Sistema de Inteligência Estratégica da Embrapa Agropensa Geraldo B. Martha Jr.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema de Inteligência Estratégica da Embrapa Agropensa Geraldo B. Martha Jr."

Transcrição

1 Sistema de Inteligência Estratégica da Embrapa Agropensa Geraldo B. Martha Jr. Coordenador-Geral, Sistema Agropensa Secretaria de Inteligência e Macroestratégia Embrapa Informática Agropecuária Campinas, SP - 14 de novembro de 2014

2 Organizações de PD&I Empresas de PD&I, cujos produtos são de tempo de maturação longo, precisam continuamente mapear o espectro de possibilidades futuras na sua área de atuação; Tal abordagem é essencial para dar suporte às agendas de P&D, subsidiar o desenho de políticas, e prover informações-chaves para apoiar ciclos virtuosos de desenvolvimento, por meio de fortes encadeamentos nas cadeias produtivas agropecuárias.

3 O Mundo em rápida mudança» Rupturas ocorrendo em prazos cada vez mais curtos;» Alvos móveis e difusos;» Ampliar capacidade de antecipação de riscos, de oportunidades e de desafios;» Fortalecer processos coordenados de decisão e ação; Elevada dependência em conhecimento e tecnologia Nenhuma organização detém todos os conhecimentos

4 Agropensa: Objetivos e operacionalização Produzir e difundir conhecimentos e informações em apoio: à formulação de estratégias de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a Embrapa e instituições parceiras; e à tomada de decisão dos setores público e privado; Mapear e apoiar a organização, integração e disseminação de base de dados e de informações agropecuárias. O Sistema Agropensa é operacionalizado na forma de uma rede, interagindo com atores e agentes internos e externos à Embrapa.

5 Agropensa: Estrutura e Funcionamento Sinais Organizar os sinais, para ganhar eficiência nos processos de inteligência. Os macrotemas funcionam com filtros para orientar a captação de sinais. Embrapa/Agropensa (2012).

6 Desdobramentos tecnológicos prospectados na lógica de cadeia produtiva Novas ciências: biotecnologia, Tecnologias nanotecnologia, poupa-terra geotecnologia Automação, ag. de precisão e Tecnologias mecânicas TIC Segurança zoofitosanitária Capital na humano cadeia produtiva Os estudos prospectivos do Sistema Agropensa seguem a lógica de cadeia produtiva, com o objetivo de conectar o processo de inteligência ao mundo real. Recursos Recursos naturais e naturais Mudanças clima Climáticas Oferta agrícola Sistemas de produção Segurança dos Consumidores alimentos, nutrição e saúde Tecnologia agroindustrial, da biomassa e Química verde Agroindústria Ambiente macroeconômico e político Infraestrutura e logística Mercados, políticas e desenvolvimento rural Elaboração: Embrapa/Agropensa (2012).

7 Desdobramentos tecnológicos prospectados na lógica de cadeia produtiva Complementados por análises em temas transversais Agricultura Familiar, produção orgânica e agroecológica Inovações gerenciais nas cadeias produtivas agropecuárias Comunicação e a busca de um novo olhar sobre a agricultura

8 Redes Sociais Unidades da Embrapa / Rede de Observatórios Rede de Conhecimentos Componente Observatório Setor Público Setor Privado Observatórios - Sistema Agropensa - Pesquisa, Ensino, Extensão Ambiente Internacional Elaboração: Embrapa Soja & Agropensa (2014).

9 Rede de Observatórios do Agropensa estrutura matricial Temas Transversais Cadeia da Soja Cadeia do Milho Cadeia do Algodão Cadeia da Pecuária Leiteira Cadeia da Pecuária de Corte... Cerrado

10 Pool de sinais e análises flui pela Rede de Conhecimento (Embrapa e parceiros) e fornece elementos para a tomada de decisão mais ágil e bem informada. Rede de Observatórios do Agropensa Rede de Observatórios Agricultura familiar, produção orgânica e agroecológica Inovações gerenciais na cadeia produtiva Comunicação Sinais, informações e análises retroalimentam o sistema

11 Sistemas de Produção PD&I na Embrapa e a lógica dos macrotemas Segurança Fitozoosanitária Segurança nos Alimentos, Nutrição e saúde Busca-se dar foco e agilidade à coleta, organização, qualificação e difusão de conhecimentos e informações. Novas Ciências Sistema de Produção Tec. Agroind. Biomassa Automação e Agricultura de Precisão Mercados, Políticas e DI RN e MCG Embrapa-DPD (2014).

12 Seminários; Painéis com especialistas; Documentos de apoio; Visão : o futuro do desenvolvimento tecnológico da agricultura brasileira Resumo das principais etapas Benchmarking com estudos / opiniões internacionais Cadeias produtivas nacionais / Organizações de PD&I O processo de construção de conteúdo profissionais; -37 UDs Embrapa; -7 UCs Embrapa; instituições parceiras. Visão Lógica da visão que evolui!

13 Visão : o futuro do desenvolvimento tecnológico na agricultura brasileira I - Forças motrizes para os sistemas agroalimentar e agroindustrial II Desdobramentos tecnológicos III Visão (eixos de grande impacto)

14 Visão Atualizar o Plano Diretor da Embrapa Revisar as Agendas de Prioridades das Unidades Orientar o Programa de Capacitação da Empresa Alinhar Esforços com Parceiros e Colaboradores Orientar o Programa de Cooperação Internacional

15 Grandes incertezas críticas x desdobramentos tecnológicos nas cadeias produtivas agropecuárias Mudanças climáticas Riscos bióticos Energia Nexo água-energiaalimentos Agricultura e desenvolvimento

16 Cenário Nacional Rede de Observatórios Conjunto de Mini-Cenários Cenários: Rede de Observatórios do Agropensa Sinais, informações e análises proveniente dos mini-cenários retroalimentam o sistema

17 Para saber mais sobre o Agropensa e o documento de Visão (61)

18 Sistema Embrapa de Inteligência Estratégica " Explorando e analisando possíveis futuros, seus desafios e oportunidades para o desenvolvimento tecnológico da agricultura brasileira " Obrigado!

Agropensa e Visão : foco na agricultura familiar

Agropensa e Visão : foco na agricultura familiar Sistema Embrapa de Inteligência Estratégica Agropensa e Visão 2013-2033: foco na agricultura familiar Geraldo B. Martha Jr. Coordenador-Geral, Sistema Agropensa Chefe-Adjunto de Estudos, Embrapa Estudos

Leia mais

Produtividade na Agropecuária Brasileira

Produtividade na Agropecuária Brasileira Sistema Embrapa de Inteligência Estratégica Produtividade na Agropecuária Brasileira Geraldo B. Martha Jr. Coordenador-Geral, Sistema Agropensa Secretaria de Inteligência e Macroestratégia, Embrapa Material

Leia mais

Agricultura brasileira: algumas oportunidades e desafios para o futuro

Agricultura brasileira: algumas oportunidades e desafios para o futuro Sistema Embrapa de Inteligência Estratégica Agricultura brasileira: algumas oportunidades e desafios para o futuro Geraldo B. Martha Jr. Coordenador-Geral, Sistema Embrapa de Inteligência Estratégica Chefe-Adjunto

Leia mais

O Futuro do Desenvolvimento Tecnológico da Agricultura Brasileira

O Futuro do Desenvolvimento Tecnológico da Agricultura Brasileira Sistema Embrapa de Inteligência Estratégica O Futuro do Desenvolvimento Tecnológico da Agricultura Brasileira Geraldo B. Martha Jr. Coordenador-Geral, Sistema Agropensa Chefe-Adjunto de Estudos Estratégicos,

Leia mais

Adriano Venturieri. Chefe Geral Embrapa Amazônia Oriental

Adriano Venturieri. Chefe Geral Embrapa Amazônia Oriental Adriano Venturieri Chefe Geral Embrapa Amazônia Oriental Brasília, 12 dezembro de 2014 Desafios e perspectivas para pesquisa em apoio ao desenvolvimento sustentável amazônico Sistema Embrapa de Inteligência

Leia mais

Gestão das informações de Transferência de Tecnologia

Gestão das informações de Transferência de Tecnologia Gestão das informações de Transferência de Tecnologia Departamento de Transferência de Tecnologia DTT Coordenação de Informação e Prospecção CIP REUNIÃO TÉCNICA Sistema de Gestão de Soluções Tecnológicas

Leia mais

Agronego cio ALTERNATIVAS PARA MANTER E AMPLIAR A COMPETITIVIDADE DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

Agronego cio ALTERNATIVAS PARA MANTER E AMPLIAR A COMPETITIVIDADE DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO Agronegócio Agronego cio É incontestável o impacto do Agronegócio no desempenho da economia do Estado. Isto é, seu comportamento influencia sensivelmente os resultados dos indicadores econômicos do Rio

Leia mais

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional São Paulo, 15 de Março de 2015 Agenda

Leia mais

MDIC E A POLÍTICA DE APOIO A APLs

MDIC E A POLÍTICA DE APOIO A APLs XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral X Encontro do Comitê Temático Rede Brasileira de APL de Base Mineral - CT RedeAPLmineral MDIC E A POLÍTICA DE APOIO A APLs Grupo de

Leia mais

Financiamento e Políticas Públicas para a Inovação. 2º CIMES Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde

Financiamento e Políticas Públicas para a Inovação. 2º CIMES Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde Financiamento e Políticas Públicas para a Inovação 2º CIMES Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde Abril 2013 A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial ABDI está ligada ao

Leia mais

Eliana Sá 10/04/2014

Eliana Sá 10/04/2014 Eliana Sá 10/04/2014 Sistema Indústria Federal CNI SESI DN Estadual Federações de Indústrias SESI DR SENAI DN SENAI DR IEL NC IEL NR Desenvolvimento Empresarial Fonte imagem: http://miyashita.com.br/?id=119&m=387.

Leia mais

AÇÕES DO MCTIC EM APOIO AO DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DOS BIOCOMBUSTÍVEIS: BIOQUEROSENE

AÇÕES DO MCTIC EM APOIO AO DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DOS BIOCOMBUSTÍVEIS: BIOQUEROSENE AÇÕES DO MCTIC EM APOIO AO DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DOS BIOCOMBUSTÍVEIS: BIOQUEROSENE Seminário de Desenvolvimento Sustentável e Descarbonização: oportunidades de negócios e investimentos na cadeia

Leia mais

O Desenvolvimento da Agroenergia no Brasil: Plano Nacional de Agroenergia. Manoel Vicente Bertone Secretário de Produção e Agroenergia

O Desenvolvimento da Agroenergia no Brasil: Plano Nacional de Agroenergia. Manoel Vicente Bertone Secretário de Produção e Agroenergia O Desenvolvimento da Agroenergia no Brasil: Plano Nacional de Agroenergia Manoel Vicente Bertone Secretário de Produção e Agroenergia Tema Estratégico Independência Energética Soberania e Segurança Nacional

Leia mais

Agricultura Brasileira: importância, perspectivas e desafios para os profissionais dos setores agrícolas e florestais

Agricultura Brasileira: importância, perspectivas e desafios para os profissionais dos setores agrícolas e florestais Agricultura Brasileira: importância, perspectivas e desafios para os profissionais dos setores agrícolas e florestais Claudio Aparecido Spadotto* A importância da agricultura brasileira Nesse texto o termo

Leia mais

Seminário em prol do Desenvolvimento. Socioeconômico do Xingu. Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES

Seminário em prol do Desenvolvimento. Socioeconômico do Xingu. Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES Seminário em prol do Desenvolvimento Socioeconômico do Xingu Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES 16/06/2015 1 Atuação do BNDES no Entorno de Projetos A Política de Atuação no Entorno busca

Leia mais

SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL

SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL Definição da Problemática Necessidade de produzir mais alimentos X Restrição para ampliar a área plantada Como Resolver o Impasse? Investimento em pesquisa

Leia mais

O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências

O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências AMCHAM 13 de Julho de 2016 Agronegócio - Balança Comercial - US$ Bilhões Fonte: WTO. Elaboração MBAGro. Brasil: Liderança Global no Agronegócio Suco de laranja

Leia mais

Rede ACV Embrapa. Brasília, Agosto/2012

Rede ACV Embrapa. Brasília, Agosto/2012 Rede ACV Embrapa Brasília, Agosto/2012 ACV na Embrapa V PDE (2008-2011-2023), Objetivo Estratégico: Intensificar o desenvolvimento de tecnologias para o uso sustentável dos biomas e a integração produtiva

Leia mais

Mercado Internacional

Mercado Internacional A Força do Agronegócio no Mercado Internacional O Brasil que alimenta o mundo 1 27 FEDERAÇÕES ESTADUAIS +2mil SINDICATOS RURAIS +5milhões PRODUTORES RURAIS Fundada em 1951, a Confederação da Agricultura

Leia mais

TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA ITINERÁRIO FORMATIVO

TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA ITINERÁRIO FORMATIVO TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA Módulo Básico I 3 Módulo Específico II 365 h Beneficiamento e Industrialização de Grãos Toxicologia dos Alimentos Sistemas Agroindustriais Alimentares Sistemas de Armazenamento

Leia mais

Programa Municípios Sustentáveis

Programa Municípios Sustentáveis Programa Municípios Sustentáveis Objetivo geral: Promover o desenvolvimento sustentável dos municípios da Amazônia Mato-grossense, através do fortalecimento da economia local, da melhoria da governança

Leia mais

TEC-DAM. Tecnologias para destinação de animais mortos

TEC-DAM. Tecnologias para destinação de animais mortos TEC-DAM Tecnologias para destinação de animais mortos Apresentação Atualmente, não existe no Brasil uma legislação específica que trate da destinação de animais mortos ao longo das cadeias produtivas.

Leia mais

E C O N Ô S O C E N T A L. Cultura e Tradição

E C O N Ô S O C E N T A L. Cultura e Tradição 3º. Seminário Responsabilidade Social com Foco nos Atores Interessados 7 a 8/10/2008 Biodiesel e Agricultura Familiar www.biodiesel.gov.b PNPB Pilares de Sustentação PNPB S O C I A L E C O N Ô M I C O

Leia mais

COPA ORGÂNICA E SUSTENTÁVEL Copa 2014 Brasil

COPA ORGÂNICA E SUSTENTÁVEL Copa 2014 Brasil COPA ORGÂNICA E SUSTENTÁVEL Copa 2014 Brasil BRASIL - UM PAÍS DIFERENCIADO Megadiversidade ambiental e social Reconhecido como país estratégico no cenário global Sequência de mega eventos com visibilidade

Leia mais

Agronegócio Uma Visão de Futuro

Agronegócio Uma Visão de Futuro Agronegócio Uma Visão de Futuro Mauricio Antonio Lopes, PhD Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária presidencia@embrapa.br mauricio.lopes@embrapa.br 1 Futuros Possíveis 2 Futuros Possíveis 1 Energia

Leia mais

Inovação como prioridade estratégica do BNDES

Inovação como prioridade estratégica do BNDES Inovação como prioridade estratégica do BNDES Helena Tenorio Veiga de Almeida APIMECRIO 20/04/2012 Histórico do apoio à inovação no BNDES 2 Histórico do apoio à inovação no BNDES 1950 Infraestrutura Econômica

Leia mais

Redes Elétricas Inteligentes: Contexto Nacional

Redes Elétricas Inteligentes: Contexto Nacional Redes Elétricas Inteligentes: Contexto Nacional Centro de Gestão de Estudos Estratégicos - CGEE Centro de Gestão e Estudos Estratégicos Ciência, Tecnologia e Inovação Ceres Cavalcanti Centro de Gestão

Leia mais

O que é um APL? Conjunto significativo de empresas com vínculo entre si: Atividade produtiva predominante. Mesmo território

O que é um APL? Conjunto significativo de empresas com vínculo entre si: Atividade produtiva predominante. Mesmo território O que é um APL? O que é um APL? Um Arranjo Produtivo Local se caracteriza por: Conjunto significativo de empresas com vínculo entre si: Associação Empresarial Entidade ou Governo Instituição de Ensino

Leia mais

O que falaram os censos do IBGE

O que falaram os censos do IBGE O que falaram os censos do IBGE Eliseu Alves Pesquisador, Assessor do Diretor-Presidente da Embrapa Seminários Temas Estratégicos, Embrapa Estudos e Capacitação, Brasiília, 23 de junho de 2012 Autores

Leia mais

SEC - SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA PROC. SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL SEC / SUDEPE Nº 001/2015 PROC. EDUCAÇÃO PROFISSONAL CONCORRÊNCIA

SEC - SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA PROC. SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL SEC / SUDEPE Nº 001/2015 PROC. EDUCAÇÃO PROFISSONAL CONCORRÊNCIA CONCORRÊNCIA EIXO TECNOLÓGICO / SUBEIXO / TERRITÓRIO DE IDENTIDADE/NRE Concorrência AGROPECUÁRIA / RECURSOS NATURAIS / BACIA DO JACUIPE 1,00 AGROPECUÁRIA / RECURSOS NATURAIS / BACIA DO RIO GRANDE 2,75

Leia mais

4) ESTRUTURA CURRICULAR E CARGA HORÁRIA

4) ESTRUTURA CURRICULAR E CARGA HORÁRIA GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS 1) OBJETIVO O objetivo do MBA é dotar os participantes de todos os instrumentos necessários para tomar as decisões fundamentais de investimento e inovação e levá-la à prática

Leia mais

Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Brasil Digital TELEBRASIL 2007 A visão do NAE para as soluções com TIC

Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Brasil Digital TELEBRASIL 2007 A visão do NAE para as soluções com TIC Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República Brasil Digital TELEBRASIL 2007 A visão do NAE para as soluções com TIC Sumário 1. O NAE 2. O projeto Brasil 3 Tempos Os eixos estratégicos de

Leia mais

O Desenvolvimento da Agricultura e Política Rural

O Desenvolvimento da Agricultura e Política Rural 7º Seminário Estadual de Agricultura O Desenvolvimento da Agricultura e Política Rural Deputado Estadual José Milton Scheffer Vice-Presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural da ALESC Território

Leia mais

MBA em GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS

MBA em GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS MBA em GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS 1) OBJETIVO O objetivo do MBA é dotar os participantes de todos os instrumentos necessários para tomar as decisões fundamentais de investimento e inovação e levá-

Leia mais

EDITAL 003/16 - FAPESQ/CAPES

EDITAL 003/16 - FAPESQ/CAPES EDITAL 003/16 - FAPESQ/CAPES A Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da FAPESQ, em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) em conformidade com o cronograma de

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

PLANEJAMENTO E AGREGAÇÃO DE VALOR EM EMPREENDIMENTOS RURAIS

PLANEJAMENTO E AGREGAÇÃO DE VALOR EM EMPREENDIMENTOS RURAIS PLANEJAMENTO E AGREGAÇÃO DE VALOR EM EMPREENDIMENTOS RURAIS Profª Caroline P. Spanhol CONTEXTUALIZAÇÃO Necessidade de eficiência e eficácia; Competitividade A gerência do negócio assume grande importância,

Leia mais

O que é um APL? Conjunto significativo de empresas com vínculo entre si: Atividade produtiva predominante. Mesmo território

O que é um APL? Conjunto significativo de empresas com vínculo entre si: Atividade produtiva predominante. Mesmo território O que é um APL? O que é um APL? Um Arranjo Produtivo Local se caracteriza por: Conjunto significativo de empresas com vínculo entre si: Associação Empresarial Entidade ou Governo Instituição de Ensino

Leia mais

VI Plano Diretor da Embrapa

VI Plano Diretor da Embrapa VI Plano Diretor da Embrapa 2014-2034 República Federativa do Brasil Presidenta da República Dilma Rousseff Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ministra de Estado Kátia Abreu Empresa Brasileira

Leia mais

AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA Modalidade Recursos Não Reembolsáveis. REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016

AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA Modalidade Recursos Não Reembolsáveis. REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016 AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA Modalidade Recursos Não Reembolsáveis REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016 Avaliação da Modalidade de Recursos não reembolsáveis Amostra de temas e parcerias, combinando entrevistas

Leia mais

Cenários exploratórios para o desenvolvimento tecnológico da agricultura brasileira: síntese 1

Cenários exploratórios para o desenvolvimento tecnológico da agricultura brasileira: síntese 1 Cenários exploratórios para o desenvolvimento tecnológico da agricultura brasileira: síntese 1 O Sistema de Inteligência Estratégica da Embrapa (Agropensa), em colaboração com as equipes da Empresa e parceiros,

Leia mais

TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA ITINERÁRIO FORMATIVO

TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA ITINERÁRIO FORMATIVO TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA Módulo Básico I 3 Módulo Específico II 365 h Beneficiamento e Industrialização de Grãos Toxicologia dos Alimentos Sistemas Agroindustriais Alimentares Sistemas de Armazenamento

Leia mais

HORIZONTE O Novo Programa-Quadro da UE para Pesquisa e Inovação Piero Venturi Comissão Europeia DG Pesquisa e Inovação

HORIZONTE O Novo Programa-Quadro da UE para Pesquisa e Inovação Piero Venturi Comissão Europeia DG Pesquisa e Inovação HORIZONTE 2020 O Novo Programa-Quadro da UE para Pesquisa e Inovação 2014-2020 Piero Venturi Comissão Europeia DG Pesquisa e Inovação A União Europeia (UE) é a principal potência econômica mundial UE é

Leia mais

ALTERNATIVAS PARA PRODUTORES FAMILIARES DE ALGODÃO NO BRASIL

ALTERNATIVAS PARA PRODUTORES FAMILIARES DE ALGODÃO NO BRASIL ALTERNATIVAS PARA PRODUTORES FAMILIARES DE ALGODÃO NO BRASIL Waltemilton Vieira Cartaxo Analista II Embrapa Algodão VI CBA Uberlândia, MG Agosto de 2007 Breve histórico do algodão no Brasil Bicudo do algodoeiro

Leia mais

Observatório do Agropensa: Macrotema Automação, Agricultura de Precisão e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC)

Observatório do Agropensa: Macrotema Automação, Agricultura de Precisão e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) Observatório do Agropensa: Macrotema Automação, Agricultura de Precisão e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) Sílvia Maria Fonseca Silveira Massruhá Embrapa Informática Agropecuária Campinas,

Leia mais

Adilson Roberto Gonçalves Técnico e PhD em Química

Adilson Roberto Gonçalves Técnico e PhD em Química Adilson Roberto Gonçalves Técnico e PhD em Química Laboratórios Nacionais O CNPEM é dedicado à pesquisa de ponta em Materiais, Nanociências, Ciências da vida, Física e Química. Divisão de Pesquisa e desenvolvimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECIS SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA INCLUSÃO SOCIAL

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECIS SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA INCLUSÃO SOCIAL MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECIS SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA INCLUSÃO SOCIAL PROJETOS ESTRUTURANTES CVTs CENTROS VOCACIONAIS TECNOLÓGICOS O QUE É O CVT? É um espaço voltado

Leia mais

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade.

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. O Baobá é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. Especializada em gestão e sociedade, com foco em sustentabilidade para os setores público e privado.

Leia mais

Estratégia Brasileira para a Transformação Digital

Estratégia Brasileira para a Transformação Digital Estratégia Brasileira para a Transformação Digital Painel Telebrasil Setembro de 2017 Secretaria de Política de Informática Departamento de Políticas e Programas Setoriais em TIC Projetado por Waewkidja

Leia mais

A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações.

A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações. A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações. Levando em considerações os aspectos sociais, econômicos e ambientais, o Sistema Federação

Leia mais

AGENDA DE PRIORIDADES

AGENDA DE PRIORIDADES FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA TECNOLOGIA E INOVAÇÃO AGENDA DE PRIORIDADES DA INDÚSTRIA CATARINENSE AGENDA DE PRIORIDADES DA INDÚSTRIA CATARINENSE Apresentação Os números da indústria

Leia mais

Programa Iberoamericano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017

Programa Iberoamericano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017 Programa Iberoamericano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017 Área de Energia: Utilização de na Produção de Combustíveis de Transporte 1 ÁREA

Leia mais

Encadeamento Produtivo Estratégia de atuação do Sistema SEBRAE PEQUENAS E GRANDES EMPRESAS TRABALHANDO JUNTAS PELA SUSTENTABILIDADE

Encadeamento Produtivo Estratégia de atuação do Sistema SEBRAE PEQUENAS E GRANDES EMPRESAS TRABALHANDO JUNTAS PELA SUSTENTABILIDADE Encadeamento Produtivo Estratégia de atuação do Sistema SEBRAE PEQUENAS E GRANDES EMPRESAS TRABALHANDO JUNTAS PELA SUSTENTABILIDADE Encadeamento Produtivo Estratégia para aumentar a competitividade, a

Leia mais

Rede de Cooperativas Agropecuárias das Américas

Rede de Cooperativas Agropecuárias das Américas Ramo Agropecuário Rede de Cooperativas Agropecuárias das Américas Paulo César Dias do Nascimento Júnior Coordenador do Ramo Agropecuário da OCB Lima, 20 e 21 de março de 2013. Sistema OCB. Você participa.

Leia mais

Agenda de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Cerrados

Agenda de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Cerrados Agenda de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Cerrados Definição A Agenda de P&D da Embrapa Cerrados é um documento de caráter estratégico, construído em consonância com o Sistema de Inteligência Estratégica

Leia mais

:: BEM VINDO :: WORKSHOP SOBRE AGROSERVIÇO E NOVAS PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO. Luiz Carlos Balbino

:: BEM VINDO :: WORKSHOP SOBRE AGROSERVIÇO E NOVAS PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO. Luiz Carlos Balbino WORKSHOP SOBRE AGROSERVIÇO E NOVAS PERSPECTIVAS Luiz Carlos Balbino (Embrapa) PARA O AGRONEGÓCIO Desenvolvimento e Fomento ILPF (Integração Lavoura Pecuária Floresta) :: BEM VINDO :: Realização: Apoio:

Leia mais

Plano Metropolitano de Habitação. Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas

Plano Metropolitano de Habitação. Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas Apresentado pelo representante do Ministério das Cidades Histórico Aprovado pelo Conselho de Desenvolvimento

Leia mais

Prospecção Tecnológica. 30 de agosto de 2012.

Prospecção Tecnológica. 30 de agosto de 2012. Prospecção Tecnológica 30 de agosto de 2012. A ação será executada por: A Equipe O Projeto Prospecção Tecnológica Objetivo Possibilitar a implantação de novas tecnologias que permitam redução de custos,

Leia mais

Breve Histórico Projeto Litoral Sustentável

Breve Histórico Projeto Litoral Sustentável Breve Histórico Projeto Litoral Sustentável 2011 início do Projeto Litoral Sustentável - Desenvolvimento com Inclusão Social. Convênio entre Instituto Pólis e Petrobras. 2011 e 2012 - Elaboração de diagnósticos

Leia mais

Migração da Agricultura no Brasil

Migração da Agricultura no Brasil Migração da Agricultura no Brasil Expansão da Agricultura Dos Anos 1960 aos 1990 Fonte: MAPA,. Escola Superior de Guerra, Agosto de 2013 Evolução e Expansão da Soja no Brasil 1960 1975 2006 1960 1975 1980

Leia mais

Smart Grid Fórum 2013

Smart Grid Fórum 2013 Smart Grid Fórum 2013 28.Novembro São Paulo Máximo Pompermayer (ANEEL) Alexandre Siciliano Esposito (BNDES) Caio Torres Mazzi (FINEP) Agenda Formulação Resultados Parciais Etapa de Carta de Manifestação

Leia mais

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária Constituição do Brasil O que é SCJS Uma Estrategia De Reconhecimento e

Leia mais

Agricultura Orgânica para a Conservação da Biodiversidade PROBIO II

Agricultura Orgânica para a Conservação da Biodiversidade PROBIO II Agricultura Orgânica para a Conservação da Biodiversidade PROBIO II Seminário de Integração e Missão de Supervisão DEZEMBRO-2010 COAGRE/DEPROS/SDC Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento PROJETO:

Leia mais

Propriedade Intelectual no Campo

Propriedade Intelectual no Campo Propriedade Intelectual no Campo Departamento de Propriedade Intelectual e Tecnologia da Agropecuária /DEPTA/ SDC/MAPA Roberto Lorena B. Santos Grãos Produção Se o Brasil mantivesse a mesma tecnologia

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS COMISSÃO TEMÁTICA DE GESTÃO DO PDI MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA A ELABORAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS COMISSÃO TEMÁTICA DE GESTÃO DO PDI MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA A ELABORAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS COMISSÃO TEMÁTICA DE GESTÃO DO PDI MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA A ELABORAÇÃO MANAUS AM 2013 COMISSÃO TEMÁTICA DE GESTÃO DO PDI Daniel Nascimento

Leia mais

Atribuições. Qualificar os profissionais Monitorar e avaliar resultados. Contratar serviços. Credenciar entidades públicas e privadas

Atribuições. Qualificar os profissionais Monitorar e avaliar resultados. Contratar serviços. Credenciar entidades públicas e privadas Atribuições Contratar serviços Qualificar os profissionais Monitorar e avaliar resultados Credenciar entidades públicas e privadas Acreditar as entidades quanto a qualidade do serviço prestado Características

Leia mais

Iniciativas históricas que marcam o perfil empreendedor da cidade e da região, em especial:

Iniciativas históricas que marcam o perfil empreendedor da cidade e da região, em especial: Iniciativas históricas que marcam o perfil empreendedor da cidade e da região, em especial: Final do Século XIX- pecuaristas pioneiros trouxeram o gado zebu da Índia e em 1940 - criação da Fazenda Experimental

Leia mais

Visão Nacional. Sistema Nacional de CT&I em Biodiversidade

Visão Nacional. Sistema Nacional de CT&I em Biodiversidade Visão Nacional. Sistema Nacional de CT&I em Biodiversidade Visão Nacional Mais de 20% da biodiversidade do planeta O Brasil é usuário e provedor de ativos da biodiversidade Mais de 305 etnias indígenas

Leia mais

Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G. Helena Tenório. Chefe do Departamento de Programas e Políticas do BNDES. 2 de julho de 2008

Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G. Helena Tenório. Chefe do Departamento de Programas e Políticas do BNDES. 2 de julho de 2008 Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G Helena Tenório Chefe do Departamento de Programas e Políticas do 2 de julho de 2008 Parceria Petrobras INVESTIMENTO FINANCIAMENTO Desenvolvimento da

Leia mais

Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL

Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL Estrutura da apresentação: Antecedentes Fórum pela Vida Cenário Atual Rede Fito RS Objetivos Organização Atores participantes

Leia mais

Embrapa Estudos Estratégicos e Capacitação: Estrutura e Modo de Atuação. Brasilia, 09 de novembro de 2010

Embrapa Estudos Estratégicos e Capacitação: Estrutura e Modo de Atuação. Brasilia, 09 de novembro de 2010 Embrapa Estudos Estratégicos e Capacitação: Estrutura e Modo de Atuação Brasilia, 09 de novembro de 2010 Embrapa Estudos Estratégicos e Capacitação em Agricultura Tropical inaugurada em 10 de maio de 2010

Leia mais

AGENDA DE DESENVOLVIMENTO DA ZONA DA MATA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DA ZONA DA MATA

AGENDA DE DESENVOLVIMENTO DA ZONA DA MATA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DA ZONA DA MATA AGENDA DE DESENVOLVIMENTO DA ZONA DA MATA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DA ZONA DA MATA Eixos Temáticos: 1. Desenvolvimento Industrial 2. Desenvolvimento do Agronegócio 3. Desenvolvimento Ambiental

Leia mais

VIABILIDADE, COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE DA CADEIA PRODUTIVA DE MAMONA NA OBTENÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS

VIABILIDADE, COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE DA CADEIA PRODUTIVA DE MAMONA NA OBTENÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS VIABILIDADE, COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE DA CADEIA PRODUTIVA DE MAMONA NA OBTENÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS Antônio Maria Gomes de Castro 1, Suzana Maria Valle Lima 1, Joffre Kouri 2, Maria de Fátima

Leia mais

RUMO À ECONOMIA DE BAIXO CARBONO. Agosto de 2016

RUMO À ECONOMIA DE BAIXO CARBONO. Agosto de 2016 RUMO À ECONOMIA DE BAIXO CARBONO Agosto de 2016 SOBRE A COALIZÃO BRASIL ESTRUTURA ORGANIZACIONAL O QUE FAZEMOS NOSSO FOCO EM 2016 SOBRE A COALIZÃO BRASIL objetivo Criar uma agenda viável e pragmática para

Leia mais

Seminário. do Xingu SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO,

Seminário. do Xingu SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, Seminário do Xingu SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, MINERAÇÃO E ENERGIA presentes. Objetivo Reunir os principais atores interessados no setor produtivo da Região do Xingu, visando estabelecer

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. Regente Feijó 08/08

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. Regente Feijó 08/08 P D E P P Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local para os Municípios do Pontal do Paranapanema APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Regente Feijó 08/08 Sumário 1. Motivação 2. Viabilização do projeto

Leia mais

ONDE ESTAMOS A INOVAR? Paisagem de investimento 2020

ONDE ESTAMOS A INOVAR? Paisagem de investimento 2020 ONDE ESTAMOS A INOVAR? Paisagem de investimento 2020 INOVAÇÃO EM AGRONEGÓCIOS 13 D OUTUBRO DE 2015 CROWNE PLAZA - PORTO Bruno Caldeira ONDE ESTAMOS A INOVAR? Pessoas nos snacks, nas embalagens, na experiência

Leia mais

REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO

REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO CARTA DE COMPROMISSO DA REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Considerando: Que o 5.º

Leia mais

Debater o PL 174 de 2011, que "Institui o Plano Nacional de Abastecimento de Hortigranjeiros - PLANHORT".

Debater o PL 174 de 2011, que Institui o Plano Nacional de Abastecimento de Hortigranjeiros - PLANHORT. Audiência Pública COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL Debater o PL 174 de 2011, que "Institui o Plano Nacional de Abastecimento de Hortigranjeiros - PLANHORT". Gilberto

Leia mais

Uma estratégia de redução do desmatamento na Amazônia

Uma estratégia de redução do desmatamento na Amazônia Mercados verdes e Consumo Sustentável Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH Uma estratégia de redução do desmatamento na Amazônia 17/05/2017 Frank Krämer Conteúdo A GIZ no

Leia mais

O papel do cooperativismo na segurança alimentar. Robson Mafioletti Eng. Agrônomo, Msc. Economia Aplicada Superintendente da OCEPAR

O papel do cooperativismo na segurança alimentar. Robson Mafioletti Eng. Agrônomo, Msc. Economia Aplicada Superintendente da OCEPAR O papel do cooperativismo na segurança alimentar Robson Mafioletti Eng. Agrônomo, Msc. Economia Aplicada Superintendente da OCEPAR 41-3200 1102 SEGURANÇA ALIMENTAR TECNOLOGIA INDICADORES DO AGRONEGÓCIO

Leia mais

Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira

Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional Brasília, de Novembro de 204 Bilhões US$ FOB Desenvolvimento da Balança Comercial Brasileira Déficit recorde

Leia mais

Prospecção de conhecimento no setor público. Lúcia Melo Presidente

Prospecção de conhecimento no setor público. Lúcia Melo Presidente Prospecção de conhecimento no setor público Lúcia Melo Presidente Abril 2006 Questões a considerar Qual a importância de estudos prospectivos para um país? Como pensar e debater o futuro? Como prospectar

Leia mais

10º Encontro Anual PRH / ANP. Painel: A contribuição do CT-PETRO na formação de Recursos Humanos para o setor de Petróleo e Gás

10º Encontro Anual PRH / ANP. Painel: A contribuição do CT-PETRO na formação de Recursos Humanos para o setor de Petróleo e Gás 10º Encontro Anual PRH / ANP 18-19.06.2008 Painel: A contribuição do CT-PETRO na formação de Recursos Humanos para o setor de Petróleo e Gás Rogério Amaury de Medeiros Área de Planejamento medeiros@finep.gov.br

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo Planeamento Estratégico Regional

Leia mais

EQUIVALÊNCIA DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA MATRIZ 2015 COM A MATRIZ Coordenador: Prof. Elton Fialho dos Reis

EQUIVALÊNCIA DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA MATRIZ 2015 COM A MATRIZ Coordenador: Prof. Elton Fialho dos Reis EQUIVALÊNCIA DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA MATRIZ 2015 COM A MATRIZ 2009 Coordenador: Prof. Elton Fialho dos Reis Quadro 1 - Equivalência de disciplinas do curso de Engenharia Agrícola

Leia mais

Projeto Extensão Produtiva e Inovação

Projeto Extensão Produtiva e Inovação Projeto Extensão Produtiva e Inovação Núcleo de Extensão Produtiva e Inovação - NEPI UNILASALLE Dez/2013 Projeto Extensão Produtiva e Inovação Política Industrial Ações Transversais Programa de Fortalecimentodas

Leia mais

SEMINÁRIO DESENVOLVIMENTO GLOBAL ATRAVÉS DA TRANSFORMAÇÃO ECÔNOMICA E CRIAÇÃO DE EMPREGOS

SEMINÁRIO DESENVOLVIMENTO GLOBAL ATRAVÉS DA TRANSFORMAÇÃO ECÔNOMICA E CRIAÇÃO DE EMPREGOS SEMINÁRIO DESENVOLVIMENTO GLOBAL ATRAVÉS DA TRANSFORMAÇÃO ECÔNOMICA E CRIAÇÃO DE EMPREGOS AGRICULTURA COMERCIAL E A REDUÇÃO DA POBREZA AÇÕES DO GOVERNO PARA ASCENSÃO DE 30 MILHÕES DE BRASILEIROS ACIMA

Leia mais

10 SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM LOGÍSTICA AGROINDUSTRIAL RECURSOS HUMANOS E AGRONEGÓCIO: QUAL PAPEL PARA O PROFISSIONAL DE LOGÍSTICA?

10 SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM LOGÍSTICA AGROINDUSTRIAL RECURSOS HUMANOS E AGRONEGÓCIO: QUAL PAPEL PARA O PROFISSIONAL DE LOGÍSTICA? 10 SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM LOGÍSTICA AGROINDUSTRIAL RECURSOS HUMANOS E AGRONEGÓCIO: QUAL PAPEL PARA O PROFISSIONAL DE LOGÍSTICA? Mário Otávio Batalha GEPAI DEP - Piracicaba março/2013 AGRONEGÓCIO: O

Leia mais

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico El papel de los ONCYTs en el diseño de instrumentos que orienten la investigación científica, el desarrollo tecnologico y la innovación productiva para enfrentar los problemas acuciantes de la región Wrana

Leia mais

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio São Paulo, 22 de Setembro de 2015 Parece que estamos decolando ECONOMIA A BRASILEIR Agronegócio - Balança Comercial

Leia mais

Território e planejamento de longo prazo: a experiência do Estudo da Dimensão territorial do planejamento

Território e planejamento de longo prazo: a experiência do Estudo da Dimensão territorial do planejamento Território e planejamento de longo prazo: a experiência do Estudo da Dimensão territorial do planejamento Leandro Freitas Couto Analista de Planejamento e Orçamento 27.07.2016 Retomada do planejamento

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

NOME DO PROJETO: PROJETO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL PDRIS. ( ):

NOME DO PROJETO: PROJETO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL PDRIS. ( ): NOME DO PROJETO: PROJETO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL PDRIS Nº ACORDO EMPRÉSTIMO: 8185-0/BR NÃO OBJEÇÃO - (TERMO DE REFERÊNCIA) Nº DO TDR: 01/2015 DATA: ( 01/03/2014) COMPONENTE:

Leia mais

RELATÓRIO DAS ALTERAÇÕES PROPOSTAS PARA O ANO DE Curso: Engenharia Agronômica

RELATÓRIO DAS ALTERAÇÕES PROPOSTAS PARA O ANO DE Curso: Engenharia Agronômica RELATÓRIO DAS ALTERAÇÕES PROPOSTAS PARA O ANO DE 2014 Curso: Engenharia Agronômica a) criação de disciplina optativa eletiva a.1.) LCB0222 Tópicos em Ciências Biológicas optativa 2 0 6º sem. sem requisito

Leia mais

Agenda de Políticas para Inovação. São Paulo, 10 de maio de 2013

Agenda de Políticas para Inovação. São Paulo, 10 de maio de 2013 Agenda de Políticas para Inovação São Paulo, 10 de maio de 2013 Inovação e Sustentabilidade: A Agenda da Química Verde Carlos Fadigas - Braskem Innovation is...essential to create new products, processes,

Leia mais

EAD CR CAMPEIRO 7. Visão Geral do Sistema

EAD CR CAMPEIRO 7. Visão Geral do Sistema EAD CR CAMPEIRO 7 Visão Geral do Sistema Prof. Dr. Enio Giotto Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Rurais Universidade Federal de Santa Maria O Projeto CR Campeiro O Projeto de Ciência

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 9º Diálogos da MEI ESTRATÉGIA NACIONAL DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL JAILSON BITTENCOURT DE ANDRADE SECRETÁRIO DE POLÍTICAS E PROGRAMAS

Leia mais

Projeto Palma Pará BRASIL. ADM do BRASIL Ltda.

Projeto Palma Pará BRASIL. ADM do BRASIL Ltda. Projeto Palma Pará BRASIL ADM do BRASIL Ltda. 2014 A Archer Daniels Midland Company (ADM) MUNDO A ADM é uma das maiores processadoras de grãos do mundo; 71 Países/30.000 funcionários/250 Unidades; Desenvolvimento

Leia mais

Estado da Arte da Pesquisa de Biodiesel no Brasil

Estado da Arte da Pesquisa de Biodiesel no Brasil Audiência Pública POLÍTICAS DO PROGRAMA DO BIODIESEL Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Câmara dos Deputados Estado da Arte da Pesquisa de Biodiesel no Brasil José Manuel Cabral de

Leia mais