Novas Tecnologias no Ensino da Matemática

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Novas Tecnologias no Ensino da Matemática"

Transcrição

1 UFF Novas Tecnologias no Ensino da Matemática 1 Novas Tecnologias no Ensino da Matemática Humberto José Bortolossi EXPRESSÕES ALGÉBRICAS Você pode usar expressões aritméticas no C.a.R. para: (1) modificar as coordenadas de um ponto, (2) modificar o tamanho de um segmento, (3) modificar o raio de um círculo, (4) modificar a amplitude de um ângulo, (5) definir funções e curvas, (6) configurar expressões condicionais para propriedades de objetos e (7) exibir valores calculados. Segue-se uma descrição sucinta das expressões algébricas reconhecidas pelo C.a.R.. Expressões aritméticas: +,,, /,,. Exemplo de uso: /(4 5 2). Para acessar a abscissa de um ponto, use x(p), onde P é o nome do ponto. Para acessar a ordenada, use y(p). Para calcular a distância entre dois pontos use d(p, Q), onde P e Q são os nomes dos pontos. Para referenciar a constante π = ,use pi. O nome de um objeto, quando usado em uma expressão algébrica, produz resultados diferentes dependendo do tipo do objeto: Tipo segmento círculo polígono ângulo Significado comprimento do segmento raio do círculo área com sinal amplitude do ângulo. Para referenciar um objeto que foi criado depois da expressão algébrica, basta colocar o símbolo de arroba antes de seu nome. Exemplo:

2 UFF Novas Tecnologias no Ensino da Matemática 2 O C.a.R. reconhece várias funções: abs, sign, sin, cos, tan, arcsin, arccos, arctan, sqrt, exp, log, round, ceil, floor, angle180 e angle360. As funções trigonométricas trabalham com graus. Existe uma função deg que converte radianos para graus e uma função rad que converte de graus para radianos. As funções rsin, rcos, rtan, rarcsin, rarccos, rarctan trabalham diretamente em radianos. Exemplo de uso: sin(a) para calcular o seno de a, com a dado em graus. Para calcular a variação de uma expressão E (isto é, o valor novo menos o valor antigo de E), use d(e). SeE éumponto,então d(e) dá o tamanho do vetor deslocamento. Note queovalordeumaexpressão pode mudar quando, por exemplo, E depende de algum ponto que livre é arrastado na tela. Para calcular a amplitude do ângulo PQZ (Q éovértice do ângulo), use a(p, Q, Z), onde P, Q e Z são os nomes dos pontos. Para comparar duas expressões algébricas, use <, >, <=, >=, == (igualdade), = (quase igual). A expressão if(e, a, b) retorna a se e for uma expressão verdadeira (válida) e b caso contrário. Os operadores lógicos são representados da seguinte maneira: && (e), (ou) e! (negação). ESCREVENDO EXPRESSÕES MATEMÁTICAS EM L A TEX No C.a.R. épossível incluir comandos em L A TEX para produzir fórmulas matemáticas para nomes de objetos (usando o campo alias da janela de propriedades do objeto ou o campo valor da janela de propriedades de uma expressão algébrica). Comandos L A TEXtambém podem ser usados em um objeto do tipo texto. Para usar um comando em L A TEX, vocêdevecolocá-lo entre cifrões: $ $. Vamos ver alguns exemplos. Potências e índices: $x 2$ produz x 2 e $x 2$ produz x 2. Frações: $\frac{1}{2}$ produz 1 2. Raízes: $\sqrt{x}$ produz x e $\sqrt[3]{x}$ produz 3 x.você pode combinar comandos: $\sqrt[3]{\frac{1}{2}}$ produz Barras: $\overline{a +b}$ produz a + b e $\underline{a +b}$ produz a + b.

3 UFF Novas Tecnologias no Ensino da Matemática 3 Chaves: $\overbrace{a +b}$ produz {}}{ a + b e $\underbrace{a +b}$ produz a + b }{{}.Você pode combinar comandos: $\underbrace{a + b} {x}$ produz Setas: $\overrightarrow{ab}$ produz AB. } a {{ + } b. x Multiplicação: você pode usar $\cdot$ para produzir ou $\times$ para produzir. Acentos matemáticos: â \hat{a} ǎ \check{a} ã \tilde{a} à \grave{a} ȧ \dot{a} ä \ddot{a} ā \bar{a} a \vec{a} Â \widehat{a} á \acute{a} ă \breve{a} Ã \widetilde{a} Letras gregas: α \alpha θ \theta o o υ \upsilon β \beta ϑ \vartheta π \pi φ \phi γ \gamma ι \iota ϖ \varpi ϕ \varphi δ \delta κ \kappa ρ \rho χ \chi ɛ \epsilon λ \lambda ϱ \varrho ψ \psi ε \varepsilon μ \mu σ \sigma ω \omega ζ \zeta ν \nu ς \varsigma η \eta ξ \xi τ \tau Γ \Gamma Λ \Lambda Σ \Sigma Ψ \Psi Δ \Delta Ξ \Xi Υ \Upsilon Ω \Omega Θ \Theta Π \Pi Φ \Phi

4 UFF Novas Tecnologias no Ensino da Matemática 4 Relações binárias (épossível negar cada um dos seguintes símbolos adicionando o comando \not como prefixo do símbolo). < < > > = = \leq or \le \geq or \ge \equiv \ll \gg. = \doteq \prec \succ \sim \preceq \succeq \simeq \subset \supset \approx \subseteq \supseteq = \cong \sqsubset a \sqsupset a \Join a \sqsubseteq \sqsupseteq \bowtie \in \ni, \owns \propto \vdash \dashv = \models \mid \parallel \perp \smile \frown \asymp : : / \notin \neq or \ne Operadores binários: ± \pm \mp \triangleleft \cdot \div \triangleright \times \ \setminus \star \cup \cap \ast \sqcup \sqcap \circ \vee, \lor \wedge, \land \bullet \oplus \ominus \diamond \odot \oslash \uplus \otimes \bigcirc \amalg \bigtriangleup \bigtriangledown \dagger \lhd a \rhd a \ddagger \unlhd a \unrhd a \wr

5 UFF Novas Tecnologias no Ensino da Matemática 5 Operadores grandes: \sum \bigcup \prod \bigcap \coprod \bigsqcup \int \oint \bigoplus \bigotimes \bigvee \bigwedge \biguplus \bigodot Setas: \leftarrow or \gets \longleftarrow \rightarrow or \to \longrightarrow \leftrightarrow \longleftrightarrow \Leftarrow = \Longleftarrow \Rightarrow = \Longrightarrow \Leftrightarrow \Longleftrightarrow \mapsto \longmapsto \hookleftarrow \hookrightarrow \leftharpoonup \rightharpoonup \leftharpoondown \rightharpoondown \rightleftharpoons \iff (bigger spaces) \uparrow \downarrow \updownarrow \Uparrow \Downarrow \Updownarrow \nearrow \searrow \swarrow \nwarrow \leadsto a Delimitadores: ( ( ) ) \uparrow [ [ or \lbrack ] ] or \rbrack \downarrow { \{ or \lbrace } \} or \rbrace \updownarrow \langle \rangle or \vert \lfloor \rfloor \lceil / / \ \backslash \Updownarrow \Uparrow \Downarrow \ or \Vert \rceil

6 UFF Novas Tecnologias no Ensino da Matemática 6 Delimitadores grandes: \lgroup \arrowvert \rmoustache \rgroup \lmoustache \Arrowvert \bracevert Outros símbolos:... \dots \cdots. \vdots... \ddots \hbar ı \imath j \jmath l \ell R \Re I \Im ℵ \aleph \wp \forall \exists \mho a \partial \prime \emptyset \infty \nabla \triangle \Box a \Diamond a \bot \top \angle \surd \diamondsuit \heartsuit \clubsuit \spadesuit \neg or \lnot \flat \natural \sharp Símbolos não-matemáticos: \dag \S c \copyright R \textregistered \ddag \P \pounds % \%

Curso de L A TEX. Parte III. Pedro Quaresma. Departamento de Matemática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra

Curso de L A TEX. Parte III. Pedro Quaresma. Departamento de Matemática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra Curso de L A TEX Parte III Pedro Quaresma Departamento de Matemática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra 1 e 8 de Outubro de 2014 P. Quaresma (DM/FCTUC) Curso de LATEX- III (versão

Leia mais

Minicurso Básico - L A TEX Aula 3 Apresentação: Jéssyca Cristine, Leandro Chiarini, Rafael Aguiar e Rebeca Chuffi

Minicurso Básico - L A TEX Aula 3 Apresentação: Jéssyca Cristine, Leandro Chiarini, Rafael Aguiar e Rebeca Chuffi Universidade de Brasília Departamento de Matemática PET-MAT Minicurso Básico - L A TEX Aula 3 Apresentação: Jéssyca Cristine, Leandro Chiarini, Rafael Aguiar e Rebeca Chuffi O objetivo desta aula é introduzir

Leia mais

Curso de L A TEX. Parte III. Pedro Quaresma. Março de Departamento de Matemática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra

Curso de L A TEX. Parte III. Pedro Quaresma. Março de Departamento de Matemática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra Curso de L A TEX Parte III Pedro Quaresma Departamento de Matemática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra Março de 2007 P. Quaresma (DM/FCTUC) Curso de LATEX- III (versão 1.2) Março

Leia mais

TEX, Texto Matemático

TEX, Texto Matemático TEX, Texto Matemático Curso de L A TEX Parte III Pedro Quaresma Departamento de Matemática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra Março/Abril de 2011 Texto matemático, ou como escrever

Leia mais

Matemática: operação binária. Matemática: símbolos de relação. Matemática: operações binárias

Matemática: operação binária. Matemática: símbolos de relação. Matemática: operações binárias Universidade Federal da Bahia Centro de Pesquisa em Geofísica e Geologia Sistema de Informática Módulo 5 19/ago/2005 TeX/LaTeX (2 a parte) Matemática: operação binária \pm \mp \times \div \ast \star \circ

Leia mais

Editoração Científica com LAT E X p. 1

Editoração Científica com LAT E X p. 1 Editoração Científica com L A TEX IST - Set/2010 Fábio Borges de Oliveira LNCC Editoração Científica com LAT E X p. 1 O que é? Uma linguagem de marcação para produção de textos científicos. XML, HTML,

Leia mais

Mini-curso LATEX. Alberto Simõesambs@di.uminho.pt. 27 de Abril de 2005. Departamento de Informática Universidade do Minho. ambs@di.uminho.

Mini-curso LATEX. Alberto Simõesambs@di.uminho.pt. 27 de Abril de 2005. Departamento de Informática Universidade do Minho. ambs@di.uminho. Mini-curso L A TEX Alberto Simões ambs@di.uminho.pt Departamento de Informática Universidade do Minho 27 de Abril de 2005 Motivação Parte I Motivação Motivação Alguma História... no início era o TEX; criado

Leia mais

Recursos Computacionais

Recursos Computacionais Recursos Computacionais L A TEX Daniel Miranda 1 1 UFABC 4 de setembro de 2015 Daniel Miranda (UFABC ) LATEX 4 de setembro de 2015 1 / 42 Sumário 1 Escrita Matemática 2 Referências 3 Ambientes 4 Incluindo

Leia mais

Mini-curso LATEX. Alberto Simõesambs@di.uminho.pt. 21 de Março de 2006. Departamento de Informática Universidade do Minho. ambs@di.uminho.

Mini-curso LATEX. Alberto Simõesambs@di.uminho.pt. 21 de Março de 2006. Departamento de Informática Universidade do Minho. ambs@di.uminho. Mini-curso L A TEX Alberto Simões ambs@di.uminho.pt Departamento de Informática Universidade do Minho 21 de Março de 2006 Parte I Motivação Alguma História... no início era o TEX; criado por Donald Knuth;

Leia mais

Expressões matemáticas

Expressões matemáticas I Introdução ao modo matemático Prof.: Ivan R. Pagnossin Tutora: Juliana Giordano Coordenadoria de Tecnologia da Informação Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada O modo matemático Estilos de texto e de

Leia mais

3.1 Knuth inventou o TEX...

3.1 Knuth inventou o TEX... 3 O que é TEX?? 3. Knuth inventou o TEX... O problema de escrever Matemática no computador surgiu na década de 970. Um dos primeiros grandes matemáticos a pesquisar em Ciência da Computação, Donald Knuth

Leia mais

Estabilidade. Conhecimentos Básicos

Estabilidade. Conhecimentos Básicos Estabilidade Conhecimentos Básicos Unidades NOME SÍMBOLO FATOR MULTIPLICADOR (UND) Exa E 10 18 1 000 000 000 000 000 000 Peta P 10 15 1 000 000 000 000 000 Terá T 10 12 1 000 000 000 000 Giga G 10 9 1

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI DOUGLAS DE RIZZO MENEGHETTI

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI DOUGLAS DE RIZZO MENEGHETTI CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI DOUGLAS DE RIZZO MENEGHETTI CLASSE L A TEX DA FEI PARA CRIAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: de acordo com o manual de 2007 da biblioteca São Bernardo do Campo 2014 DOUGLAS DE RIZZO

Leia mais

Parte A FÓRMULAS Spiegel_II_01-06.indd 11 Spiegel_II_01-06.indd :17: :17:08

Parte A FÓRMULAS Spiegel_II_01-06.indd 11 Spiegel_II_01-06.indd :17: :17:08 Parte A FÓRMULAS Seção I: Constantes, Produtos e Fórmulas Elementares Alfabeto Grego e Constantes Especiais 1 Alfabeto grego Nome Letras Gregas Grego Minúsculas Maiúsculas Alfa Α Beta Β Gama Γ Delta Δ

Leia mais

1 o Ano. a, b, c, d, e, f, g, h, i, j, k, l, m, n, o, p, q, r, s, t, u, v, w, y, z,

1 o Ano. a, b, c, d, e, f, g, h, i, j, k, l, m, n, o, p, q, r, s, t, u, v, w, y, z, Metas Curriculares, 1 o ciclo Números e Operações (NO) 1 o Ano 1. Considere as letras do alfaeto latino, a,, c, d, e, f, g, h, i, j, k, l, m, n, o, p, q, r, s, t, u, v, w, y, z, e as letras do alfaeto

Leia mais

Gustavo Felisberto Valente. Escrevendo monografias nas normas da ABNT e UFSC através do L A TEX

Gustavo Felisberto Valente. Escrevendo monografias nas normas da ABNT e UFSC através do L A TEX Gustavo Felisberto Valente Escrevendo monografias nas normas da ABNT e UFSC através do L A TEX 2012 Sumário 1 Introdução p. 5 2 Jardim de infância (ou Instalação) p. 6 2.1 Instalando o MiKTEX............................

Leia mais

Recursos Computacionais

Recursos Computacionais Recursos Computacionais L A TEX Daniel Miranda 1 1 UFABC 21 de agosto de 2015 Daniel Miranda (UFABC ) LATEX 21 de agosto de 2015 1 / 54 Sumário 1 Escrita Matemática 2 Referências 3 Ambientes 4 Incluindo

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI DOUGLAS DE RIZZO MENEGHETTI

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI DOUGLAS DE RIZZO MENEGHETTI CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI DOUGLAS DE RIZZO MENEGHETTI CLASSE L A TEX DA FEI PARA CRIAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: de acordo com o guia de 2015 da biblioteca São Bernardo do Campo 2015 DOUGLAS DE RIZZO

Leia mais

RESOLUÇÕES ONLINE UNIDADES DE MEDIDAS

RESOLUÇÕES ONLINE  UNIDADES DE MEDIDAS UNIDADES DE MEDIDAS Todas as Unidades de Medidas que são nomes próprios devem ser escritas em maiúsculas quando abreviadas. Se forem escritas por extenso, sempre escrever em minúscula no singular exceto

Leia mais

MATH Editor de Fórmulas

MATH Editor de Fórmulas MATH Editor de Fórmulas Direitos de autor Ficha Técnica Título: LibreOffice Math Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada ou superior em conjunto com

Leia mais

Breve Introdução ao L A TEX 2ε

Breve Introdução ao L A TEX 2ε Breve Introdução ao L A TEX 2ε Lenimar N. Andrade 13 de novembro de 2007 Lenimar N. Andrade () Breve Introdução ao LATEX2ε 13 de novembro de 2007 1 / 36 Sumário 1 Vantagens e desvantagens do L A TEX 2

Leia mais

AULA 6: BrOffice Writer Fórmulas matemática. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de:

AULA 6: BrOffice Writer Fórmulas matemática. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: AULA 6: BrOffice Writer Fórmulas matemática Objetivo Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: Conhecer o ambiente do Math; Confeccionar fórmulas matemática; Inserir fórmulas matemáticas do Math no

Leia mais

Grego. A pronúncia. Pevmpto mavqhma. Sistema de transliteração

Grego. A pronúncia. Pevmpto mavqhma. Sistema de transliteração 5.... Pevmpto mavqhma Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes Portimão 2010-2011 Departamento de Línguas [Românicas e Clássicas] 12.º ano Turma E Curso Científico-Humanístico de Línguas e Humanidades Docente:

Leia mais

Projeto Banco de Questões Objetivas

Projeto Banco de Questões Objetivas Projeto Banco de Questões Objetivas Manual do Usuário Bruno B. Boniati Frederico Westphalen, RS. 2017 2 Sumário Introdução e Contextualização... 3 1. Identificação e entrada no sistema... 4 2. Tipos de

Leia mais

Aceleração metro por seg. ao quadrado m/s 2

Aceleração metro por seg. ao quadrado m/s 2 Sistemas de Unidades. SISTEMAS DE UNIDADES. Grandezas físicas Define-se como uma grandeza como sendo tudo aquilo que pode ser mensurado. No dia a dia são utilizadas de forma natural enumeras grandezas

Leia mais

Iniciação à Linguagem de Programação L A TEX

Iniciação à Linguagem de Programação L A TEX UNIVERSIDADE ESTUDUAL DO SUDOESTE DA BAHIA DCE Iniciação à Linguagem de Programação L A TEX B. M. Acióly Vitória Da Conquista, Março de 2009. Sumário Sumário 2 1 Iniciando o LATEX 1 1.1 Preparando um arquivo

Leia mais

OpenOffice.org Fórmula

OpenOffice.org Fórmula OpenOffice.org Fórmula Maio / 2006 ESTE MATERIAL FOI DESENVOLVIDO EM PARCEIRA ENTRE A COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO METRÔ E A BARROS MARTINS CONSULTORIA E TREINAMENTO EM INFORMÁTICA LTDA E ESTÁ

Leia mais

Alfabeto Grego. Edson de Faria Francisco. São Bernardo do Campo, fevereiro de letras (maiúsculas e minúsculas) nome transliteração pronúncia

Alfabeto Grego. Edson de Faria Francisco. São Bernardo do Campo, fevereiro de letras (maiúsculas e minúsculas) nome transliteração pronúncia letras (maiúsculas e minúsculas) Alfabeto Grego Edson de Faria Francisco. São Bernardo do Campo, fevereiro de 2014. nome transliteração pronúncia 1 alfa a a 2 beta b b 3 gama g g 4 delta d d 5 épsilon

Leia mais

BrOffice.org 3.2 Fórmula

BrOffice.org 3.2 Fórmula BrOffice.org 3.2 Fórmula Março /2010 BrOffice.org 3.2 FÓRMULA Gerência de Tecnologia da Informação - GTI Doris Lemos C. de Vasconcelos - dlvascon@metrosp.com.br Departamento de Serviços de Infra-estrutura

Leia mais

Programação em LaTeX. Thiago Valentin de Oliveira. Departamento de Engenharia Eletrônica Universidade Federal do Rio de Janeiro

Programação em LaTeX. Thiago Valentin de Oliveira. Departamento de Engenharia Eletrônica Universidade Federal do Rio de Janeiro Programação em LaTeX Thiago Valentin de Oliveira Departamento de Engenharia Eletrônica Universidade Federal do Rio de Janeiro 23/10/2010 Conteúdo 1 Softwares para Windows 4 2 Estrutura do Documento 6 2.1

Leia mais

Nestas notas, apresentamos um modesto guia de sobrevivência para o sistema

Nestas notas, apresentamos um modesto guia de sobrevivência para o sistema UMA INTRODUÇÃO AO L A TEX Uma Introdução ao L A TEX Doherty Andrade 2 Prefácio A produção gráfica e eletrônica de textos de matemática foi muito facilitada com a invenção do sistema TEX, de autoria do

Leia mais

MATEMÁTICA A - 12o Ano N o s Complexos - Equações e problemas Propostas de resolução

MATEMÁTICA A - 12o Ano N o s Complexos - Equações e problemas Propostas de resolução MATEMÁTICA A - 1o Ano N o s Complexos - Equações e problemas Propostas de resolução Exercícios de exames e testes intermédios 1. Simplificando as expressões de z 1 e z, temos que: Como i 19 i + i i, vem

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA KMPLOT Juliane Sbaraine Pereira Costa Tânia Michel Pereira Ijuí, novembro de 2010 Refaça

Leia mais

MATEMÁTICA A - 12o Ano N o s Complexos - Operações e simplificação de expressões Propostas de resolução

MATEMÁTICA A - 12o Ano N o s Complexos - Operações e simplificação de expressões Propostas de resolução MATEMÁTICA A - 1o Ano N o s Complexos - Operações e simplificação de expressões Propostas de resolução Exercícios de exames e testes intermédios 1. A operação multiplicar por i corresponde a fazer uma

Leia mais

MATEMÁTICA A - 12o Ano N o s Complexos - Operações e simplificação de expressões Propostas de resolução

MATEMÁTICA A - 12o Ano N o s Complexos - Operações e simplificação de expressões Propostas de resolução MATEMÁTICA A - 1o Ano N o s Complexos - Operações e simplificação de expressões Propostas de resolução Exercícios de exames e testes intermédios 1. Como a multiplicação de um número complexo por i corresponde

Leia mais

Contabilidade de IF padrão COSIF para BACEN Área 4 Teoria e exercícios comentados Prof. Felipe Lessa Aula 01 # %& ( ! #! # % & ( ) ( + (, ( ).

Contabilidade de IF padrão COSIF para BACEN Área 4 Teoria e exercícios comentados Prof. Felipe Lessa Aula 01 # %& ( ! #! # % & ( ) ( + (, ( ). ! # %& (! #! # % & ( ) ( + (, ( ). / 0 +. 1 2 + 1 3 (/(2 14 (/(2 5 4 4 4 ) 6 4 7 + 3 4 4 8 ) 4 + + 7 7 4 9 3 (//( (! )! & 1 2 : + 3 + (& (, + 3 + 3 ; + + 3< 6 = < >?3 6? Α Β Β Χ. Β Β Χ 7 3 Α / > Ε! : 1!

Leia mais

1 - Como abrir o programa KmPlot

1 - Como abrir o programa KmPlot O que é o KmPlot? O KmPlot é um software livre, que é ofertado pelo governo federal para as escolas da rede pública, com o intuito de auxiliar os professores de matemática no ensino de funções. O KmPlot

Leia mais

MATEMÁTICA A - 12o Ano N o s Complexos - Conjuntos e condições Propostas de resolução

MATEMÁTICA A - 12o Ano N o s Complexos - Conjuntos e condições Propostas de resolução MATEMÁTICA A - o Ano N o s Complexos - Conjuntos e condições Propostas de resolução Exercícios de exames e testes intermédios. Escrevendo i na f.t. temos i i = ρ cis α, onde: ρ = i i = + ) = tg α = = ;

Leia mais

γ φ φ φ χ Φ φ φ ρ Q λ ω φ φ φ φ φ φ φ φ φ φ φ φ ( ) χ χ & + = & [ ]{&& } + ([ ] + [ ]){ & } + [ ]{ } = { } [ ] [ ] [ ] {&& } [ ] { } { } {& } γ ψ γ φ γ = ψ + φ = = ψ φ = + + = + + φ = φ

Leia mais

BrOffice.org 2.4 Fórmula

BrOffice.org 2.4 Fórmula BrOffice.org 2.4 Fórmula Abril / 2008 ESTE MATERIAL FOI DESENVOLVIDO EM PARCEIRA ENTRE A COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO METRÔ E A BARROS MARTINS TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO EM INFORMÁTICA LTDA

Leia mais

Mathe. Um tipo para texto com suporte matemático. design por Gilmar Rodrigues

Mathe. Um tipo para texto com suporte matemático. design por Gilmar Rodrigues Mathe Um tipo para texto com suporte matemático design por Gilmar Rodrigues Mathe Mάθημα em grego significa conhecimento, aprendizado ou estudo. Mathe é uma família tipográfica de uso editorial com suporte

Leia mais

Exercícios sobre Trigonometria

Exercícios sobre Trigonometria Universidade Federal Fluminense Campus do Valonguinho Instituto de Matemática e Estatística Departamento de Matemática Aplicada - GMA Prof Saponga uff Rua Mário Santos Braga s/n 400-40 Niterói, RJ Tels:

Leia mais

Elementos de Matemática

Elementos de Matemática Elementos de Matemática Exercícios de Trigonometria - atividades didáticas de 2007 Versão compilada no dia 23 de Maio de 2007. Departamento de Matemática - UEL Prof. Ulysses Sodré E-mail: ulysses@matematica.uel.br

Leia mais

Universidade de Aveiro Departamento de Línguas e Culturas. João Ricardo Marques Valente. Ficções do Crepúsculo: Outrora Agora e A Sala Magenta

Universidade de Aveiro Departamento de Línguas e Culturas. João Ricardo Marques Valente. Ficções do Crepúsculo: Outrora Agora e A Sala Magenta Universidade de Aveiro Departamento de Línguas e Culturas 2010 João Ricardo Marques Valente Ficções do Crepúsculo: Outrora Agora e A Sala Magenta Universidade de Aveiro Departamento de Línguas e Culturas

Leia mais

Introdução ao Uso do Preparador de Documentos L A TEX

Introdução ao Uso do Preparador de Documentos L A TEX Introdução ao Uso do Preparador de Documentos L A TEX Prof. Dr. Carlos A. P. Campani campani@ufpel.edu.br Universidade Federal de Pelotas Prof. Dr. Claudio Beccari claudio.beccari@gmail.com ex-prof. do

Leia mais

Aula 12. Ângulo entre duas retas no espaço. Definição 1. O ângulo (r1, r2 ) entre duas retas r1 e r2 se define da seguinte maneira:

Aula 12. Ângulo entre duas retas no espaço. Definição 1. O ângulo (r1, r2 ) entre duas retas r1 e r2 se define da seguinte maneira: Aula 1 1. Ângulo entre duas retas no espaço Definição 1 O ângulo (r1, r ) entre duas retas r1 e r se define da seguinte maneira: (r1, r ) 0o se r1 e r são coincidentes, Se as retas são concorrentes, isto

Leia mais

OpenOffice.org 1.1.0 Fórmula

OpenOffice.org 1.1.0 Fórmula OpenOffice.org 1.1.0 Fórmula Setembro /2003 Versão 1.0 1 LICENCIAMENTO DE USO DESTA DOCUMENTAÇÃO Este manual foi elaborado e é de propriedade da Companhia do Metropolitano de São Paulo - Metrô, sendo seu

Leia mais

Iteração e Pontos Fixos

Iteração e Pontos Fixos Iteração e Pontos Fixos Iteração é um dos pontos chave da programação numérica. Iterar consiste em repetir uma mesma operação diversas vezes levando a uma aproximação cada vez melhor da solução exata.

Leia mais

L A TEX no moodle: um breve guia para o ignaro

L A TEX no moodle: um breve guia para o ignaro L A TEX no moodle: um breve guia para o ignaro Fernando Pestana da Costa Universidade Aberta, DCET fcosta@univ-ab.pt 7 de Agosto de 2007 Resumo Notas introdutória à utilização do L A TEX nos fóruns do

Leia mais

Informática no Ensino da Matemática

Informática no Ensino da Matemática Informática no Ensino da Matemática Humberto José Bortolossi http://www.professores.uff.br/hjbortol/ Lista de Exercícios 3 ATIVIDADE 1 (a) Sejam u =(a b)/(a + b), v =(b c)/(b + c) ew =(c a)/(c + a). Mostre

Leia mais

23 de maio de Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Grupo PET Computação. Curso de L A T E X- SEMAC 2013/1

23 de maio de Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Grupo PET Computação. Curso de L A T E X- SEMAC 2013/1 Curso de L A T E X- Marcelo Garlet Millani Carlos Eduardo Tussi Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Grupo PET Computação 23 de maio de 2013 1 2 3 4 5 6 Beamer Beamer 1 \

Leia mais

ALGORITMOS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO

ALGORITMOS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO ALGORITMOS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO PROF. FABIANO TAGUCHI http://fabianotaguchi.wordpress.com (66) 9953-7642 AULA 02 Revisão de conteúdos da aula passada Exercícios de revisão da aula 01 Estruturas condicionais

Leia mais

Exercícios sobre Trigonometria

Exercícios sobre Trigonometria Universidade Federal Fluminense Campus do Valonguinho Instituto de Matemática e Estatística Departamento de Matemática Aplicada - GMA Prof Saponga uff Rua Mário Santos Braga s/n 400-40 Niterói, RJ Tels:

Leia mais

Solução Comentada da Prova de Matemática

Solução Comentada da Prova de Matemática Solução Comentada da Prova de Matemática 01. Considere, no plano cartesiano, os pontos P(0,1) e Q(,3). A) Determine uma equação para a reta mediatriz do segmento de reta PQ. B) Determine uma equação para

Leia mais

MOODLE: Introdu c ao Lenimar Nunes de Andrade vers ao /agosto/2012

MOODLE: Introdu c ao Lenimar Nunes de Andrade vers ao /agosto/2012 MOODLE: Introdução Lenimar Nunes de Andrade lenimar@mat.ufpb.br versão 1.0 10/agosto/2012 Sumário 1 Primeiros passos com o MOODLE 1 1.1 Introdução....................................... 1 1.2 Login e senha.....................................

Leia mais

Manual de. Geometria Descritiva. António Galrinho

Manual de. Geometria Descritiva. António Galrinho Manual de Geometria Descritiva António Galrinho FICHA TÉCNICA Título Manual de Geometria Descritiva Autor António Galrinho Grafismo Do autor Edição 2ª - 2012 APRESENTAÇÃO Este livro apresenta uma compilação

Leia mais

Os fundamentos da Física Volume 3 1. Resumo do capítulo

Os fundamentos da Física Volume 3 1. Resumo do capítulo Os fundamentos da Física Volume 1 Capítulo 0 Física Nuclear AS FORÇAS FUNDAMENTAIS DA NATUREZA Força nuclear forte Mantém a coesão do núcleo atômico. Intensidade 10 8 vezes maior do que a força gravitacional.

Leia mais

Eletromagnetismo II. Prof. Daniel Orquiza. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho

Eletromagnetismo II. Prof. Daniel Orquiza. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho Eletromagnetismo II Prof. Daniel Orquiza Eletromagnetismo II Prof. Daniel Orquiza de Carvalho Onda Plana Uniforme no espaço livre (Capítulo 11 Páginas 375 a 384) Onda Plana Uniforme em dielétricos com

Leia mais

Trigonometria e relações trigonométricas

Trigonometria e relações trigonométricas Trigonometria e relações trigonométricas Em trigonometria, os lados dos triângulos retângulos assumem nomes particulares, apresentados na figura ao lado. O lado mais comprido, oposto ao ângulo de 90º (ângulo

Leia mais

Simbolização de Enunciados com Conectivos

Simbolização de Enunciados com Conectivos Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matemática Texto 4 Simbolização de Enunciados com Conectivos Sumário 1 Conectivos: simbolização e sintaxe 2 2 Enunciados componentes 5 2.1 Observações................................

Leia mais

Lista de Exercícios de Cálculo 3 Primeira Semana - 01/2016

Lista de Exercícios de Cálculo 3 Primeira Semana - 01/2016 Lista de Exercícios de Cálculo 3 Primeira Semana - 01/2016 Parte A 1. Se v é um vetor no plano que está no primeiro quadrante, faz um ângulo de π/3 com o eixo x positivo e tem módulo v = 4, determine suas

Leia mais

3.10 Lista de Símbolos Matemáticos

3.10 Lista de Símbolos Matemáticos 54 Editando Fórmulas Matemáticas 3.10 Lista de Símbolos Matemáticos Nas tabelas seguintes, você encontra todos os símbolos normalmente acessíveis em modo matemático. Para usar os símbolos listados nas

Leia mais

CUFSA - FAFIL Graduação em Matemática TRIGONOMETRIA (Resumo Teórico)

CUFSA - FAFIL Graduação em Matemática TRIGONOMETRIA (Resumo Teórico) 1 INTRODUÇÃO CUFSA - FAFIL Graduação em Matemática TRIGONOMETRIA (Resumo Teórico) ARCOS: Dados dois pontos A e B de uma circunferência, definimos Arco AB a qualquer uma das partes desta circunferência

Leia mais

1 Segmentos orientados e vetores, adição e multiplicação

1 Segmentos orientados e vetores, adição e multiplicação MAP2110 Modelagem e Matemática 1 o Semestre de 2007 Resumo 1 - Roteiro de estudos - 07/05/2007 Espaços vetoriais bi e tri-dimensionais (plano ou espaço bidimensional E 2, e espaço tridimensional E 3 )

Leia mais

Capítulo 9 Introdução ao Math

Capítulo 9 Introdução ao Math Guia do Iniciante Capítulo 9 Introdução ao Math O Editor de Equações do LibreOffice Direitos Autorais Este documento é protegido por Copyright 2010 por seus contribuidores listados abaixo. Você pode distribuir

Leia mais

Nanotutorial de comandos L A T E X para MOODLE

Nanotutorial de comandos L A T E X para MOODLE Notutoril de comdos L A T E X pr MOODLE Versão 1.9 Fev/2012 Je Pito-Goçlves jpito@dm.ufscr.br www.dm.ufscr.br/~jpito Notutoril de comdos LTeX pr MOODLE by Je Pito-Goçlves is licesed uder Cretive Commos.

Leia mais

Seleção de feições através de expressões no QGIS

Seleção de feições através de expressões no QGIS Seleção de feições através de expressões no QGIS 1. Introdução No QGIS, as feições podem ser selecionadas de diversas formas. A ferramenta permite selecionar feições individuais, através de retângulo,

Leia mais

Introdução ao Latex. Anderson Castro Soares de Oliveira

Introdução ao Latex. Anderson Castro Soares de Oliveira Castro Soares de Oliveira Tabelas Tabelas \begin{tabular}{ c l rc } \hline texto & texto & texto & texto \\ \hline \end{tabular} Colunas Multiplas Produto Preços cenouras R$1.00 (por Kg) R$0.20 (por unidade)

Leia mais

Lista de Exercícios de Cálculo 3 Primeira Semana

Lista de Exercícios de Cálculo 3 Primeira Semana Lista de Exercícios de Cálculo 3 Primeira Semana Parte A 1. Se v é um vetor no plano que está no primeiro quadrante, faz um ângulo de π/3 com o eixo x positivo e tem módulo v = 4, determine suas componentes.

Leia mais

NORMAS EDITORIAIS Artigos Arquivo Recensões bibliográficas

NORMAS EDITORIAIS Artigos Arquivo Recensões bibliográficas NORMAS EDITORIAIS Kléos, revista de publicação anual do Programa de Estudos em Filosofia Antiga da Universidade Federal do Rio de Janeiro, destina-se à divulgação de trabalhos concernentes à Filosofia

Leia mais

Conjunto dos Números Complexos

Conjunto dos Números Complexos Conjunto dos Unidade Imaginária Seja a equação: x + 0 Como sabemos, no domínio dos números reais, esta equação não possui solução, criou-se então um número cujo quadrado é. Esse número, representado pela

Leia mais

ERRATA. Ilya Lvovich Shapiro & Guilherme de Berredo Peixoto LF Editora, São Paulo, 2011

ERRATA. Ilya Lvovich Shapiro & Guilherme de Berredo Peixoto LF Editora, São Paulo, 2011 ERRATA Introdução à Mecânica Clássica Ilya Lvovich Shapiro & Guilherme de Berredo Peixoto LF Editora, São Paulo, 11 Esta Errata contém correções para o nosso livro Gostaríamos de agradecer aos alunos e

Leia mais

Ambiente Scilab Variáveis, expressões, comando de atribuição Entrada e Saída básica

Ambiente Scilab Variáveis, expressões, comando de atribuição Entrada e Saída básica Universidade Federal de Ouro Preto -UFOP Departamento de Computação - DECOM Programação de Computadores I BCC701 www.decom.ufop.br/moodle Ambiente Scilab Variáveis, expressões, comando de atribuição Entrada

Leia mais

Física. Física Moderna

Física. Física Moderna Física Física Moderna 1. Introdução O curso de física IV visa introduzir aos alunos os conceitos de física moderna através de uma visão conceitual dos fenômenos e uma abordagem simplificada das demonstrações.

Leia mais

1 Expressões, valores e tipos 1. 2 Variáveis e atribuições 5. cálculo de expressões segue a estrutura de parênteses e as prioridades dos operadores

1 Expressões, valores e tipos 1. 2 Variáveis e atribuições 5. cálculo de expressões segue a estrutura de parênteses e as prioridades dos operadores Nesta aula... Conteúdo 1 Expressões, valores e tipos 1 2 Variáveis e atribuições 5 1 Expressões, valores e tipos Expressões e valores Tipos programas calculam expressões para produzir valores cálculo de

Leia mais

Lista 4 com respostas

Lista 4 com respostas Lista 4 com respostas Professora Nataliia Goloshchapova MAT0 - semestre de 05 Exercício. Estude a posição relativa das retas r e s. (a) r : X = (,, ) + λ(,, ), s : (b) r : x y z = x y = 5 x + y z = 0,

Leia mais

Cálculo I IM UFRJ Lista 1: Pré-Cálculo Prof. Marco Cabral Versão Para o Aluno. Tópicos do Pré-Cálculo

Cálculo I IM UFRJ Lista 1: Pré-Cálculo Prof. Marco Cabral Versão Para o Aluno. Tópicos do Pré-Cálculo Cálculo I IM UFRJ Lista : Pré-Cálculo Prof. Marco Cabral Versão 7.03.05 Para o Aluno O sucesso (ou insucesso) no Cálculo depende do conhecimento de tópicos do ensino médio que chamaremos de pré-cálculo.

Leia mais

RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS II TORÇÃO PARTE I

RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS II TORÇÃO PARTE I RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS II TORÇÃO PARTE I Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-2 Objetivos Compreender o que é a deformação por torção Compreender os esforços que surgem devido à torção Determinar distribuição

Leia mais

REPLICAÇÃO DO DNA EM PROCARIOTOS E EUCARIOTOS

REPLICAÇÃO DO DNA EM PROCARIOTOS E EUCARIOTOS REPLICAÇÃO DO DNA EM PROCARIOTOS E EUCARIOTOS 1 O CICLO CELULAR E A REPLICAÇÃO DO DNA EM EUCARIOTOS Como acontece em procariotos? CARACTERÍSTICAS UNIVERSAIS DO MECANISMO DE REPLICAÇÃO DE DNA: SEMI-CONSERVATIVO

Leia mais

! # %!&% % # ()%&! & % &% # # % &%! +, #! %!%. / ( % # 0 / )1 2 %3 /%!!

! # %!&% % # ()%&! & % &% # # % &%! +, #! %!%. / ( % # 0 / )1 2 %3 /%!! ! # %!&% % # ()%&! & % &% # # % &%! +, #! %!%. / ( % # 0 / )1 2 %3 /%!! iii ! # % & & & iv ! # #! %!#& ( )! +!!,(!! % # #. + # / 0 1!! 2! 1! +!! v 1 1 1! 1 1 1 3 %! (! 2 3!,(!! / % 1 1 3. 3 3 4 3 1! 1

Leia mais

Trigonometria. Trigonometria no Triângulo Retângulo. Pré-Cálculo. Trigonometria. Humberto José Bortolossi. Parte 7. trigonometria

Trigonometria. Trigonometria no Triângulo Retângulo. Pré-Cálculo. Trigonometria. Humberto José Bortolossi. Parte 7. trigonometria Pré-Cálculo Humberto José Bortolossi Departamento de Matemática Aplicada Universidade Federal Fluminense Trigonometria Parte 7 Parte 7 Pré-Cálculo 1 Parte 7 Pré-Cálculo 2 Trigonometria trigonometria Trigonometria

Leia mais

Trigonometria. Trigonometria no Triângulo Retângulo. Pré-Cálculo. Trigonometria. Humberto José Bortolossi. Parte 6. trigonometria

Trigonometria. Trigonometria no Triângulo Retângulo. Pré-Cálculo. Trigonometria. Humberto José Bortolossi. Parte 6. trigonometria Pré-Cálculo Humberto José Bortolossi Departamento de Matemática Aplicada Universidade Federal Fluminense Trigonometria Parte 6 Parte 6 Pré-Cálculo 1 Parte 6 Pré-Cálculo 2 Trigonometria trigonometria Trigonometria

Leia mais

3. Achar a equação da esfera definida pelas seguintes condições: centro C( 4, 2, 3) e tangente ao plano π : x y 2z + 7 = 0.

3. Achar a equação da esfera definida pelas seguintes condições: centro C( 4, 2, 3) e tangente ao plano π : x y 2z + 7 = 0. Universidade Federal de Uerlândia Faculdade de Matemática Disciplina : Geometria Analítica (GMA00) Assunto: Superfícies, Quádricas, Curvas e Coordenadas Professor Sato 4 a Lista de exercícios. Determinar

Leia mais

Linguagem Haskell. Riocemar S. de Santana

Linguagem Haskell. Riocemar S. de Santana Linguagem Haskell Riocemar S. de Santana Haskell, o que é? É uma linguagem de programação puramente funcional, de propósito geral. Nomeada em homenagem ao matemático americano Haskell B. Curry (1900 1982).

Leia mais

6-1. Capitulo 6- Método de Priestley-Taylor para evapotranspiração de referência ETo

6-1. Capitulo 6- Método de Priestley-Taylor para evapotranspiração de referência ETo de referência ETo 6.1 Introdução O Método de Priestley-Taylor é uma simplificação das equações de Penman e de Penman-Monteith. Apresenta a vantagem de se exigir menos dados. Este método é também citado

Leia mais

Reginaldo J. Santos. Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi regi@mat.ufmg.br. 9 de dezembro de 2002

Reginaldo J. Santos. Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi regi@mat.ufmg.br. 9 de dezembro de 2002 INTRODUÇÃO AO L A TEX Reginaldo J. Santos Departamento de Matemática-ICEx Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi regi@mat.ufmg.br 9 de dezembro de 2002 Introdução ao L A TEX

Leia mais

1 a Lista de Exercícios

1 a Lista de Exercícios 1 a Lista de Exercícios Prof. Ms. Ricardo Leite Matemática para Engenharia Unisal September 8, 01 Exercise 1. AVILA, G. Variáveis Complexas e Aplicações, 000. Pág. 8 Exercício 8 Dados três vértices de

Leia mais

Introdução: A necessidade de ampliação dos conjuntos Numéricos. Considere incialmente o conjunto dos números naturais :

Introdução: A necessidade de ampliação dos conjuntos Numéricos. Considere incialmente o conjunto dos números naturais : Introdução: A necessidade de ampliação dos conjuntos Numéricos Considere incialmente o conjunto dos números naturais : Neste conjunto podemos resolver uma infinidade de equações do tipo A solução pertence

Leia mais

Algoritmos RESUMO - LINGUAGEM C

Algoritmos RESUMO - LINGUAGEM C Algoritmos RESUMO - LINGUAGEM C 1 Sintaxe da linguagem C Componentes reconhecidos pela linguagem C (sintaxe da linguagem): tipos propriedades dos dados; declarações partes do programa, podendo dar significado

Leia mais

! " # $ % & ' # % ( # " # ) * # +

!  # $ % & ' # % ( #  # ) * # + a Aula 69 AMIV ' * + Fórmula de De Moivre Dado z = ρe e Concluímos por indução que = ρ cos θ + i sen θ C temos z = ρe ρe = ρ e z = zz = ρe ρ e = ρ e z = ρ e para qualquer n N e como ρ e ρ e = ρ e pôr n

Leia mais

TESTES. 5. (UFRGS) Os ponteiros de um relógio marcam duas. horas e vinte minutos. O menor ângulo entre os ponteiros é

TESTES. 5. (UFRGS) Os ponteiros de um relógio marcam duas. horas e vinte minutos. O menor ângulo entre os ponteiros é TESTES (UFRGS) O valor de sen 0 o cos 60 o é 0 (Ufal) Se a medida de um arco, em graus, é igual a 8, sua medida em radianos é igual a ( /) 7 (6/) (6/) (UFRGS) Os ponteiros de um relógio marcam duas horas

Leia mais

Relembrando: Ângulos, Triângulos e Trigonometria...

Relembrando: Ângulos, Triângulos e Trigonometria... Relembrando: Ângulos, Triângulos e Trigonometria... Este texto é apenas um resumo. Procure estudar esses assuntos em um livro apropriado. Ângulo é a região de um plano delimitada pelo encontro de duas

Leia mais

Programação de Computadores:

Programação de Computadores: Instituto de C Programação de Computadores: Introdução ao FORTRAN Luis Martí Instituto de Computação Universidade Federal Fluminense lmarti@ic.uff.br - http://lmarti.com Introdução ao FORTRAN Cinco aspectos

Leia mais

Radianos e Graus. Prof. Márcio Nascimento.

Radianos e Graus. Prof. Márcio Nascimento. Prof. Márcio Nascimento marcio@matematicauva.org Universidade Estadual Vale do Acaraú Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Curso de Licenciatura em Matemática Disciplina: Matemática Básica II - 2015.1

Leia mais

Exercícios e questões de Álgebra Linear

Exercícios e questões de Álgebra Linear CEFET/MG Exercícios e questões de Álgebra Linear Versão 1.2 Prof. J. G. Peixoto de Faria Departamento de Física e Matemática 25 de outubro de 2012 Digitado em L A TEX (estilo RevTEX). 2 I. À GUISA DE NOTAÇÃO

Leia mais

Trigonometria. Reforço de Matemática Básica - Professor: Marcio Sabino - 1 Semestre 2015

Trigonometria. Reforço de Matemática Básica - Professor: Marcio Sabino - 1 Semestre 2015 Trigonometria Reforço de Matemática ásica - Professor: Marcio Sabino - 1 Semestre 015 1. Trigonometria O nome Trigonometria vem do grego trigo-non triângulo + metron medida. Esta é um ramo da matemática

Leia mais

Apostila de Matemática 06 Trigonometria

Apostila de Matemática 06 Trigonometria Apostila de Matemática 06 Trigonometria.0 Triângulo Retângulo. Introdução Quanto mais o ângulo ou o índice, mais íngreme o triângulo retângulo é. ÍNDICE Altura Afastamento Área do Triângulo Retângulo:

Leia mais

MÉTODOS MATEMÁTICOS. Claudia Mazza Dias Sandra Mara C. Malta

MÉTODOS MATEMÁTICOS. Claudia Mazza Dias Sandra Mara C. Malta MÉTODOS MATEMÁTICOS Claudia Mazza Dias Sandra Mara C. Malta 1 Métodos Matemáticos Aulas: De 03/11 a 08/11-8:30 as 11:00h Ementa: 1. Funções 2. Eq. Diferenciais Ordinárias de 1 a ordem 3. Sistemas de Equações

Leia mais

Questão 1 Questão 2. Resposta. Resposta

Questão 1 Questão 2. Resposta. Resposta Questão 1 Questão Um jogo consiste num dispositivo eletrônico na forma de um círculo dividido em 10 setores iguais numerados, como mostra a figura. A figura mostra um sistema rotativo de irrigação sobre

Leia mais

Linguagens de Programação Aula 13

Linguagens de Programação Aula 13 Linguagens de Programação Aula 13 Celso Olivete Júnior olivete@fct.unesp.br Na aula passada Suporte para a programação orientada a objetos 2 Na aula de hoje Programação Funcional Linguagem Haskell 3 Roteiro

Leia mais