Inteligência Comercial. Perfil País. Uzbequistão

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inteligência Comercial. Perfil País. Uzbequistão"

Transcrição

1 Perfil País Uzbequistão Elaborado pela: Unidade de - Apex-Brasil Tel: Fax:

2 Uzbequistão Indicadores Econômicos Crescimento do PIB (%) 5,72% PIB ( US$ - Bilhões ) 12,47 PIB PPP (Moeda Local - Bilhões) 45,83 Taxa de Inflação (%) 15,88% FBCF*/PIB 21,11% IDE**/PIB 0,88% Grau de aberturaa do país 54,47% IMP/PIB 27,29% População (Mil hab) Taxa de desemprego (%)*** PIB PPP - share 0,09% Índice de complementaridade 53% Fonte: Euromonitorr e GTIS - Elaboração UIC APEX-Brasil * FBCF: Formação bruta de capital fixo **IDE: Investimento direto estrangeiro, dados somente de 2006 *** Taxa de Desemprego: Não disponível Comércio (US$ milhões) Exportações Totais Importações Totais Importações brasileiras do país Exportações brasileiras para o país Var. das Importações Totais (07/06) % Var. das Exportações Totais (07/06) % Var. das Importações brasileiras (07/06) % Var. das Exportações brasileiras (07/06) % ,36 7, ,61 5,25 Fonte: GTIS e Aliceweb. Elaboração UIC APEX-Brasil média ,50% 20,21 58,14 12,30% 20,23% 0,96% 77,61% 19,02% ,09% 54% ,26 6,75 57,82% 22,95% 107,73% 28,75% Indicadores Econômicos: - PIB (produto interno bruto): é a soma dos valores de toda renda e produção interna de um país, incluindo os impostos em determinado período. - PIB PPP (PIB paridade de poder de compra): mede a paridade de poder de compra de uma certa população em relação aos bens e serviços de modo que possibilita a comparação em diferentes países. - FBCF: representa o aumento da capacidade produtiva futura de uma economia por meio de investimentos correntes em bens duradouros adquiridos pelas unidades produtivas com a finalidade de serem utilizados por um período superior a um ano, no processo produtivo.(ex: Máquinas). - Grau de abertura do país: é calculado a partir da corrente do comércio sobre o PIB. - PIB PPP share: PIB do país em relação ao PIB mundial. O Uzbequistão é uma das áreas mais pobres da antiga União Soviética com mais de 60% da sua população vivendo abaixo da linha da pobreza nas comunidades rurais. Poucas oportunidades de emprego e os baixos salários são razões pela quais a pobreza se perpetua em mais de um quarto da população. 2

3 As taxas de crescimento foram modestas durante os primeiros anos desta década, mas tem melhorado nos últimos tempos. A pobreza diminuiu, mas apenas ligeiramente, de 27,5% em 2001 para 25,7% em O crescimento agrícola será um dos principais determinantes da qualidade de vida no futuro, pois o crescimento em 2007 foi de pouco mais de 6%. O principal produto cultivado naquele país é o algodão, sendo considerado pela Central de Inteligência dos EUA como o segundo maior exportador de algodão do mundo. O desempenho industrial registrou um crescimento de mais de 12% em O setor de serviços cresceu mais de 25% em O crescimento é impulsionado pelo aumento de receitas provenientes do transporte de gás, os grandes investimentos russos em comunicações e grandes investimentos construção. A mineração é um importante setor, especialmente nas exportações de ouro, que representa cerca de um quinto das divisas. Investimentos em mineração têm sido significativo nos últimos anos. O país também tem importantes jazidas de cobre, tungstênio, zinco, chumbo e urânio. A modernização de várias grandes minas (principalmente com o investimento público) está prevista para o período Principais Países Fornecedores ,3% 14,4% 12,6% 12,3% 14,3% 3,7% 5,7% 5,9% 1,3% 1,5% Rússia Ucrânia Cazaquistão China Coréia do Sul Turquia EUA Romênia Alemanha Outros Fonte: GTIS Elaboração: UIC Apex-Brasil O Brasil ocupa a 33ª posição entre os mercados fornecedores para o Uzbequistão, tendo exportado US$ 6,7 milhões para o país em 2007, crescimento de 29% nas exportações em relação ao montante exportado no ano anterior 1. Matriz de Atratividade A Matriz de Atratividade tem o objetivo de comparar o desempenho dos produtos mais exportados pelo Brasil no mercado-alvo (agrupados em setores), ou seja, produtos exportados pelo Brasil com market share igual ou superior a 1%, além de apresentarem exportações constantes ao longo do período analisado. Os produtos analisados também estão entre os 75% de 1 Para obtenção dos dados de importação do Cazaquistão utilizou-se a base de dados do Global Trade Information Service (GTIS). Os valores das importações foram extraídos do cruzamento das informações de exportações dos demais países. 3

4 /2008 produtos mais exportados para o mercado, e com alta contribuição para o crescimento da importação do mercado-alvo ou exportação brasileira. Ao visualizar o gráfico, é possível identificar icar as melhores oportunidades no quadrante superior direito, em que se encontram os grupos de produtos mais exportados pelo Brasil pelo cruzamento do crescimento médio anual das exportações brasileiras ao mercado alvo com o crescimento médio anual das importações pelo mercado alvo dos concorrentes do Brasil. A construção da matriz de atratividade seguiu as seguintes padronizações: 1. Bolhas: representam grupos de produtos criados de acordo com os SH6 mais exportados e contínuos pelo Brasil, segundo a classificação do MDIC/Secex - setores. 2. Tamanho de cada bolha: representa o total importado em US$ pelo mercado-alvoalvo daquele grupo de produtos no ano de Portanto, quanto maior a bolha, maior o volume importado pelo mercado-alvo de todos os países, inclusive do Brasil; 3. Eixo X: representa a média do crescimento das exportações dos grupos de produtos brasileiros para o mercado-alvo entre 2004 e 2007; 4. Eixo Y: representa a média do crescimento das importações totais do mercado-alvo dos concorrentes do Brasil dos grupos de produtos 2004 e 2007; 5. Valor de referência: facilita a visualização de quanto representa o tamanho da bolha em US$; 6. No quadro indicativo (se houver) estão os setores que apresentaram algum crescimento maior que a representação do gráfico valor no eixo X, valor no eixo Y, e valor importado pelo país no ano de O valor de porcentagem entre os parênteses indica a participação das exportações brasileiras no mercado-alvo, no ano de % Crescimento médio das importações pelo mercado-alvo dos concorrentes do Brasil 2004/ % 60% 40% 20% 0% -20% -40% 0% 20% Matriz de atratividade para setores - Produtos Mais Exportados Mercado-alvo: Uzbequistão Valor de Referência = US$ 3 milhões Fumo e cigarros (38%) 40% 60% 80% Preparações de carnes e peixes (68%) Carne bovina (100%) 100% Fonte: GTIS. Elaboração: UIC APEX-Brasil Crescimento médio das exportações brasileiras do setor para o mercado-alvo 2004/2007 Copyright 2007 ApexBrasil 4

5 A matriz de atratividade indica que entree os segmentos selecionados, Carne Bovina apresentou a maiores taxa de crescimento anual das exportações brasileiras entre 2004 e Já a maior taxa de crescimento médio das importações pelo Uzbequistão dos concorrentes do Brasil ficou com o setor de Fumo e Cigarros. Em 2007, o Brasil exportou cerca de US$ 6,7 milhões para o mercado-alvo, crescimento de 29% quando comparado com o ano anterior. Quando analisado pela taxa de crescimento médio anual, de 2004 a 2007, as exportações brasileiras não registram crescimento. No entanto, a Matriz acima considera somente os produtos mais exportados pelo Brasil ao país analisado. Dessa maneira, o grupo dos produtos mais exportados representaram 87,8% de toda pauta, ou seja, os valores exportados somaram mais de US$ 5,9 milhões, em O produto mais exportado, em 2007, foi o SH (Fumo não manufaturado, total ou parcialmente destalado) com representação de 44,9% e o menor valor registrado foi para Outras miudezas comestíveis de bovino, congelados (SH ) participando com 0,65%. Abaixo segue a lista dos SH mais exportados pelo Brasil para o Uzbequistão. Setor FUMO E CIGARROS FUMO E CIGARROS PREPARAÇÕES DE CARNES, PEIXES E CRUSTÁCEOS CARNE BOVINA CARNE BOVINA SH Descrição Fumo não manufaturado, total ou parcialmentee destalado Desperdícios de fumo Enchidos e produtos semelhantes de carne, miudezas ou sangue; preparações alimentícias à base de tais produtos Línguas de bovino, congeladas Outras miudezas comestíveis de bovino, congeladas Essas informações são complementadas com as tabelas das páginas seguintes, que se utilizam de informações como continuidade (produtos exportados) ou descontinuidade (produtos não exportados), participação do Brasil e dos concorrentes no mercado- para a elaboração dos grupos alvo e IVCR - Índice de Vantagens Comparativas Reveladas 2, entre outras. Além dos SH utilizados dos setores analisados, localizados ao final do Perfil País. 2 A Vantagem Comparativa Revelada (VCR) mede a participação de um produto nas exportações do país em relação à participação do mesmo produto no comércio mundial. Um índice VCR menor que uma unidade indica uma desvantagem comparativa revelada do país num determinado produto, enquanto um valor acima de um mostra uma vantagem comparativa revelada no produto. 5

6 23/01/2009 FONTE GTIS/ Elaboração UIC/Apex-Brasil Complexo Setor Valor importado pelo mercado em 2007 (US$) Outros Fumo e cigarros Preparações de carnes e peixes Carne bovina PRODUTOS EXPORTADOS Participação brasileira nas importações do mercado em 2007 Principal concorrente Participação do principal concorrente nas importações do mercado em 2007 Crescimento médio das exportações brasileiras para o mercado ( ) Crescimento médio das exportações dos concorrentes paraa o mercado ( ) 38,0% Alemanha 54,2% 46,1% 77,1% 67,8% Canadá 28,5% 94,1% -27,4% 100,0% sem concorrente 0,0% 102,0% 0,0% VCR do Brasil (média ) VCR do principal concorrente (média ) Comentário sobre o Potencial do setor no mercado-alvo 27,48 0,42 CONSOLIDADO 2,50 0,40 CONSOLIDADO 7,87 0,00 CONSOLIDADO FONTE GTIS/ Elaboração UIC/Apex-Brasil Complexo Máquinas e Equipamentos Moda Moda Moda Máquinas e Equipamentos Tecnologia e Saúde Máquinas e Equipamentos PRODUTOS NÃO-EXPORTADOS OPORTUNIDADES Setor Borracha e suas obras Café Calçados e suas partes Cereais em grão esmagados Chá, mate e especiarias Colas e enzimas Demais carnes Madeiras e cortiças Metais não ferrosos Móveis Papel e Celulose Peles e couros Petróleo Produtos metalúrgicos Produtos químicos Sucos Veículos automotores e partes VCR do Crescimento médio Crescimento médio Importações totais Brasil das importações das importações pelo mercado em (média totais do mundo totais do mercado 2007 (US$) 2007) ( ) ( ) Dinamismo Comentário ,20 13,23% 21,55% Muito dinâmico Oportunidade ,98 21,26% 48,16% Muito dinâmico Oportunidade ,43 8,39% 31,28% Muito dinâmico Oportunidade ,33 8,91% 62,62% Muito dinâmico Oportunidade ,13 3,61% 14,08% Dinâmico Oportunidade ,10 8,30% 43,15% Muito dinâmico Oportunidade ,09 5,06% 88,34% Muito dinâmico Oportunidade ,48 3,68% 52,61% Muito dinâmico Oportunidade ,13 23,20% 39,27% Muito dinâmico Oportunidade ,67 10,12% 33,51% Muito dinâmico Oportunidade ,77 6,11% 31,26% Muito dinâmico Oportunidade ,25 7,70% 59,32% Muito dinâmico Oportunidade ,77 21,04% 76,80% Muito dinâmico Oportunidade ,55 14,16% 48,97% Muito dinâmico Oportunidade ,82 10,90% 24,86% Dinâmico Oportunidade ,66 15,79% 52,29% Muito dinâmico Oportunidade ,98 9,72% 33,20% Muito dinâmico Oportunidade 6

Perfil País. Cazaquistão

Perfil País. Cazaquistão Perfil País Cazaquistão Elaborado pela: Unidade de - ic@apexbrasil.com.br Apex-Brasil Tel: +55 613426.0202 Fax: +55 613426.0332 www.apexbrasil.com.br 1 Cazaquistão Indicadores Econômicos Crescimento do

Leia mais

Perfil País. Moçambique

Perfil País. Moçambique Perfil País Moçambique Elaborado pela: Unidade de - ic@apexbrasil.com.br Apex-Brasil Tel: +55 613426.0202 Fax: +55 613426.0332 www.apexbrasil.com.br 1 Moçambique Indicadores Econômicos Crescimento do PIB

Leia mais

Perfil País. Azerbaijão

Perfil País. Azerbaijão Perfil País Azerbaijão Elaborado pela: Unidade de - ic@apexbrasil.com.br Apex-Brasil Tel: +55 613426.0202 Fax: +55 613426.0332 www.apexbrasil.com.br 1 Azerbaijão Indicadores Econômicos Crescimento do PIB

Leia mais

Unidade de Inteligência Comercial Apex-Brasil Tel: Fax:

Unidade de Inteligência Comercial Apex-Brasil Tel: Fax: P E R F I L P A Í S A L E M A N H A Unidade de Inteligência Comercial Apex-Brasil Tel: +55 61 3426.0202 Fax: +55 61 3426.0263 www.apexbrasil.com.br ALEMANHA Indicadores Econômicos média 2002-2007 2008

Leia mais

ISRAEL. Comércio Exterior

ISRAEL. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ISRAEL Comércio Exterior Abril de 2016 Principais indicadores socioeconômicos

Leia mais

LÍBANO Comércio Exterior

LÍBANO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LÍBANO Comércio Exterior Junho de 2014 Índice. Dados Básicos. Principais

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Abril 2016

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Abril 2016 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Abril 2016 As exportações do Estado do Paraná, em abril de 2016, foram de US$ 1,499 bilhão. As principais contribuições foram de produtos alimentares (complexo

Leia mais

SUÉCIA Comércio Exterior

SUÉCIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SUÉCIA Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

ESTADOS UNIDOS Comércio Exterior

ESTADOS UNIDOS Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ESTADOS UNIDOS Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

Relações Comerciais Brasil-Alemanha

Relações Comerciais Brasil-Alemanha Relações Comerciais Brasil-Alemanha Balança Comercial Brasil Alemanha / 2002 Mar 2015 (em mil US$ - FOB) Ano Exportação Importação Saldo Volume de Comércio 2002 2.539.954 4.418.971-1.879.016 6.958.926

Leia mais

PARAGUAI Comércio Exterior

PARAGUAI Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PARAGUAI Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

GUIANA Comércio Exterior

GUIANA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC GUIANA Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

PERU. Comércio Exterior

PERU. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PERU Comércio Exterior Março de 2016 Principais indicadores socioeconômicos

Leia mais

Vale do Aço. Fevereiro/2016

Vale do Aço. Fevereiro/2016 Fevereiro/2016 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

URUGUAI Comércio Exterior

URUGUAI Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC URUGUAI Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

MÉXICO. Comércio Exterior

MÉXICO. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC MÉXICO Comércio Exterior Março de 2016 Principais indicadores socioeconômicos

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

PERFIL REGIONAL DA CHINA. Oportunidades de negócio por Região

PERFIL REGIONAL DA CHINA. Oportunidades de negócio por Região 1 PERFIL REGIONAL DA CHINA Oportunidades de negócio por Região Elaborado pela: Unidade de Inteligência Comercial - ic@apexbrasil.com.br Apex-Brasil Tel: +55 61 3426.0202 Fax: +55 61 3426.0263 www.apexbrasil.com.br.

Leia mais

COLÔMBIA. Comércio Exterior

COLÔMBIA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COLÔMBIA Comércio Exterior Janeiro de 2016 Principais indicadores

Leia mais

GUINÉ-BISSAU Comércio Exterior

GUINÉ-BISSAU Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC GUINÉ-BISSAU Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Comércio Internacional

Comércio Internacional Aula 1 Introdução Comércio Internacional Sílvia H. G. de Miranda Profa. Depto. Economia - ESALQ/USP Pesquisadora CEPEA Contato: shgdmira@usp.br LES596 Economia Internacional Agosto/2015 1 Roteiro de aula

Leia mais

MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE

MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE Focos estratégicos Diversificação e agregação de valor: incentivar a diversificação de mercados e a agregação de valor à pauta exportadora catarinense

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Agosto/2017

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Agosto/2017 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Agosto/2017 I Resultados do mês (comparativo Agosto/2017 Agosto/2016)

Leia mais

URUGUAI. Comércio Exterior

URUGUAI. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC URUGUAI Comércio Exterior Janeiro de 2016 Principais indicadores

Leia mais

CUBA Estudo de Oportunidades

CUBA Estudo de Oportunidades CUBA Estudo de Oportunidades Camila Meyer Unidade de Inteligência Comercial CUBA: Características mais importantes destacadas no estudo Pontos Favoráveis Crescimento do PIB de 7,3% (2007) Mudanças graduais

Leia mais

SUÍÇA Comércio Exterior

SUÍÇA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SUÍÇA Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

ASSESSORIA ECONÔMICA. Edição nº 07 /2017.

ASSESSORIA ECONÔMICA. Edição nº 07 /2017. TOTAL DAS EXPORTAÇÕES DA BAHIA EM JULHO: No mês de julho de 2017, as exportações da Bahia totalizaram o valor de US$ 684,7 milhões, sendo US$ 329,8 milhões oriundas do agronegócio, representando 48,1%,

Leia mais

Comércio Exterior INDONÉSIA

Comércio Exterior INDONÉSIA Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC INDONÉSIA Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

ALEMANHA Comércio Exterior

ALEMANHA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ALEMANHA Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 2016

Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 2016 US$ bilhão v. 12, n. 1, janeiro 17 Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 16 Em 16, as exportações 1 do Estado de São Paulo somaram US$46,21 bilhões (24,9% do total nacional),

Leia mais

ARGENTINA. Comércio Exterior

ARGENTINA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Janeiro de 2016 Principais Indicadores

Leia mais

FRANÇA Comércio Exterior

FRANÇA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC FRANÇA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

BOLÍVIA. Comércio Exterior

BOLÍVIA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BOLÍVIA Comércio Exterior Janeiro de 2016 Principais Indicadores

Leia mais

LUIZ AUGUSTO ROCHA Coordenação de Inteligência Comercial

LUIZ AUGUSTO ROCHA Coordenação de Inteligência Comercial LUIZ AUGUSTO ROCHA Coordenação de Inteligência Comercial AGENDA o Panorama Macroeconômico do México o Exportações Brasileiras para o México o Exportações Paranaenses para o México o Oportunidades para

Leia mais

Geografia. O Comércio Exterior do Brasil. Professor Luciano Teixeira.

Geografia. O Comércio Exterior do Brasil. Professor Luciano Teixeira. Geografia O Comércio Exterior do Brasil Professor Luciano Teixeira www.acasadoconcurseiro.com.br Geografia O BRASIL NO COMÉRCIO EXTERIOR O comércio exterior é a troca de bens e serviços realizada entre

Leia mais

ESPANHA Comércio Exterior

ESPANHA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ESPANHA Comércio Exterior Maio de 2014 Índice. Dados Básicos. Principais

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2016 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações O principal destaque negativo ficou por conta do impacto contracionista

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO São Paulo, 20 de março de 2016 Fevereiro 2016 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO Em fevereiro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 23,7 bilhões,

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS. BRASIL x CHINA

SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS. BRASIL x CHINA Ministério das Relações Exteriores MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos DPR Divisão de Inteligência Comercial DIC SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS BRASIL x CHINA

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de maio de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Florestais apresentou um crescimento de 54,2%, totalizando US$ 68 milhões.

Florestais apresentou um crescimento de 54,2%, totalizando US$ 68 milhões. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio exterior do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2017. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Leia mais

ANGOLA Comércio Exterior

ANGOLA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ANGOLA Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG Vale do Rio Grande Julho/2016 Objetivo Prover informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria no Estado de Minas Gerais e nas Regionais

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL

BALANÇA COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL BALANÇA COMERCIAL Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior Indicadores Sócioeconômicos dos Países do Mercosul 2010 BRASIL ARGENTINA PARAGUAI URUGUAI PIB (US$ bi) 2.090,3 370,3 18,5 40,3

Leia mais

Participação de importados na economia brasileira segue em crescimento

Participação de importados na economia brasileira segue em crescimento COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 2 Número 4 outubro/dezembro de 2012 www.cni.org.br Participação de importados na economia brasileira segue em crescimento

Leia mais

ESTADOS UNIDOS. Comércio Exterior

ESTADOS UNIDOS. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ESTADOS UNIDOS Comércio Exterior Março de 2016 Principais Indicadores

Leia mais

REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2012

REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2012 REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2012 EXPORTAÇÃO BÁSICOS 108,050 122,457-11,8 INDUSTRIALIZADOS 123,620 128,317-3,7 - Semimanufaturados 32,800 36,026-8,9 - Manufaturados 90,820 92,291-1,6 OPERAÇÕES ESPECIAIS

Leia mais

DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS I R A Q U E

DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS I R A Q U E Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS I R

Leia mais

EMIRADOS ÁRABES UNIDOS Comércio Exterior

EMIRADOS ÁRABES UNIDOS Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC EMIRADOS ÁRABES UNIDOS Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice.

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Secretaria de Comércio Exterior

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Secretaria de Comércio Exterior Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior O comércio exterior brasileiro e o desempenho do setor industrial Welber Barral Secretário SÃO PAULO (SP), 27

Leia mais

Agosto , , , ,9

Agosto , , , ,9 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA AGOSTO 2010 US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Período Dias Valor Média Valor Média Valor Média Valor Média Úteis p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

JAPÃO Comércio Exterior

JAPÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC JAPÃO Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Dezembro/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Paraguai. O Paraguai faz fronteira com Argentina, Bolívia e Brasil. População: 6,86 milhões hab. População urbana: 59,7%

Paraguai. O Paraguai faz fronteira com Argentina, Bolívia e Brasil. População: 6,86 milhões hab. População urbana: 59,7% Paraguai O Paraguai faz fronteira com Argentina, Bolívia e Brasil. População: 6,86 milhões hab. População urbana: 59,7% Capital: Assunção (2,35 milhões hab.) Cidade mais populosa: Assunção O Paraguai é

Leia mais

Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 2015

Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 2015 US$ bilhão v. 11, n. 1, janeiro 16 Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 15 No ano de 15, as exportações 1 do Estado de São Paulo somaram US$45,58 bilhões (23,8% do total nacional),

Leia mais

Relações Comerciais de SC Ucrânia Março de 2014

Relações Comerciais de SC Ucrânia Março de 2014 Relações Comerciais de SC Ucrânia Março de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO As exportações catarinenses para a Ucrânia foram de US$ 72 milhões em 2013, o menor valor dos últimos cinco anos, o que representou menos

Leia mais

NOVA ZELÂNDIA. Comércio Exterior

NOVA ZELÂNDIA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC NOVA ZELÂNDIA Comércio Exterior Março de 2016 Principais indicadores

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR MAIO

COMÉRCIO EXTERIOR MAIO MAIO EXPORTAÇÕES No mês de maio de 2017, as exportações catarinenses somaram US$ 802,8 milhões, o que representou um avanço de 15,8% frente a maio de 2016. Esse crescimento é o melhor para o mês desde

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JUNHO Exportações A forte redução no mês foi causada pela contabilização como exportação da

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Julho/2013

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Julho/2013 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Julho/2013 I - Resultados do mês As exportações brasileiras do

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL DO AGRONEGÓCIO PAULISTA NO ANO DE 2004

BALANÇA COMERCIAL DO AGRONEGÓCIO PAULISTA NO ANO DE 2004 BALANÇA COMERCIAL DO AGRONEGÓCIO PAULISTA NO ANO DE 2004 No ano de 2004 as exportações do Estado de São Paulo 1 somaram US$ 31,04 bilhões (32,2% do total nacional), e as importações 2 US$ 27,09 bilhões

Leia mais

BRIEFINGS DE INFORMAÇÕES DE MERCADO NORTE DA ÁFRICA

BRIEFINGS DE INFORMAÇÕES DE MERCADO NORTE DA ÁFRICA BRIEFINGS DE INFORMAÇÕES DE MERCADO NORTE DA ÁFRICA 1) ARGÉLIA A Argélia foi a 49ª maior economia exportadora no mundo, exportando US$ 63,7 bilhões em 2014 e a 49ª maior economia importadora, com importações

Leia mais

Compreender as DIFERENÇAS e SEMELHANÇAS O que nos afasta? O que nos aproxima?

Compreender as DIFERENÇAS e SEMELHANÇAS O que nos afasta? O que nos aproxima? Maio 2014 Apresentar a Indústria de MT Compreender as DIFERENÇAS e SEMELHANÇAS O que nos afasta? O que nos aproxima? Diagnosticar as NECESSIDADES MÚTUAS Do que precisamos? Do que podemos fornecer mutuamente?

Leia mais

Unidade de Inteligência Comercial Apex-Brasil Tel: +55 61 3426.0202 Fax: +55 61 3426.0263 www.apexbrasil.com.br

Unidade de Inteligência Comercial Apex-Brasil Tel: +55 61 3426.0202 Fax: +55 61 3426.0263 www.apexbrasil.com.br P E R F I L P A Í S T U R Q U I A Unidade de Inteligência Comercial Apex-Brasil Tel: +55 61 3426.0202 Fax: +55 61 3426.0263 www.apexbrasil.com.br TURQUIA Indicadores Econômicos média 2002-2007 2008 Crescimento

Leia mais

ano XIX n 3 Março de 2015

ano XIX n 3 Março de 2015 ano XIX n 3 EM FOCO O Índice de preços das exportações totais apresentou acentuada queda de 17,6% em fevereiro, na comparação com fevereiro de 2014, em função das variações negativas registradas em todas

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Dezembro 2016

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Dezembro 2016 >> Exportações de produtos industriais Mato Grosso do Sul - Exportação de Produtos Industriais (Receita - US$) Grupos de Produtos Industriais Dezembro Janeiro a Dezembro 2015 2016 Var. % 2015 2016 Var.

Leia mais

CHILE. Comércio Exterior

CHILE. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CHILE Comércio Exterior Fevereiro de 2016 Principais indicadores

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2016

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2016 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2016 As exportações paranaenses, em março, apresentaram aumento de +48,60% em relação a fevereiro. O valor exportado atingiu a US$ 1,490 bilhão, o mais

Leia mais

ITÁLIA Comércio Exterior

ITÁLIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ITÁLIA Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Abril , , , ,2

Abril , , , ,2 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2010 US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Período Dias Valor Média Valor Média Valor Média Valor Média Úteis p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Tabela 1 - Balança Comercial: janeiro outubro de 2015 em comparação com janeiro outubro de 2014

Tabela 1 - Balança Comercial: janeiro outubro de 2015 em comparação com janeiro outubro de 2014 INFORMATIVO Nº. 41. NOVEMBRO de 2015 COMÉRCIO BILATERAL BRASIL-CHINA Balança Comercial A corrente de comércio Brasil-China totalizou 58,6 bilhões entre janeiro e outubro de 2015, de acordo com dados divulgados

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015 São Paulo, 18 de dezembro de 2015 Novembro 2015 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015 Em novembro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 335,3 bilhões, o que significou

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Dezembro de 2014 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial no Ano de 2014... 4 3.

Leia mais

As exportações chinesas e o impacto na FIAM 2009

As exportações chinesas e o impacto na FIAM 2009 As exportações chinesas e o impacto na Zona Franca de Manaus FIAM 2009 Modelo econômico de desenvolvimento chinês P d Produção para exportação China A retração do mercado americano e europeu As alternativas

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Junho 2017

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Junho 2017 >> Exportações de produtos industriais Grupos de Produtos Industriais Junho - US$ Janeiro a Junho - US$ 2016 2017 Var. % 2016 2017 Var. % Celulose e Papel 84.431.684 90.047.004 7% 522.390.072 501.962.469-4%

Leia mais

Balança Comercial Brasil e Minas Gerais Junho Belo Horizonte 2017

Balança Comercial Brasil e Minas Gerais Junho Belo Horizonte 2017 Balança Comercial Brasil e Minas Gerais Junho 2017 Belo Horizonte 2017 No primeiro semestre de 2017, a balança comercial brasileira obteve superávit recorde no âmbito da série histórica do MDIC (Ministério

Leia mais

ÁFRICA DO SUL. Comércio Exterior

ÁFRICA DO SUL. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ÁFRICA DO SUL Comércio Exterior Fevereiro de 2016 Principais Indicadores

Leia mais

Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 2014

Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 2014 Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 2014 No ano de 2014, as exportações 1 do Estado de São Paulo somaram US$ 51,46 bilhões (22,9% do total nacional), e as importações 2,

Leia mais

PAINEL DA INDÚSTRIA MINEIRA. Minas Gerais

PAINEL DA INDÚSTRIA MINEIRA. Minas Gerais PAINEL DA INDÚSTRIA MINEIRA Minas Gerais Julho/2016 Objetivo Prover informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria no Estado de Minas Gerais e nas Regionais FIEMG. Ficha Técnica Elaboração:

Leia mais

SENEGAL Comércio Exterior

SENEGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SENEGAL Comércio Exterior Agosto de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

COSTA RICA Comércio Exterior

COSTA RICA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COSTA RICA Comércio Exterior ABRIL 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR

COMÉRCIO EXTERIOR CONJUNTURA ECONÔMICA COMÉRCIO EXTERIOR - 2012 SUMÁRIO EXECUTIVO: As exportações de SC totalizaram US$ 8,9 bilhões e as importações US$ 14,5 bilhões, com variações anuais de -1,4% e -2,0%, respectivamente.

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Dezembro/2017 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Out17/Set17 (%) dessaz. Out17/Out16 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Fevereiro/2017 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Dez16/Nov16 (%) dessaz. Dez16/Dez15 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. 2º Trimestre/2016

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. 2º Trimestre/2016 Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação 2º Trimestre/2016 Os Coeficientes de Exportação e de Importação tem como objetivo analisar de forma integrada a produção industrial

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Dezembro/2016 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Out16/Set16 (%) dessaz. Out16/Out15 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATOGROSSENSES JANEIRO a NOVEMBRO / Balança Comercial

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATOGROSSENSES JANEIRO a NOVEMBRO / Balança Comercial ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATOGROSSENSES JANEIRO a NOVEMBRO - 2010/2009 1- Balança Comercial Mato Grosso registrou até novembro desse ano, um superávit acumulado na Balança Comercial de US$ 6,95 bilhões,

Leia mais

Parceiros Comerciais do RS no período de. janeiro a abril de 2016.

Parceiros Comerciais do RS no período de. janeiro a abril de 2016. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio exterior do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2016. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Julho 2016

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Julho 2016 >> Exportações de produtos industriais Mato Grosso do Sul - Exportação de Produtos Industriais (Receita - US$) Grupos de Produtos Industriais Julho Janeiro a Julho 2015 2016 Var. % 2015 2016 Var. % Celulose

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 US$ milhões FOB Período Dias Úteis EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Junho/2017 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Abr17/Mar17 (%) dessaz. Abr17/Abr16 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até abril

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente. SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente. SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente Marcelo Antonio Percicotti da Silva Gerente EQUIPE TÉCNICA:

Leia mais

TOTAL DAS EXPORTAÇÕES DA BAHIA EM MARÇO: EXPORTAÇÕES ACUMULADAS JAN-MAR/2017: COMPARAÇÃO MAR/2017 COM MAR /2016:

TOTAL DAS EXPORTAÇÕES DA BAHIA EM MARÇO: EXPORTAÇÕES ACUMULADAS JAN-MAR/2017: COMPARAÇÃO MAR/2017 COM MAR /2016: TOTAL DAS EXPORTAÇÕES DA BAHIA EM MARÇO: No mês de março de 2017, a Bahia exportou o valor de US$ 658 milhões, sendo US$ 276 milhões (42%) provenientes do agronegócio. O volume exportado pelo agronegócio

Leia mais

FRANÇA. Comércio Exterior

FRANÇA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC FRANÇA Comércio Exterior Março de 2016 Principais indicadores socioeconômicos

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares 1 BALANÇA COMERCIAL GOIÁS OUTUBRO 2015 US$ FOB MÊS EXPORTAÇÕES IMPORTAÇÕES SALDO OUTUBRO/2015 516.095.546 262.729.719 253.365.827 2 EVOLUÇÃO DA

Leia mais

Total das exportações do Rio Grande do Sul. Exportações no período acumulado de janeiro a fevereiro de 2016.

Total das exportações do Rio Grande do Sul. Exportações no período acumulado de janeiro a fevereiro de 2016. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio exterior do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de fevereiro de 2016. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. 1º Trimestre/2017

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. 1º Trimestre/2017 Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação 1º Trimestre/2017 Os Coeficientes de Exportação e de Importação tem como objetivo analisar de forma integrada a produção industrial

Leia mais

CHINA Comércio Exterior

CHINA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CHINA Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente. SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente. SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente Marcelo Antonio Percicotti da Silva Gerente EQUIPE TÉCNICA:

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM FEVEREIRO Exportações Apesar da queda nos embarques para a Argentina (6%), trata-se do melhor

Leia mais