Inflação próxima a zero, em São Paulo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inflação próxima a zero, em São Paulo"

Transcrição

1 1 São Paulo, 9 de março de NOTA À IMPRENSA Inflação próxima a zero, em São Paulo Em fevereiro de 2009, o custo de vida no município de São Paulo apresentou variação próxima a zero, com taxa de 0,02%, o que representa 0,67 ponto percentual (pp) abaixo da verificada em janeiro (0,69%), segundo cálculo do DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. A Alimentação e o Vestuário apresentaram variações negativas, enquanto Transporte e Habitação registraram alta. As principais variações e contribuições no cálculo da inflação deste mês encontram-se na Tabela 1 e Gráfico 1. TABELA 1 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas, contribuições e ponderações Por grupos e subgrupos Município de São Paulo - fevereiro de 2009 Grupos e subgrupos Variação Contribuição (pp.) Ponderação Total Geral 0,02 0,02 100,00. Alimentação -0,24-0,07 28,05.. In natura e semielaborados -1,32-0,16 12,36.. Indústria da alimentação 0,54 0,05 10,12.. Fora do domicílio 0,72 0,04 5,58. Vestuário -1,02-0,03 2,83.. Roupas -1,48-0,02 1,56.. Calçados -0,23 0,00 1,10. Transporte 0,29 0,04 15,72.. Individual 0,04 0,00 11,14.. Coletivo 0,88 0,04 4,58. Habitação 0,22 0,05 22,72.. Locação, impostos e condomínio 0,93 0,06 6,13.. Operação -0,02 0,00 13,13.. Conservação -0,11 0,00 3,46 A variação negativa de 0,24% apurada para a Alimentação contribuiu para reduzir o ICV- DIEESE em 0,07 pp, em fevereiro. Esta retração foi resultado do comportamento verificado para os

2 2 produtos in natura e semielaborados (-1,32%) enquanto os dois outros subgrupos registraram taxas positivas, de 0,72%, para a alimentação fora do domicílio, e de 0,54%, para a indústria da alimentação. As principais variações entre os produtos in natura e semielaborados ocorreram para: Hortaliças (9,97%) Este item tem, no período das chuvas de verão, aumento generalizado, com os mais significativos verificados para alface (12,77%), escarola (12,68%) e agrião (10,57%); Raízes e Tubérculos (3,06%) As maiores altas foram apuradas para cenoura (8,61%), beterraba (8,43%) e batata (5,23%); Legumes (-1,28%) Foi observada queda nos preços de produtos como tomate (-9,43%), chuchu (17,68%) e vagem (22,21%); Grãos (-2,10%) Os preços de arroz (-1,49%) e feijão (-3,83%) registraram declínio; Frutas (-2,46%) Houve queda no preço das frutas da época, como abacate (-25,82%), maracujá (-25,42%) e limão (-15,95%). As maiores altas ocorreram para pêssego (22,16%), morango (21,59%), manga (16,63%) e abacaxi (10,26%); e Carnes (-2,67%) Tanto a carne bovina (-2,61%), como a suína (-3,73%) tiveram queda. O aumento apurado para a alimentação fora do domicílio (0,72%) resultou de elevações em seus dois itens: refeição principal (0,84%) e lanches (0,54%). Já no subgrupo referente aos produtos da indústria alimentícia (0,54%) as variações foram pequenas, merecendo destaque a alta no açúcar (7,19%). Os preços do Vestuário caíram 1,02%, pois o mês foi marcado por liquidações das roupas de verão (-1,48%). Também houve redução, mas menos significativa, nos valores dos calçados (-0,23%). No grupo Transporte houve alta de 0,29%, devido ao aumento nos preços do transporte coletivo (0,88%), impulsionado pelos reajustes, na segunda semana de fevereiro, nas tarifas de metrô (3,62%), ônibus intermunicipal (5,92%) e trem de subúrbios (4,69%). Ainda haverá algum impacto nestes preços, em março. Na Habitação (0,22%), a maior taxa foi registrada para o subgrupo locação, impostos e condomínio (0,93%), como consequência do aumento nos aluguéis (1,99%), uma vez que os impostos e condomínio não tiveram correção em fevereiro. Os demais subgrupos - operação do domicílio (-0,02%) e conservação (-0,11%) tiveram pouca alteração em seus valores.

3 3 GRÁFICO 1 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas dos grupos de fevereiro de 2009 Município de São Paulo 1,5% 0,5% 0,29% 0,22% 0,02% -0,5% -0,24% -1,02% -1,5% Total Geral. Alimentação. Vestuário. Transporte. Habitação Índices por estrato de renda Além do índice geral, o DIEESE calcula ainda mais três indicadores de inflação, segundo tercis da renda das famílias paulistanas. Em fevereiro, as taxas do 1º e 2º estrato (-0,02%) apresentaram ligeira deflação e a do 3º estrato (0,04%) pouco variou. O estrato 1 corresponde à estrutura de gastos de 1/3 das famílias mais pobres (renda média = R$ 377,49 ), o estrato 2 contempla os gastos das famílias com nível intermediário de rendimento (renda média = R$ 934,17 * ) e o 3º estrato reúne as de maior poder aquisitivo (renda média = R$ 2.792,90 * ). Os níveis de rendimento referem-se aos valores definidos para junho de 1996, quando da implantação da atual ponderação do ICV

4 4 Quando comparado com os dados apurados em janeiro, a inflação de fevereiro caiu para todos os estratos de renda. Foram observadas diferenças negativas de: -0,37 pp, -0,47 pp e -0,84 pp, respectivamente, para os estratos 1, 2 e 3 (Tabela 2). TABELA 2 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxa geral e por estrato de renda Município de São Paulo janeiro e fevereiro de 2009 Índices Janeiro Fevereiro Diferença (pp.) Geral 0,69 0,02-0,67 Estrato 1 0,35-0,02-0,37 Estrato 2 0,45-0,02-0,47 Estrato 3 0,88 0,04-0,84 As diferenças nas taxas por estrato em fevereiro foram determinadas, principalmente, pelas variações apuradas para os grupos Alimentação e Transporte, que têm impacto diferente nos gastos de cada família. Estas diferenças têm origem na forma de despender das famílias, que se altera de acordo com seu poder aquisitivo (Tabela 3 e Gráfico 2). TABELA 3 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas e contribuições: geral e por estrato de renda Município de São Paulo fevereiro de 2009 Geral Estrato 1 Estrato 2 Estrato 3 Grupos Taxa Contribuição (pp) Taxa Contribuição (pp) Taxa Contribuição (pp) Taxa Contribuição (pp) Total Geral 0,02 0,02-0,02-0,02-0,01-0,01 0,04 0,04 Alimentação -0,24-0,07-0,33-0,12-0,34-0,11-0,14-0,03 Vestuário -1,02-0,03-1,08-0,03-0,98-0,03-1,12-0,03 Despesas Diversas -1,40-0,01-1,48-0,01-1,47-0,01-1,35-0,01 Equipamento Doméstico -0,10 0,00-0,06 0,00-0,07 0,00-0,16-0,01 Recreação 0,41 0,01 0,08 0,00 0,43 0,00 0,45 0,01 Saúde 0,05 0,01 0,02 0,00 0,02 0,00 0,07 0,01 Despesas Pessoais 0,21 0,01 0,23 0,01 0,26 0,01 0,17 0,01 Educação e Leitura 0,13 0,01 0,28 0,01 0,18 0,01 0,12 0,01 Transporte 0,29 0,04 0,59 0,06 0,40 0,06 0,20 0,03 Habitação 0,22 0,05 0,23 0,06 0,22 0,05 0,22 0,05

5 5 A queda na Alimentação, que teve como grande causador o comportamento dos preços de produtos in natura e semielaborados - carnes, frutas, legumes e grãos como arroz e feijão, por exemplo teve impacto mais acentuado para as famílias de menor renda. Assim, seus benefícios no cálculo da inflação afetaram as taxas de forma decrescente em relação ao aumento do poder aquisitivo: queda de 0,12 pp, para o estrato 1; -0,11 pp, para o estrato 2; e -0,03, para o estrato 3. As contribuições do grupo Vestuário no cálculo das taxas por estrato de renda foram semelhantes para todas as famílias e situaram-se em -0,03 pp. Como a alta no grupo Transporte teve origem no reajuste de tarifas do transporte público, as famílias de menor renda, dos estratos 1 e 2 foram mais afetadas (0,06 pp), pois despendem proporcionalmente mais no transporte coletivo que no individual. GRÁFICO 2 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Contribuições para o índice geral e por estrato de renda Município de São Paulo fevereiro de ,15% Estrato 1 Estrato 2 Estrato 3 Geral 0,10% 0,05% 0,04% 0,05% 0,00% 0,02% -0,03% -0,05% -0,07% -0,10% -0,15% Total Geral. Alimentação. Vestuário. Transporte. Habitação

6 6 Inflação Acumulada Nos últimos 12 meses - entre março de 2008 e fevereiro de o ICV-DIEESE acumula alta de 5,95%. Ao se considerar os diferentes estratos, as taxas são distintas: estrato 1, 6,01%; estrato 2, 5,72% e estrato 3, 6,04% (Tabela 4). Comportamento dos preços nos dois primeiros meses de 2009: No primeiro bimestre deste ano, a inflação acumula taxa de 0,71%, sendo maior para o estrato 3 (0,93%) e decrescente para os demais: 0,44% para o estrato 2 e 0,33%, para o estrato 1. A análise dos grupos e subgrupos aponta as maiores altas na Educação e Leitura (5,90%), por conta do aumento das mensalidades escolares em janeiro, que elevou a taxa do subgrupo educação para 6,20%; e nas Despesas Pessoais (1,31%), cuja alta originou-se nos produtos de higiene e beleza (2,20%). A menor taxa foi observada no grupo Vestuário (-1,75%) devido à queda no preço das roupas (-2,87%). A pequena variação na Alimentação (0,27%) é consequência da baixa de preços nos produtos in natura e semielaborados (-1,17%), dado que o subgrupo alimentação fora do domicílio (2,12%) teve seus valores corrigidos bem acima da variação deste ano. Comportamento dos preços nos últimos 12 meses: Os aumentos verificados em 12 meses deram-se de maneira bastante heterogênea entre os grupos que compõem o ICV-DIEESE. Para uma inflação da ordem de 5,95%, as maiores altas foram apuradas na Alimentação (8,16%), Habitação (7,89%), Educação e Leitura (7,67%) e Despesas Pessoais (7,74%). Já as menores variações foram detectadas nos grupos: Equipamento Doméstico (-0,98%), Vestuário (0,22%) e Transporte (2,28%). Na Alimentação, todos os subgrupos apresentaram altas: Produtos in natura e semielaborados (7,73%) foram verificados fortes aumentos para: arroz (23,04%), limão (27,61%), carne bovina (20,93%) e frango (15,07%) e queda marcante no feijão (-47,11%), Produtos da indústria alimentícia (6,94%) neste subgrupo destacam-se as altas taxas praticadas nos seguintes bens: pão francês (17,19%), leite longa vida (11,94%), açúcar (19,49%) e massas secas (9,14%). Foram apuradas retrações nos preços de óleo comestível (-12,82%), leite condensado (-12,61%) e leite em pó (-8,39%) e

7 7 TABELA 4 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas acumuladas no ano e em doze meses por grupo e subgrupo Geral e por estrato de renda - Município de São Paulo Grupos e Variação no Ano (jan/2009 a fev/2009) Variação Anual (mar/2008 a fev/2009) subgrupos Geral Estrato 1 Estrato 2 Estrato 3 Geral Estrato 1 Estrato 2 Estrato 3 Total Geral 0,71 0,33 0,44 0,93 5,95 6,01 5,72 6,04.Alimentação 0,27-0,28 0,00 0,72 8,16 7,13 7,75 8,89.In natura e semielaborados -1,17-1,65-1,26-0,69 7,73 6,53 7,23 8,86.Indústria da alimentação 1,02 0,79 0,98 1,16 6,94 6,86 6,99 7,00.Fora do domicílio 2,12 2,29 1,83 2,19 11,43 10,76 11,85 11,41.Habitação 0,51 0,52 0,51 0,50 7,89 7,58 7,66 8,05.Locação, impostos e condomínio 1,85 2,23 2,19 1,63 9,21 9,29 8,96 9,28.Operação do domicílio 0,03 0,01 0,03 0,03 6,82 6,59 6,59 6,96.Conservação -0,02-0,28-0,21 0,12 9,72 9,53 10,05 9,60.Equipamento Doméstico 0,58 1,04 0,50 0,48-0,98-0,54-1,44-0,94.Eletrodomésticos 1,13 1,88 1,09 0,87-1,65-0,75-1,99-1,93.Utensílios 0,99 0,85 0,93 1,02 2,47 1,33 2,58 2,75.Móveis -0,38-0,30-0,61-0,25-1,85-1,57-2,34-1,69.Rouparia 0,14-0,05 0,39-0,03 0,76 0,99 0,24 1,04.Transporte 0,22 0,62 0,30 0,13 2,28 2,55 1,76 2,42.Individual -0,13 0,00-0,26-0,10 2,46 2,99 1,81 2,60.Coletivo 1,06 0,88 1,08 1,17 1,84 2,37 1,69 1,63.Vestuário -1,75-1,82-1,46-1,96 0,22 0,59 0,83-0,37.Roupas -2,87-3,19-2,57-3,02-2,61-2,71-2,34-2,95.Calçados 0,02-0,04 0,01 0,03 5,09 5,31 5,33 4,92.Educação e Leitura 5,90 5,83 5,49 5,99 7,67 7,96 7,50 7,69.Educação 6,20 5,92 5,77 6,30 7,84 7,79 7,61 7,88.Leitura 1,27 3,96 1,66 1,16 4,97 11,76 5,93 4,69.Saúde 0,11 0,01 0,03 0,15 4,67 4,46 4,26 4,83.Assistência Médica 0,16 0,04 0,09 0,19 4,81 4,63 4,36 4,94.Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,08-0,04-0,12-0,08 4,04 4,14 3,89 4,12.Recreação 0,13 0,28 0,08 0,14 1,98 2,24 1,99 1,93.Produtos -0,10 0,44-0,19-0,11-0,30 0,59-0,40-0,36.Serviços 0,52-0,02 0,51 0,55 5,94 5,77 5,91 5,76.Despesas Pessoais 1,31 1,14 1,24 1,39 7,74 7,84 7,97 7,51.Higiene e Beleza 2,20 2,18 2,21 2,20 10,00 11,09 10,74 9,26.Fumo e Acessórios 0,01 0,01 0,01 0,01 4,54 4,46 4,55 4,58.Despesas diversas -0,46-0,49-0,49-0,44 10,00 10,16 10,02 9,77

8 8 Alimentação fora do domicílio (11,43%) Ocorreram aumentos em ambos os itens: refeição principal (11,72%) e lanches (11,02%). Normalmente, a alimentação fora do domicílio, apresenta os maiores reajustes no início de cada ano, para recompor a inflação do ano anterior. A alta na Habitação (7,89%) se deu principalmente no subgrupo conservação do domicílio (9,72%), devido aos aumentos ocorridos tanto nos materiais de construção (10,58%) como na mão-deobra (8,86%). Nos demais subgrupos - locação, impostos e condomínio (9,21%) e operação do domicílio (6,82%) - as maiores elevações ocorreram nos itens: sabão em pedra (48,07%), removedor (19,95%), gás de rua (17,72%), condomínio (12,00%), serviço doméstico (10,08%), locação (9,34%) e energia elétrica (8,63%). A taxa anual em 2009 do grupo Educação e Leitura (7,67%) deve-se ao reajuste ocorrido em janeiro, no subgrupo educação. Nas Despesas Pessoais (7,74%), a taxa elevada resultou de aumentos nos produtos de higiene (11,98%), com destaque para o sabonete (32,18%), desodorante (16,46%) e o papel higiênico (12,04%). Em Equipamento Doméstico (-0,98%) e Vestuário (0,22%) os preços caíram, principalmente, para os eletrodomésticos (-1,65%), móveis (-1,85%) e roupas (-2,61%).

9 9 O aumento das commodities ainda se faz sentir O ano de 2008 caracterizou-se por grandes mudanças na economia mundial. Nos primeiros seis meses, os preços das commodities dispararam e a partir do início do 2º semestre começaram a aparecer os sinais da crise financeira internacional, acompanhada por acentuada queda nos preços e nas demandas de produtos agrícolas. Esta análise busca detectar as repercussões das mudanças dos preços internacionais no mercado interno. O aumento das commodities, no 1º semestre de 2008, afetou os preços dos alimentos no mercado interno de forma acentuada. Neste período, para uma inflação da ordem de 3,63%, os Alimentos tiveram alta muito superior, de 7,8%, enquanto os Não-alimentos subiram apenas 2,1%. Dentre os bens que mais aumentaram, destacaram-se: arroz (40,9%), óleo de soja (29,4%), farinha de trigo (27,4%), pão francês (20,0%), carne bovina (11,0%) e leite (4,4%) (Tabela 5 e Gráfico 3). A partir do 2º semestre de 2008, com a crise econômica mundial, os preços internacionais caíram acentuadamente e a demanda externa, de um modo geral, diminuiu. Os exportadores de produtos agrícolas brasileiros só não foram mais afetados devido à valorização cambial. De julho de 2008 a fevereiro deste ano, a alta acumulada do ICV-DIEESE foi de 3,15%, sendo que o grupo Alimentos subiu 2,3%, menos, portanto, que o de Não-alimentos, que aumentou 3,5%. Os preços dos mesmos bens destacados para o primeiro semestre de 2008 tiveram comportamento bem diferente, com taxas negativas ou bem menores, com variações de -22,0%, para o óleo de soja; -14,0%, para a farinha de trigo; -8,5%, para o arroz; -0,9%, no caso do pão francês; e altas de 0,3%, para o leite e 7,1%, no caso da carne bovina. Para avaliar se as quedas nos preços dos produtos relacionados à crise internacional já atingiram os patamares de início de 2008, foram calculadas as taxas acumuladas para todo o período, que compreende os 14 meses entre janeiro de 2008 a fevereiro de A inflação acumulou, nestes 14 meses, uma taxa de 6,89%, sendo que o grupo Alimentos apresenta taxa de 10,3%, superior à dos Não-alimentos, de 5,6%. Dentre os alimentos, aqueles relacionados ao comércio externo e que acusam taxas negativas ou com menor ritmo de reajuste, nos últimos oito meses, ainda acumulam altas acentuadas como verificado nos seguintes bens: arroz (28,9%), carne bovina (18,9%), pão francês (18,9%) e farinha de trigo (9,5%). O leite (4,7%) e o óleo de soja (1,0%) são os únicos produtos desta análise que já absorveram todo o aumento do 1º semestre de 2008, apresentando variação inferior à inflação do período.

10 10 Portanto, para alguns produtos, a alta das commodities ainda se faz sentir e sugere que há margem para futuras quedas de valores de alguns bens. TABELA 5 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas Totais e por grupos: Alimentos e Não-alimentos Períodos: janeiro a junho de 2008; julho de 2008 a fevereiro de 2009 e janeiro de 2008 a fevereiro de 2009 Município de São Paulo Grupos Produtos Peso dez/07 jan/08 a jun/08 jul/08 a fev/09 jan/08 a fev/09 Alimentos Arroz 0,81 40,9-8,5 28,9 Carne Bovina 3,69 11,0 7,1 18,9 Pão francês 1,01 20,0-0,9 18,9 Farinha trigo 0,06 27,4-14,0 9,5 Leite 1,71 4,4 0,3 4,7 Óleo de soja 0,41 29,4-22,0 1,0 Outros 19,42 5,0 3,0 8,1 Alimentos Total 27,11 7,8 2,3 10,3 Não-Alimentos Total 72,83 2,1 3,5 5,6 Total Global 100,00 3,63 3,15 6,89

11 11 GRÁFICO 3 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas por produtos relacionadas às commodities Períodos: janeiro a junho de 2008; julho de 2008 a fevereiro de 2009 e janeiro de 2008 a fevereiro de 2009 Município de São Paulo 50% 40% jan/08 a jun/08 jul/08 a fev/09 Total 30% 20% 10% 10,3% 28,9% 18,9% 18,9% 9,5% 4,7% 0% 1,0% -10% -20% -30% Alimentos arroz Carne pão Far.trigo leite óleo soja

12 12 Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo - ICV-DIEESE Fevereiro de 2009 Índice Geral DENOMINAÇÃO VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO TOTAL GERAL 0,0197% 0,0197% 100,0000%. Alimentação -0,2422% -0,0679% 28,0511%.. Produtos in natura e semielaborados -1,3177% -0,1628% 12,3550%.. Indústria da alimentação 0,5433% 0,0550% 10,1162%.. Alimentação fora do domicílio 0,7151% 0,0399% 5,5799%. Habitação 0,2209% 0,0502% 22,7209%.. Locação, impostos e condomínio 0,9335% 0,0572% 6,1263%.. Operação do domicílio -0,0241% -0,0032% 13,1345%.. Conservação do domicílio -0,1108% -0,0038% 3,4601%. Equipamentos Domésticos -0,0986% -0,0033% 3,3523%.. Eletrodomésticos e equipamentos -0,0728% -0,0012% 1,6153%.. Utensílios domésticos 0,2981% 0,0015% 0,5016%.. Móveis -0,4637% -0,0048% 1,0418%.. Rouparia 0,6222% 0,0012% 0,1935%. Transporte 0,2851% 0,0448% 15,7246%.. Individual 0,0418% 0,0047% 11,1448%.. Coletivo 0,8771% 0,0402% 4,5797%. Vestuário -1,0167% -0,0288% 2,8300%.. Roupas -1,4811% -0,0232% 1,5642%.. Calçados -0,2271% -0,0025% 1,1044%. Educação e Leitura 0,1344% 0,0107% 7,9625%.. Educação 0,0654% 0,0049% 7,5042%.. Leitura 1,2647% 0,0058% 0,4583%. Saúde 0,0511% 0,0072% 14,0212%.. Assistência médica 0,0717% 0,0081% 11,2719%.. Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0374% -0,0010% 2,7037%. Recreação 0,4142% 0,0053% 1,2872%.. Produtos 0,4147% 0,0033% 0,7979%.. Serviços 0,4133% 0,0020% 0,4893%. Despesas Pessoais 0,2129% 0,0077% 3,6072%.. Higiene e beleza 0,3529% 0,0076% 2,1531%.. Fumo e acessórios 0,0057% 0,0001% 1,4541%. Despesas diversas -1,4038% -0,0062% 0,4429%.. Animais -1,6807% -0,0062% 0,3699%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0730% * Valores de junho de 1996, quando foi introduzida a ponderação atual do ICV

13 13 Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo ICV-DIEESE Fevereiro de 2009 Estrato 1 - Famílias com renda inferior (renda média = R$ 377,49*) (em%) DENOMINAÇÃO VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO Total Geral -0,0185% -0,0185% 100,0000%. Alimentação -0,3281% -0,1221% 37,2025%.. Produtos in natura e semielaborados -1,3022% -0,2454% 18,8477%.. Indústria da alimentação 0,6379% 0,0900% 14,1158%.. Alimentação fora do domicílio 0,7862% 0,0333% 4,2390%. Habitação 0,2289% 0,0574% 25,0823%.. Locação, impostos e condomínio 1,1537% 0,0706% 6,1156%.. Operação do domicílio -0,0527% -0,0085% 16,0657%.. Conservação do domicílio -0,1614% -0,0047% 2,9010%. Equipamento Doméstico -0,0639% -0,0020% 3,1739%.. Eletrodomésticos e equipamentos 0,1991% 0,0033% 1,6663%.. Utensílios domésticos -0,3292% -0,0017% 0,5185%.. Móveis -0,5884% -0,0048% 0,8231%.. Rouparia 0,7253% 0,0012% 0,1660%. Transporte 0,5851% 0,0635% 10,8587%.. Individual 0,1216% 0,0040% 3,2589%.. Coletivo 0,7838% 0,0596% 7,5998%. Vestuário -1,0829% -0,0332% 3,0658%.. Roupas -1,6461% -0,0262% 1,5911%.. Calçados -0,2738% -0,0037% 1,3474%. Educação e leitura 0,2781% 0,0105% 3,7605%.. Educação 0,1178% 0,0042% 3,6035%.. Leitura 3,9579% 0,0062% 0,1570%. Saúde 0,0174% 0,0019% 10,7399%.. Assistência médica 0,0290% 0,0020% 6,9571%.. Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0039% -0,0001% 3,7828%. Recreação 0,0769% 0,0005% 0,6977%.. Produtos 0,1564% 0,0007% 0,4677%.. Serviços -0,0846% -0,0002% 0,2300%. Despesas Pessoais 0,2300% 0,0115% 4,9791%.. Higiene e beleza 0,4329% 0,0113% 2,6103%.. Fumo e acessórios 0,0064% 0,0002% 2,3687%. Despesas Diversas -1,4823% -0,0065% 0,4396%.. Animais -1,6807% -0,0065% 0,3877%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0519% * Valores de junho de 1996, quando foi introduzida a ponderação atual do ICV

14 14 Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo ICV-DIEESE Fevereiro de 2009 Estrato 2 - Famílias com renda intermediária (renda média = R$ 934,17*) (em%) DENOMINAÇÃO VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO TOTAL GERAL -0,0150% -0,0150% 100,0000%. Alimentação -0,3417% -0,1121% 32,7941%.. Produtos in natura e semielaborados -1,2900% -0,2053% 15,9111%.. Indústria da alimentação 0,5709% 0,0707% 12,3760%.. Alimentação fora do domicílio 0,4996% 0,0225% 4,5070%. Habitação 0,2182% 0,0506% 23,2097%.. Locação, impostos e condomínio 1,1216% 0,0633% 5,6408%.. Operação do domicílio -0,0339% -0,0048% 14,1699%.. Conservação do domicílio -0,2299% -0,0078% 3,3990%. Equipamentos Domésticos -0,0697% -0,0027% 3,8475%.. Eletrodomésticos e equipamentos 0,0366% 0,0007% 1,9773%.. Utensílios domésticos 0,5133% 0,0023% 0,4576%.. Móveis -0,6048% -0,0072% 1,1843%.. Rouparia 0,6167% 0,0014% 0,2282%. Transporte 0,4021% 0,0591% 14,7076%.. Individual 0,0180% 0,0015% 8,5542%.. Coletivo 0,9361% 0,0576% 6,1534%. Vestuário -0,9754% -0,0312% 3,1959%.. Roupas -1,5188% -0,0246% 1,6171%.. Calçados -0,2656% -0,0037% 1,3884%. Educação e Leitura 0,1847% 0,0087% 4,6897%.. Educação 0,0851% 0,0037% 4,3902%.. Leitura 1,6452% 0,0049% 0,2995%. Saúde 0,0191% 0,0023% 12,0132%.. Assistência médica 0,0471% 0,0042% 8,8183%.. Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0631% -0,0020% 3,1357%. Recreação 0,4332% 0,0047% 1,0765%.. Produtos 0,4713% 0,0031% 0,6519%.. Serviços 0,3747% 0,0016% 0,4246%. Despesas Pessoais 0,2605% 0,0107% 4,1130%.. Higiene e beleza 0,4538% 0,0106% 2,3271%.. Fumo e acessórios 0,0087% 0,0002% 1,7859%. Despesas diversas -1,4710% -0,0052% 0,3530%.. Animais -1,6807% -0,0052% 0,3090%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0441% * Valores de junho de 1996, quando foi introduzida a ponderação atual do ICV

15 15 Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo - ICV-DIEESE Janeiro de 2009 Estrato 3 - Famílias com renda superior (renda média = R$ 2.792,90*) (em%) DENOMINAÇÃO VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO Total Geral 0,0442% 0,0442% 100,0000%. Alimentação -0,1427% -0,0338% 23,6864%.. Produtos in natura e semielaborados -1,3393% -0,1227% 9,1642%.. Indústria da alimentação 0,4862% 0,0395% 8,1200%.. Alimentação fora do domicílio 0,7723% 0,0494% 6,4022%. Habitação 0,2196% 0,0484% 22,0488%.. Locação, impostos e condomínio 0,8095% 0,0513% 6,3392%.. Operação do domicílio -0,0100% -0,0012% 12,0997%.. Conservação do domicílio -0,0468% -0,0017% 3,6099%. Equipamentos Domésticos -0,1624% -0,0052% 3,2027%.. Eletrodomésticos e equipamentos -0,3112% -0,0045% 1,4585%.. Utensílios domésticos 0,4429% 0,0023% 0,5227%.. Móveis -0,3814% -0,0039% 1,0349%.. Rouparia 0,5198% 0,0010% 0,1866%. Transporte 0,1995% 0,0344% 17,2526%.. Individual 0,0429% 0,0060% 14,0977%.. Coletivo 0,8994% 0,0284% 3,1549%. Vestuário -1,1159% -0,0284% 2,5415%.. Roupas -1,5635% -0,0235% 1,5028%.. Calçados -0,2131% -0,0019% 0,8858%. Educação e Leitura 0,1201% 0,0124% 10,3570%.. Educação 0,0570% 0,0056% 9,7584%.. Leitura 1,1480% 0,0069% 0,5986%. Saúde 0,0663% 0,0105% 15,8456%.. Assistência médica 0,0821% 0,0112% 13,5913%.. Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0345% -0,0008% 2,2037%. Recreação 0,4473% 0,0069% 1,5378%.. Produtos 0,4481% 0,0042% 0,9426%.. Serviços 0,4459% 0,0027% 0,5952%. Despesas Pessoais 0,1687% 0,0052% 3,0606%.. Higiene e beleza 0,2637% 0,0051% 1,9448%.. Fumo e acessórios 0,0031% 0,0000% 1,1158%. Despesas Diversas -1,3454% -0,0063% 0,4670%.. Animais -1,6807% -0,0063% 0,3738%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0932% * Valores de junho de 1996, quando foi introduzida a ponderação atual do ICV

16 16 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV-DIEESE Índice Geral DENOMINAÇÃO MENSAL TRIMESTRAL SEMESTRAL NO ANO ANUAL Fevereiro/09 Dezt/2008 a Set/2008 a Jan/2009 a Mar/2008 a Total Geral 0,0197% 0,8024% 1,9120% 0,7050% 5,9526%.Alimentação -0,2422% 0,0665% 1,0825% 0,2697% 8,1606%.In natura e semielaborados -1,3177% -2,2116% -0,7104% -1,1716% 7,7296%.Indústria da alimentação 0,5433% 1,3297% 1,2241% 1,0236% 6,9408%.Fora do domicílio 0,7151% 2,9465% 4,9273% 2,1210% 11,4281%.Habitação 0,2209% 0,6175% 2,0161% 0,5075% 7,8920%.Locação, impostos e condomínio 0,9335% 1,8939% 3,2843% 1,8486% 9,2057%.Operação do domicílio -0,0241% 0,1393% 1,4223% 0,0270% 6,8188%.Conservação -0,1108% 0,1900% 2,0448% -0,0231% 9,7186%.Equipamento Doméstico -0,0986% 0,6340% 0,8308% 0,5813% -0,9778%.Eletrodomésticos -0,0728% 1,2611% 1,4804% 1,1322% -1,6526%.Utensílios 0,2981% 0,6681% 1,1669% 0,9910% 2,4711%.Móveis -0,4637% -0,1350% -0,0629% -0,3769% -1,8504%.Rouparia 0,6222% -0,4818% -0,5654% 0,1385% 0,7584%.Transporte 0,2851% 0,2642% 1,1704% 0,2169% 2,2753%.Individual 0,0418% -0,0607% 1,2176% -0,1271% 2,4557%.Coletivo 0,8771% 1,0569% 1,0569% 1,0569% 1,8421%.Vestuário -1,0167% -1,1672% -0,8280% -1,7475% 0,2177%.Roupas -1,4811% -2,0156% -2,1997% -2,8665% -2,6067%.Calçados -0,2271% 0,2779% 1,3853% 0,0247% 5,0877%.Educação e Leitura 0,1344% 5,9447% 6,1764% 5,9024% 7,6671%.Educação 0,0654% 6,2354% 6,4828% 6,2025% 7,8386%.Leitura 1,2647% 1,4541% 1,4541% 1,2747% 4,9715%.Saúde 0,0511% 0,8194% 2,6457% 0,1104% 4,6729%.Assistência médica 0,0717% 1,0313% 3,2842% 0,1563% 4,8138%.Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0374% -0,0452% 0,0947% -0,0818% 4,0446%.Recreação 0,4142% 0,1032% 0,0616% 0,1320% 1,9815%.Produtos 0,4147% -0,6044% -1,1475% -0,1048% -0,3043%.Serviços 0,4133% 1,2792% 2,0981% 0,5207% 5,9428%.Despesas Pessoais 0,2129% 1,3927% 3,1544% 1,3096% 7,7360%.Higiene e beleza 0,3529% 2,3445% 2,8512% 2,2025% 9,9962%.Fumo e acessórios 0,0057% 0,0109% 3,6082% 0,0115% 4,5438%.Despesas Diversas -1,4038% -0,9390% 0,7826% -0,4634% 10,0044%.Animais -1,6807% -1,1251% 0,9413% -0,5557% 13,4070%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% -4,3025%

17 17 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV-DIEESE Estrato 1 DENOMINAÇÃO MENSAL TRIMESTRAL SEMESTRAL NO ANO ANUAL Fevereiro/09 Dezt/2008 a Set/2008 a Jan/2009 a Mar/2008 a Total Geral -0,0185% 0,1847% 1,1663% 0,3344% 6,0075%.Alimentação -0,3281% -1,0653% -0,6580% -0,2818% 7,1289%.In natura e semielaborados -1,3022% -3,4903% -2,9246% -1,6502% 6,5340%.Indústria da alimentação 0,6379% 1,0247% 0,8184% 0,7924% 6,8563%.Fora do domicílio 0,7862% 3,1240% 4,8995% 2,2913% 10,7618%.Habitação 0,2289% 0,6611% 2,5495% 0,5161% 7,5804%.Locação, impostos e condomínio 1,1537% 2,3458% 3,9787% 2,2339% 9,2940%.Operação do domicílio -0,0527% 0,1841% 2,2380% 0,0121% 6,5945%.Conservação -0,1614% -0,2136% 1,2851% -0,2774% 9,5268%.Equipamento Doméstico -0,0639% 0,9847% 1,2888% 1,0411% -0,5385%.Eletrodomésticos 0,1991% 1,8550% 2,1849% 1,8836% -0,7484%.Utensílios -0,3292% 0,5555% -0,0086% 0,8508% 1,3336%.Móveis -0,5884% -0,1874% 0,5807% -0,3000% -1,5678%.Rouparia 0,7253% -0,4743% -0,0114% -0,0509% 0,9939%.Transporte 0,5851% 0,8106% 1,3397% 0,6185% 2,5528%.Individual 0,1216% 0,6389% 2,4260% 0,0009% 2,9919%.Coletivo 0,7838% 0,8839% 0,8839% 0,8839% 2,3670%.Vestuário -1,0829% -1,1581% -0,5654% -1,8225% 0,5943%.Roupas -1,6461% -2,3040% -2,2472% -3,1902% -2,7084%.Calçados -0,2738% 0,3302% 1,5840% -0,0423% 5,3066%.Educação e Leitura 0,2781% 5,8946% 6,1633% 5,8325% 7,9586%.Educação 0,1178% 5,9840% 6,2653% 5,9189% 7,7928%.Leitura 3,9579% 3,9579% 3,9579% 3,9579% 11,7573%.Saúde 0,0174% 0,6360% 2,1610% 0,0137% 4,4564%.Assistência médica 0,0290% 0,9773% 3,2725% 0,0416% 4,6307%.Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0039% 0,0143% 0,1775% -0,0376% 4,1376%.Recreação 0,0769% 0,2162% -0,2028% 0,2838% 2,2373%.Produtos 0,1564% 0,2863% -0,6011% 0,4350% 0,5915%.Serviços -0,0846% 0,0738% 0,6193% -0,0230% 5,7650%.Despesas Pessoais 0,2300% 1,2222% 3,2562% 1,1398% 7,8405%.Higiene e beleza 0,4329% 2,3391% 2,9897% 2,1792% 11,0915%.Fumo e acessórios 0,0064% 0,0142% 3,5528% 0,0138% 4,4576%.Despesas Diversas -1,4823% -0,9917% 0,8275% -0,4895% 10,1597%.Animais -1,6807% -1,1251% 0,9413% -0,5557% 13,4070%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% -8,9794%

18 18 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV-DIEESE Estrato 2 DENOMINAÇÃO MENSAL TRIMESTRAL SEMESTRAL NO ANO ANUAL Fevereiro/09 Dezt/2008 a Set/2008 a Jan/2009 a Mar/2008 a Total Geral -0,0150% 0,4320% 1,5152% 0,4370% 5,7164%.Alimentação -0,3417% -0,4561% 0,4030% 0,0044% 7,7528%.In natura e semielaborados -1,2900% -2,6711% -1,3604% -1,2603% 7,2265%.Indústria da alimentação 0,5709% 1,2940% 1,1018% 0,9791% 6,9886%.Fora do domicílio 0,4996% 2,7742% 4,9134% 1,8252% 11,8509%.Habitação 0,2182% 0,6609% 2,3457% 0,5122% 7,6558%.Locação, impostos e condomínio 1,1216% 2,2877% 3,8760% 2,1866% 8,9585%.Operação do domicílio -0,0339% 0,1756% 1,8378% 0,0253% 6,5888%.Conservação -0,2299% 0,0090% 1,9434% -0,2087% 10,0451%.Equipamento Doméstico -0,0697% 0,5752% 0,6015% 0,4997% -1,4445%.Eletrodomésticos 0,0366% 1,1674% 1,2897% 1,0882% -1,9948%.Utensílios 0,5133% 0,7718% 1,4367% 0,9252% 2,5825%.Móveis -0,6048% -0,3309% -0,6537% -0,6145% -2,3414%.Rouparia 0,6167% -0,1982% -0,4209% 0,3866% 0,2371%.Transporte 0,4021% 0,2991% 1,0661% 0,3004% 1,7618%.Individual 0,0180% -0,2579% 1,0585% -0,2557% 1,8129%.Coletivo 0,9361% 1,0768% 1,0768% 1,0768% 1,6918%.Vestuário -0,9754% -0,8827% -0,6703% -1,4622% 0,8290%.Roupas -1,5188% -1,6328% -2,2368% -2,5706% -2,3403%.Calçados -0,2656% 0,2791% 1,4784% 0,0054% 5,3280%.Educação e Leitura 0,1847% 5,5485% 5,8137% 5,4947% 7,4998%.Educação 0,0851% 5,8114% 6,0966% 5,7713% 7,6101%.Leitura 1,6452% 1,8954% 1,8954% 1,6584% 5,9339%.Saúde 0,0191% 0,7398% 2,3535% 0,0342% 4,2558%.Assistência médica 0,0471% 1,0407% 3,2183% 0,0881% 4,3648%.Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0631% -0,0877% 0,0235% -0,1206% 3,8932%.Recreação 0,4332% 0,0998% 0,0812% 0,0843% 1,9919%.Produtos 0,4713% -0,6306% -1,2214% -0,1920% -0,4049%.Serviços 0,3747% 1,2437% 2,1516% 0,5120% 5,9090%.Despesas Pessoais 0,2605% 1,3878% 3,3201% 1,2444% 7,9714%.Higiene e beleza 0,4538% 2,4635% 3,0980% 2,2052% 10,7424%.Fumo e acessórios 0,0087% 0,0137% 3,6124% 0,0139% 4,5478%.Despesas Diversas -1,4710% -0,9841% 0,8211% -0,4857% 10,0240%.Animais -1,6807% -1,1251% 0,9413% -0,5557% 13,4070%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% -8,7421%

19 19 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV - DIEESE Estrato 3 DENOMINAÇÃO MENSAL TRIMESTRAL SEMESTRAL NO ANO ANUAL Fevereiro/09 Dezt/2008 a Set/2008 a Jan/2009 a Mar/2008 a Total Geral 0,0442% 1,1454% 2,3110% 0,9266% 6,0429%.Alimentação -0,1427% 0,9492% 2,3290% 0,7168% 8,8865%.In natura e semi-elaborados -1,3393% -0,9399% 1,2507% -0,6928% 8,8598%.Indústria da alimentação 0,4862% 1,5070% 1,5179% 1,1571% 7,0029%.Fora do domicílio 0,7723% 2,9856% 4,9557% 2,1864% 11,4051%.Habitação 0,2196% 0,5845% 1,7503% 0,5039% 8,0490%.Locação, impostos e condomínio 0,8095% 1,6368% 2,8941% 1,6298% 9,2823%.Operação do domicílio -0,0100% 0,1042% 1,0090% 0,0323% 6,9607%.Conservação -0,0468% 0,3588% 2,2531% 0,1222% 9,5974%.Equipamento Doméstico -0,1624% 0,5843% 0,8228% 0,4783% -0,9411%.Eletrodomésticos -0,3112% 1,1386% 1,2923% 0,8739% -1,9330%.Utensílios 0,4429% 0,6834% 1,4317% 1,0234% 2,7496%.Móveis -0,3814% -0,0136% 0,1782% -0,2549% -1,6881%.Rouparia 0,5198% -0,6448% -0,8983% -0,0318% 1,0428%.Transporte 0,1995% 0,1681% 1,1744% 0,1321% 2,4207%.Individual 0,0429% -0,0556% 1,1752% -0,0996% 2,6015%.Coletivo 0,8994% 1,1716% 1,1716% 1,1716% 1,6275%.Vestuário -1,1159% -1,3326% -1,0973% -1,9576% -0,3658%.Roupas -1,5635% -2,1090% -2,3402% -3,0195% -2,9469%.Calçados -0,2131% 0,2397% 1,2737% 0,0318% 4,9221%.Educação e Leitura 0,1201% 6,0239% 6,2466% 5,9862% 7,6878%.Educação 0,0570% 6,3296% 6,5676% 6,3009% 7,8792%.Leitura 1,1480% 1,3253% 1,3253% 1,1574% 4,6922%.Saúde 0,0663% 0,8805% 2,8373% 0,1490% 4,8321%.Assistência médica 0,0821% 1,0348% 3,3034% 0,1856% 4,9393%.Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0345% -0,0453% 0,0958% -0,0778% 4,1194%.Recreação 0,4473% 0,1075% 0,1104% 0,1436% 1,9260%.Produtos 0,4481% -0,6636% -1,1567% -0,1106% -0,3565%.Serviços 0,4459% 1,3534% 2,1851% 0,5488% 5,7626%.Despesas Pessoais 0,1687% 1,4371% 3,0297% 1,3924% 7,5092%.Higiene e beleza 0,2637% 2,2737% 2,6879% 2,2015% 9,2584%.Fumo e acessórios 0,0031% 0,0072% 3,6323% 0,0086% 4,5827%.Despesas Diversas -1,3454% -0,8997% 0,7496% -0,4439% 9,7743%.Animais -1,6807% -1,1251% 0,9413% -0,5557% 13,4070%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% -2,5406%

Saúde pressiona a inflação

Saúde pressiona a inflação 1 São Paulo, 9 de setembro de 2009. NOTA À IMPRENSA Saúde pressiona a inflação Em agosto de 2009, o custo de vida no município de São Paulo apresentou taxa de 0,30%, ou seja, 0,19 ponto percentual (pp)

Leia mais

Taxa da Alimentação cai acentuadamente

Taxa da Alimentação cai acentuadamente 1 São Paulo, 8 de setembro de 2008. NOTA À IMPRENSA Taxa da Alimentação cai acentuadamente Em agosto, o custo de vida no município de São Paulo apresentou inflação de 0,32%, com 0,55 ponto percentual (pp.)

Leia mais

Custo de vida aumentou 0,24% em setembro

Custo de vida aumentou 0,24% em setembro 1 São Paulo, 04 de outubro de 2013. NOTA À IMPRENSA Custo de vida aumentou 0,24% em setembro Em setembro, o custo de vida no município de São Paulo apresentou alta de 0,24%, segundo cálculo do DIEESE Departamento

Leia mais

ICV-DIEESE sobe 0,08% em dezembro, com menor aumento da Alimentação

ICV-DIEESE sobe 0,08% em dezembro, com menor aumento da Alimentação 1 São Paulo, 12 de janeiro de 2010. NOTA À IMPRENSA ICV-DIEESE sobe 0,08% em dezembro, com menor aumento da Alimentação O Índice do Custo de Vida (ICV) subiu 0,08%, em dezembro, mostrando comportamento

Leia mais

ICV DIEESE: taxa é menor, mas serviços continuam a pressionar a inflação

ICV DIEESE: taxa é menor, mas serviços continuam a pressionar a inflação NOTA À IMPRENSA SÃO PAULO, 07 DE MARÇO DE 2005. ICV DIEESE: taxa é menor, mas serviços continuam a pressionar a inflação O custo de vida no município de São Paulo apresentou, em fevereiro, variação de

Leia mais

Reajuste de energia elétrica eleva custo de vida em São Paulo

Reajuste de energia elétrica eleva custo de vida em São Paulo 1 São Paulo, 09 de abril de 2015. NOTA À IMPRENSA Reajuste de energia elétrica eleva custo de vida em São Paulo Em março, o aumento do custo de vida no município de São Paulo foi de 1,26% em relação a

Leia mais

Energia elétrica e combustível elevam o custo de vida em São Paulo

Energia elétrica e combustível elevam o custo de vida em São Paulo 1 São Paulo, 09 de março de 2015. NOTA À IMPRENSA Energia elétrica e combustível elevam o custo de vida em São Paulo Em fevereiro, o custo de vida no município de São Paulo aumentou 1,40% em relação a

Leia mais

Alimentos ainda pressionam a inflação

Alimentos ainda pressionam a inflação 1 São Paulo, 06 de novembro de 2007. NOTA À IMPRENSA Alimentos ainda pressionam a inflação Em outubro, o custo de vida no município de São Paulo apresentou taxa de 0,33%, 0,03 ponto percentual(pp) acima

Leia mais

Dezembro dá trégua na inflação

Dezembro dá trégua na inflação 1 São Paulo, 8 de janeiro de 2013. NOTA À IMPRENSA Dezembro dá trégua na inflação O aumento do custo de vida em dezembro, no município de São Paulo, foi de 0,43%, taxa menor em 0,14 ponto percentual (pp.)

Leia mais

Educação eleva a inflação em janeiro

Educação eleva a inflação em janeiro 1 São Paulo, 10 de fevereiro de 2014. NOTA À IMPRENSA Educação eleva a inflação em janeiro Em janeiro, o custo de vida no município de São Paulo apresentou variação de 1,95%, segundo cálculo do DIEESE

Leia mais

Custo de vida não se altera em junho

Custo de vida não se altera em junho 1 São Paulo, 07 de julho de 2014. NOTA À IMPRENSA Custo de vida não se altera em junho O custo de vida no município de São Paulo, em junho, não apresentou variação em relação a maio, segundo cálculo do

Leia mais

Alimentos seguem pressionando a inflação

Alimentos seguem pressionando a inflação 1 São Paulo, 09 de maio de 2014. NOTA À IMPRENSA Alimentos seguem pressionando a inflação Em abril, o custo de vida no município de São Paulo aumentou 0,57%, segundo cálculo do DIEESE Departamento Intersindical

Leia mais

Custo de vida em São Paulo segue aumentando mais para as famílias de menor renda

Custo de vida em São Paulo segue aumentando mais para as famílias de menor renda 1 São Paulo, 7 de julho de 2016. NOTA À IMPRENSA Custo de vida em São Paulo segue aumentando mais para as famílias de menor renda Em junho, o Índice do Custo de Vida no município de São Paulo aumentou

Leia mais

Inflação sobe em março

Inflação sobe em março 1 São Paulo, 7 de abril de 2008. NOTA À IMPRENSA Inflação sobe em março Em março, o custo de vida no município de São Paulo apresentou aumento de 0,45%, o que representa 0,48 ponto percentual (pp) acima

Leia mais

Combustível pressiona inflação de fevereiro

Combustível pressiona inflação de fevereiro 1 São Paulo, 13 de março de 2006. Nota à imprensa Combustível pressiona inflação de fevereiro Em fevereiro, o índice do custo de vida (ICV) calculado pelo DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística

Leia mais

Custo de vida em São Paulo aumentou 0,36% em agosto

Custo de vida em São Paulo aumentou 0,36% em agosto 1 São Paulo, 12 de setembro de 2016. NOTA À IMPRENSA Custo de vida em São Paulo aumentou 0,36% em agosto Em agosto, o Índice do Custo de Vida do município de São Paulo aumentou 0,36% em relação a julho,

Leia mais

Medicamentos e alimentação pressionam o Custo de Vida em São Paulo

Medicamentos e alimentação pressionam o Custo de Vida em São Paulo 1 São Paulo, 9 de maio de 2016. NOTA À IMPRENSA Medicamentos e alimentação pressionam o Custo de Vida em São Paulo O Índice do Custo de Vida no município de São Paulo variou 0,57% entre março e abril,

Leia mais

Baixa renda é mais beneficiada com a queda na taxa do ICV

Baixa renda é mais beneficiada com a queda na taxa do ICV 1 São Paulo, 07 de agosto de 2013. Baixa renda é mais beneficiada com a queda na taxa do ICV NOTA À IMPRENSA Em julho, o custo de vida no município de São Paulo registrou variação de 0,09%, segundo cálculo

Leia mais

Ritmo da inflação cai em abril

Ritmo da inflação cai em abril 1 São Paulo, 8 de maio de 2013. NOTA À IMPRENSA Ritmo da inflação cai em abril Em abril, o custo de vida no município de São Paulo registrou variação de 0,31%, segundo cálculo do DIEESE Departamento Intersindical

Leia mais

Alimentos derrubam a inflação em abril

Alimentos derrubam a inflação em abril 1 São Paulo, 09 de maio de 2006. NOTA À IMPRENSA Alimentos derrubam a inflação em abril Após três meses em alta devido à forte pressão dos combustíveis, o Índice do Custo de Vida (ICV) calculado pelo DIEESE

Leia mais

Inflação afeta população de baixa renda

Inflação afeta população de baixa renda 1 São Paulo, 3 de julho de 2008. NOTA À IMPRENSA Inflação afeta população de baixa renda Em junho, o custo de vida no município de São Paulo apresentou inflação de 0,97%, com 0,10 ponto percentual (pp.)

Leia mais

Famílias de renda mais baixa continuam a ser mais afetadas pela inflação na cidade de São Paulo

Famílias de renda mais baixa continuam a ser mais afetadas pela inflação na cidade de São Paulo 1 São Paulo, 5 de agosto de 2016. NOTA À IMPRENSA Famílias de renda mais baixa continuam a ser mais afetadas pela inflação na cidade de São Paulo O Índice do Custo de Vida do município de São Paulo variou

Leia mais

Alimentação pressiona custo de vida em agosto

Alimentação pressiona custo de vida em agosto 1 São Paulo, 05 de setembro de 2007 NOTA À IMPRENSA Alimentação pressiona custo de vida em agosto Em agosto, o custo de vida no município de São Paulo apresentou taxa de 0,40%, superior à taxa de julho

Leia mais

Reajuste dos combustíveis eleva custo de vida em setembro

Reajuste dos combustíveis eleva custo de vida em setembro 1 São Paulo, 05 de outubro de 2017 NOTA À IMPRENSA Reajuste dos combustíveis eleva custo de vida em setembro O Índice do Custo de Vida do município de São Paulo variou 0,20% entre agosto e setembro, segundo

Leia mais

Custo de Vida aumentou 0,37% em São Paulo

Custo de Vida aumentou 0,37% em São Paulo 1 São Paulo, 07 de junho de 2017 NOTA À IMPRENSA Custo de Vida aumentou 0,37% em São Paulo Em maio, o Índice do Custo de Vida do município de São Paulo aumentou 0,37%, segundo cálculo do DIEESE (Departamento

Leia mais

Em outubro, inflação atinge mais as famílias com menor nível de renda

Em outubro, inflação atinge mais as famílias com menor nível de renda 1 São Paulo, 7 de novembro de 2006. NOTA À IMPRENSA Em outubro, inflação atinge mais as famílias com menor nível de renda Em outubro, o custo de vida no município de São Paulo registrou variação de 0,27%,

Leia mais

Em abril, custo de vida diminui na cidade de São Paulo

Em abril, custo de vida diminui na cidade de São Paulo 1 São Paulo, 09 de maio de 2017 NOTA À IMPRENSA Em abril, custo de vida diminui na cidade de São Paulo Em abril, o Índice do Custo de Vida do município de São Paulo diminuiu -0,18%, segundo cálculo do

Leia mais

Alimentos respondem pela inflação em agosto

Alimentos respondem pela inflação em agosto SÃO PAULO, 02 DE SETEMBRO DE 2004. Alimentos respondem pela inflação em agosto A alta nos preços dos alimentos foi o principal fator para que o Índice do Custo de Vida (ICV), calculado pelo DIEESE - Departamento

Leia mais

Custo de Vida em São Paulo aumentou 0,37%

Custo de Vida em São Paulo aumentou 0,37% 1 São Paulo, 08 de novembro de 2016 NOTA À IMPRENSA Custo de Vida em São Paulo aumentou 0,37% Entre setembro e outubro, o Índice do Custo de Vida do município de São Paulo aumentou 0,37%, segundo cálculo

Leia mais

Reajustes da energia elétrica e do gás de botijão elevam Custo de Vida em outubro

Reajustes da energia elétrica e do gás de botijão elevam Custo de Vida em outubro 1 São Paulo, 06 de novembro de 2017 NOTA À IMPRENSA Reajustes da energia elétrica e do gás de botijão elevam Custo de Vida em outubro Entre setembro e outubro, o Índice do Custo de Vida do município de

Leia mais

Custo de vida fecha o ano com taxa de 0,54%

Custo de vida fecha o ano com taxa de 0,54% NOTA À IMPRENSA SÃO PAULO, 06 DE JANEIRO DE 2005. Custo de vida fecha o ano com taxa de 0,54% Em dezembro, o aumento dos preços, no município de São Paulo, ficou em 0,54%, com uma redução de 0,29 ponto

Leia mais

Há três meses, inflação cresce

Há três meses, inflação cresce 1 São Paulo, 05 de junho de 2007. NOTA À IMPRENSA Há três meses, inflação cresce Em maio, o custo de vida no município de São Paulo apresentou variação de 0,63%, superior ao de abril (0,41%) em 0,22 pontos

Leia mais

Inflação em São Paulo acumula 10,00% em 12 meses

Inflação em São Paulo acumula 10,00% em 12 meses 1 São Paulo, 7 de agosto de 2015. NOTA À IMPRENSA Inflação em São Paulo acumula 10,00% em 12 meses Em julho, o índice de custo de vida no município de São Paulo aumentou 0,95% em relação a junho, segundo

Leia mais

Preço do Leite dispara em São Paulo

Preço do Leite dispara em São Paulo São Paulo, 7 de julho de 2009. NOTA À IMPRENSA Preço do Leite dispara em São Paulo Em junho de 2009, o custo de vida no município de São Paulo apresentou taxa de 0,05%, ou seja, -0,18 ponto percentual

Leia mais

Cigarro também prejudica o bolso do consumidor

Cigarro também prejudica o bolso do consumidor 1 São Paulo, 09 de maio de 2012. NOTA À IMPRENSA Cigarro também prejudica o bolso do consumidor O Índice do Custo de Vida - ICV, calculado pelo DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos

Leia mais

Preços dos alimentos diminuem em São Paulo

Preços dos alimentos diminuem em São Paulo 1 São Paulo, 09 de janeiro de 2017. NOTA À IMPRENSA Preços dos alimentos diminuem em São Paulo Segundo cálculo do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), de novembro

Leia mais

Queda nos preços dos alimentos desacelera custo de vida em São Paulo

Queda nos preços dos alimentos desacelera custo de vida em São Paulo 1 São Paulo, 07 de dezembro de 2016 NOTA À IMPRENSA Queda nos preços dos alimentos desacelera custo de vida em São Paulo O Índice do Custo de Vida do município de São Paulo aumentou 0,28%, entre outubro

Leia mais

Preços dos alimentos e dos combustíveis diminuem em São Paulo

Preços dos alimentos e dos combustíveis diminuem em São Paulo 1 São Paulo, 07 de julho de 2017 NOTA À IMPRENSA Preços dos alimentos e dos combustíveis diminuem em São Paulo O Índice do Custo de Vida do município de São Paulo registrou queda de -0,31% de maio para

Leia mais

Impacto de aumento dos combustíveis eleva ICV-DIEESE

Impacto de aumento dos combustíveis eleva ICV-DIEESE 1 São Paulo, 5 de novembro de 2009. NOTA À IMPRENSA Impacto de aumento dos combustíveis eleva ICV-DIEESE O custo de vida no município de São Paulo subiu 0,53%, em outubro, o que representa 0,26 ponto percentual

Leia mais

ICV-DIEESE chega a 11,46% ao final de 2015

ICV-DIEESE chega a 11,46% ao final de 2015 1 São Paulo, 11 de janeiro de 2016. NOTA À IMPRENSA ICV-DIEESE chega a 11,46% ao final de 2015 Em 2015, o Índice do Custo de Vida ICV - calculado pelo DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e

Leia mais

Taxa de inflação volta a subir

Taxa de inflação volta a subir 1 São Paulo, 10 de abril de 2012. NOTA À IMPRENSA Taxa de inflação volta a subir Em ço, o Índice do Custo de Vida ICV - calculado pelo DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Combustíveis e alimentos respondem pela inflação de outubro

Combustíveis e alimentos respondem pela inflação de outubro 1 São Paulo, 6 de novembro de 2005 Nota à imprensa Combustíveis e alimentos respondem pela inflação de outubro Em outubro, o custo de vida no município de São Paulo apresentou alta de 0,57%, segundo cálculo

Leia mais

Taxa da inflação cai acentuadamente em maio

Taxa da inflação cai acentuadamente em maio 1 NOTA À IMPRENSA São Paulo, 6 de junho de 2011 Taxa da inflação cai acentuadamente em maio O Índice do Custo de Vida ICV - calculado pelo DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Em março, preços voltam a subir

Em março, preços voltam a subir Em março, preços voltam a subir SÃO PAULO, 08 DE MARÇO DE 2004 Em março, o conjunto de bens e serviços que compõem o Índice do Custo de Vida (ICV), calculado pelo DIEESE - Departamento Intersindical de

Leia mais

ICV de 2006 fica em 2,57%, o menor desde 1998

ICV de 2006 fica em 2,57%, o menor desde 1998 1 São Paulo, 10 de janeiro de 2007. NOTA À IMPRENSA ICV de 2006 fica em 2,57%, o menor desde 1998 A inflação entre janeiro e dezembro de 2006, no município de São Paulo, registrou uma variação acumulada

Leia mais

ICV-DIEESE sobe 4,80%, em 2007

ICV-DIEESE sobe 4,80%, em 2007 1 São Paulo, 09 de janeiro de 2007. ICV-DIEESE sobe 4,80%, em 2007 NOTA À IMPRENSA Em 2007, o custo de vida no município de São Paulo acumulou alta de 4,80%, a maior desde 2004 (7,70%), segundo cálculo

Leia mais

Preços públicos e administrados respondem pela inflação de setembro

Preços públicos e administrados respondem pela inflação de setembro 1 São Paulo, 6 de outubro de 2005 Nota à imprensa Preços públicos e administrados respondem pela inflação de setembro O Índice do Custo de Vida (ICV) calculado pelo DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos

Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos 1 São Paulo, 06 de junho de 2014. NOTA À IMPRENSA Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos Em maio, o custo de vida no município de São Paulo aumentou 0,14%, segundo cálculo do DIEESE Departamento

Leia mais

Açúcar e tomate encarecem a Cesta Básica

Açúcar e tomate encarecem a Cesta Básica 1 São Paulo, 06 de outubro de 2009. NOTA À IMPRENSA Açúcar e tomate encarecem a Cesta Básica Das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos realiza

Leia mais

Apesar de menor, deflação continua

Apesar de menor, deflação continua 1 São Paulo, 06 de julho de 2006. NOTA À IMPRENSA Apesar de menor, deflação continua Pelo terceiro mês consecutivo, o Índice do Custo de Vida (ICV) calculado pelo DIEESE - Departamento Intersindical de

Leia mais

A inflação frente ao câmbio e preços internacionais

A inflação frente ao câmbio e preços internacionais São Paulo, 08 de outubro de 2008. NOTA À IMPRENSA A inflação frente ao câmbio e preços internacionais Entre outubro de 2007 e setembro último, a inflação medida pelo ICV-DIEESE foi de 6,79%, com forte

Leia mais

Ainda predominam os aumentos para a cesta em janeiro

Ainda predominam os aumentos para a cesta em janeiro 1 São Paulo, 04 de fevereiro de 2011. NOTA À IMPRENSA Ainda predominam os aumentos para a cesta em janeiro No mês de janeiro, os preços dos produtos alimentícios essenciais ainda mantiveram comportamento

Leia mais

CESTA BÁSICA MANTÉM TENDÊNCIA DE QUEDA NA MAIORIA DAS CIDADES

CESTA BÁSICA MANTÉM TENDÊNCIA DE QUEDA NA MAIORIA DAS CIDADES NOTA À IMPRENSA São Paulo, 03 de outubro de 2005. CESTA BÁSICA MANTÉM TENDÊNCIA DE QUEDA NA MAIORIA DAS CIDADES As três capitais da região Sul e a única da região Norte onde o DIEESE Departamento Intersindical

Leia mais

Cesta básica mais barata em 13 cidades

Cesta básica mais barata em 13 cidades 1 São Paulo, 04 de setembro de 2013 NOTA À IMPRENSA Cesta básica mais barata em 13 cidades Em agosto, 13 das 18 capitais em que o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Cesta básica sobe em nove capitais

Cesta básica sobe em nove capitais 1 São Paulo, 03 de agosto de 2007. NOTA À IMPRENSA Cesta básica sobe em nove capitais Em nove das 16 capitais onde o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos realiza mensalmente,

Leia mais

Influência do câmbio na inflação

Influência do câmbio na inflação 1 São Paulo, 05 de outubro de 2008. NOTA À IMPRENSA Influência do câmbio na inflação Muito se tem falado que o aumento do câmbio tem impacto nos preços do mercado interno. Para verificar as causas da inflação,

Leia mais

Preço da cesta básica diminui em 7 capitais

Preço da cesta básica diminui em 7 capitais 1 São Paulo, 06 de maio de 2009. NOTA À IMPRENSA Preço da cesta básica diminui em 7 capitais Sete das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos - realiza

Leia mais

Cesta básica mais barata em 14 cidades

Cesta básica mais barata em 14 cidades 1 São Paulo, 03 de outubro de 2013 NOTA À IMPRENSA Cesta básica mais barata em 14 cidades Em setembro, 14 das 18 capitais onde o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos)

Leia mais

Cesta básica está mais barata que há um ano

Cesta básica está mais barata que há um ano 1 São Paulo, 05 de agosto de 2009. NOTA À IMPRENSA Cesta básica está mais barata que há um ano Em 15 capitais brasileiras, o custo da cesta básica ficou, em julho deste ano, menor que em igual mês, em

Leia mais

Nove capitais têm queda no preço da cesta

Nove capitais têm queda no preço da cesta 1 São Paulo, 04 de setembro de 2009. NOTA À IMPRENSA Nove capitais têm queda no preço da cesta Nove capitais brasileiras seis delas do Nordeste registraram, em agosto, retração no custo da cesta básica,

Leia mais

Alimentos e combustíveis pressionam a inflação em março

Alimentos e combustíveis pressionam a inflação em março 1 São Paulo, 07 de abril de 2014. NOTA À IMPRENSA Alimentos e combustíveis pressionam a inflação em março Em março, a variação do custo de vida no município de São Paulo foi de 0,81%, segundo cálculo do

Leia mais

Cestas Básicas variam de -1,79% até 2,79%

Cestas Básicas variam de -1,79% até 2,79% 1 São Paulo, 03 de junho de 2011 NOTA À IMPRENSA Cestas Básicas variam de -1,79% até 2,79% Das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos realiza a

Leia mais

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Novembro de 2017

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Novembro de 2017 Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Novembro de 2017 Data 08/12/2017 nov/16 dez/16 jan/17 fev/17 mar/17 abr/17 mai/17 jun/17 jul/17 ago/17 set/17 out/17 nov/17 Variação

Leia mais

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Dezembro de 2017

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Dezembro de 2017 Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Dezembro de 2017 Data 10/01/2018 IPCA no mês dez/16 jan/17 fev/17 mar/17 abr/17 mai/17 jun/17 jul/17 ago/17 set/17 out/17 nov/17 dez/17

Leia mais

ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013

ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013 1 São Paulo, 8 de janeiro de 2014. ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013 NOTA À IMPRENSA Em 2013, o Índice do Custo de Vida ICV calculado pelo DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

CESTA BÁSICA T EM VARI AÇÕES ENTRE -5,22% E 4,31%

CESTA BÁSICA T EM VARI AÇÕES ENTRE -5,22% E 4,31% NOTA À IMPRENSA São Paulo, 04 de abril de 2005. CESTA BÁSICA T EM VARI AÇÕES ENTRE -5,22% E 4,31% Em março, metade das dezesseis capitais onde o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Sócio-Econômicas

Leia mais

Cesta básica volta a subir na maior parte das capitais

Cesta básica volta a subir na maior parte das capitais 1 São Paulo, 02 de setembro de 2011 Cesta básica volta a subir na maior parte das capitais NOTA À IMPRENSA Ao contrário do que ocorreu em julho, quando 14 cidades registraram queda no preço dos gêneros

Leia mais

JANEIRO Em janeiro de 2015 IPC de Salvador registra elevação de 1,65%

JANEIRO Em janeiro de 2015 IPC de Salvador registra elevação de 1,65% JANEIRO 2015 Em janeiro de 2015 IPC de Salvador registra elevação de 1,65% O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Salvador apresentou, em janeiro, incremento de 1,65%, variação superior à apurada no

Leia mais

Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) Vitória da Conquista

Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) Vitória da Conquista Pró- Administrativo O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de Vitória da Conquista apresentou, em janeiro de 2018, aumento de 0,48% 1 comparado ao mês de dezembro. No Gráfico 1, encontram-se as

Leia mais

Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo

Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo 1 São Paulo, 12 de fevereiro de 2016. NOTA À IMPRENSA Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo No primeiro mês do ano, o Índice do Custo de Vida no município

Leia mais

Preço da cesta sobe em nove capitais

Preço da cesta sobe em nove capitais 1 São Paulo, 5 de outubro de 2012 Preço da cesta sobe em nove capitais Nota à imprensa Em setembro, o preço dos gêneros alimentícios essenciais aumentou em nove das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento

Leia mais

Cesta básica tem forte alta em novembro

Cesta básica tem forte alta em novembro 1 São Paulo, 01 de dezembro de 2006 NOTA À IMPRENSA Cesta básica tem forte alta em novembro Apenas uma capital João Pessoa (-0,74%) registrou em novembro, variação negativa para o conjunto de produtos

Leia mais

Cesta Básica tem aumento em 12 cidades

Cesta Básica tem aumento em 12 cidades 1 São Paulo, 09 de dezembro de 2014. NOTA À IMPRENSA Cesta Básica tem aumento em 12 cidades Em novembro, houve aumento dos preços do conjunto de bens alimentícios essenciais em 12 das 18 cidades onde o

Leia mais

Cesta básica aumenta em todas capitais em 2012

Cesta básica aumenta em todas capitais em 2012 1 São Paulo, 07 de janeiro de 2013. NOTA À IMPRENSA Cesta básica aumenta em todas capitais em 2012 Em 2012 os preços da cesta básica apresentaram alta em todas 17 capitais onde o DIEESE - Departamento

Leia mais

BOLETIM MENSAL 30 - Nº Nº

BOLETIM MENSAL 30 - Nº Nº BOLETIM MENSAL Ano Ano 30 33 - Nº Nº 11 04 Novembro 1 Abril - 2017-2014 Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Departamento de Economia ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

Cesta básica: preços aumentam em 16 capitais

Cesta básica: preços aumentam em 16 capitais 1 São Paulo, 04 de abril de 2014. NOTA À IMPRENSA Cesta básica: preços aumentam em 16 capitais Em março, os preços dos gêneros alimentícios essenciais subiram em 16 das 18 capitais onde o DIEESE - Departamento

Leia mais

Valor da cesta básica aumenta em 17 capitais em 2014

Valor da cesta básica aumenta em 17 capitais em 2014 1 São Paulo, 09 de janeiro de 2015. NOTA À IMPRENSA Valor da cesta básica aumenta em 17 capitais em 2014 Em 2014, o valor acumulado da cesta básica aumentou em 17 das 18 capitais onde o DIEESE - Departamento

Leia mais

Alimentos básicos caem em metade das capitais

Alimentos básicos caem em metade das capitais 1 São Paulo, 06 de junho de 2006 NOTA À IMPRENSA Alimentos básicos caem em metade das capitais Das 16 capitais onde o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos realiza

Leia mais

Preços da cesta básica continuam em alta

Preços da cesta básica continuam em alta 1 São Paulo, 06 de março de 2007 NOTA À IMPRENSA Preços da cesta básica continuam em alta Em fevereiro, o preço do conjunto de gêneros alimentícios essenciais manteve o predomínio de alta, comportamento

Leia mais

Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 2,47% em janeiro de 2014

Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 2,47% em janeiro de 2014 1 Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 2,47% em janeiro de 2014 Porto Alegre, 06 de fevereiro de 2014. NOTA À IMPRENSA Em janeiro de 2014, a Cesta Básica de Porto Alegre registrou queda de 2,47%,

Leia mais

Cesta básica de Porto Alegre registra variação de 2,23% em julho

Cesta básica de Porto Alegre registra variação de 2,23% em julho Porto Alegre, 04 de agosto de 2017. Cesta básica de Porto Alegre registra variação de 2,23% em julho NOTA À IMPRENSA Em julho de 2017, a Cesta Básica de Porto Alegre calculada pelo DIEESE registrou variação

Leia mais

Cesta básica aumenta em 15 cidades

Cesta básica aumenta em 15 cidades 1 São Paulo, 07 de novembro de 2013 NOTA À IMPRENSA Cesta básica aumenta em 15 cidades Em outubro, 15 das 18 capitais em que o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Maioria das capitais tem alta no preço da cesta básica

Maioria das capitais tem alta no preço da cesta básica 1 São Paulo, 04 de junho de 2009. NOTA À IMPRENSA Maioria das capitais tem alta no preço da cesta básica Os preços dos produtos alimentícios essenciais voltaram a ter predominantemente aumento em maio,

Leia mais

Cesta básica fica mais cara em 14 capitais

Cesta básica fica mais cara em 14 capitais 1 São Paulo, 05 de abril de 2011 NOTA À IMPRENSA Cesta básica fica mais cara em 14 capitais Em março, os preços dos produtos alimentícios essenciais apresentaram alta em 14 das 17 capitais onde o DIEESE

Leia mais

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Agosto de 2017

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Agosto de 2017 Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Agosto de 2017 Data 06/09/2017 IPCA Mês e 12 meses 10,00 8,00 6,00 4,00 8,97 8,48 7,87 6,99 6,29 5,35 4,76 4,57 4,08 2,00 0,00 3,60

Leia mais

Cesta básica: Preços aumentam em 17 capitais

Cesta básica: Preços aumentam em 17 capitais 1 São Paulo, 08 de maio de 2014. NOTA À IMPRENSA Cesta básica: Preços aumentam em 17 capitais A alta nos preços dos produtos alimentícios essenciais, em abril, continuou a predominar em quase todas as

Leia mais

Novamente, cesta básica sobe em 11 capitais

Novamente, cesta básica sobe em 11 capitais 1 São Paulo, 03 de dezembro de 2007. NOTA À IMPRENSA Novamente, cesta básica sobe em 11 capitais A exemplo do que ocorreu em outubro, também em novembro o custo dos gêneros alimentícios de primeira necessidade

Leia mais

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC. IPCA Fevereiro 2017

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC. IPCA Fevereiro 2017 Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA Fevereiro 2017 Data 10/03/2017 IPCA Mês e 12 meses fev/16 fev/16 mar/16 mar/16

Leia mais

Cesta básica de Porto Alegre registra aumento de 4,35% em outubro de 2013

Cesta básica de Porto Alegre registra aumento de 4,35% em outubro de 2013 1 NOTA À IMPRENSA PORTO ALEGRE, 07 DE NOVEMBRO DE 2013. Cesta básica de Porto Alegre registra aumento de 4,35% em outubro de 2013 Em outubro de 2013, a Cesta Básica de Porto Alegre registrou aumento de

Leia mais

Nove cidades têm alta no preço da cesta

Nove cidades têm alta no preço da cesta 1 São Paulo, 5 de novembro de 2012 Nota à imprensa Nove cidades têm alta no preço da cesta Em outubro, o preço dos gêneros alimentícios essenciais aumentou em nove das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento

Leia mais

Cesta Básica sobe em todas as capitais

Cesta Básica sobe em todas as capitais São Paulo, 01 de dezembro de 2005 NOTA À IMPRENSA Cesta Básica sobe em todas as capitais Todas as 16 capitais onde o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos realiza,

Leia mais

Cesta básica: preços aumentam em 16 capitais

Cesta básica: preços aumentam em 16 capitais 1 São Paulo, 08 de abril de 2013. NOTA À IMPRENSA Cesta básica: preços aumentam em 16 capitais Em março, os preços dos gêneros alimentícios essenciais continuaram em alta e subiram em 16 das 18 capitais

Leia mais

Cesta básica sobe em todas as capitais

Cesta básica sobe em todas as capitais 1 São Paulo, 04 de setembro de 2007. NOTA À IMPRENSA Cesta básica sobe em todas as capitais Todas as 16 capitais onde o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos realiza

Leia mais

2006 começa com queda no preço da cesta básica

2006 começa com queda no preço da cesta básica 1 São Paulo, 02 de fevereiro de 2006 NOTA À IMPRENSA 2006 começa com queda no preço da cesta básica Em janeiro, o preço do conjunto de gêneros alimentícios essenciais registrou queda em 13 das 16 capitais

Leia mais

Preços recuam em 15 capitais

Preços recuam em 15 capitais 1 São Paulo,1º de setembro de 2008. NOTA À IMPRENSA Preços recuam em 15 capitais Em agosto, o preço do conjunto de gêneros alimentícios essenciais teve queda em 15 das 16 capitais onde o DIEESE - Departamento

Leia mais

Custo da cesta básica tem comportamento diversificado em outubro

Custo da cesta básica tem comportamento diversificado em outubro 1 São Paulo, 1º de novembro de 2017 Custo da cesta básica tem comportamento diversificado em outubro NOTA À IMPRENSA Em outubro, o custo do conjunto de alimentos essenciais apresentou queda em 11 das 21

Leia mais

Ano começa com alta no preço da cesta básica

Ano começa com alta no preço da cesta básica 1 São Paulo, 05 de fevereiro de 2007 NOTA À IMPRENSA Ano começa com alta no preço da cesta básica O preço do conjunto de gêneros alimentícios essenciais começou o ano em alta em 14 das 16 capitais onde

Leia mais

BOLETIM MENSAL 30 - Nº Nº

BOLETIM MENSAL 30 - Nº Nº BOLETIM MENSAL Ano Ano 30 32 - Nº Nº 11 06 Novembro 1 Junho - 2016-2014 Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Departamento de Economia ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

Alta no custo da cesta chega a 10,49%

Alta no custo da cesta chega a 10,49% 1 São Paulo, 07 de abril de 2010. NOTA À IMPRENSA Alta no custo da cesta chega a 10,49% Todas as 17 capitais brasileiras onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Preço da cesta básica aumenta em 13 cidades

Preço da cesta básica aumenta em 13 cidades 1 São Paulo, 07 de abril de 2015. NOTA À IMPRENSA Preço da cesta básica aumenta em 13 cidades Das 18 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos - realiza

Leia mais