A CONTRIBUIÇÃO DA ODONTOLOGIA LEGAL NA IDENTIFICAÇÃO HUMANA EM ACIDENTES AERONÁUTICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A CONTRIBUIÇÃO DA ODONTOLOGIA LEGAL NA IDENTIFICAÇÃO HUMANA EM ACIDENTES AERONÁUTICOS"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ODONTOLOGIA A CONTRIBUIÇÃO DA ODONTOLOGIA LEGAL NA IDENTIFICAÇÃO HUMANA EM ACIDENTES AERONÁUTICOS Dissertação apresentada à Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo, para obter o título de Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Odontologia. Área de Concentração: Deontologia e Odontologia Legal. São Paulo 2003

2 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ODONTOLOGIA A CONTRIBUIÇÃO DA ODONTOLOGIA LEGAL NA IDENTIFICAÇÃO HUMANA EM ACIDENTES AERONÁUTICOS Dissertação apresentada à Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo, para obter o título de Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Odontologia. Área de Concentração: Deontologia e Odontologia Legal. Orientador: Prof. Dr. Moacyr da Silva São Paulo 2003

3 A DEUS, Inteligência Suprema e Causa Primária de todas as coisas, que é a razão de minha existência. Aos meus pais, Newton e Niza, que ensinaram - me o caminho do amor e a importância da Educação. À minha querida esposa Anna Andréa e ao amado filho Germain, pelo amor, carinho e união, dedico esta dissertação. Ao Professor Doutor Moacyr da Silva, um amigo que me cativou pela sua humildade e sinceridade. Ao Professor Doutor Jorge Sousa Lima, que aprendi a admirar pela sua dedicação e grande contribuição à Odontologia Legal no Brasil. Ao Amigo e Professor Sérgio Augusto Wanderley Pinto de Oliveira, o reconhecimento pelo incentivo a mim dispensado, e principalmente pelo sábio conselho para que eu cursasse Direito, a minha eterna e saudosa gratidão.

4 AGRADECIMENTOS Ao Professor Doutor Dalton Luiz de Paula Ramos, Vice-Coordenador do Curso de Pós Graduação em Deontologia e Odontologia Legal da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP), pelo apoio, amizade e ajuda nos primeiros passos no campo da Bioética. À Professora Doutora Maria Ercília de Araújo, chefe do Departamento de Odontologia Social da FOUSP, pela sua dedicação e apreço. Aos Professores Doutores do Departamento de Odontologia Social da FOUSP, Ida Tecla Prellwitz Calvielli, Hilda Ferreira Cardozo, Rodolfo Francisco Haltenhoff Melani, José Leopoldo Ferreira Antunes e Rogério Nogueira de Oliveira, pela competência e amizade. Ao Comando da Aeronáutica do Brasil, especialmente nas pessoas do Major Aviador Ricardo Magno Silva Rosa e Major Aviador Wagner Cyrillo Júnior (SERAC 4), e do Capitão Dentista Nélson Shikio Cawagoe (Hospital da Aeronáutica), pela atenção, generosidade e empenho na elaboração do trabalho. Aos colegas do curso de Pós-graduação em Deontologia e Odontologia Legal da FOUSP: Aiko, Cecília, Cilene, Evelyn, Fábio, Fernando, José Reynaldo, Julie, Leonardo, Luciana, Luís Cherubini, Luís Fernando, Márcio, Mutsumi, Nilcéa, Plínio, Regina, Sara, Solange, Tatiana, Ulisses e Vítor, pela nossa união, alegrias e amizade. À Secretária do Curso de Pós-graduação em Deontologia e Odontologia Legal da FOUSP, Marieta Trancoso de Castro, pelo carinho e atenção dispensados. Às Funcionárias do Departamento de Deontologia e Odontologia Legal da FOUSP, Andréia dos Santos Teixeira e Sônia Castro Lúcia Lopes, sempre solícitas e prestativas. À Bibliotecária Luzia Marilda Zoppei Murgia Moraes e Cidinha (???), pelo carinho, serenidade e eficiência. À amiga Albanita Bandeira, pelo apoio e dedicação na elaboração do Summary.

5 SUMÁRIO p. LISTA DE FIGURAS LISTA DE TABELAS LISTA DE ABREVIATURAS E DE SIGLAS RESUMO 1 INTRODUÇÃO REVISÃO DA LITERATURA Identidade e identificação Aspectos legais para o exercício da odontologia Acidentes aeronáuticos O terrorismo na aviação civil Serac 4: a segurança é o resultado Excelência do transporte aéreo brasileiro Acidentes aeronáuticos e as fases do vôo Desastres de massa Métodos de identificação Reconhecimento visual Roupas e pertences pessoais...29

6 2.8.3 Exame das impressões digitais Exame odontológico Efeito do tempo, do terreno e do fogo sobre os dentes e materiais utilizados em odontologia Efeitos do fogo Efeitos do fogo em restaurações e na boca Mandíbula e maxila Esmalte Dentina e cemento Restaurações em amálgama Resinas compostas Restaurações em ouro, porcelana e próteses Tratamento de canal A importância da radiografia dentária Radiografia digital na odontologia legal Radiografias panorâmicas e sua utilização nas especialidades odontológicas Exame médico e radiológico Exame antropológico Identificação por exclusão O odonto-legista no desastre de massa Fatores internos e externos que dificultam a identificação odontolegal em desastres de massa...68

7 2.17 Procedimentos de identificação utilizados pela força de defesa de Israel (I.D.F) A identificação de vítimas de desastres de massa pela INTERPOL A odontologia legal e o acidente aeronáutico PROPOSIÇÃO MATERIAL E MÉTODOS Amostra Coleta de dados RESULTADOS Número de odonto-legistas nos Institutos de Medicina Legal Regime de trabalho dos odonto-legistas nos IMLs Tipos de aparelhos de raios X odontológicos disponíveis nos IMLs para a realização de perícia de identificação humana A importância do odonto-legista para a identificação humana em acidentes aeronáuticos DISCUSSÃO Considerações gerais Planejamento prévio de desastres de massa A identificação de corpos carbonizados em acidentes aeronáuticos A importância das radiografias dentárias para a identificação Análise dos resultados da pesquisa/odonto-legistas nos Institutos de Medicina Legal e equipamento de raios-x odontológicos

8 6.6 Da importância do odonto-legista na identificação humana em acidentes aeronáuticos Considerações finais CONCLUSÕES ANEXOS REFERÊNCIAS SUMMARY APÊNDICES

9 LISTA DE FIGURAS Figura Índice mundial de acidentes aeronáuticos, por milhões de decolagens...19 Figura Percentual de ocorrência de acidentes aeronáuticos por fase de vôo (vôos de 1:30 h em média)...21 Figura Notação dentária de dois dígitos preconizada pela Federação Dentária Internacional FDI...34 Figura Métodos de identificação utilizados no acidente aeronáutico em Lockerbie, Figura Métodos de identificação empregados no desastre aeronáutico em Sainte-Odile (França), Figura Métodos de identificação utilizados no acidente aeronáutico nas Ilhas Canárias, Figura Questionários respondidos pelos Diretores dos Institutos de Medicina Legal Brasil Figura Distribuição do número de odonto-legistas nos Institutos de Medicina Legal, quanto ao regime de trabalho Brasil

10 Figura Panorama dos equipamentos de Raios X odontológicos disponíveis nos Institutos de Medicina Legal para o trabalho dos odonto-legistas Brasil Figura Importância do odonto-legista na Identificação Humana em Acidentes Aeronáuticos. Brasil

11 LISTA DE TABELAS Tabela Número de acidentes aeronáuticos, vítimas fatais e frota da aviação civil brasileira no período de 1995 a 2002 Brasil, Tabela Estado dos cadáveres por ação de agente térmico no acidente TAM Vôo 402. Brasil, Tabela Estado dos cadáveres quanto à ação de agentes mecânicos e os locais de perdas anatômicas, acidente TAM Vôo 402, Brasil Tabela Ranking dos aeroportos segundo tráfego de passageiros. Brasil, Tabela Relação de data da postagem nos Correios dos questionários respondidos pelos Diretores dos IMLs...91 Tabela Número de odonto-legistas que trabalham nos Institutos de Medicina Legal por cidade pesquisada. Brasil Tabela Distribuição dos Odonto-Legistas nos IMLs de acordo com o regime de trabalho. Brasil Tabela Tipos de Aparelhos de Raios X odontológicos disponíveis nos Institutos de Medicina Legal - Brasil,

12 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS ABENO CENIPA DAC DDVI DIPAA DVI FDI FSF GASAG HASP IML INTERPOL INTERPOL DVI SERAC Associação Brasileira de Ensino Odontológico Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos Departamento de Aviação Civil Identificação Dentária de Vítimas de Desastres Divisão de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos Identificação de Vítimas de Desastres Federação Dentária Internacional Flight Safety Foundation Grupo de Assessoramento e Segurança da Aviação Mundial Hospital de Aeronáutica de São Paulo Instituto de Medicina Legal Organização de Polícia Internacional Comitê Permanente para Identificação de Vítimas de Desastres Serviços Regionais de Aviação Civil

13 RESUMO A CONTRIBUIÇÃO DA ODONTOLOGIA LEGAL NA IDENTIFICAÇÃO HUMANA EM ACIDENTES AERONÁUTICOS O objetivo deste estudo foi verificar a importância da Odontologia Legal na identificação humana em acidentes aeronáuticos e detectar a situação dos odonto-legistas e dos equipamentos de radiologia odontológica, nos Institutos de Medicina Legal, das cidades onde estão localizados os 20 (vinte) maiores aeroportos do Brasil, em movimento de passageiros obtidos no ano de 2001 e no período de janeiro a junho de Na revisão da literatura especializada e na análise de 18 (dezoito) questionários respondidos pelos Diretores dos Institutos de Medicina Legal pesquisados, verificou-se: O total de odonto-legistas que trabalham nestes Institutos de Medicina Legal é em número de 102 (cento e dois), sendo 79 (setenta e nove) odonto-legistas efetivos e 23 (vinte e três) odonto-legistas contratados. A maior parte destes Institutos de Medicina Legal (10 casos), não possui aparelhos de raios X odontológico para radiografias periapicais e não possui aparelhos de raios X para radiografias panorâmicas, equipamentos essenciais para a realização de perícias de identificação humana. O Instituto de Medicina Legal da cidade de Vitória e o da cidade de Campinas, não possuem odonto-legistas.todos os 18 (dezoito) Diretores dos Institutos de Medicina Legal, por unanimidade, afirmaram que o trabalho do odontolegista na perícia de identificação de vítimas de acidentes aeronáuticos, é muito importante. A situação atual da Odontologia Legal em grande parte dos Institutos de Medicina Legal pesquisados é deficiente tanto na quantidade de odonto-legistas, quanto na inexistência de equipamentos de raios X odontológicos, para realizar perícias de identificação humana, para realizar um trabalho importante de identificação, mediante a ocorrência de um acidente aeronáutico, que tem como uma de suas características principais, a falta de previsibilidade. O mais grave é que no Brasil, inexistem equipes especializadas e capacitadas para o trabalho de identificação de vítimas de desastres de massa acidentes aeronáuticos.

14 1 INTRODUÇÃO A Odontologia Legal está intimamente relacionada com a identificação humana em acidentes aeronáuticos. Portanto, torna-se oportuno uma homenagem a Alberto Santos Dumont, que com seu invento, mudou a História da Humanidade. Filho do engenheiro Henrique Dumont e neto de François Dumont, joalheiro francês do século XIX, o brasileiro Alberto Santos Dumont nasceu no dia 20 de julho de 1873 em Cabangu, no distrito de João Gomes (atual Santos Dumont), em Minas Gerais. Os livros de Júlio Verne alimentaram seus sonhos. Devorou os livros: Cinco semanas em balão, Da terra à lua, Vinte mil léguas submarinas e A volta ao mundo em oitenta dias. Ficou fascinado com a história de Olivier de Malmesbury, o monge inglês, que construiu asas e se lançou do alto de uma torre no século XI. Estudou com afinco os trabalhos de Leonardo da Vinci sobre a estrutura das asas dos pássaros e admirou a tentativa da Bartolomeu de Gusmão que, em Lisboa no ano de 1709, conseguiu se elevar a 200 pés de altura. No século XIX, durante uma década inteira, o engenheiro Santos Dumont construiu e pilotou vários balões dirigíveis. Em 4 de junho de 1898, o dirigível Brasil atravessou a cidade de Paris, surpreendendo os

15 INTRODUÇÃO 2 parisienses. A partir daí, suas invenções passam a atrair multidões. Resolveu então combinar o balão com um motor de explosão. Era o modelo Santos Dumont número 1. Em setembro de 1898, leva seu novo invento ao Jardin de l Aclimatation. O balão sobe, mas termina batendo nas árvores do jardim. Dias depois ele tenta novamente. O balão alça vôo, mas na descida quase é destruído. Finalmente, evitando bater nas árvores, pousa normalmente, sem problemas. Dedicado a aperfeiçoar sua invenção, Santos Dumont parte para a construção do modelo Santos Dumont 2, que é maior que o anterior, tem a forma de um charuto e conta com um ventilador.o número 2 não dura muito. Bate de encontro às arvores e é destruído. Com o número 3, que vai de Vaugirard até o Campo de Marte, Santos Dumont consegue o mais absoluto controle do balão, faz curvas, sobe e desce sem dificuldades. O modelo Santos Dumont 3 é cilíndrico e o hidrogênio foi substituído por gás de iluminação. Em seguida o engenheiro constrói o modelo 4 em Saint Cloud. Essa aeronave tem um selim e um guidão de bicicleta. Santos Dumont ainda não tinha dezoito anos, quando na Exposição do Palácio das Indústrias em Paris, descobriu que os motores dos automóveis, mais leves que o das locomotivas a vapor, poderiam ser a solução para criar a máquina de seus sonhos. Antes da construção do número 6, Santos Dumont perde duas de suas invenções: os números 4 e o 5 são destruídos em acidentes. O Aeroclube de Paris oferece um prêmio em dinheiro a quem conseguir,

16 INTRODUÇÃO 3 partindo de Saint Cloud, dar uma volta completa à Torre Eiffel e voltar em menos de trinta minutos. Em 12 de outubro de 1901, Santos Dumont completa a volta em trinta e um minutos com o balão número 6. O júri fica hesitante por causa da diferença de um minuto, mas a multidão ovaciona a performance e o prêmio é entregue ao brasileiro, que divide os cem mil francos franceses, com os técnicos, operários e colaboradores de sua equipe. Nessa altura, nosso aviador já é uma celebridade no mundo inteiro. É homenageado em Londres, recebe convite do Príncipe de Mônaco para construir um hangar e uma oficina no principado, é visitado pela viúva de Napoleão III. Por fim é contratado pelo Governo Francês a construir o primeiro aeródromo do mundo em Neuilly. Depois de construir o Santos Dumont 7 e saltar para o número 9 (porque não gostava do número 8), ele batiza o dirigível com o nome de Balladeuse. O Balladeuse fica famoso em Paris, porque o seu inventor passa a utilizá-lo como meio de transporte. Os modelos vão se sucedendo cada vez mais aperfeiçoados, até que, em 1905, surge o número 14, seguido pelo famoso 14-Bis. Finalmente chegou o dia da consagração, depois de várias tentativas. Avisou a todos que pretendia ganhar o Prêmio Archedeacon, criado pelo Aeroclube da França. No dia 23 de outubro de 1906, uma multidão se reuniu para assistir à proeza. Do Campo Bagatelle, junto da Torre Eiffel na região central de Paris Santos Dumont decolou no seu célebre 14-Bis, subiu a uma altura de três metros do solo, voando ao todo um percurso de sessenta

17 INTRODUÇÃO 4 metros. Assim, o brasileiro conseguiu provar a dirigibilidade do seu invento, voando num aparelho mais pesado do que o ar, com propulsão própria. Com o 14-Bis, ganhou os Prêmios Aeroclube Archedeacon e foi carregado nos braços pela multidão que considerava um milagre a façanha de Santos Dumont. Os países civilizados passaram a construir fábricas, hangares e pistas. Iniciam-se as primeiras linhas postais e de passageiros. Atualmente, este meio de transporte é utilizado diariamente por milhões de pessoas em todo o mundo. Embora os irmãos norte-americanos Wright e o francês Clément Ader tivessem reivindicado a autoria da façanha, no mundo inteiro, Santos Dumont foi o pioneiro. Em 1998, o então Presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, reconheceu oficialmente que Alberto Santos Dumont foi o verdadeiro Pai da Aviação. Comemora-se atualmente, em todo o mundo, o Centenário de Santos Dumont, em alusão ao prêmio oferecido pelo Aeroclube de Paris, conquistado pelo Pai da Aviação Santos Dumont, que em trinta e um minutos no dia 12 de outubro de 1901, deu uma volta completa na Torre Eiffel, e retornou a Saint Cloud dirigindo o balão Santos Dumont número 6. (Centenário, 2001). Considerando este relevante marco histórico, a partir do qual o homem vence o tempo entre longas distâncias, com o objetivo de agilizar relações comerciais e turísticas, há de se considerar também a probabilidade de acontecimentos nefastos como os acidentes aeronáuticos,

18 INTRODUÇÃO 5 que são provocados por falhas humanas, mecânicas, ou fatores meteorológicos, quando inúmeras pessoas perdem a vida. A Odontologia Legal contribui para esta difícil missão de identificação de corpos carbonizados, que são freqüentes nestes acontecimentos.

19 2 REVISÃO DA LITERATURA Um dos aspectos irônicos do mundo natural é que a dentição humana, local de decomposição prevalente e crônica em vida, dura mais que todos os outros tecidos após a morte SOPHER, O incêndio no Bazar de La Charité em Paris, em 04 de maio de 1897, levou o Dr. Oscar Amoedo, cubano, naturalizado argentino, ao interesse da Odontologia Legal e, subseqüentemente, ele foi condecorado como o fundador deste ramo da Ciência Forense. O Bazar de La Charité tinha lugar em Paris desde 1885, e, em 1897, estava sendo realizado pela 13ª vez. Era um barracão retangular de madeira envernizada, com cerca de 72 (setenta e dois) metros de comprimento e 30 (trinta) metros de largura, com teto de lona. Este barracão era uma réplica de uma rua medieval parisiense com fachadas de casas e lojas de ambos os lados cobertas por tetos de lonas. Como atração especial, um cinema foi instalado na longa galeria, quase em frente de uma das saídas. Por volta de 16:00 horas, uma explosão ocorreu na lâmpada de gás do cinema e levou o fogo aos panos ao redor e internamente atingindo o teto da tenda, e rapidamente todo o seu interior ficou em chamas. Os bombeiros

20 7 iniciaram seus trabalhos às 16:23 horas mas toda a construção ruiu às 16:30 horas, matando 126 (cento e vinte e seis) parisienses nas chamas. Os registros das investigações feitas pelos Cirurgiões-dentistas envolvidos nesta tragédia, permitiram a identificação das vítimas, através dos dados odontológicos antemortem, e que formaram a maior parte da tese do Dr. Oscar Amoedo para o seu doutorado em 1898, relatou Botha (1986). 2.1 Identidade e identificação Para França (1995), o conceito de identidade segundo Morais: É a qualidade de ser a mesma coisa e não diversa. Carvalho et al. (1992) confirmaram que de fato, todo o ser apresenta um conjunto de caracteres que o definem, que são a sua identidade. Uma cousa, um corpo, um ente só pode ser idêntico, a si mesmo, diferenciandose assim o conceito de identidade do de semelhança. Identificação segundo França (1995) é o processo pelo qual se determina a identidade de uma pessoa ou de uma coisa, ou um conjunto de diligências cuja finalidade é levantar uma identidade. Buchner (1985) confirmou que a identificação humana de corpos desconhecidos é essencial em sociedades modernas por razões jurídicas e humanas. Por lei, a maioria dos países requer que o atestado de óbito seja emitido para comprovar civilmente a morte de uma pessoa e como conseqüência, as questões que envolvem pensões alimentícias, seguros de vida, a nova situação civil do cônjuge, a preparação do funerário, que só é

21 8 realizado mediante o atestado de óbito. O sofrimento da família poderá ser diminuído, se o corpo é identificado e enterrado formalmente. Delattre & Stimson (1999) afirmaram que a percepção da população de que a Odontologia Legal é surpreendente e eficaz em sua atuação científica nos casos de identificação humana através do exame dos dentes, pois atualmente é comum nos jornais e noticiários a divulgação de que em acidentes graves quando a identificação das vítimas com a utilização de métodos tradicionais como a dactiloscopia, o reconhecimento visual estão prejudicados, a utilização dos registros dentais é um método vastamente conhecido para a identificação de corpos carbonizados. Para Delattre & Stimson (1999), todo o indivíduo merece a dignidade de ter um nome e uma identidade, até mesmo depois da morte. No mundo que vivemos hoje, existem várias maneiras nas quais nós podemos morrer sem a possibilidade de ter nossos corpos identificados por meios visuais ou pela comparação de impressões digitais ou até mesmo pela análise do DNA. Várias razões conduzem à identificação pelo exame dos dentes, por ser um método científico, rápido e de baixo custo. Botha (1986) afirmou que no resultado de um acidente aeronáutico, após o salvamento dos sobreviventes, a identificação das vítimas é a tarefa mais urgente que as autoridades enfrentam. O número de casos nos quais a identificação dentária desempenha um papel importante na identificação de vítimas de desastres de massa, está crescendo.

22 9 2.2 Aspectos legais para o exercício da odontologia legal Conforme Silva (1997), a Lei Federal 5081 de 24 de agosto de 1966, que regula o exercício da Odontologia no Brasil, estabelece: Art. 6º - Compete ao Cirurgião-dentista: IV proceder à perícia odontolegal em foro civil, criminal, trabalhista e em sede administrativa; IX utilizar, na função de perito-odontólogo, em caso de necropsia, as vias de acesso do pescoço e cabeça. O Conselho Federal de Odontologia através da Resolução CFO- 22 / 2001, de 27 de dezembro 2001, estabelece no seu artigo 4º, o elenco das especialidades odontológicas, entre as quais a Odontologia Legal, cujas atribuições encontram-se definidas nos artigos 27 e 28, nos seguintes termos: Art. 27. Odontologia Legal é a especialidade que tem como objetivo a pesquisa de fenômenos psíquicos, físicos, químicos e biológicos que podem atingir o homem, vivo, morto ou ossada, e mesmo fragmentos ou vestígios, resultando lesões parciais ou totais reversíveis ou irreversíveis. Parágrafo único: A atuação da Odontologia Legal restringe-se a análise, perícia e avaliação de eventos relacionados com a área de competência do Cirurgião-dentista, podendo, se as circunstâncias o exigirem, estender-se a outras áreas, se disso depender a busca da verdade, no estrito interesse da justiça e da administração. Art. 28. As áreas de competência para atuação do especialista em Odontologia Legal incluem:

23 10 a) identificação humana; b) perícia em foro civil, criminal e trabalhista; c) perícia em área administrativa; d) perícia, avaliação e planejamento em infortunística; e) tanatologia forense; f) elaboração de : 1) autos, laudos e pareceres; 2) relatórios e atestados; g) traumatologia odonto-legal; h) balística forense, i) perícia logística no vivo, no morto, íntegro ou em suas partes em fragmentos; j) perícia em vestígios correlatos, inclusive de manchas ou líquidos oriundos da cavidade bucal ou nela presentes; l) exames por imagens para fins periciais; m) deontologia odontológica n) orientação odonto-legal para o exercício profissional; e, o) exames por imagens para fins odonto-legais. Delattre (2001) afirmou que o odonto-legista trabalha como parte de uma equipe de pessoas dedicadas e talentosas: os peritos. Vítimas de incêndios em carros, residências, explosões em fábricas ou de acidentes aeronáuticos, que freqüentemente são carbonizadas e apresentam deformidades faciais, serão identificadas através de uma avaliação odonto-

24 11 legal com a comparação dos dados do odontograma antemortem e postmortem que conduzem a uma identificação positiva. 2.3 Acidentes aeronáuticos O Decreto Nº de 25 de janeiro de 1972, do Ministério da Aeronáutica - Brasil, que trata do Regulamento para o serviço de investigação e prevenção de acidentes aeronáuticos, estabelece a seguinte definição para Acidentes Aeronáuticos: Toda ocorrência relacionada com a operação de uma aeronave, havida dentro do período compreendido entre o momento em que qualquer pessoa entra na aeronave, com a intenção de realizar um vôo, até o momento em que todas as pessoas tenham desembarcado, durante o qual: a) qualquer pessoa morra ou receba lesões, como resultado de estar dentro ou sobre a aeronave ou, ainda, por ter contato direto com a mesma ou com qualquer coisa ligada a ela; b) a aeronave sofra danos. Informou Botha (1986), que o Instituto Britânico Cranefield de Tecnologia investigou acidentes aeronáuticos entre 1955 a 1979 e descobriu que em mais de 60% destes acidentes, metade das fatalidades foram causadas pela fumaça oriunda do fogo. Esta fumaça produzida no interior de uma aeronave em incêndio, pode incapacitar passageiros em 30 (trinta) segundos e uma pequena labareda pode se transformar em uma bola de fogo através do revestimento interno do plástico em segundos. A

25 12 Organização Internacional de Aviação Civil concluiu que o fogo é o maior assassino em acidentes aeronáuticos, com chance de sobrevivência. Concluiu Botha (1986), que Firotex é um material de revestimento de cabine capaz de suportar temperaturas de até 1.000º C e foi desenvolvido em 1981, mas foi abandonado pelas companhias aéreas, devido ao seu alto custo. Felizmente, materiais resistentes ao fogo estão sendo instalados nas aeronaves, para permitir a evacuação de um avião em chamas em 2,5 minutos a mais do que anteriormente. Engenheiros do Instituto Britânico de Química, estão desenvolvendo um combustível à prova de fogo que possa coagular quando sacudido violentamente na aeronave durante o acidente, ao invés de se espalhar pela fuselagem e escapar. Muñoz (1999) descreveu a metodologia utilizada para a realização da perícia médico-legal do maior acidente aeronáutico ocorrido no Brasil em número de vítimas, no dia 31 de outubro de 1996, com o avião Fokker-100 da TAM (vôo 402), envolvendo 98 (noventa e oito) pessoas identificadas: A companhia aérea informou o nome de 96 (noventa e seis) pessoas que haviam embarcado nesse vôo, sendo 90 (noventa) passageiros e 6 (seis) tripulantes. A tripulação estava assim discriminada: 1 (um) comandante, 1(um) co-piloto, 3 (três) comissárias e 1 (um) comissário de bordo. Duas pessoas compareceram ao IML informando que seus parentes haviam morrido no acidente. Um estava em uma das casas atingidas pela aeronave; o outro caiu nas chamas quando tentava sair de sua casa, atingida pelo incêndio que se seguiu à queda da aeronave. Este fato foi presenciado e descrito pelos seus familiares.

26 13 Os cadáveres que se encontravam bastante deteriorados pela carbonização, impossibilitando o reconhecimento direto e a dactiloscopia, foram submetidos ao exame odonto-legal (descrição dos arcos dentários) e à averiguação de características físicas não detectadas no exame necroscópico, como por exemplo a avaliação da estatura pelos ossos longos. Uma primeira fase do exame odonto-legal foi efetuada mesmo não havendo suspeita que o corpo fosse o de determinada pessoa. Nesta fase foi realizada a abertura da boca e a descrição dos arcos dentários. A segunda fase levada o efeito quando se suspeitava que o corpo fosse de uma pessoa definida o procedimento do exame era determinado pelo material que se dispunha para confronto. Se houvesse ficha dentária era realizado o exame direto dos arcos dentários; havendo radiografias, o cadáver era submetido a tomadas radiográficas (oblíqua direita e esquerda) de mandíbula que permite a visualização dos dentes posteriores e a póstero-anterior dos seios da face para análise dos dentes anteriores. Em casos especiais os arcos dentários foram removidos para uma análise mais minuciosa e tomada de radiografias de diferentes posições, para a visualização de elementos especiais, relatou Muñoz (1999). 2.4 O terrorismo na aviação civil Destacou Visser (2002), que o relatório da Assembléia do Atlântico Norte descreve o terrorismo como: a utilização sistemática de assassinatos e destruição, assim como ameaças de assassinato e destruição para

27 14 aterrorizar indivíduos, grupos, comunidades ou governos e fazer com que aceitem os objetivos políticos dos terroristas. Para Rocha (2002), 11 de setembro de 2001, uma data que mudou a perspectiva de risco da aviação.o uso de aeronaves comerciais em deliberados ataques como virtuais mísseis, intencionalmente pilotados para a sua auto destruição contra alvos, fugiu do que se previa e temia. A ação inominável daquele dia de 2001 extrapolou o que se previa de pior. Koeing (2002) afirmou que a crescente preocupação com as ameaças do terrorismo internacional vem intensificando o debate a respeito da adequação de alguns dos atuais sistemas de seguranças doa aeroportos, assim como tem levantado questões de privacidade e de legitimidade relacionados à utilização de novos equipamentos de alta tecnologia para a triagem de passageiros. Visser (2002) destacou que os métodos dos terroristas também mudaram com o surgimento do ativista suicida. Se o indivíduo não preza a própria vida, ele geralmente preza menos ainda as vidas alheias. A morte heróica substitui qualquer sabedoria política disponível no passado. Com este tipo de grupo ainda em movimento é impossível garantir um futuro pacífico para a aviação civil. Para Koeing (2002) os especialistas acreditam que a aviação provavelmente continuará sendo alvo atrativo para os terroristas durante boa parte do futuro próximo. A segurança da aviação é baseada em uma cuidadosa mistura de informações de inteligência, procedimentos, tecnologia e pessoal de segurança, mas nunca serão a solução completa do problema.

28 15 Para Vinner (2002), da perspectiva dos terroristas, ataques a aeroportos trazem dividendos de várias formas às suas causas. Os seqüestros de aeronaves têm um enorme impacto sobre a opinião pública, especialmente quando duram vários dias ou semanas. Os seqüestradores que têm um aguçado senso do poder da publicidade, permitem que câmaras de televisão e fotógrafos de jornais registrem imagens ao vivo. Rocha (2002) apresentou o resumo do Relatório de Segurança de 2001 do Comitê de Operações da IATA, reunião realizada em Montreal nos dias 02 e 03 de outubro de 2001, quando o tema das melhorias na segurança dominou a agenda. A discussão veio na esteira dos eventos de 11 de setembro, que tiveram efeito profundo na indústria da aviação. Um dos acordos resultantes deste encontro foi o da formação do Grupo de Assessoramento de Segurança na Aviação Mundial (GASAG Global Aviation Security Advisory Group), cujo objetivo é oferecer uma visão coordenada da indústria para uma harmonização global de procedimentos de segurança. O GASAG, desde sua formação, já emitiu comentários a respeito de várias iniciativas relativas à segurança de aeronaves e procedimentos de vôo como por exemplo: reforço nas portas e restrição de acesso à cabine da aeronave; agentes de segurança a bordo da aeronave; instalação de câmaras para monitorar passageiros; treinamento sobre manuseio de armamentos e situações de combate para a tripulação; manobras agressivas de vôo e de despressurização, e

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS Prof. Dr. Eduardo Daruge Titular de Odontologia Legal e Deontologia da FOP-UNICAMP Prof. Medicina Legal da Faculdade de Direito da UNIMEP DEFINIÇÃO: PERÍCIAS

Leia mais

O relatório deverá ser preenchido e enviado para o e-mail relatorio.semestral@anac.gov.br. Para que serve o sistema de envio de relatório semestral?

O relatório deverá ser preenchido e enviado para o e-mail relatorio.semestral@anac.gov.br. Para que serve o sistema de envio de relatório semestral? O relatório deverá ser preenchido e enviado para o e-mail relatorio.semestral@anac.gov.br. Para que serve o sistema de envio de relatório semestral? O sistema de envio de relatório semestral tem por finalidade

Leia mais

A Experiência do IML de São Paulo em ACIDENTE DE MASSA

A Experiência do IML de São Paulo em ACIDENTE DE MASSA A Experiência do IML de São Paulo em ACIDENTE DE MASSA Shopping Center Osasco 11 de junho de 1996 Shopping Center Osasco VÍTIMAS Lesão Corporal 380 Óbitos Local Hospital 36 5 Shopping Center Osasco Reconhecimento

Leia mais

EDIÇÃO Nº 10 FEVEREIRO 2013 INFORME SERIPA I. Desorientação espacial

EDIÇÃO Nº 10 FEVEREIRO 2013 INFORME SERIPA I. Desorientação espacial EDIÇÃO Nº 10 FEVEREIRO 2013 INFORME SERIPA I Periódico de Prevenção A atitude (posição de voo) de uma aeronave é geralmente determinada pela referência do horizonte natural. Quando este está obscurecido,

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Analisando-se a imagem de um dente íntegro, todas as suas partes são facilmente identificáveis, pois já conhecemos sua escala de radiopacidade e posição

Leia mais

PATOS, ASAS E BALÕES

PATOS, ASAS E BALÕES PATOS, ASAS E BALÕES Nível de Ensino/Faixa Etária: Série indicada para o Ensino Fundamental (EF9) de 4º, 5º, 6º e 7º anos. Áreas Conexas: História, Ciências, Geografia, Artes, Língua Portuguesa e Estrangeira.

Leia mais

A Odontologia Legal e a ciência do Direito

A Odontologia Legal e a ciência do Direito A Odontologia Legal e a ciência do direito Revista Brasileira de Odontologia Legal RBOL Odontologia Legal A Odontologia Legal e a ciência do Direito Moacyr da Silva* Thiago Leite Beaini ** * Professor

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A - Nº 017/CENIPA/2009

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A - Nº 017/CENIPA/2009 COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A - Nº 017/CENIPA/2009 OCORRÊNCIA AERONAVE MODELO ACIDENTE PT-EDP EMB 721C DATA 12 MAR 2009 RF A- 017/CENIPA/2009

Leia mais

Especialidades Odontológicas

Especialidades Odontológicas Especialidades Odontológicas Urubatan Medeiros Doutor (USP) - Professor Titular do Departamento de Odontologia Preventiva e Comunitária (UERJ/UFRJ) - Consultor do Ministério da Saúde I - Introdução A Odontologia

Leia mais

INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES

INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES 21/06/2014 A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é a agência reguladora vinculada ao Ministério da Saúde

Leia mais

LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA

LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA IDENTIFICAÇÃO HUMANA Identificação pelo DNA - Identificação Médico-Legal - Perícias Odontológicas VOLUME II Editora Millennium CAMPINAS/SP

Leia mais

ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA 4ª S SÉRIES A-B-C-D-E

ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA 4ª S SÉRIES A-B-C-D-E Nome: n.º 4ª série Barueri, / / 2009 Disciplina: Língua Portuguesa 3ª POSTAGEM ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA 4ª S SÉRIES A-B-C-D-E Orientações para o desenvolvimento das atividades: - Leia atentamente

Leia mais

PRINCIPAIS DÚVIDAS EM RELAÇÃO AOS DIREITOS E DEVERES DO PASSAGEIRO:

PRINCIPAIS DÚVIDAS EM RELAÇÃO AOS DIREITOS E DEVERES DO PASSAGEIRO: PRINCIPAIS DÚVIDAS EM RELAÇÃO AOS DIREITOS E DEVERES DO PASSAGEIRO: 1. O que é preterição de embarque? A preterição de embarque (embarque não realizado por motivo de segurança operacional, substituição

Leia mais

INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil

INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil A reportagem exibida na semana passada mostrava algumas falhas na comunicação entre o avião monomotor em que estava o nosso repórter

Leia mais

Demoiselle. Papel. Série: Formato... A4 Dificuldade... 03 Papel...120g/m² Por:

Demoiselle. Papel. Série: Formato... A4 Dificuldade... 03 Papel...120g/m² Por: Papel MOD Nº A02 - Mar.2007 - Papel Modelismo - 1/25 Série: Aviões do Brasil Modelo Grátis Formato... A4 Dificuldade... 03 Papel...0g/m² Por: ano 1908 0 1 2 3 4 5 cm Modelo de Papel: Série: Tipo: Alberto

Leia mais

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Em um dente íntegro, suas imagens são facilmente identificáveis, pois já conhecemos a escala de radiopacidade. Estudamos as imagens das estruturas anatômicas, suas

Leia mais

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO E ANÁLISE DE DADOS DE VÔO (PAADV)

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO E ANÁLISE DE DADOS DE VÔO (PAADV) PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO E ANÁLISE DE DADOS DE VÔO (PAADV) 20 DEZ 2004 PORTARIA DE APROVAÇÃO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA DAC N o 1204/STE, DE 26

Leia mais

DESASTRE EM MASSA. Prof. Ugo Osvaldo Frugoli. ufrugoli@terra.com.br

DESASTRE EM MASSA. Prof. Ugo Osvaldo Frugoli. ufrugoli@terra.com.br DESASTRE EM MASSA Prof. Ugo Osvaldo Frugoli ufrugoli@terra.com.br Histórico Até o século s XIX em regra, a morte apresentava-se como f fato unitário. Conflitos BélicosB Envolvimento de centenas ou milhares

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS FCA 58-1

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS FCA 58-1 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS FCA 58-1 PANORAMA ESTATÍSTICO DA AVIAÇÃO CIVIL BRASILEIRA EM 212 213 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

Leia mais

1. Acidentes de trânsito: estatísticas

1. Acidentes de trânsito: estatísticas 1. Acidentes de trânsito: estatísticas Aula Interdisciplinar Indicação: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental Mais de 50.000 mortos por ano e de 500.000 feridos. Este é o resultado da violência do trânsito

Leia mais

FANTASMA C-47 em combate no Século XXI

FANTASMA C-47 em combate no Século XXI FANTASMA C-47 em combate no Século XXI Roberto Portella Bertazzo, Bacharel em História pela UFJF e Membro da Sociedade Latino Americana de Historiadores Aeronáuticos (LAAHS) Membro de Centro de Pesquisas

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA. Reconhece a Acupuntura, a Homeopatia e a Odontologia do Esporte como especialidades odontológicas.

CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA. Reconhece a Acupuntura, a Homeopatia e a Odontologia do Esporte como especialidades odontológicas. CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA RESOLUÇÃO CFO-160, DE 2 DE OUTUBRO DE 2015 Reconhece a Acupuntura, a Homeopatia e a Odontologia do Esporte como especialidades odontológicas. O presidente do Conselho Federal

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2003 (Do Sr. Rubens Otoni) CAPÍTULO I. Disposições Preliminares

PROJETO DE LEI Nº, DE 2003 (Do Sr. Rubens Otoni) CAPÍTULO I. Disposições Preliminares PROJETO DE LEI Nº, DE 2003 (Do Sr. Rubens Otoni) Regulamenta o exercício das profissões detécnico em Higiene Dental e de Atendente de Consultório Dentário. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I Disposições

Leia mais

DEFINIÇÃO DE ALVO COMO REDUZIR OS ÍNDICES DE ACIDENTES AERONÁUTICOS NO BRASIL?

DEFINIÇÃO DE ALVO COMO REDUZIR OS ÍNDICES DE ACIDENTES AERONÁUTICOS NO BRASIL? DEFINIÇÃO DE ALVO COMO REDUZIR OS ÍNDICES DE ACIDENTES AERONÁUTICOS NO BRASIL? - - - - - - - - - - Anais do 5º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2012) Direitos Reservados - Página 215 de 1112 - - - - -

Leia mais

2. Quando o implante dental é indicado?

2. Quando o implante dental é indicado? Dúvidas sobre implantodontia: 1. O que são implantes? São cilindros metálicos (titânio) com rosca semelhante a um parafuso que são introduzidos no osso da mandíbula (arco inferior) ou da maxila (arco superior),

Leia mais

Para a sociedade Promover soluções de acesso a tratamentos odontológicos.

Para a sociedade Promover soluções de acesso a tratamentos odontológicos. REGIONAL VOLUNTÁRIO 2010 / 2011 CONHECENDO A TURMA DO BEM A Turma do Bem é uma OSCIP Organização da Sociedade Civil de Interesse Público fundada em 2002 que tem como missão mudar a percepção da sociedade

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS PANORAMA ESTATÍSTICO DA AVIAÇÃO CIVIL BRASILEIRA PARA A 9 1 Sumário Panorama Atual dos Dados Relativos às

Leia mais

Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável-SEMAD

Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável-SEMAD Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável-SEMAD Diretoria de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais e Eventos Críticos DPIFE Palestrante: JARBAS JORGE DE ALCÂNTARA Téc.

Leia mais

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CARGO DE COORDENADOR DE SAÚDE BUCAL NOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO MARANHÃO

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CARGO DE COORDENADOR DE SAÚDE BUCAL NOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO MARANHÃO PROPOSTA DE PROJETO DE LEI DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CARGO DE COORDENADOR DE SAÚDE BUCAL NOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO MARANHÃO SÃO LUIS MA MARÇO DE 2015 PROJETO DE LEI Nº XX DE 2015 Dispõe sobre a criação

Leia mais

A EMPRESA. Visão. Missão

A EMPRESA. Visão. Missão MANUAL DE RH 2015 A EMPRESA Com mais de 18 anos e com profundo conhecimento sobre saúde bucal, a DENTALPAR destaca-se no mercado odontológico pela qualidade nos serviços prestados e por promover e manter

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA. PROJETO DE LEI N.º 1.140, DE 2003 (Apensos os Projetos de Lei n.º 1.573, de 2003, e n.º 2.

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA. PROJETO DE LEI N.º 1.140, DE 2003 (Apensos os Projetos de Lei n.º 1.573, de 2003, e n.º 2. COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N.º 1.140, DE 2003 (Apensos os Projetos de Lei n.º 1.573, de 2003, e n.º 2.489, de 2003) Regulamenta o exercício das profissões de Técnico em Higiene

Leia mais

CURSO DE PERÍCIA ODONTOLÓGICA

CURSO DE PERÍCIA ODONTOLÓGICA ] CURSO DE PERÍCIA Apresentação O Código de Defesa do Consumidor trouxe maior consciência à população sobre seus direitos. Nota-se que há maior exigência, por parte dos usuários, quanto aos serviços prestados

Leia mais

PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014

PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014 PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014 PROCESSO-CONSULTA PROTOCOLO CREMEC nº 7331/2014 ASSUNTO: ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO PERITO E DO AUXILIAR DE NECROPSIA. PARECERISTA: CONSELHEIRO JOSÉ AJAX NOGUEIRA QUEIROZ

Leia mais

MODELO DE PLANO DE EMERGÊNCIA DO AERÓDROMO

MODELO DE PLANO DE EMERGÊNCIA DO AERÓDROMO MODELO DE PLANO DE EMERGÊNCIA DO AERÓDROMO (Artigo 3.º do Anexo III ao Regulamento n.º 36/2013 do INAC, I.P., publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 14, de 21 de janeiro de 2013) CLASSES I E

Leia mais

Certificação da FAA: um profundo compromisso com a segurança

Certificação da FAA: um profundo compromisso com a segurança Informativo Boeing Commercial Airplanes P.O. Box 3707 MC 03-XW Seattle, Washington 98124-2207 www.boeing.com Certificação da FAA: um profundo compromisso com a segurança A Boeing projeta e fabrica aeronaves

Leia mais

O perigo das cinzas vulcânicas para a aviação

O perigo das cinzas vulcânicas para a aviação O perigo das cinzas vulcânicas para a aviação No dia 15 de dezembro de 1989, o voo KLM 867, operado por um Boeing 747-406M, o PH-BFC, decolou de Amsterdam com destino ao Aeroporto de Narita, no Japão,

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A - Nº 118/CENIPA/2011

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A - Nº 118/CENIPA/2011 COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A - Nº 118/CENIPA/2011 OCORRÊNCIA: AERONAVE: MODELO: ACIDENTE PT-HHV 206B DATA: 01 DEZ 2003 ADVERTÊNCIA

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO FORENSE DE RESTOS MORTAIS

IDENTIFICAÇÃO FORENSE DE RESTOS MORTAIS IDENTIFICAÇÃO FORENSE DE RESTOS MORTAIS FOLHETO Ed Ou/CICV INTRODUÇÃO A identificação de restos mortais é importante por motivos humanitários e de ordem jurídica. A presente publicação propicia aos leigos

Leia mais

FORENSIC Training Seminars

FORENSIC Training Seminars FORENSIC Training Seminars FORENSIC Training Seminars Temos o prazer de apresentar a nossa proposta comercial para um programa de treinamento abaixo discriminado, que julgamos pó ser útil à sua organização:

Leia mais

MANUAL DO COORDENADOR REGIONAL VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO COORDENADOR REGIONAL

MANUAL DO COORDENADOR REGIONAL VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO COORDENADOR REGIONAL MANUAL DO COORDENADOR REGIONAL VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO COORDENADOR REGIONAL 2010 TURMA DO BEM A Turma do Bem é uma OSCIP Organização da Sociedade Civil de Interesse Público fundada em 2002

Leia mais

REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL RBAC nº 105 EMENDA nº 00

REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL RBAC nº 105 EMENDA nº 00 REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL RBAC nº 105 EMENDA nº 00 Título: Aprovação: SALTOS DE PARAQUEDAS Resolução ANAC nº xxx, de yyyyy de zzzz de 2010. Origem: SSO/GPNO SUMÁRIO SUBPARTE A - GERAL 105.1

Leia mais

RELATÓRIO FINAL A-Nº007/CENIPA/2009

RELATÓRIO FINAL A-Nº007/CENIPA/2009 COMANDO DA AERONÁUTICA ESTADO-MAIOR DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A-Nº007/CENIPA/2009 OCORRÊNCIA: AERONAVE: MODELO: ACIDENTE AERONÁUTICO PT

Leia mais

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TÁXI AÉREO

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TÁXI AÉREO ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TÁXI AÉREO JUSTIFICATIVA O Rio de Janeiro ao longo dos anos vem ampliando seu destaque no cenário nacional e internacional, sendo sede de diversos

Leia mais

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Promoção SEST / SENAT Conteúdo Técnico ESCOLA DO TRANSPORTE JULHO/2007 Queimadas: o que

Leia mais

Roteiro Aula 01 Saber Direito.

Roteiro Aula 01 Saber Direito. 1 Roteiro Aula 01 Saber Direito. O Direito aeronáutico Internacional, segundo Rodriguez Jurado: é o conjunto de princípios e normas de direito público e privado, de ordem interna e internacional, que regem

Leia mais

CONEXÃO SISTEMAS DE PRÓTESE AGÊNCIA USP DE NOTÍCIAS

CONEXÃO SISTEMAS DE PRÓTESE AGÊNCIA USP DE NOTÍCIAS CONEXÃO SISTEMAS DE PRÓTESE 18/08/2005-22:14 Construindo Sorrisos O objetivo do projeto Construindo Sorrisos é conscientizar a população sobre os cuidados necessários para evitar cáries. Todos os profissionais

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO DE SERVIÇOS AÉREOS DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO DE SERVIÇOS AÉREOS DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO DE SERVIÇOS AÉREOS DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO INSTRUÇÃO DE AVIAÇÃO CIVIL IAC 200-1001 PLANO DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

Incêndio. quilómetros, devido aos seus fumos negros e densos

Incêndio. quilómetros, devido aos seus fumos negros e densos Incêndio A propagação de um incêndio depende das condições meteorológicas (direcção e intensidade do vento, humidade relativa do ar, temperatura), do grau de secura e do tipo do coberto vegetal, orografia

Leia mais

PORTARIA ANAC Nº 2457/SPO, DE 21 DE OUTUBRO DE 2014.

PORTARIA ANAC Nº 2457/SPO, DE 21 DE OUTUBRO DE 2014. PORTARIA ANAC Nº 2457/SPO, DE 21 DE OUTUBRO DE 2014. Define e torna pública a qualificação dos instrutores dos cursos de PPA, PPH, PCA, PCH, PLA-A, PLA-H, INVA, IFR, PAGA, PAGH, CMV, -CEL, -GMP, -AVI e

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A - Nº 091/CENIPA/2011

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A - Nº 091/CENIPA/2011 COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A - Nº 091/CENIPA/2011 OCORRÊNCIA: AERONAVE: MODELO: ACIDENTE PT-YCZ R22 DATA: 11 NOV 2005 ADVERTÊNCIA

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.140-D, DE 2003. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.140-D, DE 2003. O CONGRESSO NACIONAL decreta: COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.140-D, DE 2003 Regulamenta o exercício das profissões de Técnico em Saúde Bucal - TSB e de Auxiliar em Saúde Bucal ASB.

Leia mais

Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha

Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha MANUAL DE DIREITOS E RESPONSABILIDADES DOS PACIENTES www.ocm.mar.mil.br MARINHA DA BRASIL ODONTOCLÍNICA

Leia mais

Declaração de Conformidade

Declaração de Conformidade APÊNDICE A DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADE PARA OPERADOR AÉREO REGIDO PELO RBAC 121 QUE TRANSPORTA APENAS PASSAGEIRO Declaração de Conformidade Esta organização requerente apresenta o Manual de Artigos Perigosos

Leia mais

HISTÓRICO DO SMS NO BRASIL. Evolução 1º SEMINÁRIO SOBRE SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL ANAC - 05/12/2008

HISTÓRICO DO SMS NO BRASIL. Evolução 1º SEMINÁRIO SOBRE SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL ANAC - 05/12/2008 HISTÓRICO DO SMS NO BRASIL Evolução 1º SEMINÁRIO SOBRE SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL ANAC - 05/12/2008 OBJETIVO Conhecer a evolução do pensamento sobre Gerenciamento

Leia mais

45 ANOS DO PRIMEIRO VOO DO EMB 100 BANDEIRANTE. Semana da Asa 2013

45 ANOS DO PRIMEIRO VOO DO EMB 100 BANDEIRANTE. Semana da Asa 2013 45 ANOS DO PRIMEIRO VOO DO EMB 100 BANDEIRANTE Semana da Asa 2013 A Semana da Asa e o Bandeirante A Semana da Asa foi Idealizada pelo aviador Godofredo Vidal em 1935 e viabilizada pela Comissão de Turismo

Leia mais

Revista Brasileira de Odontologia Legal RBOL PERFIL PROFISSIONAL DOS MEMBROS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ÉTICA E ODONTOLOGIA LEGAL- ABOL

Revista Brasileira de Odontologia Legal RBOL PERFIL PROFISSIONAL DOS MEMBROS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ÉTICA E ODONTOLOGIA LEGAL- ABOL Perfil profissional dos membros da ABOL Revista Brasileira de Odontologia Legal RBOL Odontologia Legal PERFIL PROFISSIONAL DOS MEMBROS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ÉTICA E ODONTOLOGIA LEGAL- ABOL Professional

Leia mais

Glossário da Aviação Brasileira

Glossário da Aviação Brasileira Glossário da Aviação Brasileira Caro colaborador, Criamos esse glossário especialmente para você! Organizamos em um único documento diversos termos da aviação brasileira e outras siglas que você utilizará

Leia mais

Balão fez Airbus perder sensor no RJ como em queda do AF447

Balão fez Airbus perder sensor no RJ como em queda do AF447 Balão fez Airbus perder sensor no RJ como em queda do AF447 Avião da TAM com 95 passageiros ficou sem dados em 2011, após decolar. Companhia respondeu que melhorou treinamento de pilotos, diz relatório

Leia mais

Momento ético Prontuário Médico

Momento ético Prontuário Médico Momento ético Prontuário Médico Luiz Antonio da Costa Sardinha Conselheiro Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo PRONTUÁRIO MÉDICO Tem um morto no plantão. Por onde iniciar História Tudo

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE. 16/05/2010 16h30min MAL SÚBITO QUEDA LIVRE PARAMIG - FEDERAÇÃO MINEIRA DE PARAQUEDISMO

RELATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE. 16/05/2010 16h30min MAL SÚBITO QUEDA LIVRE PARAMIG - FEDERAÇÃO MINEIRA DE PARAQUEDISMO RELIA 04 / CBPq / 2010 RELATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE O único objetivo das investigações realizadas pelo Comitê de Instrução e Segurança (CIS) é a Prevenção de futuros acidentes. O propósito dessa

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO Orientador Empresarial Dentistas-Consolidação das Normas para Procedimentos nos Conselhos de Odontologia-Alteração RESOLUÇÃO

Leia mais

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Especialidade: DENTÍSTICA RESTAURADORA

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Especialidade: DENTÍSTICA RESTAURADORA Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Grupo: 100-Diagnose - As consultas deverão ser faturadas em Guias de Atendimento - GA, separadamente dos demais procedimentos, que serão faturados na

Leia mais

INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS DIREITO AERONÁUTICO

INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS DIREITO AERONÁUTICO INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS Professor KALAZANS DIREITO AERONÁUTICO INDENIZAÇÃO EM CASO DE ACIDENTE AERONÁUTICO: QUEM PAGA A CONTA? Em caso de acidente, controladores, pilotos e demais profissionais da

Leia mais

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP DPS 38.008-13 EDP Natureza do documento Versão Data Emissor Procedimento de Segurança (DPS) R4 14-12-2012

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL SUB- PATOLOGIA GERAL E ORAL Estomatologia Métodos de Diagnóstico I e II Processos Patológicos PROGRAMA SUGERIDO (PROVA ESCRITA / DIDÁTICA / PRÁTICA) - TEMAS 1. Cistos dos maxilares. 2. Neoplasias benignas

Leia mais

O AVIÃO QUE BATEU NO EMPIRE STATE Building EM 1945.

O AVIÃO QUE BATEU NO EMPIRE STATE Building EM 1945. O AVIÃO QUE BATEU NO EMPIRE STATE Building EM 1945. Inaugurado em Nova York em primeiro de maio de 1931, o Empire State Building, na esquina entre a Quinta Avenida e a Rua 34 Oeste, com 102 andares e 443

Leia mais

Seguro Coletivo de Pessoas Bradesco

Seguro Coletivo de Pessoas Bradesco Seguro Coletivo de Pessoas Bradesco Registro do Produto na SUSEP: 15414.002658/2011-22 Cobertura de Invalidez Permanente por Categoria de Acidente Cláusulas Complementares CAPÍTULO I - OBJETIVO DA COBERTURA

Leia mais

1.2 - São indenizáveis até o limite máximo indicado na especificação de seguro aeronáutico, os seguintes prejuízos:

1.2 - São indenizáveis até o limite máximo indicado na especificação de seguro aeronáutico, os seguintes prejuízos: CONDIÇÕES ESPECIAIS ADITIVO A GARANTIA CASCOS 1 - Objeto do seguro 1.1. Perda ou avaria da aeronave Respeitados os limites indicados na especificação de seguro aeronáutico a Seguradora, com base nas condições

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado da Defesa Civil Subsecretaria Adjunta de Operações Grupo Executivo de Ações de Meio Ambiente

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado da Defesa Civil Subsecretaria Adjunta de Operações Grupo Executivo de Ações de Meio Ambiente Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado da Defesa Civil Subsecretaria Adjunta de Operações Grupo Executivo de Ações de Meio Ambiente RIO DE JANEIRO 2004 Governadora do Estado do Rio de

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NO ACIDENTE AÉREOA

RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NO ACIDENTE AÉREOA JUSTIÇA FEDERAL RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NO ACIDENTE AÉREOA Colisão entre dois ônibus: Acidente de Trânsito OBJETIVO Conhecer as principais conseqüências jurídicas de um acidente aéreo, a especialmente

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002 Define o currículo do Curso de Graduação em Odontologia. O REITOR

Leia mais

Até agora vimos os conceitos de manutenção

Até agora vimos os conceitos de manutenção A U A UL LA Aplicações da manutenção Até agora vimos os conceitos de manutenção e as aplicações das suas diversas modalidades. Estudamos também os procedimentos de manutenção para vários tipos de elementos

Leia mais

RESPOSTA AO FANTÁSTICO 09.01.11

RESPOSTA AO FANTÁSTICO 09.01.11 RESPOSTA AO FANTÁSTICO 09.01.11 A Infraero esclarece que o Aeroporto de Juiz de Fora, onde foi encontrada a falha na revista da bagagem de mão, não está sob sua administração e sim da Prefeitura Municipal,

Leia mais

IT - 35 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS

IT - 35 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS IT - 35 CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS SUMÁRIO 1 - Objetivo 7 Exposição ao risco de incêndio 2 - Referências normativas 8 Risco de incêndio 3 Símbolos 9 - Fatores de segurança 4 - Considerações

Leia mais

1.1 Segurança do trabalho

1.1 Segurança do trabalho 1.1 Segurança do trabalho A Segurança do Trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas adotadas, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade

Leia mais

Índice do Número de Acidentes da Aviação Regular a cada um Milhão de Decolagens em 2012

Índice do Número de Acidentes da Aviação Regular a cada um Milhão de Decolagens em 2012 1 2 3 4 6,0 5,0 4,0 3,0 2,0 Índice do Número de Acidentes da Aviação Regular a cada um Milhão de Decolagens em 2012 1,9 4,8 de A. **Fonte do índice dos Continentes: ICAO. 2,7 4,2 3,8 2,8 3,2 1,0 0,0 Brasil*

Leia mais

PROGRAMA DE INSTRUÇÃO PRÁTICA

PROGRAMA DE INSTRUÇÃO PRÁTICA INSTRUTOR DE VOO PROGRAMA DE INSTRUÇÃO PRÁTICA Este é um manual de apoio ao programa de instrução adotado pelo Aeroclube de Piracicaba, para qualquer dúvida além desse manual consultar o MMA 58-16 através

Leia mais

'(3$57$0(172'($9,$d 2&,9,/ 68%'(3$57$0(1727e&1,&2.,1752'8d 2

'(3$57$0(172'($9,$d 2&,9,/ 68%'(3$57$0(1727e&1,&2.,1752'8d 2 0,1,67e5,2'$$(521È87,&$ '(3$57$0(172'($9,$d 2&,9,/ 68%'(3$57$0(1727e&1,&2 6Ë0%2/2 '$7$ &$7(*25,$ ',675,%8,d 2,$& (;3(',d 2 ()(7,9$d 2 3130-121-1296 12/Dez/96 31/Dez/96 NOSER D - ET - X 7Ë78/2 352&(',0(1726

Leia mais

Assessoria ao Cirurgião Dentista

Assessoria ao Cirurgião Dentista Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna a Papaiz edição IV agosto de 2014 Escrito por: Dr. André Simões, radiologista da Papaiz Diagnósticos Odontológicos por Imagem 11 3894 3030 papaizassociados.com.br

Leia mais

SEJA BEM-VINDO! AGORA VOCÊ É UM DENTISTA DO BEM

SEJA BEM-VINDO! AGORA VOCÊ É UM DENTISTA DO BEM SEJA BEM-VINDO! AGORA VOCÊ É UM DENTISTA DO BEM Caro dentista, agora você faz parte da Turma do Bem! É com grande satisfação que preparamos esse manual com informações sobre o Projeto DENTISTA DO BEM.

Leia mais

SEGURANCA AERONAUTICA

SEGURANCA AERONAUTICA SEGURANCA AERONAUTICA Nº 101 2007-10-19 Meu Caro, Hoje vamos abordar um acidente, não com uma personalidade importante da Aviação, mas, sim, com um piloto muito pouco experiente. Para tal, vamo-nos servir,

Leia mais

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Definições e Conceitos AERÓDROMO: Área definida sobre a terra ou água destinada à chegada, partida e movimentação de aeronaves; AERÓDROMO CONTROLADO: Aeródromo

Leia mais

PARE OS ASSALTOS EM APENAS ALGUNS SEGUNDOS COM O CANHÃO DE NÉVOA. www.bisalarmes.com. O ladrão não pode roubar o que não consegue ver!

PARE OS ASSALTOS EM APENAS ALGUNS SEGUNDOS COM O CANHÃO DE NÉVOA. www.bisalarmes.com. O ladrão não pode roubar o que não consegue ver! Névoa de Segurança PARE OS ASSALTOS EM APENAS ALGUNS SEGUNDOS COM O CANHÃO DE NÉVOA O ladrão não pode roubar o que não consegue ver! www.bisalarmes.com Inócuo para equipamentos electrónicos e stocks O

Leia mais

PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC

PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC A) TIPOS DE SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A.1 Consulta Inicial Entende-se como exame clínico,

Leia mais

Para que é usado o Antonov 225, o maior avião do mundo?

Para que é usado o Antonov 225, o maior avião do mundo? Para que é usado o Antonov 225, o maior avião do mundo? Da BBC Brasil Aeronave russa, que tem 84 m de comprimento e pesa 175 toneladas, é grande o suficiente para transportar 50 carros, sendo também usado

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA AUTOMÓVEL. Entende-se por Usuário, todo o condutor do veículo assistido, desde que tenham residência habitual no Brasil.

CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA AUTOMÓVEL. Entende-se por Usuário, todo o condutor do veículo assistido, desde que tenham residência habitual no Brasil. CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA AUTOMÓVEL ARTIGO 1 DEFINIÇÕES USUÁRIO: Entende-se por Usuário, todo o condutor do veículo assistido, desde que tenham residência habitual no Brasil. BENEFICIÁRIO: Entende-se

Leia mais

A Visão do Transporte Aéreo sobre as Fontes Renováveis de Energia

A Visão do Transporte Aéreo sobre as Fontes Renováveis de Energia A Visão do Transporte Aéreo sobre as Fontes Renováveis de Energia Seminário DCA-BR - Fontes Renováveis de Energia na Aviação São José dos Campos 10 de junho de 2010 Cmte Miguel Dau Vice-Presidente Técnico-Operacional

Leia mais

Fórum de Logística Perspectivas para 2014 25/02/2014

Fórum de Logística Perspectivas para 2014 25/02/2014 Fórum de Logística Perspectivas para 2014 25/02/2014 David Barioni Neto Mar/10 a Jun/11: Presidente Executivo (CEO) da Facility Group S.A. Nov/07 a Out/09: Presidente Executivo (CEO) da TAM Linhas Aéreas

Leia mais

EFICIÊNCIA DO CONTROLE EXTERNO EM PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS

EFICIÊNCIA DO CONTROLE EXTERNO EM PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS AYRES DE ALMEIDA SILVA FILHO EFICIÊNCIA DO CONTROLE EXTERNO EM PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós- Graduação do Cefor como parte das exigências do curso de Especialização

Leia mais

ADENDO A DO APÊNDICE V AO ANEXO E CONCEITO DA OPERAÇÃO DO PLANO DE COOPERAÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO

ADENDO A DO APÊNDICE V AO ANEXO E CONCEITO DA OPERAÇÃO DO PLANO DE COOPERAÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO PLAO DE AUXÍLIO MÚTUO MARÍTIMO PAM-M ADEDO A DO APÊDICE V AO AEXO E COCEITO DA OPERAÇÃO DO 1. Conceituação: 1.1. AR - abreviatura do inglês "search and rescue" - Busca e alvamento - correspondente a socorro,

Leia mais

A APLICAÇÃO DO SISTEMA DE COMANDO EM OPERAÇÕES NA GESTÃO DE DESASTRES

A APLICAÇÃO DO SISTEMA DE COMANDO EM OPERAÇÕES NA GESTÃO DE DESASTRES A APLICAÇÃO DO SISTEMA DE COMANDO EM OPERAÇÕES NA GESTÃO DE DESASTRES GESTÃO DE DESASTRES A expressão gestão de desastres foi recentemente conceituada pela Estratégia Internacional para a Redução de Desastres,

Leia mais

Conforme disposto no Decreto nº 5.731, de 20 de março de 2006, a audiência pública deve cumprir os seguintes objetivos:

Conforme disposto no Decreto nº 5.731, de 20 de março de 2006, a audiência pública deve cumprir os seguintes objetivos: Agência Nacional de Aviação Civil Aeroporto Internacional de Brasília Setor de Áreas de Concessionárias Lote 5 Brasília-DF CEP: 71.608 900 Telefone: (61) 3366 9200 Relatório de análise e respostas das

Leia mais

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO BRIGADA DE INCÊNDIO Brigada de Incêndio: É um grupo organizado de pessoas voluntárias ou não, treinadas e capacitadas para atuarem dentro de uma área previamente estabelecida na prevenção, abandono e combate

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE IBIPORÃ Estado do Paraná

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE IBIPORÃ Estado do Paraná A CÂMARA MUNICIPAL DE IBIPORÃ,, aprovou e eu, Prefeito do Município, sanciono a seguinte: L E I Nº 2.299/2009 SÚMULA: Dá nova redação a Lei Municipal n 1989/2006, de 20 de janeiro de 2006, que instituiu

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina TERMO ADITIVO N. 097/2007 Termo Aditivo ao Contrato n. 078/2005, cujo objeto é a prestação de serviços de limpeza, higienização e conservação, copeiragem (copeiras

Leia mais

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente).

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). Consiste na regularização do alvéolo (local onde está inserido o dente), geralmente após a

Leia mais

RELATÓRIO FINAL A Nº 003/CENIPA/2009

RELATÓRIO FINAL A Nº 003/CENIPA/2009 COMANDO DA AERONÁUTICA ESTADO-MAIOR DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A Nº 003/CENIPA/2009 OCORRÊNCIA AERONAVE MODELO ACIDENTE AERONÁUTICO PT MBV

Leia mais

Processo de insolvência n.º 380/12.5 TYVNG 1º Juízo Insolvente: COOPERATIVA DE CONSTRUÇÃO REALIDADE, C.R.L. Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia

Processo de insolvência n.º 380/12.5 TYVNG 1º Juízo Insolvente: COOPERATIVA DE CONSTRUÇÃO REALIDADE, C.R.L. Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia Processo de insolvência n.º 380/12.5 TYVNG 1º Juízo Insolvente: COOPERATIVA DE CONSTRUÇÃO REALIDADE, C.R.L. Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia AUTO DE RECEPÇÃO E ABERTURA DE PROPOSTAS ------No seguimento

Leia mais

Importância do exame radiográfico

Importância do exame radiográfico Exames e Indicações Importância do exame radiográfico O exame radiográfico de rotina associado ao exame clínico é a maneira mais efetiva de se obter o índice diagnóstico de 100% de cárie (segundo Estevam

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL -0> RESOLUÇÃO N 030, DE 21 DE MAIO DE 2008.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL -0> RESOLUÇÃO N 030, DE 21 DE MAIO DE 2008. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL -0> RESOLUÇÃO N 030, DE 21 DE MAIO DE 2008. Institui o Regulamento Brasileiro da Aviação Civil RBAC e a Instrução Suplementar IS, estabelece critérios para a elaboração

Leia mais