.NET Framework. Visual Basic.NET, C1 Slide 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ".NET Framework. Visual Basic.NET, C1 Slide 1"

Transcrição

1 .NET Framework A.NET Framework define o ambiente para executar aplicações desenvolvidas em VB.NET, C#.NET, C++.NET, ou outras desenvolvidas para a.net Framework. O Visual Studio.NET é um pacote de produtos que permite desenvolver aplicações nas linguagens apontadas no ponto anterior. Dois dos principais componentes da.net Framework são:.net Framework Class Library providencia um conjunto de classes, organizadas numa estrutura hierárquica, que podem ser utilizadas para desenvolver aplicações.net. As classes relacionadas são organizadas em grupos designados por namespcaces..net Common Language Runtime (CLR) providencia os serviços necessários (gestão de memória, execução de código, segurança, etc.) para executar aplicações desenvolvidas numa qualquer linguagem.net. Também fornece o Common Type System, que define os tipos de dados que são utilizados pelas linguagens.net. Todas as linguagens.net são compiladas para uma linguagem comum intermédia (IL). Visual Basic.NET, C1 Slide 1

2 .NET Framework.NET Applications Visual Basic.NET Visual C#.NET Visual C++.NET Other languages.net Framework.NET Framework Class Library Windows Forms classes ASP.NET classes Other classes Common Language Runtime Managed applications Common Type System Intermediate Language Operating System and Hardware Windows 2000 Windows XP Other Operating Systems Visual Basic.NET, C1 Slide 2

3 Compilação e execução de uma aplicação VB.NET 1. O programador utiliza o Visual Studio.NET para criar um projecto (project) que pode incluir um ou mais ficheiros VB fonte. Em alguns casos, um projecto pode conter outros tipos de ficheiros, tais como ficheiros de som, de imagem, etc.. Uma Solução (solution) contém projectos. Nas aplicações simples, uma solução contém apenas um projecto. Embora, nas aplicações mais complexas, uma solução possa conter mais do que um projecto. 2. O compilador de Visual Basic traduz o código fonte para a IL. Esta linguagem é armazenada no disco num assembly que também contém referências para as classes que a aplicação requer. Um assembly é um ficheiro executável que tem a extensão.exe ou.dll. 3. O assembly pode depois ser executado em qualquer PC que tenha instalado a.net CLR. Quando o assembly é executado, a CLR converte a IL para código nativo que pode ser corrido pelo sistema operativo Windows. A CLR é também responsável pela gestão de memória, segurança, etc. Embora, actualmente, a CLR esteja apenas disponível para SO Windows, é possível que venha a estar também disponível para outros SO (Unix, Linux, ). Por outras palavras, a CLR torna possível uma independência de plataforma Visual Basic.NET, C1 Slide 3

4 Compilação e execução de uma aplicação VB.NET Visual Studio.NET.NET Framework Integrated Development Environment Visual Basic compiler Common Language Runtime Solution Project Assembly Intermediate Language (IL) Source files Class references Visual Basic.NET, C1 Slide 4

5 Uma aplicação Windows Forms Visual Basic.NET, C1 Slide 5

6 Uma aplicação Web Forms Visual Basic.NET, C1 Slide 6

7 Introdução à programação OO Quando se implementa um Windows Form através do VS.NET IDE está-se a utilizar programação OO. Quando se inicia um projecto através do Windows Application Template, está-se a criar uma nova classe que herda as características da classe Form pertencente à.net Class Library. Quando se corre o formulário, está-se a criar uma instância dessa classe, que é, portanto, um objecto. Do mesmo modo, quando se adiciona um controlo a um formulário, está-se a a adicionar um objecto ao formulário. Cada controlo é, então, uma instância de uma determinada classe. Por exemplo, um controlo TextBox é um objecto que é uma instância da classe TextBox. Visual Basic.NET, C1 Slide 7

8 Introdução à programação OO Uma classe representa uma estrutura de programação que define as características de um objecto. Uma classe é uma abstracção do objecto e não o próprio objecto, do mesmo modo que uma planta é uma abstracção de uma casa e não a própria casa. Um objecto é uma instância da classe e representa uma unidade que combina código e dados. A interface de um objecto consiste num conjunto claramente definido de propriedades, métodos e eventos. A este conjunto dá-se, comummente, o nome de membros do objecto. As propriedades representam as características de um objecto. Os métodos representam as acções que um objecto pode realizar. Construtor (NEW) encarrega-se de preparar todo o ambiente quando o objecto é criado e carregado na memória. Destrutor realiza determinadas operações quando o objecto é libertado da memória. Os eventos representam sinais aos quais os objectos podem reagir. Visual Basic.NET, C1 Slide 8

9 Introdução à programação OO Herança é a descrição de uma classe usando propriedades e métodos de outra(s) classe(s). A herança acontece quando umaa classe herda características de outra classe. A classe da qual se herda é chamada de classe-mãe ou classe base e a classe que herdou é chamada de subclasse ou de classe filha. A herança pressupõe que se possam alterar (override) ou excluir as propriedades ou métodos originais, assim como incluir outros. Note-se que uma subclasse apenas herda as propriedades e métodos da classe base, mas não herda os construtores nem os eventos da classe base. Polimorfismo é a capacidade que os objectos têm de responder a uma mensagem de maneiras diferentes. Isto é, através do conceito de polimorfismo, é possível que duas ou mais classes possam definir uma propriedade ou um método com o mesmo nome, mas com diferentes implementações. Assim, o procedimento que é executado quando se refere a um membro com esse nome depende da classe que está a ser utilizada para criar o objecto. O polimorfismo é um resultado natural da herança de classes. Visual Basic.NET, C1 Slide 9

10 Introdução à programação OO Encapsulamento protecção que o objecto dá às suas propriedades e aos seus métodos, de modo a que nenhum agente externo tenha acesso a elas sem as solicitar. Por outras palavras, o conceito de encapsulamento torna possível que se possam esconder alguns dados e operações (através da palavra chave Private) do objecto. O conceito de encapsulamento permite que se altere o código de uma classe sem afectar as outras classes que utilizam essa classe. Assim, pode-se pensar numa classe como uma caixa preta que disponibiliza propriedades e métodos. Visual Basic.NET, C1 Slide 10

11 Vamos considerar os seguintes elementos e estruturas fundamentais que são habitualmente usados em programação: Tipos de Dados Operadores Atribuições Entrada e Saída de Dados Estruturas de Controlo Procedimentos Visual Basic.NET, C1 Slide 11

12 Os dados num programa podem ser utilizados sob a forma de constantes ou de variáveis: Constantes são valores que se mantêm inalterados dentro de um programa; Variáveis são entidades que podem assumir diferentes valores ao longo da execução do programa. As variáveis são utilizadas para armazenar dados. Cada variável tem associado um determinado tipo de dados. Tipos de dados Simples Estruturados Definidos pelo Utilizador Visual Basic.NET, C1 Slide 12

13 Tipos de dados simples O VB, tal como a maioria das linguagens de programação de alto nível, tem definidos vários tipos de dados: Boolean - para valores lógicos, Verdadeiro ou Falso Byte um inteiro positivo de 0 a 255. Short um inteiro entre e Integer - Inteiro entre e Long - Inteiro entre e Single - para Números reais com Precisão Simples. Decimal - para Números reais com Precisão Dupla. Date para lidar com datas (entre 1 de Janeiro de 100 e 31 de Dezembro de 9999). String Valores alfanuméricos. Char para um único carácter. Object para referenciar objectos. Visual Basic.NET, C1 Slide 13

14 Valores predefinidos para os tipos de dados simples Todos os tipos de dados numéricos -0 Boolean False Date 12:00 a.m. Janeiro 1, 0001 String ou object Nothing Char valor binário 0 Se não se definir um tipo de dados para uma variável, o tipo de dados que lhe vai ser associado, por defeito, é o tipo de dados object. Se não se declarar um valor inicial para uma variável, ela vai receber um valor predefinido, de acordo com o tipo de dados que lhe estiver associado. Quando um valor numérico é convertido para um valor booleano, o valor zero tornase false e todos os outros valores tornam-se true. Quando um valor booleano é convertido para uma valor numérico, um valor false torna-se zero e um valor true torna-se -1. Visual Basic.NET, C1 Slide 14

15 Declaração de variáveis A associação de um tipo a uma variável é feita aquando da declaração da variável. O tipo de uma variável condiciona os dados que ela pode conter. Assim, é necessário ter consciência do tipo de dados com que se deseja que ela venha a lidar. Sintaxe para declarar uma variável {DIM PRIVATE PUBLIC STATIC} nomedavariável [AS tipodedados] [= expressão] DIM declara uma variável que pode ser utilizada dentro de um procedimento ou dentro de parte desse procedimento. Isso é determinado pela localização da instrução DIM no procedimento. PRIVATE declara uma variável que pode ser utilizada pelos procedimentos dentro de uma classe ou módulo. PUBLIC -declara uma variável que pode ser utilizada por todas as classes e módulos de um projecto. STATIC - declara uma variável que retém o seu valor de uma execução de um procedimento para a outra. As palavras chave DIM, PRIVATE, PUBLIC STATIC determinam o âmbito da variável, isto é, a parte do código que pode utilizar essa variável. Visual Basic.NET, C1 Slide 15

16 Exemplo de declaração de variáveis Dim x, y AS Integer Dim x AS Integer, y AS Integer Dim z AS String, y AS Integer Dim x Dim y AS Integer Dim x AS Object Dim y AS Integer Se não for especificado um valor inicial para a variável, é considerado o valor predefinido para o tipo de dados associado à variável. Dim x AS Object, y AS Integer Visual Basic.NET, C1 Slide 16

17 Declaração de constantes Sem grande rigor, podemos dizer que as constantes são variáveis globais às quais é dado um valor inicial não alterável. Em todo o código é sempre usado o nome da constante (e não o valor em si), pelo que se desejarmos alterar essa configuração, basta alterar o valor dado na declaração da constante. Sintaxe básica de declaração de constantes: [{ [{ Public Public Private Private }] }] Const Constnomedaconstante [As [Astipodadoscons] = valor valor A sintaxe é semelhante à das varáveis. A principal diferença reside no facto de se usar a palavra-chave Const e ainda de ser necessário indicar, de imediato, o valor que se quer atribuir à constante. Visual Basic.NET, C1 Slide 17

18 Exemplos de declaração de constantes ' Declara uma cosntante Public String Public Const MinhaString As String = "HELP" ' Declara uma constante Private Integer -- válida apenas no seu contexto de declaração Private Const MeuInt As Integer = 5 As constantes declaradas num procedimento Sub, Function, ou Property são locais a esse procedimento. Uma constante declarada fora de um procedimento é definida ao longo da classe, módulo, ou estrutura na qual é declarada. Visual Basic.NET, C1 Slide 18

19 Declaração de Enumerations Uma Enumeration representa um conjunto de constantes relacionadas. As enumerations definidas pelo VB.NET são comummente utilizadas para definir valores de propriedades de objectos, entre outras coisas. Sintaxe básica de declaração de enumerations: [Public [Public Private] Enum Enumnomedaenumeration [As [Astipodadosenumeration] nomedaconstante1 nomedaconstante2.... End EndEnum Enum Para mostrar a lista das constantes de uma enumeration na janela de edição de código, deve-se escrever o nome da enumeration, seguido do operador.. Visual Basic.NET, C1 Slide 19

20 Operadores Em VB. NET, dispomos essencialmente de 4 tipos de operadores: aritméticos, relacionais, lógicos e para cadeias de caracteres. Operadores Aritméticos São utilizados para levar a cabo cálculos matemáticos Operador Significado Exemplo + Adição = 4 - Subtracção 2-2 = 0 * Multiplicação 2 * 2 = 4 / Divisão 17 / 5 = 3,4 \ Parte inteira da 17 \ 5 = 3 divisão Mod Resto da 17 Mod 5 = 2 divisão inteira ^ Exponenciação 2 ^ 3 = 8 Visual Basic.NET, C1 Slide 20

21 Operadores relacionais São utilizados para comparar valores Operador Significado < Menor que <= Menor ou igual a > Maior que >= Maior ou igual a = Igual a <> Diferente de De uma expressão envolvendo um operador relacional resulta sempre um valor (True ou False) que atesta a veracidade dessa expressão. Visual Basic.NET, C1 Slide 21

22 Exemplo: 5 < 4 Vale False A interpretação da relação entre valores depende do seu tipo de dados. Visual Basic.NET, C1 Slide 22

23 Operadores Aritméticos A relação entre valores numéricos baseia-se na sua ordem quando dispostos num eixo de valores tal como o conhecemos da matemática. A relação entre cadeias de caracteres (string) baseia-se na sua ordem alfanumérica. Exemplo: -5 < 2 < 4 < 5 1 < 10 < 1006 < 184 < 2 < 30 < bom < bons Para entender melhor a ordenação alfanumérica deve-se observar a tabela ASCII Visual Basic.NET, C1 Slide 23

24 Operadores lógicos comuns NOT Operador negação Significado And Se ambas as expressões forem true, devolve true OR Se uma expressão for true, devolve true Pode-se utilizar os operadores lógicos para criar condições compostas. Estes operadores são utilizados na álgebra de Boole, isto é em operações lógicas (operações sobre os valores verdadeiro e falso). Em VB.NET os valores lógicos são True (para verdadeiro) e False (para falso). Visual Basic.NET, C1 Slide 24

25 Operadores para cadeias de Caracteres A concatenação de duas cadeias de caracteres é a operação que as junta numa única cadeia. Operador Significado Exemplo & Concatenação bom & dia vale bom dia + Concatenação bom + dia vale bom dia Exemplo: vale 2034 e não 54 Visual Basic.NET, C1 Slide 25

26 Precedências dos Operadores Este problema põe-se quando numa expressão existem vários operadores. Exemplo: Sabemos da da matemática que: que: 2+3*4-5 é equivalente a 2 + (3*4) 5 e não não a(2+3) * Quando quisermos construir uma expressão que envolva diferentes operadores temos de ter em atenção a tabela de precedência dos operadores que se apresenta a seguir. Visual Basic.NET, C1 Slide 26

27 Precedências dos Operadores Tabela de Precedências dos Operadores ^ - (sinal negativo) *, / \ Mod +, - & =, <>, <, >, <=, >=, Like, Is Not And Or Xor Notas: Os operadores aritméticos têm sempre precedência sobre os operadores relacionais e ambos têm precedência sobre os operadores lógicos. Todos os operadores relacionais têm a mesma precedência entre si. Quando estamos perante operadores com o mesmo nível de precedência eles devem ser considerados na ordem em que se apresentam, lendo da esquerda para a direita. Visual Basic.NET, C1 Slide 27

28 Exemplo: 2 * 4 / 8 / 5 * 7 é equivalente a ( ( ( 2*4 ) / 8 ) / 5 ) * 7 Quando queremos forçar uma determinada ordem na consideração dos operadores de uma expressão, utilizamos parêntesis. Visual Basic.NET, C1 Slide 28

29 Precedências dos Operadores As As operações dentro de de parêntesis devem ser ser sempre avaliadas antes antes de de qualquer outra outra operação. Exemplo: 3 ( 4 +6 / (3 1 )) * 5 Começa por calcular 3 1 (porque é o que está dentro do parêntesis mais interior), de que resulta 2. De seguida Ter-se-á então que calcular 4+6/2 (de novo, é o que está dentro de parêntesis). Daí resulta 7 (note-se que nesta expressão temos de avaliar primeiro a divisão e só depois a soma). Por fim, ficamos com 3-7*5, que resulta em 32. Visual Basic.NET, C1 Slide 29

30 Instruções de atribuição De nada serve efectuar uma qualquer operação se o seu resultado não for devidamente guardado numa variável. Para isso temos as atribuições Assim que o valor resultante de uma operação estiver guardado numa variável, ele pode ser utilizado em subsequentes expressões, bastando para tal invocar essa variável. Visual Basic.NET, C1 Slide 30

31 Exemplos: a = b = 2 * a + 1 O tipo de valor resultante no lado direito da atribuição tem de ser compatível com o tipo de dados da variável a que o valor é atribuído (lado esquerdo da atribuição). Visual Basic.NET, C1 Slide 31

32 O VB. NET disponibiliza vários operadores de atribuição, para além do comum operador sinal de igual (=). Exemplos (assuma-se i = 13 e s = Olá ): Operador Exemplo Descrição Resultado += i += 5 i = i + 5 i = 18 -= i-= 6 i = i -6 i = 7 *= i *= 2 i = i * 2 i = 26 \= i \= 2 i = i \ 2 i = 6 ^= i ^= 2 i = i ^2 i = 169 &= s &= mundo s = s & mundo Olá mundo Visual Basic.NET, C1 Slide 32

33 Saída de dados Em VB.NET pode-se utilizar o método Show da classe MessageBox para apresentar uma caixa de texto ao utilizador. Sintaxe básica do método Show da classe MessageBox: MessageBox.Show (Text (Text[,[, Caption] [, [, Buttons] [, [, Icon] Icon] [, [, DefaultButton]) Text mensagem de texto a apresentar. Este é o único argumento obrigatório. Caption apresenta uma legenda na barra de título da caixa de mensagem. Buttons especifica os botões que aparecem na caixa de mensagem (OK, OKCancel, YesNo, YesNoCancel,RetryCancel, AbortRetryIgnore). Icon especifica o icon que aparece na caixa de mensagem (Information, Error, Warning, Exclamation, Question, Asterisk, Hand, Stop, None). DefaultButton especifica o botão que é activado quando o utilizador pressiona a tecla Enter. Em VB.NET pode-se apenas mostrar três botões numa caixa de mensagem. Visual Basic.NET, C1 Slide 33

34 Exemplo de saída de dados If MessageBox.Show( Deseja sair?, Sair, MessageBoxButtons.YesNo, MessageBoxIcon.Question) = DialogResult.Yes Then ME.Close Else txtzzz.focus End IF Constantes da enumeration DialogResult: OK, Cancel, Yes, No, Abort, Ignore, None Visual Basic.NET, C1 Slide 34

35 Entrada de dados Em VB.NET a função InputBox apresenta uma mensagem numa caixa de diálogo, espera por uma entrada de dados do utilizador e devolve uma string. Sintaxe básica da função InputBox: InputBox (Text (Text[,[, Caption] [, [, DefaultResponse]) Text mensagem de texto a apresentar na caixa de diálogo. Este é o único argumento obrigatório. Caption apresenta uma legenda na barra de título da caixa de diálogo. DefaultResponse apresenta a expressão que deve ser considerada como a resposta predefinida, caso o utilizador não efectue nenhuma entrada de dados. Se este argumento for omitido, a caixa de texto apresentada na caixa de diálogo vai aparecer vazia. Visual Basic.NET, C1 Slide 35

36 Estruturas de Controlo O VB.NET tem diversas estruturas de controlo que podemos utilizar para controlar o fluxo de execução dos programas Decisão ou Selecção Condicionais Alternativas Condicionais Selectivas Com Contador If-Then-Else Select Case For-Next For-Each-Next Repetição Com base numa Condição Do-Loop Visual Basic.NET, C1 Slide 36

37 Estruturas Condicionais As estruturas condicionais são utilizadas quando queremos que o comportamento de uma certa parte do programa esteja dependente de uma determinada condição. Estruturas Condicionais Alternativas Forma mais simples de estrutura condicional Condições do tipo: Exemplo Se...Então...Senão Se chover então vou estudar Se chover então vou estudar, senão vou ao cinema Visual Basic.NET, C1 Slide 37

38 Estruturas Condicionais Apenas se pode utilizar uma linha If condição Then Acção1 [Else Acção2] 1ª linha termina com Then No fim tem que se colocar End If If condição Then Acção1 ElseIf Condição Then Acção2 Else Acção3 End If Formas mais comuns Escolher entre duas alternativas possíveis, com base numa condição booleana If condição Then Acção1 End If If condição Then Acção1 Else Acção2 End If Visual Basic.NET, C1 Slide 38

39 Exemplo: This example shows both the block and single-line forms of the If...Then...Else statement. Dim Number, Digits, MyString Number = 53' Initialize variable. If Number < 10 Then Digits = 1 ElseIf Number < 100 Then ' Condition evaluates to True so the next statement is executed. Digits = 2 Else Digits = 3 End If A palavra-chave If indica o início de uma instrução If-Then-Else A palavra-chave Then indica o final de uma condição de teste A palavra-chave ElseIf fornece uma condição de teste alternativa se a condição de teste anterior for avaliada como false. A palavra-chave Else indica onde a execução deve parar se a condição de teste for avaliada como true e onde a execução deve começar se a condição de teste for avaliada como false ' Assign a value using the single-line form of syntax. If Digits = 1 Then MyString = "One" Else MyString = "More than one" As palavras-chave End If indicam o final da estrutura de controle If-Then-Else Portanto, a 1ª condição (Number < 10) é testada. Se for avaliada como false, a execução desvia-se imediatamente para a palavra-chave ElseIf, ponto em que é introduzida um nova condição de teste (Number < 100). Se a nova condição de teste for avaliada como false, a execução desvia-se para a palavra-chave Else, e a(s) instrução(ões) que está(ão) antes da palavra-chave End IF é(são) executada(s). Se em qualquer das condições de teste acima referidas o resultado for true, a(s) instrução(ões) que está(ão) a seguir e antes da palavra-chave ElseIf ou Else são executadas. Visual Basic.NET, C1 Slide 39

40 Estruturas Condicionais Selectivas Estas estruturas permitem-nos codificar condições mais complexas. Alteram o fluxo de execução para um dos diversos segmentos de código possíveis, dependendo do valor da variável ou da avaliação de uma expressão Sintaxe: Select Case expressão [Case lista de expressões Acções] ] [Case Else Acções] ] End Select Visual Basic.NET, C1 Slide 40

41 Em que: A lista de expressões indicada em cada linha iniciada por Case pode ter uma das seguintes formas: Expressão qualquer coisa da qual resulte um valor. Por exemplo: 10, amarelo ou i + 5, etc... Expressão To Expressão permite a especificação de uma gama de valores. Por exemplo: 5 To 10, E To G, etc... Is operador_relacional Expressão permite indicar todos os valores que gozam de uma determinada relação (ditada pelo operador relacional) com a expressão dada. Por exemplo: Is >= 10 Pode-se combinar estas várias hipóteses, separando-as por vírgulas. Por exemplo: Case Is < 0, Is > 100, 4 To 9, 11 To 16, 19 Indicaria todos os valores negativos ou maiores que 100, os valores entre 4 e 9, os valores entre 11 e 16 e ainda o valor 19 Case Else destina-se a indicar o que deve ser executado no caso da expressão indicada na linha Select Case tomar um valor diferente de qualquer um dos referidos nas linhas Case. (A sua utilização é opcional) Visual Basic.NET, C1 Slide 41

42 Exemplo: This example uses the Select Case statement to evaluate the value of a variable. The second Case clause contains the value of the variable being evaluated, and therefore only the statement associated with it is executed. Dim Number Number = 8' Initialize variable. Select Case Number' Evaluate Number. Case 1 To 5' Number between 1 and 5. MsgBox "Between 1 and 5" ' The following is the only Case clause that evaluates to True. Case 6, 7, 8' Number between 6 and 8. MsgBox "Between 6 and 8" Case Is > 8 And Number < 11' Number is 9 or 10. MsgBox "Greater than 8" Case Else' Other values. MsgBox "Not between 1 and 10" End Select Visual Basic.NET, C1 Slide 42

43 Exemplo: As palavras-chave Select Case indicam o início de uma estrutura de controle Select case Se a expressão que segue a palavra-chave Case se adequar à expressão de teste, a execução desvia-se para o segmento de código que se inicia na linha seguinte à palavra-chave Case, e continua até que seja encontrada outra instrução Case ou Case Else ou End Select. Depois a execução desvia-se para a instrução End Select A palavra-chave Case Else é avaliada como true se todas as demais expressões Case forem avaliadas como false As palavras-chave End Select indicam o final da estrutura de controle Select Case Se existir mais do que uma linha Case cuja expressão se adeqúe à expressão da linha Select Case, apenas serão executadas as acções correspondentes à primeira dessas linhas Case. Visual Basic.NET, C1 Slide 43

44 Estruturas de Repetição É muito comum que um programa necessite de repetir um determinado conjunto de acções por um certo número de vezes. Conforme esse número de vezes seja decido no momento em que se está a codificar o programa ou dependa de cada execução particular desse mesmo programa, optaremos pela estrutura mais adequada. Chama-se iteração a cada volta que se dá Chama-se ciclo à estrutura em si Exemplo: Se considerarmos que um carrossel dá sempre exactamente 10 voltas, podemos compará-lo a um ciclo com pré-determinação do número de iterações (antes de começar já se sabe quantas voltas vai dar). Se considerarmos que o carrossel gira até que a primeira pessoa se sinta mal disposta, podemos compará-lo com um ciclo sem pré-determinação do número de iterações (o número de vezes que vai rodar vai depender de como as coisas correrem durante a execução). Um ciclo tem de ter uma forma qualquer de terminar (essa forma depende do tipo de ciclo). Caso contrário teríamos um ciclo infinito e a execução do programa ficaria indefinidamente "pendurada" nesse ciclo. Visual Basic.NET, C1 Slide 44

45 Estruturas de repetição com pré-determinação do número de Iterações Esta é a estrutura mais adequada quando queremos pré-determinar o número de iterações que o ciclo vai executar. Em linguagem corrente equivale (por exemplo) a dizer: "por 10 vezes, girar o carrossel" Sintaxe: Notar que: For variável_de_iteração = valor_ inicial To valor_ final [Step valor_ do_passo] [acções] [Exit For] [acções] Next [variável de iteração] O ciclo For implica a utilização de uma variável numérica, chamada de "variável de iteração" (variável_ de_ iteração), que em cada iteração toma um novo valor de acordo com o que se especificar: começa com o valor valor_ inicial e vai até valor_ final. A variável não pode ser do tipo boolean ou do tipo array. Depois de todas acções terem sido executadas, é adicionado o valor valor_ do_passo à variável variável_de_iteração. Neste ponto, todas as acções são executadas de novo e repete-se tudo de novo até que variável_de_iteração = valor_ final. Visual Basic.NET, C1 Slide 45

46 Estruturas de repetição com pré-determinação do número de Iterações Pode ser indicado um "passo" (valor do-passo) para a mudança do valor da variável em cada nova iteração. Quando nada for indicado, é assumido um passo de 1 unidade. O valor do passo pode ser positivo ou negativo. Se for positivo então valor_ inicial tem que ser menor ou igual a valor_ final. Se for negativo então valor_ inicial tem que ser maior ou igual a valor_ final. Entre as acções pode estar a instrução Exit For. Esta instrução força a saída do ciclo, isto é, o ciclo acaba imediatamente (em vez de continuar a iterar até a variável de controlo atingir o valor final). O ciclo For é uma Estrutura de repetição controlada por uma variável (variável_de_iteração ou contador). Visual Basic.NET, C1 Slide 46

47 Exemplo: This example uses the For...Next statement to create a string that contains 10 instances of the numbers 0 through 9, each string separated from the other by a single space. The outer loop uses a loop counter variable that is decremented each time through the loop. Sub CicloFor() Dim Words, Chars AS short Dim MyString as string For Words = 10 To 1 Step -1 ' Set up 10 repetitions. For Chars = 0 To 9 ' Set up 10 repetitions. MyString = MyString & Chars ' Append number to string. Next Chars ' Increment counter MyString = MyString & " " ' Append a space. Next Words MesageBox.Show ( MyString = & MyString) End Sub Visual Basic.NET, C1 Slide 47

48 Estruturas de repetição sem pré-determinação do número de iterações O VBA fornece-nos uma estrutura extraordinariamente flexível para a codificação deste tipo de ciclos. Podemos codificar directamente expressões como: "até que...fazer qualquer coisa", enquanto...fazer qualquer coisa", "fazer qualquer coisa até que...", fazer qualquer coisa enquanto..., etc. Testes no Início Testes no Fim Antes de cada iteração verifica-se se ela ainda deve ser executada. Depois de cada iteração ser executada verifica-se se ainda se deve continuar o ciclo. Estes ciclos são controlados por uma condição O ciclo pode não ser executado nenhuma vez O ciclo é executado pelo menos uma vez Visual Basic.NET, C1 Slide 48

49 Estruturas de repetição sem pré-determinação do número de iterações Se a condição for testada a seguir a Loop, em vez de a seguir a Do, o conteúdo do ciclo é sempre executado pelo menos uma vez, mesmo que à partida a condição seja falsa. No caso do teste ser feito a seguir a Do, se a condição for falsa, o conteúdo do ciclo não é executado nenhuma vez. Visual Basic.NET, C1 Slide 49

50 Sintaxe: Do [{While Until} condição] [acções] [Exit Do] [acções] Loop Ou Do [acções] [Exit Do] [acções] Loop [{While Until} condição] Quando a condição for Falsa, sai do ciclo Repete um bloco de acções Enquanto (While) a condição for Verdadeira (True) Ou Repete um bloco de acções Até (Until) a condição se tornar Verdadeira (True) Quando a condição for Verdadeira, sai do ciclo Condição Expressão numérica ou String que é Verdadeira ou Falsa. É opcional. Se a condição for Null, então é tratada como falsa. Entre as acções pode estar a instrução Exit Do. Esta instrução força a saída do ciclo. Visual Basic.NET, C1 Slide 50

51 Exemplo: This example shows how Do...Loop statements can be used. The inner Do...Loop statement loops 10 times, sets the value of the flag to False, and exits prematurely using the Exit Do statement. The outer loop exits immediately upon checking the value of the flag. Sub Ciclos() Dim Check As Boolean, Counter As Short Check = True: Counter = 0' Initialize variables. Do' Outer loop. Do While Counter < 20' Inner loop. Counter = Counter + 1' Increment Counter. If Counter = 10 Then' If condition is True. Check = False' Set value of flag to False. Exit Do' Exit inner loop. End If Loop Loop Until Check = False' Exit outer loop immediately. MessageBox.show( "Counter = " & Counter & "; Check = " & Check) End Sub Counter = 10; Check = False Visual Basic.NET, C1 Slide 51

.NET Framework. Visual Basic.NET, C1 Slide 1

.NET Framework. Visual Basic.NET, C1 Slide 1 .NET Framework A.NET Framework define o ambiente para executar aplicações desenvolvidas em VB.NET, C#.NET, C++.NET, ou outras desenvolvidas para a.net Framework. O Visual Studio.NET é um pacote de produtos

Leia mais

A interface do Microsoft Visual Studio 2005

A interface do Microsoft Visual Studio 2005 Tarefa Orientada 1 A interface do Microsoft Visual Studio 2005 Objectivos: Introdução à framework.net Iniciar o Visual Studio 2005. Criar um novo projecto de Windows Forms em Visual Basic Introdução à

Leia mais

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA 4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Introdução à criação de macros...3 Gravação

Leia mais

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS 1. A Linguagem Access Basic. 2. Módulos e Procedimentos. 3. Usar o Access: 3.1. Criar uma Base de Dados: 3.1.1. Criar uma nova Base de Dados. 3.1.2. Criar

Leia mais

Javascript 101. Parte 2

Javascript 101. Parte 2 Javascript 101 Parte 2 Recapitulando O Javascript é uma linguagem de programação funcional Os nossos scripts são executados linha a linha à medida que são carregados. O código que está dentro de uma função

Leia mais

Sumário. Visual Basic Application para Excel. Prof. Luiz Bianchi Universidade Regional de Blumenau

Sumário. Visual Basic Application para Excel. Prof. Luiz Bianchi Universidade Regional de Blumenau Prof. Luiz Bianchi Universidade Regional de Blumenau Visual Basic Application para Excel Sumário Introdução...3 Conceitos...3 Objetos...3 Propriedades e métodos...3 Procedimento...3 Módulo...4 Fundamentos...5

Leia mais

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET PADI 2015/16 Aula 1 Introdução à Plataforma.NET 1 Sumário 1. Framework.NET Arquitectura 2. Linguagem C# 2.0 Sintaxe C# vs. Java vs. C++ 3. IDE: MS Visual Studio 2005 ou superior Ferramentas Console/Win

Leia mais

Laboratório de Programação I

Laboratório de Programação I Laboratório de Programação I Introdução à Programação em Visual Basic Fabricio Breve Objetivos Ser capaz de escrever programas simples em Visual Basic Ser capaz de usar os comandos de entrada e saída Familiarizar-se

Leia mais

Visual Basic for Applications

Visual Basic for Applications Visual Basic for Applications Introdução É uma linguagem de programação baseada na conhecida linguagem BASIC Está concebida para funcionar em conjunto com diferentes aplicações, de forma a potenciar a

Leia mais

Procalc v1.0. Versão Programador

Procalc v1.0. Versão Programador Procalc v1.0 Versão Programador Conteúdo Procalc... 4 Primeiros botões... 5 Funções Básicas... 6 Como funciona... 7 Funções avançadas... 8 Logaritmo... 8 Logaritmo Natural... 9 Expoente... 10 Factorial...

Leia mais

Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015. Visual Basic VBA

Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015. Visual Basic VBA Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015 Visual Basic VBA Macros Funções Conjunto de instruções que são executadas sempre que se desejar e pela ordem apresentada As funções são

Leia mais

APOSTILA PHP PARTE 1

APOSTILA PHP PARTE 1 APOSTILA PHP PARTE 1 1. Introdução O que é PHP? PHP significa: PHP Hypertext Preprocessor. Realmente, o produto foi originalmente chamado de Personal Home Page Tools ; mas como se expandiu em escopo, um

Leia mais

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 2 Introdução aos aplicativos Java Java Como Programar, 8/E (C) 2010 Pearson Education, Inc. Todos os 2.1 Introdução Programação de aplicativo Java. Utilize as ferramentas do JDK para compilar

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE

OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE 3.1 Operadores Os operadores indicam o tipo de operação matemática que será executada gerando novos valores a partir de um ou mais operadores. São muito utilizados em

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

Capítulo 2. Fundamentos de Java

Capítulo 2. Fundamentos de Java Capítulo 2. Fundamentos de Java 1/52 Índice 2.1 - Variáveis Tipos Escopo Inicialização Casting Literais 2.2 - Operadores Aritméticos Relacionais Bit a Bit De atribuição 2.3 - Expressões, statements e blocos

Leia mais

Microsoft Visual Basic Family. Microsoft VBScript

Microsoft Visual Basic Family. Microsoft VBScript O que é VBScript? Microsoft Visual Basic Family Microsoft VBScript Todos os Direitos Reservados a Microsoft Um dos recursos mais interessantes do ActiveX é a disponibilidade de scripting em diversas linguagens.

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C#

Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C# Linguagem de Programação 3 Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C# Prof. Mauro Lopes 1-31 35 Objetivos Nesta aula iremos apresentar a tecnologia.net, o ambiente de desenvolvimento

Leia mais

Introdução à programação em VBA ÍNDICE

Introdução à programação em VBA ÍNDICE Introdução à programação em VBA ÍNDICE Enquadramento... 2 Noções básicas sobre programação... 2 Criar Macros em Microsoft Excel... 4 Accionar a barra de ferramentas de Visual Basic... 4 Gravar uma macro...

Leia mais

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda:

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: 33 Capítulo 3 Procedimentos (macros) Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: O objetivo de uma macro é automatizar as tarefas usadas com mais freqüência. Embora algumas macros sejam

Leia mais

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo Programando em C# Orientado a Objetos By: Maromo Agenda Módulo 1 Plataforma.Net. Linguagem de Programação C#. Tipos primitivos, comandos de controle. Exercícios de Fixação. Introdução O modelo de programação

Leia mais

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo:

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo: Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos.

Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos. 3 COMANDOS CONDICIONAIS E DE LAÇO Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos. 3.1 COMANDOS CONDICIONAIS 3.1.1 Comando IF Como o próprio nome já indica, estes comandos

Leia mais

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr)

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) por Eduardo Vieira Machado (Good Guy) Hoje gostaria de tratar de um assunto bastante atraente no Access e que é muito trabalhado nas empresas - a manipulação

Leia mais

APOSTILA DE VBA PARA EXCEL MARCOS DE BARROS OUTUBRO DE 2002 1 - RISK MANAGEMENT

APOSTILA DE VBA PARA EXCEL MARCOS DE BARROS OUTUBRO DE 2002 1 - RISK MANAGEMENT APOSTILA DE VBA PARA EXCEL MARCOS DE BARROS OUTUBRO DE 2002 1 - RISK MANAGEMENT ÍNDICE INTRODUÇÃO AO VBA 5 Constantes 5 Variáveis 5 Tipos de variáveis e constantes 6 O Comando Option Explicit 7 Comentários

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Flash MX ActionScript

Flash MX ActionScript Flash Programação MX ActionScript Multimédia Flash MX ActionScript Pedro Costa / 2004 Introdução Neste momento, o ActionScript é provavelmente a ferramenta mais poderosa integrada no Flash. Esta linguagem

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I. Carga horária: 32 Horas

Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I. Carga horária: 32 Horas Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I Carga horária: 32 Horas Pré-requisito: Para que os alunos possam aproveitar este treinamento ao máximo, é importante que eles tenham participado dos treinamentos

Leia mais

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções)

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções) Aulas anteriores... Formulação adequada do problema Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução Definição do algoritmo Método de decomposição hierárquica utilizando

Leia mais

Linguagens de programação

Linguagens de programação Prof. André Backes Linguagens de programação Linguagem de Máquina Computador entende apenas pulsos elétricos Presença ou não de pulso 1 ou 0 Tudo no computador deve ser descrito em termos de 1 s ou 0 s

Leia mais

ISCAP. Algoritmia. Pág. 1. Ana Paula Teixeira

ISCAP. Algoritmia. Pág. 1. Ana Paula Teixeira Algoritmia Pág. 1 Os Computadores e a resolução de Problemas PROBLEMA Fase de Resolução do Problema Pág. 2 Passo difícil Solução como um PROGRAMA de Computador Solução em forma de Algoritmo Fase de Implementação

Leia mais

Oracle PL/SQL Overview

Oracle PL/SQL Overview Faculdades Network Oracle PL/SQL Overview Prof. Edinelson PL/SQL Linguagem de Programação Procedural Language / Structured Query Language Une o estilo modular de linguagens de programação à versatilidade

Leia mais

Programação Elementar de Computadores Jurandy Soares

Programação Elementar de Computadores Jurandy Soares Programação Elementar de Computadores Jurandy Soares Básico de Computadores Computador: dispositivos físicos + programas Dispositivos físicos: hardware Programas: as instruções que dizem aos dispositivos

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Variáveis são lugares (posições) na memória principal que servem para armazenar dados. As variáveis são acessadas

Leia mais

Tarefa Orientada 10 Obter informação a partir de uma tabela

Tarefa Orientada 10 Obter informação a partir de uma tabela Tarefa Orientada 10 Obter informação a partir de uma tabela Objectivos: Consultar dados de uma tabela Utilizar operadores aritméticos, relacionais, lógicos, de concatenação de cadeias de caracteres, LIKE

Leia mais

Visual Basic e Java. À primeira vista o Java é completamente diferente do Visual Basic. Realmente as duas linguagens pertencem a mundos distintos.

Visual Basic e Java. À primeira vista o Java é completamente diferente do Visual Basic. Realmente as duas linguagens pertencem a mundos distintos. Visual Basic e Java À primeira vista o Java é completamente diferente do Visual Basic. Realmente as duas linguagens pertencem a mundos distintos. No entanto, elas compartilham uma série de funcionalidades.

Leia mais

Slides_Java_1 !"$ % & $ ' ' Output: Run java. Compile javac. Name of program. Must be the same as name of file. Java source code.

Slides_Java_1 !$ % & $ ' ' Output: Run java. Compile javac. Name of program. Must be the same as name of file. Java source code. Slides_Java_1!"#$!" $ % & $ Sistemas Informáticos I, 2005/2006 ( Java source code Compile javac Java bytecode Run java Output:!"#) %& Name of program. Must be the same as name of file.!"#$!"$ % & $ Where

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Programas simples em C

Programas simples em C Programas simples em C Problema 1. Escreve um programa em C que dados dois inteiros indique se são iguais ou qual o maior. Utilizar a construção em 5 etapas... quais? 1. Perceber o problema 2. Ideia da

Leia mais

A1;A7 é o mesmo que A1 e A7 A1:A7 é o mesmo que A1 até A7 (abrange A1, A2, A3, A4, A5, A6, A7).

A1;A7 é o mesmo que A1 e A7 A1:A7 é o mesmo que A1 até A7 (abrange A1, A2, A3, A4, A5, A6, A7). Excel Avançado Atenção! 1. Nunca referenciamos valores, mas sim o nome da célula que contém o valor, como A1, sendo A a coluna e 1 a linha. 2. As fórmulas sempre iniciam com sinal de =. 3. Lembre-se de:

Leia mais

Preenchimento automático, Séries

Preenchimento automático, Séries Preenchimento automático, Séries O Microsoft Excel pode preencher automaticamente datas, períodos de tempo e séries de números, incluindo números combinados com texto, como Mês 1, Mês 2,..., etc. Preenchimento

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Construções Básicas Programa em C #include int main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius = 30; farenheit = 9.0/5

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua. PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL

Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua. PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL 1) Visão Geral A PL/pgSQL é uma linguagem de programação procedural para o Sistema Gerenciador de Banco

Leia mais

Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL

Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL OBJECTIVOS Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL O objecto DOCMD Este objecto permite o acesso a todas as operações sobre todos os objectos

Leia mais

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem.

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem. 1 - O que é JAVASCRIPT? É uma linguagem de script orientada a objetos, usada para aumentar a interatividade de páginas Web. O JavaScript foi introduzido pela Netscape em seu navegador 2.0 e posteriormente

Leia mais

Dim formulário As Object formulário = Me Me.Text = "Título"

Dim formulário As Object formulário = Me Me.Text = Título 1.1.1 OBJECT As variáveis do tipo Object representam referências a objectos alojados na memória, em endereços reservados. A partir do momento em que atribuímos um objecto a uma variável deste tipo, podemos

Leia mais

Excel - VBA. Macrocomandos (Macros) O que é uma macro? São programas que executam

Excel - VBA. Macrocomandos (Macros) O que é uma macro? São programas que executam Excel - VBA Docente: Ana Paula Afonso Macrocomandos (Macros) O que é uma macro? São programas que executam tarefas específicas, automatizando-as. Quando uma macro é activada, executa uma sequência de instruções.

Leia mais

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia Instituto Federal do Sertão-PE Curso de PHP Professor: Felipe Correia Conteúdo Parte I Parte II Introdução Funções de strings Instalação Constantes Sintaxe Operadores Variáveis if else elseif Echo/Print

Leia mais

Algoritmos Computacionais ( Programas )

Algoritmos Computacionais ( Programas ) Algoritmos Computacionais ( Programas ) A partir deste tópico, consideramos a utilização do universo Computacional na solução de problemas. Para tanto devemos lembrar que a transposição de problemas do

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais Ambientes Visuais Inicialmente, apenas especialistas utilizavam os computadores, sendo que os primeiros desenvolvidos ocupavam grandes áreas e tinham um poder de processamento reduzido. Porém, a contínua

Leia mais

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 5 Instruções de controle: Parte 2 Java Como Programar, 8/E (C) 2010 Pearson Education, Inc. Todos os 5.1 Introdução Instrução de repetição for Instrução de repetição do while Instrução de seleção

Leia mais

Programação em Visual Basic for Applications & Excel

Programação em Visual Basic for Applications & Excel Programação em Visual Basic for Applications & Excel Ricardo Campos (ricardo.campos@ipt.pt) Ricardo Campos [ h t t p : / / w w w. c c c. i p t. p t / ~ r i c a r d o ] Programação em Visual Basic for Applications

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

Departamento: Matemática Curso: Eng a Madeiras Ano: 1 o Semestre: 2 o Ano Lectivo: 2006/2007. Aula prática n o 1 - Introdução ao MATLAB

Departamento: Matemática Curso: Eng a Madeiras Ano: 1 o Semestre: 2 o Ano Lectivo: 2006/2007. Aula prática n o 1 - Introdução ao MATLAB Instituto Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia Departamento: Matemática Métodos Numéricos Curso: Eng a Madeiras Ano: 1 o Semestre: 2 o Ano Lectivo: 2006/2007 Aula prática n o 1 - Introdução

Leia mais

Aula 4 Pseudocódigo Tipos de Dados, Expressões e Variáveis

Aula 4 Pseudocódigo Tipos de Dados, Expressões e Variáveis 1. TIPOS DE DADOS Todo o trabalho realizado por um computador é baseado na manipulação das informações contidas em sua memória. Estas informações podem ser classificadas em dois tipos: As instruções, que

Leia mais

Hugo Pedro Proença, 2007

Hugo Pedro Proença, 2007 Stored Procedures À medida que a complexidade dos sistemas aumenta, torna-se cada vez mais difícil a tarefa de integrar o SQL com as aplicações cliente. Além disto, é necessário que todas as aplicações

Leia mais

Curso: Ciência da Computação Disciplina: Construção de Compiladores Período: 2010-1 Prof. Dr. Raimundo Moura

Curso: Ciência da Computação Disciplina: Construção de Compiladores Período: 2010-1 Prof. Dr. Raimundo Moura UFPI CCN DIE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Construção de Compiladores Período: 2010-1 Prof. Dr. Raimundo Moura O projeto Desenvolver um compilador de um subconjunto básico da linguagem PORTUGOL.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Capítulo 6. Java IO - Ficheiros

Capítulo 6. Java IO - Ficheiros Capítulo 6. Java IO - Ficheiros 1/26 Índice Indice 6.1 - Entrada e saída de dados 6.2 - Ficheiros de texto 6.3 - Ficheiros com formato proprietário 6.4 - A classe File 2/26 Índice 6.1 Entrada e saída de

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 2: Classes e objectos LEEC@IST Java 1/24 Classes (1) Sintaxe Qualif* class Ident [ extends IdentC] [ implements IdentI [,IdentI]* ] { [ Atributos Métodos ]* Qualif:

Leia mais

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel Avançado Trabalhando com VBA Descubra a linguagem de programação do Microsoft Office e torne-se um expert no desenvolvimento de funções, macros e planilhas eletrônicas Nas edições anteriores da revista

Leia mais

Apostila Básica de Lógica e Programação para Game Maker por Giosepe Luiz 1

Apostila Básica de Lógica e Programação para Game Maker por Giosepe Luiz 1 Apostila Básica de Lógica e Programação para Game Maker por Giosepe Luiz 1 Sumário 1. Introdução a Lógica... 03 2. Verdadeiro e Falso... 03 3. Conectivo E e OU... 03 4. Negação... 04 5. Introdução a Programação...

Leia mais

Fundamentos da Programação

Fundamentos da Programação Fundamentos da Programação Renato Haddad Microsoft Most Valuable Professional Brasil Meu nome é Renato Haddad e sou Microsoft Most Valuable Professional no Brasil 1 Objetivo Mostrar os fundamentos da programação

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

O que é o JavaScript?

O que é o JavaScript? JavaScript Introdução O JavaScript é utilizado por milhões de páginas na web para melhorar o design, validar forms, e muito mais O JavaScript foi inicialmente desenvolvido pela Netscape e é a linguagem

Leia mais

Visual Basic for Applications: # 1

Visual Basic for Applications: # 1 Visual Basic for Applications Introdução É uma linguagem de programação baseada na conhecida linguagem BASIC Está concebida para funcionar em conjunto com diferentes aplicações, de forma a potenciar a

Leia mais

ARQUIVOS. Os arquivos criados em meios magnéticos poderão ser acessados para leitura e escrita na forma seqüencial, direta ou indexada.

ARQUIVOS. Os arquivos criados em meios magnéticos poderão ser acessados para leitura e escrita na forma seqüencial, direta ou indexada. Texto retirado e adaptado da apostila A Linguagem Pascal, disponível no site http://www.portaldaprogramacao.com (autor: desconhecido) ARQUIVOS Anteriormente, foi estudado o conceito de tabelas em memória

Leia mais

ASP.NET. Guia do Desenvolvedor. Felipe Cembranelli. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br

ASP.NET. Guia do Desenvolvedor. Felipe Cembranelli. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br ASP.NET Guia do Desenvolvedor Felipe Cembranelli Novatec Editora www.novateceditora.com.br 1 Introdução à plataforma.net A plataforma Microsoft.NET.NET é uma nova plataforma de software para desenvolvimento

Leia mais

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10 1. TIPOS DE DADOS... 3 1.1 DEFINIÇÃO DE DADOS... 3 1.2 - DEFINIÇÃO DE VARIÁVEIS... 3 1.3 - VARIÁVEIS EM C... 3 1.3.1. NOME DAS VARIÁVEIS... 3 1.3.2 - TIPOS BÁSICOS... 3 1.3.3 DECLARAÇÃO DE VARIÁVEIS...

Leia mais

Introdução aos cálculos de datas

Introdução aos cálculos de datas Page 1 of 7 Windows SharePoint Services Introdução aos cálculos de datas Aplica-se a: Microsoft Office SharePoint Server 2007 Ocultar tudo Você pode usar fórmulas e funções em listas ou bibliotecas para

Leia mais

Abaixo do Objeto WorkSheet temos a coleção Cells, que representa todas as células de uma planilha.

Abaixo do Objeto WorkSheet temos a coleção Cells, que representa todas as células de uma planilha. Aula 1 O modelo de objetos do Excel APPLICATION É o próprio Excel. Temos diversas propriedades e métodos importantes nesse objeto. Destacamos dois exemplos: Application.DisplayAlerts Se for true, o Excel

Leia mais

Desenvolvido por: Juarez A. Muylaert Filho - jamf@estacio.br Andréa T. Medeiros - andrea@iprj.uerj.br Adriana S. Spallanzani - spallanzani@uol.com.

Desenvolvido por: Juarez A. Muylaert Filho - jamf@estacio.br Andréa T. Medeiros - andrea@iprj.uerj.br Adriana S. Spallanzani - spallanzani@uol.com. UAL é uma linguagem interpretada para descrição de algoritmos em Português. Tem por objetivo auxiliar o aprendizado do aluno iniciante em programação através da execução e visualização das etapas de um

Leia mais

Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express

Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express EMENTA: Introdução ao Visual C#. Fundamentos da Linguagem. Estruturas de decisão e repetição. Modularização de Programas: Funções. Arrays

Leia mais

Visual Basic.NET. Universidade Federal da Bahia. Departamento de Ciência da Computação. Disciplina MATA76 Linguagens para Aplicação comercial.

Visual Basic.NET. Universidade Federal da Bahia. Departamento de Ciência da Computação. Disciplina MATA76 Linguagens para Aplicação comercial. Universidade Federal da Bahia Departamento de Ciência da Computação Disciplina MATA76 Linguagens para Aplicação comercial. Aluno: Nailton Gonzaga dos Santos. Visual Basic.NET Salvador, setembro de 2008.

Leia mais

EXCEL e VBA. Visual Basic for Applications. Tutoriais de VBA

EXCEL e VBA. Visual Basic for Applications. Tutoriais de VBA EXCEL e VBA Visual Basic for Applications Escopo da Apresentação Integração do VBA com Excel Descrição do ambiente de programação do VBA Conceitos básicos de programação Exemplos usando VBA Background

Leia mais

Linguagem de Programação Procedural (VB) Prof. MSc Eng Marcelo Bianchi AULA 01 - INTRODUÇÃO AO VB

Linguagem de Programação Procedural (VB) Prof. MSc Eng Marcelo Bianchi AULA 01 - INTRODUÇÃO AO VB Linguagem de Programação Procedural (VB) Prof. MSc Eng Marcelo Bianchi AULA 01 - INTRODUÇÃO AO VB Visão Geral do Visual Basic.NET Conceitos Básicos Antes de codificar um programa dentro do Visual Studio

Leia mais

Módulo III. Folhas de Cálculo

Módulo III. Folhas de Cálculo Módulo III Ferramentas do Office Folhas de Cálculo Ferramentas de produtividade 1 Folhas de Cálculo O que é: Uma Folha de Cálculo é, por tradição, um conjunto de células que formam uma grelha ou tabela

Leia mais

Programação Básica em STEP 7 Blocos de Dados. SITRAIN Training for Automation and Drives. Página 8-1

Programação Básica em STEP 7 Blocos de Dados. SITRAIN Training for Automation and Drives. Página 8-1 Conteúdo Página Áreas de Armazenamento para Dados... 2 (DBs)... 3 Visão Geral dos Tipos de Dados no STEP 7... 4 Tipos de Dados Elementares no STEP 7... 5 Criando um Novo Bloco de Dados... 6 Editando, Salvando,

Leia mais

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi Fundamentos da plataforma.net André Menegassi O que é o.net Framework?.NET é uma plataforma de software para desenvolvimento de aplicações que conecta informações, sistemas, pessoas e dispositivos através

Leia mais

1 Lógica de Programação

1 Lógica de Programação 1 Lógica de Programação Técnicas de programação Programação Sequencial Programação Estruturada Programação Orientada a Eventos e Objectos 1.1 Lógica A lógica de programação é necessária para pessoas que

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJECT PASCAL/DELPHI

INTRODUÇÃO OBJECT PASCAL/DELPHI Introdução Object Pascal/Delphi 1 INTRODUÇÃO OBJECT PASCAL/DELPHI Objetivo Demonstrar a sintaxe e a semântica do Object Pascal e a forma como esse linguagem de programação será aplicada na disciplina de

Leia mais

IFTO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS AULA 01

IFTO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS AULA 01 IFTO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS AULA 01 Prof. Manoel Campos da Silva Filho Tecnólogo em Processamento de Dados / Unitins Mestre em Engenharia Elétrica / UnB http://lab.ifto.edu.br/~mcampos

Leia mais

4.6. Nós do Diagrama de Bloco

4.6. Nós do Diagrama de Bloco 30 Obs: A constante tem o mesmo valor contido no controle ou indicador do painel frontal. 4.6. Nós do Diagrama de Bloco Nós são objetos do diagrama de bloco que têm entrada e/ou saídas e executam operações

Leia mais

Arquivos de Textos no C - Básico

Arquivos de Textos no C - Básico OpenStax-CNX module: m47676 1 Arquivos de Textos no C - Básico Joao Carlos Ferreira dos Santos This work is produced by OpenStax-CNX and licensed under the Creative Commons Attribution License 3.0 TRABALHANDO

Leia mais

e à Linguagem de Programação Python

e à Linguagem de Programação Python Introdução a Algoritmos, Computação Algébrica e à Linguagem de Programação Python Curso de Números Inteiros e Criptografia Prof. Luis Menasché Schechter Departamento de Ciência da Computação UFRJ Agosto

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

Folha de cálculo. Excel. Agrupamento de Escolas de Amares

Folha de cálculo. Excel. Agrupamento de Escolas de Amares Folha de cálculo Excel Agrupamento de Escolas de Amares Índice 1. Funcionalidades básicas... 3 1.1. Iniciar o Excel... 3 1.2. Criar um livro novo... 3 1.3. Abrir um livro existente... 3 1.4. Inserir uma

Leia mais

Criando um script simples

Criando um script simples Criando um script simples As ferramentas de script Diferente de muitas linguagens de programação, você não precisará de quaisquer softwares especiais para criar scripts de JavaScript. A primeira coisa

Leia mais

Tutorial de Matlab Francesco Franco

Tutorial de Matlab Francesco Franco Tutorial de Matlab Francesco Franco Matlab é um pacote de software que facilita a inserção de matrizes e vetores, além de facilitar a manipulação deles. A interface segue uma linguagem que é projetada

Leia mais

Programação em C++: Introdução

Programação em C++: Introdução Programação em C++: Introdução J. Barbosa J. Tavares Visualização Científica Conceitos básicos de programação Algoritmo Conjunto finito de regras sobre as quais se pode dar execução a um dado processo

Leia mais

António Rocha Nuno Melo e Castro

António Rocha Nuno Melo e Castro António Rocha Nuno Melo e Castro ! Transact-SQL (T-SQL) Extensão ao SQL Permite controlo do fluxo de execução Permite comandos DDL (contrariamente ao PLSQL) T-SQL combina: poder de manipulação de dados

Leia mais

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características:

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características: Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br Conhecendo o NSBASIC para Palm Vitor Amadeu Vitor@cerne-tec.com.br 1. Introdução Iremos neste artigo abordar a programação em BASIC para o Palm OS. Para isso, precisaremos

Leia mais

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Prof. Gilbert Azevedo da Silva I. Objetivos Conhecer o Ambiente Integrado de Desenvolvimento (IDE) do Delphi 7, Desenvolver a primeira aplicação no Delphi 7, Aprender

Leia mais