Panorama dos leilões do 2º semestre de 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Panorama dos leilões do 2º semestre de 2013"

Transcrição

1 Panorama dos leilões do 2º semestre de 2013 Datas, aspectos gerais e sistemáticas 03/06/2013 Gerência de Leilões e Mercado Regulado

2 Agenda Data dos leilões no 2º semestre de º Leilão de Energia Existente Leilão A 17º Leilão de Ajuste 5º Leilão de Energia de Reserva 16º Leilão de Energia Nova Leilão A-5 NOVIDADES da CCEE para os Leilões

3 Agenda Data dos leilões no 2º semestre de º Leilão de Energia Existente Leilão A 17º Leilão de Ajuste 5º Leilão de Energia de Reserva 16º Leilão de Energia Nova Leilão A-5 NOVIDADES da CCEE para os Leilões

4 Datas dos leilões do 2º semestre de /06 11º Leilão de Energia Existente Leilão A 08/08 17º Leilão de Ajuste 23/08 5º Leilão de Energia de Reserva 29/08 16º Leilão de Energia Nova Leilão A-5

5 Agenda Data dos leilões no 2º semestre de º Leilão de Energia Existente Leilão A 17º Leilão de Ajuste 5º Leilão de Energia de Reserva 16º Leilão de Energia Nova Leilão A-5 NOVIDADES da CCEE para os Leilões

6 11º Leilão de Energia Existente Leilão A Data do leilão Tipo de Contrato Período de suprimento Participantes Lastro de venda Empreendimentos Documentação Regulatória 24/06/2013 Contrato de Comercialização de Energia no Ambiente Regulado (CCEAR) Modalidade Quantidade de Energia 01/07/2013 a 30/06/2014 (12 meses) Distribuidoras Geradores, autoprodutores e comercializadores Garantia física de empreendimento próprio Contratos de compra de energia na modalidade quantidade empreendimento identificado Todos os tipos de fonte de energia Lei nº /2013 Alterações MP 579 Decreto nº 7.850/2013 Alterações MP 579 Decreto nº 7.805/2013 Alterações MP 579 Portaria MME nº 129/2013 Diretrizes 11º LEE Portaria MME nº 089/2013 Diretrizes 11º LEE Portaria MME nº 047/2013 Diretrizes 11º LEE Portaria MME nº 544/2011 Sistemática LEE Edital nº 04/2013-Aneel

7 11º Leilão de Energia Existente Leilão A MP Alterações na Lei e no Decreto Medida Provisória 579 de 11/09/2012: Estabelecida para tratar das concessões de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, sobre a redução dos encargos setoriais e da modicidade tarifária. Foi convertida na Lei nº de 11/01/2013; Regulamentada pelos Decretos nº 7.805, de 14/11/2012 e nº 7.850, de 30/11/2012. Lei nº de 2013: Dispõe sobre as concessões de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, sobre a redução dos encargos setoriais e sobre a modicidade tarifária, altera a Lei nº /2004 e dá outras providências. Alterações na Lei de 2004: Artigo 2º, parágrafo 2º e inciso II: De: II - para a energia elétrica proveniente de empreendimentos de geração existentes, início de entrega no ano subsequente ao da licitação e prazo de suprimento de no mínimo 3 (três) e no máximo 15 (quinze) anos. Para: II - para a energia elétrica proveniente de empreendimentos de geração existentes, início de entrega no ano subsequente ao da licitação e prazo de suprimento de no mínimo um e no máximo 15 (quinze) anos. Incluído parágrafo 2o-A no inciso IV do parágrafo 2º do artigo 2º : 2o-A: Excepcionalmente, no ano de 2013, o início de entrega poder-se-á dar no ano da licitação, para a energia elétrica proveniente de empreendimentos de geração existentes.

8 11º Leilão de Energia Existente Leilão A MP Alterações na Lei e no Decreto Decreto nº de 2012: Regulamenta a Medida Provisória no 579, de 11 de setembro de 2012, que dispõe sobre as concessões de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, sobre a redução dos encargos setoriais, sobre a modicidade tarifária, e dá outras providências. Alterações no Decreto nº de 2004: Inclusão do parágrafo 7º: A apuração do montante de reposição deverá considerar a alocação de cotas da garantia física das usinas hidrelétricas nos termos da MP nº 579 de 2012, e de cotas de Angra I e II. Decreto nº de 2012: Regulamenta a Medida Provisória nº 579, de 11 de setembro de 2012, que dispõe sobre as concessões de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, sobre a redução dos encargos setoriais, sobre a modicidade tarifária. Alterações no Decreto nº de 2004: Artigo 24: Trata das declarações de necessidade de compra realizadas pelas distribuidoras para os leilões de energia existente. Alteração no inciso II do parágrafo 1º: De: II - da redução, com previsão contratual, da quantidade contratada pelos agentes de distribuição no ano A-1 Para: II - da redução da quantidade contratada pelos agentes de distribuição no ano A em relação ao ano A-1.

9 11º Leilão de Energia Existente Leilão A Características do Edital nº 04/2013 Aneel: Preço inicial/teto: R$ 171,80/MWh Lote de energia = 1 MW médio Garantia de Participação: R 5.000,00 por lote (para compradores e vendedores) Características da Sistemática - Portaria MME nº 544/2011: Leilão: com preço descendente (rodadas com decremento de preço) Produto: Quantidade Duas Etapas: Etapa uniforme: Rodadas com lances de quantidade de lotes de energia Etapa discriminatória: Único lance de preço associado a quantidade de lotes da etapa uniforme. Demanda: montante de reposição e montante incremental de energia declarados pelas distribuidoras art. 24 do Decreto nº 5163/2004. Haverá priorização de atendimento no leilão para o montante de reposição. Montante de reposição: vencimento de contratos de compra no ano A-1 e redução da quantidade contratada pelos agentes de distribuição no ano A em relação ao ano A-1. Obs: Não são consideradas as reduções de contratos de leilão de ajuste ou as declaradas no MCSD (Mecanismo de Compensação de Sobras e Déficits). Montante incremental: até 0,5% da carga do ano A-1 e a compra frustrada ou exposição contratual involuntária, reconhecida pela Aneel.

10 Agenda Data dos leilões no 2º semestre de º Leilão de Energia Existente Leilão A 17º Leilão de Ajuste 5º Leilão de Energia de Reserva 16º Leilão de Energia Nova Leilão A-5 NOVIDADES da CCEE para os Leilões

11 17º Leilão de Ajuste Data do leilão Tipo de Contrato Produtos Participantes Lastro de venda Documentação Regulatória 08/08/2013 Contrato de Comercialização de Energia no Ambiente Regulado (CCEAR) Modalidade Quantidade de Energia 01/10/2013 a 31/12/2013 (3 meses) 01/01/2014 a 31/12/2014 (12 meses) Distribuidoras Geradores, autoprodutores e comercializadores de energia Garantia física de empreendimento próprio Contratos de compra de energia na modalidade quantidade (art. 2º do Decreto nº 5.163/2004) Despacho nº 16/2013 Leilões de ajuste para 2013 Resolução Normativa nº 411/2010 Aprova Edital e sistemática

12 17º Leilão de Ajuste Característica do Edital com base na REN nº 411/2010 (ainda não publicado para este leilão): Preço inicial: PLD mínimo R$ 14,13 /MWh Preço teto: Valor de Referência (VR)* para o produto 3 meses = R$ 163,04/MWh Valor de Referência (VR)* para o produto 12 meses = a ser calculado para 2014 Garantia de Participação: R$ ,00 por lote somente para proponentes vendedores Lote de energia = 0,5 MW médio Características da Sistemática (REN nº 411/2010): Leilão: com preço ascendente (rodadas com incremento de preço) Produtos: Quantidade - 3 meses (ínicio: 01/10/2013) e 12 meses (início: 01/01/2014) e por submercado. Negociação: por produto, simultaneamente. Duas Etapas: Etapa Uniforme: Rodadas com lances de quantidade de lotes de energia Etapa discriminatória: Único lance de preço associado a quantidade de lotes da etapa uniforme iniciada após comparação entre oferta e demanda e a oferta for maior que a demanda. Participam os proponentes vendedores da última rodada uniforme. Demanda: declaração de compra das distribuidoras limitada a 1% da carga total contratada (parágrafo 1º do art. 26 do Decreto 5.163/2004). * Valor de Referência: calculado pela média dos preços de venda dos leilões A-3 e A-5 com entrega no mesmo ano A.

13 Agenda Data dos leilões no 2º semestre de º Leilão de Energia Existente Leilão A 17º Leilão de Ajuste 5º Leilão de Energia de Reserva 16º Leilão de Energia Nova Leilão A-5 NOVIDADES da CCEE para os Leilões

14 5º Leilão de Energia de Reserva Data do leilão Tipo de Contrato Início do suprimento e duração do contrato Empreendimentos 23/08/2013 Contrato de Energia de Reserva (CER) Modalidade Quantidade de Energia (CER) Início de suprimento: 01/09/2015 Duração do contrato: 20 anos Usinas de Energia Eólica (UEE) Participantes Documentação Regulatória Empreendedores com projetos de UEE habilitados tecnicamente pela EPE Agentes de consumo representados pela CCEE Decreto nº 6.353/2008 Diretrizes para Energia de Reserva Portaria MME nº 132/2013 -Diretrizes para o 5º LER Portaria MME nº 131/2013 Altera o cálculo GF

15 Edital ainda não publicado Preço inicial/teto: ainda não publicado Lote de energia: ainda não publicado 5º Leilão de Energia de Reserva Características Gerais da Sistemática (Diretrizes na Portaria MME nº 132, mas haverá outra específica para a sistemática): Produto: Quantidade Duas fases: 1ª fase classificação por ordem de preço considerando a capacidade de escoamento da Rede Básica e de fronteira e de cada instalação para conexão dos empreendimentos de geração ao sistema de transmissão 2ª fase negociação da energia proveniente das usinas associadas aos lances vencedores da 1ª fase. Demanda: determinada pelo MME. Leilão: Configuração para a 1ª fase do leilão com base na Nota Técnica conjunta da EPE com ONS. Rede de Transmissão: Capacidade de transmissão de energia elétrica existente e ampliações previstas para entrada em operação até 01/01/2015. Não haverá novas ICGs (Instalações de Transmissão de Interesse Exclusivo de Centrais de Geração para Conexão Compartilhada).

16 5º Leilão de Energia de Reserva CER (Contrato de Energia de Reserva): diretrizes para mitigar a incerteza da geração de energia elétrica por fonte eólica: Existência de períodos quadrienais; Limites de desvios anuais em relação ao contrato: 10% a menor (margem inferior) e 30% a maior (margem superior); Desvios positivos que ultrapassem a margem superior: reembolsados ao vendedor a 70% do preço do contrato em 12 parcelas mensais fixas no ano seguinte; Desvios negativos que ultrapassem a margem inferior: ressarcidos pelo vendedor à CONER (Conta de Energia de Reserva) a 115% do preço do contrato em 12 parcelas mensais fixas no ano seguinte; O saldo positivo de geração acumulado, a partir do segundo quadriênio, poderá ser: i. repassado como crédito de energia para o quadriênio seguinte; ii. cedido para outros empreendimentos de fonte eólica, com saldo acumulado negativo, desde que iii. contratados no mesmo leilão; ou reembolsado em 24 parcelas mensais nos 2 primeiros anos contratuais do quadriênio em curso ao preço do CER nesses anos. O saldo negativo de geração acumulado, a partir do segundo quadriênio, poderá ser: i. coberto por meio do mecanismo de cessão de empreendimentos do mesmo leilão e com saldo positivo ; ou ii. ressarcido à CONER em 12 parcelas mensais no 1º ano contratual do quadriênio em curso, valorado a 106% do preço do CER. Empreendimentos comprometidos com o CER não poderão firmar outros contratos; Energia gerada será valorada ao PLD na contabilização da CCEE para a CONER; Não haverá alteração de montante contratual como previsto nos CERs de outros leilões com eólicas.

17 5º Leilão de Energia de Reserva Cálculo de Garantia Física: ANTES (Portaria MME nº 258/2008): GF = 12 Em m= Onde: Em = compromisso firme de entrega de energia ao SIN pelo agente, em cada mês m em MWh, que deve ser menor ou igual aos montantes estimados de geração da certificação de medição anemométrica. DEPOIS (Portaria MME nº 131/2013): Onde: P90ac = produção anual de energia certificada, referente ao valor de energia anual que é excedido com uma probabilidade de ocorrência igual ou maior a 90% para um período de variabilidade futura de 20 anos, que deve constar do documento de Certificação de Medições Anemométricas e de Produção Anual de Energia, expresso em MWh/ano; TEIF = taxa de indisponibilidade forçada; IP = taxa de indisponibilidade programada; e P = estimativa do montante de consumo interno mais as perdas internas até o ponto de conexão, em MWh/ano.

18 5º Leilão de Energia de Reserva Novo Cálculo de Garantia Física - Considerações: Utilização do P90 : considera como resultado do cálculo o valor de geração ocorrida em 90% do período verificado. A utilização do parâmetro P90, ao invés do P50, reduz o risco de não atendimento da energia contratada em 10%. O cálculo fica mais restritivo e, consequentemente, a garantia física será menor. Por este motivo, no CER deste leilão não haverá reconciliação contratual (alteração do montante contratado) ao longo do contrato. O parâmetro P90 já é utilizado pelo BNDES para o financiamento dos empreendimentos eólicos.

19 Agenda Data dos leilões no 2º semestre de º Leilão de Energia Existente Leilão A 17º Leilão de Ajuste 5º Leilão de Energia de Reserva 16º Leilão de Energia Nova Leilão A-5 NOVIDADES da CCEE para os Leilões

20 16º Leilão de Energia Nova Leilão A-5 Data do leilão Tipo de Contrato Início do suprimento e duração do contrato Empreendimentos Participantes Documentação Regulatória 29/08/2013 Contrato de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado (CCEAR) Modalidade Quantidade e Disponibilidade Início de suprimento: 01/01/2018 Duração do contrato - quantidade: 30 anos Duração do contrato - disponibilidade: 25 anos Hidrelétricas: UHE e PCH Carvão Gás natural em ciclo combinado Biomassa com CVU igual ou diferente de zero Empreendedores com projetos habilitados tecnicamente pela EPE ou que aportaram garantia financeira para disputa de concessão Distribuidoras de energia Portaria MME nº 137/2013 Diretrizes para o 16º LEN

21 16º Leilão de Energia Nova Leilão A-5 Edital ainda não publicado Preço inicial/teto: ainda não publicado Lote de energia: ainda não publicado Diretrizes da Portaria MME nº 137 (sistemática ainda não publicada!!!): Produtos: Quantidade e Disponibilidade Demanda: Declaração das distribuidoras da necessidade de compra para o ano A (2018). Habilitação Técnica: Não serão habilitados tecnicamente pela EPE: Empreendimentos com CVU maior que R$ 105,00/ MWh; Empreendimentos a carvão ou a gás natural com ciclo combinado com inflexibilidade igual ou maior que 50%; e Empreendimento a gás natural liquefeito com despacho antecipado.

22 16º Leilão de Energia Nova Leilão A-5 Sistemáticas de leilões A-5 anteriores: Duas fases: 1ª fase Disputa de direito de participação na 2ª fase, com empreendimento de concessão de geração (UHE) em duas etapas: Inicial: lance único de preço (R$/MWh) Contínua: iniciada caso na etapa inicial existam preços com diferença menor ou igual a 5%. Disputa com lances de preço (R$/MWh) até que ocorra uma rodada sem lance. 2ª fase negociação da energia proveniente das usinas associadas aos lances vencedores da 1ª fase com projetos de PCH (para produto quantidade) e projetos termelétricos cadastrados para a 2ª fase (produto disponibilidade), também em duas etapas: Uniforme: lances de quantidade a preços decrescentes; Discriminatória: lance único de preço (R$/MWh) à quantidade ofertada na etapa uniforme.

23 Agenda Data dos leilões no 2º semestre de º Leilão de Energia Existente Leilão A 17º Leilão de Ajuste 5º Leilão de Energia de Reserva 16º Leilão de Energia Nova Leilão A-5 NOVIDADES da CCEE para os Leilões

24 NOVIDADES da CCEE para os Leilões NOVA apresentação dos leilões no site da CCEE, com maior destaque para os resultados de cada leilão NOVO arquivo divulgado pela CCEE aos agentes, com o resultado consolidado de todos os leilões já realizados

25 NOVIDADES da CCEE para os Leilões PRINCIPAIS MUDANÇAS NO SITE: 1- Ao acessar a seção O QUE FAZEMOS, o usuário do site tem acesso direto às atividades da CCEE, dispostas agora em um menu lateral esquerdo. Antes, era necessário clicar em O que fazemos, depois em Atividades, para então selecionar a atividade desejada.

26 NOVIDADES da CCEE para os Leilões PRINCIPAIS MUDANÇAS: 2- Na subseção de Leilões, é possível acessar os documentos dos próximos leilões logo na primeira página. Os resultados e informações dos leilões anteriores estão acessíveis nas abas ao lado.

27 NOVIDADES da CCEE para os Leilões PRINCIPAIS MUDANÇAS: 3- Clicando em Resumo e Exibir Documentos do Leilão, é possível visualizar o botão Baixar todos os arquivos do leilão e ter acesso a todos os arquivos de uma só vez, baixando uma pasta compactada.

28 NOVIDADES da CCEE para os Leilões NOVO ARQUIVO DISPONIBILIZADO NO SITE DA CCEE: Arquivo em formato XLS (planilha) com as informações consolidadas dos resultados de todos os leilões realizados até o momento, além de: Atualização monetária (trazer a valor presente) dos preços de venda pelo IPCA; Situação das usinas que negociaram nos leilões; Montantes negociados por ano, considerando escalonamento, quando couber; Efeitos da Resolução Homologatória nº de 2013 alteração de CCEARs para redução das tarifas de energia elétrica. Atualizações mensais com divulgação todo dia 15; Primeira divulgação em 15 de junho de 2013.

23º Leilão de Energia Nova

23º Leilão de Energia Nova 1 23º Leilão de Energia Nova Realização: 29/04/2016 Categoria: A-5 Análise Pré-leilão Análise Pós-leilão O documento em PDF encontra-se em anexo (Esta análise foi distribuída às 19:30 do dia 28/04/2016)

Leia mais

Módulo 7 Energia de Reserva. Submódulo 7.1 Apurações da energia de reserva

Módulo 7 Energia de Reserva. Submódulo 7.1 Apurações da energia de reserva Módulo 7 Energia de Reserva Submódulo 7.1 Apurações da energia ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO DE ATIVIDADES 6. DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES 7. ANEXOS Revisão Motivo

Leia mais

A Inserção da Energia Eólica no Brasil Mesa Redonda: Energia Eólica

A Inserção da Energia Eólica no Brasil Mesa Redonda: Energia Eólica A Inserção da Energia Eólica no Brasil Mesa Redonda: Energia Eólica Élbia Melo 10/02/2010 Agenda Visão Geral da CCEE e do Mercado de Energia Comercialização de Energia de Eólica PROINFA ACL ACR Energia

Leia mais

21º Leilão de Energia Nova

21º Leilão de Energia Nova 1 21º Leilão de Energia Nova Realização: 30/04/2015 Categoria: A-5 Análise Pré-leilão Análise Pós-leilão O documento em PDF encontra-se em anexo (Esta análise foi distribuída às 17:30 do dia 29/04/2015)

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA N o 293, DE 4 DE AGOSTO DE 2017. O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único,

Leia mais

18º Leilão de Energia Nova

18º Leilão de Energia Nova 1 18º Leilão de Energia Nova Realização: 13/12/2013 Categoria: A-5 Análise Pré-leilão Análise Pós-leilão O documento em PDF encontra-se em anexo (Esta análise foi distribuída às 17:30 do dia 12/12/2013)

Leia mais

Visão Geral do Modelo de Comercialização de Energia no Brasil ABINEE TEC 2007

Visão Geral do Modelo de Comercialização de Energia no Brasil ABINEE TEC 2007 Visão Geral do Modelo de Comercialização de Energia no Brasil ABINEE TEC 2007 Luiz Henrique Alves Pazzini Gerência de Acompanhamento de Mercado - GAM 25 de abril de 2007 Agenda Comercialização de Energia

Leia mais

VI Conferência de PCHs Mercado & Meio-Ambiente Comercialização de Energia Elétrica Proveniente de PCHs no Brasil

VI Conferência de PCHs Mercado & Meio-Ambiente Comercialização de Energia Elétrica Proveniente de PCHs no Brasil VI Conferência de PCHs Mercado & Meio-Ambiente Comercialização de Energia Elétrica Proveniente de PCHs no Brasil Antônio Carlos Fraga Machado Presidente do Conselho de Administração Câmara de Comercialização

Leia mais

XX Simpósio Jurídico da ABCE. Os 10 anos da Lei /2004, reflexões e perspectivas.

XX Simpósio Jurídico da ABCE. Os 10 anos da Lei /2004, reflexões e perspectivas. XX Simpósio Jurídico da ABCE Os 10 anos da Lei 10.848/2004, reflexões e perspectivas. São Paulo Outubro de 2014 Ricardo Brandão Procurador-Geral da ANEEL Marcos normativos antecedentes à Lei 10.848/2004

Leia mais

Módulo 3 Contratação de Energia e Potência

Módulo 3 Contratação de Energia e Potência Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 3 Contratação de Energia e Potência Submódulo 3.5 Receita de Venda de CCEAR Revisão 1.0 Vigência 16/10/2012 1 Submódulo 3.5 Receita de venda de CCEAR ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ESTUDOS PARA A EXPANSÃO DA GERAÇÃO

ESTUDOS PARA A EXPANSÃO DA GERAÇÃO ESTUDOS PARA A EXPANSÃO DA GERAÇÃO Metodologia de Contabilização da Produção Eólica Ministério de Minas e Energia ESTUDOS PARA A EXPANSÃO DA GERAÇÃO GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA MME/SPE

Leia mais

A EVOLUÇÃO DA REGULAÇÃO REFERENTE À OPERAÇÃO DE USINAS TERMELÉTRICAS. Autores:

A EVOLUÇÃO DA REGULAÇÃO REFERENTE À OPERAÇÃO DE USINAS TERMELÉTRICAS. Autores: USINAS TERMELÉTRICAS Autores: Hermínio Fonseca Almeida ONS Joel Mendes Pereira ONS José Renato Dantas ONS Marcelo Prais ONS Ney Fukui da Silveira ONS Paulo César P. da Cunha ONS Túlio Mascarenhas Horta

Leia mais

Nº 54 Fevereiro/

Nº 54 Fevereiro/ www.ccee.org.br Nº 54 Fevereiro/212 8 1 8 O Info Mercado é uma publicação mensal que traz os principais resultados das operações contabilizadas no âmbito da CCEE. Esta edição refere-se aos dados da contabilização

Leia mais

1. SUMÁRIO EXECUTIVO. O Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) encerrou janeiro/2015 com um fator de ajuste de 80,6%.

1. SUMÁRIO EXECUTIVO. O Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) encerrou janeiro/2015 com um fator de ajuste de 80,6%. O InfoMercado mensal apresenta os dados da prévia de medição de fevereiro/15 e os principais resultados da contabilização das operações do mercado de energia elétrica em janeiro/15. Este boletim traz um

Leia mais

ER - TRATAMENTO DA ENERGIA DE RESERVA NA CCEE

ER - TRATAMENTO DA ENERGIA DE RESERVA NA CCEE - TRATAMENTO DA ENERGIA DE RESERVA NA CCEE www.ccee.org.br Nº 27 Fevereiro/2012 0800 10 00 08 O objetivo desse relatório é apresentar os valores associados ao encargo, fundo de garantia e saldo da CONER

Leia mais

XIII Fórum Nacional de Energia e Meio Ambiente no Brasil. A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro. 15 de agosto de 2012

XIII Fórum Nacional de Energia e Meio Ambiente no Brasil. A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro. 15 de agosto de 2012 XIII Fórum Nacional de Energia e Meio Ambiente no Brasil A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro 15 de agosto de 2012 Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração

Leia mais

PORTARIA Nº564, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014

PORTARIA Nº564, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014 PORTARIA Nº564, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014 O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, incisos II e IV, da Constituição, tendo em vista o disposto

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Gabinete do Ministro

Ministério de Minas e Energia Gabinete do Ministro Ministério de Minas e Energia Gabinete do Ministro PORTARIA N o 172, DE 10 DE MAIO DE 2016 O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, incisos

Leia mais

Matriz elétrica brasileira e fontes de geração

Matriz elétrica brasileira e fontes de geração Matriz elétrica brasileira e fontes de geração Fernando Umbria LPS Consultoria Energética Agenda Características gerais e conceitos importantes Aspectos legais e regulatórios Os geradores e o mercado de

Leia mais

Ministério de Minas e Energia. Gabinete do Ministro

Ministério de Minas e Energia. Gabinete do Ministro Ministério de Minas e Energia Gabinete do Ministro PORTARIA N o 197, DE 1 o DE ABRIL DE 2011. O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único,

Leia mais

Balanço Energético. Versão 1.0

Balanço Energético. Versão 1.0 ÍNDICE BALANÇO ENERGÉTICO 4 1. Introdução 4 1.1. Lista de Termos 6 1.2. Conceitos Básicos 7 2. Detalhamento do Cálculo do 10 2.1. Cálculo do 10 2 Controle de Alterações Revisão Motivo da Revisão Instrumento

Leia mais

Antônio Carlos Fraga Machado Conselheiro de Administração - CCEE

Antônio Carlos Fraga Machado Conselheiro de Administração - CCEE Painel 3 - INTEGRAÇÃO NO MERCOSUL Seminário Internacional de Integração Elétrica da América do Sul 7 de agosto de 2012 Antônio Carlos Fraga Machado Conselheiro de Administração - CCEE Sistema Interligado

Leia mais

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Palestra Apimec RJ 19/set/2011 Leonardo Lima Gomes Agenda 1. Visão Geral do Setor 2. Mercado de Energia Elétrica 3. Perspectivas Desenvolvimento Mercado 4. Perspectivas

Leia mais

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração Operações do Mercado de Energia Evolução e Perspectiva Seminário FIEPE 11 de abril de 2013 Paulo Born Conselho de Administração Agenda Visão Geral do Mercado de Energia Governança e Ambientes de Comercialização

Leia mais

O Mercado Livre: situação atual, aperfeiçoamentos esperados e a proposta de comercialização de excedentes

O Mercado Livre: situação atual, aperfeiçoamentos esperados e a proposta de comercialização de excedentes O Mercado Livre: situação atual, aperfeiçoamentos esperados e a proposta de comercialização de excedentes Fórum Novas Oportunidades para os Consumidores Livres Antônio Carlos Fraga Machado Presidente do

Leia mais

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº035/2010

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº035/2010 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº035/2010 NOME DA INSTITUIÇÃO: CCEE AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: (Especificar Nome/Tipo, nº e data, caso

Leia mais

8 de agosto de Ricardo Lima Conselheiro de Administração - CCEE. Estrutura tarifária "ponta/fora da ponta Perspectiva dos atores

8 de agosto de Ricardo Lima Conselheiro de Administração - CCEE. Estrutura tarifária ponta/fora da ponta Perspectiva dos atores Estrutura tarifária "ponta/fora da ponta Perspectiva dos atores Seminário Autoprodução de Energia Elétrica na Ponta Impactos e Perspectivas 8 de agosto de 2012 Ricardo Lima Conselheiro de Administração

Leia mais

2 Novo Modelo do Setor Elétrico Brasileiro

2 Novo Modelo do Setor Elétrico Brasileiro 2 Novo Modelo do Setor Elétrico Brasileiro Segundo a lei federal no. 10.848, esse novo modelo tem três objetivos principais: garantir a segurança no suprimento da energia elétrica, atingir a modicidade

Leia mais

Visão Geral das Operações na CCEE. Junho/2015

Visão Geral das Operações na CCEE. Junho/2015 Visão Geral das Operações na CCEE Junho/2015 1. Visão do Sistema Elétrico 2. Modelo Institucional 3. Comercialização de Energia do SIN 4. Principais Regras de Comercialização 1. Visão do Sistema Elétrico

Leia mais

VOTO. INTERESSADO: Ministério de Minas e Energia e Agentes do Setor Elétrico.

VOTO. INTERESSADO: Ministério de Minas e Energia e Agentes do Setor Elétrico. VOTO PROCESSO: 48500.002827/2013-76. INTERESSADO: Ministério de Minas e Energia e Agentes do Setor Elétrico. RELATOR: Diretor Romeu Donizete Rufino. RESPONSÁVEL: Comissão Especial de Licitação - CEL e

Leia mais

Geração Distribuída de Energia Elétrica

Geração Distribuída de Energia Elétrica Geração Distribuída de Energia Elétrica Seminário Internacional - Impactos dos Recursos Energéticos Distribuídos sobre o Setor de Distribuição 20/05/2016 Roberto Castro Conselheiro de Administração Agenda

Leia mais

Repactuação do Risco Hidrológico MP nº 688/2015

Repactuação do Risco Hidrológico MP nº 688/2015 Repactuação do Risco Hidrológico MP nº 688/2015 Lei nº 10.848/2004 (Redação Original) Art. 2 o... 1 o Na contratação regulada, os riscos hidrológicos serão assumidos conforme as seguintes modalidades contratuais:

Leia mais

CEC de usinas eólicas

CEC de usinas eólicas CEC de usinas eólicas Avaliação crítica da formulação e proposta de nova metodologia considerando os aspectos contratuais da fonte Gabriel Malta Castro 1 Amaro Olímpio Pereira Júnior 2 Resumo: O valor

Leia mais

Geração Distribuída de Energia Elétrica e Geração Solar

Geração Distribuída de Energia Elétrica e Geração Solar Geração Distribuída de Energia Elétrica e Geração Solar Seminário franco-brasileiro de Energia Solar - FIESP 25/08/2016 Roberto Castro Conselheiro de Administração Agenda Comercialização de Energia Elétrica

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA N o 125, DE 14 DE JUNHO DE 2007. O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo

Leia mais

ER - TRATAMENTO DA ENERGIA DE RESERVA NA CCEE

ER - TRATAMENTO DA ENERGIA DE RESERVA NA CCEE - TRATAMENTO DA ENERGIA DE RESERVA NA CCEE www.ccee.org.br Nº 36 Novembro/2012 0800 10 00 08 O objetivo desse relatório é apresentar os valores associados ao encargo, fundo de garantia e saldo da CONER

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA N o 391, DE 13 DE OUTUBRO DE 2009. O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único,

Leia mais

Renewable Energy Projects

Renewable Energy Projects Grid Connectivity for Renewable Energy Projects 2nd REFF Latin America 2009 28 de abril de 2009 Roberto Gomes Diretor ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico Sumário Estrutura do Setor Elétrico Brasileiro

Leia mais

Esta edição refere-se ao 3º Leilão de Fontes Alternativas (3º LFA), realizado em 27 de abril de Conteúdo: SUMÁRIO EXECUTIVO...

Esta edição refere-se ao 3º Leilão de Fontes Alternativas (3º LFA), realizado em 27 de abril de Conteúdo: SUMÁRIO EXECUTIVO... O InfoLeilão é uma publicação que analisa os resultados de leilões realizados para contratação de energia elétrica necessária ao atendimento do mercado de energia no Ambiente de Contratação Regulado (ACR).

Leia mais

Solange David. Vice-presidente do conselho de administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE)

Solange David. Vice-presidente do conselho de administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) Solange David Vice-presidente do conselho de administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) Contribuição das energias renováveis para a mitigação de GEE: oportunidades e desafios

Leia mais

Workshop: Smart Grids e Redes em Desenvolvimento Intermédio: Problemas Técnicos e Questões Regulatórias Vitor L. de Matos, D. Eng.

Workshop: Smart Grids e Redes em Desenvolvimento Intermédio: Problemas Técnicos e Questões Regulatórias Vitor L. de Matos, D. Eng. Workshop: Smart Grids e Redes em Desenvolvimento Intermédio: Problemas Técnicos e Questões Regulatórias Vitor L. de Matos, D. Eng. VII Conferência Anual da RELOP Praia, Cabo Verde 04 e 05/09/2014 Workshop:

Leia mais

Caderno Algébrico Garantias Financeiras Garantias Financeiras

Caderno Algébrico Garantias Financeiras Garantias Financeiras Caderno Algébrico Garantias Financeiras Garantias Financeiras Versão 1.0 ÍNDICE GARANTIAS FINANCEIRAS 3 1. O Esquema Geral 3 2. Cálculo de Garantias Financeiras 5 2.1. Determinação do Lastro Físico 5 2.2.

Leia mais

MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA 1

MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA 1 MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA 1 2 MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA SUMÁRIO 1. Organização 2. Como está estruturado o mercado de energia elétrica? 3. Quais são as

Leia mais

Utilities Day Santander São Paulo, Fevereiro de 2016

Utilities Day Santander São Paulo, Fevereiro de 2016 Utilities Day Santander São Paulo, Fevereiro de 2016 1 Fluxos nos Sistemas de Potência O fluxo dos elétrons Baseado em Leis Universais: - Kirchhoff's - Ohm s - Gauss s - Equações de Maxwell - Equações

Leia mais

O COMERCIALIZADOR E A GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO NOVO PANORAMA DO SETOR ELÉTRICO. Walfrido Avila - 06/2002

O COMERCIALIZADOR E A GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO NOVO PANORAMA DO SETOR ELÉTRICO. Walfrido Avila - 06/2002 O COMERCIALIZADOR E A GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO NOVO PANORAMA DO SETOR ELÉTRICO Walfrido Avila - 06/2002 1 1 - CENÁRIOS DE EVOLUÇÃO DO SISTEMA INTERLIGADO CENÁRIO DE REFERÊNCIA (1) Critérios com base na Resolução

Leia mais

AM.10 AFERIÇÃO E APLICAÇÃO DE PENALIDADES COBERTURA DE CONSUMO, LASTRO PARA VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA E POTÊNCIA

AM.10 AFERIÇÃO E APLICAÇÃO DE PENALIDADES COBERTURA DE CONSUMO, LASTRO PARA VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA E POTÊNCIA Procedimento de Comercialização Controle de Alterações AFERIÇÃO E APLICAÇÃO DE PENALIDADES COBERTURA DE CONSUMO, LASTRO PARA VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA E POTÊNCIA Versão 2 METODOLOGIA DO Texto em realce

Leia mais

Tiago de Barros Correia Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. O SERVIÇO DE DISTRIBUIÇÃO DE ELETRICIDADE: Desafios de curto e médio prazo

Tiago de Barros Correia Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. O SERVIÇO DE DISTRIBUIÇÃO DE ELETRICIDADE: Desafios de curto e médio prazo Tiago de Barros Correia Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL O SERVIÇO DE DISTRIBUIÇÃO DE ELETRICIDADE: Desafios de curto e médio prazo Roteiro Apresentação institucional As competências da ANEEL

Leia mais

CCEE Situação Atual e Evoluções. Workshop Andrade&Canellas de agosto de Paulo Born Conselheiro de Administração - CCEE

CCEE Situação Atual e Evoluções. Workshop Andrade&Canellas de agosto de Paulo Born Conselheiro de Administração - CCEE CCEE Situação Atual e Evoluções Workshop Andrade&Canellas 2012 17 de agosto de 2012 Paulo Born Conselheiro de Administração - CCEE Responsabilidades da CCEE - Evolução 27) RRV usinas em atraso 28) Gestão

Leia mais

Nº 008 Agosto/ Nº de usinas

Nº 008 Agosto/ Nº de usinas Nº de usinas www.cceorg.br Nº 008 Agosto/2014 0 10 00 08 Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia

Leia mais

Versão: 3 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº3.720, de 26 de dezembro de 2007.

Versão: 3 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº3.720, de 26 de dezembro de 2007. Procedimento de Comercialização DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES DE AUTOPRODUÇÃO E PRODUÇÃO INDEPENDENTE DE ENERGIA PARA APLICAÇÃO DAS TARIFAS DE USO DOS SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSMISSÃO Versão: 3 Início

Leia mais

Regulação do Setor Elétrico Brasileiro Contexto e Desafios Atuais

Regulação do Setor Elétrico Brasileiro Contexto e Desafios Atuais Regulação do Setor Elétrico Brasileiro Contexto e Desafios Atuais Seminário Internacional Desafios da Regulação do Setor Elétrico Romeu Donizete Rufino Diretor-Geral da ANEEL 12 de fevereiro de 2015 Universidade

Leia mais

Regulação para o Uso de Fontes Alternativas na Geração de Energia Elétrica no Brasil

Regulação para o Uso de Fontes Alternativas na Geração de Energia Elétrica no Brasil Regulação para o Uso de Fontes Alternativas na Geração de Energia Elétrica no Brasil (Incentivos e Desenvolvimento) Aymoré de Castro Alvim Filho Eng. Eletricista, Dr. Especialista em Regulação, SRG/ANEEL

Leia mais

DECRETO Nº 5.163, DE 30 DE JULHO DE 2004

DECRETO Nº 5.163, DE 30 DE JULHO DE 2004 DECRETO Nº 5.163, DE 30 DE JULHO DE 2004 Regulamenta a comercialização de energia elétrica, o processo de outorga de concessões de autorizações de geração de energia elétrica, e dá outras providências.

Leia mais

Evolução dos Contratos de Energia nas últimas décadas e os Recursos Naturais

Evolução dos Contratos de Energia nas últimas décadas e os Recursos Naturais Evolução dos Contratos de Energia nas últimas décadas e os Recursos Naturais 6º Painel - Direito da Concorrência e a Regulação Setorial harmonização e discordâncias Visão da Comercialização de Energia

Leia mais

2 O setor elétrico brasileiro

2 O setor elétrico brasileiro 2 O setor elétrico brasileiro O setor elétrico divide-se basicamente quatro segmentos: geração, transmissão, distribuição e comercialização. A geração de energia é composta por centrais hidrelétricas ou

Leia mais

ÍNDICE. 1 Definições Gerais Objetivos Fluxo Geral das Regras de Comercialização Definições e Interpretações (DI)...

ÍNDICE. 1 Definições Gerais Objetivos Fluxo Geral das Regras de Comercialização Definições e Interpretações (DI)... CONTABILIZAÇÃO DEFINIÇÕES E INTERPRETAÇÕES Versão 2010 Resolução Normativa ANEEL n 385/2009 ÍNDICE 1 Definições Gerais... 3 1.1 Objetivos... 3 1.2 Fluxo Geral das Regras de Comercialização... 4 2 Definições

Leia mais

GERAÇÃO DISTRIBUIDA MODELO E LEGISLAÇÃO DO SETOR ELÉTRICO RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL Nº 482/2012. Secretaria de Energia Elétrica SEE

GERAÇÃO DISTRIBUIDA MODELO E LEGISLAÇÃO DO SETOR ELÉTRICO RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL Nº 482/2012. Secretaria de Energia Elétrica SEE GERAÇÃO DISTRIBUIDA MODELO E LEGISLAÇÃO DO SETOR ELÉTRICO RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL Nº 482/2012 Secretaria de Energia Elétrica SEE MODELO ATUAL DO SETOR ELÉTRICO PILARES SEGURANÇA ENERGÉTICA UNIVERSALIZAÇÃO

Leia mais

Esta edição refere-se ao 21º Leilão de Energia Nova (A-5), realizado em 30 de abril de Conteúdo: SUMÁRIO EXECUTIVO... 2

Esta edição refere-se ao 21º Leilão de Energia Nova (A-5), realizado em 30 de abril de Conteúdo: SUMÁRIO EXECUTIVO... 2 O InfoLeilão é uma publicação que analisa os resultados de leilões realizados para contratação de energia elétrica necessária ao atendimento do mercado de energia no ambiente de contratação regulado -

Leia mais

Nº 003 Março/ Nº de usinas

Nº 003 Março/ Nº de usinas Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia física e geração das usinas, tendo como referência a contabilização

Leia mais

MERCADO LIVRE DE ENERGIA

MERCADO LIVRE DE ENERGIA TUDO SOBRE MERCADO LIVRE DE ENERGIA NA BUSCA POR MELHORES PREÇOS E UM AUMENTO DA PREVISIBILIDADE NOS NEGÓCIOS, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS ESTÃO MIGRANDO PARA O CHAMADO MERCADO LIVRE. 1. INTRODUÇÃO Na busca

Leia mais

Análise Detalhada das Medições de Geração das Usinas na Composição da Carga Global

Análise Detalhada das Medições de Geração das Usinas na Composição da Carga Global Análise Detalhada das Medições de Geração das Usinas na Composição da Carga Global Diretoria de Planejamento e Programação da Operação - DPP Gerência Executiva de Metodologias, Modelos e Carga - GMC Gerência

Leia mais

REVISÃO ORDINÁRIA DAS GARANTIAS FÍSICAS DAS GERADORAS DE ENERGIA ELÉTRICA. Vítor F. Alves de Brito outubro/2014

REVISÃO ORDINÁRIA DAS GARANTIAS FÍSICAS DAS GERADORAS DE ENERGIA ELÉTRICA. Vítor F. Alves de Brito outubro/2014 REVISÃO ORDINÁRIA DAS GARANTIAS FÍSICAS DAS GERADORAS DE ENERGIA ELÉTRICA Vítor F. Alves de Brito outubro/2014 1 IMPACTOS DA GARANTIA FÍSICA NO AMBIENTE DE CONTRATAÇÃO Art. 20, 3º, do Decreto nº 2.655,

Leia mais

III Seminário Internacional Desafios da Regulação no Setor Elétrico

III Seminário Internacional Desafios da Regulação no Setor Elétrico III Seminário Internacional Desafios da Regulação no Setor Elétrico Regulação da Distribuição em Portugal e no Brasil Principais Riscos Regulatórios João Aguiar Presidente Compra de energia para venda

Leia mais

INFORMAÇÃO TÉCNICA DEC/DECM. Metodologia de cálculo de faturas dos empreendimentos do PROINFA. Janeiro / 2007 DEC/DECM

INFORMAÇÃO TÉCNICA DEC/DECM. Metodologia de cálculo de faturas dos empreendimentos do PROINFA. Janeiro / 2007 DEC/DECM INFORMAÇÃO TÉCNICA Metodologia de cálculo de faturas dos empreendimentos do PROINFA Janeiro / 2007 1 Índice Índice...2 1. OBJETIVO...3 2. INTRODUÇÃO...3 3. METODOLOGIA...3 3.1. REAJUSTE E REVISÃO DOS PREÇOS

Leia mais

X EDAO ENCONTRO PARA DEBATES DE ASSUNTOS DE OPERAÇÃO A EVOLUÇÃO DA REGULAÇÃO REFERENTE À OPERAÇÃO DE USINAS TERMELÉTRICAS

X EDAO ENCONTRO PARA DEBATES DE ASSUNTOS DE OPERAÇÃO A EVOLUÇÃO DA REGULAÇÃO REFERENTE À OPERAÇÃO DE USINAS TERMELÉTRICAS X EDAO ENCONTRO PARA DEBATES DE ASSUNTOS DE OPERAÇÃO A EVOLUÇÃO DA REGULAÇÃO REFERENTE À OPERAÇÃO DE USINAS TERMELÉTRICAS Wilkens Gerades Filho Marcelo Prais Ney Fukui da Silveira ONS ONS ONS Brasília

Leia mais

Prova de Revalidação da Certificação de Operadores do Mercado de Energia Elétrica 2016

Prova de Revalidação da Certificação de Operadores do Mercado de Energia Elétrica 2016 Prova de Revalidação da Certificação de Operadores do Mercado de Energia Elétrica 2016 Esta prova consta de: 22/10/2016 14 horas um Caderno de Questões com 25 questões em forma de teste de múltipla escolha

Leia mais

Análise PLD 2ª semana operativa de dezembro

Análise PLD 2ª semana operativa de dezembro www.ccee.org.br Nº 219 2ª semana de dezembro/15 8 1 8 O InfoPLD é uma publicação semanal que traz uma análise dos fatores que influenciam na formação do Preço de Liquidação das Diferenças - PLD, calculado

Leia mais

Expansão do Mercado Livre 23/08/2016 Workshop de Energia da FIESP Mercado Livre de Energia

Expansão do Mercado Livre 23/08/2016 Workshop de Energia da FIESP Mercado Livre de Energia Expansão do Mercado Livre 23/08/2016 Workshop de Energia da FIESP Mercado Livre de Energia Talita Porto Conselheira de Administração CCEE: operadora do mercado de energia elétrica Criada em 1999, a CCEE

Leia mais

Submódulo Critérios para classificação da modalidade de operação de usinas

Submódulo Critérios para classificação da modalidade de operação de usinas Submódulo 26.2 Critérios para classificação da modalidade de operação de usinas Rev. Nº. Motivo da revisão Data de aprovação pelo ONS Data e instrumento de aprovação pela ANEEL 0.0 Atendimento à Resolução

Leia mais

Pernambuco Sustentável: Primeiro Leilão Exclusivamente de Energia Solar do Brasil - EDITAL

Pernambuco Sustentável: Primeiro Leilão Exclusivamente de Energia Solar do Brasil - EDITAL Pernambuco Sustentável: Primeiro Leilão Exclusivamente de Energia Solar do Brasil - EDITAL Eduardo Azevedo Secretário Executivo de Energia Governo de Pernambuco Política Energética Estadual Visão 2014

Leia mais

Maio / CCEE Papéis e Responsabilidades

Maio / CCEE Papéis e Responsabilidades Maio / 2005 CCEE Papéis e Responsabilidades Sistema Elétrico Brasileiro (Interligado) Dimensões Continentais Sofisticado Sistema de Supervisão e Controle Integrado Capacidade Instalada (dez/03) Hidráulica:

Leia mais

Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético. Maio de 2017

Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético. Maio de 2017 Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético Maio de 2017 Instabilidade do preço-teto nos leilões O preço teto para a fonte biomassa tem

Leia mais

Caderno Algébrico. Reajuste da Receita de Venda de CCEAR. Versão ersãoerro! Fonte de referência não encontrada.

Caderno Algébrico. Reajuste da Receita de Venda de CCEAR. Versão ersãoerro! Fonte de referência não encontrada. Caderno Algébrico Reajuste da Receita de Venda de CCEAR Versão 2013.3.1 ersãoerro! Fonte de referência não encontrada. ÍNDICE 1. O Esquema Geral 3 2. Etapas da atualização da Receita de Venda dos empreendimentos

Leia mais

Case: a sobre contratação das distribuidoras, suas causas e seus efeitos

Case: a sobre contratação das distribuidoras, suas causas e seus efeitos Case: a sobre contratação das distribuidoras, suas causas e seus efeitos Fernando Umbria LPS Consultoria Energética LPS Sobras das distribuidoras As distribuidoras encontram-se com elevados excedentes

Leia mais

Modelagem de ativos e Medição para faturamento de energia

Modelagem de ativos e Medição para faturamento de energia Modelagem de ativos e Medição para faturamento de energia Brazil Windpower 2016 O&M Rio de Janeiro, 31 de agosto de 2016 Ediléu H. Cardoso Junior Gerente de Medição Contábil Agenda Introdução MCP e 1ºs

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS (BIOMASSA E GÁS NATURAL), EÓLICAS, HIDRÁULICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS (BIOMASSA E GÁS NATURAL), EÓLICAS, HIDRÁULICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER OU DOCUMENTO EQUIVALENTE SOBRE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AOS LEILÕES DE ENERGIA

Leia mais

1. SUMÁRIO EXECUTIVO. a. Prévia de Medição 1 dezembro/2016. b. Contabilização novembro/16

1. SUMÁRIO EXECUTIVO. a. Prévia de Medição 1 dezembro/2016. b. Contabilização novembro/16 O InfoMercado mensal apresenta os dados prévios da medição de dezembro e os principais resultados da contabilização das operações do mercado de energia elétrica em novembro de 2016. O histórico de dados

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS, EÓLICAS, HIDRELÉTRICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS, EÓLICAS, HIDRELÉTRICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER, OU DOCUMENTO EQUIVALENTE, SOBRE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AOS LEILÕES DE ENERGIA

Leia mais

AGENDA SEMANAL. 3ª Semana de Agosto/2017 COMPARATIVO

AGENDA SEMANAL. 3ª Semana de Agosto/2017 COMPARATIVO AGENDA SEMANAL www.eige.com.br 3ª Semana de Agosto/2017 RESUMO CLIMÁTICO: Na semana de 05 a 11/08/2017 ocorreu, apenas, chuvisco nas bacias dos rios Jacuí e Uruguai. Para o início da semana de 12 a 18/08/2017

Leia mais

TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE).

TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE). TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE). Pelo presente instrumento contratual e na melhor forma de direito,

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA N o 258, DE 28 DE JULHO DE 2008. O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único,

Leia mais

Análise PLD 2ª semana operativa de novembro

Análise PLD 2ª semana operativa de novembro www.ccee.org.br Nº 215 2ª semana de novembro/15 8 1 8 O InfoPLD é uma publicação semanal que traz uma análise dos fatores que influenciam na formação do Preço de Liquidação das Diferenças - PLD, calculado

Leia mais

Perspectivas do Setor Elétrico 2017 a 2021

Perspectivas do Setor Elétrico 2017 a 2021 Perspectivas do Setor Elétrico 2017 a 2021 A ótica da EPE Enase 2017: modernização e evolução do modelo setorial Rio de Janeiro, 17 de maio de 2017 Luiz Augusto Barroso Presidente Temário Avanços em atividades

Leia mais

2 DESCRIÇÃO DA REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA

2 DESCRIÇÃO DA REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA DESCRIÇÃO DA REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA 24 2 DESCRIÇÃO DA REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA 2.1 Introdução Em dezembro de 2003, o governo federal emitiu duas medidas provisórias, MP 144 e MP 145, com as novas propostas

Leia mais

Setembro / Comercialização no Setor Elétrico

Setembro / Comercialização no Setor Elétrico Setembro / 2005 Comercialização no Setor Elétrico Agenda Informações sobre a CCEE Comercialização de Energia Leilões de Energia MCSD Desafios Conclusão Contato Instituições do Setor Elétrico Brasileiro

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO LEILÃO RESULTADO DO LEILÃO... 4

SUMÁRIO EXECUTIVO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO LEILÃO RESULTADO DO LEILÃO... 4 O InfoLeilão é uma publicação que analisa os resultados de leilões realizados para contratação de energia elétrica para atendimento do mercado das distribuidoras de energia no ambiente de contratação regulada

Leia mais

Proposta de nova versão das Regras de Comercialização

Proposta de nova versão das Regras de Comercialização Proposta de nova versão das Regras de Comercialização Versão 2016.1.0 (Janeiro/2016) Julho/2015 Objetivo Objetivo: Apresentar as principais propostas conceituais da Regras de Comercialização aplicáveis

Leia mais

Setor Elétrico: perspectivas do mercado, legislação, comercialização de energia e estratégia de precificação. Luiz Fernando Leone Vianna

Setor Elétrico: perspectivas do mercado, legislação, comercialização de energia e estratégia de precificação. Luiz Fernando Leone Vianna Setor Elétrico: perspectivas do mercado, legislação, comercialização de energia e estratégia de precificação Luiz Fernando Leone Vianna 04.07.2013 A APINE 60 associados Geradores privados e concessionárias

Leia mais

RESOLUÇÃO N O 290, DE 3 DE AGOSTO DE 2000

RESOLUÇÃO N O 290, DE 3 DE AGOSTO DE 2000 RESOLUÇÃO N O 290, DE 3 DE AGOSTO DE 2000 Homologa as Regras do Mercado Atacadista de Energia Elétrica MAE e fixa as diretrizes para a sua implantação gradual. O DIRETOR-GERAL DA AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA

Leia mais

WORKSHOP ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA NO BRASIL

WORKSHOP ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA NO BRASIL WORKSHOP ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA NO BRASIL Painel 1: Expansão da Geração Solar Fotovoltaica no Brasil FIESP 18 de outubro de 2017 Thiago Barral Superintendente de Projetos de Geração Diretoria de Estudos

Leia mais

Agenda CCEE /09/2014 2º Encontro Nacional de Consumidores Livres. Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração

Agenda CCEE /09/2014 2º Encontro Nacional de Consumidores Livres. Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração Agenda CCEE 2015 29/09/2014 2º Encontro Nacional de Consumidores Livres Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração Agenda CCEE e o mercado de energia elétrica Atuação em prol

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO N 22, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2001

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO N 22, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2001 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO N 22, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2001 Atualiza procedimentos, fórmulas e limites de repasse dos preços de compra de energia elétrica para as tarifas de fornecimento

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 427, DE 10 DE SETEMBRO DE 2015

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 427, DE 10 DE SETEMBRO DE 2015 GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 427, DE 10 DE SETEMBRO DE 2015 O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, incisos II e IV, da Constituição,

Leia mais

INSTRUMENTOS E PARÂMETROS DOS LEILÕES DE A-3 E A-5 DE Instrumentos e Parâmetros da Licitação

INSTRUMENTOS E PARÂMETROS DOS LEILÕES DE A-3 E A-5 DE Instrumentos e Parâmetros da Licitação INSTRUMENTOS E PARÂMETROS DOS LEILÕES DE A-3 E A-5 DE 2007 Instrumentos e Parâmetros da Licitação GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA MME/SPE ESTUDOS PARA A LICITAÇÃO DA EXPANSÃO DA GERAÇÃO Ministério

Leia mais

Módulo 7 Energia de Reserva. Submódulo 7.2 Liquidação financeira relativa à contratação de energia de reserva

Módulo 7 Energia de Reserva. Submódulo 7.2 Liquidação financeira relativa à contratação de energia de reserva Módulo 7 Energia de Reserva Submódulo 7.2 Liquidação financeira relativa à contratação de energia de reserva ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO DE ATIVIDADES

Leia mais

POSSIBILIDADES DE REDUÇÃO DO CUSTO DE ENERGIA: MICRO/MINIGERAÇÃO E MERCADO LIVRE DANIEL HOSSNI RIBEIRO DO VALLE SÃO PAULO, 30 DE JUNHO DE 2016

POSSIBILIDADES DE REDUÇÃO DO CUSTO DE ENERGIA: MICRO/MINIGERAÇÃO E MERCADO LIVRE DANIEL HOSSNI RIBEIRO DO VALLE SÃO PAULO, 30 DE JUNHO DE 2016 POSSIBILIDADES DE REDUÇÃO DO CUSTO DE ENERGIA: MICRO/MINIGERAÇÃO E MERCADO LIVRE DANIEL HOSSNI RIBEIRO DO VALLE SÃO PAULO, 30 DE JUNHO DE 2016 SUMÁRIO I. A Comercialização de Energia Elétrica - Relações

Leia mais

IV Simpósio Jurídico das Empresas do Setor Elétrico Contratação no ACL e no ACR. Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração

IV Simpósio Jurídico das Empresas do Setor Elétrico Contratação no ACL e no ACR. Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração IV Simpósio Jurídico das Empresas do Setor Elétrico Contratação no ACL e no ACR Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração Março de 2012 Agentes na CCEE Fevereiro 2012 1800 1650

Leia mais