CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) NO MARKETING MARKETING NO MERCADO GLOBALIZADO LEANDRO PECONICK MENDONÇA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) NO MARKETING MARKETING NO MERCADO GLOBALIZADO LEANDRO PECONICK MENDONÇA"

Transcrição

1 CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) NO MARKETING MARKETING NO MERCADO GLOBALIZADO LEANDRO PECONICK MENDONÇA RIO DE JANEIRO 2004

2 LEANDRO PECONICK MENDONÇA CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) NO MARKETING Monografia apresentada como exigência do curso de Marketing no Mercado Globalizado de Pós-Graduação Orientador: Profº Celso Sanches

3 SUMÁRIO Introdução Capítulo I Os Novos Paradigmas do Marketing Como as cibercompras estão mudando o modo como os consumidores obtém bens e serviços? Como será o comportamento de compra e vendas nas empresas Como as empresas podem vencer no ciberespaço Como o marketing mudará com o cibermarketing O marketing one to one Definir a estratégia one to one Capítulo II Instrumentos de Marketing de Relacionamento Definição e planejamento do modelo de relacionamento Redesenho dos processos de atendimento do cliente Seleção da solução Implantação da tecnologia de CRM Soluções de CRM Capítulo III Estudos de Casos Conclusão... 28

4 Dedicatória Dedico este trabalho por quem sempre me impulsionou na vida me dando os melhores instrumentos que um ser humano pode ter, devo a eles tudo que fiz, que sou e serei por toda minha vida. Essas maravilhosas pessoas são os que colocaram nesse mundo, onde tenho o imenso prazer de ser parecido e contemplado por ser filho de Walter Furtado de Mendonça e Marília Peconick Mendonça, meus pais que tanto adoro e me deram força nesse curso que concluo com bravura.

5 Agradecimentos: Agradeço a todos meus colegas, que nesse tempo todo em que estive com eles, dividi momentos marcantes em minha vida, trocando idéias, aprendendo, ensinando, obtendo novos conhecimentos, fazendo network, dedico também aos meus professores que com todo talento e maestria mostraram o melhor e passaram o conhecimento para quem pretende ser um profissional de marketing ou pelo menos conhecer mais do assunto. Também ao meu orientador o professor Celso Sanches, que me informou e ensinou formas de estudos e como se apresentar e colocar informes e conteúdo em um trabalho. E finalmente, agradeço imensamente a minha namorada Rejane Ribeiro, que com toda dedicação, me ajudou a digitar e estudar para a realização desse trabalho e com muita força de vontade me impulsionou a fazer o melhor. Obrigado a todos.

6 INTRODUÇÃO Estamos vivendo uma nova era de concorrência e competição dentro de um novo ambiente globalizado. A concorrência que cresce não só entre adversários tradicionais em mercados tradicionais, mas também com novas personagens em nichos ou setores específicos de negócios. E isso é resultado da desintegração das fronteiras e da abertura dos mercados antes protegidos. As empresas já não podem ficar confiantes em sua participação de mercado e em sua posição competitiva, pois a concorrência pode vir inesperadamente de qualquer setor e de qualquer tipo de organização, pois as fusões e aquisições alteram a relação de força existente no mercado. Esse cenário coloca as empresas ante oportunidades sem precedentes para conquistar novos mercados. Paradoxalmente, porém, os mercados tradicionais estão mudando velozmente, diminuindo ou tornando-se extremamente competitivos. Enquanto as margens caem, cresce a demanda por produtos de maior qualidade e com preços menores. Adicionalmente, os clientes exigem, e estão obtendo, cada vez mais serviços na forma de valor agregado. O objetivo de minha monografia será o de definir o que é o CRM (Customer Relationship Management), sendo qual sua importância; colocando-o como o principal instrumento do marketing de relacionamento, analisando também suas características específicas, como podemos usá-lo e que servem para enfrentar e administrar os ciclos cada vez mais rápidos de vida dos produtos e acelerar seu processo de decisão no intuito de impactar seu mercado favoravelmente. Inicialmente, enfatizarei o marketing integrado à tecnologia de informática, que é inevitável e urgente para recuperar o atraso das décadas de 70 e 80, quando a prioridade da informatização era dada aos processos internos da área administrativo-financeira e de produção. Essa áreas, com o poder da informação a seu lado, eram o centro de onde emergia a filosofia de administração que orientava as decisões empresariais. O conceito de CRM irá marcar profundamente o estilo de gerenciamento de vendas e marketing das empresas, que estão sendo repensados para que se obtenha o comprometimento de todos os empregados no atendimento ao cliente e para aumentar a produtividade do esforço de comunicação. Empresas renomadas, como a Shell e a Embratel, já estão utilizando a solução CRM para gerenciar todo o processo de relacionamento com seus diversos públicos-alvos: clientes (pessoa física e jurídica) e os canais de distribuição.

7 A estratégia de CRM dispõe da tecnologia que permite enriquecer o relacionamento com os clientes, coletar informações sobre qualquer contato que ocorra por qualquer meio, on-line e rapidamente, da mesma forma que os dados de vendas e financeiros, e realizar as análises dos clientes de forma mais flexível. Faço um paralelo entre casos, no caso todos de sucesso e no Brasil, onde são usados solução de CRM, que estão aumentando e conquistando o pensamento e a ação de muitos executivos de marketing que já conseguem provar sua eficácia.

8 CAPÍTULO I OS NOVOS PARADIGMAS DO MARKETING Nos primeiros anos do século XXI, a sucessora da sociedade industrial a economia da informação penetrará e mudará quase todos os aspectos da vida diária. A revolução digital alterou de maneira fundamental nossos conceitos de espaço, tempo e massa. Uma empresa não necessita ocupar muito espaço; pode ser virtual e estar em qualquer lugar. Mensagens podem ser enviadas e recebidas simultaneamente. E obras como livros, música e filmes podem ser enviadas em forma de bits em vez de serem despachadas fisicamente. Atualmente há mais de cem milhões de pessoas em todo o mundo que podem se conectar à Internet. Mais de 1,5 milhão de nomes de domínios estão registrados na Internet. Estima-se que o tráfego irá dobrar a cada cem dias. O comércio eletrônico rendeu 20 bilhões de dólares em 1998 e espera-se que chegue a 327 bilhões de dólares no ano de A tecnologia e o marketing já foram considerados inimigos. A mesmice fria e impessoal da tecnologia e a peculiaridade humana do marketing pareciam estar em freqüentes brigas. Os computadores só tornariam o marketing menos pessoal; o marketing jamais aprenderia a apreciar a aparência e a essência dos computadores, banco de dados e o resto da parafernália de alta tecnologia. Na realidade o casamento entre a tecnologia e o marketing alterou consideravelmente a relação entre a empresa e o cliente e o trabalho do vendedor. Os vendedores transformaram-se em consultores de marketing. Armados com seus notebooks possuem informações vitais para auxiliar as decisões dos clientes. A Internet nos conduzirá (se não já esta conduzindo) a uma era em que a compra e a venda se tornarão mais automatizadas e convenientes. As empresas estarão conectadas umas às outras e a seus clientes em uma rede virtual perfeita. As informações fluirão pelo globo em um instante, sem custo nenhum. Os fornecedores identificarão compradores em potencial, e compradores terão facilidade em identificar os melhores fornecedores e produtos. As distâncias e o tempo, que eram grandes barreiras

9 no passado, encolherão de maneira indescritível. Comerciantes que continuarem a vender de maneira antiga desaparecerão paulatinamente de cena. A quantidade de informações produzidas pela Internet diariamente sobre os mais diversos assuntos são uma pequena amostra da velocidade do mundo moderno. O executivo dos dias de hoje dedica parte de seu tempo para acessar, ler e absorver estas informações; sob ameaça de ficar atrasado em relação a concorrência e por conseqüência aos consumidores. Se há poucos anos atrás deter informação era um sinal de poder, hoje com tantas fontes geradoras de notícias o segredo do sucesso é priorizar e reagir no menor espaço de tempo possível. Os profissionais de marketing terão que repensar as bases dos processos pelos quais identificam, comunicam e fornecem valor para o cliente. Necessitarão melhorar suas habilidades de gerenciamento de clientes e aliados individuais e envolver seus clientes no ato de co-projetar seus produtos desejados. 1.1 Como as cibercompras estão mudando o modo como os consumidores obtêm bens e serviços Livros, música, vídeos e softwares Atualmente os consumidores podem acessar lojas virtuais como Amazon, Barnes & Noble ou CDnow ou ainda a venda por sites específicos como Submarino, Saraiva entre outros para procurar livros, músicas, vídeos e softwares específicos. Esses são produtos essencialmente da informação. Os consumidores podem verificar as novidades e até mesmo receber recomendações automatizadas baseadas em suas compras anteriores ou perfil de interesse ou naquilo que outros com perfis de compra semelhantes vêm comprando. Os preços são geralmente mais baixos que os cobrados por livrarias e lojas de discos, já que essas lojas virtuais não mantêm grandes estoques nem precisam alugar pontos de venda. Além disso, balconistas e vendedores de lojas são profissionais cada vez mais escassos e malinformados, enquanto as melhores informações sobre esses produtos estão disponíveis na Internet. Porém, os consumidores têm que acrescer o custo de entrega postal nos casos em que não buscam os produtos eles mesmos. Amanhã, entretanto, muitos livros, músicas, vídeos e softwares não serão produzidos na forma física, mas serão simplesmente baixados para o computador ou a televisão do

10 consumidor. Em vez de produzir, embalar e despachar átomos, os fornecedores transmitirão bits a um custo substancialmente menor. Vestuário Cada vez mais lojas de roupas, como a Gap e a The Limited, estão aparecendo na Internet, através da qual as famílias podem encomendar peças de vestuário. No futuro, muitos fabricantes de roupas oferecerão itens customizados de massa com base nas preferências dos clientes em relação a tamanhos, cores e tecidos. Jornais e notícias Um número crescente de consumidores está recebendo notícias on-line, em sites como os da Globo, Sbt, O dia, Lance, Folha de São Paulo, Jornal do Comércio, Folha Dirigida entre outros. 1.2 Como será o comportamento de compra e venda nas empresas As empresas tradicionalmente realizavam suas compras por meio de compradores profissionais que verificavam catálogos, ligavam para fornecedores e tentavam negociar condições mais vantajosas. Os agentes de compras modernos estão agora agregando ferramentas virtuais para aumentar suas possibilidades de compra. A Internet oferece a eles muito mais informações do que jamais tiveram. Podem procurar com maior facilidade os melhores fornecedores e verificar sua classificação de crédito e seu histórico. Logo emergirão na Internet provedores intermediários de informações, oferecendo coleta de informações e a avaliação de diferentes fornecedores mediante uma pequena taxa. 1.3 Como as empresas podem vencer no ciberespaço

11 Acreditamos que a revolução da informação e o ciberespaço modificarão significativamente o cenário do marketing e alterarão o destino de diversos participantes no processo de fornecimento de valor. Os consumidores de hoje se deparam com mais maneiras de obter um bem ou serviço que em qualquer outro momento da história. A concorrência entre canais de venda está cada vez mais acirrada. Acreditamos que os canais eletrônicos sobrepujarão os canais varejistas. Comecemos por examinar a gama de canais de venda disponível para o comprador que deseja adquirir um laptop. Eis aqui as cinco alternativas principais: 1- Canal varejista. O comprador pode visitar uma loja, como a Circuit City ou a CompUSA, que venda uma ou mais marcas de laptop. Esse canal oferece a vantagem de permitir ao comprador ver e trocar cada marca e obter informações e aconselhamento do vendedor. Tem a desvantagem de lhe impor custos de deslocamento e dispêndio de tempo, e os preços normalmente são mais elevados que os que poderiam ser encontrados em outros canais. 2- Canal de catálogo. O comprador pode examinar catálogos de alguns revendores de produtos eletrônicos por catálogo, como a Microcomputers Warehouse ou a J&R Computer World. Os catálogos trazem a descrição e o preço de diversos laptops. O comprador pode telefonar gratuitamente e fazer seu pedido. Empresas de vendas por catálogo venderam mais de 51 bilhões de dólares em mercadorias em O canal de catálogo possui diversas vantagens: praticidade; serviço de atendimento telefônico 24 horas por dia, sete dias por semana; escolha de software pré- instalado, normalmente, um preço menor do que se o laptop fosse comprado em uma loja varejista. O preço é menor porque a empresa de vendas por catálogos não precisa alugar pontos-de-venda, manter estoque elevados nem cobrar taxas sobre vendas para outros estados. 3- Canal de TV de compras em domicílio. O comprador poderá ver a oferta de um laptop em um canal de compras pela TV e fazer um pedido. Esse canal permite a demonstração do produto, facilidade de encomenda e possivelmente um preço menor. Tem a desvantagem de

12 mostrar apenas uma marca e um preço que deverá ser aceito naquele momento, sem permitir tempo para comparação com outros produtos. 4- Canal direto com o fabricante. O comprador poderá visitar a página de uma empresa de marketing direto como a Dell Computer e encomendar um modelo com todo o software desejado já instalado. A Dell Computer atualmente vende mais de três milhões de dólares em computadores Dell por dia pela Internet, sem contar as vendas por telefone. Esse canal direto oferece computadores a um preço menor que os de marcas comercializadas principalmente por varejistas e com o software escolhido pelo comprador já instalado. Tem a desvantagem de o comprador ver apenas uma marca de apenas um fabricante de cada vez. 5- Canal de intermediação eletrônica. O comprador pode ir à página de um intermediário de informação que apresente e compare todas as características e todos os preços de todas as marcas disponíveis e indique onde podem ser adquiridas pelos menores preços. O intermediário eletrônico pode ter como fonte de receita anunciantes, assinaturas ou uma taxa de utilização. O efeito desse canal é reduzir os preços dos fabricantes, proporcionar economia para o cliente e ao mesmo tempo gerar lucro para o intermediário. Há uma quase certeza generalizada de que os canais eletrônicos desviarão os negócios dos canais baseados em lojas em muitos setores de bens e serviços. Estes estão crescendo em consonância com a taxa normal de crescimento populacional digamos, dois por cento -, enquanto canais não baseados em lojas estão crescendo a uma taxa de dois dígitos. Mercados eletrônicos oferecem para o comprador muitas vantagens ausentes nas compras feitas em lojas. As principais são: Estão disponíveis a qualquer hora do dia ou da noite. Não é necessário dirigir, estacionar e entrar em uma loja, economizando-se assim tempo e dinheiro.

13 O preço é potencialmente menor As principais desvantagens dos canais eletrônicos são: A espera para receber o(s) item(ns) encomendado(s) é no mínimo de um dia, e pode ser bastante longa. Não é possível tocar nem sentir a mercadoria antes de comprar. Sem dúvida a Internet tem um papel relevante na disseminação das informações. Entretanto, o que surpreende é a velocidade com que as coisas mudam na própria rede. Além da evolução característica do mercado de informática, que tornam máquinas lançadas há um ano em exemplos de obsolescências, o surgimento de novos softwares plug-ins permite que a dinâmica e a disponibilização das informações na rede mudem a cada dia. Shockwave, Real Audio, VRML, Active X e outros nomes esquisitos incorporam-se rapidamente ao vocabulário dos internautas. 1.4 Como o marketing mudará com o cibermarketing Atividades de marketing Marketing tradicional Cibermarketing Propaganda Prepara material impresso, Insere informações em vídeo ou em áudio e abrangentes na pg. utiliza meios de comunicação Web da empresa e tradicionais, como televisão, compra banners em rádio, jornais e revistas. outros sites.

14 Normalmente apenas as informações bastante limitadas podem ser apresentadas. Serviços a clientes Oferece serviço cinco dias Oferece respostas e por semana, oito horas por dia, serviços 7 dias p/ sem., na loja ou pelo tel. em resposta 24 H p/ dia; envia a ligações de clientes; oferece soluções por tel., fax ou visitas às instalações dos ; mantém diálogos clientes para manutenção ou on-line e resolve problemas consertos. a distância por meio de diagnósticos virtuais. Vendas Visita ou telefona para Realiza videoconferências clientes potenciais e com clientes potenciais e efetivos e demonstra o demonstra o produto na produto fisicamente ou tela do computador. por meio de equipamento de projeção. Pesquisa de mercado Utiliza entrevistas individuais Utiliza grupos de discussão E em grupo e pesquisas pelo para conversas. Além Correio ou por telefone. disso, utiliza entrevistas e Questionários via O marketing one to one

15 O porquê da mudança do marketing de massa para o marketing one-to-one vem agora mostrar que a tecnologia já oferece as condições para alcançar o objetivo: lidar de forma diferente com os diversos clientes. A concorrência tradicional entre as empresas baseia-se na exploração de mercados de consumidores indiferenciados. Mas, cada vez mais, a tendência é para atrair clientes individuais e identificáveis em nichos de mercado mais restritos. O computador e sistemas de informação eficientes são os principais instrumentos desta mudança, que permitem a focalização em cada cliente e nas interações individuais. De fato, a tecnologia da informação cria três competências nas empresas: Base de dados Permite distinguir cada cliente e considerá-lo individualmente; Interatividade O cliente pode agora comunicar diretamente com a empresa em vez de ser apenas o alvo passivo das suas mensagens; Tecnologia Permite, de uma forma rotineira, adequar os produtos e serviços da empresa a cada um dos clientes. É a combinação destes três fatores que permite à empresa mostrar ao cliente que o conhece, que se lembra dele e que tem capacidade para adequar a sua oferta às necessidades por ele demonstradas. Este feedback tem o potencial de tornar os clientes leais ao novo tipo de marketing one-to-one, estratégia que exige uma gestão individual dos clientes, em vez de apenas gerir produtos, canais de distribuição ou até o simples crescimento da cota de mercado. Os clientes são diferentes, fundamentalmente, porque necessitam de diferentes produtos ou serviços da mesma empresa e porque, individualmente, têm diferente valor de existência para esta medida através do indicador lifetime value (LTV) a tendência esperada de lucros futuros, custos e transações. No entanto, o lucro obtido de um cliente não provém apenas do valor das suas compras, mas também das referências que este pode dar acerca das suas preferências ou das de outros consumidores, bem como da ajuda da criação de novos produtos ou serviços. Identificar o que os diferentes consumidores necessitam envolve muito mais do que o simples registro daquilo que cada um adquiriu a sua empresa. Há que saber as diferentes razões

16 que levaram dois clientes a adquirir o mesmo produto, após o que a empresa pode vender-lhes mais, aumentando o valor dos clientes. Quase todos os negócios têm uma minoria de clientes de que advém a maioria do lucro. São estes clientes, entendidos como a base da atividade da empresa, que esta terá de manter leais. Uma vez identificados, é necessário manter o diálogo para poder identificar as necessidades constantes. Isto pode ser conseguido através de páginas na internet que criem interação entre a empresa e os consumidores, contato direto por telefone, cartões de garantia dos produtos, entre outros. O importante é individualizar o cliente e incluí-lo numa base de dados que possa ser objeto de fácil consulta, conforme assinala Don Peppers para a home page: Definir a estratégia one-to-one: Dependendo da maior ou menor diversidade da base de clientes, a estratégia competitiva da empresa será baseada em marketing de massas, de nicho, focalizado em determinados alvos, ou de qualquer outro tipo. Se o seu negócio se dirige a consumidores com variados gostos e preferências (por exemplo, uma livraria), vale a pena diferenciar primeiro o seu produto consoante as necessidades dos consumidores. Quanto maior é a diferença entre as preferências dos consumidores, maior será o benefício em oferecer uma grande variedade de produtos. Qualquer negócio pode ser esquematizado numa matriz de diferenciação de consumidores, na qual se combinam as seguintes variáveis: diferenciação dos valores de cada cliente para a empresa tem que se adaptar ao potencial de base dos seus clientes, gerindo fundamentalmente duas competências, que podem também ser contrapostas numa matriz, consoante a sua maior ou menor flexibilidade: Flexibilidade da produção, logística e distribuição; Flexibilidade de comunicação com os clientes. A partir da sobreposição das matrizes será escolhida a melhor estratégia, pois assim podem comparar-se as características da empresa com a dos clientes e o grau de adaptabilidade entre elas.

17 CAPÍTULO 2 INSTRUMENTOS DE MARKETING DE RELACIONAMENTO Para competir em tempo real, é preciso dotar a empresa de meios que permitam conhecer e relacionar-se de forma mais produtiva com os clientes. Esses meios integrados deram origem a um novo conceito, chamado CRM Customer Relationship Management (Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente), definindo como um conjunto de conceitos, construções e ferramentas compostas por estratégica, processo, software e hardware. Os primeiros softwares de CRM foram lançados no início da década de 90 e, desde então, estão sendo cada vez mais adotados, devido à crescente conscientização de que, para manter a competitividade, é fundamental conhecer o cliente profundamente e ter os recursos para atender a sua demanda, entregar valor extra e serviços agregados, antes, durante e após a venda. Um dos grandes autores de livros de marketing de relacionamento, Vavra considera o pós-venda como um dos principais fatores para a lealdade dos clientes. A mudança mais significativa encontra-se no canal de comunicação, na qual o telemarketing torna-se parte importante dos instrumentos de marketing. O Call Center tranforma-se num canal de relacionamento, denominação que foi sugerida para Call Center para assumir funções mais amplas no contexto do CRM, quebrando a hegemonia dos vendedores como principais agentes da atividades de construir e manter o relacionamento com o clientes. A venda pessoal passa então a ser conceituada como a apresentação promocional de vendas conduzida face a face, pelo telefone, pela Internet, por videoconferência, ou por meios eletrônicos interativos entre vendedor/atendente e comprador. Dessa forma, a verdadeira vantagem competitiva surge quando o Canal de Relacionamento está apto a atender aos clientes, o mais rápido e prático possível, por telefone, Internet, ou qualquer outro meio focalizado em suas necessidades antes, durante, e após a venda, e entregando soluções customizadas, isto é, adaptadas ao cliente como norma e não como exceção. Para isso, devem existir profissionais treinados em técnicas de negociação e relacionamento interpessoal, que prestam

18 informações sobre a empresa, sobre os produtos, resolvem qualquer problema na primeira chamada e ainda conseguem oferecer ao cliente exatamente o que lhe interessa. O conceito de CRM irá marcar profundamente o estilo de gerenciamento de vendas e marketing das empresas, que estão sendo repensados para que se obtenha o comprometimento de todos os empregados no atendimento ao cliente e para aumentar a produtividade do esforço de comunicação. Empresas renomadas, como a Shell, e a Embratel, já estão utilizando a solução CRM para gerenciar todo o processo de relacionamento com seus diversos públicos-alvo: clientes (pessoa física e jurídica) e os canais de distribuição. CRM CRM é o marketing que utiliza banco de dados como uma ferramenta poderosa para conhecer para conhecer os hábitos e necessidades dos clientes e prospects, possibilitando construir um relacionamento one to one com cada um deles em todas as etapas: conquista, estímulo; manutenção; fidelização e recuperação. A utilização dos produtos e serviços gerados pela tecnologia da informação não só altera a forma de administrar a empresa e seus processos internos, mas também, o ambiente no qual ela opera: a atuação da concorrência e o estilo de vida, necessidades e preferências de seus clientes. A tecnologia da informação influencia profundamente a maneira de pensar e fazer negócios, pois possibilita que a empresa implante uma estratégia de gerenciamento do relacionamento como cliente, adotando definitivamente o marketing de relacionamento. Essa mudança vem sendo obtida com o uso mais intensivo da tecnologia da informação, que, desde meados de 1980, se torna mais barata e disponível. Esse fato foi o verdadeiro acelerador e facilitador para que a empresa pudesse coletar e reunir um grande conjunto de dados, num fluxo de informação sistemático sobre os clientes e o mercado. Isso permitiu que as empresas reagissem ao mercado competitivo, transformando essas informações em grandes tendências, em conhecimento do comportamento de compra do cliente, para reduzir custos, principalmente das malas diretas, desenvolver novos produtos e agregar serviços, num esforço gigantesco para obter a diferenciação em relação aos concorrentes.

19 A estratégia de CRM dispõe da tecnologia que permite enriquecer o relacionamento com os clientes, coletar informações sobre qualquer contato que ocorra por qualquer meio, on-line e em tempo real, da mesma forma que os dados de vendas e financeiros, e realizar as análises dos clientes de forma mais flexível. CRM é um dos métodos mais sofisticados e eficientes, que transformam a maneira como as empresas podem aumentar a rentabilidade dos clientes atuais. Além disso, o uso da Internet como canal de relacionamento e de vendas, é amplamente facilitado e viabilizado por este novo método, que ainda praticado por poucas empresas, porém cujos resultados são largamente compensadores em clientes mais leais, maior satisfação a marca, e um nível de proximidade nunca antes experimentado Customer Relationship Management ou Gerenciamento do Relacionamento, como o próprio nome indica é a integração entre o marketing e a tecnologia da informação para prover a empresa de meios mais eficazes e integrados para atender, reconhecer e cuidar do cliente, em tempo real e transformar estes dados em informações que, disseminadas pela organização, permitem que o cliente seja conhecido e cuidado por todos e não todos e não só pelas operadoras do Call Center. O CRM é a combinação da filosofia do marketing de relacionamento, que ensina a importância de cultivar os clientes e estabelecer com o, mesmo, um relacionamento estável e duradouro através do uso intensivo da informação, que provê os recursos de informática e telecomunicações integrados de uma forma singular, que transcende as possibilidades dos Call Centers atuais. CRM é mais do que tecnologia. É principalmente uma decisão estratégica Diz a professora Miriam Bretzke, Ph.D. Assim, as empresas cada vez reconhecem a importância da estratégia de CRM para conquistar um diferencial competitivo a longo prazo. Porém, para que não seja mais um modismo, é preciso compreender que CRM é uma estratégia que possui raízes no marketing de relacionamento e impacta a gestão da empresa, principalmente no que se refere ao relacionamento com os clientes e a infra-estrutura da indústria, que passa a ser em tempo real. No marketing, as ações e decisões referentes ao cliente atual e potencial precisam estar fortemente alicerçadas em informações que agilizem e otimizem todo o processo de vendas e atendimento. As informações de relacionamento precisam ser compiladas ou recuperadas no momento

20 em que o contato entre a empresa e o cliente está ocorrendo para que se possa conhecer e reconhecer o cliente e desta forma direcionar produtos, serviços e ofertas completamente ajustadas a ele, que assim estará disposto a estabelecer a preferência pela marca, repetir a compra e inclusive pagar mais para obter o valor agregado que lhe é oferecido. Pra isso, é preciso fazer uso intensivo da tecnologia da informação, notadamente do Database Marketing. A implantação do CRM está assentada sobre dois pilares: - Um processo de trabalho orientado para o cliente que permeia e é compartilhado por toda a empresa; - O uso intenso da informação do cliente, suportado pela informatização de vendas, marketing e serviços. Como o CRM está sendo divulgado no mercado pelos fornecedores de tecnologia, nota-se uma ênfase muito grande na solução da informatização do Call Center. Como a maioria das empresas no Brasil ainda não têm uma cultura do uso da informação com database integrado, existe a tendência de implantar a solução parcialmente, desperdiçando a grande oportunidade de voltar a empresa para o cliente e iniciar a prática efetiva do marketing de relacionamento. Um dos maiores erros que ocorre nos projetos de CRM, e que leva inevitavelmente à subutilização dessa técnica, é iniciar a implantação pela seleção da solução e pela compra do hardware, como se esta decisão fosse resolver todos os problemas da empresa. Normalmente, a empresa investe somas significativas de recursos, porém não o suficiente e nem onde deveria para promover a mudança cultural e organizacional que é necessária para competir. Os principais passos para uma implantação bem sucedida são: 1- Definição e Planejamento do Modelo de Relacionamento: Começa-se definindo como o cliente será tratado, quais os eventos de relacionamento que gerarão resposta, e em que tempo, e como o plano de comunicação deverá ser desenvolvido para construir o relacionamento e fazer a entrega de valor proposta pela estratégia competitiva da empresa. Esta etapa é importante pois a especificação e customização dos softwares de CRM e o redesenho dos processos dependem dessa definição. Nessa etapa, é indispensável o envolvimento da alta direção, pois implica numa série de decisões que determinarão uma mudança de postura em relação ao cliente,

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Trata-se de uma estratégia de negócio, em primeira linha, que posteriormente se consubstancia em soluções tecnológicas.

Trata-se de uma estratégia de negócio, em primeira linha, que posteriormente se consubstancia em soluções tecnológicas. CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT Customer Relationship Management CRM ou Gestão de Relacionamento com o Cliente é uma abordagem que coloca o cliente no centro dos processos do negócio, sendo desenhado

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Sistemas de Informações

Sistemas de Informações Sistemas de Informações Prof. Marco Pozam- mpozam@gmail.com A U L A 0 5 Ementa da disciplina Sistemas de Informações Gerenciais: Conceitos e Operacionalização. Suporte ao processo decisório. ERP Sistemas

Leia mais

CRM. Customer Relationship Management

CRM. Customer Relationship Management CRM Customer Relationship Management CRM Uma estratégia de negócio para gerenciar e otimizar o relacionamento com o cliente a longo prazo Mercado CRM Uma ferramenta de CRM é um conjunto de processos e

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas 2010 0 Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas É necessário o entendimento de como os produtos chegam

Leia mais

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico Apostila Comércio Eletrônico e-commerce Professor: Edson Almeida Junior Material compilado por Edson Almeida Junior Disponível em http://www.edsonalmeidajunior.com.br MSN: eajr@hotmail.com E-Mail: eajr@hotmail.com

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

Programas de Comunicação Interativa

Programas de Comunicação Interativa Prof. Edmundo W. Lobassi O final do século XX marca uma nova configuração econômica no mundo. A globalização obriga o mercado a posicionar-se de forma diferenciada e esse fato exige, dos anunciantes e

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Professor Wagner Luiz Aula - Como obter sucesso em uma implementação de CRM e o Processo da Comunicação. Março de 2014 São Paulo -SP Call Center & CRM 2007 CRM: do

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II Atividades Gerenciais de MKT Produto Testar Novos Produtos; Modificar Atuais; Eliminar; Política de Marcas; Criar Satisfação e Valor; Embalagem. 2 1 Atividades Gerenciais

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Sistemas de Apoio Prof.: Luiz Mandelli Neto Sistemas de Apoio ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Mapa de TI da cadeia de suprimentos Estratégia Planejamento Operação

Leia mais

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

CONQUISTAR E MANTER CLIENTES

CONQUISTAR E MANTER CLIENTES 1 CONQUISTAR E MANTER CLIENTES Historicamente, o marketing se concentrou na atração de novos clientes. O pessoal de vendas era mais recompensado por achar um novo cliente do que por prestar muita atenção

Leia mais

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Conceitos Por que eu preciso deste curso? Não sou de TI Sou de TI conteúdo utilizado exclusivamente para fins didáticos 2 Não sou

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

FIDELIZAÇÃO: DICAS PARA SEUS CLIENTES VOLTAREM E COMPRAREM MAIS

FIDELIZAÇÃO: DICAS PARA SEUS CLIENTES VOLTAREM E COMPRAREM MAIS Como conquistar e manter clientes Marketing de Relacionamento Visa a orientar como utilizar as ferramentas do marketing de relacionamento para aumentar as vendas e fidelizar clientes. Público-alvo: empresários

Leia mais

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice 2 Índice Introdução... 3 Passo 1 Entender o que é Venda Online e E-commerce... 4 Passo 2 Entender o Mercado de Comércio Eletrônico... 5 Passo 3 Canais de Venda... 6 Passo 4 Como identificar uma Boa Plataforma

Leia mais

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Sistemas web e comércio eletrônico Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Tópicos abordados Arquitetura do e-commerce Aspectos importantes do e-commerce Modelos de negócios Identificação do modelo

Leia mais

CRM Customer Relationship Management

CRM Customer Relationship Management CRM Customer Relationship Management C R M : DEFINIÇÃO TEÓRICA NO PASSADO CONHECÍAMOS NOSSOS CLIENTES PELO NOME, ONDE VIVIAM, QUE TIPO DE PRODUTOS NECESSITAVAM, COMO SERIAM ENTREGUES, COMO QUERIAM PAGAR

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce...

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce... Sumário Bleez Agência Digital... 3 Quem sou eu... 4 Introdução... 5 Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7 Quem está comprando no ecommerce... 10 Por que os brasileiros estão comprando mais... 12 O

Leia mais

MARKETING MARKETING TRADICIONAL MARKETING ATUAL DEVIDO AO PANORAMA DO MERCADO, AS EMPRESAS BUSCAM: ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE CLIENTES

MARKETING MARKETING TRADICIONAL MARKETING ATUAL DEVIDO AO PANORAMA DO MERCADO, AS EMPRESAS BUSCAM: ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE CLIENTES MARKETING Mercado Atual Competitivo Produtos / Serviços equivalentes Globalizado Conseqüências Infidelidade dos clientes Consumidores mais exigentes Desafio Conquistar clientes fiéis MARKETING TRADICIONAL

Leia mais

Gestão do Atendimento e Relacionamento com o Cliente. Prof. Fernando Paixão UCB 2012 Unidade 02 e 03

Gestão do Atendimento e Relacionamento com o Cliente. Prof. Fernando Paixão UCB 2012 Unidade 02 e 03 Prof. Fernando Paixão UCB 2012 Unidade 02 e 03 Marketing de Relacionamento C.R.M. Custumer Relationship Management Marketing de Assiduidade Programa de milhagens Benefício financeiro Brinde por utilização

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Personalização na Internet Como Descobrir os Hábitos de Consumo de seus Usuários, Fidelizá-los e Aumentar o Lucro de seu Negócio

Personalização na Internet Como Descobrir os Hábitos de Consumo de seus Usuários, Fidelizá-los e Aumentar o Lucro de seu Negócio Personalização na Internet Como Descobrir os Hábitos de Consumo de seus Usuários, Fidelizá-los e Aumentar o Lucro de seu Negócio Roberto Torres Novatec Editora 23 Capítulo 1 O que é Personalização? Este

Leia mais

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes?

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes? Escola Superior de Gestão e Tecnologia Comércio eletrônico Mercados digitais, mercadorias digitais Prof. Marcelo Mar3ns da Silva Objetivos de estudo Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as

Leia mais

Aula 03 Gestão de Marketing

Aula 03 Gestão de Marketing Aula 03 Gestão de Marketing Análise SWOT, Segmentação de Mercado e Mix de Marketing Prof. Marcopolo Marinho Prof. Esp. Marcopolo Marinho Segmentação é a identificação sistemática de conjuntos e subconjuntos

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com.

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com. Tactium Tactium CRManager CRManager TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades 1 O TACTIUM CRManager é a base para implementar a estratégia de CRM de sua empresa. Oferece todo o suporte para personalização

Leia mais

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO MRKETING DESENVOLVIMENTO HUMNO MRKETING rte de conquistar e manter clientes. DESENVOLVIMENTO HUMNO É a ciência e a arte de conquistar e manter clientes e desenvolver relacionamentos lucrativos entre eles.

Leia mais

Eficiência Operacional. Maximizar os relacionamentos. Foco estratégico. Novo foco estratégico

Eficiência Operacional. Maximizar os relacionamentos. Foco estratégico. Novo foco estratégico Estratégias de Relacionamento com clientes Marcelo Amorim Panorama Atual Agenda Tendências, Desafios e Globalização Sindrome da caixa de água Relacionamento com Clientes Gerenciamento de Riscos Novas tendências

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Redesenhando a forma como empresas operam e envolvem seus clientes e colaboradores no mundo digital. Comece > Você pode construir de fato uma

Leia mais

Vantagens Competitivas com CRM

Vantagens Competitivas com CRM CRM CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT Gestão do Relacionamento com o Cliente 1 Prof. Ms. Claudio Benossi www.benossi.com.br claudio@benossi.com.br 2 Reflexão sobre o Marketing 3 4 Marketing de Massa Anos

Leia mais

NCR CONNECTIONS. CxBanking

NCR CONNECTIONS. CxBanking CxBanking NCR CONNECTIONS Nossa soluc a o multicanal permite aos bancos implementar rapidamente servic os empresariais personalizados em canais fi sicos e digitais. Um guia de soluções da NCR Visão geral

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA Capítulo 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES

PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES ALUNO RA: ASSINATURA: DATA: / / AS RESPOSTAS DEVERRÃO SER TOTALMENTE MANUSCRITAS Prof. Claudio Benossi Questionário: 1. Defina o que é Marketing? 2. Quais são

Leia mais

Capítulo 5 Sistemas de Informação para Vantagem Estratégica

Capítulo 5 Sistemas de Informação para Vantagem Estratégica Capítulo 5 Sistemas de Informação para Vantagem Estratégica SEÇÃO I: Fundamentos da Vantagem Estratégica Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que

Leia mais

SIAC SISTEMA ITAUTEC DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL

SIAC SISTEMA ITAUTEC DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL SIAC SISTEMA ITAUTEC DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL O SIAC é a solução integrada de automação comercial da Itautec para frente de loja. Um sistema que integra toda a área de vendas, fazendo com que a loja trabalhe

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET. Disciplina: NEGÓCIOS NA INTERNET

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET. Disciplina: NEGÓCIOS NA INTERNET TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Disciplina: NEGÓCIOS NA INTERNET Inovação em Modelo de Negócio Fonte: (OSTERWALDER, 2011) Modelo de negócios Descreve a lógica de criação, entrega e captura de valor

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Sistemas. ções Gerenciais

Sistemas. ções Gerenciais Sistemas Como elaborar seu currículo? de Informaçõ 04/2006 ções Gerenciais Um currículo bem feito não garante sua contratação mas um currículo mal elaborado elimina-o do processo seletivo. Novas Tecnologias...

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO CRM NAS GRANDES ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS

A IMPORTÂNCIA DO CRM NAS GRANDES ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS ISSN 1984-9354 A IMPORTÂNCIA DO CRM NAS GRANDES ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS Marcelo Bandeira Leite Santos (LATE/UFF) Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância

Leia mais

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente.

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. As interações com os clientes vão além de vários produtos, tecnologias

Leia mais

Varejo virtual ERA DIGITAL. por Tânia M. Vidigal Limeira FGV-EAESP

Varejo virtual ERA DIGITAL. por Tânia M. Vidigal Limeira FGV-EAESP ERA DIGITAL Varejo virtual Ovolume de operações registrado recentemente no âmbito do comércio eletrônico atesta que a Internet ainda não chegou às suas últimas fronteiras. Vencidas as barreiras tecnológicas

Leia mais

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar as diversas estratégias competitivas básicas e explicar como elas podem utilizar a tecnologia da informação para fazer frente às forças competitivas que as empresas enfrentam.

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 09 Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos.

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. 2015 Manual de Parceiro de Educação Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. Prêmios Reais, a Partir de Agora Bem-vindo ao Intel Technology Provider O Intel Technology Provider é um programa

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

Informação estratégica

Informação estratégica IVENS CONSULT Informação estratégica Ivan Leão diretor da Ivens Consult Introdução A revolução em andamento é que a manufatura ou produção não é mais principal centro de lucro e sim a logística, os sistemas

Leia mais

Sociedade e Tecnologia

Sociedade e Tecnologia Unidade de Aprendizagem 15 Empresas em Rede Ao final desta aula você será capaz de inovações influenciam na competitividade das organizações, assim como compreender o papel da Inteligência Competitiva

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

A verdade simples é que toda experiência do cliente é determinada pelo modelo de gerenciamento do relacionamento,

A verdade simples é que toda experiência do cliente é determinada pelo modelo de gerenciamento do relacionamento, A ESTRATÉGIA DE CRM E A GESTÃO EMPRESARIAL ORIENTADA PARA O CLIENTE Pela Profa. Miriam Bretzke...não se pode apenas fingir que se está cuidando do cliente. É preciso cuidar mesmo. E não adianta dar passos

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

Case Livraria Saraiva: Solução de Atendimento Multicanal e Internalização da Central de Atendimento

Case Livraria Saraiva: Solução de Atendimento Multicanal e Internalização da Central de Atendimento Case Livraria Saraiva: Solução de Atendimento Multicanal e Internalização da Central de Atendimento Livraria Saraiva A Livraria Saraiva é uma empresa brasileira, fundada em 1914 e hoje é a maior livraria

Leia mais

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas.

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Autoatendimento Digital Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Oferece aos clientes as repostas que buscam, e a você,

Leia mais

SIG Capítulo 2 - Parte 2

SIG Capítulo 2 - Parte 2 Estudo de Caso: Flextronics SIG Capítulo 2 - Parte 2 Produtora de componentes para PC s, celulares e outros equipamentos Clientes como a Cisco, Dell e a Ericsson Pratica margens baixíssimas de 3% a 5%

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

Otimize o valor de tempo de vida de seus clientes

Otimize o valor de tempo de vida de seus clientes Gerenciamento de Informações dos Clientes Análise de clientes Portrait Customer Analytic Solutions Explore, compreenda e preveja o comportamento do cliente Otimize o valor de tempo de vida de seus clientes

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Tecnologia da Informação. O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO UM BREVE HISTÓRICO COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio sempre existiu desde que surgiram as sociedades. Ele é dito como o processo de comprar, vender e trocar produtos e serviços. Inicialmente praticado pelos

Leia mais

GUIA DEFINITIVO DE ERP PARA COMÉRCIO VAREJISTA

GUIA DEFINITIVO DE ERP PARA COMÉRCIO VAREJISTA GUIA DEFINITIVO DE ERP PARA COMÉRCIO VAREJISTA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> Como saber o momento certo para investir em um ERP?... 6 >> Como um sistema ERP pode me ajudar na prática?... 11 >> O que preciso

Leia mais

MARKETING NA INTERNET

MARKETING NA INTERNET MARKETING NA INTERNET HUGO HOCH CONSULTOR DE MARKETING ER. BAURU SEBRAE-SP hugoh@sebraesp.com.br Marketing na Internet O que é? o Marketing na Internet, também referido como: i-marketing, web marketing,

Leia mais

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Componentes de uma empresa Objetivos Organizacionais X Processos de negócios Gerenciamento integrado

Leia mais

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o DATABASE MARKETING No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o empresário obter sucesso em seu negócio é

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO DESIGN CRIAÇÃO AGÊNCIA USABILIDA ARKETING INTERNET SEO DIGIT CRIATIVIDADE DESDE 1999 NO MERCADO, A M2BRNET É UMA AGÊNCIA DE MARKETING DIGITAL ESPECIALIZADA EM SOLUÇÕES PERSONALIZADAS. SI ARQ Desde 1999

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais

ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS. Data: Novembro/97 No.13

ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS. Data: Novembro/97 No.13 ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS Data: Novembro/97 No.13 COMÉRCIO SEM LOJAS: O MARKETING DIRETO E AS VENDAS DIRETAS Introdução O comércio sem lojas, com os

Leia mais

Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios

Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios Relatório de pesquisa Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios Via Consulting Maio de 2009 1 Caro leitor, Gostaria de convidá-lo a conhecer o resultado de uma pesquisa patrocinada pela Via Consulting

Leia mais

Marketing de Relacionamento e CRM Dr. Manoel Veras

Marketing de Relacionamento e CRM Dr. Manoel Veras Marketing de Relacionamento e CRM Dr. Manoel Veras Introdução Os Desafios dos Negócios Nova Era Proliferação de ofertas Mercados saturados Taxas de respostas decrescentes Custos de aquisição de clientes

Leia mais