF na produção de Milho 2ª Safra 2006/07 PRODUÇÃO DE MILHO 2ª SAFRA Fonte: Conab Por estado, safra 2015/16 MT 37,0% PR 27,4% MS 15,0% GO 11,1% SP MG RO SE TO BA MA 3,6% 2,0% 1,4% 0,3% 0,7% 0,5% 0,4% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% 35,0% 40,0% Fonte: CONAB, Bradesco

171 PRODUÇÃO DE SOJA Por estado, safra 2015/16 Part. % Soja produção MT PR RS GO MS MG BA SP SC TO MA PA PI RO DF RR 0,7% 0,8% 0,2% 0,1% 1,8% 1,3% 1,3% 3,4% 3,0% 2,2% 5,0% 7,6% 10,7% 17,7% 17,0% 27,3% 0,0% 6,0% 12,0% 18,0% 24,0% 30,0% Fonte: CONAB, Bradesco

172 PRODUÇÃO DE TRIGO Por estado, safra 2015/16 Part. % Trigo produção PR 60,7% RS 26,5% SP 4,7% MG 4,4% SC 2,1% GO 0,9% MS 0,5% 0,0% 10,0% 20,0% 30,0% 40,0% 50,0% 60,0% 70,0% Fonte: CONAB, Bradesco

173 PRODUÇÃO DE ALGODÃO Por estado /2016 Part. % Algodão produção MT 68,2% BA 19,2% MS GO MA MG TO PI RN 3,8% 2,8% 2,6% 2,1% 0,7% 0,2% 0,0% 0,0% 9,0% 18,0% 27,0% 36,0% 45,0% 54,0% 63,0% 72,0% Fonte: CONAB, Bradesco

174 PRODUÇÃO DE CAFÉ ARÁBICA Por UF safra 2016/17 BA 3,3% PR RJ 2,8% 0,8% Outros 0,8% ES 8,7% SP 13,6% MG 70,0% Fonte: CONAB, Bradesco

175 PRODUÇÃO DE CAFÉ ROBUSTA Por UF safra 2016/17 MG 3,4% MT 1,2% PA 0,1% Outros 0,8% RO 17,3% BA 13,9% ES 63,3% Fonte: CONAB, Bradesco

176 PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR Por UF safra 2015/2016 PE; 2,0% Outros 3,6% MT; 2,1% AL 2,6% PR 6,7% MS 7,0% MG 10,1% SP 55,2% GO 10,7% Fonte: CONAB, Bradesco

177 Consumidores

178 COMPLEXO SOJA SAFRA SOJA GRÃO 60% exportação 40% moagem 72% farelo 18% óleo 50% exportação 50% mercado interno 20% exportação 80% mercado interno 10% perda e sementes Fonte: CONAB, Bradesco

179 SUCROALCOOLEIRO SAFRA 2016/ % mercado interno CANA DE AÇÚCAR 685 milhões de toneladas 47% Açúcar 53% Etanol 70% exportação 40% Anidro (misturado à gasolina) 60% Hidratado (usado como combustível) 10% China 10% Bangladesh 8% Argélia 94% Mercado Interno 6% Exportação 50% EUA 25% Coréia do Sul Fonte: CONAB E SECEX, Bradesco

180 CAFÉ CAFÉ 50 milhões de sacas de 60 kg 77% Arábica 23% Robusta (ou conilon) 70% Exportação 96% Café verde 4% Café solúvel 50% Europa 22% EUA 7% Japão 2,5% Turquia 2,2% México 30% Mercado Interno 94% Café torrado 6% Café solúvel Fonte: CONAB E SECEX, Bradesco

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL RELATÓRIO DA SAFRA DE SOJA E MILHO REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL Relatório do USDA traz levantamento das regiões de produção de soja no Brasil, com a concentração da produção

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja 1. PREVISÃO DE SAFRA E DESTINAÇÃO De acordo com o 7 Levantamento de safra 2015/16, publicado em abril pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área

Leia mais

Fechamento dos Mercados Quinta-feira 13/10/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif.

Fechamento dos Mercados Quinta-feira 13/10/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif. COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min NOV 956,25 945,50 10,75 959,50 937,25 JAN 964,75 953,50 11,25 967,50 945,25 MAR 971,00 960,25 10,75 974,00 952,00 MAI 978,00 967,25 10,75 980,50 959,75

Leia mais

Trigo: Evolução dos preços recebidos pelos agricultores no PR e RS (jan/03 a abr/08) jan/07 mai/07. jan/06 set/06. set/05

Trigo: Evolução dos preços recebidos pelos agricultores no PR e RS (jan/03 a abr/08) jan/07 mai/07. jan/06 set/06. set/05 Trigo: Porque os preços estão subindo? Os agricultores brasileiros que ainda possuem trigo para vender estão recebendo atualmente um preço em reais, bem superior aos verificados nesta mesma época em anos

Leia mais

ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO

ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO Analista de Mercado Élcio A. Bento elcio@safras.com.br ALGODÃO CIF SÃO PAULO R$/@ Preço Mínimo R$ 44,6/@ ALGODÃO CIF SÃO PAULO R$/2 Jul A FORMAÇÃO DE PREÇOS NO MERCADO

Leia mais

CONJUNTURA MENSAL MAIO

CONJUNTURA MENSAL MAIO SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA MENSAL MAIO ANO 1 Nº1 O mercado de soja tem observado movimentação de queda em seus preços, decorrente principalmente das evoluções no lado da oferta, tanto em âmbito nacional

Leia mais

Fechamento dos Mercados Segunda-feira 07/11/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif.

Fechamento dos Mercados Segunda-feira 07/11/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif. COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min NOV 989,25 981,50 7,75 992,00 981,75 JAN 998,50 990,75 7,75 1.001,75 990,00 MAR 1005,50 997,25 8,25 1.007,75 996,25 MAI 1012,25 1004,00 8,25 1.014,25

Leia mais

mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda

mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda Soja Os preços médios da soja apresentaram pequena queda em fevereiro, como mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda e apresentou variação positiva para fevereiro,

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Outubro de 2015 Safra de grãos recorde contribuirá para o avanço do agronegócio brasileiro neste ano Priscila Pacheco Trigo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos A agricultura brasileira vem mostrando

Leia mais

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015 SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015 ANO 1 Nº9 O ritmo intenso de plantio da soja em Mato Grosso ao longo de todo o mês de novembro contribuiu para que a marca de 95,6% fosse atingida

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Fevereiro de 2015 Panorama Macroeconômico A volatilidade dos preços das commodities, com destaque para o petróleo, as ações dos bancos centrais e seus impactos sobre as economias

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Fevereiro de 2016 Panorama Macroeconômico A confiança das famílias e dos empresários começa a dar alguns sinais de estabilização. Porém se mantém em um patamar ainda muito baixo,

Leia mais

SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2016

SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar Cana-de-açúcar 85 86 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 DÉFICIT NA PRODUÇÃO MUNDIAL DE AÇÚCAR, AUMENTO DA DEMANDA E QUEDA NOS ESTOQUES MANTERÃO TENDÊNCIA DE PREÇOS ALTOS A perspectiva é de

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Abril de 2015 Panorama Macroeconômico As expectativas relacionadas à condução da política econômica continuam pautadas pelo ambiente político, que pode afetar parte do ajuste

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Dezembro de 2015 Panorama Macroeconômico Os dados globais continuam sustentando nossa expectativa de que o crescimento do PIB mundial deste ano será inferior ao registrado no

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Janeiro de 2015 Panorama Macroeconômico O cenário global segue marcado pela elevada volatilidade dada pela queda dos preços das commodities, com destaque para o petróleo, e principalmente

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: FEVEREIRO/2012 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR. Perspectivas 2010

INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR. Perspectivas 2010 Agência Nacional de Segurança Alimentar INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR Perspectivas 2010 Ano: 2010 Mês: Janeiro 1. Resumo Global As perspectivas para a produção mundial de

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas 2017

Balanço 2016 Perspectivas 2017 2203 Valor Bruto da Produção (VBP) 23 24 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 AGRICULTURA PUXA CRESCIMENTO DO VBP EM 2017 O cenário econômico internacional será o responsável pelo comportamento

Leia mais

Esalq a vista 148,77-0,77 149,54

Esalq a vista 148,77-0,77 149,54 COTAÇÕES AGRÍCOLAS SEMANAL SEMANA: 52 sexta-feira, 23 de dezembro de 216 BOI (contrato 33@) - Em R$/@ Esalq a vista 148,77 -,77 149,54 dez/16 149,59 -,12 149,5 149,99 1 2.59 149,71-39,6 jan/17 149,5 1,1

Leia mais

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro CADERNO DE ESTATÍSTICAS Uma publicação da Representação do IICA/Brasil Elaboração: Daniela Faria e Diego Machado 1. Apresentação 2.

Leia mais

1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/15.

1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/15. 1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/15. 1.1 - SOJA No caso da soja a produção mundial nas últimas 2 safras aumentou em 17% e a produção prevista para 2014/15 pelo Departamento

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Janeiro de 2016 Panorama Macroeconômico Os mercados globais iniciaram este ano com elevada volatilidade e aumento da aversão ao risco. A correção da bolsa chinesa, a depreciação

Leia mais

CIP-Brasil. Catalogação-na-publicação. Embrapa Gado de Leite

CIP-Brasil. Catalogação-na-publicação. Embrapa Gado de Leite Ano 7, n. 52 - Junho/2016 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 - Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7400 Fax: (32) 3311-7424 www.embrapa.br www.embrapa.br/fale-conosco/sac

Leia mais

CIP-Brasil. Catalogação-na-publicação. Embrapa Gado de Leite

CIP-Brasil. Catalogação-na-publicação. Embrapa Gado de Leite Ano 7, n. 56 - Outubro/2016 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 - Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7400 Fax: (32) 3311-7424 www.embrapa.br www.embrapa.br/fale-conosco/sac

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Outubro de 2016 Panorama Macroeconômico Os dados de atividade econômica relativos ao terceiro trimestre estão trazendo resultados mais fracos do que os esperados. A retomada

Leia mais

Panorama do setor sucroenergético para a safra atual e perspectivas para 2012/13

Panorama do setor sucroenergético para a safra atual e perspectivas para 2012/13 Panorama do setor sucroenergético para a safra atual e perspectivas para 2012/13 Vanessa Nardy Agribusiness Research & Knowledge Center Pricewaterhouse Coopers Situação do setor sucroenergético no Brasil

Leia mais

PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS. Bebedouro, 21 de junho de 2017

PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS. Bebedouro, 21 de junho de 2017 PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS Bebedouro, 21 de junho de 2017 Disclaimer A INTL FCStone não é responsável por qualquer redistribuição deste

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Pecuária de Leite

Balanço 2016 Perspectivas Pecuária de Leite Pecuária de Leite 121 122 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 TENDÊNCIA MUNDIAL É DE QUEDA NA PRODUÇÃO, MAS BRASIL PODE SER EXCEÇÃO NESTE CENÁRIO A baixa demanda de importantes países importadores

Leia mais

Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas

Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas Soja Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas apresentaram queda no primeiro mês de 2014, como mostra a Tabela 1. O estado de Minas Gerais foi o único que apresentou variação

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Setembro de 2015 Panorama Macroeconômico Os dados globais continuam sustentando nossa expectativa de que o crescimento do PIB mundial em 2015 será inferior ao registrado no ano

Leia mais

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos www.imea.com.br Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos Daniel Latorraca Superintendente Agenda Visão da cadeia de grãos nos últimos 10 anos Visão da pecuária nos últimos

Leia mais

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Equipe Técnica Kennya Beatriz Siqueira - Pesquisadora Embrapa Gado de Leite Alziro Vasconcelos Carneiro - Analista Embrapa Gado de

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Novembro de 2016 Panorama Macroeconômico A frustração com os dados correntes de atividade e a expectativa de uma retomada mais lenta da economia nos fizeram revisar as principais

Leia mais

Redução na produção mundial e brasileira e aumento no consumo trazem preços maiores aos agricultores

Redução na produção mundial e brasileira e aumento no consumo trazem preços maiores aos agricultores Redução na produção mundial e brasileira e aumento no consumo trazem preços maiores aos agricultores Safra mundial menor em 2007/08 Na safra 2007/08, o mundo deve colheu apenas 118,86 milhões de sacas

Leia mais

MILHO: MERCADO E PERSPECTIVAS FUTURAS. Carlos Cogo

MILHO: MERCADO E PERSPECTIVAS FUTURAS. Carlos Cogo MILHO: MERCADO E PERSPECTIVAS FUTURAS Carlos Cogo CENÁRIOS PARA A ECONOMIA MUNDIAL Saída dos EUA da Parceria Transpacífica (TPP) compõem a parceria Japão, Canadá, México, Austrália, Vietnã, Malásia, Peru,

Leia mais

Agronegócio e o Plano Nacional de Exportações

Agronegócio e o Plano Nacional de Exportações Agronegócio e o Plano Nacional de Exportações Alinne B. Oliveira Superintendente de Relações Internacionais Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil CNA 17 de novembro de 2015. O agronegócio e

Leia mais

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 MUNDO Tabela 1. Área, rendimento e oferta e demanda de TRIGO no mundo, safras 2011/12, 2012/13 e 2013/14. Item 2011/2012 2012/2013(A) 2013/2014 (B)

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Março de 2016 Panorama Macroeconômico Os indicadores de atividade divulgados ao longo do ano passado trouxeram, como mensagem principal, uma elevada persistência de contração.

Leia mais

Gestão de Recebíveis. Um Novo Cenário

Gestão de Recebíveis. Um Novo Cenário 2015-16 Gestão de Recebíveis Um Novo Cenário Sobre a recuperação da economia americana: No começo achávamos que viria a recuperação em V, começamos a falar em U, daí passaram para o L - Austan Goolsbee

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 17 de agosto de 2012 Número: 216

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 17 de agosto de 2012 Número: 216 Milho - Análise PESO DA TECNOLOGIA: O valor dos insumos no mês de julho para o plantio do milho 2ª safra 2012/13 tomou rumo contrário ao esperado e reduziu. Adquirindo os insumos para o plantio de milho

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

Agronegócio em Análise

Agronegócio em Análise Outubro de 2012 Aumento de área plantada, alta da produtividade e baixa relação estoque consumo apontam para novo recorde da renda agrícola brasileira Priscila Pacheco Trigo Departamento de Pesquisas e

Leia mais

Cenários Agrícolas 15/16 e 16/17

Cenários Agrícolas 15/16 e 16/17 Cenários Agrícolas 15/16 e 16/17 Soja Milho Trigo André Pessôa 11 de Novembro de 2015 Soja Soja/Mundo Oferta e Demanda (mmt) GAP 320 Produção Consumo 222 211 260 264 239 252 22 13 259 240 268 283 262 276

Leia mais

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL Ano: 20 Mês: Setembro 1. Resumo Global Preços globais dos grãos mantiveram firmes em Setembro, com os preços do trigo atingindo novos picos relativamente

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DE SAFRA SOJA /2015

ACOMPANHAMENTO DE SAFRA SOJA /2015 ACOMPANHAMENTO DE SAFRA SOJA - 2014/2015 Entre os dias 23 e 26 de março foram visitadas propriedades distribuídas entre dezoito (18) municípios para o acompanhamento da safra de soja 2014/15 e acompanhamento

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Setembro de 2016 Panorama Macroeconômico O PIB do segundo trimestre, divulgado no final de agosto pelo IBGE, trouxe notícias mistas. Do lado positivo, o resultado do PIB indicou

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Julho de 2013

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Julho de 2013 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Julho de 2013 Milho: O mês de julho foi marcado por preços em baixa no mercado doméstico e poucos negócios. Em Sorriso/MT apresentaram queda de 15,0% em relação ao mês junho, sendo

Leia mais

Mercado de café termina 2014 com maior baixa de 10 meses

Mercado de café termina 2014 com maior baixa de 10 meses Mercado de café termina 2014 com maior baixa de 10 meses Em dezembro de 2014 os preços do café continuaram a cair e a média mensal do preço indicativo composto da OIC atingiu seu nível mais baixo desde

Leia mais

BOLETIM CUSTO E PREÇO Balanço Janeiro 2011

BOLETIM CUSTO E PREÇO Balanço Janeiro 2011 BOLETIM CUSTO E PREÇO Balanço Janeiro 2011 ARROZ: Os preços de arroz em casca, cotados na terceira semana de janeiro de 2011, vem apresentando uma notável estabilidade, variando positivamente em 0,3% em

Leia mais

Relatório mensal sobre o mercado de café Março de 2015 Mercado de café recua, mas demanda continua vigorosa

Relatório mensal sobre o mercado de café Março de 2015 Mercado de café recua, mas demanda continua vigorosa P Relatório mensal sobre o mercado de café Março de 2015 Mercado de café recua, mas demanda continua vigorosa Em março de 2015 o mercado cafeeiro apresentou queda pelo quinto mês consecutivo, enquanto

Leia mais

UM ANO 4, 10EM JANEIRO UM ANO US$ US$ OUTUBRO 27/10/2016 PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE SOJA E MILHO EM 2016/17

UM ANO 4, 10EM JANEIRO UM ANO US$ US$ OUTUBRO 27/10/2016 PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE SOJA E MILHO EM 2016/17 PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE SOJA E MILHO EM 2016/17 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas SINDIADUBOS CURITIBA (PR), 27/out/16 US$ R$ UM ANO

Leia mais

O TRIGO NO BRASIL E NO MUNDO CADEIA DE PRODUÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO

O TRIGO NO BRASIL E NO MUNDO CADEIA DE PRODUÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO O TRIGO NO BRASIL E NO MUNDO CADEIA DE PRODUÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO Prof José Roberto Canziani DERE/UFPR Profª Vania Di Addario Guimarães DERE/UFPR Agosto - 2009 SEQUÊNCIA DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

Fonte: IMEA

Fonte: IMEA Milhares de toneladas Milho-Análise PREFERÊNCIA SOJA/MILHO: Todo inicio de safra o produtor mato- grossense tem três grandes opções de uso das suas áreas: algodão safra, soja e algodão 2 safra, e o mais

Leia mais

Quadro I - Produção, Consumo, Comércio e Stock

Quadro I - Produção, Consumo, Comércio e Stock MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL Ano: 20 Mês: Janeiro 1. Resumo Global Os preços internacionais dos grãos e oleaginosas aumentaram fortemente em Dezembro e novamente em Janeiro,

Leia mais

Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise. Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado

Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise. Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado Agenda Cenário macroeconômico Internacional Doméstico Mercado agrícola Soja e milho Status da Safra Atual

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO. Novembro de 2016

CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO. Novembro de 2016 CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO Novembro de 2016 1 1 AMBIENTE INTERNACIONAL Fim do longo ciclo de commodities. Desaceleração moderada da China. Aumento de juros nos EUA, mas de forma gradual.

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Agosto de 2013 Ganho de renda agrícola neste ano se concentrou no Sul e Centro-Oeste, enquanto o Nordeste sofreu nova perda por conta de estiagem Priscila Pacheco Trigo Departamento de Pesquisas e Estudos

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: AGOSTO/2016 CEPEA AÇÚCAR & ETANOL I Análise Conjuntural II Séries Estatísticas 1. Relações de preços mercados interno e internacional (paridade

Leia mais

PADRÃO DO LA NIÑA CONTINUA CADA VEZ MAIS PRÓXIMO

PADRÃO DO LA NIÑA CONTINUA CADA VEZ MAIS PRÓXIMO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVIII 11/julho/2016 n. 633 PADRÃO DO LA NIÑA CONTINUA CADA VEZ MAIS PRÓXIMO As novas informações sobre a variação nas temperaturas das águas do oceano Pacífico,

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Boletim n.51, Outubro, AGROPECUÁRIA. Análise do segundo trimestre de 2012 e primeiro semestre de 2012

Boletim de Conjuntura Econômica Boletim n.51, Outubro, AGROPECUÁRIA. Análise do segundo trimestre de 2012 e primeiro semestre de 2012 Tonin et al. 37 CONJUNTURA ECONÔMICA Boletim de Conjuntura Econômica Boletim n.51, Outubro, 2012 5 AGROPECUÁRIA Análise do segundo trimestre de 2012 e primeiro semestre de 2012 Julyerme Matheus Tonin Professor

Leia mais

Volatilidade cambial e commodities. Cenários para 2016

Volatilidade cambial e commodities. Cenários para 2016 Volatilidade cambial e commodities Cenários para 2016 jan-13 mar-13 mai-13 jul-13 set-13 nov-13 jan-14 mar-14 mai-14 jul-14 set-14 nov-14 jan-15 mar-15 mai-15 jul-15 set-15 nov-15 jan-16 mar-16 Trajetória

Leia mais

Informe UBABEF. Grãos. ANO 1 / NÚMERO 3 11 de NOVEMBRO de 2013

Informe UBABEF. Grãos. ANO 1 / NÚMERO 3 11 de NOVEMBRO de 2013 Informe UBABEF Grãos ANO 1 / NÚMERO 3 11 de NOVEMBRO de 2013 Mil toneladas Exportação Brasileira de Milho Milho: Exportações Mensais (1.000 toneladas) 2012 72.980 2013** 81.007 Exportações Mil ton 4.500

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T16

Teleconferência de Resultados 2T16 Teleconferência de Resultados 2T16 1 2 Destaques Receita Líquida de R$100,0 milhões no 6M16. Lucro Líquido de R$45,8 milhões no 6M16. EBITDA Ajustado de R$18,3 milhões no 6M16. Fornecimento de 1,0 milhão

Leia mais

SOJA. Queda de 1,21% no preço médio da saca em MS na terceira semana de setembro, a saca está

SOJA. Queda de 1,21% no preço médio da saca em MS na terceira semana de setembro, a saca está SOJA Queda de 1,21% no preço médio da saca em MS na terceira semana de setembro, a saca está cotada em R$ 71,50. No mês, o preço médio da saca acumula leve alta de 0,35%. Quando comparado a setembro do

Leia mais

Esalq a vista 150,67-0,02 150,69

Esalq a vista 150,67-0,02 150,69 COTAÇÕES AGRÍCOLAS SEMANAL SEMANA: 43 sexta-feira, 21 de outubro de 216 BOI (contrato 33@) - Em R$/@ Esalq a vista 15,67 -,2 15,69 out/16 15,81 -,76 15,7 151, 263 9.546 151,57-25,8 nov/16 152,2 -,58 151,7

Leia mais

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013 Agronegócio em Mato Grosso Abril 2013 Brasil Visão Geral Brasil - Visão Geral Area 8,5 milhões km 2 (5º maior) População (2011) 195 milhões (6 º maior) PIB (2011) US$ 2,47 Trilhões (6 ª maior) Produção

Leia mais

PANORAMA Y PERSPETIVAS DEL MERCADO MUNDIAL PARA EL ARROZ DEL MERCOSUR

PANORAMA Y PERSPETIVAS DEL MERCADO MUNDIAL PARA EL ARROZ DEL MERCOSUR PANORAMA Y PERSPETIVAS DEL MERCADO MUNDIAL PARA EL ARROZ DEL MERCOSUR Tiago Sarmento Barata Mestre em Agronegócios Analista de mercado de arroz Relação comercial entre os países do mercosul... Dez anos

Leia mais

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL Ano: 20 Mês: Outubro 1. Resumo Global Mercados internacionais de grãos permaneceram voláteis em Outubro. Enquanto os preços do milho, soja e

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 25 de fevereiro de 2011 Número: 141. É mesmo

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 25 de fevereiro de 2011 Número: 141. É mesmo Milho - Análise É mesmo MILHO COMPROMETIDO EM PLENO PLANTIO: O Imea realizou na semana o primeiro levantamento de comercialização de milho da corrente safra e o volume comprometido alcança 28,8% no mês

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO. Janeiro de 2017

CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO. Janeiro de 2017 CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO Janeiro de 2017 1 1 AMBIENTE INTERNACIONAL Fim do longo ciclo de commodities, com estabilização dos preços nos últimos meses. Desaceleração moderada da China.

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Julho de 2014 Avanço no campo garantiu ganho de participação do Brasil na produção e no comércio mundial de commodities agrícolas nos últimos anos Priscila Pacheco Trigo Departamento de Pesquisas e Estudos

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO. Julho de 2017

CENÁRIO MACROECONÔMICO. Julho de 2017 CENÁRIO MACROECONÔMICO Julho de 2017 1 AMBIENTE INTERNACIONAL Riscos reduzidos de crise, com o crescimento global se sustentando em ritmo positivo, de forma generalizada. Aumento gradual de juros nos EUA.

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 27 de abril de 2012 Número: 200

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 27 de abril de 2012 Número: 200 Milhões t Milho - Análise GRANDE OFERTA: Os preços do milho continuam em queda constante, desde quando os principais países produtores do mundo (exceto Argentina) anunciaram aumentar a produção e, em contrapartida,

Leia mais

Fundamentos de mercado Grãos.

Fundamentos de mercado Grãos. Fundamentos de mercado Grãos. www.intlfcstone.com www.intlfcstone.com.br Étore Baroni Curitiba PR, 11 novembro 2016 Disclaimer A negociação de derivativos, tais como futuros, opções e swaps pode não ser

Leia mais

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ Comentários referentes ao período entre 23/09/2016 a 29/09/2016 Prof. Dr. Argemiro Luís Brum 1 Jaciele Moreira

Leia mais

CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL

CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL EDSON CSIPAI BUNGE ALIMENTOS S.A. 25-10-2010 A importância do TRIGO no CUSTO dos negócios... Moinho de Trigo 80% Indústria de Macarrão 85% A formação do preço do trigo...

Leia mais

Coletiva de Imprensa REVISÃO DE SAFRA 2012/2013

Coletiva de Imprensa REVISÃO DE SAFRA 2012/2013 Coletiva de Imprensa REVISÃO DE SAFRA 2012/2013 São Paulo, 20 de setembro de 2012 ROTEIRO I. Metodologia e fonte de dados II. Aspectos climáticos e condições agrícolas III. Evolução da safra da região

Leia mais

Setembro/2007 MACROECONOMIA, POLÍTICA, SETORIAL E PROJETOS

Setembro/2007 MACROECONOMIA, POLÍTICA, SETORIAL E PROJETOS Setembro/2007 ! " # $ % " &'( " % # ) % * ) + ",, % ) -.,, + -! 2.0% 1.8% 1.6% 1.4% 1.2% 1.0% 0.8% 0.6% 0.4% 0.2% 0.0% / Dow Jones S&P 500 Jan-07 Jan-07 Jan-07 Feb-07 Feb-07 Mar-07 Mar-07 Apr-07 Apr-07

Leia mais

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO DE CANA CRESCE 1,97% ENTRE 2016 E 2017

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO DE CANA CRESCE 1,97% ENTRE 2016 E 2017 Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XIX /fevereiro/ n. VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO DE CANA CRESCE,% ENTRE E A atualização de janeiro sobre o Valor VBP AGROPECUÁRIA - BRASIL Bruto da Produção [VBP]

Leia mais

Workshop IBBA : Classe C

Workshop IBBA : Classe C (*) Veja última página para informações de investidor e completa listagem da equipe. Workshop IBBA : Classe C Ilan Goldfajn Economista-chefe Itaú Unibanco Roteiro Cenário internacional de ajuste de transações

Leia mais

Volume de Vendas do Varejo Ampliado Acumulado em 12 meses em relação aos 12 meses anteriores. dez/14. set/16. mar/14. dez/13.

Volume de Vendas do Varejo Ampliado Acumulado em 12 meses em relação aos 12 meses anteriores. dez/14. set/16. mar/14. dez/13. dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 mar/14 set/14 mar/15 set/15 mar/16 set/16 Monitor Econômico ASSESSORIA ECONÔMICA Dados divulgados entre 09 e 13 de janeiro Comércio (PMC) Entre outubro

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS FEVEREIRO/2016 Resumo de desempenho Fevereiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No bimestre mês

Leia mais

Heringer Day Novembro de 2016

Heringer Day Novembro de 2016 Heringer Day Novembro de 2016 PROGRAMAÇÃO 15:00 Recepção de Investidores e Analistas 15:30 Mercado de fertilizantes e resultados do 3T16 e 9M16 Dalton Carlos Heringer CEO Rodrigo Bortolini Rezende CFO

Leia mais

SOJA MERCADO INTERNO

SOJA MERCADO INTERNO SOJA MERCADO INTERNO O preço médio da saca em MS recuou 0,94% entre 11 e 24 de janeiro e cotada a R$ 65,63, destaque negativo foi para Campo Grande onde a queda chegou a 2,24% com a saca negociada a R$

Leia mais

Cesta básica apresenta alta em junho

Cesta básica apresenta alta em junho Brasília, 04 de julho de 2013. Cesta básica apresenta alta em junho NOTA À IMPRENSA Em junho, o custo da Cesta Básica no Distrito Federal, segundo Pesquisa realizada pelo DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

Preços dos principais cereais iniciaram o ano em queda

Preços dos principais cereais iniciaram o ano em queda www.arfa.cv Agência de Regulação e Supervisão dos Produtos Farmacêuticos e Alimentares RELATÓRIO DO MERCADO INTERNACIONAL RMMI Nº 56 - MENSAL - Janeiro de 2015 dos principais cereais iniciaram o ano em

Leia mais

GRÃOS TABELA 2 PREÇOS MÉDIOS RECEBIDOS PELOS PRODUTORES

GRÃOS TABELA 2 PREÇOS MÉDIOS RECEBIDOS PELOS PRODUTORES INDICADORES ECONÔMICOS TABELA 1 PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICOS 2015 IPCA acumulado 12 meses anteriores ao mês de abril 8,17% 6,27% IPCA mês de abril 0,71% 0,67% PIB (último trimestre) 0,1% 2,7% 13,25%

Leia mais

DEMANDA MUNDIAL DE ALIMENTOS GARANTE CRESCIMENTO ECONOMICO DO BRASIL

DEMANDA MUNDIAL DE ALIMENTOS GARANTE CRESCIMENTO ECONOMICO DO BRASIL DEMANDA MUNDIAL DE ALIMENTOS GARANTE CRESCIMENTO ECONOMICO DO BRASIL 1-1985-2000: ESTAGNAÇÃO DA AGRICULTURA BRASILEIRA 2-1999: REFORMA CAMBIAL 3-2003: PREÇOS INTERNACIONAIS INICIAM ESCALADA 4- AGRICULTURES

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 03 de fevereiro de 2012 Número: 188. É mesmo

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 03 de fevereiro de 2012 Número: 188. É mesmo 1000 t Milho - Análise BOLETIM SEMANAL É mesmo QUEDA BENÉFICA: Após uma semana de grandes oscilações da cotação internacional do milho, a cultura conseguiu mais uma semana de aumento substancial e começa

Leia mais

FERTILIZANTES HERINGER S/A

FERTILIZANTES HERINGER S/A FERTILIZANTES HERINGER S/A 4,5 bilhões de anos Área + de 51 BILHOES de hectares 71% H2O Somente 3% agua doce +- 15 bilhoes de hectares de terra + de 1 BILHÃO HECTARES PLANTADOS 6.6 BILHOES HABITANTES Previsão

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 16/11/2016 Informações adicionais Safra 2016/2017 1ª quinzena de novembro A moagem pelas unidades produtoras da região Centro-Sul atingiu

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO WALTER ANTÔNIO ADÃO SUPERINTENDENTE DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUARIO E DA SILVICULTURA SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO CENÁRIOS - AGRONEGÓCIO 2

Leia mais

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ CICLO DE PALESTRAS E DEBATES SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ E TRIGO NO BRASIL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal Flávio Turra Gerente Técnico e Econômico da Ocepar fturra@ocepar.org.br

Leia mais

EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO TAXA DE JUROS SELIC

EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO TAXA DE JUROS SELIC Indicadores EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO - 2010-2014 ANO TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB TAXA DE JUROS SELIC TAXA DE CÂMBIO R$/US$ TAXA DE INFLAÇÃO

Leia mais