DESENVOLVIMENTO DE PESQUISA EM CLOUD COMPUTING NO IFC - CÂMPUS CAMBORIÚ 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENVOLVIMENTO DE PESQUISA EM CLOUD COMPUTING NO IFC - CÂMPUS CAMBORIÚ 1"

Transcrição

1 Msta Nacinal Iniciaçã Cintífica Tcnlógica Intisciplina VI MICTI Institut Fal Catainns Câmpus Cambiú 30 a 31 utub 2013 DEENVOLVIMENTO DE PEQUIA EM CLOUD COMPUTING NO IFC - CÂMPU CAMBORIÚ 1 Dig Alvs a Rcha 2 ; Auj Tau Cavalca Ana 3 INTRODUÇÃO Empsas, iaiamnt buscam fmas iéias qu pssibilitm a mlhia s tabalhs, assim cm a maximizaçã s lucs p las btis. Paa ist, utiliza s mais ivss mis paa uzi custs, mlha putia, aplicaçã tcnlgias. N cnái munial tcnlgia, a uma iscussã cscnt sb nvas fmas acssa/utiliza s cmputas, atavés cncit nmina Clu Cmputing u Cmputaçã m Nuvm (CHAVE t al, 2010). A Cmputaçã m Nuvm, num cntxt gal, f-s à iéia utilizams as mais vaiaas aplicaçõs, inpnnt platafma, p mi a intnt, cm a msma facilia cm acss a máquina lcal. Cm st nv ml, a utilizaçã máquinas físicas psas, qu m tmps s tnaã bslta, assim cm utilizaçã técnics paa manutnçã stas, nã sá ncssáia, iminuin assim s custs cm sts quipamnts pssal timiza cuss financi as mpsas. Algumas utas vantagns pm s apntaas pla utilizaçã st ml, tais cm cita p Olivia t. Al (2011) ptabilia cumnts, aumnt n p aplicaçõs, platafma inpnnt facilia abstaçã. Dnt ss cntxt, uma Nuvm p ispnibiliza ivss sçs, nt s quais stacas p Olivia t. Al (2011) também (CHAVE t al, 2011), s pincipais sã s sguints: Infastuctu-as-a- sc (Iaa Infastutua cm ç), sftwa-as-a-sc (aa ftwa cm ç), an platfm-as-a-sc (Paa Platafma cm ç). 1 O psnt tabalh fi aliza cm api CNPq, Cnslh Nacinal Dsnvlmnt Cintífic Tcnlógic Basil 2 Alun Institut Fal Catainns, Cambiú. Cus Bachala m istmas infmaçã. 3 Pfss Ointa Institut Fal Catainns, Cambiú. Cus Bachala m istmas infmaçã.

2 Msta Nacinal Iniciaçã Cintífica Tcnlógica Intisciplina VI MICTI Institut Fal Catainns Câmpus Cambiú 30 a 31 utub 2013 tatan abagência, inpnntmnt sua class sç, sã classificaas, m sua maiia, m tês catgias: Nuvm Pública, Nuvm Pivaa Híbia (BUYYA t. al, 2011). Dsafis sã taças na finiçã nvs mls tcnlógics, incumbin-ns a aquii nvs cnhcimnts sb assunt. Dsta fma, cnhc funcinamnt a Nuvm Cmputacinal, su ptncial, impacts statégics, tna-s ssncial paa vluçã infastutua tcnlgia a infmaçã sua gstã statégica. PROCEDIMENTO METODOLÓGICO O tabalh fi aliza n pí Julh 2012 a final Julh Dsnvl nt labatói psquisas GEATI Gup stus Avanças m Tcnlgia a Infmaçã Institut Fal Catainns - Campus Cambiú. Após uma psquisa as famntas ispnívis n mca paa implmntaçõs Cmputaçã m Nuvm, ptu-s pla utilizaçã a famnta Xn Clu Platafm (XCP), na sua vsã 1.6, a mais atualizaa. Cnfm scit n sit a famnta, Xn Clu Platfm (XCP) - pjt cóig abt, qu fnc um cnjunt cmplt tualizaçã cm Xn Hyps. O XCP 1.6 pssui váias funcinalias paa sm aplicaas m tualizaçã Cmputaçã m Nuvm, cm algumas as quais pms cita: - Capacia gnciamnt cnjunt s - upt a gaantia LA (ial paa clu públicas) - upt a psitóis amaznamnt avanças. P s uma famnta Opn uc (Cóig Abt), sm cust licnça u manutnçã (famnta liv), pssui uma cmunia clabativa apiaa pla Linux Funatin. O pjt p s ncnta n sit na qual p - s bt mais infmaçõs sb msm. Paa gnciamnt sta platafma, ptu-s pla intfac nminaa XnCnt 6.1, qu é istibuia gatuitamnt pla mpsa Citix, a qual pssui a famnta Xnv, a vsã cmcial XCP. A sclha basus as aspcts intgaçã facilia implmntaçã. Na figua 1 pms

3 Msta Nacinal Iniciaçã Cintífica Tcnlógica Intisciplina VI MICTI Institut Fal Catainns Câmpus Cambiú 30 a 31 utub 2013 nchga cnái a nuvm cmputacinal scits. pl sçs, cnfm Figua 1 - Ml a Aquittua a Nuvm Pjt Usuáis Gncia Xn v 1.6 Nuvm Pivaa Máquinas Vituais s cm XCP Cm cuss físics paa implmntaçã pjt, utilizu s s ispnibilizas pl GEATI. REULTADO E DICUÕE Cm pjt cnstatu-s a xistência n mca ivsas famntas paa implmntaçã Cmputaçã m Nuvm, assim cm também as ivsificaas aplicaçõs qu s p stina a Nuvm Cmputacinal. Fi pssívl bsva a tnência cscnt mca nssa vtnt, qu mana caa vz mais pfissinais qualificas spcializas na áa. Divsas mpsas stã implmntan Cmputaçã m Nuvm m sus ngócis, st qu a sta TEMA ERPRO (ç Fal Pcssamnt Das) publicu nta psquisa alizaa pla Fst & ullivan a stimativa qu s ngócis m Nuvm n Basil vá csc cca 74% m 2013, gan uma cita U$ 320 milhõs.

4 Msta Nacinal Iniciaçã Cintífica Tcnlógica Intisciplina VI MICTI Institut Fal Catainns Câmpus Cambiú 30 a 31 utub 2013 Finalizan, fi pssívl mnta uma Nuvm xpimntal, sn pssívl cia um ambint passívl tualizaçã, pssibilitan váis sçs nt uma msma stutua. Cnsguiu-s também tsta a pssibilia ciaçã um Pl s, qu cnsist m agupa mais uma máquina, implmntan um balancamnt caga amplian smpnh a stutua. CONIDERAÇÕE FINAI O pjt pmitiu infi sb as vantagns na utilizaçã a cmputaçã m nuvm. A tnência aplicabilia nas mpsas ncssia pfissinais spcializas paa mpg sluçõs m Nuvm. Paa futus tabalhs, amplia a stutua aumntan p pcssamnt amaznamnt, pssibilitan assim a utilizaçã a Nuvm paa ivss tips sçs. Também pssibilia aplica tsts cm famntas mnitamnt smpnh paa vifica cmptamnt sç stima a qualia limit msm. Out pnt qu p s tabalha é a qustã a sguança na Nuvm, quant a cnfiabilia intgia s as qu sã mantis nsta stutua. Apsa cncit sta m vluçã, amplia sua utilizaçã, vifican sua matuia tcnlgia, pmit uma utilizaçã aquaa cuss aplicaçõs. REFERÊNCIA BUYYA, R, BROBERG, G, A. Clu cmputing: pincipls an paaigms..l: Wily, p. CHAVE,.A. URIARTE, R. B. WETPHALL, C.B Implantan Mnitan uma Nuvm Pivaa.In: WORKHOP EM CLOUD, GRID E APLICAÇÕE (WCGA), , Gama. Anais...Pt Alg: BC, P CHAVE,.A. URIARTE, R. B. WETPHALL, C.B Twa an Achitctu f Mniting Pivat Clus. IEEE Cmmunicatins Magazin. v. 49, n. 12, p , z.2011.

5 Msta Nacinal Iniciaçã Cintífica Tcnlógica Intisciplina VI MICTI Institut Fal Catainns Câmpus Cambiú 30 a 31 utub 2013 OLIVEIRA, L.C;MOZZAQUATRO, P.M. CUNHA, D. P Clu Cmputing: intgaçã ambint tual apnizagm Ml a sistma EyO. In: Encnt Anual Tcnlgia a Infmaçã, 2. anta Maia. Anais...Dispnívl m: <http://www.cafw.ufsm.b/ati/2011/anais/atigs/91330.pf>. Acss m: 30 ab ERVIÇO FEDERAL DE PROCEAMENTO DE DADO Cmputaçã m Nuvm Cscá m 2013.Rsta Tma: A Rsta ERPRO, an.38, n.217, p.33, ma/ab, 2013.

03-05-2015. Sumário. Campo e potencial elétrico. Energia potencial elétrica

03-05-2015. Sumário. Campo e potencial elétrico. Energia potencial elétrica Sumáio Unidad II Elticidad Magntismo 1- - Engia potncial lética. - Potncial lético. - Supfícis quipotnciais. Movimnto d cagas léticas num campo lético unifom. PS 22 Engia potncial lética potncial lético.

Leia mais

Mecânica dos Materiais. Instabilidade de Colunas. Tradução e adaptação: Victor Franco

Mecânica dos Materiais. Instabilidade de Colunas. Tradução e adaptação: Victor Franco Mcânica dos Matiais Instabilidad d Colunas 10 Tadução adaptação: Victo Fanco Rf.: Mchanics of Matials, B, Johnston & DWolf McGaw-Hill. Mchanics of Matials, R. Hibbl, asons Education. Estabilidad d Estutuas

Leia mais

01. A equação de Clapeyron, válida para os gases ideais ou perfeitos, é dada pela expressão . Utilizando a análise dimensional,

01. A equação de Clapeyron, válida para os gases ideais ou perfeitos, é dada pela expressão . Utilizando a análise dimensional, FÍSCA 0. A quaçã d Clapyn, válida paa s ass idais u pfits, é dada pla xpssã pv nrt. Utilizand a anális dimnsinal, a dimnsã da cnstant univsal ds ass pfits R é A) ML TNθ -. ) MLT - N - θ -. D) ML T - N

Leia mais

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14 Eu só qu u xdó Músic n scl: xcíci 14 Eu só qu u xdó Ptitus Mi, hni lt Aut: Dinguinhs stáci Rgiã: Pnbuc : 1973 Fix: 14 Anj: Edsn Jsé Alvs Músics: Edsn Jsé Alvs vilã Pvt clints, sx t Jsé Alvs Sbinh Zzinh

Leia mais

Plano Anual de atividades 2015/2016 1ºPeriodo

Plano Anual de atividades 2015/2016 1ºPeriodo Anua atividas 2015/2016 1ºPid Atividas a aiza Ecíci vacuaçã Assciaçã atística andant tat Afina Íbis 1ª Runiã ga ncagads ducaçã Mês da aimntaçã, atividas pmçã paa a saú Gup av Pésca Pésca Pésca Pésca Rcuss

Leia mais

SOLUÇÃO DA EQUAÇÃO DE LAPLACE PARA O POTENCIAL DE LIGAÇÃO IÔNICA

SOLUÇÃO DA EQUAÇÃO DE LAPLACE PARA O POTENCIAL DE LIGAÇÃO IÔNICA SOLUÇÃO D EQUÇÃO DE LPLCE PR O POTENCIL DE LIGÇÃO IÔNIC Bathista,. L. B. S., Ramos, R. J., Noguia, J. S. Dpatamnto d Física - ICET - UFMT, MT, v. Fnando Coa S/N CEP 786-9 Basil, -mail: andlbbs@hotmail.com

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Sistema de Contas Nacionais Brasil Referência 2010. Nota Metodológica nº 10

DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Sistema de Contas Nacionais Brasil Referência 2010. Nota Metodológica nº 10 DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC Sistma Contas Nacionais Basil Rfência 2010 Nota Mtoológica nº 10 Ativia Financia (vsão paa infomação comntáios) Vsão 2 Abil 2015 1 Intoução

Leia mais

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia brlim sã l brlim santg rcif curi sul punta dl st rma sul nrnha r rcif rcif garpabacapa nrnha mntvidéu r barilch punta dl st mació sã paul mació sul capadóc r mnt SUPER sã l ngóci gramad turism FÉRIAS crprat

Leia mais

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem PSI-2432: Projto Implmntação d Filtros Digitais Projto Proposto: Convrsor d taxas d amostragm Migul Arjona Ramírz 3 d novmbro d 2005 Est projto consist m implmntar no MATLAB um sistma para troca d taxa

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativ Centr de Saúde 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.. Tds s direits reservads. A ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.

Leia mais

Criando Valor para o Negócio com a Solução SAP para Gestão de Capital Humano

Criando Valor para o Negócio com a Solução SAP para Gestão de Capital Humano Crian Valor o Ngócio a SAP Gstão Capital Hno Grans Grans Dsafi Dsafi na na Gstão Gstão Rcurs Rcurs Hn Hn Gstão Talnt Gstão Talnt Atrair rtr o talnto quan o mrca é Atrair Atrair Atrair rtr rtr rtr talnto

Leia mais

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt FÍSICO-QUÍMICA 9. ANO Manual Tabla Priódica (frta a alun) Fichas (frta a alun) Apis Áudi (fichirs mp para dwnlad) Cadrn d Atividads (inclui Fichas d Labratóri) Cadrn d Labratóri Matriais Manipulávis Dssir

Leia mais

INTERFACES DA FOLGA ORGANIZACIONAL COM INOVAÇÃO: UM ESTUDO EM EMPRESA TÊXTIL

INTERFACES DA FOLGA ORGANIZACIONAL COM INOVAÇÃO: UM ESTUDO EM EMPRESA TÊXTIL INTERFACES DA FOLGA ORGANIZACIONAL COM INOVAÇÃO: UM ESTUDO EM EMPRESA TÊXTIL Fancil Bck Doutoanda m Contoladoia Contabilidad na FEA/USP Mst m Ciências Contábis pla Univsidad Rgional d Blumnau Endço: Av.

Leia mais

Prova Escrita de Matemática A

Prova Escrita de Matemática A Eam Final Nacional do Ensino Scundáio Pova Escita d Matmática A 1.º Ano d Escolaidad Dcto-Li n.º 139/01, d 5 d julho Pova 635/1.ª Fas Citéios d Classificação 1 Páginas 014 Pova 635/1.ª F. CC Página 1/

Leia mais

Clique para editar o estilo do subtítulo mestre

Clique para editar o estilo do subtítulo mestre AGÊNCIA ESTADUAL DE EXECUÇÃO DOS PROJETOS DA COPA DO MUNDO DO PANTANAL FIFA 2014 GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO MOBILIDADE URBANA Cliqu paa ita til ubtítul mt Ditia Planjamnt Gtã Nvmb / 2010 A p 1 Plan

Leia mais

RECURSOS HUMANOS ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO

RECURSOS HUMANOS ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO RECURSOS HUMANOS Intduçã Cncits dfiniçã Digms d flux d pcsss Gáfics d flux d pcsss Estud d cs: DDT d FPFutbl Intduçã Cncits dfiniçã Digms d flux d pcsss Gáfics d flux d pcsss Estud d cs: DDT d FPFutbl

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

MUDANÇA TAMBÉM NO PENT ÁGONO

MUDANÇA TAMBÉM NO PENT ÁGONO ESTRATÉGAS MUNDO MUDANÇA TAMBÉM NO PENT ÁGONO Dptmnt Dfs s Ests Unis stá pmvn çmnt munçs m su psquis, uzin ênfs n snvlvimnt ms invstin mis m bilgi, ciênci cmputçã, ciêncis sciis. Zchy Lmnis, it psquis

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

Identificação Veicular

Identificação Veicular >> O INSTITUTO DE INFORMÁTICA (INF) >> OS PROJETOS > SIGMA Sistma Infrmaçã Ggráfica para Mnitramnt Ambintal frma, srá invstigad as qustõs prtinnts a utilizaçã tiqutas RFID para rastramnt vículs, talhs

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

TRANSFORMADA DISCRETA DE FOURIER. Prof. M.A.Garms

TRANSFORMADA DISCRETA DE FOURIER. Prof. M.A.Garms RSORMD DISCRE DE OURIER Pof. M..Gas UIP - 2 ELERÔIC EMBUID Co a volução da Micoltôica a dissiação dos coputados, todas as áas d aplicação da Eghaia Elética foa ivadidas po quipatos basados pocssados digitais.

Leia mais

tre L' y 4or, n p g ;q..40, A /... 401#' 1 / #114/ f ... Il PREJUDICA 4110f Af \. I - ) v n / 1 1::: 11 1::: is! n::1 ;:i C) C) e ui LIDO HOJE.

tre L' y 4or, n p g ;q..40, A /... 401#' 1 / #114/ f ... Il PREJUDICA 4110f Af \. I - ) v n / 1 1::: 11 1::: is! n::1 ;:i C) C) e ui LIDO HOJE. LDO HOJE. n Ai 0 2 -- ÀS COMSSÕES DE: nual 9)50.;.:)...(á 3 i / J. 99 5 j::'(445:,dw).., 0... E 3 S... A T :: V () H P. / 9 5 c-.4 7-- Õ.t_ cem A CaARA 3:CPLL PREJUDCA C.', n id e. 't t. :. de j. el a

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Cálculo I

Lista de Exercícios 4 Cálculo I Lista d Ercícis 4 Cálcul I Ercíci 5 página : Dtrmin as assínttas vrticais hrizntais (s istirm) intrprt s rsultads ncntrads rlacinand-s cm cmprtamnt da funçã: + a) f ( ) = Ants d cmçar a calcular s its

Leia mais

Secção de Mecânica Estrutural e Estruturas Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura ESTÁTICA Arquitectura 2006/07

Secção de Mecânica Estrutural e Estruturas Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura ESTÁTICA Arquitectura 2006/07 Scção d Mcâica Estutual Estutuas Dpatamto d Eghaia Civil Aquitctua ESTÁTICA Aquitctua 2006/07 ESTÁTICA 0. Apstação Objctivo (gal): Aális stutual d stutuas isostáticas paa acçõs státicas, cálculo d sfoços

Leia mais

Numeração. Classificação. Doenças Assunto. Seguro Público para Assistência Médica Tema. "Kenko Hoken" Seguro de Saúde. 1 Exemplos de Situações

Numeração. Classificação. Doenças Assunto. Seguro Público para Assistência Médica Tema. Kenko Hoken Seguro de Saúde. 1 Exemplos de Situações Numraçã 8-4-2 Nívl d cnsulta 3 Classificaçã Dnças Assunt Sgur Públic para Assistência Médica Tma "Knk Hkn" Sgur d Saúd 1 Exmpls d Situaçõs Estu trabalhand m uma mprsa japnsa. Dsj sabr s há algum sgur para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Instituto de Ciências Exatas e Biológicas. Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Instituto de Ciências Exatas e Biológicas. Mestrado Profissional em Ensino de Ciências UNIERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Instituto d Ciências Exatas Biológicas Mstado Pofissional m Ensino d Ciências Slção da pimia tapa d avaliação m Física Instuçõs paa a alização da pova Nst cadno sponda

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Smstr/2015 Ensin Técnic Códig: 0262 ETEC ANHANGUERA Municípi: Santana d Parnaíba Cmpnnt Curricular: Gstã Emprsarial Módul: 1 Eix Tcnlógic: Sgurança C. H. Smanal: 2,5 Habilitaçã

Leia mais

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis Sã Pul cpt mir prt s fluxs rs, cm mstr zn influênci ptncil, rginl, lcl s rprts Ri Jnir, vis-vis principis rprts vizinhs - Sã Pul, Mins Gris Espírit Snt 148 Sã ftrs strtgics ligs rprts n snvlvimnt rginl

Leia mais

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos 2º/3º cicl s O Ã Ç T N E M I d pguns u m mu um p z pdms f ps O qu sudávl? blnç d i c n c id p Sá d p d n cm p, ic mbém é g á s n v ic. Dsc ís f m f civ b id v m u i d lóics. c s impânc s g õs sb ç n s

Leia mais

D e A, respectivamente. Após a. transferência de energia eles encontram-se nos respectivos estados D e

D e A, respectivamente. Após a. transferência de energia eles encontram-se nos respectivos estados D e TRNSFERÊNCI E ENERGI NÃO RITIV Tansência d ngia não adiativa na scala nanoscópica, nvolvndo átomos moléculas, é um pocsso d gand impotância na natuza. Nss pocsso não há missão absoção d ótons; a ngia é

Leia mais

A Influência do Capital Intelectual sobre a Performance dos Projetos de Software

A Influência do Capital Intelectual sobre a Performance dos Projetos de Software Influência Intlctual sbr Prfrmanc s Prjt Sftwar MUNIÇÃ DS RESULTDS D drian r, ran B. T. Mrals, Dr. (rintar), Paul M. Slig, Dr. (crintar) PRGRM DE PÓS-GRDUÇÃ EM ENGENRI E GESTÃ D NEIMENT UNIVERSIDDE FEDERL

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

ÍNDICE SEÇÃO 1. NOMES DAS PEÇAS Nomes das Peças... 2 Acessórios Padrão... 3

ÍNDICE SEÇÃO 1. NOMES DAS PEÇAS Nomes das Peças... 2 Acessórios Padrão... 3 ÍNDICE SEÇÃO 1. NOMES DAS PEÇAS Noms das Pças... 2 Acssóios Padão... 3 SEÇÃO 2. PREPARANDO-SE PARA COSTURAR Ligando a Máuina à Font d Engia... 3 Pdal... 3 Alavanca do Pé Calcado... 4 Contol d Ponto Rvso...

Leia mais

Cap.2 LEIS DO MOVIMENTO

Cap.2 LEIS DO MOVIMENTO Cap. LEIS DO MOVIMENTO Históia: dsd os filósofos ggos A Estática = É pat da mcânica qu tata da anális dos copos m pouso. Sócats, Platão Aistótls são os tês maios filósofos da Antiguidad. Foam também gands

Leia mais

Modelagem de Carga Mecânica

Modelagem de Carga Mecânica Univsia Fal Minas Gais Dpatamnto Engnhaia Elética ogama ós-gauação m Engnhaia Elética Molagm Caga Mcânica - Ano: 03 of. Slênio Rocha Silva Dpto. Eng. Elética slnios@.ufmg.b Dinâmica Motos Eléticos - Unia

Leia mais

Planificação de Ciências Naturais. 9.ºAno. Alterações climáticas

Planificação de Ciências Naturais. 9.ºAno. Alterações climáticas Planificação d Ciências Naturais 9.ºAno Altraçõs climáticas Inês Hnriqus Sandra Mnds Tma: Biosfra Aula n.º: 1 Duração: 90 minutos Introdução à unid Altraçõs climáticas. Biosfra, concito importância. Dgração

Leia mais

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL)

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL) 4. Método das Aproimaçõs Sucssivas ou Método d Itração Linar MIL O método da itração linar é um procsso itrativo qu aprsnta vantagns dsvantagns m rlação ao método da bisscção. Sja uma função f contínua

Leia mais

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade.

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade. Informação - Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Duração da prova: 120 minutos / 24.06.2013 12º Ano Escolarida Curso Tcnológico

Leia mais

F G. m 2. Figura 32- Lei da gravitação Universal de Newton e Lei de Coulomb.

F G. m 2. Figura 32- Lei da gravitação Universal de Newton e Lei de Coulomb. apítul 3-Ptencal eletc PÍTULO 3 POTEIL ELÉTRIO Intduçã Sabems ue é pssível ntduz cncet de enega ptencal gavtacnal pue a fça gavtacnal é cnsevatva Le de Gavtaçã Unvesal de ewtn e a Le de ulmb sã mut paecdas

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

Rede de Melhoria da Gestão para o Desenvolvimento da Cadeia Nacional de

Rede de Melhoria da Gestão para o Desenvolvimento da Cadeia Nacional de Rd d Mlhia da Gsã paa Dsnvlvimn da Cadia Nacinal d Fncds d Bns Sviçs da bas 49ª Runiã d Fóum Nacinal d QC 24 maç 2010 d nid Dua Guimaãs ETROBRAS Cnxualizaçã da ciaçã da d d gsã lan d Ngócis da bas 2009-2013

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

É tempo de bola! Projetos temáticos

É tempo de bola! Projetos temáticos Projetos temáticos ÇÃ NNT scola: Nome: ata: / / Turma: É tempo de bola! STTV m tempo de opa do undo, os alunos se sentem motivados a buscar informações sobre os jogos, os países e as seleções participantes.

Leia mais

3 Proposição de fórmula

3 Proposição de fórmula 3 Proposição fórmula A substituição os inos plos juros sobr capital próprio po sr um important instrumnto planjamnto tributário, sno uma rução lgal a tributação sobr o lucro. Nos últimos anos, a utilização

Leia mais

alpha número 8 O VELOCISTA PURO SANGUE INGLÊS A ARTE de MoRAR com REquINTE

alpha número 8 O VELOCISTA PURO SANGUE INGLÊS A ARTE de MoRAR com REquINTE alha alha a l h a a l h a OLANDO BuNNO JAHAA LANA DEL EY an 2 - núm 8 - $ 14,90 6,30 viagm música cinma gasnmia dsign blza a O Cnnái d Tha Municial d Sã Paul Galáags: cuis aquiélag A ARTE d MRAR cm REquINTE

Leia mais

Principais Informações

Principais Informações Principais Infrmações Quem é Benefix Sistemas? Frmada pr ex-executivs e equipe de tecnlgia da Xerx d Brasil, que desenvlvem e suprtam sluções e estratégias invadras para setr públic, especializada dcuments

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

5ª LISTA DE EXERCÍCIOS - CINEMÁTICA

5ª LISTA DE EXERCÍCIOS - CINEMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE FÍSICA DEPARTAMENTO DE FÍSICA DA TERRA E DO MEIO AMBIENTE CURSO: FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I E SEMESTRE: 2008.1 5ª LISTA DE EXERCÍCIOS - CINEMÁTICA Cnsidee

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Cleber Giorgetti Assessoria e Consultoria. Business & Strategy Marketing & Sales Products & Services Technology & Innovation

Cleber Giorgetti Assessoria e Consultoria. Business & Strategy Marketing & Sales Products & Services Technology & Innovation Cb Gg A C B & Sgy Mkg & S P & Sv Thgy & v Qm Sm N m 2002, mp v x mp çm bjv gó, m m f óg, pb-h m mpv. Apçã hm é gó q vé xpê 20 f, q xm pçõ gã m pçõ m: G Tg, Avy, L Thg, B Lb, AT&T, SD T,. R m p m gó g,

Leia mais

Operações comuns em transportes

Operações comuns em transportes paçõ cmu m tapt Ex Wk (EXW) : aplica- a qualqu mdal d tapt; b ã tgu a dpdêcia d vdd (igm), m cagamt, ã ã dmbaaçad paa xptaçã. = ic = ut Vdd mpad ai (A): aplica- a qualqu mdal d tapt; b ã tgu a taptad digad

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO NAIR FORTES ABU-MERHY TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO DO PARQUE TECNOLÓGICO 2011-2013 Tcnologia d Informação - FEAP 1 - Rlação

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

Versão 4.0. Central IT Governança Corporativa PROJETO 78. Documento de Entrega. Fábrica. Deploy 1.0.0-Beta. Produto: CitSmart GRP

Versão 4.0. Central IT Governança Corporativa PROJETO 78. Documento de Entrega. Fábrica. Deploy 1.0.0-Beta. Produto: CitSmart GRP Central IT Gvernança Crprativa Versã PROJETO 78 Dcument de Entrega de Deply da Fábrica Deply 1.0.0-Beta Prdut: CitSmart GRP 2/7 FO-098 Versã: Dcument de Entrega de Deply da Fábrica Históric de Revisã Data

Leia mais

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO GLOSSÁRIO PREV PEPSICO A T A A ABRAPP Aã Aã I Aí I R ANAPAR A A M A A A Lí Aá S C é ç í ê çõ 13ª í ã. Açã B E F Pê P. Cí ê, ã ê. V Cê Aã P ( á). N í, - I R P Fí (IRPF), S R F, à í á, ( 11.053 2004), çã.

Leia mais

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como:

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como: ASSOCIAÇÃO EDUCACIONA DOM BOSCO FACUDADE DE ENGENHAIA DE ESENDE ENGENHAIA EÉICA EEÔNICA Disciplina: aboratório d Circuitos Elétricos Circuitos m Corrnt Altrnada EXPEIMENO 9 IMPEDÂNCIA DE CICUIOS SÉIE E

Leia mais

3. Elementos de Sistemas Elétricos de Potência

3. Elementos de Sistemas Elétricos de Potência Sistemas Eléticos de Potência. Elementos de Sistemas Eléticos de Potência..4 apacitância e Susceptância apacitiva de Linhas de Tansmissão Pofesso:. Raphael Augusto de Souza Benedito E-mail:aphaelbenedito@utfp.edu.b

Leia mais

2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA]

2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA] 2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA] Plan Anual de Expressã Plástica An Letiv 2012/2013 Intrduçã: A Arte é cm um vulcã, alg que brta espntaneamente, alg que vem d interir, das entranhas, d

Leia mais

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC)

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) 1 III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) III.3.1. DEFINIÇÃO A tecnlgia HFC refere-se a qualquer cnfiguraçã de fibra ótica e cab caxial que é usada para distribuiçã lcal de serviçs de cmunicaçã faixa

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pgógica (4) (5) Mtas Rorganizar a distribuição dos discnts. Elaborar uma Política d contratação gstão d pssoal Rvisar o Projto Pgógico. Rstruturar

Leia mais

CURSOS COM SAÍDA. Remuneração (ilíquida) Até 3 Meses. Até 6 Meses. Contrato s/termo 60-75% 65-89% --- --- --- ---

CURSOS COM SAÍDA. Remuneração (ilíquida) Até 3 Meses. Até 6 Meses. Contrato s/termo 60-75% 65-89% --- --- --- --- MINHO PORTO COVILHÃ COIMBRA S COM SAÍDA DATA Taxa d Emprgabilidad Ants da 3 Mss 6 Mss Rmunração c/trmo 08.St.09 MINHO Eng. Mcânica Mdicina Univ. do Minho 60-75% 65-89% --- --- --- Áras d Tcnologias Sistmas

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE DE VALORES EXTREMOS DA PRECIPITAÇÃO MÁXIMA DE 24 HORAS DE BELÉM DO PARÁ

DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE DE VALORES EXTREMOS DA PRECIPITAÇÃO MÁXIMA DE 24 HORAS DE BELÉM DO PARÁ DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE DE VALORES ETREMOS DA MÁIMA DE 24 HORAS DE BELÉM DO PARÁ Mauro Mndonça da Silva Mstrando UFAL Mació - AL -mail: mmds@ccn.ufal.br Ant Rika Tshima Gonçalvs UFPA Blém-PA -mail:

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Dados da Empesa Razão Social: Pé Vemelho Ensino Pofissionalizante SS LTDA Nome Fantasia: BIT Company Data de fundação: 23/05/2009

Leia mais

Visão Geral Métodos construtivos Métodos construtivos O Mercado Visão de Negócios Alguns números Principais diferenciais

Visão Geral Métodos construtivos Métodos construtivos O Mercado Visão de Negócios Alguns números Principais diferenciais Shw C TÓPICOS Vã Gl Mé cv Mé cv O Mc Vã Ngóc Alg ú Pcp fc Rl N vç Pc Q fz Vã Gl A ESTRUTURA ECOLÓGICA CONSTRUTORA, g c l é c cçã à v pcpçã q lz écc clógc. Sb p v é pf pívl v, p g cl c fã. N çã ppc c, c

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete,

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete, Cpítul 3 N ã p! Abu! On já viu? Et qu é n! Cê minh mã? Qun mnin chgm p jg nqul ming, qu ncntm? Um gup mnin. D cmit, têni, clçã muit ipiçã. E g? Afinl, qum tinh ti qul ii mluc? D qun vcê gtm futl? pguntu

Leia mais

Resistência dos Materiais IV Lista de Exercícios Capítulo 2 Critérios de Resistência

Resistência dos Materiais IV Lista de Exercícios Capítulo 2 Critérios de Resistência Lista de Execícios Capítulo Citéios de Resistência 0.7 A tensão de escoamento de um mateial plástico é y 0 MPa. Se esse mateial é submetido a um estado plano de tensões ocoe uma falha elástica quando uma

Leia mais

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas Cm s trnar flunt m Inglês m tdas as áras Tds s dias rcbms muits -mails pssas rm sabr pm fazr aprnr a falar ingls bm A fórmula xist sim funcina! Qur prvar iss dand minha própria xpriência cm aprndizad da

Leia mais

alpha número 8 O VELOCISTA PURO SANGUE INGLÊS A ARTE de MoRAR com REquINTE

alpha número 8 O VELOCISTA PURO SANGUE INGLÊS A ARTE de MoRAR com REquINTE alha alha a l h a a l h a OLANDO BuNNO JAHAA LANA DEL EY an 2 - núm 8 - $ 14,90 6,30 viagm música cinma gasnmia dsign blza a O Cnnái d Tha Municial d Sã Paul Galáags: cuis aquiélag A ARTE d MRAR cm REquINTE

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

Datas das próximas viagens da UFMG. Sondagem do solo em Lagedo e Riacho

Datas das próximas viagens da UFMG. Sondagem do solo em Lagedo e Riacho Ano 2 Lagdo, Domingo, 31 d maio d 2015 N o 12 Datas das próximas viagns da UFMG Data Casa 12 29 d maio a 31 d maio d 2015 Alcion/Paulo 13 26 d junho a 28 d junho d 2015 Gralda/Antônio 14 24 d julho a 26

Leia mais

Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade em Software PBQPS - Ciclo 2005. Encontro da Qualidade e Produtividade em Software RECIFE

Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade em Software PBQPS - Ciclo 2005. Encontro da Qualidade e Produtividade em Software RECIFE Programa Brasiliro da Qualida Produtivida m Softwar PBQPS - Ciclo 2005 Encontro da Qualida Produtivida m Softwar RECIFE Data: 26 27 stmbro 2005 Local: Hotl Villa Rica Promoção: Ministério da Ciência Tcnologia

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira S 1- Litt, Lit Rflxã 3- t D q vz? Jé Rid Mi Cpítl 1 P gt Td é di pfit p l: U liv lgl, d lid. E t d di fz d! P Hê: U di vô lá íti, vid hitói d tp q l id gt. P Hit: Ah, di d ihd, it l, it ág, it hi! P L:

Leia mais

SOGILUB.NET MANUAL DO UTILIZADOR

SOGILUB.NET MANUAL DO UTILIZADOR SOGILUB.NET MANUAL DO UTILIZADOR Índice Intrduçã... 3 Aspect Gráfic... 4 Regist na aplicaçã... 5 Recuperaçã de Códigs de Acess... 6 Área Reservada... 8 Entrar na Área Reservada... 8 Editar Perfil... 9

Leia mais

Análise Biomecânica e Tratamento de Lesões na Marcha e Corrida

Análise Biomecânica e Tratamento de Lesões na Marcha e Corrida CURSO Análise Bimecânica e Tratament de Lesões na Marcha e Crrida ANÁLISE BIOMECÂNICA E TRATAMENTO DE LESÕES NA MARCHA E CORRIDA INTRODUÇÃO Este curs irá mudar a maneira de tratar ds seus utentes e diagnsticar

Leia mais

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ)

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) Este case apresenta a aplicaçã da sluçã Elipse E3 para aprimrar mnitrament da temperatura encntrada

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIAS ANUAL Exercício de 2011 -

PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIAS ANUAL Exercício de 2011 - 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIAS ANUAL Execíci 2011 - ÓRGÃO/ENTIDADE PEÇAS E CONTEÚDOS - EERCÍCIO 2011 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Sã Paul 2013 1 1 INTRODUÇÃO Este Manual tem a finalidade de servir à nrmalizaçã da elabraçã de Trabalhs de Cnclusã de Curs TCC pr mei de artigs científics,

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

GND = 3-ODC 609.710.488 RP = 2 - DESPESA PRIMÁRIA DISCRICIONÁRIA 609.710.488. Sequencial Programa / Ação + Subtítulo

GND = 3-ODC 609.710.488 RP = 2 - DESPESA PRIMÁRIA DISCRICIONÁRIA 609.710.488. Sequencial Programa / Ação + Subtítulo OAMAÇÃO ASSÍVL CACLAMTO M MAS MAJAMTO (LOA-2008) COMISSÕS MATS - O SUBÁA TMÁTICA/ (Art. 45 e Anexo da e. 01/2006-C) - Valore em $ MIISTÉIO O SVOLVIMTO, IÚSTIA COMÉCIO XTIO 714.049.940 = 3-OC 609.710.488

Leia mais

Melhoria contínua da qualidade do ensino

Melhoria contínua da qualidade do ensino 1. OBJETIVO Est procdimnto visa normalizar as ativis snvolvis no âmbito mlhoria contínua quali do nsino dos cursos ministrados na Escola Naval (EN). 2. CAMPO DE APLICAÇÃO O prsnt procdimnto é aplicávl

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE GERADOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO CONECTADO ASSINCRONAMENTE À REDE MONOFÁSICA

DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE GERADOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO CONECTADO ASSINCRONAMENTE À REDE MONOFÁSICA DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE GERADOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO CONECTADO ASSINCRONAMENTE À REDE MONOFÁSICA LIMA, Nélio Neves; CUNHA, Ygho Peteson Socoo Alves MARRA, Enes Gonçalves. Escola de Engenhaia Elética

Leia mais

V300 Séries. Excelente controle de temperatura para caminhões pequenos e furgões

V300 Séries. Excelente controle de temperatura para caminhões pequenos e furgões V300 Séris Exclnt control caminhõs pqus furgõs A obtr Exclnt smpnho Alta confiabili Manutnção fácil Montagm frontal ou tto Construção pacta séri ofrc ofrc xclnt xclnt AAAséri séri ofrc xclnt A séri ofrc

Leia mais

Alteração da seqüência de execução de instruções

Alteração da seqüência de execução de instruções Iníci Busc d próxim Excut Prd Cicl busc Cicl xcuçã Prgrm Sqüênci instruçõs m mmóri Trdutr : Cmpilr X Intrprtr / Linkditr Cnvrt prgrm-fnt m prgrm bjt (lingugm máqui) Prgrm cmpil = mis rápi Prgrm Intrprt

Leia mais

Arcos e ângulos Adote π=3,14 quando necessário.

Arcos e ângulos Adote π=3,14 quando necessário. Prof. Liana Turmas: 1C17/27/37 Sgundo trimstr Ângulos Complmntars Suplmntars 1. Qual é o ângulo qu xcd o su suplmnto m 66? 2. Dtrmin um ângulo sabndo qu o su suplmnto xcd o próprio ângulo m 70. 3. Qual

Leia mais

w2-49-, 01 PL PROJETO DE LEÍ 01-0846/1995

w2-49-, 01 PL PROJETO DE LEÍ 01-0846/1995 (2-4- LIDO HOJE AS COMISSÕES DE: S E I 995 nnnnnnnnnnnnnnnnnnnn w2-49-, 01 PL PROJETO DE LEÍ 01-0846/1995 Dnmina "Praça Marcus França Trrs" a Praça VI, cadlg 46.573-9, situada n Distrit d Jaraguá - JAR.

Leia mais

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro.

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro. INEC AUDITRIA Prof. CLAUDECIR PATN ESPECIALIZAÇÃ EM : GERÊNCIA CNTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITRIA TURMA III 1 Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 utubro. CNTRLE - Concitos; - Auditoria Control Intrno; - Importância

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

Estudo do Acoplamento Acústico-Estrutural de uma Estrutura do Tipo Casca Cilíndrica Uniforme

Estudo do Acoplamento Acústico-Estrutural de uma Estrutura do Tipo Casca Cilíndrica Uniforme UNIVERSIDDE FEDERL DE ITJUBÁ PRÓ-DIRETORI DE PESQUIS E PÓS-GRDUÇÃO PROGRM DE PÓS-GRDUÇÃO EM ENGENHRI MECÂNIC DISSERTÇÃO DE MESTRDO Estudo do coplamnto cústico-estutual d uma Estutua do Tipo Casca Cilíndica

Leia mais

A DERIVADA DE UM INTEGRAL

A DERIVADA DE UM INTEGRAL A DERIVADA DE UM INTEGRAL HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. O cálculo o valor a rivaa um ingral ocorr com cra frquência na via profissional físicos, químicos, ngnhiros, conomisas ou biólogos. É frqun, conuo,

Leia mais

Vedação. Fig.1 Estrutura do comando linear modelo ST

Vedação. Fig.1 Estrutura do comando linear modelo ST 58-2BR Comando linea modelos, -B e I Gaiola de esfeas Esfea Eixo Castanha Vedação Fig.1 Estutua do comando linea modelo Estutua e caacteísticas O modelo possui uma gaiola de esfeas e esfeas incopoadas

Leia mais

Propagação de sinais senoidais em um cabo coaxial

Propagação de sinais senoidais em um cabo coaxial Disipina: Ondas Prpaaçã Prf.: Dr. Airtn Rams Univrsidad d Estad d Santa Catarina Cntr d Ciênias Tnóias CCT Dpartamnt d Ennharia Eétria Labratóri d Etrmantism E-3 Prpaaçã d sinais snidais m um ab axia O

Leia mais

Criação, Design e Implementação de Soluções Educacionais Corporativas. www.braune.com.br

Criação, Design e Implementação de Soluções Educacionais Corporativas. www.braune.com.br Criação, Dsign Implmntação Soluçõs Eucacionais Corporativas www.braun.com.br QUEM SOMOS Somos uma mprsa xclência na art ucar gstors-lírs organizaçõs com foco m aspctos o comportamnto humano no ambint organizacional.

Leia mais

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION Orin Versã 7.74 TABELAS Clientes Na tela de Cadastr de Clientes, fi inserid btã e um camp que apresenta códig que cliente recebeu após cálcul da Curva ABC. Esse btã executa

Leia mais

Questão 2. Questão 1. Resposta. Resposta

Questão 2. Questão 1. Resposta. Resposta Instruções: Indique claramente as respstas ds itens de cada questã, frnecend as unidades, cas existam Apresente de frma clara e rdenada s passs utilizads na resluçã das questões Expressões incmpreensíveis,

Leia mais