Angola Estatísticas Monetárias. Angola Monetary Statistics. I.A.2 Agregados Monetários Monetary Aggregates

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Angola Estatísticas Monetárias. Angola Monetary Statistics. I.A.2 Agregados Monetários Monetary Aggregates"

Transcrição

1 Angola Estatísticas Monetárias Índice Angola Monetary Statistics Table of Contents Nova Série das Estatísticas Monetárias e Financeiras Monetary and Financial Statistics New Series I.A Panorama monetário Monetary Institutions I.A.1 Síntese Monetária Monetary Survey I.A.2 Agregados Monetários Monetary Aggregates I.B Banco Nacional de Angola Banco Nacional de Angola I.B.1 Síntese do Banco Nacional de Angola National Bank of Angola Survey I.B.2 Balanço do Banco Nacional de Angola Balance Sheet of the National Bank of Angola I.B.3 Base Monetária Monetary Base I.C Outras Instituições Financeiras Monetárias Other Depository Corporations I.C.1 Síntese das Outras Instituições Financeiras Monetárias Other Depository Corporations Survey I.C.2 Balanço Consolidado das Outras Instituições Financeiras Monetárias Balance Sheet of the Other Depository Corporations I.C.3 Repartição do Crédito por Sector Institucional Credit by Institutional Sector I.C.4 Repartição do Crédito por Ramos de Actividade Credit by Economic Activity I.C.5 Repartição dos Depósitos nas OIFM Deposit by Other Depository Corporations I.D Taxas de Juros Interest Rates I.D.1 Taxas de Juro do Banco Central e do Mercado Monetário Interbancário Central Bank Interest Rates I.D.2 Taxas de Juro das Outras Instituições Financeiras Monetárias Other Depository Corporation Interest Rates II - A. Estatísticas da Balança de Pagamentos Balance of Payments Statistics II A.1 Angola - Balança de Pagamentos: Série Angola - Balance of Payments II.A.1 1. Balança de Pagamentos: Série * Balance of Payments, * II A.2 Balança de Pagamentos - Evolução Comparada dos Principais Indicadore Balance of Payments - Main Indicators Evolution II A.3 Exportações por Países de Destino Exports by Country II A.4 Composição das Exportações Angola -Composition of Exports II A.5 Importações Imports II - B. Estatísticas da Dívida Externa External Debt Statistics II B.1 Stock da Dívida Externa de Curto, de Médio/Longo Prazo (2004/2013) Stock of Debt, Short, Medium and Long -Term (2004/2013) II - C. Estatísticas Cambiais Exchange Rate Statistics II C. 1 Taxas de Câmbio do Kwanza com relação ao USD Kwanza/USD - Exchange Rate II C. 2 Taxas de Câmbio de Referência do Kwanza com relação ao Euro, Kwanza Reference Rate against Euro, Yen and Rand II C. 3 Índice de Taxa de Câmbio Real Real Exchange Rate Index II.D.1 RIL International Reserves II.D.1 Reservas Internacionais e Liquidez em Moeda Estrangeira International Reserves and Liquidity in Foreign Currency III. Estatísticas do Sector Real Real Sector Statistics III.A.1. Produto Interno Bruto por Ramos de Actividade - Preços constantes d GDP By Sector-At Constant Price 2010 III.A.2. Produto Interno Bruto por Ramos de Actividade - Estrutura Percentua GDP By Sector-Percentual Structure IV. Preços Prices IV.A.1. Índice de Preços ao Consumidor ( ) Consumer Prices Index ( ) IV.A.2. Índice de Preços ao Consumidor ( Dez/14) Consumer Prices Index (2010- Dec/14) IV.A.3. Taxas de Inflação no período Inflation Rates

2 Angola Estatísticas Monetárias Índice Angola Monetary Statistics Table of Contents Nova Série das Estatísticas Monetárias e Financeiras Monetary and Financial Statistics New Series V. Gráficos Graphics V. A.1. Panorama Monetário Monetary Survey 1.1. Activos Externos Líquidos do Sistema Bancário Net Foreign Assets 1.2. Activos Internos Líquidos e Componentes Net Domestic Assets and Components 1.3. Crédito Interno Líquido e Componentes Net Domestic Claims and Components 1.4. Crédito à Economia e Componentes Claims on Economy and Components 1.5. Meios de Pagamentos (M2) e Componentes Money Supply (M2 ) and Components 1.6. Moeda (M1) e Componentes Money (M1) and Components V. A.2. Reserva Monetária Reserve Money 2.1. Reserva Monetária e Componentes Reserve Money and Components V.A. 3. Situação dos Depósitos na Banca Comercial Commercial Banks Deposits 3.1. Depósitos Totais por Prazos Total Deposits by Terms 3.2. Depósitos Totais por Moedas Total Deposits by Currency 3.3. Repartição dos Depósitos nas OIFM Deposit by Other Depository Corporations V.A.4. Situação dos Créditos na Banca Comercial Commercial Banks Credit 4.1. Repartição do Crédito por Sector Institucional Credit by Institutional Sector 4.2. Crédito dos Bancos por Moedas Banking Credits by Currency 4.3. Crédito dos Bancos por Sectores de Actividade Económica (Dez/14) Banking Credits by Branch of Activity (Dec/14) V.A.5. Taxas de Juro Interest Rates 5.1. Taxas de Redesconto do Banco Central Rediscount Rates 5.2. Taxas de Juro dos Títulos do Banco Central Central Bank Bill Rates 5.3. Taxas das Operações Activas dos Bancos Banking Lending Rates Taxas das Operações Activas dos Bancos- Sector Empresarial M Banking Lending Rates DC Taxas das Operações Activas dos Bancos- Sector Empresarial M Banking Lending Rates FC 5.4. Taxas das Operações Passivas dos Bancos Deposits Rates of the Banking System Taxas das Operações Passivas dos Bancos- Sector Empresarial Deposits Rates of the Banking System DC Taxas das Operações Passivas dos Bancos- Sector Empresarial M Deposits Rates of the Banking System FC V.B.1 Taxas de Câmbio nos Mercados Formal e Informal Formal and Informal Exchange Rates 1.1. Taxas de Câmbio de Referência e do Mercado Secundário Reference Rates and Exchange Rates on Secundary V.B.2 Stock da Dívida Externa Total External Debt Total Stock 2.1. Stock da Dívida Externa Total External Debt Stock V.C.1 Taxas de Inflação Inflation Rate 1.1. Taxas de Inflação Mensal Monthly Inflation Rate 1.2. Taxas de Inflação Acumulada Cumulate Inflation Rate

3 Quadro I.A.1 Síntese Monetária (1) (2) (1) (2) Table I. A.1 Depository Corporations Survey (Saldos em fim do mês em milhões de Kwanzas) (End of period amounts in millions of Kwanzas) mar-14 jun-14 set-14 dez-14 Activos externos (líquidos) , , , , , , , ,65 Foreign assets (net) Activos externos , , , , , , , ,23 Foreign assets Passivos externos , , , , , , , ,58 Foreign liabilities Crédito à administração central (líquido) , , , , , , , ,47 Claims on the government (net) Crédito à administração central , , , , , , , ,00 Claims on government Responsabilidades face à administração central , , , , , , , ,53 Liabilities to government dos quais: em moeda externa , , , , , , , ,17 of which: in foreign currency Crédito a outros sectores residentes , , , , , , , ,35 Claims on other resident sectors Crédito a instituições financeiras não monetárias , , , , , , , ,05 Claims on other financial corporations dos quais: em moeda externa 169,00 210, ,37 234,36 231,83 229, , ,92 of which: in foreign currency Crédito ao sector público, excl. administração central , , , , , , , ,13 Claims on the public sector, excl. central government dos quais: em moeda externa , , , , , , , ,19 of which: in foreign currency Crédito a outros residentes (Sector Privado) , , , , , , , ,17 Claims on other resident (Private sector) dos quais: em moeda externa , , , , , , , ,07 of which: in foreign currency Capital e reservas , , , , , , , ,04 Shares and other equity Outros activos e passivos (líquidos) , , , , , , , ,05 Other assets/liabilities (net) Massa Monetária (M3) , , , , , , , ,48 Broad money (M3) Notas e moedas em poder do público , , , , , , , ,45 Currency outside depository corporations Depósitos transferíveis , , , , , , , ,71 Transferable deposits Outros depósitos , , , , , , , ,30 Other deposits Títulos excepto ações , , , , , , , ,25 Securities other than shares Acordos de recompra , , ,67 146,67 162,79 167,91 85,39 86,76 Repurchase agreements Fonte: Banco Nacional de Angola Source: National Bank of Angola (1) BNA e outras instituições financeiras monetárias (2) A partir de Agosto de 2011 as contas do BNA estão baseadas na revisão do Plano de Contas e a partir de Julho de 2014 estão baseados no novo Plano de Contas. (1) NBA and other depository corporations (2) Starting in August 2011 NBA accounts are based on a revised chart of accounts and starting in July 2014 are based on a the new chart accounts

4 Quadro I.A.2 Agregados Monetários (1) Table I.A.2 Monetary Aggregates (1) (em milhões de Kwanzas) (in millions of Kwanzas) mar-14 jun-14 set-14 dez-14 I. M3 (II+III+IV+V+VI) I. M3 (II+III+IV+V+VI) II. Notas e moedas em poder do público II. Currency outside depository corporations III. Depósitos transferíveis III. Transferable deposits Em moeda nacional In domestic currency Em moeda externa In foreign currency IV. Outros depósitos IV. Other deposits Em moeda nacional In domestic currency Em moeda externa In foreign currency V. Títulos excepto ações V. Securities other than shares Em moeda nacional In domestic currency Em moeda externa In foreign currency VI. Accordos de recompra VI. Repurchase agreements Em moeda nacional In domestic currency Em moeda externa In foreign currency Pro - memória Memorandum items Total dos depósitos em moeda externa Transferable and other deposits in foreign currency Nivel de dolarização da economia Degree of dollarization in the econonmy Fonte: Banco Nacional de Angola Source: National Bank of Angola (1) Inclui depósitos em moeda nacional e moeda externa (1) Includes domestic and foreign currency deposits.

5 Quadro I.B.1 Síntese do Banco Nacional de Angola (1) (Saldos em fim do mês em milhões de Kwanzas) Activos Externos (líquido) Reservas internacionais (líquidas) Outros activos externos (líquidos) Crédito à administração central (líquido) Crédito à administração central Responsabilidades face à administração central Em moeda nacional Em moeda estrangeira Crédito à outras instituições financeiras monetárias Em moeda nacional Em moeda estrangeira Crédito à outros sectores residentes Crédito a instituições financeiras não monetárais Crédito ao sector público, excl. administração central Crédito ao sector privado Base monetária ampla Base monetária restrita Notas e moedas em circulação Reserva bancária Em moeda nacional Em moeda estrangeira Outras passivos face à outras instituições financeiras monetárias (2) Capital e reservas Outros activos e passivos (líquido) Fonte: Banco Nacional de Angola (BNA) (1) Apartir de Agosto 2011 os dados do BNA são baseados na revisão do plano de contas e a partir de Julho de 2014 são baseados no novo Plano de Contas. (2) Inclui títulos do Banco Nacional de Angola e acordos de recompra com as outras instituições financeiras monetárias.

6 Table I.B.1 National Bank of Angola Survey (1) (End of period amounts in millions of Kwanzas) mar-14 jun-14 set-14 dez Foreign assets (net) International reserves (net) Other foreign assets (net) Claims on the central government (net) Claims on central government Liabilities to central government In national currency In foreign currency Claims on other depository corporations In national currency In foreign currency Claims on other resident sectors Claims on other financial corporations Claims on the public sector, excl. central government Claims on the private sector Monetary base, broad Monetary base, restricted Currency in circulation Bank reserves In national currency In foreign currency Other liabilities to the other depository corporations (2) Shares and other equity Other assets and liabilities (net) Source: National Bank of Angola (BNA) (1) Beginning August 2011 the data for the National Bank of Angola is based on a revised chart of account and beginning in July 2014 are based on a new chart of accounts. (2) Includes securities of the National Bank of Angola and repurchase agreements with other depository corporations.

7 Quadro I.B.2 Balanço do Banco Nacional de Angola (1) (Saldos em fim do mês em milhões de Kwanzas) I. Ouro monetário e DSE (Direitos de Saque Especiais ) II. Notas e moedas estrangeiras III. Depósitos sobre não residentes IV. Depósitos sobre instituições financeiras residentes V. Títulos de dividas Não residentes Adminstração central Sector público, excl. administração central Outras instituições financeiras monetárias e outros sectores residentes VI. Empréstimos Não Residentes Administração central Sector público, excl. administração central Outras instituições financeiras monetárias Outros sectores residentes VII. Ações e outras participações Não residentes (2) Outros sectores residentes VIII. Outros activos IX. Total do activo (I a VIII) X. Base monetária ampla Base monetária restrita Notas e moedas em circulação Reserva bancária Depósitos obrigatórios Depósitos livres Outras Responsabilidades face a Outras Instituições Monetárias Títulos do BNA Outras operações de absorção (3) XI. Depósitos de outros sectores Administração Central Outros sectores XII. Empréstimos (4) XIII. Capital e reservas XIV. Outros Passivos XV. Total do passivo (IX a XIV) Fonte: Banco Nacional de Angola (BNA) (1) A partir de July 2014 os dados do BNA estão baseados na revisão do plano de contas. (2) Inclui unidades de participação em fundos de investimento não residentes. (3) Inclui acordos de recompra com as outras instituições financeiras monetárias (4) Inclui empréstimos de não residentes.

8 mar-14 jun-14 set-14 dez-14 Table I.B.2 Balance Sheet of the National Bank of Angola (1) (End of period amounts in millions of Kwanzas) I. Monetary gold and SDRs (Special Drawing Rights) II. Holdings of foreign currency III. Deposits with non- residents IV. Deposits with resident financial institutions V. Securities other than shares Non-residents Central government Public sector, excl. central government Other depository corporations and other resident sectors VI. Loans Nonresidents Central government Public sector, excl. central government Other depository corporations Other resident sectors VII. Shares and other equity Non-residents (2) Other resident sectors VIII. Other assets IX. Total assets (I a VIII) X. Monetary base, broad Monetary base restricted Notes and coins in circulation Bank reserves Required reserves Excess reserves Other liabilities to other depository corporations Central Bank Bills Other liquidity absorption operations (3) XI. Deposits of other sectors Central government Others XII. Loans (4) XIII. Shares and other equity XIV. Other liabilities XV. Total liabilities (IX a XIV) Source: National Bank of Angola (BNA) (1) Beginning in July 2014 the data for the National Bank of Angola is based on a revised chart of accounts. (2) Inlcudes shares and other equity in non resident investment funds. (3) Includes repurchase agreements with other depository corporations. (4) Includes loans from non residents.

9 Quadro I.B.3 Base Monetária Ampla (1) (Saldos em fim do mês em milhões de Kwanzas) Base monetária ampla Base monetária restrita Notas e moedas em circulação Reserva bancária Depósitos obrigatórios Em moeda nacional Em moeda estrangeira Depósitos livres Em moeda nacional Em moeda estrangeira Outras obrigações face à outras instituições monetárias Títulos do BNA Outras operações de absorção(2) Memorando: Base monetária ampla em moeda nacional Fonte: Banco Nacional de Angola (1) A partir de Agosto 2011 os dados do BNA estão baseados na revisão do plano de contas e a partir de Julho de 2014 estão baseados no novo Plano de Contas. Inclui acordos de recompra com as outras instituições financeiras monetárias.

10 mar-14 jun-14 set-14 dez-14 Table I.B.3 Monetary Base, Broad (1) (End of period amounts in millions of Kwanzas) Monetary base, broad Monetary base, restricted Currency in circulation Bank reserves Required reserves In national currency In foreign currency Excess reserves In national currency In foreign currency Other liabilities to other depository corporations Securities other than shares of the NBA Other liquidity obligations (2) Memorandum item: Monetary base, broad, in national currency Source: National Bank of Angola (1) Beginning in August 2011 the data for the National Bank of Angola are based on a revised chart of accounts. (2) Includes repurchase agreements with other depository corporations.

11 Quadro I.C.1. Síntese das Outras Instituições Financeiras Monetárias (1) Table I.C.1 Other Depository Corporations Survey (1) (Saldos em fim do mês em milhões de Kwanzas) mar-14 jun-14 set-14 dez-14 (End of period amounts in millions of Kwanzas) Activos externos (líquidos) Foreign assets (net) Activos externos Foreign assets Passivos externos Foreign liabilities Crédito à administração central (líquido) Claims on the central government (net) Crédito à administração central Claims on central government Responsabilidades face à administração central (2) Liabilities to central government (2) dos quais: em moeda externa of which: in foreign currency Crédito ao Banco Nacional de Angola (líquido) Claims on the National Bank of Angola (net) Crédito ao BNA Claims on the BNA Depósitos no BNA Liabilities to the BNA dos quais: em moeda externa of which: in foreign currency Crédito a outros sectores residentes Claims on other resident sectors Crédito a instituições financeiras não monetárais Claims on other financial corporations dos quais: em moeda externa of which: in foreign currency Crédito ao sector público, excl. administração central Claims on the public sector, excl. central government dos quais: em moeda externa of which: in foreign currency Crédito ao sector privado Claims on private sector dos quais: em moeda externa of which: in foreign currency Passivos incluídos na Moeda M Liabilities included in Broad Money Depósitos transferíveis Transferable deposits Outros depósitos Other deposits Títulos Securities other than shares Accordos de recompra/revenda Repurchase agreements Capital e reservas Shares and other equity Outros activos e passivos (líquidos) Other assets/liabilities (net) Fonte: Banco Nacional de Angola (1) Existe uma quebra metodológica nas séries temporais a partir de Janeiro de 2011, devido a melhoria na classificação e sectorização das contas das Outras Instituições Financeiras Monetárias (OIM) (2) Inclui Responsabilidades resultantes da transferência de recursos da admniistração central para a concessão de empréstimos Source: National Bank of Angola (1) Starting in January 2011 there is a methodological times series break due to improved classificationan and sectorization of the Other Depository Corporations (ODC) accounts (2) Includes liabilities resulting from central government transfers to be passed on as credit

12 Quadro I.C.2. Balanço das Outras Instituições Financeiras Monetárias (1) Table I. C.2 Balance Sheet of the Other Depository Corporations (1) (Saldos em fim do mês em milhões de Kwanzas) mar-14 jun-14 set-14 dez-14 Notas e moedas Currency holdings dos quais: em moeda externa of wich: foreign currency Depósitos sobre não residentes Deposits with non-residents Depósitos sobre instituições financeiras residentes Deposits with depository corporations Banco Nacional de Angola Natinal Bank of Angola dos quais: em moeda externa Of wich: I foreign currency Outras instituições financeiras monetárias Other depository coporations Títulos de dívida Debt securities dos quais: of which: Não residentes Non residents Administração central Central government Banco Nacional de Angola National Bank of Angola Empréstimos Loans Não Residentes Non residents Administração central Central government Sector público, excl. administração central Public sector excluding central goverment Banco Nacional de Angola National Bank of Angola Outras instituições financeiras monetárias e não monetárias Other financial institutions monetary and nonmonetary Sector privado Private sector Outras sociedades não financeiras Non financial corporations Outros sectores residentes Other resident sectors Ações e outras participações Shares and other equity Não residentes Non residents Outros Other Outros activos Other Assets Total do activo Total assets Passivos incluídos na Moeda M Liabilities included in Borad Money M3 Depósitos transferíveis Transferable deposits dos quais: em moeda externa of which: in foreign currency Sector público, excl. administração central Public sector, excluding central government Outras sociedades financeiras Other financial corporations Sector privado Private sector Outros depósitos Other deposits dos quais: em moeda externa of which: in foreign currency Sector público, excl. administração central Public sector, excluding central government Outras instituições financeiras não monetárias Other financial corporations Sector privado Private sector Títulos Securities other than shares dos quais: em moeda externa of which: in foreign currency Acordos de recompra/revenda Repurchase agreements Passivos excluídos da Moeda M Liabilities excluded from broad money M3 Depósitos Deposits dos quais: of wich: Administração central Central government Não residentes Non residents Títulos Securities other than sahres Empréstimos Loans dos quais: of which: Administração central Central government Não residentes Non residents Capital e reservas Shares and other equity Outros Passivos Other liabilities Total do passivo Total liabilities Fonte: Banco Nacional de Angola (1) Existe uma quebra metodológica nas séries temporais a partir de Janeiro de 2011, devido a melhoria na classificação e sectorização das contas das Outras Instituições Financeiras Monetárias (OIM) Source: National Bank of Angola (1) Starting in January 2011 there is a methodological times series break due to improved classification and sectorization of the ODC accounts

13 Quadro I.C.3 Repartição dos Empréstimos por Sectores Institucionais (1) (Saldos em fim do mês em milhões de Kwanzas) mar-14 jun-14 set-14 dez-14 (1) Table I.C.3 Credit by Institutional Sectors (End of period amounts in millions of Kwanzas) Empréstimos Loans Não Residentes Non residents Empréstimos em moeda nacional Loans in domestic currency Empréstimos em moeda estrangeira Loans in forein currency Administração central Central Government Empréstimos em moeda nacional Loans in domestic currency Empréstimos em moeda estrangeira Loans in forein currency Sector público, excl. administração central Public sector, excluding central goverment Administraçoes estaduais e locais em moeda nacional Loans to local governments in domestic currency Administraçoes estaduais e locais em moeda estrangeira Loans to local governments in foreign currency Sociedades não financeiras públicas moeda nacional Loans to public non financial enterprises in domestic currency Sociedades não financeiras públicas moeda estrangeira Loans to public non financial enterprises in foreign currency Banco Nacional de Angola National Bank of Angola Empréstimos em moeda nacional Loans in domestic currency Empréstimos em moeda estrangeira Loans in forein currency Outras instituições financeiras monetárias e não monetárias Other depository corporations and other financial corporationss Outras instituições monetárias em moeda nacional Loans to other depository corporations in domestic currency Outras instituições monetárias em moeda estrangeira Loans to other depository corporations in foreign currency Outras instituições financeiras não monetária em moeda nacio Loans to other financial corporations in domestic currency Outras instituições financeiras não monetária em moeda estra Loans to other financial corporations in foeign currency Sector privado Sector privado Sociedades não financeiras Other non financial enterprises Empréstimos em moeda nacional Loans to non financail enterprises in domestic currency Empréstimos em moeda estrangeira Loans to non financail enterprises in foreign currency Outros sectores residentes Other resident sectors Empréstimos em moeda nacional Loans to other resident sectors in domestic currency Empréstimos em moeda estrangeira Loans to other resident sectors in foreign currency Fonte: Banco Nacional de Angola (1) Existe uma quebra metodológica nas séries temporais a partir de Janeiro de 2011, devido a melhoria na classificação e sectorização das contas das Outras Instituições Financeiras Monetárias (OIM) Source: National Bank of Angola (1) Starting in January 2011 there is a methodological times series break due to improved classification and sectorization of the Other Depository Corporations (ODC) accounts

14 Quadro I.C.4 Repartição do Crédito por Ramo de Actividade (Saldos em fim do mês em milhões de Kwanzas) A - Agricultura, Produção Animal, Caça e Silvicultura B - Pescas C - Indústria Extrativa D - Indústrias Transformadoras E - Prod. e Distrib.de Electricidade, de Gáz e de Àgua F- Construção G - Comércio por Grosso e a Retalho H - Alojamento e Restauração (Restaur. e Similares) I - Transportes, Armazenagem e Comunicações J - Actividades Financeiras, Seguros e Fundos de Pensões k - Activ. Imob.,Alugueres e Serv.Prest. as Empresas L - Administração Pública e Segurança Social Obrigatória M - Educação N - Saúde e Acção Social O - Outras Activ.de Serv. Colect., Sociais e Pessoais P - Famílias Com Empregados Domésticos Q - Organismos Internacionais e Outras Instituições Extra-T Z - Particulares Outros Valores Não Classificados TOTAL Fonte: Banco Nacional de Angola

15 Table I.C.4 Credit by Economic Activity (End of period amounts in millions of Kwanzas) mar-14 jun-14 set-14 dez A - Agriculture, Cattle, Hunting and Forestry B - Fishing C - Mining and Quarrying D - Manufacturing E - Electricity, Gas and Water F - Construction G - Wholesale and Retail Trade H - Hotel and Tourism I - Transports, Storage and Comunication J - Financial Activity, Insurance and Pension Founds K - Building Activity and Other Services L - Public Administration and Social Security M - Education N - Health, Education and Social Services O - Other Service Activities, Social and Personal P - Activities of Householves with domestic employees Q- Extraterritorial instituitions Z - Householves Others Values not Classificates TOTAL Source: National Bank of Angola

16 I.C.5 - REPARTIÇÃO DOS DEPÓSITOS POR SECTORES INSTITUICIONAIS (OIM) I.C.5 - OTHER DEPOSITORY CORPORATIONS DEPOSITS (OIM) Em milhões de Kz mar-14 jun-14 set-14 dez-14 Passivos incluídos na Moeda M , , , , , , , ,02 Liabilities included from broad money M In millions Kz Depósitos transferíveis , , , , , , , ,71 Transferable deposits dos quais: em moeda externa , , , , , , , ,68 of which: in foreign currency Sector público, excl. administração central , , , , , , , ,50 Public sector, excluding central goverment Dep. Transf. Administraçoes Estaduais E Locais MN 2.769, , , , , , , ,59 Transferable deposits to local governments DC Dep. Transf. Sociedades Não Financeiras Públicas MN , , , , , , , ,68 Transferable deposits to public non financial enterprise Dep. Transf. Administraçoes Estaduais E Locais ME 2.539, ,81 346,32 510,53 483, , , ,43 Transferable deposits to local governments FC Dep. Transf. Sociedades Não Financeiras Públicas ME , , , , , , , ,81 Transferable deposits to public non financial enterprise Outras Instituições financeiras não Monetárias 8.175, , , , , , , ,41 Other financial corporations Dep. Transf. Outras Instituições financeiras não Monetária 5.231, , , , , , , ,14 Transferable deposits to other financail corporations i Dep. Transf. Outras Instituições financeiras não Monetári 2.943, , , , , , , ,27 Transferable deposits to other financail corporations i Sector privado , , , , , , , ,80 Private sector Dep. Transf. Outras Sociedades Não Financeiras MN , , , , , , , ,30 Transferable deposits other non financial enterprise DC Dep. Transf. Outros Sectores Residentes MN , , , , , , , ,33 Transferable deposits other resident sectors DC Dep. Transf. Outras Sociedades Não Financeiras ME , , , , , , , ,07 Transferable deposits other non financial enterprise FC Dep. Transf. Outros Sectores Residentes ME , , , , , , , ,11 Transferable deposits other resident sectors FC Outros depósitos , , , , , , , ,30 Other deposits dos quais: em moeda externa , , , , , , , ,04 of which: in foreign currency Sector público, excl. administração central , , , , , , , ,10 Public sector, excluding central government Outros Dep. Administraçoes Estaduais E Locais MN 6.139, , ,88 61,47 62,52 65,42 64,44 86,63 Other deposits to local governments DC Outros Dep. Sociedades Não Financeiras Públicas MN , , , , , , , ,43 Other deposits to public non financial enterprises in DC Outros Dep. Administraçoes Estaduais E Locais ME 10,40 28,01 18,43 4,07 4,07 4,06 0,04 0,02 Other deposits to local governments FC Outros Dep. Sociedades Não Financeiras Públicas ME , , , , , , , ,02 Other deposits to public non financial enterprises in FC Outras Instituições financeiras não Monetárias 9.191, , , , , , , ,23 Other financial corporations Outros Dep.Outras Instituições financeiras não Monetárias MN 7.214, , , , , , , ,34 Other deposits to other financial corporations DC Outros Dep. Outras Instituições financeiras não Monetárias ME 1.976, , , , , , , ,89 Other deposits to other financial corporations FC Sector privado , , , , , , , ,73 Private sector Outros Dep. Outras Sociedades Não Financeiras MN , , , , , , , ,33 Other deposits to other non financial enterprise dc Outros Dep. Outros Sectores Residentes MN , , , , , , , ,25 Other deposits to othr resident sector DC Outros Dep. Outras Sociedades Não Financeiras ME , , , , , , , ,49 Other deposits to other non financial enterprise FC Outros Dep. Outros Sectores Residentes ME , , , , , , , ,66 Other deposits to othr resident sector FC Títulos 7.285, , , , , , , ,25 Securities other than shares dos quais: em moeda externa 7.285, , , , , , , ,25 of which: in foreign currency Acordos de recompra/revenda , , ,47 146,67 162,79 167,91 85,39 86,76 Repurchase agreements Passivos excluídos da Moeda M3 Liabilities excluded from broad money M3 Depósitos , , , , , , , ,81 Deposits dos quais: of wich: Administração central , , , , , , , ,21 Central government Não residentes , , , , , , , ,59 Non residents Títulos ,50 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Securities other than sahres Fonte: Banco Nacional de Angola (1) A partir de Janeiro de 2011 há uma quebra metodológica nas séries temporais devido a melhoria na classificação e sectorização das contas das Source: National Bank of Angola (1) Starting in January 2011 there is a methodological times series break due to improved classification and sectorization of the ODC accounts

Contas Nacionais Trimestrais Financeiras por Sector Institucional Quarterly Financial National Accounts by Institutional Sector

Contas Nacionais Trimestrais Financeiras por Sector Institucional Quarterly Financial National Accounts by Institutional Sector Estatísticas Temáticas de Conjuntura 21 de abril de 2016 April, 21, 2016 Contas Nacionais Trimestrais Financeiras por Sector Institucional by Institutional Sector - 2006 a 2015 - - 2006 to 2015 - Dados

Leia mais

Fonte / Source: Banco Central Europeu / European Central Bank. Depósitos com pré-aviso até 3 meses. equiparados até 2 anos (1)

Fonte / Source: Banco Central Europeu / European Central Bank. Depósitos com pré-aviso até 3 meses. equiparados até 2 anos (1) B.0.1 AGREGADOS MONETÁRIOS DA ÁREA DO EURO (a) EURO AREA MONETARY AGGREGATES (a) Saldos em fim de mês End-of-month figures Fonte / Source: Banco Central Europeu / European Central Bank M3 Circulação monetária

Leia mais

Produto Interno Bruto

Produto Interno Bruto DESIGNAÇÃO Valores em 10^6 STD, a Preços Correntes TOTAL PRODUTO INTERNO BRUTO 638668 731901 900583 1043317 1332354 1673609 1974030 2786141 3121072 3610485 4229269 5064433 5638912 6230813 VALOR ACRESCENTADO

Leia mais

Boletim Estatístico. Statistical Bulletin BANCO DE PORTUGAL E U R O S I S T E M A

Boletim Estatístico. Statistical Bulletin BANCO DE PORTUGAL E U R O S I S T E M A BANCO DE PORTUGAL E U R O S I S T E M A Boletim Estatístico Statistical Bulletin 2 2016 BOLETIM ESTATÍSTICO Statistical Bulletin 2 2016 Lisboa, 2016 www.bportugal.pt BOLETIM ESTATÍSTICO 2016 Banco de

Leia mais

Statistics on foreign financial claims of Portuguese banks on a consolidated basis

Statistics on foreign financial claims of Portuguese banks on a consolidated basis No 13 November 215 Statistics on foreign financial claims of Portuguese banks on a consolidated basis Banco de Portugal will publish statistical information in the Statistical Bulletin (Tables C.5.1 to

Leia mais

ÍNDICE DE QUADROS... ÍNDICE DE FIGURAS... ÍNDICE DE GRÁFICOS... NOTA INTRODUTÓRIA... 1

ÍNDICE DE QUADROS... ÍNDICE DE FIGURAS... ÍNDICE DE GRÁFICOS... NOTA INTRODUTÓRIA... 1 ÍNDICE DE QUADROS ÍNDICE ÍNDICE DE QUADROS... ÍNDICE DE FIGURAS... ÍNDICE DE GRÁFICOS... ix xiii xiv NOTA INTRODUTÓRIA... 1 Parte 1O «ACIDENTE TÍPICO» EM TODOS OS SECTORES DE ACTIVIDADE (PERÍODO 2001-2003)...

Leia mais

III Fórum Banca Expansão. João Fonseca Luanda, 4 de Julho de 2013

III Fórum Banca Expansão. João Fonseca Luanda, 4 de Julho de 2013 Novo Regime Cambial para o Sector Petrolífero (NRCSP) Impacto na economia Desdolarização, desenvolvimento do mercado cambial e da economia não petrolífera. III Fórum Banca Expansão João Fonseca Luanda,

Leia mais

Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial

Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Índice 1. Situação Monetária... 4 1.1. Base Monetária... 4 1.2. Massa Monetária... 5 1.2.1. Crédito à Economia... 6 1.2.2. Activo Externo

Leia mais

International Trade and FDI between Portugal-China Comércio Internacional e IDE entre Portugal-China. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica

International Trade and FDI between Portugal-China Comércio Internacional e IDE entre Portugal-China. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica dossiers Economic Outlook Conjuntura Económica International Trade and FDI between Portugal-China Comércio Internacional e IDE entre Portugal-China Last Update Última Actualização: 10-02-2015 Prepared

Leia mais

106 BANCO DE PORTUGAL Boletim Estatístico

106 BANCO DE PORTUGAL Boletim Estatístico 106 BANCO DE PORTUGAL Boletim Estatístico B.7.1.1 Taxas de juro sobre novas operações de empréstimos (1) concedidos por instituições financeiras monetárias a residentes na área do euro (a) Interest rates

Leia mais

Rating soberano do Brasil

Rating soberano do Brasil Rating soberano do Brasil Regina Nunes Presidente Standard & Poor s no Brasil Outubro 2014 Permission to reprint or distribute any content from this presentation requires the prior written approval of

Leia mais

: a Economia Portuguesa na União Europeia

: a Economia Portuguesa na União Europeia 1986-2010: a Economia Portuguesa na União Europeia NOVAS TECNOLOGIAS E TRANSFORMAÇÃO DA ESTRUTURA PRODUTIVA C A R L O S C A R R E I R A F A C U L D A D E D E E C O N O M I A D A U N I V E R S I D A D E

Leia mais

and Troika Troika dossiers Structural Reforms and Troika Reformas Troika Reformas Estruturais e Troika

and Troika Troika dossiers Structural Reforms and Troika Reformas Troika Reformas Estruturais e Troika dossiers Structural Reforms and /Reformas Structural Reforms and Reformas Structural Reforms and Reformas Last Update Última Actualização: 25/01/2016 Portugal Economy Probe (PE Probe) Prepared by PE Probe

Leia mais

1. THE ANGOLAN ECONOMY

1. THE ANGOLAN ECONOMY BPC IN BRIEF ÍNDICE 1. THE ANGOLAN ECONOMY 2. EVOLUTION OF THE BANK SECTOR 3. SHAREHOLDERS 4. BPC MARKET RANKING 5. FINANCIAL INDICATORES 6. PROJECTS FINANCE 7. GERMAN CORRESPONDENTS 1. THE ANGOLAN ECONOMY

Leia mais

Perfil Econômico: Estados Unidos

Perfil Econômico: Estados Unidos 1970 1974 1978 1982 1986 1990 1994 1998 2002 2006 2010 1970 1973 1976 1979 1982 1985 1988 1991 1994 1997 2000 2003 2006 2009 Perfil Econômico: Estados Unidos A seguir, iremos analisar as diferentes formas

Leia mais

PRODUTO INTERNO BRUTO (ÓPTICA DA PRODUÇÃO) Preços correntes

PRODUTO INTERNO BRUTO (ÓPTICA DA PRODUÇÃO) Preços correntes Preços correntes CAErev1 1953 1954 1955 1956 1957 1958 1959 1960 1961 1962 1963 1964 11+12 Agricultura caça silvicultura e exploração florestal... 15 660 16 752 17 649 15 996 18 025 18 609 17 364 17 900

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de Julho de 2009

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de Julho de 2009 Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de Julho de 2009 Balanço e demonstração de resultados da actividade consolidada do sistema bancário 1. O Banco de Portugal retoma nesta edição do Boletim Estatístico

Leia mais

Statistics Estatísticas do Mercado de Trabalho. Labour Market Statistics Estatísticas do Mercado de Trabalho. dossiers

Statistics Estatísticas do Mercado de Trabalho. Labour Market Statistics Estatísticas do Mercado de Trabalho. dossiers dossiers Economic Outlook Conjuntura Last Update Última Atualização: 13-02-2015 Prepared by PE Probe Preparado por PE Probe Copyright 2015 Portugal Economy Probe PE Probe All rights reserved Index / Índice

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Financia statements

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Financia statements DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Financia statements DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS FINANCIAL STATEMENTS 106 Balanços em 31 de Dezembro de 2009 a 2008 Balance at 31 December 2008 a 2009 Activo Assets 2009 2008 IMOBILIZADO

Leia mais

Qualquer similaridade é mera coincidência? a. Venda doméstica de automóveis na Coréia (y-o-y, %)

Qualquer similaridade é mera coincidência? a. Venda doméstica de automóveis na Coréia (y-o-y, %) Brasil e Coréia: Qualquer similaridade é mera coincidência? a Faz algum tempo que argumentamos sobre as lições importantes que a Coréia oferece ao Brasil. O país possui grau de investimento há muitos anos,

Leia mais

Acesso online através da Internet à Base de Dados Estatística Interativa do Banco de Portugal

Acesso online através da Internet à Base de Dados Estatística Interativa do Banco de Portugal Acesso online através da Internet à Base de Dados Estatística Interativa do Banco de Portugal Internet online access to the Banco de Portugal Statistical Interactive Database O BPstat Estatísticas online

Leia mais

BOLETIM ESTATÍSTICO STATISTICAL BULLETIN

BOLETIM ESTATÍSTICO STATISTICAL BULLETIN BOLETIM ESTATÍSTICO STATISTICAL BULLETIN 4 2011 Lisboa, 2011 Disponível em www.bportugal.pt Publicações Estatísticas Banco de Portugal EUROSISTEMA Banco de Portugal Departamento de Estatística Edifício

Leia mais

CONTAS COM SALDO DEVEDOR (Euros)

CONTAS COM SALDO DEVEDOR (Euros) Anexo à Instrução nº 15/98 Modelo I INSTITUIÇÃO SITUAÇÃO ANALÍTICA DO MÊS DE CONTAS COM SALDO DEVEDOR (Euros) 10 CAIXA 11 DEPÓSITOS À ORDEM NO BANCO DE PORTUGAL 12 DISPONIBILIDADES SOBRE INSTITUIÇÕES.DE

Leia mais

BOLETIM ESTATÍSTICO. Statistical Bulletin 8 2015. Lisboa, 2015 www.bportugal.pt

BOLETIM ESTATÍSTICO. Statistical Bulletin 8 2015. Lisboa, 2015 www.bportugal.pt BOLETIM ESTATÍSTICO Statistical Bulletin 8 2015 Lisboa, 2015 www.bportugal.pt BOLETIM ESTATÍSTICO 2015 Banco de Portugal Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição Departamento de Estatística

Leia mais

Contas Nacionais Financeiras da Economia Portuguesa Estatísticas sobre Patrimónios Financeiros de 1999 a 2004

Contas Nacionais Financeiras da Economia Portuguesa Estatísticas sobre Patrimónios Financeiros de 1999 a 2004 Contas Nacionais Financeiras da Economia Portuguesa Estatísticas sobre Patrimónios Financeiros de 1999 a 2004 Suplemento 3 2005 ao Boletim Estatístico Novembro 2005 Suplemento 3 2005 ao Boletim Estatístico

Leia mais

RESULTADOS Apresentação Resumo. 15 Março 2011 GRUPO FINANCEIRO

RESULTADOS Apresentação Resumo. 15 Março 2011 GRUPO FINANCEIRO RESULTADOS 2010 Apresentação Resumo 15 Março 2011 GRUPO FINANCEIRO SÍNTESE DA ACTIVIDADE RESULTADOS CONSOLIDADOS BALANÇO 2 SÍNTESE DA ACTIVIDADE 2010 Resultado líquido consolidado de 33,4 M, implicando

Leia mais

PRODUTO INTERNO BRUTO E ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR

PRODUTO INTERNO BRUTO E ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR PRODUTO INTERNO BRUTO E ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Q. 70 - PIB a Preços correntes da REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Unidade: 1000 Contos Sectores/Ramos de Actividade 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986

Leia mais

Estatísticas do Setor Externo Adoção da 6ª Edição do Manual de Balanço de Pagamentos e Posição Internacional de Investimentos (BPM6)

Estatísticas do Setor Externo Adoção da 6ª Edição do Manual de Balanço de Pagamentos e Posição Internacional de Investimentos (BPM6) Estatísticas do Setor Externo Adoção da 6ª Edição do Manual de Balanço de Pagamentos e Posição Internacional de Investimentos (BPM6) Nota Metodológica nº 4 Dívida externa Junho de 2015 1. Introdução A

Leia mais

Acesso online através da Internet à Base de Dados Estatística Interativa do Banco de Portugal

Acesso online através da Internet à Base de Dados Estatística Interativa do Banco de Portugal Acesso online através da Internet à Base de Dados Estatística Interativa do Banco de Portugal Internet online access to the Banco de Portugal Statistical Interactive Database O BPstat Estatísticas online

Leia mais

Parte 1 Part 1. Mercado das Comunicações. na Economia Nacional (2006-2010)

Parte 1 Part 1. Mercado das Comunicações. na Economia Nacional (2006-2010) Parte 1 Part 1 Mercado das Comunicações na Economia Nacional (2006-2010) Communications Market in National Economy (2006/2010) Parte 1 Mercado das Comunicações na Economia Nacional (2006-2010) / Part 1

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE SINES DEMOGRAFIA E INDICADORES DEMOGRÁFICOS

SISTEMA DE INFORMAÇÃO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE SINES DEMOGRAFIA E INDICADORES DEMOGRÁFICOS DEMOGRAFIA E INDICADORES DEMOGRÁFICOS 1 INDICADOR: População residente e taxa de variação, 1991 e 2001 População Variação 1991 2001 Portugal 9867147 10356117 5,0 Alentejo 782331 776585-0,7 Alentejo Litoral

Leia mais

Sistema de Contas Nacionais Brasil

Sistema de Contas Nacionais Brasil Diretoria de Pesquisas Sistema de Contas Nacionais Brasil 2004-2008 Coordenação de Contas Nacionais Rio, 05/11/2010 Divulgações do SCN Já divulgados os dois primeiros trimestres de 2010, HOJE - ano 2008

Leia mais

05. Demonstrações Financeiras Financial Statements

05. Demonstrações Financeiras Financial Statements 05. Demonstrações Financeiras Financial Statements Demonstrações Financeiras Financial Statements 060 Balanços em 31 de Dezembro de 2007 e 2006 Balance at 31 December 2007 and 2006 Activo Assets 2007 2006

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal dezembro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

BOLETIM ESTATÍSTICO. Statistical Bulletin 2 2015. Lisboa, 2015 www.bportugal.pt

BOLETIM ESTATÍSTICO. Statistical Bulletin 2 2015. Lisboa, 2015 www.bportugal.pt BOLETIM ESTATÍSTICO Statistical Bulletin 2 2015 Lisboa, 2015 www.bportugal.pt BOLETIM ESTATÍSTICO 2015 Banco de Portugal Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição Departamento de Estatística

Leia mais

05. Demonstrações Financeiras Financial Statements

05. Demonstrações Financeiras Financial Statements 05. Demonstrações Financeiras Financial Statements Demonstrações Financeiras Financial Statements 068 Balanços em 31 de Dezembro de 2008 e 2007 Balance at 31 December 2008 and 2007 Activo Assets 2008 2007

Leia mais

NIM, líquida de provisões

NIM, líquida de provisões Brasil 26 Var. M 15 / M 14 +6% / 4T'14 Volumes 1 +2% / 4T'14 Atividade Margem Líquida de Juros NIM 6,5% 6,3% 5,9% 5,7% 5,8% Milhões de EUR L&P 1T15 %4T14 %1T14 * NII + receita de tarifas 2.997 2,2 5,2

Leia mais

3º Trimestre de 2011

3º Trimestre de 2011 Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 3º Trimestre de 2011 Coordenação de Contas Nacionais 06 de dezembro de 2011 Revisões nas Contas Nacionais Trimestrais No 3º trimestre

Leia mais

Portugal. Principais Indicadores Económicos

Portugal. Principais Indicadores Económicos Portugal Principais Indicadores Económicos janeiro de 2016 Índice 1 - Indicadores Macroeconómicos 2 - Previsões Macroeconómicas 3 - Valor Acrescentado Bruto 4 - Estatísticas de Emprego 5 - Indicadores

Leia mais

Moçambique: Análise Conjunta FMI/Banco Mundial da Sustentabilidade da Dívida. Março de 2013

Moçambique: Análise Conjunta FMI/Banco Mundial da Sustentabilidade da Dívida. Março de 2013 Moçambique: Análise Conjunta FMI/Banco Mundial da Sustentabilidade da Dívida Março de 213 Resumo Stocks da dívida actual e pressupostos sobre a contratação de empréstimos Resultados da ASD Opções para

Leia mais

DECISÃO DO BANCO CENTRAL EUROPEU

DECISÃO DO BANCO CENTRAL EUROPEU 29.12.2009 Jornal Oficial da União Europeia L 348/57 DECISÃO DO BANCO CENTRAL EUROPEU de 14 de Dezembro de 2009 que altera a Decisão BCE/2006/17 relativa às contas anuais do Banco Central Europeu (BCE/2009/29)

Leia mais

Relatório Semi-Anual não Auditado 2010 Nordea 1, SICAV

Relatório Semi-Anual não Auditado 2010 Nordea 1, SICAV Relatório Semi-Anual não Auditado 2010 Nordea 1, SICAV Société d Investissement à Capital Variable à compartiments multiples Fundo de Investimento ao abrigo da lei luxemburguesa 562, rue de Neudorf L-2220

Leia mais

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS THE CAPITAL STRUCTURE: AN ANALYSE ON INSURANCE COMPANIES FREDERIKE MONIKA BUDINER METTE MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS MARTINS PAULA FERNANDA BUTZEN

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE INVESTIMENTOS SOCIAIS

FUNDO MUNICIPAL DE INVESTIMENTOS SOCIAIS a. Quadro Principal DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS : 2015 QUADRO - VARIAÇÕES PATRIMONIAIS QUANTITATIVAS Nota Impostos, Taxas e Contribuições de Melhoria Contribuições Exploração e Venda de Bens,

Leia mais

Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas. Comitê de Comércio Exterior. Brasília Julho de 2011

Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas. Comitê de Comércio Exterior. Brasília Julho de 2011 Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas Comitê de Comércio Exterior Brasília Julho de 2011 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE BENS E SERVIÇOS* US$ Bilhões BRAZILIAN FOREIGN TRADE IN GOODS

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DA EMPRESA

ESTRATÉGIAS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DA EMPRESA ESTRATÉGIAS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DA EMPRESA CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1.1 CONCEITOS BÁSICOS Negócios Internacionais TRANSACÇÕES QUE CRUZAM AS FRONTEIRAS NACIONAIS Empresa A País A Empresa B Empresa C

Leia mais

Econômico Contabilidade Nacional

Econômico Contabilidade Nacional Tabela 3.7.1 - Produto Interno Bruto a preço de mercado corrente (milhões de R$), do e Estados da região Norte - 2008-2011 Acre Roraima 3.032.205 3.239.404 3.770.085 4.143.013 154.251 163.207 201.511 230.011

Leia mais

Internacionalização da Economia Brasileira

Internacionalização da Economia Brasileira ASPECTOS TÉCNICOS DO ACORDO BRASIL ARGENTINA DE PAGAMENTOS EM MOEDA LOCAL Internacionalização da Economia Brasileira Paulo Vieira da Cunha São Paulo, Agosto/2007 1 Agenda 1. Internacionalização da Economia

Leia mais

MOÇAMBIQUE. Quadro A. Quadro de Referência Geral Sector Financeiro

MOÇAMBIQUE. Quadro A. Quadro de Referência Geral Sector Financeiro MOÇAMBIQUE Quadro A. Quadro de Referência Geral Sector Financeiro QUADRO CENTRAL: Síntese das Sociedades de Depósito Descritor Nacional (no caso de diferente, precisar): Síntese Monetária Global EXTENSÕES

Leia mais

FÓRUM DE INVESTIMENTO DIRECTO ESTRANGEIRO: UM NOVO PARADIGMA PARA A DIVERSIFICAÇÃO DA ECONOMIA ANGOLANA APIEX. 13 de Maio de 2016

FÓRUM DE INVESTIMENTO DIRECTO ESTRANGEIRO: UM NOVO PARADIGMA PARA A DIVERSIFICAÇÃO DA ECONOMIA ANGOLANA APIEX. 13 de Maio de 2016 FÓRUM DE INVESTIMENTO DIRECTO ESTRANGEIRO: UM NOVO PARADIGMA PARA A DIVERSIFICAÇÃO DA ECONOMIA ANGOLANA APIEX 13 de Maio de 2016 MERCADO DE CAPITAIS E INVESTIMENTOS Agenda Breves notas conceptuais Estruturas

Leia mais

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda São Paulo, 05 de Outubro de 2015 ECONOMIA INTERNACIONAL: TAXAS DE JUROS DE

Leia mais

D Informações particulares sobre a. Economia e a Sociedade Espanhola. e alguns indicadores do mesmo tipo para Portugal

D Informações particulares sobre a. Economia e a Sociedade Espanhola. e alguns indicadores do mesmo tipo para Portugal D Informações particulares sobre a Economia e a Sociedade Espanhola e alguns indicadores do mesmo tipo para Portugal Oferta e Procura de água em Espanha, 1992-2012 1992 2002 2012 Hm 3 /ano % Hm 3 /ano

Leia mais

gabinete de estratégia e estudos

gabinete de estratégia e estudos gabinete de estratégia e estudos Síntese Estatística INVESTIMENTO DIRECTO DE PORTUGAL NO EXTERIOR (IDPE) Fevereiro de 25 GEE - R.Laura Alves, 4-1º, 15-138 LISBOA - www.gee.min-economia.pt Telef. 21 799

Leia mais

Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA. TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 03 de Janeiro 2017

Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA. TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 03 de Janeiro 2017 Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA TABELA DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário pode ser consultado nos balcões e locais de atendimento ao público do Banco Millennium

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item Noções e Instrumentos de Política Monetária

Conhecimentos Bancários. Item Noções e Instrumentos de Política Monetária Conhecimentos Bancários Item 3.1.2- Noções e Instrumentos de Política Monetária Conhecimentos Bancários Item 3.1.2- Noções e Instrumentos de Política Monetária Manejo de operações destinadas a regular

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 20 de fevereiro de 2012

Nota de Informação Estatística Lisboa, 20 de fevereiro de 2012 Nota de Informação Estatística Lisboa, 2 de fevereiro de 212 Novo capítulo do Boletim Estatístico relativo ao endividamento do setor não financeiro O Banco de Portugal inicia hoje a publicação do novo

Leia mais

PORTUGAL UMA NOVA CENTRALIDADE LOGÍSTICA. Dia Regional Norte do Engenheiro 2012

PORTUGAL UMA NOVA CENTRALIDADE LOGÍSTICA. Dia Regional Norte do Engenheiro 2012 Dia Regional Norte do Engenheiro 2012 Bragança, 29 de setembro de 2012 José António de Barros Presidente de AEP 1 Gráfico I 2 Tabela I 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Exportações Globais (Bens e Serviços),

Leia mais

Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA. TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 04 de Outubro 2016

Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA. TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 04 de Outubro 2016 Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 04 de Outubro 2016 O Preçário pode ser consultado nos balcões e locais de atendimento

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T de Novembro de 2016 Relações com Investidores

Teleconferência de Resultados 3T de Novembro de 2016 Relações com Investidores Teleconferência de Resultados 11 de Novembro de 2016 Relações com Investidores 1 Disclaimer Este material constitui uma apresentação de informações gerais sobre a Marfrig Global Foods S.A. e suas controladas

Leia mais

INSTITUTO REGIONAL DE EMPREGO

INSTITUTO REGIONAL DE EMPREGO INSTITUTO REGIONAL DE EMPREGO INDICADORES DO MERCADO DE EMPREGO SÍNTESE JANEIRO/07 DEZEMBRO/07 JANEIRO/08 VARIAÇÃO % V.A. % V.A. % V.A. % Mês Homólogo Mês Anterior DESEMPREGO REGISTADO 8895 100,0 8773

Leia mais

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h;p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Estrutura da Apresentação Variáveis- instrumentos:

Leia mais

Moçambique Seminário PSI. Inclusão Financeira

Moçambique Seminário PSI. Inclusão Financeira Moçambique Seminário PSI Inclusão Financeira 1 Resumo 1. Definição da inclusão financeira 2. Factos estilizados 3. Experiência internacional 4. Implicações para as políticas 2 Inclusão financeira O problema:

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL BALANÇO FINANCEIRO - TODOS OS ORÇAMENTOS 1 INGRESSOS DISPÊNDIOS ESPECIFICAÇÃO 2014 ESPECIFICAÇÃO 2014 Receitas Orçamentárias - - Despesas Orçamentárias 7.583.637,48 - Ordinárias - - Ordinárias 2.011.924,00

Leia mais

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de 2015 5º. PLENAFUP Economia Brasileira I.54 - Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) Período Índice

Leia mais

MOÇAMBIQUE. Quadro B. Categorias de Dados e Indicadores. Sector Externo

MOÇAMBIQUE. Quadro B. Categorias de Dados e Indicadores. Sector Externo MOÇAMBIQUE Quadro B. Categorias de Dados e Indicadores Sector Externo CATEGORIA DE DADOS: Agregados da Balança de Pagamentos Descritor Nacional (no caso de diferente, precisar): PRINCIPAIS INDICADORES:

Leia mais

Crise Internacional e Impactos sobre o Brasil. Prof. Dr. Fernando Sarti

Crise Internacional e Impactos sobre o Brasil. Prof. Dr. Fernando Sarti Reunião Mensal Plenária CIESP - Campinas Crise Internacional e Impactos sobre o Brasil Prof. Dr. Fernando Sarti NEIT-IE IE-UNICAMP fersarti@eco.unicamp. @eco.unicamp.br Campinas, 18 de fevereiro de 2009

Leia mais

Risco do país: B (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: José Eduardo dos Santos Tx. Câmbio: 1 EUR = 117,8535 AOA (janeiro 2015)

Risco do país: B (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: José Eduardo dos Santos Tx. Câmbio: 1 EUR = 117,8535 AOA (janeiro 2015) Informação Geral sobre Angola Área (km 2 ): 1 246 700 Vice-Presidente: Manuel Vicente População (milhões hab.): 22,1 (estimativa ) Risco de crédito: 5 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Luanda

Leia mais

TRANSACÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA PERGUNTAS FREQUENTES

TRANSACÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA PERGUNTAS FREQUENTES Fonte site BNA TRANSACÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA PERGUNTAS FREQUENTES 1. Posso efectuar pagamentos em moeda estrangeira para bens ou serviços adquiridos no país? Não. Os pagamentos devidos pela aquisição

Leia mais

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli 1 Apresentação Semanal De 04 a 15 de abril de 2016 Matheus Rosignoli mrosignoli@santander.com.br Indicadores e eventos da última semana Mar-08 Jul-08 Nov-08 Mar-09 Jul-09 Nov-09 Mar-10 Jul-10 Nov-10 Mar-11

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental ISO 14001: Análise Comparativa dos Setores de Atividade entre Regiões e Países

Sistema de Gestão Ambiental ISO 14001: Análise Comparativa dos Setores de Atividade entre Regiões e Países Sistema de Gestão Ambiental ISO 14001: Análise Comparativa dos Setores de Atividade entre Regiões e Países Lucila Maria Souza de Campos Thiago H. S. Santos Débora Spenassato Andréa Cristina Trierweiller

Leia mais

Manual de Gerenciamento de Risco de Liquidez

Manual de Gerenciamento de Risco de Liquidez Manual de Gerenciamento de Risco de Liquidez Novembro 2015 1. Introdução Este manual de gerenciamento de risco de liquidez foi criado pela equipe da Spectra Investimentos e visa atender os requerimentos

Leia mais

Relatório - Plano de Ensino 06/02/ :21

Relatório - Plano de Ensino 06/02/ :21 Página: 1/5 MERCADO FINANCEIRO EMENTA Sistema Financeiro Nacional. Mercados Financeiros: Monetário, Crédito, Capitais e Cambial. Produtos Financeiros. Risco da Taxa de Juros na Carteira de Títulos de Renda.

Leia mais

Produto Interno Bruto 2º trimestre de de agosto de 2015

Produto Interno Bruto 2º trimestre de de agosto de 2015 Produto Interno Bruto 2º trimestre de 2015 28 de agosto de 2015 Crescimento do PIB no 2º Trimestre de 2015 2 Var. % pela ótica da produção 2º tri 2015 contra 1º tri 2015 2º tri 2015 contra 2º tri 2014

Leia mais

Estudo de Mercado sobre Distribuição e Logística em Angola

Estudo de Mercado sobre Distribuição e Logística em Angola Estudo de Mercado sobre Distribuição e Logística em Angola 1.População e Território 2.Modelo de Desenvolvimento 3.O Desafio da Diversificação 4.O Papel da Logística 5.A Rede de Distribuição 6.O Novo Quadro

Leia mais

MENSAIS DE CONJUNTURA

MENSAIS DE CONJUNTURA GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Departamento de Análise, Estudos e Previsão Departamento de Políticas e Finanças Públicas Ministério das Finanças INDICADORES

Leia mais

Sumário. Prefácio, xiii

Sumário. Prefácio, xiii Prefácio, xiii 1 Função dos juros na economia, 1 1.1 Consumo e poupança, 1 1.1.1 Necessidade natural de poupar, 2 1.1.2 Consumo antecipado paga juro, 2 1.2 Formação da taxa de juro, 4 1.2.1 Juro e inflação,

Leia mais

BOLETIM. Fundos de Investimento. Indústria registra captação líquida de R$ 97,6 bi no ano. Destaque do Mês. Indústria de Fundos em Números - Dez/12

BOLETIM. Fundos de Investimento. Indústria registra captação líquida de R$ 97,6 bi no ano. Destaque do Mês. Indústria de Fundos em Números - Dez/12 Fundos de Investimento BOLETIM Ano VIII Nº 81 Janeiro/2013 Indústria registra captação líquida de R$ 97,6 bi no ano Indústria de Fundos em Números - Dez/12 MERCADO DOMÉSTICO R$ 2.189,0 bi de PL 0,2% Variação

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL - EM R$. 1,00

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL - EM R$. 1,00 COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE DESO CNPJ. 13.018.171/000190 BALANÇO PATRIMONIAL EM R$. 1,00 A T I V O 31.12.2007 31.12.2006 ATIVO CIRCULANTE 138.417.550 134.143.301 Caixa e Bancos 1.286.238 3.838.555

Leia mais

Senhores Acionistas: FATURAMENTO CRESCE 47% E SUPERA A MARCA DOS R$ 4 BILHÕES

Senhores Acionistas: FATURAMENTO CRESCE 47% E SUPERA A MARCA DOS R$ 4 BILHÕES Senhores Acionistas: Após sofrer o impacto causado pela desvalorização da moeda brasileira no início de 1999, a economia do País, de um modo geral, mostrou resultados bastante positivos no encerramento

Leia mais

NOTAS METODOLÓGICAS SOBRE AS ALTERAÇÕES NO BALANÇO DE PAGAMENTOS. Professor Rodrigo Nobre Fernandez

NOTAS METODOLÓGICAS SOBRE AS ALTERAÇÕES NO BALANÇO DE PAGAMENTOS. Professor Rodrigo Nobre Fernandez NOTAS METODOLÓGICAS SOBRE AS ALTERAÇÕES NO BALANÇO DE PAGAMENTOS Professor Rodrigo Nobre Fernandez Pelotas 2015 2 Introdução A partir de 2015, o Banco Central do Brasil divulga as estatísticas de setor

Leia mais

Empréstimos de Outras Instituições Financeiras Monetárias a Particulares e Sociedades não Financeiras (a)

Empréstimos de Outras Instituições Financeiras Monetárias a Particulares e Sociedades não Financeiras (a) Empréstimos de Outras Instituições Financeiras Monetárias a Particulares e (a) Peso (b) 10 6 euros Variações homólogas (%) Dif. (p.p.) Tendência (x100) (c) Média Mensal (%) (d) 2014 2015 dez/15 jan/16

Leia mais

Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais GPEARI Departamento de Análise Económica e Finanças Públicas Ministério das Finanças INDICADORES MENSAIS DE CONJUNTURA Setembro

Leia mais

Programa de Assistência Médica

Programa de Assistência Médica Programa de Assistência Médica Discussão sobre: Mecanismos de Regulação por Cesar Lopes 14 de Julho de de 2016 2016 Willis Towers Watson. All rights reserved. Cobertura de assistência médica no Brasil

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ÓRAMA OURO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO 09.601.190/0001-77 Informações referentes a 06/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais

PRODUTO INTERNO BRUTO CRESCEU EM VOLUME 0,9% NO 1º TRIMESTRE DE 2008

PRODUTO INTERNO BRUTO CRESCEU EM VOLUME 0,9% NO 1º TRIMESTRE DE 2008 09 de Junho de 2008 Contas Nacionais Trimestrais (Base 2000) 1º Trimestre de 2008 PRODUTO INTERNO BRUTO CRESCEU EM VOLUME 0,9% NO 1º TRIMESTRE DE 2008 No 1º trimestre de 2008, o Produto Interno Bruto (PIB)

Leia mais

O Sector Bancário Angolano. Fernando Costa Lima Luanda, 3 de Julho de 2012

O Sector Bancário Angolano. Fernando Costa Lima Luanda, 3 de Julho de 2012 O Sector Bancário Angolano Fernando Costa Lima Luanda, 3 de Julho de 2012 1 Julho de 2012 The big picture... 23 (2011) 47% (Abril 2012) 7 Bancos (#) Quota depósitos a ordem 21% Bancos Angolanos no Top

Leia mais

Presença feminina nas empresas em Portugal

Presença feminina nas empresas em Portugal Presença feminina nas empresas em Portugal 4ª Edição, Março 2014 ESTUDO INFORMA D&B A Informa D&B, como especialista no conhecimento da informação sobre o tecido empresarial, tem vindo a acompanhar esta

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO Economia Monetária 3º ano de Economia Prova para dispensa de exame final 14/2/2001 Duração: 120 minutos

INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO Economia Monetária 3º ano de Economia Prova para dispensa de exame final 14/2/2001 Duração: 120 minutos Economia Monetária 3º ano de Economia Prova para dispensa de exame final 14/2/2001 1. Responda às seguintes questões: a) Analise de que forma as funções da moeda são actualmente desempenhadas pelo euro.

Leia mais

Administração de Capital de Giro e Planejamento a Curto Prazo. Chapter Outline

Administração de Capital de Giro e Planejamento a Curto Prazo. Chapter Outline 26-0 Universidade Federal de Itajubá Instituto de Engenharia de Produção e Gestão Curso de Finanças Corporativas Prof. Edson Pamplona (www.iem.efei.br/edson) CAPÍTULO 27 Administração de Capital de Giro

Leia mais

Aula 04 Moedas e Bancos

Aula 04 Moedas e Bancos Aula 04 Moedas e Bancos 1. (GESTOR 2008) Considerando a definição de meios de pagamentos adotada no Brasil, é incorreto afirmar que: a) o M1 engloba o papel-moeda em poder do público. b) o M2 engloba os

Leia mais

4T14 RELEASE TRIMESTRAL. Destaques. Grandes Números. Resultados. Grupo Copobras

4T14 RELEASE TRIMESTRAL. Destaques. Grandes Números. Resultados. Grupo Copobras Grupo Copobras São Ludgero, 16 de janeiro de 2015 O Grupo Copobras, apresenta seus resultados não auditados do quarto trimestre de 2014. O Grupo Copobras compreende as empresas abaixo: - Copobras S/A Indústria

Leia mais

CURSOS CREDENCIADOS 2014

CURSOS CREDENCIADOS 2014 Auditoria para Seniores Nível I SC-00297 24 24 24 24 0 Auditoria para Seniores Nível II SC-00298 24 24 24 24 0 Normas de Auditoria Independente das Demonstrações Financeiras e Normas Profissionais de Auditor

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO INVESTIMENTO DIRECTO DIRECT INVESTMENT STATISTICS

ESTATÍSTICAS DO INVESTIMENTO DIRECTO DIRECT INVESTMENT STATISTICS ESTATÍSTICAS DO INVESTIMENTO DIRECTO DIRECT INVESTMENT STATISTICS Para obtenção de mais informação, os utilizadores deverão dirigir-se ao Centro de Documentação e Difusão de Informação (CDDI) da DSEC,

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO Capital Garantido Brasil 2015 Notes ( Brasil 2015 Notes ) a emitir pelo Espirito Santo Investment p.l.c. ao abrigo do seu 2,500,000,000 Euro Medium Term

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO SETOR - Restauração e Hotelaria -

CARACTERIZAÇÃO DO SETOR - Restauração e Hotelaria - CARACTERIZAÇÃO DO SETOR - Restauração e Hotelaria - julho.2015 DESTAQUES 1. Desde o 3º trimestre de 2014 até ao 1º trimestre de 2015, a Restauração e a Hotelaria perderam 52.900 postos de trabalho (Fonte:

Leia mais

A Indústria Brasileira de Private Equity e Venture Capital (PE&VC) como oportunidade de diversificação de carteira dos investidores institucionais

A Indústria Brasileira de Private Equity e Venture Capital (PE&VC) como oportunidade de diversificação de carteira dos investidores institucionais A Indústria Brasileira de Private Equity e Venture Capital (PE&VC) como oportunidade de diversificação de carteira dos investidores institucionais Fernando Cezar Borges Presidente da ABVCAP Agenda A ABVCAP

Leia mais

Apresentação disciplina ECO034

Apresentação disciplina ECO034 215 Apresentação disciplina ECO34 Panorama do primeiro semestre de 215 Alguns fatores no primeiro semestre de 215 vêm afetando a economia, e fazendo com que a população diminua o seu consumo. Aceleração

Leia mais

GPEARI INDICADORES MENSAIS DE CONJUNTURA. Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

GPEARI INDICADORES MENSAIS DE CONJUNTURA. Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais GPEARI Unidade de Política Económica Ministério das Finanças INDICADORES MENSAIS DE CONJUNTURA Agosto de 212 Gabinete de Planeamento,

Leia mais

BNDES e o apoio à Infraestrutura. Agosto de 2016

BNDES e o apoio à Infraestrutura. Agosto de 2016 BNDES e o apoio à Infraestrutura Agosto de 2016 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952. Empresa pública de propriedade integral da União. Instrumento chave para implementação da política industrial,

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 1

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 1 EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 10.º/11.º ou 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto Programas novos e Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 712/12 Págs. Duração

Leia mais