Satélites Artificiais da Terra

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Satélites Artificiais da Terra"

Transcrição

1 Satélites Artificiais da Terra Os valores numéricos correspondem aos níveis radiométricos registados pelo sensor em cada uma das bandas espectrais.

2 Satélites Artificiais da Terra As imagens de satélite são imagens multibandas onde, para cada coordenada (x,y), existe um conjunto de valores de nível de cinzento. Cada pixel é representado por um vector, com tantas dimensões quanto forem as bandas espectrais. Tais imagens constituem-se a partir de um conjunto de imagens duma mesma cena, num mesmo instante, obtida por vários sensores com respostas espectrais diferentes.

3 Elementos da Imagem e o Valor de Brilho Linhas (i) eixo dos X Colunas (j) Bandas (k) O elemento da imagem (pixel) na linha 4, coluna 4, banda 1, tem como valor de brilho 22, i.e. VB4,4,1 = 22 Alcance do Valor de Brilho (8 bits) Branco Cinza Preto Gradiente de Tons Cinza Associado Imagem digital de detecção remota é tipicamente composta por elementos da imagem localizados na intercepção de cada linha (i) e coluna (j), em cada banda (k). Estes dados deverão ter um registro geométrico preciso. O valor de brilho (VBijk) em cada pixel localizado é usualmente representado por um número de 0 a 255. Este valor pode ser associado e modulado no intuído de produzir um gradiente cinza num monitor, onde preto (VB = 0) a branco (VB=255).

4 Satélites Artificiais da Terra Banda 1 Banda 5 Banda 2 Banda 6 Banda 3 Banda 7 Banda 4

5 TM 1 (0,45 0,52 µm, Azul) TM 2 (0,52 0,60 µm, verde) TM 3 (0,63 0,69 µm, vermelho) TM 4 (0,76 0,90 µm, infravermelho próximo) TM 5 (1,55 1,75 µm, infravermelho médio) TM 6 (10,4 12,5 µm, infravermelho térmico) TM 7 ( 2,08 2,35 µm, infravermelho médio) Utilizado para o estudo da superfície da água, tornando-se útil na caracterização da hidrologia costeira. A sua utilidade passa ainda pela capacidade de discriminação do solo/vegetação, e da identificação das características dos níveis de poluição aquática. Fornece informação relativa ao estado de desenvolvimento da vegetação, na medida que permite observar o pico de reflectância da vegetação no existente nos comprimentos de onda correspondentes ao verde. Também é útil para a identificação das características das culturas. Este canal, ao operar na banda verde, realça na imagem, as áreas cobertas de vegetação, relativamente aos espaços construídos e às rochas e solos desnudados. Banda de grande utilidade na determinação da região de absorção de clorofila, sendo o mais sensível à diferenciação entre as várias espécies de plantas na região visível, assim como à discriminação entre vegetação e não vegetação. Tal como os canais anteriores é importante na identificação das características das plantas. A mais adequada para a determinação dos tipos de vegetação, para quantificação da biomassa, na discriminação solo/vegetação e terra/água, e na avaliação do teor de humidade do solo. Adequada na quantificação do teor de humidade presente na vegetação e nos solos, permitindo diferenciar as plantas consoante o seu estado fenológico. É também útil quando é necessário diferenciar neve e nuvens. A imagem fornecida por este canal melhora o contraste da linha de costa, pela absorção quase total desta radiação pela água. Reconhecido pela sua eficácia na análise do stress da vegetação, na disseminação do teor da humidade do solo e, sobretudo, no estudo da termicidade dos objectos, na localização de fontes de calor em meio urbano, na determinação dos níveis de poluição atmosférica. Permite a discriminação dos minerais, tipos de rochas e, aplica-se em estudos de solos. É igualmente sensível ao teor de humidade presente na vegetação. Este canal, é aquele que oferece a melhor imagem do contorno da linha de costa. Todavia, apresenta um inconveniente: a elevada sensibilidade denotada por esta banda à humidade, leva a que lugares mais húmidos apareçam como superfícies aquáticas.

6 Combinação de Bandas

7 Satélites Artificiais da Terra Devido a este facto, as imagens de satélite são também designadas por imagens multiespectrais. A forma mais comum de analisar visualmente esta informação multiespectral é combinando as bandas em conjuntos de três, fazendo corresponder cada banda a uma componente do sistema RGB (Red Green Blue), obtendo-se o que se designa por composição colorida. Quando uma imagem representa a informação registada na região do visível designa-se por pancromática.

8 Como se visualiza uma imagem de satélite? Modelo de cor usado em Detecção Remota Modelo RGB: Red-Green-Blue Sistema de Coordenadas de Cor RGB Vermelho (255, 0, 0) Amarelo (255, 255, 0) Magenta (255, 0, 255) Branco (255, 255, 255) Preto (0,0,0) Verde (0, 255, 0) Azul (0, 0, 255) Cyan (0, 255, 255)

9 Satélites Artificiais da Terra COMBINAÇÃO DE BANDAS EM RGB TM1 TM2 TM3 TM4 TM5 TM6 Síntese Aditiva TM7

10 O número possível de combinações C realizadas a partir de n bandas e utilizando q (3) de cada vez é: C n q n! q! n q! RED GREEN BLUE CC321 Vermelho (TM3) Verde (TM2) Azul (TM1) CC741 Ifmed (TM7) Ifprox (TM4) Azul (TM1) CC421 Ifprox (TM4) Verde (TM2) Azul (TM1) NDVI (TM4-TM3)/(TM4+TM3) TERMICA Transformação do IFterm (Banda 6)

11 Satélites Artificiais da Terra Tais composições, são capazes de sintetizar numa única imagem uma grande quantidade de informação facilitando a interpretação de alvos através da representação dessa informação em diferentes cores. 4,3,2 5,4,3 3,2,1

12 Criar uma matriz multibanda IGOT Criar uma imagem compósita com todas as bandas Visualizar várias combinações coloridas

13 índices

14 Como se melhora a visualização de uma imagem de satélite? Manipulação de contraste Extensão/Expansão do contraste (ajustamento dos níveis de cor/cinzentos á gama de NR significativos) 1. Expansão linear 2. Expansão linear com saturação nos extremos (% de valores extremos) 3. Expansão equalizada pelo histograma (em função da frequência de ocorrência) 4. Expansão específica

15 MELHORAMENTO DO CONSTRASTE Banda Landsat TM4 e respectivo histograma Imagem de satélite após a expansão linear do contraste e respectivo histograma

16 Expansão linear do contraste Formalmente, a expansão linear do contraste da imagem expressa-se através da seguinte fórmula: Em que: NR nível radiométrico na imagem final, NR nível radiométrico na imagem inicial, MIN nível radiométrico mínimo da imagem inicial, MAX nível radiométrico máximo da imagem inicial.

17 Expansão linear do contraste Antes Depois

18 MELHORAMENTO DO CONSTRASTE Imagem de satélite após expansão linear do contraste com saturação a 5% e respectivo histograma Imagem de satélite após equalização do histograma e respectivo histograma

19 índices

20 ÍNDICES DE VEGETAÇÃO Permitem avaliar quantitativamente teores de biomassa alterações ambientais nível de seca degradação ambiental (ao longo dos anos) uso generalizado devido ao comportamento espectral característico no vermelho vs infravermelho próximo Reflectância no Vermelho Reflectância no Infra Vermelho Vegetation Index Image (SAVI)

21 Índice de vegetação rácio (RATIO) RATIO = IVP/V Capta o contraste entre as bandas vermelho e do infravermelho próximo, valores muito altos => baixa reflecção no vermelho => (grande absorção pela clorofila) e alta reflecção no infravermelho próximo => grande teor de biomassa variação na iluminação da cena devido a efeitos topográficos são minimizados (por ser um ratio) susceptível de erros (divisão por zero) e a escala de medida resultante não é linear => não apresenta uma distribuição normal

22 Índice de vegetação normalizado (NDVI) NDVI = (IVP-V)/(IVP+V) = (TM4-TM3)/(TM4+TM3) variação na iluminação da cena devido a efeitos topográficos são minimizados (por ser um ratio) a escala resultante é linear valores entre -1 (outras superfícies que não vegetação) e 1 (superfícies completamente cobertas com vegetação). O 0 traduz aproximadamente áreas sem vegetação.

23 O NDVI pode ser usado como base para estimar propriedades da vegetação: Índice de Área Foliar biomassa concentração de clorofila na vegetação produtividade da vegetação fracção de coberto vegetal Biomassa

24 NDVI IGOT Leaf Area Index (LAI) Índice de Área Foliar ratio da área total de todas as folhas relativamente à área de terreno coberta pela planta. Isto significa que se uma planta tem apenas um layer de folhas todas colocadas uma ao lado das outras, o seu LAI será exactamente 1.0, porque a área das folhas será igual à área do terreno coberta pela planta. LAI é uma variável adimensional, tipicamente entre variando entre 0 para solo nu e 6 para uma floresta densa Exemplos de LAI Relação genérica entre o NDVI e LAI IAF (m 2.m -2 )

25 Outros Índices de Vegetação Índice de vegetação transformado (TVI) TVI = (IVP-V)/(IVP+V)+0.5 Índice de vegetação transformado corrigido (CTVI) CTVI =(NDVI+0.5)/ABS(NDVI+0.5) x ABS (NDVI+0.5) Índice de vegetação transformado Thiam (TTVI) TTVI ABS (NDVI+0.5)

26 Outros Índices Índice 1: Rácio de Óxido de Ferro Índice 2: Rácio de Argila (hidratada)

Geomática e SIGDR aula teórica 25 14/05/2013. Interpretação de imagens de detecção remota Índices de vegetação

Geomática e SIGDR aula teórica 25 14/05/2013. Interpretação de imagens de detecção remota Índices de vegetação Geomática e SIGDR aula teórica 25 14/05/2013 Interpretação de imagens de detecção remota Índices de vegetação Manuel Campagnolo ISA Manuel Campagnolo (ISA) Geomática e SIGDR 2012-2013 14/05/2013 1 / 18

Leia mais

Manipulação, Visualização e Interpretação de Imagens de Sensoriamento Remoto

Manipulação, Visualização e Interpretação de Imagens de Sensoriamento Remoto Manipulação, Visualização e Interpretação de Imagens de Sensoriamento Remoto Alexandre Xavier Falcão Instituto de Computação - UNICAMP afalcao@ic.unicamp.br Objetivo Extrair informações quantitativas e

Leia mais

Detecção Remota. Aquisição de dados. Sistema Modelo de Detecção Remota ICIST. Energia Electromagnética. Interacções com a Atmosfera

Detecção Remota. Aquisição de dados. Sistema Modelo de Detecção Remota ICIST. Energia Electromagnética. Interacções com a Atmosfera Aquisição de dados Como recolher informação geográfica? Fotografia Aérea Métodos topográficos GPS Processo que permite extrair informação de um objecto, área ou fenómeno, através da análise de dados adquiridos

Leia mais

Avaliação Parcial 01 - GABARITO Questões Bate Pronto. As questões 1 a 23 possuem apenas uma alternativa correta. Marque-a.

Avaliação Parcial 01 - GABARITO Questões Bate Pronto. As questões 1 a 23 possuem apenas uma alternativa correta. Marque-a. Avaliação Parcial 01 - GABARITO Questões Bate Pronto. As questões 1 a 23 possuem apenas uma alternativa correta. Marque-a. 1) A água reflete muita radiação no infravermelho próximo. (5 pontos) 2) A radiação

Leia mais

Interpretação Visual de Produtos de Sensoriamento Remoto

Interpretação Visual de Produtos de Sensoriamento Remoto UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Interpretação Visual de Produtos de Sensoriamento Remoto Prof. Dr. Richarde Marques IMAGENS DE SENSORIAMENTO

Leia mais

O resultado é uma série de "fatias" da superfície, que juntas produzem a imagem final. (Exemplo: o radiômetro dos satélites NOAA gira a uma

O resultado é uma série de fatias da superfície, que juntas produzem a imagem final. (Exemplo: o radiômetro dos satélites NOAA gira a uma Sensores e Satélites Para que um sensor possa coletar e registrar a energia refletida ou emitida por um objeto ou superfície, ele tem que estar instalado em uma plataforma estável à distância do objeto

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO. Sensoriamento Remoto. Prof. Luiz Rotta

GEOPROCESSAMENTO. Sensoriamento Remoto. Prof. Luiz Rotta 1 GEOPROCESSAMENTO Sensoriamento Remoto Prof. Luiz Rotta SENSORIAMENTO REMOTO - DEFINIÇÕES Utilização de sensores para a aquisição de informações sobre objetos ou fenômenos sem que haja contato direto

Leia mais

Resoluções das Imagens fotogramétricas e digitais. Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia

Resoluções das Imagens fotogramétricas e digitais. Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia Resoluções das Imagens fotogramétricas e digitais Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia Classificação dos filmes aerofotogramétricos Os filmes podem ser: preto e branco ou coloridos.

Leia mais

O DESAFIO DOS SENSORES REMOTOS NO INVENTÁRIO DE BIOMASSA SÓLIDA. José Rafael M. Silva; Adélia Sousa; e Paulo Mesquita

O DESAFIO DOS SENSORES REMOTOS NO INVENTÁRIO DE BIOMASSA SÓLIDA. José Rafael M. Silva; Adélia Sousa; e Paulo Mesquita O DESAFIO DOS SENSORES REMOTOS NO INVENTÁRIO DE BIOMASSA SÓLIDA José Rafael M. Silva; Adélia Sousa; e Paulo Mesquita 1 A Detecção Remota e uma técnica que nos permite obter informação sobre um objecto

Leia mais

Processamento Digital de Imagens. Cor

Processamento Digital de Imagens. Cor Processamento Digital de Imagens Cor Em uma descrição física a cor está associada ao seu comprimento de onda. Ao se analisar o espectro eletromagnético na região do visível, os menores comprimentos de

Leia mais

Curso de Extensão: Noções de Sensoriamento

Curso de Extensão: Noções de Sensoriamento UFBA Curso de Extensão: Noções de Sensoriamento IPF Institut für Photogrammetrie und Fernerkundung Mauro Alixandrini Universität Karlsruhe (TH) www.kit.edu 04.08 Noções de Sensoriamento Remoto Aula 2 Comportamento

Leia mais

3 - AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE

3 - AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE 3 - AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE A Figura 1 ilustra o espectro eletromagnético e as respectivas bandas espectrais do sensor TM e ETM do satélite Landsat. O Quadro 1 indica os intervalos espectrais

Leia mais

Agricultura. Integra um grande número de formatos de imagens aéreas, satélite, radar ou térmicas;

Agricultura. Integra um grande número de formatos de imagens aéreas, satélite, radar ou térmicas; Aplicações O software ENVI é usado por inúmeras organizações e instituições em todo o mundo. Abaixo apresentamos alguns exemplos das diferentes aplicações. Verifique a sua área de interesse! Agricultura

Leia mais

O resultado é uma série de "fatias" da superfície, que juntas produzem a imagem final. (Exemplo: o radiômetro dos satélites NOAA gira a uma

O resultado é uma série de fatias da superfície, que juntas produzem a imagem final. (Exemplo: o radiômetro dos satélites NOAA gira a uma Sensores e Satélites Para que um sensor possa coletar e registrar a energia refletida ou emitida por um objeto ou superfície, ele tem que estar instalado em uma plataforma estável à distância do objeto

Leia mais

Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia Características das Imagens

Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia Características das Imagens Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia Características das Imagens Prof. Dr. Reinaldo Paul Pérez Machado Remote Sensing Raster (Matrix) Data Format Jensen, 2004 Nível de Cinza Tipos de Resolução resolução

Leia mais

COMPORTAMENTO ESPECTRAL DOS ALVOS

COMPORTAMENTO ESPECTRAL DOS ALVOS Reflectância espectral característica da folha vegetal verde sadia, para o intervalo de comprimentos de onda entre 0,4 e 2,61μm. Os fatores dominantes que controlam a reflectância foliar são os vários

Leia mais

PMI 3331 GEOMÁTICA APLICADA À ENGENHARIA DE PETRÓLEO

PMI 3331 GEOMÁTICA APLICADA À ENGENHARIA DE PETRÓLEO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Escola Politécnica Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo PMI Graduação em Engenharia de Petróleo PMI 3331 GEOMÁTICA APLICADA À ENGENHARIA DE PETRÓLEO PROCESSAMENTO

Leia mais

Processamento de Imagens Coloridas. Prof. Adilson Gonzaga

Processamento de Imagens Coloridas. Prof. Adilson Gonzaga Processamento de Imagens Coloridas Prof. Adilson Gonzaga 1 Aparência de um Objeto A aparência de um objeto é o resultado de uma complexa interação da luz incidente sobre este objeto, suas características

Leia mais

Processamento Digital de Imagens

Processamento Digital de Imagens Processamento Digital de Imagens Conceitos Básicos CPGCG/UFPR Prof. Dr. Jorge Centeno Realidade e imagem Uma imagem é a representação pictórica de um aspecto da realidade. Uma imagem não é idêntica à cena

Leia mais

Aplicações Informáticas B 12º Ano

Aplicações Informáticas B 12º Ano Aplicações Informáticas B 12º Ano Prof. Adelina Maia 2013/2014 AIB_U4A 1 Bases sobre a teoria da cor aplicada aos sistemas digitais (red / Green / blue) Modelo CMYK (cyan / magenta / yellow + Black) Modelo

Leia mais

TRANSFORMAÇÕES MULTIESPECTRAIS (GLOBAIS)

TRANSFORMAÇÕES MULTIESPECTRAIS (GLOBAIS) TRANSFORMAÇÕES MULTIESPECTRAIS (GLOBAIS) Se incluem todas aquelas transformações destinadas a criação de imagens a partir da combinação de bandas da imagem original. A imagem resultante depende de toda

Leia mais

7. OPERAÇÕES ARITMÉTICAS EM IMAGENS

7. OPERAÇÕES ARITMÉTICAS EM IMAGENS 7. OPERAÇÕES ARITMÉTICAS EM IMAGENS 7.1 Introdução Várias operações matemáticas simples são usadas em processamento digital de imagens de S.R., no sentido de analisar imagens multi-espectrais (diferentes

Leia mais

PROCESSAMENTO DE IMAGENS

PROCESSAMENTO DE IMAGENS PROCESSAMENTO DE IMAGENS Introdução Conceitos básicos Pré-processamento Realce Classificação PROCESSAMENTO DE IMAGENS- aula de 25/5/10 Introdução Conceitos básicos Pré-processamento Realce Classificação

Leia mais

INTRODUçÃO ÀS. UNIVERSIDADE DE AVEIRO Departamento de Física Detecção Remota

INTRODUçÃO ÀS. UNIVERSIDADE DE AVEIRO Departamento de Física Detecção Remota INTRODUçÃO ÀS UNIVERSIDADE DE AVEIRO Departamento de Física Detecção Remota Raquel Diogo, 38961 2011/2012 O que é o RGB? RGB abreviatura do sistema de cores aditivas: vermelho, r, verde, g e azul, b. As

Leia mais

Imagem Digital. Claudio Carvilhe

Imagem Digital. Claudio Carvilhe Imagem Digital Claudio Carvilhe Imagem Digital Roteiro Introdução. Pixel. Resolução espacial. Cor. Processamento de imagens. Introdução Informação Visual: Imagem vista na tela. Informação Descritiva: Modelo

Leia mais

Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01

Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01 Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01 Douglas Farias Cordeiro Universidade Federal de Goiás 06 de julho de 2015 Mini-currículo Professor do curso Gestão da Informação Formação: Graduação

Leia mais

Vantagens e limitações dos RGB s

Vantagens e limitações dos RGB s Universidade de Aveiro Departamento de Física Detecção Remota Vantagens e limitações dos RGB s Soraia Romão nº50402 Vantagens A fusão de diferentes canais pode destacar características atmosféricas e da

Leia mais

Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia

Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia Comportamento Espectral dos Objetos Fernando Shinji Kawakubo Prof. Dr. Reinaldo Paul Pérez Machado O que é? Comportamento Espectral É o estudo da interação da

Leia mais

Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia

Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia Comportamento Espectral dos Objetos Fernando Shinji Kawakubo Prof. Dr. Reinaldo Paul Pérez Machado O que é? Comportamento Espectral É o estudo da interação da

Leia mais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais Sensoriamento Remoto Características das Imagens Orbitais 1 - RESOLUÇÃO: O termo resolução em sensoriamento remoto pode ser atribuído a quatro diferentes parâmetros: resolução espacial resolução espectral

Leia mais

Determinação da dimensão fractal de conjunto de pontos às imagens de satélites

Determinação da dimensão fractal de conjunto de pontos às imagens de satélites Determinação da dimensão fractal de conjunto de pontos às imagens de satélites Introdução Uma importante aplicação dos fractais é o campo da análise da textura da imagem. O aspecto principal da geometria

Leia mais

ANÁLISE VISUAL DE IMAGENS ORBITAIS MULTIESPECTRAIS

ANÁLISE VISUAL DE IMAGENS ORBITAIS MULTIESPECTRAIS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS DISCIPLINA: LEB450 TOPOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO II PROF. DR. CARLOS ALBERTO VETTORAZZI

Leia mais

Cores em Imagens e Vídeo

Cores em Imagens e Vídeo Aula 05 Cores em Imagens e Vídeo Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Universidade Federal Rural do Semiárido Departamento de Ciências Exatas e Naturais Ciência da Computação Ciência das Cores A cor é fundamentada

Leia mais

CAPÍTULO 7 SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AOS ESTUDOS GEOLÓGICOS

CAPÍTULO 7 SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AOS ESTUDOS GEOLÓGICOS INPE-8984-PUD/62 CAPÍTULO 7 SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AOS ESTUDOS GEOLÓGICOS Fabio Moreira INPE São José dos Campos 2002 C A P Í T U L O 7 S E N S O R I A M E NT O R E M O T O A P L I C A D O A O S

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Utilização de Cores em HTML Cores primárias Cores secundárias 2 Utilização de Cores em HTML Os comprimentos de onda vermelho, amarelo

Leia mais

Processamento Digital de Imagens SER Prática de Laboratório

Processamento Digital de Imagens SER Prática de Laboratório Processamento Digital de Imagens SER 413-4 - Prática de Laboratório Bruna Virginia Neves João Arthur Pompeu Pavanelli Vanessa Camphora Relatório Parcial da prática de laboratório da disciplina de Processamento

Leia mais

Processamento Digital de Imagens

Processamento Digital de Imagens Processamento Digital de Imagens O sensoriamento remoto Transformação de fluxo de energia radiante registradas por um sistema sensor, em informações sobre os objetos que compõem a superfície terrestre.

Leia mais

Realce de Imagens. Realce de Imagens

Realce de Imagens. Realce de Imagens T Objetivo: Melhorar a qualidade visual da imagem. g 1 g 2 Contraste entre dois objetos pode ser definido como a diferença entre os níveis de cinza médios dos objetos. Observando as imagens g 1 e g 2 é

Leia mais

Realce de Imagens. Objetivo: Melhorar a qualidade visual da imagem.

Realce de Imagens. Objetivo: Melhorar a qualidade visual da imagem. T Objetivo: Melhorar a qualidade visual da imagem. g 1 g 2 Contraste entre dois objetos pode ser definido como a diferença entre os níveis de cinza médios dos objetos. Observando as imagens g 1 e g 2 é

Leia mais

Geomática e SIGDR aula teórica 27 21/05/2013. Sistemas activos de detecção remota

Geomática e SIGDR aula teórica 27 21/05/2013. Sistemas activos de detecção remota Geomática e SIGDR aula teórica 27 21/05/2013 Sistemas activos de detecção remota Manuel Campagnolo ISA Manuel Campagnolo (ISA) Geomática e SIGDR 2012 2013 21/05/2013 1 / 22 Sistema activos de detecção

Leia mais

Mapeamento do uso do solo para manejo de propriedades rurais

Mapeamento do uso do solo para manejo de propriedades rurais 1/45 Mapeamento do uso do solo para manejo de propriedades rurais Teoria Eng. Allan Saddi Arnesen Eng. Frederico Genofre Eng. Marcelo Pedroso Curtarelli 2/45 Conteúdo programático: Capitulo 1: Conceitos

Leia mais

Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores

Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores Bruno Teixeira Moreira e Emídio Augusto Arantes Macedo Ciência da Computação 1 o. Período Professor: Rodney Josué Biezuner Disciplina: Geometria Analítica e

Leia mais

NOTA TÉCNICA INPE CRA/2016

NOTA TÉCNICA INPE CRA/2016 NOTA TÉCNICA INPE CRA/2016 O Projeto DETER-B (Sistema de Detecção do Desmatamento e Alterações na Cobertura Florestal em Tempo Quase Real) é responsável pelo mapeamento de alerta de desmatamento, degradação

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica Aplicados

Sistemas de Informação Geográfica Aplicados Geoprocessamento automático Modelos digitais de terreno WebSIG Deteção remota Análise de imagem Análise espacial Cartografia geológica Sistemas de Informação Geográfica Aplicados Departamento de Geologia

Leia mais

Definição de sensoriamento remoto. Professor: Enoque Pereira da Silva

Definição de sensoriamento remoto. Professor: Enoque Pereira da Silva Definição de sensoriamento remoto Professor: Enoque Pereira da Silva Definição de sensoriamento remoto Sensoriamento remoto é um termo utilizado na área das ciências aplicadas que se refere à obtenção

Leia mais

TUTORIAL. Imagens CBERS-4 5m: conheça este sensor e aprenda a realizar o download dessas imagens no site do INPE QGIS.

TUTORIAL. Imagens CBERS-4 5m: conheça este sensor e aprenda a realizar o download dessas imagens no site do INPE QGIS. TUTORIAL Imagens CBERS-4 5m: conheça este sensor e aprenda a realizar o download dessas imagens no site do INPE QGIS www.processamentodigital.com.br O Processamento Digital é um Canal de Conteúdo GEO oferecido

Leia mais

PROCESSAMENTO DE IMAGENS COLORIDAS

PROCESSAMENTO DE IMAGENS COLORIDAS PROCESSAMENTO DE IMAGENS COLORIDAS Fundamentos da cor A visão da cor É a capacidade de um organismo ou máquina de distinguir objetos baseando-se nos comprimentos de onda (ou freqüências) da luz sendo refletida,

Leia mais

Processamento Digital de Imagens

Processamento Digital de Imagens Ciência da Computação Processamento Digital de Imagens Prof. Sergio Ribeiro Tópicos Introdução Espectro Eletromagnético Aquisição e Digitalização de Imagens Efeitos da Digitalização Digitalização Sensoriamento

Leia mais

II Semana de Geografia UNESP / Ourinhos 29 de Maio a 02 de Junho de 2006

II Semana de Geografia UNESP / Ourinhos 29 de Maio a 02 de Junho de 2006 USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NA MICROBACIA CÓRREGO DO PORTO-TRÊS LAGOAS MS SILVA, Laís C.N. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul- UFMS lais_cns@yahoo.com.br DELGADO, Valeria P. Universidade Federal de

Leia mais

PROCESSAMENTO DE IMAGENS DIGITAIS PARA VISÃO ROBÓTICA. Digital Image Processing for Robotic Vision

PROCESSAMENTO DE IMAGENS DIGITAIS PARA VISÃO ROBÓTICA. Digital Image Processing for Robotic Vision PROCESSAMENTO DE IMAGENS DIGITAIS PARA VISÃO ROBÓTICA Digital Image Processing for Robotic Vision Luiz Ferreira MENEZES Jr. Faculdade de Jaguariúna Resumo: Este trabalho descreve quatro métodos para converter

Leia mais

Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica. Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista

Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica. Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista 2016 Interações Energia-Matéria na Atmosfera Energia Radiante Ao contrário

Leia mais

SENSORIAMENTO REMOTO E A VEGETAÇÃO

SENSORIAMENTO REMOTO E A VEGETAÇÃO SENSORIAMENTO REMOTO E GEOPROCESSAMENTO NOS ESTUDOS DA VEGETAÇÃO. Dra. Marisa Dantas Bitencourt LEPaC - Lab. de Ecologia da Paisagem e Conseração Departamento de Ecologia Instituto de Biociências Uniersidade

Leia mais

1. Introdução: um breve histórico

1. Introdução: um breve histórico 1. Introdução: um breve histórico Sensoriamento Remoto no Brasil Início das Atividades 1968 - Projeto SERE 1972 - PG em SR 1973 - Recepção de dados Landsat 1975-1 a Dissertação de Mestrado Sensoriamento

Leia mais

Monitoramento de Queimadas e Incêndios na Região do Parque Estadual do Jalapão em 2007, 2008 e 2009

Monitoramento de Queimadas e Incêndios na Região do Parque Estadual do Jalapão em 2007, 2008 e 2009 Monitoramento de Queimadas e Incêndios na Região do Parque Estadual do Jalapão em 2007, 2008 e 2009 Resultados Preliminares Dezembro de 2013 PIETRO DE ALMEIDA CÂNDIDO MAPAS DAS CICATRIZES DE QUEIMADAS

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO ÍNDICE DE VEGETAÇÃO ATRAVÉS DE IMAGENS METEOSAT-8

DETERMINAÇÃO DO ÍNDICE DE VEGETAÇÃO ATRAVÉS DE IMAGENS METEOSAT-8 DETERMINAÇÃO DO ÍNDICE DE VEGETAÇÃO ATRAVÉS DE IMAGENS METEOSAT-8 BARBOSA, H. A. 1 ; ACCIOLY FILHO, J. B. P. 2 ; MELCÍADES, W. L. B. 3 ; MELLO, N. G. S. 4 ; SOUZA, J. M. DE 5 RESUMO: Neste trabalho, o

Leia mais

Sensoriamento Remoto II

Sensoriamento Remoto II Sensoriamento Remoto II 2: transformações espetrais IHS, Tasseled Cap UFPR Departamento de Geomática Prof. Jorge Centeno 2016 copyright@ centenet Sensoriamento Remoto II Descrição da Ementa: Transformações

Leia mais

Capítulo III Processamento de Imagem

Capítulo III Processamento de Imagem Capítulo III Processamento de Imagem Proc. Sinal e Imagem Mestrado em Informática Médica Miguel Tavares Coimbra Resumo 1. Manipulação ponto a ponto 2. Filtros espaciais 3. Extracção de estruturas geométricas

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO EM IMAGEM LANDSAT 5 TM. Josilhane Da Silva¹, Thays Marcela Hamulak², Selma Regina Aranha Ribeiro³.

COMPARAÇÃO ENTRE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO EM IMAGEM LANDSAT 5 TM. Josilhane Da Silva¹, Thays Marcela Hamulak², Selma Regina Aranha Ribeiro³. COMPARAÇÃO ENTRE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO EM IMAGEM LANDSAT 5 TM. Josilhane Da Silva¹, Thays Marcela Hamulak², Selma Regina Aranha Ribeiro³. ¹Graduanda de geografia bacharelado na Universidade Estadual de

Leia mais

Luz e Cor. Luz. Onda eletro-magnética. Computação Gráfica Interativa - Gattass 10/26/2004. Luz e Cor. λ (m) f (Hertz)

Luz e Cor. Luz. Onda eletro-magnética. Computação Gráfica Interativa - Gattass 10/26/2004. Luz e Cor. λ (m) f (Hertz) Marcelo Gattass, PUC-Rio Luz Onda eletro-magnética 10 2 10 4 10 6 10 8 10 10 10 12 10 14 10 16 10 18 10 20 (m) rádioam FM,TV Micro-Ondas Ultra-Violeta Infra-Vermelho RaiosX f (Hertz) 10 6 10 4 10 2 10

Leia mais

IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO

IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE TECNOLOGIA E RECURSOS HUMANOS UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA CIVIL IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO Sumário 1. Conceitos básicos

Leia mais

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS. Daniel C. Zanotta

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS. Daniel C. Zanotta PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS Daniel C. Zanotta RAZÃO DE BANDAS Dividir uma banda por outra (pixel a pixel) pode trazer diversas informações a respeitos dos alvos contidos

Leia mais

Satélites e Sensores Orbitais

Satélites e Sensores Orbitais Satélites e Sensores Orbitais Satélites de monitoramento da superfície da Terra: série LANDSAT e CBERS Satélites meteorológicos: série NOAA Polar Altitude de 250 a 800 Km Direção Norte-Sul Tipos de Órbitas

Leia mais

VANT para Monitoramento Hidrológico. Fabiano Cucolo 8/12/2015

VANT para Monitoramento Hidrológico. Fabiano Cucolo 8/12/2015 VANT para Monitoramento Hidrológico Fabiano Cucolo 8/12/2015 Um pouco sobre o palestrante Fabiano Cucolo fabiano@soloverdi.com.br 11-98266-0244 (WhatsApp) Consultor de Geotecnologias. Geógrafo e Mestre

Leia mais

PROPRIEDADES ESPECTRAIS DOS SOLOS

PROPRIEDADES ESPECTRAIS DOS SOLOS PROPRIEDADES ESPECTRAIS DOS SOLOS Espectroscopia de Reflectância e Caracterização dos Solos; Reflectância e Mineralogia dos Solos; Reflectância e Matéria Orgânica; Reflectância e Óxidos de Ferro; Reflectância

Leia mais

Propriedades da Imagem Amostragem & Quantização (Quantificação) Histograma Imagem Colorida x Imagem Monocromática. Propriedades da Imagem

Propriedades da Imagem Amostragem & Quantização (Quantificação) Histograma Imagem Colorida x Imagem Monocromática. Propriedades da Imagem Proc. Imagem Prof. Júlio C. Klafke [1] TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO PROCESSAMENTO DE IMAGEM #02 Propriedades da Imagem Amostragem & Quantização (Quantificação) Histograma Imagem Colorida x Imagem

Leia mais

PMR2560 Visão Computacional Conversão e Limiarização. Prof. Eduardo L. L. Cabral

PMR2560 Visão Computacional Conversão e Limiarização. Prof. Eduardo L. L. Cabral PMR2560 Visão Computacional Conversão e Limiarização Prof. Eduardo L. L. Cabral Objetivos Processamento de imagens: Conversão de imagens; Histograma; Limiarização. Imagem digital Uma imagem é uma matriz

Leia mais

Cor SCC0251 Processamento de Imagens

Cor SCC0251 Processamento de Imagens Cor SCC0251 Processamento de Imagens Prof. Moacir Ponti Jr. www.icmc.usp.br/~moacir Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação USP 2012/1 Moacir Ponti Jr. (ICMCUSP) Cor 2012/1 1 / 39 Sumário 1 Introdução

Leia mais

A Fotogrametria Digital

A Fotogrametria Digital A Fotogrametria Digital Fotogrametria Digital O que é a fotogrametria Digital? A Fotogrametria Digital é a parte da fotogrametria que trata dos aspectos geométricos do uso de fotografias, com a finalidade

Leia mais

Flávia da Fonseca Feitosa

Flávia da Fonseca Feitosa Sensoriamento Remoto Flávia da Fonseca Feitosa Disciplina PGT 035 Geoprocessamento Aplicado ao Planejamento e Gestão do Território Aula disponível em: https://flaviafeitosa.wordpress.com/talksteaching/geopgt/

Leia mais

Imagem bitmap. Gráfico vetorial. gráficos vetoriais

Imagem bitmap. Gráfico vetorial. gráficos vetoriais Sobre imagens bitmap e gráficos vetoriais Os elementos gráficos de um computador podem ser divididos em duas categorias principais -- bitmap e vetor. Imagem bitmap Gráfico vetorial Imagens bitmap são ideais

Leia mais

António Costa. Paulo Roma Cavalcanti

António Costa. Paulo Roma Cavalcanti Introdução à Computação Gráfica Preâmbulo Adaptação: Autoria: João Paulo Pereira António Costa Claudio Esperança Paulo Roma Cavalcanti Computação Gráfica Modelos Matemáticos Análise (reconhecimento de

Leia mais

IMAGENS PARA MAPEAMENTO GEOLÓGICO E LEVANTAMENTO DE RECURSOS MINERAIS: RESUMOS PARA USO DOS CENTROS DE ATENDIMENTO A USUÁRIOS ATUS DO INPE

IMAGENS PARA MAPEAMENTO GEOLÓGICO E LEVANTAMENTO DE RECURSOS MINERAIS: RESUMOS PARA USO DOS CENTROS DE ATENDIMENTO A USUÁRIOS ATUS DO INPE INPE-8984-PUD/62 CAPÍTULO 3 PARTE B IMAGENS PARA MAPEAMENTO GEOLÓGICO E LEVANTAMENTO DE RECURSOS MINERAIS: RESUMOS PARA USO DOS CENTROS DE ATENDIMENTO A USUÁRIOS ATUS DO INPE Paulo Roberto Martini INPE

Leia mais

SENSORIAMENTO REMOTO: CONCEITOS, TENDÊNCIAS E APLICAÇÕES. Imagens de Satélites Orbitais

SENSORIAMENTO REMOTO: CONCEITOS, TENDÊNCIAS E APLICAÇÕES. Imagens de Satélites Orbitais Distribuidor Erdas e RapidEye no Brasil SENSORIAMENTO REMOTO: CONCEITOS, TENDÊNCIAS E APLICAÇÕES Imagens de Satélites Orbitais Contato: Santiago & Cintra Consultoria E-mail: contato@sccon.com.br Fone:

Leia mais

Rodrigo Antonio LA SCALEA, Flavio Marcelo CONEGLIAN e Selma Regina Aranha RIBEIRO. Universidade Estadual de Ponta Grossa

Rodrigo Antonio LA SCALEA, Flavio Marcelo CONEGLIAN e Selma Regina Aranha RIBEIRO. Universidade Estadual de Ponta Grossa Processamento de Imagem Digital: Etapas e Métodos de Correção, Realce e Diminuição de Redundância em Imagens Digitais Orbitais para Fins de Classificação Rodrigo Antonio LA SCALEA, Flavio Marcelo CONEGLIAN

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DA COBERTURA VEGETAL NO MUNICÍPIO DE LAVRAS-MG POR MEIO DO NDVI.

DISTRIBUIÇÃO DA COBERTURA VEGETAL NO MUNICÍPIO DE LAVRAS-MG POR MEIO DO NDVI. DISTRIBUIÇÃO DA COBERTURA VEGETAL NO MUNICÍPIO DE LAVRAS-MG POR MEIO DO NDVI. CHRISTIANY MATTIOLI SARMIENTO 1 e RÚBIA GOMES MORATO 2 chrislavras@yahoo.com.br, rubiagm@gmail.com 1 Discente do curso de Geografia

Leia mais

Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica. Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista Presidente Prudente

Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica. Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista Presidente Prudente Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista Presidente Prudente 2016 Interações da Energia Eletromagnética A Energia

Leia mais

Fundamentos sobre. Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE. Antonio G. Thomé Sala AEP/1033. Processamento de Imagens

Fundamentos sobre. Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE. Antonio G. Thomé Sala AEP/1033. Processamento de Imagens Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Fundamentos sobre Processamento de Imagens Antonio G. Thomé thome@nce.ufrj.br Sala AEP/1033 Sumário do Curso Introdução Ambientação com o MatLab Aquisição

Leia mais

ARTIGO COM APRESENTAÇÃO BANNER - MONITORAMENTO AMBIENTAL

ARTIGO COM APRESENTAÇÃO BANNER - MONITORAMENTO AMBIENTAL ARTIGO COM APRESENTAÇÃO BANNER - MONITORAMENTO AMBIENTAL ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL NO MUNICIPIO DE SÃO MIGUEL DO GUAMÁ, ESTADO DO PARÁ. RAYSSA CHAVES BRAGA, LAIS VIEIRA DE CARVALHO, MERILENE

Leia mais

Introdução a Análise de Imagens Digitais

Introdução a Análise de Imagens Digitais Introdução a Análise de Imagens Digitais Uma imagem digital é uma representação de uma cena por meio de um conjunto de elementos discretos e de tamanhos finitos, chamados de pixels, colocados em um arranjo

Leia mais

Características da cor

Características da cor Características da cor Qualquer cor particular pode ser obtida a partir da combinação de VERMELHO AZUL VERDE (Primárias aditivas) (no caso de transmissão) Isto é, uma fonte de luz vermelha, uma fonte de

Leia mais

1º Lista de exercícios óptica geométrica Prof: Ricardo

1º Lista de exercícios óptica geométrica Prof: Ricardo 1º Lista de exercícios óptica geométrica Prof: Ricardo Questão 1: (PUC-SP) A um aluno foi dada a tarefa de medir a altura do prédio da escola que frequentava. O aluno, então, pensou em utilizar seus conhecimentos

Leia mais

USOS E Aplicações DE SENSORIAMENTO REMOTO I

USOS E Aplicações DE SENSORIAMENTO REMOTO I USOS E Aplicações DE SENSORIAMENTO REMOTO I AGRICULTURA, E RECURSOS FLORESTAIS DISCRIMINAÇÃO DE TIPOS DE VEGETAÇÃO Tipos de colheita Tipos de madeiras DETERMINAÇÃO DA VARIAÇÃO DE APTIDÃO E BIOMASSA DETERMINAÇÃO

Leia mais

As imagens. As imagens. Representação digital de imagens. As imagens Wilson de Pádua Paula Filho 1

As imagens. As imagens. Representação digital de imagens. As imagens Wilson de Pádua Paula Filho 1 As As As Dispositivos gráficos Resolução espacial de : pixel - unidade de imagem, usada para medir resolução gráfica; visão humana - cerca de 3000 x 3000 pixels; fotografia - até 8000 x 8000 pixels. 2001

Leia mais

Processamento de Imagem. Histograma da Imagem Professora Sheila Cáceres

Processamento de Imagem. Histograma da Imagem Professora Sheila Cáceres Processamento de Imagem Histograma da Imagem Professora Sheila Cáceres Histograma É a distribuição de frequência dos níveis de cinza da imagem onde cada entrada no eixo x representa o nível de cinza específico

Leia mais

Teoria da Cor - Fundamentos Básicos

Teoria da Cor - Fundamentos Básicos Teoria da Cor - Fundamentos Básicos O objetivo desse material de apoio é trazer algumas informações básicas sobre teoria da cor, embora seu estudo seja muito mais amplo e envolve diversos aspectos de percepção,

Leia mais

Interpretacão de Imagens. Teresa G.Florenzano DSR/INPE

Interpretacão de Imagens. Teresa G.Florenzano DSR/INPE Interpretacão de Imagens Teresa G.Florenzano DSR/INPE Aquisição de dados Fonte: Florenzano (2007) Espectro Eletromagnético Fonte: Florenzano (2007) Curvas espectrais Sensores e Satélites Sensores remotos:

Leia mais

5. A COR NO PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS DE SENSORIAMENTO REMOTO

5. A COR NO PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS DE SENSORIAMENTO REMOTO 5. A COR NO PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS DE SENSORIAMENTO REMOTO 5.1 Introdução A. P. Crósta, Processamento Digital de Imagens de Sensoriamento Remoto 1992 A capacidade do sistema visual humano em

Leia mais

¹ Estudante de Geografia na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), estagiária na Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP).

¹ Estudante de Geografia na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), estagiária na Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP). 89 Interpretação e classificação de imagens de satélite na extração de informações sobre o uso da terra e cobertura vegetal na bacia hidrográfica do rio Teles Pires/MT-PA Jéssica da Silva Rodrigues Cecim

Leia mais

COORDENADORIA DE DEFESA CIVIL MUNICÍPIO DE DUQUE DE CAXIAS - RJ

COORDENADORIA DE DEFESA CIVIL MUNICÍPIO DE DUQUE DE CAXIAS - RJ Metodologia De Interpretação Visual Da Banda 6 (Infra Vermelha Termal) Das Imagens Do Satélite Landsat 7 Para Identificação Das Dinamicas De Chuvas De Verão Em Duque De Caxias - RJ Wilson Leal Boiça Wilson

Leia mais

Colégio Politécnico da UFSM DPADP0024 : Processamento Digital de Imagens (Prof. Dr. Elódio Sebem)

Colégio Politécnico da UFSM DPADP0024 : Processamento Digital de Imagens (Prof. Dr. Elódio Sebem) REALCE POR CONTRASTE Os processos de ajuste de contraste procuram adaptar a resolução radiométrica da imagem a capacidade de visualização do monitor. Duas situações podem ocorrer: - A amplitude dos NDs

Leia mais

Radiométricas. Alexandre Xavier Falcão. Instituto de Computação - UNICAMP

Radiométricas. Alexandre Xavier Falcão. Instituto de Computação - UNICAMP Operações Matemáticas e Transformações Radiométricas Instituto de Computação - UNICAMP afalcao@ic.unicamp.br Operações Matemáticas Sejam Î = (D I, I ) e Ĵ = (D J, J) duas imagens cinzas de mesmo domínio,

Leia mais

CORREÇÕES RADIOMÉTRICAS

CORREÇÕES RADIOMÉTRICAS Termo genérico, que designa aquelas técnicas que modificam os ND originais das imagens de Sensoriamento Remoto com o objetivo de aproximá-los daqueles que estariam presentes na imagem caso a recepção das

Leia mais

A Luz-Cor EDUCAÇÃO VISUAL 8º ANO

A Luz-Cor EDUCAÇÃO VISUAL 8º ANO A Luz-Cor EDUCAÇÃO VISUAL 8º ANO O que é a cor? ? O que é a cor? O que é a cor? A cor é uma perceção visual provocada pela ação de um feixe de ondas eletromagnéticas sobre células especializadas da retina,

Leia mais

Operações Pontuais. 1 operando. 2 operandos. Processamento e Análise de Imagem - A. J. Padilha - v ac

Operações Pontuais. 1 operando. 2 operandos. Processamento e Análise de Imagem - A. J. Padilha - v ac Operações Pontuais 1 operando T OP 2 operandos Pré-Processamento - 1 Operações Pontuais Nas operações pontuais, cada ponto da imagem-resultado - g(i,j) - é obtido por uma transformação T do ponto de coordenadas

Leia mais

Técnicas de interpretação de espectros de reflectância. Aula 5 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa

Técnicas de interpretação de espectros de reflectância. Aula 5 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa Técnicas de interpretação de espectros de reflectância Aula 5 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa Análise estatística entre dados espectrais Em estudos

Leia mais

Sensoriamento Remoto

Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto É a utilização conjunta de modernos sensores, equipamentos para processamento de dados, equipamentos de transmissão de dados, aeronaves, espaçonaves etc, com o objetivo de estudar

Leia mais

Classificação e Exemplos de Sistemas Sensores. Disciplina: Sensoriamento Remoto Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia

Classificação e Exemplos de Sistemas Sensores. Disciplina: Sensoriamento Remoto Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia Classificação e Exemplos de Sistemas Sensores Disciplina: Sensoriamento Remoto Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia Plataformas e Sistemas Sensores Sistema sensor: são dispositivos capazes de detectar e registrar

Leia mais

ESTIMATIVA DO ALBEDO E TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE UTILIZANDO IMAGENS ORBITAIS PARA O MUNICÍPIO DE BARRA BONITA SP

ESTIMATIVA DO ALBEDO E TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE UTILIZANDO IMAGENS ORBITAIS PARA O MUNICÍPIO DE BARRA BONITA SP ESTIMATIVA DO ALBEDO E TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE UTILIZANDO IMAGENS ORBITAIS PARA O MUNICÍPIO DE BARRA BONITA SP Laurizio Emanuel Ribeiro Alves 1 ; Heliofábio Barros Gomes 1 ; Sandro Correia de Holanda

Leia mais

USO DE IMAGENS TM LANDSAT 5 PARA ANÁLISE DO ALBEDO E SALDO DE RADIAÇÃO NA BACIA HIDROGRÁFICA DO CAMARAGIBE: DESTAQUE PARA SÃO LUIZ DO QUITUNDE-AL

USO DE IMAGENS TM LANDSAT 5 PARA ANÁLISE DO ALBEDO E SALDO DE RADIAÇÃO NA BACIA HIDROGRÁFICA DO CAMARAGIBE: DESTAQUE PARA SÃO LUIZ DO QUITUNDE-AL USO DE IMAGENS TM LANDSAT 5 PARA ANÁLISE DO ALBEDO E SALDO DE RADIAÇÃO NA BACIA HIDROGRÁFICA DO CAMARAGIBE: DESTAQUE PARA SÃO LUIZ DO QUITUNDE-AL Laurizio Emanuel Ribeiro Alves 1 ; Heliofábio Barros Gomes

Leia mais

Cor.doc Página 1 de 5 Teoria das Cores

Cor.doc Página 1 de 5 Teoria das Cores Cor.doc Página 1 de 5 Teoria das Cores As imagens formadas na retina são planas, entretanto, conseguimos enxergar o volume dos objetos, uma das razões disto ocorrer é devido à iluminação nas diferentes

Leia mais