O que VAMOS ESTUDAR: 1.3 Reponsabilidades do jornalismo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O que VAMOS ESTUDAR: 1.3 Reponsabilidades do jornalismo"

Transcrição

1 O que VAMOS ESTUDAR: 1.3 Reponsabilidades do jornalismo

2 1.3 Responsabilidades do Jornalismo INDEPENDÊNCIA VERACIDADE IMPARCIALIDADE OBJETIVIDADE HONESTIDADE EXATIDÃO CREDIBILIDADE VÍDEO

3 1.3 Responsabilidades do Jornalismo Independência

4 A função do jornalismo, qualquer que seja o sistema político ou econômico, é fornecer informações que definam a realidade e facilitem a sua compreensão.

5 Veracidade

6 No jornalismo, a noção de veracidade é mais útil do que qualquer noção de verdade. A verdade que se apura é geralmente a veracidade que se publica.. Mas não é a última verdade e nem sequer a verdade definitiva.

7

8 O jornalismo deve buscar incessantemente todos os ângulos de uma notícia, de uma entrevista ou de uma opinião. Deve partir do princípio de que uma informação tem sempre mais de uma versão. Juarez Bahia.

9 Era da Pós-Verdade Pós-verdade : um substantivo que se relaciona ou denota circunstâncias nas quais fatos objetivos têm menos influência em moldar a opinião pública do que apelos à emoção e a crenças pessoais. A pós-verdade consiste na relativização da verdade, na banalização da objetividade dos dados e na supremacia do discurso emocional.

10 Era da Pós-Verdade A divulgação de falsas notícias conduz a uma banalização da mentira e, deste modo, à relativização da verdade. O valor ou a credibilidade dos meios de comunicação se veem reduzidos diante das opiniões pessoais. Os acontecimentos passam a um segundo plano, enquanto o como se conta a história ganha importância e se sobrepõe ao o quê. Não se trata, então, de saber o que ocorreu, mas de escutar, assistir, ver, ler a versão dos fatos que mais concorda com as ideologias de cada um.

11

12

13

14 A nova comunicação e o novo jornalismo devem concentrar-se, de agora em diante, não tanto em contar isto já o fazem os cidadãos, por conta própria, por meio do enorme cardápio de tecnologias digitais à sua disposição mas em verificar, em realizar o fact-checking de maneira sistemática, por meio de muitas plataformas que já existem.

15

16 bjetividade

17 Em jornalismo, uma informação objetiva é uma informação fiel ao que relata, precisa no que diz.

18 Em sentido amplo, objetividade significa apurar corretamente, ser fidedigno, registrar as várias versões de um acontecimento. É também ser criterioso, honesto e impessoal.

19 Objetividade é a representação da realidade tal como ela é Manual de Comunicação de Massa e Pesquisa de Mídia (apud kunczik, 2002, p. 328)

20 As palavras dos jornalistas devem refletir a realidade, de maneira que o seu relato não seja a transmissão de um acontecimento percebido a partir de um ponto de vista pessoal, mas antes uma manifestação neutra dos fatos ocorridos.

21 É possível a OBJETIVIDADE no Jornalismo?

22 A objetividade surge porque há uma percepção de que os fatos são subjetivos, ou seja, construídos a partir da mediação de um indivíduo, que tem preconceitos, ideologias, carências, interesses pessoais ou organizacionais e outras idiossincrasias. (característica comportamental peculiar a um grupo ou a uma pessoa.) (PENA, 2005, p.50)

23 Criou-se o mito de que a objetividade é possível no campo da notícia. Que o jornalismo em sua essência (notícia) é desvinculado de subjetividade.

24 Mas por que a objetividade (como idéia de neutralidade) é um MITO?

25 Seleção dos fatos (impossível contar tudo) Os jornalistas têm óculos especiais a partir dos quais veem certas coisas e não outras; e veem de certa maneira as coisas que veem. Eles operam uma seleção e uma construção do que é selecionado Nos dias atuais, o princípio de seleção é a busca do sensacional, do espetacular (Pierre Bourdieu, 1997, p.25) + As más notícias são as boas notícias

26 Ângulo de observação (perspectiva de quem e de onde se vê o fato) Os valores (interesses) da organização As condições de produção (tempo, recursos disponíveis para a cobertura) A disponibilidade de fontes A visão (cultural) do jornalista

27 Uma comparação com os resultados de uma análise de conteúdos dos jornais e programas de televisão (sobre desemprego, na Alemanha) revelou que em geral os jornalistas escolhem as informações e as opiniões que estão de acordo com sua própria visão a respeito dos problemas (Kunczik, 2002, p. 256)

28 Imparcialidade

29 O fato de não estar sob o controle do governo, de separar o noticiário do que é opinativo, de se dispor a não omitir nada do que o público tem direito de conhecer, e de se corrigir ou de se retificar toda vez que comete um erro, aproxima o jornalismo do seu dever de ser imparcial.

30 Honestidade

31 No jornalismo, predomina a noção de que uma informação não é uma informação se não for verdadeira. A violação dessa regra abala a reputação do jornalista e do veículo, ainda mesmo que reparada pela imediata correção ou por um formal desmentido.

32

33 Exatidão

34 Sendo exata, a informação não corre o risco de ser desmentida ou desqualificada pela intenção de desonestidade. Sendo exato, o veículo procura ser honesto com sua audiência.

35 Credibilidade

36 É o valor de confiança que conjuga no veículo a informação responsável e a informação qualificada.

37 O Jornalismo como profissão Essa é uma profissão dinâmica e tão responsável que é das poucas ou das únicas que não permitem o silêncio quando se quer ou se precisa calar. E certamente se dará melhor nela quem for capaz de promover a vocação com boa dose de competência, espírito público, coragem e honestidade Juarez Bahia.

38 Os três principais aspectos que caracterizam o jornalismo são: Vocação Técnica Ética.

39 Vocação: Quer dizer aptidão inata de sentir e relatar as coisas, mas quer dizer também aprendizado e treinamento num constante esforço de aperfeiçoamento.

40 Técnica: Quer dizer o acúmulo de conhecimentos reciclados ou renovados em função do tempo e do papel que se ocupa no veículo.

41 Ética: Quer dizer não só o código de regras morais que se tem por implícito na atividade do jornalismo, mas também as próprias normas individuais e coletivas que atuam interna e externamente sobre o jornalista para delimitar o espaço de responsabilidade, critério e julgamento em que se move.

Gestão de Eventos AULA 1. Temas: Gestão de Eventos Conceito de Evento Perfil Profissional do Promotor de Eventos

Gestão de Eventos AULA 1. Temas: Gestão de Eventos Conceito de Evento Perfil Profissional do Promotor de Eventos Gestão de Eventos AULA 1 Temas: Gestão de Eventos Conceito de Evento Perfil Profissional do Promotor de Eventos Gestão de Eventos A Gestão de Eventosestá relacionada a diversas áreas de trabalho, como

Leia mais

VISÃO DE MUNDO E CTS

VISÃO DE MUNDO E CTS VISÃO DE MUNDO E CTS Visão de mundo A visão de mundo caracteriza-se como um conjunto pré-estabelecido de suposições que dá suporte para a formação da visão da realidade (CORBEN, 1991,1996) e constitui

Leia mais

Projeto de Lei nº 190 /2015 Deputado(a) Marcel van Hattem

Projeto de Lei nº 190 /2015 Deputado(a) Marcel van Hattem Projeto de Lei nº 190 /2015 Institui, no âmbito do sistema estadual de ensino, o Programa Escola sem Partido. Art. 1º. Fica criado, no Estado do Rio Grande do Sul, o "Programa Escola sem Partido", no âmbito

Leia mais

A Ouvidoria na Saúde. Maria Inês Fornazaro Julho / 2013

A Ouvidoria na Saúde. Maria Inês Fornazaro Julho / 2013 A Ouvidoria na Saúde Maria Inês Fornazaro Julho / 2013 Cenário Social Nas últimas décadas a sociedade brasileira passou por inúmeras mudanças que determinaram o redimensionamento de políticas públicas,

Leia mais

Política de Comunicação do IFRS: conceito, metodologia e participação. Wilson da Costa Bueno Bento Gonçalves/RS 05/03/2015

Política de Comunicação do IFRS: conceito, metodologia e participação. Wilson da Costa Bueno Bento Gonçalves/RS 05/03/2015 Política de Comunicação do IFRS: conceito, metodologia e participação Wilson da Costa Bueno Bento Gonçalves/RS 05/03/2015 Conceito Política de Comunicação é o conjunto sistematizado de princípios, valores,

Leia mais

AULA 02 O Conhecimento Científico

AULA 02 O Conhecimento Científico 1 AULA 02 O Conhecimento Científico Ernesto F. L. Amaral 06 de agosto de 2010 Metodologia (DCP 033) Fonte: Aranha, Maria Lúcia de Arruda; Martins, Maria Helena Pires. 2003. Filosofando: introdução à filosofia.

Leia mais

Sequência Didática e o Ensino do Gênero Artigo de Opinião. Ana Luiza M. Garcia

Sequência Didática e o Ensino do Gênero Artigo de Opinião. Ana Luiza M. Garcia Sequência Didática e o Ensino do Gênero Artigo de Opinião Ana Luiza M. Garcia Organização do Encontro O TRABALHO COM SD A SD DO GÊNERO ARTIGO DE OPINIÃO JOGOS (VIRTUAIS e QP BRASIL ) Questões-chave O que

Leia mais

OBJETIVOS DA AREA DE RECURSOS HUMANOS. RH É a parte fundamental das organizações atuais; Interesses das Organizações x Interesses dos Funcionários;

OBJETIVOS DA AREA DE RECURSOS HUMANOS. RH É a parte fundamental das organizações atuais; Interesses das Organizações x Interesses dos Funcionários; OBJETIVOS DA AREA DE RECURSOS HUMANOS RH É a parte fundamental das organizações atuais; Interesses das Organizações x Interesses dos Funcionários; Organizações atuais - DP trabalhando em paralelo com o

Leia mais

Educação Difusa: a tradição oral

Educação Difusa: a tradição oral Educação Difusa: a tradição oral A educação existe onde não há escola e por toda parte podem haver redes e estruturas sociais de transferência de saber de uma geração a outra, onde ainda não foi sequer

Leia mais

Núcleo de Materiais Didáticos

Núcleo de Materiais Didáticos Gestão de Talentos e Mapeamento por Aula 4 Prof a Cláudia Patrícia Garcia Aula 4 - Gestão por claudiagarcia@grupouninter.com.br MBA em Gestão de Recursos Humanos Lembrando... A gestão por competências

Leia mais

Na época, Mali era professor do ensino médio em Nova York e comentava com a plateia

Na época, Mali era professor do ensino médio em Nova York e comentava com a plateia Como fazer uma apresentação impecável Algumas pessoas batalham a vida inteira para alcançar uma boa reputação. Mas o americano Taylor Mali conseguiu isso com um único discurso, feito espontaneamente durante

Leia mais

PRINCÍPIOS ÉTICOS FUNDAMENTAIS Fábio Konder Comparato. I Introdução

PRINCÍPIOS ÉTICOS FUNDAMENTAIS Fábio Konder Comparato. I Introdução 1 A felicidade PRINCÍPIOS ÉTICOS FUNDAMENTAIS Fábio Konder Comparato I Introdução Objetivo supremo da vida humana: aquele que escolhemos por si mesmo, não como meio de alcançar outros fins. A felicidade

Leia mais

Revisão da literatura / Fundamentação teórica

Revisão da literatura / Fundamentação teórica Revisão da literatura / Fundamentação teórica Reunir obras relevantes Descrever o objeto analisado Expôr o que se pensa sobre o objeto Criticar o que se pensa sobre o objeto Página 1 PARTES PRINCIPAIS

Leia mais

A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens

A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens Movimento humano e linguagens A linguagem está envolvida em tudo o que fazemos, ela é peça fundamental para a expressão humana. Na Educação

Leia mais

Foto Carga Horária: 15h presenciais. Facilitador: Sandro Barros. Objetivo:

Foto Carga Horária: 15h presenciais. Facilitador: Sandro Barros. Objetivo: Foto Calabor@tiva Carga Horária: 15h presenciais Facilitador: Sandro Barros Objetivo: O objetivo é estimular crianças e jovens a utilizar a linguagem fotográfica como elemento alternativo e visual, despertando

Leia mais

Idéias sobre a Educação visando ao Desenvolvimento e Crescimento Sustentável

Idéias sobre a Educação visando ao Desenvolvimento e Crescimento Sustentável Chave: Educação Idéias sobre a Educação visando ao Desenvolvimento e Crescimento Sustentável Educação é responsabilidade da Sociedade como um TODO e não apenas dos Governos. A Responsabilidade da Educação

Leia mais

COBERTURA DA IMPRENSA SOBRE TRABALHO INFANTIL. Santos, 23 de fevereiro de 2016

COBERTURA DA IMPRENSA SOBRE TRABALHO INFANTIL. Santos, 23 de fevereiro de 2016 COBERTURA DA IMPRENSA SOBRE TRABALHO INFANTIL Santos, 23 de fevereiro de 2016 ANDI COMUNICAÇÃO E DIREITOS A ANDI Nasce em 1993, com o objetivo de ampliar e qualificar a informação pública sobre direitos

Leia mais

Unidade 01. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília

Unidade 01. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Unidade 01 Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Afirmar a importância do estudo da história para a compreensão da Psicologia contemporânea. Destacar a relevância das forças

Leia mais

SOMOS LIVRES AO DECIDIR

SOMOS LIVRES AO DECIDIR FILOSOFIA 2º ano Partindo do principio de que liberdade é LIBERDADE DE ESCOLHER Afinal, até onde alcança o poder da nossa liberdade? Nossas escolhas estão ligadas aos princípios morais da nossa sociedade;

Leia mais

I. Dominar linguagens (DL): Dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica.

I. Dominar linguagens (DL): Dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica. As cinco grandes competências do ENEM Apresentaremos a seguir as grandes competências do Exame Nacional do Ensino Médio. Elas exigem dos estudantes e dos educadores uma série de novos procedimentos no

Leia mais

Título. Negociação e treinamento para advogados: como maximizar resultados e definir estratégias para audiências. Ricardo Munarski Jobim

Título. Negociação e treinamento para advogados: como maximizar resultados e definir estratégias para audiências. Ricardo Munarski Jobim Título Negociação e treinamento para advogados: como maximizar resultados e definir estratégias para audiências Ricardo Munarski Jobim Introdução - Abrindo a mente para ver a partir de outros ângulos /

Leia mais

A Importância das Atitudes em Metrologia

A Importância das Atitudes em Metrologia Formação Avançada em Metrologia 3D A Importância das Atitudes em Metrologia Material Informativo sobre Medição 3D Introdução Nos cursos de formação do programa FORMA3D a todo momento se ressalta a importância

Leia mais

QUESTIONÁRIO SOBRE OS VALORES PESSOAIS

QUESTIONÁRIO SOBRE OS VALORES PESSOAIS QUESTIONÁRIO SOBRE OS VALORES PESSOAIS Shalom H. Schwartz; Tradução e Adaptação: Menezes & Campos, 989 Recriação: Prioste, Narciso, & Gonçalves (00) Neste questionário deve perguntar-se a si próprio: "Que

Leia mais

Daniela Castro Profissional de RH Dez/2012

Daniela Castro Profissional de RH Dez/2012 Daniela Castro Profissional de RH Dez/2012 Mercado Atual O que fazer para: Atrair Reter Manter pessoas em sua empresa? Atrair Atrair Talentos consiste em: Buscar candidatos em fontes corretas para cada

Leia mais

OFICINA DE MEMÓRIA: UMA ESTRATÉGIA DE QUALIDADE DE VIDA

OFICINA DE MEMÓRIA: UMA ESTRATÉGIA DE QUALIDADE DE VIDA OFICINA DE MEMÓRIA: UMA ESTRATÉGIA DE QUALIDADE DE VIDA Seção Judiciária do Estado de São Paulo OFICINA DE MEMÓRIA REALIZADA COM OS OFICIAIS DE JUSTIÇA AVALIADORES DA CEUNI Uma Estratégia de Qualidade

Leia mais

PARECER SETOR FISCAL Nº 34/2015

PARECER SETOR FISCAL Nº 34/2015 PARECER SETOR FISCAL Nº 34/2015 Assunto: Parecer Técnico sobre a mudança de setor sem aviso. 1-Do Fato: Olá sou Enfermeira do Waldemar de Alcântara há 3 anos, trabalho no Centro Cirúrgico no serviço noturno.

Leia mais

Contexto Histórico da Comunicação Social em Caxias do Sul_. Paulo Cancian_

Contexto Histórico da Comunicação Social em Caxias do Sul_. Paulo Cancian_ Contexto Histórico da Comunicação Social em Caxias do Sul_ Paulo Cancian_ ZYOFFSETTV.COM_ Contexto Histórico da Comunicação Social em Caxias do Sul_02 ZYOFFSETTV.COM_ Áreas Meio eletrônico (rádio, TV geração

Leia mais

Hospital das Clínicas da F.M.U.S.P.

Hospital das Clínicas da F.M.U.S.P. Hospital das Clínicas da F.M.U.S.P. A Conquista da Liderança Profª. Drª. Maria Aparecida Rhein Schirato Rhein-Schirato Associados A organização social é a vitória da civilização sobre a barbárie. Ambas

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS COLABORADORES

Sistema de Gestão da Qualidade ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS COLABORADORES ASCUDT - Associação Sócio-Cultural dos Deficientes de Trás-os-Montes Sistema de Gestão da Qualidade ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS COLABORADORES (novembro 2014) Índice

Leia mais

conversa afiada mídia-kit V2.2016

conversa afiada mídia-kit V2.2016 conversa afiada mídia-kit V2.2016 2007 Conversa Afiada torna-se um dos principais blogs do IG 2012 Conversa Afiada supera a marca de 1 milhão de usuários por mês 2015 Conversa Afiada passa por uma atualização

Leia mais

PESQUISA COM IMPRENSA INTERNACIONAL

PESQUISA COM IMPRENSA INTERNACIONAL PESQUISA COM IMPRENSA INTERNACIONAL DURANTE A COPA DO MUNDO DE 2014 Resultados Finais São Paulo, Julho de 2014 METODOLOGIA Objetivos: Investigar a imagem do Brasil junto aos profissionais de imprensa durante

Leia mais

(des)liga-te: nem 8 nem 80

(des)liga-te: nem 8 nem 80 Elementos do Grupo Ana de Matos Diana Reis Giselene Coimbra Patrícia Marinho Sandra Rodrigues E6938 A74074 A59605 A72021 A72987 Ficha de Atividade (des)liga-te: nem 8 nem 80 Introdução ao tema No âmbito

Leia mais

Critérios de Avaliação de Educação Tecnológica 5ºAno

Critérios de Avaliação de Educação Tecnológica 5ºAno Técnica T5 Dominios Aptidões /Capacidades/Conhecimentos 1.1: Identificar o conceito de tecnologia e diferenciá-lo da noção de técnica Reconhecer o papel da tecnologia. Discriminar a relevância do objeto

Leia mais

Grupo de Informática Disciplina de Pl PLANO CURRICULAR 12º ANO /2016

Grupo de Informática Disciplina de Pl PLANO CURRICULAR 12º ANO /2016 Curso Formação Geral Formação específica Matemática A (disciplina Curso Ciências e Tecnologia A - Biologia Química Física Geologia B - Psicologia B Inglês Aplicações Informáticas B (ver síntese pp. 4 e

Leia mais

Período Gênero textual Expectativa

Período Gênero textual Expectativa DISCIPLINA: Produção de texto ANO DE REFERÊNCIA: 2016 PROFESSORAS RESPONSÁVEIS: 6ºano Período Gênero textual Expectativa P35 Compreender o papel do conflito gerador no desencadeamento dos episódios narrados.

Leia mais

AUTOR(ES): FELIPE VALEZI RODRIGUES, HILBERTO EMMANUEL PEREIRA SILVA, LUCAS D`AMICO CHIODA, MARIA CLARA DINIZ BORGES SOARES

AUTOR(ES): FELIPE VALEZI RODRIGUES, HILBERTO EMMANUEL PEREIRA SILVA, LUCAS D`AMICO CHIODA, MARIA CLARA DINIZ BORGES SOARES TÍTULO: FUNÇÃO SOCIAL E LINGUAGEM DO JORNAL NACIONAL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO AUTOR(ES): FELIPE VALEZI

Leia mais

Discurso do Deputado COSTA FERREIRA. tribuna para falar-lhes de um assunto que consiste em um

Discurso do Deputado COSTA FERREIRA. tribuna para falar-lhes de um assunto que consiste em um A corrupção pública, além de seus malefícios já conhecidos, alimenta a descrença nas instituições e promove mais corrupção e outros crimes. O Brasil ainda ocupa lugar de destaque na lista dos mais corruptos,

Leia mais

REDE NACIONAL PRIMEIRA INFÂNCIA CARTA DE PRINCÍPIOS. 10 de Dezembro 2013

REDE NACIONAL PRIMEIRA INFÂNCIA CARTA DE PRINCÍPIOS. 10 de Dezembro 2013 REDE NACIONAL PRIMEIRA INFÂNCIA CARTA DE PRINCÍPIOS 10 de Dezembro 2013 I Denominação Fundada no Brasil em 16 de março de 2007, denomina-se REDE NACIONAL PRIMEIRA INFÂNCIA o conjunto de organizações da

Leia mais

Organização da Aula. Auditoria em Certificação Ambiental. Aula 2. Auditoria Ambiental. Contextualização. Instrumentalização. Prof. Luiz Antonio Forte

Organização da Aula. Auditoria em Certificação Ambiental. Aula 2. Auditoria Ambiental. Contextualização. Instrumentalização. Prof. Luiz Antonio Forte Auditoria em Certificação Ambiental Organização da Aula Auditorias ambientais Aula 2 Prof. Luiz Antonio Forte Critérios para qualificação de auditores Estudo de caso Auditoria Ambiental Contextualização

Leia mais

A importância das centrais de compras

A importância das centrais de compras E-book gratuito A importância das centrais de compras Veja pontos interessantes desse recurso para PMEs Sobre o autor Jonatan Costa é Analista de Sistemas, pós-graduado em gestão e desenvolvimento de softwares.

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS Prof. Saravalli.

GESTÃO DE PESSOAS Prof. Saravalli. GESTÃO DE PESSOAS Prof. Saravalli www.profsaravalli.com ademir_saravalli@yahoo.com.br Loanda/PR 2016 RECRUTAMENTO DE PESSOAL* * Silvana Quintanilha Alves O recrutamento é o meio onde as organizações buscam

Leia mais

VOLUNTARIADO EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

VOLUNTARIADO EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO VOLUNTARIADO EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO EDITAL N 001/2016 SELEÇÃO DE VOLUNTÁRIOS NO PARQUE NACIONAL DE JERICOACOARA O Parque Nacional de Jericoacoara (PNJ), Unidade de Conservação Federal administrada

Leia mais

Código de Ética ISSAI 30 I N T O S A I

Código de Ética ISSAI 30 I N T O S A I XX Title ISSAI 30 As Normas Internacionais das Entidades Fiscalizadoras Superiores (ISSAI) são emitidas pela INTOSAI, a Organização Internacional de Entidades Fiscalizadoras Superiores. Para mais informações

Leia mais

GESTÃO EM SAÚDE. Teorias da Administração. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira

GESTÃO EM SAÚDE. Teorias da Administração. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira 1 GESTÃO EM SAÚDE Teorias da Administração - 2 DEFINIÇÕES GESTÃO - engloba pessoas, processos e planejamento. ADMINISTRAÇÃO - finanças, contabilidade e mercado. 3 DEFINIÇÕES O conceito de administração

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Nesse ano, estamos disponibilizando o nosso Código Ética nas versões impressa e eletrônica.

CÓDIGO DE ÉTICA. Nesse ano, estamos disponibilizando o nosso Código Ética nas versões impressa e eletrônica. CÓDIGO DE ÉTICA Nestes três anos de muitas realizações, as relações da Agência de Desenvolvimento Paulista com seus parceiros, clientes, fornecedores, acionistas, entre outros, foram pautadas por valores

Leia mais

A COMUNICAÇÃO INTERNA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO USINA CORURIPE

A COMUNICAÇÃO INTERNA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO USINA CORURIPE A COMUNICAÇÃO INTERNA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO USINA CORURIPE APRESENTAÇÃO: Anderson Tsuchida Jornalista, Publicitário e Pós Graduado em Comunicação Empresarial Por que a Comunicação Interna é tão

Leia mais

Seleção de pessoal. Para julgar com eficácia esses dois aspectos, é necessária, então, a coleta de dados do candidato sobre seus/suas:

Seleção de pessoal. Para julgar com eficácia esses dois aspectos, é necessária, então, a coleta de dados do candidato sobre seus/suas: Seleção de pessoal A etapa de seleção de pessoas é a que dá início a tudo, inserindo capital humano dentro da organização e fornecendo o recurso essencial para o funcionamento do PMC. O ponto principal

Leia mais

BASES CONCEITUAIS - SISTEMA DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE da Administração Pública Federal - SINP/FEDERAL

BASES CONCEITUAIS - SISTEMA DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE da Administração Pública Federal - SINP/FEDERAL BASES CONCEITUAIS - SISTEMA DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE da Administração Pública Federal - SINP/FEDERAL 1- As bases conceituais do Sistema de Negociação Permanente da Administração Pública Federal - SINP/FEDERAL

Leia mais

Caps O Consumidor individual, grupo social, organizacional

Caps O Consumidor individual, grupo social, organizacional Caps. 3 4 5 O Consumidor individual, grupo social, organizacional Cap. 3 Consumidor Individual Cap. 4 O Consumidor no Grupo Social Cap. 5 O Comprador Organizacional O consumidor Individual As pessoas compram

Leia mais

Ensino sem fronteira

Ensino sem fronteira Ensino sem fronteira VISÃO DA EAD O QUE É EAD? Modalidade educacional na qual a mediação didático pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologias de informação

Leia mais

Ideias [COMPROVADAS] Ensina Passo a Passo Como Começar A Ganhar Dinheiro Na Internet!

Ideias [COMPROVADAS] Ensina Passo a Passo Como Começar A Ganhar Dinheiro Na Internet! 2016-6 Ideias [COMPROVADAS] Ensina Passo a Passo Como Começar A Ganhar Dinheiro Na Internet! www.maisdinheiroesaude.com Tenha Tempo Para A Sua Família, Com Paz, Segurança & Estabilidade Usando O Poder

Leia mais

NOTA TÉCNICA. O Brasil pelos brasileiros: qual é o maior problema do país? Março de Luiza Niemeyer. Economia Aplicada Ano xx

NOTA TÉCNICA. O Brasil pelos brasileiros: qual é o maior problema do país? Março de Luiza Niemeyer. Economia Aplicada Ano xx NOTA TÉCNICA O Brasil pelos brasileiros: qual é o maior problema do país? Luiza Niemeyer Março de 2014 1 Economia Aplicada Ano xx O que o brasileiro identifica como o principal problema do Brasil? No ano

Leia mais

- Identificar as formas de gestão e de tomadas de decisão dentro da organização escolar

- Identificar as formas de gestão e de tomadas de decisão dentro da organização escolar Disciplina: Gestão e Organização Escolar Código da Disciplina: EDU336 Curso: Pedagogia Período: 6º Faculdade Responsável: Pedagogia Programa em vigência a partir de: 2015 Número de créditos: 05 Horas-aula:

Leia mais

Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais.

Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais. Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais. CCJ0001 - Fundamentos das Ciências Sociais Profa. Ivana Schnitman Centro Universitário Estácio da Bahia Conteúdo O contexto histórico

Leia mais

Gestão de Pessoas MÓDULO II

Gestão de Pessoas MÓDULO II O DIFERENCIAL É O TALENTO HUMANO: Gestão de Pessoas MÓDULO II Prof. Ms. Fábio Lúcio Gomes fabiodobu@gmail.com Administração de RH Abrange o conjunto de técnicas e instrumentos que permitem às organizações

Leia mais

PR CURITIBA SRRF09 MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL 9ª REGIÃO FISCAL

PR CURITIBA SRRF09 MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL 9ª REGIÃO FISCAL Fl. 4 SRRF/9ª RF/DISIT Fls. 7 INTERESSADO 6 SECRETARIA MINISTÉRIO DA FAZENDA DA RECEITA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL PROCESSO Nº DOMICÍLIO FISCAL 9ª REGIÃO FISCAL SOLUÇÃO DE CONSULTA

Leia mais

Microcrédito Damos Rumo à Vida

Microcrédito Damos Rumo à Vida Microcrédito Damos Rumo à Vida 1 Responsabilidade Social A iniciativa do Microcrédito assume um papel fundamental na intervenção do Millennium bcp na vertente social. Responsabilidade Social da Empresa

Leia mais

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Assessoria de Comunicação Social - ASCOM Petrolina - PE Julho de 2016 2ª Versão Apresentação A Assessoria de Comunicação Social (Ascom) da Univasf tem como

Leia mais

CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal

CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal Primeira 1/6 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal Marcelo de Sousa Monteiro Michelle Borges C. Cunha HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES EDIÇÃO

Leia mais

O HOMEM AGENTE CULTURAL

O HOMEM AGENTE CULTURAL CAPÍTULO 10 O HOMEM AGENTE CULTURAL Fonte: www.afam.com.br/img/jpg/livros-cultural.jpg "O homo culturalis representa a dimensão cultural do próprio homem em sua produção geral, ou seja, a cultura implica

Leia mais

Quem faz arte? O homem criou objetos para satisfazer as suas necessidades práticas, como as ferramentas para cavar a terra e os utensílios de

Quem faz arte? O homem criou objetos para satisfazer as suas necessidades práticas, como as ferramentas para cavar a terra e os utensílios de ROTULAÇÃO Rotulação na arte A arte é uma criação humana com valores estéticos (beleza, equilíbrio, harmonia, revolta) que sintetizam as suas emoções, sua história, seus sentimentos e a sua cultura. É um

Leia mais

realidade das profissões

realidade das profissões 12 12 Escolha Certa! Certa! As profissões As profissões do século do 21 século 21 Uma decisão difícil, extremamente pessoal. É dessa maneira que pode ser encarado esse momento crucial na vida do jovem:

Leia mais

CURRÍCULO ESCOLAR VMSIMULADOS

CURRÍCULO ESCOLAR VMSIMULADOS CURRÍCULO ESCOLAR 01. Segundo a LDB (Lei no 9394/96), os currículos do ensino fundamental e médio devem ter uma base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar,

Leia mais

A função do examinador e a ética profissional

A função do examinador e a ética profissional A função do examinador e a ética profissional WORKSHOP Novas Regras para Examinadores de Condução Susana Paulino Auditório Alto dos Moinhos, Lisboa 21 e 22 de janeiro de 2013 1 A formação e avaliação de

Leia mais

PONTOS BÁSICOS PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS. Klecius Ellera Gomes

PONTOS BÁSICOS PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS. Klecius Ellera Gomes PONTOS BÁSICOS PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS Klecius Ellera Gomes Por que elaborar um projeto? Qual a necessidade de elaborar um projeto? Principais aspectos de um projeto Foco definido/problema Objetivo

Leia mais

ENGAJANDO DA CABEÇA AO CORAÇÃO. ELTON MORAES APAS - Maio, 2016

ENGAJANDO DA CABEÇA AO CORAÇÃO. ELTON MORAES APAS - Maio, 2016 ENGAJANDO DA CABEÇA AO CORAÇÃO ELTON MORAES APAS - Maio, 2016 1. O QUE DIRECIONA ENGAJAMENTO? 2. PORQUE VALE A PENA INVESTIR? TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RH 2016 3. RAZÕES Fevereiro, PARA 2016 ACREDITAR O

Leia mais

INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA PROVA 344 INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 12º Ano de Escolaridade CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS SOCIOLOGIA ANO LECTIVO 2011/2012 Tipo de prova: Escrita Duração (em minutos): 90 TEMAS CONTEÚDOS

Leia mais

Disciplina: Físico-Química. Ano: 8.º

Disciplina: Físico-Química. Ano: 8.º ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ Disciplina: Físico-Química Ano: 8.º Professores: Ana Padilha e Alberto Morgado Ano Letivo: 2016-2017 Índice 1. Previsão do número de aulas de 45

Leia mais

Motivação, Liderança e Desempenho. Professora: Renata Lourdes

Motivação, Liderança e Desempenho. Professora: Renata Lourdes HU 2012 Motivação, Liderança e Desempenho. Professora: Renata Lourdes 1 MOTIVAÇÃO Motivação é tudo aquilo que impulsiona a pessoa a agir de alguma forma; O impulso à ação pode ser: estímulo interno (pensar

Leia mais

Departamento Pessoal

Departamento Pessoal Departamento Pessoal Para desenvolver suas atividades a empresa precisa de pessoas, as. quais constituem os seus recursos humanos. Elas são fundamentais para que a empresa possa atingir seus objetivos

Leia mais

O site da minha empresa precisa ser atualizado?

O site da minha empresa precisa ser atualizado? O site da minha empresa precisa ser atualizado? Já sabemos a alguns anos que a presença digital é realidade e que vem crescendo cada vez mais. Neste cenário estar bem posicionado na web é obrigação das

Leia mais

OBJETIVOS. Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL. Planejamento. Verificação Aprendizagem

OBJETIVOS. Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL. Planejamento. Verificação Aprendizagem 1 OBJETIVOS Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL Planejamento Execução Verificação Aprendizagem 2 INTRODUÇÃO Na aula passada, conhecemos os 11 Fundamentos

Leia mais

EDITAL N 010, de 11 de março de 2016

EDITAL N 010, de 11 de março de 2016 EDITAL N 010, de 11 de março de 2016 EDITAL DE SELEÇÃO DE DISCENTES E EGRESSOS PARA O GRUPO DE PESQUISA E ESTUDOS: TEMAS CONTEMPORÂNEOS EM DIREITO INTERNACIONAL DO NÚCLEO DE ESTUDOS DE DIREITO INTERNACIONAL

Leia mais

O papel das Ouvidorias Públicas na Mediação de Conflitos Organizacionais

O papel das Ouvidorias Públicas na Mediação de Conflitos Organizacionais O papel das Ouvidorias Públicas na Mediação de Conflitos Organizacionais Tania Almeida. Consultora, docente e pesquisadora em Mediação de Conflitos e Facilitação de Diálogos. Diretora-Presidente do MEDIARE

Leia mais

TÍTULO: A IDENTIDADE UNIVERSAL DO JOVEM EM GUS VAN SANT CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: ARTES VISUAIS

TÍTULO: A IDENTIDADE UNIVERSAL DO JOVEM EM GUS VAN SANT CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: ARTES VISUAIS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: A IDENTIDADE UNIVERSAL DO JOVEM EM GUS VAN SANT CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS

Leia mais

O modelo do ensino superior presencial está chegando (ou chegou) ao FIM?

O modelo do ensino superior presencial está chegando (ou chegou) ao FIM? O modelo do ensino superior presencial está chegando (ou chegou) ao FIM? Prof. Gabriel Mario Rodrigues 1. Filme O segredo do meu sucesso Obra que relata os anseios de um jovem americano do interior, recém

Leia mais

Senhoras e Senhores Deputados, com a população de Indaiatuba, os 50 anos do jornal A. Tribuna de Indaiá. Com intensa participação na recente

Senhoras e Senhores Deputados, com a população de Indaiatuba, os 50 anos do jornal A. Tribuna de Indaiá. Com intensa participação na recente O SR. NEUTON LIMA (PTB-SP) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, É para nós uma grande alegria comemorarmos, junto com a população de Indaiatuba, os 50 anos do

Leia mais

A definição do campo artístico: uma perspectiva sociológica sobre a Educação Artística.

A definição do campo artístico: uma perspectiva sociológica sobre a Educação Artística. A definição do campo artístico: uma perspectiva sociológica sobre a Educação Artística. Rodrigo A. Báez Rojas Escuela Superior de Bellas Artes- Universidad Nacional del Este ESBA-UNE Paraguay. Resumo:

Leia mais

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL. Prof. Saravalli OBJETIVOS 08/03/2016

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL. Prof. Saravalli OBJETIVOS 08/03/2016 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Prof. Saravalli ademir_saravalli@yahoo.com.br O comportamento organizacional é um campo de estudos que investiga o impacto que indivíduos, grupos e a estrutura têm sobre o

Leia mais

Colégio Estadual Osmar Guaracy Freire Ensino Fundamental, Médio e Profissional. Curso Técnico em Eventos

Colégio Estadual Osmar Guaracy Freire Ensino Fundamental, Médio e Profissional. Curso Técnico em Eventos Colégio Estadual Osmar Guaracy Freire Ensino Fundamental, Médio e Profissional. Curso Técnico em Eventos FORMAÇÃO EM AÇÃO - SEGUNDO SEMESTRE CURSO TÉCNICO EM EVENTOS APUCARANA/2014 Colégio Estadual Osmar

Leia mais

Para Diretoras de Vendas Independente 6 aulas ao vivo + Caixa de Ferramentas. Mais 2 aulas dúvidas + 1 evento ao vivo.

Para Diretoras de Vendas Independente 6 aulas ao vivo + Caixa de Ferramentas. Mais 2 aulas dúvidas + 1 evento ao vivo. Para Diretoras de Vendas Independente 6 aulas ao vivo + Caixa de Ferramentas. Mais 2 aulas dúvidas + 1 evento ao vivo. Contrato Ser Exemplo The Mary Kay Way Regras do WhatsApp Como acompanhar suas DIQs

Leia mais

Comportamento Organizacional

Comportamento Organizacional Comportamento Organizacional Profª. Taís Brenner Oesterreich 2011-1 O que é comportamento organizacional? Campo de estudo que investiga o impacto que indivíduos, grupos e a estrutura têm sobre o comportamento

Leia mais

Unidade II PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS. Prof. José Junior

Unidade II PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS. Prof. José Junior Unidade II PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS EM SERVIÇO SOCIAL Prof. José Junior As demandas e as respostas da categoria profissional aos projetos societários Projetos societários são aqueles de determinada classe

Leia mais

Estratégias de comunicação dos riscos Módulo B3

Estratégias de comunicação dos riscos Módulo B3 Estratégias de comunicação dos riscos Módulo B3 A tradução deste documento foi feita por Translators Without Borders, único responsável pela qualidade e fidelidade ao original desta versão em português.

Leia mais

i dos pais O jovem adulto

i dos pais O jovem adulto i dos pais O jovem adulto O desenvolvimento humano é um processo de mudanças emocionais, comportamentais, cognitivas, físicas e psíquicas. Através do processo, cada ser humano desenvolve atitudes e comportamentos

Leia mais

Programa de Estudo do Meio / Ciências da Natureza 2º ano

Programa de Estudo do Meio / Ciências da Natureza 2º ano Programa de Estudo do Meio / Ciências da Natureza 2º ano Introdução: Todas as crianças possuem um conjunto de experiências e saberes que foram acumulando ao longo da sua vida, no contacto com o meio que

Leia mais

Ser espaço permanente de diálogo da sociedade sobre as florestas no sul e extremo sul da Bahia.

Ser espaço permanente de diálogo da sociedade sobre as florestas no sul e extremo sul da Bahia. Missão Ser espaço permanente de diálogo da sociedade sobre as florestas no sul e extremo sul da Bahia. Princípios O Fórum como Espaço Coletivo O é um espaço coletivo, com abertura permanente às organizações

Leia mais

GESPÚBLICA - FMVZ/USP

GESPÚBLICA - FMVZ/USP Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia GESPÚBLICA - FMVZ/USP Desburocratização & Excelência 2008 O que é GESPÚBLICA? É o programa do Ministério do Planejamento, Orçamento

Leia mais

PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012.

PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012. PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012 Design D Kebrada 2. Dados do projeto 2.1 Nome do projeto Design D Kebrada 2.2 Data e

Leia mais

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO FUNCIONALISMO PÚBLICO. Teresa Helena Portela Freire de Carvalho Assessora Técnica CGU/Unicamp 2013

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO FUNCIONALISMO PÚBLICO. Teresa Helena Portela Freire de Carvalho Assessora Técnica CGU/Unicamp 2013 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO FUNCIONALISMO PÚBLICO Teresa Helena Portela Freire de Carvalho Assessora Técnica CGU/Unicamp 2013 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO FUNCIONALISMO PÚBLICO Funcionário público é todo

Leia mais

Acesso aberto à informação científica e o direito à informação e à saúde. Fernando César Lima Leite

Acesso aberto à informação científica e o direito à informação e à saúde. Fernando César Lima Leite Acesso aberto à informação científica e o direito à informação e à saúde Fernando César Lima Leite fernandodfc@gmail.com Saúde... Educação Ciência e Tecnologia Meio ambiente Agricultura C&T POSSUI ALTA

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 11

Transcrição de Entrevista nº 11 Transcrição de Entrevista nº 11 E Entrevistador E11 Entrevistado 11 Sexo Masculino Idade 25anos Área de Formação Engenharia Informática E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante o

Leia mais

O DIREITO E A MORAL GUSTAVO GUSMÃO

O DIREITO E A MORAL GUSTAVO GUSMÃO O DIREITO E A MORAL GUSTAVO GUSMÃO O DIREITO E A MORAL Um dos temas mais interessantes abordados pela Filosofia Jurídica abrange a questão da relação entre o direito e a moral, permitindo uma infinita

Leia mais

15 simples passos para instalar hábitos de sucesso. VIVER DE BLOG Página 1

15 simples passos para instalar hábitos de sucesso. VIVER DE BLOG Página 1 15 simples passos para instalar hábitos de sucesso VIVER DE BLOG Página 1 INTRODUÇÃO Os hábitos fazem parte de 40% da nossa vida. Ou seja, passamos quase metade no nosso tempo praticamente no piloto automático.

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 CURSO OBJETIVOS Oferecer aos participantes uma visão completa e profunda das tendências,

Leia mais

Intra empreendedorismo Eva Vieira

Intra empreendedorismo Eva Vieira Intra empreendedorismo Eva Vieira contato@evavieira.com.br Um empreendedor é uma pessoa imaginativa,caracterizada por uma capacidade de fixar alvos e objetivos Filion (1986) O empreendedor não perde a

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

A Qualidade da Democracia e da Governação em Cabo Verde

A Qualidade da Democracia e da Governação em Cabo Verde WWW.AFROBAROMETER.ORG A F R O S O N D A G E M Estudos de Mercado, Inquéritos de Opinião e Consultoria Económica A Qualidade da Democracia e da Governação em Cabo Verde Resultados da AFROBAROMETRO Round

Leia mais

IMUNIDADE PARLAMENTAR ORIGEM HISTÓRICA E DEFINIÇÃO

IMUNIDADE PARLAMENTAR ORIGEM HISTÓRICA E DEFINIÇÃO CURSO DE DIREITO MACELO SILVA DE FREITAS IMUNIDADE PARLAMENTAR ORIGEM HISTÓRICA E DEFINIÇÃO Fortaleza 2008 MACELO SILVA DE FREITAS IMUNIDADE PARLAMENTAR ORIGEM HISTÓRICA E DEFINIÇÃO O trabalho tem o objetivo

Leia mais

GEOGRAFIA UNIFAL/MG 2014

GEOGRAFIA UNIFAL/MG 2014 GEOGRAFIA UNIFAL/MG 2014 ETAPAS DO EXAME 19/09 - Divulgação eletrônica da lista de estudantes inscritos e convocados ao Enade 2014 21/10 a 23/11 Período para resposta eletrônica ao Questionário do Estudante

Leia mais