ECLI:PT:STJ:2014: TASTB.A.S1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ECLI:PT:STJ:2014: TASTB.A.S1"

Transcrição

1 ECLI:PT:STJ:2014: TASTB.A.S1 Relator Nº do Documento Manuel Braz Apenso Data do Acordão 16/10/2014 Data de decisão sumária Votação unanimidade Tribunal de recurso Processo de recurso Data Recurso Referência de processo de recurso Nivel de acesso Público Meio Processual Decisão Habeas Corpus indeferida a petição de habeas corpus Indicações eventuais Área Temática direito processual penal - medidas de coacção ( medidas de coação ) / prisão preventiva / prazos - recursos. Referencias Internacionais Jurisprudência Nacional Acórdão Do Supremo Tribunal De Justiça: -de 18/09/2014, Proc. 70/14.4yflsb, 5ª Secção. Legislação Comunitária Legislação Estrangeira Descritores habeas corpus; prazo da prisão preventiva; acusação; declaração; excepcional complexidade; juíz de instrução; recurso; efeito do recurso; efeito suspensivo; trânsito em julgado; Página 1 / 6

2 Sumário: I -O prazo máximo de prisão preventiva sem que tenha sido deduzida acusação eleva-se para 1 ano, como estabelece o n.º 3 do art. 215.º do CPP, se o procedimento for por crime referido no n.º 2 e se revelar de excepcional complexidade, a qual terá que ser declarada em 1.ª instância, nos termos do n.º 4 do citado preceito. II - Em caso de procedimento por crime do n.º 2 do art. 215.º do CPP, o que a lei exige, para a elevação dos prazos máximos de prisão preventiva nos termos do n.º 3, é somente decisão de 1.ª instância declarando a excepcional complexidade, independentemente de dela ter ou não sido interposto recurso, de ter ou não transitado em julgado. Como é próprio das decisões sobre a aplicação de medidas destinadas a satisfazer as exigências cautelares do processo penal. Essas decisões operam de imediato. De outro modo, perderiam o seu efeito útil, deixando de acautelar os interesses que visavam acautelar. III -E nada muda se, incorrectamente, contrariando o disposto no art. 408.º, n.ºs 1 e 2, do CPP, o juiz ao admitir o recurso da decisão que declara a excepcional complexidade, lhe atribui efeito suspensivo. Na verdade, a imediata produção dos efeitos da declaração de excepcional complexidade do procedimento decorre da lei, não dependendo daquilo que o juiz afirme sobre o efeito do recurso, afirmação que é corrigível pelo tribunal de recurso, conforme dispõe o art. 414.º, n.º 3, do CPP. O prazo máximo de 1 ano ainda não decorreu, pelo que o pedido de habeas corpus é infundado. Decisão Integral: Acordam no Supremo Tribunal de Justiça: AA, representado por advogado, requereu a providência de habeas corpus, nos termos que se transcrevem: «1- O arguido encontra-se preso preventivamente desde 29/03/2014 no estabelecimento prisional de Évora, à ordem do processo supra. 2- Na presente data de 03/10/2014 não foi ainda deduzida acusação. 3- Procedem os presentes autos por crimes subsumíveis na previsão do n 2 do art. 215 do Código do Processo Penal. 4- Em 07/07/2014, veio o Digníssimo Magistrado do Ministério Público requerer a Declaração de especial complexidade dos presentes autos, e 5- Em 21/07/2014 foi proferida Douta Decisão do Meritíssimo Juiz nos termos do art. 215 n 4 do CPP que declarou a excepcional complexidade do processo. 6- Inconformado, veio o arguido interpor recurso da Douta Decisão. 7- Por ser tempestivo e se encontrar motivado, veio o Meritíssimo Juiz em 01/09/2014 a fls ss. admitir o referido recurso, ao qual atribuiu efeito suspensivo, com subida imediata, em separado. 8- Na presente data o Tribunal da Relação não proferiu ainda decisão no recurso interposto e admitido. 9- Dúvidas não pode haver que, da conjunção do facto de não ter sido ainda deduzida acusação, com o declarado efeito suspensivo do recurso relativo à qualificação de especial complexidade, com a ausência de uma decisão do douto Tribunal, resulta que o prazo de duração máxima da Página 2 / 6

3 prisão preventiva é o de seis meses, conforme disposto no art. 215 n 1 a) e n 2, primeira parte do CPP. 10- No passado dia 30 de Setembro 2014, foi requerido ao Mm Juiz de Instrução a restituição do arguido à liberdade em virtude de se ter excedido o período de 6 meses de prisão preventiva. 11- Na presente data de 03 de Outubro 2014 o arguido não obteve ainda qualquer resposta e mantém-se a ausência de acusação no processo, não tendo igualmente sido decidido o recurso da declaração de especial complexidade, ao qual foi atribuído efeito suspensivo. 12- Nesta conformidade, o arguido encontra-se ilegalmente preso, sendo essa ilegalidade proveniente do facto de se manter preso para além do prazo previsto no art. 215 n 2 a) do Código de Processo Penal. 13- Dúvidas não há que, na presente data, a manutenção da prisão preventiva do arguido, não obstante ter sido ordenada por entidade competente, está ferida de uma ilegalidade grosseira, manifesta, indiscutível, rapidamente verificável, sem margem para dúvidas, porque, se mantém para além do prazo fixado na lei. 14- Acresce que o art. 28 n 4 da Constituição da República Portuguesa (CRP), estipula que a prisão preventiva está sujeita aos prazos estipulados por lei, os quais se encontram especificadamente plasmados no art. 215 do Código de Processo Penal. 15- O art. 31, n 1, da Constituição da República Portuguesa consagra, com carácter de direito fundamental, a providência de habeas corpus contra o abuso de poder, por virtude de prisão ou detenção ilegal. Nesta conformidade a providencia de Habeas Corpus tem sempre lugar quando se está perante uma clara situação de prisão ilegal e não se substitui, nem pode substituir-se aos recursos ordinários, ou seja, não é nem pode ser meio adequado de pôr termo a todas as situações de ilegalidade da prisão. Está reservada, quanto mais não fosse por implicar uma decisão verdadeiramente célere mais precisamente «nos oito dias subsequentes» ut art 223, n 2, do Código de Processo Penal aos casos de ilegalidade grosseira, porque manifesta, indiscutível, sem margem para dúvidas, como o são os casos de prisão ordenada por entidade incompetente, mantida para além dos prazos fixados na lei ou decisão judicial, e como o tem de ser o facto pela qual a lei a não permite. Ora, no caso concreto, verificado que é que não a decisão do douto tribunal que decreta a Especial Complexidade dos Autos, está suspensa nos seus efeitos directos, Que são o aumento dos prazos da medida de coacção de prisão preventiva estatuída nos termos do artigo do 215, n 3 do CPP. Está a mesma sujeita aos prazos de extinção estatuídos nos termos do número 2 a), do referido artigo. Nestes termos, designadamente os do art. 222 n s 1 e 2 c) e art. 223 n 4 d), e do art. 215 n 2 a) todos do CPP, nos melhores de Direito e sempre com o Douto suprimento do Meritíssimo Juiz, pede-se a V/Exa: a) Que seja declarada a ilegalidade da manutenção da medida de PRISÃO PREVENTIVA a que o arguido está sujeito; b) Que seja declarada a extinção da medida de coação de PRISÃO PREVENTIVA; c) Seja declarada a Providência de Habeas Corpus; d) Que seja ordenada a libertação imediata do arguido nos termos do disposto no art. 223, n 4, alínea d), com todas as consequências legais». Página 3 / 6

4 O juiz de instrução, ao abrigo do artº 223º do mesmo diploma, informou como segue (transcrição): «O arguido... vem indiciado pela prática de: um crime de violação de segredo por funcionário, p. e p. pelo artigo 383, n 1, do C.P., um crime de associação criminosa, p. e p. pelo artigo 299, n 2, do C.P., um crime de denegação de justiça e prevaricação, p. e p. pelo artigo 369, n 2, do C.P. e de um crime de corrupção activa, p. e p. pelo artigo 373, n 1, do C.P. Investiga-se ainda nos presentes autos a prática, pelos arguidos já constituídos nessa qualidade, dos crimes de fraude fiscal e de associação criminosa, p. e p. pelos artigos 103, 104 e 89 do RGIT, de branqueamento de capitais, p. e p. pelo artigo 368 -A, do Código Penal e de corrupção, p. e p. pelos artigos 372, n 1 e 374, n 1, ambos do Código Penal. O arguido foi ouvido em primeiro interrogatório em 29/03/2014, tendo nesse mesmo dia sido sujeito às medidas de coacção de TIR e prisão preventiva. A partir dessa data tem estado ininterruptamente preso à ordem dos autos 2210/12.9TASTB. Por despacho judicial de fls. 4964/4965, proferido em 21/07/2014, foi declarada a excepcional complexidade dos autos, nos termos do disposto no artigo 215, n 4, do C.P.P. O arguido, não se conformando com o teor do aludido despacho, dele interpôs recurso, a fls a 5169, o qual veio a ser admitido, por despacho de fls No aludido despacho, foi atribuído efeito suspensivo ao recurso interposto pelo arguido. Por despacho hoje proferido, foi rectificado o lapso manifesto do despacho que atribuiu efeito suspensivo ao recurso, fixando ao recurso efeito devolutivo, como decorre do disposto no artigo 408, n 1, a contrario (cfr. artigo 380 do C.P.P.). Em processo penal, o efeito fixado no despacho que admite o recurso não vincula o Tribunal superior, como preceitua o artigo 414, n 3, do C.P.P. e ainda o artigo 380, n 2, do C.P.P. Entende-se, assim, que, com a atribuição agora efectuada, por força da rectificação do despacho de admissão do recurso, de efeito devolutivo ao recurso interposto pelo arguido do despacho que declarou a excepcional complexidade dos autos, tal despacho permanece válido e produz os seus efeitos, nomeadamente, alargando o prazo de duração da prisão preventiva nos termos exarados na primeira parte do n 3, do artigo 215, do C.P.P. Nesta conformidade, passando o prazo de duração máxima da prisão preventiva para um ano, e estando o arguido João Sousa preso preventivamente desde 29/03/2014, entende-se que a petição de habeas corpus não tem fundamento, não se verificando nenhuma das situações elencadas no n 2 do artigo 222 do C.P.P.». Realizada a audiência, cumpre decidir. Fundamentação: De facto: 1. O requerente encontra-se na situação de prisão preventiva à ordem do processo nº 2210/12.9TASTB da comarca de Lisboa, Almada Inst. Central 2ª Sec. Ins. Criminal J1, desde 29/03/2014, aplicada em decisão que considerou haver fortes indícios de haver praticado -um crime de violação de segredo por funcionário p. e p. pelo artº 383º, nº 1, do CP; -um crime de associação criminosa p. e p. pelo artº 299º, nº 2, do CP; -um crime de denegação de justiça e prevaricação p. e p. pelo artº 369º, nº 2, do CP; e -um crime de corrupção passiva p. e p. pelo artº 373º, nº 1, do CP. Página 4 / 6

5 2. Por decisão de 21/07/2014, foi declarada a excepcional complexidade do processo. 3. O requerente interpôs recurso desse despacho, o qual foi admitido, por despacho de 01/09/2014, tendo-lhe sido fixado efeito suspensivo. 4. Na altura em que lhe foi apresentada a petição de habeas corpus, o juiz de instrução, em despacho de 08/10/2014, considerou que a atribuição de efeito suspensivo ao recurso referido em 3 se deveu a manifesto lapso, que corrigiu, afirmando ser devolutivo esse efeito. 5. Esse recurso ainda não foi julgado. 6. Não foi ainda deduzida acusação. De direito: Nos termos do nº 2 do artº 222º do Código de Processo Penal, o pedido de habeas corpus, relativamente a pessoa presa, tem de «fundar-se em ilegalidade da prisão proveniente de: a) Ter sido efectuada ou ordenada por entidade incompetente; b) Ser motivada por facto pelo qual a lei a não permite; ou c) Manter-se para além dos prazos fixados pela lei ou por decisão judicial». O requerente pretende que se verifica a situação da alínea c), argumentando assim: -Encontra-se em situação de prisão preventiva desde 29/03/2014, e não foi ainda deduzida acusação; -Nos termos do artº 215º, nºs 1 e 2, do CPP, o prazo máximo de prisão preventiva sem que tenha sido deduzida acusação é de 6 meses, estando já excedido; -Foi, é certo, proferido despacho a declarar a excepcional complexidade do processo, mas essa decisão não produz efeitos, uma vez que dela foi interposto recurso, admitido com efeito suspensivo; -Deste modo, não tem aplicação ao caso o prazo máximo de prisão preventiva previsto no nº 3 do artº 215º. O prazo máximo de prisão preventiva sem que tenha sido deduzida acusação é, em regra, de quatro meses, nos termos da alínea a) do nº 1 do artº 215º. Esse prazo é elevado para seis meses, estando em causa, além de outros, crime que se inclua na criminalidade altamente organizada. O crime de associação criminosa imputado nesta fase ao requerente integra-se na criminalidade altamente organizada, de acordo com o disposto na alínea m) do artº 1º do CPP. O prazo máximo de prisão preventiva sem que tenha sido deduzida acusação eleva-se para um ano, como estabelece o nº 3 do artº 215º, se o procedimento for por crime referido no nº 2 e se revelar de excepcional complexidade, a qual terá de ser declarada em 1ª instância, nos termos do nº 4. Foi declarada a excepcional complexidade do procedimento pelo juiz de instrução em 21/07/2014. O requerente, aceitando que o procedimento é ou também é por crime referido no nº 2 do artº 215º, defende que o prazo máximo de prisão sem que tenha sido deduzida acusação é o aí previsto, de seis meses, e não o do nº 3, de um ano, na consideração de que a declaração de excepcional complexidade não opera, por dela ter sido interposto recurso, admitido com efeito suspensivo. Não tem razão. Em caso de procedimento por crime do nº 2 do artº 215º, o que a lei exige, para a elevação dos prazos máximos de prisão preventiva nos termos do nº 3, é somente decisão de 1ª instância declarando a excepcional complexidade, independentemente de dela ter ou não sido interposto recurso, de ter ou não transitado em julgado. Como é próprio das decisões sobre a aplicação de medidas destinadas a satisfazer exigências cautelares do processo penal. Essas decisões operam Página 5 / 6

6 Powered by TCPDF ( de imediato. De outro modo, perderiam o seu efeito útil, deixando de acautelar os interesses que visavam acautelar. É assim com a decisão que declara a excepcional complexidade do procedimento como é com as demais decisões previstas no artº 215º que determinam prazos máximos de prisão preventiva. Todas produzem efeitos desde a sua prolação. E não é diferente, pela mesma razão, o que se passa com a decisão que aplica medidas de coacção, designadamente a prisão preventiva: É de execução imediata (assim, acórdão do STJ de 18/09/2014, proc. 70/14.4YFLSB, 5ª secção). E nada muda se, incorrectamente, contrariando o disposto no artº 408º, nºs 1 e 2, do CPP, o juiz, ao admitir o recurso da decisão que declara a excepcional complexidade, lhe atribui efeito suspensivo. Na verdade, a imediata produção dos efeitos da declaração de excepcional complexidade do procedimento decorre da lei, não dependendo daquilo que o juiz afirme sobre o efeito do recurso, afirmação que é, aliás, corrigível pelo tribunal de recurso, conforme dispõe o artº 414º, nº 3. E, no caso, o próprio juiz que admitiu o recurso já corrigiu o efeito atribuído, não sendo esta a sede para averiguar se o podia ou não fazer. Em consequência, o prazo máximo de prisão preventiva nesta fase, em que não foi ainda deduzida acusação, é, por aplicação do nº 3 do artº 215º, de um ano, que ainda não decorreu. É por isso infundado o pedido de habeas corpus. Decisão: Em face do exposto, acordam os juízes do Supremo Tribunal de Justiça em indeferir a petição de habeas corpus, por falta de fundamento. Condena-se o requerente a pagar as custas, fixando-se em 2 UC a taxa de justiça. Lisboa, 16 de Outubro de 2014 Manuel Braz (Relator) Isabel São Marcos Santos Carvalho Página 6 / 6

ANTEPROJECTO DE LEI DO HABEAS CORPUS

ANTEPROJECTO DE LEI DO HABEAS CORPUS 2013 ANTEPROJECTO DE LEI DO HABEAS CORPUS RELATÓRIO DE FUNDAMENTAÇÃO E PROJECTO DE LEI Comissão de Reforma da Justiça e do Direito Subcomissão de Reforma do Código de Processo Penal 16-09- 2013 ANTEPROJECTO

Leia mais

Processo n.º 429/2015 Data do acórdão:

Processo n.º 429/2015 Data do acórdão: Processo n.º 429/2015 Data do acórdão: 2015-5-28 (Autos em recurso penal) Assuntos: prática de novo crime no período de pena suspensa corrupção activa art.º 54.º, n.º 1, alínea b), do Código Penal revogação

Leia mais

DETENÇÃO. - Os actos processuais com detidos são urgentes e os prazos correm em férias (art. 80º CPP).

DETENÇÃO. - Os actos processuais com detidos são urgentes e os prazos correm em férias (art. 80º CPP). DETENÇÃO 1- Definição. Medida cautelar de privação da liberdade pessoal, não dependente de mandato judicial, de natureza precária e excepcional, que visa a prossecução de finalidades taxativamente 1 previstas

Leia mais

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário 1. São duas as questões suscitadas pelo Demandado: - uma que respeita a competência do relator para a decisão tomada e a eventual nulidade

Leia mais

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES PROCº 2160/07-2 Acordam no Tribunal da Relação de Guimarães: I - RELATÓRIO O Digno Magistrado do M.ºP.º junto deste Tribunal requereu a resolução do conflito de competência entre os M.ºs Juiz da 1ª Vara

Leia mais

RECURSO DA DELIBERAÇãO DO CONSELhO GERAL SOBRE RESTITUIÇãO DE IMPORTâNCIAS PAGAS AO CDL(*)

RECURSO DA DELIBERAÇãO DO CONSELhO GERAL SOBRE RESTITUIÇãO DE IMPORTâNCIAS PAGAS AO CDL(*) J u r i s p r u d ê n c i a d o s C o n s e l h o s RECURSO DA DELIBERAÇãO DO CONSELhO GERAL SOBRE RESTITUIÇãO DE IMPORTâNCIAS PAGAS AO CDL(*) Proc. n.º 267/2009-CS/R Relator: António A. Salazar Relatório

Leia mais

PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL

PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL 25ª Sessão DA REFORMA DOS RECURSOS EM PROCESSO CIVIL Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio 2011 1 Enquadramento legal DL nº 303/2007 de 24 de Agosto Rectificado pela: Declaração

Leia mais

ACÓRDÃO N.º 20/2016- PL-3.ª SECÇÃO 4ROM-SRA/2016 (P. n.º 1/2014-M-SRATC)

ACÓRDÃO N.º 20/2016- PL-3.ª SECÇÃO 4ROM-SRA/2016 (P. n.º 1/2014-M-SRATC) Revogou a Sentença nº 5/2016 - SRATC ACÓRDÃO N.º 20/2016- PL-3.ª SECÇÃO 4ROM-SRA/2016 (P. n.º 1/2014-M-SRATC) Descritores: Extinção do procedimento por responsabilidades sancionatórias /prescrição/ artigo

Leia mais

Acórdão n.º 10 / ª Secção-PL. P. n.º 5 ROM-SRM/2013. P. de Multa n.º 6/2012-SRM

Acórdão n.º 10 / ª Secção-PL. P. n.º 5 ROM-SRM/2013. P. de Multa n.º 6/2012-SRM Não transitado em julgado Recurso para o Tribunal Constitucional Acórdão n.º 10 /2013-3.ª Secção-PL. P. n.º 5 ROM-SRM/2013 P. de Multa n.º 6/2012-SRM 1. RELATÓRIO. 1.1. O Ministério Público junto da Secção

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª

PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª Altera o Código de Processo Penal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 78/87, de 17 de Fevereiro, eliminando a possibilidade de julgamentos em processo sumário para crimes puníveis

Leia mais

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA Comissão Nacional de Estágio e Formação / Comissão Nacional de Avaliação PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO Questões de Prática Processual Penal

Leia mais

Exame de Prática Processual Penal 23 de Janeiro de 2009

Exame de Prática Processual Penal 23 de Janeiro de 2009 No dia 6 de Maio de 2008, António, alegando urgente necessidade de auxiliar um seu irmão a fazer face a inesperadas despesas de saúde, convenceu Maria, com quem vivia em situação análoga à dos cônjuges,

Leia mais

REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL

REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL CARGOS: OFICIAL DE JUSTIÇA E ANALISTA JUDICIÁRIO FUNÇÃO JUDICIÁRIA PROVA OBJETIVA: 9.1.3. A Prova Objetiva será

Leia mais

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES PROCº 64/03.5TBCBT-C.G1 F. veio reclamar do despacho do Sr. Juiz do Tribunal Judicial de Celorico de Basto, datado de 24.03.2011, que não lhe admitiu o recurso por si interposto, por falta de fundamento

Leia mais

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES PROCº 153/11.2YRGMR I - RELATÓRIO Visam os presentes autos a resolução do conflito de competência entre os Senhores Juizes dos 1º e 2º Juízos Cíveis da comarca de Barcelos que, por despachos transitados

Leia mais

ECLI:PT:TRC:2007: TAACB.A.C1 Relator Nº do Documento Jorge Dias

ECLI:PT:TRC:2007: TAACB.A.C1  Relator Nº do Documento Jorge Dias ECLI:PT:TRC:2007:845.06.8TAACB.A.C1 http://jurisprudencia.csm.org.pt/ecli/ecli:pt:trc:2007:845.06.8taacb.a.c1 Relator Nº do Documento Jorge Dias Apenso Data do Acordão 12/12/2007 Data de decisão sumária

Leia mais

Acórdão n.º 5/CC/2016. de 13 de Setembro

Acórdão n.º 5/CC/2016. de 13 de Setembro Acórdão n.º 5/CC/2016 de 13 de Setembro Processo n.º 4/CC/2016 Fiscalização concreta de constitucionalidade Acordam os Juízes Conselheiros do Conselho Constitucional: I Relatório A Secção Criminal do Tribunal

Leia mais

PAPEL DO SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA NA ORIENTA- ÇÃO DA JURISPRUDÊNCIA: PROCEDIMENTOS DE UNIFOR- MIZAÇÃO BREVES NOTAS

PAPEL DO SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA NA ORIENTA- ÇÃO DA JURISPRUDÊNCIA: PROCEDIMENTOS DE UNIFOR- MIZAÇÃO BREVES NOTAS PAPEL DO SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA NA ORIENTA- ÇÃO DA JURISPRUDÊNCIA: PROCEDIMENTOS DE UNIFOR- MIZAÇÃO BREVES NOTAS 1. Estrutura judiciária - Tribunais Judiciais (1) Supremo Tribunal de Justiça (com

Leia mais

ACORDAM OS JUÍZES NO TRIBUNAL DE SEGUNDA INSTÂNCIA DA R.A.E.M.:

ACORDAM OS JUÍZES NO TRIBUNAL DE SEGUNDA INSTÂNCIA DA R.A.E.M.: Processo nº (Autos de Recurso Civil e Laboral) Data: 29 de Novembro de 2012 Recorrente: A (embargante) Recorridos: B (embargado) Banco Luso Internacional, S.A. (exequente) ACORDAM OS JUÍZES NO TRIBUNAL

Leia mais

ACÓRDÃO N.º 225/10 De 2 de Junho de 2010

ACÓRDÃO N.º 225/10 De 2 de Junho de 2010 ACÓRDÃO N.º 225/10 De 2 de Junho de 2010 Indefere reclamação de despacho do relator que não admitiu o recurso interposto para o Plenário do Acórdão n.º 593/09, por extemporaneidade. Processo: n.º 783-A/09.

Leia mais

Texto Informativo Tramitação do Pedido de Aceleração Processual Fase de Inquérito

Texto Informativo Tramitação do Pedido de Aceleração Processual Fase de Inquérito Autor: Alexandre Silva 1 ÍNDICE Nota Introdutória 3 A Instrução do Pedido de aceleração Processual 4 Quando pode ser requerido 4 Quem pode requerer 5 A quem é dirigido 5 Tramitação do incidente 5 Tramitação

Leia mais

(Sumário elaborado pela Relatora) Acordam os Juízes no Tribunal da Relação de Lisboa:

(Sumário elaborado pela Relatora) Acordam os Juízes no Tribunal da Relação de Lisboa: Acórdãos TRL Processo: 258/14.8TBPDL.L1 6 Relator: ANABELA CALAFATE Descritores: ADMINISTRADOR DE INSOLVÊNCIA REMUNERAÇÃO Nº do Documento: RL Data do Acordão: 02 07 2015 Votação: UNANIMIDADE Texto Integral:

Leia mais

Sentença nº 7/2010-3ª S/SS Processo nº: 5-A JRF/2003 3ª Secção em 1ª Instância 14/07/2010

Sentença nº 7/2010-3ª S/SS Processo nº: 5-A JRF/2003 3ª Secção em 1ª Instância 14/07/2010 Sentença nº 7/2010-3ª S/SS Processo nº: 5-A JRF/2003 3ª Secção em 1ª Instância 14/07/2010 HABILITAÇÃO DE HERDEIROS / PROCESSO PRINCIPAL PENDENTE / INSTÂNCIA SUSPENSA Sumário: 1. Nos termos do disposto

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 5 RELATOR PACTE.(S) IMPTE.(S) COATOR(A/S)(ES) : MIN. MARCO AURÉLIO :ERIC GUSTAVO BOANOVA BAPTISTA :JOÃO VICENTE CAPUTY DA ROSA :SUPERIOR TRIBUNAL

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. MÓDULO II 1. Regras de competência 2. Procedimento 3. Pedidos 4. Recurso Ordinário Constitucional

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. MÓDULO II 1. Regras de competência 2. Procedimento 3. Pedidos 4. Recurso Ordinário Constitucional CONTEÚDO PROGRAMÁTICO MÓDULO II 1. Regras de competência 2. Procedimento 3. Pedidos 4. Recurso Ordinário Constitucional 1. REGRAS DE COMPETÊNCIA O habeas corpus deve ser interposto à autoridade judicial

Leia mais

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Acórdãos STA Processo: 0460/10 Data do Acordão: 03-11-2010 Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Tribunal: Relator: Descritores: Sumário: 2 SECÇÃO PIMENTA DO VALE PRESCRIÇÃO IVA OPOSIÇÃO À EXECUÇÃO

Leia mais

Processo n.º 527/2007 Data do acórdão: S U M Á R I O

Processo n.º 527/2007 Data do acórdão: S U M Á R I O Processo n.º 527/2007 Data do acórdão: 2008-01-31 Assuntos: - art.º 1200.º do Código de Processo Civil - divórcio - conservatória do registo civil - revisão formal S U M Á R I O Caso no exame dos autos

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica Prática Processual Penal e Direito Constitucional e Direitos Humanos (8 Valores) 22 de Julho de 2011 Responda a todas

Leia mais

TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE LISBOA

TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE LISBOA Vi Proc. N.~ 7251/07 3 Secção Relator: Carlos Rodrigues de Almeícia + Acordam, em conferência, no Tribunal da Relação de Lisboa 1 No dia 29 de Novembro de 2007, deu entrada neste tribunal requerimento

Leia mais

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados CONSULTA N.º 54/2008 Exame de processo judicial artigo 74º do EOA & 1 Dos factos O Senhor Advogado..., titular da cédula profissional n.º, com domicílio profissional sito na..., veio solicitar a pronúncia

Leia mais

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES PROCº 3337/12.2TBGMR.G1 I - RELATÓRIO Visam os presentes autos a resolução do conflito de competência entre os Senhores Juizes do 2º Juízo Cível e do Juízo de Execução da comarca de Guimarães que, por

Leia mais

Altera o Código de Processo Penal visando a defesa da investigação e a. eficácia do combate ao crime

Altera o Código de Processo Penal visando a defesa da investigação e a. eficácia do combate ao crime Projecto de Lei n.º 38/XI-1ª Altera o Código de Processo Penal visando a defesa da investigação e a eficácia do combate ao crime Preâmbulo As alterações introduzidas no Código de Processo Penal na X Legislatura,

Leia mais

Código de Processo Penal Disposições relevantes em matéria de Comunicação Social

Código de Processo Penal Disposições relevantes em matéria de Comunicação Social Código de Processo Penal Disposições relevantes em matéria de Comunicação Social Artigo 86. o Publicidade do processo e segredo de justiça 1. O processo penal é, sob pena de nulidade, público a partir

Leia mais

Decreto-Lei n.º 62/99, de 2 de Março

Decreto-Lei n.º 62/99, de 2 de Março (não dispensa a consulta do Diário da República) Decreto-Lei n.º 62/99, de 2 de Março A Lei n.º 57/98, de 18 de Agosto, e o Decreto-Lei n.º 381/98, de 27 de Novembro, vieram operar uma profunda renovação

Leia mais

HABEAS CORPUS SUBSTITUTIVO DE RECURSO ORDINÁRIO. NOVA ORIENTAÇÃO.

HABEAS CORPUS SUBSTITUTIVO DE RECURSO ORDINÁRIO. NOVA ORIENTAÇÃO. HABEAS CORPUS SUBSTITUTIVO DE RECURSO ORDINÁRIO. NOVA ORIENTAÇÃO. A Turma, acompanhando recente orientação do STF, decidiu não ser cabível a impetração de habeas corpus substitutivo de recurso ordinário,

Leia mais

Aula 14. EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo único, CPP)

Aula 14. EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo único, CPP) Turma e Ano: Regular 2015 / Master B Matéria / Aula: Direito Processual Penal / Aula 14 Professor: Elisa Pittaro Monitora: Kelly Soraia Aula 14 EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Nº 25.662/CS HABEAS CORPUS N. 135.921 SANTA CATARINA IMPETRANTE: EUNICE ANISETE DE SOUZA TRAJANO E OUTRO(A/S) PACIENTE: PEDRO FERNANDES GUERREIRO JUNIOR COATOR: SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA RELATORA: MINISTRA

Leia mais

PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores /2014)

PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores /2014) PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores - 2013/2014) 1. Aulas: I- METODOLOGIA As sessões de trabalho vão decorrer: a) Leitura, seguida de esclarecimentos e discussão

Leia mais

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT-

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Acção proposta no âmbito do artº 205º CPEREF- Ordem de separação de determinado prédio da massa falida Cancelamento de hipotecas e penhoras Insuficiência do título. DELIBERAÇÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça HABEAS CORPUS Nº 299.315 - RS (2014/0175002-0) RELATOR IMPETRANTE ADVOGADO IMPETRADO PACIENTE : MINISTRO GURGEL DE FARIA : DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL : DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores FELIPE FERREIRA (Presidente sem voto), RENATO SARTORELLI E VIANNA COTRIM.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores FELIPE FERREIRA (Presidente sem voto), RENATO SARTORELLI E VIANNA COTRIM. 1 Registro: 2016.0000888926 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2223275-04.2016.8.26.0000, da Comarca de Santa Bárbara D Oeste, em que é agravante ELZA DOMINGOS

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL PEÇA PROFISSIONAL Joana Augusta laborou, durante vinte e seis anos, como enfermeira do quadro do hospital universitário ligado a determinada universidade federal, mantendo, no desempenho

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO : MINISTRO RIBEIRO DANTAS : EMERSON SILVA RODRIGUES (PRESO) : DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO EMENTA PROCESSUAL

Leia mais

Processo n.º 178/2008 Data do acórdão: S U M Á R I O

Processo n.º 178/2008 Data do acórdão: S U M Á R I O Processo n.º 178/2008 Data do acórdão: 2008-05-08 Assuntos: - art.º 1200.º do Código de Processo Civil - divórcio - revisão formal S U M Á R I O Caso no exame dos autos não tenha detectado nenhuma desconformidade

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO QUINTA CÂMARA CRIMINAL CORREIÇÃO PARCIAL PROCESSO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO QUINTA CÂMARA CRIMINAL CORREIÇÃO PARCIAL PROCESSO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO QUINTA CÂMARA CRIMINAL CORREIÇÃO PARCIAL PROCESSO 0065537-84.2013.8.19.0000 RECLAMANTE: CARLOS ALBERTO SIMÕES RECLAMADO: JUÍZO DE DIREITO DA SEGUNDA VARA

Leia mais

<CABBCBBCCADACABAADBCAADCBAACDBBAACDAA DDADAAAD> A C Ó R D Ã O

<CABBCBBCCADACABAADBCAADCBAACDBBAACDAA DDADAAAD> A C Ó R D Ã O EMENTA: AGRAVO EM EXECUÇÃO PENAL CONDENAÇÃO SUPERVENIENTE HOMOLOGAÇÃO DO ATESTADO DE PENA REGIME ABERTO INCONFORMISMO MINISTERIAL IMPOSIÇÃO DO REGIME SEMIABERTO

Leia mais

APOIO JUDICIÁRIO. N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário

APOIO JUDICIÁRIO. N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário Gabinete de Assessoria Jurídica Movimento Processual N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário Classificação N.º de Processos Escusas/Dispensas/Substituições

Leia mais

8/2010: 7.500,01 AO CRIME DE ABUSO DE D

8/2010: 7.500,01 AO CRIME DE ABUSO DE D Novembro 2010 O ACÓRDÃO DO SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE FIXAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA N.º N 8/2010: A INAPLICABILIDADE DO LIMITE MÍNIMO DE 7.500,01 8/2010: 7.500,01 AO CRIME DE ABUSO DE D CONFIANÇA CONTRA

Leia mais

ACÓRDÃO N.º 20/2013-3ª S-PL - 10Julho R.O. nº 02-JC/2013 (P. nº 03-JC/2010)

ACÓRDÃO N.º 20/2013-3ª S-PL - 10Julho R.O. nº 02-JC/2013 (P. nº 03-JC/2010) Transitado em julgado ACÓRDÃO N.º 20/2013-3ª S-PL - 10Julho R.O. nº 02-JC/2013 (P. nº 03-JC/2010) Descritores: Despacho do Tribunal Constitucional que decide que a prescrição do procedimento por responsabilidades

Leia mais

OAB 2ª Fase de Direito Penal Penal Agravo em Execução Emerson Castelo Branco

OAB 2ª Fase de Direito Penal Penal Agravo em Execução Emerson Castelo Branco OAB 2ª Fase de Direito Penal Penal Agravo em Execução Emerson Castelo Branco 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 3. AGRAVO EM EXECUÇÃO 3. 1 HIPÓTESES DE CABIMENTO

Leia mais

Tribunal da Relação de Guimarães

Tribunal da Relação de Guimarães Descritores: Conflito negativo de competência; acção de interdição. Sumário: As acções de interdição devem ser propostas e distribuídas nos juízos cíveis da comarca, que são os originariamente competentes

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO INTERNO DE ATRIBUIÇÃO DE EQUIVALÊNCIA DE HABILITAÇÕES ESTRANGEIRAS AO GRAU DE LICENCIADO EM ENFERMAGEM (De acordo com o Decreto-Lei nº 283/83, de 21 de

Leia mais

SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA HABEAS CORPUS Recurso nº 353/07-5 (Hc) Trib. rec. Torres Novas 2 J Data da decisão recorrida: 12/12/2006 Proc. rec. nº 314/04.5 TATNV Relator Pereira Madeira nº 596 Adjuntos:

Leia mais

Lei nº 5/2002, de 11 de Janeiro

Lei nº 5/2002, de 11 de Janeiro Lei nº 5/2002, de 11 de Janeiro Estabelece medidas de combate à criminalidade organizada e económicofinanceira e procede à segunda alteração à Lei nº 36/94, de 29 de Setembro, alterada pela Lei nº 90/99,

Leia mais

ANDRE MENDONCA MACIEL A C Ó R D Ã O

ANDRE MENDONCA MACIEL A C Ó R D Ã O HABEAS CORPUS. PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO. CONCESSÃO DE FIANÇA PELA AUTORIDADE POLICIAL. LIBERAÇÃO DO FLAGRADO. PRISÃO EM FLAGRANTE CONVERTIDA EM PRISÃO PREVENTIVA, SEM ANÁLISE PELO MAGISTRADO DA LIBERAÇÃO

Leia mais

TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE LISBOA

TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE LISBOA Processo n.'' 204/ 13.6YUSTR.L1-3.^ Secção Relator: Carlos Rodrigues de Almeida Acordam, em conferência, no Tribunal da Relação de Lisboa I - RELATÓRIO 1 - No dia 11 de Março de 2015, foi proferido nestes

Leia mais

GRELHAS DE CORRECÇÃO

GRELHAS DE CORRECÇÃO ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA Comissão Nacional de Estágio e Formação / Comissão Nacional de Avaliação PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO RNE / RGF GRELHAS DE CORRECÇÃO Questões

Leia mais

EXTENSÃO DOS EFEITOS DE SENTENÇA

EXTENSÃO DOS EFEITOS DE SENTENÇA MINUTA COMPENSAÇÃO POR CADUCIDADE DE CONTRATOS DE TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS A TERMO RESOLUTIVO CERTO EXTENSÃO DOS EFEITOS DE SENTENÇA Pode lançar mão do instituto da extensão dos efeitos da sentença

Leia mais

Texto Informativo CONFLITOS DE COMPETÊNCIA Fase de Inquérito

Texto Informativo CONFLITOS DE COMPETÊNCIA Fase de Inquérito CONFLITOS DE COMPETÊNCIA Autor: Alexandre Silva 1 CONFLITOS DE COMPETÊNCIA ÍNDICE Nota Introdutória 3 Competência Material e Funcional 4 Competência Territoral 5 Competência por Conexão 5 Conflitos de

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATORA RECORRENTE RECORRIDO : MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI : C A M : ANNA EUGÊNIA BORGES CHIARI E OUTRO(S) : M L R M : SEM REPRESENTAÇÃO NOS AUTOS EMENTA HABEAS CORPUS. RECURSO ORDINÁRIO. EXECUÇÃO

Leia mais

HC 5538-RN ( ). RELATÓRIO

HC 5538-RN ( ). RELATÓRIO HC 5538-RN (0006637-97.2014.4.05.0000). IMPTTE IMPTDO PACTE ORIGEM RELATOR : DIEGO TOBIAS DE CASTRO BEZERRA. : JUÍZO DA 2ª VARA FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE (NATAL). : MARCELO ROBERTO DA SILVEIRA (RéU

Leia mais

DECRETO N.º 327/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.

DECRETO N.º 327/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1. DECRETO N.º 327/XII Vigésima segunda alteração ao Código de Processo Penal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 78/87, de 17 de fevereiro, primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 299/99, de 4 de agosto, que regulamenta

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO HABEAS CORPUS N /MT

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO HABEAS CORPUS N /MT PODER JUDICIÁRIO Processo na Origem: 11209320084013602 RELATOR(A) : DESEMBARGADOR FEDERAL MÁRIO CÉSAR RIBEIRO IMPETRANTE : ELSON REZENDE DE OLIVEIRA IMPETRADO : JUIZO FEDERAL DA SUBSECAO JUDICIARIA DE

Leia mais

LFG MAPS. INQUÉRITO POLICIAL 08 questões. qualquer diligência, que será realizada, ou não, a juízo da autoridade.

LFG MAPS. INQUÉRITO POLICIAL 08 questões. qualquer diligência, que será realizada, ou não, a juízo da autoridade. NOÇÕES DE DIREITO PENAL Nível de importância Tema QTDE de Questões Porcentagem (%) 1 Inquérito Policial 8 32% 2 Prisões 7 28% 3 Provas 6 24% 4 Ação Penal 2 8% 5 Habeas Corpus 2 8% TOTAL 25 100% INQUÉRITO

Leia mais

RECURSO ORDINÁRIO. Recurso Ordinário

RECURSO ORDINÁRIO. Recurso Ordinário RECURSO ORDINÁRIO Conceito: Os recursos ordinários são os recursos cabíveis para impugnar decisões havidas nos casos previstos no art. 1.027 do CPC. Apesar de serem julgados pelo Supremo Tribunal Federal

Leia mais

Em remate das suas alegações, conclui a recorrente:

Em remate das suas alegações, conclui a recorrente: Page 1 of 6 Acórdãos TRL Acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa Processo: 6104/2006-7 Relator: ISABEL SALGADO Descritores: COMPETÊNCIA MATERIAL TRIBUNAL DE FAMÍLIA INVENTÁRIO DIVÓRCIO POR MÚTUO CONSENTIMENTO

Leia mais

Em Conferência no Tribunal da Relação do Porto I. INTRODUÇÃO:

Em Conferência no Tribunal da Relação do Porto I. INTRODUÇÃO: PN 3598.07-5; Cf.Comp.: TRP Rq.e: Maria Helena Marques Coelho Rodrigues Correia Simões1, Rua da Firmeza, 148 4000-225 Porto Rq.do: Carlos Alberto Correia Simões Rodrigues2 Em Conferência no Tribunal da

Leia mais

Direção-geral da Administração da Justiça

Direção-geral da Administração da Justiça Centro de Formação de Funcionários de Justiça Direção-geral da Administração da Justiça Introdução Constitui contraordenação todo o facto ilícito e censurável que preencha um tipo legal no qual se comine

Leia mais

ESTATÍSTICAS SOBRE CORRUPÇÃO ( )

ESTATÍSTICAS SOBRE CORRUPÇÃO ( ) Dezembro de 214 Número 32 BOLETIM ESTATÍSTICO TEMÁTICO ESTATÍSTICAS SOBRE CORRUPÇÃO (27-213) O PRESENTE DOCUMENTO PRETENDE RETRATAR, DE FORMA INTEGRADA E TRANSVERSAL, OS DADOS ESTATÍSTICOS REFERENTES AO

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA AUDITORIA JURÍDICA TRIBUNAL ADMINISTRATIVO DO CIRCULO DE LISBOA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA AUDITORIA JURÍDICA TRIBUNAL ADMINISTRATIVO DO CIRCULO DE LISBOA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA AUDITORIA JURÍDICA TRIBUNAL ADMINISTRATIVO DO CIRCULO DE LISBOA PROC. 0092/03 1ª Sec. - 3ª Sub. Acção de reconhecimento de direito Ex.mo Senhor Dr. Juiz de Direito: Contestando acção

Leia mais

OAB 2ª Fase Processo Penal Assunto: Marcação do CPP Estefânia Rocha

OAB 2ª Fase Processo Penal Assunto: Marcação do CPP Estefânia Rocha OAB 2ª Fase Processo Penal Assunto: Marcação do CPP Estefânia Rocha 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. MARCAÇÃO DO CÓDIGO de PROCESSO PENAL conforme o EDITAL

Leia mais

Quesito avaliado. 5. Fundamentos: Cabimento do recurso: art. 102, III, a e foi interposto tempestivamente (art. 508 do CPC) (0,30);

Quesito avaliado. 5. Fundamentos: Cabimento do recurso: art. 102, III, a e foi interposto tempestivamente (art. 508 do CPC) (0,30); Peça prática Foi proposta uma ação direta de inconstitucionalidade pelo prefeito de um município do Estado X. O Tribunal de Justiça do Estado X julgou tal ação improcedente, tendo o acórdão declarado constitucional

Leia mais

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Acórdãos STA Processo: 0409/11 Data do Acordão: 11-05-2011 Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Tribunal: Relator: Descritores: Sumário: 2 SECÇÃO ISABEL MARQUES DA SILVA RECLAMAÇÃO PRESCRIÇÃO DO

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0694.10.004212-6/001 Númeração 1034476- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Júlio César Lorens Des.(a) Júlio César Lorens 24/05/2016 02/06/2016 EMENTA:

Leia mais

senhoria operou-se no fim do prazo estabelecido (caducidade do contrato); do estabelecimento comercial em causa outro se extinguiu;

senhoria operou-se no fim do prazo estabelecido (caducidade do contrato); do estabelecimento comercial em causa outro se extinguiu; PN. 1277.00; Ap.: TC Santarém, 1º J; Ap.e: Maria José Couto Pereira dos Santos, Rª António Vicente Júnior, 17º 2º Esq., Vale de Estacas; Ap.a: DIM Portugal, Importação e Comercialização Lda, Rª da Matinha,

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Prisão Preventiva Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal PRISÃO PREVENTIVA CÓDIGO DE PROCESSO PENAL TÍTULO IX CAPÍTULO III Da Prisão

Leia mais

TJ - SP Exercício Processo Penal Exercício I Emerson Castelo Branco Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

TJ - SP Exercício Processo Penal Exercício I Emerson Castelo Branco Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. TJ - SP Exercício Processo Penal Exercício I Emerson Castelo Branco 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1-Normatiza o art. 274 do Código de Processo Penal: as

Leia mais

TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO

TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO 1)Cabe recurso de apelação das decisões em que a) julgarem procedentes as exceções, salvo a de suspeição b) decretar a prescrição ou julgar, por outro modo, extinta

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal INDULTO OU COMUTAÇÃO NA EXECUÇÃO PENAL 3 DISTRITO FEDERAL RELATOR POLO PAS ADV.(A/S) : MIN. ROBERTO BARROSO :DELÚBIO SOARES DE CASTRO : CELSO SANCHEZ VILARDI E OUTRO(A/S) DECISÃO: EMENTA: EXECUÇÃO PENAL.

Leia mais

PARECER SOBRE A NECESSIDADE DE TORNAR OBRIGATÓRIA A DATA EFETIVA DO TRÂNSITO EM JULGADO DE SENTENÇAS EM CERTIDÕES CARTORÁRIAS DA JUSTIÇA FEDERAL.

PARECER SOBRE A NECESSIDADE DE TORNAR OBRIGATÓRIA A DATA EFETIVA DO TRÂNSITO EM JULGADO DE SENTENÇAS EM CERTIDÕES CARTORÁRIAS DA JUSTIÇA FEDERAL. PARECER SOBRE A NECESSIDADE DE TORNAR OBRIGATÓRIA A DATA EFETIVA DO TRÂNSITO EM JULGADO DE SENTENÇAS EM CERTIDÕES CARTORÁRIAS DA JUSTIÇA FEDERAL. Considerando a necessidade de orientar e padronizar os

Leia mais

Processo n.º 296/2015 Data do acórdão: condição da suspensão da execução da pena tratamento da toxicodependência teste de urina

Processo n.º 296/2015 Data do acórdão: condição da suspensão da execução da pena tratamento da toxicodependência teste de urina Processo n.º 296/2015 Data do acórdão: 2015-11-12 (Autos em recurso penal) Assuntos: condição da suspensão da execução da pena tratamento da toxicodependência teste de urina espécime da urina fracasso

Leia mais

Nº 4791/ ASJCRIM/SAJ/PGR. Execução Penal n. 1 Relator: Ministro Roberto Barroso Autor: Ministério Público Federal Sentenciado: José Genoíno Neto

Nº 4791/ ASJCRIM/SAJ/PGR. Execução Penal n. 1 Relator: Ministro Roberto Barroso Autor: Ministério Público Federal Sentenciado: José Genoíno Neto Nº 4791/2014 - ASJCRIM/SAJ/PGR Execução Penal n. 1 Relator: Ministro Roberto Barroso Autor: Ministério Público Federal Sentenciado: José Genoíno Neto PENAL. PROCESSO PENAL. EXECUÇÃO PENAL. PROGRES- SÃO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2015.0000777614 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Habeas Corpus nº 2149077-30.2015.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é paciente LUCAS APARECIDO VIEIRA CAVALLARI e

Leia mais

EXMO. SENHOR DR. JUIZ DE DIREITO DO

EXMO. SENHOR DR. JUIZ DE DIREITO DO EXMO. SENHOR DR. JUIZ DE DIREITO DO TRIBUNAL ADMINISTRATIVO E FISCAL DE [ ] Processo n.º [ ] reversão e apensos [ ], residente na [ ], contribuinte n.º [ ], executado por reversão, tendo sido citado para

Leia mais

Dados Básicos. Ementa. Íntegra. Fonte: Tipo: Acórdão STJ. Data de Julgamento: 19/03/2013. Data de Aprovação Data não disponível

Dados Básicos. Ementa. Íntegra. Fonte: Tipo: Acórdão STJ. Data de Julgamento: 19/03/2013. Data de Aprovação Data não disponível Dados Básicos Fonte: 1.281.236 Tipo: Acórdão STJ Data de Julgamento: 19/03/2013 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:26/03/2013 Estado: São Paulo Cidade: Relator: Nancy Andrighi Legislação:

Leia mais

MUNICIPÍO DE FERREIRA DO ZEZERE LISTAGEM DE PROCESSOS JUDICIAIS PENDENTES E SUA EVOLUÇÃO PROCESSUAL (Em cumprimento do artigo 25.º, n.º 2, alínea c), conjugado com o artigo 35.º, n.º 4, ambos da Lei n.º

Leia mais

Processo n 1313/14.OTTLSB.L1 Acordam os Juízes da Secção Social do Tribunal da Relação de Lisboa:

Processo n 1313/14.OTTLSB.L1 Acordam os Juízes da Secção Social do Tribunal da Relação de Lisboa: Processo n 1313/14.OTTLSB.L1 Acordam os Juízes da Secção Social do Tribunal da Relação de Lisboa: Relatório Nos presentes autos de execução de sentença que R, residente no B, n 22, 3 Esq, 1100-081 Lisboa,

Leia mais

Admissibilidade de nova acusação por assistente

Admissibilidade de nova acusação por assistente ANDREIA VALADARES FERRA Admissibilidade de nova acusação por assistente VERBO jurídico VERBO jurídico Admissibilidade de nova acusação por assistente : 2 Admissibilidade de nova acusação por assistente

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Citação e Intimação Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal CITAÇÃO E INTIMAÇÃO TÍTULO X Das Citações e Intimações CAPÍTULO I DAS CITAÇÕES

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO RELATÓRIO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO RELATÓRIO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO HABEAS CORPUS Nº 2009.03.00.011161-3/SP RELATOR : Desembargador Federal COTRIM GUIMARÃES IMPETRANTE PACIENTE ADVOGADO IMPETRADO No. ORIG. : MARIA

Leia mais

Em primeiro lugar, deverá o examinando requerer, em preliminar, o desentranhamento das provas ilícitas.

Em primeiro lugar, deverá o examinando requerer, em preliminar, o desentranhamento das provas ilícitas. OAB 2010.3 GABARITO COMENTADO SEGUNDA FASE PENAL PEÇA PRÁTICO PROFISSIONAL O recurso cabível é o recurso em sentido estrito, na forma do art. 581, IV, do Código de Processo Penal, dirigido ao Juiz da 1ª

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL IV 2015/2016 Mestrado Forense / Turma B (Rui Pinto) EXAME FINAL ( ) - Duração 2 h 30 m

DIREITO PROCESSUAL CIVIL IV 2015/2016 Mestrado Forense / Turma B (Rui Pinto) EXAME FINAL ( ) - Duração 2 h 30 m DIREITO PROCESSUAL CIVIL IV 2015/2016 Mestrado Forense / Turma B (Rui Pinto) EXAME FINAL (12.1.2016) - Duração 2 h 30 m I. LEIA o seguinte ac. RL 16-1-2014/Proc. 4817/07.7TBALM.L2-6 (ANTÓNIO MARTINS):

Leia mais

PROVISÓRIA É PRECISO QUE O CANDIDATO ANALISE SE A PRISÃO EM FLAGRANTE FOI OU

PROVISÓRIA É PRECISO QUE O CANDIDATO ANALISE SE A PRISÃO EM FLAGRANTE FOI OU 1 RELAXAMENTO DE PRISÃO EM FLAGRANTE E LIBERDADE PROVISÓRIA PARA SABER SE É CASO DE PLEITEAR O RELAXAMENTO DO FLAGRANTE OU LIBERDADE PROVISÓRIA É PRECISO QUE O CANDIDATO ANALISE SE A PRISÃO EM FLAGRANTE

Leia mais

AUTOS Nº PEDIDO DE PRISÃO PREVENTIVA REQUERENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL REQUERIDO: MAURÍCIO MACHADO

AUTOS Nº PEDIDO DE PRISÃO PREVENTIVA REQUERENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL REQUERIDO: MAURÍCIO MACHADO AUTOS Nº 0003405-73.2010.403.6111 PEDIDO DE PRISÃO PREVENTIVA REQUERENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL REQUERIDO: MAURÍCIO MACHADO Trata-se de pedido de prisão preventiva dinamizado pelo Ministério Público

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 5 RELATOR AGTE.(S) ADV.(A/S) AGDO.(A/S) : MIN. CELSO DE MELLO :DIEGO HENRIQUE SILVA :GUSTAVO ADOLFO LEMOS PEREIRA DA SILVA :RELATOR DO HC Nº 372.814

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 136/XI/1.ª

PROJECTO DE LEI N.º 136/XI/1.ª PROJECTO DE LEI N.º 136/XI/1.ª ALTERA O REGIME DAS INELEGIBILIDADES NAS ELEIÇÕES PARA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, PARA A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA, PARA O PARLAMENTO EUROPEU E PARA OS ÓRGÃOS DAS AUTARQUIAS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AGRAVADO ADVOGADO INTERES. : JOSÉ MEIRELLES FILHO E OUTRO(S) - SP086246 : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO EMENTA PROCESSO PENAL. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. EXECUÇÃO PROVISÓRIA

Leia mais

PROJETO DE CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS

PROJETO DE CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS PROJETO DE CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS Concurso limitado por prévia qualificação para a seleção da empresa a designar para a prestação do serviço universal de disponibilização de uma lista telefónica

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2013.0000163433 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0010036-39.2011.8.26.0189, da Comarca de Fernandópolis, em que é apelante CIRCULO DOS TRABALHADORES CRISTAOS

Leia mais

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Acórdãos STA Processo: 0812/09 Data do Acordão: 25-11-2009 Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Tribunal: Relator: Descritores: Sumário: 2 SECÇÃO JORGE LINO OPOSIÇÃO À EXECUÇÃO FISCAL COIMA MANIFESTA

Leia mais