RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 Brasília/DF 2014

2 RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 Relatório de Gestão do exercício de 2013 apresentado aos órgãos de controle interno e externo como prestação de contas anual a que esta Unidade está obrigada nos termos do art. 70 da Constituição Federal, elaborado de acordo com as disposições da IN TCU nº 63/2010, da DN TCU nº 127/2013, da Portaria TCU nº 175/2013 e das orientações do órgão de controle interno. Unidade Responsável pela elaboração do relatório Conselho Federal de Biblioteconomia CFB Unidades agregadas Conselho Regional de Biblioteconomia - 1ª Região (Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul) Conselho Regional de Biblioteconomia - 2ª Região (Pará, Amapá e Tocantins) Conselho Regional de Biblioteconomia - 3ª Região (Ceará e Piauí) Conselho Regional de Biblioteconomia - 4ª Região (Pernambuco e Alagoas) Conselho Regional de Biblioteconomia - 5ª Região (Bahia e Sergipe) Conselho Regional de Biblioteconomia - 6ª Região (Minas Gerais e Espírito Santo) Conselho Regional de Biblioteconomia - 7ª Região (Rio de Janeiro) Conselho Regional de Biblioteconomia - 8ª Região (São Paulo) Conselho Regional de Biblioteconomia - 9ª Região (Paraná) Conselho Regional de Biblioteconomia - 10ª Região (Rio Grande do Sul) Conselho Regional de Biblioteconomia - 11ª Região (Amazonas, Acre, Roraima e Rondônia) Conselho Regional de Biblioteconomia - 13ª Região (Maranhão) Conselho Regional de Biblioteconomia - 14ª Região (Santa Catarina) Conselho Regional de Biblioteconomia - 15ª Região (Paraíba e Rio Grande do Norte) Brasília, DF 2014

3 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 7 2. IDENTIFICAÇÃO E ATRIBUTOS DA ENTIDADE Unidade jurisdicionada agregadora Unidades jurisdicionadas agregadas Normas relacionadas à unidade jurisdicionada agregadora Normas relacionadas às unidades jurisdicionadas agregadas Finalidades e competências institucionais da entidade jurisdicionada Apresentação do organograma funcional Organograma Descrição sucinta das competências e atribuições das áreas Plenário Conselhos Regionais Organograma dos Conselhos Regionais Diretoria Executiva Tribunal Superior de Ética Apoio Administrativo e Financeiro Assessorias Especiais Comissões Permanentes Comissões Temporárias Grupos de Trabalho PLANEJAMENTOS E RESULTADOS ALCANÇADOS Identidade do Sistema CFB/CRB Planejamento estratégico do CFB Descrição sucinta do planejamento ou plano de ação Plano de Ações e Indicadores Comissão de Tomada de Contas Comissão de Ética Profissional Comissão de Legislação e Normas Comissão de Licitação Comissão de Divulgação Comissão de Ensino Comissão de Memória Comissão de Cadastro Comissão Temporária de Assessoria Parlamentar Comissão Temporária de Especialistas em Bibliotecas Universitárias Demonstração e contextualização dos resultados alcançados Resultados das atividades administrativas Tesouraria Secretaria Resultado das atividades realizadas pela diretoria Resultado das atividades das Comissões Comissão de Divulgação Comissão de Ética Profissional Comissão de Legislação e Normas Comissão de Licitação Comissão de Tomada de Contas Comissão de Ensino Comissão de Cadastro de Profissionais e de Bibliotecas Comissão Temporária de Informática Comissão Temporária de Bibliotecas Públicas e Escolares 60

4 Comissão Temporária de Assessoria Parlamentar Comissão Temporária de Especialistas em Bibliotecas Universitárias ESTRUTURA DE GOVERNANÇA E DE AUTOCONTROLE DA GESTÃO Relação dos principais dirigentes e membros do CFB Remuneração paga aos membros Controles Internos Sistema de Correição Avaliação do Funcionamento dos Controles Internos PROGRAMAÇÃO E EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Demonstração da Receita Demonstração Das Despesas Apuração dos Resultados GESTÃO DE PESSOAS, TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA E CUSTOS RELACIONADOS Estrutura de pessoal Custos associados à manutenção dos recursos humanos GESTÃO DO PATRIMÔNIO MOBILIÁRIO E IMOBILIÁRIO Patrimônio Mobiliário do CFB Patrimônio Imobiliários do CFB GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO AMBIENTAL E LICITAÇÕES SUSTENTÁVEIS ANÁLISE CRÍTICA SOBRE A GESTÃO DO CFB RELATÓRIOS DE GESTÃO DAS UNIDADES JURISDICIONADAS AGREGADAS Relatório de Gestão Exercício de CRB Relatório de Gestão Exercício 2013 CRB Relatório de Gestão Exercício CRB Relatório de Gestão Exercício CRB Relatório de Gestão Exercício CRB Relatório de Gestão Exercício CRB Relatório de Gestão Exercício CRB Relatório de Gestão Exercício CRB Relatório de Gestão Exercício CRB Relatório de Gestão Exercício CRB Relatório de Gestão Exercício CRB Relatório de Gestão Exercício CRB Relatório de Gestão Exercício CRB Relatório de Gestão Exercício CRB CONCLUSÕES 385 ANEXO 387

5 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Estrutura Organizacional do CFB 13 Figura 2 Organograma dos Conselhos Regionais de Biblioteconomia 16 Figura 3 Identidade do Sistema CFB/CRB 22 Figura 4 Modelo de Gestão 1 24 Figura 5 Modelo de Gestão 2 24 Figura 6 Página do CRB-5 formulário para contato 157 Figura 7 Página do CRB Figura 8 Contato com o CRB-8 pelo site 311 Figura 9 Links disponíveis na página do CRB LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 1 Evolução da Receita e Despesa do CFB 52 Gráfico 2 Andamento dos processos CRB Gráfico 3 Processos relatados em plenária CRB Gráfico 4 Ofícios enviados 2013 CRB Gráfico 5 presença das conselheiras 2013 CRB Gráfico 6 Bibliotecas fiscalizadas por tipologia CRB Gráfico 7 Porcentagem de bibliotecas fiscalizadas por tipologia CRB Gráfico 8 Comparativo de visitas da fiscalização nos últimos 4 anos CRB Gráfico 9 Comparativo de bibliotecas fiscalizadas por ano CRB Gráfico 10 Origem da visita CRB Gráfico 11 Situação encontrada nas bibliotecas fiscalizadas CRB Gráfico 12 Problemas mais frequentes nas bibliotecas fiscalizadas CRB Gráfico 13 - Problemas mais frequentes nas bibliotecas fiscalizadas por tipologia CRB Gráfico 14 Situação encontrada nas Bibliotecas Públicas CRB Gráfico 15 Situação Encontrada nas Bibliotecas Universitárias CRB Gráfico 16 Situação encontrada nas Bibliotecas Especializadas CRB Gráfico 17 Situação encontrada nas Bibliotecas Escolares CRB Gráfico 18 Situação encontrada nas Bibliotecas de Outras Tipologias CRB Gráfico 19 Bibliotecas Cadastradas e Recadastradas em 2013 CRB-8 293

6 LISTA DE QUADROS Quadro 1 Eixos, programas, projetos e ações para Quadro 2 Plano de Metas para Quadro 3 Atividade 1 do Plano de Metas da CTC 30 Quadro 4 Atividade 2 do Plano de Metas da CTC 31 Quadro 5 Atividade 1 do Plano de Metas da CEP 32 Quadro 6 Atividade 2 do Plano de Metas da CEP 33 Quadro 7 Atividade 3 do Plano de Metas da CEP 34 Quadro 8 Atividade 1 do Plano de Metas da CLN 35 Quadro 9 Atividade 2 do Plano de Metas da CLN 36 Quadro 10 Atividade 1 do Plano de Metas da CLI 37 Quadro 11 Atividade 1 do Plano de Metas da CDV 38 Quadro 12 Atividade 2 do Plano de Metas da CDV 39 Quadro 13 Atividade 3 do Plano de Metas da CDV e CLN 40 Quadro 14 Atividade 4 do Plano de Metas da CDV 41 Quadro 15 Atividade 1 do Plano de Metas da Comissão de Ensino 42 Quadro 16 Atividade 2 do Plano de Metas da Comissão de Ensino 43 Quadro 17 Atividade 1 do Plano de Metas da Comissão de Memória 44 Quadro 18 Atividade 2 do Plano de Metas da Comissão de Memória 45 Quadro 19 Atividade 3 do Plano de Metas da Comissão de Memória 46 Quadro 20 Atividade 1 do Plano de Metas da Comissão de Cadastro 47 Quadro 21 Atividade 2 do Plano de Metas da Comissão de Cadastro 48 Quadro 22 - Atividade 1 do Plano de Metas da Comissão de Assessoria Parlamentar 49 Quadro 23 Atividade 1 do Plano de Metas da Comissão de Especialistas em Bibliotecas Universitárias 50 Quadro 24 Receita e Despesa do CFB 51 Quadro 25 Funcionários do CFB 52 Quadro 26 Participação da Diretoria do CFB em eventos 53 Quadro 27 Principais dirigentes do CFB 63 Quadro 28 Avaliação do Sistema de Controles Internos do CFB 64 Quadro 29 Receita do CFB de forma analítica 66 Quadro 30 Despesa do CFB de forma analítica 67 Quadro 31 Balanço patrimonial, Demonstrativo das variações patrimoniais e Balanço financeiro de Quadro 32 Demonstração do fluxo de caixa do CFB 69 Quadro 33 Gestão de pessoas do CFB 70 Quadro 34 Despesas de manutenção com recursos humanos 70 Quadro 35 Inventário bens móveis do CFB 71 Quadro 36 Imóveis do CFB 73 Quadro 37 - Gestão ambiental no CFB 75 Quadro 38 Balanço Orçamentário CRB-1 86 Quadro 39 - Balanço patrimonial 2013 CRB-1 87 Quadro 40 - Demonstrativo da Despesa 2013 CRB-1 88 Quadro 41 - Demonstrativo da Receita 2013 CRB-1 89 Quadro 42 - Demonstrativo do Fluxo de Caixa 2013 CRB-1 90 Quadro 43 - Balanço Orçamentário 2013 CRB Quadro 44 - Balanço Patrimonial 2013 CRB Quadro 45 Demonstrativo da Receita 2013 CRB Quadro 46 Demonstrativo da Despesa 2013 CRB Quadro 47 - Demonstrativo do Fluxo de Caixa 2013 CRB Quadro 48 - Balanço Orçamentário 2013 CRB-3 126

7 Quadro 49 - Balanço Patrimonial 2013 CRB Quadro 50 - Demonstrativo de Receitas e Despesas 2013 CRB Quadro 51 Balanço orçamentário 2013 CRB Quadro 52 Balanço patrimonial 2013 CRB Quadro 53 Demonstrativo da Receita 2013 CRB Quadro 54 Demonstrativo da Despesa 2013 CRB Quadro 55 - Balanço Orçamentário 2013 CRB Quadro 56 Balanço Patrimonial 2013 CRB Quadro 57 - Demonstrativo da Receita 2013 CRB Quadro 58 Demonstrativo da Despesa 2013 CRB Quadro 59 - Demonstrativo financeiro 2013 CRB Quadro 60 - Fluxo de Caixa 2013 CRB Quadro 61 Balanço patrimonial 2013 CRB Quadro 62 Balanço financeiro 2013 CRB Quadro 63 Demonstrativo Fluxo de caixa 2013 CRB Quadro 64 - Balanço Patrimonial 2013 CRB Quadro 65 - Balanço Orçamentário 2013 CRB Quadro 66 - Balanço Financeiro 2013 CRB Quadro 67 Demonstrativo da receita 2013 CRB Quadro 68 Demonstrativo da despesa 2013 CRB Quadro 69 - Fluxo de Caixa 2013 CRB Quadro 70 Balanço orçamentário 2013 CRB Quadro 71 - Balanço Financeiro 2013 CRB Quadro 72 - Balanço Patrimonial 2013 CRB Quadro 73 - Fluxo de Caixa 2013 CRB Quadro 74 - Demonstração de Resultado Econômico CRB Quadro 75 - Balanço Orçamentário 2013 CRB Quadro 76 - Balanço Patrimonial 2013 CRB Quadro 77 Demonstrativo da receita 2013 CRB Quadro 78 Demonstrativo da despesa 2013 CRB-9 343

8 LISTA DE SIGLAS ABECIN Associação Brasileira de Ensino em Ciência da Informação AGU Advocacia Geral da União ASCOP-SC Associação de Conselhos de Profissionais de Santa Catarina CBBD Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Ciência da Informação CDV Comissão de Divulgação CEP Comissão de Ética Profissional CFB Conselho Federal de Biblioteconomia CLI Comissão de Licitação CLN Comissão de Legislação e Normas CLT Consolidação das Leis Trabalhistas CNTC Catálogo Nacional de Cursos Técnicos COFECI Conselho Federal de Corretores de Imóveis CONFOA Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto CONJUR Assessoria Jurídica CONSELHÃO Fórum de Conselhos Federais de Profissões Regulamentadas CRB Conselho Regional de Biblioteconomia CTC Comissão de Tomada de Contas DN Decisão Normativa DOU Diário Oficial da União EaD Educação a Distância ENECIN Encontro Nacional de Educação em Ciência da Informação FEBAB Federação Brasileira de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições FNLIJ Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil GT Grupo de Trabalho IFLA International Federation of Library Associations and Institutions IN Instrução Normativa INEP Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira MEC Ministério da Educação PNLL Plano Nacional do Livro e Leitura PUC Campinas Pontifícia Universidade Católica de Campinas RI Regimento Interno SAD Setor Administrativo SCF Setor Contábil e Financeiro Sistema CFB/CRB Sistema Conselho Regional/Conselhos Regionais de Biblioteconomia SNBP Sistema Nacional de Bibliotecas Pública SPW - Spiderware STJ Supremo Tribunal de Justiça TCU Tribunal de Contas da União UAB Universidade Aberta do Brasil UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro USP Universidade de São Paulo

9 7 1. INTRODUÇÃO O Relatório da Gestão apresenta as atividades realizadas pelo Sistema CFB/CRB durante o exercício de 2013, em atendimento ao disposto no art. 70 da Constituição Federal, na IN TCU nº 63/2010, na DN TCU nº 127/2013, na Portaria TCU nº 175/2013, e nas orientações do órgão de controle interno, de acordo com a Resolução CFB nº. 73/2005. A elaboração desse relatório permite ao Sistema CFB/CRB prestar contas à sociedade e, em especial, à classe bibliotecária, sobre a aplicação dos recursos que arrecada e administra, dando transparência aos resultados de sua gestão. A atuação do Sistema CFB/CRB é conduzida pelo CFB de forma integrada e colaborativa, com ações planejadas e pautadas pelo respeito à autonomia de cada Conselho Regional. Por meio da Portaria do CFB no. 37, de 25 de novembro de 2013, foi instituída a Comissão Temporária de Orientação e Acompanhamento do Relatório de Gestão do Sistema CFB/CRB. O relatório está estruturado em onze partes, a saber: identificação e atributos da entidade; planejamento e os resultados alcançados; estrutura de governança e de autocontrole da gestão; programação e execução orçamentária e financeira; informações relativas à gestão de pessoas e terceirização de mão de obra; gestão do patrimônio mobiliário e imobiliário; gestão da tecnologia da informação; gestão ambiental e licitações sustentáveis e relatórios de gestão das unidades agregadas.

10 8 2. IDENTIFICAÇÃO E ATRIBUTOS DA ENTIDADE O Sistema CFB/CRB é formado pela unidade jurisdicionada agregadora, o Conselho Federal de Biblioteconomia, e por 14 unidades jurisdicionadas agregadas, que são os Conselhos Regionais, cuja caracterização e descrição apresentamos nos subitens abaixo. 2.1 Unidade jurisdicionada agregadora Identificação da Unidade Jurisdicionada Agregadora Denominação Completa: Conselho Federal de Biblioteconomia Denominação Abreviada: CFB Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: / Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (61) (61) (61) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: SRTVN, Edifício Brasília Rádio Center sala CFB - Conselho Federal de Biblioteconomia Brasília/DF Unidades jurisdicionadas agregadas Número de Ordem: 01 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 1ª Região Denominação Abreviada: CRB-1 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (61) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: SCLN 407 Bl. D loja 30 Brasília/DF CEP: Número de Ordem: 02 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 2ª Região Denominação Abreviada: CRB-2 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (91) (91) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Rua 15 de novembro, 226 Ed. Chamiê sala 1510, Centro - Belém/PA CEP: Número de Ordem: 03 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 3ª Região Denominação Abreviada: CRB-3 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (85) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Avenida Santos Dumont, º andar salas 207/208 Ed. Santos Dumont Center Aldeota Fortaleza/CE CEP:

11 9 Número de Ordem: 04 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 4ª Região Denominação Abreviada: CRB-4 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (81) (81) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Rua Gervásio Pires, 674 Boa Vista Recife/PE CEP: Número de Ordem: 05 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 5ª Região Denominação Abreviada: CRB-5 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (71) (71) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Rua Miguel Calmon, 40, Ed. Conde dos Arcos sala 101 Comércio Salvador/BA CEP: Número de Ordem: 06 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região Denominação Abreviada: CRB-6 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (31) (31) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Av. Afonso Pena 867 salas 1110/1112 Centro Belo Horizonte/MG CEP: Número de Ordem: 07 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 7ª Região Denominação Abreviada: CRB-7 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (21) (21) (21) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Av. Rio Branco, 277 sala 710 Rio de Janeiro/RJ CEP: Número de Ordem: 08 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 8ª Região Denominação Abreviada: CRB-8 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (11) (11) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Rua Maracaju 58 Vila Mariana São Paulo/SP CEP:

12 10 Número de Ordem: 09 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 9ª Região Denominação Abreviada: CRB-9 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (41) (41) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Praça Zacarias, 80 3º andar conj. 301/303 Centro Curitiba/PR CEP: Número de Ordem: 10 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 10ª Região Denominação Abreviada: CRB-10 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (51) (51) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Av. José de Alencar, 630/401 Porto Alegre/RS CEP: Número de Ordem: 11 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 11ª Região Denominação Abreviada: CRB-11 Natureza Jurídica: Autarquia de Regimes Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (92) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Travessa Padre Gislandh, nº 140, Centro Manaus/AM CEP: Número de Ordem: 12 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 13ª Região Denominação Abreviada: CRB-13 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: / Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (98) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Rua da Alegria, 395 Centro São Luís/MA CEP: Número de Ordem: 13 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 14ª Região Denominação Abreviada: CRB-14 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (48) (48) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Rua João Pinto, 30 sala 207 Florianópolis/SC CEP:

13 11 Número de Ordem: 14 Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 15ª Região Denominação Abreviada: CRB-15 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE: /00 Telefones/Fax de Contato: (83) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: Rua Miguel Couto, 251 sala 803 Ed. Vinai Del Mar Centro João Pessoa/PB CEP: Normas relacionadas à unidade jurisdicionada agregadora O Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB), com sede e foro no Distrito Federal e jurisdição em território nacional, foi criado nos termos da Lei nº de 30 de junho de 1962, regulamentada pelo Decreto nº , de 16 de agosto de 1965, e a Lei nº 9.674, de 25 de julho de É regido pela Resolução CFB nº 46, de 30 de agosto de 2002, que aprova o Regimento do Conselho Federal Biblioteconomia. A Resolução 100, de 21 de março de 2009, institui o Sistema Spiderware (SPW) como padrão para gerenciamento de dados a ser adotado pelo Sistema CFB/CRB. A Resolução CFB 042, de 11 de janeiro de 2002, dispõe sobre o Código de Ética do Conselho Federal de Biblioteconomia. 2.4 Normas relacionadas às unidades jurisdicionadas agregadas A Resolução CFB n 390, de 11 de agosto de 1992, regulamenta a jurisdição dos Conselhos Regionais de Biblioteconomia. Os Conselhos Regionais funcionam na forma prevista no Regimento Interno do CFB e de seus próprios Regimentos, devidamente aprovados pela Resolução CFB 062, de 06 de julho de A Resolução CFB 308, de 23 de março de 1984, aprova o Manual de Procedimentos para fiscalização da Profissão de Bibliotecário. O Sistema CFB/CRB, na expectativa de promover uma gestão democrática que expressasse a vontade de participação da sociedade civil, buscou consolidar um instrumento capaz de viabilizar uma ação integrada que promova sua eficácia. Deste modo, foi concebido um Manual de Gestão para representar uma forma de organizar e atender regularmente ao objetivo para o qual o Sistema CFB/CRB foi criado, qual seja: garantir o acesso à informação a todo cidadão brasileiro. Com a padronização dos procedimentos a serem executados, foi constituído um instrumento de racionalização de métodos e de aperfeiçoamento do sistema de comunicação que favorecesse a integração dos diversos processos organizacionais que são desenvolvidos no contexto amplo dos organismos que integram o Sistema. O Manual de Gestão é composto por três volumes, totalizando 254 páginas, e dispõe dos seguintes conteúdos: Volume I Procedimento Produtivo Básico. Com 100 páginas, este volume apresenta: (i) Princípios de gestão, compreendendo os elementos norteadores das ações do Sistema CFB/CRB constituído pela exposição da missão, responsabilidades, objetivos, valores, políticas e indicadores de desempenho; (ii) Processo Produtivo Básico, que destaca o desenvolvimento das atividades que envolvem os processos de fiscalização, ética, econômico-financeiro, divulgação e legislação. Volume II Procedimento Produtivo de Apoio. Neste volume, as 45 páginas expõem: (i) Processo Gerencial, descrevendo os níveis gerenciais da organização, envolvendo a descrição da estrutura organizacional dos entes que integram o Sistema CFB/CRB, bem como as questões inerentes a planejamento, organização, secretaria e gestão de documentos; (ii) as questões que

14 12 envolvem a área de recursos humanos para atuarem no Sistema CFB/CRB; (iii) a licitação, com destaque para os modelos, tipos e modos de comunicação, visando oferecer transparência quanto à captação de prestadores de serviços ou fornecedores de bens. Volume III Anexos Alocados nas 109 páginas, todos os itens que contemplam, de forma direta ou indireta, os procedimentos dos processos expostos. As normas de criação e demais normas, regulamentos e manuais relacionados à gestão e à estrutura das unidades agregadas estão identificadas no item específico do Relatório de Gestão de cada CRB. 2.5 Finalidades e competências institucionais da entidade jurisdicionada O CFB tem a finalidade de orientar, supervisionar e disciplinar o exercício da profissão de Bibliotecário em todo o território nacional, bem como contribuir para o desenvolvimento biblioteconômico no país. Para o cumprimento de suas finalidades, o CFB exercerá ações administrativo-executivas, normativa regulamentar, consultiva, supervisora, disciplinar e contenciosa, como instância originária ou recursal. O CFB cumpre suas finalidades por meio dos órgãos de sua estrutura, atuando em caráter permanente na instrução e preparo de seus processos, além dos estudos e demais atividades que lhe atribui a legislação já citada no item 2.3, reunindo-se para deliberar em plenárias ordinárias e extraordinárias. A Lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962, determina: Art 15. São atribuições do Conselho Federal de Biblioteconomia: a) organizar o seu Regimento Interno; b) aprovar os regimentos internos organizados pelos Conselhos Regionais, modificando o que se tornar necessário, com a finalidade de manter a unidade de ação; c) tomar conhecimento de quaisquer dúvidas suscitadas pelos Conselhos Biblioteconomia, promovendo as providências que se fizerem necessárias, tendentes a favorecer a homogeneidade de orientação dos serviços de biblioteconomia; d) julgar, em última instância, os recursos das deliberações dos Conselhos Biblioteconomia; e) publicar o relatório anual dos seus trabalhos e, periodicamente, a relação de todos os profissionais registrados; f) expedir as resoluções que se tornem necessárias para a fiel interpretação e execução da presente Lei; g) propor ao Governo Federal as modificações que se tornarem convenientes para melhorar a regulamentação do exercício da profissão de Bibliotecário; h) deliberar sobre questões oriundas do exercício de atividades afins à especialidade do bibliotecário; i) convocar e realizar, periodicamente, congressos de conselheiros federais para estudar, debater e orientar assuntos referentes a profissão. Parágrafo único. As questões referentes às atividades afins com as de outras profissões serão resolvidas por meio de entendimentos com as entidades reguladoras dessas profissões. Art 16. O Conselho Federal de Biblioteconomia só deliberará com a presença mínima de metade mais um de seus membros. Parágrafo único. As resoluções a que se refere a alínea f do art. 15, só serão válidas quando aprovadas pela maioria dos membros do Conselho Federal de Biblioteconomia. Art 17. Ao Presidente do Conselho Federal de Biblioteconomia compete, até julgamento da direção do Conselho, a suspensão de decisão que o mesmo tome e lhe pareça inconveniente. Parágrafo único. O ato de suspensão vigorará até o novo julgamento do Conselho, caso para o qual o presidente convocará segunda reunião no prazo de 30 (trinta dias) contados do seu ato. Se no segundo julgamento o Conselho mantiver por dois terços de seus membros a decisão suspensa, esta entrará em vigor imediatamente.

15 13 Art 18. O Presidente do Conselho Federal de Biblioteconomia é o responsável administrativo pelo Conselho Federal de Biblioteconomia inclusive pela prestação de contas perante o órgão competente. Art 19. O Conselho Federal de Biblioteconomia fixará a composição dos Conselhos Regionais de Biblioteconomia, procurando organizá-los à sua semelhança: promoverá a instalação de tantos órgãos quantos forem julgados necessários fixando as suas sedes e zonas de jurisdição. 2.6 Apresentação do organograma funcional O CFB é composto de 14 conselheiros efetivos e três suplentes. A composição se dá da seguinte forma: (i) 7 (sete) Conselheiros efetivos sorteados em Assembleia Geral de Delegados Eleitores, entre representantes das Escolas e Cursos de Biblioteconomia do Brasil, cujos nomes serão por elas encaminhados ao CFB; (ii) 7 (sete) Conselheiros efetivos e 3 (três) suplentes eleitos por escrutínio secreto e maioria de votos, em Assembleia Geral de Delegados Eleitores Organograma Figura 1 Estrutura Organizacional do CFB

16 Descrição sucinta das competências e atribuições das áreas Plenário O Plenário do CFB, presidido pelo Presidente do CFB, é constituído pelo conjunto dos Conselheiros Federais efetivos, sendo um órgão deliberativo em matérias de natureza legal, normativa, disciplinar, regimental, eleitoral, orçamentária, financeira e demais definidas por lei, atuando em caráter originário e recursal. Compete ao Plenário do CFB: I - zelar pela dignidade e independência da classe e pelo livre exercício das prerrogativas e direitos profissionais dos Bibliotecários; II - promover medidas em defesa da classe; III - estimular, por todos os meios, a exação na prática da Biblioteconomia, zelando pelo prestígio e o bom conceito dos que a exercem; IV - tomar todas as providências de interesse do exercício da profissão de Bibliotecário, promovendo as medidas necessárias às suas regularidades e defesas; V - deliberar sobre as questões oriundas do exercício das atividades afins às do Bibliotecário; VI - examinar e aprovar estudos e campanhas em prol do desenvolvimento biblioteconômico no país; VII - examinar e deliberar sobre os pareceres exarados pelas Comissões Permanentes e Temporárias, pelos Conselheiros, pelos GT, pela Conjur e pelas AE, bem como sobre assuntos da ordem do dia; VIII - examinar e deliberar sobre medidas que visem à expansão e ao aperfeiçoamento do ensino e da pesquisa na área da Biblioteconomia no país; IX - aprovar Resolução sobre eleição dos membros do CFB e dos CRBs, na forma prevista na legislação federal competente e neste RI; X - deliberar sobre assuntos conflitantes ou omissos na legislação vigente relativa à profissão de Bibliotecário, neste RI e nos RI dos CRBs; XI - examinar e deliberar acerca de pedidos de autorização para celebração de acordos, tratados e convênios com órgãos públicos e privados, e demais instituições; XII - eleger os membros da Diretoria e deliberar sobre a criação e/ou extinção de Comissões Permanentes e/ou Temporárias, GT, AE, bem como a indicação de seus membros e coordenações; XIII - examinar e deliberar sobre e aplicação de penalidades aos membros do CFB, em grau de recurso, tendo em vista a competência originária do Tribunal Superior de Ética Profissional acerca da matéria; XIV - autorizar a representação de Conselheiros ou de membros de seus órgãos dentro do território nacional e o afastamento em missão do CFB, fora do território nacional; XV - autorizar auditorias, instauração de sindicâncias e/ou procedimentos administrativos no CFB e/ou nos CRBs, sempre que houver indício de ocorrência de irregularidade na forma prevista neste RI; XVI - examinar e aprovar as atas das reuniões Plenárias ordinárias e extraordinárias e julgar o Plano de Metas, o Relatório de Gestão e o Plano de Ação da Diretoria e das Comissões Permanentes do CFB e, após parecer da CTC, as propostas orçamentárias e suas respectivas reformulações, bem como a prestação de contas anual; XVII - deliberar sobre aquisição, alienação e doação de bens móveis e imóveis do CFB, bem como de suas disponibilidades; XVIII - deliberar sobre operações imobiliárias que impliquem em redução do valor do patrimônio do CFB; XIX - deliberar sobre valores de anuidades, taxas, multas e emolumentos a serem pagos ao CFB e aos CRBs;

17 XX - deliberar sobre admissão e dispensa de funcionários, bem como fixação e alteração de seus salários; XXI - examinar e deliberar sobre os requerimentos de licença, dispensa ou renúncia a ele encaminhados; XXII - examinar e deliberar sobre modelos de carteiras e cédulas de identidade profissionais, inclusive dos Bibliotecários fiscais; XXIII - julgar, como instância originária ou recursal, consoante disposições legais, as seguintes questões: a) infrações às disposições do Código de Ética Profissional do Bibliotecário e consequentes penalidades impostas; b) requerimento de registro profissional nos CRBs; c) penalidades impostas e decisões tomadas pelas plenárias dos CRBs, quando e na forma prevista nas normas legais próprias; d) decisões da Diretoria do CFB e dos CRBs; e) revisões de deliberações anteriores do Plenário. XXIV - deliberar sobre a concessão de homenagens, honrarias e prêmios relacionados a estudos e/ou desempenho profissional na área de Biblioteconomia; XXV - regular o funcionamento das sessões, a tramitação dos processos e serviços dos órgãos integrantes da estrutura do CFB; XXVI - examinar e deliberar sobre propostas de emendas ou alterações à legislação e demais normas relativas à profissão de Bibliotecário e outras profissões auxiliares e afins; XXVII - examinar e aprovar o Código de Ética Profissional do Bibliotecário; XXVIII - examinar e aprovar os RI dos CRBs e CFB, podendo modificá-los naquilo que for necessário, a fim de manter a unidade de ação das autarquias em todo o território nacional; XXIX - deliberar sobre a criação e instalação de novos CRBs, determinando o local de instalação de suas sedes e áreas de jurisdição, podendo extinguir ou redefinir áreas de jurisdição; XXX - autorizar a criação e homologar as indicações dos representantes das Delegacias Regionais, Representações Microrregionais e Seções Municipais dos CRBs nos Estados e Distrito Federal, disciplinando o seu funcionamento; XXXI - deliberar sobre diligências, sindicâncias, inquéritos e outras medidas preventivas no CFB e nos CRB nos termos do disposto neste RI; XXXII - deliberar sobre cancelamento ou modificação, de ofício ou mediante representação, de qualquer ato praticado pelos CRBs que seja contrário à legislação e regulamentação expedida pelo CFB, inclusive que contrarie disposições deste RI; XXXIII - proceder à convocação, ou autorizar que se convoque reunião Plenária extraordinária nos CRBs, quando necessário, mediante ato normativo específico; XXXIV - decidir sobre atividade de Bibliotecário Estrangeiro no território nacional; XXXV - tornar público seu balanço, sua proposta orçamentária e reformulação, bem como os mesmos documentos dos CRBs no DOU e/ou outras mídias, bem como seu relatório de gestão anual de gestão e a relação de todos os bibliotecários inscritos nos CRBs; XXXVI - proclamar e fazer publicar no DOU os resultados das eleições de seus membros, de sua Diretoria e respectivas comissões permanentes, assim como o resultado das eleições nos CRBs; XXXVII - discutir e deliberar sobre questões referentes a especializações da profissão, trabalhando em parceria com o Conselho Nacional de Educação ou outro órgão competente, para estabelecimento de critérios e condições de funcionamento dos cursos de especialização na área de Biblioteconomia e Documentação em todo o território nacional, baixando normas para a fiscalização e registro de especialistas; XXXVIII - deliberar sobre conflitos e casos omissos em leis, decretos, resoluções, neste RI e demais atos normativos pertinentes; XXXIX - interpretar e fazer cumprir casos omissos. 15

18 Conselhos Regionais As atribuições dos CRBs, dentre outras estabelecidas em seus Regimentos Internos, são as seguintes: I - registrar os profissionais, de acordo com a legislação vigente e expedir a carteira de identidade profissional; II - examinar reclamações e representações escritas acerca dos serviços de registro e das infrações, conforme legislação vigente e decidir com recurso para o CFB; III - fiscalizar o exercício da profissão, impedindo e punindo as infrações à legislação vigente, bem como enviar às autoridades competentes relatórios documentados sobre fatos que apurarem e cuja solução não seja de sua alçada; IV - publicar relatórios anuais dos seus trabalhos e, periodicamente, relação de profissionais registrados, transferidos, cancelados, suspensos, cassados, licenciados e reintegrados; V - organizar seu RI, submetendo-o à aprovação do CFB; VI - apresentar sugestões ao CFB; VII - receber colaboração das Associações de Classe; VIII - arrecadar as anuidades, taxas, multas, rendimentos e demais emolumentos, bem como promover a remessa das cotas ao CFB, de acordo com a legislação vigente; IX - realizar o programa anual de atividades elaborado pelo CFB; X - eleger um Delegado Eleitor à Assembleia Geral de Delegados Eleitores conforme legislação vigente Organograma dos Conselhos Regionais Figura 2 Organograma dos Conselhos Regionais de Biblioteconomia

19 Diretoria Executiva A administração do CFB e dos CRBs é exercida por uma Diretoria composta de Presidente, Vice-Presidente, 1º e 2º Secretários e Tesoureiro, eleitos pelos seus Plenários, por escrutínio secreto de 2/3 (dois terços) dos seus membros efetivos, para um mandato de 3 (três) anos. Compete à Diretoria: I - cumprir as decisões do Plenário do CFB; II - estabelecer a estrutura administrativa do CFB, controlando seu funcionamento; III - estabelecer e controlar as atribuições do pessoal administrativo, fixando a política administrativa de pessoal; IV - elaborar relatório de gestão ao final de seu mandato; V - dirigir os trabalhos da Assembleia de Delegados Eleitores; VI - registrar em livro de ata próprio as ocorrências de suas reuniões, bem como aprovar as suas atas; VII - registrar em livro próprio a assinatura de seus membros presentes às reuniões ordinárias e extraordinárias; IX - outras competências porventura a ela atribuídas pelo Plenário do CFB Tribunal Superior de Ética O CFB funciona como Tribunal Superior de Ética Profissional, com sua composição e organização nos mesmos moldes da composição e funcionamento do Plenário do CFB, observandose as disposições estabelecidas no Regimento e Resoluções competentes, em especial a Resolução CFB nº. 399, de 24 de fevereiro de 1993 e Resolução CFB nº 046, de 30 de agosto de Compete ao Tribunal Superior de Ética: (i) processar e julgar, originariamente, os Conselheiros Federais e Regionais, no exercício do mandato, em razão de transgressão a princípio ou norma de ética profissional; (ii) julgar os recursos interpostos contra decisões proferidas pelos Tribunais Regionais Apoio Administrativo e Financeiro Constituem órgãos de Apoio Administrativo e Financeiro os setores que prestam os serviços de administração geral, necessários ao desempenho das finalidades do CFB. São órgãos de Apoio Administrativo e Financeiro: setor administrativo SAD e setor contábil e financeiro - SCF. O Setor Administrativo - SAD é órgão de apoio do CFB e dos CRBs, sendo supervisionado diretamente pelo 1º Secretário ou por quem vier a substituí-lo. Deve estruturar-se para atender de forma precisa as necessidades administrativas dos Conselhos, no que tange às demandas do Plenário, dos Conselheiros, da Diretoria, das Comissões e de todos que a ele se reportem. São atribuições do SAD: receber, examinar, informar e/ou encaminhar todas as solicitações dirigidas ao Conselho Federal ou por ele requeridas, verificando para quem se destinam e quais as providências necessárias a sua execução, bem como anotar e transmitir recados; criar controles e rotinas objetivando melhorias no setor; executar os serviços de digitação ou datilografia de ofícios, relatórios e dos atos oficiais, providenciando, quando for o caso, o envio para publicação na imprensa oficial e leiga; guardar e conservar o acervo de processo de registro e os livros de registro bem como os livros de atas das Comissões, Plenário e Diretoria Executiva, os livros de registro de Presenças e demais documentos oficiais; organizar e manter atualizada a agenda e promover a correspondência do Presidente;

20 18 executar, por solicitação, serviços internos e externos de circulação de correspondência, livros, material, e outros documentos pertinentes ao Conselho; processar em autos protocolados e fichados, com suas folhas numeradas e rubricadas, os assuntos a serem submetidos a estudo, discussão ou votação, arquivando-os após as decisões respectivas; auxiliar a Diretoria Executiva na organização das sessões das reuniões Plenárias ordinárias e extraordinárias fornecendo informações e documentos, bem como atendendo a outras solicitações para montagem da pauta dos trabalhos da Ordem do Dia; executar as deliberações do Plenário e da Diretoria, seguindo rigorosamente os critérios de prioridade definidos pela administração; auxiliar a CDV na aquisição, registro, guarda e conservação de livros, folhetos, jornais, revistas e outras publicações bem como, de álbuns de fotografias, de dispositivos ou de recortes, controlando o seu empréstimo e utilização; organizar e manter atualizado o cadastro dos endereços de pessoas, instituições e entidades para remessa e intercâmbio de correspondência; registrar, guardar e distribuir o material adquirido, bem como controlar o estoque do material de consumo necessário ao desenvolvimento normal dos trabalhos; organizar e manter atualizado cadastro do material permanente do Conselho, a fim de que o mesmo fique perfeitamente caracterizado e registrado; operar e conservar, no sentido de que se mantenham em perfeitas condições de funcionamento, as máquinas e equipamentos de propriedade do CFB; diligenciar para que se mantenham em perfeitas condições de funcionamento as instalações elétricas, hidráulicas, telefônicas e de gás do imóvel sede; organizar e executar serviços de administração, tais como: controle de pessoal, prestações de contas e outros indispensáveis ao bom andamento do Conselho; atestar as faturas referentes às aquisições de material e de prestação de serviços; reunir a documentação e informações solicitadas pela Diretoria, visando à elaboração, discussão e/ou apresentação de trabalhos e estudos; reunir os relatórios parciais e especiais a fim de compilar e sintetizar os dados necessários à elaboração dos relatórios gerais do Conselho; proceder ao arquivamento e o descarte de documentos administrativos de acordo com a tabela de temporalidade de documentos em vigor ou qualquer outro instrumento normativo expedido pelo CFB; executar outras tarefas pertinentes que lhe forem determinadas. O Setor Contábil e Financeiro SCF é órgão de apoio dos Conselhos, sendo supervisionado diretamente pelo Tesoureiro ou por quem vier substituí-lo. O SCF deve estruturar-se para atender de forma precisa as necessidades contábeis, econômicas e financeiras dos Conselhos, atendendo as demandas do Plenário, dos Conselheiros, da Diretoria, das Comissões e de todos que a ele se reportem. No que se refere ao orçamento, são atribuições do SCF: elaborar, anualmente, de acordo com as instruções do Presidente e do Tesoureiro, a proposta orçamentária do Conselho Federal, observados os princípios estabelecidos na legislação específica e nas normas ditadas pelo Ministério do Trabalho e pelo Tribunal de Contas da União; apreciar, anualmente, as propostas orçamentárias dos CRBs, observados os princípios e normas a que se refere o item anterior; controlar a fiel execução dos orçamentos, do CFB e dos CRBs;

21 19 apreciar, para consideração do Plenário, os programas de trabalho em que os CRBs baseiam as suas propostas orçamentárias, a fim de harmonizá-los com as diretrizes administrativas do CFB; propor medidas administrativas, financeiras, econômicas e contábeis para correção dos desajustamentos que se verificarem durante a execução dos orçamentos; opinar sobre as questões que, direta ou indiretamente, prendam-se à elaboração, execução e controle dos orçamentos; controlar os saldos das dotações; cooperar no estudo das medidas relativas ao aperfeiçoamento do sistema de arrecadação das rendas do CFB e dos CRBs, confrontando as previsões com a receita arrecadada e identificando as causas das variações; padronizar e coordenar os orçamentos dos CRBs e promover a publicação na Imprensa Oficial, quando exigida tal providência; orientar e auxiliar, quando solicitado, os CRBs em estudos relativos a sua administração orçamentária; manter a Diretoria a par do desenvolvimento da execução orçamentária, mediante relatórios trimestrais, com base em informações colhidas nos balancetes dos CRBs; emitir parecer sobre os processos de abertura de créditos e reformulações de orçamentos; sugerir os prazos a serem observados pelos CRBs para remessa ao CFB de suas propostas orçamentárias, reformulações de orçamento e abertura de créditos; analisar e realizar as correções apresentadas pelo Presidente do Conselho nas Propostas e Balancetes; efetuar reformulação orçamentária, mediante relatórios trimestrais, com base em informações colhidas nos balancetes dos CRBs; emitir parecer sobre os processos de abertura de créditos e reformulações de orçamentos. No que se refere à Contabilidade: proceder aos registros contábeis baseados nos documentos comprobatórios das operações econômico-financeiras, após seu exame legal, moral e contábil; preparar balancetes e prestações de contas, observados os princípios estabelecidos na legislação específica e as normas ditadas pelo Ministério do Trabalho e pelo Tribunal de Contas da União; padronizar e coordenar balanços e demonstrações de contas dos CRBs; sugerir os prazos a serem observados pelos CRBs para remessa ao CFB de suas prestações de contas; examinar as comprovações dos adiantamentos concedidos aos empregados; manter atualizado o registro dos responsáveis por adiantamento, controlando os respectivos prazos de comprovação; guardar e conservar os documentos contábeis, organizando toda a documentação em conformidade com a legislação pertinente; controlar os registros e efetuar os cálculos relativos às obrigações nas áreas de pessoal e de encargos sociais; registrar os fatos administrativos na contabilidade garantindo o seu adequado e legal processamento; efetuar pagamento das despesas contraídas pelo Conselho, obedecendo, rigorosamente, os prazos de vencimento; executar outras tarefas pertinentes que lhe forem determinadas.

22 20 No que se refere à Auditoria: elaborar, anualmente, para aprovação do Plenário, a programação de auditagens a serem processadas nos CRBs; proceder às auditorias in loco e em processos de prestações de contas, elaborando pareceres ou relatórios e emitindo certificados, juntamente com os demais membros da Comissão de Auditoria; efetuar exames de documentos e verificar escriturações contábeis; fazer a avaliação de sistemas de contabilidade e de controles internos, submetendo-os ao Tesoureiro e Presidente Assessorias Especiais As Assessorias Especiais são órgãos de apoio técnico da Diretoria, do Plenário e das Comissões. Serão designadas e/ou contratadas pelo Presidente, ouvido o Plenário, em conformidade com as necessidades operacionais e administrativas do CFB. O CFB e os CRBs poderão contratar quantas Assessorias Especiais forem necessárias ao desenvolvimento de suas atividades e apresentarão relatórios periódicos Comissões Permanentes As comissões permanentes são as seguintes: Tomada de Contas (CTC), Ética Profissional (CEP), Legislação e Normas (CLN), Comissão de Licitação (CLI) e Comissão de Divulgação (CDV). Atribuições das Comissões Permanentes: assessorar a Diretoria e o Plenário; baixar normas disciplinadoras de seus serviços, baseadas nas atribuições fixadas no Regimento Interno do CFB; emitir parecer por escrito sobre os assuntos de sua competência; estudar proposições e outras matérias submetidas ao seu exame, dando-lhes parecer, oferecendo-lhes substitutivos e emendas; promover estudos e pesquisas sobre problemas de interesse, relativos a sua competência; fazer proposições ligadas ao estudo de tais problemas, ou decorrentes de indicação do Conselho Federal ou de dispositivos regimentais; lavrar atas das reuniões de trabalho em livro próprio; apresentar anualmente, em data preestabelecida pela Diretoria Executiva, o Plano de Metas e o Relatório Anual de Atividades Comissões Temporárias São criadas a partir de demandas da sociedade e do Sistema CFB/CRB e têm a finalidade de atender necessidades específicas. Também podem ter finalidades de inquérito ou sindicância, interna ou externa, destinada a representar o CFB.

23 Grupos de Trabalho Os Grupos de Trabalho (GT) são órgãos de apoio técnico, criados pelo Presidente, com a finalidade de desenvolver trabalhos específicos de natureza transitória ou não, compostos de, no mínimo, 3 (três) membros, sendo um, obrigatoriamente, Conselheiro efetivo.

24 22 3. PLANEJAMENTOS E RESULTADOS ALCANÇADOS 3.1 Identidade do Sistema CFB/CRB Figura 3 Identidade do Sistema CFB/CRB 3.2 Planejamento estratégico do CFB Missão Promover a difusão da Biblioteconomia e a valorização da profissão do Bibliotecário, em benefício da sociedade brasileira. Visão Tornar-se uma entidade bem estruturada, gerenciada e com a melhor performance para o real cumprimento de sua missão, reconhecida e respeitada pela sociedade. Objetivo Orientar, disciplinar, acompanhar e fiscalizar a profissão de bibliotecário, primando pela fiel observância dos princípios éticos e contribuindo para o desenvolvimento da Biblioteconomia e o cumprimento da legislação vigente.

25 23 Valores Comprometimento com a ética e a cidadania; Respeito à diversidade social e cultural; Transparência nas ações; Responsabilidade social. Análise externa ameaças Desregulamentação da profissão; Veiculação de imagens que apresentem negativamente a profissão na mídia nacional; Dimensão geográfica do país, que dificulta a mobilidade efetiva em cada estado da federação; Não cumprimento da legislação vigente sobre bibliotecas e o bibliotecário. Análise externa oportunidades Geração de leis que possibilitem a abertura de novos postos de trabalho com a atuação do bibliotecário; Diversificação dos campos de atuação do profissional; Tratados: MERCOSUL; Abertura de novos cursos de graduação; Fortalecimento dos grupos de pesquisa da área, favorecendo a geração de profissionais competentes; Veiculação de mensagens que apresentem positivamente a profissão na mídia nacional; Oportunidade de capacitação e atualização dos Conselheiros dos CRBs; Estabelecimento de canais de comunicação direta e indireta dos profissionais com o seu CRB e o CFB. Análise interna - pontos fracos Falta de uso eficaz do canal de comunicação com o profissional; Desconhecimento do perfil dos profissionais que atuam no país; Inexistência de um cadastro de unidades de informação existentes no país; Desconhecimento, por parte do profissional, do papel e função do CFB e dos CRBs; Ausência de uma rede no Sistema de interação entre o CFB/CRB e bibliotecários; Ausência de programas em gestão de pessoas. Análise interna pontos fortes Patrimônio imobiliário; Existência de boa estrutura física, material e recursos humanos; Existência de uma identidade corporativa; Existência de comissões permanentes e temporárias capazes de oferecer alternativas de ações para o CFB; Articulação com os órgãos públicos, privados e instituições de ensino; Capacidade de articulação com os Conselhos Regionais; Qualidade dos esforços individuais dos Conselheiros no âmbito do CFB e dos CRBs; Disponibilidade de recursos financeiros; Existência de um canal efetivo e eficaz de comunicação com o profissional.

26 24 Obstáculos ao CFB Insuficiência de recursos financeiros para divulgação da profissão; Insuficiência de articulação política; Necessidade de maior integração entre o CFB e os CRB, com o aperfeiçoamento do trabalho cooperativo. Política do CFB Compartilhar informações, propiciando a interação e melhores práticas para otimização das ações do Sistema em busca da excelência dos resultados em relação à valorização da profissão. Figura 4 Modelo de Gestão 1 Figura 5 Modelo de Gestão 2

27 25 COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO Quadro 1 - Eixos, programas, projetos e ações para Eixos Programas Projetos Ação Prazo Responsável Política de Comunicação do Plano de Comunicação Contratação de empresa de Maio /2014 Diretoria CFB Sistema CFB/CRB especializada para elaborar o INTEGRAÇÃO COM ENTIDADES DE CLASSE Qualidade no processo de atendimento ao profissional Divulgação da profissão Curso de capacitação para os fiscais do sistema e para os servidores da área de atendimento dos regionais Campanha de divulgação da profissão nas escolas de ensino médio do país Divulgação da profissão Comemoração dos 50 anos de regulamentação da profissão Plano de Comunicação do CFB a) Preparar ou contratar curso e palestras b) Oferta dos cursos e palestras a) Elaborar campanha b) Divulgar campanha a) Elaborar programação b) Solicitar sessão solene no Congresso Nacional Valorização profissional Campanha de valorização profissional c) Elaborar campanha d) Divulgar campanha CFB e FEBAB Interação com entidades congêneres Interação com entidades privadas Interação com entidades públicas Integração com as demais entidades de classe a) Junho a Agosto de 2014 b) Setembro de 2014 e Fevereiro 2015 a) Agosto de 2014 b) Outubro 2014 a outubro de 2015 a) Abril a agosto de 2014 b) Maio 2014 c) Agosto de 2014 d) Outubro 2014 a outubro de 2015 Comissão Ensino CFB Comissão Divulgação Comissão Divulgação Assessoria Parlamentar Comissão Divulgação Adesão à campanha da FEBAB Eu Colocar no site do CFB a Janeiro 2014 Comissão de amo Biblioteca, eu quero campanha Divulgação Fórum de Conselhos de Profissões Participação nas reuniões Ação contínua Diretoria CFB Regulamentadas Identificar instituições de interesse Visitas e participações em eventos Ação contínua Diretoria CFB Identificar instituições de interesse: IBICT, INEP, PNLL, BN, Ministério Público, entre outros. ABECIN, ANCIB, ABRAINFO, FEBAB Visitas, participações e apoios a eventos Visitas, participações e apoios a eventos Ação contínua Ação contínua Diretoria CFB Diretoria CFB de de de e de

28 26 Eixos Programas Projetos Ação Prazo Responsável Fiscalização do exercício a) Capacitação e qualificação dos Comissão de Ensino profissional visando a redução fiscais Assessoria Jurídica da inadimplência b) Negociação de débitos FISCALIZAÇÃO PROFISSIONAL a) Elaborar programa de capacitação e qualificação b) Estudo para definir limites da negociação c) Aplicar cursos de capacitação específicos para a fiscalização profissional. Selo de fiscalização Selo de fiscalização Estudos para o retorno do selo de fiscalização identificando modelo e condições para aplicação do selo Mundo do trabalho Pesquisa sobre o mundo do trabalho do bibliotecário a) Elaboração de projeto básico b) Contratação de empresa a) Agosto de 2014 b) Agosto de 2014 c) Outubro de 2014 e março de 2015 Junho a setembro de 2014 a) Agosto 2014 b) Novembro 2014 do CFB Diretoria CFB Diretoria CFB Diretoria CFB FORMAÇÃO CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL POLÍTICAS PÚBLICAS POLÍTICAS PÚBLICAS E Identidade profissional Cédula de identidade profissional Contratação de empresa para confecção da cédula Programa Nacional de Ética Seminários Regionais sobre Ética Realização de seminários em quatro Profissional na Profissional regiões brasileiras: Norte (AM); Biblioteconomia Nordeste(PB); Sul(PR); Sudeste(MG) Ensino de Biblioteconomia Revisão das Diretrizes Curriculares Fomentar a abertura e reabertura de Nacionais cursos de biblioteconomia nas Certificação de Bibliotecas Avaliação de Coleções Programa Nacional de Certificação de Bibliotecas Programa Nacional de Avaliação de Coleções modalidades presencial e EAD Estudo para a certificação Nomear Comissão para realização de estudos e elaboração de propostas Junho 2014 Maio 2014 a Fevereiro/2015 Ação contínua Maio a outubro de 2014 Junho de 2014 Diretoria CFB Comissão de Bibliotecas Escolares e Públicas e de Ética Profissional Comissão de Ensino Comissão de Biblioteca Escolar e Pública, Comissão de Ética Profissional e Comissão de Ensino Diretoria CFB Padrões para Bibliotecas Propor padrões para bibliotecas Conclusão dos estudos da Comissão Julho de 2015 Comissão temporária e diretoria CFB Lei da Biblioteca Propor marco legal para as bibliotecas Conclusão dos estudos da Comissão Dezembro de 2014 Comissão temporária e diretoria CFB Articulação Política Programa Nacional de Articulação Política Técnico em Biblioteconomia Regulamentação do técnico em biblioteconomia Elaboração de diretrizes Junho 2014 Diretoria CFB e Assessor Parlamentar Acompanhar a tramitação do PL na Ação contínua Câmara dos Deputados Diretoria CFB Assessoria parlamentar Lei Federal Nº /10 Cumprimento da Lei Nº /10 Acompanhar e desenvolver ações Ação contínua Comissão de

29 27 VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL Gestão do Sistema CFB/CRB Gestão do Sistema CFB/CRB para implantação da Lei nos estados, municípios e Distrito Federal Ação política Projetos de lei de interesse Acompanhamento e participação em audiências públicas no Congresso Nacional e nas Ação contínua Bibliotecas Escolares e Públicas Assessoria parlamentar Assembleias Legislativas Piso Salarial Programa Nacional de Piso Salarial Elaboração de projeto Julho 2014 Diretoria CFB e Comissão Parlamentar Egressos e formandos Programas para egressos e formandos Elaboração de planejamento Agosto 2014, Fevereiro e Agosto 2015 Gestão de pessoal Relacionamento interpessoal, motivação e valorização da gestão de pessoas do Sistema CFB/CRB, integração funcionários e conselheiros Funcionamento dos Conselhos Regionais Gestão dos Conselhos Regionais Legislação profissional - destaque ao Código de Ética Comissão Divulgação Elaboração de planejamento Setembro 2014 Diretoria CFB Diretoria CRB Infraestrutura mínima nos regionais Definição de parâmetros Agosto 2014 Diretoria CFB Diretoria CRB Programa de Gestão Administrativa, Elaboração de planejamento Novembro 2014 Diretoria CFB Jurídica, Financeira e Contábil Diretoria CRB a) Sistema de informações legislativas a) Abril a Agosto Comissão de b) Organização da informação jurídica de 2014 Legislação e Normas c) Consolidação e atualização da b) Agosto de 2014 legislação vigente c) Janeiro a a) Análise do atual repositório b) alimentação do repositório ou contratação de software de gestão de informações legislativas c) Consolidação e atualização da legislação Transparência Transparência nas ações do CFB Divulgação de atas das reuniões de Diretoria aos Conselheiros Federais. Manutenção do Boletim Cumprimento da LAI Integração CFB/CRB Reuniões do Sistema CFB/CRB Elaboração de planejamento conjunto Projeto de elaboração de campanha de conscientização da importância da preservação e conservação do meio ambiente Gestão Ambiental Programa de Gestão Ambiental a) elaboração de procedimentos para divulgação b) aquisição de bens e produtos reciclados c) redução do consumo de água e energia Dezembro 2014 Ação contínua Agosto 2014 de CDV Diretoria CFB de Setembro 2014 Diretoria e Setor Administrativo - SAD

30 Descrição sucinta do planejamento ou plano de ação O Plano de Metas 2013 do Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB) articulou-se com o planejamento estratégico e reflete as ações pensadas para os programas Estrutura (PROESTRUTURA), Prática (PRÓ-PRÁTICA), Formação (PRÓ-FORMAÇÃO), Social (PRÓ- SOCIAL) e Divulgação (PRÓ-DIVULGAÇÃO). Quadro 2 Plano de Metas para 2013 Ação Programa Responsável Aprimorar o Manual de Gestão e garantir o seu uso efetivo. PRÓ-ESTRUTURA COMISSÕES CFB Coordenação: Diretoria Acompanhar as práticas financeiras e contábeis do Sistema CFB/CRB (Planejamento e execução orçamentária). Garantir o uso efetivo do SPW Estabelecer novos parâmetros para as jurisdições dos Conselhos Regionais Estudar a criação de delegacias visando o fortalecimento do Sistema CFB/CRB PRÓ-ESTRUTURA PRÓ-ESTRUTURA PRÓ-ESTRUTURA PRÓ-ESTRUTURA CTC, Tesouraria Coordenação: Tesouraria CTC, Tesouraria, Secretaria, Cadastro, CLI Coordenação: Tesouraria CTC, Tesouraria, Assessoria Contábil, CLN Coordenação: CTC CTC, Tesouraria, Ass. Contábil, CLN, Diretoria Coordenação: Diretoria Aprimorar o sistema de arquivo e preservação da memória do Sistema CFB/CRB Dinamizar os instrumentos de transparência das ações do Sistema CFB/CRB Divulgar o perfil do profissional brasileiro a partir das informações apresentadas na base de dados do Censo Prospectar o perfil das Bibliotecas Fortalecer a prática de trabalho executada por meio dos workshops Avaliar os padrões de penalidades aplicados Promover a elaboração e divulgação para a efetiva prática de procedimentos éticos PRÓ-ESTRUTURA PRÓ-ESTRUTURA PRÓ-ESTRUTURA PRÓ-ESTRUTURA PRÓ-ESTRUTURA PRÓ-PRÁTICA PRÓ-PRÁTICA Memória, CLN, Diretoria Coordenação: Memória Memória, CLN, CDV Coordenação: Memória (Repositório) Cadastro, CDV Coordenação: Cadastro Cadastro, CDV Coordenação: Cadastro Diretoria, CDV Coordenação: Diretoria CLN, CONJUR Coordenação: CLN CEP, CDV Coordenação: CEP Promover a qualificação dos bibliotecários fiscais do Sistema CFB/CRB Aplicar o modelo para o planejamento das atividades de fiscalização Possibilitar maior proximidade com os cursos de graduação em Biblioteconomia PRÓ-PRÁTICA PRÓ-PRÁTICA PRÓ-FORMAÇÃO CEP, CLN, CONJUR, CDV Coordenação: CLN CEP, CLN, CONJUR, CDV Coordenação: CLN CEN, Diretoria Coordenação: CEN

31 29 Ação Programa Responsável Cooperar com o processo de implantação do curso de Biblioteconomia a distância PRÓ-FORMAÇÃO CEN, Diretoria Coordenação: CEN Incentivar a abertura ou reativação de cursos presenciais de bacharelado em Biblioteconomia PRÓ-FORMAÇÃO CEN, Diretoria Coordenação: CEN Estabelecer critérios para a oferta de educação continuada pelo Sistema CFB/CRB Constituir elementos para favorecer a formação de lideranças para a área PRÓ-FORMAÇÃO PRÓ-FORMAÇÃO CFB Coordenação: Diretoria Diretoria Coordenação: Diretoria Dar continuidade à criação do Observatório da Profissão em parceria com as instituições da área PRÓ-FORMAÇÃO Diretoria Coordenação: Diretoria Fortalecer as ações em parceria com o Fórum das Entidades da Biblioteconomia Dar continuidade às ações em prol da Biblioteca Escolar, instituídas no Programa Mobilizador: Biblioteca escolar: construção de uma rede de informação para o ensino público PRÓ-FORMAÇÃO PRÓ-SOCIAL Intensificar as ações em prol do programa mobilizador para a biblioteca pública PRÓ-SOCIAL Diretoria Diretoria Coordenação: Diretoria Diretoria, CDV Coordenação: Diretoria Promover campanha de visibilidade da profissão Participar de eventos da área Participar de eventos de outras áreas Consolidar mecanismos de comunicação externa Consolidar mecanismos de comunicação interna (Sistema CFB/CRB) PRÓ-DIVULGAÇÃO PRÓ-DIVULGAÇÃO PRÓ-DIVULGAÇÃO PRÓ-DIVULGAÇÃO PRÓ-DIVULGAÇÃO CDV Coordenação: CDV CDV, Diretoria Coordenação: Diretoria CDV, Diretoria Coordenação: Diretoria CDV, Secretaria Coordenação: CDV CDV, Secretaria Coordenação: Secretaria Dar continuidade ao reconhecimento de parceiros do Sistema CFB/CRB PRÓ-DIVULGAÇÃO CDV, Diretoria, CLN, CEP, CEN Coordenação: CDV

32 Plano de Ações e Indicadores Comissão de Tomada de Contas Quadro 3 Atividade 1 do Plano de Metas da CTC 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( X ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Monitorar os procedimentos contábeis e financeiros 3. JUSTIFICATIVA Controle, transparência e uniformização das contas do sistema CFB/CRB 4. OBJETIVO Padronizar os procedimentos contábeis/financeiros 5. META Espera-se que o sistema CFB/CRB ao final de 2013 esteja utilizando os procedimentos indicados no Manual de Gestão e na legislação pertinente. Diminuir o número de processos com incorreções 6. EXECUTORES CTC com suporte do assistente financeiro do CFB e assessoria contábil 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS ASSESSORIA CONTÁBIL, COMISSÃO DE TOMADA DE CONTAS E assistente financeiro do CFB e todos os CRB 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Nº de processos avaliados X Nº de processos devolvidos por incorreções 9. IMPACTO ESPERADO Eficácia nas prestações de contas com 90% dos processos aprovados ATIVIDADES Apresentação dos procedimentos Aprovação Encaminhamento aos CRB Treinamento dos executores CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII X X X X

33 31 Quadro 4 Atividade 2 do Plano de Metas da CTC 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( X ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Colaborar na elaboração de manual contábil, orçamentário e financeiro 3. JUSTIFICATIVA Falta de padronização de procedimentos 4. OBJETIVO Corroborar para que os Conselhos Regionais façam efetivo uso do Manual de Gestão 5. META Uniformizar os procedimentos contábeis e financeiros do Sistema CFB/CRB 6. EXECUTORES CTC, Assessoria Contábil e CRB 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS ASSESSORIA CONTÁBIL, SPW, CRB e CTC 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO (Apontar qual a medida de avaliação da ação) Nº de processos de acordo com o Manual de Gestão X processos em não conformidade com o Manual de Gestão 9. IMPACTO ESPERADO 100% de processos normalizados de acordo com o Manual de Gestão CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO ATIVIDADES MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Acompanhamento X X X X X X X X X X X X Apresentação e discussão dos parâmetros levantados à x Plenária do CFB

34 Comissão de Ética Profissional Quadro 5 Atividade 1 do Plano de Metas da CEP 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN ( X ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Mapeamento dos Currículos das Escolas e dos Cursos de Biblioteconomia 3. JUSTIFICATIVA Uma das frentes de trabalho desta Gestão é manter um diálogo profícuo com a academia, principalmente no que se refere à criação da disciplina ética nos Cursos de Biblioteconomia, daí a necessidade desse trabalho de mapeamento de todos os cursos com base nas informações disponíveis no site da ABECIN (www.abecinºorg.br), bem como, nos sites das coordenações de cursos e escolas. 4. OBJETIVOS a) atualizar as informações que identificam se os cursos de Biblioteconomia no Brasil têm em sua estrutura curricular a disciplina ética ou se este é um tópico de conteúdo em outra disciplina; b) montar um quadro diagnóstico sobre as condições de oferta ou não da disciplina ética nos cursos de Biblioteconomia no Brasil; c) elaborar um artigo que apresente esse mapeamento à luz de um referencial teórico consistente e que constituirá um capítulo da Coletânea sobre Ética. 5. META Mapear e analisar os currículos dos Cursos de Biblioteconomia do país em 4 meses, buscando-se, com esta atividade, identificar em suas estruturas os que dispõem ou não da disciplina e/ou as condições de oferta; 6. EXECUTORES CEP 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CFB/ Comissão de Ética; CRBs; Escolas e Cursos de Biblioteconomia; 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Conclusão do levantamento até setembro de 2013, de modo a subsidiar a elaboração do texto que será da autoria da CEP 9. IMPACTO ESPERADO Colocar na pauta de discussão da ABECIN, das Escolas e dos Cursos de Biblioteconomia a criação da disciplina ética, bem como, manter uma interlocução com essas instituições e garantir parcerias no sentido de se desenvolver um trabalho em conjunto no que se refere ao encaminhamento das questões pertinentes à ética profissional do bibliotecário. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO METAS ATIVIDADES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Levantamento X X X Diagnóstico para subsídio do texto X X

35 33 Quadro 6 Atividade 2 do Plano de Metas da CEP 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN (X) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Palestras e Cursos sobre Ética Profissional do/a Bibliotecário/a 3. JUSTIFICATIVA Os eventos e os cursos se constituem num espaço de atualização e qualificação profissional, intercâmbio de experiências, disseminação de informações, entre outros. Neste sentido, a promoção de palestras e cursos pela CEP possibilita o contato visual, emocional, assim como, os debates com a sua audiência, em torno das várias temáticas que envolvem a ética, o código de ética, oportunidade também que se apresenta para dar visibilidade aos trabalhos desenvolvidos e aos projetos desta Comissão. 4. OBJETIVOS a) promover palestras e cursos sobre ética, o código de ética, etc.; b)discutir questões éticas em seus múltiplos olhares, com profissionais bibliotecários/as, docentes, alunos; c)apresentar, de modo geral, o trabalho que o CFB/CEP vem desenvolvendo nesta gestão e seus respectivos projetos; d)suscitar o debate para criação da disciplina ética nos cursos que ainda não a têm incorporada aos seus currículos, ou inserção de um tópico de conteúdo; e) apresentar a Coletânea sobre Ética; f) buscar ouvir os colegas e manter um intercâmbio de informações e experiências; 5. META Proferir o maior número possível de palestras sobre o tema ética no período de 12 meses; 6. EXECUTORES CEP 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CFB/CEP; CRBs; Cursos e ABECIN 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Participação efetiva da audiência com questionamentos e proposições de novas abordagens; 9. IMPACTO ESPERADO Divulgar o Código de Ética, a missão do Sistema CFB/CRB; fomentar o debate sobre a ética profissional, e o seu lugar na sociedade atual; incentivar a participação dos/as bibliotecários nas palestras e cursos, bem como, contribuir para a sua atuação e qualificação profissional comprometida com o crescimento de sua classe. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES ATIVIDADES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII De acordo com as demandas do CFB/CRB, escolas, cursos, ABECIN e demais entidades da área.

36 34 Quadro 7 Atividade 3 do Plano de Metas da CEP 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN (X) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Acompanhamento de Processos Éticos 3. JUSTIFICATIVA Considerando que o Código de Ética Profissional do Bibliotecário objetiva fixar normas de conduta para as pessoas físicas e jurídicas que exerçam as atividades profissionais em Biblioteconomia, e considerando que a Comissão de Ética tem a responsabilidade, por meio de seus conselheiros voluntários e comprometidos com o exercício profissional digno, de analisar de forma livre os processos éticos do Conselho, necessária se faz esta ação de acompanhar o andamento desses processos para a emissão de parecer definitivo compatível com o quê dispõe o Código de Ética. 4. OBJETIVOS Acompanhar, avaliar e emitir parecer conclusivo nos processos éticos encaminhados ao CFB, conforme disposto no Código de Ética Profissional do Bibliotecário. 5. META Emitir parecer e conduzir o maior número possível de processos éticos no período de 12 meses. 6. EXECUTORES CEP 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CFB/CEP; CONJUR e CRBs. 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Eficiência na análise e encaminhamento dos processos éticos de acordo com as orientações da CONJUR. 9. IMPACTO ESPERADO Emitir parecer e concluir, com celeridade, os processos éticos encaminhados ao CFB/CEP. ATIVIDADES De acordo com as demandas do CFB/CRBs. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII

37 Comissão de Legislação e Normas Quadro 8 Atividade 1 do Plano de Metas da CLN 1. COMISSÃO ( ) CDV ( X ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Atualização da legislação interna do CFB 3. JUSTIFICATIVA Mudanças no contexto profissional e social institucional 4. OBJETIVO Adequar as Resoluções à legislação e às situações atuais 5. META Examinar, até março, todas as Resoluções do CFB de modo a identificar e quantificar as que necessitam de alteração e propor sua atualização e por meio de revogação ou alteração. 6. EXECUTORES CLN 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CLN Exame das Resoluções e proposição de atualização CONJUR Dar nova redação às Resoluções indicadas PLENÁRIA Apreciação e votação das propostas de alteração 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Quantidade de Resoluções e artigos alterados a cada reunião plenária. 9. IMPACTO ESPERADO Redução de demandas e problemas relacionados à inadequação das Resoluções do CFB. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO ATIVIDADES MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Identificação das Resoluções que necessitam de atualização X X X Apresentação das metas de atualização para o ano de 2013 X Oferecer nova redação às resoluções conforme metas X X X apresentadas Encaminhar propostas de alteração para apreciação prévia X X X da plenária Apreciação e votação das alterações sugeridas X X X

38 36 Quadro 9 Atividade 2 do Plano de Metas da CLN 1. COMISSÃO ( ) CDV ( X ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Atualização da legislação interna do CFB 3. JUSTIFICATIVA Mudanças no contexto profissional e social 4. OBJETIVO Adequação da legislação as situações atuais e futuras 5. META Examinar todas as Resoluções do CFB de modo a identificar as carentes de alteração e propor sua atualização e por meio de revogação ou alteração. 6. EXECUTORES CLN 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CLN Exame das Resoluções e proposição de atualização CONJUR Exame das propostas sob a ótica da redação jurídica e legalidade PLENÁRIA Apreciação e votação das propostas de alteração 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Quantidade de Resoluções e artigos a cada plenária. 9. IMPACTO ESPERADO Redução de demandas e problemas relacionados à inadequação das Resoluções do CFB. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES ATIVIDADES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO Identificação das Resoluções X X X X carentes de atualização CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO Proposição de atualização de até 9 X X X X (nove) resoluções Proposição de atualização de até X X X X mais 9 (nove) resoluções Proposição de atualização de até X X X X mais 9 (nove) resoluções

39 Comissão de Licitação Quadro 10 Atividade 1 do Plano de Metas da CLI 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( X ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Coletânea de modelos de editais de licitação 3. JUSTIFICATIVA A necessidade constante de se utilizar o processo de licitação nas ações do CFB mostram que há uma falta de agilidade no momento de se elaborar os editais necessários, seja por falta de conhecimento, por parte dos membros da Comissão de Licitação, dos termos técnicos e das implicações, seja por esta ter como característica uma necessidade legal de rotatividade maior de seus membros. Uma coletânea de modelos de editais relacionados às necessidades do CFB poderá permitir uma maior rapidez e segurança neste processo. 4. OBJETIVO Produzir uma coletânea de modelos de editais de licitação de interesse do CFB. 5. META Buscar esgotar os modelos de editais de licitação que possam ser de utilidade para o CFB. 6. EXECUTORES Comissão de Licitação, CONJUR CFB, Administrativo do CFB 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CFB 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Grau de utilização da coletânea, pelos membros da Comissão de Licitação do CFB. 9. IMPACTO ESPERADO Agilização do processo licitatório. ATIVIDADES Levantamento das necessidades de aquisição/atividades do CFB Busca por modelos de editais compatíveis com as necessidades levantadas Seleção e adequação dos modelos levantados às necessidades do CFB Download/digitação dos modelos selecionados Apresentação do documento final CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII X X X X X X X X X X X X X X X X X

40 Comissão de Divulgação Quadro 11 Atividade 1 do Plano de Metas da CDV 1. COMISSÃO ( X ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Corroborar para a consolidação do prêmio CFB 3. JUSTIFICATIVA Homenagear os bibliotecários, personalidades e instituições que se destacaram por sua atuação profissional durante o ano. 4. OBJETIVO Incentivar o desenvolvimento de boas práticas no campo da Biblioteconomia. 5. META Entregar, anualmente, o Prêmio no Dia do Bibliotecário. 6. EXECUTORES CDV 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS Conselhos Regionais divulgação do prêmio entre os bibliotecários da sua região. 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Repercussão que o prêmio terá na classe de bibliotecários. 9. IMPACTO ESPERADO Aumento de publicações e busca por melhores práticas. Divulgação da profissão para a sociedade. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES ATIVIDADES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Definir os procedimentos para a X X X premiação Adquirir o troféu X Divulgar o prêmio X X X X Organizar a cerimônia de entrega X X X do prêmio Entregar o prêmio (2009) X

41 39 Quadro 12 Atividade 2 do Plano de Metas da CDV 1. COMISSÃO ( X ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Atualização de material impresso para divulgação 3. JUSTIFICATIVA Propagar a imagem do Sistema CFB/CRB visando permitir a ampla compreensão de suas ações 4. OBJETIVO Divulgar a imagem do Sistema CFB/CRB 5. META Imprimir folhetos com o código de ética profissional; folhetos com a relação dos CRBs; produzir novos brindes e meios de comunicação para atingir objetivo acima exposto 6. EXECUTORES CDV 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CFB/CVD Gráfica responsável pela impressão. Empresas contratadas 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Concluir a atualização e impressão desse material até outubro de IMPACTO ESPERADO Atualizar os CRBs e os profissionais bibliotecários. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES ATIVIDADES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Fazer a revisão do material a ser X X X produzido Encaminhar o material para a X Comissão de Licitação Preparar o processo para a licitação X X X Encaminhar o material para X X distribuição

42 40 Quadro 13 Atividade 3 do Plano de Metas da CDV e CLN 1. COMISSÃO ( X ) CDV ( X ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Conceder premiação as categorias previamente estabelecidas pelo CFB 3. JUSTIFICATIVA Necessidade de elevar a autoestima do profissional por meio da concessão do prêmio ou homenagem 4. OBJETIVO Criar o instrumento legal que viabilize a escolha e a concessão do Bibliotecário do Ano. 5. META Consolidar a sistemática de premiação 6. EXECUTORES CLN/CDV 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CLN/CDV CONJUR PLENÁRIA 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Aprovação e entrega das premiações em IMPACTO ESPERADO Favorecer a prática do reconhecimento do mérito de bibliotecários brasileiros pelo sistema CFB/CRBs CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO ATIVIDADES MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Elaboração dos procedimentos X X X X Revisão dos procedimentos pela consultoria Jurídica X X Encaminhamento aos Conselheiros para apreciação prévia dos X X X procedimentos Implantação dos procedimentos com a indicação de nomes e entidades para premiação X X X X X

43 41 Quadro 14 Atividade 4 do Plano de Metas da CDV 1. COMISSÃO ( X ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( ) Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Atualização do Portal do Sistema CFB/CRB 3. JUSTIFICATIVA Divulgar as ações do CFB para os bibliotecários brasileiros 4. OBJETIVO Tornar o portal um canal de acesso frequente entre os bibliotecários na busca de informações sobre o CFB 5. META Manter o portal com as informações atualizadas durante o ano de EXECUTORES CDV Conselheiros envio de notícias, informações etc. para inserir no portal 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Ampliação do número de acessos 9. IMPACTO ESPERADO Os bibliotecários conscientizarem-se da importância do CFB como um órgão representativo da classe. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES ATIVIDADES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Atualização do portal X X X X X X X X X X X X

44 Comissão de Ensino Quadro 15 Atividade 1 do Plano de Metas da Comissão de Ensino 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( X ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Sombreamento dos cursos na área de Ciência da Informação 3. JUSTIFICATIVA Considerando que, cada vez mais, a Comissão de Ensino é solicitada a emitir pareceres sobre as diferentes titulações que cursos de Biblioteconomia e similares têm outorgado aos alunos que se graduam e o fato de que essas diferentes denominações, necessariamente, não representam diferentes cursos, entende-se importante aprofundar a discussão sobre sombreamento de currículos e questões paralelas como a titulação, por exemplo, de Cientista da Informação ou Gestor da Informação. 4. OBJETIVO Analisar, à luz da legislação vigente, as questões sobre sombreamento de currículos e as consequências na titulação de graduados com denominação diferente de bacharel em Biblioteconomia, frente ao mercado de trabalho e a atual impossibilidade de registro junto aos CRBs. 5. META Até dezembro de 2013: Relacionar os cursos na área de Ciências da Informação e as denominações das titulações por eles emanadas; Levantar os currículos destes cursos; Fazer uma análise de sombreamento destes currículos com o currículo mínimo do curso de Biblioteconomia; Aprofundar estudos sobre as normativas do MEC relacionadas a estas questões. 6. EXECUTORES Comissão de Ensino do CFB CONJUR CFB 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS ABECIN 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Percentual de currículos analisados. 9. IMPACTO ESPERADO Documento contendo resultado das análises feitas, a ser elaborado no primeiro semestre de CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES ATIVIDADES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Listagem dos cursos em CI X X Estudo das normativas do MEC X X Levantamento de currículos X X X Análise de sombreamento X X X X

45 43 Quadro 16 Atividade 2 do Plano de Metas da Comissão de Ensino 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( X ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Formação a distância (EAD) em Biblioteconomia 3. JUSTIFICATIVA A participação do CFB no projeto do curso na modalidade a distância na área de Biblioteconomia leva à necessidade de acompanhamento de sua execução. 4. OBJETIVO Iniciar o processo de avaliação da questão da implementação do ensino a distância em Biblioteconomia junto à CAPES. 5. META Contatar com a CAPES visando acompanhar o processo 6. EXECUTORES Comissão de Ensino 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CFB CONJUR CFB ABECIN 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Execução das atividades pela CAPES 9. IMPACTO ESPERADO Ampla formação de profissionais para a área. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO ATIVIDADES MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Acompanhamento junto à CAPES X X X X X X X X X X X X Acompanhamento junto à UFRJ X X X X X X X X X X X X

46 Comissão de Memória Quadro 17 Atividade 1 do Plano de Metas da Comissão de Memória 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( X ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Dinamização do repositório do Sistema CFB/CRBS 3. JUSTIFICATIVA Necessidade de facilitar o acesso gratuito às informações jurídicas e técnicas, em formato digital, pertinentes do Sistema CFB/CRBs. 4. OBJETIVO Manter atualizado o repositório do Sistema CFB/CRB; contribuir para a visibilidade do Sistema CFB/CRB 5. META Mensurar a disponibilidade dos textos técnicos produzidos pelo Sistema CFB/CRB até outubro de 2013; Mensurar a disponibilidade da produção científica dos conselheiros da Gestão até dezembro 2014; 6. EXECUTORES CLN/Comissão de Memória 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CFB e IBICT 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Questionário aos CRB e Conselheiros Federais para avaliar o uso, facilidade, acesso à informação, leiaute; Questionário aos membros das comissões CLN e Memória para avaliação do processo de publicação dos documentos 9. IMPACTO ESPERADO Contribuir para a política do acesso livre à informação; dar maior visibilidade à profissão. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO ATIVIDADES MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Revisão da estrutura do repositório X X X X X X X X X X X X Inserção dos documentos no repositório X X X X X X X X X X X X

47 45 Quadro 18 Atividade 2 do Plano de Metas da Comissão de Memória 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( X ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Organização contínua do arquivo do CFB 3. JUSTIFICATIVA A dificuldade de localização dos documentos no arquivo físico; A falta de conhecimento dos funcionários sobre o arquivamento dos documentos 4. OBJETIVO Revisar a organização do arquivo; inserir os dados no sistema; capacitar os funcionários para manutenção do arquivo e uso do Sistema. 5. META Revisão da organização dos documentos no arquivo em 3 meses; organização dos documentos em 3 meses; Inserção dos documentos no Sistema em 3 meses 6. EXECUTORES Comissão de Memória 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Acompanhamento e avaliação do trabalho executado pelos funcionários 9. IMPACTO ESPERADO Manter o arquivo do CFB organizado; Facilidade na recuperação dos documentos no arquivo físico e no Sistema CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO ATIVIDADES MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Revisão da organização do arquivo X X X Organização das pastas X X X Revisão do Sistema X X X Treinamento dos funcionários X X X

48 46 Quadro 19 Atividade 3 do Plano de Metas da Comissão de Memória 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro (X) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Revisão da Tabela de Temporalidade 3. JUSTIFICATIVA Necessidade de avaliar o que foi padronizado para a guarda dos documentos do Sistema CFB/CRBs 4. OBJETIVO Aprovar reavaliação da tabela de temporalidade; divulgar a nova tabela de temporalidade para os Conselhos Regionais 5. META Apresentação para aprovação da Tabela de Temporalidade ao Plenário na reunião de março/2013; publicar a Tabela de Temporalidade em 4 meses; encaminhar a Tabela de Temporalidade aos Conselhos Regionais em 5 meses. 6. EXECUTORES Comissão de Memória 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CONARQ 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Utilização da Tabela de Temporalidade pelo Sistema CFB/CRB 9. IMPACTO ESPERADO Normalização da guarda e descarte de documentos do Sistema CFB/CRB CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES ATIVIDADES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Avaliação da TTD X X Apresentação e aprovação das X alterações da TTD Encaminhamento da TTD aos X X Regionais Avaliação do uso da TTD X X X pelos Regionais e CFB Em reunião plenária realizada em julho de 2013, foi decidida a extinção desta comissão em virtude de suas atividades serem de competência da secretaria do CFB.

49 Comissão de Cadastro Quadro 20 Atividade 1 do Plano de Metas da Comissão de Cadastro 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI (X) Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Censo do profissional bibliotecário brasileiro 3. JUSTIFICATIVA É oportuno saber quem é o profissional bibliotecário brasileiro, qual sua formação, o que ele faz, como atua, quais são suas necessidades para melhor se inserir no mundo do trabalho de modo a atender as exigências acima destacadas. Nisto se constitui a finalidade do projeto ora exposto que visa contribuir para analisar os cenários da profissão, apontar tendências e colaborar para uma ampla discussão acerca das políticas públicas que estão diretamente ligadas ao saber-fazer e o saber-ser do bibliotecário. Ademais, o perfil levantado ainda corroborará poderá viabilizar outras reflexões necessárias para o desenvolvimento da área. 4. OBJETIVO Geral Identificar quem é o profissional bibliotecário brasileiro. Específicos Prover dados estatísticos que orientem os governos federal, estaduais e municipais no desenvolvimento de políticas que impactem na ação do profissional bibliotecário. Gerar um banco de dados nacional sobre o bibliotecário brasileiro; Delinear o perfil de atuação do bibliotecário no contexto nacional; Descrever a formação do profissional bibliotecário; Identificar as demandas por educação continuada 5. META Cadastrar, em uma base de dados compartilhada pelo Sistema CFB/CRB, 70% dos profissionais bibliotecários registrados 6. EXECUTORES CFB e CRB 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS Sistema CFB/CRB SPW 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Quantidade de profissionais cadastrados 9. IMPACTO ESPERADO Concorrer para o maior controle do Sistema CFB/CRB Viabilizar o conhecimento do perfil do bibliotecário brasileiro CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO ATIVIDADES MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Otimizar o instrumento (SPW) X X X Estabelecer as estratégias de coleta de dados X Coletar os dados X X X X X X X X X X X X

50 48 Quadro 21 Atividade 2 do Plano de Metas da Comissão de Cadastro 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN ( ) CEP ( ) CTC ( ) CLI (X) Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino 2. PROGRAMA Consolidação dos resultados do Censo Profissional 3. JUSTIFICATIVA Após o levantamento dos dados em campo, o grupo de trabalho constituído para coordenar, em nível macro, as atividades delineadas balizará os resultados obtidos e sintetizará os principais indicadores levantados efetuando sua disseminação por meio de um Relatório Final consubstanciado que será encaminhado aos órgãos competentes para subsidiar ações governamentais nos diferentes níveis, para todo o Sistema CFB/CRB e exposto no Portal do CFB para amplo acesso. 4. OBJETIVO Viabilizar a análise dos resultados obtidos com o censo profissional pela UFAM e UFSCar 5. META Balizar o documento consubstanciado pela UFAM e UFSCar para ser publicado e ter ampla circulação 6. EXECUTORES Comissão de Cadastro, UFAM e UFCar 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS Sistema CFB/CRB SPW UFAM e UFCar 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Relatório preliminar para publicação a ser apresentado pela UFAM e UFScar 9. IMPACTO ESPERADO Promover o amplo conhecimento de quem é e o que faz o bibliotecário brasileiro ATIVIDADES Estruturar e tabular os dados levantados Analisar os dados Redigir o documento CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII X X X X X

51 Comissão Temporária de Assessoria Parlamentar Quadro 22 Atividade 1 do Plano de Metas da Comissão de Assessoria Parlamentar 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN (X) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( )Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino (X) Comissão Temporária de Assessoria Parlamentar 2. PROGRAMA Acompanhamento Legislativo 3. JUSTIFICATIVA A sociedade brasileira vive momentos de grandes mudanças ocasionadas com o advento das tecnologias de informação e o impacto causado pelo seu uso no dia a dia do cidadão brasileiro. Vivemos a era da centralidade da informação. O legislador deve interferir estabelecendo leis que permitam a convivência e o bem estar social nesse cenário. Certamente as bibliotecas são diretamente afetadas e torna-se necessária a presença constante do CFB no âmbito da produção e criação legislativa no sentido de encaminhar as questões afetas ao seu âmbito de ação. 4. OBJETIVOS 1. Levantamento e acompanhamento, desde a constituição de 1988, de projetos e ações em tramitação no Congresso, Câmara e Senado; 2. Consolidar a legislação do bibliotecário compatibilizando com as Resoluções do CFB; 3. Identificar as propostas em tramitação nas duas Casas e no Congresso 4. Identificar as propostas arquivadas na área de biblioteconomia; 5. Apontar as Comissões Permanentes que atuam direta ou indiretamente na esfera da Biblioteconomia; 6. Elencar os deputados e senadores que propuseram ou relataram proposições nos domínios da Biblioteconomia e áreas afins; 7. Propor Audiência Pública em assuntos de interesse; 8. Consolidar a legislação do Bibliotecário; 5. META Acompanhar os projetos de lei em tramitação no Congresso 6. EXECUTORES CFB 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CFB e órgãos do poder legislativo 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Projetos de Lei que receberam avaliação e manifestação do CFB 9. IMPACTO ESPERADO Leis adequadas à realidade brasileira e que contribuam com o desenvolvimento biblioteconômico do país ATIVIDADES Acompanhamento dos projetos de Lei de interesse CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII _

52 Comissão Temporária de Especialistas em Bibliotecas Universitárias Quadro 23 Atividade 1 do Plano de Metas da Comissão de Especialistas em Bibliotecas Universitárias 1. COMISSÃO ( ) CDV ( ) CLN (X) CEP ( ) CTC ( ) CLI ( ) Comissão de Cadastro ( ) Comissão de Memória ( ) Comissão de Ensino ( ) Comissão Temporária de Assessoria Parlamentar (X) Comissão Temporária de Bibliotecas Universitárias 2. PROGRAMA Ensino 3. JUSTIFICATIVA O processo de avaliação das bibliotecas universitárias é de fundamental importância para o ensino superior no Brasil. È notório que a nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação incentivou acesso aos cursos de nível superior e consequentemente a criação de novas Instituições de Ensino Superior. Esse fato gerou a proliferação de bibliotecas o que levou o CFB a sentir-se na obrigação de acompanhar, junto ao MEC/INEP, o processo de avaliação das bibliotecas. Para tanto criou uma Comissão de Especialistas, bibliotecários com experiência nessa área para traçar políticas de atuação conjunta, contribuindo assim, efetivamente, com o poder público e o sistema educacional brasileiro. 4. OBJETIVOS Colaborar com o INEP/MEC no estabelecimento de políticas públicas e construção de instrumentos eficazes de avaliação de bibliotecas universitárias brasileiras 5. META Acompanhar o processo de avaliação das bibliotecas das Instituições de Ensino Superior no Brasil 6. EXECUTORES CFB 7. ENTIDADES ENVOLVIDAS CFB e MEC/INEP 8. INDICADOR PARA AVALIAÇÃO Instrumento aprovado 9. IMPACTO ESPERADO Melhoria na atuação das bibliotecas universitárias ATIVIDADES Reuniões com o INEP Criação do instrumento de avaliação Definição de Biblioteca universitária CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO MESES I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII

53 Demonstração e contextualização dos resultados alcançados O CFB desenvolveu e promoveu inúmeras ações no intuito de cumprir os objetivos constantes no planejamento estratégico da entidade Resultados das atividades administrativas A Diretoria e o Plenário conduzem as atividades administrativas no âmbito do CFB, buscando atingir os objetivos do planejamento estratégico exposto anteriormente. Foram publicadas, durante o exercício de 2013, 45 Portarias e 10 Resoluções e realizadas as reuniões demonstradas a seguir: Tipo Quantidade Plenárias Ordinárias 4 Plenárias Extraordinárias - De Diretoria 12 Com Entidades de Classe 7 Com Autoridades Locais e Nacionais 5 Com outros organismos 3 TOTAL 31 As reuniões relcaionadas acima expressam o esforço do CFB para promover articulações internas e externas necessárias para consolidar as estratégias traçadas. Cabe ressaltar a atuação política que o Conselho Federal de Biblioteconomia promoveu junto às Casas Legislativas, Senado e Câmara, de forma incisiva na defesa da profissão e da biblioteca em diversos projetos de lei, bem como em alguns órgãos do executivo, a exemplo do INEP que, provocado pelo CFB quanto à avaliação de bibliotecas universitárias, respondeu de pronto com a realização do trabalho da Comissão de Especialistas em Bibliotecas Universitárias Tesouraria A evolução das receitas arrecadadas e despesas realizadas nos últimos dois anos do CFB estão demonstradas no quadro e gráfico abaixo. Quadro 24 Receita e Despesa do CFB Especificação 2012 (R$) 2013 (R$) Diferença (R$) Receitas Arrecadadas , , ,31 Despesas Realizadas , , ,36 Total , , ,67

54 52 Gráfico 1 Evolução da Receita e Despesa do CFB , , , , , , , ,00 Receitas Arrecadadas Despesas Realizadas TOTAL ,00 0, , (R$) 2013 (R$) Diferença (R$) Foram adquiridos os seguintes equipamentos para o CFB: Descrição Quantidade Valor Total Aparelho telefone 01 R$ 159,00 Gravador Digital 01 R$ 398,00 Impressora Protocolo 01 R$ 451, Secretaria As atividades realizadas pelo CFB contam com a o apoio dos colaboradores abaixo relacionados: Quadro 25 Funcionários do CFB Nome Roberto Barros Cardoso Rodrigo Magalhães Oliveira de Ailton Moreira da Rocha Tatiana de Paula Martins de Souza Neracy Fernandes Silva da Cargo Gerente Administrativo Consultor Jurídico Auxiliar Administrativo Auxiliar Administrativo Auxiliar Serviços Gerais Carga Horária Valor do Salário Data de Contratação 40h R$ 3.770,28 26/06/08 R$ 5.400,00 01/03/13 40h R$ 1.761,48 16/10/96 40h R$ 1.465,56 16/03/00 20h R$ 514,09 19/05/08 Forma de Seleção Livre Escolha cargo comissionado Livre Escolha cargo comissionado Contratação direta anterior Lei de 22/02/2000 Contratação direta anterior Lei de 22/02/2000 Contratação por Tomada de Preço Tipo de Contrato CLT CLT CLT CLT CLT Os funcionários possuem os seguintes benefícios: auxílio transporte; auxílio alimentação; assistência médica.

55 53 O Plano de Ação do CFB previa a realização de processo de capacitação de funcionários em conformidade com as necessidades apresentadas. Considerando ser o Repositório um importante instrumento utilizado pelo Sistema CFB/CRB, a capacitação realizada constituiu uma formação para atuação na área. Descrição da Atividade Total de Horas Nome do Funcionário Treinamento do site Florianópolis/SC 05/07/13 8h Ailton Moreira Rocha Treinamento ofertado pelo CFB a todos os Conselhos Regionais e funcionários do próprio CFB, com o objetivo de dar condições para que os funcionários dos Conselhos pudessem inserir conteúdo no site, a exemplo de banner e notícias, fazendo com que as informações estivessem sempre atualizadas. O curso foi ministrado pelo Sr. Ricardo da Costa e Silva Camilo Alves. 3.6 Resultado das atividades realizadas pela diretoria O quadro abaixo apresenta a participação dos membros da Diretoria do CFB em eventos, visando à divulgação e valorização da profissão bem como a interlocução com os diversos seguimentos da sociedade. Quadro 26 Participação da Diretoria do CFB em eventos Data Evento Local Participante da Diretoria 27/01/13 IX Encontro Internacional de Rio de Janeiro/RJ Isaura Lima Maciel Soares Catalogadores e II Encontro Nacional de Catalogadores 08/03/13 Seminário: desafios do livro Brasília/DF Adelaide Ramos e Côrte digital no Brasil 12/03/13 Comemoração do Dia do Bibliotecário em São Paulo 06/06/13 Participar de Reunião dom a Brasília/DF Adelaide Ramos e Côrte FEBAB e o Diretor da Área de Direitos Autorais do MinC 03 a XXV CONGRESSO Florianópolis/SC Adelaide Ramos e Côrte 10/07/13 BRASILEIRO DE Regina BIBLIOTECONOMIA Sandra DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO 07/05/13 Reunião Biblioteca Escolar São Paulo/SP Regina Céli de Sousa Instituto Ecofuturo 20/05/13 Reunião Bibliotecas São Paulo/SP Regina Céli de Sousa Públicas e acesso à informação, na USP/ECA/CBD 07/06/13 Seminário na FNLIJ e o Rio de Janeiro/RJ Regina Céli de Sousa plano de ação do Sistema CFB/CRB para as bibliotecas escolares 30/07/13 Workshop sobre Direitos Brasília/DF Adelaide Ramos e Côrte Autorais 13/08/13 Reunião no INEP sobre Brasília/DF Adelaide Ramos e Côrte trabalho conjunto para Diretoria construir o instrumento de avaliação das bibliotecas universitárias pelos avaliadores nomeados pelo INEP

56 54 18/09/13 Reunião com o Ministério Público da Bahia 19/09/13 Reunião no Instituto Ecofuturo em parceria com o Instituto Paulo Montenegro e a Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) 24/09/13 Audiência pública sobre a nova lei de direitos autorais 26 e Reunião de trabalho para 27/09/13 estabelecer diretrizes para o processo de produção nacional de materiais didáticos do curso de bacharelado em Biblioteconomia na modalidade a distância 30/09/13 Oficina do PNLL e da Audiência Pública sobre Livro e Leitura na Câmara dos Deputados 06/10/13 Abertura da 4ª Conferência luso-brasileira de Acesso Aberto (CONFOA) 08/10/13 Representar o Grupo de Estudos sobre Direitos Autorais do qual o CFB faz parte no Seminário realizado na Câmara dos Deputados no dia 8 de outubro de 2013, promovido pela Comissão de Cultura 24/10/13 Sessão solene em comemoração aos 45 anos do Sistema Conselho Federal/Regional de Medicina Veterinária e Zootecnia 25/10/13 Solenidade de posse do Prof. Emir José Suaiden na Biblioteca Central da Universidade de Brasília Salvador/BA Brasília/DF Brasília/DF Rio de Janeiro/RJ Brasília/DF São Paulo/SP Brasília/DF Brasília/DF Brasília/DF Lucimar Oliveira Silva Regina Céli de Sousa Adelaide Ramos e Côrte Adelaide Ramos e Côrte Adelaide Ramos e Côrte Regina Céli de Sousa Adelaide Ramos e Côrte Adelaide Ramos e Côrte Adelaide Ramos e Côrte Além das atividades acima expostas, destacam-se as seguintes atividades com a participação de todos os Conselheiros Federais e Regionais: 1 Workshops: foram realizados dois eventos em 2013 reunindo o Sistema CFB/CRB. Em julho e outubro, na cidade de Florianópolis/SC, ocorreram o XII e XIII Workshops com o apoio do CRB-14 na organização. Nessa ocasião, foram discutidas as seguintes questões: Advocacy: Durante o XXV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação (CBBD), em Florianópolis, as entidades representativas da Biblioteconomia reuniram-se para debater os temas relacionados à profissão de Bibliotecário no cenário atual, com vistas ao seu desenvolvimento e às projeções para um futuro a médio e longo prazo. A iniciativa foi do CFB que, na condição de órgão líder do Sistema CFB/CRB, conclamou as instituições a comparecerem e oferecerem sua colaboração para construir alternativas capazes de reverter o quadro atual. Este evento contou com a presença dos Conselheiros Federais, Conselheiros Regionais e representantes de Associações e Sindicatos de Bibliotecários e áreas correlatas.

57 55 Palestra TCU: O CFB promoveu uma palestra com o representante do TCU, Sr. Giovani Ferreira de Oliveira, sobre a Prestação de Contas 2013 e o Relatório de Gestão dos Conselhos. XIII Workshop do Sistema CFB/CRB: teve como tema a construção do plano de trabalho conjunto do Sistema CFB/CRB além de discussões de Resoluções, proposta de criação do Plano Nacional Setorial de Bibliotecas, pelo CRB-7 e sobre o Projeto de Lei regulamentação do Técnico em Biblioteconomia. Fórum de Conselhos de Profissões Regulamentadas Conselhão: O CFB participou, na qualidade de Secretário, de todas as reuniões ordinárias e extraordinárias do Fórum de Conselhos Federais de Profissões Regulamentadas (Conselhão), realizadas em Brasília na sede do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (COFECI), no exercício de Os trabalhos do Fórum estiveram concentrados nos seguintes temas: 1. Controvérsias relativas ao regime jurídico de contratação de empregados de conselhos de fiscalização profissional, nas quais encontram-se as teses antagônicas entre o regimes celetista e estatutário. A posição que ainda prevalece é a de que os contratos de trabalho são regidos pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). No entanto, algumas decisões judiciais, inclusive do Superior Tribunal de Justiça (STJ), definiram a condição dos empregados em subordinação à Lei nº8112/90 a qual regulamenta o serviço público na Brasil. Em audiências no Âmbito da Advocacia Geral da União (AGU) ficou consagrado o entendimento de que os conselhos, embora sejam autarquias, são organizações especiais e não estão vinculadas aos órgãos da administração pública federal, não contribuem para o caixa único do Tesouro Nacional, os cargos e planos de carreiras dos conselhos não foram criados por lei e não existem formas de transposição entre quadros de empregados, sem a realização de concurso público para todos os colaboradores. Caso viesse a ser admitida a hipótese do estabelecimento do regime único, teria de haver a demissão de todos os empregados de todos os conselhos e o ingresso nos respectivos planos de cargos e salários por meio de concurso. Além da questão da contribuição previdenciária que difere entre os regimes de contratação. 2. Regularização da profissão de Tecnólogo. A posição do Fórum é que todos os conselhos preparem estudos e baixem resoluções sobre a formação profissional e os limites de atuação desse profissional no cenário de cada profissão regulamentada. 3. Parecer sobre a promulgação da Lei que trata do Simples Nacional para as profissões que dele necessitem. 4. Relatório de Gestão a ser apresentado ao TCU, por força de Lei, a partir de 2014, pelos conselhos de profissões regulamentadas. Nesse sentido, o Fórum promoveu a realização de vários encontros com servidores do TCU e conselheiros federais para esclarecimento de dúvidas numa ação muito positiva. 5. Lei de Acesso à Informação e Programa Brasil Transparente. Técnicos da CGU estiveram presentes em reuniões do Fórum para esclarecer e alertar aos conselhos sobre a obrigatoriedade da divulgação das informações nos sites. 2 Indicação do suplente para o Colegiado do Livro, Leitura e Literatura (CSLLL) do Ministério da Cultura. 3 Comissão Temporária de Especialista em Bibliotecas Universitárias: A partir de denúncia recebida pelo CFB sobre falhas no processo de avaliação dos cursos e das Instituições de Ensino Superior, O CFB entrou em contato com o INEP com o intuito de contribuir para a melhoria da avaliação do ensino superior. O INEP solicitou que o CFB participasse do treinamento oferecido aos avaliadores para que pudéssemos discutir e criticar o Instrumento de Avaliação das IES. O CFB criou uma Comissão Temporária composta por Conselheiros Federais e bibliotecários de diversas universidades brasileiras, públicas e privadas, que, após o treinamento, fizeram um documento apontando os pontos frágeis do Instrumento de Avaliação utilizados. Em linhas gerais, este documento sugere que a biblioteca seja encarada como ambiente e instrumento pedagógico de consolidação de conhecimentos e que não seja avaliada apenas na dimensão estrutura física quando da avaliação da Instituição, nem somente do ponto de vista do acervo quando da avaliação dos cursos.

58 56 4 V Encontro Nacional dos Conselhos Profissionais: O Fórum Nacional dos Conselhos de Profissões Regulamentadas juntamente com a ASCOP-SC promoveram, em Florianópolis, no mês de outubro, o V Encontro Nacional de Conselhos Profissionais. O CFB se fez presente com sua Diretoria e, na ocasião, a Presidente, Regina Céli Sousa, foi mediadora de um dos debates. Diversos Conselhos Regionais de Biblioteconomia também estiveram presentes e participaram dos debates acerca dos temas que afetam diretamente os Conselhos Profissionais. A articulação política entre as profissões permitiu que o CFB lançasse durante este evento o Manifesto Nacional em Defesa das Bibliotecas, apresentado pela Presidente e aprovado por todos os participantes do evento. 5 Graduação em Biblioteconomia na modalidade a distância: dando continuidade à luta pela implantação do Curso de Graduação em Biblioteconomia na modalidade EaD, o CFB manteve contato e participou de reuniões com a UAB Universidade Aberta do Brasil e com a UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro, unidade que está em processo de desenvolvimento do material didático para o curso. A primeira reunião ocorreu em Brasília e teve a participação de toda a Diretoria do CFB. A segunda ocorreu no Rio de Janeiro e dela participaram a Vicepresidente Adelaide Ramos e Côrte e a Coordenadora da Comissão de Ensino do CFB, Conselheira Helen Beatriz Frota Rozados. 6 Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação: organizado pela FEBAB Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições e apoiado pelo CFB, este é o evento de maior representatividade para os bibliotecários brasileiros. O CFB manteve estande que contou com a visita dos principais nomes da Biblioteconomia Brasileira e pôde ter contato direto com os profissionais, esclarecendo sobre a profissão e sobre os Conselhos Profissionais, além de compartilhar boletins e folhetos informativos Resultado das atividades das Comissões Comissão de Divulgação A Comissão de Divulgação (CDV), como órgão de assessoramento da Diretoria e do Plenário do Conselho Federal de Biblioteconomia, executa e submete suas atividades à aprovação da Presidência. Em 2013, desenvolveu as seguintes atividades: 1 Busca de notícias para atualização diária do site do CFB; 2 Pesquisa diária, seleção e inclusão de eventos de relacionados à profissão; 3 Inclusão e exclusão de links e banners; 4 Organização e produção de material de divulgação para os workshops realizados pelo CFB; 5 Elaboração de material de divulgação para o CBBD; 6 Organização e coordenação do estande no CBBD; 7 Idealização e veiculação de mensagem eletrônica de Natal, em vídeo, no portal, encaminhada aos profissionais bibliotecários, amigos e parceiros; 8 Elaboração e veiculação de Boletins Eletrônicos e respectiva publicação no Portal; 9 Confecção de lápis (promocional) para divulgação da profissão, para distribuição aos CRBs e eventos do CFB; 10 Colocação de banner eletrônico no portal, com a programação referente ao Dia do Bibliotecário de todos os Conselhos Regionais; 11 Veiculação para os profissionais bibliotecários e colocação de vídeo no portal, com mensagem do CFB alusiva ao Dia do Bibliotecário; 12 Publicação e indexação dos Boletins Eletrônicos no Repositório do CFB; 13 Contato com empresas para busca de patrocínios; 14 Elaboração de proposta de contratação de um Plano de Comunicação para o Sistema CFB/CRB;

59 57 15 Elaboração dos planos de ações e metas para 2014 e proposta orçamentária da CDV para Comissão de Ética Profissional A Comissão de Ética Profissional (CEP) desenvolveu as seguintes atividades no decorrer de 2013: 1 Análise do Processo Ético nº 204/208, encaminhado pelo CRB-10; 2 Análise do Processo Ético nº 001/2012, encaminhado pelo CRB-7; 3 Análise do Processo nº 06/2012, encaminhado pelo CRB-6; 4 Proposição e realização do Seminário de Ética Profissional do Bibliotecário, durante o Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação (CBBD), em Florianópolis; 5 Elaboração do seu Plano de Ações, Metas e Orçamento para o exercício de 2014; 6 Elaboração da previsão orçamentária correspondente a essa programação conjunta, incluindo despesas com passagens, diárias e material de divulgação e de expediente para a realização dos Seminários Comissão de Legislação e Normas A Comissão de Legislação e Normas (CLN) é um órgão de apoio do Conselho Federal de Biblioteconomia e, como tal, executa atividades sob demanda da Diretoria, com a assessoria da Consultoria Jurídica (Conjur). No decorrer do ano de 2013, a CLN iniciou a revisão do Regimento Interno, conforme estabelecido no seu plano de metas, entretanto, não conseguiu finalizar em consequência de outras demandas para elaboração e análises de propostas de atos normativos, conforme se pode observar no exposto a seguir. As atividades estão relacionadas em ordem que sucederam as análises e propostas: 1 Análise da proposta de Resolução que dispõe sobre as regras de conciliações de débitos; 2 Análise da proposta de alteração da Resolução 073/2005 de Procedimentos Contábeis; 3 Alteração da Resolução CFB no. 121/2011, que dispõe sobre Licença e Cancelamento de Registros; 4 Estudo sobre a revogação da Resolução CFB nº 131/2012 que dispõe sobre Auditoria Independente no Sistema CFB/CRB; 5 Proposta de alteração da Resolução CFB nº 96/2009 que Acrescenta o parágrafo único ao art. 1º da Resolução e alterações posteriores, que dispõe sobre o processo eleitoral no Conselho Federal de Biblioteconomia ; 6 Estudo da Resolução que Dispõe sobre a Concessão de Diárias e Ajuda de Custo aos Membros do Conselho Federal de Biblioteconomia ; 7 Resolução que Dispõe sobre a fixação de valores de anuidades e taxas devidas aos Conselhos Regionais de Biblioteconomia para o exercício de 2014; 8 Estudo para o Projeto de Lei Nº 6038/2013. Com base nas sugestões do Assessor Jurídico e análise de artigos da Lei nº 4084/62 e do Decreto 56725/65, a comissão concluiu o documento que Regulamenta o exercício da atividade profissional de Técnico em Biblioteconomia. Por fim, destaca-se que a grande demanda de trabalho para a CLN comprometeu o avanço da revisão do Regimento Interno do CFB, ficando para ser concluído até 2015.

60 Comissão de Licitação Integrada à estrutura orgânica permanente do Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB), a Comissão de Licitação (CLI) é o órgão responsável pela coordenação dos processos de contratação de obras, serviços, inclusive de publicidade, compras, alienações e locações de toda natureza, desde que formalizados pela presidência e deliberados pelo Plenário do CFB. Como esta Comissão trabalha de acordo com a demanda, ocorreram apenas duas reuniões que analisaram os seguintes processos licitatórios: 1 Processo licitatório para contratação de serviços de fornecimento de passagens aéreas nacionais e internacionais - concluído; 2 Processo licitatório para contratação de serviço técnico especializado de assessoria parlamentar - concluído; 3 Processo de contratação dos serviços técnicos profissionais de contabilidade pública suspenso; 4 Processo de contratação de empresa para prestação de serviços de análise, programação, conversão e consultoria dos sistemas de processamento de dados em andamento; 5 Processo de contratação de serviços técnicos de assessoria de comunicação social em andamento Comissão de Tomada de Contas A Comissão de Tomada de Contas CTC é um órgão de assessoramento do Plenário, com responsabilidades de fiscalização financeiro-administrativa, composta de 3 (três) Conselheiros eleitos pelo Plenário, juntamente com a Diretoria, conforme art. 73 do Regimento Interno do CFB. Tem como objetivo apreciar as contas do CFB e dos CRBs, analisando e emitindo pareceres sobre Balancetes Mensais, Prestação de Contas Anual, Propostas e Reformulações Orçamentárias, bem como assuntos correlatos, em consonância com as exigências do Tribunal de Contas da União, no que couber, e normas do CFB, de acordo com a Lei 8666/93. Os trabalhos da CTC foram desenvolvidos calcados nos preceitos de que a informação contábil é matéria-prima que deve ser tratada para gerar informação útil e representa um instrumento gerencial de fundamental importância para o processo decisório do Sistema CFB/CRB. Durante os trabalhos, a CTC procurou constantemente manter contato direto com os Conselhos Regionais visando estabelecer uma aproximação, alargando os laços de modo a agilizar o andamento dos processos no que tange as pendências de documentos e entendimentos da normalização das peças processuais. Sugeriu-se à Diretoria do CFB a atualização da Resolução 073 de 2005 que dá redação às disposições da Resolução CFB 21/2001, que trata dos procedimentos contábil, financeiro, patrimonial e orçamentário do Sistema CFB/CRB que não estava em conformidade ao estabelecido no Manual de Procedimentos da CTC. Os membros da CTC reuniram-se com os Assessores Contábil, Jurídico e a Tesoureira sempre que se fez necessário, o que proporcionou maior clareza, legitimidade e legalidade aos trabalhos. Foram realizadas onze (11) reuniões na sede do CFB e duas (2) na cidade de Florianópolis. De modo geral, a situação contábil financeira do Sistema CFB/CRB caminhou de forma tranquila e favorável ao fechamento de caixa com superávit financeiro e orçamentário.

61 Comissão de Ensino No ano de 2013 a Comissão de Ensino dedicou-se aos seguintes assuntos, prioritariamente: PROCESSO FACULDADE JUVÊNCIO TERRA (Bahia) Foi encaminhada solicitação dos egressos de curso da referida Faculdade, buscando solução para a possibilidade de inscrição nos CRBs, tendo em vista que seu diploma não contempla o título de bacharel em Biblioteconomia. A Comissão, após análise do processo, entendeu que o único procedimento possível é o que a PUC Campinas assumiu: oferecer algumas disciplinas que, depois de cursadas, permitiriam ao aluno ter um novo diploma, este como bacharel em Biblioteconomia. Como forma de amenizar o problema, a Comissão entendeu que o CFB poderia, se os alunos da faculdade assim o desejassem e a faculdade concordasse, receber a direção da instituição para explicar pessoalmente a situação. ENSINO A DISTÂNCIA a) Cursos de Biblioteconomia a distância: foram levantados, ao longo do ano, cursos de bacharelado em Biblioteconomia oferecidos por instituições como a Universidade de Caxias do Sul; b) UAB: reunião na cidade do Rio de Janeiro, nos dias 26 e 27 de setembro, para discutir aspectos legais da produção do material didático do projeto do curso de Biblioteconomia na modalidade EAD, bem como a forma de estabelecer quem seriam os conteudistas e os leitores, além da oficialização das três Comissões já definidas, com suas respectivas atribuições; c) Curso de auxiliar de bibliotecas a distância. Foram analisadas as informações constantes na página da instituição denominada Ensino Nacional, que oferece curso de auxiliar de biblioteca via internet. A Comissão, consultando a página do curso na internet verificou que as informações veiculadas mostram que a instituição responsável não tem conhecimento sobre o que efetivamente vem a ser um auxiliar de biblioteca. Na realidade, as informações induzem a pensar que aquele que fizer o curso será um bibliotecário. Aparentemente, também, é curso não tem nenhuma relação com o MEC. Publica um modelo de diploma que não é de uma instituição oficial de educação. A Comissão entende que deverá analisar melhor casos como este e, inclusive, trabalhar nesses aspectos juntamente com a ABECIN, para propor uma conduta a ser tomada pelo CFB, já que, em questão de ensino, não é de competência do CFB intervir, podendo, talvez, alertar sobre problemas que poderão surgir a partir de situações como esta. Também propõe que, paralelamente, a direção do CFB encaminhe uma correspondência ao curso, esclarecendo que muito dos conteúdos informados é exclusivo da formação em cursos superiores de Biblioteconomia. DISCIPLINA DE ÉTICA foi realizado um levantamento prévio, em sites de escolas de Biblioteconomia, a partir de relação disponibilizada na página da ABECIN, para verificar se nos currículos destes cursos havia a disciplina de Ética, seja como disciplina efetiva ou conteúdo inserido em alguma disciplina. Para o próximo ano, fica a tarefa de aprofundar e completar com informações coletadas pessoalmente; TECNÓLOGOS tendo em vista projeto de lei federal, em processo de aprovação, foi solicitado verificar as atribuições do Tecnólogo em Biblioteconomia e propor uma grade curricular. A Comissão entende que esta não é uma atribuição do CFB que, em sua essência, é um órgão fiscalizador da profissão de bibliotecário. No entanto, entende como importante aprofundar estudos sobre o assunto, conforme propõe em seu Plano de Ação para 2014; TÉCNICO EM BIBLIOTECONOMIA foi encaminhado à Comissão documento advindo da Diretoria de Políticas de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, referente à Consulta Pública para a reestruturação do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos (CNCT). A Comissão analisou e sugeriu alterações para o curso de Técnico em Biblioteconomia, encaminhando-as à Diretoria para as devidas providências.

62 Comissão de Cadastro de Profissionais e de Bibliotecas No ano de 2013, a Comissão de Cadastro se propôs a analisar e consolidar os dados criticados do Censo Bibliotecário, realizado na Gestão anterior, mas tem encontrado dificuldades em trabalhar com os dados brutos em função de os dados tratados não terem sido disponibilizados pela gestão anterior Comissão Temporária de Informática A 16ª Gestão criou uma comissão temporária para realizar um levantamento do parque tecnológico do CFB e demais necessidades relacionadas a Tecnologia da Informação. A comissão é composta por um conselheiro, um funcionário e um especialista da área. Como resultado desse levantamento, foi proposto: 1 Analisar o site do CFB/CRB para levantar as vulnerabilidades de segurança; 2 Trocar o servidor por questões de espaço físico de memória; 3 Trocar os equipamentos: notebook, desktop, impressoras, datashow e licenciamentos dos softwares; 4 Consolidar os dados de todos os CRBs na base do CFB, no sistema SPW; 5 Criar um manual em pdf do sistema SPW; 6 Adquirir um sistema legislativo e de gerenciamento de informação para o sistema CFB/CRB; 7 Contratar um técnico de informática concursado para suporte geral de informática para atender o sistema CFB/CRB Comissão Temporária de Bibliotecas Públicas e Escolares Com a Lei /2010 de Universalização das Bibliotecas Escolares e o PL 2.361/2011 de Universalização das Bibliotecas Públicas, a 16ª Gestão sentiu a necessidade de formação de uma comissão que pudesse atuar para a implantação da Lei da Biblioteca Escolar e aprovação da Lei da Biblioteca Pública. As principais ações da Comissão em 2013 foram: 1 Levantamento de dados sobre a existência de bibliotecas na rede pública estadual e municipal, respectivamente do ensino médio e do ensino fundamental, e de bibliotecários atuando nesses locais; 2 Planejamento de Seminários Nacional e Regionais em Bibliotecas Escolares e Públicas; 3 Qualificação na formação do bibliotecário na atuação profissional em biblioteca escolar e biblioteca pública. Esta ação se efetivou na integração com a Comissão de Ensino do CFB para levantamento das Escolas com cursos de Biblioteconomia que oferecem as Disciplinas de Bibliotecas Escolares e de Bibliotecas Públicas; 4 Participação da Comissão de Bibliotecas Escolares e Públicas nos Fóruns Gaúchos de Melhoria de Bibliotecas Escolares (FGMBE); 5 Contribuição na elaboração e análise do texto do Substitutivo do Projeto 28/2012 (Projeto de Lei Nº 3.044, de 2008, na origem), de autoria do Deputado Sandes Júnior; 6 Contribuição na Alteração da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, para instituir a obrigatoriedade de criação e manutenção de bibliotecas escolares em todas as instituições públicas de ensino; 7 Encontro com a Comissão de Bibliotecas Escolares da FEBAB - a Comissão de Bibliotecas Escolares e Públicas reuniu-se com a Comissão de Bibliotecas Escolares da FEBAB, por ocasião da realização do XXV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e

63 61 Documentação (CBBD), realizado em julho de 2013 na cidade de Florianópolis/SC, iniciando um diálogo para programação de ação conjunta no próximo CBBD; 8 Participação dos Membros da Comissão no Seminário de Bibliotecas Escolares e Seminário de Bibliotecas Públicas no XXV CBBD; 9 Os integrantes da Comissão de Bibliotecas Escolares e Públicas participaram do Seminário de Bibliotecas Escolares promovido pela FEBAB durante o XXV CBBD e do Seminário de Bibliotecas Públicas promovido pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP) durante o XXV CBBD Comissão Temporária de Assessoria Parlamentar Manter-se informado sobre as atividades parlamentares e movimentação de projetos dentro da Câmara e do Senado é fundamental para que o CFB possa atuar politicamente de forma a resguardar os interesses da profissão. Neste sentido, convidou um bibliotecário da Câmara e outro do Senado para, juntamente com a Vice-presidente, formarem a Comissão Temporária de Assessoria Parlamentar. Esta Comissão atuou levantando projetos em tramitação que são de interesse da classe e informando o CFB sobre audiências públicas e reuniões relativas a esses projetos. Diante da enormidade da tarefa e da necessidade de uma atuação mais específica, o CFB viu a necessidade de licitar a contratação de empresa que realize este tipo de assessoria. Assim, foi contratada a empresa Parlamento Consultoria e Assessoria Ltda. para acompanhar os projetos de lei de interesse da classe bibliotecária Comissão Temporária de Especialistas em Bibliotecas Universitárias Esta Comissão foi formada após contato do CFB com o MEC/INEP por conta de denúncias recebidas relacionadas à avaliação do INEP aos cursos de graduação. Após uma visita ao INEP, o CFB foi convidado a participar do treinamento que é dados aos avaliadores. Este treinamento é baseado no Instrumento de Avaliação desenvolvido pelo INEP para aplicação em todos os cursos de graduação. O sistema de avaliação é dividido entre Avaliação para Autorização, Avaliação para Reconhecimento e Avaliação Institucional. O treinamento oferecido foi voltado para a autorização do curso e o objetivo era apontar os pontos negativos do Instrumento de Avaliação para uma revisão futura. O CFB convidou bibliotecários de universidades públicas, privadas e professores de biblioteconomia para compor a Comissão de Especialistas. Após o treinamento, a Comissão de Especialistas apontou 28 itens como contribuição para melhoria do Instrumento de Avaliação do INEP. Os itens apontados são: 1 Vínculo institucional do bibliotecário e registro profissional no Conselho Regional de Biblioteconomia de sua região; 2 Número de profissionais bibliotecários atuando na biblioteca; 3 Política de Formação e Desenvolvimento de Coleções; 4 Orçamento para atualização e ampliação do acervo; 5 Execução orçamentária para atualização do acervo da biblioteca; 6 Existência da Comissão da Biblioteca; 7 Espaços destinados a estudo individual e em grupo; 8 Equipamentos de informática disponíveis para consulta ao acervo; 9 Equipamentos de informática disponíveis para a realização de pesquisas/estudos; 10 Laboratórios de informática disponíveis para a realização de pesquisas/estudos; 11 Salas especiais de multimídias próprias ou compartilhadas;

64 12 Atendimento às normas e condições de acessibilidade física; 13 Atendimento às normas e condições de acessibilidade à biblioteca; 14 Atendimento às normas e condições de acessibilidade aos conteúdos informacionais da biblioteca; 15 Atendimento às normas e condições de acessibilidade no que tange às tecnologias de informação e comunicação; 16 Participação da biblioteca em redes e serviços cooperativos; 17 Censo da Educação Superior e o instrumento de avaliação; 18 Bibliotecário da IES como membro da Comissão Permanente de Avaliação (CPA) e demais comissões na IES; 19 O bibliotecário possui acesso aos projetos pedagógicos de curso e planos de ensino; 20 Portal de periódicos da CAPES, complementar ao acervo impresso e em condições de acesso pelo usuário; 21 Assinaturas de periódicos, na forma impressa, no caso em que a IES não mantém cursos de pós-graduação em qualquer um dos níveis; 22 Acervo eletrônico de periódicos complementares ao acervo impresso e em condições de acesso pelo usuário; 23 Acesso aos conteúdos eletrônicos [e-books e outros materiais] pelo usuário; 24 Quantidade dos materiais que compõem o acervo da biblioteca; 25 Empréstimo domiciliar, empréstimo entre bibliotecas, reserva e renovação informatizadas; 26 Catálogo informatizado disponível na Internet; 27 Horário de funcionamento da biblioteca; 28 Acervo informatizado. 62

65 63 4. ESTRUTURA DE GOVERNANÇA E DE AUTOCONTROLE DA GESTÃO 4.1 Relação dos principais dirigentes e membros do CFB Quadro 27 Principais dirigentes do CFB Nome Regina Céli de Sousa CRB-8/2385 Adelaide Ramos e Côrte - CRB-1/423 Sandra Maria Dantas Cabral CRB-3/243 Isaura Lima Maciel Soares - CRB-7/1489 Lucimar Oliveira Silva CRB-5/1239 Eliane Lourdes da Silva Moro - CRB-10/881 Francisca Rosaline Leite Mota - CRB-4/1714 Helen Beatriz Frota Rozados - CRB-10/368 Kátia Lúcia Pacheco CRB-6/1709 Maria de Fátima Almeida Braga - CRB-13/014 Maria Raimunda de Sousa Sampaio - CRB-2/865 Raimundo Martins de Lima - CRB-11/039 Rosana Chaves Abatti - CRB-14/458 Williams Jorge Corrêa Pinheiro - CRB-2/802 Cargo / Função Presidente Vice-Presidente, Coordenadora da Comissão Temporária de Assessoria Parlamentar e da Comissão Temporária de Especialistas em Bibliotecas Universitárias, membro Comissão Legislação e Normas Tesoureira e membro da Comissão de Divulgação 1ª. Secretária e membro da Comissão de Legislação e Normas 2ª Secretária e membro da Comissão de Divulgação e Comissão Temporária de Orientação e Acompanhamento do Relatório de Gestão do TCU Membro da Comissão Bibliotecas Escolares e Públicas, da Comissão de Ética Profissional Membro das Comissões Temporárias de Ensino e de Bibliotecas Escolares e Públicas, membro da Comissão de Ensino Coordenadora da Comissão de Licitação, da Comissão de Ensino e da Comissão de Cadastro de Profissionais e de Bibliotecas Coordenadora da Comissão de Tomada de Contas Coordenadora da Comissão de Legislação E Normas, membro Comissão de Cadastro de Profissionais e Biblioteca Coordenadora da Comissão de Informática, membro da Comissão de Tomada de Contas, membro Comissão de Ensino Membro das Comissões de Licitação, Ética Profissional e Bibliotecas Escolares e Públicas Coordenadora da Comissão de Ética Profissional, membro da Comissão de Tomada de Contas Coordenador da Comissão de Divulgação, membro Comissão de Cadastro de Profissionais e Biblioteca

66 Remuneração paga aos membros Todos os conselheiros do Sistema CFB/CRB são voluntários. Nenhum membro recebe remuneração, conforme estabelecido no Artigo 2º do Regimento Interno do CFB, que determina: O CFB não distribui lucros ou bonificações aos seus dirigentes e Conselheiros ; e no Art.22, O exercício do cargo de Conselheiro não será remunerado, sob qualquer forma e a qualquer título, inexistindo relação empregatícia entre este e o Conselho respectivo. Parágrafo Único - Os Conselheiros, consultores, assessores e empregados farão jus a diárias, passagens e ajuda de custos, necessárias ao exercício de suas atribuições, nos termos dispostos pelo CFB em resolução própria. 4.3 Controles Internos As atividades de controle interno do Sistema CFB/CRB são realizadas pela Comissão de Tomada de Contas e gerentes do Conselho Federal e Conselhos Regionais e pela Assessoria Contábil do CFB. 4.4 Sistema de Correição O Sistema CFB/CRB possui Assessorias Jurídicas capacitadas para auxiliar os Conselheiros e funcionários no desenvolvimento de qualquer atividade correcional com exceção da sindicância patrimonial, e existe suporte logístico (sala reservada, material de expediente e suporte financeiro e locomoção) para o desenvolvimento eficaz dos trabalhos disciplinares e/ou investigativos. O Sistema CFB/CRB tem a competência de instauração das atividades correcionais com fulcro no art. 145 do Regimento Interno e a responsabilidade de garantir às comissões a estrutura e suporte. Durante o ano de 2013, o CFB não abriu nenhum processo administrativo e de sindicância. 4.5 Avaliação do Funcionamento dos Controles Internos Quadro 28 Avaliação do Sistema de Controles Internos do CFB Elementos do sistema de controles internos a serem avaliados Valores Ambiente de Controle a) A Diretoria percebe os controles internos como essenciais à consecução dos objetivos da unidade e dão suporte adequado ao seu funcionamento X b) Os mecanismos de controle instituídos pela UJ são percebidos por todos os conselheiros e funcionários nos diversos níveis da estrutura da unidade X c) A comunicação dentro da UJ é eficiente d) Existe código formalizado de ética ou de conduta X X e) Os procedimentos e as instruções operacionais são padronizados e estão postos em documentos formais X f) Há mecanismos que garantem ou incentivam a participação dos funcionários e conselheiros dos diversos níveis da estrutura da UJ na elaboração dos procedimentos, das X instruções operacionais ou código de ética ou conduta g) As delegações de autoridade e competência são acompanhadas de definições claras das responsabilidades X h) Os controles internos adotados contribuem para a consecução dos resultados planejados pela UJ X Avaliação de Risco i) Os objetivos e metas da UJ estão formalizados X j) Há clara identificação dos processos críticos para a consecução dos objetivos e metas da unidade X k) É prática da unidade o diagnóstico dos riscos (de origem interna ou externa) envolvidos nos seus processos estratégicos, bem como a identificação da probabilidade de ocorrência X

67 65 desses riscos e a consequente adoção de medidas para mitigá-los l) A avaliação de riscos é feita de forma contínua, de modo a identificar mudanças no perfil de risco da UJ ocasionadas por transformações nos ambientes interno e externo X m) Não há ocorrência de fraudes e perdas que sejam decorrentes de fragilidades nos processos internos da unidade X n) Na ocorrência de fraudes e desvios, é prática da unidade instaurar sindicância para apurar responsabilidades e exigir eventuais ressarcimentos X o) Há norma ou regulamento para as atividades de guarda, estoque e inventário de bens e valores de responsabilidade da unidade X Procedimentos de Controle p) Existem políticas e ações, de natureza preventiva ou de detecção, para diminuir os riscos e alcançar os objetivos da UJ, claramente estabelecidas X q) As atividades de controle adotadas pela UJ são apropriadas e funcionam consistentemente de acordo com um plano de longo prazo X r) As atividades de controle adotadas pela UJ possuem custo apropriado ao nível de benefícios que possam derivar de sua aplicação X s) As atividades de controle adotadas pela UJ são abrangentes e razoáveis e estão diretamente relacionadas com os objetivos de controle X Informação e Comunicação t) A informação relevante para UJ é devidamente identificada, documentada, armazenada e comunicada tempestivamente às pessoas adequadas. X u) As informações consideradas relevantes pela UJ são dotadas de qualidade suficiente para permitir ao gestor tomar as decisões apropriadas X v) A informação disponível para as unidades internas e pessoas da UJ é apropriada, tempestiva, atual, precisa e acessível. X w) A Informação divulgada internamente atende às expectativas dos diversos grupos e indivíduos da UJ, contribuindo para a execução das responsabilidades de forma eficaz. X x) A comunicação das informações perpassa todos os níveis hierárquicos da UJ, em todas as direções, por todos os seus componentes e por toda a sua estrutura X Monitoramento y) O sistema de controle interno da UJ é constantemente monitorado para avaliar sua validade e qualidade ao longo do tempo X z) O sistema de controle interno da UJ tem sido considerado adequado e efetivo pelas avaliações sofridas X aa) O sistema de controle interno da UJ tem contribuído para a melhoria de seu desempenho X Análise Crítica: Observa-se que o Controle Interno realizado no CFB está dentro da normalidade; o monitoramento é constante para a contribuição na melhoria do desempenho funcional. Escala de valores da Avaliação: (1) Totalmente inválida: Significa que o conteúdo da afirmativa não é integralmente observado pela UJ. (2) Parcialmente inválida: Significa que o conteúdo da afirmativa é pouco observado pela UJ. (3) Neutra: Significa que não há como avaliar se o conteúdo da afirmativa é ou não observado pela UJ. (4) Parcialmente válida: Significa que o conteúdo da afirmativa é observado na maioria dos casos pela UJ. (5) Totalmente válido. Significa que o conteúdo da afirmativa é integralmente observado pela UJ.

68 66 5. PROGRAMAÇÃO E EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA De acordo com o Decreto /65, em seu artigo 30, constitui renda do CFB: I - 1/4 (um quarto) da taxa de expedição da carteira profissional, II - 1/4 (um quarto) da anuidade de renovação do registro; III - 1/4 (um quarto) das muitas aplicadas na forma deste Regulamento; IV - doações; V - subvenções dos governos; VI - 1/4 (um quarto) da renda das certidões. 5.1 Demonstração da Receita Quadro 29 Receita do CFB de forma analítica

69 Demonstração das Despesas Quadro 30 Despesa do CFB de forma analítica 5.3 Apuração dos Resultados O Conselho Federal de Biblioteconomia é uma autarquia pública da União instituída nos termos da Lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962, com personalidade jurídica de direito público, autonomia administrativa e patrimonial e, por meio dos Conselhos Regionais, registra e fiscaliza o exercício da profissão do Bibliotecário. As demonstrações contábeis foram elaboradas e estão apresentadas com base nas práticas contábeis adotadas para este tipo de Entidade, como disposto na Lei 4.320/64. A entidade está em processo de ajuste de suas práticas contábeis aos padrões internacionais. Para os resultados de 2014, essas práticas deverão estar totalmente absorvidas. Dentre as principais práticas adotadas para a preparação das demonstrações contábeis, ressalta-se: a) Apuração do Resultado - o resultado do exercício foi apurado em conformidade com o regime contábil misto, ou seja, de competência para a despesa e de caixa para as receitas.

70 68 b) Ativo e Passivo Circulante e Não Circulante - os direitos e as obrigações são demonstrados pelos valores calculáveis e de realização, incluindo os rendimentos, os encargos e as variações monetárias incorridas até a data do balanço, quando aplicáveis. c) Caixa, Equivalentes de Caixa e Aplicações - caixa e equivalentes de caixa incluem caixa, contas bancárias com liquidez imediata, em um montante conhecido de caixa e com baixo risco de variação no valor de mercado, que são mantidos com a finalidade de gerenciamento dos compromissos de curto prazo. As aplicações são efetuadas em caderneta de poupança. d) Contas do Realizável - as contas do realizável constituem valores adiantados para funcionários ou terceiros. e) Imobilizado - os bens constantes do Imobilizado são registrados ao custo de aquisição, formação ou construção. f) Benefício a Empregados - a Entidade fornece aos seus empregados vale-transporte, valerefeição e assistência médica com ônus. Quadro 31 Balanço patrimonial, Demonstrativo das variações patrimoniais e Balanço financeiro de 2013

71 Quadro 32 Demonstração de fluxo de caixa do CFB 69

72 70 6. GESTÃO DE PESSOAS, TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA E CUSTOS RELACIONADOS 6.1 Estrutura de pessoal Quadro 33 Gestão de Pessoas do CFB Tipo de Cargo Assistente Administrativo Cargo em Comissão Quant. Não 02 Serviços Gerais Não 01 Gerente Administrativo Sim 01 Assessor jurídico Sim 01 Faixa Etária 30 a 40 anos 50 a 60 anos 40 a 50 anos 40 a 50 anos Nível de Escolaridade Tempo de Serviço Afastamento Ensino médio 15 a 20 anos --- Nível fundamental 5 a 10 anos Afastada desde 22/11/2012 por problemas de saúde Nível superior 5 a 10 anos --- Nível superior 0 a 5 anos Custos associados à manutenção dos recursos humanos Quadro 34 Despesas de manutenção com recursos humanos

73 71 7. GESTÃO DO PATRIMÔNIO MOBILIÁRIO E IMOBILIÁRIO 7.1 Patrimônio Mobiliário do CFB Quadro 35 Inventário de Bens Móveis 2013 Quant. Descrição Aquisição Aquisição Custo unt. Estado de Conservação 42 cadeira individual com braço/ modelo plus EFB / com prancheta 21/08/2003 R$ 332,00 Bom 8 cadeira de espera sem braço e sem rodas / modelo doty-ef-cr 02/09/2003 R$ 154,00 Bom 8 41 poltrona giratória, espaldar baixo / modelo plus EGB/AB-11-CR 02/09/2003 R$ 417,00 Bom cadeira giratória, assento e encosto médio/mod. plus EGA/AB-21- CR 21/08/2003 R$ 491,00 Bom 14 sistema de mesas modulares 27/08/2003 R$ 235,20 Bom 4 conexão triangulares 27/08/2003 R$ 235,20 Bom 1 mesa modular M12 modelo MAPP1614 E MLPP1206 PR 20/10/2003 R$ 716,10 Bom 1 mesa da presidência e reunião modelo MAPP1414-PR 28/08/2003 R$ 782,20 Bom 1 Armário baixo modelo AB80PB20-PR 27/08/2003 R$ 297,35 Bom 1 Mesa para reunião oval modelo MROVPN2410-PR 27/08/2003 R$ 700,35 Bom 7 Armário baixo modelo AB80PB20-PR 20/10/2003 R$499,80 Bom 2 Armário baixo modelo EB8000-PR 27/08/2003 R$297,15 Bom 3 Armário baixo modelo AB80GV02-PR 27/08/2003 R$721,35 Bom 1 sistema de mesas modulares modelo M12 20/10/2003 R$601,65 Bom 1 sistema de mesas modulares modelo MLPP0706-PR 20/10/2003 R$601,65 Bom 1 sistema de mesas modulares modelo MAPP1612-PR 20/10/2003 R$601,65 Bom 3 Gaveteiro modelo GV40-PR 20/10/2003 R$462,00 Bom 3 Sistema de mesas M7 20/10/2003 R$601,65 Bom 1 sistema de mesas M12 20/10/2003 R$601,65 Bom 2 sistema de mesas modelo MLPP0606-PR 20/10/2003 R$601,65 Bom 1 sistema de mesas modelo MAPP1212-PR 20/10/2003 R$601,65 Bom 1 Gaveteiro modelo GV21-PR 20/10/2003 R$462,00 Bom 3 Modulo Divisório Modelo PBBF1010-PR 20/10/2003 R$145,95 Bom 3 Mesa para reunião Modelo MRCIPN12-PR 20/10/2003 R$409,50 Bom 2 Armário Alto Modelo AA80PA20-PR 20/10/2003 R$915,00 Bom 1 Microcomp. PENTIUM III 650MHz 21/12/2000 R$4.270,00 Bom 1 Relógio, datador, numerador, Eletromecânico 20/11/2001 R$1.710,00 Bom 1 PABX CPA Marca Intelbras modelo /04/2003 R$1.430,00 Bom 1 Vídeo Porteiro marco HDL 08/04/2003 R$1.274,78 Bom 1 Arquivos Deslizantes Modelo Executivo 6 módulos 17/04/2003 R$19.710,00 Bom

74 72 Aquisição Estado de Quant. Descrição Aquisição Custo unt. Conservação 1 Impressa Lazer HP /04/2005 R$1.950,00 Bom 1 Projetor Multimídia marca INFOCUS 24/01/2005 R$5.200,00 Bom 1 Tela de projeção plastilux 180X180 24/01/2005 R$350,00 Bom 3 Computador Pentium IV 2.8GHz Epson 31/10/2005 R$2.827,28 Bom 1 Fogão Dominó Elétrico Inox /11/2006 R$678,30 Bom 1 Bebedouro IBBL Garrafão GFN-2000 BR 12/09/2007 R$540,00 Bom 1 Aspirador de pó Electrolux EASY BOX 17/11/2007 R$351,99 Bom 1 Sistema de Segurança com 06 câmeras (IDEAL) 20/10/2007 R$6.789,00 Bom 1 Forno Elétrico 26/11/2006 R$678,30 Bom 1 Impressora HP1100 Bom 1 Geladeira Frigidaire Bom 1 Televisão Sony 21 polegadas Bom 1 Vídeo Cassete Sharp HI FI Sterio - 04 Cabeças Bom 1 Bebedouro Elétrico Garrafão 20 Litros Bom 1 Scanjet 3400C Bom 1 Forno Microondas Electrolux ME28S 220BC 24/11/2006 R$399,00 Bom Aparelho de Ar condicionado Sprit / Hitachi 9000 Btus 27/03/2006 R$3.500,00 Bom Aparelho de Ar condicionado Sprit / Hitachi Btus 27/03/2006 R$4.500,00 Bom Aparelho de Ar condicionado Sprit / Hitachi Btus 27/03/2006 R$ Bom Aparelho de Ar condicionado Sprit / Hitachi Btus 27/03/2006 R$6.200,00 Bom 1 Multifuncional HP All-in-one Photosmart c /03/2009 R$399,00 Bom 1 HD interno Sata 2Tb 24/10/2013 R$ 440,00 Bom

75 Patrimônio Imobiliários do CFB Quadro 36 Imóveis do CFB Tipo de Imóvel Sede do CFB em Brasília Salas Vitória Salas Fortaleza Casa Manaus em em em Casa em São Luiz Localização Geográfica Destinação Descrição do Imóvel Situação Brasília DF Sede do CFB Conjunto formado por três salas Em uso pelo (1090, 10, 95 e 2079) no Ed. CFB Brasília Rádio Center, SRTN, totalizando 525,39m 2 Acompanhado de 7 vagas de garagem. Vitória ES Esta sala era sede do Salas 101 e 102 do Ed. Augusto Imóvel locado CRB-12 que foi extinto Ruschi, Rua Henrique Novaes, 76, Centro Vitória/ES Fortaleza CE Sede do CRB-3 Avenida Santos Dumont, º andar salas 207/208 Ed. Santos Dumont Center Aldeota Fortaleza/CE CEP: em Fortaleza/CE Manaus AM Sede do CRB-11 Casa de dois pavimentos situada à Travessa Padre Gislandh, nº 140, Centro, Manaus/AM São Luiz MA Sede do CRB-13 Casa situada à Rua da Alegria, 395 em São Luiz/MA Cedido em regime de comodato ao CRB-3 Cedido em regime de comodato ao CRB-11 Cedido em regime de comodato ao CRB-13

76 74 8. GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO O Sistema CFB/CRB utiliza o Sistema Gerencial Spiderware (SPW), que facilita, moderniza e agiliza as rotinas gerenciais e administrativas de todos os setores do Conselho Federal e Conselhos Regionais de Biblioteconomia, gera relatórios, guias e certidões necessários, permite consultas, inscrições, credenciamentos e impressões de boletos e documentos online, entre outras possibilidades inovadoras. Controla, ainda, a inadimplência e a emissão de comunicados de cobrança. Graças a esse sistema, as eleições podem ser realizadas pela Internet, em tempo real. Os principais sistemas são: Cadastro, Financeiro, Dívida Ativa, Fiscalização, Processo e Protocolo, Eleição (com votação via Internet), Contabilidade, Contas a Pagar, Bens Patrimoniais, Cursos, Diárias e Passagens, Eventos, Consultas via Internet, Processos e Protocolos pela Internet, Decore Eletrônica e Eventos pela Internet, entre outros em pleno experimento funcional. Cada sistema possui um conjunto de programas funcionais. Não existe um comitê de segurança da informação instituído. A gestão da segurança da informação corporativa publicada e divulgada é feita por empresa terceirizada. A Comissão Temporária de Informática apontou a necessidade de contratação de uma consultoria para a elaboração de um plano de tecnologia e segurança da informação. Proposta incluída no plano de metas para 2014.

77 75 9. GESTÃO AMBIENTAL E LICITAÇÕES SUSTENTÁVEIS Quadro 37 Gestão ambiental no CFB Aspectos sobre a gestão ambiental - Avaliação Licitações Sustentáveis a) A UJ tem incluído critérios de sustentabilidade ambiental em suas licitações que levem em consideração os processos de extração ou fabricação, utilização e descarte dos produtos e matérias-primas. Se houver concordância com a afirmação acima, quais critérios de sustentabilidade ambiental foram aplicados? X b) Em uma análise das aquisições dos últimos cinco anos, os produtos atualmente adquiridos pela unidade são produzidos com menor consumo de matéria-prima e maior quantidade de conteúdo reciclável c) A aquisição de produtos pela unidade é feita dando-se preferência àqueles fabricados por fonte não poluidora bem como por materiais que não prejudicam a natureza (ex. produtos de limpeza biodegradáveis) d) Nos procedimentos licitatórios realizados pela unidade, tem sido considerada a existência de certificação ambiental por parte das empresas participantes e produtoras (ex: ISO), como critério avaliativo ou mesmo condição na aquisição de produtos e serviços. Se houver concordância com a afirmação acima, qual certificação ambiental tem sido considerada nesses procedimentos? X X X e) No último exercício, a unidade adquiriu bens/produtos que colaboram para o menor consumo de energia e/ou água (ex: torneiras automáticas, lâmpadas econômicas). Se houver concordância com a afirmação acima, qual o impacto da aquisição desses produtos sobre o consumo de água e energia? X f) No último exercício, a unidade adquiriu bens/produtos reciclados (ex: papel reciclado). Se houver concordância com a afirmação acima, quais foram os produtos adquiridos? X g) Existe uma preferência pela aquisição de bens/produtos passíveis de reutilização, reciclagem ou reabastecimento (refil e/ou recarga). Se houver concordância com a afirmação acima, como essa preferência tem sido manifestada nos procedimentos licitatórios? h) Para a aquisição de bens e produtos são levados em conta os aspectos de durabilidade e qualidade de tais bens e produtos i) Os projetos básicos ou executivos, na contratação de obras e serviços de engenharia, possuem exigências que levem à economia da manutenção e operacionalização da edificação, à redução do consumo de energia e água e à utilização de tecnologias e materiais que reduzam o impacto ambiental j) Na unidade ocorre separação dos resíduos recicláveis descartados, bem como sua destinação, como referido no Decreto nº 5.940/2006 k) Nos últimos exercícios, a UJ promoveu campanhas entre os funcionários visando a diminuir o consumo de água e energia elétrica. Se houver concordância com a afirmação acima, como se procedeu a essa campanha (palestras, folders, comunicações oficiais, etc.)? X Refil para cartuchos de impressoras X X X X ( ) Sim (X) Não

78 76 Aspectos sobre a gestão ambiental - Avaliação Licitações Sustentáveis l) Nos últimos exercícios, a UJ promoveu campanhas de conscientização da necessidade de proteção do meio ambiente e preservação de recursos naturais voltadas para os seus X funcionários. Se houver concordância com a afirmação acima, como se procedeu a essa campanha (palestras, folders, comunicações oficiais, etc.)? (X) Sim ( ) Não Considerações Gerais: O CFB reconhece a necessidade de construir instrumentos que favoreçam a conservação e preservação do ambiente e incluiu no Planejamento Estratégico e no Plano de Metas de 2014, implantação dessas práticas. LEGENDA Níveis de Avaliação: (1) Totalmente inválida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa não é integralmente aplicado pela UJ. (2) Parcialmente inválida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é pouco aplicado pela UJ. (3) Neutra: Significa que não há como afirmar a proporção de aplicação do fundamento descrito na afirmativa pela UJ. (4) Parcialmente válida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é aplicado na maioria das vezes pela UJ. (5) Totalmente válida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é integralmente aplicado pela UJ.

79 ANÁLISE CRÍTICA SOBRE A GESTÃO DO CFB Em 2013, tomou posse a 16ª gestão do o Conselho Federal de Biblioteconomia, para o triênio A nova gestão entendeu que alguns projetos e ações da gestão anterior eram de grande importância para a comunidade dos Bibliotecários e para a Biblioteconomia brasileira. Assim, optou pela continuidade do Programa Mobilizador Biblioteca Escolar: construção de uma rede de informação para o ensino público, também da parceria com a Universidade Aberta do Brasil UAB para a oferta do curso de graduação em Biblioteconomia na modalidade a Distância e participação ativa do CFB na discussão e tramitação de projetos de lei que dizem respeito à profissão de bibliotecário na Câmara e no Senado Federal. No âmbito interno do Sistema CFB/CRB, além de manter as ações de estruturação e suporte aos Conselhos Regionais, houve a preocupação em instrumentalizá-los e apoiá-los a fim de atenderem as exigências dos órgãos de controle interno e externos. Neste sentido, há o exemplo da mudança para a Nova Contabilidade e o Relatório de Gestão do TCU. Para tanto, o CFB promoveu workshops com os Conselhos Regionais, levando informações sobre essas exigências, e ofereceu treinamentos aos seus funcionários com vistas ao cumprimento dos objetivos e missão do Sistema CFB/CRB. O conjunto de medidas que tratam das ações e atividades desenvolvidas no transcorrer do exercício de 2013, pactuadas, de forma colegiada, entre os conselheiros regionais e federais, funcionários e assessorias, está registrado e podem ser acompanhados, por meio das ferramentas de gestão, atas e homepage, os recursos que promovem e proporcionam condições de acompanhar os resultados pretendidos. Tal condição possibilitou, por meio de acompanhamento sistemático, que a diretoria e os coordenadores das comissões estabelecessem estratégias e tomadas de decisões, com vistas a manter ou ajustar o caráter dinâmico do processo de planejamento do Sistema CFB/CRB. Desta forma, para os efetivos desempenhos técnicos das áreas meio e fim, foram definidos previamente: prazos e recursos técnicos, além dos financeiros necessários, levando-se em conta a realidade da infraestrutura do Conselho Federal e de cada Conselho Regional. Apesar das dificuldades no desenvolvimento dos processos de trabalho, o Conselho Federal e os Conselhos Regionais, no exercício de 2013, cumpriram a sua missão institucional, promovendo a valorização e a garantia do exercício da profissão bibliotecária. Nesse sentido, a elaboração deste Relatório de Gestão demonstra as ações e o comprometimento dos conselheiros federal e regionais com o cumprimento da missão institucional outorgada. A consolidação deste documento demonstra, ainda, o conjunto de informações inerentes às ações programadas e executadas durante o exercício de 2013, ao mesmo tempo em que demonstra os avanços consolidados e a necessidade da busca por melhorias que possam ser implementadas, visando contribuir com o cumprimento da missão do sistema CFB/CRB, agora, no exercício de 2014.

80 RELATÓRIOS DE GESTÃO DAS UNIDADES JURISDICIONADAS AGREGADAS 11.1 Relatório de Gestão Exercício de CRB-1 Identificação e atributos da entidade Denominação Completa: CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 1ª REGIÃO Denominação Abreviada: CRB-1 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: / Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE /00 Telefones/Fax de Contato: Endereço Eletrônico: Página na Internet: Redes Sociais: https://www.facebook.com/pages/conselho-regional-de-biblioteconomia-da-1%c2%aa- Regi%C3%A3o/ Endereço Postal: SCLN 407 BL. D LOJA 30, ASA NORTE/BRASILIA-DF, Organograma funcional Diretoria Competências: I - Cumprir as decisões do Plenário do CRB-1; II - Estabelecer a estrutura administrativa do CRB-1 controlando seu funcionamento; III - Estabelecer e controlar as atribuições do pessoal administrativo, fixando a política administrativa de pessoal; IV - Elaborar relatório de gestão ao final de seu mandato; V - Registrar em livro de ata próprio as ocorrências de suas reuniões, bem como aprovar as suas atas; VI - Registrar em livro próprio a assinatura de seus membros presentes às reuniões ordinárias e extraordinárias; VII - Outras competências porventura a ela atribuídas pelo Plenário do CRB-1. Composição: Presidente: Antônio José Oliveira Silva CRB-1/2226 Vice-presidente: Anibal Araujo Perea CRB-1/2063 1º. Secretário: Jonniery dos S. Moreira CRB-1/2689 2º. Secretário: Anibal Araujo Perea CRB-1/2063 Tesoureira: Marília de Araújo Dantas CRB-1/2644 Comissão de Fiscalização Ato de Nomeação: Portaria nº 1, de 13/01/2012 Competências: I - determinar, coordenar, orientar e supervisionar, direta e imediatamente, o serviço dos Fiscais;

81 79 II - sugerir novos procedimentos de fiscalização, que serão submetidos à aprovação do Plenário do CRB-1; III - propor ao Presidente do CRB-1 o número de Fiscais necessário à Região; IV - propor e justificar a substituição de Fiscais; V - encaminhar periodicamente, com parecer, ao Presidente do CRB-1, os relatórios das atividades de fiscalização, acompanhados dos respectivos processos e documentos de fiscalização; VI - consultar a Consultoria Jurídica sempre que necessário; VII - apresentar relatórios das atividades do(s) fiscal(is) do CRB-1 referentes ao período imediatamente anterior a cada reunião do Plenário. Composição: Osmar Carmo Arouck Ferreira CRB-1/2305 Coordenador Eunice de Lourdes Franco CRB-1/0699 Israel Rodrigues Prates Junior CRB-1/2559 Comissão de Ética Profissional Ato de Nomeação: Portaria nº 2, de 13/01/2012 Competências: I - analisar denúncia, elaborar parecer prévio e encaminhá-lo ao Presidente do CRB-1, para que o mesmo decida pela abertura ou não de processo ético; II - autorizada a abertura do processo ético previsto no inciso anterior, proceder à instauração e instrução do devido processo ético disciplinar, na forma das disposições do Código de Ética do Profissional Bibliotecário, da Resolução CFB nº 399/93 e demais disposições legais pertinentes; II - emitir parecer sobre outros assuntos de natureza ética, quando solicitado pelo Plenário ou pela Diretoria; III propor, ao Plenário, normas e procedimentos a serem adotados pelas demais comissões do CRB-1, orientando-as quanto ao seu cumprimento; IV - exercer sua função, no que concerne a outros aspectos da ética, não mencionados nos incisos anteriores e previstos nos Regimento Interno, em atendimento a determinações da Diretoria e/ou Plenário; V - apresentar relatórios escritos dos fatos constatados. Composição: Antônia Veras de Souza CRB-1/2023 Coordenadora Martin David Burneo Cadilho CRB-1/1496 Olimpio Antônio Filho CRB-1/2332 Comissão de Tomada de Contas Ato de Nomeação: Portaria nº 20, de 11/09/2012 Competências: I - examinar as demonstrações de receita arrecadada pelo CRB-1, verificando o exato cumprimento da movimentação contábil-financeira da autarquia, inclusive o efetivo cumprimento do envio da cota-parte ao CFB;

82 80 II fiscalizar, periodicamente, os serviços de Tesouraria e Contabilidade do CRB-1, examinando livros e demais documentos relativos à gestão financeira; III - examinar os comprovantes de despesas pagas, quanto à validade das autorizações, idoneidade dos documentos fiscais e quitações respectivas; IV - solicitar ao Presidente os elementos necessários ao desempenho de suas atribuições, inclusive assessoramento técnico; V - solicitar esclarecimentos ao Tesoureiro do CRB-1, sempre que julgar necessário; VI - solicitar esclarecimentos ao Contador do CRB-1 sempre que houver necessidade; VII - baixar normas disciplinadoras de sua organização e de seus serviços, baseadas nas atribuições fixadas neste Regimento Interno; VIII - controlar o recebimento de legados, doações e subvenções. Composição: Marcelo Almeida Gomes de Souza CRB-1/2138 Coordenador Antônia Veras de Souza CRB-1/2023 Osmar Carmo Arouck Ferreira CRB-1/2305 Comissão de Divulgação Ato de Nomeação: Portaria nº 5, de 13/01/2012 Competências: I - estudar, planejar e propor ao CRB-1 publicação referente a assuntos profissionais da área da Biblioteconomia, bem como os relativos às atividades do CRB; II - solicitar aos Bibliotecários estudos de caráter informativo sobre assuntos de interesse da área da Biblioteconomia e de atuação CRB-1; III - divulgar nacionalmente as atividades do CRB-1; IV - promover a impressão de publicações e a divulgação de matérias doutrinária, informativa, crítica, noticiosa e de qualquer outro gênero, para difusão da Biblioteconomia; V - promover a difusão regional da Biblioteconomia por meio da divulgação de matérias doutrinárias e informativas; VI - supervisionar a organização e a edição das publicações periódicas do CRB-1, devidamente autorizadas pelo Plenário; VII - remeter as publicações, por meio do Setor Administrativo, aos Conselheiros Regionais efetivos e suplentes, aos Delegados e aos Bibliotecários registrados no Conselho, bem como a todas as instituições interessadas e aos órgãos de divulgação em geral; VIII - orientar a organização e manutenção, no Setor Administrativo, de cadastro de endereços necessários à remessa sistemática das publicações; IX - adquirir, registrar, guardar e conservar livros, folhetos, jornais, revistas e outras publicações de interesse da área, controlando o empréstimo e a utilização, juntamente com o Setor Administrativo; X - adquirir, elaborar, guardar e conservar o material audiovisual próprio para apresentações do CRB-1 em palestras, cursos e treinamentos, bem como controlar o seu empréstimo e utilização contando, para isto, com o auxilio do Setor Administrativo. Composição: Antônia Veras de Souza CRB-1/2023 Coordenadora Israel Rodrigues Prates Junior CRB-1/2559 Eunice de Lourdes Franco CRB-1/0699

83 81 Comissão de Licitação Ato de Nomeação: Portaria nº 6, de 13/01/2012 Competências: I - manter cadastro de fornecedores de bens e serviços; II - emitir e fazer publicar edital de licitação no DOU, bem como publicar demais documentos licitatórios, tais como tomada de preços, cartas convite e outros pertinentes; III - analisar e julgar as propostas do objeto da licitação; IV - encaminhar o processo ao Presidente do CRB-1 para homologação; V - baixar normas disciplinadoras de sua organização e de seus serviços, baseadas nas atribuições fixadas neste Regimento e nas disposições legais aplicáveis à matéria. Composição: Olimpio Antônio Filho CRB-1/2332 Coordenador Eunice de Lourdes Franco CRB-1/0699 Israel Rodrigues Prates Junior CRB-1/25593 Comissão de Legislação e Normas Ato de Nomeação: Portaria nº 3, de 13/01/2012 Competências: I - emitir pareceres sobre os assuntos submetidos a sua apreciação por determinação do Presidente do CRB-1, sob orientação da Conjur; II - manter organizada e armazenada a legislação e as jurisprudências, inclusive as emanadas do Plenário do CRB-1 e do CFB; III - acompanhar, na esfera dos poderes executivo e legislativo, andamento de projetos e processos que envolvam interesse da classe Bibliotecária; IV - executar outras tarefas e atividades que lhes forem submetidas. Composição: Eunice de Lourdes Franco CRB-1/0699 Coordenadora Israel Rodrigues Prates Junior CRB-1/2559 Martin David Burneo Cadilho CRB-1/1496 Comissão de Bibliotecas Escolares Ato de Nomeação: Portaria nº 7, de 13/01/2012 Competências: Criada com o objetivo de acompanhar a execução da Lei nº /10 que dispõe sobre a "Universalização das bibliotecas nas Instituições de ensino do País".

84 82 Composição: Osmar Carmo Arouck Ferreira CRB-1/2305 Coordenador Eunice de Lourdes Franco CRB-1/0699 Geane Cristina B. dos Santos Lopes CRB-1/1838 Cargo em comissão Fábio Oliveira dos Santos Ato de Nomeação: Portaria nº 04, de 19/03/2013 Cargo: Assessor de Comunicação. Admitido em 02/05/2013. Competências: Coordenar os assuntos relativos à Assessoria de Comunicação do CRB-1. Setor Administrativo João Goulart Ribeiro Secretário Contrato, admitido em 01/03/1988. Mônica Coelho dos Reis Bibliotecária Gerente/Concurso Público/ Admitida em 26/09/201. Nádia Ferreira Montenegro Silva Bibliotecária Fiscal Seleção Simplificada/ Admitida em 01/06/2005. Romilda Almeida de Souza Auxiliar Administrativo/Contrato/ Admitida em 12/02/1990. Metas: 1. Fortalecer a imagem institucional CRB-1 perante a classe bibliotecária e a sociedade; 2. Expandir as atividades do CRB-1 por parcerias estratégicas; 3. Elaborar estrutura de cargos no âmbito do CRB-1; 4. Fortalecer a atuação junto aos Poderes Legislativo e Executivo em âmbito federal e estadual: 5. Fortalecer e aperfeiçoar o processo de fiscalização do CRB-1; 6. Aumentar a visibilidade da profissão de bibliotecário; 7. Valorizar o profissional que se destacou no exercício da profissão em cada Estado da jurisdição; 8. Despertar o interesse de jovens pela profissão e sensibilizá-los para o valor da informação organizada; 9. Promover maior integração entre o CRB-1 e os profissionais no Estado; 10. Intensificar o trabalho com as Delegacias Regionais; 11. Alcançar o menor índice de inadimplência no CRB-1; 12. Receber, por via administrativa e judicial, os débitos devidos ao Conselho; 13. Manter o sítio do CRB-1 como canal de comunicação preferencial para os bibliotecários; 14. Responder a totalidade dos questionamentos em até 48 horas; 15. Criar canais de comunicação com os profissionais por meio das redes sociais; 16. Adequar os equipamentos e mobiliário às demandas funcionais, tais como arquivos deslizantes e letreiro frontal da Sede do CRB-1; 17. Redesenhar a planta interna e promover reforma prevendo divisão dos ambientes de trabalho, pintura e adequação das instalações elétricas e hidráulicas nos dois andares.

85 83 Metas cumpridas e ações 1. Fortalecimento da imagem institucional CRB-1 perante a classe bibliotecária e a sociedade. 2. Expansão das atividades do CRB-1 por parcerias estratégicas - por meio da celebração de parcerias com instituições públicas, tais como, Presidência da República e Biblioteca Nacional de Brasília, para a promoção de eventos que visam ampliar as oportunidades de acessos à qualificação profissional. 3. Fortalecimento da atuação junto aos Poderes Legislativo e Executivo em âmbito federal e estadual, acompanhando e sugerindo projetos de leis que interessem à classe, que promovam a implantação de bibliotecas, a instituição do piso salarial do profissional bibliotecário de empresa privada no DF, ou que sejam relativos à política de acesso ao conhecimento e leitura, principalmente no que tange às bibliotecas escolares e públicas. 4. Fortalecimento e otimização do processo de fiscalização do CRB-1 por meio de reuniões da Comissão de Fiscalização e melhoria dos instrumentos utilizados para esta atividade, promovendo assim, a redução da atuação de pessoal não qualificado na área específica do Bibliotecário. 5. Fiscalização em concursos públicos, pela análise de Edital e posterior elaboração de Ações Civis Públicas junto aos órgãos competentes nos casos de irregularidade. 6. Aumento da visibilidade da profissão de bibliotecário por meio de atividades de promoção da profissão como o Dia de Bibliotecário. 7. Fortalecimento do Conselho e integração entre a classe, inclusive, com comemoração do Dia do Bibliotecário e entrega da Medalha Rubens Borba de Moraes Honra ao Mérito Bibliotecário em cada Estado da jurisdição. 8. Intensificação do trabalho com as Delegacias Regionais e Associações; 9. Maior integração entre o CRB-1 e os profissionais no Estado por meio da realização de reuniões em Goiânia (GO), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT) e Rondonópolis (MT). 10. Intensificação de ações que facilitem a redução da inadimplência, por meio da instauração de processos ético-disciplinares. 11. Aumento da arrecadação em relação a Recebimento, por via administrativa, das contribuições devidas ao Conselho e ações voltadas para negociação de contribuições em atraso por parte dos profissionais. 13. Redução do exercício ilegal da profissão. 14. Melhoria nos procedimentos administrativos com a otimização dos processos internos. 15. Promover Reforma. 16. Redesenhar a planta interna prevendo divisão dos ambientes de trabalho, pintura e adequação das instalações elétricas e hidráulicas nos dois andares. 17. Manter o sítio do CRB-1 como canal de comunicação preferencial para os bibliotecários, tornando a página mais interativa e atrativa. Quanto à fiscalização, desde 2012 são elaborados roteiros semanais de fiscalização, abrangendo todas as cidades satélites do Distrito Federal e entorno. São fiscalizadas as instituições de ensino públicas e privadas e os órgãos públicos da jurisdição do CRB-1, em conjunto com os conselheiros residentes nos Estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Relacionamento com a Sociedade Canais de acesso do cidadão: Facebook, site institucional, institucional. Canais de comunicação utilizados pelo Regional para dar publicidade às ações e transparência à gestão: Site do CRB-1, Mala Direta, Facebook.

86 84 Ambiente de Atuação Inscritos Ativos Inativos Licença Cancelamento Temporária Pessoa Física Pessoa Jurídica Total Tópicos especiais da execução orçamentária e financeira Informações sobre suprimento de fundos Existem dois caixas, um para suprimento de fundos despesas miúdas de até R$ 100,00 cujo valor é de R$ 500,00 mensais, sendo que o que não é utilizado é devolvido ao caixa no final do mês. E o outro é o caixa de Fiscalização para indenização por gastos com transportes para realização de trabalhos em nome do CRB-1, cujo valor é de R$ 900,00 mensais, sendo que o que não é utilizado é devolvido ao caixa no final do mês. Informações sobre despesas com ações de publicidade e propaganda, contemplando: a) classificação em publicidade institucional, legal, mercadológica, de utilidade pública, incluindo os respectivos beneficiários, bem como os respectivos custos: não houve gastos com o mencionado, apenas divulgações em nosso site institucional. b) demonstração dos principais resultados das ações de publicidade e propaganda para os objetivos do Regional: não se aplica. Informações sobre doações, patrocínios: patrocínios para o Dia do Bibliotecário 2013: VIA APPIA (R$ 1.500,00), SOPHIA (R$1.500,00). Gestão de pessoas, terceirização de mão de obra e custos relacionados Tipologias dos Cargos Lotação Efetiva Ingressos no Exercício Egressos no Exercício 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Total de Funcionários (1+2) Tipologias dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas Lotação Autorizada Efetiva Ingressos no Exercício 1. Cargos em Comissão Funcionários Sem vínculo Funções Gratificadas Funcionários Total de Funcionários em Cargo e em Função (1+2) Egressos no Exercício

87 85 Tipologias do Cargo Quantidade de Funcionários por Faixa Etária Até 30 anos De 31 a 40 anos De 41 a 50 anos De 51 a 60 anos 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Totais (1+2) Acima de 60 anos Despesas com Pessoal Nome Fábio Oliveira dos Santos João Goularth Ribeiro Mônica Coelho dos Reis Nádia Ferreira M. Silva Romilda Almeida de Sousa Cargo Assessor de Comunicação Secretário Administrativo Bibliotecária Gerente Bibliotecária Fiscal Auxiliar de Secretaria Carga Valor do Horária Salário 30 horas R$ 1.337,04 40 horas R$ 2.886,00 40 horas R$ 2.549,00 40 horas R$ 3.297,00 40 horas R$ 2.147,00 Data de Contratação Forma de Seleção Tipo de Contrato 02/05/2013 Cargo em CLT Comissão 01/03/1988 Simplificada CLT 26/09/2011 Concurso CLT Público 01/06/2005 Simplificada CLT 12/02/1990 Simplificada CLT Gestão do patrimônio mobiliário e imobiliário O Regional tem sede própria? Sim. Valor comercial do imóvel em 2013: Valor do imóvel na guia de IPTU: Somos isentos de qualquer tributo. Custos em Reais com a manutenção do imóvel: Variável. O Regional possui automóvel? Não. O Regional possui imóvel alugado a terceiros? Não. Gestão da tecnologia da informação a) Relação dos sistemas e a função de cada um deles: Sistema da Implantação de Cadastro de Profissionais, Controle Financeiro-Contábil, Patrimonial. b) Eventuais necessidades de novos sistemas informatizados ou funcionalidades, suas justificativas e as medidas programadas e/ou em curso para obtenção dos sistemas: atualmente se faz necessária atualização sistêmica. Está prevista realização de licitação para obtenção de novo Sistema. c) Relação dos contratos que vigeram no exercício de referência do relatório de gestão, incluindo a descrição de seus objetos, demonstração dos custos relacionados a cada contrato, dados dos fornecedores e vigência: contratos contínuos de Prestação de Serviços de Assessoria Jurídica, Contábil, Informática, Fornecimento de Lanches para as Reuniões Plenárias, Telefonia Móvel, Fixa, todos com valores variáveis.

88 86 Apuração de resultados Quadro 38 - Balanço Orçamentário 2013 CRB-1

89 Quadro 39 - Balanço Patrimonial 2013 CRB-1 87

90 Quadro 40 - Demonstrativo da Despesa 2013 CRB-1 88

91 Quadro 41 - Demonstrativo da Receita 2013 CRB-1 89

92 90 Quadro 42 - Demonstrativo do Fluxo de Caixa 2013 CRB-1 DEMONSTRAÇÃOA DO FLUXO DE CAIXA - DFC DEZEMBRO DE 2013 Exercício Atual 2013 Exercício Anterior 2012 FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DAS OPERAÇÕES R$ R$ INGRESSOS , ,38 RECEITAS DERIVADAS , ,66 Receita de Contribuições , ,66 Outras Receitas Derivadas 0,00 0,00 RECEITAS ORIGINÁRIAS , ,72 Receita Patrimonial , ,72 Receita de Serviços 0,00 0,00 Outras Receitas Originárias 1.592,73 0,00 TRANSFERÊNCIAS 0,00 0,00 Intragovernamentais 0,00 0,00 DESEMBOLSOS , ,15 PESSOAL E OUTRAS DESPESAS CORRENTES POR FUNÇÃO , ,58 Pessoal e Encargos , ,62 Material de Consumo , ,03 Serviços de Terceiros Pessoa Física 9.676, ,52 Servços de Trceiros Pessoa Jurídica , ,11 Outras , ,30 TRANSFERÊNCIAS , ,57 Transferências Correntes , ,57 Outras FLUXO DE CAIXA LÍQUIDO DAS ATIVIDADES DAS OPERAÇÕES , ,23 FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO INGRESSOS ALIENAÇÃO DE BENS DESEMBOLSOS AQUISIÇÃO DE ATIVO NÃO CIRCULANTE , ,00 FLUXO DE CAIXA LÍQUIDO DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO , ,00 APURAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA DO PERÍODO 5.643, ,23 GERAÇÃO LÍQUIDA DE CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA 5.643, ,23 CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA INICIAL , ,20 CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA FINAL , ,43 Nota 1 Contexto Operacional e Institucional O Conselho Regional de Biblioteconomia é uma autarquia pública da União instituída nos termos da Lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962, com personalidade jurídica de direito público, autonomia administrativa e patrimonial com, a finalidade de registrar e fiscalizar o exercício da profissão do Bibliotecário. Nota 2 Principais Práticas Contábeis As demonstrações contábeis foram elaboradas e estão apresentadas com base nas práticas contábeis adotadas para este tipo de Entidade, obedecendo ao prescrito na Lei 4.320/64. A entidade está em processo de ajuste de suas práticas contábeis aos padrões internacionais. Para os resultados de 2014 essas práticas deverão estar totalmente absorvidas. Dentre as principais práticas adotadas para a preparação das demonstrações contábeis, ressalta-se: Apuração do Resultado - o resultado do exercício foi apurado em conformidade com o regime contábil misto, ou seja, de competência para a despesa e de caixa para as receitas. Ativo e Passivo Circulante e Não Circulante - os direitos e as obrigações são demonstrados pelos valores calculáveis e de realização, incluindo os rendimentos, os encargos e as variações monetárias incorridas até a data do balanço, quando aplicáveis. Caixa, Equivalentes de Caixa e Aplicações - caixa e equivalentes de caixa incluem caixa, contas bancárias com liquidez imediata, em um montante conhecido de caixa e com baixo risco de variação no valor de mercado, que são mantidos com a finalidade de gerenciamento dos compromissos de curto prazo. As aplicações são efetuadas em caderneta de poupança.

93 Contas do Realizável - as contas do realizável constituem de valores adiantados para funcionários ou terceiros. Imobilizado - os bens constantes do Imobilizado são registrado ao custo de aquisição, formação ou construção. 91

94 Relatório de Gestão Exercício 2013 CRB-2 O Conselho Regional de Biblioteconomia 2ª Região, CRB-2, com sede e foro na cidade de Belém, estado do Pará, e jurisdição nos estados do Pará, Amapá e Tocantins, criado pela Resolução n 04 de 12 de junho de 1966 do Conselho Federal de Biblioteconomia - CFB, como decorrência dos termos da Lei n 4.084, de 30 de junho de 1962, regulamentada pelo Decreto nº de 16 de agosto de 1965, e Lei n 9.674, de 26 de junho de 1998, é uma Autarquia Federal dotada de personalidade jurídica de direito público, autonomia administrativa, financeira e patrimonial. Identificação e atributos da entidade Denominação Completa: CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 2ª REGIÃO Denominação Abreviada: CRB-2 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: / Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE /00 Telefones/Fax de Contato: (91) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Redes Sociais: (facebook ) Endereço Postal: Rua XV de Novembro, 226 Ed. Chamiê Sala 1510 CEP: Belém/ Pará. Organograma funcional O CRB-2 é composto da seguinte estrutura organizacional: I - Órgão deliberativo: Plenário; II - Órgão Executivo-deliberativo: Diretoria Executiva, a seguir denominada de Diretoria; III - Órgão de fiscalização financeira e administrativa: Comissão de Tomada de Contas-CTC; IV - Órgãos de Apoio Técnico: IV.1 - Comissões Permanentes Comissão Permanente de Ética Profissional - CEP; Comissão Permanente de Fiscalização Profissional - CFP; Comissão Permanente de Licitação CLI; Comissão Permanente de Legislação e Normas - CLN; Comissão Permanente de Tomada de Contas - CTC; Comissão Permanente de Divulgação CDV. IV.2 - Comissões Temporárias Comissões designadas para atividades pontuais e de caráter eventual, direcionadas a determinado objetivo, com duração definida de acordo com o objetivo a ser cumprido. IV.3 - Bibliotecário Fiscal IV.4 - Consultorias Consultoria Jurídica - Conjur; Assessorias Especiais - AE; Grupos de Trabalho GT. V - Órgãos de Apoio Administrativo e Financeiro; V.1 - Setor Administrativo - SAD; V.2 - Setor Contábil Financeiro - SCF.

95 93 O CRB-2 é composto de 12 (doze) membros efetivos e 6 (três) suplentes, denominados Conselheiros, todos brasileiros, bacharéis em Biblioteconomia, com registro profissional na jurisdição de eleição. O Conselho concluiu o ano de 2013 com 08 (oito) Conselheiros efetivos e nenhum suplente. A administração do CRB é exercida por uma Diretoria composta de Presidente, Vice-Presidente, 1 e 2 Secretários e Tesoureiro, eleitos pelos seus Plenários, por escrutínio secreto de 2/3 (dois terços) dos seus membros efetivos, para um mandato de 3 (três) anos. Diretoria Competências: I - Cumprir as decisões do Plenário do CRB; II - Estabelecer a estrutura administrativa do CRB controlando seu funcionamento; III - Estabelecer e controlar as atribuições do pessoal administrativo, fixando a política administrativa de pessoal; IV - Elaborar relatório de gestão ao final de seu mandato; V - Registrar em livro de ata próprio as ocorrências de suas reuniões, bem como aprovar as suas atas; VI - Registrar em livro próprio a assinatura de seus membros presentes às reuniões ordinárias e extraordinárias; VII - Outras competências porventura a ela atribuídas pelo Plenário do CRB. Composição: Nome: Marly Jorge Brito CRB-2/866 CPF: Período Gestão:2012 a 2014 Cargo: Presidente Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Av. Governador José Malcher nº 1609 Pass. Maria casa 35 Bairro: Nazaré CEP: Belém - PA Telefones: ( 91 ) / / Nome: Raquel Cristina Campos dos Santos CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Vice-Presidente Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Rua Dois de Junho nº 290 Terra Firme CEP: Belém - PA Telefones: ( 91) / Nome: Nilzete Ferreira Gomes CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: 1ª Secretária Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Rd. 40h, lt 28 agosto Rua São Jerônimo Nº 4 CEP: Ananindeua - PA Telefones: (91) / / Nome: Ruth Selma Vasconcelos dos Santos CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Tesoureira Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial:Tv. Lomas Valentina Passagem Santa Teresinha nº 61

96 94 CEP: Marco Belém - PA Telefones: ( 91 ) / A Diretoria e o Plenário serão auxiliados por Comissões Permanentes e Temporárias. Cada Comissão Permanente será integrada por 3 (três) Conselheiros eleitos pelo Plenário no mesmo dia da eleição da Diretoria, ou posteriormente. Cada Comissão elegerá seu Coordenador, deliberando por maioria de votos. Na falta ou impedimento de qualquer membro das Comissões, o Presidente designará substituto ad hoc escolhido dentre os Conselheiros. Comissões Permanentes: I - Comissão de Ética Profissional - CEP; II - Comissão de Licitação CLI; III - Comissão de Divulgação CDV; IV - Comissão de Fiscalização - COFIS. V - Comissão de Legislação e Normas CLN VI Comissão de Resíduos Sólidos CRS Em 2013, o CRB-2 não teve 2º Secretário, pelo motivo de só ter oito conselheiros e a Legislação não permite a presença de membros da Diretoria em comissões. Comissão de Fiscalização Competências: I - determinar, coordenar, orientar e supervisionar, direta e imediatamente, o serviço dos Fiscais; II - sugerir novos procedimentos de fiscalização, que serão submetidos à aprovação do Plenário do CRB; III - propor ao Presidente do CRB o número de Fiscais necessário à Região; IV - propor e justificar a substituição de Fiscais; V - encaminhar periodicamente, com parecer, ao Presidente do CRB, os relatórios das atividades de fiscalização, acompanhados dos respectivos processos e documentos de fiscalização; VI - consultar a Consultoria Jurídica sempre que necessário; VII - apresentar relatórios das atividades do(s) fiscal(is) do CRB referentes ao período imediatamente anterior a cada reunião do Plenário. Composição: Nome: Telma Karla Gonçalves Carvalho CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Coordenadora Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Av. Cons. Furtado, nº 290 Apt. 406 Batista Campos CEP: Belém PA Telefones: (91) /

97 95 Nome: Anderson Alberto Saldanha Tavares CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Membro Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: R. Profeta Isaias Nº 08 Pratinha (Icoaraci) CEP: Belém - PA Telefones: (91) / Comissão de Tomada de Contas Competências: I - examinar as demonstrações de receita arrecadada pelo CRB, verificando o exato cumprimento da movimentação contábil-financeira da autarquia, inclusive o efetivo cumprimento do envio da cotaparte ao CFB; II fiscalizar, periodicamente, os serviços de Tesouraria e Contabilidade do CRB, examinando livros e demais documentos relativos à gestão financeira; III - examinar os comprovantes de despesas pagas, quanto à validade das autorizações, idoneidade dos documentos fiscais e quitações respectivas; IV - solicitar ao Presidente os elementos necessários ao desempenho de suas atribuições, inclusive assessoramento técnico; V - solicitar esclarecimentos ao Tesoureiro do CRB, sempre que julgar necessário; VI - solicitar esclarecimentos ao Contador do CRB sempre que houver necessidade; VII - baixar normas disciplinadoras de sua organização e de seus serviços, baseadas nas atribuições fixadas neste Regimento Interno; VIII - controlar o recebimento de legados, doações e subvenções. Composição: Nome: Anderson Alberto Saldanha Tavares CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Coordenador Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Rua Profeta Isaias Nº 08 Pratinha (Icoaraci) CEP: Belém - PA Telefones: (91) / Nome: Andrea de Fátima Rodrigues Fernandes dos Santos CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Membro Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Rua Rodolfo Chermont Passagem José de Alencar nº 532 CEP: Belém PA Marambaia Telefones: (91)

98 96 Comissão de Ética Profissional Competências: I - analisar denúncia, elaborar parecer prévio e encaminhá-lo ao Presidente do CRB, para que o mesmo decida pela abertura ou não de processo ético; II - autorizada a abertura do processo ético previsto no inciso anterior, proceder à instauração e instrução do devido processo ético disciplinar, na forma das disposições do Código de Ética do Profissional Bibliotecário, da Resolução CFB nº 399/93 e demais disposições legais pertinentes; II - emitir parecer sobre outros assuntos de natureza ética, quando solicitado pelo Plenário ou pela Diretoria; III propor, ao Plenário, normas e procedimentos a serem adotados pelas demais comissões do CRB, orientando-as quanto ao seu cumprimento; IV - exercer sua função, no que concerne a outros aspectos da ética, não mencionados nos incisos anteriores e previstos nos Regimento Interno, em atendimento a determinações da Diretoria e/ou Plenário; V - apresentar relatórios escritos dos fatos constatados. Composição: Nome: Carmelinda do Socorro Barbosa da Cruz CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Coordenadora Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Tv. Porto Velho Conjunto Bela Vista Nº 176 Val-de-Cans CEP: Belém - PA Telefones: (91) / Nome: Raquel Cristina Campos dos Santos CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Membro Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Rua Dois de Junho nº 290 Terra Firme CEP: Belém - PA Telefones: (91) / Comissão de Divulgação e Editoração Competências: I - estudar, planejar e propor ao CRB publicação referente a assuntos profissionais da área da Biblioteconomia, bem como os relativos às atividades do CRB; II - solicitar aos Bibliotecários, estudos de caráter informativo sobre assuntos de interesse da área da Biblioteconomia e de atuação CRB; III - divulgar nacionalmente as atividades do CRB; IV - promover a impressão de publicações e a divulgação de matérias doutrinárias, informativas, críticas, noticiosas e de qualquer outro gênero, para difusão da Biblioteconomia; V - promover a difusão regional da Biblioteconomia por meio da divulgação de matérias doutrinárias e informativas; VI - supervisionar a organização e a edição das publicações periódicas do CRB, devidamente autorizadas pelo Plenário;

99 97 VII - remeter as publicações, por meio do Setor Administrativo, aos Conselheiros Regionais efetivos e suplentes, aos Delegados e aos Bibliotecários registrados no Conselho, bem como a todas as instituições interessadas e aos órgãos de divulgação em geral; VIII - orientar a organização e manutenção, no Setor Administrativo, de cadastro de endereços necessários à remessa sistemática das publicações; IX - adquirir, registrar, guardar e conservar livros, folhetos, jornais, revistas e outras publicações de interesse da área, controlando o empréstimo e a utilização, juntamente com o Setor Administrativo; X - adquirir, elaborar, guardar e conservar o material áudio - visual próprio a apresentações do CRB em palestras, cursos e treinamentos, bem como controlar o seu empréstimo e utilização contando, para isto, com o auxilio do Setor Administrativo. Composição: Nome: Raquel Cristina Campos dos Santos CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Coordenadora Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Rua Dois de Junho nº 290 Terra Firme CEP: Belém - PA Telefones: (91) / Nome: Nilzete Ferreira Gomes CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Membro Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Rd. 40h, lt 28 agosto Rua São Jerônimo Nº 4 CEP: Ananindeua - PA Telefones: (91) / / Comissão de Licitação Competências: I - manter cadastro de fornecedores de bens e serviços; II - emitir e fazer publicar edital de licitação no DOU, bem como publicar demais documentos licitatórios, tais como tomada de preços, cartas convite e outros pertinentes; III - analisar e julgar as propostas do objeto da licitação; IV - encaminhar o processo ao Presidente do CRB para homologação; V - baixar normas disciplinadoras de sua organização e de seus serviços, baseadas nas atribuições fixadas neste Regimento e nas disposições legais aplicáveis à matéria. Composição: Nome: Telma Karla Gonçalves Carvalho CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Coordenadora Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Av. Cons. Furtado, nº 290 Apt. 406 Batista Campos CEP: Belém PA Telefones: (91) /

100 98 Nome: Leila Soraia Monteiro Novais. CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Membro Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Conjunto Cidade Nova Trav. WE 81 nº 651 Coqueiro CEP: Ananindeua- PA Telefones: (91) Comissão de Legislação e Normas Competências: I - emitir pareceres nos assuntos submetidos a sua apreciação por determinação do Presidente do CRB, sob orientação da Conjur; II - Manter organizada e armazenada a legislação e as jurisprudências, inclusive as emanadas do Plenário do CRB e do CFB; III - Acompanhar, na esfera dos poderes executivo e legislativo, andamento de projetos e processos que envolvam interesse da classe Bibliotecária; IV - executar outras tarefas e atividades que lhes forem submetidas. Composição: Nome: Nilzete Ferreira Gomes CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Coordenadora Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Rd. 40h, lt 28 agosto Rua São Jerônimo nº 4 CEP: Ananindeua PA Telefones: (91) / / Nome: Andrea de Fátima Rodrigues Fernandes dos Santos CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Membro Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Rua Rodolfo Chermont Passagem José de Alencar nº 532 CEP: Belém PA Marambaia Telefones: (91) Comissão de Coleta Seletiva de Resíduos Competências: I. Implantar e supervisionar a separação dos resíduos recicláveis, descartados na fonte geradora, bem como a sua destinação para as associações e cooperativas de catadora de materiais recicláveis.

101 99 Composição: Nome: Carmelinda do Socorro Barbosa da Cruz CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Coordenadora Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Tv. Porto Velho Nº 175 CJ. Bela Vista Val-de-Cans CEP: Belém PA Telefones: (91) /1230 / Nome: Raquel Cristina Campos dos Santos CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Membro Ato nomeação: 20/12/2011 Publicação DOE: de 24/11/2011 Endereço Residencial: Rua Dois de Junho nº 290 Terra Firme CEP: Belém PA Telefones: (91) / Comissões Temporárias: I. Especiais: constituídas para fins não específicos de outras Comissões; II. De inquérito ou sindicância: destinadas a apurar fato determinado; III. Externas: destinadas a representar o CRB nos atos a que deva comparecer. As Comissões Temporárias poderão ser integradas por elementos estranhos ao Conselho. Comissão Temporária de Recursos Humanos Nome: Nilzete Ferreira Gomes CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Coordenadora Ato nomeação: Portaria nº 013/20013 Publicação DOU: Endereço Residencial: Rd. 40h, lt 28 agosto Rua São Jerônimo Nº 4 CEP: Ananindeua PA Telefones: (91) / / Nome: Lucivaldo Vasconcelos Barros CPF: Período Gestão: Cargo: Membro Ato nomeação: Portaria nº 013/20013 Publicação DOU: Endereço Residencial: Av. Joao Paulo II Ed.Amazon Niver Nº 1535 Apto / Telefones: (91) / Comissão Temporária de Inventário do Patrimônio mobiliário e imobiliário Nome: Ruth Selma Vasconcelos dos Santos CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Coordenadora Ato nomeação: Portaria nº 021/2012 Publicação DOU: Endereço Residencial:Tv. Lomas Valentina Passagem Santa Teresinha nº 61 Marco

102 100 CEP: Belém PA Telefones: (91) / Nome: Anderson Alberto Saldanha Tavares CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Membro Ato nomeação: Portaria nº 021/2012 Publicação DOU: Endereço Residencial: Rua Profeta Isaias Nº 08 Pratinha (Icoaraci) CEP: Belém PA Telefones: (91) / Setor Administrativo São atribuições do Setor Administrativo: I - receber, examinar, informar e/ou encaminhar todas as solicitações dirigidas ao CRB, verificando para quem se destinam e quais as providências necessárias a sua execução, bem como anotar e transmitir recados; II - criar controles e rotinas objetivando melhorias no setor; III - executar os serviços de digitação de ofícios, relatórios e dos atos oficiais, providenciando, quando for o caso, o envio para publicação na imprensa oficial e leiga; IV - guardar e conservar o acervo de processo de registro e os livros de registro bem como os livros de atas das Comissões, do Plenário e da Diretoria, os livros de registro de Presenças e demais documentos oficiais; V - organizar e manter atualizada a agenda e promover a correspondência do Presidente; VI - executar, por solicitação, serviços internos e externos de circulação de correspondência, livros, material e outros documentos pertinentes ao CRB; VII - processar em autos protocolados e fichados, com suas folhas numeradas e rubricadas, os assuntos a serem submetidos a estudo, discussão ou votação, arquivando-os após as decisões respectivas; VIII - auxiliar a Diretoria na organização das sessões das reuniões Plenárias ordinárias e extraordinárias, fornecendo informações e documentos, bem como atendendo a outras solicitações para montagem da pauta dos trabalhos da Ordem do Dia; IX - executar as deliberações do Plenário e da Diretoria seguindo, rigorosamente, os critérios de prioridade definidos pela administração; X - auxiliar a Comissão de Divulgação na aquisição, registro, guarda e conservação de livros, folhetos, jornais, revistas e outras publicações bem como, de álbuns de fotografias, de dispositivos ou de recortes, controlando o seu empréstimo e utilização; XI - organizar e manter atualizado o cadastro dos endereços de pessoas, instituições e entidades para remessa e intercâmbio de correspondência; XII - registrar, guardar e distribuir o material adquirido, bem como controlar o estoque do material de consumo necessário ao desenvolvimento normal dos trabalhos; XIII - organizar e manter atualizado cadastro do material permanente do Conselho, a fim de que o mesmo fique perfeitamente caracterizado e registrado; XIV - operar e conservar, no sentido de que se mantenham em perfeitas condições de funcionamento, as máquinas e equipamentos de propriedade do CRB; XV - diligenciar no sentido de que se mantenham em perfeitas condições de funcionamento as instalações elétricas, hidráulicas, telefônicas do imóvel - sede; XVI - organizar e executar serviços de administração, tais como: controle de pessoal, prestações de contas e outros indispensáveis ao bom andamento do CRB; XVII - atestar as faturas referentes às aquisições de material e de prestação de serviços;

103 101 XVIII - reunir a documentação e informações solicitadas pela Diretoria, visando à elaboração, discussão e/ou apresentação de trabalhos e estudos; XIX - reunir os relatórios parciais e especiais, a fim de compilar e sintetizar os dados necessários à elaboração dos relatórios gerais do CRB; XX - proceder ao arquivamento e o descarte de documentos administrativos de acordo com a tabela de temporalidade de documentos em vigor ou qualquer outro instrumento normativo expedido pelo CRB; XXI - executar outras tarefas pertinentes que lhe forem determinadas. Nome: Leila Soraia Novaes CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Assistente Administrativo Ato nomeação: Seleção Pública Publicação DOE: de Endereço Residencial: Conjunto Cidade Nova Trav. WE 81 nº 651 Coqueiro CEP: Ananindeua- PA Telefones: (91) / Bibliotecário Fiscal Compete aos Fiscais: I - cumprir as ordens emanadas diretamente da Comissão de Fiscalização; II - inspecionar, nas esferas pública e privada, unidades de informação e demais entidades que tenham como função o armazenamento, tratamento, recuperação e disseminação da informação em qualquer suporte; III - efetuar diligências para comprovar denúncias; IV emitir autos de infração e demais documentos autorizados pelo CRB; V - verificar se a supervisão, gerência, administração e execução dos serviços de Biblioteconomia e áreas afins, estão a cargo de Bibliotecário regularmente inscrito no CRB e em dia com suas obrigações, na forma do art. 4 o. do Decreto /65; VI - encaminhar, periodicamente à Comissão de Fiscalização, relatório de suas atividades, acompanhados dos documentos fiscalizatórios; VII - reunir-se periodicamente com o coordenador da Comissão de Fiscalização e da Comissão de Ética. Nome: Vera Lúcia Amador Menezes CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Bibliotecário Fiscal Ato nomeação: Seleção Pública Publicação DOE: de Endereço Residencial: Travessa Antonio Baena, 475 Pedreira CEP: Belém- PA Telefones: (91) / Assessoria Jurídica Compete à Consultoria Jurídica: I - assessorar a Presidência e membros do CRB nas Plenárias, reuniões de Diretoria e Comissões, Assembleias CFB/CRB, Congressos e demais atividades afins; II - estudar e emitir parecer sobre a interpretação e aplicação da legislação em geral e, particularmente, das leis, decretos, regulamentos, resoluções, regimentos, instruções e normas legais relacionadas com as atividades do CRB, da profissão de Bibliotecário, quando solicitada;

104 102 III - planejar, coordenar, orientar e/ou desenvolver trabalhos técnicos dentro da sua área de competência; IV - responder consultas e emitir pareceres de natureza jurídica, em assuntos e processos submetidos a seu exame; V - colaborar na avaliação do desempenho organizacional e prestar assessoramento especial à Diretoria, às Comissões e ao Bibliotecário Fiscal, no que tange a sua esfera de ação; VI - emitir relatórios que consubstanciem o estágio de execução dos trabalhos de sua área técnica, em especial, relatório mensal dos processos judiciais em andamento, com as respectivas situações; VII - atuar na condição de representante do respectivo Conselho, nas esferas administrativa e judiciária, por meio de instrumento de procuração específico, vedado o recebimento de citação e intimação pessoal em nome do CRB ou de qualquer um de seus membros; VIII - participar das reuniões Plenárias quando convocada; IX - manifestar-se obrigatoriamente, por escrito, sempre que constatar a existência de ilegalidade de qualquer ato praticado e que tenha sido submetido a sua apreciação, encaminhando-a ao Presidente do CRB; X - responder pelo cumprimento dos prazos, nos processos judiciais sob a sua guarda, salvo determinação em contrário, que deverá ser por escrito; XI - realizar outras tarefas que lhe forem cometidas; XII- organizar coletâneas de pareceres e decisões judiciais de interesse do CRB. Nome: Ugo Vasconcelos Freire OAB/PA Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Assessor Jurídico Ato nomeação: Contrato de Prestação de Serviços 002/2008 Técnicos de Consultoria Jurídica Endereço Residencial: Travessa Quintino Bocaiúva, 760 Reduto CEP: Belém - PA Telefones: (91) / Assessoria Contábil São atribuições do Setor Contábil e Financeiro: I - no que se refere ao Orçamento: a) elaborar, anualmente, de acordo com as instruções do Presidente e do Tesoureiro e orientação do contador, a proposta orçamentária do Conselho Regional, observados os princípios estabelecidos na legislação específica e nas normas ditadas pelo Tribunal de Contas da União; b) controlar a fiel execução dos orçamentos do CRB; c) propor medidas administrativas, financeiras, econômicas e contábeis para correção dos desajustamentos que se verificarem durante a execução dos orçamentos; d) opinar sobre as questões que, direta ou indiretamente, prendam-se à elaboração, execução e controle dos orçamentos; e) controlar os saldos das dotações; f) cooperar no estudo das medidas relativas ao aperfeiçoamento do sistema de arrecadação das rendas do CRB, confrontando as previsões com a receita arrecadada e identificando as causas das variações; g) responder e atender as demandas e orientações do CRB nos assuntos de sua competência h) emitir parecer sobre os processos de abertura de créditos e reformulações de orçamentos; i) observar e cumprir os prazos estabelecidos pelo CFB para remessa das propostas orçamentárias, reformulações de orçamento e abertura de créditos;

105 103 j) analisar e realizar as correções apresentadas pelo Presidente do CRB, nas Propostas e Reformulações Orçamentárias e Balancetes; k) executar outras tarefas pertinentes que lhe foram determinadas. II - no que se refere à Contabilidade: a) proceder aos registros contábeis baseados nos documentos comprobatórios das operações econômico-financeiras, após seu exame legal e contábil, sob a supervisão e orientação do contador; b) preparar, sob a supervisão e orientação do contador, balancetes e prestações de contas, observados os princípios estabelecidos na legislação específica e as normas ditadas pelo CFB, e pelo Tribunal de Contas da União; c) padronizar e coordenar as demonstrações de despesas das Delegacias Regionais; d) sugerir os prazos a serem observados pelas Delegacias Regionais para remessa, ao CRB, de suas demonstrações de despesas; e) examinar as comprovações dos adiantamentos concedidos aos empregados; f) manter atualizado o registro dos responsáveis por adiantamento, controlando os respectivos prazos de comprovação; g) guardar e conservar os documentos contábeis, organizando toda a documentação em conformidade com a legislação pertinente; h) controlar os registros e efetuar os cálculos relativos às obrigações nas áreas de pessoal e de encargos sociais; i) registrar os fatos administrativos na contabilidade garantindo o seu adequado e legal processamento; j) efetuar pagamento das despesas contraídas pelo CRB, obedecendo, rigorosamente, os prazos de vencimento; k) executar outras tarefas pertinentes que lhe forem determinadas. III - no que se refere à Auditoria: a) elaborar, anualmente, para aprovação do Plenário, a programação de auditagens a serem processadas nas Delegacias Regionais; b) proceder às auditorias in loco e em processos de prestações de contas, elaborando pareceres ou relatórios e emitindo certificados, juntamente com os demais membros da Comissão de Auditoria; c) efetuar exames de documentos e verificar escriturações contábeis; d) fazer a avaliação de sistemas de contabilidade e de controles internos, submetendo-os ao Tesoureiro e Presidente; e) executar outras tarefas pertinentes que lhes forem determinadas. Nome: Celiane Oliveira Rodrigues CPF: Período Gestão: 2012 a 2014 Cargo: Assessoria Contábil Ato nomeação: Contrato de Prestação de Serviços 002/2008 Técnicos de Consultoria Contábil Endereço Residencial: Travessa Tupinambá, 328 Batista Campos CEP: Belém - PA Telefones: (91)

106 104 Objetivo estratégico 1: Fortalecer a imagem do Sistema CFB/CRB e da profissão bibliotecária perante a sociedade Indicador Estratégico Diminuição da inadimplência dos bibliotecários, aumento do numero de postos de trabalhos abertos por instituições que passaram a reconhecer o bibliotecário. Aumentar o grau de satisfação da classe, fazendo com que os profissionais paguem suas anuidades ficando adimplentes, e ainda Objetivo contribuir para que instituições reconheçam a importância dos bibliotecários, criando novos postos de trabalho. Nível de satisfação por meio da participação dos profissionais nos eventos promovidos pelo CRB-2, e do grau de reconhecimento da Fórmula do Indicador Estratégico imagem do profissional da Biblioteconomia por parte das instituições visitadas. Periodicidade Anual Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 A meta foi cumprida porque houve uma diminuição na Avaliação sobre o desempenho inadimplência. Objetivo estratégico 2: Atuar como fator de proteção da sociedade Indicador Estratégico Numero de instituições fiscalizadas e aumento do numero de postos de trabalhos abertos a partir da fiscalização. Objetivo Garantir profissionais qualificados exercendo suas atividades em beneficio da sociedade Fórmula do Indicador Estratégico (Quantidade de instituições autuadas em 2013 / Quantidade de processos julgados 2013) Periodicidade Anual Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 Avaliação sobre o desempenho A meta foi cumprida porque conseguimos tramitar e julgar os processos abertos. Relacionamento com a Sociedade Os bibliotecários possuem como canal de acesso para reclamações, dúvidas, sugestões, etc. o site do CRB-2 (http://www.crb2.org.br/), a página do facebook: https://www.facebook.com/crb.d ebiblioteconomia?fref=ts, o telefone: e, ainda, pode ser feito requerimento solicitado na sede do CRB. No ano de 2013 foram relatadas 14 denúncias. O acesso à internet é por meio do site do CRB-2 (http://www.crb2.org.br/), onde se divulga informações periodicamente, tais como: a Fiscalização (estatísticas desde 2010); Registro Profissional (Pessoa Física, Pessoa Jurídica, Licença, Cancelamento, Transferência, Anuidades); Carreira (onde existem informações a respeito de cursos de biblioteconomia pelo Brasil, sobre o profissional e sua atuação, Concursos, Curiosidades sobre a profissão, Juramento do bibliotecário e Leis que regem a profissão); Notícias (artigos e matérias publicados); Eventos (dia do bibliotecário, palestras, eventos em geral); Plenárias (detalhando os tipos de processos: Afastamento de conselheiros; Alteração de Nomes dos bibliotecários; Licenças; Registros: Definitivos e Provisórios, Cancelamento e Reintegração; Solicitações de Cédula de Identidade; Transferências); Expediente do CRB-2. A sede do CRB-2 está localizada no centro comercial de Belém-Pa, em um edifício que possui elevadores para acesso a pessoas com necessidades especiais, sendo que este conselho atende tais pessoas com prioridade.

107 105 Os canais de comunicação disponibilizados pelo CRB-2 para auxílio aos bibliotecários são: site do CRB-2: e facebook: https://www.facebook.com /crb.debiblioteconomia?fref=ts, Ambiente de Atuação Inscritos Ativos Inativos Licença Cancelamento Temporária Pessoa Física Pessoa Jurídica Total Principais mudanças de cenários ocorridas nos últimos exercícios Nos últimos exercícios houve um aumento na abertura de novas vagas no mercado de trabalho para bibliotecários, alavancada por meio de concursos públicos, o que, juntamente com o aumento da satisfação dos profissionais, contribuiu para a redução do número de inadimplentes. O Conselho conseguiu organizar as finanças e melhorar alguns problemas de infraestrutura que existiam. Além disso, com a utilização das mídias sociais, obteve-se uma maior divulgação das atividades do CRB- 2. Planejamento e Resultados Alcançados Com relação ao aumento da fiscalização e da divulgação e valorização do profissional dentro da jurisdição do CRB-2, foi apresentada a proposta de projeto de Lei Municipal do dia do Bibliotecário no Município de Belém, elaborada pela vereadora Marinor Brito (PSOL). Além disso, foram realizadas audiências públicas sobre a obrigatoriedade do profissional nas bibliotecas escolares na Assembleia Legislativa do Estado com ampla divulgação na mídia, bem como audiência pública em Comemoração ao Dia do Bibliotecário na Câmara Municipal de Belém. Houve também, algumas melhorias de infraestrutura física no CRB-2 de modo a aumentar a funcionalidade e favorecer a execução dos serviços de sua competência. Não houve mudanças significativas nos custos dos produtos e /ou serviços ofertados, entretanto, houve um grande avanço na comunicação e na atuação do CRB-2 nos estados do Pará, Amapá e Tocantins, por meio de suas delegacias. O Suprimento de fundos tem o valor mensal de R$ 200,00 para compra de materiais de emergência; o que não é gasto é depositado na conta corrente do CRB-2 no mesmo mês da retirada. Os resultados foram bons, uma vez que investimentos com publicidade e propaganda deram maior visibilidade da profissão para a população, trazendo satisfação para a classe de bibliotecários. Além disso, tais gastos ajudam na busca e contratação de novos profissionais, a partir do momento em que expõe a todos as competências dos profissionais bibliotecários. Não recebemos doações em 2013.

108 106 Gestão de pessoas, terceirização de mão de obra e custos relacionados Tipologias dos Cargos 1. Funcionários em Cargos Efetivos Lotação Efetiva Ingressos Exercício no Egressos Exercício Leila Soraia Monteiro Novais Vera Lucia Amador Menezes Cargos em Comissão Total de Funcionários (1+2) no Tipologias do Cargo Até 30 anos Quantidade de Funcionários por Faixa Etária De 31 a 40 anos De 41 a 50 anos De 51 a 60 anos 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Totais (1+2) Acima de 60 anos Despesas com Pessoal Vencimentos Valores R$ Salários e Gratificações ,40 Férias e 13º Salário 2.117,33 Indenizações 786,53 Benefícios Assistenciais e Previdenciários Encargos Sociais 9.824,81 Demais Despesas Variáveis TOTAL ,07 LEGENDA Salários e Gratificações Salário / Salário de Cargo em Comissão / Adicional de Insalubridade /Adicional de Periculosidade/ Adicional de Tempo de Serviço / Adicional Noturno / Aviso Prévio Cumprido (Trabalhado) / Gratificação de Função (não eventual) Férias e 13º Salário 13º Salário / Férias / Adicional de Férias 1/3 (Art. 7º inciso XVII da Constituição Federal) Indenizações Aviso Prévio Indenizado / Férias Indenizadas / 13º Indenizado / Multa Rescisória / Decisões Judiciais / Indenizações por tempo de serviço como não-optante - Outras Indenizações Trabalhistas Benefícios assistenciais e previdenciários Assistência Médica / Auxílio-Creche / Alimentação / Outras Assistências Encargos Sociais Previdência Social, Fundo de Garantia, PIS/PASEP. Demais despesas variáveis Abono Pecuniário (opcional) / Ajudas de Custo / Horas Extraordinárias / Substituição / Gratificação de Função (eventual) / Outras Vantagens pagas a Pessoal O Auxiliar Administrativo participou de treinamento de utilização da homepage do CRB-2 e do sistema SPW. Principais riscos: quantidade mínima de funcionários e ergonomia no trabalho.

109 107 Gestão do patrimônio mobiliário e imobiliário O Regional tem sede própria: Sim Valor comercial do imóvel em 2013: ,00 Valor do imóvel na guia de IPTU: R$ ,36 Custos em Reais com a manutenção do imóvel: R$ 5.200,00 O Regional possui automóvel? Não Dados do automóvel: Não O Regional possui imóvel alugado a terceiros? Não Gestão da tecnologia da informação O CRB-2 utiliza o sistema SPW, que tem por finalidade armazenar e possibilitar a consulta, inclusão, alteração e impressão dos cadastros de Profissionais e de Empresas, bem como de Pessoas Físicas e Jurídicas não registradas no Conselho. Os módulos instalados são: Consulta / Cadastro; Fiscalização; Protocolo; Contabilidade e Dívida Ativa, destes estão sendo utilizados apenas: Consulta / Cadastro; Financeiro e Contabilidade. O termo aditivo do contrato de Prestação de Serviços da Spiderware Consultoria em Informática Ltda. tem sua validade até 30/04/2014 no valor de R$ 667,32. Gestão do uso dos recursos renováveis e sustentabilidade ambiental O CRB-2 adquiriu um aparelho de ar condicionado com baixo consumo de energia, assim como está fazendo processo licitatório para aquisição de uma geladeira nova para substituir a antiga que consome muita energia.

110 108 Apuração de resultados Quadro 43 - Balanço Orçamentário 2013 CRB-2 Spiderw are CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 2 REGIÃO - PA, AP, TO Pág. 1 Sistema de Contabilidade Data Balanço Orçamentário Hora 14:13 RECEITA Conta Descrição Orçado Realizado Diferença 1 R E C E I T A S C O R R E N T E S RECEITA DE CONTRIBUIÇOES RECEITA PATRIMONIAL RECEITAS DE SERVIÇOS OUTRAS RECEITAS CORRENTES SOMA DA RECEITA DÉFICIT 000 T O T A L DESPESA Conta Descrição Orçado Realizado Diferença 3 D E S P E S A S C O R R E N T E S DESPESAS DE CUSTEIO DESPESAS DE CAPITAL INVESTIMENTOS TRANSFERENCIAS CORRENTES SOMA DA DESPESA SUPERÁVIT T O T A L MARLY JORGE BRITO PRESIDENTE - CRB 2ª RUTH SELMA VASCONCELOS TESOUREIRA - SANTOS CRB 2ª CELIANE OLIVEIRA RODRIGUES CRC-pa 7965 C.P.F C.P.F C.P.F

111 109 Quadro 44 - Balanço Patrimonial 2013 CRB-2 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 2 REGIÃO - PA, AP, TO Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Data : Balanço Patrimonial - Ativo Hora : 14:28 Conta Descrição...Movimentação do Ano... Saldo Atual Saldo Inicial Débito... Crédito... 5 A T I V O D 51 ATIVO FINANCEIRO D 511 DISPONIVEL D 5113 BANCOS C/ARRECADACAO D BANCO DO BRASIL D 5114 RESPONSAVEL POR SUPRIMENTO D LEILA NOVAES D 512 DISPONIVEL VINC C/C BANCARIA D 5121 BANCOS - S/VINCULADA D BANCO DO BRASIL - POUPANÇA D 513 REALIZAVEL D 5131 DIVERSOS RESPONSAVEIS D ENCARGOS DIVERSOS DE TERCEIROS D 5132 DEVEDORES DA ENTIDADE D ADIANTAMENTO FÉRIAS D ADIANTAMENTO DE 13 SALARIO D ADTO DE VALE TRANSPORTE D ADIANTAMENTOS DIVERSOS D 52 ATIVO PERMANENTE D 521 BENS PATRIMONIAIS D 5211 BENS MOVEIS D MOBILIARIO EM GERAL D MAQUINAS, MOTORES E APARELHOS D EQUIPAMENTOS DIVERSOS D OUTROS BENS MOVEIS D COMPUTADORES E SISTEMAS DE INFORMATICA D 5212 BENS IMOVEIS D OUTROS BENS IMOVEIS D 522 CREDITOS D 5221 DIVIDA ATIVA D DIVIDA ATIVA - OUTROS D 53 ATIVO TRANSITORIO D 531 EXECUCAO ORCAMENT DA DESPESA D 5311 DESPESAS CORRENTES D 5312 DESPESAS DE CAPITAL D 55 REFLEXO PATRIMONIAL D 551 VARIACOES PASSIVAS D 5511 DEPEND EXEC ORCAMENTARIA D EXECUCAO ORCAMENT DA DESEPESA D Fim do Relatório Spiderw areconselho REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 2 REGIÃO - PA, AP, TO Pág. : 2 Sistema de Contabilidade Data : Balanço Patrimonial - Passivo Hora : 14:28 Conta Descrição Saldo...Movimentação Inicial do Ano... M A R LY JOR PRESIDENTE GE B R ITO - CRB 2ª RUTH SELM A V ASCONCELOS TESOUREIRA SANTOS - CRB 2ª Débito Crédito... CELIANE OLIV EIRA RODRIGUES C R C PA C.P.F C.P.F C.P.F

112 110 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 2 REGIÃO - PA, AP, TO Pág. : 3 Sistema de Contabilidade Data : Balanço Patrimonial - Passivo Hora : 14:28 Conta Descrição...Movimentação do Ano... Saldo Atual Saldo Inicial... Débito... Crédito... 6 P A S S I V O C 61 PASSIVO FINANCEIRO C 611 DIVIDA FLUTUANTE C 6113 CONSIGNACOES C PREVIDENCIA SOCIAL - PARTE EMPREGADO C IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE C CONTRIBUIÇAO SINDICAL C 6114 CREDORES DA ENTIDADE C ASSESSORIA JURIDICA C CONTAS A PAGAR C 6115 ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS C CAIXA ECONOMICA FEDERAL - FGTS C PREVIDENCIA SOCIAL - PARTE EMPRESA C IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS C PIS S/FOLHA PAG C 612 RESULTADO PENDENTE C 6121 DESPESAS DE PESSOAL A PAGAR C SALARIOS A PAGAR C 62 PASSIVO PERMANENTE C 621 DIVIDA FUNDADA C 6211 DIVIDA FUNDADA INTERNA C 63 PASSIVO TRANSITORIO C 631 EXECUCAO ORCAMENT DA RECEITA C 6311 RECEITAS CORRENTES C 65 REFLEXO PATRIMONIAL C 651 VARIACOES ATIVAS C 6511 DEPEND. DE EXEC. ORCAMENTARIA C AQUIS DE BENS MOVEIS C EXECUCAO ORCAMENT DA RECEITA C AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS C 66 SALDO PATRIMONIAL C 661 PATRIMONIO(ATIVO REAL LIQUIDO) C 662 RESULTADO PATRIMONIAL DO EXERC C Fim do Relatório M ARLY JORGE BRITO RUTH SELM A V ASCONCELOS SANTOS CELIANE OLIV EIRA RODRIGUES PRESIDENTE - CRB 2ª TESOUREIRA - CRB 2ª CRC PA 7965 C.P.F C.P.F C.P.F Spiderw areconselho REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 2 REGIÃO - PA, AP, TO Pág. : R E S U MO DO B A L A N Ç O Sistema de Contabilidade Data : Resumo do Balanço Hora : 14:28 A T I V O P A S S I V O

113 111 Quadro 45 Demonstrativo da Receita 2013 CRB-2 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 2 REGIÃO - PA, AP, TO Pág.: 1 Sistema de Contabilidade Data: Balanço Financeiro - Dezembro / 2013 Hora: 14:21 R E C E I T A ORÇAMENTARIO 1 R E C E I T A S C O R R E N T SUBTOTAL EXTRA ORÇAMENTARIA 5132 DEVEDORES DA ENTIDADE CONSIGNACOES CREDORES DA ENTIDADE ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS DESPESAS DE PESSOAL A PAGAR SUBTOTAL SALDO DO ANO ANTERIOR 5113 BANCOS C/ARRECADACAO BANCOS - S/VINCULADA SUBTOTAL T O T A L Fim de Relatório MARLY JORGE BRITO RUTH SELMA VASCONCELOS SANTOS CELIANE OLIVEIRA RODRIGUES PRESIDENTE C.P.F. - CRB 2ª TESOUREIRA C.P.F. - CRB ª C.P.F CRC PA 7965

114 112 Quadro 46 Demonstrativo da Despesa 2013 CRB-2 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 2 REGIÃO - PA, AP, TO Pág.: 2 Sistema de Contabilidade Data: Balanço Financeiro - Dezembro / 2013 Hora: 14:21 DESPESA ORÇAMENTARIA 3 D E S P E S A S C O R R E N T E DESPESAS DE CAPITAL SUBTOTAL EXTRA ORÇAMENTARIA 5132 DEVEDORES DA ENTIDADE CONSIGNACOES CREDORES DA ENTIDADE ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS DESPESAS DE PESSOAL A PAGAR SUBTOTAL SALDO PARA O ANO SEGUINTE 5113 BANCOS C/ARRECADACAO BANCOS - S/VINCULADA SUBTOTAL T O T A L Fim de Relatório MARLY PRESIDENTE JORGE BRITO - RUTH CRB 2ª SELMA VASCONCELOS TESOUREIRA - SANTOS CRB 2ª CELIANE OLIVEIRA RODRIGUES CRC PA 7965 C.P.F C.P.F C.P.F

115 113 Quadro 47 - Demonstrativo do Fluxo de Caixa 2013 CRB-2 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 2ª REGIÃO - PA, AP, TO FLUXO DE CAIXA EXERCÍCIO 2013 RECEITA ORÇAMENTÁRIA ,91 RECEITAS CORRENTES ,91 Tributária Contribuições ,99 Patrimonial 2.393,06 Serviços 2.923,27 Transferências Intergovernamentais - Outras ,59 RECEITAS DE CAPITAL - Operações de Crédito Alienação de Bens Móveis - Alienação de Bens Imóveis - Amortização de Empréstimos - Transferências Intergovernamentais - Transferência de Convênios - Outras - DESPESA ORÇAMENTÁRIA ,46 DESPESAS CORRENTES ,46 Pessoal e Encargos ,21 Juros e Encargos da Dívida - Outras Despesas Correntes ,25 DESPESAS DE CAPITAL 7.499,00 Investimentos 2.499,00 Inversões Financeiras - Amortização da Dívida 5.000,00 RESULTADO ORÇAMENTÁRIO ,45 TRANSFERÊNCIAS ATIVAS - Repasses Recebidos - TRANSFERÊNCIAS PASSIVAS - Repasses Concedidos - RESULTADO DE TRANSFERÊNCIAS FINANCEIRAS - RECEITA EXTRA-ORÇAMENTÁRIA ,29 DESPESA EXTRA-ORÇAMENTÁRIA ,32 RESULTADO EXTRA - ORÇAMENTÁRIO (738,03) RESULTADO DO PERÍODO ,42 DISPONÍVEL INICIAL ,85 DISPONÍVEL FINAL ,27 Marly Jorge Brito Presidente - CRB 2ª CPF Ruth Selma Vasconcelos Santos Tesoureira - CRB 2ª CPF Celiane Oliveira Rodrigues CRC-PA 7965 CPF

116 114 Outras Informações sobre a gestão Quando se iniciou esta gestão do CRB-2, havia um quadro de quase 70% de inadimplência. Com o trabalho desenvolvido, conseguimos diminuir esse índice em 30%, conquistando a confiança dos profissionais registrados no CRB-2. Também foi realizado todo um trabalho de conscientização preventiva para evitar a inadimplência, por meio de palestras periódicas com os estudantes de Biblioteconomia na Faculdade de Biblioteconomia da Universidade Federal do Pará. Foi republicada a cartilha O Bibliotecário e o CRB2 e está sendo distribuída tanto para os alunos de biblioteconomia durante as palestras de conscientização quanto aos profissionais inscritos no CRB-2. Foram realizadas Audiências Públicas na Câmara Municipal de Belém em prol da Criação do Dia do Bibliotecário no Município de Belém, por meio de Lei Municipal, e sobre a obrigatoriedade do profissional nas bibliotecas escolares na Assembleia Legislativa do Estado do Pará.

117 Relatório de Gestão Exercício CRB-3 Identificação e atributos da entidade Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia - 3ª Região Denominação Abreviada: CRB-3 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: / Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE /00 Telefones/Fax de Contato: (85) (85) (85) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Redes Sociais: https://www.facebook.com/crb.cearapiaui Endereço Postal: Av. Santos Dumont, Salas CEP Fortaleza/CE. Nome: Maria Herbênia Gurgel Costa CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Presidente Competências, dentre outras: administrar o órgão em sua plenitude, podendo designar representante ou procurador; representar o CRB-3 ativa e passivamente, em juízo ou fora dele, e constituir mandatários perante autoridades e órgãos públicos, inclusive judiciais, praticando todos os atos de direito necessários à plena vigência de seus estatutos legais regimentais e ao exercício de suas atribuições, "ad referendum" do Plenário; zelar pelo livre exercício da Biblioteconomia, pela dignidade e independência do CRB e de seus membros; assinar juntamente com o 1 Secretário e fazer publicar os atos oficiais e normativos, decorrentes de decisões do Plenário e da Diretoria; autorizar o pagamento de despesas, requisitar passagens e movimentar as contas bancárias, firmando com o Tesoureiro todos os atos de responsabilidade financeira, inclusive autorização de despesas, cheques, contratos, títulos, balanços e demais documentos de natureza contábil e financeira; apresentar ao Plenário proposta orçamentária anual, plano de metas, relatório anual de gestão; Propor ao Plenário, juntamente com o Tesoureiro, abertura de crédito, transferência de recursos orçamentários e mutações patrimoniais. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua Soares Bulcão, 350 ap.103-a CEP Fortaleza/CE. Telefones: (85) / / Nome: Maria Linéia de Oliveira Muniz Diógenes CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Vice-Presidente Competências, dentre outras atividades: substituir o Presidente em suas faltas, licenças e impedimentos eventuais; colaborar com o Presidente no exercício das atribuições que lhe são afetas; desempenhar demais atribuições que lhe forem atribuídas;

118 116 Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua Solon Pinheiro, 1143 ap. 804 A CEP Fortaleza/CE. Telefones: (85) / / Nome: Deusimar Frutuoso de Almeida CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Tesoureira Competências: substituir o 1 ou 2 Secretário nos casos de impedimentos, licenças ou faltas à reunião, assumindo todas as suas atribuições, na forma deste Regimento Interno e acumulando as funções; coordenar e supervisionar a área de administração financeira e de contabilidade do Conselho; movimentar, com o Presidente, as contas bancárias, assinando, para tal fim, cheques e demais documentos exigidos; assinar com o Presidente os balancetes, balanços e prestações de contas e outros documentos de natureza financeira, contábil e patrimonial do CRB, inclusive autorização de despesas, cheques, saques, contratos, títulos, endossos bancários e demais documentos de natureza contábil; supervisionar a elaboração da Proposta Orçamentária e acompanhar a sua execução. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua São João Del Rei, 1077 CEP: Fortaleza/CE. Telefones: (85) Nome: Rodrigo Leite Rebouças CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: 1º Secretário Competências: coordenar e supervisionar as atividades administrativas do CRB, mantendo sob sua responsabilidade os documentos da autarquia; assinar, com o Presidente, os atos oficiais e normativos decorrentes das decisões do Plenário e da Diretoria; secretariar as reuniões do Plenário e da Diretoria, Assembleias, elaborando atas que deverão ser submetidas à apreciação na Reunião seguinte; preparar o Relatório Anual de Gestão do Conselho; substituir o Vice-Presidente nos casos de faltas, licenças e impedimentos, assumindo suas atribuições, na forma prevista neste Regimento Interno; lavrar os termos de abertura e de encerramento dos livros da Secretaria, assinando-os com o Presidente; lavrar as atas e termos de posse e compromisso dos membros do CRB, subscrevendo-as juntamente com o Presidente; Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua Deoclecio Araújo, 110 CEP Fortaleza/CE. Telefones: (85)

119 117 Nome: Renata Maria Silva de Arruda CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: 2ª Secretária Competências: substituir o 1 Secretário nos casos impedimentos, licenças ou faltas deste, acumulando suas funções; colaborar com o 1 Secretário em todas as suas tarefas e atribuições; desempenhar outras funções que lhe forem atribuídas. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua Cônego Mourão, 200 ap. 202-F CEP Fortaleza/CE. Telefones: (85) Nome: Maria Suely Lima Queiroz CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Membro Comissão Tomada de Contas Competências: examinar as demonstrações de receita arrecadada pelo CRB, verificando o exato cumprimento da movimentação contábil-financeira da autarquia, inclusive o efetivo cumprimento do envio da cota-parte ao CFB; fiscalizar, periodicamente, os serviços de Tesouraria e Contabilidade do CRB, examinando livros e demais documentos relativos à gestão financeira; examinar os comprovantes de despesas pagas, quanto à validade das autorizações, idoneidade dos documentos fiscais e quitações respectivas. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua 01, 417 ap. 404 BL. B CEP Fortaleza/CE. Telefones: (85) / Nome: Marcio Nunes Silva CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Membro Comissão Tomada de Contas Competências: examinar as demonstrações de receita arrecadada pelo CRB, verificando o exato cumprimento da movimentação contábil-financeira da autarquia, inclusive o efetivo cumprimento do envio da cota-parte ao CFB; fiscalizar, periodicamente, os serviços de Tesouraria e Contabilidade do CRB, examinando livros e demais documentos relativos à gestão financeira; examinar os comprovantes de despesas pagas, quanto à validade das autorizações, idoneidade dos documentos fiscais e quitações respectivas. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua Padre Matos Serra, 391 A CEP

120 118 Fortaleza/CE. Telefones: (85) / Nome: Michelle Ferreira Costa CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Membro Comissão Tomada de Contas Competências: examinar as demonstrações de receita arrecadada pelo CRB, verificando o exato cumprimento da movimentação contábil-financeira da autarquia, inclusive o efetivo cumprimento do envio da cota-parte ao CFB; fiscalizar, periodicamente, os serviços de Tesouraria e Contabilidade do CRB, examinando livros e demais documentos relativos à gestão financeira; examinar os comprovantes de despesas pagas, quanto à validade das autorizações, idoneidade dos documentos fiscais e quitações respectivas. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua Deoclecio Araujo, 110 CEP Fortaleza/CE. Telefones: (85) / Nome: Maria de Fátima Silva Fontenele CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Membro Comissão de Ética Competências: função regimental de analisar denúncias, elaborar parecer prévio e encaminhá-lo ao Presidente do CRB, para que o mesmo decida pela abertura ou não de processo e, uma vez autorizada, cabe proceder à sua instauração e instrução, na forma das disposições do Código de Ética do Profissional Bibliotecário. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua Chico Lemos, 300 CEP Fortaleza/CE. Telefones: (85) / Nome: Érica Filomena Araújo Barros CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Membro Comissão de Ética Competências: função regimental de analisar denúncias, elaborar parecer prévio e encaminhá-lo ao Presidente do CRB, para que o mesmo decida pela abertura ou não de processo e, uma vez autorizada, cabe proceder à sua instauração e instrução, na forma das disposições do Código de Ética do Profissional Bibliotecário. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua Jorge Guimarães Almeida, 1603 CEP

121 119 Fortaleza/CE. Telefones: (85) / Nome: Jorgivania Lopes Brito CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Membro Comissão de Ética Competências: função regimental de analisar denúncias, elaborar parecer prévio e encaminhá-lo ao Presidente do CRB, para que o mesmo decida pela abertura ou não de processo e, uma vez autorizada, cabe proceder à sua instauração e instrução, na forma das disposições do Código de Ética do Profissional Bibliotecário. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua Vereador Jose Gonçalves de Almeida, 188. CEP Juazeiro do Norte/CE. Telefones: (85) / / Nome: Ismênia Maria Pinto Villar de Queiroz CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Comissão de Fiscalização Competências: Fiscalizar direta e permanentemente o exercício da profissão de Bibliotecário. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua Costa Barros, CEP Fortaleza/CE. Telefones: (85) / Nome: Luciana Silva de Arruda CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Comissão de Fiscalização Competências: Fiscalizar direta e permanentemente o exercício da profissão de Bibliotecário. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Rua 104, 626. CEP Fortaleza/CE. Telefones: (85) /

122 120 Nome: Maria Luzinete Fontenele CPF: Período Gestão: 04/01/2012 a 31/12/2014 Cargo: Comissão de Fiscalização Competências: Fiscalizar direta e permanentemente o exercício da profissão de Bibliotecário. Ato nomeação: Reunião de Posse em 04/01/2012 Publicação DOU: Não Endereço Residencial: Av. Rio Poti, 913 ap CEP Teresina/PI. Telefones: (85) / Informações sobre a Governança Projetos e atividades executados Atividades Planejadas Resultados Alcançados Alcançar a Sociedade no âmbito da Jurisdição do Ceará e Piauí. Comunicação e divulgação de resultados por meio do site e das mídias sociais. Instituído o canal Fale com a Presidente, ampliando largamente a relação da CRB com a Sociedade. Solicitar audiências com autoridades dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário a nível Estadual e Municipal. Reunião com os secretários de Cultura do Estado do Ceará e do Município de Fortaleza acerca da importância da contratação de Bibliotecários por meio de Concursos Públicos. Reunião com o Vice-Reitor da Novafapi com o objetivo de implementar um Curso de Especialização na área de Biblioteconomia. Ampliar o leque de parcerias com a Associação de Bibliotecários em busca de aperfeiçoamento profissional. Realização do Treinamento do software de automação de Bibliotecas Biblivre em parceria com a Associação de Bibliotecários do Piauí. Apoiar a Educação continuada. Parceria com a Secretaria de Cultura de Fortaleza para a realização do Treinamento do Software de automação de bibliotecas Biblivre. Realizar reuniões Técnicas das Comissões. Foram realizadas reuniões para discutir e acompanhar o trabalho das respectivas Comissões. Tentar resolver todas as consultas de natureza jurídica pendente no CRB-3. As demandas de consultas jurídicas foram resolvidas a contento. Cadastrar profissionais. Foram cadastrados 70 profissionais. Cadastrar empresas ligadas à Biblioteconomia. Não foram cadastradas empresas. Desenvolver Eventos para cumprir seus fins, Eventos realizados: Dia do Bibliotecário, Dia do visando estreitamento na relação entre livro. profissionais com a sociedade. Promover medidas em defesa da classe. Foram expedidos Ofícios para Organizadores de Concursos Públicos para dar ciência que quem deve trabalhar em Bibliotecas é Bibliotecário. Promover ações para a ampliação de mercado de trabalho. Visitas da Fiscalização para conscientização da importância da contratação de bibliotecários. Instalar um software de preenchimento de cheques. Ação não realizada. Instalar um software de protocolo. Promover palestra nos cursos de Biblioteconomia sobre o CRB e suas ações e metas. Instalação do software SPW. Palestra aos formandos do Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Ceará e Universidade Estadual do Piauí.

123 121 Atividades Planejadas Cadastrar profissionais. Organizar e manter atualizados os cadastros de profissionais e de empresas que atuam na área e instituições de Ensino de Biblioteconomia na jurisdição do CRB-3. Examinar denúncia acerca das infrações, conforme legislação vigente. Fiscalizar Escolas Públicas e Privadas da jurisdição do CRB-3. Fiscalizar IES da Jurisdição do CRB-3 Criar cronograma das atividades de fiscalização. Observar editais de concursos e licitatórios que envolvam as atividades de biblioteconomia. Acompanhar, avaliar e propor projetos de lei municipais e estaduais de interesse da categoria. Capacitar Bibliotecário-fiscal e demais Conselheiros na prática da fiscalização. Atuar politicamente para que os cargos públicos técnicos, da área de Biblioteconomia, sejam ocupados por Bibliotecários. Resultados Alcançados Foram cadastrados 70 profissionais. Atendimento sistematizado de acordo com a demanda. Foram averiguadas 06 denúncias. Atividade realizada. Atividade realizada. Foi implantado o cronograma de execução das tarefas. De acordo com a demanda foram expedidos ofícios observando a legislação em vigor, em defesa do bibliotecário. Não foi realizada. A Bibliotecária-fiscal participou de um treinamento no CRB-8. Visitas da Fiscalização para conscientização da importância da contratação de bibliotecários. Demonstração da Execução da Despesa para Atingir os Objetivos Estratégicos do Exercício 1 Objetivo Estratégico Fiscalização: Capacitação da Bibliotecária- Fiscal, Visitas técnicas na Jurisdição do Ceará e Piauí. Orçamento Inicial Despesa Empenhada e Liquidada R$ 8.000,00 R$ 3.827,35 As tarefas foram realizadas baseadas na organização e planejamento, tendo como critérios: ambiente de controle - por meio da implementação das normas e procedimentos, instituindo disciplina e observância às normas, para atingir a excelência nos serviços administrativos prestados à categoria; avaliação de risco - analisamos os fatores internos e externos com acuidade para proteger o patrimônio e garantir o cumprimento dos objetivos propostos; atividades de controle - implementamos políticas internas e procedimentos que puderam assegurar o cumprimento dos objetivos; informação e comunicação - buscamos integrar os canais de comunicação objetivando uma comunicação eficaz, por meio da observância dos prazos; monitoramento - promovemos a avaliação do desempenho das atividades e de toda a política do CRB, inovando os procedimentos, quando necessário.

124 122 Objetivo estratégico 2: Fiscalização Indicador Estratégico Ética na Profissão Objetivo Manutenção e observância da legislação em voga, tendo como base a ética bibliotecária. Fórmula do Indicador Estratégico Periodicidade Anual Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 Avaliação sobre o desempenho A meta foi cumprida porque foram observados o tempo e a legislação vigente. Fonte: Sistema de Gestão por Indicadores Análise crítica: A fiscalização desempenha sua função pautada na ética bibliotecária, levando conscientização da importância do trabalho do bibliotecário, nas suas diversas áreas de atuação. Relacionamento com a Sociedade: Sede do CRB-3; Telefone e fax; Mídias Sociais: facebook; Site, com canal Fale com a Presidente ; institucional; Correio convencional; Contato direto com seus representantes legais (Conselheiros). O CRB-3 divulga os eventos da Área de Biblioteconomia, levando ao conhecimento da Sociedade civil as inovações da área. Em cumprimento à Lei da Transparência, o CRB-3 divulga a Prestação de Contas mensal e anual, incluindo a legislação. A Sede do CRB possui acesso por elevador e está situada em área central da cidade. Os canais de comunicação utilizados pelo Regional para dar publicidade às ações e transparência à gestão são: Sede do CRB-3; Telefone e fax; Mídias Sociais: facebook; Site; institucional; Correio convencional. Ambiente de Atuação Inscritos Ativos Inativos Licença Cancelamento Temporária Pessoa Física Pessoa Jurídica Total Ausência de definição de piso salarial, Ausência do Sindicato. Estratégias: fiscalização nas Unidades de informação, informando acerca da importância de contratação de bibliotecários; conscientização das empresas, por meio de visitas e expedição de ofícios às Unidades de Informação; conscientização dos profissionais acerca da importância de dignos salários.

125 123 Principais mudanças de cenários ocorridas nos últimos exercícios Reconhecimento pela Sociedade civil da importância da contratação do bibliotecário fiscal; intervenção em edital de concursos para ajuste de salário do bibliotecário; acompanhamento e avaliação do trabalho realizado pela Fiscalização; Planejamento e Resultados Alcançados Informações sobre outros resultados gerados pela gestão, contextualizando tais resultados em relação aos objetivos estratégicos do Regional; Otimização dos espaços físicos da Sede; Revisão dos contratos da funcionária Silva Nunes e do Assessor Jurídico; Contratação de estagiária para colaborar nas atividades; Economia do material de expediente, racionalização dos gastos e racionalização do uso das linhas telefônicas. Tópicos especiais da execução orçamentária e financeira Informações sobre suprimento de fundos: 01 por mês no valor de R$ Tipo de despesas: Táxi, Ônibus, Água. Valor gasto: R$ Informações sobre despesas com ações de publicidade e propaganda: publicação de mensagem do Dia do Bibliotecário no Estado do Piauí para os bibliotecários do Estado do Piauí. Jornal: Meio Norte do Estado do Piauí. Valor: R$ 460,00. Demonstração dos principais resultados das ações de publicidade e propaganda para os objetivos do Regional: satisfação dos profissionais pela homenagem prestada pelo CRB-3. Informações sobre doações, patrocínios O Conselho recebeu patrocínios referentes aos pagamentos de materiais (canetas, pastas, adesivos), que foram distribuídos aos Profissionais e estudantes de Biblioteconomia do Ceará e Piauí nas comemorações ao Dia do Bibliotecário. Empresas: Indexar Tecnologia da Informação: R$ 400,00 PA Arquivos R$ 500,00 MRH Gestão de Arquivos e Informação: R$ 500,00 BBS Transportes: R$ 675,00

126 124 Gestão de pessoas, terceirização de mão de obra e custos relacionados Tipologias dos Cargos Lotação Efetiva Ingressos Exercício no Egressos Exercício no 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Total de Funcionários (1+2) Tipologias do Cargo Até 30 anos Quantidade de Funcionários por Faixa Etária De 31 a 40 anos De 41 a 50 anos De 51 a 60 anos 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Totais (1+2) Acima de 60 anos Despesas com Pessoal Vencimentos Valores R$ Salários e Gratificações ,90 Férias e 13º Salário 7.113,63 Indenizações Benefícios Assistenciais e Previdenciários 6.032,38 Encargos Sociais ,92 Demais Despesas Variáveis 5.808,00 TOTAL ,83 LEGENDA Salários e Gratificações Salário / Salário de Cargo em Comissão / Adicional de Insalubridade /Adicional de Periculosidade/ Adicional de Tempo de Serviço / Adicional Noturno / Aviso Prévio Cumprido (Trabalhado) / Gratificação de Função (não eventual) Férias e 13º Salário 13º Salário / Férias / Adicional de Férias 1/3 (Art. 7º inciso XVII da Constituição Federal) Indenizações Aviso Prévio Indenizado / Férias Indenizadas / 13º Indenizado / Multa Rescisória / Decisões Judiciais / Indenizações por tempo de serviço como não-optante - Outras Indenizações Trabalhistas Benefícios assistenciais e previdenciários Assistência Médica / Auxílio-Creche / Alimentação / Outras Assistências Encargos Sociais Previdência Social, Fundo de Garantia, PIS/PASEP. Demais despesas variáveis Abono Pecuniário (opcional) / Ajudas de Custo / Horas Extraordinárias / Substituição / Gratificação de Função (eventual) / Outras Vantagens pagas a Pessoal

127 125 Gestão do patrimônio mobiliário e imobiliário O Regional tem sede própria? Contrato em regime de comodato com CFB Valor comercial do imóvel em 2013: R$ ,00 (duas salas) Valor do imóvel na guia de IPTU: R$ ,40 (duas salas) Custos em Reais com a manutenção do imóvel: R$ 6.698,28 (condomínio) O Regional possui automóvel? não O Regional possui imóvel alugado a terceiros? não Gestão da tecnologia da informação Sistema cadastral: registro e atualização dos dados cadastrais dos profissionais e empresas com registro no CRB-3. Sistema Financeiro: geração, emissão e controle dos débitos; Sistema Contábil: geração e controle de toda a contabilidade (receita e despesas); Sistema de Empenho: controle de toda despesa; Sistema de Protocolo: controle de entrada de toda documentação. Empresa: Contrato Spiderware Consultoria em Informática Ltda. CNPJ: / Objetivos: utilização e manutenção dos sistemas: cadastral, financeiro, fiscalizatório, dívida ativa, eleição, cursos, contabilidade, diárias e passagens, bens patrimoniais, processo e protocolo. Valor mensal: R$ 566,54 no ano 2013 R$ 6.798,48. Vigência: de um ano, sempre que necessário e de comum acordo, poderão ser firmados Termos Aditivos.

128 126 Apuração de resultados Quadro 48 - Balanço Orçamentário 2013 CRB-3 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA-3ª REGIÃO Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Data : 8046 Balanço Orçamentário Hora : 17:32 RECEITA Conta Descrição Orçado Realizado Diferença 1 R E C E I T A S C O R R E N T E S RECEITA DE CONTRIBUIÇOES RECEITA PATRIMONIAL RECEITAS DE SERVIÇOS TRANSFERENCIAS CORRENTES OUTRAS RECEITAS CORRENTES RECEITAS DE CAPITAL ALIENAÇAO DE BENS SOMA DA RECEITA DÉFICIT 0 T O T A L DESPESA Conta Descrição Orçado Realizado Diferença 3 D E S P E S A S C O R R E N T E S DESPESAS DE CUSTEIO TRANSFERENCIAS CORRENTES DESPESAS DE CAPITAL INVESTIMENTOS SOMA DA DESPESA SUPERÁVIT T O T A L

129 127 Quadro 49 - Balanço Patrimonial 2013 CRB-3 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA-3ª REGIÃO Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Data : 8046 Balanço Patrimonial - Ativo Hora : 17:31 Conta Descrição Saldo Inicial Saldo Atual 5 A T I V O D 51 ATIVO FINANCEIRO D 511 DISPONIVEL D 5112 BANCOS C/MOVIMENTO D BANCO DO BRASIL D AG D 5113 BANCOS C/ARRECADACAO D CEF D BANCO DO BRASIL D 5114 RESPONSAVEL POR SUPRIMENTO D Siliva Helena Pinheiro Nunes D 512 DISPONIVEL VINC C/C BANCARIA D 5122 BANCOS C/VINC APLIC FINANC D BANCO DO BRASIL C/ D AG D 513 REALIZAVEL D 5132 DEVEDORES DA ENTIDADE D ADIANTAMENTO DE SALARIOS D ADIANTAMENTO FÉRIAS D 52 ATIVO PERMANENTE D 521 BENS PATRIMONIAIS D 5211 BENS MOVEIS D MOBILIARIO EM GERAL D MAQUINAS, MOTORES E APARELHOS D EQUIPAMENTOS DIVERSOS D BIBLIOTECA D EQUIPAMENTOS DE INFORMATICA D 522 CREDITOS D 5221 DIVIDA ATIVA D DIVIDA ATIVA - OUTROS D 53 ATIVO TRANSITORIO D 531 EXECUCAO ORCAMENT DA DESPESA D 5311 DESPESAS CORRENTES D 5312 DESPESAS DE CAPITAL D 55 REFLEXO PATRIMONIAL D 551 VARIACOES PASSIVAS D 5511 DEPEND EXEC ORCAMENTARIA D EXECUCAO ORCAMENT DA DESEPESA D Fim do Relatório

130 128 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA-3ª REGIÃO Pág. : 2 Sistema de Contabilidade Data : 8046 Balanço Patrimonial - Passivo Hora : 17:31 Conta Descrição Saldo Inicial Saldo Atual 6 P A S S I V O C 61 PASSIVO FINANCEIRO C 611 DIVIDA FLUTUANTE C 6111 RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO C PROCESSADOS C TECNO.IND. COM. DE COMP. LTDA C NAO PROCESSADOS C CFB - COTA PARTE C 6113 CONSIGNACOES C PREVIDENCIA SOCIAL - PARTE EMPREGADO C IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE C MENSALIDADE SINDICAL C IRRF S/ SERVS. PRESTADOS C CONTRIBUICAO ASSISTENCIAL C 6115 ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS C CAIXA ECONOMICA FEDERAL - FGTS C PREVIDENCIA SOCIAL - PARTE EMPRESA C IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS C PIS S/FOLHA PAG C CONTR. SOCIAIS - COD C 612 RESULTADO PENDENTE C 6121 DESPESAS DE PESSOAL A PAGAR C SALARIOS A PAGAR C 63 PASSIVO TRANSITORIO C 631 EXECUCAO ORCAMENT DA RECEITA C 6311 RECEITAS CORRENTES C 65 REFLEXO PATRIMONIAL C 651 VARIACOES ATIVAS C 6511 DEPEND. DE EXEC. ORCAMENTARIA C AQUIS DE BENS MOVEIS C EXECUCAO ORCAMENT DA RECEITA C 66 SALDO PATRIMONIAL C 661 PATRIMONIO(ATIVO REAL LIQUIDO) C 662 RESULTADO PATRIMONIAL DO EXERC C Fim do Relatório Spiderw are CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA-3ª REGIÃO Pág. : 3 Sistema de Contabilidade Data : 8046 Resumo do Balanço Hora : 17: R E S U MO DO B A L A N Ç O A T I V O P A S S I V O

131 129 Quadro 50 Demonstrativo de Receitas e Despesas 2013 CRB-3 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA-3ª REGIÃO Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Data : 8046 Balanço Financeiro - Dezembro / 2013 Hora : 17:27 R E C E I T A ORÇAMENTARIO 1 R E C E I T A S C O R R E N T SUBTOTAL EXTRA ORÇAMENTARIA 5132 DEVEDORES DA ENTIDADE RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO CONSIGNACOES ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS DESPESAS DE PESSOAL A PAGAR SUBTOTAL SALDO DO ANO ANTERIOR 5112 BANCOS C/MOVIMENTO BANCOS C/ARRECADACAO BANCOS C/VINC APLIC FINANC SUBTOTAL T O T A L CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA-3ª REGIÃO Pág. : 2 Sistema de Contabilidade Data : 8046 Balanço Financeiro - Dezembro / 2013 Hora : 17:27 DESPESA ORÇAMENTARIA 3 D E S P E S A S C O R R E N T E DESPESAS DE CAPITAL SUBTOTAL EXTRA ORÇAMENTARIA 5132 DEVEDORES DA ENTIDADE RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO CONSIGNACOES ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS DESPESAS DE PESSOAL A PAGAR SUBTOTAL SALDO PARA O ANO SEGUINTE 5113 BANCOS C/ARRECADACAO BANCOS C/VINC APLIC FINANC SUBTOTAL T O T A L

132 Relatório de Gestão Exercício CRB-4 Identificação e atributos da entidade Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia-4ªregião Denominação Abreviada:CRB4 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: / Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE /00 Telefones/Fax de Contato: Endereço Eletrônico: Página na Internet::www.crb4.org.br Redes Sociais: Endereço Postal: Rua Gervásio Pires, 674 Boa ista- Recife-Pe Responsáveis Nome: Aderilson de Oliveira e Santos CPF: Período Gestão: Cargo: Presidente Ato nomeação: eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: R. Ilhéus, 780- ap.101 ;Piedade Jaboatão-PE CEP Telefones: cel Nome: Maria das Graças Vidal de Negreiros de Oliveira CPF: Período Gestão: Cargo: Vice-Presidente Ato nomeação: Eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: R. Tenente Antônio João, 61/703-GRAÇAS-Recife-PE Telefones: cel Nome: Ana Maria Santos Silva CPF: Período Gestão: Cargo: Tesoureira Ato nomeação: Eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: R. Pedro Antônio da Silva, 242- Piedade- Jaboatão-PE Telefones: / cel Nome: Silvana Carla Alves Siqueira CPF: Período Gestão: Cargo: 1ª Secretária Ato nomeação: Eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: Rua Bananal, 170 A, Qd.O bl.7-jardim Brasil-Olinda-PE Telefones: / cel Nome: Cristiane Menezes da Silva CPF: Período Gestão: Cargo: Coordenadora da Comissão de Tomadas de Contas Ato nomeação: Eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: R José Barata, 211 Jiquiá Recife - PE Telefones: (81) /

133 131 Nome: Rosa Cristina da Conceição CPF: Período Gestão: Cargo: Coordenadora da Comissão de Ética Ato nomeação: Eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: Rua Irapuã, 36 Ipsep Recife-PE Telefones: (81) / Nome: Kleiton Luiz Predo da Silva CPF: Período Gestão: Cargo: Coordenador da Comissão de Patrimônio Ato nomeação: Eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: RuaOitenta e dois, Qd. 59Bl. 12apt.º 208 Maranguape I Telefones: (81) / Nome: Cristian do Nascimento Botelho CPF: Período Gestão: Cargo: Membro da Comissão de Divulgação Ato nomeação: Eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: Rua Angelim, 171 Peixinhos Olinda PE Telefones: (81) / Nome: Libânia Maria Ferreira CPF: Período Gestão: Cargo: Coordenadora da Comissão de Divulgação Ato nomeação: Eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: Rua Salvador, 335 Jardim Brasil Recife - PE Telefones: (81) / Nome: Valquiria Nunes Lima CPF: Período Gestão: Cargo: Coordenadora da Comissão de Fiscalização Ato nomeação: Eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: Rua Eliete Aguiar, 45 Casa Amarela Recife - PE Telefones: (81) / Nome: Natianne Polinelli Gomes Montalvão CPF: Período Gestão: Cargo: Coordenadora da Comissão de Licitação Ato nomeação: Eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: R. Barão de Amaraji, 976/201 Piedade Recife-PE Telefones: (81) Nome: Almir Melo Mendes CPF: Período Gestão: Cargo: Membro da Comissão de Divulgação Ato nomeação: Eleição Publicação DOU: Endereço Residencial: Av. Pres. Kennedy, 5875/202 candeias Recife-PE Telefones: (81)

134 132 Nome: José Bezerra Soares CPF: Período Gestão: Cargo: Auxiliar Administrativo Ato nomeação:seleção Pública Publicação DOU: Endereço Residencial: Rua Belterra, 113 Casa Amarela-Recife - PE Telefones: (81) Nome: Miriam Portela Wanderley de Medeiros CPF: Período Gestão: Cargo: Bibliotecária Fiscal Ato nomeação: Seleção Pública Publicação DOU: Endereço Residencial: Rua Santa Terezinha, 375 J. Atlântico- Olinda-PE Telefones: (81) Nome: José Ulisses da Silva CPF: Período Gestão: Cargo: Assessoria Contábil Ato nomeação: Licitatório Endereço Residencial: / Telefones: (81) Publicação DOU: Nome: Jairo Vieira Medeiros CPF: Período Gestão: Cargo: Assessor Jurídico Ato nomeação: Licitatório Publicação DOU: Endereço Residencial: R. Clube Vasouras, 273 Livramento Vitória-PE Telefones: (81) / Informações sobre a Governança Projetos e atividades executadas Destacam-se as atividades da 16ª gestão do CRB-4, de 2013: Ajuste financeiro, inicialmente com débitos de gestões anteriores, redução de custos, o que garantiu a quitação de débitos anteriores aos da gestão atual. A inadimplência estava próxima de 50% do total de inscritos, o que levou a gestão a tomar providências para reduzir o débito junto aos profissionais irregulares com o Conselho, por meio de campanha de conscientização e envio de notificações judiciais. Durante as atividades foi divulgada a lei /2010 junto às instituições visitadas. O CRB-4 conseguiu reduzir este percentual para algo em torno de 20%. Retomada da Fiscalização. No momento da posse, o conselho estava desacreditado e com atividades paralisadas. Foi feito um esforço por parte dos conselheiros para fiscalizar e divulgar as atividades para todos os bibliotecários. Maior divulgação. Por meio de campanhas para divulgar a profissão e as atividades do Conselho, o CRB-4 conseguiu mostrar a importância do órgão para os bibliotecários e sociedade em geral. Exemplo de atividades: Cartazes em ônibus coletivos; Divulgação por mala direta/ ;

135 133 Evento para comemorar o Dia 12 de Março - Dia do Bibliotecário Obs.: Desde o início da gestão, o CRB-4 se fez presente em Alagoas, com realização de Eventos para profissionais e estudantes de Biblioteconomia, por meio de parceria com a Universidade Federal de Alagoas-UFAL, e Associação Alagoana de Profissionais em Biblioteconomia-AAPB. Também foram realizadas atividades de fiscalização com os resultados divulgados para os profissionais alagoanos. Participação em eventos da classe O CRB-4 se fez presente em eventos relevantes para a classe, como o CBBD- Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação, ENEBD- Encontro Nacional de Estudantes em Biblioteconomia, Workshop do Sistema CFB/CRB e 1º Workshop da UPE. Parcerias com outros órgãos: Pernambuco: Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco BPE; Universidade Federal de Pernambuco-UFPE; Associação de Profissionais Bibliotecários de Pernambuco-APBPE; Fundação Joaquim Nabuco FUNDAJ; Serviço Social do Comércio SESC; Rede Globo de Televisão-GLOBO; Jornal Folha de Pernambuco Alagoas: Universidade Federal de Alagoas-UFAL; Associação Alagoana de Profissionais em Biblioteconomia-AAPB; Instituto Federal de Alagoas - IFAL Demonstração da Execução da Despesa para Atingir os Objetivos Estratégicos do Exercício 1 Objetivo Estratégico Atividades para fortalecer a imagem do profissional: Dia do Bibliotecário / Divulgação 2 Fator de proteção da sociedade: Atividade Fiscal Orçamento Inicial Despesa Empenhada e Liquidada 2.100,00. PE: R$724,50 AL:R$1.428,50 5,200,00 PE: R$1.800 AL:R$ Divulgação de atividades do CRB-4 e de cursos para os profissionais (palestras em eventos s) Divulgação, para profissionais e estudantes e sociedade Participação sócio-político-institucional junto às instituições públicas, privadas, sociedade civil e entidades representativas da classe. - - Anuidade Aprox. R$ (cem mil) por ano - - Custo com cartazes, banners, e ou brindes (por ano) R$2.000,00

136 Firmar parcerias estratégicas UFPE, UFAL, AAPB, FUNDAJ, SESC Sugestão de uso de cartão de crédito para pagamento da anuidade: não-autorizado Considerando o quadro inicial da Gestão, os membros trabalharam para manter o órgão em funcionamento. Dentro das possibilidades, foi feito o necessário para o ajuste financeiro e execução das atividades de fiscalização e divulgação para os profissionais. Quanto ao risco causado pelo déficit financeiro, existia também a falta de credibilidade do Conselho por parte dos profissionais. Portanto, considera-se positivo o balanço da 16ª Gestão, pois conseguimos superar todas as expectativas relacionadas ao desempenho do órgão tendo em vista os desafios e obstáculos encontrados. Por meio de constante acompanhamento, espera-se manter a estabilidade de funcionamento e se possível alcançar um crescimento real no futuro. Indicadores de Gestão Objetivo Estratégico 1. Fortalecer a imagem do Sistema CFB/CRB e da profissão bibliotecária perante a sociedade 2. Atuar como fator de proteção da sociedade 3. Parcerias Indicadores estratégicos atribuídos Fiscalização, e divulgação. Participação em eventos do CFB/Integração com demais CRBs Ética / Divulgação da Legislação do profissional Univ. Fed. Pe-UFPE, Univ. Fed. Al-UFAL, Assoc. Bib. PE-APBPE, Assoc. Bib. Alagoas- AAPB, Bib. Estado-BPE, Fund. Joaquim Nabuco-FUNDAJ Relacionamento com a Sociedade Canais disponíveis de contato com o Conselho: Atendimento presencial na sede do Conselho: R. Gervásio Pires, 674-Boa Vista, Recife-Pe; Telefone: (81) Site : Obs.: Os dados citados na lei de acesso à informação podem ser adquiridos junto ao CRB-4, porém, ainda não há divulgação total na internet. Medidas serão tomadas para divulgar as informações de forma transparente para atender a legislação em vigor, uma vez que a exigência desse serviço é muito recente para os CRBs.

137 135 Ambiente de Atuação Inscritos Ativos Inativos Licença Cancelamento Temporária Pessoa Física Pessoa Jurídica Total Descrição dos riscos de mercado O mercado de trabalho na jurisdição do CRB-4 sofre com uma grande defasagem de profissionais para muitos postos de trabalho, pois existe uma demanda maior de vagas que o total de bibliotecários. Também ainda existe o descaso ou desconhecimento de setores a respeito do profissional. Para a mudança de tal situação se faz necessário continuar com as atividades de divulgação e o uso de mecanismos e tecnologias que venham apoiar a classe, como é o caso do EAD (ensino a distância). As estratégias para mitigar esses riscos envolvem, além de divulgação e conscientização da sociedade sobre o trabalho do bibliotecário e a importância da Biblioteconomia, o cumprimento à Lei /2010 será de grande valia ao bibliotecário. Planejamento e Resultados Alcançados Resultados Com o trabalho da gestão houve o reconhecimento dos profissionais em relação ao Conselho, e como resultado direto da fiscalização, divulgamos vagas de emprego aos profissionais. Tópicos especiais da execução orçamentária e financeira Informações sobre suprimento de fundos Suprimento de fundos fica em torno de R$50,00 (cinquenta) a R$100,00(cem reais) ao mês. Informações sobre despesas com ações de publicidade e propaganda: cartaz (para divulgação em linhas de transporte coletivo) - R$ 400,00; placa, adesivo (sinalização do prédio sede) - R$150,00; Canetas, Bloco de notas, pastas (para distribuição em eventos) - R$1.800,00. Com as atividades, veio o reconhecimento por parte de profissionais sobre a atuação do Conselho e de outros órgãos sobre a importância do bibliotecário. Gestão de pessoas, terceirização de mão de obra e custos relacionados Tipologias dos Cargos Lotação Efetiva Ingressos Exercício no Egressos Exercício no 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Total de Funcionários (1+2) 2 0 0

138 136 Tipologias do Cargo Quantidade de Funcionários por Faixa Etária Até 30 anos De 31 a 40 anos De 41 a 50 anos De 51 a 60 anos 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Totais (1+2) Acima de 60 anos Despesas com Pessoal Vencimentos Valores R$ Salários e Gratificações ,22 Férias e 13º Salário 9.068,39 Indenizações 00 Benefícios Assistenciais e Previdenciários 00 Encargos Sociais ,43 Demais Despesas Variáveis ,24 TOTAL ,28 LEGENDA Salários e Gratificações Salário / Salário de Cargo em Comissão / Adicional de Insalubridade /Adicional de Periculosidade/ Adicional de Tempo de Serviço / Adicional Noturno / Aviso Prévio Cumprido (Trabalhado) / Gratificação de Função (não eventual) Férias e 13º Salário 13º Salário / Férias / Adicional de Férias 1/3 (Art. 7º inciso XVII da Constituição Federal) Indenizações Aviso Prévio Indenizado / Férias Indenizadas / 13º Indenizado / Multa Rescisória / Decisões Judiciais / Indenizações por tempo de serviço como não-optante - Outras Indenizações Trabalhistas Benefícios assistenciais e previdenciários Assistência Médica / Auxílio-Creche / Alimentação / Outras Assistências Encargos Sociais Previdência Social, Fundo de Garantia, PIS/PASEP. Demais despesas variáveis Abono Pecuniário (opcional) / Ajudas de Custo / Horas Extraordinárias / Substituição / Gratificação de Função (eventual) / Outras Vantagens pagas a Pessoal Gestão do patrimônio mobiliário e imobiliário O Regional tem sede própria? Não. Pertence à UNIV. FEDERAL DE PERNAMBUCO Valor comercial do imóvel em 2013: Valor do imóvel na guia de IPTU: Custos em Reais com a manutenção do imóvel: O Regional possui automóvel? Não O Regional possui imóvel alugado a terceiros? Sim. Sala comercial em nome do Conselho atualmente alugada para terceiros no valor de R$ 600,00. O aluguel é creditado em conta corrente do Banco do Brasil. Gestão da tecnologia da informação O sistema de gerenciamento utilizado para gerenciamento dos profissionais inscritos é SPW.

139 137 Gestão do uso dos recursos renováveis e sustentabilidade ambiental Adquirimos materiais básicos, de forma a evitar o acúmulo ou excesso de materiais desnecessários. Apuração de resultados Quadro 51 Balanço orçamentário 2013 CRB-4 VARIAÇÕES ATIVAS T I T U L O S R$ RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA RECEITA ORÇAMENTARIA RECEITAS CORRENTES Receitas de Contribuições ,92 Receitas Patrimoniais 3.125,17 Receitas de Serviços 3.145,31 Transferencias Correntes 0,00 Outras Receitas Correntes ,11 SUBSOMA ,51 RECEITAS DE CAPITAL Operações de Credito 0,00 Alienação de Bens 0,00 Auxilio para Investimentos 0,00 SUBSOMA... 0,00 MUTAÇÕES PATRIMONIAIS Aquisição de Bens Moveis 0,00 Const. Aquisição de Bens Imoveis 0,00 Concessão de Emprestimos 0,00 Aquisição de Titulos e valores 0,00 SUBSOMA... 0,00 INDEPENDENTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA Incorporação de Outros Creditos 0,00 Incorporação de Bens 0,00 Cancelamentos de Dividas Passivas 0,00 Diversas 0,00 Administração Indireta 0,00 SUBOMA... 0,00 TOTAL DAS VARIAÇÕES ATIVAS ,51 RESULTADO PATRIMONIAL Deficit Verificado 0,00 SUBTOTAL ,51 TOTAL ,51

140 138 VARIAÇÕES PASSIVAS T I T U L O S R$ RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA DESPESA ORÇAMENTARIA DESPESAS CORRENTES Despesas de Custeio ,24 Transferencias Correntes 0,00 SUBSOMA ,24 DESPESAS DE CAPITAL Investimentos 0,00 Inversões Financeiras 0,00 Transferencias de capital 0,00 SUBSOMA... 0,00 MUTAÇÕES PATRIMONIAIS Alienação de Bens Moveis 0,00 Emprestimos Tomados 0,00 Cobranca da Divida Ativa 0,00 Diversas 0,00 SUBSOMA... 0,00 INDEPENDENTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA Concelamento da Divida Ativa 0,00 Baixa de bens 0,00 Diversas 0,00 Administração Indireta 0,00 SUBOMA... 0,00 TOTAL DAS VARIAÇÕES ATIVAS ,24 RESULTADO PATRIMONIAL Superavit Verificado 2.715,27 SUBTOTAL ,51 TOTAL ,51

141 139 Quadro 52 Balanço patrimonial 2013 CRB-4 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 4a REGIAO DEMONSTRATIVO DO PASSIVO FINANCEIRO DO EXERCICIO DE 2013 DEMONSTRATIVO DA MOVIMENTACAO DO PATRIMONIO Ativo Real Liquido em 31/12/ ,72 Mais Deficit em 31 de dezembro de 2013 (2.395,65) Soma do Ativo Real Liquido Patrimonio ,07 Recife, 31 de dezembro de 2013 Jose Ulisses da Silva Contador-CRC 8287-PE Presidente Tesoureiro CIC Crb3 Crb4

142 140 Quadro 53 Demonstrativo da Receita 2013 CRB-4 DISCRIMINAÇÃO R E C E I T A V A R I A Ç Õ E S (R$) ORÇADA ARRECADADA PARA MAIS PARA MENOS RECEITAS CORRENTES RECEITAS DE CONTRIBUICOES Anuidades P. Fisicas , ,23 0, ,77 Anuidades P. Juridica , ,69 0, ,31 SUBSOMA , ,92 0, ,08 RECEITAS PATRIMONIAIS Alugueis 500,00 0,00 0,00 500,00 Juros/Correção Monetaria - Cad. Poupança 1.000, , ,17 0,00 Juros/Correção Monetaria - Titulos de Renda 0,00 0,00 0,00 0,00 Outras Receitas Patrimoniais 0,00 0,00 0,00 SUBSOMA , , ,17 500,00 RECEITAS DE SERVIÇOS Rendas de Emolumentos c/inscrição 4.500, ,09 0, ,91 Rendas de Emolumnetos c/carteiras 1.500, ,22 0,00 102,78 Rendas de Emolumentos c/certidões 2.000,00 12,00 0, ,00 Rendas de Outros Serviços 0,00 0,00 0,00 0,00 SUBSOMA , ,31 0, ,69 TRANSFERENCIAS CORRENTES Contrib. Aux. p/desemv. Ativ. Fisc. Prof. Liberais 0,00 0,00 0,00 0,00 Transferencias de Outras Entidades Publicas 0,00 0,00 0,00 0,00 SUBSOMA... 0,00 0,00 0,00 0,00 OUTRAS RECEITAS DIVERSAS Multa sobre Anuidade 9.000, ,97 0, ,03 Juros de Mora 3.000, , ,51 0,00 Receita da Divida Ativa , ,58 0, ,58 Outras Receitas Diversas 3.500, ,05 0, ,95 SUBSOMA , , , ,40 SOMA DAS RECEITAS CORRENTES , , , ,17 RECEITAS DE CAPITAL Operações de Credito 0,00 0,00 0,00 0,00 Alienação de Bens Moveis 0,00 0,00 0,00 0,00 Alienação de Bens Imoveis 0,00 0,00 0,00 0,00 Amortização de Emprestimos 0,00 0,00 0,00 0,00 Transferencias de Capital 0,00 0,00 0,00 0,00 Outras Receitas de Capital 0,00 0,00 0,00 0,00 SUBSOMA... 0,00 0,00 0,00 0,00 SOMA DAS RECEITAS DE CAPITAL... 0,00 0,00 0,00 0,00 TOTAL GERAL , , , ,17

143 141 Quadro 54 Demonstrativo da Despesa 2013 CRB-4 D I S C R I M I N A Ç Ã O D E S P E S A V A R I A Ç Õ E S ÂUTORIZADAREALIZADA PARA MAIS PARA MENOS DESPESAS CORRENTES DESPESAS DE CUSTEIO Pessoal , ,01 0, ,99 Material de Consumo 6.000, ,86 0, ,14 Servicos de Terc.e Encargos , ,37 0, ,63 Sentencao Judicial 0,00 0,00 0,00 SUBSOMA , ,24 0, ,76 TRANSFERENCIAS CORRENTES PASEP/PIS 0,00 0,00 0,00 0,00 AUXILIOS E SUBVENCOES 0,00 0,00 SUBSOMA... 0,00 0,00 0,00 0,00 SOMA DAS DESPESAS CORRENTES , ,24 0, ,76 DESPESAS DE CAPITAL INVESTIMENTOS Obras e Instalações 0,00 0,00 0,00 0,00 Equipamentos e Mat. Permanente ,00 0,00 0, ,00 SUBSOMA ,00 0,00 0, ,00 INVERSÕES FINANCEIRAS Aquis. Titul. Repres. Cap. Integralizado 0,00 0,00 0,00 0,00 Concessão de Emprestimos 0,00 0,00 0,00 0,00 SUBSOMA... 0,00 0,00 0,00 0,00 AMORTIZAÇÃO DA DIVIDA INTERNA SUBSOMA... 0,00 0,00 0,00 0,00 OUTRAS DESPESAS DE CAPITAL Transferencias a Instituições Privadas 0,00 0,00 0,00 0,00 SUBSOMA... 0,00 0,00 0,00 0,00 SOMA DAS DESPESAS DE CAPITAL ,00 0,00 0, ,00 TOTAL , ,24 0, ,76

144 Relatório de Gestão Exercício CRB-5 Identificação e atributos da entidade Denominação Completa: CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5ª REGIÃO Denominação Abreviada: CRB-5 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: / Principal Atividade Entidade com Atividades de Organizações CÓDIGO CNAE: Associativas Profissionais Telefones/Fax de contato: Endereço Eletrônico: Página na Internet: Redes Sociais: Facebook Endereço Postal: Rua Miguel Calmon, nº 40, Edifício Conde dos Arcos, Sala Comércio - CEP: Salvador/Ba Organograma funcional

145 143 CARGO PRESIDENTE 1ª e 2ª SECRETÁRIAS TESOUREIRA COMPETÊNCIAS Representar o CRB-5, ativa e passivamente, em Juízo e fora dele; Assinar juntamente com o 1º Secretário e fazer publicar os atos oficiais e normativos, decorrentes de decisões do Plenário e da Diretoria; Autorizar o pagamento de despesas, requisitar passagens e movimentar as contas bancárias, firmando com o Tesoureiro todos os atos de responsabilidade financeira, inclusive autorização de despesas, cheques, contratos, títulos, balanços e demais documentos de natureza contábil e financeira; Apresentar ao Plenário proposta orçamentária anual, plano de metas, relatório anual de gestão; Zelar pela honrabilidade, autonomia, prestígio e decoro da Autarquia e seus Conselheiros e pela exata observância das leis e regulamentos referentes ao exercício da profissão de Bibliotecário; Convocar ordinária e extraordinariamente a Plenária; Promover, periodicamente, reuniões dos membros do CRB, para discutir questões profissionais e fixar diretrizes e ações; Presidir as sessões das reuniões Plenárias:; Coordenar os trabalhos de elaboração do orçamento do Conselho, submetendoo à aprovação do Plenário; Organizar, com o Tesoureiro e ouvida a CTC, a proposta orçamentária anual a ser examinada e aprovada pelo Plenário; Elaborar, com o Tesoureiro, a prestação de contas para encaminhamento ao órgão competente; Assinar os diplomas e certificados conferidos pelo Conselho. Secretariar as reuniões do Plenário e da Diretoria, elaborando atas que deverão ser submetidas a apreciação na Reunião seguinte; Lavrar os termos de abertura e de encerramento dos livros da Secretaria, lavrar as atas e termos de posse e compromisso dos membros; Proceder à verificação e proclamação de quórum nas plenárias; Preparar o material para realização de reuniões, assembleias e demais eventos realizados pelo Conselho; Coordenar e supervisionar a área de administração financeira e de contabilidade do Conselho; Movimentar com o Presidente, as contas bancárias, assinando, para tal fim, cheques e demais documentos exigidos; Assinar com o Presidente os balancetes, balanços e prestações de contas e outros documentos de natureza financeira, contábil e patrimonial do Conselho, inclusive autorização de despesas, cheques, saques, contratos, títulos, endossos bancários e demais documentos de natureza contábil; Supervisionar a elaboração da Proposta Orçamentária e acompanhar a sua execução; Supervisionar e fiscalizar a arrecadação de todas as rendas e contribuições devidas ao Conselho; Fornecer ao Presidente, mensalmente, balancetes de receita e despesa e o balanço final de cada exercício financeiro de sua gestão; Elaborar com a Diretoria a prestação de contas anual.

146 144 CARGO TOMADAS CONTAS DIVULGAÇÃO CARGO ASSESSORIA CONTABIL ASSESSORIA JURÍDICA CARGO DE GERENTE ADMINISTRATIVO TECNICO CONTABIL AGENTE ADMINISTRATIVO COMPETÊNCIAS Analisar e emitir parecer sobre os Balancetes Mensais, Prestação de Contas Anual, Proposta e Reformulações Orçamentárias, assim como assuntos correlatos, adotando as exigências do Tribunal de Contas da União; Fiscalizar periodicamente os serviços de Tesouraria e Contabilidade, examinando livros e demais documentos relativos à gestão financeira; Examinar os comprovantes de despesas pagas, quanto à validade das autorizações e quitações respectivas. Estudar, planejar e propor publicação referente a assuntos profissionais da área da Biblioteconomia, bem como os relativos às atividades do CFB e do CRB, bem como sua divulgação; Planejar e organizar eventos relativos ao profissional bibliotecário COMPETÊNCIAS Emitir parecer de natureza contábil e financeira; Emitir relatórios sobre os balancetes mensais; Elaborar proposta e reformulações orçamentárias; Elaborar folha de pagamento, 13º salário, férias e todos os encargos sociais. Coordenar, orientar e/ou desenvolver trabalhos técnicos dentro de sua área de competência; Acompanhar o desempenho da área jurídica, propondo medidas necessárias para obtenção de resultados favoráveis para a Entidade; Responder a consultas e emitir parecer de natureza jurídica em assuntos submetidos a seu exame; Assessorar a Diretoria, as Comissões Permanentes e Temporárias e o Plenário, nos assuntos de sua área de competência; Orientar e responder por escrito as Delegacias, dúvidas de natureza jurídica em assuntos submetidos a seu exame; Representar e defender o CRB-5 perante as instâncias judiciais, inclusive o Tribunal de Contas da União (TCU); Executar outras tarefas compatíveis com o objeto do contrato. COMPETÊNCIAS Planejar, organizar, dirigir e controlar as atividades operacionais do Conselho; Acompanhar e participar dos processos de licitação, envolvendo elaboração e publicação de editais, convite, seleção e cadastro de fornecedores até sua conclusão; Supervisionar e fiscalizar os serviços administrativos de aquisição de materiais e serviços, recebimento e expedição de correspondências em geral, administração e controle das instalações prediais do Conselho Organizar arquivo de documentos relativos a área contábil e financeira; Redigir correspondências e elaborar documentos com a finalidade de obter e/ou prestar informações e subsidiar a tomada de decisão superior; Controlar a movimentação bancária do CRB-5, acompanhando a emissão de cheques, ordens de pagamentos, débitos, créditos e saldos, quando autorizado; Conferir comprovantes contábeis e outros documentos simples relativos às operações de pagamento; Organizar e encaminhar a Assessoria Contábil do CRB-5 a documentação referente a prestação de contas mensal; Executar outras atividades correlatas. Realizar o controle da entrada e saída de pessoas, na recepção do CRB-5, registrando, quando necessário, dados pessoais, horários e outras informações sobre os visitantes; Protocolar e arquivar cópia de correspondência expedida e recebida; Executar serviços bancários seguindo a orientação do responsável da área; Auxiliar na realização de atividades de apoio administrativo, tais como fazer ligações telefônicas, enviar e receber fax, anotar recados e arquivar documentos em geral; Redigir e/ou conferir minutas de correspondências simples e rotineiras, desenvolvendo os textos específicos com a finalidade de obter e/ou prestar

147 145 CARGO BIBLIOTECÁRIA FISCAL informações; Digitar correspondências, memorandos, ofícios, relatórios, tabelas, gráficos ilustrativos e outros documentos administrativos; COMPETÊNCIAS Exercer a atividade de fiscalização profissional, no âmbito dos Estados da Bahia e Sergipe, por meio de visitas fiscalizatórias presenciais, inclusive as de caráter preventivo e educativo. Realizar diligências de fiscalização junto aos órgãos onde haja unidades de informação, bibliotecas, centros de documentação, serviços de informação e atividades afins, na região de abrangência do CRB-5, visando verificar o adequado cumprimento da legislação reguladora da profissão de Bibliotecário; Envio de correspondência a entidades e fiscalizados, sejam pessoas físicas e/ou jurídicas, bibliotecários ou não. Montagem e controle dos processos fiscalizatórios e da documentação a eles referentes, inclusive nos processos de natureza ética. Controle do andamento dos processos, com relação, inclusive, aos prazos processuais. Confecção de relatórios de fiscalização, demais ações inerentes e correlatas à função de Bibliotecário Fiscal. Conselheiros Titulares NOME CARGO Marcos Paulo Viana CRB - 5/1617 Presidente Antonio Edilberto Costa Santiago - CRB- 5/298 Vice-Presidente Livia Santos de Freitas- CRB-5/1478 Tesoureira Catiane Santos de Almeida Bittencourt 1ª Secretária CRB-5/1613 Emmanoella Patrocínio Ferreira - CRB- 2ª Secretária e Coord. 5/1671 Divulgação e Eventos Lidia Santos Costa- CRB-5/1450 Coord. Fiscalização Levi Alã Neves dos Santos CRB-5/1319 Membro Licitação José Antonio Santana do Nascimento Coord. Tomada de Contas CRB-5/1275 Aidil Silva Conceição CRB-5/1469 Membro Fiscalização e Licitação Lúcia Vera da Silva CRB-5/1119 Membro Tomada de Contas Conselheiros Suplentes NOME Flávia Catarino Conceição Ferreira CRB-5/1542 Valéria Aparecida Bari CRB-5/1552 Maria Aline Paixão Neves Pinheiro CRB-5/583 Membros Natos NOME INSTITUIÇÃO Ivana Aparecida Lins Gesteira- CRB-5/765 ICI UFBA

148 146 Conselheiros NOME: MARCOS PAULO VIANA CRB- 5: BA /O CARGO: PRESIDENTE PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA de 18/05/2013 ENDEREÇO: TV MANOEL VENCESLAU, 8, 1 ANDAR BAIRRO: URUGUAI CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: (71) OI NOME: ANTONIO EDILBERTO COSTA SANTIAGO CRB- 5: SE /O CARGO: VICE-PRESIDENTE PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA de 18/05/2013 ENDEREÇO: R MARIA REZENDE MACHADO, 1025 BAIRRO: ATALAIA CEP: CIDADE: ARACAJU ESTADO: SE TELEFONE: (71) (79) (79) NOME: LIVIA SANTOS DE FREITAS CRB- 5: BA /O CARGO: TESOUREIRA PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 ENDEREÇO: CJ FAZENDA GRANDE I 05/Q. D, RUA G BAIRRO: CAJAZEIRAS CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: (71) (71) NOME: CATIANE SANTOS DE ALMEIDA BITENCOURT CRB- 5: BA /O CARGO: 1ª SECRETÁRIA PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 ENDEREÇO: TV BURI, 94, CASA 03 BAIRRO: SETE DE ABRIL CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: (71) (71) NOME: EMMANOELLA PATROCÍNIO FERREIRA CRB- 5: BA /O CARGO: 1ª SECRETÁRIA PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 ENDEREÇO: COND VILLA FIESTA, 144, AP 804 BAIRRO: RESGATE CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: (71) (71)

149 147 NOME: AIDIL SILVA CONCEICAO CRB-5: BA /O CARGO: CONSELHEIRO PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 ENDEREÇO: R. MAJOR MARIVALDO TAPIOCA, 130-E BAIRRO: MASSARANDUBA CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO : BA TELEFONE: (71) (71) NOME: LEVI ALA NEVES DOS SANTOS CRB-5: BA /O CARGO: CONSELHEIRO PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 ENDEREÇO: TRAV. IRMAO VIEIRA, 9 BAIRRO: FAZENDA GRANDE CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO : BA TELEFONE: (71) (71) NOME: LIDIA SANTOS COSTA CRB-5: BA /O CARGO: CONSELHEIRO PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 COND PARALELA PARK, ED ALBANIA, 103, EIXO IV, AP 304 ENDEREÇO: 103/EI BAIRRO: PARALELA CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: (71) (71) NOME: LUCIA VERA DA SILVA CRB-5: BA /O CARGO: CONSELHEIRO PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 ENDEREÇO: R ENGENHEIRO ADHEMAR FONTES 309/APTO 201 BAIRRO: PITUBA CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: (71) (71) (71) NOME: JOSE ANTONIO SANTANA DO NASCIMENTO CRB- 5: BA /O CARGO: CONSELHEIRO PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 ENDEREÇO: R SAMAMBAIAS DE PIRAJA RESID VISTA DO MAR, AP 103 BAIRRO: PITUBA 64/BL 20 CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO : BA TELEFONE: (71) (71) (71)

150 148 CRB- NOME: FLAVIA CATARINO CONCEICAO FERREIRA BA /O 5: CARGO: CONSELHEIRO PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 ENDEREÇO: R DIREITA DA PIEDADE 18/CENTRO BAIRRO: BARRIS CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: (71) (71) (71) NOME: MARIA ALINE PAIXAO NEVES PINHEIRO CRB- 5: BA /O CARGO: CONSELHEIRO PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 ENDEREÇO: R AUGUSTO LOPES PONTES, 70, ED BAIA MARINE, BAIRRO: AP 1601/ALAMEDA COSTA AZUL CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: (71) (71) (71) NOME: VALERIA APARECIDA BARI CRB- 5: SE /O CARGO: CONSELHEIRO PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 ENDEREÇO: R ALEXANDRO MOTA PRADO Nº 244 BAIRRO: AEROPORTO CEP: CIDADE: ARACAJU ESTADO: SE TELEFONE: (79) (79) (79) NOME: IVANA APARECIDA LINS GESTEIRA CRB- 5: BA /O CARGO: MEMBRO NATO PUBLICAÇÃO DOU: CPF: PERÍODO GESTÃO: TRIÊNIO ATO DE NOMEAÇÃO: ATA DE SESSÃO SOLENE DE POSSE EM 04/01/2012 ENDEREÇO: ALAMEDA BENEVENTO, 177, APT 801, EDF FLAVIO BAIRRO: PITUBA CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: (71) (71) Setor Administrativo NOME: JACIARA ALVIM BORGES CRA CARGO: GERENTE ADMINISTRATIVO PUBLICAÇÃO DOU: CPF: CONTRATAÇÃO 01/10/2011 ATO DE NOMEAÇÃO: PORTARIA DE NOMEAÇÃO 19/2010 ENDEREÇO: DR. JOAO RIBEIRO CALDAS 18 B BAIRRO: SALVADOR CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: (71) (71)

151 149 NOME: NILMA MENDES DE ARAUJO CRC CARGO: TÉCNICA CONTABIL PUBLICAÇÃO DOU: CPF: CONTRATAÇÃO 18/08/2011 ATO DE NOMEAÇÃO: PORTARIA DE NOMEAÇÃO 09/2011 ENDEREÇO: AV ARTUR DA COSTA E SILVA, Nº 1964 BAIRRO: CENTRO CEP: CIDADE: AMELIA RODRIGUES ESTADO: BA TELEFONE: (75) (75) (75) NOME: SIMONE FREITAS ANDRADE CARGO: AGENTE ADMINISTRATIVO PUBLICAÇÃO DOU: CPF: CONTRATAÇÃO 15/07/1996 ATO DE NOMEAÇÃO: ATA PLENÁRIA Nº 304 DE ENDEREÇO: RUA VALDEMAR FALCÃO, Nº 28 BAIRRO: BROTAS CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: (71) (71) Bibliotecário Fiscal NOME: ANALICE FRAGA DE OLIVEIRA CRB-5 BA /O CARGO: BIBLIOTECÁRIA FISCAL PUBLICAÇÃO DOU: DOU. 08/04/2013 CPF: CONTRATAÇÃO 18/04/2013 ATO DE NOMEAÇÃO: PORTARIA DE NOMEAÇÃO 08/2013 ENDEREÇO: RUA PADRE FEIJÓ Nº 97 EDF. PADRE FEIJÓ BAIRRO: CANELA CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: Assessorias NOME: ROBERVAL NOBREGA EVANGELISTA CRC CARGO: ASSESSORIA CONTABIL PUBLICAÇÃO DOU: PF: CNPJ CPF: / CONTRATAÇÃO 01/01/ : ATO DE NOMEAÇÃO: ENDEREÇO: RUA SANTA FÉ, Nº 32E BAIRRO: PARIPE CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: NOME: EMANUEL LINS FREIRE VASCONCELLOS OAB CARGO: ASSESSORIA JURÍDICA PUBLICAÇÃO DOU: SEÇÃO 3 DE 30/01/2013 CPF: CONTRATAÇÃO 22/01/2013 ATO DE NOMEAÇÃO: ENDEREÇO: AV. PROFESSOR MAGALHAES NETO, 753, AP 107 BAIRRO: PITUBA CEP: CIDADE: SALVADOR ESTADO: BA TELEFONE: PJ: 5466

152 150 Informações sobre governança Projetos e atividades executadas Projetos Dia do Bibliotecário Bahia Atividades executadas Evento realizado pelo Conselho Regional de Biblioteconomia da Bahia - CRB-5 em parceria com a Fundação Pedro Calmon, Instituto de Ciência da Informação, Sistema de Bibliotecas, Biblioteca Pública do Estado da Bahia. O ano de 2013 teve como tema: O olhar da sociedade sobre o profissional Bibliotecário e este objetivou conhecer, discutir e refletir sobre a visão que a sociedade tem a respeito do exercício profissional do bibliotecário. O evento consistiu em uma mesa-redonda na qual contamos com convidados ilustres presentes para apresentar as experiências, trabalhos e expectativas sobre o fazer do profissional bibliotecário. Dia do Bibliotecário Sergipe Café-palestra realizado em Aracajú, SE, teve por tema: Biblioteconomia e Formação de Leitores, com a palestrante: Profª. Drª. Maria Isabel de Jesus Sousa Barreira, Professora do Instituto de Ciência da Informação, UFBA. O evento contou com a presença do Conselheiro Antonio Edilberto Costa Santiago, Presidente do CRB-5 (à época), Bibliotecários locais e estudantes de Biblioteconomia da Universidade Federal de Sergipe UFS. XVI EREBD N/NE XVI Encontro Regional de Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência e Gestão da Informação EREBD N/NE, ocorrido em Salvador entre os dias 14 a 20 de abril de O CRB-5 esteve presente e apoiou a realização deste evento por meio do fornecimento de material de escritório e local para as reuniões da Comissão do evento. Plano Municipal do Livro e da Leitura e da Biblioteca O CRB-5 esteve presente no Primeiro Encontro de Construção do Plano Municipal do Livro e da Leitura e da Biblioteca ocorrido em 16 de abril de 2013, no Auditório do Centro Cultural da Câmara Municipal do Salvador, onde estiveram presentes na mesa: Sr Antonio Carlos de Magalhães Neto (Prefeito), Sra. Célia Sacramento (Vice-prefeita), Sr. Edilberto Santiago (Presidente do CRB-5 e outras autoridades presentes). Após, foram realizadas diversas reuniões, encontros e conferências para articulação e desenvolvimento do PMLLB, culminando com o seu lançamento em 12 de dezembro de Plano Estadual do Livro e da Leitura e da Biblioteca No dia 23 de julho de 2013 houve reunião com os integrantes do Fórum Baiano do Livro, Leitura e Biblioteca para apresentação de propostas para o Plano Estadual do Livro e Leitura do estado da Bahia, que se encontrava aberto para consulta pública, realizada na Biblioteca Pública do Estado da Bahia. Parceria com Ministério Público do Estado da Bahia Foi firmado Termo de Cooperação Técnica entre o CRB-5 e o Ministério Publico do Estado da Bahia a fim de participar do Programa Ministério Público e os Objetivos do Milênio: Saúde e Educação de Qualidade para Todos, atuando em visitas nas escolas municipais e estaduais verificando a existência de bibliotecas nas mesmas, e em caso afirmativo, o estado em que esta se encontra.

153 151 Fiscalização - Censo Foram expedidos 353 ofícios para universidades, faculdades, colégios, escolas, prefeituras, secretarias, tribunais, procuradorias, museus, dentre outros órgãos/instituições do Estado da Bahia e Estado de Sergipe solicitando nome e número de CRB do profissional Bibliotecário. Destes, obteve-se resposta imediata de 286 respondentes num percentual de 81,01%. Destaca-se a informação prestada por algumas instituições que já estavam em pleno processo de seleção para a admissão de novos bibliotecários em seus quadros funcionais. Conferências de Cultura BA (Setorial de Bibliotecas) No campo da Cultura, o estado da Bahia realizou suas conferências envolvendo os diversos eixos de atuação cultural, dentre eles o das bibliotecas. O CRB5 esteve presente em todas as etapas preparatórias para a Conferência Estadual, mobilizando pessoas, integrando propostas e fazendo uso da palavra em defesa das bibliotecas. Nos dias 12 e 13 de outubro, o CRB5 esteve presente na Conferência Estadual de Cultura no município de Camaçari-Ba, com a participação do seu presidente e de alguns conselheiros, levando e defendendo propostas que foram levadas para a Conferência Nacional de Cultura realizada em Brasília no mês de dezembro/13. CINFORM Apoio do CRB5 a um evento em Salvador, que marca a discussão dentro das Ciências da Informação, promovido pela Universidade Federal da Bahia. Seminário Avante A Avante é uma ONG que realiza um trabalho social de longo alcance e um dos seus principais eixos de ação é voltado para a Leitura. Esta instituição recebe o apoio do Instituto C&A e realizou um Seminário nos dias 11 e 12 de novembro/13, onde o CRB5 recebeu convite para participação e esteve presente em todo o evento, que contou ainda com lançamento de livro e apresentação músico-literária da cantora Adriana Calcanhoto. Demonstração da Execução da Despesa para Atingir os Objetivos Estratégicos do Exercício Objetivo Estratégico 1 Integração das atividades CRB-5 2 Ações Políticas do CRB-5 3 Ações para aprovação do PL 3227/ Ações de Fiscalização do CRB-5 5 Processos de Fiscalização Orçamento Inicial Não houve despesa quanto a este objetivo Diárias - R$ 7.500,00 Não houve despesa quanto a este objetivo Comunicação R$ 7.015,00 Diárias - R$ 7.500,00 Passagem R$ 5.150,00 No período não foram tramitados processos de fiscalização Despesa Empenhada e Liquidada Não houve despesa quanto a este objetivo R$ 330,00 Não houve despesa quanto a este objetivo R$ 2.541,60 R$ 3.000,00 R$ 895,26 Não houve despesa quanto a este objetivo 6 Promoção a requalificação do profissional bibliotecário Não houve despesa quanto a este objetivo Não houve despesa quanto a este objetivo

154 Visibilidade do papel técnico e social do profissional bibliotecário Sítio do CRB-5/Veiculação das atividades do CRB-5 Comunicação R$ 7.015,00 Festividades R$ 8.000,00 Não houve despesa quanto a este objetivo R$ 6.760,00 Dia do Bibliotecário e CINFORM Não houve despesa quanto a este objetivo Avaliação, feita pelo presidente do CRB, sobre a qualidade e suficiência dos controles internos administrativos instituídos para garantir a consecução dos seus objetivos estratégicos, considerando os componentes a seguir: a) Ambiente de controle O ambiente de controle interno é constituído dos seguintes agentes: conselheiros diretores, gerente administrativo, técnico contábil, assistente administrativo, bibliotecária fiscal, assessor jurídico e contábil, sendo o controle interno atividade delegada a cada um dos agentes. Toda atividade interna é iniciada pela diretoria e suas comissões, assim como por parte do gerente e assistente administrativo. Às assessorias compete a revisão dos processos e das demandas geradas e nesse quesito é estabelecido um processo interno de auditoria. O ambiente de controle corresponde às demandas atribuídas pela diretoria e operacionaliza as ações e controle com qualidade e eficiência próprias do Serviço Público. b) Avaliação de risco Quanto à qualidade e suficiência dos controles internos administrativos, visando à avaliação de risco, executados pelo CRB-5, estes indicam que o órgão ainda não possui uma política instituída para avaliação integral de riscos. O que se verifica é uma ação atenuante no sentido de minimizar riscos, erros e consecutivamente prejuízos e essa ação corresponde à consulta a legislações correlatas às ações ligadas a execução financeira, práticas de licitação, atendimento de demandas bibliotecárias e outras. Pode-se concluir que há a necessidade de se traçar um perfil de risco da instituição a fim de identificar a série de riscos ligados aos objetivos propostos com vistas a determinar a sua probabilidade de ocorrência e significância. c) Atividades de controle As atividades de controle são executadas no âmbito do CRB-5 visando assegurar que as ações realizadas estejam de acordo com os resultados desejados e considerando os princípios da administração pública. O sistema de controle interno do CRB-5 está desenvolvido com base na elaboração do planejamento de metas e previsão orçamentária anual, e são esses dois documentos que irão fundamentar e nortear as ações a serem realizadas, visto que um é constituído dos objetivos a serem alcançados e o outro da dotação orçamentária anual disponível para a concretização de tais objetivos. A qualidade e suficiência da atividade de controle desenvolvida pelo CRB-5 são consideradas adequadas na medida em que considera a conformidade dos atos de gestão, os princípios básicos da administração pública e os objetivos e metas estabelecidos pela unidade. E ainda, é um processo realizado pela diretoria e todos os níveis de gerência visando uma segurança razoável das ações praticadas.

155 153 d) Informação e comunicação A qualidade e suficiência dos controles internos administrativos visando a informação e comunicação passou por fases críticas dentro do âmbito do CRB-5, porém na atualidade, é visível o valor que a informação e comunicação alcançaram dentro da instituição. Verifica-se um valor de confiabilidade e exatidão nas informações presentes nos documentos, registros e relatórios, assim como em base de dados gerencial e financeira, e isso decorre de esforço contínuo de organização e tratamento das informações geradas e processadas pelo CRB-5. Os processos realizados pela instituição são devidamente documentados e isso permite a realização de um controle interno mais acurado e ágil. O processo de comunicação interno e externo passa por processo de adaptação às novas determinações legais da Lei de Acesso à informação, porém, quanto aos requisitos do princípio da publicidade necessários para a validade dos atos administrativos, são cumpridos conforme determina a Constituição Federal em seu art. 37. e) Monitoramento Os controles internos administrativos instituídos para garantir a consecução dos objetivos estratégicos tendo por base o monitoramento são realizados com base nas atividades de rotina e de avaliação, com a qualidade e a suficiência adequadas. O monitoramento é função gerencial e de competência da Diretoria do CRB-5, juntamente com o apoio da assessoria contábil e jurídica. Esse monitoramento é feito considerando-se os elementos financeiros e ações pretendidas e necessárias, e tem duas esferas: uma interna e outra externa. Sendo a interna realizada pela diretoria e assessores e a externa por meio do Conselho Federal de Biblioteconomia por meio da avaliação dos balancetes mensais encaminhados a esta entidade. A qualidade e a suficiência do monitoramento são consideradas adequadas pelo CRB-5, porém, necessitam de maior aprofundamento, visto que os resultados advindos da ação de monitoramento recaem sobre fatos que demandam ação imediata para que não ocorra erro ou perda. Assim, o monitoramento necessita ser realizado visando um alcance maior de atividades, componentes e elementos. Indicadores de Gestão Objetivo Estratégico 4. Integração das atividades do CRB-5 5. Ações Políticas do CRB-5 6. Ações de Fiscalização CRB-5 7. Processos de Fiscalização 8. Promoção e requalificação do profissional bibliotecário 9. Visibilidade do papel técnico e social do profissional bibliotecário Indicadores estratégicos atribuídos Trabalho integrado entre as comissões do CRB-5 Aumento do nº de vagas em concursos para os bibliotecários e criação de bibliotecas públicas e escolares Nº de visitas realizadas mês a mês e nº de profissionais regularizados. Nº de ações em andamento e prazos cumpridos x nº de visitas realizadas, autos de constatação e infração aplicados. Nº de cursos de capacitação e atualização profissional promovidos pelas entidades mencionadas x demanda. s, ofícios e mala direta expedidos e divulgação nas mídias sociais.

156 Sítio do CRB-5/Veiculação das atividades do CRB-5 Aumento de acessos verificados e publicação de Boletim Eletrônico Objetivo estratégico 1: Integração das atividades desenvolvidas pelas comissões do CRB-5 Indicador Estratégico Trabalho integrado entre as comissões do CRB-5 Buscar a integração das comissões do CRB-5 a fim Objetivo de que o trabalho de cada comissão possa ser realizado da melhor maneira possível. Fórmula do Indicador Estratégico Número de ações promovidas pelas comissões mencionadas do CRB-5. Periodicidade Anual Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 Avaliação sobre o desempenho A meta foi cumprida em um percentual de 60%. Análise crítica: O objetivo estratégico foi atingido, mas não em sua plenitude, visto existir diversos fatores externos que contribuem para a não participação maciça dos Conselheiros nas atividades desenvolvidas pelo CRB-5, como, por exemplo: deficiência de tempo dedicado às atividades do CRB-5, vínculos empregatícios com horários e atividades rígidas, dedicação e interesse por parte do conselheiro e diversos outros. Objetivo estratégico 2: Ações Políticas do CRB-5 Indicador Estratégico Aumento do nº de vagas em concursos e criação de bibliotecas públicas e escolares Objetivo Aumentar o alcance político das ações do CRB-5 Número de vagas em concursos públicos visando à contratação de bibliotecários no Estado da Bahia e Fórmula do Indicador Estratégico Sergipe e criação de bibliotecas públicas e escolares. Periodicidade Anual Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 Avaliação sobre o desempenho Fonte: Sistema de Gestão por Indicadores A meta não foi cumprida visto que os resultados visualizados frente às prefeituras e estado na jurisdição não foram alcançados. Análise crítica: O resultado alcançado não foi significativo e isso ocorreu em função de haver uma deficiência muito grande quanto ao aparelho biblioteca nos municípios da região e dificuldade quanto à conscientização dos agentes políticos sobre a necessidade de se investir em cultura, educação, hábitos de leitura e consecutivamente em bibliotecas e profissionais habilitados para esse espaço. Porém, verifica-se que o passo inicial já foi dado com a assinatura do Convênio entre o CRB-5 e o MPE-Ba e os frutos dessa atuação conjunta são esperados a longo e médio prazos. Vale ressaltar que o CRB-5 esteve atento a todos os editais públicos de concurso, impugnando os que distorciam consideravelmente seu objeto, ou ainda notificando e exigindo adequações à legislação vigente.

157 155 Objetivo estratégico 3: Ações de Fiscalização CRB-5 Indicador Estratégico Nº de visitas realizadas mês a mês e nº de profissionais regularizados Aumentar a Fiscalização Preventiva em 30% em relação ao exercício de 2012, estimulando a Objetivo abertura de novos postos de trabalho para o profissional bibliotecário. Número de visitas realizadas mês a mês e número Fórmula do Indicador Estratégico de profissionais regularizados Periodicidade Mensal Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 A meta foi cumprida, porém, com desdobramentos Avaliação sobre o desempenho e ações diversas. Fonte: Sistema de Gestão por Indicadores Análise crítica: O objetivo estabelecido para o ano de 2013 foi alcançado em termos de profissionais bibliotecários, que tiveram sua condição regularizada junto ao CRB-5, porém, não foram realizadas visitas no período em função da bibliotecária-fiscal estar em período de treinamento e adaptação. A ação adotada para o alcance dessa meta foi a realização do censo bibliotecário, que consistiu no envio de ofícios a todas as instituições públicas e privadas que possuem em sua estrutura uma biblioteca, para obter informações quanto a existência do profissional bibliotecário, sua condição de contratação e seu registro no CRB-5, visando identificar os profissionais que estavam de fato em atividade e as instituições relacionadas. Objetivo estratégico 4: Processos de Fiscalização Indicador Estratégico Nº de ações em andamento e prazos cumpridos x nº de visitas realizadas, autos de constatação e infração aplicados. Atingir 50% de abertura, prosseguimento e resolução dos Objetivo processos oriundos da atividade fiscalizatória. Número de ações em andamento e prazos cumpridos x nº Fórmula do Indicador Estratégico de visitas realizadas, autos de constatação e infração aplicados. Periodicidade Trimestral Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de A meta não foi cumprida visto que a atividade Avaliação sobre o desempenho fiscalizatória no ano de 2013 tomou rumo diverso do que planejado. Fonte: Sistema de Gestão por Indicadores Análise crítica: No ano de 2013 não foram emitidos autos de constatação e infração visto que o período foi dedicado à realização do censo bibliotecário.

158 156 Objetivo estratégico 5: Promoção a requalificação do profissional bibliotecário Indicador Estratégico Nº de cursos de capacitação e atualização profissional promovidos pelas entidades mencionadas x demanda pelos mesmos. Dar apoio e fazer parcerias para realização de iniciativas Objetivo que promovam a requalificação e atualização do profissional do Bibliotecário. Número de cursos de capacitação e atualização Fórmula do Indicador Estratégico profissional promovidos pelas entidades mencionadas x demanda. Periodicidade Anual Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 Avaliação sobre o desempenho A meta não foi alcançada plenamente. Fonte: Sistema de Gestão por Indicadores Análise crítica: A meta estabelecida não foi alcançada plenamente porque não houve condições adequadas para o alcance de 80%. Mas deve-se ressaltar que, em 2013, houve um acréscimo nas parcerias direcionadas para a capacitação e atualização profissional, em temas diretos ou correlatos à profissão bibliotecária. Citamos a parceria com o Instituto Goethe Salvador na realização de Seminário voltado à biblioteca escolar e seu profissional, com a Fundação Pedro Calmon, Instituto de Ciências da Informação da UFBA e seu Sistema de Bibliotecas para realização do evento em comemoração ao Dia do Bibliotecário (12 de março), com a EDOC Consultoria apoiando o EDOC Salvador (capacitação interna voltada aos Conselheiros com 2 participações), dentre outras. Lembramos foi um ano atípico, com maior fôlego para as atuações políticas dentro dos Planos Municipal e Estadual do Livro, Leitura e Biblioteca de Salvador e da Bahia, respectivamente, bem como nas atuações junto ao Programa O MP e os Objetivos do Milênio Educação e saúde de qualidade para todos, do Ministério Público do estado da Bahia. Objetivo estratégico 6: Visibilidade do papel técnico e social do profissional bibliotecário Indicador Estratégico s, ofícios e mala direta expedidos e divulgação nas mídias sociais. Dar maior visibilidade ao papel técnico e à função social do profissional bibliotecário visando Objetivo sensibilizar os dirigentes de empresas e instituições públicas e privadas. Número de s, ofícios e mala direta expedidos Fórmula do Indicador Estratégico como também a divulgação nas mídias sociais. Periodicidade Anual Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 Avaliação sobre o desempenho A meta foi alcançada. Fonte: Sistema de Gestão por Indicadores Análise crítica: Foram enviadas correspondências às instituições públicas e privadas abordando o papel social do bibliotecário e a importância de ter um profissional regular. Além disso, foi criado mais um canal de comunicação na rede social Facebook, que ampliou nosso raio de alcance para divulgação.

159 157 Objetivo estratégico 7: Sítio do CRB-5/Veiculação das atividades do CRB-5 Indicador Estratégico Aumento de acessos verificados e publicação de Boletim Eletrônico Objetivo Aumentar o alcance político das ações do CRB-5 Fórmula do Indicador Estratégico Quantidade de acessos verificados e quantitativo de Boletins Eletrônicos editados anualmente. Periodicidade Anual Meta para o ano de 2013 Aumento em 30% dos acessos verificados e publicação de 1 boletim anual Data da última medição 31 de dezembro de 2013 Avaliação sobre o desempenho A meta não foi cumprida. Fonte: Sistema de Gestão por Indicadores Análise crítica: A meta para publicação do boletim anual não foi cumprida conforme almejado em função de não haver trabalho técnico realizado nesse sentido. Entretanto, ressalte-se que, apesar da não confecção do Boletim Eletrônico, foi utilizado bastante o serviço de . Com relação ao site, não temos como informar a respeito dos acessos, pois o contador que tínhamos deu problema e estamos preparando um novo para Relacionamento com a Sociedade Os canais de acesso aos cidadãos adotados pelo CRB-5 e disponíveis à sociedade para atender as demandas de solicitações, reclamações, denúncias e outros são: Atendimento via telefone (71) / ; Correspondências endereçadas: Rua Miguel Calmon, nº 40, Edifício Conde dos Arcos, sala Comércio - CEP: Salvador/BA; Facebook - https://www.facebook.com/pages/crb-5/ ?fref=ts Formulário via site (conforme imagem a seguir). /site / / Figura 6 Página do CRB-5 formulário para contato

160 158 O site do Conselho Regional de Biblioteconomia 5ª Região está estruturado da seguinte forma: Institucional: informações referentes a datas de reuniões da diretoria e da plenária, bem a formação da atual gestão e das comissões. Registro: contém informações para inscrição no CRB-5, ou seja, para obter o registro profissional (pessoa física), exclusivo para aqueles que concluíram o curso de biblioteconomia e documentação. Já para pessoa jurídica recomendamos entrar em contato com a Secretária do CRB-5 a fim de obter todas as informações para registro da empresa. Legislação: disponibilizado material de cunho legislativo referente à profissão do bibliotecário, incluindo o Código de Ética. Informativo: publicação do CRB-5, com periodicidade mensal, divulgando informações relacionadas com a área de biblioteconomia, documentação e ciência da informação. Movimentação de processos: resultados dos processos que foram julgados nas plenárias (ex: solicitação de registro, transferência, licenças, etc.). Fiscalização: apresenta os procedimentos de registro de uma denuncia. Fiscalizar o exercício da profissão é responsabilidade de todos os bibliotecários (Lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962). Contato: endereço do CRB-5. Eventos/Novidades: principais eventos na área de biblioteconomia, documentação e ciência da informação. Links interessantes: links de interesse para o profissional bibliotecário, como: endereços de instituições, periódicos eletrônicos entre outros. Figura 7 Página do CRB-5 A periodicidade de divulgação ocorre de forma diferenciada. Informações relativas aos processos oriundos de plenárias ocorrem a cada 2 meses. Quanto às demais informações, são disponibilizadas tão logo estejam disponíveis ao CRB-5. As medidas adotadas pelo Regional com vistas ao cumprimento das normas relativas à acessibilidade, em especial a Lei /2000, o Decreto 5.296/2004 e as normas técnicas da ABNT aplicáveis, foram:

161 159 No quesito Atendimento prioritário: o CRB-5 privilegia plenamente o atendimento às pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida; No quesito Da implementação da acessibilidade arquitetônica e urbanística: o CRB-5 apresenta instalações adequadas de modo a atender à comunidade e pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida; funciona em uma sala no 1º andar, com acesso por elevador e portas de entrada suficientemente largas, com medidas acima do que propõe a NBR 9050, porém, seu interior não dispõe de sinalização acessível e falta adequação dos sanitários; No quesito Do acesso à informação e à comunicação: o CRB-5 não apresenta resultados nesse sentido, porém, serão realizados estudos para adequação e atendimento às legislações: a Lei /2000, o Decreto 5.296/2004 e as normas técnicas da ABNT aplicáveis. Canais de comunicação utilizados pelo Regional para dar publicidade às ações e transparência à gestão: Publicação de atos normativos, licitações e outros em DOU; Site do crb-5: ; Mala direta; Facebook. Ambiente de Atuação Pessoa Física Pessoa Jurídica Inscritos Ativos Inativos Licença Temporária Cancelamento por aposentadoria * Total Riscos de mercado e as estratégias para mitigá-los O CRB-5 identifica e sinaliza os riscos de mercado, mas acredita que as estratégias devem ser discutidas no âmbito do Sistema CFB/CRBs para se ter ações unificadas, vez que são comuns a todos. A ausência de visibilidade perante a sociedade sobre a importância do papel do profissional bibliotecário; Falta de abertura de novos campos de atuação para o profissional; Leis que fragilizam a profissão; Concorrência com outros profissionais dentro de um mesmo campo de atuação (sombreamento); Carência de pareceres jurídicos de renomados juristas nas grandes questões que atingem a profissão Dívida Ativa; Desregulamentação da profissão; Falta de definição mais criteriosa das atividades e competências dos profissionais de Biblioteconomia; Baixa demanda pelo curso de Biblioteconomia.

162 160 Principais mudanças de cenários ocorridas nos últimos exercícios Participação ativa do Ministério Público do Estado da Bahia (MPE-BA) em Programa voltado para a promoção da saúde e educação de qualidade em sua área de jurisdição. Isso tem permitido atuação conjunta do CRB-5 por meio de convênio firmado junto à instituição, que permite acompanhar o MPE em visitas às unidades escolares com vistas a avaliar o equipamento biblioteca situado em escolas de diversas cidades do estado da Bahia, como força para implementação da Lei Federal /2010 de Universalização de Bibliotecas Escolares; Reuniões diversas do Fórum Baiano do Livro, Leitura e Biblioteca, composto por entidades públicas e da sociedade civil, para debater o livro, a leitura, a cadeia produtiva, o profissional mediador da informação (bibliotecários, pedagogos, auxiliares de bibliotecas e outros), no processo de construção dos Planos Estadual do Livro e Leitura e Municipal do Livro, Leitura e Biblioteca do município do Salvador. Neste último, coube ao CRB-5 assento no Conselho Executivo; Mobilização de parlamentares no âmbito do município do Salvador e do Estado da Bahia (no plano estadual e federal) para levar adiante a luta por ampliação de mercado de trabalho, melhorias nas condições das bibliotecas públicas e escolares e acesso a novos recursos financeiros ou aumento de alguns que já existem. Planejamento e Resultados Alcançados No exercício de 2013, destacamos especialmente o censo bibliotecário, que possibilitou um desenho de como se encontra os estados da Bahia e de Sergipe com relação ao mercado e seus profissionais. Uma ação de baixíssimo custo com um alcance acima das expectativas, que nos trouxe um retorno que seria impossível ao longo de uma gestão inteira com visitas in-loco, e que contribuiu para atingir o dispositivo constitucional da Eficiência, assim traduzido pela Ilma Profa Maria Sylvia Di Pietro (1998, p ): Relativamente à forma de atuação do agente público, espera se o melhor desempenho possível de suas atribuições, a fim de obter os melhores resultados; Quanto ao modo de organizar, estruturar e disciplinar a Administração Pública, exige se qu e este seja o mais racional possível, no intuito de alcançar melhores resultados na prestação dos serviços públicos. Destarte, pode-se citar ainda o alcance ao princípio da Legalidade, pois tudo que a gestão realiza é baseada nos princípios legais e seus dispositivos, obrigação de qualquer agente público a serviço da sociedade. Como 2013 foi o ano de posse da nova bibliotecária-fiscal, o CRB5 não quis perder tempo aguardando o período de treinamento. Repassamos toda a legislação afim e correlata, além dos manuais internos do Sistema CFB/CRB e a nova bibliotecária-fiscal se preparou com os conhecimentos necessários e trabalhou bastante junto à Comissão de Fiscalização e à Secretaria Administrativa para obter o êxito e a eficiência necessários, o que culminou com alcance de metas de fiscalização não experimentado anteriormente. O foco político em que atuou a gestão, em especial sua Diretoria, serviu para abrir muitas portas e dar privilégios em espaços e contextos em que se discutem leis, avanços, atuação profissional, mercado de trabalho, etc., aumentando a visibilidade profissional e de atuação institucional do CRB-5. Contratamos a prestação de serviços da Spiderware Consultoria em Informática Ltda., licitada pelo CFB e renovada prestação por meio do Termo Aditivo, reajustada pela variação do INPC, o mesmo índice de reajuste do valor de mercado profissional. Em 2011 foi investido com a SPW o

163 161 valor de R$ 8.800, em 2012 R$10.408,84 e em 2013 R$10.899,51. Não houve reflexo dos reajustes praticados sobre resultados obtidos. Tópicos especiais da execução orçamentária e financeira Informações sobre suprimento de fundos A Portaria CRB-5 Nº 01/2013 dispõe sobre autorização, abertura e aplicação de Suprimento de Fundos pelo CRB-5 no valor de R$ 300,00 mensais, sendo que o valor unitário das despesas efetuadas a partir do suprimento de fundos não poderá ultrapassar o valor de R$ 60,00 (sessenta reais). A prestação de contas ocorre no final de cada mês e o saldo restante é depositado em conta bancária do CRB, até o último dia útil do mês em curso. Em 2013 o valor gasto do suprimento de fundos foi de R$ 1.125,95. Informações sobre despesas com ações de publicidade e propaganda, contemplando: a) classificação em publicidade institucional, legal, mercadológica, de utilidade pública, incluindo os respectivos beneficiários, bem como os respectivos custos. Foram criadas peças publicitárias (2 banners e 200 cartazes) de cunho institucional a fim de divulgar o Dia do Bibliotecário em diversas instituições na cidade de Salvador. O custo oriundo desta ação foi no valor de R$ 485,00 (quatrocentos e oitenta e cinco reais). b) demonstração dos principais resultados das ações de publicidade e propaganda para os objetivos do Regional A ação de publicidade explicitada acima corresponde ao Programa Sítio do CRB- 5/Veiculação das atividades do CRB-5, ligada à comissão de divulgação e pertencente ao Plano de Metas para o Exercício de O resultado alcançado foi a ampla divulgação das atividades relacionadas ao Dia do Bibliotecário na cidade de Salvador para a comunidade de bibliotecários, estudantes, docentes e profissionais diversos. Informações sobre doações e patrocínios No período em questão o CRB-5 não teve doações de nenhuma espécie, porém foi contemplado com patrocínio no valor de R$ 600,00 realizado pela Livraria e Distribuidora Multicampi Ltda. como contribuição para a comemoração do Dia do Bibliotecário. Gestão de pessoas, terceirização de mão de obra e custos relacionados Tipologias dos Cargos Lotação Efetiva Ingressos no Exercício Egressos Exercício no 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Total de Funcionários (1+2) 4 0 0

164 162 Tipologias do Cargo Quantidade de Funcionários por Faixa Etária Até 30 anos De 31 a 40 anos De 41 a 50 anos De 51 a 60 anos Acima de 60 anos 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Totais (1+2) Despesas com Pessoal Vencimentos Valores R$ Salários e Gratificações ,91 Férias e 13º Salário ,58 Indenizações 1.660,87 Benefícios Assistenciais e Previdenciários 0 Encargos Sociais 28,342,71 Demais Despesas Variáveis ,50 TOTAL ,86 LEGENDA Salários e Gratificações Salário / Salário de Cargo em Comissão / Adicional de Insalubridade /Adicional de Periculosidade/ Adicional de Tempo de Serviço / Adicional Noturno / Aviso Prévio Cumprido (Trabalhado) / Gratificação de Função (não eventual) Férias e 13º Salário 13º Salário / Férias / Adicional de Férias 1/3 (Art. 7º inciso XVII da Constituição Federal) Indenizações Aviso Prévio Indenizado / Férias Indenizadas / 13º Indenizado / Multa Rescisória / Decisões Judiciais / Indenizações por tempo de serviço como não-optante - Outras Indenizações Trabalhistas Benefícios assistenciais e previdenciários Assistência Médica / Auxílio-Creche / Alimentação / Outras Assistências Encargos Sociais Previdência Social, Fundo de Garantia, PIS/Pasep. Demais despesas variáveis Abono Pecuniário (opcional) / Ajudas de Custo / Horas Extraordinárias / Substituição / Gratificação de Função (eventual) / Outras Vantagens pagas a Pessoal / Transporte / Alimentação incluídos pelo CRB-5 O Conselho Regional de Biblioteconomia não possui contratos de Prestação de Serviços de Limpeza e Higiene e Vigilância Ostensiva. Descrição das iniciativas do Regional para capacitação e treinamento dos servidores nele lotados O Conselho Regional de Biblioteconomia da 5ª região não promove diretamente iniciativas de capacitação, porém, por ser subordinado diretamente ao Conselho Federal de Biblioteconomia e às suas normas e regulamentos, a cada ano participa ativamente dos workshops promovidos pelo CFB e encaminha o seu corpo técnico administrativo conforme as temáticas abordadas em cada encontro. Principais riscos identificados na gestão de pessoas da unidade jurisdicionada e as providências adotadas para mitigá-los Os riscos identificados na gestão de pessoas estão relacionados a possível saída de mão de obra qualificada e treinada nas rotinas e processos relacionados ao CRB-5 para o mercado em geral. Essa situação é passível de ocorrer em razão de salários e benefícios não corresponderem à realidade praticada em diversas organizações públicas e privada.

165 163 Para mitigar ou minimizar tal situação, o CRB-5 procede à adoção do Plano de Cargos e Salários e realiza o enquadramento funcional e salarial das funcionárias periodicamente e em conformidade com nossa capacidade orçamentária e financeira. Gestão do patrimônio mobiliário e imobiliário O Regional tem sede própria? Valor comercial do imóvel em 2013: Não houve pesquisa de mercado em 2013 Valor do imóvel na guia de IPTU: R$ ,60 *Custos em Reais com a manutenção do imóvel: R$ ,66 O Regional possui automóvel? Dados do automóvel: O Regional possui imóvel alugado a terceiros? *Manutenção do Imóvel 2013 Condomínio Energia Taxa de Ocupação R$ ,61 Limpeza da Sala Sim CRB-5 não possui automóvel Não Materiais de Limpeza Total R$ 3.659,16 R$ 652,27 R$ 3.142,80 R$ 1.094,82 R$ ,66 Gestão da tecnologia da informação Informações sobre sistemas computacionais que estejam diretamente relacionados aos macroprocessos finalísticos e objetivos estratégicos do Regional: SPW Spiderware Informática. Módulos relacionados e suas funções: Cadastro: Cadastrar e controlar os dados dos cadastros (registro) de Pessoa Física (Profissional), Pessoa Jurídica (empresa), individual, pessoa física sem registro e pessoa jurídica sem registro. Emissão: Certidões; Carteira Profissional; Relatórios estatísticos; Etiquetas; Geração de ; Exportação dos Cadastros para Conselho Federal. Exportação dos relatórios para Excel,Word, PDF e HTML. Emissão de Alvará. Financeiro: Controlar débitos e pagamentos dos cadastros (registro) de Pessoa Física (Profissional), Pessoa Jurídica (empresa), individual, pessoa física sem registro e pessoa jurídica sem registro. Emissão: Relatório dos Débitos; Relatório dos Pagamentos; Guias de Anuidade em lote e avulsa; Guias de anuidade em ficha de compensação; Emissão de Relatório de pagamentos compatível com as contas da Contabilidade. Histórico dos pagamentos efetuados com quebra pelos seus diversos campos; Emissão de notificação de débito para posterior inclusão Divida Ativa; Exportação de Guias para Gráfica; Exportação de Guia Layout do Banco BB ou Caixa; Relatórios Gerenciais de Pagamentos Posição da Anuidade; Relatórios Gerenciais de Débitos. Dívida Ativa: Controlar a inscrição e andamento de débitos vencidos da dívida ativa. Emissão: Impressão do Livro de Dívida Ativa; Impressão do Termo de Dívida Ativa; Impressão da Notificação de Dívida Ativa; Impressão de Certidão de Dívida Ativa; Impressão de DARF; Impressão de Petição. Fiscalização: Cadastrar e controlar as visitas e documentos emitidos pela fiscalização, bem como o cadastramento e controle dos processos gerados. Emissão: Relatórios das visitas (completo, simplificado, agrupados por fiscal, tipo de visita, situação, origem e cidade); relatório de documentos (emitidos, respondidos e vencidos); relatórios de Processos; Etiquetas para geração de capas de processos; Relatório de Recibos; Relatório de

166 164 veículos (Origem, destino, despesas); Estatístico das visitas (por fiscal, cidade); Estatístico dos Documentos. Processo e Protocolo: Cadastrar e controlar os processos e protocolos do Conselho e seus andamentos. Emissão: Relatórios dos Processos e Protocolos; Etiquetas dos Processos e Protocolos; Relatórios dos documentos emitidos; Relatório de encaminhamentos. Eleição (com votação via Internet): Elaborar a listagem de votação para eleição do Conselho, verificando aptidão dos profissionais. Emissão: Impressão dos Relatórios de votação (votação, não votantes, justificativas); Emissão de guias de cobrança (não votantes e profissionais que não justificaram); Relatórios de aptos a votar, não aptos a votar e dos votantes do interior; Mala Direta dos votantes do interior; Geração de arquivos com layout para Urna Eletrônica do TRE; Estatísticos; Contabilidade: Controlar o movimento contábil do conselho. Emissão: Empenho; Diário; Razão; Balancete Financeiro; Balancete Patrimonial; Balancete Patrimonial Comparado; Execução Orçamentária; Balanço Patrimonial; Balanço Financeiro; Variações Patrimoniais; Fluxo Financeiro. Até a presente data não houve necessidade de novos sistemas informatizados ou funcionalidades adicionais aos já utilizados. Empresa Objeto Despesa 2013 Vigência Aditivo Total do Spiderware Consultoria em Informática Ltda., situado à Rua Mayrink Veiga, 11/804 e Centro - Rio de Janeiro. Direito de utilização e manutenção dos seguintes sistemas: cadastral, financeiro, fiscalização, divida ativa, eleição, cursos, contabilidade, diárias e passagens, bens patrimoniais, processo e protocolo e consulta cadastral pela internet. R$ ,00 2/1/2013 a 31/12/2013

167 165 Apuração dos resultados Quadro 55 - Balanço Orçamentário 2013 CRB-5 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Data : Balanço Orçamentário Hora : 07:49 RECEITA Conta Descrição Orçado Realizado Diferença 1 R E C E I T A S C O R R E N T E S RECEITA DE CONTRIBUIÇOES RECEITA PATRIMONIAL RECEITAS DE SERVIÇOS OUTRAS RECEITAS CORRENTES SOMA DA RECEITA DÉFICIT 0 T O T A L DESPESA Conta Descrição Orçado Realizado Diferença 3 D E S P E S A S C O R R E N T E S DESPESAS DE CUSTEIO TRANSFERENCIAS CORRENTES DESPESAS DE CAPITAL INVESTIMENTOS SOMA DA DESPESA SUPERÁVIT T O T A L MARCOS PRESIDENTE PAULO VIANA - CRB 5ª TESOUREIRA LIVIA - CRB SANTOS 5ª DE FREITASROBERVAL NOBREGA BA CRC EVANGELISTA /O-0 C.P.F C.P.F C.P.F

168 166 Quadro 56 Balanço Patrimonial 2013 CRB-5 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Data : Balanço Patrimonial - Ativo Hora : 07:49 Conta Descrição Saldo Inicial Saldo Atual 5 A T I V O D 51 ATIVO FINANCEIRO D 511 DISPONIVEL D 5112 BANCOS C/MOVIMENTO D BANCO DO BRASIL D 5113 BANCOS C/ARRECADACAO D BRASIL C/C D 512 DISPONIVEL VINC C/C BANCARIA D 5122 BANCOS C/VINC APLIC FINANC D BANCO DO BRASIL - C/C D POUPANÇA BANCO DO BRASIL VARIAÇÃO D 513 REALIZAVEL D 5132 DEVEDORES DA ENTIDADE D ADIANTAMENTO FÉRIAS D ADIANTAMENTO DE 13 SALARIO D ADIANTAMENTOS DIVERSOS D 514 RESULTADO PENDENTE D 5141 DESPESAS A REGULARIZAR D IMPOSTOS A RECUPERAR D 52 ATIVO PERMANENTE D 521 BENS PATRIMONIAIS D 5211 BENS MOVEIS D MOBILIARIO EM GERAL D MAQUINAS, MOTORES E APARELHOS D EQUIPAMENTOS DIVERSOS D 5212 BENS IMOVEIS D OBRAS E INSTALAÇÕES D OUTROS BENS IMOVEIS D 522 CREDITOS D 5221 DIVIDA ATIVA D DIVIDA ATIVA - OUTROS D 53 ATIVO TRANSITORIO D 531 EXECUCAO ORCAMENT DA DESPESA D 5311 DESPESAS CORRENTES D 55 REFLEXO PATRIMONIAL D 551 VARIACOES PASSIVAS D 5511 DEPEND EXEC ORCAMENTARIA D EXECUCAO ORCAMENT DA DESEPESA D Fim do Relatório CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Pág. : 2 Sistema de Contabilidade Data : Balanço Patrimonial - Passivo Hora : 07:49 Conta Descrição Saldo Inicial Saldo Atual M A R C OS PA U LO V IA N A LIV IA SA N TOS D E FR EITA S R OB ER V A L N OB R EGA EV A N GELISTA PRESIDENTE - CRB 5ª TESOUREIRA - CRB 5ª BA CRC / O-0 C.P.F C.P.F C.P.F

169 167 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Pág. : 3 Sistema de Contabilidade Data : Balanço Patrimonial - Passivo Hora : 07:49 Conta Descrição Saldo Inicial Saldo Atual 6 P A S S I V O C 61 PASSIVO FINANCEIRO C 611 DIVIDA FLUTUANTE C 6111 RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO C PROCESSADOS C CONTAS A PAGAR C 6112 DEPOSITOS DE DIVERSAS ORIGENS C DIVERSOS C 6113 CONSIGNACOES C PREVIDENCIA SOCIAL - EMPREGADO C IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE C CONTRIBUIÇAO SINDICAL C 6115 ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS C CAIXA ECONOMICA FEDERAL - FGTS C PREVIDENCIA SOCIAL - INSS PARTE EMPRESA C IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS C PIS S/FOLHA PAG C 612 RESULTADO PENDENTE C 6121 DESPESAS DE PESSOAL A PAGAR C SALARIOS A PAGAR C 63 PASSIVO TRANSITORIO C 631 EXECUCAO ORCAMENT DA RECEITA C 6311 RECEITAS CORRENTES C 65 REFLEXO PATRIMONIAL C 651 VARIACOES ATIVAS C 6511 DEPEND. DE EXEC. ORCAMENTARIA C EXECUCAO ORCAMENT DA RECEITA C 66 SALDO PATRIMONIAL C 661 PATRIMONIO(ATIVO REAL LIQUIDO) C 6611 PATRIMONIO C 5741 PATRIMONIO ATIVO REAL LIQUIDO C 662 RESULTADO PATRIMONIAL DO EXERC C Fim do Relatório M A R C OS PA U LO V IA N A LIV IA SA N TOS D E FR EITA S R OB ER V A L N OB R EGA EV A N GELISTA PRESIDENTE - CRB C.P.F 5ª T ESOU R EIR A - C RC B.P.F 5ª B A C R C C.P.F 6 / O Spiderw areconselho REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Pág. : R E S U MO DO B A L A N Ç O Sistema de Contabilidade Data : Resumo do Balanço Hora : 07:49 A T I V O P A S S I V O

170 168 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Página : 1 RESULTANTES DA EXECUÇAO ORÇAMENTARIA RECEITA ORÇAMENTARIA RECEITAS CORRENTES Sistema de Contabilidade Data : Variações Patrimoniais - Dezembro / 2013 Hora : 07:50 VARIAÇOES ATIVAS 12 RECEITA DE CONTRIBUIÇOES RECEITA PATRIMONIAL OUTRAS RECEITAS CORRENTES SUB-TOTAL RECEITAS DE CAPITAL SUB-TOTAL 000 MUTAÇOES PATRIMONIAIS SUB-TOTAL 000 INDEPENDENTES DA EXECUÇAO ORÇAMENTARIA SUB-TOTAL 000 TOTAL DAS VARIAÇOES ATIVAS DEFICIT 000 TOTAL GERAL Fim de Relatório MARCOS PAULO VIANA LIVIA SANTOS DE FREITASROBERVAL NOBREGA EVANGELISTA PRESIDENTE - C.P.F CRB 5ª TESOUREIRA - C.P.F. CRB 5ª BA CRC /O-0 C.P.F CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Página : 2 Sistema de Contabilidade Data : Variações Patrimoniais - Dezembro / 2013 Hora : 07:50 VARIAÇOES PASSIVAS RESULTANTES DA EXECUÇAO ORÇAMENTARIA DESPESA ORÇAMENTARIA DESPESAS CORRENTES 31 DESPESAS DE CUSTEIO TRANSFERENCIAS CORRENTES SUB-TOTAL DESPESAS DE CAPITAL SUB-TOTAL 000 MUTAÇOES PATRIMONIAIS SUB-TOTAL 000 INDEPENDENTES DA EXECUÇAO PATRIMONIAIS SUB-TOTAL 000 TOTAL DAS VARIAÇOES PASSIVAS SUPERAVIT TOTAL GERAL Fim de Relatório MARCOS PAULO VIANA LIVIA SANTOS DE FREITASROBERVAL NOBREGA EVANGELISTA PRESIDENTE - C.P.F CRB 5ª TESOUREIRA - C.P.F. CRB 5ª BA CRC /O-0 C.P.F

171 169 Quadro 57 - Demonstrativo da Receita 2013 CRB-5 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Data : Balancete para Verificação - Receita - Dezembro / 2013 Hora : 07:45 Conta Descrição... Saldo Movimentação Ant. do Mês... Saldo Atual... Débito Crédito... 1 R E C E I T A S C O R R E N T E C 12 RECEITA DE CONTRIBUIÇOES C 121 CONTRIBUIÇOES SOCIAS C 1219 OUTRAS CONTRIBUIÇOES SOCIAIS C ANUIDADES PESS.FISICAS - DO EXERC C 13 RECEITA PATRIMONIAL C 132 RECEITAS DE VALORES MOBILIARIOS C 1321 CORREÇAO MONETARIA - CAD.POUPANÇA C 1029 RENDIMENTO CADERNETA POUPANÇA C 19 OUTRAS RECEITAS CORRENTES C 193 RECEITA DA DIVIDA ATIVA C 1931 DIVIDA ATIVA EM FASE ADMINISTRATIVA C ANUIDADES C Fim do Relatório M A R C OS PA U LO V IA N A LIV IA SA N TOS D E FR EITA S R OB ER V A L N OB R EGA EV A N GELISTA PRESIDENTE - CRB 5ª TESOUREIRA - CRB 5ª BA CRC / O-0 C.P.F C.P.F C.P.F

172 170 Quadro 58 Demonstrativo da Despesa 2013 CRB-5 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Pág. : 2 Sistema de Contabilidade Data : Balancete para Verificação - Despesa - Dezembro / 2013 Hora : 07:45 Conta Descrição... Saldo Movimentação Ant. do Mês... Saldo Atual... Débito Crédito... 3 D E S P E S A S C O R R E N T E D 31 DESPESAS DE CUSTEIO D 311 PESSOAL D 3111 PESSOAL CIVIL D SALARIOS D INDENIZAÇOES TRABALHISTAS D GRATIFICAÇAO P/ TEMPO DE SERVIÇO D GRATIFICAÇAO DE NATAL (13º SALARIO) D FÉRIAS D 3112 DESPESAS VARIAVEIS D DESPESAS COM VALE REFEIÇÃO D DESPESAS COM VALE TRANSPORTE D 3113 OBRIGAÇOES PATRONAIS D INSS D FGTS D PIS S/ FOLHA DE PAGTO D 312 DESPESAS C/ MATERIAL DE CONSUMO D 3120 MATERIAL DE CONSUMO D ARTIGOS DE EXPEDIENTE D MAT. ACESS. P/ MAQUINAS E APARELHOS D 313 SERVIÇOS DE TERCEIROS E ENCARGOS D 3131 SERVICOS TERCEIROS E ENCARGOS D ASSESSORIA CONTABIL D ASSESSORIA JURIDICA D ASSESSORIA DE INFORMATICA D OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIRO EM GERAL D 314 OUTROS SERVIÇOS E ENCARGOS D 3141 OUTROS SERVIÇOS E ENCARGOS D SERVIÇOS DE COMUNICAÇAO EM GERAL D SERVIÇOS DE ENERGIA ELETRICA E AGUA D FESTIV. RECEPÇOES, HOSP. E HOMENAGEN D SERV. DE DIVULGAÇAO E PUBLICIDADE D DESPESAS C/ DIARIAS D AJUDA DE CUSTO - DIVERSOS D PASSAGENS EM GERAL E HOSPEDAGEM D DESPESAS C/ CONDOMINIO D IMPOSTOS, TAXAS, TARIFAS E PEDAGIOS D DESPESAS BANCARIAS D SERVIÇOS POSTAIS E TELEGRAFICOS D DESPESAS DIVERSAS D 32 TRANSFERENCIAS CORRENTES D 329 DIVERSAS TRANSFERENCIAS CORRENTES D 3291 DIVERSAS D 1421 COTA PARTE CFB D Fim do Relatório Spiderw areconselho REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Pág. : 3 Sistema de Contabilidade Data : Balancete para Verificação - Ativo - Dezembro / 2013 Hora : 07:45 Conta Descrição... Saldo Movimentação Ant. do Mês... Saldo Atual... Débito Crédito... M ARCOS PAULO V IANA LIV IA SANTOS DE FREITAS ROBERV AL NOBREGA EV ANGELISTA PRESIDENTE - CRB C.P.F 5ª T ESOU R EIR A - C RC B.P.F 5ª B A C R C C.P.F 6 / O

173 171 Quadro 59 - Demonstrativo financeiro 2013 CRB-5 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Data : Balanço Financeiro - Dezembro / 2013 Hora : 07:48 R E C E I T A ORÇAMENTARIO 1 R E C E I T A S C O R R E N T SUBTOTAL EXTRA ORÇAMENTARIA 5132 DEVEDORES DA ENTIDADE RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO DEPOSITOS DE DIVERSAS ORIGENS CONSIGNACOES ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS DESPESAS DE PESSOAL A PAGAR SUBTOTAL SALDO DO ANO ANTERIOR 5113 BANCOS C/ARRECADACAO BANCOS C/VINC APLIC FINANC SUBTOTAL T O T A L Fim de Relatório MARCOS PAULO VIANA LIVIA SANTOS DE FREITASROBERVAL NOBREGA EVANGELISTA PRESIDENTE - CRB 5ª TESOUREIRA - CRB 5ª BA CRC /O-0 C.P.F C.P.F C.P.F ORÇAMENTARIA CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 5 REGIÃO - BA, SE Pág. : 2 Sistema de Contabilidade Data : Balanço Financeiro - Dezembro / 2013 Hora : 07:48 DESPESA 3 D E S P E S A S C O R R E N T E SUBTOTAL EXTRA ORÇAMENTARIA 5132 DEVEDORES DA ENTIDADE RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO DEPOSITOS DE DIVERSAS ORIGENS CONSIGNACOES ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS DESPESAS DE PESSOAL A PAGAR SUBTOTAL SALDO PARA O ANO SEGUINTE 5113 BANCOS C/ARRECADACAO BANCOS C/VINC APLIC FINANC SUBTOTAL T O T A L Fim de Relatório MARCOS PRESIDENTE PAULO VIANA - CRB 5ª TESOUREIRA LIVIA - CRB SANTOS 5ª DE FREITASROBERVAL NOBREGA BA CRC EVANGELISTA /O-0 C.P.F C.P.F C.P.F

174 172 Quadro 60 - Fluxo de Caixa 2013 CRB-5 Fluxo de Caixa das Atividades das Operações ,44 Ingressos , ,63 Receitas , ,63 Receitas de Contribuições , ,77 Receitas Patrimoniais 3.926, ,93 Receitas de Serviços 0,00 0,00 Outras Receitas Correntes , ,93 Receitas de Capital 0,00 0,00 Recebimentos Extra-Orçamentários 0,00 0,00 Desembolsos , ,19 Despesas , ,19 Pessoal e Encargos , ,95 Benefícios Assistenciais 0,00 0,00 Uso de Bens e Serviços 0,00 0,00 Transferências Correntes , ,24 Tributárias e Contributivas 0,00 0,00 Outras Despesas Correntes 0,00 0,00 Pagamentos Extra-Orçamentários 0,00 0,00 Fluxo de Caixa Líquido das Atividades das Operações ,44 Fluxos de Caixa das Atividades de Investimento 0, ,84 Ingressos 0,00 0,00 Operações de Crédito Internas 0,00 0,00 Alienações de Bens 0,00 0,00 Alienações de Títulos e Ações 0,00 0,00 Amortização de Empréstimos Concedidos 0,00 0,00 Transferências de Capital 0,00 0,00 Desembolsos 0, ,84 Aquisição de Ativo Não Circulante 0, ,84 Amortização/Refinanciamento da Dívida 0,00 0,00 Fluxos de Caixa Líquido das Atividades de Investimento 0, ,84 Geração Líquida de Caixa e Equivalente de Caixa , ,40 Caixa e Equivalente de Caixa Inicial ,40 0,00

175 Relatório de Gestão Exercício CRB-6 Identificação e atributos da entidade Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região Denominação Abreviada: CRB-6 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: / Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE /00 Telefones/Fax de Contato: Endereço Eletrônico: Página na Internet: Redes Sociais: Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região (facebook) Endereço Postal: Av. Afonso Pena, 867 Sala 1110/1112 Centro BH- MG Normas A Lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962, dispõe sobre a profissão de Bibliotecário e regulamenta seu exercício. Em seu Artigo 8º, determina a criação do Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB) e dos Conselhos Regionais de Biblioteconomia (CRBs). Essas organizações possuem a responsabilidade da fiscalização do exercício da Profissão de Bibliotecário e são dotadas de personalidade jurídica de direito público, autonomia administrativa e patrimonial. A criação do Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região (CRB-6) se concretizou com a publicação da Resolução CFB nº 4, de 12 de julho de 1966, do Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB), com jurisdição no Estado de Minas Gerais, com sede em Belo Horizonte desde sua criação. Por meio da Resolução CFB nº111, de 01 de março de 2010, a jurisdição do CRB-6 foi modificada devido à aprovação, ad referendum, do Plenário do Conselho Federal de Biblioteconomia, da extinção do Conselho Regional de Biblioteconomia da 12ª Região CRB-12, e na sua transformação em Delegacia do Conselho Regional de Biblioteconomia da 6ª Região CRB- 6. Com isso, a jurisdição do Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região (CRB-6) passou a ser integrada pelos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Constituído como Autarquia Federal, o CRB-6 é gerido com recursos advindos da contribuição dos Bibliotecários. Suas principais normas relativas à gestão são o Regimento Interno da autarquia e o Manual. O Regimento Interno do CRB-6 foi aprovado pelo Conselho Federal de Biblioteconomia, por meio da Resolução nº 62, de julho de 2004, que trata da natureza, sede, foro e finalidades da autarquia, assim como da sua estrutura administrativa, os principais órgãos, setores e comissões, e determina suas competências. Além de definir as atribuições de seus membros e os principais processos para a realização do registro profissional. No ano de 2009, o Conselho Federal de Biblioteconomia elaborou o Manual de Gestão. O objetivo do documento é promover, no Sistema CFB/CRB, uma ação padronizada para a racionalização, sendo composto de três volumes: Procedimento Produtivo Básico, Procedimento Produtivo de Apoio além dos Anexos e Modelos. No primeiro volume são encontradas as informações referentes aos princípios de gestão e ao processo produtivo básico (processos de fiscalização, ética, econômico/financeiro, divulgação e legislação); no segundo volume estão dispostas as informações sobre o processo gerencial do Sistema CFB/CRB e assuntos pertinentes às áreas de recursos humanos e licitação; e o terceiro volume contém anexos e modelos dos processos que contemplam os dois primeiros volumes.

176 174 Das finalidades, atribuições e competências do CRB-6 As finalidades, atribuições e competências do Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região são estabelecidas pela Lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962 e pelo Regimento Interno da autarquia, aprovado pelo Conselho Federal de Biblioteconomia, por meio da Resolução nº 62, de julho de Suas principais finalidades, atribuições e competências são: a) Zelar pelo bom conceito da profissão de Bibliotecário; b) Defender o livre exercício da profissão de Bibliotecário; c) Registrar os profissionais de acordo com a legislação vigente e expedir Carteira e Célula de Identidade Profissional; d) Orientar, disciplinar e fiscalizar, em toda a Região de sua jurisdição, o exercício da profissão de Bibliotecário e das atividades auxiliares da Biblioteconomia, impedindo e punindo as infrações à legislação vigente; e) Orientar e fiscalizar o exercício da profissão de Bibliotecário, com a promoção e utilização dos meios de maior eficácia e eficiência; f) Fiscalizar as empresas, entidades e outras organizações que, a qualquer título, prestem serviços na área da Biblioteconomia; g) Julgar, dentro de sua competência, as infrações à Lei e à Ética Profissional; h) Fiscalizar, em toda Região, a veiculação de anúncios, propagandas, noticiários, pronunciamentos, entrevistas ou quaisquer outras manifestações que estejam vinculadas ao profissional Bibliotecário; i) Arrecadar as anuidades, taxas, multas e demais emolumentos, bem como promover a remessa das quotas ao Conselho Federal, de acordo com a legislação vigente; j) Examinar reclamações e representações escritas acerca dos serviços de registro e das infrações, conforme legislação vigente e decidir com recurso para o CFB; k) Divulgar relatórios anuais de seus trabalhos e publicar periodicamente a relação de profissionais registrados, transferidos, cancelados, suspensos, cassados, licenciados e reintegrados; l) Realizar o programa anual de atividades elaboradas pelo Conselho Federal; m) Eleger um Delegado Eleitor à Assembléia Geral de Delegados Eleitores, conforme legislação vigente, disposições deste RI e Resolução específica sobre a matéria; n) Apresentar sugestões para o CFB; o) Manter estreita colaboração com as entidades representativas da classe; p) Registrar e homologar os nomes de candidatos a Conselheiro do CRB-6, satisfeitas as exigências legais; q) Contratar e demitir pela CLT - Consolidação das Leis do Trabalho, por meio de seu Presidente, os servidores necessários à excelência das atividades a serem executadas; r) Manter sob controle a criação e distribuição de ordens honoríficas, títulos de benemerência, diplomas de mérito e outras dignidades vinculadas, direta ou indiretamente, à Biblioteconomia da Região; s) Organizar e manter atualizado os seguintes cadastros do território de sua jurisdição: dos profissionais registrados; dos profissionais de atividades auxiliares à Biblioteconomia; de instituições de ensino de Biblioteconomia, em todos os seus níveis; de instituições de formação de profissionais de atividades auxiliares da Biblioteconomia; das unidades de informação e demais entidades que tenham como função o armazenamento, tratamento, recuperação e disseminação da informação em qualquer área da atividade intelectual. t) Delegar competências.

177 175 No atendimento de suas finalidades, o CRB-6 exerce as seguintes ações: deliberativa, executiva e administrativa, consultiva, disciplinar; e contenciosa de primeira instância. Organograma funcional Em se tratando de um conselho profissional, tal estrutura deve retratar o que está descrito no seu Regimento Interno (RI), que delineia sua composição básica. Assim, o RI do Conselho Regional de Biblioteconomia prevê que a estrutura deve ser composta de: a) Órgão deliberativo: Plenário; b) Órgão Executivo-deliberativo: Diretoria Executiva; c) Órgão de fiscalização financeira e administrativa: Comissão de Tomada de Contas (CTC); d) Órgãos de Apoio Técnico: Comissões Permanentes: Ética Profissional (CEP); Fiscalização Profissional (CFP); Licitação (CLI); Legislação e Normas (CLN); Tomada de Contas (CTC); Divulgação (CDV). Comissões Temporárias: designadas para atividades pontuais e de caráter eventual, direcionadas a determinado objetivo, com duração definida de acordo com o objetivo a ser cumprido; e) Bibliotecário Fiscal f) Consultorias: Jurídica (Conjur); Assessorias Especiais (AE); Grupos de Trabalho (GT); g) Órgãos de Apoio Administrativo e Financeiro; Setor Administrativo (SAD); Setor Contábil Financeiro (SCF).

178 176 Plenário: O Plenário do CRB 6ª Região, cuja presidência é exercida pelo Presidente do CRB-6, é constituído pelo conjunto dos Conselheiros Titulares efetivos, sendo seu órgão deliberativo em matérias de natureza legal, normativa, disciplinar, regimental, eleitoral, orçamentária, financeira e demais definidas por lei definidas, atuando em caráter originário e recursal. Sua composição é: Conselheiros Efetivos Nome: ANTONIO AFONSO PEREIRA JUNIOR CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: PRESIDENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA OURO PRETO, 1143/APTO BARRO PRETO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: EMILCE MARIA DINIZ CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: VICE-PRESIDENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA AREADO, CARLOS PRATES CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / Nome: VIVIANE PEREIRA DOS SANTOS CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: 1º SECRETÁRIA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: PRAÇA BERNARDO DA VEIGA, 80/402 - NOVA CACHOEIRINHA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / Nome: ALAMO CHAVES DE OLIVEIRA PINHEIRO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: 2ª SECRETÁRIO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA FLOR-DE-INDIO, 100/303G - LIBERDADE Telefones: (31) / / Nome: ANALIA DAS GRACAS GANDINI PONTELO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: TESOUREIRA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: AV PORTUGAL, 5355/102 BL 5 ITAPOA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: CLEIDIVANIA JANAINA DE PAULA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA CASTIGLIANO, PADRE EUSTAQUIO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / /

179 177 Nome: ELMA APARECIDA DE OLIVEIRA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA HENRIQUE SALES, 85/201 LUXEMBURGO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: HUGO OLIVEIRA PINTO E SILVA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRO EFETIVO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA CACONDE, 878 RENASCENCA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: JULIO VITOR RODRIGUES DE CASTRO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRO EFETIVO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA OSCAR TROMPOWSKY, 965/AP 102B GUTIERREZ CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: MARIZA MARTINS COELHO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA DIAMANTE, 22 FLORESTA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: MICHELLE KARINA ASSUNÇÃO COSTA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA HERNESTINA LOURENCO OLIVEIRA, CONJUNTO CRISTINA CEP: SANTA LUZIA/MG Telefones: (31) / / Nome: ROGERIO DA SILVA MARQUES CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRO EFETIVO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA ALVES PINTO, 411 GRAJAU CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / /

180 178 Conselheiros Suplentes Nome: ALINE ALVES DE ALMEIDA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA SUPLENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA ESPINOSA, 463/FUNDOS - CARLOS PRATES CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: FERNANDA GOMES ALMEIDA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA SUPLENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: AV JOSE CANDIDO DA SILVEIRA, 509/AP CIDADE NOVA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: SINDIER ANTONIA ALVES CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA SUPLENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA IPANEMA, DURVAL DE BARROS CEP: IBIRITÉ/MG Telefones: (31) / / Nome: SILVIA PENNA CHAVES LOBATO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA SUPLENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA TEREZA MOTA VALADARES, 730/202 BURITIS CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Membros Natos Nome: MARIA CLÉA BORGES CPF: Período Gestão: Cargo: PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DOS BIBLIOTECÁRIOS DE MINAS GERAIS Ato nomeação: Publicação DOU: Endereço Residencial: RUA GUAJAJARAS, 410/CONJUNTO 608/609 CENTRO BH - CEP: Telefones: (31) Nome: MARGARITA RODRIGUES TORRES CPF: Período Gestão: Cargo: COORDENADORA DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA - UNIFOR Ato nomeação: Publicação DOU: Endereço Residencial: AV. DR. ARNALDO DE SENNA, 328 BAIRRO: ÁGUA VERMELHA FORMIGA/MG. CEP: Telefones: (37)

181 179 Nome: RICARDO RODRIGUES BARBOSA CPF: Período Gestão: Cargo: DIRETOR DA ESCOLA DE BIBLIOTECONOMIA DA ESCOLA DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO UFMG Ato nomeação: Publicação DOU: Endereço Residencial: AV. PRESIDENTE ANTONIO CARLOS, 6627 PAMPULHA BH- MG CEP: Telefones: (31) Diretoria Executiva: responsável pela administração do CRB 6ª Região. Composta de Presidente, Vice-Presidente, 1º e 2º Secretários e Tesoureiro. Suas principais atribuições são: cumprir as decisões do Plenário do CRB-6, estabelecer a estrutura administrativa da autarquia controlando seu funcionamento; estabelecer e controlar as atribuições do pessoal administrativo, fixando a política administrativa de pessoal e elaborar relatório de gestão ao final de seu mandato. Sua composição é a seguinte: Nome: ANTONIO AFONSO PEREIRA JUNIOR CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: PRESIDENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA OURO PRETO, 1143/APTO BARRO PRETO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: EMILCE MARIA DINIZ CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: VICE-PRESIDENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA AREADO, CARLOS PRATES CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / Nome: VIVIANE PEREIRA DOS SANTOS CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: 1º SECRETÁRIA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: PRAÇA BERNARDO DA VEIGA, 80/402 - NOVA CACHOEIRINHA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / Nome: ALAMO CHAVES DE OLIVEIRA PINHEIRO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: 2ª SECRETÁRIO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA FLOR-DE-INDIO, 100/303G - LIBERDADE Telefones: (31) / / Nome: ANALIA DAS GRACAS GANDINI PONTELO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: TESOUREIRA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: AV PORTUGAL, 5355/102 BL 5 ITAPOA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / /

182 180 Delegacias: têm por função assistir os profissionais residentes no Espírito Santo, assim como as empresas, e promover a fiscalização nas suas respectivas regiões. Sua composição é a seguinte: Nome: EDUARDO VALADARES DA SILVA CPF: Cargo: DELEGADO REGIONAL NO ESPÍRITO SANTO Função: Representar a Delegacia Regional do CRB-6 no estado do Espírito Santo Ato de Nomeação: Portaria nº de setembro de 2010; Endereço Residencial: Rua Rua Maria da Gloria Rauta, 91 Praia das Gaivotas CEP: VILA VELHA ES Telefones: (27) Órgão de fiscalização financeira e administrativa - Comissão de Tomada de Contas (CTC): tem a responsabilidade de verificar se foram devidamente recebidas as importâncias pertencentes ao CRB-6, bem como controlar o recebimento de legados, doações e subvenções; fiscalizar periodicamente os serviços de Tesouraria e Contabilidade do CRB-6; examinar os comprovantes de despesas pagas; solicitar ao Presidente os elementos necessários ao desempenho de suas atribuições; solicitar esclarecimentos ao Contador e Tesoureiro do CRB-6; baixar normas disciplinadoras de sua organização e de seus serviços, conforme o Regimento Interno da autarquia. Sua composição é: Nome: MARIZA MARTINS COELHO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA DIAMANTE, 22 FLORESTA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: MICHELLE KARINA ASSUNÇÃO COSTA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA HERNESTINA LOURENCO OLIVEIRA, CONJUNTO CRISTINA CEP: SANTA LUZIA/MG Telefones: (31) / / Nome: ROGERIO DA SILVA MARQUES CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRO EFETIVO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA ALVES PINTO, 411 GRAJAU CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Comissões Permanentes Comissão Permanente de Ética Profissional (CEP) Compete a essa Comissão analisar denúncia, elaborar parecer prévio e encaminhá-lo ao Presidente do CRB, para que este decida pela abertura, ou não, de processo ético; autorizada a abertura do processo ético, proceder à instauração e instrução do devido processo ético disciplinar, na forma das disposições do Código de Ética do Profissional Bibliotecário, da Resolução CFB nº 399/93 e demais disposições legais pertinentes; emitir parecer sobre outros assuntos de natureza ética, quando solicitado pelo Plenário ou pela Diretoria; propor, ao Plenário, normas e

183 181 procedimentos a serem adotados pelas demais comissões do CRB, orientando-as quanto ao seu cumprimento; apresentar relatórios escritos dos fatos constatados. Sua composição é a seguinte: Nome: CLEIDIVANIA JANAINA DE PAULA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA CASTIGLIANO, PADRE EUSTAQUIO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: JULIO VITOR RODRIGUES DE CASTRO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRO EFETIVO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA OSCAR TROMPOWSKY, 965/AP 102B GUTIERREZ CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: ROGERIO DA SILVA MARQUES CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRO EFETIVO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA ALVES PINTO, 411 GRAJAU CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Comissão Permanente de Fiscalização Profissional (CFP) Compete à comissão: determinar, coordenar, orientar e supervisionar, direta e imediatamente, o serviço dos Fiscais; sugerir novos procedimentos de fiscalização, que serão submetidos à aprovação do Plenário do CRB; propor ao Presidente do CRB o número de Fiscais necessário à Região; propor e justificar a substituição de Fiscais; encaminhar periodicamente, com parecer, ao Presidente do CRB, os relatórios das atividades de fiscalização, acompanhados dos respectivos processos e documentos de fiscalização; consultar a Consultoria Jurídica sempre que necessário; apresentar relatórios das atividades do(s) fiscal(is) do CRB referentes ao período imediatamente anterior a cada reunião do Plenário. Sua composição é a seguinte: Nome: ALAMO CHAVES DE OLIVEIRA PINHEIRO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: 1º SECRETÁRIO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA FLOR-DE-INDIO, 100/303G - LIBERDADE Telefones: (31) / / Nome: CLEIDIVANIA JANAINA DE PAULA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA CASTIGLIANO, PADRE EUSTAQUIO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / /

184 182 Nome: MARIZA MARTINS COELHO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA DIAMANTE, 22 FLORESTA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Comissão Permanente de Licitação (CLI) Possui a função regimental de manter cadastro de fornecedores de bens e serviços; emitir e fazer publicar edital de licitação no DOU, bem como publicar demais documentos licitatórios, tais como, tomada de preços, cartas convite e outros pertinentes; analisar e julgar as propostas do objeto da licitação; encaminhar o processo ao Presidente do CRB para homologação; baixar normas disciplinadoras de sua organização e de seus serviços, baseadas nas atribuições fixadas neste Regimento e nas disposições legais aplicáveis à matéria. Sua composição é a seguinte: Nome: ELMA APARECIDA DE OLIVEIRA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA HENRIQUE SALES, 85/201 LUXEMBURGO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: HUGO OLIVEIRA PINTO E SILVA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRO EFETIVO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA CACONDE, 878 RENASCENCA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: JULIO VITOR RODRIGUES DE CASTRO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRO EFETIVO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA OSCAR TROMPOWSKY, 965/AP 102B GUTIERREZ CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Comissão Permanente de Legislação e Normas (CLN) Tem a função de emitir pareceres sobre os assuntos submetidos ao seu exame, por determinação do Presidente do CRB 6ª Região, sob orientação da Consultoria Jurídica; manter organizada e armazenada a legislação e as jurisprudências, inclusive as emanadas do Plenário do CRB e do CFB; acompanhar, na esfera dos poderes executivo e legislativo, andamento de projetos e processos que envolvam interesse da classe Bibliotecária. Sua composição é a seguinte:

185 183 Nome: ELMA APARECIDA DE OLIVEIRA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA HENRIQUE SALES, 85/201 LUXEMBURGO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: EMILCE MARIA DINIZ CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: VICE-PRESIDENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA AREADO, CARLOS PRATES CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / Nome: HUGO OLIVEIRA PINTO E SILVA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRO EFETIVO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA CACONDE, 878 RENASCENCA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Comissão Permanente de Divulgação (CDV) Possui a finalidade de estudar, planejar e propor ao CRB-6 publicação referente a assuntos profissionais da área da Biblioteconomia, os relativos às atividades do Conselho, bem como sua divulgação; solicitar aos bibliotecários estudos de caráter informativo sobre assuntos de interesse da área da Biblioteconomia e de atuação do Conselho; divulgar nacionalmente as atividades do CFB; promover a impressão de publicações e a divulgação de matérias doutrinária, informativa, crítica, noticiosa e de qualquer outro gênero, para difusão da Biblioteconomia; promover a difusão regional da Biblioteconomia por meio da divulgação de matérias doutrinárias e informativas; supervisionar a organização e a edição das publicações periódicas do CRB, devidamente autorizadas pelo Plenário; remeter as publicações, por meio do Setor Administrativo, aos Conselheiros Regionais efetivos e suplentes, aos Delegados e aos Bibliotecários registrados no Conselho, bem como a todas as instituições interessadas e aos órgãos de divulgação em geral; orientar a organização e manutenção, no Setor Administrativo, de cadastro de endereços necessários à remessa sistemática das publicações; adquirir, registrar, guardar e conservar livros, folhetos, jornais, revistas e outras publicações de interesse da área, controlando o empréstimo e a utilização, juntamente com o Setor Administrativo; adquirir, elaborar, guardar e conservar o material áudio - visual próprio a apresentações do CRB em palestras, cursos e treinamentos, bem como controlar o seu empréstimo e utilização contando, para isto, com o auxilio do Setor Administrativo. Sua composição é a seguinte: Nome: ALAMO CHAVES DE OLIVEIRA PINHEIRO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: 1º SECRETÁRIO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA FLOR-DE-INDIO, 100/303G - LIBERDADE Telefones: (31) / /

186 184 Nome: ANTONIO AFONSO PEREIRA JUNIOR CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: PRESIDENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA OURO PRETO, 1143/APTO BARRO PRETO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: MICHELLE KARINA ASSUNÇÃO COSTA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA HERNESTINA LOURENCO OLIVEIRA, CONJUNTO CRISTINA CEP: SANTA LUZIA/MG Telefones: (31) / / Comissões Temporárias Designadas para atividades pontuais e de caráter eventual, direcionadas a determinado objetivo, com duração definida de acordo com o objetivo a ser cumprido. Comissão Temporária de Recursos Humanos Criada para estudar a criação e implantação da Política de Cargos e Salários (PCS) para os funcionários da autarquia, tendo iniciado seus trabalhos com o estudo do plano de cargos e salários do CRB 5ª Região, e ao longo do ano com leituras de outros PCS de outras classes profissionais. Sua composição é a seguinte: Nome: ANALIA DAS GRACAS GANDINI PONTELO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: TESOUREIRA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: AV PORTUGAL, 5355/102 BL 5 ITAPOA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: MICHELLE KARINA ASSUNÇÃO COSTA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA HERNESTINA LOURENCO OLIVEIRA, CONJUNTO CRISTINA CEP: SANTA LUZIA/MG Telefones: (31) / / Nome: ROGERIO DA SILVA MARQUES CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRO EFETIVO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA ALVES PINTO, 411 GRAJAU CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / /

187 185 Comissão Temporária de Convênios Criada para realizar estudos visando a possibilidade de a autarquia realizar convênios para favorecer os profissionais registrados e funcionários. Sua composição é a seguinte: Nome: ANTONIO AFONSO PEREIRA JUNIOR CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: PRESIDENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA OURO PRETO, 1143/APTO BARRO PRETO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: HUGO OLIVEIRA PINTO E SILVA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRO EFETIVO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA CACONDE, 878 RENASCENCA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: MICHELLE KARINA ASSUNÇÃO COSTA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA HERNESTINA LOURENCO OLIVEIRA, CONJUNTO CRISTINA CEP: SANTA LUZIA/MG Telefones: (31) / / Comissão Temporária de Eventos Criada para organizar a Semana do Bibliotecário/2013. Sua composição é a seguinte: Nome: ALAMO CHAVES DE OLIVEIRA PINHEIRO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: 1º SECRETÁRIO Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA FLOR-DE-INDIO, 100/303G - LIBERDADE Telefones: (31) / / Nome: ANTONIO AFONSO PEREIRA JUNIOR CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: PRESIDENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA OURO PRETO, 1143/APTO BARRO PRETO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / /

188 186 Nome: MARIZA MARTINS COELHO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA DIAMANTE, 22 FLORESTA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: FERNANDA ALVARENGA DE ASSIS CPF: Cargo: BIBLIOTECÁRIA GERENTE Função: COORDENADORA ADMINISTRATIVA Data de Admissão: 03/11/2003 Endereço Residencial: RUA DOM MARCOS TEIXEIRA, 88 - CAMPO ALEGRE CEP: BELO HORIZONTE/MG. Telefones: (31) / / Comissão Temporária de Patrimônio Planejar o desenvolvimento de ações com o intuito de organizar os bens patrimoniais da autarquia, visando desenvolver recursos da ampliação, aprimoramento e conservação de todos os bens móveis e também do material físico do CRB-6. Sua composição é a seguinte: Nome: ANALIA DAS GRACAS GANDINI PONTELO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: TESOUREIRA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: AV PORTUGAL, 5355/102 BL 5 ITAPOA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: EMILCE MARIA DINIZ CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: VICE-PRESIDENTE Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA AREADO, CARLOS PRATES CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / Nome: VIVIANE PEREIRA DOS SANTOS CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: 1º SECRETÁRIA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: PRAÇA BERNARDO DA VEIGA, 80/402 - NOVA CACHOEIRINHA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) /

189 187 Comissão Temporária de Bibliotecas Escolares Evidenciar a importância do bibliotecário dentro da lei de universalização da biblioteca, reforçar por meio de artigos publicados nos canais do CRB 6ª Região e em outras mídias, a importância da biblioteca escolar e divulgar em outras mídias mostrando à sociedade sua importância dentro da lei Sua composição é a seguinte: Nome: CLEIDIVANIA JANAINA DE PAULA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: CONSELHEIRA EFETIVA Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA CASTIGLIANO, PADRE EUSTAQUIO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: FLAVIA FILOMENA RODRIGUES DA MATA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: MEMBRO DA COMISSÃO TEMPORÁRIA DE BIBLIOTECA ESCOLAR Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA LEOPOLDO GOMES, 1033 POMPEIA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: FLÁVIA VIRGÍNIA MELO PINTO CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: MEMBRO DA COMISSÃO TEMPORÁRIA DE BIBLIOTECA ESCOLAR Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA EGITO, 702/22 - JARDIM LEBLON CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / Nome: IGOR REZENDE QUINTAL CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: MEMBRO DA COMISSÃO TEMPORÁRIA DE BIBLIOTECA ESCOLAR Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA NAPOLEAO LAUREANO, 84 FLORESTA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Nome: LIVIA DE BARROS SOUZA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: MEMBRO DA COMISSÃO TEMPORÁRIA DE BIBLIOTECA ESCOLAR Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA JOSE GONCALVES DA SILVA, 163/102 BLOCO 7 - BOM JESUS CEP: SANTA LUZIA/MG Telefones: (31) / Nome: MARILIA DE ABREU MARTINS DE PAIVA CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: MEMBRO DA COMISSÃO TEMPORÁRIA DE BIBLIOTECA ESCOLAR Ato nomeação: 29/11/2011 Publicação IOF/MG: 29/11/2011 Endereço Residencial: RUA RIO MANTIQUEIRA, 1159/401 - NOVO RIACHO CEP: CONTAGEM/MG Telefones: (31) / /

190 188 Bibliotecário Fiscal Inspecionar, nas esferas pública e privada, unidades de informação e demais entidades que tenham como função o armazenamento, tratamento, recuperação e disseminação da informação em qualquer suporte; efetuar diligências para comprovar denúncias; emitir autos de infração e demais documentos autorizados pelo CRB; verificar se a supervisão, gerência, administração e execução dos serviços de Biblioteconomia e áreas afins, estão a cargo de Bibliotecário regularmente inscrito no CRB e em dia com suas obrigações, na forma do art. 4º. do Decreto /65; encaminhar, periodicamente, à Comissão de Fiscalização relatório de suas atividades, acompanhados dos documentos fiscalizatórios. Sua composição é a seguinte: Nome: ORFILA MARIA MUDADO SILVA CPF: Cargo: BIBLIOTECÁRA FISCAL Função: COORDENADORA DE FISCALIZAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Data de Admissão: 05/07/2004 Endereço Residencial: RUA UBA, 475 FLORESTA CEP: BELO HORIZONTE/MG. Telefones: (31) / Nome: LÚCIO ALVES TANNURE CPF: Cargo: BIBLIOTECÁRIO FISCAL Função: COORDENADOR DE FISCALIZAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Data de Admissão: 11/02/2008 Endereço Residencial: RUA PADRE RODRIGUES, 75 ITAPOÃ CEP: BELO HORIZONTE/MG. Telefones: (31) / Assessorias Especiais São designadas e/ou contratadas pelo Presidente, ouvido o Plenário, em conformidade com as necessidades operacionais e administrativas do CRB. As Assessorias Especiais são contratadas mediante contrato de prestação de serviços, inclusive com pessoas jurídicas, na forma da legislação pertinente. Consultoria Jurídica (Conjur) A Consultoria Jurídica é órgão de apoio técnico, contendo um profissional formado em Direito, com registro profissional na Ordem dos Advogados de Minas Gerais, e com vínculo com a empresa Salgado e Gonzaga Advogados Associados. Tem como atribuição prestar assessoria ao Plenário, Diretoria, e às Comissões, bem como aos empregados internos desenvolvendo atividades inerentes ao bom andamento dos serviços e projetos desenvolvidos pela autarquia.

191 189 Razão Social: SALGADO E GONZADA- ADVOGADOS ASSOCIADOS CNPJ: / ASSESSORES: JULIANO MENDONÇA GONZAGA OAB-MG/ ERIC TEIXEIRA SALGADO OAB-MG/ Data de contratação: 01/02/2013 Endereço Comercial: RUA ENTRE RIOS, 105/205 BH/MG Telefones: (31) / Assessoria Contábil Serviço especializado desenvolvido por Sérgio França Lamêgo, graduado em Ciências Contábeis, com registro no Conselho Regional de Contabilidade. Possui, como principais funções, apoiar e orientar os Conselheiros, o Consultor Jurídico, os membros da Diretoria, Comissão de Licitação à Comissão de Tomada de Contas, bem como o(s) empregado(s) interno(s) do Setor Contábil e Financeiro, nas áreas de orçamento, contabilidade e auditoria, e desenvolver demais atividades inerentes ao bom andamento dos serviços. Razão Social: SERGIO F. LAMEGO CNPJ: / Data contratação: 01/11/2011 Endereço Residencial: Rua Prados 664 Carlos Prates CEP: BH/MG Telefones: (31) / / Assessoria de imprensa Serviço especializado desenvolvido pela empresa Prefácio Comunicação Ltda., tem como atribuição prestar assessoria ao Plenário, Diretoria, e às Comissões, principalmente à Comissão Permanente de Divulgação, bem como aos empregados internos, desenvolvendo atividades inerentes ao bom andamento dos serviços e projetos desenvolvidos pela autarquia. Razão Social: PREFÁCIO COMUNICAÇÃO LTDA. CNPJ: / ASSESSORES: ANA LUIZ PURRI LÍGIA CHAGAS LAURA MARIA Data de contratação:01/04/2013 Endereço Comercial: RUA DOUTOR SETTE CÂMARA, 75 LUXEMBURGO CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) Assessoria de Informática Serviço especializado desenvolvido pela empresa Procedata Informática Ltda., tem como atribuição a prestação de serviços de assessoria em informática, manutenção e atualização do site do CRB-6, manutenção da rede de computadores da sede da autarquia, atualização e instalação de softwares, limpeza dos computadores e serviços técnicos de informática em geral.

192 190 Razão Social: PROCEDATA INFORMÁTICA LTDA CNPJ: / ASSESSORES: ALEXANDRE MAGALHÃES ALESSANDRO TORIDO Data de contratação: 01/09/2013 Endereço Comercial: AVENIDA NOSSA SENHORA DO CARMO, 45/CONJ. 501/504 CARMO SION CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) Órgãos de Apoio Administrativo e Financeiro Constituem órgãos de Apoio Administrativo e Financeiro, os setores que prestam os serviços de administração geral, necessários ao desempenho das finalidades do CRB. Setor Administrativo (SAD) Órgão de apoio do CRB, sendo supervisionado diretamente pelo 1º Secretário ou por quem vier a substituí-lo. O setor é estruturado para atender de forma precisa às necessidades administrativas do CRB, no que tange às demandas do Plenário, dos Conselheiros, da Diretoria, das Comissões e de todos que a ele se reportem. Sua composição é a seguinte: Razão Social: SALGADO E GONZADA- ADVOGADOS ASSOCIADOS CNPJ: / ASSESSORES: JULIANO MENDONÇA GONZAGA OAB-MG/ ERIC TEIXEIRA SALGADO OAB-MG/ Data de contratação: 01/02/2013 Endereço Comercial: Rua Entre Rios, 105/205 BH/MG Telefones: (31) / Razão Social: PROCEDATA INFORMÁTICA LTDA CNPJ: / ASSESSORES: ALEXANDRE MAGALHÃES ALESSANDRO TORIDO Data de contratação: 01/09/2013 Endereço Comercial: AVENIDA NOSSA SENHORA DO CARMO, 45/CONJ. 501/504 CARMO SION CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) Razão Social: SERGIO F. LAMEGO CNPJ: / Data contratação: 01/11/2011 Endereço Residencial: Rua Prados 664 Carlos Prates CEP: BH/MG Telefones: (31) / /

193 191 Setor Contábil Financeiro (SCF) Órgão de apoio do CRB e das Delegacias, sendo supervisionado diretamente pelo Tesoureiro ou por quem vier substituí-lo. O setor é estruturado para atender, com a orientação do assessor contábil, de forma precisa, as necessidades contábeis, econômicas e financeiras do CRB, atendendo às demandas do Plenário, dos Conselheiros, da Diretoria, das Comissões e de todos que a ele se reportem. Sua composição é a seguinte: Nome: FERNANDA ALVARENGA DE ASSIS CPF: Cargo: BIBLIOTECÁRIA GERENTE Função: COORDENADORA ADMINISTRATIVA Data de Admissão: 03/11/2003 Endereço Residencial: RUA DOM MARCOS TEIXEIRA, 88 - CAMPO ALEGRE CEP: BELO HORIZONTE/MG. Telefones: (31) / / Nome: MÁRIO DIÓGENES GARRIDO EVA CPF: Cargo: AUXILIAR ADMINISTRATIVO Função: ASSISTENTE DE DIRETORIA Data de Admissão: 11/02/2008 Endereço Residencial: RUA CÔNEGO JOSÉ ARISTIDES, 117 MANTIQUEIRA CEP: BELO HORIZONTE/MG. Telefones: (31) / / Nome: MARIA HELENA LEITE CPF: Cargo temporário: AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS Data de Admissão: 01/09/2008 Endereço Residencial: RUA PEDRA DO MAR, 304 PIRATININGA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / Nome: RAQUEL SILVA DE LIMA CPF: Cargo temporário: AUXILIAR ADMINISTRATIVO Data de Admissão: 03/06/2013 Endereço Residencial: RUA IPANEMA, 110 DURVAL DE BARROS CEP: IBIRITÉ/MG. Telefones: (31) / / Bibliotecária Gerente Competências Planejar, organizar, dirigir e controlar as atividades operacionais do Conselho com vistas ao cumprimento de seus objetivos, na forma das deliberações da Diretoria e em consonância com as políticas e diretrizes aprovadas pelo Plenário; propor as normas gerais e políticas internas sobre matérias de sua competência, respeitada a legislação em vigor; cumprir e fazer cumprir as políticas e diretrizes aprovadas pelo Plenário; providenciar a divulgação de relatórios sobre as atividades do Conselho;

194 192 propor a contratação de serviço de terceiros na forma da legislação vigente; coordenar o processo de planejamento financeiro e administrativo, e o sistema de avaliação dos processos organizacionais da instituição; controlar despesas e praticar atos de gestão de recursos orçamentários, financeiros e de administração; coordenar e executar estudos técnicos em assuntos de sua competência; manter e mediar o relacionamento do Sistema CFB/CRB; acompanhar a execução de contratos e convênios sujeitos ao controle contábil e financeiro, examinando processos de pagamento, conferindo seus valores, cláusulas contratuais, cronogramas de desembolso, emitindo comprovantes e contas para liberação de garantia e correção, quando solicitado; providenciar pagamento de diárias e outras despesas necessárias ao atendimento de viagem; conferir serviços digitados, verificando sua exatidão e apontando as correções necessárias, visando assegurar a qualidade dos trabalhos; propor medidas e expedir instruções necessárias para a tramitação regular de sindicâncias e processos; manter contatos com órgãos públicos e entidades representativas da comunidade, visando à manutenção de uma boa imagem do CRB; desenvolver projetos de mudanças de procedimentos e formas de trabalho, com o objetivo de melhorar a qualidade do atendimento ao usuário e da prestação de serviços; apoiar as demais áreas do CRB na solução de problemas, identificando e removendo barreiras e obstáculos, atuando como facilitador para mudança de comportamentos, bem como sua assimilação; analisar as diretrizes do planejamento estratégico do CRB, elaborando os planos de trabalho, bem como o sistema de avaliação e controle de resultados; identificar a necessidade de treinamento de funcionários considerando as ações realizadas e o desejável para o CRB; manter-se atualizado e atualizar o CRB de todas as informações relativas à profissão de Biblioteconomia; acompanhar e participar dos processos de licitação, envolvendo elaboração e publicação de editais, convite, seleção e cadastro de fornecedores até sua conclusão, visando propiciar a contratação de serviços e aquisição de materiais que atendam aos objetivos do Conselho Regional de Biblioteconomia; orientar e oferecer meios que facilitem a aplicação uniforme e eficiente das normas utilizadas na execução dos serviços no CRB; elaborar planos de trabalho, bem como sistemas de avaliação e controle de resultados a fim de viabilizar os objetivos do Conselho; participar da elaboração e implantação de normas e procedimentos administrativos do Conselho, analisando as necessidades, organizando e padronizando os serviços, visando à consecução dos objetivos de cada área de atuação; acompanhar o cumprimento de recomendações decorrentes de trabalhos de auditoria interna e externa e a correção de caráter organizacional, estrutural, operacional e sistêmico sugeridos; receber e divulgar informações de interesse público, utilizando-se dos meios de comunicação disponíveis, a fim de promover maior integração entre o Conselho e a comunidade em geral; controlar as divulgações de assuntos referentes às atividades do CRB, acompanhando e avaliando publicações na imprensa ou em publicações especiais; apoiar a participação do Conselho em eventos diversos; supervisionar e fiscalizar o banco de dados de notícias e de links, bem como o acervo histórico do Conselho;

195 193 supervisionar e fiscalizar os serviços administrativos de aquisição de materiais e serviços, recebimento e expedição de correspondências em geral, administração e controle das instalações prediais do Conselho; fazer circular processos e documentos; assessorar as comissões em questões pertinentes às suas atividades, quando for o caso; atender a solicitações e recomendações que lhe forem expressamente encaminhadas, acompanhar o desdobramento das deliberações e decisões do CRB, supervisionar e controlar os contratos firmados pelo CRB; programar, coordenar e controlar a execução de atividades delegadas pela diretoria; propor instauração de procedimentos administrativos destinados à apuração de irregularidades, quando for o caso; conferir e responder pelo conteúdo de documentos emitidos pelos serviços sob sua responsabilidade; manter contatos internos e externos com pessoas e/ou instituições públicas ou privadas, a fim de obter informações para subsidiar os trabalhos sob sua responsabilidade; controlar assuntos em tramitação, a fim de atender ao cumprimento dos prazos estabelecidos; promover estudos de racionalização e controlar o desempenho organizacional; realizar e orientar as atividades relacionadas a suprimentos de materiais, analisando as necessidades, controlando o nível de estoque, entrada e saída de materiais e programação de compras, objetivando suprir as necessidades do Conselho; analisar a estrutura organizacional, métodos e procedimentos de trabalho no CRB, avaliando as necessidades de movimentação e redimensionamento de pessoal em cada área, levantando e avaliando rotinas, fluxos, sistemas administrativos e apresentando soluções para a racionalização e otimização dos trabalhos realizados; orientar e controlar a realização de procedimentos técnicos e administrativos; desenvolver e atualizar manuais de normas e procedimentos, analisando as necessidades, organizando e padronizando os serviços, visando à consecução dos objetivos do CRB; e executar outras atividades correlatas. Nome: FERNANDA ALVARENGA DE ASSIS CPF: Cargo: BIBLIOTECÁRIA GERENTE Função: COORDENADORA ADMINISTRATIVA Data de Admissão: 03/11/2003 Endereço Residencial: RUA DOM MARCOS TEIXEIRA, 88 - CAMPO ALEGRE CEP: BELO HORIZONTE/MG. Telefones: (31) / / Assistente de Diretoria Competências atender o público externo e interno para o esclarecimento de dúvidas em relação à secretaria do CRB-6: andamento de processos, documentação para registro, solicitação de boletos, entre outros.

196 194 oferecer atendimento personalizado para dúvidas, acompanhamento de processos, consulta de valores, dúvidas referentes à legislação e ao exercício da profissão de bibliotecário; orientar os profissionais em relação a formalização de denúncias éticas e fiscalizatórias; receber, examinar, informar e/ou encaminhar todas as solicitações dirigidas ao CRB, verificando para quem se destinam e quais as providências necessárias a sua execução, bem como anotar e transmitir recados; criar controles e rotinas objetivando melhorias no setor; executar os serviços de elaboração de ofícios, relatórios e dos atos oficiais, providenciando, quando for o caso, o envio para publicação na imprensa oficial e leiga; guardar e conservar o acervo de processo de registro e os livros de registro bem como os livros de atas das Comissões, do Plenário e da Diretoria, os livros de registro de Presenças e demais documentos oficiais; organizar e manter atualizada a agenda e promover a correspondência do Presidente; executar, por solicitação, serviços internos e externos de circulação de correspondência, livros, material e outros documentos pertinentes ao CRB; processar em autos protocolados e fichados, com suas folhas numeradas e rubricadas, os assuntos a serem submetidos a estudo, discussão ou votação, arquivando-os após as decisões respectivas; assessorar a Diretoria na convocação das diversas reuniões existentes na sede, organização das sessões das reuniões Plenárias ordinárias e extraordinárias, fornecendo informações e documentos, bem como atendendo a outras solicitações para montagem da pauta dos trabalhos da Ordem do Dia; executar as deliberações do Plenário e da Diretoria, seguindo rigorosamente os critérios de prioridade definidos pela administração; organizar e manter atualizado o cadastro dos endereços de pessoas, instituições e entidades para remessa e intercâmbio de correspondência; criar registros e elaborar documentos de identidade profissional, como carteira, cédula, cartão de registro provisório e montagem de pastas para compor os processos administrativos; substituir temporariamente a gerência em período de férias, sendo responsável por todas as medidas administrativas durante o período; apoiar a organização dos eventos comemorativos da classe bibliotecária, elaborando listas de presença, controle de acesso dos profissionais e elaborando roteiros para dsempenho de atividade cerimonial; apoiar a consultoria jurídica do órgão, realizando o agendamento de profissionais registrados para negociação de valores inscritos em Dívida Ativa; buscar informações em diversas comarcas e tribunais para repasse ao assessor jurídico, na ausência da estagiária; atender os profissionais de outra cidade/estado em locais determinados pela Diretoria do CRB-6. Nome: MÁRIO DIÓGENES GARRIDO EVA CPF: Cargo: AUXILIAR ADMINISTRATIVO Função: ASSISTENTE DE DIRETORIA Data de Admissão: 11/02/2008 Endereço Residencial: RUA CÔNEGO JOSÉ ARISTIDES, 117 MANTIQUEIRA CEP: BELO HORIZONTE/MG.

197 195 Telefones: (31) / / Estagiário Auxiliar o assessor jurídico nos processos e fazer toda a parte de organização dos dados. Nome: THAÍS SCALABRINI DE SOUZA MORAIS CPF: Período Gestão: Cargo: ESTAGIÁRIA JURIDICA Função:ACOMPANHAMENTO E PROCESSOS ADMINISTRATIVOS E JUDICIAIS JUNTO A ASSESSORIA JURÍDICA AUTÁRQUICA Endereço Residencial: RUA HERCULANO PENA, 1021/AP 412/BL C NOVA SUISSA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / Auxiliar Administrativo atender o público externo e interno, anotando recados e informações de interesse do serviço; atender, efetuar e completar ligações telefônicas, anotando as ocorrências diárias, relacionar o número de telefone, endereço e localização de pessoas e entidades de interesse do CRB, mantendo atualizadas as informações; transmitir e receber fax; atuar no suporte administrativo quando da realização de eventos patrocinados pelo Conselho; classificar e controlar a prestação de contas referentes às viagens realizadas; renegociar dívidas, sob supervisão do financeiro; dar suporte a eventos semanais e realizar outras tarefas de mesma natureza, sempre que solicitado; controlar a utilização e níveis de estoque de material de escritório e apoio utilizados; apoiar a organização e atualização cadastro e as informações contidas no sistema de mala direta; controlar e efetuar compras de materiais de escritório e de limpeza e outros necessários para a autarquia; auxiliar nas atividades administrativas do órgão; controlar as despesas operacionais; auxiliar na montagem dos processos licitatórios do órgão; emitir guias para pagamento dos profissionais registrados; apoiar a Comissão de Divulgação para atualização das informações no site do CRB. Nome: RAQUEL SILVA DE LIMA CPF: Cargo temporário: AUXILIAR ADMINISTRATIVO Data de Admissão: 03/06/2013 Endereço Residencial: RUA IPANEMA, 110 DURVAL DE BARROS CEP: IBIRITÉ/MG. Telefones: (31) / /

198 196 Mensageiro atender telefonemas e o público, recepção em geral, entrega de documentos, encaminhamento de correspondências internas, operação de equipamentos de escritório, transmissão de mensagens orais e escritas, reposição e organização de documentos administrativos, serviços externos. Buscar e entregar documentos em agências bancária. Nome: SANDRO DAVID SILVA CPF: Cargo: MENSAGEIRO INTERNO CONVÊNIO: CRUZ VERMELHA BRASILEIRA Data de Admissão: 10/09/2012 Endereço Residencial: RUA NAIR PENTAGNA GUIMARÃES, 165 HELIÓPOLIS - CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / / Auxiliar de Serviços Gerais executar trabalhos de limpeza geral: conservação e organização de mobílias, lavar e limpar cômodos, pátios, pisos, carpetes, terraços e demais dependências da sede da autarquia; polir objetos, peças e placas metálicas; preparar e servir café, chá, água, etc.; remover, transportar e arrumar móveis, máquinas e materiais diversos; guardar e arranjar objetos, bem como transportar pequenos objetos; transmitir recados, buscar e entregar documentos em agências bancárias; executar outras tarefas do cargo sob a ordem do superior imediato; controlar o estoque e sugerir compras de materiais pertinentes a sua área de atuação. Nome: MARIA HELENA LEITE CPF: Cargo temporário: AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS Data de Admissão: 01/09/2008 Endereço Residencial: RUA PEDRA DO MAR, 304 PIRATININGA CEP: BELO HORIZONTE/MG Telefones: (31) / Informações sobre a governança O Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região, no decorrer da sua 16ª gestão, procura manter a sua missão institucional, os valores institucionais e alcançar os objetivos previstos pela gestão anterior e os que surgem no decorrer da atual gestão, por meio na analisem do seu ambiente externo e interno. A missão da autarquia é fiscalizar e orientar o exercício da profissão de bibliotecário, dentro dos princípios da ética em busca da valorização, da qualidade profissional visando à defesa da sociedade. Seus principais valores são: ética, compromisso social, legalidade, transparência, participação, competência, firmeza, lealdade e imparcialidade em todas as ações. Por meio do estudo do ambiente externo e interno, por meio da metodologia SWOT, a autarquia encontrou os seguintes atributos:

199 197 Ambiente externo Ameaças a) Falta de conhecimento das finalidades do CRB; b) Riscos de desregulamentação da profissão; c) Desconhecimento da profissão pela sociedade; d) Imagem deturpada da profissão; e) Inexistência de políticas públicas; f) Baixo nível de cooperação das entidades de classes com o CRB; g) Desconhecimento da legislação bibliotecária pelos profissionais e empregadores; h) Baixo comprometimento governamental com as políticas públicas; i) Inadimplência (carência de recursos); j) Bibliotecários revoltados com as entidades de classe; k) Apatia do bibliotecário; l) Falta de apoio político. Oportunidades a) Criar parcerias e programas de fortalecimento com outras entidades de classe; b) Aproximação do CRB com as instituições de ensino; c) Participação em eventos em geral, ligados ou não a Biblioteconomia; d) Interação com a classe política em suas diversas instâncias; e) Combate ao exercício ilegal da profissão; f) Desenvolvimento das tecnologias de informação; g) Parceria com Centros Acadêmicos de Biblioteconomia; h) Captação de recursos frente ao governo e as empresas privadas para receber ajuda financeira para projetos e eventos; i) Lei de Biblioteca Escolar. Ambiente interno Pontos Fracos a) Queda na arrecadação (anuidades); b) Falta de modernização da estrutura administrativa; c) Falta de uma ampla comunicação com os profissionais; d) Falta de integração e de informações das gestões; e) Desconhecimento, por parte dos conselheiros, das suas atribuições e procedimentos; f) Falta de recursos financeiros; g) Desconhecimento do perfil do bibliotecário que atua na jurisdição; h) Falta de uma boa estrutura física; i) Falta de planejamento estratégico; j) Fraca contrapartida para adesão de novos sócios; k) Falta de comprometimento em alcançar objetivos propostos; l) Inadimplências de taxas de anuidades de profissionais.

200 198 Pontos Fortes a) Credibilidade junto aos conselhos de outras profissões, orgãos e instituições; b) Participação em audiências públicas municipal, estadual e em outras esferas; c) Campanhas de marketing de bom nível, valorizando o profissional bibliotecário; d) Organização e participação em eventos em geral; e) Existência da entidade coorporativa; f) Qualidade dos esforços individuais dos conselheiros; g) Autonomia econômico-financeira; h) Articulação com órgão público, organizações privadas e instituições de ensino; i) Participação nas redes sociais; j) Sede própria; k) Profissão regulamentada; l) Corporativismo. Por meio da análise dos ambientes externo (ameaças e oportunidades) e interno (pontos fortes e pontos fracos) e das diretrizes deixadas pela gestão anterior, a 16ª gestão do CRB-6 estabeleceu os seguintes objetivos estratégicos: a) Fortalecer a imagem do Sistema CFB/CRB e da profissão bibliotecária perante a sociedade; b) Atuar como fator de proteção da sociedade; c) Influenciar na formação das competências e das habilidades do profissional e fomentar programas de educação continuada; d) Promover a satisfação da classe bibliotecária com o Sistema CFB/CRB; e) Fortalecer a participação sócio-político-institucional junto às instituições públicas, privadas, sociedade civil e entidades representativas da classe; f) Firmar parcerias estratégicas; g) Inovar, integrar e aperfeiçoar a gestão do Sistema CFB/CRB; h) Elaborar, acompanhar e aperfeiçoar normas de interesse do Sistema CFB/CRB, da profissão e da ciência bibliotecária. Para alcançar esses objetivos estratégicos, durante o ano de 2013, as comissões permanentes elaboram um plano de trabalho e foram criadas três comissões temporárias, nas seguintes áreas: patrimônio, recursos humanos e convênios. Comissão Permanente de Divulgação Plano de Trabalho 1- COMISSÃO: Comissão de Divulgação (CDV). 2- PROGRAMA: Desenvolvimento de Plano de Metas para a CDV JUSTIFICATIVA: Planejamento anual de propostas de ações da Comissão de Divulgação para melhoria dos trabalhos. 4- OBJETIVOS: Promover ações que possam oferecer visibilidade aos bibliotecários mineiros e capixabas, bem como ao Sistema CFB/CRB oferecendo informações atuais e relevantes a Biblioteconomia e áreas afins. 5- META: Intensificar os trabalhos da CDV e buscar maior proximidade com os bibliotecários e instituições afins do Espírito Santo. 6- EXECUTORES: Membros da CDV, assessoria de informática, assessoria de comunicação. 7- ENTIDADES ENVOLVIDAS: Sistema CFB/CRB6 e instituições parceiras. 8- INDICADOR PARA AVALIAÇÃO: Satisfação do usuário, Informação no portal e WEB, Satisfação de atendimento às demandas. 9- IMPACTO ESPERADO: Maior satisfação do usuário 10- CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO:

201 199 Atividade I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Conservar periodicidade e qualidade do Boletim online x x x x x x x x x x x Atualizar mala direta com o Sistema CFB/CRB e Espírito Santo para x x x x x x x x x x x ampliar abrangência do Boletim online Reavaliar formato da revista CRB-6 Informa, objetivando potencializar sua x x x x abrangência Promover campanha de aproximação com os bibliotecários do Espírito Santo x x x x x x x x x x x Utilizar plataforma do Sistema CFB/CRB e conhecer/potencializar seus recursos para abrigar o site do x x x x x x x x x x x CRB-6 Buscar novas parcerias para divulgação e realização de eventos com menos x x x x x x custos para o CRB-6 Manter consolidadas as parcerias já instituídas com o CRB-6 x x x x x x x x x x x Participar de eventos de biblioteconomia e de interesse da x x x x x x x x x x x profissão Aprimorar a divulgação da profissão de Bibliotecário e do Sistema CFB/CRB x x x x x x x x x x x em Minas Gerais e no Espírito Santo Divulgar a autarquia em eventos de Biblioteconomia e afins, eventos de outros conselhos profissionais e outros que valorizem a profissão x x x x x x x x x x x Síntese do trabalho realizado e principais resultados A Comissão de Divulgação foi composta em 2013 pelos conselheiros titulares: Álamo Chaves de Oliveira Pinheiro (Coordenador), Antônio Afonso Pereira Junior e Michelle Karina Assunção Costa. A comissão contou com os trabalhos da Assessoria de Comunicação, representada pela empresa Prefácio, cuja responsável é a Sra. Ana Luiza Purri, e da Assessoria de Informática, representada pela empresa Procedata, cujos responsáveis são os Srs. Alexandre Magalhães e o supervisor do suporte, Sr. Alessandro Cesar Torido. No primeiro semestre do ano, a comissão contou com a coordenação do conselheiro Hugo Oliveira Pinto e Silva. À época, a Assessoria de Informática era feita pela empresa Limasoft. Os serviços prestados foram: Boletim Eletrônico Todas as terças-feiras enviamos um Boletim Eletrônico para o mailing do CRB-6 com cinco notícias importantes para o setor, em geral versando sobre os aspectos da profissão e o mercado de trabalho, a área acadêmica, concursos e vagas de emprego, ações institucionais do Sistema CFB/CRB, entre outros assuntos de interesse, abrangendo todo o Brasil, mas com enfoque em Minas Gerais e Espírito Santo. Revista CRB-6 Informa Em dezembro de 2013 foi publicado o volume 5 da revista institucional do CRB-6, com as seguintes matérias: Empreendedorismo; Artigo - Projeto Viagem pela Literatura; Bibliotecas: instrumento de compartilhamento e construção do conhecimento; Artigo - A Biblioteca Escolar Como Fomentadora de Cultura no Ambiente Escolar; Corrida: Um Esporte Democrático; Dr.

202 200 Google: Aliado ou Inimigo?; Artigo - O Medo que Tenho de Bibliotecários Medrosos; Que Tal Ler um Livro? - A Informação: Uma História, Uma Teoria, Uma Enxurrada. A revista é enviada para todos os bibliotecários com registo no CRB-6 em Minas Gerais e Espírito Santo, além de algumas instituições e universidades relevantes para a área. Ela está disponível para leitura em nº2.pdf. Já a edição anterior está disponível em: As edições online da revista estão sendo disponibilizadas em Site CRB-6 O site do CRB-6 é o canal formal pelo qual o Conselho se comunica com a comunidade bibliotecária em geral. Neste espaço constam as informações sobre os passos para efetuar o registro profissional, as informações sobre o pagamento da anuidade, entre outras. Também é o canal por onde os interessados podem enviar mensagens para o Conselho. Blog CRB-6 O Blog CRB-6 é um dos canais de comunicação mais dinâmicos do Conselho com a classe bibliotecária a que se destina informar. Desde março de 2012, quando foi posto no ar, o Blog já teve posts e mais de 600 comentários. O endereço do Blog CRB-6 é: Redes sociais O CRB-6 mantém ativas contas nas redes sociais Facebook (www.facebook.com/crbseis), Twitter (https://www.twitter.com/crbseis) e uma conta no YouTube. As duas primeiras contas são atualizadas diariamente com as postagens feitas no Blog do CRB-6, no site e no Boletim Eletrônico pela Assessoria de Comunicação. A Comissão de Divulgação fez ampla divulgação referente à Dia/Semana/Mês do Bibliotecário, ocorrido em março, por meio de publicações no Boletim Eletrônico, postagens no Blog, site e redes sociais, além de convites eletrônicos enviados para o mailing institucional. Comissão de Tomada de Contas Plano de Trabalho 1- COMISSÃO: Comissão de Tomada de Contas; 2- PROGRAMA: Apreciação, análise e emissão de parecer/relatório das contas do Regional; 3- JUSTIFICATIVA: Estatutária em função da obrigatoriedade estabelecida nos normativos regimentais; 4- OBJETIVOS: Fornecer dados sintéticos e claros para apreciação e aprovação ou não do Plenário; 5- META: Cumprir com fiel observância aos normativos da CTC; 6- EXECUTORES: Assessoria contábil, Bibliotecária-Gerente e membros da CTC; 7- ENTIDADES ENVOLVIDAS: O sistema CFB/CRB6 8- INDICADOR PARA AVALIAÇÃO: Em grau de excelência 9- IMPACTO ESPERADO: o melhor possível; 10- CRONOGRAMA DE EXECUÇAO: Atividade I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Verificar valores recebidos e pertencentes ao CRB-6 x x x x x x x x x x x x Controlar recebimento de legados, doações e x x x x x x x x x x x x subvenções Fiscalizar os serviços de tesouraria e contabilidade x x x x x x x x x x x x Examinar comprovantes de despesas verificando x x x x x x x x x x x x validade das autorizações e quitações Expedir normas disciplinadoras ao fiel cumprimento aos serviços e atribuições da CTC x x x x x x x x x x x x

203 201 Levar ao plenário parecerem conclusivos para análise e votação Analisar previsão orçamentária para exercício de 2013 Síntese do trabalho x x x x x x x x x x x x x x A Comissão de Tomada de Contas da 16ª Gestão do CRB-6, em seu papel institucional de verificar os atos contábeis, receita, despesa e superávit, bem como se a documentação encontra-se em perfeita conformidade, verificando a existência de lastro, principalmente nas despesas, entre os valores autorizados, emitidos e sacados, orientou, sugeriu e recomendou à Diretoria e demais Comissões, os melhores caminhos a traçar, referentes aos processos de compra, contratação de serviços, na elaboração dos orçamentos, tanto mensais, como anuais. Além disso, desempenha papel fiscalizatório e preventivo, examinando toda a documentação da Autarquia, bem como comunicando irregularidades encontradas e sugerindo melhores alternativas de ação para que mantivessem seus índices de superávit e credibilidade perante aos órgãos públicos e aos profissionais registrados nos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Esta comissão, de forma periódica e regular, desenvolveu atividades de fiscalização dos atos da tesouraria, contabilidade e gerência, examinando toda a documentação relativa à gestão da autarquia. Sem nenhum problema identificado, visto que todas as contas foram analisadas e aprovadas pela Comissão de Tomada de Contas do CFB. Comissão de Licitação Plano de Trabalho 1- COMISSÃO: Comissão de Licitação 2- PROGRAMA: Montagem e análise de todos os processos de compra da autarquia. 3- JUSTIFICATIVA: Estatutária em função da obrigatoriedade estabelecida nos normativos regimentais; de acordo com a lei 8666/ OBJETIVOS: Montagem de processos de compra de acordo com a legislação vigente. 5- META: Cumprir com fiel observância aos normativos para as tarefas da comissão. 6- EXECUTORES: Presidência, assessoria jurídica e membros da CL. 7- ENTIDADES ENVOLVIDAS: O sistema CFB/CRB6 8- INDICADOR PARA AVALIAÇÃO: Em grau de excelência, indicador de desempenho 9- IMPACTO ESPERADO: o desejável; 10- CRONOGRAMA DE EXECUÇAO: Atividade I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Montagem de processos de x x x x x x x x x x x x compra/seleção Reuniões periódicas para análise do x x x x x x x x x x x x andamento dos processos Julgamento dos processos via licitação x x x x x x x x x x x x ou tomada de preços de acordo com a lei Reuniões da comissão com assessoria x x x x x x x x x x x x jurídica para finalização dos processos. Análise de toda a documentação dos x x x x x x x x x x x x processos. Informar o plenário sobre processos de compra/contratação x x x x x x x x x x x x

204 202 Síntese do trabalho A Comissão de Licitação procurou apreciar e dar andamento aos processos licitatórios, zelando pelo fiel cumprimento de suas funções legais aplicáveis, com o objetivo dar maior clareza às ações que são desenvolvidas em seu âmbito quando da contratação de serviços, pessoas e/ou aquisição de bens de consumo e permanentes. Durante o ano de 2013 foram abertos os seguintes processos de compra e de serviços: Processos de compras e serviços Nº Objeto da Licitação Modalidade Data Preço 01 Material gráfico Tomada de preço R$ 7.353,20 02 Aluguel de espaço para entrega da Medalha e Dia do Tomada de preço R$ 3.500,00 Bibliotecário 03 Material para divulgação Tomada de Preço R$ 4.470,00 04 Material de limpeza Tomada de preço R$ 1.744,59 05 Assessoria de informática Carta convite R$ ,00 06 Compra de persianas Tomada de preço R$ 1.248,40 07 Equipamento de informática Carta convite R$ ,14 08 Armário de cozinha Tomada de preço Não aprovado 09 Revista CRB-6 Informa Tomada de preço R$ 4.185,00 10 Material de escritório Tomada de preço R$ 4.830,59 Comissão de Fiscalização Plano de Trabalho 1- COMISSÃO: Comissão de Fiscalização 2- PROGRAMA: Desenvolvimento de ações fiscalizatórias no âmbito co CRB-6 3- JUSTIFICATIVA: Conforme estabelecido no art.63, III, do Regimento Interno do CFB, cabe aos Conselhos Regionais a tarefa de fiscalizar o exercício da profissão, impedindo e punindo as infrações vigentes, garantindo que a profissão de bibliotecário será exercida exclusivamente pelos Bacharéis em Biblioteconomia, possuidores de diplomas expedidos por Escolas de biblioteconomia de nível superior, oficiais, equiparadas ou oficialmente reconhecidas, conforme Lei 4.084/62 art. 2 e Decreto /65 art OBJETIVOS: Promover a fiscalização efetiva do maior número possível entre os 853 municípios mineiros, 78 capixabas e suas respectivas unidades de informação, conforme estabelecido pela Lei de 30/06/1962 e regulamentada pelo Decreto de 16/08/1965; Conscientizar a sociedade e as instituições públicas e privadas sobre a importância e o papel do profissional bibliotecário; Sensibilizar o bibliotecário sobre a importância do sistema CFB e CRB-6 e a necessidade do registro profissional para a garantia de seus direitos e o fortalecimento da categoria. 5- METAS: Por meio de uma ação fiscalizatória efetiva junto as Unidades de informação de Minas Gerais e do Espírito Santo, promover a criação e a regularização dos postos de trabalho; Manter o mapeamento das áreas de fiscalização; Manutenção da agenda de julgamentos dos processos de fiscalização; 6- EXECUTORES: Conselho Fiscal, Fiscais e Bibliotecário Gerente 7- ENTIDADES ENVOLVIDAS: O sistema CFB/CRB6 8- INDICADOR PARA AVALIAÇÃO: Em grau de excelência 9- IMPACTO ESPERADO: Aumento do número de bibliotecários registrados, criação e regularização de postos de trabalho. 10- CRONOGRAMA DE EXECUÇAO: Atividade I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII

205 203 Mapeamento e definição das áreas de x x x x x x x x x x x x fiscalização Definição do cronograma e escalas de x x x x x x x x x x x x viagem Agendamento dos julgamentos x x x x x x x x x x x x Acompanhamento dos processos em x x x x x x x x x x x x dívida ativa Confecção do relatório mensal de x x x x x x x x x x x x atividades Atualização do Mapa de Fiscalização x x Síntese do trabalho realizado e principais resultados A Comissão de Fiscalização prima por verificar as irregularidades e tornar o trabalho do bibliotecário mais conhecido, visando preservar dois aspectos essenciais: a ética e habilitação técnica adequada para o exercício profissional. Por meio de um planejamento, estruturado na gestão anterior, a comissão fiscaliza o exercício profissional nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. O planejamento consiste na divisão dos dois estados em microrregiões, por meio da quantidade de bibliotecas e número de habitantes, e no estabelecimento do período de fiscalização para cada estado, observando as suas peculiaridades. O estado de Minas Gerais é divido em onze regiões (Governador Valadares, Juiz de Fora, Montes Claros, Paracatu, Passos, Patos de Minas, Pouso Alegre, Teófilo Otoni, Uberaba, Uberlândia e região Central). As visitas nas cidades localizadas nas regiões são definidas da seguinte maneira: vistais mensais a duas regiões distantes da sede, com duração de uma semana; visitas, durante três semanas, a seis cidades localizadas na região central e que permitem o retorno dos fiscais no mesmo dia à sede. O estado do Espírito Santo é dividido em quatro regiões (metropolitana, norte, nordeste e sul) e as vistas às cidades localizadas nas regiões são definidas da seguinte maneira: uma visita semestral durante uma semana por cada um dos ficais. Os resultados desse planejamento são: o aumento do numero de visitas, o atendimento das denúncias feitas pela sociedade, aumento do número de processo julgados e a otimização dos processos administrativos pertinentes à fiscalização, conforme pode ser constato nos quadros a seguir. Processos julgados Comparativo com os anos anteriores ANO Julgamentos Balanço das visitas em 2013: Período FEVEREIRO 2013 MARÇO 2013 Cidades BELO HORIZONTE MG GOVERNADOR VALADARES MG IBIRITÉ MG IGARAPÉ MG NOVA LIMA MG POÇOS DE CALDAS MG SABARÁ MG BELO HORIZONTE MG ARCOS MG BETIM MG BRUMADINHO MG CONTAGEM MG

206 204 ABRIL 2013 MAIO 2013 JUNHO 2013 JULHO 2013 AGOSTO 2013 SETEMBRO 2013 OUTUBRO 2013 NOVEMBRO 2013 DIVINÓPOLIS MG FORMIGA MG NOVA LIMA MG RAPOSOS MG VITÓRIA ES SERRA ES VILA VELHA ES BELO HORIZONTE MG BETIM MG MARIANA MG SABARÁ MG UBERLÂNDIA MG BELO HORIZONTE MG CARANDAÍ MG CONSELHEIRO LAFAIETE MG ITABIRA MG JOÃO MONLEVADE MG LAGOA SANTA MG PEDRO LEOPOLDO MG BELO HORIZONTE MG CAETÉ MG CAXAMBÚ MG CONTAGEM MG RIBEIRÃO DAS NEVES MG SANTA LUZIA MG SÃO LOURENÇO MG TRÊS CORAÇÕES MG VESPASIANO MG BELO HORIZONTE MG ESMERALDAS MG SÃO JOAQUIM DE BICAS MG BELO HORIZONTE MG CONTAGEM MG CORONEL FABRICIANO MG IPATINGA MG JUATUBA MG LAGOA SANTA MG NOVA LIMA MG SANTA LUZIA MG SETE LAGOAS MG TIMÓTEO MG BELO HORIZONTE MG ARAGUARI MG BETIM MG DIVINOLÂNDIA DE MINAS MG FRUTAL MG GONZAGA MG GUANHÃES MG MATEUS LEME MG NOVA LIMA MG SABINÓPOLIS MG SÃO JOÃO EVANGELISTA MG UBERLÂNDIA MG VIRGINÓPOLIS MG BELO HORIZONTE MG ITAÚNA MG RIO ACIMA MG VITÓRIA ES SERRA - ES VILA VELHA ES BELO HORIZONTE MG SÃO PAULO (TREINAMENTO SPW)

207 205 DEZEMBRO 2013 BELO HORIZONTE MG SETE LAGOAS MG Foram visitadas 50 cidades em Minas Gerais, algumas mais de uma vez em função do tamanho ou de alguma denúncia. No estado do Espírito Santo, foram visitadas apenas três cidades, Vitória, Vila Velha e Serra duas vezes cada, pois a concentração de bibliotecas é maior nessas cidades e houve um grande número de denúncias. Abaixo, apresentamos os dados gerais referentes ao ano de 2013 e um comparativo com os anos anteriores. Procedimento Fiscalizatório 2013 Total Visitas realizadas 437 Autos de infração 53 Fiscalização por meio de carta de regulamentação 101 Questionamento de concurso público 13 Bibliotecários fiscalizados 385 Bibliotecários irregulares (sem registro, com registro em outro crb ou registro cancelado) 13 Bibliotecários que regularizaram a situação 08 Julgamentos 42 Procedimento Fiscalizatório 2013: comparativo com os anos anteriores Vistas realizadas É importante salientar que a ação da Comissão de Fiscalização tem sido reconhecida pelo profissional bibliotecário, que vem identificando e denunciando as irregularidades, o que tem facilitado o trabalho dos fiscais. Além da manutenção do planejamento, no ano de 2013 a Comissão de Fiscalização enviou um ofício preventivo para as gestões municipais que assumiram as prefeituras de Minas Gerais, com o objetivo de alertar os novos gestores sobre a legislação que regulamenta a profissão, as atribuições do CRB e a importância da contratação do profissional qualificado. Outra decisão administrativa foi o estabelecimento de que em todas as reuniões extraordinárias haveria de quatro a seis julgamentos por sessão, o que aumentou o número de processos julgados chegando a 42. Outra ação de relevante importância foi a reunião com a faculdade Universo. Ela teve como objetivo conhecer o curso de biblioteconomia oferecido no formato EaD e trabalhar futuras parcerias. Com os números apresentados e com as propostas e atividades que têm sido implementadas, a Comissão de Fiscalização do CRB-6 conclui que, apesar das dificuldades enfrentadas, os procedimentos fiscalizatórios estão alcançando bons resultados.

208 206 Comissão de Legislação e Normas Plano de Trabalho 1- COMISSÃO: Legislação e Normas 2- PROGRAMA: Desenvolvimento do Plano de Metas para a comissão. 3- JUSTIFICATIVA: necessidade de trazer um embasamento jurídico conforme a legislação vigente para as decisões do CRB e também para as questões relacionadas a normas e legislação trazidas pelos Bibliotecários. 4- OBJETIVOS: Promover ampla publicidade de todos os atos normativos que regem a profissão de Bibliotecário. 5- METAS: - Continuar estudando a legislação vigente e suas alterações; - Embasar e subsidiar juridicamente o desempenho da gestão da autarquia e todo seu corpo de conselheiros; - Orientar os profissionais de Biblioteconomia, estimulando a ética, cidadania e responsabilidade social visando sempre o aprimoramento das atividades realizadas. 6- EXECUTORES: Conselheiros membros desta comissão e assessoria jurídica do CRB6. 7- ENTIDADES ENVOLVIDAS: Sistema CFB/CRB 8- INDICADOR PARA AVALIAÇÃO: Relevância das legislações e normas vigentes no atendimento às necessidades dos profissionais. 9- IMPACTO ESPERADO: Embasar juridicamente as decisões deste conselho esclarecendo aos Bibliotecários aspectos da legislação vigente. 10- CRONOGRAMA DE EXECUÇAO: Atividade I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Divulgar atos normativos que regem a profissão do Bibliotecário x x x x x x x x x x x x Analisar a legislação vigente e suas alterações com apoio da assessoria x x x x x jurídica do CRB Embasar e subsidiar juridicamente o desempenho da gestão da autarquia e x x x todo seu corpo de conselheiros Estimular a ética, cidadania e responsabilidade social visando sempre x x x o aprimoramento de nossas atividades Realizar relatório de atividades da comissão x Síntese do trabalho e principais resultados A Comissão de Legislação e Normas (CLN) da 16ª Gestão do CRB-6 trabalhou exaustivamente nesse ano de 2013 para atender as demandas solicitadas pelos bibliotecários, pelo CFB, e pelo próprio CRB-6. O quadro a seguir apresenta as principais atividades desenvolvidas pela comissão.

209 207 Atividades realizadas durante o ano de 2013 A Comissão de Normas do CRB-6 apoiou e enviou sugestões de como resolver o problema de pessoal disponível: Senado vota projeto que obriga toda escola pública a manter uma biblioteca e um profissional bibliotecário, prazo de 5 anos para o cumprimento da Lei Estado de Minas - Publicação 08/01/2013. Janeiro 2013 Projeto de Lei Complementar que acrescenta dois artigos à Lei de Diretrizes e Bases da Educação, deve de entrar na pauta da Comissão de Educação do Senado na volta do recesso parlamentar. Relator: Senador Cássio Cunha Lima (PSDB/PB). A Comissão de Normas do CRB-6 analisou, juntamente com o advogado do CRB-6, o processo da bibliotecária Vivian Braga Muniz CRB6-2477, que pedia licença temporária como bibliotecária, mas exercia funções de arquivista. Abril 2013 de Análise da minuta resolução de procedimento contábil. Foram enviadas sugestões sobre a matéria Maio 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 de Análise do documento eu quero minha biblioteca com parecer sobre a matéria Fundamentamos a necessidade da mudança do nome de técnico em biblioteconomia para auxiliar técnico em biblioteconomia acerca da apresentação do Projeto de Lei nº 6038/2013, pelo Deputado Jose Stédile (PSB-RS), que: "Regulamenta o exercício da atividade profissional de Técnico em de Biblioteconomia". Estudo de vários artigos e das seguintes resoluções: Resolução CFB nº75 de 20 de junho de 1973 Resolução CFB nº440 de 07 de março de 1997 Resolução CFB nº455 de 9 de abril de 1998 Análise do caso da Inscrição: Pedido de anulação de questão de prova de concurso. Cargo: Bibliotecário/Documentalista - Campus de Rio Paranaíba Levantamento e propostas de normas jurídicas para serem enviadas para o Deputado Federal Dr. Grillo. Início dos estudos dos documentos enviados sobre a Lei da Biblioteca. Levantamento e propostas de normas jurídicas para serem enviadas para o Deputado federal Dr. Grillo, conforme decido em na reunião ocorrida no dia 14 de outubro de Continuidade dos estudos dos documentos enviados sobre a Lei da Biblioteca. Comissão de Ética Profissional Plano de trabalho 1- COMISSÃO: Comissão de Ética 2- PROGRAMA: Ética profissional 3- JUSTIFICATIVA: Dar continuidade à ação fiscalizatória de caráter preventivo e punitivo. 4- OBJETIVOS: Realizar investigações necessárias para o julgamento da procedência da infração ética e assédio moral. 5- META: Incremento da ação fiscalizatória em todo estado de Minas Gerais e Espírito Santo além dos julgamentos de processos. 6- EXECUTORES: Cleidivânia Janaína de Paula CRB-6/1870 Rogério da Silva Marques CRB-6/2663 Júlio Vitor Rodrigues de Castro CRB-6/ ENTIDADES ENVOLVIDAS: CRB-6, Assessoria Jurídica, Comissão de Fiscalização e Fiscais 8- INDICADOR PARA AVALIAÇÃO: Processo Fiscalizatório e Reuniões Periódicas 9- IMPACTO ESPERADO: Exercer a fiscalização do exercício profissional do bibliotecário assegurando a melhoria da qualidade no atendimento prestado no âmbito do CRB-6, diminuindo as ocorrências de assédio moral no meio entre Bibliotecários e auxiliares de bibliotecas. 10- CRONOGRAMA DE EXECUÇAO: Atividade I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII Reuniões X X X X X Fiscalização X X X X X X X X X X X X

210 208 Síntese do trabalho e principais resultados A Comissão finalizou o processo ético 01/2010 e concluiu existir violação nos preceitos éticos, cuja pena atribuiu uma advertência reservada, nos termos do art. 13, letra a, do Código de Ética Profissional do Bibliotecário, com devida anotação na pasta de registro do CRB-6 e CFB, mas sem notação na carteira profissional, levando em conta os termos do art. 16. No entanto, aos 22 dias do mês de abril de 2013, às 18h30, na sede da autarquia, em Sessão Plenária de Julgamento, com quórum regimental, por meio de votação pela maioria presente, houve discordância do parecer final, votando-se por inexistir violação de preceito ético, especialmente ao disposto nos artigos 2º a 5º do Código de Ética dos profissionais da Biblioteconomia, regulado pela Resolução nº 42/CFB, de 11 de janeiro de 2002, bem como ao Art parágrafo: p) utilizar a posição hierárquica para obter vantagens pessoais ou cometer atos discriminatórios e abuso de poder. Recebemos denúncia contra conselheiro(a) desta regional. O caso foi devidamente encaminhado, dentro dos prazos estabelecidos e com cópia da documentação exigida ao CFB, conforme legislação a seguir: Art.14 - Compete originalmente aos CRBs o julgamento das questões relacionadas a transgressão de preceito do Código de Ética, facultado o recurso de efeito suspensivo, dirigido ao CFB, competindo a este, ainda, originalmente, o julgamento de questões relacionadas à transgressões de preceitos do Código de Ética praticadas por Conselheiros Regionais e Conselheiros Federais, bem como transgressões de bibliotecários que atinjam diretamente o Conselho Federal. Comissão Temporária de Convênios Síntese do trabalho realizado A Comissão Temporária de Convênios foi criada pelos seguintes motivos: Os estudos realizados pela conselheira Michelle Karina Assunção, que tiveram o objetivo de verificar quais os Conselhos Regionais de Biblioteconomia possuíam convênios para os profissionais registrados, encontraram apenas um convênio na área de educação, realizado entre o CRB 3ª Região com a instituição Estácio de Sá. Além disso, na época, ela pesquisou outros conselhos profissionais, como o CREA, e observou que os mesmos possuíam convênios para os seus associados. Além de ter sido porta voz de colegas bibliotecários para sugerir em plenária a oferta de convênios para estes profissionais, a conselheira sugeriu que o Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região (CRB-6) começasse a estudar a possibilidade de viabilizar convênios, durante a plenária que ocorreu no dia 15 de julho, porém, os estudos realizados pela conselheira foram anteriores a essa data. As ações tomadas pelo conselheiro Antônio Afonso Pereira Junior, presidente da autarquia, diante do diálogo com o Presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), durante a primeira semana de julho de 2013, sobre convênios de planos médicos, sendo que o conselheiro estava esperando a resposta do presidente do CRMV com os contatos da Aliança Seguros. Essas informações foram repassadas por , no dia 16 de julho, pelo presidente, o qual deixou claro que já estava a par do assunto e que já estava sendo direcionado por ele, e caso existisse alguma dúvida entrasse em contato com ele. Diante deste entrave e das discussões oriundas por feitas por vários conselheiros sobre a importância do tema para ser discutido com mais profundidade em outras plenárias, o assunto dos estudos dos convênios foi retomado em duas plenárias ordinárias, sendo que na 9ª Reunião Plenária, ocorrida no dia 18 de agosto, foi oficializada a criação da comissão. As ações realizadas pela comissão estão respaldadas tanto pelo regimento interno do Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB) e quanto do CRB-6, como pode ser observado abaixo:

211 209 Art.19 - Compete ao Plenário do CFB: XI - examinar e deliberar acerca de pedidos de autorização para celebração de acordos, tratados e convênios com órgãos públicos e privados e demais entidades nacionais e internacionais, bem como de contratos em geral; Art Compete ao Plenário do CRB-...: XII - Examinar e deliberar acerca da celebração de acordos, convênios e contratos de assistência técnica e financeira com órgãos públicos e/ou privados e demais entidades nacionais e internacionais e demais contratos, em geral; Diante disso, os membros da comissão realizaram as seguintes atividades durante o ano de 2013: Análise dos sites dos conselhos federais e regionais (somente os dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo) das profissões regulamentadas para localizar quais possuem convênios para os profissionais registrados. Análise dos sites dos conselhos regionais que possuem mais convênios para identificar as seguintes informações: tipo de convênio, escopo, instituição e informações para contato. Os sites dos conselhos regionais do estado do Espírito Santo foram analisados pelo conselheiro Hugo Oliveira Pinto e Silva e os sites dos conselhos regionais de Minas Gerais ficaram sob a responsabilidade da conselheira Michelle Karina Assunção Costa. Até o momento foi finalizado o levantamento dos dados dos sites dos conselhos regionais do estado do Espírito Santo. As autarquias analisadas foram das seguintes profissões: Administração, Contabilidade, Corretores de Imóveis e Direito. As informações encontradas mostram que os principais tipos de convênios podem ser categorizados nas áreas de educação, saúde, financeiros e serviços; e que o escopo deles pode envolver os profissionais registrados nas autarquias, os profissionais registrados mais os seus dependentes (diretos e indiretos) e os profissionais registrados mais os funcionários da autarquia. Foi realizado o levantamento de informações sobre os convênios de alguns conselhos regionais do estado de Minas Gerais, o trabalho de análise e categorização ainda está sendo realizado com informações obtidas nos sites dos conselhos de Administração, Biologia, Economia, Enfermagem, Farmácia e Medicina Veterinária. Os convênios disponibilizados aos profissionais em dia com sua anuidade dizem respeito a serviços de bancos, pousadas/hotéis, turismo, planos odontológicos e saúde, assinaturas de revistas, instituição de ensino (universidades, idiomas, pós-graduação), dentre outros. Percebe-se, em alguns conselhos, a preocupação com os profissionais da classe. Disponibilizando benefícios, é possível atrair novos profissionais, bem como contribuir com os atuais inscritos. Por meio da implantação desse serviço (convênios), contribuiremos para a educação continuada do bibliotecário, a aquisição de novos conhecimentos, como também aproximaremos mais o profissional do conselho. Esta prática se torna positiva tanto para o Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região como aos Bibliotecários dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Comissão Temporária de Recursos Humanos Síntese do trabalho realizado A Comissão Temporária de Recursos Humanos (CTRH) da 16ª Gestão do CRB/6 se mostra a favor da criação e implantação da Política de Cargos e Salários (PCS) para seus funcionários, tendo iniciado seus trabalhos com o estudo do plano de cargos e salários do CRB 5ª Região e de outros PCS de outras classes profissionais. Mas, devido ao não crescimento de profissionais ativos no

212 210 Conselho e dos desligamentos de profissionais e a consequente estagnação da receita, será difícil atender as demandas dos funcionários. Nas plenárias ocorridas ao longo do ano de 2013 esse assunto sempre esteve presente, sendo apresentadas aos demais conselheiros sugestões como: investir na participação dos funcionários em eventos, incentivo à qualificação, dentre outras. Contatos foram realizados com o advogado e com o contador do CRB-6. De acordo com o Dr. Juliano Gonzaga, não há obrigação legal de fazer tal planejamento, mas ele se reveste de importância para aprimorar e motivar os funcionários. Quanto ao contador Sergio Lamego, foi solicitada uma projeção para que pudéssemos propor um aumento de salário para os funcionários, da seguinte maneira: 1) Manter o valor do dissídio, que é de direito; 2) A cada 2 (dois) anos os colaboradores do CRB-6 teriam um aumento de, por exemplo de 3%; e 3) Se tiverem especialização, mestrado e doutorado, seria concedido percentual de aumento (5, 10, 15% respectivamente), mas não a projeção ainda não foi feita. O contador relatou apenas que para o Orçamento de 2014, foi calculado em 10% o aumento dos funcionários. Com este aumento, o impacto das despesas com pessoal sobre o orçamento fica em torno de 45%. Diante do exposto, o trabalho continua, a fim criarmos um Plano de Cargos e Salários que vise principalmente o aumento financeiro, que seja um instrumento de valorização dos colaboradores, incentivando a participação em eventos e cursos (desde que não prejudique os trabalhos do CRB-6), e esperamos poder efetivar os convênios com empresas (educação, saúde, dentre outras) extensivos aos funcionários. Considera-se importante a valorização dos profissionais que atuam no CRB-6 e o reconhecimento pelo trabalho que estes desempenham. Comissão Temporária de Patrimônio O quadro a seguir apresenta as principais ações da comissão durante o ano de 2013 com o intuito de organizar os bens patrimoniais da autarquia. Data Janeiro/maio/2013 Junho/2013 Julho/2013 Agosto/2013 Setembro/2013 Outubro/Dezembro 2013 Atividades Levantamento de notas antigas no arquivo permanente até 2009 Mudança dos componentes da Comissão Estudo e parametrização do SPW Identificar os itens a serem patrimoniados Equipe SPW efetivação de testes no sistema Levantamento de notas fiscais de todos os itens a serem matrimoniados (criação de uma planilha em Excel com todos os itens de patrimônio) Durante o ano de 2013 o CRB-6 fez as seguintes aquisições: 4 bancos para a Copa 1 Impressora Laser MULTIF. MONO MX 410 PN 35S DESK HP 4300 SFF WIN8 PROSYST 4GB NOTE HP 4440S MM W7 P/N B5P84L/AV4 8 Monitores LG LED EN33SS PN 20EN33SS

213 211 Avaliação do Sistema de Controles Internos da UJ ELEMENTOS DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS A SEREM AVALIADOS VALORES Ambiente de Controle A alta administração percebe os controles internos como essenciais à consecução dos x objetivos da unidade e dão suporte adequado ao seu funcionamento. 2. Os mecanismos gerais de controle instituídos pela UJ são percebidos por todos os x servidores e funcionários nos diversos níveis da estrutura da unidade. 3. A comunicação dentro da UJ é adequada e eficiente. x 4. Existe código formalizado de ética ou de conduta. x 5. Os procedimentos e as instruções operacionais são padronizados e estão postos em x documentos formais. 6. Há mecanismos que garantem ou incentivam a participação dos funcionários e x servidores dos diversos níveis da estrutura da UJ na elaboração dos procedimentos, das instruções operacionais ou código de ética ou conduta. 7. As delegações de autoridade e competência são acompanhadas de definições claras das x responsabilidades. 8. Existe adequada segregação de funções nos processos e atividades da competência da x UJ. 9. Os controles internos adotados contribuem para a consecução dos resultados planejados x pela UJ. Avaliação de Risco Os objetivos e metas da unidade jurisdicionada estão formalizados. x 11. Há clara identificação dos processos críticos para a consecução dos objetivos e metas da x unidade. 12. É prática da unidade o diagnóstico dos riscos (de origem interna ou externa) envolvidos x nos seus processos estratégicos, bem como a identificação da probabilidade de ocorrência desses riscos e a consequente adoção de medidas para mitigá-los. 13. É prática da unidade a definição de níveis de riscos operacionais, de informações e de x conformidade que podem ser assumidos pelos diversos níveis da gestão. 14. A avaliação de riscos é feita de forma contínua, de modo a identificar mudanças no x perfil de risco da UJ ocasionadas por transformações nos ambientes interno e externo. 15. Os riscos identificados são mensurados e classificados de modo a serem tratados em x uma escala de prioridades e a gerar informações úteis à tomada de decisão. 16. Não há ocorrência de fraudes e perdas que sejam decorrentes de fragilidades nos x processos internos da unidade. 17. Na ocorrência de fraudes e desvios, é prática da unidade instaurar sindicância para x apurar responsabilidades e exigir eventuais ressarcimentos. 18. Há norma ou regulamento para as atividades de guarda, estoque e inventário de bens e x valores de responsabilidade da unidade. Procedimentos de Controle Existem políticas e ações, de natureza preventiva ou de detecção, para diminuir os riscos x e alcançar os objetivos da UJ, claramente estabelecidas. 20. As atividades de controle adotadas pela UJ são apropriadas e funcionam x consistentemente de acordo com um plano de longo prazo. 21. As atividades de controle adotadas pela UJ possuem custo apropriado ao nível de x benefícios que possam derivar de sua aplicação. 22. As atividades de controle adotadas pela UJ são abrangentes e razoáveis e estão x diretamente relacionadas com os objetivos de controle. Informação e Comunicação A informação relevante para UJ é devidamente identificada, documentada, armazenada x e comunicada tempestivamente às pessoas adequadas. 24. As informações consideradas relevantes pela UJ são dotadas de qualidade suficiente x para permitir ao gestor tomar as decisões apropriadas. 25. A informação disponível para as unidades internas e pessoas da UJ é apropriada, x tempestiva, atual, precisa e acessível. 26. A Informação divulgada internamente atende às expectativas dos diversos grupos e x indivíduos da UJ, contribuindo para a execução das responsabilidades de forma eficaz. 27. A comunicação das informações perpassa todos os níveis hierárquicos da UJ, em todas x as direções, por todos os seus componentes e por toda a sua estrutura.

214 212 Monitoramento O sistema de controle interno da UJ é constantemente monitorado para avaliar sua x validade e qualidade ao longo do tempo. 29. O sistema de controle interno da UJ tem sido considerado adequado e efetivo pelas x avaliações sofridas. 30. O sistema de controle interno da UJ tem contribuído para a melhoria de seu x desempenho. Análise Crítica: A análise crítica é apresentada no texto abaixo. Escala de valores da Avaliação: (1) Totalmente inválida: Significa que o conteúdo da afirmativa é integralmente não observado no contexto da UJ. (2) Parcialmente inválida: Significa que o conteúdo da afirmativa é parcialmente observado no contexto da UJ, porém, em sua minoria. (3) Neutra: Significa que não há como avaliar se o conteúdo da afirmativa é ou não observado no contexto da UJ. (4) Parcialmente válida: Significa que o conteúdo da afirmativa é parcialmente observado no contexto da UJ, porém, em sua maioria. (5) Totalmente válido. Significa que o conteúdo da afirmativa é integralmente observado no contexto da UJ. O CRB6 quer ser capaz de definir hoje os caminhos para alcançar o patamar de desempenho esperado pela sociedade. Este é um dos principais desafios das organizações públicas, entre outros: exercer ações que vão desde a publicidade até a fiscalização da atuação do bibliotecário; mostrar claramente as atribuições do CRB-6, diferenciando-o de sindicatos e associações; melhorar a imagem perante a comunidade bibliotecária; fiscalizar e zelar pelo exercício da profissão e promover a instituição biblioteca. A escolha de opções no presente exigirá tempo e investimentos no futuro para que a nossa instituição possa atingir esta meta, por meio do instrumento do planejamento. No âmbito de Conselho Profissional regional, busca-se alinhar estratégias, processos e pessoas aos objetivos institucionais, por meio de metas anuais a serem alcançadas, e atuar como indutor da melhoria da gestão, na medida em que identifica problemas e respectivas causas e estabelece ações corretivas. A missão da 16ª gestão do CRB6 é fiscalizar as bibliotecas e os registros dos profissionais zelando, pelo exercício da profissão. Ambiente de controle: é grande o desafio que se coloca diante da sociedade e da Administração Pública, que rapidamente se modernizam e operam em ambiente de complexidade crescente e de mudanças aceleradas diante do advento de grandes tecnologias de informação que permeiam nosso cotidiano. Tornam-se imperativas a rápida identificação e a adoção de novos instrumentos, mecanismos e processos, ao mesmo tempo em que se mantém a qualidade do controle desse ambiente. Avaliação de risco: inadimplência; redução de alunos no curso de Biblioteconomia; influência de determinados grupos de pessoas em listas de discussão na internet, denegrindo as imagens dos conselhos regionais e federal; falta de comunicação com as escolas de Biblioteconomia e com os demais CRBs. Atividades de controle: audiências com secretários dos governos do Espírito Santo e Minas Gerais, com possibilidade de abertura de um novo curso de graduação em Minas Gerais. Informação e comunicação: utilizar mais as redes sociais, que são um sucesso de audiência, aproveitar para divulgar as ações do CRB6 e a atuação dos bibliotecários; divulgar grandes eventos de Biblioteconomia e enaltecer o papel de grandes bibliotecas e bibliotecários. Monitoramento: estabelecer contato com as escolas de Biblioteconomia para apoiá-las com ações que busquem valorizar o curso; realizar audiências com autoridades dos governos mineiro e capixaba para cumprir a Lei da Biblioteca Escolar. Indicadores Durante o ano de 2013, o Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região não trabalhou com indicadores para avaliar o alcance dos seus objetivos estratégicos. No entanto, a autarquia se compromete em estudar os futuros indicadores e no próximo relatório apresentará essas informações com mais segurança e credibilidade.

215 213 Relacionamento com a sociedade O principal canal de acesso do cidadão ao Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região é o site institucional. Por meio dele os usuários encontram informações referentes à profissão do bibliotecário, sobre o registro profissional, legislação da área, estrutura administrativa da autarquia e seu histórico. Por meio da página de contato, os usuários podem enviar suas solicitações, reclamações, denúncias e sugestões. Ela apresenta dois links, um para bibliotecários e outro para as pessoas que não são bibliotecários. Por meio deles, os usuários têm acesso aos formulários de contato podendo, assim, entrar em contato com a autarquia. Outras formas de contato são por meio do , correio e os telefones; todas essas informações ficam disponíveis no site da autarquia. De maneira informal, os cidadãos podem entrar em contato com o Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região, por meio do Blog do CRB 6ª Região e do Boletim Eletrônico (disponibilizado apenas para os profissionais registrados) por meio da ferramenta de comentários. Por meio dela, os cidadãos podem enviar a sua mensagem de uma maneira mais simples e menos formal. O Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região utiliza o site institucional e os produtos e serviços desenvolvidos pela Comissão Permanente de Divulgação para divulgar as ações desenvolvidas pela entidade de classe. Em relação aos produtos e serviços, desenvolvidos pela Comissão Permanente de Divulgação, merecem destaque o Boletim Eletrônico, a Revista CRB-6 Informa e o Blog do CRB 6ª Região. O Boletim Eletrônico é uma publicação semanal que contém de quatro a cinco notas. Nelas são divulgados eventos, concurso públicos, notícias e as principais ações da autarquia. Esse serviço é disponível apenas para os profissionais registrados. A Revista CRB 6 Informa é uma publicação semestral que veicula notícias, entrevistas, resenhas e algumas ações da autarquia. Parte do seu conteúdo é feita em parceria com os profissionais, constituindo-se, assim, um instrumento de diálogo da autarquia com o seu públicoalvo. A revista é publicada no formato impresso, mas os seus últimos números estão disponibilizados no Blog do CRB 6ª Região. O Blog do CRB-6, ao lado do site institucional, é um dos os principais canais de divulgação da autarquia. Porém, o blog possui uma abrangência maior e alcança mais a sociedade. O seu conteúdo pode ser consultado pela ferramenta de busca ou pelas categorias, as quais são: Artigos, matérias e entrevistas, Boletim Eletrônico CRB-6, Cursos, Defesas de mestrado e doutorado, Eventos, Fiscalização, Livros e Vagas de emprego e concursos. O quadro a seguir apresenta todos os canais de comunicação utilizados pelo CRB-6, com o seu respectivo endereço eletrônico. Canais de Comunicação Site Institucional Boletim Eletrônico Blog do CRB 6ª Região Revista CRB-6 Informa Twitter Facebook Endereço Eletrônico https://twitter.com/crbseis https://www.facebook.com/crbseis?fref=ts

216 214 Ambiente de atuação MG Inscritos Ativos Inativos (Baixas por vencimento, suspensão e transferências) Licença Temporária Cancelamento Pessoa Física Pessoa Jurídica Total Inscritos Ativos Inativos (Baixas Licença Cancelamento ES por vencimento, Temporária suspensão e transferências) Pessoa Física Pessoa Jurídica Total Planejamento e Resultados Alcançados A 16ª gestão do Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região iniciou o seu trabalho no ano de 2012, tendo como base o Plano de Metas organizado pela gestão anterior. As atividades previstas para a 16ª Gestão não se modificaram durante os dois primeiros anos de atuação. O quadro a seguir mostra as metas que a atual gestão procura alcançar, conforme os objetivos estratégicos. Objetivo Estratégico Fortalecer a imagem do Sistema CFB/CRB e da profissão bibliotecária perante a sociedade Metas Realização de Evento comemorativo ao dia do Bibliotecário Dar continuidade às ações em conjunto com a assessoria de comunicação e imprensa Atuar como fator de proteção da sociedade Intensificar o processo fiscalizatório em Bibliotecas escolares do âmbito privado e público Influenciar na formação das competências e das habilidades do profissional e fomentar programas de educação continuada Promover a satisfação da classe bibliotecária com o Sistema CFB/CRB Fortalecer a participação sócio-políticoinstitucional junto às instituições públicas, privadas, sociedade civil e entidades representativas da classe. Firmar parcerias estratégicas Inovar, integrar e aperfeiçoar a gestão do Sistema CFB/CRB Realização de Evento comemorativo ao dia do Bibliotecário Realização de Evento comemorativo ao dia do Bibliotecário Medalha Professora Etelvina Lima Dar continuidade às ações em conjunto com a assessoria de comunicação e imprensa Implantar o Repositório Institucional do CRB-6 Trabalhar em conjunto com a ABMG, entidades de classe e instituições de ensino na promoção da profissão do bibliotecário em cidades do interior dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo e nas respectivas capitais Realização de Evento comemorativo ao dia do Bibliotecário Implantação do PSO Programa de Saúde Ocupacional e PPP Perfil Profissiográfico Previdenciário

217 215 Elaborar, acompanhar e aperfeiçoar normas de interesse do Sistema CFB/CRB, da profissão e da ciência bibliotecária. Implantar o Plano de Cargos e Salários dos funcionários do CRB-6 Elaborar e implantar o planejamento estratégico do CRB-6 Implantar o Repositório Institucional do CRB-6 Estabelecer uma política de gerenciamento de arquivos administrativos, jurídicos, contábeis e ficais do CRB-6. Compra de arquivos deslizantes Aquisição de uma nova sede para o CRB-6 Fortalecimento da delegacia do CRB-6 Renovação do parque computacional do CRB-6 Benefício do plano de saúde para os funcionários do CRB-6 Finalizar o sistema de controle patrimonial do CRB-6 conforme a nova contabilidade púbica Programa de capacitação dos funcionários do CRB Objetivo estratégico 1: Fortalecer a imagem do Sistema CFB/CRB e da profissão bibliotecária perante a sociedade Durante o ano de 2013, para fortalecer a imagem do Sistema CFB/CRB e da profissão bibliotecário, o CRB-6 divulgou as principais ações do Conselho Federal de Biblioteconomia, desde a eleição para a nova gestão até as primeiras suas principais ações durante o ano, dentre as quais se destacam: posicionamento em relação aos projetos de lei desenvolvidos pelo Congresso Nacional, em especial o PLC 28/2012, reuniões com representantes políticos e demais ações para o desenvolvimento da biblioteconomia no país. No âmbito da autarquia, durante 2013, buscou-se aperfeiçoar os canais de comunicação existentes o que trouxe um aumento exponencial no número de usuários nas redes sociais e a consolidação dos canais de comunicação tradicionais como o Boletim Eletrônico e a Revista CRB-6 Informa nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Dentre as informações divulgadas nos canais de comunicação destacam-se as parcerias realizadas pelo CRB-6, reuniões com instituições públicas e privadas, dados da fiscalização profissional, divulgação de concursos, eventos e vagas de emprego, atuações dos conselheiros titulares, enquanto representantes da autarquia, em emissoras de rádios e programas televisivos de universidades e trabalhos e projetos desenvolvidos por bibliotecários registrados. Além das ações na área de divulgação, o CRB 6 realizou a Semana do Bibliotecário 2013, que contou com várias palestras, nas cidades de Belo Horizonte, Vitória e Formiga, e como a festa de confraternização, que teve como marco a entrega da Medalha Professora Etelvina Lima e a homenagem a para a professora Vera Lúcia Furst. Essas ações tiveram o objetivo proporcionar o congraçamento da categoria, premiar as melhores práticas profissionais tanto da pessoa jurídica quanto pessoa física, nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo e manter os bibliotecários registrados e a sociedade em dia com as ações desenvolvidas pelo Sistema CFB/CRB visando manter uma imagem positiva do mesmo e da profissão.

218 216 Objetivo estratégico 2: Atuar como fator de proteção da sociedade A atuação do CRB 6 em relação à proteção da sociedade podem ser vistas pelas ações da Comissão de Fiscalização da autarquia. Por meio do trabalho gerencial dos conselheiros membros e da assessoria jurídica e do trabalho de campo dos bibliotecários ficais, a autarquia obteve melhorias significativas, principalmente no número de processos julgados. Dentro das ações da Comissão de Fiscalização destaca-se, ainda, a participação em reuniões importantes, como a reunião com a Subsecretaria de Educação Básica do estado de Minas Gerais, com a Secretaria de Educação Municipal de Vitória (ES) e a com a Universidade Universo. As principais notícias que foram divulgadas sobre essas ações podem ser vistas no quadro abaixo. Data Notícias Link 27/01/2013 Comissão de Fiscalização do CRB-6 realiza mais de 400 procedimentos em p?codigo=545 16/04/2013 CRB-6 intensifica visitas fiscalizatórias a bibliotecas mineiras e capixabas: p?codigo=643 30/07/2013 CRB-6 se reúne com Secretaria Municipal de Educação de Vitória p?codigo=746 18/09/2013 Laços estreitados entre o CRB-6 e a Secretaria de Educação de Minas Gerais 01/10/2013 CRB-6 realizou 70 visitas somente no mês de agosto: 06/11/2013 Curso de Biblioteconomia a distância será oferecido em Minas 20/11/2013 Fiscalizações realizadas pelo CRB-6 cresceram 22% em outubro, em comparação ao ano anterior p?codigo=772 p?codigo=784 p?codigo=810 p?codigo=818 Objetivo estratégico 3: Influenciar na formação das competências e das habilidades do profissional e fomentar programas de educação continuada O CRB-6, durante o ano de 2013, preocupou-se com a formação e a educação continuada dos estudantes e profissionais da área da biblioteconomia. Para atender essa demanda, no campo da graduação, a entidade estava presente nos cursos de graduação da área, especificadamente, o da Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais, proferindo palestras sobre o papel da autarquia, suas funções, atribuições e o seu papel social e sobre a importância do perfil empreendedor para o bibliotecário. Além de divulgar ações desenvolvidas pelos estudantes, como eventos científicos. Discutimos a importância dos cursos de graduação a distância em biblioteconomia, divulgando as iniciativas pioneiras da Universidade de Caxias do Sul e da Universo. Em relação a esta última, conselheiros participaram de uma reunião com os responsáveis para verificar a qualidade do curso, sua estrutura curricular e fechar futuras parcerias. No campo da educação continuada, a preocupação foi manter os profissionais atualizados com notícias relevantes e com a divulgação de editais de mestrado e doutorado, cursos e eventos científicos para a atualização e capacitação profissional. Merece ser ressaltado o incentivo da autarquia em estimular a colaboração do profissional registrado na elaboração da Revista CRB-6 Informa, por meio da publicação de textos e ensaios. As principais notícias divulgadas sobre formação e educação continuada são: Data Noticia Link 14/01/2013 UCS inicia turma de graduação EAD em Biblioteconomia. Iniciativa divide categoria hp?codigo=535 26/03/2013 CRB-10 divulga nota após aula inaugural de graduação à distância hp?codigo=593

219 217 25/04/2013 CRB-6 e Documentar debatem sobre empreendedorismo com alunos de Biblioteconomia 10/06/2013 Trabalhos de Minas Gerais e do Espírito Santo são selecionados para o CBBD 02/07/2013 CRB-6 promove palestra para alunos do curso de biblioteconomia da UFMG 09/07/2013 CRB-6 recebe artigos para publicação em novo número da revista 16/07/2013 CRB-6 recebe artigos para publicação em novo número da revista 23/07/2013 Ainda há tempo: envie seu artigo para a revista do CRB-6 30/07/2013 Conselho conta com sua participação na próxima edição da revista CRB-6 Informa 01/11/2013 BH recebe Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias 06/11/2013 Curso de Biblioteconomia a distância será hp?codigo=689 hp?codigo=719 hp?codigo=727 hp?codigo=735 hp?codigo=739 hp?codigo=744 hp?codigo=749 hp?codigo=807 hp?codigo=810 oferecido em Minas 28/11/2013 Abertas as inscrições para o EREBD hp?codigo=824 Objetivo estratégico 4: Fortalecer a participação sócio-político-institucional junto às instituições públicas, privadas, sociedade civil e entidades representativas da classe e firmar parcerias estratégicas O ano de 2013 foi profícuo para o estabelecimento de parcerias com entidades públicas, privadas e órgão de classe, e para a divulgação de iniciativas de estudantes e profissionais que buscavam melhorias para a área. Essas parcerias incluíram o reconhecimento de ações estudantis, passando pelo aumento do diálogo com instituições privadas e públicas, visando um maior reconhecimento do bibliotecário e garantir futuras melhorias e ganhos para o profissional. Em relação às ações do movimento estudantil, merecem destaques as reivindicações de modificação da nomenclatura do curso de graduação em Ciência da informação para Biblioteconomia, a busca por melhorias das bibliotecas universitárias e a organização de eventos científicos. No campo profissional, merecem destaques a iniciativa, em Minas Gerais, para a reativação do sindicato e, no Espírito Santo, as lutas dos profissionais para a realização de concursos públicos. O CRB-6 dialogou com inúmeras organizações, como: Associação dos Bibliotecários de Minas Gerais (ABMG) (apoio e divulgação de cursos e do período de eleição), Associação Comercial e Empresarial de Minas Gerais (AC Minas) (parceria para o apoio ao projeto Trilhas da Leitura, por meio do recolhimento de livros e revistas que não são mais utilizados pela instituição), entrevistas nas rádios Itatiaia e Inconfidência (os principais assuntos foram a lei da biblioteca escolar, a importância do bibliotecário e o campo de trabalho do bibliotecário). As principais reuniões com representantes políticos foram: reunião com a Subsecretaria de Educação Básica do estado de Minas Gerais, reunião com a Secretaria de Educação Municipal de Vitória (ES) e reunião com o Deputado Grillo. A seguir, apresentamos um resumo dessas reuniões: Reunião com a Subsecretaria de Educação Básica do estado de Minas Gerais: no dia 6 de setembro de 2013, realizamos uma reunião entre os membros do Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região (CRB-6) e representantes da Secretaria de Educação do Governo de Minas Gerais. O encontro teve o objetivo de estabelecer compromissos e firmar uma parceria no que diz respeito às bibliotecas das escolas públicas do Estado. Participaram da reunião a Subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica do Governo do Estado de Minas Gerais, Raquel Elizabete de Souza, e a Procuradora do Governo do Estado de Minas Gerais, Milena Branquinho, que apresentaram dados sobre as bibliotecas das escolas

220 218 públicas. O Estado tem mais de 3 mil escolas, e destas, apenas 328 não possuem biblioteca. Esse é um número importante, pois somos referência na educação brasileira, afirmou Raquel. Durante a reunião, o Conselho também apontou dados sobre a situação em que se encontram as bibliotecas públicas do Estado, como o fato de não existirem bibliotecários trabalhando nelas. A subsecretária argumentou que o cargo de bibliotecário não existe no Estado, mas sugeriu que fosse criada a função de analista de educação para ocupar superintendências que supervisionassem as escolas. Ficou acordado que será realizado um censo dos servidores do Estado para descobrir aqueles que têm formação superior em Biblioteconomia e, dentre eles, os que têm interesse em fazer parte da superintendência. A partir de então, será aberto concurso para bacharéis em Biblioteconomia. A previsão é de ele aconteça em Outro assunto abordado foi a criação de mais cursos de biblioteconomia nas universidades, especialmente na Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG). A subsecretária se comprometeu em ajudar os membros do Conselho a pautar uma reunião com a Secretaria de Ciência e Tecnologia, responsável por essa função. Ao término da reunião, foram apresentadas autuações feitas pelos fiscais do Conselho por conta de irregularidades em bibliotecas nas escolas públicas. E foi feito um acordo de que o Governo terá um prazo maior para quitá-las. Segundo a coordenadora da Comissão de Fiscalização do CRB-6, Mariza Martins Coelho (CRB-6/1637), essa parceria é importante para abrir novas possibilidades. O presidente do Conselho, Antônio Afonso Pereira Júnior (CRB-6/2637), também se mostrou positivo com a reunião. Reunião com a Secretaria de Educação Municipal de Vitória (ES): representantes do CRB-6 estiveram com a secretária municipal de educação de Vitória, Adriana Sperandio. O encontro foi realizado no dia 18 de julho, na Secretaria, e contou também com a participação de outros membros da administração municipal. Compareceram à reunião pelo CRB-6: Mariza Martins Coelho (CRB-6/1637), Juliano Gonzaga e Eduardo Valadares (CRB-6 ES/615), respectivamente, conselheira, assessor jurídico e delegado do CRB-6 no Espírito Santo. O objetivo do encontro foi discutir demandas inerentes ao setor e reforçar a parceria entre o Poder Executivo e a área, com foco em melhorar, ainda mais, a eficiência no atendimento aos espaços públicos de leitura e pesquisa. A reunião surgiu por meio de solicitação dos bibliotecários da Prefeitura de Vitória. A proposta era alinhar o diálogo com a nova gestão do Governo, para que possamos dar continuidade ao trabalho que já vem sendo feito, destacou o delegado do CRB-6 Eduardo Valadares. As boas ações da Prefeitura no âmbito da biblioteca escolares fizeram com que a administração municipal recebesse a Medalha Professora Etelvina Lima, em março desse ano. A secretária ouviu dos bibliotecários, como funciona a rotina dos profissionais e quais são seus desafios. Eles destacaram a importância da manutenção de uma agenda positiva de cooperação durante os trabalhos desenvolvidos no âmbito escolar e a necessidade de potencializar as políticas de contínua qualificação envolvendo representantes do segmento e professores. Outro ponto de preocupação da categoria diz respeito ao processo de automação das bibliotecas, que pode ser prejudicado pela não renovação do contrato com a empresa Pergamum. Os profissionais avaliaram que isso trará prejuízos aos espaços literários das escolas. Adriana Sperandio destacou a qualidade dos projetos desenvolvidos pelos bibliotecários, mostrando a necessidade de mais integração dos trabalhos executados pela categoria ao currículo das instituições de ensino. Com relação ao sistema de automação das bibliotecas, ela sinalizou que são os profissionais da rede escolar é que vão avaliar a eficiência do sistema Pergamum. A secretária reiterou que irá encontrar formas de dar continuidade ao processo de automação. Por fim, a integrante do Poder Executivo disse que é necessário formar uma comissão para discutir questões inerentes a educação, com a presença de um bibliotecário, que fará a ponte entre a Secretaria e o setor. Reunião com o Deputado Grillo: no dia 14 de setembro, aconteceu uma reunião entre os membros do Conselho Regional de Biblioteconomia 6º Região (CRB-6), o deputado federal Dr. Grilo, do Partido Solidariedade (SDD) e seu assessor, Eduardo Gomide. O encontro teve

221 219 como objetivo discutir projetos de lei para atender às demandas dos bibliotecários em Minas Gerais e Espírito Santo. Na ocasião, foram apresentadas ações que vão ao encontro das reivindicações feitas pelo Conselho, como a criação do cargo de bibliotecário no Estado de Minas Gerais, o cumprimento da lei que obriga que as escolas tenham biblioteca até 2020 e o Projeto de Lei Nº 6038/2013, que prevê a criação do cargo de técnico em biblioteconomia. Durante a reunião, ficou acordado que o Conselho fará um levantamento formal das demandas para apresentar ao deputado. Feito isso, serão avaliadas as melhores alternativas do que pode ser realizado politicamente. Dr. Grilo disse, ainda, que é possível a aproximação e a parceria do Conselho com demais parlamentares, inclusive de outros partidos. Objetivo estratégico 6: Inovar, integrar e aperfeiçoar a gestão do Sistema CFB/CRB Este objetivo estratégico trata do contexto interno da autarquia e está relacionado com as licitações e processos de compra para melhorar a infraestrutura e os serviços prestados, e melhorias na área de recursos humanos. Em relação ao primeiro item, foram realizadas licitações para a contratação de assessoria jurídica, comunicação e de informática, que trouxeram aumento na qualidade e produtividade, principalmente, no trabalho realizado pelas comissões de fiscalização e de divulgação. Em relação à área de recursos humanos, a autarquia teve avanços importantes com a aprovação do plano de saúde para os funcionários, investimento em treinamentos e, por fim, a estruturação da Comissão Temporária de Recursos Humanos que concentrou o seu trabalho na elaboração de propostas para o Plano de Cargos e Salários. Objetivo estratégico 7: Elaborar, acompanhar e aperfeiçoar normas de interesse do Sistema CFB/CRB, da profissão e da ciência bibliotecária. Apesar de não existirem metas específicas para este objetivo estratégico, a Comissão de Normas e Legislação, por meio de estudos e atendimento de demandas do CFB, e a Comissão de Divulgação, por meio da atualização dos canais de comunicação, mantiveram os bibliotecários e a sociedade atualizados sobre os principais projetos de leis e legislação pertinentes à área da biblioteconomia. As principais normas jurídicas que foram disseminadas são: PLC 28/2012, Lei /2013 (que altera a Política Estadual do Livro), Projeto de Lei 4186/2012 (prevê o uso da biblioterapia nos hospitais públicos do país), Lei /2010, Projeto de Lei 6200/2009 (que previa a criação do Fundo Nacional de Apoio a Bibliotecas - Funab), Projeto de Lei de Conversão (PLV) 17/13 (que prevê a desoneração da folha de pagamento para empresas do setor varejista de livros, jornais, revistas e papelaria), Projeto de Lei 2361/2011 (que previa a concessão para trabalhadores em bibliotecas e arquivos um adicional de insalubridade) e o PL 6.038/2013 (prevê a regulamentação da profissão do técnico em biblioteca). As principais notícias publicadas sobre normas jurídicas foram: Data Notícia Link 14/01/2013 Contestado pelo CFB, PLC 28/2012 está prestes a ser votado no Senado Federal as_crb.php?codigo=534 21/01/2013 Recém-divulgada, Lei /2013 altera a Política Estadual do Livro as_crb.php?codigo=540 21/01/2013 De um lado, possível aprovação da biblioterapia, do outro, rejeição do fundo para bibliotecas as_crb.php?codigo=541 27/01/2013 Em 72,5% das escolas brasileiras não há biblioteca as_crb.php?codigo=546 04/02/2013 Obrigação de haver bibliotecas em escolas está apenas

222 220 no papel : as_crb.php?codigo=555 01/04/ ,5% das escolas públicas do País ainda não têm bibliotecas as_crb.php?codigo=599 09/05/ Debate sobre e-books chega ao Poder Legislativo: as_crb.php?codigo=704 19/06/2013 CRB-6 discute aplicabilidade da Lei Federal /10 as_crb.php?codigo=687 16/07/2013 Cidadão sem diploma de bibliotecário é impedido de coordenar biblioteca em Manaus as_crb.php?codigo=741 23/07/2013 Deputado federal José Stédile defende a construção de mais bibliotecas durante o 25º CBBD as_crb.php?codigo=743 23/07/2013 Senado aprova projeto que estabelece desoneração da folha de pagamento para setor literário e de papelaria as_crb.php?codigo=745 20/08/2013 PL que garantiria adicional de insalubridade para o setor é barrado no Congresso Nacional as_crb.php?codigo=763 27/08/2013 Bibliotecários se reúnem com deputado José Stédile para discutir PL /09/2013 -: Mudanças nas políticas públicas para bibliotecas no Brasil começam a ser pensadas 13/09/2013 Bibliotecários fazem abaixo-assinado contra alteração em Projeto de Lei 28/2012, aprovado este mês na Câmara 17/09/2013: Petição pública contra alteração em Projeto de Lei 28/2012 ainda pode ser assinada 27/09/ Continua aberta petição pública contra alteração em Projeto de Lei 28/2012: 10/10/2013 Jornal capixaba comete equívoco, mas se retrata sobre leigo em Biblioteconomia as_crb.php?codigo=767 /mudancas-nas-politicaspublicas-para-bibliotecas-nobrasil-comecam-a-serpensadas/ as_crb.php?codigo=771 /peticao-publica-contra- alteracao-em-projeto-de-lei ainda-pode-serassinada/ as_crb.php?codigo=782 as_crb.php?codigo=791 Programação e execução orçamentária e financeira O orçamento para o exercício de 2013 foi estimado em R$ ,00 (quinhentos e noventa mil reais). Demonstração da Receita A receita do Conselho Regional tem a seguinte constituição: 75% (setenta e cinco por cento) da receita líquida das anuidades de pessoas físicas e jurídicas; Cobrança Compartilhada A cobrança compartilhada, 75% (setenta e cinco por cento) é destinado para o próprio Regional e 25% (vinte e cinco por cento) é repassado automaticamente, para o Conselho Federal de Biblioteconomia, pelo banco do Brasil S.A.

223 221 a) Previsão e Arrecadação por Natureza A receita total do Conselho Regional de Biblioteconomia no exercício de 2013 foi estimada em R$ ,00 (quinhentos e noventa mil reais) e a arrecadação atingiu 98,20% da receita estimada, conforme composição das receitas correntes demonstradas a seguir: Previsão e Arrecadação por Receitas Correntes e de Capital RECEITAS CORRENTES Grupos de Receita Contribuições Previsto Realizado % Cota Parte 2. Exploração de Bens e Serviços Exploração de Bens , ,88 101,38 Exploração de Serviço , ,07 48,72 Demais elementos do grupo 3. Financeiras Juros e Encargos s/ Empréstimos Juros e Encargos s/ Receitas Remuneração de Dep. Banc. e Aplic.Financeiras , ,12 82,43 4. Outras Receitas Correntes Transferências Multas 6.000, ,51 56,51 Demais Elementos do Grupo TOTAL RECEITAS CORRENTES , ,58 98,20 RECEITAS DE CAPITAL Grupos de Receita Operação de Créditos Previsto Realizado % Empréstimos Tomados 6. Alienação de Bens Bens Móveis Bens Imóveis Demais Elementos do Grupo 7. Amortização de Empréstimos Concedidos Empréstimo p/ Despesas de Custeio Empréstimos p/ Aquisição, Constr. Reforma de Sede 8. Outras Receitas de Capital Transferência de Capital Demais Elementos do Grupo TOTAL RECEITA DE CAPITAL TOTAL GERAL Demonstração da Despesa Para o exercício de 2013, foi planejado o montante de R$ ,00 (quinhentos e noventa mil reais) para execução das despesas. As despesas são fixadas de acordo com a sua relevância e grau de prioridade e são executadas de acordo com o planejamento.

224 222 Comparativo das despesas entre os dois últimos exercícios DESPESAS CORRENTES Grupos de Despesa Empenhada Liquidada Valores Pagos 1. Despesas de Pessoal Remuneração de Pessoal , , , , , ,62 Encargos Patronais , , , , , ,82 Benefícios a Pessoal , , , , , ,60 2. Uso de Bens e Serviços Material de Consumo , , , , , , ,9 Serviços , , , , ,64 1 Diárias , , , , , ,64 Passagens , , , , , ,21 Demais elementos do grupo 3. Financeiras Juros e Enc. s/ Empréstimos Serviços Bancários , , , , , ,92 4. Outras Despesas Correntes Subvenções Tributárias 1.800, , , , , ,68 Demais elementos do grupo DESPESAS CORRENTES DESPESAS DE CAPITAL Grupos de Despesa Empenhada Liquidada Valores Pagos 5. Investimentos Obras e instalações Equipam. Mat. Permanentes , , ,51 541, ,51 541,80 Aquisição de Imóveis Demais elementos do grupo 6. Empréstimos Concedidos Emprést. p/ Despesa Custeio Emprést. p/aquis.const Reforma 7. Amortização da Dívida Amortiz. de Empréstimos 8. Outras Despesas de Capital Transferência de Capital Demais Elementos do Grupo DESPESAS DE CAPITAL , , ,51 541, ,51 541, ,5 TOTAL GERAL , , , , ,28 0

225 223 No exercício de 2013, a despesa foi executada no montante de R$ ,50, (quinhentos e sessenta nove mil trezentos e quarenta e quatro reais e cinqüenta centavos) sendo que as despesas correntes representam cerca de 96,50% da despesa total, e apresenta uma média de gasto mensal de, aproximadamente, R$ ,38 (quarenta sete mil quatrocentos e quarenta cinco reais e trinta oito centavos). Comparativamente com o exercício anterior, observa-se que as despesas correntes no exercício de 2013 tiveram um acréscimo de 5,3% em relação ao mesmo período do exercício anterior. Este aumento reflete principalmente nos aumentos das tarifas publicas e aumento de salários dos funcionários conforme a data base da categoria. Despesas por Modalidade de Contratação Modalidade de Contratação 1. Modalidade de Licitação (a+b+c+d+e+f+g) a) Convite Despesa Liquidada Despesa paga b) Tomada de Preços , ,78 c) Concorrência d) Pregão e) Concurso 2. Contratações Diretas (h+i) h) Dispensa i) Inexigibilidade 3. Regime de Execução Especial j) Suprimento de Fundos 1.884, , , ,05 4. Pagamento de Pessoal (k+l) , , , ,08 k) Pagamento em Folha , , , ,44 l) Diárias , , , ,64 5. Outros 6. Total ( ) , ,71 No exercício de 2013, foram abertos 10 (dez) processos de licitações na modalidade Tomada de Preços. Os responsáveis por suprimento são nomeados por meio de Portaria e as prestações de contas dos gastos são elaboradas e apresentadas no trigésimo dia após a sua concessão; por ocasião do encerramento do exercício, a prestação de contas é feita até o último dia útil do ano. A folha de pagamento, as provisões de férias e 13º salário e encargos patronais são apropriadas pelo regime de competência contábil e o pagamento da folha é feito no último dia útil de cada mês. As férias são concedidas e pagas de acordo com o calendário anual de férias e o pagamento do 13º salário é concedido de acordo com a demanda dos funcionários ou nos meses de novembro - 1ª parcela e de dezembro 2ª parcela, nos termos da legislação em vigor. O pagamento das diárias tem como base a Resolução do Conselho Federal, que dispõe sobre a concessão de diárias e dá outras providências.

226 224 Gestão de pessoas, terceirização de mão de obra e custos relacionados Força de Trabalho Situação apurada em 31/12/13 Tipologias dos Cargos Lotação Efetiva Ingressos Exercício no Egressos Exercício no 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Total de Funcionários (1+2) Quantidade de Funcionários por Faixa Etária Situação apurada em 31/12/13 Tipologias do Cargo Quantidade de Funcionários por Faixa Etária Até 30 anos De 31 a 40 anos De 41 a 50 anos De 51 a 60 anos 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Totais (1+2) Fonte: Departamento de Pessoal Acima de 60 anos Quantidade de Funcionários por Nível de Escolaridade - Situação apurada em 31/12/13 Tipologias do Cargo Quantidade de Pessoas por Nível de Escolaridade Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Totais (1+2) LEGENDA Nível de Escolaridade 1 - Analfabeto; 2 - Alfabetizado sem cursos regulares; 3 - Primeiro grau incompleto; 4 - Primeiro grau; 5 - Segundo grau ou técnico; 6 - Superior; 7 - Aperfeiçoamento / Especialização / Pós-Graduação; 8 Mestrado; 9 Doutorado/Pós Doutorado/PhD/Livre Docência.

227 225 Despesas com pessoal Vencimentos Valores R$ Salários e Gratificações ,47 Férias e 13º Salário ,32 Indenizações Benefícios Assistenciais e Previdenciários ,43 Encargos Sociais ,82 Demais Despesas Variáveis ,64 TOTAL ,68 LEGENDA Salários e Gratificações Salário / Salário de Cargo em Comissão / Adicional de Insalubridade /Adicional de Periculosidade/ Adicional de Tempo de Serviço / Adicional Noturno / Aviso Prévio Cumprido (Trabalhado) / Gratificação de Função (não eventual) Férias e 13º Salário 13º Salário / Férias / Adicional de Férias 1/3 (Art. 7º inciso XVII da Constituição Federal) Indenizações Aviso Prévio Indenizado / Férias Indenizadas / 13º Indenizado / Multa Rescisória / Decisões Judiciais / Indenizações por tempo de serviço como não-optante - Outras Indenizações Trabalhistas Benefícios assistenciais e previdenciários Assistência Médica / Auxílio-Creche / Alimentação / Outras Assistências Encargos Sociais Previdência Social, Fundo de Garantia, PIS/PASEP. Demais despesas variáveis Abono Pecuniário (opcional) / Ajudas de Custo / Horas Extraordinárias / Substituição / Gratificação de Função (eventual) / Outras Vantagens pagas a Pessoal Programa de Estágio e Terceirização de Mão de Obra O Programa de Estágio oferece bolsa auxílio, vale transporte de acordo com a necessidade de locomoção e vale alimentação. Além disso, oferece um período de recesso remunerado de até 30 dias, a ser gozado, preferencialmente, durante as férias escolares, de acordo com a legislação vigente. Composição do Quadro de Estagiários - Situação apurada em 31/12/13 Nível de escolaridade Quantitativo de contratos de estágio vigentes 1º Semestre 2º Semestre Benefícios R$ 1. Nível superior , ,00 2. Nível Médio Total (1+2) , ,00 Fonte: Departamento de Pessoal Bolsa Auxílio no Exercício R$ Informações Contábeis As Demonstrações Contábeis do Conselho Regional de Biblioteconomia foram elaboradas em conformidade com a Lei nºº 4.320/64, em observância às Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público,

228 226 Demonstrações Contábeis previstas pela Lei 4.320/64 Resultados e conclusões As Demonstrações Contábeis são de responsabilidade de sua Administração. Foram organizadas em conformidade com as práticas contábeis adotadas no Brasil, elaboradas em conformidade com a Lei nºº 4.320/64, em observância às Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público. Passivo Circulante TÍTULOS Caixa e Equivalente de Caixa , ,47 Bancos Cta Arrecadação 4.532, ,35 Bancos Aplic. Financeira 0,00 0,00 Disponível p/ Aplic.Vinculada , ,12 Representado por valores a pagar decorrentes de obrigações trabalhistas, de contração junto a fornecedores pela aquisição de materiais e/ou serviços, originários de empenhos processados e não pagos até 31/12/2013; de obrigações fiscais de curto prazo e impostos e contribuições retidos de colaboradores e terceiros. TÍTULOS Obrigações Curto Prazo a Pagar , ,74 Encargos Sociais 6.024, ,93 Obrigações Fiscais 1.933, ,51 Fornecedores 7.443, ,30 Patrimônio Líquido O patrimônio é constituído de recursos próprios, sofrendo variações em decorrência de superávits ou déficits apurados anualmente: TÍTULOS Patrimônio Líquido , ,81 Ajuste de Exercícios Anteriores 0,00 0,00 Resultado do Exercício Superavit , ,59 Resultados Acumulados Exerc. Anteriores , ,22 Resultado Patrimonial O resultado patrimonial no valor de R$ ,81 (quinhentos e cinqüenta e um mil cento e dez reais e oitenta e um centavos) foi apurado com base no regime de competência da receita e das despesas, escrituradas no subsistema patrimonial.

229 227 Resultado Financeiro O Resultado financeiro é representado pela diferença entre o ativo financeiro e o passivo financeiro, apurado em conformidade com a Lei nºº 4.320/64, alinhado as orientações do Controle Interno do CFC. No exercício de 2013 foi apurado um resultado superavitário no valor de R$ ,58. Resultado Orçamentário TÍTULOS Superávit Financeiro , ,81 Ativo Financeiro , ,55 (-) Passivo Financeiro , ,74 O orçamento do Conselho para o exercício de 2013 foi aprovado pelo Conselho Federal de Biblioteconomia por meio da Resolução, de acordo com a legislação vigente. Nele, estão contabilizados os valores das receitas arrecadadas e as despesas liquidadas. O superávit orçamentário corresponde à diferença entre as receitas arrecadadas e as despesas empenhadas e liquidadas no exercício. O resultado orçamentário de R$ ,77 foi extraído com base no subsistema orçamentário. TÍTULOS Superávit Orçamentário , ,08 Receitas (corrente+capital) , ,58 Despesas (corrente+capital) , ,50 Bens Patrimoniais Em termos monetários, os bens patrimoniais apresentam a seguinte composição: TÍTULOS Resultado Patrimonial , ,19 Bens Móveis , ,23 Bens Imóveis , ,96 A Variação observada entre o exercício de 2012 e 2013 decorre dos processos de aquisições que passaram a incorporar o patrimônio do conselho em 2013.

230 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Sistema de Contabilidade Balanço Orçamentário RECEITA Pág. : 1 Data : Hora : 12:23 Conta Descrição Orçado Realizado Diferença 1 R E C E I T A S C O R R E N T E S , , , RECEITA DE CONTRIBUIÇOES , , , RECEITA PATRIMONIAL , , , RECEITAS DE SERVIÇOS , , , OUTRAS RECEITAS CORRENTES , , ,14 SOMA DA RECEITA , , ,42 DÉFICIT 0 T O T A L ,58 DESPESA Conta Descrição Orçado Realizado Diferença 3 D E S P E S A S C O R R E N T E S , , , DESPESAS DE CUSTEIO , , ,01 4 DESPESAS DE CAPITAL , , , INVESTIMENTOS , , ,49 SOMA DA DESPESA , , ,50 SUPERÁVIT T O T A L , ,58 Quadro 61 Balanço patrimonial 2013 CRB-6

231 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Sistema de Contabilidade Balanço Financeiro - Dezembro / Pág. : 1 Data : Hora : 12:20 R E C E I T A ORÇAMENTARIO 1 R E C E I T A S C O R R E N T ,58 SUBTOTAL ,58 EXTRA ORÇAMENTARIA DEVEDORES DA ENTIDADE , RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO 1.019, CONSIGNACOES , CREDORES DA ENTIDADE , ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS , RECEITAS NAO CLASSIFICADAS ,29 SUBTOTAL ,32 T O T A L ,90 SALDO PARA O MES SEGUINTE BANCOS C/MOVIMENTO 2.985, BANCOS C/ARRECADACAO 1.546, BANCOS C/VINC APLIC FINANC ,73 SUBTOTAL ,09 T O T A L ,99 Fim de Relatório Quadro 62 Balanço financeiro 2013 CRB-6

232 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Sistema de Contabilidade Balanço Financeiro - Dezembro / Pág. : 2 Data : Hora : 12:20 DESPESA ORÇAMENTARIA 3 D E S P E S A S C O R R E N T E ,99 4 DESPESAS DE CAPITAL ,51 SUBTOTAL ,50 EXTRA ORÇAMENTARIA DEVEDORES DA ENTIDADE , RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO 7.443, CONSIGNACOES , CREDORES DA ENTIDADE , ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS , RECEITAS NAO CLASSIFICADAS ,29 SUBTOTAL ,02 T O T A L ,52 SALDO PARA O MES SEGUINTE BANCOS C/MOVIMENTO 5.166, BANCOS C/ARRECADACAO 2.557, BANCOS C/VINC APLIC FINANC ,12 SUBTOTAL ,47 T O T A L ,99 Fim de Relatório

233 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Sistema de Contabilidade Balanço Patrimonial - Ativo Pág. : 1 Data : Hora : 12:21 Conta Descrição Saldo Inicial Saldo Atual 5 A T I V O , ,55 D 5.1 ATIVO FINANCEIRO , ,87 D DISPONIVEL 4.532, ,35 D BANCOS C/MOVIMENTO 2.985, ,73 D CAIXA ECONOMICA FEDERAL / , ,73 D BANCOS C/ARRECADACAO 1.546, ,62 D BANCO DO BRASIL , ,62 D RESPONSAVEL POR SUPRIMENTO 0,00 0,00 D FERNANDA ALVARENGA DE ASSIS 0,00 0,00 D DISPONIVEL VINC C/C BANCARIA , ,12 D BANCOS C/VINC APLIC FINANC , ,12 D BANCO DO BRASIL FUNDO CDB/RDB 0,00 0,00 D BANCO DO BRASIL S. A / , ,12 D BANCO DO BRASIL S. A /5 0,00 0,00 D REALIZAVEL 3.668, ,40 D DEVEDORES DA ENTIDADE 3.668, ,40 D ADIANTAMENTO FÉRIAS 3.668, ,40 D ADIANTAMENTO DE 13 SALARIO 0,00 0,00 D DEVEDORES DIVERSOS 0,00 0,00 D 5.2 ATIVO PERMANENTE , ,68 D BENS PATRIMONIAIS , ,19 D BENS MOVEIS , ,23 D MOBILIARIO EM GERAL , ,15 D UTENSILIOS DE COPA E COZINHA 80,00 80,00 D MAQUINAS, MOTORES E APARELHOS , ,71 D COMPUTADORES E SIST.DE INFORMATICA 486, ,37 D BIBLIOTECA 30,00 30,00 D BENS IMOVEIS , ,96 D SALAS , ,96 D CREDITOS , ,49 D DIVIDA ATIVA , ,49 D DIVIDA ATIVA - OUTROS , ,49 D 5.3 ATIVO TRANSITORIO 0,00 0,00 D EXECUCAO ORCAMENT DA DESPESA 0,00 0,00 D DESPESAS CORRENTES 0,00 0,00 D DESPESAS DE CAPITAL 0,00 0,00 D 5.5 REFLEXO PATRIMONIAL 0,00 0,00 D VARIACOES PASSIVAS 0,00 0,00 D DEPEND EXEC ORCAMENTARIA 0,00 0,00 D EXECUCAO ORCAMENT DA DESEPESA 0,00 0,00 D Fim do Relatório

234 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Sistema de Contabilidade Balanço Patrimonial - Passivo Pág. : 2 Data : Hora : 12:21 Conta Descrição Saldo Inicial Saldo Atual 6 P A S S I V O , ,55 C 6.1 PASSIVO FINANCEIRO , ,74 C DIVIDA FLUTUANTE , ,74 C RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO 7.443, ,30 C PROCESSADOS 7.443, ,30 C COMPANHIA ENERGETICA DE MINAS GERAIS 435,67 0,00 C ACF CAMPOS SALES LTDA 847,85 0,00 C TELEMAR NORTE LESTE S.A 381,69 0,00 C SPIDERWARE CONSULTORIA EM INFORMATICA LT 1.529,31 0,00 C DIVERSOS RESTOS A PAGAR 4.249, ,30 C CONSIGNACOES 1.933, ,51 C PREVIDENCIA SOCIAL - PARTE EMPREGADO 0, ,30 C IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE 938,63 186,30 C CONTRIBUIÇAO SINDICAL 0,00 0,00 C ISSQN 47,58 112,39 C PIS/CSLL/COFINS 947,03 486,52 C INSS -PESSOA FISICA 0,00 0,00 C CREDORES DA ENTIDADE 0,00 0,00 C CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A 0,00 0,00 C ACF CAMPOS SALES LTDA 0,00 0,00 C CREDORES DIVERSOS 0,00 0,00 C ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS 6.024, ,93 C CONSELHO FED. BIBLIOTECONOMIA 1,15 26,32 C F.G.T.S 1.333, ,37 C PASEP 166,64 243,76 C INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL 4.523, ,48 C 6.3 PASSIVO TRANSITORIO 0,00 0,00 C EXECUCAO ORCAMENT DA RECEITA 0,00 0,00 C RECEITAS CORRENTES 0,00 0,00 C 6.4 CONTAS DE INTERFERENCIA 0,00 0,00 C RECEITAS NAO CLASSIFICADAS 0,00 0,00 C Receitas a Classificar 0,00 0,00 C 6.5 REFLEXO PATRIMONIAL 0,00 0,00 C VARIACOES ATIVAS 0,00 0,00 C DEPEND. DE EXEC. ORCAMENTARIA 0,00 0,00 C AQUIS DE BENS MOVEIS 0,00 0,00 C EXECUCAO ORCAMENT DA RECEITA 0,00 0,00 C 6.6 SALDO PATRIMONIAL , ,81 C PATRIMONIO(ATIVO REAL LIQUIDO) , ,22 C RESULTADO PATRIMONIAL DO EXERC , ,59 C Fim do Relatório

235 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Sistema de Contabilidade 233 Pág. : 3 Data : Resumo do Balanço Hora : 12: R E S U MO DO B A L A N Ç O A T I V O P A S S I V O , ,55 DIFERENÇA 0,00

236 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Balanço Patrimonial Comparado Conta Descrição Variação (+) ou (-) 234 Data : Hora : 12:22 5 A T I V O , , , ATIVO FINANCEIRO , , , DISPONIVEL 4.532, , , BANCOS C/MOVIMENTO 2.985, , , CAIXA ECONOMICA FEDERAL / , , , BANCOS C/ARRECADACAO 1.546, , , BANCO DO BRASIL , , , DISPONIVEL VINC C/C BANCARIA , , , BANCOS C/VINC APLIC FINANC , , , BANCO DO BRASIL S. A / , , , REALIZAVEL 3.668, ,40 738, DEVEDORES DA ENTIDADE 3.668, ,40 738, ADIANTAMENTO FÉRIAS 3.668, ,40 738, ATIVO PERMANENTE , , , BENS PATRIMONIAIS , , , BENS MOVEIS , , , MOBILIARIO EM GERAL , ,15 611, UTENSILIOS DE COPA E COZINHA 80,00 80,00 0, MAQUINAS, MOTORES E APARELHOS , ,71 0, COMPUTADORES E SIST.DE INFORMATICA 486, , , BIBLIOTECA 30,00 30,00 0, BENS IMOVEIS , ,96 0, SALAS , ,96 0, CREDITOS , ,49 0, DIVIDA ATIVA , ,49 0, DIVIDA ATIVA - OUTROS , ,49 0, DESPESAS CORRENTES 0, , , DESPESAS DE CAPITAL 0, , ,51 Fim do Relatório

237 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Pág. : 2 Sistema de Contabilidade Balanço Patrimonial Comparado Conta Descrição Variação (+) ou (-) 235 Data : Hora : 12:22 6 P A S S I V O , , , PASSIVO FINANCEIRO , , , DIVIDA FLUTUANTE , , , RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO 7.443, , , PROCESSADOS 7.443, , , COMPANHIA ENERGETICA DE MINAS GERAIS 435,67 0,00-435, ACF CAMPOS SALES LTDA 847,85 0,00-847, TELEMAR NORTE LESTE S.A 381,69 0,00-381, SPIDERWARE CONSULTORIA EM INFORMATICA LT 1.529,31 0, , DIVERSOS RESTOS A PAGAR 4.249, , , CONSIGNACOES 1.933, ,51 210, PREVIDENCIA SOCIAL - PARTE EMPREGADO 0, , , IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE 938,63 186,30-752, ISSQN 47,58 112,39 64, PIS/CSLL/COFINS 947,03 486,52-460, ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS 6.024, , , CONSELHO FED. BIBLIOTECONOMIA 1,15 26,32 25, F.G.T.S 1.333, ,37 161, PASEP 166,64 243,76 77, INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL 4.523, , , RECEITAS CORRENTES 0, , , SALDO PATRIMONIAL , , , PATRIMONIO(ATIVO REAL LIQUIDO) , , , RESULTADO PATRIMONIAL DO EXERC , , ,53 Fim do Relatório

238 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Sistema de Contabilidade COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Dezembro Pág. : 1 Data : Hora : 12:25 Conta Descrição Fixada + Alterações...Realizada......No Mês......Até o Mês... % Diferença 1 R E C E I T A S C O R R E N T E , , ,58 98, , RECEITA DE CONTRIBUIÇOES , , ,53 101, , CONTRIBUIÇOES SOCIAS , , ,53 101, , OUTRAS CONTRIBUIÇOES SOCIAIS , , ,53 101, , ANUIDADES PESSOAS FISICAS - EXERCICI , , ,61 101, , ANUIDADES PESS.FISICAS - DO EXERC.AN ,00 150, ,92 100,32 41, RECEITA PATRIMONIAL ,00 872, ,12 82, , RECEITAS DE VALORES MOBILIARIOS ,00 872, ,12 82, , JUROS E COR.MONETARIA CAD.POUPANÇA ,00 667, ,26 73, , FUNDO DE APLICAÇÃO CDB/RDB 9.000,00 204, ,86 101,75 157, DIVIDENDOS E PARTICIPAÇOES 1.000,00 0,00 0,00 0, , RECEITAS DE SERVIÇOS ,00 525, ,07 48, , RENDAS DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS ,00 525, ,07 48, , RENDAS DE EMOLUMENTOS C/ A INSCRIÇAO 7.000,00 468, ,02 68, , PESSOAS FISICAS 5.000,00 468, ,02 93,90-304, PESSOAS JURIDICAS 2.000,00 0,00 75,00 3, , RENDAS DE EMOLUMENTOS C/ EXPED.CART ,00 0,00 45,00 1, , PESSOAS FISICAS 3.000,00 0,00 45,00 1, , RENDAS DE EMOLUMENTOS C/ EXPED.CERTI 7.000,00 56, ,05 49, , PESSOAS FISICAS 0,00 56,25 56,25 *,** 56, EMOL.S/ CANCELAMENTO DE REGISTRO 1.000,00 0,00 804,55 80,46-195, EMOL.S/ EXP.(RCA) - P.JURIDICA 6.000,00 0, ,25 43, , OUTRAS RECEITAS CORRENTES , , ,86 95, , MULTAS E JUROS DE MORA , , ,17 98,33-751, MULTAS 6.000,00 293, ,51 56, , MULTAS P/ AUSENCIA A ELEIÇAO ,00 443, ,35 67, , JUROS DE MORA S/ MULTAS , , ,31 117, , RECEITA DA DIVIDA ATIVA , , ,21 97, , DIVIDA ATIVA EM FASE ADMINISTRATIVA , , ,21 97, , ANUIDADES , , ,15 100,62 309, MULTAS 2.000,00 42,31 444,45 22, , JUROS DE MORA 2.000, , ,69 290, , ANUIDADE PESSOA JURIDICA 5.000,00 0,00 938,92 18, , RECEITAS DIVERSAS 5.000,00 0, ,48 54, , OUTRAS RECEITAS DIVERSAS 5.000,00 0, ,48 54, ,52 TOTAL DA RECEITA , , ,58 98, ,42

239 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Sistema de Contabilidade COMPARATIVO DA DESPESA ORÇADA COM A REALIZADA DESPESA - Dezembro Pág. : 2 Data : Hora : 12:25 Conta Descrição Fixada + Alterações...Realizada......No Mês......Até o Mês... % Diferença 3 D E S P E S A S C O R R E N T E , , ,99 99, , DESPESAS DE CUSTEIO , , ,99 99, , PESSOAL , , ,12 99, , PESSOAL CIVIL , , ,14 99,94-90, ORDENADOS E SALARIOS , , ,79 99,96-52, GRATIFICAÇAO , , ,59 99,83-31, GRATIFICAÇAO DE NATAL - 13º SALARIO , , ,76 99,94-7, DESPESAS VARIAVEIS , , ,07 98, , GRATIFICAÇAO DE FÉRIAS 1/3 CONSTITUI 950,00 937,70 937,70 98,71-12, PLANO DE SAUDE 8.700, , ,17 89,76-890, DIARIAS DE FUNCIONARIOS 700,00 0,00 660,00 94,29-40, VALE REFEIÇÃO , , ,29 100,00-0, VALE TRANSPORTE 9.700,00 146, ,91 99,21-77, OBRIGAÇOES PATRONAIS , , ,91 99,87-61, INSS - COTA PARTE EMPRESA , , ,59 99,92-26, FGTS , , ,05 99,95-5, PIS S/ FOLHA DE PAGTO 1.591,00 243, ,27 98,19-28, DESPESAS C/ MATERIAL DE CONSUMO ,00 0, ,52 99,60-66, MATERIAL DE CONSUMO ,00 0, ,52 99,60-66, ARTIGOS DE EXPEDIENTE E IMPRESSOS 7.360,00 0, ,20 99,91-6, ARTIGO E MATERIAL DE LIMPEZA E CONSE 1.750,00 0, ,59 99,69-5, MAT. ACESS. P/ MAQUINAS E APARELHOS 10,00 0,00 0,00 0,00-10, VESTUARIOS E UNIFORMES 10,00 0,00 0,00 0,00-10, GENEROS DE ALIMENTAÇAO E MAT. P/ LAN 140,00 0,00 120,00 85,71-20, SUPRIMENTO DE INFORMATICA 9,00 0,00 0,00 0,00-9, OUTROS MATERIAIS DE CONSUMO 7.250,00 0, ,73 99,93-5, SERVIÇOS DE TERCEIROS E ENCARGOS , , ,61 99,76-122, SERVICOS TERCEIROS E ENCARGOS , , ,61 99,76-122, REMUNERAÇÃO DE SERVIÇOS PESSOAIS , , ,26 100,00-1, ENCARGOS SOCIAIS 700,00 0,00 579,35 82,76-120, OUTROS SERVIÇOS E ENCARGOS , , ,74 98, , OUTROS SERVIÇOS E ENCARGOS , , ,74 98, , SERVIÇOS DE COMUNICAÇAO EM GERAL , , ,09 99,85-39, DESPESAS C/ LIGAÇÕES TELEFONICAS ,00 953, ,20 99,67-35, DESPESAS C/ CORREIOS ,00 619, ,89 99,97-4, SERVIÇOS DE ENERGIA ELETRICA E GÁS 3.540,00 344, ,10 99,61-13, REPAROS, ADAPTAÇAO E CONSERV. DE BEN 750,00 0,00 750,00 100,00 0, SERV. DE DIVULGAÇAO E PUBLICIDADE 7.300,00 0, ,24 98,70-94, IMPRESSÃO DO INFORMATIVO 6.550,00 0, ,00 99,24-50, FOTOCOPIAS E AUTENTICAÇÕES 750,00 0,00 705,24 94,03-44, DESPESAS C/ AJUDA DE CUSTO ,00 630, ,00 99,93-20, SERVIÇOS DE INFORMATICA , , ,99 99,29-226, TRANSPORTE DE PESSOAL E SUAS BAGAGEN , , ,74 99,83-19, DESPESAS C/ CONDOMINIO , , ,80 99,99-2, IMPOSTOS, TAXAS, TARIFAS E PEDAGIOS 1.800,00 0, ,42 97,47-45,58

240 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Sistema de Contabilidade COMPARATIVO DA DESPESA ORÇADA COM A REALIZADA DESPESA - Dezembro Pág. : 3 Data : Hora : 12:25 Conta Descrição Fixada + Alterações...Realizada......No Mês......Até o Mês... % Diferença DESPESAS BANCARIAS ,00 830, ,28 99,87-18, LOCAÇÃO DE BENS MOVEIS E IMOVEIS 5.000,00 0, ,00 99,68-16, DESPESAS C/ DIARIAS FISCALIZAÇAO ,00 280, ,00 99,98-5, OUTROS SERV. E ENCARGOS FISCAIS , , ,25 88, , DESPESAS JUDICIAIS 1.000,00 500,00 983,75 98,38-16, PROGRAMA DE CONTROLE MEDICO (PCMSO) 510,00 93,94 506,44 99,30-3, DESPESAS MIUDAS DE PRONTO PAGAMENTO 3.200,00 268, ,40 63, , DESPESAS C/ DIARIAS - CONSELHEIROS 8.600,00 0, ,00 99,77-20, DESPESAS C/ DIARIAS - ASSESSORES 640,00 0,00 600,00 93,75-40, DESPESAS C/ SERVIÇOS CONTABEIS , , ,24 99,99-1,76 4 DESPESAS DE CAPITAL , , ,51 69, , INVESTIMENTOS , , ,51 69, , OBRAS E INSTALAÇOES 5.000,00 0,00 0,00 0, , OBRAS E INSTALAÇÕES 5.000,00 0,00 0,00 0, , DESPESAS C/ EQUIP. E MATERIAL PERMAN , , ,51 77, , EQUIPAMENTOS E MATERIAL PERMANENTE , , ,51 77, , MAQUINAS, MOTORES E EQUIPAMENTOS 5.000,00 0,00 0,00 0, , MOBILIARIO EM GERAL 5.000,00 0,00 611,39 12, , EQUIPAMENTOS DE INFORMATICA , , ,12 97,50-875,88 TOTAL DA DESPESA , , ,50 96, ,50

241 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Página : 1 Sistema de Contabilidade Data : Variações Patrimoniais - Dezembro / 2013 Hora : 12: VARIAÇOES ATIVAS RESULTANTES DA EXECUÇAO ORÇAMENTARIA RECEITA ORÇAMENTARIA RECEITAS CORRENTES 1.2 RECEITA DE CONTRIBUIÇOES , RECEITA PATRIMONIAL , RECEITAS DE SERVIÇOS , OUTRAS RECEITAS CORRENTES ,86 SUB-TOTAL ,58 RECEITAS DE CAPITAL SUB-TOTAL 0,00 MUTAÇOES PATRIMONIAIS AQUIS DE BENS MOVEIS ,51 SUB-TOTAL ,51 INDEPENDENTES DA EXECUÇAO ORÇAMENTARIA SUB-TOTAL 0,00 TOTAL DAS VARIAÇOES ATIVAS ,09 DEFICIT 0,00 TOTAL GERAL ,09 Fim de Relatório

242 Spiderware CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - MG Página : 2 Sistema de Contabilidade Data : Variações Patrimoniais - Dezembro / 2013 Hora : 12:24 VARIAÇOES PASSIVAS RESULTANTES DA EXECUÇAO ORÇAMENTARIA DESPESA ORÇAMENTARIA DESPESAS CORRENTES 3.1 DESPESAS DE CUSTEIO ,99 SUB-TOTAL ,99 DESPESAS DE CAPITAL 4.1 INVESTIMENTOS ,51 SUB-TOTAL ,51 MUTAÇOES PATRIMONIAIS SUB-TOTAL 0,00 INDEPENDENTES DA EXECUÇAO PATRIMONIAIS SUB-TOTAL 0,00 TOTAL DAS VARIAÇOES PASSIVAS ,50 SUPERAVIT ,59 TOTAL GERAL ,09 Fim de Relatório

243 241 Quadro 63 Demonstrativo Fluxo de caixa 2013 CRB-6 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA - EXERCÍCIO DE 2013 FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DAS OPERAÇÕES 2013 COM RECURSOS CORRENTES ,59 INGRESSOS ,58 RECEITAS DERIVADAS Receita de Contribuições ,53 RECEITAS ORIGINÁRIAS Receita Patrimonial ,12 Receita de Serviços 8.282,07 Outras Receitas Originárias ,86 DESEMBOLSOS ,99 PESSOAL E OUTRAS DESPESAS Pessoal e Encargos Sociais ,12 Depesas com Material de Consumo ,52 Serviços de Terceiros e Encargos ,61 Outros Serviços e Encargos ,74 COM RECURSO DE CAPITAL (34.735,51) INGRESSOS - RECEITAS DE CAPITAL Alienação de Bens - DESEMBOLSOS ,51 DESPESAS DE CAPITAL ,51 Aquisição de Ativo Não Circulante ,51 COM RECURSO DE TERCEIROS - INGRESSOS 1.933,24 Consignações e Retenções 1.933,24 DESEMBOLSOS 1.933,24 Consignações e Retenções 1.933,24 TOTAL DAS DISPONIBILIDADES GERADAS NO PERÍODO ,08 APURAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA DO PERÍODO Caixa e Equivalente de Caixa Final ,47 Caixa e Equivalente de Caixa Inicial ,09 VARIAÇÃO LÍQUIDA DE DISPONIBILIDADES NO PERÍODO 1.559,38

244 Relatório de Gestão Exercício CRB-7 Identificação e atributos da entidade Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 7ª Região/RJ Denominação Abreviada: CRB-7ª Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: / Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE /00 Telefones/Fax de Contato: Endereço Eletrônico: Página na Internet: Redes Sociais:Facebook Endereço Postal: Av. Rio Branco, 277 / 710 Centro RJ Cep: Organograma funcional

245 243 Diretoria Presidente: Marcos Luiz Cavalcanti de Miranda Endereço: Rua Lopes Trovão, 462/502 Jardim Icaraí Niterói RJ CEP Telefones: Res Com Cel Cel. CRB7 ( ) s: Vice-Presidente:Vera Lucia de Carvalho Guilhon Tesoureiro:Anderson Morais Chalaça 1ª Secretária:Roberta Pereira da Silva 2º Secretário:Robson Dias Martins Comissões Permanentes Comissão de Tomada de Contas Katia Aparecida Teixeira de Oliveira (Coordenadora) Endereço: Rua Visconde de Morais, 159/801 Ingá Niterói RJCEP: Telefones: Cel Ana Angélica Alves do Carmo Comissão de Divulgação Lucia Alves da Silva Lino (Coordenadora) Endereço: Rua Inácia Gertrudesnº 454 C.1/201 Parque Anchieta Rio de Janeiro RJ CEP: Telefones: Res Cel Elisete de Sousa Melo Robson Dias Martins Comissão de Fiscalização Eloisa Helena Pinto de Almeida(Coordenadora) Endereço: Rua Senador Vergueiro 224 Ap. 408 Flamengo Rio de Janeiro RJ CEP: Tel. Res Tatiana Neves Cosmo Miguel Romeu Amorim Neto Comissão de Ética Marilucia Ribeiro Pinheiro (Coordenadora) Endereço: Rua Mar de Espanha, 141 apt. 301 Lins de Vasconcelos Rio de Janeiro RJ CEP: Telefones: Res Cel Cel. CRB7 ( ) s: Comissão de Legislação e Normas Vera Lucia de Carvalho Guilhon (Coordenadora) Endereço Residencial: Rua Dezoito de Outubro, 459 apt. 501 Tijuca Rio de Janeiro RJ Telefones: (21) Com: (21) Cel: e Anderson Morais Chalaça Miguel Romeu Amorim Neto

246 244 Comissão de Licitação Roberta Pereira da Silva (Coordenadora) Endereço: Rua Antônio Pinto da Mota, 110/201 Tijuca Rio de Janeiro RJ CEP: Telefones: Res Cel Cel. CRB7 ( ) Marilucia Ribeiro Pinheiro Gisele Ribeiro de Britto(Secretária) Comissão de Patrimônio Ana Angélica Alves do Carmo (Coordenadora) Endereço: Rua Professor Miguel Couto nº 310/202 Icaraí Niterói RJ CEP: Cel Res Eloísa Helena Pinto de Almeida Comissões Temporárias Nome: Anderson Morais Chalaça CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: Coordenador da Comissão Temporária de Assessoria Parlamentar e Coordenador da Comissão Temporária de Biblioteconomia Escolar Ato nomeação: 29 de agosto de 2013 Publicação DOU: Endereço: Rua Duquesa de Bragança, 35 apto 203 Grajaú Rio de Janeiro RJ CEP.: Telefones: , e celulares: e Nome: Roberta Pereira da Silva de Paula CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: Coordenadora da Comissão Temporária de Estudo do Técnico em Biblioteconomia e Coordenadora da Comissão Temporária de Biblioteconomia Inclusiva/Especial Ato nomeação: 29 de agosto de 2013 Publicação DOU: Endereço: Rua Antônio Pinto da Mota, 110 apto 201 Tijuca Rio de Janeiro RJ CEP.: Telefones: (21) e celulares: e Nome: Vera Lucia de Carvalho Guilhon CPF: Período Gestão: 2012/2014 Cargo: Coordenadora da Comissão Temporária de Cadastro de Profissionais e de Bibliotecas Ato nomeação:29 de agosto de 2013 Publicação DOU: Endereço: Rua Dezoito de Outubro, 459/501 Tijuca Rio de Janeiro RJ Telefones: (21) Com: (21) Cel: e Nome: Ana Angélica Alves do Carmo CPF: Período Gestão:2012/2014 Cargo: Coordenadora da Comissão Temporária de Biblioteconomia Pública e Comunitária Ato nomeação:29 de agosto de 2013 Publicação DOU: Endereço: Rua Professor Miguel Couto nº 310/202 Icaraí Niterói RJ Telefones:Cel e (21)

247 245 Nome: Robson Dias Martins CPF: Período Gestão:2012/2014 Cargo: Coordenador da Comissão Temporária de Biblioteconomia Universitária Ato nomeação:29 de agosto de 2013 Publicação DOU: Endereço: Rua Santo Amaro, 200/409 Glória Rio de Janeiro RJ Telefones:.(21) Cel e (21) Informações sobre a Governança Projetos e atividades executadas Investimento nos processos preventivos da fiscalização, visando a valorização profissional, a promoção e o desenvolvimento biblioteconômico regional. Participação dos Conselheiros em eventos culturais, políticos, legislativos, acadêmicos, científicos e educacionais, com o objetivo de divulgar a missão do CRB-7, dialogar com profissionais, estudantes e a sociedade. Demonstração da Execução da Despesa para Atingir os Objetivos Estratégicos do Exercício Objetivo Estratégico Despesa Orçamento Inicial Empenhada Liquidada e 1 Intensificar as fiscalizações preventivas dentro do Estado do Rio de Janeiro 5.000, , Ampliar os canais de comunicação direcionados aos bibliotecários, estudantes e público em geral , ,00 Divulgar a Ética atendendo aos bibliotecários nas instalações do CRB ,00 940,00 4 Fiscalizar trimestralmente os serviços da tesouraria e da contabilidade, examinando de forma mais criteriosa a documentação, relativos a gestão financeira 2.000, ,00 Avaliação crítica É necessário fazer uma revisão nas políticas e práticas de gestão de pessoas e do processo organizacional, tendo em vista a morosidade de alguns serviços, a falta de comprometimento de alguns colaboradores, o atraso no envio de alguns documentos ao CFB, de forma a obter um efetivo ambiente de controle fixando um tom positivo. Além disso, também é necessário desenvolver algumas competências, formalizar e comunicar políticas e procedimentos de modo mais claro, adotando integridade e consciência de controle, visando resultados com valores compartilhados e um trabalho em equipe mais consistente para a efetivação dos objetivos do Conselho. O Conselho está em avaliação dos riscos provocados pelos eventos citados acima de maneira a dirimir problemas nos processos e atividades que nos são afetos, de forma a garantir o desenvolvimento de uma visão de riscos de forma consolidada no âmbito do CRB-7. A Diretoria está revendo as políticas e os procedimentos estabelecidos e executados para mitigar os riscos que estão ocorrendo, para que haja um controle preventivo e detectivo, como procedimentos de autorização e aprovação, segregação de funções (autorização, execução, registro e controle), controles de acesso a recursos e registros, verificações, conciliações, revisões de desempenho, avaliação de operações, de processos e de atividades, supervisão direta, dentre outros,

248 246 bem como ações corretivas como um complemento necessário às atividades ou aos procedimentos de controle. A informação gerada no curso das operações é usualmente comunicada por meios de canais oficiais, para o Presidente, para a Diretoria e Comissões e para o CFB. No entanto, canais alternativos de comunicação devem ser criados para transmitir informação que requer maior discrição, como denúncias e comunicação de riscos. Além das comunicações internas, a gestão deve assegurar que existam meios adequados de se comunicar e de obter informações externas, uma vez que as comunicações externas podem fornecer insumos de impacto significativo na extensão em que o CRB-7 alcança seus objetivos. Existe a necessidade da formalização de um plano de comunicação entre os níveis hierárquicos, bem como um plano de comunicação com outras partes interessadas (funcionários, diretoria, conselheiros, bibliotecários, estudantes de biblioteconomia, bibliotecas e a sociedade). A Diretoria estabeleceu alguns instrumentos para o monitorarento das atividades e operações realizadas pelos funcionários e Conselheiros do CRB-7 com o objetivo de avaliar a qualidade da gestão de risco e dos controles internos, buscando assegurar que estes funcionem como previsto e que sejam modificados apropriadamente, de acordo com mudanças nas condições que alterem o nível de exposição a riscos. Objetivo Estratégico 11. Intensificar as fiscalizações preventivas dentro do Estado do Rio de Janeiro. 12. Ampliar os canais de comunicação direcionados aos bibliotecários, estudantes e público em geral. 13. Divulgar a Ética atendendo aos bibliotecários nas instalações do CRB Fiscalizar trimestralmente os serviços da tesouraria e da contabilidade, examinando de forma mais criteriosa a documentação, relativos a gestão financeira. Indicadores estratégicos atribuídos Mapeamento das instituições que possuem bibliotecas e não dispõe de bibliotecários em seus quadros. Participação efetiva dos bibliotecários e estudantes nas atividades propostas pelo CRB-7. Agendamento a visitação e atendimento dos profissionais Processos de fiscalização e controle da Tomada de Contas, confiáveis e eficientes. Objetivo estratégico1: Intensificar as fiscalizações preventivas dentro do Estado do Rio de Janeiro. Indicador Estratégico Mapeamento das instituições que possuem bibliotecas e não dispõe de bibliotecários em seus quadros. Cumprir a missão da fiscalização no Estado do Rio de Objetivo Janeiro, coibindo às infrações à legislação profissional Conscientização do profissional da importância do Fórmula do Indicador Estratégico Conselho para profissão, ampliação do número de vagas para os bibliotecários dentro do estado. Periodicidade mensal Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 Avaliação sobre o desempenho A meta foi cumprida

249 247 Análise crítica A fiscalização foi intensificada, tendo como foco os Acordos e Renegociações, resultando numa receita positiva e considerável. Dentro do plano de metas do CRB-7 e em cumprimento das ações propostas pela Comissão de Fiscalização, o Conselho vem cumprindo sua missão primordial, que é fiscalizar. O mapeamento das instituições para as fiscalizações preventivas resultou em economicidade e obteve um retorno muito positivo, tanto financeiro como na adequação de situações irregulares encontradas. A Comissão continuou a dar prioridade às denúncias por escrito ou que forem públicas. Objetivo estratégico2: Ampliar os canais de comunicação direcionados aos bibliotecários, estudantes e público em geral Indicador Estratégico Participação efetiva dos bibliotecários e estudantes nas atividades propostas pelo CRB-7. Promover a credibilidade do Conselho, para que o CRB7 seja uma unidade regional de excelência, no Objetivo atendimento aos estudantes e bibliotecários do Estado do Rio de Janeiro. Interação com o profissional / site, rede social e mala Fórmula do Indicador Estratégico direta. Periodicidade mensal Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 Avaliação sobre o desempenho A meta foi cumprida Análise crítica A Comissão de divulgação, no ano de 2013, realizou ações de divulgação e marketing de eventos na área de biblioteconomia e áreas afins. Ampliou a divulgação da profissão nas escolas, universidades e na imprensa em geral. Por fim, deseja-se melhorar os canais junto ao publico interno e externo. Objetivo estratégico 3: Divulgar a Ética atendendo aos bibliotecários nas instalações do CRB- 7 Indicador Estratégico Agendamento a visitação e atendimento aos profissionais Fortalecer a identidade dos bibliotecários do estado do Objetivo Rio de Janeiro de modo a torná-los valorizados junto à Sociedade e ao seu órgão de classe. Fórmula do Indicador Estratégico Visitações agendadas Periodicidade mensal Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 Avaliação sobre o desempenho A meta foi cumprida Análise crítica Em 2013, a Comissão de Ética atendeu parte das metas estabelecidas em 2012, priorizando a informação dos profissionais, sem se descuidar de acompanhar os processos de desligamento dos profissionais, por aposentadoria, não exercício da profissão e solução nas questões de inadimplências. Como resultado da campanha informativa e da postura pró-ativa, privilegiando a informação e regularização do profissional, não apenas por parte desta Comissão, como também de

250 248 todo o CRB-7, houve abertura de processo ético, tendo denúncias averiguadas em parceria com a Fiscalização e encaminhamento ao Conselho Federal para providências pertinentes, porém, ainda não obtivemos retorno. A missão da Comissão de Ética para 2013 atendeu, por s, solicitação de informações sobre ética profissional aos bibliotecários que desse recurso fizeram uso, além de apresentar o papel que o CRB-7 exerce ao orientar, prescrever, controlar a conduta dos bibliotecários. Fizemos a apresentação para um grupo de bibliotecários em Campos dos Goytacazes por meio de Plenária Aberta (Objetivo de integrar os profissionais Bibliotecários do RJ na atuação, Ética, papel do Bibliotecário e assuntos de interesse da região), o que foi muito proveitoso em se perceber o comprometimento daqueles bibliotecários com a Ética Profissional. O objetivo foi fortalecer a identidade do bibliotecário do estado do Rio de Janeiro de modo a torná-lo valorizado junto à Sociedade e ao seu órgão de classe. Objetivo Estratégico 4: Fiscalizar trimestralmente os serviços da tesouraria e da contabilidade, examinando de forma mais criteriosa a documentação, relativos a gestão financeira. Indicador Estratégico Processos de fiscalização e controle da Tomada de Contas confiáveis e eficientes Facilitar o controle da movimentação da Objetivo arrecadação/despesas do Conselho para domínio total da gestão financeira e devidas soluções dos processos financeiros. Fórmula do Indicador Estratégico Controle rigoroso dos processos da gestão contábilfinanceira. Periodicidade trimestral Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 Avaliação sobre o desempenho A meta foi cumprida. Análise crítica A Comissão de Tomada de Contas, de acordo com as metas traçadas para o exercício de 2013, acompanhou a gestão do CRB-7 e, dentro de suas competências, conseguiu manter o equilíbrio financeiro. Foram fiscalizados os serviços dos componentes e toda documentação relativa à gestão contábil financeira, obedecendo a critérios mais rígidos com periodicidade trimestral, gerando também uma maior transparência e confiabilidade das informações da gestão. Obtivemos como resultados, o domínio da gestão contábil financeira e a fluidez no orçamento anual. Relacionamento com a Sociedade Os canais de acesso ao cidadão do CRB-7 são: atendimento presencial, atendimento telefônico, atendimento via , mala-direta, websites e rede social (Facebook). Por intermédio do site e da rede social https://www.facebook.com/conselho.biblioteconomia, são divulgadas informações sobre os serviços do CRB-7 aos Bibliotecários, bibliotecas e empresas. Estrutura Organizacional do CRB-7. Legislação da área. Eventos da área realizados ou apoiados pelo CRB-7. Boletim informativo (mensal) e Revista Eletrônica do CRB-7 (semestral). Relatório Anual da Fiscalização. Balanço Orçamentário Anual. Os canais de comunicação utilizados pelo Regional para dar publicidade às ações e transparência à gestão são: , mala-direta, sites, rede social (Facebook).

251 249 Ambiente de Atuação Inscritos Ativos Inativos Licença Cancelamento Temporária Pessoa Física Pessoa Jurídica Descrição dos riscos de mercado e as estratégias para mitigá-los Desregulamentação da profissão; Veiculação de imagens que apresentem negativamente a profissão na mídia nacional; Falta de políticas públicas sólidas para a criação de Bibliotecas Públicas e Escolares; Imagem conservadora e negativa da Profissão; Esvaziamento da importância social da Profissão. Principais mudanças de cenários ocorridas nos últimos exercícios Criação de comissões permanentes e temporárias capazes de oferecer alternativas de ação para o CRB-7; Articulação com órgãos públicos, privados e instituições de ensino; Participação em eventos culturais, políticos, legislativos, acadêmicos, científicos e educacionais. Planejamento e Resultados Alcançados Avaliação sobre possíveis alterações significativas nos custos de produtos e/ou serviços ofertados, tomando-se por base o exercício de referência do relatório de gestão e os dois anteriores, evidenciando os reflexos de tais alterações nos resultados da unidade jurisdicionada nesses exercícios e comparando os resultados com os de outras entidades da administração pública em contexto similar. As Metas propostas em 2011 foram cumpridas pela 15ª Gestão, dentre elas a estabilização da gestão econômica e financeira. Com o equilíbrio financeiro, investiu-se na organização interna do CRB-7, iniciado pelo descarte de papéis inservíveis, na otimização do espaço e organização dos arquivos, atualização do cadastro com a efetiva implantação do sistema SPW (Spiderware) e concomitantemente o treinamento do pessoal. A fiscalização foi intensificada, tendo como foco os Acordos e Renegociações, resultando numa receita positiva e considerável, comparada aos números herdados pela 14ª Gestão, o que foi continuado com sucesso pela 16ª Gestão Dentro do plano de metas do CRB-7 e em cumprimento das ações propostas, o Conselho realizou o mapeamento das instituições para as fiscalizações preventivas resultando em economicidade e um retorno muito positivo, tanto financeiro como na adequação de situações irregulares encontradas, o que foi continuado em 2013, priorizando as denúncias por escrito ou públicas. De 2011 a 2013 a saúde financeira alcançada vem sendo mantida e as metas propostas têm sido alcançadas por meio de ações preventivas, corretivas e dialógicas, o que tem proporcionado uma atuação mais efetiva do CRB-7 junto à categoria, às Bibliotecas e à Sociedade, e o aumento da participação de Bibliotecários e Estudantes de Biblioteconomia atendendo os objetivos empreendidos.

252 250 Tópicos especiais da execução orçamentária e financeira Suprimento de Fundos Valor anual Tipo de despesas Valor gasto 2.400,00 Passagens, cartório, lanches e papelaria ,09 Publicidade e propaganda Beneficiários Valor VGS Texto ,00 Carlos D. Medeiros 300,00 Cheine Comércio e Indústria 6.850,00 Moreno Muniz 2.100,00 Steiman Knorr Designers 1.200,00 Joel Santos 765,00 Gestão de pessoas, terceirização de mão de obra e custos relacionados Tipologias dos Cargos Lotação Efetiva Ingressos Exercício no Egressos Exercício no 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Total de Funcionários (1+2) Tipologias do Cargo Quantidade de Funcionários por Faixa Etária Até 30 anos De 31 a 40 anos De 41 a 50 anos De 51 a 60 anos 1. Funcionários em Cargos Efetivos Cargos em Comissão Totais (1+2) Acima 60 anos de Despesas com Pessoal Vencimentos Valores R$ Salários e Gratificações ,53 Férias e 13º Salário ,82 Indenizações 5.207,61 Benefícios Assistenciais e Previdenciários ,61 Encargos Sociais 2.050,76 Demais Despesas Variáveis ,65 TOTAL ,98 LEGENDA Salários e Gratificações Salário / Triênio / Salário de Cargo em Comissão Férias e 13º Salário 13º Salário / Férias / Adicional de Férias 1/3 (Art. 7º inciso XVII da Constituição Federal) Indenizações Aviso Prévio Indenizado / Férias Indenizadas / 13º Indenizado / Multa Rescisória / Decisões Judiciais Benefícios assistenciais e previdenciários Alimentação Encargos Sociais

253 251 Previdência Social, Fundo de Garantia, PIS/PASEP. Demais despesas variáveis Ajudas de Custo Contratos de Prestação de Serviços de Limpeza e Higiene e Vigilância Ostensiva Unidade Contratante Nome: NIT CLEAN SERVICE LTDA Informações sobre os Contratos Ano do Contrat o Área Natureza Identificação do Contrato PRESTAÇAO 2009 L O SERVIÇO Observações: LIMPEZA E CONSERVAÇAO Empresa Contrata da (CNPJ) / Período Contratual Execução Atividades Contratadas de das Nível de Escolaridade Exigido dos Trabalhadores Contratados F M S Início Fim P C P C P C 2009 ATUAL C A Sit. LEGENDA Área: (L) Limpeza e Higiene; (V) Vigilância Ostensiva. Natureza: (O) Ordinária; (E) Emergencial. Nível de Escolaridade: (F) Ensino Fundamental; (M) Ensino Médio; (S) Ensino Superior. Natureza: (O) Ordinária; (E) Emergencial. Nível de Escolaridade: (F) Ensino Fundamental; (M) Ensino Médio; (S) Ensino Superior. Quantidade de trabalhadores: (P) Prevista no contrato; (C) Efetivamente contratada. Situação do Contrato: (A) Ativo Normal; (P) Ativo Prorrogado; (E) Encerrado. Gestão do Patrimônio Mobiliário e Imobiliário O Regional tem sede própria? Sim, 2 salas. Av. Rio Branco, 277, Edifício São Borja, sala 710, Centro, Rio de Janeiro Valor comercial do imóvel em 2013: R$ ,00 Valor do imóvel na guia de IPTU: R$ ,00 Pç. Tiradentes 10, Edifício Centro Paulista sala 905 Valor comercial do imóvel em 2013: R$ ,00 Valor do imóvel na guia de IPTU: R$ ,00 Custos em Reais com a manutenção do imóvel: R$ ,00 O Regional possui automóvel? Não Dados do automóvel: Não possui O Regional possui imóvel alugado a terceiros? Não

254 252 Gestão da tecnologia da informação Spiderware Informática Ltda. Gerenciamento de dados Cadastrais, Financeiros, Processo de Protocolo, Fiscalização, Diárias e Passagens, Bens Patrimoniais, Contábil, Divida Ativa, Eleição, Declaração de Habilitação Profissional e Sistema de Eventos. Vigência: até 31/12/2013 renovável por igual período (1 ano) Arco Informática Ltda. Gerenciamento da rede local. Segurança das Informações e suporte técnico e manutenção preventiva e corrretiva de hardware e software End: Rua das Laranjeiras, 457 / 1507 Laranjeiras RJ Vigência: até 31/12/2013 renovável por igual período (1 ano)

255 253 Apuração dos resultados Quadro 64 - Balanço Patrimonial 2013 CRB-7 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 7 REGIÃO - RJ Página : 1 Sistema de Contabilidade Data : Variações Patrimoniais - Dezembro / 2013 Hora : 08:47 VARIAÇOES ATIVAS RESULTANTES DA EXECUÇAO ORÇAMENTARIA RECEITA ORÇAMENTARIA RECEITAS CORRENTES 12 RECEITA DE CONTRIBUIÇOES ,58 13 RECEITA PATRIMONIAL ,99 16 RECEITAS DE SERVIÇOS ,04 19 OUTRAS RECEITAS CORRENTES ,83 SUB-TOTAL ,44 RECEITAS DE CAPITAL SUB-TOTAL 0,00 MUTAÇOES PATRIMONIAIS AQUIS DE BENS MOVEIS ,33 SUB-TOTAL INDEPENDENTES DA EXECUÇAO ORÇAMENTARIA SUB-TOTAL 0,00 TOTAL DAS VARIAÇOES ATIVAS ,77 DEFICIT ,74 TOTAL GERAL ,51 RESULTANTES DA EXECUÇAO ORÇAMENTARIA VARIAÇOES PASSIVAS DESPESA ORÇAMENTARIA DESPESAS CORRENTES 31 DESPESAS DE CUSTEIO ,99 32 TRANSFERENCIAS CORRENTES ,19 SUB-TOTAL ,18 DESPESAS DE CAPITAL 41 INVESTIMENTOS ,33 SUB-TOTAL ,33 MUTAÇOES PATRIMONIAIS SUB-TOTAL INDEPENDENTES DA EXECUÇAO PATRIMONIAIS SUB-TOTAL 0,00 TOTAL DAS VARIAÇOES PASSIVAS ,51 SUPERAVIT 0,00 TOTAL GERAL ,51 Fim de Relatório Marcos Luiz Cavalcanti de Miranda Anderson Morais Chalaça Jose Romeu Garcia Bastos Presidente - CRB 4166 Tesoureiro - CRB-7/5661 Tecnico Contabilidade - CRC RJ/ CPF: CPF: CPF:

256 254 Quadro 65 - Balanço Orçamentário 2013 CRB-7 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 7 REGIÃO - RJ Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Data : Balanço Orçamentário Hora : 11:30 RECEITA Conta Descrição Orçado Realizado Diferença 1 R E C E I T A S C O R R E N T E S , , ,56 12 RECEITA DE CONTRIBUIÇOES , , ,42 13 RECEITA PATRIMONIAL , , ,01 16 RECEITAS DE SERVIÇOS , , ,96 19 OUTRAS RECEITAS CORRENTES , , ,17 SOMA DA RECEITA , , ,56 DÉFICIT ,07 T O T A L ,51 DESPESA Conta Descrição Orçado Realizado Diferença 3 D E S P E S A S C O R R E N T E S , , ,82 31 DESPESAS DE CUSTEIO , , ,01 32 TRANSFERENCIAS CORRENTES , , ,81 4 DESPESAS DE CAPITAL , , ,67 41 INVESTIMENTOS , , ,67 SOMA DA DESPESA , , ,49 SUPERÁVIT 0,00 T O T A L ,51 Marcos Luiz Cavalcanti de Miranda Anderson Morais Chalaça Jose Romeu Garcia Bastos Presidente - CRB 4166 Tesoureiro - CRB-7/5661 Tecnico Contabilidade - CRC RJ/ CPF: CPF: CPF:

257 255 Quadro 66 - Balanço Financeiro 2013 CRB-7 Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Data : Balanço Financeiro - Dezembro / 2013 Hora : 08:44 R E C E I T A ORÇAMENTARIO 1 R E C E I T A S C O R R E N T ,44 SUBTOTAL ,44 EXTRA ORÇAMENTARIA 5132 DEVEDORES DA ENTIDADE 30896, RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO 15832, CONSIGNACOES 35419, CREDORES DA ENTIDADE 78430, ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS 62724, DESPESAS DE PESSOAL A PAGAR , TRANSFERENCIAS FINANCEIRAS 770,37 SUBTOTAL ,79 SALDO DO ANO ANTERIOR 5112 BANCOS C/MOVIMENTO 30976, BANCOS C/VINC APLIC FINANC ,79 SUBTOTAL ,01 T O T A L ,24 DESPESA ORÇAMENTARIA 3 D E S P E S A S C O R R E N T E ,18 4 DESPESAS DE CAPITAL 10332,33 SUBTOTAL ,51 EXTRA ORÇAMENTARIA 5132 DEVEDORES DA ENTIDADE 35650, RESTOS A PAGAR - FINAL EXERCICIO 11379, CONSIGNACOES 35419, CREDORES DA ENTIDADE 78405, ENTIDADES PUBLICAS CREDORAS 62714, DESPESAS DE PESSOAL A PAGAR ,88 SUBTOTAL ,84 SALDO PARA O ANO SEGUINTE 5111 CAIXA 54, BANCOS C/MOVIMENTO 27648, BANCOS C/VINC APLIC FINANC ,39 SUBTOTAL ,89 T O T A L ,24 Fim de Relatório Marcos Luiz Cavalcanti de Miranda Anderson Morais Chalaça Jose Romeu Garcia Bastos Presidente - CRB 4166 Tesoureiro - CRB-7/5661 Tecnico Contabilidade - CRC RJ/ CPF: CPF: CPF:

258 256 Quadro 67 Demonstrativo da receita 2013 CRB-7 CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 7 REGIÃO - RJ Pág. : 1 Sistema de Contabilidade Data : COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA Hora : 08:43 RECEITA - Dezembro Conta Descrição Fixada + Alterações...Realizada... % Diferença...No Mês......Até o Mês... 1 R E C E I T A S C O R R E N T E , , ,44 65, ,56 12 RECEITA DE CONTRIBUIÇOES , , ,58 73, , CONTRIBUIÇOES SOCIAS , , ,58 73, , OUTRAS CONTRIBUIÇOES SOCIAIS , , ,58 73, , ANUIDADES PESS.FISICAS - DO EXERC , , ,72 71, , ANUIDADES PESS.FISICAS - DO EXERC.AN , , ,50 87, , ANUIDADES PESS.JURIDICAS - DO EXERC , , ,90 82, , ANUIDADES PESS.JURIDICAS - DO EXERC ,00 0, ,46 53, ,54 13 RECEITA PATRIMONIAL 34000,00 864, ,99 46, , RECEITAS DE VALORES MOBILIARIOS 34000,00 864, ,99 46, , CORREÇAO MONETARIA - CAD.POUPANÇA 31900,00 861, ,60 48, , OUTRAS RECEITAS PATRIMONIAIS 2100,00 3,00 40,39 1, ,61 16 RECEITAS DE SERVIÇOS 35050,00 720, ,04 38, , RENDAS DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS 35050,00 720, ,04 38, , RENDAS DE EMOLUMENTOS 35050,00 720, ,04 38, , RENDAS COM EMOLUMENTOS 35050,00 720, ,04 38, ,96 19 OUTRAS RECEITAS CORRENTES , , ,83 37, , MULTAS E JUROS DE MORA , , ,83 75, , MULTAS PELO EXERC ILEGAL DA PROF 2800,00 0,00 0,00 0, , MULTAS S/ INFRAÇOES 62800, , ,00 76, , MULTAS P/ AUSENCIA A ELEIÇAO 2800,00 0,00 208,56 7, , JUROS 2800,00 0,00 0,00 0, , MULTAS - ANOS ANTERIORES 7100,00 297, ,52 42, , JUROS - ANOS ANTERIORES 36000, , ,75 95, , RECEITA DA DIVIDA ATIVA ,00 0,00 0,00 0, , DIVIDA ATIVA EM FASE ADMINISTRATIVA 36000,00 0,00 0,00 0, , ANUIDADES 25000,00 0,00 0,00 0, , MULTAS 5000,00 0,00 0,00 0, , JUROS DE MORA 6000,00 0,00 0,00 0, , DIVIDA ATIVA EM FASE EXECUTIVA 70000,00 0,00 0,00 0, , ANUIDADES 43000,00 0,00 0,00 0, , MULTAS 10000,00 0,00 0,00 0, , JUROS DE MORA 17000,00 0,00 0,00 0, , RECEITAS DIVERSAS 6200,00 0,00 0,00 0, , RECEITAS A CLASSIFICAR 3500,00 0,00 0,00 0, , OUTRAS RECEITAS DIVERSAS 2700,00 0,00 0,00 0, ,00 TOTAL DA RECEITA , , ,44 65, ,56

259 257 Quadro 68 Demonstrativo da despesa 2013 CRB-7 COMPARATIVO DA DESPESA ORÇADA COM A REALIZADA DESPESA - Dezembro Conta Descrição Fixada + Alterações...Realizada... % Diferença...No Mês......Até o Mês... 3 D E S P E S A S C O R R E N T E , , ,18 73, ,82 31 DESPESAS DE CUSTEIO , , ,99 75, , PESSOAL , , ,87 84, , PESSOAL CIVIL , , ,44 86, , SALARIOS , , ,53 94, , INDENIZAÇOES TRABALHISTAS 18000,00 0, ,61 28, , GRATIFICAÇAO DE NATAL (13º SALARIO) 22000, , ,30 68, , DESPESAS VARIAVEIS 14000,00 0, ,82 28, , ABONO DE FÉRIAS 5000,00 0,00 0,00 0, , GRATIFICAÇAO DE FÉRIAS 1/3 CONSTITUI 9000,00 0, ,82 44, , OBRIGAÇOES PATRONAIS 70400, , ,61 85, , INSS 51000, , ,75 85, , FGTS 19400, , ,86 85, , DESPESAS C/ MATERIAL DE CONSUMO 37800, , ,76 61, , MATERIAL DE CONSUMO 37800, , ,76 61, , ARTIGOS DE EXPEDIENTE 22500,00 322, ,64 74, , MATERIAL DE LIMPEZA, CONSERV. E HIGI 3500,00 322, ,00 67, , MAT. ACESS. P/ REPAROS DE BENS 2000,00 10,40 310,80 15, , VESTUARIOS E UNIFORMES 1500,00 0,00 0,00 0, , GENEROS DE ALIMENTAÇAO 3000,00 166, ,13 54, , MATERIAL ELÉTRICO/ MANUTENÇÃO E CONS 1800,00 0,00 194,76 10, , UTENSILIOS DE COPA E COZINHA 1500,00 211,44 694,43 46,30-805, OUTROS MATERIAIS DE CONSUMO 2000,00 0, ,00 54,75-905, SERVIÇOS DE TERCEIROS E ENCARGOS , , ,28 74, , SERVICOS TERCEIROS E ENCARGOS , , ,28 74, , SERVICO DE ASSEIO E HIGIENE 13700,00 882, ,00 82, , SERVICO DE ASSESSORIA - PJ 86000, , ,34 78, , REMUNERAÇÃO DE SERV PESSOAIS 7000,00 0,00 853,94 12, , OUTROS SERVIÇOS E ENCARGOS , , ,08 70, , OUTROS SERVIÇOS E ENCARGOS , , ,08 70, ,92

260 ASSINATURAS PERIODICAS 500,00 0,00 0,00 0,00-500, SEGUROS EM GERAL 1000,00 811,27 811,27 81,13-188, SERVIÇOS DE COMUNICAÇAO EM GERAL 25000, , ,74 84, , SERVIÇOS DE ENERGIA ELETRICA E AGUA 4200,00 709, ,62 76,80-974, REPAROS, ADAPTAÇAO E CONSERV. DE BEN 7000,00 0, ,00 32, , SERVIÇOS DE IMPRESSAO E ENCADERNAÇAO 13000,00 50, ,35 61, , SERV. DE DIVULGAÇAO E PUBLICIDADE 50000, , ,00 77, , DESPESAS C/ VALE-REFEIÇAO 35000, , ,11 84, , DESPESAS C/ VALE TRANSPORTE 18500, , ,54 92, , DESPESAS C/ DIARIAS 60000,00 0, ,00 70, , AJUDA DE CUSTO - DIVERSOS 24000, , ,00 91, , CURSOS DE APERFEICOAMENTO 3000,00 0,00 0,00 0, , SERVIÇOS DE INFORMATICA 27000, , ,62 92, , PASSAGENS EM GERAL E HOSPEDAGEM 16070,00 0, ,27 65, , DESPESAS C/ CONDOMINIO 20000, , ,91 88, , IMPOSTOS, TAXAS, TARIFAS E PEDAGIOS 3500,00 0, ,22 33, , DESPESAS BANCARIAS 38000,00 740, ,89 55, , SERVIÇOS POSTAIS E TELEGRAFICOS 35000,00 496, ,39 50, , DESPESAS C/ FISCALIZAÇAO 5000,00 0,00 79,71 1, , OUTROS SERV. E ENCARGOS FISCAIS 5000,00 112, ,56 35, , DESPESAS DIVERSAS 1000,00 0,00 0,00 0, , INDENIZACOES, RESTITUICOES E REPOSIC 3000,00 0,00 0,00 0, , CONDUCAO URBANA 3500,00 162, ,88 72,05-978, LOCACAO DE BENS MOVEIS E IMOVEIS 1000,00 0,00 0,00 0, ,00 32 TRANSFERENCIAS CORRENTES , , ,19 66, , CONTRIBUIÇOES SOCIAIS 2420,00 317, ,76 84,74-369, CONTRIBUIÇOES SOCIAIS 2420,00 317, ,76 84,74-369, PIS / PASEP 2420,00 317, ,76 84,74-369, TRANSF. CONSELHO FEDERAL , , ,43 66, , TRANSF. COTA-PARTE AO CFB , , ,43 66, , TRANSF. COTA-PARTE AO CFB , , ,43 66, ,57 4 DESPESAS DE CAPITAL ,00 0, ,33 10, ,67 41 INVESTIMENTOS ,00 0, ,33 10, , OBRAS E INSTALAÇOES 10000,00 0,00 0,00 0, , OBRAS E INSTALAÇÕES 10000,00 0,00 0,00 0, , DESPESAS C/ EQUIP. E MATERIAL PERMAN 92500,00 0, ,33 11, , EQUIPAMENTOS E MATERIAL PERMANENTE 92500,00 0, ,33 11, , MOBILIARIO EM GERAL 70000,00 0, ,00 5, , BIBLIOTECA 8000,00 0,00 0,00 0, , UTENSILIOS DE COPA E COZINHA 2000,00 0,00 0,00 0, , COMPUTADORES E SISTEMAS DE INFORMATI 8500,00 0, ,28 56, , MAQUINAS E APARELHOS DE ESCRITORIOS 4000,00 0, ,05 35, ,95 TOTAL DA DESPESA , , ,51 68, ,49

261 259 Quadro 69 - Fluxo de Caixa 2013 CRB-7 Conselho Regional de Biblioteconomia - CRB 7ª / RJ FLUXO DE CAIXA Contas Contas DAS OPERAÇÕES DAS OPERAÇÕES RECEITAS CORRENTES , ,92 DESPESAS CORRENTES , ,00 RECEITA DE CONTRIBUICOES , ,45 DESPESAS DE CUSTEIO , ,43 RECEITA PATRIMONIAL , ,34 TRANSFERENCIAS CORRENTES , ,82 RECEITAS DE SERVICOS , ,66 DESPESAS DE CAPITAL -138, ,38 OUTRAS RECEITAS CORRENTES , ,47 RESERVAS ORCAMENTARIAS 0,00 0,00 CONTAS A RECEBER 4.754,54-818,63 TRANSFERENCIAS 5.889, ,08 DESPESAS DE CAPITAL 770,37 0,00 TRANSFERENCIAS PATRIMONIAIS 770,37 0,00 INVESTIMENTOS 0,00 0,00 REFLEXO PATRIMONIAIS 632, ,38 INVERSOES FINANCEIRAS 0,00 0,00 PASSIVO FINANCEIRO 4.487, ,30 TRANSFERENCIAS DE CAPITAL 770,37 0,00 FLUXO DE CAIXA LIQ. POSITIVO DAS ATIV. OPERACIONAIS , ,00 FLUXO DE CAIXA LIQ. NEGATIVO DAS ATIV. OPERACIONAIS , ,00 DE INVESTIMENTOS DE INVESTIMENTOS ALIENACAO DE BENS 0, ,00 AQUISIÇÃO DE ATIVO NÃO CIRCULANTE ,00 0,00 AMORTIZACOES DE EMPRESTIMOS 0,00 0,00 CONCESSÃO DE EMPRESTIMOS E FINANCIAMENTOS 0,00 0,00 FLUXO DE CAIXA LIQ. POSITIVO DAS ATIV. DE INVESTIMENTO 0, ,00 FLUXO DE CAIXA LIQ. NEGATIVO DAS ATIV. DE INVESTIMENTO ,00 0,00 DE FINANCIAMENTO DE FINANCIAMENTO OPERACOES DE CREDITO 0,00 AMORTIZAÇÃO/REFINANCIAMENTO DA DIVIDA 0,00 0,00 FLUXO DE CAIXA LIQ. POSITIVO DAS ATIV. FINANCIAMENTO15.675,00 0,00 FLUXO DE CAIXA LIQ. NEGATIVO DAS ATIV. FINANCIAMENTO 0,00 0,00 GERAÇÃO LIQUIDA POSITIVO DE CAIXA ,00 0,00 GERAÇÃO LIQUIDA NEGATIVA DE CAIXA , ,00 CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA DO EXERCICIO ANTERIOR , ,00 CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA DO EXERCICIO SEGUINTE , ,00 DISPONIB COMPENSATÓRIAS EXERC. ANTERIOR 0,00 0,00 DISPONIB COMPENSATÓRIAS EXERC. SEGUINTE 0,00 0,00 DISPONIBILIDADE EXERC. ANTERIOR , ,00 DISPONIBILIDADE EXERC. SEGUINTE , ,00

262 Relatório de Gestão Exercício CRB-8 Identificação e atributos da entidade Denominação Completa: Conselho Regional de Biblioteconomia 8ª Região Denominação Abreviada: CRB-8 Natureza Jurídica: Autarquia de Regime Especial CNPJ: / Principal Atividade: Entidade com Atividades de Organizações Associativas Profissionais Código CNAE Telefones/Fax de Contato: Endereço Eletrônico: Página na Internet: Redes Sociais: facebook, twitter; blog Endereço Postal: Rua Maracaju, 58 Vila Mariana SP CEP: São Paulo/SP Responsáveis e Atribuições Nome: Cristiane Camizão Rokicki CPF: Período Gestão: Cargo: Presidente Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua Ituboré, 63 Telefones: / Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199, de 15 de outubro de 2004 Art Ao Presidente do CRB compete, dentre outras: I - administrar o órgão em sua plenitude, podendo designar representante ou procurador; II - representar o CRB-8 ativa e passivamente, em juízo ou fora dele, e constituir mandatários perante autoridades e órgãos públicos, inclusive judiciais, praticando todos os atos de direito necessários à plena vigência de seus estatutos legais regimentais e ao exercício de suas atribuições, ad referendum do Plenário; III - zelar pelo livre exercício da Biblioteconomia, pela dignidade e independência do CRB e de seus membros; IV - assinar juntamente com o 1 Secretário e fazer publicar os atos oficiais e normativos, decorrentes de decisões do Plenário e da Diretoria; V - autorizar o pagamento de despesas, requisitar passagens e movimentar as contas bancárias, firmando com o Tesoureiro todos os atos de responsabilidade financeira, inclusive autorização de despesas, cheques, contratos, títulos, balanços e demais documentos de natureza contábil e financeira; VI - apresentar ao Plenário proposta orçamentária anual, plano de metas, relatório anual de gestão; VII - propor ao Plenário, juntamente com o Tesoureiro, abertura de crédito, transferência de recursos orçamentários e mutações patrimoniais; VIII - convocar, abrir, presidir e encerrar as reuniões, designando Secretário ad hoc, quando for o caso, orientando os trabalhos, zelando por sua ordem e disciplina; IX - proferir voto simples e de qualidade, quando couber; X - cumprir e fazer cumprir as decisões do Plenário e da Diretoria; XI - expedir atos designando Comissões Temporárias, Grupos de Trabalho e firmar,

263 juntamente com o Tesoureiro, contratos em geral; XII - suspender, por decisão fundamentada, a execução de qualquer deliberação do Plenário, que pareça inconveniente ou contrária aos interesses da Instituição, nos termos do Artigo 17 da Lei no 4.084/62, e 28 do Decreto /65, devendo submeter ao Plenário do CRB, na primeira reunião que houver; XIII - expedir atos de competência do Plenário, ad referendum deste, em matéria que, por sua urgência, reclame decisão imediata; XIV - opinar sobre todos os casos previstos nesse Regimento Interno do CRB; XV - manter intercâmbio com entidades e congêneres e fazer-se representar em missão ou serviço fora do território de sua jurisdição; XVI - delegar atribuições a membro do CRB, orientando os trabalhos, zelando por sua ordem e disciplina; XVII - zelar pela honra, autonomia, prestígio e decoro da Autarquia e seus Conselheiros e pela exata observância das leis e regulamentos referentes ao exercício da profissão de Bibliotecário; XVIII - tomar medidas urgentes em defesa da classe ou do CRB; XIX - agir em defesa da profissão em todas as instâncias de sua jurisdição, coibindo ações e publicações que venham ferir os preceitos legais referentes à Biblioteconomia e depreciar a imagem desse profissional; XX - adotar todas as medidas necessárias à realização das finalidades do CRB, bem como a sua administração, propondo ao Plenário as que estiverem fora de sua alçada; XXI - dirigir as atividades do CRB e supervisionar as ações das Delegacias e Representações Setoriais; XXII - dar posse aos Conselheiros e respectivos suplentes; XXIII - convocar suplentes para a substituição dos Conselheiros efetivos; XXIV - designar membros ad hoc e dar-lhes posse; XXV - convocar ordinária e extraordinariamente a Plenária do CRB-8 e a Assembléia Geral e dos Delegados Eleitores, organizando as respectivas pautas; XXVI - promover, periodicamente, reuniões dos membros do CRB, para discutir questões profissionais e fixar diretrizes e ações; XXVII - presidir as sessões das reuniões Plenárias: a) Orientando e disciplinando os trabalhos; b) Mantendo a ordem; c) Abrindo, suspendendo, adiando e encerrando os trabalhos; d) Propondo e submetendo as questões à deliberação do Plenário, concedendo a palavra aos Conselheiros e negando-a aos a que pedirem sem direito; e) Advertindo o orador que se desviar do assunto e estiver falando sobre matéria vencida ou faltando com a consideração devida ao Conselho a seus membros ou referindo-se de maneira imprópria aos poderes nacionais ou aos seus representantes, cassando-lhe a palavra se não for obedecido; f) Apurando os votos e proclamando as decisões do Plenário; XXVIII - presidir reuniões e assembléias, assistido pelos secretários; XXIX - decidir sobre as questões de ordem e, com recurso ao Plenário, as reclamações formuladas pelos Conselheiros, os incidentes processuais e as justificações de ausência dos Conselheiros; XXX - proferir, além do voto comum, o de qualidade, em caso de empate; XXXI - visitar, durante o triênio, ouvido o Plenário e desde que haja disponibilidade financeira, todas as delegacias do CRB e Representações Setoriais, visando promover a integração da ação fiscalizatória; XXXII - cooperar com o Delegado Regional e Representante Setorial em matéria de competência deste, sempre que solicitado; XXXIII - corresponder-se, em nome do CRB, com entes públicos e privados, bem como 261

264 262 com os seus representantes; XXXIV - presidir, orientar e disciplinar as reuniões eleitorais; XXXV - delegar a representação do CRB em solenidades, reuniões e demais atos e eventos, designando, por meio de Portaria, o nome do representante, os poderes a ele deferidos, período da representação, valor, se for devido, de diária ou ajuda de custo a ser paga para o cumprimento do encargo; XXXVI - delegar atribuições a membro do Conselho; XXXVII - coordenar os trabalhos das consultorias e assessorias; XXXVIII - designar Conselheiro Relator para estudar e proferir parecer em processos; XXXIX - despachar documentos, distribuir processos aos Relatores e com eles assinar as deliberações aprovadas; XL - criar e dissolver comissões, Grupos de Trabalho e designar Conselheiros para o desempenho de tarefas específicas; XLI - superintender e orientar os serviços do Conselho podendo nomear, contratar, dar posse, promover, licenciar, punir, dispensar, demitir e exonerar prestadores de serviço e empregados, tudo na forma prevista neste RI; XLII - autorizar contratos para execução de serviços especiais na forma prevista neste Regimento Interno; XLIII - assinar os termos de abertura e de encerramento das sessões e rubricar os livros administrativos, Tesouraria e de outros serviços existentes; XLIV - submeter ao Plenário o quadro de pessoal do CRB e propor a criação de cargos e funções, a fixação de salários e a concessão de gratificações; XLV - adquirir e alienar bens móveis até o limite de 25 (vinte e cinco) salários mínimos; XLVI - adquirir e alienar bens imóveis quando obtida a autorização do Plenário, observadas as exigências da Lei n de 21 de junho de 1993; XLVII - coordenar os trabalhos de elaboração do orçamento do Conselho, submetendo-o à aprovação do Plenário; XLVIII - organizar, com o Tesoureiro e ouvida a Comissão de Tomada de Contas, a proposta orçamentária anual a ser examinada e aprovada pelo Plenário; XLVIX - elaborar, com o Tesoureiro, a prestação de contas para encaminhamento ao órgão competente; L - propor ao Plenário a abertura de créditos adicionais e a transferência de recursos; LI - assinar os diplomas e certificados conferidos pelo Conselho; LII - zelar pelo bom funcionamento do Conselho, expedindo Portarias, Instruções, Ordens de Serviço e demais atos normativos; LIII - cumprir e fazer cumprir a legislação referente ao exercício da profissão de Bibliotecário, as deliberações e decisões do Plenário, bem como as disposições deste Regimento; LIV - apresentar relatório de sua gestão ao final do mandato. LV - dar cumprimento às resoluções emanadas do Conselho Federal Parágrafo Único - No cumprimento de suas atribuições regimentais, o Presidente poderá deslocar-se, sempre que necessário, mediante aprovação da Diretoria, para qualquer parte de sua jurisdição, às expensas do CRB, devendo cientificar antecipadamente ao Plenário, ressalvados os casos de urgência, cuja comunicação ao Plenário dar-se-á a posteriori. Nome: Daniela Pereira de Sousa CPF: Período Gestão: Cargo: Vice-Presidente Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Av. Nove de Julho, 1510 Apto. 712 Bela Vista São Paulo / SP Telefones:

265 263 Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art Compete ao Vice-Presidente, dentre outras atividades: I - Substituir o Presidente em suas faltas, licenças e impedimentos eventuais; II - Colaborar com o Presidente no exercício das atribuições que lhe são afetas; III - Desempenhar demais atribuições que lhe forem atribuídas. Nome: Maria Lúcia de Borba Rolim CPF: Período Gestão: Cargo: 1ª Secretária Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua Barata Ribeiro, 339 Apto. 32 Cerqueira Cesar São Paulo / SP Telefones: / Resolução Nº 62, de 06 de julho DE 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art São atribuições do 1º Secretário, além das funções inerentes ao cargo de Conselheiro: I - Coordenar e supervisionar as atividades administrativas do CRB, mantendo sob sua responsabilidade os documentos da autarquia; II - Assinar, com o Presidente, os atos oficiais e normativos decorrentes das decisões do Plenário e da Diretoria; III - Secretariar as reuniões do Plenário e da Diretoria, Assembleias, elaborando atas que deverão ser submetidas à apreciação na Reunião seguinte; IV - Preparar o Relatório Anual de Gestão do Conselho; V - Substituir o Vice-Presidente nos casos de faltas, licenças e impedimentos, assumindo suas atribuições, na forma prevista neste Regimento Interno; VI - Lavrar os termos de abertura e de encerramento dos livros da Secretaria, assinando-os com o Presidente; VII - Lavrar as atas e termos de posse e compromisso dos membros do CRB, subscrevendo-as juntamente com o Presidente; VIII - Dar conhecimento das atas das sessões aos Conselheiros; IX - Providenciar o protocolo de todo o expediente recebido e expedido; X - Receber e repassar ao Presidente, expediente encaminhado ao Conselho; XI - Elaborar o expediente do Conselho, inclusive o que deve ser assinado pelo Presidente; XII - Despachar documentação de mero expediente que não esteja afeta ao pronunciamento do Presidente, de outro Conselheiro ou do Plenário; XIII - subscrever os termos de posse e de compromisso dos membros do Conselho; XIV - Preparar, junto com a Diretoria, a pauta e a Ordem do Dia das sessões; XV - Preparar material para realização de reuniões, assembleias e demais eventos realizados pelo Conselho, dando-lhes a destinação determinada pelo Presidente; XVI - Preparar os processos e proceder à distribuição dos mesmos; XVII - Proceder à verificação e proclamação de quorum; XVIII - Propor ao Presidente a criação de cargos, contratação e dispensa de empregados, visando a eficaz realização dos serviços administrativos; XIX - Submeter ao Presidente a concessão de férias dos empregados, bem como de licenças

266 264 devidamente instruídas; XX - Organizar e rever, periodicamente, o cadastro geral dos profissionais registrados na jurisdição do CRB, assim como providenciar sua divulgação; XXI - Providenciar a divulgação das Resoluções, Instruções e demais atos do CFB e dos atos próprios do CRB; XXII - Apresentar relatório anual dos trabalhos da administração; XXIII - Desempenhar outras funções que lhe forem atribuídas. Nome: Rosana Aparecida Ribeiro Camillo CPF: Período Gestão: Cargo: 2ª Secretária Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua Adolfo Gordo, 100 Apto. 24 Campos Eliseos São Paulo / SP Telefones: / Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art Ao 2 Secretário compete: I - Substituir o 1 Secretário nos casos impedimentos, licenças ou faltas deste, acumulando suas funções; II - Colaborar com o 1 Secretário em todas as suas tarefas e atribuições; III - Desempenhar outras funções que lhe forem atribuídas. Nome: Djair Rodrigues de Souza CPF: Período Gestão: Cargo: Tesoureiro Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua Acácio Vasconcelos, 294 Pq. Jabaquara São Paulo / SP Telefones: / Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no diário oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art Ao Tesoureiro compete, além de suas atribuições do cargo de Conselheiro: I - Substituir o 1 ou 2 Secretário nos casos de impedimentos, licenças ou faltas à reunião, assumindo todas as suas atribuições, na forma deste Regimento Interno e acumulando as funções. II - Coordenar e supervisionar a área de administração financeira e de contabilidade do Conselho; III - Movimentar, com o Presidente, as contas bancárias, assinando, para tal fim, cheques e demais documentos exigidos; IV - Assinar com o Presidente os balancetes, balanços e prestações de contas e outros documentos de natureza financeira, contábil e patrimonial do CRB, inclusive autorização de despesas, cheques, saques, contratos, títulos, endossos bancários e demais documentos de natureza contábil; V - Supervisionar a elaboração da Proposta Orçamentária e acompanhar a sua execução; VI - Informar e orientar o Plenário, os membros da Comissão de Tomada de Contas e demais membros da Diretoria sobre os assuntos financeiros, contábeis e patrimoniais de interesse do CRB; VII - Elaborar e executar o cronograma financeiro;

267 265 VIII - Dirigir e organizar o setor de administração financeira e contábil do CRB; IX - Supervisionar e fiscalizar a arrecadação de todas as rendas e contribuições devidas ao CRB; X - Fornecer ao Presidente, mensalmente, balancetes de receita e despesa e o balanço final de cada exercício financeiro de sua gestão; XI - Elaborar com a Diretoria a prestação de contas anual do CRB para encaminhamento ao Plenário, à CTC e ao CFB; XII - Manter organizada e atualizada a documentação e escrituração contábil da autarquia; XIII - Conservar os papéis de crédito, documentos, bens e valores da Tesouraria e da Contabilidade; XIV - Elaborar, juntamente com a Diretoria, sob a coordenação do Presidente, a proposta orçamentária do CRB a ser encaminhada para o CFB; XV - Propor ao Presidente a contratação do pessoal dos serviços a seu cargo; XVI - Providenciar os meios necessários à execução do disposto nos artigos 26 a 30 da Lei 4.084/62 e 36 do Decreto /65, exigindo seu rigoroso cumprimento; XVII - Efetuar os pagamentos, obedecendo à previsão orçamentária das contas que tenham recebido a autorização do Presidente na forma regimental; XVIII - Cumprir outras funções de direção financeira e contábil que lhe forem cometidas pelo Presidente. XX - Fiscalizar e cobrar todas as rendas e contribuições devidas ao CRB; XXI - Fornecer à CTC material e informações necessárias ao desenvolvimento das atividades desta Comissão. XXII - Fiscalizar a arrecadação e a despesa em colaboração com a CTC; XXIII - Propor ao Presidente a contratação de pessoal para execução dos serviços a seu encargo; XXIV - Providenciar a divulgação dos atos normativos relativos às atividades sob sua responsabilidade; XXV - Cumprir outras funções relativas às suas atividades que lhe sejam atribuídas pela Diretoria. Nome: Ana Teresa Vianna de Figueiredo Sannazzaro CPF: Período Gestão: Cargo: Coordenadora da Comissão de Divulgação e Eventos Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua Itambe, 96 Aprto. 124 Higienópolis São Paulo / SP Telefones: / Nome: Anderson Matias Marques CPF: Período Gestão: Cargo: Conselheiro das Comissões de Fiscalização e Tomada de Contas Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua das Palmeiras, 381 Apto. 605 Vila Buarque São Paulo / SP Telefones: / Nome: Camila Rodrigues Garcia CPF: Período Gestão: Cargo: Coordenadora da Comissão de Ética e Tomada de Contas Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua Manuel Cherem, 300 Apto. 145 B Vila Paulista - São Paulo / SP Telefones: /

268 266 Nome: Dolores Augusta Biruel CPF: Período Gestão: Cargo: Conselheira das Comissões de Divulgação e Eventos e Licitação Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua Alfredo Pujol, 263 Apto. 31 Santana São Paulo / SP Telefones: / Nome: Francisco Lopes de Aguiar CPF: Período Gestão: Cargo: Coordenador da Comissão de Fiscalização Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua Martim Francisco, 445 Apto. 33 Santa Cecília São Paulo / SP Telefones: / Nome: Maria Ludmilla Oviedo Licas CPF: Período Gestão: Cargo: Coordenadora da Comissão de Licitação no ano de 2012 Conselheira da Comissão até maio de Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua Rio de Janeiro, 171 Fundos Jd. Tranquilidade São Paulo / SP Telefones: Nome: Wanderson Scapechi CPF: Período Gestão: Cargo: Coordenador da Comissão de Tomada de Contas Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Av. São João, 1939 Apto. 17 Santa Cecília São Paulo / SP Telefones: / Nome: Elza Itsuko Kawara Velasque CPF: Período Gestão: Cargo: Conselheira das Comissões de Ética, Legislação e Normas e Licitação Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua Elias Mertel, 87 Apto. 32 C COHAB I São Paulo / SP Telefones: / Nome: Luciana da Silva Meira CPF: Período Gestão: Cargo: Conselheira Suplente Membro da Comissão da Divulgação e Eventos Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua 9 de agosto, 01 Vila Esperança São Bernardo do Campo / SP Telefones: / Nome: Marcos Rogério Gonçalves CPF: Período Gestão: Cargo: Conselheiro da Comissão de Fiscalização e Legislação e Normas

269 267 Ato nomeação: 04/01/2012 Publicação DOU: 22/11/2011 Endereço Residencial: Rua Santa Catarina, 17 Casa 6 Pq. São Jorge São Paulo / SP Telefones: / Comissão de Tomada de Contas Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art compete ainda à CTC, dentre outras: I - examinar as demonstrações de receita arrecadada pelo crb, verificando o exato cumprimento da movimentação contábil-financeira da autarquia, inclusive o efetivo cumprimento do envio da cota-parte ao CFB; II fiscalizar, periodicamente, os serviços de tesouraria e contabilidade do CRB, examinando livros e demais documentos relativos à gestão financeira; III - examinar os comprovantes de despesas pagas, quanto à validade das autorizações, idoneidade dos documentos fiscais e quitações respectivas; IV - solicitar ao presidente os elementos necessários ao desempenho de suas atribuições, inclusive assessoramento técnico; V - solicitar esclarecimentos ao tesoureiro do CRB, sempre que julgar necessário; VI - solicitar esclarecimentos ao contador do CRB sempre que houver necessidade; VII - baixar normas disciplinadoras de sua organização e de seus serviços, baseadas nas atribuições fixadas neste regimento interno; VIII - controlar o recebimento de legados, doações e subvenções. Comissão de Divulgação - CDV Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art Compete a Comissão de Divulgação: I - estudar, planejar e propor ao CRB publicação referente a assuntos profissionais da área da Biblioteconomia, bem como os relativos às atividades do CRB; II - solicitar aos Bibliotecários, estudos de caráter informativo sobre assuntos de interesse da área da Biblioteconomia e de atuação CRB; III - divulgar nacionalmente as atividades do CRB; IV - promover a impressão de publicações e a divulgação de matérias doutrinária, informativa, crítica, noticiosa e de qualquer outro gênero, para difusão da Biblioteconomia; V - promover a difusão regional da Biblioteconomia por meio da divulgação de matérias doutrinárias e informativas; VI - supervisionar a organização e a edição das publicações periódicas do CRB, devidamente autorizadas pelo Plenário; VII - remeter as publicações, por meio do Setor Administrativo, aos Conselheiros Regionais efetivos e suplentes, aos Delegados e aos Bibliotecários registrados no Conselho, bem como a todas as instituições interessadas e aos órgãos de divulgação em geral; VIII - orientar a organização e manutenção, no Setor Administrativo, de cadastro de endereços necessários à remessa sistemática das publicações;

270 268 IX - adquirir, registrar, guardar e conservar livros, folhetos, jornais, revistas e outras publicações de interesse da área, controlando o empréstimo e a utilização, juntamente com o Setor Administrativo; X - adquirir, elaborar, guardar e conservar o material áudio - visual próprio a apresentações do CRB em palestras, cursos e treinamentos, bem como controlar o seu empréstimo e utilização contando, para isto, com o auxilio do Setor Administrativo. Comissão de Fiscalização Cofis Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art.95 - compete à Comissão de Fiscalização: I - determinar, coordenar, orientar e supervisionar, direta e imediatamente, o serviço dos Fiscais; II - sugerir novos procedimentos de fiscalização, que serão submetidos à aprovação do Plenário do CRB; III - propor ao Presidente do CRB o número de Fiscais necessário à Região; IV - propor e justificar a substituição de Fiscais; V - encaminhar periodicamente, com parecer, ao Presidente do CRB, os relatórios das atividades de fiscalização, acompanhados dos respectivos processos e documentos de fiscalização; VI - consultar a Consultoria Jurídica sempre que necessário; VII - apresentar relatórios das atividades do(s) fiscal(is) do CRB referentes ao período imediatamente anterior a cada reunião do Plenário. Comissão de Legislação e Normas Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art. 103 Compete à CLN: I - emitir pareceres nos assuntos submetidos a sua apreciação por determinação do Presidente do CRB, sob orientação da Conjur; II - manter organizada e armazenada a legislação e as jurisprudências, inclusive as emanadas do Plenário do CRB e do CFB; III - acompanhar, na esfera dos poderes executivo e legislativo, andamento de projetos e processos que envolvam interesse da classe Bibliotecária; IV - executar outras tarefas e atividades que lhes forem submetidas. Comissão de Licitação CLI Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no diário oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art Compete a Comissão de Licitação, dentre outras: I - manter cadastro de fornecedores de bens e serviços;

271 269 II - emitir e fazer publicar edital de licitação no DOU, bem como publicar demais documentos licitatórios, tais como tomada de preços, cartas convite e outros pertinentes; III - analisar e julgar as propostas do objeto da licitação; IV - encaminhar o processo ao Presidente do CRB para homologação; V - baixar normas disciplinadoras de sua organização e de seus serviços, baseadas nas atribuições fixadas neste Regimento e nas disposições legais aplicáveis à matéria. Comissão de Ética Profissional CEP Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no diário oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art Compete à Comissão de Ética Profissional e a seus membros: I - analisar denúncia, elaborar parecer prévio e encaminhá-lo ao Presidente do CRB, para que o mesmo decida pela abertura ou não de processo ético; II - autorizada a abertura do processo ético previsto no inciso anterior, proceder à instauração e instrução do devido processo ético disciplinar, na forma das disposições do Código de Ética do Profissional Bibliotecário, da Resolução CFB nº 399/93 e demais disposições legais pertinentes; II - emitir parecer sobre outros assuntos de natureza ética, quando solicitado pelo Plenário ou pela Diretoria; III propor, ao Plenário, normas e procedimentos a serem adotados pelas demais comissões do CRB, orientando-as quanto ao seu cumprimento; IV - exercer sua função, no que concerne a outros aspectos da ética, não mencionados nos incisos anteriores e previstos nos Regimento Interno, em atendimento a determinações da Diretoria e/ou Plenário; V - apresentar relatórios escritos dos fatos constatados. Bibliotecário Fiscal Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art Compete aos Fiscais: I - cumprir as ordens emanadas diretamente da Comissão de Fiscalização; II - inspecionar, nas esferas pública e privada, unidades de informação e demais entidades que tenham como função o armazenamento, tratamento, recuperação e disseminação da informação em qualquer suporte; III - efetuar diligências para comprovar denúncias; IV emitir autos de infração e demais documentos autorizados pelo CRB; V - verificar se a supervisão, gerência, administração e execução dos serviços de Biblioteconomia e áreas afins, estão a cargo de Bibliotecário regularmente inscrito no CRB e em dia com suas obrigações, na forma do art. 4 o. do Decreto /65; VI - encaminhar, periodicamente à Comissão de Fiscalização, relatório de suas atividades, acompanhados dos documentos fiscalizatórios; VII - reunir-se periodicamente com o coordenador da Comissão de Fiscalização e da Comissão de Ética.

272 270 Consultoria Jurídica - Conjur Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199 de 15 de outubro de Art Compete à Consultoria Jurídica: I - assessorar a Presidência e membros do CRB nas Plenárias, reuniões de Diretoria e Comissões, Assembléias CFB/CRB, Congressos e demais atividades afins; II - estudar e emitir parecer sobre a interpretação e aplicação da legislação em geral e, particularmente, das leis, decretos, regulamentos, resoluções, regimentos, instruções e normas legais relacionadas com as atividades do CRB, da profissão de Bibliotecário, quando solicitada; III - planejar, coordenar, orientar e/ou desenvolver trabalhos técnicos dentro da sua área de competência; IV - responder consultas e emitir pareceres de natureza jurídica, em assuntos e processos submetidos a seu exame; V - colaborar na avaliação do desempenho organizacional e prestar assessoramento especial à Diretoria, às Comissões e ao Bibliotecário Fiscal, no que tange a sua esfera de ação; VI - emitir relatórios que consubstanciem o estágio de execução dos trabalhos de sua área técnica, em especial, relatório mensal dos processos judiciais em andamento, com as respectivas situações; VII - atuar na condição de representante do respectivo Conselho, nas esferas administrativa e judiciária, por meio de instrumento de procuração específico, vedado o recebimento de citação e intimação pessoal em nome do CRB ou de qualquer um de seus membros; VIII - participar das reuniões Plenárias quando convocada; IX - manifestar-se obrigatoriamente, por escrito, sempre que constatar a existência de ilegalidade de qualquer ato praticado e que tenha sido submetido a sua apreciação, encaminhando-a ao Presidente do CRB; X - responder pelo cumprimento dos prazos, nos processos judiciais sob a sua guarda, salvo determinação em contrário, que deverá ser por escrito; XI - realizar outras tarefas que lhe forem cometidas; XII- organizar coletâneas de pareceres e decisões judiciais de interesse do CRB. Setor Administrativo SAD Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art São atribuições do Setor Administrativo: I - receber, examinar, informar e/ou encaminhar todas as solicitações dirigidas ao CRB, verificando para quem se destinam e quais as providências necessárias a sua execução, bem como anotar e transmitir recados; II - criar controles e rotinas objetivando melhorias no setor; III - executar os serviços de digitação de ofícios, relatórios e dos atos oficiais, providenciando, quando for o caso, o envio para publicação na imprensa oficial e leiga; IV - guardar e conservar o acervo de processo de registro e os livros de registro bem como os livros de atas das Comissões, do Plenário e da Diretoria, os livros de registro de Presenças e demais documentos oficiais; V - organizar e manter atualizada a agenda e promover a correspondência do Presidente; VI - executar, por solicitação, serviços internos e externos de circulação de correspondência,

273 271 livros, material e outros documentos pertinentes ao CRB; VII - processar em autos protocolados e fichados, com suas folhas numeradas e rubricadas, os assuntos a serem submetidos a estudo, discussão ou votação, arquivando-os após as decisões respectivas; VIII - auxiliar a Diretoria na organização das sessões das reuniões Plenárias ordinárias e extraordinárias, fornecendo informações e documentos, bem como atendendo a outras solicitações para montagem da pauta dos trabalhos da Ordem do Dia; IX - executar as deliberações do Plenário e da Diretoria seguindo, rigorosamente, os critérios de prioridade definidos pela administração; X - auxiliar a Comissão de Divulgação na aquisição, registro, guarda e conservação de livros, folhetos, jornais, revistas e outras publicações bem como, de álbuns de fotografias, de dispositivos ou de recortes, controlando o seu empréstimo e utilização; XI - organizar e manter atualizado o cadastro dos endereços de pessoas, instituições e entidades para remessa e intercâmbio de correspondência; XII - registrar, guardar e distribuir o material adquirido, bem como controlar o estoque do material de consumo necessário ao desenvolvimento normal dos trabalhos; XIII - organizar e manter atualizado cadastro do material permanente do Conselho, a fim de que o mesmo fique perfeitamente caracterizado e registrado; XIV - operar e conservar, no sentido de que se mantenham em perfeitas condições de funcionamento, as máquinas e equipamentos de propriedade do CRB; XV - diligenciar no sentido de que se mantenham em perfeitas condições de funcionamento as instalações elétricas, hidráulicas, telefônicas do imóvel - sede; XVI - organizar e executar serviços de administração, tais como: controle de pessoal, prestações de contas e outros indispensáveis ao bom andamento do CRB; XVII - atestar as faturas referentes às aquisições de material e de prestação de serviços; XVIII - reunir a documentação e informações solicitadas pela Diretoria, visando à elaboração, discussão e/ou apresentação de trabalhos e estudos; XIX - reunir os relatórios parciais e especiais, a fim de compilar e sintetizar os dados necessários à elaboração dos relatórios gerais do CRB; XX - proceder ao arquivamento e o descarte de documentos administrativos de acordo com a tabela de temporalidade de documentos em vigor ou qualquer outro instrumento normativo expedido pelo CRB; XXI - executar outras tarefas pertinentes que lhe forem determinadas. Setor Contábil e Financeiro Resolução Nº 62, de 06 de julho de 2004, conforme retificação no Diário Oficial N 199 de 15 de outubro de 2004 Art São atribuições do Setor Contábil e Financeiro: I - no que se refere ao Orçamento: a) elaborar, anualmente, de acordo com as instruções do Presidente e do Tesoureiro e orientação do contador, a proposta orçamentária do Conselho Regional, observados os princípios estabelecidos na legislação específica e nas normas ditadas pelo Tribunal de Contas da União; b) controlar a fiel execução dos orçamentos do CRB; c) propor medidas administrativas, financeiras, econômicas e contábeis para correção dos desajustamentos que se verificarem durante a execução dos orçamentos; d) opinar sobre as questões que, direta ou indiretamente, prendam-se à elaboração, execução e controle dos orçamentos;

274 e) controlar os saldos das dotações; f) cooperar no estudo das medidas relativas ao aperfeiçoamento do sistema de arrecadação das rendas do CRB, confrontando as previsões com a receita arrecadada e identificando as causas das variações; g) responder e atender as demandas e orientações do CRB nos assuntos de sua competência h) emitir parecer sobre os processos de abertura de créditos e reformulações de orçamentos; i) observar e cumprir os prazos estabelecidos pelo CFB para remessa das propostas orçamentárias, reformulações de orçamento e abertura de créditos; j) analisar e realizar as correções apresentadas pelo Presidente do CRB, nas Propostas e Reformulações Orçamentárias e Balancetes; k) executar outras tarefas pertinentes que lhe foram determinadas. II - no que se refere à Contabilidade: a) proceder aos registros contábeis baseados nos documentos comprobatórios das operações econômico-financeiras, após seu exame legal e contábil, sob a supervisão e orientação do contador; b) preparar, sob a supervisão e orientação do contador, balancetes e prestações de contas, observados os princípios estabelecidos na legislação específica e as normas ditadas pelo CFB, e pelo Tribunal de Contas da União; c) padronizar e coordenar as demonstrações de despesas das Delegacias Regionais; d) sugerir os prazos a serem observados pelas Delegacias Regionais para remessa, ao CRB, de suas demonstrações de despesas; e) examinar as comprovações dos adiantamentos concedidos aos empregados; f) manter atualizado o registro dos responsáveis por adiantamento, controlando os respectivos prazos de comprovação; g) guardar e conservar os documentos contábeis, organizando toda a documentação em conformidade com a legislação pertinente; h) controlar os registros e efetuar os cálculos relativos às obrigações nas áreas de pessoal e de encargos sociais; i) registrar os fatos administrativos na contabilidade garantindo o seu adequado e legal processamento; j) efetuar pagamento das despesas contraídas pelo CRB, obedecendo, rigorosamente, os prazos de vencimento; k) executar outras tarefas pertinentes que lhe forem determinadas. III - no que se refere à Auditoria: a) elaborar, anualmente, para aprovação do Plenário, a programação de auditagens a serem processadas nas Delegacias Regionais; b) proceder às auditorias in loco e em processos de prestações de contas, elaborando pareceres ou relatórios e emitindo certificados, juntamente com os demais membros da Comissão de Auditoria; c) efetuar exames de documentos e verificar escriturações contábeis; d) fazer a avaliação de sistemas de contabilidade e de controles internos, submetendo-os ao Tesoureiro e Presidente; e) executar outras tarefas pertinentes que lhes forem determinadas. Art Compete ainda ao Setor Contábil e Financeiro: I - coordenar, orientar e/ou desenvolver trabalhos técnicos dentro de sua área de competência; II - responder a consultas e emitir parecer de natureza contábil e financeira, em assuntos submetidos a seu exame; III - acompanhar o desempenho da área econômico-financeira, sugerindo medidas necessárias à Tesouraria para obtenção de resultados favoráveis para a entidade; IV - assessorar o Plenário, a Diretoria, as Comissões, Consultoria e demais órgãos da autarquia nos assuntos de sua área de competência; V - manifestar-se obrigatoriamente por escrito, sempre que constatar a existência de ilegalidade 272

275 273 de qualquer ato praticado que tenha sido submetido a sua apreciação, em especial sobre documentos de natureza contábil, devendo o seu relatório ser juntado no respectivo processo. Informações sobre a Governança A Diretoria, no ano de 2013, realizou suas atividades incentivando as coordenações de cada comissão a realizarem o planejamento de forma plena. Com o evento de premiação Laura Russo, foram fortalecidas relações com as escolas de Biblioteconomia e com docentes, já que muitos trabalhos de conclusão de cursos e dissertações foram premiados. A Diretoria também esteve presente em eventos da área e um dos destaques foi a Feira de livros de Frankfurt, ano em que o Brasil foi o país homenageado e a Presidente participou de ações e encontros com profissionais bibliotecários da Alemanha. A Feira dedica espaço especial para os profissionais bibliotecários e aos representantes da CBL Câmara Brasileiro do Livro. As negociações avançaram e, para a Bienal do livro de São Paulo, em 2014, o CRB-8 coordenará palestras e ações de comunicação ao público sobre a profissão. O relatório segue com dados e informações sobre a Comissão de Ética, que brilhantemente concluiu o trabalho de análise de diversos processos éticos, trabalhou em parceria com a comissão de fiscalização e, ainda, apoiou o Encontro de Fiscais na sede deste conselho. A coordenação de fiscalização é o centro das ações do conselho e foi fortalecida em 2013, já que esteve com a equipe de fiscais completa. Foram intensificadas fiscalizações, ações e participação em palestras informativas sobre o CRB. O ano de 2013 foi marcado também pela avaliação e acompanhamento dos projetos de lei que tramitam em Brasília. Com apoio do CFB Conselho Federal de Biblioteconomia, a Comissão de Legislação esteve atenta aos diversos PLs e às legislações no geral, fornecendo a Diretoria subsídio para o planejamento e ações com a sociedade. A Comissão de Licitação realizou suas ações sempre em parceria com a Conjur Comissão Jurídica do CRB-8. Foi um ano de pouca aquisição, mais focado em dar continuidade aos projetos em tramiração e ao investimento na área de comunicação. Demos continuidade à Comissão Temporária de Gestão de Pessoas, que entregou o relatório final com apontamentos importantes que serviram de base para a Diretoria e a Gestão decidirem pela revisão e melhoria da atuação profissional de cada coordenador do CRB-8. O processo é lento, mas deve ser acompanhado de perto e, em setembro de 2013, foi decidido em plenária que, para 2014, será preciso ter um cargo de Gestor no CRB-8 para auxiliar as coordenações nas decisões diárias, que demandam atenção e dedicação constante, principalmente no que tange gestão de pessoas. Por fim, este ano de 2013, a partir da previsão estratégica e orçamentária, conseguiu fechar com êxito seus objetivos, conforme pode ser observado a seguir:

276 274 EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2013 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO QUADRO COMPARATIVO DA DESPESA ORÇADA COM A REALIZADA POR NATUREZA DE GASTOS ORÇADO PARA O ELEMENTOS ANO REALIZADAS DIFERENÇA 3,00 DESPESAS CORRENTES DESPESAS COM PESSOAL CIVIL , , ,03 SALÁRIOS , , ,88 INDENIZAÇÕES TRABALHISTAS , ,00 GRATIFICAÇÃO DE NATAL , , , DESPESAS VARIÁVEIS , , ,64 ABONO DE FÉRIAS , , ,56 GRATIFICAÇÃO 1/3 DE FÉRIAS , , , OBRIGAÇÕES PATRONAIS , , ,08 PREVIDÊNCIA SOCIAL , , ,09 FGTS , , ,30 PIS S/FOLHA DE PAGAMENTO 5.000, , , MATERIAL DE CONSUMO , , ,28 ARTIGOS DE EXPEDIENTE , , ,55 ARTIGOS E MATERIAIS P/LIMPEZA E 5.000, , ,04 CONSERV , ,00 MAT. E ACESSÓRIOS P/MÁQUINAS E APARELHOS 5.000, , ,83 VESTUÁRIOS E UNIFORMES GÊNEROS DE ALIMENTAÇÃO 1.000,00 723,85 276,15 MATERIAL ELÉTRICO EM GERAL UTENSÍLIOS DE COPA E COZINHA 1.000,00 654,29 345, SERV. TERCEIROS EM GERAL , , ,12 ASSESSORIA CONTÁBIL , , ,54 ASSESSORIA JURÍDICA , , ,24 ASSESSORIA JORNALÍSTICA , , ,00 OUTROS SERVS. DE TERCEIROS EM GERAL , , , OUTROS SERVIÇOS E ENCARGOS , , , ,00 554,50 445, , , , , , , , , , , ,00 600,00 ASSINATURAS PERIÓDICAS SEGUROS EM GERAL SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO EM GERAL SERVIÇOS DE ENERGIA ELÉTRICA E ÁGUA FEST., RECEPÇÕES E HOMENAGENS REPAROS, ADAPTAÇÕES E CONSERV. BENS SERVIÇOS DE IMPRESSÃO E ENCADERNAÇÃO SERVS. DIVULGAÇÃO E PUBLICIDADE DESPESAS COM VALE-REFEIÇÃO DESPESAS COM VALE-TRANSPORTE DESPESAS COM DIÁRIAS 3.000, , , , , , , , , , ,77 267, , , , , , ,00

277 275 EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2013 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO QUADRO COMPARATIVO DA DESPESA ORÇADA COM A REALIZADA POR NATUREZA DE GASTOS ORÇADO PARA O ANO REALIZADAS DIFERENÇA OUTROS SERVIÇOS E ENCARGOS AJUDA DE CUSTOS - DIVERSOS SERVIÇOS DE INFORMÁTICA PASSAGENS EM GERAL DESPESAS COM CONDOMÍNIO IMPOSTOS, TAXAS, TARIFAS E PEDÁGIOS DESPESAS BANCÁRIAS ALUGUEL DE MÁQUINAS CONGRESSOS, CONVEÇÕES E CONFERÊNCIAS SERVIÇOS POSTAIS E TELEGRÁFICOS DESPESAS COM FISCALIZAÇÃO DESPESAS DIVERSAS DESPESAS COM ESTÁGIOS ASSISTÊNCIA MÉDICA DESPESAS COM VIGILÂNCIA , ,31 986, , , , , , , , , , , , , , , , ,22 750, , ,00 800, , , , , , , , , , , , , , , , , , , DIVERSAS DESPESAS DE CUSTEIO SENTENÇAS JUDICIÁRIAS DESPESAS DE CAPITAL , , , OBRAS E INSTALAÇÕES , ,00 REFORMAS DE INSTALAÇÕES , , EQUIP. E MAT. PERMANENTES , , , , , ,46 MÁQUINAS, MOTORES E EQUIPAMENTOS MOBILIÁRIO EM GERAL , ,00 BIBLIOTECA 4.000,00 310, ,00 UTENSÍLIOS DE COPA E COZINHA 1.000, ,00 AQUISIÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMÁTICA 1.000, ,00 MÁQUINAS E APARELHOS DE ESCRITÓRIO 1.000, ,00 TOTAL , , ,04 Projetos e atividades executadas Comissão de Divulgação e Eventos MEMBROS DA COMISSÃO Coordenação / Membro Efetivo Ana Teresa Vianna de Figueiredo Sannazzaro Membro Efetivo Dolores Biruel Membro Suplente Daniela Pereira de Sousa Membro Suplente Luciana da Silva Meira até março de 2013 Assessoria Jornalística Cristina Mirara - janeiro e fevereiro de 2013 Assessoria Jornalística Marcos Menichetti março de 2013 A Comissão de Divulgação e Eventos da 16ª Gestão possui um único núcleo de Divulgação, não mais dividido em Comunicação e Eventos. A coordenadora da Comissão recebe e aprova todas as notícias, cursos, eventos, vagas de emprego e estágio que são veiculados no site, no blog, no facebook e no twitter. A coordenadora da Comissão recebe e redige todos os ofícios em resposta às solicitações de apoio dirigidas ao CRB-8, como palestras educativas, composição de mesas de abertura, participação dos conselheiros e funcionários do Conselho em cursos de capacitação, solicitação de material de distribuição em encontros da classe. A coordenadora recebe e responde as mais variadas perguntas sobre a atuação do CRB8.

278 276 Para as realizações desta Comissão, houve a participação efetiva de outros membros da gestão, principalmente da Diretoria. Resultados O informativo eletrônico BOB NEWS teve publicação em janeiro e fevereiro, divulgando o movimento da Secretaria, apresentação dos funcionários e relatórios da Fiscalização. O BOB NEWS é uma valorizada fonte de informações, enviada por para cerca de cinco mil bibliotecários, docentes e discentes dos cursos de Biblioteconomia do estado de São Paulo, mídia especializada e o Sistema CFA/CRB. Em 2013 foram publicados 3 BOB NEWS de nº 63 a 65, disponíveis na página do Conselho. Constatou-se que o Conselho deve contratar, o mais rápido possível, profissional de qualidade para seu marketing institucional para dar continuidade ao trabalho de manutenção da imagem institucional do Conselho junto aos bibliotecários e à mídia em geral, por meio da divulgação de notícias do mundo bibliotecário por meio das redes sociais como blog, facebook e twitter. Em 2013 o Grupo de Informação e Documentação Jurídica continuou a parceria com o CRB8 para realização e divulgação dos cursos, mas os cursos foram realizados em outros locais. A 16ª Gestão publicou, em dezembro, no espaço Sala de Leitura, os artigos submetidos à avaliação que foram agraciados com o Prêmio Laura Russo. Parceria com a FEBAB para a divulgação e realização de cursos presenciais na sede do CRB8: 14 e 21/09 - Atualização em AACR 28/09 e 05/10 - Formato Marc 21 Bibliográfico 29 e 30/11 - Introdução à Gestão de Coleções Bibliográficas Especiais Data Evento Instrutor Local Participantes 16/03 Solenidade em comemoração ao Dia dos Dolores Biruel Sala Adoniran 300 Bibliotecários (mestre de Barbosa do Outorga do Prêmio Laura Russo cerimônias) Centro Cultural/SP Data Evento/ Conselheiro Local 16.4 Advocacy/ Maria Lúcia de Borba Rolim Biblioteca de São Paulo 13 a 14.6 Congresso do Livro Digital / Ana Teresa Vianna de Figueiredo Sannazzaro Fecomércio 4 a 6.7 Workshop CFB/ Maria Lúcia de Borba Rolim Francisco Lopes de Aguiar 7 a 10.7 CBBD/ Ana Teresa Vianna de Figueiredo Sannazzaro - Co-organizadora Maria Lúcia de Borba Rolim - participante Francisco Lopes de Aguiar Florianópolis Florianópolis

279 277 Data Evento/ Conselheiro Local 13.7 A biblioteca e seu espaço no mundo digital: requisitos para arquitetura e Goethe-Institut design/ Ana Teresa Vianna de Figueiredo Sannazzaro 5.9 6º Colóquio de Bibliotecas Digitais/ Ana Teresa Vianna de Figueiredo Sannazzaro Cristiane Camizão Rokicki Maria Lucia Borba Rolim Goethe-Institut Sesc 28.9 Inauguração do Centro Cultural Nelson da Silva Braga/ Daniela P. de Sousa Guararema Djair Souza 30.9 ABRAINFO Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia: Convergências/ Itaú Cultural Maria Lúcia de Borba Rolim 30.9 a Challenges of Networking Library Services/ Cristiane Camizão Rokicki UFSC Inauguração do Museu do Futebol/ Maria Lúcia de Borba Rolim 8.10 a Feira do Livro de Frankfurt/ Cristiane Camizão Rokicki Organização e Representação do Conhecimento: perspectivas de interlocução FESP interdisciplinar entre Ciência da Informação e Arquivologia/ Francisco Lopes de Aguiar palestrante A atuação do bibliotecário universitário frente aos novos desafios do ensino FESP superior/ Cristiane Camizão Rokicki palestrante O trabalho cultural e pedagógico nas Bibliotecas de Centros Binacionais/ Ana Alumni Teresa Vianna de Figueiredo Sannazzaro II Seminário Muito além das estantes: Literatura infantil/camila Rodrigues Santos Garcia 25.4 Premiação a profissionais/ Ana Teresa Sannazzaro Conselho Regional de Contabilidade anos FESP/ Ana Teresa Sannazzaro Maria Lúcia de Borba Rolim Francisco Lopes de Aguiar Marcos Rogério Gonçalves Rosana Ap. Ribeiro Camillo FESP Comissão de Ética Profissional COMISSÃO DE ÉTICA PROFISSIONAL Coordenação/ Efetivo Camila Rodrigues Garcia Membro Efetivo Maria Ludmilla Oviedo Licas até 14/05/2013. Membro Suplente Elza Kawara Velasque No exercício de 2013, a Comissão foi beneficiada com a vinda de uma Auxiliar Administrativa para auxílio nos trabalhos. Também, especificamente, no mês de fevereiro, houve a colaboração de outros funcionários do Conselho para realizar um mutirão visando organizar os processos que se encontram na Comissão. A Coordenadora reunia-se semanalmente com a funcionária para despachar todos os assuntos pertinentes à Comissão de Ética Profissional. Em paralelo, e dando a importância ao tema Ética Profissional, foi elaborado um projeto, com base no citado no ano anterior - Diálogos sobre Ética - para realização de eventos neste sentido. De acordo com a diretoria, o projeto encontra-se em fase de análise futura, uma vez que depende de recursos financeiros e outras abordagens para realização dos citados eventos. A CEP procurou dar andamento aos processos éticos abertos, denúncias que chegavam e análise de prontuários administrativos, sendo estes de última prioridade, haja vista a importância em dar andamento aos processos já abertos. Vale Ressaltar a interface das Coordenadorias das Comissões de Fiscalização e a CEP, que trocaram ideias frente às situações dos profissionais, bem como no evento da Comissão de

280 278 Fiscalização realizada neste CRB-8, o qual contou com a presença dos fiscais de outros Regionais e da Tesoureira e da 2ª Secretária do CFB. Processos abertos no ano de 2013 N N o Situação Atual do registro Em andamento Encerrado Deliberada abertura de processo 2649 X Deliberada abertura de processo 4248 X Deliberada abertura de processo 4491 X Deliberada abertura de processo 5159 X Deliberada abertura de processo 3016 X Deliberada abertura de processo 2275 X Deliberada abertura de processo 110 X Deliberada abertura de processo 5687 X Deliberada abertura de processo 3823 X Deliberada abertura de processo 998 X Deliberada abertura de processo 5159 X Trâmites de processos abertos anteriores ao ano de 2013 Situação Atual N /ANO N o do registro Em andamento Encerrado 206/ X 8278/ X 035/ X 4391/ X 043/ X 004/ X 016/ X 007/ X 5592/ X 998/ X 005/ X 1874/ X 5159/ X 1159/ X 58/ X 001/ X 74/ X 4491/ X 015/ X 110/ X 004/ X 27/ X 031/ X 039/ X 138/ X 003/2011 Faculdade de S. Bernardo do Campo X 006/2011 Leigo X 4248/ X 6122/ X 041/ X 004/ X 3016/ X 107/ X Suspensos

281 / X 5329/ X 016/ X 2002/00004-E 6828 X 015/ X 004/ X 001/ X 007/ X 015/ X 2275/ X Prontuários administrativos analisados pela CEP no ano de 2013 N /ANO N o do registro 74/87 58/ / / / / / / Processos preliminares analisados pela CEP no ano de 2013 N o Situação Atual do PP Em andamento Encerrado 001/2003 X 8278/2011 X 4391/2011 X 004/2011 X 5592/2011 X 998/2011 X 005/2011 X 1874/2011 X 5159/2011 X 2275/2011 X 2649/2013 X 003/2011 X 4248/1998 X 001/2013 X 6122/1999 X 001/2013 X 3016/2011 X 6667/2013 X

282 280 Gráfico 2 Andamento dos processos CRB-8 Gráfico 3 Processos relatados em plenária CRB Processos Relatados em Plenárias

283 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ 281 Gráfico 4 Ofícios enviados 2013 CRB Ofícios Enviados Ofícios Enviados Gráfico 5 presença das conselheiras 2013 CRB-8 PRESENÇA DAS CONSELHEIRAS Camila R. Garcia 54 Elza Itsuko Kawara Velasque Maria Ludmilla Oviedo Licas

284 282 Comissão de Fiscalização Coordenação / Efetivo Francisco Lopes de Aguiar Efetivo Anderson Matias Marques Suplente Marcos Rogério Gonçalves Setor de Fiscalização Bibliotecários Fiscais Gisele Monguilod Tutuy - CRB-8/7139 Ilsom José Lourenço - CRB-8/7921 Ruth Maria Machado Pires Nunes - CRB-8/5308 Os Conselheiros desta Comissão estiveram presentes no Regional ou em Reuniões Externas nas seguintes datas: Conselheiros Datas Total Francisco Lopes de Aguiar Anderson Matias Marques Marcos Rogério Gonçalves Fev 01, 05, 15, 19, 25 Mar 15 Abr 12, 14, 16, 26 Maio 03, 08, 13, 14, 22, 27 Jun 07, 14, 18, 17 Jul 02, 04, 16, 17 Ago - 09, 14, 30 Set 06, 10, 13, 17, 20, 27 Out. 04, 05, 18, 22, 25 Nov. 08, 22, 25, 26, 28, 29 Dez. * 2 presenças sem assinatura em Livro de Ata. Abr 16, 26 Maio 10, 14, 17, 24 Jun 03, 14, 18, 21, 28 Jul 05, 15, 16, 22, 26 Ago 02, 13, 16, 23, 30 Set 06, 17 Dez Ago - 13 Set 06, 17 Out. 05 Nov. 19, 22, 25, Resultados do trabalho da fiscalização Instituições que Contrataram Profissionais 1. Pref. Municipal de Botucatu 2. SENAC de Presidente Prudente 3. Colégio João XXIII - Circulo de Trabalhadores de Vila Prudente 4. Colégio Domus Sapientiae 5. Pref. Municipal de Guaratingueta 6. CNEC Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Unidade de Capivari 7. FATEC Tatuapé Victor Civita 8. Faculdade Piaget 9. Instituto Nossa Senhora Auxiliadora 10. Pref. Municipal da Estância Turística de Paraguaçu Paulista 11. Escola Superior de Engenharia e Gestão - ESEG

285 Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes 13. Colégio Novo Tempo 14. Instituto de Ensino Ebenézer 15. Pref. Municipal de Taboão da Serra 16. Instituto Federal de São Paulo IFSP Campus Suzano 17. Colégio e Faculdade Drummond 18. UNESP Instituto Confúcio - NEAD 19. Pref. Municipal de Presidente Venceslau 20. Colégio Sion de Arujá 21. Faculdade Filadélfia 22. União Cultural Brasil/Estados Unidos 23. Externato Santo Antônio 24. Estácio Uniradial 25. Colégio Jean Piaget 26. Faculdade Paulista de Serviço Social 27. Prefeitura Municipal de Jardinópolis Abertura de Concursos 1. ITESP Instituto de Terras do Estado de São Paulo 2. Prefeitura de Presidente Venceslau Resultados obtidos por meio do trabalho de sensibilização Instituições que Contrataram Profissionais 1. FAPPES 2. IFSP Instituto Federal de São Paulo 3. UFSCAR/UEIM 4. UNISANTANA - Aricanduva 5. União Cultural Brasil/Estados Unidos 6. Prefeitura Municipal de São Paulo 7. Bazilian Intenational School 8. Colégio Jean Piaget 9. Faculdade Drummond 10. Colégio Batista da Vila Mariana ABERTURA DE CONCURSOS 1. Câmara Municipal de São Carlos 2. Conselho Regional de Enfermagem 3. Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial 4. Instituto Lauro de Souza Lima 5. ITESP 6. Prefeitura Municipal de Águas de Lindóia 7. Prefeitura Municipal de Cajati 8. Prefeitura Municipal de Franca 9. Prefeitura Municipal de Guararema 10. Prefeitura Municipal de Itobi

286 Prefeitura Municipal de Itu 12. Prefeitura Municipal de Junqueirópolis 13. Prefeitura Municipal de Maracaí 14. Prefeitura Municipal de Presidente Venceslau 15. Prefeitura Municipal de São João da Boa Vista 16. Prefeitura Municipal de São Pedro 17. Prefeitura Municipal de Valinhos 18. PROCON 19. Secretaria Estadual de Educação de São Paulo 20. Universidade Federal de São Carlos 21. Universidade Municipal de São Caetano dos Sul Criação de Vagas 1. Colégio Batista da Vila Mariana 2. Instituto Divina Pastora Providências a respeito de denúncias em relação ao piso salarial Denúncias Encaminhadas ao Sinbiesp 1. Prefeitura Municipal de Águas de Lindóia 2. Prefeitura Municipal de Presidente Venceslau 3. Prefeitura Municipal de Junqueirópolis 4. Prefeitura Municipal de Itu 5. Instituto Sumaré de Educação Superior - IESES 6. Prefeitura Municipal de Maracaí 7. Uniesp - Sertãozinho 8. Prefeitura Municipal de Itobi 9. Prefeitura Municipal de São Pedro 10. Tijucussu/Uniesp de São Caetano Movimento de Processos de Fiscalização - Decisões Quantidade Arquivamento 73 Processos Julgados 35 Aplicação de multas 12 Aplicação de suspensões 0 Aplicação de advertências 9 PROCESSOS EM ANDAMENTO Qtde. de Processos Aguardando Defesa 1 Aguardando Parecer da Conjur 10 Aguardando Oitiva 3 Aguardando Parecer do Relator (para ir a julgamento) 25 Aguardando Julgamento em Plenária (parecer do relator pronto) 0 Aguardando Ata 0 Aguardando Acórdão (Conjur) 0 Recurso ao CFB 3 Aguardando pagamento (Setor Financeiro ou Execução Fiscal) 18 Aguardando definição na Justiça Federal 5 TOTAL 65

287 285 Instituição/Profissional Relação de Processos na Conjur Encaminhado para Conjur em Data do julgamento A ser realizado Prefeitura de Ribeirão Preto Ruth Fiscal Responsável Secretaria da Educação Ruth Col. Sérgio Buarque de Holanda Alessandra GVD Gaspar Duarte (Col. Ônix) Alessandra Col. Albert Einstein Alessandra Pref. Municipal de Angatuba Alessandra Atividades realizadas pelo setor de fiscalização Além das atividades abaixo indicadas, no período de 25 a 29/11/13, os bibliotecários fiscais realizaram o treinamento dos CRBs/CFB. Atividades Quantidade Instituições visitadas 366 Instituições notificadas 47 Profissionais autuados 16 Instituições autuadas 03 Leigos autuados 00 Processos instaurados 19 Processos para averiguação de exercício ilegal inferior a 3 meses 8 Processos encaminhados à Conjur 25 Processos encaminhados à Comissão de Ética 02 Ofícios expedidos para atividade de fiscalização 789 Memorandos 61 Atendimentos telefônicos 7 Atendimento pessoal 25 s enviados 2261 Reuniões com a coordenação da Comissão 54 PROCEDIMENTOS FISCALIZATÓRIOS* Abertos com visitas em Abertos sem visita ou com andamento em Arquivados em Total para andamento em *Pastas abertas por visitas e ofícios de sensibilização Número Processos de

288 Intimações Expedidas Autos de Infração Lavrados Notificações de Débitos Expedidas PF's Julgados pelo Plenário do CRB PF's Enviados em Grau de Recurso ao CFB PF's Abertos para Análise de Informações (PJ) Processos Enviados ao Ministério Público Entidades Autuadas por Conivência Leigos Autuados PF's Abertos de Convite ao Registro 286 Bibliotecas Cadastradas no CRB-8 Total Públicas 06 Universitárias 11 Escolares 11 Especializadas 64 Outras Tipologias 00 Total Geral 92 Indicador Numérico das Ações da Fiscalização Processos Abertos com Auto de Infração Mês Total de Ações Janº Fev. Mar. Abr. Maio Junº Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez Total

289 287 Gráficos demonstrativos Resultado dos trabalhos de fiscalização Gráfico 6 Bibliotecas fiscalizadas por tipologia CRB-8 QUANTIDADE DE BIBLIOTECAS FISCALIZADAS POR TIPOLOGIA Gráfico 7 Porcentagem de bibliotecas fiscalizadas por tipologia CRB-8 TOTAL DE BIBLIOTECAS FISCALIZADAS POR TIPOLOGIA Total: 366 Bibliotecas Públicas 12% Outras 3% Especializadas 19% Especializadas Escrit. Jurídico 6% Especializadas Poder Público 4% Universitárias 33% Escolares 23%

290 288 Gráfico 8 Comparativo de visitas da fiscalização nos últimos 4 anos CRB-8 COMPARATIVO DA FISCALIZAÇÃO NOS ÚLTIMOS 4 ANOS Gráfico 9 Comparativo de bibliotecas fiscalizadas por ano CRB-8 COMPARATIVO DE BIBLIOTECAS FISCALIZADAS POR ANO % % % %

291 289 Gráfico 10 Origem da visita CRB Rotina Averiguação Denúncia 31 Gráfico 11 Situação encontrada nas bibliotecas fiscalizadas CRB-8 SITUAÇÃO ENCONTRADA - GERAL Bibliotecas Fiscalizadas: 366 Sem Profissional 19% Com Profissional 81%

292 290 Gráfico 12 Problemas mais frequentes nas bibliotecas fiscalizadas CRB-8 Bibliotecas Fiscalizadas Problemas mais Frequentes Gráfico 13 - Problemas mais frequentes nas bibliotecas fiscalizadas por tipologia CRB-8 Falta Informatização Falta Assinaturas de Periódicos Faltam Livros Atualizados Falta Estrutura Física Falta Auxiliar Poucos Profissionais Escolares Especializadas Poder Público Públicas Universitária Outras Escritórios Jurídicos Chefia não habilitada

293 291 Gráfico 14 Situação encontrada nas Bibliotecas Públicas CRB-8 SITUAÇÃO DAS BIBLIOTECAS PÚBLICAS Bibliotecas Fiscalizadas: 45 Sem Profissional 16% Com Profissional 84% Gráfico 15 Situação Encontrada nas Bibliotecas Universitárias CRB-8 SITUAÇÃO ENCONTRADA NAS BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS Bibliotecas Fiscalizadas: 119 Sem Profissional 9% Com Profissional 91%

294 292 Gráfico 16 Situação encontrada nas Bibliotecas Especializadas CRB-8 SITUAÇÃO ENCONTRADA NAS BIBLIOTECAS ESPECIALIZADAS Bibliotecas Fiscalizadas: 85 Sem Profissional 22% Com Profissional 78% Gráfico 17 Situação encontrada nas Bibliotecas Escolares CRB-8 SITUAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Bibliotecas Fiscalizadas: 86 Sem Profissional 29% Com Profissional 71%

295 293 Gráfico 18 Situação encontrada nas Bibliotecas de Outras Tipologias CRB-8 Título do Gráfico Sem Profissional 33% Com Profissional 67% Gráfico 19 Bibliotecas Cadastradas e Recadastradas em 2013 CRB-8 CADASTRO DE BIBLIOTECAS POR TIPOLOGIA Públicas Universitárias Escolares Especializadas Outras

296 294 Comissão de Legislação e Normas Membros da Comissão Coordenação / Efetivo Membro Efetivo Suplente Colaborador Colaborador Maria Lúcia de Borba Rolim Rosana Aparecida Ribeiro Camillo Marcos Rogério Gonçalves Elza Itsuko Kawara Velasque Assessoria Jurídica Durante o ano de 2013 a Comissão acompanhou as legislações pertinentes e de interesse da área, informou a Presidência e Comissões como Fiscalização, jurisprudências, legislação e Departamento Jurídico deste Conselho sobre o andamento: Acompanhamento da Lei Dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas Instituições de ensino do País; Acompanhamento dos trabalhos sobre a Lei da Biblioteca; Acompanhamento do PLC nº 28/2012 de autoria do Deputado Federal Sandes Junior aprovado altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para instituir a obrigatoriedade de criação e manutenção de bibliotecas escolares em todas as instituições de educação básica; Acompanhamento do Projeto de Lei 5680/13, do deputado Glauber Braga (PSB-RJ), que determina que os integrantes dos conselhos federais e regionais de fiscalização do exercício profissional sejam eleitos pelo voto, direto e secreto, dos trabalhadores inscritos no colegiado; Acompanhamento do PL 5808/2013, do Senador Valadares Filho(PSB/SE), Sobre alocação de recursos para atualização de acervos das bibliotecas publicas municipais, estaduais, do Distrito Federal, federais, universitárias, escolares e as pertencentes a organizações não governamentais; Acompanhamento do PL 6038/2013, do Deputado José Stédile(PSB/RS), que Regulamenta a profissão de Técnico em Biblioteconomia; Acompanhamento do PLS 204/2013, do Senador Cristovam Buarque(PDT/DF), sobre a inclusão de equipamentos de informática e livros em cada moradia do Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV); Acompanhamento do PLS 256/2012, da Comissão Direitos Humanos e Legislação Participativa, sobre implantação de bibliotecas e laboratórios de informática e de ciências nas escolas públicas de ensino fundamental e médio; Acompanhamento do PLS 369/2012, do Senador Clésio Andrade(PMDB/MG), sobre isenção de tarifas para envio de livros a bibliotecas públicas, por entender que essa isenção trará grandes benefícios à ampliação dos acervos e motivará o surgimento de doadores de importantes obras às bibliotecas públicas; Acompanhamento do PL 612/2007, do Senador Cícero Lucena(PSDB/PB), sobre utilização de papel reciclado nos livros dos programas de distribuição de material didático o Ministério da Educação; Acompanhamento do PRS 56/2008, do Senador Gerson Camata(PMDB/ES), sobre a criação do Grupo de Trabalho Permanente de Avaliação de Livros Didáticos.

297 295 Comissão de Licitação MEMBROS DA COMISSÃO Coordenação Ronaldo Ferreira Gonçalves Membro Efetivo Maria Ludmilla Oviedo Licas Até 14/05/2013 Membro Efetivo Dolores Biruel Membro Efetivo Elza Itsuko Kawara Velasque A partir de 14/05/2013 A Comissão de Licitação apresenta abaixo as contratações de serviços e compras que foram realizadas ou que os processos foram abertos: Licitações abertas e finalizadas em 2013 Processo Contrato emergencial - assessoria jornalística Processo Assessoria contábil Processo Buffet para prêmio Laura Russo Processo Assessoria Jornalística (cancelada) Processo Desinsetização Processo Plano de saúde emergêncial (cancelada) Processo Compra de Tablets para fiscais e diretoria Licitações abertas e que serão finalizadas em 2014 Processo Compra de móveis - Cadeiras Processo Compra de livros para o acervo do CRB-8 Processo Cloud Server Processo Memorial descritivo dos apartamentos Processo Contratação para confecção de boletins Processo Assessoria jurídica Compras por dispensa de licitação Processo Telefone com fio - 2 Ramais Processo Telefone sem fio para o setor de ética Processo Bandeira do Município de São Paulo Processo Filtro de água para o 1º andar do prédio Processo Convite para o prêmio Laura Russo Processo Envelopes com timbre do CRB-8 e Autos de Constatação e Infração Processo Toners para impressora laser jet Processo Livro: Conselho de fiscalização profissional Processo Material de higiene e limpeza - Emergencial Processo Manutenção e lavagem das persianas Processo Computador para a biblioteca Processo Desinsetização e limpeza das caixas d água Comissão de tomada de contas MEMBROS DA COMISSÃO Coordenação / Membro Efetivo Membro Efetivo Membro Efetivo Wanderson Scapechi Anderson Matias Marques Camila Rodrigues Garcia São atribuições desta comissão examinar as demonstrações de receita arrecadadas e os comprovantes de despesas pagas pelo CRB, fiscalizar periodicamente os serviços de Tesouraria e Contabilidade.

298 296 Atividades de 2012 Quantidade Processos Financeiros Contábeis analisados: 48 Relatórios de Receitas e Despesas 12 (janeiro a dezembro) Balancete Orçamentário 12 (janeiro a dezembro) Balancete de Verificação 12 (janeiro a dezembro) Suplementações Orçamentárias 01 Comissão Temporária Especial de Gestão de Pessoas MEMBROS DA COMISSÃO Coordenação Membro Efetivo Membro Efetivo Daniela Pereira de Sousa Djair Rodrigues de Souza Rosana Aparecida Ribeiro Camillo A Comissão de Gestão de Pessoas foi criada com o intuito de administrar os comportamentos internos e potencializar o capital humano no CRB-8. No desenvolvimento de suas atividades, foram diagnosticados vários pontos relevantes e importantes que devem ser observados em relação ao desenvolvimento das atividades do Conselho e dos colaboradores, como: Avaliação das atividades dos colaboradores nos cargos de coordenação; Implantar os indicadores de metas de cada coordenação; Processos em andamento não finalizados; Sistematização dos processos do setor de Recursos Humanos Dificuldade de planejamento e controle das atividades operacionais; Análise no plano de trabalho, como manuais e sistemas de avaliação e controle de resultados; Necessidade na padronização de serviços nas áreas; Necessidade levantamento de rotinas, fluxos, sistemas administrativos. Necessidade comunicação entre as áreas; Colaboradores inflexíveis ás mudança. Avaliando o diagnóstico, conclui-se que a maioria desses problemas ocorrem por não haver uma Chefia no Conselho encarregada da administração, acompanhamento e supervisão, e também pela falta de uma rotina de trabalho mais profissionalizada, que conduza o funcionamento do Conselho normal e corretamente, independentemente da atuação dos conselheiros de cada gestão. O CRB-8 é uma autarquia federal que deve primar por um funcionamento o mais profissional possível, bem como pela excelência no desempenho das suas funções, observando os consagrados princípios da Administração Pública de legalidade, moralidade, impessoalidade, publicidade e eficiência. Como é sabido, o trabalho dos Conselheiros é voluntário e a maioria possui seus trabalhos remunerados individuais, o que dificulta o comparecimento ao Conselho todos os dias. Por isso, entende-se que o ideal seria um profissional com cargo de chefia para elaborar, acompanhar e supervisionar os planos de trabalhos, cronogramas e metas, suprindo esta lacuna. Portanto, foi sugerida e acatada em Plenária a contratação de um gestor em cargo de confiança e solicitado o encerramento das atividades da Comissão Temporária de Gestão de Pessoas.

299 297 Comissão Temporária Especial de Documentação e Informação Jurídica MEMBROS DA COMISSÃO Coordenação Dulce Mara de Oliveira CRB Conselho Luciana Napoleone CRB Conselho Maria Lucia Beffa CRB Secretaria Elza Kawara Velasque CRB Em 2013, houve mudança na Gestão do Grupo Jurídico, conforme previsto no seu Estatuto. A nova Gestão assumiu no mês de abril. Considerando a importância do compartilhamento de conhecimento e a continuidade das iniciativas de sucesso do Grupo, o Ciclo de Palestras iniciado em 2009 em parceria com o CRB-8, continuou com a realização de workshops em 2013, indicados no quadro a seguir. Eventos Palestrantes Data Local Workshop de Planejamento Estratégico em Unidades de Informação Roseli Miranda, Dulcemara de Oliveira, Maria Lucia Beffa e Luciana Maria Napoleone 18/5/2013 Faculdade de Direito da USP Workshop Licitação para Serviço de Restauração de Obra Rara e o PL 4672/12 Luciana Maria Napoleone, Maíra Cunha de Souza Maria, Maria Lucia Beffa e Sílvia Mara Andrade Jastwebski 31/8/2013 Faculdade de Direito da USP Workshop de Gestão do Conhecimento em Escritórios de Advocacia: sua aplicação enquanto ferramenta para a vantagem competitiva Daniele Cristina Gonçalves Brene Pires, Janaina Lopes e Valéria Martin Valls 28/9/2013 Faculdade de Direito da USP Workshop MARC na Prática Maíra Cunha de Souza Maria, Sílvia Mara Andrade Jastwebski e Sérgio Carlos Novaes 26/10/2013 Faculdade de Direito da USP Workshop MARC na Prática Maíra Cunha de Souza Maria, Sílvia Mara Andrade Jastwebski e Sérgio Carlos Novaes 26/10/2013 Workshop Preservação de Acervo Bibliográfico Maria Lucia Beffa 7/12/2013 Faculdade de Direito da USP Faculdade de Direito da USP Em conjunto, foram realizados seis Workshops, entre maio e dezembro de Os palestrantes são membros do Grupo interessados em ministrar gratuitamente palestra com tema pertinente à pesquisa ou à atuação do profissional na área jurídica. Os workshops ocorreram aos sábados no período da manhã, das 09h às 13h, na Faculdade de Direito da USP. Graças à solicitação de uma das conselheiras do Grupo, bibliotecária da FDUSP, Maria Lucia Beffa, a Faculdade de Direito da USP disponibilizou gratuitamente salas de aula ou auditórios para a realização dos workshops. Até 2012, as palestras eram realizadas na sede do CRB- 8, com a oferta de 20 a 30 vagas. Como os espaços disponíveis em 2013 eram mais amplos foi possível oferecer um maior número de vagas, de 70 a 100 vagas.

300 298 Os eventos passaram a ser realizados na Faculdade de Direito da USP, mas o CRB-8 manteve sua participação de forma significativa: além do controle das inscrições, o Conselho forneceu o certificado aos participantes. Os certificados oferecidos aos participantes foram impressos nos dois primeiros workshops, de maio e agosto, e passaram a enviados por a partir do workshop de setembro. Essa mudança permitiu maior agilidade e economia, pois imprimiam-se todos os certificados, até daqueles que, no dia, não compareciam, causando desperdício e impedindo a inscrição de outros interessados. A partir de setembro, apenas os participantes efetivamente presentes tiveram seu certificado emitido e enviado pelo indicado na ficha de inscrição. O recebimento das inscrições e emissão de certificados foi realizado pelo CRB-8, bem como a divulgação dos workshops por meio do mailing do Conselho, permitindo maior visibilidade dos eventos. Do total de inscritos nos seis workshops, houve a participação presencial de 70%. Os participantes são profissionais de documentação e informação jurídicas, estudantes, profissionais de outras áreas, tanto do setor público como do setor privado. O calendário de workshops é uma ação de capacitação e, ao mesmo tempo, de visibilidade das instituições parceiras e de valorização do profissional bibliotecário e da profissional. Eventos Data Inscritos Participantes Workshop de Planejamento Estratégico em Unidades de Informação 18/5/ Workshop Licitação para Serviço de Restauração de Obra Rara e o PL 4672/12 31/8/ Workshop de Gestão do Conhecimento em Escritórios de Advocacia: sua aplicação enquanto ferramenta para a vantagem competitiva 28/9/ Workshop MARC na Prática 26/10/ Workshop MARC na Prática 26/10/ Workshop Preservação de Acervo Bibliográfico 7/12/ Total Além da realização dos workshops, o CRB-8 autorizou a realização de algumas reuniões com membros do GIDJ/SP e da Gestão do Grupo em sua sede, no mês de outubro, conforme sintetizado no quadro a seguir. Essas reuniões foram essenciais para a manutenção do intercâmbio de experiências e planejamento das atividades.

301 299 Reunião Data e Horário Finalidade Reunião Mensal do GIDJ/SP 30/10/2013, 19h Avaliação 2013 e Planejamento 2014 Reuniões da Gestão GIDJ/SP 16/10/13, 19h Treinamento e atualização do site do GIDJ/SP Dentro do planejamento de 2014 do GIDJ/SP, e contando com a parceria do CRB-8, está prevista a continuidade do ciclo de workshops na Faculdade de Direito e a realização do I Encontro Paulista de Documentação e Informação Jurídicas. Comissão Temporária Especial de Bibliotecas Públicas MEMBROS DA COMISSÃO Coordenação Luciana Maria de Melo - CRB-8/7641 Durvalina Soares Silva - CRB-8/2924 Hugo Leonardo Abud CRB-8/7885 Jamile Salibe Ribeiro de Faria - CRB8/4206 João Carlos Doescher Fernandes - CRB-8/8616 William Okubo CRB-8/6331 Participação na Plenária CRB8ª Região Setembro/2013 Data: 17/09 às 14h Local: CRB8 Participação da Comissão temporária de Bibliotecas Públicas na plenária do Conselho Regional de Biblioteconomia-CRB8 Reunião de planejamento Data: 23/09/2013 às 18h Local: Viena - Paulista Pauta discutida: Projeto de Lei CSMB; No primeiro momento focar as atividades na cidade de São Paulo, mas já pensando em algo mais macro; Divulgação dos trabalhos da comissão pelo CRB-8; Elaborar um diagnóstico das bibliotecas públicas e posteriormente comunitárias (público, orçamento, percepção dos profissionais); Buscar resolução do CFB sobre comissões temporárias; Elaborar um cronograma formalizando a proposta de atividades; Pedido para o CRB-8 enviar comunicado ás chefias solicitando a liberação do bibliotecário para participar das reuniões.

302 300 Algumas propostas da comissão Estabelecer encontros regionais de discussão para apresentar a comissão e contar com a presença de um palestrante. O evento pretende convocar os bibliotecários para serem colaboradores nas atividades; Mapeamento das regiões (BP públicas e comunitárias); Elaborar 2 grupos de discussão no Facebook, 1 administrativo e outro aberto; Em encontros sobre cultura, planos e projetos para o livro e leitura apresentar a comissão; Em dezembro apresentar relatório do que foi executado; Pensar em uma publicação eletrônica ou física das atividades realizadas e propostas. Reunião de planejamento Outubro/2013 Data: 25/10 às 17h30 Local: Gibiteca Henfil - Centro Cultural São Paulo Pauta discutida: Iniciaram-se os debates sobre a estrutura organizacional do I Seminário da Comissão Temporária de Bibliotecas Públicas que será realizado em março de 2013 no Centro Cultural SP e em 2015 em São Bernardo. Nos próximos encontros serão textos de profissionais da área para pensar a temática do evento. Considera-se extremamente importante a elaboração do referido evento para divulgação do trabalho e a consolidação de um fórum de discussão sobre as bibliotecas públicas. Reunião de planejamento Novembro/2013 Data: 29/10 às 17h Local: Centro Cultural São Paulo Pauta discutida: Abrir canal de comunicação com o Estado de São Paulo por meio da criação de , página aberta no Facebook e blog Wordpress integrados. Divulgar via CRB-8, quando prontos; Solicitar um espaço nos veículos de comunicação no CRB-8 para divulgar a comissão e suas atividades; Mudança da data do Seminário em 2014: Agosto de 2014 no CCSP; Possíveis convidados: Fernando Modesto, Osvaldo Almeida Junior, Ivete Pieruccini entre outros. A ideia é fazer um seminário diferente e dinâmico com intervenções culturais e rodas de debates. Dezembro/2013 A fim de iniciar o contato com os profissionais, foram criados, no final do referido mês, uma página da Comissão na rede social Facebook e um blog no Wordpress para divulgar as atividades da Comissão. Em seguida, será disponibilizado um formulário estimulando os visitantes do blog e da página a enviarem suas impressões sobre a situação das bibliotecas em que trabalham ou que frequentam. Além dessas iniciativas, foi criado um grupo de discussão para os membros da Comissão no próprio Facebook e um para comunicação interna e externa. Os endereços são os seguintes:

303 301 https://www.facebook.com/comissaobibliotecaspublicas (em fase final de instalação) Observações: Devido a Copa do Mundo, entendemos que será complicado o agendamento de datas com convidados e também com os profissionais no primeiro semestre de Desta forma, as atividades devem se concentrar no segundo semestre. Assessoria Jurídica Assessoria a Diretoria e Comissões Durante o exercício de 2013, a Assessoria Jurídica compareceu às Sessões Plenárias, ordinárias ou extraordinárias, para as quais foi convocada, em horários predeterminados, relatando as principais atividades de interesse do Plenário, expondo aos Conselheiros os casos que exigiam urgente solução, participando dos julgamentos decorrentes de procedimentos fiscalizatórios ou éticos, bem como respondendo aos questionamentos levantados por seus integrantes. O assessoramento às Comissões Permanentes, com embasamento jurídico ou práticas administrativas públicas, deu-se da seguinte forma: Comissão de Fiscalização Ao final da fase de instrução dos procedimentos fiscalizatórios, a Assessoria Jurídica foi provocada a manifestar-se sobre a regularidade dos atos praticados, nos termos da Resolução 33/01, ou para proceder à análise das defesas apresentadas por pessoas físicas ou jurídicas, bem assim, após o julgamento dos processos fiscalizatórios pelo Plenário, na elaboração dos acórdãos a serem encaminhados aos autuados. Além das diligências, nas quais é detectado o exercício ilegal da profissão, a fiscalização, num trabalho preventivo, também agiu no sentido de averiguar (por meio da internet, ou por denúncia) os Concursos Públicos em andamento e para os quais estejam sendo disponibilizados cargos/vagas para Bibliotecários ou cargos/vagas para Auxiliares de Biblioteca, Técnicos em Biblioteconomia, Agentes de Biblioteca e outros de nível médio cuja função descrita nos editais corresponde às atividades do profissional Bibliotecário. No exercício de 2013 vários concursos públicos ou processos de seleção incidiram nessa irregularidade, que usurpa do profissional Bibliotecário as vagas do mercado. Destarte, tão logo a fiscalização detectou irregularidades desse tipo, procedimentos administrativos, com todas as informações, foram encaminhados à Assessoria Jurídica, que promoveu impugnações aos editais, informando as autoridades responsáveis e a organização que está elaborando o concurso das transgressões à legislação que rege a atividade dos conselhos e do exercício da biblioteconomia, exigindo sua adequação por meio de correção do edital. Em 2013, foram impugnados os editais publicados pela Prefeitura Municipal de Águas de Lindóia, Prefeitura Municipal de Mombuca, além da Secretaria Estadual de Educação e da Universidade Estadual Paulista Unicamp. Cumpre enfatizar que as autuações fiscalizatórias podem ter desdobramentos com interposição de procedimentos judiciais, após o devido processo administrativo, visando anular os Autos de Infração que geraram as multas estabelecidas. Há alguns casos em trâmite no Judiciário, ainda sem solução, conforme adiante se demonstrará.

304 302 Comissão de Ética Da mesma forma, a Assessoria Jurídica agiu com referência aos procedimentos éticodisciplinares, os quais tramitam na Comissão de Ética, manifestando-se após a fase instrutória, na análise das defesas apresentadas e, após a deliberação do colegiado, elaborou os acórdãos, para encaminhamento aos autuados, conforme dispõe a Resolução 399/93 e suas alterações. Comissão de Licitação No bojo dos processos de licitação, cujo procedimento é essencial e obrigatório sempre que a administração pública necessita adquirir bens ou serviços para suprir suas necessidades, nos termos da Lei 8666/93 e suas alterações, bem como determinações do Tribunal de Contas da União, a Assessoria Jurídica foi instada a emitir pareceres, diante de situações fáticas, devidamente documentadas, tão logo se constatou o interesse para tais contratações, cujos processos são autuados com a devida justificativa, exposição detalhada do objeto a ser licitado, prazo para execução, além da pesquisa prévia de preços, confirmação da reserva de recursos pelo setor financeiro de acordo com a previsão orçamentária anual e deliberação da Sessão Plenária, a qual, conforme disposição regimental deve deliberar sobre os pedidos de contratação. Ao final do procedimento licitatório, a Assessoria Jurídica procedeu à elaboração dos contratos, também obedecendo aos termos da Lei 8666/93 e suas alterações posteriores. No exercício de 2013 foram iniciados os seguintes procedimentos licitatórios, os quais demandaram atos da Assessoria Jurídica, tais como elaboração de pareceres jurídicos, minuta de editais, bem como de contratos: aquisição de cadeiras, assessoria de imprensa, assessoria contábil, marcenaria e plano de saúde. Destes, apenas a licitação que cuidou da contratação da Assessoria Contábil teve contrato formalizado. As demais licitações iniciadas não foram concluídas, ou se encontram em procedimento recursal. Atividades junto ao Poder Judiciário e Ministério Público Estadual No tocante à obrigatoriedade de serem ajuizadas ações de execução fiscal, visando a recuperação dos créditos do Conselho cujos profissionais deixaram de cumprir com suas obrigações, urge consignar que, da totalidade dos débitos que compõem a listagem de devedores, nem todos puderam ser executados, pois: a) ainda há um número considerável de profissionais, sem a identificação de sua inscrição no CPF/MF, cujo dado é essencial e exigido pelo Poder Judiciário, conforme Provimento nº 8, de 14/12/90 da Corregedoria Geral da Justiça Federal da 3ª Região; b) outros créditos são de baixo valor, cujo processamento é obstado pelos juízes (federais ou estaduais), que obedecem a legislações específicas; c) alguns créditos ainda podem aguardar o ajuizamento em exercícios futuros, pois além do baixo valor, seus responsáveis já têm cobranças judiciais em andamento, ou formalizaram acordo reconhecendo a dívida, ainda que de exercícios pretéritos; d) vários outros créditos dependem de melhor análise, tendo em vista as situações de profissionais falecidos, cuja confirmação depende da constatação da data do evento morte, a identificação de eventuais herdeiros e/ou bens de sua titularidade, bem como de pesquisas de eventual processo de inventário, para habilitação do crédito. Outras questões têm obstado o andamento das execuções fiscais já propostas 1. Necessário deixar registrado que o Poder Judiciário tem dificultado a propositura de execuções fiscais pelos Conselhos, especialmente após a expedição da Resolução nº 125, pelo Conselho Nacional de Magistratura, a qual determina que, antes de serem ajuizadas

305 cobranças executivas, os órgãos procurem conciliar as partes, no sentido de evitar que um grande número de ações sejam interpostas, ocasionando um volume imenso de demandas, com custos altíssimos para o Judiciário, porquanto, normalmente, o valor buscado pelos Conselhos está muito aquém dos resultados a serem alcançados, pois, para impulsionar os processos e obter os montantes perseguidos, faz-se necessário movimentar a máquina judiciária, com dispêndio de muita mão de obra e recursos financeiros. Por conta dessa situação, os magistrados buscam brechas na legislação, a fim de determinar o arquivamento dos autos, ou mesmo a extinção das ações já propostas. Nesse sentido, para atacar tais decisões e manter os processos de execução fiscal em andamento, tem sido necessária a interposição de recursos, tais como Agravos de Instrumento, Apelações, Agravos Internos (art. 557 do Código de Processo Civil), além de Recurso Especial e Extraordinário, visando a recuperação dos créditos legalmente lançados pelo CRB-8, quando se vislumbra possibilidade de algum resultado efetivo. 2. Um segundo ponto é a edição da Lei 12514/2011, que disciplina os valores máximos das anuidades a serem cobradas pelos Conselhos e também determina que os Conselhos deixem de executar valores inferiores a quatro anuidades. Todavia, em relação às execuções fiscais propostas anteriormente à vigência dessa lei, os Magistrados já firmaram entendimento de que o art. 8º da referida lei é norma processual e, em vista disso, a referida norma alcança os processos propostos anteriormente e em andamento. Com base nesse entendimento, muitas execuções fiscais têm sido extintas, prejudicando a tentativa de se buscar os créditos devidos ao CRB Os créditos com valor abaixo de R$ 10 mil estão sendo arquivados pelos Magistrados. Ressalte-se que os magistrados do Judiciário Federal de São Paulo praticamente cessaram de expedir as decisões que determinavam o arquivamento dos autos com base na referida tese, em razão do posicionamento dos desembargadores que, em sua maioria, têm reformado as referidas decisões de primeira instância, demonstrando que o Tribunal está consciente do papel dos Conselhos, bem como da necessidade que essas entidades têm na busca dos créditos que representam sua única receita para dar efetividade às suas atividades legais. 4. Outra questão é a prescrição intercorrente, introduzida na Lei 6.830/80, por meio da Lei /04, que acrescentou o 4º ao art. 40 da lei 6830/80, expressando a vontade do legislador no sentido de determinar que, após o prazo quinquenal de arquivamento dos autos, com fulcro no art. 40, o juiz, ouvida a Fazenda Pública, poderá, de ofício, reconhecer a prescrição intercorrente e decretá-la de imediato. Em vista desse dispositivo legal, os Magistrados têm seguido à risca esse mandamento e extinguido várias ações, muito embora as manifestações desta Autarquia no sentido de serem mantidas as ações em curso, porquanto a paralisação na maioria dos casos se deve à não localização dos executados, ou de bens de sua titularidade que possam garantir a dívida. 5. Questionamentos acerca do valor das anuidades e a legalidade de sua majoração por Resolução editada pelo Conselho Federal - como é sabido, as anuidades recolhidas pelo Conselho Regional, das quais 25% são destinados por lei ao Conselho Federal, têm natureza tributária e seus créditos não adimplidos podem ser buscados por meio de execuções fiscais, regidas pela Lei 6.830/80. Este tem sido o procedimento adotado por várias décadas. Ocorre que os tributos só podem ser majorados por lei e, por isso, há fortes questionamentos quanto ao valor das anuidades serem estabelecidos por Resoluções, anualmente editadas pelo Conselho Federal. Assunto de extrema relevância atualmente e que tem atingido os Conselhos das profissões regulamentadas, quer nos casos em que já há ação de cobrança executiva ajuizada, quer nos casos em que profissionais têm provocado o Conselho a se manifestar sobre a correta majoração dos valores das anuidades, com pedido de devolução do valor que teria sido recolhido a maior, nos últimos cinco anos. Conforme consignado no relatório elaborado no final do exercício de 2011, os primeiros casos que esta Assessoria teve que enfrentar nessa situação foi perante a Justiça Federal de 303

306 304 Salvador, na Bahia, em processo de cobrança executiva movida em face de Carmem Quintas Esper de Lauro. Posteriormente, foram ajuizadas outras ações intentadas por profissionais. Uma delas, que tramita na Justiça Federal em Araraquara (Heloisa Maria Pires Ribeiro), três na Justiça Federal de Santo André (Liz Mara Gnann Betitto, Marli Gitti e Suzete Artiolli), além de outras distribuídas na Justiça Federal desta Capital (Maria Aparecida de Lourdes Mariano, Maria de Fátima Rossi do Nascimento, Milena Polsinetti Rubi e Rute Aparecida Figueiredo), todas defendendo a tese da ilegalidade na cobrança das anuidades, com demonstração de seu inconformismo com a forma como as anuidades vêm sendo majoradas. Os pedidos aos magistrados são pela condenação do Conselho a devolver os valores que entendem terem sido cobrados além do devido nos últimos cinco anos, e que, a partir de então, passe a ser obedecida a legislação recentemente editada (lei /2011). Aduzem que o Conselho tem excedido os limites previstos em lei na cobrança de anuidades, majorando o tributo, por meio de ato diverso da referida lei e exigindo o pagamento de valores indevidos. Segundo as autoras, tais cobranças estariam ao arrepio do princípio da legalidade, uma vez que os valores das anuidades têm sido instituídos mediante simples Resoluções quando, em obediência ao art. 149 da Constituição Federal e art. 97, II e IV do Código Tributário Nacional, somente deveriam ser fixados por lei. A defesa do Conselho tem se pautado nas divergências encontradas no próprio STJ, tendo diversas Turmas daquele Egrégio Tribunal firmado entendimento no sentido de que a Lei 6.994/82 foi expressamente revogada pela Lei 8.906/94, havendo jurisprudências nesse sentido. Também para amparar a defesa do Conselho, justificando a majoração por resoluções do Conselho Federal, esta Assessoria tem se valido do teor da lei /04, bem como da recente edição da Medida Provisória 536/2011, recentemente convertida na lei 12514, mesmo que haja precariedade na argumentação, porquanto ambas estão sofrendo ação direta de inconstitucionalidade e somente legislariam sobre situação posterior às respectivas edições, não se prestando para amparar as situações anteriores, discutidas pelas profissionais. Andamento das referidas ações, todas em fase recursal Heloisa Maria Pires Ribeiro: concluso desde 25/06/13; Lis Mara Gnann: Turma Federal Recursal 43 de Santo André, em 22/11/12; Marli Gitti: Turma Federal Recursal 53 de Santo André, em 22/11/12; Suzete Artioli: Turma Federal Recursal 53 de Santo André, em 03/12/12; Maria Aparecida de Lourdes Mariano, Maria de Fátima Rossi do Nascimento, Milena Polsinetti Rubi e Rute Aparecida Figueiredo: ação procedente em primeira instância, cuja decisão foi acatada por recurso de apelação, que manteve a decisão singular, merecendo interposição de recurso especial. Os autos encontram-se à disposição das recorridas para apresentação de contrarrazões, desde 30/01/14. Como se percebe, essa matéria continua sendo bastante desafiadora e demanda uma ação conjunta dos Conselhos Regionais, bem como do Conselho Federal, em razão da extensão do problema, que já começa a tomar vulto nacional, pois atualmente os próprios magistrados estão questionando a liquidez, certeza e exigibilidade das Certidões de Dívida Ativa que instruem as cobranças executivas, chegando mesmo a promover a extinção das ações, quando o Conselho deixa de atender aos mandamentos que entendem corretos, como recentemente ocorreu com ações distribuídas perante a Justiça Federal do Rio de Janeiro. Atualmente, os recursos desta Autarquia têm sido levados ao STJ e ao STF sob o argumento de que a matéria ainda não foi julgada pelo Supremo, com pedido para que os processos em andamento fiquem paralisados, até final decisão das Cortes (ADIN 3408/DF e ARE ). Apesar de todos os entraves e questionamentos acima expostos e também pela necessidade de atendimento ao art. 8º da Lei /11 (execução de, no mínimo, quatro anuidades), no exercício

307 305 de 2013, foi promovido o ajuizamento de 50 (cinquenta) ações de execução fiscal, distribuídas nos estados de São Paulo e Minas Gerais, perante a Justiça Federal, bem como a Justiça Comum Estadual, onde não há instaladas Varas Federais. Importante ressaltar também a implantação do procedimento eletrônico (peticionamento digital), que vem sendo adotado pelos Tribunais, tanto de São Paulo, quanto dos demais Estados (quer Estaduais, quanto Federais), cujo procedimento tem atingido a rotina dos advogados de um modo geral. As exigências a serem seguidas são diferenciadas por Tribunal e a necessidade de possuir assinatura digital é um dos requisitos para propositura de ações, ou mesmo para dar impulso às que já estão ajuizadas. Nos diversos Estados da Federação (como por exemplo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Curitiba, entre outros), mesmo que seja feito o pré-credenciamento pela internet, ainda há necessidade de ser validado tal ato de forma presencial, cuja exigência tem motivado a contratação de colegas de fora para essa providência (mediante procuração pública específica), gerando, nesta fase, custos adicionais para o Conselho. Entretanto, após a concretização desse serviço, no âmbito de todo o Judiciário, fica possível delinear um horizonte mais favorável, no que diz respeito à distribuição de ações fora da sede do Conselho (e são muitos os casos!), bem como na verificação das peças do processo digital, permitindo que - à distância - sejam feitas as consultas necessárias ao encadeamento regular dos processos, sem que seja preciso contratar parceiros para nos socorrer quando do atendimento de intimações judiciais. Agilização das execuções fiscais em andamento Serasa (CCFacil) sistema de consulta de endereços de profissionais cujo dado encontra-se desatualizado no sistema do Regional, mediante fornecimento do número da inscrição no CPF/MF dos bibliotecários não localizados; Cartórios de Registro Civil de todo o Estado de São Paulo e demais Estados da Federação, consultados para emissão de novas certidões de casamento e/ou nascimento, que têm permitido a identificação de novo patronímico dos profissionais bem como alterações de seu estado civil, eventual óbito, entre outras atualizações cadastrais. Cartórios de Registro de Imóveis de todo o Estado de São Paulo, consultados para a necessária identificação de bens a serem indicados nas execuções fiscais com vistas a penhora, sempre que não há pagamento espontâneo pelo devedor, cujas serventias têm prontamente respondido às consultas que lhes são encaminhadas; Detran (Capital) e CIRETRANS (interior do Estado de São Paulo), também consultados, com boa receptividade, para a indicação de veículos de titularidade dos devedores, possibilitando a penhora desses bens móveis. O acionamento dos órgãos acima referidos tem por escopo comprovar perante os Juízes o esgotamento dos recursos disponíveis na localização de bens, para posterior atendimento de pedido de penhora online, ou abertura de dados junto ao Ministério da Fazenda (Receita Federal). Ações propostas em face do CRB/8 Procedimento Contencioso Das ações que foram listadas no relatório do exercício de 2011, aponta-se o andamento: Município de Lorena - 25ª Vara Cível Federal de São Paulo no bojo do processo nº : ainda sem solução, perante a Vara de origem. Houve interposição de Agravo de Instrumento pela Municipalidade, visando modificar a decisão que rejeitou o pedido de antecipação dos efeitos da tutela. Ainda está na fase instrutória do processo, tendo sido designada audiência para o dia 20/03/2014, às 15h, para oitiva das testemunhas.

308 306 A leiga Sandra Cruz Prieto Fernandes Silva interpôs Ação declaratória de inexigibilidade de débito c/c pedido de tutela antecipada em face deste Regional, tentando obstar a cobrança de multa por exercício ilegal da profissão perpetrado pela mesma na Biblioteca Pública Municipal de Presidente Venceslau, perante o Juízo Estadual daquela Comarca. Houve sentença desfavorável à leiga, com interposição de recurso de apelação, o qual ainda se encontra concluso com o relator, sem julgamento. Companhia do Metropolitano de São Paulo Metrô e Marco Antonio Gonçalves Processo nº , perante a 8ª Vara Cível da Subseção Judiciária Federal de São Paulo. Autor contesta autuação por exercício ilegal da profissão, constatado por meio de procedimento fiscalizatório. O CRB-8 sucumbiu na ação, tendo interposto recurso de Apelação, que manteve a decisão singular, com fulcro no art. 557 do CPC. Foi interposto recurso de gravo interno, que manteve a decisão e posteriormente Recurso Especial, ainda sem ter subido ao STJ. O Colégio Pueri Domus interpôs Mandado de Segurança em face da presidente deste Regional por não se conformar com a cobrança de multa por exercício ilegal da profissão praticado no âmbito da Biblioteca da escola e constatado com o devido processo legal. Processo nº , em trâmite perante a 15ª Vara Cível do Fórum Federal de São Paulo. Mandado contestado e com resposta ao Agravo de Instrumento interposto pelo Autor em vista da suspensão da liminar que impedia a cobrança da referida multa. Sentença desfavorável ao impetrante. Interposto Recurso de Apelação, o qual ainda se encontra concluso, pendente de decisão. Mandados de Segurança: Processo n Mandado de Segurança proposto por Paulo Eduardo de Almeida Sentença favorável ao impetrante em 2008, no aguardo de decisão em sede de apelação junto à 4ª Turma do Tribunal Federal de São Paulo. Continua concluso desde 05/08/2008. Processo nº Mandado de Segurança proposto por Ana Lúcia Siqueira Silva e outros 28 impetrantes pendente de decisão perante a 4ª Turma do Tribunal Regional Federal de São Paulo. Concluso desde 28/09/2009. Em 22/10/2012 foi redistribuído (por sucessão). Continua concluso, ainda sem decisão. Em 20/09/2013, foi novamente redistribuído (por sucessão). Continua concluso. Processo nº Mandado de Segurança proposto por Maria Regina Trevisan Baccarelli pendente de decisão em sede de apelação, perante a 6ª Turma do Tribunal Regional Federal de São Paulo. O recurso de apelação foi favorável ao CRB- 8. Entretanto, a interessada interpôs Recursos às Cortes Superiores (Especial e Extraordinário), ainda pendente de julgamento de admissibilidade, porquanto os autos continuam conclusos com a relatora desde 29/11/11. Em 02/03/2012, redistribuído (por sucessão). Continua concluso, ainda sem decisão. Processo nº Mandado de Segurança proposto por Roseli Aparecida Tassi Em 08/07/08, sentença favorável ao CRB/8 e desde fevereiro de 2009 autos conclusos, para decisão da apelação perante a 4ª Turma do Tribunal Federal de são Paulo. Em 20/09/2013, redistribuído (por sucessão). Continua concluso, ainda sem decisão. Processo nº ª Vara Cível Federal de São Paulo Mandado de Segurança impetrado por Tatiane Helena Borges de Sales Negativa de Liminar - Sentença denegou a Segurança Apelação interposta pela autora, com contrarrazões apresentadas em agosto de Concluso ao relator desde 10/02/2011.

309 307 Reparação de Danos Processo nº Ação Ordinária de Indenização, c/c Obrigação de Fazer, proposta por Rodrigo Lizardi de Souza em face do Conselho e da PUC de Campinas, com Sentença favorável ao Conselho, excluindo-o do polo passivo da demanda. Pendente de apreciação de recursos de apelação interpostos pelo autor e pela co-requerida PUC. Recurso julgado, conforme acórdão que decidiu, por unanimidade, rejeitar as preliminares arguidas em contrarrazões, negar provimento ao agravo retido e à apelação do autor, e dar provimento à apelação da PUC-Campinas. Ministério Público Federal Em razão da representação que o parquet recebeu por parte de alguns egressos do Curso de Ciência da Informação ministrado pela PUC de Campinas, que inicialmente tramitou perante O Ministério Público Federal em São Paulo, este Regional foi interpelado a comparecer em reunião perante a Unidade do Ministério Público sediado em Campinas, com vistas em possível formalização de Termo de Ajuste de Conduta, no sentido valer-se da atual interpretação pelo Colendo STF, trazendo a aplicação do instituto da modulação ou limitação temporal dos efeitos jurídicos aos atos praticados pelo Conselho, entendendo o MP que, assim, restauraria a segurança jurídica, regularizando a situação dos egressos da PUC, pois, segundo sua avaliação, estão sendo prejudicados, em decorrência do posicionamento do Conselho. Destarte, chegou (informalmente) ao conhecimento da Assessoria que os autos teriam sido arquivados. Consultado o Ministério Público a respeito (por telefone), essa informação foi confirmada. Por esse motivo, foi peticionado, requerendo que o Procurador Federal disponibilize a íntegra de sua fundamentação, a qual foi enviada e confirmou a decisão de arquivamento dos autos, conforme voto do Procurador Regional da República, da 3ª Câmara em Brasília, de 29/03/2012. Outros Recursos de Apelação em andamento Célia Rosa Vanzo Embargos à Execução propostos pela executada em face do processo nº , que tramita perante a 3ª Vara Cível da Justiça Federal de Franca, nos autos do processo Ainda pendente de decisão. Márcio Aurélio Pires de Almeida Ação Anulatória de Lançamento c/c Antecipação de Tutela em face do CRB/8 (Processo nº ), tendo a demanda sido favorável a este Regional. O vencido interpôs apelação a qual, já contra arrazoada em março/2010 e ainda pendente de julgamento. Bernadete Penalva da Silva Embargos à Execução propostos pela executada em face do processo n que tramita pela 3ª Vara Cível da Subseção Judiciária de Bauru, nos autos do Processo nº , cuja sentença foi favorável à autora, e para o qual já foi proposta apelação, continua pendente de julgamento. Ação que foi ajuizada em face do CRB-8 no exercício de 2012 Centro de Tecnologia e Comunicação Ltda Propôs ação Anulatória de Auto de Infração com Pedido de Tutela Antecipada, que tramita perante a 13ª Vara Cível da Justiça Federal da Capital, nos autos do processo , na tentativa de anular a penalidade imposta pelo CRB-8, pela constatação de exercício ilegal da profissão, no âmbito da biblioteca da referida entidade educacional. A ação foi julgada improcedente, pois o magistrado acolheu a argumentação do Conselho, que comprovou que há biblioteca e que a mesma precisa ter um profissional habilitado para dirigi-la. A entidade interpôs recurso de

310 308 apelação e os autos, com apresentação de contrarrazões ao recurso da autora, estando concluso com relator em 20/09/13. Análise e manifestação da Assessoria Jurídica nos trâmites processuais internos Atendendo às atribuições determinadas pelo Regimento Interno, a Assessoria Jurídica prestou apoio para o deslinde de questões internas do CRB-8, no tocante às situações de procedimentos de inscrição, afastamento, cancelamento de registro, análise e manifestação sobre dúvidas suscitadas em processos administrativos antigos, bem como outras questões levantadas pelos setores as quais, invariavelmente, resultaram em pareceres jurídicos. Durante o exercício de 2013, não houve mais necessidade de serem efetuadas pesquisas para localização de execuções fiscais para todos os processos administrativos na oportunidade em que seus titulares requereram afastamento ou cancelamento de registro, uma vez que, com a edição da Resolução 121/11, não há mais exigência de estar em dia para obtenção do deferimento do pedido, bastando que o interessado comprove que não está mais atuando na profissão. Eventual busca de débito em aberto é de responsabilidade desta Autarquia, que deverá valer-se dos meios que dispõe, a fim de resgatar seus créditos. Avaliação das Atividades Cumpre consignar que, durante o exercício de 2013, a Assessoria Jurídica vem dando continuidade aos procedimentos das execuções fiscais, com vistas na localização de endereço e bens dos profissionais executados. E mais, conforme já explanado em relatórios anteriores, o Poder Judiciário considera economicamente inviáveis as execuções fiscais de valores abaixo de mil reais, amparados por normas internas, cumprindo salientar que as decisões do Tribunal, modificando o despacho de arquivamento dessas ações atualmente têm inibido os magistrados a decidirem dessa forma. Importante ressaltar, reiteradamente, que a tendência que se nota no âmbito do Poder Judiciário, especialmente após a edição da Resolução 121 do CNJ, está voltada no sentido de que as entidades que dependem dos meios judiciais na busca de seus créditos, como o caso dos Conselhos de classe, estabeleçam normas internas que propiciem aos devedores formas menos agressivas para quitar sua dívida, pois os acréscimos legais, ali embutidos (atualização monetária, juros moratórios e multa) têm sido o grande dificultador para o sucesso da negociação das pendências, principalmente dos créditos mais antigos. O assunto vem sendo largamente discutido em todo o Judiciário, e tem merecido atenção de entidades que se prestam a formar profissionais voltados à conciliação e mediação, cujos institutos devem ocupar lugar de destaque no mundo atual, em que questões de toda ordem tornam a convivência muito complexa, e a solução dessa situação visa a paz social, almejada por todos, em qualquer âmbito de atuação. Demonstrativo de algumas das atividades desenvolvidas pela Assessoria Jurídica no curso do exercício Documento Elaborados/Respondidos Quantidade Acórdãos 26 Minutas de Edital, Contratos e Pareceres Jurídicos em Procedimentos Licitatórios (provenientes de processos licitatórios) 5 Aditamentos 10 Intimações eletrônicas e pessoais 462 Ofícios internos (em processos de inscritos, análise de procedimentos éticos e fiscalizatórios e outros) 327 Portarias 4

311 309 Situação atual das Ações de Execução Fiscal - Ações contrárias: 5 - em andamento: sobrestadas: arquivadas: 76 - recurso: 3 - extintas: 522 (contados a partir 2003) - propostas em 2013: 50 Total (*) 804 (*) total considera apenas as ações em curso, inclusive as sobrestadas, com exceção das extintas. Avaliações feitas pelo presidente do CRB sobre a qualidade e suficiência dos controles internos administrativos instituídos para garantir a consecução dos seus objetivos estratégicos, considerando os componentes a seguir: a) Ambiente de controle O CRB-8 depende das orientações oriundas do CFB e conta com uma assessoria Jurídica e de Contabilidade, que são fundamentais para o bom andamento dos processos e cumprimento de todas as ações pertinentes ao CRB; b) avaliação de risco Dependemos do recebimento das anuidades, das credibilidades de nossas ações e ainda, do próprio profissional para que toda a ação planejada seja realizada. Por isso o planejamento estratégico está pautado na avaliação do setor de fiscalização junto ao setor jurídico, permitindo, assim, manter a receita e o mercado de trabalho em equilíbrio; c) Atividades de controle Todas as coordenações de cada frente de atuação, isto é, de cada comissão, têm o papel fundamental de manter o planejamento como foco de atuação. O controle está sobre a responsabilidade da Diretoria, que realiza encontros semanais e de feedbacks para as coordenações e assessorias. d) Informação e comunicação As ações do CRB estão disponibilizadas no site e são divulgadas aos coordenadores em toda plenária e reuniões de Diretoria. e) Monitoramento O monitoramento é constante, sempre articulado pela coordenação das áreas, coordenação das comissões, Diretorias e Assessorias.

312 310 Indicadores de Gestão Objetivo Estratégico 15. Fortalecer a imagem do Sistema CFB/CRB e da profissão bibliotecária perante a sociedade 16. Atuar como fator de proteção da sociedade Indicadores estratégicos atribuídos Imagem do profissional da Biblioteconomia Imagem do Sistema CFB/CRB Ética na profissão 17. Firmar parcerias estratégicas Percentual de parcerias e patrocínios firmados Objetivo estratégico 1: Fortalecer a imagem do Sistema CFB/CRB e da profissão bibliotecária perante a sociedade Indicador Estratégico Imagem do Profissional da Biblioteconomia Avaliar o grau de reconhecimento da imagem positiva do profissional da Objetivo biblioteconomia Resultado de Pesquisa de satisfação a ser desenvolvida e aplicada à sociedade Fórmula do Indicador Estratégico para avaliar o grau de reconhecimento da imagem positiva do profissional da Biblioteconomia Periodicidade Anual Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 A avaliação é constante e é avaliada a partir do recebimento de reclamações. O CRB teve pouquíssimas reclamações e procurou em todas elas, avaliar o que estava errado e em sua maioria era em questão de duvidas sobre piso salarial, o Avaliação sobre o desempenho que tem como instituição o Sindicato e assim, encaminhamos os questionamentos. Para 2014 faz parte do planejamento avaliar a gestão e suas ações. Análise crítica: Resultado positivo, mas que deve ser monitorado, já que em 2013 foi intensificado o relacionamento com outras associações de classe, como Sindicato e Associação de bibliotecários do CEU e Faebab. Essas parcerias ajudam no entendimento do papel de cada entidade. Objetivo estratégico 2: Atuar como fator de proteção da sociedade Indicador Estratégico Ética na Profissão Objetivo Avaliar a % de aplicação das penas em relação ao processo éticodisciplinares e de fiscalização abertos Fórmula do Indicador Estratégico (Quantidade de processos julgados com penalização em 2013 / Quantidade de processos abertos em 2013) X 100 Periodicidade Semestral Meta para o ano de % Data da última medição 31 de dezembro de 2013 A meta foi cumprida, pois a Fiscalização e a Ética estiveram muito próximas, com ações de conscientização, por meio de encontro com Avaliação sobre o desempenho profissionais e leigos. Fonte: Sistema de Gestão por Indicadores Análise crítica: Foram aplicadas poucas ações éticas e resolvidas muitas ações abertas, que eram de fácil solução.

313 311 Relacionamento com a Sociedade: Canais de acesso do cidadão ao CRB-8 para fins de solicitações, reclamações, denúncias, sugestões etc., contemplando informações gerenciais e estatísticas sobre o atendimento às demandas e os resultados decorrentes: e site na aba contato. Figura 8 Contato com o CRB-8 pelo site Pelo Site: e facebook: são divulgadas vagas, cursos, eventos e notícias, com informações atualizadas diariamente. Medidas adotadas pelo Regional com vistas ao cumprimento das normas relativas à acessibilidade, em especial a Lei /2000, o Decreto 5.296/2004 e as normas técnicas da ABNT aplicáveis: o atendimento é realizado pela entrada lateral do regional numa sala especial onde não tem degraus nem escadas, inclusive com fácil acesso a banheiro. Canais de comunicação para dar publicidade à gestão Site: facebook: twitter: twitter.com/crb8sp, Picasa e Revista Digital Figura 9 Links disponíveis na página do CRB-8

Sistema CFBio/CRBios e a Criação. de Novos Regionais

Sistema CFBio/CRBios e a Criação. de Novos Regionais Sistema CFBio/CRBios e a Criação de Novos Regionais Novo Regional do Planalto Central: Plano estratégico para criação Lei 6684 de 03 de Setembro de 1979 Art. 10 - Compete ao Conselho Federal: IV - organizar,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º O CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

Leia mais

INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES

INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES ESTATUTOS TÍTULO I DO NOME, DA NATUREZA, DO OBJETO, DA SEDE e DO FORO Art. 1º - O INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Raimundo Martins de Lima CRB-11039 Presidente do CFB. Sumário

Raimundo Martins de Lima CRB-11039 Presidente do CFB. Sumário Apresentação Órgãos de classe Juramento e simbolismo do anel de grau do Bibliotecário Datas comemorativas Legislação Leis e decretos Resoluções Endereços dos Conselhos Regionais Links Apresentação Durante

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 31, DE 30 DE JUNHO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 31, DE 30 DE JUNHO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 31, DE 30 DE JUNHO DE 2011 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sessão de 30 de junho de 2011, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 16 e pelo

Leia mais

Aprovado pelo CONSUNI - UFRJ - 25 de agosto de 2011

Aprovado pelo CONSUNI - UFRJ - 25 de agosto de 2011 REGIMENTO DO INSTITUTO ALBERTO LUIZ COIMBRA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DE ENGENHARIA (COPPE) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Aprovado por unanimidade pelo Conselho Deliberativo da COPPE em

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 A PRESIDENTE EM EXERCÍCIO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO que as entidades da Administração Pública Federal indireta

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 Estabelece normas de organização e de apresentação dos relatórios de gestão e das peças complementares que constituirão os processos de contas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CONSELHO DE GRADUAÇÃO R E G I M E N T O I N T E R N O CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CONSELHO DE GRADUAÇÃO R E G I M E N T O I N T E R N O CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CONSELHO DE GRADUAÇÃO R E G I M E N T O I N T E R N O CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1. Este Regimento dispõe sobre a composição, competências e funcionamento

Leia mais

U N I R P A R A F O R T A L E C E R REGIMENTO INTERNO

U N I R P A R A F O R T A L E C E R REGIMENTO INTERNO Artigo 1 - A Associação de Reflorestadores do Estado de Mato Grosso AREFLORESTA-MT, reger-se-á pelo seu ESTATUTO e por este REGIMENTO INTERNO. Finalidade Artigo 2 - O presente Regimento Interno tem por

Leia mais

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º A Auditoria Interna do IF Sudeste de Minas Gerais, está vinculada ao Conselho Superior,

Leia mais

CAPÍTULO III - DA ORGANIZAÇÃO Art. 3º. - O CEMACT funciona através do Plenário, das Câmaras Técnicas, comissões e Secretaria Administrativa.

CAPÍTULO III - DA ORGANIZAÇÃO Art. 3º. - O CEMACT funciona através do Plenário, das Câmaras Técnicas, comissões e Secretaria Administrativa. REGIMENTO DO CEMACT REGIMENTO INTERNO DO CEMACT CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. - Este Regimento estabelece as formas de organização e funcionamento do conselho Estadual de Meio Ambiente,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ)

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADES Art 1º. A Fundação Instituto Tecnológico de Joinville, doravante denominada FITEJ, entidade

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 Petrópolis 2013 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho é um resumo

Leia mais

Regimento Interno do Conselho Municipal do Idoso de Passo Fundo COMUI Capitulo I Da Natureza e Finalidade

Regimento Interno do Conselho Municipal do Idoso de Passo Fundo COMUI Capitulo I Da Natureza e Finalidade Regimento Interno do Conselho Municipal do Idoso de Passo Fundo COMUI Capitulo I Da Natureza e Finalidade Art. 1º - O Conselho Municipal do Idoso de Passo Fundo COMUI- possui atribuições de caráter propositivo

Leia mais

NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA

NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA Reunião dos Conselheiros eleitos, com o fim de deliberação.- O Plenário do Conselho Regional reunirse-á ordinariamente, pelo menos, uma vez por ano e, extraordinariamente

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CME/THE CAPÍTULO II DA NATUREZA E DA FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CME/THE CAPÍTULO II DA NATUREZA E DA FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CME/THE CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE Art. 1º - O Conselho Municipal de Educação de Teresina, instituído em 19 de dezembro de 2001, pela Lei

Leia mais

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput).

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput). MODELO DE ESTATUTO DE FUNDAÇÃO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. A Fundação... é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos 1, com autonomia administrativa

Leia mais

RESOLUÇÃO N 33, DE 6 DE SETEMBRO DE 2012

RESOLUÇÃO N 33, DE 6 DE SETEMBRO DE 2012 RESOLUÇÃO N 33, DE 6 DE SETEMBRO DE 2012 Aprova o Regimento Geral do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e dá outras providências. O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR),

Leia mais

CÓDIGO DE BOAS PRÁTICAS DA GOVERNANÇA

CÓDIGO DE BOAS PRÁTICAS DA GOVERNANÇA CÓDIGO DE BOAS PRÁTICAS DA GOVERNANÇA Versão 1.0 Setembro/2014 Página2 2014 Programa de Desenvolvimento Econômico do Território Oeste do Paraná Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1.º - O Conselho Fiscal do Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor- FAPS, criado

Leia mais

Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC

Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC 1 Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC Capítulo I Da Natureza, Finalidade e Composição Art. 1 - O Conselho Fiscal é o

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba O progresso passa por aqui LEI N.º 10.128

Câmara Municipal de Uberaba O progresso passa por aqui LEI N.º 10.128 LEI N.º 10.128 Reproduz em novo texto a Lei 8.339, de 12 de junho de 2002 que trata do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos das Pessoas Com Deficiência de Uberaba COMDEFU. O Povo do Município de Uberaba,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO Art. 1º A Diretoria Executiva, subordinada ao Presidente da Fundação, é responsável pelas atividades

Leia mais

Faço saber, que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei:

Faço saber, que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei: LEI Nº 1512/2009 SÚMULA: Cria o Conselho Municipal da Educação. Faço saber, que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte

Leia mais

REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO)

REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO) REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO) Goiânia-2010 REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO) CAPÍTULO I DOS FUNDAMENTOS

Leia mais

LEI nº 5.766 de 20-12-1971

LEI nº 5.766 de 20-12-1971 LEI nº 5.766 de 20-12-1971 Cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Psicologia e dá outras providências O Presidente da República Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a

Leia mais

MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS

MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º A FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS -

Leia mais

Modelo de estatuto de Associação

Modelo de estatuto de Associação Modelo de estatuto de Associação CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. A Associação... é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO INSTITUTO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA REGIMENTO TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS FINS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO INSTITUTO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA REGIMENTO TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS FINS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO Aprova o Regimento do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da UFRJ. INSTITUTO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA REGIMENTO TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DO IDOSO. Art. 2º. Compete ao Conselho Municipal de Direitos do Idoso:

DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DO IDOSO. Art. 2º. Compete ao Conselho Municipal de Direitos do Idoso: PROJETO DE LEI Nº 2.093/09, de 30 de junho de 2.009 Dispõe sobre criação do Conselho Municipal de Direitos do Idoso e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE GOIATUBA, Estado de Goiás, faz saber

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013.

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013. REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013. PALMAS-TO MARÇO 2013 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 2 DA CATEGORIA... 2 FINALIDADE E OBJETIVOS...

Leia mais

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG.

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG. RESOLUÇÃO Nº 023/2011, DE 28 DE ABRIL DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e a atuação da Secretaria de Controle Interno e dá outras

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010)

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) Aprova Regimento Interno da Pró-Reitoria de Administração PROAD. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Apresentação. Caicó/RN 2010

Apresentação. Caicó/RN 2010 Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação da Faculdade Católica Santa Teresinha CPA/FCST (Aprovado pela Resolução 001/2010-DG/FCST, datado de 14/07/2010) Caicó/RN 2010 Apresentação O Regimento

Leia mais

º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE

º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE Referente ao Projeto de Lei Complementar n. º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE 2007. Publicada no Diário Oficial do Estado nº 4073, de 20.08.07 Autor: Deputado Jorge Amanajás Autoriza

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ÍNDICE. CAPÍTULO I Da Sede. CAPÍTULO II Dos objetivos e finalidades. CAPITULO III Da estrutura organizacional básica

REGIMENTO INTERNO ÍNDICE. CAPÍTULO I Da Sede. CAPÍTULO II Dos objetivos e finalidades. CAPITULO III Da estrutura organizacional básica REGIMENTO INTERNO Aprovado na reunião dos Conselhos de Administração e Fiscal da ASSOCIAÇÃO DE TRANSPORTE DO NORTE CATARINENSE ASTRAN, inscrita no CNPJ n 10.437.997/0001-03, realizada em São Bento do Sul,

Leia mais

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006.

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUGUAIANA: Dispõe sobre a Estrutura Administrativa e institui organograma da Câmara Municipal de Uruguaiana e dá outras providências. Faço saber,

Leia mais

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013.

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. Dispõe sobre a criação, composição, competência e funcionamento do Conselho Municipal de Esporte e Lazer CMEL. O Povo do Município de Turvolândia Estado de Minas Gerais,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA FACULDADE DE MATEMÁTICA, CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES, UFPA.

Leia mais

MINUTA DE REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DE CÂMPUS

MINUTA DE REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DE CÂMPUS MINUTA DE REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DE CÂMPUS CAPÍTULO I Das Disposições Iniciais, Categoria e Finalidades Art. 1º - O Conselho de Câmpus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FEIRA DE SANTANA ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CMDI

PREFEITURA MUNICIPAL DE FEIRA DE SANTANA ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CMDI PREFEITURA MUNICIPAL DE FEIRA DE SANTANA ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CMDI (Extrato) REGIMENTO INTERNO O Conselho Municipal do Idoso de Feira

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 8.662, DE 7 DE JUNHO DE 1993. (Mensagem de veto). Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências O

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA GERIATRIA E GERONTOLOGIA - LIG Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A LIGA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA ACADÊMICA DE ESPORTES E SAÚDE - LIES Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A Liga Acadêmica de Esportes e Saúde é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob

Leia mais

Art. 1º Fica aprovado, na forma do Anexo, o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ. JOSÉ EDUARDO CARDOZO ANEXO

Art. 1º Fica aprovado, na forma do Anexo, o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ. JOSÉ EDUARDO CARDOZO ANEXO PORTARIA Nº 2.588, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Aprova o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições previstas nos incisos I e II do parágrafo

Leia mais

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ)

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, REGIME JURÍDICO, DURAÇÃO, SEDE E FORO Art. 1 - A Associação Nacional de Pesquisa

Leia mais

MODELO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL DO FUNDEB NO MUNICÍPIO DE DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA DO CONSELHO

MODELO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL DO FUNDEB NO MUNICÍPIO DE DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA DO CONSELHO MODELO O conteúdo desse Modelo de Regimento Interno representa a contribuição do MEC, colocada à disposição dos Governos Municipais, a título de apoio técnico, previsto no art. 30, I, da Lei nº 11.494,

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais)

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE, DURAÇÃO Art. 1.º A SOCIEDADE DE AMIGOS DA

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA 5ª REGIÃO (CRBio-05) RELATÓRIO DE GESTÃO REFERENTE AO ANO DE 2014

CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA 5ª REGIÃO (CRBio-05) RELATÓRIO DE GESTÃO REFERENTE AO ANO DE 2014 CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA 5ª REGIÃO (CRBio-05) RELATÓRIO DE GESTÃO REFERENTE AO ANO DE 2014 1. Finalidades e Competências Institucionais do CRBio-05 O Conselho Regional de Biologia - 5ª Região, tem

Leia mais

REGIMENTO DO CREA-RJ TÍTULO I DO CONSELHO REGIONAL CAPÍTULO I DA NATUREZA, DA FINALIDADE E DA ORGANIZAÇÃO DO CREA

REGIMENTO DO CREA-RJ TÍTULO I DO CONSELHO REGIONAL CAPÍTULO I DA NATUREZA, DA FINALIDADE E DA ORGANIZAÇÃO DO CREA REGIMENTO DO CREA-RJ TÍTULO I DO CONSELHO REGIONAL CAPÍTULO I DA NATUREZA, DA FINALIDADE E DA ORGANIZAÇÃO DO CREA Art. 1 o O Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro Crea-RJ

Leia mais

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE, no uso de suas atribuições e considerando o que consta do Processo,

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE, no uso de suas atribuições e considerando o que consta do Processo, Anteprojeto de RESOLUÇÃO Nº. Considerando a acelerada expansão verificada no ICHF nos últimos anos, por conta da expansão do numero de cursos de graduação, pós-graduação stricto e lato sensu Considerando

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE Art. 1º - O Conselho Municipal do Idoso CMI de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº 1754,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO Capítulo I da Finalidade Art. 1o. - Este Regimento Interno complementa e disciplina disposições do Estatuto da Associação Brasileira de Manutenção

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 86/11-CEPE

RESOLUÇÃO Nº 86/11-CEPE RESOLUÇÃO Nº 86/11-CEPE Cria as Comissões de Ética no Uso de Animais da Universidade Federal do Paraná. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, órgão normativo, consultivo e deliberativo da administração

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DO CONSELHO, ATRIBUIÇÕES E SUA COMPOSIÇÃO Art. 1.º- O Conselho Municipal de Educação de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº1.176 de

Leia mais

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS TÍTULO I DO CENTRO E SEUS FINS Artigo 1 O Centro de Gestão e Tratamento de Resíduos Químicos é um órgão auxiliar, de natureza técnica e científica,

Leia mais

QUANTIDADE DE INSCRITOS NO SISTEMA COFECI-CRECI

QUANTIDADE DE INSCRITOS NO SISTEMA COFECI-CRECI QUANTIDADE DE INSCRITOS NO SISTEMA COFECI-CRECI PESSOA JURÍDICA E PESSOA FÍSICA MARÇO/2015 Brasília - DF A KUSER S/A APRESENTA LEVANTAMENTO DA QUANTIDADE DE CORRETORES DE IMÓVEIS, IMOBILIÁRIAS E DEMAIS

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O Nº 002/88

R E S O L U Ç Ã O Nº 002/88 R E S O L U Ç Ã O Nº 002/88 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFPI Aprova o Regimento do Conselho de Administração da UFPI. O Reitor da Universidade Federal do Piauí e Presidente do Conselho de Administração,

Leia mais

LEI Nº 4.084 DE 30 DE JUNHO DE 1962

LEI Nº 4.084 DE 30 DE JUNHO DE 1962 LEI Nº 4.084 DE 30 DE JUNHO DE 1962 Dispõe sobre a profissão do Bibliotecário e regula seu exercício O Presidente da República: Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Leia mais

ACOPESP ASSOCIAÇÃO DOS CONTABILISTAS E ORÇAMENTISTAS PÚBLICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO ESTATUTO

ACOPESP ASSOCIAÇÃO DOS CONTABILISTAS E ORÇAMENTISTAS PÚBLICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO ESTATUTO ACOPESP ASSOCIAÇÃO DOS CONTABILISTAS E ORÇAMENTISTAS PÚBLICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO ESTATUTO CAPÍTULO I NATUREZA E OBJETIVOS Art. 1 A ACOPESP - ASSOCIAÇÃO DOS CONTABILISTAS E ORÇAMENTISTAS PÚBLICOS DO

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA CMDPCD JACOBINA CAPÍTULO I - DA NATUREZA

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA CMDPCD JACOBINA CAPÍTULO I - DA NATUREZA REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA CMDPCD JACOBINA CAPÍTULO I - DA NATUREZA Art.1º - O Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência - CMDPCD, instituído

Leia mais

GENILDO LINS DE ALBUQUERQUE NETO

GENILDO LINS DE ALBUQUERQUE NETO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 126, DE 25 DE JUNHO DE 2014 O MINISTRO DE ESTADO DAS COMUNICAÇÕES Interino, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II do parágrafo

Leia mais

LEI Nº 2721 /2009 LEI CAPÍTULO I. Da Ação Administrativa da Câmara

LEI Nº 2721 /2009 LEI CAPÍTULO I. Da Ação Administrativa da Câmara LEI Nº 2721 /2009 Dispõe sobre a Estrutura Administrativa da Câmara de Vereadores de Herval D Oeste, estado de Santa Catarina e dá outras providências. NELSON GUINDANI, Prefeito de Herval d Oeste SC, Faz

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 542, DE 13 DE JANEIRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 542, DE 13 DE JANEIRO DE 2015 Publicada no DJE/STF, n.10, p. 1-3 em 16/01/2015 RESOLUÇÃO Nº 542, DE 13 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre as prerrogativas, as responsabilidades, a competência e a atuação da Secretaria de Controle Interno

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU. Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua

ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU. Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Seção I Dos Objetivos Art. 1º O Programa de

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS Artigo 1º O Centro de Referência em Informação Ambiental com sede e foro na cidade de Campinas na Avenida Romeu Tortima 388, Cidade Universitária, é uma sociedade

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E ASSUNTOS DO MERCOSUL.

SECRETARIA DE ESTADO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E ASSUNTOS DO MERCOSUL. ANEXO REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM REGIONAL PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE DO ESTADO DO PARANÁ CAPÍTULO I NATUREZA E COMPETÊNCIAS Art. 1º. Ao Fórum Regional Permanente das Microempresas

Leia mais

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS - UNITINS Do Colegiado de Curso Art. 1º. O Colegiado de Curso é a instância básica dos cursos de graduação, responsável

Leia mais

O Plenário do CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE SANTA CATARINA, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O Plenário do CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE SANTA CATARINA, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE SANTA CATARINA (CRCSC) E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Plenário do CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE SANTA CATARINA, no exercício de suas atribuições

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY

EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY São convocados os senhores Usuários dos serviços de Telecomunicações e as associações ou entidades que possuam em seu objeto social características

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA RESOLUÇÃO CFO-34/2002

CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA RESOLUÇÃO CFO-34/2002 Publicado no DOU em 31/10/2002, seção 1, págs.183 a 189 e no DOU de 16/09/2003, retificação à pág. 116, seção 1. CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA RESOLUÇÃO CFO-34/2002 Revoga o seu Regimento Interno vigente

Leia mais

CAPÍTULO I. Do Conselho, sua Finalidade e suas Atribuições

CAPÍTULO I. Do Conselho, sua Finalidade e suas Atribuições REGIMENTO INTERNO - ANTIGO CAPÍTULO I Do Conselho, sua Finalidade e suas Atribuições Art. 1º O Conselho Municipal de Educação de Concórdia (CME), órgão deliberativo e consultivo da Administração no setor

Leia mais

ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ. Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO

ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ. Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º A Associação Brasileira de Patchwork e Quilt, doravante designada ABPQ, é uma sociedade

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 14/2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 14/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 14/2011 Ver também IN 7/13 Disciplina a organização e a apresentação das contas anuais dos administradores e demais responsáveis por unidades jurisdicionadas das administrações direta

Leia mais

Faço saber que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei:

Faço saber que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei: LEI Nº 1580/2010 Dá nova nomenclatura a Conferência, ao Conselho e ao Fundo Municipal de Assistência ao Idoso criado pela Lei nº 1269/2004 e dá outras providencias. Faço saber que a Câmara Municipal de

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF A estrutura administrativa do Senado Federal está dividida em três áreas que compreendem os órgãos superiores de execução, órgãos de assessoramento superior e órgão supervisionado. Conheça a estrutura

Leia mais

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições:

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: Artigo I: O Fórum Permanente da Agenda 21 de Saquarema, criado pelo

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 92.790, DE 17 DE JUNHO DE 1986. Regulamenta a Lei nº 7.394, de 29 de outubro de 1985, que regula o exercício da profissão

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR LEI Nº 6.582, DE 18 DE MARÇO DE 2005. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DA AGÊNCIA DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS DO ESTADO DE ALAGOAS AGESA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS Faço saber que

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ REGIMENTO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ REGIMENTO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ REGIMENTO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO TERESINA-PI 2005 RESOLUÇÃO Nº 011/84 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Aprova o Regimento do Conselho de

Leia mais

LEI Nº 2.422, DE 08 DE ABRIL DE 2008 CERTIDÃO Certifico e dou fé que esta Lei foi publicada no placard do Município no dia- / /

LEI Nº 2.422, DE 08 DE ABRIL DE 2008 CERTIDÃO Certifico e dou fé que esta Lei foi publicada no placard do Município no dia- / / LEI Nº 2.422, DE 08 DE ABRIL DE 2008 CERTIDÃO Certifico e dou fé que esta Lei foi publicada no placard do Município no dia- / / JANE APARECIDA FERREIRA =Responsável pelo placard= Dispõe sobre a composição,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ TÍTULO I DA NATUREZA E DOS FINS TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO E ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

REGIMENTO INTERNO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ TÍTULO I DA NATUREZA E DOS FINS TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO E ESTRUTURA ORGANIZACIONAL REGIMENTO INTERNO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ TÍTULO I DA NATUREZA E DOS FINS Art. 1. CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DO PARANÁ CRM-PR, Autarquia Federal dotada de personalidade de

Leia mais

Estatuto do Conjunto CFESSxCRESS:

Estatuto do Conjunto CFESSxCRESS: Estatuto do Conjunto CFESSxCRESS: TÍTULO I DA NATUREZA JURÍDICA, FINALIDADE E COMPETÊNCIA INSTITUCIONAL TÍTULO II DA COMPOSIÇÃO, DA ORGANIZAÇÃO DA ESTRUTURA E COMPETÊNCIA DOS CONSELHOS REGIONAIS E FEDERAL

Leia mais

Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA

Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA DA BM&FBOVESPA 1. Objeto O presente Regimento Interno ( Regimento ) tem o escopo de disciplinar o funcionamento do Diretoria da

Leia mais

b - O sócio Institucional terá anuidade correspondente a dez vezes a dos sócios efetivos e colaboradores.

b - O sócio Institucional terá anuidade correspondente a dez vezes a dos sócios efetivos e colaboradores. Regimento Interno da Sociedade dos Zoológicos do Brasil - SZB Da Sociedade Artigo 1º - A sociedade dos Zoológicos do Brasil SZB, fundada em 23 de setembro de 1977, funciona conforme o disposto nos seus

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011)

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO Conselho Municipal de Educação

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO Conselho Municipal de Educação PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO Conselho Municipal de Educação REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUDAÇÃO SUMÁRIO:

Leia mais

OBSERVATÓRIO SOCIAL DE BLUMENAU

OBSERVATÓRIO SOCIAL DE BLUMENAU Rua Ingo Hering 20 8º andar Neumarkt Trade & financial Center 89.010-909 Blumenau SC Fone 47 3326 1230 osblu@acib.net www.acib.net/osblu OBSERVATÓRIO SOCIAL DE BLUMENAU Regimento Interno CAPÍTULO I DA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE DO ESTADO DO AMAPÁ TITULO I DA NATUREZA

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE DO ESTADO DO AMAPÁ TITULO I DA NATUREZA REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE DO ESTADO DO AMAPÁ TITULO I DA NATUREZA Art. 1. O Fórum Estadual Permanente de Apoio à Formação Docente do Estado do Amapá é a

Leia mais

Cadastro Organizacional/PMS CMI/SETAD CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI

Cadastro Organizacional/PMS CMI/SETAD CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI ÓRGÃO COLEGIADO SECRETARIA MUNICIPAL DO TRABALHO, ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS DO

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AGILE ALLIANCE BRAZIL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E DURAÇÃO

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AGILE ALLIANCE BRAZIL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E DURAÇÃO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AGILE ALLIANCE BRAZIL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E DURAÇÃO Artigo 1º - Sob a denominação de AGILE ALLIANCE BRAZIL, foi instituída em 14/11/2013, uma pessoa jurídica de direito

Leia mais

PORTARIA-SEGEPRES Nº 1, DE 23 DE JANEIRO DE 2009

PORTARIA-SEGEPRES Nº 1, DE 23 DE JANEIRO DE 2009 PORTARIA-SEGEPRES Nº 1, DE 23 DE JANEIRO DE 2009 Dispõe acerca de competências, estrutura, lotação e alocação de funções de confiança da Secretaria- Geral da Presidência (Segepres). A SECRETÁRIA-GERAL

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 1.870 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2005.

PROJETO DE LEI Nº 1.870 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2005. PROJETO DE LEI Nº 1.870 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2005. Dispõe sobre a organização do Sistema Municipal de Defesa do Consumidor, institui o Departamento de Defesa do Consumidor e o Fundo Municipal de Defesa

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 5.554, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção)

PROJETO DE LEI N.º 5.554, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 5.554, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção) Dispõe sobre a profissão do profissional de coaching (coach), e dá outras providências. DESPACHO: ÀS COMISSÕES DE: TRABALHO,

Leia mais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS - SEADE

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS - SEADE ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS - SEADE CAPÍTULO I Da Fundação e seus objetivos Artigo 1º - A Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados SEADE, rege-se por estes Estatutos,

Leia mais