DISCIPLINA: MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS PROFESSOR: GILBERTO DE CASTRO TIMOTHEO APOSTILA: 6 ASSUNTO PRINCIPAL: Administração da dívida Pública

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DISCIPLINA: MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS PROFESSOR: GILBERTO DE CASTRO TIMOTHEO APOSTILA: 6 ASSUNTO PRINCIPAL: Administração da dívida Pública"

Transcrição

1 1 Mercado Secundário de Open Market 2 Operações de Overnight 3 Tesouro Direto 1 Mercado Secundário de Open market É um mercado secundário onde são negociados os títulos federais emitidos anteriormente pelo Tesouro Nacional e negociados pelo Banco Central. Atualmente este mercado é privativo dos das instituições financeiras e é nele onde ocorrem as negociações das reservas bancárias, sendo também um instrumento de controle do custo do dinheiro no mercado. As reservas bancárias estão sujeitas a vários fatores que influenciam sua estabilidade, como início de mês quando são pagos impostos e salários, promovendo em muitos casos a necessidade das instituições recorrerem a operação que visa restabelecer a condição de equilíbrio. 2 Operações de Overnight O overnight é o tipo de operação compromissada ou seja, é feita hoje com o compromisso de negociação no dia seguinte, utilizada no mercado secundário de títulos públicos. 1

2 DISCIPLINA: MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Fuxo das negociações e Leilão Quadro proposto por Fortuna(2008) 3 Tesouro Direto A partir de janeiro de 2002, tornou-se possível a compra e venda de títulos públicos federais por pessoas físicas via internet, intermediadas por uma instituição financeira cadastrada no tesouro, como Agente de Custódia, os títulos podem ser adquiridos 24 horas por dia e com recompra garantida semanalmente das 9 horas das quartas-feiras e as 5 horas das quintas-feiras com ressalva aos dias úteis que o sistema fica indisponível das 5 as 9 horas da manhã. Tem como valor mínimo 0,2 título aproximadamente R$200,00 e maximo de R$ ,00. 2

3 A tributação é a mesma dos títulos de renda fixa, ou seja tabela do imposto de renda e IOF com sua tabela regressiva até 30 dias. CUSTOS: MENSAGEM CONSTANTE DO SITIO DO TESOURO DIRETO EM 08/05/09 - ACESSO AS 7:09 HORAS 08/05/09 Redução dos Custos no Tesouro Direto BM&FBOVESPA altera sua política de tarifação. Em linha com o objetivo de aprimorar continuamente o Tesouro Direto, a BM&FBOVESPA reduziu os custos do Tesouro Direto, tornando-os mais competitivos para o investidor de longo prazo e mais flexível para o investidor que precisar vender seus títulos em prazos inferiores a um ano. Dessa forma, as compras de títulos feitas a partir do dia 06/04/2009 estão sujeitas ao novo modelo de pagamento de taxas referentes aos serviços prestados, descrito a seguir: - No momento da compra do título, é cobrada uma taxa de negociação de 0,10% sobre o valor da operação. - Há também uma taxa de custódia da BM&FBOVESPA de 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos, referente aos serviços de guarda dos títulos e às informações e movimentações dos saldos, que é cobrada semestralmente, no primeiro dia útil de janeiro ou de julho, ou na ocorrência de um evento de custódia (pagamento de juros, venda ou vencimento do título), o que ocorrer primeiro. Essa taxa é cobrada proporcionalmente ao período em que o investidor mantiver o título, e é calculada até o saldo de R$ ,00 por conta de custódia. No caso em que, no semestre, a soma do valor da taxa de custódia da BM&FBOVESPA e da taxa do Agente de Custódia for inferior a R$10,00, o valor das taxas será acumulado para a cobrança no semestre seguinte, no primeiro dia útil de janeiro ou de julho, ou na ocorrência de um evento de custódia (pagamento de juros, venda ou vencimento do título), o que ocorrer primeiro. Os agentes de custódia também cobram taxas de serviços livremente acordadas com os investidores. As taxas cobradas pelas instituições estão disponíveis para consulta no site do Tesouro Direto. O investidor deve confirmá-las no momento da contratação. Assim, no momento da operação de compra o investidor pagará o valor da transação (preço unitário do título vezes a quantidade adquirida) mais 0,10% sobre o valor da transação (taxa de negociação BM&FBOVESPA) mais a taxa do Agente de Custódia referente ao primeiro ano de custódia. Caso o título tenha vencimento inferior a um ano, a taxa do agente de custódia será proporcional ao prazo do título. A taxa de custódia da BM&FBOVESPA (0,3% ao ano) será provisionada diariamente a partir da liquidação da operação de compra (D+2). 3

4 As compras feitas antes de 06/04/2009 continuam com a regra anterior de cobrança das taxas, ou seja, na venda, ou no pagamento de juros, ou no encerramento da posição do investidor. Porém, a partir dessa data, o investidor também será beneficiado com a redução da taxa utilizada no cálculo diário sobre compras feitas há mais de um ano, que passa de 0,40% para 0,30% ao ano. TABELA DE IMPOSTO DE RENDA sobre aplicações financeiras IRRF - Imposto de Renda Retido na Fonte íncide sobre o rendimento bruto deduzido o valor do IOF Imposto Operações Financeiras, de acordo com tabela decrescente abaixo. Prazo Taxa Base de Cálculo Até 180 dias 22,5% De 181 a 360 dias 20,0% De 361 a 720 dias 17,5% Rendimentos Brutos Acima de 720 dias 15,0% TABELA REGRESSIVA DO IOF Número de Dias % Limite do Rendimento

5

6 CARACTERISTICAS DOS TÍTULOS PÚBLICOS Fluxo dos títulos: NTN-F e NTN-B tabela aqui. As datas de pagamento dos cupons são definidas retrospectivamen te a cada seis meses a partir da data de vencimento do título. Para as datas de pagamentos de cupons dos títulos atualmente ofertados, veja Fluxo dos títulos: LTN, LFT e NTN-B Principal Fonte: Tesouro Direto Passo a passo: Sumário Compra: Passo 1: Acesso ao Tesouro Direto Passo 2: Títulos disponíveis para compra Venda: Passo 1: Clique em Vender e escolha o Agente de Custódia Passo 2: Escolha os títulos para a 6

7 venda Passo 3: Clique em Comprar e escolha o Agente de Custódia Passo 4: Escolha os títulos para a compra Passo 3: Apure o montante da venda Passo 4: Adicione mais títulos ou finalize a venda Passo 5: Apure o montante da compra Passo 6: Adicione mais títulos ou finalize a compra Extrato/Saldo/Dados Cadastrais Passo 1: Consulta de Extrato Passo 2: Consulta de Saldo Procedimentos para compra Passo 1: Acesso ao Tesouro Direto 7

8 Passo 2: Títulos disponíveis para compra Passo 3: Clique em Comprar e escolha o Agente de Custódia 8

9 Passo 4: Escolha os títulos para a compra Passo 5: Apure o montante da compra Há duas formas de adquirir os títulos: Você pode informar a quantidade desejada e, para verificar o montante da compra, clique em Calcular Total ou; Pode informar o valor total e, para averiguar a respectiva quantidade, clique em 9

10 Calcular Quantidade. Passo 6: Adicione mais títulos ou finalize a compra FLUXO DE COMPRAS Eventos Dia 0 Dia 1 Dia 2 Aquisição do Título no site do Tesouro Direto* X Prazo limite para que o dinheiro esteja na conta investimento do investidor (checar horário limite com X Agente de Custódia). Recebimento do Título adquirido na conta de custódia do investidor (às 17 horas). X *É considerado "Dia 0" entre 9 horas do "Dia 0" e 5 horas do "Dia 1". São considerados dias úteis, sendo que o Dia 0 de sexta-feira se prolonga de 9 horas até 5 horas de segunda-feira. Procedimentos para Venda Passo 1: Clique em Vender e escolha o Agente de Custódia O Tesouro Nacional realiza recompras dos títulos todas as quartas-feiras, das 9 horas às 5 horas do dia seguinte. Excepcionalmente, nas semanas em que houver reunião do Comitê de Política Monetária (COPOM), a recompra de todos os títulos também será realizada entre 9 horas de quinta-feira 10

11 e 5 horas de sexta-feira. A negociação dos títulos prefixados (LTN e NTN-F) ficará suspensa entre 17 horas da quarta-feira e 9 horas de quinta-feira, início do mercado, para evitar que as decisões do COPOM acerca da meta da taxa SELIC possam afetar as negociações no Tesouro Direto sem que haja um correspondente efeito no mercado secundário. Para vender títulos, clique em Comprar e Vender -> Vender e informe o código do seu Agente de Custódia Passo 2: Escolha os títulos para a venda Em seguida, aparecerão os títulos que você possui e que estão sendo recomprados pelo Tesouro Nacional. 11

12 Passo 3: Apure o montante da venda pós escolher o título, clique em Vender. Assim como na compra, existem duas formas de vender os títulos: Você pode informar a quantidade e, para verificar o montante a ser vendido, clique em Calcular Total ou; Pode informar o valor total e, para averiguar a respectiva quantidade, clique em Calcular Quantidade. Passo 4: Adicione mais títulos ou finalize a venda Para inserir outros títulos na cesta, clique em Adicionar Novos Títulos. Quando for finalizar a operação, clique em Confirmar Venda. 12

13 A liquidação das vendas ocorre um dia útil após a realização da operação. Após a liquidação, você pode consultar sua posição atualizada no menu Saldo/Extrato. O fluxo de vendas antecipadas funciona da seguinte maneira: FLUXO DE VENDAS ANTECIPADAS Eventos Dia 0 Dia 1 Dia 2 Venda antecipada do Título no site do Tesouro Direto* X Repasse dos recursos pelo Tesouro Nacional/CBLC, pelo valor bruto, ao Agente de Custódia (às 12h30). X Repasse ao investidor, pelo Agente de Custódia, do valor líquido da venda antecipada após dedução de Imposto Varia de acordo com o Agente de Custódia de Renda e taxas devidas. *É considerado "Dia 0" entre 9 horas do "Dia 0" (quarta-feira) e 5 horas do "Dia 1" (quintafeira). São considerados dias úteis. Nas semanas em que houver reunião do COPOM, a recompra de todos os títulos também será realizada entre 9 horas de quinta-feira e 5 horas de sexta-feira. A negociação dos títulos préfixados (LTN e NTN-F) e dos títulos indexados a índices de preços (NTN-B, NTN-B Principal e NTN-C) ficará suspensa entre 17 horas da quarta-feira e 9 horas de quinta-feira, início do mercado, para evitar que as decisões do COPOM acerca da meta da taxa SELIC possam afetar as negociações no Tesouro Direto sem que haja um correspondente efeito no mercado secundário. Cadastramento em uma corretora. Ex.: Ágora Corretora., sitio https://www.agorainvest.com.br/bemvindo/default.asp Documentação necessária Pessoa física Cópia do documento de identificação¹ escolhido no cadastramento; Cópia do CPF²; Cópia de comprovante de residência (cópia referente ao endereço declarado, com data de até 3 meses, em seu nome ou em nome de parentes de 1º grau); Cópia de comprovante de endereço comercial (caso tenha selecionado esta opção para receber correspondência) ou de outro endereço (caso tenha selecionado esta opção para receber correspondência); Ficha Cadastral, com assinatura igual à utilizada nos documentos enviados para a Ágora; Termo de Adesão ao Contrato de Intermediação assinado. 13

Tesouro Direto. Rentabilidade Segurança Comodidade Diversidade Baixo risco

Tesouro Direto. Rentabilidade Segurança Comodidade Diversidade Baixo risco Tesouro Direto Rentabilidade Segurança Comodidade Diversidade Baixo risco TesouroDireto.indd 1 2/21/11 3:30 PM 1Conheça o Tesouro Direto Criado pelo Tesouro Nacional em 2002, em parceria com a BM&FBOVESPA,

Leia mais

MANUAL DO INVESTIDOR DO TESOURO DIRETO

MANUAL DO INVESTIDOR DO TESOURO DIRETO MANUAL DO INVESTIDOR DO TESOURO DIRETO INTRODUÇÃO Em 07 de janeiro de 2002, o Tesouro Nacional, com o suporte técnico e operacional da Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia - CBLC, (incorporada

Leia mais

Tesouro Direto. Florianópolis. Renato Andrade

Tesouro Direto. Florianópolis. Renato Andrade Tesouro Direto Florianópolis Renato Andrade Visão Geral Vantagens Comprando Tributação e Vendendo Títulos Comprando e Vendendo Títulos Entendendo o que altera o preço Simulador do Tesouro Direto Perfil

Leia mais

Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto

Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto LFT A LFT é um título pós-fixado, cuja rentabilidade segue a variação da taxa SELIC, a taxa de juros básica da economia. Sua remuneração

Leia mais

Ministério da Fazenda

Ministério da Fazenda Ministério da Fazenda Belo Horizonte, outubro de 2006 Visão Geral do Programa Vantagens do Tesouro Direto Entendendo o que altera o preço Calculadora do Tesouro Direto O que é Tesouro Direto? Em 07 de

Leia mais

MANUAL DO INVESTIDOR DO TESOURO DIRETO

MANUAL DO INVESTIDOR DO TESOURO DIRETO MANUAL DO INVESTIDOR DO TESOURO DIRETO INTRODUÇÃO... 3 1. REQUISITOS BÁSICOS... 5 2. CADASTRAMENTO PARA COMPRA DE TÍTULOS PÚBLICOS NO TESOURO DIRETO... 5 3. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO... 7 4. TÍTULOS PÚBLICOS

Leia mais

Tesouro Direto LEANDRO GONÇALVES DE BRITO

Tesouro Direto LEANDRO GONÇALVES DE BRITO Tesouro Direto LEANDRO GONÇALVES DE BRITO Visão Geral do Programa Vantagens do Programa Tesouro Direto Tributação Comprando e Vendendo Títulos Perfil do Investidor 2 O que são Títulos Públicos? Os títulos

Leia mais

[CONFIDENCIAL] Tesouro Direto. Títulos Públicos

[CONFIDENCIAL] Tesouro Direto. Títulos Públicos 1 Tesouro Direto Títulos Públicos Títulos Públicos Os títulos públicos possuem a finalidade primordial de captar recursos para o financiamento da dívida pública. Comprando títulos públicos, você emprestará

Leia mais

Conceitos básicos; Liquidez Inflação Rentabilidade Juros Risco

Conceitos básicos; Liquidez Inflação Rentabilidade Juros Risco QUEM SOMOS 2 Conceitos básicos; 3 Liquidez Inflação Rentabilidade Juros Risco Liquidez: Capacidade de transformar um ativo em dinheiro. Ex. Se você tem um carro ou uma casa e precisa vendê-lo, quanto tempo

Leia mais

REDUÇÃO NA TAXA DE NEGOCIAÇÃO

REDUÇÃO NA TAXA DE NEGOCIAÇÃO índice INTRODUÇÃO 3 REDUÇÃO NA TAXA DE NEGOCIAÇÃO 3 AGENDAMENTOS 4 1 - Agendamento de Compra 2 - Consulta e Edição de Agendamentos de Compras 3 - Reinvestimento Automático 4 Consulta e Edição de Reinvestimentos

Leia mais

André Proite. Novembro de 2012

André Proite. Novembro de 2012 Tesouro Direto André Proite Rio de Janeiro, Novembro de 2012 Princípios da Gestão da Dívida Visão Geral do Programa Vantagens do Tesouro Direto Entendendo o que altera o preço Simulador do Tesouro Direto

Leia mais

Semana Nacional de Educação Financeira Tema. Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação

Semana Nacional de Educação Financeira Tema. Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação Tema Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação Apresentação JOCELI DA SILVA SILVA Analista Administrativo/Gestão Pública Lotado na Assessoria de Coordenação 3ª CCR Especialização UNB Clube

Leia mais

Tesouro Direto. Brasília, Setembro de 2011

Tesouro Direto. Brasília, Setembro de 2011 Tesouro Direto Brasília, Setembro de 2011 Princípios da Gestão da Dívida Visão Geral do Programa Vantagens do Tesouro Direto Entendendo o que altera o preço Simulador do Tesouro Direto Perfil do Investidor

Leia mais

Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto. Tesouro Selic (LFT)

Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto. Tesouro Selic (LFT) Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto Tesouro Selic (LFT) O Tesouro Selic (LFT) é um título pós fixado, cuja rentabilidade segue a variação da taxa SELIC, a taxa básica

Leia mais

Material Explicativo sobre Títulos Públicos

Material Explicativo sobre Títulos Públicos Material Explicativo sobre 1. Definições Gerais Os são emitidos pelo Tesouro Nacional, servindo como um instrumento de captação do Governo Federal para execução e financiamento de suas dívidas internas,

Leia mais

Renda fixa e Tesouro Direto

Renda fixa e Tesouro Direto Renda fixa e Tesouro Direto Classificação de investimentos Collor CDB Renda fixa Caderneta de poupança Fundos DI Imóveis Renda variável Ações Liquidez Liquidez Liquidez Segurança Segurança Segurança Rentabilidade

Leia mais

Jonatam Cesar Gebing. Tesouro Direto. Passo a passo do Investimento. Versão 1.0

Jonatam Cesar Gebing. Tesouro Direto. Passo a passo do Investimento. Versão 1.0 Jonatam Cesar Gebing Tesouro Direto Passo a passo do Investimento Versão 1.0 Índice Índice 2 Sobre o autor 3 O Tesouro Direto 4 1.1 O que é? 4 1.2 O que são Títulos Públicos? 5 1.3 O que é o grau de investimento?

Leia mais

Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto

Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto LTN Letra do Tesouro Nacional A LTN é um título prefixado, o que significa que sua rentabilidade é definida no momento da compra.

Leia mais

Tesouro Direto. Segurança, Rentabilidade, Praticidade, Diversidade e Baixo Risco!

Tesouro Direto. Segurança, Rentabilidade, Praticidade, Diversidade e Baixo Risco! Tesouro Direto Segurança, Rentabilidade, Praticidade, Diversidade e Baixo Risco! Escolha a melhor instituição para você Ela ajuda em cada etapa antes de seu primeiro investimento e está sempre ao seu lado,

Leia mais

PERFIL DO INVESTIDOR. Uma das principais vantagens do Tesouro Direto é a possibilidade do investidor

PERFIL DO INVESTIDOR. Uma das principais vantagens do Tesouro Direto é a possibilidade do investidor PERFIL DO INVESTIDOR Uma das principais vantagens do Tesouro Direto é a possibilidade do investidor montar sua carteira de acordo com os seus objetivos, adequando prazos de vencimento e indexadores às

Leia mais

METODOLOGIA DE CÁLCULO DOS TÍTULOS PÚBLICOS OFERTADOS NO TESOURO DIRETO

METODOLOGIA DE CÁLCULO DOS TÍTULOS PÚBLICOS OFERTADOS NO TESOURO DIRETO METODOLOGIA DE CÁLCULO DOS TÍTULOS PÚBLICOS OFERTADOS NO TESOURO DIRETO Letras do Tesouro Nacional LTN Características Gerais: Juros: Não há, estão implícitos no deságio do título. Modalidade: Escritural,

Leia mais

Serviços Financeiros para Melhor Conduzir as Remessas ao Brasil Tesouro Direto. Paulo Valle Rio de Janeiro, 31 de maio de 2004

Serviços Financeiros para Melhor Conduzir as Remessas ao Brasil Tesouro Direto. Paulo Valle Rio de Janeiro, 31 de maio de 2004 Ministério da Fazenda Tesouro Nacional Serviços Financeiros para Melhor Conduzir as Remessas ao Brasil Tesouro Direto Paulo Valle Rio de Janeiro, 31 de maio de 2004 Remessas de Divisas Por que seria importante

Leia mais

Balanço do Tesouro Direto - Fevereiro 2013

Balanço do Tesouro Direto - Fevereiro 2013 Balanço do Tesouro Direto - Fevereiro 2013 1. Vendas e Resgates Em fevereiro, o montante financeiro vendido no Tesouro Direto foi de R$ 236,1 hões, valor 63% inferior ao mês anterior e 18% menor que o

Leia mais

TÍTULOS PÚBLICOS. Tesouro Direto

TÍTULOS PÚBLICOS. Tesouro Direto TÍTULOS PÚBLICOS Tesouro Direto Tesouro Direto Conheça esta alternativa de investimento em renda fixa. O produto O Tesouro Direto é uma alternativa de investimento em que o investidor sabe, no momento

Leia mais

Tesouro Direto. Como fazer doações para a Entidade Filantrópica de sua preferência usando o Tesouro Direto

Tesouro Direto. Como fazer doações para a Entidade Filantrópica de sua preferência usando o Tesouro Direto Tesouro Direto Como fazer doações para a Entidade Filantrópica de sua preferência usando o Tesouro Direto Dezembro de 2004 Neste final de ano, o Tesouro Nacional traz mais uma novidade no âmbito da dívida

Leia mais

Brasília 22 de Junho 0

Brasília 22 de Junho 0 Brasília 22 de Junho 0 Princípios da Gestão da Dívida Visão Geral do Programa Vantagens do Tesouro Direto Entendendo o que altera o preço Perfil do Investidor Código de Ética STN Mudanças Recentes 1 O

Leia mais

Lançamento do livro O Mapa do Tesouro Direto. São Paulo 31 de março

Lançamento do livro O Mapa do Tesouro Direto. São Paulo 31 de março Lançamento do livro O Mapa do Tesouro Direto São Paulo 31 de março 0 Princípios da Gestão da Dívida Visão Geral do Programa Vantagens do Tesouro Direto Entendendo o que altera o preço 1 O que fazer quando

Leia mais

O mercado monetário. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012):

O mercado monetário. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012): O mercado monetário Prof. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br Blog: www.marcoarbex.wordpress.com Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012): Mercado Atuação

Leia mais

Brasília Fevereiro 2011

Brasília Fevereiro 2011 Brasília Fevereiro 2011 0 Visão Geral do Programa Vantagens do Tesouro Direto Entendendo o que altera o preço Perfil do Investidor Código de Ética STN Mudanças Recentes 1 O que é Tesouro Direto? Em 07

Leia mais

Precificação de Títulos Públicos

Precificação de Títulos Públicos Precificação de Títulos Públicos Precificação de Títulos Públicos > Componentes do preço > Entendendo o que altera o preço Componentes do preço Nesta seção você encontra os fatores que compõem a formação

Leia mais

DESTAQUES DO DIA. Sua opção de Renda Fixa na Bolsa. Belo Horizonte, 05 de Janeiro de 2011 INFLAÇÃO

DESTAQUES DO DIA. Sua opção de Renda Fixa na Bolsa. Belo Horizonte, 05 de Janeiro de 2011 INFLAÇÃO Belo Horizonte, 05 de Janeiro de 2011 DESTAQUES DO DIA INFLAÇÃO A inflação de janeiro, medida pelo IPC- Fipe fechou com alta de 0,54%, acumulando 6,4% em 2010. Outros índices de inflação, o IGP- DI e o

Leia mais

Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto. Tesouro Prefixado (LTN)

Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto. Tesouro Prefixado (LTN) Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto Tesouro Prefixado (LTN) O Tesouro Prefixado (LTN) é um título prefixado, o que significa que sua rentabilidade é definida no momento

Leia mais

Como investir no Tesouro Direto Compra e venda de títulos públicos pode ser feita online, pelo próprio investidor

Como investir no Tesouro Direto Compra e venda de títulos públicos pode ser feita online, pelo próprio investidor UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO Análise de Investimentos Prof. Isidro LEITURA COMPLEMENTAR # 19 Como investir no

Leia mais

TÍTULOS PÚBLICOS: Uma alternativa de investimento com ganhos reais e seguro

TÍTULOS PÚBLICOS: Uma alternativa de investimento com ganhos reais e seguro TÍTULOS PÚBLICOS: Uma alternativa de investimento com ganhos reais e seguro Bárbara Costa Pimentel bacpimentel@gmail.com UFF Paloma de Lavor Lopes palomalavor@gmail.com UGB/FASF Filipe Otavio Braga Araujo

Leia mais

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar.

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. FUNDO REFERENCIADO DI Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. Para tal, investem no mínimo 80% em títulos públicos federais

Leia mais

SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL TESOURO DIRETO BALANÇO DE JULHO DE 2008

SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL TESOURO DIRETO BALANÇO DE JULHO DE 2008 TESOURO DIRETO BALANÇO DE JULHO DE 2008 O Programa Tesouro Direto, que possibilita a aquisição de títulos públicos por parte de pessoas físicas pela internet, foi implementado pelo Tesouro Nacional em

Leia mais

República Federativa do Brasil Ministério da Fazenda PRECIFICAÇÃO DE TÍTULOS PÚBLICOS

República Federativa do Brasil Ministério da Fazenda PRECIFICAÇÃO DE TÍTULOS PÚBLICOS PRECIFICAÇÃO DE TÍTULOS PÚBLICOS PRECIFICAÇÃO DE TÍTULOS PÚBLICOS Componentes do Preço; Entendendo o que altera o preço. Componentes do Preço O objetivo desta seção é apresentar ao investidor: os fatores

Leia mais

Guia de Renda Fixa. 1. Principais Características

Guia de Renda Fixa. 1. Principais Características Guia de Renda Fixa Os títulos de renda fixa se caracterizam por possuírem regras definidas de remuneração. Isto é, são aqueles títulos cujo rendimento é conhecido previamente (juro prefixado) ou que depende

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (UFRGS) ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO (EA) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS (DCA)

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (UFRGS) ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO (EA) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS (DCA) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (UFRGS) ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO (EA) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS (DCA) Bruno Etchepare Dornelles TÍTULOS PÚBLICOS NEGOCIADOS NO TESOURO DIRETO: alternativa

Leia mais

O Tesouro Direto é um programa de venda de títulos públicos a pessoas físicas desenvolvido pelo Tesouro Nacional, em parceria com a BM&FBOVESPA.

O Tesouro Direto é um programa de venda de títulos públicos a pessoas físicas desenvolvido pelo Tesouro Nacional, em parceria com a BM&FBOVESPA. 1 Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Tesouro Direto... 4 3. Compra de títulos... 5 4. Venda de títulos... 12 5. Consultas... 19 5.1 Extrato... 19 5.2 Cestas de compra... 20 5.3 Cestas de venda... 21

Leia mais

ONDE ESTAMOS? Mais de 40 mil clientes. 110 escritórios pelas principais cidades do Brasil. Mais de 600 Agentes Autônomos de Investimentos.

ONDE ESTAMOS? Mais de 40 mil clientes. 110 escritórios pelas principais cidades do Brasil. Mais de 600 Agentes Autônomos de Investimentos. ONDE ESTAMOS? Mais de 40 mil clientes. 110 escritórios pelas principais cidades do Brasil. Mais de 600 Agentes Autônomos de Investimentos. RENDA FIXA? Fuja do seu banco! Novembro 2013 COMO FUNCIONA A RENDA

Leia mais

PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE TESOURO DIRETO 4ª EDIÇÃO

PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE TESOURO DIRETO 4ª EDIÇÃO AS 10 PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE TESOURO DIRETO 4ª EDIÇÃO Olá, Investidor. Esse projeto foi criado por Bruno Lacerda e Rafael Cabral para te ajudar a alcançar mais rapidamente seus objetivos financeiros.

Leia mais

RENDA FIXA? Fuja do seu banco!

RENDA FIXA? Fuja do seu banco! RENDA FIXA? Fuja do seu banco! Janeiro 2014 COMO FUNCIONA A RENDA FIXA? COMO INVESTIR EM RENDA FIXA! COMO FUNCIONA A RENDA FIXA? Renda Fixa = Emprestar Dinheiro Tipos de Investimentos em Renda Fixa: CDB

Leia mais

TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS

TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS Metodologia de Cálculo dos Títulos Públicos Federais Ofertados nos Leilões Primários O objetivo deste guia é facilitar o entendimento dos investidores sobre algumas peculiaridades

Leia mais

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Analistas indicam quais cuidados tomar no mercado financeiro em 2012 e quais investimentos oferecem menor probabilidade

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO Um título público consiste, de maneira simplificada, um empréstimo ao governo federal, ou seja, o governo fica com uma dívida com o comprador

Leia mais

Guia Fácil sobre. $ Tesouro. Por André Massaro

Guia Fácil sobre. $ Tesouro. Por André Massaro Guia Fácil sobre $ Tesouro Direto Por André Massaro Índice Introdução - Entendendo a renda fixa... O que é essa tal renda fixa?... Renda fixa e renda variável... Renda fixa mais presente do que imaginamos...

Leia mais

INSTITUTO ASSAF: VENDAS DE TÍTULOS PÚBLICOS CRESCEM EM MÉDIA 64,3% AO ANO

INSTITUTO ASSAF: VENDAS DE TÍTULOS PÚBLICOS CRESCEM EM MÉDIA 64,3% AO ANO Veículo: Comunique-se Data: 16.03.12 INSTITUTO ASSAF: VENDAS DE TÍTULOS PÚBLICOS CRESCEM EM MÉDIA 64,3% AO ANO Criado em 07/01/2002 pela parceria entre a CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia)

Leia mais

Renda Fixa. Valor de Aplicação R$2.000.000,00 N=7dias I = 11,45 % a.a. ([1,1145^(1/360)] 1)

Renda Fixa. Valor de Aplicação R$2.000.000,00 N=7dias I = 11,45 % a.a. ([1,1145^(1/360)] 1) Renda Fixa 20/03/2012 Mestrando: Paulo Jordão.» TesouroNacional e Banco Central: LFTs, NTNs, LTNs, etc: Pré fixadas; Pós fixadas: SELIC acumulada; Indexadas:IPCA, IPGM, VariaçãoCambial.» Empresas: Debêntures

Leia mais

renda fixa Certificado de Depósito Bancário

renda fixa Certificado de Depósito Bancário renda fixa Certificado de Depósito Bancário Certificado de Depósito Bancário Rentabilidade e proteção em um único investimento O produto Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título de renda fixa,

Leia mais

Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Negociação de Instrumentos Financeiros

Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Negociação de Instrumentos Financeiros Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Negociação de Instrumentos Financeiros DELIBERAÇÃO Nº 03 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Negociação de Instrumentos Financeiros, no exercício

Leia mais

André Proite Gerente- Relacionamento com Investidores

André Proite Gerente- Relacionamento com Investidores Tesouro Direto André Proite Gerente- Relacionamento com Investidores Coordenação Estratégica de Planejamneto da Dívida Pública Federal Tesouro Nacional Brasília Novembro 2013 Princípios da Gestão da Dívida

Leia mais

Resenha do Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab) Período de 12/12/2011 a 16/12/2011

Resenha do Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab) Período de 12/12/2011 a 16/12/2011 Resenha do Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab) Período de 12/12/2011 a 16/12/2011 Mercado Primário Na quinta-feira, 15 de dezembro, foram realizados os leilões tradicionais do Tesouro para

Leia mais

Perguntas Frequentes - Tributação

Perguntas Frequentes - Tributação 1. Tributação do Ganho de Capital Perguntas Frequentes - Tributação 1.1 - Como é feita a tributação dos ganhos obtidos com a alienação de ações? A tributação é feita em bases mensais, ou seja: o ganho

Leia mais

Conhecendo os Processos de Cobrança

Conhecendo os Processos de Cobrança Conhecendo os Processos de Cobrança 03 Processos de Cobrança Entenda a Fatura Ferramentas de Suporte Consulta de Extratos 05 09 11 16 Consumo Consciente 02 Processos de Cobrança conheça os processos de

Leia mais

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo SONHOS AÇÕES Planejando suas conquistas passo a passo Todo mundo tem um sonho, que pode ser uma viagem, a compra do primeiro imóvel, tranquilidade na aposentadoria ou garantir os estudos dos filhos, por

Leia mais

Como investir na Bolsa em

Como investir na Bolsa em 6 Como investir na Bolsa em s Para você investir com mais segurança e conhecimento, a Bolsa oferece um guia a facilitando sua entrada no mundo de ações. Siga o guia dos 6 s da Bolsa para investir no mercado

Leia mais

CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES 1. Aspectos gerais 1.1 Apresentação de documentos

CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES 1. Aspectos gerais 1.1 Apresentação de documentos PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DE ATIVOS (CBLC) CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES

Leia mais

Resenha do Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab) Período de 15/9/14 a 19/9/14

Resenha do Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab) Período de 15/9/14 a 19/9/14 Resenha do Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab) Período de 15/9/14 a 19/9/14 Mercado Primário Na quinta-feira, 18 de setembro, foram realizados os leilões tradicionais do Tesouro para a

Leia mais

CLUBE DE INVESTIMENTO. Mais uma maneira de investir no mercado de ações

CLUBE DE INVESTIMENTO. Mais uma maneira de investir no mercado de ações CLUBE DE INVESTIMENTO Mais uma maneira de investir no mercado de ações Clube de Investimento Clube de Investimento É uma associação de pessoas físicas, mínimo de 3 e máximo de 150, com objetivo em comum

Leia mais

Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos

Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos BRASIL Guia de Declaração IR 2014- Investimentos O dia 30/04/2014 é último dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2014 e com o objetivo de

Leia mais

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil Guia de Declaração IR 2014 Investimentos Março de 2014 Brasil Guia de Declaração IR 2014 - Investimentos O prazo de entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2014 tem início no dia 6 de março e o

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - POLÍTICA ECONÔMICA & MERCADO FINANCEIRO

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - POLÍTICA ECONÔMICA & MERCADO FINANCEIRO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - POLÍTICA ECONÔMICA & MERCADO FINANCEIRO Prof.Nelson Guerra Ano 2012 www.concursocec.com.br INTRODUÇÃO Trata-se da política utilizada pelo Governo para obter desenvolvimento

Leia mais

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa.

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa. MERCADO À VISTA OPERAÇÃO À VISTA É a compra ou venda de uma determinada quantidade de ações. Quando há a realização do negócio, o comprador realiza o pagamento e o vendedor entrega as ações objeto da transação,

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE MERCADO ABERTO DELIBERAÇÃO Nº 3

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE MERCADO ABERTO DELIBERAÇÃO Nº 3 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE MERCADO ABERTO DELIBERAÇÃO Nº 3 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Mercado Aberto, no exercício das atribuições a ele conferidas pelo Código ANBIMA

Leia mais

REGULAMENTO TESOURO DIRETO

REGULAMENTO TESOURO DIRETO REGULAMENTO TESOURO DIRETO Brasília Março/2015 Página 1 Glossário 4 1. Capítulo I - Regras Gerais 7 2. Capítulo II-Procedimentos Operacionais 7 2.1. Cadastro 7 2.1.1. Aspectos gerais 7 2.1.2. Cadastro

Leia mais

Manual de perguntas e respostas Previdência Privada Zurich Seven IT

Manual de perguntas e respostas Previdência Privada Zurich Seven IT Manual de perguntas e respostas Previdência Privada Zurich Seven IT 1º. Quais são os fundos de investimentos na Previdência Privada Zurich? Você pode escolher Renda Fixa para investidores mais conservadores

Leia mais

ADM020 Matemática Financeira

ADM020 Matemática Financeira Sumário 1. Objetivo da Aula 13 ADM020 Matemática Financeira 2. CDB e RDB 3. Debêntures 4. Obrigações Produtos do mercado financeiro ADM020 Matemática Financeira Aula 13 29/11/2009 2 2. Objetivo da Aula

Leia mais

Unidade II. Mercado Financeiro e de. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade II. Mercado Financeiro e de. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade II Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Maurício Felippe Manzalli Mercados Financeiros Definição do mercado financeiro Representa o Sistema Financeiro Nacional Promove o fluxo de recursos através

Leia mais

Estudo sobre Investimentos World One Julho 2014

Estudo sobre Investimentos World One Julho 2014 Introdução, perguntas e respostas que vão te ajudar a conseguir dialogar com clientes que tenham dúvidas sobre os investimentos que estão fazendo, ou alguma outra pessoa que realmente entenda do mercado

Leia mais

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DE ATIVOS (CBLC) Março 2011 GLOSSÁRIO ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Ao comprar uma opção, o aplicador espera uma elevação do preço da ação, com a valorização do prêmio da opção. Veja o que você, como aplicador, pode fazer: Utilizar

Leia mais

Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto

Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto Tesouro IPCA + com Juros Semestrais NTN B O Tesouro IPCA + com Juros Semestrais (NTN B) é um título pós fixado, cuja rentabilidade

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.3- CDB / RDB

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.3- CDB / RDB Conhecimentos Bancários Item 2.1.3- CDB / RDB Conhecimentos Bancários Item 2.1.3- CDB / RDB CDB Certificado de Depósito Bancário São títulos nominativos emitidos pelos bancos e vendidos ao público como

Leia mais

Investtop www.investtop.com.br

Investtop www.investtop.com.br 1 Conteúdo Introdução... 4 CDB... 6 O que é CDB?...6 Liquidez...6 Tributação...6 Riscos...7 Dicas...7 Vantagens...7 Letra de Crédito do Imobiliário (LCI)... 9 O que é LCI?...9 Liquidez...9 Tributação...9

Leia mais

Sistema ANBIMA de Difusão de Taxas. Notas Metodológicas Versão o de 201

Sistema ANBIMA de Difusão de Taxas. Notas Metodológicas Versão o de 201 Sistema ANBIMA de Difusão de Taxas Notas Metodológicas Versão o de 201 1 - Campos Comuns a Todos os Provedores Provedor: Indica qual é a fonte primária da informação. Títulos: Correspondem ao conjunto

Leia mais

Análise da Necessidade e Periodicidade de Resgates para Aportes Periódicos Mensais em Cdb

Análise da Necessidade e Periodicidade de Resgates para Aportes Periódicos Mensais em Cdb Análise da Necessidade e Periodicidade de Resgates para Aportes Periódicos Mensais em Cdb Fabiana de Jesus Peixoto fabi.contato@hotmail.com FATEC-BP Priscila Gandolfi Dell Orti priscilagandolfi@hotmail.com

Leia mais

GUIA DO INVESTIDOR PARA. Agendamentos no Tesouro Direto

GUIA DO INVESTIDOR PARA. Agendamentos no Tesouro Direto GUIA DO INVESTIDOR PARA Agendamentos no Tesouro Direto Agendamento de Compra 1 Agendamentos Ao entrar na área do site do Tesouro Direto destinada a compras e vendas, o investidor deve acessar o menu Comprar

Leia mais

INVESTIMENTOS CONSERVADORES

INVESTIMENTOS CONSERVADORES OS 4 INVESTIMENTOS CONSERVADORES QUE RENDEM MAIS QUE A POUPANÇA 2 Edição Olá, Investidor. Esse projeto foi criado por Bruno Lacerda e Rafael Cabral para te ajudar a alcançar mais rapidamente seus objetivos

Leia mais

TOP O BACEN atualmente pode emitir títulos? Sistema Especial de Liquidação e Custódia - Selic. Professor Luiz Antonio de Carvalho

TOP O BACEN atualmente pode emitir títulos? Sistema Especial de Liquidação e Custódia - Selic. Professor Luiz Antonio de Carvalho Professor Luiz Antonio de Carvalho Sistema Especial de Liquidação e Custódia - Selic lac.consultoria@gmail.com 1 2 CONCEITO O Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic), do Banco Central do Brasil,

Leia mais

Cartão Consignado. Aposentados e Pensionistas do INSS

Cartão Consignado. Aposentados e Pensionistas do INSS Cartão Consignado Aposentados e Pensionistas do INSS Cartão Consignado INSS Regras Vigentes INSS Regras Vigentes Cartão exclusivo para compras (o saque é proibido). Temos que aguardar a manifestação do

Leia mais

Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Cleber Rentroia MBA em Finanças e Banking

Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Cleber Rentroia MBA em Finanças e Banking 1. Quando o IPCA tende a subir além das metas de inflação, qual medida deve ser tomada pelo COPOM: a) Abaixar o compulsório b) Reduzir taxa do redesconto c) Aumentar o crédito d) Elevar a taxa de juros

Leia mais

TÍTULO: DE POUPADOR A INVESTIDOR DESPERTANDO O GÊNIO FINANCEIRO DE INVESTIDORES CONSERVADORES

TÍTULO: DE POUPADOR A INVESTIDOR DESPERTANDO O GÊNIO FINANCEIRO DE INVESTIDORES CONSERVADORES TÍTULO: DE POUPADOR A INVESTIDOR DESPERTANDO O GÊNIO FINANCEIRO DE INVESTIDORES CONSERVADORES CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE

Leia mais

SABER SOBRE O FIES sem fiador

SABER SOBRE O FIES sem fiador TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O FIES sem fiador *De acordo com as regras do FIES estabelecidas pelo Governo Federal. Unidas pela educação MA LANCK O QUE É O FIES? O Fundo de Financiamento ao Estudante

Leia mais

GUIA FÁCIL SOBRE TESOURO DIRETO

GUIA FÁCIL SOBRE TESOURO DIRETO GUIA FÁCIL SOBRE TESOURO DIRETO Por André Massaro ÍNDICE Entendendo a Renda Fixa O que é essa tal Renda Fixa? Renda Fixa e Renda Variável Renda Fixa mais presente do que imaginamos Tendo o governo como

Leia mais

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 1/45 Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 2/45 Módulo 6 - Demais Produtos de Investimento Este módulo apresenta as principais características de algumas das

Leia mais

captação de recursos empréstimos financiamento.

captação de recursos empréstimos financiamento. Instrumentos utilizados pelas instituições financeiras para captação de recursos (funding) que serão utilizados nas operações de empréstimos e financiamento. 1 O cliente entrega os recursos ao banco, sendo

Leia mais

Renda Fixa Privada Notas Promissórias NP. Notas Promissórias - NP

Renda Fixa Privada Notas Promissórias NP. Notas Promissórias - NP Renda Fixa Privada Notas Promissórias - NP Uma alternativa para o financiamento do capital de giro das empresas O produto A Nota Promissória (NP), também conhecida como nota comercial ou commercial paper,

Leia mais

Banco do Brasil - Cartilha de CDB CDB

Banco do Brasil - Cartilha de CDB CDB CDB O que é?... 2 Pré ou pós-fixado... 2 CDI... 3 Indicação... 3 Taxa de administração... 3 Segurança... 3 Modalidades de CDB... 4 Valor mínimo... 5 Rentabilidade... 4 Prazos... 5 Vencimento... 6 Final

Leia mais

POR QUE INVESTIR DINHEIRO?

POR QUE INVESTIR DINHEIRO? POR QUE INVESTIR DINHEIRO? INVESTIMENTO X POUPANÇA Antes de falar em investimentos, precisamos entender que investimento é diferente de poupança. Poupança é o mero ato de guardar dinheiro (por exemplo,

Leia mais

Carteira Recomendada RENDA FIXA quarta-feira, 1 de abril de 2015

Carteira Recomendada RENDA FIXA quarta-feira, 1 de abril de 2015 quartafeira, 1 de abril de 2015 1. Alocação recomendada para Abril de 2015 Classe de Ativo Coservadora Moderada Agressiva Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo PósFixado

Leia mais

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011 TRIBUTAÇÃO Atualizado em 12/2011 1 Tributação dos Fundos de Investimento Instruções Normativas SRF nº 487 (30/12/04) e nº 489 (07/01/05) Lei nº 11.033/04 2 Base de Incidência de IR Base de incidência:

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTO

FUNDOS DE INVESTIMENTO FUNDOS DE INVESTIMENTO O QUE É FUNDO DE INVESTIMENTO? O Fundo de Investimento é um mecanismo organizado e tem a finalidade de captar e investir recursos no mercado financeiro, transformando-se numa forma

Leia mais

Produtos Bancários CAIXA

Produtos Bancários CAIXA Produtos Bancários CAIXA Item 2- Penhor CAIXA O Penhor CAIXA é para quem precisa de dinheiro imediato e sem burocracia. Basta entregar o bem, como garantia, e pegar o dinheiro na hora, sem análise cadastral

Leia mais

Letras Financeiras - LF

Letras Financeiras - LF Renda Fixa Privada Letras Financeiras - LF Letra Financeira Captação de recursos de longo prazo com melhor rentabilidade O produto A Letra Financeira (LF) é um título de renda fixa emitido por instituições

Leia mais

Perguntas realizadas na apresentação do Fundo Garantidor de Crédito

Perguntas realizadas na apresentação do Fundo Garantidor de Crédito Perguntas realizadas na apresentação do Fundo Garantidor de Crédito - O que significa DPEG? - O que é DPGE 1 e 2? Quais suas finalidades? Qual a diferença para o FGC? DPGEs são títulos de renda fixa representativos

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários Instrumento de captação de recursos e de investimentos no mercado imobiliário O produto O Certificado

Leia mais

Alterações na Poupança

Alterações na Poupança PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS INVESTIMENTOS POUPANÇA A conta de poupança foi criada para estimular a economia popular e permite a aplicação de pequenos valores que passam a gerar rendimentos mensalmente.

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA A Serveloja soluções empresariais é uma empresa de tecnologia, especialista em consultoria, serviços financeiros e softwares. Disponibilizamos diversas soluções de cobranças

Leia mais