DISCIPLINA: DIREITO CIVIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DISCIPLINA: DIREITO CIVIL"

Transcrição

1 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO DISCIPLINA: DIREITO CIVIL QUESTÃO Nº 01 Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota atribuída à questão n. 1, sustentando ter apresentado bom conhecimento sobre o conteúdo proposto. Reconhece, todavia, não ter abordado todos os pontos, o que, no seu entender, tem causa no exíguo espaço destinado para a resposta. O candidato obteve nota 65 (sobre 100) ao discorrer sobre os pressupostos objetivos da responsabilidade. Observe-se que, muito embora esses pressupostos tenham vindo inclusive anunciados na pergunta, o candidato mencionou pressupostos subjetivos (ao aludir à culpa), não distinguindo entre ilicitude e culpa, ao mencionar o pressuposto da ilicitude. Demais disto, limita-se a mencionar a ilicitude, o dano e o nexo causal, sem qualquer análise a respeito, sequer qualificando o dano pressuposto, como caberia, em vista do enunciado, tendo preferido mencionar, quanto ao dano, aspecto ligado ao dano-medida da indenização, aludindo à possibilidade de redução do quantum. O alegado pouco espaço para a resposta não serve, assim, como fundamento à pretendida alteração da nota. Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota atribuída à questão n. 1, sustentando não ter ficado claro, no enunciado, quais os pontos que deveriam ter sido abordados. visa averiguar. Conquanto siga o Código Civil a regra geral da responsabilidade subjetiva, essa suscita a realização de pressupostos subjetivos e objetivos apenas esses últimos sendo objeto do questionamento. Observe-se que, muito embora esses pressupostos tenham vindo inclusive anunciados na pergunta, a candidata inicia com a menção do requisito subjetivo da responsabilidade, inclusive aludindo ao dolo, demonstrando, nesse quesito, não dominar a distinção entre ilicitude e culpa. Demais disto, limita-se a mencionar a ilicitude, o dano e o nexo causal, sem qualquer análise a respeito. O alegado pouco espaço para a resposta não serve, assim, como fundamento à pretendida alteração da nota. Porém, considerando o critério comparativo com outras provas, opino pela majoração, em 15 pontos, para alterar-se a nota para 50 (cinquenta) pontos. Decisão: pelo provimento parcial do recurso, alterando a nota para 50 pontos. Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota atribuída à questão n. 1, sustentando ter conceituado de forma correta cada um dos pressupostos objetivos. Reconhece, todavia, não ter abordado todos os pontos, o que, no seu entender, tem causa no reduzido número de linhas para trabalhar a questão.

2 O candidato obteve nota 30 (sobre 100) ao discorrer sobre os pressupostos objetivos da responsabilidade. Observe-se que, muito embora esses pressupostos tenham vindo inclusive anunciados na pergunta, o candidato mencionou pressupostos subjetivos (ao aludir à culpa), não distinguindo entre ilicitude e culpa, ao mencionar o pressuposto da ilicitude. Demais disto, limita-se a mencionar a ilicitude, o dano e o nexo causal, sem qualquer análise a respeito. O alegado pouco espaço para a resposta não serve, assim, como fundamento à pretendida alteração da nota. Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota atribuída à questão n. 1, sustentando ter respondido, suficientemente, à questão proposta. Reconhece, todavia, não ter abordado todos os pontos, o que, no seu entender, tem causa no caráter genérico da questão, a qual, a seu ver, não teria indicado os tópicos a serem especificamente analisados pelo candidato. visa averiguar. O candidato obteve nota 60 (sobre 100) ao discorrer sobre os pressupostos objetivos da responsabilidade. Limita-se a mencionar a ilicitude, o dano e o nexo causal, sem qualquer análise a respeito, sequer qualificando e diferenciando o dano pressuposto do dano-medida da indenização. Porém, considerando o critério comparativo com outras provas, opino pela majoração, em 5 pontos, para alterar-se a nota para 65 (sessenta e cinco) pontos. Decisão: pelo provimento parcial do recurso, alterando a nota para 65 (sessenta e cinco) pontos. Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota atribuída à questão n. 1, sustentando ter corretamente conceituado os pressupostos objetivos. Reconhece, todavia, não ter abordado todos os pontos, o que, no seu entender, tem causa no tempo exíguo para a realização da prova. O candidato obteve nota 30 (sobre 100) ao discorrer sobre os pressupostos objetivos da responsabilidade. Observe-se que o candidato limita-se a mencionar a ilicitude, o dano e o nexo causal, sem qualquer análise a respeito. Demais disto, não abordou o dano como lesão a interesse jurídico. A alegada exiguidade de tempo não serve, assim, como fundamento à pretendida alteração da nota. Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota atribuída à questão n. 1, sustentando ter discorrido sobre todos os pressupostos objetivos. A seu ver, há incompatibilidade entre o enunciado e os critérios específicos de correção. visa averiguar. O candidato obteve nota 65 (sobre 100) ao discorrer sobre os pressupostos objetivos da responsabilidade. Observe-se que o candidato limita-se a mencionar a ilicitude, o dano e o nexo causal, sem qualquer análise a respeito. Demais disto, o candidato não diferencia o dano pressuposto do dano-medida da indenização.

3 Porém, considerando o critério comparativo com outras provas, opino pela majoração, em 10 pontos, para alterar-se a nota para 75 (setenta e cinco) pontos. Decisão: pelo provimento parcial do recurso, alterando a nota para 75 (setenta e cinco) pontos. Protocolo: Postula o recorrente a reconsideração da avaliação da questão n. 1. Reconhece, todavia, a falta de organização das ideias na resposta. O candidato obteve nota 20 (sobre 100) ao discorrer sobre os pressupostos objetivos da responsabilidade. Conquanto siga o Código Civil a regra geral da responsabilidade subjetiva, essa suscita a realização de pressupostos subjetivos e objetivos apenas esses últimos sendo objeto do questionamento. Observe-se que, muito embora esses pressupostos tenham vindo inclusive anunciados na pergunta, o candidato menciona requisito subjetivo da responsabilidade, inclusive aludindo ao dolo, demonstrando, nesse quesito, não dominar a distinção entre ilicitude e culpa. Demais disto, limita-se a mencionar a ilicitude, o dano e o nexo causal, sem qualquer análise a respeito. Protocolo: Postula o recorrente a reconsideração da avaliação da questão n. 1, sustentando que todos os pressupostos objetivos foram satisfatoriamente abordados. O candidato obteve nota 80 (sobre 100) ao discorrer sobre os pressupostos objetivos da responsabilidade. O candidato não qualificou e não diferenciou o dano pressuposto do danomedida da indenização. Porém, considerando o critério comparativo com outras provas, opino pela majoração, em 15 pontos, para alterar-se a nota para 95 (noventa e cinco) pontos. Decisão: pelo provimento do recurso e alteração da nota para 95 pontos. Protocolo: Postula o recorrente a reconsideração da avaliação da questão n. 1, sustentando que os conceitos exigidos nos critérios de avaliação foram devidamente expostos. O candidato obteve nota 55 (sobre 100) ao discorrer sobre os pressupostos objetivos da responsabilidade. O candidato limitou-se a mencionar o dano e o nexo causal, sem qualquer análise a respeito. O candidato não qualificou e não diferenciou o dano pressuposto do dano-medida da indenização.

4 QUESTÃO Nº 02 Protocolo: Postula a recorrente a majoração da nota, sustentando ter mencionado o tema de forma breve, como pedia o enunciado. Fundamentos: A resposta deveria ser dada de modo sintético, porém seria necessário demonstrar conhecimento do tema que fosse além da mera menção ao texto legal. Ao defrontar-se com o tema da atipicidade contratual a candidata limitou-se a afirmar que no Direito privado, tudo o que a lei não proíbe é permitido, mencionando a regra do art. 425 do Código Civil, mas deixando de lado aspectos relevantes que mereceriam ao menos uma breve menção, sequer demonstrando conhecer o problema da tipicidade social no campo dos contratos. Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota, sustentando ter mencionado o tema de forma breve, como pedia o enunciado e abordando de forma integral ou parcial todos os pontos necessários à resposta adequada e completa. Fundamentos: A resposta deveria ser dada de modo sintético, porém seria necessário demonstrar conhecimento do tema que fosse além da mera menção à ocorrência da atipicidade no campo dos contratos. O candidato deixou de lado aspectos relevantes que mereceriam ao menos uma breve menção, como pontuado nos critérios que serviram de guia à avaliação. Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota, eis que recebeu grau zero, sustentando ter mencionado alguns aspectos relativos ao tema, como os aspectos relativos à tipicidade legal e social bem como à função de limite à atipicidade exercida pelo princípio da boa-fé. Fundamentos: O recorrente não enfrentou o tema proposto, preferindo traçar digressão sobre a crise da teoria das fontes, o que conduz a diverso caminho. Além do mais a questão da atipicidade não se confunde, de modo algum, com a mencionada incompatibilidade à lei. Isso não obstante, o candidato mencionou, ainda que en passant e de modo parcial, a questão dos limites à atipicidade, razão pela qual o recurso pode ser em parte provido, para considerar-se como correta a menção a esse aspecto. Decisão: Pelo provimento parcial do recurso, concedendo-se 20 pontos ao candidato, com o que a nota da questão aumenta para 20 (vinte). Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota, sustentando ter mencionado o tema, como pedia o enunciado, requerendo a concessão da nota 40 (40 pontos), eis que foi atribuído o grau zero. Fundamentos: A resposta deveria ser dada de modo sintético, porém seria necessário demonstrar algum conhecimento do tema. Ao defrontar-se com o tema da atipicidade contratual o candidato preferiu fazer considerações ao modelo metodológico que, no seu entender, revestiu o Código de 1916, chegando a afirmar que não haveria a possibilidade de existência (grifei) de contratos atípicos visto que se um contrato não se amolda, perfeitamente, ao modelo legal, deveria ser entendido como a combinação das espécies previstas.

5 A resposta é incorreta em todos os seus termos. Melhor sorte não teve o candidato ao aludir ao código de Diz que no contexto atual, é possível a existência de contratos atípicos (..., grifei). Contudo, não se trata de um problema nem de possibilidade nem de existência (no sentido jurídico dessas expressões), nem a realidade dos contratos atípicos e o seu pleno reconhecimento estão, ou estiveram, na dependência do Código Civil de Protocolo: Postula a recorrente a majoração da nota, sustentando não ter ficado claro, no enunciado, quais os pontos que deveriam ter sido abordados. visa averiguar. A resposta deveria ser dada de modo sintético, porém seria necessário demonstrar conhecimento do tema. Ao defrontar-se com o tema da atipicidade contratual o candidato limitou-se a relacionar o princípio da atipicidade com o princípio da autonomia privada e com o princípio da liberdade contratual, aludindo ao dever de serem observados certos limites. A resposta, incompleta, suscita nota incompleta. Na espécie atribuiu-se ao candidato metade da nota total justamente em razão da incompletude da resposta. Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota, sustentando ter sido a resposta, embora incompleta, amparada no quadro principiológico pertinente. O Candidato optou por enfatizar os limites à atipicidade, deixando de lado os aspectos atinentes à caracterização, fontes e eficácia, bem como as distinções de base (v.g., atipicidade social e atipicidade legal). A resposta, incompleta, suscita nota incompleta. Na espécie atribuiu-se ao candidato mais da metade da nota total, não cabendo, em razão da incompletude da resposta, a majoração pretendida.

6 QUESTÃO Nº 03 Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota, sustentando ter havido alguma resposta, embora incompleta, de modo a ter pontuação, ainda que mínima. Na resposta, o Candidato afirma, taxativamente que, in verbis: falar de autorresponsabilidade e proteção da confiança é falar de função social dos contratos e boa-fé objetiva. A premissa está equivocada. A ligação entre autorresponsabilidade e proteção da confiança traça caminho distinto, que conduz ao princípio da autonomia privada, primariamente. A resposta não é, pois, incompleta, mas incorreta em sua premissa, suscitando a incorreção da conclusão, alusiva à eficácia do contrato em esfera jurídica de terceiros. Protocolo: Postula a recorrente a majoração da nota, sustentando ter havido alguma resposta, embora incompleta, de modo a ter pontuação, ainda que mínima. Na resposta, o Candidato afirma estarem os princípios da autorresponsabilidade e da confiança ligados aos deveres que se exige (SIC) dos contraentes, tanto na celebração quanto na execução do que foi pactuado. Infere-se, assim, que a candidata logrou ligar autorresponsabilidade e autonomia privada, embora de modo implícito. Consequentemente, há de ter pontuação mínima, de 10 pontos. Decisão: Pelo provimento parcial do recurso, para modificar-se a nota de zero para 10 (dez). Protocolo: Postula a recorrente a majoração da nota, sustentando ter havido alguma resposta, embora incompleta, de modo a ter pontuação, ainda que mínima. Na resposta, o Candidato logra vincular o princípio da confiança à declaração negocial. Também afirma a atuação do mencionado princípio, bem como o da autorresponsabilidade, na formação e na interpretação dos negócios jurídicos, o que é acertado. Equivoca-se, porém, no desenvolvimento do tema e no que diz com o princípio da autorresponsabilidade. Pelos pontos em que a resposta é acertada, cabe prover parcialmente o recurso, para elevar-se a nota. Decisão: Pelo provimento parcial do recurso, para modificar-se a nota de 10 para 30 pontos.

7 Protocolo: Postula a recorrente a majoração da nota, sustentando ter havido alguma resposta, embora incompleta. Na resposta, o Candidato coliga os princípios mencionados no enunciado com o princípio da dignidade da pessoa humana, o que é por demais vago e geral, carecendo, a resposta, de mediações. No entanto, há aspectos adequados, como, por exemplo, a ligação que estabelece entre a confiança e a vedação de comportamentos contraditórios. Cabe, assim, majorar a nota, em mais 20 pontos. Todavia, não cabe majorar para 60 pontos, como postulado, em virtude da incompletude da resposta. Decisão: Pelo provimento parcial do recurso, para modificar-se a nota de vinte e cinco (25) para quarenta e cinco (45). Protocolo: Postula a recorrente a majoração da nota, sustentando ter havido alguma resposta, embora incompleta, de modo a ter pontuação, ainda que mínima. Alega ter desenvolvido o tema do dever de mitigar o próprio prejuízo e cita jurisprudência portuguesa. Na resposta, o Candidato coliga o princípio da autorresponsabilidade com os casos de superendividamento. Traça essa ligação, a rigor, para negar o princípio, ao mencionar, in verbis, as instituições financeiras (que) mesmo cientes da impossibilidade da parte de saldar suas dívidas, continuam emprestando recursos para os seus clientes. A principiologia do CDC é, contudo, diversa e, nas relações abrangidas por seu âmbito, a esfera da autorresponsabilidade é matizada pelo reconhecimento da vulnerabilidade do consumidor. Decisão: Pelo improvimento do recurso, para manter-se a nota zero. Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota, sustentando ter abordado o tema do dever de mitigar o próprio prejuízo, que teria ligação com o tema proposto. A resposta é claramente equivocada. O candidato situa o princípio da autorresponsabilidade como, in verbis, uma das recentes construções baseadas nos princípios da boa-fé e da proteção da confiança (grifei). Ora, a noção de autorresponsabilidade é axiomática quando se afirma a autonomia privada, que não é princípio recente. A ligação com o dever de mitigar o próprio prejuízo decorre pela via da boa-fé e não da autorresponsabilidade ou da proteção à confiança. Decisão: Pelo não provimento do recurso. Protocolo: Postula a recorrente a majoração da nota, sustentando ter havido alguma resposta, embora incompleta, de modo a ter pontuação de trinta e cinco (35) pontos. A resposta é, como reconhece a Candidata, incompleta. Assim, a incompletude reflete-se na nota. Além do mais, a premissa segundo a qual, in verbis, os princípios da autorresponsabilidade e da confiança estão baseados nos efeitos que irradiam da boa-fé objetiva, não está correta. Decisão: Pelo não provimento do recurso. Protocolo:

8 Postula o recorrente a majoração da nota, sustentando não ter ficado claro, no enunciado, quais os pontos que deveriam ter sido abordados. visa averiguar. A nota (60) foi relativa aos pontos efetivamente abordados pelo candidato. Decisão: Pelo não provimento do recurso. Protocolo: Postula o recorrente a majoração da nota, sustentando ter abordado, com correção, os tópicos necessários. O candidato não aborda a integralidade dos tópicos considerados para a avaliação nem examina com correção o princípio da autorresponsabilidade. Todavia, logra mencionar, adequadamente, algumas das eficácias do princípio da confiança. Assim sendo, o recurso há de ser parcialmente provido, para conceder mais 10 pontos ao recorrente. Decisão: Pelo provimento parcial do recurso, aumentando-se a nota para setenta (70) pontos.

Prova Objetiva Disciplina: Direito Civil

Prova Objetiva Disciplina: Direito Civil ALT. C GAB. 1 GAB. 2 GAB. 3 GAB. 4 QUESTÃO 68 81 16 8 Alegam os recorrentes que a questão comporta várias alternativas erradas, pois contraria dispositivo constitucional (art. 5 o., inciso XXXI) e infraconstitucional,

Leia mais

DISCIPLINA: DIREITO PENAL

DISCIPLINA: DIREITO PENAL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO DISCIPLINA: DIREITO PENAL QUESTÃO Nº 109 Protocolo: 11913003657-0 Não existe qualquer erro material na questão. Nada a ser alterado. O recorrente

Leia mais

DISCIPLINA: DIREITO TRIBUTÁRIO E PROCESSO TRIBUTÁRIO

DISCIPLINA: DIREITO TRIBUTÁRIO E PROCESSO TRIBUTÁRIO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO DISCIPLINA: DIREITO TRIBUTÁRIO E PROCESSO TRIBUTÁRIO QUESTÃO Nº 07 Protocolo: 11914006546-7 tributário e/ou junto com o tema direitos fundamentais

Leia mais

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil 7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil Tópicos Especiais em Direito Civil Introdução A Responsabilidade Civil surge em face de um descumprimento obrigacional pela desobediência de uma regra estabelecida

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES APELAÇÃO CÍVEL Nº. 0373149-36.2009.8.19.0001 APTE: VIVO S.A. APDO: MINISTERIO PUBLICO Apelação Cível. Ação civil

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTAS DAS PROVAS SUBJETIVAS

PADRÃO DE RESPOSTAS DAS PROVAS SUBJETIVAS Pontuação conforme Edital: a) Juiz Leigo PADRÃO DE RESPOSTAS DAS PROVAS SUBJETIVAS PROVA ÁREA DE CONHECIMENTO NÚMERO DE QUESTÕES Direito Constitucional PONTUAÇÃO PARA CADA QUESTÃO Direito Administrativo

Leia mais

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA A responsabilidade civil tem como objetivo a reparação do dano causado ao paciente que

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio de Janeiro

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio de Janeiro 63 4ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS PROCESSO Nº 0000798-11.2011.4.02.5164/01 (2011.51.64.000798-0/01) RECORRENTE: ALEXANDRE ANDERSON DE SOUZA RECORRIDA: UNIAO FEDERAL RELATORA: JUÍZA FEDERAL

Leia mais

DISCIPLINA: DIREITO CIVIL

DISCIPLINA: DIREITO CIVIL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO DISCIPLINA: DIREITO CIVIL QUESTÃO Nº 75 Protocolo: 11913003347-0 Recurso Indeferido, conforme motivação a seguir explicitada. Os bens coletivos

Leia mais

RAZÕES DE RECURSO. Parte nº 03. NOVAS QUESTÕES E NOVAS TESES.

RAZÕES DE RECURSO. Parte nº 03. NOVAS QUESTÕES E NOVAS TESES. Associação de Praças do Estado do Paraná, pessoa jurídica de direito privado, reconhecida e declarada como Entidade de Utilidade Pública, sem fins lucrativos, regidas por normas de direito privado, não

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo XX CONCURSO 15.05.94 O que se entende por poder de autotutela da Administração Pública e como a mesma é exercida? Exemplifique. Civilmente, responde o Estado por ato legislativo

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO ClVEL n^ 071.433-4/5, da Comarca de SÃO PAULO, em que é apelante TROPVILLE COMERCIAL LTDA., sendo apelada EMPRESARIAL E ASSESSORIA S/C LTDA.:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.099.480 - MG (2008/0230045-4) RECORRENTE : CONSTRUTORA E INCORPORADORA TERRANOVA LTDA ADVOGADO : JOSÉ CESAR PALACINI DOS SANTOS E OUTRO(S) RECORRIDO : OFICIAL DO CARTÓRIO DE REGISTRO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de Ingresso Seriado para acesso aos Cursos de Graduação de

Leia mais

Contrato de Prestação de Serviços. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Contrato de Prestação de Serviços. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Contrato de Prestação de Serviços Contrato de Prestação de Serviços Visão Geral dos Contratos: Formação dos Contratos;e Inadimplemento Contratual. Formação dos Contratos Validade do Negócio Jurídico: Agente

Leia mais

A NOVA SISTEMÁTICA DO SEGURADO ESPECIAL, APÓS O ADVENTO DA LEI N. 11.718/2008

A NOVA SISTEMÁTICA DO SEGURADO ESPECIAL, APÓS O ADVENTO DA LEI N. 11.718/2008 A NOVA SISTEMÁTICA DO SEGURADO ESPECIAL, APÓS O ADVENTO DA LEI N. 11.718/2008 O presente artigo tem o desiderato de analisar as alterações trazidas com o advento da Lei n. 11.718/08, dentre as quais destacam-se

Leia mais

Unidade Central de Controle Interno

Unidade Central de Controle Interno ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno NOTIFICAÇÃO UCCI N 014/04 ÓRGÃO: Gabinete do Prefeito C/c Secretaria

Leia mais

O CÁLCULO DO VALOR DO SALÁRIO DE BENEFÍCIO DAS APOSENTADORIAS POR INVALIDEZ DE ACORDO COM O INCISO II DO ART. 29 DA LEI N. 8.

O CÁLCULO DO VALOR DO SALÁRIO DE BENEFÍCIO DAS APOSENTADORIAS POR INVALIDEZ DE ACORDO COM O INCISO II DO ART. 29 DA LEI N. 8. O CÁLCULO DO VALOR DO SALÁRIO DE BENEFÍCIO DAS APOSENTADORIAS POR INVALIDEZ DE ACORDO COM O INCISO II DO ART. 29 DA LEI N. 8.213/91 AUTOR: SÉRGIO ROBERTO LEAL DOS SANTOS. Procurador Federal, Mestre em

Leia mais

Reclamação 17.383-SP-Eletrônico Celso de Mello

Reclamação 17.383-SP-Eletrônico Celso de Mello Nº 2.791 PGR-RJMB -Eletrônico Relator: Ministro Celso de Mello Reclamante: Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Reclamado: Tribunal Superior do Trabalho RECLAMAÇÃO. CONSTITUCIONAL E ADMINIS- TRATIVO.

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PAULISTANA

ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PAULISTANA ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PAULISTANA AÇÃO CIVIL PÚBLICA PROCESSO Nº 00000064-20.2012.8.18.000064 AUTOR: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUI RÉUS: MUNICÍPIO DE PAULISTANA/PI e OUTRO

Leia mais

DA RESPOSABILIDADE CIVIL DO ESTADO (PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS)

DA RESPOSABILIDADE CIVIL DO ESTADO (PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS) DA RESPOSABILIDADE CIVIL DO ESTADO (PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS) Toda lesão de direito deve ser reparada. A lesão pode decorrer de ato ou omissão de uma pessoa física ou jurídica. Quando o autor da lesão

Leia mais

AS INFORMAÇÕES PRESTADAS PELO COATOR SÃO CONFISSÃO EXPRESSA DA VIOLAÇÃO AO DIREITO LÍQUIDO E CERTO

AS INFORMAÇÕES PRESTADAS PELO COATOR SÃO CONFISSÃO EXPRESSA DA VIOLAÇÃO AO DIREITO LÍQUIDO E CERTO EXMO. SR. JUIZ FEDERAL DA 15ª VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL REF. MANDADO DE SEGURANÇA 1005503-77.2015.4.01.3400 AMC SERVIÇOS EDUCACIONAIS LTDA., por seus advogados, tendo em vista as informações

Leia mais

Os argumentos expostos pela banca foram: Não cabe mandado de segurança pelas seguintes razões: 1) É inviável a postulação de perdas e danos.

Os argumentos expostos pela banca foram: Não cabe mandado de segurança pelas seguintes razões: 1) É inviável a postulação de perdas e danos. FUNDAMENTOS PARA O CABIMENTO DE MANDADO DE SEGURANÇA NA PROVA DE 2º FASE DE DIREITO CONSTITUCIONAL DO IX EXAME DA OAB. A sempre justa banca de Direito Constitucional cometeu, ao meu ver, um grande equivoco

Leia mais

FATO TÍPICO. Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Nexo de causalidade Tipicidade

FATO TÍPICO. Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Nexo de causalidade Tipicidade TEORIA GERAL DO CRIME FATO TÍPICO Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Resultado Nexo de causalidade Tipicidade RESULTADO Não basta existir uma conduta. Para que se configure o crime é necessário

Leia mais

Nº 4139/2014 PGR - RJMB

Nº 4139/2014 PGR - RJMB Nº 4139/2014 PGR - RJMB Físico Relator: Ministro Celso de Mello Recorrente: Ministério Público do Trabalho Recorrida: S. A. O Estado de São Paulo RECURSO EXTRAORDINÁRIO. COMPETÊNCIA DA JUS- TIÇA DO TRABALHO.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO SEçAo JUDICIÁRIA DA BAHIA. Tipo A

PODER JUDICIÁRIO SEçAo JUDICIÁRIA DA BAHIA. Tipo A SEçAo JUDICIÁRIA DA BAHIA PROCESSO N 21857-43.2014.4.01.3300 CLASSE: 1900 - AÇÃO ORDINÁRIA I OUTRAS AUTOR: PAULO RENATO LIMA CASTRO RÉ: CAIXA ECONÔMICA FEDERAL ~~--- -----S-E-NTE-N-Ç-A Tipo A 1- RELATÓRIO

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO PARTE A ADV/PROC PARTE R REPTE ORIGEM RELATOR : JORGEVALDO ROBINSTON DE MOURA : FÁBIO CORREA RIBEIRO E OUTROS : INSS INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE : JUÍZO

Leia mais

PROCESSO: 0000108-40.2010.5.01.0482 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma

PROCESSO: 0000108-40.2010.5.01.0482 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma Multa de 40% do FGTS A multa em questão apenas é devida, nos termos da Constituição e da Lei nº 8.036/90, no caso de dispensa imotivada, e não em qualquer outro caso de extinção do contrato de trabalho,

Leia mais

A mobilização de conhecimentos matemáticos no ensino de Física

A mobilização de conhecimentos matemáticos no ensino de Física Cintia Ap. Bento dos Santos Universidade Cruzeiro do Sul Brasil cintiabento@ig.com.br Edda Curi Universidade Cruzeiro do Sul Brasil edda.curi@cruzeirodosul.edu.br Resumo Este artigo apresenta um recorte

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA PROGRAMA DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR-PROCON/MP/PI PARECER

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA PROGRAMA DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR-PROCON/MP/PI PARECER MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA PROGRAMA DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR-PROCON/MP/PI PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 055/2013 F.A. Nº 0113.000.110-0 RECLAMANTE MIGUEL

Leia mais

PROVA DISCURSIVA P 2

PROVA DISCURSIVA P 2 PROVA DISCURSIVA P 2 Nesta prova, faça o que se pede, usando, caso deseje, os espaços para rascunho indicados no presente caderno. Em seguida, transcreva os textos para o CADERNO DE TEXTOS DEFINITIVOS

Leia mais

Regulamento da Pós-Graduação Lato Sensu

Regulamento da Pós-Graduação Lato Sensu Regulamento da Pós-Graduação Lato Sensu CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Os cursos de pós-graduação lato sensu da FACULDADE UNIDA são regidos pela Resolução n. º 01, de 8 de junho de 2007,

Leia mais

O CÔMPUTO DO TEMPO DE PERCEBIMENTO DO SEGURO-DESEMPREGO PARA FINS DE APOSENTADORIA

O CÔMPUTO DO TEMPO DE PERCEBIMENTO DO SEGURO-DESEMPREGO PARA FINS DE APOSENTADORIA O CÔMPUTO DO TEMPO DE PERCEBIMENTO DO SEGURO-DESEMPREGO PARA FINS DE APOSENTADORIA * Juliana de Oliveira Xavier Ribeiro 1) Introdução A finalidade do presente texto é demonstrar a natureza jurídica do

Leia mais

Informações e Despachos

Informações e Despachos Senhor Chefe do Demap, Brasília, 31 de março de 2014. TOMADA DE PREÇOS DEMAP Nº 156/2013. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA E ELABORAÇÃO DE PROJETOS BÁSICOS CONTEMPLANDO OS SISTEMAS DE SEGURANÇA DOS

Leia mais

PROVA ORAL PONTO I DISCIPLINA: DIREITO CONSTITUCIONAL QUESTÃO 1

PROVA ORAL PONTO I DISCIPLINA: DIREITO CONSTITUCIONAL QUESTÃO 1 DISCIPLINA: DIREITO CONSTITUCIONAL QUESTÃO 1 Identifique as três fases básicas do processo legislativo ordinário ou comum, explicitando as diversas etapas em que se desdobram e o significado de cada uma

Leia mais

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator MANDADO DE SEGURANÇA Nº 2006.0003477-9/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE PITANGA IMPETRANTE...: JOÃO OLÍVIO BENTO DA SILVA AUTORIDADE COATORA...: JUIZ DE DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL DA COMARCA

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Pará BELÉM SECRETARIA 1ª CÂMARA CÍVEL ISOLADA ACÓRDÃO - DOC: 20160138558352 Nº 158029

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Pará BELÉM SECRETARIA 1ª CÂMARA CÍVEL ISOLADA ACÓRDÃO - DOC: 20160138558352 Nº 158029 ACÓRDÃO - DOC: Nº 158029 APELAÇÂO CÍVEL Nº RELATORA: DESA. Trata-se de apelação cível interposta por CONSTRUTORA LEAL MOREIRA LTDA. inconformada com a sentença prolatada pelo Juízo de Direito da 1ª Vara

Leia mais

EMENTA CIVIL - DANOS MORAIS - NEGATIVA NA CONCESSÃO DE PASSE LIVRE EM VIAGEM INTERESTADUAL - TRANSPORTE IRREGULAR - INDENIZAÇÃO DEVIDA.

EMENTA CIVIL - DANOS MORAIS - NEGATIVA NA CONCESSÃO DE PASSE LIVRE EM VIAGEM INTERESTADUAL - TRANSPORTE IRREGULAR - INDENIZAÇÃO DEVIDA. Órgão: 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais Classe: ACJ Apelação Cível no Juizado Especial N. Processo: 2007.09.1.022383-7 Apelante:VIAÇÃO TRANSPIAUÍ SÃO RAIMUNDENSE LTDA Apelado:

Leia mais

Conselho de Recursos Administrativos - CORAD

Conselho de Recursos Administrativos - CORAD RECUOS. Prova Oral. Concurso Público de Outorga de Delegação Notarial e de Registros. Decisões proferidas pela Comissão Examinadora publicadas no Edital 032/2015- CECPODNR, relativos às médias das notas

Leia mais

Breves Considerações sobre o Superendividamento

Breves Considerações sobre o Superendividamento 116 Breves Considerações sobre o Superendividamento Luiz Eduardo de Castro Neves 1 O empréstimo de valores é realizado com a cobrança de juros, de forma a permitir uma remuneração pelo valor emprestado.

Leia mais

12º CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA PROVIMENTO DE CARGOS NA CLASSE DE INGRESSO DA CARREIRA DE PROCURADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

12º CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA PROVIMENTO DE CARGOS NA CLASSE DE INGRESSO DA CARREIRA DE PROCURADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Expediente nº 028348-10.00/10-6 Mariana Schulter Vieceli pede, tempestivamente, reconsideração da nota obtida na Prova de Títulos do 12º Concurso Público de Provas e Títulos para Provimento de Cargos na

Leia mais

A responsabilidade civil do engenheiro eletricista na atualidade

A responsabilidade civil do engenheiro eletricista na atualidade A responsabilidade civil do engenheiro eletricista na atualidade Acimarney Correia Silva Freitas¹, Celton Ribeiro Barbosa², Rafael Santos Andrade 3, Hortência G. de Brito Souza 4 ¹Orientador deste Artigo

Leia mais

PARECER JURÍDICO Nº011/2014 CONCORRÊNCIA Nº001/2014 I - A QUESTÃO:

PARECER JURÍDICO Nº011/2014 CONCORRÊNCIA Nº001/2014 I - A QUESTÃO: PARECER JURÍDICO Nº011/2014 CONCORRÊNCIA Nº001/2014 I - A QUESTÃO: O CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL CAU/RS solicita parecer jurídico acerca dos Recursos Hierárquicos

Leia mais

RESUMO. Um problema que esse enfrenta nesta modalidade de obrigação é a escolha do objeto.

RESUMO. Um problema que esse enfrenta nesta modalidade de obrigação é a escolha do objeto. RESUMO I - Obrigações Alternativas São aquelas que têm objeto múltiplo, de maneira que o devedor se exonera cumprindo apenas uma delas. Nasce com objeto múltiplo. Ex.: A se obriga a pagar a B objeto X

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 Suponha se que Maria estivesse conduzindo o seu veículo quando sofreu um acidente de trânsito causado por um ônibus da concessionária do serviço público

Leia mais

garante: respeito/consideração implica: direitos/deveres

garante: respeito/consideração implica: direitos/deveres 1 UNIDADE II PRINCÍPIOS DO DIREITO CONTRATUAL P R I N C Í P I O S 1) PRINCÍPIO DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA 2) PRINCÍPIO DA AUTONOMIA DA VONTADE 3) PRINCÍPIO DO CONSENSUALISMO 4) PRINCÍPIO OBRIGATORIEDADE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 105819/PE (0005639-71.2010.4.05.0000) AGRTE : JOACYR FONSECA SOARES ADV/PROC : MARCO ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE MEIRA AGRDO : FAZENDA NACIONAL PARTE R : CARTAGO REVENDEDORA AUTORIZADA

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL A Construtora Segura Ltda. está sendo executada pela Fazenda Pública Municipal. Entretanto, a empresa havia proposto uma ação de consignação em pagamento, com relação

Leia mais

Discursivas do Cespe Tema específico: resposta fácil, organização complicada.

Discursivas do Cespe Tema específico: resposta fácil, organização complicada. Toque de Mestre 16 Discursivas do Cespe Tema específico: resposta fácil, organização complicada. Profa. Júnia Andrade Viana profajunia@gmail.com face: profajunia Autora do livro Redação para Concursos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE DIREITO

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE DIREITO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO Projeto de Pesquisa Individual Prof. FREDERICO VIEGAS DIREITO CIVIL- CONSTITUCIONAL

Leia mais

PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL

PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL *ATENÇÃO: ANTES DE INICIAR A PROVA, VERIFIQUE SE TODOS OS SEUS APARELHOS ELETRÔNICOS FORAM ACONDICIONADOS E LACRADOS DENTRO DA EMBALAGEM PRÓPRIA. CASO A QUALQUER MOMENTO DURANTE A REALIZAÇÃO DO EXAME VOCÊ

Leia mais

Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo 2015/2016

Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo 2015/2016 PROVA DE INGRESSO PARA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo 2015/2016 Componente Específica de Economia para

Leia mais

Nº 70052301447 COMARCA DE PORTO ALEGRE A C Ó R D Ã O

Nº 70052301447 COMARCA DE PORTO ALEGRE A C Ó R D Ã O RESPONSABILIDADE CIVIL. AÇÃO INDENIZATÓRIA. FURTO DE VEÍCULO EM ÁREA AZUL. Ocorrendo o furto de veículo em área azul, administrada pela EPTC, a qual é destinada a estacionamento com a finalidade de garantir

Leia mais

SC Cursos e Treinamentos Ltda. - ME

SC Cursos e Treinamentos Ltda. - ME 1 CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2012 PROMOVIDO PELA ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL DE HERVAL D OESTE SC. RECURSOS INTERPOSTOS EM FACE DE QUESTÃO DA PROVA OBJETIVA E DO RESPECTIVO GABARITO PRELIMINAR. Os recursos em

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL PRÉ-CONTRATUAL

RESPONSABILIDADE CIVIL PRÉ-CONTRATUAL RESPONSABILIDADE CIVIL PRÉ-CONTRATUAL Na responsabilidade civil pré-contratual as partes são consideradas simples tratantes e não definitivamente contratantes, em que pese sejam aplicados a esta responsabilidade

Leia mais

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator RECURSO INOMINADO Nº 2006.3281-7/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE FAZENDA RIO GRANDE RECORRENTE...: EDITORA ABRIL S/A RECORRIDO...: RAFAELA GHELLERE DAL FORNO RELATOR...: J. S. FAGUNDES CUNHA

Leia mais

Nº 2324/2014 - ASJTC/SAJ/PGR

Nº 2324/2014 - ASJTC/SAJ/PGR Nº 2324/2014 - ASJTC/SAJ/PGR Suspensão de Liminar nº 764/AM Relator: Ministro Presidente Requerente: Estado do Amazonas Requerido: Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas Interessado: Ministério Público

Leia mais

ILUSTRÍSSIMA AUTORIDADE SUPERIOR POR INTERMÉDIO DO SENHOR PREGOEIRO DESIGNADO PELA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO VERDE

ILUSTRÍSSIMA AUTORIDADE SUPERIOR POR INTERMÉDIO DO SENHOR PREGOEIRO DESIGNADO PELA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO VERDE ILUSTRÍSSIMA AUTORIDADE SUPERIOR POR INTERMÉDIO DO SENHOR PREGOEIRO DESIGNADO PELA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO VERDE REF.: PREGÃO PRESENCIAL Nº 148/2013 SAMTRONIC INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA., pessoa jurídica

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2008.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2008. Ntátuald, TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA - APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2008.012051-0/002, ORIGEM :Processo n. 001.2008.012051-0 da 3 a Vara

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2011.0000299990 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 9000322-04.2010.8.26.0037, da Comarca de Araraquara, em que é apelante/apelado DORIVAL CAVICHIONI JUNIOR (JUSTIÇA

Leia mais

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Reconhecida pelo Decreto 79.090 de 04/01/1970

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Reconhecida pelo Decreto 79.090 de 04/01/1970 CURSO DE DIREITO 2º SEMESTRE 2013 PERÍODO: 4º DISCIPLINA: Direito Civil III - Teoria Geral dos Contratos e Responsabilidade Civil CARGA HORÁRIA TOTAL: 80 h/a. CRÉDITOS: 04 PROFESSORA: MÁRCIA PEREIRA COSTA

Leia mais

RESPOSTA AO RECURSO DE PONTUAÇÃO

RESPOSTA AO RECURSO DE PONTUAÇÃO NÚMERO DE INSCRIÇÃO DO CANDIDATO: 401194 MOTIVO ALEGADO PELO CANDIDATO: Ao fazer a contagem dos acretos da prova, após a divulgação do gabarito final, contei 24 acertos, número pelo qual eu poderia ser

Leia mais

Princípios ABC do Grupo Wolfsberg Perguntas Frequentes Relativas a Intermediários e Procuradores/Autorizados no Contexto da Banca Privada

Princípios ABC do Grupo Wolfsberg Perguntas Frequentes Relativas a Intermediários e Procuradores/Autorizados no Contexto da Banca Privada Princípios ABC do Grupo Wolfsberg Perguntas Frequentes Relativas a Intermediários e Procuradores/Autorizados no Contexto da Banca Privada Por vezes surgem perguntas relativas a Intermediários Promotores

Leia mais

CONTRATO DE ASSINATURA

CONTRATO DE ASSINATURA CONTRATO DE ASSINATURA 1. PARTES 1.1 De um lado I SOWA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ME, CNPJ 11.388.573/0001-50 estabelecida na Avenida Pompéia, 1792, Bairro Perdizes, São Paulo, CEP: 05022-001, ("o MEUADV");

Leia mais

http://www.profmarcelomoura.blogspot.com EXAME DE ORDEM ( CESPE/UnB ) 2009.2

http://www.profmarcelomoura.blogspot.com EXAME DE ORDEM ( CESPE/UnB ) 2009.2 EXAME DE ORDEM ( CESPE/UnB ) 2009.2 OBSERVAÇÃO O gabarito pretende abranger diversos aspectos do tema abordado. Assim, o fato do candidato não ter abordado todos os temas referidos neste comentário não

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS PODER JUDICIÁRIO BELO HORIZONTE 10ª TURMA RECURSAL DE BELO HORIZONTE

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS PODER JUDICIÁRIO BELO HORIZONTE 10ª TURMA RECURSAL DE BELO HORIZONTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS PODER JUDICIÁRIO BELO HORIZONTE 10ª TURMA RECURSAL DE BELO HORIZONTE RUAPADRE ROLIM, 424, EDIFÍCIO ANEXO 1º ANDAR, SANTA EFIGÊNIA, BELO HORIZONTE - MG, FONE: (31)3289-9416

Leia mais

Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa).

Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa). Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa). Pressupostos da responsabilidade civil subjetiva: 1) Ato ilícito; 2) Culpa; 3) Nexo causal; 4) Dano. Como já analisado, ato ilícito é a conduta voluntária

Leia mais

DOS FATOS JURÍDICOS. FATO JURÍDICO = é todo acontecimento da vida relevante para o direito, mesmo que seja fato ilícito.

DOS FATOS JURÍDICOS. FATO JURÍDICO = é todo acontecimento da vida relevante para o direito, mesmo que seja fato ilícito. DOS FATOS JURÍDICOS CICLO VITAL: O direito nasce, desenvolve-se e extingue-se. Essas fases ou os chamados momentos decorrem de fatos, denominados de fatos jurídicos, exatamente por produzirem efeitos jurídicos.

Leia mais

Ilegalidade e inconstitucionalidade da cobrança da Contribuição Sindical Rural. Proposta de sua extinção

Ilegalidade e inconstitucionalidade da cobrança da Contribuição Sindical Rural. Proposta de sua extinção Ilegalidade e inconstitucionalidade da cobrança da Contribuição Sindical Rural. Proposta de sua extinção Kiyoshi Harada* É pacífico na doutrina e na jurisprudência que o crédito tributário resulta do ato

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO POR PERÍODO INDETERMINADO DE ESTRANGEIRO PROFISSIONAL NÃO TÉCNICO / ESPECIALISTA

CONTRATO DE TRABALHO POR PERÍODO INDETERMINADO DE ESTRANGEIRO PROFISSIONAL NÃO TÉCNICO / ESPECIALISTA Avenida Paulista 2006, 16º andar 01312-200 São Paulo, SP Brasil Telefone: (+55 11) 32 97 31 21 Fax: (+55 11) 32 97 31 17 Cabinet Chantereaux 22, Place du Général Catroux 75017 Paris FRANCE téléphone: (+33)

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho 1 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL n 200.2008.034405-0/001 RELATOR: Juiz Aluízio Bezerra Filho (convocado em substituição

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO SEXTA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Agravo de Instrumento nº 0030022-85.2013.8.19.0000 Agravante: LUCIENE FERREIRA DA SILVA Agravado: LEASING PANAMÁ EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA Relatora: DES.

Leia mais

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades Administrador Administrador é a pessoa a quem se comete a direção ou gerência de qualquer negócio ou serviço, seja de caráter público ou privado,

Leia mais

2ª TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

2ª TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ Autos nº: 200770510024606 Relatora: Juíza Federal Ana Carine Busato Daros Requerente: Kogi Komatsu V O T O Dispensado o relatório, nos termos dos artigos 38 e 46 da Lei nº 9.099/95, combinado com o artigo

Leia mais

Comissão Especial de Licitação Concorrência nº 397/2010 Verificador Independente RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS EM 08/02/2011

Comissão Especial de Licitação Concorrência nº 397/2010 Verificador Independente RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS EM 08/02/2011 RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS EM 08/02/2011 EDITAL DE LICITAÇÃO 1. É dito no item 9.6.3 que os atestados de capacitação técnica a que se refere o item 9.6.1 (I a III) deverão ser fornecidos por

Leia mais

Aula 3 ato ilícito. San Tiago Dantas: principal objetivo da ordem jurídica? É proteger o lícito e reprimir o ilícito.

Aula 3 ato ilícito. San Tiago Dantas: principal objetivo da ordem jurídica? É proteger o lícito e reprimir o ilícito. Aula 3 ato ilícito. San Tiago Dantas: principal objetivo da ordem jurídica? É proteger o lícito e reprimir o ilícito. Ordem jurídica: estabelece deveres positivos (dar ou fazer alguma coisa) e negativos

Leia mais

APELANTE: EDWALTER CUNHA COUTO APELADO: LOTÉRICA RONDON PLAZA SHOPPING LTDA.

APELANTE: EDWALTER CUNHA COUTO APELADO: LOTÉRICA RONDON PLAZA SHOPPING LTDA. APELANTE: EDWALTER CUNHA COUTO APELADO: LOTÉRICA RONDON PLAZA SHOPPING LTDA Número do Protocolo: 64876/2012 Data de Julgamento: 09-01-2013 E M E N T A APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 10 16/04/2013 SEGUNDA TURMA AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 667.692 SÃO PAULO RELATOR : MIN. RICARDO LEWANDOWSKI AGTE.(S) :SUDARCY SANSAO

Leia mais

PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Apelação Cível nº 0059871-12.2007.8.19.0001 Apelante: JONETES TERESINHA BOARETTO Apelado: GRANDE HOTEL CANADÁ LTDA. Relator: DES. CUSTÓDIO TOSTES DECISÃO MONOCRÁTICA

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Ministério da Cultura publicou, na imprensa oficial, edital de licitação que veio assinado pelo próprio Ministro da Cultura, na modalidade de tomada de preços,

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR-542-30.2010.5.04.0002. A C Ó R D Ã O 3ª Turma GMAAB/obc/ct/smf

PROCESSO Nº TST-RR-542-30.2010.5.04.0002. A C Ó R D Ã O 3ª Turma GMAAB/obc/ct/smf A C Ó R D Ã O 3ª Turma GMAAB/obc/ct/smf AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ABONO PECUNIÁRIO. CONCESSÃO SEM O REQUERIMENTO DO EMPREGADO. O e. Tribunal Regional indeferiu o pedido de indenização

Leia mais

PARECER JURÍDICO. PARECER - 22º EXAME Ago/03 (RJ)

PARECER JURÍDICO. PARECER - 22º EXAME Ago/03 (RJ) Direito do Trabalho Aula 26 2ª Fase Maria Inês Gerardo PARECER JURÍDICO PARECER - 22º EXAME Ago/03 (RJ) A empresa Flutuar Transportes Aéreos S.A. adquiriu o controle acionário da empresa Luar Táxi Aéreo

Leia mais

Responsabilidade Civil do fornecedor em razão da Perda do Tempo Livre com fundamento no Código de Defesa do Consumidor 1

Responsabilidade Civil do fornecedor em razão da Perda do Tempo Livre com fundamento no Código de Defesa do Consumidor 1 Responsabilidade Civil do fornecedor em razão da Perda do Tempo Livre com fundamento no Código de Defesa do Consumidor 1 1. INTRODUÇÃO A responsabilidade civil está vinculada à questão de que todos nós

Leia mais

23 a Câmara Cível / Consumidor do Tribunal de Justiça

23 a Câmara Cível / Consumidor do Tribunal de Justiça Apelação nº 0001938-89.2009.8.19.0008 Apelante: ITAÚ SEGUROS S.A Apelado: SELMA SILVA DE ABREU DIAS Relator Des. SÉRGIO RICARDO DE ARRUDA FERNANDES AÇÃO DE RITO SUMÁRIO. DIREITO DO CONSUMIDOR. CONTRATAÇÃO

Leia mais

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro.

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro. Circular 04/2014 Rio de Janeiro, 17 de março de 2014. Ilmo Provedor / Presidente a/c: Recursos Humanos / Departamento Pessoal Complementando informações repassadas deste Sindicato e diante do volume de

Leia mais

Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social Conselho Pleno

Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social Conselho Pleno Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social Conselho Pleno Nº de Protocolo do Recurso: 36994.001921/2010-71 Unidade de Origem: APS Alfenas/GEX Varginha/MG Documento: 42/150.380.270-9

Leia mais

Processo n.º 656/2014

Processo n.º 656/2014 Processo n.º 656/2014 (Recurso Laboral) Relator: Data : João Gil de Oliveira 26/Março/2015 ASSUNTOS: - Comodato e mútuo - Prejuízos; liquidação em execução de sentença SUMÁ RIO : 1. Se A empresta a B certas

Leia mais

A Cláusula de Carência em. Fundamento para Limitação de Cobertura dos Casos de Emergência

A Cláusula de Carência em. Fundamento para Limitação de Cobertura dos Casos de Emergência 110 A Cláusula de Carência em Fundamento para Limitação de Cobertura dos Casos de Emergência Renata Palheiro Mendes de Almeida 1 I INTRODUÇÃO - - da Carta Magna. Enfatizando a envergadura desse direito

Leia mais

Teoria das nulidades dos atos de advocacia. Dispõe o Estatuto da Advocacia (Lei Federal n.º 8.906/94):

Teoria das nulidades dos atos de advocacia. Dispõe o Estatuto da Advocacia (Lei Federal n.º 8.906/94): Thiago d Ávila Membro da Advocacia-Geral da União. Procurador Federal. Procurador do INCRA em Natal/RN. Ex-Procurador do INSS. Ex-Procurador do Órgão de Arrecadação da Procuradoria-Geral Federal. Dedica-se

Leia mais

FATO TÍPICO CONDUTA. A conduta é o primeiro elemento integrante do fato típico.

FATO TÍPICO CONDUTA. A conduta é o primeiro elemento integrante do fato típico. TEORIA GERAL DO CRIME FATO TÍPICO CONDUTA A conduta é o primeiro elemento integrante do fato típico. Na Teoria Causal Clássica conduta é o movimento humano voluntário produtor de uma modificação no mundo

Leia mais

Empregador é responsável por danos ao ambiente de trabalho e à saúde

Empregador é responsável por danos ao ambiente de trabalho e à saúde REFLEXÕES TRABALHISTAS Empregador é responsável por danos ao ambiente de trabalho e à saúde 01 de agosto de 2014, 08:00h Por Raimundo Simão de Melo No Brasil, até 1988, o enfoque principal sobre o meio

Leia mais

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES Prezada Senhora, Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. EDITAL - Item 4.12.4 inciso I - Qual documento

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução.

Copyright Proibida Reprodução. PROCEDIMENTO PADRÃO PERÍCIA AMBIENTAL Prof. Éder Responsabilidade Clementino dos civil Santos INTRODUÇÃO BRASIL: Perícia Ambiental É um procedimento utilizado como meio de prova; Fornecimento de subsídios

Leia mais

RELATOR(A): DESEMBARGADOR(A) FEDERAL MANOEL DE OLIVEIRA ERHARDT - 1º TURMA

RELATOR(A): DESEMBARGADOR(A) FEDERAL MANOEL DE OLIVEIRA ERHARDT - 1º TURMA PROCESSO Nº: 0804048-31.2014.4.05.8300 - APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO RELATÓRIO Cuida-se de apelação interposta pelo INSS contra sentença proferida pelo Juízo da 10ª Vara Federal de Pernambuco que julgou

Leia mais

Espelho Administrativo Peça

Espelho Administrativo Peça Espelho Administrativo Peça A medida judicial a ser proposta é uma ação de responsabilidade civil / ação indenizatória pelo rito ordinário em face da União Federal, tendo em vista o dano sofrido por João

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO DIREITO MATERIAL E PROCESSUAL DO TRABALHO

DIREITO FINANCEIRO DIREITO MATERIAL E PROCESSUAL DO TRABALHO DIREITO FINANCEIRO 1) Conceitue e diferencie o papel da lei de diretrizes orçamentárias, do orçamento plurianual e da lei orçamentária, discorrendo sobre suas características e princípios. Conceitue reserva

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 2 Registro: 2015.0000086160 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0011047-84.2013.8.26.0011, da Comarca de São Paulo, em que é apelante ORDALIA REGINA DA SILVA BUSO, são

Leia mais

Abuso de Direito (art. 187 CC) Limites ao exercício de um direito: Fins econômicos, fins sociais, costumes e boa fé.

Abuso de Direito (art. 187 CC) Limites ao exercício de um direito: Fins econômicos, fins sociais, costumes e boa fé. Turma e Ano: Flex B (2013) Matéria / Aula: Civil (Contratos) / Aula 15 Professor: Rafael da Motta Mendonça Conteúdo: Teoria Geral dos Contratos: Princípios: Boa fé Objetiva; Fases do Contrato: Formação

Leia mais

A RESPONSABILIDADE OBJETIVA NO NOVO CÓDIGO CIVIL

A RESPONSABILIDADE OBJETIVA NO NOVO CÓDIGO CIVIL A RESPONSABILIDADE OBJETIVA NO NOVO CÓDIGO CIVIL SÍLVIO DE SALVO VENOSA 1 Para a caracterização do dever de indenizar devem estar presentes os requisitos clássicos: ação ou omissão voluntária, relação

Leia mais