É NECESSÁRIO PREPARAR A MUDANÇA. ALTERANDO COMPORTAMENTOS E MODOS DE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "É NECESSÁRIO PREPARAR A MUDANÇA. ALTERANDO COMPORTAMENTOS E MODOS DE"

Transcrição

1 É NECESSÁRIO PREPARAR A MUDANÇA. ALTERANDO MODOS DE COMPORTAMENTOS E PENSAR

2 ATENÇÃO!! Isto não podes esquecer! Negativasno9ºanopodem representar negativas no Ensino Secundário Porque não começar a recuperá-las, já este ano? No 10º Ano é indispensável ter um método de estudo e hábitos de trabalho diários, sob pena de surgir insucesso logo nos primeiros meses de aulas. Porque não começar a desenvolver AGORA um verdadeiro método de estudo? Os exames de MatemáticaedePortuguês,nofinaldo9ºano valem30% danotafinal,tal como os exames do Secundário Paraconcluiro12ºano não se pode ter negativaemnenhuma disciplina no final deste mesmo ano. O ingresso no Ensino obtidosentre o10º e o nacionais. Superior depende dos resultados 12º ano + oresultadodosexames

3 A FREQUÊNCIA DO ENSINO SECUNDÁRIO IRÁ EXIGIR DE TI UMAMUDANÇADEATITUDES E COMPORTAMENTOS A atitude nas aulas.... A atitude face ao trabalho escolar e o papel de estudante... As ideias feitas em que alguns alunos ainda acreditam... Mas os estudantes mais experientes, sabem que já não resultam...

4 Ideias feitas que podem não ajudar Senãogostodoprofessor,entãonão estudo para essa disciplina Omelhoréestudarnavésperadoss testes, porque assim, tenho a matéria mais fresca No3ºPeríodovousempreatempoo de recuperar as negativas Oqueouçonasaulas chegaparater positiva... A positiva éosuficiente...osmeus pais já ficam contentes se eu passar Não pude fazer o trabalho porque tive treino Aofimdesemana nãoseestuda....sairtodas asnoitesnão merouba tempo de trabalho e de descanso Não vale a pena tirar apontament tos nasaulas outerodossier organizado... Depois peço emprestadoepassotudodeumavez... Sóconsigoestudar,setiveraTVligada Setenhomás notas, nãotenhojeitopara aescolaeomelhorédesistir, deixar de estudar...

5 Iniciar o 10.º ano de escolaridade é sobretudo fazer uma adaptação a um novo contexto de trabalho e de relacionamento interpessoal

6 10º ano? O que vai ser diferente... Quais as novas exigências... Ospróximos3anosirãoexigirdetiumanovaatitudedetrabalhoeempenhonoestudo Mais matéria para estudar e matérias mais complexas. Emcadaaula édadoummaiorvolume de matéria e exigida maior concentração da atenção. O ambiente de trabalho nas aulas estar sempre na conversa Oalunotemmaisautonomia emais responsabilidades. O estudo de véspera não é suficiente para obter um resultado Satisfatório. O sucesso no ensino secundário depende em larga medida de um bommétododetrabalho edeestudo:nasaulas eemcasa. Estudar corretamente exige memorização. O espaço, o ambiente e as importantes. émais exigente,jánão épossível concentração, compreensão e condições de estudo são muito

7 10º ano? O que vai ser diferente... Quais as novas exigências... Vencer uma postura de desinteresse pelo saber e de desvalorização do trabalhoquesenota emalgunsalunos mais imaturos. Aprender que nem sempre podem mos conciliar o prazer imediato com aquiloqueébompara nósamédioe a longoprazo (por exemplo, a conversa com um colega na aula pode ser muito interessante, no entanto, pode constituir uma aula, irremediavelmente, perdida). Eliminar da sala de aula as brincadeiras muito infantis que alguns alunostinham,até ao9ºano. Desenvolver uma postura mais adulta de aprendizagem e de relacionamento (os teus professores do 10º ano, também dão aulas ao 11º e 12º, portanto o seu termo de comparação são alunos mais velhos). Procurarterumaboa relaçãodetrabalho com todos os professores. A atitude de empenho e persistência no trabalho é, na maior parte das vezes, aquilo que distingue os alunos e determina o seu sucesso ou insucesso.

8 ENSINOSECUNDÁRIO O10ºanorepresentaumaescolha,umaopçãode vida Afrequência doensino secundário corresponde ao desejo de concretizarumprojetodevida em termos educacionais e profissionais Qualéoteu projeto?

9 O TEU PROJETO PESSOAL DE ESTUDANTE Cursos Científico Humanísticos Quero prosseguir os meus estudos a nível superior, unive ersitário ou politécnico. Cursos Profissionais Tenciono começar a trabalhar no final do 12 2º ano, ou fazer um Curso de Especialização Tecnológica (CET). Não excluo a possibilidade de prosseguir estudos a nível superior.

10 SEJAQUALFOROTEUPROJETO Os próximos 3 anos vão ser marcados por crescimento pessoal capacidade de adaptação a novas competências e saberes. Encara os próximos 3 anos como uma boa oportunidade para cresceres enquanto pessoa, desenvolvendo a tua autonomia, o teu sentido de responsabilidade, a tua capacidade de pensar sobre as coisas e de ter uma opinião sobre elas... Dialoga com os teus pais e familiares, com os adultos em geral. É a partir do confronto entre várias opiniões que nascem novas ideias. Vive a escola como o espaço para dares largas ao teu potencial de aprendizagem, aproveitando bem os meios que são colocados à tua disposição e como o espaço para fazer amigos e estabelecer outras ligações e relacionamentos que podem ser muito importantes para o teu futuro. Muitos deles perduram o resto da Vida. Cultiva uma atitude de curiosidade em rela ação ao saber! Acima de tudoacredita emti,nãodesanimes se inicialmente aquilo que encontras não corresponde totalmente às tuas expetativas.

11 Bom Trabalho!!!

...9º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher.

...9º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher. ...9º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher. http://aecc.ccems.pt/index.php/spo spo@aecoelhocastro.pt http://www.facebook.com/spo.fiaes Atualizado em 28.10.2016 9º ano

Leia mais

...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Profissional.

...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Profissional. ...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Profissional. http://aecc.ccems.pt/index.php/spo spo@aecoelhocastro.pt http://www.facebook.com/spo.fiaes Atualizado em 29.10.2016 Mundo do Trabalho

Leia mais

TÉCNICA S. para um estudo eficaz

TÉCNICA S. para um estudo eficaz TÉCNICA S para um estudo eficaz Planeamento e organização do estudo O aluno capaz de estabelecer horários adequados e de organizar os seus estudos obterá melhores resultados escolares, terá tempo para

Leia mais

3.4 A criança que não vai à escola (Recusa escolar e Gazeta às aulas)

3.4 A criança que não vai à escola (Recusa escolar e Gazeta às aulas) Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.4 A criança que não vai à escola (Recusa escolar e Gazeta às aulas) Introdução É relativamente frequente que, pontualmente, a criança se recuse

Leia mais

MÓDULO IV - COMO PROMOVER O SUCESSO DA APRENDIZAGEM DO ALUNO E A SUA PERMANÊNCIA NA ESCOLA?

MÓDULO IV - COMO PROMOVER O SUCESSO DA APRENDIZAGEM DO ALUNO E A SUA PERMANÊNCIA NA ESCOLA? GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Superintendência de Acompanhamento e Avaliação do Sistema Educacional SUPAV MÓDULO IV - COMO PROMOVER O SUCESSO DA APRENDIZAGEM DO ALUNO E A SUA PERMANÊNCIA

Leia mais

APOIO AO ESTUDO 1º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/ INTRODUÇÃO

APOIO AO ESTUDO 1º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/ INTRODUÇÃO APOIO AO ESTUDO DEPARTAMENTO CURRICULAR DO 1.º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/20164 1º CICLO 1. INTRODUÇÃO O despacho normativo nº7/2013 tem como objetivo conceder maior flexibilidade na constituição das

Leia mais

Departamento de 2.º Ciclo Disciplina de Inglês

Departamento de 2.º Ciclo Disciplina de Inglês Aprender a ser / Aprender a viver com os outros Pilar de Aprendizagem Aprender a conhecer / Aprender a fazer CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento de 2.º Ciclo ED. SETEMBRO DE 2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO

Leia mais

Planejamento de Carreira

Planejamento de Carreira Planejamento de Carreira Aulas 17 e 18 Plano de carreira Análise do ambiente Oportunidades Ameaças Objetivos Alvos concretos Estratégias Ações e prazos para atingir objetivos Follow-up Análise de potencial

Leia mais

Inquérito por questionário Alunos

Inquérito por questionário Alunos Inquérito por questionário Alunos INSTRUÇÕES A seguir apresentamos-te um conjunto de perguntas sobre as tuas aulas. Não há respostas certas nem erradas, por isso pedimos-te que respondas com verdade. Obrigado

Leia mais

Cursos Profissionais - Nível 4. - Técnico de Múltimédia. - Técnico de Comunicação. O que são?

Cursos Profissionais - Nível 4. - Técnico de Múltimédia. - Técnico de Comunicação. O que são? Cursos Profissionais - Nível 4 - Técnico de Múltimédia - Técnico de Comunicação O que são? Um dos percursos do nível secundário de educação, caracterizado por uma forte ligação com o mundo. pr Tendo em

Leia mais

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância Colégio Valsassina Modelo pedagógico do jardim de infância Educação emocional Aprendizagem pela experimentação Educação para a ciência Fatores múltiplos da inteligência Plano anual de expressão plástica

Leia mais

APRENDER E ENSINAR CIÊNCIAS NATURAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL Apresentação do PCN (Parâmetros Curriculares Nacionais) de Ciências Naturais

APRENDER E ENSINAR CIÊNCIAS NATURAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL Apresentação do PCN (Parâmetros Curriculares Nacionais) de Ciências Naturais APRENDER E ENSINAR CIÊNCIAS NATURAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL Apresentação do PCN (Parâmetros Curriculares Nacionais) de Ciências Naturais INTRODUÇÃO Para o ensino de Ciências Naturais é necessária a construção

Leia mais

Agrupamento de Escolas Francisco de Holanda. Ensino Secundário Critérios Específicos de Avaliação do Departamento de Física e Química 2016/2017

Agrupamento de Escolas Francisco de Holanda. Ensino Secundário Critérios Específicos de Avaliação do Departamento de Física e Química 2016/2017 Agrupamento de Escolas Francisco de Holanda 2016/2017 Ensino Secundário Critérios Específicos de Avaliação do Departamento de Física e Química 1 - Critérios Específicos de Avaliação Como complemento dos

Leia mais

Benefícios da Leitura

Benefícios da Leitura Ler a par Benefícios da Leitura Proporciona à criança informação e conhecimento sobre o mundo. Apresenta à criança situações e ideias novas Estimulando a curiosidade, o pensamento crítico, e ainda a consciência

Leia mais

PCI CONCURSOS 2016: Abertos, Previstos

PCI CONCURSOS 2016: Abertos, Previstos PCI CONCURSOS 2016: Abertos, Previstos A PCI Concursos é um dos sites mais conceituados quando o assunto são concursos públicos, por isso, se você quer saber de tudo que acontece, quais concursos vão abrir,

Leia mais

Institucional. Nossa História

Institucional. Nossa História Institucional Nossa história Proposta Pedagógica Horário Nosso Espaço Fotos Localização Manual do aluno Calendário Anual Lista de material Informação de renovação de matrícula para 2014 Circulares Eventos

Leia mais

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Conhecer materiais riscadores e respetivos suportes físicos. Dominar materiais básicos de desenho técnico. Dominar a aquisição de conhecimento prático. Compreender a geometria enquanto elemento de organização

Leia mais

8. Capacitação dos Professores que fazem a inclusão de alunos portadores de paralisia cerebral

8. Capacitação dos Professores que fazem a inclusão de alunos portadores de paralisia cerebral 8. Capacitação dos Professores que fazem a inclusão de alunos portadores de paralisia cerebral Reconhecemos a importância do conhecimento teórico do professor para realizar, com mais segurança, o seu trabalho

Leia mais

Escola Básica 1º Ciclo com Pré-Escolar das Figueirinhas 26 Set h30

Escola Básica 1º Ciclo com Pré-Escolar das Figueirinhas 26 Set h30 Escola Básica 1º Ciclo com Pré-Escolar das Figueirinhas 26 Set. 2016 18h30 Margarida Pocinho mpocinho@uma.pt Como identificar qual é a maior dificuldade de aprendizagem da criança? É fundamental a participação

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO

IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO CAPÍTULO 2 IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO SNOO PY ESCOLAR 17 Aproximar a escola e as famílias dos alunos nem sempre é fácil, mas o estreitamento dessa relação apresenta resultados importantes na redução

Leia mais

GUIÃO DE ENTREVISTA AO DIRETOR DO AGRUPAMENTO

GUIÃO DE ENTREVISTA AO DIRETOR DO AGRUPAMENTO GUIÃO DE ENTREVISTA AO DIRETOR DO AGRUPAMENTO OBJETIVOS Perceber em que contexto histórico, educativo, social e cultural, surge o PIEF no Agrupamento de Escolas de Abrigada e o Curso Vocacional no Agrupamento

Leia mais

ORIENTAÇÃO VOCACIONAL. Alunos do 8º e 9º ano Formandos do CEF

ORIENTAÇÃO VOCACIONAL. Alunos do 8º e 9º ano Formandos do CEF ORIENTAÇÃO VOCACIONAL Alunos do 8º e 9º ano Formandos do CEF 1 O QUE QUERO SER? Projeto de vida Projeto profissional - Que profissão pretendo vir a ter? - Tenho condições para fazer o percurso escolar

Leia mais

POR QUE ENSINAR GRAMÁTICA

POR QUE ENSINAR GRAMÁTICA POR QUE ENSINAR GRAMÁTICA José Fernandes Vilela (UFMG) Quando se indaga por que ensinar teoria gramatical, está-se, na verdade, indagando para que ensiná-la. Ou seja, estão-se buscando, em linguagem pedagógica,

Leia mais

Estimado(a) professor(a),

Estimado(a) professor(a), Anexo I 165 166 Estimado(a) professor(a), Venho solicitar-lhe que responda ao presente questionário, que se destina a efectuar um trabalho de investigação que me propus realizar no âmbito da minha dissertação

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Planificação Psicologia 11º Ano ANO LETIVO 2014/2015 10º GRUPO B MÓDULO 5- Fatores e Processos de Aprendizagem 1. Aprendizagem

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Ação n.º 5/2011. Gestão e Resolução de Conflitos/Promover Ambientes de Aprendizagem e Cidadania

Relatório Final de Avaliação. Ação n.º 5/2011. Gestão e Resolução de Conflitos/Promover Ambientes de Aprendizagem e Cidadania Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Ação n.º 5/2011 Gestão e Resolução de Conflitos/Promover Ambientes de Aprendizagem e

Leia mais

A. CONDIÇÕES DE INGRESSO AOS CURSOS TÉCNICO SUPERIORES PROFISSIONAIS /2017

A. CONDIÇÕES DE INGRESSO AOS CURSOS TÉCNICO SUPERIORES PROFISSIONAIS /2017 A. CONDIÇÕES DE INGRESSO AOS CURSOS TÉCNICO SUPERIORES PROFISSIONAIS - 2016/2017 1. CURSOS TÉCNICO SUPERIORES E PROFISSIONAIS 1.1. DESTINATÁRIOS Titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação

Leia mais

Normas de funcionamento das disciplinas de História e Geografia

Normas de funcionamento das disciplinas de História e Geografia Direcção Regional de Educação do Centro MATERIAL NECESSÁRIO PARA A AULA Manual Escolar Caderno Diário Contrato Pedagógico Plano Individual de Trabalho ( PIT) Fichas de avaliação Caderneta escolar Outro

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA A melhoria da eficácia da resposta educativa decorre de uma articulação coerente entre: Projeto Educativo Currículo Plano de Turma Assim, o Plano de Turma, assume a forma

Leia mais

RITA RAPOSO - PSICÓLOGA EDUCACIONAL

RITA RAPOSO - PSICÓLOGA EDUCACIONAL RITA RAPOSO - PSICÓLOGA EDUCACIONAL índice 1. Causas do insucesso 2. Boas práticas parentais 3. Criar uma rotina de estudo 4. Gestão do tempo de estudo 5. Regras na planificação do estudo 6. Regras para

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V Ensino Básico 2º Ciclo CIÊNCIAS NATURAIS Peso na Avaliação Final Testes de avaliação e/ou outros trabalhos escritos; Aquisição de conhecimentos; Domínio da Língua Portuguesa ao nível da expressão oral

Leia mais

Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico

Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico 1. Critérios de avaliação AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS 1.

Leia mais

...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Científico Humanístico.

...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Científico Humanístico. ...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Científico Humanístico. http://aecc.ccems.pt/index.php/spo spo@aecoelhocastro.pt http://www.facebook.com/spo.fiaes Atualizado em 29.01.2015

Leia mais

Entrevista Rodrigo

Entrevista Rodrigo Entrevista 1.17 - Rodrigo (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento)

Leia mais

REPÚBLICA PORTUGUESA EDUCAÇÃO

REPÚBLICA PORTUGUESA EDUCAÇÃO KIT FUTURÁLIA REPÚBLICA PORTUGUESA EDUCAÇÃO Este kit tem como objetivo otimizar a visita à Futurália. A preparação da visita é um trabalho de equipa que envolve professores, psicólogos, alunos e pais.

Leia mais

AS PREOCUPAÇÕES METODOLÓGICAS. A participação do aluno na elaboração de seu conhecimento é um dos pontos

AS PREOCUPAÇÕES METODOLÓGICAS. A participação do aluno na elaboração de seu conhecimento é um dos pontos AS PREOCUPAÇÕES METODOLÓGICAS A participação do aluno na elaboração de seu conhecimento é um dos pontos fundamentais da concepção atual de aprendizagem. Esta participação deve, porém, ser orientada tendo

Leia mais

Plano Nacional de Leitura

Plano Nacional de Leitura 2012-2014 Plano Nacional de Leitura 1 I. O que motivou o projeto? Centralidade da leitura Leitura como ponto de partida para: - Aprender (competência transversal ao currículo) - Colaborar - Interagir /

Leia mais

REGIMENTO. Sala de Clube de Grupo Disciplinar. Escolas EBSF / EBL

REGIMENTO. Sala de Clube de Grupo Disciplinar. Escolas EBSF / EBL REGIMENTO Sala de Clube de Grupo Disciplinar Escolas EBSF / EBL ANO LETIVO 2016/2017 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVOS... 4 ATIVIDADES... 4 LOCALIZAÇÃO... 5 HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO (anexo1)... 5 CALENDARIZAÇÃO...

Leia mais

VIVÊNCIA ACADÊMICA NAS AULAS DE ARTE DO COLÉGIO ESTADUAL PROF.ª LENI MARLENE JACOB

VIVÊNCIA ACADÊMICA NAS AULAS DE ARTE DO COLÉGIO ESTADUAL PROF.ª LENI MARLENE JACOB VIVÊNCIA ACADÊMICA NAS AULAS DE ARTE DO COLÉGIO ESTADUAL PROF.ª LENI MARLENE JACOB Isabel Cristina Rickli Ramos (Bolsista PIBID) isabel.cristinarr@hotmail.com Bruna Karla Zapotoczny (Bolsista PIBID) bruna_czny@hotmail.com

Leia mais

Tecnologias Aplicadas ao Ensino Superior Prof. Esp. André Luís Belini

Tecnologias Aplicadas ao Ensino Superior Prof. Esp. André Luís Belini Tecnologias Aplicadas ao Ensino Superior Prof. Esp. André Luís Belini Aula 03 Software Livre e Educação O que o Software Livre tem a ver com a Educação A liberdade do software tem um papel especialmente

Leia mais

Nada disto. Sintomas característicos:

Nada disto. Sintomas característicos: Nada disto. Sabemos hoje que a Perturbação de Hiperactividade com Défice da Atenção tem uma base essencialmente neuropsicológica. Assim, compreendemos que o comportamento destas crianças resulta das suas

Leia mais

Exames Nacionais 2017 e Candidatura ao Ensino Superior

Exames Nacionais 2017 e Candidatura ao Ensino Superior Exames Nacionais 2017 e Candidatura ao Ensino Superior Atualizado em 19.09.2016 Exames Nacionais do Ensino Secundário e Candidatura ao Ensino Superior Datas mais importantes a ter em conta*. Ao longo do

Leia mais

PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO FISCAL. PROJETO: CIDADANIA: APRENDENDO PARA A VIDA Profª Medianeira Garcia Geografia

PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO FISCAL. PROJETO: CIDADANIA: APRENDENDO PARA A VIDA Profª Medianeira Garcia Geografia PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO FISCAL PROJETO: CIDADANIA: APRENDENDO PARA A VIDA Profª Medianeira Garcia Geografia INTRODUÇÃO O projeto foi organizado por acreditarmos que o papel da escola e sua função

Leia mais

Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Colectiva. Crianças e Adolescentes. Variável. Nome da prova: Autor(es): Versão: Portuguesa

Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Colectiva. Crianças e Adolescentes. Variável. Nome da prova: Autor(es): Versão: Portuguesa Nome da prova: Autor(es): Versão: Tipo de aplicação: População: Tempo de aplicação: Objectivos: Materiais incluídos no jogo (kit) completo: Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Portuguesa

Leia mais

DECRETO Nº 1.594/2008

DECRETO Nº 1.594/2008 Súmula: Dispõe sobre as descrições e atribuições dos cargos da Carreira do Magistério Público Municipal constante no Anexo III, da Lei Municipal nº 2.156/2008, de 26 de março de 2008, que trata do Estatuto

Leia mais

PROPOSTA DE SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO CONSED E POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO COM O GOVERNO FEDERAL

PROPOSTA DE SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO CONSED E POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO COM O GOVERNO FEDERAL PROPOSTA DE SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO CONSED E POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO COM O GOVERNO FEDERAL Professora Doutora Maria Inês Fini Presidente do Inep Brasília-DF Outubro 2017 LEGISLAÇÃO Os currículos da

Leia mais

9º Ano Concluído. E agora?

9º Ano Concluído. E agora? 9º Ano Concluído E agora? Ensino Secundário Cursos científicos humanísticos Cursos profissionais Cursos científicos humanísticos Prosseguimentos estudos para o ensino superior Cursos Profissionais Vida

Leia mais

Dicas EPIS ALUNOS. Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3

Dicas EPIS ALUNOS. Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3 Janeiro Balanço e Resultados Escolares Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3 Aproveita o início deste período para fazeres um balanço do teu comportamento e dos teus resultados escolares no 1º Período.

Leia mais

Critérios de Avaliação Departamento de Português. 2016/2017 Agrupamento de Escolas de Miraflores

Critérios de Avaliação Departamento de Português. 2016/2017 Agrupamento de Escolas de Miraflores Critérios de Avaliação Departamento de Português 2016/2017 Agrupamento de Escolas de Miraflores Aprovado em reunião de Conselho Pedagógico a 21 de julho de 2016 Cálculo da classificação interna a atribuir

Leia mais

ebook passo 4 - plano de carreira

ebook passo 4 - plano de carreira plano de carreira Formação de Carreira FM Group (A base) Pode dividir estes conteúdos em mais do que uma sessão. É aconselhável que a participação seja feita mais do que uma vez garantindo uma melhor assimilação

Leia mais

7 DICAS PARA CRIAR UM FILHO RESPONSÁVEL

7 DICAS PARA CRIAR UM FILHO RESPONSÁVEL 7 DICAS PARA CRIAR UM FILHO RESPONSÁVEL É preciso ensinar o filho a ter responsabilidade desde cedo: O quarto do seu filho é uma bagunça sem fim? Ele vive perdendo os materiais escolares ou quebrando seus

Leia mais

Critérios de Avaliação Disciplina: Orquestra de Sopros 2º CICLO

Critérios de Avaliação Disciplina: Orquestra de Sopros 2º CICLO 2º CICLO DOMÍNIO DA CRITÉRIOS GERAIS PERFIL DO ALUNO: DESCRITORES GERAIS INSTRUMENTOS INDICADORES DE % Coordenação psico-motora. Sentido de pulsação/ritmo/harmonia/ fraseado. COGNITIVOS: APTIDÕES CAPACIDADES

Leia mais

PEB I - PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA I (Ensino Fundamental 1ª. Fase) (Professores de Anos Iniciais)

PEB I - PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA I (Ensino Fundamental 1ª. Fase) (Professores de Anos Iniciais) PEB I - PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA I (Ensino Fundamental 1ª. Fase) (Professores de Anos Iniciais) 01. Num plano de aula o último item a ser realizado pelo professor é: (A) a metodologia; (B) o conteúdo;

Leia mais

Métodos de Ensino. Práticas de ensino de algoritmos (Hazzan, Cap. 7) Péricles Miranda

Métodos de Ensino. Práticas de ensino de algoritmos (Hazzan, Cap. 7) Péricles Miranda Métodos de Ensino Práticas de ensino de algoritmos (Hazzan, Cap. 7) Péricles Miranda Objetivos desta aula Apresentar métodos de ensino para educadores de cursos de computação. Discutir as vantagens e desvantagens

Leia mais

Cerimónia de Abertura do Ano Lectivo 22 de Setembro de 2010

Cerimónia de Abertura do Ano Lectivo 22 de Setembro de 2010 Cerimónia de Abertura do Ano Lectivo 22 de Setembro de 2010 Discurso do Presidente da Associação Académica da Universidade de Aveiro Tiago Alves 1 Excelentíssimo Reitor da Universidade de Aveiro Prof.

Leia mais

Os Primeiros passos para estudar na Argentina. Guia prático e objetivo!

Os Primeiros passos para estudar na Argentina. Guia prático e objetivo! Os Primeiros passos para estudar na Argentina Guia prático e objetivo! QUEM SOMOS A Todo Baires Assessoria Estudantil, foi fundada em 2013 por uma estudante de medicina que mora na Argentina. Desde essa

Leia mais

Discurso de Patrono na Formatura 2016/10. Prezadas autoridades, colegas, funcionários, familiares, amigos, queridos formandos, boa noite!

Discurso de Patrono na Formatura 2016/10. Prezadas autoridades, colegas, funcionários, familiares, amigos, queridos formandos, boa noite! Discurso de Patrono na Formatura 2016/10 Prezadas autoridades, colegas, funcionários, familiares, amigos, queridos formandos, boa noite! Nesse momento, muitos de vocês encerram uma fase longa e importante

Leia mais

DESENVOLVENDO OBJEÇÕES

DESENVOLVENDO OBJEÇÕES Sejam bem-vindos! DESENVOLVENDO OBJEÇÕES Nada acontece até que alguém venda alguma coisa Mary Kay Ash VENDER Depende de informações É pessoal É como ajudar alguém Envolve comunicação Capacidade de persuadir

Leia mais

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR 20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR Resultados Processo de aprendizagem COMPREENSÃO (principal) Tenho a habilidade de juntar informações soltas e formular ideias que fazem sentido. Frequentemente

Leia mais

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013 Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático Língua Portuguesa 2012/2013 ATITUDES Formação para a cidadania. Apresentação dos materiais necessários, cumprimento de tarefas propostas, assiduidade,

Leia mais

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ANDRÉ DE GOUVEIA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO outubro

Leia mais

PROJETO ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL VOVÓ DORALICE SALAS TEMÁTICAS

PROJETO ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL VOVÓ DORALICE SALAS TEMÁTICAS PROJETO ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL VOVÓ DORALICE SALAS TEMÁTICAS BOSSARDI, Simone Maria¹ ABREU, Márcia Loren Vieira² VEADRIGO, Eliza³ ¹Professora de Educação Infantil. Instituição: Escola Municipal

Leia mais

* O que deve pesar na. escolha da área disciplinar. no ensino secundário? deve ser. Essa escolha. o resultado do desejo. do aluno e daquilo que

* O que deve pesar na. escolha da área disciplinar. no ensino secundário? deve ser. Essa escolha. o resultado do desejo. do aluno e daquilo que a universidade à vista, no ensino secundário, Com aprendizagens tornam-se mais exigentes. O seu filho terá as de ganhar autonomia, solidificar a sua * O que deve pesar na escolha da área disciplinar deve

Leia mais

OBRA SOCIAL PAULO VI. Vou ter um irmão. - Orientações para os pais

OBRA SOCIAL PAULO VI. Vou ter um irmão. - Orientações para os pais OBRA SOCIAL PAULO VI Vou ter um irmão - Orientações para os pais Introdução O nascimento de um irmão é um acontecimento de vida muito stressante para a criança pequena e as suas reacções a este acontecimento

Leia mais

PROGRAMA DE COMPETÊNCIAS SOCIAIS PROGRAMA DE COMPETÊNCIAS SOCIAIS COMPETÊNCIA SOCIAL... COMPETÊNCIA SOCIAL... COMPETÊNCIA SOCIAL...

PROGRAMA DE COMPETÊNCIAS SOCIAIS PROGRAMA DE COMPETÊNCIAS SOCIAIS COMPETÊNCIA SOCIAL... COMPETÊNCIA SOCIAL... COMPETÊNCIA SOCIAL... 5º CONGRESSO CERCILEI HUMANIZAR PARA INTEGRAR A IMPORTÂNCIA DA DIFERENÇA A NO PROJECTO SER PESSOA PROGRAMA DE SOCIAIS PROGRAMA DE SOCIAIS Celeste Simões DEER / FMH / UTL o O que é a competência social

Leia mais

Prova Avaliativa Natação

Prova Avaliativa Natação Nome: Data: / / Prova Avaliativa Natação 1- De acordo com o material, informe quais são os aspectos principais trabalhados na natação infantil? A - Desenvolver habilidades de salvamento; B - Desenvolvimento

Leia mais

Aula 6 Livro físico.

Aula 6 Livro físico. Conteúdos da aula 1. Material didático 2. Formatos 3. 2 1. Material didático Nessa aula, teremos como foco a apresentação do material didático da etb Material didático pode ser definido amplamente como

Leia mais

COMO MONTAR MEU HORÁRIO DE ESTUDO? O meu horário ATUAL de estudo

COMO MONTAR MEU HORÁRIO DE ESTUDO? O meu horário ATUAL de estudo COMO MONTAR MEU HORÁRIO DE ESTUDO? O meu horário ATUAL de estudo Preencha este horário segundo a distribuição de tempo que você tem a intenção de fazer: Pinte de vermelho o tempo ocupado em aulas; Pinte

Leia mais

Perfis de Integração Profissional

Perfis de Integração Profissional Perfis de Integração Profissional É actualmente reconhecida a importância da integração profissional da pessoa com deficiência, sendo crescente a discussão em torno dos factores que contribuem para o seu

Leia mais

Disciplina: Educação Tecnológica

Disciplina: Educação Tecnológica Aprender a viver com os outros Pilar de Aprendizagem Aprender a fazer Aprender a conhecer Departamento do 2 o Ciclo Disciplina: Educação Tecnológica CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 5 o ano Ed. Setembro 2016 Unidades

Leia mais

TIC e Inovação Curricular História de algumas práticas

TIC e Inovação Curricular História de algumas práticas TIC e Inovação Curricular História de algumas práticas Era uma vez um processo de investigação Agora vão a www.pensamentocritico.com e clicam em Respostas!!! AVALIAÇÃO FORMATIVA E APRENDIZAGEM DA LÍNGUA

Leia mais

Programa Educativo Individual

Programa Educativo Individual Programa Educativo Individual Ano Lectivo 2007/2008 Estabelecimento de Ensino: Escola Básica do 1º ciclo Agrupamento de Escolas: Agrupamento de Escolas Pedro Eanes Lobato Nome: Data de Nascimento: Morada:

Leia mais

9.º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher! Maio, 2014

9.º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher! Maio, 2014 9.º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher! Maio, 2014 Percursos possíveis para o ensino secundário O Cursos científico-humanísticos Vocacionados para o prosseguimento

Leia mais

PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO

PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO FACULDADE DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS GERENCIAIS DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO PSICOPEDAGÓGICA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO PSICOPEDAGÓGICA Artigo 1º - Introdução A necessidade de atenção às

Leia mais

Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias

Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias Ano 02

Leia mais

Avaliação da Frequência

Avaliação da Frequência O ano letivo de 2013 não apresentou muitas novidades em relação a 2012, mas vale uma brevíssima análise do ponto de vista da apresentação de resultados globais e das expectativas geradas para 2014. A análise

Leia mais

Preparados para trabalhar? Diana Vieira & Ana Paula Marques

Preparados para trabalhar? Diana Vieira & Ana Paula Marques + Preparados para trabalhar? Diana Vieira & Ana Paula Marques Consórcio Maior Empregabilidade (Coord. Fórum Estudante) Competências transversais: do Ensino Superior para o mundo do trabalho (elementos

Leia mais

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DE COMPETÊNCIAS PESSOAIS E SOCIAIS

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DE COMPETÊNCIAS PESSOAIS E SOCIAIS PROGRAMA DE PROMOÇÃO DE COMPETÊNCIAS PESSOAIS E SOCIAIS Margarida Gaspar de Matos Celeste Simões csimoes@fmh.utl.pt PROGRAMA DE PROMOÇÃO DE COMPETÊNCIAS PESSOAIS E SOCIAIS... ajudar as crianças e adolescentes

Leia mais

- Cada professor poderá organizar a participação de sua turma em função de suas prioridades curriculares.

- Cada professor poderá organizar a participação de sua turma em função de suas prioridades curriculares. ETAPA 1 ESCOLHA DO PERSONAGEM HISTÓRICO Na primeira etapa do projeto, o objetivo é simples: a turma deverá escolher e indicar um personagem histórico cujo papel irá assumir, na rede social criada exclusivamente

Leia mais

SER PROFESSOR. Escolha de Poucos. Orientadora: Dra. Betania Stange Lopes Unasp-EC. Mestrando: Enildo do Nascimento

SER PROFESSOR. Escolha de Poucos. Orientadora: Dra. Betania Stange Lopes Unasp-EC. Mestrando: Enildo do Nascimento SER PROFESSOR Escolha de Poucos Mestrando: Enildo do Nascimento Orientadora: Dra. Betania Stange Lopes Unasp-EC RAZÕES PELA GRANDE QUEDA NA PROCURA PELO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA: -a) falta de

Leia mais

Avaliação na primeira infância: Informação para os pais

Avaliação na primeira infância: Informação para os pais Avaliação na primeira infância: Informação para os pais 1 Síntese O quê e porquê Envolvimento dos pais Comparação entre a avaliação na primeira infância e a avaliação K-12 (do jardim de infância ao 12º

Leia mais

Dicas EPIS ALUNOS. Define Prioridades Dica 1/2

Dicas EPIS ALUNOS. Define Prioridades Dica 1/2 ABRIL Reta Final Define Prioridades Dica 1/2 Aproveita o início deste período para fazer um balanço acerca dos resultados do ano. Identifica o que correu menos bem até aqui e tenta encontrar estratégias

Leia mais

Daniel Sampaio (D. S.) Bom dia, João.

Daniel Sampaio (D. S.) Bom dia, João. Esfera_Pag1 13/5/08 10:57 Página 11 João Adelino Faria (J. A. F.) Muito bom dia. Questionamo- -nos muitas vezes sobre quando é que se deve falar de sexo com uma criança, qual é a idade limite, como é explicar

Leia mais

DEPARTAMENTO CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

DEPARTAMENTO CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS AGRUPAMENTO ESCOLAS DE SANTO ANDRÉ DEPARTAMENTO CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Grupo Recrutamento 430 - ECONOMIA Ano Letivo 2016/2017 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS

Leia mais

CONTRIBUTOS DA TUTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE BOLONHA

CONTRIBUTOS DA TUTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE BOLONHA INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Universidade Técnica de Lisboa Workshop: As Competências Transversais do MEEC no Modelo de Bolonha CONTRIBUTOS DA TUTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE BOLONHA Gabinete de Estudos

Leia mais

AS RELAÇÕES INTERATIVAS EM SALA DE AULA: O PAPEL DOS PROFESSORES E DOS ALUNOS. Zabala, A. A prática Educativa. Porto Alegre: Artmed, 1998

AS RELAÇÕES INTERATIVAS EM SALA DE AULA: O PAPEL DOS PROFESSORES E DOS ALUNOS. Zabala, A. A prática Educativa. Porto Alegre: Artmed, 1998 AS RELAÇÕES INTERATIVAS EM SALA DE AULA: O PAPEL DOS PROFESSORES E DOS ALUNOS Zabala, A. A prática Educativa. Porto Alegre: Artmed, 1998 QUEM É O PROFESSOR? QUEM É O ALUNO? COMO DEVE SER O ENSINO? COMO

Leia mais

Interpretações sociológicas das desigualdades sociais

Interpretações sociológicas das desigualdades sociais Interpretações sociológicas das desigualdades sociais > Aspirações em relação à educação O grupo social favorecido valoriza o trabalho escolar. Os grupos sociais desfavorecidos desvalorizam a escola e

Leia mais

Os desafios da Equidade e da Inclusão na Formação de Professores de Educação Especial. David Rodrigues

Os desafios da Equidade e da Inclusão na Formação de Professores de Educação Especial. David Rodrigues Os desafios da Equidade e da Inclusão na Formação de Professores de Educação Especial David Rodrigues Educação no Mundo: desafios atuais 1. Universalidade (metas do milénio UNESCO) 2. Qualidade (ex.: abandono

Leia mais

MATEMÁTICA ATRAENTE: A APLICAÇÃO DE JOGOS COMO INSTRUMENTO DO PIBID NA APRENDIZAGEM MATEMÁTICA

MATEMÁTICA ATRAENTE: A APLICAÇÃO DE JOGOS COMO INSTRUMENTO DO PIBID NA APRENDIZAGEM MATEMÁTICA MATEMÁTICA ATRAENTE: A APLICAÇÃO DE JOGOS COMO INSTRUMENTO DO PIBID NA APRENDIZAGEM MATEMÁTICA Camila Sampaio Nogueira camila.snog@hotmail.com Maria Aparecida Galdino de Souza cindysouza@hotmail.com Luiza

Leia mais

MODELO DE PARECER DE UMA CRIANÇA COM NECESSIDADES ESPECIAIS. Autora : Simone Helen Drumond (92) /

MODELO DE PARECER DE UMA CRIANÇA COM NECESSIDADES ESPECIAIS. Autora : Simone Helen Drumond (92) / MODELO DE PARECER DE UMA CRIANÇA COM NECESSIDADES ESPECIAIS. Autora : Simone Helen Drumond simone_drumond@hotmail.com (92) 8808-2372 / 8813-9525 MODELO DE PARECER DE UMA CRIANÇA COM NECESSIDADES ESPECIAIS.

Leia mais

DIAGNÓSTICO QUALITATIVO. Nível de Ensino: Educação Básica

DIAGNÓSTICO QUALITATIVO. Nível de Ensino: Educação Básica Plano Estratégico de Intervenção e Monitoramento para Superação da Evasão e Retenção CÂMPUS REGISTRO DIAGNÓSTICO QUALITATIVO Nível de Ensino: Educação Básica Cursos Principais CAUSAS de Evasão e Retenção

Leia mais

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ. Rui Gomes Universidade do Minho Escola de Psicologia

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ. Rui Gomes Universidade do Minho Escola de Psicologia Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Universidade do Minho Escola de Psicologia rgomes@psi.uminho.pt www.ardh-gi.com Módulo 2 Motivação 1 Esta apresentação não substitui a leitura dos manuais do monitor

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Politécnica. Robson Naoto Sassaki Hirata 3º ano de Engenharia Mecatrônica

Universidade de São Paulo Escola Politécnica. Robson Naoto Sassaki Hirata 3º ano de Engenharia Mecatrônica Universidade de São Paulo Escola Politécnica Robson Naoto Sassaki Hirata 3º ano de Engenharia Mecatrônica Sobre o curso: É um curso relativamente novo, que surgiu devido à demanda por profissionais com

Leia mais

Ficha de Apoio Ser um Aluno Exemplar. Disciplina de Formação Pessoal e Social (FPS)

Ficha de Apoio Ser um Aluno Exemplar. Disciplina de Formação Pessoal e Social (FPS) Ficha de Apoio Ser um Aluno Exemplar Disciplina de Formação Pessoal e Social (FPS) Professor Humberto Santos Ano-lectivo 2007/08 Escola Secundária de Achada Grande Praia/Cabo Verde Atitudes e comportamentos

Leia mais

A StartUp BUZZ Mapping the route to your entrepreneurial dreams

A StartUp BUZZ Mapping the route to your entrepreneurial dreams A StartUp BUZZ Mapping the route to your entrepreneurial dreams A StartUp BUZZ é uma organização dedicada a promover o empreendedorismo e inspirar os jovens a adoptarem uma atitude audaz face a um mundo

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL DO TUTOR DE CURSOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PERFIL PROFISSIONAL DO TUTOR DE CURSOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL PROFISSIONAL DO TUTOR DE CURSOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Área profissional: Educação Segmento tecnológico: Educação a Distância Qualificação profissional: Tutor de Cursos de Educação a Distância

Leia mais

EFA CURSO DE EDUCAÇÃO FORMAÇÃO DE ADULTOS

EFA CURSO DE EDUCAÇÃO FORMAÇÃO DE ADULTOS EFA CURSO DE EDUCAÇÃO FORMAÇÃO DE ADULTOS Os Cursos de Educação e de Adultos (Cursos EFA) são uma oferta de educação e formação para adultos que pretendam elevar as suas qualificações. Estes cursos desenvolvem-se

Leia mais

1ª edição Projeto Timóteo Como Pregar Mensagens Bíblicas Apostila do Orientador

1ª edição Projeto Timóteo Como Pregar Mensagens Bíblicas Apostila do Orientador Como Pregar Mensagens Bíblicas Projeto Timóteo Apostila do Orientador Como Pregar Mensagens Bíblicas Projeto Timóteo Coordenador do Projeto Dr. John Barry Dyer Equipe Pedagógica Marivete Zanoni Kunz Tereza

Leia mais

Anexo F Análise de Conteúdo às Questões Abertas

Anexo F Análise de Conteúdo às Questões Abertas Anexo F Análise de Conteúdo às Questões Abertas 86 Análise de Conteúdo às Questões Abertas Que razões/motivos te levaram a escolher este curso? Desporto Gosto pelo Desporto: Adoro desporto ; A minha vida

Leia mais