Indústria inicia segundo semestre em crescimento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Indústria inicia segundo semestre em crescimento"

Transcrição

1 S E M A N A Porto Alegre / 3 de setembro de 2010 / nº 35 / Ano XV / E D I T O R I A L O fator da inovação A inovação abriu a pauta de temas do Sistema FIERGS e do CIERGS esta semana, posicionada como um fator estratégico da competitividade empresarial. Promovemos o lançamento do primeiro Comitê do Brasil integrado à Mobilização Empresarial pela Inovação MEI que vem sendo articulada em todo o País pela Confederação Nacional da Indústria. Nada mais adequado do que valorizar a inovação, como propagamos na sociedade do Rio Grande do Sul desde 2009, através da campanha de todo o Sistema FIERGS, que apresentou o conceito Inovar para Crescer. Mas, esse fator decisivo para o nosso desenvolvimento sustentado não ocorre de maneira isolada. É necessária a conjugação de várias forças, especialmente através de programas do governo que diminuam os custos da iniciativa privada com os investimentos em pesquisa e desenvolvimento. Por isto, é imprescindível que o fator da inovação permeie não só as empresas e as universidades, mas igualmente os governos. A gestão pública deve ser também parte importante nos investimento em P&D, a fim de garantir a sustentabilidade das condições propícias à inovação. Paulo Fernandes Tigre, presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul Indústria inicia segundo semestre em crescimento A atividade industrial gaúcha começou o segundo semestre com uma expansão de 1,9% em julho, sem os efeitos sazonais, na comparação com junho. Essa foi a segunda elevação consecutiva, interrompendo os movimentos de alternância de avanços e quedas que marcaram os seis primeiros meses do ano. A tendência agora é de um contínuo crescimento em ritmo moderado. Com isso, esperamos que o setor retorne ao nível pré-crise até o início de 2011, afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Paulo Tigre, na terça-feira. As variáveis do Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) com destaque em julho, em relação *Dessazonalizado ** Comparação com mesmo mês do ano anterior a junho, foram as Horas Trabalhadas na Produção (3%), o Faturamento (2%), a Massa Salarial (1,7%), as Compras Totais (1,6%), Utilização da Capacidade Instalada (0,6%) e o Emprego (0,7%), que teve o sétimo aumento consecutivo. E, os segmentos que mais expandiram foram Material Eletrônico e de Comunicação (8,2%), Máquinas e Equipamentos (5,8%), Couros e Calçados (5,8%) e Alimentos e Bebidas (4,6%). Quando os sete primeiros meses de 2010 são avaliados, em comparação ao mesmo período do ano anterior, o IDI-RS apresenta uma majoração de 9,8%. Apesar da variação positiva, o indicador está 6% abaixo de 2008, início da crise econômica mundial. ÍNDICE DE DESEMPENHO INDUSTRIAL (IDI-RS) - EM PERCENTUAL Var. (%) Mês/ acumulado Mensal* Mês no ano 12 meses Índice de Desempenho Industrial 1,9 9,8 9,8 1,3 Faturamento 2,0 5,6 11,5 3,8 Compras Totais 1,6 15,5 23,8 4,9 Emprego 0,7 6,9 3,0-1,6 Massa salarial 1,7 14,7 7,3 1,0 Horas Trab. na Produção 3,0 8,9 6,8-1,1 Utilização da Capacidade Instalada 0,6 5,0 6,0 1,1

2 Encomex 2010 debate estratégias de comércio entre países do Mercosul O comércio bilateral do Brasil com os países do Mercosul deverá ultrapassar o recorde de 2008, de US$ 36 bilhões, e bater na casa dos US$ 40 bilhões até o final de A previsão otimista é do secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio (MDIC), Ivan Ramalho, que abriu, na terça-feira, em Porto Alegre, a segunda edição do Encomex Mercosul, que terminou na quarta-feira. Conforme o secretário, o principal motivo dessa perspectiva tão positiva é o fato de o primeiro semestre de 2010 ter apresentado crescimento de mais de 40% sobre as exportações do ano passado, muito prejudicadas pela crise econômica. Tudo indica que o segundo semestre terá o mesmo desempenho ou maior, insistiu Ramalho. O vice-ministro de Relações Exteriores do Uruguai, embaixador Roberto Conde; o secretário de Indústria, Comércio e Pequenas e Médias Empresas do Ministério da Indústria da Argentina, Eduardo Bianchi; e o coordenador nacional do Paraguai do Grupo de Integração Produtiva do Mercosul, ministro Juan Livieres; demostraram em seus pronunciamentos que estão trabalhando para o desenvolvimento do bloco econômico no sentido de efetivar também a integração de cadeias produtivas. Se for possível a integração de produção, o bloco todo ganha competitividade para suas relações comerciais com outras regiões importantes, como a União Europeia, disse Conde. No mesmo sentido, entendemos que é muito importante fortalecer o Mercosul e os esforços para isso são demonstrados em eventos como este, comentou Bianchi. Entre as informações relevantes para os exportadores, o vice-presidente de negócios internacionais e atacado do Banco do Brasil, Allan Toledo, revelou que, no primeiro semestre de 2010, os financiamentos para exportações ultrapassaram US$ 15 bilhões. Isso significa que nenhum exportador deixou de realizar negócios por falta de recursos. O Banco do Brasil possui 30% de market share de mercado nessa área, observou Toledo. Para o presidente da FIERGS, Paulo Tigre, o Encomex é um fórum para o debate de várias questões relevantes ao Comércio Exterior. Entre elas, a necessidade de aprofundar a avaliação sobre as consequências do programa conhecido como Duty Free Quota Free, da Organização Mundial do Comércio. O mecanismo aparentemente serviria de ajuda aos países pobres, mas pode ser utilizado como triangulação na venda de produtos de origens diversas, distorcendo seus objetivos. No Rio Grande do Sul, já foram detectadas importações predatórias de calçados da China, Malásia e Indonésia, alertou Tigre. Paulo Tigre salientou a relevância do debate para o Comércio Exterior Acordos dos blocos ganham destaque No segundo e último dia do Encomex Mercosul, o diretor do Departamento de Negociações Internacionais do Ministério das Relações Exteriores (MRE), Evandro Didonet, disse que a orientação do governo brasileiro aos negociadores é avançar o quanto for possível, até o final deste ano, na direção de um acordo comercial entre os blocos econômicos. As negociações, que tiveram início em 1999, estavam paralisadas desde 2004 e foram retomadas oficialmente em maio de Segundo Evandro Didonet, atualmente os negociadores brasileiros se concentram no estabelecimento de um quadro normativo com definições sobre normas de origem, barreiras técnicas e fitossanitárias, mecanismos de solução de controvérsias, entre outras. Os setores automotivo e agrícola são estratégicos para as duas partes. O Mercosul quer definições sobre como serão tratados os subsídios agrícolas europeus e a União Europeia se preocupa com a abertura industrial: É importante decidirmos questões do marco normativo para, depois, em Bruxelas, apresentarmos ofertas melhoradas de abertura comercial, destacou o embaixador Didonet, citando a 18ª reunião do Comitê de Negociações Birregionais Mercosul-UE, marcada para o próximo mês, na Bélgica. Além disso, em meados de setembro, o comissário de Comércio da União Europeia (UE), Karel de Gucht, virá ao Brasil para tratar do acordo de livre comércio com o Mercosul. A gerente executiva da Unidade de Negociações da CNI, Soraya Rosar, disse que a retomada das negociações foi vista com cautela por alguns setores do empresariado brasileiro, mas que a orientação de reiniciar as conversas pelo marco normativo é uma boa decisão: Pode levar mais tempo, mas dará segurança aos empresários, por isso a estratégia do governo brasileiro conta com total apoio do setor privado, acrescentou. O Encomex Mercosul 2010 foi liderado pelo MDIC em conjunto com os ministérios das Relações Exteriores (MRE) e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e com a Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República (SRI/PR), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS). O evento contou com patrocínio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Banco do Brasil.

3 Projeto busca compatibilizar produção de etanol e oferta de alimentos A G E N D A Sábado Solidário A Rede de Bancos de Alimentos promoverá, neste sábado, dia 4 de setembro, das 9h às 22h, a Campanha Sábado Solidário nos supermercados Walmart do Estado. Durante todo o dia, voluntários dos Bancos de Alimentos vão arrecadar gêneros alimentícios, que serão encaminhados a entidades beneficentes. Mercado Cubano O Seminário sobre Oportunidades de Negócios no Mercado Cubano ocorrerá dia 9 de setembro, às 14h, na FIERGS. Durante o evento, realizado pela Apex-Brasil, CNI e FIERGS, serão apresentados os setores prioritários para este mercado, além de detalhes da Missão Empresarial da Rede CIN/CNI para a Feira Internacional de Havana, de 1º a 6 de novembro. Informações: (51) Tigre (E) e Cassel assinam contrato de ação conjunta no Mais Etanol, Mais Alimentos O Ministério do Desenvolvimento Agrário e o Sistema FIERGS, em reunião de trabalho realizada na segunda-feira, na sede da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, deram início a uma atuação conjunta no sentido de compatibilizar a produção gaúcha de etanol e a oferta de alimentos. Assim, o ministro Guilherme Cassel e o presidente da FIERGS, Paulo Tigre, firmaram um contrato atendendo a orientação estratégica do projeto Mais Etanol, Mais Alimentos, que será desenvolvido em caráter experimental no Estado. Cassel defendeu a importância da agricultura familiar, que tem no Rio Grande do Sul a melhor estruturação no País. Poderemos unir toda a diversidade dos minifúndios gaúchos à necessidade da produção de etanol, argumentou. O trabalho, que será executado pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS) e o MDA, vai analisar a viabilidade econômica da produção de etanol a partir de micros e Lideranças sindicais pequenas usinas com a agricultura familiar. O desenvolvimento deve acontecer sempre com geração de renda em todos os setores da sociedade. A iniciativa privada, representada pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, e o Ministério do Desenvolvimento Agrário, em nome do governo federal, unem seus esforços para mais esse desafio de grande alcance social, ressaltou o presidente da FIERGS, Paulo Tigre, durante a solenidade. O professor da Unisinos Luis Henrique Rodrigues apresentou os resultados do primeiro Balanço Social Sistêmico, que avaliou o impacto das políticas públicas na produção de biodiesel no Estado, a partir da experiência da empresa BSBios, do vicepresidente regional do CIERGS Antônio Roso, instalada em Passo Fundo. Atualmente, cerca de 6 mil famílias estão envolvidas. Todo o processo gerou um impacto de 1,3% no Valor Adicionado Bruto total regional, enfatizou Rodrigues. O Sistema FIERGS, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS), em parceria com a CNI e com apoio da Coordenadoria de Articulação Empresarial (Caemp), promove a segunda turma do projeto Capacitação de Lideranças Empresariais e Associativas. O projeto, que integra o Programa de Desenvolvimento Associativo, tem como objetivo descobrir, capacitar e atualizar novas lideranças empresariais com foco em sua atuação associativa. As inscrições, gratuitas, tem como público-alvo as lideranças empresariais e associativas, preferencialmente, indicadas pelos sindicatos filiados à FIERGS. A nova turma inicia em 29 de setembro, na sede do Sindigraf-RS, com capacitação desenvolvida pela Fundação Getulio Vargas. Como o número de vagas é limitado, as empresas poderão inscrever no máximo dois participantes. Mais informações: (51) ramal 8057 ou pelo Encontro da Indústria As inscrições para os sindicatos industriais participarem do 5º Encontro Nacional da Indústria (Enai) começam dia 14 de setembro. O evento será realizado em dezembro, no Transamérica Expo Center, em São Paulo. Informações na Coordenadoria de Articulação Empresarial da FIERGS pelos telefones (51) e Marca pessoal O publicitário Arthur Bender será o palestrante do workshop Personal Branding- Gerenciamento da Marca Pessoal com Vantagem Competititva, no dia 14 de setembro, no Sesi em Rio Grande. O evento é uma promoção do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS), juntamente com o Sesi-RS e com apoio da Coordenadoria de Articulação Empresarial (Caemp) e de Lideranças Empresariais e Associativas. Inscrições pelo tefone (51) Indicação Geográfica O Seminário Empresarial de Indicação Geográfica, que seria dia 14 de setembro, foi adiado para o final do mês, em data a definir. O evento é uma ação da Rede Gaúcha de Propriedade Intelectual. Informações: (51) Sial Paris O setor de alimentos e bebidas do Brasil estará presente no mais importante evento mundial do segmento em 2010: o Salão Internacional de Alimentos e Bebidas Sial Paris. Uma comitiva brasileira participará de 15 a 23 de outubro de 2010, na França, da missão prospectiva organizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com a articulação da FIERGS, através do seu Centro Internacional de Negócios. Informações pelo (51)

4 Canadá realiza Fórum de Investimentos Dentro da programação Canadá nos Pampas 2010, desenvolvida pelo governo do país da América do Norte especificamente para o Estado, o Fórum de Investimento e Negócios Canadá Rio Grande do Sul, realizado na FIERGS nesta sexta-feira, reuniu empresários e representantes dos governos dos dois países. O coordenador do Conselho de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Concex) da FIERGS, Cezar Müller, aproveitou o encontro para agradecer o apoio do embaixador do Canadá no Brasil, Paul Hunt, que nos últimos três anos foi um dos responsáveis por uma grande aproximação comercial com o Estado. Müller se comprometeu a ampliar ainda mais as relações de negócios com a nação de quarto melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do mundo. Nós fomos desafiados a realizar uma missão comercial ao Canadá no primeiro semestre do próximo ano. Não tenho dúvidas de que esta viagem de negócios será realizada. E com êxito, enfatizou. O Canadá é o 11º maior investidor estrangeiro no Brasil, com US$ 11,44 bilhões. No sentido inverso, o Brasil é o sexto principal, com US$ 14,85 bilhões. Baseado nestes detalhes, Hunt defendeu uma aproximação comercial ainda maior dos dois países. O sistema bancário canadense, considerado o mais seguro do mundo, o mercado de R$ 452 milhões de consumidores da Nafta e os juros de 0,75% ao ano são exemplos de um ambiente convidativo a investimentos estrangeiros. Queremos saber quais são os interesses e as dúvidas das empresas do Rio Grande do Sul para se aproximarem, investirem no Canadá e se desenvolverem em parceria conosco, comentou Hunt. Cezar Müller (D) recepcionou o embaixador canadense no Brasil, Paul Hunt Mesmo com a interrupção do ciclo de alta da Selic, não podemos deixar de encaminhar alternativas para que o Brasil pare de ter os juros mais altos do mundo. Assim, é necessário diminuir o endividamento público, buscar maior eficiência nos gastos do governo e avançar na agenda de reformas, como a tributária e a previdenciária, afirmou o presidente da FIERGS, Paulo Tigre, na quarta-feira. O industrial avaliou a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que manteve a Selic em 10,75% ao ano. Tigre lembrou ainda que existem outros instrumentos de política monetária para conter um possível avanço da inflação, como o aumento dos compulsórios dos bancos. O setor produtivo tem sido o mais onerado com a conta dos elevados juros, perdendo competitividade diante dos concorrentes externos, alertou. O próximo encontro do Copom ocorrerá nos dias 19 e 20 de outubro. 13,75 13,75 13,00 12,75 11,25 10,25 10,25 10,75 9,50 8,75 8,75 jun/08 jul/08 ago/08 set/08 out/08 nov/08 dez/08 jan/09 fev/09 mar/09 abr/09 mai/09 jun/09 jul/09 ago/09 set/09 out/09 nov/09 dez/09 jan/10 fev/10 mar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 Foto: Divulgação Para FIERGS, taxa de juros não deve ser o único caminho

5 Lula visita a Expointer Termina neste domingo a 33ª Expointer, no Parque Assis Brasil, em Esteio, com boa perspectiva de volume de negócios. Na sexta-feira, a atração foi a visita do presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, que ficou durante duas horas no local. Ele conversou com produtores, visitou pavilhões e o estande de máquinas e equipamentos agrícolas, neste último acompanhado do presidente da FIERGS, Paulo Tigre, e do presidente do Sindicato da Indústria de Máquinas e Implementos Agrícolas no Rio Grande do Sul (Simers), Cláudio Bier, além do ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel. No estande, Lula subiu em um trator do Programa Mais Alimentos e acenou ao público que o acompanhava. Aqui no Rio Grande do Sul, a gente fica de alma lavada vendo o potencial que o Estado tem, disse. O presidente da República ressaltou, ainda, o Programa Mais Alimentos, do governo federal, uma linha de crédito que financia investimentos em infraestrutura para a propriedade familiar. Quem imaginaria há alguns anos que o agricultor familiar poderia comprar uma máquina dessas?, indagou Lula, salientando a dinâmica que o programa deu ao setor de Máquinas e Equipamentos Agrícolas. Paulo Tigre destacou a importância da Expointer para a economia do Rio Grande do Sul e do Brasil. A feira mostrou mais Lula conheceu pavilhões e o estande de máquinas acompanhado de autoridades uma vez o enorme potencial de comercialização que tem e se consolida como a maior agroindustrial do Pais, afirmou o industrial. Segundo o presidente do Simers, o recorde de comercialização de máquinas de 2009 (R$ 795 milhões) dificilmente será atingido na Expointer Mas, apesar disso, destacou o industrial, o segmento está muito satisfeito. A chuva atrapalhou, mas mesmo assim sempre são feitos muitos contatos para os negócios futuros, disse Cláudio Bier. O Programa Mais Alimentos continua sendo nosso grande propulsor, pois permite ao produtor rural renovar a sua frota. Alimentos para a Saúde Nos dias 30 de setembro e 1º de outubro será realizado o IV Meeting de Inovação em Alimentos para a Saúde e Curso Produtos Lácteos com Probióticos, promovido pelo Sistema FIERGS, por meio do IEL-RS e Ceta Senai, Unisinos e Sindicato das Indústrias da Alimentação no Rio Grande do Sul. Informações: (51) ou pelo site Sistema FIERGS capacita soldados Os jovens que deixam o serviço militar a cada ano estão sendo qualificados pelo Senai-RS para uma futura inserção em diferentes setores da indústria no Estado. O Programa Soldado Cidadão 2010 é uma parceria entre o Sistema FIERGS e o Comando da 3ª Região Militar do Sul. A segunda fase inicia dia 13 de setembro e segue até 15 de outubro. Serão 18 cursos oferecidos em 17 unidades operacionais do Senai-RS, com previsão para qualificar 360 alunos. Entre outubro e novembro, a estimativa é de 220 alunos. No País, as ações são coordenadas pela Fundação Cultural Exército Brasileiro e o Departamento Nacional do Senai, abrangendo os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal, em mais de 90 municípios. Nesta fase, entre os cursos oferecidos estão Construção em Alvenaria, Básico em Marcenaria, Instalações Elétricas e Prediais, Solda e Serralheiro, Instalador Hidráulico Predial, Básico de Motores Diesel, Mecânica de Motocicletas, Básico de Auxiliar Administrativo, Eletricidade de Veículos Automotores, Montagem, Configuração e Manutenção de Micros e Tornearia Mecânica. Pró-Inova O Sistema FIERGS, por meio do IEL-RS e Citec, juntamente com a Anpei, Pró-Inova e Ministério da Ciência e Tecnologia, promove o Workshop Anpei Pró-Inova Como Utilizar os Incentivos à Inovação Tecnológica Foco em Incentivos. Será no dia 24, às 14h. O evento busca proporcionar conhecimento para as empresas sobre a legislação de inovação, bem como identificar e utilizar seus benefícios. Informações (11) Automação Comercial A Faculdade Senai de Tecnologia vai sediar nos dias 22 e 23 de setembro o IV Congresso Regional de Automação Comercial, promovido pela Associação Brasileira de Automação Comercial, com apoio do Sistema FIERGS, por meio do Senai-RS. O evento visa promover um fórum de discussões de conceitos e tendências da automação comercial e fiscal, debatendo metodologias e rumos da tecnologia no Brasil. Informações pelo site

6 Valor da ergonomia vai além da Saúde e Segurança no Trabalho O valor da ergonomia vai além daqueles destinados à saúde e segurança. Tem objetivos sociais, como o bem-estar das pessoas, e econômicos, como a performance total do sistema. Com esta afirmação, o coordenador do Conselho de Relações do Trabalho e Previdência Social (Contrab), César Codorniz, abriu o Workshop Temático Ergonomia A Gestão do Negócio como Diferencial Competitivo, na quinta-feira. O evento foi promovido pelo Sistema FIERGS, por meio do Sesi-RS e Contrab, em parceria com a Fundacentro. Ele lembrou que ações em saúde e segurança no trabalho são urgentes e configurarão o verdadeiro mecanismo para o aumento da produtividade, melhoria da qualidade de vida do trabalhador e redução de passivos trabalhistas. Acima de tudo, a indústria gaúcha vem tratando o Sistema de Gestão em SST não como custo, mas sim como um investimento. O superintendente regional do Sesi-RS, Edison Lisboa, salientou que entre os motivos de falta no trabalho, as doenças osteomusculares ficam em segundo lugar entre os homens, com uma média de 92,9 dias por benefícios sociais concedidos, e, em primeiro, entre as mulheres, com 102,6 dias. Lisboa destacou que isto mostra como essas doenças, que podem ser prevenidas através de uma análise ergonômica, afetam a produtividade e o bem-estar do indivíduo. Temos um objetivo nobre que é o desenvolvimento da sociedade, ressalta. Devemos salientar a importância de um evento como este, que demonstra a disposição dos empresários em discutir o assunto, argumentou o superintendente regional do Trabalho e Emprego no Estado, Heron de Oliveira. A ergonomia é a adaptação do posto de trabalho, dos instrumentos, das máquinas, dos horários, do meio ambiente às exigências do homem. Dados de 2008 do Anuário da Previdência mostram que entre as doenças do trabalho, as partes do corpo mais incidentes foram o ombro, o dorso (inclusive músculos dorsais, coluna e medula espinhal) e os membros superiores (não informado), com 18,8%, 12,3% e 9,8%, respectivamente. Conforme estudo encomendado pelo Sesi, sobre as bases de dados da Previdência Social de 2006, de autoria de Vilma Sousa Santana e Mariana Sousa Santana, entre os benefícios sociais de trabalhadores da indústria, foram causados por acidentes (33,8%), por D-OM doenças osteomusculares (26,4%), e corresponderam a doenças mentais e neuropsiquiátricas (10,8%). O workshop realizado na sede da FIERGS teve um público de cerca de 180 pessoas que assistiram a debates e palestras sobre o tema. César Codorniz destacou que ações em saúde são urgentes Foto: Divulgação Semana de Promoção da Vida Saudável Sustentabilidade para a qualidade de vida e o bem-estar foi o tema da Semana de Promoção da Vida Saudável, promovida pelo Sesi-RS, encerrada nesta sexta-feira. Nosso objetivo é sensibilizar sobre a importância de um estilo de vida mais ativo e com mais saúde, lembrou o superintendente regional do Sesi-RS, Edison Lisboa, ao abrir o Fórum Vida Saudável, na quinta-feira, na sede da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul. Daltro Monteiro, o Professor Daltro, foi um dos palestrantes do Fórum Prorrogadas as inscrições para o Prêmio Sesi de Qualidade no Trabalho As inscrições para o Prêmio Sesi de Qualidade no Trabalho foram prorrogadas até 15 de novembro. A distinção é o reconhecimento público às empresas por suas práticas de gestão e valorização dos colaboradores. Este ano, as empresas serão separadas pelas categorias pequenas, médias e grandes e terão a sustentabilidade como tema, podendo se inscrever por cases de boas práticas nas modalidades Cultura Organizacional, Gestão de Pessoas, Ambiente de Trabalho Seguro e Saudável, Educação e Desenvolvimento, Desenvolvimento Socioambiental, e Inovação. Cada empresa pode se inscrever no máximo em duas modalidades. Informações e inscrições no site

7 Faculdade forma novos tecnólogos Desde o último domingo (29 de agosto), 40 novos tecnólogos formados pelo Faculdade Senai de Tecnologia estão no mercado de trabalho. São 14 que concluíram o curso superior de Tecnologia em Sistemas em Telecomunicações e 26 em Tecnologia em Automação Industrial. A cerimônia foi no Teatro do Sesi e teve como paraninfos a engenheira elétrica Jaqueline Rodrigues, mestre em Engenharia em Sistemas de Qualidade e de Telecomunicações e o engenheiro Renato Castro, especialista em Automação Industrial. Outros seis profissionais preferiram formar-se em gabinete. A educação tecnológica é regulamentada pelo Ministério da Educação (MEC), por meio da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 1996, e pela Resolução CNE/CP3 do Conselho Nacional de Educação. Profissionais concluíram cursos em Telecomunicações e em Automação Industrial IEL-RS e Unisinos lançam MBA em Gestão de Organizações Inovadoras O Sistema FIERGS, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS), em parceria com a Universidade do Vale Rio dos Sinos (Unisinos), lança o curso MBA em Gestão de Organizações Inovadoras. O curso, cujas aulas iniciam em 28 de outubro e serão na Escola de Design da Unisinos, em Porto Alegre, terá 60% da carga horária a distância, acompanhada por professores e tutores. O MBA em Gestão de Organizações Inovadoras tem como objetivo o aperfeiçoamento de profissionais que buscam ampliar seus conhecimentos na área da inovação, além de fornecer subsídios que permitam entender a importância desta ferramenta para o sucesso de qualquer tipo de organização. Entre os diferenciais do curso estão palestras com especialistas e professores internacionais, visitas técnicas a empresas de destaque na área, encontros com empresários, além da inscrição gratuita no 3º Congresso Internacional de Inovação da FIERGS. O programa, dividido em seis módulos, abordará Experiência Empresarial Inovadora, Gestão da Inovação, Liderança, Instrumentos de Apoio à Inovação e Gestão de Projetos, Seminário Novos Mercados e Oportunidades e Workshop de Elaboração de Projetos para a Conclusão do Curso. Informações e inscrições Concurso sobre SST está com inscrições abertas Estão abertas as inscrições para o Concurso Nacional sobre Segurança e Saúde no Trabalho (SST) que tem como objetivo despertar nos estudantes o interesse sobre o tema em escolas do Sesi e Senai do Brasil. O prêmio é dividido nas seguintes categorias: desenho (voltada ao aluno do Ensino Fundamental 6º ao 9º ano), música (Ensino Médio) e contribuição técnica (Ensino Profissionalizante). Será escolhido o melhor trabalho por categoria de cada Estado que concorrerá ao prêmio nacional. A promoção está vinculada à campanha nacional do Sesi em SST. Escolas públicas e privadas que não integram o Sistema FIERGS podem participar por meio de indicação de alguma indústria. Informações e inscrições: ou pelo Senai participa de evento no México O diretor regional do Senai-RS, José Zortéa, participou, em Monterrey (México), do Foro Nacional de Vinculación Empresarial. Na ocasião, ele falou sobre a relação do Senai e as indústrias gaúchas, a convite do Colégio Nacional de Educação Profissional e Técnico (Conalep) do México. Cozinha Brasil No dia 9 de setembro, às 15h, será lançado o Livro do Programa Sesi Cozinha Brasil da Região Sul, na FIERGS. O evento, que contará com a presença do presidente do Conselho Nacional do Sesi, Jair Meneghelli, terá palestra do presidente da Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos (SBCTA-RS), Júlio Alberto Nitzke. Canoas será a sede da XXV Olimpíada Estadual do Sesi A cidade de Canoas vai sediar de 12 a 14 de novembro a XXV Olimpíada Estadual do Sesi-RS. Cerca de atletas de cem empresas gaúchas estarão disputando 17 modalidades na Ulbra. O lançamento dos jogos será no próximo dia 9 de setembro, às 20h, no Clube dos Empregados da Petrobras, em Canoas.

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf)

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf) www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/cni/iniciativas/eventos/enai/2013/06/1,2374/memoria-enai.html Memória Enai O Encontro Nacional da Indústria ENAI é realizado anualmente pela CNI desde

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 1/2 Julho de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Indústria de Defesa e Segurança

Indústria de Defesa e Segurança S E M A N A Porto Alegre / 12 de setembro de 2008 / nº 37 / Ano XIII / www.fiergs.org.br E D I T O R I A L Mais negócios para a economia A conjuntura econômica favorável do Brasil precisa ser aproveitada

Leia mais

IEL INSTITUTO EUVALDO LODI

IEL INSTITUTO EUVALDO LODI INSTITUTO EUVALDO LODI IEL Integra o Sistema Indústria juntamente com CNI, SESI, SENAI e Federações Possui mais de 44 anos de atuação em todo o território Brasileiro Tem o compromisso com o aumento da

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade PGQP Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade visão das lideranças A Excelência de qualquer organização depende da sinergia entre três fatores:

Leia mais

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 2/2 - Janeiro de 2014

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 2/2 - Janeiro de 2014 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 - Janeiro de 2014 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ AREA TEMÁTICA: TRABALHO LAIS SILVA SANTOS 1 CARLOS VINICIUS RODRIGUES 2 MARCELO FARID PEREIRA 3 NEUZA CORTE DE OLIVEIRA

Leia mais

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL OUTUBRO DE 2014 Outubro de 2014 www.fiergs.org.br Indústria cresce pelo quarto mês seguido O IDI/RS, Índice de Desempenho Industrial do Rio Grande do Sul, apontou

Leia mais

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto

Leia mais

O papel anticíclico do BNDES sobre o crédito

O papel anticíclico do BNDES sobre o crédito 3 ago 2006 Nº 7 O papel anticíclico do BNDES sobre o crédito Por Ernani Teixeira Torres Filho Superintendente da SAE Nas crises, sistema bancário contrai o crédito. BNDES atua em sentido contrário e sua

Leia mais

INOVAÇÃO. EDUCAÇÃO. GESTÃO EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

INOVAÇÃO. EDUCAÇÃO. GESTÃO EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Linha Direta INOVAÇÃO. EDUCAÇÃO. GESTÃO EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Desmistificado, ensino técnico brasileiro passa a ser a possibilidade mais rápida de inserção no mercado de trabalho TECNOLOGIA

Leia mais

ESPAÇO INOVAÇÃO 2015 ITS

ESPAÇO INOVAÇÃO 2015 ITS CIAB FEBRABAN 2015 25 Anos XXV Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras Transamérica Expo Center 16 a 18 Junho de 2015 INTRODUÇÃO O ITS com apoio da FEBRABAN organizará,

Leia mais

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Programa de Inovação Tecnologica FIESP CIESP - SENAI Sede Fiesp 2013 Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 1 A Situação Industrial A etapa muito negativa que a indústria brasileira está atravessando vem desde a crise mundial. A produção

Leia mais

NOTA TÉCNICA 0036_V1_2014 REALIZAÇÃO DO ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR ENCOMEX 2014 JARAGUÁ DO SUL

NOTA TÉCNICA 0036_V1_2014 REALIZAÇÃO DO ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR ENCOMEX 2014 JARAGUÁ DO SUL NOTA TÉCNICA 0036_V1_2014 REALIZAÇÃO DO ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR Jaraguá do Sul (SC), Junho de 2014. ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Jaraguá Ativa: Cidade inteligente e sustentável, cidade para pessoas.

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL ANÁLISE COMPARATIVA RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

Exportações gaúchas recuam 27%

Exportações gaúchas recuam 27% S E M A N A Porto Alegre / 13 de março de 2009 / nº 10 / Ano XIV / www.fiergs.org.br E D I T O R I A L O custo do governo Muito antes dos impactos da crise financeira internacional na economia brasileira,

Leia mais

Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011

Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011 Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011 A oitava reunião mensal do ano da Comissão Trabalhista e de Gestão Empresarial superou as expectativas. 50 representantes

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

PROJETO EXPORTAR BRASIL

PROJETO EXPORTAR BRASIL CNPJ: 10692.348/0001-40 PROJETO EXPORTAR BRASIL Apresentação da GS Educacional A GS Educacional faz parte de um grupo que trabalha há vários anos com cursos e serviços na área de comércio exterior e vem

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO COMITÊ TEMÁTICO INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO JULHO/2012. Ampliar e fomentar a utilização dos Fundos Garantidores já existentes.

SUMÁRIO EXECUTIVO COMITÊ TEMÁTICO INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO JULHO/2012. Ampliar e fomentar a utilização dos Fundos Garantidores já existentes. SUMÁRIO EXECUTIVO COMITÊ TEMÁTICO INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO JULHO/2012 Agenda Estratégica 2010 horizonte de 2 anos: Ampliar e fomentar a utilização dos Fundos Garantidores já existentes. Padronização

Leia mais

PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA SIDERURGIA

PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA SIDERURGIA Programas para consolidar e expandir a liderança PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA SIDERURGIA Legenda: Branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho

Leia mais

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Anexo V - A Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Breve Histórico A Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia do MERCOSUL RECYT, criada em 1992, realizou a sua primeira

Leia mais

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Atração de Investimentos, Promoção Comercial e Projeção Internacional Eduardo Bernis Secretaria Municipal de Desenvolvimento Belo Horizonte

Leia mais

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas 29 abril 2014 Fundamentação Lei da Inovação Nº 10.973, 02 Dez 2004 Regulamentada pelo Decreto Nº 5.563, 11 Out 2005 Artigo 20, do Decreto Nº

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Thais Peixoto de Medeiros(1); Estephany Calado(2); Gisele Gregório Araújo(2); Márcio André Veras Machado (3); Francisco Roberto Guimarães Júnior(4) Centro

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015

INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015 INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015 Conteúdo Sobre o GVces Sobre o Programa Brasileiro GHG Protocol e o Registro Público de Emissões Política de qualificação dos inventários (Novo critério para o selo

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2011 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2011 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2011 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL ANÁLISE COMPARATIVA O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

IV Reunião das Administradoras de ZPE. Brasília, 15 de abril de 2015

IV Reunião das Administradoras de ZPE. Brasília, 15 de abril de 2015 IV Reunião das Administradoras de ZPE Brasília, 15 de abril de 2015 I. Atuação da RENAI Roteiro: II. Possibilidades de parceria RENAI - ZPEs Parte I RENAI O que é a RENAI? Rede Nacional de Informações

Leia mais

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Ter, 02 de Agosto de 2011 07:13 Com base nos movimentos de mercado e da companhia alinhados ao aquecimento da indústria e economia brasileiras,

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ)

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

Pós-Graduação em Gestão de Negócios e Marketing do Vinho ESPM

Pós-Graduação em Gestão de Negócios e Marketing do Vinho ESPM Pós-Graduação em Gestão de Negócios e Marketing do Vinho ESPM Apoio institucional Agosto/2014 Pós-Graduação em Gestão de Negócios e Marketing do Vinho ESPM Desenvolver o pensamento estratégico e visão

Leia mais

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA

Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA MEI-Mobilização Empresarial pela Inovação PRINCIPAIS DIRETRIZES Enfatizar a formação de recursos humanos qualificados Apoiar

Leia mais

Grupo da Qualidade. Grupos de Trabalho

Grupo da Qualidade. Grupos de Trabalho Grupos de Trabalho Grupo da Qualidade A finalidade do Grupo da Qualidade é promover ações para discussão e melhoria do sistema de gestão da qualidade das empresas associadas ao Sindipeças. Coordenador:

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO Todos os direitos reservados. Distribuição e informações:

RESUMO EXECUTIVO Todos os direitos reservados. Distribuição e informações: RESUMO EXECUTIVO O Ministro da Fazenda, Guido Mantega, comunicou no dia 27 de dezembro de 2011 que vai mudar o regime de tributação para a importação de produtos têxteis do atual ad valorem, em que no

Leia mais

Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar

Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar AGENDA BAHIA Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar Além das reformas tributária e trabalhista, país precisa investir em infraestrutura eficaz, na redução do custo da energia

Leia mais

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011 Visão do Desenvolvimento nº 96 29 jul 2011 O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada Por Fernando Puga e Gilberto Borça Jr. Economistas da APE BNDES vem auxiliando

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) procura

Leia mais

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 INOVAR É FAZER Manifesto da MEI ao Fortalecimento da Inovação no Brasil Para nós empresários Inovar é Fazer diferente, Inovar

Leia mais

TRANSPORTE AÉREO BRASILEIRO POR QUE AS EMPRESAS PERDEM DINHEIRO?

TRANSPORTE AÉREO BRASILEIRO POR QUE AS EMPRESAS PERDEM DINHEIRO? 1 TRANSPORTE AÉREO BRASILEIRO POR QUE AS EMPRESAS PERDEM DINHEIRO? I - INTRODUÇÃO O mercado aéreo brasileiro vem apresentando, em seu segmento doméstico, taxas de crescimento chinesas desde o início de

Leia mais

PLANO SAFRA DA PESCA E AQUICULTURA 2015/2016

PLANO SAFRA DA PESCA E AQUICULTURA 2015/2016 PLANO SAFRA DA PESCA E AQUICULTURA 2015/2016 PLANO SAFRA DA PESCA E AQUICULTURA 2015/2016 Pilares do PSPA CRÉDITO PROMOÇÃO PROMOÇÃO DO DO CONSUMO PESQUEIRO PSPA INFRAESTRUTURA ASSISTÊNCIA TÉCNICA COMERCIALI

Leia mais

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE PETROBRAS - REGAP Contagem 19 de outubro de 2011 Iniciativas de Qualificação - PROMINP PROMINP O PROMINP (Programa de Mobilização da Indústria Nacional do Petróleo e

Leia mais

Bem-Vindos NAGI P&G Campinas

Bem-Vindos NAGI P&G Campinas Bem-Vindos NAGI P&G Campinas Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação da Cadeia de Petróleo e Gás do Estado de São Paulo 2013-2014 Edital Pro-Inova FINEP/2010 Há oportunidades para participação de empresas

Leia mais

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde Inovação, Regulação e Certificação I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde São Paulo 11/04/2012 ABDI Criada pelo Governo Federal em 2004 Objetivo Objetivos Desenvolver ações

Leia mais

País precisa de política de industrialização

País precisa de política de industrialização S E M A N A Porto Alegre / 10 de dezembro de 2010 / nº 49 / Ano XV / www.fiergs.org.br E D I T O R I A L carta da indústria A comitiva de industriais do Rio Grande do Sul, organizada pela FIERGS e o CIERGS,

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014

Plano Brasil Maior 2011/2014 Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer 1ª. Reunião do Conselho de Competitividade Serviços Brasília, 12 de abril de 2012 Definições O PBM é: Uma PI em sentido amplo: um

Leia mais

Introdução... 4. Percepção sobre a economia e o comércio... 5. Gargalos da economia brasileira... 7. Consumo das famílias... 8

Introdução... 4. Percepção sobre a economia e o comércio... 5. Gargalos da economia brasileira... 7. Consumo das famílias... 8 Conteúdo Introdução... 4 Percepção sobre a economia e o comércio... 5 Gargalos da economia brasileira... 7 Consumo das famílias... 8 Ambiente regulatório... 9 Logística pública... 10 Mão de obra... 10

Leia mais

Seleção de Empresas para participação em Missões Empresariais em Mercado Internacional:

Seleção de Empresas para participação em Missões Empresariais em Mercado Internacional: CHAMADA EMPRESARIAL N o 01/2014 Seleção de Empresas para participação em Missões Empresariais em Mercado Internacional: Canton Fair China e Feira SIAL Paris Dando continuidade às ações do Programa de Competitividade

Leia mais

Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social. Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008

Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social. Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008 Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008 Brasil consolida um mercado de consumo de massa e promove o surgimento de uma nova

Leia mais

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005 Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento

Leia mais

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje?

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje? Entrevista A diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Cândida Cervieri, foi entrevistada pelo Informativo RENAPI.

Leia mais

Introdução. Objetivos do Curso

Introdução. Objetivos do Curso Introdução A nova dinâmica dos negócios, principalmente relacionada ao meio industrial, impele uma realidade de novos desafios para a indústria nacional. O posicionamento do Brasil como liderança global

Leia mais

RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA

RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA Participantes: Dr. Roberto Simões, presidente do CDN (Conselho Deliberativo Nacional) e Dr. Carlos Alberto dos Santos, Diretor Técnico do Sebrae Nacional. Objetivo:

Leia mais

INSTITUTO FACES DO BRASIL - PLANO DE AÇÃO 2006 DESAFIO 1: CONTRIBUIR PARA A CONSTRUCAO DO SISTEMA PÚBLICO DE CJES NO BRASIL

INSTITUTO FACES DO BRASIL - PLANO DE AÇÃO 2006 DESAFIO 1: CONTRIBUIR PARA A CONSTRUCAO DO SISTEMA PÚBLICO DE CJES NO BRASIL DESAFIO 1: CONTRIBUIR PARA A CONSTRUCAO DO SISTEMA PÚBLICO DE CJES NO BRASIL Faces protocolou no Conselho Nac. de Ecosol e demais órgãos competentes, a nova versão dos P&C's, e, o documento Sistema de

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

Máquinas e Equipamentos de Qualidade

Máquinas e Equipamentos de Qualidade Máquinas e Equipamentos de Qualidade 83 A indústria brasileira de máquinas e equipamentos caracteriza-se pelo constante investimento no desenvolvimento tecnológico. A capacidade competitiva e o faturamento

Leia mais

Pós-Graduação em COMUNICAÇÃO CORPORATIVA

Pós-Graduação em COMUNICAÇÃO CORPORATIVA Pós-Graduação em COMUNICAÇÃO CORPORATIVA Ingresso Março 2016 Informações: (51) 3218-1400 - www.espm.br/mba Pós-Graduação em Comunicação Corporativa O Pós em Comunicação Corporativa é um curso de Pós-Graduação

Leia mais

NÚCLEO SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

NÚCLEO SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NÚCLEO SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL Mapa Estratégico da Indústria (2007-2015) 2015) Objetivo Criar a cultura da Responsabilidade Social nas Empresas, incorporando as suas políticas às estratégias corporativas,

Leia mais

ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS E PESSOAS. Ingresso Agosto 2015. Informações: (51) 3218-1400 - www.espm.br/mba

ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS E PESSOAS. Ingresso Agosto 2015. Informações: (51) 3218-1400 - www.espm.br/mba ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS E PESSOAS Ingresso Agosto 2015 Informações: (51) 3218-1400 - www.espm.br/mba MBA em Liderança Estratégica de Negócios e Pessoas Preparar profissionais para liderar equipes com visão

Leia mais

Seminário debate eficiência energética e apresenta projetos para economia e uso racional na indústria

Seminário debate eficiência energética e apresenta projetos para economia e uso racional na indústria FIEG ANÁPOLIS Seminário debate eficiência energética e apresenta projetos para economia e uso racional na indústria presidente da Fieg Regional O Anápolis, Wilson de Oliveira participou, na última sexta-feira,07,

Leia mais

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial FOCOS DE ATUAÇÃO Tema 8. Expansão da base industrial Para crescer, a indústria capixaba tem um foco de atuação que pode lhe garantir um futuro promissor: fortalecer as micro, pequenas e médias indústrias,

Leia mais

Empresários da Capital miram o mercado americano

Empresários da Capital miram o mercado americano Mídia Eletrônica (Moacir Pereira, Diário Catarinense, Pág.12, 2/3) Empresários da Capital miram o mercado americano Em workshop de negócios, Associação Comercial quer estreitar o relacionamento com empresas

Leia mais

MBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

MBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS MBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS Manual do Curso São Paulo Educação Executiva 2014 MBA em Gestão de Negócios 1 Apresentação O MBA em Gestão de Negócios visa preparar empresários e profissionais do Mato Grosso

Leia mais

MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS MANUAL DO CANDIDATO. Ingresso Agosto 2013 ESPM-SUL. Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS.

MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS MANUAL DO CANDIDATO. Ingresso Agosto 2013 ESPM-SUL. Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS MANUAL DO CANDIDATO Ingresso Agosto 2013 ESPM-SUL Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. Informações: Central de Candidatos: (51) 3218-1400 Segunda

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO INOVAÇÃO E PROJETOS ESTRATÉGICOS. Ações de Apoio ao Desenvolvimento Local

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO INOVAÇÃO E PROJETOS ESTRATÉGICOS. Ações de Apoio ao Desenvolvimento Local SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO INOVAÇÃO E PROJETOS ESTRATÉGICOS Ações de Apoio ao Desenvolvimento Local Eixos de Ação - SMD Empreende Santa Maria - LC 37/2006 Desenvolvimento sustentável do município;

Leia mais

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 35 15 a 30 de setembro de 2009 EMPREGO De acordo com a Pesquisa

Leia mais

Claudio Cesar Chaiben Emanuela dos Reis Porto Patrícia Granemann

Claudio Cesar Chaiben Emanuela dos Reis Porto Patrícia Granemann Claudio Cesar Chaiben Emanuela dos Reis Porto Patrícia Granemann SEBRAE Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas; É uma entidade privada que promove a competitividade e o desenvolvimento

Leia mais

Programa de Atração de Investimentos

Programa de Atração de Investimentos 1 Programa de Atração de Investimentos Oficina de Trabalho da RENAI - Rede Nacional de Informação sobre o Investimento Brasília, 08 de Junho de. Antecedentes 2 O Governo Brasileiro quer dar prioridade

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

COMO SE ASSOCIAR 2014

COMO SE ASSOCIAR 2014 2014 QUEM SOMOS FUNDADO EM 2004, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA, QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO

Leia mais

Seminário Em Busca da Excelência 2008

Seminário Em Busca da Excelência 2008 Seminário Em Busca da Excelência 2008 IEL/SC - Implementação de sistema de gestão com base nos fundamentos da excelência Natalino Uggioni Maio, 2008 1 IEL em Santa Catarina Integrante da FIESC Federação

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junio 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012.

1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012. IEL/RS 1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012. IEL/RS Instituição criada em 1969, vinculada à Confederação Nacional da Indústria CNI. O

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIO GLOBAL Crescimento global de 3,4 % em 2013 O mundo retoma a média histórica de crescimento (3,4% a.a) Zona do Euro sai da recessão Os EEUU

Leia mais

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando INFORMATIVO n.º 42 NOVEMBRO de 2015 A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando Fabiana D Atri - Economista Coordenadora do Departamento de Pesquisas e

Leia mais

BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul

BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul MECANISMOS INTER-REGIONAIS BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul O que faz o BRICS? Desde a sua criação, o BRICS tem expandido suas atividades em duas principais vertentes: (i) a coordenação

Leia mais

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural No período compreendido entre os dias 16 e 19 do mês de setembro de 2004, realizou-se a Primeira Feira Nacional do Turismo Rural - 1º FEIRATUR,

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 O momento e as tendências Fundamentos macroeconômicos em ordem Mercados de crédito e de capitais em expansão Aumento do emprego

Leia mais

VI Conferência Anpei: Inovação como Estratégia Competitiva

VI Conferência Anpei: Inovação como Estratégia Competitiva REVISTA DO BNDES, RIO DE JANEIRO, V. 13, N. 26, P. 303-308, DEZ. 2006 VI Conferência Anpei: Inovação como Estratégia Competitiva Data: 5 a 7 de junho de 2006 Local: Rio de Janeiro (RJ) Representante do

Leia mais

O PASSO A PASSO PARA A OBTENÇÃO DE FINANCIAMENTO DE PROJETOS

O PASSO A PASSO PARA A OBTENÇÃO DE FINANCIAMENTO DE PROJETOS O PASSO A PASSO PARA A OBTENÇÃO DE FINANCIAMENTO DE PROJETOS OVERVIEW Este treinamento tem como objetivo oferecer aos participantes uma ampla visão de quais os passos para se obter financiamento para implementar

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Ideias Criativas em Práticas Inovadoras

Ideias Criativas em Práticas Inovadoras Ideias Criativas em Práticas Inovadoras O Concurso Inovação na Gestão Pública Federal é promovido anualmente, desde 1996, pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap), em parceria com o Ministério

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007

BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007 BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007 O Acordo Internacional do Café (AIC) de 2007 é um instrumento chave para a cooperação internacional em matéria de café, e participar dele

Leia mais

A Ministra do Meio Ambiente do Brasil, Senadora Marina Silva, apresentou a agenda para consideração dos participantes, tendo sido aprovada.

A Ministra do Meio Ambiente do Brasil, Senadora Marina Silva, apresentou a agenda para consideração dos participantes, tendo sido aprovada. II Reunião de Ministros de Meio Ambiente do MERCOSUL 8 de novembro de 2004, Brasília, Brasil Ata da Reunião nº 02/04 Realizou-se na cidade de Brasília, República Federativa do Brasil, no dia 8 de novembro

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais