BALANÇO SOCIAL BANCO DO BRASIL UM BANCO CIDADÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BALANÇO SOCIAL BANCO DO BRASIL UM BANCO CIDADÃO"

Transcrição

1 BALANÇO SOCIAL BANCO DO BRASIL UM BANCO CIDADÃO O ano 2000, na expressão simbólica de transição, é momento propício a um debate sobre o futuro do País. O BB aproveita a ocasião para fazer um balanço de sua contribuição ao desenvolvimento social. Aliado à sua estratégia de buscar resultados crescentes no processo econômico, a Empresa desempenha o papel social para efetivar transformações e contribuir para a melhoria da realidade brasileira. Mas foi na parceria com acionistas, funcionários, clientes, fornecedores e comunidades, que o Banco conquistou o mérito de suas ações, os resultados de investimentos em diversos projetos de interesse social. O esforço conjunto do Conglomerado se materializa em várias frentes, principalmente no trabalho exercido pela Fundação Banco do Brasil, concretizado em programas que promovem o desenvolvimento social sustentável e que contribuem para a melhoria da realidade de substancial número de famílias brasileiras. QUEM FAZ O BB O Banco do Brasil, um dos principais empregadores do País, conta com o compromisso dos seus funcionários e estagiários para manter a posição de liderança no mercado bancário brasileiro, atender às expectativas dos acionistas e clientes e ser útil à sociedade. A presença feminina no Banco teve como marco o ano de 1969, com o primeiro concurso para a carreira administrativa que admitiu mulheres. Hoje, elas representam 35% do quadro e 28,8% exercem cargos de comissão em um universo de comissionados no Banco. FUNCIONÁRIOS (POSIÇÃO ) GRAU DE INSTRUÇÃO 24,7% Superior Incompleto Superior Completo FAIXA ETÁRIA Acima de 50 anos 5,8% 9,6% 18 a 25 anos 22,6% 26 a 35 anos Até o 2º grau 30,6% 44,3% 0,4% Pós-graduação 36 a 50 anos 62,0% 1

2 A política de Recursos Humanos do Banco enfatiza o aprimoramento profissional de seus funcionários, procurando compatibilizar as habilidades individuais com as necessidades e objetivos da Empresa. Assegura condições previdenciárias, assistenciais, de segurança e de saúde que propiciam melhoria de qualidade de vida e do desempenho profissional. PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS PLR O Banco do Brasil oferece a seus funcionários programa de remuneração variável vinculado ao atingimento de metas e às diretrizes estratégicas da Empresa, por meio do qual parte dos resultados é distribuída, de forma diferenciada, considerando o nível de responsabilidade funcional. No primeiro semestre de 2000, o BB distribuiu R$ 23,0 milhões a título de PLR. No segundo semestre foram aprovisionados R$ 37,0 milhões para essa finalidade. TREINAMENTO Com vistas a estender o aprimoramento profissional à maior parte de seu capital intelectual, o BB priorizou o treinamento interno. No total, os cursos ofertados somaram vagas preenchidas e a média de horas de treinamento por funcionário foi de 30 horas. PROGRAMAS DE TREINAMENTO / DESENVOLVIMENTO Nº PARTICIPANTES MBA Idiomas 242 Formação e Aperfeiçoamento Graduação Pós-graduação Mestrado/Doutorado Treinamento Internacional Treinamento Externo Treinamento Interno Investimento em Treinamento (em R$ mil) Dentre as ações de desenvolvimento do pessoal, merece destaque o Programa Profissionalização, voltado para mobilizar a força de trabalho e estimular os funcionários na realização de suas atividades dentro dos mais altos padrões do mercado. O Programa foi considerado em 1999 o maior evento mundial sobre treinamento e desenvolvimento pela American Society for Training & Development ASTD. COMUNICAÇÃO INTERNA - O BB cultiva a transparência e a clareza na comunicação com o seu público interno. Para isso, dispõe de diferentes canais de comunicação: Agência de Notícias em meio eletrônico, revista interna bb.com.você, TV Banco do Brasil e Intranet. 2

3 Previdência A Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil - Previ, entidade fechada de previdência privada, possui em seus quadros participantes e complementa atualmente aposentadorias e pensões. Com um volume de recursos investidos da ordem de R$ 33,2 bilhões (posição 30/11/2000), a Previ é o maior fundo de pensão da América Latina. Até novembro/2000, o BB despendeu R$ 589,3 milhões em contribuição patronal ao Fundo. Saúde e Assistência Médica A Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil - Cassi assegurou assistência integral à saúde de seus usuários em todo o País ( do Plano de Associados e do Plano Saúde Família), mediante convênios com hospitais, clínicas e laboratórios e credenciamentos de profissionais autônomos. Para os funcionários do BB, foi desenvolvido o Programa de Saúde Ocupacional, com a realização de exames periódicos. SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO - Com a função de propiciar condições adequadas de segurança, higiene e conforto no ambiente de trabalho e o conseqüente controle de riscos ambientais, o Banco dispõe de 21 Unidades de Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho SESMT e de 74 Comissões Internas de Prevenção de Acidentes CIPA. Implementou, em todos os prédios do Banco, o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais e realizou inspeção de segurança e análises ergonômicas em agências do BB. Para formar hábitos prevencionistas com relação à segurança e saúde no trabalho foram realizadas palestras sobre ergonomia, prevenção e combate a incêndio e prevenção de acidentes em agências e funcionários foram treinados em prevenção de acidentes. Essa iniciativa proporcionou redução de 15% no número de afastamentos por doença do trabalho em relação ao período anterior. VOLUNTARIADO Doar competência e tempo em favor de pessoas, grupos ou comunidades. Essa é a grande premissa do trabalho voluntário que o Banco do Brasil estimula desde A Fundação Banco do Brasil realizou pesquisa entre os funcionários para mapear as ações voluntárias em curso. Foram identificados cerca de voluntários, a maioria dos quais envolvida com atividades ligadas à assistência a crianças, jovens e idosos. A ÉTICA E O BB - O Banco tem como aspecto fundamental de sua cultura padrões éticos de conduta, um dos motivos básicos da sua credibilidade no mercado. O Código de Ética foi atualizado e distribuído a todos os funcionários. 3

4 FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL: AGENTE SOCIAL DO CONGLOMERADO BB A Fundação Banco do Brasil, mediante programas estruturados, está presente de norte a sul do País, proporcionando maior qualidade de vida a milhares de famílias brasileiras. Os recursos utilizados no desenvolvimento de suas ações vêm dos rendimentos do patrimônio investido e de um percentual da comercialização do seguro Ouro Vida do Banco. Foram aplicados recursos da ordem de R$ 25 milhões, em iniciativas como complementação escolar, alfabetização de jovens e adultos, combate ao câncer infantil, cultura e geração de emprego e renda. Dentre os programas conduzidos pela Fundação, destacamse: PROGRAMA AABB COMUNIDADE Promover a educação, a prática esportiva e o lazer como fatores de integração, indispensáveis ao desenvolvimento dos jovens atendidos. Este é o grande objetivo desse Programa que reforçou sua presença em nível nacional, alcançando 307 municípios e beneficiando cerca de 43 mil crianças e adolescentes. O AABB Comunidade representou investimento total de R$ 26 milhões, dos quais R$ 9 milhões foram assegurados pela Fundação Banco do Brasil e Federação Nacional das Associações Atléticas do Banco do Brasil. PROGRAMA BBEDUCAR - Alfabetizar e educar para o exercício da cidadania plena são as grandes metas do Programa que levou aproximadamente 31 mil pessoas à sala de aula. A Fundação Banco do Brasil investiu R$ 933 mil. O Programa é quase totalmente assegurado pelo trabalho voluntário de pessoas das próprias comunidades e de alguns funcionários do BB. Ler, Escrever, Libertar é o seu lema. PROGRAMA CRIANÇA E VIDA Em 2000, a Fundação Banco do Brasil avançou em sua proposta de auxiliar nas ações de combate à mortalidade por câncer, que atinge milhares de crianças brasileiras. Foram assinados 28 convênios garantindo o reaparelhamento de 7 centros de atendimento já existentes no País e que se transformarão em Centros de Referência para o Diagnóstico de Câncer Pediátrico. O total de investimentos foi de R$ 4,5 milhões, assegurados por um percentual de venda dos seguros Ourovida. 4

5 PROJETO MEMÓRIA Cultura para todos. O Projeto Memória abraçou essa idéia e levou a história dos 500 anos do descobrimento a mais de 200 cidades do País. A exposição Cabral, o Viajante do Rei - As Origens do Brasil foi o ponto alto das iniciativas culturais promovidas pela Fundação Banco do Brasil. Uma mostra itinerante inaugurada, simultaneamente, em todas as capitais brasileiras e em Santarém, Portugal, cidade natal do navegador português. Preservar a memória nacional é o objetivo primordial do Projeto que existe desde 1997 e é realizado em parceria com a Organização Odebrecht. A Fundação investiu R$ 1,25 milhão em PROGRAMA TRABALHO E CIDADANIA Gerar trabalho e renda é a máxima do Programa. Operacionalizado pela Fundação Banco do Brasil mediante convênio formalizado com o Ministério do Trabalho e Emprego, é mantido com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador. Foram realizados cerca de 250 projetos, movimentando R$ 10,6 milhões. Cursos de profissionalização, investimentos em infra-estrutura e equipamentos, e consultoria de negócios foram algumas das ações de destaque. ESPORTE E CULTURA COM A COMUNIDADE CCBB - Em 1989, com a criação do Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro, o BB começou a profissionalizar sua atuação na área cultural. A experiência de sucesso levou o Banco, uma década mais tarde, a decidir pela criação de dois novos Centros: em Brasília, inaugurado em outubro de 2000, e outro em São Paulo, a ser inaugurado em Com público de 1,8 milhão de pessoas no ano, o CCBB Rio de Janeiro ultrapassou a visitação média de alguns dos maiores museus do mundo. O público foi atraído pelos eventos de artes plásticas, cinema e vídeo, cursos e palestras, dança, biblioteca, programa educativo, teatro e música que totalizaram 627 apresentações cênicas, 650 sessões de cinema e 950 sessões de vídeo. Os eventos direcionados ao público infanto-juvenil atingiram 63 mil alunos no ano, contemplando 750 escolas da rede de ensino público e privado. A biblioteca recebeu 250 mil usuários, com destaque para o evento Rodas de Leitura. No recém-inaugurado Centro Cultural em Brasília, em pouco mais de dois meses de funcionamento, mais de 20 mil pessoas visitaram exposições de artistas plásticos, assistiram a peças teatrais, shows, concertos de piano e participaram 5

6 de leitura e conversas com os escritores. Aproximadamente seis mil alunos de escolas de 1º grau do Distrito Federal já foram beneficiados com programas educativos no Centro Cultural. CIRCUITO CULTURAL BANCO DO BRASIL - Cultura, educação e solidariedade definem as ações do Circuito Cultural Banco do Brasil, projeto itinerante que leva arte a várias cidades do País. O foco principal do Circuito é a música popular brasileira, sem deixar de apoiar outras manifestações artísticas, como artes cênicas, artes plásticas, fotografia e dança. Em apenas um ano e meio de funcionamento, 18 cidades brasileiras já foram agraciadas com mais de 255 eventos. O BB arrecadou R$ 500 mil em bilheteria e destinou toda a renda para entidades assistenciais. ESPORTE O Banco investiu R$ 15 milhões nos projetos VôleiBrasil, TênisBrasil e no ParadesportoBrasil. TÊNISBRASIL - Em janeiro, o Banco do Brasil lançou o Projeto TênisBrasil, com o objetivo de difundir o tênis no País. Trata-se de uma ampla ação de apoio ao esporte, que conta com as seguintes ações: Patrocínio ao tenista Gustavo Kuerten Em março, o atleta acertou contrato de patrocínio com o Banco do Brasil por quatro anos. Tornou-se a principal estrela no cenário esportivo do ano ao consagrar-se como o número um do ranking mundial. Escolinhas Banco do Brasil de Tênis Localizadas em Florianópolis, Brasília, Salvador e São Paulo, atenderam mais de 800 crianças, com prioridade para aquelas que estudam em escolas públicas. As aulas são gratuitas e os jovens tenistas recebem uniforme, raquete e bolas para os treinos, além de transporte e alimentação. Circuito Banco do Brasil Juvenil de Tênis Desenvolvido para crianças de 12 a 16 anos, nas categorias masculina e feminina, o Circuito teve três etapas classificatórias realizadas no Rio de Janeiro, Porto Alegre, São Paulo. A etapa Master aconteceu em Brasília. VÔLEIBRASIL Além de patrocinar as seleções adultas, masculina e feminina de voleibol, o BB também apóia as categorias de base juvenis e infanto-juvenis. Vôlei de Praia - O Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia completou 10 anos. Foram realizadas no ano 12 etapas tendo como novidade a criação da praça VôleiBrasil, uma área de entretenimento e lazer, cujo objetivo principal é criar 6

7 interatividade com toda a comunidade e com os amantes do vôlei de praia, promovendo a sua real e efetiva participação. O BB incentiva também escolinhas de vôlei de praia. Mais de sete mil adolescentes, recrutados nas escolas, receberam aulas nas cidades-sede durante a realização das etapas do Circuito. É um novo espaço utilizado para revelar futuros talentos e também para reforçar atitudes saudáveis e positivas junto ao público jovem, com a comunidade participando ativamente dos eventos. Durante as etapas do Circuito, foram arrecadadas mais de 30 toneladas de alimentos, distribuídos para entidades assistenciais, além da geração de mais de cinco mil empregos temporários. ParadesportoBrasil - O patrocínio do BB às Paraolimpíadas de Sydney 2000 rendeu ao Brasil a conquista de seis medalhas de ouro, dez de prata e seis de bronze. O respeito e a solidariedade do Banco para com os portadores de necessidades especiais também estão presentes na iniciativa de instalar rampas de acesso para essas pessoas em todos os prédios de agências onde existam condições técnicas de adaptação. Até o momento, já foram construídas mais de rampas em todo o País (52% do total de agências). FEDERAÇÃO NACIONAL DAS AABB FENABB As Associações Atléticas Banco do Brasil AABB, sob a coordenação da FENABB, são importantes instrumentos de integração do Banco com a comunidade em mais de localidades. A Federação investiu recursos da ordem de R$ 2,5 milhões em atividades educacionais, sócioeducativas, culturais desportivas e de saúde destinadas a crianças e adolescentes carentes e desenvolvidas no espaço físico das AABB. O BB E O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DO PAÍS O Banco do Brasil, em seus 192 anos, nunca deixou de considerar os aspectos sociais de suas ações e atividades. A experiência adquirida ao longo dessa trajetória capacita a Empresa a cumprir de forma efetiva e competente a sua função de ser útil à sociedade, seja em iniciativas próprias, seja em ações para melhor implementar programas governamentais. Esse diferencial de atuação, presente em toda a sua rede de dependências e no trabalho de cada funcionário, consolida a vocação do BB para executar programas de desenvolvimento econômico e social e levar de forma tempestiva e 7

8 segura, às mais distantes localidades do território nacional, recursos orçamentários dos Governos Federal, Estaduais e Municipais. A contribuição do Banco do Brasil em empreendimentos públicos pode ser observada no trabalho que realiza como agente financeiro da União para a geração de emprego e renda, valorização da agricultura familiar e meio ambiente, saúde e educação. GERAÇÃO DE EMPREGO E DE RENDA O Programa Brasil Empreendedor, criado pelo Governo Federal, objetiva fortalecer as micro, pequenas e médias empresas e empreendedores do setor informal da economia por meio da capacitação gerencial e tecnológica, concessão de crédito e assessoria técnica. O Banco do Brasil, como uma das instituições financeiras responsáveis pela operacionalização desse Programa, criou 51 Salas do Empreendedor, nas capitais e grandes centros, para prestar atendimento especializado, além de sua rede de agências. No período de outubro/1999 a dezembro/2000 foram realizadas operações com volume de R$ 4,8 bilhões contratados. Ao amparo do PROGRAMA DE GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA PROGER, o Banco do Brasil contratou, utilizando recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador FAT, operações de PROGER Urbano, no valor de R$ 433 milhões, durante o período de outubro/1999 a dezembro/2000. Com esse desempenho, o Programa pôde apoiar empresas que geraram empregos diretos e empregos indiretos. No Proger Rural, o volume contratado alcançou R$ 426 milhões, em operações. A atuação do BB contribuiu para o Programa efetivar mais de 162 mil empregos diretos e 324 mil indiretos. Com recursos do FUNDO CONSTITUCIONAL DE FINANCIAMENTO DO CENTRO-OESTE FCO, o BB destinou R$ 288,3 milhões para a economia do Centro-Oeste. Com esse investimento, as atividades produtivas da região puderam ser estimuladas, resultando na expansão de 72,8 mil empregos. Do total dos empreendimentos financiados, 82,5% se referiram a projetos dos setores mais carentes da sociedade, beneficiados com R$ 116,3 milhões. AGRICULTURA FAMILIAR O Banco realizou mais de 670 mil financiamentos com recursos do FAT, do FCO e da União, ao amparo do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar PRONAF. Do montante aplicado (R$ 1,4 bilhão), R$ 280 milhões foram destinados a cerca de 56 mil produtores rurais assentados pelo Programa Nacional de Reforma Agrária ou beneficiários do Banco da Terra. 8

9 Cabe destacar o sucesso alcançado pelo BB Rural Rápido, modalidade de crédito rotativo do Pronaf, que beneficiou, com recursos da ordem de R$ 603 milhões, cerca de 230 mil agricultores familiares, contribuindo para o alcance dos objetivos sociais almejados pelo Programa. MEIO AMBIENTE BB AGRICULTURA ORGÂNICA O nome do Banco está cada vez mais ligado às questões ambientais. O apoio ao agronegócio orgânico, consolidado pelo BB Agricultura Orgânica, lançado em setembro/1999, além de atender à demanda de uma sociedade cada vez mais exigente, principalmente com relação à qualidade de vida, destacou a presença do Banco do Brasil no segmento de empresas preocupadas com o meio ambiente. Utilizando recursos do crédito rural e modernos mecanismos de comercialização, como a Cédula de Produto Rural - CPR e o balcão eletrônico, o Banco atende a produtores rurais que utilizam o sistema orgânico de produção, respeitando as peculiaridades do segmento, baseadas na certificação da qualidade orgânica do produto, fornecida por certificadoras reconhecidamente idôneas. No período foram contratados financiamentos, que totalizaram cerca de R$10,3 milhões. O PROGRAMA PILOTO PARA A PROTEÇÃO DAS FLORESTAS TROPICAIS DO BRASIL - criado por representantes do Governo Brasileiro, do Banco Mundial e da Comissão Européia, a pedido do Grupo dos Sete-G7, busca encontrar formas de conservar as florestas tropicais da Amazônia e Mata Atlântica. O Banco é responsável pela internação e transferência dos recursos doados aos subprojetos desse Programa, por meio de sua extensa rede de agências e postos de serviço que cobrem todo o território brasileiro e que permitem fazer chegar, de forma tempestiva e segura, os recursos financeiros aos beneficiários finais. Desde 1994, foram destinados US$ 120 milhões. SAÚDE PROGRAMA DE MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE E DA ASSISTÊNCIA SOCIAL Processo de transferência da responsabilidade pela gestão da saúde para os municípios. O Banco do Brasil, na qualidade de agente da União, administrou o repasse, aos municípios, de recursos governamentais da ordem de R$ 13 bilhões. Na área da assistência social, foram repassados, aproximadamente, R$ 363 milhões destinados a programas específicos, tais como: combate à pobreza, ao 9

10 trabalho infantil, apoio à criança, ao idoso, aos adolescentes, bem como a portadores de necessidades especiais. REFORSUS Programa vinculado ao Ministério da Saúde que objetiva melhorar a capacidade e a eficiência do Sistema Único de Saúde SUS, mediante a recuperação física e tecnológica da rede de serviços de saúde. O Banco atua como agente financeiro exclusivo desse Programa, sendo responsável pela contratação de operações e repasse de recursos governamentais, bem como pela fiscalização dos 30 maiores projetos. Desde sua criação, foram contratadas operações, no valor de R$ 862 milhões. EDUCAÇÃO O Banco do Brasil repassou R$ 1,6 bilhão do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação para o financiamento de projetos educacionais. A habilitação de Estados e municípios ocorreu mediante a apresentação de projetos/planos de trabalho, que resultaram na celebração de convênios com o MEC/FNDE. FUNDO DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL E VALORIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO FUNDEF O Banco repassou recursos do Fundo da ordem de R$ 17 bilhões aos Estados e municípios, sendo 60% destinados à remuneração dos profissionais do magistério em efetivo exercício de suas atividades no Ensino Fundamental público e 40% aplicados na manutenção e desenvolvimento do Ensino Fundamental. RECONHECIMENTO INSTITUCIONAL O BB foi a única empresa pública a constar da lista das dez empresas brasileiras consideradas bons exemplos de cidadania corporativa, pela revista Exame, em Para a revista, o Banco é uma espécie de máquina de projetos sociais e o fator determinante para que estivesse na lista foi a maneira como ele cumpre sua obrigação original de desempenhar um papel social. O BB está orgulhoso e dedica esse reconhecimento aos seus funcionários, que trabalham, sonham e acreditam que podem tornar este País melhor e aos seus milhares de acionistas que investem no Banco do Brasil não só pelo retorno financeiro, mas também por sua responsabilidade social. 10

11 1) Base de Cálculo 2000 Valor (Mil Reais) 1999 Valor (Mil Reais) Receita Líquida (RL) Resultado Operacional (RO) Folha de Pagamento Bruta (FPB) ) Indicadores Sociais Internos Valor %Sobre %Sobre RL Valor %Sobre FPB (R$) FPB (R$) Alimentação ,29 0, ,51 Encargos sociais compulsórios ,26 3, ,64 Previdência privada ,33 1, ,18 Saúde ,16 0, ,16 Segurança e medicina no trabalho ,3 0,04 Capacitação e desenvolvimento profissional ,56 0, ,50 Creches ou auxílio-creche ,47 0, ,54 Participação nos lucros ou resultados ,18 0, ,13 Outros ,20 0, ,18 Total - Indicadores Sociais Internos ,75 6, ,84 3) Indicadores Sociais Externos Valor %Sobre RO %Sobre RL Valor %Sobre RO (R$) (R$) Educação ,87 0, ,64 Cultura ,49 0,04 Saúde e saneamento ,46 0, ,37 Habitação Esporte, Lazer e diversão ,80 0, ,00 Creches ,14 Alimentação Outros 91 0,01 0, ,49 Total das Contribuições para a Sociedade ,62 0, ,65 Tributos (excluídos encargos sociais) ,97 2,51 - Total Indicadores Sociais Externos ,22 2, ,30 4) Indicadores Ambientais Relacionados com a operação da empresa (*) (**) Em Programas e/ou projetos externos Total dos Investimentos em Meio Ambiente 652-5) Indicadores do Corpo Funcional Nº de ao final do período Nº de admissões durante o período Nº de terceirizados Nº de acima de 45 anos Nº de mulheres que trabalha na empresa % de cargos de chefia ocupados por mulheres 21,2 20,5 Nº de portadores de deficiência ) Informações Relevantes quanto ao Exercício da Cidadania Empresarial Relação entre a maior e a menor remuneração na 42,3X 47,0X empresa Número total de acidentes de trabalho ND ND Os projetos sociais e ambientais desenvolvidos pela empresa foram definidos: ( x ) pela direção ( )direção e gerências Os padrões de segurança e salubridade no ambiente ( ) pela ( x ) direção de trabalho foram definidos: direção e gerências A previdência privada contempla: ( ) direção ( ) direção e gerências A participação nos lucros ou resultados contempla: ( ) direção ( ) direção e gerências Na seleção dos fornecedores, os mesmos padrões éticos e de responsabilidade social e ambiental ( ) não são ( ) são adotados pela empresa: considerados sugeridos Quanto à participação dos em programas de trabalho voluntário, a empresa: ( ) não se envolve ( ) todos os ( ) todos os (x ) todos os ( x ) todos os (x ) são exigidos ( ) apóia (x ) organiza e incentiva ( ) pela direção ( ) direção e gerências ( ) pela ( x ) direção e direção gerências ( ) direção (x ) todos os ( ) direção ( x ) todos os ( ) não são considerados (x ) não se envolve (x ) são exigidos ( ) apóia 7) Outras Informações (*) O Banco do Brasil, na qualidade de repassador de recursos para diversos programas voltados ao meio ambiente, é responsável pela internação dos recursos doados, contratação com os beneficiários, repasse de valores, por meio da rede de agências e prestação de contas da execução financeira. No ano de 2000 foram repassados: U$ 1,1 milhão para o Promanejo; U$ 3,1 milhões para os subprojetos do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil PD/A. Para o BB Agricultura Orgânica, o Banco direcionou R$ 10,3 milhões. (**) Até o final de 1999 o Banco do Brasil empregou cerca de US$ 27 milhões no PD/A. Para o projeto Reservas Extrativistas-Resex I foram destinados R$ 290 mil, oriundos de contratos de doação entre o governo brasileiro e o Banco Mundial. 11

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica Mesa-Redonda: Responsabilidade Social Empresarial 23-24 de Novembro de 2006 Mário Páscoa (Wyeth/ Painel Febrafarma) E-mail: pascoam@hotmail.com

Leia mais

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS ATIVOS INTANGÍVEIS Embora a Organização não registre seus ativos intangíveis, há evidências da percepção de sua magnitude pelos investidores e que pode ser encontrada na expressiva diferença entre o Valor

Leia mais

PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL

PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL Permite o apoio financeiro a projetos culturais credenciados pela Secretaria de Cultura de São Paulo, alcançando todo o estado. Segundo a Secretaria, o Proac visa a: Apoiar

Leia mais

CULTURA OBJETIVOS E METAS

CULTURA OBJETIVOS E METAS CULTURA OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a participação juvenil na elaboração das políticas públicas na área de cultura com a participação de mais entidades e partidos políticos, via projetos e via mobilização

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

Guia para Boas Práticas

Guia para Boas Práticas Responsabilidade Social Guia para Boas Práticas O destino certo para seu imposto Leis de Incentivo Fiscal As Leis de Incentivo Fiscal são fruto da renúncia fiscal das autoridades públicas federais, estaduais

Leia mais

INVESTIMENTO SOCIAL. Agosto de 2014

INVESTIMENTO SOCIAL. Agosto de 2014 INVESTIMENTO SOCIAL Agosto de 2014 INVESTIMENTO SOCIAL Nós promovemos o desenvolvimento sustentável de diversas maneiras Uma delas é por meio do Investimento Social INVESTIMENTO INVESTIENTO SOCIAL - Estratégia

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem vive no Brasil Rural.

Leia mais

PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA. Banco Mundial

PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA. Banco Mundial PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA POR QUE O PROJETO Decisão Estratégica do Governo do Estado da Bahia Necessidade de avançar na erradicação da pobreza rural Existência de

Leia mais

Inclusão Social - mudanças K A T I A C A V A L C A N T E 2 0 1 4

Inclusão Social - mudanças K A T I A C A V A L C A N T E 2 0 1 4 Inclusão Social - mudanças K A T I A C A V A L C A N T E 2 0 1 4 Sumário Assistência Social Saúde Educação Infraestrutura - Comunicação e Energia Moradia Bolsa Família Bolsa Verde Direitos Culturais A

Leia mais

Balanço Socioambiental

Balanço Socioambiental Balanço Socioambiental Identificação Instituição Associação dos Portadores da Sindrome de Down Natureza Jurídica Associação Registro no CMAS Utilidade Pública Estadual Isenta da cota patronal INSS Não

Leia mais

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide A Nova América na vida das pessoas 8 Cultural Empresarial Missão Do valor do campo ao campo de valor

Leia mais

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município Estrutura Administrativa e Principais 01. Câmara Municipal - Lei Orgânica do Município de Teresina, de 05 de abril de 1991. - Votar o Orçamento Anual e o Plano Plurianual, bem como autorizar abertura de

Leia mais

Captação de Recursos. Fernando Cavalcanti 04.Jun.2013. Encontro de Capacitação sobre Projetos Sociais Capacitado, você pode mais!

Captação de Recursos. Fernando Cavalcanti 04.Jun.2013. Encontro de Capacitação sobre Projetos Sociais Capacitado, você pode mais! Captação de Recursos Fernando Cavalcanti 04.Jun.2013 Encontro de Capacitação sobre Projetos Sociais Capacitado, você pode mais! Como Captar Recursos? Existem diversas maneiras das organizações conseguirem

Leia mais

A consolidação do modelo

A consolidação do modelo C A P Í T U L O 2 A consolidação do modelo Nos últimos anos, o balanço social modelo Ibase tornou-se a principal ferramenta por meio da qual as empresas são estimuladas a conhecer, sistematizar e apresentar

Leia mais

8 Balanço Social. 8.1. Política de Preços Mínimos

8 Balanço Social. 8.1. Política de Preços Mínimos 8 Balanço Social Ao participar da formulação e execução de políticas para o setor agroalimentar, com o objetivo de garantir o atendimento das necessidades de sustentação da renda do produtor e de segurança

Leia mais

Participe! vamos decolar o futuro!

Participe! vamos decolar o futuro! Participe! vamos decolar o futuro! Caro(a) colega, Estamos iniciando mais uma edição do programa Cidadãos do Amanhã, uma iniciativa de sucesso, empreendida há 15 anos pela ArcelorMittal junto aos seus

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO CUMPRIR E FAZER CUMPRIR A CONSTITUIÇÃO 1. Cumprir e fazer cumprir a

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO O que buscamos Proporcionar educação com qualidade social para todas as crianças. Erradicar o analfabetismo, ampliar o nível

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO Ações de Inclusão Social e de Combate à Pobreza Modelo Próprio de Desenvolvimento Infra-estrutura para o Desenvolvimento Descentralizado Transparência na Gestão

Leia mais

Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte

Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte SEMINÁRIO NACIONAL DO ESPORTE EM CONSTRUÇÃO: SISTEMAS PÚBLICOS NACIONAIS E MODELOS ESPORTIVOS INTERNACIONAIS Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte Prof. Dr.

Leia mais

A LEI GERAL DE ATER, CHAMADAS PÚBLICAS E CONTRATOS DE ATER SEMINÁRIO DE BALANÇO ATER FEIRA DE SANTANA, 18/01/2012

A LEI GERAL DE ATER, CHAMADAS PÚBLICAS E CONTRATOS DE ATER SEMINÁRIO DE BALANÇO ATER FEIRA DE SANTANA, 18/01/2012 A LEI GERAL DE ATER, CHAMADAS PÚBLICAS E CONTRATOS DE ATER SEMINÁRIO DE BALANÇO ATER FEIRA DE SANTANA, 18/01/2012 Contexto Retomada dos Serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural no país em 2003;

Leia mais

O Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar

O Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar O Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar A IDENTIFICAÇÃO DO PROBLEMA - DIAGNÓSTICO Prevalência de situação de segurança alimentar em domicílios particulares, por situação do domicílio

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

PREFEITURA DE XINGUARA

PREFEITURA DE XINGUARA 50/000-20 Anexo IV - Programas, Metas e Ações - (PPA Inicial) Página de 5 Programa: 000 AÇÃO LEGISLATIVA Manutenção da CMX através do apoio financeiro às atividades legislativas, custeio de despesas administrativas,

Leia mais

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 GESTÃO PÚBLICA Garantir ampla participação popular na formulação e acompanhamento das políticas públicas; Criação do SOS Oprimidos, onde atenda desde pessoas carentes

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS

CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS Comissão de Direito do Terceiro Setor Danilo Brandani Tiisel danilo@socialprofit.com.br INCENTIVOS FISCAIS Contexto MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

Novos Prefeitos e Prefeitas 2013

Novos Prefeitos e Prefeitas 2013 Novos Prefeitos e Prefeitas 2013 Curso de Prefeitos Eleitos 2013 a 2016 ARDOCE Missão Ser um banco competitivo e rentável, promover o desenvolvimento sustentável do Brasil e cumprir sua função pública

Leia mais

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso Como se Tornar um Município Amigo do Idoso Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso 2 3 GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo ROGERIO HAMAM Secretário de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 1. Patrocínios 1.1 Patrocínio a Eventos e Publicações Data limite: 60 dias de antecedência da data de início do evento

Leia mais

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra:

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra: MBA Pós - Graduação QUEM SOMOS Para pessoas que têm como objetivo de vida atuar local e globalmente, ser empreendedoras, conectadas e bem posicionadas no mercado, proporcionamos uma formação de excelência,

Leia mais

Dossiê Ensino Fundamental no Brasil. Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas

Dossiê Ensino Fundamental no Brasil. Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas Segundo substitutivo do PNE, apresentado pelo Deputado Angelo Vanhoni, Abril de 2012 Profa. Dra. Rosilene Lagares PPGE/PET PedPalmas Palmas,

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DE BOLSA ESCOLA

O PROGRAMA NACIONAL DE BOLSA ESCOLA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DO PROGRAMA NACIONAL DE BOLSA ESCOLA CONDITIONAL CASH TRANSFER PROGRAMS: OPERATIONAL EXPERIENCES WORLD BANK WORKSHOP O PROGRAMA NACIONAL DE BOLSA ESCOLA Contexto Após

Leia mais

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo:

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo: Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade Entrevista cedida à FGR em Revista por Gustavo de Faria Dias Corrêa, Secretário de Estado de Esportes e da Juventude de Minas Gerais. FGR: A Secretaria

Leia mais

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI)

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) Presidência da República Controladoria-Geral da União Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) O PETI é um programa do Governo Federal que

Leia mais

1ª Retificação do Edital Nº 024/2015

1ª Retificação do Edital Nº 024/2015 1ª Retificação do Edital Nº 024/2015 O Diretor Geral do Câmpus Juiz de Fora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG), no uso de suas atribuições

Leia mais

MINISTÉRIO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL ATENDIMENTO À PESSOA IDOSA

MINISTÉRIO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL ATENDIMENTO À PESSOA IDOSA MINISTÉRIO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL ATENDIMENTO À PESSOA IDOSA BRASIL Ü 2025 32 milhões de idosos 6º LUGAR NO MUNDO 2002 15 milhões de Idosos LEGISLAÇÃO DE PROTEÇÃO SOCIAL PARA O IDOSO Lei Orgânica da Assistência

Leia mais

Associação Síndrome de Down, Piracicaba (SP) VOCÊ MUDA O DESTINO DE PARTE DO SEU IMPOSTO E ACABA MUDANDO MUITOS OUTROS.

Associação Síndrome de Down, Piracicaba (SP) VOCÊ MUDA O DESTINO DE PARTE DO SEU IMPOSTO E ACABA MUDANDO MUITOS OUTROS. Associação Síndrome de Down, Piracicaba (SP) VOCÊ MUDA O DESTINO DE PARTE DO SEU IMPOSTO E ACABA MUDANDO MUITOS OUTROS. Caro(a) colega, É com muito orgulho que anunciamos uma nova edição do programa Cidadãos

Leia mais

Políticas de formação e valorização profissional em Segurança Pública

Políticas de formação e valorização profissional em Segurança Pública Ministério da Justiça Políticas de formação e valorização profissional em Segurança Pública SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA Diagnóstico da Formação em Segurança Pública (2001-2003) 2003) Cenário

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios LEI N. 1.343, DE 21 DE JULHO DE 2000 Institui a Política Estadual do Idoso - PEI e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. R E S O L V E: I DA CONCEITUAÇÃO

RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. R E S O L V E: I DA CONCEITUAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO, no

Leia mais

O Programa Bolsa Família

O Programa Bolsa Família Painel sobre Programas de Garantia de Renda O Programa Bolsa Família Patrus Ananias de Sousa Ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome República Federativa do Brasil Comissão de Emprego e Política

Leia mais

MANUAL DE ASPECTOS JURÍDICOS DO PROGRAMA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

MANUAL DE ASPECTOS JURÍDICOS DO PROGRAMA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br MANUAL DE ASPECTOS JURÍDICOS

Leia mais

BALANÇO SOCIAL. Prof. Edson Degraf 1

BALANÇO SOCIAL. Prof. Edson Degraf 1 BALANÇO SOCIAL Prof. Edson Degraf 1 O balanço social é uma demonstração que pode ser publicada anualmente pelas empresas, e que reúne uma série de informações sobre sua atuação social, como por exemplo:

Leia mais

Implementação de Centro de Reabilitação para Dependentes Químicos; Criação de Consultório Odontológico no PSF de Itapema do Norte;

Implementação de Centro de Reabilitação para Dependentes Químicos; Criação de Consultório Odontológico no PSF de Itapema do Norte; PROPOSTA DE GOVERNO ITAPOÁ SC * 2013-2016 A presente proposta de governo é apresentada em linha gerais, com a finalidade de compor o acervo documental para o pedido de registro de candidatura aos cargos

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL

INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL Danilo Brandani Tiisel danilo@socialprofit.com.br MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS Características da Atividade Atividade planejada e complexa: envolve marketing, comunicação,

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

Políticas Públicas são um conjunto de ações e decisões do governo, voltadas para facilitar a solução de problemas da sociedade.

Políticas Públicas são um conjunto de ações e decisões do governo, voltadas para facilitar a solução de problemas da sociedade. Políticas Públicas são um conjunto de ações e decisões do governo, voltadas para facilitar a solução de problemas da sociedade. Políticas Públicas são a totalidade de ações, metas e planos que os governos

Leia mais

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME Os desafios da Educação Infantil nos Planos de Educação Porto de Galinhas/PE Outubro/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores

Leia mais

Arvore da Vida Partnership para o desenvolvimento: Educação, Formação profissional e encaminhamento

Arvore da Vida Partnership para o desenvolvimento: Educação, Formação profissional e encaminhamento Arvore da Vida Partnership para o desenvolvimento: Educação, Formação profissional e encaminhamento Maio 2011 Arvore da Vida Partnership para o desenvolvimento: Educação, Formação profissional e encaminhamento

Leia mais

Cultura Oficina Litoral Sustentável

Cultura Oficina Litoral Sustentável Cultura Oficina Litoral Sustentável 1 ESTRUTURA DA AGENDA REGIONAL E MUNICIPAIS 1. Princípios 2. Eixos 3. Diretrizes 4. Ações 4.1 Natureza das ações (planos, projetos, avaliação) 4.2 Mapeamento de Atores

Leia mais

Transformando o presente, construindo o amanhã.

Transformando o presente, construindo o amanhã. Transformando o presente, construindo o amanhã. Primeira sede em 1988 História No dia 23 de novembro de 1988, a Fundação Belgo-Mineira foi oficialmente constituída, a fim de promover ações de marketing

Leia mais

Demonstrativo da extrema pobreza: Brasil 1990 a 2009

Demonstrativo da extrema pobreza: Brasil 1990 a 2009 Campinas, 29 de fevereiro de 2012 AVANÇOS NO BRASIL Redução significativa da população em situação de pobreza e extrema pobreza, resultado do desenvolvimento econômico e das decisões políticas adotadas.

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

Grupo Banco Mundial. Construindo um mundo sem pobreza

Grupo Banco Mundial. Construindo um mundo sem pobreza Grupo Banco Mundial Construindo um mundo sem pobreza Enfoque Regional! O Banco Mundial trabalha em seis grandes regiões do mundo: 2 Fatos Regionais: América Latina e Caribe (ALC)! População total: 500

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

DESEMPENHO SOCIOAMBIENTAL

DESEMPENHO SOCIOAMBIENTAL DESEMPENHO SOCIOAMBIENTAL 3T11 Sumário Sumário...1 Índice de Tabelas...2 Índice de Figuras...3 Desempenho Socioambiental...4 Negócios com Ênfase Socioambiental...5 Ecoeficiência...7 Relações com Funcionários...9

Leia mais

Que tal investir parte dos impostos da sua empresa em um dos mais importantes trabalhos sociais do Brasil?

Que tal investir parte dos impostos da sua empresa em um dos mais importantes trabalhos sociais do Brasil? Que tal investir parte dos impostos da sua empresa em um dos mais importantes trabalhos sociais do Brasil? Conheça o Instituto Bola Pra Frente O Instituto Bola Pra Frente, iniciativa do tetracampeão mundial

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

O Grupo Telefônica no Brasil e no Mundo

O Grupo Telefônica no Brasil e no Mundo Atualizado em: julho, 2011 O Grupo Telefônica no Brasil e no Mundo Dados financeiros (2010) Indicadores Mundo Brasil %BR/mundo Receita Líquida (1) 60,7 bilhões (1) Considera Telesp + 50% da Vivo até 3T2010

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO III DA EDUCAÇÃO, DA CULTURA E DO DESPORTO Seção I Da Educação Art. 208. O dever do Estado com a educação será efetivado

Leia mais

MAIS HUMANAS! Quanto eu devo pagar - Para utilizar nossa estrutura, o instrutor além de não pagar, ainda recebe 60% pelos cursos vendidos

MAIS HUMANAS! Quanto eu devo pagar - Para utilizar nossa estrutura, o instrutor além de não pagar, ainda recebe 60% pelos cursos vendidos Cursos humanizados - A Educar e Transformar se dedica ao sonho de gerar cursos para lideranças profissionais de recursos humanos, com mentalidade de humanização na administração, cursos para líderes, motivação,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO BÁSICA: EDUCAÇÃO BÁSICA: 1. Definir os padrões mínimos de qualidade estabelecidos pela LDB, considerando as especificidades

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E FINANÇAS LOA - LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL - 2014

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E FINANÇAS LOA - LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL - 2014 01101 - CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ 01 - LEGISLATIVA 031 - Ação Legislativa 0001 - ATUAÇÃO LEGISLATIVA DA CÂMARA MUNICIPAL 2001 - Manutenção e Conservação de Bens Imóveis 37.602.000 37.602.000 37.602.000

Leia mais

Voar com responsabilidade social

Voar com responsabilidade social Voar com responsabilidade social Caros colaboradores, Cuidar da sociedade em que vivemos é responsabilidade de todos nós. É por isso que divido com vocês o orgulho de participar desses projetos. A responsabilidade

Leia mais

Brincar de ler e escrever

Brincar de ler e escrever I Edital FNA 2015 Brincar de ler e escrever A Fundação Negro Amor - FNA foi criada em 2008 e, desde então, desenvolve ações na área socioeducativa e cultural, com foco na promoção da educação infantil

Leia mais

Welcome Call em Financeiras. Categoria Setor de Mercado Seguros

Welcome Call em Financeiras. Categoria Setor de Mercado Seguros Categoria Setor de Mercado Seguros 1 Apresentação da empresa e sua contextualização no cenário competitivo A Icatu Seguros é líder entre as seguradoras independentes (não ligadas a bancos de varejo) no

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL (arquivo da Creche Carochinha) Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil é dever do Estado e direito de todos, sem qualquer

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta

Leia mais

Plano de Governo 2013/2016 Secretaria Municipal de Saúde

Plano de Governo 2013/2016 Secretaria Municipal de Saúde Secretaria Municipal de Saúde Garantir o bom funcionamento e reais condições de atendimento a população em toda Rede de Serviços de Saúde, de forma eficiente; Fortalecer o Conselho Municipal de Saúde,

Leia mais

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS.

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS. ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS 40 Relatório de Gestão 2014 B lanço Soci l ESF Estratégia de Saúde da Família Relatório de Gestão 2014 41 GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Com o

Leia mais

O Lugar da Educação Infantil nas Políticas para a Primeira Infância. Rio de Janeiro/RJ Setembro/2015

O Lugar da Educação Infantil nas Políticas para a Primeira Infância. Rio de Janeiro/RJ Setembro/2015 SEMINÁRIO NACIONAL CURRÍCULO E AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: POLÍTICAS PARA A PRIMEIRA INFÂNCIA O Lugar da Educação Infantil nas Políticas para a Primeira Infância Rio de Janeiro/RJ Setembro/2015 Secretaria

Leia mais

IV Seminário Nacional do Programa Nacional de Crédito Fundiário Crédito Fundiário no Combate a Pobreza Rural Sustentabilidade e Qualidade de Vida

IV Seminário Nacional do Programa Nacional de Crédito Fundiário Crédito Fundiário no Combate a Pobreza Rural Sustentabilidade e Qualidade de Vida IV Seminário Nacional do Programa Nacional de Crédito Fundiário Crédito Fundiário no Combate a Pobreza Rural Sustentabilidade e Qualidade de Vida 30 DE NOVEMBRO DE 2011 CONTEXTO Durante os últimos anos,

Leia mais

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL índice APRESENTAÇÃO...3 POLíTICA DE PATROCíNIOS DA VOLVO DO BRASIL...3 1. Objetivos dos Patrocínios...3 2. A Volvo como Patrocinadora...3 3. Foco de Atuação...4

Leia mais

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS Referência: Agenda para a criação de instrumentos de financiamentos e crédito para o setor florestal Interessado: DFLOR/SBF/MMA. 1. ANTECEDENTES: O

Leia mais

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA 2 Caixa, patrimônio dos brasileiros. Caixa 100% pública! O processo de abertura do capital da Caixa Econômica Federal não interessa aos trabalhadores e à população

Leia mais

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO:

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO: EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO: PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS 1. Profissionais da educação: formação inicial e continuada 1.1. Implantar

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 100 - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS O Programa Escola do Legislativo tem como objetivo principal oferecer suporte conceitual de natureza técnico-científica

Leia mais

Questionário para Instituidoras

Questionário para Instituidoras Parte 1 - Identificação da Instituidora Base: Quando não houver orientação em contrário, a data-base é 31 de Dezembro, 2007. Dados Gerais Nome da instituidora: CNPJ: Endereço da sede: Cidade: Estado: Site:

Leia mais

DILMA ROUSSEFF Presidenta da República. PATRUS ANANIAS Ministro do Desenvolvimento Agrário

DILMA ROUSSEFF Presidenta da República. PATRUS ANANIAS Ministro do Desenvolvimento Agrário DILMA ROUSSEFF Presidenta da República PATRUS ANANIAS Ministro do Desenvolvimento Agrário MARIA FERNANDA RAMOS COELHO Secretária Executiva do Ministério do Desenvolvimento Agrário MARIA LÚCIA DE OLIVEIRA

Leia mais

Secretaria de Gestão

Secretaria de Gestão Secretaria de Gestão A Prefeitura Municipal de Salvador enfrentou alguns desafios no início da gestão Foram identificados muitos problemas relacionados aos principais aspectos para uma gestão profissional

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Anexo de Metas e Prioridades

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Anexo de Metas e Prioridades Programa 1704 - APOIO À AGRICULTURA FAMILIAR 17000 - Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca Fortalecer a agricultura familiar, através de um conjunto de ações implementadas em parceria

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento

LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento PNE PME LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento locais e nacionais (prova Brasil e IDEB) 10% do

Leia mais

Política e Sistema de Promoção e Proteção do Emprego PROPOSTA DAS CENTRAIS SINDICAIS

Política e Sistema de Promoção e Proteção do Emprego PROPOSTA DAS CENTRAIS SINDICAIS Política e Sistema de Promoção e Proteção do Emprego PROPOSTA DAS CENTRAIS SINDICAIS Novembro, 2013 1 Política e Sistema de Promoção e Proteção do Emprego PROPOSTA DAS CENTRAIS SINDICAIS Novembro, 2013

Leia mais

ipea políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 133 ASSISTÊNCIA SOCIAL

ipea políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 133 ASSISTÊNCIA SOCIAL ASSISTÊNCIA SOCIAL Regulamento da Organização e do Custeio da Seguridade Social Decreto n o 2.173, de 5 de março de 1997 aprova o Regulamento da Organização e do Custeio da Seguridade Social. Decreto n

Leia mais

Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados.

Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Nossos serviços Nossa equipe atende empresas que investem em responsabilidade

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL Proposta I Fomentar a criação de grêmios estudantis, fóruns de juventude, diretórios centrais de estudantes,

Leia mais

Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Extensão PROGRAMA DE EXTENSÃO

Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Extensão PROGRAMA DE EXTENSÃO Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Extensão PROGRAMA DE EXTENSÃO EDITAL 01/2010 O Pró-reitor de Pesquisa, Extensão,

Leia mais