Mesa redonda: Construção, avanços e limitações na carreira universitária dos técnicoadministrativos. 20 de outubro de 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mesa redonda: Construção, avanços e limitações na carreira universitária dos técnicoadministrativos. 20 de outubro de 2014"

Transcrição

1

2 Mesa redonda: Construção, avanços e limitações na carreira universitária dos técnicoadministrativos em educação 20 de outubro de 2014

3 A carreira é instrumento que pode exigir/facilitar/estimular uma gestão de pessoal articulada com o planejamento o desenvolvimento pessoal a partir das necessidades institucionais a democratização das relações de trabalho a construção da identidade do servidor a permanente adequação do quadro de pessoal às necessidades institucionais o reconhecimento do cidadão usuário como titular de direitos e como sujeito na avaliação dos serviços prestados

4 Um Breve Resgate Histórico 1987: PUCRCE. Pisos - NA: 3,0 mínimos; NM: 5,9 mínimos e NS: 9,6 mínimos; 1992: É criada a GAE (Gratificação de Atividade Executiva); 1994: Alteração da hierarquia se aprofunda. Cargos de NA passam a NI; 1995 em diante: A Fasubra propõe a rehierarquização, recusada pelo governo;

5 Um Breve Resgate Histórico 2001: Greve histórica, o governo concorda em debater a correção das distorções da matriz hierárquica do PUCRCE. O arrocho salarial é o maior da história. Piso de NA: 0,41 mínimos, NM: 0,77 mínimos e NS: 1,36 mínimos (maio de 2001). Projeto de Criação do Cargo Único

6 Estrutura Original do PUCRCE PUCRCE Grupo: Nível de Apoio Grupo: Nível Intermediário Grupo: Nível Superior Sub-Grupo NA 01 Sub-Grupo NA 04 Sub-Grupo NA 02 Sub-Grupo NA 05 Sub-grupo NA 03 Sub-Grupo NA 06 Sub-Grupo NI 01 Sub-Grupo NI 03 Sub-Grupo NI 02 Sub-Grupo NI 04 Sub-Grupo NS 01 Sub-Grupo NS 02 Sub-Grupo NS03

7 Plano Único de Classificação e Retribuição de Cargos e Empregos O Governo Federal procedeu diversas alterações unilaterais neste plano e em sua estrutura, a ponto de, no momento imediatamente anterior ao PCCTAE, ele já estar completamente desestruturado, sem nenhuma lógica interna de construção, que pudesse conferir alguma organicidade (racionalidade) intrínseca, conforme demonstra a tabela em vigor até 2004.

8 ESTRUTURA DO PUCRCE TABELA SALARIAL - TA'S IFEs ANO 2004 CLASSE PADRAO NS NM NA III 1752, ,67 592,69 ESPECIAL II 1639, ,78 564,54 I 1532,54 967,60 553,93 VI 1509,80 927,24 545,21 V 1466,15 888,62 542,22 C IV 1423,97 851,68 539,23 III 1383,01 816,29 536,24 II 1343,21 782,32 533,25 I 1304,62 749,93 530,26 VI 1267,11 718,81 527,27 V 1230,73 689,12 524,28 B IV 1195,39 660,66 521,29 III 1161,06 633,38 518,30 II 1127,77 607,28 515,31 I 1095,46 582,32 512,32 V 1064,12 558,45 509,33 IV 1033,59 546,32 506,34 A III 866,71 539,23 503,35 II 841,88 533,80 500,36 I 817,74 528,36 497,37

9 PUCRCE Daí a Fasubra ter insistido no processo de Re-hierarquização, na tentativa de conferir certa organicidade à estrutura de cargos e à matriz hierárquica.

10 No entanto, em função da permanência do modelo de carreira estruturada por microcargos (ainda que incorporando elementos já presentes no projeto de cargo único) apontou-se a necessidade da racionalização de cargos, para superar alguns problemas pontuais

11 PUCRCE A descrição de cargos oriunda do PCC (e incorporada ao PUCRCE e, em certa medida, ainda ao PCCTAE), concebe os processos de trabalho de forma fragmentada, parcelada, taylorista/fordista, que em nada favorece a apropriação de tais processos pelos servidores. Em suma, concebe processos alienantes.

12 Como exemplo desta concepção, temos no ambiente de trabalho administrativo: Auxiliar Operacional, Recepcionista, Telefonista, Contínuo, Auxiliar em Administração, Assistente em Administração, Secretário Executivo, Administrador.

13 Acreditamos que poderíamos pensar em uma estrutura que, mantendo os princípios e diretrizes do plano, trabalhe com um número bem menor de cargos (superando a lógica tradicional, fragmentada e alienante)

14 RACIONALIZAÇÃO: O relatório final do GT racionalização incorpora, na realidade, duas visões diferenciadas do processo uma da Bancada Sindical e outra do Governo, Andifes, Conif;

15

16 Tabela de Percentuais de Incentivo à Qualificação Redação dada pela Lei nº , de 2006 a partir Medida Provisória nº 301 de 2006 Percentuais de incentivo Nível de Classificação Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo(*) Área de conhecimento com relação direta Área de conhecimento com relação indireta Ensino fundamental completo Até 10% - Ensino médio completo Até 15% - A Ensino médio profissionalizante ou ensino médio com curso técnico completo ou título de educação formal de maior grau Até 20% Até 10%

17 Tabela de Percentuais de Incentivo à Qualificação Redação dada pela Lei nº , de 2006 a partir Medida Provisória nº 301 de 2006 Percentuais de incentivo Nível de Classificação Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo(*) Área de conhecimento com relação direta Área de conhecimento com relação indireta Ensino Fundamental completo 5% - Ensino médio completo Até 10% - B Ensino médio profissionalizante ou ensino médio com curso técnico completo Até 15% Até 10% Curso de graduação completo Até 20% Até 15% Ensino Fundamental completo 5% - C Ensino médio completo Até 8% - Ensino médio com curso técnico completo Até 10% 5% Curso de graduação completo Até 15% Até 10% Especialização, superior ou igual a 360h Até 20% Até 15%

18 Tabela de Percentuais de Incentivo à Qualificação Redação dada pela Lei nº , de 2006 a partir Medida Provisória nº 301 de 2006 Percentuais de incentivo Nível de Classificação Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo(*) Área de conhecimento com relação direta Área de conhecimento com relação indireta Ensino médio completo Até 8% - Curso de graduação completo Até 10% 5% D Especialização, superior ou igual a 360h Mestrado ou título de educação formal de maior grau Até 15% Até 10% Até 20% Até 15% E Especialização, superior ou igual a 360h Até 10% 5% Mestrado Até 15% Até 10% Doutorado Até 20% Até 15%

19 Tabela de Percentuais de Incentivo à Qualificação Redação dada pela Lei nº , de 2008 a partir Medida Provisória nº 431 de 2008 Percentuais de incentivo Nível de Classificação Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo(*) Área de conhecimento com relação direta Área de conhecimento com relação indireta Ensino fundamental completo 10% - A Ensino médio completo 15% - Ensino médio profissionalizante ou ensino médio com curso técnico completo ou título de educação formal de maior grau 20% 10%

20 Tabela de Percentuais de Incentivo à Qualificação Redação dada pela Lei nº , de 2008 a partir Medida Provisória nº 431 de 2008 Percentuais de incentivo Nível de Classificação Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo(*) Área de conhecimento com relação direta Área de conhecimento com relação indireta Ensino fundamental completo 5% - Ensino médio completo 10% - B Ensino médio profissionalizante ou ensino médio com curso técnico completo 15% 10% Curso de graduação completo 20% 15% C Ensino fundamental completo 5% - Ensino médio completo 8% - Ensino médio com curso técnico completo 10% 5% Curso de graduação completo 15% 10% Especialização, superior ou igual a 360 h 27% 20%

21 Tabela de Percentuais de Incentivo à Qualificação Redação dada pela Lei nº , de 2008 a partir Medida Provisória nº 431 de 2008 Percentuais de incentivo Nível de Classificação Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo(*) Área de conhecimento com relação direta Área de conhecimento com relação indireta Ensino médio completo 8% - Curso de graduação completo 10% 5% D Especialização, superior ou igual a 360h 27% 20% Mestrado ou título de educação formal de maior grau 52% 35% E Especialização, superior ou igual a 360 h 27% 20% Mestrado 52% 35% Doutorado 75% 50%

22 Tabela de Percentuais de Incentivo à Qualificação Redação dada pela Lei nº , de 2012 Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo (curso reconhecido pelo Ministério da Educação) Área de conhecimento com relação direta Área de conhecimento com relação indireta Ensino fundamental completo 10% - Ensino médio completo 15% - Ensino médio profissionalizante ou ensino médio com curso técnico completo 20% 10% Curso de graduação completo 25% 15% Especialização, com carga horária igual ou superior a 360h 30% 20% Mestrado 52% 35% Doutorado 75% 50%

23 ALTERAÇÕES PCCTAE Lei , de 2005

24 Altera anexos PCCTAE A distribuição dos cargos por nível de classificação e requisitos para ingresso anexo II; A tabela para progressão por capacitação profissional anexo III; O formulário do Termo de Opção anexo VI; A tabela de correlação dos cargos atuais para a nova situação anexo VII;

25 Incentivo à Qualificação Somente integrará os proventos de aposentadorias e as pensões quando os certificados considerados para a sua concessão tiverem sido obtidos até a data em que se deu a aposentadoria ou a instituição da pensão

26 Colaboração a outra IFE Além dos casos previstos na legislação vigente, o ocupante de cargo do PCCTAE poderá afastar-se de suas funções para prestar colaboração a outra instituição federal de ensino ou de pesquisa e ao Ministério da Educação, com ônus para a instituição de origem, não podendo o afastamento exceder a 4 (quatro) anos. vinculado a projeto ou convênio com prazos e finalidades objetivamente definidos

27 ALTERAÇÕES PCCTAE Lei , de 2008 (conversão da MP 431, de 2008)

28 Padrões de vencimento básico Deixa de definir que a estrutura da carreira: tenha 39 padrões de vencimento básico, como consequência passa a ter 49 padrões Que os padrões sejam justapostos com intervalo de 1 (um) padrão entre os níveis de capacitação e 2 (dois) padrões entre os níveis de classificação

29 Progressão por capacitação profissional Possibilita o aproveitamento de disciplinas isoladas em cursos de Mestrado e Doutorado para fins de concessão da progressão por capacitação profissional; Porém, limitada ao nível E;

30 Afastamento para qualificação A liberação do servidor para a realização de cursos de Mestrado e Doutorado passa a estar condicionada ao resultado favorável na avaliação de desempenho; Fica definido que os critérios básicos para a liberação serão estabelecidos em Portaria conjunta dos Ministros de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão e da Educação.

31 Progressão por Mérito Profissional Reduz o interstício necessário para a progressão de 24 para 18 meses, com efeitos a partir de 1º. de maio de 2008.

32 Incentivo à Qualificação Alteração de redação retirando a parte do texto: será devido após 4 (quatro) anos de efetivo exercício no cargo permitindo que o servidor que obtiver certificado de titulação possa apresentá-lo de imediato sem ter que aguardar o prazo de quatro anos na carreira preconizado anteriormente.

33 Diferença de step Identificado ainda a ausência da expressão sendo constante a diferença percentual entre um padrão de vencimento e o seguinte. Esta alteração em que pese abrir espaço para que no futuro apareça steps diferenciados na estrutura da tabela, não teve impacto até o momento visto que as tabelas trazem rigorosamente o step constante de 3,7%.

34 Novo Prazo para adesão PCCTAE Fica reaberto, até 14 de julho de 2008, o prazo de opção para integrar o Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação, de que trata o art. 16 da Lei no , de 2005, na forma do Termo de Opção constante do Anexo XIII.

35 Redistribuição É vedada a aplicação do instituto da redistribuição aos cargos vagos ou ocupados, dos Quadros de Pessoal das Instituições Federais de Ensino para outros órgãos e entidades da administração pública e dos Quadros de Pessoal destes órgãos e entidades para aquelas instituições. Destaca que não se aplica às redistribuições de cargos entre IFE

36 Vantagem Pecuniária Individual Incorpora a Vantagem Pecuniária Individual (R$ 59,87) ao vencimento básico.

37 Estrutura Altera a estrutura da malha salarial, com a quebra da linearidade; Compõe 3 tabelas, a serem aplicadas em 2008, 2009 e 2010.

38 Classes A B C D E Nív.de Capac. I II III IV I II III IV I II III IV I II III IV I II III IV Padrões de Vencimento por Classe e Nível de Capacitação

39 Evolução malha salarial A B C D E

40 Estrutura Piso = 802,76, a partir de maio/2008; Aumenta a interpolação de 2 para 4 padrões do NClas D para o NClas E em 2008; Piso = 888,16, a partir de julho/2009; Aumenta a interpolação de 4 para 9 padrões do NClas D para o NClas E em 2008; Piso = 1.034,59, a partir de julho/2010; Aumenta a interpolação de 9 para 11 padrões do NClas D para o NClas E, em 2010; Aumenta a interpolação de 2 para 3 padrões do NClas D para o NClas E, em 2010;

41 ALTERAÇÕES PCCTAE Lei , de 2012

42 Permite Somar Certificados 4o No cumprimento dos critérios estabelecidos no Anexo III, é permitido o somatório de cargas horárias de cursos realizados pelo servidor durante a permanência no nível de capacitação em que se encontra e da carga horária que excedeu à exigência para progressão no interstício do nível anterior, vedado o aproveitamento de cursos com carga horária inferior a 20 (vinte) horas-aula.

43 Tabela Única de Percentuais de Incentivo à Qualificação Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo (curso reconhecido pelo Ministério da Educação) Área de conhecimento com relação direta Área de conhecimento com relação indireta Ensino fundamental completo 10% - Ensino médio completo 15% - Ensino médio profissionalizante ou ensino médio com curso técnico completo 20% 10% Curso de graduação completo 25% 15% Especialização, com carga horária igual ou superior a 360h 30% 20% Mestrado 52% 35% Doutorado 75% 50%

44 Tabela para Progressão por Capacitação Profissional Inclui a palavra igual ou para a progressão do nível de classificação IV da Classe E Aperfeiçoamento ou curso de capacitação igual ou superior a 180 horas

45 Estrutura Compõe 5 tabelas, a serem aplicadas em: 1 o de março de % 1 o de janeiro de 2014 step constante 3,7% 1 o de março de % 1 o de janeiro de 2015 step constante 3,8% 1 o de março de %

46

47 Estrutura Tabela PCCTAE Classe Níveis de Capacitação Padrões de Vencimento Vencimentos Básicos

48 PCCTAE Assim, a distribuição dos cargos na matriz hierárquica e nos níveis de classificação A, B, C, D e E (e o consequente enquadramento) não foi feita de forma aleatória, mas obedecem a uma reflexão sistemática sobre problemas ocorridos anteriormente e foi feita considerando a escolaridade, risco, esforço físico, responsabilidade exigida para cada cargo, dentre outros.

49 Desenvolvimento na Carreira Progressão por Capacitação Profissional; Progressão por Mérito Profissional; Incentivo à Qualificação.

50 Progressão por Capacitação Profissional Decorre da obtenção pelo servidor de certificação em Programa de capacitação, compatível com o cargo ocupado, o ambiente organizacional e a carga horária mínima exigida; Deverá ser respeitado o interstício de 18 (dezoito) meses entre uma progressão e outra.

51 Ambiente Organizacional Relacionado ao local de trabalho e às atividades desenvolvidas; Administrativo; Infra-estrutura; Ciências Humanas, Jurídicas e Econômicas; Ciências Biológicas; Ciências Exatas e da Natureza; Ciências da Saúde; Agropecuário; Informação; Artes, Comunicação e Difusão

52

53 Progressão por Capacitação Profissional

54 Progressão por Capacitação Profissional

55 Progressão por Capacitação Profissional

56 Progressão por Capacitação Profissional

57 Progressão por Mérito Profissional É a mudança para o padrão de vencimento imediatamente subseqüente, a cada 18 meses de efetivo exercício, desde que o servidor apresente resultado fixado em programa de avaliação de desempenho, observado o respectivo nível de capacitação.

58 Progressão por Mérito Profissional Na UFMG, o servidor deverá alcançar uma média de 70% dos pontos na avaliação de desempenho, além de ter cumprido o interstício para poder progredir A periodicidade da avaliação de desempenho anual

59 Incentivo à Qualificação É instituído ao servidor que possuir educação formal superior ao exigido para o cargo de que é titular. A relação da correlação das áreas de conhecimento com os ambientes organizacionais encontra-se no Decreto 5824/2006 A tabela de percentuais de incentivo à qualificação encontra-se no anexo IV da Lei /2005

60 Incentivo à Qualificação Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo (curso reconhecido pelo Ministério da Educação) Área de conhecimento com relação direta Área de conhecimento com relação indireta Ensino fundamental completo 10% - Ensino médio completo 15% - Ensino médio profissionalizante ou ensino médio com curso técnico completo 20% 10% Curso de graduação completo 25% 15% Especialização, com carga horária igual ou superior a 360h 30% 20% Mestrado 52% 35% Doutorado 75% 50%

61 Desenvolvimento na Carreira Decreto de 29 junho de 2006 Estabelece as diretrizes para elaboração do Plano de Desenvolvimento dos Integrantes do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação, instituído pela Lei nº , de 12 de janeiro de 2005.

62 Decreto 5707/06 - Desenvolvimento dos Servidores Públicos Institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da Administração Pública Federal Direta, Autárquica e Fundacional

63 Decreto 5825/06 Estabelece as diretrizes para elaboração do Plano de Desenvolvimento dos Integrantes do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação.

64 Fontes para investimento A UFMG, conforme estabelece a Lei nº , de 12 de janeiro de 2005, pode oferecer programas de Capacitação e Aperfeiçoamento com investimentos oriundos de recursos disponíveis no orçamento, por meio de parcerias e, principalmente, pelo aproveitamento de sua mão de obra qualificada Recursos da Resolução 10/95 Art. 9 Do total do valor da prestação de serviços, um percentual de 2% (dois por cento) será destinado à Universidade, para as atividades de fomento acadêmico e de formação e treinamento de recursos humanos.

65 Plano nacional desenvolvimento profissional dos servidores integrantes do PCCTAE

66 O Plano propõe o fortalecimento dos Programas de capacitação e qualificação do servidor com vistas ao desenvolvimento profissional e da gestão nas Instituições Federais de Ensino.

67 Qual a Estrutura do Plano? O Plano está estruturado em Programas e Projetos: 1. Programa Nacional de Apoio aos Projetos Institucionais de Capacitação das IFEs; 2. Programa de Qualificação em Serviço; 3. Programa de Capacitação Formação continuada

68 Qual a Estrutura do Plano? O Plano está estruturado em Programas e Projetos: 1. Programa Nacional de Apoio aos Projetos Institucionais de Capacitação das IFEs; 2. Programa de Qualificação em Serviço; 3. Programa de Capacitação Formação continuada

69 Programa Nacional de Apoio aos Projetos Institucionais de Capacitação das IFEs

70 Programa de Qualificação em Serviço

71 Programa de Qualificação em Serviço

72 Programa de Capacitação Formação Continuada

73 Envolvidos

74 Ações positivas da UFMG

75 Ações positivas da UFMG O Programa de bolsa de graduação que, no segundo semestre de 2013, absorveu todos os inscritos (121 servidores) totalizando, 236 participantes; O Programa de bolsa de pós-graduação iniciado em 2013 e que está contemplando 74 servidores; Discussões Mestrado Profissional

76 Ações positivas da UFMG O curso de Especialização em Gestão de Instituições Federais de Educação Superior (GIFES), parceria da PRORH com a Faculdade de Educação e a Pró Reitoria de Graduação; O PRODIS Programa de Desenvolvimento Institucional para os Servidores da UFMG, possibilitando às unidades e órgãos da UFMG a elaboração de propostas de capacitação e preparação de servidores para assumir a gestão administrativa da UFMG em parceria com os docentes;

77 A área de recursos humanos deve atuar como facilitadora e consultora das demais, propiciando as condições necessárias ao desenvolvimento profissional dos servidores.

78 Convergência Para minimizar distorções, os gerentes de equipes devem desempenhar papel fundamental na gestão de recursos humanos, uma vez que as decisões relativas ao desenvolvimento profissional de seus subordinados devem estar sob sua responsabilidade e deve fazer parte de seu plano de ação.

79 Para que a busca pela capacitação e qualificação profissional estejam vinculadas também à aprendizagem e ao desenvolvimento de competências, é fundamental a participação e comprometimento da UFMG com o processo educacional dos TAE s.

80 O PCCTAE não é algo de natureza eminentemente técnica. Muito pelo contrário, ele é a expressão do acúmulo do debate político da categoria. Ele expressa na prática aquilo que se conseguiu avançar, ou não, em termos políticos e, nesta acepção ele é práxis, ele une teoria e ação, concepção e prática.

81 Acordo Greve Lei /12 p/ 2014

82 O PCCTAE diferencia-se Elementos gestão institucional Conceitos inovadores Desenvolvimento dos trabalhadores/as vinculado desenvolvimento institucional

83 O PCCTAE diferencia-se Perspectiva da supervisão participativa do plano, através da Comissão Nacional de Supervisão da Carreira (CNSC) e das Comissões Internas de Supervisão como a CIS/UFMG

84 PCCTAE Afirmação da identidade do Técnico-Administrativo em Educação

85 Gratidão CIS/UFMG Comissão Interna Supervisão PCCTAE Representantes: Arthur Schlunder Valle Janaína Mara Soares Ferreira Luiza Cristina Rodrigues Lage Manoel Patrocínio Maria Maria Zenira dos Santos Silva Ronan Araújo Gontijo Rosângela da Silva Santos Rosemary de Andrade Tiago Santos Barreto Thomaz Wallace Santana Abreu Secretaria Administrativa Joyce Grazieli de Sales e Souza Lima Contatos Telefone: (31)

21 de novembro de 2013

21 de novembro de 2013 21 de novembro de 2013 Por que este Encontro? Refletir O que já foi feito O que está sendo feito E o que ainda podemos fazer para efetivar a racionalização de cargos em função da grande expectativa por

Leia mais

CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR

CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenadoria de Administração de Pagamento

Leia mais

PROGRESSÃO POR CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

PROGRESSÃO POR CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL SECRETARA DE GESTÃO DE PESSOAS DEPARTAMENTO DE DESENVOLVMENTO PROFSSONAL E PESSOAL PROGRESSÃO POR CAPACTAÇÃO PROFSSONAL PROGRESSÃO POR CAPACTAÇÃO PROFSSONAL é a mudança de nível de capacitação no mesmo

Leia mais

ESTRUTURA DA CARREIRA

ESTRUTURA DA CARREIRA ESTRUTURA DA CARREIRA Os 365 cargos foram classificados a partir dos requisitos de escolaridade, nível de responsabilidade, conhecimentos, habilidades específicas, formação especializada, experiência,

Leia mais

DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS (DGP)

DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS (DGP) DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS (DGP) DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO E PROJETOS ESPECIAIS- (DDPE) COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL (CODEPE) Lei nº 11.091, 12 de janeiro de 2005. Dispõe sobre a

Leia mais

Construção da Carreira do Técnico-administrativo em Educação. Do PUCRCE ao PCCTAE

Construção da Carreira do Técnico-administrativo em Educação. Do PUCRCE ao PCCTAE Construção da Carreira do Técnico-administrativo em Educação Do PUCRCE ao PCCTAE Construção da Carreira Década de 80 Cenário Redemocratização 1985 PCSBV- Plano de Cargos e Salários, Benefícios e Vantagens

Leia mais

Lei nº , de 28 de dezembro de Carreira do Magistério Superior Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal

Lei nº , de 28 de dezembro de Carreira do Magistério Superior Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal Lei nº 12.772, de 28 de dezembro de 2012 Carreira do Magistério Superior Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal Carreira de Magistério Superior,

Leia mais

BREVE RESGATE HISTÓRICO

BREVE RESGATE HISTÓRICO BREVE RESGATE HISTÓRICO Publicação da Lei nº 11.091-12/01/2005 Art. 22 Fica criada a Comissão Nacional de Supervisão do Plano de Carreira, vinculada ao Ministério da Educação, com a finalidade de acompanhar,

Leia mais

ANÁLISE DO COMANDOO DE GREVE DA UFRB EM RELAÇÃO AO ACORDO PROPOSTOO PELO GOVERNO EM 01/08/2012 CARREIRA DOCENTE

ANÁLISE DO COMANDOO DE GREVE DA UFRB EM RELAÇÃO AO ACORDO PROPOSTOO PELO GOVERNO EM 01/08/2012 CARREIRA DOCENTE ANÁLISE DO COMANDOO DE GREVE DA UFRB EM RELAÇÃO AO ACORDO PROPOSTOO PELO GOVERNO EM 01/08/2012 CARREIRA DOCENTE 1. Cargo de professor titular Governo: inclusão do cargo de professor titular como classe

Leia mais

LEI Nº , DE 2 DE FEVEREIRO DE Seção XXIV. Do Plano de Carreiras e Cargos do Inmetro

LEI Nº , DE 2 DE FEVEREIRO DE Seção XXIV. Do Plano de Carreiras e Cargos do Inmetro LEI Nº 11.907, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2009. Seção XXIV Do Plano de Carreiras e Cargos do Inmetro Art. 147. Os arts. 56, 60, 61, 62 e 63 da Lei n o 11.355, de 19 de outubro de 2006, passam a vigorar com a

Leia mais

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: /

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: / PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de 2009 : 23000.091441/2009-33 O Reitor Pro Tempore do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 11.091, DE 12 DE JANEIRO DE 2005. Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO NA CARREIRA. TÉCNICOS-ADMINISTRATIVOS EM EM EDUCAÇÃO Aula Aula 1 1

DESENVOLVIMENTO NA CARREIRA. TÉCNICOS-ADMINISTRATIVOS EM EM EDUCAÇÃO Aula Aula 1 1 DESENVOLVIMENTO NA CARREIRA TÉCNICOS-ADMINISTRATIVOS EM EM EDUCAÇÃO Aula Aula 1 1 O servidor Técnico-Administrativo é responsável por executar atividades relacionadas ao suporte que as instituições federais

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 7 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 11.091, DE 12 DE JANEIRO DE 2005. Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESOLUÇÃO Nº 08/2016 Altera a Lei nº 5.343/2008 e a Lei nº 6.328/2012, para aperfeiçoar a carreira docente da UERJ, e dá outras providências. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, no uso da competência que lhe atribui

Leia mais

(Lei nº , de 28 de dezembro de 2012)

(Lei nº , de 28 de dezembro de 2012) ANOTAÇÕES RELEVANTES SOBRE O PLANO DE CARREIRAS E CARGOS DE MAGISTÉRIO FEDERAL (Lei nº 12.772, de 28 de dezembro de 2012) Introdução 1. Neste documento destacamos alguns itens da nova Carreira e do Cargo

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais REGULAMENTO DE AFASTAMENTO DOS SERVIDORES TÉCNICO ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DO IFNMG PARA CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO. CAPÍTULO I DOS CONCEITOS Art. 1º. Caracteriza-se como afastamento para capacitação

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR Resolução n.º 01, de 14 de fevereiro de 2008 A Presidente do Conselho Diretor da Fundação Universidade Federal do Acre, em exercício, no uso das atribuições

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS REGULAMENTO PARA AFASTAMENTO DE SERVIDORES DOCENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO NORTE DE MINAS GERAIS PARA QUALIFICAÇÃO EM PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU e PÓS-DOUTORADO.

Leia mais

Título I Das Disposições Preliminares

Título I Das Disposições Preliminares PROJETO LEI Consolida o Plano de Carreira dos Trabalhadores em Educação da Rede Federal de Ensino e dispõe sobre a Reestruturação e unificação das carreiras e cargos do magistério da união e do PCCTAE

Leia mais

JUSTIFICATIVA DE CRIAÇÃO DA FUNÇÃO DE TÉCNICO- ADMINISTRATIVO - SUBSTITUTO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO SUBSTITUTO.

JUSTIFICATIVA DE CRIAÇÃO DA FUNÇÃO DE TÉCNICO- ADMINISTRATIVO - SUBSTITUTO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO SUBSTITUTO. JUSTIFICATIVA DE CRIAÇÃO DA FUNÇÃO DE TÉCNICO- ADMINISTRATIVO - SUBSTITUTO NOMENCLATURA: TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO SUBSTITUTO. LEGISLAÇÃO CORRELATA: a) Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR Resolução nº 005, de 12 de junho de 2017 O Presidente do Conselho Diretor da Fundação Universidade Federal do Acre, Prof. Dr. Minoru Martins Kinpara, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS

PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS III Congresso Consad de Gestão Pública PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS Fernanda Mayer dos Santos Souza Painel 02/008 Avaliação de desempenho e remuneração variável PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E

Leia mais

Comentários sobre a LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE Na pratica a lei trouxe pouco benefício, exceto os aumentos.

Comentários sobre a LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE Na pratica a lei trouxe pouco benefício, exceto os aumentos. Comentários sobre a LEI Nº 12.772, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012 Na pratica a lei trouxe pouco benefício, exceto os aumentos. Demais vantagens como Reconhecimento de Saberes e Competências RSC que permite

Leia mais

ATOS DO PODER EXECUTIVO MEDIDA PROVISÓRIA Nº 614, DE 14 DE MAIO DE

ATOS DO PODER EXECUTIVO MEDIDA PROVISÓRIA Nº 614, DE 14 DE MAIO DE TOS DO PODER EXECUTIVO MEDID PROVISÓRI Nº 64, DE 4 DE MIO DE 03 ltera a Lei nº.77, de 8 de dezembro de 0, que dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal; altera a

Leia mais

1. SOBRE O ADICIONAL DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE

1. SOBRE O ADICIONAL DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE INFORMAÇÕES SOBRE A MEDIDA PROVISÓRIA Nº 568/2012 1. SOBRE O ADICIONAL DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE A Medida Provisória 568/2012, alterou a remuneração dos adicionais de insalubridade e periculosidade,

Leia mais

TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI TÍTULO I. Das Disposições Preliminares

TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI TÍTULO I. Das Disposições Preliminares Plano de Carreira TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI Consolida o Plano de Carreira e Cargo de Professor Federal e dispõe sobre a reestruturação e unificação das carreiras e cargos do magistério da União, incluídas

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DOS INTEGRANTES DA CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DOS INTEGRANTES DA CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO E PROJETOS ESPECIAIS COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS PLANO DE DESENVOLVIMENTO DOS INTEGRANTES DA CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS

Leia mais

Substitua-se, os artigos 46 ao 68 pelos seguintes artigos, renumerando os demais bem como os anexos:

Substitua-se, os artigos 46 ao 68 pelos seguintes artigos, renumerando os demais bem como os anexos: COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO-CTASP EMENDA SUBSTITUTIVA AO PROJETO DE LEI 6788 de 2017 Substitua-se no PL 6788, os artigos 46 ao 68 pelos seguintes artigos: Substitua-se, os

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013 Altera a Lei Complementar nº 1.111, de 25 de maio de 2010, que institui o Plano de Cargos e Carreiras dos servidores do Tribunal de Justiça do Estado

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

PROJETO DE LEI CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES PROJETO DE LEI Cria a Carreira de Analista Executivo no âmbito do Poder Executivo e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o Fica criada, no

Leia mais

5. Corpo Técnico- Administrativo

5. Corpo Técnico- Administrativo 5. Corpo Técnico- Administrativo 90 PDI 2015-2019 5.1 Critérios de seleção e contratação O ingresso nos cargos do Plano de Carreira far-se-á no padrão inicial do primeiro nível de capacitação do respectivo

Leia mais

Plano Anual de Capacitação e Aperfeiçoamento PlanCAP 2016

Plano Anual de Capacitação e Aperfeiçoamento PlanCAP 2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DO SERVIDOR Plano Anual de Capacitação e Aperfeiçoamento PlanCAP 2016 Boa Vista-RR 2016 Reitora Gioconda Santos

Leia mais

Art. 2º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 2º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 16/01/2014 (nº 11, Seção 1, pág. 26) Institui o Plano Nacional de

Leia mais

DESIGNAÇÃO / NOMEAÇÃO PARA FUNÇÃO DE CHEFIA

DESIGNAÇÃO / NOMEAÇÃO PARA FUNÇÃO DE CHEFIA DESIGNAÇÃO / NOMEAÇÃO PARA FUNÇÃO DE CHEFIA Cód.: DFG Nº: 44 Versão: 10 Data: 12/07/2017 DEFINIÇÃO Ato de investidura do servidor no exercício de função de confiança integrante do quadro de chefias da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 25, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2006

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 25, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 25, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2006 Aprovar normas para pagamento da Gratificação por Encargo

Leia mais

Plano de Cargos, Carreiras e Salários CONTROLE DE REVISÕES

Plano de Cargos, Carreiras e Salários CONTROLE DE REVISÕES Plano de Cargos, Carreiras e Salários Abril de 2013 CONTROLE DE REVISÕES Versão Data Responsável Descrição 0 15/04/2013 Tríade RH Desenvolvimento e Implantação do Plano 1 26/06/2013 Tríade RH Revisão do

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI COMPLEMENTAR Nº 79, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI COMPLEMENTAR Nº 79, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O Autor: Poder Executivo LEI COMPLEMENTAR Nº 79, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O. 13.12.00. Dispõe sobre o subsídio dos integrantes do Grupo TAF - Tributação, Arrecadação e Fiscalização. O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

REVOGADA pela Resolução n , de 23 de novembro de R E S O L U Ç Ã O :

REVOGADA pela Resolução n , de 23 de novembro de R E S O L U Ç Ã O : SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO N. 1.274, DE 24 DE AGOSTO DE 2009 REVOGADA pela Resolução n. 1.277, de 23 de novembro de 2009. Regulamenta

Leia mais

LEI Nº 8.460, DE 17 DE SETEMBRO DE 1992. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

LEI Nº 8.460, DE 17 DE SETEMBRO DE 1992. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: LEI Nº 8.460, DE 17 DE SETEMBRO DE 1992. Mensagem de veto Texto compilado Concede antecipação de reajuste de vencimentos e de soldos dos servidores civis e militares do Poder Executivo e dá outras providências.

Leia mais

DESIGNAÇÃO / NOMEAÇÃO PARA FUNÇÃO DE CHEFIA

DESIGNAÇÃO / NOMEAÇÃO PARA FUNÇÃO DE CHEFIA DESIGNAÇÃO / NOMEAÇÃO PARA FUNÇÃO DE CHEFIA Cód.: DFG Nº: 44 Versão: 10 Data: 13/07/2016 DEFINIÇÃO Ato de investidura do servidor no exercício de função de confiança integrante do quadro de chefias da

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS SECRETARIA DOS CONSELHOS SUPERIORES CONSELHO COORDENADOR DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS SECRETARIA DOS CONSELHOS SUPERIORES CONSELHO COORDENADOR DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO NORMAS PARA PROGRESSÃO FUNCIONAL À CLASSE ESPECIAL DA CARREIRA DO MAGISTÉRIO DE 1º E º GRAUS. Regulamenta e normatiza a progressão funcional à Classe Especial da Carreira do magistério de 1º e º Graus

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL LEI Nº 3.669, DE 15 DE MAIO DE 2009. Aprova tabelas de vencimento e de subsídio dos servidores das categorias funcionais integrantes das carreiras do Plano de Cargos, Empregos

Leia mais

LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012

LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação LEI Nº 12.772, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012 Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal; sobre a Carreira do Magistério

Leia mais

Os servidores ocupantes de cargos efetivos dos Quadros de Pessoal do INSS e do MPS integram as seguintes carreiras e cargos específicas:

Os servidores ocupantes de cargos efetivos dos Quadros de Pessoal do INSS e do MPS integram as seguintes carreiras e cargos específicas: CARREIRAS DA AREA DE PREVIDÊNCIA E AFINS: DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO ATUAL. I. CARREIRAS E CARGOS DE ESPECIALISTAS DA AREA DE PREVIDENCIA SOCIAL DO MPS E DO INSS. Os servidores ocupantes de cargos efetivos

Leia mais

ANEXO I CARGOS DA ÁREA DE ATIVIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE

ANEXO I CARGOS DA ÁREA DE ATIVIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE LEI Nº xxxx DE 2016 Institui o Plano de Carreira dos Servidores da Área de Atividades de Assistência Social da Prefeitura de Belo Horizonte, estabelece a respectiva Tabela de Vencimentos e dá outras providências.

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Gestão de Pessoas e Relações do Trabalho no Serviço Público Departamento de Normas e Benefícios do Servidor Coordenação-Geral de Aplicação das

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 193-CONSELHO SUPERIOR, de 2 de março de 2015.

RESOLUÇÃO Nº 193-CONSELHO SUPERIOR, de 2 de março de 2015. RESOLUÇÃO Nº 193-CONSELHO SUPERIOR, de 2 de março de 2015. APROVA O REGULAMENTO DO PAGAMENTO DA GRATIFICAÇÃO POR ENCARGO DE CURSOS E CONCURSOS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 2.772, DE 28 DE DEZEMBRO DE 202. (Vide Medida Provisória nº 64, de 203) Texto compilado Vide Decreto nº 8.239, de 204 Dispõe

Leia mais

PLANO DE CARREIRA Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá Seção Técnica de Desenvolvimento e Administração de Recursos Humanos Julho/2012

PLANO DE CARREIRA Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá Seção Técnica de Desenvolvimento e Administração de Recursos Humanos Julho/2012 PLANO DE CARREIRA Histórico Resolução Unesp 37/1998 Resolução Unesp 70/2008 Resolução Unesp 32/2011 Resolução Unesp 42/2012 RESOLUÇÃO UNESP 32/2011 RESOLUÇÃO UNESP 42/2012 Obs.: o enquadramento na

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA Nº 431, DE 14 DE MAIO DE 2008. Dispõe sobre a reestruturação do Plano Geral de Cargos do Poder Executivo - PGPE,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 02/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 02/2013 RESOLUÇÃO N 02/2013 Aprova as normas para avaliação de desempenho funcional dos docentes da Universidade Federal do Vale do São Francisco, para fins de desenvolvimento na carreira.. O DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Idéias sobre o dimensionamento de pessoal

Idéias sobre o dimensionamento de pessoal Idéias sobre o dimensionamento de pessoal Tônia Duarte da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul O processo de dimensionamento é um instrumento de gestão que se caracteriza como processo diagnóstico

Leia mais

CAPÍTULO VIII DA PROGRESSÃO

CAPÍTULO VIII DA PROGRESSÃO 1º Para a concessão da Licença Sabática prevista neste artigo, o servidor deverá assumir o compromisso de permanência na FAETEC por um período correspondente ao dobro do período da Licença. 2º A Licença

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO Secretaria de Gestão de Pessoas e Relações do Trabalho no Serviço Público Departamento de Normas e Benefícios do Servidor Coordenação-Geral de Aplicação

Leia mais

Ingresso na Carreira. 1. O ingresso na Carreira continuará a respeitar o edital e a autonomia das Instituições Federais de Ensino Superior?

Ingresso na Carreira. 1. O ingresso na Carreira continuará a respeitar o edital e a autonomia das Instituições Federais de Ensino Superior? Ingresso na Carreira 1. O ingresso na Carreira continuará a respeitar o edital e a autonomia das Instituições Federais de Ensino Superior? Está previsto que as Universidades é que definirão em última instância

Leia mais

PAE: monitoria ou estágio supervisionado em docência?

PAE: monitoria ou estágio supervisionado em docência? PAE: monitoria ou estágio supervisionado em docência? Professora Beatriz Appezzato da Glória Representante do campus Luiz de Queiroz na Comissão Central do PAE _ 1993, por iniciativa da Professora Myriam

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.295/2017 Publicada no D.O.E , p. 24

RESOLUÇÃO Nº 1.295/2017 Publicada no D.O.E , p. 24 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU) RESOLUÇÃO Nº 1.295/2017 Publicada no D.O.E. 16-08-2017, p. 24 Aprova a criação do Comitê Institucional de Pós-Graduação (CIPÓS) da

Leia mais

PLANO DE CARGOS E CARREIRA DO MINISTÉRIO SUPERIOR EM ÂMBITO FEDERAL. Juliana Monteiro Pedro Presidente da CPPD/UNIFAP

PLANO DE CARGOS E CARREIRA DO MINISTÉRIO SUPERIOR EM ÂMBITO FEDERAL. Juliana Monteiro Pedro Presidente da CPPD/UNIFAP PLANO DE CARGOS E CARREIRA DO MINISTÉRIO SUPERIOR EM ÂMBITO FEDERAL Juliana Monteiro Pedro Presidente da CPPD/UNIFAP Introdução LEI ANTERIOR LEI ATUAL: Entrou em vigor no dia 01/03/2013 DEC. 94.662/87

Leia mais

RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS CCR: MODALIDADE PRESENCIAL

RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS CCR: MODALIDADE PRESENCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 DE CIÊNCIAS RURAIS

Leia mais

PROPOSTA DE CARREIRA. ANDES SN GOVERNO PROIFES SINASEFE Minuta de projeto de Lei e estrutura remuneratória

PROPOSTA DE CARREIRA. ANDES SN GOVERNO PROIFES SINASEFE Minuta de projeto de Lei e estrutura remuneratória TÓPICOS Formato da proposta PROPOSTA DE CARREIRA ANDES SN GOVERNO PROIFES SINASEFE Minuta de projeto de Lei e estrutura Minuta de projeto de Lei Conjunto de princípios e estrutura Minuta de projeto de

Leia mais

NOVO PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES MÉDICOS DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE

NOVO PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES MÉDICOS DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE NOVO PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES MÉDICOS DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE LEI Nº 10.948, DE 13 DE JULHO DE 2016 (Originária do Projeto de Lei n.º 1.908/2016, da autoria do Executivo) Objetivo da lei

Leia mais

LEI N o 18802, de 31 de março 2010

LEI N o 18802, de 31 de março 2010 LEI N o 18802, de 31 de março 2010 Reajusta os valores das tabelas de vencimento básico das carreiras do Poder Executivo que menciona e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, O

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 17/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 17/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 17/2013 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DE CURSOS DE CAPACITAÇÃO

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional Coordenação Geral de Políticas de Qualificação.

INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional Coordenação Geral de Políticas de Qualificação. INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional Coordenação Geral de Políticas de Qualificação DIRETRIZES PARA A GESTÃO DAS ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS, DE PESQUISA, INOVAÇÃO

Leia mais

LEI Nº , DE 15 DE DEZEMBRO DE 2006

LEI Nº , DE 15 DE DEZEMBRO DE 2006 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação LEI Nº 11.416, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2006 Dispõe sobre as Carreiras dos Servidores do Poder Judiciário da União; revoga as Leis nºs 9.421, de 24

Leia mais

Procuradoria Geral do Município

Procuradoria Geral do Município LEI Nº 2.492, DE 21 DE JUNHO DE 2012. Institui o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos PCCV dos servidores da Autarquia Educacional do Vale do São Francisco - AEVSF, em exercício na FACAPE - Faculdade

Leia mais

PROGRESSÃO POR MÉRITO

PROGRESSÃO POR MÉRITO DEFINIÇÃO PROGRESSÃO POR MÉRITO Trata-se do desenvolvimento do servidor dentro da carreira de Técnico - Administrativo em Educação pela mudança do padrão de vencimento para o nível subsequente, dentro

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 154/2005-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 154/2005-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 154/2005-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Criação, Organização e Funcionamento de Cursos, Programas e Disciplinas ofertados a Distância, na Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO.

Leia mais

(...) CAPÍTULO II DAS CARREIRAS TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL E DE AUDITORIA-FISCAL DO TRABALHO

(...) CAPÍTULO II DAS CARREIRAS TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL E DE AUDITORIA-FISCAL DO TRABALHO MEDIDA PROVISÓRIA Nº 765, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2016. Altera a remuneração de servidores de ex- Territórios e de servidores públicos federais; reorganiza cargos e carreiras, estabelece regras de incorporação

Leia mais

Art. 3º A Carreira dos Profissionais do Serviço de Trânsito é composta por 03 (três) cargos:

Art. 3º A Carreira dos Profissionais do Serviço de Trânsito é composta por 03 (três) cargos: EI N 8.912, DE 27 DE JUNHO DE 2008. Autor: Poder Executivo Reestrutura a Carreira dos Profissionais do Serviço de Trânsito do Estado de Mato Grosso do Departamento Estadual de Trânsito - DETRAN/MT, e dá

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL PORTARIA Nº. 479, DE 13 DE MAIO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL PORTARIA Nº. 479, DE 13 DE MAIO DE 2015 O REITOR do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, no uso das atribuições legais que lhe conferem a Lei 11.892 de 29/12/2008, publicada no D.O.U. de 30/12/2008; a Portaria MEC

Leia mais

LEI de 02/12/ Texto Atualizado

LEI de 02/12/ Texto Atualizado LEI 19837 de 02/12/2011 - Texto Atualizado Promove alterações na política remuneratória das carreiras do Grupo de Atividades da Educação Básica e das carreiras do pessoal civil da Polícia Militar e dá

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 030/2016

RESOLUÇÃO nº 030/2016 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO nº 030/2016 de 20 de dezembro de 2016. Revoga a Resolução nº 023/2016 e dispõe sobre o Programa Incentivo Educacional

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ CONSELHO SUPERIOR

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ CONSELHO SUPERIOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 034, DE 02 DE SETEMBRO DE 2010 Aprova

Leia mais

PROPOSTA DE DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO INDIVIDUAL DE TRABALHO DOS DOCENTES DO IF SUDESTE MG (PIT) CAPÍTULO I Das Disposições Gerais

PROPOSTA DE DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO INDIVIDUAL DE TRABALHO DOS DOCENTES DO IF SUDESTE MG (PIT) CAPÍTULO I Das Disposições Gerais PROPOSTA DE DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO INDIVIDUAL DE TRABALHO DOS DOCENTES DO IF SUDESTE MG (PIT) CAPÍTULO I Das Disposições Gerais Art. 1º. Este documento orienta a elaboração do Plano Individual

Leia mais

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS PROGRAMA DE AVALIAÇÃO DE PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS 1- INTRODUÇÃO O Programa de Avaliação de Desempenho dos Técnico-Administrativos em Educação (PROADES) constitui parte do Plano de Desenvolvimento

Leia mais

Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998

Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998 Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998 Institui a Política Nacional de Capacitação dos Servidores para a Administração Pública Federal direta, autárquica

Leia mais

TAEs da UFSC encerram greve. e retornam ao trabalho

TAEs da UFSC encerram greve. e retornam ao trabalho BOLETIM INFORMATIVO DE GREVE - Comando Local de Greve #4-2015 - www.sintufsc.ufsc.br Foto: Flávia Destri Garcia TAEs da UFSC encerram greve e retornam ao trabalho Em assembleia geral de greve na quarta-feira

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008 Estabelece a Tabela de Valores da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso - GECC e o correspondente

Leia mais

LEI N o /2011. Art (...) (...)

LEI N o /2011. Art (...) (...) LEI N o 11.309/2011 Altera dispositivos da Lei Municipal nº 10.679/2008, que Institui as carreiras do grupo de atividades de saneamento do Centro Operacional de Desenvolvimento e Saneamento de Uberaba

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 2.772, DE 28 DE DEZEMBRO DE 202. Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal; sobre a Carreira

Leia mais

DECRETO Nº 6.114, DE 15 DE MAIO DE

DECRETO Nº 6.114, DE 15 DE MAIO DE DECRETO Nº 6.114, DE 15 DE MAIO DE 2007. Regulamenta o pagamento da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso de que trata o art. 76-A da Lei n o 8.112, de 11 de dezembro de 1990. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

Resolução nº 004/2015

Resolução nº 004/2015 Resolução nº 004/2015 Dispõe sobre estágio de prática docente para os alunos do Mestrado em Direito e Instituições do Sistema de Justiça. Art. 1º O Estágio de Prática Docente (EPD) tem por objetivo aperfeiçoar

Leia mais

Perguntas Frequentes de Docentes

Perguntas Frequentes de Docentes SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL Tempo Residual Perguntas Frequentes de Docentes 1 - A

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO PIAUÍ. FAÇO saber que o Poder Legislativo do Estado decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I

O GOVERNADOR DO ESTADO DO PIAUÍ. FAÇO saber que o Poder Legislativo do Estado decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I LEI ORDINÁRIA Nº 5.673 DE 1 DE AGOSTO DE 2007 Dispõe sobre o Plano de Cargos e Salários do Quadro Efetivo de Pessoal do Tribunal de Contas do Estado do Piauí. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PIAUÍ FAÇO saber

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 010/2012

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 010/2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 010/2012 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DO CURSO DE ESPANHOL INTERMEDIÁRIO

Leia mais

RESOLUÇÃO N 06/2015/CONSUP/IFAP, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2015.

RESOLUÇÃO N 06/2015/CONSUP/IFAP, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2015. RESOLUÇÃO N 06/2015/CONSUP/IFAP, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2015. Aprova o PROGRAMA DE BOLSA-AUXÍLIO À PÓS- GRADUAÇÃO AOS SERVIDORES do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá IFAP. O PRESIDENTE

Leia mais

LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012 CAPÍTULO I DO PLANO DE CARREIRAS E CARGOS DE MAGISTÉRIO FEDERAL

LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012 CAPÍTULO I DO PLANO DE CARREIRAS E CARGOS DE MAGISTÉRIO FEDERAL CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação LEI Nº 12.772, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012 Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal; sobre a Carreira do Magistério

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 23.380. Dispõe sobre o Adicional de Qualificação no âmbito da Justiça Eleitoral.

RESOLUÇÃO Nº 23.380. Dispõe sobre o Adicional de Qualificação no âmbito da Justiça Eleitoral. Publicada no DJE/TSE nº 142, de 27/7/2012, p. 9/11 RESOLUÇÃO Nº 23.380 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 19.823 (29839-23.2007.6.00.0000) CLASSE 19 BRASÍLIA DF Relatora: Ministra Cármen Lúcia Interessado: Tribunal

Leia mais

ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq

ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq GRUPOS DE PESQUISA: DEFINIÇÃO E CRITÉRIOS ESTABELECIDOS PELA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA PROPe/UNESP a) Definição

Leia mais

É permitido o somatório de cargas horárias de cursos superiores a 20 (vinte) horasaula.

É permitido o somatório de cargas horárias de cursos superiores a 20 (vinte) horasaula. Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação PCCTAE É um conjunto de princípios, diretrizes e normas que regulam o desenvolvimento profissional dos servidores. Estrutura do PCCTAE O

Leia mais

9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA

9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA 9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA 9.1 Estrutura Organizacional, Instâncias de Decisão e Organograma Institucional e Acadêmico (conforme Estatuto e Regimento Geral). O Instituto Federal de Ciência e Tecnologia

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI COMPLEMENTAR Nº 31 O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei: TITULO I Das Disposições Preliminares Art. 1º - Fica criada

Leia mais

Edital DGEP nº 17/2016, de 25 de abril de 2016

Edital DGEP nº 17/2016, de 25 de abril de 2016 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS PROCESSO SELETIVO DE INSTRUTORES INTERNOS PARA AÇÕES DE CAPACITAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Reitoria Av. dos Estados, 5001 Bairro Bangu Santo André - SP CEP 09210-580 Fone: (11) 4437.8494 reitoria@ufabc.edu.br PORTARIA DA REITORIA Nº

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br A Lei 9.394/96 e os Profissionais de Educação Vicente Martins Um juiz que durante todo o dia aprecia, em um tribunal, processos e mais processos, julga juridicamente seus réus segundo

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 430, DE 1º DE JULHO DE 2010

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 430, DE 1º DE JULHO DE 2010 RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 430, DE 1º DE JULHO DE 2010 Institui o Plano de Cargos, Salários e Carreiras dos servidores da Controladoria Geral do Estado do Rio Grande do Norte, e dá outras

Leia mais

FAÇO SABER QUE A CÂMARA MUNICIPAL DE APARECIDA DE GOIÂNIA APROVOU E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI:

FAÇO SABER QUE A CÂMARA MUNICIPAL DE APARECIDA DE GOIÂNIA APROVOU E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: LEI MUNICIPAL Nº 2.221, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2001. Dispõe sobre o Plano de Carreira e Vencimentos do Grupo Ocupacional Magistério da Prefeitura Municipal de Aparecida de Goiânia. FAÇO SABER QUE A CÂMARA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS MANUAL DO SERVIDOR

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS MANUAL DO SERVIDOR Página 1 de 5 AFASTAMENTO PARA PRESTAR COLABORAÇÃO TÉCNICA DEFINIÇÃO Afastamento de servidor estável, ocupante de cargo do Plano de Carreiras e Cargos do Magistério Federal ou do Plano de Carreira dos

Leia mais