A RESPONSABILIDADE CIVIL DO CIRURGIÃO DENTISTA:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A RESPONSABILIDADE CIVIL DO CIRURGIÃO DENTISTA:"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ TAIANI TOMASI MICHNOSKI A RESPONSABILIDADE CIVIL DO CIRURGIÃO DENTISTA: uma análise da relação entre profissional e paciente Tijucas 2009

2 TAIANI TOMASI MICHNOSKI A RESPONSABILIDADE CIVIL DO CIRURGIÃO DENTISTA: uma análise da relação entre profissional e paciente Monografia apresentada como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Direito, pela Universidade do Vale do Itajaí, Centro de Ciências Sociais e Jurídicas, campus Tijucas. Orientador: MSc. Marcos Alberto Carvalho de Freitas. Tijucas 2009

3 TAIANI TOMASI MICHNOSKI A RESPONSABILIDADE CIVIL DO CIRURGIÃO DENTISTA: uma análise da relação entre profissional e paciente Esta Monografia foi julgada adequada para obtenção do título de Bacharel em Direito e aprovada pelo Curso de Direito do Centro de Ciências Sociais e Jurídicas, campus Tijucas. Direito Privado/ Direito Civil Tijucas, 4 de dezembro de MSc. Marcos Alberto Carvalho de Freitas Orientador Prof. MSc. Marcos Alberto Carvalho de Freitas Responsável pelo Núcleo de Prática Jurídica

4 Dedico este trabalho àquela que por mim dedicou a vida enquanto esteve ao meu lado. Mãe, é pra você!

5 Agradeço sempre, e nunca em excesso, a minha mãe, Maria Aparecida Tomasi Michnoski, (in memorian), e meu pai, Elias Michnoski, pelo incentivo aos estudos e pela educação que me proporcionaram. Agradeço, também, ao meu irmão, Antuani Tomasi Michnoski, e meu irmão de coração, Douglas Alves Siqueira, pelo carinho despendido durante a elaboração deste trabalho e em todos os momentos. A Gessi Alves Siqueira, minha segunda mãe, pelo incentivo e por sua dedicação a mim. A João Eduardo Carvalho Alonso Rays, fonte de inspiração para este trabalho, pelo amor, pelo estímulo e pela paciência incondicionalmente oferecidos durante a minha formação acadêmica. A Dra. Luciana Pelisser Gottardi, juíza da 1 Vara Cível de Porto Belo, e Anabel Pereira, pelas oportunidades e pelos conhecimentos jurídicos a mim repassados. Ao Orientador, Msc. Marcos Alberto Carvalho de Freitas, professor e amigo, pela dedicação na orientação desta monografia, cuja conduta profissional despertou em mim a sede de aprendizado. Aos demais Professores do Curso de Direito da Universidade do Vale do Itajaí, campus Tijucas, que muito contribuíram para a minha formação jurídica, principalmente, a Profa. MSc. Fernanda Sell de Souto Goulart Fernandes, pela compreensão e pelas risadas! A todos os colegas de classe, pelo companheirismo, amizade e apoio durante todo o curso, em especial, àquelas que hoje posso chamar realmente de amigas, Muriel Pinheiro da Silva e Carolina Cristina Rebelo. A todos os funcionários da Universidade do Vale do Itajaí, campus Tijucas, em especial a Amanda Baixo, Patrícia Conceição da Silva Teixeira e Vânia Maria da Silva, que sempre estiveram dispostas a realizar seus trabalhos. E, por fim, a Deus, que me deu a vida e que sempre me encoraja para continuar a caminhada em busca de meus objetivos.

6 A justiça sustenta numa das mãos a balança que pesa o direito, e na outra, a espada de que se serve para o defender. A espada sem a balança é a força brutal; a balança sem a espada é a impotência do direito. Rudolf Von Ihering

7 TERMO DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE Declaro, para todos os fins de direito, que assumo total responsabilidade pelo aporte ideológico conferido ao presente trabalho, isentando a Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI, a Banca Examinadora e o Orientador de toda e qualquer responsabilidade acerca do mesmo. Tijucas, 4 de dezembro de Taiani Tomasi Michnoski Graduanda

8 RESUMO Trabalho monográfico realizado sobre a Responsabilidade Civil do cirurgião dentista em virtude do insucesso do tratamento odontológico, com objetivo geral de encontrar meios de defesa ao profissional da Odontologia, considerando o notório ajuizamento de demandas indenizatórias ante tal situação. Os objetivos específicos, por sua vez, consistem no estudo da Responsabilidade Civil, da Responsabilidade Civil do cirurgião dentista, especialmente no que concernem as obrigações de meio e de resultado, a correta interpretação das legislações que envolvem a relação jurídica profissional-paciente, a colaboração do paciente para o sucesso do tratamento odontológico, e, ainda, a análise pormenorizada da responsabilidade do odontólogo nos diversos tipos de tratamento odontológicos. Desta forma, com base em pesquisas realizadas no ordenamento jurídico brasileiro vigente, nas doutrinas e na jurisprudência, observou-se a importância da informação ao paciente dos riscos e resultados e a consciência ética, moral e profissional do cirurgião dentista para o êxito do tratamento odontológico, bem como para evitar futuras e indesejáveis demandas judiciais. Ademais, foi possível constatar que a responsabilidade do profissional poderá ter interpretação diversa dependendo da natureza do serviço prestado, bem como, ante algumas situações, este poderá ser isentado da responsabilidade de indenizar, principalmente quando este não agiu com imprudência, negligência ou imperícia durante o tratamento, considerando, ainda, que a ciência odontológica não é uma ciência exata. Palavras-chave: Responsabilidade Civil. Cirurgião Dentista. Tratamento Odontológico.

9 ABSTRACT The research is on the civil liability of the dental surgeon because of the failure of dental treatment, with overall goal of finding ways of defense the dental professional, considering the notorious number of indemnity claims in such cases. The specific objectives are focused on the liability of the dental surgeon, especially in what concern the duty of care and with the outcomes, the correct interpretation of the laws involving the legal professional and the patient, the patient's cooperation for the success of dental treatment, and also the detailed analysis of the responsibility of the dentist in any kind of dental treatment. Thus, based on surveys conducted in the Brazilian legal current system, its doctrine and jurisprudence, we notice the importance of keeping the patient informed of the risks and the expected results, as well as, the professional dental surgeon working with ethical and moral awareness, for the success of dental treatment, in order to avoid future undesirable litigation. Moreover, it was established that the responsibility of the professional may have different interpretation depending on the nature of service and, once facing litigation, it may be exempted from the liability to indemnify, especially when the professional has not acted with recklessness, negligence or malpractice in treatment, considering also that the dental science is not an exact science. Keyword: Civil Liability. Dental Surgeon. Dental Treatment.

10 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS art (s). Artigo (s) ABO Associação Brasileira de Odontologia CC Código Civil CD Cirurgião Dentista CDC Código de Defesa do Consumidor CRFB Constituição da República Federativa do Brasil Cf. Conforme CFO Conselho Federal de Odontologia CPC Código de Processo Civil CRO Conselho Regional de Odontologia Des. Desembargador ed. Edição MSc. Mestre n. Número p. Página Rel. Relator RT Revista dos Tribunais SC Santa Catarina ss Seguintes TJSC Tribunal de Justiça de Santa Catarina UNIVALI Universidade do Vale do Itajaí v. Volume Parágrafo

11 LISTA DE CATEGORIAS E SEUS CONCEITOS OPERACIONAIS Clínica Odontológica Também conhecida como estabelecimento hospitalar, é o estabelecimento público ou particular, devidamente aparelhado com recursos odontológicos ou cirúrgicos para o tratamento de doentes (in casu, doenças bucais). Neste contexto, incluem-se não só as clínicas particulares, mas hospitais, casa de saúde, posto de saúde ou similares 1. Dano Moral São as lesões sofridas pelo sujeito físico ou pessoa natural de direito em seu patrimônio ideal, entendendo-se por patrimônio ideal em contraposição ao patrimônio material, o conjunto de tudo aquilo que não seja suscetível de valor econômico 2. Estado No sentido de Direito Público, Estado, segundo conceito dado pelos juristas, é o agrupamento de indivíduos estabelecidos ou fixados em um território determinado e submetidos à autoridade de um poder público soberano, que lhes dá autoridade orgânica 3. Eqüidade Eqüidade vem do latim aequitas, que significa igualdade, justiça, derivada por sua vez de aequus igual, justo e que, por conseguinte, em sentido ético, significa a lei igual e imparcial para todos 4. Pessoa Física É todo indivíduo desde o momento de seu nascimento até a morte. Adquire personalidade civil ao nascer com vida, mas tem seus direitos garantidos antes mesmo do nascimento. Esses direitos, baseados na própria natureza humana, são: direito à existência, à liberdade, de personalidade, à associação, à propriedade e à defesa 5. 1 BERNARDI, Sílvia de Liz Waltrick. A prática médica e o Código de Defesa do Consumidor. Curitiba: Gênesis, 2000, p RIZZARDO, Arnaldo. Responsabilidade civil. Rio de Janeiro: Forense, 2007, p SILVA, de Plácido e. Vocabulário jurídico. Atualizadores: Nagib Slaibi Filho e Gláucia Carvalho. Rio de Janeiro: Forense, 2005, p RABASA, Oscar apud Carvalho Filho. Indenização por eqüidade no novo Código Civil. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2003, p SILVEIRA, Cristiane Souza da; FLORES, Taís Cristina. Cartilha explicativa sobre o Código de Defesa do Consumidor. 2. ed. Santa Maria: UNIFRA, 2008, p. 31.

12 Pessoa Jurídica É a entidade constituída por homens e bens, com vida, direitos, obrigações, patrimônio próprios. Podem ser de direito público (União, Estados, Municípios, Distrito Federal, etc.), ou de direito privado (sociedades empresariais, associações, etc.) 6. Profissional Liberal Aquele que sob remuneração se obriga a prestar determinado serviço para o qual deve deter condições técnicas e científicas para atender o consumidor contratante, sem a subordinação própria das relações empregatícias 7 Relação de Consumo É a relação que se estabelece entre o consumidor e o fornecedor quando realizam entre si um negócio que envolve a aquisição de um produto ou serviço 8. Responsabilidade Civil O conjunto de princípios e normas que disciplinam a obrigação de reparar o dano resultante do inadimplemento de um contrato, da inobservância de um dever geral de conduta ou, nos casos previstos em lei, mesmo da prática de um ato lícito 9. Responsabilidade Civil Objetiva Segundo tal espécie de responsabilidade, o dolo ou culpa do agente causador do dano é irrelevante juridicamente, haja vista que somente será necessária a existência do elo de causalidade entre o dano e a conduta do agente responsável para que surja o dever de indenizar 10. Responsabilidade Civil Subjetiva É a decorrente de dano causado em função de ato doloso ou culposo 11. Responsabilidade Contratual Em sentido amplo, que dizer a expressão exprimir a obrigação assumida pelas partes contratantes em virtude da qual se acham no dever de fazer ou cumprir tudo que tenham convencionado ou ajustado SILVEIRA, Cristiane Souza da; FLORES, Taís Cristina. Cartilha explicativa sobre o Código de Defesa do Consumidor, p SÉLLOS, Viviane Coelho. Revista Direito do Consumidor n 10. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1944, p SILVEIRA, Cristiane Souza da; FLORES, Taís Cristina. Cartilha explicativa sobre o Código de Defesa do Consumidor, p CARVALHO. Milton Paulo de apud CARVALHO FILHO. Indenização por eqüidade no novo Código Civil, p GAGLIANO, Pablo Stolze; PAMPLONA FILHO, Rodolfo. Novo curso de direito civil: responsabilidade civil. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2005, p GAGLIANO, Pablo Stolze; PAMPLONA FILHO, Rodolfo. Novo curso de direito civil: responsabilidade civil, p SILVA, de Plácido e. Vocabulário jurídico, p. 713.

13 Responsabilidade Extracontratual [...] dentro da concepção tradicional a responsabilidade do agente causador do dano só se configura se agiu culposa ou dolosamente. De modo que a prova da culpa do agente causador do dano é indispensável para que surja o dever de indenizar. A responsabilidade, no caso, é subjetiva, pois depende do comportamento do sujeito RODRIGUES, Sílvio. Direito Civil: responsabilidade civil. v. 4. São Paulo: Saraiva, 1975, p. 11.

14 SUMÁRIO RESUMO... 5 ABSTRACT... 6 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS... 7 LISTA DE CATEGORIAS E SEUS CONCEITOS OPERACIONAIS INTRODUÇÃO RESPONSABILIDADE CIVIL BREVE RELATO HISTÓRICO DO INSTITUTO DA RESPONSABILIDADE CIVIL Concepções da Responsabilidade no Código Civil de Alterações da Responsabilidade Civil com o advento do Código Civil de CONCEITO DE RESPONSABILIDADE CIVIL ELEMENTOS ESSENCIAIS DA RESPONSABILIDADE CIVIL Conduta humana Dano Dano patrimonial Dano moral Nexo de Causalidade CULPA E O RISCO Elementos da Culpa Graus da Culpa e Formas de Manifestação Negligência, imprudência e imperícia EXCLUDENTES DA RESPONSABILIDADE CIVIL RESPONSABILIDADE CIVIL: CLASSIFICAÇÕES E ESPÉCIES - DISTINÇÕES IMPORTANTES RESPONSABILIDADE CIVIL SUBJETIVA RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA RESPONSABILIDADE CIVIL CONTRATUAL RESPONSABILIDADE CIVIL EXTRACONTRATUAL OU AQUILIANA RESPONSABILIDADE CIVIL NAS RELAÇÕES DE CONSUMO Relação de Consumo Consumidor Direitos do consumidor Fornecedor Conceito e Classificações Fornecedor - Pessoa Física ou Jurídica Fornecedor profissional autônomo ou liberal Produto e Serviço - Conceituação Distinções entre Vício e Defeito Vício do produto ou do serviço Defeito do produto ou serviço Excludentes da Responsabilidade Civil nas Relações de Consumo e a Inversão do Ônus da Prova...70

15 4 RESPONSABILIDADE CIVIL DO CIRURGIÃO DENTISTA RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL A PROFISSÃO DO CIRURGIÃO DENTISTA BREVE DELINEAMENTO HISTÓRICO ODONTOLOGIA: REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO NATUREZA OBRIGACIONAL DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGIOS Relação Profissional Paciente Obrigação de meio e obrigação de resultado Direito à informação e consentimento informado RESPONSABILIDADE CIVIL DO CIRURGIÃO DENTISTA E O CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Responsabilidade do cirurgião dentista como preposto de Pessoa Jurídica de direito público ou privado A inversão do ônus da prova Das formas de defesa do profissional e as excludentes ou atenuantes de responsabilização aplicáveis à Odontologia e ao Direito Aplicação da Eqüidade Das outras formas de Responsabilização do Cirurgião Dentista CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANEXOS ANEXO A ANEXO B ANEXO C ANEXO D ANEXO E...140

16 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho tem por objeto o estudo da Responsabilidade Civil cirurgião dentista - CD. A importância do tema reside nas divergências encontradas na aplicação das normas previstas no Código de Defesa do Consumidor - CDC à relação profissional do cirurgião dentista e seu paciente. Ressalte-se que, além de ser requisito imprescindível à conclusão do curso de Direito na Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI, o presente relatório monográfico também vem colaborar para o conhecimento de um tema que, apesar de não poder ser tratado como novidade no campo jurídico, na dimensão social-prática ainda pode ser tratado como elemento novo e repleto de nuances a serem destacadas pelos intérpretes jurídicos. O presente tema, na atualidade, encontra-se amparado pela legislação do Código de Defesa do Consumidor, por se tratar de uma Relação de Consumo. No entanto, devido a peculiaridade do instituto, em algumas hipóteses são aplicáveis as normas disciplinadoras do CC - Código Civil brasileiro ou do Código de Defesa do Consumidor, daí porque grande divergência na responsabilização do Profissional Liberal. A escolha do tema é fruto do interesse pessoal do pesquisador em proporcionar ao cirurgião dentista novas tendências à sua defesa em processos cuja natureza seja indenizatória, eis que o fundamento é o insucesso do tratamento odontológico de encontro as expectativas do paciente, assim como, para instigar novas contribuições para a defesa dos direitos do odontólogo na compreensão dos fenômenos jurídicos-políticos, especialmente no âmbito de atuação do Direito Privado. Em vista do parâmetro delineado, constitui-se como objetivo geral deste trabalho encontrar meios de defesa para o profissional da Odontologia. Deste modo, serão confrontados os entendimentos da doutrina odontológica com o Direito e a aplicação da Lei Civil e/ou Código de Defesa do Consumidor ao caso concreto.

17 14 O objetivo institucional da presente Monografia é a obtenção do Título de Bacharel em Direito, pela Universidade do Vale do Itajaí, Centro de Ciências Sociais e Jurídicas, campus de Tijucas. Como objetivo específico, pretende-se apresentar o instituto da Responsabilidade Civil, tecendo breves considerações acerca de seu escorço histórico, sua conceituação, os elementos caracterizadores do instituto, bem como as excludentes aplicáveis a este no Código Civil e Código de Processo Civil; classificar, as espécies e distinções principais da Responsabilidade Civil, dentre elas a Responsabilidade Civil Objetiva, Subjetiva, Contratual, Extracontratual e nas Relações de Consumo, demonstrando as excludentes da responsabilização aceitas pelo Código de Defesa do Consumidor; e por derradeiro, deparar a Responsabilidade Civil do cirurgião dentista, apontando a responsabilidade profissional prevista no Código de Defesa do Consumidor, delineando historicamente a ciência da Odontologia, sopesando a natureza obrigacional da prestação de serviço feita pelo odontológo, tal como a responsabilização do profissional ante o insucesso do tratamento dentário, e em decorrência disso apresentar métodos de defesa ao odontólogo, assim como novas teses a serem utilizadas e que pouco são exploradas pelos profissionais do Direito ante as divergências, ou desconhecimento, sobre o assunto. Para o desenvolvimento da presente pesquisa foram formulados os seguintes questionamentos: a) Quais os elementos primordiais para o desencadeamento da responsabilização diante de um evento danoso prevista no Código Civil vigente? b) Feitas as considerações acerca das principais classificações da Responsabilidade Civil, pode-se dizer que a prestação do serviço, realizada pelo Profissional Liberal (cirurgião dentista), deverá se submeter a que tipo de legislação? c) Ocorrendo o insucesso do tratamento dentário, pode-se afirmar que o cirurgião dentista poderá ser responsabilizado por este fato? E, em decorrência disso, havendo a inversão do ônus da prova, já que prevista pelo Código de Defesa do Consumidor, quais os métodos, teses ou meios de defesa que o profissional poderá utilizar-se para fundamentar a sua defesa? Já as hipóteses consideradas foram as seguintes:

18 15 a) Para que ocorra a responsabilização civil, decorrente de um fato danoso, é necessária a presença de três elementos caracterizadores deste instituto, quais sejam, o dano, o nexo de causalidade e a ação ou omissão de um agente. b) Após a análise das principais classificações da Responsabilidade Civil, e em que pesem existirem posicionamentos contrários, o diploma a ser aplicado a relação de odontólogo e paciente deverá ser o Código de Defesa do Consumidor, primeiramente, e, em havendo necessidade para suprir as divagações encontradas, utilizar-se-á o Código Civil. c) Considerando que o tratamento dentário deriva de uma ciência inexata (Odontologia), poderão ocorrer casos em que o resultado do tratamento poderá não ser o esperado, tanto pelo paciente, quanto pelo odontólogo. Desta forma, o paciente, tido como consumidor nesta relação, poderá responsabilizar o cirurgião dentista pelo insucesso do tratamento dentário. Nesse sentido, em havendo a aplicação do Código de Defesa do Consumidor, a responsabilidade do profissional deverá ser apurada mediante a verificação da sua culpa para o evento danoso. Em contrapartida, cabendo ao paciente comprovar a culpa do profissional, poderá incidir a inversão do ônus da prova, já que também prevista pelo Código Consumeirista, e nessa perspectiva, o cirurgião dentista, ao elaborar a sua defesa, poderá invocar teses previstas no Direito e na Odontologia, a fim de afastar a sua responsabilização ou almejar um equilíbrio na reparação do dano ocorrido. Finalmente, buscou-se nortear as hipóteses formuladas com a seguinte variável: a) Entendimentos contrários, tanto na doutrina quanto na jurisprudência, ao estudo que se pretende formular em relação à interpretação equivocada do Código de Defesa do Consumidor frente à relação profissional-paciente. O relatório final da pesquisa foi estruturado em três capítulos, podendo-se, inclusive, delineá-los como três molduras distintas, mas conexas: a primeira, atinente a breve histórico, conceito, fundamentos e excludentes de Responsabilidade Civil; a segunda, as espécies e peculiaridades de Responsabilidade Civil, apresentando, de forma suscinta, a Responsabilidade Civil nas Relações de Consumo, trazendo à baila, apontamentos sobre o tema proposto; e, por derradeiro, a Responsabilidade Civil do cirurgião dentista. Quanto à metodologia empregada, registra-se que, na fase de investigação foi utilizado o método indutivo, tal como o relatório dos resultados expresso na presente monografia é

19 16 composto na base lógica indutiva 14, uma vez que neste se opera e colhe dados que são reunidos e concatenados para a caracterização do tema pesquisado 15. Nas diversas fases da pesquisa, foram acionadas as técnicas do referente, da categoria, do conceito operacional e da pesquisa bibliográfica 16. Os acordos semânticos que procuram resguardar a linha lógica do relatório da pesquisa e respectivas categorias, por opção metodológica, estão apresentados na Lista de Categorias e seus Conceitos Operacionais, muito embora algumas delas tenham seus conceitos mais aprofundados no corpo da pesquisa. A estrutura metodológica e as técnicas aplicadas nesta monografia estão em conformidade com o padrão normativo da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e com as regras apresentadas no Caderno de Ensino da Universidade do Vale do Itajaí: formação continuada, Ano 2, número 4; assim como nas obras de Cezar Luiz Pasold, Prática da pesquisa jurídica: idéias e ferramentas úteis ao pesquisador do Direito e Valdir Francisco Colzani, Guia para redação do trabalho científico. A presente monografia se encerra com as Considerações Finais, nas quais são apresentados pontos conclusivos destacados, seguidos da estimulação à continuidade dos estudos e das reflexões sobre o tema abordado. Com este itinerário, espera-se alcançar o intuito que ensejou a preferência por este estudo: a aplicação e a interpretação, dos corretos institutos concernentes a responsabilização do cirurgião dentista, com principal enfoque na teoria subjetiva prevista no Código Civil e no Código de Defesa do Consumidor afastando a responsabilidade de indenizar do profissional, ante a não comprovação da sua culpa para o evento danoso, ou havendo a inversão do ônus da prova, comprovar o demandado (cirurgião dentista) a culpa exclusiva da vítima, garantindo a aplicação da equidade na condenação, ou afastando a sua responsabilização. Por outro lado, buscou-se traçar parâmetros para as diversas formas de prestação de serviço deste profissional, bem como a verificação da sua culpa ante a natureza do seu serviço, como é o caso das Clínicas Odontológicas e do profissional preposto do Estado, entretanto, sem afastar 14 Sobre os Métodos e Técnicas nas diversas fases da pesquisa científica, vide PASOLD, Cesar Luiz. Prática da pesquisa jurídica: idéias e ferramentas úteis para o pesquisador do Direito. 8. ed. Florianópolis: OAB Editora, 2003, p PASOLD, César Cesar Luiz. Prática da pesquisa jurídica e metodologia da pesquisa jurídica. 10. ed. Florianópolis: OAB Editora, 2007, p Quanto às Técnicas mencionadas, vide PASOLD, Cesar Luiz. Prática da pesquisa jurídica: idéias e ferramentas úteis para o pesquisador do Direito, p , 31-41, 45-58, e , nesta ordem.

20 17 o foco principal desta pesquisa, isto é, a responsabilização do cirurgião dentista, Profissional Liberal, decorrente do insucesso do tratamento odontológico.

21 2 RESPONSABILIDADE CIVIL Este capítulo trata do instituto da Responsabilidade Civil. Inicialmente, será feito um breve lineamento da historicidade do tema, passando, a seguir, a sua conceituação. Serão explanados ainda, os requisitos da caracterização da Responsabilidade Civil bem como suas subdivisões, e, por fim, serão apontadas as excludentes da responsabilização civil, trazendo à baila casos em que poderão ou não serem utilizados estes princípios. Estabelecidas tais premissas, passa-se ao objeto de análise deste estudo: A palavra responsabilidade é derivada do verbo latino respondere, de spondeo, primitiva obrigação da natureza contratual romano, pela qual o devedor se vincula ao credor nos contratos verbais, por intermédio e resposta (spondesne mihi dare Centum? Spondeo, ou seja, prometes me dar um cento? Prometo) 17. A noção de responsabilidade, como gênero, implica sempre da conduta voluntária violadora de um direito jurídico. Sob tal premissa, a responsabilidade pode ser de várias naturezas, embora ontologicamente o conceito seja o mesmo BREVE RELATO HISTÓRICO DO INSTITUTO DA RESPONSABILIDADE CIVIL Busca-se com o estudo deste tópico, esclarecer pontos importantes da narrativa da história da responsabilização civil, apontando os principais fatos contribuintes à sua criação, existência e fundamentos. Segundo Wald, a Responsabilidade Civil apresenta uma evolução pluridimensional, pois sua expansão se deu quanto à sua história, aos seus fundamentos, à sua extensão ou área 17 AZEVEDO, Álvaro Villaça. Teoria geral das obrigações. 9. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2001, p VENOSA, Sílvio de Salvo. Direito civil: responsabilidade civil. v ed. São Paulo: Atlas, 2003, p. 19.

22 19 de incidência (número de pessoas responsáveis e fatos que ensejam a responsabilidade) e à sua profundidade ou densidade (exatidão e reparação) 19. Nessa órbita, Venosa prepondera que a noção clássica da responsabilidade foi sofrendo, no curso da História, constantes temperamentos em sua aplicação. Nesse sentido, as primeiras atenuações em relação ao sentido clássico de culpa traduziram-se nas presunções de culpa e em mitigações no rigor da apreciação da culpa em si 20. Afirma Diniz que historicamente, na civilização humana dominava-se a vingança coletiva, que se caracterizava-se pela reação conjunta do grupo contra o agressor pela ofensa a um de seus componentes 21. Depois deste período há o de composição, ante a observância do fato de que seria mais conveniente entrar em composição com o autor da ofensa para que este reparasse o dano mediante prestação da poena (pagamento de certa quantia em dinheiro), a critério de autoridade pública, se o delito fosse público, e do lesado se o delito fosse privado do que cobrar a retaliação, pois assim sendo, não haveria reparação de dano algum 22. A Responsabilidade Civil se assenta, segundo a teoria clássica, em três pressupostos: um dano, a culpa do autor e a relação de causalidade entre o fato culposo e o mesmo dano 23. É do entendimento de Monteiro: Os novos inventos, a intensidade da vida e a densidade das populações aproximam cada vez mais os homens, intensificando suas relações, no plano real e virtual, o que acarreta um aumento vertiginoso de motivos para a colisão de direitos WALD, Arnoldo apud DINIZ, Maria Helena. Direito civil brasileiro: responsabilidade civil. v ed. São Paulo: Saraiva, 2003, p VENOSA, Sílvio de Salvo. Direito civil: responsabilidade civil, p DINIZ, Maria Helena. Direito civil brasileiro: responsabilidade civil, p DINIZ, Maria Helena. Direito civil brasileiro: responsabilidade civil, p CAVALIERI FILHO, Sérgio apud GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro: responsabilidade civil. v. 4. São Paulo: Saraiva, 2007, p MONTEIRO, Washington de Barros. Curso de direito civil: direito das obrigações. v ed. São Paulo: Saraiva, 2003, p. 446.

23 20 Para Gonçalves, nessa época [...] não se cogitava a possibilidade da culpa, bastando apenas à ocorrência do dano, sendo que este provocava reação imediata ao ofendido, não havendo regras ou limitações, predominava-se então, a vingança privada 25. Afirma Brito que no Direito Romano não houve uma construção acerca da teoria da Responsabilidade Civil, todavia, a contribuição dos romanistas não pode ser desprezada, haja vista que à época em que em cada aplicação à espécie do caso, entre os romanos não havia distinção entre Responsabilidade Civil e penal, constituindo-se entre ambas, numa pena imposta ao causador do dano 26. Conforme acentuou Diniz, foi na Pena do Talião 27, com a visão do delito do Direito Romano, que se encontra o berço da Responsabilidade Civil, a qual evoluiu com o advento da Lei das XII Tábuas 28, que fixou o valor da pena a ser paga pelo ofensor ao ofendido. Nesta modalidade, a responsabilidade era objetiva, ou seja, não dependia da culpa, mostrando-se, tão somente, como uma reação ao lesado contra a causa aparente do dano 29. A idéia de responsabilidade, como bem lembrou Santana: [...] ingressa na órbita jurídica após ultrapassada, entre os povos primitivos, a fase de reação imediata, inicialmente grupal, depois individual, passando pela sua institucionalização, com a pena do talião, fundada na idéia de devolução da injúria e na reparação do mal com mal igual, já que qualquer dano causado a outra pessoa era considerado contrário ao direito natural 30. Maior evolução do instituto ocorreu com a Lex Aquilia 31, cujo propósito era a substituição da multa fixa em uma multa proporcional ao dano causado, que deu origem à 25 GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro: responsabilidade civil. v. 4. São Paulo: Saraiva, 2007, p BRITTO, Marcelo Silva. Alguns aspectos polêmicos da responsabilidade civil objetiva no novo Código Civil. Disponível em <http://jus.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=5159>. Acesso em 08 ago. 2008, às 08h20min. 27 Denomina-se Pena de Talião, a idéia da reparação do mal pelo mal, evoluída em uma reação individual, sintetizada na fórmula: olho por olho, dente por dente, quem com ferro fere, será ferido. Cf. DINIZ, Maria Helena. Direito civil brasileiro: responsabilidade civil, p Denomina-se Lei das XII Tábuas, a noção de que se alguém fere a outrem, que sofra a pena de Talião, salvo se existiu acordo. Cf. DINIZ, Maria Helena. Direito civil brasileiro: responsabilidade civil, p DINIZ, Maria Helena. Direito civil brasileiro: responsabilidade civil, p SANTANA, Heron José. Responsabilidade civil por dano moral ao consumidor. Minas Gerais: edições ciências jurídicas, 1997, p Denomina-se Lex Aquilia, a não limitação apenas em especificar melhor os atos ilícitos, mas substituir as penas fixas, pela reparação pecuniária ao dano causado, tendo em vista o valor da coisa durante os 30 dias anteriores ao delito e atendendo, a princípio, ao valor venal; mais tarde, estendeu-se o dano ao valor relativo, por influência da jurisprudência, de sorte que a reparação poderia ser superior ao dano realmente sofrido, se a coisa diminuísse de valor, no caso prefixado. Cf. LIMA, Alvino. Culpa e risco. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1999, p. 21.

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil 7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil Tópicos Especiais em Direito Civil Introdução A Responsabilidade Civil surge em face de um descumprimento obrigacional pela desobediência de uma regra estabelecida

Leia mais

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA A responsabilidade civil tem como objetivo a reparação do dano causado ao paciente que

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO Atualizado até 13/10/2015 RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO NOÇÕES INTRODUTÓRIAS Quando se fala em responsabilidade, quer-se dizer que alguém deverá

Leia mais

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais Para Reflexão Ao indivíduo é dado agir, em sentido amplo, da forma como melhor lhe indicar o próprio discernimento, em juízo de vontade que extrapola

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS Atividade de intermediação de negócios imobiliários relativos à compra e venda e locação Moira de Toledo Alkessuani Mercado Imobiliário Importância

Leia mais

Aula 1 Responsabilidade Civil. Bibliografia recomendada:

Aula 1 Responsabilidade Civil. Bibliografia recomendada: Aula 1 Responsabilidade Civil. Bibliografia recomendada: GONÇALVES, Carlos Roberto. Responsabilidade civil. 11 ed. São Paulo: Saraiva, 2009. CAVALIERI FILHO, Sérgio. Programa de responsabilidade civil.

Leia mais

Introdução ao Estudo da Responsabilidade Civil

Introdução ao Estudo da Responsabilidade Civil Introdução ao Estudo da Responsabilidade Civil Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito Civil IVI Publicação no semestre 2014.1 no curso de Direito. Autor: Vital Borba

Leia mais

A RESPONSABILIDADE DO PERSONAL TRAINER DOUTOR PAQUITO RESUMO

A RESPONSABILIDADE DO PERSONAL TRAINER DOUTOR PAQUITO RESUMO A RESPONSABILIDADE DO PERSONAL TRAINER DOUTOR PAQUITO RESUMO O presente artigo traz a concepção da responsabilidade civil aplicada ao personal trainer, um estudo que merece atenção tanto do profissional

Leia mais

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades Administrador Administrador é a pessoa a quem se comete a direção ou gerência de qualquer negócio ou serviço, seja de caráter público ou privado,

Leia mais

DOS FATOS JURÍDICOS. FATO JURÍDICO = é todo acontecimento da vida relevante para o direito, mesmo que seja fato ilícito.

DOS FATOS JURÍDICOS. FATO JURÍDICO = é todo acontecimento da vida relevante para o direito, mesmo que seja fato ilícito. DOS FATOS JURÍDICOS CICLO VITAL: O direito nasce, desenvolve-se e extingue-se. Essas fases ou os chamados momentos decorrem de fatos, denominados de fatos jurídicos, exatamente por produzirem efeitos jurídicos.

Leia mais

A Responsabilidade civil objetiva no Código Civil Brasileiro: Teoria do risco criado, prevista no parágrafo único do artigo 927

A Responsabilidade civil objetiva no Código Civil Brasileiro: Teoria do risco criado, prevista no parágrafo único do artigo 927 A Responsabilidade civil objetiva no Código Civil Brasileiro: Teoria do risco criado, prevista no parágrafo único do artigo 927 Marcela Furtado Calixto 1 Resumo: O presente artigo visa discutir a teoria

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 Suponha se que Maria estivesse conduzindo o seu veículo quando sofreu um acidente de trânsito causado por um ônibus da concessionária do serviço público

Leia mais

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado Conceito Responsabilidade Civil do Estado é a obrigação que ele tem de reparar os danos causados a terceiros em face de comportamento imputável aos seus agentes. chama-se também de responsabilidade extracontratual

Leia mais

A inserção injusta causa às pessoas / consumidores danos de ordem moral e em algumas vezes patrimonial, que, reconhecida gera o direito à reparação.

A inserção injusta causa às pessoas / consumidores danos de ordem moral e em algumas vezes patrimonial, que, reconhecida gera o direito à reparação. 1.1 - Introdução Infelizmente o ajuizamento de ações de indenização por danos materiais e principalmente morais em face de empresas por inclusão indevida do nome de seus clientes em órgãos de proteção

Leia mais

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho O Conceito de Acidente de Trabalho (de acordo com a Lei 8.213/91 Art. 19) Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço

Leia mais

OAB 1ª Fase Direito Civil Responsabilidade Civil Duarte Júnior

OAB 1ª Fase Direito Civil Responsabilidade Civil Duarte Júnior OAB 1ª Fase Direito Civil Responsabilidade Civil Duarte Júnior 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. RESPONSABILIDADE CIVIL É A OBRIGAÇÃO QUE INCUMBE A ALGUÉM DE

Leia mais

A RESPONSABILIDADE OBJETIVA NO NOVO CÓDIGO CIVIL

A RESPONSABILIDADE OBJETIVA NO NOVO CÓDIGO CIVIL A RESPONSABILIDADE OBJETIVA NO NOVO CÓDIGO CIVIL SÍLVIO DE SALVO VENOSA 1 Para a caracterização do dever de indenizar devem estar presentes os requisitos clássicos: ação ou omissão voluntária, relação

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS PROFISSIONAIS DA BELEZA

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS PROFISSIONAIS DA BELEZA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 RESPONSABILIDADE CIVIL DOS PROFISSIONAIS DA BELEZA Carlos Alexandre Moraes 1, Lilian Rosana dos Santos Moraes 2 RESUMO: Nas últimas décadas, as mulheres

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br O seguro da responsabilidade civil do professional liberal Suzanne Dobignies Santos 1. INTRODUÇÃO O contrato de seguro é uma das garantias da reparação civil, cuja finalidade é a

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2015

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2015 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2015 Disciplina: Direito Civil II Departamento II: Direito Privado Docente Responsável: Prof. Dr. Clineu Ferreira Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual 2º Ano Objetivos:

Leia mais

Plano de Ensino. Meses Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Aulas Regulares 08 18 14 18 14 08 Aulas de

Plano de Ensino. Meses Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Aulas Regulares 08 18 14 18 14 08 Aulas de Identificação Plano de Ensino Curso: Direito Disciplina: Responsabilidade Civil Ano/semestre: 2012-1 Carga horária: Total: 80 horas Semanal: 4 horas Professor: Renzo Gama Soares Período/turno: Matutino

Leia mais

ROJETO DE LEI Nº, de 2015. (Do Sr. Deputado Marcos Rotta)

ROJETO DE LEI Nº, de 2015. (Do Sr. Deputado Marcos Rotta) ROJETO DE LEI Nº, de 2015 (Do Sr. Deputado Marcos Rotta) Dispõe sobre segurança, danos materiais, furtos e indenizações, correspondentes a veículos nos estacionamento de estabelecimentos comerciais, shoppings

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO

RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO RESPONSABILIDADE CIVIL E CRIMINAL DECORRENTE DE ACIDENTES DE TRABALHO Constituição Federal/88 Art.1º,III A dignidade da pessoa humana. art.5º,ii

Leia mais

PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Apelação Cível nº 0059871-12.2007.8.19.0001 Apelante: JONETES TERESINHA BOARETTO Apelado: GRANDE HOTEL CANADÁ LTDA. Relator: DES. CUSTÓDIO TOSTES DECISÃO MONOCRÁTICA

Leia mais

ESPECÍFICOS * Estudar a teoria geral da responsabilidade civil e das relações de consumo perante o ordenamento jurídico brasileiro;

ESPECÍFICOS * Estudar a teoria geral da responsabilidade civil e das relações de consumo perante o ordenamento jurídico brasileiro; 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Responsabilidade Civil. Introdução.

Leia mais

Contrato de Prestação de Serviços. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Contrato de Prestação de Serviços. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Contrato de Prestação de Serviços Contrato de Prestação de Serviços Visão Geral dos Contratos: Formação dos Contratos;e Inadimplemento Contratual. Formação dos Contratos Validade do Negócio Jurídico: Agente

Leia mais

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D-53 9º 04 04 60

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D-53 9º 04 04 60 Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D-53 9º 04 04 60 Turma Nome da Disciplina / Curso DIREITO CIVIL V II D- 44 DIREITO CIVIL VI (EMENTA 2008/01) D- 46 DIREITO CIVIL VI (EMENTA 2008/01) Responsabilidade

Leia mais

A RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA DO ESTADO NOS CASOS DE OMISSÃO

A RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA DO ESTADO NOS CASOS DE OMISSÃO A RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA DO ESTADO NOS CASOS DE OMISSÃO SILVA, R. M. Resumo: O tema apresentado é de muita importância tendo em vista todos os danos que o Estado causa aos seus cidadãos. Danos

Leia mais

Profilaxia das alegações de erro médico. Paulo Afonso - BA

Profilaxia das alegações de erro médico. Paulo Afonso - BA Profilaxia das alegações de erro médico Paulo Afonso - BA Princípios Fundamentais do CEM I - A Medicina é uma profissão a serviço da saúde do ser humano e da coletividade e será exercida sem discriminação

Leia mais

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP PRÁTICA MÉDICA A prática médica se baseia na relação médicopaciente,

Leia mais

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO TOMÁS LIMA DE CARVALHO Em julgamento proferido no dia 22 de setembro de 2009, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça

Leia mais

Área de conhecimento: Direito Eixo Temático: Direito Civil, Processo Civil e Tutela dos interesses coletivos, difusos e transindividuais

Área de conhecimento: Direito Eixo Temático: Direito Civil, Processo Civil e Tutela dos interesses coletivos, difusos e transindividuais 1 ASPECTOS GERAIS DA RESPONSABILIDADE CIVIL NA (NÃO) APLICABILIDADE DA RESPONSABILIDADE OBJETIVA NOS HOSPITAIS NO CASO DE INFECÇÃO HOSPITALAR Luana da Silva Kanieski 1 Área de conhecimento: Direito Eixo

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2014.1

PLANO DE ENSINO 2014.1 FUNDAÇÃO EDSON QUEIROZ UNIVERSIDADE DE FORTALEZA CENTRO DE CIENCIAS JURIDICAS PLANO DE ENSINO 2014.1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Disciplina/Módulo: Responsabilidade Civil Código/Turma: J774-81 Pré-requisito:J557

Leia mais

Núcleo de Pesquisa e Extensão do Curso de Direito NUPEDIR VII MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (MIC) 25 de novembro de 2014

Núcleo de Pesquisa e Extensão do Curso de Direito NUPEDIR VII MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (MIC) 25 de novembro de 2014 RESPONSABILIDADE CIVIL DOS MÉDICOS NAS INTERVENÇÕES ESTÉTICAS: UMA OBRIGAÇÃO DE MEIO OU DE RESULTADO? Carla Beatriz Petter 1 Juciani Schneider 2 Rosane Dewes 3 Julia Bagatini 4 SUMÁRIO: 1 INTRODUÇÃO. 2

Leia mais

Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa).

Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa). Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa). Pressupostos da responsabilidade civil subjetiva: 1) Ato ilícito; 2) Culpa; 3) Nexo causal; 4) Dano. Como já analisado, ato ilícito é a conduta voluntária

Leia mais

O Dano Moral no Direito do Trabalho

O Dano Moral no Direito do Trabalho 1 O Dano Moral no Direito do Trabalho 1 - O Dano moral no Direito do Trabalho 1.1 Introdução 1.2 Objetivo 1.3 - O Dano moral nas relações de trabalho 1.4 - A competência para julgamento 1.5 - Fundamentação

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR É possível um finalismo corrigido? Saymon Mamede Várias teorias sobre o fato típico e a conduta surgiram no Direito Penal, desde o final do século XIX até hodiernamente. A pretensão deste artigo é expor

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br As excludentes da responsabilidade civil decorrentes do acidente de trabalho Paula Gracielle de Mello* Sumário: 1. Introdução. 2. Responsabilidade Civil no Direito Brasileiro.3.

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-52 PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2.

1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-52 PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2. 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-52 PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Responsabilidade

Leia mais

29 a 30 de maio de 2008 RESPONSABILIDADE CIVIL E RELAÇÕES TRABALHISTAS. Fraiburgo Santa Catarina

29 a 30 de maio de 2008 RESPONSABILIDADE CIVIL E RELAÇÕES TRABALHISTAS. Fraiburgo Santa Catarina 29 a 30 de maio de 2008 RESPONSABILIDADE CIVIL E RELAÇÕES TRABALHISTAS Fraiburgo Santa Catarina A responsabilidade civil é a aplicação de medidas que obriguem uma pessoa a reparar o dano moral ou patrimonial

Leia mais

II. Contrato Principal: o documento contratual, seus aditivos e anexos, que especificam as obrigações e direitos do segurado e do tomador.

II. Contrato Principal: o documento contratual, seus aditivos e anexos, que especificam as obrigações e direitos do segurado e do tomador. SEGURO-GARANTIA - CONDIÇÕES GERAIS Este seguro garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador no contrato principal, firmado com o segurado, conforme os termos da apólice. I. Seguro-Garantia:

Leia mais

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO DIREITO CONTRATUAL 1. Angélica Santana NPI FAC SÃO ROQUE

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO DIREITO CONTRATUAL 1. Angélica Santana NPI FAC SÃO ROQUE PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO DIREITO CONTRATUAL 1 Angélica Santana NPI FAC SÃO ROQUE INTRODUÇÃO Para o Direito existem alguns princípios pelo qual, podemos destacar como base fundamental para estabelecer

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS ADMINISTRADORES:

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS ADMINISTRADORES: RESPONSABILIDADE CIVIL DOS ADMINISTRADORES: E A CORPORATE GOVERNANCE MARIA DA CONCEIÇÃO CABAÇOS ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL DO MINHO 18 de Novembro de 2015 PRESSUPOSTOS DA RESPONSABILIDADE CIVIL Para que os

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR EM ACIDENTE DE TRABALHO

RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR EM ACIDENTE DE TRABALHO RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR EM ACIDENTE DE TRABALHO Rafael Bratfich GOULART 1 Cleber Affonso ANGELUCI 2 RESUMO: O presente trabalho pretende buscar a melhor teoria de responsabilidade civil a

Leia mais

- Diferenciar os tipos contratuais existentes, revelando os bens jurídicos que tutelam.

- Diferenciar os tipos contratuais existentes, revelando os bens jurídicos que tutelam. 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 4 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL II NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Introdução ao Direito das Obrigações.

Leia mais

Responsabilidade Civil do Engenheiro. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil do Engenheiro. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil do Engenheiro Para Reflexão Ao indivíduo é dado agir, em sentido amplo, da forma como melhor lhe indicar o próprio discernimento, em juízo de vontade que extrapola as previsões legais

Leia mais

MPBA sociedade de advogados rl

MPBA sociedade de advogados rl Informação jurídica sobre o exercício da profissão de arquitecto em regime de subordinação I) Objecto da consulta Com a presente informação jurídica pretende-se clarificar se o exercício da profissão de

Leia mais

RESPONSABILIDADE DOS ATORES POLÍTICOS E PRIVADOS

RESPONSABILIDADE DOS ATORES POLÍTICOS E PRIVADOS SEGURANÇA DE BARRAGENS DE REJEITOS RESPONSABILIDADE DOS ATORES POLÍTICOS E PRIVADOS SIMEXMIN OURO PRETO 18.05.2016 SERGIO JACQUES DE MORAES ADVOGADO DAS PESSOAS DAS PESSOAS NATURAIS A vida é vivida por

Leia mais

Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos

Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos $ 5(63216$%,/,'$'( &,9,/ '2 3529('25 '( $&(662,17(51(7 Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos A Internet se caracteriza

Leia mais

A p s e p c e t c os o s Ju J r u ídi d co c s o s n a n V n e t n ilaç a ã ç o ã o M ec e â c n â i n ca

A p s e p c e t c os o s Ju J r u ídi d co c s o s n a n V n e t n ilaç a ã ç o ã o M ec e â c n â i n ca Aspectos Jurídicos na Ventilação Mecânica Prof. Dr. Edson Andrade Relação médico-paciente Ventilação mecânica O que é a relação médico-paciente sob a ótica jurídica? Um contrato 1 A ventilação mecânica

Leia mais

Sumário. Agradecimentos... 11 Coleção sinopses para concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Nota dos autores à 3ª edição...

Sumário. Agradecimentos... 11 Coleção sinopses para concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Nota dos autores à 3ª edição... Sumário Agradecimentos... 11 Coleção sinopses para concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Nota dos autores à 3ª edição... 17 Capítulo I OPÇÃO METODOLÓGICA... 19 Parte I DIREITO DAS OBRIGAÇÕES

Leia mais

1 O INÍCIO DA PERSONALIDADE E A SITUAÇÃO DO NASCITURO NO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO. Flora Soares Guimarães* Leonardo Alves Guedes* Lívia Gueiros Maia* Michel Alves de Souza* Paola Teixeira Lessa

Leia mais

DA RESPOSABILIDADE CIVIL DO ESTADO (PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS)

DA RESPOSABILIDADE CIVIL DO ESTADO (PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS) DA RESPOSABILIDADE CIVIL DO ESTADO (PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS) Toda lesão de direito deve ser reparada. A lesão pode decorrer de ato ou omissão de uma pessoa física ou jurídica. Quando o autor da lesão

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL: DEFINIÇÃO, POSIÇÃO LEGISLATIVA E ASPECTOS HISTÓRICOS Kamila NUNES 1 Gilberto LIGERO 2

RESPONSABILIDADE CIVIL: DEFINIÇÃO, POSIÇÃO LEGISLATIVA E ASPECTOS HISTÓRICOS Kamila NUNES 1 Gilberto LIGERO 2 RESPONSABILIDADE CIVIL: DEFINIÇÃO, POSIÇÃO LEGISLATIVA E ASPECTOS HISTÓRICOS Kamila NUNES 1 Gilberto LIGERO 2 RESUMO: O presente artigo é resultado de pesquisa realizada tendo em vista o trabalho de conclusão

Leia mais

www.estudodeadministrativo.com.br

www.estudodeadministrativo.com.br DIREITO ADMINISTRATIVO RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO I - CONCEITO - A responsabilidade civil se traduz na obrigação de reparar danos patrimoniais, sendo que com base em tal premissa podemos afirmar

Leia mais

Este estudo foi elaborado pelo DEJUR - Departamento Jurídico do CREA-PR

Este estudo foi elaborado pelo DEJUR - Departamento Jurídico do CREA-PR MÓDULO 01 AULA 03 RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL Temos a satisfação de apresentar o módulo de RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL em nosso Programa de Excelência em Projetos. Nele será possível entender as obrigações

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL NA LESÃO CORPORAL

RESPONSABILIDADE CIVIL NA LESÃO CORPORAL RESPONSABILIDADE CIVIL NA LESÃO CORPORAL Filipe Rezende Semião, est.. Sumário: I - Pressupostos da Responsabilidade Civil II - Dispositivos legais III - Dano ao corpo IV - Indenização na lesão corporal

Leia mais

CONSIDERAÇÕES ACERCA DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO PELA DEMORA NA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL 1

CONSIDERAÇÕES ACERCA DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO PELA DEMORA NA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL 1 CONSIDERAÇÕES ACERCA DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO PELA DEMORA NA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL 1 Jessica Fernanda Callai 2, Lisiane Beatriz Wickert 3. 1 Projeto de pesquisa em desenvolvimento no curso

Leia mais

O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO. Adriana Calvo

O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO. Adriana Calvo O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO Adriana Calvo Professora de Direito do Trabalho do Curso Preparatório para carreiras públicas

Leia mais

O PAPEL DO MINISTÉRIO PÚBLICO P NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE

O PAPEL DO MINISTÉRIO PÚBLICO P NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE O PAPEL DO MINISTÉRIO PÚBLICO P NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE DAS DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS RELATIVAS ÀS FUNÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO Art. 129. São funções institucionais do Ministério Público: I- promover,

Leia mais

Processo nº 0024.12.301.686-7 Ação de Indenização Autor: Émerson Gil Tremea e outros Réu : Educadora Itapoã Ltda

Processo nº 0024.12.301.686-7 Ação de Indenização Autor: Émerson Gil Tremea e outros Réu : Educadora Itapoã Ltda 1 Processo nº 0024.12.301.686-7 Ação de Indenização Autor: Émerson Gil Tremea e outros Réu : Educadora Itapoã Ltda Vistos, etc. Ementa: Escola particular. Aluno reprovado em teste de seleção, por insuficiência

Leia mais

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS Prof. Dr. Eduardo Daruge Titular de Odontologia Legal e Deontologia da FOP-UNICAMP Prof. Medicina Legal da Faculdade de Direito da UNIMEP DEFINIÇÃO: PERÍCIAS

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica SOCIEDADES SIMPLES E EMPRESARIAS ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ATUAIS. Cácito Augusto Advogado

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica SOCIEDADES SIMPLES E EMPRESARIAS ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ATUAIS. Cácito Augusto Advogado TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica SOCIEDADES SIMPLES E EMPRESARIAS ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ATUAIS Cácito Augusto Advogado I INTRODUÇÃO Após quatro anos de vigência do Novo Código Civil brasileiro, que

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 5.423, DE 2009 Acrescenta dispositivo à Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, estabelecendo

Leia mais

AULA 01. Direito Civil, vol.4, Silvio Rodrigues, editora Saraiva.

AULA 01. Direito Civil, vol.4, Silvio Rodrigues, editora Saraiva. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Responsabilidade Civil / Aula 01 Professora: Andréa Amim Monitora: Mariana Simas de Oliveira AULA 01 CONTEÚDO DA AULA: Bibliografia. Estrutura da Responsabilidade

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. 1. Curso: DIREITO / BACHARELADO. II. Disciplina: DIREITO CIVIL I (OBRIGAÇÕES) (D-13)

PROGRAMA DE DISCIPLINA. 1. Curso: DIREITO / BACHARELADO. II. Disciplina: DIREITO CIVIL I (OBRIGAÇÕES) (D-13) PROGRAMA DE DISCIPLINA 1. Curso: DIREITO / BACHARELADO II. Disciplina: DIREITO CIVIL I (OBRIGAÇÕES) (D-13) Área: Ciências Sociais Período: Terceiro Turno: Matutino/Noturno Ano: 2013.1 Carga Horária: 72

Leia mais

EXPERT GROUP MEETING ON SUSTAINABLE URBAN TRANSPORT: MODERNISING AND GREENING TAXI FLEETS IN LATIN AMERICAN CITIES

EXPERT GROUP MEETING ON SUSTAINABLE URBAN TRANSPORT: MODERNISING AND GREENING TAXI FLEETS IN LATIN AMERICAN CITIES EXPERT GROUP MEETING ON SUSTAINABLE URBAN TRANSPORT: MODERNISING AND GREENING TAXI FLEETS IN LATIN AMERICAN CITIES United Nations Department of Economic and Social Affairs (DESA) Rio de Janeiro, 18 e 19

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução.

Copyright Proibida Reprodução. RESPONSABILDADE CIVIL DO DANO AMBIENTAL Prof. Éder Responsabilidade Clementino dos civil Santos INTRODUÇÃO Evolução da sociedade: séc. XX (novas tecnologias x modelo de vida); Inércia do Estado: auto-tutela;

Leia mais

PLANO DE ENSINO. TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO - Noturno Código 50010 Créditos: 4 Pré-requisitos --

PLANO DE ENSINO. TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO - Noturno Código 50010 Créditos: 4 Pré-requisitos -- PLANO DE ENSINO 1. IDENTIFICAÇÃO: Faculdade: FACITEC Curso: DIREITO Disciplina: TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO - Noturno Código 50010 Créditos: 4 Pré-requisitos -- 2. EMENTA: Princípios fundamentais:

Leia mais

Osvaldo Albuquerque Sousa Filho Presidente do Coren-CE

Osvaldo Albuquerque Sousa Filho Presidente do Coren-CE Osvaldo Albuquerque Sousa Filho Presidente do Coren-CE História / Relação: (Antiguidade) (Início séc. XX) (Atualmente) Relação religiosa/ mágico/ desígnios de Deus. Relação de amigo/ confiança conselheiro

Leia mais

www.baviniferreira.com.br

www.baviniferreira.com.br www.baviniferreira.com.br 1. Aspecto Legal e a Responsabilidade Civil O que é a Responsabilidade Civil? A responsabilidade civil nada mais é senão o dever de reparar o dano. Em princípio, surge a responsabilidade

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ODONTÓLOGO

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ODONTÓLOGO RESPONSABILIDADE CIVIL DO ODONTÓLOGO Dra. Thaissa Taques A responsabilidade civil tem o seu nascimento sempre que houver violação de um dever jurídico preexistente, e dessa violação resultar um certo dano

Leia mais

PARECER JURÍDICO Sistema de Registro De Preços

PARECER JURÍDICO Sistema de Registro De Preços PARECER JURÍDICO Sistema de Registro De Preços PARECER JURIDICO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS, LEGALIDADE, CARONA, ADESÃO, VIGÊNCIA, VALIDADE, CONSEQUENCIAS JURÍDICAS. RELATÓRIO Trata-se o expediente os seguintes

Leia mais

A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, Aprova:

A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, Aprova: PROJETO DE LEI Nº 131/2010 Dispõe sobre a criação do Fundo Especial dos Procuradores, Consultores Jurídicos, Assessores Técnicos Jurídicos e Advogados Públicos Municipais de Foz do Iguaçu. Autor: Vereador

Leia mais

POSSIBILIDADE DE INCLUSÃO DE SÓCIO COM QUOTAS DE SERVIÇO EM SOCIEDADE DE ADVOGADOS. Palavras-chaves: Sociedade de Advogados, quotas de serviço, OAB.

POSSIBILIDADE DE INCLUSÃO DE SÓCIO COM QUOTAS DE SERVIÇO EM SOCIEDADE DE ADVOGADOS. Palavras-chaves: Sociedade de Advogados, quotas de serviço, OAB. POSSIBILIDADE DE INCLUSÃO DE SÓCIO COM QUOTAS DE SERVIÇO EM SOCIEDADE DE ADVOGADOS Diogo Dória Pinto 1 RESUMO A previsão do art.2º, XIII do provimento nº 112/06 do Conselho Federal da Ordem dos Advogados

Leia mais

CONTRATO PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR

CONTRATO PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR CONTRATO PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR Pelo presente instrumento particular e na melhor forma de direito, de um lado,, com sede a, nº, na cidade de Pelotas, inscrita no CNPJ sob o nº, doravante

Leia mais

Aspectos da Responsabilidade Civil Extracontratual Objetiva no Código Civil/02

Aspectos da Responsabilidade Civil Extracontratual Objetiva no Código Civil/02 60 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 13 10 Anos do Código Civil - Aplicação, Acertos, Desacertos e Novos Rumos Volume 2 Aspectos da Responsabilidade Civil Extracontratual Objetiva no Código Civil/02

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br O objeto social e os limite da atuação do administrador da sociedade empresarial. A teoria do ato ultra vires Amanda Alves Moreira* 1. INTRODUÇÃO As sociedades comerciais, na situação

Leia mais

Aspectos da responsabilidade civil no Código de Defesa do Consumidor e excludentes

Aspectos da responsabilidade civil no Código de Defesa do Consumidor e excludentes Aspectos da responsabilidade civil no Código de Defesa do Consumidor e excludentes Michele Oliveira Teixeira advogada e professora do Centro Universitário Franciscano em Santa Maria (RS) Simone Stabel

Leia mais

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO TOMÁS LIMA DE CARVALHO 1 Em julgamento proferido no dia 22 de setembro de 2009, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça

Leia mais

3 RESPONSABILIDADE CIVIL

3 RESPONSABILIDADE CIVIL 3 RESPONSABILIDADE CIVIL De acordo com F. Savater, com a instituição social da pessoa nasce o conceito eticamente básico de responsabilidade, que é tanto a vocação de responder ante os outros, quanto ser

Leia mais

Deontologia Médica. Deontologia Médica. Conceito

Deontologia Médica. Deontologia Médica. Conceito Medicina Legal Professor Sergio Simonsen Conceito A deontologia médica é a ciência que cuida dos deveres e dos direitos dos operadores do direito, bem como de seus fundamentos éticos e legais. Etimologicamente,

Leia mais

CONSULTA Nº 91.404/2012

CONSULTA Nº 91.404/2012 1 CONSULTA Nº 91.404/2012 Assunto: Dificuldades com internações de pacientes dependentes químicos, encaminhados por ordem judicial Relator: Conselheiro Mauro Gomes Aranha de Lima. Ementa: Hospital psiquiátrico.

Leia mais

Breves Considerações sobre o Superendividamento

Breves Considerações sobre o Superendividamento 116 Breves Considerações sobre o Superendividamento Luiz Eduardo de Castro Neves 1 O empréstimo de valores é realizado com a cobrança de juros, de forma a permitir uma remuneração pelo valor emprestado.

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE A RESPONSABILIDADE RESPONSABILIDADE TÉCNICA OU ÉTICO-PROFISSIONAL RESPONSABILIDADE CIVIL

CONSIDERAÇÕES SOBRE A RESPONSABILIDADE RESPONSABILIDADE TÉCNICA OU ÉTICO-PROFISSIONAL RESPONSABILIDADE CIVIL CONSIDERAÇÕES SOBRE A RESPONSABILIDADE A vida em sociedade somente é possível através dos relacionamentos entre as pessoas. Seja do ponto de vista pessoal ou profissional, todos os atos praticados implicam

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Responsabilidade civil do cirurgião-dentista Por Ricardo Emilio Zart advogado em Santa Catarina 1. Introdução Tendo em vista a quantidade cada vez mais crescente de ações judiciais

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO 1º SEMESTRE

ARQUITETURA E URBANISMO 1º SEMESTRE ARQUITETURA E URBANISMO 1º SEMESTRE AULA 04 INTRODUÇÃO AO EXERCÍCIO PROFISSIONAL DOCENTE: ROSEMARI VIEIRA BRAGANÇA ARQUITETO E URBANISTA RESPONSABILIDADES E OBRIGAÇÕES ÉTICA RESPONSABILIDADE TÉCNICA RESPONSABILIDADE

Leia mais

ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 02.387.241/0001-60 NIRE nº 413 00 019886 Companhia Aberta Categoria A

ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 02.387.241/0001-60 NIRE nº 413 00 019886 Companhia Aberta Categoria A ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 02.387.241/0001-60 NIRE nº 413 00 019886 Companhia Aberta Categoria A Conforme item (1) da ordem do dia da Assembleia Geral Extraordinária da ALL América Latina

Leia mais

Responsabilidade dos bancos por riscos/danos ambientais Demarest & Almeida Advogados Associados

Responsabilidade dos bancos por riscos/danos ambientais Demarest & Almeida Advogados Associados Responsabilidade dos bancos por riscos/danos ambientais Demarest & Almeida Advogados Associados São Paulo, 17 de maio de 2012 I. Apresentação II. Legislação Federal Básica III. Responsabilidade Ambiental

Leia mais

Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O

Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O AsBEA Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura Encontro Regional AsBEA 2010 Nada a perder, algo a ganhar... Algo a ganhar, pouco a

Leia mais

AUTORIZAÇÃO DE USO DE BEM PERMANENTE EM AMBIENTE EXTERNO A UFRB

AUTORIZAÇÃO DE USO DE BEM PERMANENTE EM AMBIENTE EXTERNO A UFRB AUTORIZAÇÃO DE USO DE BEM PERMANENTE EM AMBIENTE EXTERNO A UFRB 1 BASE LEGAL LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 (Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das Autarquias

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL PRÉ-CONTRATUAL

RESPONSABILIDADE CIVIL PRÉ-CONTRATUAL RESPONSABILIDADE CIVIL PRÉ-CONTRATUAL Na responsabilidade civil pré-contratual as partes são consideradas simples tratantes e não definitivamente contratantes, em que pese sejam aplicados a esta responsabilidade

Leia mais

a) Verificar o direito real do promitente comprador;

a) Verificar o direito real do promitente comprador; PROMESSA DE COMPRA E VENDA 1 Lindiara Antunes Do Nascimento 2, Carlos Guilherme Probst 3. 1 TRABALHO DE CURSO - TC 2 AUTOR- Aluna do curso de Direito pela UNIJUI 3 COUATOR - Mestre em Educação nas Ciências

Leia mais

REGULAMENTO DISCIPLINAR CAPÍTULO I. Artigo 1º Âmbito de aplicação

REGULAMENTO DISCIPLINAR CAPÍTULO I. Artigo 1º Âmbito de aplicação REGULAMENTO DISCIPLINAR CAPÍTULO I PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS Artigo 1º Âmbito de aplicação 1. O presente Regulamento Disciplinar é aplicável aos estudantes do ISAL - Instituto Superior de Administração e

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Obrigações de meio e de resultado Publicado desde 8/8/2005 Érica Novas Da formação do contrato odontológico é que derivam obrigações para as partes contratantes. Todavia, apenas

Leia mais

Aula 3 ato ilícito. San Tiago Dantas: principal objetivo da ordem jurídica? É proteger o lícito e reprimir o ilícito.

Aula 3 ato ilícito. San Tiago Dantas: principal objetivo da ordem jurídica? É proteger o lícito e reprimir o ilícito. Aula 3 ato ilícito. San Tiago Dantas: principal objetivo da ordem jurídica? É proteger o lícito e reprimir o ilícito. Ordem jurídica: estabelece deveres positivos (dar ou fazer alguma coisa) e negativos

Leia mais

www.cebid.com.br iara.ufop@gmail.com

www.cebid.com.br iara.ufop@gmail.com II CONJUVIR 24 de março de 2012 IARA ANTUNES DE SOUZA Doutoranda e Mestre em Direito Privado pela PUC Minas. Especialista em Direito Processual e Direito Civil. Pesquisadora do CEBID - Centro de Estudos

Leia mais

RESPONSABILIDADE SUBJETIVA: A TEORIA DA CULPA

RESPONSABILIDADE SUBJETIVA: A TEORIA DA CULPA RESPONSABILIDADE SUBJETIVA: A TEORIA DA CULPA Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito Civil IVI Publicação no semestre 2014.1 no curso de Direito. Autor: Vital Borba

Leia mais

Da Responsabilidade Civil Objetiva. É a mesma coisa que responsabilidade civil sem culpa. Ela tem como fundamento legal a teoria do risco.

Da Responsabilidade Civil Objetiva. É a mesma coisa que responsabilidade civil sem culpa. Ela tem como fundamento legal a teoria do risco. Da Responsabilidade Civil Objetiva É a mesma coisa que responsabilidade civil sem culpa. Ela tem como fundamento legal a teoria do risco. Na doutrina brasileira a matéria vem muito bem elaborada por Caio

Leia mais