Cultural Heritage Management. Valorizar e Preservar o Património Cultural da Humanidade. International Quality Recognition

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cultural Heritage Management. Valorizar e Preservar o Património Cultural da Humanidade. International Quality Recognition"

Transcrição

1 Valorizar e Preservar o Património Cultural da Humanidade HERITAGE + QUALITY = HERITY Sistema Global de Avaliação Herity para Locais do Património Cultural abertos ao público (HGES) HERITY International c/o DRI - V. E. Filiberto, Roma - ITÁLIA Em viagem você escolhe Você escolhe o local que vai visitar um hotel pelo seu número de estrelas um restaurante pelos seus talheres um monumento em que base? Marvão Palmela Castelo de Tomar por acaso, sem informação prévia seguindo a informação de um serviço público, muitas vezes dependente de interesses locais seguindo sugestões de um livro-guia, o qual, na melhor das hipóteses, indica apenas o nível de interesse, do tipo vale a pena a viagem, vale o desvio, ou interessante

2 Isto já não é o suficiente Como é que HERITY se apresenta? HERITY foi criado para ultrapassar esta informação insuficiente Serviços oferecidos I nformação transmitida Valor percepcionado Capacidade de conservação O alvo HERITY na prática HERITY é flexível A certificação HERITY é aplicável a museus, monumentos, edifícios religiosos, castelos, parques arqueológicos, bibliotecas, arquivos e às suas redes, desde que possam ser visitados A sua avaliação é independente da história, geografia ou estatuto legal dos locais

3 O objectivo do HGES HGES - Sistema Global de Avaliação HERITY para Locais do Património Cultural abertos ao público Uma avaliação com múltiplas perspectivas O objectivo do HERITY é que todos os locais considerados património cultural ostentem o seu alvo à entrada A certificação tem uma validade de três anos A avaliação HERITY baseia-se na: 1 Auto-avaliação, levada a cabo pelos responsáveis pelo local 2 Avaliação externa realizada por uma equipa de avaliadores externos 3 Avaliação pelos visitantes, complementada pela avaliação por parte dos principais interessados na gestão do local A Combinação A importância de HERITY SERVIÇOS OFERECIDOS INFORMAÇÃO TRANSMITIDA CAPACIDADE DE CONSERVAÇÃO VALOR PERCEPCIONADO A certificação HERITY: Gestores 10% 15% 20% 30% 30% 20% 60% 70% Público a) fornece ao público em geral informação suficiente para decidir se vai ou não visitar um local que é património cultural Avaliadores 50% 20% 25% b) encoraja proprietários e gestores a preservar melhor e a desenvolver os locais do património cultural a seu cargo

4 HERITY: da ideia à realidade A organização HERITY 1994: início, em Roma : a missão e visão ganham forma, através de actividades, conferências, internacionalização e resoluções assinadas pelos representantes de 15 Países : O Sistema Global de Avaliação Herity (HGES) é lançado e testado O HERITY está estruturado da seguinte forma: IT IN T ER NATIO NAL COMMITTEE B R P (VA)... O Comité Internacional HERITY Presidente: S.E. Card. F. Marchisano Vice-Presidentes: Sen. T. Carettoni, Dr. L. Oosterbeek Conselheiro Especial: Gen. R. Conforti Coordenador: Dr. M. Quagliuolo O HGES foi e é usado em diversos contextos, tais como locais considerados Património Mundial ou ecomuseus Italianos HERITY INTERNATIONAL c/o DRI - V.E. Filiberto, Roma - ITÁLIA Website (em breve):

5 A mensagem da UNESCO As análises do Herity sobre a gestão de qualidade do Património Mundial são um contributo importante para o estabelecimento e a avaliação das políticas nacionais e locais de conservação e para a melhoria dos serviços prestados ao público. O World Heritage Center congratula-se em oferecer o seu apoio à realização de tais objectivos. Francesco Bandarin Director UNESCO World Heritage Centre

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 15-1999 5

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 15-1999 5 CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 15-1999 5 APRESENTAÇÃO. O presente número dos Cadernos de Sociomuseologia, reúne um conjunto de documentos sobre museologia e património que se encontram dispersos e muitas

Leia mais

Seminário A Qualidade nas Intervenções de Conservação, Reabilitação e Valorização das Casas Antigas

Seminário A Qualidade nas Intervenções de Conservação, Reabilitação e Valorização das Casas Antigas Seminário A Qualidade nas Intervenções de Conservação, Reabilitação e Valorização das Casas Antigas Data: Sábado, 14 de Novembro de 2009, 14h00 18h30 Local: Palácio dos Marqueses de Fronteira, em Lisboa

Leia mais

Conversando sobre Museu. >> Saiba mais e faça sua inscrição

Conversando sobre Museu. >> Saiba mais e faça sua inscrição Conversando sobre Museu Edição Nº 4 Florianópolis, 02 de maio de 2012 O ciclo de discussão Conversando sobre Museu, uma iniciativa do Sistema Estadual de Museus (SEM/SC), da Fundação Catarinense de Cultura

Leia mais

O Ecomuseu Municipal do Seixal como sistema de recursos patrimoniais e museais descentralizados no território

O Ecomuseu Municipal do Seixal como sistema de recursos patrimoniais e museais descentralizados no território O Ecomuseu Municipal do Seixal como sistema de recursos patrimoniais e museais descentralizados no território Graça Filipe Modelos de redes de museus I Encontro de Museus do Douro Vila Real 24 Setembro

Leia mais

MEMÓRIA DO MUNDO UM PROGRAMA PELA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO DOCUMENTAL

MEMÓRIA DO MUNDO UM PROGRAMA PELA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO DOCUMENTAL MEMÓRIA DO MUNDO UM PROGRAMA PELA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO DOCUMENTAL XI Encontro Nacional de Acervo Raro Fundação Biblioteca Nacional 30 out. 2014 Vitor Fonseca Presidente MOW Brasil Vice-presidente

Leia mais

CARTA DE NIZHNY TAGIL SOBRE O PATRIMÓNIO INDUSTRIAL The International Committee for the Conservation of the Industrial Heritage (TICCIH) Julho 2003

CARTA DE NIZHNY TAGIL SOBRE O PATRIMÓNIO INDUSTRIAL The International Committee for the Conservation of the Industrial Heritage (TICCIH) Julho 2003 PORTUGUÊS (Obrigado APPI) CARTA DE NIZHNY TAGIL SOBRE O PATRIMÓNIO INDUSTRIAL The International Committee for the Conservation of the Industrial Heritage (TICCIH) Julho 2003 O TICCIH The International

Leia mais

TURISMO DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL, ER MAPA DE PESSOAL PARA O ANO DE 2013

TURISMO DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL, ER MAPA DE PESSOAL PARA O ANO DE 2013 TURISMO DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL, ER MAPA DE PESSOAL PARA O ANO DE 203 (PESSOAL DA FUNÇÃO PÚBLICA) PRESIDENCIA VICE-PRESIDÊNCIA (artigos 3.º, 5.º e 6.º dos Estatutos) Presidente da Direção Vice-Presidente

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DEPENDENTES DA DGPC ACORDO INSTITUIÇÃO / VOLUNTÁRIO (MINUTA) VOLUNTARIADO NOS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DA DGPC Acordo de Voluntariado

Leia mais

DIRECTOR(A) DE RESTAURAÇÃO

DIRECTOR(A) DE RESTAURAÇÃO PERFIL PROFISSIONAL DIRECTOR(A) DE RESTAURAÇÃO ÁREA DE ACTIVIDADE - HOTELARIA, RESTAURAÇÃO E TURISMO OBJECTIVO GLOBAL - Planear, dirigir e controlar as actividades de produção e de serviço de alimentos

Leia mais

Operacionalizar a Reabilitação Urbana Rui Moreira - Porto Vivo, SRU. 1 Porto Vivo, SRU, 2011

Operacionalizar a Reabilitação Urbana Rui Moreira - Porto Vivo, SRU. 1 Porto Vivo, SRU, 2011 Operacionalizar a Reabilitação Urbana Rui Moreira - Porto Vivo, SRU Conferência Promover a Reabilitação Urbana Regenerar as Cidades, Dinamizar o País A Cidade enquanto motor da coesão social, da inovação,

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DEPENDENTES DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO (MINUTA) VOLUNTARIADO NOS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO DE MONUMENTOS,

Leia mais

I ITALY NÓS O CONVIDAMOS PARA CONHECER A MAGIA DA ITÁLIA QUANTO A CONFORTO, LUXO E ESTILO!

I ITALY NÓS O CONVIDAMOS PARA CONHECER A MAGIA DA ITÁLIA QUANTO A CONFORTO, LUXO E ESTILO! ITALY ItalyEvents5Stars NÓS O CONVIDAMOS PARA CONHECER A MAGIA DA ITÁLIA QUANTO A CONFORTO, LUXO E ESTILO! é um operador de turismo do luxo na Itália. Somos uma marca de 18 Holes 5 Stars, um agente de

Leia mais

Licenciatura em Ciências da Comunicação, Vertente Jornalismo, pela Universidade Autónoma de Lisboa, completada com média final de 13 valores

Licenciatura em Ciências da Comunicação, Vertente Jornalismo, pela Universidade Autónoma de Lisboa, completada com média final de 13 valores Informação Pessoal Nome Nuno Miguel Fernandes Aires Data de Nascimento 24 de Julho de 1971 Morada Avenida 5 Outubro, 25 6º andar 8000 Faro Nacionalidade Portuguesa Telemóvel 915 333 112 E-mail naires@msn.com

Leia mais

TURISMO. o futuro, uma viagem...

TURISMO. o futuro, uma viagem... TURISMO o futuro, uma viagem... PLANO NACIONAL DO TURISMO 2007-2010 OBJETIVOS Desenvolver o produto turístico brasileiro com qualidade, contemplando nossas diversidades regionais, culturais e naturais.

Leia mais

Normas para Brigadas Móveis (BM) (Primeiro Esboço)

Normas para Brigadas Móveis (BM) (Primeiro Esboço) República de Moçambique Ministério da Saúde Programa Alargado de Vacinação Normas para Brigadas Móveis (BM) (Primeiro Esboço) Introdução Logo após a introdução do Programa Alargado de vacinação nas unidades

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura Decreto lei n.º 7/03 de 6 de Junho Considerando a criação do Ministério da Cultura através do Decreto Lei n.º 16/02, de 9 de Dezembro; Convindo garantir o seu funcionamento de acordo

Leia mais

de social parceria valores dinamismo qualidade relacio mo brasil internacionalização mineração agronegócio fi

de social parceria valores dinamismo qualidade relacio mo brasil internacionalização mineração agronegócio fi história produção transformação metais alumínio aço ní quel zinco celulose cimento indústria energia trabalho co tidiano produtos processos educação comunicação me m ó r i a r e s p o n s a b i l i d a

Leia mais

Do (re)conhecimento à salvaguarda e valorização do património corticeiro em Portugal: o Núcleo da Mundet do Ecomuseu Municipal do Seixal

Do (re)conhecimento à salvaguarda e valorização do património corticeiro em Portugal: o Núcleo da Mundet do Ecomuseu Municipal do Seixal Encontro internacional PATRIMÓNIO CULTURAL, A CORTIÇA E OS MUSEUS Auditório Municipal Fórum Cultural do Seixal 2-3 Julho 2010 Do (re)conhecimento à salvaguarda e valorização do património corticeiro em

Leia mais

PAISAGEM URBANA A IDENTIDADE CULTURAL E SOCIAL LAPEANA, ATRAVÉS DO PATRIMÔNIO EDIFICADO DA CIDADE DA LAPA

PAISAGEM URBANA A IDENTIDADE CULTURAL E SOCIAL LAPEANA, ATRAVÉS DO PATRIMÔNIO EDIFICADO DA CIDADE DA LAPA PAISAGEM URBANA A IDENTIDADE CULTURAL E SOCIAL LAPEANA, ATRAVÉS DO PATRIMÔNIO EDIFICADO DA CIDADE DA LAPA Karin Comerlatto da Rosa kcomerlattodarosa@yahoo.com.br Resumo: A história da Lapa está presente

Leia mais

PROGRAMA VOCAÇÃO 2012

PROGRAMA VOCAÇÃO 2012 PROGRAMA VOCAÇÃO 2012 Preâmbulo A ocupação dos tempos livres dos jovens em tempo de aulas, através de actividades que contribuam significativamente para o enriquecimento da sua formação pessoal, funcionando

Leia mais

GESTÃO de PROJECTOS. Gestor de Projectos Informáticos. Luís Manuel Borges Gouveia 1

GESTÃO de PROJECTOS. Gestor de Projectos Informáticos. Luís Manuel Borges Gouveia 1 GESTÃO de PROJECTOS Gestor de Projectos Informáticos Luís Manuel Borges Gouveia 1 Conceito de projecto ideia ou intuito de executar algo representação em perspectiva conjunto de documentos, cálculos e

Leia mais

GESTÃO DO PATRIMONIO CULTURAL E SOCIALIZACAO DO CONHECIMENTO EM ANGOLA

GESTÃO DO PATRIMONIO CULTURAL E SOCIALIZACAO DO CONHECIMENTO EM ANGOLA X JORNADAS DE ARQUEOLOGIA II JORNADAS DE ARQUEOLOGIA TRANSATLÂNTICA Mação 1,2,3 de Abril de 2014 GESTÃO DO PATRIMONIO CULTURAL E SOCIALIZACAO DO CONHECIMENTO EM ANGOLA Por Ziva Domingos Gestor do Patrimonio

Leia mais

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal aposta no Sistema Educativo Formação e Criação de Novas Infra-Estruturas UMA OPORTUNIDADE PARA O SEU SECTOR CO-FINANCIADO 75% 1ª PARTICIPAÇÃO PORTUGUESA DA FILEIRA DA EDUCAÇÃO AIP - Feiras, Congressos

Leia mais

ECO XXI Acção de formação. 11 de fevereiro de 2014 Amadora

ECO XXI Acção de formação. 11 de fevereiro de 2014 Amadora ECO XXI Acção de formação 11 de fevereiro de 2014 Amadora Júri Sérgio Guerreiro Director do Departamento de Estudos e Planeamento António Fontes Director, Área Institucional Ana Isabel Fonseca Moiteiro

Leia mais

Regulamentação de REDD+ na RD. CONGO. V.V. dia Massamba Director Jurídico Ministério do Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Tourismo, RD Cngo

Regulamentação de REDD+ na RD. CONGO. V.V. dia Massamba Director Jurídico Ministério do Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Tourismo, RD Cngo Regulamentação de REDD+ na RD. CONGO V.V. dia Massamba Director Jurídico Ministério do Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Tourismo, RD Cngo Organização da apresentação 0. Introdução 1. Decreto n

Leia mais

Objectivos. Aplicação de tecnologias com vista à revitalização turística do património histórico-cultural. Escola Superior de Turismo e Hotelaria

Objectivos. Aplicação de tecnologias com vista à revitalização turística do património histórico-cultural. Escola Superior de Turismo e Hotelaria Aplicação de tecnologias com vista à revitalização turística do património histórico-cultural Adélia Godinho César Faria Manuel Salgado Escola Superior de Turismo e Hotelaria Objectivos Estrutura 1. Património

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE. (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001)

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE. (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001) REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001) REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE (Aprovado na 23ª Reunião

Leia mais

PENSANDO JÁ O CENTRO HISTÓRICO? A INTERVENÇÃO DA DGEMN NA SÉ DO PORTO (1929-1982)

PENSANDO JÁ O CENTRO HISTÓRICO? A INTERVENÇÃO DA DGEMN NA SÉ DO PORTO (1929-1982) PENSANDO JÁ O CENTRO HISTÓRICO? A INTERVENÇÃO DA DGEMN NA SÉ DO PORTO (1929-1982) MARIA LEONOR BOTELHO DCTP-FLUP mlbotelho@letras.up.pt 5 Dez 2013 17º Aniversário da Classificação do Centro Histórico do

Leia mais

Pixel. Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros

Pixel. Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros Certified Quality System in compliance with the standard UNI EN ISO 9001:2000. Certificate n SQ.41823. Pixel Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros CURSOS INDIVIDUAIS PARA ESTRANGEIROS

Leia mais

I CONFERÊNCIA NACIONAL DE DIREITO DO TURISMO

I CONFERÊNCIA NACIONAL DE DIREITO DO TURISMO I CONFERÊNCIA NACIONAL DE DIREITO DO TURISMO Local: Auditório do Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz Organização: APDC Direito do Consumo Data: 09 de Fevereiro de 2006 pelas 16 horas Palestra:

Leia mais

Decreto n.º 22/95 Acordo de Cooperação Cultural e Científica entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da Federação da Rússia

Decreto n.º 22/95 Acordo de Cooperação Cultural e Científica entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da Federação da Rússia Decreto n.º 22/95 Acordo de Cooperação Cultural e Científica entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da Federação da Rússia Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição,

Leia mais

Regulamento Geral de Estudos Pós-Graduados. do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa

Regulamento Geral de Estudos Pós-Graduados. do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa Regulamento Geral de Estudos Pós-Graduados do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito de aplicação 1 O presente Regulamento Geral (RG) aplica-se

Leia mais

Estrutura de Gestão do Programa Rumos

Estrutura de Gestão do Programa Rumos Estrutura de Gestão do Programa Rumos Modelo de Gestão do Programa Rumos Comissão Europeia Orientações Fundamentais IGF Autoridade de Auditoria Observatório do QREN Comissão Técnica de Coordenação Comissão

Leia mais

As Questões Ambientais do Brasil

As Questões Ambientais do Brasil As Questões Ambientais do Brasil Unidades de conservação de proteção integral Existem cinco tipos de unidades de conservação de proteção integral. As unidades de proteção integral não podem ser habitadas

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS 1 de 6 - mobilidade humana e OBJECTIVO: Identifica sistemas de administração territorial e respectivos funcionamentos integrados. O Turismo Guião de Exploração Indicadores sobre o turismo em Portugal 27

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Agências de Viagens e Transportes Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE

Leia mais

Lic. em Arqueologia (2 o ano)

Lic. em Arqueologia (2 o ano) Introdução à Informática Lic. em Arqueologia (2 o ano) Trabalho Prático Outubro de 2004 2 a fase: 11 de Dezembro de 2004 Este trabalho único deve ser realizado, em grupo, ao longo das 4 últimas semanas

Leia mais

FLORENÇA JANEIRO/2013 (Florence University of The Arts)

FLORENÇA JANEIRO/2013 (Florence University of The Arts) FLORENÇA JANEIRO/2013 (Florence University of The Arts) Carga horária do curso: 45 horas + 15 horas de visitas Acomodação em quarto compartilhado Suplemento para apartamento individual 300 Transfer de

Leia mais

Com o apoio de. Programação e Gestão Cultural Formação Avançada

Com o apoio de. Programação e Gestão Cultural Formação Avançada Com o apoio de Programação e Gestão Cultural EAB Escola de Estudos Avançados das Beiras Programação Instalações da EAB, Edifício Expobeiras, Parque Industrial de Coimbrões, Viseu Contacto Ana Henriques

Leia mais

ESCAPADA ITALIANA COM PREÇO ARRASADOR

ESCAPADA ITALIANA COM PREÇO ARRASADOR ESCAPADA ITALIANA COM PREÇO ARRASADOR 07 NOITES DE HOTEL 04 ESTRELAS COM CAFÉ DA MANHÃ TRASLADOS - VISITAS E 01 JANTAR (CONFORME A PROGRAMAÇÃO) CIA AÉREA:TAP Saídas: Rio de Janeiro ou São Paulo Passageiros

Leia mais

Turismo de Portugal é pioneiro na sustentabilidade

Turismo de Portugal é pioneiro na sustentabilidade Divulgação do primeiro relatório Turismo de Portugal é pioneiro na sustentabilidade O Turismo de Portugal apresentou ontem o seu Relatório de Sustentabilidade, tornando-se no primeiro Instituto Público

Leia mais

Manual de Operacionalização

Manual de Operacionalização Manual de Operacionalização Programa de Criação de Espaços Públicos de Acesso à Internet em Bibliotecas Públicas Municipais, Ludotecas, Museus Municipais e Arquivos Municipais Agosto de 2004 Iniciativa:

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais 1. Objeto 1.1. Esta Política tem por objetivo estabelecer os princípios gerais, em matérias relevantes obrigatórias, os critérios e os procedimentos

Leia mais

GUIA DO VOLUNTÁRIO. Sociedade Central de Cervejas

GUIA DO VOLUNTÁRIO. Sociedade Central de Cervejas GUIA DO VOLUNTÁRIO Sociedade Central de Cervejas ÍNDICE 1. A RESPONSABILIDADE SOCIAL NA SCC: O NOSSO COMPROMISSO... 3 2. O NOSSO COMPROMISSO COM O VOLUNTARIADO... 4 2.1 A ESTRUTURAÇÃO DO VOLUNTARIADO EMPRESARIAL...

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO CONSERVAÇÃO AMBIENTAL RURAL EXCEPCIONAL, CARE 2012.

REGULAMENTO CONCURSO CONSERVAÇÃO AMBIENTAL RURAL EXCEPCIONAL, CARE 2012. REGULAMENTO CONCURSO CONSERVAÇÃO AMBIENTAL RURAL EXCEPCIONAL, CARE 2012. O Concurso Conservação Ambiental Rural Excepcional, CARE 2012, está enquadrado no projecto Recuperação Integral e Sustentável da

Leia mais

As novas tecnologias na Gestão do Talento www.optimhom.pt O QUE SÃO Os são um instrumento on-line de avaliação de competências, que usa questões simples ligadas às situações concretas do diaa-dia nas organizações,

Leia mais

Mini Wedding em Paris

Mini Wedding em Paris Mini Wedding em Paris Leticia Pontual Cerimônia Realizamos emocionantes Casamentos e Renovações de Votos no cenário de escolha dos noivos: aos pés da Torre Eiffel, nos jardins da Notre Dame, nas margens

Leia mais

3 Certificação da qualidade em saúde

3 Certificação da qualidade em saúde CURSOS DE NEUROFISIOLOGIA/ CARDIOPNEUMOLOGIA 3 Certificação da qualidade As auditorias como instrumento de melhoria Escola Superior de Saúde do Vale do Ave 2 PROGRAMA Conceitos DE da ACREDITAÇÃO qualidade

Leia mais

SNATTI The Art of Guiding. A Historia do Azeite EHTM- MIRANDELA

SNATTI The Art of Guiding. A Historia do Azeite EHTM- MIRANDELA SNATTI The Art of Guiding O Guia Intérprete como Embaixador de Portugal Seminários de Formação Activa A Historia do Azeite EHTM- MIRANDELA Dia 02 E 03 DE DEZEMBRO DE 2015 Seminário Técnico História do

Leia mais

Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao Envolvimento de Crianças em Conflitos Armados

Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao Envolvimento de Crianças em Conflitos Armados Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao Envolvimento de Crianças em Conflitos Armados Os Estados Partes no presente Protocolo, Encorajados pelo apoio esmagador à Convenção

Leia mais

Mapa de Pessoal do Turismo de Portugal, I.P. - Serviços Centrais

Mapa de Pessoal do Turismo de Portugal, I.P. - Serviços Centrais Presidente Vice-Presidente Vogal Secretário-Geral Director Coordenador a) 9 8 1 Director a) 24 23 1 Prestação de assessoria técnica especializada ao Conselho Directivo 2 2 0 Monitorização e avaliação da

Leia mais

Formação dos Chefes das Repatições e Funcionários Municipais de Educação. Dr. DOMINGOS KUDIHINGANA KISSUNGE

Formação dos Chefes das Repatições e Funcionários Municipais de Educação. Dr. DOMINGOS KUDIHINGANA KISSUNGE Formação dos Chefes das Repatições e Funcionários Municipais de Educação Dr. DOMINGOS KUDIHINGANA KISSUNGE 1. Competências do Ministério da Educação; 2. Competências das Repartições Municipais da Educação.

Leia mais

Separata do Guia Técnico Monumentos e Museus de Portugal, 2009. Museu Nacional de Arqueologia Lisboa

Separata do Guia Técnico Monumentos e Museus de Portugal, 2009. Museu Nacional de Arqueologia Lisboa Separata do Guia Técnico Monumentos e Museus de Portugal, 2009 Museu Nacional de Arqueologia Lisboa Museu Nacional de Arqueologia APRESENTAÇÃO O Museu Nacional de Arqueologia (MNA), fundado em 1893, ocupa,

Leia mais

Atividade Prática: Melhores Maneiras de Compartilhar Locais Históricos

Atividade Prática: Melhores Maneiras de Compartilhar Locais Históricos GUIA DO FACILITADOR 1. Apresente a atividade: Quando compartilhar locais históricos, você tem três opções para escolher: Opção A: Solicitar a inclusão em um registro histórico da Igreja. Opção B: Compartilhar

Leia mais

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO Decreto N. 2/ 2003 De 23 de Julho Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal O Decreto Lei N 7/ 2003 relativo à remodelação da estrutura orgânica

Leia mais

Pedagogia LICENCIATURA

Pedagogia LICENCIATURA CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Portaria de Reconhecimento nº. 286 de 21 de dezembro de 2012 ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO III GESTÃO ESCOLAR Pedagogia LICENCIATURA CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

EUA DESTINATION MANAGEMENT COMPANY. Companhia de Planejamento de Eventos. Grupos, Viagens Corporativas e de Incentivos

EUA DESTINATION MANAGEMENT COMPANY. Companhia de Planejamento de Eventos. Grupos, Viagens Corporativas e de Incentivos DESTINATION MANAGEMENT COMPANY EUA Companhia de Planejamento de Eventos Grupos, Viagens Corporativas e de Incentivos Conferências, Seminários e Convenções Os Estados Unidos... The American Dream! PORQUE

Leia mais

A Segurança Informática na FEUP. Tito Carlos S. Vieira tito@fe.up.pt 10-FEV-2010

A Segurança Informática na FEUP. Tito Carlos S. Vieira tito@fe.up.pt 10-FEV-2010 A Segurança Informática na FEUP Tito Carlos S. Vieira tito@fe.up.pt 10-FEV-2010 Agenda I Introdução II O trabalho na área da Segurança Informática O ponto de partida As medidas O CSIRT.FEUP III - Resultados

Leia mais

O Centro de Documentação como laboratório de mudança O papel da Gestão da Qualidade

O Centro de Documentação como laboratório de mudança O papel da Gestão da Qualidade O Centro de Documentação como laboratório de mudança O papel da Gestão da Qualidade Paula Ochôa Funchal, Seminário Qualidade em Serviços Públicos 15 de Novembro de 2002 Os serviços de informação na Administração

Leia mais

Satisfazendo as expectativas dos nossos clientes dispomos de serviços de formação em novas áreas:

Satisfazendo as expectativas dos nossos clientes dispomos de serviços de formação em novas áreas: Fundado em 1983, o Instituto de Línguas de Gondomar, celebra já mais de um quarto de século de actividades. Tem por missão prestar formação de qualidade reconhecida e certificada que corresponda às necessidades

Leia mais

Comunicação durante o processo de auto-avaliação

Comunicação durante o processo de auto-avaliação Comunicação durante o processo de auto-avaliação Durante o processo de auto-avaliação a política de comunicação deve focalizar os ganhos para todas as partes interessadas, colaboradores e cidadãos/clientes.

Leia mais

Processo de Tombamento do Teatro São Vicente de Assis e a sociedade. local 1

Processo de Tombamento do Teatro São Vicente de Assis e a sociedade. local 1 Processo de Tombamento do Teatro São Vicente de Assis e a sociedade local 1 Rodrigo Modesto Nascimento Mestre Unesp de Assis O tombamento do Teatro São Vicente 2 de Assis foi solicitado pela Prefeitura

Leia mais

Plano de implementação da ISO 9001:2008 PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO DA ISO 9001:2008

Plano de implementação da ISO 9001:2008 PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO DA ISO 9001:2008 PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO DA ISO 9001:2008 A APCER vem por este documento transmitir as disposições tomadas para a emissão de certificados acreditados durante o período de implementação definido pela IAF,

Leia mais

Centro Histórico de Santarém: Como integrar a herança cultural nos desafios do futuro?

Centro Histórico de Santarém: Como integrar a herança cultural nos desafios do futuro? Centro Histórico de Santarém: Como integrar a herança cultural nos desafios do futuro? Vive-se um tempo de descrédito, generalizado, relativamente às soluções urbanísticas encontradas para o crescimento

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A Esperança_TI S.A S/A Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A 25/11/2014 Gerador do documento: Gerente de Negociação: Marcos Alves de Oliveira Marcos Antônio de Morais Aprovação

Leia mais

Apreciação do Anteprojecto de Decreto-Lei sobre o Regime Jurídico da Habilitação Profissional para a Docência

Apreciação do Anteprojecto de Decreto-Lei sobre o Regime Jurídico da Habilitação Profissional para a Docência Apreciação do Anteprojecto de Decreto-Lei sobre o Regime Jurídico da Habilitação Profissional para a Docência Documento elaborado no âmbito das 1ª, 2ª e 3ª Comissões Permanentes e aprovado na reunião destas

Leia mais

OS MAIORES RISCOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO

OS MAIORES RISCOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO OS RISCOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO CRESCIMENTO GLOBAL DO NEGÓCIO Com a crescente globalização e o crescimento acelerado das economias emergentes, as empresas, independentemente da sua dimensão, estão em

Leia mais

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RECURSOS HUMANOS O PROGRAMA O Programa Municipal de Voluntariado

Leia mais

O VALOR DAS VERDADEIRAS PARCERIAS PARA O REFORÇO DAS CAPACIDADAES LOCAIS: A EXPERIÊNCIA DO FOJASSIDA. Pretoria Africa du Sul

O VALOR DAS VERDADEIRAS PARCERIAS PARA O REFORÇO DAS CAPACIDADAES LOCAIS: A EXPERIÊNCIA DO FOJASSIDA. Pretoria Africa du Sul O VALOR DAS VERDADEIRAS PARCERIAS PARA O REFORÇO DAS CAPACIDADAES LOCAIS: A EXPERIÊNCIA DO FOJASSIDA Pretoria Africa du Sul Conteúdo 1. Apresentação da FOJASSIDA 2. Introdução 3. Diferentes formas de parcerias

Leia mais

O PAPEL DAS UNIVERSIDADES E A INVESTIGAÇÃO SOBRE DIPLOMACIA ECONÓMICA. Joaquim Ramos Silva Socius/ISEG jrsilva@iseg.utl.pt

O PAPEL DAS UNIVERSIDADES E A INVESTIGAÇÃO SOBRE DIPLOMACIA ECONÓMICA. Joaquim Ramos Silva Socius/ISEG jrsilva@iseg.utl.pt O PAPEL DAS UNIVERSIDADES E A INVESTIGAÇÃO SOBRE DIPLOMACIA ECONÓMICA Joaquim Ramos Silva Socius/ISEG jrsilva@iseg.utl.pt PRINCIPAIS TÓPICOS A emergência da Diplomacia Económica e suas razões As mudanças

Leia mais

MARÇO EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS NORTE DE ÁFRICA MARROCOS ARGÉLIA AMÉRICA DO SUL CHILE & COLÔMBIA. Condições de participação

MARÇO EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS NORTE DE ÁFRICA MARROCOS ARGÉLIA AMÉRICA DO SUL CHILE & COLÔMBIA. Condições de participação EXPORTAR NORTE DE ÁFRICA AMÉRICA DO SUL MARROCOS ARGÉLIA CHILE & COLÔMBIA Condições de participação CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO MERCADOS PARTIDA CHEGADA 1 Marrocos 23-03- 26-03- 2 Argélia 23-03- 26-03- 3

Leia mais

MINISTÉRIOS DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL E DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

MINISTÉRIOS DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL E DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO Diário da República, 2.ª série N.º 80 23 de Abril de 2008 18537 - Direcção -Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural; - Direcção -Geral dos Recursos Florestais; - Direcção Regional de Agricultura e

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO. CAPÍTULO I Disposições Comuns

REGULAMENTO INTERNO DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO. CAPÍTULO I Disposições Comuns REGULAMENTO INTERNO DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO CAPÍTULO I Disposições Comuns SECÇÃO I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto O presente regulamento procede

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara Superior de UF: DF Educação ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de: Filosofia, História,

Leia mais

Destino Turístico Porto e Norte de Portugal

Destino Turístico Porto e Norte de Portugal O Caminho Português de Santiago Novas Perspetivas `14 -`20 Destino Turístico Porto e Norte de Portugal Ponte de Lima, 30 setembro`14 Importância económica do Turismo. das indústrias mais importantes do

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA Boletim GESTÃO DE PESSOAS & RECURSOS HUMANOS IPEA, 13 de outubro de 2010 EXTRA Nº 2 OUTUBRO INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 385, DE 13 DE OUTUBRO DE 2010. Institui, no âmbito do IPEA,

Leia mais

CARTA AO PASTOR. O Instituto Haggai também zela pela qualidade do curso ao aplicar uma política constante de avaliação das aulas e dos docentes.

CARTA AO PASTOR. O Instituto Haggai também zela pela qualidade do curso ao aplicar uma política constante de avaliação das aulas e dos docentes. 2 CARTA AO PASTOR Prezado Pastor: Todo líder de uma organização cristã sente a necessidade de desenvolver outros líderes. Na verdade, todos os profissionais cristãos precisam ser desafiados à liderança

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Helena Ferreira (helena.ferreira@apcer.pt) Gestora de Desenvolvimento da APCER I. APRESENTAÇÃO DA APCER www.apcer.pt 1. Quem Somos Início de actividade

Leia mais

ibis budget institucional

ibis budget institucional ibis budget institucional July 02th 2013 Plano de Marketing & Comunicação 11 January novembre 23th 2013 2012 Plano institucional 360º Objetivo e principais ações A campanha 360º objetivos Lançar, por meio

Leia mais

Edital do XII Concurso de Projetos. Desenvolvimento Institucional das Organizações e Grupos de Mulheres e Meninas Negras no Nordeste do Brasil

Edital do XII Concurso de Projetos. Desenvolvimento Institucional das Organizações e Grupos de Mulheres e Meninas Negras no Nordeste do Brasil Edital do XII Concurso de Projetos Desenvolvimento Institucional das Organizações e Grupos de Mulheres e Meninas Negras no Nordeste do Brasil O ELAS, Fundo de Investimento Social, organização sediada no

Leia mais

Relatório detalhado do seminário: Qualidade e Certificação

Relatório detalhado do seminário: Qualidade e Certificação Curso: Gestão 2007/2008 2º Semestre Controlo de Qualidade Relatório detalhado do seminário: Qualidade e Certificação Docente: Discentes: Professor Doutor José Carlos Marques Ana Fernandes nº 2049007 Hugo

Leia mais

[resumo] - Mines et Industries. peças indispensáveis para a história económica JOSÉ M. BRANDÃO CARMEN CARVALHO

[resumo] - Mines et Industries. peças indispensáveis para a história económica JOSÉ M. BRANDÃO CARMEN CARVALHO JOSÉ M. BRANDÃO CARMEN CARVALHO ELIANA CASTRO [resumo] - Mines et Industries - Mines et Industries In: 1 peças indispensáveis para a história económica contemporânea cit. 63 Mines et Industries S.A., duas

Leia mais

Impactos na qualidade formativa

Impactos na qualidade formativa Impactos na qualidade formativa Da acreditação à certificação (principais alterações) Simplificação do regime Certificação sem prazo de validade Acompanhamento regular das entidades Pedidos de certificação

Leia mais

Fitness Against Doping Relatório intercalar principais resultados

Fitness Against Doping Relatório intercalar principais resultados Fitness Against Doping Relatório intercalar principais resultados The European Health and Fitness Association Rue Washington 40 B 1050 Bruxelles Belgium www.ehfa.eu Resultados Preliminares do Projecto

Leia mais

CONSELHO DE MINISTROS

CONSELHO DE MINISTROS CONSELHO DE MINISTROS Decreto n.º 35/02 de 28 de Junho Considerando a importância que a política comercial desempenha na estabilização económica e financeira, bem como no quadro da inserção estrutural

Leia mais

Regulamento Interno AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012. Introdução

Regulamento Interno AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012 Regulamento Interno Introdução A Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas é parte integrante do processo educativo

Leia mais

Prefeitura Municipal De Belém Secretaria Municipal de Finanças

Prefeitura Municipal De Belém Secretaria Municipal de Finanças DECRETO MUNICIPAL N 35416, DE 25 DE JUNHO DE 1999. 02/07/99. Regulamenta a Lei n 7.850,17 de Outubro de 1997, que dispõe sobre a concessão de incentivos fiscais para a realização de Projetos Culturais

Leia mais

Relatório Questionário on-line

Relatório Questionário on-line Associação Portuguesa dos Gestores e Técnicos dos Recursos Humanos Seminário: Novos Caminhos, Novos Desafios da Formação Certificada Relatório Questionário on-line Relatório 1. Introdução e Objectivos

Leia mais

Organização de Eventos

Organização de Eventos Organização de Eventos Página de Rosto Aluna: Tânia Marlene Silva Ano/ Turma: 12º ano do Curso Profissional Técnico de Secretariado Disciplina: Técnicas de Secretariado Modulo: 20 Organização de Eventos

Leia mais

Formação e Certificação

Formação e Certificação Formação e Certificação Requisitos de CPE para CIAs Editado por Giovani Ehrhardt*. Traduzido por Ana Clara Sebastião Macedo Ventura. Resumo: Este artigo visa esclarecer os requisitos obrigatórios da Formação

Leia mais

REGULAMENTO Mobilidade Macau

REGULAMENTO Mobilidade Macau Face à parceria estabelecida entre a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE) e o Instituto de Formação Turística em Macau (IFT Macau) no âmbito da qual são facultadas possibilidades de

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

Educação Física e Desporto Escolar ÍNDICE 1. OBJECTIVOS...2 2. PROGRAMA...3 3. PARTICIPANTES...7 4. ORÇAMENTO...9 5. CONCLUSÕES...

Educação Física e Desporto Escolar ÍNDICE 1. OBJECTIVOS...2 2. PROGRAMA...3 3. PARTICIPANTES...7 4. ORÇAMENTO...9 5. CONCLUSÕES... DIRECÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTO RELATÓRIO Região Autónoma dos Açores Secretaria Regional da Educação e Cultura Direcção Regional da Educação Física e Desporto SEMINÁRIO Educação Física

Leia mais

Capitulo 3. Organização, facturação e rede de contactos da empresa

Capitulo 3. Organização, facturação e rede de contactos da empresa Introdução A empresa que eu vou falar é a Delta Cafés uma empresa especializada na torre e comercialização de café, estando esta implementada no seu ramo à 50 anos e sendo também uma empresa portuguesa

Leia mais

CULTURA, HISTÓRIA E PATRIMÓNIO PILARES DO TURISMO NA REGIÃO CENTRO PORTUGAL

CULTURA, HISTÓRIA E PATRIMÓNIO PILARES DO TURISMO NA REGIÃO CENTRO PORTUGAL Colóquio PRAXIS III Relação Umbilical entre Turismo e Cultura Oportunidades e Desafios CULTURA, HISTÓRIA E PATRIMÓNIO PILARES DO TURISMO NA REGIÃO CENTRO PORTUGAL Pedro Machado ER Turismo Centro de Portugal

Leia mais

EUROPA, UM PATRIMÓNIO COMUM. Título: Solares de Portugal na Europa das Tradições

EUROPA, UM PATRIMÓNIO COMUM. Título: Solares de Portugal na Europa das Tradições EUROPA, UM PATRIMÓNIO COMUM Título: Solares de Portugal na Europa das Tradições Ponte de Lima, Janeiro de 2000 EUROPA, UM PATRIMÓNIO COMUM 1 - TÍTULO: Solares de Portugal na Europa das Tradições 2 AUTOR:

Leia mais

Gestão e preservação de documentos digitais

Gestão e preservação de documentos digitais Gestão e preservação de documentos digitais I Congresso Nacional de Arquivologia Brasília novembro 2004 Contexto Internacional Na década de 90, a comunidade arquivística internacional dá início aos primeiros

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL MÉXICO

MISSÃO EMPRESARIAL MÉXICO MISSÃO EMPRESARIAL MÉXICO Cidade do México - 27 a 31de Outubro de 2014 COM GARANTIA DE SUCESSO Saiba mais na pág. 5 MÉXICO O México, oficialmente Estados Unidos Mexicanos, é uma república constitucional

Leia mais

Pesquisa TIC Educação 2013

Pesquisa TIC Educação 2013 Pesquisa TIC Educação 2013 Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Escolas Brasileiras Apresentação dos principais resultados São Paulo, 15 de julho de 2014 CGI.br Comitê Gestor

Leia mais

Manual do agente de crédito Banco Solidario

Manual do agente de crédito Banco Solidario Manual do agente de crédito Banco Solidario Trechos relacionados a evitar o superendividamento dos clientes, traduzidos do espanhol A filosofia Viver Solidário pode ser aplicada a tudo na vida. Em nossa

Leia mais