VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho da AEVA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho da AEVA"

Transcrição

1 VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho da AEVA A importância da formação O caso prático da Soares da Costa Tânia Pereira da Silva Divisão de Prevenção e Segurança 9 / Abril / 2015

2 Quem somos?

3 Quem somos? Empresa de construção civil, engenharia e infraestruturas e atividades industriais relacionadas com a construção Atualmente a nossa atividade é focada em mercados de elevado potencial: Angola, Moçambique e Brasil, e operamos seletivamente noutros países como S. Tomé e Príncipe, Roménia, Omã, Suazilândia, etc. Empregamos cerca de colaboradores, dos quais quase 60% desenvolvem a sua atividade em Angola e quase 20% em Moçambique. Divisão de Prevenção e Segurança, criada em 1982, concretiza em 2005 Conceção documental e formal do Sistema de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho (SGS); 3

4 Quem somos? O Sistema de Gestão da Segurança está certificado pela APCER de acordo com o referencial normativo OHSAS e NP 4397 desde 2007; 2008 Internacionalização da DPS com a ida para obras em Angola, Guiné e Moçambique. A DPS está presente em obras no Brasil em 2011; 2012 Desenvolvimento e implementação de uma Plataforma DPS para o reporte e monitorização dos indicadores de SST; Extensão da certificação do SGS em Angola. 4

5 Quem somos? Equipa de 24 Técnicos de Prevenção e Segurança: Certificados pela ACT Formação em equipas de primeira intervenção Formação em Primeiros Socorros Certificado de Competências Pedagógicas de Formador 5

6 Quem somos? 6

7 Como integramos a formação no nosso Sistema de Gestão SST?

8 Como integramos a formação no nosso Sistema de Gestão SST? Política de Prevenção, Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho 8

9 Como integramos a formação no nosso Sistema de Gestão SST? PGS 05 Competência, Formação, Sensibilização para a SST - assegurar a formação e a informação dos trabalhadores tendo em conta as funções que desempenham, o posto de trabalho que ocupam e os riscos a que se encontram expostos. 9

10 Como planeamos a formação? 1. Identificam-se as necessidades de formação (antes do inicio das atividades) Plano de trabalhos Novos trabalhadores em obra Condicionalismos Introdução de máquinas e equipamentos de trabalho Mudanças de posto de trabalho 10

11 Como planeamos a formação? 1. Identificam-se as necessidades de formação ( ) Ocorrência de incidentes e acidentes de trabalho Campanhas de saúde e segurança Mudança de posto de trabalho ou obra Introdução de novas tecnologias, ferramentas, máquinas 11

12 Como planeamos a formação? 2. Elaboração do plano de formação Necessidades de formação - Formação de acolhimento - Formação específica - Emergência - outras Quem vai receber a formação? - Trabalhadores SC - Subempreiteiros Objetivos Data/Tempo Tipo de ação Local - Informar - Mudança comportamentos - Sensibilização 3. Planeamento das ações e realização das mesmas Recursos / Avaliações de Risco / Procedimentos Específicos / Fichas Prevenção de Riscos / Fichas de Dados de Segurança / etc. 12

13 Tipo de ação? Ações de formação Ações de sensibilização Ações de informação 13

14 Ações de formação Obra Projeto Nacala Seções 6 e7 - Moçambique 14

15 Ações de formação 15

16 Ações de formação Obra INE - Angola Formação de TPS - ENB Estaleiro - Angola 16

17 Ações de sensibilização Obra Muxima Plaza- Angola Obra PRH Soyo - Angola 17

18 Ações de sensibilização Obra Pontes de Sofala e de Manica - Moçambique 18

19 Ações de informação 19

20 Adaptação da formação Qualificações Outras culturas Barreira linguística 20

21 Análise A importância de 2013 da formação O caso prático da Soares da Costa Quais as ferramentas da Equipa Técnica da DPS? Jornadas Técnicas Reuniões Anuais de Técnicos Aquisição de competências Plataforma DPS 21

22 Como monitorizamos a formação? 22

23 Como avaliamos a formação? Avaliação da eficácia da formação Acidentes e incidentes Álcool positivo Outras anómalias Não conformidades Multas/coimas entidades externas Todas as anomalias identificadas durante o mês. 23

24 Indicadores de formação 24

25 Análise A importância de 2013 da formação O caso prático da Soares da Costa Quais as principais vantagens? 25

26 Análise A importância de 2013 da formação O caso prático da Soares da Costa Quais as principais vantagens? 26

27 VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho da AEVA Obrigada! Tânia Pereira da Silva Divisão de Prevenção e Segurança 9 / Abril / 2015

Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho. Patrícia Serra

Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho. Patrícia Serra Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho Patrícia Serra 1 Objetivos das Auditorias ao SGSST Verificar se o SG cumpre eficazmente a política, os objetivos e metas definidos pela organização

Leia mais

Sistemas de gestão da segurança em estabelecimentos industriais uma abordagem pragmática. Luís Santos (Auditor de Segurança)

Sistemas de gestão da segurança em estabelecimentos industriais uma abordagem pragmática. Luís Santos (Auditor de Segurança) Sistemas de gestão da segurança em estabelecimentos industriais uma abordagem pragmática Luís Santos (Auditor de Segurança) Abordagem 1. Pilares de sustentabilidade de um SGS 2. Ameaças à integridade 3.

Leia mais

A Gestão da Qualidade foca o produto; Tem como objectivo a satisfação do cliente.

A Gestão da Qualidade foca o produto; Tem como objectivo a satisfação do cliente. OBJECTIVOS DE UM SISTEMA DE GESTÃO A Gestão da Qualidade foca o produto; Tem como objectivo a satisfação do cliente. A Gestão da Segurança foca o indivíduo, o colaborador; Tem como objectivo a sua protecção

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE, AMBIENTE, SHST E RESPONSABILIDADE SOCIAL

GESTÃO DA QUALIDADE, AMBIENTE, SHST E RESPONSABILIDADE SOCIAL DOS MÓDULOS GESTÃO DA QUALIDADE, AMBIENTE, SHST E RESPONSABILIDADE SOCIAL Criar competências que possibilitem a utilização da Gestão da Qualidade, Ambiente, Segurança e Responsabilidade Social como uma

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição)

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição) SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição) Implementação do SGA e do SGSST ao nível das grandes empresas da R.A.A. Mestranda Cristina

Leia mais

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Resolução do Conselho 2002/C161/01 Nova Estratégia Comunitária de Saúde e Segurança (2002 2006) Redução dos Acidentes de Trabalho

Leia mais

Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho. Programa Operacional

Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho. Programa Operacional Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho Introdução [Índice] Atividades de Promoção da segurança e saúde no trabalho Estratégia Nacional SST Inquérito Nacional às Condições de Trabalho Intervenção no

Leia mais

Segurança. Presente e Futuro. Sérgio Manuel EDP Valor Direcção de Segurança e Saúde

Segurança. Presente e Futuro. Sérgio Manuel EDP Valor Direcção de Segurança e Saúde Segurança. Presente e Futuro Sérgio Manuel EDP Valor Direcção de Segurança e Saúde Agenda Atividades em curso Alguns números Iniciativas a lançar em 2011/2012 Agenda Atividades em curso Alguns números

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO/ESPECIALIZAÇÃO EM SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO QUALIDADE, AMBIENTE, SEGURANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO SGS ACADEMY PORQUÊ A SGS ACADEMY? Criada, em 2003, como área de negócio da

Leia mais

Gestão de Instalações Desportivas

Gestão de Instalações Desportivas Gestão de Instalações Desportivas Ambiente, Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Módulo 10 sessão 3 Gestão de Instalações Desportivas 1.3. Sistemas integrados de qualidade, ambiente e segurança Ambiente,

Leia mais

Na sua experiência profissional, salienta-se uma longa lista de obras realizadas, entre as quais:

Na sua experiência profissional, salienta-se uma longa lista de obras realizadas, entre as quais: 1. A EMPRESA retende-se com o presente capítulo efectuar a apresentação da Tomás de Oliveira, do seu compromisso em relação à qualidade e da organização que disponibiliza para alcançar esse objectivo.

Leia mais

Cérebro Centro de Formação, Lda.

Cérebro Centro de Formação, Lda. Catálogo de Formação Cérebro Centro de Formação, Lda. Desde 1990 a apostar no Futuro com Qualidade e Formação! Sede: Av. José Afonso, nº. 92, cv Cavaquinhas, Arrentela, 2840-735 Seixal Tel./Fax: 212 225

Leia mais

SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO

SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO 1 Introdução No actual quadro legislativo (35/2004) é bem claro que a responsabilidade pelas condições de Segurança, Higiene e Saúde

Leia mais

AEP/APCER FORMAÇÃO 2º SEMESTRE 2004

AEP/APCER FORMAÇÃO 2º SEMESTRE 2004 Ed. de Serviços da Exponor, 2º Av. Dr. António Macedo 4450 617 Leça da Palmeira t: 22 999 36 00 f: 22 999 36 01 e-mail: info@apcer.pt www.apcer.pt Formação Empresa 4450-617 Leça da Palmeira t: 22 998 1753

Leia mais

SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO

SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO Introdução No actual quadro legislativo (Lei 7/2009 Código do Trabalho) e (Lei 102/2009 Regime jurídico da promoção da segurança e saúde

Leia mais

SGA. Introdução. Qualidade SGA ISO 14001. SGA por Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática SGA. Introdução.

SGA. Introdução. Qualidade SGA ISO 14001. SGA por Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática SGA. Introdução. por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Legislação aplicada no âmbito de S.H.S.T. Prescrições mínimas de segurança e saúde sobre os componentes materiais do Trabalho

Leia mais

PUBLICAÇÕES:TECNOMETAL n.º 139 (Março/Abril de 2002) KÉRAMICA n.º 249 (Julho/Agosto de 2002)

PUBLICAÇÕES:TECNOMETAL n.º 139 (Março/Abril de 2002) KÉRAMICA n.º 249 (Julho/Agosto de 2002) TÍTULO: Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho AUTORIA: Paula Mendes PUBLICAÇÕES:TECNOMETAL n.º 139 (Março/Abril de 2002) KÉRAMICA n.º 249 (Julho/Agosto de 2002) FUNDAMENTOS A nível dos países

Leia mais

PLANO DE TRANSIÇÃO OHSAS 18001:2007

PLANO DE TRANSIÇÃO OHSAS 18001:2007 PLANO DE TRANSIÇÃO OHSAS Agenda 1. Processo de normalização no âmbito da SST; 2. Ponto de situação da revisão da norma NP4397; 3. Plano de Transição APCER OHSAS. 1. Processo de normalização no âmbito da

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO

INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE COIMBRA INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO Elaborado por: Carla Latas nº 3501 Rui Soares nº 3508 Ana Lopes nº 3512 Coimbra, 02 de Junho de 2005.

Leia mais

VI Jornadas técnicas de segurança no trabalho da AEVA

VI Jornadas técnicas de segurança no trabalho da AEVA VI Jornadas técnicas de segurança no trabalho da AEVA Agenda Volkswagen Autoeuropa em Portugal Produtos e produção Recursos Humanos Boas práticas preventivas 2/32 Volkswagen Autoeuropa em Portugal 3/32

Leia mais

REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO

REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO Guia Agenda 21 Local REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO Isabel Lico Divisão de Desempenho e Qualificação Ambiental ESTORIL 23 de Setembro de 2009 A Proposta... REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO Apoiar a preparação

Leia mais

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO DE Área de Formação 862 Segurança e Higiene no Trabalho Formação Profissional Contínua/de Especialização ÍNDICE 1- ENQUADRAMENTO... 3 2- OBJECTIVO GERAL... 4 3- OBJECTIVOS

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Página 1 de 6

PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Página 1 de 6 AMBIENTE ECONOMIA SOCIAL ENERGIA A Certificação da Gestão Florestal e Cadeia de Responsabilidade FSC ou PEFC Acompanhamento Ambiental em Obra e Gestão de RCD s (e-xz) Auditorias Ambientais (e-xz) Conformidade

Leia mais

ÍNDICE [Resumido] 2.Implementação do Sistema de Gestão Ambiental Introdução

ÍNDICE [Resumido] 2.Implementação do Sistema de Gestão Ambiental Introdução CONTEÚDOS Este livro escrito em parceria por 9 co-autores, de entre académicos e profissionais de engenharia, fornece uma ajuda preciosa na aquisição de conhecimentos e de competências, tidas como necessárias

Leia mais

Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho

Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho 1 1. A campanha MET 2. Aquisição de máquinas seguras 3. Utilização de equipamentos de trabalho bem adaptados 4. Locais de trabalho

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE TRABALHO

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE TRABALHO SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA A E SAÚDE NO TRABALHO Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição) Implementação do SGA e do SGSST ao nível das grandes empresas da R.A.A. Mestranda Cristina

Leia mais

LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA A INTERPRETAÇÃO DA NORMA OHSAS 18001/NP 4397

LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA A INTERPRETAÇÃO DA NORMA OHSAS 18001/NP 4397 LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA A INTERPRETAÇÃO DA NORMA 2003 LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA A INTERPRETAÇÃO DA NORMA APCER - Associação Portuguesa de Certificação Carlos Rodrigues Júlio Faceira Guedes Revisto pela

Leia mais

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO À GESTÃO DA QUALIDADE

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO À GESTÃO DA QUALIDADE Índice Índice de figuras e tabelas 19 Prefácio 29 CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO À GESTÃO DA QUALIDADE 1. Introdução 35 2. Conceitos da qualidade 36 3. Origem dos principais problemas da qualidade 41 4. Alguns

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA

RELATÓRIO DE AUDITORIA Entidade Auditada: BIBLIOTECA MUNICIPAL SANTA MARIA DA FEIRA Tipo de Auditoria: Auditoria Interna Data da Auditoria: 09.12.2014 Duração: 1 dia Locais Auditados: Av. Dr. Belchior Cardoso da Costa / 4520-606

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Auditoria de Segurança e Higiene no Trabalho

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Auditoria de Segurança e Higiene no Trabalho INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico 28/10/2015 Aprovação do Conselho Técnico-Científico 16/12/2015 Ficha de

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA

RELATÓRIO DE AUDITORIA IDENTIFICAÇÃO Data da auditoria 23-02-2015 24-02-2015 Organização Morada Sede Representante da Organização Câmara Municipal de Santa Maria da Feira - Biblioteca Municipal Av. Dr. Belchior Cardoso da Costa

Leia mais

Catálogo de Formação. Estabelecemos Parcerias orientadas para a criação de valor, baseado no desenvolvimento do Capital Humano da sua Empresa

Catálogo de Formação. Estabelecemos Parcerias orientadas para a criação de valor, baseado no desenvolvimento do Capital Humano da sua Empresa Catálogo de Formação Estabelecemos Parcerias orientadas para a criação de valor, baseado no desenvolvimento do Capital Humano da sua 1. Apresentação 2. Plano de formação 2.1 Condutores/manobradores de

Leia mais

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE. INFORMAÇÃO PESSOAL RITA MESQUITA Nome Nacionalidade Portuguesa Data de nascimento 3 de Janeiro de 1980

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE. INFORMAÇÃO PESSOAL RITA MESQUITA Nome Nacionalidade Portuguesa Data de nascimento 3 de Janeiro de 1980 M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL RITA MESQUITA Nome Nacionalidade Portuguesa Data de nascimento 3 de Janeiro de 1980 FORMAÇÃO ACADÉMICA Outubro 2006 Junho 2007 Nome da organização

Leia mais

Calendário Formação 2011

Calendário Formação 2011 ÁREA: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade IS0 9001:2008 16 HORAS 21 FEV 22 FEV LISBOA 21 MAR 22 MAR LISBOA 16 MAI 17 MAI PORTO 10 OUT 11 OUT LISBOA 14 NOV

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO EXTERNA 2015. Qualidade

PLANO DE FORMAÇÃO EXTERNA 2015. Qualidade (Isento IVA) Qualidade Norma ISO 9001 Qualidade (nova versão ) Gestores da Qualidade 7 outubro Formar acerca do conteúdo da Norma de referência ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade: requisitos Conhecer

Leia mais

OS ACIDENTES DE TRABALHO EM PORTUGAL

OS ACIDENTES DE TRABALHO EM PORTUGAL 18 de Novembro de 2010 J. Pintado Nunes Director de Serviços de Apoio à Actividade Inspectiva OS ACIDENTES DE TRABALHO EM PORTUGAL Acidentes de trabalho (total) Análise sumária tendência para estabilização

Leia mais

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores Homologado pelo IEFP com o código de curso C1840003 Presencial 90 horas (Conforme Portaria n.º 214/2011, de 30 de maio) DPJ.FOR.FPIF.01

Leia mais

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação.

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação. Objectivos Gerais Definir o que é a Qualidade; Determinar a evolução da qualidade. Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens

Leia mais

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa Vencemos juntos Apresentação da Empresa @ 2014 Quem Somos Missão Fornecer ferramentas e recursos, que juntos, colmatam as necessidades dos nossos Clientes tornando-os mais competitivos e eficazes. Visão

Leia mais

Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança

Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança ENQUADRAMENTO O QUE SE PRETENDE? A IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

Leia mais

TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6)

TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6) TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6) Objectivos do Curso No final da acção, os formandos deverão ser capazes de: Colaborar na definição da política geral da empresa relativa à

Leia mais

VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho

VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho Sensibilizar as Pequenas e Médias Empresas para a Segurança no Trabalho A colaboração entre a rede Enterprise Europe Network e a Agência Europeia para a Segurança

Leia mais

Encontro Anual Agenda 21 Local. Guia Agenda 21 Local. Um desafio de todos

Encontro Anual Agenda 21 Local. Guia Agenda 21 Local. Um desafio de todos Encontro Anual Agenda 21 Local Guia Agenda 21 Local Um desafio de todos Isabel Lico Montemor-o-Novo 20 novembro 2015 Objetivos do Guia Agenda 21 Um desafio de todos Referencial Normativo Conceção e implementação

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho SST

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho SST SISTEMA GESTÃO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO 1. INTRODUÇÃO O Sistema de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho (SGSST) proporciona um conjunto de ferramentas que potenciam a melhoria da eficiência da

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Edição 13 26-08-2013

MANUAL DA QUALIDADE Edição 13 26-08-2013 MANUAL DA QUALIDADE Edição 13 26-08-2013 ÍNDICE 1. ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DO MANUAL DA QUALIDADE... 4 1.1. Objetivo... 4 1.2. Âmbito e Exclusões... 4 1.3. Gestão do Manual da Qualidade... 5 2. ESTRUTURA

Leia mais

Patient Safety. Diagnóstico da Realidade Nacional. 1º Workshop Formativo sobre Segurança Clínica. Susana Ramos

Patient Safety. Diagnóstico da Realidade Nacional. 1º Workshop Formativo sobre Segurança Clínica. Susana Ramos Patient Safety 1º Workshop Formativo sobre Segurança Clínica Susana Ramos Junho 2008 : Projectos de Acreditação nos Hospitais 1999 Manual da Qualidade: Normas e Critérios área da Saúde Normas - Gestão

Leia mais

Sistemas de Gestão de Energia

Sistemas de Gestão de Energia Gestão de Energia e Eficiência Energética nas Empresas Sistemas de Gestão de Energia 25 de Janeiro de 2013 Sistemas de Gestão de Energia Agenda: Gestão de Energia, porquê? Objetivos dos Sistemas de Gestão

Leia mais

Consultoria para implementação de um Sistema de Gestão Integrado de Qualidade e Inovação.

Consultoria para implementação de um Sistema de Gestão Integrado de Qualidade e Inovação. Integrado de Qualidade e Inovação. o referencial NP 4457:2007 da Consultoria para implementação de um Sistema HACCP DS 3027 E: 2002; Formação em Qualidade; Formação em Boas Práticas e HACCP; Auditorias

Leia mais

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre Plano de Formação - 2011 Form + Lab 2 Semestre Form + Lab O que é? O Form + Lab é um serviço de formação criado para apoiar os laboratórios na valorização e formação dos seus colaboradores dando resposta

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Helena Ferreira (helena.ferreira@apcer.pt) Gestora de Desenvolvimento da APCER I. APRESENTAÇÃO DA APCER www.apcer.pt 1. Quem Somos Início de actividade

Leia mais

DESPACHO. Estrutura Orgânica dos Serviços da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa.

DESPACHO. Estrutura Orgânica dos Serviços da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa. DESPACHO N.º07/2014 Data: 2014/02/11 Para conhecimento de: Pessoal Docente, Discente e Não Docente ASSUNTO: Estrutura Orgânica dos Serviços da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa. Os Estatutos

Leia mais

O protetor das escadas rolantes

O protetor das escadas rolantes O protetor das escadas rolantes 1 O protetor das escadas rolantes As escadas rolantes de vários centros comerciais brasileiros estavam a originar incidentes que tinham grande impacto mediático neste país.

Leia mais

RELATÓRIO DE FORMAÇÃO

RELATÓRIO DE FORMAÇÃO RELATÓRIO 2013 DE FORMAÇÃO 2 Índice Introdução... 5 1. Indicadores Gerais da Formação em 2013... 6 2. Nível de Execução do Plano de Formação 2013... 7 3. Formação extraplano... 9 4. Autoformação... 9 5.

Leia mais

Empenhamo-nos no que fazemos e fazemos bem

Empenhamo-nos no que fazemos e fazemos bem Empenhamo-nos no que fazemos e fazemos bem Localização: Amadora, Venda Nova, Rua Henrique de Paiva Couceiro (Sede), (onde se encontra o CNO) Colaboradores : Total: Funcionários: 84 Formadores: 58 CNO:

Leia mais

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração www.apcer.pt AGENDA Apresentação APCER Desenvolvimento ERS3002 Conteúdo da ERS3002 Metodologias de auditorias Associação constituída em Abril 1996

Leia mais

Proposta de Serviços XXI. REDE MAQUIJIG Business Solutions. Refª 2097/2014 13-05-2014. a Sua empresa de Serviços

Proposta de Serviços XXI. REDE MAQUIJIG Business Solutions. Refª 2097/2014 13-05-2014. a Sua empresa de Serviços Proposta XXI REDE MAQUIJIG Business Solutions Refª 2097/2014 13-05-2014 a Sua empresa Índice 1. Introdução 2. Medicina do trabalho 3. Segurança no Trabalho 4. Higiene e Segurança Alimentar 5. Formação

Leia mais

Oferta Formativa 2014 INTRA EMPRESAS

Oferta Formativa 2014 INTRA EMPRESAS Qualidade Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 14 Gestão por Processos - ISO 9001:2008 8 Melhoria Contínua da Qualidade 21 Seminário em Sistemas de Gestão da Qualidade 7 Sensibilização em Sistemas

Leia mais

No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição.

No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição. 1. OBJETIVOS GERAIS No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição. 2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Descrever a orgânica das Instituições Sociais;

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA MANUAL DE GESTÃO

CÓPIA NÃO CONTROLADA MANUAL DE GESTÃO MANUAL DE GESTÃO FERNANDES & PÁGINA 2 / 18 ÍNDICE PÁG. 1. PROMULGAÇÃO 3 2. APRESENTAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO 4 3. CAMPO DE APLICAÇÃO 11 4. POLÍTICA DA FERNANDES & 12 5. SISTEMA DE GESTÃO 13 FERNANDES & PÁGINA

Leia mais

Catálogo de Formação

Catálogo de Formação Catálogo de Formação ÍNDICE 04 Soluções Formativas à Medida das Necessidades da sua Organização 06 e-learning 08 Formação Auditores com Acreditação IRCA 16 Qualidade 36 Ambiente 44 Integração Sistemas

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO 1/19 Programa do curso Módulo Designação Duração (h) Componente Sócio-Cultural 1 Legislação, regulamentos e normas de segurança,

Leia mais

PRÊMABULO... RESUMO... ABSTRACT... ÍNDICE DE FIGURAS... ÍNDÍCE DE QUADROS... ÍNDÍCE DE GRÁFICOS... ÍNDÍCE DE ANEXOS... SIGLAS E ABREVIATURAS...

PRÊMABULO... RESUMO... ABSTRACT... ÍNDICE DE FIGURAS... ÍNDÍCE DE QUADROS... ÍNDÍCE DE GRÁFICOS... ÍNDÍCE DE ANEXOS... SIGLAS E ABREVIATURAS... Índice Geral PRÊMABULO...... RESUMO...... ABSTRACT...... ÍNDICE DE FIGURAS........ ÍNDÍCE DE QUADROS...... ÍNDÍCE DE GRÁFICOS......... ÍNDÍCE DE ANEXOS..... SIGLAS E ABREVIATURAS.... iii iv v ix x xi xii

Leia mais

Orientar a acção para os resultados, na efectivação de condições de trabalho seguras, dignas e sustentáveis

Orientar a acção para os resultados, na efectivação de condições de trabalho seguras, dignas e sustentáveis Plano de Acção Inspectiva 2008-2010 Orientar a acção para os resultados, na efectivação de condições de trabalho seguras, dignas e sustentáveis 1 I Introdução II Referenciais da acção inspectiva da ACT

Leia mais

Referenciais da Qualidade

Referenciais da Qualidade 2008 Universidade da Madeira Grupo de Trabalho nº 4 Controlo da Qualidade Referenciais da Qualidade Raquel Sousa Vânia Joaquim Daniel Teixeira António Pedro Nunes 1 Índice 2 Introdução... 3 3 Referenciais

Leia mais

Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis. Enquadramento Legal

Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis. Enquadramento Legal AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis - Obrigações Gerais do Empregador SERVIÇOS DE ENGENHARIA/SEGURANÇA AICCOPN - 07 de Junho de

Leia mais

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE XXVIII Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE 1. Sistema de gestão de qualidade... 2 1.1 Objectivos do sistema... 2 1.2 Estrutura organizativa... 4 1.2.1 Organização interna... 4 1.2.2 Estrutura

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA QUALIDADE

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA QUALIDADE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO: Prof.ª Doutora Florbela Correia Mestre/Especialista José Carlos Sá PLANO Listagem das Unidades Curriculares CONTROLO ESTATÍSTICO DO PROCESSO...

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2015. Visite o Regulamento da Formação em www.qualiwork.pt

PLANO DE FORMAÇÃO 2015. Visite o Regulamento da Formação em www.qualiwork.pt PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Visite o Regulamento da em www.qualiwork.pt A Qualiwork é uma organização certificada segundo a norma ISO 9001 em serviços de Consultoria e no seguinte âmbito: Prestação de serviços

Leia mais

Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques

Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos...

Leia mais

PT Compras: Central de Negociação e Compras da Portugal Telecom. 17 de Junho de 2010

PT Compras: Central de Negociação e Compras da Portugal Telecom. 17 de Junho de 2010 PT Compras: Central de Negociação e Compras da Portugal Telecom 17 de Junho de 2010 Agenda Missão e História da PT Compras Centralização da Função Compras Modelo de Compras da Portugal Telecom Um Modelo

Leia mais

O Portal da Construção Segurança e Higiene do Trabalho

O Portal da Construção Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XVIII Plano de Emergência um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a

Leia mais

Benefícios da Certificação para a Administração Pública

Benefícios da Certificação para a Administração Pública Benefícios da Certificação para a Administração Pública Hélder Estradas, 7 de Maio de 2008 Agenda 1 - Resumo Histórico da Certificação em Portugal; 2 - Vantagens da Certificação; 3 - Processo de Certificação.

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO PREVISIONAL - 2015. Processo

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO PREVISIONAL - 2015. Processo PERSPETIVAS PROCESSOS OBJETIVOS ESTRATÉGICOS CLIENTES PROCESSOS CRESCIMENTO FINANCEIRA Siglas s PRH PCAO P PC PJ PATL PCD PCC PSAD PCAT/LIJ PSAAS PLI Gestão e Melhoria Recursos Humanos Centro Atividades

Leia mais

Nome da Empresa Pessoa de Contacto Cargo Consultor Data

Nome da Empresa Pessoa de Contacto Cargo Consultor Data 01 Nome da Empresa Pessoa de Contacto Cargo Consultor Data O presente questionário deve ser utilizado em complemento dos Questionários de Avaliação Financeira, de Gestão e Excelência Módulos Base dos Índices

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES 96 HORAS

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES 96 HORAS FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES 96 HORAS MÓDULOS HORAS FORMADOR 1 - FORMADOR: SISTEMA, CONTEXTOS E PERFIL 10H FRANCISCO SIMÕES 2 SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL 13H FILIPE FERNANDES 3 COMUNICAÇÃO

Leia mais

Plano de Formação Janeiro a Março 2015

Plano de Formação Janeiro a Março 2015 Plano de Formação Janeiro a Março 2015 (As datas indicadas no calendário são meramente indicativas e não dispensam a consulta e confirmação por parte da Forseguro) ÁREA: FORMAÇÃO DE PROFESSORES/FORMADORES

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente

Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente Concelho de Esposende Distrito de Braga 15 Freguesias Área - Cerca de 95 Km2 População - 33.325 habitantes ( x 3 na época balnear ) Orla Costeira Parque

Leia mais

Os Modelos de Gestão nas Organizações

Os Modelos de Gestão nas Organizações Os Modelos de Gestão nas Organizações APCER VISÃO Ser reconhecida como uma empresa de auditoria e certificação global. MISSÃO Auditar e certificar em todo o mundo, com competência e confiança, para benefício

Leia mais

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho (ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001) Prof. Livre Docente Otávio J. Oliveira UNESP CONTEXTUALIZAÇÃO - Diluição

Leia mais

A CERTIFICAÇÃO E O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO

A CERTIFICAÇÃO E O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO A CERTIFICAÇÃO E O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO www.apcer.pt CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (NP EN ISO 9001:2000) A norma ISO 9001:2000, incentiva as organizações a adoptarem o modelo da Abordagem

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS

GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS ACOMPANHAMENTO AMBIENTAL DE OBRA Luísa Pinto Maio. 2008, Tektónica Lisboa O que é? Definição, aplicação ou fiscalização da aplicação de medidas de gestão ambiental, incluindo

Leia mais

ISO 22000 SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR

ISO 22000 SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR ISO 22000 SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR INTRODUÇÃO Os sistemas de segurança alimentar devem ser desenhados de forma a controlar o processo de produção e basearem-se em princípios e conceitos

Leia mais

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP DPS 38.008-13 EDP Natureza do documento Versão Data Emissor Procedimento de Segurança (DPS) R4 14-12-2012

Leia mais

Federação Nacional de Karaté Programa de Formação 2012-2015 17-03 - 2012

Federação Nacional de Karaté Programa de Formação 2012-2015 17-03 - 2012 Federação Nacional de Karaté Programa de Formação 2012-2015 Documentação Produzida http://prodesporto.idesporto.pt/ Etapas do Processo Referenciais de Formação Geral Referenciais de Formação Específica

Leia mais

POLÍTICA DE HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO

POLÍTICA DE HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO POLÍTICA DE HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO Toda empresa deve adotar uma Política de Higiene e Segurança do Trabalho e ao adotar políticas para as suas atividades, as empresas passam a dispor de instrumentos

Leia mais

Curso Aplicação das OHSAS 18001 ao sector da Construção Civil

Curso Aplicação das OHSAS 18001 ao sector da Construção Civil Curso Aplicação das OHSAS 18001 ao sector da Construção Civil Referencial do Curso Objectivos Objectivos Gerais Dar a conhecer os requisitos das OHSAS 18001:2007. Abordar as particularidades de aplicação

Leia mais

FORMAÇÃO 2012/2013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL

FORMAÇÃO 2012/2013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL FORMAÇÃO 01/013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL INFORMAÇÕES FUNDAÇÂO MINERVA Cultura - Ensino e Investigação Científica Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão Largo Tinoco de Sousa 760. 108

Leia mais

Gestão de Complexos Desportivos

Gestão de Complexos Desportivos 2013-2016 Gestão das Instalações Desportivas Gestão de Complexos Desportivos Módulo 5 Aula 8 Sumário. 1. Tipos de ocorrências e sua inventariação; 2. Controlo e verificação de materiais; 3. Técnicas e

Leia mais

RH: QUALIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

RH: QUALIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Designação da Ação Paralisia Cerebral (varias abordagens) Definição implementação de PI Qualidade do Serviço e Satisfação do Cliente Suporte Básico de Vida Comunicação e Relacionamento Interpessoal Trabalho

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO: Técnico de Instalações Elétricas DISCIPLINA: Práticas Oficinais N.º TOTAL DE MÓDULOS: 5 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 N.º 1 18 Higiene e Segurança no Trabalho Organização

Leia mais

CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014. www.navegantescf.pt

CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014. www.navegantescf.pt CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014 FORMAÇÃO Início Fim Duração Horário Inscrição Contabilidade e Fiscalidade 01-10-2014 29-10-2014 21h P.L/S 100 Sensibilização e Orientação para o Cliente 02-10-2014

Leia mais

Curso Técnico de Apoio à Gestão Desportiva

Curso Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Componente Técnica, Tecnológica e Prática Componente Científica Componente Sociocultural Morada: Rua D. Jaime Garcia Goulart, 1. 9950 361 Madalena do Pico. Telefones: 292 623661/3. Fax: 292 623666. Contribuinte:

Leia mais

PREFÁCIO. Porto, Abril de 2010. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação

PREFÁCIO. Porto, Abril de 2010. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação 18001 - GUIA3/1 Nos termos e para os efeitos do disposto, designadamente, nos artigos 9º, 12º e 196º do Código dos Direitos de Autor e Direitos Conexos, informa-se que este texto está protegido por direitos

Leia mais

Manual Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança

Manual Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança Manual Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança S A A G Q A Q G S A Janeiro de 2014 REVI SÃO D ESCRIÇÃO D ATA 01 Alteração do Âmbito do Sistema (página 11). Inclusão dos procedimentos requeridos pelas

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DA OHSAS 18001 VERSÃO 2007

INTERPRETAÇÃO DA OHSAS 18001 VERSÃO 2007 INTERPRETAÇÃO DA OHSAS 18001 VERSÃO 2007 Com base na OHSAS 18001:1999 e na ISO 14001:2004 Interpretação da OHSAS 18001:2007 Página 1 de 65 Como utilizar este documento Apesar dos textos das normas estarem

Leia mais

APRESENTAÇÃO ACCENDO

APRESENTAÇÃO ACCENDO APRESENTAÇÃO ACCENDO "A Accendo é uma empresa que funciona com uma rede de parceiros e associados, vocacionada para o desempenho de todas as actividades ligadas à formação profissional essencialmente a

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Segurança e Higiene no Trabalho Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/7 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Pág. 1 de 15. Actuar. Verifica r. Data: 09/05/2011 Edição: 01 Revisão: 00 Entrada em vigor:

MANUAL DA QUALIDADE. Pág. 1 de 15. Actuar. Verifica r. Data: 09/05/2011 Edição: 01 Revisão: 00 Entrada em vigor: MANUAL DA QUALIDADE Pág. 1 de 15 Planear Realizar Actuar Verifica r Rubrica: Rubrica: MANUAL DA QUALIDADE Pág. 2 de 15 INDICE: CAP. 1 - MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE 1.1. - Objectivo 1.2. - Âmbito e exclusões

Leia mais

1.º WORKSHOP DE GESTÃO DO DESEMPENHO NO SETOR PÚBLICO PORTUGUÊS

1.º WORKSHOP DE GESTÃO DO DESEMPENHO NO SETOR PÚBLICO PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE AVEIRO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS, POLÍTICAS E DO TERRITÓRIO 1.º WORKSHOP DE GESTÃO DO DESEMPENHO NO SETOR PÚBLICO PORTUGUÊS UM EXEMPLO DAS PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE E DO

Leia mais