<%= request.getattribute( nome ) %> Se nome for uma instância de Cliente. <%= request.getattribute( nome ) %>

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "<%= request.getattribute( nome ) %> Se nome for uma instância de Cliente. <%= request.getattribute( nome ) %>"

Transcrição

1 JSP Mais Recursos

2 Usando atributos Quando o atributo é uma String <%= request.getattribute( nome ) %> Se nome for uma instância de Cliente <%= request.getattribute( nome ) %> O resultado será: (método tostring da classe) Precisamos usar: <%=((Cliente) request.getattribute( nome )).getnome() %>

3 Usando beans JavaBeans são objetos escritos de acordo com um determinado padrão que permite tratá-los como componentes de um framework Ótimos para separar os detalhes de implementação de uma aplicação de seus serviços Permitem encapsular dados recebidos de outras partes da aplicação e tornálos disponíveis para alteração e leitura através de uma interface uniforme. Podem ser usados com JSP para remover grande parte do código Java de uma página JSP Maior facilidade de manutenção e depuração Separação de responsabilidade e reuso de componentes

4 Usando beans Sem ações-padrão (com scripting) <% Cliente c = (Cliente) request.getattribute( cliente ); %> O nome do cliente é <%= c.getnome() %> Com ações-padrão (sem scripting) <jsp:usebean id= cliente class= Cliente scope= request /> Ação-padrão identificador Tipo da classe escopo O nome do cliente é <jsp:getproperty name= cliente property= nome /> Ação-padrão Identificador o id do usebean propriedade

5 Como incluir um bean Para que um bean possa ser usado por uma aplicação JSP, ele deve estar compilado e localizado dentro do CLASSPATH reconhecido pelo servidor No subdiretório WEB-INF/classes do seu contexto Para incluir: <jsp:usebean id="nome_da_referência class="pacote.nomedaclasse scope="page session request application"/> O atributo de escopo é opcional e indica o tempo de vida do Java Bean. Se omitido, será page, que o limita à página Com escopo de request, o bean pode ser recuperado com outra instrução <jsp:usebean> que esteja em outra página que receber a mesma requisição (via dispatcher) Com escopo de session, o bean é recuperável em páginas usadas pelo mesmo cliente, desde que não tenha session=false

6 Como incluir um bean O nome do bean (atributo id) comporta-se como uma referência a um objeto Java Incluir o tag <jsp:usebean id="bean" class="bean.hellobean" scope="request" /> é o mesmo que incluir na página <% Object obj = request.getattribute("bean"); bean.hellobean bean = null; if (obj == null) { bean = new bean.hellobean(); request.setattribute("bean", bean); } else { bean = (bean.hellobean) obj; } %> O id pode ser usado em scriptlets para usar membros do bean <% bean.setvalor(12); %>

7 Propriedades JavaBeans possuem propriedades que podem ser somente leitura ou leitura-alteração. O nome da propriedade é sempre derivada do nome do método getxxx(): public class Bean { private String mensagem; public void settexto(string x) { mensagem = x; } public String gettexto() { return mensagem; } } O bean acima tem uma propriedade (RW) chamada texto

8 Propriedades Páginas JSP podem ler ou alterar propriedades de um bean usando os tags <jsp:setproperty name="bean" property="propriedade" value="valor"/> que equivale a <% bean.setpropriedade(valor); %> e <jsp:getproperty name="bean" property="propriedade"/> que equivale a <%=bean.getpropriedade() %> Observe que o nome do bean é passado através do atributo name, que corresponde ao atributo id em <jsp:usebean> Valores são convertidos de e para String automaticamente

9 Propriedades Parâmetros HTTP com mesmo nome que as propriedades têm valores passados automaticamente com <jsp:setproperty> Se não, pode-se usar atributo param de <jsp:setproperty> No HTML: <form action... nome : <input type= text name= username >... No JSP: <jsp:setproperty name= pessoa property= nome param= usename > <jsp:setproperty... property="*"/> lê todos os parâmetros As tags do bean convertem as propriedades primitivas automaticamente Ex: atributo do bean: int ID ( int getid() e void setid(int id) ) ID é <jsp:setproperty nome= pessoa property= ID > Conversão automática não funciona se usar scripts value= <%= request.getparameter( ID ) %>

10 Inicialização de beans A tag <jsp:usebean> simplesmente cria um bean chamando seu construtor. Para inicializá-lo, é preciso chamar seus métodos setxxx() ou usar <jsp:setproperty> após a definição <jsp:usebean id="bean" class="bean.hellobean" /> <jsp:setproperty name="bean" property="prop" value="valor"/> Se um bean já existe, porém, geralmente não se deseja inicializá-lo. Neste caso, a inicialização pode ser feita dentro do marcador <jsp:usebean> e o sistema só a executará se o bean for novo (sejá existir, o código será ignorado) <jsp:usebean id="bean" class="bean.hellobean" > <jsp:setproperty name="bean" property="prop" value="valor"/> </jsp:usebean> ou <jsp:usebean id="bean" class="bean.hellobean" > <% bean.setprop(valor); %> </jsp:usebean> SEM BARRA

11 Condicionais e iterações Não é possível usar beans para remover de páginas Web o código Java de expressões condicionais e iterações como for do-while e while Para isto, não há tags padrão. É preciso usar Taglibs (JSTL) Beans, porém, podem ser usados dentro de iterações e condicionais, e ter seus valores alterados a cada repetição ou condição <jsp:usebean id="mbean" class="messagebean" scope="session" /> <% MessageBean[] messages = MessagesCollection.getAll(); for (int i = messages.length -1; i >= 0; i--) { mbean = messages[i]; %> <tr><td><jsp:getproperty name="mbean" property="time"/></td> <td><%=mbean.gethost()%></td> <td><%=mbean.getmessage()%></td></tr> <% } %> (MessageBean tem propriedades: time, host, message)

12 Matando beans Beans são sempre gravados em algum objeto de escopo: page, request, session ou application Persistem até que o escopo termine ou expirem devido a um timeout (no caso de sessões) Para se livrar de beans persistentes, use os métodos removeattribute(), disponíveis para cada objeto de escopo: session.removeattribute(bean); application.removeattribute(bean); request.removeattribute(bean);

13 Polimorfismo em Beans Uso de type <jsp:usebean id= pessoa type= Pessoa class= Cliente scope = page /> Equivale a Pessoa pessoa = null; If (pessoa = null) { pessoa = new Cliente(); } Usando type sem class Se type for usado sem uma classe, o bean já deve existir. <jsp:usebean id= pessoa type= Pessoa scope = page /> Se class o atributo for pessoa usada já (com existir, ou funciona sem type), a classe NÃO deve Se ser não abstrata existe dá e erro deve Java.lang.InstantiationException possuir construtor padrão público.

14 Composite View Páginas Web complexas (ex: portais) frequentemente são divididas em partes independentes Algumas partes são altamente dinâmicas, mudando frequentemente até na estrutura interna Outras partes mudam apenas o conteúdo Outras partes sequer mudam o conteúdo Gerar uma página dessas usando apenas um template é indesejável

15 Composite View O padrão de projeto Composite View sugere que tais páginas sejam separadas em blocos menores, que possam ser alterados individualmente e compostos durante a publicação (deployment) ou exibição JSP oferece duas soluções para obter esse efeito Usando inclusão estática (no momento da compilação do servlet) Usando inclusão dinâmica (no momento da requisição)

16 Inclusão estática Mais eficiente: fragmentos são incluídos em único servlet Indicada quando estrutura não muda com frequência (conteúdo pode mudar) Menus, Logotipos e Avisos de copyright Telas com mini formulários de busca Implementada com include file="fragmento" %> <!-- Menu superior --> <table> include file="menu.jsp" %></td></tr> </table> <!-- Fim do menu superior --> <a href="link1">item 1</a></td> <td><a href="link2">item 2</a></td> <a href="link3">item 3</a> Fragmento menu.jsp Se tela incluída contiver novos fragmentos, eles serão processados recursivamente

17 Inclusão dinâmica Mais lento: fragmentos não são incluídos no servlet mas carregados no momento da requisição Indicada para blocos cuja estrutura muda com freqüência Bloco central ou notícias de um portal Implementada com <jsp:include page="fragmento"/> Pode-se passar parâmetros em tempo de execução usando <jsp:param> no seu interior <!-- Texto principal --> <table> <tr><td> <jsp:include page="texto.jsp"> <jsp:param name="data" value="<%=new Date() %>"> </jsp:include> </td></tr> </table> <!-- Fim do texto principal -->

18 Repasse de requisições Uma requisição pode ser repassada de uma página JSP para outra página ou servlet usando RequestDispatcher <% RequestDispatcher rd = request.getrequestdispatcher("url"); rd.forward(request, response); %> O mesmo efeito é possível sem usar scriptlets com a ação padrão <jsp:forward> Assim como <jsp:include>, pode incluir parâmetros recuperáveis na página que receber a requisição usando request.getparameter() ou <jsp:getproperty> se houver bean <% if (nome!= null) { %> <jsp:forward page="segunda.jsp"> <jsp:param name="nome" value="<%=nome %>"> </jsp:forward> <% } %>

19 JSP JSTL

20 JSP Standard Tag Library (JSTL) Esforço de padronização do JCP: JSR-152 Baseado no Jakarta Taglibs (porém bem menor) Oferece dois recursos Conjunto padrão de tags básicos (Core, XML, banco de dados e internacionalização) Linguagem de expressões do JSP 1.3 Oferece mais controle ao autor de páginas sem necessariamente aumentar a complexidade Controle sobre dados sem precisar escrever scripts Estimula a separação da apresentação e lógica Estimula o investimento em soluções MVC

21 Como usar JSTL 1. Fazer o download da última versão do site da Sun 2. Copiar os JARs das bibliotecas desejadas para o diretório WEB- INF/lib/ da sua aplicação Web 3. Incluir em cada página que usa os tags: taglib uri="uri_da_taglib" prefix="prefixo" %> 4. Usar os tags da biblioteca com o prefixo definido no passo anterior <prefixo:nometag atributo="...">... </prefixo:nometag>

22 Cinco bibliotecas de tags Core library: tags para condicionais, iterações, urls,... taglib prefix="c" uri=" %> Exemplo: <c:if test="..."... >...</c:if> XML library: tags para processamento XML taglib prefix="x" uri=" %> Exemplo: <x:parse>...</x:parse> Internationalization library taglib prefix="fmt" uri=" %> Exemplo: <fmt:message key="..." /> SQL library taglib prefix="sql" uri=" %> Exemplo: <sql:update>...</sql:update> Function library taglib prefix="fn" uri=" %> Exemplo: ${fn:length(...)}

23 Linguagem de expressões (EL) Permite embutir em atributos expressões dentro de delimitadores ${...} Em vez de request.getattribute("nome") ${nome} Em vez de bean.getpessoa().getnome() ${bean.pessoa.nome} Suporta operadores aritméticos, relacionais e binários Converte tipos automaticamente <tag item="${request.valornumerico}" /> Valores default <tag value="${abc.def}" default="todos" />

24 Linguagem de expressões (EL) A primeira variável na expressão é um OBJETO IMPLÍCITO ou um ATRIBUTO $ { primeiro.segundo) Objetos: pagescope, requestscope, sessioscope,applicationscope param, paramvalues header, headervalues cookie initparam pageconext Atributo: Único que não é mapeamento (Map); é um bean Em qualquer um dos escopos: page, request, session, application

25 Linguagem de expressões (EL) Se a expressão possuir um avariável seguida por um ponto, a variável a esquerda TEM QUE ser um MAP ou um BEAN O que estiver do lado direito do ponto TEM QUE ser uma chave de MAP ou uma propriedade do BEAN Deve seguir regras normais do Java para nomenclatura dos identificadores Operador [] é similar ao ponto, mas melhor ${pessoa[ nome ]} idem a ${pessoa.nome} Se pessoa for List ou Array? Só funciona com [] : ${listmusic[ Take ] } ou ${listmusic[0]} O que vem dentro dos colchetes é uma String: Chave Map Propriedade Bean Índice de um List ou Array

26 Principais ações Suporte à impressão da linguagem expressões <c:out value="${pessoa.nome}" /> Expressões condicionais <c:if test="${pessoa.idade >= 18}"> <a href="adultos.html">entrar</a> </c:if> <c:choose> <c:when test="${dia.hora == 13}"> <c:out value="${mensagemespecial}" /> </c:when> <c:otherwise> <c:out value="${mensagempadrao}" /> </c:otherwise> </c:choose> Iteração <c:foreach items="${pessoas}" var="p" varstatus="s"> <c:out value="${s.count}"/>. <c:out value="${p}"/> </c:foreach>

27 PageContext Objeto que permite a tag acessar informações sobre o contexto da aplicação para leitura de valores de formularios (request), variaveis de sessao e gerar conteudo de saida (response)

28 PageContext Acesso facil a parametros de entrada vindos de get/post, variaveis de sessoes e cookies $session:minhavariaveldesessao $cookie:meucookie $param: $param:nome Dados vindos de forms

29 set Atribui valor a uma variável Sintaxe 1 <c:set value="valor" var= nomevariavel [scope= {page request session application} ] /> Sintaxe 2 <c:set var= nomevariavel [scope= {page request session application} ]> Corpo do Conteúdo </c:set>

30 Exemplo <c:set var="nome" value="${param.nome}" /> Olá ${nome} <c:set var="nome"> ${param.nome} </c:set> Olá ${nome}

31 remove Remove uma variável <c:remove var="nomevar" [scope="{page...}"]/> Se o escopo for omitido a variável é removida do escopo mais interno Exemplo <c:remove var="nome" scope="page" />

32 out Avalia e exibe uma expressão Sintaxe <c:out value="valor [escapexml="{true false}"] [default="valordefault"] /> Exemplo Olá <c:out value="${nome}" />

33 if Avalia o conteúdo se a condição for verdadeira <c:if test="condição"> Conteúdo </c:if> Exemplo <c:if test="${usuario.visitas eq 1}"> Esta é a sua Primeira Visita. </c:if>

34 choose... when... otherwise Avalia várias condições semelhante a um if aninhado de Java <c:choose> <c:when test="condição"> </c:when>... <c:otherwise> </c:otherwise> </c:choose>

35 Exemplo Situação Parcial: <c:choose> <c:when test="${nota lt 30}"> Reprovado </c:when> <c:when test="${nota lt 70}"> Recuperação </c:when> <c:otherwise> Aprovado </c:othewise> </c:choose>

36 Exemplo : choose = if... else Situação Final: <c:choose> <c:when test="${nota lt 70}"> Reprovado </c:when> <c:otherwise> Aprovado </c:otherwise> </c:choose>

37 foreach (1/2) Percorre uma coleção (lista, array ou mapeamento) de objetos <c:foreach var= variavel itens= colecao varstatus= variavelstatus /> conteúdo </c:foreach>

38 Exemplo foreach Exemplo: <c:foreach var= livro itens= ${livros} varstatus= status /> ${status.count} ${livro.titulo} </c:foreach> 1 - Java Como Programar 2 - Java Servlets 3 - HTML & XHTML

39 foreach (2/2) Laço com início e fim <c:foreach var= variavel begin= inicio end= fim step= passo varstatus= variavelstatus /> conteúdo </c:foreach>

40 Construindo uma Tabela taglib prefix="c" uri=" %> <html> <head><title>função Quadrado</title></head> <body> <table border="1"> <tr><th>x</th><th>x^2</th></tr> <c:foreach var="counter" begin="1" end="10"> <tr> <td>${counter}</td> <td>${counter*counter}</td> </tr> </c:foreach> </table> </body> </html>

41 fortokens Semelhante ao foreach mas os elementos estão em um único String. <c:fortokens items="stringoftokens" delims="delimitadores" [var= nomevar"] [varstatus= nomevarstatus"] [begin= inicio"] [end= fim"] [step= passo"]> Conteúdo </c:fortokens>

42 Exemplo Imprimir as letras do string "a,b/c,d/e,f" onde, e / são delimitadores <c:fortokens items="a,b/c,d/e,f" delims=",/" var= letra"> <p>${letra}</p> </c:fortokens>

43 Arquitetura de Sistemas Web

44 Modelo 2 Camadas

45 Modelo 2 Camadas Camada de Apresentação com Regras de Negócio Juntas. Camada de Persistência. Problemas para o usuário, que não tem os programas funcionando como deveriam; Problemas para a equipe de desenvolvimento que não tem o seu trabalho reconhecido e, normalmente, tem que trabalhar apenas "apagando incêndios"; e Problemas para a Administração/Gerência da rede que não consegue gerar os resultados esperados pela Administração da empresa, apesar dos elevados valores já investidos. Maior TCO Custo Total de Propriedade

46 Modelo 3 Camadas

47 Modelo 3 Camadas Modelo e códigos construídos para representar as camadas. Os servidores não precisam estar necessariamente em máquinas diferentes, podem estar na mesma máquina. Porem questões de performance são relevantes. Camada de Apresentação Camada de Negócios Camada de Persistência

48 Modelo 3 Camadas c/ MVC APRESENTAÇÃO NEGÓCIO OU LÓGICA PERSISTÊNCIA (INTEGRAÇÃO) Helper classes C NAVEGADOR WEB V M SGDB CLIENTE CLIENTE - SERVIDOR SERVIDOR SERVIDOR WEB

49 Modelo 4 Camadas

50 Modelo 4 Camadas CLIENTE (APRESENTAÇÃO) GERENCIA DE APRESENTAÇÃO NEGÓCIO PERSISTÊNCIA NAVEGADOR WEB SERVIDOR WEB SERVIDOR APLICAÇÃO EJB in MVC SGDB V C M CLIENTE CLIENTE - SERVIDOR CLIENTE - SERVIDOR SERVIDOR

51 J2EE - 4 TIER

52 MVC - FLUXOS

53 MVC

JSP Standard Tag Library (JSTL)

JSP Standard Tag Library (JSTL) JSP JSTL JSP Standard Tag Library (JSTL) Esforço de padronização do JCP: JSR-152 Baseado no Jakarta Taglibs (porém bem menor) Oferece dois recursos Conjunto padrão de tags básicos (Core, XML, banco de

Leia mais

Objetivos. Aprender o que são JavaBeans e como podem ser usados em páginas JSPs Usando ações-padrão ao invés de scripts

Objetivos. Aprender o que são JavaBeans e como podem ser usados em páginas JSPs Usando ações-padrão ao invés de scripts JSP Mais Recursos Objetivos Aprender o que são JavaBeans e como podem ser usados em páginas JSPs Usando ações-padrão ao invés de scripts Usando atributos Quando o atributo é uma String

Leia mais

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Java II Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Por quê JSP? Com Servlets é fácil Ler dados de um formulário Recuperar dados de uma requisição Gerar informação de resposta Fazer gerenciamento

Leia mais

Java para WEB JSTL. JavaServer Pages Standard Tag Library

Java para WEB JSTL. JavaServer Pages Standard Tag Library JSTL JSTL JavaServer Pages Standard Tag Library API que encapsulou em tags simples toda a funcionalidade que diversas páginas Web precisam, como controle de laços (fors), controle de fluxo do tipo if else,

Leia mais

J550 Tag Libraries e JSTL

J550 Tag Libraries e JSTL J550 Tag Libraries e JSTL Helder da Rocha (helder@acm.org) www.argonavis.com.br 1 Custom tags JSP com JavaBeans fornecem um meio de diminuir código Java da página, mas não totalmente Designers de página

Leia mais

Servlets & JSP. Prof. Ramon Chiara

Servlets & JSP. Prof. Ramon Chiara Servlets & JSP Prof. Ramon Chiara Java JSE Java Standard Edition JME Java Micro Edition JEE Jave Enterprise Edition Java JSE Java Standard Edition JME Java Micro Edition JEE Jave Enterprise Edition Web

Leia mais

JSP e Servlets. Instituto Superior de Engenharia do Porto. 2003/2004 Linguagens de Programação II Filipe Costa 1020525

JSP e Servlets. Instituto Superior de Engenharia do Porto. 2003/2004 Linguagens de Programação II Filipe Costa 1020525 JSP e Servlets Instituto Superior de Engenharia do Porto 2003/2004 Linguagens de Programação II Filipe Costa 1020525 Índex Introdução ao JSP, descrição e comparação 3 JSP Funcionamento 4 Servlets 4 Sintax

Leia mais

Desenvolvimento Web TCC Turma A-1

Desenvolvimento Web TCC Turma A-1 Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1 Conteúdo Model-View-Controller (MVC) Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2013.2/tcc-00.226

Leia mais

JavaServer Pages (JSP) Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br

JavaServer Pages (JSP) Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br JavaServer Pages (JSP) Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Especificação/IDE/Implementação Esse curso foi preparado em 03/2015 usando a seguinte especificação, IDE e implementação Especificação

Leia mais

Java para Desenvolvimento Web

Java para Desenvolvimento Web Java para Desenvolvimento Web EL Expression Language Expression Language (Linguagem de Expressão) foi introduzido na versão 1.0 da JSTL (JSP Standard Tag Library), antes da JSTL scriplets eram usados para

Leia mais

A composição de uma Java Server Pages (Diretivas, Elementos de Script e Objetos Implícitos)

A composição de uma Java Server Pages (Diretivas, Elementos de Script e Objetos Implícitos) Desenvolvimento de Sistemas Web A composição de uma Java Server Pages (Diretivas, Elementos de Script e Objetos Implícitos) Prof. Mauro Lopes 1-31 24 Objetivos Dando continuidade aos estudos sobre JSP,

Leia mais

Programação para Internet II

Programação para Internet II Programação para Internet II Aulas 09 e 10 Fernando F. Costa nando@fimes.edu.br Linguagens de Expressão - EL É uma Linguagem de script que permite o acesso à componentes Java (JavaBeans) através de JSP.

Leia mais

JSTL: facilitando o JSP. Fernando Boaglio

JSTL: facilitando o JSP. Fernando Boaglio JSTL: facilitando o JSP Fernando Boaglio Agenda O JSP sem padrão JSTL: o JSP com padrão Como instalar o JSTL? Exibindo objetos Nossa aplicação Operadores condicionais e loops Formatação e i18n Funções

Leia mais

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira Java II Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com JavaServerPages Standad Tag Library (JSTL) Tag Library - Criação Permite a criação de seus próprios tags JSP É tratada por uma classe Tag Handler

Leia mais

JSTL: Uma forma padrão de desenvolver página WEB dinâmica Plácido Antonio de Souza Neto placidoneto@cefetrn.br

JSTL: Uma forma padrão de desenvolver página WEB dinâmica Plácido Antonio de Souza Neto placidoneto@cefetrn.br JSTL: Uma forma padrão de desenvolver página WEB dinâmica Plácido Antonio de Souza Neto placidoneto@cefetrn.br 26/11/2005 JSTL 1 Agenda Histórico e motivação; Servlets e JSP; Introdução e conceituação

Leia mais

Programação para Internet II

Programação para Internet II Programação para Internet II Aulas 05 e 06 Fernando F. Costa nando@fimes.edu.br http://blog.fimes.edu.br/fernando JavaBeans Fundamentos básicos de JavaBeans JavaBeans são componentes de softwares escritos

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Java Intermediário Carga horária: 32 horas TreinaWeb Tecnologia LTDA CNPJ: 06.156.637/0001-58 Av. Paulista, 1765 - Conj 71 e 72 São Paulo - SP CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1 - Um pouco sobre

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Java Intermediário Carga horária: 32 horas TreinaWeb Tecnologia LTDA CNPJ: 06.156.637/0001-58 Av. Paulista, 1765 - Conj 71 e 72 São Paulo - SP CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1 - Um pouco sobre

Leia mais

Formação JAVA Web.

Formação JAVA Web. Inscreva-se na Formação JAVA Web e comece a desenvolver sistemas para Web e Desktop com a linguagem de programação open source multiplataforma mais valorizada do mercado. Carga-horária: 80h O que você

Leia mais

Linguagem de Expressão, JSTL e DisplayTag. Fornece tags para encapsular funcionalidades complexas para utilização em JSPs

Linguagem de Expressão, JSTL e DisplayTag. Fornece tags para encapsular funcionalidades complexas para utilização em JSPs Linguagem de Expressão, JSTL e DisplayTag Fornece tags para encapsular funcionalidades complexas para utilização em JSPs 1 Motivação p/ utilização de Tags Customizadas Facilita o desenvolvimento de futuras

Leia mais

Java 2 Enterprise Edition JavaServer Pages

Java 2 Enterprise Edition JavaServer Pages Java 2 Enterprise Edition JavaServer Pages Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Objetivos Este módulo apresenta JavaServer Pages Sintaxe dos marcadores JSP e objetos Funcionamento Como implantar Tudo

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS WEB. Lista de Exercícios AV2-01. Luiz Leão

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS WEB. Lista de Exercícios AV2-01. Luiz Leão DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS WEB Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Questão 01 Sobre as características da programação orientada a objetos, explique o encapsulamento. Questão 01 - Resposta

Leia mais

(UFF) JSF (I) TEPIS II

(UFF) JSF (I) TEPIS II Aula 11: JSF (I) Diego Passos Universidade Federal Fluminense Técnicas de Projeto e Implementação de Sistemas II Diego Passos (UFF) JSF (I) TEPIS II 1 / 34 Java Server Faces API que provê um framework

Leia mais

Tecnologias Web. Java Enterprise Edition

Tecnologias Web. Java Enterprise Edition Tecnologias Web Java Enterprise Edition Cristiano Lehrer, M.Sc. Introdução Java Enterprise Edition (JEE): Plataforma de tecnologias para o desenvolvimento de aplicações corporativas distribuídas. É uma

Leia mais

JSP (Java Server Pages)

JSP (Java Server Pages) JSP (Java Server Pages) André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br JSP A linguagem surgiu por volta de 1995. JSP foi inicialmente inventado por Anselm Baird-Smith durante um final de semana e depois Satish

Leia mais

Java na WEB Componentes Bean

Java na WEB Componentes Bean 1 Java na WEB Componentes Bean Objetivo: Ao final da aula o aluno será capaz de: Criar site dinâmico utilizando componentes Bean Utilizar Tags de ação Empregar Coleções de Bean. Sumário 5. Definição de

Leia mais

Curso de Java. Geração de Páginas WEB através de JSP. Todos os direitos reservados Klais

Curso de Java. Geração de Páginas WEB através de JSP. Todos os direitos reservados Klais Curso de Java Geração de Páginas WEB através de JSP Todos os direitos reservados Klais JSP e Servlets Servletsconstituem um mecanismo conveniente para a geração de páginas HTML dinâmicas e seu tratamento

Leia mais

Java Server Pages (JSP)

Java Server Pages (JSP) Java Server Pages () joao@ecomp.uefs.br Departamento de Ciências Exatas Universidade Estadual de Feira de Santana Problemas com Sevlet Como fazer um Servlet para exibir esta página? 1 Código do Servlet

Leia mais

Java para WEB com Struts 2 e Hibernate

Java para WEB com Struts 2 e Hibernate Java para WEB com Struts 2 e Hibernate Aula 01 http://fernandoanselmo.orgfree.com fernando.anselmo74@gmail.com Apresentação Fernando Anselmo fernando.anselmo74@gmail.com 25 anos na área de Desenvolvimento

Leia mais

Programação Web Aula 12 - Java Web Software

Programação Web Aula 12 - Java Web Software Programação Web Aula 12 - Java Web Software Bruno Müller Junior Departamento de Informática UFPR 25 de Maio de 2015 1 Java 2 Java Web Software 3 Servlets Modelo de Trabalho Funcionamento API Java Código

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE CONTEÚDO QUESTÕES DISSERTATIVAS

EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE CONTEÚDO QUESTÕES DISSERTATIVAS EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE CONTEÚDO QUESTÕES DISSERTATIVAS 1. Explique a(s) diferença(s) entre design pattern e framework. 2. Analisar o arquivo de configurações (web.xml) abaixo identificando quais suas

Leia mais

Java JSTL. Rodrigo C. de Azevedo

Java JSTL. Rodrigo C. de Azevedo Java JSTL Rodrigo C. de Azevedo OMG Certified UML Professional Fundamental OMG Certified UML Professional Intermediate CompTIA Project+ Sun Certified Associate for Java Platform Sun Certified Programmer

Leia mais

Engenharia de Aplicações Sistemas Interactivos 2009/10! JAVASERVER FACES 1.2. Mestrado em Informática Universidade do Minho! 31!

Engenharia de Aplicações Sistemas Interactivos 2009/10! JAVASERVER FACES 1.2. Mestrado em Informática Universidade do Minho! 31! JAVASERVER FACES 1.2 Mestrado em Informática Universidade do Minho! 31! Java Server Faces (JSF) JSP uma tecnologia" JSF uma framework MVC(-like)" - JSP para a apresentação (ou não)" utilização da JSF tag

Leia mais

Desenvolvimento Web III. Prof. Felippe Scheidt

Desenvolvimento Web III. Prof. Felippe Scheidt Desenvolvimento Web III Prof. Felippe Scheidt Apresentação da disciplina Compreender os princípios do desenvolvimento de sistemas web e da construção de páginas dinâmicas utilizando padrões de projetos,

Leia mais

Desenvolvimento Web com Java. Sérgio Lopes Caelum -

Desenvolvimento Web com Java. Sérgio Lopes Caelum - Desenvolvimento Web com Java Sérgio Lopes Caelum - http://www.caelum.com.br sergio.lopes@caelum.com.br Sérgio Lopes Desenvolvedor Java desde 2002 Instrutor de Java pela Caelum Trabalho com Web e Celulares

Leia mais

" # $ %&'( ) *' ( +,)+ ( - $ (+*' 0 12 ' ( %+ -12 )+3 ) (4 )) ) % 12 ) *' (

 # $ %&'( ) *' ( +,)+ ( - $ (+*' 0 12 ' ( %+ -12 )+3 ) (4 )) ) % 12 ) *' ( ! " # $ %&'( ) *' ( +,)+ ( - $ (+*'.%/ 0 12 ' ( %+ -12 )+3 ) (4 )) ) % 12 ) *' ( 2 (5) '%'1%6% %/ )1%12 74 % +1%() %% % *8) + 9 "(:4 8) % ; *' 3 "( % '% + 4% % ) +' 455 %' 4 *' ( +% ) + %,)1 0 +

Leia mais

Arquitetura de Aplicações JSP/Web. Padrão Arquitetural MVC

Arquitetura de Aplicações JSP/Web. Padrão Arquitetural MVC Arquitetura de Aplicações JSP/Web Padrão Arquitetural MVC Arquitetura de Aplicações JSP/Web Ao projetar uma aplicação Web, é importante considerála como sendo formada por três componentes lógicos: camada

Leia mais

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

!" # # # $ %!" " & ' ( 2

! # # # $ %!  & ' ( 2 !"# # #$ %!" "& ' ( 2 ) *+, - 3 . / 4 !" 0( # "!#. %! $""! # " #.- $ 111.&( ( 5 # # 0. " % * $(, 2 % $.& " 6 # #$ %% Modelo (Encapsula o estado da aplicação) Implementado como JavaBeans Responde a consulta

Leia mais

AULA 12 JSTL. Prof. André Luis Schwerz.

AULA 12 JSTL. Prof. André Luis Schwerz. AULA 12 JSTL Prof. André Luis Schwerz andreluis@utfpr.edu.br andreschwerz@gmail.com Aprenderemos: Objetivos da Aula Motivação Falta de padrão no desenvolvimento JSP Scriptlets espalhados em vários páginas

Leia mais

Aplicações de Linguagem de Programação Orientada a Objeto

Aplicações de Linguagem de Programação Orientada a Objeto Aplicações de Linguagem de Programação Orientada a Objeto WEB JSP Professora Sheila Cáceres JSP É uma tecnologia que permite incluir código Java dentro de páginas web. Uma página jsp é uma página HTML

Leia mais

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Software cliente: browser e outros Protocolo HTTP Infraestrutura de transporte

Leia mais

Desenvolvimento de aplicações Web. Java Server Pages

Desenvolvimento de aplicações Web. Java Server Pages Desenvolvimento de aplicações Web Java Server Pages Hamilton Lima - athanazio@pobox.com 2003 Como funciona? Servidor web 2 Internet 1 Browser 3 Arquivo jsp 4 JSP Compilado 2 Passo a passo 1 browser envia

Leia mais

Introdução a classes e objetos. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis

Introdução a classes e objetos. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis Introdução a classes e objetos Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis Estruturas de Seleção if... else Operador condicional (? : ) switch Aula de Hoje Estruturas de Repetição: while/do... while/for

Leia mais

Componentes Web do JEE

Componentes Web do JEE Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Natal-Central Diretoria Acadêmica de Gestão e Tecnologia da Informação Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

JAVA. Professor: Bruno Toledo

JAVA. Professor: Bruno Toledo JAVA Professor: Bruno Toledo Funcionamento de uma LP Em uma Linguagem de Programação (LP) como C e Pascal, temos o seguinte quadro quando vamos compilar um programa. Código fonte em c Teste.c Gera código

Leia mais

Introdução. Outros nomes: Personal Home Page, Professional Home Page.

Introdução. Outros nomes: Personal Home Page, Professional Home Page. Introdução PHP Hypertext Preprocessor Outros nomes: Personal Home Page, Professional Home Page. Linguagem de programação server-side; Fornece suporte a vários banco de dados; Trabalha na geração de páginas

Leia mais

Construção de Sites 2. Prof. Christiano Lima Santos

Construção de Sites 2. Prof. Christiano Lima Santos Construção de Sites 2 Prof. Christiano Lima Santos Introdução a JavaScript Parte 01 Como usar JavaScript em uma página 1.1 Forma #1 aplicando diretamente à tag HTML teste

Leia mais

J820. Testes em J2EE com. Jakarta C A C T U S. argonavis.com.br. Helder da Rocha

J820. Testes em J2EE com. Jakarta C A C T U S. argonavis.com.br. Helder da Rocha J820 Testes em J2EE com Jakarta C A C T U S Helder da Rocha (helder@acm.org) Cactus: framework para J2EE Testa componentes J2EE no próprio container Componentes Web (Camada de Controle) Camada EJB (Model)

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas para WEB Site:

Desenvolvimento de Sistemas para WEB Site: Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação Desenvolvimento de Sistemas para WEB Site: http://jeiks.net E-mail: jacsonrcsilva@gmail.com Introdução

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS WEB UNIDADE I Criação de Aplicativos Web. Luiz Leão

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS WEB UNIDADE I Criação de Aplicativos Web. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático Revisão da Sintaxe Java Visão Geral do Ambiente Servidor Tomcat GlassFish Uso do NetBeans para criação de aplicativos Web Tecnologia

Leia mais

Padrões de Projeto. Padrões de Projeto. Além dos 23 Padrões GoF. Os 23 Padrões de Projeto. Documentação de um Padrão. Classificação dos Padrões

Padrões de Projeto. Padrões de Projeto. Além dos 23 Padrões GoF. Os 23 Padrões de Projeto. Documentação de um Padrão. Classificação dos Padrões DCC / ICEx / UFMG Padrões de Projeto Padrões de Projeto Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo Um padrão é uma descrição do problema e a essência da sua solução Documenta boas soluções para

Leia mais

JSP (Java Server Pages)

JSP (Java Server Pages) JSP (Java Server Pages) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro Prof. Edwar Saliba Júnior 1 Introdução Tecnologia para desenvolvimento de aplicações WEB fundamentada na

Leia mais

J550. Model View Controller

J550. Model View Controller J550 Model View Controller 1 Design de aplicações JSP Design centrado em páginas Aplicação JSP consiste de seqüência de páginas (com ou sem beans de dados) que contém código ou links para chamar outras

Leia mais

Classes e Objetos. Sintaxe de classe em Java

Classes e Objetos. Sintaxe de classe em Java Classes e Objetos Classes e Objetos A Programação Orientada a Objetos (POO) é uma técnica de programação que se baseia na construção de classes e utilização de objetos. Os objetos são formados por dados

Leia mais

Continuação... Criando a Interface e adiante

Continuação... Criando a Interface e adiante Continuação... Criando a Interface e adiante Criando a interface Para criar a interface utilizaremos JavaServer Faces Biblioteca PrimeFaces Documentação de PrimeFaces http://www.primefaces.org/showcase/

Leia mais

Orientação a Objetos e Java

Orientação a Objetos e Java Orientação a Objetos e Java Daves Martins davesmartins@yahoo.com.br Mestre em Computação de Alto Desempenho pela UFRJ Especialista em Banco de Dados Analista Web Orientação a Objetos e Java Características

Leia mais

Introdução ao Javascript

Introdução ao Javascript Programação WEB I Introdução ao Javascript Apresentação da Disciplina,Introdução a linguagem Javascript Objetivos da Disciplina Apresentar os principais conceitos da linguagem Javascript referente à programação

Leia mais

Programando em JSTL-JSP Standard Tag Library

Programando em JSTL-JSP Standard Tag Library Programando em JSTL-JSP Standard Tag Library Introudção JSTL Exemplos Professor: Armando Hage Introdução É possível escrever sua próprias tags para utilização dentro do JSP. Isso reduz a complexidade do

Leia mais

Aplicações Web com Servlets e JSP

Aplicações Web com Servlets e JSP J550 Desenvolvimento de Aplicações Web com Servlets e JSP Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Objetivos Este curso explora os recursos da linguagem Java para o desenvolvimento de aplicações Web Tem

Leia mais

JavaScript (Elementos de Programação e Programação Básica)

JavaScript (Elementos de Programação e Programação Básica) Linguagem de Programação para Web JavaScript (Elementos de Programação e Programação Básica) Prof. Mauro Lopes 1 Objetivos Iniciaremos aqui o nosso estudo sobre a Linguagem de Programação JavaScript. Apresentaremos

Leia mais

Arquitetura em Camadas

Arquitetura em Camadas Arquitetura em Camadas 1 Introdução Em aplicações OO de médio e grande porte, diversos aspectos devem ser considerados: Apresentação Lógica da aplicação Lógica do negócio Persistência de Objetos Camada

Leia mais

Java para Desenvolvimento Web Carga Horária: 40 Horas.

Java para Desenvolvimento Web Carga Horária: 40 Horas. Java para Desenvolvimento Web Carga Horária: 40 Horas. PROGRAMAÇÃO AULAS AOS SABADOS: Início : 20/08/2011 - Término: 17/09/2011 Horário: 8:30 as 12:30 13:30 ás 17:30. Pagamento em 6X no cartão ou cheque.

Leia mais

Tecnologias para Web

Tecnologias para Web Tecnologias para Web Carlos Lucena lucena@inf.puc-rio.br Vitor Pellegrino vitorp@gmail.com Cidiane Lobato cidianelobato@yahoo.com.br Andrew Diniz andrew@les.inf.puc-rio.br Agenda Servlets MVC JSP Taglibs

Leia mais

Introdução. Surge em 1995 (Brendan Eich, programador da Netscape) com o nome de Livescript

Introdução. Surge em 1995 (Brendan Eich, programador da Netscape) com o nome de Livescript Surge em 1995 (Brendan Eich, programador da Netscape) com o nome de Livescript É uma linguagem de programação (linguagem de script) Javascript e Java Torna a sua página HTML: Atraente; Interactiva; Inteligente.

Leia mais

Universidade de Mogi das Cruzes Implementação Orientada a Objetos - Profª. Danielle Martin. Guia da Sintaxe do Java

Universidade de Mogi das Cruzes Implementação Orientada a Objetos - Profª. Danielle Martin. Guia da Sintaxe do Java Guia da Sintaxe do Java TIPOS PRIMITIVOS DE DADOS DO JAVA São os tipos nativos de dados do Java, que podem ser usados na declaração de atributos, variáveis, parâmetros. Tipo primitivo Tamanho Valor padrão

Leia mais

Enums em Java: utilização e persistência

Enums em Java: utilização e persistência Enums em Java: utilização e persistência Jadson José dos Santos jadsonjs@gmail.com Nas primeiras versões da linguagem Java, a única forma que existia para se utilizar constantes enumeradas era através

Leia mais

2 Criar uma Enterprise Application que num módulo EJB irá conter um ou vários Beans.

2 Criar uma Enterprise Application que num módulo EJB irá conter um ou vários Beans. Enterprise java Bens Folha 8-1 Session beans A Aplicação cliente que acede a um session bean (Exemplo retirado de: https://netbeans.org/kb/docs/javaee/entappclient.html) 1 Criar uma Java Class Library

Leia mais

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO - LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO II REVISÃO POO

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO - LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO II REVISÃO POO REVISÃO POO INTRODUÇÃO À LINGUAGEM JAVA CRIANDO CLASSES EM JAVA Convenção de Nomes em Java Classes iniciam com letras maiúsculas Métodos, atributos e variáveis locais iniciam com minúsculas. Declaração

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 3ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011, 2017 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida

Leia mais

Arquitetura de Aplicações J2EE. Jorge Fernandes Outubro de 2003

Arquitetura de Aplicações J2EE. Jorge Fernandes Outubro de 2003 Arquitetura de Aplicações J2EE Jorge Fernandes Outubro de 2003 J2EE O que é Como se organiza Como funciona Elementos Arquitetura Típica Componentes de Software Reuso é um processo Publicar interfaces Distribuir

Leia mais

Módulo II Arquitetura em Camadas

Módulo II Arquitetura em Camadas Módulo II Arquitetura em Camadas Prof. Ismael H F Santos April 08 Prof. Ismael H. F. Santos - ismael@tecgraf.puc-rio.br 1 Ementa Arquitetura de camadas de Software Arquiteturas em Camadas Padrões para

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Introdução 29. Capítulo 2 Utilizando Objetos 59

Sumário. Capítulo 1 Introdução 29. Capítulo 2 Utilizando Objetos 59 Sumário Capítulo 1 Introdução 29 1.1 O que é programação? 30 1.2 A anatomia de um computador 31 1.3 Traduzindo programas legíveis pelo homem em código de máquina 36 1.4 A linguagem de programação Java

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO C# C# (C Sharp) Básico Carga horária: 24 horas CONTEÚDO PROGRAMÁTICO TreinaWeb Tecnologia LTDA CNPJ: 06.156.637/0001-58 Av. Paulista, 1765 - Conj 71 e 72 São Paulo - SP 1 - Conhecendo

Leia mais

Introdução ao Desenvolvimento de

Introdução ao Desenvolvimento de Introdução ao Desenvolvimento de Aplicações Web com JSF e PrimeFaces Marcelo Vinícius Cysneiros Aragão ICC Inatel Competence Center marcelovca90@inatel.br Santa Rita do Sapucaí, 15 de março de 2016 Conteúdo

Leia mais

Variáveis primitivas e Controle de fluxo

Variáveis primitivas e Controle de fluxo Variáveis primitivas e Controle de fluxo Material baseado na apostila FJ-11: Java e Orientação a Objetos do curso Caelum, Ensino e Inovação, disponível para download em http://www.caelum.com.br/apostilas/

Leia mais

#include <stdio.h> Void main() { printf( Cheguei!\n"); } INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C

#include <stdio.h> Void main() { printf( Cheguei!\n); } INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C #include Void main() { printf( Cheguei!\n"); } INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C ANTES DO C ERA A LINGUAGEM B B foi essencialmente uma simplificação da linguagem BCPL. B só tinha um tipo de dado, que

Leia mais

AJAX (Asynchronous Javascript And XML)

AJAX (Asynchronous Javascript And XML) AJAX (Asynchronous Javascript And XML) André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br AJAX O nome AJAX foi idealizado por Jesse James Garrett, que definiu o objeto XMLHttpRequest. O AJAX não é uma linguagem

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB COM JSF E OS ESCOPOS VIEW, REQUEST, SESSION, APPLICATION E CONTROLE DE TRANSAÇÕES COM EJB

DESENVOLVIMENTO WEB COM JSF E OS ESCOPOS VIEW, REQUEST, SESSION, APPLICATION E CONTROLE DE TRANSAÇÕES COM EJB DESENVOLVIMENTO WEB COM JSF E OS ESCOPOS VIEW, REQUEST, SESSION, APPLICATION E CONTROLE DE TRANSAÇÕES COM EJB Vinicios Fernandes de Lima¹, Willian Barbosa Magalhães¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí

Leia mais

Linguagens de Domínio Específico

Linguagens de Domínio Específico Linguagens de Domínio Específico Fabio Mascarenhas 2017.1 http://www.dcc.ufrj.br/~fabiom/dsl Por que DSLs? Melhorar a produtividade dos programadores input =~ /\d{3}-\d{3}-\d{4}/ Facilitar a escrita e

Leia mais

Documentação. Java First-Tier: Aplicações. Documentação com javadoc. Comentários especiais. Marcas Especiais. Exemplo. Finalidade das marcas

Documentação. Java First-Tier: Aplicações. Documentação com javadoc. Comentários especiais. Marcas Especiais. Exemplo. Finalidade das marcas Java First-Tier: Aplicações Documentação com javadoc Grupo de Linguagens de Programação Departamento de Informática PUC-Rio Ferramenta javadoc Documentação Documentação a partir de comentários Formato

Leia mais

Desenvolvendo aplicações Java

Desenvolvendo aplicações Java José Roberto Madureira Junior Adaní Cusin Sacilotti Adriana Rodrigues Reginaldo Sacilotti Desenvolvendo aplicações Java Primeira Edição São Paulo 2017 Sumário 1 INTRODUÇÃO AO JAVA... 1 1.1 A PLATAFORMA

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

Laboratório 8 JSP s, EL, JSTL

Laboratório 8 JSP s, EL, JSTL Laboratório 8 JSP s, EL, JSTL Introdução JSP significa Java Server Page e representa uma forma de gerar conteúdo dinâmico numa página web. Em termos sintácticos, são documentos constituídos por tags xhtml

Leia mais

Ferramenta MVCASE - Estágio Atual: Especificação, Projeto e Construção de Componentes

Ferramenta MVCASE - Estágio Atual: Especificação, Projeto e Construção de Componentes Ferramenta MVCASE - Estágio Atual: Especificação, Projeto e Construção de Componentes Antônio Francisco do Prado Daniel Lucrédio e-mail: prado@dc.ufscar.br Resumo Este artigo apresenta a ferramenta CASE

Leia mais

Java. Guia do Programador. Peter Jandl Junior. Novatec

Java. Guia do Programador. Peter Jandl Junior. Novatec Java Guia do Programador Peter Jandl Junior Novatec Sumário Agradecimentos...15 Sobre o autor...16 Prefácio...17 Parte I Programação Java...19 Capítulo 1 Introdução...20 1.1 A Linguagem Java...20 1.2 Breve

Leia mais

Introdução ao C# com o Microsoft Visual Studio Community 2015

Introdução ao C# com o Microsoft Visual Studio Community 2015 José Roberto Madureira Junior Adaní Cusin Sacilotti Adriana Rodrigues Reginaldo Sacilotti Introdução ao C# com o Microsoft Visual Studio Community 2015 Primeira Edição São Paulo 2016 Sumário 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

JSP - JavaServer Pages

JSP - JavaServer Pages JSP - JavaServer Pages 1 Sumário O que é o JSP? Comparação com ASP, Servlets, e Javascript Disponibilidade Um exemplo simples Mais sobre Sintaxe Um pouco de JavaBeans Um exemplo mais complexo 2 O que são

Leia mais

Programação Web 2:! Introdução a JSP! Mestrado em Engenharia Informática Universidade do Minho! 290! Deliver information, not just data

Programação Web 2:! Introdução a JSP! Mestrado em Engenharia Informática Universidade do Minho! 290! Deliver information, not just data Aula 8 Programação Web 2:! Introdução a JSP! Mestrado em Engenharia Informática Universidade do Minho! 289! First principles (7) Deliver information, not just data!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!(johnson,

Leia mais

Tipos Abstratos de Dados. Estrutura de Dados

Tipos Abstratos de Dados. Estrutura de Dados Tipos Abstratos de Dados Tipo Abstrato de Dados ou TAD Idéia principal: desvincular o tipo de dado (valores e operações) de sua implementação: O que o tipo faz e não como ele faz! Vantagens da desvinculação:

Leia mais

UNIDADE III JAVA SERVER PAGES

UNIDADE III JAVA SERVER PAGES UNIDADE III JAVA SERVER PAGES MODELO JSP Um dos principais objetivos da tecnologia J2EE é fazer com que as tarefas sejam realizadas de forma separada. Eliminando as dependências, componentes J2EE tornam-se

Leia mais

Paradigmas de Linguagens de Programação. Expressões e Instruções de Atribuição

Paradigmas de Linguagens de Programação. Expressões e Instruções de Atribuição Expressões e Instruções de Atribuição Cristiano Lehrer Introdução Expressões são o meio fundamental de especificar computações em uma linguagem de programação: Familiarização com as ordens de avaliação

Leia mais

Pacotes Organizando suas classes e bibliotecas

Pacotes Organizando suas classes e bibliotecas Pacotes Organizando suas classes e bibliotecas Material baseado na apostila FJ-11: Java e Orientação a Objetos do curso Caelum, Ensino e Inovação, disponível para download em http://www.caelum.com.br/apostilas/

Leia mais

Web Browser como o processo cliente. Servidor web com páginas estáticas Vs Aplicações dinâmicas para a Web: HTTP porto 80

Web Browser como o processo cliente. Servidor web com páginas estáticas Vs Aplicações dinâmicas para a Web: HTTP porto 80 Web Browser como o processo cliente Servidor web com páginas estáticas Vs Aplicações dinâmicas para a Web: Cliente Web browser HTTP porto 80 Servidor web JDBC RMI XML... Base de Dados Aplicação em Java...

Leia mais

J2EE. Projeto de Sistemas de Software

J2EE. Projeto de Sistemas de Software J2EE Projeto de Sistemas de Software Agenda Visão geral da Arquitetura J2EE Servlets Boas Práticas JSP Laboratório de Engenharia de Software PUC-Rio 2 J2EE (Java 2 Enterprise Edition) Plataforma de Tecnologias

Leia mais

Carlos Eduardo Batista. Centro de Informática - UFPB

Carlos Eduardo Batista. Centro de Informática - UFPB Linguagem de Programação I Carlos Eduardo Batista Centro de Informática - UFPB bidu@ci.ufpb.br Motivação para o uso de C++ para o aprendizado de POO Quando usar C e quando usar C++ C++ versus Java Ambientes

Leia mais

Programação Estruturada e Orientada a Objetos. Objetos e Métodos

Programação Estruturada e Orientada a Objetos. Objetos e Métodos Programação Estruturada e Orientada a Objetos Objetos e Métodos 2013 O que veremos hoje? Objetos e Métodos Transparências baseadas no material do Prof. Jailton Carlos Objetivos Aprender a criar construtores;

Leia mais

JAVA Programmer - Objetivo do Curso. Pré-requisito do Curso. Conteúdo Programático do Curso

JAVA Programmer - Objetivo do Curso. Pré-requisito do Curso. Conteúdo Programático do Curso JAVA Programmer - Objetivo do Curso O curso Java Programmer destina-se a todos aqueles que pretendem compreender as características e os recursos essenciais da linguagem Java para o desenvolvimento de

Leia mais