COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL GRUPO DE TRABALHO DESTINADO A ACOMPANHAR A IMPLEMENTAÇÃO DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL GRUPO DE TRABALHO DESTINADO A ACOMPANHAR A IMPLEMENTAÇÃO DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL"

Transcrição

1 COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL GRUPO DE TRABALHO DESTINADO A ACOMPANHAR A IMPLEMENTAÇÃO DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL RELATÓRIO PRÉVIO 1 INTRODUÇÃO: Em 09 de maio próximo passado, a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS) aprovou a criação de um grupo de trabalho (GT) destinado a acompanhar a implementação da nova lei florestal, a Lei nº , de 25 de maio de 2012, que Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nºs 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e , de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nºs 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória nº , de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. O requerimento tendo em vista a criação do GT foi apresentado pelo Deputado Sarney Filho (PV/MA), atual presidente da CMADS. A proposta explicitou o objetivo de se acompanhar não apenas a aplicação da nova lei, mas também suas diversas consequências para o meio ambiente e para a sociedade, bem como para averiguar a atuação dos órgãos responsáveis ao seu fiel cumprimento, e a adoção de outras medidas que se fizerem necessárias. Na justificação do requerimento, colocou-se em relevo que a Lei nº 4.771/1965 (Código Florestal), revogada pela Lei nº /2012, contemplava um conjunto importante de institutos protetivos (Áreas de Preservação Permanente APPs, Reserva Legal etc.), que foram agora flexibilizados, notadamente para as ocupações em áreas rurais ocorridas até 22 de julho de A ideia subjacente à criação do GT foi estabelecer um diagnóstico do problema e, ouvidos parlamentares, especialistas, técnicos, sociedade civil 1

2 organizada, governo, propor medidas que possam vir a corrigir e mitigar os efeitos negativos da nova lei florestal. Foram designados como membros do GT em foco, no ano de 2012: Deputado Antônio Roberto (PV/MG) Relator; Deputado Giovani Cherini (PDT/RS); Deputada Marina Santanna (PT/GO); Deputada Rebecca Garcia (PP/AM); e Deputado Ricardo Tripoli (PSDB/SP). 2 A MEDIDA PROVISÓRIA Nº 571/2012 E A LEI Nº /2012: Em 25 de maio de 2012, foi adotada pela Presidenta da República a Medida Provisória (MP) nº 571, alterando a Lei nº /2012. Com isso, os debates legislativos conflituosos que permearam toda a construção da nova lei florestal tiveram prosseguimento. Na verdade, pode-se afirmar que a aplicação das novas normas que disciplinam a proteção da vegetação nativa só iniciou bastante recentemente, com a aprovação da lei gerada pela referida MP, a Lei nº , de 17 de outubro de Em face da MP nº 571/2012, este GT, constituído para acompanhar a implementação da nova lei florestal, teve de rever sua atuação em um primeiro momento e passou a acompanhar o próprio trâmite da MP. Seus cinco integrantes estiveram diretamente envolvidos das discussões técnicas e políticas ocorridas na Casa que levaram à aprovação da Lei nº /2012. A Lei nº /2012 fez as seguintes modificações na Lei nº /2012: acréscimo do art. 1º-A, com o escopo da lei e os princípios a serem atendidos na aplicação da lei, em substituição ao art. 1º da lei, que havia sido vetado; modificação e acréscimo de definições no art. 3º da lei; ajustes nas regras gerais sobre as APPs, no art. 4º da lei; ajustes nas regras sobre APPs no entorno de reservatórios d água artificiais, no art. 5º da lei; inclusão da previsão da proteção das áreas úmidas, especialmente as de importância internacional, entre os fundamentos da criação de outras APPs pelo poder público, no art. 6º da lei; 2

3 alteração da redação do art. 10 da lei, que dispõe sobre os pantanais e planícies pantaneiras; acréscimo do art. 11-A, tratando do uso dos apicuns e salgados, em substituição ao art. 11 da lei, que havia sido vetado; alteração da redação do caput do art. 12 da lei; alteração da redação do 2º do art. 14 da lei; ajustes nas normas sobre cômputo das APPs no cálculo do percentual da Reserva Legal, no art. 15 da lei; alteração da redação do caput do art. 16 da lei; vinculação expressa dos prazos para recomposição florestal ao Programa de Regularização Ambiental, nos 4º do art. 17 da lei; previsão de situação de gratuidade para a averbação da reserva legal, no 4º do art. 18 da lei; alteração da redação do 1º do art. 29 da lei; previsão de regulamento emitido pelo órgão federal do Sisnama, sobre o controle da origem dos produtos florestais, bem como de seu poder fiscalizatório sobre entes federativos não integrados ao sistema nacional, no art. 35 da lei; previsão de regulamento emitido pelo órgão federal do Sisnama, sobre os casos de dispensa de licença para transporte de produtos florestais, no 5º do art. 36 da lei; explicitação da necessidade de cumprimento da legislação no programa de apoio e incentivo à preservação e recuperação do meio ambiente, no caput do art. 41 da lei; explicitação da prioridade de atendimento dos agricultores familiares no pagamento por serviços ambientais, no 7º do art. 41 da lei; alteração da redação do art. 42 da lei; alteração da redação do caput do art. 58 da lei; inclusão de art. 61-A, em substituição ao art. 61 da lei, que havia sido vetado, dispondo sobre as condições de regularização das ocupações realizadas em APPs até 22 de julho de 2008; inclusão dos arts. 61-B e 61-C, complementando as regras trazidas pelo art. 61-A; e acréscimo do art. 78-A, prevendo que, após cinco anos, as instituições financeiras só concederão crédito agrícola, em qualquer de suas modalidades, para proprietários de imóveis rurais que estejam inscritos no Cadastro Ambiental Rural (CAR). Os integrantes do GT também participaram dos debates sobre os vetos presidenciais à Lei nº /

4 A Presidenta da República vetou os seguintes dispositivos, em vetos ainda pendentes de deliberação pelo Congresso Nacional: 9º do art. 4º da Lei nº /2012, alterado pelo art. 1º do projeto de lei de conversão; inciso II do 4º do art. 15 da Lei nº /2012, acrescido pelo art. 1º do projeto de lei de conversão; 1º do art. 35 da Lei nº /2012, alterado pelo art. 1º do projeto de lei de conversão; 6º do art. 59 da Lei nº /2012, acrescido pelo art. 1º do projeto de lei de conversão; inciso I do 4º do art. 61-A da Lei nº /2012, alterado pelo art. 1º do projeto de lei de conversão; inciso V do 13 do art. 61-A da Lei nº /2012, acrescido pelo art. 1º do projeto de lei de conversão; 18 do art. 61-A da Lei nº /2012, acrescido pelo art. 1º do projeto de lei de conversão; inciso III do art. 61-B da Lei nº /2012, acrescido pelo art. 1º do projeto de lei de conversão; e art. 83 da Lei nº /2012, alterado pelo art. 1º do projeto de lei de conversão. 3O DECRETO Nº 7.830/2012: No dia 17 de outubro de 2012, a Presidenta da República editou o Decreto nº 7.830, que Dispõe sobre o Sistema de Cadastro Ambiental Rural, o Cadastro Ambiental Rural, estabelece normas de caráter geral aos Programas de Regularização Ambiental, de que trata a Lei nº , de 25 de maio de 2012, e dá outras providências. Trata-se, portanto, do primeiro regulamento da nova lei florestal. Com certeza, serão necessários regulamentos adicionais, alguns deles por previsão expressa da própria lei. O Decreto nº 7.830/2012 cria o Sistema de Cadastro Ambiental Rural (SICAR), com os seguintes objetivos: receber, gerenciar e integrar os dados do CAR de todos os entes federativos; cadastrar e controlar as informações dos imóveis rurais, referentes a seu perímetro e localização, aos remanescentes de vegetação nativa, às áreas de interesse social, às áreas de utilidade pública, às APPs, às Áreas de Uso Restrito, às áreas consolidadas e às Reservas Legais; 4

5 monitorar a manutenção, a recomposição, a regeneração, a compensação e a supressão da vegetação nativa e da cobertura vegetal nas APPs, Áreas de Uso Restrito e Reserva Legal, no interior dos imóveis rurais; promover o planejamento ambiental e econômico do uso do solo e conservação ambiental no território nacional; e disponibilizar informações de natureza pública sobre a regularização ambiental dos imóveis rurais em território nacional, na Internet. O texto traz detalhe sobre o CAR, especificando a documentação necessária para o cadastramento, explicitando a natureza declaratória e permanente do cadastro, prevendo procedimento simplificado para o cadastro de pequenas propriedades e outras disposições. O decreto coloca em destaque, também, as regras básicas para os programas de regularização ambiental (PRAs), a serem promovidos no âmbito da União, dos Estados e do Distrito Federal. Entre outros pontos, define como instrumentos desses programas: o CAR; o termo de compromisso; o Projeto de Recomposição de Áreas Degradadas e Alteradas; e as Cotas de Reserva Ambiental (CRA), quando couber. Ainda no que se refere à regularização, o decreto completa a Lei nº /2012 em relação a lacunas geradas pelos vetos presidenciais. O tópico mais relevante nesse sentido está nas faixas mínimas a serem mantidas com vegetação nas APPs, objeto dos 4º a 8º do art. 19 do ato regulamentar. Por fim, fica previsto que ato do Ministro de Estado do Meio Ambiente estabelecerá a data a partir da qual o CAR será considerado implantado e detalhará as informações e os documentos necessários à inscrição no cadastro, ouvidos os Ministros de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e do Desenvolvimento Agrário. 4 PROSSEGUIMENTO DOS TRABALHOS DO GT: Como a adoção da MP nº 571/2012 e a consequente aprovação da Lei nº /2012, na prática, adiaram o início da aplicação da Lei nº /2012, a nova lei florestal (que, por sinal, não usa mais a denominação Código Florestal ), avaliamos que se faz necessário dar continuidade a este GT na próxima sessão legislativa. Por essa razão, qualificamos este relatório como prévio, de forma similar ao que é feito na primeira etapa da concretização de uma proposta de fiscalização e controle (PFC). 5

6 Obviamente, não se há aqui de aplicar o rigor regimental de uma PFC. A necessidade de se dar prosseguimento aos trabalhos do GT, contudo, impõe pelo menos que lancemos propostas em termos dos esforços futuros do grupo, que poderá contar com a contribuição de mais parlamentares na próxima sessão legislativa. Nessa linha, defendemos que o GT deve realizar em 2013, entre outras atividades: audiências públicas com a participação do Ministro do Meio Ambiente e de seus subordinados diretamente envolvidos nos programas de regularização ambiental e outras ações governamentais previstas pela Lei nº /2012; audiências públicas com representantes dos órgãos estaduais do Sisnama responsáveis pelos programas de regularização ambiental e outras ações governamentais previstas na Lei nº /2012, especialmente com relação a estados nos quais se consideram estar os problemas ambientais mais críticos; audiências públicas com representantes do Ministério Público da União e dos Ministérios Públicos Estaduais, que estejam envolvidos no acompanhamento da aplicação da Lei nº /2012; audiências públicas com representantes de organizações não governamentais ambientalistas que estejam envolvidos no acompanhamento da aplicação da Lei nº /2012; reuniões técnicas e outros eventos públicos bem como a utilização de outros Instrumentos regimentais para a busca de informações e para a promoção de debates sobre a aplicação da Lei nº /2012, incluindo propostas quanto aos ajustes necessários no texto da lei ou de seus regulamentos; Se essas atividades evidenciarem que a aplicação da nova lei florestal está sendo realizada de forma aquém das expectativas, com prejuízos do ponto de vista da proteção ambiental, poderá se justificar a apresentação de uma PFC sobre o assunto. No momento, uma proposta nesse sentido seria prematura. Para o apoio às atividades do GT, acreditamos que poderemos contar com a Consultoria Legislativa da Casa, com a assessoria técnica dos partidos e, também, com o suporte das organizações não governamentais que têm sido parceiras da Frente Parlamentar Ambientalista. É o nosso Relatório. 6

7 Sala da Comissão, em de DEPUTADO ANTÔNIO ROBERTO (Relator) 7

CEFIR. Cadastro Estadual Ambiental Rural. Março.2013 SISEMA SISTEMA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE. Desafios e limitações

CEFIR. Cadastro Estadual Ambiental Rural. Março.2013 SISEMA SISTEMA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE. Desafios e limitações CEFIR Março.2013 SISEMA SISTEMA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE Contexto até 2011 Múltiplos deslocamentos do cidadão ao órgão ambiental; Atendimento presencial; Desafios e limitações Dificuldades de comunicação;

Leia mais

BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR

BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE 2014 RESUMO: 1. NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR 1 NÚMEROS, PROGRAMAS E INSTRUMENTOS 84 artigos 76 EXCEÇÕES - INV. GAS. 36 DECRETOS REGULAMENTARES - DECRETOS A PUBLICAR: CRA

Leia mais

Gestão das informações públicas sobre ocupação territorial Integração de cadastros públicos. Brasília/DF 09 de maio de 2017

Gestão das informações públicas sobre ocupação territorial Integração de cadastros públicos. Brasília/DF 09 de maio de 2017 Gestão das informações públicas sobre ocupação territorial Integração de cadastros públicos Brasília/DF 09 de maio de 2017 Boletins informativos do CAR Informações sobre a evolução das inscrições no CAR

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Page 1 of 7 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.830, DE 17 DE OUTUBRO DE 2012 A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

LEI Nº , DE VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS. Ricardo Carneiro

LEI Nº , DE VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS. Ricardo Carneiro LEI Nº 20.922, DE 16.10.2013 VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS Ricardo Carneiro youtu.be/_zmuohub3wo.webloc HISTÓRICO E ESTRUTURA DA LEGISLAÇÃO FLORESTAL BRASILEIRA QUATRO GRANDES NORMATIVAS FLORESTAIS

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR O QUE É CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade

Leia mais

Eliane Moreira Promotora de Justiça do MPE/PA Professora da UFPA Pós-doutorado na UFSC

Eliane Moreira Promotora de Justiça do MPE/PA Professora da UFPA Pós-doutorado na UFSC Eliane Moreira Promotora de Justiça do MPE/PA Professora da UFPA Pós-doutorado na UFSC Art. 29. É criado o Cadastro Ambiental Rural - CAR, no âmbito do Sistema Nacional de Informação sobre Meio Ambiente

Leia mais

CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO. Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U

CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO. Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO Lei Nº 4.771/65 Lei nº 12.651/12 MP nº 571/12 PLV* 21/2012 Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U * Projeto de Lei de Conversão (PLV): Quando a medida provisória (MP) é alterada

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR. Eng.ª Karine Rosilene Holler - AMVALI

Cadastro Ambiental Rural CAR. Eng.ª Karine Rosilene Holler - AMVALI Cadastro Ambiental Rural CAR Eng.ª Karine Rosilene Holler - AMVALI Legislação Lei Federal n 12.651/2012 - Código Florestal; Decreto Federal n 7.830/2012 - Dispõe sobre o Sistema de Cadastro Ambiental Rural;

Leia mais

FAMURS Porto Alegre, 10 de maio de 2013

FAMURS Porto Alegre, 10 de maio de 2013 FAMURS Porto Alegre, 10 de maio de 2013 Marco legal CAR Instituído pela Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 Art. 29. É criado o Cadastro Ambiental Rural - CAR, no âmbito do Sistema Nacional de Informação

Leia mais

Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF. Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL

Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF. Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico - SEMADE Presidência da República Casa

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Dos Srs. Assis do Couto e Anselmo de Jesus)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Dos Srs. Assis do Couto e Anselmo de Jesus) PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Dos Srs. Assis do Couto e Anselmo de Jesus) Acrescenta e altera dispositivos da Lei nº 4.771, de 15 de setembro de 1965, altera dispositivo da Lei nº 11.428, de 22 de dezembro

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS. Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR

NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS. Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR NOVO CÓDIGO FLORETAL BRASILEIRO Lei 12.651 / 2012 Dispõe sobre a proteção da vegetação

Leia mais

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia 1934 1965 1989 1996 2000 25% 20% NE/SE/S e sul do CO 50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT 20% Demais 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

Leia mais

Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas?

Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas? Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas? Quais as vantagens em aderir ao PRA? Continuidade das ATIVIDADES AGROSSILVIPASTORIS, de ecoturismo e de turismo

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 494, DE 2009

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 494, DE 2009 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 494, DE 2009 Dispõe sobre a utilização do potencial de geração de energia elétrica dos aterros sanitários pelos municípios com mais de 200 mil habitantes. O CONGRESSO

Leia mais

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia 1934 1965 1989 1996 2000 25% 20% NE/SE/S e sul do CO 50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT 20% Demais 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Segundo a Lei Federal 12.651/2012, Decretos Federais 7.830/2012 e 8.235/2014 e Instrução Normativa MMA 02/2014 ESALQ Maio de 2014 Caroline

Leia mais

CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista. TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015

CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista. TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015 CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015 Atualizações sobre o SICAR-SP Sistema instituído em 05/06/2013

Leia mais

Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade. Moisés Savian

Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade. Moisés Savian Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade Moisés Savian Esteio, 31 de agosto de 2012 Código Florestal Política Agroambiental Normativa Estabelece normas gerais com o fundamento

Leia mais

Limites e potencialidades da legislação florestal Leonardo Papp

Limites e potencialidades da legislação florestal Leonardo Papp Limites e potencialidades da legislação florestal Leonardo Papp Doutorando em Direito Socioambiental (PUCPR) Mestre em Direito Ambiental (UFSC) Especialista em Direito Imobiliário (PUCPR) Professor de

Leia mais

Histórico do Licenciamento Ambiental

Histórico do Licenciamento Ambiental Cuiabá-MT, Maio - 2013 Histórico do Licenciamento Ambiental PNMA 1981 CONAMA nº 01 1986 CONAMA nº 237 1997 CONAMA nº 289 2001 (revogada) CONAMA nº 387 2006 Portaria Conjunta nº01/2008 SEMA INCRA - INTERMAT

Leia mais

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho.

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho. Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho Diretor Geral/SFB O Brasil e as Florestas A cobertura florestal mundial é de

Leia mais

Prof. Guilhardes de Jesus Júnior, MSc.

Prof. Guilhardes de Jesus Júnior, MSc. RESERVA LEGAL FLORESTAL Aspectos jurídicos Prof. Guilhardes de Jesus Júnior, MSc. O QUE É A RESERVA LEGAL FLORESTAL? Segundo o Código Florestal (Lei 4.771/65), é a área localizada no interior de uma propriedade

Leia mais

O que é o CAR? O CAR Permitirá a regularização ambiental da propriedade rural.

O que é o CAR? O CAR Permitirá a regularização ambiental da propriedade rural. O que é o CAR? É um registro público eletrônico de âmbito nacional com as informações das propriedades rurais, onde o produtor informa em uma imagem de satélite, onde estão localizadas as áreas de preservação

Leia mais

Secretaria de Política Econômica / Ministério da Fazenda Secretaria Executiva / Ministério do Meio Ambiente

Secretaria de Política Econômica / Ministério da Fazenda Secretaria Executiva / Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Política Econômica / Ministério da Fazenda Secretaria Executiva / Ministério do Meio Ambiente 1. Introdução 2. Processo de elaboração 3. Definição de CRA 4. Emissão 5. Vigência 6. Módulo

Leia mais

Prof. Pedro Brancalion

Prof. Pedro Brancalion Prof. Pedro Brancalion CAR Cadastro Ambiental Rural Art. 29. É criado o Cadastro Ambiental Rural CAR, (...) obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade de integrar as informações ambientais

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR

CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR Instituto Estadual do Ambiente - INEA Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas - DIBAP Gerência do Serviço Florestal - GESEF CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR BASE LEGAL

Leia mais

Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016

Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016 Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016 Extrato Geral do CAR Março 2016 ÁREA PASSÍVEL DE CADASTRO (em hectares) 1 ÁREA TOTAL CADASTRADA (em hectares) 2 ÁREA CADASTRADA (em %) 3 397.836.864

Leia mais

A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra;

A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra; A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra; três convenções Biodiversidade, Desertificação e Mudanças climáticas; uma declaração de princípios sobre florestas;

Leia mais

Processo de Manejo Arbóreo em Empreendimentos Metroviários. Victor Bassetti Martinho 20ª AEAMESP SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA

Processo de Manejo Arbóreo em Empreendimentos Metroviários. Victor Bassetti Martinho 20ª AEAMESP SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA Processo de Manejo Arbóreo em Empreendimentos Metroviários Victor Bassetti Martinho 20ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA AEAMESP Curriculum vitae 2 Victor Bassetti Martinho Engenheiro Ambiental graduado

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Ciências Rurais CCR Departamento de Engenharia Rural - DER. CAR - Cadastro Ambiental Rural

Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Ciências Rurais CCR Departamento de Engenharia Rural - DER. CAR - Cadastro Ambiental Rural Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Ciências Rurais CCR Departamento de Engenharia Rural - DER CAR - Cadastro Ambiental Rural SANTA MARIA - RS 2014 UNIDADE 2 - A ESTRUTURA LEGAL DO CADASTRO

Leia mais

10 Passos para realizar o CAR antes do fim do prazo. e...

10 Passos para realizar o CAR antes do fim do prazo. e... 10 Passos para realizar o CAR antes do fim do prazo e... Quase um ano CAR: que dúvidas ainda continuam? Diferenças entre Atualizar e Retificar o Cadastro Como proceder a retificação? Convém averbar a Reserva

Leia mais

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos"

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos" Tema: Desmatamento Legislação Federal Lei nº 4.771, de 15.09.1965, que institui o novo Código Florestal

Leia mais

O papel dos viveiros em tempos de CAR

O papel dos viveiros em tempos de CAR O papel dos viveiros em tempos de CAR Mariana Megale Gerência de Gestão de Reserva Legal-DFAU Instituto Estadual de Florestas Histórico-Programas de Regularização de Imóveis Rurais Decreto nº 7.029/2009

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais LCF1581 RECURSOS FLORESTAIS EM PROPRIEDADES AGRÍCOLAS AULA: CADASTRO AMBIENTAL RURAL Gestor Ambiental

Leia mais

Reunião com fornecedores 15/05/2014. Unidade Ipê

Reunião com fornecedores 15/05/2014. Unidade Ipê Reunião com fornecedores 15/05/2014 Unidade Ipê Programação Abertura Sérgio L. Selegato Estimativas de Moagem para safra 2014/2015 Sérgio Luiz dos Santos Cadastro Ambiental Rural ( CAR ) João Vitor Caldato

Leia mais

BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO

BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural CAR: Âmbito Nacional Natureza declaratória Obrigatório para

Leia mais

(Do Sr. Rubens Otoni) O Congresso Nacional decreta:

(Do Sr. Rubens Otoni) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI N o 6220, DE 2005 (Do Sr. Rubens Otoni) Insere o parágrafo 4º no art. 2º da Lei nº 11.097, de 13 de janeiro de 2005, que dispõe sobre a introdução do biodiesel na matriz energética brasileira.

Leia mais

ART. SITUAÇÃO NOVO TEXTO (MP 571) OBSERVAÇÃO

ART. SITUAÇÃO NOVO TEXTO (MP 571) OBSERVAÇÃO ART. SITUAÇÃO NOVO TEXTO (MP 571) OBSERVAÇÃO 1º Recuperou o texto aprovado no Senado Federal Reestabeleceu o texto aprovado no Senado Federal. 3º XI XII XXIV XXV XXVI XXVII 4º IV Inciso Inciso Inciso Inciso

Leia mais

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. Quais as possíveis ações? Julho 2016

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. Quais as possíveis ações? Julho 2016 COTAS DE RESERVA AMBIENTAL Quais as possíveis ações? Julho 2016 Uma bolsa de valores ambientais com atuação nacional Missão Desenvolver e promover mecanismos de mercado para facilitar o cumprimento de

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL PROJETO DE LEI N o 25, DE 2015 Dispõe sobre a conservação e a utilização sustentável da vegetação nativa do Bioma Cerrado. Autor:

Leia mais

O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica

O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Este relatório foi produzido para a Fundação SOS Mata Atlântica sob contrato firmado entre as partes em

Leia mais

IMPACTOS DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL

IMPACTOS DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL IMPACTOS DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL Propostas e Processo Legislativo Proposta de alterações do Código Florestal Caso de SC concorrência de competências entre Federação e Estados Entraves no Poder Executivo:

Leia mais

LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011

LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011 LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre o Fundo Municipal de Meio Ambiente do Município de Paranatinga. CAPÍTULO I Do Fundo Municipal de Meio Ambiente Art. 1º Fica instituído o Fundo Municipal de

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR

Cadastro Ambiental Rural CAR Cadastro Ambiental Rural CAR Histórico Decreto nº 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal nº 12.651/2012 Decreto nº 7.830/2012 Lei Estadual n.º 20.922/2013 Decreto nº 8.235/2014 Instrução Normativa

Leia mais

Marcelo Augusto de Barros 1 Janeiro 2010 I. LEGISLAÇÃO APLICÁVEL

Marcelo Augusto de Barros 1 Janeiro 2010 I. LEGISLAÇÃO APLICÁVEL Supressão de vegetação para edificação em área urbana no Estado de São Paulo aplicação a loteamentos Biomas Cerrado e Mata Atlântica - Quadro comparativo Marcelo Augusto de Barros 1 marcelo@fortes.adv.br

Leia mais

Roteiro Executivo. Extrato Geral do CAR. Benefícios do CAR. Capacitação e Formação de Técnicos. Recursos Investidos

Roteiro Executivo. Extrato Geral do CAR. Benefícios do CAR. Capacitação e Formação de Técnicos. Recursos Investidos Roteiro Executivo Extrato Geral do CAR Benefícios do CAR Capacitação e Formação de Técnicos Recursos Investidos Recursos e Projetos Captados pelo MMA para apoio à execução do CAR e PRA Arquitetura do SICAR

Leia mais

Regulamentação da Lei n o Lei Federal de Florestas Maio de 2013

Regulamentação da Lei n o Lei Federal de Florestas Maio de 2013 Regulamentação da Lei n o 12.651 Lei Federal de Florestas Maio de 2013 Regulamentação da nova Lei Federal de Florestas 1. Porque regulamentar? 2. Fundamentos da regulamentação pelos estados 3. Competências

Leia mais

COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA. PROJETO DE LEI N o 849, DE 2011 I - RELATÓRIO

COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA. PROJETO DE LEI N o 849, DE 2011 I - RELATÓRIO COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA PROJETO DE LEI N o 849, DE 2011 Cria o Programa Nacional de Apoio às Microdestilarias de Álcool Pronama estabelece critérios para a produção e a comercialização de álcool hidratado

Leia mais

O Governador do Estado de Mato Grosso, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 66, incisos III e V, da Constituição Estadual, e

O Governador do Estado de Mato Grosso, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 66, incisos III e V, da Constituição Estadual, e Decreto nº 230 DE 18/08/2015 Norma Estadual - Mato Grosso Publicado no DOE em 18 ago 2015 Regulamenta o art. 8º da Lei Complementar nº 343, de 24 de dezembro de 2008, instituindo a Autorização Provisória

Leia mais

Programa de Regularização Ambiental (PRA) Decreto 420/2016

Programa de Regularização Ambiental (PRA) Decreto 420/2016 INFORME TÉCNICO APROSOJA Nº 110/2016 26 de fevereiro de 2016 Programa de Regularização Ambiental (PRA) Decreto 420/2016 Informamos aos associados que a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) publicou

Leia mais

PREZADOS (AS) SENHORES (AS):

PREZADOS (AS) SENHORES (AS): PREZADOS (AS) SENHORES (AS): PARA EFEITO DE ATUALIZAÇÃO, INFORMAMOS QUE NO MÊS DE JANEIRO/2015, FORAM PUBLICADAS AS SEGUINTES NORMAS: NBR 7503:2015 (N81307) - MA / SS / QL / SCL ESPECIFICA AS CARACTERÍSTICAS

Leia mais

III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Abril/2015 IMÓVEIS A SEREM INSCRITOS EM 2 ANOS Imóveis BR Área (ha) Estabelecimentos Agricultura familiar 4.367.902

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO UNIDADES DE CONSERVAÇÃO As florestas e demais formas de vegetação são reconhecidas no Brasil como bens de interesse comum a todos os habitantes do país, sendo que algumas destas áreas, legalmente determinadas

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE LICENCIAMENTO AMBIENTAL PL 3729/ /agosto/2016

DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE LICENCIAMENTO AMBIENTAL PL 3729/ /agosto/2016 LICENCIAMENTO AMBIENTAL PL 3729/2004 26/agosto/2016 1. Projeto de Lei nº 3729/2004 Deputado Luciano Zica PT/SP e outros 2. Ementa: Dispõe sobre o licenciamento ambiental, regulamenta o inciso IV do 1º

Leia mais

Nº 212, de 25 de maio de Senhor Presidente do Senado Federal,

Nº 212, de 25 de maio de Senhor Presidente do Senado Federal, 1 MENSAGEM Nº 212, de 25 de maio de 2012. Senhor Presidente do Senado Federal, Comunico a Vossa Excelência que, nos termos do 1 o do art. 66 da Constituição, decidi vetar parcialmente, por contrariedade

Leia mais

Proposta Agricultura MAPA/ruralistas

Proposta Agricultura MAPA/ruralistas Quadro Resumo das propostas e recomendações para adaptação e cumprimento do código florestal Tema: Reserva Legal Norma atual Proposta 1 Proposta Agricultura MAPA/ruralistas Familiar/MMA Recuperação de

Leia mais

Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016

Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016 Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016 BRASIL Extrato Brasil Censo Agropecuário IBGE 2006 Área Passível de Cadastro¹ Área Total Cadastrada² Percentual de Área Cadastrada³ (hectares) (hectares) (%)

Leia mais

Código Florestal Brasileiro

Código Florestal Brasileiro Direito Ambiental Prof. Dr. Thiago Leite Engenheiro Florestal (UnB-DF) Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais com ênfase em Educação Ambiental (UnB-DF) Doutorado em Ciências Florestais com ênfase

Leia mais

Detalhamento da avaliação da disponibilização de informações florestais pela Sema-MT

Detalhamento da avaliação da disponibilização de informações florestais pela Sema-MT Autorizações e Licenças Detalhamento da avaliação da disponibilização de informações florestais informação 1 Cadastro Ambiental Rural (CAR) e Licença Ambiental Única (LAU) Lei I. pedidos de licenciamento,

Leia mais

Restauração Ecológica

Restauração Ecológica Restauração Ecológica A importância das florestas Seres humanos e sociedade: uso de recursos direta e indiretamente Diretamente: madeira para móveis, lenha, carvão, frutos, sementes e castanhas, óleos,

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Institui o Estatuto da Metrópole, altera a Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Esta Lei, denominada

Leia mais

DA CONVERSÃO DE CAMPO NATIVO E DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL WELLINGTON PACHECO BARROS

DA CONVERSÃO DE CAMPO NATIVO E DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL WELLINGTON PACHECO BARROS DA CONVERSÃO DE CAMPO NATIVO E DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL WELLINGTON PACHECO BARROS Desembargador aposentado do TJ/RS, professor da ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA e do I - UMA, entre outros, advogado

Leia mais

Grupo Arbore -

Grupo Arbore - Grupo Arbore - www.arboreflorestas.com.br 1 MÓDULOS FISCAIS Módulo (ha) Nºmunicípios Área 4 Módulos (ha) 5 1 20 10 1 40 12 21 48 14 13 56 16 58 64 18 131 72 20 115 80 22 18 88 24 37 96 30 4 120 94% dos

Leia mais

Disposições do Código Florestal Parte 2

Disposições do Código Florestal Parte 2 Instrumentos da legislação ambiental aplicáveis aos sistemas de infraestrutura Disposições do Código Florestal Parte 2 AUT 192 novembro de 2015 Principais determinações gerais do CF Florestas e demais

Leia mais

Treinamento: Gestão Ambiental da Propriedade Rural Cód. 294

Treinamento: Gestão Ambiental da Propriedade Rural Cód. 294 Código Ambiental Atualizado Santa Catarina Santa Catarina é o primeiro estado brasileiro em aprovar e fazer virar lei um código ambiental independente da legislação federal (é importante salientar que

Leia mais

Resolução CONSEPA nº 7 DE 17/11/2015 Norma Estadual - Rondônia Publicado no DOE em 24 nov 2015

Resolução CONSEPA nº 7 DE 17/11/2015 Norma Estadual - Rondônia Publicado no DOE em 24 nov 2015 Resolução CONSEPA nº 7 DE 17/11/2015 Norma Estadual - Rondônia Publicado no DOE em 24 nov 2015 Define a tipologia das atividades que causam ou possam causar impacto ambiental de âmbito local, nos termos

Leia mais

Como Fazer Cadastro Ambiental Rural (CAR) Marcos de Lara Maia

Como Fazer Cadastro Ambiental Rural (CAR) Marcos de Lara Maia Como Fazer Cadastro Ambiental Rural (CAR) Marcos de Lara Maia O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, disponibilizado

Leia mais

SUMÁRIO. CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Publicado no Diário Oficial da União nº 191-A de 5 de outubro de 1988

SUMÁRIO. CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Publicado no Diário Oficial da União nº 191-A de 5 de outubro de 1988 SUMÁRIO CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Publicado no Diário Oficial da União nº 191-A de 5 de outubro de 1988 Preâmbulo...1 TÍTULO I DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS (Arts. 1º a 4º)...3 TÍTULO

Leia mais

Campo Nativo não é Área Rural Consolidada

Campo Nativo não é Área Rural Consolidada Campo Nativo não é Área Rural Consolidada Riscos para a implantação da lei de Proteção da Vegetação Nativa (12.651/2012) e equívocos no tratamento dos Campos Sulinos Contribuição técnica da Rede Campos

Leia mais

Propriedades rurais que possuam algum passivo ambiental, em termos de. reserva legal e áreas de preservação permanente, possivelmente terão

Propriedades rurais que possuam algum passivo ambiental, em termos de. reserva legal e áreas de preservação permanente, possivelmente terão Panorama Global Crescente preocupação com relação aos IMPACTOS AMBIENTAIS Panorama Nacional Propriedades rurais que possuam algum passivo ambiental, em termos de reserva legal e áreas de preservação permanente,

Leia mais

Estratégias para o Cadastramento Ambiental Rural no Paraná

Estratégias para o Cadastramento Ambiental Rural no Paraná Estratégias para o Cadastramento Ambiental Rural no Paraná Mariese Cargnin Muchailh Diretora de Restauração e Monitoramento IAP Antonina Setembro 2014 532.840 imóveis rurais 92% = pequenos imóveis até

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2005 (Do Sr. Fernando de Fabinho)

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2005 (Do Sr. Fernando de Fabinho) PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2005 (Do Sr. Fernando de Fabinho) Autoriza o Poder Executivo a criar o Pólo de Desenvolvimento e Turismo da região geográfica Nordeste, com sede na cidade de Paulo Afonso

Leia mais

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012 Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF O Idaf por definição O IDAF, é a entidade responsável pela execução da política, florestal, bem como

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

CAPÍTULO I DO PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA - PMCMV

CAPÍTULO I DO PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA - PMCMV DECRETO Nº 6819, DE 13 DE ABRIL DE 2009 (DOU DE 13.04.2009 - EDIÇÃO EXTRA) Regulamenta as Seções II, III e IV do Capítulo I da Medida Provisória nº 459, de 25 de março de 2009, que dispõe sobre o Programa

Leia mais

DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 88, de 10 de dezembro de 2015

DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 88, de 10 de dezembro de 2015 DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 88, de 10 de dezembro de 2015 Aprova o Plano de Aplicação Plurianual - PAP dos recursos da cobrança pelo uso de recursos hídricos na bacia hidrográfica do rio São Francisco, referente

Leia mais

DECRETO Nº , DE 13 DE MARÇO DE

DECRETO Nº , DE 13 DE MARÇO DE DECRETO Nº 22.787, DE 13 DE MARÇO DE 2002 1 Dispõe sobre a regulamentação do Conselho de Recursos Hídricos do Distrito Federal e dá outras providências. O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições

Leia mais

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.311, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Altera a Portaria nº 2.866/GM/MS, de 2 de

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da MEDIDA PROVISÓRIA Nº 571, DE 25 DE MAIO DE 2012 Altera a Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, que dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nºs 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393,

Leia mais

Sumário XVII. Índice Sistemático Novo Código Florestal Comentado... 5 Capítulo I Disposições gerais arts. 1 o a 3 o... 5 Art. 1 o A...

Sumário XVII. Índice Sistemático Novo Código Florestal Comentado... 5 Capítulo I Disposições gerais arts. 1 o a 3 o... 5 Art. 1 o A... Sumário Novo Código Florestal Comentado... 1 Índice Sistemático... 3 Novo Código Florestal Comentado... 5 Capítulo I Disposições gerais arts. 1 o a 3 o... 5 Art. 1 o... 5 Art. 1 o A... 6 MP n o 571...

Leia mais

Para efeito desta Instrução Técnica são adotadas as seguintes definições:

Para efeito desta Instrução Técnica são adotadas as seguintes definições: IT 1814 R.5 - INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA APRESENTAÇÃO DE ANTEPROJETOS DE EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS MULTIFAMILIARES (PERMANENTES OU TRANSITÓRIAS) GRUPAMENTOS DE EDIFICAÇÕES E CLUBES Notas: Aprovada pela Deliberação

Leia mais

Seminário 5 anos do código Florestal: desafios e oportunidades. Brasília Julho 2017

Seminário 5 anos do código Florestal: desafios e oportunidades. Brasília Julho 2017 Seminário 5 anos do código Florestal: desafios e oportunidades Brasília Julho 2017 Boletim informativo do CAR até 31/05/2017 Entregas SICAR/SFB CapCAR Análise Curso semipresencial para capacitar técnicos

Leia mais

Papel do Município no Licenciamento Ambiental

Papel do Município no Licenciamento Ambiental Papel do Município no Licenciamento Ambiental Vivian do Carmo Bellezzia Advogada Mestranda em Direito Ambiental pela ESDHC Especialista em Direito Público pela PUC-MINAS Especialista em Filosofia pela

Leia mais

IMPACTOS DO PL 1876/99 REFORMA DO CÓDIGO FLORESTAL

IMPACTOS DO PL 1876/99 REFORMA DO CÓDIGO FLORESTAL Brasília, 28 de Setembro de 2011 IMPACTOS DO PL 1876/99 REFORMA DO CÓDIGO FLORESTAL René Paschoalick Catherino GTMA Gaalahad D. A. Fernandes FT- APP Histórico ABRAGE Em 2008: A ABRAGE, por meio da Força-

Leia mais

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO Autor: Deputado RICARDO IZAR Relator: I RELATÓRIO O Projeto de Lei em epígrafe tem o objetivo de criar um programa de atendimento veterinário gratuito, em todo

Leia mais

Demarest Advogados Seminário Agronegócio: Agenda Regulatória

Demarest Advogados Seminário Agronegócio: Agenda Regulatória Demarest Advogados Seminário Agronegócio: Agenda Regulatória São Paulo, 25 de fevereiro de 2015 1 CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE APP RESERVA LEGAL RL PROGRAMA DE REGULARIZAÇÃO

Leia mais

PARECER Nº, DE Relator: Senador JORGE VIANA I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE Relator: Senador JORGE VIANA I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2016 Da COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE, DEFESA DO CONSUMIDOR E FISCALIZAÇÃO E CONTROLE, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 428, de 2015, do Senador Valdir Raupp,

Leia mais

RESOLUÇÃO SMA-15 DE 13 DE MARÇO DE 2008.

RESOLUÇÃO SMA-15 DE 13 DE MARÇO DE 2008. PUBLICADA EM 14/03/88 SEÇÃO I PÁG.36 RESOLUÇÃO SMA-15 DE 13 DE MARÇO DE 2008. Dispõe sobre os critérios e parâmetros para concessão de autorização para supressão de vegetação nativa considerando as áreas

Leia mais

XXII EXAME DE ORDEM DIREITO AMBIENTAL PROF.ª ERIKA BECHARA

XXII EXAME DE ORDEM DIREITO AMBIENTAL PROF.ª ERIKA BECHARA XXII EXAME DE ORDEM DIREITO AMBIENTAL PROF.ª ERIKA BECHARA Meio ambiente na CF/88 A Constituição Federal reconhece e declara: O meio ambiente ecologicamente equilibrado é essencial à sadia qualidade de

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES TRABALHOS DA COMISSÃO

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES TRABALHOS DA COMISSÃO TRABALHOS DA COMISSÃO A Subcomissão da Comissão Permanente de Economia reuniu no dia 13 de maio de 2015, na Delegação da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, na cidade de Ponta Delgada,

Leia mais

LEI N.º DE 04 DE JUNHO DE 2004 * O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do estado aprovou e que sanciono a

LEI N.º DE 04 DE JUNHO DE 2004 * O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do estado aprovou e que sanciono a LEI N.º 5.360 DE 04 DE JUNHO DE 2004 * Dispõe sobre o Fundo de Defesa do Meio Ambiente de Sergipe FUNDEMA/SE, dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, seguinte Lei: Faço saber que a Assembléia

Leia mais

Delimitação da Reserva Ecológica do Município de Fornos de Algodres. Áreas da REN afetadas Fim a que se destina Síntese da Fundamentação

Delimitação da Reserva Ecológica do Município de Fornos de Algodres. Áreas da REN afetadas Fim a que se destina Síntese da Fundamentação Diário da República, 1.ª série N.º 93 13 de maio de 2016 1565 Delimitação da Reserva Ecológica do Município de Fornos de Algodres (n.º de Ordem) Áreas da REN afetadas Fim a que se destina Síntese da Fundamentação

Leia mais

(Do Sr. Betinho Gomes) O Congresso Nacional resolve:

(Do Sr. Betinho Gomes) O Congresso Nacional resolve: PROJETO DE RESOLUÇÃO N o (Do Sr. Betinho Gomes), DE 2015 - CN Dispõe sobre a realização de audiências públicas periódicas no Congresso Nacional, para apresentação de relatório detalhado quadrimestral,

Leia mais

COMPENSAÇÕES AMBIENTAIS. Luciano Cota Diretor de Meio Ambiente Azurit Engenharia e Meio Ambiente

COMPENSAÇÕES AMBIENTAIS. Luciano Cota Diretor de Meio Ambiente Azurit Engenharia e Meio Ambiente COMPENSAÇÕES AMBIENTAIS Luciano Cota Diretor de Meio Ambiente Azurit Engenharia e Meio Ambiente POR QUE COMPENSAR? COMPENSAR (verbo transitivo direto) Equilibrar; balancear o efeito de uma coisa com outra;

Leia mais

PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS

PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS PROGRAMA DE REVITALIZAÇÃO EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO INTEGRADO RURAL PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL RESOLUÇÃO CONJUNTA N o 4, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014. Aprova o preço de referência para o compartilhamento de postes

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE FORMIGA

CÂMARA MUNICIPAL DE FORMIGA CÂMARA MUNICIPAL DE FORMIGA ESTADO DE MINAS GERAIS Praça Ferreira Pires, 04 CNPJ. 20.914.305/0001-16 Fone: (37) 3329-2600 - CEP 35.570-000 www.camaraformiga.mg.gov.br Emenda à Lei Orgânica nº 013/2008

Leia mais

Aos clientes VISÃO CONSULTORIA Tarumã,SP, 09 de Janeiro de MEMO nº 01/2017.

Aos clientes VISÃO CONSULTORIA Tarumã,SP, 09 de Janeiro de MEMO nº 01/2017. Aos clientes VISÃO CONSULTORIA Tarumã,SP, 09 de Janeiro de 2017. MEMO nº 01/2017. Assunto: DECRETO QUE ALTERA O DECRETO Nº 6.170 DE 5 DE JULHO DE 2007. Prezados (as) Senhores (as): Dispõe sobre as normas

Leia mais