UMA PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO PARA O GRANDE MEIER

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UMA PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO PARA O GRANDE MEIER"

Transcrição

1 UMA PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO PARA O GRANDE MEIER

2 UNIVERSIDADE GAMA FILHO REITORIA CENTRAL DE CURSOS DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GESTÃO DO MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Sonia Lucia Athayde Mesquita UMA PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO PARA O GRANDE MEIER Rio de Janeiro / RJ 2010

3 UNIVERSIDADE GAMA FILHO REITORIA CENTRAL DE CURSOS DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GESTÃO DO MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Sonia Lucia Athayde Mesquita UMA PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO PARA O GRANDE MEIER Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Universidade Gama Filho como requisito parcial para a conclusão do curso de pós-graduação Lato Sensu em MBA em Gestão do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Rio de Janeiro / RJ 2010

4 FIC H A C A T ALO G R Á FIC A (C atalogado na fonte pela B iblioteca Central da U niversidade G am a Filho) M F M esquita, S onia Lucia A thayde Um a proposta de criação de Indicadores de S ustentabilidade da U niversidade G am a Filho para o G rande M éier / S onia Lucia A thayde M esquita. R io de Janeiro : S. L. A. M esquita, p. : tab. graf. fot. m apas O rientador: Judicael C levelário Júnior, M D s. M onografia (pós-graduação) - U niversidade G am a Filho, C urso de P ós-g raduação em M B A em D esenvolvim ento S ustentável. Inclui bibliografia. 1. M eio am biente. 2. M éier (Rio de Janeiro,R J) Indicadores de sustentabilidade. 3. Desenvolvim ento sustentável. 4. G estão am biental. I. C levelário Júnior, Judicael, P rof. O rient. II. T ítulo. C D D 574.5

5 UNIVERSIDADE GAMA FILHO REITORIA CENTRAL DE CURSOS DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GESTÃO DO MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Sonia Lucia Athayde Mesquita UMA PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO PARA O GRANDE MEIER 1-CONTEÚDO Nota Conceito Avaliador Profª Drª Vera Ornellas assinatura NOTA FINAL: Conceito Rio de Janeiro de de20 Prof. Dr. Judicael Clevelário Junior

6 UNIVERSIDADE GAMA FILHO REITORIA CENTRAL DE CURSOS DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GESTÃO DO MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL UMA PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO PARA O GRANDE MEIER RIO DE JANEIRO DE DE 2010 Nome do aluno completo

7 DEDICATÓRIA O amigo certo se reconhece numa situação incerta. Cícero

8 AGRADECIMENTO Aos excelentes professores do MBA em Gestão do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável pela dedicação e comprometimento. Ao Professor Doutor Judicael Clevelário Junior, meu orientador, um grande Mestre. À Professora Doutora Vera Ornellas por me oferecer uma grande oportunidade; À Professora Doutora Christiane Leal pelo inestimável apoio. À Professora Doutora Célia Lopes pela fundamental contribuição. E à Janaina Bazilio, minha assistente e grande amiga.

9 RESUMO Este trabalho tem por objetivo avaliar os indicadores de sustentabilidade sugeridos pela Agenda 21, pelo Instituto Ethos e pelo Plano Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro Região do Grande Méier. Este plano foi elaborado pela Prefeitura da Cidade e será implementado até Visa reestruturar o Rio de Janeiro como pólo integrador e competitivo para a realização de grandes eventos internacionais, atraindo mais turistas, negócios e divisas. Nesse contexto entende-se por atividade sustentável aquela que é executada levando em conta a proteção ambiental, a atenção às necessidades sociais e a minimização dos custos. Indicadores são instrumentos que visam simplificar, quantificar e analisar informações técnicas sobre determinada ação ou fato, e são úteis para subsidiar tomadas de decisão no sentido de direcionar a atividade rumo à sustentabilidade. Com base nos indicadores estudados é apresentado um conjunto de indicadores julgados à Gestão da Sustentabilidade Corporativa da Universidade Gama Filho para a região do seu entorno. A região do Grande Meier é importante por sua história, por sua cultura e tradições. Abriga um dos mais modernos estádios de futebol, o João Havelange, chamado de Engenhão por estar situado no subúrbio do Engenho de Dentro. A Universidade Gama Filho faz parte dessa história, estando há 71 anos comprometida com as comunidades do entorno, sintonizada e atenta para a revitalização dessa importante região do subúrbio carioca. PALAVRAS-CHAVE: 1. Meio ambiente. 2. Grande Méier (Rio de Janeiro,RJ) Indicadores de sustentabilidade. 3. Desenvolvimento sustentável. 4. Gestão ambiental.

10 ABSTRACT This study aims to assess the sustainability indicators suggested by Agenda 21, the Ethos Institute and the Strategic Plan of the City of Rio de Janeiro Méier District. This plan was drafted by City Hall and will be implemented by Aims to restructure the Rio de Janeiro as pole integrator and competitive environment for the realization of major international events, attracting more tourists, business and foreign exchange. In this context means that a sustainable activity that is performed taking into account environmental protection, attention to social needs and minimizing costs. Indicators are tools that aim to simplify, quantify and analyze technical information about a particular action or event, and are useful to support decision making in order to direct the activity toward sustainability. The indicators studied presents a set of indicators judged to the Management of Corporate Sustainability at the Gama Filho University in the region from its surroundings. The region of the Meier District is important for its history, its culture and traditions. It houses one of the most modern football stadiums, Joao Havelange, affectionately called Engenhão to be located in the suburb of mill inside. Gama Filho University is part of that history, being committed for 71 years with the surrounding communities, and closely attuned to the revitalization of this important region of the suburbs. KEY- WORD- 1. Environment. 2. Meier District (Rio de Janeiro city, Brazil) - Indicators of sustainability. 3. Sustainable development. 4. Environmental management.

11 SUMÁRIO CAPÍTULO I: O PROBLEMA E A METODOLOGIA Introdução Delimitação do Estudo Justificativa Objetivo Geral Questão de Estudo Metodologia CAPÍTULO II: REFERENCIAL TEÓRICO CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

12 CAPÍTULO I O PROBLEMA E A METODOLOGIA 1.1. Introdução A civilização ocidental de base industrial se tornou dominante em todo o mundo. Exibiu, nas últimas décadas, muitos indicadores sociais e econômicos ascendentes, como crescimento exponencial da população, duração média de vida, consumo de energia, demanda de alimentos, invenções e descobertas e desenvolvimento de serviços de comunicação. No entanto, tendo o planeta recursos finitos e limitada capacidade de suportar os subprodutos e rejeitos da transformação industrial dos recursos naturais, é preciso desenvolver estratégias para minimizar os impactos causados pelo crescimento econômico e populacional. Os problemas e desafios de sustentabilidade enfrentados na atualidade são múltiplos e complexos. Para que se possa avançar mais rapidamente e com efetividade, respondendo decisivamente e de uma forma mais eficiente à crescente demanda da sociedade, e também dos mercados externos, é importante contar-se com a melhor informação possível referente ao meio ambiente e a sustentabilidade do desenvolvimento. Um dos principais instrumentos de gestão para o acompanhamento da sustentabilidade das atividades humanas que impactam o meio ambiente são os indicadores. Os indicadores de sustentabilidade mostram as variações no tempo de uma variável prédefinida, que sinaliza aspectos do processo analisado que afetam a sustentabilidade do mesmo (QUIROGA, 2003). QUIROGA, R. Información y Participación em el Desarollo de La Sustentabilidade em America Latina. La transicion hacia el desarrollo sutentável, p , Mexico: 2002.

13 Missão, Finalidades e Valores Institucionais: Constitui-se missão da Universidade Gama Filho (UGF): Educar com excelência e produzir conhecimento, formando profissionais competentes e comprometidos com valores éticos e com a construção de uma sociedade justa e democrática São finalidades da Universidade Gama Filho: Formar profissionais em nível de graduação e pós-graduação nas diversas áreas do conhecimento, preparando-os para a atuação profissional e o exercício pleno da cidadania, contribuindo para o desenvolvimento do estado do Rio de Janeiro e do Brasil Formar pessoal qualificado para a pesquisa científica, detentiva de perspectivas éticas, humanistas e de preservação ambiental, contribuindo para o desenvolvimento científico e tecnológico e a melhor qualidade de vida no estado do Rio de Janeiro e Brasil Produzir e divulgar conhecimentos científicos, tecnológicos e culturais, contribuindo para o desenvolvimento científico e tecnológico e a melhor qualidade de vida no estado do Rio de Janeiro e no Brasil Atuar na sociedade, em âmbito local, estadual e nacional, por meio da participação de seus professores, alunos e pessoal técnico-administrativo em projetos e atividades de relevância para a solução de problemas que permitam a melhoria da qualidade de vida Estabelecer vínculos com instituições e organismos nacionais, estrangeiros e internacionais, para a consecução de objetivos comuns nos planos científico, educacional, cultural e tecnológico Ser uma instituição reconhecida regional, nacional e internacionalmente pela produção de conhecimento e pela formação de profissionais competentes, em sintonia com as necessidade da sociedade brasileira Constituem-se em valores institucionais da UGF:

14 A busca da excelência na formação intelectual, profissional e cultural dos alunos, de modo a estimular seu espírito crítico, capacidade de auto-aprendizagem, responsabilidade e multiplicidade de interesses A preocupação com a qualidade da pesquisa e da produção de conhecimento, como forma de agregar elementos cognitivos e técnicos aos diferentes campos do saber e, pela sua disseminação, à sociedade O estímulo às atividades de extensão, como forma de aproximar a Universidade de seu contexto social, contribuindo para a redução das desigualdades e o aprimoramento da qualidade de vida A criação de um ambiente de trabalho estimulante e propício ao desenvolvimento das atividades docentes, técnicas e administrativas, objetivando a consolidação da identidade e da auto-estima institucional A transparência, presteza e respeito às diferenças na gestão institucional, nas relações interpessoais no âmbito da Universidade e nas atividades docentes, técnicas e administrativas A preocupação com a qualidade no atendimento às necessidades institucionais dos alunos e nas relações com a comunidade O comprometimento com a responsabilidade social e ambiental em suas atividades de ensino, pesquisa e extensão Responsabilidade Social e Desenvolvimento Sustentável. As empresas, por estarem inseridas em um conturbado contexto de deterioração social, perceberam que as questões socioambientais afetam os negócios e, por conseguinte, resolveram melhorar tais condições com investimentos educacionais e programas sociais. É a chamada Responsabilidade Social Empresarial. A empresa tornou-se um agente social, responsável por exercer ações sociais e informar a seus usuários qual foi o seu desempenho. O futuro das organizações e da própria sociedade está na incorporação das forças humanas na

15 4 organização. O impacto positivo da responsabilidade social seria difícil de imaginar no final do século XX. Hoje em dia, 68% dos líderes das maiores empresas do mundo reconhecem essa realidade. Outros 54% acreditam que oferecem uma importante vantagem competitiva, é um bom investimento e um compromisso social, o que gera oportunidades de crescimento. A tecnologia vem reforçar as questões e oferecer soluções inteligentes aos grandes desafios da sociedade, onde todos, de uma certa forma, estão conectados. Os recursos tecnológicos poderão contribuir para que o planeta funcione de forma eficiente, com menos desperdício e mais inclusão social e digital. A nova inteligência deve melhorar a qualidade de vida das populações com ações sustentáveis ao longo do tempo a fim de promover um desenvolvimento contínuo. As novas palavras de ordem são: educação continuada, capacitação de mão de obra, geração de emprego, preservação do meio ambiente, fomento à eficiência nos setores de saúde, transporte, energia, saneamento e educação. Percebe-se, portanto que as empresas são grandes agentes implementadores do desenvolvimento sustentável. A sustentabilidade corporativa é, portanto, uma exigência da sociedade civil, dos stakeholders, de investigadores, de financiadores e de consumidores. Isto obriga as empresas a levarem em conta o impacto de suas atividades em todo o seu entorno bem como diagnosticar, analisar, planejar e concretizar projetos e ações que vão incorporar à estratégia da organização a visão de negócios de longo prazo. Esta visão, premia as dimensões social e ambiental e se diferencia de outras gestões pelo seu compromisso com as gerações futuras. A Universidade Gama Filho é um centro de ensino, pesquisa e extensão, de propriedade particular que precisa estar conectada à nova realidade para manter sua prosperidade econômica. Uma empresa que incorpora o desenvolvimento sustentável à sua estratégia de negócios deve levar em conta as dimensões econômica, social e ambiental; a quantificação

16 5 dos custos sociais e ambientais de seu negócio; os princípios éticos e as práticas de governança corporativa; a ênfase na inovação; o compromisso com a transparência e com concorrentes, fornecedores, comunidades do entorno e outros. 1.2 Delimitação do Estudo Figura 1 - Pirâmide para considerações sobre Indicadores de Sustentabilidade da Universidade Gama Filho Observando-se a figura 1, sua base consiste no que conhecemos em Desenvolvimento Sustentável como Triple Bottom Line (econômico, social, ambiental) de um lado, e no outro temos as atividades de uma empresa cujo setor é o educacional: a Universidade Gama Filho. A identificação dos Indicadores de Sustentabilidade UGF se dará pela justaposição dos Indicadores de Sustentabilidade do IBGE 2008, com os Indicadores de Responsabilidade Social do Instituto Ethos, e destes com os objetivos do Plano Estratégico da Cidade do Rio de

17 6 Janeiro - Região Grande Méier. Daí surgirão os indicadores do Plano de Desenvolvimento Institucional da Gama Filho, que configuram o vértice da pirâmide Justificativa Uma Universidade é estruturada sobre o trinômio ensino-pesquisa-extensão, três palavras que estão intrinsecamente conectadas. São as linhas de pesquisa científica que irão repercutir na qualidade de ensino da graduação, garantindo assim o seu reconhecimento, em todos os níveis, como um centro privilegiado de produção do conhecimento. A extensão é intensificada e contempla a responsabilidade social, o exercício da cidadania e a sustentabilidade corporativa. Se a sustentabilidade corporativa é também estruturada no trinômio econômicosocial-ambiental por que não unirmos os esforços para que, segundo parâmetros do Plano Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro- Grande Méier, haja uma efetiva colaboração da Universidade? Os Indicadores de Sustentabilidade UGF para a região do Grande Meier deverão ganhar a sociedade, o cidadão, a própria cidade e a Gama Filho Objetivo Geral Criar os Indicadores de Sustentabilidade UGF para a região do Grande Meier, com propósitos relevantes para os trinômios ensino/ pesquisa/ extensão e econômico/ social/ ambiental Questão de Estudo A identificação dos Indicadores de Sustentabilidade comuns entre o IBGE e o Instituto Ethos e que estejam dentro do compromisso do Plano Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro

18 7 Região Grande Meier e do Plano de Desenvolvimento Institucional da Universidade Gama Filho vai permitir que sejam evidenciadas as variações no tempo de aspectos do desenvolvimento que afetam a Sustentabilidade dentro da Região em estudo Indicadores de Desenvolvimento Sustentável do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2008) aplicáveis a região em estudo Dimensão Ambiental Atmosfera Concentração de poluentes no ar em áreas urbanas Terra Queimadas e incêndios florestais Água Doce Qualidade de águas interiores Biodiversidade Áreas protegidas Tráfico, criação e comércio de animais silvestres Espécies invasoras Saneamento Acesso a serviço de coleta de lixo doméstico Acesso a sistema de abastecimento de água Acesso a esgotamento sanitário Dimensão Social População Taxa de crescimento da população Taxa de fecundidade Trabalho e rendimento

19 Índice de Gini da distribuição do rendimento Taxa de desocupação Rendimento familiar per capita Rendimento médio mensal Saúde Esperança de vida ao nascer Taxa de mortalidade infantil Prevalência de desnutrição total Imunização contra doenças infecciosas infantis Oferta de serviços básicos de saúde Doenças relacionadas ao saneamento ambiental inadequado Educação Taxa de escolarização Taxa de alfabetização Escolaridade Habitação Adequação de moradia Segurança Coeficiente de mortalidade por homicídios Coeficiente de mortalidade por acidentes de transporte Dimensão Econômica Padrões de produção e consumo para o Grande Meier Consumo de energia per capita Intensidade energética Participação de fontes renováveis na oferta de energia

20 Consumo mineral per capitã Vida útil das reservas minerais Reciclagem Coleta seletiva de lixo Rejeitos radioativos: geração e armazenamento Dimensão Institucional Capacidade Institucional Gastos com Pesquisa e Desenvolvimento P&D Acesso aos serviços de telefonia Acesso à Internet Os Indicadores de Responsabilidade Social Empresarial do Instituto Ethos visam a incorporação de conceitos e compromissos em favor do desenvolvimento sustentável na gestão empresarial. Os selecionados foram: Valores, Transparência e Governança Auto-Regulação da Conduta Indicador 1 Compromissos Éticos Indicador 2 Enraizamento na Cultura Organizacional Indicador 3 Governança Corporativa Auto-Regulação da Conduta Indicador 4 Diálogo e Engajamento das Partes Interessadas (Stakeholders) Público Interno Diálogo e Participação Indicador 5 Relações com Sindicatos Respeito ao Individuo Indicador 6 Compromisso com o Futuro das Crianças Indicador 7 Compromisso com o Desenvolvimento Infantil Indicador 8 Valorização da Diversidade

21 10 Indicador 9 Compromisso com Não-Discriminação e Promoção da Equidade Racial Indicador 10 Compromisso com a Promoção da Equidade de Gênero Indicador 11 Relações com Trabalhadores Terceirizados Trabalho Decente Indicador 12 Política de Remuneração, Benefícios e Carreira Indicador 13 Cuidados com Saúde, Segurança e Condições de trabalho Indicador 14 Compromisso com o Desenvolvimento Profissional e a Empregabilidade Indicador 15 Comportamento nas Demissões Indicador 16 Preparação para Aposentadoria Meio Ambiente Responsabilidade com as Gerações Futuras Indicador 17 Compromisso com a Melhoria da Qualidade Ambiental Indicador 18 Educação e Conscientização Ambiental Gerenciamento do Impacto Ambiental Indicador 19 Gerenciamento dos Impactos sobre o Meio Ambiente e do Ciclo de Vida de Produtos e Serviços Indicador 20 Minimização de Entradas e Saídas de Materiais Fornecedores Seleção, Avaliação e Parceria com Fornecedores Indicador 21 Critérios de Seleção e Avaliação de Fornecedores Indicador 22 Trabalho Infantil na Cadeia Produtiva Consumidores Dimensão Social do Consumo Indicador 23 Política de Comunicação Comercial Indicador 24 Excelência no Atendimento Comunidade Relações com a Comunidade Local Indicador 25 Gerenciamento do Impacto da Empresa na Comunidade de Entorno Indicador 26 Relações com Organizações Locais Ação Social Indicador 27 Financiamento da Ação Social Indicador 28 Envolvimento com a Ação Social

22 Governo e Sociedade Transparência Política Indicador 29 Construção da Cidadania pelas Empresas Liderança Social Indicador 30 Liderança e Influência Social Indicador 31 Participação em Projetos Sociais Governamentais No Planejamento Estratégico da Prefeitura do Rio de Janeiro foram indicados: Qualidade nos Serviços Públicos prestados na Região do Grande Meier Recuperação do espaço público e dos ativos naturais da Região Garantia de maior igualdade de oportunidades para os jovens e crianças da Região Estabelecimento de condições necessárias para o crescimento econômico sustentável Promoção do desenvolvimento de setores estratégicos para a economia, com a revitalização do comércio varejista e do Setor de Serviços Integração do Grande Meier sob o ponto de vista urbanístico, cultural e de lazer Redução dos atuais níveis de pobreza e de indigência Promoção de melhorias nas áreas de Segurança Pública Promoção de melhorias nas condições ambientais Metodologia A base é a revisão da literatura de caráter técnico científico, além de informações coletadas junto a órgãos oficiais e webliografia Avaliação dos dados dos Indicadores do IBGE e do Instituto ETHOS, além dos objetivos do Plano Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro, região do Grande Méier para a criação dos Indicadores de Sustentabilidade UGF que estarão em consonância com o Plano de Desenvolvimento Institucional da Universidade Gama Filho.

23 12 CAPÍTULO II Referencial Teórico De acordo com o Relatório Brundtland (1987) Desenvolvimento sustentável é um processo de transformação no qual a exploração dos recursos, a direção dos investimentos, a orientação do desenvolvimento tecnológico e a mudança institucional se harmonizam e reforça o potencial presente e futuro, a fim de atender às necessidades e aspirações futuras... é aquele que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade de as gerações futuras atenderem as suas próprias necessidades. [sic]. Development Segundo o UNCED - United Nations Conference on Environment and Desenvolvimento Sustentável é desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das futuras gerações satisfazerem suas próprias necessidades [sic]. Já o Diretor de Geociências do IBGE, Luiz Paulo Souto Fortes, faz a seguinte apresentação dos Indicadores de Desenvolvimento Sustentável: Brasil 2008, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Com a publicação Indicadores de desenvolvimento sustentável: Brasil 2008, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE dá continuidade à série iniciada em 2002, mais uma vez colocando à disposição da sociedade um conjunto de informações sobre a realidade brasileira, em suas dimensões ambiental, social, econômica e institucional. O acompanhamento da sustentabilidade dos padrões de desenvolvimento de uma sociedade demanda contínuos esforços metodológicos e conceituais da comunidade internacional, nos quais o IBGE tem se engajado. As poucas modificações na presente edição, em relação à lista de indicadores da edição de 2004, representam uma maturidade quanto ao escopo de questões que devem ser investigadas nestes temas. Desta forma, os Indicadores de Desenvolvimento Sustentável consolidam-se como uma contribuição aos tomadores de decisão ao apresentar periodicamente uma panorama abrangente dos principais temas relacionados ao padrão de desenvolvimento brasileiro, visto sob o paradigma da sustentabilidade. O Indicadores destacam-se principalmente pelo cenário delineado por seu conjunto e não simplesmente pelo exame individual de cada indicador, sendo esta a principal qualidade da publicação Indicadores de Desenvolvimento Sustentável: Brasil. Mais uma vez, o IBGE reafirma o compromisso contido em sua missão institucional de retratar o Brasil com informações necessárias ao conhecimento de sua realidade e ao exercício da cidadania. [sic]

24 13 Na apresentação do Plano Estratégico da Prefeitura do Rio de Janeiro, o Prefeito Eduardo Paes escreve: O Rio de Janeiro tem demonstrado através de sua história uma incrível capacidade de se reinventar. Foi assim com a chegada da família real, com a ida da capital pra Brasília, e com as inúmeras reformas urbanas que modificaram a topografia da nossa cidade. O Aterro do Flamengo, a duplicação da Avenida Atlântica, o Túnel Rebouças, as Linhas Amarela e Vermelha são demonstrações exemplares da capacidade de autocrítica e de reengenharia da cidade. O Rio é responsável pela criação das marcas brasileiras mais conhecidas no mundo: Maracanã, Copacabana, Ipanema, Corcovado, Pão de Açúcar, Samba, Bossa Nova. Sem mencionar a marca Rio, abrigada no imaginário de pessoas no mundo inteiro, e que fala por si só. Ninguém discute a relevância cultural, econômica e histórica do Rio de Janeiro. Mas nós, que vivemos e fazemos esta cidade, precisamos questionar o presente e a realidade que nos cerca para novamente alimentar os sonhos de um futuro promissor. A expectativa de ser a capital da Copa 2014 e a conquista dos Jogos Olímpicos de 2016 estabelecem um momento oportuno para transformar esses sonhos em idéias, projetos, realizações. A Prefeitura, através do seu Plano Estratégico, propõe um caminho para alcançarmos esse objetivo. E convida a refletir o que somos, o que pretendemos e mais importante como podemos juntos, poder público e cidadãos, redesenhar nosso futuro. Não se trata de apresentar à sociedade apenas um documento. Queremos construir juntos os fundamentos de uma nova realidade no Rio de Janeiro. A Prefeitura não pretende apenas orientar e tomar decisões sobre políticas públicas, quer também recuperar seu papel de pensar a cidade, influenciando investimentos e inspirando empresas e pessoas a pensar como agente de mudança. O Rio tem muitas qualidades e enormes desafios. Neste momento, temos diante de nós o dever de enfrentá-los de forma planejada. E a convicção de que podemos vencê-los. É hora de recuperar a maravilhosa idéia de cidade que queremos e podemos ser: o Rio mais integrado e competitivo. [sic] Segundo TACHIZAWA, Takeshy e ANDRADE (2008) em A Gestão Socioambiental: estratégias na nova era da sustentabilidade (p. 7 e 8) É nesse contexto que esta obra avaliou os fatores de influência da sustentabilidade e as possibilidades do uso de indicadores de desenvolvimento socioambiental nas empresas brasileiras. Foram analisadas as diferentes atividades econômicas exercidas pelas organizações relacionando-as com suas estratégias de sustentabilidade. Como decorrência dessa análise, estabeleceu-se uma metodologia para o diagnóstico socioambiental, com enfoque diferenciado para cada tipo de organização do cenário empresarial brasileiro. Procurou-se evidenciar o crescimento humano do público interno das organizações. Se, de um lado, as demonstrações financeiras (DFs, legalmente estabelecidas pela legislação) mensuram e divulgam os resultados econômicos da empresa, por outro lado, o diagnostico socioambiental avalia o estágio da cidadania corporativa e da responsabilidade socioambiental em que se encontra a organização. A proposta de diagnóstico socioambiental considerou a existência de impactos diferenciados junto às organizações, em função do seu setor econômico de atuação, e pode ser útil para implementar as estratégias empresariais. As organizações necessitam compartilhar do entendimento de que há convergência, e não conflito, entre desenvolvimento econômico e desenvolvimento socioambiental. A expansão da rentabilidade e do desenvolvimento econômico espelhando o crescimento da riqueza empresarial pode ser compartilhada, de forma sustentável, com seus colaboradores, acionistas e, indiretamente, com clientes, fornecedores e a comunidade em geral. [sic].

25 14 Pretende-se demonstrar a importância da Universidade como empresa/escola e sua relação com a comunidade, com o compromisso de sustentabilidade corporativa, o que convergirá para a sua própria sustentabilidade dentro do contexto sócio-ambiental e econômico da região.

26 15 CONCLUSÃO De acordo com o cruzamento dos dados pesquisados, seriam estes os Indicadores de Sustentabilidade da Universidade Gama Filho para a Região do Grande Meier: 1. Ambientais 1.1 Acesso a abastecimento de água. 1.2 Acesso a esgotamento sanitário. 1.3 Áreas protegidas para biodiversidade Concentração de lixo (nas ruas, em terrenos baldios e nas encostas dos morros) Concentração de poluentes no ar Participação de fontes renováveis na oferta de energia: Programa da Gama Coopera aproveitamento de óleo e cozinha e restaurantes. Energia Solar Programa do Curso de Engenharia Qualidade de habitação Queimadas e incêndios nos morros da região. 2. Sociais 2.1 Adequação das Moradias. 2.2 Cidadania Corporativa. 2.3 Coeficientes de mortalidades por acidentes de transporte e por homicídios. 2.4 Cuidados com a população de Terceira Idade. 2.5 Doenças relacionadas ao saneamento ambiental adequado. 2.6 Equidade de Gênero. 2.7 Equidade Racial Inclusão digital.

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

Resumo. O caminho da sustentabilidade

Resumo. O caminho da sustentabilidade Resumo O caminho da sustentabilidade Termos recorrentes em debates e pesquisas, na mídia e no mundo dos negócios da atualidade, como sustentabilidade, desenvolvimento sustentável, responsabilidade empresarial

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo Conteúdo O Instituto Ethos Organização sem fins lucrativos fundada em 1998 por um grupo de empresários, que tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL

ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. N o 02/01 ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Resolução N o 38/95 do Grupo Mercado Comum e a Recomendação

Leia mais

Contextos da Educação Ambiental frente aos desafios impostos. Núcleo de Educação Ambiental Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Contextos da Educação Ambiental frente aos desafios impostos. Núcleo de Educação Ambiental Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro Contextos da Educação Ambiental frente aos desafios impostos pelas mudanças climáticas Maria Teresa de Jesus Gouveia Núcleo de Educação Ambiental Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Jaboticabal

Prefeitura Municipal de Jaboticabal LEI Nº 4.715, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015 Institui a Política Municipal de estímulo à produção e ao consumo sustentáveis. RAUL JOSÉ SILVA GIRIO, Prefeito Municipal de Jaboticabal, Estado de São Paulo, no

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE Lei nº 4791/2008 Data da Lei 02/04/2008 O Presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro nos termos do art. 79, 7º, da Lei Orgânica do Município do Rio de Janeiro, de 5 de abril de 1990, não exercida

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

VAMOS CUIDAR DO BRASIL COM AS ESCOLAS FORMANDO COM-VIDA CONSTRUINDO AGENDA 21AMBIENTAL NA ESCOLA

VAMOS CUIDAR DO BRASIL COM AS ESCOLAS FORMANDO COM-VIDA CONSTRUINDO AGENDA 21AMBIENTAL NA ESCOLA VAMOS CUIDAR DO BRASIL COM AS ESCOLAS FORMANDO COM-VIDA CONSTRUINDO AGENDA 21AMBIENTAL NA ESCOLA COM-VIDA Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola Criado a partir das deliberações da I Conferência

Leia mais

Associação sem fins lucrativos, fundada em 1998, por um grupo de 11 empresários; 1475 associados: empresas de diferentes setores e portes.

Associação sem fins lucrativos, fundada em 1998, por um grupo de 11 empresários; 1475 associados: empresas de diferentes setores e portes. Instituto Ethos Associação sem fins lucrativos, fundada em 1998, por um grupo de 11 empresários; 1475 associados: empresas de diferentes setores e portes. MISSÃO: Mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas

Leia mais

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO 30.1. O comércio e a indústria, inclusive as empresas transnacionais,

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas.

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas. 1. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes que norteiem as ações das Empresas Eletrobras quanto à promoção do desenvolvimento sustentável, buscando equilibrar oportunidades de negócio com responsabilidade social,

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS do conteúdo dos Indicadores Ethos com outras iniciativas Com a evolução do movimento de responsabilidade social e sustentabilidade, muitas foram as iniciativas desenvolvidas

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

Política de Responsabilidade Sócio Ambiental (PRSA) w w w. b a n c o g u a n a b a r a. c o m. b r

Política de Responsabilidade Sócio Ambiental (PRSA) w w w. b a n c o g u a n a b a r a. c o m. b r Sócio Ambiental (PRSA) w w w. b a n c o g u a n a b a r a. c o m. b r ÍNDICE: 1. SOBRE A DOCUMENTAÇÃO... 3 1.1. CONTROLE DE VERSÃO... 3 1.2. OBJETIVO... 4 1.3. ESCOPO... 4 2. RESPONSABILIDADE SÓCIO AMBIENTAL...

Leia mais

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli Café com Responsabilidade Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro Vitor Seravalli Manaus, 11 de Abril de 2012 Desafios que o Mundo Enfrenta Hoje Crescimento Populacional Desafios que o Mundo

Leia mais

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Nome Desarrollo de Sistemas de Gobierno y Gestión en Empresas de Propiedad Familiar en el Perú Objetivo Contribuir

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

a Resolução CONAMA nº 422/2010 de 23 de março de 2010, que estabelece diretrizes para as campanhas, ações e projetos de educação ambiental;

a Resolução CONAMA nº 422/2010 de 23 de março de 2010, que estabelece diretrizes para as campanhas, ações e projetos de educação ambiental; Portaria Normativa FF/DE N 156/2011 Assunto: Estabelece roteiros para elaboração de Plano Emergencial de Educação Ambiental e de Plano de Ação de Educação Ambiental para as Unidades de Conservação de Proteção

Leia mais

A revolução da excelência

A revolução da excelência A revolução da excelência ciclo 2005 PNQ Foto: Acervo CPFL CPFL Paulista, Petroquímica União, Serasa e Suzano Petroquímica venceram o Prêmio Nacional da Qualidade 2005. A Albras, do Pará, foi finalista.

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE IV. CÂMARA TEMÁTICA DA EDUCACÃO, CULTURA E DESPORTOS Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE Meta 1 Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola; Meta 2 Até 2010, 80% e,

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

Instituto Ethos. de Empresas e Responsabilidade Social. Emilio Martos Gerente Executivo de Relacionamento Empresarial

Instituto Ethos. de Empresas e Responsabilidade Social. Emilio Martos Gerente Executivo de Relacionamento Empresarial Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social Emilio Martos Gerente Executivo de Relacionamento Empresarial Missão do Instituto Ethos Mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NO LORDÃO: UMA FERRAMENTA DE ENSINO- APRENDIZAGEM

SUSTENTABILIDADE NO LORDÃO: UMA FERRAMENTA DE ENSINO- APRENDIZAGEM SUSTENTABILIDADE NO LORDÃO: UMA FERRAMENTA DE ENSINO- APRENDIZAGEM Acácio Silveira de Melo (UFCG); Adriano dos Santos Oliveira (UFCG); Filipe da Costa Silva (UFCG), Francinildo Ramos de Macedo (UFCG),

Leia mais

Escola de Políticas Públicas

Escola de Políticas Públicas Escola de Políticas Públicas Política pública na prática A construção de políticas públicas tem desafios em todas as suas etapas. Para resolver essas situações do dia a dia, é necessário ter conhecimentos

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Iniciativas Futuro Verde" do Japão

Iniciativas Futuro Verde do Japão 1. Compreensão Básica Iniciativas Futuro Verde" do Japão 1. Nas condições atuais, em que o mundo está enfrentando diversos problemas, como o crescimento populacional, a urbanização desordenadas, a perda

Leia mais

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO Citação de Dr. Emílio Rui Vilar 2 Tempo de mudanças sociais Estamos no início de um século que se adivinha difícil e instável nos seus Problemas Globais

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão, de uso gratuito, que visa apoiar

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS

FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS IV CONFERÊNCIA INTERAMERICANA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL RIAL Cláudio Boechat Fundação Dom Cabral 12 DE DEZEMBRO, 2006 F U N D A Ç Ã O

Leia mais

ENERGIA X MEIO AMBIENTE: O QUE DIZ O RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DE FURNAS?

ENERGIA X MEIO AMBIENTE: O QUE DIZ O RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DE FURNAS? ENERGIA X MEIO AMBIENTE: O QUE DIZ O RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DE FURNAS? Maranhão, R.A. 1 1 PECE/POLI/USP, MBA em Gestão e Tecnologias Ambientais, Biológo e Mestre em Geografia, romeroalbuquerque@bol.com.br

Leia mais

Dimensão social. Educação

Dimensão social. Educação Dimensão social Educação 218 Indicadores de desenvolvimento sustentável - Brasil 2004 36 Taxa de escolarização Representa a proporção da população infanto-juvenil que freqüenta a escola. Descrição As variáveis

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim - ES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Introdução O Programa Municipal de Educação Ambiental estabelece diretrizes, objetivos, potenciais participantes, linhas

Leia mais

10ª Semana da Responsabilidade Social. Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis

10ª Semana da Responsabilidade Social. Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis 10ª Semana da Responsabilidade Social Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis Enquadramento geral No mundo de hoje todas as sociedades têm ambições

Leia mais

A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL

A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL Ana Maria G. D. MENDONÇA 1, Darling L. PEREIRA 2,,José J. MENDONÇA 3, Aluska M. C. RAMOS 4 Maria S. B. DUARTE

Leia mais

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade Desenvolvido por: Neuza Maria Rodrigues Antunes neuzaantunes1@gmail.com AUMENTO DA POPULAÇÃO URBANA 85% NO BRASIL (Censo

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM Reflexões voltadas para a Gestão MUDANÇAS EDUCAÇÃO NO BRASIL 1996 Lei 9.934 LDB 1772 Reforma Pombalina 1549 Ensino Educação público no dos Brasil Jesuítas Lei

Leia mais

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade DECLARAÇÃO DOS MINISTROS DA AGRICULTURA, SÃO JOSÉ 2011 1. Nós, os Ministros e os Secretários de Agricultura

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REDAÇÃO DO PROJETO DE LEI Aprova o Plano Municipal de Educação - PME e dá outras providências. O Prefeito do Município de vereadores decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Faço

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME Os desafios da Educação Infantil nos Planos de Educação Porto de Galinhas/PE Outubro/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores

Leia mais

Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás

Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás Ana Paula Grether Consultora da Gerência de Orientações e Práticas de Responsabilidade Social Gerência Executiva de

Leia mais

Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental

Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental GOVERNO DO ESTADO DE SÃO APULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIRETRIZES PEDAGÓGICAS O que se espera

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis APRESENTAÇÃO A FGV é uma instituição privada sem fins lucrativos, fundada em

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Projetos tem por fornecer conhecimento teórico instrumental que

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

Gestão Por Competências nas IFES

Gestão Por Competências nas IFES Goiânia 22 de Novembro de 2012 Gestão Por Competências nas IFES Anielson Barbosa da Silva anielson@uol.com.br A G E N D A 1 Desafios da Gestão de Pessoas nas IFES. 2 3 Bases Legais da Gestão de Pessoas

Leia mais

Movimento Nossa São Paulo Outra Cidade. Gestão Democrática

Movimento Nossa São Paulo Outra Cidade. Gestão Democrática Movimento Nossa São Paulo Outra Cidade Gestão Democrática Diagnóstico Em agosto de 2002, o Fórum de Educação da Zona Leste promoveu o 2º seminário Plano Local de Desenvolvimento Educativo. Realizado no

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Apresentação O programa de MBA em Estratégia e Liderança Empresarial tem por objetivo preparar profissionais para

Leia mais

PACTO PELA VIDA ANIMAL REDE DE DEFESA ANIMAL

PACTO PELA VIDA ANIMAL REDE DE DEFESA ANIMAL Pernambuco, 2012 PACTO PELA VIDA ANIMAL REDE DE DEFESA ANIMAL DOCUMENTO DE TRABALHO Sobre um Plano de Ação relativo à Proteção e ao Bem-Estar dos Animais 2012-2015 Base estratégica das ações propostas

Leia mais

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil 1 Carta-Compromisso pela Garantia do Direito à Educação de Qualidade Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil Para consagrar o Estado Democrático de Direito, implantado pela Constituição

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

MBA EXECUTIVO EM SAÚDE

MBA EXECUTIVO EM SAÚDE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA EXECUTIVO EM SAÚDE SIGA: TMBAES*06/26 Av. Conselheiro Nébias, 159 Bairro Paquetá Santos SP - CEP 11015-001 - Fone: (13) 3228 6000 Rua Almirante Protógenes,

Leia mais

Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21

Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21 Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21 Resenha Desenvolvimento Raíssa Daher 02 de Junho de 2010 Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO O que isto tem a ver com o modelo de gestão da minha Instituição de Ensino? PROF. LÍVIO GIOSA Sócio-Diretor da G, LM Assessoria Empresarial Coordenador

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Profa. Dra. Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares Coordenadora-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos

Leia mais

Curso Sustentabilidade e Saúde Humana:

Curso Sustentabilidade e Saúde Humana: Curso Sustentabilidade e Saúde Humana: Ações individuais para melhorias em todo o planeta Nosso maior desafio neste século é pegar uma idéia que parece abstrata desenvolvimento sustentável e torná-la uma

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

Especialização em Gestão de Negócios

Especialização em Gestão de Negócios Especialização em Gestão de Negócios e Projetos Rio de Janeiro Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Atuação da Organização 1. Qual(is) o(s) setor(es) de atuação da empresa? (Múltipla

Leia mais

São Paulo, 25 de abril de 2013.

São Paulo, 25 de abril de 2013. São Paulo, 25 de abril de 2013. Discurso do diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania, Luiz Edson Feltrim, na SME Banking Conference 2013 1 Dirijo saudação especial a Sra. Ghada Teima, IFC Manager

Leia mais

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 INTRODUÇÃO Sobre o Relatório O relatório anual é uma avaliação do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da FDC sobre as práticas

Leia mais

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento;

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Objetivo geral Promover a igualdade no mundo do trabalho e a autonomia

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB 203 Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB Tarcísio Valério da Costa Universidade Federal da Paraíba/Pró

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 1. CONCEITOS COMPLEMENTARES DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, presidida por Gro Harlem Brundtland Nosso Futuro Comum (1987)

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

Um pouco da História da Educação Ambiental. Década de 60

Um pouco da História da Educação Ambiental. Década de 60 Um pouco da História da Educação Ambiental Década de 60 1962 Livro Primavera Silenciosa de Rachel Carson - alertava sobre os efeitos danosos de inúmeras ações humanas sobre o ambiente, como por exemplo

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre N o Brasil há 2.361 municípios, em 23 estados, onde vivem mais de 38,3 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Para eles, o Governo Federal criou

Leia mais

Visão para o Rio Rede das Redes Projetos Transformadores / Negócios

Visão para o Rio Rede das Redes Projetos Transformadores / Negócios PROJETO 2015-2017 O Projeto Associação Comercial do Rio de Janeiro 2015 2017 consiste em um conjunto de conceitos, diretrizes e convergências de ações que vão orientar a atuação da ACRio para os próximos

Leia mais

PLANO OPERATIVO DA POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE INTEGRAL DA POPULAÇÃO DO CAMPO E DA FLORESTA

PLANO OPERATIVO DA POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE INTEGRAL DA POPULAÇÃO DO CAMPO E DA FLORESTA PLANO OPERATIVO DA POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE INTEGRAL DA POPULAÇÃO DO CAMPO E DA FLORESTA Departamento de Apoio à Gestão Participativa /DAGEP Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa /SGEP Ministério

Leia mais

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO DECLARAÇÃO DE APOIO CONTÍNUO DO DIRETOR PRESIDENTE Brasília-DF, 29 de outubro de 2015 Para as partes

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVO E FOCO TEMÁTICO INSCRIÇÕES 14º DIA DO VOLUNTARIADO 2015.

1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVO E FOCO TEMÁTICO INSCRIÇÕES 14º DIA DO VOLUNTARIADO 2015. REV.: 03 Pág.: 1 de 6 A Manaus Ambiental torna público que estão abertas as inscrições para a seleção de Instituições e Projetos Sociais para o 14º Dia do Voluntariado. A empresa realizará o processo de

Leia mais

Grupo Banco Mundial. Construindo um mundo sem pobreza

Grupo Banco Mundial. Construindo um mundo sem pobreza Grupo Banco Mundial Construindo um mundo sem pobreza Enfoque Regional! O Banco Mundial trabalha em seis grandes regiões do mundo: 2 Fatos Regionais: América Latina e Caribe (ALC)! População total: 500

Leia mais