International Paper do Brasil Ltda

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "International Paper do Brasil Ltda"

Transcrição

1 International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Serviços de Escavações a Céu Aberto ORDEM DE SERVIÇO DE HIGIENE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Instrução Nº: OSHSMT Áreas/Setores de Aplicação : Obras do Projeto Três Lagoas Paper Mill Status: Em Aprovação Data do Status: 29/05/2007 Comentários sobre a revisão : Revisão Anterior: Nova 1. Objetivo 2. Instruções 3. Responsabilidades SERVIÇOS DE ESCAVAÇÕES BASEADO NA NR - 18, DO MINISTÉRIO DO TRABALHO 1. Objetivo Orientar todos os trabalhadores quanto à maneira correta e segura para a realização dos serviços de escavações nas Obras do Projeto Três Lagoas Paper Mill. 2. Instruções 2.1. Na elaboração da Análise Preliminar de Riscos e Impactos Ambientais, antes de ser iniciada uma obra de escavação, devem ser analisadas algumas situações e informações a respeito da existência de galerias, canalizações e cabos elétricos, na área onde serão realizados os trabalhos, e os riscos de impregnação do subsolo por emanações de gases ou produtos nocivos.

2 2.2. A área de trabalho deve ser previamente limpa, devendo ser retirados ou escorados solidamente árvores, rochas, equipamentos, materiais e objetos de qualquer natureza, quando houver risco de comprometimento de sua estabilidade durante a execução do serviço Para toda a escavação superior a 1,25 metros de profundidade:- a. É obrigatória a confecção de rampas, ou bancadas, ou escoramento descontínuo (pontaleteamento) e se necessário outras técnicas de estabilização como retaludamento, atirantamento, paredes protegidas por cortinas de escoramento, grampeamento ou impermeabilização. b. Deve-se empregar as cortinas de escoramento, com a função de suportar as laterais da escavação, que podem ser: Peças horizontais e verticais de madeira ou metal; Estacas prancha; Estacas justapostas executadas lado a lado antes da escavação; Cortina de concreto armado ancorada executada à medida que a escavação vai sendo executada; Cortina de concreto armado executada com a utilização de lamas antes da escavação. c. Muros, edificações vizinhas e todas as estruturas que possam ser afetadas pela escavação devem ser escoradas. d. Não havendo interferências, as paredes laterais da escavação poderão ser executadas com as paredes em rampas estáveis objetivando melhorar as condições de estabilidade. O ângulo de inclinação das rampas depende fundamentalmente das condições geotécnicas do solo. A definição do ângulo de inclinação será do Engenheiro especializado em Mecânica dos Solos da Contratada com a aprovação do Gerente de Construção IP. Por norma brasileira, para solos coesivos (argilosos), esse ângulo poderá ser menor ou no máximo igual a 60º, e para solos não coesivos (siltes arenosos), esse ângulo será menor ou no máximo igual a 45º.

3 Solos Não Coesivos Solos Coesivos NOTA:- Nas obras do SITE da IP está determinado que o ângulo de inclinação das escavações será de 1:1 ou 45º, ou seja, os solos do SITE são considerados não coesivos pois são de natureza arenosos. e. Devem dispor de escadas ou rampas colocadas próximas aos locais de trabalho, a fim de permitir em caso de emergência, a saída rápida e segura do pessoal Os serviços de escavação, fundação e demolição de estruturas ou rochas devem ter responsável técnico legalmente habilitado. Deverão ser entregues à fiscalização de obras da IP, cópias dos projetos executivos incluindo técnicas e o horário de escavações a serem adotados. Durante todo o processo de escavação, deverá haver um monitoramento pelo responsável técnico pela obra, objetivando observar zonas de instabilização global ou localizada como a formação de trincas nas bordas das escavações, em edificações e em terrenos vizinhos Os escoramentos terão que ser inspecionados diariamente pelos responsáveis pela obra, ou seja, o responsável pela atividade e o representante da Contratada, sendo que qualquer irregularidade encontrada deve ser corrigida imediatamente Quando for necessário rebaixar o lençol d'água (freático), os serviços devem ser executados por pessoas ou empresas habilitadas A largura mínima das escavações até 1,25 m de profundidade será no mínimo 0,8 m. Para profundidades acima de 1,25 m, a largura mínima será de 1,0 m Devem ser evitados trabalhos nos pés dos taludes sem uma avaliação prévia pelo responsável técnico, pelos riscos de instabilidade que possam apresentar.

4 2.9. Os materiais retirados da escavação deverão ser depositados a uma distância mínima que assegure a segurança dos taludes e se recomenda que esta distância seja superior à metade da profundidade da abertura do piso, evitando desta forma, comprometer a parede do local escavado, como por exemplo, um desmoronamento. Quando em determinadas situações a distância recomendada não for possível, e tiver que ser menor, deverá haver uma avaliação prévia do responsável técnico da obra que deverá ser aprovada pelo gerente de obras da IP Cargas ou sobrecargas ocasionais, bem como possíveis vibrações, também devem ser levadas em consideração para determinar a inclinação das paredes do talude, a construção do escoramento e o cálculo dos elementos necessários Quando existir cabo subterrâneo de energia elétrica nas proximidades das escavações, elas só poderão ser iniciadas quando o cabo estiver desligado As escavações devem ter sinalização de advertência (cones, cavaletes, silveirão, placas de advertência, bandeirolas, pedestal com iluminação e sinalizadores luminosos que no caso de serem utilizados em vias públicas deverão obedecer aos critérios do Código Brasileiro de Trânsito ), cercas de proteção nas laterais (cerquites) para profundidades de até 1,25 m, tapumes ou guarda-corpo nas laterais com altura mínima de 1,20 m (um metro e vinte centímetros) para profundidades maiores do que 1,25 m, quando houver necessidade de circulação de pessoas entre as escavações Para melhor visualização noturna em valetas nos locais de tráfego, deverá ser fixado na cerca de proteção, uma "serpentina" com lâmpadas contendo dispositivos de proteção na cor vermelha Requisições Gerais: Autorização para Iniciar Escavações em Áreas com Infraestrutura concluída Antes de iniciar uma escavação ou formação de bancadas em áreas cuja infra-estrutura esteja pronta e seja conhecida por informações ou cadastros indicando a existência de rede de utilidades subterrâneas, a escavação deverá ser cuidadosa e se possível manual, para não danifica-las. Uma autorização de escavação será emitida pela Gerencia de Obras IP, para permitir que se faça as verificações dessas interferências antes do início da escavação. O trabalho somente poderá ser iniciado após essa autorização prévia (Formulário em anexo). Também devem ser levados em consideração os riscos em potencial vindos de níveis superiores. Um plano de trabalho preliminar deverá ser apresentado para autorização. Escavação mecânica só poderá ser feita com retro-escavadeira e nunca com escavadeira hidráulica por ser um equipamento de grande porte e de movimentos bruscos e fortes com pouca precisão. Quando atingido o concreto de proteção do envelope, a escavação mecânica deverá ser paralisada imediatamente e continuar manualmente até se descobrir totalmente os eletrodutos e protege-los devidamente.

5 Inspeção após as chuvas a. As escavações, valas e áreas adjacentes deverão ser inspecionadas após cada chuva e à medida que as condições do solo se modificam, e quando necessário durante a duração dos serviços. Se houver algum sinal de risco, precauções deverão ser tomadas antes que seja retomada a tarefa. A inspeção deverá verificar a perda parcial de coesão do solo pela formação de fendas e rachaduras que possa causar colapso da escavação. b. Essa verificação deverá ser realizada por Engenheiro especializado em Mecânica de Solos. Os colaboradores não poderão trabalhar em escavações onde estiver ocorrendo acúmulo de água, a não ser que tenham sido tomadas precauções para proteger os colaboradores contra o risco criado pelo acúmulo de água (desabamentos, etc.). c. As escavações desde a sua abertura até o seu fechamento deverão ser mantidas secas para garantir a estabilidade de suas paredes. Depois das chuvas devem ser esgotadas imediatamente com a instalação de bombas de sucção. d. Utilizar valas para desviar água, diques ou outros meios apropriados para evitar que água de enchurradas entre dentro na escavação e. Escoramentos ou reforços, devem ser inspecionados com freqüência principalmente após a ocorrência de chuvas por causa do risco de desabamento Proteção das Bordas de Escavação a. Se a estabilidade das edificações ou paredes estiver ameaçada por uma escavação ou trincheira, eles deverão ser escorados ou protegidos. b. As escavações que estiverem próximas a vibrações provenientes de trânsito de veículos ou de trens, ou máquinas em operação (como, por exemplo, guindastes, etc.), deverão receber escoramento. c. Afastamento da Borda de Material Escavado d. Nas bordas da escavação deve ser mantida uma faixa de proteção limpa de material escavado (NR ) que será sempre a metade da profundidade da escavação ou no mínimo, 1,00 m de faixa, o que for maior. Uma pequena mureta de solo será construída para evitar a entrada de águas superficiais na escavação.

6 Requisições Específicas a. Acesso ao Fundo das Escavações Em valas com 1,25 metros ou mais de profundidade, deverão ser fornecidos meios seguros para entrada e saída, tais como escadas, rampas, etc., localizados a uma distância máxima de 7,5 metros da face ativa de escavação. Escavações com profundidade maior que 6,00 m é obrigatório à construção de escadarias provisórias solidamente construída com madeira de boa qualidade e inspecionada continuamente se estiverer em uso constante Devem ser construídas passarelas rampas ou escadarias:- a. Com largura mínima de 0,80 m (oitenta centímetros) protegidas por guarda corpo com altura mínima de 1,20 m, quando for necessário circulação de pessoas sobre a escavação. b. Com capacidade de carga e largura mínima de 4 m (quatro metros), protegidas por guarda corpo, para o tráfego de veículos sobre as escavações. c. Deverão ser solidamente construídas com madeira de boa qualidade e inspecionadas continuamente se estiverem em uso constante Largura da Escavação Em valas de até 1,25 m de profundidade, o espaço de trabalho mínimo do fundo que devem ser usadas por pessoas, será no mínimo de 0,50 m de largura livre entre os pés do talude. Se houver tubulações, deve-se acrescer nesta largura o diâmetro externo da tubulação. Para profundidades maiores a largura livre deverá ser estabelecida pelo projeto de escavação Veículos e Equipamentos a. O tráfego próximo às escavações deve ser desviado e, na sua impossibilidade, a velocidade dos veículos deve ser reduzida. b. Quando forem utilizados equipamentos móveis de qualquer espécie perto de escavações ou valas, as mesmas obrigatoriamente deverão ser escoradas. c. Todas as fossas, cisternas, poços, valas ou outras depressões que apresentam risco de queda deverão ser bloqueadas ou cobertas.

7 d. Os pontos de acesso de veículos ou equipamentos móveis deverão estar sinalizados dia e noite. O tráfego próximo às escavações deve ser desviado. Quando não for possível, deve ser reduzida a velocidade dos veículos Poeira A poeira deverá ser controlada por meio do uso de água espargida por meio de caminhões pipa ou outros métodos seguros para manter seu nível o mais baixo possível Espaços Confinados Todas as valas ou escavações com uma profundidade de 1,5 metros ou mais serão inspecionadas pelo menos uma vez por dia pelo supervisor/encarregado do serviço, e sempre antes que os colaboradores entrarem dentro das mesmas. Nas escavações em que os colaboradores possam ficar expostos a poeiras, gases ou vapores perigosos ou então sujeitos a um falta de oxigênio, os colaboradores serão providos com proteção respiratória adequada, após receberem instruções a respeito de seu uso correto, e serão obrigados a usar equipamento protetor. Equipamento de resgate e pessoal treinado no seu uso estarão prontamente disponíveis neste caso. É necessária a emissão da PPT (Permissão para Trabalho) de espaço confinado, emitida pela segurança da Contratada segundo formulário modelo padrão da International Paper Incidência de Chuvas Intensas Quando houver incidência de chuva intensa ou garoa constante, deverão ser retirados todos os colaboradores do interior da escavação devido ao risco de solapamento de taludes Isolamento e Sinalização de Escavações a. Onde não houver serviços em andamento no mesmo dia as escavações devem ser protegidas com cercas de madeira de proteção, para profundidades superiores a 1,25 m e tela plástica (cerquites) para profundidades menores. b. Frentes de serviços em andamento no mesmo dia - devem ser isoladas com telas plásticas em todo o perímetro durante a execução dos trabalhos, porém ao final do dia, nos trechos que já estiverem concluídos, deverão ser bloqueadas com telas (< ou = 1,25 m) ou cercas de madeira de proteção (>1,25m), que deverão estar afastadas da borda da escavação de 1,00 m, fixadas a cada 2,00 m no máximo. c. Escavações sem acesso pelos dois lados: Pilhas de material escavado depositado em ambos os lados, afastadas convenientemente, protege os lados da escavação, porém, se houver acesso para veículos através da pilha e nas cabeceiras das mesmas, deverão estar bloqueados quando não houver pessoas trabalhando

8 descarregando material dentro da escavação onde só o espaço necessário deverá estar desprotegido. O bloqueio será de preferência de madeira, mas, será, admitido o uso de telas plásticas de proteção que deverão estar afastadas da borda da escavação de 1,00 m, fixadas com hastes de madeira ou aço a cada 2,00 m. d. Valas sem acesso por um dos lados: Pilha de material escavado que seja depositado em um dos lados da escavação, com altura suficiente e afastado convenientemente, pode servir como proteção esse lado, porém se houver acesso para veículos através da pilha e na cabeceira da mesma, deverão estar bloqueados. O outro lado sem a pilha deverá estar bloqueado, quando não houver pessoas trabalhando descarregando material dentro da mesma.

9 e. Valas com acesso pelos dois lados: Não havendo pilhas de material escavado depositado em qualquer lado da escavação servindo de proteção, deverão ser feitas barreiras em ambos os lados da escavação quando não houver pessoas trabalhando descarregando material dentro da mesma. f. Precauções Mínimas durante as escavações Remover pedras soltas ou solo solto que possa cair das superfícies laterais da escavação. Não utilizar placa de madeira compensada como elemento estrutural de escoramento. Deverá ser usada apenas para evitar deslizamento localizado (desprendimento de material das superfícies laterais das valas) entre escoras.

10 g. Anexo Autorização para Escavações e/ou Estaqueamento AUTORIZAÇÃO PARA ESCAVAÇÕES E/OU ESTAQUEAMENTO Nr.: Data: / / Validade: Área: Serviço: Contratada: Documento de Referência: Descrição dos Serviços com localização detalhada: Check-list de Verificação [ ] Tubulações [ ] Instalações de Eletricidade [ ] Instalações de telefonia [ ] Proteção Catódica [ ] Malha de Aterramento [ ] Drenagem Pluvial [ ] Efluentes [ ] Instalações Provisórias [ ] Outros Parecer da Fiscalização [ ] Perigosa [ ] Presença obrigatória do fiscal IP [ ] Fazer sondagem Atenção: Qualquer interferência não prevista no projeto, deve-se paralisar o serviço imediatamente e comunicar a fiscalização. Nome e Assinatura Resp. Contratada Liberação Gerência de Obras IP

11 2.15. Escavações de poços e fundações a céu aberto (tubulões a céu abert, etc.) que exponham os trabalhadores a riscos de queda de materiais, queda de altura, fechamento das paredes do poço sobre a pessoa, afogamentos por inundação causada por enchentes, rompimento de redes hidráulicas subterrâneas, eletrocussão em contato com redes elétricas subterrâneas, asfixia, explosão causada por vazamentos de gás de rede subterrânea ou de de infiltrações de produtos químicos ou de decomposição de substâncias orgânicas, ou intoxicação por contato com gases e substâncias infiltradas no solo ou em suspensão no ar do interior das escavações e que possam causar fatalidades ou graves doenças do trabalho devem ser adotadas medidas especiais de proteção, a saber: Nas atividades a) Treinamento e orientação para os trabalhadores quanto aos riscos a que estão submetidos, as formas de preveni-los e o procedimento a ser adotado em situação de risco; b) Nos serviços em que se utilizem produtos químicos, os trabalhadores não poderão realizar suas atividades sem a utilização de EPI adequado; c) A realização de trabalho em recintos confinados deve ser precedida de inspeção prévia e liberação feita pelo SESMT da Contratada; d) Monitoramento permanente de substância que cause asfixia, explosão e intoxicação no interior de locais confinados, realizado por trabalhador qualificado sob supervisão de responsável técnico; e) Proibição de uso de oxigênio para ventilação de local confinado; f) Exaustão eficaz que faça a extração dos contaminantes e ventilação geral que execute a insuflação de ar, para o interior do ambiente, garantindo de forma permanente a renovação contínua do ar; g) Sinalização com informação clara e permanente durante a realização de trabalhos no interior de espaços confinados; h) Uso de dispositivos que possibilitem meios seguros de resgate; i) Acondicionamento adequado de substâncias tóxicas ou inflamáveis utilizadas na aplicação de laminados, pisos, papéis de parede ou similares; j.) A cada grupo de 20 trabalhadores, dois deles devem ser treinados para resgate; k) Manter ao alcance dos trabalhadores ar mandado e/ou equipamento autônomo para resgate; l) No caso de manutenção no interior de tanques, providenciar desgaseificação prévia antes da execução do trabalho.

12 Na execução de tubulões a céu aberto, exige-se obrigatoriamente o encamisamento independentemente do parecer do engenheiro especializado em fundações ou solo O sarilho (equipamento de descida e içamento de trabalhadores e de retirada de materiais escavados) na execução de tubulações a céu aberto deve ser dotado de sistema de segurança com travamento ou a utilização de um guincho mecânico. O trabalhador deverá estar preso a um cabo-guia que permita, em caso de emergência, a solicitação ao profissional de superfície para o seu rápido socorro Nas escavações manuais de tubulões a céu aberto o diâmetro mínimo deverá ser de 0,60 (sessenta centímetros) A escavação de tubulações a céu aberto, alargamento ou abertura manual de base e execução de taludes, deve ser precedida de sondagem ou de estudo geotécnico local Em caso específico de tubulações a céu aberto e abertura de base, o estudo geotécnico será obrigatório para profundidade superior a 3,0 m Caso se adote iluminação interior, devem ser adotados sistemas estanques à penetração de água e umidade, alimentados por energia elétrica não superior a 24 volts É proibida a utilização de equipamentos acionados por combustão ou explosão no interior dos tubulões Deve ser garantida ao trabalhador no fundo do tubulão a comunicação com a equipe de superfície através de sistema sonoro Deve ser garantida ao trabalhador a boa qualidade do ar no interior do tubulão, se necessário, com ventilação forçada Deve ser proibida a presença de pessoas estranhas junto às escavações e equipamentos de escavação Os buracos dos tubulões escavados devem imediatamente ser protegidos e sinalizados, para evitar risco de queda de trabalhadores no interior destes. 3. Responsabilidades 3.1. É de responsabilidade da Contratada envolvida orientar seus Empregados e subcontratados quanto ao cumprimento na íntegra desta OSHSMT Fica a cargo do empregado ou subcontratado executante dos serviços, fazer a limpeza adequada da área, bem como retirar ou escorar solidamente árvores, equipamentos, etc, conforme descrito no item 2.2, bem como a sinalização e isolamento adequado do local a ser escavado, conforme descrito no item 2.12.

13 3.4. É responsabilidade do responsável pela atividade solicitar junto ao SESMT da Contratada a liberação dos espaços confinados antes do início dos trabalhos por seus empregados ou subcontratados. A não observância desta OSHSMT caracteriza ato de indisciplina ou insubordinação, passível de aplicação de penas disciplinares. Para os empregados da Contratada e seus subcontratados o Departamento de Pessoal da Contratada analisará as ocorrências e aplicará as sanções conforme legislação em vigor ou outra norma pertinente ao assunto.

DEFESA CIVIL - ES. Recomendações Técnicas de Procedimentos Escavações. Facilitador: Roney Gomes Nascimento Eng.º Civil Subcoordenador de Operações

DEFESA CIVIL - ES. Recomendações Técnicas de Procedimentos Escavações. Facilitador: Roney Gomes Nascimento Eng.º Civil Subcoordenador de Operações DEFESA CIVIL - ES Recomendações Técnicas de Procedimentos Escavações Facilitador: Roney Gomes Nascimento Eng.º Civil Subcoordenador de Operações NR- 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria

Leia mais

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVAS APLICÁVEIS NAS ESCAVAÇÕES E EM TUBULÕES A CÉU ABERTO E COM PRESSÃO HIPERBÁRICA. Antonio Pereira do Nascimento

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVAS APLICÁVEIS NAS ESCAVAÇÕES E EM TUBULÕES A CÉU ABERTO E COM PRESSÃO HIPERBÁRICA. Antonio Pereira do Nascimento MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVAS APLICÁVEIS NAS ESCAVAÇÕES E EM TUBULÕES A CÉU ABERTO E COM PRESSÃO HIPERBÁRICA Antonio Pereira do Nascimento ACIDENTES DO TRABALHO Eventos: súbitos, indesejáveis, que ocorrem

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Equipamentos de Transporte

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de

Leia mais

Relatório de Inspeção

Relatório de Inspeção Relatório de Inspeção Obra: Recuperação do sistema de bondes de Santa Teresa Local: Rua Joaquim Murtinho, Santa Teresa, Rio de Janeiro-RJ Executante: Consórcio Elmo-Azvi Gerente da Obra: Sr. Angel Técnico

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Título: Tipo do Documento: SubTipo: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Trabalho em espaços confinados

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/6 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ABERTURA DE CABOUCOS PARA MACIÇOS DE FUNDAÇÃO 2 DESCRIÇÃO A construção dos maciços de fundação para os pórticos e torres metálicas das linhas

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Serviços de Limpeza e Disposição

Leia mais

Questionário de Identificação das Principais Situações de Grave e Iminente Risco nos Canteiros de Obras da Indústria da Construção no Estado da Bahia

Questionário de Identificação das Principais Situações de Grave e Iminente Risco nos Canteiros de Obras da Indústria da Construção no Estado da Bahia Questionário de Identificação das Principais Situações de Grave e Iminente Risco nos Canteiros de Obras da Indústria da Construção no Estado da Bahia O presente trabalho é resultado de um consenso estabelecido

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Trabalhos de Hidrojateamento

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1 Definição ANEXO I (Incluído pela Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) ANEXO IV PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP .1.1.30 NOME: TRABALHOS COM ESCAVAÇÃO (ABERTURA E FECHAMENTO DE VALA) E ESCORAMENTO Como desenvolve a atividade Cargo Periodicidade ST/GEAP 6.1.30.1 Acatar as Considerações Gerais e Aspectos Legas (NR

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil.

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil. FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª MarivaldoOliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de prevenção

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18. Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009

Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18. Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009 Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18 Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009 Cestos aéreosa GT- Cesto Aéreo(em discussão no CPN) É proibido a utilização de equipamentos de guindar

Leia mais

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO RAMPA NAÚTICA DE ARAGARÇAS-GO O presente memorial descritivo tem por objetivo fixar normas específicas para CONSTRUÇÃO DE UMA RAMPA NAÚTICA - RIO ARAGUAIA, em área de 3.851,89

Leia mais

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 1/7 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 01 ESGOTAMENTO COM BOMBAS... 3 02 REBAIXAMENTO DE LENÇOL FREÁTICO COM PONTEIRAS FILTRANTES... 3 03 REBAIXAMENTO DE LENÇOL

Leia mais

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ÁREA DE ABASTECIMENTO E ARMAZENAMENTO DE COMBUSTÍVEL 6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ambiente e seu manuseio e armazenagem também apresentam considerável grau

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda.

International Paper do Brasil Ltda. International Paper do Brasil Ltda. Autor do Doc.: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Técnicas de Inspeção, Montagem, uso de Rebolos ( Esmeris

Leia mais

Anexo 3 - Questionário específico - construção

Anexo 3 - Questionário específico - construção Anexo 3 - Questionário específico - construção 85 Empresa: Morada: Localidade: Cód. Postal: Distrito: Telefone: NIF: Código de CAE-Rev. 2/92: Actividade principal da empresa: Categoria da Actividade: Número

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA ANDAIME TUBULAR ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÃO TÉCNICA... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 4 2.1. USO DOS ANDAIMES TUBULARES... 5 2.2. MANUTENÇÃO (DIRETRIZES

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA ILUMINAÇÃO PÚBLICA SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO DA ÁREA DE TRABALHO

ORIENTAÇÃO TÉCNICA ILUMINAÇÃO PÚBLICA SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO DA ÁREA DE TRABALHO 1/5 1. Objetivo Estabelecer critérios para sinalizar e isolar as áreas de trabalho, com a finalidade de garantir a distância e o isolamento adequado na execução de serviços em iluminação pública em redes

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA

CÓPIA NÃO CONTROLADA International Paper do Brasil Ltd Sistema de Gestão Ocupacional Florestal Autor do Do: Editores: Tí tulo: Tipo do Documento: SubTipo: Nº: Áreas/ Setores de Aplicação Milton Favero Milton Favero Espaço

Leia mais

Figura 1: Plataforma de trabalho do andaime. Figura 2: Piso metálico da plataforma de trabalho.

Figura 1: Plataforma de trabalho do andaime. Figura 2: Piso metálico da plataforma de trabalho. INSTRUÇÕES DE USO ANDAIME TUBULAR 1. Devem ser tomadas precauções especiais, quando da montagem, desmontagem e movimentação de andaimes próximos às redes elétricas. 2. O piso de trabalho dos andaimes deve

Leia mais

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10 Empresa: Instrutor: Nome: DATA: Questões: 01- A NR10 Instalação e Serviços de eletricidade fixam as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalha em instalações elétricas,

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro.

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro. e MANUAL TÉCNICO ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR e ANDAIME TUBULAR Objetivo Estabelecer os procedimentos que devem ser obedecidos na liberação de montagem / desmontagem de andaimes com a finalidade de

Leia mais

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I Aula 9 Fundações Cristóvão C. C. Cordeiro Fundações usuais em relação ao porte dos edifícios Pequenos edifícios (casas e sobrados) pequenas cargas Rasas Blocos e alicerces,

Leia mais

IBP475_03 SEGURANÇA EM ESCAVAÇÕES Walter Manoel Ribeiro 1. Abstract

IBP475_03 SEGURANÇA EM ESCAVAÇÕES Walter Manoel Ribeiro 1. Abstract SEGURANÇA EM ESCAVAÇÕES Walter Manoel Ribeiro 1 Copyright 003, Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás - IBP Este Trabalho Técnico foi preparado para apresentação na Rio Pipeline Conference & Exposition

Leia mais

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO Conforme NR-10 ACME S.A Ind. Com. 1 de 9 IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Identificação do Responsável pela Execução do Serviço. Nome: Empresa: Registro: Local de Execução do Serviço.

Leia mais

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0)

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1. Instalações e áreas de trabalho. NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1.1. Os pisos dos locais de trabalho onde se instalam máquinas e equipamentos devem ser vistoriados e limpos, sempre

Leia mais

Este procedimento tem como objetivo, estabelecer critérios e procedimentos necessários para montagem e utilização de escadas, rampas e passarelas.

Este procedimento tem como objetivo, estabelecer critérios e procedimentos necessários para montagem e utilização de escadas, rampas e passarelas. Revisão: 00 Folha: 1 de 7 1. Objetivo Este procedimento tem como objetivo, estabelecer critérios e procedimentos necessários para montagem e utilização de escadas, rampas e 2. Documentos de Referência

Leia mais

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas. Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/ INTRODUÇÃO Os incêndios e explosões, ainda que representem uma porcentagem

Leia mais

Demolições. Algumas ações devem ser executadas antes de se iniciar e durante uma demolição:

Demolições. Algumas ações devem ser executadas antes de se iniciar e durante uma demolição: Demolições Algumas ações devem ser executadas antes de se iniciar e durante uma demolição: Desligamento das linhas de fornecimento de energia elétrica, água, inflamáveis líquidos e gasosos liquefeitos,

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PÁG. 1/11 1. OBJETIVO Identificar os riscos envolvidos em cada passo da tarefa, estabelecer salvaguardas que garantam a eliminação ou controle dos riscos identificados. Essa ferramenta deve ser utilizada

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR LOGO DA EMPRESA EMPRESA: DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE: LOCAL DA ATIVIDADE: ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR FOLHA: 01 DE 10. DATA DE EMISSÃO: DATA DE APROVAÇÂO: REVISÃO: HORÁRIO: ASSINATURA DOS ENVOLVIDOS NA

Leia mais

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes?

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Publicado em 13 de outubro de 2011 Por: Tônia Amanda Paz dos Santos (a autora permite cópia, desde que citada a fonte e/ou indicado

Leia mais

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida.

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. Campanha do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul e Campo Alegre contra os Acidentes de Trabalho

Leia mais

Portaria nº 30 de 20 de Dezembro de 2001

Portaria nº 30 de 20 de Dezembro de 2001 Portaria nº 30 de 20 de Dezembro de 2001 A SECRETÁRIA DE INSPEÇAO DO TRABALHO e o DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso das atribuições legais que lhe conferem o Decreto n.º

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL E A REDE ELÉTRICA

CONSTRUÇÃO CIVIL E A REDE ELÉTRICA CONSTRUÇÃO CIVIL E A REDE ELÉTRICA O QUE É A COCEL? A COCEL leva energia elétrica a toda Campo Largo. É esta energia que permite que as fábricas, o comércio e todo o setor produtivo funcionem. É graças

Leia mais

Questionário Pre-Proposta (PPQ) InTank : Limpeza e inspeção de tanques em serviço

Questionário Pre-Proposta (PPQ) InTank : Limpeza e inspeção de tanques em serviço Questionário Pre-Proposta (PPQ) InTank : Limpeza e inspeção de tanques em serviço Página 1 de 5 Informação do proprietário do tanque e seção de contatos INFORMAÇÕES DO PROPRIETÁRIO DO TANQUE: Nome da empresa:

Leia mais

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES 1 O QUE É ESPAÇO CONFINADO? CARACTERÍSTICAS VOLUME CAPAZ DE PERMITIR A ENTRADA DE EMPREGADOS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES PARA ENTRADA E SAIDA DE PESSOAL NÃO E PROJETADO PARA OCUPAÇÃO CONTÍNUA POSSUI, EM GERAL,

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único Curso Técnico Segurança do Trabalho Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único SeÄÅo IX Das InstalaÄÉes ElÑtricas Art. 179 - O Ministério do Trabalho disporá sobre as condições de segurança e as medidas

Leia mais

Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS

Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS 4.1 Disposições gerais Art. 61 - A execução de obras, incluindo os serviços preparatórios e complementares, suas instalações e equipamentos, embora que temporários,

Leia mais

Antes de abrir uma vala, consulte a Comgás

Antes de abrir uma vala, consulte a Comgás cartilha ppd final imagem 2/24/06 6:12 PM Page 1 Antes de abrir uma vala, consulte a Comgás 08000 110 197 cadastroderede@comgas.com.br Companhia de Gás de São Paulo Rua das Olimpíadas, 205-10º andar (recepção)

Leia mais

FUNDAÇÕES PROFUNDAS TUBULÕES A CÉU ABERTO E A AR COMPRIMIDO

FUNDAÇÕES PROFUNDAS TUBULÕES A CÉU ABERTO E A AR COMPRIMIDO FUNDAÇÕES PROFUNDAS TUBULÕES A CÉU ABERTO E A AR COMPRIMIDO Introdução TUBULÕES Tubulão é um tipo de fundação profunda, caracterizado por transmitir a carga da estrutura ao solo resistente, por compressão

Leia mais

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA EXECUÇÃO DE SONDAGENS

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA EXECUÇÃO DE SONDAGENS REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA INFRA-ESTRUTURA DEPARTAMENTO ESTADUAL DE INFRA-ESTRUTURA INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA SONDAGENS IN-04/94 Instrução Normativa

Leia mais

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA;

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; CONTEÚDO DO TRABALHO Doenças ocupacionais e riscos da construção civil; Quedas; Choque elétrico; Soterramento. A construção é um dos ramos mais antigos do

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS SUMÁRIO 1 Objetivo e campo de aplicação...2 2 Referências...2 3 Definições...2 4 Condições para início dos serviços...2 5 Materiais e equipamentos necessários...3 6 Métodos e procedimentos de execução...3

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Equipamento De Proteção Individual - EPI Definição: EPI é todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a integridade física do trabalhador. EPI (s)

Leia mais

DOU 201 21/01/2011 24/01/2011) * O

DOU 201 21/01/2011 24/01/2011) * O 18.15. Andaimes. 18.15.1.1 Os projetos de andaimes do tipo fachadeiro, suspensos e em balanço devem ser acompanhados pela respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica. (Nova redação dada pela Portaria

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE DE MATERIAIS E PESSOAS

MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE DE MATERIAIS E PESSOAS Página: 1 de 13 Texto final APROVADO pelo CPN em 2 SET de 2010, considerando a Nota Técnica O66 2010- DSST/SIT/MTE ITEM TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO 18.14.1 Os equipamentos de transporte vertical de materiais

Leia mais

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Introdução Este manual destina a fornecer informações sobre a construção e dimensionamento do sistema individual de tratamento de esgotos, especialmente

Leia mais

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema SISTEMA DE ESGOTO ESTÁTICO Check list e Avaliação Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema Belo Horizonte, Outubro de 2008 SISTEMA DE ESGOTO

Leia mais

GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS

GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS Nos diversos ambientes, muitos deles existentes no subsolo, como galerias, esgotos, os porões nas edificações, tanques etc., pela natureza de seus projetos e finalidades,

Leia mais

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão. Andre Cavalcanti Santos Téc. em saúde e segurança do trabalho E-mail: cavalcanti_sst@hotmail.com Sumário Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária)

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária) MANUAL TÉCNICO (Proteção Periférica Primária e Secundária). 2 SUMÁRIO Proteção Periférica Primária e Secundária...03 Descrição Técnica...04 Sistema de Ancoragem...06 Norma Regulamentadora NR-18...07 Atualização

Leia mais

O que é APR (Análise Preliminar de Risco)? Objetivos da APR Entre os principais objetivos da análise preliminar de risco, podemos destacar:

O que é APR (Análise Preliminar de Risco)? Objetivos da APR Entre os principais objetivos da análise preliminar de risco, podemos destacar: O que é APR (Análise Preliminar de Risco)? A expressão APR significa Análise Preliminar de Risco é muito utilizada no dia-a-dia dos profissionais da área de segurança e saúde do trabalho. APR é uma técnica

Leia mais

Segurança com Pr P odutos o Q u Q ími m cos

Segurança com Pr P odutos o Q u Q ími m cos Segurança com Produtos Químicos Assuntos a serem Abordados 1. Conceitos e Definições; 2. Pré Avaliação do Produto Químico (Compra); 3. Armazenamento de Produto Químico; 4. Resíduo / Licença Ambiental;

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA A participação da Comunidade é fundamental Na preservação do Meio Ambiente COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL ASSESSORIA

Leia mais

http://www81.dataprev.gov.br/sislex/paginas/05/mtb/20.htm

http://www81.dataprev.gov.br/sislex/paginas/05/mtb/20.htm Page 1 of 5 20.1 Líquidos combustíveis. NR 20 - Líquidos combustíveis e inflamáveis (120.000-3) 20.1.1 Para efeito desta Norma Regulamentadora - NR fica definido "líquido combustível" como todo aquele

Leia mais

O Brasil tem utilizados desses equipamentos em todas as obras como os Estádios de Futebol, Portos, Aeroportos, Construção Civil, etc.

O Brasil tem utilizados desses equipamentos em todas as obras como os Estádios de Futebol, Portos, Aeroportos, Construção Civil, etc. GRUAS Os modernos Canteiros de Obras se utilizam de GRUAS para reduzirem o número de operários, auxiliar no cumprimento de prazos apertados e viabilizar a implantação de diversos sistemas de pré-moldados

Leia mais

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO Andaime Tubo Equipado...03 Acessórios...04 Modos e Pontos de Ancoragem...05 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09 Fotos Obras...10 Atualização

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.15 Andaimes e Plataformas de Trabalho (Alterado pela 18.15.1 O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação,

Leia mais

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENAÇÃO DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL SUBGERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I

REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I 1. O presente Regulamento objetiva estabelecer regras gerais de uso do sistema de abastecimento

Leia mais

PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996

PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996 PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996 Estabelece condições mínimas de segurança das instalações de armazenamento de recipientes transportáveis de GLP. O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE COMBUSTÍVEIS,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 35/2011 Túnel rodoviário SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA VILA CARÁS NO MUNICIPIO DE FARIAS BRITO-CE

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA VILA CARÁS NO MUNICIPIO DE FARIAS BRITO-CE MEMORIAL DESCRITIVO OBJETIVO: SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA VILA CARÁS NO MUNICIPIO DE FARIAS BRITO-CE RESERVATÓRIO ELEVADO Estrutura - Toda a estrutura do reservatório será em concreto armado utilizando

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS

NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS ANEXO XXV AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica estabelece as medidas de segurança

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ORGANIZAÇÃO DO ESTALEIRO 2 DESCRIÇÃO Face à legislação em vigor, estaleiros temporários ou móveis são os locais onde se efectuam trabalhos de

Leia mais

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 -

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Informativo 21/2011 NR 12 NOVO ANEXO (XII - EQUIPAMENTOS DE GUINDAR PARA ELEVAÇÃO DE PESSOAS E REALIZAÇÃO DE TRABALHO

Leia mais

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26 Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26 6. FOSSAS SEPTICAS As fossas sépticas são unidades de tratamento primário de esgotos domésticos que detêm os despejos por um período que permita a

Leia mais

guia de instalação cisterna vertical

guia de instalação cisterna vertical guia de instalação cisterna vertical FORTLEV CARACTERÍSTICAS FUNÇÃO Armazenar água pluvial ou água potável à temperatura ambiente. APLICAÇÃO Residências, instalações comerciais, fazendas, escolas ou qualquer

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU P.32818/99 LEI Nº 4553, DE 08 DE JUNHO DE 2000 Dispõe sobre Perfuração de Poços para Captação de Águas Subterrâneas no Município de Bauru e dá outras providências. NILSON COSTA, Prefeito Municipal de Bauru,

Leia mais

RECOMENDAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS

RECOMENDAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS RECOMENDAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS PRESIDENTE DA REPÚBLICA Fernando Henrique Cardoso MINISTRO DO TRABALHO E EMPREGO Paulo Jobim Filho FUNDACENTRO PRESIDENTE DA FUNDACENTRO Humberto Carlos Parro DIRETOR

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES PROJETO ARQUITETÔNICO ADEQUAÇÕES NA USINA DE TRIAGEM DE LIXO LINHA ESTRELA MEMORIAL DESCRITIVO 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBJETIVO: USINA DE TRIAGEM DE LIXO A presente especificação tem por objetivo estabelecer

Leia mais

Segurança e Saúde no Trabalho Professor Flávio Nunes

Segurança e Saúde no Trabalho Professor Flávio Nunes O Ministério do Trabalho e Emprego publicou, em 09/05/2013, a Portaria 644, que alterou os itens 18.6, 18.14 e 18.17 da Norma Regulamentadora nº 18. O item 18.6 trata de Escavação, Fundações e Desmontes

Leia mais

18.15. Andaimes 18.15.1. O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação, deve ser realizado por profissional legalmente habilitado. (118.337-0 / I4) 18.15.2. Os andaimes devem ser

Leia mais

Arranjo Unidades Físico Típicas de Indústria. Unidades de Produção e Instalações Auxiliares

Arranjo Unidades Físico Típicas de Indústria. Unidades de Produção e Instalações Auxiliares O cina de Manutenção A localização deve obedecer os seguintes princípios: - Proximidade das unidades de maior concentração de equipamentos e das instalações sujeitas a manutenção mais freqüente; - Proximidade

Leia mais

TÉCNICO. manual BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA

TÉCNICO. manual BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA manual TÉCNICO BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA Sumário Balancim Individual - Cadeirinha...03 Instrução de Montagem...05 Norma Regulamentadora NR-18...07 Atualização da NR-18...11 Balancim Individual -

Leia mais

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Altera a Norma Regulamentadora nº 34 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval. O Ministro de Estado do Trabalho e Previdência

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM (BALANCIM MANUAL)

MANUAL DE MONTAGEM (BALANCIM MANUAL) MANUAL DE MONTAGEM (BALANCIM MANUAL) MEDIDAS DE SEGURANÇA QUANTO À MONTAGEM E USO DE ANDAIMES SUSPENSOS 1. O andaime não deve ser montado muito próximo à redes de energia elétrica. 2. Não utilizar o andaime

Leia mais

DIRETORIA DE ENGENHARIA. ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos.

DIRETORIA DE ENGENHARIA. ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos. fls. 1/5 ÓRGÃO: DIRETORIA DE ENGENHARIA MANUAL: ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos. PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, oleodutos. APROVAÇÃO EM: Portaria SUP/DER-

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/9 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ABERTURA DE VALAS OU TRINCHEIRAS 2 DESCRIÇÃO Nos trabalhos realizados em valas ocorrem com frequência acidentes graves e fatais devido principalmente

Leia mais

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Endereço da obra: Quadra 128, situada na esquina da Rua Ijui esquina Rua Inhacorá, Bairro Recanto do Sol, Horizontina - RS. O

Leia mais

Aula 4. Noções de Prevenção de Trabalho em Altura, Eletricidade e Espaço Confinado. META DA AULA OBJETIVOS

Aula 4. Noções de Prevenção de Trabalho em Altura, Eletricidade e Espaço Confinado. META DA AULA OBJETIVOS Aula 4 Noções de Prevenção de Trabalho em Altura, Eletricidade e Espaço META DA AULA Adquirir noções básicas sobre Trabalho em Altura, Eletricidade e Espaço OBJETIVOS Ao final desta aula, você deverá ser

Leia mais

SESI PROJETO EXECUTIVO DE TERRAPLENAGEM PARA QUADRA POLIESPORTIVA DA UNIDADE SESI-SIMÕES FILHO/BA VOLUME ÚNICO RELATÓRIO DOS PROJETOS

SESI PROJETO EXECUTIVO DE TERRAPLENAGEM PARA QUADRA POLIESPORTIVA DA UNIDADE SESI-SIMÕES FILHO/BA VOLUME ÚNICO RELATÓRIO DOS PROJETOS SIMÕES FILHO BAHIA. PROJETO EXECUTIVO DE TERRAPLENAGEM PARA QUADRA POLIESPORTIVA DA UNIDADE SESI-SIMÕES FILHO/BA VOLUME ÚNICO RELATÓRIO DOS PROJETOS Salvador, Outubro/2010 SIMÕES FILHO BAHIA. A P R E S

Leia mais

LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO

LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO A NECESSIDADE DE UM LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO O LP deve ser feito a partir da entrevista com o cliente atendendo as condições solicitadas num programa de necessidades.

Leia mais

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial.

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial. manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR Sumário Andaime Tubular...03 Montagem Especial...04 Acessórios...05 Modos e Pontos de Ancoragem...06 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09

Leia mais

IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS

IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo - Figuras, separações e afastamentos entre equipamentos e edificações. 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições 5 Procedimentos

Leia mais

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS DEFINIÇÃO DE GRUA: GUINDASTE UNIVERSAL DE TORRE PARA TRANSPORTE DE CARGAS, TANTO NA HORIZONTAL COMO NA VERTICAL SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO

Leia mais

Manual do Locatário ANDAIME TUBULAR Instruções para Instalação e Operação e Manutenção CARIMBO DO ASSOCIADO ANDAIMES Andaimes são estruturas metálicas tubulares para acesso à altura para trabalho aéreo

Leia mais

Controle Geotécnico de uso e ocupação das encostas

Controle Geotécnico de uso e ocupação das encostas Curso de Multiplicadores em Florianópolis, 24/02/2010 Controle Geotécnico de uso e ocupação das encostas Eng. Geotécnica Regina Davison Dias, D.Sc. NUGEOTEC/CENTRO TECNOLÓGICO/UNISUL 24/02/2010 UNISUL

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções Manual de Instruções (Party Cooler s Thermomatic) Modelo: 40 litros & 77 litros Obrigado por escolher a série dos Party Cooler s da Thermomatic. Para garantir o uso correto das operações, por favor, leia

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS O canteiro de obras Introdução Sistema de produção Em muitos casos de obras de construção e montagem o canteiro de obras pode ser comparado a uma fábrica

Leia mais

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação 1 Informações iniciais Indentificação do empreendedor Responsável pelo empreendimento: Responsável pelo RAS ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação Razão Social CNPJ Telefone Nome CPF

Leia mais

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I Aula 9 Fundações Parte 1 Cristóvão C. C. Cordeiro O que são? São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais