Adeilson Salles. Ilustrações de L. Bandeira. belinha_e_lagarta_bernadete.indd 3 18/10/ :32:55

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Adeilson Salles. Ilustrações de L. Bandeira. belinha_e_lagarta_bernadete.indd 3 18/10/ :32:55"

Transcrição

1 Adeilson Salles Ilustrações de L. Bandeira belinha_e_lagarta_bernadete.indd 3 18/10/ :32:55

2 Dedicatória Na figura da minha neta Bellinha, que me inspirou, dedico este trabalho às sementes do amanhã: as crianças. belinha_e_lagarta_bernadete.indd 5 18/10/ :32:58

3 belinha_e_lagarta_bernadete.indd 6 18/10/ :33:00

4 A família de Bellinha Desde que nasceu, Isabella sempre foi uma menina muito irrequieta, curiosa e alegre, tudo queria aprender. Seus pais, Bernardo e Beth, orgulhosos da sua pequena joia, não se cansavam de dizer a todos os amigos: Essa menina veio de encomenda. Os avós não se cansavam de cobri-la de mimos e presentes. Ela vivia em uma casa muito bonita, com um jardim em derredor. O que chamava mais atenção naquele quintal era o pé de amoras, que de tão frondoso encantava a todos com suas folhas verdes e reluzentes. 7 belinha_e_lagarta_bernadete.indd 7 18/10/ :33:00

5 belinha_e_lagarta_bernadete.indd 8 18/10/ :33:02

6 Isabella foi crescendo e seu nome diminuiu, agora era chamada pela família de Bellinha. A menina crescia e sua curiosidade aumentava. Era vista, de quando em vez, conversando com os pássaros e bichinhos silvestres, que da floresta próxima à sua casa, acorriam ao lindo jardim, atraídos pelas doces amoras que amadureciam no verão. A menina morena com olhos brilhantes e cabelos encaracolados tinha uma atração especial pelo beija-flor. Eram tantos que se chegavam à amoreira e, quando eles paravam no ar, o jardim virava uma vista multicor. 9 belinha_e_lagarta_bernadete.indd 9 18/10/ :33:03

7 belinha_e_lagarta_bernadete.indd 10 18/10/ :33:05

8 Um dia Bellinha, como sempre curiosa, disse a seu avô Belarmino: Vovô, eu gostaria tanto de voar e parar no ar como o beija-flor! Com um sorriso nos lábios, o avô, com ternura, respondeu-lhe: Bellinha, parar no ar não sei como fazer, mas posso lhe dar asas construindo para você um balanço. Os olhos da menina pareceram saltar e, com alegria, disse: Puxa, vovô! Vou poder voar mesmo? Será um voo limitado, mas poderá voar. Tomando de uma tábua, uma corda e um serrote, Belarmino, em poucos minutos, construiu um balanço para Bellinha poder voar. Os gritos de alegria da menina eram tantos que seus pais e sua avó Benedita correram para ver o que estava acontecendo. Todos se contagiaram com a alegria da menina. Depois de testar se a corda estava firme nos galhos da amoreira, vovô Belarmino pegou a netinha no colo e, acomodando -a com cuidado, empurrou-a para seu primeiro voo. Com uma gargalhada, Bellinha ia e vinha, de lá pra cá, daqui pra lá, gritando de felicidade. O que os pais e avós da menina não contavam é que teriam que ficar se revezando para empurrar o balanço. E haja fôlego, ela custava a se cansar da brincadeira! Os pássaros até se acostumaram com a presença da menina e com suas gargalhadas de alegria. 11 belinha_e_lagarta_bernadete.indd 11 18/10/ :33:06

9 belinha_e_lagarta_bernadete.indd 12 18/10/ :33:07

10 A primeira tristeza de Bellinha O tempo passou e Bellinha, agora com 7 anos, conheceu a tristeza. Belarmino, seu avozinho querido, adoeceu e, em poucos dias, morreu. A menina curiosa e alegre agora chorava sem entender o que tinha acontecido. Triste, perguntou à sua mãe: Mamãe, por que meu avô morreu? O que é a morte? Abalada pela morte do pai, dona Beth dizia: Seu avô foi para o céu! Para o céu? Fazer o quê? Deus o chamou? Por que temos que nos separar das pessoas desse jeito? E agora, como é que vou voar? Não fique triste, filhinha, seu avô descansou. Eu não sabia que para descansar precisava morrer. Sem saber o que dizer à filha, dona Beth abraçou-a e chorou. A menina não se conformava, perguntou ao pai, perguntou à avó. Na escola, perguntou à professora, aos amiguinhos e nada de resposta, ninguém sabia o que dizer. Todas as tardes, quando chegava da escola, ela ia para o balanço e lá ficava recordando, recordando belinha_e_lagarta_bernadete.indd 13 18/10/ :33:07

11 belinha_e_lagarta_bernadete.indd 14 18/10/ :33:08

12 Certa noite, Bellinha estava com muitas saudades do avô e começou a chorar. Sentindo muita tristeza, adormeceu e começou a sonhar. No sonho, ela estava caminhando em um bonito jardim com muitas amoreiras. De repente, ouviu uma voz: Ei, menina, não fique triste! Enxugando as lágrimas, Bellinha parou e a voz repetiu: Ei, menina, não fique triste! Quem está falando comigo? Ela não sabia de onde vinha aquela voz amiga. Olhava para os lados e nada. Psiuuu, estou aqui na amoreira! Ela olhava para os lados e não via ninguém. Estou aqui! Aqui onde? Aqui nesta folha! Na folha? Sim, aproxime-se deste galho à sua direita. 15 belinha_e_lagarta_bernadete.indd 15 18/10/ :33:08

MÃE, QUANDO EU CRESCER...

MÃE, QUANDO EU CRESCER... MÃE, QUANDO EU CRESCER... Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,

Leia mais

mesma fada que presenciara o nascimento de Zé Chumaço diminuiu a alegria da mãe: Majestade, infelizmente, apesar de linda, sua filha terá pouca

mesma fada que presenciara o nascimento de Zé Chumaço diminuiu a alegria da mãe: Majestade, infelizmente, apesar de linda, sua filha terá pouca Zé Chumaço E m um reino distante, o filho da rainha nasceu feio. Foi batizado como José, mas acabou conhecido como Zé Chumaço, por causa da quantidade excessiva de cabelos que tinha. A rainha se estristecia

Leia mais

1º Edição

1º Edição Sensações 1º Edição WWW.Perse.com.br Página 1 Codinome: Tabrao Email: Tania_morenagata@hotmail.com Nasceu no dia 09 de Agosto de 1984 Natural da cidade de Lapa - PR Reside a Rua Francisco Veloso, 282 Ponta

Leia mais

Àhistória de uma garota

Àhistória de uma garota Àhistória de uma garota Gabriele é uma menina cheio de sonhos ela morava com sua mãe Maria seu pai Miguel Gabriele sofre muito ela tem apena 13 anos e já sofre Deus de quando ela era pequena a história

Leia mais

Produção de texto. Observe a imagem e produza um texto narrativo, com no mínimo 10 linhas, a partir do título proposto

Produção de texto. Observe a imagem e produza um texto narrativo, com no mínimo 10 linhas, a partir do título proposto E. E. Ernesto Solon Borges Disciplina: Língua Portuguesa Profª. Regente: Vania Progetec: Cristina Ano: 8º Ano A Alunos: Dayane Sales e Emily Cristina Data: 12/11/2014 Produção de texto Se eu tivesse um

Leia mais

Deixo meus olhos Falar

Deixo meus olhos Falar Tânia Abrão Deixo meus olhos Falar 1º Edição Maio de 2013 WWW.perse.com.br 1 Tânia Abrão Biografia Tânia Abrão Mendes da Silva Email: Tania_morenagata@hotmail.com Filha de Benedito Abrão e Ivanir Abrão

Leia mais

UM DIA CHEIO. Língua Portuguesa. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos. Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara

UM DIA CHEIO. Língua Portuguesa. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos. Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara UM DIA CHEIO Língua Portuguesa 6º Ano do Ensino Fundamental II Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara Tudo começou quando eu queria pescar com meu avô. Ele tinha

Leia mais

Shué. o pequeno canário

Shué. o pequeno canário Shué o pequeno canário 35 Shué era um pequeno canário. Nasceu num ninho feito de raízes, que os pais construíram entre dois ramos de uma árvore. Na quinta em que vivia havia imensa comida. Todas as manhãs

Leia mais

DATA: 02 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 02 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 0 / / 03 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

BRUNA RAFAELA. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados. Creative Commons

BRUNA RAFAELA. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados. Creative Commons BRUNA RAFAELA EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Creative Commons Texto e Pesquisa de imagens de Bruna Rafaela A DESCOBERTA DE ISABELA Livros são para ler e guardar. Filhos são para ter e amar..

Leia mais

Olhares. Rosângela Trajano. 2 - Por que não permitimos que os outros se aproximem de nós? 4 O que são as coisas mais simples do mundo para você?

Olhares. Rosângela Trajano. 2 - Por que não permitimos que os outros se aproximem de nós? 4 O que são as coisas mais simples do mundo para você? Olhares Ando pelas ruas e a multidão quase esbarra em mim. Tenho certeza que se me deitasse no chão seria pisoteada. As pessoas não olham mais para o chão, aliás as pessoas não olham mais nem para si mesmas.

Leia mais

1ª Edição. Ana Gonçalves. Cândida Santos. Ilustração de. Vítor Silva

1ª Edição. Ana Gonçalves. Cândida Santos. Ilustração de. Vítor Silva 1ª Edição Ana Gonçalves Cândida Santos Ilustração de Vítor Silva Era uma vez uma casa velha no meio de um prado verde. O seu telhado era velho, as paredes eram brancas e à volta da porta e de todas as

Leia mais

A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada.

A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada. Era Uma Vez A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada. A ratinha tinha uma felpa de ferro e pensava

Leia mais

Tânia Abrão. Deixo meus olhos Falar

Tânia Abrão. Deixo meus olhos Falar Tânia Abrão Deixo meus olhos Falar 1 Biografia Tânia Abrão Mendes da Silva Email: Tania_morenagata@hotmail.com Filha de Benedito Abrão e Ivanir Abrão Nasceu em 09/08/1984 Natural da Cidade de Lapa Paraná

Leia mais

A Menina Que Deixou. De Sonhar. Autora: Waleska Alves

A Menina Que Deixou. De Sonhar. Autora: Waleska Alves A Menina Que Deixou De Sonhar Autora: Waleska Alves 1. Era uma vez uma linda menina que sonhava com o natal, todas as noites antes de dormi ela olhava pela janela de seu quarto e imaginava papai noel em

Leia mais

Em um feriado, a família do Fernando resolveu dar uma volta no parque, em uma cidadezinha no interior. Muitas coisas interessantes

Em um feriado, a família do Fernando resolveu dar uma volta no parque, em uma cidadezinha no interior. Muitas coisas interessantes Em um feriado, a família do Fernando resolveu dar uma volta no parque, em uma cidadezinha no interior. Muitas coisas interessantes aconteceram. Vamos ver o que houve? Vovô! Chegamos, finalmente! Eu já

Leia mais

Língua Portuguesa. O pequeno e grande Miles. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Ronaldo Rodrigues Júnior

Língua Portuguesa. O pequeno e grande Miles. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Ronaldo Rodrigues Júnior O pequeno e grande Miles Língua Portuguesa 6º Ano do Ensino Fundamental II Nome: Ronaldo Rodrigues Júnior Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara 2015 Era uma vez um menino que se chamava Miles Upshur.

Leia mais

Língua Portuguesa UMA HISTÓRIA COMO AS OUTRAS. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Beatriz Fátima da Silva Santos

Língua Portuguesa UMA HISTÓRIA COMO AS OUTRAS. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Beatriz Fátima da Silva Santos UMA HISTÓRIA COMO AS OUTRAS Língua Portuguesa 6º Ano do Ensino Fundamental II Nome: Beatriz Fátima da Silva Santos Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara 2015 Era uma vez um menino chamado Pedro. Ele

Leia mais

PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA

PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA A menina PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA menina alegre e muito curiosa. O que a diferenciava das outras crianças é que desde muito pequenina ela passava horas na Floresta do Sol conversando

Leia mais

YAHUVAH falou com ele mesmo ele

YAHUVAH falou com ele mesmo ele Na casa da vovó da Nina, uma história muito especial foi contada! Que história foi essa? Vamos ver? Um, dois, três e... já!!!! Eba, vovó!! Acabei de comer!! Isso, Nina! Você comeu tudinho, tudinho! A sua

Leia mais

79 Dias. por. Ton Freitas

79 Dias. por. Ton Freitas 79 Dias por Ton Freitas Registro F.B.N.: 684988 Contato: ton.freitas@hotmail.com INT. HOSPITAL/QUARTO - DIA Letreiro: 3 de março de 1987. HELENA, branca, 28 anos, está grávida e deitada em uma cama em

Leia mais

Era uma vez uma menina que alegremente carregava sua lanterna pelas ruas.

Era uma vez uma menina que alegremente carregava sua lanterna pelas ruas. Eu vou com minha lanterna e ela comigo vai No céu brilham estrelas, na Terra brilhamos nós Minha luz se apagou, pra casa eu vou, Com minha lanterna na mão. ( bis ) Era uma vez uma menina que alegremente

Leia mais

Maria Helena Morais Matos Coisas do Coração

Maria Helena Morais Matos Coisas do Coração Maria Helena Morais Matos Coisas do Coração Primeira Edição Curitiba 2012 PerSe Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) ÍN Matos, Maria Helena Morais

Leia mais

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Iracema estava na brinquedoteca com toda a turma quando recebeu a notícia de que seu sonho se realizaria, era felicidade que

Leia mais

Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela

Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela do reino. Era também meiga, inteligente e talentosa. Todos a admiravam. Todos queriam estar perto dela. Todos queriam fazê-la feliz, pois o seu sorriso iluminava

Leia mais

Festa da música º ano CDEF

Festa da música º ano CDEF Festa da música 05 5º ano CEF Menina estás à janela 5C G Menina estás à janela A com o teu cabelo à lua G não me vou daqui embora A sem levar uma prenda tua 3 3 3 sem levar uma prenda tua sem levar uma

Leia mais

POEMAS AVULSOS. Gonzaga Filho Página 1

POEMAS AVULSOS. Gonzaga Filho Página 1 Gonzaga Filho Página 1 Gonzaga Filho Página 2 Gonzaga Filho POEMAS AVULSOS Primeira Edição Guamaré RN 2016 Gonzaga Filho Página 3 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira

Leia mais

Sandra Maria Pires Vieira Sahd. A Menina Centopeia. Ilustração: Dimaz Restivo

Sandra Maria Pires Vieira Sahd. A Menina Centopeia. Ilustração: Dimaz Restivo Sandra Maria Pires Vieira Sahd A Menina Centopeia Ilustração: Dimaz Restivo Sandra Maria Pires Vieira Sahd A Menina Centopeia Prefácio Era um final de tarde e duas Sandras conversavam despretensiosamente.

Leia mais

PRÁTICA DE ENSINO: JOGOS INTERATIVOS

PRÁTICA DE ENSINO: JOGOS INTERATIVOS PRÁTICA DE ENSINO: JOGOS INTERATIVOS Livro digital recontando a história A Bonequinha preta da autora Alaíde Lisboa de Oliveira, livro escrito no ano de 1930, porém só foi publicado no ano de 2004 BELO

Leia mais

É Quase Natal. Andam todos a brincar A correr, a saltar na floresta Mas não há tempo a perder Têm de preparar a festa

É Quase Natal. Andam todos a brincar A correr, a saltar na floresta Mas não há tempo a perder Têm de preparar a festa É Quase Natal No vale encantado Vive uma família especial São Bonecos de Neve E é quase Natal 2x Andam todos a brincar A correr, a saltar na floresta Mas não há tempo a perder Têm de preparar a festa Tanto

Leia mais

texto Fabiana Zayat ilustrações Gil Soares de Mello

texto Fabiana Zayat ilustrações Gil Soares de Mello texto Fabiana Zayat ilustrações Gil Soares de Mello texto Fabiana Zayat ilustrações Gil Soares de Mello www.fazendohistoria.org.br texto Fabiana Zayat ilustrações Gil Soares de Mello projeto gráfico Fonte

Leia mais

MARIANINHA A MENINA QUE BOTOU A BOCA NO TROMBONE. DIAGRAMAÇÃO Michelle Nascimento Mariana Barros de Lima

MARIANINHA A MENINA QUE BOTOU A BOCA NO TROMBONE. DIAGRAMAÇÃO Michelle Nascimento Mariana Barros de Lima MARIANINHA A MENINA QUE BOTOU A BOCA NO TROMBONE DIAGRAMAÇÃO Michelle Nascimento Mariana Barros de Lima Email:nascimento.michelle@gmail.com Prefácio Marianinha: A menina que botou a boca no trombone é

Leia mais

Por vontade expressa da autora, a presente edição não segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

Por vontade expressa da autora, a presente edição não segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa Por vontade expressa da autora, a presente edição não segue a grafia do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa info@marcador.pt www.marcador.pt facebook.com/marcadoreditora 2016 Direitos reservados

Leia mais

João Pedro Pinto Moreira 4º Ano EB1 Azenha Nova. A Pequena Diferença

João Pedro Pinto Moreira 4º Ano EB1 Azenha Nova. A Pequena Diferença João Pedro Pinto Moreira 4º Ano EB1 Azenha Nova A Pequena Diferença Era uma vez um menino chamado Afonso que nasceu no primeiro dia do ano de 2000. Era uma criança muito desejada por toda a família, era

Leia mais

Certo dia Mário estava em casa sem nada para fazer quando o telefone tocou e ele foi atender: - Alô, é você, vovô Moreira? - Sim, sou eu, meu neto.

Certo dia Mário estava em casa sem nada para fazer quando o telefone tocou e ele foi atender: - Alô, é você, vovô Moreira? - Sim, sou eu, meu neto. FÉRIAS NA CASA DO AVÔ Língua Portuguesa 6º Ano do Ensino Fundamental II Nome: Ana Clara da Silva Marques Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara 2015 Certo dia Mário estava em casa sem nada para fazer

Leia mais

Iracema ia fazer aniversário. Não

Iracema ia fazer aniversário. Não Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Iracema ia fazer aniversário. Não sabia muito bem se ela podia convidar a turma do Hospital por motivos fáceis de explicar,

Leia mais

Olá, meu amigo(a)! Eu sou o Vilinha, e vim aqui hoje te conhecer porque soube que você perdeu uma pessoa especial, não foi isso? Eu imagino como você

Olá, meu amigo(a)! Eu sou o Vilinha, e vim aqui hoje te conhecer porque soube que você perdeu uma pessoa especial, não foi isso? Eu imagino como você APRESENTAÇÃO O mundo das crianças não é tão risonho como se pensa, há medos e muitas experiências de perdas. Os adultos não gostam de falar disso, muito provavelmente para escaparem dessa dor. (Rubem Alves)

Leia mais

Sou eu quem vivo esta é minha vida Prazer este

Sou eu quem vivo esta é minha vida Prazer este Vivo num sonho que não é realidade Faz parte do meu viver Crescer sonhando esquecendo os planos Sou eu quem vivo esta é minha vida Prazer este EU Hoje deixei pra lá me esqueci de tudo Vivo minha vida sobre

Leia mais

Era domingo e o céu estava mais

Era domingo e o céu estava mais Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Era domingo e o céu estava mais azul que o azul mais azul que se possa imaginar. O sol de maio deixava o dia ainda mais bonito

Leia mais

NOME: O COELHINHO QUE NÃO ERA DE PÁSCOA LEMBRANDO DA HISTORIA...

NOME: O COELHINHO QUE NÃO ERA DE PÁSCOA LEMBRANDO DA HISTORIA... LEMBRANDO DA HISTORIA... 1) COMO O LIVRO DESCREVE VIVINHO? 2) POR QUE TODOS OS IRMÃOS DE VIVINHOS QUERIAM SER COELHOS DE PÁSCOA? 3) ESCREVA NOS BALÕES O QUE VOCE ACHA QUE VIVINHO PENSAVA QUANDO TINHA QUE

Leia mais

- Professora Sofia Almeida - A princesa baixinha

- Professora Sofia Almeida - A princesa baixinha 2.º ano Português AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada da Quinta do Conde - Professora Sofia Almeida - Nome: Data: / / 1. Lê o texto todo com muita atenção. Avaliação da minha

Leia mais

Quando o Sol se apaixonou pela Lua. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais 2016

Quando o Sol se apaixonou pela Lua. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais 2016 Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais 2016 Quando o Sol se apaixonou pela Lua Letícia Cruz RA00178896 Linguagem Audiovisual e Games Eliseu Lopes Desenho

Leia mais

NÃO TEMAS! ESTOU CONTIGO NA TUA FAMÍLIA 2º CICLO

NÃO TEMAS! ESTOU CONTIGO NA TUA FAMÍLIA 2º CICLO 2ª FEIRA 25 DE SETEMBRO Bom dia! Depois de um fim de semana para re carregar energias, espera-nos uma semana em cheio. Nesta semana vamos falar da importância da família e de como a devemos tratar como

Leia mais

P O D E R D A S C O R E S

P O D E R D A S C O R E S O P O D E R D A S C O R E S Era uma vez uma bruxa chamada Grinalda. Era uma bruxa bondosa que gostava de ajudar as pessoas, independentemente da sua raça ou condição. Era conhecida como a bruxa mais meiga

Leia mais

No princípio Deus criou o céu e a terra

No princípio Deus criou o céu e a terra No princípio Deus criou o céu e a terra No início Deus criou céu e terra. Ele sempre pensou em todos nós e impulsionado pelo seu grande amor, Deus quis criar o mundo. Como um pai e uma mãe que preparam

Leia mais

1 von :36

1 von :36 1 von 22 24.05.2006 16:36 2 von 22 24.05.2006 16:36 Era uma vez, numa aldeia pequenina, uma menininha linda como uma flor; sua mãe gostava muito dela, e sua vovozinha ainda mais. 3 von 22 24.05.2006 16:36

Leia mais

Anjo da Guarda e a Luz Noturna

Anjo da Guarda e a Luz Noturna O Anjo da Guarda e a Luz Noturna Papai, tenho mesmo que ir dormir agora? perguntou Telmo. Acho que já teve histórias suficientes por uma noite disse o pai. Por favor, papai. Só mais uma história suplicou

Leia mais

Num bonito dia de inverno, um grupo de crianças brincava no recreio da sua escola,

Num bonito dia de inverno, um grupo de crianças brincava no recreio da sua escola, Pátio da escola Num bonito dia de inverno, um grupo de crianças brincava no recreio da sua escola, quando começara a cair encantadores flocos de neve. Entre eles estava o Bernardo, um menino muito curioso

Leia mais

Versão COMPLETA. O Ribeiro que queria Sorrir. PLIP004 Ana Cristina Luz. Ilustração: Margarida Oliveira

Versão COMPLETA. O Ribeiro que queria Sorrir. PLIP004  Ana Cristina Luz. Ilustração: Margarida Oliveira O Ribeiro que queria Sorrir Ana Cristina Luz Ilustração: Margarida Oliveira Versão COMPLETA PLIP004 www.plip.ipleiria.pt Este trabalho foi desenvolvido no espírito do art.º 75 e 80 do Código do Direito

Leia mais

Muitas Trombas Tornam o Trabalho Mais Leve

Muitas Trombas Tornam o Trabalho Mais Leve Muitas Trombas Tornam o Trabalho Mais Leve Era uma vez um elefantinho chamado Tolongo. Ele foi criado na savana com sua mãe e algumas outras famílias de elefantes. Eles percorriam os pastos à procura de

Leia mais

HISTÓRIAS EM RETALHOS

HISTÓRIAS EM RETALHOS HISTÓRIAS EM RETALHOS SUMÁRIO ROSAS DE CABECEIRA OS FILHOS DO MEU PAI QUERIDO LOUIS CARTAS O INVERNO DE AURORA A MORTE NÃO FAZ EXIGÊNCIAS! MANGA LONGA OU MANGA CURTA? VERSOS E ANTÍTESES O CICLO ACRÓSTICO

Leia mais

OS XULINGOS ERAM PEQUENOS SERES, FEITOS DE MADEIRA. TODA ESSA GENTE DE MADEIRA TINHA SIDO FEITA POR UM CARPINTEIRO CHAMADO ELI. A OFICINA ONDE ELE

OS XULINGOS ERAM PEQUENOS SERES, FEITOS DE MADEIRA. TODA ESSA GENTE DE MADEIRA TINHA SIDO FEITA POR UM CARPINTEIRO CHAMADO ELI. A OFICINA ONDE ELE 1 OS XULINGOS ERAM PEQUENOS SERES, FEITOS DE MADEIRA. TODA ESSA GENTE DE MADEIRA TINHA SIDO FEITA POR UM CARPINTEIRO CHAMADO ELI. A OFICINA ONDE ELE TRABALHAVA FICAVA NO ALTO DE UM MORRO, DE ONDE SE AVISTAVA

Leia mais

Em agosto de 2005 andava pela av. piraporinha onde avia um anuncio de "precisa-sa". Eu estava de blusinha saia e chinelo, e mesmo assim entrei, com a

Em agosto de 2005 andava pela av. piraporinha onde avia um anuncio de precisa-sa. Eu estava de blusinha saia e chinelo, e mesmo assim entrei, com a Linha do tempo Em agosto de 2005 andava pela av. piraporinha onde avia um anuncio de "precisa-sa". Eu estava de blusinha saia e chinelo, e mesmo assim entrei, com a cara e coragem para perguntar se era

Leia mais

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar...

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... O pequeno Will A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... Então um dia tomei coragem e corri até mamãe e falei: - Mãeee queria tanto um irmãozinho, para brincar comigo!

Leia mais

Paulo Henrique de Farias. Um Tal Gato Azul. 2ª Edição

Paulo Henrique de Farias. Um Tal Gato Azul. 2ª Edição Um Tal Gato Azul Paulo Henrique de Farias Um Tal Gato Azul 2ª Edição 2015 Capa Baseada no desenho de autor desconhecido da capa do single espanhol El Gato Que Esta Triste y Azul (CBS 8468) de Roberto

Leia mais

A alga que queria ser flor

A alga que queria ser flor A alga que queria ser flor Ana Cristina Tavares Ilustração Joana Barata IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA COIMBRA UNIVERSITY PRESS Inquire is funded by the European Union within the 7th Framework Programme

Leia mais

Um belo dia de sol, Jessi caminhava feliz para sua escola.

Um belo dia de sol, Jessi caminhava feliz para sua escola. Jessy Um belo dia de sol, Jessi caminhava feliz para sua escola. Jessi era uma garota linda, tinha a pele escura como o chocolate, seus olhos eram pretos e brilhantes que pareciam duas lindas amoras, seu

Leia mais

TUDO MUNDO ODEIA. ESCOLA 1º Dia de aula, ninguém merece! Roberto Cerqueira Dauto

TUDO MUNDO ODEIA. ESCOLA 1º Dia de aula, ninguém merece! Roberto Cerqueira Dauto TUDO MUNDO ODEIA ESCOLA 1º Dia de aula, ninguém merece! Roberto Cerqueira Dauto TÍTULO DA OBRA TODO MUNDO ODEIA ESCOLA 2012 Editora Perse Todos os direitos resevados. Nenhuma parte desta obra pode ser

Leia mais

Era dia 28 de Março de 2017, ainda uma noite fria surpreendentemente e havia um rapaz mais ou menos alto cabelo quase careca, olhos verdes azulados e

Era dia 28 de Março de 2017, ainda uma noite fria surpreendentemente e havia um rapaz mais ou menos alto cabelo quase careca, olhos verdes azulados e Era dia 28 de Março de 2017, ainda uma noite fria surpreendentemente e havia um rapaz mais ou menos alto cabelo quase careca, olhos verdes azulados e lábios um bocado grossos. No dia seguinte era o seu

Leia mais

Tânia Abrão. Coração de Mãe. Coração De Mãe

Tânia Abrão. Coração de Mãe. Coração De Mãe Coração de Mãe Coração De Mãe Página 1 Coração De Mãe 1º Edição Agosto de 2013 Página 2 Coração De Mãe 1º Edição È proibida à reprodução total ou parcial desta obra, por Qualquer meio e para qualquer fim

Leia mais

Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o pastor e seu filho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos evangelísticos.

Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o pastor e seu filho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos evangelísticos. Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o pastor e seu filho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos evangelísticos. Numa tarde de domingo, quando chegou à hora do pastor

Leia mais

COMPOSITOR CÍCERO BAHIA

COMPOSITOR CÍCERO BAHIA SALVADOR(BA), 28/08/99 ESTÚDIO: 15/11/2003 ESTILO: ROMÂNTICO TOM: C (DÓ MAIOR) EU CHEGO LÁ EU VOU TE AMAR. NO TEMPO CERTO EU VOU COLHENDO OS FRUTOS MADUROS E VOU VIVENDO. NA CONJUNÇÃO DA LUA VOU SELECIONANDO

Leia mais

Criar uma amizade. Foi muito giro! Adoro a Carolina! E cada vez tenho mais laços de amizade com ela. Fiz uma boa amizade É bom criar uma amizade!

Criar uma amizade. Foi muito giro! Adoro a Carolina! E cada vez tenho mais laços de amizade com ela. Fiz uma boa amizade É bom criar uma amizade! Criar uma amizade Num dia de férias, eu estava na praia do Mindelo e encontrei uma rapariga. Decidimos ir brincar. Apresentámo nos e a mãe dela e a minha tia também. Ela falou comigo sobre si e eu sobre

Leia mais

AUTORAS E ILUSTRADORAS: ELISA CHRISTIANE COQUILLARD GUERRIERI REZENDE VERIDIANA SOUSA MARQUES

AUTORAS E ILUSTRADORAS: ELISA CHRISTIANE COQUILLARD GUERRIERI REZENDE VERIDIANA SOUSA MARQUES AUTORAS E ILUSTRADORAS: ELISA CHRISTIANE COQUILLARD GUERRIERI REZENDE VERIDIANA SOUSA MARQUES 1ºB - 2011 APRESENTAÇÃO AO LONGO DESTE SEMESTRE AS CRIANÇAS DO 1º ANO REALIZARAM EM DUPLA UM TRABALHO DE PRODUÇÃO

Leia mais

Às vezes me parece que gosto dele, mas isso não é sempre. Algumas coisas em meu irmão me irritam muito. Quando ele sai, por exemplo, faz questão de

Às vezes me parece que gosto dele, mas isso não é sempre. Algumas coisas em meu irmão me irritam muito. Quando ele sai, por exemplo, faz questão de Às vezes me parece que gosto dele, mas isso não é sempre. Algumas coisas em meu irmão me irritam muito. Quando ele sai, por exemplo, faz questão de sair sozinho. E me chama de pirralho, o que me dá raiva.

Leia mais

AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM!

AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM! AMA QUE É BOM! Lugar: Itacaré (BA) Data: 10/12/2009. Estilo: Fado baiano Tom: Fá sustenido menor (F#m) Estúdio: 18/12/11 QUE É BOM! QUE VEM DE DOM! QUE É BOM! QUE VEM DE DOM! UM POUCO MAIS QUEM AMA NA

Leia mais

Avaliação de Diagnóstico Português 4º ano

Avaliação de Diagnóstico Português 4º ano Avaliação de Diagnóstico Português 4º ano Lê o texto com atenção Um pardal ferido 1 Mãe e filho viviam felizes. Mas o José, gorducho e olhos esbugalhados, de vez em quando desobedecia às suas ordens para

Leia mais

A.C. Ilustrações jordana germano

A.C. Ilustrações jordana germano A.C. Ilustrações jordana germano 2013, O autor 2013, Instituto Elo Projeto gráfico, capa, ilustração e diagramação: Jordana Germano C736 Quero-porque-quero!! Autor: Alexandre Compart. Belo Horizonte: Instituto

Leia mais

PRODUÇÃO EXECUTIVA: MK PUBLICITÁ MASTERIZAÇÃO: TONEY FONTES FOTOS: SAMUEL SANTOS CRIAÇÃO DE CAPA: MK PUBLICITÁ

PRODUÇÃO EXECUTIVA: MK PUBLICITÁ MASTERIZAÇÃO: TONEY FONTES FOTOS: SAMUEL SANTOS CRIAÇÃO DE CAPA: MK PUBLICITÁ PRODUÇÃO EXECUTIVA: MK PUBLICITÁ MASTERIZAÇÃO: TONEY FONTES FOTOS: SAMUEL SANTOS CRIAÇÃO DE CAPA: MK PUBLICITÁ Encarte e letras disponíveis em www.encartedigitalmk.com.br Conheça mais esta inovação da

Leia mais

A menina Gotinha de Água. Papiniano Carlos. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho

A menina Gotinha de Água. Papiniano Carlos. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho A menina Gotinha de Água Papiniano Carlos Fichas de leitura Criação intelectual: Fátima Patronilho Fichas de leitura Ficha 1 Lê até ao fim da página 9. Depois da leitura, responde às questões. 1. Qual

Leia mais

COMO DIZER NÃO FALANDO SIM. Um guia rápido para pais que desejam se reconectar aos seus filhos

COMO DIZER NÃO FALANDO SIM. Um guia rápido para pais que desejam se reconectar aos seus filhos COMO DIZER NÃO FALANDO SIM Um guia rápido para pais que desejam se reconectar aos seus filhos Índice Introdução Capítulo 1 Autoconhecimento Capítulo 2 Curiosidade Capítulo 3 Elogios Capítulo 4 Sentimentos

Leia mais

Setembro 2017 A D A E A D A Amor, vim te buscar em pensamento, cheguei agora no vento Amor, não chora de sofrimento

Setembro 2017 A D A E A D A Amor, vim te buscar em pensamento, cheguei agora no vento Amor, não chora de sofrimento www.oficinadeviolao.com.br Setembro 07 0 - SERRA DO LUAR ( Walter Franco ) 0 - VASO-CORAÇÃO ( Ulisses Higino ) 03 - PRA DESPERTAR O AMOR (Ulisses Higino ) UM VIOLEIRO TOCA ( Almir Satter ) Baixaria 04

Leia mais

Semana de 10/04/17 a 16/04/17

Semana de 10/04/17 a 16/04/17 Semana de 10/04/17 a 16/04/17 DENTRE MUITAS VOZES, OUÇA A VOZ DE DEUS! Estação Cultivo OBJETIVO: Levar as crianças a entenderem que apesar de ouvirmos muitas vozes, devemos sempre optar por seguir a voz

Leia mais

O MENINO FELIZ. Língua Portuguesa. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Bryan Ferreira Fernandes. Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara

O MENINO FELIZ. Língua Portuguesa. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Bryan Ferreira Fernandes. Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara O MENINO FELIZ Língua Portuguesa 6º Ano do Ensino Fundamental II Nome: Bryan Ferreira Fernandes Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara 2015 Um menino chamado José Vitor morava com seu avô na fazenda

Leia mais

As Melhores 313 PIADAS. para rir sem parar

As Melhores 313 PIADAS. para rir sem parar As Melhores 313 PIADAS para rir sem parar Excesso de velocidade Depois de mandar parar uma condutora, o polícia de trânsito diz-lhe: Minha senhora, vou multá-la. Vinha a 200 quilómetros à hora! O quê???

Leia mais

1.º C. 1.º A Os livros

1.º C. 1.º A Os livros 1.º A Os livros Os meus olhos veem segredos Que moram dentro dos livros Nas páginas vive a sabedoria, Histórias mágicas E também poemas. Podemos descobrir palavras Com imaginação E letras coloridas Porque

Leia mais

José Francisco da Rocha

José Francisco da Rocha Saudação a Poesia Biografia José Francisco da Rocha, nasceu no dia 04 de janeiro de 1932 em Cedro de São João SE. Filho de José Francisco da Rocha e Antônia Maria de Santana. Casado com Carmelita Souza

Leia mais

Em um dia ensolarado, a família do Carlinhos foi passear lá no Aterro do Flamengo. O que será que houve? Após terem comprado a água de coco...

Em um dia ensolarado, a família do Carlinhos foi passear lá no Aterro do Flamengo. O que será que houve? Após terem comprado a água de coco... Em um dia ensolarado, a família do Carlinhos foi passear lá no Aterro do Flamengo. O que será que houve? Joga a bola, papai! Joga a bola!! Está bem, Carlinhos! Pode deixar que eu jogo!! Um, dois, três

Leia mais

A lenda do homem. ignorante. Samara Caroline dos Santos Torres

A lenda do homem. ignorante. Samara Caroline dos Santos Torres A lenda do homem ignorante Samara Caroline dos Santos Torres Samara Caroline dos Santos Torres A lenda do homem ignorante Meu livro Escrevi este livro, por que no mundo ainda existe pessoas que tratam

Leia mais

MARIA PADILHA - 01 NA FAMÍLIA DA MARIA SÓ NÃO ENTRA QUEM NÃO QUER ELA É MARIA PADILHA, MARIA MULAMBO, MARIA MULHER BIS MARIA PADILHA 02

MARIA PADILHA - 01 NA FAMÍLIA DA MARIA SÓ NÃO ENTRA QUEM NÃO QUER ELA É MARIA PADILHA, MARIA MULAMBO, MARIA MULHER BIS MARIA PADILHA 02 MARIA PADILHA - 01 NA FAMÍLIA DA MARIA SÓ NÃO ENTRA QUEM NÃO QUER ELA É MARIA PADILHA, MARIA MULAMBO, MARIA MULHER BIS BIS MARIA PADILHA 02 MARIA PADILHA É MULHER DE SETE MARIDO...BIS TOMA CUIDADO GENTE

Leia mais

Josely Pereira Muniz. O Menino mais

Josely Pereira Muniz. O Menino mais Josely Pereira Muniz O Menino mais O Menino mais Esta história é para contar a história de um menino que era diferente de todos os outros meninos do mundo. Para começar, ele tinha olhos de luzes. Quando

Leia mais

Adaptação: Sueli Maria de Regino IRMÃO E IRMÃ

Adaptação: Sueli Maria de Regino IRMÃO E IRMÃ Adaptação: Sueli Maria de Regino IRMÃO E IRMÃ Era uma vez dois irmãos, um menino e uma menina, que tinham perdido a mãe e eram maltratados pela madrasta. O irmão, cansado de apanhar todos os dias, pegou

Leia mais

Pois olhe, Paulo, você não pode imaginar o que aconteceu com aquele coelho. Se você pensa que ele falava, está enganado. Nunca disse uma só palavra

Pois olhe, Paulo, você não pode imaginar o que aconteceu com aquele coelho. Se você pensa que ele falava, está enganado. Nunca disse uma só palavra Pois olhe, Paulo, você não pode imaginar o que aconteceu com aquele coelho. Se você pensa que ele falava, está enganado. Nunca disse uma só palavra na vida. Se pensa que era diferente dos outros coelhos,

Leia mais

Um passinho outro passinho

Um passinho outro passinho Um passinho outro passinho Inácio tinha o mesmo nome do seu melhor amigo, o avô Nacho. Quando Inácio nasceu, o seu avô disse a toda a gente: O Inácio não irá a aprender a dizer avô antes dos três anos,

Leia mais

Anexo I - Modelo de Pólya para a resolução de um problema. 1

Anexo I - Modelo de Pólya para a resolução de um problema. 1 Anexo I - Modelo de Pólya para a resolução de um problema. 1 1 Pólya, G., A arte de resolver problemas (1995) p. xii-xiii. 49 Anexo II - Guião de atuação do professor de matemática elaborado por Lester

Leia mais

voce e meu ate na morte

voce e meu ate na morte voce e meu ate na morte era um serto dia ela era tao alegre tao feliz paresia que vivia no conte de fadas mais em um dia ela conheceu um menino ela se apaixonor por palavras pessoas falava que ele nao

Leia mais

O Rapaz e a Guitarra Mágica

O Rapaz e a Guitarra Mágica O Rapaz e a Guitarra Mágica Conto linha-a-linha Autoria: todas as turmas da Escola E.B. 2,3 de Palmeira Data: 21 a 25 de Março de 2011 Local de realização: Biblioteca Escolar Era uma vez um menino chamado

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Tema Transversal: Cultivar e guardar a Criação Disciplina: Língua Portuguesa / ESTUDOS AUTÔNOMOS Ano: 2º - Ensino Fundamental Aluno(a): N o : Turma: Professora: Data: 14 / 6 / 2017

Leia mais

Adaptação: Sueli Maria de Regino RAPUNZEL

Adaptação: Sueli Maria de Regino RAPUNZEL Adaptação: Sueli Maria de Regino RAPUNZEL Era uma vez um casal que desejava muito ter um filho, mas os anos se passavam e seu sonho não se realizava. Um dia, a mulher percebeu que ia ter uma criança e

Leia mais

UM MONSTRO EM MINHA ESCOLA Iara M. Medeiros Adaptação da história de.

UM MONSTRO EM MINHA ESCOLA Iara M. Medeiros Adaptação da história de. UM MONSTRO EM MINHA ESCOLA Iara M. Medeiros Adaptação da história de http://growingkinders.blogspot.com.br/ QUANDO RUI ENTROU NO ÔNIBUS PARA IR À ESCOLA, PERCEBEU QUE LÁ DENTRO TINHA UM MONSTRINHO E FICOU

Leia mais

Dossiê: Rubem Alves, teólogo, educador e poeta

Dossiê: Rubem Alves, teólogo, educador e poeta Dossiê: Rubem Alves, teólogo, educador e poeta O Amor através das Metamorfoses. Raquel Alves 1 As imagens da memória vão passando na minha frente, aleatoriamente. Eu não vasculho, não procuro, elas simplesmente

Leia mais

Projeto Reconhecendo a Diversidade Cultural

Projeto Reconhecendo a Diversidade Cultural Projeto Reconhecendo a Diversidade Cultural Apresentamos às crianças do 4º Ano A, o vídeo do livro O Cabelo de Lelê de Valeria Belém. Roda de conversa sobre a historia apresentada e os que existem diversos

Leia mais

Colégio Visconde de Porto Seguro

Colégio Visconde de Porto Seguro Colégio Visconde de Porto Seguro Unidade I 2011 Ensino Fundamental e Ensino Médio Sistema de Recuperação Nome do (a) Aluno (a): Atividade de Recuperação de Língua Portuguesa Nível: I F-2 Professor (a):

Leia mais

O Pequeno Gigante Poeta

O Pequeno Gigante Poeta O Pequeno Gigante Poeta 1ª Edição, São Paulo, 2014. 1 O Pequeno Gigante Poeta Autor: Dias, Edinei Fernandes Ano: 2014 - São Paulo, Brasil Gênero: Poesia Palavras Chave: Poesia, Poema, Gigante, Edinei Fernandes

Leia mais

Textos e ilustrações dos alunos do 3º ano 1 de junho de 2017 Dia da Criança

Textos e ilustrações dos alunos do 3º ano 1 de junho de 2017 Dia da Criança Tempo para ser criança e ser feliz Textos e ilustrações dos alunos do 3º ano 1 de junho de 2017 Dia da Criança Ser criança e ser feliz Ser criança é uma das virtudes do homem Podem fazer-se coisas que

Leia mais

) ) .,. MEB- 50 ANOS ";.. QUANTO AFETO, QUANTA ALEGRIA RENOVADA EM CADA ENCONTRO... VIVA A VIDA! " MARIA ALICE ~ )

) ) .,. MEB- 50 ANOS ;.. QUANTO AFETO, QUANTA ALEGRIA RENOVADA EM CADA ENCONTRO... VIVA A VIDA!  MARIA ALICE ~ ) ) 1 ) ) ).,. I ) I MEB- 50 ANOS ";.. QUANTO AFETO, QUANTA ALEGRIA RENOVADA EM CADA ENCONTRO... VIVA A VIDA! " MARIA ALICE ) ) ~ ) ( ' A MUSICA DA CAMPANHA DAS ESCOLAS RADIOFONICAS LEVANTO JUNTO COM O SOL

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO DE MOURO PADRE ALBERTO NETO QUESTIONÁRIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO DE MOURO PADRE ALBERTO NETO QUESTIONÁRIO QUESTIONÁRIO Após teres lido o livro O GUARDA DA PRAIA de Maria Teresa Maia Gonzalez, com atenção, assinala a afirmação com V se for verdadeira ou com F se for falsa. 1. A história deste livro centra se

Leia mais

Suspeitas. por. Ton Freitas

Suspeitas. por. Ton Freitas Suspeitas por Ton Freitas Registo F.B.N.: 661025 Contato: ton.freitas@hotmail.com INT. CAPELA - DIA Está ocorrendo um velório. No caixão ao centro está MARIA LUIZA, bonita, jovem. Em volta estão sentadas

Leia mais

Vilson Caetano de Sousa Jr., Emília da Cruz Santos e Edite dos Santos Ilustração: Rodrigo Siqueira

Vilson Caetano de Sousa Jr., Emília da Cruz Santos e Edite dos Santos Ilustração: Rodrigo Siqueira Vilson Caetano de Sousa Jr., Emília da Cruz Santos e Edite dos Santos Ilustração: Rodrigo Siqueira 2014 Enseada Indústria Naval S.A Todos os direitos reservados Qualquer parte desta publicação pode ser

Leia mais

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Quando Luiz Mauricio e Gê estavam passando pela recepção, ouviram um choro estranho: Você ouviu, Luiz? Nossa, um bebê e uma

Leia mais