A plataforma ASP.NET no desenvolvimento de aplicações na internet

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A plataforma ASP.NET no desenvolvimento de aplicações na internet"

Transcrição

1 A plataforma ASP.NET no desenvolvimento de aplicações na internet Guilherme Oenning 1 1 Deparamento de Ciência da Computação Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) Joinville SC Brasil Abstract. This paper describes a little about the history of the internet development platforms from Microsoft focusing mainly on what s most current. It is shown the most notables features of ASP.NET WebForms like it s page lifecycle, security, globalization and internationalization, among others. There is also a comparative between the two major frameworks of the plataform, ASP.NET WebForms and ASP.NET MVC. Resumo. Este artigo descreve um pouco sobre o histórico das plataformas de desenvolvimento para a internet da Microsoft focando principalmente no que há de mais atual. São apresentado as mais notáveis caractísticas do ASP.NET WebForms como ciclo de vida de uma página, segurança, globalização e internacionalização, entre outros. Busca-se também mostrar um comparativo entre os dois principais frameworks da plataforma, o ASP.NET WebForms e o ASP.NET MVC. 1. Objetivo Este artigo tem como objetivo apresentar uma visão geral da plataforma ASP.NET bem como algumas de suas características, recursos e funcionalidades. 2. Justificativa Com a velocidade com que as tecnologias evoluem, é possível encontrar cada vez mais linguagens e frameworks que mostram ser parecem ser bastante úteis em projetos de software. Com isso, faz-se necessário que os desenvolvedores fiquem atentos às novidades e às opções que estão disponíveis para que este possa fazer a melhor escolha ao iniciar um novo projeto. 3. Introdução A primeira aposta da Microsoft para o desenvolvimento de aplicações na internet foi o Active Server Pages (ASP). Lançado em 1996, utilizando scripts escritos em linguagem VBScript e interpretados pelo servidor, por muito tempo foi o principal concorrente do PHP: Hypertext Preprocessor na criação de páginas dinâmicas. Dentre as diferenças entre estas duas plataformas, a mais marcante é que o ASP possui dependência ao ambiente operacional Windows. Apesar de ser possível executar estes scripts no Linux, é muito comum que estas páginas utilizem componentes

2 (normalmente em forma de DLL) que estão apenas disponíveis no Windows. Tirando este item e o fato de que a sintaxe do PHP é baseada no C, as duas opções se tornam bastante parecidas, dependendo apenas do conhecimento do desenvolvedor e das disponibilidades de recursos para escolher entre um e outro. 4. ASP.NET Plataforma considerada sucessora do ASP, teve sua primeira versão lançada em 2002 com o objetivo de melhorar alguns aspectos de seu predecessor e também de competir ao lado do JavaEE que estava em constante crescimento no desenvolvimento de aplicações para a internet. Dentre as diversas novidades do ASP.NET, destaca-se a semelhança entre esta plataforma e o desenvolvimento de aplicações para desktop. Uma das ideias da Microsoft era fazer com que os programadores de Visual Basic 6, Delphi e C++ sentissem a mínima diferença possível ao iniciar no desenvolvimento para a internet. Era uma época onde a migração de aplicações para a internet era bastante comum e a as melhores opções eram o JavaEE, PHP ou ASP. Em se tratando de aplicações que são executadas na internet, é necessário que o programador tenha conhecimento de uma enorme quantidade de novos termos, tecnologias e conceitos, como por exemplo, o protocolo HTTP, sessão, cookies, requisição e resposta, HTML, CSS, javascript entre outros. O framework ASP.NET WebForms foi criado de forma que tudo isso fosse abstraído em conceitos já conhecidos para que a curva de aprendizado fosse menor. A seguir serão detalhadas algumas das características da plataforma Páginas e os WebControls Um dos mais conhecidos frameworks do ASP.NET é conhecido como ASP.NET WebForms. Foi desenvolvido pela Microsoft e lançado juntamente com cada uma das versões do.net. Apesar de existir outros, como por exemplo, o MonoRail, o WebForms sempre foi o mais utilizado e mais recomendado. O desenvolvimento de uma aplicação neste framework é baseado na criação de páginas com diversos componentes (mais conhecidos como WebControls). Cada componente é uma classe que herda da superclasse WebControl e que, ao ser processada pelo ASP.NET, é convertida em HTML e enviado ao browser do solicitante. Esses controles são muito similares aos controles que são encontrados na caixa de ferramenta das linguagens Visual Basic 6 e Delphi. Os controles mais famosos e suas funções são apresentados na tabela 1. O framework é totalmente orientado a objeto, isso significa que cada elemento adicionado na tela é uma classe e pode ser acessado pelo servidor através de uma instância. Isso adiciona um poder muito grande ao framework já que é possível encontrar erros durante a compilação e, além de facilitar a depuração, também aumenta as possibilidades de extensão através de herança e polimorfismo. Nome Tabela 1. Alguns dos componentes gráficos do ASP.NET Função

3 TextBox RadioButtonList GridView Label Wizard Login Calendar Representa um campo de texto. Corresponde a uma tag input com o atributo type igual à text. Representa uma coleção de botões de opção. Corresponde a várias tags input com o atributo type igual a radio. Representa uma tabela de dados bastante parecida com os componentes de grade do Visual Basic 6 e Delphi. Corresponde a uma tag table, diversas tr e td. Representa um título de um campo. Dependendo das propriedades que foram atribuídas, este componente pode renderizar uma tag span ou então a tag label. Constrói uma estrutura para criação de cadastro em forma de guia. Representa uma caixa de login, com as opções de usuário, senha, lembrar senha e esqueci minha senha. Renderiza uma tabela contendo os dias do mês separado por mês e ano. 4.2 O ciclo de vida de uma página Cada formulário (ou página) no ASP.NET passa por um ciclo de vida bastante longo e bem definido. O processamento de uma requisição possui um início, meio e fim. A primeira tarefa realizada pelo ASP.NET é verificar se o usuário possui permissão de acesso àquela página, além de iniciar a classe HttpContext que possui todas as informações da requisição e da resposta, como por exemplo, URL, identificador da sessão, configurações do browser, endereço de internet, entre outros. Em seguida é dado início ao processamento do conteúdo da página, alguns métodos como OnInit e OnLoad da classe Page são executados para realizar as atividades iniciais. Tendo feito isso, é normalmente neste momento que são executados os trechos de código customizados e que possuem as regras de negócio. Antes de a resposta ser concluída, é realizado um processamento recursivo em cada um dos componentes contidos na tela. Cada componente é responsável por montar seu próprio HTML que será enviado ao cliente. A figura 1 apresenta uma versão resumida dos eventos que são disparados durante a execução de uma página.

4 4.3 ViewState Figura 1. Versão compacta do ciclo de vida de uma página. O protocolo HTTP é um protocolo que não mantém estado (do inglês, stateless). Isso significa que cada requisição é tratada de forma independente sem ter acesso a qualquer informação de requisições feitas anteriormente. As plataformas de programação para internet implementam sua própria forma de guardar os dados entre uma requisição e outra. A alternativa mais utilizada é gerar um identificador e gravar os dados em memória no servidor, este identificador é então retornado ao cliente que o armazena em cookies. Em uma próxima requisição, o browser envia o identificador para que o servidor possa encontrar as informações armazenadas em memória. O ASP.NET possui uma outra opção de para gerenciamento de estado que é chamado de ViewState. Nesta técnica, os dados são codificados e gravados em um campo escondido no formulário. Entre uma requisição e outra, estes dados são enviados para o servidor e posteriormente retornado para que se possa usar novamente. Esta técnica é bastante utilizada pelos componentes gráficos para manter os dados informados sempre disponíveis sem ter que fazer qualquer programação adicional. Apesar de todas as vantagens que se tem ao utilizar o ViewState, o problema de performance torna-se um item bastante preocupante. Como estes dados são armazenados dentro do HTML, estes bytes ficam navegando para cima e para baixo em todas as requisições feitas pelo browser. 4.4 Segurança Outro aspecto importante do ASP.NET é suas técnicas de segurança. Os campos de texto e visualização possui validação interna para prevenir ataques de crosssite scripting. Apesar de estarem habilitados por padrão, estes recursos podem ser desativados quando necessário.

5 Dentre os diversos recursos de segurança disponíveis pela plataforma, uma das mais interessantes é a validação automática de conteúdo recebido através de um formulário. O exemplo mais comum é quando um formulário possui um campo de seleção, mais conhecido como ComboBox ou DropDownList. Com o avanço dos browsers e seus plug-ins, fica muito fácil que qualquer pessoa possa inserir uma nova opção nos campos de seleção através da edição do HTML. O ASP.NET possui um mecanismo de segurança que impede que o sistema receba qualquer valor que não tenha sido disponibilizado anteriormente. Por exemplo, se um campo de seleção possui as opções, Carro e Moto, e, por algum motivo o servidor receber o valor Ônibus, a página acusará que isto é uma tentativa de burlar o sistema. 4.5 Globalização e Localização Cada dia é mais comum encontrar aplicações que suportam diversas linguagens. O ASP.NET possui um recurso de globalização que permite que o desenvolvedor escreva uma aplicação em uma língua qualquer e depois traduza para qualquer outra língua através de um arquivo de tradução. Este recurso funciona através de convenção ao invés de configuração, os arquivos de tradução possuem o padrão Resources.nome-da-lingua.resx, por exemplo, Resources.pt-br.resx ou Resources.en-us.resx. Para adicionar uma nova língua, basta criar um arquivo e adicionar na pasta App_GlobalResources ou App_LocalResources. O ASP.NET utiliza por padrão a cultura que foi definida no cabeçalho da requisição, mais especificamente na chave Accept-Language. Através dos valores listados nesta chave, o ASP.NET procura qual o arquivo de traduções mais adequado, caso não encontre, é utilizado a linguagem padrão da aplicação. Além disso, é possível alterar a língua via programação, permitindo criar sites onde o usuário possa escolher de forma gráfica qual a língua de sua preferencia. 5. ASP.NET MVC Durante muito tempo a Microsoft vinha recebendo diversas críticas ao WebForms com relação à, principalmente, testabilidade. A forma com que o framework foi criado dificulta a criação de testes unitários já que a regra de negócio está fortemente acoplada à página que, por sua vez, está acoplada à requisição HTTP. A utilização de testes automatizados juntamente com a técnica Test-Driven Design está ficando cada vez mais comum e por isso os desenvolvedores de frameworks estão cada vez mais preocupados em criar soluções que facilite a criação de scripts de teste do sistema que está usufruindo do framework em questão. O ASP.NET MVC é o mais novo framework da plataforma ASP.NET que veio como alternativa ao WebForms para quem procura ter mais testabilidade, controle sobre o HTML gerado pela aplicação, separação de responsabilidades e a utilização do padrão de arquitetura Model-View-Controller. Não que isso não seja possível de se obter no modelo tradicional, mas é menos intuitivo e portanto, menos utilizado e divulgado. 6. Comparativo Ambos os frameworks podem ser utilizados em qualquer aplicação para a internet.

6 Nota-se que o ASP.NET MVC possui uma grande vantagem quando utilizado na criação de sites onde o uso de search engine optimization e a web semântica é essencial já que este framework garante total controle sobre o HTML, diferente do WebForms onde o resultado HTML depende da implementação dos controles criados pela Microsoft ou por empresas terceiras. O WebForms torna-se bastante interessante em aplicações corporativas como um ERP ou CRM onde existem dezenas ou centenas de interfaces extremamente parecidas. O poder de extensibilidade do componentes web juntamente com a criatividade do desenvolvedor podem gerar resultados bastante satisfatórios em termos de reutilização de código e componentes. Em termos de desempenho não há muita diferença. O MVC apesar de ter um ciclo de vida muito menor que o WebForms, depende bastante da utilização de reflection que é famoso por sua baixa performance. O WebForms, por outro lado, além de ter o ViewState e o ciclo de vida de uma página ser bastante detalhada e completa, é totalmente compilado, inclusive a interface, o que garante uma boa economia de tempo de processador durante sua execução. 7. Conclusão A plataforma ASP.NET é uma solução completa por padrão, não sendo necessário nenhuma outra biblioteca de terceiros para a utilização de cache, segurança, acesso à dados, gerenciamento de estado, tratamento de exceções, restritos de acesso, entre outros. Além disso, ela prove capacidade para extensão o que dá ao desenvolvedor a liberdade de escolher a solução que mais lhe for interessante. Referências CONERY, Rob. I Suppose I ll Just Say It: You Should Learn MVC. Disponível em: <http://blog.wekeroad.com/blog/i-spose-ill-just-say-it-you-should-learn-mvc/> Acesso em: 23 de Março de ESPOSITO, Dino. (2008), Programming Microsoft ASP.NET 3.5. Microsoft Press. Microsoft. Disponível em: <http://www.asp.net/> Acesso em: 25 de Março de StackOverflow s New York Data Center. Disponível em <http://blog.serverfault.com/ post/ /> Acesso em 27 de Março de Alexa, the web information company. Disponível em <http://www.alexa.com/> Acesso em 27 de Março de High Scalability. Disponível em <http://highscalability.com/> Acesso em 27 de Março de 2011.

7 ASP.NET Guilherme Oenning

8 ASP Clássico

9 ASP Clássico ASP é o acrônimo de Active Server Pages; Utiliza a linguagem VBScript que foi baseado no Visual Basic;

10 Exemplo de código <html> <body> <% dim i for i=1 to 6 response.write("<h" & i & ">Heading " & i & "</h" & i & ">") next %> </body> </html>

11 ASP Clássico Apesar de funcionar em Linux através do Sun ONE Active Server Pages 4.0, é mais comum encontrar estes sites hospedados em ambientes operacionais Windows com IIS; Dependência à DLL e ActiveX;

12 Exemplo de código <html> <body> <% dim fs, file set fs = Server.CreateObject("Scripting.FileSystemObject") set file = fs.getfile(server.mappath("testread.txt")) Response.Write( Created on: " & f.datecreated) set f=nothing set fs=nothing %> </body> </html>

13 ASP.NET Histórico das Versões Janeiro, Abril, Novembro, Novembro, Novembro, SP1 - Agosto, Abril, 2010

14 ASP.NET Sendo parte do framework.net, a plataforma é totalmente orientada a objeto; Por possuir tipagem estática, evita-se erros durante a utilização dos objetos; A curva de aprendizado é menor para os desenvolvedores desktop, como por exemplo Delphi, Visual Basic e C++;

15 ASP.NET Na web é necessário conhecer: Protocolo HTTP; Requisições e Respostas; Cookies; Cabecalhos; HTML, CSS e JavaScript; Segurança Cross-sites Scripting; Session Hijacking; Dentre outros

16 WebControls Abstração completa ou parcial dos detalhes do protocolo ou das linguagens e ferramentas para desenvolvimento na internet; Utilização dos WebContros; Programação Drag and Drop assim como no VB6 e Delphi;

17 WebControls Calendário <asp:calendar ID= meucalendario runat= server /> DateTime data = meucalendario.selecteddate; data.month; data.day; data.year;

18 Como seria no PHP $data = $_POST['meuCalendario']; list($month, $day, $year) = split('/', $data);

19 DevExpress Menu

20 DevExpress Gráficos

21 DevExpress Calendário <dx:aspxcalendar ID="calendar" runat="server" HighlightToday="true" HighlightWeekends="true" ShowClearButton="true" ShowTodayButton="true" ShowDayHeaders="true" ShowHeader="true" ShowWeekNumbers="true" />

22

23 Ciclo de vida de uma página Inicializa(); Processa(); Renderiza(); RenderizaControleFilhos(); //Recursivo Finaliza(); Retorna();

24 Gerenciamento de Estado O protocolo HTTP é stateless;

25 Gerenciamento de Estado com ViewState - stateful

26 Exemplo de ViewState

27

28 Segurança Diversos algoritmos de criptografia; Verificação de Cross-Site Scripting de forma automática; Alguns Data ; recursos de validação para evitar Tainted

29 Exemplo: Sigmaweb

30 Exemplo: Sigmaweb

31 Exemplo: Sigmaweb

32 Exemplo: Sigmaweb Raça Quantidade Branca Preta 450 Parda 250 Amarela 100 Índio 50 Alien 1

33

34 Globalização e Internacionalização Conversão ao invés de configuração; Um arquivo por cultura; Segue o padrão: Resources.pt-BR.resx Resources.en-US.resx Resources.en.resx

35 Globalização e Internacionalização Define a linguagem através do cabeçalho HTTP;

36 ASP.NET MVC Histórico das Versões CTP - Dezembro, Março, Março, Janeiro, 2011

37 5 Motivos

38 Testes Automatizados

39 Separação de Responsabilidades (MVC)

40 Controle sobre o HTML e JavaScript

41 Possibilidade de trabalhar mais perto do protocolo A Grande Mentira WebForms é uma mentira. É abstração embrulhada em decepção coberta com molho de mentira em um prato cheio de diversão e prestidigitação. Nada que você faz com WebForms tem nada a ver com a web - você deixa ele fazer o trabalho para você. Rob Conery (ex-funcionário da Microsoft)

42 Curva de Aprendizagem A maioria dos frameworks web são baseados no MVC: Java (Struts 2, SpringMVC, Vraptor,...) Ruby (Ruby on Rails, Sinatra, ) PHP (CakePHP, Symphony, Zend, ) Python (web2py, Pylons, Django,...)

43 Vantagens e Desvantagens WebForms Vantagens: Não requer muito conhecimento em protocolos ou novas linguagens; Alto poder de extensão; Possibilida de programação e design de interface usando Drag and Drop; Desvantagens: Alto consumo de banda (ViewState, WebControls); Requer bastante conhecimento e estudo do framework para construir uma arquitetura escalável;

44 Vantagens e Desvantagens WebForms

45 Vantagens e Desvantagens ASP.NET MVC Vantagens: Induz o desenvolvedor a utilizar boas práticas como separação de responsabilidades e automação de testes; Total controle sobre o HTML, JavaScript e CSS; Maior facilidade para aplicar técnica de Search Engine Optimization; Desvantagens: Necessita conhecimentos de diversas tecnologias e padrões; Desconsiderando experiência dos desenvolvedores, possui uma produtividade menor que o WebForms;

46 Resumindo WebForms para aplicações corporativas executadas na rede local; MVC ERP CRM BPM para sites e aplicações usadas por diferentes pessoas nos mais distintos locais; Twitter; Orkut; Facebook;

47 Casos de Sucesso

48 PlentyOfFish.com Site de encontros na internet; 1 bilhão de acessos por mês; Curiosidade: apenas 2 funcionários e receita de 10 milhões de doláres por ano. 339º site mais acessado (fonte: Alexa);

49 MySpace.com Rede social assim com Orkut e Facebook; 300 milhões de usuários; Aproximadamente 12 Gigabyte de resposta por segundo; 69º site mais acessado (fonte: Alexa); 2º Facebook; 11º Twitter; 106º Orkut;

50 StackOverflow.com Usa ASP.NET MVC; 95 milhões de acessos por mês; Aproximadamente 12 Gigabyte de resposta por segundo; 138º site mais acessado (fonte: Alexa); Detalhe: Site visiado apenas por internautas de TI;

51 StackOverflow.com

52 Dúvidas?

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Programação Web Prof. Wladimir

Programação Web Prof. Wladimir Programação Web Prof. Wladimir Linguagem de Script e PHP @wre2008 1 Sumário Introdução; PHP: Introdução. Enviando dados para o servidor HTTP; PHP: Instalação; Formato básico de um programa PHP; Manipulação

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Engenharia de Software Aplicações de Internet

Engenharia de Software Aplicações de Internet Engenharia de Software Aplicações de Internet Eduardo Santos eduardo.edusantos@gmail.com eduardo.santos@planejamento.gov.br www.softwarepublico.gov.br Histórico Por que existe a Internet? Por que existe

Leia mais

ASP.NET MVC em Ação. Jeffrey Palermo Ben Scheirman Jimmy Bogard. Novatec. Prefácio de Phil Haack

ASP.NET MVC em Ação. Jeffrey Palermo Ben Scheirman Jimmy Bogard. Novatec. Prefácio de Phil Haack ASP.NET MVC em Ação Jeffrey Palermo Ben Scheirman Jimmy Bogard Prefácio de Phil Haack Novatec Sumário Prólogo...11 Prefácio...13 Agradecimentos...17 Sobre este livro...20 Sobre os autores...26 Sobre a

Leia mais

World Wide Web e Aplicações

World Wide Web e Aplicações World Wide Web e Aplicações Módulo H O que é a WWW Permite a criação, manipulação e recuperação de informações Padrão de fato para navegação, publicação de informações e execução de transações na Internet

Leia mais

Programando em PHP. Conceitos Básicos

Programando em PHP. Conceitos Básicos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Conceitos Básicos Todo o escopo deste estudo estará voltado para a criação de sites com o uso dos diversos recursos de programação web

Leia mais

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro Desenvolvimento em PHP usando Frameworks Elton Luís Minetto Agenda Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro Ambiente Web É o ambiente

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

Guia de Consulta Rápida ASP. Rubens Prates. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br

Guia de Consulta Rápida ASP. Rubens Prates. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br Guia de Consulta Rápida ASP Rubens Prates Novatec Editora www.novateceditora.com.br Guia de Consulta Rápida ASP de Rubens Prates Copyright@2000 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados. É

Leia mais

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração Desenvolvimento em PHP usando Frameworks Elton Luís Minetto Agenda Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração Ambiente Web É o ambiente formado

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc. Implementar servidores de Web/FTP e DFS Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.br Conteúdo programático Introdução ao protocolo HTTP Serviço web

Leia mais

#Criando Aplicações Web com o Delphi unigui

#Criando Aplicações Web com o Delphi unigui 1 Sumário Apresentação Apresentação do unigui. Instalação Instalação do unigui. Conhecendo os Componentes unigui Apresentação dos componentes das paletas Standard, Additional, Data Controls e Extra do

Leia mais

Lucas Nascimento Santos

Lucas Nascimento Santos Lucas Nascimento Santos Mobile Application Developer lucassantoos56@gmail.com Resumo Lucas Nascimento Santos (@ll_ucasn), engenheiro de software. Estudante de Ciência da Computação na Universidade Salvador

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

Servidor IIS. Sorayachristiane.blogspot.com

Servidor IIS. Sorayachristiane.blogspot.com Servidor IIS Servidor IIS IIS Serviço de informação de Internet; É um servidor que permite hospedar um ou vários sites web no mesmo computador e cria uma distribuição de arquivos utilizando o protocolo

Leia mais

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Índice 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED.... 1 2. História do Flash... 4 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED. É importante, antes de iniciarmos

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação.

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação. GLOSSÁRIO Este glossário contém termos e siglas utilizados para Internet. Este material foi compilado de trabalhos publicados por Plewe (1998), Enzer (2000) e outros manuais e referências localizadas na

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com. IntroduçãoàTecnologiaWeb FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões Prof. MSc. Hugo Souza Se você precisar manter informações sobre seus usuários enquanto eles navegam pelo seu site, ou até quando eles saem

Leia mais

BEM-VINDOS AO CURSO DE ORIENTADO A OBJETOS

BEM-VINDOS AO CURSO DE ORIENTADO A OBJETOS 21/11/2013 PET Sistemas de Informação Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia 1 BEM-VINDOS AO CURSO DE ORIENTADO A OBJETOS Leonardo Pimentel Ferreira Higor Ernandes Ramos Silva 21/11/2013

Leia mais

Configurando o IIS no Server 2003

Configurando o IIS no Server 2003 2003 Ser ver Enterprise Objetivo Ao término, você será capaz de: 1. Instalar e configurar um site usando o IIS 6.0 Configurando o IIS no Server 2003 Instalando e configurando o IIS 6.0 O IIS 6 é o aplicativo

Leia mais

1- ASP.NET - HTML Server Controls

1- ASP.NET - HTML Server Controls 1- ASP.NET - HTML Server Controls Os controles de servidor - Server Controls - HTML são tags HTML padrão, com exceção de possuirem o atributo : runat="server". Vejamos um código que ilustra isto: O atributo

Leia mais

ASP.NET 2.0 e PHP. Autor: Glauber de Almeida e Juarez Fernandes

ASP.NET 2.0 e PHP. Autor: Glauber de Almeida e Juarez Fernandes ASP.NET 2.0 e PHP Autor: Glauber de Almeida e Juarez Fernandes Linguagens pesquisadas ASP.NET 2.0 e PHP. 1 - ASP.NET 2.0 ASP.NET não é nem uma linguagem de programação como VBScript, php, nem um servidor

Leia mais

4 Desenvolvimento da ferramenta

4 Desenvolvimento da ferramenta direcionados por comportamento 38 4 Desenvolvimento da ferramenta Visando facilitar a tarefa de documentar requisitos funcionais e de gerar testes automáticos em uma única ferramenta para proporcionar

Leia mais

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães O ASP.NET que é a camada de desenvolvimento de aplicações web da plataforma.net vem agradando em muito os desenvolvedores de todo o mundo desde o

Leia mais

Segurança na WEB Ambiente WEB estático

Segurança na WEB Ambiente WEB estático Segurança de Redes Segurança na WEB Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com Servidor IIS Apache Cliente Browser IE FireFox Ambiente WEB estático 1 Ambiente Web Dinâmico Servidor Web Cliente Navegadores

Leia mais

IplanRio DOP - Diretoria de Operações GIT - Gerência de Infraestrutura Tecnológica Gerente da GIT

IplanRio DOP - Diretoria de Operações GIT - Gerência de Infraestrutura Tecnológica Gerente da GIT 1. IDENTIFICAÇÃO Padrão Segmento Código P06.002 Revisão v. 2014 Plataformas Web 2. PUBLICAÇÃO Recursos Tecnológicos Versão Data para adoção Publicação v. 2014 23 de dezembro de 2014 PORTARIA N Nº 225 de

Leia mais

CAPÍTULO 4. AG8 Informática

CAPÍTULO 4. AG8 Informática 2ª PARTE CAPÍTULO 4 Este capítulo têm como objetivo: 1. Tratar das etapas do projeto de um Website 2. Quais os profissionais envolvidos 3. Administração do site 4. Dicas para não cometer erros graves na

Leia mais

Curso de PHP. FATEC - Jundiaí. Conteúdo do Curso. 40% de aula teórica 60% de aula prática. O que veremos neste semestre?

Curso de PHP. FATEC - Jundiaí. Conteúdo do Curso. 40% de aula teórica 60% de aula prática. O que veremos neste semestre? Curso de PHP FATEC - Jundiaí Conteúdo do Curso 40% de aula teórica 60% de aula prática O que veremos neste semestre? Linguagem PHP Banco de Dados - PostgreSQL PHP - Introdução ao PHP - Estrutura de um

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Goiânia 12/2011 Versionamento 12/12/2011 Hugo Marciano... 1.0

Leia mais

20486 - DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DE WEB ASP.NET MVC 4

20486 - DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DE WEB ASP.NET MVC 4 20486 - DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DE WEB ASP.NET MVC 4 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Módulo 1: Explorando ASP.NET MVC4 O Objetivo Deste módulo de e delinear AOS Alunos OS Componentes da Pilha de Tecnologias

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Introdução ao Paradigma OO

Leia mais

Requisitos dos postos de usuário para utilizar os aplicativos da Adquira

Requisitos dos postos de usuário para utilizar os aplicativos da Adquira Requisitos dos postos de usuário para utilizar os aplicativos da Adquira 30/08/2007 Autor: Carlos Torrijos Martín Versão 1.10 1.- Introdução 3 2.- Requisitos Hardware dos equipamentos 4 3.- Requisitos

Leia mais

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação.

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação. ANEXO 11 O MATRIZ Para o desenvolvimento de sites, objeto deste edital, a empresa contratada obrigatoriamente utilizará o framework MATRIZ desenvolvido pela PROCERGS e disponibilizado no início do trabalho.

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 Índice 1 - Objetivo 2 - Descrição do ambiente 2.1. Tecnologias utilizadas 2.2. Estrutura de pastas 2.3. Bibliotecas já incluídas 3 - Características gerais 4 - Criando

Leia mais

O melhor do PHP. Por que PHP? CAPÍTULO 1. Uma Pequena História do PHP

O melhor do PHP. Por que PHP? CAPÍTULO 1. Uma Pequena História do PHP CAPÍTULO 1 O melhor do PHP Este livro levou bastante tempo para ser feito. Venho usando agora o PHP por muitos anos e o meu amor por ele aumenta cada vez mais por sua abordagem simplista, sua flexibilidade

Leia mais

Manual de utilização do STA Web

Manual de utilização do STA Web Sistema de Transferência de Arquivos Manual de utilização do STA Web Versão 1.1.7 Sumário 1 Introdução... 3 2 Segurança... 3 2.1 Autorização de uso... 3 2.2 Acesso em homologação... 3 2.3 Tráfego seguro...

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE BLOG COM O BLOGGER

CONSTRUÇÃO DE BLOG COM O BLOGGER CONSTRUÇÃO DE BLOG COM O BLOGGER Blog é uma abreviação de weblog, qualquer registro frequênte de informações pode ser considerado um blog (últimas notícias de um jornal online por exemplo). A maioria das

Leia mais

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C 2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C Este capítulo trata de colocar a linguagem C para funcionar em um ambiente de programação, concentrando-se no compilador GNU Compiler Collection (gcc). Mas qualquer outro

Leia mais

Prova de pré-requisito

Prova de pré-requisito Prova de pré-requisito Curso Python e Django 1. Ao se acessar o site www.google.com qual comando e parâmetros são enviados para o servidor pelo navegador? a. GET / b. GET www.google.com c. PAGE index.html

Leia mais

Adobe Flex. Cainã Fuck dos Santos Thiago Vieira Puluceno Jonathan Kuntz Fornari Gustavo Nascimento Costa

Adobe Flex. Cainã Fuck dos Santos Thiago Vieira Puluceno Jonathan Kuntz Fornari Gustavo Nascimento Costa Adobe Flex Cainã Fuck dos Santos Thiago Vieira Puluceno Jonathan Kuntz Fornari Gustavo Nascimento Costa O que é Flex? Estrutura de Código aberto para a criação de aplicativos Web Utiliza o runtime do Adobe

Leia mais

SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE 27/02/2012

SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE 27/02/2012 O servidor Apache é o mais bem sucedido servidor web livre. Foi criado em 1995 por Rob McCool, então funcionário do NCSA (National Center for Supercomputing Applications). Em maio de 2010, o Apache serviu

Leia mais

Universidade da Beira Interior

Universidade da Beira Interior Universidade da Beira Interior Relatório Apresentação Java Server Pages Adolfo Peixinho nº4067 Nuno Reis nº 3955 Índice O que é uma aplicação Web?... 3 Tecnologia Java EE... 4 Ciclo de Vida de uma Aplicação

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema/Ferramenta: Spider-ACQ. Versão do Sistema/Ferramenta: 1.0. www.spider.ufpa.br

Manual do Usuário. Sistema/Ferramenta: Spider-ACQ. Versão do Sistema/Ferramenta: 1.0. www.spider.ufpa.br Manual do Usuário Sistema/Ferramenta: Spider-ACQ Versão do Sistema/Ferramenta: 1.0 www.spider.ufpa.br Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 27/05/2011 1.0 Criação da seção de instalação/configuração

Leia mais

Anexo I Formulário para Proposta

Anexo I Formulário para Proposta PLATAFORMA CGI.br Solicitação de Propostas SP Anexo I Formulário para Proposta Data: 05/07/2013 Versão: 1.1 Plataforma CGI.br Solicitação de Propostas - SP Anexo I Formulário para Proposta 1. Estrutura

Leia mais

Perguntas e Respostas. Relatórios

Perguntas e Respostas. Relatórios Perguntas e Respostas 1. Por que o @ Work mudou? R: Pensando na satisfação dos nossos clientes para com os serviços via Web, foi realizado uma reformulação de toda estrutura do site otimizando a disponibilidade

Leia mais

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile 393 Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile Lucas Zamim 1 Roberto Franciscatto 1 Evandro Preuss 1 1 Colégio Agrícola de Frederico Westphalen (CAFW) Universidade Federal de Santa Maria

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Introdução Nesta sexta e penúltima edição da Coletânea de Análises de Email Marketing em Clientes de Email, apresentamos os estudos dos clientes

Leia mais

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Objetivo O objetivo do projeto é especificar o desenvolvimento de um software livre com a finalidade de automatizar a criação de WEBSITES através do armazenamento

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 06. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 06. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 06 Prof. André Lucio Competências da aula 6 Diretiva de grupo (GPO). Internet Information Services (IIS). PowerShell. Aula

Leia mais

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB)

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) RELATÓRIO DE ENTREGA DO PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) PARA A ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PMGIRS PARA OS MUNICÍPIOS DE NOVO HORIZONTE, JUPIÁ, GALVÃO,

Leia mais

4 O Workflow e a Máquina de Regras

4 O Workflow e a Máquina de Regras 4 O Workflow e a Máquina de Regras O objetivo do workflow e da máquina de regras é definir um conjunto de passos e regras configuráveis. Ao longo de sua execução, um usuário consegue simplificar o seu

Leia mais

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Sobre entidades externas ao sistema Quais sistemas externos devem ser acessados? Como serão acessados? Há integração com o legado a ser feita?

Leia mais

5 Detalhes da Implementação

5 Detalhes da Implementação Detalhes da Implementação 101 5 Detalhes da Implementação Neste capítulo descreveremos detalhes da implementação do Explorator que foi desenvolvido usando o paradigma MVC 45 e o paradigma de CoC 46 (Convention

Leia mais

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Software cliente: browser e outros Protocolo HTTP Infraestrutura de transporte

Leia mais

A autoria - II. A autoria - II. Tecnologias básicas da Web. A autoria - II. 2001 Wilson de Pádua Paula Filho. Tópicos:

A autoria - II. A autoria - II. Tecnologias básicas da Web. A autoria - II. 2001 Wilson de Pádua Paula Filho. Tópicos: A autoria - II Tópicos: A autoria - II World Wide Web hipermídia na Internet: sítios Web: páginas de hipertexto; material multimídia; aplicativos Web: muitos tipos de tecnologias de software: scripts,

Leia mais

Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre Linguagens de Programação* (*Mas Tinha Medo de Perguntar) Diego Padilha Rubert FACOM

Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre Linguagens de Programação* (*Mas Tinha Medo de Perguntar) Diego Padilha Rubert FACOM Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre Linguagens de Programação* (*Mas Tinha Medo de Perguntar) Diego Padilha Rubert FACOM Por quê? O aprendizado em Algoritmos e Programação visa lógica de programação

Leia mais

1.2.4. Organizar a estrutura do site

1.2.4. Organizar a estrutura do site 1.2.4. Organizar a estrutura do site 1 Organizar a estrutura do site A organização da estrutura do site passa pela definição das ligações entre as páginas que o compõem Esta organização deve ser intuitiva

Leia mais

Ferramentas desenvolvidas internamente não atendem às necessidades de crescimento, pois precisam estar sendo permanentemente aperfeiçoadas;

Ferramentas desenvolvidas internamente não atendem às necessidades de crescimento, pois precisam estar sendo permanentemente aperfeiçoadas; APRESENTAÇÃO O Myself é um sistema de gerenciamento de conteúdo para websites desenvolvido pela Genial Box Propaganda. Seu grande diferencial é permitir que o conteúdo de seu website possa ser modificado

Leia mais

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB Marcelo Rodrigo da Silva Ribeiro 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil marcelo.rodrigo@live.com,

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

EMANNUELLE GOUVEIA ROLIM

EMANNUELLE GOUVEIA ROLIM EMANNUELLE GOUVEIA ROLIM Bacharel em Ciência da Computação, especialista em Gerência de Projetos e em Criptografia e Segurança da Informação. Servidora Publica. Atua na área acadêmica em cursos de Graduação

Leia mais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais PRERELEASE 03/07/2011 Avisos legais Avisos legais Para consultar avisos legais, acesse o site http://help.adobe.com/pt_br/legalnotices/index.html.

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

Sistema de Chamados Protega

Sistema de Chamados Protega SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REALIZANDO ACESSO AO SISTEMA DE CHAMADOS... 4 2.1 DETALHES DA PÁGINA INICIAL... 5 3. ABERTURA DE CHAMADO... 6 3.1 DESTACANDO CAMPOS DO FORMULÁRIO... 6 3.2 CAMPOS OBRIGATÓRIOS:...

Leia mais

Sistemas para internet e software livre

Sistemas para internet e software livre Sistemas para internet e software livre Metodologia de modelagem de aplicações WEB Image: FreeDigitalPhotos.net Domínio: Elementos de aplicação WEB Páginas Web Scripts Formulários Applets e ActiveX Motivação

Leia mais

Ontologia Navegadores_Codigo-Aberto

Ontologia Navegadores_Codigo-Aberto Ontologia Navegadores_Codigo-Aberto Documento Lista de Termos (versão 1.0) 04-04-2008 report by ontokem Web Tool - ontologies for Knowledge Engineering and Management 1) bookmark: instância da característica

Leia mais

Criando um projeto ASP.Net no Visual Studio 2008

Criando um projeto ASP.Net no Visual Studio 2008 Criando um projeto ASP.Net no Visual Studio 2008 Ao abrir o Visual Studio 2008, vá no menu File > New > Project (como mostra a imagem abaixo) ou simplesmente pressionando as teclas Ctrl + Shift + N. Nas

Leia mais

INTERNET HOST CONNECTOR

INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR IHC: INTEGRAÇÃO TOTAL COM PRESERVAÇÃO DE INVESTIMENTOS Ao longo das últimas décadas, as organizações investiram milhões de reais em sistemas e aplicativos

Leia mais

Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais

Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais 1. Software de Entrada e Saída: Visão Geral Uma das tarefas do Sistema Operacional é simplificar o acesso aos dispositivos de hardware pelos processos

Leia mais

AULA 1 PHP O QUE É APACHE FRIENDS

AULA 1 PHP O QUE É APACHE FRIENDS O QUE É PHP Se você já programa PHP, aconselho que pule para o capítulo 7 desse livro. Pois até esse capitulo iremos abordar algoritmos em PHP até a construção de uma classe com seus métodos e atributos

Leia mais

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas O que é PHP? Acrônimo de PHP: Hipertext Language PostProcessor Inicialmente escrita para o desenvolvimento de aplicações Web Facilidade para iniciantes e recursos poderosos para programadores profissionais

Leia mais

Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile

Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile Março de 2015 Introdução O acesso móvel ao site do Novell Vibe pode ser desativado por seu administrador do Vibe. Se não conseguir acessar a interface móvel do

Leia mais

GUIA DE BOAS PRÁTICAS

GUIA DE BOAS PRÁTICAS GUIA DE BOAS PRÁTICAS Sumário Requisitos para um bom funcionamento...3 Menu Configurações...7 Como otimizar o uso da sua cota...10 Monitorando o backup...8 Manutenção de arquivos...12 www.upbackup.com.br

Leia mais

Manual de instalação Servidor Orion Phoenix

Manual de instalação Servidor Orion Phoenix Manual de instalação Servidor Orion Phoenix Fevereiro/2011 Este documento se destina a instalação do Orion Phoenix na sua rede Versão 1.01 C ONTE ÚDO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. VISÃO GERAL... 3 3. PROCEDIMENTOS

Leia mais

Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação. versão 2.0. experts em Gestão de Conteúdo

Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação. versão 2.0. experts em Gestão de Conteúdo Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação versão 2.0 Conteúdo 1. Introdução... 3 2 1.1 Público alvo... 3 1.2 Convenções... 3 1.3 Mais recursos... 3 1.4 Entrando em contato com a ez... 4 1.5

Leia mais

Textos Legais. TL Internet. Legislativa. Manual de Implantação

Textos Legais. TL Internet. Legislativa. Manual de Implantação Textos Legais TL Internet Legislativa Manual de Implantação Copyright GOVERNANÇABRASIL 2012 PRONIM TL INTERNET SUMÁRIO 1. REQUISITOS MÍNIMOS DE SISTEMA... 4 2. INSTALAÇÃO... 4 2.1. INSTALAÇÃO DO IIS 7.0...

Leia mais

FACULDADE SENAC-RS PELOTAS RODRIGO ALMEIDA PEREIRA. Sistemas de Informação

FACULDADE SENAC-RS PELOTAS RODRIGO ALMEIDA PEREIRA. Sistemas de Informação FACULDADE SENAC-RS PELOTAS Analise e Desenvolvimento de Sistemas RODRIGO ALMEIDA PEREIRA Sistemas de Informação Pelotas/RS Maio de 2013 Sumário 1. Introdução 1 2. Um pouco de sua história 1 3. Requerimentos

Leia mais

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROF. ERWIN ALEXANDER UHLMANN Universidade Guarulhos Página 1 Agradecimentos Agradeço a todos os alunos que com suas dúvidas me ajudaram a

Leia mais

Tutorial: Gestão da Central de Serviços

Tutorial: Gestão da Central de Serviços Tutorial: Gestão da Central de Serviços Orientação para acesso e edição de conteúdos de ofertas de serviços da Central de Serviços da UFABC Novembro de 2014 Autor: Nilson José Zoccaratto Versão 2 Conteúdo

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Scriptlets e Formulários

Scriptlets e Formulários 2 Scriptlets e Formulários Prof. Autor: Daniel Morais dos Reis e-tec Brasil Programação Avançada Para Web Página1 Meta Permitir ao aluno aprender a criar um novo projeto Java para web no Netbeans IDE,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS Leandro Guilherme Gouvea 1, João Paulo Rodrigues 1, Wyllian Fressatti 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil leandrog.gouvea@gmail.com,

Leia mais

Sistema Gerador de Anúncios para Compra e Venda On-line. Leandro de Oliveira ol.leandro@gmail.com

Sistema Gerador de Anúncios para Compra e Venda On-line. Leandro de Oliveira ol.leandro@gmail.com Sistema Gerador de Anúncios para Compra e Venda On-line Leandro de Oliveira ol.leandro@gmail.com Roteiro da Apresentação Motivação Conceitos e Tecnologias Objetivos do trabalho Sistema SideCart Conclusões

Leia mais

PHP - Orientação a Objeto MVC. Éderson T. Szlachta {Tecnólogo em Análise e Desenv. de Sistemas} - edersonszlachta@gmail.com

PHP - Orientação a Objeto MVC. Éderson T. Szlachta {Tecnólogo em Análise e Desenv. de Sistemas} - edersonszlachta@gmail.com PHP - Orientação a Objeto MVC Éder[son]? Analista e Desenv. de Sistemas Desenvolvimento Web: PHP JavaScript {jquery (às vezes)} MySQL Flash, ActionScript (descobrindo) Desktop: Java C# Delphi {splash screen

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

Sumário. HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1

Sumário. HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1 Sumário HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1 Linguagem HTML HTML é a abreviação de HyperText Markup Language, que pode ser traduzido como Linguagem de Marcação de Hipertexto. Não é uma linguagem

Leia mais

1. Introdução. 2. A área de trabalho

1. Introdução. 2. A área de trabalho Curso Criiar web siites com o Dreamweaver Parrttee II 1. Introdução O Macromedia DreamWeaver é um editor de HTML profissional para desenhar, codificar e desenvolver sites, páginas e aplicativos para a

Leia mais

Criando Frameworks Inteligentes com PHP. Uma abordagem prática: vantagens, aplicações e procedimentos.

Criando Frameworks Inteligentes com PHP. Uma abordagem prática: vantagens, aplicações e procedimentos. Criando Frameworks Inteligentes com PHP Uma abordagem prática: vantagens, aplicações e procedimentos. Apresentação Equipes ao redor do mundo utilizam diferentes padrões de projeto, de acordo com suas necessidades

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais