Educação Moral. Planificação Anual 1º Ano de Escolaridade. Unidade Lectiva/ Conteúdos Competências Calendarização Avaliação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Educação Moral. Planificação Anual 1º Ano de Escolaridade. Unidade Lectiva/ Conteúdos Competências Calendarização Avaliação"

Transcrição

1 Educação Moral Planificação Anual º Ano de Escolaridade Unidade Lectiva/ Conteúdos Competências Calendarização Avaliação Ter um coração bondoso Jesus nasceu Ser humilde Crescer em família. Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana; 0. Mobilizar princípios e valores éticos para orientação do comportamento em situações vitais do quotidiano;. Relacionar-se com os outros com base nos princípios de cooperação e solidariedade, assumindo a alteridade e diversidade como factor de enriquecimento mútuo; 4- Reconhecer as implicações da mensagem bíblica nas práticas de vida quotidiana. Amar a natureza 6 tempos lectivos Avaliação formativa

2 Educação Moral Planificação Anual º Ano de Escolaridade Unidade Lectiva/ Conteúdos Competências Calendarização Avaliação Ter autodomínio A mãe de Jesus Ser amigo Viver a Páscoa Deus é amor. Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana; 0. Mobilizar princípios e valores éticos para orientação do comportamento em situações vitais do quotidiano;. Relacionar-se com os outros com base nos princípios de cooperação e solidariedade, assumindo a alteridade e diversidade como factor de enriquecimento mútuo; 4. Identificar o núcleo central da identidade do cristianismo, particularmente do catolicismo 4- Reconhecer as implicações da mensagem bíblica nas práticas de vida quotidiana.

3 Educação Moral Planificação Anual 3º Ano de Escolaridade Unidade Lectiva/ Conteúdos Competências Calendarização Avaliação Respeitar os outros O pai adoptivo de Jesus Encontro com Deus Ser solidário A Igreja. Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana; 9. Organizar um universo coerente de valores, a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã; 0. Mobilizar princípios e valores éticos para orientação do comportamento em situações vitais do quotidiano;. Relacionar-se com os outros com base nos princípios de cooperação e solidariedade, assumindo a alteridade e diversidade como factor de enriquecimento mútuo; 4- Reconhecer as implicações da mensagem bíblica nas práticas de vida quotidiana. 6 tempos lectivo Avaliação formativa

4 Educação Moral Planificação Anual 4º Ano de Escolaridade Unidade Lectiva/ Conteúdos Competências Calendarização Avaliação Ser Verdadeiro Um Homem Corajoso Crescer na Diversidade. Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana; 0. Mobilizar princípios e valores éticos para orientação do comportamento em situações vitais do quotidiano;. Relacionar-se com os outros com base nos princípios de cooperação e solidariedade, assumindo a alteridade e diversidade como factor de enriquecimento mútuo; A Páscoa e o Perdão 4. Reconhecer as implicações da mensagem bíblica nas práticas de vida quotidiana. A Dignidade das crianças 6. Apreciar produções estéticas de temática cristã, de âmbito universal e local.

5 EDUCAÇÂO MORAL RELIGIOSA CATÓLICA Planificação Anual 5º ANO U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Nº Compreender algumas mudanças que se operam nesta fase Mudança de ano e de ciclo de ensino VIVER JUNTOS Relacionar-se com os outros com base nos princípios de cooperação e solidariedade, assumindo a alteridade e diversidade como factor de enriquecimento mútuo Relacionar-se com os outros na sua diversidade, vendo nela um factor de enriquecimento As diferentes formas de estar, de agir, de pensar e de se comportar Consultar a Bíblia, mobilizando conhecimentos como os que se referem às divisões internas, livros e citações Os regulamentos As divisões da Antigo Testamento Usar a Bíblia a partir do conhecimento da sua estrutura Interpretar textos bíblicos sobre o decálogo, a partir do seu significado nuclear para o Judaísmo e do Cristianismo O Decálogo Assimilar valores basilares de uma convivência pacífica para a orientação do comportamento em situações do quotidiano Valores essenciais para a

6 A ÁGUA FONTE DE VIDA Interpretar textos bíblicos fundamentais, extraindo significados adequados e relevantes Descobrir que a água é fonte de vida Apreciar esta riqueza da natureza e descobrir as suas funções Descobrir os significados da água ou de simbologia aquática em contexto religioso Interpretar textos bíblicos que manifestem o valor simbólico da água Reconhecer as suas implicações na prática da vida quotidiana convivência: o respeito, a paz, a verdade, a justiça, a bondade A água : um bem essencial à vida Funções da água A importância da água Significados da água O baptismo de Jesus T: 5 JESUS, UM HOMEM PARA OS OUTROS Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana Reconhecer que a nossa vida depende deste recurso natural Descobrir quem é a pessoa de Jesus Cristo Reconhecer que Jesus Cristo marcou a História Reconhecer que Jesus de Nazaré afirmou e defende a dignidade da pessoa humana Jesus, água viva A vida humana depende da água A poluição Quem é Jesus de Nazaré? O nascimento T: 5 Descobrir a beleza da mensagem de Jesus O calendário

7 Interpretar textos bíblicos sobre o destino de Jesus, o filho de Deus, reconhecendo as suas implicações na prática da vida quotidiana Interpretar a Morte e Ressurreição de Cristo Jesus o Mestre Uma nova maneira de entender Deus A Lei de Deus Mobilizar o valor da vida para orientação do comportamento em situações do quotidiano A Revolução do coração humano PROMOVER A CONCÓRDIA Mobilizar princípios e valores éticos para a orientação do comportamento em situações vitais do quotidiano Descobrir o que fazer para viver cada vez com mais qualidade e dar a vida aos outros Descobrir os vários significados da palavra mal Reconhecer que o mal moral é o antónimo de fazer o bem O conflito com os poderosos O destino de Jesus A Ressurreição de Jesus A qualidade da minha vida depende do amor T: 8 Relacionar o fundamento religioso da moral cristã com os princípios, valores e orientações para o agir humano Os significados da palavra mal Interpretar criticamente episódios e factos sociais onde se manifeste o mal moral Interpretar textos fundamentais da Bíblia, extraindo significados adequados e relevantes O mal moral

8 sobre a mensagem do perdão Organizar um universo coerente de valores, baseado na solidariedade e cooperação em ordem à vida em grupo e a dignificação de cada elemento Reconhecer as implicações da mensagem bíblica nas práticas de vida quotidiana Apreciar produções estéticas sobre a mensagem bíblica do perdão Manifestações do mal moral no mundo Perdoar o outro e recusar a vingança Reconhecer que errar é humano Mt 8, - 35 a parábola do rei misericordioso e justo A FRATERNIDA DE Interpretar textos fundamentais da Bíblia, extraindo significados adequados e relevantes Descobrir que só o perdão nos traz a paz de espírito Promover a concórdia nas relações interpessoais Descobrir o significado da palavra fraternidade e o seu alcance Etapas para a superação do mal moral T: 5 Relacionar os dados da Ciência com a interpretação cristã da realidade Promoção da concórdia nas relações interpessoais Reconhecer, à luz da mensagem cristã,a dignidade da pessoa humana Relacionar o fundamento religioso da moral cristã com os princípios, valores e orientações para o agir humano, proposto pela Igreja Mobilizar princípios e valores éticos para a orientação do comportamento em situações vitais do quotidiano O significado da palavra fraternidade e o seu alcance Os grupos onde me insiro

9 Relacionar-se com os outros com base nos princípios de cooperação e solidariedade, assumindo a alteridade e diversidade como factor de enriquecimento A integração nos grupos Analisar textos fundamentais da Bíblia, sobre a relação de amizade e fraternidade, reconhecendo as suas implicações na vida quotidiana Critérios éticos de selecção dos grupos Organizar um universo coerente de valores, a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã Interpretar criticamente factos históricos e sociais a partir do reconhecimento da igual dignidade de todo o ser humano O verdadeiro amigo é um tesouro Interpretar e apreciar Espirituais Negros A negação da fraternidade Mobilizar o valor da igual dignidade de todos os seres humanos, da fraternidade e da cooperação para a construção de um mundo mais fraterno O racismo Martin Luther King Os Espirituais Negros ( Gospel ) T: 7 Construir um mundo fraterno

10 EDUCAÇÃO MORAL RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 6º ANO U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de A Pessoa Humana Advento e Natal Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana Relacionar o fundamento religioso da moral cristã Com os princípios, valores e orientações para o agir Humano, propostos pela Igreja. Organizar um universo coerente de valores, a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã Interpretar produções culturais que utilizam ou aludem a perspectivas religiosas ou a valores éticos Reconhecer as implicações da mensagem bíblica nas práticas de vida quotidiana. Reconhecer as dimensões do ser humano Organizar um universo de valores orientado para a relação com os outros Identificar os Direitos fundamentais de pessoa e de criança Interpretar textos bíblicos que evidenciem o carácter pessoal de Deus Interpretar produções culturais que aludem ao valor da esperança Interpretar episódios históricos e factos sociais, em torno do acontecimento Jesus Mobilizar o valor da esperança e da mensagem de Jesus para a orientação do comportamento humano As dimensões do ser humano A autenticidade Os Direitos e Deveres A UNICEF O Advento Jesus, o cumprimento da esperança de Israel A Palestina no tempo de Jesus Jesus: um marco na História Total: 6 Total: 6

11 U. Lectiva Competências gerais Competências específicas conteúdos Número de A Família, Comunidade de Amor Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana Interpretar criticamente episódios históricos e factos Sociais, a partir de uma leitura da vida fundada em valores humanistas e cristãos. Interpretar produções culturais que aludem a modelos familiares distintos Interpretar testos bíblicos sobre valores relevantes para a vivência familiar Mobilizar os valores da cooperação, da solidariedade e da interajuda A Família de Nazaré Tipologias de famílias Funções dos membros Valores para a vivência familiar O lugar dos mais velhos no ambiente familiar Total: 6 Reconhecer as implicações da mensagem bíblica nas práticas de vida quotidiana Interpretar produções culturais que reflictam sobre a injustiça na distribuição dos bens A alimentação Subnutrição A pobreza O Pão de Cada Dia Interpretar produções culturais que utilizam ou aludem a perspectivas religiosas ou a valores Éticos. Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana. Interpretar textos fundamentais da Bíblia, extraindo significados adequados e relevantes. Organizar um universo de valores fundado no respeito pela dignidade de todos os seres humanos e na justiça social Interpretar textos bíblicos sobre a relação do ser humano com os bens materiais Interpretar produções culturais de diferentes origens sobre o significado simbólico-religioso do alimento A Cáritas FAO Solidariedade e voluntariado Parábola do rico insensato O significado simbólico-religioso do alimento A última Ceia Total: 6

12 U. Lectiva Competências gerais Competências específicas conteúdos Número de O Respeito pelos Animais Relacionar os dados das ciências com a interpretação Cristã da realidade. Relacionar o fundamento religioso da moral cristã com os princípios, valores e orientações para o agir humano, propostos pela Igreja. Reconhecer as implicações da mensagem bíblica nas práticas de vida quotidiana. Interpretar produções culturais que relacionem os dados das ciências sobre a diversidade animal com as orientações éticas Interpretar criticamente o facto de se infligirem maus-tratos aos animais, a partir de critérios éticos Interpretar textos bíblicos que evidenciem o lugar dos animais no projecto de Deus A diversidade das espécies Maus tratos a animais Critérios éticos para o uso de animais Instituições de protecção e defesa dos animais O Dilúvio Universal Mobilizar princípios éticos para a defesa da sobrevivência das espécies ameaçadas e para a promoção do bem-estar dos animais O significado simbólico de alguns animais Total: 6

13 EDUCAÇÃO MORAL RELIGIOSA CATÓLICA Planificação Anual 7º ANO U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Interpretar produções culturais que utilizam ou Aludem a perspectivas religiosas ou a valores Éticos. Descobrir produções culturais sobre o Universo e o ser humano A maravilha do Universo e a grandeza do ser humano Organizar uma visão coerente do mundo Questionar-se sobre a origem, o destino e o sentido do universo e do ser humano Os dados da Ciência sobre o tema As Origens Equacionar respostas à questão do sentido da realidade, a partir da visão cristã do mundo. Equacionar respostas adequadas que permitam uma visão coerente do mundo e do ser humano A pergunta religiosa sobre o sentido e a sua relação com a Ciência Interpretar textos fundamentais da Bíblia, extraindo significados adequados e relevantes. Interpretar textos bíblicos sobre a criação, relacionando o agir humano com o seu fundamento religioso A narrativa da criação do Génesis A mensagem fundamental da Génesis Interpretar textos sagrados fundamentais de religiões não cristãs, extraindo significados adequados e relevantes Interpretar textos sagrados de religiões não cristãs sobre a temática da criação Análise de textos de outras tradições religiosas Organizar um universo coerente de valores, a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã. Mobilizar o valor do respeito pela obra da criação na condução de comportamentos em situações vitais do quotidiano Ser colaborador com Deus na obra da criação TOTAL: 7

14 . U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de As Religiões Abraâmicas Questionar-se sobre a dimensão religiosa do ser humano e equacionar respostas adequadas, tendo em conta a relatividade das posições pessoais Equacionar respostas à questão do sentido da realidade, a partir da visão cristã do mundo. Reconhecer a relatividade das convicções pessoais, como contributos de aproximação à verdade O que é ser religioso? A função da religião na vida pessoal e coletiva Interpretar produções culturais que utilizam ou aludem a perspectivas religiosas ou a valores éticos Descobrir produções culturais sobre as grandes tradições religiosas As grandes tradições religiosas Identificar o núcleo central constitutivo da identidade do Cristianismo, particularmente do catolicismo Identificar o núcleo central constitutivo da identidade do Cristianismo, do Judaísmo e do Islamismo O Judaísmo O Cristianismo O Islamismo Identificar o núcleo central constitutivo das principais confissões religiosas, identificando as convergências e as divergências, bem como as consequências sobre o agir ético Interpretar episódios históricos e factos sociais relacionados com as três religiões da tradição abraâmica O monoteísmo absoluto nas três religiões Deus no A.T. Promover, na sua prática de vida, o diálogo inter-relligioso como suporte essencial para a construção da paz entre os povos Mobilizar os valores da paz, da tolerância, do respeito pelo outro, do diálogo, da dignidade humana para organizar um universo de valores que oriente o seu comportamento Tomar uma posição pessoa l frente às religiões abraâmicas, agindo em conformidade com a O diálogo da Igreja Católica com as religiões não-cristãs Vaticano II

15 posição assumida, no respeito pelos valores da tolerância e da liberdade Total : 7 U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Riqueza e sentido dos afectos Questionar-se sobre o sentido da realidade Organizar um universo coerente de valores, a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã Interpretar produções culturais sobre a adolescência Questionar-se sobre o sentido da realidade, equacionando respostas adequadas que integram uma visão coerente do mundo Organizar um universo coerente de valores, fundado na autonomia moral O que é a adolescência? Momento em que se questiona o sentido da realidade As mudanças de referência social Experimentar novas formas de pensar: do pensamento concreto ao abstracto Mobilizar princípios e valores éticos para a orientação do comportamento em situações vitais do quotidiano Mobilizar o valor da igualdade entre géneros, da aceitação da diversidade criadora e da complementaridade Interpretar criticamente os papeis sociais tradicionalmente atribuídos a cada sexo Relacionar-se com os outros com base nos valores da solidariedade, da amizade, e do amor Passagem da heteronomia para a autonomia moral Ser masculino e ser feminino: duas formas complementares do ser humano Dimensão física do crescimento: o efeito simbólico do acesso à sexualidade activa O medo, angústia e integração social no processo de

16 crescimento Identificação de sentimentos A linguagem do amor. U. lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Interpretar textos fundamentais da Bíblia, extraindo significados adequados e relevantes Interpretar textos Bíblicos sobre o amor, reconhecendo as suas implicações na vida quotidiana O cântico dos cânticos Cor Organizar um universo coerente de valores, a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã Mobilizar o valor da liberdade responsável para a orientação do comportamento em situações vitais Crescer é assumir novas responsabilidades Total: 7 A Paz universal Questionar-se sobre a paz como valor orientador do sentido da realidade, equacionando respostas adequadas numa visão coerente do mundo Interpretar criticamente episódios históricos e factos sociais relacionados com a falência da paz Reconhecer que o direito à paz é universal e deriva da igual dignidade de todos os seres humanos Interpretar produções culturais cujo o tema seja a paz Interpretar produções culturais que evidenciem situações variadas de falência da paz A paz, o grande sonho da humanidade A paz como equilíbrio entre forças em conflito O Direito á paz A falência da paz

17 Relacionar o fundamento religioso da ética cristã com a necessária implementação de relações pacíficas a todos os níveis Propor soluções fundamentadas para situações de conflito de valores com base no reconhecimento da dignidade da pessoa Interpretar textos bíblicos sobre a paz, identificando-a com o centro da identidade cristã A violência: a ilusão de uma solução para os problemas O terrorismo: causas e consequências A O.N.U. U. lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Erasmo de Roterdão e o irenismo cristão Reconhecer as implicações da mensagem dos textos na prática da vida quotidiana Lv 4, 7-: lei de talião, contra os abusos de poder O programa de jesus: Mt 5, Relacionar-se com os outros com base nos princípios de cooperação e solidariedade, assumindo a alteridade e diversidade como factor de enriquecimento Mobilizar os valores do amor, do diálogo, da cooperação e da solidariedade para a construção da paz em situações vitais do quotidiano Ser construtor da paz Total: 7

18 EDUCAÇÃO MORAL RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 8º ANO U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de O Amor Humano Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana. Organizar um universo coerente de valores sobre a fecundidade e o amor humano. O amor e a fecundidade 3 Organizar uma visão coerente do mundo. Relacionar os dados das ciências com a interpretação Cristã da realidade. Relacionar os dados da Ciência sobre o planeamento familiar com a interpretação cristã. Organizar um universo de valores fundado na liberdade responsável de cada pessoa Planeamento Familiar Perspectiva ética da Igreja Ecumenismo e Confissões Religiosas Questionar-se sobre o sentido da realidade Identificar o núcleo central constitutivo das principais confissões religiosas. Relacionar o fundamento religioso da moral cristã Com os princípios, valores e orientações para o agir Humano, propostos pela Igreja. Interpretar criticamente factos históricos sobre a separação entre Igrejas Cristãs Identificar o núcleo central constitutivo das Igrejas saídas da Reforma e da Igreja Ortodoxa Organizar um universo de valores orientado para a unidade Assumir uma posição pessoal O Cisma entre Ocidente e Oriente A inspiração Bíblica O movimento ecuménico O Concílio Vaticano II Total: 7 3 Total: 7

19 U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de A Liberdade Questionar-se sobre o sentido da realidade Organizar um universo coerente de valores, a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã Organizar um universo de valores fundado na liberdade e na dignidade da pessoa Questionar-se sobre os condicionamentos à liberdade e equacionar respostas adequadas Liberdade e livre arbítrio Condicionamentos à liberdade A consciência Moral 3 Equacionar respostas à questão do sentido da realidade, a partir da visão cristã do mundo. Interpretar textos bíblicos sobre a relação de Deus e a liberdade humana O Êxodo Parábola do Filho Prodigo Total: 7 Ecologia e Valores Organizar uma visão coerente do mundo. Propor soluções fundamentadas para situações de conflito de valores morais a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã. Reconhecer a dignidade humana e a sua relação com toda a criação Propor soluções para o conflito entre valores económicos e valores ambientais Interpretar textos bíblicos sobre a relação Deus / natureza Mobilizar valores de respeito, solidariedade e de responsabilidade Pela natureza O mundo é a nossa casa A obra- prima da natureza A natureza e a felicidade do ser humano Mau uso dos recursos A natureza como bem colectivo 3 TOTAL: 7

20 EDUCAÇÃO MORAL RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 9º ANO U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de A Dignidade da Pessoa Humana Reconhecer, á luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana. Organizar um universo coerente de valores. Tomar consciência do valor da vida. Descobrir a dignidade da vida humana. Reconhecer que a vida é um dom de Deus. Dignidade e inviolabilidade da vida humana. - D.U:D.H. - Igreja católica A vida condição de todos os valores. A vida é um dom Organizar o fundamento religioso da moral cristã com os princípios, valores e orientações para o agir humano proposto pela igreja. Identificar o valor da vida humana. Entender a vida como uma dádiva a cada pessoa e como fundamento do respeito por cada ser humano. Início da vida humana:. Dados da Ciência. Diferentes perspectivas. Fecundação e nidação. Perspectiva da Igreja Propor soluções fundamentadas para situações de conflito de valores morais a partir de um quadro de interpretação humanística. Questionar-se sobre o problema do aborto. Interpretar factos sociais relacionados com o aborto Propor soluções fundamentadas para situações de conflito de valores O aborto / IVG. Noção. Tipologia. Argumentação. Conflito de valores. Perspectiva da igreja

21 U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Relacionar-se com os outros com base nos princípios de cooperação e solidariedade, assumindo a alteridade e diversidade como factor de enriquecimento. Reflectir sobre a situação de alguns grupos que compõem a nossa sociedade. Organizar um universo de valores assente na fraternidade, na cooperação para com os mais necessitados. Os grupos: - Igualdade e descriminação. os estrangeiros. os membros de religiões. deficientes. idosos. doentes terminais. Reconhecer as implicações da mensagem bíblica nas práticas de vida quotidiana. Analisar textos bíblicos sobre o amor ao próximo e a solidariedade para com todos. Lc 0,5,37 : Parábola do Bom Samaritano. Interpretar textos bíblicos sobre o amor ao próximo. Mobilizar princípios e valores para a orientação do comportamento Interiorizar o valor dignidade humana para orientação do comportamento. Valorizar a vida através da educação e da criação de condições sociais favoráveis. Valorização da vida dos mais necessitados no contexto em que se vive.

22 U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Deus, o grande Mistério Questionar-se sobre o sentido da realidade. Assumir uma posição pessoal frente ao fenómeno religioso. Reconhecer a relatividade das convicções pessoais como contributos de aproximação à verdade. Identificar o núcleo central constitutivo do cristianismo. Interpretar textos da Bíblia, extraindo significados relevantes. Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana. Organizar um universo coerente de valores. Questionar-se sobre a existência de Deus. Conhecer as várias formas de ateísmo e agnosticismo. Equacionar respostas sobre a existência de Deus. Reconhecer a relatividade das nossas concepções de Deus. Descobrir as formas como Deus é apresentado no A.T e no N.T. Descobrir e interpretar textos bíblicos sobre a imensidão de Deus. Mobilizar os valores de fraternidade e de solidariedade para orientação de comportamentos. Interpretar criticamente episódios históricos e factos sociais. O problema da existência de Deus. As várias formas de ateísmo e agnosticismo. Razões para acreditar na existência de Deus. O Deus existente VS as representações de Deus. A crença na sua existência. Representações de Deus no A.T. e o Deus de Jesus Cristo. A imensidão de Deus. Acreditar no Deus de Jesus Cristo: Um desafio para a vida; A fé que produz obra; Cada crente é o rosto e as mãos de Deus; Vidas com sentido: S. Maximiliano Kolbe, Aristides de

23 Sousa, Papa João XXIII. U. Lectiva 3 Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de As Religiões Orientais Identificar o núcleo central constitutivo das principais confissões religiosas. Assumir uma posição pessoal frente ao fenómeno religioso e à identidade das confissões religiosas. Organizar uma visão coerente do mundo. Identificar o núcleo central das religiões. Distinguir elementos convergentes e divergentes em relação ao cristianismo. Perceber que a religião é um fenómeno no espaço e no tempo. Perceber os fundamentos religiosos, de forma a organizar uma visão coerente do mundo. Religiosidade oriental Religião da Índia - Hinduísmo - Budismo Religiões da China - Taoísmo - Confucionismo O princípio da felicidade humana: o amor a Deus e ao próximo. - Judaísmo / Cristianismo Interpretar textos sagrados de várias religiões, extraindo significados relevantes. Identificar os elementos centrais da ética cristã e da ética de cada religião. Máximas elementares da humanidade alicerçadas nas grandes tradições religiosas Relacionar-se com os outros com base nos princípios de Interpretar textos sagrados do cristianismo e das outras religiões. Regra incondicional /

24 cooperação, assumindo a diversidade como factor de enriquecimento. Promover o diálogo inter-religioso para promoção da paz. Imperativo Categórico Aquilo que não.. A relação da Igreja católica com as religiões orientais. Encontros e diálogo interreligioso U. Lectiva 4 Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Projecto de Vida Questionar-se sobre o sentido da realidade. Equacionar respostas à questão do sentido da realidade, a partir da visão cristã do mundo. Questionar-se sobre a noção de projecto. Identificar as fases de um projecto. Equacionar respostas à questão dos projectos de vida pessoal. Definição de projecto Objectivos a atingir Estratégias Agir em conformidade O que é um projecto de vida Os projectos pessoais Problematização Mobilizar princípios e valores éticos para a orientação do comportamento em situações vitais do quotidiano. Relacionar-se com os outros com base nos princípios de cooperação e solidariedade. Descobrir qual é o grande objectivo do ser humano. Organizar um universo de valores que inclua os objectivos de construir uma sociedade mais justa. Os grandes objectivos do ser humano A felicidade Construção de uma sociedade justa e solidária A felicidade na relação com os

25 Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana. Interpretar criticamente formas de organizar a vida pessoal. Interpretar textos da Bíblia sobre projectos de organização de vida centrados no ser. outros A felicidade na vida profissional O papel dos bens materiais nos projectos pessoais Relacionar o fundamento religioso da moral cristã com os princípios, valores e orientações para o agir humano. Relacionar a fé em Deus como eixo central da vida pessoal com o agir feliz. O projecto de Abraão Cristo, eixo orientador de vida ( S. Paulo) A fé como fonte de felicidade

26 EDUCAÇÃO MORAL RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 0º ANO U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de VALORES E ÉTICA CRISTÂ Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana. Organizar uma visão coerente do mundo. Organizar um universo coerente de valores. Questionar-se sobre o sentido das palavras ética e mal. Interpretar criticamente episódios históricos e factos sociais que evidenciam uma hierarquia de valores. Reconhecer um universo de valores fundamentados numa visão humanística e cristã da vida.. Significado das palavras ética e mal.. Definição de valor. Tipologias de Valores. Problematização da questão dos valores. A relatividade dos valores Interpretar criticamente episódios históricos. Identificar o núcleo central constitutivo das principais confissões religiosas. Identificar sistemas éticos diversificados. Relacionar o fundamento religioso da ética cristã com os princípios que orientam o agir cristão.. Sistemas éticos que se organizam em torno de finalidades.. Valores éticos e ética cristã: - O amor - O Reino de Deus - Seguimento de Cristo

27 U. Lectiva Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Reconhecer as implicações da mensagem Bíblica nas práticas da vida quotidiana. Interpretar textos bíblicos sobre orientações éticas fundamentais. SL 5/4 Mobilizar princípios e valores éticos para orientação do comportamento. Tomar decisões alicerçadas em juízos morais fundamentais. O juízo moral e a tomada de decisão Propor soluções fundamentadas para situações de conflito de valores morais a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã. Defender a dignidade humana até ao limite sem esquecer o direito à segurança. Questionar o funcionamento dos meios de Comunicação Social. Equacionar respostas fundamentadas em valores éticos Reconhecer a relatividade dos pontos de vista. Questionar-se sobre o sentido da. A ética dos Meios de Comunicação: - O lucro, Publicidade, ocultamente, Autoridade, violação da privacidade e os debates. A relatividade. A necessidade de desenvolver o espírito

28 pena de morte. Equacionar respostas fundamentadas. crítico - A pena de morte e a dignidade humana Total: 8 U. Lectiva 3 Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Relacionar o fundamento religioso da moral cristã Com os princípios, valores e orientações para o agir Humano, propostos pela Igreja. Organizar um conjunto de valores fundamentados nos princípios da Doutrina Social da Igreja. - A Doutrina Social da Igreja. Princípios e etapas do seu desenvolvimento. Princípios propostos Relacionar o fundamento da ética social com a Doutrina Social da Igreja. ÉTICA E ECONOMIA Organizar uma visão coerente do mundo. Organizar uma visão coerente da actividade económica a partir de uma concepção ética da vida. A vida económica. Relação economia / princípios éticos. Desenvolvimento económico e bem-estar social.

29 Organizar um universo coerente de valores, a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã Questionar-se sobre a situação de endividamento das famílias e da nação. Empréstimos. Juros Dependência económica U. Lectiva 3 Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Organizar um universo coerente de valores, a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã. Questionar-se sobre a situação da distribuição desigual dos bens. Equacionar respostas fundadas em valores éticos-morais.. A distribuição dos bens: - riqueza e pobreza a nível pessoal e planetário. - Causas da pobreza. - O destino universal dos bens. ÉTICA E ECONOMIA Mobilizar princípios e valores éticos para a orientação de Comportamentos. Interpretar criticamente factos sociais que evidenciam a injustiça. Identificar os valores e princípios éticos analisados para a orientação de comportamentos.. Participação na dignificação da pessoa pobre.. Pobreza material / pobreza espiritual.. O rico insensato e a confiança de Deus. Reconhecer as implicações da mensagem bíblica nas práticas de vida quotidiana. Perceber a mensagem dos textos bíblicos sobre a relação do ser humano com os bens materiais.. A actividade económica. A utilização dos recursos naturais

30 Equacionar respostas à questão do sentido da realidade, a partir da visão cristã do mundo. Interpretar situações sobre o desenvolvimento económico. Propor soluções fundamentadas para os problemas económicos ambientais. O conceito de desenvolvimento U. Lectiva 3 Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Propor soluções fundamentadas para situações de conflito de valores morais a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã. Organizar um universo coerente de valores. Identificar factos sociais que ponham em causa os direitos do consumidor. Conhecer os direitos e deveres do consumidor.. O consumo e os direitos do consumidor.. A Deco.. O livro de reclamações ÉTICA E ECONOMIA Relacionar-se com os outros com base nos princípios de cooperação e solidariedade. Identificar situações de vícios. Propor soluções para situações que evidenciem conflito entre a. O consumismo.. Centrar a vida no ter ou no ser

31 centração da vida no ter ou no ser. Perceber que a felicidade reside no ser e não no ter.. A globalização económicafinanceira. Interpretar criticamente factos históricos, a partir se uma leitura fundamentada em valores humanistas e cristãos. Descobrir factos sociais, económicos e políticos relacionados com a globalização.. Efeitos benéficos e riscos.. O desenvolvimento integral. U. Lectiva 4 Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Equacionar respostas à questão do sentido da realidade, a partir da visão cristã do mundo. Descobrir formas para a realização da humanidade. Perceber como se realiza a humanidade. A humanidade realiza-se no indivíduo/pessoa, na sua relação com o outro e na criação de laços. A civilização do Amor Reconhecer a relatividade das convicções pessoais, como contributos de aproximação à verdade. Reconhecer no outro(tu) no qual habita um (eu) que interpela à relação. Aceitar a relatividade das próprias convicções, atitudes e formas de O outro como pessoa com quem eu me encontro( não um objecto, mas uma pessoa). O eu como manifestação autentica da pessoa ao outro.

32 agir, condição para a autenticidade da relação com os outros. O nós como comunidade resultante do encontro livre. Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana. Identificar-se com a comunidade e participar na sua construção. Desenvolver atitudes de autenticidade. A relação inautêntica: -A mentira, a subjugação do outro. - A infidelidade. U. Lectiva 4 Competências gerais Competências específicas Conteúdos Número de Organizar um universo coerente de valores, a partir de um quadro de interpretação ética humanista e cristã. Tomar consciência que depende de todos nós a construção de comunidades autênticas. Desenvolver atitudes de diálogo e de cooperação. A comunidade e os valores humanos: - verdade, fidelidade, exemplo de amor fraterno. Interpretar textos da Bíblia, extraindo significados adequados e relevantes. Identificar textos sagrados que exprimam formas de entender as relações interpessoais. Formas de expressão das relações interpessoais nas religiões não cristãs. A civilização do Perceber o conteúdo do amor. Deus é amor.

33 Amor Identificar o núcleo central do cristianismo, particularmente do catolicismo. Interpretar textos Bíblicos sobre o amor. Identificar o fundamento religioso da atitude cristã do amor. O mandamento central da mensagem cristã. O mandamento novo. Organizar uma visão coerente do mundo. Reconhecer o valor do amor, da justiça para orientação dos comportamentos. Contribuir para a construção da civilização do amor A Civilização do amor: -As relações interpessoais -As questões sociais. -O respeito pelos direitos dos outros.

34

Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho

Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Planificação do 7º Ano - Educação Moral e Religiosa Católica Unidades Temáticas Conteúdos Competências Específicas Instrumentos de Avaliação UL1- AS ORIGENS

Leia mais

Ano Letivo 2011/2012 2º Ciclo 5º Ano

Ano Letivo 2011/2012 2º Ciclo 5º Ano AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação Anual EMRC Ano Letivo 2011/2012 2º Ciclo 5º Ano Tema Conteúdos Competências Específicas Avaliação Lectiva 1 Viver Juntos Mudança de ano

Leia mais

Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho

Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho PLANIFICAÇÃO do 6º Ano - Educação Moral e Religiosa Católica Competências Específicas : 1. Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa

Leia mais

A pessoa humana. Advento e Natal ESCOLA BÁSICA DO 2 E 3 CICLOS DE RATES

A pessoa humana. Advento e Natal ESCOLA BÁSICA DO 2 E 3 CICLOS DE RATES 1 A pessoa humana 2 Advento e Natal O que é a pessoa? Estrutura individual (unidade irrepetível) Estrutura pessoal (ser em relação com os outros) Dimensão física, racional e volitiva (ser livre) A dimensão

Leia mais

CURRÍCULO 2014/2015. Disciplina: EMRC Ano de Escolaridade: 7º. 1.º Período Aulas Previstas: 13

CURRÍCULO 2014/2015. Disciplina: EMRC Ano de Escolaridade: 7º. 1.º Período Aulas Previstas: 13 CURRÍCULO 2014/2015 Disciplina: EMRC Ano de Escolaridade: 7º 1.º Período Aulas Previstas: 13 Conteúdos As origens 7. ano Unidade Lectiva 1 A maravilha do Universo e a grandeza do ser humano Os dados da

Leia mais

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALENTEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA PLANIFICAÇÃO ANUAL

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALENTEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA PLANIFICAÇÃO ANUAL DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALENTEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA PLANIFICAÇÃO ANUAL Professor: António Neves Disciplina: E.M.R.C. Ano: 6º Turma: A/B Ano lectivo: 2011-2012 Competências Aprendizagens

Leia mais

DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DISCIPLINA: UNIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS PLANIFICAÇÃO ANUAL - ANO LETIVO: 2014-2015 1 AS ORIGENS EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DISCIPLINA: UNIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS PLANIFICAÇÃO ANUAL - ANO LETIVO: 2015-2016 1 A PESSOA HUMANA EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 05/06 PLANIFICAÇÃO ANUAL º CICLO EDUCAÇÃO MORAL RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC)- 6ºANO. Documento(s) Orientador(es): Programa de EMRC de 8 junho de 04;

Leia mais

A Pedagogia de Deus. A Pedagogia de Deus

A Pedagogia de Deus. A Pedagogia de Deus A Pedagogia de Deus Esse livreto, o primeiro de uma série de três, foi escrito pelo Padre Eli Chavez, da nova Capelania da AIC Internacional, para nos guiar em nosso desenvolvimento espiritual, durante

Leia mais

Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão ENSINO RELIGIOSO

Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão ENSINO RELIGIOSO A Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão 2 A Habilidades: Identificas as diferenças e semelhanças entre as religiões

Leia mais

José Eduardo Borges de Pinho. Ecumenismo: Situação e perspectivas

José Eduardo Borges de Pinho. Ecumenismo: Situação e perspectivas José Eduardo Borges de Pinho Ecumenismo: Situação e perspectivas U n i v e r s i d a d e C a t ó l i c a E d i t o r a L I S B O A 2 0 1 1 Índice Introdução 11 Capítulo Um O que é o ecumenismo? 15 Sentido

Leia mais

O Discipulado e a Vida da Igreja

O Discipulado e a Vida da Igreja Série Estudo Bíblico Nº 06 O Discipulado e a Vida da Igreja Um Estudo Bíblico Sobre Adoração e Louvor Ademir Ifanger E s t u d o s B í b l i c o s P á g i n a 2 Índice Introdução... 03 1. Definindo Adoração

Leia mais

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS I. Nas celebrações do Tempo Advento Deus omnipotente e misericordioso, que vos dá a graça de comemorar na fé a primeira vinda do seu Filho Unigénito e de esperar

Leia mais

Amor o fruto da maturidade

Amor o fruto da maturidade Amor o fruto da maturidade TEXTO BÍBLICO BÁSICO I Coríntios 13.1-10 1 - Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. 2

Leia mais

O projeto será aplicado em turmas da 3ª série do ensino fundamental, na faixa etária entre 8 e 9 anos.

O projeto será aplicado em turmas da 3ª série do ensino fundamental, na faixa etária entre 8 e 9 anos. 1 TEMA Símbolos religiosos lembranças de uma história 2 SÉRIE 3ª série ou 1ª etapa do ciclo II 3 ALUNO Simone do Rocio Sueke simonesueke@yahoo.com.br 4 OBJETIVOS Perceber a existência de diferentes símbolos

Leia mais

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA Nestes últimos anos tem-se falado em Catequese Renovada e muitos pontos positivos contribuíram para que ela assim fosse chamada. Percebemos que algumas propostas

Leia mais

ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA NO JUBILEU CENTENÁRIO: FIRMES NA FÉ, ALEGRES NA ESPERANÇA E SOLÍCITOS NA CARIDADE PARA BOA NOVA EM NOVOS TEMPOS

ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA NO JUBILEU CENTENÁRIO: FIRMES NA FÉ, ALEGRES NA ESPERANÇA E SOLÍCITOS NA CARIDADE PARA BOA NOVA EM NOVOS TEMPOS ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA NO JUBILEU CENTENÁRIO: FIRMES NA FÉ, ALEGRES NA ESPERANÇA E SOLÍCITOS NA CARIDADE PARA BOA NOVA EM NOVOS TEMPOS -A PALAVRA JUBILEU VEM DO HEBRAICO. REFERE- SE À TROMBETA, FEITA

Leia mais

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado LIÇÃO 1 - EXISTE UM SÓ DEUS 18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado A Bíblia diz que existe um único Deus. Tiago 2:19, Ef. 4 1- O Deus que Criou Todas as coisas, e que conduz a sua criação e

Leia mais

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida.

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida. LITURGIA DA PALAVRA A Palavra de Deus proclamada e celebrada - na Missa - nas Celebrações dos Sacramentos (Batismo, Crisma, Matrimônio...) A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa

Leia mais

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 57 Imprimir 2015-09-24 Rádio Vaticana Francisco no Congresso Americano acolhido com grandes aplausos. É a primeira vez que um Papa

Leia mais

Bem - Aventuranças. Conselho Inter-paroquial de Catequese Lamas, 22 de Novembro de 2007

Bem - Aventuranças. Conselho Inter-paroquial de Catequese Lamas, 22 de Novembro de 2007 Bem - Aventuranças Conselho Inter-paroquial de Catequese Lamas, 22 de Novembro de 2007 Eu estou à tua porta a bater, Eu estou à tua porta a bater, Se me abrires a porta entrarei para enviar. Eu preciso

Leia mais

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA MÓDULO I - O NOVO TESTAMENTO Aula XXII A PRIMEIRA CARTA DE PEDRO E REFLEXÕES SOBRE O SOFRIMENTO Até aqui o Novo Testamento tem dito pouco sobre

Leia mais

nossa liberdade. Uma certa resistência da teologia em reconhecer esta realidade levou a muitos, sobretudo aqueles mais influenciados pela cultura

nossa liberdade. Uma certa resistência da teologia em reconhecer esta realidade levou a muitos, sobretudo aqueles mais influenciados pela cultura Conclusão Jesus Cristo é a nossa salvação. Esta é uma verdade fundamental do cristianismo. No primeiro capítulo vimos que o ser humano possui um desejo intrínseco de autorrealização, mas por outro lado,

Leia mais

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS Pe. Nilton César Boni, cmf NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS EDITORA AVE-MARIA Apresentação Aos membros da família cristã podem aplicar-se de modo particular as palavras com que Cristo promete a sua

Leia mais

Plano de Formação da CVX-P

Plano de Formação da CVX-P da CVX-P Apresentado à VIII Assembleia Nacional CVX-P Fátima, Outubro 2004 Introdução... 2 Etapa 0: Acolhimento... 3 Etapa 1: Iniciação... 5 Etapa 2: Identificação... 6 Etapa 3: Missão... 7 1 Introdução

Leia mais

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS Infância/Adolescencia MISSÃO MISSÃO. Palavra muito usada entre nós É encargo, incumbência Missão é todo apostolado da Igreja. Tudo o que a Igreja faz e qualquer campo.

Leia mais

Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz

Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz Cardeal Sebastião Leme Grito por justiça Dom Helder Câmara Não deixe morrer o profetismo Dom Luciano Mendes de Almeida Não esqueçam

Leia mais

Diocese de Aveiro IGREJA DIOCESANA RENOVADA NA CARIDADE É ESPERANÇA NO MUNDO

Diocese de Aveiro IGREJA DIOCESANA RENOVADA NA CARIDADE É ESPERANÇA NO MUNDO Diocese de Aveiro IGREJA DIOCESANA RENOVADA NA CARIDADE É ESPERANÇA NO MUNDO Plano Diocesano de Pastoral para o quinquénio 2008-2013 A PALAVRA DO SR. BISPO PONTO DE PARTIDA 1. INICIAMOS UMA NOVA PERSPECTIVA

Leia mais

PROGRAMA PAROQUIAL DE PASTORAL 2009/2010

PROGRAMA PAROQUIAL DE PASTORAL 2009/2010 PROGRAMA PAROQUIAL DE PASTORAL 2009/2010 Ao iniciar o novo ano de pastoral paroquial, aceitamos o desafio que nos é feito de continuarmos a nossa caminhada de cristãos atentos aos desafios de Deus e do

Leia mais

IGREJA PRESBITERIANA DO JARDIM BRASIL ESTUDO BÍBLICO QUARTA-FEIRA REV. HELIO SALES RIOS

IGREJA PRESBITERIANA DO JARDIM BRASIL ESTUDO BÍBLICO QUARTA-FEIRA REV. HELIO SALES RIOS IGREJA PRESBITERIANA DO JARDIM BRASIL ESTUDO BÍBLICO QUARTA-FEIRA REV. HELIO SALES RIOS INTRODUÇÃO Culto é um serviço Espiritual oferecido a Deus. Expressão mais profunda do nossos sentimentos de adoração

Leia mais

História Geral. 3ª Edição - 2007

História Geral. 3ª Edição - 2007 História Geral 3ª Edição - 2007 Os Hebreus Localizado a leste da Mesopotâmia, constituía de um vasto planalto desértico rodeado de montanhas, entre a Mesopotâmia e a Índia. O Império Persa constituiu um

Leia mais

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO Disponível em: www.seminariomaiordebrasilia.com.br Acesso em 13/03/2014 A palavra Quaresma surge no século IV e tem um significado profundo e simbólico para os cristãos

Leia mais

O Código de Ética é dirigido a todos os Empresários e Gestores Portugueses. Para aderir publicamente ao Código contacte a ACEGE

O Código de Ética é dirigido a todos os Empresários e Gestores Portugueses. Para aderir publicamente ao Código contacte a ACEGE O Código de Ética é dirigido a todos os Empresários e Gestores Portugueses Para aderir publicamente ao Código contacte a ACEGE Versão Revista em 2015 CÓDIGO DE ÉTICA DOS EMPRESÁRIOS E GESTORES - ACEGE

Leia mais

Dionisio Borobio. Compreender, Celebrar e Viver a Reconciliação e o Perdão

Dionisio Borobio. Compreender, Celebrar e Viver a Reconciliação e o Perdão Dionisio Borobio Compreender, Celebrar e Viver a Reconciliação e o Perdão Título original: Para Comprender, Celebrar y Vivir la Reconciliación y el Perdón Dionisio Borobio Dionisio Borobio PPC, Editorial

Leia mais

sincretismo A visão segundo a qual não existe na história nenhuma revelação única; ela diz que existem várias e diferentes maneiras de se alcançar a realidade divina, que todas as formulações de verdade

Leia mais

Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso. Conselho Mundial das Igrejas. Aliança Evangélica Mundial

Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso. Conselho Mundial das Igrejas. Aliança Evangélica Mundial Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso Conselho Mundial das Igrejas Aliança Evangélica Mundial A missão pertence à essência da igreja. Proclamar a palavra de Deus e testemunhá-la ao mundo é

Leia mais

Índice Introdução... 13 Abreviaturas... 17 1. Natureza da liturgia cristã... 21 1.1. O termo liturgia... 21 1.1.1. No helenismo... 22 1.1.2. No Antigo Testamento... 22 1.1.3. No Novo Testamento... 23 1.1.4.

Leia mais

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo.

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. 1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. Ao contribuir com o dízimo, saímos de nós mesmos e reconhecemos que pertencemos tanto à comunidade divina quanto à humana. Um deles, vendo-se

Leia mais

A Apostolicidade da Fé

A Apostolicidade da Fé EMBARGO ATÉ ÀS 18H30M DO DIA 10 DE MARÇO DE 2013 A Apostolicidade da Fé Catequese do 4º Domingo da Quaresma Sé Patriarcal, 10 de Março de 2013 1. A fé da Igreja recebemo-la dos Apóstolos de Jesus. A eles

Leia mais

Glória! Glória! Glória! Glória ao Senhor! Glória pelos séculos sem fim!

Glória! Glória! Glória! Glória ao Senhor! Glória pelos séculos sem fim! Page 1 of 6 GUIÃO DA CELEBRAÇÃO DA 1ª COMUNHÃO 2006 Ambientação Irmãos: Neste Domingo, vamos celebrar e viver a Eucaristia com mais Fé e Amor e também de uma maneira mais festiva, já que é o dia da Primeira

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS 1º PERÍODO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Planificação Anual da Disciplina de EMRC 11º ano Ano Letivo de 2014/2015 Manual adotado: Alicerces Domínios e Objetivos Sequências/Conteúdos I. VALORES

Leia mais

TEMA 33. O quarto mandamento do Decálogo: honrar pai e mãe

TEMA 33. O quarto mandamento do Decálogo: honrar pai e mãe TEMA 33. O quarto mandamento do Decálogo: honrar pai e mãe O quarto mandamento dirige-se expressamente aos filhos nas suas relações com os seus pais. No entanto, refere-se também a outras relações de parentesco,

Leia mais

REUNIÃO DE LIDERANÇAS

REUNIÃO DE LIDERANÇAS REUNIÃO DE LIDERANÇAS 08/02/2015 PAUTA: 1) Oração Inicial 2) Abertura 3) Apresentação de 03 dimensões de Ação Pastoral para o ano de 2015 4) Plenária / Definições 5) Oração Final 6) Retirada de Materiais

Leia mais

DIRECTÓRIO GERAL DA CATEQUESE - SDCIA/ISCRA -2 Oração inicial Cântico - O Espírito do Senhor está sobre mim; Ele me enviou para anunciar aos pobres o Evangelho do Reino! Textos - Mc.16,15; Mt.28,19-20;

Leia mais

Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO?

Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO? Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO? A palavra Concílio significa assembleia reunida por convocação e, na Igreja, um concílio sempre teve como objetivo discutir, definir e deliberar sobre questões de

Leia mais

BATISMO COM ESPÍRITO SANTO

BATISMO COM ESPÍRITO SANTO 1 BATISMO COM ESPÍRITO SANTO 1 Cantai de júbilo a Deus, força nossa; celebrai o Deus de Jacó.2 Salmodiai e fazei soar o tamboril, a suave harpa com o saltério.3 Tocai a trombeta na Festa da Lua Nova, na

Leia mais

ÉTICA NO TRABALHO. Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.

ÉTICA NO TRABALHO. Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus. ÉTICA NO TRABALHO Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus. 1 Co 10:31 O que contribui para a glória de Deus não fere nenhum princípio ético.

Leia mais

Plano de salvação e História de salvação

Plano de salvação e História de salvação Igreja Nova Apostólica Internacional Plano de salvação e História de salvação O artigo que se segue aborda a questão de como a salvação de Deus se evidencia na realidade histórica. A origem do pensamento

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO MINISTÉRIO Organismo/Serviço NIF Avaliador Cargo NIF FICHA DE AVALIAÇÃO PARA O PESSOAL DOS GRUPOS PROFISSIONAIS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO A preencher pelo avaliador Avaliado Unidade orgânica Carreira

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA SOCIOLOGIA. Conteúdo: Conflitos religiosos no mundo

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA SOCIOLOGIA. Conteúdo: Conflitos religiosos no mundo Conteúdo: Conflitos religiosos no mundo Habilidades: Reconhecer que a religião muitas vezes esconde razões políticas, econômicas e sociais de inúmeros conflitos no mundo contemporâneo; Reconhecer que a

Leia mais

3º trimestre da caminhada sinodal PROPOSTA PARA JOVENS

3º trimestre da caminhada sinodal PROPOSTA PARA JOVENS 3º trimestre da caminhada sinodal PROPOSTA PARA JOVENS Esta é uma proposta de trabalho para grupos de jovens. Pretende-se que, a partir da Palavra e da reflexão acerca do seu próprio encontro com Jesus,

Leia mais

Capítulo Vinte e Três (Chapter Twenty-Three) Os Sacramentos (The Sacraments)

Capítulo Vinte e Três (Chapter Twenty-Three) Os Sacramentos (The Sacraments) Capítulo Vinte e Três (Chapter Twenty-Three) Os Sacramentos (The Sacraments) Jesus só deu à Igreja dois sacramentos: batismo nas águas (veja Mt. 28:19) e a Santa Ceia (veja 1 Co. 11:23-26). Estudaremos

Leia mais

EBD ADU 2011. Aulas sobre o Espírito Santo e você. Prefácio

EBD ADU 2011. Aulas sobre o Espírito Santo e você. Prefácio Aulas sobre o Espírito Santo e você. EBD ADU 2011 Prefácio 1. Quem é o Espírito Santo? 2. Os símbolos do Espírito Santo 3. O Espírito Santo e as Escrituras 4. Da criação até o nascimento de Jesus 5. Do

Leia mais

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11)

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Mensagem 1 A metáfora do Caminho Introdução: A impressão que tenho é que Jesus escreveu isto para os nossos dias. Embora

Leia mais

www.comunidadepedraviva.com.br TRILHO PEDRA VIVA

www.comunidadepedraviva.com.br TRILHO PEDRA VIVA TRILHO PEDRA VIVA ROTEIRO PARA PLANTAÇÃO DE VIDAS Um provérbio chinês nos lembra : se sua visão é para um ano, plante trigo; se sua visão é para uma década, plante árvores; se sua visão é para toda a vida,

Leia mais

Introdução à 26/05/2011 A doutrina de Cristo segundo as escrituras Divindade de Cristo O que a história da igreja fala sobre o assunto? A Igreja Primitiva No início do século II, o cristianismo era uma

Leia mais

20ª Hora Santa Missionária

20ª Hora Santa Missionária 20ª Hora Santa Missionária Tema: Missão é Servir Lema: Quem quiser ser o primeiro seja servo de todos Preparação do ambiente: cartaz do Mês missionário, Bíblia e fitas nas cores dos continentes, cruz e

Leia mais

Curso: Teologia Prof. Nicanor Lopes

Curso: Teologia Prof. Nicanor Lopes Curso: Teologia Prof. Nicanor Lopes Fundamentos, conceitos e paradigmas da missão OBJETIVOS DA AULA Compreender as teses fundantes da missiologia; Analisar a presença religiosa no mundo no terceiro milênio;

Leia mais

NOVENA À SAGRADA FAMÍLIA

NOVENA À SAGRADA FAMÍLIA NOVENA À SAGRADA FAMÍLIA Introdução: A devoção à Sagrada Família alcançou grande popularidade no século XVII, propagando-se rapidamente não só na Europa, mas também nos países da América. A festa, instituída

Leia mais

Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas

Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas Painel: Desafio Demográfico na Europa (11h45-13h00) Auditório da Assembleia da República, Lisboa,

Leia mais

Capítulo Vinte e Cinco (Chapter Twenty-Five) A Disciplina do Senhor (God s Discipline)

Capítulo Vinte e Cinco (Chapter Twenty-Five) A Disciplina do Senhor (God s Discipline) Capítulo Vinte e Cinco (Chapter Twenty-Five) A Disciplina do Senhor (God s Discipline) Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem desanimem.

Leia mais

Mantendo uma Posição Firme

Mantendo uma Posição Firme Livro 1 página 65 Lição Nove Mantendo uma Posição Firme (O Batismo e a Membresia na Igreja) Introdução: O batismo e a membresia na igreja säo coisas inteiramente diferentes. Eles estão juntos nesta lição

Leia mais

O ser humano que, hoje, se abre para a fé, que escuta e responde à Palavra divina, descobre sua natureza filial e relacional, descobre a si mesmo

O ser humano que, hoje, se abre para a fé, que escuta e responde à Palavra divina, descobre sua natureza filial e relacional, descobre a si mesmo 1 INTRODUÇÃO A fé cristã como possibilidade de uma verdadeira existência humana, segundo Joseph Ratzinger, é o tema desta dissertação que almeja perscrutar a realidade e o dinamismo da fé nos dias de hoje,

Leia mais

MENSAGEM DO SANTO PADRE FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DO MIGRANTE E DO REFUGIADO (2014)

MENSAGEM DO SANTO PADRE FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DO MIGRANTE E DO REFUGIADO (2014) MENSAGEM DO SANTO PADRE FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DO MIGRANTE E DO REFUGIADO (2014) Migrantes e refugiados: rumo a um mundo melhor Queridos irmãos e irmãs! As nossas sociedades estão enfrentando, como

Leia mais

Se fizerem o que eu digo, terão paz

Se fizerem o que eu digo, terão paz Se fizerem o que eu digo, terão paz Vigília pela Paz, 2 de Abril de 2005, 21 Horas Celebrante - Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo Assembleia - Amen C. - Deus, vinde em nosso auxílio A. - Senhor,

Leia mais

MoVE-TE AproxIMANDo MArgENs UNIDADE LETIVA 1 FEC 2012-2013

MoVE-TE AproxIMANDo MArgENs UNIDADE LETIVA 1 FEC 2012-2013 Move-te aproximando margens UNIDADE LETIVA 1 FEC 2012-2013 DESCRIÇÃO O professor inicia a aula com a leitura do sumário. Introduz o tema da aula através da apresentação de uma curta-metragem: Momentos,

Leia mais

COMPORTAMENTAL, LIDERANÇA e RECURSOS HUMANOS. Comportamental, Liderança e Recursos Humanos

COMPORTAMENTAL, LIDERANÇA e RECURSOS HUMANOS. Comportamental, Liderança e Recursos Humanos Comportamental, Liderança e Recursos Humanos LIDERANÇA DURAÇÃO 21 horas ENQUADRAMENTO O grande desafio do século XXI consiste em conseguir desenvolver o potencial humano como forma de capacitar as organizações

Leia mais

Sibiu, Roménia, 4 a 9 Setembro 2007

Sibiu, Roménia, 4 a 9 Setembro 2007 Mensagem Final da Assembleia Ecuménica Europeia Sibiu, Roménia, 4 a 9 Setembro 2007 A luz de Cristo brilha sobre todos! Nós, Cristãos, peregrinos de toda a Europa e para além dela, testemunhamos o poder

Leia mais

ELABORAÇÃO UMA LITURGIA. Adoração e Louvor Aula 10

ELABORAÇÃO UMA LITURGIA. Adoração e Louvor Aula 10 ELABORAÇÃO UMA LITURGIA Adoração e Louvor Aula 10 Os cânticos e hinos devem ser previamente escolhidos conforme o tema do culto, a mensagem e o momento litúrgico. Exemplo Prático: Liturgia do dia 01-12-2013

Leia mais

UMA AVALIAÇÃO DA MÚSICA DA NOSSA IGREJA

UMA AVALIAÇÃO DA MÚSICA DA NOSSA IGREJA UMA AVALIAÇÃO DA MÚSICA DA NOSSA IGREJA Aula 8 Objetivo: Capacitar o aluno para avaliar toda música (os hinos, cânticos espirituais, solos, cânticos para o coral, etc.) que cantamos e ouvimos. Segunda

Leia mais

FACULDADE MISSIONEIRA DO PARANÁ

FACULDADE MISSIONEIRA DO PARANÁ CURSO DE EXTENSÃO EM TEOLOGIA PARA LEIGOS A FAMIPAR tem como objetivo promover e criar cursos de Teologia, apropriado para atender leigos e religiosos, em vista dos ministérios diversos. O presente Curso

Leia mais

Programa semipresencial do Curso Bacharel em Teologia do SECATAB

Programa semipresencial do Curso Bacharel em Teologia do SECATAB Programa semipresencial do Curso Bacharel em Teologia do O pauta suas ações partindo de um princípio interconfessional preparando ministros para a pregação do evangelho. ESTRUTURA DO CURSO O curso conta

Leia mais

BAPTISMO DAS CRIANÇAS (Sem Missa)

BAPTISMO DAS CRIANÇAS (Sem Missa) BAPTISMO DAS CRIANÇAS (Sem Missa) Cântico de Entrada SAUDAÇÃO E MONIÇÃO INICIAL DIÁLOGO COM OS PAIS E PADRINHOS Que nome escolhestes para o vosso filho? Pais: (dizem o nome do filho). Que pedis à Igreja

Leia mais

O que são Direitos Humanos?

O que são Direitos Humanos? O que são Direitos Humanos? Por Carlos ley Noção e Significados A expressão direitos humanos é uma forma abreviada de mencionar os direitos fundamentais da pessoa humana. Sem esses direitos a pessoa não

Leia mais

CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO

CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO ETERNIDADE DEUS PAI LOGUS ESPIRITO SANTO A TRINDADE 1Jo.5.7 LOGUS QUER DIZER PALAVRA OU VERBO SE REFERE AO FILHO NA ETERNIDADE I - SUA PRÉ-EXISTÊNCIA 1 - SUA EXISTÊNCIA

Leia mais

Capelania Hospitalar / Pastoral da Saúde

Capelania Hospitalar / Pastoral da Saúde CEPMTA / ISCAL Londrina 06/11/2012 Capelania Hospitalar / Pastoral da Saúde Assessor: Pe. Audinei Carreira da Silva PERFIL DO AGENTE DE PASTORAL DA SAÚDE Antes de tudo deve ser uma pessoa de profunda experiência

Leia mais

PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE

PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE Espiritualidade Apostólica Marista Ir. José Milson de Mélo Souza Ano de Deus Pai LADAINHA DE SÃO MARCELINO CHAMPAGNAT (Ir. José Milson) V. Senhor, tende piedade de nós.

Leia mais

EPÍSTOLA DE SÃO TIAGO Bruno Glaab

EPÍSTOLA DE SÃO TIAGO Bruno Glaab EPÍSTOLA DE SÃO TIAGO Bruno Glaab I - INTRODUÇÃO 1 - QUEM Quem é Tiago? No NT temos diversas referências a Tg: - Filho de Zebedeu (Mc 1,19; 3,17). - Filho de Alfeu (Mc 3,18). - Irmão de Jesus (Mc 6,3;

Leia mais

Carta pastoral do Bispo Charles Morerod para a Quaresma de 2012. 4 Domingo de Quaresma, Ano B. 17-18 de Março de 2012. «A Fé»

Carta pastoral do Bispo Charles Morerod para a Quaresma de 2012. 4 Domingo de Quaresma, Ano B. 17-18 de Março de 2012. «A Fé» Carta pastoral do Bispo Charles Morerod para a Quaresma de 2012 4 Domingo de Quaresma, Ano B 17-18 de Março de 2012 «A Fé» Carta pastoral do Bispo Charles Morerod 4 Domingo de Quaresma, Ano B 17-18 de

Leia mais

OS SACRAMENTOS. O que é um Sacramento?

OS SACRAMENTOS. O que é um Sacramento? OS SACRAMENTOS Os sacramentos da nova lei foram instituídos por Cristo e são sete, a saber: o Batismo, a Crisma ou Confirmação, a Eucaristia, a Penitência, a Unção dos Enfermos, a Ordem e o Matrimônio.

Leia mais

Saiamos pois, a Ele, fora do arraial... Ademir Ifanger

Saiamos pois, a Ele, fora do arraial... Ademir Ifanger Saiamos pois, a Ele, fora do arraial... Introdução Almejamos uma nova compreensão da espiritualidade, que nos impulsione a realizar o projeto integral de Deus, expressando assim genuína adoração (Jo 4.23-24).

Leia mais

8º Capítulo. Petros Os Dons Pilares 1ª Parte

8º Capítulo. Petros Os Dons Pilares 1ª Parte 8º Capítulo Petros Os Dons Pilares 1ª Parte O texto de I Co 12:7-11 fala sobre os dons espirituais, aqui chamados de carismáticos; O texto de Ef 4:11 fala sobre os dons ministeriais, aqui chamados de dons

Leia mais

Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova. Prof. Humberto S. Herrera Contreras

Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova. Prof. Humberto S. Herrera Contreras Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova Prof. Humberto S. Herrera Contreras O que este documento nos diz? Algumas percepções iniciais... - O título já é uma mensagem espiritual! tem movimento, aponta

Leia mais

A missão no contexto asiático

A missão no contexto asiático A missão no contexto asiático Pe. Joachim Andrade SVD Introdução O continente asiático é tão grande e tão diverso é muito difícil dar uma visão clara e contextual da missão dentro de poucos minutos. Além

Leia mais

Critérios para a admissão e recondução de docentes de Educação Moral e Religiosa Católica na diocese de Leiria- Fátima

Critérios para a admissão e recondução de docentes de Educação Moral e Religiosa Católica na diocese de Leiria- Fátima Critérios para a admissão e recondução de docentes de Educação Moral e Religiosa Católica na diocese de Leiria- Fátima A. Preâmbulo A missão do professor de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) não

Leia mais

ESTUDO SOBRE A DISPENSAÇÃO DA LEI (1.718 Anos) Ex 3:1-10 Ex 12:37-38 Lc 16:16 Mt 3:1-3

ESTUDO SOBRE A DISPENSAÇÃO DA LEI (1.718 Anos) Ex 3:1-10 Ex 12:37-38 Lc 16:16 Mt 3:1-3 ESTUDO SOBRE A DISPENSAÇÃO DA LEI (1.718 Anos) Ex 3:1-10 Ex 12:37-38 Lc 16:16 Mt 3:1-3 Definição de Dispensação: período de tempo durante o qual a humanidade é moralmente responsável diante de Deus em

Leia mais

Escola da Bíblia Rua Rio Azul, 200, Boa Viagem CEP: 51.030-050 Recife PE

Escola da Bíblia Rua Rio Azul, 200, Boa Viagem CEP: 51.030-050 Recife PE AS GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA LIÇÃO 07 O QUE A BÍBLIA DIZ A RESPEITO DA SALVAÇÃO INTRODUÇÃO Chegamos ao que pode ser o tópico mais importante desta série: a salvação. Uma pessoa pode estar equivocada

Leia mais

Ungidos Para Servir. Continua sendo um déficit entre o povo de Deus, o discernimento de seus ministérios e o entendimento do propósito da unção.

Ungidos Para Servir. Continua sendo um déficit entre o povo de Deus, o discernimento de seus ministérios e o entendimento do propósito da unção. Ungidos Para Servir Apesar dos esforços teológicos, a história cristã avançou dois mil anos e não conseguiu, em sua trajetória, evitar a má interpretação sobre o chamado ministerial dos santos e sobre

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

História dos Direitos Humanos

História dos Direitos Humanos História dos Direitos Humanos Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Os direitos humanos são o resultado de uma longa história, foram debatidos ao longo dos séculos por filósofos e juristas. O início

Leia mais

Plano de Pastoral Vocacional com Comunidades de Imigrantes Brasileiros

Plano de Pastoral Vocacional com Comunidades de Imigrantes Brasileiros 1 Plano de Pastoral Vocacional com Comunidades de Imigrantes Brasileiros Fr. Darci DaSilva 2 Plano de Pastoral Vocacional com Comuniddes Brasileiras 1. Objetivos: Criar e manter vivo em nossas Comunidades

Leia mais

Missionários, o que é Missão?

Missionários, o que é Missão? Missionários, o que é Missão? É um chamado de Deus e da Igreja a ser respondido. É o chamado batismal. Tornar Jesus Cristo mais conhecido, mais amado, mais adorado: Conhecer a Jesus é o melhor presente

Leia mais

A Igreja nas Casas. Revolução ou Reforma? Jamê Nobre

A Igreja nas Casas. Revolução ou Reforma? Jamê Nobre A Igreja nas Casas Revolução ou Reforma? Jamê Nobre I g r e j a s n a s C a s a s P á g i n a 2 A IGREJA NAS CASAS REVOLUÇÃO OU REFORMA? (Jamê Nobre) As revoluções têm como característica mudar algumas

Leia mais

Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis. e Responsabilidade Global

Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis. e Responsabilidade Global Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global Este Tratado, assim como a educação, é um processo dinâmico em permanente construção. Deve portanto propiciar a reflexão,

Leia mais