Pesquisa CNT de Ferrovias 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pesquisa CNT de Ferrovias 2011"

Transcrição

1 Cresce o transporte de cargas nas ferrovias brasileiras As ferrovias brasileiras se consolidaram como uma alternativa eficiente e segura para o transporte de cargas. A, que traçou um panorama do transporte ferroviário no Brasil, faz uma análise dos 13 principais corredores de escoamento de cargas, comparando dados de 2006 a A quantidade de carga transportada pelo modal ferroviário saltou de 404,2 milhões de TU (toneladas úteis) em 2006 para 470,1 milhões de TU em 2010, o que representa um aumento de 16,3%. A produção ferroviária também cresceu no mesmo período, passando de 232,2 bilhões de TKU (toneladas por quilômetro útil) para 278,4 bilhões de TKU, o equivalente a um crescimento de 19,9%. Considerando o período entre 1997 e 2010, a movimentação total dos produtos pelas estradas de ferro cresceu 85,6%. Já a movimentação de carga geral cresceu 86,1% no mesmo período. O minério de ferro é o principal produto movimentado, com 71% do transporte ferroviário em 2010, seguido pelos produtos agrícolas, como soja e farelo de soja, açúcar, milho e carvão mineral. Atualmente, o sistema ferroviário brasileiro totaliza km de extensão e é composto por 12 malhas concedidas, sendo 11 à iniciativa privada, somando km. Investimentos A participação do capital privado nas ferrovias foi 18,5 vezes maior do que os investimentos públicos. De 1997 a 2010, as concessionárias investiram R$ 24 bilhões, enquanto no mesmo período os recursos aplicados pela União na malha somaram apenas R$ 1,3 bilhão. Comparando o ano de 2010 com o anterior, observa-se que os investimentos das concessionárias cresceram 17,7%, e os realizados pela União apresentaram queda de 8,6%. Os recursos foram aplicados na melhoria da via permanente, com foco na segurança, aquisição de locomotivas e vagões, bem como na recuperação da frota sucateada, herdada do processo de concessão, entre outros itens. Os 13 corredores A Pesquisa CNT de Ferrovias escolheu para análise os 13 corredores onde a movimentação de cargas é mais representativa no país. Eles têm importância estratégica para o escoamento da produção nacional e todos têm como destino final algum porto. O estudo foi dividido em duas etapas. Na primeira, foram avaliados os aspectos operacionais de cada ferrovia, como a produção ferroviária, carga embarcada, extensão, número de terminais, velocidade média comercial, tempo médio de percurso e peso médio por eixo de cada corredor, entre os anos de 2006 e

2 Na segunda fase, a pesquisa analisou a percepção dos principais clientes a respeito da qualidade dos serviços prestados pelas concessionárias. Foram 132 entrevistados. Mais de 50% classificaram de forma positiva o transporte ferroviário. Tempo de utilização da ferrovia Principais produtos Tempo de carga e descarga Conservação do material rodante Mais de 60% dos clientes utilizam há menos de 20 anos Além do minério de ferro (71%), soja/farelo, açúcar e milho. Produtos industrializados estão aumentando sua participação Mais de 75% dos clientes satisfeitos Em 6 dos 13 corredores, mais de 50% dos clientes consideraram as condições como boas Combinação rodoferroviária Foi citada por mais de 80% dos clientes Acidentes Após as concessões, entre 1997 e 2010, o número de acidentes caiu 78,7%. Em 2010, o índice médio de acidentes a cada um milhão de quilômetros percorridos foi de 16,1, contra 75,5 em O parâmetro internacional estabelece que o índice razoável fique entre 8 e 13 acidentes a cada um milhão de quilômetros percorridos. Pontos críticos Ainda há gargalos físicos e operacionais que limitam o desempenho das ferrovias e precisam ser sanados. As invasões de faixa de domínio ocorridas desde a época da extinta Rede Ferroviária Federal (RFFSA) são um dos piores problemas. Causam prejuízos ao sistema, pois fazem com que os trens reduzam bruscamente a velocidade, de 40 km/h até 5 km/h. As consequências vão desde o desgaste das locomotivas, aumento do consumo de combustível e da poluição até a ocorrência de acidentes e roubo de cargas. Há pelo menos 355 invasões de faixa de domínio no país. Conforme os dados do Prosefer (Programa Nacional de Segurança Ferroviária em Áreas Urbanas), há passagens em nível urbanas (cruzamento de ruas com a linha do trem), das quais 279 são consideradas críticas. Conclusão Após as concessões, houve um grande avanço do modal ferroviário brasileiro em termos de crescimento nos investimentos privados, produção, movimentação de cargas transportadas e redução do índice de acidentes. Entretanto, ainda é necessário ampliar a capacidade dos investimentos públicos e aumentar a densidade da malha ferroviária. Para que o setor se desenvolva, a CNT recomenda a implantação dos projetos ferroviários sugeridos no Plano CNT de Transporte e Logística 2011, totalizando o investimento de R$ 151,3 bilhões. Assessoria de imprensa da CNT: (61) / / 2

3 Principais dados Concessionárias ALL (América Latina Logística Malha Norte S.A.) ALL (América Latina Logística Malha Oeste S.A.) ALL (América Latina Logística Malha Paulista S.A.) ALL (América Latina Logística Malha Sul S.A.) Ferrovia Centro-Atlântica S.A. (FCA) Ferrovia Tereza Cristina S.A. (FTC) MRS Logística S.A. Transnordestina Logística S.A. (TLSA) Ferrovia Norte-Sul Vale S.A. Números R$ 24 bilhões de investimentos da iniciativa privada, entre 1997 e 2010 R$ 1,3 bilhão da União no mesmo período 11 concessões do transporte ferroviário de cargas 13 corredores avaliados 132 clientes entrevistados 355 invasões da faixa de domínio passagens em nível urbanas (279 críticas) R$ 151,3 bilhões é o valor indicado pelo Plano CNT de Transporte e Logística, para investimento nas ferrovias 3

4 km de infraestrutura por 1000 km área Densidade do transporte ferroviário 22,9 19,5 13,3 9,4 9,0 8,7 5,1 5,0 4,7 3,5 EUA Índia Argentina Chile China México Rússia Austrália Canadá Brasil investimentos realizados após a concessão (R$ Milhões) Investimentos das Concessionárias Investimentos da União Previsão das Concessionárias para 2011 Nota: Os valores monetários se referem a preços correntes; O ano de 1997 contém os investimentos de Movimentação de cargas transportadas pelas concessionárias ferroviárias (Milhões de TU) 85,6% 253,3 259,3 256,0 67,2 73,8 72,9 186,1 185,5 183,1 288,1 291,6 80,9 91,7 207,2 199,9 315,8 98,0 217,8 336,4 99,4 237,0 368,3 386,0 101,8 117,4 266,5 268,6 404,2 100,6 303,6 445,2 450,5 106,9 112,0 338,3 338,5 395,5 99,5 296,0 470,1 125,0 345,1 530, ,7% Minério de Ferro e Carvão Mineral Carga Geral Previsão das concessionárias para

5 Sistema Ferroviário do Brasil 5

6 CORREDORES FERROVIÁRIOS 1. São Luís: conecta Carajás (PA) e Colinas (TO) ao Terminal Marítimo de Ponta da Madeira e ao Porto de Itaqui, em São Luís (MA). Trechos da EFC e da FNS (pág. 50) 2. Intrarregional Nordeste: interliga portos do Nordeste: Itaqui (MA), Pecém (CE), Mucuripe (CE), Cabedelo (PB), Recife (PE) e Suape (PE). Operado pela TLSA (pág. 53) 3. Vitória: liga os municípios de Anápolis (GO) e Brasília (DF) aos portos de Tubarão, Praia Mole e Vitória, todos no Espírito Santo. Abrange trechos das malhas ferroviárias da FCA e da EFVM (pág. 58) 4. Centro-Oeste - São Paulo: inicia-se em Anápolis (GO) e Brasília (DF), percorrendo os Estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo, com destino ao Porto de Santos (SP). Esse corredor é operado pela FCA e ALL Malha Paulista (pág. 62) 5. São Paulo - Nordeste: inicia-se na Estação de Boa Vista Nova, em Campinas (SP), percorrendo Belo Horizonte (MG), Uberaba (MG), Montes Claros (MG) e Camaçari (BA), até o Terminal Marítimo Inácio Barbosa, em Aracajú (SE). Operado pela FCA (pág. 66) 6. Rio de Janeiro - Belo Horizonte: de Juiz de Fora (MG), segue até Jeceaba (MG), subdividindo-se em duas vias férreas paralelas até a Barra do Piraí (RJ). Seguem os trechos que possibilitam o acesso aos portos de Ilha de Guaíba, Itaguaí e Rio de Janeiro, todos no Estado do Rio de Janeiro. É operado pela MRS (pág. 70) 7. Rio de Janeiro - São Paulo: inicia-se em dois trechos, em Pederneiras (SP) e Alumínio (SP), unificando-se no Terminal de Boa Vista Nova, em Campinas (SP). Segue com destino aos portos de Ilha de Guaíba, Itaguaí e Rio de Janeiro, no Estado do Rio de Janeiro. É operado pela MRS e ALL Malha Paulista (pág. 74) 8. Santos (bitola larga): interliga Alto Araguaia (MT) ao Porto de Santos (SP). Abrange as malhas da ALL Malha Paulista, ALL Malha Norte e MRS (pág Corumbá - Santos (bitola estreita): conecta Corumbá (MS) ao Porto de Santos (SP). É operado pela ALL Malha Paulista e ALL Malha Oeste (pág. 83) 10. Paranaguá: totalmente inserido no Paraná. Liga Maringá, Londrina e Guarapuava ao Porto de Paranaguá. É operado em sua totalidade pela ALL Malha Sul (pág. 86) 11. São Francisco do Sul: inicia-se em Londrina (PR) e Maringá (PR), percorrendo Paraná e Santa Catarina, seguindo para o Porto de São Francisco do Sul (SC). É operado pela ALL Malha Sul (pág. 90) 12. Rio Grande: inserido no Rio Grande do Sul. Interliga Cruz Alta, Santa Maria e Cacequi ao Porto de Rio Grande. É operado pela ALL Malha Sul (pág. 93) 13. Imbituba: conecta Criciúma (SC) e Capivari de Baixo (SC) ao Porto de Imbituba. É operado pela FTC (pág. 96) 6

7 Alguns dos principais dados avaliados nos corredores Produção e movimentação de cargas Velocidade operacional Satisfação em relação ao tempo de carga e descarga Serviço de coleta e entrega de mercadorias Condições de conservação e limpeza dos vagões Segurança e integridade do transporte Nível de comunicação e disponibilização de informações Problemas e soluções Invasões na faixa de domínio: viabilizar a alienação de imóveis não-operacionais da extinta RFFSA, propor soluções para o reassentamento da população que se encontra na faixa de domínio e parcerias entre a Secretaria de Portos (SEP), Ministério das Cidades, prefeituras e concessionárias ferroviárias para solucionar as ocupações irregulares. Passagens em nível críticas: implementação de um programa específico de obras nos cruzamentos entre rodovias e ferrovias, viabilizando recursos físicos e financeiros, bem como consideração de soluções integradas, variantes e contornos ferroviários. Gargalos logísticos e operacionais: obras de infraestrutura para a retificação de diversos trechos críticos, obras de variantes, desvios, contornos e novos acessos aos portos, reduzindo as interferências entre as ferrovias e a comunidade. Projetos ferroviários do Plano CNT de Transporte e Logística 2011 Projetos Projetos de Integração Nacional Categoria Construção de Ferrovia Duplicação de Ferrovia Eliminação de Gargalos N. de Intervenções Extensão / Quantidade R$ Bilhões km 59, km 5, un 0,52 Recuperação de Ferrovia km 11,32 Projetos Urbanos Construção de Metrô, Trem Urbano, VLT ou Monotrilho Aquisição e Melhoria de Material Rodante Construção do trem de alta velocidade (TAV) km 56, un 0, km 17,03 TOTAL ,25 7

IV Brasil nos Trilhos

IV Brasil nos Trilhos IV Brasil nos Trilhos Crescimento do Setor Ferroviá Bruno Batista Diretor Executivo CNT Brasília, 11 de agosto de 2010. Objetivos da Pesquisa Identificar as alterações ocorridas no setor nos últimos anos

Leia mais

PESQUISA FERROVIÁRIA CNT 2006

PESQUISA FERROVIÁRIA CNT 2006 PESQUISA FERROVIÁRIA CNT 2006 1. Introdução 2. Sistema Ferroviário no Brasil 3. Avaliação dos Principais Corredores Ferroviários 4. Avaliação do Nível de Serviço 5. Conclusões Objetivos Identificar as

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL: Avanços e investimentos pós-concessões

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL: Avanços e investimentos pós-concessões Miguel Andrade Comitê de Planejamento da ANTF São Paulo, 12 de maio de 2011 TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL: Avanços e investimentos pós-concessões www.antf.org.br Associadas ANTF Malhas Sul,

Leia mais

CONCESSÕES FERROVIÁRIAS WORKSHOP ABDE CENTRO-OESTE

CONCESSÕES FERROVIÁRIAS WORKSHOP ABDE CENTRO-OESTE CONCESSÕES FERROVIÁRIAS WORKSHOP ABDE CENTRO-OESTE NOVEMBRO/2011 CONCESSÕES FERROVIÁRIAS ATUAIS FERROVIA km ALL - Malha Oeste (ex - NOVOESTE) 1.945 Ferrovia Centro-Atlântica S.A. - FCA 8.066 MRS Logística

Leia mais

Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011

Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011 Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011 Resultados positivos dos quinze anos de concessões ferroviárias comprovam a importância das ferrovias para o desenvolvimento do País Crescimento de

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL Rodrigo Vilaça Presidente-Executivo da ANTF Rio de Janeiro, 23 de Agosto de 2013. Malhas Sul, Oeste, Norte e Paulista www.all-logistica.com Ferrovia Norte Sul

Leia mais

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV. Aula 3 SISTEMA FERROVIÁRIO BRASILEIRO. Superestrutura de Ferrovias

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV. Aula 3 SISTEMA FERROVIÁRIO BRASILEIRO. Superestrutura de Ferrovias Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV CIV 259 Aula 3 SISTEMA FERROVIÁRIO BRASILEIRO Malha Ferroviária Brasileira Transporte Ferroviário O sistema ferroviário brasileiro totaliza 29.706

Leia mais

Superintendência de Serviços de Transporte de Cargas SUCAR Gerência de Transporte Ferroviário de Cargas - GEFER EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

Superintendência de Serviços de Transporte de Cargas SUCAR Gerência de Transporte Ferroviário de Cargas - GEFER EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Superintendência de Serviços de Transporte de Cargas SUCAR Gerência de Transporte Ferroviário de Cargas - GEFER EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Brasília, agosto de 2012 Apresentação A Agência Nacional

Leia mais

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm ESTUDO DA CNT APONTA QUE INFRAESTRUTURA RUIM AUMENTA CUSTO DO TRANSPORTE DE SOJA E MILHO As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm impacto significativo na movimentação

Leia mais

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Superintendência de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas SUFER Gerência de Regulação e Outorga de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Carga - GEROF EVOLUÇÃO

Leia mais

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF São Paulo, dia 11 de maio de 2010 MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Fórum de Transporte Multimodal de Cargas Os entraves na Multimodalidade e a Competitividade Associação

Leia mais

Processo Brasileiro de Privatização dos Modais de Transporte

Processo Brasileiro de Privatização dos Modais de Transporte Processo Brasileiro de Privatização dos Modais de Transporte Prof. Manoel de Andrade e Silva Reis - FGV 1 Sumário Matriz Brasileira de Transportes Características do Sistema Logístico Brasileiro O Plano

Leia mais

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL DE 2012

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL DE 2012 BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL DE 2012 Rodrigo Vilaça Presidente-Executivo da ANTF São Paulo, 03 de Abril de 2013 Malhas Sul, Oeste, Norte e Paulista www.all-logistica.com Ferrovia

Leia mais

Amapá 2,1. Pará 46,2. Ceará 25,4 Pernambuco 22,3. Maranhão 17,4. Roraima 3,7. Tocantins 19,7. Rio Grande do Norte 7,5. Piauí 9,9.

Amapá 2,1. Pará 46,2. Ceará 25,4 Pernambuco 22,3. Maranhão 17,4. Roraima 3,7. Tocantins 19,7. Rio Grande do Norte 7,5. Piauí 9,9. INFRAESTRUTURA Valores de investimentos sugeridos pelo Plano CNT de Transporte e Logística 2014 em todos os Estados brasileiros, incluindo os diferentes modais (em R$ bilhões) Tocantins 19,7 Roraima 3,7

Leia mais

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS - 2010

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS - 2010 Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF Brasília, 22 de Fevereiro de 2011 BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS - Coletiva de Imprensa ANTF - Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários

Leia mais

Bruno Batista Diretor Executivo da CNT Brasília, Abril de 2009

Bruno Batista Diretor Executivo da CNT Brasília, Abril de 2009 Gargalos no Sistema de Transporte de Cargas no Brasil Bruno Batista Diretor Executivo da CNT Brasília, Abril de 2009 Panorama do Transporte Composição da Matriz de Transportes comparação outros países

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL As Concessionárias do Transporte Ferroviário de Carga Rodrigo Vilaça Presidente-Executivo da ANTF Brasília, 31 de Julho de 2013. Malhas Sul, Oeste, Norte e Paulista

Leia mais

ENTRAVES NO SETOR DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO

ENTRAVES NO SETOR DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO ENTRAVES NO SETOR DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO 1 INTRODUÇÃO A ANTF Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários congrega oito empresas Concessionárias prestadoras dos serviços públicos de transporte

Leia mais

Agenda. A Vale Logística da Vale. Números Corredores Logísticos. Novos Corredores. FNS Noroeste de MG

Agenda. A Vale Logística da Vale. Números Corredores Logísticos. Novos Corredores. FNS Noroeste de MG Agenda A Vale Logística da Vale Números Corredores Logísticos Novos Corredores FNS Noroeste de MG A Vale Milhares de empregados da Vale participam intensamente do dia-a-dia de mais de 500 comunidades ao

Leia mais

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral Vale no Maranhão AGENDA A Vale O Maior Projeto de Logística da America Latina - Exportação de Minério - Logística da Vale de Carga Geral A Vale no Mundo A Vale tem operações mineradoras, laboratórios de

Leia mais

Artigo publicado. na edição 47. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. Julho e Agosto de 2015

Artigo publicado. na edição 47. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. Julho e Agosto de 2015 Artigo publicado na edição 47 Assine a revista através do nosso site Julho e Agosto de 2015 www.revistamundologistica.com.br :: artigo Panorama do transporte ferroviário no Brasil Desafios e oportunidades

Leia mais

Apoio do BNDES ao Setor Ferroviário

Apoio do BNDES ao Setor Ferroviário Seminário Nacional IV Brasil nos Trilhos Apoio do BNDES ao Setor Ferroviário Nelson Siffert Área de Infraestrutura Brasília -Agosto/2010 O BNDES Evolução dos Ativos 386,6 R$ bilhões 277 151 152 164 175

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE FERROVIÁRIO OUTUBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS O transporte ferroviário responde por 20,7% do transporte de cargas no Brasil e por 0,5% do transporte

Leia mais

INFRAESTRUTURA FERROVIÁRIA BRASILEIRA

INFRAESTRUTURA FERROVIÁRIA BRASILEIRA Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo ANTF São Paulo, 06 de Novembro de 2010 INFRAESTRUTURA FERROVIÁRIA BRASILEIRA Perspectivas Logísticas, Competitividade e Sustentabilidade IV Encontro de Logística Mackenzie

Leia mais

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS DE 2011

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS DE 2011 Rodrigo Vilaça Presidente-Executivo da ANTF Brasília, 17 de maio de 2012 Audiência Pública Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS DE 2011 Associação

Leia mais

TRANSPORTES: REDES MATERIAIS

TRANSPORTES: REDES MATERIAIS TRANSPORTES: REDES MATERIAIS TRANSPORTES desenvolvimento da tecnologia e a busca de economia de energia e tempo criação de equipamentos para transportar grandes volumes de carga e menor gasto de energia;

Leia mais

O Círculo Vicioso da Instabilidade Política e a Necessidade de Planejamento Estratégico de Longo Prazo

O Círculo Vicioso da Instabilidade Política e a Necessidade de Planejamento Estratégico de Longo Prazo O Círculo Vicioso da Instabilidade Política e a Necessidade de Planejamento Estratégico de Longo Prazo Figura importada dos relatórios do PPIAF - Public Private Infrastructure Advisory Facility (http://www.ppiaf.org/)

Leia mais

DISCIPLINA: DOWNSTREAM TRANSPORTE Prof. Mauro Ferreira

DISCIPLINA: DOWNSTREAM TRANSPORTE Prof. Mauro Ferreira DISCIPLINA: DOWNSTREAM TRANSPORTE Prof. Mauro Ferreira CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Iniciaremos aqui mais um desenvolvimento de segmento da Indústria de Petróleo e Gás, DOWNSTREAM TRANSPORTE, no que se refere

Leia mais

1 Súmula Empresarial. Consultoria. Tempo de Atuação: 18 anos

1 Súmula Empresarial. Consultoria. Tempo de Atuação: 18 anos Logística de Transportes e Gestão de Ativos Consultoria, Engenharia e Soluções de TI PERFIL EMPRESARIAL 1 Súmula Empresarial Tempo de Atuação: 18 anos Sede: : Rua da Quitanda, 52 sala 601 Centro Rio de

Leia mais

CÂMARA DE COMÉRCIO ARGENTINO BRASILEIRA. Palestra Logística Ferroviária. Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 09 de dezembro de 2014

CÂMARA DE COMÉRCIO ARGENTINO BRASILEIRA. Palestra Logística Ferroviária. Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 09 de dezembro de 2014 CÂMARA DE COMÉRCIO ARGENTINO BRASILEIRA Palestra Logística Ferroviária Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 09 de dezembro de 2014 ABIFER, há mais de 37 anos ABIFER NOSSA MISSÃO Fomentar o crescimento

Leia mais

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte LOGÍSTICA O Sistema de Transporte O TRANSPORTE 1. Representa o elemento mais importante do custo logístico; MODALIDADE (UM MEIO DE TRANSPORTE) MULTIMODALIDADE (UTILIZAÇÃO INTEGRADA DE MODAIS) Tipos de

Leia mais

DECONCIC GRUPO DE TRABALHO RESPONSABILIDADE COM O INVESTIMENTO

DECONCIC GRUPO DE TRABALHO RESPONSABILIDADE COM O INVESTIMENTO DECONCIC GRUPO DE TRABALHO RESPONSABILIDADE COM O INVESTIMENTO Soluções para interferências na execução de obras ferroviárias Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 7 de julho de 2014 ABIFER,

Leia mais

O TRANSPORTE FERROVIÁRIO NO CONTEXTO DA INTERMODALIDADE

O TRANSPORTE FERROVIÁRIO NO CONTEXTO DA INTERMODALIDADE Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF Uberlândia, 3 de março de 2008. O TRANSPORTE FERROVIÁRIO NO CONTEXTO DA INTERMODALIDADE Fórum Excelência Brasil Central Associadas da ANTF Malhas da ALL, Ferroban,

Leia mais

O Papel do Governo no Transporte Ferroviário. Atuação do Ministério dos Transportes

O Papel do Governo no Transporte Ferroviário. Atuação do Ministério dos Transportes O Papel do Governo no Transporte Ferroviário Atuação do Ministério dos Transportes Brasília, 11 de agosto de 2010 Paulo Sérgio Passos Ministro dos Transportes Um momento especial 2010 tem sido um ano de

Leia mais

PESQUISA FERROVIÁRIA CNT 2006 RELATÓRIO ANALÍTICO

PESQUISA FERROVIÁRIA CNT 2006 RELATÓRIO ANALÍTICO PESQUISA FERROVIÁRIA CNT 2006 RELATÓRIO ANALÍTICO Pesquisa Ferroviária CNT 2006. Brasília: Confederação Nacional do Transporte, 2007. 132 p. : il. ; 30 cm. 1. Ferrovias Brasil. 2. Transporte ferroviário

Leia mais

4 INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NA REGIÃO CENTRO-SUL

4 INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NA REGIÃO CENTRO-SUL 94 4 INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NA REGIÃO CENTRO-SUL Nos capítulos anteriores foi apresentado o produto a ser tratado, suas principais regiões produtoras, suas perspectivas de crescimento, sua logística

Leia mais

ALL. UMA MULTINACIONAL BRASILEIRA

ALL. UMA MULTINACIONAL BRASILEIRA ALL. UMA MULTINACIONAL BRASILEIRA 13 ANOS DE ALL Março de 1997 Início das atividades Privatização Malha Sul Julho de 2001 Aquisição da Delara Consolidação Logística Maio de 2006 Aquisição da Brasil Ferrovias

Leia mais

Seminário Transporte para o Comércio e Integração Regional. CNI-BID Brasília-DF, 01/10/08. Logística Integrada André Ravara

Seminário Transporte para o Comércio e Integração Regional. CNI-BID Brasília-DF, 01/10/08. Logística Integrada André Ravara Seminário Transporte para o Comércio e Integração Regional CNI-BID Brasília-DF, 01/10/08 Logística Integrada André Ravara A Vale Milhares de empregados da Vale participam intensamente do dia-a-dia de mais

Leia mais

Impactos dos investimentos previstos no PIL 2015 nos corredores logístico de exportação. Apoio

Impactos dos investimentos previstos no PIL 2015 nos corredores logístico de exportação. Apoio Impactos dos investimentos previstos no PIL 2015 nos corredores logístico de exportação Apoio s previstos no PIL 2015 no Corredor Logístico Centro-Norte s estimados em R$ 29,5bilhões com o PIL 2015 Rodovias

Leia mais

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Câmara de Comércio Brasil-Argentina Julho de 2015 Guilherme Alvisi Gerente Geral de Negócios Carga Geral GUILHERME ALVISI Gerente Geral

Leia mais

Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados. Setembro 2011 Paulo Fleury

Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados. Setembro 2011 Paulo Fleury Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados Setembro 2011 Paulo Fleury Agenda Infraestrutura Logística Brasileira PAC: Investimentos e Desempenho PAC: Investimentos e Desempenho Necessidade

Leia mais

MRS Logística S.A. 180

MRS Logística S.A. 180 MRS Logística S.A. 180 11 MRS - MRS LOGÍSTICA S.A. 11.1 Informações Gerais da Ferrovia A MRS Logística S.A. obteve a concessão da Malha Sudeste, pertencente à Rede Ferroviária Federal S.A., no leilão realizado

Leia mais

O RUMO E OS NÚMEROS DO SETOR DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO

O RUMO E OS NÚMEROS DO SETOR DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF Brasília, 22 de março de 2011 O RUMO E OS NÚMEROS DO SETOR DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO MAPA: 12ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Soja www.antf.org.br

Leia mais

Originalmente projetada para se constituir no principal vetor de desenvolvimento dos Estados do Maranhão, Tocantins e Goiás. Extensão de 1.

Originalmente projetada para se constituir no principal vetor de desenvolvimento dos Estados do Maranhão, Tocantins e Goiás. Extensão de 1. Originalmente projetada para se constituir no principal vetor de desenvolvimento dos Estados do Maranhão, Tocantins e Goiás. PORTO DE ITAQUI/MA AÇAILÂNDIA/MA Extensão de 1.550 km; Açailândia/MA Goiânia/GO;

Leia mais

PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO. IV Brasil nos Trilhos. Maurício Muniz Brasília, 11/08/2010 FERROVIAS

PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO. IV Brasil nos Trilhos. Maurício Muniz Brasília, 11/08/2010 FERROVIAS PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO IV Brasil nos Trilhos Maurício Muniz Brasília, 11/08/2010 FERROVIAS INVESTIMENTOS DA UNIÃO 2000-2010* (RAP + Pago) R$ milhões 2.500 904 998 125 133 112 57 133 279

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGA:

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGA: Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF Brasília, 08 de julho de 2008. TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGA: Inovação Tecnológica e a Importância da Infra-Estrutura Câmara dos Deputados: Seminário Propostas

Leia mais

TRANSPORTE TRENS REGIONAIS

TRANSPORTE TRENS REGIONAIS TRANSPORTE TRENS REGIONAIS Eng. Peter Alouche Consultor de Transporte São Paulo 08/05/2014 Claude Monet É DA JANELA DO TREM RODANDO A 80 KM POR HORA QUE NASCEU NO SÉCULO XIX A PINTURA IMPRESSIONISTA Camille

Leia mais

Nos trilhos do progresso

Nos trilhos do progresso Nos trilhos do progresso brasil: polo internacional de investimentos e negócios. Um gigante. O quinto maior país do mundo em extensão e população e o maior da América Latina, onde se destaca como a economia

Leia mais

EFVM - Estrada de Ferro Vitória a Minas 157

EFVM - Estrada de Ferro Vitória a Minas 157 EFVM - Estrada de Ferro Vitória a Minas 157 10 EFVM ESTRADA DE FERRO VITÓRIA A MINAS 10.1 Informações Gerais da Ferrovia A Companhia Vale do Rio Doce - CVRD recebeu em 27/06/97, por meio de contrato firmado

Leia mais

A Ferrovia Centro Atlântica no Estado da Bahia 06/12/2010

A Ferrovia Centro Atlântica no Estado da Bahia 06/12/2010 A Ferrovia Centro Atlântica no Estado da Bahia 06/12/2010 Agenda Ferrovia Centro-Atlântica Visão Geral da FCA FCA na Bahia: - Transporte - Estações de Alagoinhas - Imóveis e áreas em Juazeiro - Iniciativas

Leia mais

Fonte: Banco Mundial. Elaboração: Folha de S. Paulo

Fonte: Banco Mundial. Elaboração: Folha de S. Paulo SEAERJ - 22/10/15 Fonte: Banco Mundial. Elaboração: Folha de S. Paulo Malha Ferroviária Brasileira de Cargas (existente em 2012) Extensão da Malha 28.831 km Bitola Larga 5.430 km Bitola Estreita 23.924

Leia mais

7 ALL América Latina Logística S.A.

7 ALL América Latina Logística S.A. 7 ALL América Latina Logística S.A. Este capítulo irá abordar as características operacionais da Empresa ALL América Latina Logística S.A., cujas principais atividades encontram-se na região do Sul de

Leia mais

MATRIZ DE TRANSPORTE COM FOCO NAS FERROVIAS

MATRIZ DE TRANSPORTE COM FOCO NAS FERROVIAS MATRIZ DE TRANSPORTE COM FOCO NAS FERROVIAS Matriz de Transportes do Brasil Aquaviário Rodoviário Ferroviário Dutoviário e Aéreo 58% 25% 4% 13% Fonte: PNLT Matriz de Transportes Comparada Ferroviário Rodoviário

Leia mais

Categoria: Construção de Ferrovia

Categoria: Construção de Ferrovia Projeto 015 : Construção do contorno ferroviário de São Francisco do Sul E2 Ferroviária LOCALIZAÇÃO: São Francisco do Sul - SC INTERVENÇÃO: Construção Categoria: Construção de Ferrovia EXTENSÃO/QUANTIDADE/VOLUME:

Leia mais

Ministério dos Transportes. Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária

Ministério dos Transportes. Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Paulo Sérgio Passos Ministro de Estado dos Transportes Brasília, 16.07.2014 Brasil e China: Economias Complementares China

Leia mais

Seminário Logística e Infraestrutura APIMEC-RIO

Seminário Logística e Infraestrutura APIMEC-RIO Seminário Logística e Infraestrutura APIMEC-RIO Os investimentos da Logística de Carga Geral da Vale Fabiano Lorenzi Rio de Janeiro RJ, 30/05/12 A Vale tem operações mineradoras, laboratórios de pesquisa,

Leia mais

TRANSPORTE PARA O COMÉRCIO E A INTEGRAÇÃO REGIONAL:

TRANSPORTE PARA O COMÉRCIO E A INTEGRAÇÃO REGIONAL: Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF Brasília, 1 de outubro de 2008. TRANSPORTE PARA O COMÉRCIO E A INTEGRAÇÃO REGIONAL: Setor Ferroviário de Cargas Seminário CNI e BID Associadas da ANTF Malhas da

Leia mais

Aplicações Móveis em Ferrovias: Aumento de Produtividade e Inclusão Social

Aplicações Móveis em Ferrovias: Aumento de Produtividade e Inclusão Social Aplicações Móveis em Ferrovias: Aumento de Produtividade e Inclusão Social Apesar de todos os avanços implementados nos serviços e na rede ferroviária brasileira, podemos notar problemas que impedem a

Leia mais

Afirmações sobre o Futuro

Afirmações sobre o Futuro 1 2 Afirmações sobre o Futuro Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam ocasionar variações materiais entre os resultados,

Leia mais

Ministério dos Transportes

Ministério dos Transportes Ministério dos Transportes Engenharia, Construções e Ferrovias S.A. FERROVIA NORTE SUL TRAMO SUL ESTUDOS OPERACIONAIS Revisão Dezembro 2008 Volume 1 Texto PROJETO OPERACIONAL DA FERROVIA NORTESUL TRAMO

Leia mais

ASPECTOS DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL SOB A ÓTICA DA LOGÍSTICA. J. G. VANTINE Campinas, 10 de Novembro de 2010

ASPECTOS DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL SOB A ÓTICA DA LOGÍSTICA. J. G. VANTINE Campinas, 10 de Novembro de 2010 ASPECTOS DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL SOB A ÓTICA DA LOGÍSTICA J. G. VANTINE Campinas, 10 de Novembro de 2010 1 GASES DE EFEITO ESTUFA Fonte: Cetesb / Fiesp 2 GEE POR SETOR Fonte: Cetesb / Fiesp 3 EMISSÕES

Leia mais

A Vale no Maranhão. A Vale no Maranhão

A Vale no Maranhão. A Vale no Maranhão A Vale no Maranhão A Vale no Maranhão Estamos presentes em mais de 38 países Geramos mais de 174 mil empregos no mundo Além de minérios, atuamos na área de fertilizantes e nos segmentos de logística, energia

Leia mais

Ministério dos Transportes

Ministério dos Transportes Ministério dos Transportes DNIT Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes Eng. Luiz Guilherme Rodrigues de Mello, Dsc. Ministério dos Transportes DNIT VALEC ANTT EPL CODOMAR Ministério dos

Leia mais

24º Fórum de Debates Brasilianas.org

24º Fórum de Debates Brasilianas.org Transportes 24º Fórum de Debates Brasilianas.org Os desafios da logística e infraestrutura Marcos regulatórios e entraves burocráticos Reginaldo Cardoso São Paulo, 30 de Maio de 2012 Deutsche Post - DHL

Leia mais

Rio Grande do Sul Santa Catarina Paraná São Paulo Bitola 1,00 m 1,0m / 1,44 m Total. AFE Administracion de Ferrocarriles del Estado - Uruguai

Rio Grande do Sul Santa Catarina Paraná São Paulo Bitola 1,00 m 1,0m / 1,44 m Total. AFE Administracion de Ferrocarriles del Estado - Uruguai 3.1 ALL América Latina Logística do Brasil S.A. 3.1.1 Informações Gerais da Ferrovia A ALL - América Latina Logística do Brasil S.A., anteriormente denominada Ferrovia Sul Atlântico S.A. obteve a concessão

Leia mais

PERSPECTIVAS DO SETOR FERROVIÁRIO DE CARGAS

PERSPECTIVAS DO SETOR FERROVIÁRIO DE CARGAS Rodrigo Vilaça Presidente-Executivo da ANTF São Paulo, 19 de Agosto de 2011 PERSPECTIVAS DO SETOR FERROVIÁRIO DE CARGAS PAINEL V: SISTEMAS DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA DE COMERCIO EXTERIOR - GARGALOS E SOLUÇÕES

Leia mais

Navegação de Cabotagem

Navegação de Cabotagem Reunião Conjunta Câmaras Setoriais da Cadeia Produtiva de Milho e Sorgo e da Cadeia Produtiva de Aves e Suínos Identificação das formas de movimentação dos excedentes de milho no Brasil Navegação de Cabotagem

Leia mais

Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária

Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Francisco Luiz Baptista da Costa Brasília, 16.07.2014 Ferrovias Expansão da Malha Santarém Barcarena Miritituba Pecém Açailândia

Leia mais

FERROVIAS. Dimensionamento do Potencial de Investimentos do Setor Ferroviário. Leandro Badini Villar Dalmo dos Santos Marchetti*

FERROVIAS. Dimensionamento do Potencial de Investimentos do Setor Ferroviário. Leandro Badini Villar Dalmo dos Santos Marchetti* FERROVIAS Dimensionamento do Potencial de Investimentos do Setor Ferroviário Leandro Badini Villar Dalmo dos Santos Marchetti* * Respectivamente, contador e gerente do Departamento de Transportes e Logística

Leia mais

VALEC PROJETO OPERACIONAL DA FERROVIA NORTE-SUL VOLUME 1 PRELIMINAR REVISÃO FINAL JULHO DE 2007

VALEC PROJETO OPERACIONAL DA FERROVIA NORTE-SUL VOLUME 1 PRELIMINAR REVISÃO FINAL JULHO DE 2007 PROJETO OPERACIONAL DA FERROVIA NORTESUL PRELIMINAR REVISÃO FINAL JULHO DE 2007 VOLUME 1 : Desenvolvimento Sustentável para o Cerrado Brasileiro Í N D I C E 1.0 Introdução 7 Parte A Estabelecimento dos

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL Estudo realizado com 259 empresas; Faturamento das empresas pesquisadas representando mais de 30% do PIB brasileiro; O objetivo principal é mapear e avaliar a importância

Leia mais

A infraestrutura de transporte ferroviário como fator de desenvolvimento Marcus Quintella, D.Sc.

A infraestrutura de transporte ferroviário como fator de desenvolvimento Marcus Quintella, D.Sc. A infraestrutura de transporte ferroviário como fator de desenvolvimento Marcus Quintella, D.Sc. Consultor em transportes da FGV Projetos Professor e Coordenador Acadêmico da FGV Management Marcus.Quintella@fgv.br

Leia mais

MRS, uma Ferrovia com Selo ISO de Qualidade

MRS, uma Ferrovia com Selo ISO de Qualidade MRS, uma Ferrovia com Selo ISO de Qualidade Maio 2009 Por que o Conteiner não vai mais longe na Ferrovia? Painel Ferrovias Contexto Ferrovias - Brasil 11 malhas concedidas à iniciativa privada totalizam

Leia mais

PLANO DE INVESTIMENTOS. Abril 2015

PLANO DE INVESTIMENTOS. Abril 2015 PLANO DE INVESTIMENTOS Abril 2015 Disclaimer 2 Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia e oportunidades de crescimento futuro. Essas informações

Leia mais

Contrato de Concessão de Colaboração Financeira Não Reembolsável nº. 09.2.0408.1 firmado entre o BNDES e as empresas citadas abaixo:

Contrato de Concessão de Colaboração Financeira Não Reembolsável nº. 09.2.0408.1 firmado entre o BNDES e as empresas citadas abaixo: 1 Este trabalho foi realizado com recursos do Fundo de Estruturação de Projetos do BNDES (FEP), no âmbito da Chamada Pública BNDES/FEP nº 02/2008. Disponível em http://www.bndes.gov.br PESQUISAS E ESTUDOS

Leia mais

MONITORAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS. Roberta Thees* Artur Furtado

MONITORAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS. Roberta Thees* Artur Furtado MONITORAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS Roberta Thees* Artur Furtado A MRS LOGÍSTICA A MRS atua no transporte ferroviário de cargas desde 1996, operando e monitorando a malha sudeste da Rede Ferroviária Federal.

Leia mais

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013 QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL Agosto de 2013 PRINCIPAIS CADEIAS PRODUTIVAS Soja, milho e bovinos AGROPECUÁRIA AÇÚCAR E ÁLCOOL Soja, milho e bovinos Cana de açúcar MINERAÇÃO E SIDERURGIA

Leia mais

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Professor: Josiane Vill Disciplina: Geografia Série: 2ª Ano Tema da aula: transporte e Telecomunicação Objetivo da aula:. Entender as principais formas de

Leia mais

3.7 FCA - FERROVIA CENTRO-ATLÂNTICA S.A.

3.7 FCA - FERROVIA CENTRO-ATLÂNTICA S.A. 3.7 FCA - FERROVIA CENTRO-ATLÂNTICA S.A. 3.7.1 Informações Gerais da Ferrovia A Ferrovia Centro-Atlântica S.A. obteve a concessão da Malha Centro-Leste, pertencente à Rede Ferroviária Federal S.A., no

Leia mais

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM Matriz de Transporte Brasil Estado de São Paulo Modal Participação Modal Participação Rodoviário 61,20% Ferroviário 20,70% Hidroviário 13,60% Dutoviário 4,20% Aéreo 0,40% Rodoviário 93,10% Ferroviário

Leia mais

Logística da Vale Marcello Spinelli Diretor Comercial de Logística e Presidente da FCA

Logística da Vale Marcello Spinelli Diretor Comercial de Logística e Presidente da FCA Logística da Vale Marcello Spinelli Diretor Comercial de Logística e Presidente da FCA Logística da Vale Pilares estratégicos Investimentos Sistema Logístico Vale A CVRD oferece serviços de logística integrada

Leia mais

INFRA-ESTRUTURA E LOGÍSTICA NO BRASIL: Transporte Ferroviário de Carga

INFRA-ESTRUTURA E LOGÍSTICA NO BRASIL: Transporte Ferroviário de Carga Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF Brasília, 26 de novembro de 2008. INFRA-ESTRUTURA E LOGÍSTICA NO BRASIL: Transporte Ferroviário de Carga Senado Federal: I Simpósio Infra-Estrutura e Logística

Leia mais

Grãos Combustíve is - 420 285,26 679 6.214 1.861,91 300 2.297 1.231,66 536 - - 2.035 689,06 339 - - 3.262 1.269,48 389 4.981 1.

Grãos Combustíve is - 420 285,26 679 6.214 1.861,91 300 2.297 1.231,66 536 - - 2.035 689,06 339 - - 3.262 1.269,48 389 4.981 1. INFORME INFRA-ESTRUTURA ÁREA DE PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA MAIO/99 Nº 34 Ferrovias: Privatização e Regulação A implantação das ferrovias no Brasil foi iniciada em meados do século passado pelo Barão de

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL

A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL 04/05/2011 Senado Federal - Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo O BRASIL EM NÚMEROS BASE PARA O CRESCIMENTO Os investimentos nas áreas

Leia mais

O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro

O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro Bernardo Figueiredo Presidente da Empresa Brasileira de Planejamento e Logística Logística e Desenvolvimento Econômico

Leia mais

Reúnion del Grupo de Trabajo sobre Integración Ferroviaria Suramericana

Reúnion del Grupo de Trabajo sobre Integración Ferroviaria Suramericana Reúnion del Grupo de Trabajo sobre Integración Ferroviaria Suramericana UNASUL / COSIPLAN Montevideo 21 de mayo de 2014 Ministério dos Transportes As ferrovias na reforma do estado brasileiro PROGRAMA

Leia mais

Projeto 010 : Construção de contorno ferroviário de Tutóia. Ferroviária. TIPO: Eixo Estruturante. LOCALIZAÇÃO: Araraquara - SP

Projeto 010 : Construção de contorno ferroviário de Tutóia. Ferroviária. TIPO: Eixo Estruturante. LOCALIZAÇÃO: Araraquara - SP Projeto 010 : Construção de contorno ferroviário de Tutóia E6 Ferroviária TIPO: Eixo Estruturante LOCALIZAÇÃO: Araraquara - SP INTERVENÇÃO: Construção Categoria: Construção de Ferrovia EXTENSÃO/QUANTIDADE/VOLUME:

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES TRANSPORTE NO BRASIL. Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES TRANSPORTE NO BRASIL. Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006 AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES 1 TRANSPORTE NO BRASIL Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006 2 1 ROTEIRO GERAL DA PALESTRA 1) Função Transporte e Eficiência; 2) Considerações

Leia mais

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Mais de 100 mil km percorridos Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Estudo da CNT mostra que 57,3% têm alguma deficiência no estado geral; 86,5% dos trechos são de pista simples e

Leia mais

Programa de Investimentos em Logística: Rodovias, Ferrovias e Portos

Programa de Investimentos em Logística: Rodovias, Ferrovias e Portos Programa de Investimentos em Logística: Rodovias, Ferrovias e Portos Logística e Desenvolvimento Econômico Imperativos para o desenvolvimento acelerado e sustentável: Ampla e moderna rede de infraestrutura

Leia mais

Infraestrutura e Logística do Brasil. Bahia. Situação atual e perspectivas futuras. Ministério dos Transportes. Salvador/BA, 20 de maio de 2013

Infraestrutura e Logística do Brasil. Bahia. Situação atual e perspectivas futuras. Ministério dos Transportes. Salvador/BA, 20 de maio de 2013 Infraestrutura e Logística do Brasil Bahia Situação atual e perspectivas futuras Salvador/BA, 20 de maio de 2013 Ministério dos Transportes Dimensão dos Transportes no Brasil/Bahia Malha Rodoviária Federal

Leia mais

Programa Pró-Noroeste de Minas

Programa Pró-Noroeste de Minas nº 17 > ano 7 > julho 2010 Programa Pró-Noroeste de Minas Parceria da Vale E FCA com FAEMG, Governo de Minas e Banco do Brasil estimula a produção de soja para exportação Pág. 3 Mercado siderúrgico Otimismo

Leia mais

Trens Regionais de Média Densidade

Trens Regionais de Média Densidade eixos de atuação Revista Ferroviária SEMINÁRIO TRANSPORTE INTERURBANO DE PASSAGEIROS 18 de maio de 2006 Trens Regionais de Média Densidade A Tese UM SISTEMA DE TRANSPORTE REGIONAL DE PASSAGEIROS DE QUALIDADE

Leia mais

MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018

MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018 MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018 Plano Diretor de Mobilidade para Região Metropolitana do Rio de Janeiro Plano Estratégico de Logística e Cargas do Estado do Rio

Leia mais

Departamento de Eng. Produção. Operação Ferroviária Circulação

Departamento de Eng. Produção. Operação Ferroviária Circulação Departamento de Eng. Produção Operação Ferroviária Circulação Prof. Dr. Rodrigo de Alvarenga Rosa rodrigoalvarengarosa@gmail.com (27) 9941-3300 1 Introdução A operação ferroviária diz respeito à circulação

Leia mais

RODOVIAS DE ACESSO AO MUNICÍPIO

RODOVIAS DE ACESSO AO MUNICÍPIO TRANSPORTES RODOVIAS A localização geográfica de Araxá é excepcional, colocando o município em ponto estratégico, entre SÃO PAULO e BELO HORIZONTE, centros essenciais em termos econômicos. Um bom sistema

Leia mais

SUBSÍDIO EXPEDITO SOBRE A FERROVIA LESTE - OESTE MARACAJÚ (MS) MAFRA(SC) e PORTOS SC e PR

SUBSÍDIO EXPEDITO SOBRE A FERROVIA LESTE - OESTE MARACAJÚ (MS) MAFRA(SC) e PORTOS SC e PR SUBSÍDIO EXPEDITO SOBRE A FERROVIA LESTE - OESTE MARACAJÚ (MS) MAFRA(SC) e PORTOS SC e PR Realização: Apoio: Execução: Fl. 1 Apresentação Este estudo é uma iniciativa da FIESC, que conta com o apoio do

Leia mais

Projeto 018 : Dragagem no porto de Rio Grande. Portuária. TIPO: Eixo Estruturante. LOCALIZAÇÃO: Rio Grande - RS. Categoria: Dragagem / Derrocamento

Projeto 018 : Dragagem no porto de Rio Grande. Portuária. TIPO: Eixo Estruturante. LOCALIZAÇÃO: Rio Grande - RS. Categoria: Dragagem / Derrocamento Projeto 018 : Dragagem no porto de Rio Grande E9 Portuária TIPO: Eixo Estruturante LOCALIZAÇÃO: Rio Grande - RS Categoria: Dragagem / Derrocamento EXTENSÃO/QUANTIDADE/VOLUME: 2.000.000 m³ JUSTIFICATIVA:

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO

TRANSPORTE FERROVIÁRIO TRANSPORTE FERROVIÁRIO O transporte ferroviário no Brasil sofreu, durante um grande período, talvez devido à grande concorrência do transporte rodoviário, a falta de incentivo com relação à ampliação do

Leia mais

O setor aquaviário e o comércio exterior

O setor aquaviário e o comércio exterior O setor aquaviário e o comércio exterior Associação de Comércio Exterior do Brasil AEB ENAEX 2011 - Encontro nacional de comércio exterior Rio de Janeiro, RJ 19 de agosto de 2011 Fernando Antonio Brito

Leia mais