Metodologias Aplicadas em Startups Inovadoras no Desenvolvimento de Projetos de Sucesso.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Metodologias Aplicadas em Startups Inovadoras no Desenvolvimento de Projetos de Sucesso."

Transcrição

1 Metodologias Aplicadas em Startups Inovadoras no Desenvolvimento de Projetos de Sucesso. Marcelo Rogoski de Moraes 1, Vinicius Gehring Capellari 2 Objetivos: Análise das metodologias aplicadas em startups do setor de tecnologia da informação de empresas situadas na região metropolitana de Porto Alegre / RS, para evitar o desperdício de tempo, talento e recursos focando em utilizar melhor o processo de inovação e determinar como estas metodologias e suas aplicações melhoram o índice de sucesso no desenvolvimento empreendimentos de sucesso. Metodologia: O trabalho foi desenvolvido como uma pesquisa descritiva, utilizando levantamento bibliográfico, pesquisas por meio digital e entrevistas para levantamento de dados e elaboração de casos de uso. Startups contatadas através de informações obtidas por associações de startups nacionais e regionais, também secretarias de desenvolvimento econômico das prefeituras municipais da região. Resultados Alcançados: Os conceitos de Lean Startup e Desing Thinking são utilizados mais amplamente e de forma aliada como complementação para o dia a dia dos processos de inovações das empresas. Impactos na Sociedade: Auxílio no desenvolvimento de startups inovadoras do setor de tecnologia da informação de empresas situadas na região metropolitana de Porto Alegre / RS, a aplicarem de forma mais eficiente seus recursos, tempo e talento, fazendo com que de forma mais eficiente o foco seja a inovação como produto ou serviço final. Originalidade do Trabalho: Por se tratar de startups, empreendedores nesse perfil de empresa, não sabem qual metodologia estão utilizando ou até mesmo, se precisam utilizar alguma metodologia, e aos que sabem, poderão aplicar de forma ainda mais eficiente seus recursos, inovando nos seus processos e produtos. Palavras-chaves: Startup. Waste. Lean Startup. Design Thinking. Sustainable Growth. 1 Aluno do Curso de Pós Graduação MBA Gestão Empresarial Lasalle Business School Canoas / RS, 2 Professor do Curso de Pós Graduação MBA Gestão Empresarial Lasalle Business School Canoas / RS,

2 Methodologies Applied in Startups Innovative Development Project Success. Marcelo Rogoski de Moraes 1, Vinicius Gehring Capellari 2 Objectives: Analysis of the methodologies applied in startups in the sector of information technology companies located in the metropolitan area of Porto Alegre / RS, to avoid wasting time, talent and resources focusing on better use of the innovation process and determine how these methodologies and their applications improve the success rate in developing successful enterprises. Methodology: The study was conducted as a descriptive study, using literature review, research by digital media and interviews for data collection and preparation of use cases. Startups contacted through information obtained by associations of startups national and regional secretariats also economic development of municipalities in the region. Results Achieved: The concepts of Lean Startup and Design Thinking are used more widely and so combined as a complement to the daily processes of innovation of enterprises. Impacts on Society: Direction in the development of innovative startups in the sector of information technology companies located in the metropolitan area of Porto Alegre / RS, to implement more effectively its resources, time and talent, making more efficiently focus is innovation as final product or service. Originality of Work: Because it is startups, entrepreneurs in this company profile, do not know what methodology they are using or even if they need to use some methodology, and they know, may apply even more efficiently its resources to innovate in their processes and products. Keywords: Startup. Waste. Lean Startup. Design Thinking. Sustainable Growth. 1 Student of Postgraduate MBA Business Management Business School Lasalle Canoas / RS, 2 Professor, Graduate MBA Business Management Business School Lasalle Canoas / RS,

3 1.1 INTRODUÇÃO O conteúdo tratado na pesquisa descritiva visa identificar, quais metodologias aplicadas por empreendedores de startups do setor de tecnologia da informação da região metropolitana de Porto Alegre, auxiliam a evitar o desperdício de tempo de desenvolvimento, talento dos colaboradores e gestores, e recursos, contribuindo para a inovação ocorrer de forma mais eficiente em projetos de sucesso. Por se tratar de startups, empreendedores nesse perfil de empresa, não sabem qual metodologia estão utilizando ou até mesmo, se precisam utilizar alguma metodologia, e nos casos de empresas consolidadas no mercado aplicarem de forma ainda mais eficiente seus recursos, inovando nos seus processos. Os conceitos de Lean Startup e Design Thinking podem ser utilizados tanto por startups como empresas já bem estabelecidas que estão procurando inovar seja em processos, produtos ou serviços e sobre esse conceito essa pesquisa se desenvolve como um auxílio aos empreendedores. Como problema de pesquisa, está sendo analisado como as metodologias aplicadas em startups do setor de tecnologia da informação de empresas situadas na região metropolitana de Porto Alegre, auxiliam no desenvolvimento de empresas e projetos de sucesso? O objetivo geral da pesquisa é analisar as metodologias aplicadas em startups do setor de tecnologia da informação de empresas situadas na região metropolitana de Porto Alegre e como estas auxiliam no desenvolvimento empreendimentos de sucesso. Como objetivos específicos da pesquisa está sendo tratado os seguintes itens: Descrever as metodologias de inovação mais utilizadas por startups do setor de Tecnologia da Informação na atualidade. Identificar as estratégias desenvolvidas pelos empreendedores para evitar o desperdício de tempo, talento e recursos, e utilizar melhor o processo de inovação. Determinar como que suas aplicações melhoram o índice de sucesso dos projetos e produtos inovadores em um ambiente altamente dinâmico do século XXI. 1.2 DESENVOLVIMENTO Como alguns dos temas mais populares do nosso tempo, o empreendedorismo e a inovação são grandes diferenciais para esse século de grande evolução e ampla concorrência. Entretanto, essa pesquisa é importante para auxiliar no desenvolvimento de startups inovadoras ou até mesmo empresas consolidadas no mercado a aplicar de forma mais eficiente seus recursos, contribuindo para que seja evitado o desperdício de tempo de desenvolvimento, talento dos colaboradores e outros recursos contribuindo para a inovação

4 ocorrer de forma mais eficiente. Por se tratar de empresa recém criada, ou processo de inovação a ser desenvolvido por uma empresa consolidada, os empreendedores não sabem que estão utilizando alguma metodologia, como as metodologias Lean Startup ou Design Thinking, mas estão no caminho certo, executando o trabalho através do feeling empreendedor, essas metodologias descrevem um conjunto de processos usados por empreendedores para desenvolver produtos e serviços inovadores e métodos usados no processo de inovação que, aplicados a situações empresariais diversas, são ferramentas que auxiliam a evitar o desperdício e sair na frente da concorrência com maior eficiência nos processos e métodos. 1.3 METODOLOGIAS LEAN STARTUP E DESIGN THINKING O referencial teórico para esta pesquisa descritiva é baseado em duas bibliografias atuais, lançadas em 2012, uma é o livro intitulado A Startup Enxuta Como os empreendedores atuais utilizam a inovação contínua para criar empresas extremamente bem-sucedidas, de Eric Ries (RIES, 2012), o outro livro é o Design Thinking Inovação em negócios, dos autores, Maurício Vianna, Ysmar Vianna, Isabel K. Adler, Brenda Lucena e Beatriz Russo (VIANNA, 2012). Ambos os livros os autores traçam um roteiro para todos os inovadores, empreendedores, administradores e líderes empresariais, ensinando a lançar produtos e serviços mais bem sucedidos, são ferramentas aliadas para uma abordagem diferente para a inovação. A seguir uma breve análise da revisão bibliográfica. Empreendedores atuais de startups utilizam a inovação contínua para criar empresas extremamente bem sucedidas em pleno século XXI que se tornou um mundo acelerado e de grande concorrência formando um ambiente de grande incerteza para qualquer startup. Desperdício em uma empresa de pequeno porte, recém criada, ou ainda em fase de constituição, que visa a rápida e consistente geração de lucro é um desafio, pois trata-se especificamente disto o conceito de startup, uma instituição humana projetada para criar novos produtos e serviços sob condições de extrema incerteza LEAN STARTUP O conceito Lean Startup descreve ainda um conjunto de práticas para ajudar os empreendedores a aumentar suas chances de desenvolver uma startup de sucesso, não levando em consideração o tamanho da empresa, da atividade ou do setor da economia, qualquer indivíduo que está criando um novo produto ou negócio sob condições de extrema incerteza é

5 um empreendedor, quer saiba ou não, e quer trabalhe em uma entidade governamental, uma empresa pública, apoiada por capital de risco, uma organização sem fins lucrativos, ou uma empresa focada em obter lucro. Os produtos ou serviços que uma startup desenvolve são experimentos, a aprendizagem sobre como desenvolver uma empresa sustentável é o resultado desses experimentos e para as startups tais informações são muito mais importantes que dinheiro, prêmios ou citações na imprensa, pois podem influenciar e reformular o próximo conjunto de ideias, a ideia de errar ou falhar cedo e aprender rápido pode beneficiar qualquer indústria. Esse processo de reformulação de ideias consiste em ter a ideia, construir o produto mínimo viável, medir ou avaliar os resultados, aprender com os resultados obtidos através do ciclo e investir novamente em um novo ciclo, através deste ciclo de aprendizagem, economiza-se tempo de aprendizado, pois é feita uma avaliação constante do processo, onde erros e acertos são igualmente aceitos. Cada ciclo desse processo de construir, avaliar e aprender é descrito com maiores detalhes no livro de Eric Ries. Lean startup é às vezes descrito como o "pensamento enxuto" (Lean Thinking) aplicado ao processo empreendedor. Um princípio central no pensamento enxuto é reduzir o desperdício de tempo, talento e recursos. Os processos de Lean Startup usam o envolvimento dos clientes para reduzir o desperdício, incrementando a frequência de contato com clientes reais e assim validando ou eliminando, o mais cedo possível, suposições incorretas sobre mercado ou sobre o projeto. Esta abordagem se propõe a melhorar as táticas empreendedoras, reduzindo o trabalho, o custo de validar suposições sobre o mercado e o tempo necessário ao negócio para encontrar tração de mercado, o resultado é o produto mínimo viável ou MVP. O desenvolvimento de um produto mínimo viável como parte da estratégia da Lean Startup, é para a realização de testes quantitativos rápidos do mercado do produto ou das características de um produto ou serviço. O engenheiros, os designers e os profissionais de marketing são todos experimentados em otimização, ou seja, os profissionais de marketing são experientes em verificar proposições de valor através de testes comparativos, os engenheiros são experimentados em melhorar o desempenho de um produto e os designers são capazes de facilitar o uso dos produtos, entretanto, todas essas atividades profissionais em uma organização tradicional bem administrada e estruturada oferecem benefícios adicionais para esforços incrementais diante de um plano bem executado o trabalho focado traz resultados, enquanto, essas ferramentas

6 para a melhoria do produto não funcionam da mesma forma para as startups, se você estiver construindo a coisa errada, a otimização do produtos, o seu marketing e design não renderão resultados significativos, e é aí que acontece o desperdício de tempo e talento. Sobre o desperdício de recursos, Eric Ries destaca que o cliente dificilmente sabe antecipadamente tudo o que precisa saber antes que possa experimentar o produto resultado do projeto em uma situação real e tende a se basear em suposições, além do que as especificações, necessidades de negócio e mesmo tecnologia disponível mudam com o tempo, então o risco de construir algo inadequado ou obsoleto cresce quanto maior for a duração projeto com escopo fixo, também crescem os custos de mudança, quanto mais tarde uma necessidade de alteração. Como solução à esse tipo de desperdício de recursos, o autor de Lean Startup, Eric Ries, sugere que os conceitos das metodologias, Extreme Programming, Scrum e Kanban, empregadas no desenvolvimento de softwares sejam utilizadas. Esses processos ou metodologias se adaptam a qualquer projeto independente do tamanho, da atividade ou do setor da empresa. A Agilidade em desenvolvimento de software refere-se à forma como uma metodologia responde à necessidade constante de mudanças, devendo ser rápida e adaptativa, deve focar em comunicação eficiente entre todos os envolvidos no projeto, aproximando o cliente do time de desenvolvimento, que efetua entregas incrementais, frequentes, periódicas e funcionais de software ao longo do desenvolvimento do projeto ou produto. Esse método se encaixa ao perfil de uma startup, onde o desafio é se adaptar a um mercado dinâmico cercado de incertezas. Como parte de um crescimento e identificação de um melhor plano de negócio até então desconhecido para uma startup, conhecer os clientes muito bem, às vezes se torna claro que o problema que um startup está procurando solucionar para eles não é muito importante. No entanto, pelo fato de conhecer os clientes, frequentemente, a startup descobre outros problemas relacionados ao problema inicial, que são importantes e podem ser solucionados pela equipe da startup. Em alguns casos esses problemas relacionados, podem exigir algo a mais do que apenas o reposicionamento do produto ou serviço oferecido pela startup, podem exigir um produto ou serviço novo. É nesse momento que a inovação acontece e a vantagem de estar intimamente envolvido com o cliente oferece uma vantagem competitiva no mercado. O resultado final de um processo de desenvolvimento de uma startup é chegar ao sucesso de longo prazo, ou sucesso sustentável, embora as técnicas de produção enxuta sejam poderosas, são apenas uma maneira de uma organização de funcionar de nível mais elevado, que está comprometida em alcançar desempenho máximo por meio de medidas corretas de

7 progresso a longo prazo. Este processo é apenas a base sobre a qual a cultura de uma grande empresa pode se desenvolver. No entanto, sem essa base, as iniciativas para estimular a aprendizagem contínua, a criatividade e a inovação fracassarão. Lean Startup, só funcionará através da capacidade de construir uma organização tão adaptável e ágil quanto os desafios enfrentados por ela. Isso exigirá encarar os desafios humanos relacionados a essa nova maneira de trabalho, tendo como a responsabilidade como a base da pirâmide, seguida dos processos, seguido da cultura e por último as pessoas envolvidas. O crescimento sustentável é tudo aquilo que não foi ocasionado por um efeito sazonal, como anúncios isolados como proeza publicitária que não consegue sustentação de longo prazo. O crescimento sustentável se caracteriza por uma regra simples, os novos clientes surgem das ações dos clientes passados. Existem 4 maneiras de os clientes passados impulsionarem o crescimento sustentável. Impulso através do boca a boca, que está ligado ao entusiasmo do cliente satisfeito pelo produto. Impulso como efeito colateral da utilização do produto, que são produtos que entram na moda do consumismo, ou o chamado status, como bens de luxo. Impulso por meio de publicidade financiada, que são utilizadas pela maioria das empresas para incitar novos clientes a usar seus produtos, mas para isso ser uma fonte de crescimento sustentável, a publicidade deve ser paga como resultado da receita recorrente, não de fontes ocasionais, como o capital de investimento. Impulso por meio da compra ou uso repetido, são aqueles produtos projetados para ser comprados repetidas vezes, por meio de um plano de assinatura ou de compras voluntárias. Como resultado de um crescimento sustentável, surge o crescimento rápido, é muito importante para uma startup crescer rápido, as startups vivem uma luta de vida ou morte para aprender a construir uma empresa sustentável, entretanto, enfocar apenas a velocidade seria devastador, para funcionar de forma sustentável, as startups precisam de reguladores de velocidade de crescimento integrados, para ajudar a equipe a achar o ritmo ideal de trabalho. Sobre crescimento acelerado das startups, quando se está indo rápido demais problemas podem ser causados, processos adaptativos forçam a desacelerar e investir na prevenção de problemas que estão desperdiçando tempo e quando os esforços preventivos causam resultados positivos naturalmente acontece a aceleração novamente. Eric Ries também sugere uma técnica chamada de cinco porquês, trata-se de processo que fornece um ciclo de feedback natural, que auxilia nesse processo de crescimento como um mecanismo regulador de velocidade de crescimento. A ideia básica dos cinco porquês é ligar os investimentos diretamente à prevenção dos sintomas mais problemáticos, formando a pergunta Por quê? cinco vezes, para compreender

8 o que aconteceu a causa raiz do problema. A cada resposta é seguida de um novo por quê?, cinco vezes. Na raiz de todo problema que parece técnico há uma problemática humana. O método dos cinco por quês fornece uma oportunidade de descobrir qual pode ser esse problema humano. Essa técnica foi desenvolvida com ferramenta sistemática de soluções de problemas por Taiichi Ohno, pai do sistema de produção Toyota e Eric Ries adaptou esse modelo especificamente para startups. Em vez de utilizar os cinco por quês para achar e corrigir falhas os gerentes e os funcionários podem cair na armadilha de utilizar as cinco culpas, com meio de descarregar suas frustrações, este deve às falhas no departamento, no conhecimento ou no caráter de alguma ou outra pessoa. O objetivo dos cinco por quês é ajudar a enxergar a verdade objetiva de que problemas crônicos são causados por mais processos e não por más pessoas, e corrigi-los de maneira apropriada. Para fomentar a inovação, equipes responsáveis pela inovação devem serem estruturadas de modo correto para ter êxito, startup apoiadas por capital de risco ou autossuficientes possuem naturalmente alguns desses atributos estruturais como consequência do fato de serem empresas pequenas e independentes e essencialmente focada na inovação, mas equipes de startups internas, ou seja, dentro de corporações ou empresas já bem estruturadas, requerem apoio da alta direção para que seja criada a estrutura necessária. Startups internas ou externas, as equipes destes requerem três atributos estruturais: recursos escassos, mas seguros, autoridade independente para desenvolver seus negócios e interesse pessoal no resultado. Cada um desses requisitos é diferente os das divisões ou departamentos das empresas estabelecidas. A estrutura é meramente um pré-requisito, não garante o sucesso, no entanto, errar na estrutura pode levar a um fracasso DESIGN THINKING Segundo os conceitos descritos pelo livro Design Thinking Inovação em negócios, a inovação no cenário de competição global é uma tarefa muito árdua e muitas vezes frustrante. A dificuldade de obter diferenciação de mercado sobre a concorrência é cada vez maior. Novos caminhos precisam ser traçados, não apenas para garantir o êxito das empresas, mas, principalmente, sua sobrevivência. Em cima desse desafio, Design Thinking surge com um conceito que aborda o foco no ser humano no centro do processo de inovação, tanto para entender o usuário final quanto para envolver os especialistas como colaboradores constantes,

9 e que vê a multidisciplinaridade, colaboração e tangibilização de pensamentos e processos, caminhos que levam a soluções inovadoras para negócios. Design Thinking se refere à maneira do designer de pensar, ou pensamento criativo, que utiliza um tipo de raciocínio pouco convencional no meio empresarial, o pensamento abdutivo. Nesse tipo de pensamento, busca-se formular questionamentos através da apreensão ou compreensão dos fenômenos, ou seja, são formuladas perguntas a serem respondidas a partir das informações coletadas durante a observação do ambiente em que o problema se encontra. Não se podem solucionar problemas com o mesmo tipo de pensamento que os criou: abduzir e desafiar as normas empresariais são à base do Design Thinking. É pensando de maneira abdutiva que o designer constantemente desafia seus padrões, fazendo e desfazendo conjecturas, e transformando-as em oportunidades para a inovação. Assim como Lean Startup, o conceito Design Thinking também possui um processo, que é constituído das seguintes fases: imersão, análise e síntese, ideação e prototipação, um processo de natureza bastante versátil e não linear, isso quer dizer que suas fases, podem ser moldadas de modo que se adequem à natureza do projeto e do problema em questão, é possível, por exemplo, começar um projeto pela fase de imersão e realizar ciclos de prototipação enquanto se estuda o contexto, ou ao longo de todo o projeto. Sessões de ideação podem permeá-lo do início ao fim de um projeto. Da mesma forma, um novo projeto pode começar na prototipação. A fase de imersão, a equipe aproxima-se do contexto do problema, tanto do ponto de vista da empresa quanto do usuário final. A fase de análise e síntese é a compreensão do problema. A ideação é a fase de gerar novas ideias para o tema. A prototipação é a validação das ideias geradas. 1.4 COMO EVITAR O DESPERDÍCIO EM UMA STARTUP E INOVAR A seguir uma seleção das melhores práticas recomendadas para as startups economizarem recursos, entre esses recursos estão recursos financeiros, de tempo e até recursos ambientais TRABALHO REMOTO Uma prática sugerida é o trabalho remoto, ou home office como também é conhecido, já adotado por muitas empresas que também favorece ao meio ambiente. Essa sugestão partiu de uma pesquisa realizada pela empresa TeamViewer, com 500 trabalhadores norte-americanos.

10 Destaque é a aceitação muito forte pelas mulheres, entretanto 97% dos entrevistados disseram que usam menos recursos, entre eles, gasolina com 86%, papel da impressora 31%, energia elétrica, marcadores e lápis com 15%, água 13% e até mesmo analgésicos com 12%. O estudo levantado indica ainda que a maioria dos trabalhadores remotos são favoráveis ao meio ambiente, pois quando estão em casa apagam a luz ao sair do cômodo, isso representa 74% dos entrevistados, essa aceitação por esse método de trabalho leva em consideração a apreciação do meio ambiente, ou seja, é proposital. 60% fazem a própria comida, 56% mantem o nível do ar condicionado ou aquecedor mais baixo, 53% imprimem menos, 50% desligam o computador à noite, 39% reciclam e 34% evitam usar água engarrafada. O estudo mostra também que os funcionários tendem a economizar dinheiro quando trabalham em casa, um valor que pode chegar a U$ 80,00 por dia, também realizam mudança no comportamento, segundo o gerente geral da TeamViewer Holger Felgner (FELGNER, 2013) RESERVAR UM TEMPO LIVRE PARA INOVAR Segundo Howard Baldwin (BALDWIN, 2013), líderes de TI que reservam um tempo para a criatividade da equipe ganham trabalhadores mais felizes, clientes mais satisfeitos e até mesmo incremento de receita. A seguir segue alguns pontos identificados por Baldwin. Ideias como o post-it e o serviço de Gmail surgiram de iniciativas como essa identificadas por Baldwin. O Google é conhecido entre as empresas de tecnologia por reservar um período de inovação, tempo de 20%, onde é dado aos funcionários um dia por semana para que se dediquem a suas ideias ou sonhos. Além do Google, também durante décadas a 3M Corp alocou 15% do tempo de seus funcionários para inovação. Números concretos sobre os programas de inovação das empresas são difíceis de encontrar, mas o interesse está em ascensão. Cada vez mais empresas e organizações estão olhando para as empresas que estão reservando um tempo para a inovação, essa prática está se tornando cada vez mais popular. Os programas de inovação removem as restrições que acompanham o trabalho tradicional e oferecem um espaço seguro para arriscar o fracasso, isso permite que as pessoas tentem arriscar mais, analisa Dan Pink (PINK, 2011). É necessário que seja desta forma, ao contrário a inovação não acontece, mesmo o CEO da empresa dizer que inovar é uma das prioridades, existe sempre algo acontecendo no curto prazo que acaba empurrando inovação para o longo prazo. Quando a inovação é adiada por muito tempo, as empresas ficam enfraquecidas.

11 PRÓS E CONTRAS DO TEMPO DE FOLGA Também conhecido como tempo off para inovação ou ITO (Sigla em Inglês), esses programas de estímulo da criatividade visam liberar a estagnação em múltiplas frentes. Dão aos funcionários liberdade de serem criativos, o que pode melhorar a moral e aumentar o desempenho, o resultado final pode ser um produto ou recurso que aumenta a produtividade, a receita das empresas ou ambos. Infelizmente, para alguns gestores é difícil deixar os funcionários trabalharem meio-dia de uma semana sem esperar resultados concretos. Para os funcionários, pode ser difícil mudar o foco e pegar algo amorfo, quando no mundo real tem prazos. Mas para aqueles que embarcam em tais programas, o potencial de resultados positivos vale o esforço da adaptação à nova rotina (PINK, 2010). É estimulante para os funcionários fazer uma pequena pausa no seu dia a dia e pensar de forma criativa sobre resolução de outros problemas ou o uso diferenciado de uma tecnologia, os funcionários reconhecem este tempo como algo valioso. O tempo de folga para inovação também representa uma nova forma de ajudar a reter os empregados no mercado de trabalho competitivo de hoje, as velhas técnicas motivacionais tem o seu curso (RUSSEL, 2012) FREQUÊNCIA IDEAL Um dos maiores fatores para o sucesso de um programa de inovação é a sua frequência. Entre aqueles que já adotaram um programa eles variam de alguns dias por ano a um trimestral ou um tempo a cada semana. Enquanto os "20% de tempo livre" do Google se tornou uma regra, para outras empresas pode ser um padrão incapaz de oferecer. Algumas empresas simplesmente não podem se dar ao o luxo de permitir que os empregados tirem 20% de sua semana para trabalhar desta forma, lembrando que para algumas empresas, 10% - essencialmente, uma tarde por semana na jornada de 9h às 17h - é mais razoável. (BALDWIN, 2013) PARÂMETROS NECESSÁRIOS A inovação e a criatividade são partes importantes, tanto quanto qualquer atividade realizada pela organização, permitir que algo sem forma definida ou estrutura como o tempo para a inovação pode ser uma dificuldade para algumas organizações ou empresas de TI ou para os seus gestores, portanto é algo que deve ser tratado com muita atenção. Uma razão para que o desenvolvimento de software e TI funcione bem em programas de inovação é que

12 as tarefas que saem delas podem ser bastante discretas. Há sempre coisas que podem ser melhoradas em produtos de software e componentes que você pode consertar facilmente. Software é modular, e um monte de codificação se presta ao trabalho, individual ou uma equipe de duas ou três pessoas. Não é como construir um carro, onde você precisa de quantidades enormes de espaço físico ou de equipamentos (PINK, 2011). Os programas de ITO necessitam de orientações minuciosas, alguns dos parâmetros definidos pela empresa podem ser tais como: Ferramentas de comunicação interna, onde os funcionários podem postar ideias e formar equipes. As equipes se reúnem semanalmente para rever as ideias. Se o projeto alcançou visibilidade de negócio e este tem quem quer financiálo, tem que diminuir a prioridade de outro projeto. Projetos 20% têm que ter algum valor comercial. Uma vez que os parâmetros são definidos, os CIOs aconselham paciência quando se trata de implementar os programas. É necessário definir as expectativas partindo do princípio de que esta é uma experiência, e pode mudar ao longo do caminho. Você também tem ter flexibilidade. Muitas vezes, os líderes de tecnologia querem construir uma solução perfeita desde o primeiro dia, mas os resultados de programas como estes não têm que ser perfeito. Se a inovação e a criatividade não são parte da cultura existente, você não mudará isso em um dia. "Tem que acontecer em uma base consistente. Seja paciente. Você está plantando sementes que podem levar algum tempo para germinar." (BALDWIN, 2013) COMO INICIAR UM PROJETO DE TEMPO LIVRE PARA INOVAÇÃO Ao começar um programa de tempo livre para inovação no seu departamento, segue alguns conselhos de gerentes de TI que têm pavimentado o caminho (BALDWIN, 2013): 1. Decida sobre qual a percentagem de tempo que o programa irá cobrir - 20%, 10% ou menos. Não há regras rígidas e rápidas, e você tem que equilibrar a produtividade dos funcionários com a ideia de liberar a inovação. 2. Crie formas de gerenciamento de qualquer programa que vá consumir meio-dia, um dia, uma semana ou mais, mantendo sempre parte da equipe focada no "trabalho" do dia a dia. 3. Encoraje a participação voluntária. Nem todos em seu departamento de TI podem querer participar. 4. Amplie a participação para além de desenvolvedores, envolvendo todo o pessoal de TI e, em alguns casos, pessoas das áreas de negócio.

13 5. Aplique um pouco de estrutura e marcos para garantir que os projetos não persistam sem resultados. 6. Pense em como você vai apoiar a colaboração, quer através de técnicas digitais como wikis para discussões assíncronas ou técnicas físicas, tais como salas de conferências, onde as equipes possam trabalhar. 7. Certifique-se de acompanhar as ideias - mesmo as descartadas, já que alguém pode querer resolvê-las mais tarde. 8. Considere configurar um sistema de recompensas. Mesmo que você já está pagando pessoas para fazer o seu trabalho, mas quando um dos resultados da inovação gerar ganhos enormes você pode querer pensar em bonificações. 9. Gerencie suas próprias expectativas e as da gerência sênior. Apoio à inovação pode não apresentar resultados imediatos, e você deve se sentir livre para ajustar o programa com base no feedback dos participantes BYOD COMO REDUÇÃO DE CUSTOS OU NÃO BYOD, sigla em Inglês de Bring Your Own Device, traduzindo seria Traga seu Próprio Dispositivo (Equipamento), é um método que defende o uso de equipamento pessoal para o trabalho, tira da empresa a responsabilidade de comprar o hardware e reduz os custos de aquisição, uma vez que os funcionários compram os dispositivos móveis que vão usar. Entretanto, ainda que o modelo possibilite redução de CAPEX (CAPEX é a sigla da expressão inglesa CAPitalEXpenditure, em português, despesas de capital ou investimento em bens de capital, que indica a quantidade de dinheiro gasto na compra de bens de capital de uma determinada empresa. Por exemplo, comprar uma notebook.), alguns cuidados devem ser tomados ao implementá-lo. Muitas companhias estão aumentando o OPEX (OPEX é a sigla da expressão inglesa OPerationalEXpenditure, em português, despesas operacionais que refere-se ao custo associado à manutenção dos equipamentos, gastos de consumíveis e outras despesas operacionais. Por exemplo, comprar um contrato de manutenção para a impressora ou fazer o outsourcing (terceirizar) da impressão de seu escritório) com dispositivos móveis e outros equipamentos, depois da adoção do BYOD, sob diversos aspectos. A maioria das empresas reembolsa os empregados que usam o dispositivo particular para trabalhar. Algumas pagam parte do valor do aparelho. Outras apenas os custos de chamadas móveis e acesso a dados. Há ainda as que reembolsem apenas metade das despesas mensais com os planos de voz e dados, mediante apresentação de relatório dos gastos.

14 O pagamento integral ou de parte do plano subsidiado de um smartphone ou tablet de propriedade do funcionário pode não ser uma medida tão economia econômica assim, no fim das contas. Nem sempre um plano desses é mais barato do que ativar e gerir um contrato para toda a empresa. Invariavelmente, as operadoras dão descontos maiores para os planos empresariais. E oferecem planos especiais com roaming internacional a preços muito reduzidos - às vezes até mesmo a uma taxa fixa. O que pode representar uma economia significativa sobre o que muitas empresas estão desembolsando hoje com o reembolso das despesas dos funcionários. Se um funcionário, por exemplo, viaja para o exterior apenas ocasionalmente, você pode não notar um gasto extra com roaming na conta submetida para reembolso. É fácil ignorar os extras de uma pessoa. Mas quando você soma os extras de todas as pessoas, por menores que sejam, isso pode se transformar em um problema real. Um dos maiores custos do BYOD está relacionado aos serviços de assistência. Se os funcionários resolverem realizar reparos no dispositivo sem solicitar ajuda à empresa, o CIO terá, de alguma forma, possibilitar apoio. Algumas estão descobrindo que os gastos com manutenção dos diversos aparelhos particulares são maiores que os dos equipamentos corporativos e tentam achar um modelo de equilíbrio para essa estratégia (KATZ, 2013). Como cada pessoa que participa de BYOD gere suas próprias despesas, a diferença de custo não parece muito, de imediato. Mas, na prática, é como um vazamento lento. Em se tratando em uma startup com poucos sócios ou funcionários, pode ser uma boa iniciativa, mas desde que esteja muito bem alinhada entre os sócios ou funcionários que o objetivo de quem participa do BYOD é a redução de custos, custos iniciais de uma startup, mas a medida que a empresa evolui e deixa de ser uma startup, essa prática deve ser reavaliada.

15 1.5 PESQUISA ENTRE AS EMPRESAS NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE Para analisar o desenvolvimento das empresas de TI que se caracterizam como startups na região metropolitana de Porto Alegre, foi elaborado um questionário, onde avalia se a startup utiliza alguma metodologia de inovação, Design Thinking, Lean Startup, ambas, metodologia própria, não utiliza nenhuma por não saber sobre metodologias ou nenhuma metodologia simplesmente por opção. Também analisamos o nível de maturidade da metodologia utilizada, madura e disseminada por toda empresa; madura mas utilizada por departamentos específicos da empresa ou utilizada apenas partes específicas da metodologia; no meio do processo com boas perspectivas de sucesso; no meio do processo com baixas perspectivas de sucesso; no início do processo com boas perspectivas de sucesso; no início do processo com baixas perspectivas de sucesso ou nenhum nível de maturidade. Também analisamos as estratégias utilizadas para evitar o desperdício de tempo, talento e recursos. E de que forma a aplicação das metodologias adotadas para inovação e das estratégias para evitar os desperdícios melhoram o índice de sucesso dos projetos, produtos e serviços inovadores da empresa (ANEXO I). Segue o resultado da pesquisa sobre quais metodologias utilizadas: Metodologias de inovação mais utilizadas por Startups 20% 5% 20% Lean Startup e Design Thinking (as duas). Lean Startup Design Thinking 10% 5% 40% Própria Nenhuma Não utilizo nenhuma por não conhecer Figura 1 - Metodologias de Inovação mais Utilizadas por Startups A pesquisa demonstra que 40% das startups utilizam apenas Lean Startup, 20% utilizam tanto Lean Startup como Design Thinking, 20% não utilizam nenhuma metodologia, 10% utilizam metodologia própria, 5% utilizam apenas Design Thinking e outros 5% não utilizam nenhuma por não conhecer as metodologias existentes.

16 Quanto ao nível de maturidade das metodologias utilizadas: Nível de Maturidade da Metodologia de Inovação Utilizada 31% 25% 6% 19% 19% No Início do Processo, com boas perspectivas de sucesso Madura mas utilizada por departamentos específicos da empresa ou utilizada apenas partes específicas da metodologia Madura e disseminada por toda empresa. No Início do Processo, com baixas perspectivas de sucesso No Meio do Processo, com boas perspectivas de sucesso Figura 2 - Nível de Maturidade da Metodologias de Inovação Utilizada A pesquisa demonstra que 31% das startups estão no meio de seus processos de desenvolvimento da metodologia e com boas perspectivas de sucesso, 25% estão no início do processo e com boas perspectivas de sucesso, 19% consideram-se maduras e disseminadas por toda empresa, quanto que outras 19% estão no início do processo e com baixa perspectivas de sucesso, e outros 6% consideram-se maduras, porém a metodologia é aplicada por departamentos específicos ou partes específicas da metodologia é utilizada e considerada madura. As empresas foram contatadas a partir da Associação Brasileira de Startups a ABS que tem mantem como base de dados de startups a StartupBase. A proposta do StartupBase é auxiliar no processo de conhecimento das startups brasileiras, de forma que as informações disponibilizadas possam auxiliar na prospecção de novos negócios por investidores, mentores, consultores e também empreendedores que tenham interesse em fazer parte da criação de produtos inovadores (STARTUPBASE, 2013).

17 A pesquisa foi enviada para 68 startups situadas na região metropolitana de Porto Alegre e 20 participaram respondendo o questionário on-line. 1.6 CONCLUSÃO Como conclusão desta pesquisa descritiva, identificamos pontos que servem de auxilio no desenvolvimento de startups inovadoras. Analisamos startups do setor de tecnologia da informação de empresas situadas na região metropolitana de Porto Alegre e como elas estão se desenvolvendo, por meio das informações levantadas através de questionários on-line constatamos que 40% das startups já tem conhecimento de metodologias que auxiliam na inovação de seus produtos e serviços mas ainda restam 20% que não utilizam nenhuma metodologia e 5% não sabiam da existência de alguma metodologia. Entre as que utilizam alguma metodologia, 31% das startups estão no meio de seus processos de desenvolvimento da e com boas perspectivas de sucesso, 25% estão no início do processo e com boas perspectivas de sucesso, 19% consideram-se maduras e disseminadas por toda empresa. Entre os resultados da aplicação das metodologias utilizadas 27% das empresas relataram que obtiveram resultados mais rápidos e melhor qualidade e produtividade. 3% tiveram aumento de cliente, 8% aumentaram a sua margem de lucro, 8% tiveram redução de custos e investimentos, 5% tiveram redução de fracassos em projetos, entre outros resultados positivos. Essa pesquisa serve de referência para startups ou até mesmo empresas consolidadas no mercado, a aplicar de forma mais eficiente seus recursos, contribuindo para que seja evitado o desperdício de tempo, talento dos colaboradores e outros recursos, fazendo com que de forma mais eficiente o foco seja a inovação como produto ou serviço final. Os conceitos de Lean Startup e Desing Thinking possam ser utilizados mais amplamente e de forma aliada como complementação para o dia a dia dos processos de inovações das empresas.

18 REFERÊNCIAS BALDWIN Howard, Computerword/EUA CIO Estratégias de Negócios e TI para Líderes Corporativos. Acessado em Maio FELGNER, Holger. IPNews: Trabalho Remoto Pode Favorecer o Meio Ambiente. Acessado em Maio KATZ, Brian. Computerword/EUA CIO Estratégias de Negócios e TI para Líderes Corporativos. Cuidado, a economia com o BYOD pode virar aumento de custos. Acessado em Maio PINK, Daniel H. Drive A Surpreendente Verdade Sobre Aquilo que nos Motiva. Estrela Polar, São Paulo, PINK, Daniel H. Motivação 3.0. Tradução de Alexandre, Bruno. Campus - RJ, São Paulo, RIES, Eric. A Startup Enxuta: Como os empreendedores atuais utilizam a inovação contínua para criar empresas extremamente bem-sucedidas. Tradução de Carlos Szlak, São Paulo, RUSSEL, Rachel. Computerword/EUA CIO Estratégias de Negócios e TI para Líderes Corporativos. Motivate workers with salary, skills and strategy d_strategy. Acessado em Maio STARTUPBASE. Base de dados da Associação Brasileira de Startups. Acesso em Maio VIANNA, Maurício; VIANNA, Ysmar; ADLER, Isabel K; LUCENA, Brenda; RUSSO, Beatriz. Design Thinking: Inovação em Negócios. Rio de Janeiro, 2012.

Transformando a TI de uma agência governamental em ágil

Transformando a TI de uma agência governamental em ágil Transformando a TI de uma agência governamental em ágil Gavin Martin O governo é composto de programas independentes que, por causa de sua organização, inibem cadeias de valor eficientes. Por minha experiência,

Leia mais

1º de outubro de 2007 A métrica de CRM correta para a sua organização MÉTRICAS REQUEREM DISCIPLINA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE CRM BEM-SUCEDIDA

1º de outubro de 2007 A métrica de CRM correta para a sua organização MÉTRICAS REQUEREM DISCIPLINA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE CRM BEM-SUCEDIDA 1º de outubro de 2007 A métrica de CRM correta para a sua organização por William Band com Sharyn C. Leaver e Mary Ann Rogan SUMÁRIO EXECUTIVO A Forrester entrevistou 58 executivos sobre as melhores práticas

Leia mais

QUER INOVAR E NÃO SABE COMO?

QUER INOVAR E NÃO SABE COMO? QUER INOVAR E NÃO SABE COMO? Conheça a LEAN Startup - metodologia que promete aumentar as chances de sucesso do seu negócio de forma rápida e prática Esqueça os demorados planos de negócios. O mercado

Leia mais

CONHEÇA. nosso. processo. Para você lançar sua Startup. Semana de descoberta. Semana de desenvolvimento. E depois de tudo pronto?

CONHEÇA. nosso. processo. Para você lançar sua Startup. Semana de descoberta. Semana de desenvolvimento. E depois de tudo pronto? CONHEÇA nosso processo Para você lançar sua Startup Semana de descoberta Semana de desenvolvimento E depois de tudo pronto? Acreditamos em uma melhor maneira de começar sua startup De forma Colaborativa,

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Divulgação Portal - METROCAMP. Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)?

Divulgação Portal - METROCAMP. Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)? Divulgação Portal - METROCAMP Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)? Torne se um Trabalhador de Conhecimento (Kowledge Worker) de Werner Kugelmeier WWW.wkprisma.com.br

Leia mais

Guia Projectlab para Métodos Agéis

Guia Projectlab para Métodos Agéis Guia Projectlab para Métodos Agéis GUIA PROJECTLAB PARA MÉTODOS ÁGEIS 2 Índice Introdução O que são métodos ágeis Breve histórico sobre métodos ágeis 03 04 04 Tipos de projetos que se beneficiam com métodos

Leia mais

Viabilidade Financeira: Calculo da TIR e VPL

Viabilidade Financeira: Calculo da TIR e VPL Terceiro Módulo: Parte 4 Viabilidade Financeira: Calculo da TIR e VPL AN V 3.0 [54] Rildo F Santos (@rildosan) rildo.santos@etecnologia.com.br www.etecnologia.com.br http://etecnologia.ning.com 1 Viabilidade

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Por Maria Luiza Panchihak Este artigo apresenta os benefícios do gerenciamento de projetos e mostra a importância desse processo, dentro de uma organização, para

Leia mais

Guia CARREIRAS E SALÁRIOS

Guia CARREIRAS E SALÁRIOS Guia CARREIRAS E SALÁRIOS em contabilidade Guia Carreiras e Salários Se você é gestor de alguma empresa contábil, está procurando melhorar sua posição profissional ou é dono de um escritório de contabilidade:

Leia mais

PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA

PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA SEGURANÇA CIBERNÉTICA Fevereiro/2015 SOBRE A PESQUISA Esta pesquisa tem como objetivo entender o nível de maturidade em que as indústrias paulistas se encontram em relação

Leia mais

Stage-Gate, aumente as chances de sucesso de seus produtos

Stage-Gate, aumente as chances de sucesso de seus produtos Stage-Gate, aumente as chances de sucesso de seus produtos A importância da aplicação de um processo de desenvolvimento de produtos André L. C. Silveira, PMP Não importa o segmento em que sua empresa atue,

Leia mais

Agregando valor com Business Service Innovation

Agregando valor com Business Service Innovation Agregando valor com Business Service Innovation A TI é enorme. Existem tantos bits no universo digital quanto estrelas em nosso universo físico. é arriscada. Dois terços dos projetos de TI estão em risco,

Leia mais

Nove erros comuns que devem ser evitados ao selecionar e implementar uma solução de mobilidade

Nove erros comuns que devem ser evitados ao selecionar e implementar uma solução de mobilidade Nove erros comuns que devem ser evitados ao selecionar e implementar uma solução de mobilidade Introdução Introdução A empresa de pesquisa IDC prevê que mais da metade dos trabalhadores usarão ferramentas

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

Prof. Me. Marcos Echevarria

Prof. Me. Marcos Echevarria Prof. Me. Marcos Echevarria Como tirar nossas ideias do papel e transformá-las em software de verdade? Como criar softwares que realmente dão certo e, até mesmo, rendam muito dinheiro pra nós e para nossos

Leia mais

13 erros comuns de ERP e como evitá-los

13 erros comuns de ERP e como evitá-los 13 erros comuns de ERP e como evitá-los A intenção é ajudá-lo a garantir que a sua implementação de ERP seja um sucesso, ou que você, ao menos, possa minimizar os problemas potenciais. Jennifer Lonoff

Leia mais

NEGÓCIOS CATÁLOGO DE PRODUTOS. Take a Tip Consultoria de Inovação e Negócios

NEGÓCIOS CATÁLOGO DE PRODUTOS. Take a Tip Consultoria de Inovação e Negócios NEGÓCIOS CATÁLOGO DE PRODUTOS Take a Tip Consultoria de Inovação e Negócios Quem Somos Nosso Jeito Somos uma parceria estratégica de inovação e negócios, criada para cobrir o gap das consultorias que nem

Leia mais

TRANSFORMANDO SUA IDEIA EM UM NEGÓCIO

TRANSFORMANDO SUA IDEIA EM UM NEGÓCIO TRANSFORMANDO SUA IDEIA EM UM NEGÓCIO DANIEL GOMES 2015 CENTRO EMPREENDEDOR SUMÁRIO 1 Introdução... 3 O que é este guia?... 3 O que não falamos nesse guia?... 4 Quem é o Autor?... 4 Para quem é esse guia?...

Leia mais

NEGÓCIOS CATÁLOGO DE PRODUTOS. Take a Tip Consultoria de Inovação e Negócios

NEGÓCIOS CATÁLOGO DE PRODUTOS. Take a Tip Consultoria de Inovação e Negócios NEGÓCIOS CATÁLOGO DE PRODUTOS Take a Tip Consultoria de Inovação e Negócios Quem Somos Somos uma parceria estratégica de inovação e negócios, criada para cobrir o gap das consultorias que nem sempre tiveram

Leia mais

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte IBM Global Technology Services Manutenção e suporte técnico Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte Uma abordagem inovadora em suporte técnico 2 Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável

Leia mais

Transforme. Transforme a TI. a empresa. Três imperativos da TI para a transformação da empresa realizada pelo CIO em um mundo dinâmico.

Transforme. Transforme a TI. a empresa. Três imperativos da TI para a transformação da empresa realizada pelo CIO em um mundo dinâmico. TECH DOSSIER Transforme a TI Transforme a empresa Três imperativos da TI para a transformação da empresa realizada pelo CIO em um mundo dinâmico. Consolidar para conduzir a visibilidade da empresa e a

Leia mais

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR?

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? Descubra os benefícios que podem ser encontrados ao se adaptar as novas tendências de mercado ebook GRÁTIS Como o investimento em TI pode

Leia mais

JAI - XXXIII Jornadas de Atualização em Informática Empreendedorismo em Computação e Startups de Software 3 - Desenvolvimento de Cliente

JAI - XXXIII Jornadas de Atualização em Informática Empreendedorismo em Computação e Startups de Software 3 - Desenvolvimento de Cliente JAI - XXXIII Jornadas de Atualização em Informática Empreendedorismo em Computação e Startups de Software 3 - Desenvolvimento de Cliente! Fabio Kon (kon@ime.usp.br) Julian Monteiro (jm@ime.usp.br) Agenda

Leia mais

» ARTIGO. » Por Charles Jennings. A verdade sobre o treinamento. Um Clique à Frente.

» ARTIGO. » Por Charles Jennings. A verdade sobre o treinamento. Um Clique à Frente. » ARTIGO» Por Charles Jennings Um Clique à Frente. » ARTIGO» Por Charles Jennings Artigo editado e distribuído pela primeira vez em língua portuguesa por meio da parceria entre a Ciatech e o autor, Charles

Leia mais

agility made possible

agility made possible RESUMO DA SOLUÇÃO Gerenciamento da infraestrutura convergente da CA Technologies Como posso fornecer serviços inovadores ao cliente com uma infraestrutura cada vez mais complexa e convergente? E com gerenciamento

Leia mais

PORTFÓLIO DE CURSOS INNOSCIENCE. Soluções em Educação para Gestão da Inovação

PORTFÓLIO DE CURSOS INNOSCIENCE. Soluções em Educação para Gestão da Inovação PORTFÓLIO DE CURSOS INNOSCIENCE Soluções em Educação para Gestão da Inovação A INNOSCIENCE Quem somos A Innoscience é uma firma de consultoria de estratégia e inovação criada por um grupo de consultores

Leia mais

A Abordagem Lean na Integração da TI com o negócio, parte quatro: O Líder Lean Aprendiz

A Abordagem Lean na Integração da TI com o negócio, parte quatro: O Líder Lean Aprendiz A Abordagem Lean na Integração da TI com o negócio, parte quatro: O Líder Lean Aprendiz Steve Bell Enquanto me preparava para escrever o quarto artigo desta série, cheguei a um importante marco. Semana

Leia mais

#9. Pesquisa de mercado

#9. Pesquisa de mercado #9. Pesquisa de mercado para startups 1 Mentoria Remota é uma série de e-books exclusivos do Startup Sebrae Minas. Nesta edição, vamos falar sobre a importância da pesquisa de mercado. Conhecer seu público

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Professor: Adriel Ziesemer Disciplina: Engenharia de Software TRABALHO ACADÊMICO Cristian Santos - nº 45671 Guilherme

Leia mais

CRIANDO STARTUPS: Métodos, Processos, Técnicas e Ferramentas

CRIANDO STARTUPS: Métodos, Processos, Técnicas e Ferramentas CRIANDO STARTUPS: Métodos, Processos, Técnicas e Ferramentas Carlo M. R. da Silva Vinicius Cardoso Garcia Silvio R. L. Meira Autores (rbr@cin.ufpe.br) PhD. Candidate Cin UFPE Cheapig/ Campus Party Recife

Leia mais

Como é possível desenvolver os novos produtos certos na primeira vez e sempre?

Como é possível desenvolver os novos produtos certos na primeira vez e sempre? RESUMO DA SOLUÇÃO CA Clarity e Nova for PPM da Kalypso Como é possível desenvolver os novos produtos certos na primeira vez e sempre? agility made possible Obtenha as ferramentas e informações necessárias

Leia mais

TÍTULO: CONCEITOS MODERNOS EM STARTUPS: REALIDADE OU ILUSÃO? CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: CONCEITOS MODERNOS EM STARTUPS: REALIDADE OU ILUSÃO? CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: CONCEITOS MODERNOS EM STARTUPS: REALIDADE OU ILUSÃO? CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO FECAP AUTOR(ES): ANNA LUIZA WAGNER

Leia mais

Como startup lean pode ajudar na criação de novos negócios no Brasil

Como startup lean pode ajudar na criação de novos negócios no Brasil Como startup lean pode ajudar na criação de novos negócios no Brasil por Marcelo Amoroso Lima Há um movimento relevante e massivo de criação de startups, principalmente digitais. Muitas dessas empresas

Leia mais

A EVOLUÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE TI PARA ATENDER AS NECESSIDADES EMPRESARIAIS

A EVOLUÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE TI PARA ATENDER AS NECESSIDADES EMPRESARIAIS INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO Gestão e Tecnologia da Informação IFTI1402 T25 A EVOLUÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE TI PARA ATENDER AS NECESSIDADES EMPRESARIAIS Marcelo Eustáquio dos Santos

Leia mais

Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender gerenciamento de riscos.

Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender gerenciamento de riscos. ITIL V3 Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender o gerenciamento de riscos. Porquê Governança? Porque suas ações e seus requisitos

Leia mais

decisões tomadas. Euchner e Ries (2013) argumentam, entretanto, que é difícil implementar o planejamento tradicional e a previsão de resultados em

decisões tomadas. Euchner e Ries (2013) argumentam, entretanto, que é difícil implementar o planejamento tradicional e a previsão de resultados em 1 Introdução Não é recente a preocupação das empresas em buscar uma vantagem competitiva, de forma a gerar mais valor para os seus clientes do que os concorrentes por meio da oferta de produtos ou serviços

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

Entrepreneurship Lab Inovação, Desempenho e Crescimento Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração

Entrepreneurship Lab Inovação, Desempenho e Crescimento Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

28 Dicas. Para Suas. do AdWords

28 Dicas. Para Suas. do AdWords 28 Dicas Para Suas Campanhas do AdWords 28 Dicas Para Suas Campanhas do AdWords Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender TODOS OS DIREITOS RESERVADOS Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer

Leia mais

Mudança de foco Parceria financeira entre o CFO e as unidades de negócio

Mudança de foco Parceria financeira entre o CFO e as unidades de negócio Mudança de foco Parceria financeira entre o CFO e as unidades de negócio Índice Fora da sombra da área administrativa 3 Como atingir o equilíbrio financeiro 4 O Financeiro encontra várias barreiras até

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010)

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) 1) Fale a respeito de sua formação profissional e atuação. Sou engenheiro de produção pela Escola

Leia mais

Trabalho padrão do líder: uma das chaves para sustentar os ganhos de desempenho. Joe Murli

Trabalho padrão do líder: uma das chaves para sustentar os ganhos de desempenho. Joe Murli Trabalho padrão do líder: uma das chaves para sustentar os ganhos de desempenho Joe Murli O trabalho padrão do líder, incluindo o comportamento de liderança lean, é um elemento integral de um sistema de

Leia mais

"Inovação, Riscos e Compliance nos negócios e nas empresas".

Inovação, Riscos e Compliance nos negócios e nas empresas. "Inovação, Riscos e Compliance nos negócios e nas empresas". Reinterpretando "The Lean Startup", de Eric Ries ( Crown Books, 2011) José Mário B. Serra jms.consult Capo Software Li - nem sei dizer por que

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

Requisitos de Software

Requisitos de Software Requisitos de Software Prof. José Honorato F.N. Prof. José Honorato F.N. honoratonunes@gmail.com Requisitos de Software Software é o conjunto dos programas e dos meios não materiais que possibilitam o

Leia mais

Terceirização de RH e o líder de TI SUMÁRIO EXECUTIVO. Sua tecnologia de RH está lhe proporcionando flexibilidade em TI?

Terceirização de RH e o líder de TI SUMÁRIO EXECUTIVO. Sua tecnologia de RH está lhe proporcionando flexibilidade em TI? SUMÁRIO EXECUTIVO Sua tecnologia de RH está lhe proporcionando flexibilidade em TI? EM ASSOCIAÇÃO COM A TERCEIRIZAÇÃO DE RH LIBERA AS EQUIPES DE TI Nove em cada 10 CIOs se preocupam em reter os melhores

Leia mais

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS RELATÓRIO EXECUTIVO DE NEGÓCIOS

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS RELATÓRIO EXECUTIVO DE NEGÓCIOS COMPUTAÇÃO EM NUVEM: TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS TM RELATÓRIO EXECUTIVO DE NEGÓCIOS A visão da computação em nuvem por Aad van Schetsen, vicepresidente da Compuware Uniface, que mostra por que

Leia mais

Gestão Ágil de Requisitos e Scrum

Gestão Ágil de Requisitos e Scrum Gestão Ágil de Requisitos e Scrum Agilidade na gestão de requisitos e desenvolvimento de softwares... Trabalho apresentado na disciplina Introdução à Computação, curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA A informação sempre esteve presente em todas as organizações; porém, com a evolução dos negócios, seu volume e valor aumentaram muito, exigindo uma solução para seu tratamento,

Leia mais

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS por David Miller The European Business Review, março/abril 2012 As mudanças estão se tornando mais frequentes, radicais e complexas. Os índices de falha em projetos

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Agenda da disciplina Unidade I Gestão de Projetos Unidade II Ferramentas para Gestão de Projetos Unidade III Gestão de Riscos em TI Unidade

Leia mais

Documentos: Implementação de melhores práticas de solução de problemas de TI

Documentos: Implementação de melhores práticas de solução de problemas de TI Documentos: Implementação de melhores práticas de solução de problemas de TI Você pode aguardar o número de bilhetes de defeitos e o tempo para encerrar o bilhete e declinar à medida que a tecnologia de

Leia mais

METODOLOGIA LEAN DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE: UMA VISÃO GERAL

METODOLOGIA LEAN DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE: UMA VISÃO GERAL METODOLOGIA LEAN DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE: UMA VISÃO GERAL Guilherme Vota Pereira guivotap@hotmail.com Prof. Pablo Schoeffel, Engenharia de Software Aplicada RESUMO: Este artigo irá efetuar uma abordagem

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Administração de Ativos de TI. Prof. André Montevecchi

Administração de Ativos de TI. Prof. André Montevecchi Administração de Ativos de TI Prof. André Montevecchi Introdução a ITIL Em um mundo altamente competitivo, de mudanças constantes e inesperadas, é preciso ter flexibilidade e agilidade suficientes para

Leia mais

CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP

CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP Em um ambiente de negócios competitivo, a condução de projetos de forma eficiente e sem desperdícios é um grande diferencial para o sucesso.

Leia mais

Resultados da Pesquisa

Resultados da Pesquisa Resultados da Pesquisa 1. Estratégia de Mensuração 01 As organizações devem ter uma estratégia de mensuração formal e garantir que a mesma esteja alinhada com os objetivos da empresa. Assim, as iniciativas

Leia mais

A estrutura do gerenciamento de projetos

A estrutura do gerenciamento de projetos A estrutura do gerenciamento de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

O Balanced Scorecard BSC e a gestão do desempenho estratégico nas organizações do terceiro setor.

O Balanced Scorecard BSC e a gestão do desempenho estratégico nas organizações do terceiro setor. 1 São Paulo, 06 de junho do 2003 O Balanced Scorecard BSC e a gestão do desempenho estratégico nas organizações do terceiro setor. Peter Drucker (2001 p.67), fez a seguinte afirmação ao se referir ao terceiro

Leia mais

ebook grátis validar O quê fazer para sua ideia O Guia definitivo para você validar sua ideia

ebook grátis validar O quê fazer para sua ideia O Guia definitivo para você validar sua ideia ebook grátis validar O quê fazer para sua ideia O Guia definitivo para você validar sua ideia Valide sua ideia antes de pensar em software foque no problema e não na solução. Problema Solução Proposta

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010 Objetivo: Estudo de Caso Objetivo: Apresentar um Estudo de Caso para demonstrar como aplicar as práticas do SCRUM em projeto de desenvolvimento de

Leia mais

Folheto Acelere sua jornada rumo à nuvem. Serviços HP Cloud Professional

Folheto Acelere sua jornada rumo à nuvem. Serviços HP Cloud Professional Folheto Acelere sua jornada rumo à nuvem Professional Folheto Professional A HP oferece um portfólio abrangente de serviços profissionais em nuvem para aconselhar, transformar e gerenciar sua jornada rumo

Leia mais

APTRA PASSPORT DA NCR. Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos

APTRA PASSPORT DA NCR. Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos APTRA PASSPORT DA NCR Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos Uma maneira melhor para os seus clientes depositarem cheques Bancos e instituições financeiras continuam a enfrentar os desafios

Leia mais

Produtos, Outsourcing de TI, Outsourcing de Impressão, Térmicas,

Produtos, Outsourcing de TI, Outsourcing de Impressão, Térmicas, 2012 É uma das maiores empresas integradoras de tecnologia do mercado nacional, tornando-se referência no Segmento de Produtos, Outsourcing de TI, Outsourcing de Impressão, Térmicas, Telecom e soluções

Leia mais

IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT

IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT A importância da inovação em fornecedores de sistemas, serviços e soluções para criar ofertas holísticas Julho de 2014 Adaptado de Suporte a ambientes de datacenter: aplicando

Leia mais

DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR. Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso ESPECIAL

DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR. Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso ESPECIAL DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso 54 TEXTO MARIA BEATRIZ VACCARI ARTE IVAN VOLPE

Leia mais

Regulamento. Competição Sua Ideia na Prática. Edição Rio de Janeiro 2015.2

Regulamento. Competição Sua Ideia na Prática. Edição Rio de Janeiro 2015.2 Competição Sua Ideia na Prática Edição Rio de Janeiro 2015.2 1. Objetivo: A competição de empreendedorismo universitária Sua Ideia na Prática tem como objetivo desenvolver a confiança empreendedora no

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com. Manual do Professor

Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com. Manual do Professor Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com Manual do Professor Manual do professor Este manual deve ser usado em conjunto com o vídeo do autor disponível no site da editora: www.campus.com.br Maiores

Leia mais

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação Unidade IV - Avaliação de Interfaces O quê avaliação? O quê avaliação? Técnicas de Avaliação Tipos de Avaliação com Usuários Paradigmas de avaliação com usuários Avaliação rápida e suja Testes de Usabilidade

Leia mais

Como navegar no ciclo das Commodities de Petróleo. 10 Ações Estratégicas para Companhias Nacionais de Petróleo

Como navegar no ciclo das Commodities de Petróleo. 10 Ações Estratégicas para Companhias Nacionais de Petróleo Como navegar no ciclo das Commodities de Petróleo 10 Ações Estratégicas para Companhias Nacionais de Petróleo 10 Ações para Companhias Nacionais de Petróleo As Companhias Nacionais de Petróleo (NOCs) têm

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Por que o gerenciamento de ativos de software é tão difícil e como simplificá-lo

Por que o gerenciamento de ativos de software é tão difícil e como simplificá-lo DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Melhores práticas de gerenciamento de ativos de software JUNHO DE 2013 Por que o gerenciamento de ativos de software é tão difícil e como simplificá-lo John Fulton CA IT Business Management

Leia mais

Lean Startup. Julio Beles Lussari (ESIC) julio@juliolussari.com.br

Lean Startup. Julio Beles Lussari (ESIC) julio@juliolussari.com.br Lean Startup Julio Beles Lussari (ESIC) julio@juliolussari.com.br Resumo: O presente artigo acadêmico visa o estudo sobre a metodologia Lean Startup, as ferramentas para colocá-la em prática e suas metodologias

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

Transformando os processos e a cultura de TI para assegurar a qualidade do serviço e aprimorar a eficiência operacional de TI

Transformando os processos e a cultura de TI para assegurar a qualidade do serviço e aprimorar a eficiência operacional de TI RESUMO EXECUTIVO Service Operations Management Novembro de 2011 Transformando os processos e a cultura de TI para assegurar a qualidade do serviço e aprimorar a eficiência operacional de TI agility made

Leia mais

CONVERTA OS OBJETIVOS DE SUA EMPRESA EM UM PLANO EXECUTÁVEL

CONVERTA OS OBJETIVOS DE SUA EMPRESA EM UM PLANO EXECUTÁVEL CONVERTA OS OBJETIVOS DE SUA EMPRESA EM UM PLANO EXECUTÁVEL SERVIÇOS PROFISSIONAIS DA MOTOROLA PARA OPERAÇÕES EMPRESARIAIS O DESAFIO NECESSIDADES URGENTE. TECNOLOGIAS MUTÁVEIS. SOLUÇÕES COMPLEXAS. A maioria

Leia mais

Governança de TI. Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? Conhecimento em Tecnologia da Informação

Governança de TI. Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Governança de TI Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? 2010 Bridge Consulting Apresentação A Governança de Tecnologia

Leia mais

Jonas de Souza H2W SYSTEMS

Jonas de Souza H2W SYSTEMS Jonas de Souza H2W SYSTEMS 1 Tecnólogo em Informática Fatec Jundiaí MBA em Gerenciamento de Projetos FGV Project Management Professional PMI Mestrando em Tecnologia UNICAMP Metodologia de apoio à aquisição

Leia mais

fornecendo valor com inovações de serviços de negócios

fornecendo valor com inovações de serviços de negócios fornecendo valor com inovações de serviços de negócios A TI é grande. Tantos bits no universo digital quanto estrelas em nosso universo físico. é arriscada. Dois terços dos projetos de TI estão em risco,

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programa de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de Pós-MBA

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Parceiros de serviços em nuvem gerenciada Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Implemente a versão mais recente do software da SAP de classe mundial,

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Usando o SI como vantagem competitiva Vimos

Leia mais

Cada empresa é uma empresa de informação. Não

Cada empresa é uma empresa de informação. Não Gestão da Informação Corporativa OpenText Desligue o seu celular e o seu computador. Desligue os seus servidores. E agora você consegue fazer negócios? Cada empresa é uma empresa de informação. Não importa

Leia mais

PMO e Agile Team Um link forte e vital nos projetos O impacto da maturidade nos Projetos de TI

PMO e Agile Team Um link forte e vital nos projetos O impacto da maturidade nos Projetos de TI PMO e Agile Team Um link forte e vital nos projetos O impacto da maturidade nos Projetos de TI Introdução Este artigo é o resultado de minha experiência com projetos de software em empresas do setor público,

Leia mais

BSC Funciona: Novo método para planejamento de empresas incubadas

BSC Funciona: Novo método para planejamento de empresas incubadas BSC Funciona: Novo método para planejamento de empresas incubadas Maria Clara Fonteque Scacchetti 1 Aparecido Rudnick 2 Washington Fernando Silva 3 Lucia Braga Sousa 4 Resumo: Este artigo tem o objetivo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 10 de Outubro de 2013. Revisão aula anterior Documento de Requisitos Estrutura Padrões Template Descoberta

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

utilizando o catálogo de serviços para expandir seus negócios como provedor de serviços gerenciados

utilizando o catálogo de serviços para expandir seus negócios como provedor de serviços gerenciados DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Setembro de 2012 utilizando o catálogo de serviços para expandir seus negócios como provedor de serviços gerenciados agility made possible sumário resumo executivo 3 Introdução 3 O

Leia mais