A Siderurgia brasileira de aços planos e o Atendimento ao Mercado Naval e Offshore

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Siderurgia brasileira de aços planos e o Atendimento ao Mercado Naval e Offshore"

Transcrição

1 A Siderurgia brasileira de aços planos e o Atendimento ao Mercado Naval e Offshore Workshop de Tecnologia de Construção Naval e Offshore PROMINP Firjan, 24 de Junho de 2009 Sergio Leite de Andrade Vice - Presidente de Negócios

2 AGENDA O Mercado Brasileiro de Aços Planos Vendas da Usiminas para Indústria Naval e Offshore Tendências Tecnológicas Investimentos da Usiminas A dinâmica de negócios da Usiminas para indústria Naval e Offshore Considerações Finais

3 AGENDA O Mercado Brasileiro de Aços Planos Vendas da Usiminas para Indústria Naval e Offshore Tendências Tecnológicas Investimentos da Usiminas A dinâmica de negócios da Usiminas para indústria Naval e Offshore Considerações Finais

4 Produção de Aço no Brasil Taxa de Crescimento Anual x 10³ t. 8,9% a.a. 1,8% a.a. 2,5% a.a. Fonte IBS

5 Produção de Aço no Brasil A Usiminas é Líder no fornecimento de Aço no Brasil com 24% da produção de Aço Bruto e 49% da produção de Aços Planos ao carbono. Aços Planos e Longos 33,7 Milhões t 2008 Aços Planos 13,7 Milhões t 2008 Fonte IBS

6 A Usiminas no Mercado Doméstico USIMINAS é Líder de Mercado nos principais segmentos consumidores de Aços Planos MARKET SHARE DA USIMINAS POR SEGMENTO (%) TOTAL: 49% Fonte IBS

7 AGENDA O Mercado Brasileiro de Aços Planos Vendas da Usiminas para Indústria Naval e Offshore Tendências Tecnológicas Investimentos da Usiminas A dinâmica de negócios da Usiminas para indústria Naval e Offshore Considerações Finais

8 Vendas da Usiminas - Naval e Offshore Evolução da Comercialização de Aços para Aplicação Naval e Offshore. X 1000 t

9 Perspectivas do Segmento Naval no Brasil O Potencial do Mercado de Navios envolve: Encomendas da TRANSPETRO (PROMEF - Programa de Modernização e Expansão da Frota I e II) e afretamentos de Navios para o setores de Óleo e Derivados; PDVSA; GTL - Graneleiro LOG-IN (Vale) - Container e Bauxita Navios Sonda PSV(Platform Supply Vessel) - Barcos de apoio a plataformas e outros PROFROTA PESQUEIRA(Programa de Renovação da Frota Pesqueira) A capacidade atual processamento de aço do Setor Naval e de Plataformas = 450 mil t/ano. Expansão do EAS (Estaleiro Atlântico Sul), EISA (Estaleiro Ilha S/A - Maranhão), W Torre ( Rio Grande do Sul ) essa capacidade deverá atingir 550 mil, a partir de Demanda Projetada de Chapas Grossas SETOR NAVAL POTENCIAL Demanda média no período = 156 mil ton/ano. x 10³ t. Obs: as condições atuais das licitações e contratações estão provocando o alongamento dos prazos previstos anteriormente.

10 Perspectivas do Segmento Offshore no Brasil O potencial de mercado de Plataformas: Plano da Petrobras de plataformas de perfuração para operar em águas profundas e ultra-profundas até plataformas a serem construídas no Brasil e operadas por empresas brasileiras, com recebimento entre 2013 e plataformas já tiveram licitação internacional até 2012 Demanda Projetada de Chapas Grossas PLATAFORMAS POTENCIAL Demanda média no período = 32 mil ton/ano. x 10³ t. Obs: as condições atuais das licitações e contratações estão provocando o alongamento dos prazos previstos anteriormente.

11 AGENDA O Mercado Brasileiro de Aços Planos Vendas da Usiminas para Indústria Naval e Offshore Tendências Tecnológicas Investimentos da Usiminas A dinâmica de negócios da Usiminas para indústria Naval e Offshore Considerações Finais

12 Macro-Tendências da Indústria de Petróleo e Gás Crescente Exigência de Produtos com Elevado Conteúdo Tecnológico. Aços com CEQ (Carbono Equivalente) baixo, Charpy à baixas temperaturas, inclusive a 1/2 da espessura, DWTT (Drop Weight Tear Test) à baixas temperaturas (-40ºC ~ -60ºC), Tração Z, Espessuras até 75mm, Aços anti sour e Aços High Strenght. Maior Utilização de aços produzidos por TMCP - Termo-Mechanical Control Process, via resfriamento acelerado. Ampliação das Faixas Dimensionais e Maiores Exigências de Tolerâncias, Planicidade, Qualidade Superficial e Interna. Alteração das Normas Técnicas com maior rigor em relação aos critérios de Especificação. Disputa de Projetos em Nível Global, com maior número de Players capacitados tecnologicamente.

13 AGENDA O Mercado Brasileiro de Aços Planos Vendas da Usiminas para Indústria Naval e Offshore Tendências Tecnológicas Investimentos da Usiminas A dinâmica de negócios da Usiminas para indústria Naval e Offshore Considerações Finais

14 Investimentos para a Indústria de Petróleo e GásG Investimentos com uma configuração tecnológica atualizada e adequada ao atendimento das necessidades atuais e futuras de toda a cadeia da indústria de Petróleo e Gás. Aumento de Produção e Atualização Tecnológica na Linha de Chapas Grossas Expansão da Oferta em 500 mil toneladas/ano Introdução da Tecnologia de Produção de Aços de Alto conteúdo Tecnológico da Nippon Steel Co. para processamento de Chapas Grossas via TMCP. Mix produtos: Aços de Ultra Alta Resistência ( > 600 MPa ) e Anti-Sour para Dutos, Naval e Offshore Novo Laminador de Tiras a Quente Capacidade de 2,3 Milhões toneladas/ano (1 a Fase) Faixa de espessura: 1,5-25,4 mm e de largura: mm Peso máx. de Bobina: 35 ton. Mix produtos: Aços Naval e Estrutural de Ultra Alta Resistência ( > 600 MPa ), Aços API (até X80).

15 Investimento em Pesquisa e Desenvolvimento O maior Centro de Pesquisa de Siderurgia da América Latina concentra desenvolvimentos em diversas áreas na busca do Estado da Arte. Laboratório de Conformação Laboratório Químico Laboratório de Simulação Computacional Laboratório de Soldagem Laboratório Materiais Cerâmicos Laboratório de Laminação Laboratório de Física e Metalurgia Laboratório Térmico Laboratório de Eletro-Eletrônico Laboratório Corrosão e Tratamento superficial Laboratório de Mecânica Laboratório de União

16 AGENDA O Mercado Brasileiro de Aços Planos Vendas da Usiminas para Indústria Naval e Offshore Tendências Tecnológicas Investimentos da Usiminas A dinâmica de negócios da Usiminas para indústria Naval e Offshore Consideração Final

17 DINÂMICA DE NEGÓCIOS DA USIMINAS A USIMINAS, em consonância com sua estratégia de Atendimento à Indústria de Petróleo e Gás, tem atuado no sentido de posicionar-se no Estado da Arte Tecnológico. Nesse contexto, vem desenvolvendo uma Estratégia abrangendo... Relacionamento Nippon Steel Metal One Usiminas Mecânica Usiminas Produtos Serviços

18 DINÂMICA DE NEGÓCIOS DA USIMINAS Produtos INTRODUÇÃO DA TECNOLOGIA CLC Continuous on line process - DE PRODUÇÃO DE CHAPAS GROSSAS POR TMCP RESFRIAMENTO ACELERADO - PATENTE NIPPON STEEL CO. INVESTIMENTOS NA ATUALIZAÇÃO TECNOLÓGICA DAS USINAS EM BUSCA DO ESTADO DA ARTE MUNDIAL NA PRODUÇÃO DE AÇOS DE ALTA PERFORMANCE. PARCERIA TECNOLÓGICA COM A NIPPON STEEL CO. NO DESENVOLVIMENTO DE AÇOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO. DISPONIBILIZAÇÃO DO PORTFÓLIO COMPLETO DE SOLUÇÕES EM AÇO PARA APLICAÇÃO NAVAL E OFFSHORE.

19 DINÂMICA DE NEGÓCIOS DA USIMINAS Serviços Usiminas Mecânica DESENVOLVIMENTO E EXECUÇÃO DE PROJETOS ENVOLVENDO SISTEMAS INTEGRADOS: Engenharia conceitual, de processo e de fabricação; Suprimentos; Montagem, manutenção e instalação; FORMAÇÃO DE CONSÓRCIOS NO DESENVOLVIMENTO E EXECUÇÃO DE GRANDES PROJETOS EM TURN-KEY. PARCEIRIAS TECNOLÓGICAS NO NEGÓCIO DE MONTAGEM, PAINÉIS E BLOCOS PARA NAVIOS, PLATAFORMAS E ESTALEIROS.

20 DINÂMICA DE NEGÓCIOS DA USIMINAS Relacionamento ESTRUTURAR UM PROGRAMA DE SINERGIA COM TODA A CADEIA DE PRODUÇÃO, EM ESPECIAL COM CLIENTES-CHAVE, CENTROS DE SERVIÇOS, CENTRO DE PESQUISAS E UNIVERSIDADES, OBJETIVANDO O DESENVOLVIMENTO DO MERCADO E DA APLICAÇÃO DOS PRODUTOS. CLC APPLICATION GROUP; EQUIPE DE VENDAS ALTAMENTE QUALIFICADA E PRÓ ATIVA; DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS E PROJETOS CUSTOMIZADOS; AMPLIAÇÃO DA ATUAÇÃO DO CENTRO DE PESQUISAS E SUPORTE TÉCNICO AOS CLIENTES.

21 Considerações finais. Ao longo de sua história, a USIMINAS tem considerado o Setor de Petróleo e Gás s como estratégico, desenvolvendo um atendimento prioritário e diferenciado, principalmente quanto a garantia de abastecimento e desenvolvimento de produtos. Atualmente está capacitada para o atendimento das demandas do setor quanto ao abastecimento, produtos e serviços. Entretanto, ciente dos novos desafios, a USIMINAS realiza um programa de investimentos significativos de modo a se capacitar para as demandas futuras. Destaca-se se a introdução da Tecnologia de Produção de Aços A CLC da Nippon Steel Corporation,, o que permitirá um Novo Ciclo de Desenvolvimento de Produtos de Alta Performance, além m da integração com as soluções em serviços da Usiminas Mecânica e da Metal One,, contribuindo para o aumento da competitividade da Indústria nacional de Petróleo e Gás. G

22 MUITO OBRIGADO!

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia Pós-Graduação Stricto Sensu Pós-Graduação Lato Sensu Extensão Graduação Diagnósticos Tecnológicos Soluções de Problemas Empresariais

Leia mais

A Tecnologia CLC de produção de Chapas Grossas aplicada à indústria de Petróleo e Gás

A Tecnologia CLC de produção de Chapas Grossas aplicada à indústria de Petróleo e Gás A Tecnologia CLC de produção de Chapas Grossas aplicada à indústria de Petróleo e Gás Leonardo de Oliveira Turani MSc, Especialista de Marketing Apresentação ao II Seminário de Óleo, Gás e Energia Renováveis

Leia mais

Isaias Quaresma Masetti. Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br

Isaias Quaresma Masetti. Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br Inovação Tecnológica Frente aos Desafios da Indústria Naval Brasileira Isaias Quaresma Masetti Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br ... O maior obstáculo à indústria

Leia mais

A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro

A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro Rio de Janeiro Localização Sudeste do Brasil (56% do PIB nacional) Área 43.90 km 2 (0,5% do território brasileiro) População 5,4 Mi (8,4% do total)

Leia mais

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Oportunidades e desafios de qualificação profissional III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Petrobras Plano de Negócios 2014-2018 Inovação e Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

Empresa. Unidades fabris/centros de distribuição

Empresa. Unidades fabris/centros de distribuição Empresa Presente no cenário nacional desde 1988, a palavra de ordem da Multiaços é antecipar às necessidades do mercado. Essa preocupação colocou a empresa entre as líderes no fornecimento de aços planos,

Leia mais

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público nº 345 novembro 2014 Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público Odebrecht 70 anos: histórico e perspectivas em Óleo e Gás Foz Saneatins passa a se chamar Odebrecht Ambiental Saneatins

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 2º Workshop Platec E&P Onshore - Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos

Leia mais

A estrutura da Indústria do Rio Grande do Sul para o segmento de Petróleo, Gás, Naval e Offshore

A estrutura da Indústria do Rio Grande do Sul para o segmento de Petróleo, Gás, Naval e Offshore A estrutura da Indústria do Rio Grande do Sul para o segmento de Petróleo, Gás, Naval e Offshore Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore CCPGE 28 de maio de 2014 Atuação FIERGS CCPGE

Leia mais

Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário. Porto Alegre, agosto de 2010.

Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário. Porto Alegre, agosto de 2010. Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário Porto Alegre, agosto de 2010. APOIO AO Polo Naval - Rio Grande Atuação integrada do Governo, por meio da SEINFRA e SEDAI, voltada

Leia mais

Willis Latin American Energy Conference

Willis Latin American Energy Conference Willis Latin American Energy Conference Planejamento Financeiro e Gestão de Riscos outubro 2012 Cátia Diniz Gerente Setorial de Seguros Internacionais Estas apresentações podem conter previsões acerca

Leia mais

PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS. Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente

PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS. Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente SMS GROUP Líder na fabricação de equipamentos e máquinas Sob o amparo da SMS Holding GmbH, o SMS

Leia mais

Programa Indústria Marítima

Programa Indústria Marítima Programa Indústria Marítima Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Março/2010 Gestor: Carlos Eduardo Macedo Coordenador-Geral das Indústrias de Transporte Aéreo

Leia mais

A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ. CAMPUS 2014 Brésil Internacional

A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ. CAMPUS 2014 Brésil Internacional A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ CAMPUS 2014 Brésil Internacional Agenda PetróleoeGásNaturalnoBrasileRiodeJaneiro Situação da Indústria Naval Sistema FIRJAN: Soluções para Indústria de P&G

Leia mais

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO Seminário A competitividade do comércio exterior capixaba: infraestrutura logística e controle aduaneiro Cristina Vellozo Santos Subsecretária de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

Indústria Naval e Offshore no Brasil

Indústria Naval e Offshore no Brasil Indústria Naval e Offshore no Brasil Agenda 1. A Política de Conteúdo Local e a Retomada da Indústria Naval no Brasil. 2. Cadeia Produtiva do Setor Naval (Navipeças). 3. Produtividade da Indústria Naval

Leia mais

EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO

EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO Objetivo Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis, na implantação de projetos de óleo e gás no Brasil e no exterior. 1 Desafios Históricos:

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS. Rua Des. Antonio de Paula, 848 Boqueirão Curitiba PR acossulnorte@acossulnorte.com.br www.acossulnorte.com.

CATÁLOGO DE PRODUTOS. Rua Des. Antonio de Paula, 848 Boqueirão Curitiba PR acossulnorte@acossulnorte.com.br www.acossulnorte.com. F o n e : ( 4 1 ) 3 0 9 1-6 9 0 0 Rua Des. Antonio de Paula 848 Boqueirão Curitiba PR acossulnorte@acossulnorte.com.br w w w. a c o s s u l n o r t e. c o m. b r CATÁLOGO DE PRODUTOS MATRIZ BARRAS CANTONEIRAS

Leia mais

1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES

1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES 1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES FEV - 2013 Mercado de atuação do EEP descobertas do pré-sal: o Brasil se transformou no grande mercado para diversos equipamentos

Leia mais

Reunião Pública com Analistas e Investidores 2011. Relações com Investidores

Reunião Pública com Analistas e Investidores 2011. Relações com Investidores Reunião Pública com Analistas e Investidores 2011 Relações com Investidores A Tenaris Sobre a Tenaris Líder global na produção de tubos de aço e serviços para a indústria energética, automotiva e aplicações

Leia mais

Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014

Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014 1 Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014 Brasil: Fundamentos Macroeconômicos (1) Reservas International

Leia mais

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014 Os Desafios do Pré-Sal: Riscos e Oportunidades para o País As Políticas Industrial e de Inovação no setor de Petróleo e Gás Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho

Leia mais

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Santos Offshore Alfredo Renault Santos, 10 de abril de 2014. Sumário I PERSPECTIVAS E INVESTIMENTOS DO SETOR II A CADEIA DE FORNECEDORES III

Leia mais

Workshop sobre Produtividade de Capital no Brasil: Diagnóstico e Proposições

Workshop sobre Produtividade de Capital no Brasil: Diagnóstico e Proposições 13/12/2010 Workshop sobre Produtividade de Capital no Brasil: Diagnóstico e Proposições Presentes no evento: Diretor Presidente: Solon Guimarães Filho Diretor Vice Presidente: Laerte Galhardo Superintendes

Leia mais

A modernização do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo

A modernização do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo A modernização do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo Eng. Dr. Fulvio Vittorino Diretor do Centro Tecnológico do Ambiente Construído São Paulo, 16 de fevereiro de 2011 O que é 1899:

Leia mais

Catálogo de produtos

Catálogo de produtos Catálogo de produtos 2 a bernifer A Bernifer Perfilados de Aço, com mais de 40 anos de experiência em siderurgia, distribui e processa aço para diversos segmentos, tais como: construção civil, óleo e gás,

Leia mais

O Marco Regulatório do Pré-Sal e a Cadeia Produtiva da Industria: Desafios e Oportunidades

O Marco Regulatório do Pré-Sal e a Cadeia Produtiva da Industria: Desafios e Oportunidades O Marco Regulatório do Pré-Sal e a Cadeia Produtiva da Industria: Desafios e Oportunidades Construção de uma Política Industrial Setorial Eloi Fernández y Fernández Diretor Geral ONIP Brasilia, 3 de outubro

Leia mais

OSX Apresentação Institucional. Agosto, 2011

OSX Apresentação Institucional. Agosto, 2011 OSX Apresentação Institucional Agosto, 20 Estrutura da OSX Estrutura Organizacional 78,9%* Free Float 2,% Holding Provedor de equipamentos e serviços integrados para exploração e produção de petróleo e

Leia mais

Companhia Siderúrgica Nacional. www.csn.com.br

Companhia Siderúrgica Nacional. www.csn.com.br Companhia Siderúrgica Nacional www.csn.com.br AÇOS ELÉTRICOS - GRÃO ORIENTADO - GO Eq. Estáticos (Transformadores) - GRÃO NÃO ORIENTADO - GNO Eq. Rotativos (Motores) - TOTALMENTE PROCESSADO: A principal

Leia mais

Tubos cladeados. Tubos resistentes à corrosão. Tubos cladeados

Tubos cladeados. Tubos resistentes à corrosão. Tubos cladeados 1 Tubos cladeados Tubos resistentes à corrosão Tubos cladeados Tubos especiais e componentes prontos para a instalação Tubulações pré-fabricadas e componentes soldados Vasos, tanques e torres Construção

Leia mais

FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO

FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO PLANO ESTRATÉGICO 2015 Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nas atividades da indústria de óleo, gás e energia, nos mercados nacional

Leia mais

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível SEMINÁRIO JURÍDICO-FISCAL E WORKSHOP TÉCNICO DA 4 a RODADA DE LICITAÇÕES DA ANP CAPACIDADE Clique para editar NACIONAL os estilos do texto DA mestre CADEIA Segundo DE nível SUPRIMENTO PARA PETRÓLEO E GÁS

Leia mais

PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS. Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente

PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS. Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente GRUPO SMS Líder na fabricação de equipamentos e máquinas Sob o amparo da SMS Holding GmbH, o Grupo

Leia mais

ANCORAS METALICAS. Projetos / Aplicações / Importância / Análise de danos

ANCORAS METALICAS. Projetos / Aplicações / Importância / Análise de danos ANCORAS METALICAS Projetos / Aplicações / Importância / Análise de danos Conceito Âncoras / Clipes / Chumbadores Grapas Rabo de andorinha / Grampo Conceito Âncoras / Clipes / Chumbadores Grapas Rabo de

Leia mais

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 1 Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 O Conselho de Administração aprovou o Plano de Negócios 2010-2014, com investimentos totais de US$ 224 bilhões, representando a média de US$ 44,8 bilhões

Leia mais

Vantagens da Aplicação do Aço na Sinalização Rodoviária. 7º Encontro Técnico DER/PR

Vantagens da Aplicação do Aço na Sinalização Rodoviária. 7º Encontro Técnico DER/PR Vantagens da Aplicação do Aço na Sinalização Rodoviária 7º Encontro Técnico DER/PR AÇO BRUTO MILHÕES DE TON / ANO PRODUÇÃO MUNDIAL Após um período longo de estagnação, a produção mundial de aço iniciou

Leia mais

CODIN COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CODIN COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CODIN COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Panorama da Indústria Naval e Offshore 26.03.2013 Indústria Naval Brasileira Source: SINAVAL RIO GRANDE DO SUL EBR Estaleiros do

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS - UFPR CAPÍTULO 1 AÇOS ESTRUTURAIS

ESTRUTURAS METÁLICAS - UFPR CAPÍTULO 1 AÇOS ESTRUTURAIS ESTRUTURAS METÁLICAS - UFPR CAPÍTULO 1 AÇOS ESTRUTURAIS 1 INDICE CAPÍTULO 1 - AÇOS ESTRUTURAIS...1 1 INTRODUÇÃO - HISTÓRICO... 1 2 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DAS ESTRUTURAS DE AÇO... 2 3 REFERÊNCIAS NORMATIVAS...

Leia mais

Workshop Sistema Indústria Núcleos de Petróleo e Gás nos Estados

Workshop Sistema Indústria Núcleos de Petróleo e Gás nos Estados Workshop Sistema Indústria Núcleos de Petróleo e Gás nos Estados Maurício Reis Santos AIB/DECAPEG Área de Insumos Básicos Departamento da Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás DEMANDA POR PETRÓLEO: aumento

Leia mais

Apoio do BNDES para a Cadeia de Fornecedores de P&G -Programa BNDES P&G -

Apoio do BNDES para a Cadeia de Fornecedores de P&G -Programa BNDES P&G - Apoio do BNDES para a Cadeia de Fornecedores de P&G -Programa BNDES P&G - Departamento da Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás Área de Insumos Básicos Outubro de 2011 1 Agenda 1.OBNDESeaIndústriadeP&G 2.ACadeiadeFornecedoresdeP&G

Leia mais

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Políticas de Inovação para o Crescimento Inclusivo: Tendências, Políticas e Avaliação PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria Rio

Leia mais

www.ruukki.pt SEGURANÇA AVANÇADA PARA AÇO RAMOR ARMOUR

www.ruukki.pt SEGURANÇA AVANÇADA PARA AÇO RAMOR ARMOUR www.ruukki.pt SEGURANÇA AVANÇADA PARA AÇO RAMOR ARMOUR Segurança avançada para aço Ramor - Armour O mundo é imprevisível Em condições sujeitas à mudança, você nunca está preparado demais. Quando a segurança,

Leia mais

Segen F. Estefen Diretor de Tecnologia e Inovação Caminhos para a Inovação Painel Mecanismos de Financiamento Senado Federal, Brasília, 14 de junho

Segen F. Estefen Diretor de Tecnologia e Inovação Caminhos para a Inovação Painel Mecanismos de Financiamento Senado Federal, Brasília, 14 de junho Segen F. Estefen Diretor de Tecnologia e Inovação Caminhos para a Inovação Painel Mecanismos de Financiamento Senado Federal, Brasília, 14 de junho de 2012 UFRJ Ilha da Cidade Universitária Campus da Universidade

Leia mais

Produtos e Serviços para a Construção Naval e a Indústria Offshore

Produtos e Serviços para a Construção Naval e a Indústria Offshore Produtos e Serviços para a Construção Naval e a Indústria Offshore Condições de Financiamento Luiz Marcelo Martins (luizmarcelo@bndes.gov.br) Março 2011 Crescimento Brasileiro e Investimentos Crescimento

Leia mais

El desarrollo del galvanizado general em Brasil em los últimos 5 años. Ulysses Nunes, Mangels - Brasil

El desarrollo del galvanizado general em Brasil em los últimos 5 años. Ulysses Nunes, Mangels - Brasil El desarrollo del galvanizado general em Brasil em los últimos 5 años Ulysses Nunes, Mangels - Brasil Mercado Galvanização Mercado Galvanização Mercado Galvanização Mercado Galvanização Desenvolvimento

Leia mais

O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore

O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore Porto Alegre, 27 de julho de 2011 Panorama Brasileiro Novo

Leia mais

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás Dezembro 2013 Tópicos Cenário P&G Rede de Núcleos de P&G - CNI e Federações Desenvolvimento de APLs

Leia mais

INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA

INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA UM NOVO MOMENTO DA INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA ENSEADA. A QUALIDADE, A PRODUTIVIDADE E A TECNOLOGIA DOS MELHORES ESTALEIROS DO MUNDO AGORA NO BRASIL Resultado da associação entre Odebrecht, OAS, UTC e Kawasaki,

Leia mais

Aços Longos. Perfis e Barras Linha Estrutural e Serralheria

Aços Longos. Perfis e Barras Linha Estrutural e Serralheria Aços Longos Perfis e Barras Linha Estrutural e Serralheria Perfis e Barras Linha Estrutural e Serralheria Padrão de Qualidade O padrão de qualidade dos produtos ArcelorMittal está presente também na linha

Leia mais

1. Informações Institucionais

1. Informações Institucionais 1. Informações Institucionais Nossa Empresa Líder mundial em eventos de negócios e consumo, a Reed Exhibitions atua na criação de contatos, conteúdo e comunidades com o poder de transformar negócios Números

Leia mais

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Seminário BNDES: Desenvolvimento da cadeia de fornecedores de petróleo e gás Guilherme Estrella Diretor de E&P Rio Rio de de Janeiro, 1º 1º de de setembro

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010

PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010 PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010 MISSÃO Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nas atividades da indústria de óleo, gás e energia, nos mercados

Leia mais

Transformando aço, conduzindo soluções. Andaimes e Escoras

Transformando aço, conduzindo soluções. Andaimes e Escoras Transformando aço, conduzindo soluções. Andaimes e Escoras TUPER Mais de 40 anos transformando aço e conduzindo soluções. A Tuper tem alta capacidade de transformar o aço em soluções para inúmeras aplicações.

Leia mais

Dr. Sergio M. Rossitti VI Ciclo de Palestras sobre Desenvolvimento Tecnológico Junho 2010

Dr. Sergio M. Rossitti VI Ciclo de Palestras sobre Desenvolvimento Tecnológico Junho 2010 PENSE BASTANTE, MAS REALIZE AINDA MAIS! Dr. Sergio M. Rossitti VI Ciclo de Palestras sobre Desenvolvimento Tecnológico Junho 2010 Apresentação Sergio M. Rossitti Engenheiro de Materiais UFSCar 1984 Mestre

Leia mais

Produtos de Aço para Indústria e Construção Civil

Produtos de Aço para Indústria e Construção Civil Produtos de Aço para Indústria e Construção Civil CATÁLOGO 2015 AÇOS longos E PLANOS PRODUTOS DE AÇO PARA INDÚSTRIA E CONSTRUÇÃO CIVIL SUMÁRIO Sobre a Dimensão Aços Longos e Planos Produtos para Produtos

Leia mais

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Coordenadoria de Conteúdo Local Marintec South America / 12ª Navalshore, 12/08/15 A Política de Conteúdo Local Definição: Política

Leia mais

Ciclo de. Presidente Maria das Graças as Silva Foster. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012

Ciclo de. Presidente Maria das Graças as Silva Foster. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012 Lançamento amento do 6º 6 Ciclo de Qualificação do Prominp Coletiva de Imprensa Presidente Maria das Graças as Silva Foster Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012 Política de Conteúdo Local da Petrobras Aprovada

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DE AÇO INOXIDÁVEL

MANUAL TÉCNICO DE AÇO INOXIDÁVEL MANUAL TÉCNICO DE AÇO INOXIDÁVEL Manual Técnico de Aço Inoxidável Índice 1. INTRODUÇÃO...59 2. FABRICAÇÃO DO INOX...60 3. APLICABILIDADE DO AÇO INOXIDÁVEL...61 3.1 - Aço Inoxidável Austenítico...61 3.2

Leia mais

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013 Apimec Florianópolis Dezembro 2013 Exoneração de Responsabilidades Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer forma, para a subscrição ou compra de ações ou qualquer outro

Leia mais

Painel 13. Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos na Área Aeronáutica e Aquaviária.

Painel 13. Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos na Área Aeronáutica e Aquaviária. Senado Federal AUDIÊNCIA PÚBLICA P DA COMISSÃO DE INFRAESTRUTURA Painel 13 Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos na Área Aeronáutica e Aquaviária Luiz Felipe

Leia mais

Desafios para a laminação das novas demandas de materiais especiais (O&G)

Desafios para a laminação das novas demandas de materiais especiais (O&G) Desafios para a laminação das novas demandas de materiais especiais (O&G) Carlos Cunha D. Henriques PETROBRAS/CENPES Tecnologia de Materiais e Corrosão Sumário Seleção de Materiais para Óleo & Gás: Processos

Leia mais

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO Fórum de Desenvolvimento do Turismo Náutico

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO Fórum de Desenvolvimento do Turismo Náutico OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO Fórum de Desenvolvimento do Turismo Náutico Duarte Aquino Secretaria de Desenvolvimento do Estado do Espírito Santo Vitória, 22/09/2011 POR QUE INVESTIR NO ESPÍRITO SANTO?

Leia mais

Projeto de Nacionalização de Baleeiras - PROMINP E&P 11

Projeto de Nacionalização de Baleeiras - PROMINP E&P 11 Projeto de Nacionalização de Baleeiras - PROMINP E&P 11 Sergio Granati Rib Offshore Serviços Técnicos de Petróleo Ltda. Garibaldi - RS Novembro/2007 Rib Offshore Fabricante de embarcações e produtos voltados

Leia mais

PRODUTOS PRÉ-PINTADO GALVALUME. A evolução do aço zincado. Composição do Revestimento. Estrutura. Resistência à corrosão.

PRODUTOS PRÉ-PINTADO GALVALUME. A evolução do aço zincado. Composição do Revestimento. Estrutura. Resistência à corrosão. PRODUTOS GALVALUME A evolução do aço zincado A liga AL-Zn do Galvalume CSN é a melhor solução para proteger o aço contra a corrosão, o que sempre representou um grande desa?o. Ela pode ser utilizada em

Leia mais

O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS. Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS

O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS. Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS 1 Pré-sal História geológica 164 130 122 108 152 Milhões Milhões Milhões Forma atual de de anos

Leia mais

PERFIL E DEMANDA DAS EMPRESAS COMPRADORAS GRANDE RODADA DE NEGÓCIOS FORIND NE 2012

PERFIL E DEMANDA DAS EMPRESAS COMPRADORAS GRANDE RODADA DE NEGÓCIOS FORIND NE 2012 RAZÃO SOCIAL: ACIGUA ARTEFATOS DE CIMENTO LTDA. NOME FANTASIA: ACIGUA 100 CARGOS DOS PARTICIPANTES DOS ENCONTROS: SUPERVISOR DE COMPRAS; COMPRADOR. SEGMENTO: FABRICAÇÃO DE PRÉ MOLDADOS PEÇAS: ROLAMENTOS,

Leia mais

vendas1@juntasamf.com.br

vendas1@juntasamf.com.br À Sr( a) Ref.: Apresentação para Cadastro de Fornecedor Prezados Senhores, Vimos através desta, apresentar a Juntas AMF Ind. e Com. de Peças Ltda., uma empresa que já se tornou referencia no mercado de

Leia mais

Empresarial: uma nova visão. Abril de 2010

Empresarial: uma nova visão. Abril de 2010 A Novelis e a Sustentabilidade t d Empresarial: uma nova visão Abril de 2010 2 Grupo Aditya Birla International Operations 13 Countries JV Sunlife Financial inc. Receita de US$ 28 bilhões Mais de 100.000

Leia mais

EU EXIJO MAIS DOS MEUS AÇOS PARA O TRANSPORTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA RUUKKI. A NOVA DEFINIÇÃO PARA PREMIUM. SOLUÇÕES PARA O TRANSPORTE

EU EXIJO MAIS DOS MEUS AÇOS PARA O TRANSPORTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA RUUKKI. A NOVA DEFINIÇÃO PARA PREMIUM. SOLUÇÕES PARA O TRANSPORTE www.ruukki.com.br SOLUÇÕES PARA O TRANSPORTE EU EXIJO MAIS DOS MEUS AÇOS PARA O TRANSPORTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA AO DESGASTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA MECÂNICA AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA RUUKKI. A NOVA

Leia mais

Roadmap Tecnológico para Produção, Uso Limpo e Eficiente do Carvão Mineral Nacional

Roadmap Tecnológico para Produção, Uso Limpo e Eficiente do Carvão Mineral Nacional Roadmap Tecnológico para Produção, Uso Limpo e Eficiente do Carvão Mineral Nacional Elyas Medeiros Assessor do CGEE Líder do Estudo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos Ciência, Tecnologia e Inovação

Leia mais

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 AGENDA 1 O SETOR DE PETRÓLEO E GÁS 2 O CONVÊNIO PETROBRAS-SEBRAE 3 GESTÃO E RESULTADOS DOS PROJETOS CENÁRIO

Leia mais

Horário Assunto Palestrante

Horário Assunto Palestrante Agenda Horário Assunto Palestrante 9:00 9:20 - Recepção - 9:30 10:15 - A GPC Química em resumo W. Passarella 10:15 10:30 - Coffee Break - - Um Novo Momento! W. Passarella 10:30 12:00 - Financeiro / Estratégico

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE AÇOS LAMINADOS A QUENTE NA CST PARA APLICAÇÃO NAVAL

DESENVOLVIMENTO DE AÇOS LAMINADOS A QUENTE NA CST PARA APLICAÇÃO NAVAL DESENVOLVIMENTO DE AÇOS LAMINADOS A QUENTE NA CST PARA APLICAÇÃO NAVAL André Carvalho Prado Engenheiro de Assistência Técnica da ArcelorMittal Tubarão José Rubens Ribeiro Filho Consultor Técnico da ArcelorMittal

Leia mais

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES 20.10.2009 Luciano Coutinho Mensagem Inicial Pré-sal:

Leia mais

METALMECÂNICO DO ESPÍRITO SANTO. Francisco Ramaldes Gerente de Arranjos Produtivos

METALMECÂNICO DO ESPÍRITO SANTO. Francisco Ramaldes Gerente de Arranjos Produtivos METALMECÂNICO DO ESPÍRITO SANTO Francisco Ramaldes Gerente de Arranjos Produtivos 1 CAPACIDADE DE PRODUÇÃO MENSAL ATIVIDADES INDICADORES GRANDE VITÓRIA REGIÃO NORTE REGIÃO SUL TOTAL Empresas Nº 47 31 46

Leia mais

APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS

APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC II FPSO Workshop Tecnológico Campinas, 24-25 de abril de 2012 APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS Carlos Daher Padovezi Instituto de Pesquisas

Leia mais

APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO. Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC. 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública

APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO. Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC. 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública Agenda Usiminas em linhas gerais Informações de Mercado Usiminas

Leia mais

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO A QGEP Participações iniciou o ano de 2011 com uma sólida posição financeira. Concluímos com sucesso a nossa oferta pública inicial de ações em fevereiro, com uma captação líquida

Leia mais

SECTOR NAVAL QUAL O RUMO?

SECTOR NAVAL QUAL O RUMO? SECTOR NAVAL QUAL O RUMO? 1 CONSTRUÇÃO NAVAL & OFFSHORE CORE BUSINESS & KNOW-HOW As capacidades demonstradas ao longo dos projectos têm levado ao aumento da confiança dos nossos clientes e garantido a

Leia mais

Edfer, soluções em ferro e aço

Edfer, soluções em ferro e aço Edfer, soluções em ferro e aço Inaugurada em 2007, na cidade de Coronel Fabriciano, Vale do Aço - MG, a EDFER é uma empresa que atua no mercado de ferro e aço para estruturas metálicas, caldeiraria, usinagem,

Leia mais

ATUAÇÃO INTERNACIONAL DA PETROBRAS E AS OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA

ATUAÇÃO INTERNACIONAL DA PETROBRAS E AS OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA PROMINP - 2o WORKSHOP NACIONAL ATUAÇÃO INTERNACIONAL DA PETROBRAS E AS OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA ÁREA DE NEGÓCIO INTERNACIONAL Cláudio Castejon Vitória, 28 de outubro de 2004 O portfolio

Leia mais

CORTE E DOBRA DE CHAPAS

CORTE E DOBRA DE CHAPAS A praticidade, precisão e tecnologia fazem parte do Centro de Serviços da Tuper - um ambiente que disponibiliza equipamentos como a guilhotina hidráulica, especializada em cortes de chapas e prensa dobradeira

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO GUINDASTE - MAIS DO QUE APENAS UMA TEORIA

A EVOLUÇÃO DO GUINDASTE - MAIS DO QUE APENAS UMA TEORIA www.ruukki.pt A EVOLUÇÃO DO GUINDASTE - MAIS DO QUE APENAS UMA TEORIA OPTIM AÇO DE ALTA RESISTÊNÇIA Alcançando mais Para guindastes, a diferença entre a prancheta de projeto e um avançado produto em operação

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Foco e Prioridades Contexto Dimensões do Plano Brasil Maior Estrutura de Governança Principais Medidas Objetivos Estratégicos e

Leia mais

Novas Tendências do Mercado de Laminação de Tiras a Frio (cilindros)

Novas Tendências do Mercado de Laminação de Tiras a Frio (cilindros) Novas Tendências do Mercado de Laminação de Tiras a Frio (cilindros) Out - 2009 1 Sumário Objetivo; Introdução; Demanda dos produtos laminados; Evolução dos processos de fabricação e produtos; Produtos

Leia mais

Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial.

Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial. Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial. A trabalha dentro de normas. Como: NBR, ASME, DIN, API e etc. Nosso galpão industrial comporta

Leia mais

Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação

Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação André Tosi Furtado Departamento de Política Científica e Tecnológica Instituto de Geociências UNICAMP VIII Congresso Brasileiro de Planejamento Energético

Leia mais

Introdução. 1. Generalidades. Para o aço estrutural. Definição

Introdução. 1. Generalidades. Para o aço estrutural. Definição Introdução Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil PGECIV - Mestrado Acadêmico Faculdade de Engenharia FEN/UERJ Disciplina: Tópicos Especiais em Estruturas (Chapa Dobrada) Professor: Luciano Rodrigues

Leia mais

Maná EDI. tiras a quente. Impresso em fevereiro de 2013. www.usiminas.com

Maná EDI. tiras a quente. Impresso em fevereiro de 2013. www.usiminas.com Maná EDI tiras a quente wwwusiminascom Impresso em fevereiro de 13 3 ÍNDICE 6 Soluções Completas em Aço 10 Tiras a Quente 10 Processo de produção 12 14 28 32 34 36 38 40 Aço para Uso Geral Aço Estrutural

Leia mais

Inovação Aberta na Petrobras

Inovação Aberta na Petrobras Inovação Aberta na Petrobras Open Innovation Seminar São Paulo, 12 de Novembro de 2012 Maria Cristina Espinheira Saba Gerente de Estratégia Tecnológica Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (CENPES) Motivadores

Leia mais

WORKSHOP PERSPECTIVAS E DESAFIOS DA ENERGIA NUCLEAR NA MATRIZ ELÉTRICA DO BRASIL

WORKSHOP PERSPECTIVAS E DESAFIOS DA ENERGIA NUCLEAR NA MATRIZ ELÉTRICA DO BRASIL WORKSHOP PERSPECTIVAS E DESAFIOS DA ENERGIA NUCLEAR NA MATRIZ ELÉTRICA DO BRASIL GESEL / SINERGIA / EDF A OPÇÃO NUCLEAR PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL Altino Ventura Filho Secretário de Planejamento

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa O Seu Provedor de Soluções Personalizadas Apresentação Corporativa A visão corporativa Sacchelli, busca oferecer soluções completas em atendimento as mais rigorosas especificações internacionais e aos

Leia mais

tiras a quente sumário Soluções Completas em Aço Tiras a Quente Aço para Uso Geral Aço Estrutural Comum Aço para Longarinas e Rodas

tiras a quente sumário Soluções Completas em Aço Tiras a Quente Aço para Uso Geral Aço Estrutural Comum Aço para Longarinas e Rodas tiras a quente 4 tiras a quente sumário Soluções Completas em Aço Tiras a Quente Aço para Uso Geral Aço Estrutural Comum Aço para Longarinas e Rodas Aço Estrutural Estampável Aço Estrutural Naval Aço para

Leia mais

Catálogo de Tubos. Soluções em aço

Catálogo de Tubos. Soluções em aço Catálogo de Tubos Soluções em aço A empresa Ao dirigir um carro, pedalar a bicicleta, se exercitar na academia e até mesmo na escola do seu filho, nós estamos lá. Sem que você perceba, os produtos fabricados

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAL PARA TUBOS

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAL PARA TUBOS ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAL PARA TUBOS ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAL COMPOSICÃO QUÍMICA PROCESSO DE FABRICAÇÃO PROPRIEDADES MECÂNICAS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CONTROLE DE QUALIDADE TENSÕES ADMISSÍVEIS EMPREGO

Leia mais

Fórum Regional do Prominp

Fórum Regional do Prominp Fórum Regional do Prominp PE-04.Estruturação do Centro de Excelência em MANUTENÇÃO INDUSTRIAL Prof. Francisco Ilo Bezerra Cardozo, MSc Abril - 2006 PE-04:Centro de Excelência em Manutenção Industrial Centro

Leia mais

Polo Produtivo 2 de Julho

Polo Produtivo 2 de Julho Polo Produtivo 2 de Julho Cadeia de Óleo & Gás offshore, onshore e Indústria Naval Recôncavo - Bahia Apoio: OBJETIVO Implantação de um complexo Industrial para atender a crescente demanda da Indústria

Leia mais

Flexível. Tubulação Compósita

Flexível. Tubulação Compósita Flexível Tubulação Compósita Recursos do Produto e para o Serviço FLEXIBLE Comprovado Tubulação Compósita Compensa ser Flexível A Flexpipe Systems fabrica e distribui uma solução de tubulações compósitas,

Leia mais

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIAS MINERAIS

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIAS MINERAIS INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIAS MINERAIS Slide 1 O que fazer para melhorar a competitividade da indústria? Mobilização Empresarial pela Inovação MEI Melhorar a infraestrutura Disseminar a cultura

Leia mais

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo;

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo; Fleury Pissaia * Entre 2011 e 2015, investimento previsto no setor industrial é de R$ 600 bilhões. Desse montante, indústria do petróleo representa 62%. No mesmo período, R$ 750 bilhões serão alocados

Leia mais