SUMÁRIO DA SEGURANÇA Balanço das principais atividades e números da Segurança e Saúde no Trabalho

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SUMÁRIO DA SEGURANÇA 2013. Balanço das principais atividades e números da Segurança e Saúde no Trabalho"

Transcrição

1 SUMÁRIO DA SEGURANÇA 213 Balanço das principais atividades e números da Segurança e Saúde no Trabalho

2

3 SUMÁRIO DA SEGURANÇA 213 O Sumário da Segurança 213 apresenta um balanço das atividades mais relevantes desenvolvidas na EDP em 213 em Portugal e do Grupo EDP no que se refere aos principais indicadores consolidados no R&C EDP 213

4

5 Índice 1 Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho no Grupo EDP Enquadramento Responsabilidades na EDP em matéria de Segurança e Saúde no Trabalho Sistema de Gestão da Segurança Corporativo Aspetos e atividades mais relevantes desenvolvidos em Implementação do Módulo EH&S do SIM Formação de colaboradores e de PSE Certificações em Segurança Preparação para resposta a emergências Prémios EDP de Prevenção e Segurança no Trabalho Implementação da Política de Prevenção do Álcool Participação dos trabalhadores Temas de prevenção e segurança cobertos por acordos com estruturas sindicais Gestão de fornecedores em matéria de segurança Auditorias de segurança Ações de intervenção na sociedade Atividades da Medicina do Trabalho (Portugal) Avaliação de Riscos Psicossociais e Gestão do Stress Síntese dos principais números da Segurança no Trabalho Grupo EDP (multigeografia) Grupo EDP (multigeografia): Colaboradores EDP Grupo EDP (multigeografia): Trabalhadores de PSE Grupo EDP (multigeografia): Colaboradores EDP + PSE Efetivo médio Quase-acidentes Breve descrição dos acidentes mortais no Grupo EDP EDP (Setor Elétrico Portugal) EDP (Setor Elétrico Portugal): Colaboradores EDP Síntese EDP (Setor Elétrico Portugal): Trabalhadores de PSE Síntese EDP (Setor Elétrico Portugal): Colaboradores EDP + PSE Síntese EDP (Setor Gás Portugal) EDP (Setor Gás Portugal): Colaboradores EDP Síntese EDP (Setor Gás Portugal): Trabalhadores de PSE Síntese EDP (Setor Gás Portugal): Colaboradores EDP + PSE Síntese Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade Gráficos EDP (Renováveis Portugal) EDP (Renováveis Portugal): Colaboradores EDP EDP (Renováveis Portugal): Trabalhadores de PSE EDP (Renováveis Portugal): Colaboradores EDP + PSE Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade - Gráficos Benchmarking Partilha de boas práticas no Grupo EDP Conceitos e definições... 51

6

7

8

9 Sumário da Segurança Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho no Grupo EDP 1.1 Enquadramento A segurança e saúde no trabalho são valores essenciais no desenvolvimento sustentável do Grupo EDP. A importância que a EDP atribui a este tema ultrapassa o cumprimento dos imperativos legais e está explicitada na sua política de segurança e saúde no trabalho, orientada para o objetivo estratégico Zero acidentes, nenhum dano pessoal. A Política de Segurança e Saúde no Trabalho refere explicitamente o seu caráter global no Grupo EDP, isto é a sua aplicabilidade a todo o universo de empresas nas diversas geografias. Para melhor gerir os objetivos estratégicos em matéria de segurança e saúde no trabalho a EDP adotou um Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho respeitando as recomendações da Organização Internacional do Trabalho, expressas no documento ILO-OSH 21 e na Convenção n.º 155 relativa à Segurança e Saúde dos Trabalhadores. Os objetivos de segurança e saúde no trabalho para 214 foram estabelecidos a nível do Grupo EDP e ao nível de cada empresa, numa perspetiva de controlar os riscos de acidentes de trabalho e doenças profissionais e de manter ou obter a certificação OHSAS 181 dos respetivos sistemas de gestão da segurança. 1.2 Responsabilidades na EDP em matéria de Segurança e Saúde no Trabalho A Política de Segurança e Saúde no Trabalho da EDP evidencia o compromisso com uma Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho numa perspetiva de melhoria contínua e na convicção de que o desenvolvimento laboral num ambiente seguro e saudável constitui um fator determinante para a satisfação dos colaboradores e uma mais-valia para o sucesso nos resultados. A Política de Segurança e Saúde no Trabalho, objeto de revisão em 213, refere explicitamente o seu caráter global no Grupo EDP A responsabilidade pela prevenção e controlo dos riscos laborais cabe aos dirigentes máximos das unidades de gestão do negócio e está integrada na cadeia hierárquica. As atividades de coordenação estratégica da segurança e saúde no trabalho no Grupo EDP, são asseguradas por uma estrutura corporativa que apoia o Comité de Prevenção e Segurança e o Conselho de Administração Executivo. As atividades de segurança e saúde no trabalho de cada Unidade de Negócio são implementadas e desenvolvidas localmente pelos respetivos Serviços de Prevenção. Em matéria de saúde ocupacional, os serviços internos de medicina do trabalho, são responsáveis por vigiar a saúde dos colaboradores através dos exames médicos, promover a educação sanitária e verificar as condições nos locais de trabalho e dos equipamentos de primeiros socorros. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 9/53 Abril de 214

10 Sumário da Segurança Sistema de Gestão da Segurança Corporativo O Sistema de Gestão da Segurança Corporativo da EDP segue a recomendação ILO-OSH 21 da Organização Internacional do trabalho e o modelo da norma de referência OHSAS 181:27, reforçando o princípio de que as questões da segurança e saúde no trabalho são geridas segundo critérios comuns e concertados nas empresas do Grupo EDP. Localmente, cada Empresa/Unidade Organizativa, adota diretamente o Sistema de Gestão Corporativo ou toma-o como referência para desenvolver o seu próprio sistema de gestão da segurança, específico ou integrado com as vertentes do ambiente e/ou da qualidade, tendo em consideração a sua atividade. Objetivo para 214 Manter a certificação OHSAS 181 do Sistema de gestão da Segurança Corporativo e, dependendo das empresas, manter ou obter a certificação dos seus Sistemas próprios. 2 Aspetos e atividades mais relevantes desenvolvidos em 213 A execução do programa anual de segurança e saúde no trabalho da EDP teve por base um conjunto de ações com vista a prevenir a ocorrência de acidentes de trabalho, medida numa redução das taxas de frequência e de gravidade dos acidentes e doenças profissionais, que incluiu a formação e treino dos trabalhadores da EDP e de prestadores de serviços, a permanente avaliação e controlo de riscos laborais e a execução de um programa de inspeções e auditorias internas e externas às instalações e obras da EDP. 2.1 Implementação do Módulo EH&S do SIM Na sequência do projeto SIM (Sistema Integrado Multigeografia) no Grupo EDP para a uniformização dos sistemas informáticos utilizados, com particular enfoque aplicação do SAP, e com o objetivo de agilizar a gestão da segurança no trabalho, a EDP adotou o módulo SAP EH&S, que irá suportar, numa primeira fase, os processos de Gestão de Riscos, Gestão de Incidentes e Gestão de Auditorias, para todos os trabalhadores do Grupo EDP em Portugal. A entrada em produtivo do SIM-EH&S acontece em janeiro de 214. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 1/53 Abril de 214

11 Sumário da Segurança 213 Objetivo para 214 Entrada em produtivo do módulo SIM-EH&S em Portugal. 2.2 Formação de colaboradores e de PSE A preocupação em assegurar a colaboradores e prestadores de serviços as condições adequadas para um desenvolvimento sustentável em matéria de segurança no trabalho, é um dos compromissos expressos na Política de Segurança e Código de ética da EDP. A formação em matérias de segurança e saúde no trabalho é realizada de acordo com o procedimento PG 38.5 EDP Formação, Sensibilização e Competências em Segurança do sistema de gestão da segurança corporativo (SGSC). Para os colaboradores EDP, a Identificação das necessidades de formação, é desenvolvida no momento do processo de avaliação de desempenho dos colaboradores. Esta identificação é realizada mediante acordo entre a hierarquia e o trabalhador e tem em conta a prevenção de riscos que possam advir de: Exercício da atividade; Mudanças funcionais dos trabalhadores; Novos locais de trabalho; Novos equipamentos de trabalho e/ou alterações nos equipamentos; Utilização de novas tecnologias, materiais e/ou produtos. No momento da admissão de um colaborador a sua hierarquia assegura que estes sejam informados e sensibilizados sobre: Política de Segurança do Grupo EDP e a sua aplicação no local de trabalho; Os riscos associados à sua atividade e os meios de controlo operacional existentes incluindo os meios de proteção individual e coletiva; O Plano de Emergência/Evacuação do seu local de trabalho; As ações de formação necessárias para a realização da sua função. As empresas contratadas e subcontratadas estão obrigadas a respeitar as condições estabelecidas nos cadernos de encargos em matéria de segurança e saúde no trabalho quanto à formação e habilitação dos seus trabalhadores, pelo que a EDP considera que todos os trabalhadores de prestadores de Serviços receberam a formação necessária ao cumprimento das suas tarefas em condições de segurança. Em complemento da formação recebida dos seus empregadores, os trabalhadores dos prestadores de serviços participam com os trabalhadores da EDP em ações complementares sobre comportamentos seguros e prevenção de riscos específicos de algumas atividades ou instalações. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 11/53 Abril de 214

12 Sumário da Segurança 213 A concretização da formação em matérias de segurança e saúde no trabalho aos trabalhadores EDP em 213 passou por um extenso programa que envolveu: Geografia Número de Ações Colaboradores envolvidos Horas de formação Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias Grupo EDP No que respeita à formação e sensibilização ministrada a trabalhadores de prestadores de serviços em matérias de segurança e saúde no trabalho, foram realizadas ações envolvendo colaboradores durante horas, cujo detalhe se mostra na tabela abaixo. Geografia PSE - Número de Ações PSE - Colaboradores envolvidos PSE - Horas de formação Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias Grupo EDP Nota: Os valores apresentados nos quadros anteriores, incluem a formação registada em sistema pela Universidades EDP e a formação/sensibilização feita e registada localmente indicada por cada empresa. Para além da formação acima referida foram ainda ministradas 489 ações de formação em primeiros socorros a colaboradores EDP e de PSE envolvendo: Geografia Número de Ações Número de Formandos abrangidos Portugal Espanha Brasil EUA 7 27 Outras Geografias 4 37 Grupo EDP EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 12/53 Abril de 214

13 Sumário da Segurança 213 Objetivo para 214 Implementação de um curso sobre formação inicial em segurança e saúde no trabalho em formato e-learning para todos os colaboradores da EDP. 2.3 Certificações em Segurança No sector elétrico a Potência Total Instalada que se encontra certificada de acordo com Sistemas de Gestão de Segurança reconhecidos por normas internacionais (OHSAS 181: 27) é em Portugal de 79,1 MW, em Espanha de 5899,7 MW, em França/Bélgica 379,15 MW, Polónia 32 MW, Roménia 377,8 MW e Brasill 1476,85MW. Estas certificações abrangem 12% dos trabalhadores em Portugal, 76% em Espanha, 1% em França/Bélgica, 1% na Polónia, 1% Roménia e 5% no Brasil. No sector do gás, 1% dos trabalhadores em Portugal (EDP Gás) e Espanha (Naturgás), estão abrangidas por uma certificação de acordo com a mesma norma. Objetivo para 214 Manter as certificações OHSAS 181 existentes. 2.4 Preparação para resposta a emergências No âmbito da gestão de situações de emergência foram realizados em todo o Grupo EDP 241 exercícios de simulacros (41 em Portugal, 17 em Espanha, 31 no Brasil, 37 nos EUA e 25 nas Outras Geografias), abrangendo diversas instalações industriais, administrativas, e obras em curso tendo como finalidade testar a eficácia dos respetivos planos de emergência. Estes exercícios contaram com o envolvimento de entidades externas tais como a proteção civil, os bombeiros e autoridades de polícia e segurança pública. 2.5 Prémios EDP de Prevenção e Segurança no Trabalho Para reforçar a cultura de prevenção e segurança as empresa do Grupo EDP organizam periodicamente, em cada ano ou em cada 2 anos a atribuição de prémios que visam distinguir os colaboradores, equipas ou empresas exteriores pelo seu contributo, através de boas práticas ou de ações, para a melhoria das condições de segurança no trabalho ou no reforço da cultura de segurança empresarial. Por exemplo, em Portugal o Prémio EDP de Prevenção e Segurança no Trabalho 213 e em Espanha os Premios HC energía de Prevención de Riesgos Laborales. que pretenderam distinguir os colaboradores e os prestadores de serviços, que no ano anterior (212) se destacaram pelas suas ações ou contributos para a consolidação da cultura de prevenção. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 13/53 Abril de 214

14 Sumário da Segurança Implementação da Política de Prevenção do Álcool Em 213 continuou a desenrolar-se o Programa e ações de informação e sensibilização previstos para a implementação da Política de Prevenção e Controlo do Álcool. Em Portugal, em 213, foram realizadas 98 ações de formação exclusivamente dedicadas ao tema, envolvendo cerca de 4949 colaboradores das empresas Grupo EDP e de trabalhadores de empresas exteriores de prestação de serviços. 2.7 Participação dos trabalhadores De acordo com a legislação de cada país as empresas do Grupo EDP integram a participação dos trabalhadores no seu sistema de gestão da segurança. A representação dos trabalhadores em matéria de Segurança e Saúde no Trabalho é assegurada pelas respetivas Comissões e Subcomissões de cada empresa e unidade de negócio. Estas Comissões e Subcomissões, paritárias, reúnem com a periodicidade por elas definida. O quadro seguinte retrata a representatividade e intervenção dos Representantes dos Trabalhadores, expressa pelo número de reuniões das Comissões/Subcomissões de Segurança realizadas. Geografia Número de representantes eleitos % de trabalhadores representados nº de reuniões realizadas Portugal 75 91% 6 Espanha 24 91% 8 Brasil 29 95% 21 EUA 3 1% 192 Outras Geografias 5 42% Temas de prevenção e segurança cobertos por acordos com estruturas sindicais Dependendo da legislação em cada país e da existência de acordos coletivos, quando estes existem abrangem por princípio a totalidade dos colaboradores no que se refere às clausulas de segurança e saúde no trabalho. A EDP, em Portugal e Espanha, tem estabelecido com as estruturas sindicais acordos na área da segurança e saúde no trabalho, que cobrem as seguintes áreas: Obrigações dos trabalhadores e das empresas; Representatividade dos trabalhadores para a segurança e saúde no trabalho; Atribuições dos serviços de prevenção e segurança; Normas e equipamentos de segurança; Higiene industrial; Formação, informação e sensibilização sobre segurança e saúde no trabalho. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 14/53 Abril de 214

15 Sumário da Segurança Gestão de fornecedores em matéria de segurança O desempenho dos nossos Prestadores de Serviço (PSE) é essencial para o sucesso do Grupo EDP. Acreditamos que de uma relação suportada na confiança, colaboração e criação de valor partilhado com os nossos PSE, resulta a capacidade conjunta para inovar e reforçar as políticas de Responsabilidade Social Corporativa e ao mesmo tempo melhorar a qualidade do serviço prestado aos nossos clientes. Independentemente do tipo e dimensão da obra ou do trabalho a realizar, o recurso a empresas exteriores tem sempre implícito, em cada fase da contratação, um controlo rigoroso da qualidade do serviço prestado, no qual a segurança e saúde no trabalho (SST), se integra como fator determinante. Nesta matéria a EDP dispõe dos seguintes mecanismos, para regular a atividade dos seus PSE em matéria de SST: Durante os processos de registo e qualificação de fornecedores, é solicitada às Empresas informação para análise e apreciação dos aspetos mais relevantes de SST. Nos processos de contratação, está incluída documentação vinculativa relativamente a obrigações que os PSE têm em matéria de segurança no trabalho, incluindo os aspetos organizacionais, técnicos e de formação. Durante a realização dos trabalhos, o desempenho dos PSE em matéria de SST é acompanhado fazendo uso de diversas metodologias, nomeadamente a de auditorias, que permitem avaliar o nível de segurança existente e verificar o cumprimento dos requisitos legais aplicáveis. Dependendo da natureza e duração dos trabalhos, a avaliação do desempenho dos PSE em matéria de SST é realizada em diferentes momentos. Esta avaliação tem por base critérios que vão desde a avaliação da documentação e meios de prevenção utilizados, até aos resultados de sinistralidade obtidos durante o período de fornecimento para a EDP. Em 213 foram avaliados formalmente na EDP em Portugal, através do Sistema de Avaliação de Fornecedores (SAF), 417 Empresas e 1414 pedidos de compra. 2.1 Auditorias de segurança O Grupo EDP desenvolve anualmente um amplo programa de auditorias de segurança e saúde no trabalho onde são incluídas as diferentes unidades organizativas, instalações, obras de construção, e atividades de operação e manutenção de infra-estruturas de colaboradores EDP e de prestadores de serviço. Estas auditorias, de acordo com a sua natureza e extensão, podem assumir a forma de auditorias ao sistema de gestão, auditoria técnica ou inspeção. Para além destas, anualmente, o Grupo EDP é alvo de um conjunto significativo de auditorias externas decorrentes da certificação dos sistemas de gestão da segurança e da atividade inspetiva de entidades externas tais como seguradoras ou entidades governamentais. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 15/53 Abril de 214

16 Sumário da Segurança 213 O quadro seguinte sintetiza as auditorias realizadas durante 213: Geografia Nº auditorias realizadas por entidades externas Nº auditorias internas realizadas Nºauditorias internas realizadas a PSE Nº de PSE auditados Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias n/d Grupo EDP n/d valor não disponível 2.11 Ações de intervenção na sociedade Em colaboração com corporações de bombeiros, escolas profissionais e secundárias, associações empresariais e sindicatos, foram realizadas no Grupo EDP 748 ações de informação sobre os procedimentos a respeitar em situações de combate a incêndios em instalações elétricas, em redes e instalações de gás ou em locais na sua proximidade cuidados a ter no manuseamento de equipamentos elétricos É de salientar ainda que as Centrais de Produção de Energia Elétrica, bem como subestações e postos de transformação de distribuição da EDP são bastante procuradas por escolas e associações recreativas para visitas de estudo. A estas visitas precede sempre uma sessão de sensibilização e esclarecimentos sobre a produção e distribuição de energia elétrica e cuidados a ter nas proximidades de infraestruturas elétricas. Em particular a EDP Renewables, nos EUA promoveu visitas aos parques eólicos, onde os participantes são esclarecidos sobre energia eólica, bem como o funcionamento de todo o parque. Em 213 foram registados visitantes distribuídos por todo o País. Para além destas visitas, registaram-se ainda a presença de 249 pessoas de localidades próximas das instalações de produção de energia elétrica ou grandes obras da EDP, que pediram e visitaram as respetivas infraestruturas Atividades da Medicina do Trabalho (Portugal) De acordo com a legislação de cada país as empresas do Grupo EDP cumprem os requisitos de vigilância da saúde ocupacional dos seus colaboradores, incluindo o programa de exames médicos, a visita aos locais de trabalho. Através das condições de contrato a EDP exige a toda a sua cadeia de prestadores de serviços o cumprimento dos requisitos legalmente estabelecidos em cada país relativamente ao enquadramento e obrigações em matéria de vigilância da saúde ocupacional dos seus colaboradores, pelo que se considera que todos os colaboradores são adequadamente acompanhados. Por exemplo em Portugal, em 213 há a salientar como aspetos mais relevantes da atividade da Medicina do Trabalho: EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 16/53 Abril de 214

17 Sumário da Segurança 213 Cumprimento do plano de exames médicos; Sensibilização para a promoção da saúde e bem-estar e de prevenção do risco cardíaco; Continuação dos programas de nutrição e de desabituação tabágica; Quadro resumo da atividade da Medicina do Trabalho Descrição 213 Exames médicos 652 Admissão 228 Periódicos 5646 Ocasionais 178 Consulta de desabituação tabágica 92 Consulta de nutrição 743 Outras atividades Rastreio de risco cardiovascular 2396 Ações de educação para a saúde 121 Participação em Comissões de Segurança 38 Visitas aos locais de trabalho Avaliação de Riscos Psicossociais e Gestão do Stress Com o objetivo fazer a avaliação dos fatores determinantes dos riscos psicossociais nas empresas está em curso na EDP (Portugal) um programa com o apoio do Instituto de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina de Lisboa, que visa desenvolver uma ferramenta integrada que possibilite diagnosticar as situações de ameaça à segurança, saúde e bem-estar dos colaboradores, assim como monitorizar os efeitos de ações de controlo desenvolvidas no terreno. Este programa inclui uma fase de diagnóstico dinâmico, que ocorre em 3 etapas por amostragem, ações de informação e sensibilização e um programa de acompanhamento através da medicina do trabalho. Durante 213 decorreram as 2ª e 3ª fases de diagnóstico que abrangeu uma amostragem de cerca de 58 pessoas. Uma das vertentes deste programa é particularmente dedicada à prevenção do stress ocupacional, pretendendo-se dotar os colaboradores de ferramentas para uma gestão equilibrada do stress. Este programa particular inclui ações de informação e sensibilização para os grupos de trabalhadores mais expostos, nomeadamente os trabalhadores em horários de turnos. Na EDP Energia Espanha realizou-se um programa de avaliação de riscos psicossociais com o objetivo de obter um parâmetro objetivo sobre a existência ou não de elementos derivados de fatores de riscos psicossociais sobre todas as empresas e centros da EDP Espanha. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 17/53 Abril de 214

18 Sumário da Segurança 213 Os resultados dos programas de avaliação de riscos psicossociais feitos na EDP Portugal e EDP Espanha não evidenciam a existência de determinantes psicossociais que deixem supor a existência de riscos para a segurança e saúde dos colaboradores. Objetivo para 214 Desenvolver e implementar ações de informação e prevenção dos riscos psicossociais e de gestão do stress ocupacional. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 18/53 Abril de 214

19 Sumário da Segurança Síntese dos principais números da Segurança no Trabalho Este capítulo detalha a informação dos resultados quanto aos principais indicadores de Segurança e Saúde no Trabalho. Estes resultados traduzem o resultado das ações e iniciativas concretizadas ao longo do ano em reforço da melhoria das condições de segurança no trabalho, nomeadamente nos domínios da formação e sensibilização, avaliação e controlo de riscos, atuação preventiva junto dos PSE e incremento do programa de auditorias e inspeções. Quadro resumo - Evolução dos principais indicadores da Segurança Grupo EDP (multigeografia) EDP (Setor Elétrico PT) EDP (Setor Gás PT) COLABORADORES EDP Acidentes de trabalho (em serviço) % % - Acidentes Mortais 4 5-2% 1 5-8% - Total Dias Perdidos no período % % - Índice de Frequência (Tf) 2, 1,8 11% 2,2 2,4-8%,, - Índice de Incidência (Ti) 3,5 3,1 13% 3,7 4, -8%,, - Índice de Gravidade (Tg) % % - PRESTADORES DE SERVIÇO EXTERNO (PSE) Acidentes de trabalho (em serviço) % % % Acidentes Mortais % % - Total Dias Perdidos no período % % % Índice de Frequência (Tf) 4,9 5,4-9% 6,3 6,9-9% 1,4 3,5-6% Índice de Incidência (Ti) 9,8 1,6-8% 12,5 13,7-9% 2,8 6,9-59% Índice de Gravidade (Tg) % % % COLABORADORES + PSE Acidentes de trabalho (em serviço) % % % Acidentes Mortais % % - Total Dias Perdidos no período % % % Índice de Frequência (Tf) 4, 4,2-5% 4,8 5,2-8% 1,2 2,9-59% Índice de Incidência (Ti) 7,6 7,9-4% 8,8 9,6-8% 2,3 5,6-59% Índice de Gravidade (Tg) % % % NÚMERO DE QUASE-ACIDENTES REPORTADOS % % 5 - ACIDENTES ELÉTRICOS MORTAIS COM TERCEIROS 1 (nas instalações da Empresa) % Nas instalações ou com equipamentos do Grupo EDP registaram-se em Portugal 4 acidentes mortais e 3 no Brasil de origem elétrica com pessoas estranhas à atividade da Empresa, essencialmente em situações de trabalhos de construção civil na proximidade de linhas elétricas em tensão. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 19/53 Abril de 214

20 Sumário da Segurança Grupo EDP (multigeografia) Grupo EDP (multigeografia): Colaboradores EDP 38 acidentes de trabalho com baixa: 24 em Portugal, 8 em Espanha e 6 no Brasil; 4 acidentes mortais: 1 Espanha (entalamento), 2 no Brasil (elétrico e rodoviário) e 1 em Portugal (aeronáutico); 24 acidentes In itinere não mortais: 16 em Portugal, 3 em Espanha e 5 no Brasil; Índice de Frequência (Tf): 2, acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg): 128 dias perdidos por milhão de horas trabalhadas. Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade (comparativo face a 212) Quadro resumo Evolução dos principais indicadores por geografia Acidentes de Trabalho 2 Acidentes Initinere Índice de Frequência (Tf) 3 Índice de Incidência (Ti) 4 Índice de Gravidade (Tg) 5 Dias perdidos Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias M 24 2, 3, M 27 1,8 3, % -11% 11% 13% 17% 2% M 16 2,2 3, M 9 2,4 3, % 78% -8% -8% -1% -3% M 3 2,7 4, ,9 1, >1% 5% >1% >1% >1% >1% M 5 1,4 2, ,4 2, % -67% % % -27% -16% % Acidente no decurso da atividade laboral que dá origem a uma ausência (baixa) de pelo menos um dia, sem contar o dia do acidente; 3 Acidentes por milhão de horas trabalhadas; 4 Acidentes por mil trabalhadores; 5 Dias perdidos (incapacidades temporárias) por milhão de horas trabalhadas. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 2/53 Abril de 214

21 Sumário da Segurança 213 Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade Gráficos Evolução Taxa de crescimento anual composta (CAGR ) Acidentes de Trabalho Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias -11% -9% -13% -15% % % Tf Índice de Frequência (acidentes por milhão de horas trabalhadas) 2,7 2,2 2, 1,4, Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias -1% -7% -13% -16% % % Ti Índice de Incidência (acidentes por mil trabalhadores) 4,6 3,6 3,5 2,8, Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias -11% -7% -14% -16% % % Tg Índice de Gravidade (dias perdidos por milhão de horas trabalhadas) Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias -6% % 4% -32% % % 6 Compound annual growth rate EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 21/53 Abril de 214

22 Sumário da Segurança Grupo EDP (multigeografia): Trabalhadores de PSE 215 acidentes de trabalho com baixa: 124 em Portugal, 13 em Espanha, 75 no Brasil, 2 nos EUA e 1 nas restantes geografias; 8 acidentes mortais: 5 em Portugal (1 queda em altura, 2 de origem elétrica, 1 queda de objeto, 1 choque objeto) e 3 no Brasil (1 queda de objeto, 1 queda em altura, 1 origem elétrica); Índice de Frequência (Tf): 4,9 acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg): 239 dias perdidos por milhão de horas trabalhadas. Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade (Comparativo face a 211) Quadro resumo Evolução dos principais indicadores por geografia Acidentes de Trabalho Índice de Frequência (Tf) Índice de Incidência (Ti) Índice de Gravidade (Tg) Dias perdidos PSE Grupo EDP PSE Portugal PSE Espanha PSE Brasil PSE EUA PSE Outras Geografias M 4,9 9, M 5,4 1, % -9% -8% -19% -13% M 6,4 12, M 7, 13, % -9% -8% -6% -6% ,8 5, ,4 1, % -48% -49% -69% -72% M 4,3 8, M 3, 7, % 43% 19% -2% 25% ,5 7, ,4 6, % 3% 4% >1% 25% 213 1,75 1, ,7 21, % -93% -93% -86% -74% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 22/53 Abril de 214

23 Sumário da Segurança 213 Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade Gráficos Evolução Taxa de crescimento anual composta (CAGR ) Acidentes de Trabalho Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias 1% 11% -2% -2% -32% -88% Tf Índice de Frequência (acidentes por milhão de horas trabalhadas) 6,4 4,9 4,3 3,5 2,8, Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias -12% -2% -3% -17% -16% -93% Ti Índice de Incidência (acidentes por mil trabalhadores) ,6 9,8 8,6 7, 5,5 1,5 Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias -12% -2% -13% -16% -16% -93% Tg Índice de Gravidade (dias perdidos por milhão de horas trabalhadas) Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias -13% -1% -32% -33% -18% -86% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 23/53 Abril de 214

24 Sumário da Segurança Grupo EDP (multigeografia): Colaboradores EDP + PSE 253 acidentes de trabalho com baixa: 148 em Portugal, 21 em Espanha, 81 no Brasil, 2 nos EUA e 1 nas restantes geografias; 12 acidentes mortais, dos quais 6 em Portugal, 5 no Brasil e 1 em Espanha; Índice de Frequência (Tf): 4, acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg): 23 dias perdidos por milhão de horas trabalhadas. Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade (comparativo face a 212) Quadro resumo Evolução dos principais indicadores por geografia Acidentes de Trabalho Índice de Frequência (Tf) Índice de Incidência (Ti) Índice de Gravidade (Tg) Dias perdidos Grupo EDP + PSE Portugal + PSE Espanha + PSE Brasil + PSE EUA + PSE Outras Geografias + PSE M 4, 7, M 4,2 7, % -5% -4% -13% -8% M 4,9 8, M 5,3 9, % -8% -8% -5% -6% M 2,7 5, ,6 6, % -25% -24% -29% -34% M 3,6 7, M 2,6 5, % 38% 22% -7% 17% ,9 3, ,2 4, % -14% -16% >1% 25% 213 1,6 1, ,2 15, % -93% -92% -85% -74% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 24/53 Abril de 214

25 Sumário da Segurança 213 Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade Gráficos Evolução Taxa de crescimento anual composta (CAGR ) Acidentes de Trabalho Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias -2% 6% -18% -4% -32% -88% Tf Índice de Frequência (acidentes por milhão de horas trabalhadas) ,9 4, 3,6 2,7 1,9,6 Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias -9% % -23% -14% -21% -92% Ti Índice de Incidência (acidentes por mil trabalhadores) ,9 7,6 7,2 5,1 3,8 1,2 Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias -9% % -23% 14% -21% -92% Tg Índice de Gravidade (dias perdidos por milhão de horas trabalhadas) Grupo EDP Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias -9% 2% -18% -31% -23% -84% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 25/53 Abril de 214

26 Sumário da Segurança Efetivo médio O gráfico seguinte representa a força de trabalho equivalente (FTE) no Grupo EDP, sendo os valores referentes aos PSE calculados a partir do número de horas trabalhadas, considerando os horários praticados na EDP. Mil Efetivo Médio (FTE) Portugal EUA+Outras Geografias PSE Brasil PSE Espanha PSE Portugal PSE EUA+Outras Geografias Brasil Espanha Efetivo Médio 213 Grupo EDP PSE Portugal Espanha Brasil EUA Outras Geografias Quase-acidentes Para a EDP, o conhecimento, análise e correção de situações de quase-acidentes constitui uma ferramenta essencial como forma atingir os objetivos e metas de redução dos riscos e danos pessoais nas operações conduzidas nas empresas do Grupo, tendo para este efeito desenvolvido um procedimento específico no âmbito do Sistema de Gestão da Segurança Corporativo implementado de acordo com a OHSAS 181:27. Durante o ano de 213 foram reportadas nas Empresas do Grupo EDP 187 situações de quaseacidente. Quase Acidentes reportados (EDP + PSE) Grupo EDP Portugal Espanha Brasil 21 EUA Outras Geografias 39 1 EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 26/53 Abril de 214

27 Sumário da Segurança Breve descrição dos acidentes mortais no Grupo EDP O trabalhador preparava-se para aceder a uma grua a partir de uma plataforma, quando o passadiço que as unia cedeu, tendo provocado a queda do trabalhador. O trabalhador subiu a um apoio de uma linha MT para montar um dispositivo dissuasor de nidificação em tensão e quando colocava a corda de serviço na primeira travessa sofreu eletrocussão. Quando procedia aos trabalhos preparatórios para inspeção da estabilidade das paredes de um poço ocorreu um inesperado desprendimento de pedras que atingiram e soterraram o trabalhador. O trabalhador quando executava trabalhos para beneficiação duma linha elétrica foi mortalmente atingido pela queda duma árvore que estava a ser cortada. Ao reparar a avaria dum cliente em BT por falha de fase, o trabalhador tocou simultaneamente numa fase da rede com tensão, tendo sofrido eletrocussão. Quando movimentava um armário elétrico no armazém para poder realizar a inspeção de dois motores, o armário deslizou provocando o esmagamento do trabalhador contra um dos motores. Quando se deslocava em serviço, uma equipa de dois elementos viu-se envolvida num acidente de choque em cadeia num acesso a uma praça de portagem, de que resultou a morte de um colaborador. O trabalhador quando procedia à desmontagem de equipamentos de ligação à terra e curtocircuito num apoio de derivação MT, tocou acidentalmente num arco da linha principal tendo sofrido eletrocussão. Quando procedia à desativação/desmontagem da linha de vida utilizada para um trabalho sobre uma estrutura o trabalhador, que não estava ligado a outro ponto de ancoragem, sofreu um desequilíbrio de que resultou a sua queda em altura. O trabalhador subiu a um apoio para desligar o ramal BT que ia ser substituído, quando sofreu uma descarga elétrica com origem na linha principal. O trabalhador encontrava-se próximo de uma máquina giratória de lagartas quando subitamente a encosta sofreu um deslizamento que arrastou a máquina, provocando o choque do balde com um trabalhador e a sua queda com consequente morte por traumatismo cervical. O trabalhador encontrava-se a realizar a inspeção área duma linha MT a partir do helicóptero, quando este embateu nos condutores de uma linha AT que cruzava a linha MT, tendo provocando a queda do helicóptero, e consequente morte dum trabalhador. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 27/53 Abril de 214

28 Sumário da Segurança EDP (Setor Elétrico Portugal) EDP (Setor Elétrico Portugal): Colaboradores EDP Síntese 24 acidentes de trabalho com baixa: 15 na EDP Distribuição, 4 na EDP Produção e 5 nas restantes Empresas do Grupo; 1 acidente mortal; 15 acidentes In itinere não mortais: 5 na EDP Distribuição, 1 na EDP Produção e 9 nas Outras Empresas do Grupo; Índice de Frequência (Tf): 2,2 acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg): 173 dias perdidos por milhão de horas trabalhadas. Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade (Comparativo face a 212) Quadro resumo Evolução dos principais indicadores por empresa Acidentes de Trabalho Acidentes Initinere Índice de Frequência (Tf) Índice de Incidência (Ti) Índice de Gravidade (Tg) Dias perdidos EDP (Setor Elétrico) EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas M 15 2,2 3, M 9 2,4 4, % 67% -8% -8% -1% -3% ,6 4, ,8 4, % 25% -7% -4% -2% -22% ,8 3, M 2,5 4, % 1% -28% -29% -16% -19% M 9 1,8 3, M 5 1,8 3, % 8% % % >1% >1% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 28/53 Abril de 214

29 Sumário da Segurança 213 Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade por Empresa 213 Quadro resumo Empresa Acidentes em serviço Índices acidentes em serviço Acidentes in itinere Tf Ti Tg EDP (Centro Corporativo) 1 1,3 2,2 5 3 EDP Produção 4 1,8 3, 13 1 EDP Distribuição 15 2,6 4, EDP Soluções Comerciais 3 3, 4,8 378 EDP Est. e Consultoria EDP Valor 4 Labelec 2 12,3 2,6 8 2 EDP Imobiliária EDP Inovação EDP Internacional EDP Serviço Universal EDP Serviços EDP Comercial Sãvida SCS Home Energy Setor Elétrico 25 2,2 3, Fundação EDP EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 29/53 Abril de 214

30 Sumário da Segurança 213 Acidentes em Serviço e Acidentes in itinere Evolução Taxa de crescimento anual composta (CAGR ) Total EDP (Setor Elétrico) 4 Setor Elétrico Acidentes em serviço Acidentes in itinere -8% -9% -7% EDP Distribuição Setor Elétrico Acidentes em serviço Acidentes in itinere -12% -15% % EDP Produção 5 4 Setor Elétrico Acidentes em serviço Acidentes in itinere -13% % -3% Outras Empresas Setor Elétrico Acidentes em serviço Acidentes in itinere 3% 25% -4% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 3/53 Abril de 214

31 Sumário da Segurança 213 Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade - Gráficos Evolução Taxa de crescimento anual composta (CAGR ) Acidentes de Trabalho Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas -9% -15% % 25% Tf Índice de Frequência (acidentes por milhão de horas trabalhadas) 2,6 2,2 1,8 Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas -6% -12% 3% 24% Ti Índice de Incidência (acidentes por mil trabalhadores) 4,3 3,7 3, Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas -7% -12% 3% 24% Tg Índice de Gravidade (dias perdidos por milhão de horas trabalhadas) Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas % -6% 13% 51% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 31/53 Abril de 214

32 Sumário da Segurança 213 Acidentes por tipo e gravidade Distribuição dos acidentes por tipo Elétricos 1 Outros Queda ao nivel 213 Acidentes c/veículos 2 Queda em altura Interação com objetos Mov Inc e Sobreesforços 4 Acidentes de origem elétrica (2 em 212) 4 Acidentes com veículos (9 em 212) Quedas em altura ( em 212) 5 Quedas ao mesmo nível (8 em 212) 2 Consequência de interação com objetos (1 em 212) 7 Consequência de movimentos incorretos ou sobre-esforços (8 em 212) 3 Outros ( em 212). Gravidade Média por tipo de acidente Elétricos Queda ao nivel Mov Inc e Sobreesforços Interação com objetos Acidentes c/veículos Outros EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 32/53 Abril de 214

33 Sumário da Segurança 213 Localização das lesões Cabeça - 5 Pescoço - Tronco - 6 Membros Superiores - 5 Mãos - 7 Membros Inferiores - 7 Pés - 5 Múltiplas - 2 Nota: Um acidente pode provocar mais de uma lesão. Doenças profissionais Em 213, foram reconhecidas 5 casos de doenças profissionais em Portugal, dos quais apenas 2 com desvalorização, e 3 casos no Brasil. Face ao número de situações com desvalorização, a taxa de doenças profissionais com desvalorização por milhão de horas trabalhadas é de,17 em Portugal,,53 no Brasil e de,24 para o universo do Grupo EDP. Doenças Profissionais atribuídas em 213 (Portugal) PATOLOGIA Data de decisão Incapacidade Hipoacúsia bilateral % Periartrite Escápulo-Humeral direito % Epicondilite esquerda e periartrite Escápulo-Humeral esquerdo % Epicondilite direita % Epicondilite direita % EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 33/53 Abril de 214

34 Sumário da Segurança EDP (Setor Elétrico Portugal): Trabalhadores de PSE Síntese 117 acidentes de trabalho com baixa: 33 na EDP Distribuição, 72 na EDP Produção e 12 nas restantes Empresas do Grupo; 5 acidentes mortais: 2 na EDP Distribuição (2 elétricos) e 3 na EDP Produção (queda em altura, queda de objeto e choque com objeto); Índice de Frequência (Tf): 6,3 acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg): 454 dias perdidos por milhão de horas trabalhadas. Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade (Comparativo face a 212) Quadro resumo Evolução dos principais indicadores por empresa Acidentes de Trabalho Índice de Frequência (Tf) Índice de Incidência (Ti) Índice de Gravidade (Tg) Dias perdidos Total PSE EDP (Setor Elétrico) PSE EDP Distribuição PSE EDP Produção PSE Outras Empresas M 6,3 12, M 6,9 13, % -9% -9% -5% -4% M 5,1 1, M 4,8 9, % 6% 6% 28% 28% M 6,7 13, M 8,1 16, % -17% -18% -2% -21% ,9 19, ,9 15, % 25% 25% 93% >1% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 34/53 Abril de 214

35 Sumário da Segurança 213 Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade - Gráficos Evolução Taxa de crescimento anual composta (CAGR ) Acidentes de Trabalho Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas 11% 2% 12% 41% 12, 8, 4, Tf Índice de Frequência (acidentes por milhão de horas trabalhadas) 9,9 6,7 6,3 5,1 Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas -1% 1% -7% 32%, Ti Índice de Incidência (acidentes por mil trabalhadores) 19,5 12,5 13,2 1,1 Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas -1% 1% -7% 32% Tg Índice de Gravidade (dias perdidos por milhão de horas trabalhadas) Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas -2% % -3% -25% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 35/53 Abril de 214

36 Sumário da Segurança EDP (Setor Elétrico Portugal): Colaboradores EDP + PSE Síntese 141 acidentes de trabalho com baixa: 48 na EDP Distribuição, 76 na EDP Produção e 17 nas restantes Empresas do Grupo; 6 acidentes mortais, dos quais 3 na EDP Produção, 2 na EDP Distribuição e 1 na Labelec; Índice de Frequência (Tf): 4,8 acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg) : 35 dias perdidos por milhão de horas trabalhadas. Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade (Comparativo face a 212) Quadro resumo Evolução dos principais indicadores por empresa Acidentes de Trabalho Índice de Frequência (Tf) Índice de Incidência (Ti) Índice de Gravidade (Tg) Dias perdidos EDP (Setor Elétrico) + PSE EDP Distribuição + PSE EDP Produção + PSE Outras Empresas + PSE M 4,8 8, M 5,2 9, % -8% -8% -4% -4% M 4, 7, M 3,9 6, % 3% 4% 1% 9% M 5,8 11, M 7,2 13, % -19% -18% -19% -21% M 4, 6, M 3,1 5, % 29% 3% >1% >1% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 36/53 Abril de 214

37 Sumário da Segurança 213 Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade - Gráficos Evolução Taxa de crescimento anual composta (CAGR ) Acidentes de Trabalho Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas 6% -5% 11% 5% Tf Índice de Frequência (acidentes por milhão de horas trabalhadas) 5,8 4,8 4, Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas % -4% -2% 44% Ti Índice de Incidência (acidentes por mil trabalhadores) 11,2 8,8 7,2 6,9 Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas 1% -4% -1% 44% Tg Índice de Gravidade (dias perdidos por milhão de horas trabalhadas) Setor Elétrico EDP Distribuição EDP Produção Outras Empresas 2% -1% 3% 74% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 37/53 Abril de 214

38 Sumário da Segurança 213 Efetivo médio equivalente Efetivo médio equivalente Ano EDP PSE Mil Distribuição Produção Outras Empresas Distribuição PSE Produção PSE Outras PSE Acidentes mortais por tipo PSE Viação PSE Outros PSE Entalamento / Soterramento PSE Quedas em Altura PSE Eléctricos EDP Outros EDP Viação EDP Quedas em Altura EDP Eléctricos Causas dos acidentes de trabalho Origem elétrica Queda em altura 6 15 Quedas ao nível Entalamento/ Soterramento Interação c/ objetos Rodoviários Movim. Incorreto ou sobreesforço Outros EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 38/53 Abril de 214

39 Sumário da Segurança EDP (Setor Gás Portugal) EDP (Setor Gás Portugal): Colaboradores EDP Síntese acidentes de trabalho (em serviço) com trabalhadores EDP; acidentes mortais; 1 acidentes In itinere ; Índice de Frequência (Tf): acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg): dias perdidos por milhão de horas trabalhadas EDP (Setor Gás Portugal): Trabalhadores de PSE Síntese 1 acidentes de trabalho com baixa; acidentes mortais; Índice de Frequência (Tf): 1,4acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg): 24 dias perdidos por milhão de horas trabalhadas EDP (Setor Gás Portugal): Colaboradores EDP + PSE Síntese 1 acidentes de trabalho com baixa; acidentes mortais; Índice de Frequência (Tf): 1,2 acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg): 2 dias perdidos por milhão de horas trabalhadas. Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade (Comparativo face a 212) Quadro resumo EDP (Setor Gás Portugal) Evolução dos principais indicadores por empresa Acidentes de Trabalho Índice de Frequência (Tf) Índice de Incidência (Ti) Índice de Gravidade (Tg) Dias perdidos 213,, Colaboradores 212,, ,4 2, Prestadores de Serviço ,5 6, % -6% -59% -9% -92% ,2 2, Colaboradores + PSE ,9 5, % -59% -59% -9% -92% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 39/53 Abril de 214

40 Sumário da Segurança Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade Gráficos Evolução Taxa de crescimento anual composta (CAGR ) Acidentes de Trabalho Colaboradores PSE Colaboradores + PSE -1% -24% -28% , 2, 15, 1, Tf Índice de Frequência (acidentes por milhão de horas trabalhadas) Colaboradores PSE Colaboradores + PSE -1% -37% -36% 5,, 1,4 1,2, , 4, 32, 24, Ti Índice de Incidência (acidentes por mil trabalhadores) Colaboradores PSE Colaboradores + PSE -1% -37% -36% 16, 8,, 2,8 2,3, Tg Índice de Gravidade (dias perdidos por milhão de horas trabalhadas) Colaboradores PSE Colaboradores + PSE -1% -26% -23% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 4/53 Abril de 214

41 Sumário da Segurança EDP (Renováveis Portugal) EDP (Renováveis Portugal): Colaboradores EDP acidentes de trabalho com baixa; acidentes mortais; acidentes In itinere ; Índice de Frequência (Tf): acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg): dias perdidos por milhão de horas trabalhadas EDP (Renováveis Portugal): Trabalhadores de PSE 6 acidentes de trabalho com baixa; acidentes mortais; Índice de Frequência (Tf): 3,1 acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg): 1274 dias perdidos por milhão de horas trabalhadas EDP (Renováveis Portugal): Colaboradores EDP + PSE 6 acidentes de trabalho com baixa; acidentes mortais; Índice de Frequência (Tf): 2,3 acidentes por milhão de horas trabalhadas; Índice de Gravidade (Tg): 858 dias perdidos por milhão de horas trabalhadas. Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade (Comparativo face a 212) Quadro resumo EDP (Renováveis Portugal) Evolução dos principais indicadores por empresa Acidentes de Trabalho Índice de Frequência (Tf) Índice de Incidência (Ti) Índice de Gravidade (Tg) Dias perdidos 213,, Colaboradores 212,, ,1 59, Prestadores de Serviço ,3 4, % 48% 48% 12% -1% ,3 36, Colaboradores + PSE ,3 26, % 42% 34% 7% -1% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 41/53 Abril de 214

42 Sumário da Segurança Acidentes de Trabalho e Índices de Sinistralidade - Gráficos Evolução Taxa de crescimento anual composta (CAGR ) Acidentes de Trabalho 6 Colaboradores PSE Colaboradores + PSE -1% -7% -12% , 28, 21, 14, Tf Índice de Frequência (acidentes por milhão de horas trabalhadas) 3,1 2,3 Colaboradores PSE Colaboradores + PSE -1% -3% -28% 7,,, , 6, 48, 36, 24, Ti Índice de Incidência (acidentes por mil trabalhadores) 59,5 36, Colaboradores PSE Colaboradores + PSE -1% -3% -28% 12,,, Tg Índice de Gravidade (dias perdidos por milhão de horas trabalhadas) Colaboradores PSE Colaboradores + PSE -1% 22% 28% EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 42/53 Abril de 214

43 Sumário da Segurança Benchmarking Índices de frequência Grupo EDP e congéneres (acidentes por milhão de horas trabalhadas) Grupo EDP Grupo Iberdrola Grupo EDF Grupo ENEL Gas Natural Fenosa Índices de frequência EDP (Setor Elétrico) e congéneres 12 (acidentes por milhão de horas trabalhadas) EDP (PT) Iberdrola (ES) EDF (FR) União Fenosa (ES) HC (ES) Índices de frequência EDP (Setor Gás) 2(acidentes por milhão de horas trabalhadas) EDP Gás (PT) Naturgas (ES) EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 43/53 Abril de 214

44 Sumário da Segurança 213 Índices de frequência EDP (Renováveis) 4 (acidentes por milhão de horas trabalhadas) EDP Renováveis Portugal EDP Renováveis Espanha EDP Renováveis EUA EDP Renováveis Brasil EDP Renováveis França e Bélgica EDP Renováveis Itália Fonte: Relatórios de Sustentabilidade publicados pelas empresas. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 44/53 Abril de 214

45 Sumário da Segurança Partilha de boas práticas no Grupo EDP A troca de experiências e partilha de informação dos projetos mais relevantes em matérias segurança no trabalho entre as empresas e geografias do Grupo EDP, é uma ferramenta importante no sentido de potenciar a adoção transversal e generalizada das melhores práticas em vigor. Dos projetos e iniciativas desenvolvidos em 213, destacam-se os seguintes: EDP Produção Auditorias externas aos grandes projetos hídricos, avaliação de prestadores de serviço em matéria de SST e ações de envolvimento de colaboradores O ano de 213 trouxe desafios importantes em matéria de segurança e saúde no trabalho para a EDP Produção. De facto, o elevado volume e tipo de trabalhos que se realizaram tanto nos grandes projetos hidroelétricos como nas áreas de exploração, envolveram riscos ocupacionais elevados e obrigaram o empenho de todos para a sua concretização. Foram várias as iniciativas e boas práticas no que respeita de promoção das condições de segurança no trabalho desenvolvidas na EDP Produção, sendo de destacar: 1. Avaliação de Prestadores de Serviço em matéria de SST O desempenho adequado dos prestadores de serviço da EDP Produção em matérias de SST, é essencial para promover uma relação de confiança, colaboração e criação de valor nas actividades desenvolvidas. Neste sentido a EDP Produção implementou um sistema de avaliação de fornecedores, suportado na plataforma SAP que, entre outros parâmetros, avalia o desempenho de SST dos seus prestadores de serviço. A avaliação do desempenho é efetuada em diferentes momentos da prestação de serviço, de acordo com a natureza e duração dos trabalhos, e tem por base critérios que vão desde a avaliação da documentação e meios de prevenção utilizados, até aos resultados de sinistralidade obtidos durante o período de fornecimento para a EDP Produção. Em 213 foram avaliados formalmente na EDP Produção, através do Sistema de Avaliação de Fornecedores, 329 Empresas e 1175 pedidos de compra. De modo a minimizar o grau a subjetividade existente no momento da avaliação, foi realizado em 213, um guia de harmonização de critérios de avaliação dos aspetos de segurança no trabalho, tornando assim a avaliação mais justa e homogénea entre as diferentes UO s da EDP Produção. 2. A Realização de auditorias externas realizadas aos grandes projetos hidroelétricos A EDP Produção estabeleceu um contrato com a Lloyd s Register (LRQA) para a realização de auditorias semestrais de gestão da segurança durante a construção dos novos aproveitamentos hidroeléctricos. Estas auditorias têm como referência os requisitos legais e os estabelecidos na norma OHSAS 181:27 e abrangem os seguintes aspectos: EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 45/53 Abril de 214

46 Sumário da Segurança 213 a) Procedimentos corporativos de gestão da segurança e saúde no trabalho; b) Requisitos contratuais aplicáveis do caderno de encargos da empreitada geral de construção, incluindo o respectivo Plano de Segurança e Saúde; c) Requisitos contratuais aplicáveis ao fornecimento de serviços de coordenação de Segurança em obra; Em 213 realizaram-se auditorias às obras de Baixo Sabor, Foz Tua, Venda Nova III, Salamonde II e Ribeiradio/Ermida. 3. Envolvimento de colaboradores com matérias de SST Programa SIGAS, quem sabe esta?. Potenciar o envolvimento dos colaboradores com a SST é uma vertente essencial na construção e manutenção de uma cultura de Segurança, baseada no conhecimento e participação. Neste sentido e com o objetivo de motivar a procura de informação, a troca de impressões e a aprendizagem de conceitos e práticas inerentes às nossas atividades, foi lançado na área de exploração térmica da EDP Produção, um questionário periódico sobre diferentes aspetos de SST. Durante três semanas, os colaboradores da Central de Lares receberam, diariamente por correio eletrónico, uma questão relacionada com o Sistema Integrado de Ambiente e Segurança. Esta iniciativa teve uma adesão elevada dos colaboradores, sendo que uma grande parte não deixou escapar uma única pergunta. No final do programa, foram atribuídos prémios aos participantes que se distinguiram com mais respostas correctas. 4. Envolvimento de colaboradores com matérias de SST Melhoria das medidas de Controlo Operacional Esta iniciativa foi realizada com o objetivo de aproximar os técnicos de exploração das centrais hídricas com os aspectos de SST, cultivando nestes uma atitude preventiva e de antecipação ao risco. Consistiu na construção de uma lista de verificação que foca aspectos a verificar em cada instalação, permitindo identificar melhorias e quantificar o estado da segurança no trabalho e do ambiente, em de cada central hídrica. A sua implementação consiste na realização de visitas conjuntas, sem aviso prévio, entre o técnico da instalação e o técnico de segurança. Nestas visitas são identificados diferentes aspectos e é atribuída uma pontuação que resulta do consenso entre ambos os avaliadores. O resultado final da visita é divulgado à equipa da instalação e quadrimestralmente é realizada a divulgação dos resultados obtidos nas diferentes instalações a toda a organização, incentivando assim uma competição amigável e proativa entre centrais. EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 46/53 Abril de 214

47 Sumário da Segurança 213 EDP Distribuição Campanha Risque os Riscos A EDP Distribuição vem a realizar, desde outubro de 211, uma campanha de sensibilização som o lema Risque os Riscos, com o objectivo de promover comportamentos de antecipação dos riscos e de cooperação entre todos, mediante a evidência diária do compromisso com a segurança e incorporação, nas equipas operacionais, de práticas continuadas de análise de riscos e de aplicação das medidas de prevenção previstas. Os materiais que incorporam a campanha são: 1. Cartaz sobre as 5 regras de Ouro da consignação ; 2. Cartaz sobre regras de prevenção de quedas em altura ; 3. Cartaz sobre regras para uma intervenção segura e espaço para afixação da carta de compromisso de segurança das equipas operacionais; 4. Cartaz de atividade segura e espaço para afixação do compromisso de segurança das equipas administrativas; 5. Autocolante alusivo à campanha, aplicado no capacete de proteção. A campanha está a ter um forte impacto visual, particularmente, nas obras realizadas na via pública, ressaltando: As melhorias observáveis na delimitação dos trabalhos, ao nível da qualidade, identificação consistência e visibilidade; O destaque dado ao cartaz intervenção segura ; A melhor organização do local dos trabalhos e, A maior disciplina operacional na utilização dos equipamentos de proteção individual, Constituindo, ainda, um adequado suporte de apoio na resposta ao incremento das exigências de segurança, induzido pelas observações preventivas de segurança. É expectável que da análise de riscos e da assunção do compromisso de segurança, praticadas de forma sistemática, resulte uma prática continuada, interiorizada pelas equipas, pelo que, em 213, deu-se um novo impulso à campanha, alargando o âmbito a intervenções críticas de curta duração e renovando a imagem e mensagens dos materiais para o período EDP Valor Direção de Segurança e Saúde 47/53 Abril de 214

SUMÁRIO DA SEGURANÇA 2011. Balanço das principais atividades e números da Segurança e Saúde no Trabalho

SUMÁRIO DA SEGURANÇA 2011. Balanço das principais atividades e números da Segurança e Saúde no Trabalho SUMÁRIO DA SEGURANÇA 211 Balanço das principais atividades e números da Segurança e Saúde no Trabalho EDP Valor Direção de Segurança e Saúde Março 212 Índice 1 Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho

Leia mais

NFPA-APSEI Prevenção e Segurança Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho no Grupo EDP. Outubro 2014

NFPA-APSEI Prevenção e Segurança Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho no Grupo EDP. Outubro 2014 NFPA-APSEI Prevenção e Segurança Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho no Grupo EDP Outubro 2014 EDP Valor Direção de Segurança e Saúde Outubro de 2014 Agenda 1. O Grupo EDP 2. O Sistema de Gestão da

Leia mais

Política de Prevenção e Controlo do Álcool no Grupo EDP

Política de Prevenção e Controlo do Álcool no Grupo EDP Política de Prevenção e Controlo do Álcool no Grupo EDP Para preencher o rodapé: 1. Pressione a tecla F5 2. Prima o seguinte botão EDP Valor Direção de Segurança e Saúde Agenda 1. Apresentação. O Grupo

Leia mais

Segurança. Presente e Futuro. Sérgio Manuel EDP Valor Direcção de Segurança e Saúde

Segurança. Presente e Futuro. Sérgio Manuel EDP Valor Direcção de Segurança e Saúde Segurança. Presente e Futuro Sérgio Manuel EDP Valor Direcção de Segurança e Saúde Agenda Atividades em curso Alguns números Iniciativas a lançar em 2011/2012 Agenda Atividades em curso Alguns números

Leia mais

VI JORNADAS TÉCNICAS DE SEGURANÇA NO TRABALHO DA AEVA

VI JORNADAS TÉCNICAS DE SEGURANÇA NO TRABALHO DA AEVA VI JORNADAS TÉCNICAS DE SEGURANÇA NO TRABALHO DA AEVA Boas Práticas Preventivas Implementadas na EDP Distribuição Aveiro, 10 de abril de 2014 João António Ribeiro Agenda 1. A EDP Distribuição 2. Lançamento

Leia mais

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental 1 Melhoria do desempenho ambiental implementação do Sistema de Gestão Ambiental A Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem implementado

Leia mais

Elaine Ferreira. Diretora de Gestão do Capital Humano - Brasil

Elaine Ferreira. Diretora de Gestão do Capital Humano - Brasil Segurança do Trabalho na EDP Brasil Elaine Ferreira Diretora de Gestão do Capital Humano - Brasil Unidades EDP no Brasil 2.529 Colaboradores 4.090 Prestadores Serviços UHE LAJEADO UHE PEIXE ANGICAL PANTANAL

Leia mais

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP DPS 38.008-13 EDP Natureza do documento Versão Data Emissor Procedimento de Segurança (DPS) R4 14-12-2012

Leia mais

Sistemas de gestão da segurança em estabelecimentos industriais uma abordagem pragmática. Luís Santos (Auditor de Segurança)

Sistemas de gestão da segurança em estabelecimentos industriais uma abordagem pragmática. Luís Santos (Auditor de Segurança) Sistemas de gestão da segurança em estabelecimentos industriais uma abordagem pragmática Luís Santos (Auditor de Segurança) Abordagem 1. Pilares de sustentabilidade de um SGS 2. Ameaças à integridade 3.

Leia mais

PA+VIDA Partilha de Boas Práticas

PA+VIDA Partilha de Boas Práticas PA+VIDA Partilha de Boas Práticas A PAINHAS conta com mais de 30 anos de experiência, tendo sido fundado em 1980. Hoje, sedeado em Viana do Castelo, emprega mais de 2.000 funcionários em diferentes áreas

Leia mais

Gestão do Risco Elétrico

Gestão do Risco Elétrico Gestão do Risco Elétrico Aveiro, 10 de abril de 2015 João António Ribeiro Agenda 1. A EDP 2. Risco elétrico 3. Proteção contra o risco elétrico 4. Segurança nos trabalhos em instalações elétricas Trabalhos

Leia mais

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Resolução do Conselho 2002/C161/01 Nova Estratégia Comunitária de Saúde e Segurança (2002 2006) Redução dos Acidentes de Trabalho

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/9 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA GERADORES AUXILIARES (GERADOR MÓVEL) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos específicos de operação e ligação de gerador auxiliar móvel à rede de distribuição

Leia mais

ÍNDICE DE QUADROS CAPÍTULO 3 - HIGIENE E SEGURANÇA

ÍNDICE DE QUADROS CAPÍTULO 3 - HIGIENE E SEGURANÇA ÍNDICE DE QUADROS CAPÍTULO 3 - HIGIENE E SEGURANÇA Quadro 19: Número de acidentes de trabalho e de dias de trabalho perdidos com baixa, por género Quadro 20: Número de casos de incapacidade declarados

Leia mais

PARECER DOS RTSST-MONTEPIO À PROPOSTA DE LEI N.º 283/X/4.ª

PARECER DOS RTSST-MONTEPIO À PROPOSTA DE LEI N.º 283/X/4.ª PARECER DOS RTSST-MONTEPIO À PROPOSTA DE LEI N.º 283/X/4.ª Os RTSST-Montepio, primeira estrutura do género a ser eleita em Portugal ao abrigo da Lei 35/2004, entenderam formular o presente parecer em complemento

Leia mais

Gestão de Instalações Desportivas

Gestão de Instalações Desportivas Gestão de Instalações Desportivas Ambiente, Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Módulo 10 sessão 3 Gestão de Instalações Desportivas 1.3. Sistemas integrados de qualidade, ambiente e segurança Ambiente,

Leia mais

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE XXVIII Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE 1. Sistema de gestão de qualidade... 2 1.1 Objectivos do sistema... 2 1.2 Estrutura organizativa... 4 1.2.1 Organização interna... 4 1.2.2 Estrutura

Leia mais

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho SHST

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho SHST Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho SHST O QUE DIZ A LEI OBSERVAÇÕES Todos os trabalhadores têm direito à prestação de trabalho em condições de segurança, higiene e saúde, competindo ao empregador assegurar

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho. Patrícia Serra

Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho. Patrícia Serra Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho Patrícia Serra 1 Objetivos das Auditorias ao SGSST Verificar se o SG cumpre eficazmente a política, os objetivos e metas definidos pela organização

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO 1/19 Programa do curso Módulo Designação Duração (h) Componente Sócio-Cultural 1 Legislação, regulamentos e normas de segurança,

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL. Gestão de Anomalia

PROCEDIMENTO GERAL. Gestão de Anomalia PÁG. 1/12 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para gestão de anomalias na BAHIAGÁS, determinando os critérios para seu registro, comunicação, investigação e a metodologia para definição e implantação

Leia mais

PNQS 2014 IGS RDPG PRÊMIO CIPA

PNQS 2014 IGS RDPG PRÊMIO CIPA PNQS 2014 IGS RDPG PRÊMIO CIPA Mudança de cultura na gestão de segurança e saúde por meio do estímulo e reconhecimento das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes A. A OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a

Leia mais

Política Obrigatória Fevereiro 2013. A Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental

Política Obrigatória Fevereiro 2013. A Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política Obrigatória Fevereiro 2013 A Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política Obrigatória Fevereiro 2013 Autor/ Departamento Segurança, Saúde e Sustentabilidade Ambiental Público-alvo

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho

Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XXI Acidentes de Trabalho um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a

Leia mais

SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ELABORADO APROVADO FOLHA: 1/24 NOME Vivan Gonçalves Coordenador do SESMT Teresinha de Lara Coordenador do SGI DATA: 02/01/2007 VERSÃO: 01 ÍNDICE 1. Objetivo 4 1.1. Escopo do SGSSO TELEDATA 5 2. Referências

Leia mais

Tendências do Mercado de SST em Portugal. João Florindo

Tendências do Mercado de SST em Portugal. João Florindo Tendências do Mercado de SST João Florindo 1 O que nos preocupa na UE Para o universo de 217 milhões de trabalhadores da EU, registam-se: 4.000 mortes devido a acidentes de trabalho (EEAT 2011) 159.500

Leia mais

GUIA DE APOIO. Documento aprovado em sede do Conselho Diretivo Nacional da Ordem dos Engenheiros em 17 de setembro de 2013

GUIA DE APOIO. Documento aprovado em sede do Conselho Diretivo Nacional da Ordem dos Engenheiros em 17 de setembro de 2013 GUIA DE APOIO Documento aprovado em sede do Conselho Diretivo Nacional da Ordem dos Engenheiros em 17 de setembro de 2013 Gabinete de Qualificação Avenida António Augusto de Aguiar, 3D 1069-030 Lisboa

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Preparação e Resposta à Doença por Vírus Ébola Avaliações Externas

Preparação e Resposta à Doença por Vírus Ébola Avaliações Externas Preparação e Resposta à Doença por Vírus Ébola Avaliações Externas European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC) Global Health Security Agenda (GHSA) Enquadramento A Plataforma de Resposta

Leia mais

RELATÓRIO DE FORMAÇÃO

RELATÓRIO DE FORMAÇÃO RELATÓRIO 2013 DE FORMAÇÃO 2 Índice Introdução... 5 1. Indicadores Gerais da Formação em 2013... 6 2. Nível de Execução do Plano de Formação 2013... 7 3. Formação extraplano... 9 4. Autoformação... 9 5.

Leia mais

Nome da Empresa Pessoa de Contacto Cargo Consultor Data

Nome da Empresa Pessoa de Contacto Cargo Consultor Data 01 Nome da Empresa Pessoa de Contacto Cargo Consultor Data O presente questionário deve ser utilizado em complemento dos Questionários de Avaliação Financeira, de Gestão e Excelência Módulos Base dos Índices

Leia mais

SEGURANÇA & SAÚDE NO LOCAL DE TRABALHO. Conheça os seus direitos! UNIÃO GERAL DE TRABALHADORES. Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho

SEGURANÇA & SAÚDE NO LOCAL DE TRABALHO. Conheça os seus direitos! UNIÃO GERAL DE TRABALHADORES. Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho UNIÃO GERAL DE TRABALHADORES Direito à prestação de trabalho em condições de Segurança e Saúde O direito de todos os/as trabalhadores/as à prestação do trabalho em condições de Segurança e Saúde encontra-se

Leia mais

Uma Questão de Atitude...

Uma Questão de Atitude... Uma Questão de Atitude... Catálogo de Formação 2014 1 Introdução 3 Soluções de Formação 3 Áreas de Formação 4 Desenvolvimento Pessoal 5 Comercial 12 Secretariado e Trabalho Administrativo 15 Indústrias

Leia mais

Serviços Tecno Consultores em Formação. Serviços Tecnológicos MAPFRE Consultores em Engenharia e Formação

Serviços Tecno Consultores em Formação. Serviços Tecnológicos MAPFRE Consultores em Engenharia e Formação Serviços Tecno Consultores em Formação Consultores em Engenharia e Formação Plano de Formação 2014 Índice Curso Intensivo sobre Segurança no Trabalho para atualização de CAP s 4 Curso Intensivo sobre Segurança

Leia mais

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores Cenário 1 Alarme de reconhecimento Responsável Bloco faz o reconhecimento Atuação Equipa 1ª Intervenção Alarme Parcial Bloco A Atuação Equipa Evacuação Bloco A Situação Controlada? Sinistro? Sim Não Reposição

Leia mais

Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho

Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho 1 1. A campanha MET 2. Aquisição de máquinas seguras 3. Utilização de equipamentos de trabalho bem adaptados 4. Locais de trabalho

Leia mais

Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança

Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança ENQUADRAMENTO O QUE SE PRETENDE? A IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

Leia mais

Álcool e Drogas em Meio Laboral Clausulado Negociação Coletiva

Álcool e Drogas em Meio Laboral Clausulado Negociação Coletiva Álcool e Drogas em Meio Laboral Clausulado Negociação Coletiva Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Índice I Nota Introdutória. 3 II Metodologia..5 III Enquadramento da Problemática do Álcool

Leia mais

1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico

1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico 1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico O documento legislativo que estabelece o regime jurídico de enquadramento da segurança, higiene e saúde no trabalho é determinado

Leia mais

Uma Questão de Atitude...

Uma Questão de Atitude... Uma Questão de Atitude... Catálogo de Formação 1 Introdução 3 Soluções de Formação 3 Áreas de Formação 4 Desenvolvimento Pessoal 5 Comercial 12 Secretariado e Trabalho Administrativo 15 Indústrias Alimentares

Leia mais

Portugal Brasil Moçambique Polónia

Portugal Brasil Moçambique Polónia www.promover.pt www.greatteam.pt Portugal Brasil Moçambique Polónia QUEM SOMOS - Prestamos serviços técnicos de consultoria de gestão e formação nos diversos setores da economia. - Presentes em Lisboa,

Leia mais

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores Homologado pelo IEFP com o código de curso C1840003 Presencial 90 horas (Conforme Portaria n.º 214/2011, de 30 de maio) DPJ.FOR.FPIF.01

Leia mais

Responsabilidade Social Temas do Consumo Boas Práticas na Agriloja Retalho Especializado de Agricultura e Pecuária

Responsabilidade Social Temas do Consumo Boas Práticas na Agriloja Retalho Especializado de Agricultura e Pecuária Responsabilidade Social Temas do Consumo Boas Práticas na Agriloja Retalho Especializado de Agricultura e Pecuária Patrícia Garcia Diretora Recursos Humanos e Qualidade Agridistribuição, S.A. Semana da

Leia mais

SGA. Introdução. Qualidade SGA ISO 14001. SGA por Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática SGA. Introdução.

SGA. Introdução. Qualidade SGA ISO 14001. SGA por Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática SGA. Introdução. por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Legislação aplicada no âmbito de S.H.S.T. Prescrições mínimas de segurança e saúde sobre os componentes materiais do Trabalho

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS 2 DESCRIÇÃO A movimentação de cargas pesadas, compreende as operações de elevação, transporte e descarga de objectos,

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA Março de 2015 4ª Edição Índice 1 O DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO... 3 1.1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA... 3 1.2. ESTRUTURA... 3 2 CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO DA

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS A Indústria Petrolífera e a Segurança Rodoviária -ASRA A segurança continua a ser uma prioridade da Indústria Petrolífera, o que se constata quando se avaliam

Leia mais

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Como as pessoas tendem a imitar os seus líderes, estes devem-se empenhar e comprometer-se com o QSSA, para servirem

Leia mais

Enquadramento técnico normativo

Enquadramento técnico normativo Este Guião pretende, por um lado dar visibilidade ao serviço de SAD promovido pelas IPSS, e por outro servir de inspiração para todas as instituições. Não é um documento fechado, antes uma base de trabalho

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

Índice. Quadro Referencial Avaliação do Desempenho Docente. Índice 01. Introdução 02. Pressupostos 02. Dimensões da Avaliação 03

Índice. Quadro Referencial Avaliação do Desempenho Docente. Índice 01. Introdução 02. Pressupostos 02. Dimensões da Avaliação 03 Quadro Referencial Avaliação do Desempenho Docente Índice Página Índice 01 Introdução 02 Pressupostos 02 Dimensões da Avaliação 03 Domínios e Indicadores da Avaliação 03 Níveis de Desempenho da Avaliação

Leia mais

Serviços de Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho

Serviços de Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho Trimestral n.º 3-28 de Janeiro de 2013 Serviços de Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho NEWSLETTER SHST XZ Consultores, SA - Empresa autorizada pela ACT por despacho nº 446/2006 SMTB, Lda. - Entidade

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Introdução No âmbito da sua actividade, o Conselho de Prevenção da Corrupção (CPC), aprovou a Recomendação n.º 1/2009,

Leia mais

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 2011/07/07 NOTA: No caso de imprimir este documento, o mesmo passa automaticamente a Cópia Não Controlada ; a sua utilização implica a confirmação prévia de que corresponde à

Leia mais

Balanço da Campanha. Felgueiras, 4 de março de 2015

Balanço da Campanha. Felgueiras, 4 de março de 2015 Balanço da Campanha Felgueiras, 4 de março de 2015 Preparação da Campanha Envolvimento dos parceiros sociais APICCAPS, CTCP, FESETE, SINDEQ e Academia do Design e Calçado Compromisso de apoio à Campanha

Leia mais

A auditoria à Conta Geral da. Regiã o Administrativa Especial de Macau. no â mbito da prestaçã o de contas

A auditoria à Conta Geral da. Regiã o Administrativa Especial de Macau. no â mbito da prestaçã o de contas A auditoria à Conta Geral da Regiã o Administrativa Especial de Macau no â mbito da prestaçã o de contas São Tomé e Príncipe, 11-14 de Outubro de 2010 VI Assembleia Geral da OISC/CPLP Índice 1. Introdução

Leia mais

Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017

Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017 Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017 um fruto não se colhe às pressas. Leva seu tempo, de verde-amargo até maduro-doce Mia Couto

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR Princípios aplicáveis ao desenvolvimento dos Sistemas de Gestão de Riscos e de Controlo Interno das Empresas de Seguros As melhores práticas internacionais na regulamentação

Leia mais

Guia do Voluntário EDP

Guia do Voluntário EDP Apresentação O presente é uma das três partes distintas do Manual do Voluntariado EDP. O Manual do Voluntariado foi concebido desta forma, conforme o público-alvo a que se destina, para facilitar a sua

Leia mais

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP Natureza do documento Versão Data Emissor Procedimento de Segurança (DPS) R8 12-03-2015 EDP Valor Direção de Segurança e Saúde Lista de Distribuição: Direções e Unidades do Centro Corporativo Empresas

Leia mais

Os Custos de Prevenção e Segurança e a sua Recuperação no Tempo COMUNICAÇÃO DE MANUEL MENDES DA CRUZ

Os Custos de Prevenção e Segurança e a sua Recuperação no Tempo COMUNICAÇÃO DE MANUEL MENDES DA CRUZ Os Custos de Prevenção e Segurança e a sua Recuperação no Tempo COMUNICAÇÃO DE MANUEL MENDES DA CRUZ INTRODUÇÃO O inesperado é o dia a dia das empresas... Pelo que os gestores têm também de prever o inesperado...

Leia mais

INFORMAÇÃO. Serviço de Saúde e Segurança do Trabalho; Caderno de Encargos; Saúde Ocupacional; Medicina do Trabalho; Segurança do Trabalho

INFORMAÇÃO. Serviço de Saúde e Segurança do Trabalho; Caderno de Encargos; Saúde Ocupacional; Medicina do Trabalho; Segurança do Trabalho NÚMERO: 13/2015 DATA: 15/04/2016 ASSUNTO: Caderno de Encargos para aquisição de Serviços Externos de Saúde e Segurança do Trabalho por entidades/organismos da administração e emprego público Especificações

Leia mais

Política de Responsabilidade Social

Política de Responsabilidade Social Política de Responsabilidade Social e Programa 2015 I. ENQUADRAMENTO A criação da Fábrica do Chocolate materializa por si só o sentido de responsabilidade social da empresa e das pessoas envolvidas na

Leia mais

Segurança, faz a diferença

Segurança, faz a diferença Segurança, faz a diferença Projecto Lince EH&S Pedro Moreira EDP Valor Direcção de Segurança e Saúde Agenda O problema e a solução encontrada Funcionalidades disponíveis Implementação Agenda O problema

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Para: Organização de Serviços de Segurança e Saúde do Trabalho/Saúde Ocupacional (SST/SO) nos Cuidados Primários de Saúde - ACES e Sede de ARS(s) Todos os serviços do Ministério da Saúde Nº: 05/DSPPS/DCVAE

Leia mais

UGT União Geral de Trabalhadores

UGT União Geral de Trabalhadores FÓRUM NACIONAL ÁLCOOL E SAÚDE FORMULÁRIO DE SUBMISSÃO TÍTULO DO CAMPO Data de submissão 14 de Março de 2014 NOME DA ORGANIZAÇÃO AUTORA DO COMPROMISSO UGT União Geral de Trabalhadores TÍTULO DO COMPROMISSO

Leia mais

PUBLICAÇÕES:TECNOMETAL n.º 139 (Março/Abril de 2002) KÉRAMICA n.º 249 (Julho/Agosto de 2002)

PUBLICAÇÕES:TECNOMETAL n.º 139 (Março/Abril de 2002) KÉRAMICA n.º 249 (Julho/Agosto de 2002) TÍTULO: Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho AUTORIA: Paula Mendes PUBLICAÇÕES:TECNOMETAL n.º 139 (Março/Abril de 2002) KÉRAMICA n.º 249 (Julho/Agosto de 2002) FUNDAMENTOS A nível dos países

Leia mais

Regulamento de Funcionamento

Regulamento de Funcionamento AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. PEDRO DO SUL Avaliação de Desempenho Pessoal não Docente Regulamento de Funcionamento Regulamento da Avaliação de Desempenho do Pessoal não Docente do Agrupamento de Escolas

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

Quando falamos de prevenção no âmbito da Segurança, Higiene e Saúde no. Trabalho, estamos a falar de um conjunto de actividades que têm como objectivo

Quando falamos de prevenção no âmbito da Segurança, Higiene e Saúde no. Trabalho, estamos a falar de um conjunto de actividades que têm como objectivo 1 - Em que consiste a prevenção? Quando falamos de prevenção no âmbito da Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, estamos a falar de um conjunto de actividades que têm como objectivo eliminar ou reduzir

Leia mais

Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis. Enquadramento Legal

Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis. Enquadramento Legal AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis - Obrigações Gerais do Empregador SERVIÇOS DE ENGENHARIA/SEGURANÇA AICCOPN - 07 de Junho de

Leia mais

Certificação de Sistema de Gestão Relatório de Auditoria

Certificação de Sistema de Gestão Relatório de Auditoria Organização: Morada: Locais Auditados: Certificação de Sistema de Gestão Relatório de Auditoria MUNICÍPIO DE MIRANDELA Sede : Praça do Municipio 5370-288 MIRANDELA Sr. Presidente da Câmara: Eng.º António

Leia mais

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO CONVÉNIO CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO ÍNDICE FINALIDADE... 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CONSTITUIÇÃO E GOVERNÂNCIA... 4 FINANCIAMENTO... 5 RELATÓRIOS... 5 Ficha de Adesão ao CLUSTER

Leia mais

Resposta Hospitalar à Catástrofe Externa e Emergência Interna. Abílio Casaleiro

Resposta Hospitalar à Catástrofe Externa e Emergência Interna. Abílio Casaleiro Resposta Hospitalar à Catástrofe Externa e Emergência Interna 27.02.2015 Apresentação do Hospital de Cascais Plano de Catástrofe Externa Plano de Emergência Interna Hospital de Cascais - Caracterização

Leia mais

1.1 Segurança do trabalho

1.1 Segurança do trabalho 1.1 Segurança do trabalho A Segurança do Trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas adotadas, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade

Leia mais

Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros

Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros CATECE Comissão de Análise de Títulos de Especialistas e Cursos de Especialização Complexidade da especialidade O

Leia mais

MUNICÍPIO DO SEIXAL CÂMARA MUNICIPAL GABINETE DO PROJECTO SEIXAL SAUDÁVEL

MUNICÍPIO DO SEIXAL CÂMARA MUNICIPAL GABINETE DO PROJECTO SEIXAL SAUDÁVEL GABINETE DO PROJECTO SEIXAL SAUDÁVEL No ano de 2006 destacamos um conjunto de actividades e projectos desenvolvidos e/ou acompanhados por este gabinete. A saber: Comemoração do Dia Mundial da Saúde, sob

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO REGULAMENTO DO APOIO TÉCNICO À CRIAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE PROJETOS

PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO REGULAMENTO DO APOIO TÉCNICO À CRIAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE PROJETOS PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO REGULAMENTO DO APOIO TÉCNICO À CRIAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE PROJETOS Portaria n.º 985/2009, de 4 de setembro, alterada pela Portaria n.º

Leia mais

Plano de Ação 2016 GRACE

Plano de Ação 2016 GRACE Plano de Ação 2016 GRACE Mensagem da Direção É tempo de preparar mais um ano de intensa atividade do GRACE, procurando consolidar o capital de experiência e partilha acumulado e alargar novas perspetivas

Leia mais

OPERAÇÕES DE LIMPEZA DAS FOSSAS

OPERAÇÕES DE LIMPEZA DAS FOSSAS Página 1 of 7 0 CONTROLO DE REVISÕES... 2 1 OBJECTIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 2 REFERÊNCIAS... 2 3 DEFINIÇÕES... 2 4 ABREVIATURAS... 3 5 PROCEDIMENTO... 3 5.1 LIMPEZA DAS FOSSAS ESTANQUES... 3 5.2 LIMPEZA

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. ANÁLISE ESTRATÉGICA

1. INTRODUÇÃO 2. ANÁLISE ESTRATÉGICA CADERNO FICHA 11. RECUPERAÇÃO 11.4. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS O presente documento constitui uma Ficha que é parte integrante de um Caderno temático, de âmbito mais alargado, não podendo, por isso, ser interpretado

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço Política de Produto e Serviço Publicado em julho 2012 1 Fundada em 1876, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) é o maior grupo financeiro nacional, atuando em diferentes áreas, designadamente na banca comercial,

Leia mais

XVIII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE MINISTROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

XVIII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE MINISTROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA XVIII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE MINISTROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Maputo, 18 de Julho de 2013 Resolução sobre a Luta Contra o Trabalho Infantil na CPLP O Conselho de Ministros

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Disclaimer Linguagem Inclusiva. Declaração de Compromisso da Gestão de Topo. Missão. Visão. Valores. Partes Interessadas

CÓDIGO DE ÉTICA. Disclaimer Linguagem Inclusiva. Declaração de Compromisso da Gestão de Topo. Missão. Visão. Valores. Partes Interessadas CÓDIGO DE ÉTICA Disclaimer Linguagem Inclusiva Optámos por prescindir das referências de desagregação por género, ignorando aquela que é considerada uma boa prática, a utilização da linguagem inclusiva,

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

PARQUE EÓLICO DA SERRA DA ALVOAÇA VOLUME 1 SUMÁRIO EXECUTIVO

PARQUE EÓLICO DA SERRA DA ALVOAÇA VOLUME 1 SUMÁRIO EXECUTIVO PARQUE EÓLICO DA SERRA DA ALVOAÇA PROJECTO DE EXECUÇÃO RELATÓRIO DE CONFORMIDADE AMBIENTAL DO PROJECTO DE EXECUÇÃO (RECAPE) VOLUME 1 SUMÁRIO EXECUTIVO ÍNDICE DE PORMENOR 1. INTRODUÇÃO...1 2. PROCESSO DE

Leia mais

Missão UP Unidos pelo Planeta

Missão UP Unidos pelo Planeta Missão UP Unidos pelo Planeta 1 Missão UP Unidos pelo Planeta A Galp Energia pretende contribuir para uma mudança dos comportamentos relacionados com a eficiência no consumo de energia, através de um projeto

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

Plano de Formação SIPRP 2016

Plano de Formação SIPRP 2016 Plano de SIPRP 2016 VISÃO SIPRP A SIPRP é uma empresa que agrega competências técnicas e experiências profissionais associadas à prevenção de riscos profissionais, saúde ocupacional e segurança contra

Leia mais

O QUE DEVE SABER SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO. De acordo com as normas previstas no código de trabalho em vigor

O QUE DEVE SABER SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO. De acordo com as normas previstas no código de trabalho em vigor O QUE DEVE SABER SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO De acordo com as normas previstas no código de trabalho em vigor O QUE DEVE SABER SOBRE NECESSIDADES DE RECORRER AO TRABALHO TEMPORÁRIO As Empresas de Trabalho

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XIX Gestão da Prevenção um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa

Leia mais

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 INDICE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1. Objetivo...2 2. Aplicação...2 3. implementação...2 4. Referência...2 5. Conceitos...2 6. Políticas...3

Leia mais

Plano de Acção para a Segurança Infantil em Portugal

Plano de Acção para a Segurança Infantil em Portugal Plano de Acção para a Segurança Infantil em Portugal Coordenação oficial: Coordenação técnica: Apoio: I Enquadramento O Plano de Acção para a Segurança Infantil (PASI) enquadra-se no projecto Europeu Child

Leia mais

ACIDENTES DE TRABALHO

ACIDENTES DE TRABALHO ACIDENTES DE TRABALHO CONCEITOS - PROCEDIMENTOS INTERNOS - Divisão Administrativa Serviço de Segurança e Higiene no Trabalho Índice CÂMARA Nota Prévia...2 1. Legislação Aplicável...2 2. Âmbito...3 3. Conceitos...3

Leia mais