Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim. Chico Xavier. Parcerias : FEBRACOM

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim. Chico Xavier. Parcerias : FEBRACOM"

Transcrição

1 Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim. Chico Xavier Parcerias : FEBRACOM

2

3

4

5

6

7 PACTO PELA RECICLAGEM A partir da constatação que a cidade do Rio de Janeiro coleta diariamente cerca de 8 mil toneladas de lixo domiciliar, desse total cerca de 40%, poderia ser reciclado e que apenas 1% conseguimos reciclar ; Que o volume de lixo urbano cresce assustadoramente a cada ano, aumentando à quantidade de resíduos descartados no ambiente de forma inadequada, principalmente nas ruas e rios, provocando sérios impactos ambientais nas cidades ; como entupimento das redes de drenagem urbana, enchentes, desabamentos, proliferação de vetores transmissores de doenças, como exemplo a dengue, além de gerar montanhas de lixo pelas ruas de nossos bairros. Que a grande maioria das pessoas que vivem da catação de resíduos, pelas ruas de nossa cidade encontram-se em condições precárias ; entre outras fatores. A Secretaria de Estado do Ambiente e o Instituto Estadual do Ambiente, criaram um grupo de trabalho, para formular o documento que chamamos de PACTO PELA RECICLAGEM, que teve ainda a coordenação do Deputado Estadual Carlos Minc, representantes da Abadi, Secovi-Rio, Comlurb, Firjan, Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis e a Febracom,

8 Em agosto de 2010, foi concluído o PACTO PELA RECICLAGEM e os participantes do GT, assinaram o documento assumindo os seguintes compromissos : aumentar a coleta seletiva de lixo e a reciclagem no Rio de Janeiro; fortalecer a cadeia produtiva da reciclagem e a inclusão social dos catadores de materiais recicláveis, melhorando a qualidade de trabalho nas cooperativas e ampliando-as e equipando-as, permitindo assim, que em dois anos o material reciclado triplique no município do Rio de Janeiro; aumentar a responsabilidade das indústrias, ajudar a diminuir impostos cortando o ICMS para a reciclagem.

9 Para o cumprimento das metas do Pacto pela Reciclagem, apresentamos a você síndico, o Projeto de Coleta Seletiva Solidária nos Condomínios e o convidamos, para o grande desafio de tornar nossa cidade ambientalmente sustentável.

10 O Programa Coleta Seletiva Solidária é uma realização da SEA- Secretaria de Estado do Ambiente e do INEA Instituto Estadual do Ambiente cujos objetivos são: a implantação da Coleta Seletiva Solidária; a melhoria da gestão dos resíduos sólidos urbanos nos Municípios do Estado do Rio de Janeiro; o fortalecimento da cadeia produtiva da reciclagem e a valorização e inclusão social dos Catadores de Materiais Recicláveis. O programa é desenvolvido em parceria com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, através da Faculdade de Engenharia e conta com a participação de professores e alunos do Mestrado Profissional em Engenharia Ambiental e do Doutorado Multidisciplinar em Meio Ambiente.

11 O Programa é desenvolvido através de oficinas de capacitação e planejamento participativo da Coleta Seletiva Solidária em 5 linhas de ação: Gestores Públicos Municipais ; Escolas Estaduais; Órgãos Públicos Estaduais; Capacitação de Catadores ; Condomínios Residenciais associados a ABADI e ao SECOVI.

12 OBJETIVO ESPECÍFICO: Inclusão de todos os condomínios associados à Associação Brasileira de Administradoras de Imóveis - Abadi e ao Sindicato da Habitação - Secovi no Programa da Coleta Seletiva Solidária no prazo de 3 anos; Levar para dentro dos condom nios as campanhas educativas Levar para dentro dos condomínios as campanhas educativas da SEA/INEA, visando a tomada de consciência/sensibilização dos moradores para novos hábitos de consumo responsável.

13 CONDOMÍNIOS INCLUÍDOS E Nº DE MORADORES ENVOLVIDOS : São quatro os condomínios que já estão com a coleta seletiva implantada. Três na zona sul e um em Jacarepaguá na Zona Oeste do Rio de Janeiro, já fazem a coleta. Condomínios Bairros nº apartamentos nº moradores Apollo Botafogo Miguel Salazar Taquara- JPA Saturno Gávea Leblon Solar Príncipe Lagoa Em fase de implantação, temos outros condomínios nos bairros : Barra da Tijuca, Botafogo, Copacabana, Glória,Grajaú, Ipanema, Itanhangá, Jardim Botânico, Laranjeiras,Leblon, Méier, Tijuca,Recreio dos Bandeirantes.

14 METODOLOGIA USADA: Apresentação do Programa Coleta Seletiva nos Condomínios à comissão responsável pela implantação da coleta seletiva no condomínio ; Realização de cinco encontros nos condomínios com a comissão da coleta seletiva para apresentar as etapas para o diagnóstico, planejamento e monitoramento da coleta seletiva, além de oficinas voltadas à compostagem dos resíduos orgânicos; Criação de um banco de imagens e memória do projeto : fotos, imagens e depoimentos dos moradores.

15 ETAPAS RELEVANTES: No condomínio Miguel Salazar, limpeza de uma parte do terreno, destinado ao estacionamento de carros, para futura construção de um galpão ecológico para armazenamento do material reciclável coletado Antes o local tinha um pequeno lixão ; Construção de um local apropriado para instalação de composteiras, nos Condomínios Apollo e Porto Príncipe.

16 ANTES DEPOIS

17 Passo a passo para a coleta seletiva solidária nos condomínios

18 1º PASSO : Formação de uma comissão/equipe Organização da coleta seletiva solidária no condomínio.

19 2º PASSO : Diagnóstico do condomínio Avaliar espaço para guardar o material separado; Avaliar espaço para instalação de composteiras; Escolher os funcionários que irão trabalhar na coleta seletiva; Fazer contato com as cooperativas de catadores mais próximas do condomínio.

20 3º PASSO: Mobilização dos moradores ; Implantação da coleta seletiva; Monitoramento e avaliação constante do projeto

21 Maria de Lourdes P. Guimarães SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Endereço: Av. Venezuela n 110-5º andar Saúde Rio de Janeiro Telefones: e seam-sea.blogspot.com Parceiros: FEBRACOM

Programa Permanente de Coleta Seletiva. Solidária do Arquivo Nacional

Programa Permanente de Coleta Seletiva. Solidária do Arquivo Nacional Solidária do Arquivo Nacional Programa Permanente de Coleta Seletiva Amparado pelo Decreto Federal 5.940/ 2006 - que prevê que todas as instituições federais passem a doar seus materiais recicláveis descartados

Leia mais

Gestão Sustentável de Resíduos. Superintendência de Limpeza Urbana Junho/2006

Gestão Sustentável de Resíduos. Superintendência de Limpeza Urbana Junho/2006 Gestão Sustentável de Resíduos Superintendência de Limpeza Urbana Junho/2006 Belo Horizonte / MG VENDA NOVA NORTE PAMPULHA NORDESTE NOROESTE LESTE OESTE CENTRO-SUL BARREIRO População: 2.350.564 (IBGE 2004)

Leia mais

MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA

MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA Patrícia Cristina de Lima Moreira (1) Assistente Social (UNIT), Assistente Social do Serviço

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos

Política Nacional de Resíduos Sólidos São Paulo, 09 de Novembro 2011 Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidade Compartilhada entre Prefeituras, Empresas, Cidadãos e Catadores BRASIL ESTADO DE SÃO PAULO Região Metropolitana FONTE:

Leia mais

Polo de Valoração - Crateús

Polo de Valoração - Crateús Polo de Valoração - Crateús 1998, nasce um sonho... Xingu - Expedição Trilha Brasil No ano 2000, com apoio dos primeiros patrocinadores, a Expedição Trilha Brasil percorreu 25 mil km em 14 estados das

Leia mais

03 eixos de atuação: ENSINO PESQUISA - EXTENSÃO

03 eixos de atuação: ENSINO PESQUISA - EXTENSÃO A Universidade de Cruz Alta, possui uma área construída de 35.785,92m² em seu Campus Universitário, abrigando, nesse espaço, 26 cursos de graduação, cursos de especialização e mestrado, 119 laboratórios,

Leia mais

Gestão de Resíduos Secos IV CMMA

Gestão de Resíduos Secos IV CMMA 1 Resultados da IV Conferência Municipal do Meio Ambiente de São Paulo, 30 e 31 de agosto e 1º de setembro de 2013. Reelaboração Participativa do Plano de Gestão de Resíduos Sólidos - PGIRS / SP - texto

Leia mais

ÓRGÃO: 14000 - SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO-AMBIENTE PROGRAMA DE TRABALHO

ÓRGÃO: 14000 - SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO-AMBIENTE PROGRAMA DE TRABALHO PLANO PLURIANUAL 2010-2013 CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO - FUNCIONAL PROGRAMÁTICA 18000000 GESTÃO AMBIENTAL 18542000 CONTROLE AMBIENTAL 18542010 PROGRAMA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE 185420102.074 COORDENAÇÃO DOS

Leia mais

Preço dos imóveis no Rio continua valorizado, e atinge R$ 7.724/m²

Preço dos imóveis no Rio continua valorizado, e atinge R$ 7.724/m² Barômetro do Mercado Imobiliário - Rio de Janeiro, Março 2013 O Barômetro do Mercado Imobiliário no Rio de Janeiro é o mais novo, ágil e confiável indicador do mercado imobiliário que acompanha a evolução

Leia mais

PROJETO RIO ECOBARREIRA

PROJETO RIO ECOBARREIRA 1 PROJETO RIO ECOBARREIRA RESUMO: O RIO ECOBARREIRA é um projeto de pesquisa aplicada na área de desenvolvimento sustentável. O projeto envolve a análise da sustentabilidade sócio-econômica e ambiental

Leia mais

GESTÃO DOS RESÍDUOS SECOS

GESTÃO DOS RESÍDUOS SECOS PROPOSTAS PARA REELABORAÇÃO PARTICIPATIVA DO PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGIRS do MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Texto de referência TEMA GESTÃO DOS RESÍDUOS SECOS 1 O processo de preparação

Leia mais

Educação Ambiental INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO. Luis Eduardo Salvatore. Programa de Desenvolvimento da Educação - PDE

Educação Ambiental INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO. Luis Eduardo Salvatore. Programa de Desenvolvimento da Educação - PDE Educação Ambiental Luis Eduardo Salvatore O Instituto Brasil Solidário IBS é uma OSCIP Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - e desenvolve formação continuada em Educação em comunidades

Leia mais

PLANEJAMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO DOS POTENCIAIS CATADORES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DE JETIBA

PLANEJAMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO DOS POTENCIAIS CATADORES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DE JETIBA PLANEJAMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO DOS POTENCIAIS CATADORES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DE JETIBA JULHO 2014. Secretarias Parceiras: Secretaria Municipal de Técnica e Planejamento Secretaria Municipal de Trabalho,

Leia mais

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA COORDENAÇÃO ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA Ministério Público - Procuradoria Regional dos Direitos

Leia mais

ADESÃO DA POPULAÇÃO.

ADESÃO DA POPULAÇÃO. A Comlurb desenvolve desde 1993 um programa de coleta seletiva, inicialmente baseado na implantação de cooperativas de bairro, muitas das quais em operação até hoje. Num passo seguinte foi implantada a

Leia mais

PLANO DIRETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE GUARULHOS PDRS CONGRESSO MUNDIAL ICLEI 2012

PLANO DIRETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE GUARULHOS PDRS CONGRESSO MUNDIAL ICLEI 2012 PLANO DIRETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE GUARULHOS PDRS CONGRESSO MUNDIAL ICLEI 2012 Junho / 2012 Guarulhos Região Metropolitana de São Paulo 2ª economia do estado de São Paulo 9ª economia do Brasil 320 km²

Leia mais

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB 203 Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB Tarcísio Valério da Costa Universidade Federal da Paraíba/Pró

Leia mais

GESTÃO DOS RESÍDUOS ORGÂNICOS

GESTÃO DOS RESÍDUOS ORGÂNICOS PROPOSTAS PARA REELABORAÇÃO PARTICIPATIVA DO PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGIRS do MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Texto de referência TEMA GESTÃO DOS RESÍDUOS ORGÂNICOS 1 O processo de preparação

Leia mais

Cidades e Biodiversidade

Cidades e Biodiversidade Cidades e Biodiversidade Curitiba, 26 a 28 de março Ronaldo Vasconcellos Vice-Prefeito de Belo Horizonte Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, é uma das maiores cidade do Brasil. BH Fica a 585 Km de

Leia mais

SEMINARIO PRÓ-CATADOR DO ESTADO DO ACRE Propostas aprovadas

SEMINARIO PRÓ-CATADOR DO ESTADO DO ACRE Propostas aprovadas 1 SEMINARIO PRÓ-CATADOR DO ESTADO DO ACRE ENCERRAMENTO DOS LIXÕES E A INCLUSÃO SOCIAL E PRODUTIVA DAS CATADORAS E DOS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS 30 de outubro de 2014 Palácio da Justiça - Rio Branco/AC

Leia mais

Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA

Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos do Município de Natal Área 170,298

Leia mais

COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA

COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA O órgão público federal que aderiu ao Projeto Esplanada Sustentável PES, será considerado sustentável no tema Coleta Seletiva Solidária (Decreto 5.940/06), se alcançar 90% das

Leia mais

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação :: LINHAS DE AÇÃO Apoio aos Municípios Tecnologia e Informação em Resíduos Capacitação Promoção e Mobilização Social :: PRESSUPOSTOS DA COLETA SELETIVA Gestão participativa Projeto de Governo Projeto da

Leia mais

PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO

PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO (leis 12.305/2010, 11.445/2007 e 12.187/2009) Implementando a Política Nacional de Resíduos Sólidos na Cidade de São Paulo PROCESSO

Leia mais

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA 1 QUALIDADE DA COLETA E A NECESSIDADE DE UMA CONSCIÊNCIA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL NA CIDADE DE GOIANA Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA RESUMO O consumismo da

Leia mais

RELATÓRIO DA 3ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

RELATÓRIO DA 3ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE RELATÓRIO DA 3ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE I. REALIZAÇÃO Data: 26/11/2013 e 27/11/2013 Local: Centro Universitário de Araras Dr. Edmundo Ulson UNAR Número de participantes:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE 0 PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE PRORAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PEA PLANO DE AÇÃO Montanha ES 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 02 2. JUSTIFICATIVA... 03 3. OBJETIVO GERAL...

Leia mais

Eixo Inclusão social. Eixo estratégico

Eixo Inclusão social. Eixo estratégico Eixo estratégico Inclusão social de catadores e catadoras de materiais recicláveis através da capacitação e de campanhas de conscientização para a sociedade. 2 Eixo Inclusão social 1 Mapeamento das necessidades

Leia mais

Título: PGRS Bares e Restaurantes Palestrante: Julia Moreno Lara

Título: PGRS Bares e Restaurantes Palestrante: Julia Moreno Lara Título: PGRS Bares e Restaurantes Palestrante: Julia Moreno Lara Lei 12.305/2010 Estão sujeitos à elaboração de plano de gerenciamento de resíduos sólidos: I - os geradores de resíduos sólidos previstos

Leia mais

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS!

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! Cabo de Santo Agostinho, 2010 Descrição do Projeto Segundo a comissão Mundial sobre o Meio Ambiente

Leia mais

Jacqueline Rogéria Bringhenti Patricia Dornelas Bassani Manuela Mantovanelli da Mota

Jacqueline Rogéria Bringhenti Patricia Dornelas Bassani Manuela Mantovanelli da Mota COLETA SELETIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS EM CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES). Jacqueline Rogéria Bringhenti Patricia Dornelas Bassani Manuela Mantovanelli da Mota INTRODUÇÃO Vitória

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS PREFEITURA MUNICIPAL DE TUCURUÍ PARÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE TUCURUÍ SEMMA / TUCURUÍ PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS APRESENTAÇAO O presente documento consolida o diagnóstico

Leia mais

PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO

PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO Propostas Iniciais PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO (leis 12.305/2010, 11.445/2007 e 12.187/2009) Implementando a Política Nacional de Resíduos Sólidos na Cidade de

Leia mais

Barômetro do Mercado Imobiliário. Preço do metro quadrado é estável no primeiro mês de 2013

Barômetro do Mercado Imobiliário. Preço do metro quadrado é estável no primeiro mês de 2013 Barômetro do Mercado Imobiliário - Rio de Janeiro, Janeiro 2013 O Barômetro do Mercado Imobiliário no Rio de Janeiro é o mais novo, ágil e confiável indicador do mercado imobiliário que acompanha a evolução

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

Seminário. Remuneração pelos Serviços Prestados Cooperativas de Catadores/as de Material Reciclável. Instituto Pólis 29 de Abril de 2014.

Seminário. Remuneração pelos Serviços Prestados Cooperativas de Catadores/as de Material Reciclável. Instituto Pólis 29 de Abril de 2014. Seminário Instituto Pólis 29 de Abril de 2014 O projeto denominado Fortalecimento dos Catadores e Catadoras e Ampliação da Coleta Seletiva no Grande ABC foi gerado no âmbito da CoopCent ABC (Cooperativa

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

Escola de Ensino Fundamental João Paulo II Serra, ES Diretora : Ana Maria Quinelato Professora responsável: Luciane Rosário Sampaio Frizzera

Escola de Ensino Fundamental João Paulo II Serra, ES Diretora : Ana Maria Quinelato Professora responsável: Luciane Rosário Sampaio Frizzera Escola de Ensino Fundamental João Paulo II Serra, ES Diretora : Ana Maria Quinelato Professora responsável: Luciane Rosário Sampaio Frizzera A Comunidade de Jardim Carapina O bairro Jardim Carapina localiza-se

Leia mais

Seminário Fórum Estadual L & C Rio de Janeiro

Seminário Fórum Estadual L & C Rio de Janeiro Seminário Fórum Estadual L & C Rio de Janeiro O FÓRUM LIXO E CIDADANIA E A COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA Sonia Dias Setembro 2008 Questões no centro do debate em torno do tema lixo e cidadania Quais são as

Leia mais

Programa Lixo e Cidadania

Programa Lixo e Cidadania Programa Lixo e Cidadania São Bernardo do Campo (SP) Elisabeth Grimberg e Sonia Lima in Segurança Alimentar e Nutricional: a contribuição das empresas para a sustentabilidade das iniciativas locais Fechar

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere.

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. Março de 2015 DESCRIÇÃO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA HISTÓRICO

Leia mais

Os Catadores de Materiais Recicláveis e a atuação do Ministério Público

Os Catadores de Materiais Recicláveis e a atuação do Ministério Público Os Catadores de Materiais Recicláveis e a atuação do Ministério Público Promotora Marina Brandão Póvoa Coordenadoria de Inclusão e Mobilização Sociais Coordenadoria de Inclusão e Mobilização Sociais Criação

Leia mais

Centro Mineiro de Referência em Resíduos Coleta Seletiva com inclusão sócio-produtiva dos Catadores de Materiais Recicláveis

Centro Mineiro de Referência em Resíduos Coleta Seletiva com inclusão sócio-produtiva dos Catadores de Materiais Recicláveis Centro Mineiro de Referência em Resíduos Coleta Seletiva com inclusão sócio-produtiva dos Catadores de Materiais Recicláveis O Centro Mineiro de Referência em Resíduos Criado em Junho de 2007, é uma iniciativa

Leia mais

MONITORAMENTO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NA UFPB

MONITORAMENTO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NA UFPB MONITORAMENTO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NA UFPB PAIVA ANDRADE, Leandro DE ARAUJO MORAIS, Joácio Júnior RESUMO A coleta seletiva e a reciclagem de lixo têm um papel muito importante para

Leia mais

22 o. Prêmio Expressão de Ecologia

22 o. Prêmio Expressão de Ecologia 22 o. Prêmio Expressão de Ecologia 2014-2015 Feira Feira Comunidade troca lixo reciclável por alimentos Feira Fotos: Projeto: Lixo que Vale: Faça Sua Parte, Faça a Diferença Organização: Prefeitura Municipal

Leia mais

INICIO O morador de rua ainda é percebido como um vagabundo, que utiliza a caridade privada e a assistência governamental "espertamente", mas morador de rua é cidadão. É preciso ajudá-lo a encontrar meios

Leia mais

Coleta Seletiva em Grandes Geradores: Parcerias para a Responsabilidade Socioambiental

Coleta Seletiva em Grandes Geradores: Parcerias para a Responsabilidade Socioambiental Título do Trabalho: Coleta Seletiva em Grandes Geradores: Parcerias para a Responsabilidade Socioambiental Tema: Resíduos Sólidos Apresentador Edinilson Ferreira dos Santos Graduando em Gestão de Cidades,

Leia mais

O que é o Programa Reciclando Atitudes?

O que é o Programa Reciclando Atitudes? O que é o Programa Reciclando Atitudes? É um programa que visa despertar a reflexão da sociedade para a gestão adequada dos resíduos sólidos, através de ações socioambientais de sensibilização, formação,

Leia mais

POLÍTICA E PLANO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS - RJ

POLÍTICA E PLANO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS - RJ JBRJ POLÍTICA E PLANO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS - RJ Victor Zveibil Superintendente de Políticas de Saneamento SUPS/SEA outubro de 2013 O PACTO PELO SANEAMENTO - decreto estadual 42.930/11 SUBPROGRAMA

Leia mais

Sete Lagoas e o resgate da cidadania. Prefeitura ativa. Cidade viva.

Sete Lagoas e o resgate da cidadania. Prefeitura ativa. Cidade viva. Sete Lagoas e o resgate da cidadania Prefeitura ativa. Cidade viva. APRESENTAÇÃO A Prefeitura Municipal de Sete Lagoas, Minas Gerais, está desenvolvendo uma ação abrangente de resgate da cidadania, que

Leia mais

Barra/Gávea 2012 EDUCAR PARA A SUSTENTABILIDADE. Plano de Metas EP+20 +5. O O que diz a AGENDA AMBIENTAL. Reaproveitamento de águas de chuva METAS:

Barra/Gávea 2012 EDUCAR PARA A SUSTENTABILIDADE. Plano de Metas EP+20 +5. O O que diz a AGENDA AMBIENTAL. Reaproveitamento de águas de chuva METAS: Barra/Gávea 2012 EDUCAR PARA A SUSTENTABILIDADE Plano de Metas EP+20 +5 O O que diz a AGENDA AMBIENTAL ÁGUA Reaproveitamento de águas de chuva Tratamento de águas cinzas Fitodepuração do Rio Rainha 1.

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP Carlos Alberto Ferreira Rino (1) Mestre em Engenharia Química (UNICAMP, 1996). Engenheiro de Segurança do Trabalho (UNESP, 1994).

Leia mais

PRIMEIRA OFICINA DE CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA IMPLATAÇÃO DA COLETA SELETIVA REGIÃO DA BACIA LEITEIRA

PRIMEIRA OFICINA DE CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA IMPLATAÇÃO DA COLETA SELETIVA REGIÃO DA BACIA LEITEIRA ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS PRIMEIRA OFICINA DE CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA IMPLATAÇÃO DA COLETA SELETIVA REGIÃO DA BACIA LEITEIRA SUMÁRIO

Leia mais

11. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

11. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES 11. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES AÇÕES 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 2 0 21 2 2 2 3 24 Segmento do Estímulo à Participação (ESP) 1) Constituição da Equipe Técnica Social executora do projeto:

Leia mais

I Seminário Alagoano Pró-Catador Dias 15 e 16 de maio de 2014 Maceió Alagoas

I Seminário Alagoano Pró-Catador Dias 15 e 16 de maio de 2014 Maceió Alagoas I Seminário Alagoano Pró-Catador Dias 15 e 16 de maio de 2014 Maceió Alagoas Encaminhamentos e deliberações aprovados em Plenária: 1 Deve ocorrer assinatura de TAC entre os Municípios, incluindo a capital

Leia mais

PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na escola

PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na escola ESCOLA MUNICIPAL COSTA E SILVA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na escola MARECHAL CÂNDIDO RONDON, JULHO DE 2011. RESUMO: O presente

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Lixo que não é Lixo

Mostra de Projetos 2011. Lixo que não é Lixo Mostra Local de: Dois Vizinhos Mostra de Projetos 2011 Lixo que não é Lixo Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: APMF Escola Municipal Plínio

Leia mais

Coleta Seletiva Solidária na Colônia Juliano Moreira (Edital CSDT Fiocruz) JUNHO 2010 a AGOSTO 2011

Coleta Seletiva Solidária na Colônia Juliano Moreira (Edital CSDT Fiocruz) JUNHO 2010 a AGOSTO 2011 VPDIGT Plano de Metas de um Compromisso Institucional PROPOSTA DE IDENTIFICAÇAO DA ESTRUTURA DE UM COMPROMISSO INSTITUCIONAL / PROJETO COMPROMISSO VIGÊNCIA OBJETIVOS Coleta Seletiva Solidária na Colônia

Leia mais

PLANEJAMENTO DA GESTÃO DE RSU

PLANEJAMENTO DA GESTÃO DE RSU PLANEJAMENTO DA GESTÃO DE RSU copyright A criatividade com visão de longo prazo Planejamento da Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos 27/08/2015 1 SUMÁRIO 1 ENQUADRAMENTO LEGAL 2 PLANO DE GESTÃO INTEGRADA

Leia mais

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental III-032 - PROPOSTA ALTERNATIVA PARA A COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NA CIDADE DE CAMPO GRANDE/MS, VALORIZANDO A PARTICIPAÇÃO DOS CATADORES. Ana Luzia de Almeida Batista Martins Abrão (1)

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo.

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Saneamento Básico, Diagnóstico Ambiental, Infraestrutura.

PALAVRAS-CHAVE: Saneamento Básico, Diagnóstico Ambiental, Infraestrutura. VI-039 - SANEAMENTO BÁSICO: UMA ANÁLISE ESTRUTURAL DO BAIRRO PEDRA DO LORDE EM JUAZEIRO-BA, COMO AÇÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PET CONEXÕES DE SABERES - SANEAMENTO AMBIENTAL. Roberta Daniela da

Leia mais

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental. Os principais fatores que influenciam a produção do lixo estão listados.

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental. Os principais fatores que influenciam a produção do lixo estão listados. III-063 - ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DO LIXO DOMICILIAR URBANO DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO Mauro Wanderley Lima (1) Engenheiro pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ - 1981). Especialização

Leia mais

Articulação Institucional para a Coleta Seletiva com Inclusão Social: Projeto Recicla Pernambuco

Articulação Institucional para a Coleta Seletiva com Inclusão Social: Projeto Recicla Pernambuco Articulação Institucional para a Coleta Seletiva com Inclusão Social: Projeto Recicla Pernambuco BERTRAND SAMPAIO DE ALENCAR São José dos Campos, 11 de junho de 2015 O INSTITUTO DE TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL. Secretaria de Planejamento e Habitação Departamento de Meio Ambiente Secretaria de Educação, Cultura e Desporto.

PREFEITURA MUNICIPAL. Secretaria de Planejamento e Habitação Departamento de Meio Ambiente Secretaria de Educação, Cultura e Desporto. PREFEITURA MUNICIPAL Secretaria de Planejamento e Habitação Departamento de Meio Ambiente Secretaria de Educação, Cultura e Desporto Julho - 2012 ABRANGÊNCIA RESÍDUOS SÓLIDOS ESGOTAMENTO SANITÁRIO ABASTECIMENTO

Leia mais

UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O LIXO INTEGRANDO: UNIVERSIDADE, ESCOLA E COMUNIDADE

UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O LIXO INTEGRANDO: UNIVERSIDADE, ESCOLA E COMUNIDADE UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O LIXO INTEGRANDO: UNIVERSIDADE, ESCOLA E COMUNIDADE Resumo COSTA, Josiane da 1 - UNILA ONOFRIO, Alvaro Barcellos 2 - UNILA Grupo de Trabalho - Educação

Leia mais

Relatório Síntese a ser enviado à IV Conferência Regional de Meio Ambiente do Rio de Janeiro CEMARJ

Relatório Síntese a ser enviado à IV Conferência Regional de Meio Ambiente do Rio de Janeiro CEMARJ Relatório Síntese a ser enviado à IV Conferência Regional de Meio Ambiente do Rio de Janeiro CEMARJ Pré Conferência (Assinale com X que tipo de pré-conferência foi realizada): ( ) MUNICIPAL ( X ) REGIONAL

Leia mais

Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis

Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis Caro, candidato(a) à prefeito(a), após mais de 20 anos de tramitação

Leia mais

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem 1) COMO FUNCIONA? O PROBLEMA OU SITUAÇÃO ANTERIOR Anteriormente, todos os resíduos recicláveis ou não (com exceção do papelão), ou seja, papel, plásticos, vidros,

Leia mais

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE DE POÁ, SP.

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE DE POÁ, SP. TÍTULO: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE DE POÁ, SP. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO

Leia mais

PROGRAMA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: AÇÕES, RESULTADOS E PERSPECTIVAS

PROGRAMA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: AÇÕES, RESULTADOS E PERSPECTIVAS PROGRAMA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: AÇÕES, RESULTADOS E PERSPECTIVAS Ubirajara Aluizio de Oliveira Mattos (UERJ) ubirajaraaluizio@yahoo.com.br Elmo Rodrigues da Silva (UERJ)

Leia mais

Projeto Piloto Gerenciamento de Resíduos Sólidos ( Sairé)

Projeto Piloto Gerenciamento de Resíduos Sólidos ( Sairé) Projeto Piloto Gerenciamento de Resíduos Sólidos ( Sairé) Objetivo do Projeto: Promover o correto gerenciamento integrado dos resíduos sólidos urbanos nas Cidades de pequeno e médio porte. ( população

Leia mais

Planos de Resíduos Sólidos: conteúdo mínimo, implantação e deficiências. Compatibilidade dos contratos. Porto Alegre, 21 de agosto de 2015.

Planos de Resíduos Sólidos: conteúdo mínimo, implantação e deficiências. Compatibilidade dos contratos. Porto Alegre, 21 de agosto de 2015. Planos de Resíduos Sólidos: conteúdo mínimo, implantação e deficiências. Compatibilidade dos contratos Porto Alegre, 21 de agosto de 2015. CONTEÚDO 1. Políticas e Planos de Saneamento Básico e de Resíduos

Leia mais

PLANO DE SANEAMENTO AMBIENTAL

PLANO DE SANEAMENTO AMBIENTAL PLANO DE SANEAMENTO AMBIENTAL Município de Dois Irmãos Município de Dois Irmãos RS- RS Agosto, 2012 Agosto, 2012 Oficina Jogos Cooperativos: Bairro São João 02/06/2012 02/06/201 REFLEXÃO ABRANGÊNCIA RESÍDUOS

Leia mais

Guarulhos. Dados Estatísticos. Malha Rodoviária

Guarulhos. Dados Estatísticos. Malha Rodoviária Dados Estatísticos Guarulhos Região metropolitana Estado de São Paulo de São Paulo 2ª economia do estado de São Paulo 9ª economia do Brasil Tem extensão territorial de 320 km², sendo composta por 47 Bairros

Leia mais

PROGRAMA ITUIUTABA RECICLA

PROGRAMA ITUIUTABA RECICLA PROGRAMA ITUIUTABA RECICLA AUTOR E APRESENTADOR: Cristina Garvil Diretora da Superintendência de Água e Esgotos de Ituiutaba SAE Arquiteta, Mestranda em Engenharia de Produção com Ênfase em Gestão da Inovação

Leia mais

RECICLA MOGI. Ação local. Resultado global.

RECICLA MOGI. Ação local. Resultado global. RECICLA MOGI Ação local. Resultado global. Mogi das Cruzes Mogi das Cruzes produz mais de 350 toneladas de lixo por dia Mogi das Cruzes produz mais de 350 toneladas de lixo por dia e recicla cerca de 1%

Leia mais

Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI

Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI ABELARDO LUZ - SC Agosto de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

MEIO AMBIENTE PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE GESTÃO DE BIFENILAS POLICLORADAS. PROJETO BRA/08/G32 PNUD Edital 27435/2015.

MEIO AMBIENTE PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE GESTÃO DE BIFENILAS POLICLORADAS. PROJETO BRA/08/G32 PNUD Edital 27435/2015. PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE GESTÃO DE BIFENILAS POLICLORADAS PROJETO BRA/08/G32 PNUD Edital 27435/2015 MEIO AMBIENTE Fevereiro/2015 ESTRUTURA DO DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE Diretoria de Engenharia e Construção

Leia mais

Comissão de Sustentabilidade Campus Verde UNIFAL-MG. Ações realizadas em 2014 SUBCOMISSÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Comissão de Sustentabilidade Campus Verde UNIFAL-MG. Ações realizadas em 2014 SUBCOMISSÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Comissão de Sustentabilidade Campus Verde Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 Alfenas/MG - CEP 37.130-000 Fone (35) 3299-1062 http://www.unifal-mg.edu.br/sustentabilidade

Leia mais

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O V o l u m e V R E L A T Ó R I O D O S P R O G R A M A S, P R O J E T O S E A Ç Õ E S P A R A O A L C A N C E D O C E N Á R I O R E F E R

Leia mais

SEMA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE SEMEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA PARCERIA - PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE

SEMA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE SEMEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA PARCERIA - PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE SEMA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE SEMEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA PARCERIA - PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE ÁGUA DOCE DO NORTE

Leia mais

Educação ambiental e participação comunitária. Modelo de projeto (estruturação)

Educação ambiental e participação comunitária. Modelo de projeto (estruturação) Educação ambiental e participação comunitária Modelo de projeto (estruturação) A problemática da coleta seletiva 3.2. Concepção geral do sistema projetado 3.3. Objetivos gerais 3.4. Objetivos específicos

Leia mais

Ocorrências por mídia:

Ocorrências por mídia: 1. OCORRÊNCIAS O mês de abril foi bastante positivo para o Secovi Rio em termos de exposição na mídia: foram 60 ocorrências em 32 veículos diferentes, 33% a mais que o registrado no mesmo mês do ano passado.

Leia mais

O MNCR Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis RJ

O MNCR Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis RJ A Catergoria Embora a atividade seja exercida desde de 1950, o catador sempre foi visto como sujeito excluído socialmente, apesar de nós catadores sempre prestarmos um serviço de extrema importância para

Leia mais

CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2011/2012 RECURSOS SÓLIDOS RECICLAGEM COM DESTINO CERTO.

CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2011/2012 RECURSOS SÓLIDOS RECICLAGEM COM DESTINO CERTO. CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2011/2012 RECURSOS SÓLIDOS RECICLAGEM COM DESTINO CERTO. São Miguel do Oeste/SC 2012 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1. AABB SÃO MIGUEL- SÃO MIGUEL DO OESTE/SC 1.2.TÍTULO: RECICLAGEM

Leia mais

FUNDO DE COLETA SELETIVA E LOGÍSTICA REVERSA COM INCLUSÃO DE CATADORES

FUNDO DE COLETA SELETIVA E LOGÍSTICA REVERSA COM INCLUSÃO DE CATADORES FUNDO DE COLETA SELETIVA E LOGÍSTICA REVERSA COM INCLUSÃO DE CATADORES PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO Decreto 54.991/2014 (leis 12.305/2010, 11.445/2007 e 12.187/2009)

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE COLETA SELETIVA

PLANO MUNICIPAL DE COLETA SELETIVA MUNICÍPIO DE CANOAS AMBIETICA ASSESSORIA AMBIENTAL LTDA PRODUTO: INDICADORES DA COLETA SELETIVA PLANO MUNICIPAL DE COLETA SELETIVA Setembro, 2015. DADOS DO CONTRATO PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS/RS Rua

Leia mais

III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL

III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL INSTITUIÇÕES: COMPANHIA DE SERVIÇOS URBANOS DE NATAL URBANA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Leia mais

TRAÇOS DO PERFIL DOS CATADORES DEMATERIAIS RECICLÁVEIS DO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA/RS 1

TRAÇOS DO PERFIL DOS CATADORES DEMATERIAIS RECICLÁVEIS DO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA/RS 1 TRAÇOS DO PERFIL DOS CATADORES DEMATERIAIS RECICLÁVEIS DO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA/RS 1 SILVA, Enedina Maria Teixeira 2, VIRGOLIN, Isadora Cadore 3, ISRAEL, Ana Lúcia Pinheiro 4, VERISSIMO, Fabiane 5, GUMA,

Leia mais

A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG.

A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG. A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG. (Projeto InterAção) Introdução Com a tendência de um crescimento mundial da população, gerando um desenvolvimento industrial

Leia mais

Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos

Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos 147 Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos VIABILIDADE DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA NO IFPB CAMPUS PRINCESA ISABEL: CARACTERIZAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS Queliane Alves da Silva 1 ; Ana Lígia

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental

Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental Departamento de Cidadania e Responsabilidade Socioambiental Programa Agenda 21 A Agenda 21 Global, Global assinada

Leia mais

HISTÓRIA DO APL. Surgimento do APL - Criado em novembro de 2007. Entidades que apoiaram a criação Sebrae/DF; Unb/Lacis; Sebrae/NA; FIBRA/DF; NE/DF

HISTÓRIA DO APL. Surgimento do APL - Criado em novembro de 2007. Entidades que apoiaram a criação Sebrae/DF; Unb/Lacis; Sebrae/NA; FIBRA/DF; NE/DF HISTÓRIA DO APL Surgimento do APL - Criado em novembro de 2007 Entidades que apoiaram a criação Sebrae/DF; Unb/Lacis; Sebrae/NA; FIBRA/DF; NE/DF Instituições do setor produtivo que constituiu o APL ASCOLES;CENTCOOP

Leia mais

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 1.223/2013 DE 16 DE ABRIL DE 2013. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE CACHOEIRA ALTA, Estado de Goiás, por

Leia mais

Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis CIISC.

Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis CIISC. Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis CIISC. Casa Civil da Presidência da República Ministério da Educação Ministério da Saúde

Leia mais

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Geraldo Antônio Reichert Coordenador da Câmara Temática de Resíduos Sólidos ABES Associação Brasileira de Engenharia Sanitária

Leia mais

Ministério Público do Trabalho

Ministério Público do Trabalho Ministério Público do Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da Nona Região www.prt9.mpt.gov.br A realidade Fundamentos Jurídicos Declaração Universal dos Direitos do Homem, que diz que o reconhecimento

Leia mais

Ministério Público do Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da Nona Região. www.prt9.mpt.gov.br

Ministério Público do Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da Nona Região. www.prt9.mpt.gov.br Ministério Público do Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da Nona Região www.prt9.mpt.gov.br A realidade Fundamentos Jurídicos Declaração Universal dos Direitos do Homem, que diz que o reconhecimento

Leia mais