A primeira avaliação individual com o paciente

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A primeira avaliação individual com o paciente"

Transcrição

1 I Encontro de Profissionais de Saúde para Abordagem e Tratamento do Tabagismo na rede SUS 12/09/2012 RJ - INCA A primeira avaliação individual com o paciente Cristina Cantarino Coordenadora do Centro de Estudos para Tratamento da Dependência à Nicotina do INCA Membro do Comitê Científico da Comissão de Tabagismo da SBPT Coordenadora de Controle de Tabagismo de Niteró

2 Como garantir a presença do fumante na primeira consulta? Identificando os fumantes: sinal vital documentar no prontuário alerta o profissional de saúde, aumentando a taxa de abordagem do fumante (A) 70% dos fumantes desejam parar de fumar Entre os que recaem, 2/3 desejam tentar novamente em 30 dias Fiore, 2008.

3 Garantindo a presença do fumante na primeira consulta: 70% dos fumantes visitam um médico a cada ano 1/3 visita um dentista a cada ano Profissionais de saúde não aproveitam todas as oportunidades para abordar o fumante Apenas 1/3 dos adolescentes que visitam médicos e dentistas relatam receber abordagem sobre os perigos do uso do tabaco Gestantes fumantes são identificadas em 81% de suas visitas ao médico, mas recebem aconselhamento em apenas 23% destas visitas. A intervenção vem aumentando entre os fumantes que possuem seguro saúde.

4 Importante: perceber os sentimentos do fumante ao chegar para a 1ª consulta. Medo do fracasso Ambivalência

5 Importância do acolhimento É a garantia da aderência ao tratamento

6 Avaliar integralmente as pessoas fumantes. História clínica Rede de apoio História tabagística Estilo de vida

7 Identificação: Idade, sexo, estado civil, escolaridade, profissão. História e exame físico buscando: Valorizar queixas e benefícios da cessação ( voz rouca, tosse, expectoração, chiado,dispnéia, dor torácica, palpitações, claudicação intermitente). Pesquisar doenças relacionadas ao tabagismo já instaladas DPOC, DCV, câncer, outras Identificar : Fatores dificultadores da cessação: Comorbidades psiquiátricas( ansiedade, depressão) Uso de álcool Medo do ganho de peso corporal Comorbidades que dificultam o manejo do tratamento (lesões orais, úlcera péptica, HAS, DM, doença renal, hepática e dermatológica, alergias, uso de outras drogas) Existência de contra-indicações para tratamento farmacológico (convulsão, anorexia, bulimia, uso de inibidor da MAO bupropiona) (co-morbidade psiquiátrica Vareniclina)

8 Atenção : Desordens psiquiátricas são mais freqüentes entre fumantes do que na população geral % dos que procuram tratamento de tabagismo podem ter passado de depressão 20% ou + dos fumantes podem ter passado de abuso ou dependência ao álcool 70% ou + dos etilistas fumam Fiore MC et al. Treating Tobacco Use and Dependence: 2008 Update. Clinical Practice Guideline. Rockville,MD:US. Department of Health and Human Services. Public Health Service. May 2008

9 História e exame físico buscando: Identificar : Interações medicamentosas: Bupropiona ciclofosfamida,cimetidina, anti-depressivos tricíclicos, alguns beta bloqueadores Situações que demandam cautela no uso de medicamentos ( gravidez, amamentação, IAM recente, arritmias graves, adolescentes, idosos) Se estão em controle de outras doenças crônicas e integrar o tratamento de tabagismo. O momento mais adequado para solicitar os exames de rotina medo do resultado fuga do tratamento

10 Perfil do fumante: História tabagística motivação para a cessação do tabagismo (P&C) pronto para a ação? grau de dependência à nicotina (Fagerströn) idade que começou a fumar importância do cigarro na vida (solidão, ansiedade, ociosidade, recreio, companheiro) tentativas anteriores de cessação: quantas? (sem /com ajuda, uso de medicamentos, síndrome de abstinência) motivo da recaída? Usar como aprendizagem.

11 Avaliação do grau de dependência química do fumante Teste de Fagerstrom 1) Quanto tempo após acordar você fuma o primeiro cigarro? Dentro de 5 minutos = 3 Entre 6-30 minutos = 2 Entre minutos = 1 Após 60 minutos = 0 2) Você acha difícil não fumar em lugares proibidos? Sim = 1 Não= 0 3) Qual o cigarro do dia que traz mais satisfação? O primeiro da manhã = 1 Outros = 0 4) Quantos cigarros você fuma por dia? Menos de 10 = 0 De 21 a 30 = 2 De 11 a 20 = 1 Mais de 31 = 3

12 Avaliação do grau de dependência química do fumante Teste de Fagerstrom 5) Você fuma mais freqüentemente pela manhã? Sim = 1 Não = 0 6) Você fuma mesmo doente, quando precisa ficar de cama? Sim = 1 Não = 0 Grau de Dependência: 0-2 pontos = muito baixo 3-4 pontos = baixo 5 pontos = médio 6-7 pontos = elevado 8-10 pontos = muito elevado

13 Perfil do fumante: Maior risco de recaída Variáveis associadas com taxas de abstinência mais baixas Variáveis Exemplos Alto grau de dependência à nicotina fumante de 20 ou mais cig/ dia, e/ou fuma o 1º cig até 30 minutos após acordar Co-morbidade psiquiátrica e uso de drogas fumantes têm mais depressão, abuso de álcool, e esquizofrenia Alto nível de stress circunstâncias estressantes de vida e/ou grandes mudanças na vida ( divórcio, troca de emprego) Exposição à outros fumantes convivência com fumantes em casa Fiore, 2008.

14 Perfil do fumante: Maior Chance de Sucesso no Tratamento Variáveis associadas com taxas de abstinência mais altas VARIÁVEIS EXEMPLOS Alta motivação Fumante refere grande motivação para parar Pronto para mudar Fumante pronto para cessar dentro de 1 mês Auto-eficácia Fumante confiante na sua habilidade Moderada - alta de parar Rede social de suporte casa livre do tabaco e amigos não fumam na presença do paciente Fiore, 2008

15 Perfil do fumante: Ambiente domiciliar: Perfil dos familiares ( fumantes, ex- fumantes, não fumantes,colaboradores, dificultadores, tabagismo passivo) Ambiente profissional: Permitido X proibido fumar Fumódromo acolhedor X 100% livre do tabaco Convive e almoça com fumantes? Ambiente do círculo social Convive com fumantes? Eventos sociais frequentes, uso de bebida alcoólica?

16 Estilo de vida Alimentação saudável Atividade física Importância do lazer Outras fontes de prazer

17 Identificar gatilhos para fumar Avaliar o grau de exposição atual aos gatilhos Lidar com os gatilhos de modo diferente Construção de habilidades

18 Qual o papel dos exames complementares? Quando solicitar? Rotina básica: radiografia de tórax, espirometria, eletrocardiograma, hemograma completo, bioquímica sérica e urinária. Normal Levemente alterada Muito alterada Diretrizes para cessação do tabagismoj Bras Pneumol. V.34,número 10,p outubro 2008

19 Qual o papel do monoxímetro? O uso biomarcadores pode aumentar a motivação para deixar de fumar e, quando combinados com as melhores práticas de tratamento, ajudam na promoção da abstinência. CO é fácil de avaliar, barato e fornece resultados imediatos. A curta meia-vida pode limitar sua capacidade de identificação de tabagistas que se abstiveram durante várias horas. Medidas do CO são úteis mas não fundamentais, devem ser utilizadas, quando disponíveis. Revisão Cochrane McClureJ B,. Are biomarkers a useful aid in smoking cessation: a review and analysis of the literature. Behavioral Medicine 2001;27(1) : Nicotine Tob Res;6(4):615-20, 2004 Aug. Diretrizes para cessação do tabagismoj Bras Pneumol. V.34,número 10,p outubro 2008

20 Como o fumante se torna um ex fumante? F ex F Robert West

21 Parar de fumar: Como acontece este processo? FUMANTE rede de apoio EX FUMANTE Marcação por telefone Comparecimento na 1ª consulta Iª sessão semanal 2ª sessão 3ª sessão 4ª sessão 1ª s. qunizenal 2ª s. quinzenal 1º controle mensal 2º controle mensal 1 ano de abstinência Como garantir a presença nos encontros?

22 O processo de avaliação é permanente e dinâmico Se perpetua durante todo o tratamento

23 Enquanto o fumante evolui na sua roda... CONTEMPLATIVO PRÉ- CONTEMPLATIVO PRONTO PARA AÇÃO RECAÍDA AÇÃO MANUTENÇÃO Prochazka & Di Clemente Nós acompanhamos na avaliação... Processo dinâmico

24 A primeira consulta do fumante É fundamental para: Garantir a aderência ao tratamento. Conhecer as particularidades de cada paciente. Estreitar a relação médico- paciente e construir uma base sólida que proporcione confiança. Sem pressa!

I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM TABAGISMO DISCIPLINA DE PNEUMOLOGIA - ESCOLA MÉDICA DE PÓS-GRADUAÇÃO - PUC RIO AVALIAÇÃO CLÍNICA INICIAL

I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM TABAGISMO DISCIPLINA DE PNEUMOLOGIA - ESCOLA MÉDICA DE PÓS-GRADUAÇÃO - PUC RIO AVALIAÇÃO CLÍNICA INICIAL Cristina Cantarino Pneumologista Coordenadora do Centro de Estudos para Tratamento da Dependência à Nicotina do INCA Coordenadora Municipal do Controle de Tabagismo de Niterói Coordenadora da Clínica de

Leia mais

I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM TABAGISMO DISCIPLINA DE PNEUMOLOGIA - ESCOLA MÉDICA DE PÓS-GRADUAÇÃO - PUC RIO

I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM TABAGISMO DISCIPLINA DE PNEUMOLOGIA - ESCOLA MÉDICA DE PÓS-GRADUAÇÃO - PUC RIO Cristina Cantarino Pneumologista Coordenadora do Centro de Estudos para Tratamento da Dependência à Nicotina do INCA Coordenadora Municipal do Controle de Tabagismo de Niterói Coordenadora da Clínica de

Leia mais

Implantação de Programas de Combate ao Tabagismo em Hospitais Dr. Marcos Marques Hospital Vita Batel Curitiba/PR História O uso do tabaco surgiu aproximadamente no ano 1000 a.c (América Central). Chegou

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO Abordagem e Tratamento do Tabagismo PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO Abordagem e Tratamento do Tabagismo I- Identificação do Paciente Nome: Nº do prontuário:

Leia mais

A METODOLOGIA DO TRATAMENTO DO TABAGISMO NO SUS

A METODOLOGIA DO TRATAMENTO DO TABAGISMO NO SUS A METODOLOGIA DO TRATAMENTO DO TABAGISMO NO SUS I Encontro de Profissionais de Saúde para Abordagem e Tratamento do Tabagismo na Rede SUS Ricardo Henrique Sampaio Meirelles Divisão de Controle do Tabagismo

Leia mais

Tratamento do tabagismo : manejo da farmacoterapia e das co-morbidades

Tratamento do tabagismo : manejo da farmacoterapia e das co-morbidades Tratamento do tabagismo : manejo da farmacoterapia e das co-morbidades Interações medicamentosas Carlos Alberto de Barros Franco Professor Titular de Pneumologia da Escola Médica de PósGraduação da PUC-Rio

Leia mais

III Jornada Regional sobre drogas ABEAD/MPPE ENTENDENDO O TABAGISMO: A DEPENDÊNCIA E O TRATAMENTO

III Jornada Regional sobre drogas ABEAD/MPPE ENTENDENDO O TABAGISMO: A DEPENDÊNCIA E O TRATAMENTO III Jornada Regional sobre drogas ABEAD/MPPE ENTENDENDO O TABAGISMO: A DEPENDÊNCIA E O TRATAMENTO IVANA MAGALY LIMA ALENCAR CARVALHEIRA Psicóloga Clínica Hospitalar Neuropsicóloga - CRP 02/8461 Setembro/2010

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA DO TABAGISMO. 50 doenças 5 milhões de mortes/ano maioria evitável 200.000 mortes no Brasil CONGRESSO ASMA, DPOC E TABAGISMO SBPT 2007

EPIDEMIOLOGIA DO TABAGISMO. 50 doenças 5 milhões de mortes/ano maioria evitável 200.000 mortes no Brasil CONGRESSO ASMA, DPOC E TABAGISMO SBPT 2007 CONGRESSO ASMA, DPOC E TABAGISMO SBPT 2007 Mesa redonda Tratamento do tabagismo Nossos pulmões não são cinzeiros! Tabagismo no consultório e abordagem em cooperativa médica Luiz Fernando F. Pereira Coordenador

Leia mais

TRATAMENTO DO TABAGISMO: o que funciona? TRATAMENTO DO TABAGISMO CONTROLE DO TABAGISMO TRATAMENTO DO TABAGISMO. Carlos A A Viegas POR QUE PARAR?

TRATAMENTO DO TABAGISMO: o que funciona? TRATAMENTO DO TABAGISMO CONTROLE DO TABAGISMO TRATAMENTO DO TABAGISMO. Carlos A A Viegas POR QUE PARAR? : o que funciona? Carlos A A Viegas IX CURSO NACIONAL DE ATUALIZAÇÃO EM PNEUMOLOGIA SBPT - 2008 CONTROLE DO TABAGISMO IMPLEMENTAÇÃO DA CONVENÇÃO QUADRO IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA SABER SAÚDE TRATAMENTO

Leia mais

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Comissão de Tabagismo

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Comissão de Tabagismo Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Comissão de Tabagismo Sessão de Casos Clínicos em Tabagismo: Caso Clínico para Discussão: 2012. Fumante com síndrome metabólica e DPOC * 1 Autores e Instituição:

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Medicina Psicossomática e Psiquiatria

Diretrizes Assistenciais. Medicina Psicossomática e Psiquiatria Diretrizes Assistenciais Medicina Psicossomática e Psiquiatria Versão eletrônica atualizada em fev/2012 TRATAMENTO DE TABAGISMO Indicação: Pacientes tabagistas atendidos na SBIBAE Contraindicação: Não

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE ÁLCOOL

AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE ÁLCOOL AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE ÁLCOOL 1 Você faz uso de bebida alcoólica e bebe mais de uma vez por mês? 2 Alguma vez você sentiu que deveria diminuir a quantidade de bebida ou parar de beber? 3 As pessoas o

Leia mais

Vigilância de fatores de risco: Tabagismo

Vigilância de fatores de risco: Tabagismo Universidade Federal Fluminense Instituto de Saúde da Comunidade MEB Epidemiologia IV Vigilância de fatores de risco: Tabagismo Maria Isabel do Nascimento MEB/ Departamento de Epidemiologia e Bioestatística

Leia mais

Tabagismo (dependência de nicotina) Protocolo Clínico

Tabagismo (dependência de nicotina) Protocolo Clínico Tabagismo (dependência de nicotina) Protocolo Clínico O fumante, de Joos van Craesbeeck, 1605. Protocolo da Rede de Atenção Psicossocial, baseado em evidências científicas, para o diagnóstico, a avaliação

Leia mais

Tabagismo. Introdução - Conceitos

Tabagismo. Introdução - Conceitos Introdução - Conceitos Fumar causa uma doença crônica, conhecida como tabagismo, doença de dependência da nicotina, classificada no CID 10 como F-17.2 e reconhecida pela Organização Mundial da Saúde como

Leia mais

O TABAGISMO COMO DEPENDÊNCIA

O TABAGISMO COMO DEPENDÊNCIA O TABAGISMO COMO DEPENDÊNCIA Ministério da Saúde - MS Instituto Nacional de Câncer - INCA Coordenação de Prevenção e Vigilância - Conprev Divisão de Programas de Controle do Tabagismo e outros Fatores

Leia mais

AÇÕES PARA PROMOÇÃO DA CESSAÇÃO DO TABAGISMO

AÇÕES PARA PROMOÇÃO DA CESSAÇÃO DO TABAGISMO AÇÕES PARA PROMOÇÃO DA CESSAÇÃO DO TABAGISMO Ministério da Saúde - MS Instituto Nacional de Câncer - INCA Coordenação de Prevenção e Vigilância - Conprev Divisão de Programas de Controle do Tabagismo e

Leia mais

Parar de fumar Resumo de diretriz NHG M85 (maio 2011)

Parar de fumar Resumo de diretriz NHG M85 (maio 2011) Parar de fumar Resumo de diretriz NHG M85 (maio 2011) Chavannes NH, Kaper J, Frijling BD, Van der Laan JR, Jansen PWM, Guerrouj S, Drenthen AJM, Bax W, Wind LA traduzido do original em holandês por Luiz

Leia mais

3. Cópia dos resultados dos principais exames clínicos e os relacionados à obesidade Hemograma Glicemia Colesterol Triglicérides T3 T4 TSH

3. Cópia dos resultados dos principais exames clínicos e os relacionados à obesidade Hemograma Glicemia Colesterol Triglicérides T3 T4 TSH Cirurgia de Obesidade Mórbida Documentação Necessária Para solicitar a análise de Cirurgia de Obesidade ao Economus, é imprescindível o envio da relação completa dos documentos descritos abaixo: 1. Solicitação

Leia mais

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas. O caso da depressão. Gustavo Pradi Adam

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas. O caso da depressão. Gustavo Pradi Adam Modelo de Atenção às Condições Crônicas Seminário II Laboratório de Atenção às Condições Crônicas O caso da depressão Gustavo Pradi Adam Caso clínico Sempre te Vi, Nunca te Amei Sra. X, 43 anos, sexo feminino,

Leia mais

O desafio em ajudar o paciente a parar de fumar TABAGISMO 03/07/2012. Prevalência de Tabagismo no Brasil

O desafio em ajudar o paciente a parar de fumar TABAGISMO 03/07/2012. Prevalência de Tabagismo no Brasil O desafio em ajudar o paciente a parar de fumar Fernanda Miranda de Oliveira Pneumologista TABAGISMO O tabagismo é uma doença crônica, gerada pela dependência física e psicológica da nicotina. Todos os

Leia mais

PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil

PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil Trabalho de educação continuada desenvolvido pelo CRM-AL em 2002. Atendimento de profissionais

Leia mais

TABAGISMO. O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox

TABAGISMO. O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox Informativo Semanal O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo.

Leia mais

Resposta ao Recurso da Candidata Camila Karla da Cunha Gonçalves

Resposta ao Recurso da Candidata Camila Karla da Cunha Gonçalves Resposta ao Recurso da Candidata Camila Karla da Cunha Gonçalves RESPOSTA: CORRETA PERMANECE A LETRA D QUESTÃO 42. A senhora Maria Cristina 22 anos, do lar, união estável, tem um filho de 2 anos(pedro).

Leia mais

Envolvimento dos profissionais da saúde no controle do tabagismo

Envolvimento dos profissionais da saúde no controle do tabagismo Envolvimento dos profissionais da saúde no controle do tabagismo Prof. Javaid Khan, FRCP (Edin) Setor Principal de Medicina de Cuidado Pulmonar e Crítico The Aga Khan University, Karachi, Paquistão Envolvimento

Leia mais

ESCOLA PROMOTORA DE SAÚDE

ESCOLA PROMOTORA DE SAÚDE ESCOLA PROMOTORA DE SAÚDE ÁREA 100% LIVRE DE FUMAÇA ESCOLA PROMOTORA DE SAÚDE O QUE É EPS? ESCOLA QUE PROPORCIONA UM ENTORNO MAIS SAUDÁVEL, SEGURO E APROPRIADOS PARA CONVIVER PROMOVENDO SAÚDE E QUALIDADE

Leia mais

Resposta ao Recurso da Candidata Nayara Alves de Oliveira

Resposta ao Recurso da Candidata Nayara Alves de Oliveira Resposta ao Recurso da Candidata Nayara Alves de Oliveira RESPOSTA: CORRETA PERMANECE A LETRA D QUESTÃO 42. A senhora Maria Cristina 22 anos, do lar, união estável, tem um filho de 2 anos(pedro). A mesma

Leia mais

Tratamento farmacológico do tabagismo

Tratamento farmacológico do tabagismo Tratamento farmacológico do tabagismo Sandra Odebrecht Vargas Nunes Heber Odebrecht Vargas Luciana Vargas Alves Nunes Mariane Vargas Nunes Noto SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros NUNES, SOV.,

Leia mais

O desafio de deixar de fumar

O desafio de deixar de fumar O desafio de deixar de fumar O uso do cigarro tem como objetivo a busca por efeitos prazerosos desencadeados pela nicotina, melhora ime - diata do raciocínio e do humor, diminuição da ansiedade e ajuda

Leia mais

PAF Programa de Assistência ao Fumante

PAF Programa de Assistência ao Fumante PAF Programa de Assistência ao Fumante Programa de Tratamento Médico do Tabagismo desenvolvido por Dra Jaqueline Scholz Issa (CRM SP 60.179 ) baseado no atendimento de mais de 5000 fumantes ao longo de

Leia mais

Necessidades importantes e desconhecidas da DPOC. Dr. Roberto Stirbulov CREMESP 38.357

Necessidades importantes e desconhecidas da DPOC. Dr. Roberto Stirbulov CREMESP 38.357 Necessidades importantes e desconhecidas da DPOC Dr. Roberto Stirbulov CREMESP 38.357 Necessidades importantes e desconhecidas da DPOC Dr. Roberto Stirbulov CREMESP 38.357 Pneumologista A doença pulmonar

Leia mais

É PERMITIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTA OBRA, DESDE QUE CITADA A FONTE. Ficha Catalográfica

É PERMITIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTA OBRA, DESDE QUE CITADA A FONTE. Ficha Catalográfica 2001- MINISTÉRIO DA SAÚDE É PERMITIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTA OBRA, DESDE QUE CITADA A FONTE. MINISTÉRIO DA SAÚDE José Serra SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Renílson Rehen de Souza INSTITUTO

Leia mais

COMO AJUDAR SEU PACIENTE A PARAR DE FUMAR Ronaldo Laranjeira Maria Tereza Cruz Lourenço Helena B. Sarnaia

COMO AJUDAR SEU PACIENTE A PARAR DE FUMAR Ronaldo Laranjeira Maria Tereza Cruz Lourenço Helena B. Sarnaia DIAGNÓSTICO & TRATAMENTO - INTERESSE GERAL COMO AJUDAR SEU PACIENTE A PARAR DE FUMAR Ronaldo Laranjeira Maria Tereza Cruz Lourenço Helena B. Sarnaia INTRODUÇÃO Atualmente estima-se que 50% da população

Leia mais

VIII Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica

VIII Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica VIII Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica A Experiência de Curitiba na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária Sociedade Brasileira de Nefrologia Brasília, 2012

Leia mais

Organização de serviços para o tratamento da dependência química

Organização de serviços para o tratamento da dependência química Organização de serviços para o tratamento da dependência química Coordenação: Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD /INPAD/UNIFESP Agradecimentos: Dr. Marcelo Ribeiro Fatores

Leia mais

PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam desejo

PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam desejo PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam o desejo de participação social direciona as ações para a estruturação de um processo construtivo para melhoria

Leia mais

A Experiência do Autocuidado Apoiado na APS da SMS Curitiba

A Experiência do Autocuidado Apoiado na APS da SMS Curitiba Modelo de Atenção às Condições Crônicas Seminário II Laboratório de Atenção às Condições Crônicas A Experiência do Autocuidado Apoiado na APS da SMS Curitiba LIACC Educação Permanente Suporte à decisão

Leia mais

Tratamento de Tabagismo em ambulatórios de Tratamento de abuso de substâncias nos Estados Unidos

Tratamento de Tabagismo em ambulatórios de Tratamento de abuso de substâncias nos Estados Unidos Tratamento de Tabagismo em ambulatórios de Tratamento de abuso de substâncias nos Estados Unidos Cigarette smoking cessation services in outpatient substance abuse treatment programs in the United States

Leia mais

ABORDAGEM MÍNIMA/BÁSICA DO FUMANTE (PAAPA)

ABORDAGEM MÍNIMA/BÁSICA DO FUMANTE (PAAPA) ABORDAGEM MÍNIMA/BÁSICA DO FUMANTE (PAAPA) Ministério da Saúde - MS Instituto Nacional de Câncer - INCA Coordenação de Prevenção e Vigilância - Conprev Divisão de Programas de Controle do Tabagismo e outros

Leia mais

Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades. Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis

Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades. Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis Cigarro é droga? Verdade! Cigarro é uma droga poderosa, apesar de ser um produto lícito. O potencial de abuso da

Leia mais

Abordagem do Paciente Tabagista Hospitalizado

Abordagem do Paciente Tabagista Hospitalizado I Encontro de Profissionais de Saúde para Abordagem e Tratamento do Tabagismo na rede SUS 12/09/2012 RJ - INCA Abordagem do Paciente Tabagista Hospitalizado Cristina Cantarino Coordenadora do Centro de

Leia mais

PORTARIA Nº 442 DE 13 DE AGOSTO DE 2004. O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, e

PORTARIA Nº 442 DE 13 DE AGOSTO DE 2004. O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, e PORTARIA Nº 442 DE 13 DE AGOSTO DE 2004 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, e Considerando a necessidade de regulamentar a Portaria GM/MS nº 1.035, de 31 de maio de 2004, que amplia

Leia mais

Relatório Estatístico da Pesquisa Realizada no 23º Congresso Estadual da APEOESP

Relatório Estatístico da Pesquisa Realizada no 23º Congresso Estadual da APEOESP Relatório Estatístico da Pesquisa Realizada no 23º Congresso Estadual da APEOESP (1 a 3 de dezembro de 2010) Objetivos da Pesquisa: 1) Gerais: Conhecer mais profundamente a saúde e condições de trabalho

Leia mais

Hipertensão, saúde do trabalhador e atenção primária

Hipertensão, saúde do trabalhador e atenção primária Universidade Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Medicina Programa de Saúde Urbana, Ambiente e Desigualdades Hipertensão, saúde do trabalhador e atenção primária Francisco Arsego de Oliveira Serviço

Leia mais

Orientar trabalhos de pesquisa... Um caso com aplicação na disciplina de Ciências Naturais (9.º ano de escolaridade).

Orientar trabalhos de pesquisa... Um caso com aplicação na disciplina de Ciências Naturais (9.º ano de escolaridade). Orientar trabalhos de pesquisa... Um caso com aplicação na disciplina de Ciências Naturais (9.º ano de escolaridade). A operação de interpretação refere-se a inferências e generalizações que podem ser

Leia mais

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição IDENTIFICANDO A DEPRESSÃO Querida Internauta, Lendo o que você nos escreveu, mesmo não sendo uma profissional da área de saúde, é possível identificar alguns sintomas de uma doença silenciosa - a Depressão.

Leia mais

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas EXPOSIÇÃO 4:

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas EXPOSIÇÃO 4: Modelo de Atenção às Condições Crônicas Seminário II Laboratório de Atenção às Condições Crônicas EXPOSIÇÃO 4: O MODELO DE ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS POR QUE UM MODELO DE ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS

Leia mais

TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA DA NICOTINA Ronaldo Laranjeira *, Analice Gigliotti *, Maria Teresa C. Lourenço

TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA DA NICOTINA Ronaldo Laranjeira *, Analice Gigliotti *, Maria Teresa C. Lourenço TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA DA NICOTINA Ronaldo Laranjeira *, Analice Gigliotti *, Maria Teresa C. Lourenço O fumo é a causa mais importante de morte e doença previníveis. É responsável por 20% de todas

Leia mais

TABACO. Uma questão de hábito ou uma questão de óbito? Pare de fumar enquanto é tempo!

TABACO. Uma questão de hábito ou uma questão de óbito? Pare de fumar enquanto é tempo! TABACO Uma questão de hábito ou uma questão de óbito? Pare de fumar enquanto é tempo! O cigarro contém: NICOTINA [substância também presente nos insecticidas] EFEITOS IMEDIATOS: TREMOR DAS MÃOS AUMENTO

Leia mais

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Messiano Ladislau Nogueira de Sousa Médico Psiquiatra com aperfeiçoamento em terapia psicanalítica Abril, 2014 Sumário Conceitos

Leia mais

Abordagem familiar e instrumentos para profissionais da Atenção Primária à Saúde

Abordagem familiar e instrumentos para profissionais da Atenção Primária à Saúde Abordagem familiar e instrumentos para profissionais da Atenção Primária à Saúde 1 Carmen Luiza Correa Fernandes e Lêda Chaves Dias Curra Médicas de Família e Comunidade / Terapeutas de Família e Casais

Leia mais

A Saúde mental é componente chave de uma vida saudável.

A Saúde mental é componente chave de uma vida saudável. Transtornos mentais: Desafiando os Preconceitos Durante séculos as pessoas com sofrimento mental foram afastadas do resto da sociedade, algumas vezes encarcerados, em condições precárias, sem direito a

Leia mais

O TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA QUIMICA

O TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA QUIMICA O TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA QUIMICA Quase todos aqueles que sofrem com a drogadição de um parente ou amigo próximo perguntam se é possível tratar o uso de drogas de um jovem, e, caso este aceitar o tratamento

Leia mais

TERAPIA COGNITIVO COMPORTAMENTAL

TERAPIA COGNITIVO COMPORTAMENTAL CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM TABAGISMO TERAPIA COGNITIVO COMPORTAMENTAL BASE METODOLÓGICA, ENFOQUE, TÉCNICAS E FERRAMENTAS MAIS COMUNS FORMAS DE TERAPIA: INDIVIDUAL OU GRUPAL VERA LÚCIA GOMES BORGES CENTRO

Leia mais

Comorbidades Psiquiátricas na Dependência Química

Comorbidades Psiquiátricas na Dependência Química Comorbidades Psiquiátricas na Dependência Química Fernanda de Paula Ramos Psiquiatra Diretora da Villa Janus Especialista em Dependência Química UNIFESP Especialista em Psicoterapia pela UFRGS Coordenadora

Leia mais

Paciente Psiquiátrico que fuma Deve ser tratado de acordo com a patologia Equilibrados podem frequentar grupo exigindo em paralelo acompanhamento individual psiquiátrico Desafio Como tratar tabagistas

Leia mais

Programa Nacional de Controle do Tabagismo AMBIENTE LIVRE DO TABACO

Programa Nacional de Controle do Tabagismo AMBIENTE LIVRE DO TABACO Programa Nacional de Controle do Tabagismo AMBIENTE LIVRE DO TABACO Coordenação de Vigilância em Saúde do Trabalhador Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Superintendência de

Leia mais

COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS DO SENADO FEDERAL. Brasília maio 2010

COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS DO SENADO FEDERAL. Brasília maio 2010 COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS DO SENADO FEDERAL Brasília maio 2010 Audiência Pública: o avanço e o risco do consumo de crack no Brasil Francisco Cordeiro Coordenação de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas

Leia mais

Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas?

Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas? Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense Ana Carolina S. Oliveira Psi. Esp. Dependência Química Importância Preocupação permanente de gestores

Leia mais

Dependência do Tabagismo

Dependência do Tabagismo Dependência do Tabagismo Jack E. Henningfield, PhD Johns Hopkins School of Medicine (Escola de Medicina Johns Hopkins) Pinney Associates 2007 Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health (Escola de

Leia mais

PREVALÊNCIA DE TABAGISMO E GRAU DE DEPENDÊNCIA ENTRE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA, SEGUNDO TESTE DE FAGERSTRÖM

PREVALÊNCIA DE TABAGISMO E GRAU DE DEPENDÊNCIA ENTRE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA, SEGUNDO TESTE DE FAGERSTRÖM 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PREVALÊNCIA DE TABAGISMO E GRAU DE DEPENDÊNCIA ENTRE

Leia mais

Tabagismo entre estudantes de profissões de saúde: prevalência, conhecimento, atitudes e opiniões

Tabagismo entre estudantes de profissões de saúde: prevalência, conhecimento, atitudes e opiniões Tabagismo entre estudantes de profissões de saúde: prevalência, conhecimento, atitudes e opiniões Anderson Cardoso Eduardo Ribeiro Teixeira Sebastião Jorge da Cunha Gonçalves Maria Cristina Almeida de

Leia mais

A mulher e o consumo de bebidas alcoólicas Clarissa Mendonça Corradi-Webster Larissa Horta Esper Ana Maria Pimenta Carvalho

A mulher e o consumo de bebidas alcoólicas Clarissa Mendonça Corradi-Webster Larissa Horta Esper Ana Maria Pimenta Carvalho A mulher e o consumo de bebidas alcoólicas Clarissa Mendonça Corradi-Webster Larissa Horta Esper Ana Maria Pimenta Carvalho College of Nursing at Ribeirão Preto University of São Paulo Sobre o campo de

Leia mais

ATUAÇÃO DO SERVIÇO v SOCIAL JUNTO AO PACIENTE COM QUEIMADURAS POR TENTATIVA DE SUICÍDIO

ATUAÇÃO DO SERVIÇO v SOCIAL JUNTO AO PACIENTE COM QUEIMADURAS POR TENTATIVA DE SUICÍDIO ATUAÇÃO DO SERVIÇO v SOCIAL JUNTO AO PACIENTE COM QUEIMADURAS POR TENTATIVA DE SUICÍDIO 1.AMBULATÓRIO DO CTQ Atendimento ao paciente e familiares, garantindo a permanência de um acompanhante como apoio

Leia mais

PARECER COREN-SP 003/2015 - CT PRCI nº 102.705 Tickets nº 298.347

PARECER COREN-SP 003/2015 - CT PRCI nº 102.705 Tickets nº 298.347 PARECER COREN-SP 003/2015 - CT PRCI nº 102.705 Tickets nº 298.347 Ementa: Paciente fumante. 1. Do fato Profissional Auxiliar de Enfermagem informa que a direção da instituição em que trabalha determinou

Leia mais

Attemps Among Smokers Unmotivated to Quit.

Attemps Among Smokers Unmotivated to Quit. Universidade Federal de Juiz de Fora Programa de Pós-Graduação em Saúde Área de Concentração Saúde Brasileira Niepen Núcleo Interdisciplinar de Estudos, Pesquisas e Tratamento em Nefrologia Disciplinas:

Leia mais

Estudo epidemiológico realizado de 4 em 4 anos, em colaboração com a Organização Mundial de Saúde.

Estudo epidemiológico realizado de 4 em 4 anos, em colaboração com a Organização Mundial de Saúde. Mafalda Ferreira, Margarida Gaspar de Matos, Celeste Simões & Equipa Aventura Social Estudo epidemiológico realizado de 4 em 4 anos, em colaboração com a Organização Mundial de Saúde. Objectivo: Conhecer

Leia mais

Os padrões de consumo de crack, álcool e outras drogas e alguns instrumentos de avaliação e codificação

Os padrões de consumo de crack, álcool e outras drogas e alguns instrumentos de avaliação e codificação Os padrões de consumo de crack, álcool e outras drogas e alguns instrumentos de avaliação e codificação Enfª. Lorena Silveira Cardoso Mestranda em Saúde Coletiva do PRPPG - UFES VITÓRIA 2015 Nessa aula

Leia mais

TABAGISMO NO IDOSO: ASPECTOS GERAIS

TABAGISMO NO IDOSO: ASPECTOS GERAIS TABAGISMO NO IDOSO: ASPECTOS GERAIS Dra Roberta Lima Amaral da Costa 1 TAKE HOME MESSAGE: O tabagismo é uma doença crônica multi-sistêmica que afeta negativamente a qualidade de vida dos pacientes geriátricos,

Leia mais

1. A adoção da auto avaliação como

1. A adoção da auto avaliação como Questionário de Auto avaliação da Saúde Vocal: * Aqui específico para professores, podendo ser adaptado para demais profissões que utilizem a voz. 1. A adoção da auto avaliação como parte integrante dos

Leia mais

A Motivação no Tratamento da Dependência Química

A Motivação no Tratamento da Dependência Química Seja bem vindo! A Motivação no Tratamento da Dependência Química Ana Carolina Schmidt de Oliveira Psicóloga CRO 06/99198 Especialista em Dependência Química UNIAD/UNIFESP Mestranda UNIFESP Perguntas Por

Leia mais

CONCEPÇÕES DE IDOSOS ACERCA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA UM ENVELHECER SAUDÁVEL

CONCEPÇÕES DE IDOSOS ACERCA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA UM ENVELHECER SAUDÁVEL CONCEPÇÕES DE IDOSOS ACERCA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA UM ENVELHECER SAUDÁVEL Ocilma Barros de Quental. Faculdade de Medicina do ABC(ocilmaquental2011@hotmail.com) Sheylla Nadjane Batista Lacerda.

Leia mais

Experiência com o tratamento de Dependentes Químicos

Experiência com o tratamento de Dependentes Químicos Experiência com o tratamento de Dependentes Químicos INSTITUTO BAIRRAL DE PSIQUIATRIA Dr. Marcelo Ortiz de Souza Dependência Química no Brasil (CEBRID, 2005) População Geral: 2,9% já fizeram uso de cocaína

Leia mais

O fumo e a saúde: uma atualização

O fumo e a saúde: uma atualização O fumo e a saúde: uma atualização Jonathan M. Samet, MD, MS Diretor do Instituto para Saúde Mental da USC (USC Institute for Global Health) Professor e Presidente do Flora L. Thornton, Departamento de

Leia mais

Worldwide Charter for Action on Eating Disorders

Worldwide Charter for Action on Eating Disorders Worldwide Charter for Action on Eating Disorders - CARTA MUNDIAL DE ACÇÃO PARA AS PARTURBAÇÕES ALIMENTARES- DIREITOS E EXPECTATIVAS PARA PESSOAS COM PERTURBAÇÕES ALIMENTARES E AS SUAS FAMÍLIAS PREÂMBULO

Leia mais

CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS

CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS Dr. Ailton Luis da Silva www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300 Modelos de Serviços de Saúde Ocupacional existentes. A Convenção

Leia mais

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas Modelo de Atenção às Condições Crônicas Seminário II Laboratório de Atenção às Condições Crônicas A Estratificação de Risco na SMS de Curitiba HAS Diabete melito + Laboratório de Inovações na Atenção às

Leia mais

CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE

CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE Quem somos A nossa equipa apresenta um atendimento personalizado ao nível da Osteopatia através de uma abordagem multidisciplinar de qualidade, avaliação, diagnóstico e

Leia mais

E: Jamie Hunt, PhD; Paula Cupertino, PhD; Peter Friedmann, PhD; Byron Gajewski; PhD; Babalola Faseru, M.D., Edward Ellerbeck, MD, PhD

E: Jamie Hunt, PhD; Paula Cupertino, PhD; Peter Friedmann, PhD; Byron Gajewski; PhD; Babalola Faseru, M.D., Edward Ellerbeck, MD, PhD Kim Richter, PhD E: Jamie Hunt, PhD; Paula Cupertino, PhD; Peter Friedmann, PhD; Byron Gajewski; PhD; Babalola Faseru, M.D., Edward Ellerbeck, MD, PhD Discutir porque é importante o tratamento da dependência

Leia mais

Folha 01/07 DATA: 27/10/2011 DATA:27/10/2011 REVISÕES DATA RESPONSÁVEL 1ª REVISÃO 2ª REVISÃO 3ª REVISÃO 3ª REVISÃO 5ª REVISÃO

Folha 01/07 DATA: 27/10/2011 DATA:27/10/2011 REVISÕES DATA RESPONSÁVEL 1ª REVISÃO 2ª REVISÃO 3ª REVISÃO 3ª REVISÃO 5ª REVISÃO PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 06 Folha 01/08 PROTOCOLOS CLÍNICOS Nº. 01/ Serviço de Psiquiatria do Hospital de Clínicas da UFPR. Folha 01/07 : PROTOCOLO CLÍNICO DE TRATAMENTO DO TRANSTORNO DEPRESSIVO SERVIÇO DE:

Leia mais

II Seminário de Integração sobre Saúde e Segurança Boas Práticas na Área Portuária

II Seminário de Integração sobre Saúde e Segurança Boas Práticas na Área Portuária II Seminário de Integração sobre Saúde e Segurança Boas Práticas na Área Portuária PROGRAMA PORTO SEGURO LIMPO EM TERRA E A BORDO Área de Abrangência Saúde Mental e Comportamental. Objetivo Prevenção,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UEM PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL PDE

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UEM PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL PDE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UEM PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL PDE OBJETO DE APRENDIZAGEM COLABORATIVA Professora PDE: Jakeline da Silva Calixto

Leia mais

REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL: CLÍNICA AMPLIADA E AUTONOMIA

REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL: CLÍNICA AMPLIADA E AUTONOMIA REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL: CLÍNICA AMPLIADA E AUTONOMIA Uma Estratégia de Tratamento e Reinserção Social em Dependentes de Crack REABILITAÇÃO LÍGIA DUAILIBI Terapeuta Ocupacional e Coordenadora do Grupo

Leia mais

Organização de Serviços para o Tratamento dos Problemas Relacionados com Álcool e outras Drogas no Departamento de Psiquiatria da FCMSC

Organização de Serviços para o Tratamento dos Problemas Relacionados com Álcool e outras Drogas no Departamento de Psiquiatria da FCMSC Organização de Serviços para o Tratamento dos Problemas Relacionados com Álcool e outras Drogas no Departamento de Psiquiatria da FCMSC 1 - Introdução A organização dos serviços que tratam de pessoas com

Leia mais

Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos

Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos Seja Bem Vindo! Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos Ana Carolina S. Oliveira Psicóloga Esp. Dependência Química CRP 06/99198 Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense Psiquiatra

Leia mais

Instrumentos de Triagem para consumo de Bebidas Alcoólicas e Outras Drogas

Instrumentos de Triagem para consumo de Bebidas Alcoólicas e Outras Drogas Instrumentos de Triagem para consumo de Bebidas Alcoólicas e Outras Drogas DIFERENTES NÍVEIS DE CONSUMO ÁLCOOL ABSTINÊNCIA USO EXPERIMENTAL USO MODERADO ABUSO Leve DEPENDÊNCIA Moderada Grave Cerca de 10

Leia mais

Avaliação de um programa de tratamento do tabagismo

Avaliação de um programa de tratamento do tabagismo ISSN 1982-3541 2013, Vol. XV, nº 2, 35-44 Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva Avaliação de um programa de tratamento do tabagismo Evaluation of a program for smoking cessation Alex

Leia mais

FARMACOTERAPIA EXCLUSIVA Nutracêuticos para o tratamento da dependência Química

FARMACOTERAPIA EXCLUSIVA Nutracêuticos para o tratamento da dependência Química FARMACOTERAPIA EXCLUSIVA Nutracêuticos para o tratamento da dependência Química NUTRACÊUTICOS PARA TRATAMENTO DAS DEPENDÊNCIAS QUÍMICAS TRATAMENTO COM ALTA EFETIVIDADE Os mais recentes estudos científicos

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade

RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade SOLICITANTE Dra. Renata Abranches Perdigão Juíza de Direito do JESP da

Leia mais

Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012)

Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012) Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012) traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para uso e divulgação sem

Leia mais

OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA

OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA C A R T I L H A OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA OOUTUBRO ROSA é um movimento mundial pela prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Com suas ações especialmente

Leia mais