1 Objectivos. 2 Linguagem C. Arquitecturas e Sistemas Operativos (2 a Parte) AT 1: Programação em C. Rever alguns aspectos da programação em C

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 Objectivos. 2 Linguagem C. Arquitecturas e Sistemas Operativos (2 a Parte) AT 1: Programação em C. Rever alguns aspectos da programação em C"

Transcrição

1 Arquitecturas e Sistemas Operativos (2 a Parte) AT 1: Programação em C 3 o Ano MIEEC 1 Objectivos Rever alguns aspectos da programação em C 2 Linguagem C A linguagem C é uma linguagem imperativa. Todos os programas têm que ter uma e uma só função de nome main. De facto, o programa mais simples em C (main.c) é: Para o compilar em Linux basta executar o comando: gcc -Wall main.c -o main Por momentos vamos ignorar o aviso: main.c: In function main : main.c:2: warning: control reaches end of non-void function e executá-lo:./main Nota: A substring./ que precede o nome do programa indica ao interpretador de comandos, vulgo shell, onde pode encontrar o programa main. E o resultado desta execução é... nada visível terminando o programa de imediato. De facto, outra coisa não seria de esperar porque a função main() não inclui qualquer instrução. Antes de avançar para um programa que faz alguma coisa, conviria eliminar o aviso do compilador. Para isso basta acrescentar a linha à função main():

2 O programa mais famoso O programa C mais famoso é o Hello, World! : printf("hello, World!\n"); O qual invoca a função printf() para imprimir a string Hello, World! na consola (mais correctamente, na saída standard). A primeira linha é uma directiva para incluir um ficheiro do tipo header com a declaração da função printf() (entre outras): Em C todas as funções têm que ser declaradas (ou definidas) antes de serem invocadas. (Ver mais à frente o que são a declaração, a definição e a invocação duma função.) Para saber que header file deverá incluir quando usa uma função da biblioteca C poderá executar o utilitário man, como se segue; man 3 printf Obviamente, se estiver interessado noutra função deverá substituir a string printf pelo nome dessa função. O número 3 especifica que se pretende a página do manual de programação, o qual é, por assim dizer, o 3 o volume do manual disponível através de man. Mais sobre printf() É claro que a função printf() da biblioteca C permite imprimir muito mais do que uma constante do tipo string, i.e. uma string cujo valor não varia, como é o caso de Hello, World!\n. (A propósito, o último carácter desta string, o carácter \n, representa o carácter nova linha e faz com que o cursor se desloque para o início da linha seguinte. Outro carácter especial de interesse é o carácter \t, o qual representa um tab, i.e. um número pré-definido de espaços em branco.) De facto, printf() permite imprimir um n o variável de argumentos. O primeiro é, digamos, a string principal, a qual especifica não só a parte fixa do que se pretende imprimir como o formato da parte variável, se alguma, sendo por isso designada por string de formatação. O formato da parte variável é descrito por uma string que consiste no carácter % seguido por um conversion specifier, o qual especifica o formato de representação da parte variável da string a imprimir. Em princípio, deverá haver um conversion specifier, e correspondente carácter %, por cada argumento de printf() que segue a string de formatação. O ficheiro digits.c ilustra o uso de printf() para imprimir os 10 algarismos um por linha. void main() { int i;

3 for(i = 0; i < 10; i++) { printf("%d\n", i); Neste caso como pretendemos imprimir apenas números inteiros usamos a string %d. Para uma especificação do formato e do significado dos conversion specifiers pode consultar a man page de printf() retornada por man 3 printf. A printf_format_placeholderspginadawikipediasobre\texttt{printf apresenta um sumário dessa informação duma forma mais legível recorrendo a tabelas. Após compilar: gcc -Wall digits.c -o digits A execução de digits (dando o comando./digits) produz o resultado esperado: [...] 8 9 Onde [...] indica que omiti algumas linhas. Tipos Na linguagem C, variáveis e constantes podem ser dum conjunto de tipos básicos, ou primitivos, tais como: char, para um carácter ou um inteiro de 8 bits com sinal; short int, int e long int para inteiros com sinal usando um n o diferente de bytes (a linguagem C não define o tamanho de cada um destes tipos, o que obriga a algum cuidado para garantir portabilidade do código). Para permitir uma escrita mais eficiente, C permite que se omita a string int em short int e em long int. float e double para números de vírgula flutuante de precisão simples e dupla, respectivamente. Além dos tipos inteiros com sinal descritos acima, C suporta ainda tipos inteiros sem sinal que se especificam precedendo as key words correspondentes com a string unsigned. Por exemplo: unsigned char ou unsigned long. (Note-se que neste último caso, estamos a usar apenas long em vez de long int.) Essencialmente, um tipo determina: 1. O conjunto de valores que uma constante ou variável pode assumir;

4 2. O conjunto de operações que se pode aplicar a uma constante ou variável desse tipo. Além disso, um tipo determina a forma como uma constante ou variável é representada internamente, i.e. ao nível do processador e da memória. O programa div em div.c ilustra o efeito do tipo duma variável no resultado da operação aritmética divisão: int m = 10; int n = 3; int q; double x = 10.0; double y = 3.0; double z; q = m/n; z = x/y; printf(" %d / %d = %d \n %f / %f = %f \n", m, n, q, x, y, z); Compilando-o e executando-o, obtém-se: 10 / 3 = / = Um dos aspectos mais subtis da linguagem C é a conversão entre tipos. De facto, C realiza conversão entre tipos quando numa expressão se usa constantes/variáveis de tipos diferentes. Contudo, os resultados nem sempre são os que se esperam, como ilustra o seguinte programa que se encontra no ficheiro conv.c: int m = 10; int n = 3; int q; double z; q = m/n; z = m/n; printf(" %d / %d = %d \n %d / %d = %f \n", m, n, q, m, n, z);

5 O qual produz: 10 / 3 = 3 10 / 3 = Tente alterar este programa para que a segunda expressão produza de facto o resultado da divisão não inteira. (Pode encontrar uma solução no ficheiro casts.c) Além dos tipos básicos, C permite ainda especificar tipos compostos tais como vectores (ou arrays) e estruturas de dados: int a[10]; // a is an array of 10 integers (not initialized) struct { double re, im; z; // z is a struct composed of two doubles Funções Uma função em C é muito semelhante a uma função matemática: tal como esta última, pode ser usada para mapear os valores dum determinado domínio, especificados no seu argument, em valores dum contradomínio, o valor retornado pela função. Em C, as funções aparecem no contexto de 3 construções, ou usos: Definição especifica as instruções que deverão ser executadas, sempre que a função é invocada, para produzir o resultado desejado a partir dos argumentos. Invocação determina a execução das instruções que constam na sua definição para um determinado valor de cada um dos seus argumentos. Declaração declara o nome da função bem como os tipos dos seus argumentos e dos valores de retorno. A declaração é usada essencialmente para simplificar a compilação. De notar que a declaração duma função nem sempre é necessária, nomeadamente se a invocação da função for precedida pela sua definição. O programa fdiv em fdiv.c ilustra precisamente este facto: double div(double x, double y) { double z; // Definition of div() z = x/y; return z; double u = 10.0; double v = 3.0;

6 printf("%f / %f = %f \n", u, v, div(u,v)); // Invocation of div() A compilação e a execução deste programa produzem os resultados esperados. Se definirmos a função div() depois da função main() (ver ficheiro no_decl.c) de forma a que a função div() é invocada antes de ser definida e sem que tenha sido previamente declarada obteremos o seguinte erro de compilação: gcc -Wall no_decl.c -o no_decl decl.c: In function main : decl.c:7: warning: implicit declaration of function div decl.c:7: warning: format %f expects type double, but argument 4 has type i decl.c: At top level: decl.c:12: error: conflicting types for div O que acontece aqui é que o compilador ao encontrar a invocação de div assume que retorna um inteiro e infere que os seus argumentos são do tipo double. Contudo, mais à frente, quando encontra a definição de div(), detecta que há um conflito, pois o valor de retorno é do tipo double e assinala um erro. Neste caso, tudo o que temos que fazer é declarar a função div() antes da primeira invocação, como ilustrado em decl.c: double div(double, double); // declaration of div() double u = 10.0; double v = 3.0; printf("%f / %f = %f \n", u, v, div(u,v)); // invocation of div() double div(double x, double y) { // definition of div() double z; z = x/y; return z; IMP.- Nem sempre a invocação duma função antes da sua definição e sem a sua declaração prévia dá origem a erros de compilação. Contudo, mesmo nestes casos o comportamento do programa pode ser diferente do desejado. Assim, é importante que sempre que usa uma função antes de a definir (ou se ela estiver definida noutro ficheiro, como é o caso de printf()) a declare previamente, ou de forma explícita ou incluindo um header file com essa declaração.

7 Passagem de argumentos duma função Um aspecto essencial da linguagem C é que os argumentos são passados por valor. I.e., quando da invocação duma função com argumentos, os valores dos argumentos especificados nessa invocação são copiados para uma região de memória apropriada e que será usada pela função invocada sempre que as suas instruções acederem (i.e. lerem ou escreverem) aos seus argumentos. Este aspecto da linguagem C pode ser determinante na correcção dum programa. O programa seguinte fun_args.c ilustra uma implementação errada duma função que troca o valor das variáveis que lhe são passadas como argumento: void swap(int a, int b) { int t; printf("in swap, before swap: a = %d b = %d\n", a, b); t = a; a = b; b = t; printf("in swap, after swap: a = %d b = %d\n", a, b); int n = 5; int m = 1; printf("before calling swap: n = %d m = %d\n", n, m); swap(n,m); printf("after calling swap: n = %d m = %d\n", n, m); De facto, o problema é que o que é passado à função swap() são os valores das variáveis m e n, os quais são atribuídos aos argumentos a e b. Depois, a função swap() opera apenas sobre estas variáveis e não sobre as variáveis m e n. Para conseguir o efeito desejado temos que usar apontadores. Apontadores Um apontador é uma variável que toma como valor um endereço. De facto, em C, apontadores não são apenas endereços, são endereços de variáveis/constantes dum determinado tipo, ou de forma mais breve endereços dum determinado tipo, o que tem algumas vantagens como veremos. Para suportar a manipulação de endereços, a linguagem C oferece 2 operadores: & o qual retorna o endereço da variável que é o seu operando; * o qual retorna o valor na posição de memória cujo endereço é o seu operando; O programa ptr em ptr.c ilustra o uso destes 2 operadores:

8 0: 1: 2: 3: int m = 10; 4: int *ptr; // pointer to integer 5: 6: ptr = &m; // initialize ptr with the address of m 7: printf("ptr = %p \t *ptr = %d \t m = %d \n", ptr, *ptr, m); 8: return 0 9: De notar, a linha 4 é a declaração da variável ptr como um apontador para inteiro. Esta declaração pode ser lida como: ptr é uma variável cujo valor apontado é um inteiro. Compilando-o e executando-o, obtém-se: ptr = 0xbfccc73c *ptr = 10 m = 10 Ou seja, à variável inteira m foi atribuída uma região de memória começando na posição de endereço 0xbfccc73c. E o valor dessa região de memória obtido usando a expressão *ptr está de acordo com o valor da variável m. Agora que sabemos como funcionam os apontadores poderemos corrigir a função swap() apresentada acima (ver ficheiro swap.c): void swap(int* a, int* b) { int t; printf("in swap, before swap: *a = %d *b = %d\n", *a, *b); t = *a; *a = *b; *b = t; printf("in swap, after swap: *a = %d *b = %d\n", *a, *b); int n = 5; int m = 1; printf("before calling swap: n = %d m = %d\n", n, m); swap(&n,&m); printf("after calling swap: n = %d m = %d\n", n, m); As alterações são menores, mas a diferença no resultado é imensurável: entre um resultado correcto e outro que não o é. De facto, a solução consiste em passar como argumentos a swap() não o valor

9 das variáveis cujos valores pretendemos trocar, mas os endereços dessas variáveis. Estes endereços são usados então dentro da função swap() para alterar os valores das posições de memória correspondentes. IMP.- Note-se que C continua a passar os argumentos por valor, apenas estes argumentos são endereços, o que permite produzir um efeito semelhante ao modo de passagem de argumentos por referência. O programa swap ilustra um dos principais usos de apontadores na linguagem C: a possibilidade de alterar o valor duma variável de forma visível fora da função que faz essa alteração. Um dos exemplos mais comuns do uso desta funcionalidade é a função scanf() da biblioteca C. A função scanf() é dual da função printf() no sentido de que enquanto esta última permite escrever na saída standard (normalmente a consola), scanf() permite ler da entrada standard (normalmente o teclado). O programa input em input.c ilustra o uso de scanf() para ler um inteiro do teclado: int n; printf("enter an integer... "); scanf("%d", &n); printf("\nread %d \n", n); Ou seja, neste caso, scanf() inicializa a região de memória apontada pelo endereço que lhe é passado como argumento, neste caso o endereço da variável n, com o inteiro introduzido através do teclado, inicializando desta forma a variável n com esse valor. Note-se que scanf() usa strings de formatação com um formato semelhante ao destas strings em printf(). É assim possível ler não só inteiros mas também números de vírgula flutuante bem como valores de outros tipos. Para uma explicação detalhada do uso desta função pode consultar a sua man page dando o comando man 3 scanf. Para um sumário mais legível pode consultar a página correspondente da Wikipedia Strings Em C, há uma relação estreita entre strings e endereços/apontadores. De facto, C não tem um tipo string, mas apenas um tipo char. Contudo, atendendo a que uma string é tipicamente guardada em memória com cada um dos seus carácteres em posições consecutivas, é possível referir uma string pelo endereço da sua primeira posição de memória. Contudo tal não basta. Como é que sabe qual é o último carácter duma string? A solução adoptada em C, é usar um carácter especial, conhecido por end of string character, o carácter de código 0, para marcar o fim duma string. O programa string em string.c ilustra este aspecto da linguagem C: // Strings are represented as pointers to their first character // The end of string is marked by the \0 character

10 char *str, *p; %p\n", "Hello World!\n"); str = "Hello World!\n"; for( p = str; *p!= \0 ; p++) %p: %c\n", p, *p); O que é que este programa faz? Verifique a sua resposta compilando-o e executando-o. Arrays A linguagem C suporta também arrays/vectores. O programa array em array.c ilustra alguns dos aspectos relacionados com a sintaxe de manipulação de vectores em C: 0: 1: 2: 3: int a[] = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9; 4: int i; 5: 6: for( i = 0; i < 10; i++ ) 7: printf("a[%d] = %d\n", i, a[i]); 8: 9: Em particular note o uso de [] na declaração dum vector (na linha 3), bem como na referência a um elemento particular desse vector na linha 7. Note-se que os indíces dum vector começam em 0. De notar ainda, a inicialização dos elementos do vector na linha 3 usando-se para o efeito {,. Os elementos dum vector não inicializado terão um valor arbitrário. Quando não se faz a inicialização dos elementos do vector na sua declaração, é necessário especificar o n o de elementos do vector. Quando se faz a inicialização, o compilador assume que o vector tem um n o de elementos iguais ao n o de valores usados na inicialização. Tal como uma string consiste numa sequência de carácteres, também um array/vector consiste numa sequência de elementos dum determinado tipo. Assim, em C há uma relação estreita entre arrays e endereços/apontadores. Nomeadamente, o nome dum vector é de facto o endereço da primeira posição de memória desse vector. Como ilustra o programa array ptr em array ptr.c: int a[] = {0, 1, 2; int i; int *p;

11 printf("array %p\n", a); for( i = 0, p = a; i < 3; i++, p++) { printf("a[%d] %p) = %d\n", i, &a[i], a[i]); printf("a[%d] %p) = %d\n", i, p, *p);

O que é um apontador em C (type pointer in C)?

O que é um apontador em C (type pointer in C)? O que é um apontador em C (type pointer in C)? Um apontador é uma variável que contém um endereço de outra variável. int x = 10;//variável inteira iniciada com o valor 10 int *px = &x;//variável apontadora

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4 Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1 Estruturas Básicas Aula Tópico 4 1 Problema 3 Exibir o maior número inteiro que pode ser representado no computador. 2 Qual o maior número inteiro? Para

Leia mais

Métodos Computacionais. Funções, Escopo de Variáveis e Ponteiros

Métodos Computacionais. Funções, Escopo de Variáveis e Ponteiros Métodos Computacionais Funções, Escopo de Variáveis e Ponteiros Tópicos da Aula Hoje vamos detalhar funções em C Escrevendo funções Comando return Passagem de argumentos por valor Execução de uma função

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1)

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Objetivos O principal objetivo deste artigo é explicar alguns conceitos fundamentais de programação em C. No final será implementado um programa envolvendo todos

Leia mais

Linguagem C Ficheiros Compilação Separada

Linguagem C Ficheiros Compilação Separada Linguagem C Ficheiros Compilação Separada typedef definição de tipos Apontadores para estruturas Ficheiros na bibiloteca standard do C Compilação Separada Definição de novos tipos em C É possível definir

Leia mais

A Linguagem C. A forma de um programa em C

A Linguagem C. A forma de um programa em C A Linguagem C Criada em 1972 por D. M. Ritchie e K. Thompson. Tornou-se uma das mais importantes e populares, principalmente pela portabilidade e flexibilidade. Foi projetada para o desenvolvimento de

Leia mais

Laboratório 4 Correcção de erros sintácticos e tipos de dados primitivos

Laboratório 4 Correcção de erros sintácticos e tipos de dados primitivos Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Tecnologia Departamento de Sistemas e Informática Laboratório 4 Correcção de erros sintácticos e tipos de dados primitivos Disciplina de Introdução à

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento Hello World Linguagem C printf("hello world!\n"); main é a função principal, a execução do programa começa por ela printf é uma função usada para enviar dados para o vídeo Palavras Reservadas auto double

Leia mais

Linguagem C (continuação)

Linguagem C (continuação) Linguagem C (continuação) Funções, arrays e ponteiros Slides adaptados, inspirados, muitos copiados dos slides do professor Pedro Pereira Centro de Cálculo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa João

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Engenharia de CONTROLE e AUTOMAÇÃO Introdução à Linguagem C Aula 02 DPEE 1038 Estrutura de Dados para Automação Curso de Engenharia de Controle e Automação Universidade Federal de Santa Maria beltrame@mail.ufsm.br

Leia mais

Programação: Vetores

Programação: Vetores Programação de Computadores I Aula 09 Programação: Vetores José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/62 Motivação Problema Faça um programa que leia

Leia mais

Introdução a linguagem C. Introdução à Programação 06/07

Introdução a linguagem C. Introdução à Programação 06/07 Introdução a linguagem C Introdução à Programação 06/07 A LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C A linguagem C foi criada, na década de setenta, por Dennis M. Ritchie; Apesar de se considerar uma linguagem de alto

Leia mais

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C DCC 120 Laboratório de Programação Variáveis Uma variável representa um espaço na memória do computador para armazenar um determinado tipo de dado. Em C,

Leia mais

Métodos Computacionais

Métodos Computacionais Métodos Computacionais Objetivos da Disciplina e Introdução a Linguagem C Construções Básicas Objetivos da Disciplina Objetivo Geral Discutir técnicas de programação e estruturação de dados para o desenvolvimento

Leia mais

Introdução à linguagem C++

Introdução à linguagem C++ Estrutura de Dados e Algoritmos e Programação e Computadores II Aula 2: Introdução à linguagem C++ Introdução à linguagem C++ Conceitos básicos: variáveis, tipos de dados, constantes, I/O, etc. Estruturas

Leia mais

Ambiente de desenvolvimento

Ambiente de desenvolvimento Linguagem C Ambiente de desenvolvimento Um programa em C passa por seis fases até a execução: 1) Edição 2) Pré-processamento 3) Compilação 4) Linking 5) Carregamento 6) Execução Etapa 1: Criação do programa

Leia mais

INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C

INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C Aula 01 Programação em Microinformática Prof. Allbert Velleniche de Aquino Almeida E-mail: professor@allbert.com.br Site: http://www.allbert.com.br Histórico O C nasceu na década

Leia mais

Métodos Computacionais em Física Noções Básicas de Linguag

Métodos Computacionais em Física Noções Básicas de Linguag Métodos Computacionais em Física Noções Básicas de Linguagem C Aula 2 Diretivas de preprocessamento Identificadores Tipos Variáveis e Aritmética Operadores e precedência Efeitos colaterais Laços: if, while

Leia mais

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Métodos Computacionais Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Tópicos da Aula Hoje aprenderemos a escrever um programa em C que pode realizar cálculos Conceito de expressão Tipos de

Leia mais

Controlo de Execução. K&R: Capitulo 3

Controlo de Execução. K&R: Capitulo 3 Controlo de Execução K&R: Capitulo 3 IAED, 2009/2010 Controlo de Execução Instruções e Blocos if else-if switch Ciclos: Instruçõeswhile e for Instruçãodo-while break e continue goto e labels 2 IAED, 2009/2010

Leia mais

Lição 4 Fundamentos da programação

Lição 4 Fundamentos da programação Lição 4 Fundamentos da programação Introdução à Programação I 1 Objetivos Ao final desta lição, o estudante será capaz de: Identificar as partes básicas de um programa em Java Reconhecer as diferenças

Leia mais

TÉCNICO DE INFORMÁTICA - SISTEMAS

TÉCNICO DE INFORMÁTICA - SISTEMAS 782 - Programação em C/C++ - estrutura básica e conceitos fundamentais Linguagens de programação Linguagem de programação são conjuntos de palavras formais, utilizadas na escrita de programas, para enunciar

Leia mais

Capítulo 2 Operadores. A função scanf()

Capítulo 2 Operadores. A função scanf() Capítulo 2 Operadores A função scanf() A função scanf() é outra das funções de E/S implementadas em todos os compiladores e nos permite ler dados formatados da entrada padrão (teclado). Sintaxe: scanf(

Leia mais

Funções de Entrada e Saída

Funções de Entrada e Saída inicio Escrita no ecrã (Saída de dados) Escrever( introduza o valor do raio ) Raio Leitura do valor do raio S Raio < 0 N O utilizador insere o valor do raio (Entrada de dados do teclado) Escrita no ecrã

Leia mais

Introdução à Linguagem C Variáveis e Expressões

Introdução à Linguagem C Variáveis e Expressões INF1005: Programação 1 Introdução à Linguagem C Variáveis e Expressões 08/03/10 (c) Paula Rodrigues 1 Tópicos Principais Programando em C Funções Variáveis Define Operadores e Expressões Entrada e Saída

Leia mais

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Introdução Variáveis Tipos de dados Operadores e Expressões: Operadores

Leia mais

Sumário. Introdução à Ciência da Computação. Ponteiros em C. Introdução. Definição. Por quê ponteiros são importantes?

Sumário. Introdução à Ciência da Computação. Ponteiros em C. Introdução. Definição. Por quê ponteiros são importantes? Introdução à Ciência da Computação Ponteiros em C Prof. Ricardo J. G. B. Campello Sumário Introdução Definição de Ponteiros Declaração de Ponteiros em C Manipulação de Ponteiros em C Operações Ponteiros

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada Prática com declaração e inicialização de variáveis Capacidade de representação (estouro de representação) Tamanho ocupado pela variável na memória (comando

Leia mais

11 - Estrutura de um programa em C

11 - Estrutura de um programa em C 11 - Estrutura de um programa em C directivas para o compilador { main ( ) declarações instruções } -É possível utilizar comentários, exemplo: /* Comentário */ que não são traduzidos pelo compilador, pois

Leia mais

Introdução à Computação MAC0110

Introdução à Computação MAC0110 Introdução à Computação MAC0110 Prof. Dr. Paulo Miranda IME-USP Aula 2 Variáveis e Atribuições Memória Principal: Introdução Vimos que a CPU usa a memória principal para guardar as informações que estão

Leia mais

Linguagem C: funções e ponteiros. Prof. Críston Algoritmos e Programação

Linguagem C: funções e ponteiros. Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C: funções e ponteiros Prof. Críston Algoritmos e Programação Funções Recurso das linguagens de programação que permite dar um nome para um conjunto de instruções Facilita a reutilização de algoritmos

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Primeiro programa em C #include int main() { int num1, num2, result; scanf("%d",&num1); scanf("%d",&num2); result = num1 + num2; printf("%d",

Leia mais

Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas 02/03/2011

Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas 02/03/2011 Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas 02/03/2011 Tipos Básicos Quantos valores distintos podemos representar com o tipo char? Operadores de Incremento e Decremento ++ e -- Incrementa ou decrementa

Leia mais

Linguagem C: Ponteiros. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Linguagem C: Ponteiros. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Linguagem C: Ponteiros Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Ponteiros; Variáveis ponteiros; Operadores de ponteiros; Expressões com ponteiros; Atribuição de ponteiros; Aritmética de ponteiros; Comparação

Leia mais

Strings. Introdução. Definição de strings. Criação/Declaração de strings. Inicialização de strings. Manipulação de strings. Exemplos.

Strings. Introdução. Definição de strings. Criação/Declaração de strings. Inicialização de strings. Manipulação de strings. Exemplos. Introdução Definição de strings. Criação/Declaração de strings. Inicialização de strings. Manipulação de strings. Exemplos. 1 definições Uma string é uma sequência, um conjunto, ou uma cadeia de caracteres.

Leia mais

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Ciência da Computação Algoritmos e Estruturas de Dados I (AED-I) Prof. Nilton

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Ciência da Computação Algoritmos e Estruturas de Dados I (AED-I) Prof. Nilton Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Ciência da Computação Algoritmos e Estruturas de Dados I (AED-I) Prof. Nilton nilton@comp.uems.br Introdução A linguagem C foi inventada por Dennis Ritchie e

Leia mais

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo Programação Básica Estrutura de um algoritmo Código-fonte Como vimos na aula anterior um algoritmo pode ser representado usando um fluxograma Um algoritmo pode também ser representado usando texto Esse

Leia mais

Curso de C para Engenharias

Curso de C para Engenharias Aula 1 Cristiano Dalbem Dennis Balreira Gabriel Moreira Miller Biazus Raphael Lupchinski Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Grupo PET Computação Primeiro Programa Hello

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo. Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza

Universidade Federal do Espírito Santo. Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza Universidade Federal do Espírito Santo Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza Variáveis Tipos de Dados Básicos Formação dos identificadores o nome deve começar com uma letra

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada 1º Programa: olamundo.c #include // biblioteca padrão de E/S /* Programa Olá Mundo */ int main(void) { printf( Olá mundo\n ); //exibe Olá mundo

Leia mais

FACULDADE BATISTA MINEIRA - CST Banco de Dados Estruturas de Dados - Variáveis

FACULDADE BATISTA MINEIRA - CST Banco de Dados Estruturas de Dados - Variáveis Variável, na Matemática, é um termo utilizado em substituição de outro, normalmente, desconhecido. É utilizado para representar um número ou um conjunto. No contexto da programação de computadores, uma

Leia mais

Vetores. e o programa deverá ler os valores separadamente:

Vetores. e o programa deverá ler os valores separadamente: Vetores Vetor é um tipo de dado usado para representar uma certa quantidade de variáveis de valores homogêneos (do mesmo tipo). Imagine o seguinte problema: calcular a média das notas da prova de 5 alunos.

Leia mais

Programação. MEAer e LEE. Bertinho Andrade da Costa. Instituto Superior Técnico. Argumentos da linha de comando Funções recursivas

Programação. MEAer e LEE. Bertinho Andrade da Costa. Instituto Superior Técnico. Argumentos da linha de comando Funções recursivas Programação MEAer e LEE Bertinho Andrade da Costa 2010/2011 1º Semestre Instituto Superior Técnico Argumentos da linha de comando Funções recursivas Programação 2010/2011 DEEC-IST Arg. da linha de comando;

Leia mais

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010 Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010 1 Introdução O objetivo desta aula prática é exercitar o uso de variáveis de vários tipos

Leia mais

Programação Orientada a Objectos - P. Prata, P. Fazendeiro

Programação Orientada a Objectos - P. Prata, P. Fazendeiro 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa

Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C Prof. Ramon Figueiredo Pessoa 1 Variáveis e tipos Variáveis são simplesmente posições de memória que o compilador aloca ao programa Mas quantas posições

Leia mais

Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação. Lista de Exercícios 1

Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação. Lista de Exercícios 1 Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação Lista de Exercícios 1 1. O programa seguinte tem vários erros em tempo de compilação. Encontre-os. Main() int a=1; b=2,

Leia mais

Variáveis primitivas e Controle de fluxo

Variáveis primitivas e Controle de fluxo Variáveis primitivas e Controle de fluxo Material baseado na apostila FJ-11: Java e Orientação a Objetos do curso Caelum, Ensino e Inovação, disponível para download em http://www.caelum.com.br/apostilas/

Leia mais

Aula 5 Oficina de Programação Introdução ao C. Profa. Elaine Faria UFU

Aula 5 Oficina de Programação Introdução ao C. Profa. Elaine Faria UFU Aula 5 Oficina de Programação Introdução ao C Profa. Elaine Faria UFU - 2017 Linguagem de Programação Para que o computador consiga ler um programa e entender o que fazer, este programa deve ser escrito

Leia mais

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Linguagem C A linguagem

Leia mais

Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância

Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância Classes o Objetos Um recurso comum de cada aplicativo feito até agora é que todas as instruções que realizavam tarefas localizavam-se no método main. Se você tornar parte de uma equipe de desenvolvimento

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Introdução à Linguagem C Eduardo Simões de Albuquerque Instituto de Informática UFG 13/03/2006 1 História Inventada e desenvolvida por Dennis Ritchie em um DEC- PDP 11 Originária de: BCPL desenvolvida

Leia mais

Fundamentos de Programação. Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes. Prof.: Bruno Gomes

Fundamentos de Programação. Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes. Prof.: Bruno Gomes Fundamentos de Programação Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes Prof.: Bruno Gomes 1 Variáveis Representa uma porção da memória que pode ser utilizada pelo programa para armazenar informações

Leia mais

Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples

Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples SSC0101 - ICC1 Teórica Introdução à Ciência da Computação I Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples Prof. Vanderlei Bonato: vbonato@icmc.usp.br Prof. Claudio Fabiano Motta Toledo: claudio@icmc.usp.br

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Vetores e Strings int vetor[] / rand() / #define / char string[] / gets() Gil Eduardo de Andrade Vetores Introdução Um vetor pode ser definido como é um conjunto de elementos (variáveis)

Leia mais

4. Estruturas Fundamentais de Programação em C

4. Estruturas Fundamentais de Programação em C 4. Estruturas Fundamentais de Programação em C 4.1. Imprimindo Mensagens e Valores no Monitor de Vídeo A biblioteca de entrada e saída (stdio.h) possui a função printf que imprime mensagens e valores diretamente

Leia mais

system("pause"); //Envia comando para o sistema operacional solicitando parada de execução do programa } //limitador do corpo do programa

system(pause); //Envia comando para o sistema operacional solicitando parada de execução do programa } //limitador do corpo do programa Atividade Prática no Ambiente Dev C++ Para as nossas atividades práticas vamos utilizar o ambiente de desenvolvimento da Linguagem C, Dev C++, ele é bastante fácil de utilizar e com muitos recursos. Segue

Leia mais

Aula 12- Variáveis e valores reais

Aula 12- Variáveis e valores reais Aula 12- Variáveis e valores reais Até agora todos os nossos problemas continham apenas valores inteiros e portanto variáveis do tipo int. Para resolver problemas que usam valores com parte fracionária,

Leia mais

O que é uma variável?

O que é uma variável? Escopo, Ligação e Ambiente de Execução mleal@inf.puc-rio.br 1 O que é uma variável? Uma variável pode ser definida como uma tupla r nome é um string usado para

Leia mais

No Windows há basicamente dois tipos de programas de usuário:

No Windows há basicamente dois tipos de programas de usuário: Introdução O que vem a ser um programa em C? Você talvez já tenha ouvido falar que um compilador é um programa ou ferramenta que transforma um programa fonte escrito em uma linguagem de programação de

Leia mais

Conceito de procedimentos e funções

Conceito de procedimentos e funções Tópicos Introdução Como funcionam as funções Declaração de funções Exemplo de funções 1 Introdução As funções, são unidades de código desenhadas para cumprir uma determinada tarefa. Até agora, já utilizamos

Leia mais

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano O C++ foi inicialmente desenvolvido por Bjarne Stroustrup durante a década de 1980 com o objetivo de melhorar a linguagem de programação C, mantendo a compatibilidade com esta linguagem. Exemplos de Aplicações

Leia mais

Linguagem e Técnicas de Programação

Linguagem e Técnicas de Programação Linguagem C Função Prof. Edwar Saliba Júnior Fevereiro de 2011 Unidade 07 Função 1 Conceitos As técnicas de programação dizem que, sempre que possível, evite códigos extensos, separando o mesmo em funções,

Leia mais

Slides trabalhados durante a quinta aula

Slides trabalhados durante a quinta aula Slides trabalhados durante a quinta aula prática Estruturas de Controle de Fluxo 3. Laços de repetição (continuação) Exercício: Construa um algoritmo, representando-o através de um pseudocódigo e de um

Leia mais

Introdução à Programação em C

Introdução à Programação em C Introdução à Programação em C Tipos e Operadores Elementares Estruturas de Controlo Resumo Novidades em C Exemplo: Factorial Tipos de Dados Básicos Saltos Condicionais: if-then-else Valor de retorno de

Leia mais

Programação Orientada a Objetos. Manipulação de Exceções

Programação Orientada a Objetos. Manipulação de Exceções Programação Orientada a Objetos Manipulação de Exceções Cristiano Lehrer, M.Sc. Introdução à Manipulação de Exceções (1/2) Em uma linguagem sem manipulação de exceção: Quando ocorre uma exceção, o controle

Leia mais

Algoritmos e Técnicas de Programação Introdução Givanaldo Rocha de Souza

Algoritmos e Técnicas de Programação Introdução Givanaldo Rocha de Souza Algoritmos e Técnicas de Programação Introdução Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha Conceitos Lógica de Programação técnica de encadear pensamentos

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Variáveis em C Slides da Profa. Roseli Romero Comandos de Entrada e Saída O objetivo de escrevermos programas é em última análise, a obtenção de resultados (Saídas) depois da elaboração

Leia mais

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero Linguagem C Prof.ª Márcia Jani Cícero A estrutura Básica de um Programa em C Consiste em uma ou várias funções ou programas. main( ) // primeira função a ser executada // inicia a função // termina a função

Leia mais

Java Variáveis e Controle Fluxo

Java Variáveis e Controle Fluxo Java Variáveis e Controle Fluxo 1 Variáveis primitivas p Todo bloco em java é delimitado por chaves ({ } ); p Dentro de um bloco, podemos declarar variáveis e usa las; p Em Java, toda variável tem um tipo

Leia mais

Algoritmos RESUMO - LINGUAGEM C

Algoritmos RESUMO - LINGUAGEM C Algoritmos RESUMO - LINGUAGEM C 1 Sintaxe da linguagem C Componentes reconhecidos pela linguagem C (sintaxe da linguagem): tipos propriedades dos dados; declarações partes do programa, podendo dar significado

Leia mais

Tipos Abstratos de Dados. Estrutura de Dados

Tipos Abstratos de Dados. Estrutura de Dados Tipos Abstratos de Dados Tipo Abstrato de Dados ou TAD Idéia principal: desvincular o tipo de dado (valores e operações) de sua implementação: O que o tipo faz e não como ele faz! Vantagens da desvinculação:

Leia mais

Linguagem C: Variáveis e Operadores. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Linguagem C: Variáveis e Operadores. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Linguagem C: Variáveis e Operadores Prof. Leonardo Barreto Campos Sumário Variáveis: Tipos de variáveis; Nome da variável; Palavras reservadas; A função printf(); A função scanf(); Variáveis locais; Variáveis

Leia mais

Estrutura do programa

Estrutura do programa Linguagem C Estrutura do programa Exemplo: #include #include main() { printf( Ola, mundo! ); system( pause ); }

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Introdução à Computação Linguagem C Aula de hoje Introdução Vetores (revisão) Relacionamento entre vetores e ponteiros Professor: André de Carvalho Definição: coleção de valores de dados individuais com

Leia mais

C Operadores e Expressões

C Operadores e Expressões C Operadores e Expressões Adriano Cruz adriano@nce.ufrj.br Instituto de Matemática Departamento de Ciência da Computação UFRJ 15 de agosto de 2013 Adriano Cruz adriano@nce.ufrj.br (IM-DCC-UFRJ)C Operadores

Leia mais

Ambientação com a Sintaxe de Java: parte 1

Ambientação com a Sintaxe de Java: parte 1 Ambientação com a Sintaxe de Java: parte 1 Prof. Gustavo Wagner FATEC-PB Programas em Java Texto do programa: arquivo com extensão.java Arquivo contém ao menos uma classe Nome do arquivo deve ser IGUAL

Leia mais

PROGRAMAS BÁSICOS EM C++ Disciplina: Introdução à Ciência da Computação Prof. Modesto Antonio Chaves Universidade estadual do Sudoeste da Bahia

PROGRAMAS BÁSICOS EM C++ Disciplina: Introdução à Ciência da Computação Prof. Modesto Antonio Chaves Universidade estadual do Sudoeste da Bahia PROGRAMAS BÁSICOS EM C++ Disciplina: Introdução à Ciência da Computação Prof. Modesto Antonio Chaves Universidade estadual do Sudoeste da Bahia Calculo da área de um triângulo Algoritmo Área Var base,

Leia mais

1 Exercícios com ponteiros

1 Exercícios com ponteiros Computação para Informática Funções e Ponteiros1 EXERCÍCIOS COM PONTEIROS Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Aula Prática - Funções e ponteiros O objetivo desta aula prática

Leia mais

Vetores são estruturas indexadas utilizadas para armazenar dados de um mesmo tipo: int, char, float ou double. Oexemploaseguirédeumvetordeinteiros:

Vetores são estruturas indexadas utilizadas para armazenar dados de um mesmo tipo: int, char, float ou double. Oexemploaseguirédeumvetordeinteiros: 18 Vetores Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Nessa aula vamos introduzir o tipo vetor. Aofinaldessaaulavocêdeverásaber: Descrever o que são vetores na linguagem C. Declarar vetores. Como acessar

Leia mais

Paradigmas de Linguagens

Paradigmas de Linguagens Paradigmas de Linguagens Aula 2: Tipos de dados Professora Sheila Cáceres Tipos de dados Dados são a matéria prima da computação junto com os programas. LPs precisam manipular dados. LPS utilizam os conceitos

Leia mais

Programação Orientada a Objetos para Redes de Computadores

Programação Orientada a Objetos para Redes de Computadores Programação Orientada a Objetos para Redes de Computadores Prof. Miguel Elias Mitre Campista http://www.gta.ufrj.br/~miguel PARTE 2 Programação em C++ - Arrays e Ponteiros Arrays Estruturas de dados que

Leia mais

Linguagem de Programação I. Aula 10 Funções

Linguagem de Programação I. Aula 10 Funções Linguagem de Programação I Aula 10 Funções Da Aula Anterior Tipos de dados básicos e operadores em C Declaração de variáveis e modificadores de tipo Estruturas de Controle Arrays unidimensionais Geração

Leia mais

Linguagem C. Eliane Pozzebon

Linguagem C. Eliane Pozzebon Linguagem C Eliane Pozzebon Material de Apoio de C Site da disciplina: http://www.univasf.edu.br/~eliane.pozzebon Slides de aulas Exercícios Dev-C++: um ambiente de programação interativo e gratuito para

Leia mais

quadrado(a)*0.5 -((a+2)*f(x,(1.0+n)/x)) Arquitectura de Computadores (2008/2009) - Linguagem C - Expressões 2

quadrado(a)*0.5 -((a+2)*f(x,(1.0+n)/x)) Arquitectura de Computadores (2008/2009) - Linguagem C - Expressões 2 Linguagem C Expressões Expressões em C Cast, condições, atribuições Operadores lógicos de bits Precedência dos operadores Expressões em C Uma expressão é a forma de calcular um valor num programa: quadrado(a)*0.5

Leia mais

Algoritmos. Algoritmos. Linguagem de programação. Conceitos. Conceitos. Conceitos. Sintaxe do comando para incluir bibliotecas no programa:

Algoritmos. Algoritmos. Linguagem de programação. Conceitos. Conceitos. Conceitos. Sintaxe do comando para incluir bibliotecas no programa: Algoritmos Algoritmos Leandro Tonietto Unisinos ltonietto@unisinos.br http://www.inf.unisinos.br/~ltonietto/inf/pg1/algoritmosi_java.pdf Mar-2008 Possuem sintaxe flexível e são mais úteis para descrição

Leia mais

Linguagem C Funções. André Tavares da Silva.

Linguagem C Funções. André Tavares da Silva. Linguagem C Funções André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Funções É uma coleção de comandos identificados por um nome (identificador); As funções executam ações e podem retornar valores; main, printf

Leia mais

Introdução à Programação C

Introdução à Programação C Introdução à Programação C Fabio Mascarenhas - 2014.2 http://www.dcc.ufrj.br/~fabiom/introc Vetores Para vários problemas precisamos de uma maneira de representar uma sequência de valores com um número

Leia mais

Algoritmos e Programação. Linguagem C Procedimentos e. Eliane Pozzebon

Algoritmos e Programação. Linguagem C Procedimentos e. Eliane Pozzebon Algoritmos e Programação Linguagem C Procedimentos e Funções Eliane Pozzebon Procedimentos e Funções Procedimentos são estruturas que agrupam um conjunto de comandos, que são executados quando o procedimento

Leia mais

Linguagens de Programação. Marco A L Barbosa

Linguagens de Programação. Marco A L Barbosa Expressões e sentença de atribuição Linguagens de Programação Marco A L Barbosa cba Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional. http://github.com/malbarbo/na-lp-copl

Leia mais

Material sobre Funções AEDS 1

Material sobre Funções AEDS 1 Material sobre Funções AEDS 1 1 Funções - revisão Funções definem operações que são usadas frequentemente Funções, na matemática, requerem parâmetros de entrada e definem um valor de saída 2 Funções -

Leia mais

Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings)

Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings) Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings) Até agora, quando desejávamos indicar o número de elementos existentes em um vetor qualquer, utilizávamos uma variável inteira, digamos tam, para armazenar tal

Leia mais

Aula 02. Prof. Diemesleno Souza Carvalho

Aula 02. Prof. Diemesleno Souza Carvalho Programação Orientada a Objetos II Aula 02 Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br http://www.diemesleno.com.br Na aula passada vimos... Na aula passada vimos... - O que é C# e.net - Um

Leia mais

Funções em Linguagem C Parte II

Funções em Linguagem C Parte II Slides inicialmente preparados pelo Prof. Dr. Claudio Fabiano Motta Toledo Funções em Linguagem C Parte II Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 1. Semestre 2017 Sumário Introdução a Ponteiros Escopo de Variáveis

Leia mais

Módulo Lógica Programação com aplicações em Java. Projeto khouse Profissionalizante Profª Larissa Brandão

Módulo Lógica Programação com aplicações em Java. Projeto khouse Profissionalizante Profª Larissa Brandão Educação Módulo Lógica e Ética de Programação com aplicações em Java Projeto khouse Profissionalizante Profª Larissa Brandão Educação e Ética Fundamentos da Programação Objetivos: Reconhecer as diferenças

Leia mais

(SCC-0120) Linguagem C

(SCC-0120) Linguagem C (SCC-0120) Introdução à Ciência da Computação: Linguagem C Prof. Zhao Liang Estag. PAE: Murillo G. Carneiro (São Carlos) Instituto de Ciências Matemáticas e Computação (ICMC) (SCC-0120) Introdução à Ciência

Leia mais