Universidade Veiga de Almeida O SHOPPING CENTER: A VARIEDADE NA EXPLORAÇÃO DO ESPAÇO DE NEGÓCIOS. Catarina Pinto de Albuquerque de Oliveira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Veiga de Almeida O SHOPPING CENTER: A VARIEDADE NA EXPLORAÇÃO DO ESPAÇO DE NEGÓCIOS. Catarina Pinto de Albuquerque de Oliveira"

Transcrição

1 Universidade Veiga de Almeida O SHOPPING CENTER: A VARIEDADE NA EXPLORAÇÃO DO ESPAÇO DE NEGÓCIOS Catarina Pinto de Albuquerque de Oliveira Rio de Janeiro 2006

2 UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA (MBA EM VAREJO E SERVIÇOS) O SHOPPING CENTER: A VARIEDADE NA EXPLORAÇÃO DO ESPAÇO DE NEGÓCIOS Catarina Pinto de Albuquerque de Oliveira Monografia apresentada aos Professores Ms. Arnaldo Magalhães, Mônica Noronha e André Soares como requisito parcial à obtenção do título de Especialista em Varejo e Serviços pela Universidade Veiga de Almeida - UVA. Prof. Orientador: Ms. Arnaldo Magalhães Rio de Janeiro 2006

3 O SHOPPING CENTER: A VARIEDADE NA EXPLORAÇÃO DO ESPAÇO DE NEGÓCIOS Catarina Pinto de Albuquerque de Oliveira Esta monografia foi julgada adequada para a obtenção do título de Especialista e aprovada em sua forma final pela Coordenação do Curso de MBA em Varejo e Serviços da Universidade Veiga de Almeida. Aprovado: Professora: Mônica Noronha Professor: André Soares Coordenador Acadêmico Ms. Professor: Arnaldo Magalhães Rio de Janeiro 2006

4 FICHA CATALOGRÁFICA OLIVEIRA, CATARINA PINTO DE ALBUQUERQUE SHOPPING CENTER: A VARIEDADE NA EXPLORAÇÃO DO ESPAÇO DE NEGÓCIO UVA, Monografia (Especialização em Gestão de Varejo e Serviços) CEPEV Centro de Estudo e Pesquisa do Varejo UVA Universidade Veiga de Almeida 1 - shopping center: a variedade na exploração do espaço de negócio, as várias maneiras de se ter negócios dentro de um shopping center, um centro de negócios, além do obtido com a venda e o aluguel de lojas.

5 AGRADECIMENTOS Agradeço Em primeiro lugar a Deus por me guiar em todos os momentos, à minha mãe e à minha irmã por me ajudarem a concluir mais este objetivo, aos professores e coordenadores deste curso de MBA de Varejo e Serviços, pelo CEPEV Universidade Veiga de Almeida e agradeço especialmente aos shoppings centers, na figura dos superintendentes e administradores, pela grande colaboração durante o período de coleta de dados para execução deste trabalho.

6 DEDICATÓRIA Para aquele que foi o grande homem da minha vida, meu pai. Pelo exemplo de vida que sempre me deu e demonstrou ter enquanto comigo esteve. Que essa estrela nunca deixe de brilhar....

7 EPÍGRAFE "A comunicação dos shoppings está cada vez mais voltada para o interesse da comunidade. Os investimentos na grande mídia são cada vez menores e crescem as ações de relacionamento ou uso de mídias para uma área de influência menor - outdoor, por exemplo. A promoção já foi foco principal - os shoppings tinham por objetivo gerar tráfego. Hoje, eles têm que gerar tráfego qualificado, que tenha identidade com o empreendimento. Então a promoção tem que estar casada com institucional, usando uma linguagem que faz sentido com o posicionamento do shopping. (Celso Loducca, presidente da agência Loducca 22). 1 "O publicitário incentiva o institucional, pois tem mais prazer na criação das peças. O lojista quer gente no shopping, então pede sorteio, promoção. O empreendedor, por sua vez, quer a marca valorizada, então pede o institucional, mas, ao mesmo tempo, cobra resultado o tempo todo, em público e venda". (Jacqueline Lopes, diretora de marketing da Renasce). 2 O shopping center é um empreendimento de um só empreendedor sendo este o único proprietário de todas as unidades, única e exclusivamente de uso comercial, que formam um todo incindível, dá unidades em locação em troca da participação percentual no faturamento da atividade comercial exercida pelo lojista que ele também incrementa, têm a administração única e centralizada, todos os contratos são padrão, entre suas diversas outras características jurídicas próprias de shopping center. (Segundo doutrina do emérito jurista Orlando Gomes (considerada bastante completa), da Escola de Magistratura Nacional, jurisprudências colhidas em vários Tribunais, bem como em vários livros que abrangem tal tema) 3 1 Em entrevista a Revista Shopping Center - Setembro de 2004, sobre a matéria A difícil tarefa de comunicar a alma do empreendimento, reportagem de capa. 2 Idem. 3 Matéria do site sobre tacos jurídicos, físicos e econômicos da modalidade de negócio chamada shopping center, escrita por Márcio Pecego Heide, acadêmico de Direito e Engenharia no Rio de Janeiro, lida no dia 17/05/06, às 18:09.

8 RESUMO Shoppings centers são empreendimentos planejados e gerenciados para atender às necessidades e aos anseios dos consumidores. Assim, quanto mais próximos das expectativas do público alvo estiverem os produtos, os serviços e as facilidades oferecidas no empreendimento, maior será o número de consumidores atraídos para comprar nas lojas do shopping center. Esta monografia se propõe a discutir como o shopping center pode ser usado para novos negócios, fora o faturamento obtido com a venda e aluguel das lojas. Para tanto, foi necessário percorrer alguns conceitos, definições, classificações e tendências, principais administradores e dados globais sobre a indústria shopping center, o que foi abordado no capítulo I O Shopping Center. Já no segundo capítulo O consumidor do shopping center foi feita uma abordagem sobre a tipologia do consumidor de shopping center, as razões as motivações de freqüência e o consumidor virtual, as suas vantagens e desvantagens em ser um consumidor virtual, esclarecendo assim as suas diferenças e importância. Para desenvolver o capítulo III O shopping center e o varejo um bom negócio foi necessário conceituar o varejo e sua história, a experiência completa de trabalhar o varejo shopping center e a importância do marketing como ferramenta para o varejo, a fim de conhecer um pouco mais a opinião de grandes estudiosos a respeito do assunto do mercado varejista. O quarto capítulo O Shopping center: a variedade na exploração do espaço de negócio aborda o porque de investir num shopping center como um espaço para negócios. Nos dias de hoje, muitos empresários/empreendedores, utilizam o espaço shopping center não só como um pólo comercial de compras ou de consumo, mas sim como um novo mercado para lazer, serviços, encontros e negócios, através de academias, prédios comerciais, universidades entre outros negócios, integrados ao shopping. O Capítulo V trará estudos de casos Grupo Multiplan, Shopping Vertical, Shopping Tijuca, Nova América e Downtown, que com as suas visões empreendedoras, apresentaram ao mercado o conceito de multiuso. A conclusão trará as considerações finais para o tema abordado neste trabalho monográfico.

9 ABSTRACT Shopping centers are planned enterprises and managed to assist to the needs and the consumers longings. Like this, the closer of the white public s expectations they are the products, the services and the means offered in the enterprise, adult will be the number of consumers. This monograph intends to discuss as the shopping center can be used for new businesses, it had been the revenue obtained with the sale and rent of the stores. For so much, it was necessary to travel some concepts, definitions, classifications and tendencies, main administrators and global data on the industry shopping center, what was approached in the chapter I The Shopping center. Already in the second chapter The consumer of the shopping center it was made an approach about the shopping center consumer s typology, the reasons the frequency motivations and the virtual consumer, their advantages and disadvantages in being a virtual consumer, explaining like this their differences and importance. To develop the chapter III The shopping center and the retail a good business it was necessary to consider the retail and his/her history, the complete experience of working the retail shopping center and the importance of the marketing as tool for the retail, in order to know a little more the opinion of big studious the regarding the subject of the retail market. The fourth chapter The Shopping center: the variety in the exploration of the business space it approaches it because of investing at a shopping center as a space for businesses. In the days today, many entrepreneurs/enterprising, use the space shopping center not only as a commercial pole of purchases or of consumption, but yes as a new market for leisure, services, encounters and businesses, through academies, commercial buildings, universities among other businesses, integrated into the shopping center. The Chapter V will bring studies of cases Grupo Multiplan, Vertical Shopping, Shopping Tijuca, Nova America and Downtown, that with their enterprising visions, they presented to the market the multiuse concept. The conclusion will bring the final considerations for the theme approached in this work monographic.

10 SUMÁRIO Introdução 12 Capítulo I. O Shopping Center O que é um shopping Center? Empreendedores / administradores e donos do shopping Shopping segmentado e shopping temático existem diferenças? Apresentação do histórico dos shopping centers no Brasil ABRASCE Dados globais da indústria de shopping centers 32 Capítulo II. O consumidor do shopping center A Antropologia usada no estudo do comportamento Tipologia do consumidor do shopping center, razões e motivações da freqüência Consumo na Internet versus consumo no shopping 60 Capítulo III. O shopping Center e o Varejo, um bom negócio? O que é varejo? O Consumidor e varejo Uma experiência completa? Varejo Brasileiro versus Varejo Estrangeiro Ainda é preciso aprender Marketing de varejo Caindo na Real Fundos Imobiliários de shopping center de consumidor a dono do shopping. 86 Capítulo. IV O Shopping Center: a variedade na exploração do espaço de negócios A força de venda fora das lojas: novo canal de comunicação com o consumidor Ações Promocionais e Eventos Merchandising no shopping: fonte de receita com perspectiva de expansão Multiuso Mil e uma atividades Vamos malhar no shopping?! Ficar a vontade e relaxar num local de compras, é possível?! Consumo, lazer e Educação combinam? Radioatividade Vá ao teatro... em shopping Táxis mais um serviço de qualidade a seu cliente 138

11 4.2.7 Quiosque como a porta de entrada para o shopping Quiosque ou loja prós e contras Loja ou shopping Center Expansões e Verticalização Lifestyle Center, Omnicenters e Power Centers novos formatos 166 Capítulo. V Estudo de Casos Grupo Multiplan Shopping Vertical Shopping Tijuca Nova América Downtown 189 Conclusão 194 Bibliografia 203 Anexos 211 Anexo Anexo Anexo Lista de abreviatura 238 Lista de tabelas 239 Lista de figuras e gráficos 240

12 INTRODUÇÃO Atualmente ESPAÇO é algo extremamente valorizado, principalmente nos grandes centros urbanos, ainda mais quando esse espaço vem acompanhado de empreendimentos que atraem grande fluxo de consumidores, fazendo com que o todo agregue mais e mais valor a empreendimento principal. No processo de localizar novas unidades varejistas, as empresas enfrentam uma decisão também de caráter estratégico, que consiste na seleção do tipo de localização que a nova loja deverá adotar e algumas alternativas são: centro comercial não planejado, centro comercial planejado e lojas isoladas. O foco escolhido, neste trabalho, foi o centro comercial planejado, que como o nome sugere, indica um empreendimento desenvolvido especificamente para formar um complexo comercial integrado, composto de várias unidades varejistas que oferecem variadas complementares. Dentre os vários formatos de centros comerciais planejados os mais importantes são os shoppings centers. Os Shoppings Centers são empreendimentos realizados por diversos agentes, como empresas de incorporação e de construção imobiliária, grupos industriais e financeiros e fundos de pensão, que participam do projeto em diferentes etapas e com expectativas distintas. A natureza do seu negócio é o comércio varejista, observando-se o aumento de sua participação nesta atividade, principalmente a partir da década de 80. O crescimento urbano e suas conseqüências têm sido o principal fator deste crescimento. Os shoppings centers vêm assumindo uma crescente importância no varejo e exercendo expressiva influência de boa parte da população brasileira. São locais não só para a compra, mas também para lazer, alimentação e socialização, por isso a tendência é de ampliação de sua função, ofertando também variados tipos de serviço, lazer e cultura. De acordo com a ABRASCE (Associação Brasileira de Shopping Centers), as vendas nos shoppings em 2005 representaram 18% do faturamento de todo o varejo nacional, excluído o setor automotivo. 4 E vem crescendo também a utilização do shopping como ferramenta de comunicação, dando espaço para novos negócios, tanto para o shopping, quanto para as empresas/clientes. O merchandising em shopping centers consiste no aproveitamento da 4 Dados do site da abrasce atualizado em 15/02/06.

13 área comum batizada de Área Bruta de Marketing como o mais recente meio de comunicação entre o público e os anunciantes. É a propaganda aplicada nos corredores, banheiros, quiosques, painéis, praças de alimentação, estacionamento, entre outros. Uma forma de atingir seu público-alvo, de forma direta e mais barata que a mídia tradicional. E esse é o objeto desse trabalho. Para atender aos objetivos propostos, este trabalho emprega diferentes metodologias e está dividido em três grandes blocos. Inicialmente foi realizada uma pesquisa exploratória para reunir a maior quantidade de informações acerca do assunto a ser estudado com o objetivo de: [i] adquirir mais familiaridade com os termos, conceitos e denominações utilizadas pelos profissionais envolvidos no setor de shopping center; [ii] auxiliar a criação de um contexto propício à discussão; e [iii] fornecer elementos suficientes para a escolha do método de coleta de dados a ser utilizado. É uma etapa caracterizada pela busca de dados nas mais diversas fontes de pesquisa disponíveis, tais como: livros, periódicos, trabalhos acadêmicos e websites, que possibilitou reconhecer carências na literatura especializada, sejam em livros ou artigos acadêmicos, quando a abordagem é o planejamento dos shoppings centers de mix temático. O texto desta dissertação está estruturado em cinco capítulos, mais a conclusão, de maneira a cobrir satisfatoriamente o assunto e proporcionar um bom entendimento ao leitor, onde cada capítulo possui um objetivo particular, conforme descrições a seguir: No Capítulo I, é feita à abordagem do que é shopping center, através de seus conceitos, definições, classificações dos mesmos; Para desenvolver o Capítulo II, foi necessário fazer uma abrangência sobre o que antropologia e qual a sua função ao estudar o consumidor, para entender as pesquisas feitas por alguns shoppings a fim de descobrir qual o público específico do seu empreendimento; No Capítulo III, houve uma abrangência sobre o varejo e a importância do shopping center para o varejo, através do ato da compra nesses grandes pólos comerciais;

14 O Capítulo IV é o coração da monografia, pois através dele é retratado a importância do shopping center como espaço para negócio, fora às lojas, ou seja, toda a mecânica que pode ser utilizada dentro do shopping para a comercialização dos seus espaços; Através do Capítulo V, serão conhecidas empresas de sucesso que acreditaram nessa nova forma de gerar lucros para os seus empreendimentos e venceram as barreiras da competitividade que se aproximavam com a mesmice deste comércio de shopping center. A conclusão trará toda a síntese que esse trabalho monográfico se propôs.

15 CAPÍTULO I O Shopping Center Shopping Centers é o centro comercial planejado sob administração única, composto de lojas destinadas à exploração comercial e à prestação de serviços, sujeitos a normas contratuais padronizadas, para manter o equilíbrio da oferta e da funcionalidade, assegurando a conveniência integrada e pagando um valor de conformidade com o faturamento. 5 5 Segundo a ABRASCE Associação Brasileira de Shopping Center, esta é a tradução do que é um shopping center, mas a Lei 8.245/91 que atualmente rege as locações não tipifica objetivamente o que é um "shopping center" (embora saibamos objetivamente o que é), e o que vale e o que não vale num contrato de locação em shopping center, então diz-se que uma locação em shopping center é atípica mista (perante a lei, pois parte do contrato é coberto pela lei, mas não totalmente previsto nela), portanto vale(ria) uma série de cláusulas e condições expressamente vetadas, inclusive a perniciosa cobrança de "luvas", revestida agora sob o título de ressperata, na supra citada Lei.

16 1.1 O que é um Shopping Center? 6 Shopping centers são comumente definidos como empreendimentos do setor de serviços que agrupam diversos estabelecimentos comerciais, centralizados arquitetônica e administrativamente. As suas lojas geram, de modo geral, aluguéis fixos ou variáveis de acordo com o desempenho atingido. Para o crescimento das vendas, é necessário que se adotem ações de comum acordo entre os participantes do empreendimento, com diversas estratégias para o alcance do sucesso comercial. Existem controvérsias se a origem do que conhecemos como shopping center é Norte Americana ou Canadense, mas fato é que condições econômicas peculiares fizeram com que surgissem na área de Nova York e Nova Orleans, no início do século, alguns empreendimentos com características próprias de shopping center como o conhecemos. Foi no Canadá, a partir da década de 50 que o conceito realmente tomou a forma de como conhecemos até os dias de hoje, devido às condições climáticas e econômicas desse país. No Canadá, na década de 50, foram construídos os primeiros shopping centers tal como os conhecemos. Lembremos que lá os invernos chegam até a oito meses de duração, restando até mesmo minguados quatro meses nos quais se pode andar nas ruas e ter dias com mais de dez horas de luz. Portanto a necessidade de criar uma espaço que reunisse alguns elementos essenciais à sociabilização da população, daí decorrem as construções que agregam comércio, em sua grande variedade, oferta de serviços, lazer, climatação e estacionamento coberto - pois é praticamente impossível andar nas ruas cobertas de neve. Nos EUA mostrou-se que além de uma conveniente necessidade, uma excelente oportunidade de negócio. Emergentes grupos empresariais vislumbraram que se aglomerassem vários ramos de negócios: compra, venda, prestação de serviços (dos mais variados ramos), bancos, escritórios, consultórios, lazer e alimentação; razões para que pessoas circulassem por bom tempo e satisfizessem suas necessidades de consumo naquele local, estariam gerando um excepcional foco atrativo de riquezas altamente lucrativo. Sendo assim, em várias pesquisas, arquivos e estudos a respeito do assunto, conforme será apresentado neste trabalho acadêmico, acredita-se que os shoppings centers surgiram nos Estados Unidos na década de 50 como resultado de estratégias de comércio 6 Pesquisa na internet sobre o que é shopping center e a história dos shopping centers Wikipédia pt.wikipedia.org/, BNDES e Abrasce -

17 visando atrair e atender o crescente número de consumidores que se expandia para os subúrbios das grandes cidades. Reconhece-se o Nichol`s Plaza, em Kansas City, Missouri, como sendo o primeiro shopping center americano. Era um shopping aberto. Os primeiros shoppings centers dos Estados Unidos ficavam ao ar livre. Depois, em 1956, foi inaugurado o Southdale, em Minnesota, um shopping regional, com mall fechado e ar condicionado central, que é considerado o primeiro shopping fechado. Mas, em geral, os primeiros shoppings centers eram ancorados por mercearias, eram shopping centers ao ar livre, shopping centers de rua. Em meados dos anos 70, houve a entrada dos outlets 7, que vinham a atender uma faixa de consumidor diferente, pois tinham lojas de atacadistas e de grandes fábricas que cresceram fora da área de influência dos shoppings centers tradicionais. Nesta mesma época, o shopping center estava começando a se tornar um local para onde as pessoas se dirigiam não apenas para o consumo, mas também para socializar. Os fatores resultantes do crescimento urbano, como a necessidade de mais segurança e maior conforto, e as características climáticas, dentre outros, incentivaram o crescimento do segmento. A entrada da mulher na força de trabalho, o desenvolvimento dos transportes facilitando as compras volumosas e o afluxo de compradores às grandes lojas, como as de departamentos e supermercados, indicavam a oportunidade da criação de sistemas de compras mais rápidos e eficazes. No Brasil, o primeiro shopping center, o Iguatemi São Paulo, foi inaugurado em 1966 e está em funcionamento até hoje. O conceito de shopping center atualiza-se com o passar do tempo, através da alteração de seu perfil ou de propostas diferenciadas de atuação. As definições para os vários tipos de shopping centers mais comumente aceitas são elaboradas pela Abrasce, com base na principal publicação internacional sobre o setor, a International Council of Shopping Center (ICSC) 8, a Abrasce identifica no Brasil seis tipos de shopping centers: 7 Outlets negócio para vender bens a varejo; mercado para determinado produto, estabelecimento, loja, ponto de revenda. (['autlet] n 1 passagem, saída. 2 meio para dar vazão a coisas ou sentimentos. 3 mercado para determinado produto, estabelecimento, loja, ponto de revenda. 4 tubo de descarga. 5 tomada (de eletricidade) - (áut-lét) (ingl) sm Centro de compras, caracterizado por pequenos estandes, ocupados por lojas, artesãos, prestadores de serviços e outros). Informação obtida no dicionário babylon 6 8 Em 1957, foi criado o International Council of Shopping Centers (ICSC), que é uma associação sem fins lucrativos, que trata de assuntos da indústria de shopping centers, o foco é ser um instrumento de divulgação e treinamento do negócio de shopping centers em todo o mundo. O ICSC já possui mais de

18 Shopping Regional - Como o nome sugere, os shoppings do tipo regional são complexos varejistas de grande porte, que atendem as necessidades de uma grande região geográfica.no Brasil, a maioria dos shoppings está classificada nesta categoria (representando cerca de 80% da área de vendas de os shoppings brasileiros). Apresentam um complexo de lojas que oferece mercadorias em geral (uma boa porcentagem de vestuário) e serviços completos e variados. Um shopping regional típico é geralmente fechado, com as lojas voltadas para um mall 9 interno. Exemplos: BarraShopping (RJ), CenterVale Shopping (São José dos Campos SP), Minas Shopping (Belo Horizonte MG), Shopping Center Iguatemi Belém (PA) e Porto Alegre (RS). Shopping Comunitário - Os shoppings comunitários, caracterizados por um porte médio, geralmente oferece, um sortimento amplo (porém menor que o do shopping regional) de vestuário e outras mercadorias. Entre as âncoras 10 mais comuns, estão os supermercados e as lojas de departamentos de descontos. No Brasil, os shoppings comunitários representam cerca de 15% da área de vendas dos shoppings. Entre os lojistas do shopping comunitário, algumas vezes encontram-se varejistas de off-price 11 vendendo itens como roupa, objetos e móveis para casa, brinquedos, artigos eletrônicos ou para esporte. Exs: Araçatuba Shopping Center (SP), Shopping Center Lapa (SP) e Sider Shopping Center (Volta Redonda RJ) membros, distribuídos em 70 países, no mundo inteiro. Eles realmente valorizam a educação e expertise na indústria, tendo treinado no ano passado mais de 115 mil pessoas das mais diferentes nacionalidades, nos cerca de 110 programas desenvolvidos com este fim. Esses números gigantescos validam o crescimento de uma indústria que atravessa cada vez mais fronteiras, conquista novos mercados e, praticamente, elimina os pouco experientes e não profissionais. A Abrasce defende os interesses de seus associados e multiplicando conhecimento e educação, formando profissionais com grande expertise no mercado em parceria com o ICSC. Informações obtidas no site do ICSC e da Abrasce. 9 Mall são os corredores do shopping, existe o corredor principal e os corredores secundários. È um substantivo masculino edifício ou conjunto de construções que abriga lojas e outros estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, interligados por passagens e áreas comuns. Informações obtidas no dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. 10 Lojas âncoras - estabelecimento de grande porte e bem conhecido que servem como base para os centros comerciais. Inicialmente, a ancoragem deverá ser feita por áreas de lazer (ex.: salas de cinema) e pela praça de alimentação. Nas eventuais expansões, pensar em lojas de departamentos e descontos, com no máximo 1.000,00 m² cada, e um supermercado (4 Rubrica: comércio. em shopping centers, loja de grande porte, geralmente de departamentos, que serve para atrair consumidores para outros pontos de venda). Informações obtidas dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. 11 Off-price - oferecem preços mais baixos, vendem pontas de estoque(off-price (confecções de qualidade vendidas abaixo do preço normal de varejo)). Informações obtidas no dicionário babylon 6.

19 Shopping de Vizinhança - Como o nome sugere, são complexos varejistas de menor portes, projetados para fornecer conveniência na compra das necessidades do dia-a-dia dos consumidores de certa vizinhança. Têm, em geral, como âncora um supermercado, apoiado por lojas que oferecem outros artigos de conveniência, como farmácia, floricultura, sorveteria, lanchonete, padaria, e prestadores de serviços, tais como correio, banco, lavanderia, vídeo-locadora, salão de beleza etc. No Brasil, existem poucos empreendimentos desse tipo, porém acredita-se que seu potencial seja muito promissor (ex: Shopping Center Indaiatuba SP). Shopping Especializado - São shoppings que se especializaram em uma certa linha de produtos, como decoração, moda, esportes ou automotivos. No Brasil, os shopping centers de decoração e artigos do lar vêm tendo um razoável desenvolvimento Casa Shopping (RJ), Lar Center (SP), Minas Casa o Shopping do Lar (Belo Horizonte MG). Outlet Center - Consiste, em sua maior parte, em lojas de fabricantes vendendo suas próprias marcas com desconto, além de varejistas de off-price. Apesar de representar cerca de 4% da área de vendas dos shoppings, esse é um modelo que ainda vem tentando encontrar seu espaço no mercado brasileiro. Exemplos: Outlet Campinas (SP), Vale Desconto Shopping (São José dos Campos SP) e Nova América Outlet Shopping (RJ). 12 Festival Center - Está quase sempre localizado em áreas turísticas e é basicamente voltado para atividades de lazer, com restaurantes, fast food, cinemas e outras diversões. Exemplos: Bay Market Center (Niterói RJ), Estação Plaza Show (Curitiba PR), Shopping La Plage (Guarujá SP) e New York City Center (RJ). 12 Outlet Center - Qualidade e preço baixo (de acordo com a abrasce). ['autlet sentə] n loja de ponta de estoque. Informação obtida no dicionário babylon 6. O chamariz dos outlet centers tinha tudo para ser eficiente no mercado brasileiro, com consumidores cada vez mais exigentes e conscientes do real valor das mercadorias. No entanto, todas as experiências da indústria de shoppings nesse formato - que datam do início dos anos 90 - já sofreram ajustes e hoje estão muito próximas do formato tradicional, contando com mix diversificado, chegando a incluir fortes opções no segmento de lazer e entretenimento, até como os complexos de cinema. A razão porque todos estes empreendimentos tomaram outros rumos, distanciandose do conceito outlet, pode ser resumida: falta de operadores. Informações obtidas na Revista Shopping Center, agosto de 2002.

20 Classificação de Shopping Centers SHOPPING CENTERS CONCEITO TAMANHO (m²) LOJA ÂNCORA Vizinhança Conveniência +/- 3 mil a 15 mil Supermercado Comunitário Mercadorias em geral. +/- 10 mil a 35 mil. Regional Especializado / Temático Outlet Center Power Center Discount Center Festival Mall Fonte ICSC Mercadorias em geral, com cerca de 50% alugados a lojas satélites de vestuário. Especializado em um ramo como moda, decoração e material esportivo. Lojas de fábricas e offprice, preços baixos, lojas mais simples com aluguéis menores, custo de construção mais reduzido, diferenças de acabamento. Conjunto de lojas âncoras com poucas lojas satélites. Lojas que trabalham com grandes volumes de produtos a baixos preços. Restaurantes; lazer, cultura. +/- 40 mil a 80 mil. +/- 8 mil a 25 mil. Lojas de departamentos ou de descontos; supermercados e hipermercados. Lojas de departamentos completas; lojas de departamentos juniores, lojas de departamentos ou de descontos; e hipermercados. Em geral não possui loja âncora. +/- 5 mil a 40 mil. Grandes lojas de fábricas. +/- 8 mil a 25 mil +/- 8 mil a 25 mil +/- 8 mil a 25 mil Category killer; lojas de departamentos ou de descontos; clubes de compras; off-price

21 1.2 Empreendedores administradores e donos do shopping Os grupos que atuam no setor de shopping centers o fazem diretamente ou através de empresas associadas, como empreendedores ou administradores. O termo empreendedor/administrador de shopping centers é utilizado para designar os responsáveis pela operação do shopping, além da elaboração e execução do plano de marketing/promoção do empreendimento. É comum um grupo tornar-se parceiro de outro na realização de novos projetos, porque os recursos para investimentos ficaram mais escassos do que nos anos 80, entre outros motivos. Neste caso, os empreendedores, se associam e criam ou contratam uma empresa de administração, outra de locação e uma terceira de obras e serviços. Os principais grupos brasileiros são Ancar, Brascan, Grupo Multiplan, Bozano, Nacional Iguatemi e Ecisa. Entre os administradores, destacam-se aqueles ligados aos empreendedores, como Renasce (Grupo Multiplan), La Fonte, Embrascenter (Brascan), OAS-PPS, Inmonte (Pinto de Almeida) e Ecisa. EMPREENDEDORES/ ADMINISTRADORES Renasce (Grupo Multiplan) Principais Grupos de Shopping Centers UNIDADE Morumbi Shopping e Shopping Anália Franco - SP/BarraShopping e New York City Center- RJ/Park Shopping Brasília; Ribeirão Shopping - Ribeirão Preto/BHShopping e Shopping Diamond Mall MG; ParkShopping Bargüi e Barra Shopping Sul (em contrução) Curitiba. Iguatemi: São Paulo, Campinas, São Carlos, Rio, Caxias do Sul, Fortaleza e Belém; Market Place/Praias de Bela (PA) Curitiba, IESC (La Fonte/Jereissati) Shopping Curitiba; Del Rey (BH), Shopping Campo Grande. Shopping Barra BA, Minas Shopping Center MG, Shopping OAS Butantã, Ampliação Shopping Iguatemi São Paulo SP, Shopping Center Iguatemi Porto Alegre - RS Norte Shopping, Shopping Campo Grande, Shopping Villa EGEC / Ecisa Lobos, Shopping Del Rey e Shopping Recife. Nova América, Iguatemi Porto Alegre, Conjunto Nacional, Rio Ancar Design Barra, Rio Design Leblon e Pantanal Shopping. Rio Sul, Madureira Shopping, Paço do Ouvidor, Bay Market, Brascan/Embrascenter Brascan Open Mall SP e Centro Empresarial Morisco. Fonte ABRASCE atualizado em 15/02/06

MBA Executivo UFPE. Disciplina: Ambiente de Negócios. Setembro/2011 Prof. Bosco Torres SHOPPING CENTERS

MBA Executivo UFPE. Disciplina: Ambiente de Negócios. Setembro/2011 Prof. Bosco Torres SHOPPING CENTERS MBA Executivo UFPE Disciplina: Ambiente de Negócios Setembro/2011 Prof. Bosco Torres SHOPPING CENTERS Fonte: MATTAR, Fauze Najib. Administração de Varejo. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011 Prof. Bosco Torres

Leia mais

O CRESCIMENTO DOS SHOPPING CENTERS NO BRASIL

O CRESCIMENTO DOS SHOPPING CENTERS NO BRASIL O CRESCIMENTO DOS SHOPPING CENTERS NO BRASIL RESUMO Shopping Centers são empreendimentos realizados por diversos agentes, como empresas de incorporação e de construção imobiliária, grupos industriais e

Leia mais

Geonotícias SHOPPING CENTERS SUPERMERCADO: ÂNCORA OU COMPLEMENTO? VISÃO SETORIAL FLUXO CONSUMIDOR Shoppings invadem mercados inéditos PÁG.

Geonotícias SHOPPING CENTERS SUPERMERCADO: ÂNCORA OU COMPLEMENTO? VISÃO SETORIAL FLUXO CONSUMIDOR Shoppings invadem mercados inéditos PÁG. Geonotícias SHOPPING CENTERS INFORMATIVO SETORIAL DE SHOPPING CENTERS Produzido pela área de Geonegócios SUPERMERCADO: ÂNCORA OU COMPLEMENTO? PÁG. 4 VISÃO SETORIAL FLUXO CONSUMIDOR Shoppings invadem mercados

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Dezembro 2010

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Dezembro 2010 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Dezembro 2010 EMPREENDIMENTOS DE USO MISTO Profa.Dra.Eliane Monetti Prof. Dr. Sérgio Alfredo Rosa da Silva Empreendimentos de uso misto

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Trade Marketing é confundido por algumas empresas como um conjunto de ferramentas voltadas para a promoção e a comunicação dos produtos. O

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

O MERCADO E PERSPECTIVAS

O MERCADO E PERSPECTIVAS Sell Book O MERCADO E PERSPECTIVAS MERCADO E PERSPECTIVA BRASIL VAREJO FRANQUIAS PIB: projeção de 3% para 2013; Desemprego em baixa (inferior a 6% em 2013); Crescimento do consumo da classe média; Aumento

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

P R O P O S T A D E FRANQUIA

P R O P O S T A D E FRANQUIA P R O P O S T A D E FRANQUIA Conheça a Depil Out Com base na franca expansão do setor de prestação de serviços e acreditando nas perspectivas cada vez mais promissoras; após estudo minucioso de como seria

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

Acionistas e parceiros REP

Acionistas e parceiros REP Acionistas e parceiros REP Joint venture* Acionista da REP, a PDG é líder no mercado brasileiro, presente em 17 estados e mais de 100 cidades. Maior grupo das Américas no setor imobiliário em valor de

Leia mais

MonteCarmo Shopping. Uma grande oportunidade de negócio esperando por você

MonteCarmo Shopping. Uma grande oportunidade de negócio esperando por você MonteCarmo Shopping Uma grande oportunidade de negócio esperando por você Localização privilegiada, identidade com o público local, arquitetura diferenciada e exclusivo conceito lifestyle, que integra

Leia mais

Best Franchises. Feira das Melhores Franquias. 23, 24, e 25 de outubro de 2014 Shopping Iguatemi Ribeirão Preto - SP

Best Franchises. Feira das Melhores Franquias. 23, 24, e 25 de outubro de 2014 Shopping Iguatemi Ribeirão Preto - SP Best Franchises Feira das Melhores Franquias 23, 24, e 25 de outubro de 2014 Shopping Iguatemi Ribeirão Preto - SP Ribeirão Preto possui uma vocação inequívoca para o desenvolvimento do turismo de eventos.

Leia mais

Apresent n a t çã ç o o d a M ul u t l i t p i la l n Março 2009

Apresent n a t çã ç o o d a M ul u t l i t p i la l n Março 2009 Apresentação da Multiplan Março 2009 Quem Somos Shopping Centers de Qualidade Aluguel Mesmas Lojas 3T08 (R$/m² ) Liderança no Setor (R$ milhões) 3T08 +48% 244 +5% 232 111 BRMalls Multiplan Iguatemi 89

Leia mais

SHOPPING CENTERS Evolução Recente

SHOPPING CENTERS Evolução Recente ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS Data: Maio/98 N o 16 SHOPPING CENTERS Evolução Recente Este informe apresenta a evolução recente da indústria de shopping

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

Projeto Setorial de Exportação. ABF Associação Brasileira de Franchising

Projeto Setorial de Exportação. ABF Associação Brasileira de Franchising Projeto Setorial de Exportação ABF Associação Brasileira de Franchising Abril / 2013 INTRODUÇAO A ABF A Associação Brasileira de Franchising é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 1987. Hoje a ABF

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como:

Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como: TENDÊNCIAS 1. Globalização Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como: Grupo Casino Carrefour Wal-Mart C&A

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE JANEIRO DE 2014 PONTA GROSSA Este relatório, referente ao mês de Janeiro de 2014, da Pesquisa Conjuntural

Leia mais

A GP no mercado imobiliário

A GP no mercado imobiliário A GP no mercado imobiliário A experiência singular acumulada pela GP Investments em diferentes segmentos do setor imobiliário confere importante diferencial competitivo para a Companhia capturar novas

Leia mais

Quem sou eu? Marcelo Salomão Guimarães Casado a 8 anos 1 filha de 7 anos

Quem sou eu? Marcelo Salomão Guimarães Casado a 8 anos 1 filha de 7 anos Quem sou eu? Marcelo Salomão Guimarães Casado a 8 anos 1 filha de 7 anos Diretor de negócios Gigatron Franchising Diretor CTRA Centro Tecnológico da Região de Araçatuba Diretor ABRADI-isp Associação Brasileira

Leia mais

Perfil do Franqueado. Procuramos empreendedores com o seguinte perfil: Experiência em varejo ou rede de negócio.

Perfil do Franqueado. Procuramos empreendedores com o seguinte perfil: Experiência em varejo ou rede de negócio. F R A N Q U I A Benefícios do Modelo Uma das marcas mais fortes e reconhecidas do país. A marca faz parte de um conglomerado que se consolida como um dos maiores do país (Alpargatas - Grupo Camargo Corrêa).

Leia mais

O segmento de shopping centers no Brasil e o BNDES. Mario Luiz Freitas Lemos Sérgio Eduardo Silveira da Rosa

O segmento de shopping centers no Brasil e o BNDES. Mario Luiz Freitas Lemos Sérgio Eduardo Silveira da Rosa Biblioteca Digital O segmento de shopping centers no Brasil e o BNDES Mario Luiz Freitas Lemos Sérgio Eduardo Silveira da Rosa http://www.bndes.gov.br/bibliotecadigital O SEGMENTO DE SHOPPING CENTERS NO

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

erceiro município mais populoso do interior paulista e o quarto mercado consumidor do Estado, fora da região metropolitana de São Paulo.

erceiro município mais populoso do interior paulista e o quarto mercado consumidor do Estado, fora da região metropolitana de São Paulo. T erceiro município mais populoso do interior paulista e o quarto mercado consumidor do Estado, fora da região metropolitana de São Paulo. Ao longo dos últimos 12 anos, Sorocaba vem crescendo expressivamente

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

Vamos ao shopping? Crescimento dos centros de compras atrai investidores de ações e de fundos imobiliários. Ainda há muito espaço para lucrar com eles

Vamos ao shopping? Crescimento dos centros de compras atrai investidores de ações e de fundos imobiliários. Ainda há muito espaço para lucrar com eles Página 1 de 5 INVESTIDORES Nº EDIÇÃO: 815 Investimentos 24.MAI.13-21:00 Vamos ao shopping? Crescimento dos centros de compras atrai investidores de ações e de fundos imobiliários. Ainda há muito espaço

Leia mais

SHOPPING ILHA DO MEL

SHOPPING ILHA DO MEL Cenário atual O Brasil é o 5º maior país do mundo com grande crescimento no setor de Shopping Centers. Segundo pesquisa da Interscience, encomendada pela Associação Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE),

Leia mais

O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em

O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em volta. Por isso, é considerado um verdadeiro acrobata.

Leia mais

o encontro da medicina com a conveniência.

o encontro da medicina com a conveniência. o encontro da medicina com a conveniência. O Rio acaba de ganhar um novo Centro Médico, preparado para receber clínicas e consultórios de variadas especialidades. Um lugar único na Zona Sul, com diversas

Leia mais

COSMOPOLITANO SHOPPING. orgânico moderno conectado novo completo diverso dinâmico confortável

COSMOPOLITANO SHOPPING. orgânico moderno conectado novo completo diverso dinâmico confortável COSMOPOLITANO SHOPPING orgânico moderno conectado novo completo diverso dinâmico confortável Uma cidade do mundo deve abraçar o mundo. Crescer e prosperar junto com ele. Na era dos novos negócios, coragem

Leia mais

Pensou Outlet, pensou General Shopping Brasil.

Pensou Outlet, pensou General Shopping Brasil. Pensou Outlet, pensou General Shopping Brasil. O Outlet Premium avança pelo território nacional abrindo grandes oportunidades de negócios para você. Pensou Outlet, pensou General Shopping Brasil. Outlet

Leia mais

o que é franquia? Na essência, o Franchising consiste em replicar, em diversos locais ou mercados, um mesmo conceito de negócio.

o que é franquia? Na essência, o Franchising consiste em replicar, em diversos locais ou mercados, um mesmo conceito de negócio. 1 o que é franquia? Na essência, o Franchising consiste em replicar, em diversos locais ou mercados, um mesmo conceito de negócio. 2 Vários negócios se utilizam do franchising 3 evolução do franchising

Leia mais

O MARKETING COLETIVO COMO FORÇA COMPETITIVA

O MARKETING COLETIVO COMO FORÇA COMPETITIVA VAREJO Julho - 2012 O MARKETING COLETIVO COMO FORÇA COMPETITIVA Fonte imagem: Disponível em:< http://4.bp.blogspot.com/_caqa6tpillu/tjevn_ah_ei/ AAAAAAAAAAM/3dTp5VPhJ9E/s1600/69589_Papel-de-Parede-Todos-juntos_1280x800.

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA

MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA A - Empresa Com um terreno de 1.000.000 m² e 354.000 m² de área construída, o Centro Comercial Leste Aricanduva surgiu em 1991 com a inauguração do primeiro shopping center

Leia mais

A venda do conceito Outer. está acima da venda de nossos produtos. Breno Bulus - sócio e designer

A venda do conceito Outer. está acima da venda de nossos produtos. Breno Bulus - sócio e designer Tudo começou a partir do sonho de desenvolver uma marca sólida e de personalidade única no cenário carioca, com o objetivo de fornecer lazer e bem estar. E foi com essa ideia na cabeça que em 2004 foi

Leia mais

Sete Lagoas se prepara para receber

Sete Lagoas se prepara para receber Sete Lagoas se prepara para receber um moderno centro de compras, conveniência e lazer. O Lagoa Shopping é um empreendimento que irá marcar a história da região. Certeza de inovação e modernidade. O Lagoa

Leia mais

Relatório do Administrador Anual Fundo de Investimento Imobiliário Polo Shopping Indaiatuba (CNPJ no. 14.721.889/0001-00)

Relatório do Administrador Anual Fundo de Investimento Imobiliário Polo Shopping Indaiatuba (CNPJ no. 14.721.889/0001-00) Relatório do Administrador Anual Fundo de Investimento Imobiliário Polo Shopping Indaiatuba (CNPJ no. 14.721.889/0001-00) Ref.: Exercício de 2013 Em conformidade com o Artigo n. 39 da Instrução CVM n.

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

SAP Customer Success Story Alimentício Jerivá. SAP Business One amplia controle da Jerivá sobre suas diferentes áreas de atuação

SAP Customer Success Story Alimentício Jerivá. SAP Business One amplia controle da Jerivá sobre suas diferentes áreas de atuação SAP Business One amplia controle da Jerivá sobre suas diferentes áreas de atuação Geral Executiva Nome da Jerivá Indústria Alimentício Produtos e Serviços Produção, industrialização e comercialização de

Leia mais

ConstruBusiness - Rumo a 2022

ConstruBusiness - Rumo a 2022 ConstruBusiness - Rumo a 2022 EXPRESS ANO 1/12 Nº44 DEZ/12 CONSTRUBUSINESS 2012 10º CONGRESSO BRASILEIRO DA CONSTRUÇÃO Em sua 10ª edição, o Construbusiness elaborou o programa Compete Brasil, com soluções

Leia mais

FRANCHISING JAIR PASQUALI

FRANCHISING JAIR PASQUALI FRANCHISING JAIR PASQUALI jair.pasquali@marisolsa.com PARTICIPAÇÃO DOS SEGMENTOS DE VAREJO RECEITA TOTAL DO COMÉRCIO VAREJISTA E DE VEÍCULOS Produtos farmacêuticos 5,7% Tecidos e artigos do vestuário 7,5%

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

Apresentação ao Shopping

Apresentação ao Shopping Apresentação ao Shopping O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua rede de franquias Você Sabia? Há trinta anos os Estados Unidos adotaram um modelo inovador

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários de qualidade.

VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários de qualidade. MISSÃO Oferecer serviços imobiliários de qualidade, gerando valor para os clientes, colaboradores, sociedade e acionistas. VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários

Leia mais

Profissionais Portugueses no Brasil. Empresas Familiares

Profissionais Portugueses no Brasil. Empresas Familiares Profissionais Portugueses no Brasil Empresas Familiares Tópicos Abordados As Gerações e o Mercado de Trabalho Empresas Familiares no Brasil Cenário Brasileiro e Estatísticas de Emprego no Brasil Características

Leia mais

Nome da área, ex.: Departamento Comercial. Assunto da apresentação MZM Store

Nome da área, ex.: Departamento Comercial. Assunto da apresentação MZM Store Nome da área, ex.: Departamento Comercial Assunto da apresentação MZM Store Morena Rosa Group: Uma das Empresas Líderes no Setor de Moda Feminina MORENA ROSA Group Principais números do Morena Rosa Group

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

Gostaria agora de passar a palavra ao Sr. Isaac Peres, Presidente, que iniciará a apresentação. Por favor, Sr. Peres, pode prosseguir.

Gostaria agora de passar a palavra ao Sr. Isaac Peres, Presidente, que iniciará a apresentação. Por favor, Sr. Peres, pode prosseguir. Operadora: Bom dia, senhoras e senhores. Sejam bem-vindos à teleconferência dos resultados referentes ao 2T08 da Multiplan. Estão presentes conosco o Sr. José Isaac Peres, Presidente; Sr. Armando d Almeida

Leia mais

MÍDIA ESPECIALIZADA, DIVULGAÇÃO ACERTADA!

MÍDIA ESPECIALIZADA, DIVULGAÇÃO ACERTADA! MÍDIA ESPECIALIZADA, DIVULGAÇÃO ACERTADA! A HG Casa é uma revista profi ssional e dirigida ao mercado de artigos para casa com ênfase nos segmentos de Eletrodomésticos, Iluminação, Movelaria, Decoração,

Leia mais

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0

Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 Em plena expansão no País, a indústria de Shopping Centers do Brasil fechou o ano de 2012 com um faturamento de R$ 119,5 bilhões, antes os R$ 108,0 bilhões de 2011, um aumento de 10,6% no período, segundo

Leia mais

Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios. Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia

Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios. Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia Filomena Garcia Sócia-Diretora do Grupo Cherto: Comercial, Expansão de Franquias e Rede de Negócios

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

Para saber mais sobre o Treinamento MAKEITWORK escreva para treinamento@makeitwork.com.br

Para saber mais sobre o Treinamento MAKEITWORK escreva para treinamento@makeitwork.com.br A empresa está totalmente estruturada, com equipe especializada, serviços completos e escritório montado, podendo atender em qualquer lugar do Brasil. Os serviços prestados são especialmente focados para

Leia mais

CONCESSÃO TN BRASIL REDE TN BRASIL

CONCESSÃO TN BRASIL REDE TN BRASIL CONCESSÃO TN BRASIL Conheça a nova revolução digital, e saiba como a Rede TN Brasil pode ser o melhor investimento e garantia da maior lucratividade segura e sustentável no menor tempo. REDE TN BRASIL

Leia mais

YES Aluguel de Carros

YES Aluguel de Carros YES Aluguel de Carros O mercado brasileiro de aluguel de carros Frota do Setor Em unidades Fonte: Anuário ABLA 2012 Idade média da frota Em meses Fonte: Anuário ABLA 2012 Composição da frota por modelo

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL Ivo Szterling, Arquiteto Urbanista Diretor de Urbanismo da Cipasa Desenvolvimento

Leia mais

Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas

Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas FAQ (frequently asked questions) Perguntas e Respostas 1 Quando surgiu a UNS? A UNS Idiomas iniciou suas atividades na cidade de São Paulo, onde está localizada

Leia mais

Indústria do Esporte. Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual

Indústria do Esporte. Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual Indústria do Esporte Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual Abril 2011 Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual A BDO RCS, por meio de sua área

Leia mais

Juiz de Fora a cidade certa para se fazer negócio. É a quarta cidade mais populosa e a terceira com maior potencial de consumo de Minas Gerais.

Juiz de Fora a cidade certa para se fazer negócio. É a quarta cidade mais populosa e a terceira com maior potencial de consumo de Minas Gerais. Expansao Juiz de Fora a cidade certa para se fazer negócio. É a quarta cidade mais populosa e a terceira com maior potencial de consumo de Minas Gerais. Juiz de Fora em numeros 1-Fonte: IBGE, 2-Fonte:

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE SUMÁRIO QUEM SOMOS 02 PREMIAÇÕES 03 ONDE ESTAMOS 04 O MODELO QUIOSQUE 06 NOSSO NEGÓCIO 07 MULTIMARCAS 07 MULTISERVIÇOS 08 PERFIL DO FRANQUEADO 09 VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE

Leia mais

CONCEITO. O conceito BI Soluções PME foi inspirado em três premissas:

CONCEITO. O conceito BI Soluções PME foi inspirado em três premissas: Parceria com: CONCEITO O conceito BI Soluções PME foi inspirado em três premissas: Reunir empresários de um mesmo setor afim de cooperar esforços para atingir resultados maiores e melhores com mais economia.

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Criamos o que as pessoas amam antes que elas saibam o que querem Hoje nossos franqueados

Leia mais

VISIBILIDADE, UMA MARCA INDISPENSÁVEL NO TRIO MALL.

VISIBILIDADE, UMA MARCA INDISPENSÁVEL NO TRIO MALL. VISIBILIDADE, UMA MARCA INDISPENSÁVEL NO TRIO MALL. Trio Ribeirão é um complexo multiuso que combina o conforto de uma torre residencial, a dinâmica de uma torre de escritórios e a conveniência de um centro

Leia mais

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

UM NOVO CONCEITO. UMA NOVA ARQUITETURA. UM NOVO DESIGN. UM NOVO ESPAÇO. BEM-VINDO AO NOVO... SHOPPING VALINHOS.

UM NOVO CONCEITO. UMA NOVA ARQUITETURA. UM NOVO DESIGN. UM NOVO ESPAÇO. BEM-VINDO AO NOVO... SHOPPING VALINHOS. UM NOVO CONCEITO. UMA NOVA ARQUITETURA. UM NOVO DESIGN. UM NOVO ESPAÇO. BEM-VINDO AO NOVO... SHOPPING VALINHOS. Imagem meramente ilustrativa, sujeito a alterações. NOVA GALERIA DE ACESSO - primeiro piso

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO /RJ. CÂMARA DOS DEPUTADOS Deputado Federal AUREO SD/RJ COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO PROJETO DE LEI N o 4.447, DE 2012 Dispõe acrescenta novo 2º ao art. 17 da Lei nº 8.245,

Leia mais

SETOR de shopping center no Brasil: UMA VISÃO DO MERCADO

SETOR de shopping center no Brasil: UMA VISÃO DO MERCADO Informativo setorial de shopping centers Nº01 maio 2011 NÚMERO DE SHOPPINGS, 2 Descubra a distribuição dos shoppings por área bruta comercial. FLUXO DE CLIENTES, 6 Entenda o fluxo médio diário e a densidade

Leia mais

SETOR de shopping center no Brasil:

SETOR de shopping center no Brasil: Informativo setorial de shopping centers Nº01 maio 2011 número de Shoppings, 2 Descubra a distribuição dos shoppings por área bruta comercial. Fluxo de Clientes, 6 Entenda o fluxo médio diário e a densidade

Leia mais

A CENTRALIDADE CRIADA PELO COMÉRCIO ATACADISTA DE CIANORTE - MUDANÇAS NO PERÍODO 2011/2013

A CENTRALIDADE CRIADA PELO COMÉRCIO ATACADISTA DE CIANORTE - MUDANÇAS NO PERÍODO 2011/2013 1 A CENTRALIDADE CRIADA PELO COMÉRCIO ATACADISTA DE CIANORTE - MUDANÇAS NO PERÍODO 2011/2013 INTRODUÇÃO Karina Biasi Pina Acadêmica - Geografia - UNESPAR/Fafipa karinabiasi@hotmail.com Gilmar Aparecido

Leia mais

MÍDIA KIT C O M U N I C A Ç Ã O I N T E G R A D A CONTEÚDOS INTEGRADOS EM TODOS OS CANAIS DE COMUNICAÇÃO: Redes Sociais

MÍDIA KIT C O M U N I C A Ç Ã O I N T E G R A D A CONTEÚDOS INTEGRADOS EM TODOS OS CANAIS DE COMUNICAÇÃO: Redes Sociais C O M U N I C A Ç Ã O I N T E G R A D A MÍDIA KIT 2015 CONTEÚDOS INTEGRADOS EM TODOS OS CANAIS DE COMUNICAÇÃO: Impresso Web Tablets Smartphones Apps Parceiros Estratégicos Portal da ABF Mailing Exclusivo

Leia mais

Cursos de Gestão Tecnológica Disciplina: Teoria das Organizações

Cursos de Gestão Tecnológica Disciplina: Teoria das Organizações Função Organização Aspectos Administrativos Objetivos Dividir o trabalho Designar as atividades e especialização Administração Desempenho Organizacional Planejar Agrupar as Organizar atividades em órgãos

Leia mais

MIZUNO, TOPPER, RAINHA, HAVAIANAS, TIMBERLAND, DUPÉ E SETE LÉGUAS.

MIZUNO, TOPPER, RAINHA, HAVAIANAS, TIMBERLAND, DUPÉ E SETE LÉGUAS. SOBRE A ALPARGATAS Quem nunca usou um Bamba? Ou uma calça US Top, um tênis Rainha, uma sandália Havaianas, ou jogou com uma bola Topper? A Alpargatas e suas marcas estiveram e estarão sempre presentes

Leia mais

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce...

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce... Sumário Bleez Agência Digital... 3 Quem sou eu... 4 Introdução... 5 Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7 Quem está comprando no ecommerce... 10 Por que os brasileiros estão comprando mais... 12 O

Leia mais

CONHEÇA A NOSSA EMPRESA >>

CONHEÇA A NOSSA EMPRESA >> CONHEÇA A NOSSA EMPRESA >> Para se candidatar a Vaga de Promotor(a) iremos dividir por etapas a apresentação e o treinamento: Primeira Etapa: 1. Apresentação da Empresa e seus Canais de Vendas 2. Apresentação

Leia mais

FRANQUIAS/ABF GUIA OFICIAL. www.guiaoficialdefranquiasabf.com.br. Circulação de junho/16 a maio/17

FRANQUIAS/ABF GUIA OFICIAL. www.guiaoficialdefranquiasabf.com.br. Circulação de junho/16 a maio/17 www.guiaoficialdefranquiasabf.com.br 2016 Sua comunicação em todos os canais: IMPRESSO WEB SMARTPHONES TABLETS APP Circulação de junho/16 a maio/17 PRODUÇÃO C O M U N I C A Ç Ã O I N T E G R A D A Chancelado

Leia mais

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix)

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Dentro do processo de administração de marketing foi enfatizado como os profissionais dessa área identificam e definem os mercados alvo e planejam as estratégias

Leia mais

No Coração da Freguesia

No Coração da Freguesia No Coração da Freguesia Um conceito de shopping que oferece perfeita harmonia, estilo, conforto e variedade. Pioneiro na região de Jacarepaguá O RioShopping é o primeiro empreendimento comercial de grande

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

Um Mercado Promissor. Vice - liderança. Franquias em Alta. Alto Consumo de Produtos

Um Mercado Promissor. Vice - liderança. Franquias em Alta. Alto Consumo de Produtos Um Mercado Promissor Alto Consumo de Produtos Atualmente o Brasil já ocupa a 3ª. posição no ranking Mundial em consumo de produtos de beleza. Vice - liderança Neste ritmo o Brasil deverá alcançar a viceliderança

Leia mais

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos Terceirização de Processos Empresariais da Capgemini Um componente da área de Serviços Públicos da Capgemini As concessionárias de serviços

Leia mais

SPRINGS GLOBAL INVESTOR DAY 12 de novembro de 2014

SPRINGS GLOBAL INVESTOR DAY 12 de novembro de 2014 SPRINGS GLOBAL INVESTOR DAY 12 de novembro de 2014 1 DISCLAIMER Esta apresentação pode incluir declarações que representam expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação

Leia mais

uvaeverde.com.br Apresentação ao Shopping

uvaeverde.com.br Apresentação ao Shopping Apresentação ao Shopping Retorno do investimento garantido em contrato ou a devolução da verba inicial investida* Cláusula vigésima: do retorno do investimento inicial 20.1 A Franqueadora se compromete

Leia mais

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade I MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino O que é varejo Setor do comércio que vende diretamente para os consumidores finais. Fabricantes e atacadistas quando vendem para o consumidor

Leia mais

CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO

CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO EMPREENDIMENTOS DE PEQUENO PORTE 01 APRESENTAÇÃO MELNICK EVEN DA EMPRESA APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Melnick Even, com 20 anos de atuação no mercado gaúcho

Leia mais

Módulo 12 Segmentando mercados

Módulo 12 Segmentando mercados Módulo 12 Segmentando mercados Há alguns anos que os profissionais de marketing perceberam que não se pode atender todo o mercado com um único composto de produto. Nem todos os consumidores querem um carro

Leia mais

Informações Financeiras. Sistema de Franquias

Informações Financeiras. Sistema de Franquias Informações Financeiras Sistema de Franquias Sistema de Franquias Somos uma loja que nasceu em Porto Alegre, somos especialista em moda masculina, e, em satisfazer e encantar os clientes. Com nosso sistema

Leia mais

Questionário de entrevista com o Franqueador

Questionário de entrevista com o Franqueador Questionário de entrevista com o Franqueador O objetivo deste questionário é ajudar o empreendedor a elucidar questões sobre o Franqueador, seus planos de crescimento e as diretrizes para uma parceria

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical O ENQUADRAMENTO SINDICAL DE EMPRESAS FRANQUEADORAS. Lidiane Duarte Nogueira Advogada

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical O ENQUADRAMENTO SINDICAL DE EMPRESAS FRANQUEADORAS. Lidiane Duarte Nogueira Advogada TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical O ENQUADRAMENTO SINDICAL DE EMPRESAS FRANQUEADORAS Lidiane Duarte Nogueira Advogada O presente estudo trata do enquadramento sindical de empresas franqueadoras. À luz

Leia mais