Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT. Departamento de Redes de Telecomunicações DERE AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT. Departamento de Redes de Telecomunicações DERE AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA"

Transcrição

1 AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE REDE PARA DATA CENTER TERMO DE REFERÊNCIA ABRIL / 2012

2 HISTÓRICO DE REVISÕES DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 13/10/ Criação Robson Marinho 16/01/ Alteração das especificações técnicas (Anexo I) dos switches realizada por Rodrigo Morgado Renata Terrigno 24/01/ Alteração nas especificações técnicas (Anexo I) do switch tipo VI realizada por Rodrigo Morgado Renata Terrigno 26/01/ Inclusão do item 1.5 do TR por solicitação de Rodrigo Morgado Renata Terrigno 03/02/ Alteração da Planilha de Preços solicitadas pelo Marcelo José Robson Marinho 28/03/ Alterações solicitadas por Rodrigo Morgado em 1/02, 15/02 e demais alterações resultado da consulta pública Renata Terrigno 03/04/ Versão com últimas alterações aprovadas pelo Najan (pós consulta pública) e alteração das condições do repasse tecnológico. Renata Terrigno Lei nº 8.666/93, de 21 de junho de Art. 6º Para os fins desta Lei, considera-se: Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. IX- Projeto Básico - conjunto de elementos necessários e suficientes, com nível de precisão adequado, para caracterizar a obra ou serviço, ou complexo de obras ou serviços objeto da licitação, elaborado com base nas indicações dos estudos técnicos preliminares, que assegurem a viabilidade técnica e o adequado tratamento do impacto ambiental do empreendimento, e que possibilite a avaliação do custo da obra e a definição dos métodos e do prazo de execução, devendo conter os seguintes elementos: a) desenvolvimento da solução escolhida de forma a fornecer visão global da obra e identificar todos os seus elementos constitutivos com clareza; b) soluções técnicas globais e localizadas, suficientemente detalhadas, de forma a minimizar a necessidade de reformulação ou de variantes durante as fases de elaboração do projeto executivo e de realização das obras e montagem; c) identificação dos tipos de serviços a executar e de materiais e equipamentos a incorporar à obra, bem como suas especificações que assegurem os melhores resultados para o empreendimento, sem frustrar o caráter competitivo para a sua execução; d) informações que possibilitem o estudo e a dedução de métodos construtivos, instalações provisórias e condições organizacionais para a obra, sem frustrar o caráter competitivo para a sua execução; e) subsídios para montagem do plano de licitação e gestão da obra, compreendendo a sua programação, a estratégia de suprimentos, as normas de fiscalização e outros dados necessários em cada caso; f) orçamento detalhado do custo global da obra, fundamentado em quantitativos de serviços e fornecimentos propriamente avaliados; Decreto nº 3.555, de 8 de agosto de Aprova o Regulamento para a modalidade de licitação denominada pregão, para aquisição de bens e serviços comuns. Art. 8º- A fase preparatória do pregão observará as seguintes regras: I- a definição do objeto deverá ser precisa, suficiente e clara, vedadas especificações que, por excessivas, irrelevantes ou desnecessárias, limitem ou frustrem a competição ou a realização do fornecimento, devendo estar refletida no termo de referência; II- o Termo de Referência é o documento que deverá conter elementos capazes de propiciar a avaliação do custo pela Administração, diante de orçamento detalhado, considerando os preços praticados no mercado, a definição dos métodos, a estratégia de suprimento e o prazo de execução do contrato; Decreto nº 5.450, de 31 de maio de Art. 9º- Na fase preparatória do pregão, na forma eletrônica, será observado o seguinte: Regulamenta o pregão, na forma eletrônica, para aquisição de bens e serviços comuns, e dá outras providências. I- elaboração de termo de referência pelo órgão requisitante, com indicação do objeto de forma precisa, suficiente e clara, vedadas especificações que, por excessivas, irrelevantes ou desnecessárias, limitem ou frustrem a competição ou sua realização; 2º- O termo de referência é o documento que deverá conter elementos capazes de propiciar avaliação do custo pela administração diante de orçamento detalhado, definição dos métodos, estratégia de suprimento, valor estimado em planilhas de acordo com o preço de mercado, cronograma físico-financeiro, se for o caso, critério de aceitação do objeto, deveres do contratado e do contratante, procedimentos de fiscalização e gerenciamento do contrato, prazo de execução e sanções, de forma clara, concisa e objetiva.. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 2 / 90

3 TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE REDE PARA DATA CENTER Equipe Responsável Elaboração Assinatura Data Sonia da Silva Pereira Garcia matrícula: Serviço de Gestão e Contabilização de Recursos Técnicos STGR / DITG Gerente Marcelo José da Silva matrícula: Divisão de Tecnologia e Gestão de Redes DITG Aprovação Motivada Considerando que o Termo de Referência elaborado se apresenta de forma conveniente e oportuna para atender a demanda exposta na SC DERE nº 1126/2012, aprovo este Termo. Os elementos para que as empresas especifiquem seus preços estão no Termo de Referência e o valor da estimativa será incluído oportunamente no processo, após pesquisa ao mercado pela área competente. Luis Najan matrícula: Departamento de Redes de Telecomunicações DERE Assinatura Data SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 3 / 90

4 TERMO DE REFERÊNCIA Data: 03/04/2012 Título: Aquisição de Solução de Rede para Data Center 1. OBJETO / QUANTIDADE 1.1. Trata o presente processo da aquisição de solução de rede para data center dos Centros de Processamento de Dados (CP) da DATAPREV localizados no Rio de Janeiro (CPRJ), São Paulo (CPSP) e Distrito Federal (CPDF), com garantia de 60 meses, através de Pregão, a saber: ITEM 1 EQUIPAMENTO QUANTIDADE TOTAL A SER REGISTRADA QUANTIDADE INICIAL a) Switch Tipo I Acesso I 86 0 b) Switch Tipo II Acesso II 91 0 c) Switch Tipo III Acesso III 24 0 d) Switch Tipo IV Acesso IV 29 0 e) Switch Tipo V Agregação I 22 0 f) Switch Tipo VI Concentração I 6 0 g) Switch Tipo VII Concentração II Esta aquisição será processada por meio de Sistema de Registro de Preços Independente dos produtos e das quantidades informadas, a DATAPREV se reserva o direito de, motivada por razões de natureza técnica ou estratégica, estabelecer o pedido inicial, consoante o disposto no Art. 7º do Decreto nº 3.931/ As especificações técnicas da solução mencionada no preâmbulo são aquelas contidas no ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES, parte integrante deste documento. Os equipamentos que constituem a solução a ser fornecida deverão ser novos e com versão de software atualizada, não sendo aceitos equipamentos remanufaturados A solução proposta possui equipamentos para as camadas de acesso, agregação e concentração. O plano de controle da camada de acesso deverá ser suportado obrigatoriamente pelas camadas de agregação e de concentração. Para tal é necessário que os equipamentos das camadas de acesso, agregação e concentração sejam totalmente compatíveis e do mesmo fabricante. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 4 / 90

5 2. ANEXOS Este Termo de Referência é composto dos seguintes anexos: I II III IV ANEXOS Especificação Técnica dos Switches Especificação Técnica da Solução Avaliação Repasse Tecnológico Planilha de Orçamento Detalhado 3. PROVA DE CONCEITO DOS EQUIPAMENTOS 3.1. Concluída a etapa de lances do Pregão, a partir de solicitação formal, a DATAPREV dará início à fase de Prova de Conceito dos Equipamentos A Prova de Conceito compreende: a) Entrega: a LICITANTE deverá entregar, no mínimo, um par de equipamentos de cada tipo que compõe a Solução de Rede no endereço abaixo, no prazo máximo de 5 (cinco) dias úteis. Os sistemas operacionais, módulos de processamento e interfaces destes equipamentos deverão ser exatamente iguais aos que serão fornecidos posteriormente. A LICITANTE deverá apresentar, também, uma documentação com o detalhamento dos itens e modelos que compõem a Solução de Rede, de acordo com o ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES. DATAPREV / DERE Departamento de Redes de Telecomunicações End.: Rua Cosme Velho, 6 / 4º andar Cosme Velho RJ CEP: b) Prova de Conceito: esta fase será realizada por um período máximo de 10 (dez) dias úteis a contar do dia subseqüente à conclusão da Etapa de Entrega (alínea a ). A partir do primeiro dia da Prova de Conceito, a LICITANTE deverá disponibilizar 01 (um) técnico que se responsabilizará pela montagem da Solução de Rede (caso os equipamentos que a compõe tenham sido entregues desmontados), conexão dos equipamentos e pela comprovação de suas funcionalidades, em conformidade com a especificação técnica constante no ANEXO I ES- PECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES. A aprovação das funcionalidades existentes nos equipamentos apresentados pela LICITANTE será efetuada pela Equipe Técnica da DATAPREV. c) Local e Horário da Prova de Conceito: a prova acontecerá no local de entrega do equipamento durante o horário comercial (9h às 18h); d) Finalidade da Prova de Conceito: Permitir que a LICITANTE comprove que a Solução de Rede proposta atende integralmente a Especificação Técnica, a fim de evitar que a DATAPREV venha a ser prejudicada adquirindo uma solução que não SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 5 / 90

6 atenda as suas necessidades, demandando prazos adicionais para novas aquisições Caso a LICITANTE não atenda as condições definidas nas alíneas a e/ou b do subitem 3.2 deste Termo, Ou seja, se porventura a Solução for entregue fora do prazo estabelecido, ou caso seja constatado o não atendimento a qualquer item de caráter técnico, a LICITANTE será DESCLASSIFICADA Concluída a Prova de Conceito dos equipamentos e verificado o atendimento de todas as condições supracitadas no subitem 3.2, não havendo, portanto, anormalidades e/ou sanados todos os problemas detectados, a DATAPREV emitirá em até 02 (dois) dias úteis, o Termo de Aprovação da Solução. 4. ENTREGA 4.1. Os equipamentos que compõem a Solução de Rede, constantes no ANEXO I ESPECIFICA- ÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES, deverão ser entregues nos endereços indicados abaixo, conforme solicitação da DATAPREV, no prazo máximo de 60 (sessenta) dias corridos, a contar do dia subseqüente a data de assinatura do Contrato / Pedido de Compra. RJ DATAPREV / DERE Departamento de Redes de Telecomunicações Rua Cosme Velho, 6 / 4º andar Cosme Velho Rio de Janeiro CEP: DF DATAPREV / CPDF - Centro de Processamento do Distrito Federal SAS - Quadra 01, Bloco E Brasília CEP: SP DATAPREV / CPSP Centro de Processamento de São Paulo Rua Dr. Manoel Vitorino, 343 Brás São Paulo CEP: Os volumes contendo os equipamentos a que se refere o subitem anterior deverão estar identificados externamente, com os dados discriminados da nota fiscal, na qual deverá constar necessariamente o número de série de todos os equipamentos que estiverem sendo entregues Juntamente com os bens adquiridos e as respectivas notas fiscais, deverá ser fornecida documentação relacionando os itens constantes no ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNI- CA DOS SWITCHES com os itens descriminados nas Notas Fiscais, de forma que seja possível verificar a correlação entre os itens adquiridos e aqueles representados nas Notas Fiscais Os volumes entregues serão abertos em até 02 dias úteis a partir de solicitação formal da DATAPREV, na presença da CONTRATADA e da DATAPREV, que em conjunto con- SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 6 / 90

7 ferirão o conteúdo dos mesmos. A conferência será realizada com base na lista dos materiais e/ou equipamentos descritos na nota fiscal a ser fornecida no ato da entrega, detalhando claramente todas as partes integrantes dos equipamentos. Este detalhamento não poderá ser feito por códigos, e sim pela descrição de cada material e/ou equipamento, com a respectiva quantidade. 4.5.Deverá ser fornecida toda documentação técnica que abranja configuração, instalação e gerenciamento dos produtos envolvidos, correlacionando os itens constantes no ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES. 4.6.A CONTRATADA deverá providenciar a aplicação de todas as correções e upgrades de hardware e software liberados até a data de entrega, incluindo a atualização de firmware dos componentes de hardware que compõem a solução, salvo solicitação da DATAPREV por outra versão. A CONTRATADA deverá encaminhar documento, em meio eletrônico, que comprove a aplicação das atualizações em todos os equipamentos entregues Constatada a ocorrência de divergência entre os equipamentos entregues e suas respectivas especificações técnicas constantes do ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES ou qualquer defeito, fica a CONTRATADA obrigada a providenciar a sua correção ou sua substituição (a critério da DATAPREV) Os equipamentos serão considerados entregues e o Termo de Entrega será emitido pela DATAPREV após: Toda documentação constante nos subitens 4.4 e 4.5 deste Termo ser apresentada e aceita pela DATAPREV. As atualizações serem aplicadas e a documentação comprobatória ser entregue pela CONTRATADA e validada pela DATAPREV, conforme descrito no subitem 4.6 deste Termo. Ser verificado pela DATAPREV que não existem anormalidades ou foram sanados todos os problemas detectados, conforme descrito no subitem 4.7 deste Termo Após emissão do Termo de Entrega e após averiguação de que não será necessária a instalação dos equipamentos (vide subitem 5.1 deste Termo) a DATAPREV emitirá em até três dias úteis, o Termo de Aceitação, iniciando-se a partir dessa data a contagem dos prazos de pagamento e garantia dos equipamentos que compõem a solução. 5. INSTALAÇÃO 5.1. Após a conclusão da etapa de entrega, a CONTRATADA deverá realizar a instalação física assistida dos equipamentos quando esta for a primeira vez que um tipo de switch for solicitado para cada Centro de Processamento (CPRJ, CPSP e CPDF). Neste SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 7 / 90

8 caso, deverá ser instalado um par de switches do respectivo tipo (todos os componentes de hardware e software), incluindo sua interligação à rede de dados da DATA- PREV, no prazo máximo de 60 (sessenta) dias corridos contados a partir do dia seguinte ao da abertura dos volumes. Todo o processo de instalação deverá ser acompanhado por analistas da DATAPREV A CONTRATADA deverá se reunir com a equipe técnica da DATAPREV no local de instalação dos equipamentos (CPRJ, CPSP ou CPDF), no prazo máximo de 5 (cinco) dias corridos após a assinatura do Contrato / Pedido de Compra (PC) Nesta reunião deverão ser apresentadas as características e documentação da solução, além de serem discutidos e esclarecidos todos os questionamentos técnicos do serviço. A DATAPREV definirá, com o apoio da equipe técnica da CONTRATADA, de que forma o hardware e o software deverão ser instalados e configurados. A CONTRATADA e a DATAPREV, de comum acordo, deverão fazer um planejamento das atividades de instalação antes de iniciar a instalação propriamente dita A data da reunião deverá ser agendada em comum acordo com a DATAPREV Qualquer atraso na instalação da solução devido à indefinição por parte, única e exclusiva, da CONTRATADA incidirá na aplicação de multa Caso após a realização desta primeira reunião existam questionamentos direcionados à DATAPREV, a mesma terá o prazo de 2 (dois) dias úteis a partir da reunião para responder formalmente à CONTRATADA. 5.4.Constatada a ocorrência de divergência na especificação técnica ou qualquer outro defeito de operação durante a instalação dos equipamentos, fica a CONTRATADA obrigada a providenciar a sua correção ou, a critério da DATAPREV, a substituição do equipamento Correrá por conta da CONTRATADA toda e qualquer despesa, independente da sua natureza, decorrente dos serviços de instalação aqui mencionados Concluída a instalação dos equipamentos entregues e não tendo sido verificado anormalidades ou sanados todos os problemas detectados, a DATAPREV emitirá em até três dias úteis, o Termo de Aceitação, iniciando-se a partir dessa data a contagem dos prazos de pagamento e garantia dos equipamentos que compõem a solução. 6. FATURAMENTO Primeiro Fornecimento: O faturamento será realizado após ocorrência dos seguintes fatos: Emissão do Termo de Aceitação dos equipamentos descrito no subitem 5.6 deste Termo. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 8 / 90

9 Conclusão da primeira turma do Repasse Tecnológico conforme descrito no subitem 14.1 deste Termo. Demais Fornecimentos: O faturamento será realizado após ocorrência do seguinte fato: Emissão do Termo de Aceitação dos equipamentos descrito no subitem 4.9 (entrega sem instalação assistida ) ou no subitem 5.6 (entrega com instalação assistida ) (vide subitem 5.1 deste Termo). 7. VIGÊNCIA DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS A Ata de Registros de Preços resultante deste processo de aquisição terá validade de 12 (doze) meses contados a partir da sua publicação no Diário Oficial, podendo ser prorrogada na forma do art. 4, 2º, do Decreto 3.931/ GARANTIA E VIGÊNCIA O prazo de vigência do contrato e garantia dos equipamentos será de, no mínimo, 60 (sessenta) meses, contados a partir da data de emissão do Termo de Aceitação dos equipamentos, conforme descrito no subitem 4.9 (entrega sem instalação assistida ) ou no subitem 5.6 (entrega com instalação assistida ) (vide subitem 5.1 deste Termo). 9. SUPORTE E ASSISTÊNCIA TÉCNICA 9.1. A CONTRATADA deverá prover um serviço de suporte à distância para solucionar problemas relativos à configuração, operação e mau funcionamento do software A CONTRATADA deverá informar quem será o responsável pela assistência técnica em cada Centro de Processamento (CPRJ, CPSP e CPDF) durante o período de garantia Durante todo o período de garantia contratual, os serviços de assistência técnica serão prestados por técnicos devidamente habilitados e credenciados pela CONTRATADA, na modalidade on site, ou seja, no local onde os equipamentos encontram-se instalados, de acordo com o quadro abaixo: TIPO DE SWITCH MODALIDADE DE ATENDIMENTO I, II e III De segunda a sexta, em horário comercial (09:00h às 18:00h) IV, V, VI e VII De segunda a domingo, em regime 24x7 (24 horas por dia x 7 dias da semana), incluindo os feriados 9.4. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 9 / 90

10 A assistência técnica dos equipamentos na modalidade on site deverá ser efetuada nos seguintes endereços: UF ENDEREÇO DF S.A.S., Quadra 01, Bloco E/F Setor de Autarquia Sul. Brasília CEP: RJ Rua Cosme Velho, 6 Cosme Velho. Rio de Janeiro CEP: SP Rua Dr. Manuel Vitorino, 343 Brás. São Paulo CEP: Correrá por conta exclusiva da CONTRATADA a responsabilidade pelo deslocamento dos técnicos às instalações da DATAPREV, pela retirada e entrega do equipamento, assim como pelas despesas de transporte, frete e seguro correspondentes A CONTRATADA deverá possuir acesso direto, através de telefonema ou via correio eletrônico ao Centro de Assistência Técnica do fabricante A CONTRATADA deverá permitir que a DATAPREV acompanhe o estado de chamados abertos no Centro de Assistência Técnica do fabricante através da Internet. O acesso ao Centro de Assistência Técnica deverá estar disponível durante 24 (vinte e quatro) horas por dia, 7 (sete) dias por semana, todos os dias do ano. 10. REGISTRO E ATENDIMENTO DE OCORRÊNCIAS A CONTRATADA deverá providenciar o registro de toda e qualquer solicitação de reparo, independente de sua natureza, cabendo a DATAPREV, o devido acompanhamento. À DATAPREV serão disponibilizados os seguintes canais de atendimento para abertura dos chamados: Website e telefone (0800) ou Website e Call Center ou e telefone (0800) ou e Call Center Cada chamado deverá conter, no mínimo, o registro das informações abaixo: Número do registro/ocorrência (a ser fornecido pela CONTRATADA); Identificação do atendente; Identificação do solicitante; Data e hora da solicitação; Descrição da ocorrência; SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 10 / 90

11 Data e hora da solução/fechamento do chamado No provimento deste serviço através de telefone (0800) a CONTRATADA fica obrigada a permitir o recebimento de ligações de terminais fixos e móveis Para os atendimentos através de telefone (0800) ou de Call Center, o tempo máximo de espera deverá ser de até 3 (três) minutos No caso da CONTRATADA optar pelo atendimento por Website, deverá ser possível que a DATAPREV indique uma lista de equipamentos através de arquivo anexo ou diretamente na página, em um único registro. Neste caso, a data e hora do registro serão consideradas como horário da abertura do chamado para todos os equipamentos listados No caso da CONTRATADA optar pelo atendimento por , deverá disponibilizar caixas postais de um sistema de mensagem que envie notificação de recebimento de correspondência quando da entrega em seu destino. Este sistema deverá ser acessado pela DATAPREV através da Internet A CONTRATADA deverá garantir o perfeito funcionamento do sistema de correio, sem qualquer impedimento para o recebimento das mensagens, tais como falta de espaço na caixa postal ou interrupção no sistema de mensagens As notificações de recebimento deverão ser recebidas nas caixas disponibilizadas para a DATAPREV em até 1 (um) minuto após o envio da mensagem origem Considerando a descentralização do corpo técnico da DATAPREV, a CONTRATADA deverá disponibilizar, no máximo, 12 (doze) caixas postais, conforme solicitação da DATAPREV A data e hora da notificação de recebimento da mensagem origem serão consideradas como horário da abertura do chamado para todos os equipamentos listados no corpo da mensagem O horário de abertura de chamado será determinado conforme abaixo: Para chamados abertos pelos canais 0800 ou Call Center o horário da abertura do chamado será a data e hora da ligação realizada pelo profissional da DATAPREV informando do problema ocorrido. Caso a atendente não possa informar o número de chamado neste momento, a mesma deverá, obrigatoriamente, informar um número de Protocolo que registre a data e hora da ligação realizada. Para chamados abertos pelo canal Website o horário da abertura do chamado será a data e hora do acesso ao Website para registro do problema ocorrido. No momento do registro, a página web deverá informar o número de chamado, caso isso não seja possível, a mesma deverá informar um número de Protocolo que registre a data e hora do acesso realizado. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 11 / 90

12 Para chamados abertos pelo canal o horário da abertura do chamado será a data e hora da notificação de recebimento da mensagem origem (mensagem enviada pelo profissional da DATAPREV informando do problema ocorrido) O horário de abertura do chamado demarcará o início da contagem do prazo de atendimento e solução das ocorrências, independente do retorno da CONTRATADA. O horário de abertura de chamado será determinado conforme descrito no subitem 10.2 deste Termo O serviço de registro de chamados deverá ser disponibilizado de segunda a domingo, em regime de atendimento de 24 (vinte e quatro) horas por dia, 7 (sete) dias por semana, incluindo feriados As informações sobre os canais de atendimento para abertura dos chamados deverão ser passadas à DATAPREV no prazo máximo de 10 (dez) dias corridos, contados a partir da assinatura do Pedido de Compra (PC) / Contrato. 11. PRAZOS PARA SOLUÇÃO DAS OCORRÊNCIAS As ocorrências deverão ser atendidas e solucionadas na modalidade on-site, ou seja, nos locais onde os equipamentos encontram-se instalados, de acordo com os prazos máximos estabelecidos abaixo: TIPO DE SWITCH I, II e III IV, V, VI e VII PRAZO MÁXIMO PARA ATENDIMENTO E SOLUÇÃO 24 (vinte e quatro) horas úteis contadas a partir da abertura do chamado, conforme subitens 10.2 e 10.3 deste Termo. Prioridade I 4 (quatro) horas corridas contadas a partir da abertura do chamado, conforme subitens 10.2 e 10.3 deste Termo. Prioridade II 24 (vinte e quatro) horas corridas contadas a partir da abertura do chamado, conforme subitens 10.2 e 10.3 deste Termo Entende-se como chamado de Prioridade I aquele com alto nível de criticidade, onde a rede existente está parada, ou seja, está fora de operação Entende-se como chamado de Prioridade II aquele com baixo nível de criticidade, onde a rede existente está degradada, ou seja, com problemas de performance Caso se esgote o prazo de solução, sem que seja sanado o defeito reclamado, a CONTRA- TADA deverá providenciar a substituição do equipamento ou módulo defeituoso por outro (backup) de configuração e especificação técnica igual ou superior, em caráter provisório e temporário, pelo período máximo de até 30 (trinta) dias corridos, contados a partir da data da substituição, findos os quais a substituição passará a ser definitiva. Os prazos máximos para substituição serão os estabelecidos abaixo: TIPO DE SWITCH PRAZO MÁXIMO DE SUBSTITUIÇÃO SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 12 / 90

13 I, II e III IV, V, VI e VII Até 16 (dezesseis) horas úteis, contadas a partir da expiração do prazo de atendimento e solução. Até 12 (doze) horas corridas, contadas a partir da expiração do prazo de atendimento e solução Em caso de substituição definitiva, o equipamento ou módulos substituídos deverão ser novos e originais, recomendados pelo fabricante Entende-se como prazo de atendimento e solução para os chamados o tempo necessário após a formalização do chamado para solução efetiva do problema Entende-se como prazo de substituição do equipamento o tempo necessário, após esgotamento do prazo para atendimento e solução da ocorrência, para a entrada em operação do equipamento backup Para fins de cálculo do período decorrido para atendimento e solução do chamado, será contabilizado o prazo entre a formalização do chamado e a solução efetiva do problema seja essa solução de caráter permanente, resultante da realização de procedimento de reparo do equipamento, ou de caráter provisório, através da entrada em operação de equipamento de backup. 12. RELATÓRIO DE VISITA Ao término de todo atendimento, o técnico da CONTRATADA deverá preencher um Relatório de Visita, contendo data, hora do chamado, início e término do atendimento, identificação do equipamento/módulo defeituoso, as providências adotadas, peças substituídas e as observações pertinentes. O Relatório de Visita deve ser assinado pelo técnico responsável e por um técnico da DATAPREV. 13. ACESSO AO SITE DO FABRICANTE Deverá ser garantido à DATAPREV o pleno acesso ao site do fabricante dos equipamentos que constituem o objeto deste Termo de Referência para: a) Consultar quaisquer bases de dados disponíveis para usuários; b) Efetuar downloads de quaisquer atualizações de software ou documentações Caso haja diferentes níveis de acesso no site, deverá obrigatoriamente ser ofertado o nível com maior número de privilégios. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 13 / 90

14 14. REPASSE TECNOLÓGICO A CONTRATADA deverá realizar repasse tecnológico de operação e configuração dos equipamentos fornecidos no Rio de Janeiro, fora das dependências da DATAPREV, em local a ser definido em comum acordo com a DATAPREV. No prazo máximo de até 45 (quarenta e cinco) dias corridos, após a assinatura do Contrato / Pedido de Compra (PC), a primeira turma deverá ter concluído a realização do referido repasse e as demais turmas devem ter seus cronogramas definidos e aceitos pela DATA- PREV. Estes cronogramas poderão sofrer alterações desde que essas sejam realizadas em comum acordo entre a CONTRATADA e a DATAPREV O instrutor deverá comprovar que possui certificação do fabricante dos equipamentos, em vigor durante o período do repasse, que lhe confira as competências necessárias para ministrar esse tipo de repasse tecnológico Este repasse deverá contemplar todos os tipos de switches solicitados no respectivo Pedido de Compra (PC) (Tipo I, Tipo II, Tipo III, Tipo IV, Tipo V, Tipo VI e/ou Tipo VII), caso os respectivos tipos não tenham sido contemplados em Pedidos de Compra (PC) anteriores. O mesmo deverá atender às seguintes características: Contemplar 3 (três) turmas, considerando para cada uma delas: a) 10 (dez) técnicos da DATAPREV; b) Duração mínima de 80 (oitenta) horas O repasse deverá abranger os seguintes tópicos: a) Interface com o usuário; b) Arquitetura dos equipamentos; c) Características do sistema operacional; d) Instalação; e) Configurações das demais características descritas no respectivo anexo ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES que se façam necessárias para a perfeita operacionalização dos sistemas administrados pela DATAPREV e gerência dos circuitos da CONTRATADA; f) Diagnóstico e resolução de problemas O material de acompanhamento deverá ser detalhado, contendo todos os assuntos abordados nos cursos e ser distribuído para cada um dos participantes A CONTRATADA deverá realizar a parte prática dos blocos de repasse tecnológico disponibilizando, no mínimo, 1 (um) par de equipamentos (físico ou virtual) de cada tipo elegível ao respectivo Repasse Tecnológico (Tipo I, Tipo II, Tipo III, Tipo IV, Tipo V, Tipo VI e/ou Tipo VII) para cada dupla de participantes. Caso o mesmo modelo de equipamento atenda a mais de um SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 14 / 90

15 Tipo de Switch (Tipo I, Tipo II, Tipo III, Tipo IV, Tipo V, Tipo VI e/ou Tipo VII), a CONTRATADA poderá utilizar um equipamento para atender a mais de um Tipo (Tipo I, Tipo II, Tipo III, Tipo IV, Tipo V, Tipo VI e/ou Tipo VII). Neste caso a CONTRATADA deverá indicar quais Tipos (Tipo I, Tipo II, Tipo III, Tipo IV, Tipo V, Tipo VI e/ou Tipo VII) o mesmo modelo de equipamento estará representando Estes equipamentos deverão ser iguais aos que serão fornecidos à DATAPREV (modelo e configuração) Após o término do repasse tecnológico, a CONTRATADA deverá aplicar um instrumento de avaliação a todos os participantes, com o objetivo de aferir os resultados obtidos com a execução do repasse tecnológico. Esta avaliação, ANEXO III do presente Termo de Referência, contempla os seguintes itens: Instrutoria Conteúdo Programático Objetivo do Repasse tecnológico Material Didático/Recursos Instrucionais Organização do evento. Cada quesito a ser avaliado poderá receber um dos 5 (cinco) conceitos: Péssimo (P) = nota 0 (zero) Ruim (R) = nota 2,5 (dois e meio) Regular (RR) = nota 5 (cinco) Bom (B) = nota 7,5 (sete e meio) Excelente (E) = nota 10 (dez) Com base nas informações registradas pelos participantes no Formulário de Avaliação, o repasse tecnológico provido pela CONTRATADA será submetido à aprovação por parte da DATAPREV Caso o resultado alcançado com a aplicação da avaliação seja considerado INSATISFATÓRIO, a CONTRATADA ficará obrigada a providenciar um novo repasse, sem qualquer ônus para a DATAPREV, no qual o conteúdo poderá ser ajustado e/ou o instrutor substituído para sanar os problemas, a critério da DATAPREV. O novo repasse tecnológico da turma deverá acontecer segundo um novo calendário a ser definido pela DATAPREV O resultado será considerado INSATISFATÓRIO quando uma das situações abaixo ocorrer: A média das avaliações for igual ou inferior a cinco (em uma escala de SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 15 / 90

16 0 a 10) em pelo menos 02 (dois) dos quesitos definidos no subitem A média do quesito Instrutoria for igual ou inferior a cinco (em uma escala de 0 a 10). 15. USO DA LÍNGUA PORTUGUESA Em todas as atividades de manutenção ou suporte, deverá ser empregada a língua portuguesa falada e escrita do Brasil. Serão admitidas as seguintes exceções a esta exigência: a) O uso de termos técnicos em inglês, nas conversações ou correspondências; b) O acesso a sites com conteúdo na língua inglesa, para consulta a bases de conhecimento ou download de componentes de software; c) Outros casos, com o aceite da CONTRATANTE A abertura, o acompanhamento e o atendimento de chamados técnicos deverão ser feitos em língua portuguesa. 16. SIGILO E INVIOLABILIDADE A CONTRATADA deverá garantir o sigilo e a inviolabilidade das informações a que eventualmente possa ter acesso, durante os procedimentos de assistência técnica A CONTRATADA deverá prestar esclarecimentos à DATAPREV sobre eventuais atos ou fatos noticiados que se refiram à mesma. 17. REMANEJAMENTO DE BENS A totalidade ou parte dos equipamentos poderá eventualmente ser remanejada para outra localidade, em uma das três cidades nas quais a DATAPREV mantém sites de processamento (Rio de Janeiro, Brasília ou São Paulo), sem prejuízo do atendimento nas condições descritas neste documento, mediante prévia comunicação à CONTRATA- DA Todas as despesas relativas ao eventual remanejamento e reinstalação serão de responsabilidade da DATAPREV. 18. CONEXÃO / INSTALAÇÃO DE OUTROS PRODUTOS SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 16 / 90

17 A DATAPREV se compromete a somente conectar ou instalar produtos que atendam a todas as exigências de compatibilidade (homologação) dos fabricantes dos equipamentos fornecidos, e cuja conexão ou instalação não causem danos materiais aos equipamentos, ou prejudiquem o funcionamento dos mesmos. 19. SANÇÕES ADMINISTRATIVAS Será aplicada multa de 1% (um por cento) ao dia, até o limite máximo de 10 (dez por cento) do valor total do contrato, pelo atraso, causado pela CONTRATADA, na entrega dos itens que compõem a solução, conforme descrito no subitem 4.1 deste Termo Será aplicada multa de 0,5% (um por cento) ao dia, até o limite máximo de 10 (dez por cento) do valor total do contrato, pelo atraso, causado pela CONTRATADA, na conclusão da instalação dos equipamentos conforme descrito no subitem 5.1 deste Termo Será aplicada multa de 0,1% (um décimo por cento) ao dia, até o limite máximo de 1% (um por cento) do valor total do contrato, pelo atraso, causado pela CONTRATADA, na realização de reunião para planejamento da implantação, conforme descrito no subitem 5.2 deste Termo Será aplicada multa de 0,1% (um décimo por cento) ao dia, até o limite máximo de 1% (um por cento) do valor total do contrato, pelo atraso, causado pela CONTRATADA, no fornecimento das informações sobre os canais de atendimento para abertura de chamados, conforme descrito no subitem 10.5 deste Termo Será aplicada multa de 0,1% (um décimo por cento) por hora de atraso, até o limite máximo de 20% (vinte por cento) do valor caucionado em garantia do cumprimento das obrigações contratuais, pelo descumprimento dos prazos de atendimento e solução de ocorrências, e prazo de substituição de equipamentos, causado pela CONTRATA- DA, conforme descrito no item 11 deste Termo Será aplicada multa de 0,5% (cinco décimos por cento) ao dia, até o limite máximo de 5% (cinco por cento) do valor total do contrato, pelo atraso, causado pela CONTRATADA, na realização do Repasse Tecnológico conforme descrito no subitem 14.1 deste Termo Será aplicada multa de 0,5% (cinco décimos por cento) do valor total do contrato, caso o resultado alcançado com a aplicação da avaliação do Repasse Tecnológico seja considerado INSATISFATÓRIO, conforme descrito no subitem deste Termo As multas constantes nesse item poderão ser aplicadas cumulativamente conforme o caso e SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 17 / 90

18 são meramente moratórias, não isentando a CONTRATADA do ressarcimento por perdas e danos pelos prejuízos a que der causa As multas constantes dos subitens 19.1 ao 19.6 terão incidência mensal, enquanto perdurarem os atos que as derem causa. 20. OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA Manter, durante toda a execução do Contrato, a compatibilidade com as obrigações assumidas em relação a todas as condições de habilitação e qualificação exigidas neste Termo de Referência Prestar os serviços dentro de parâmetros e procedimentos estabelecidos, em observância às normas legais e regulamentares aplicáveis e as recomendações aceitas pela boa técnica Responder, em relação aos seus empregados, por todas as despesas decorrentes da execução dos serviços, tais como: salários, seguros de acidente, impostos, taxas, contribuições, indenizações, vales refeição, vales transporte e outras que porventura venham a ser criadas e exigidas pelo Governo Responder pelos danos causados diretamente à Administração ou a terceiros, decorrentes de sua culpa ou dolo, quando da execução dos serviços, não excluindo ou reduzindo essa responsabilidade a fiscalização ou o acompanhamento pela DATAPREV Arcar com despesas decorrentes de qualquer infração, desde que praticada por seus técnicos durante a execução dos serviços, ainda que no recinto da DATAPREV Responder pelo cumprimento dos postulados legais vigentes, de âmbito federal, estadual ou municipal, bem como, assegurar os direitos e o cumprimento de todas as obrigações estabelecidas por regulamentação da ANATEL, inclusive quanto aos preços praticados no instrumento contratual Implantar, de forma adequada, a supervisão permanente dos serviços, de modo a obter uma operação correta e eficaz Atender prontamente quaisquer exigências do representante do Gestor do Contrato, no que diz respeito às necessidades da DATAPREV SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 18 / 90

19 Prestar os serviços de forma meticulosa e constante, mantendo os sempre em perfeita ordem Comunicar, por escrito, ao Gestor do Contrato qualquer anormalidade de caráter urgente e prestar os esclarecimentos julgados necessários Repassar à DATAPREV, durante a vigência do contrato, todos os preços e vantagens oferecidos no mercado para contratos similares, sempre que esses forem mais vantajosos do que os constantes no instrumento contratual Assumir a responsabilidade por todos os encargos previdenciários e obrigações sociais previstos na legislação social e trabalhista em vigor, obrigando se a saldá-los na época própria, uma vez que os seus empregados não manterão qualquer vínculo empregatício com a DATAPREV Assumir, também, a responsabilidade por todas as providências e obrigações estabelecidas na legislação específica de acidentes do trabalho, quando, em ocorrência da espécie, forem vítimas os seus empregados, no desempenho dos serviços ou em conexão com eles, ainda que acontecido em dependência da DATAPREV Assumir todos os encargos de possível demanda trabalhista, civil ou penal, relacionadas à execução dos serviços, originariamente ou vinculada por prevenção, conexão ou contingência Assumir, ainda, a responsabilidade pelos encargos fiscais e comerciais, resultantes da adjudicação do instrumento contratual. 21. OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE Verificar o cumprimento de todas as obrigações pela CONTRATADA Exigir todas as certidões comprobatórias de regularidade fiscal, consoante legislação aplicável Efetivar o pagamento, após o cumprimento de todas as exigências deste Termo de Referência. 22. GESTÂO CONTRATUAL Responsável pelo Acompanhamento, Controle, Execução e Fiscalização do Serviço. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 19 / 90

20 Departamento de Redes de Telecomunicações / DERE - Divisão de Tecnologia e Gestão de Redes / DITG SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 20 / 90

21 Título: ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES TIPO I ACESSO I Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER Data: 03/04/ DIMENSIONAMENTO DE PORTAS 1.1. Possuir, no mínimo, 8 portas 10 Gigabit Ethernet e FCoE non-blocking SFP+ para conexão aos switches de agregação Possuir, no mínimo, 32 portas 1/10 Gigabit Ethernet/FCoE SFP/SFP+ para conexão de servidores Devem ser fornecidos 8 SFP+ ópticos no padrão 10GBASE-SR, com conector LC/PC Dual ou transceiver do fabricante e fibra multimodo com velocidade de 10 Gigabit Devem ser fornecidos 20 (vinte) cabos com comprimento de 3 (três) metros do tipo Twinax, usando SFP+ nas duas extremidades, de acordo com o padrão 10GBASE- Cu Devem ser fornecidos 12 (doze) cabos com comprimento de 5 (cinco) metros do tipo Twinax, usando SFP+ nas duas extremidades, de acordo com o padrão 10GBASE- Cu Possuir configuração de CPU e memória (RAM e Flash) suficiente para a implementação de todas as funcionalidades descritas nesta especificação Possibilitar a configuração dinâmica de portas por software, permitindo a definição de portas ativas/inativas Implementar VLANs por porta 1.9. Implementar VLANs compatíveis com o padrão IEEE 802.1q Implementar mecanismo de seleção de quais vlans serão permitidas através de trunk 802.1q. Deve ser permitida a configuração dessa seleção de forma dinâmica Implementar associação das portas Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad Implementar associação das portas 10 Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 21 / 90

22 2. FONTE DE ALIMENTAÇÃO 2.1. Possuir fonte de alimentação redundante AC bivolt interna, com seleção automática de tensão (na faixa de 100 a 240V) e freqüência (de 50/60 Hz). As fontes devem possuir alimentação independente, a fim de permitir a sua conexão a circuitos elétricos distintos Possuir cabo de alimentação para a fonte com, no mínimo, 1,80m (um metro e oitenta centímetros) de comprimento Uma fonte deve ser capaz de sustentar a carga de todo o equipamento com todas as portas ativas. 3. INFRA ESTRUTURA 3.1. Permitir ser montado em rack padrão de 19 (dezenove) polegadas, incluindo todos os acessórios necessários Possuir no máximo 2RU O equipamento deve ser fornecido com 8 cabos de até 100 metros, conectores, adaptadores e/ou conversores que se façam necessários para a interligação aos equipamentos da Dataprev em portas 10G. a) O cabo deve possuir diâmetro 50μ/125μ, no padrão OM-3 e até 100 metros com conectores LC em ambas as extremidades, sendo que a metragem adequada dos cabos será especificada no momento da solicitação, ou seja, a contratada deve confirmar com a contratante a metragem dos cabos a serem entregues O equipamento deve ser fornecido com 20 cabos de 3 metros (de acordo com o item 1 desta especificação), conectores, adaptadores e/ou conversores que se façam necessários para a interligação aos equipamentos da Dataprev em portas 10GBASE- CU O equipamento deve ser fornecido com 12 cabos de 5 metros (de acordo com o item 1 desta especificação), conectores, adaptadores e/ou conversores que se façam necessários para a interligação aos equipamentos da Dataprev em portas 10GBASE- CU Deve vir acompanhado de todos os acessórios indispensáveis para a sua perfeita instalação e funcionamento Deve operar entre as temperaturas de 10 C e 40ºC Deve ser destinado ao uso normal em ambiente tropical com umidade relativa na faixa de 20 a 80% (sem condensação) e suportar temperatura ambiente de armazenamento entre 0 C e 50 C. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 22 / 90

23 3.9. Deve ser fornecido guia de cabos (organizador de cabos frontal) de 1RU, para gabinete padrão 19, com tampa frontal removível e construída em chapa de aço resistente. Este guia deve ser fornecido para cada equipamento cotado, sem logomarcas da empresa fornecedora O fluxo de ar do equipamento não pode ser lateral O equipamento deve ser entregue com a saída de ar e as interfaces no mesmo lado, voltado para parte traseira do rack conforme ilustração abaixo. 4. GERENCIAMENTO 4.1. Implementar os padrões abertos de gerência de rede SNMPv1, SNMPv2c e SNMPv3, incluindo a geração de traps Implementar a RFC Implementar pelo menos os seguintes níveis de segurança para SNMP versão 3: a) Sem autenticação e sem privacidade (noauthnopriv). b) Com autenticação e sem privacidade (authnopriv). c) Com autenticação e com privacidade (authpriv) utilizando algoritimo de criptografia DES Implementar a MIB II, conforme RFC Implementar a MIB privativa que forneça informações relativas ao funcionamento do equipamento Possuir descrição completa da MIB implementada no equipamento, inclusive a extensão privativa. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 23 / 90

24 4.7. Possibilitar a obtenção da configuração do equipamento através do protocolo SNMP Possibilitar a obtenção via SNMP de informações de capacidade e desempenho da CPU, memória e portas Deve implementar nativamente 2 grupos de RMON: alarms e events, em conformidade com o padrão RFC 1757, sem a utilização de probes externas. 5. FACILIDADES 5.1. O equipamento ofertado deve ser configurável através de uma solução centralizada de configuração da camada de acesso ou ter suas configurações feitas nos módulos de supervisão remotos Possuir LEDs para a indicação do status das portas e atividade Deve permitir a configuração em cada porta de um texto possibilitando ao administrador a inclusão de informações que identifiquem o que está conectado na respectiva porta Permitir a gravação de log externo (syslog) Permitir o armazenamento de sua configuração em memória não volátil, podendo, numa queda e posterior restabelecimento da alimentação, voltar à operação normalmente na mesma configuração anterior à queda de alimentação Possuir ferramentas para depuração e gerenciamento em primeiro nível, tais como debug, trace, log de eventos Permitir o espelhamento do tráfego total de uma porta e de um grupo de portas para outra porta localizada no mesmo switch Deve ser fornecido com documentação técnica e manuais, que contenham informações suficientes para possibilitar a instalação, configuração e operacionalização do equipamento Implementar a configuração de private-vlan ou funcionalidade similar Permitir o encaminhamento de jumbo frames (pacotes de 9016 bytes) Sua tabela de endereços deve ser criada de forma automática, por autoaprendizagem O sistema operacional/firmware fornecido deve, dentro das características solicitadas, ser a versão mais atualizada no momento da aquisição Deve vir acompanhado de manual de instalação, configuração e operação do equipamento na língua portuguesa ou inglesa, com apresentação de boa qualidade, ou apresentar estas informações no Site da Empresa. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 24 / 90

25 6. PROTOCOLOS 6.1. Implementar o padrão IEEE 802.1d (Spanning Tree Protocol) por VLAN Implementar o padrão IEEE 802.1q (Vlan Frame Tagging) Implementar o padrão IEEE 802.1p (Class of Service) para cada porta Implementar o padrão IEEE 802.1s (Multi-Instance Spanning-Tree), com suporte a, no mínimo, 16 instâncias simultâneas do protocolo Spanning-Tree Implementar o padrão IEEE 802.1w (Rapid spanning Tree Protocol) Implementar controle de acesso por porta, usando o padrão IEEE 802.1x (Port Based Network Access Control) Implementar o padrão IEEE 802.3ae Implementar o padrão IEEE 802.3ad Implementar o protocolo de negociação Link Aggregation Control Protocol (LACP) Implementar o padrão 802.3x (Flow Control) Implementar Fibre Channel over Ethernet (FCoE) Implementar o padrão IEEE 802.1Qaz (DCB) Implementar o padrão IEEE 802.1Qbb (Priority-based Flow Control) Implementar o padrão IEEE 802.1ab (Link Layer Discovery Protocol). 7. DESEMPENHO 7.1. Deve ser capaz de comutar em hardware, no mínimo, 595 Mpps Possuir capacidade de encaminhamento em hardware de, no mínimo, 540 Gbps full duplex, utilizando pacote médio de 64 bytes Se o equipamento possuir suporte a módulos de supervisão remotos, deve suportar conexão a no mínimo dois. 8. SEGURANÇA 8.1. Implementar filtragem de pacotes (ACL - Access Control List), com definições de SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 25 / 90

26 parametros camada 2, 3 e MULTICAST 9.1. Implementar mecanismo de controle de multicast através de IGMP. 10. QUALIDADE DE SERVIÇO (QoS) Implementar a facilidade de priorização de tráfego através do protocolo IEEE 802.1p Implementar suporte a uma fila com prioridade estrita (prioridade absoluta em relação às demais classes dentro do limite de banda que lhe foi atribuído) para tratamento do tráfego real-time (voz e vídeo) Implementar a funcionalidade de QoS Traffic Policing Implementar a especificação de banda por classe de serviço Implementar diferenciação de QoS por VLAN e por porta Implementar aos mecanismos de QoS WRR (Weighted Round Robin) Implementar pelo menos quatro filas de prioridade por porta de saída (egress port). 11. GARANTIA O tempo médio entre falhas (MTBF) deve ser superior a (noventa mil) horas Garantia da atualização do sistema operacional/firmware, provendo o fornecimento de novas versões por necessidade de correção de problemas ou por implementação de novos releases durante todo o período de garantia. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 26 / 90

27 Título: ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES TIPO II ACESSO II Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER Data: 03/04/ DIMENSIONAMENTO DE PORTAS 1.1. Possuir, no mínimo, 8 portas 10 Gigabit Ethernet e FCoE non-blocking SFP/SFP+ para conexão aos switches de agregação Possuir, no mínimo, 32 portas 1/10 Gigabit Ethernet/FCoE SFP+ para conexão de servidores Devem ser fornecidos 8 SFP+ ópticos no padrão 10GBASE-SR, com conector LC/PC Dual ou transceiver do fabricante e fibra multímodo com velocidade de 10 Gigabit Devem ser fornecidos 32 SFPs para operação em 1 (um) Gbps usando conectores RJ- 45, de acordo com o padrão IEEE 802.3z 1.5. Possuir configuração de CPU e memória (RAM e Flash) suficiente para a implementação de todas as funcionalidades descritas nesta especificação Possibilitar a configuração dinâmica de portas por software, permitindo a definição de portas ativas/inativas Implementar VLANs por porta Implementar VLANs compatíveis com o padrão IEEE 802.1q Implementar mecanismo de seleção de quais vlans serão permitidas através de trunk 802.1q. Deve ser permitida a configuração dessa seleção de forma dinâmica Implementar associação das portas Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad Implementar associação das portas 10 Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad. 2. FONTE DE ALIMENTAÇÃO 2.1. Possuir fonte de alimentação redundante AC bivolt interna, com seleção automática de tensão (na faixa de 100 a 240V) e freqüência (de 50/60 Hz). As fontes devem possuir alimentação independente, a fim de permitir a sua conexão a circuitos elétricos SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 27 / 90

28 distintos Possuir cabo de alimentação para a fonte com, no mínimo, 1,80m (um metro e oitenta centímetros) de comprimento Uma fonte deve ser capaz de sustentar a carga de todo o equipamento com todas as portas ativas. 3. INFRA ESTRUTURA 3.1. Permitir ser montado em rack padrão de 19 (dezenove) polegadas, incluindo todos os acessórios necessários Possuir no máximo 2RU O equipamento deve ser fornecido com 8 cabos de até 100 metros, conectores, adaptadores e/ou conversores que se façam necessários para a interligação aos equipamentos da Dataprev em portas 10G. a) O cabo deve possuir diâmetro 50μ/125μ, no padrão OM-3 e até 100 metros com conectores LC em ambas as extremidades, sendo que a metragem adequada dos cabos será especificada no momento da solicitação, ou seja, a contratada deve confirmar com a contratante a metragem dos cabos a serem entregues O equipamento deve ser fornecido com 32 cabos de até 10 metros, conectores, adaptadores e/ou conversores que se façam necessários para a interligação aos equipamentos da Dataprev em portas 1000BASE-T, sendo que a metragem adequada dos cabos será especificada no momento da solicitação, ou seja, a contratada deve confirmar com a contratante a metragem dos cabos a serem entregues Deve vir acompanhado de todos os acessórios indispensáveis para a sua perfeita instalação e funcionamento Deve operar entre as temperaturas de 10 C e 40ºC Deve ser destinado ao uso normal em ambiente tropical com umidade relativa na faixa de 20 a 80% (sem condensação) e suportar temperatura ambiente de armazenamento entre 0 C e 50 C Deve ser fornecido guia de cabos (organizador de cabos frontal) de 1RU, para gabinete padrão 19, com tampa frontal removível e construída em chapa de aço resistente. Este guia deve ser fornecido para cada equipamento cotado, sem logomarcas da empresa fornecedora O fluxo de ar do equipamento não pode ser lateral O equipamento deve ser entregue com a saída de ar e as interfaces no mesmo lado, voltado para parte traseira do rack conforme ilustração abaixo. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 28 / 90

29 4. GERENCIAMENTO 4.1. Implementar os padrões abertos de gerência de rede SNMPv1, SNMPv2c e SNMPv3, incluindo a geração de traps Implementar a RFC Implementar pelo menos os seguintes níveis de segurança para SNMP versão 3: a) Sem autenticação e sem privacidade (noauthnopriv). b) Com autenticação e sem privacidade (authnopriv). c) Com autenticação e com privacidade (authpriv) utilizando algoritimo de criptografia DES Implementar a MIB II, conforme RFC Implementar a MIB privativa que forneça informações relativas ao funcionamento do equipamento Possuir descrição completa da MIB implementada no equipamento, inclusive a extensão privativa Possibilitar a obtenção da configuração do equipamento através do protocolo SNMP Possibilitar a obtenção via SNMP de informações de capacidade e desempenho da CPU, memória e portas Deve implementar nativamente 2 grupos de RMON: alarms e events, em conformidade com o padrão RFC 1757, sem a utilização de probes externas. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 29 / 90

30 5. FACILIDADES 5.1. O equipamento ofertado deve ser configurável através de uma solução centralizada de configuração da camada de acesso ou ter suas configurações feitas nos módulos de supervisão remotos Possuir LEDs para a indicação do status das portas e atividade Deve permitir a configuração em cada porta de um texto possibilitando ao administrador a inclusão de informações que identifiquem o que está conectado na respectiva porta Permitir a gravação de log externo (syslog) Permitir o armazenamento de sua configuração em memória não volátil, podendo, numa queda e posterior restabelecimento da alimentação, voltar à operação normalmente na mesma configuração anterior à queda de alimentação Possuir ferramentas para depuração e gerenciamento em primeiro nível, tais como debug, trace, log de eventos Permitir o espelhamento do tráfego total de uma porta e de um grupo de portas para outra porta localizada no mesmo switch Deve ser fornecido com documentação técnica e manuais, que contenham informações suficientes para possibilitar a instalação, configuração e operacionalização do equipamento Implementar a configuração de private-vlan ou funcionalidade similar Permitir o encaminhamento de jumbo frames (pacotes de 9016 bytes) Sua tabela de endereços deve ser criada de forma automática, por autoaprendizagem O sistema operacional/firmware fornecido deve, dentro das características solicitadas, ser a versão mais atualizada no momento da aquisição Deve vir acompanhado de manual de instalação, configuração e operação do equipamento na língua portuguesa ou inglesa, com apresentação de boa qualidade, ou apresentar estas informações no Site da Empresa. 6. PROTOCOLOS 6.1. Implementar o padrão IEEE 802.1d (Spanning Tree Protocol) por VLAN Implementar o padrão IEEE 802.1q (Vlan Frame Tagging) Implementar o padrão IEEE 802.1p (Class of Service) para cada porta. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 30 / 90

31 6.4. Implementar o padrão IEEE 802.1s (Multi-Instance Spanning-Tree), com suporte a, no mínimo, 16 instâncias simultâneas do protocolo Spanning-Tree Implementar o padrão IEEE 802.1w (Rapid spanning Tree Protocol) Implementar controle de acesso por porta, usando o padrão IEEE 802.1x (Port Based Network Access Control) Implementar o padrão IEEE 802.3ae Implementar o padrão IEEE 802.3ad Implementar o protocolo de negociação Link Aggregation Control Protocol (LACP) Implementar o padrão 802.3x (Flow Control) Implementar Fibre Channel over Ethernet (FCoE) Implementar o padrão IEEE 802.1Qaz (DCB) Implementar o padrão IEEE 802.1Qbb (Priority-based Flow Control) Implementar o padrão IEEE 802.1ab (Link Layer Discovery Protocol). 7. DESEMPENHO 7.1. Deve ser capaz de comutar em hardware, no mínimo, 595 Mpps Possuir capacidade de encaminhamento em hardware de, no mínimo, 540 Gbps full duplex, utilizando pacote médio de 64 bytes Se o equipamento possuir suporte a módulos de supervisão remotos, deve suportar conexão a no mínimo dois. 8. SEGURANÇA 8.1. Implementar filtragem de pacotes (ACL - Access Control List), com definições de parametros camada 2, 3 e MULTICAST 9.1. Implementar mecanismo de controle de multicast através de IGMP. 10. QUALIDADE DE SERVIÇO (QoS) SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 31 / 90

32 10.1. Implementar a facilidade de priorização de tráfego através do protocolo IEEE 802.1p Implementar suporte a uma fila com prioridade estrita (prioridade absoluta em relação às demais classes dentro do limite de banda que lhe foi atribuído) para tratamento do tráfego real-time (voz e vídeo) Implementar a funcionalidade de QoS Traffic Policing Implementar a especificação de banda por classe de serviço Implementar diferenciação de QoS por VLAN e por porta Implementar mecanismos de QoS WRR (Weighted Round Robin) Implementar pelo menos quatro filas de prioridade por porta de saída (egress port). 11. GARANTIA O tempo médio entre falhas (MTBF) deve ser superior a (noventa mil) horas Garantia da atualização do sistema operacional/firmware, provendo o fornecimento de novas versões por necessidade de correção de problemas ou por implementação de novos releases durante todo o período de garantia. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 32 / 90

33 Título: ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES TIPO III ACESSO III Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER Data: 03/04/ DIMENSIONAMENTO DE PORTAS 1.1. Possuir, no mínimo, 8 portas 10 Gigabit Ethernet e FCoE non-blocking SFP/SFP+ para conexão aos switches de agregação Possuir, no mínimo, 32 portas 1/10 Gigabit Ethernet/FCoE SFP+ para conexão de servidores Devem ser fornecidos 40 SFP+ ópticos no padrão 10GBASE-SR, com conector LC/PC Dual ou transceiver do fabricante e fibra multímodo com velocidade de 10 Gigabit Possuir configuração de CPU e memória (RAM e Flash) suficiente para a implementação de todas as funcionalidades descritas nesta especificação Possibilitar a configuração dinâmica de portas por software, permitindo a definição de portas ativas/inativas Implementar VLANs por porta 1.7. Implementar VLANs compatíveis com o padrão IEEE 802.1q Implementar mecanismo de seleção de quais vlans serão permitidas através de trunk 802.1q. Deve ser permitida a configuração dessa seleção de forma dinâmica Implementar associação das portas Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad Implementar associação das portas 10 Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad. 2. FONTE DE ALIMENTAÇÃO 2.1. Possuir fonte de alimentação redundante AC bivolt interna, com seleção automática de tensão (na faixa de 100 a 240V) e freqüência (de 50/60 Hz). As fontes devem possuir alimentação independente, a fim de permitir a sua conexão a circuitos elétricos distintos Possuir cabo de alimentação para a fonte com, no mínimo, 1,80m (um metro e oitenta SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 33 / 90

34 centímetros) de comprimento Uma fonte deve ser capaz de sustentar a carga de todo o equipamento com todas as portas ativas. 3. INFRA ESTRUTURA 3.1. Permitir ser montado em rack padrão de 19 (dezenove) polegadas, incluindo todos os acessórios necessários Possuir no máximo 2RU O equipamento deve ser fornecido com 40 cabos de até 100 metros, conectores, adaptadores e/ou conversores que se façam necessários para a interligação aos equipamentos da Dataprev em portas 10G. a) O cabo deve possuir diâmetro 50μ/125μ, no padrão OM-3 e até 100 metros com conectores LC em ambas as extremidades, sendo que a metragem adequada dos cabos será especificada no momento da solicitação, ou seja, a contratada deve confirmar com a contratante a metragem dos cabos a serem entregues Deve vir acompanhado de todos os acessórios indispensáveis para a sua perfeita instalação e funcionamento Deve operar entre as temperaturas de 10 C e 40ºC Deve ser destinado ao uso normal em ambiente tropical com umidade relativa na faixa de 20 a 80% (sem condensação) e suportar temperatura ambiente de armazenamento entre 0 C e 50 C Deve ser fornecido guia de cabos (organizador de cabos frontal) de 1RU, para gabinete padrão 19, com tampa frontal removível e construída em chapa de aço resistente. Este guia deve ser fornecido para cada equipamento cotado, sem logomarcas da empresa fornecedora O fluxo de ar do equipamento não pode ser lateral O equipamento deve ser entregue com a saída de ar e as interfaces no mesmo lado, voltado para parte traseira do rack conforme ilustração abaixo. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 34 / 90

35 4. GERENCIAMENTO 4.1. Implementar os padrões abertos de gerência de rede SNMPv1, SNMPv2c e SNMPv3, incluindo a geração de traps Implementar a RFC Implementar pelo menos os seguintes níveis de segurança para SNMP versão 3: a) Sem autenticação e sem privacidade (noauthnopriv). b) Com autenticação e sem privacidade (authnopriv). c) Com autenticação e com privacidade (authpriv) utilizando algoritimo de criptografia DES Implementar a MIB II, conforme RFC Implementar a MIB privativa que forneça informações relativas ao funcionamento do equipamento Possuir descrição completa da MIB implementada no equipamento, inclusive a extensão privativa Possibilitar a obtenção da configuração do equipamento através do protocolo SNMP Possibilitar a obtenção via SNMP de informações de capacidade e desempenho da CPU, memória e portas Deve implementar nativamente 2 grupos de RMON: alarms e events, em conformidade com o padrão RFC 1757, sem a utilização de probes externas. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 35 / 90

36 5. FACILIDADES 5.1. O equipamento ofertado deve ser configurável através de uma solução centralizada de configuração da camada de acesso ou ter suas configurações feitas nos módulos de supervisão remotos Possuir LEDs para a indicação do status das portas e atividade Deve permitir a configuração em cada porta de um texto possibilitando ao administrador a inclusão de informações que identifiquem o que está conectado na respectiva porta Permitir a gravação de log externo (syslog) Permitir o armazenamento de sua configuração em memória não volátil, podendo, numa queda e posterior restabelecimento da alimentação, voltar à operação normalmente na mesma configuração anterior à queda de alimentação Possuir ferramentas para depuração e gerenciamento em primeiro nível, tais como debug, trace, log de eventos Permitir o espelhamento do tráfego total de uma porta e de um grupo de portas para outra porta localizada no mesmo switch Deve ser fornecido com documentação técnica e manuais, que contenham informações suficientes para possibilitar a instalação, configuração e operacionalização do equipamento Deve suportar a configuração de private-vlan ou funcionalidade similar Permitir o encaminhamento de jumbo frames (pacotes de 9016 bytes) Sua tabela de endereços deve ser criada de forma automática, por autoaprendizagem O sistema operacional/firmware fornecido deve, dentro das características solicitadas, ser a versão mais atualizada no momento da aquisição Deve vir acompanhado de manual de instalação, configuração e operação do equipamento na língua portuguesa ou inglesa, com apresentação de boa qualidade, ou apresentar estas informações no Site da Empresa. 6. PROTOCOLOS 6.1. Implementar o padrão IEEE 802.1d (Spanning Tree Protocol) por VLAN Implementar o padrão IEEE 802.1q (Vlan Frame Tagging) Implementar o padrão IEEE 802.1p (Class of Service) para cada porta. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 36 / 90

37 6.4. Implementar o padrão IEEE 802.1s (Multi-Instance Spanning-Tree), com suporte a, no mínimo, 16 instâncias simultâneas do protocolo Spanning-Tree Implementar o padrão IEEE 802.1w (Rapid spanning Tree Protocol) Implementar controle de acesso por porta, usando o padrão IEEE 802.1x (Port Based Network Access Control) Implementar o padrão IEEE 802.3ae Implementar o padrão IEEE 802.3ad Implementar o protocolo de negociação Link Aggregation Control Protocol (LACP) Implementar o padrão 802.3x (Flow Control) Implementar Fibre Channel over Ethernet (FCoE) Implementar o padrão IEEE 802.1Qaz (DCB) Implementar o padrão IEEE 802.1Qbb (Priority-based Flow Control) Implementar o padrão IEEE 802.1ab (Link Layer Discovery Protocol). 7. DESEMPENHO 7.1. Deve ser capaz de comutar em hardware, no mínimo, 595 Mpps Possuir capacidade de encaminhamento em hardware de, no mínimo, 540 Gbps full duplex, utilizando pacote médio de 64 bytes Se o equipamento possuir suporte a módulos de supervisão remotos, deve suportar conexão a no mínimo dois. 8. SEGURANÇA 8.1. Implementar filtragem de pacotes (ACL - Access Control List), com definições de parametros camada 2, 3 e MULTICAST 9.1. Implementar mecanismo de controle de multicast através de IGMP. 10. QUALIDADE DE SERVIÇO (QoS) SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 37 / 90

38 10.1. Implementar a facilidade de priorização de tráfego através do protocolo IEEE 802.1p Implementar suporte a uma fila com prioridade estrita (prioridade absoluta em relação às demais classes dentro do limite de banda que lhe foi atribuído) para tratamento do tráfego real-time (voz e vídeo) Implementar a funcionalidade de QoS Traffic Policing Implementar a especificação de banda por classe de serviço Implementar diferenciação de QoS por VLAN e por porta Implementar mecanismos de QoS WRR (Weighted Round Robin) Implementar pelo menos quatro filas de prioridade por porta de saída (egress port). 11. GARANTIA O tempo médio entre falhas (MTBF) deve ser superior a (noventa mil) horas Garantia da atualização do sistema operacional/firmware, provendo o fornecimento de novas versões por necessidade de correção de problemas ou por implementação de novos releases durante todo o período de garantia. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 38 / 90

39 Título: ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES TIPO IV ACESSO IV Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER Data: 03/04/ DIMENSIONAMENTO DE PORTAS 1.1. Deve realizar a interconexão de servidores à Rede Local e Rede SAN (Storage Área Network) simultaneamente, utilizando uma única conexão FCoE Deve ter a capacidade de suportar, no mínimo, 48 portas que devem operar como: 1/10 Gigabit Ethernet non-blocking e FcoE e Fibre Channel, com suporte a 2, 4 e 8 Gigabits por segundo, para interconexão com Switch SAN (Storage Area Network). As interfaces não deverão possuir oversubscription Caso o fabricante não possua esta capacidade em um único switch deve fornecer 2 (dois) equipamentos, atendendo todas as funcionalidades desta especificação, sendo que cada caixa deve possuir, no mínimo, 8 portas Fibre Channel, com suporte a 2, 4 e 8 Gigabits por segundo, para interconexão com Switch SAN. As interfaces não poderão possuir oversubscription Caso o fabricante não possua esta capacidade em um único switch deve fornecer 2 (dois) equipamentos, atendendo todas as funcionalidades desta especificação, sendo que pelo menos 1 (uma) das caixas deve ter 48 portas Fibre Channel, com suporte a 2, 4 e 8 Gigabits por segundo, para interconexão com Switch SAN. As interfaces não poderão possuir oversubscription Devem ser fornecidos 48 SFPs para Fibre Channel de 8 Gbps, com fibra multimodo full duplex, permitindo compatibilidade com 2 e 4 Gbps Possuir porta de console para ligação, direta e através de modem, de terminal RS-232 para acesso à interface de linha de comando. Poderá ser fornecida porta de console com interface USB Deve ser fornecido cabo de console compatível com a porta de console do equipamento Implementar a configuração dinâmica de portas por software, permitindo a definição de portas ativas/inativas Implementar VLANs compatíveis com o padrão IEEE 802.1q Implementar mecanismo de seleção de quais vlans serão permitidas através de trunk 802.1q. Deve ser permitida a configuração dessa seleção de forma dinâmica Implementar associação das portas Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 39 / 90

40 inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad Implementar associação das portas 10 Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad. 2. ALTA DISPONIBILIDADE 2.1 Possuir configuração de CPU e memória (RAM e Flash) suficiente para a implementação de todas as funcionalidades descritas nesta especificação. 2.2 Suportar simultaneamente em sua memória Flash (ou semelhante), duas imagens do sistema operacional entregues com a solução; 2.3 Possuir sistema de ventilação redundante e hot swappable. 2.4 Possuir sistema operacional modular; 2.5 Deve permitir a aplicação de patches no sistema operacional; 3. FONTE DE ALIMENTAÇÃO 3.1 Possuir fonte de alimentação redundante AC bivolt interna, com seleção automática de tensão (na faixa de 100 a 240V) e freqüência (de 50/60 Hz). As fontes devem possuir alimentação independente, a fim de permitir a sua conexão a circuitos elétricos distintos. 3.2 Possuir cabo de alimentação para a fonte com, no mínimo, 1,80m (um metro e oitenta centímetros) de comprimento. 3.3 Uma fonte deve ser capaz de sustentar a carga de todo o equipamento com todas as portas ativas. 4. INFRA ESTRUTURA 4.1 Permitir ser montado em rack padrão de 19 (dezenove) polegadas, incluindo todos os acessórios necessários. 4.2 Possuir no máximo 3RU. 4.3 O equipamento deve ser fornecido com 48 cabos de até 150 metros, conectores, adaptadores e/ou conversores que se façam necessários para a interligação aos equipamentos da Dataprev em portas 10GBASE-SR ou Fibre Channel de 2, 4 ou 8 Gigabits por segundo. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 40 / 90

41 a) O cabo deve possuir diâmetro 50μ/125μ, no padrão OM-3 e até 150 metros com conectores LC em ambas as extremidades, sendo que a metragem adequada dos cabos será especificada no momento da solicitação, ou seja, a contratada deve confirmar com a contratante a metragem dos cabos a serem entregues. 4.4 Deve vir acompanhado de todos os acessórios indispensáveis para a sua perfeita instalação e funcionamento; 4.5 Deve operar entre as temperaturas de 10 C e 40ºC. 4.6 Deve ser destinado ao uso normal em ambiente tropical com umidade relativa na faixa de 20 a 80% (sem condensação) e suportar temperatura ambiente de armazenamento entre 0 C e 50 C. 4.7 Deve ser fornecido guia de cabos (organizador de cabos frontal) de 1RU, para gabinete padrão 19, com tampa frontal removível e construída em chapa de aço resistente. Este guia deve ser fornecido para cada equipamento cotado, sem logomarcas da empresa fornecedora. 4.8 Deve possuir ventiladores redundantes e hot-swappables com ventilação front to back. 4.9 O fluxo de ar do equipamento não pode ser lateral O equipamento deve ser entregue com a saída de ar e as interfaces no mesmo lado, voltado para parte traseira do rack conforme ilustração abaixo. 5. GERENCIAMENTO 5.1 Implementar os p adrões abertos de gerência de rede SNMPv1, SNMPv2c e SNMPv3, incluindo a geração de traps. 5.2 Implementar a RFC Implementar pelo menos os seguintes níveis de segurança para SNMP versão 3: SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 41 / 90

42 a) Sem autenticação e sem privacidade (noauthnopriv); b) Com autenticação e sem privacidade (authnopriv); c) Com autenticação e com privacidade (authpriv) utilizando algoritimo de criptografia DES. 5.4 Implementar SNMP sobre IPv6 5.5 Implementar a MIB II, conforme RFC Implementar a MIB privativa que forneça informações relativas ao funcionamento do equipamento. 5.7 Possuir descrição completa da MIB implementada no equipamento, inclusive a extensão privativa. 5.8 Possibilitar a obtenção da configuração do equipamento através do protocolo SNMP. 5.9 Possuir armazenamento interno das mensagens de log geradas pelo equipamento de no mínimo 1024 bytes ou (cinco mil) linhas Possibilitar a obtenção via SNMP de informações de capacidade e desempenho da CPU, memória e portas Deve implementar nativamente 2 grupos de RMON: alarms e events, em conformidade com o padrão RFC 1757, sem a utilização de probes externas Possibilidade de criação de versões de configuração e suporte a rollback da configuração para versões anteriores Possuir 1 porta 10/100BaseT, com conector RJ-45, para gerência do equipamento. Esta porta será conectada na rede de gerência e o Switch deve permitir a configuração de endereço IP próprio para gerenciamento. 6. FACILIDADES 6.1 Possuir LEDs para a indicação do status das portas e atividade. 6.2 Deve permitir a configuração em cada porta de um texto possibilitando ao administrador a inclusão de informações que identifiquem o que está conectado na respectiva porta. 6.3 Implementar Telnet para acesso à interface de linha de comando. 6.4 Permitir a atualização remota do sistema operacional e arquivos de configuração utilizados no equipamento via interface ethernet. 6.5 Ser configurável e gerenciável via GUI (graphical user interface), CLI (command line interface), SNMP, Telnet, SSH, HTTP e HTTPS com, no mínimo, 5 sessões SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 42 / 90

43 simultâneas e independentes. 6.6 Deve permitir gerenciamento e configuração através de interface gráfica (Web Browser), desde que todos os softwares externos ao equipamento sejam fornecidos. 6.7 O sistema operacional/firmware fornecido deve, dentro das características solicitadas, ser a versão mais atualizada no momento da aquisição; 6.8 Implementar protocolo SSH para gerenciamento remoto, implementando pelo menos o algoritmo de encriptação de dados 3DES. 6.9 Permitir que a sua configuração seja feita através de terminal assíncrono Permitir a gravação de log externo (syslog) Em conjunto com um outro equipamento de mesmo modelo, deve permitir que um switch conectado aos dois, tenha a possibilidade de agregação de links com os mesmos, de forma a simular a existência de apenas um único link lógico entre este equipamento e os dois switches do modelo aqui especificado (Multi Chassis Link Agregation ou Multi Chassis Etherchannel, por exemplo). O único link lógico entre as camadas deve eliminar convergência do Spanning Tree, possibilitando o tráfego simultâneo por mais de uma conexão Permitir o armazenamento de sua configuração em memória não volátil, podendo, numa queda e posterior restabelecimento da alimentação, voltar à operação normalmente na mesma configuração anterior à queda de alimentação Possuir ferramentas para depuração e gerenciamento em primeiro nível, tais como debug, traceroute, ping e log de eventos Permitir o espelhamento do tráfego total de uma porta, de um grupo de portas e de VLANs para outra porta localizada no mesmo switch Permitir a adição manual de endereços MAC estático (inclusive de multicast) na tabela de comutação, sem restrição à quantidade de portas a serem associadas Implementar a configuração de private-vlan ou funcionalidade similar Implementar IPv Deve ser fornecido com documentação técnica e manuais que contenham informações suficientes para possibilitar a instalação, configuração e operacionalização do equipamento Permitir o encaminhamento de jumbo frames (pacotes de 9016 bytes) Deve ter a capacidade de atualização de software via TFTP (Trivial File Transfer Protocol), em conformidade com a RFC 783, ou via FTP (File Transfer Protocol), ou via SFTP (Secure File Transfer Protocol); 6.21 Deve permitir o download e o upload das configurações, utilizando padrões de SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 43 / 90

44 mercado (ou seja, sem utilização de softwares proprietários); 6.22 Sua tabela de endereços deve ser criada de forma automática, por autoaprendizagem; 6.23 Deve vir acompanhado de manual de instalação, configuração e operação do equipamento na língua portuguesa ou inglesa, com apresentação de boa qualidade, ou apresentar estas informações no Site da Empresa. 7. PROTOCOLOS 7.1 Implementar o protocolo NTP (Network Time Protocol). 7.2 Deve ser capaz de suportar protocolos de camada 3, tais como: rotas estáticas e OSPF. 7.3 Implementar CDP (Cisco Discovery Protocol) e/ou LLDP (Link Layer Discovery Protocol). 7.4 Implementar o padrão IEEE 802.1d (Spanning Tree Protocol) por VLAN. 7.5 Implementar o padrão IEEE 802.1q (Vlan Frame Tagging). 7.6 Implementar o padrão IEEE 802.1p (Class of Service) para cada porta. 7.7 Implementar o padrão IEEE 802.1s (Multi-Instance Spanning-Tree), com suporte a, no mínimo, 16 instâncias simultâneas do protocolo Spanning-Tree. 7.8 Implementar o padrão IEEE 802.1w (Rapid spanning Tree Protocol). 7.9 Implementar controle de acesso por porta, usando o padrão IEEE 802.1x (Port Based Network Access Control) Implementar o padrão 802.3ae Implementar o padrão IEEE 802.3ad Implementar o protocolo de negociação Link Aggregation Control Protocol (LACP) Implementar o padrão 802.3x (Flow Control) Implementar Fibre Channel over Ethernet (FCoE) 7.15 Implementar o padrão IEEE 802.1Qaz (DCB) Implementar o padrão IEEE 802.1Qbb (Priority-based Flow Control) Implementar o padrão IEEE 802.1ab (Link Layer Discovery Protocol). SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 44 / 90

45 8. DESEMPENHO 8.1 Possuir capacidade para, no mínimo, endereços MAC na tabela de comutação. 8.2 Implementar, no mínimo, 500 vlans simultaneamente no padrão IEEE 802.1q. 8.3 Possuir capacidade de encaminhamento em hardware de, no mínimo, 960 Gbps full duplex, utilizando pacote médio de 64 bytes. 8.4 Deve ser capaz de comutar em hardware, no mínimo, 714,24 Mpps. 9. SEGURANÇA 9.1 Implementar mecanismo de autenticação para acesso local ou remoto ao equipamento baseada em um Servidor de Autenticação/Autorização do tipo TACACS/TACACS+ e RADIUS. 9.2 Implementar filtragem de pacotes (ACL - Access Control List). 9.3 Implementar Listas de Controle de Acesso (ACLs) baseada em critérios Layer 3 e Layer 4 em todas as interfaces e VLANs, para tráfegos ingress ou egress 9.4 Implementar a criação de listas de controle de acesso (ACLs), ou funcionalidade similar, baseadas em endereços MAC de origem e destino, endereços IP de origem e destino e portas TCP e UDP de origem e destino. 9.5 Proteger a interface de comando do equipamento através de senha. 9.6 Implementar o protocolo SSH V2 para acesso à interface de linha de comando. 9.7 Permitir a criação de listas de acesso baseadas em endereço IP para limitar o acesso ao switch via Telnet e SSH. Deve ser possível definir os endereços IP de origem das sessões Telnet e SSH. 9.8 Possibilitar o estabelecimento do número máximo de MACs que podem estar associados a uma dada porta do switch. Deve ser possível desabilitar a porta e enviar um trap SNMP caso o número de endereços MAC configurados para a porta seja excedido. 9.9 Permitir a associação de um endereço MAC específico a uma dada porta do switch, de modo que somente a estação que tenha tal endereço possa usar a referida porta para conexão Implementar mecanismos de AAA (Authentication, Authorization e Accounting) com garantia de entrega Implementar a criptografia de todos os pacotes enviados ao servidor de controle de acesso e não só os pacotes referentes à senha. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 45 / 90

46 9.12 Permitir controlar quais comandos os usuários ou grupos de usuários podem emitir em determinados elementos de rede Implementar mecanismo de proteção da Root Bridge do algoritmo Spanning-Tree para defesa contra ataques do tipo Denial of Service no ambiente nível Implementar suspensão de recebimento de BPDUs (Bridge Protocol Data Units ) caso a porta do switch esteja colocada no modo Fast Forwarding (conforme previsto no padrão IEEE 802.1w) Implementar a facilidade de secure port, de modo que apenas um número configurável de endereços MAC possa ter acesso à porta do switch, prevenindo que estações não autorizadas acessem a rede. Estes endereços devem ser aprendidos de duas formas: por configuração manual e dinamicamente Deve implementar segurança baseada em, no mínimo, 2 (dois) níveis de acesso para a administração do equipamento. Um dos níveis deve ter restrição total à configuração do equipamento e a comandos que alterem seu funcionamento, e outro, não deve ter qualquer restrição Deve implementar DHCP snooping ou funcionalidade similar que permita o bloqueio de servidores DHCP não autorizados na rede 10. MULTICAST 10.1 Implementar mecanismo de controle de multicast através de IGMPv1 (RFC 1112) e IGMPv2 (RFC 2236) Implementar roteamento multicast PIM (Protocol Independent Multicast) nos modos sparse-mode (RFC 2362). 11. QUALIDADE DE SERVIÇO (QoS) 11.1 Implementar a facilidade de priorização de tráfego através do protocolo IEEE 802.1p Implementar suporte a uma fila com prioridade estrita (prioridade absoluta em relação às demais classes dentro do limite de banda que lhe foi atribuído) para tratamento do tráfego real-time (voz e vídeo) Implementar classificação, Marcação e Remarcação baseadas em CoS ("Class of Service" - nivel 2) e DSCP ("Differentiated Services Code Poin\"- nivel 3), conforme definições do IETF (Internet Engineering Task Force) Implementar funcionalidades de QoS de Traffic Policing Implementar especificação de banda por classe de serviço. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 46 / 90

47 11.6 Implementar mapeamento de prioridades nível 2, definidas pelo padrão IEEE 802.1p, em prioridades nível 3 (IETF DSCP Differentiated Services Code Point definido pela Internet Engineering Task Force) e vice-versa Implementar diferenciação de QoS por VLAN Implementar mecanismos de QoS WRR (Weighted Round Robin) Implementar pelo menos 4 filas de prioridade por porta de saída (egress port) Implementar classificação de QoS baseado em lista de controles de acesso com parametros de camada 2, 3 e CARACTERÍSTICAS PARA AS PORTAS FIBRE CHANNEL 12.1 Implementar protocolo Fibre Channel Possuir capacidade de utilização mais eficiente da infra-estrutura ao permitir a criação de ambientes independentes dentro de um mesmo switch. Cada ambiente SAN Virtual possui as funcionalidades de zoneamento como uma SAN tradicional, bem como mantém os serviços nativos ao fabric (principal switch, fabric controller, login server, name server, FSPF e zone server) totalmente isolados por SAN Virtual, aumentando assim a escalabilidade e a redundância do ambiente como um todo Ser capaz de pertencer a, no mínimo, 4 (quatro) virtual SANs (VSANs) Implementar os seguintes padrões: FC-BB-5, FC-MI, FC-MI2, FC-SP, FC-FS e FC- FS Implementar capacidade de garantir a recepção em ordem dos pacotes enviados ( Inorder delivery ) Implementar NPIV (N-Port Id Virtualization) e NPV (N-Port Virtualization) ou funcionalidade similar Implementar capacidade de verificar o caminho de encaminhamento de um pacote na rede SAN (FC traceroute) Implementar capacidade de verificar o tempo de resposta de um dispositivo na rede SAN, quer por pwwn ou por FCIP (FC Ping) Implementar capacidade de debug online no switch Implementar os seguintes tipos de porta FibreChannel: E, F, FL Implementar os seguintes tipos de porta FibreChannel enhanced: SD ( Span Destination ) e TE ( Trunk E ). SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 47 / 90

48 13. GARANTIA 13.1 O tempo médio entre falhas (MTBF) deve ser superior a (noventa mil) horas Garantia da atualização do sistema operacional/firmware, provendo o fornecimento de novas versões por necessidade de correção de problemas ou por implementação de novos releases durante todo o período de garantia. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 48 / 90

49 Título: ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES TIPO V AGREGAÇÃO I Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER Data: 03/04/ DIMENSIONAMENTO DE PORTAS 1.1. Deve realizar a interconexão de servidores à Rede Local e Rede SAN (Storage Área Network) simultaneamente, utilizando uma única conexão FCoE Deve ter a capacidade de suportar, no mínimo, 48 portas que devem operar como: 1/10 Gigabit Ethernet non-blocking e FcoE. As interfaces não deverão possuir oversubscription Considerando as 48 portas mencionadas no item 1.2, o equipamento deve possuir, no mínimo, 8 portas que suportem 10 Gigabit Ethernet non-blocking e FcoE e Fibre Channel, com suporte a 2, 4 e 8 Gigabits por segundo, para interconexão com Switch SAN (Storage Área Network) ou, no mínimo, 8 portas Fibre Channel adicionais. As interfaces não deverão possuir oversubscription Devem ser fornecidos 48 SFPs ópticos no padrão 10GBASE-SR, com conector LC/PC Dual ou transceiver do fabricante e fibra multímodo com velocidade de 10 Gigabit Devem ser fornecidos 4 SFPs para Fiber Channel de 8 Gbps, com fibra multimodo full duplex, permitindo compatibilidade com 2 e 4 Gbps Possuir porta de console para ligação, direta e através de modem, de terminal RS-232 para acesso à interface de linha de comando. Poderá ser fornecida porta de console com interface USB Deve ser fornecido cabo de console compatível com a porta de console do equipamento Implementar a configuração dinâmica de portas por software, permitindo a definição de portas ativas/inativas Implementar VLANs compatíveis com o padrão IEEE 802.1q Implementar mecanismo de seleção de quais vlans serão permitidas através de trunk 802.1q. Deve ser permitida a configuração dessa seleção de forma dinâmica Implementar associação das portas Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad Implementar associação das portas 10 Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 49 / 90

50 interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad. 2. ALTA DISPONIBILIDADE 2.1. Possuir configuração de CPU e memória (RAM e Flash) suficiente para a implementação de todas as funcionalidades descritas nesta especificação Suportar simultaneamente em sua memória Flash (ou semelhante), duas imagens do sistema operacional entregues com a solução; 2.3. Possuir sistema de ventilação redundante e hot swappable Possuir sistema operacional modular; 2.5. Deve permitir a aplicação de patches no sistema operacional; 3. FONTE DE ALIMENTAÇÃO 3.1. Possuir fonte de alimentação redundante AC bivolt interna, com seleção automática de tensão (na faixa de 100 a 240V) e freqüência (de 50/60 Hz). As fontes devem possuir alimentação independente, a fim de permitir a sua conexão a circuitos elétricos distintos Possuir cabo de alimentação para a fonte com, no mínimo, 1,80m (um metro e oitenta centímetros) de comprimento Uma fonte deve ser capaz de sustentar a carga de todo o equipamento com todas as portas ativas. 4. INFRA ESTRUTURA 4.1. Permitir ser montado em rack padrão de 19 (dezenove) polegadas, incluindo todos os acessórios necessários Possuir no máximo 3RU O equipamento deve ser fornecido com 16 cabos de até 150 metros, conectores, adaptadores e/ou conversores que se façam necessários para a interligação aos equipamentos da Dataprev em portas 10GBASE-SR ou Fibre Channel de 2, 4 ou 8 Gigabits por segundo. a) O cabo deve possuir diâmetro 50μ/125μ, no padrão OM-3 e até 150 metros com conectores LC em ambas as extremidades, sendo que a metragem adequada dos cabos será especificada no momento da solicitação, ou seja, a contratada deve confirmar com a contratante a metragem dos cabos a serem entregues. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 50 / 90

51 4.4. Deve vir acompanhado de todos os acessórios indispensáveis para a sua perfeita instalação e funcionamento Deve operar entre as temperaturas de 10 C e 40ºC Deve ser destinado ao uso normal em ambiente tropical com umidade relativa na faixa de 20 a 80% (sem condensação) e suportar temperatura ambiente de armazenamento entre 0 C e 50 C Deve ser fornecido guia de cabos (organizador de cabos frontal) de 1RU, para gabinete padrão 19, com tampa frontal removível e construída em chapa de aço resistente. Este guia deve ser fornecido para cada equipamento cotado, sem logomarcas da empresa fornecedora Deve possuir ventiladores redundantes e hot-swappables com ventilação front to back O fluxo de ar do equipamento não pode ser lateral O equipamento deve ser entregue com a saída de ar e as interfaces no mesmo lado, voltado para parte traseira do rack conforme ilustração abaixo. 5. GERENCIAMENTO 5.1. Implementar os padrões abertos de gerência de rede SNMPv1, SNMPv2c e SNMPv3, incluindo a geração de traps Implementar a RFC Implementar pelo menos os seguintes níveis de segurança para SNMP versão 3: a) Sem autenticação e sem privacidade (noauthnopriv); SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 51 / 90

52 b) Com autenticação e sem privacidade (authnopriv); c) Com autenticação e com privacidade (authpriv) utilizando algoritimo de criptografia DES Implementar SNMP sobre IPv Implementar a MIB II, conforme RFC Implementar a MIB privativa que forneça informações relativas ao funcionamento do equipamento Possuir descrição completa da MIB implementada no equipamento, inclusive a extensão privativa Possibilitar a obtenção da configuração do equipamento através do protocolo SNMP Possuir armazenamento interno das mensagens de log geradas pelo equipamento de no mínimo 1024 bytes ou (cinco mil) linhas Possibilitar a obtenção via SNMP de informações de capacidade e desempenho da CPU, memória e portas Deve implementar nativamente 2 grupos de RMON: alarms e events, em conformidade com o padrão RFC 1757, sem a utilização de probes externas Possibilidade de criação de versões de configuração e suporte a rollback da configuração para versões anteriores Possuir 1 porta 10/100BaseT, com conector RJ-45, para gerência do equipamento. Esta porta será conectada na rede de gerência e o Switch deve permitir a configuração de endereço IP próprio para gerenciamento. 6. FACILIDADES 6.1. Possuir LEDs para a indicação do status das portas e atividade Deve permitir a configuração em cada porta de um texto possibilitando ao administrador a inclusão de informações que identifiquem o que está conectado na respectiva porta Implementar Telnet para acesso à interface de linha de comando Permitir a atualização remota do sistema operacional e arquivos de configuração utilizados no equipamento via interface ethernet Ser configurável e gerenciável via GUI (graphical user interface), CLI (command line interface), SNMP, Telnet, SSH, HTTP e HTTPS com, no mínimo, 5 sessões simultâneas e independentes. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 52 / 90

53 6.6. Deve permitir gerenciamento e configuração através de interface gráfica (Web Browser), desde que todos os softwares externos ao equipamento sejam fornecidos 6.7. O sistema operacional/firmware fornecido deve, dentro das características solicitadas, ser a versão mais atualizada no momento da aquisição; 6.8. Implementar protocolo SSH para gerenciamento remoto, implementando pelo menos o algoritmo de encriptação de dados 3DES Permitir que a sua configuração seja feita através de terminal assíncrono Permitir a gravação de log externo (syslog) Em conjunto com um outro equipamento de mesmo modelo, deve permitir que um switch conectado aos dois, tenha a possibilidade de agregação de links com os mesmos, de forma a simular a existência de apenas um único link lógico entre este equipamento e os dois switches do modelo aqui especificado (Multi Chassis Link Agregation ou Multi Chassis Etherchannel, por exemplo). O único link lógico entre as camadas deve eliminar convergência do Spanning Tree, possibilitando o tráfego simultâneo por mais de uma conexão Permitir o armazenamento de sua configuração em memória não volátil, podendo, numa queda e posterior restabelecimento da alimentação, voltar à operação normalmente na mesma configuração anterior à queda de alimentação Possuir ferramentas para depuração e gerenciamento em primeiro nível, tais como debug, traceroute, ping e log de eventos Permitir o espelhamento do tráfego total de uma porta, de um grupo de portas e de VLANs para outra porta localizada no mesmo switch Permitir a adição manual de endereços MAC estático (inclusive de multicast) na tabela de comutação, sem restrição à quantidade de portas a serem associadas Implementar a configuração de private-vlan ou funcionalidade similar Implementar IPv Deve ser fornecido com documentação técnica e manuais que contenham informações suficientes para possibilitar a instalação, configuração e operacionalização do equipamento Permitir o encaminhamento de jumbo frames (pacotes de 9016 bytes) Deve ter a capacidade de atualização de software via TFTP (Trivial File Transfer Protocol), em conformidade com a RFC 783, ou via FTP (File Transfer Protocol), ou via SFTP (Secure File Transfer Protocol); Deve permitir o download e o upload das configurações, utilizando padrões de mercado (ou seja, sem utilização de softwares proprietários); SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 53 / 90

54 6.22. Sua tabela de endereços deve ser criada de forma automática, por autoaprendizagem; Deve vir acompanhado de manual de instalação, configuração e operação do equipamento na língua portuguesa ou inglesa, com apresentação de boa qualidade, ou apresentar estas informações no Site da Empresa. 7. PROTOCOLOS 7.1. Implementar o protocolo NTP (Network Time Protocol) Deve ser capaz de suportar protocolos de camada 3, tais como: rotas estáticas e OSPF 7.3. Implementar CDP (Cisco Discovery Protocol) e/ou LLDP (Link Layer Discovery Protocol) Implementar o padrão IEEE 802.1d (Spanning Tree Protocol) por VLAN Implementar o padrão IEEE 802.1q (Vlan Frame Tagging) Implementar o padrão IEEE 802.1p (Class of Service) para cada porta Implementar o padrão IEEE 802.1s (Multi-Instance Spanning-Tree), com suporte a, no mínimo, 16 instâncias simultâneas do protocolo Spanning-Tree Implementar o padrão IEEE 802.1w (Rapid spanning Tree Protocol) Implementar controle de acesso por porta, usando o padrão IEEE 802.1x (Port Based Network Access Control) Implementar o padrão 802.3ae Implementar o padrão IEEE 802.3ad Implementar o protocolo de negociação Link Aggregation Control Protocol (LACP) Implementar o padrão 802.3x (Flow Control) Implementar Fibre Channel over Ethernet (FCoE) Implementar o padrão IEEE 802.1Qaz (DCB) Implementar o padrão IEEE 802.1Qbb (Priority-based Flow Control) Implementar o padrão IEEE 802.1ab (Link Layer Discovery Protocol). SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 54 / 90

55 8. DESEMPENHO 8.1 Possuir capacidade para, no mínimo, endereços MAC na tabela de comutação. 8.2 Implementar, no mínimo, 500 vlans simultaneamente no padrão IEEE 802.1q. 8.3 Possuir capacidade de encaminhamento em hardware de, no mínimo, 960 Gbps full duplex, utilizando pacote médio de 64 bytes. 8.4 Deve ser capaz de comutar em hardware, no mínimo, 714,24 Mpps. 9. SEGURANÇA 9.1. Implementar mecanismo de autenticação para acesso local ou remoto ao equipamento baseada em um Servidor de Autenticação/Autorização do tipo TACACS/TACACS+ e RADIUS Implementar filtragem de pacotes (ACL - Access Control List) Implementar Listas de Controle de Acesso (ACLs) baseada em critérios Layer 3 e Layer 4 em todas as interfaces e VLANs, para tráfegos ingress ou egress 9.4. Implementar a criação de listas de controle de acesso (ACLs), ou funcionalidade similar, baseadas em endereços MAC de origem e destino, endereços IP de origem e destino e portas TCP e UDP de origem e destino Proteger a interface de comando do equipamento através de senha Implementar o protocolo SSH V2 para acesso à interface de linha de comando Permitir a criação de listas de acesso baseadas em endereço IP para limitar o acesso ao switch via Telnet e SSH. Deve ser possível definir os endereços IP de origem das sessões Telnet e SSH Possibilitar o estabelecimento do número máximo de MACs que podem estar associados a uma dada porta do switch. Deve ser possível desabilitar a porta e enviar um trap SNMP caso o número de endereços MAC configurados para a porta seja excedido Permitir a associação de um endereço MAC específico a uma dada porta do switch, de modo que somente a estação que tenha tal endereço possa usar a referida porta para conexão Implementar mecanismos de AAA (Authentication, Authorization e Accounting) com garantia de entrega Implementar a criptografia de todos os pacotes enviados ao servidor de controle de acesso e não só os pacotes referentes à senha. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 55 / 90

56 9.12. Permitir controlar quais comandos os usuários ou grupos de usuários podem emitir em determinados elementos de rede Implementar mecanismo de proteção da Root Bridge do algoritmo Spanning-Tree para defesa contra ataques do tipo Denial of Service no ambiente nível Implementar suspensão de recebimento de BPDUs (Bridge Protocol Data Units ) caso a porta do switch esteja colocada no modo Fast Forwarding (conforme previsto no padrão IEEE 802.1w) Implementar a facilidade de secure port, de modo que apenas um número configurável de endereços MAC possa ter acesso à porta do switch, prevenindo que estações não autorizadas acessem a rede. Estes endereços devem ser aprendidos de duas formas: por configuração manual e dinamicamente Deve implementar segurança baseada em, no mínimo, 2 (dois) níveis de acesso para a administração do equipamento. Um dos níveis deve ter restrição total à configuração do equipamento e a comandos que alterem seu funcionamento, e outro, não deve ter qualquer restrição Deve implementar DHCP snooping ou funcionalidade similar que permita o bloqueio de servidores DHCP não autorizados na rede 10. MULTICAST Implementar mecanismo de controle de multicast através de IGMPv1 (RFC 1112) e IGMPv2 (RFC 2236) Deve ser capaz de suportar roteamento multicast PIM (Protocol Independent Multicast) nos modos sparse-mode (RFC 2362). 11. QUALIDADE DE SERVIÇO (QoS) Implementar a facilidade de priorização de tráfego através do protocolo IEEE 802.1p Implementar uma fila com prioridade estrita (prioridade absoluta em relação às demais classes dentro do limite de banda que lhe foi atribuído) para tratamento do tráfego real-time (voz e vídeo) Implementar classificação, Marcação e Remarcação baseadas em CoS ("Class of Service" - nivel 2) e DSCP ("Differentiated Services Code Poin\"- nivel 3), conforme definições do IETF (Internet Engineering Task Force) Implementar funcionalidades de QoS de Traffic Policing Implementar especificação de banda por classe de serviço Implementar mapeamento de prioridades nível 2, definidas pelo padrão IEEE 802.1p, SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 56 / 90

57 em prioridades nível 3 (IETF DSCP Differentiated Services Code Point definido pela Internet Engineering Task Force) e vice-versa Implementar diferenciação de QoS por VLAN Implementar mecanismos de QoS WRR (Weighted Round Robin) Implementar pelo menos 4 filas de prioridade por porta de saída (egress port) Implementar classificação de QoS baseado em lista de controles de acesso com parametros de camada 2, 3 e CARACTERÍSTICAS PARA AS PORTAS FIBRE CHANNEL Implementar protocolo Fibre Channel Possuir capacidade de utilização mais eficiente da infra-estrutura ao permitir a criação de ambientes independentes dentro de um mesmo switch. Cada ambiente SAN Virtual possui as funcionalidades de zoneamento como uma SAN tradicional, bem como mantém os serviços nativos ao fabric (principal switch, fabric controller, login server, name server, FSPF e zone server) totalmente isolados por SAN Virtual, aumentando assim a escalabilidade e a redundância do ambiente como um todo Ser capaz de pertencer a, no mínimo, 4 (quatro) virtual SANs (VSANs) Implementar os seguintes padrões: FC-BB-5, FC-MI, FC-MI2, FC-SP, FC-FS e FC- FS Implementar capacidade de garantir a recepção em ordem dos pacotes enviados ( Inorder delivery ) Implementar NPIV (N-Port Id Virtualization) e NPV (N-Port Virtualization) ou funcionalidade similar Implementar capacidade de verificar o caminho de encaminhamento de um pacote na rede SAN (FC traceroute) Implementar capacidade de verificar o tempo de resposta de um dispositivo na rede SAN, quer por pwwn ou por FCIP (FC Ping) Implementar capacidade de debug online no switch Implementar os seguintes tipos de porta FibreChannel: E, F, FL Implementar os seguintes tipos de porta FibreChannel enhanced: SD ( Span Destination ) e TE ( Trunk E ). SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 57 / 90

58 13. GARANTIA O tempo médio entre falhas (MTBF) deve ser superior a (noventa mil) horas Garantia da atualização do sistema operacional/firmware, provendo o fornecimento de novas versões por necessidade de correção de problemas ou por implementação de novos releases durante todo o período de garantia. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 58 / 90

59 Título: ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES TIPO VI CONCENTRAÇÃO I Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER Data: 03/04/ DIMENSIONAMENTO DE PORTAS 1.1. O equipamento deve ser modular, com capacidade de inserção de módulos de interface Possuir, no mínimo, capacidade para 224 portas de 10 GigabitEthernet com oversubscription de, no máximo, 4: Possuir, no mínimo, capacidade para 336 portas Ethernet 10/100/1000 com autosensing de velocidade e com conectores RJ Deve ser fornecido com, no mínimo, 60 portas 10Gb Ethernet, full-duplex, para fibras óticas multimodo e seus respectivos transceivers, distribuídas igualmente em pelo menos 2 módulos para redundância da caixa. A quantidade de módulos para atendimento de 60 portas não pode ultrapassar 50% da capacidade total de módulos da caixa Devem ser fornecidos 60 SFPs ópticos no padrão 10GBASE-SR, com conector LC/PC Dual ou transceiver do fabricante que atinja até 150 metros e fibra multímodo com velocidade de 10 Gigabit Permitir a agregação de portas que residam em módulos diferentes do switch Possuir porta de console para ligação, direta e através de modem, de terminal RS-232 para acesso à interface de linha de comando. Poderá ser fornecida porta de console com interface USB Deve ser fornecido cabo de console compatível com a porta de console do equipamento Possibilitar a configuração dinâmica de portas por software, permitindo a definição de portas ativas/inativas Implementar VLANs compatíveis com o padrão IEEE 802.1q Implementar mecanismo de seleção de quais vlans serão permitidas através de trunk 802.1q. Deve ser permitida a configuração dessa seleção de forma dinâmica Implementar associação das portas Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 59 / 90

60 1.13. Implementar associação das portas 10 Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad Possibilitar a configuração dinâmica de portas por software, permitindo a definição de portas ativas/inativas Implementar VLANs por porta. 2. ALTA DISPONIBILIDADE 2.1. Possuir módulos de supervisão redundantes, sendo cada módulo capaz de suportar sozinho o controle da operação de todos os módulos de interface do switch em capacidade máxima Possuir configuração de CPU e memória (RAM e Flash) suficiente para a implementação de todas as funcionalidades descritas nesta especificação Possuir separação do plano de controle do plano de dados através de módulos controle/supervisão e módulos switching fabric independentes e redundantes A quantidade de módulos de switching fabric fornecidos deve ser capaz de suportar a capacidade máxima de comutação do chassis Suportar simultaneamente em sua memória Flash (ou semelhante), duas imagens do sistema operacional entregues com a solução Possuir módulos de ventilação redundantes e hot swappable Possuir sistema operacional modular Deve permitir a aplicação de patches no sistema operacional Permitir a atualização de software sem perda de pacotes (ISSU In Services Software Upgrades). 3. FONTE DE ALIMENTAÇÃO 3.1. Possuir no mínimo 2 (duas) fontes de alimentação internas redundante AC bivolt, com seleção automática de tensão (na faixa de 100 a 240V) e freqüência (de 50/60 Hz). As fontes devem possuir alimentação independente, a fim de permitir a sua conexão a circuitos elétricos distintos Possuir cabo de alimentação para a fonte com, no mínimo, 1,80m (um metro e oitenta centímetros) de comprimento O equipamento deve ser fornecido com o número de fontes necessárias para SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 60 / 90

61 sustentar a carga de todo o equipamento com todas as portas ativas e uma fonte adicional, ou seja, na configuração tipo N INFRA ESTRUTURA 4.1. Permitir ser montado em rack padrão de 19 (dezenove) polegadas, incluindo todos os acessórios necessários O equipamento deve ser fornecido com 60 cabos de até 150 metros, conectores, adaptadores e/ou conversores que se façam necessários para a interligação aos equipamentos da Dataprev em portas 10GBASE-SR, sendo 24 cabos com conectores LC em uma extremidade e SC na outra extremidade e 36 cabos com conectores LC em ambas as extremidades. a) Os 60 cabos devem possuir diâmetro 50μ/125μ, no padrão OM-3 e até 150 metros, sendo que a metragem adequada dos cabos será especificada no momento da solicitação, ou seja, a contratada deve confirmar com a contratante a metragem dos cabos a serem entregues Deve vir acompanhado de todos os acessórios indispensáveis para a sua perfeita instalação e funcionamento Deve operar entre as temperaturas de 10 C e 40ºC Deve ser destinado ao uso normal em ambiente tropical com umidade relativa na faixa de 20 a 80% (sem condensação) e suportar temperatura ambiente de armazenamento entre 0 C e 50 C O fluxo de ar do equipamento não pode ser lateral Cada equipamento deve ser fornecido com rack fechado seguindo o padrão detalhado: Largura útil 19 (padrão EIA 310-D) necessária para acomodação completa do equipamento dentro do rack fechado Altura interna desejável mínima de 42U e máxima de 44U Profundidade externa mínima necessária para acomodação completa do equipamento dentro do rack fechado Capacidade mínima de peso suportável 1000Kg Estrutura básica composta de bases inferior e superior de aço soldadas com flanges laterais para cabos e colunas verticais em chapa de aço eletrozincada de 1.5mm, nas cores grafite ou preto, que atenda a norma DIN41494 e ANSI/TIA/EIA-310-D Deve ser resistente e protegido contra corrosão, para as condições especificadas de uso em ambientes internos (EIA-569). SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 61 / 90

62 Fechamentos laterais em chapa de aço com 1.0mm, com fechos rápidos e aletas de ventilação, nas cores grafite ou preto Teto com exaustão forçada, contendo 2 ventiladores bivolts com grelha de proteção Porta frontal e trazeira em aço de no mínimo 1,1 mm, perfurada no tipo colméia (hexagonal ou circular) e moldura em perfilado de alumínio. Deve possuir ângulo de abertura mínimo de 180º, facilidade para ser removida sem o uso de ferramentas e fechadura escamoteável com chave Deve ser fornecido com o Rack, um kit de painéis cegos na cor preto fosco na quantidade de: a) 2 (dois) de 4U. b) 2 (dois) de 2U. c) 4 (quatro) de 1U Deve possuir guia de cabo vertical instalada no plano traseiro do Rack, para que possam atender a encaminhamentos de todo o Rack Deve vir equipado com 2 calhas com no mínimo 6 tomadas cada (com terminal de terra padrão americano), para alimentação dos equipamentos de rede. As calhas devem estar fixadas por parafusos, nas colunas traseiras do Rack, de forma a não atrapalhar o manuseio dos equipamentos, devendo permitir ser realocada na altura se necessário. Deve possuir disjuntor de 15A, permitindo o completo desligamento Deve ser fornecido com o Rack, um kit de parafusos (com as respectivas porcas "gaiola" M5), de acordo com a quantidade de furos do mesmo Apoio sobre o solo: Estacionário, com pés niveladores removíveis Cada Rack deve possuir 1 (uma) bandeja móvel com trilho e tolerância mínima de 40 Kg O Produto deve estar em linha de produção, ou seja, a proponente deve comprovar a sua produção e comercialização. 5. GERENCIAMENTO 5.1. Implementar os padrões abertos de gerência de rede SNMPv1, SNMPv2c e SNMPv3, incluindo a geração de traps Implementar a RFC Implementar pelo menos os seguintes níveis de segurança para SNMP versão 3: SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 62 / 90

63 a) Sem autenticação e sem privacidade (noauthnopriv). b) Com autenticação e sem privacidade (authnopriv). c) Com autenticação e com privacidade (authpriv) utilizando algoritimo de criptografia DES Implementar SNMP sobre IPv Implementar MIB II, conforme RFC Implementar a MIB privativa que forneça informações relativas ao funcionamento do equipamento Possuir descrição completa da MIB implementada no equipamento, inclusive a extensão privativa Possibilitar a obtenção da configuração do equipamento através do protocolo SNMP Possuir armazenamento interno das mensagens de log geradas pelo equipamento de no mínimo 1024 bytes ou (cinco mil) linhas Possibilitar a obtenção via SNMP de informações de capacidade e desempenho da CPU, memória e portas Deve implementar nativamente 2 grupos básicos de RMON, a saber alarms e events, em conformidade com o padrão RFC 1757, sem a utilização de probes externas Possibilidade de criação de versões de configuração e suporte a rollback da configuração para versões anteriores. 6. FACILIDADES 6.1. Possuir LEDs para a indicação do status das portas e atividade Deve permitir a configuração em cada porta de um texto possibilitando ao administrador a inclusão de informações que identifiquem o que está conectado na respectiva porta Implementar Telnet para acesso à interface de linha de comando Permitir a atualização remota do sistema operacional e arquivos de configuração utilizados no equipamento via interface ethernet Ser configurável e gerenciável via GUI (graphical user interface ), CLI (command line interface), SNMP, Telnet, SSH, HTTP e HTTPS com, no mínimo, 5 sessões simultâneas e independentes Deve permitir gerenciamento e configuração através de interface gráfica (Web SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 63 / 90

64 Browser), desde que todos os softwares externos ao equipamento sejam fornecidos Deve possibilitar a configuração automática, via rede, através dos protocolos BOOTP ou DHCP O sistema operacional/firmware fornecido deve, dentro das características solicitadas, ser a versão mais atualizada no momento da aquisição Implementar protocolo SSH para gerenciamento remoto, implementando pelo menos o algoritmo de encriptação de dados 3DES Permitir que a sua configuração seja feita através de terminal assíncrono Permitir a gravação de log externo (syslog) Em conjunto com um outro equipamento de mesmo modelo, deve permitir que um switch conectado aos dois, tenha a possibilidade de agregação de links com os mesmos, de forma a simular a existência de apenas um único link lógico entre este equipamento e os dois switches do modelo aqui especificado (Multi Chassis Link Agregation ou Multi Chassis Etherchannel, por exemplo). O único link lógico entre as camadas deve eliminar convergência do Spanning Tree, possibilitando o tráfego simultâneo por mais de uma conexão Permitir o armazenamento de sua configuração em memória não volátil, podendo, numa queda e posterior restabelecimento da alimentação, voltar à operação normalmente na mesma configuração anterior à queda de alimentação Possuir ferramentas para depuração e gerenciamento em primeiro nível, tais como debug, traceroute, ping e log de eventos Permitir o espelhamento do tráfego total de uma porta, de um grupo de portas e de VLANs para outra porta localizada no mesmo switch Permitir o espelhamento do tráfego total de portas que residem em um dado módulo para uma porta que reside em módulo diferente do switch Devem ser suportadas pelo menos 15 (quinze) sessões de espelhamento, sendo 2 (duas) ativas simultaneamente Permitir a adição manual de endereços MAC estático (inclusive de multicast) na tabela de comutação, sem restrição à quantidade de portas a serem associadas Permitir a virtualização das tabelas de roteamento camada 3 através de VRFs Virtual Routing and Forwarding Deve implementar a virtualização dos recursos de hardware em contextos virtuais ou através da segmentação das tabelas de roteamento do equipamento (VRF - Virtual Routing and Forwarding) Deve permitir o isolamento entre os planos de dados e de controle. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 64 / 90

65 6.22. Permitir a extensão da camada 2, entre diferentes sites, através de tecnologia capaz de encapsular frames Ethernet em pacotes IP e de forma independente da tecnologia de conexão entre sites utilizada Implementar a configuração de private-vlan ou funcionalidade similar Implementar IPv Implementar o protocolo de Tunelamento GRE (General Routing Encapsulation - RFCs 2784) Permitir a associação do túnel GRE a uma tabela virtual de roteamento específica, definida pelo administrador do equipamento Implementar protocolo de coleta de informações de fluxos que circulam pelo equipamento contemplando no mínimo as seguintes informações: a) IP de origem/destino. b) Parâmetro protocol type do cabeçalho IP. c) Porta TCP/UDP de origem/ destino. d) Interface de entrada do tráfego Deve ser possível especificar o uso das funcionalidades do item 6.27 para tráfego de entrada em uma dada interface do equipamento A informação coletada deve ser automaticamente exportável em intervalos prédefinidos através de um protocolo ipfix (Net Flow ou SFlow ou JFlow ou HFlow ) padronizado Deve ser fornecido com documentação técnica e manuais que contenham informações suficientes para possibilitar a instalação, configuração e operacionalização do equipamento Permitir o encaminhamento de jumbo frames (pacotes de 9016 bytes) Deve ter a capacidade de atualização de software via TFTP (Trivial File Transfer Protocol), em conformidade com a RFC 783, ou via FTP (File Transfer Protocol), ou via SFTP (Secure File Transfer Protocol) Deve permitir o download e o upload das configurações, utilizando padrões de mercado (ou seja, sem utilização de softwares proprietários) Sua tabela de endereços deve ser criada de forma automática, por autoaprendizagem; Deve permitir o controle de broadcast Deve vir acompanhado de manual de instalação, configuração e operação do equipamento na língua portuguesa ou inglesa, com apresentação de boa qualidade, ou apresentar estas informações no Site da Empresa. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 65 / 90

66 7. PROTOCOLOS 7.1. Deve implementar o protocolo NTP (Network Time Protocol) Deve implementar o DHCP Relay Deve implementar CDP (Cisco Discovery Protocol) e/ou LLDP (Link Layer Discovery Protocol) Deve implementar o protocolo VRRP ou mecanismo similar de redundância de gateway Deve implementar o padrão IEEE 802.1d (Spanning Tree Protocol) por VLAN Deve implementar o padrão IEEE 802.1q (Vlan Frame Tagging) Deve implementar o padrão IEEE 802.1p (Class of Service) para cada porta Deve implementar o padrão IEEE 802.1s (Multi-Instance Spanning-Tree), com suporte a, no mínimo, 16 instâncias simultâneas do protocolo Spanning-Tree Deve implementar o padrão IEEE 802.1w (Rapid spanning Tree Protocol) Deve implementar controle de acesso por porta, usando o padrão IEEE 802.1x (Port Based Network Access Control) Deve implementar o padrão 802.3ae Deve implementar o padrão IEEE 802.3ad Deve implementar o protocolo de negociação Link Aggregation Control Protocol (LACP) Deve implementar o padrão 802.3x (Flow Control) Deve implementar GVRP (GARP VLAN Registration Protocol) Deve implementar o padrão IEEE 802.1ab (Link Layer Discovery Protocol). 8. DESEMPENHO 8.1. Possuir capacidade para, no mínimo, endereços MAC na tabela de comutação por módulo Implementar, no mínimo, vlans simultaneamente no padrão IEEE 802.1q Possuir capacidade de encaminhamento em hardware de, no mínimo, 6,72 Tbps full SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 66 / 90

67 duplex, utilizando pacote médio de 64 bytes Deve ser capaz de comutar em hardware, no mínimo, 5 Bpps (5 bilhões de pacotes por segundo) em sua configuração máxima. 9. ROTEAMENTO 9.1. Implementar roteamento estático Implementar roteamento dinâmico RIPv2 (RFC 2453) Implementar protocolo de roteamento dinâmico OSPF (RFC 2328, 3101, 3137, 3623 e 2370) Implementar protocolo de roteamento BGPv4 (RFC 4271, 3065, 4456, 1997 e 2385) Permitir o roteamento nível 3 entre VLANs Implementar o protocolo VRRP (RFC 2338) ou mecanismo similar de redundância de gateway Implementar, no mínimo, 1000 grupos VRRP ou de mecanismo similar de redundância de gateway simultaneamente Implementar roteamento baseado em uma condição de origem inclusive dentro das VRFs. 10. SEGURANÇA Implementar mecanismo de autenticação para acesso local ou remoto ao equipamento baseada em um Servidor de Autenticação/Autorização do tipo TACACS/TACACS+ e RADIUS Implementar filtragem de pacotes (ACL - Access Control List) Implementar Listas de Controle de Acesso (ACLs) baseada em critérios Layer 3 e Layer 4 em todas as interfaces e VLANs, para tráfegos ingress ou egress Deve permitir a criação de listas de controle de acesso (ACLs), ou funcionalidade similar, baseadas em endereços MAC de origem e destino, endereços IP de origem e destino e portas TCP e UDP de origem e destino Proteger a interface de comando do equipamento através de senha Implementar o protocolo SSH V2 para acesso à interface de linha de comando Permitir a criação de listas de acesso baseadas em endereço IP para limitar o acesso SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 67 / 90

68 ao switch via Telnet e SSH. Deve ser possível definir os endereços IP de origem das sessões Telnet e SSH Possibilitar o estabelecimento do número máximo de MACs que podem estar associados a uma dada porta do switch. Deve ser possível desabilitar a porta e enviar um trap SNMP caso o número de endereços MAC configurados para a porta seja excedido Permitir a associação de um endereço MAC específico a uma dada porta do switch, de modo que somente a estação que tenha tal endereço possa usar a referida porta para conexão Permitir o controle do volume de tráfego unicast, multicast e broadcast, atribuindo porcentagens permitidas para cada um dos tráfegos Implementar mecanismos de AAA (Authentication, Authorization e Accounting) com garantia de entrega Implementar a criptografia de todos os pacotes enviados ao servidor de controle de acesso e não só os pacotes referentes à senha Permitir controlar quais comandos os usuários ou grupos de usuários podem emitir em determinados elementos de rede Implementar suporte a mecanismo de proteção da Root Bridge do algoritmo Spanning- Tree para defesa contra ataques do tipo Denial of Service no ambiente nível Implementar suporte à suspensão de recebimento de BPDUs (Bridge Protocol Data Units ) caso a porta do switch esteja colocada no modo Fast Forwarding (conforme previsto no padrão IEEE 802.1w) Deve implementar a facilidade de secure port, de modo que apenas um número configurável de endereços MAC possa ter acesso à porta do switch, prevenindo que estações não autorizadas acessem a rede. Estes endereços devem ser aprendidos de duas formas: por configuração manual e dinamicamente Deve implementar segurança baseada em, no mínimo, 2 (dois) níveis de acesso para a administração do equipamento. Um dos níveis deve ter restrição total à configuração do equipamento e a comandos que alterem seu funcionamento, e outro, não deve ter qualquer restrição Deve implementar DHCP snooping ou funcionalidade similar que permita o bloqueio de SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 68 / 90

69 servidores DHCP não autorizados na rede. 11. MULTICAST Implementar mecanismo de controle de multicast através de IGMPv1 (RFC 1112), IGMPv2 (RFC 2236) e IGMPv3 (RFC 3376) Implementar em todas as interfaces do switch o protocolo IGMP Snooping (v1, v2 e v3), não permitindo que o tráfego multicast seja tratado como broadcast no switch Implementar roteamento multicast PIM (Protocol Independent Multicast) nos modos sparse-mode (RFC 2362). 12. QUALIDADE DE SERVIÇO (QoS) Possuir a facilidade de priorização de tráfego através do protocolo IEEE 802.1p Implementar uma fila com prioridade estrita (prioridade absoluta em relação às demais classes dentro do limite de banda que lhe foi atribuído) para tratamento do tráfego real-time (voz e vídeo) Implementar classificação e Reclassificação baseadas em endereço IP de origem/destino, portas TCP e UDP de origem e destino e endereços MAC Implementar classificação, Marcação e Remarcação baseadas em CoS ("Class of Service" - nivel 2) e DSCP ("Differentiated Services Code Poin\"- nivel 3), conforme definições do IETF (Internet Engineering Task Force) Implementar funcionalidades de QoS de Traffic Policing Implementar especificação de banda por classe de serviço Implementar controle de banda incluindo limitação de banda máxima em todas as interfaces e VLANs simultaneamente, com incrementos múltiplos - granularidade mínima - de 64 kbits Para os pacotes que excederem a especificação, deve implementar ações tais como: transmissão do pacote sem modificação, transmissão com remarcação do valor de DSCP, descarte do pacote Implementar mapeamento de prioridades nível 2, definidas pelo padrão IEEE 802.1p, em prioridades nível 3 (IETF DSCP Differentiated Services Code Point definido pela Internet Engineering Task Force) e vice-versa Implementar diferenciação de QoS por VLAN. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 69 / 90

70 Implementar aos mecanismos de QoS WRR (Weighted Round Robin) e WRED (Weighted Random Early Detection) Implementar pelo menos quatro filas de prioridade por porta de saída (egress port). 13. GARANTIA Garantia da atualização do sistema operacional/firmware, provendo o fornecimento de novas versões por necessidade de correção de problemas ou por implementação de novos releases durante todo o período de garantia. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 70 / 90

71 Título: ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS SWITCHES TIPO VII CONCENTRAÇÃO II Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER Data: 03/04/ DIMENSIONAMENTO DE PORTAS 1.1. O equipamento deve ser modular, com capacidade de inserção de módulos de interface Possuir, no mínimo, capacidade para 224 portas de 10 GigabitEthernet com oversubscription de, no máximo, 4: Possuir, no mínimo, capacidade para 336 portas Ethernet 10/100/1000 com autosensing de velocidade e com conectores RJ Deve ser fornecido com, no mínimo, 24 portas 10Gb Ethernet, full-duplex, para fibras óticas multimodo e seus respectivos transceivers, distribuídas igualmente em pelo menos 2 módulos para redundância da caixa. A quantidade de módulos para atendimento de 24 portas não pode ultrapassar 50% da capacidade total de módulos da caixa Devem ser fornecidos 24 SFP+ ópticos no padrão 10GBASE-SR, com conector LC/PC Dual ou transceiver do fabricante que atinja até 150 metros e fibra multímodo com velocidade de 10 Gigabit Permitir a agregação de portas que residam em módulos diferentes do switch Possuir porta de console para ligação, direta e através de modem, de terminal RS-232 para acesso à interface de linha de comando. Poderá ser fornecida porta de console com interface USB Deve ser fornecido cabo de console compatível com a porta de console do equipamento Possibilitar a configuração dinâmica de portas por software, permitindo a definição de portas ativas/inativas Implementar VLANs compatíveis com o padrão IEEE 802.1q Implementar mecanismo de seleção de quais vlans serão permitidas através de trunk 802.1q. Deve ser permitida a configuração dessa seleção de forma dinâmica Implementar associação das portas Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 71 / 90

72 1.13. Implementar associação das portas 10 Gigabit Ethernet, em grupo de até 8 portas inclusive, formando uma única interface lógica com as mesmas facilidades das interfaces originais, compatível com a norma IEEE 802.3ad Implementar VLANs por porta. 2. ALTA DISPONIBILIDADE 2.1. Possuir módulos de supervisão redundantes, sendo cada módulo capaz de suportar sozinho o controle da operação de todos os módulos de interface do switch em capacidade máxima Possuir configuração de CPU e memória (RAM e Flash) suficiente para a implementação de todas as funcionalidades descritas nesta especificação Possuir separação do plano de controle do plano de dados através de módulos controle/supervisão e módulos switching fabric independentes e redundantes A quantidade de módulos de switching fabric fornecidos deve ser capaz de suportar a capacidade máxima de comutação do chassis Suportar simultaneamente em sua memória Flash (ou semelhante), duas imagens do sistema operacional entregues com a solução Possuir módulos de ventilação redundantes e hot swappable Possuir sistema operacional modular Deve permitir a aplicação de patches no sistema operacional Permitir a atualização de software sem perda de pacotes (ISSU In Services Software Upgrades). 3. FONTE DE ALIMENTAÇÃO 3.1. Possuir no mínimo 2 (duas) fontes de alimentação internas redundante AC bivolt, com seleção automática de tensão (na faixa de 100 a 240V) e freqüência (de 50/60 Hz). As fontes devem possuir alimentação independente, a fim de permitir a sua conexão a circuitos elétricos distintos Possuir cabo de alimentação para a fonte com, no mínimo, 1,80m (um metro e oitenta centímetros) de comprimento O equipamento deve ser fornecido com o número de fontes necessárias para sustentar a carga de todo o equipamento com todas as portas ativas e uma fonte adicional, ou seja, na configuração tipo N+1. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 72 / 90

73 4. INFRA ESTRUTURA 4.1. Permitir ser montado em rack padrão de 19 (dezenove) polegadas, incluindo todos os acessórios necessários O equipamento deve ser fornecido com 24 cabos de até 150 metros, conectores, adaptadores e/ou conversores que se façam necessários para a interligação aos equipamentos da Dataprev em portas 10GBASE-SR, sendo 8 cabos com conectores LC em uma extremidade e SC na outra extremidade e 16 cabos com conectores LC em ambas as extremidades. a) Os 24 cabos devem possuir diâmetro 50μ/125μ, no padrão OM-3 e até 150 metros, sendo que a metragem adequada dos cabos será especificada no momento da solicitação, ou seja, a contratada deve confirmar com a contratante a metragem dos cabos a serem entregues Deve vir acompanhado de todos os acessórios indispensáveis para a sua perfeita instalação e funcionamento Deve operar entre as temperaturas de 10 C e 40ºC Deve ser destinado ao uso normal em ambiente tropical com umidade relativa na faixa de 20 a 80% (sem condensação) e suportar temperatura ambiente de armazenamento entre 0 C e 50 C O fluxo de ar do equipamento não pode ser lateral Cada equipamento deve ser fornecido com rack fechado seguindo o padrão detalhado: Largura útil 19 (padrão EIA 310-D) necessária para acomodação completa do equipamento dentro do rack fechado Altura interna desejável mínima de 42U e máxima de 44U Profundidade externa mínima necessária para acomodação completa do equipamento dentro do rack fechado Capacidade mínima de peso suportável 1000Kg Estrutura básica composta de bases inferior e superior de aço soldadas com flanges laterais para cabos e colunas verticais em chapa de aço eletrozincada de 1.5mm, nas cores grafite ou preto, que atenda a norma DIN41494 e ANSI/TIA/EIA-310-D Deve ser resistente e protegido contra corrosão, para as condições especificadas de uso em ambientes internos (EIA-569) Fechamentos laterais em chapa de aço com 1.0mm, com fechos rápidos e aletas de ventilação, nas cores grafite ou preto. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 73 / 90

74 Teto com exaustão forçada, contendo 2 ventiladores bivolts com grelha de proteção Porta frontal e trazeira em aço de no mínimo 1,1 mm, perfurada no tipo colméia (hexagonal ou circular) e moldura em perfilado de alumínio. Deve possuir ângulo de abertura mínimo de 180º, facilidade para ser removida sem o uso de ferramentas e fechadura escamoteável com chave Deve ser fornecido com o Rack, um kit de painéis cegos na cor preto fosco passivo na quantidade de: a) 2 (dois) de 4U. b) 2 (dois) de 2U. c) 4 (quatro) de 1U Deve possuir guia de cabo vertical instalada no plano traseiro do Rack, para que possam atender a encaminhamentos de todo o Rack Deve vir equipado com 2 calhas com no mínimo 6 tomadas cada (com terminal de terra padrão americano), para alimentação dos equipamentos de rede. As calhas devem estar fixadas por parafusos, nas colunas traseiras do Rack, de forma a não atrapalhar o manuseio dos equipamentos, devendo permitir ser realocada na altura se necessário. Deve possuir disjuntor de 15A, permitindo o completo desligamento Deve ser fornecido com o Rack, um kit de parafusos (com as respectivas porcas "gaiola" M5), de acordo com a quantidade de furos do mesmo Apoio sobre o solo: Estacionário, com pés niveladores removíveis Cada Rack deve possuir 1 (uma) bandeja móvel com trilho e tolerância mínima de 40 Kg O Produto deve estar em linha de produção, ou seja, a proponente deve comprovar a sua produção e comercialização. 5. GERENCIAMENTO 5.1. Implementar os padrões abertos de gerência de rede SNMPv1, SNMPv2c e SNMPv3, incluindo a geração de traps Implementar a RFC Implementar pelo menos os seguintes níveis de segurança para SNMP versão 3: a) Sem autenticação e sem privacidade (noauthnopriv). SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 74 / 90

75 b) Com autenticação e sem privacidade (authnopriv). c) Com autenticação e com privacidade (authpriv) utilizando algoritimo de criptografia DES Implementar SNMP sobre IPv Implementar MIB II, conforme RFC Implementar a MIB privativa que forneça informações relativas ao funcionamento do equipamento Possuir descrição completa da MIB implementada no equipamento, inclusive a extensão privativa Possibilitar a obtenção da configuração do equipamento através do protocolo SNMP Possuir armazenamento interno das mensagens de log geradas pelo equipamento de no mínimo 1024 bytes ou (cinco mil) linhas Possibilitar a obtenção via SNMP de informações de capacidade e desempenho da CPU, memória e portas Deve implementar nativamente 2 grupos básicos de RMON, a saber alarms e events, em conformidade com o padrão RFC 1757, sem a utilização de probes externas Possibilidade de criação de versões de configuração e suporte a rollback da configuração para versões anteriores. 6. FACILIDADES 6.1. Possuir LEDs para a indicação do status das portas e atividade Deve permitir a configuração em cada porta de um texto possibilitando ao administrador a inclusão de informações que identifiquem o que está conectado na respectiva porta Implementar Telnet para acesso à interface de linha de comando Permitir a atualização remota do sistema operacional e arquivos de configuração utilizados no equipamento via interface ethernet Ser configurável e gerenciável via GUI (graphical user interface ), CLI (command line interface), SNMP, Telnet, SSH, HTTP e HTTPS com, no mínimo, 5 sessões simultâneas e independentes Deve permitir gerenciamento e configuração através de interface gráfica (Web Browser), desde que todos os softwares externos ao equipamento sejam fornecidos. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 75 / 90

76 6.7. Deve possibilitar a configuração automática, via rede, através dos protocolos BOOTP ou DHCP O sistema operacional/firmware fornecido deve, dentro das características solicitadas, ser a versão mais atualizada no momento da aquisição Implementar protocolo SSH para gerenciamento remoto, implementando pelo menos o algoritmo de encriptação de dados 3DES Permitir que a sua configuração seja feita através de terminal assíncrono Permitir a gravação de log externo (syslog) Em conjunto com um outro equipamento de mesmo modelo, deve permitir que um switch conectado aos dois, tenha a possibilidade de agregação de links com os mesmos, de forma a simular a existência de apenas um único link lógico entre este equipamento e os dois switches do modelo aqui especificado (Multi Chassis Link Agregation ou Multi Chassis Etherchannel, por exemplo). O único link lógico entre as camadas deve eliminar convergência do Spanning Tree, possibilitando o tráfego simultâneo por mais de uma conexão Permitir o armazenamento de sua configuração em memória não volátil, podendo, numa queda e posterior restabelecimento da alimentação, voltar à operação normalmente na mesma configuração anterior à queda de alimentação Possuir ferramentas para depuração e gerenciamento em primeiro nível, tais como debug, traceroute, ping e log de eventos Permitir o espelhamento do tráfego total de uma porta, de um grupo de portas e de VLANs para outra porta localizada no mesmo switch Permitir o espelhamento do tráfego total de portas que residem em um dado módulo para uma porta que reside em módulo diferente do switch Devem ser suportadas pelo menos 15 (quinze) sessões de espelhamento, sendo 2 (duas) ativas simultaneamente Permitir a adição manual de endereços MAC estático (inclusive de multicast) na tabela de comutação, sem restrição à quantidade de portas a serem associadas Permitir a virtualização das tabelas de roteamento camada 3 através de VRFs Virtual Routing and Forwarding Deve implementar a virtualização dos recursos de hardware em contextos virtuais ou através da segmentação das tabelas de roteamento do equipamento (VRF - Virtual Routing and Forwarding) Deve permitir o isolamento entre os planos de dados e de controle Permitir a extensão da camada 2, entre diferentes sites, através de tecnologia capaz SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 76 / 90

77 de encapsular frames Ethernet em pacotes IP e de forma independente da tecnologia de conexão entre sites utilizada Implementar a configuração de private-vlan ou funcionalidade similar Implementar IPv Implementar o protocolo de Tunelamento GRE (General Routing Encapsulation - RFCs 2784) Permitir a associação do túnel GRE a uma tabela virtual de roteamento específica, definida pelo administrador do equipamento Implementar protocolo de coleta de informações de fluxos que circulam pelo equipamento contemplando no mínimo as seguintes informações: a) IP de origem/destino. b) Parâmetro protocol type do cabeçalho IP. c) Porta TCP/UDP de origem/ destino. d) Interface de entrada do tráfego Deve ser possível especificar o uso das funcionalidades do item 6.27 para tráfego de entrada em uma dada interface do equipamento A informação coletada deve ser automaticamente exportável em intervalos prédefinidos através de um protocolo ipfix (Net Flow ou SFlow ou JFlow ou HFlow ) padronizado Deve ser fornecido com documentação técnica e manuais que contenham informações suficientes para possibilitar a instalação, configuração e operacionalização do equipamento Permitir o encaminhamento de jumbo frames (pacotes de 9016 bytes) Deve ter a capacidade de atualização de software via TFTP (Trivial File Transfer Protocol), em conformidade com a RFC 783, ou via FTP (File Transfer Protocol), ou via SFTP (Secure File Transfer Protocol) Deve permitir o download e o upload das configurações, utilizando padrões de mercado (ou seja, sem utilização de softwares proprietários) Sua tabela de endereços deve ser criada de forma automática, por autoaprendizagem; Deve permitir o controle de broadcast Deve vir acompanhado de manual de instalação, configuração e operação do equipamento na língua portuguesa ou inglesa, com apresentação de boa qualidade, ou apresentar estas informações no Site da Empresa. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 77 / 90

78 7. PROTOCOLOS 7.1. Deve implementar o protocolo NTP (Network Time Protocol) Deve implementar o DHCP Relay Deve implementar CDP (Cisco Discovery Protocol) e/ou LLDP (Link Layer Discovery Protocol) Deve implementar o protocolo VRRP ou mecanismo similar de redundância de gateway Deve implementar o padrão IEEE 802.1d (Spanning Tree Protocol) por VLAN Deve implementar o padrão IEEE 802.1q (Vlan Frame Tagging) Deve implementar o padrão IEEE 802.1p (Class of Service) para cada porta Deve implementar o padrão IEEE 802.1s (Multi-Instance Spanning-Tree), com suporte a, no mínimo, 16 instâncias simultâneas do protocolo Spanning-Tree Deve implementar o padrão IEEE 802.1w (Rapid spanning Tree Protocol) Deve implementar controle de acesso por porta, usando o padrão IEEE 802.1x (Port Based Network Access Control) Deve implementar o padrão 802.3ae Deve implementar o padrão IEEE 802.3ad Deve implementar o protocolo de negociação Link Aggregation Control Protocol (LACP) Deve implementar o padrão 802.3x (Flow Control) Deve implementar GVRP (GARP VLAN Registration Protocol) Deve implementar o padrão IEEE 802.1ab (Link Layer Discovery Protocol). 8. DESEMPENHO 8.1. Possuir capacidade para, no mínimo, endereços MAC na tabela de comutação por módulo Implementar, no mínimo, vlans simultaneamente no padrão IEEE 802.1q Possuir capacidade de encaminhamento em hardware de, no mínimo, 6,72 Tbps full SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 78 / 90

79 duplex, utilizando pacote médio de 64 bytes Deve ser capaz de comutar em hardware, no mínimo, 5 Bpps (5 bilhões de pacotes por segundo) em, sua configuração máxima. 9. ROTEAMENTO 9.1. Implementar roteamento estático Implementar roteamento dinâmico RIPv2 (RFC 2453) Implementar protocolo de roteamento dinâmico OSPF (RFC 2328, 3101, 3137, 3623 e 2370) Implementar protocolo de roteamento BGPv4 (RFC 4271, 3065, 4456, 1997 e 2385) Permitir o roteamento nível 3 entre VLANs Implementar o protocolo VRRP (RFC 2338) ou mecanismo similar de redundância de gateway Implementar, no mínimo, 1000 grupos VRRP ou de mecanismo similar de redundância de gateway simultaneamente Implementar roteamento baseado em uma condição de origem inclusive dentro das VRFs. 10. SEGURANÇA Implementar mecanismo de autenticação para acesso local ou remoto ao equipamento baseada em um Servidor de Autenticação/Autorização do tipo TACACS/TACACS+ e RADIUS Implementar filtragem de pacotes (ACL - Access Control List) Implementar Listas de Controle de Acesso (ACLs) baseada em critérios Layer 3 e Layer 4 em todas as interfaces e VLANs, para tráfegos ingress ou egress Deve permitir a criação de listas de controle de acesso (ACLs), ou funcionalidade similar, baseadas em endereços MAC de origem e destino, endereços IP de origem e destino e portas TCP e UDP de origem e destino Proteger a interface de comando do equipamento através de senha Implementar o protocolo SSH V2 para acesso à interface de linha de comando Permitir a criação de listas de acesso baseadas em endereço IP para limitar o acesso SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 79 / 90

80 ao switch via Telnet e SSH. Deve ser possível definir os endereços IP de origem das sessões Telnet e SSH Possibilitar o estabelecimento do número máximo de MACs que podem estar associados a uma dada porta do switch. Deve ser possível desabilitar a porta e enviar um trap SNMP caso o número de endereços MAC configurados para a porta seja excedido Permitir a associação de um endereço MAC específico a uma dada porta do switch, de modo que somente a estação que tenha tal endereço possa usar a referida porta para conexão Permitir o controle do volume de tráfego unicast, multicast e broadcast, atribuindo porcentagens permitidas para cada um dos tráfegos Implementar mecanismos de AAA (Authentication, Authorization e Accounting) com garantia de entrega Implementar a criptografia de todos os pacotes enviados ao servidor de controle de acesso e não só os pacotes referentes à senha Permitir controlar quais comandos os usuários ou grupos de usuários podem emitir em determinados elementos de rede Implementar mecanismo de proteção da Root Bridge do algoritmo Spanning-Tree para defesa contra ataques do tipo Denial of Service no ambiente nível Implementar suspensão de recebimento de BPDUs (Bridge Protocol Data Units ) caso a porta do switch esteja colocada no modo Fast Forwarding (conforme previsto no padrão IEEE 802.1w) Deve implementar a facilidade de secure port, de modo que apenas um número configurável de endereços MAC possa ter acesso à porta do switch, prevenindo que estações não autorizadas acessem a rede. Estes endereços devem ser aprendidos de duas formas: por configuração manual e dinamicamente Deve implementar segurança baseada em, no mínimo, 2 (dois) níveis de acesso para a administração do equipamento. Um dos níveis deve ter restrição total à configuração do equipamento e a comandos que alterem seu funcionamento, e outro, não deve ter qualquer restrição Deve implementar DHCP snooping ou funcionalidade similar que permita o bloqueio de SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 80 / 90

81 servidores DHCP não autorizados na rede. 11. MULTICAST Implementar mecanismo de controle de multicast através de IGMPv1 (RFC 1112), IGMPv2 (RFC 2236) e IGMPv3 (RFC 3376) Implementar em todas as interfaces do switch o protocolo IGMP Snooping (v1, v2 e v3), não permitindo que o tráfego multicast seja tratado como broadcast no switch Implementar roteamento multicast PIM (Protocol Independent Multicast) nos modos sparse-mode (RFC 2362). 12. QUALIDADE DE SERVIÇO (QoS) Possuir a facilidade de priorização de tráfego através do protocolo IEEE 802.1p Implementar uma fila com prioridade estrita (prioridade absoluta em relação às demais classes dentro do limite de banda que lhe foi atribuído) para tratamento do tráfego real-time (voz e vídeo) Implementar classificação e Reclassificação baseadas em endereço IP de origem/destino, portas TCP e UDP de origem e destino e endereços MAC Implementar classificação, Marcação e Remarcação baseadas em CoS ("Class of Service" - nivel 2) e DSCP ("Differentiated Services Code Poin\"- nivel 3), conforme definições do IETF (Internet Engineering Task Force) Implementar funcionalidades de QoS de Traffic Policing Implementar a especificação de banda por classe de serviço Implementar controle de banda incluindo limitação de banda máxima em todas as interfaces e VLANs simultaneamente, com incrementos múltiplos - granularidade mínima - de 64 kbits Para os pacotes que excederem a especificação, deve implementar ações tais como: transmissão do pacote sem modificação, transmissão com remarcação do valor de DSCP, descarte do pacote Implementar mapeamento de prioridades nível 2, definidas pelo padrão IEEE 802.1p, em prioridades nível 3 (IETF DSCP Differentiated Services Code Point definido pela Internet Engineering Task Force) e vice-versa Implementar diferenciação de QoS por VLAN SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 81 / 90

82 Implementar os mecanismos de QoS WRR (Weighted Round Robin) e WRED (Weighted Random Early Detection) Implementar pelo menos quatro filas de prioridade por porta de saída (egress port). 13. GARANTIA Garantia da atualização do sistema operacional/firmware, provendo o fornecimento de novas versões por necessidade de correção de problemas ou por implementação de novos releases durante todo o período de garantia. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 82 / 90

83 ANEXO II ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DA SOLUÇÃO Data: 03/04/2012 Título: Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 1. DESCRIÇÃO GERAL DA SOLUÇÃO Aquisição de solução de rede que atenda às novas necessidades de aumento de velocidade de tráfego, servidores virtuais e boas práticas de Datacenter utilizando switches com interfaces de 10Gbps, tecnologias FCoE e FC. A solução proposta possui camadas de acesso, agregação e concentração. A solução deverá prover tecnologia para que a camada de acesso seja configurada de forma centralizada facilitando a administração e o gerenciamento. Para tal é necessário que os equipamentos que irão compor as camadas de acesso, agregação e concentração sejam totalmente compatíveis. Os equipamentos relacionados na solução deverão operar em pares, por camada de agregação e concentração provendo alta disponibilidade nas ligações dos servidores ao core da rede da Dataprev. Na camada de acesso, a alta disponibilidade está relacionada a ligação dos servidores à switches de acesso distintos. Os sistemas operacionais e demais softwares necessários ao pleno funcionamento da solução deverão ser fornecidos em conjunto com o hardware, e devem ser do mesmo fabricante. As versões dos softwares fornecidos deverão ser as mais recentes. A solução será implantada nos 3 Centros de Processamento (CP) da DATAPREV, localizados no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. 2. DETALHAMENTO TÉCNICO 2.1. Rede Ethernet A arquitetura de rede proposta é composta de uma camada de acesso, onde os servidores serão conectados, uma camada de agregação, que fornecerá serviços de controle, gerência e distribuição do tráfego e uma camada de concentração, para convergência de todo o tráfego e encaminhamento entre esta e outras estruturas da rede local. A solução adota o padrão ethernet com suporte a FCOE e é aderente à arquitetura Top-of-Rack (Topo-de-Rack). A figura abaixo ilustra a conexão dos servidores aos switches de acesso e destes à camada de agregação e concentração. SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 83 / 90

84 Camada de acesso Cada switch de acesso será conectado à camada de agregação por 2 uplinks com capacidade de até 10Gbps cada. A solução deverá prover suporte a agregação destes uplinks provendo maior escoamento do tráfego. A solução deverá suportar agregação de portas pertencentes a equipamentos de acesso distintos, sem que seja necessário empilhá-los Conexão da camada de agregação à camada de concentração Cada switch da camada de agregação deverá ser conectado a 2 switches distintos da camada de concentração. A solução deverá permitir a interligação entre os switches da camada de concentração, de forma a possibilitar a associação de portas dos switches de agregação, sem que seja necessário empilhá-los Os switches da concentração farão a interligação entre as redes do Datacenter e os equipamentos de core de rede da DATAPREV. Estes deverão prover suporte a concentração de links provendo tolerância a falha e maior escoamento de tráfego Organização dos racks arquitetura Top-of-Rack SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 84 / 90

85 Os switches de acesso ficarão dispostos dois a dois por rack, e cada um terá 2 portas de uplink para a camada de agregação. Estas duas portas devem chegar a um único switch da agregação. Cada switch de acesso de um mesmo rack deve se conectar a um switch distinto da agregação. Os switches da agregação ficarão em racks separados dos switches de acesso. A figura a seguir ilustra esta ligação Rede SAN Os switches de acesso e agregação utilizarão a infraestrutura de racks existente na DATAPREV. Os switches de concentração serão fornecidos com racks. Diagrama da Solução Proposta Switch FC Servidor Switch FC Rede SAN Storages Conexão dos switches de fibra ao fabric A solução deverá prover tecnologia para que a conexão dos novos switches Fibre Channel ao Fabric já existente (legado da DATAPREV) seja feita de forma transparente, funcionando como extensão das portas HBA dos servidores Interligação da camada de agregação com o fabric existente SC DERE 1126/2012 Termo de Referência Aquisição de Solução de Rede para DATA CENTER 85 / 90

Termo de Referência. Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Diretoria de Infra-Estrutura de TIC DIT

Termo de Referência. Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Diretoria de Infra-Estrutura de TIC DIT Termo de Referência Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Termo de Referência Aquisição de Servidores Tipo 1A-1B para camada de Banco de Dados / Alta Disponibilidade RQ DEPI nº 11/2009

Leia mais

Termo de Referência. (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300.

Termo de Referência. (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300. Termo de Referência Expansão da solução s de armazenamento (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300. Termo de Referência Expansão da solução de armazenamento do

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE Aquisição de Solução de Criptografia para Backbone da Rede da Dataprev ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE 1.1 Cada appliance deverá ser instalado em rack de 19 (dezenove) polegadas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12 TERMO DE REFERÊNCIA I DEFINIÇÃO DO OBJETO O presente Projeto Básico tem por objeto a aquisição de equipamentos para implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE 1 Switch

Leia mais

Termo de Referência. Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa.

Termo de Referência. Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa. Termo de Referência Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa. CGAD/COAR - Gerenciamento de Impressão Plataforma Baixa / RQ DSAO nº xxx/2009 1/8 Termo de Referência Aquisição

Leia mais

Termo de Referência. Aquisição de servidores X86

Termo de Referência. Aquisição de servidores X86 DIT / CGGT / COGR JANEIRO / 2015 Equipe Responsável Elaboração Assinatura Data Coordenação de Gestão dos Recursos de TIC COGR Divisão de Planejamento de Infraestrutura de TIC DIPL Aprovação Motivada Considerando

Leia mais

MARÇO / 2009 AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2. Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT. Departamento de Redes de Telecomunicações DERE

MARÇO / 2009 AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2. Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT. Departamento de Redes de Telecomunicações DERE TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2 MARÇO / 2009 RQ DERE 005/2009 Termo de Referência Aquisição de Switches Nível 2 1 / 20 HISTÓRICO DE REVISÕES DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 26/01/2009 1 Criação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO

TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2 MARÇO / 2009 RQ DERE 005/2009 Termo de Referência Aquisição de Switches Nível 2 1 / 22 HISTÓRICO DE REVISÕES DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 26/01/2009 1 Criação

Leia mais

Termo de Referência. de solução de gerenciamento de ambiente de nuvem e licenças de software virtualizador,

Termo de Referência. de solução de gerenciamento de ambiente de nuvem e licenças de software virtualizador, Termo de Referência Aquisição de solução de gerenciamento de ambiente de nuvem e licenças de software virtualizador, para utilização nos Centros de Processamento do Rio de Janeiro, Distrito Federal e São

Leia mais

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses.

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência [OBJETO] 1 Termo de Referência Serviço de envio de mensagens

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 CENTRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 Anexo II 1 DO OBJETO 1.1 - Prestação de serviços de suporte técnico assistido

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Solução de Firewall de Banco de Dados

TERMO DE REFERÊNCIA. Solução de Firewall de Banco de Dados Classificação do Documento: Público TERMO DE REFERÊNCIA CÓDIGO: TR//001/2009 Solução de Firewall de Banco de Dados Sub-Plano: Segurança da Informação Diretoria de Infra-Estrutura de TIC Emissor: DIT /

Leia mais

Aquisição de Dispositivos de Firewall para CPRJ, CPDF e CPSP

Aquisição de Dispositivos de Firewall para CPRJ, CPDF e CPSP Aquisição de Dispositivos de Firewall para CPRJ, CPDF e CPSP TERMO DE REFERÊNCIA Agosto / 2009 HISTÓRICO DE REVISÕES DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 04/06/2009 1 Criação Marcos José 23/06/2009 1 Alteração

Leia mais

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA Subitem Característica Especificação Exigência CONEXÕES DESEMPENHO 1.1 Portas RJ-45 1.2 Portas GBIC 1.3 Autoconfiguraçã

Leia mais

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Especificações Técnicas Mínimas: 1. O equipamento deve ter gabinete único para montagem

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS Esclarecimento I PERGUNTA 1: PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS 7.5.3. documentação técnica do fabricante dos componentes cotados, incluindo partes de manuais e catálogos, que comprovem o atendimento

Leia mais

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps Especificações Técnicas Característica/Configurações/Requisitos mínimos: Descrição do Material Switch

Leia mais

2.2 - Prestação de Serviços de Suporte Técnico Assistido

2.2 - Prestação de Serviços de Suporte Técnico Assistido Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 010/2011 1 DO OBJETO 1.1 - Contratação de empresa para o fornecimento de licenças de uso de software SAP, BusinessObjects Enterprise - BOE, com manutenção

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR

TERMO DE REFERÊNCIA - TR TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 014/2009 ANEXO II 1. OBJETO 1.1. Prestação de serviços de suporte técnico assistido ao PRODERJ, sob demanda, para o desenvolvimento e implantação de soluções

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 3.931, DE 19 DE SETEMBRO DE 2001. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 033/2015 Termo de Referência 1. OBJETO Renovação de licenças de Solução Corporativa do Antivírus Avast, com serviço de suporte técnico e atualização de versão, manutenção

Leia mais

PROJETO BÁSICO Nº 007

PROJETO BÁSICO Nº 007 PROJETO BÁSICO Nº 007 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM PROJETO DE ENGENHARIA PARA ELABORAÇÃO DO SISTEMA DE PROTEÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO, E SPDA (SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGA ATMOSFÉRICA)

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004

DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004 DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004 GABINETE DO GOVERNADOR D E C R E T O Nº 1.093, DE 29 DE JUNHO DE 2004 Institui, no âmbito da Administração Pública Estadual, o Sistema de Registro de Preços

Leia mais

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015.

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. EMENTA: Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP previsto no art. 15 da Lei nº 8.666/93, no âmbito do Município de Central Bahia. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA ADEQUAÇÃO DE ÁREA PARA BIBLIOTECA, SALA DE TREINAMENTO E SALA DE ENGENHARIA DA AGG

CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA ADEQUAÇÃO DE ÁREA PARA BIBLIOTECA, SALA DE TREINAMENTO E SALA DE ENGENHARIA DA AGG PROJETO BÁSICO Nº 040/2009 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA ADEQUAÇÃO DE ÁREA PARA BIBLIOTECA, SALA DE TREINAMENTO E SALA DE ENGENHARIA DA AGG Rua José de Alencar, 2.613

Leia mais

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC)

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) O texto deste Contrato foi submetido à aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, estando sujeito a

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 001 111586 Nobreak Senoidal de Dupla Conversão de no mínimo 3.0 KVa 1. Todos os equipamentos deverão ser novos de primeiro uso e estar na linha de produção atual do fabricante; 2. A garantia

Leia mais

1. Alterar os itens 1.3, 1.3.1, 1.5 e 1.5.1 e acrescentar item 1.3.2 da Cláusula Primeira do Contrato, com a seguinte redação:

1. Alterar os itens 1.3, 1.3.1, 1.5 e 1.5.1 e acrescentar item 1.3.2 da Cláusula Primeira do Contrato, com a seguinte redação: PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E FORNECIMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DE ACESSO A SERVIÇOS INTERNET DE BANDA ESTREITA DIAL PROVIDER Pelo presente instrumento particular, de um lado, na

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços de suporte técnico para a Ferramenta de Scanner de Vulnerabilidades de Aplicações Web Acunetix

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços de suporte técnico para a Ferramenta de Scanner de Vulnerabilidades de Aplicações Web Acunetix TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços de suporte técnico para a Ferramenta de Scanner de Vulnerabilidades de Aplicações Web Acunetix, e, atualização de novas versões e das vulnerabilidades detectáveis.

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AQUISIÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS (TABLET)

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AQUISIÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS (TABLET) ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AQUISIÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS (TABLET) IplanRio Empresa Municipal de Informática Janeiro 2012 1. OBJETO Registro de preço para aquisição de Dispositivos Móveis do tipo,

Leia mais

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 001/2007 1 ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA ESTABELECE, RESPONSABILIDADES DIVERSAS, TIPOS E HORÁRIO DE COBERTURA DE SUPORTE, E DEMAIS RESPONSABILIDADES DA CONTRATADA RELATIVAS

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA DECRETO N.º 2356/2013 Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e dá outras providências. Rosane Minetto Selig, Prefeita Municipal de Ouro

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 009/2012

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 009/2012 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 009/2012 1 DO OBJETO 1.1 - Fornecimento de solução avançada de backup desduplicado, com serviços de assistência técnica e capacitação, visando a integração

Leia mais

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda:

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda: 1 DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009 Regulamenta, no âmbito da Administração pública municipal, o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº. 8.666, de 21 de junho de 1993, e

Leia mais

Termo de Referência. de solução de gerenciamento de ambiente de nuvem e licenças de software virtualizador,

Termo de Referência. de solução de gerenciamento de ambiente de nuvem e licenças de software virtualizador, Termo de Referência Aquisição de solução de gerenciamento de ambiente de nuvem e licenças de software virtualizador, para utilização nos Centros de Processamento do Rio de Janeiro, Distrito Federal e São

Leia mais

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas;

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas; ATA DE REUNIÃO CONSULTA PÚBLICA PARA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO WEB-EDI Troca Eletrônica de Dados. Local Dataprev Rua Cosme Velho nº 06 Cosme Velho Rio de Janeiro / RJ. Data: 06/03/2009 10:30 horas. Consolidação

Leia mais

Termo de Referência. Diretoria de Infraestrutura de TIC - DIT. Coordenação Geral de Análise e Classificação de Demandas - CGAD

Termo de Referência. Diretoria de Infraestrutura de TIC - DIT. Coordenação Geral de Análise e Classificação de Demandas - CGAD Termo de Referência Serviço de envio e recebimento de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, incluídos os serviços de gerenciamento e licenciamento de uso de plataforma, aplicativos,

Leia mais

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993.

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. DECRETO N.º 7.892, DE 23 DE JANEIRO DE 2013. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. O presente termo de referência, tem por objeto o registro de preços para futuras aquisições dos seguintes itens:

TERMO DE REFERÊNCIA. O presente termo de referência, tem por objeto o registro de preços para futuras aquisições dos seguintes itens: TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO: O presente termo de referência, tem por objeto o registro de preços para futuras aquisições dos seguintes itens: Módulo de expansão para sistema de armazenamento em disco

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO 1.1. Prestação de serviços de suporte técnico em sistema de colaboração ZIMBRA. 2. DESCRIÇÃO GERAL DOS SERVIÇOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas TERMO DE REFERÊNCIA Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação; Deve possuir, no mínimo, 24

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 ATA DO REGISTRO DE PREÇOS CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DO RAMO DE PRESTAÇÃO DE

Leia mais

Considerando a necessidade de se buscar a redução de custos, em função do aumento da competitividade; e

Considerando a necessidade de se buscar a redução de custos, em função do aumento da competitividade; e Página 1 de 5 PORTARIA Nº 306, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2001 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO GABINETE DO MINISTRO O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento Referência: Pregão Eletrônico n. 45/2014 Data: 06/3/2015 Objeto: Registro de Preços para fornecimento de equipamentos, componentes de solução de rede local, incluindo instalação

Leia mais

MINUTA... CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº /2006

MINUTA... CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº /2006 MINUTA... CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº /2006 CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA, ATRAVÉS DE REGISTRO DE PREÇOS, QUE ENTRE SI FAZEM A JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU NO ESPÍRITO SANTO SEÇÃO

Leia mais

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO 1. Introdução 1.1. Descrição do serviço Este documento disciplina a cessão de uso permanente da solução de software para Gestão

Leia mais

ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO

ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO 1. CLÁUSULA PRIMEIRA - CONDIÇÕES GERAIS 1.1. A PARTE proprietária dos itens de infra-estrutura cedidos e a PARTE a qual será feita

Leia mais

ANEXO X ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. Pregão para Registro de Preços nº 004/2015

ANEXO X ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. Pregão para Registro de Preços nº 004/2015 ANEXO X ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA Pregão para Registro de Preços nº 004/2015 1) DO OBJETO Constitui objeto desta especificação a contratação de empresa para o fornecimento de peças originais de reposição de

Leia mais

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras SUMÁRIO O Sistema de Registro de Preços do Governo do Estado

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS PÁG. 1 DE 13 PRÁTICA DE SERVIÇO DE BANDA LARGA REQUISITOS MÍNIMOS PARA OS PRESTADORES DE SERVIÇO DO PROGRAMA NACIONAL DE BANDA LARGA - PNBL Sumário 1.OBJETIVO... 2 2.CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 3.DEFINIÇÕES...

Leia mais

Termo de Referência. Solução de Firewall de Aplicação Web

Termo de Referência. Solução de Firewall de Aplicação Web Web DIT / CGGT / COGR Março / 2015 Equipe Responsável Elaboração Assinatura Data Coordenação de Gestão dos Recursos de TIC COGR Divisão de Planejamento de Infraestrutura de TIC DIPL Aprovação Motivada

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA PREGÃO ELETRÔNICO Nº 38/11 - REGISTRO DE PREÇOS PROCESSO N 2365-09.00/11-0 AJDG Nº 84/12

CONTRATO DE COMPRA E VENDA PREGÃO ELETRÔNICO Nº 38/11 - REGISTRO DE PREÇOS PROCESSO N 2365-09.00/11-0 AJDG Nº 84/12 CONTRATO DE COMPRA E VENDA PREGÃO ELETRÔNICO Nº 38/11 - REGISTRO DE PREÇOS PROCESSO N 2365-09.00/11-0 AJDG Nº 84/12 O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, por intermédio da PROCURADORIA- GERAL DE JUSTIÇA, órgão

Leia mais

MUNICÍPIO DE SENGÉS CNPJ/MF 76.911.676/0001-07 TRAVESSA SENADOR SOUZA NAVES N. 95 SENGÉS PARANÁ

MUNICÍPIO DE SENGÉS CNPJ/MF 76.911.676/0001-07 TRAVESSA SENADOR SOUZA NAVES N. 95 SENGÉS PARANÁ DECRETO Nº 600/2014 Súmula:- Regulamenta a aquisição de Bens Permanentes, de Consumo e Serviços destinados a Administração Direta, Indireta e Fundacional do Município de Sengés, através de Pregão, tendo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa especializada para serviços de desmontagem, remoção e montagem

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa especializada para serviços de desmontagem, remoção e montagem Contratação de empresa especializada para serviços de desmontagem, remoção e montagem de 01 (um) Arquivo Deslizante, com acionamento mecânico, destinados ao armazenamento de documentos e acervos do SEBRAE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Compras e Licitações Contrato nº /08

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Compras e Licitações Contrato nº /08 MINUTA 1 1 TERMO DE CONTRATO Tomada de Preços nº 019/08 Processo nº 5935/0/ Contratante: Prefeitura Municipal de Franca Contratada: Valor: R$ ( ) OBJETO: AQUISIÇÃO DE TERMINAIS DE AUTO ATENDIMENTO Pelo

Leia mais

DSG/DLOG/SGF N. 014 /2014. Aquisição de Espera Telefônica

DSG/DLOG/SGF N. 014 /2014. Aquisição de Espera Telefônica N 014 /2014 1 DO OBJETO Aquisição de um equipamento de espera telefônica para central Siemens HIPATH 3000, incluindo instalação, para a Superintendência Regional de Montes Claros, situada à Av Major Alexandre

Leia mais

DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004

DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004 DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004 PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL Nº 032, DE 17-02-2004 Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP, previsto no art. 15, da Lei nº 8.666, de 21 de junho de

Leia mais

ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO

ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO Instrumento Particular de Contrato referente ao PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG, que entre si fazem o Serviço Social do Comércio

Leia mais

1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte:

1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte: 1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte: 1.1.1.2 Nos CSR, os quais executarão ações comandadas pelo CM e supervisionarão

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA Outubro de 2013 1 1 OBJETO Prestação de Serviço de Manutenção da licença

Leia mais

Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade

Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Empresa Municipal de Informática S.A. - IplanRio Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO A presente licitação tem como objeto a contratação de empresa, especializada e devidamente autorizada pela ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações, prestadora

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310 Especificação Técnica 1. A Solução de Fitoteca ofertada deverá ser composta por produtos de Hardware e Software obrigatoriamente em linha de produção do fabricante, não sendo aceito nenhum item fora de

Leia mais

PROJETO BÁSICO CALL CENTER

PROJETO BÁSICO CALL CENTER PROJETO BÁSICO CALL CENTER 1 Projeto Básico da Contratação de Serviços: 1.1 O presente Projeto Básico consiste na descrição dos serviços que serão prestados por empresa especializada em serviços de Call

Leia mais

Processo n. 116.939/09 CONTRATO n. 2010/033.0

Processo n. 116.939/09 CONTRATO n. 2010/033.0 Processo n. 116.939/09 CONTRATO n. 2010/033.0 CONTRATO CELEBRADO ENTRE A CÂMARA DOS DEPUTADOS E A ISH TECNOLOGIA LTDA., PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE GARANTIA DE FUNCIONAMENTO, COMPREENDENDO MANUTENÇÃO

Leia mais

Para/To: N o de páginas/n o of. pages: 06 De/From: Silvana Luz Simões Data/Date: 28 / 08/ 2007 Ref.: Solicitação de proposta ATT.:

Para/To: N o de páginas/n o of. pages: 06 De/From: Silvana Luz Simões Data/Date: 28 / 08/ 2007 Ref.: Solicitação de proposta ATT.: MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq DAD/CGADM/COINF/SERVIÇO DE LICITAÇÃO SELIC SEPN 507, Bloco B, Ed. Sede CNPq, Sala 211, CEP: 70.740-901,

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA. 5.1 Quantidade estimada para compra são de 2 (dois) nobreaks que funcionarão de forma redundante.

TERMO DE REFERENCIA. 5.1 Quantidade estimada para compra são de 2 (dois) nobreaks que funcionarão de forma redundante. TERMO DE REFERENCIA 1. OBJETO 1.1 Contratação de empresa especializada para fornecimento e manutenção de equipamento elétrico do tipo nobreak nas instalações da sala dos servidores da Companhia Docas do

Leia mais

ANEXO VI ATA DE REGISTRO DE PREÇOS DIRAT/DESEG-200./..., OBJETIVANDO A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA FORNECIMENTO DE PRODUTOS PARA USO EM MARCENARIA.

ANEXO VI ATA DE REGISTRO DE PREÇOS DIRAT/DESEG-200./..., OBJETIVANDO A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA FORNECIMENTO DE PRODUTOS PARA USO EM MARCENARIA. PREGÃO Nº 011/2007 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS DIRAT/DESEG-200./..., OBJETIVANDO A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA FORNECIMENTO DE PRODUTOS PARA USO EM MARCENARIA. Processo nº 041.000.045/2007. VALIDADE: 12

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Licitações e Compras Contrato nº 081/2007 Fls.

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Licitações e Compras Contrato nº 081/2007 Fls. Contrato nº 081/2007 Fls. 1 MINUTA TERMO DE CONTRATO Convite de Preços n.º 081/07 Processo n.º 11784/05 Objeto: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE DESCUPINIZAÇÃO DO PREDIO E ACERVO DO

Leia mais

O Banco do Brasil não exige que o toner seja original, cabe ao fornecedor oferecer a melhor proposta desde que atenda ao item 2.24.2 e 2.26.

O Banco do Brasil não exige que o toner seja original, cabe ao fornecedor oferecer a melhor proposta desde que atenda ao item 2.24.2 e 2.26. 1 Dúvida: Diretoria de Apoio aos Negócios e Operações Referente aos itens: item 1.3.3.3., item 2.24, item 2.24.2. Entendemos que todos os PROPONENTES deveriam ofertar apenas toners originais do fabricante

Leia mais

ÂMBITO E FINALIDADE DAS DEFINIÇÕES INICIAIS

ÂMBITO E FINALIDADE DAS DEFINIÇÕES INICIAIS Estabelece normas e procedimentos a serem observados nas operações realizadas em bolsas e mercados de balcão organizado por meio da rede mundial de computadores e dá outras providências. O PRESIDENTE DA

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA A B C D E OBJETO O presente Termo de Referência tem como objeto o fornecimento parcelado de combustíveis à frota dos veículos oficiais do Conselho Regional de Medicina do

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2013 PROCESSO N 787-09.00/13-4

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2013 PROCESSO N 787-09.00/13-4 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2013 PROCESSO N 787-09.00/13-4 Contrato AJDG n.º 031/2013 O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, por intermédio da PROCURADORIA- GERAL DE JUSTIÇA, órgão

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Anexo I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

TERMO DE REFERÊNCIA Anexo I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TERMO DE REFERÊNCIA Anexo I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE DISTRIBUIÇÃO, LICENCIAMENTO, ATUALIZAÇÃO E TREINAMENTO DE PRODUTOS MICROSOFT. 1 1 - OBJETO Registro de Preços para contratação

Leia mais

Pergunta 01 No item 01 Desktops, está sendo solicitado o seguinte:

Pergunta 01 No item 01 Desktops, está sendo solicitado o seguinte: QUESTIONAMENTOS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 002/2012 Pergunta 01 No item 01 Desktops, está sendo solicitado o seguinte: 1) Brilho: 250 cd/m2;interface: RF, D-sub, CVBS, S-Video no mínimo; Tendo em vista que as

Leia mais

terá a capacidade inicial de 32Mb, com possibilidade de expansão mínima de até 128Mb.

terá a capacidade inicial de 32Mb, com possibilidade de expansão mínima de até 128Mb. MEMORIAL DESCRITIVO Objeto 1.1 O objeto do presente Termo de Referência (TR) é a contratação de empresa, ou consórcio de empresas, para o provimento de serviço de acesso à rede Internet no município SANTO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 021/2012

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 021/2012 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 021/2012 1 DO OBJETO 1.1 Prestação de serviços visando à atualização tecnológica da infraestrutura de firewall para suportar a INFOVIA RJ 2.0, mantendo

Leia mais

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011 CONTROLE DE VERSÃO EILD PADRÃO BRASIL TELECOM S.A. ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011 1. Alterações realizadas no corpo do contrato: Alteradas as qualificações da CONTRATADA e CONTRATANTE O Anexo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1.1. Gestões a serem auditadas: Contábil, Financeira, Patrimonial, Administrativa.

TERMO DE REFERÊNCIA. 1.1. Gestões a serem auditadas: Contábil, Financeira, Patrimonial, Administrativa. GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO FUNDAÇÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TERMO DE REFERÊNCIA 1 DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I. OBJETO.. Aquisição de memórias para servidores corporativos da Seção Judiciária do Espírito Santo. 2. ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS Lote Módulo de Memória de 52 Megabytes para servidores

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS DOS REQUISITOS PARA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO: A CONTRATADA deverá atender os seguintes requisitos de qualidade do serviço: 1) Quando ocorrer chamado telefônico, comunicação

Leia mais

QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES Prezado(a) Senhor(a), Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. Sobre o item 18.1. A prestação do serviço

Leia mais

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A PREGÃO PRESENCIAL N. 2010/169 OBJETO: AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE ARMAZENAMENTO EXTERNO - STORAGE E TAPE LIBRARY. Ref.: Esclarecimentos A unidade de Tape Library será instalada em servidor dedicado a

Leia mais

Acordo de Nível de Serviço

Acordo de Nível de Serviço VERSÃO 20120815 Acordo de Nível de Serviço Gestão Compartilhada Página. 2 de 13 Sumário PARTE 1... 3 1 INTRODUÇÃO... 3 2 DEFINIÇÕES... 4 2.1 GESTÃO COMPARTILHADA... 4 2.2 PROVEDOR... 4 2.3 CLIENTE... 4

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso QUESTIONAMENTO 01 BRUNA APARECIDA SOUZA AO SR. PREGOEIRO RESPONSÁVEL PELO CERTAME DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO, PREGÃO ELETRÔNICO Nº 100/2015 - SRP, MANUTENÇÃO DE VEÍCULOS. Prezados, bom dia! A

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux.

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux. DIT/GIS TR ARP Licenças de Software Sistema Operacional Linux.doc 1/ 6 TERMO DE

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.179, DE 10 DE JUNHO DE 2009. (publicada no DOE nº 109, de 12 de junho de 2009) Dispõe sobre a Cotação Eletrônica

Leia mais

Projeto Básico - Prestação de Serviços

Projeto Básico - Prestação de Serviços Diretoria de Tecnologia Gerência de Fornecimento de TI Projeto Básico - Prestação de Serviços 1. Objeto: 1.1 Contratação de empresa para prestação de serviços especializados de escuta de gravações e monitoração

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 001/2015

TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 001/2015 PROCESSO: E-26/0/580/205 DATA: 6/03/205 RUBRICA: ID 28859-9 TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 00/205 Anexo I. DO OBJETO. - Prestação de serviços de assistência técnica e manutenção do ambiente

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PASSOS

CÂMARA MUNICIPAL DE PASSOS PR/OI/1-HNJXVY/2014 CÂMARA MUNICIPAL DE PASSOS Pregão Presencial N.º 001/2014 LOTE Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de telecomunicação de acesso dedicado à internet. Abertura:

Leia mais

------------------------------------------

------------------------------------------ Respostas aos questionamentos: EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 16/2010 9. DA HABILITAÇÃO e 15. DO PRAZO DE ENTREGA, RECEBIMENTO E DAS ESPECIFICAÇÕES DOS MATERIAIS/SERVIÇOS Subitens: 9.4.2 e 15.1 No subitem

Leia mais

ESCLARECIMENTO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 023/2015-EMAP. O edital especifica em seu item 11.1.13.3, transcrito abaixo:

ESCLARECIMENTO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 023/2015-EMAP. O edital especifica em seu item 11.1.13.3, transcrito abaixo: ESCLARECIMENTO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 023/2015-EMAP O Pregoeiro da Empresa Maranhense de Administração Portuária - EMAP, em razão de solicitação da empresa TELEMAR NORTE LESTE S.A, torna público aos interessados,

Leia mais

MODELO CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR

MODELO CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR MODELO CONTRATO N.º /20 CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR A (Órgão/Entidade Federal, Estadual ou Municipal), pessoa jurídica de direito público ou privado, com sede à Rua, n.º,

Leia mais

EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA S/A IPLANRIO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ESCLARECIMENTO PROCESSO 01.300.493/2012 PE 0101/2013

EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA S/A IPLANRIO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ESCLARECIMENTO PROCESSO 01.300.493/2012 PE 0101/2013 EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA S/A IPLANRIO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ESCLARECIMENTO PROCESSO 01.300.493/2012 PE 0101/2013 1 - No ANEXO II, TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS, Notebooks

Leia mais

Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul.

Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul. LEI Nº 13.179, DE 10 DE JUNHO DE 2009 Business Online Comunicação de Dados Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Faço

Leia mais

Número: DFC 001/2014 TERMO DE REFERÊNCIA 29/01/2014 DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE - DFC

Número: DFC 001/2014 TERMO DE REFERÊNCIA 29/01/2014 DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE - DFC CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE AUDITORIA INDEPENDENTE PARA ELABORAÇÃO DE PARECER PARA CERTIFICAÇÃO DO RELATÓRIO DE CONTROLE PATRIMONIAL - RCP REFERENTE AO ANO DE 2013,

Leia mais

É desejável que o Proponente apresente sua proposta para ANS considerando a eficiência e conhecimento do seu produto/serviço.

É desejável que o Proponente apresente sua proposta para ANS considerando a eficiência e conhecimento do seu produto/serviço. 1 Dúvida: PROJETO BÁSICO Item 4.1.1.1.2 a) Entendemos que o Suporte aos usuários finais será realizado pelo PROPONENTE através de um intermédio da CONTRATANTE, que deverá abrir um chamado específico para

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 28/2009

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 28/2009 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 28/2009 Processo nº: 8478AD/2008 Pregão Eletrônico nº: 001/2009 Validade: 06 (seis) meses, de 19/05/2009 a 18/12/2009 Empresa: AMAZON INFORMÁTICA LTDA End: Av. Conselheiro

Leia mais

CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 08/2015. Contrato celebrado entre a Câmara Municipal de São Simão e a Empresa

CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 08/2015. Contrato celebrado entre a Câmara Municipal de São Simão e a Empresa CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 08/2015 Contrato celebrado entre a Câmara Municipal de São Simão e a Empresa PUBLICENTER INFORMÁTICA COMÉRCIO E LOCAÇÃO LTDA-ME CONTRATANTE: A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO SIMÃO,

Leia mais