Você espera o melhor. A gente faz. Março / 2016

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Você espera o melhor. A gente faz. Março / 2016"

Transcrição

1 Você espera o melhor. A gente faz. Março / 2016

2 SEÇÃO 1 Visão Geral da Companhia

3 História de Empreendedorismo e Crescimento 2015/ Fundação com 16 carros 2008 PRIVATE EQUITY Maior disciplina financeira 2009 Consolidação dos Crescimento mesmo em momentos de crise 2010 Companhia que mais instrumentos de gestão e governança 2011 cresceu nos últimos 5 anos 2012 IPO Nova fase de crescimento com foco em rentabilidade e transparência 2013/14 Conclusão da otimização de estrutura de capital Foco na redução de custos e aumento do retorno 3

4 Presença Geográfica A Locamerica possui 3 bases operacionais, 13 escritórios operacionais e 14 lojas de Seminovos, atuando em todo o território nacional VANTAGENS COMPETITIVAS AMPLA PRESENÇA GEOGRÁFICA Maior player com dedicação exclusiva em terceirização de frotas; Forte abrangência nacional atingindo 95% do mercado alvo; Crescente diversificação de mercados e portfólio de clientes; Atuação pulverizada em diversos setores da economia doméstica. Manaus Belém Fortaleza Recife Cuiabá Brasília Salvador Belo Horizonte Rib. Preto Campinas Vitória Rio de Janeiro Adm. Central Curitiba São Paulo São Bernardo do Campo Joinville Bases Operacionais Porto Alegre Escritórios Operacionais Lojas de Seminovos Fonte: Companhia 4

5 Maior empresa com foco exclusivo em locação de frotas A Locamerica é a maior empresa com foco exclusivo em frotas, e uma das que mais cresceu no setor durante os últimos anos. FROTA TOTAL LOCAMERICA CRESCIMENTO DESDE 2008 Número de Carros (Unidades) Locamerica Localiza PIB Real Fonte: Relatórios das companhias e ABLA. 5

6 SEÇÃO 2 Visão Geral dos Setores

7 Terceirização de Frotas Os dados mais recentes da ABLA mostram um mercado ainda maior e mais fragmentado. A taxa de penetração no Brasil ainda é baixa quando comparada com outros países. TERCEIRIZAÇÃO DE FROTAS Fonte: ABLA Terceirização de Frotas (em milhares) Antiga Metodologia Nova Metodologia 8,4% 440,7 477,8 105,5 116,1 123,1 135,1 156,0 175,4 189,0 232,0 245,0 279,0 307, BAIXA PENETRAÇÃO MERCADO ALTAMENTE FRAGMENTADO Fonte: Datamonitor, ABLA, Locamerica. 37,4% 46,9% 58,3% Fonte: ABLA, Companhias 7,1% 6,5% 5,0% Localiza Locamerica Ouro Verde Unidas 8,9% 11,0% 13,3% 15,8% 16,5% 24,5% 73,7% 4,3% 3,4% Movida Outros 7

8 Cenário Setorial Em 2015, o setor de aluguel de carros faturou R$16,3 milhões por meio de mais de 7,5 mil locadoras, que responderam por 13,7% dos carros 0 km vendidos no país. FATURAMENTO DE LOCAÇÃO E Nº DE LOCADORAS Faturamento do Setor de Locação no Brasil (RaC + Fleet) Número de Locadoras no Brasil (em mil) 7,5 Antiga Metodologia 5,6 1,9 1,9 2,0 2,0 2,1 2,2 2,6 14,7 16,3 IDADE MÉDIA DA FROTA E LICENCIAMENTOS Idade Média da Frota das Locadoras Brasileiras (em meses) Part. das locadoras no licenciamento de Veículos Leves no Brasil (%) 11,4% 12,5% 13,7% 8,2% 9,0% 9,4% 8,7% 7,9% 8,4% 15,0 16,0 16,5 17,0 18,0 19,5 17,5 18,0 15,0 3,5 4,0 4,4 5,1 5,7 6,2 6, FAIXAS DE FATURAMENTO ANUAL DAS LOCADORAS Setor de locação de veículos bastante pulverizado, formado por locadoras de pequeno, médio e grande porte. Até R$300 mil 9% 10% 22% Entre R$300 mil e R$1 MM Entre R$1 MM e R$5 MM Entre R$5 MM e R$15 MM Acima de R$15 MM FROTA DE LOCAÇÃO BRASILEIRA POR CATEGORIA 5% 4% 9% 9% 50% Econômico Compacto Luxo Premium Carga e Vans Outros 33% 26% 23% Fonte: ABLA. * A partir de 2014 a ABLA revisou a metodologia de avaliação de mercado, por isso os números de 2014 em diante não são comparáveis. 8

9 Proposta de Valor Depreciação Manutenção Custo de Oportunidade FROTA PRÓPRIA Proposta de valor de empresas de terceirização de frotas decorre de grandes descontos junto às montadoras e maior eficiência operacional na gestão de custos de manutenção, além de liberar o capital antes investido em aquisição de frota. RESPONSIBILIDADES NA GESTÃO DE FROTAS FROTA PRÓPRIA vs FROTA TERCEIRIZADA Aquisição: Compra do veículo e customização às necessidades dos clientes. Gestão: Responsável pela manutenção e disponibilidade da frota. Economia de ~30% Venda: Responsável pela renovação da frota e venda dos veículos usados. VANTAGENS COMPETITIVAS Foco no Core Business Eficiência Operacional Redução de Custos FROTA TERCEIRIZADA 9

10 Vendas de Veículos Novos e Usados Restrição de crédito e aumento do spread entre os preços de veículos novos e usados são os principais responsáveis pela migração da demanda dos novos para os usados. INFLAÇÃO ACUMULADA DE VEÍCULOS NO BRASIL Preço do Carro Usado (Base 100 em Dez/2008) Preço do Carro Novo (Base 100 em Dez/2008) 100,0 99,2 RECURSOS LIBERADOS PARA FINANCIAMENTOS R$ Bilhões, 12 M, Ajustado pela inflação 99,3 69,2 dez-08 mar-10 jun-11 set-12 dez-13 mar-15 fev-16 VENDAS DE CARROS NOVOS¹ Nº de Carros Vendidos (Milhões) Veículos Usados Negociados / Veículos Novo Emplacados 2,3x 2,5x 2,6x 2,5x 2,6x 3,0x 4,0x 3,5x 4,8x 58,6 dez-11 out-12 ago-13 jun-14 abr-15 fev-16 VENDAS DE CARROS USADOS¹ Nº de Carros Vendidos (Milhões) Market-Share da Locamerica em Venda de Carros Usados no Brasil 0,04% 0,06% 0,06% 0,08% 0,11% 0,12% 0,13% 0,14% 0,13% 3,0 CAGR -3,2% 3,3 3,4 3,6 3,6 3,3 2,5-31,0% 7,1 8,4 8,9 9,0 9,4 10,1 10,0-5,5% 0,4 0,3 1,5 1, M15 2M M15 2M16 Fontes: IBGE, BCB, FENABRAVE. ¹ Apenas Autos e Comerciais Leves. 10

11 Veículos Seminovos¹ VEÍCULOS USADOS, POR IDADE % DE PARTICIPAÇÃO EM 2015, POR IDADE Em mil unidades Até 3 Anos de 9 a 12 anos de 4 a 8 anos Acima de 13 anos +0,02% Acima de 13 anos 22% de 9 a 12 anos 12% de 4 a 8 anos 36% Até 3 anos 30% VENDAS DE SEMINOVOS (ATÉ 3 ANOS DE USO) Número de Carros de até 3 anos de uso vendidos no Brasil (Em mil unidades) M13 2M14 2M15 2M16 Fonte: FENAUTO. ¹ Inclui Autos, Comerciais Leves, Comerciais Pesados, Motos e Outros. 11

12 SEÇÃO 3 Criação de Valor

13 EVOLUÇÃO DA GESTÃO LOCAMERICA Após 2014 Frota Total (em mil unidades) % de Veículos Populares % de Vendas de Seminovos no Varejo Spread da Dívida sobre o CDI Margem EBITDA (s/ Rec. Locação) 68% 58% 58% 29,3 66% 27,3 55% 63% 63% 52% 54% 56% 55% 21,9 61% 59% 49% 5,5% 58% 33% 16,5 14,9 57% 28% 30% 30% 29% 29% 10,3 3,8% 3,3% 3,1% 2,8% 23% 2,5% 2,4% 2,2% 20% Escala e poder de barganha como importante vetor de competitividade. 1T12 2T12 3T12 4T12 1T13 2T13 3T13 4T13 Otimização da estrutura de capital e início do movimento de qualificação da frota. 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 Expansão das margens operacionais e aumento da rentabilidade no Seminovos. Crescimento e expansão da frota Alongamento do perfil da dívida, com Captura dos benefícios trazidos pelo como forma de aumentar o poder de significativa queda do custo de movimento de qualificação da frota. barganha junto às montadoras. captação. Aumento das vendas no varejo e Disponibilidade de capital como Cenário competitivo muito agressivo expansão das margens no Seminovos. diferencial competitivo ( ) Diluição dos custos fixos e dada a disponibilidade de crédito para players pequenos e médios. Revisão da estrutura e organograma, com foco na redução de despesas. alavancagem operacional. Investimentos em estrutura visando suportar novo ciclo de crescimento. Fonte: Companhia Qualificação da frota, com foco em clientes com uso menos severo do veículo, visando desmobilização via o canal de varejo. Iniciativas de criação de valor, visando aumento da competitividade e desalavancagem financeira. 13

14 INICIATIVAS DE CRIAÇÃO DE VALOR A partir de 2014 temos implementado uma série de iniciativas de criação de valor buscando melhorar a rentabilidade da Companhia e aumentar nossa competitividade. EFICIÊNCIA OPERACIONAL QUALIFICAÇÃO DA FROTA OTIMIZAÇÃO DOS PRAZOS DA OPERAÇÃO CONTROLE DOS CUSTOS COM MANUTENÇÃO DESPESAS ADMINISTRATIVAS DESMOBILIZAÇÃO DE BASES OPERACIONAIS REVISÃO DO ORGANOGRAMA ALAVANCAGEM OPERACIONAL E DILUIÇÃO DO SG&A SEMINOVOS SEGMENTAÇÃO DAS ÁREAS ENTRE ATACADO E VAREJO FORTALECIMENTO DA ESTRUTURA SEMINOVOS (FÍSICA E WEB) AUMENTO DAS VENDAS NO CANAL VAREJO FINANCEIRO DESALAVANCAGEM FINANCEIRA INTENSIFICAÇÃO DA ANÁLISE DE CRÉDITO PARA NOVOS CONTRATOS MANUTENÇÃO DE UMA SÓLIDA ESTRUTURA DE CAPITAL 14

15 INICIATIVAS DE CRIAÇÃO DE VALOR EFICIÊNCIA OPERACIONAL Uma frota mais nova e melhor utilizada tem feito a Companhia controlar o custo de manutenção unitário, apesar de ter uma frota composta cada vez mais por veículos de maior valor agregado. Idade da Frota (Média Últimos 12 Meses) Taxa Média de Utilização (Frota Alugada Operacional) 18,5 18,5 18,4 17,9 17,1 16,5 16,1 15,8 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 % Part. Carros Populares 38,6 38,4 58% 37,9 57% 36,4 36,5 36,7 35,4 56% 55% 55% 33,5 54% 54% 54% 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 93,6% 94,1% 94,6% 94,8% 95,3% 95,5% 95,8% Custo de Manutenção por Carro (Base 100 = 1T14) 96,2% 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 100,0 102,1 100,0 106,1 107,3 101,5 102,4 104,1 108,1 106,2 110,6 112,1 109,0 107,2 115,3 102,3 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 13% abaixo da inflação Preço Médio Carro Comprado (R$ mil) IPCA Acumulado (Base 100 = 1T14) Fonte: Companhia, IBGE. Observação: Todos os indicadores são construídos numa base de 12 meses acumulados. 15

16 INICIATIVAS DE CRIAÇÃO DE VALOR DESPESAS ADMINISTRATIVAS Companhia tem focado cada vez mais no aumento da eficiência operacional via otimização do organograma e revisão do footprint, permitindo um rígido controle das despesas operacionais 641 Estrutura e Organograma # Funcionários Bases Operacionais Escritórios Regionais Satisfação dos Clientes 72% % T14 4T15 4T14 4T15 Frota Total por Colaborador 49,8 48,4 47,3 47,7 46,1 46,3 45,2 44,1 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 Despesas com SG&A como % da Receita Líquida Total de Despesas com SG&A (Base 100 = 1T14) 16,2% 15,7% 14,6% 9,7% 9,4% 8,7% 13,1% 12,7% 12,1% 12,0% 12,3% 7,8% 7,4% 6,9% 6,7% 6,8% 100,0 101,5 102,4 104,1 100,0 100,5 98,4 93,5 93,5 108,1 110,6 112,1 90,3 89,6 115,3 92,0 14% abaixo da inflação 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 Sobre Rec. Líquida de Locação Sobre Rec. Líquida Total IPCA Acumulado (Base 100 = 1T14) Fonte: Companhia, IBGE. Observação: Todos os indicadores são construídos numa base de 12 meses acumulados. 16

17 INICIATIVAS DE CRIAÇÃO DE VALOR Carros com uso menos severo e passíveis de serem vendidos no canal SEMINOVOS varejo, somada a premissas mais conservadoras de depreciação devem favorecer a margem bruta do segmento de Seminovos. % Part. Segmentos Uso Severo % Vendas no Varejo 19% 18% 18% 19% 19% 18% 28% 30% 30% 29% 29% 33% 17% 23% 15% 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 20% 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 Taxa de Depreciação 9,5% 10,7% 10,4% 10,5% 10,1% 9,8% 9,3% 9,5% 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 (4,0%) (5,5%) (0,4%) (4,7%) Margem Bruta Seminovos 1,6% (3,4%) (0,1%) (0,6%) (0,0%) (0,4%) (0,9%) (1,6%) 1,1% 6,9% 4,1% 2,2% 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 Taxa de Depreciação Acumulada 12 Meses Acumulado 12 Meses Trimestre Fonte: Companhia. Observação: Todos os indicadores são construídos numa base de 12 meses acumulados. 17

18 INICIATIVAS DE CRIAÇÃO DE VALOR Otimização do capital investido e redução da alavancagem permitem a FINANCEIRO manutenção de uma sólida estrutura de capital, com foco na redução dos custos financeiros e preservação da liquidez. 3,35x Desalavancagem Financeira Dívida Líquida / EBITDA 12M 2,85x 342,4 50,0 Cronograma da Dívida Impacto Captação CEF R$50MM Jan/16 672,2 86,4 101,9 3,9 (5,1) 634,0 16,7 16,7 16,7 (225,3) 292,4 227,6 200,8 166,8 159,2 147,6 24,5 4T14 Op. Aluguel CapEx Líquido Serviço Dívida Pagto. JCP Variação PL 4T15 CaIxa Custo de Capital Veículos dados em Garantia 5,5% 67% 3,8% 3,1% 2,5% 2,2% 2,2% 50% 38% 28% 23% 21% 20% 19% 13% 1,7% 1,4% 1,5% 1T12 4T12 3T13 2T14 1T15 4T15 Spread da Dívida sobre o CDI 1T12 4T12 3T13 2T14 1T15 4T15 Como % da Frota Fonte: Companhia 18

19 SEÇÃO 4 Resultados Operacionais e Financeiros 4T15

20 Destaques Financeiros TARIFA MÉDIA DE LOCAÇÃO RECEITA LÍQUIDA DE LOCAÇÃO Tarifa Média Mensal (R$) Volume de Diárias (Em mil) Em R$ Milhões +4,8% R$ R$ , ,4 R$ 373,8 R$ 392,0-0,9% R$ 101,3 R$ 100, VOLUMES E PREÇO MÉDIO DE VENDA Nº de Carros Vendidos (Unidades) Preço médio de venda (R$ mil) 4T14 4T Em R$ Milhões RECEITA DE SEMINOVOS R$ 316, R$ 22,1 R$ 24,8 R$ 255,4 R$ 76,8 R$ 78, T14 4T

21 Expansão das Margens EBITDA e EBIT 2014 (2,4%) PDD 100,0% (31,7%) (11,7%) (0,4%) 53,7% (22,5%) 31,2% Receita de Locação Custos com Manutenção Despesas com SG&A Resultado de Seminovos EBITDA Despesas com Depreciação EBIT ,0% (28,9%) (3,7%) PDD (12,4%) 1,8% 56,8% (25,1%) 31,7% Receita de Locação Custos com Manutenção Despesas com SG&A Resultado de Seminovos EBITDA Despesas com Depreciação EBIT 21

22 Destaques Financeiros RESULTADO FINANCEIRO (INVERTIDO) Resultado Financeiro (R$ Milhões) % sobre a Receita Líquida de Locação Lucro Líquido (R$ Milhões) Margem Líquida (%) LUCRO LÍQUIDO 20,9% 29,0% 21,0% 26,0% 7,4% 2,3% 6,6% 6,0% 23,4 4,8 MTM Hedge 85,7 101,9 24,8 18,6 21,2 29,2 7,5 2,4 4T14 4T T14 4T

23 Estrutura Societária Controladores Pátria Investimentos DVG1 Banco Votorantim Empreendimentos e Participações Outros* 47,0% 23,1% 9,7% 6,2% 14,0% Distribuição Geográfica do Free Float América Latina 7,2% EUA 2,7% Europa 0,1% Brasil 90,0% Nota: Data base 22/03/2016. * Inclui 2,14% de ações em tesouraria 23

24 Obrigado Contato: Aviso Legal - As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas a perspectivas de crescimento da Locamerica são meramente projeções e, como tais, são baseadas exclusivamente nas expectativas da Diretoria sobre o futuro dos negócios. Essas expectativas dependem, substancialmente, das condições de mercado, do desempenho da economia brasileira, do setor e dos mercados internacionais e, portanto, sujeitas à mudança sem aviso prévio.

Grande base de clientes, com CRM visando a fidelização e retenção de clientes

Grande base de clientes, com CRM visando a fidelização e retenção de clientes 1 Pilares Estratégicos 1 Forte cultura corporativa, cujo principal foco é a valorização das pessoas 2 Plataforma de vendas integrada, com múltiplos canais de venda 3 Grande base de clientes, com CRM visando

Leia mais

Resultados 2T08 15 DE AGOSTO DE 2008

Resultados 2T08 15 DE AGOSTO DE 2008 Apresentação Resultados 2T08 15 DE AGOSTO DE 2008 Participantes Jorge Cury - Diretor Presidente Marco Mattar - Diretor Vice Presidente Financeiro e Diretor Técnico Rebeca Ouro-Preto - Diretora de Relações

Leia mais

Como avaliar a real rentabilidade das empresas de energia?

Como avaliar a real rentabilidade das empresas de energia? Audiência Pública 004/2007 da ANEEL Segunda Revisão Tarifária Periódica da Coelce Como avaliar a real rentabilidade das empresas de energia? Cláudio J. D. Sales Presidente Instituto Acende Brasil Auditório

Leia mais

Localiza Rent a Car S.A. Apresentação dos resultados - 4T07 / 2007 (R$ milhões - USGAAP)

Localiza Rent a Car S.A. Apresentação dos resultados - 4T07 / 2007 (R$ milhões - USGAAP) Localiza Rent a Car S.A. Apresentação dos resultados - 4T07 / 2007 (R$ milhões - USGAAP) 1 Destaques do 4T07 Frota média alugada Receita líquida Quantidade 26.211 12.106 14.105 30,6% 25,9% 34,6% 34.226

Leia mais

AGENDA: Destaques Desempenho Operacional Mercado de Capitais Estratégias e Perspectivas

AGENDA: Destaques Desempenho Operacional Mercado de Capitais Estratégias e Perspectivas 0 Disclaimer Nossas estimativas e declarações futuras têm por embasamento, em grande parte, expectativas atuais e projeções sobre eventos futuros e tendências financeiras que afetam ou podem afetar o nosso

Leia mais

AGENDA DESEMPENHO FINANCEIRO NOSSO NEGÓCIO VANTAGENS COMPETITIVAS OPORTUNIDADES

AGENDA DESEMPENHO FINANCEIRO NOSSO NEGÓCIO VANTAGENS COMPETITIVAS OPORTUNIDADES Dezembro de 2015 1 DISCLAIMER Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T16. 06 de Maio de 2016

Divulgação de Resultados 1T16. 06 de Maio de 2016 Divulgação de Resultados 06 de Maio de 2016 Aviso Importante Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam ocasionar variações

Leia mais

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9%

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Resultados 3T15 EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Belo Horizonte, 10 de novembro de 2015 - A Companhia de Locação das Américas (Locamerica) (BM&FBOVESPA: LCAM3) divulga seus resultados

Leia mais

3º Trimestre de 2008. Teleconferência de Resultados. Lançamentos de 2008. Viver São J. Pinhais (São J. Pinhais-PR) 2T08

3º Trimestre de 2008. Teleconferência de Resultados. Lançamentos de 2008. Viver São J. Pinhais (São J. Pinhais-PR) 2T08 3º Trimestre de 2008 Teleconferência de Resultados Lançamentos de 2008 La Vita (Vitoria-ES) 2T08 Beach Park Wellness Resort (Aquiraz-CE) 1T08 Viver Caxias (Caxias do Sul-RS) 3T08 Viver São J. Pinhais (São

Leia mais

Apresentação Institucional. Março de 2015

Apresentação Institucional. Março de 2015 Apresentação Institucional Março de 2015 Apresentação Institucional Sobre a Par Corretora Mercado de Seguros em 2014 Diferenciais competitivos Programa Tem Mais Caixa Par Corretora é a corretora exclusiva

Leia mais

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Junho de 2010 Wilson R. Levorato Diretor Geral Brasil e a crise internacional: porque nos saímos tão bem? Onde estamos? Cenário

Leia mais

Destaques do Período. CADE aprova a fusão No dia 7 de novembro o CADE aprovou a fusão sem restrições.

Destaques do Período. CADE aprova a fusão No dia 7 de novembro o CADE aprovou a fusão sem restrições. 1 Considerações Gerais Considerações referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas de crescimento da B2W, eventualmente expressas neste

Leia mais

Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro

Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro Márcio Holland Secretário de Política Econômica Comissão de Infraestrutura do Senado Federal Brasília, 19 de maio de 2014 2 Por que investimentos

Leia mais

TIM Participações S.A. Resultados do 4T06 e 2006. 06 de Março de 2007

TIM Participações S.A. Resultados do 4T06 e 2006. 06 de Março de 2007 TIM Participações S.A. Resultados do 4T06 e 2006 06 de Março de 2007 1 Destaques Desempenho do Mercado Estratégia Comercial Desempenho Financeiro 2 4T06: Forte crescimento e sólida performance financeira

Leia mais

Resultados do Terceiro Trimestre de 2005

Resultados do Terceiro Trimestre de 2005 Resultados do Terceiro Trimestre de 2005 28 de outubro de 2005 Mensagem do Panorama do Mercado Resultados Financeiros Ambiente Regulatório Conclusão Mensagem do A TIM Participações está crescendo em um

Leia mais

Teleconferência de resultados

Teleconferência de resultados Teleconferência de resultados 2 Aviso importante Este material foi preparado pela Linx S.A. ( Linx ou Companhia ) e pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

Apresentação Institucional. Novembro 2015

Apresentação Institucional. Novembro 2015 Apresentação Institucional Novembro 2015 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 3ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

Lucro líquido atinge R$6,4 milhões no 1T15, crescimento de 28,6%

Lucro líquido atinge R$6,4 milhões no 1T15, crescimento de 28,6% Resultados 1T15 Lucro líquido atinge R$6,4 milhões no 1T15, crescimento de 28,6% Belo Horizonte, 6 de maio de 2015 - A Companhia de Locação das Américas (Locamerica) (BM&FBOVESPA: LCAM3) divulga seus resultados

Leia mais

Resultados do ano de 2015

Resultados do ano de 2015 Resultados do ano de 2015 2 de março de 2016 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores

Leia mais

Apresentação de Resultados do 3T07 7 de novembro de 2007

Apresentação de Resultados do 3T07 7 de novembro de 2007 Apresentação de Resultados do 3T07 7 de novembro de 2007 Destaques 3T07 Lucro líquido de R$45,5 milhões Resultados consolidados Companhia de menor custo no mercado (CASK consolidado = R$14,2 centavos /

Leia mais

RENDA VARIÁVEL. Novembro / 2011

RENDA VARIÁVEL. Novembro / 2011 Novembro / 2011 Acreditamos no Investimento em Renda Variável O mercado americano é um exemplo de consistentes e elevados retornos no longo prazo 2 A Bolsa Brasileira também Apresenta Sólidos Resultados

Leia mais

Telefônica Brasil S.A. 10.05.2012. Resultados 1T12

Telefônica Brasil S.A. 10.05.2012. Resultados 1T12 10.05.2012 Resultados 1T12 Disclaimer Para fins de comparabilidade, os números do 1T11 foram elaborados de forma combinada. Desta forma, as variações anuais aqui apresentadas podem diferir i daquelas informadas

Leia mais

GESTÃO ATIVA DE FUNDOS DE AÇÕES

GESTÃO ATIVA DE FUNDOS DE AÇÕES GESTÃO ATIVA DE FUNDOS DE AÇÕES CASE GERAÇÃO FUTURO FIA Mauro Giorgi giorgi@gerafuturo.com.br MERCADO DE AÇÕES NO BRASIL VISÃO DO INVESTIDOR - Dificil acesso - Compreensão reduzida - Pressões Externas

Leia mais

Resultados 3T12. 8 de novembro de 2012

Resultados 3T12. 8 de novembro de 2012 Resultados 3T12 8 de novembro de 2012 Resumo do trimestre Melhoria nas margens de rentabilidade do 3T12 ano-a-ano: margem líquida de 6,0% (+1,9 p.p.) e margem EBITDA de 17,8% (+1,8 p.p.); Consistente expansão

Leia mais

A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro

A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro Henrique de Campos Meirelles Julho de 20 1 pico = 100 Valor de Mercado das Bolsas Mundiais pico 100 Atual 80 Japão 60 40 crise 1929 20

Leia mais

Apresentação Unidas. Maio 2014

Apresentação Unidas. Maio 2014 Apresentação Unidas Maio 2014 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 2ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T16

Divulgação de Resultados 1T16 São Paulo - SP, 29 de Abril de 2016. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13

B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13 Estar Mais Próximo do Cliente B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13 RESULTADOS CONSOLIDADOS 2T13 Receita Bruta R$ 1.369,8 MILHÕES +24% Receita Líquida R$ 1.210,5 MILHÕES +22% Lucro Bruto

Leia mais

Banco BBM. Nosso Negócio. Destaques Financeiros. Crédito. Captação. Tesouraria. Private Banking

Banco BBM. Nosso Negócio. Destaques Financeiros. Crédito. Captação. Tesouraria. Private Banking Banco BBM Nosso Negócio Destaques Financeiros Crédito Captação Tesouraria Private Banking 1 Composição Acionária Grupo Mariani Outros 47% 73% 27% BBM Holding S.A. 51% Banco BBM S.A. 2% 100% BBM Adm. de

Leia mais

VALE RIO DOCE S/A. No resultado de 2013 a receita líquida da companhia tinha a seguinte divisão:

VALE RIO DOCE S/A. No resultado de 2013 a receita líquida da companhia tinha a seguinte divisão: VALE RIO DOCE S/A Empresa: A companhia é uma das maiores mineradoras do mundo, sendo a maior das Américas, baseada na capitalização de mercado. É a maior produtora mundial de minério de ferro e pelotas

Leia mais

Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer

Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer Foco da Palestra Orientar e esclarecer os conceitos de Lucratividade e a importância para existência e sucesso das empresas. Proporcionar aos participantes

Leia mais

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de:

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de: Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Econômica Critério I - Estratégia Indicador 1 - Planejamento Estratégico 1. Assinale os objetivos que estão formalmente contemplados no planejamento

Leia mais

Ultrapar Participações S.A. Agosto 2014

Ultrapar Participações S.A. Agosto 2014 Ultrapar Participações S.A. Agosto 2014 Considerações iniciais Previsões acerca de eventos futuros Este documento pode conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas

Leia mais

APRESENTAÇÃO APIMEC SP

APRESENTAÇÃO APIMEC SP APRESENTAÇÃO APIMEC SP 22 de novembro de 202 AGENDA Visão Geral e Desempenho Consolidado Livraria Saraiva Editora Saraiva 2 Governança Corporativa CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO MINHA BIBLIOTECA (e-books -

Leia mais

Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais

Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais Resultados 2T14 e 1S14 Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais Belo Horizonte, 5 de agosto de 2014 - A Companhia

Leia mais

Investor Day Via Varejo. 09 de Dezembro de 2014

Investor Day Via Varejo. 09 de Dezembro de 2014 Investor Day Via Varejo 09 de Dezembro de 2014 Investor Day Via Varejo Agenda 14:30 A Via Varejo Líbano Barroso, CEO 14:50 Apresentação dos Executivos Infraestrutura Marcelo Lopes Operações Jorge Herzog

Leia mais

O flexível modelo de negócios da Localiza mostrou-se eficaz durante o período de crise.

O flexível modelo de negócios da Localiza mostrou-se eficaz durante o período de crise. Localiza Rent a Car S.A. Resultados 4T09 e 2009 R$ milhões, USGAAP O flexível modelo de negócios da Localiza mostrouse eficaz durante o período de crise. Março, 2010 1 Plataforma integrada de negócios

Leia mais

Estrutura Acionária. Grupo Espírito Santo 18,3% Fundo Asas G&G. Grupo AIG. 99,9% 99,9% Providência Transportes. Providência Participações 0,1% 100,0%

Estrutura Acionária. Grupo Espírito Santo 18,3% Fundo Asas G&G. Grupo AIG. 99,9% 99,9% Providência Transportes. Providência Participações 0,1% 100,0% Reunião APIMEC SP 21/12/2007 Estrutura Acionária Grupo AIG Fundo Asas G&G Grupo Espírito Santo 18,4% 17,7% 18,3% 9,1% 36,5% 99,9% 99,9% Providência Transportes 0,1% Providência Participações Isofilme 100,0%

Leia mais

2º Expertise Day. SulAmérica Investimentos

2º Expertise Day. SulAmérica Investimentos 2º Expertise Day SulAmérica Investimentos O que fazemos? Equipamentos Sistemas de Gestão Serviços e Meios de Pagamento Soluções em Tecnologia para Varejo e Hotelaria 2 Onde Estamos EUA (Bathpage):. Fábrica

Leia mais

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS Março de 2015 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Esta pesquisa é realizada pela Fundação IPEAD/UFMG com o apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

Carta Mensal Novembro 2015

Carta Mensal Novembro 2015 Canvas Classic FIC FIM (nova razão social do Peninsula Hedge FIC FIM) Ao longo de novembro, a divergência na direção da política monetária conduzida pelos dois mais relevantes bancos centrais do mundo

Leia mais

GOL DAY NOVA YORK. 24 de junho de 2013

GOL DAY NOVA YORK. 24 de junho de 2013 GOL DAY NOVA YORK 24 de junho de 2013 1. Perfil da GOL Agenda 2. Indústria Aérea Nacional 3. Estratégia GOL 4. Smiles 5. Resultado Financeiro 6. Projeções Financeiras 7. Mensagem Final 2 2 1. Perfil da

Leia mais

Arezzo&Co Investor Day Expansão Multicanal Alexandre Birman

Arezzo&Co Investor Day Expansão Multicanal Alexandre Birman Arezzo&Co Investor Day Expansão Multicanal Alexandre Birman Apresentação do Roadshow COO 1 1 Visão de mercado Visão do mercado Mercado consumidor da Arezzo&Co em um contexto mais amplo R$ Bn 2010 100%

Leia mais

Resultados 4º Trimestre de 2015

Resultados 4º Trimestre de 2015 Resultados 4º Trimestre de 2015 24 de Fevereiro de 2016 Principais Destaques do Resultado do 1 2 Ganho de market share no mercado total no, com Receita Líquida totalizando R$ 5,461 bilhões - regressão

Leia mais

EXPO MONEY INTERNACIONAL SÃO PAULO 23 DE SETEMBRO DE 2011

EXPO MONEY INTERNACIONAL SÃO PAULO 23 DE SETEMBRO DE 2011 EXPO MONEY INTERNACIONAL SÃO PAULO 23 DE SETEMBRO DE 2011 ECORODOVIAS ESTRUTURA SOCIETÁRIA A EcoRodovias é uma das maiores empresas de infraestrutura logística integrada do Brasil, cujo foco é operar ativos

Leia mais

ACSA COMERCIAL DE BENS & CONSULTORIA EMPRESARIAL

ACSA COMERCIAL DE BENS & CONSULTORIA EMPRESARIAL ACSA COMERCIAL DE BENS & CONSULTORIA EMPRESARIAL 1 2 INTRODUÇÃO A economia brasileira nos últimos anos tem desenvolvido um processo de crescimento das diversas classes econômicas. Aproveitando o momento

Leia mais

Ferramentas de Gestão

Ferramentas de Gestão Ferramentas de Gestão Cenário Encontrado Sistemas Criados com objetivo de solucionar problemas isolados Adaptados conforme a necessidade da informação Foco na operacionalização Muitos controles paralelos

Leia mais

Esgotamento do Funding Tradicional?

Esgotamento do Funding Tradicional? Esgotamento do Funding Tradicional? Novos instrumentos vão vigorar no curto prazo? Gueitiro Matsuo Genso 12ª Conferência Internacional da LARES São Paulo 19 a 21 de setembro, 2012 Agenda Relevância no

Leia mais

Companhia de Bebidas das Américas AmBev

Companhia de Bebidas das Américas AmBev Companhia de Bebidas das Américas AmBev Bovespa: AMBV4 & AMBV3 / ABV & ABVc Pedro Aidar Gerente de Relações com Investidores Março 2005 VISÃO GERAL AMBEV 3 UNIDADES DE NEGÓCIO América do Norte Canadá:

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

Cenários para Precificação do Petróleo e do Gás Natural. Adriano Pires

Cenários para Precificação do Petróleo e do Gás Natural. Adriano Pires Cenários para Precificação do Petróleo e do Gás Natural Adriano Pires 17/03/2009 1 O Ano de 2009 Uma queda no crescimento da demanda global de energia conduzirá a preços menores de petróleo e de gás em

Leia mais

Mercado de Venture Capital aposta no crescimento do País

Mercado de Venture Capital aposta no crescimento do País Mercado de Venture Capital aposta no crescimento do País Edição 2011 da pesquisa Tendências Globais em Venture Capital, da Deloitte, mostra que o foco dos investimentos se concentra em duas áreas: infraestrutura

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10 TELECONFERÊNCIAS 12/05/2010 (quarta-feira) AGENDA 2010 Uma só empresa, melhor e mais forte SUMÁRIO EXECUTIVO 1 PRESENÇA NACIONAL 2 2 1 720 escolas associadas no Ensino Básico

Leia mais

Cemig 60 anos e o Novo Planejamento Estratégico

Cemig 60 anos e o Novo Planejamento Estratégico Cemig 60 anos e o Novo Planejamento Estratégico Belo Horizonte, 28 de Maio de 2012. Frederico Pacheco de Medeiros Principais atribuições da DGE Definir, orientar e promover a aplicação de políticas corporativas

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Outubro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem ser

Leia mais

Sondagem do Setor de Serviços

Sondagem do Setor de Serviços Sondagem do Setor de Serviços % Setor 2004 2005 2006 2007 2008 2009 Agropecuária 5,9 4,9 4,7 4,8 5,0 5,2 Indústria 25,8 25,1 24,7 23,9 23,3 21,8 Serviços 54,1 55,8 56,5 57,3 56,8 58,9 Impostos líquidos

Leia mais

Localiza Rent a Car e o Mercado de Capitais FIEMG / APIMEC-MG

Localiza Rent a Car e o Mercado de Capitais FIEMG / APIMEC-MG Localiza Rent a Car e o Mercado de Capitais FIEMG / APIMEC-MG Dezembro de 2005 O Mercado de capitais brasileiro ressurgiu em 2004... ... com inúmeras aberturas de capital Fazer a abertura de capital é

Leia mais

Sonae Sierra Brasil anuncia EBITDA de R$ 49,8 milhões no 1T13, aumento de 19% comparado ao 1T12

Sonae Sierra Brasil anuncia EBITDA de R$ 49,8 milhões no 1T13, aumento de 19% comparado ao 1T12 São Paulo, 09 de maio de 2013. Resultados 1º trimestre de 2013 Sonae Sierra Brasil anuncia EBITDA de R$ 49,8 milhões no 1T13, aumento de 19% comparado ao 1T12 A Receita líquida totalizou R$ 64,7 milhões

Leia mais

Resultados do 1T13. 02 de Maio de 2013

Resultados do 1T13. 02 de Maio de 2013 Resultados do 02 de Maio de 2013 2 Grupo Eucatex Fundada em 1951 Segmentos Indústria Moveleira, Revenda, Construção Civil e Exportação Subsidiária em Atlanta EUA 72 Fazendas de Eucalipto Total de 45,8

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação.

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS SOBERANO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA - SIMPLES CNPJ/MF: Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo. 24 de julho de 2013

Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo. 24 de julho de 2013 Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo 24 de julho de 2013 GPA Consolidado Destaques: Foco na expansão: abertura de 33 novas lojas. No 1S13, foram abertas 58 lojas, o que representou 2,2% de aumento de área de

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

Brazilian Finance & Real Estate

Brazilian Finance & Real Estate Jul-10 Brazilian Finance & Real Estate A Brazilian Finance & Real Estate, referência no mercado financeiro imobiliário brasileiro, é uma holding formada pelas empresas Brazilian Mortgages, Brazilian Securities,

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Apresentação Resultados 1T09

Apresentação Resultados 1T09 Apresentação Resultados 1T09 São Paulo, 18 de maio de 2009 Contatos: Flávio Rocha Presidente da Riachuelo e Diretor de RI Tulio Queiroz Controller e Gerente de RI ri@riachuelo.com.br Esta apresentação

Leia mais

Entretanto, este benefício se restringe a um teto de 12% da renda total tributável. O plano VGBL é vantajoso em relação ao PGBL para quem:

Entretanto, este benefício se restringe a um teto de 12% da renda total tributável. O plano VGBL é vantajoso em relação ao PGBL para quem: 2 1 3 4 2 PGBL ou VGBL? O plano PGBL, dentre outras, tem a vantagem do benefício fiscal, que é dado a quem tem renda tributável, contribui para INSS (ou regime próprio ou já aposentado) e declara no modelo

Leia mais

Code-P0. Copa 2014. Situação das ações do Governo Brasileiro. Brasília, 2 de junho de 2011

Code-P0. Copa 2014. Situação das ações do Governo Brasileiro. Brasília, 2 de junho de 2011 Code-P0 Copa 2014 Situação das ações do Governo Brasileiro Brasília, 2 de junho de 2011 Code-P1 O que o Brasil quer com a Copa do Mundo FIFA Mobilizar o país Promover o país no mundo Constituir arenas

Leia mais

PERSPECTIVAS MERCADO DE AÇÕES

PERSPECTIVAS MERCADO DE AÇÕES PERSPECTIVAS MERCADO DE AÇÕES Walter Mendes de Oliveira Filho. Fevereiro 2005 1 PERSPECTIVA MERCADO DE AÇÕES A RECENTE RECUPERAÇÃO DO MERCADO DE AÇÕES BRASILEIRO ACOMPANHOU A ALTA DOS MERCADOS EMERGENTES

Leia mais

309,6 92,4 232,2. Anhangüera Kroton SEB Estácio

309,6 92,4 232,2. Anhangüera Kroton SEB Estácio 1. RECEITA BRUTA NO PERÍODO 3T08 (EM R$ MILHÕES) PRINCIPAIS RESULTADOS 3T08/9M08 IES LISTADAS NA BOVESPA 1.500 1.000 848,5 1.066,0 1.421,3 500 0 229,2 636,4 78,6 232,2 309,6 92,4 245,0 326,7 366,7 Anhangüera

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015 CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRIMESTRE DE 2015 1 CENÁRIO ECONÔMICO O segundo trimestre do ano de 2015 demonstrou uma aceleração da deterioração dos fatores macroeconômicos no Brasil, com aumento

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

e-flation Índice de Inflação na Internet

e-flation Índice de Inflação na Internet e-flation Índice de Inflação na Internet 2013 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À FELISONI CONSULTORES ASSOCIADOS E AO PROVAR - Programa de Administração de Varejo da FIA - Fundação Instituto de Administração.

Leia mais

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon Avaliação de Empresas EVA E MVA Aula 11 EVA Indica a quantia em termos monetários que foi adicionada à riqueza efetiva do acionista em determinado período Diferente do lucro contábil, pois considera o

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC CAMPO GRANDE - MS MARÇO/2016 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T13 e 2013

Teleconferência de Resultados 4T13 e 2013 Teleconferência de Resultados 4T13 e 2013 14 de fevereiro de 2014 13h00 (Brasília) / 10h00 (US EST) Português: +55 (11) 2188-0155 Inglês: +1 (646) 843-6054 Código de Acesso: Marisa Nota de Ressalva E s

Leia mais

Resultados 1T15. 05 de Maio de 2015 11h00 (Brasília) / 10h00 (US EST) Português: +55 (11) 2188-0155 Inglês: +1 (646) 843-6054 Código de Acesso: Marisa

Resultados 1T15. 05 de Maio de 2015 11h00 (Brasília) / 10h00 (US EST) Português: +55 (11) 2188-0155 Inglês: +1 (646) 843-6054 Código de Acesso: Marisa Resultados 05 de Maio de 2015 11h00 (Brasília) / 10h00 (US EST) Português: +55 (11) 2188-0155 Inglês: +1 (646) 843-6054 Código de Acesso: Marisa Nota de Ressalva E s t a a p r e s e n t a ç ã o pode i

Leia mais

APENDICE A INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS PESQUISA SOBRE INOVAÇÕES GERENCIAIS EM INSTITUIÇÕES HOSPITALARES PRIVADAS DE SALVADOR

APENDICE A INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS PESQUISA SOBRE INOVAÇÕES GERENCIAIS EM INSTITUIÇÕES HOSPITALARES PRIVADAS DE SALVADOR APENDICE A INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO Data da entrevista.../.../... PESQUISA SOBRE INOVAÇÕES GERENCIAIS

Leia mais

ULTRAPAR PARTICIPAÇÕES S.A.

ULTRAPAR PARTICIPAÇÕES S.A. ULTRAPAR PARTICIPAÇÕES S.A. (BOVESPA:UGPA4/NYSE: UGP) INFORMAÇÕES E RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2006 (São Paulo, Brasil, 10 de maio de 2006) Diversas iniciativas gerenciais de contenção de custos

Leia mais

Impactos da redução dos investimentos do setor de óleo e gás no PIB

Impactos da redução dos investimentos do setor de óleo e gás no PIB Impactos da redução dos investimentos do setor de óleo e gás no PIB 21 Outubro 2015 1. Apresentação Diversos fatores têm impactado o crescimento econômico do Brasil desde 2014. A mudança nos preços das

Leia mais

Resultados 08 2T 07 de Agosto de 2008

Resultados 08 2T 07 de Agosto de 2008 Resultados 2T08 07 de Agosto de 2008 Comentários iniciais Marca inovadora e confiável: Viver além da tecnologia Primeiro lugar no Top of mind¹ Primeiro lugar em Awareness¹ da marca Escolhido o melhor website

Leia mais

Resultados do 1T16. Rogério Melzi Presidente Pedro Thompson Diretor Financeiro e DRI

Resultados do 1T16. Rogério Melzi Presidente Pedro Thompson Diretor Financeiro e DRI Resultados do Rogério Melzi Presidente Pedro Thompson Diretor Financeiro e DRI Captação Graduação Crescimento da captação presencial (+1,9%) Penetração FIES apenas 8,4% da captação de graduação presencial,

Leia mais

A Vigor Alimentos S.A. divulga os resultados do 3T13

A Vigor Alimentos S.A. divulga os resultados do 3T13 A Vigor Alimentos S.A. divulga os resultados do 3T13 São Paulo, 12 de novembro de 2013 - A Vigor Alimentos S.A. (BM&FBovespa: VIGR3) anuncia hoje os resultados do terceiro trimestre de 2013 (3T13). As

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 14 de maio de 2012 - A Unidas S.A. anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário.

Leia mais

3T11 Resultados do 4T10

3T11 Resultados do 4T10 0 APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS 3T11 Resultados do 4T10 1 Aviso importante Esta apresentação contém declarações e informações prospectivas a respeito da General Shopping. Estas declarações e informações

Leia mais

RODRIGO BACELLAR. Diretor-Presidente da Odontoprev

RODRIGO BACELLAR. Diretor-Presidente da Odontoprev RODRIGO BACELLAR Diretor-Presidente da Odontoprev 02 Índice 1 A OdontoPrev 2 Potencial de crescimento pela baixa penetração 3 Vantagens competitivas e estratégicas 4 Desempenho financeiro e operacional

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: 04542000 Tel: (11) 30737400 Fax: (11) 30737404

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Área de Insumos Básicos Seminário sobre Petróleo e Gás APIMEC RIO Agosto/2012 BNDES Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

Apresentação Unidas. Agosto 2014

Apresentação Unidas. Agosto 2014 Apresentação Unidas Agosto 2014 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 2ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013

BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013 BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013 Novo padrão de consumo Mar 00 Sep 00 Mar 01 Sep 01 Mar 02 Sep 02 Mar 03 Sep 03 Mar 04 Sep 04 Mar 05 Sep 05 Mar 06 Sep 06 Mar 07 Sep 07 Mar 08

Leia mais