Mensagem da Administração

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mensagem da Administração"

Transcrição

1 PLANO SGC PREV Relatório anual 2010

2 Mensagem da Administração O ano de 2010 foi especial para a BB Previdência, pois foram introduzidas diversas alterações para que a Entidade tenha uma gestão mais participativa, transparente e com atendimento de excelência aos Patrocinadores, Participantes e Assistidos. Para que essas mudanças se concretizassem, foi necessária a reformulação do Estatuto da BB Previdência, que, após manifestação favorável de todas as Patrocinadoras e do Conselho Deliberativo, teve a aprovação da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (PREVIC). Nesse contexto, podemos destacar como um dos principais avanços, em 2010, o aprimoramento do processo de governança corporativa da BB Previdência, que está mais democrático e participativo. Agora, passamos de 6 para os Planos com assentos nos Conselhos Deliberativo e Fiscal. A representação igualmente ganhou reforço pela introdução de novos prérequisitos para o exercício do cargo de Conselheiro, visando cada vez mais a profi ssionalização daqueles que participam da administração dos planos de previdência complementar. Na direção de um atendimento de excelência, implantamos a Gerência de Relacionamentos e, neste ano, pretendemos criar o Núcleo de Marketing, Comunicação e Canais, com o intuito de colocar a Entidade cada vez mais próxima dos Participantes e Assistidos, bem como concluir a incorporação de novos planos, elevando por consequência os ativos administrados pela BB Previdência e a substituição do novo Sistema de Gerenciamento dos Planos, desenvolvido exclusivamente para atender às necessidades da BB Previdência, o que, diante da automação de diversos procedimentos, minimizará os riscos operacionais. Quanto ao cenário mundial, as diversas crises fi nanceiras ocorridas em países integrantes da Comunidade Europeia e a retomada abaixo das expectativas do crescimento econômico nos EUA refl etiram negativamente no mercado interno, ocasionando difi culdades na superação das metas atuariais. Se em 200 fi camos, na média, 15 pontos percentuais acima da meta atuarial, em 2010 o desempenho fi cou praticamente alinhado. Também revisamos a Política de Investimentos, com o objetivo de maximizar a rentabilidade dos ativos e nos prepararmos ainda mais para cenários de maior concorrência, observados os princípios legais. Com isso, propostas inovadoras foram adotadas, como, por exemplo, a de investimentos estruturados. Uma medida que diversifi ca e inova o portfólio da Entidade. Para concluir as mudanças promovidas na BB Previdência em 2010, baseamonos no pensamento da fi lósofa americana Beatrice Bruteau: Não podemos aguardar que os tempos se modifi quem e nós nos modifi quemos junto, por uma revolução que chegue e nos leve em sua marcha. Nós mesmos somos o futuro. Nós somos a revolução. Este Relatório demonstra a caminhada da BB Previdência em 2010 e, ao mesmo tempo, sintetiza exatamente o futuro dos nossos Participantes e Assistidos. Isto porque a BB Previdência, por meio dos seus planos de previdência complementar, garante um futuro melhor aos brasileiros que dela fazem parte. A construção deste documento vai além da prestação de contas do exercício de Ele também informa sobre como foi a gestão da Entidade e o que há de se revolucionar para o período seguinte. Finalmente, lembramos que a razão de todas essas mudanças tem um só significado: tornar o seu futuro melhor por intermédio da sustentabilidade de seu Plano de Previdência Complementar Fechado. Expedito Afonso Veloso Diretor Presidente Vagner Lacerda Ribeiro Diretor Financeiro e de Investimentos Eugênio Manoel Dias Diretor de Operações e Relacionamento com Clientes

3 Situação do Plano SGC PREV em 2010 O Plano SGC PREV é um plano de benefícios instituído pela Sociedade Goiana de Cultura, com o objetivo de proporcionar uma aposentadoria complementar aos seus empregados. A modalidade do Plano é de Contribuição Variável (CV), o que signifi ca que os benefícios programados apresentam a conjugação das características das modalidades de contribuição defi nida e benefícios defi nidos. Os participantes do Plano têm direito ao Benefício de Aposentadoria quando atingirem as condições previstas no Regulamento. A BB Previdência encerrou 2010 com 42 planos de benefícios ativos, 48 patrocinadoras, 4 instituidores, participantes, aposentados, 128 pensionistas e um patrimônio de R$ 1,313 bilhão. O Plano SGC PREV encerrou o ano de 2010 com 55 participantes ativos e R$ ,00 de recursos garantidores das reservas técnicas. Alterações no Estatuto da BB Previdência O Estatuto Social da BB Previdência, aprovado pela PREVIC em 30/12/2010, passou por profundas transformações de ordem estrutural, redacional, legal, bem como para melhoria da governança. Entre as principais alterações* ocorridas estão: inclusão da independência patrimonial dos planos (Art. 6º); adequação das competências do Conselho Deliberativo (Art. 22); inclusão de competências à Diretoria Executiva e ao Diretor Presidente (Arts. 46 e 47); inclusão de requisitos para o exercício de mandato dos membros dos órgãos estatutários (Art. 11); elevação da representatividade dos planos de benefícios nos Conselhos Deliberativo e Fiscal, de 6 para (Art. 12); impossibilidade de membro de um dos Conselhos exercer, cumulativamente, representação em mais de um Conselho (Art. 13); estabelecimento de critérios de perda do mandato para os membros dos Conselhos Deliberativo e Fiscal e Diretoria Executiva (Arts. 26, 41 e 50); alteração da nomenclatura dos cargos da Diretoria Executiva, bem como a redução de 4 para 3 membros (Art. 43). (*) A íntegra do Estatuto está disponível no site Resumo do Parecer Atuarial A Avaliação Atuarial referente ao exercício de 2010 do Plano SGC PREV foi elaborada na posição 31/12/2010, utilizando o cadastro constante da base de dados da BB Previdência, o qual, após testes de consistência, foi considerado válido para a Avaliação. Nesta reavaliação foram mantidas as mesmas hipóteses e métodos atuariais adotados na avaliação de implantação do Plano, estando esses parâmetros em consonância com a Resolução do Conselho de Gestão da Previdência Complementar n.º 18, de 28 de março de Foi verifi cada a existência de superávit técnicoatuarial em 31/12/2010, sendo esse excedente de R$.016,52 (nove mil, dezesseis reais e cinquenta e dois centavos) alocado em reserva de contingência, conforme determina a normatização vigente. Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado da BB Previdência Sr. Vagner Lacerda Ribeiro (Diretor Financeiro e de Investimentos). Telefone para contato: (61) Fonte de Informações sobre o Plano As informações sobre o Plano SGC PREV constam do Regulamento e do Manual do Participante e podem ser acessadas no site no link Acesso Restrito, por meio de CPF, senha e identificação do acesso na aba Participante, ou consultadas pelo ou na Central de Atendimento , em dias úteis das 8h às 18 h.

4 Demonstrações Contábeis A contabilidade dos Fundos de Pensão difere de outros ramos, inclusive das sociedades anônimas, pela sua especifi cidade, sendo importante conhecer os conceitos, legislação, procedimentos, normas e critérios aplicados. A partir de 2010, a contabilidade das Entidades Fechadas de Previdência Complementar passou a ter novos procedimentos regulamentados pela PREVIC, com o objetivo de se adequar às Normas Internacionais de Contabilidade, propiciar visibilidade e transparência nas operações do plano de benefício e oferecer informações precisas e simplifi cadas aos seus Participantes, Assistidos, Patrocinadores e Instituidores. Para isso, os demonstrativos a seguir foram criados, em substituição ao Demonstrativo Patrimonial e de Resultado do Plano de Benefício. Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Em 31 de dezembro de 2010 e de 200 / Em R$ mil Descrição Atual Anterior Variação % 1. Ativos Disponível Recebível Investimento Fundos de Investimento Ativo Líquido (1234) Provisões Matemáticas Superávit/Déficit Técnico Demonstração do Ativo Líquido (DAL) destinase a evidenciar a composição do Patrimônio e das obrigações acumuladas no fi nal do exercício. Demonstração da Mutação do Ativo Líquido Em 31 de dezembro de 2010 e de 200 / Em R$ mil Descrição Atual Anterior Variação % A) Ativo Líquido Início do 1. Adições (+) Contribuições (+) Resultado Positivo dos Investimentos Gestão Previdencial Destinações (5) () Custeio Administrativo (5) 3. Acréscimo/Decréscimo no Ativo Líquido (1+2) (+/) Provisões Matemáticas (+/) Superávit (Défi cit) Técnico do B) Ativo Líquido Final do (A+3+4) 233 Demonstração da Mutação do Ativo Líquido (DMAL) demonstra a movimentação de entradas (adições) e saídas (destinações) no exercício, cujo resultado é o acréscimo ou decréscimo do ativo líquido (Patrimônio Previdencial), que envolve as reservas para pagamento de aposentadorias futuras. Demonstração das Obrigações Atuariais do Plano de Benefícios Em 31 de dezembro de 2010 e de 200 / Em R$ mil Descrição Atual Anterior Variação % Patrimônio de Cobertura do Plano (1+2) Provisões Matemáticas Benefício a Conceder Contribuição Defi nida Saldo de Contas Parcela Patrocinador(es)/Instituidor(es) Saldo de Contas Parcela Participantes Benefício Defi nido Equilíbrio Técnico 2.1. Resultados Realizados Superávit Técnico Acumulado Reserva de Contingência Demonstração das Obrigações Atuariais do Plano (DOAP) demonstra a composição das reservas para pagamento de aposentadorias futuras dos participantes ativos e assistidos, acumulada no exercício. O equilíbrio técnico demonstra se os recursos financeiros disponíveis são suficientes para a cobertura destas reservas, podendo ser nulo, superavitário ou deficitário.

5 Resumo do Demonstrativo de Investimentos (DI) O presente resumo apresenta as principais informações contidas no Demonstrativo de Investimentos 2010 do Plano SGC PREV, em atendimento à Resolução 3.72/0, do Conselho Monetário Nacional e da Política de Investimentos 2010, elaborada pela Diretoria Executiva da BB Previdência e aprovada pelo Conselho Deliberativo. Alocação de Recursos dos Planos Administrados pela BB Previdência Todos os recursos administrados pela BB Previdência estão alocados em Fundos de Investimentos em gestão compartilhada com a BBDTVM. A tabela a seguir apresenta o total dos recursos garantidores das reservas técnicas (Total dos Investimentos + Disponível Exigível), especificando sua participação em cada Fundo de Investimentos que compõe o patrimônio do SGC PREV. Rentabilidade Acumulada BB Previdência SGC PREV BB Previdência SGC PREV Fundos de Renda Fixa Valor (R$) Valor (R$) Part. (%) Fundos de Renda Fixa Valor R$ Valor R$ Part (%) FIC ,03 FIC ,00 FIC ,04 FIC ,00 Disponível , Disponível ,00 Exigível de Invest ,05 Exigível de Invest ,00 Valores a Pagar/Receb ,00 Valores a Pag/Receb ,00 Recurso Garantidor ,04 Recurso Garantidor ,00 Composição das Carteiras por Participação FIC 5 Segmentos de Aplicação Patrimônio % FIC 1. Segmento de Renda Fixa ,72 84,64 2. Segmento de Renda Variável ,01 15,01 3. Valores a Pagar/Receber e Valores em Tesouraria* ,85 0,36 Patrimônio Líquido do FIC ,58 100,00 FIC 7 Segmentos de Aplicação Patrimônio % FIC 1. Segmento de Renda Fixa ,76 75,41 2. Segmento de Renda Variável ,11 24,42 3. Valores a Pagar/Receber e Valores em Tesouraria* ,58 0,18 Patrimônio líquido do FIC ,4 100,00 (*) Valores referentes a despesas com taxas administrativas, taxas CVM, CETIP, SELIC, auditorias, taxas diferidas, tesouraria e liquidação de renda variável a pagar/receber descontadas nos Fundos de Investimentos no mês de dezembro de A rentabilidade do SGC PREV acumulada em 2010 foi de 8,18%(*). Os investimentos da BB Previdência seguem os princípios de sua Política de Investimentos, aprovada pelo Conselho Deliberativo, elaborada anualmente e revista conforme as conjunturas de mercado, com o principal objetivo de maximizar a rentabilidade dos ativos dos planos mediante as premissas estabelecidas em observância aos princípios legais. Tais premissas consideram os fatores de risco, segurança, liquidez e solvência, cujos conceitos norteiam todas as decisões de investimento da BB Previdência. (*) Rentabilidade proporcional ao período em que o plano SGC PREV ingressou na BB Previdência (a partir do mês de junho 2010). Quadro comparativo SGC PREV x Planos do grupo INPC + 6% a.a. Mês SGC PREV* Média dos planos INPC + 6% a.a. jun/10 1,13% 0,35% jul/10 3,50% 3,24% ago/10 0,26% 0,27% set/10 1,65% 2,23% out/10 1,28% 1,36% nov/10 0,25% 0,1% dez/10 2,16% 2,16% Acumulado ,18%,00% (*) O Plano SGC PREV ingressou na BB Previdência no mês de junho de 2010.

6 Taxa Mínima Atuarial Acumulada A meta atuarial acumulada em 2010 do plano SGC PREV foi de 6,42%(*). (*) Meta atuarial proporcional ao período em que o Plano SGC PREV ingressou na BB Previdência (a partir do mês de junho de 2010). Comparativo da Rentabilidade x Meta Atuarial Apresentamos, a seguir, um quadro comparativo que demonstra o comportamento da rentabilidade e da meta atuarial do Plano SGC PREV, no último ano. Política de Investimentos 2010 A Política de Investimentos é um instrumento estratégico que define claramente as práticas de investimentos de cada plano. É constituída por um conjunto de diretrizes de longo prazo visando a preservação e melhoria da perfomance dos ativos financeiros por meio de um processo prudente de investimento. A aplicação de recursos da Entidade objetiva a maximização da rentabilidade de modo a constituir reservas suficientes para o pagamento dos compromissos do plano, considerando os fatores de risco, segurança, solvência e liquidez. Os recursos do Plano SGC PREV podem ser direcionados dentro dos seguintes segmentos de aplicação com seus respectivos percentuais de alocação: Política de Investimentos Res. CMN 3.72 Segmentos Alocação Objetivo Limite Inferior Limite Superior Limite Legal FIC 5 FIC 7 FIC 5 FIC 7 FIC 5 FIC 7 FIC 5 FIC 7 Renda Fixa 83,47% 74,00% 0% 0% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% Investimentos Estruturados Investimentos no Exterior 3,13% 4,3% 0% 0% 20,00% 20,00% 20,00% 20,00% 0,00% 0,00% 0% 0% 10,00% 10,00% 10,00% 10,00% Renda Variável 16,53% 26,00% 0% 0% 70,00% 70,00% 70,00% 70,00% Ações em Mercado 16,53% 26,00% 0% 0% 70,00% 70,00% 70,00% 70,00% Imóveis 0,00% 0,00% 0% 0% 8,00% 8,00% 8,00% 8,00% Empréstimos e Financiamentos 0,00% 0,00% 0% 0% 15,00% 15,00% 15,00% 15,00% OBS: Fica condicionada a utilização de limite para o segmento de investimento estruturado sempre com permuta entre o limite deste segmento e os limites do segmento de renda variável, por se tratarem de ativos com características e riscos semelhantes. A Política de Investimentos para o exercício de 2011 foi aprovada pelo Conselho Deliberativo da BB Previdência. Os critérios, limites e parâmetros estipulados para a gestão dos recursos foram definidos conforme a Resolução nº 3.72/0 do Conselho Monetário Nacional CMN e as orientações dos órgãos reguladores. Entre as diversas mudanças processadas na Política de Investimentos para o ano de 2011, merecem destaque as mais significativas: a) a reformulação dos benchmarks dos fundos de investimento; e b) a inclusão de um limite para investimentos estruturados, resultando na criação do Fundo Novos Negócios.

7 Enquadramento dos Investimentos A tabela a seguir apresenta o Enquadramento dos Investimentos conforme Resolução nº 3.72/0 do CMN e Política de Investimentos, em percentual relativo ao total dos investimentos por segmento. FIC 5 FIC 7 Segmento Realizado Alocação Objetiva Limite Superior Limite Legal Realizado Alocação Objetiva Limite Superior Limite Legal Renda Fixa 84,4% 83,47% 100,00% 100,00% 75,54% 74,00% 100,00% 100,00% Renda Variável 15,06% 16,53% 70,00% 70,00% 24,46% 26,00% 70,00% 70,00% Imóveis 0,00% 0,00% 8,00% 8,00% 0,00% 0,00% 8,00% 8,00% Investimentos Estruturados 0,00% 3,13% 20,00% 20,00% 0,00% 4,3% 20,00% 20,00% Investimentos no Exterior 0,00% 0,00% 10,00% 10,00% 0,00% 0,00% 10,00% 10,00% Operações com participantes 0,00% 0,00% 15,00% 15,00% 0,00% 0,00% 15,00% 15,00% Composição das Carteiras dos Fundos FUNDOS DE RENDA FIXA Segmento de Aplicação Patrimônio % (RG) Patrimônio % (RG) Renda Fixa ,44 78,66% ,56 75,47% Títulos Públicos Federais ,3 64,11% ,12 67,50% Títulos Privados ,51 14,56% ,44 7,7% Valores a Pagar/Receber (*) ,8 0,04% ,54 0,02% Total de Renda Fixa nos FIC , ,02 FUNDOS DE RENDA VARIÁVEL Segmento de Aplicação Patrimônio % (RG) Patrimônio % (RG) Renda Fixa ,3 0,67% ,8 0,75% Operações Compromissadas ,3 0,67% ,8 0,75% Renda Variável ,83 20,57% ,46 23,5% Ações ,83 20,57% ,46 23,5% Valores a Pagar/Receber (*) ,14 0,01% 5.427,25 0,005% Total de Renda Variável nos FIC ,76 21,24% ,10 24,33% Total Geral dos FIC , ,12 Valores a Receber ,62 0, ,85 Total do Programa de Investimentos , ,7 Disponível ,4 0, ,56 Exigível ,46 0, ,07 Total do Recurso Garantidor (RG) , ,46 (*) valores referentes a despesas com taxas administrativas, taxas CVM, CETIP, SELIC, auditorias, taxas diferidas, tesouraria e liquidação de renda variável a pagar/receber descontadas nos Fundos de Investimentos no mês de dezembro de Despesas com Administração de Recursos e Auditoria Despesas Pessoal e Encargos, Serviços de Terceiro e Despesas Gerais 2010 SGC PREV Valor R$ 5,44 Em 2010, a BB Previdência manteve o contrato de auditoria externa com a PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes, cujo valor pago pelo Plano para execução do serviço foi de R$ 7,26. Valor pago pelo Plano em 2010, referente aos serviços de custódia, gestão e administração de ativos: R$ 2,74.

8 Endereço: SBS Quadra 02 Bloco H Lote 08 Ed. Sede II º, 10º e 11º andares CEP: Brasília DF

Mensagem da Administração

Mensagem da Administração PLANO TRENSURB PREV Relatório anual 2010 Mensagem da Administração O ano de 2010 foi especial para a BB Previdência, pois foram introduzidas diversas alterações para que a Entidade tenha uma gestão mais

Leia mais

Relatório Anual. São Rafael Sociedade de Previdência Privada

Relatório Anual. São Rafael Sociedade de Previdência Privada 2011 Relatório Anual São Rafael Sociedade de Previdência Privada Prezados Participantes: O ano de 2011 foi mais um ano marcado por muitas incertezas nas economias mundiais acarretando uma instabilidade

Leia mais

Plano de Benefícios Enersul

Plano de Benefícios Enersul Plano de Benefícios Enersul ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -204 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -204 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -204 Demonstração do ativo líquido - Plano

Leia mais

PLANO DE APOSENTADORIA COMPLEMENTAR (PAC)

PLANO DE APOSENTADORIA COMPLEMENTAR (PAC) PLANO DE APOSENTADORIA COMPLEMENTAR (PAC) Mensagem da Diretoria Solidez na administração do seu plano de previdência Cuidamos dos recursos para aposentadoria de mais de 55 mil participantes e assistidos,

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL. Resumo. Acesse este relatório na versão tela cheia para aproveitar todos os recursos de visualização

RELATÓRIO ANUAL. Resumo. Acesse este relatório na versão tela cheia para aproveitar todos os recursos de visualização RELATÓRIO ANUAL 2014 Resumo Acesse este relatório na versão tela cheia para aproveitar todos os recursos de visualização 2 Mensagem DA DIRETORIA Prezado Participante, Mais um ano de parceria e confiança

Leia mais

Somos únicos. A previdência é um investimento

Somos únicos. A previdência é um investimento Somos únicos Ninguém é igual a ninguém. Por mais que existam algumas semelhanças entre um grupo de pessoas, sempre seremos diferentes uns dos outros, seja pelos anseios, sonhos, habilidades e objetivos

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2015 MENSAGEM AOS PARTICIPANTES RELATÓRIO ANUAL 2015

RELATÓRIO ANUAL 2015 MENSAGEM AOS PARTICIPANTES RELATÓRIO ANUAL 2015 MENSAGEM AOS PARTICIPANTES O Fundo de Pensão Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional da Paraíba OABPrev- Nordeste apresenta o relatório das suas principais atividades durante o ano

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2014 VERSÃO RESUMIDA

RELATÓRIO ANUAL 2014 VERSÃO RESUMIDA RELATÓRIO ANUAL 2014 VERSÃO RESUMIDA A ACIPREV Fundo Multiinstituído de Previdência Complementar apresenta o relatório das principais atividades da Entidade durante o ano de 2014, resumidamente, como autoriza

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL RESUMO

RELATÓRIO ANUAL RESUMO 2016 RELATÓRIO ANUAL RESUMO 2 MENSAGEM DA DIRETORIA Há quem diga que 2016 ficará para a história. De fato, foi um ano marcado por reviravoltas nos âmbitos político e econômico no cenário nacional e internacional.

Leia mais

Relatório. Anual. Resumo 2015

Relatório. Anual. Resumo 2015 Relatório Anual Resumo 2015 2 Mensagem da Diretoria O ano de 2015 foi marcado por um cenário volátil e conturbado com inflação alta, PIB negativo, escândalos políticos, rebaixamento de grau de investimento

Leia mais

Parecer Atuarial dos Planos de Benefícios Unisys Brasil Ltda. e Unisys Tecnologia Ltda. de 31/12/2013 Unisys-Previ - Entidade de Previdência

Parecer Atuarial dos Planos de Benefícios Unisys Brasil Ltda. e Unisys Tecnologia Ltda. de 31/12/2013 Unisys-Previ - Entidade de Previdência Parecer Atuarial dos Planos de Benefícios Unisys Brasil Ltda. e Unisys Tecnologia Ltda. de Unisys-Previ - Entidade de Previdência Complementar 21 de fevereiro de 2014 CONTEÚDO 1. Introdução... 1 2. Perfil

Leia mais

(Publicado no D.O.U. de 16 de dezembro de 2011, seção 1)

(Publicado no D.O.U. de 16 de dezembro de 2011, seção 1) Resolução CNPC Nº. 8, de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. de 16 de dezembro de 2011, seção 1) Dispõe sobre os procedimentos contábeis das entidades fechadas de previdência complementar, e dá

Leia mais

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC Relatório PREVI 2013 Parecer Atuarial 2013 162 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC 1 OBJETIVO 1.1 O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre

Leia mais

EBC PREV Relatório Anual 2013

EBC PREV Relatório Anual 2013 EBC PREV Relatório Anual 2013 EBC PREV novo.indd 1 Mensagem da Administração A BB Previdência se reafirma como uma das maiores Entidades Fechadas de Previdência Complementar brasileiras, com 73,9 mil participantes

Leia mais

Planos de Contribuição Variável

Planos de Contribuição Variável Planos de Contribuição Variável Relatório Anual 2012 Sumário 3 7 8 11 15 17 22 30 32 PLANO SANASA Parecer Atuarial Balanço do Plano Demonstrativo de Investimentos - 2012 PLANO PETROS 2 Parecer Atuarial

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Tele Centro Oeste Celular Exercício: 2013 e dezembro - R$ Mil

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Tele Centro Oeste Celular Exercício: 2013 e dezembro - R$ Mil Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Tele Centro Oeste Celular Exercício: 20 e 202 dezembro R$ Mil Descrição 20 202 Variação (%) Relatório Anual 20 Visão Prev. Ativos Recebível Investimento

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL RESUMO

RELATÓRIO ANUAL RESUMO RELATÓRIO ANUAL RESUMO 2015 ÍNDICE 03 INFORMAÇÕES SOBRE AS DESPESAS 03 RENTABILIDADE DOS PERFIS DE INVESTIMENTO 03 INVESTIMENTOS 04 PARTICIPANTES AVONPREV 04 RESUMO DO PARECER ATUARIAL 06 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

PARECER ATUARIAL PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS

PARECER ATUARIAL PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PARECER ATUARIAL PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS A data base da avaliação atuarial do Plano Misto de Benefícios, administrado pela Mendesprev Sociedade Previdenciária, objeto deste parecer é 31/12/2010. Objetivo

Leia mais

7 Disponível. 1. Adições. -7 Recebível Investimento -31. (+) Contribuições. -18 Empréstimos e Financiamentos. 2. Destinações

7 Disponível. 1. Adições. -7 Recebível Investimento -31. (+) Contribuições. -18 Empréstimos e Financiamentos. 2. Destinações Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Vivo Prev Período: 205 e 204 dezembro R$ Mil Demonstração da Mutação do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Vivo Prev Período: 205 e 204 dezembro

Leia mais

Política de Investimentos 2008/2012

Política de Investimentos 2008/2012 Política de Investimentos 28/212 Http:\\www.cbsprev.com.br Central de Atendimento: 8-268181 INFORMATIVO N.º 159 7-1-28 VOLTA REDONDA/RJ Plano de 35% da Média Salarial 1. EFPC : Caixa Beneficente dos Empregados

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL TECNOPREV

RELATÓRIO ANUAL TECNOPREV RELATÓRIO ANUAL TECNOPREV Em 2014, foram quase R$100 milhões em benefícios pagos, garantindo a complementação de aposentadoria de mais 2 mil participantes, reforçando nossa missão de Oferecer soluções

Leia mais

Relatório Anual São Rafael Sociedade de Previdência Privada

Relatório Anual São Rafael Sociedade de Previdência Privada 2013 Relatório Anual São Rafael Sociedade de Previdência Privada Prezados Participantes: O ano de 2013 foi um dos anos mais difíceis para as fundações de Previdencia Privada, refletido nas rentabilidades

Leia mais

Prestação de Contas 2008

Prestação de Contas 2008 Prestação de Contas 2008 Prestação de Contas Investimentos Alocação de Recursos Evolução Patrimonial Planos Previdenciários Plano Transitório Plano Misto Plano Assistencial Saúde - AMHOR Odontológico Pesquisa

Leia mais

Resumo das Políticas de Investimentos

Resumo das Políticas de Investimentos Plano Promon MultiFlex O Conselho Deliberativo da Fundação Promon, em reunião ocorrida em 14 de dezembro de 2016, aprovou a revisão da Política de Investimentos do plano MultiFlex, válida para o período

Leia mais

Principais Destaques Aumento do Patrimônio Redução das Despesas Administrativas

Principais Destaques Aumento do Patrimônio Redução das Despesas Administrativas Principais Destaques Aumento do Patrimônio Redução das Despesas Administrativas 1. Apresentação A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313, de 30 de

Leia mais

Plano PBS-Telebrás. Junho/15

Plano PBS-Telebrás. Junho/15 Plano PBS-Telebrás Junho/15 Plano PBS-Telebrás Benefícios programados e de risco na modalidade de Benefício Definido (BD); Benefícios programados e de risco são determinados conforme regra de cálculo préestabelecida

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telemig Celular

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telemig Celular Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telemig Celular Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Disponível Recebível

Leia mais

HEALTH WEALTH CAREER PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM PREVIDÊNCIA

HEALTH WEALTH CAREER PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM PREVIDÊNCIA HEALTH WEALTH CAREER PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM PREVIDÊNCIA 2017 QUEM SOMOS O programa de Desenvolvimento em Previdência conta com os mais de 30 anos de expertise da Mercer para promover treinamentos

Leia mais

ReckittPrev. Relatório Anual. Resumo

ReckittPrev. Relatório Anual. Resumo ReckittPrev Relatório Anual Resumo 2015 Relatório Anual 2015 ÍNDICE Mensagem da Diretoria 2015 3 Demonstrações Financeiras 4 Relatório dos Auditores Independentes 5 Investimentos 7 Resumo das Demonstrações

Leia mais

Parecer Atuarial sobre o Balanço de

Parecer Atuarial sobre o Balanço de CAPESESP - Caixa de Previdência e Assistência dos Servidores da FUNASA Plano de Benefícios Previdenciais dos Empregados da CAPESESP - CNPB n 19.840.001-11 Parecer Atuarial sobre o Balanço de 31.12.2012

Leia mais

PARECER ATUARIAL 2015

PARECER ATUARIAL 2015 PARECER ATUARIAL 2015 Plano de Benefícios 1 1. OBJETIVO 1.1 O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre a qualidade da base cadastral, as premissas atuariais, o custo e plano de custeio

Leia mais

Parecer Atuarial. Rio de Janeiro, 24 de janeiro de STEA: 45/2014/051. Ilma. Sra. Dra. Mariza Giannini M. D. Diretora Superintendente da FAPES

Parecer Atuarial. Rio de Janeiro, 24 de janeiro de STEA: 45/2014/051. Ilma. Sra. Dra. Mariza Giannini M. D. Diretora Superintendente da FAPES Parecer Atuarial Rio de Janeiro, 24 de janeiro de 2014. STEA: 45/2014/051 Ilma. Sra. Dra. Mariza Giannini M. D. Diretora Superintendente da FAPES Ref: Parecer Atuarial sobre a Avaliação Atuarial em 31/12/2013

Leia mais

Linha do Tempo Previdenciária Secretaria do Ministério da Fazenda

Linha do Tempo Previdenciária Secretaria do Ministério da Fazenda Contextualizando Linha do Tempo Previdenciária 2016 Secretaria do Ministério da Fazenda Taxa de juros Rentabilidade dos Fundos de Pensão entre 1995 e 2012, em dezoito anos, apenas cinco apresentaram rentabilidades

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2005.0015-38] PB DME - II ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2012 Atuário

Leia mais

Contador CRC/RJ O CPF: CPF:

Contador CRC/RJ O CPF: CPF: FUNDAÇÃO ATLÂNTICO DE SEGURIDADE SOCIAL BALANÇO PATRIMONIAL A T I V O 31 DE DEZEMBRO DE 2015 R$ mil Exercício Exercício Exercício Exercício P A S S I V O 2015 2014 2015 2014 DISPONÍVEL (Nota 5.1) 200 227

Leia mais

Resumo do Relatório Anual de Informações RAI 2014 Plano PRV Saldado

Resumo do Relatório Anual de Informações RAI 2014 Plano PRV Saldado Resumo do Relatório Anual de Informações RAI 2014 Plano PRV Saldado Sociedade de Previdência Complementar da Dataprev Prevdata Plano Plano PRV Saldado Resumo do Relatório Anual de Informações - RAI 2014

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular Demonstrativos Financeiros Relatório Anual 2014 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Telest Celular Período: 2014 e 2013 dezembro R$ Mil Descrição 2014 2013 Variação (%)

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012 (Do Sr. Ricardo Berzoini) O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012 (Do Sr. Ricardo Berzoini) O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012 (Do Sr. Ricardo Berzoini) Altera disposições das Leis Complementares 108 e 109, de 29 de maio de 2001, sobre o Regime de Previdência Complementar. O CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

Monitoramento de Riscos Atuariais CGMA/PREVIC. São Paulo, 29 de novembro de

Monitoramento de Riscos Atuariais CGMA/PREVIC. São Paulo, 29 de novembro de Monitoramento de Riscos Atuariais CGMA/PREVIC São Paulo, 29 de novembro de 2011 1 Sistema de Previdência Complementar Planos de Previdência Avaliação Atuarial Mapeamento de Risco Atuarial no Mercado Novas

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [61.155.248/0001-16] FUNDACAO ITAU UNIBANCO - PREVIDENCIA COMPLEMENTAR PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1980.0015-29] PLANO BÁSICO ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2015 Atuário

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 E DE 2002 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 E DE 2002 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 E DE 2002 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA - FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE

Leia mais

Parecer Atuarial do Plano II de Aposentadoria Fundação Banestes de Seguridade Social - BANESES. 29 de janeiro de 2013

Parecer Atuarial do Plano II de Aposentadoria Fundação Banestes de Seguridade Social - BANESES. 29 de janeiro de 2013 Parecer Atuarial do Plano II de Aposentadoria Fundação Banestes de Seguridade Social - 29 de janeiro de 2013 CONTEÚDO 1. Introdução... 1 Perfil dos Participantes... 1 Participantes Ativos... 1 Participantes

Leia mais

Manual do Aposentado HCPA PREV

Manual do Aposentado HCPA PREV Manual do Aposentado HCPA PREV SUMÁRIO Seu benefício 3 Qual a diferença entre Aposentado, Beneficiário e Pensionista? Quando é realizado o pagamento do Benefício? Quando o benefício é reajustado? Quando

Leia mais

PARECER ATUARIAL FUNDAÇÃO ENERSUL

PARECER ATUARIAL FUNDAÇÃO ENERSUL PARECER ATUARIAL Exercício de 2016 FUNDAÇÃO ENERSUL Plano de Benefícios I Janeiro de 2017 2 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o PLANO DE BENEFÍCIOS I da FUNDAÇÃO ENERSUL, que foi instituído em 18/07/1989

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [18.868.955/0001-20] FUNDACAO GEAPPREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2005.0006-47] GEAPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2015 Atuário Responsável ADILSON MORAES DA

Leia mais

https://portalspc.previdencia.gov.br/daiea/emitirprotocolo.do?method=emitirprotocolo

https://portalspc.previdencia.gov.br/daiea/emitirprotocolo.do?method=emitirprotocolo .: Sicadi :. https://portalspc.previdencia.gov.br/daiea/emitirprotocolo.do?method=emitirprotocolo Página 1 de 1 17/07/2015 A Instituição Previdência Social Previdência Complementar Previdência do Servidor

Leia mais

DOUTOR MAURÍCIO CARDOSO-RS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

DOUTOR MAURÍCIO CARDOSO-RS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS RPPS Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor FAPS DOUTOR MAURÍCIO CARDOSO-RS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2013 1. FINALIDADE DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS Este documento estabelece o modelo de investimentos

Leia mais

Equilíbrio Atuarial dos Planos de Benefício Definido BD. Cícero Rafael Barros Dias

Equilíbrio Atuarial dos Planos de Benefício Definido BD. Cícero Rafael Barros Dias Equilíbrio Atuarial dos Planos de Benefício Definido BD Cícero Rafael Barros Dias Out/2014 1 AGENDA 1. Introdução 2. Base Normativa Geral 3. Principais Riscos Atuariais das EFPC s 4. Controles de Risco

Leia mais

Parecer Atuarial Plano de Aposentadoria ABBPREV. ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 8 DE MARÇO DE 2012

Parecer Atuarial Plano de Aposentadoria ABBPREV. ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 8 DE MARÇO DE 2012 Parecer Atuarial Plano de Aposentadoria ABBPREV ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 8 DE MARÇO DE 2012 CONTEÚDO 1. Introdução... 1 2. Perfil dos Participantes... 2 Participantes Ativos... 2 Participantes

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev Demonstrativos Financeiros Relatório Anual 2014 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Vivo Prev Período: 2014 e 20 dezembro R$ Mil Descrição 2014 20 Variação (%) 1. Ativos 896.289

Leia mais

Relatório Anual. São Rafael Sociedade de Previdência Privada

Relatório Anual. São Rafael Sociedade de Previdência Privada Relatório Anual São Rafael Sociedade de Previdência Privada 2015 O ano de 2015 foi muito importante para todos participantes, pois comemoramos juntos os 30 anos de existência da São Rafael. Foi também

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

PARECER ATUARIAL PLANO DE APOSENTADORIA ABBPREV ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 14 DE FEVEREIRO DE 2014

PARECER ATUARIAL PLANO DE APOSENTADORIA ABBPREV ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 14 DE FEVEREIRO DE 2014 PLANO DE APOSENTADORIA ABBPREV ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 14 DE FEVEREIRO DE 2014 CONTEÚDO 1. Introdução... 1 2. Perfil dos Participantes... 2 3. Hipóteses e Métodos Atuariais Utilizados...

Leia mais

Elementos Mínimos. do Relatório de. Avaliação Atuarial

Elementos Mínimos. do Relatório de. Avaliação Atuarial Elementos Mínimos do Relatório de Avaliação Atuarial Comissão de Normas Técnicas 1 ÍNDICE 1. Sumário Executivo...3 2. Dados de Participantes (Avaliação atual e anterior)...3 3. Hipóteses (Avaliação atual

Leia mais

Contador CRC/RJ O CPF: CPF:

Contador CRC/RJ O CPF: CPF: FUNDAÇÃO ATLÂNTICO DE SEGURIDADE SOCIAL BALANÇO PATRIMONIAL A T I V O 31 DE DEZEMBRO DE 2014 R$ mil Exercício Exercício Exercício Exercício P A S S I V O 2014 2013 2014 2013 DISPONÍVEL 227 197 EXIGÍVEL

Leia mais

Relatório Anual Resumo BASF Sociedade de Previdência Complementar

Relatório Anual Resumo BASF Sociedade de Previdência Complementar Relatório Anual Resumo 2016 BASF Sociedade de Previdência Complementar BASF Sociedade de Previdência Complementar Índice Mensagem da Diretoria 3 Composição dos Conselhos e Diretoria 4 Perfil dos Participantes

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.689.795/0001-50] BRF PREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1996.0047-19] PSPP ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável MONICA TEIXEIRA DE ANDRADE MIBA:

Leia mais

DADOS DOS PLANOS DATAS PLANOS APROVAÇÃO INÍCIO ÚLTIMA ALTERAÇÃO VALOR DE RESGATE NÚMERO DE EMPREGADOS

DADOS DOS PLANOS DATAS PLANOS APROVAÇÃO INÍCIO ÚLTIMA ALTERAÇÃO VALOR DE RESGATE NÚMERO DE EMPREGADOS SIGLA: FUNCEF 1 CÓDIGO: 01523 RAZÃO SOCIAL: FUNCEF-FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS NÚMERO DE PLANOS: 2 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS

Leia mais

Sociedade Civil FGV de Previdência Privada Regulamento do Plano de Gestão Administrativa

Sociedade Civil FGV de Previdência Privada Regulamento do Plano de Gestão Administrativa Sociedade Civil FGV de Previdência Privada Regulamento do Plano de Gestão Administrativa Aprovado pelo Conselho Deliberativo na reunião realizada em 15/01/2010 Conteúdo 1. Do Objeto...1 2. Das Definições...2

Leia mais

1. PLANO DE BENEFÍCIOS II CODEPREV

1. PLANO DE BENEFÍCIOS II CODEPREV 1. PLANO DE BENEFÍCIOS II CODEPREV 1.1.1 Notas Explicativas COMPOSIÇÃO DO ATIVO 2.1.1.1 Gestão Previdencial Constituída por provisões de contribuições a receber: a. Patrocinador R$ 543 mil; b. Participantes

Leia mais

Secretaria de Previdência Complementar - DRAA

Secretaria de Previdência Complementar - DRAA Página 1 de 10 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 4 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA

Leia mais

Manual de Governança Corporativa

Manual de Governança Corporativa Documento: Área Emitente: Manual de Governança Corporativa Assessoria de Planejamento, Orçamento, Controle e Regulatório HISTÓRICO DAS REVISÕES Rev. nº. Data Descrição 01 19/12/2012 Segregação do Manual

Leia mais

Perspectivas para o Mercado Regulação

Perspectivas para o Mercado Regulação 20º Encontro Nacional de Líderes do Mercado Segurador Perspectivas para o Mercado Regulação 07 de fevereiro de 2015 Carlos de Paula Diretor-Superintendente Agenda O Sistema de Previdência Complementar

Leia mais

A Política de Investimentos e o Orçamento Anual para 2009 foram aprovados pelo Conselho Deliberativo em reunião de 30 de dezembro de 2008.

A Política de Investimentos e o Orçamento Anual para 2009 foram aprovados pelo Conselho Deliberativo em reunião de 30 de dezembro de 2008. 1. APRESENTAÇÃO Segundo a Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar ABRAPP, a crise financeira global fez o patrimônio dos fundos de pensão brasileiros perder cerca de 20

Leia mais

Capítulo I Das Fontes de Custeio e seus limites Capítulo II Do Processo de elaboração do Orçamento Anual... 3

Capítulo I Das Fontes de Custeio e seus limites Capítulo II Do Processo de elaboração do Orçamento Anual... 3 ÍNDICE PÁGINA Capítulo I Das Fontes de Custeio e seus limites... 2 Capítulo II Do Processo de elaboração do Orçamento Anual... 3 Capítulo III Da execução do Orçamento Anual... 3 Capítulo IV Do controle,

Leia mais

Por favor, mantenham seus celulares desligados ou no modo silencioso.

Por favor, mantenham seus celulares desligados ou no modo silencioso. Por favor, mantenham seus celulares desligados ou no modo silencioso. Nossa equipe Carla Rejane Gomes Benites Marcus Vinicius Soares Itapuã Molina Berchon Claudiomar Gautério de Farias Juarez Emílio Moehlecke

Leia mais

Superintendência Nacional de Previdência Complementar - Previc - DRAA

Superintendência Nacional de Previdência Complementar - Previc - DRAA Página 1 de 10 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 6 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.020-38 - PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PAQUETÁPREV DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

Leia mais

CONTEÚDO página GOVERNANÇA CORPORATIVA 3 RENTABILIDADE DOS RECURSOS GARANTIDORES ENTENDENDO OS DOCUMENTOS RESUMO DO DEMONSTRATIVO DE INVESTIMENTOS

CONTEÚDO página GOVERNANÇA CORPORATIVA 3 RENTABILIDADE DOS RECURSOS GARANTIDORES ENTENDENDO OS DOCUMENTOS RESUMO DO DEMONSTRATIVO DE INVESTIMENTOS CONTEÚDO página APRESENTAÇÃO 3 GOVERNANÇA CORPORATIVA 3 PARTICIPANTES 4 RENTABILIDADE DOS RECURSOS GARANTIDORES ENTENDENDO OS DOCUMENTOS INVESTIMENTOS RESUMO DO DEMONSTRATIVO DE INVESTIMENTOS DESPESAS

Leia mais

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda. PARECER ATUARIAL

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda. PARECER ATUARIAL PARECER ATUARIAL V.1- Custos para o exercício seguinte em relação ao anterior: 1) A aplicação da metodologia de cálculo atuarial estabelecida para o plano de benefícios da FUNCASAL, utilizando as hipóteses

Leia mais

Parecer Atuarial sobre o Balanço de

Parecer Atuarial sobre o Balanço de CAPESESP - Caixa de Previdência e Assistência dos Servidores da FUNASA Plano de Benefícios Previdenciais dos Trabalhadores da FUNASA - CNPB n 1984.0002-92 Parecer Atuarial sobre o Balanço de 31.12.2015

Leia mais

Demonstração dos Fluxos de Caixa - Método direto Período de 01 de janeiro a 30 de junho de 2016 (Em mulhares de Reais)

Demonstração dos Fluxos de Caixa - Método direto Período de 01 de janeiro a 30 de junho de 2016 (Em mulhares de Reais) Cibrasec Crédito Imobiliário - Fundo de Investimento Imobiliário CNPJ: 13.464.208/0001-03 (Administrado pela Oliveira Trust Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A) Demonstração dos Fluxos de

Leia mais

Página 1 de 9 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 32 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.820.015-18 - PLANO DE BENEFÍCIOS I - FNTTA 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8-

Leia mais

Alocação Atual x Limite Legal

Alocação Atual x Limite Legal Relatório de Avaliação da Política de Investimento Relatório Semestral 2º semestre de 2010 Relatório de Avaliação da Política de Investimento 2º semestre de 2010 O presente relatório tem por objetivo avaliar

Leia mais

93,60% Renda Variável ,09. 5,02% Investimento Imobiliário ,56. 0,00% Empréstimos e Financiamentos 0,00

93,60% Renda Variável ,09. 5,02% Investimento Imobiliário ,56. 0,00% Empréstimos e Financiamentos 0,00 Resumo do DI - VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREV COMPLEMENTAR Demonstrativo de Investimentos - DI Ano de 2015 (Posição dos Investimentos: 31/12/2015) Com objetivo de atender a legislação vigente, informamos

Leia mais

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Riscos de Capital

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Riscos de Capital Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Riscos de Capital 2014 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 4 4. PLANO DE CAPITAL... 7 2 1. Introdução

Leia mais

SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO. Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007

SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO. Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007 SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007 Premissas na estruturação do regime complementar Criar um regime previdenciário orientado principalmente

Leia mais

Relatório do Administrador 1º Semestre 2015

Relatório do Administrador 1º Semestre 2015 Relatório do Administrador 1º Semestre 2015 Em conformidade com o Artigo n. 39 da Instrução desta CVM n. 472, de 31 de outubro de 2008, apresentamos o relatório do administrador do Fundo de Investimento

Leia mais

SINTESE DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2011/2015.

SINTESE DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2011/2015. SINTESE DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 0/05. Este Informativo apresenta, de forma resumida, a Política de Investimentos da que estabelece os princípios e diretrizes que devem reger os investimentos dos recursos

Leia mais

Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira.

Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira. Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira. Comitê de Investimentos RELATORIO GESTÃO FINANCEIRA janeiro/2016

Leia mais

Regulamento do Plano e direitos dos participantes e assistidos

Regulamento do Plano e direitos dos participantes e assistidos T R A N S PA R Ê N C I A A Prestação de Contas tem como objetivo trazer pessoalmente, aos participantes e assistidos, informações relevantes a respeito de temas como: Regulamento do Plano e direitos dos

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - TVA

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - TVA Demonstrativos Financeiros Relatório Anual 2014 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios TVA Período: 2014 e 2013 dezembro R$ Mil Descrição 2014 2013 Variação (%) 1. Ativos 14.922

Leia mais

Prestação de Contas Exercício 2009

Prestação de Contas Exercício 2009 Prestação de Contas Exercício 2009 PRESTAÇÃO DE CONTAS Plano CELOS Saúde Planos Previdenciários (Transitório e Misto) Investimentos Alocação de Recursos Evolução Patrimonial Pesquisa de Satisfação PRESTAÇÃO

Leia mais

3.2: O cadastro que serviu de base para o processamento dessa Avaliação foi levantado nas seguintes datas de referência:

3.2: O cadastro que serviu de base para o processamento dessa Avaliação foi levantado nas seguintes datas de referência: Parecer Atuarial Rio de Janeiro, 25 de fevereiro de 2013. STEA:- 64/2013/051 Ilmo. Sr. Dra. Mariza Giannini M.D. Diretora Superintendente da FAPES Ref:- Parecer Atuarial sobre a Avaliação Atuarial de 31/12/2012

Leia mais

FUNDAÇÃO CASAN DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR CASANPREV

FUNDAÇÃO CASAN DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR CASANPREV FUNDAÇÃO CASAN DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR CASANPREV DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO PERÍODO DE 1 DE AGOSTO A 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é uma

Leia mais

O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar

O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar Nilton Santos, 17 de agosto de 2017 1 O Regime de Previdência Complementar - RPC 2 Sistema de previdência Regime Geral Regimes Próprios Previdência

Leia mais

Relatório Anual do Participante

Relatório Anual do Participante Relatório Anual do Participante 2015 Prezado Participante, Apresentamos o Relatório Anual do Participante 2015 da CitiPrevi Entidade Fechada de Previdência Complementar - com os resultados do seu plano

Leia mais

Balancete. Março/2016

Balancete. Março/2016 Executado por: Unidade: BBPF0291 GECON JEFERSON GONÇALVES CAMARGO Parâmetros Passados: Mês/Ano: Seq. Validade Plano : 1 17 104 3 BBPREV UNIDAVI UNIDAVI PREV CD Página: 1 100000000000 110000000000 111000000000

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Janeiro/2012

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Janeiro/2012 1 ATIVO 96.188.642,25 D 6.390.113,18 4.158.982,72 98.419.772,71 D 1.1 DISPONÍVEL 197.613,09 D 2.038.125,38 1.993.131,39 242.607,08 D 1.1.1 IMEDIATO 197.613,09 D 2.038.125,38 1.993.131,39 242.607,08 D 1.1.1.2

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: ITAUBANCO 2- CÓDIGO: RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO ITAUBANCO 4- NÚMERO DE PLANOS: NÚMERO DE EMPREGADOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: ITAUBANCO 2- CÓDIGO: RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO ITAUBANCO 4- NÚMERO DE PLANOS: NÚMERO DE EMPREGADOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 7 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.790.009-56 - PLANO DE BENEFÍCIOS 002 DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO

Leia mais

Glossário de Termos Técnicos da Previdência Complementar

Glossário de Termos Técnicos da Previdência Complementar Glossário de Termos Técnicos da Previdência Complementar GLOSSÁRIO Este glossário tem como objetivo apresentar as expressões e termos utilizados no contexto da Previdência Complementar, em especial dos

Leia mais

Parecer Atuarial do Plano de Benefício Definido do Encerramento do Exercício de 31/12/2013 Instituto de Seguridade Social da CEG - GASIUS 26 de

Parecer Atuarial do Plano de Benefício Definido do Encerramento do Exercício de 31/12/2013 Instituto de Seguridade Social da CEG - GASIUS 26 de Parecer Atuarial do Plano de Benefício Definido do Encerramento do Exercício de 31/12/2013 Instituto de Seguridade Social da CEG - GASIUS 26 de fevereiro de 2014 CONTEÚDO 1. Introdução... 1 2. Perfil dos

Leia mais

CIFRÃO. Fundação de Previdência da Casa da Moeda do Brasil. Política de Investimentos Plano de Benefício Definido Cifrão - PBDC

CIFRÃO. Fundação de Previdência da Casa da Moeda do Brasil. Política de Investimentos Plano de Benefício Definido Cifrão - PBDC CIFRÃO Fundação de Previdência da Casa da Moeda do Brasil Política de Investimentos 2017-2021 Plano de Benefício Definido Cifrão - PBDC Esta Política de Investimentos tem por finalidade estabelecer os

Leia mais

Resumo do Relatório Anual Exercício Plano B. PSS - Seguridade Social

Resumo do Relatório Anual Exercício Plano B. PSS - Seguridade Social Resumo do Relatório Anual Exercício 04 Plano B PSS Seguridade Social Apresentação Este relatório resumo foi elaborado conforme a Instrução Normativa número 3 de 04 da Superintendência Nacional de Previdência

Leia mais

Plano de Benefícios CD da OABPREV-SP

Plano de Benefícios CD da OABPREV-SP POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2007 Este documento, que passa a vigorar a partir de 01 de janeiro de 2007, estabelece as bases sobre as quais os ativos do plano administrado pela OABPREV-SP poderão ser investidos

Leia mais

CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS DO CONSELHO FISCAL

CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS DO CONSELHO FISCAL CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS DO CONSELHO FISCAL 2º SEMESTRE DE 2015 RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS 2º SEMESTRE DE 2015 MANIFESTAÇÃO DO CONSELHO

Leia mais

MANUAL DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA REFER

MANUAL DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA REFER MANUAL DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA REFER 1. Apresentação A Fundação Rede Ferroviária de Seguridade Social - REFER, Entidade Fechada de Previdência Complementar - EFPC, tem por finalidade atuar direcionada

Leia mais

Sociedade Civil de Previdência Privada 1º Encontro de Representantes- 2013

Sociedade Civil de Previdência Privada 1º Encontro de Representantes- 2013 Sociedade Civil de Previdência Privada 1º Encontro de Representantes- 2013 Agenda Hora Atividade 08:30 - Planejamento para 2013 08:40 - Resultados 2012 09:30 - Portal dos Representantes 09:45 - Resultados

Leia mais

Manual de Governança Corporativa. Previplan - Sociedade de Previdência Privada

Manual de Governança Corporativa. Previplan - Sociedade de Previdência Privada Manual de Governança Corporativa Previplan - Sociedade de Previdência Privada Manual de Governança Corporativa Índice 1. Apresentação... 3 2. Governança... 4 3. Manual Governança... 5 4. Ideais Corporativos...

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA - ALBAPREV

INSTITUTO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA - ALBAPREV INSTITUTO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA - ALBAPREV DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 I BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO

Leia mais

Dados do Plano. Resultado da Avaliação Atuarial. Data da Avaliação: 31/12/2009

Dados do Plano. Resultado da Avaliação Atuarial. Data da Avaliação: 31/12/2009 AVALIAÇÃO ATUARIAL Data da Avaliação: 31/12/2009 Dados do Plano Nome do Plano: Plano Único da CGTEE CNPB: 19.790.045-11 Patrocinadora: Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica - CGTEE Data Início:

Leia mais