Desenvolvimento como liberdade

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desenvolvimento como liberdade"

Transcrição

1 Desenvolvimento como Liberdade PET - Economia - UnB 02 de julho de 2013

2 Amartya Kumar Sen Amartya Sen 03 de novembro de 1933: nasceu em Santiniketan, atual Bangladesh. 1959: PhD Trinity College, Cambridge University. 1998: recebeu o prêmio Nobel de economia por suas contribuições acerca da economia do bem - estar social. recebeu mais de 90 diplomas honorários incluindo das universidades de Havard, Yale, Columbia, Oxford, entre outras. atualmente é professor de Economia e Filosofia em Havard.

3 Amartya Kumar Sen Amartya Sen

4 A forma do desenvolvimento A forma do desenvolvimento Liberdade como meio do desenvolvimento A Perspectiva da Liberdade A expansão do produto como perspectiva do desenvolvimento só é válida se ela ocasionar a expansão das liberdades reais. Por liberdades reais entende-se as liberdades substantivas, que são as liberdades básicas que uma pessoa deve ter, que provoque a expansão de suas capacidades de forma que ela possa levar o tipo de vida que valoriza. As capacidades podem ser aumentadas pelas poĺıticas públicas mas tais poĺıticas podem ser influenciadas pelas capacidades pré-existentes. Deve-se portanto, remover as principais privações de liberdade: pobreza e tirania, para que ocorra o desenvolvimento.

5 A forma do desenvolvimento Liberdade como meio do desenvolvimento A Perspectiva da Liberdade Liberdade como meio do desenvolvimento Liberdades instrumentais, que relacionam-se entre si: 1 Liberdades Poĺıticas 2 Facilidades Econômicas 3 Oportunidades Sociais 4 Garantia de transparência 5 Segurança Protetora

6 A Perspectiva da Liberdade A forma do desenvolvimento Liberdade como meio do desenvolvimento A Perspectiva da Liberdade A riqueza só é desejável se ela servir como meio para obter liberdades substantivas. A obtenção da liberdade é importante por dois fatores: Importante por si mesmo e por favorecer a oportunidade da pessoa obter resultados valiosos. O baixo nível de renda pode ser a razão para um baixo nível de capacidades( analfabetismo, falta de saneamento, fome, subnutrição) e, melhores níveis de capacidade ajudam a auferir rendas mais altas. Quanto ao livre mercado, o controle arbitrário nas transações pode acarretar em uma privação de liberdade, outro argumento é que ele provocaria a expansão da renda e oportunidade das pessoas.

7 A forma do desenvolvimento Liberdade como meio do desenvolvimento A Perspectiva da Liberdade Considerações: Nem sempre maior renda per capta gera maior qualidade de vida e longevidade. Isso é comprovado pelas contradições existentes entre países que aumentaram sua renda mas não tiveram aumento na qualidade de vida, e países que tiveram êxito no aumento da qualidade de vida mas não obtiveram um crescimento econômico muito elevado. Isso decorreu de um forte incentivo à liberdades básicas, mesmo em países onde não havia o livre mercado(índia vs China). Fato: Afro-americanos nos EUA vivem menos que outras pessoas em nacionalidades mais pobres, distinção de liberdades substantivas.

8 Liberdade e os fundamentos da Justiça Utilitaristas Liberalismo de Nozick e a prioridade da liberdade de Rawls Capacidades A base informacional é importante para juízos avaliatórios. Caracteriza-se uma abordagem avaliativa pela informação necessária e pela informação excluída. A concepção de justiça será distintas entre as diferentes abordagens

9 Utilitaristas Autor Utilitaristas Liberalismo de Nozick e a prioridade da liberdade de Rawls Capacidades Utilitaristas: tem como base as utilidades, que levam ao prazer,satisfação,felicidade. Não têm interesse na sua distribuição mas sim na sua totalidade, injustiça é a perda de utilidade em comparação com o que poderia ser obtido. A utilidade é representada como uma escolha numérica dada as preferências das pessoas, difícil quantificação. Vatagens: atenção às consequências e ao bem - estar. Limitações: indiferença à distribuição, desinteresse pelos direitos e liberdades, acomodamento pessoal, a pessoa contenta-se com o que tem.

10 Liberalismo Autor Utilitaristas Liberalismo de Nozick e a prioridade da liberdade de Rawls Capacidades Liberalismo Nozick: prioridade incondicional dos direitos liberais, inclusive os de propriedade, isso pode levar a violação da liberdade concreta dos indivíduos. John Rawls: as necessidades econômicas não podem comprometer as liberdades formais básicas, direitos poĺıticos e civis, no entanto os bens primários defendidos por Ralws por vezes são insuficientes. São indiferentes quanto às consequências das liberdades que as pessoas conseguem exercer.

11 Escolha social Autor Utilitaristas Liberalismo de Nozick e a prioridade da liberdade de Rawls Capacidades Sen defende que o enfoque deve incidir sobre as liberdades geradas pelos bens e não pelos bens em si mesmo. As pessoas são diferentes e possuem necessidades diferentes, logo não se pode compará-las sob o mesmo nível de bemestar e a mesma utilidade. O enfoque adequado não é nem o dos bens primários nem das utilidades, mas das liberdades em si.

12 Funcionamentos e capacidades Utilitaristas Liberalismo de Nozick e a prioridade da liberdade de Rawls Capacidades funcionamentos: várias coisas que uma pessoa pode considerar valioso fazer ou ter. capacidades: Combinações alternativas de funcionamentos cuja realização é factível para ela.

13 Utilitaristas Liberalismo de Nozick e a prioridade da liberdade de Rawls Capacidades Vetor de funcionamento e conjunto capacitário vetor de funcionamento: a quantidade ou grau de cada funcionamento usufruído por uma pessoa que pode ser representado por um número real. conjunto capacitário: vetor de funcionamentos alternativos dentre os quais a pessoa pode escolher.

14 Considerações sobre a capacidade Utilitaristas Liberalismo de Nozick e a prioridade da liberdade de Rawls Capacidades Valorização do próprio processo de escolha. Perspectiva pluralista, há diferentes funcionamentos com diferentes níveis de importância. A valoração vai requerer um certo consenso e debate público. O espaço apropriado é o das liberdades substantivas, capacidades, que uma pessoa possa escolher uma vida que se tenha razão para valorizar, no entanto não está claro se existe alguma estrada régia para a avaliação de poĺıticas econômicas ou sociais.

15 Pobreza como Privação de Capacidades Fomes Coletivas e Democracia Escolha Social e a Condição de Agente Pobreza como Privação de Capacidades O significado da pobreza é desvinculado da renda. A privação de capacidades tem por origem a incapacidade de exercer funcionamentos básicos. Expectativa e qualidade de vida limitadas. Falta de acesso à educação básica. Restrição de direitos civis de liberdade e participação. Desigualdade de gênero.

16 Fomes Coletivas e Democracia Pobreza como Privação de Capacidades Fomes Coletivas e Democracia Escolha Social e a Condição de Agente Prevalência de fomes coletivas durante o séc. XX. Bengala China à 1961 Bangladesh A prevenção e o trato de fomes coletivas. Jamais houve uma fome coletiva em uma democracia.

17 Fomes Coletivas e Democracia Pobreza como Privação de Capacidades Fomes Coletivas e Democracia Escolha Social e a Condição de Agente Virtudes da Democracia: Importância intrínseca. Importância instrumental, Papel construtivo. Tese de Lee. Os pobres importam-se com democracia e direitos poĺıticos? Prioridade Ocidental.

18 Escolha Social e a Condição de Agente Pobreza como Privação de Capacidades Fomes Coletivas e Democracia Escolha Social e a Condição de Agente A impossibilidade de Arrow e a divisão racional do bolo. A importância das bases informativas. Ceticismo com relação às consequências premeditadas. Racionalidade e valores sociais. A condição do agente dentro da abordagem das capacidades. A importância central das escolhas individuais.

19 Por que queremos o desenvolvimento econômico? A expansão do conjunto capacitatório representa uma implicação lógica para o aumento do bem-estar.

20 Por que queremos o desenvolvimento econômico? A expansão do conjunto capacitatório representa uma implicação lógica para o aumento do bem-estar. Questão 1 Será a expansão das liberdades uma condição suficiente para a melhoria da qualidade de vida dos indivíduos?

21 A abordagem das capacidades tem a vantagem de tornar mais abrangente a discussão sobre o que significa o desenvolvimento. Permite ainda que categorias distintas como renda e liberdades individuais sejam consideradas em conjunto.

22 A abordagem das capacidades tem a vantagem de tornar mais abrangente a discussão sobre o que significa o desenvolvimento. Permite ainda que categorias distintas como renda e liberdades individuais sejam consideradas em conjunto. Questão 2 Incluir fatores como o combate a desigualdade racial e de gênero como objetivos do desenvolvimento econômico representa uma expansão das fronteiras da Economia?

23 Questão 3 As poĺıticas de assistência social do governo brasileiro devem ser entendidas como medidas voltadas para o aumento do conjunto capacitório da população ou meramente como meio de perpetuação do partido governante?

24 Questão 3 As poĺıticas de assistência social do governo brasileiro devem ser entendidas como medidas voltadas para o aumento do conjunto capacitório da população ou meramente como meio de perpetuação do partido governante? Questão 4 Poĺıticas de transferência de renda como o bolsa-família se justificam por terem como objetivo a redução da miséria ou são um meio para o desenvolvimento econômico futuro?

25 Questão 5

26 Questão 5 Questão 4 Poĺıticas de transferência de renda como o bolsa-família se justificam por terem como objetivo a redução da miséria ou são um meio para o desenvolvimento econômico futuro?

Pobreza e Desigualdade de Renda

Pobreza e Desigualdade de Renda C H A P T E R 20 Pobreza e Desigualdade de Renda Economics P R I N C I P L E S O F N. Gregory Mankiw Tradução e adaptação dos slides de Ron Cronovich 2009 South-Western, a part of Cengage Learning, all

Leia mais

Obra: Desenvolvimento como liberdade

Obra: Desenvolvimento como liberdade Obra: Desenvolvimento como liberdade SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade/ Amartya sem; tradução Laura Teixeira Motta; revisão técnica Ricardo Doninelli Mendes. São Paulo: Companhia das letras,

Leia mais

Justiça. Universidade Federal de Santa Catarina. From the SelectedWorks of Sergio Da Silva. Sergio Da Silva, University of Brasilia

Justiça. Universidade Federal de Santa Catarina. From the SelectedWorks of Sergio Da Silva. Sergio Da Silva, University of Brasilia Universidade Federal de Santa Catarina From the SelectedWorks of Sergio Da Silva 2000 Justiça Sergio Da Silva, University of Brasilia Available at: https://works.bepress.com/sergiodasilva/70/ Justiça Fonte:

Leia mais

Prof. Rodolfo Visentin 1

Prof. Rodolfo Visentin 1 ATUALIDADES, CONHECIMENTOS GERAIS E MUNDO CONTEMPORÂNEO. AULA: ECONOMIA. PROFESSOR RODOLFO VISENTIN. www.pontodosconcursos.com.br Prof. Rodolfo Visentin 1 SOCIEDADE E EDUCAÇÃO Aula Conteúdo Programático

Leia mais

Pobreza multidimensional: Um proposta instrumental para desenho e avaliação de políticas para sua superação

Pobreza multidimensional: Um proposta instrumental para desenho e avaliação de políticas para sua superação Pobreza multidimensional: Um proposta instrumental para desenho e avaliação de políticas para sua superação Paulo Jannuzzi Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação SAGI/MDS www.mds.gov.br/sagi www.mds.gov.br/sagi

Leia mais

DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL E AGRICULTURA FAMILIAR

DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL E AGRICULTURA FAMILIAR UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA DE ILHA SOLTEIRA CURSO DE ZOOTECNIA DISCIPLINA SOCIOLOGIA E ÉTICA DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL E AGRICULTURA FAMILIAR Prof. Antonio Lázaro Sant

Leia mais

ESCOLHA INDIVIDUAL. Rafael V. X. Ferreira Março de 2017

ESCOLHA INDIVIDUAL. Rafael V. X. Ferreira Março de 2017 MICROECONOMIA I ESCOLHA INDIVIDUAL Rafael V. X. Ferreira rafaelferreira@usp.br Março de 2017 Universidade de São Paulo (USP) Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) Departamento de Economia

Leia mais

Salário Mínimo, Bolsa Família e desempenho. Desempenho relativo recente da economia do Nordeste

Salário Mínimo, Bolsa Família e desempenho. Desempenho relativo recente da economia do Nordeste Salário Mínimo, Bolsa Família e desempenho relativo recente da economia do Nordeste PET - Economia - UnB 15 de julho de 2013 Alexandre Rands Barros Autores Introdução Graduado em Ciências Econômicas pela

Leia mais

A HISTÓRIA SOCIAL DOS DIREITOS

A HISTÓRIA SOCIAL DOS DIREITOS A HISTÓRIA SOCIAL DOS DIREITOS TEMÁTICA As As bases sócio-históricas da fundação dos Direitos Humanos na Sociedade Capitalista A construção dos Direitos A Era da Cultura do Bem Estar Os Direitos na Contemporaneidade

Leia mais

Pobreza e exclusão Ciências Sociais Prof. Guilherme Paiva

Pobreza e exclusão Ciências Sociais Prof. Guilherme Paiva As evidências históricas mostram que a cultura humana esteve sempre intimamente ligada [ ] à ideia da distinção e discriminação entre grupos sociais (COSTA, 2005, p.247). Igualdade: utopia, ou seja, um

Leia mais

Entre o Suas e o Plano Brasil sem Miséria: Os Municípios Pactuando Caminhos Intersetoriais. 14º Encontro Nacional do Congemas

Entre o Suas e o Plano Brasil sem Miséria: Os Municípios Pactuando Caminhos Intersetoriais. 14º Encontro Nacional do Congemas Entre o Suas e o Plano Brasil sem Miséria: Os Municípios Pactuando Caminhos Intersetoriais 14º Encontro Nacional do Congemas Plano deve ser visto como uma marca que explicita o compromisso com a intrínseca

Leia mais

AGENTES, FLUXOS E AS QUESTÕES CHAVE DA ECONOMIA

AGENTES, FLUXOS E AS QUESTÕES CHAVE DA ECONOMIA AGENTES, FLUXOS E AS QUESTÕES CHAVE DA ECONOMIA Rossetti (Cap. III) As 4 Questões Chave da Economia Eficiência Produtiva Eficácia alocativa Justiça distributiva e Ordenamento Institucional Principais Elementos

Leia mais

Economia e Finanças Públicas Aula T7. Bibliografia. Conceitos a reter. Obrigatória: Cap. 2 - Despesas públicas: teoria e prática

Economia e Finanças Públicas Aula T7. Bibliografia. Conceitos a reter. Obrigatória: Cap. 2 - Despesas públicas: teoria e prática Economia e Finanças Públicas Aula T7 Cap. 2 - Despesas públicas: teoria e prática 2.3 Despesa e equidade: redistribuição e igualdade de oportunidades 2.3.1 O óptimo social e a F.P.U. 2.3.2 As FBES: utilitarismo

Leia mais

Microcrédito e Comércio Justo

Microcrédito e Comércio Justo Microcrédito e Comércio Justo Antiga DIT Antiga DIT A Antiga DIT A Antiga DIT baseava-se no princípio da especialização. Os países do Sul especializavam-se em produtos de baixo valor acrescentado. Quando

Leia mais

Capitalismo x Socialismo. Introdução para o entendimento do mundo bipolar.

Capitalismo x Socialismo. Introdução para o entendimento do mundo bipolar. Capitalismo x Socialismo Introdução para o entendimento do mundo bipolar. Capitalismo Sistema econômico, político e social no qual os agentes econômicos (empresários, burgueses, capitalistas), proprietários

Leia mais

SETORES DA ECONOMIA DE UM PAÍS - SETOR PRIMÁRIO...

SETORES DA ECONOMIA DE UM PAÍS - SETOR PRIMÁRIO... Economia do Brasil INTRODUÇÃO A economia de um país pode ser dividida em setores (primário, secundário e terciário) de acordo com os produtos produzidos, modos de produção e recursos utilizados. Estes

Leia mais

C O N T E X T O S D A J U S T I Ç A

C O N T E X T O S D A J U S T I Ç A CONTEXTOS DA JUSTIÇA Rainer Forst CONTEXTOS DA JUSTIÇA FILOSOFIA POLÍTICA PARA ALÉM DE LIBERALISMO E COMUNITARISMO TRADUÇÃO Denilson Luís Werle Sumário Prefácio... 7 Introdução Liberalismo, comunitarismo

Leia mais

Trabalho de Conclusão da Disciplina-TCD

Trabalho de Conclusão da Disciplina-TCD Trabalho de Conclusão da Disciplina-TCD História Anos 50: Era das proteínas Anos 70: Fiasco da proteínas Natureza multifatorial Descrição Desnutrição Energético- Proteico Definição Causas Ingestão insuficiente

Leia mais

Fábulas e ensaios sobre o país dos contrastes

Fábulas e ensaios sobre o país dos contrastes Beĺındia 2.0 Fábulas e ensaios sobre o país dos contrastes Autor: Edmar Bacha Apresentadores: Matheus Costa e Thaís Alvim PET - Economia - UnB 30 de Janeiro de 2013 Edmar Bacha Formação e Carreira Nascido

Leia mais

Cotações. Prova Escrita de Filosofia. 10.º Ano de Escolaridade Março de Duração da prova: 90 minutos. 3 Páginas

Cotações. Prova Escrita de Filosofia. 10.º Ano de Escolaridade Março de Duração da prova: 90 minutos. 3 Páginas Prova Escrita de Filosofia Versão A 10.º Ano de Escolaridade Março de 2016 Duração da prova: 90 minutos 3 Páginas Leia atentamente o enunciado Para cada resposta, identifique o grupo e o item. Apresente

Leia mais

Autores: Andreia Cristina Resende de Almeida UFRRJ/PPGCTIA Julio Candido Meirelles Junior UFF/PPGCTIA

Autores: Andreia Cristina Resende de Almeida UFRRJ/PPGCTIA Julio Candido Meirelles Junior UFF/PPGCTIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Inovação em Agropecuária Doutorado Binacional - PPGCTIA UFRRJ/UNRC Autores: Andreia Cristina Resende de Almeida

Leia mais

A FORMAÇÃO DO CAPITALISMO E SUAS FASES MÓDULO 02

A FORMAÇÃO DO CAPITALISMO E SUAS FASES MÓDULO 02 A FORMAÇÃO DO CAPITALISMO E SUAS FASES MÓDULO 02 Sistema político econômico que tem como principal foco a acumulação de capitais, ou seja, moedas, recursos ou produtos que de alguma forma representem o

Leia mais

PROVA DISCURSIVA P 3

PROVA DISCURSIVA P 3 PROVA DISCURSIVA P 3 Nesta prova, faça o que se pede, usando, caso queira, os espaços para rascunho indicados no presente caderno. Em seguida, transcreva os textos para o CADERNO DE TEXTOS DEFINITIVOS

Leia mais

VÁRIAS FORMAS DE DEFINIR E INTERPRETAR O LUCRO¹

VÁRIAS FORMAS DE DEFINIR E INTERPRETAR O LUCRO¹ VÁRIAS FORMAS DE DEFINIR E INTERPRETAR O LUCRO¹ PATRÍCIA BRITO RIBEIRO² Vários autores definem de maneira diferente o conceito de lucro, alguns expõem idéias superficiais, onde o lucro é um rendimento

Leia mais

RESPONSABILIDADE FISCAL. Dr. Ronald Hillbrecht PPGE-UFRGS

RESPONSABILIDADE FISCAL. Dr. Ronald Hillbrecht PPGE-UFRGS RESPONSABILIDADE FISCAL Dr. Ronald Hillbrecht PPGE-UFRGS I. Introdução Sobre as fontes da prosperidade e inclusão social nos países Instituições são as regras do jogo em uma sociedade, ou, mais formalmente,

Leia mais

Crescimento. Econômico. Copyright 2004 South-Western

Crescimento. Econômico. Copyright 2004 South-Western Crescimento 17 Econômico Crescimento Econômico O padrão de vida de um país depende da sua capacidade de produzir bens e serviços. A renda per capita do Brasil cresceu 1.7% ao ano desde 1976. No século

Leia mais

INTRODUÇÃO A ECONOMIA AULA 1

INTRODUÇÃO A ECONOMIA AULA 1 INTRODUÇÃO A ECONOMIA espartanos.economia@gmail.com AULA 1 Apresentação elaborada por: Roberto Name Ribeiro/ Francisco Carlos B. dos Santos Adaptado por: Andréa de Souza, MS.c 1 A concepção A economia

Leia mais

Introdução. JOHN LINDAUER, Macroeconomics

Introdução. JOHN LINDAUER, Macroeconomics Introdução A meta mais importante de um sistema econômico, que é a de produzir uma quantidade suficiente de bens e serviços, capaz de satisfazer integralmente às aspirações diversificadas e por vezes conflitantes

Leia mais

Desenvolvimento, Trabalho Decente e Igualdade Racial

Desenvolvimento, Trabalho Decente e Igualdade Racial Desenvolvimento, Trabalho Decente e Igualdade Racial Lais Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, julho de 2012 Esquema da Apresentação 1. Trabalho decente e estratégia de desenvolvimento

Leia mais

PLANO DE AULA DISCIPLINA: ÉTICA E CIDADANIA II (CÓD. ENUN60010) PERÍODO: 2 º PERÍODO EXPOSITIVA EXPOSITIVA EXPOSITIVA EXPOSITIVA

PLANO DE AULA DISCIPLINA: ÉTICA E CIDADANIA II (CÓD. ENUN60010) PERÍODO: 2 º PERÍODO EXPOSITIVA EXPOSITIVA EXPOSITIVA EXPOSITIVA PLANO DE AULA DISCIPLINA: ÉTICA E CIDADANIA II (CÓD. ENUN60010) PERÍODO: 2 º PERÍODO TOTAL DE SEMANAS: 20 SEMANAS TOTAL DE ENCONTROS: 20 AULAS Aulas Conteúdos/ Matéria Tipo de aula Textos, filmes e outros

Leia mais

Teoria do consumidor. Propriedades do Conjunto Consumo,

Teoria do consumidor. Propriedades do Conjunto Consumo, Teoria do consumidor 1 Pedro Rafael Lopes Fernandes Qualquer modelo que vise explicar a escolha do consumidor é sustentado por quatro pilares. Estes são o conjunto consumo, o conjunto factível, a relação

Leia mais

Eixo temático: Política Social e Trabalho

Eixo temático: Política Social e Trabalho ISSN 2359-1277 A COMPREENSÃO DO CONCEITO VULNERABILIDADE SOCIAL PELOS TRABALHADORES DA POLITICA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL Aluna Gabriela Nunes da Silva PIC (PIBIC/Fundação Araucária) Unespar/Campus Paranavaí,

Leia mais

2. As Despesas Públicas

2. As Despesas Públicas 2. As Despesas Públicas 2.1 Enquadramento geral 2.1.1.Noção de despesas públicas 2.1.2. Classificação e tipologias de despesas públicas 2.1.3.despesa pública 2.1.4. O crescimento da despesa pública 1 Bibliografia

Leia mais

INTRODUÇÃO À FILOSOFIA MORAL (conclusão)

INTRODUÇÃO À FILOSOFIA MORAL (conclusão) INTRODUÇÃO À FILOSOFIA MORAL (conclusão) 25 DE FEVEREIRO DE 2013 (6ª aula) Sumário da Aula Anterior: Egoísmo ético: definição, pontos fortes e fragilidades. Utilitarismo. O Princípio da Utilidade. Utilitarismo

Leia mais

Desmistificando o debate fiscal

Desmistificando o debate fiscal 25 jul 2006 Nº 6 Desmistificando o debate fiscal O equívoco de confundir gasto social com custeio da máquina Por Secretaria de Assuntos Econômicos O resultado das necessidades de financiamento do setor

Leia mais

A Sociologia da Ciência. Os imperativos institucionais da Ciência R. K. Merton

A Sociologia da Ciência. Os imperativos institucionais da Ciência R. K. Merton A Sociologia da Ciência Os imperativos institucionais da Ciência R. K. Merton Os clássicos da Sociologia Marx, Weber e Durkheim concordam que: Ciência floresce em sociedades complexas, industriais A taxa

Leia mais

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA:

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSOR: ENRIQUE MARCATTO DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 3ª SÉRIE/EM TURMA: Nº: 01. RELAÇÃO DO CONTEÚDO

Leia mais

Avaliação sob o prisma da ÉTICA. Descobre-se a ação de pessoas éticas, corrigindo abusos, evitando explorações e desmascarando injustiças.

Avaliação sob o prisma da ÉTICA. Descobre-se a ação de pessoas éticas, corrigindo abusos, evitando explorações e desmascarando injustiças. Slide 1 ética PROF a TATHYANE CHAVES SISTEMAS ECONÔMICOS Slide 2 SISTEMAS ECONÔMICOS Avaliação sob o prisma da ÉTICA Uma empresa pode operar simultaneamente em vários países, cada um dentro de um regime

Leia mais

XXVII Encontro de Lisboa 9 de outubro de 2017

XXVII Encontro de Lisboa 9 de outubro de 2017 XXVII Encontro de Lisboa 9 de outubro de 2017 Governador do Banco de Portugal, Carlos da Silva Costa O sistema financeiro internacional: desafios da criação da União Bancária na Europa 1 Introdução Nos

Leia mais

Material de divulgação da Editora Moderna

Material de divulgação da Editora Moderna Material de divulgação da Editora Moderna Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Próxima aula: Ética III Kant (ponto 6).

Próxima aula: Ética III Kant (ponto 6). Próxima aula: Ética III Kant (ponto 6). Leitura: Rachels, Cap. 10. Perguntas: 1. É deontológica a ética kantiana? 2. São diferentes as duas versões do imperativo categórico? 3. Qual é a função do sistema

Leia mais

Políticas Públicas Intersetoriais - A Relação Intersetorial na Consolidação da Proteção Social.

Políticas Públicas Intersetoriais - A Relação Intersetorial na Consolidação da Proteção Social. Ministério do Políticas Públicas Intersetoriais - A Relação Intersetorial na Consolidação da Proteção Social. Rômulo Paes Secretário Executivo do Ministério do Combate à Fome Rio de Janeiro, 30 de novembro

Leia mais

A CRISE DE 1929: COLAPSO NO LIBERALISMO COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS

A CRISE DE 1929: COLAPSO NO LIBERALISMO COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS A CRISE DE 1929: COLAPSO NO LIBERALISMO COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS O LIBERALISMO A teoria do LIBERALISMO ECONÔMICO ficou consagrada a partir de Adam Smith (1723-1790), e tem os seguintes pressupostos

Leia mais

Deficiência Mental: Contribuições de uma perspectiva de justiça centrada nos funcionamentos.

Deficiência Mental: Contribuições de uma perspectiva de justiça centrada nos funcionamentos. Deficiência Mental: Contribuições de uma perspectiva de justiça centrada nos funcionamentos. Alexandre da Silva Costa Estudo que faz uma análise acerca das contribuições da perspectiva de justiça baseada

Leia mais

A ética e a política em Kant e Rawls

A ética e a política em Kant e Rawls Ana Luísa CAMPOS CASSEB y José Claudio MONTEIRO DE BRITO FILHO A ética e a política em Kant e Rawls Rediscutindo a tolerancia a partir do respeito Ana Luísa CAMPOS CASSEB y José Claudio MONTEIRO DE BRITO

Leia mais

2) Cite três conseqüências da desigualdade socioeconômica presente entre os povos nos países em desenvolvimento. (0,8)

2) Cite três conseqüências da desigualdade socioeconômica presente entre os povos nos países em desenvolvimento. (0,8) TEXTO PARA AS QUESTÕES 1 A 4 De acordo com a ONU (2007), a população mundial é de aproximadamente 6,6 bilhões de pessoas. Desse total mais de 5,0 bilhões vivem em nações subdesenvolvidas. Apesar da existência

Leia mais

Ressignificação da juventude

Ressignificação da juventude Ressignificação da juventude Seminário de Integração Favela-Cidade Regina Novaes. maio de 2012 MESA 5: Ressignificação da juventude A proliferação de atividades ilegais e o constante isolamento das favelas

Leia mais

A REGIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL Parte III. Referências ( Livros): BibliEx e PNLD

A REGIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL Parte III. Referências ( Livros): BibliEx e PNLD A REGIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL Parte III Referências ( Livros): BibliEx e PNLD DIFERENTES MODOS DE VER O MUNDO Regionalização do Mundo (outro critério) Critério utilizado Econômico A regionalização

Leia mais

Recomendação de políticas Privacidade Pessoal

Recomendação de políticas Privacidade Pessoal Recomendação de políticas Privacidade A oportunidade Devido à crescente digitalização de nossas vidas, um número muito maior de dados pessoais está sendo gerado e coletado. Esses dados podem ser usados

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA MESTRADO / DOUTORADO 1 SEMESTRE DE 2014 Prof. Samuel Meira Brasil Jr.

FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA MESTRADO / DOUTORADO 1 SEMESTRE DE 2014 Prof. Samuel Meira Brasil Jr. FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA MESTRADO / DOUTORADO 1 SEMESTRE DE 2014 Prof. Samuel Meira Brasil Jr. DISCIPLINA: AS TEORIAS DA JUSTIÇA E A PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NA JURISDIÇÃO CONSTITUCIONAL Metodologia:

Leia mais

Determinantes Sociais da Saúde. Professor: Dr. Eduardo Arruda

Determinantes Sociais da Saúde. Professor: Dr. Eduardo Arruda Determinantes Sociais da Saúde Professor: Dr. Eduardo Arruda Conteúdo Programático desta aula Epidemiologia social e os Determinantes Sociais da Saúde (DSS); Principais Iniquidades em Saúde no Brasil;

Leia mais

Art. 1º O inciso XIII do art. 7º da Constituição Federal passa a vigorar com as seguintes alterações:

Art. 1º O inciso XIII do art. 7º da Constituição Federal passa a vigorar com as seguintes alterações: PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2017 Dispõe sobre a duração do trabalho normal que não poderá ser superior a seis horas diárias e trinta semanais, nas condições que especifica. As Mesas da Câmara

Leia mais

Para o economista francês Thomas Piketty, o Brasil precisa ampliar os impostos sobre

Para o economista francês Thomas Piketty, o Brasil precisa ampliar os impostos sobre \'Brasil precisa taxar ricos para investir no ensino público\', diz Piketty Para crítico-sensação do capitalismo, políticas para combater desigualdade são essenciais para impulsionar crescimento do país

Leia mais

Introdução à Economia

Introdução à Economia Introdução à 1.1 Introdução Diariamente, nos deparamos com informações sobre economia nos jornais e noticiários na TV. Com a intensificação das relações econômicas internacionais, determinados fatos e

Leia mais

Saúde e Crescimento Econômico na América Latina

Saúde e Crescimento Econômico na América Latina Saúde e Crescimento Econômico na América Latina Associações com o Informe sobre Investimento em Saúde e Crescimento Econômico André Medici - LCSHH Banco Mundial 1 2 Sumário Saúde e crescimento da economia

Leia mais

CORRUPÇÃO: A TEORIA DO ESTAMENTO BUROCRÁTICO DE RAYMUNDO DE FAORO E A TEORIA ECONÔMICA DE BARREIRAS A ENTRADA.

CORRUPÇÃO: A TEORIA DO ESTAMENTO BUROCRÁTICO DE RAYMUNDO DE FAORO E A TEORIA ECONÔMICA DE BARREIRAS A ENTRADA. CORRUPÇÃO: A TEORIA DO ESTAMENTO BUROCRÁTICO DE RAYMUNDO DE FAORO E A TEORIA ECONÔMICA DE BARREIRAS A ENTRADA. 1.0 Introdução Prof. Dr. Joilson Dias Departamento de Economia Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

Modelo Relacional. Banco de Dados 2º trimestre Prof. Patrícia Lucas

Modelo Relacional. Banco de Dados 2º trimestre Prof. Patrícia Lucas Modelo Relacional Banco de Dados 2º trimestre Prof. Patrícia Lucas Composição de um BD Relacional Um banco de dados relacional é composto de tabelas ou relações. Tabelas = Relações Tabelas Umatabelaéumconjuntonãoordenadodelinhas

Leia mais

MÓDULO 4 TEORIAS DEMOGRÁFICAS

MÓDULO 4 TEORIAS DEMOGRÁFICAS ARGUMENTO 2017 2º ANO E.M. MÓDULO 4 TEORIAS DEMOGRÁFICAS INTRODUÇÃO A preocupação com o crescimento da população não é recente, ao longo da história, encontramos políticas voltadas para o estímulo (ou,

Leia mais

Carlos Aguiar de Medeiros *

Carlos Aguiar de Medeiros * A recente queda da desigualdade Carlos Aguiar de Medeiros 41 de renda no Brasil: análise de dados da PNAD, do Censo Demográfico e das Contas Nacionais por Rodolfo Hoffman e Marlon Gomes Ney Carlos Aguiar

Leia mais

Bolsa Família: avanços e limites. Entrevista especial com Lena Lavinas

Bolsa Família: avanços e limites. Entrevista especial com Lena Lavinas Envolverde - SP 29/09/2010 Matéria Online Bolsa Família: avanços e limites. Entrevista especial com Lena Lavinas Criado com o intuito de integrar e unificar ao Fome Zero um conjunto de antigos programas

Leia mais

A CONCEPÇÃO POLÍTICA EM JOHN RAWLS: TENTATIVA DE INTEGRAÇÃO ENTRE LIBERDADE E IGUALDADE

A CONCEPÇÃO POLÍTICA EM JOHN RAWLS: TENTATIVA DE INTEGRAÇÃO ENTRE LIBERDADE E IGUALDADE A CONCEPÇÃO POLÍTICA EM JOHN RAWLS: TENTATIVA DE INTEGRAÇÃO ENTRE LIBERDADE E IGUALDADE Guilherme de Oliveira Feldens / Unisinos, Brasil I. Introdução A publicação de Uma teoria da justiça (A Theory of

Leia mais

O ESTADO DEMOCRÁTICO. TGE II Nina Ranieri 2017

O ESTADO DEMOCRÁTICO. TGE II Nina Ranieri 2017 O ESTADO DEMOCRÁTICO TGE II Nina Ranieri 2017 1 Plano de Aula I- Conceito II Origens III- Definições de Democracia IV Modalidades V- Problemas contemporâneos 2 I- Conceito de Estado Democrático aquele

Leia mais

Brasília, 24 de maio de 2016.

Brasília, 24 de maio de 2016. Democracia e democratização Rádio e TV Digitais como elementos de expressão Aula realizada por Rafael Diniz, doutorando em Informática, e Adriana Veloso, doutoranda em Ciência Política, ambos pela UnB,

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS INTERPRETAÇÃO TÉCNICA ICPC 14. Cotas de Cooperados em Entidades Cooperativas e Instrumentos Similares

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS INTERPRETAÇÃO TÉCNICA ICPC 14. Cotas de Cooperados em Entidades Cooperativas e Instrumentos Similares COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS INTERPRETAÇÃO TÉCNICA ICPC 14 Cotas de Cooperados em Entidades Cooperativas e Instrumentos Similares Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IFRIC 2 Índice

Leia mais

Variação do Produto Interno Bruto - PIB no ano de 2010

Variação do Produto Interno Bruto - PIB no ano de 2010 Variação do Produto Interno Bruto - PIB no ano de 2010 Em 2010, segundo divulgação do IBGE, o PIB brasileiro cresceu 7,5% em relação a 2009. O PIB atingiu R$ 3,675 trilhões (ou, à taxa de câmbio de R$

Leia mais

04/03/2016 CONCEITOS DE DECISÃO E O ENFOQUE GERENCIAL DA PESQUISA OPERACIONAL PESQUISA OPERACIONAL: CARACTERÍSTICAS IMPORTANTES:

04/03/2016 CONCEITOS DE DECISÃO E O ENFOQUE GERENCIAL DA PESQUISA OPERACIONAL PESQUISA OPERACIONAL: CARACTERÍSTICAS IMPORTANTES: CONCEITOS DE DECISÃO E O ENFOQUE GERENCIAL DA PESQUISA OPERACIONAL CAPÍTULO 1 em: ANDRADE, Eduardo L. de; INTRODUÇÃO À PESQUISA OPERACIONAL. 4 a. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC PESQUISA OPERACIONAL: Conjunto

Leia mais

Euroamerica Dr. Mario Ivo Serinolli 03/2010

Euroamerica Dr. Mario Ivo Serinolli 03/2010 Visão atual das Consultorias sobre gerenciamento das doenças / medicina preventiva na saúde suplementar Euroamerica Dr. Mario Ivo Serinolli 03/2010 Situação Atual Alto custo da assistência médica para

Leia mais

1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO

1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO 1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO P á g i n a 1 QUESTÃO 1 - Admitindo que a história da filosofia é uma sucessão de paradigmas, a ordem cronológica correta da sucessão dos paradigmas na história

Leia mais

UFRRJ-CPDA-OPPA SEMINÁRIO INTENACIONAL POLÍTICAS TERRITORIAIS E POBREZA NO CAMPO E NA CIDADE MESA 3: TERRITORIALIZAÇÃO, POBREZA E EXCLUSÃO

UFRRJ-CPDA-OPPA SEMINÁRIO INTENACIONAL POLÍTICAS TERRITORIAIS E POBREZA NO CAMPO E NA CIDADE MESA 3: TERRITORIALIZAÇÃO, POBREZA E EXCLUSÃO UFRRJ-CPDA-OPPA SEMINÁRIO INTENACIONAL POLÍTICAS TERRITORIAIS E POBREZA NO CAMPO E NA CIDADE MESA 3: TERRITORIALIZAÇÃO, POBREZA E EXCLUSÃO A PERSISTÊNCIA DA POBREZA NO BRASIL LAURO MATTEI Professor da

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE CIÊNCIA POLÍTICA Planejamento de Campanha Eleitoral Estudo dos conteúdos teóricos introdutórios ao marketing político, abordando prioritariamente os aspectos

Leia mais

Próxima aula: Ética III Kant (ponto 6).

Próxima aula: Ética III Kant (ponto 6). Próxima aula: Ética III Kant (ponto 6). Leitura: Rachels, Cap. 10. Perguntas: 1. Por que é deontológica a ética kantiana? 2. São diferentes as duas versões do imperativo categórico? 3. Qual é a função

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, por ocasião de jantar oferecido pelo presidente do Senegal, Abdoulaye Wade

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, por ocasião de jantar oferecido pelo presidente do Senegal, Abdoulaye Wade , Luiz Inácio Lula da Silva, por ocasião de jantar oferecido pelo presidente do Senegal, Abdoulaye Wade Dacar-Senegal, 13 de abril de 2005 Caro Abdoulaye Wade, presidente da República do Senegal, Senhoras

Leia mais

MICROECONOMIA. Modelo Ricardiano de Troca. Paulo Gonçalves

MICROECONOMIA. Modelo Ricardiano de Troca. Paulo Gonçalves MICROECONOMIA Modelo Ricardiano de Troca aulo Gonçalves pgoncalves@concorrencia.pt Exercício 3 Determinação de reços numa Economia de Economia com dois agentes económicos (os linstones e os Rollingstones),

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR PPGPS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS CR M D

ESTRUTURA CURRICULAR PPGPS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS CR M D ESTRUTURA CURRICULAR PPGPS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS CR M D Nome: Metodologia da Pesquisa Social Professor (a): Vini Rabassa da Silva Ementa: Perspectivas teórico-metodológicas: o método em Marx, Durkheim,

Leia mais

Moçambique, entre a crise financeira e uma nova economia

Moçambique, entre a crise financeira e uma nova economia Observatório do Meio Rural Universidade Politécnica Moçambique, entre a crise financeira e uma nova economia João Mosca Lisboa, 28 de Março de 2017 Apresentação 1. Análise macroeconómica: aspectos essenciais.

Leia mais

ECO Teoria Microeconômica I N. Professor Juliano Assunção. Preferências

ECO Teoria Microeconômica I N. Professor Juliano Assunção. Preferências ECO1113 - Teoria Microeconômica I N Professor Juliano Assunção Preferências Teoria do Consumidor Decisões Modelo Objetivo métrica comportamento preferências / utilidade racionalidade Escolhas factíveis

Leia mais

Definição da Classe Média no Brasil. São Paulo, junho de 2012.

Definição da Classe Média no Brasil. São Paulo, junho de 2012. Definição da Classe Média no Brasil São Paulo, junho de 2012. Evidência sobre o surgimento de uma Nova Classe Média Porcentagem de pobres (%) Evolução da pobreza - Brasil: 1999-2009 50 48 46 44 42 40 38

Leia mais

PROVA de GEOGRAFIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR Questão 01

PROVA de GEOGRAFIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR Questão 01 Questão 01 PROVA de GEOGRAFIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006 Numerosos estudos indicaram que o aquecimento global associado à ação humana poderia provocar mudanças catastróficas no clima. No mapa abaixo,

Leia mais

Indicadores e o ciclo de políticas públicas

Indicadores e o ciclo de políticas públicas Indicadores e o ciclo de políticas públicas A literatura clássica sobre Administração Pública e políticas governamentais dá grande importância ao conceito de ciclo de políticas públicas como marco de referência

Leia mais

Notas sobre a Liberdade de Consciência em John Rawls

Notas sobre a Liberdade de Consciência em John Rawls Notas sobre a Liberdade de Consciência em John Rawls Jaderson Borges Lessa 1 Resumo: A liberdade de consciência é uma das liberdades fundamentais garantidas pelo primeiro princípio de justiça de John Rawls.

Leia mais

DOUTRINAS ÉTICAS FUNDAMENTAIS PROFA. ME. ÉRICA RIOS

DOUTRINAS ÉTICAS FUNDAMENTAIS PROFA. ME. ÉRICA RIOS DOUTRINAS ÉTICAS FUNDAMENTAIS PROFA. ME. ÉRICA RIOS ERICA.CARVALHO@UCSAL.BR Ética e História Como a Ética estuda a moral, ou seja, o comportamento humano, ela varia de acordo com seu objeto ao longo do

Leia mais

Reflexões sobre emprego e redução de pobreza no PARP : Desafios para uma abordagem alternativa

Reflexões sobre emprego e redução de pobreza no PARP : Desafios para uma abordagem alternativa Reflexões sobre emprego e redução de pobreza no PARP 2011 2014: Desafios para uma abordagem alternativa Yasfir Ibraimo Seminário de divulgação do livro Desafios para Moçambique 2012 Universidade Católica

Leia mais

Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB)

Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB) Federal University of Roraima, Brazil From the SelectedWorks of Elói Martins Senhoras Winter January 1, 2008 Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB) Eloi Martins Senhoras Available at:

Leia mais

VMSIMULADOS. AGENTE ADMINISTRATIVO 1

VMSIMULADOS. AGENTE ADMINISTRATIVO  1 AGENTE ADMINISTRATIVO www.vmsimulados.com.br 1 AGENTE ADMINISTRATIVO LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto para responder às questões de números 01 a 06. Da corrupção à crise A corrupção domina o Mundo. Esta

Leia mais

Modelo de Desenvolvimento do Brasil: Oportunidades e Desafios. Nelson Barbosa 28 de novembro de 2011

Modelo de Desenvolvimento do Brasil: Oportunidades e Desafios. Nelson Barbosa 28 de novembro de 2011 Modelo de Desenvolvimento do Brasil: Oportunidades e Desafios Nelson Barbosa 28 de novembro de 2011 1 Oportunidades para o Brasil Comércio e financiamento externo: aumento nos termos de troca puxado pela

Leia mais

Justiça Equitativa e Autonomia Política em John Rawls

Justiça Equitativa e Autonomia Política em John Rawls Justiça Equitativa e Autonomia Política em John Rawls XI Salão de Iniciação Científica PUCRS Bolsista Apresentador: Iuri Hummes Specht 1, Thadeu Weber 2 (orientador) 1 Faculdade de Filosofia, PUCRS, 2

Leia mais

a) Monte a situação acima na forma de um jogo, escrevendo a tabela de payoffs b) Encontre todos os equilíbrios de Nash em estratégias puras

a) Monte a situação acima na forma de um jogo, escrevendo a tabela de payoffs b) Encontre todos os equilíbrios de Nash em estratégias puras Universidade Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Ciências Econômicas Ecop 26 - Teoria Microeconômica II Prof. Sabino Porto Junior Teoria dos jogos 1 - Apresente os conceitos de: a) Equilíbrio em

Leia mais

Desenvolvimento Econômico. Parte IV. Pobreza e Distribuição de Renda

Desenvolvimento Econômico. Parte IV. Pobreza e Distribuição de Renda Desenvolvimento Econômico Parte IV Pobreza e Distribuição de Renda Prof. Antonio Carlos Assumpção Redução da pobreza e Desigualdade de Renda Redução da pobreza e Desigualdade de Renda A partir da estabilização

Leia mais

7 ALOCAÇÃO PELO MÉTODO DO NUCLEOLUS

7 ALOCAÇÃO PELO MÉTODO DO NUCLEOLUS ALOCAÇÃO PELO MÉTODO NUCLEOLUS 76 7 ALOCAÇÃO PELO MÉTODO DO NUCLEOLUS O quarto método abordado nesta monografia é o método do nucleolus [44]. Este método, diferentemente da alocação por Última Adição,

Leia mais

Conceitos Fundamentais

Conceitos Fundamentais Cesta de bens A cesta de bens, do ponto de vista econômico, é o conjunto de bens que está disponível para o consumidor. Outros conceitos surgem a partir daí, como cesta básica: conjunto de bens que satisfazem

Leia mais

Adam Smith e o Nascimento da Economia Política Clássica

Adam Smith e o Nascimento da Economia Política Clássica Adam Smith e o Nascimento da Economia Política Clássica José Luis Oreiro Departamento de Economia UNB Pesquisador Nível N I do CNPq Reação a Filosofia Moral de Hobbes Hobbes: as ações a humanas são governadas

Leia mais

NEGÓCIOS INTERNACIONAIS

NEGÓCIOS INTERNACIONAIS NEGÓCIOS INTERNACIONAIS Aula 01 - Fundamentos teóricos, parte I. Economia internacional Vs Comércio exterior. Teorias do Comércio Internacional (liberalismo vs protecionismo) COMÉRCIO INTERNACIONAL Onde

Leia mais

População: Características e crescimento da população mundial

População: Características e crescimento da população mundial População: Características e crescimento da população mundial IFMG - Campus Betim Professor Diego Alves de Oliveira Disciplina de Geografia - 3º Ano 2016 7 bilhões de pessoas no planeta em 2012; Distribuição

Leia mais

Crescimento Econômico, Desenvolvimento e Saúde. Patrick Dias

Crescimento Econômico, Desenvolvimento e Saúde. Patrick Dias Crescimento Econômico, Desenvolvimento e Saúde Patrick Dias Residecoadm.hu@ufjf.edu.br 40095172 Vídeo 200 países, 200 anos, 4 minutos Crescimento X Desenvolvimento Crescimento Econômico Podemos definir

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Senhor Pedro Paulo)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Senhor Pedro Paulo) PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Senhor Pedro Paulo) Acrescenta os parágrafos 18, 19, 20, 21 e 22 ao artigo 2º da lei nº 10.836, de 09 de janeiro de 2004, que cria o Programa Bolsa Família, visando possibilitar

Leia mais

Hans Kelsen. Prof. Nogueira. O que é Justiça?

Hans Kelsen. Prof. Nogueira. O que é Justiça? Hans Kelsen Prof. Nogueira O que é Justiça? Biografia Básica 1881 1973 Austríaco Judeu Biografia Básica 1 ed. Teoria Pura do Direito 1934 O que é Justiça? 1957 2 ed. Teoria Pura do Direito 1960 Histórico

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA 20/05/2015

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA 20/05/2015 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA 20/05/2015 Perfil da Extrema Pobreza Núcleo duro da pobreza 71% de negros e negras 60% na região Nordeste 40% de crianças e adolescentes (0 a 14 anos) Eixos do Plano

Leia mais

Bem-estar. Graduação Curso de Microeconomia I Profa. Valéria Pero. Varian, H. Microeconomia. Princípios Básicos. Editora Campus (7ª edição), 2003.

Bem-estar. Graduação Curso de Microeconomia I Profa. Valéria Pero. Varian, H. Microeconomia. Princípios Básicos. Editora Campus (7ª edição), 2003. Bem-estar Graduação Curso de Microeconomia I Profa. Valéria Pero Varian, H. Microeconomia. Princípios Básicos. Editora Campus (7ª edição), 2003. Análise de Bem-estar A eficiência de Pareto é um objetivo

Leia mais

Administração Pública

Administração Pública Administração Pública O direito administrativo é o direito que regula a Administração pública Administração pública: é o objeto do direito administrativo Fernanda Paula Oliveira 1. Administração: gestão

Leia mais

O Engenheiro Informático na Sociedade da Informação

O Engenheiro Informático na Sociedade da Informação O Engenheiro Informático na Sociedade da Informação Luis Amaral amaral@dsi.uminho.pt Information Systems Department University of Minho Portugal Sumário Pretendemos fazer uma breve reflexão sobre o papel

Leia mais